Page 1

Informativo Mensal da Associação Comercial e Empresarial de Caraguatatuba www.acecaragua.com.br | Ano 2 | Nº 17 | Março de 2014


palavra do

Diretoria PRESIDENTE: Roberto Dias das Mercês Movimento Seguros 1º VICE-PRESIDENTE: Paulo Roberto Gatto Bijos Advogado 2º VICE-PRESIDENTE: Sthenio Pierrotti Casa do Eletricista 1º SECRETÁRIO: Ari Carlos Barbosa Quiosque Canto Bravo 2º SECRETÁRIO: Sebastião Aparecido Nieto Representante Comercial 1º TESOUREIRO: Leandro Borella Barbosa Topcom Engenharia 2º TESOUREIRO: Mario Paulo Garcia Restaurante Tapera Branca DIRETOR DE SCPC: Sávio Luiz dos Santos Sorveteria Sergio DIRETOR DE PATRIMÔNIO: Antonio Alves Barbosa Auto Posto Asa Delta Conselho Deliberativo Alexandre Marçal Stringari Eduardo Morio Yoshimoto Hélio José Melo Gomes Liriane Costa Bellato Roseli Aparecida Quinetti Sidney do Nascimento Virgílio Colbert Barone Colaboraram nessa edição: Débora Mezher Di Cuollo Idésio Hideru Kashiura Priscila Trama São Pedro Jornalista Responsável Clóvis Rotth MTB 71.022 Este informativo é uma publicação mensal da ACE Caraguatatuba Rua São Sebastião, 19 - Sumaré Tel.: 3897-8822 e-mail: acecaragua@acecaragua.com.br www.acecaragua.com.br Editoração TUTTO Editoração Eletrônica Designer MTB 11.241 (11) 2468-3384 Impressão Gráfica Marpress Tiragem: 2.000 exemplares

PRESIDENTE

A palavra da 1ª Dama

E

Em muitas situações me vejo às voltas com a co-autoria de projetos do meu marido, Roberto Dias das Mercês, presidente da ACEC. Entretanto, estar responsável pela “Palavra do Presidente” na revista Interface Empresarial é algo novo para mim. Em todo caso, como mulher guerreira que sou, não fugiria do combate até porque essa atitude jamais combinaria com o perfil de qualquer mulher. Quero registrar aqui a minha profunda admiração por tantas mulheres de fibra com quem podemos nos deparar no dia a dia de Caraguatatuba, à frente de tantos negócios, que assumem seus lares, administram suas vidas, as de seus filhos, maridos, cuidam de seus pais, irmãos, irmãs e sempre mantendo o sorriso no rosto, Rosa Dias das Mercês prontas para mais uma tarefa. Primeira dama Cumprimento a todas com um enorme carinho, na certeza de não errar em nada ao fazer essa afirmação. A mulher é, por si só, um ser forte, capaz de defender com bravura sua prole ao mesmo tempo que age com doçura e instinto maternal ao lidar com situações que requerem tal postura. Sou feliz por ter nascido mulher, ter sido batizada de Rosa e me sentir uma genuína representante do gênero que faz a diferença na história da humanidade. Poderia fazer um milhão de citações, mas vou me ater a um conselho de Chico Buarque de Holanda, que resume tudo isso: “Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas”. O resto da letra nós já sabemos. Parabéns, Mulheres!

Índice

4 6 7 8 10 12 14 15 16

MULHER

Expediente

3

na Saúde

na ACE Caraguá e a vida sexual e a comunicação

em destaque e a vida profissional e a moda

nos negócios e a nutrição

ERRATA - Na edição de Janeiro publicamos esta foto com legenda errada. Trata-se de uma festa junina temática medieval do Colégio Tableau envolvendo todos os segmentos do maternal ao 3º ano do ensino médio.


4

As fases da mulher e as respectivas crises Sob a ótica do doutor Marcio Rios Medeiros, Ginecologista e Obstetra

C

mulher e a

SAÚDE

Com larga simpatia, o Dr. Marcio recebeu nossa reportagem em seu consultório, onde prontamente se dispôs a comentar sobre as crises pelas quais a mulher passa ao longo de sua existência. Em meio à explanação o conceituado ginecologista e obstetra fez questão de reiterar as inúmeras questões que rodeiam a saúde da mulher e o quanto ela deve se manter atenta às questões relacionadas à sua saúde. Para explicar o processo, Dr. Marcio dividiu a vida em quatro fases, períodos em ordem cronológica crescente, que segundo ele, são momentos em que se estabelecem as tais crises. PRIMEIRA CRISE é exatamente a da pré-adolescência, quando a menina da atualidade, é bombardeada pelos pais, pela mídia, pelas amigas, com uma série de informações acerca dos assuntos femininos, mas que nem sempre são claras o suficiente para evitar os riscos naturais da idade. É nesse momento da vida, quando chega a primeira menstruação que a

adolescente ou pré-adolescente deixa de ser menina para se transformar em mocinha, conforme afirmações populares. Instaura-se, então, que muitas vezes, por ser a primeira, é a pior crise com a qual a mulher tem que conviver. Com a alarmante precocidade do início da vida sexual, sem que o corpo esteja pro-

priamente preparado, as meninas ficam suscetíveis aos incômodos naturais e a todos os riscos que acompanham o prazer, entre eles, a gravidez e o mais perigoso, as DST’s – doenças sexualmente transmissíveis. A própria impetuosidade da idade, somada à curiosidade, a atração pelo proibido e a sensação de estar tomando as rédeas da própria vida, pode ser uma combinação que mostra que não falar sobre o assunto,

pode ser bem pior. A orientação aqui fica muito mais para pais e responsáveis para que tenham clareza e conversem abertamente com suas tuteladas, no sentido de minimizar o desconforto de ter que passar por tais dificuldades. SEGUNDA CRISE – Sem uma idade muito definida, essa fase se refere ao casamento, onde se inicia verdadeiramente uma mudança radical na vida da mulher. É o momento em que ela deixa a casa dos pais para assumir a sua casa, seu marido, seus filhos e todos os desafios pertinentes ao matrimônio. Não deixa de ser um momento esperado, encantador e na maioria das vezes, de muita felicidade e satisfação, porém, em diferentes graus de intensidade, não deixa de ser passível de uma crise interna. Por isso, a sugestão do Dr. Marcio é para que a mulher, desde que possível, preocupe-se não somente com os preparativos do enlace, mas principalmente o seu psicológico e nunca se esquecendo da saúde. TERCEIRA CRISE – Claramente, não se trata de uma ordem obrigatória, até porque elas podem ocupar lugares trocados, mas a crise em questão refere-se à gravidez. Veja


que estamos falando da maior dádiva da mulher, que é a maternidade, um acontecimento que gera uma vida e insere um novo membro na família. Entretanto, é muito mais comum do que se imagina, as depressões pós-parto. Segundo o doutor, todas as mulheres passam por isso. Algumas em maior e outras em menor escala, que podem ir de uma simples melancolia até uma profunda depressão, que dure mais tempo do que o esperado. E essa crise pode até mesmo se estender para o relacionamento com o marido e afetar também nos cuidados com si mesma. Dr. Marcio orienta para que as mamães de primeira viagem não se deixem levar pela falsa ideia de que um filho ocupa mais lugar do que deve nas vidas de seus pais, a ponto de suas mães esquecerem de seus maridos e pior, de si mesmas. QUARTA FASE – A última, porém não menos importante é a fase em que chega a menopausa. Via de regra, elas mergulham em uma sensação de não serem mais mulheres, afinal não podem mais reproduzir, já não são o que foram um dia. Bobagem! Nenhuma mulher deixa de ser o que

sempre foi, apenas são momentos diferentes a serem administrados e cada qual no seu tempo. A dica que o Dr. Marcio deixa é que as mulheres aproveitem cada fase de sua vida, sempre com muita sabedoria e esbanjando sua feminilidade, tão importante para a subsistência humana e que jamais se deixem abater pelas dificuldades que certamente farão delas muito mais especiais do que se imaginam.

5 Dr. Marcio Rios Medeiros Ginecologista e obstetra

CUIDADOS ESPECIAIS EM CADA FASE PRIMEIRA FASE: Com a possibilidade de gravidez precoce e as DST’s. SEGUNDA FASE: Com as mesmas possibilidades e mais o controle através de exames específicos, como a mamografia que deve ocorrer por volta dos 40 anos ou aos 35, nos casos de histórico de câncer na família. A periodicidade indicada é de 2 em 2 anos ou anualmente para o segundo caso. TERCEIRA FASE: Pré-natal, exames de

Ultrassonografia no 3° mês de gestação, entre outros para garantir a saúde da mãe e do bebê. No comportamento, a sugestão é para que não se esqueçam de si e de seus maridos. QUARTA FASE: Exames de Densitometria Óssea, Ultrassonografia Transvaginal, Papa Nicolau e Mamografia. No caso dos dois últimos, Dr. Marcio orienta para que sejam feitos regularmente no período estipulado pelo seu Ginecologista.


6

mulher na

ACE CARAGUÁ

A

Mulheres dominam o quadro de colaboradores da ACEC

A exemplo do que vem acontecendo no mundo todo, na Associação Comercial e Empresarial de Caraguatatuba, as mulheres estão dominando não só em número, mas em competência também. Em um quadro de 12 funcionários, 2/3 das ocupações pertencem às mulheres, que se dividem em todos os setores da entidade e desenvolvem um trabalho de muita qualidade na prestação de serviços que visam o apoio ao crescimento do comércio da cidade. Para o gerente da ACEC, Idésio Kashiura, o Budu, trabalhar com mulheres é sinônimo de esmero e perfeição na realização das tarefas a elas confiadas. “Na maioria das ocupações da Associação Comercial, poder contar com mulheres nos traz a tranquilidade de prestarmos um serviço de qualidade e muita atenção, que evita desgastes desnecessários”, afirma o gerente. Demonstrando a neutralidade com relação ao sexo e o foco na otimização dos serviços, a própria subgerência da entidade é ocupada por uma mulher, Débora Mezher Di Cuollo. A executiva é uma das gratas satisfações e cases de sucesso da ACEC, tendo crescido e galgado seu espaço ao longo da carreira. “Iniciei minha jornada na ACEC em 2002, como promotora de vendas, passei pela tesouraria e aos poucos fui conquistando meu lugar ao sol, até me tornar subgerente. Hoje defendo a as-

(atrás) Silvia, Diva, Hellen e Cibele. (frente) Graça, Priscila, Debora e Gilcelene sociação como se fosse a minha empresa e tenho um prazer muito grande em trabalhar aqui”, comemora Débora. Em meio a idas e vindas, em quase 50 anos de existência, um dos mais antigos registros de funcionário da ACEC é exatamente o de uma mulher, Diva do Prado, responsável pelo setor de SCPC – Serviço Central de Proteção ao Crédito. “São mais de 20 anos a serviço da Associação e fico muito feliz em saber que tenho contribuído todo esse tempo para que a entidade seja o grande sucesso que é”, garante Diva. Entre as outras colaboradoras, estão

Gilcelene Vaz de Oliveira Rodrigues, a Gi, e Hellen Nunes, na linha de frente do SCPC. Priscila Trama São Pedro, atua na Tesouraria, enquanto Silvia Lizabelle e Cibele Piassa, respondem pela Unimed. Além delas, a senhora Gracilia dos Santos, carinhosamente chamada de Dona Graça, é a responsável pela conservação e limpeza da associação, além de servir um café maravilhoso. Todas são, na verdade, dentes de uma engrenagem que faz com que a ACEC funcione tão bem e, declaradamente, se orgulhe em poder contar sempre com times que, em sua maioria, são femininos.


Desinteresse sexual feminino

mulher e a

VIDA SEXUAL

Q

Quando o assunto é o desejo sexual, não existe uma regra para o que é certo ou errado e independentemente de ser homem ou mulher, há pessoas que são mais ativas sexualmente, por outro lado há aquelas que sentem menos necessidade de sexo, em princípio, isso é normal. De acordo com as pesquisas brasileiras, 30% das mulheres têm dificuldade para ter orgasmo. Quando o desinteresse pelo sexo se instala por tempo prolongado e começa a incomodar a mulher, muitas vezes ela tem dificuldade de identificar o que está acontecendo. Isso ocorre, porque as causas podem ser orgânicas, psicológicas ou sociais ou combinadas. Entre os fatores orgânicos que podem contribuir para a inibição da libido da mulher estão a TPM (tensão prémenstrual) que geralmente é passageira ou estresse. Certos medicamentos, como aqueles usados em regimes alimentares e alguns antidepressivos, também podem inibir temporariamente a libido, neste caso, ela deve falar com o médico que indicou a medicação. O nascimento de um filho também deve ser levado em conta, pois as alterações hormonais que ocorrem nessa fase direcionam quase toda a sua energia para as necessidades do bebê. É uma nova fase que precisa de adaptações e de muita colaboração do parceiro. Outro fator orgânico que contribui para a inibição do desejo da mulher é a depressão pós-parto, neste caso o

médico deve ser informado. Por outro lado, quando as causas são psicológicas, nem sempre é tão simples identificá-las. Infelizmente a autoimagem negativa tem interferido bastante na autoestima de muitas mulheres na hora do sexo. O mito da eterna juventude e o culto a falsos padrões de beleza têm afetado a vida sexual de muitas mulheres que se sentem inadequadas e acreditam que o parceiro vai compará-la a outras mulheres ou às modelos das revistas. Elas esquecem ou não sabem que o prazer independe da forma do corpo ou da idade. Existem também muitos mitos com relação à maternidade, algumas pessoas têm dificuldade de associar a figura da mulher maternal com a sexual e sentem que esses papéis são incompatíveis. Por incrível que pareça, isso às vezes, também acontece de maneira inconsciente, na cabeça de alguns homens que perdem o interesse pela parceira. A mulher que tem história de abuso e violência sexual também sofre consequências na vida íntima. Nesses casos, é aconselhável buscar ajuda terapêutica para que ela aprenda a dissociar uma experiência desagradável vivida no passado, da vida sexual saudável a que ela tem direito. Educação repressora é outro fator que em grande parte das vezes contribui bastante para a falta de desejo, pois muitas mulheres não se acostumaram a pensar no aspecto prazeroso do sexo, não aprenderam a conhecer o próprio corpo e não se permitem explorar as diversas formas de se dar prazer. Por achar que é pecado, feio ou que não é necessário, elas não se preparam para uma

vida sexual prazerosa. Vale ressaltar que a sexualidade vai muito além do sexo, envolve outros aspectos e esferas da vida, desde o nascimento até a nossa morte. Outro fator que deve ser considerado, em alguns casos, é a coragem para avaliar como anda a relação do casal. Nem sempre a mulher está preparada para admitir que seu baixo interesse pelo sexo tenha a ver com o parceiro, pois ao reconhecer essa realidade, ela terá de tomar alguma providência. O desinteresse pelo parceiro pode, em muitos casos, estar relacionado a algum sentimento de raiva ou mágoa com relação a ele. Daí a importância de cultivar a autoestima e o autoconhecimento, pois com mais autoconfiança ela terá melhores condições de se posicionar e conversar com ele sobre os seus sentimentos. Se não conseguir sozinha, deve procurar uma psicoterapia e se a questão for sexual, um psicoterapeuta especialista em sexualidade humana. Homens e mulheres ainda têm muita dificuldade para falar sobre sentimentos. É um mito pensar que a relação vai ser sempre igual. Todo relacionamento precisa de ajustes de vez em quando. Portanto, autoconhecimento, autoestima e informação embasada são fundamentais e são esses elementos que dão segurança para que ambos os lados possam falar sobre seus sentimentos sem receios e com mais assertividade. Carmen Janssen Sexóloga, escritora e conferencista internacional, pós-graduada em pedagogia empresarial. Membro da Sociedade Brasileira de Estudos em Sexualidade Humana.

7


8

Flavia Sperandéo Soares

Juliana Stricker

Carla Teisen

O charme e a força da mulher na área comercial dos meios de comunicação

mulher e a

COMUNICAÇÃO

E

Em meio a preconceitos descabidos, a área comercial sempre foi mais maleável e hoje já se rende e há inclusive quem prefira as mulheres para representar comercialmente seus produtos e serviços. No litoral norte paulista, essa máxima se confirma através de três profissionais gabaritadas e pra lá de credenciadas a defender essa representação com muito charme e, sobretudo, com o alto nível da competência tipicamente feminina. Flavia Sperandéo Soares, do Grupo Bandeirantes de Comunicação; Juliana Stricker, do Jornal Imprensa Livre e Carla Teisen, da Rádio Antena 1, são as responsáveis pela força comercial de suas respectivas empresas e têm assinado a autoria de grande

parte do sucesso das mesmas. Conheça cada uma delas e suas trajetórias. Flavia está na área de Comunicação desde os 18 anos, é formada em Marketing e já atuou em vários segmentos e veículos de comunicação. Iniciou a carreira em São Paulo, como produtora de filmes publicitários de grandes clientes da TVC - Televisão e Cinema. Mais tarde passou a trabalhar como repórter da Tv Record, de São José do Rio Preto, cobrindo a editoria de Cultura da região. Com a chegada do Shop Tour, idealizado por seu amigo particular, Luiz Antonio Galebe, ingressou na área comercial, onde também fazia a produção do programa, que ia ao ar nas madrugadas e ainda assim, com considerável sucesso. Em 95, Flavia passa a integrar o Grupo

Bandeirantes de Comunicação, mais especificamente na Band Vale, como Contato Comercial, onde garante ter aprendido muito. “Tudo que aprendi e aprimorei na área comercial, devo a grandes mulheres, que dominavam a arte da negociação, fechamento e atendimento”, comenta Flavia. Há um ano, assumiu como Executiva de Contas na Rádio Nativa Litoral e na Tv Band para os clientes do Litoral Norte, onde tem estado muito feliz com o novo desafio. “Agradeço muito a Deus pela oportunidade de estar vivendo e trabalhando em uma empresa acolhedora, em uma região lindíssima, com gente muito bacana e fazendo o que eu mais gosto de fazer”, comemora a executiva. Formada em Comunicação Social em 2009, onde já atuava como Contato Publicitário Júnior, em um jornal de grande cir-


culação em São José dos Campos, Juliana Stricker, decidiu montar uma Agência de Publicidade no Litoral Norte, em conjunto com o marido e um amigo e a cidade escolhida foi justamente Caraguá. Apesar de todo empenho e dedicação os sócios identificaram certo preconceito em relação ao negócio por parte do comércio e dos veículos de comunicação, que não viam a necessidade deste auxílio, hoje tão procurado. Com isso resolveram adormecer o projeto. Rescém casada, Juliana tomou a decisão de adiar a carreira profissional e passou a se dedicar à família. Sete anos mais tarde, ao receber uma proposta para trabalhar na área de telecomunicações em uma multinacional de grande porte, a profissional resolve retomar as atividades. Sempre atenta e dedicada, Juliana viu a possibilidade de crescimento e aproveitou para fazer daquele período um excelente aprendizado. “Foram 6 anos atendendo grandes empresários em todo o litoral norte, que me proporcionaram muitas conquistas” diz. Com uma breve passagem na área de Markenting Náutico, recebeu a proposta de retornar ao meio de comunicação, assumindo o Departamento Comercial do Jornal

Imprensa Livre. Hoje, com três filhos e com total apoio do marido, Stricker se dedica integralmente à carreira profissional, sem deixar de desempenhar as tarefas como mãe e esposa, creditando parte dessa possibilidade a outra grande mulher, sua sogra, Nilza Stricker. “Sem ela, com certeza ficaria difícil essa puxada do dia a dia e teríamos, eu e meu marido, dias tumultuados, mais do que já possuímos”, reconhece Juliana. A terceira profissional é Carla Teisen, nascida e criada na capital paulista, mais precisamente às margens da represa Guarapiranga, de onde vem sua paixão pelo mar e água de um modo geral, escolheu Ilhabela para viver no que chama de segunda etapa de sua vida. Em uma carreira bastante dinâmica, Carla atuou em vários segmentos, montou um Antiquário, foi morar em Porto Seguro, na Bahia, onde trabalhou por oito anos com Turismo Náutico e, entre idas e vindas, retornou a São Paulo, escolhendo Ilhabela como local ideal para se manter próxima de sua paixão pelo mar e por estar em uma região que considera muito promissora em termos comerciais.

Nessa nova etapa, em fevereiro de 98, Carla aceitou o convite de uma amiga para trabalhar no Ancoradouro, assumindo a diretoria comercial do grupo, onde permaneceu por um longo período. Já na área de comunicação, juntamente com o fotógrafo Marco Yamin, assinava a coluna “Em Foco”, do Jornal Imprensa Livre, cobrindo exatamente eventos náuticos. Após mais uma passagem por São Paulo – SP, atuando em empresas de rádio, agências de comunicação e promoção, à frente de lançamento de novos produtos, em 2006, Carla retorna para Ilhabela para gerenciar o departamento da Rádio Antena 1 Litoral. Em março de 2013, a polivalente profissional, recorre à sua vasta experiência e mesmo mantendo-se à frente da área comercial da rádio, em 2013, passa a dividir seu tempo e funções com a sócia, na Mídia Certa. “O intuito ao montar a agência, é o de atender meus clientes de uma forma mais ampla, através de serviços como contratação de pessoal, seguranças, gestão de pessoas, eventos corporativos, enfim, um complemento e um facilitador para quem deseja fazer negócios no litoral norte, região promissora com a qual pretendo crescer com a mesma intensidade”, comenta Carla.

9


10

O toque feminino e o poder de administrar negócios

mulheres

DESTAQUES

E

Em um curto espaço de tempo, se comparado aos longos anos de uma submissão forçada, imposta pela sociedade, a mulher vem galgando seu espaço e hoje já toma conta de grande parte dos negócios de sucesso espalhados por todo o país. Considerando a necessidade de se desdobrar para assumir também a administração da casa, da família e de outros afazeres, não é exagero afirmar que estar à frente de empresas é algo ainda mais desafiador para a mulher em relação ao homem. Ainda assim, elas atuam com uma destreza incomparável. É comum acompanharmos as jornadas múltiplas de atividades que ficam a cargo delas, que se dividem entre buscar filhos na escola, levá-los ao médico, participar de reuniões, indicar a melhor roupa para o marido, organizar eventos domésticos, orientar as secretárias do lar ou até mesmo arregaçar as mangas e colocar literalmente a mão na massa. Tudo isso em meio às preocupações pertinentes aos cargos de alta responsabilidade assumidos no mercado de trabalho que, implacavelmente, ainda exige que elas, assim como os homens, continuem se graduando na vida acadêmica. Não bastasse tudo isso, ainda têm de se preocupar com sua saúde, beleza, estética, serem mães, namoradas, esposas, companheiras, amigas, conselheiras e lidar com as piadinhas acerca de um determinado período do mês em que não é muito aconselhável mexer com seus brios.

Por isso mesmo é que vem a afirmação de que as mulheres, diferentemente dos homens, são capazes de fazer mil coisas ao mesmo tempo. Alguém duvida? Por esse motivo, a Interface Empresarial não poderia deixar de prestar uma justa homenagem a esses verdadeiros pilares de sustentação da vida como um todo e fomos conversar com algumas das mulheres que se enquadram na realidade da maioria das brasileiras. O melhor de tudo e para nosso orgulho, estão à frente de estabelecimentos comerciais nascidos em Caraguatatuba. Ao citarmos guerreiras, é justo iniciarmos falando de alguém que já é conhecida por essa alcunha. Eleni Eiko Hayashi, 54, é proprietária da Girassol Flores e desde sua fundação, em 1986, vem administrando praticamente sozinha a floricultura. É ela quem cuida de tudo, desde a compra de flores até a ornamentação em eventos, passando por toda parte administrativa, financeira e de atendimento a clientes. Dedicada e acreditando que a sensibilidade feminina é um grande diferencial para o segmento de decoração, a empresária, mãe de três filhos e, de quebra, um netinho, continua se desdobrando entre sua vida pessoal e suas duas unidades, que visita diariamente. “Conciliar a vida pessoal e a profissional nunca foi uma tarefa fácil, pois quando montei a Girassol, meu filho mais velho tinha apenas 6 anos. O que me motiva é ter certeza de que gosto muito do que faço”, relembra Eleni. Outra empresária da cidade com quem fomos conversar é Maria Aparecida Dias Rodrigues, a Cida, da Lunamar Pizzaria. Idealizadora da iniciativa, Cida, que junto do marido, prestava serviço a uma Colônia de

Férias de Caraguá, viu uma oportunidade após ter assumido a terceirização de uma sorveteria. A ideia da pizzaria veio quando ao pedirem uma pizza a um serviço de entrega, verificou a dificuldade por parte deles em atender principalmente às Colônias de Férias e resolveu agregar o serviço à sorveteria. Com o passar do tempo foi verificando que era mais interessante e acabou por fechar a sorveteria e se dedicar somente à pizzaria. Hoje a empreendedora Cida acredita ter deixado um legado para os filhos que se envolveram com a Lunamar e afirma que o sucesso está em gostar de lidar com o público. É Cida quem cuida de todos os detalhes administrativos do negócio, que conta com 24 funcionários mais 10 terceirizados para o serviço de entrega. “Apesar de um receio natural do começo, hoje, reconhecendo o apoio do marido e dos filhos, eu faria tudo novamente, com o mesmo carinho e dedicação de sempre”, garante a empresária. Em um segmento que a maioria está sob a administração dos homens, Maria do Carmo Gomes de Oliveira, resolveu investir e tem colhido excelentes resultados com a Du Carmo Ótica. Aos 39 anos, Maria do Carmo caminha para sua primeira década de sucesso em um negócio que sempre foi sua paixão. Bióloga de formação, Du Carmo, que havia trabalhado 17 anos em uma loja do ramo, teve a certeza do que queria e buscou se profissionalizar ao máximo em seu segmento de atuação. Entre o atendimento a clientes, compra de armações, controle financeiro da empresa e ainda com todas as tarefas de sua vida particular, a empreendedora viajava periodicamente entre 2012 e 2013


para concluir um curso de Optometria que, segundo ela, é o nível mais alto a se alcançar antes da medicina especializada em oftalmologia. “Buscar o máximo de formação e informação é uma forma de estar mais próxima da necessidade do cliente, para quem costumo estender tapete vermelho”, sentencia Maria do Carmo, que emenda, “não há como ter sucesso sem dedicação e respeito ao cliente”. Entre flores, pizzas e óculos, há ainda um outro segmento, talvez o de maior relação com a mulher, que é o de calçados. E nesse setor, Caraguatatuba tem uma representante genuína, que é Tarsila Stella Pereira Moreira, da Nice Calçados. Aos 41 anos, Tarsila é casada, mãe de dois filhos e um histórico de sucesso em sua carreira enquanto administradora. Formada em odontologia, mas com uma veia comercial latente, ela não se veria em outra atividade profissional nos dias de hoje. A empresa começou meio que por acaso, quando o pai de Tarsila começou a trazer calçados de Minas Gerais e vende-los para amigos e vizinhos, inicialmente na sala de casa e posteriormente em uma edícula. Com o sucesso, a Nice Calçados teve seu primeiro endereço comercial em 1981 e de lá para cá, com o reconhecido crescimento, Tarsila, que iniciou apenas prestando uma consultoria, acabou abandonando os consultórios e assumiu de vez a rede que atualmente conta com 7 lojas, sendo 3 em São Sebastião e 4 em Caraguá, incluindo uma franquia da Arezzo. Com uma equipe de 100 funcionários aproximadamente, Tarsila credita o sucesso ao fato de trazer para perto de si somente a administração, delegando funções e dividindo as lojas em setores próprios e bem definidos. Essa é uma espécie de receita de sucesso que funcionou para ela, que reconhece a importância da mulher na vida da família.

Xxxxxxxxxx

Xxxxxxxxxx

“Administrar desta forma me permite conciliar a vida em família com a vida profissional. Por exemplo, depois das seis da tarde, eu me desligo integralmente dos negócios e assumo o papel de mãe de família, me dedicando ao meu marido e meus filhos”, explica Tarsila. Como a maioria das mulheres, Cristiane Aparecida Nogueira Teixeira Nakamura, 38, a Cris, da Essência Boutique, é mais uma empreendedora que resolveu unir o sucesso ao prazer. Depois de vários anos de dedicação à profissão de bancária e após se recuperar de certa debilidade na saúde, em decorrência do stress adquirido como Caixa, Cris decidiu mudar radicalmente. Providenciou sua saída da instituição e com a indenização montou seu próprio negócio, voltado para o ambiente pelo qual sempre foi apaixonada, o da Moda. Assim, conseguiu unir o útil ao agradável. Atualmente, 6 anos após a montagem da loja, a empresária já colhe bons frutos e consegue dividir bem o seu tempo, encarando as incansáveis jornadas de trabalho e a extensão disso que são os cuidados com o marido e com sua vida pessoal como um todo. “Apesar de ainda não ter filhos, a vida é sempre muito atribulada e procuro me multiplicar para dar conta de tudo”, afirma Cristiane. Engana-se quem julga que herdar empresas seja pura sorte, pois manter o sucesso de um negócio de mais de 40 anos não é uma tarefa das mais fáceis. Esse é o caso de Gláucia Regina Almeida, da Caraguá Imóveis. Apesar de se tratar de uma herança, a empresária, que divide a administração da imobiliária com sua mãe, Dona Gina, vem desenvolvendo um trabalho de muita qualidade no ramo. Gláucia comemora ainda o fato de seu empreendimento ser administrado por várias mulheres, pois além dela e da mãe, a Caraguá Imóveis conta também com sua irmã, Claudia

Xxxxxxxxxx

Xxxxxxxxxx

11

Regina Almeida, que cuida de toda parte jurídica, tendo inclusive escritórios em São Paulo e em Brasília e, no início de carreira, a filha é a mais nova integrante da família a fazer parte da empresa. “Curiosamente, fazemos parte de uma família em que as mulheres vêm se dedicando a perpetuar o negócio iniciado pelo meu pai e fico muito feliz em constatar que, modéstia à parte, temos dado conta muito bem do recado”, diz a empresária. Se não é exatamente sozinha ao administrar uma empresa, algumas das mulheres de Caraguatatuba assumem os desafios em igual proporção com seus companheiros. Nessa categoria encontra-se Solange Rogério da Silva, responsável por toda área administrativa da Rissol Carnes, empresa constituída há 3 anos, em parceria com o marido. No comando absoluto das áreas de compras, finanças e RH, Solange só não se atreve a se envolver com a parte técnica, muito bem administrada pelo sócio. “Tenho conhecimento de todos os setores da empresa, porém, a parte técnica fica a cargo de meu marido, que é um exímio conhecedor do segmento”, afirma a administradora. Logicamente, suas atividades, assim como as demais entrevistadas, não se resume somente à vida profissional, dedicando-se integralmente à família, com todos os cuidados e acompanhamento possíveis, incluindo a atenção com o limite na jornada de trabalho. No litoral já há alguns anos, Solange, que já trabalhou em grandes empresas de São Paulo, sempre no comércio, agora se dedica ao crescimento das duas unidades em funcionamento e aos preparativos para a inauguração de uma nova unidade da Rissol Carnes. Em alusão ao dito popular e fazendo trocadilho com o leão, a empresária é enfática ao dizer que ser mulher de negócios, mãe e esposa, requer muito mais do que “matar um boi por dia”.

Xxxxxxxxxx

Xxxxxxxxxx

Xxxxxxxxxx


12

Liderança feminina

transformadora

mulher e a

VIDA PROFISSIONAL

P

Para Bryman (2004), “a nova liderança é baseada em uma representação de líderes como gestores de significado e não apenas como um influenciador”, ou seja, chegamos depois de muito estudo na compreensão de que ninguém motiva nínguém. O potencial motivacional já existe dentro de cada um. O importante é não desperdiçá-lo e compreendermos cuidadosamente o significado de nossas escolhas neste processo de liderança no mundo globalizado. Na visão moderna de negócios, as organizações são organismos vivos que se comportam com os mesmos prazeres e as mesmas dores dos seres vivos. Por esta razão, a liderança feminina transformadora pode ser considerada uma vantagem competitiva sustentável para os negócios, pois tem o potencial de provocar a sinergia entre as três dimensões da sustentabilidade, ou seja, promove o ato de cuidar, cooperar, ser solidário e responsável sem perder o foco no resultado organizacional. A liderança feminina transformadora é o líder moderno da mudança que deve querer o que sabe e ser sábio e humilde a ponto de consegui-lo. Essa maturidade emocional, só possível por meio do autoconhecimento, tem sido desenvolvido com muito sucesso pelas mulheres por diversas razões culturais, sociais, econômicas e políticas ao longo da história da humanidade. Por sinal, na visão de Paulo Gaudencio (2007), “a crise é para sem-

pre, crise é eterna. A única coisa de que temos certeza é a mudança, o que nos obriga a abandonar o sonho de que quando acabarem as minhas crises, serei feliz.” Portanto, a arte de saber lidar com os aspectos emocionais e racionais inseridos no processo de tomada de decisão é um fator determinante para a qualidade do resultado da liderança. A liderança feminina transformadora é aquela que conjuga a ação com a reflexão crítica regenerativa e ainda tem maturidade emocional suficiente para desenvolver inovações sustentáveis essenciais para a convivência saudável entre os seres humanos e destes com o planeta. Para que isto aconteça a contento, algumas características peculiares merecem destaque: • assumir riscos para inovar de forma sustentável, pois os resultados não são previsíveis e por esta razão precisa reaprender a lidar com o fracasso sempre presente; • desenvolver atividades mobilizadoras que impactam positivamente no meio ambiente e na comunidade, contribuindo efetivamente para um mundo melhor; • construir valores e princípios que valorizam a cultura da sustentabilidade e norteiam as estratégias que serão perseguidas no curto, médio e longo prazos; • encarar a oportunidade como fator transformacional vital para a arte moderna de liderar. Em suma, nada melhor que a bela citação de Madre Tereza de Calcutá, uma das maiores líderes femininas que transformou o mundo para muito melhor, para sintetizar tudo o que foi dito neste artigo: “O dever é

uma coisa muito pessoal; decorre da necessidade de se entrar em ação, e não da necessidade de insistir com os outros para que façam qualquer coisa”. Referências Camargo Pereira, Adriana; Camargo Pereira, Adriana; Zucca da Silva, Gibson; Ehrhardt Carbonari, Maria Elisa; Ehrhardt Carbonari, Maria Elisa. Sustentabilidade, Responsabilidade Social e Meio Ambiente, 1ª. Edição, São Paulo, Editora Saraiva, 2011. GAUDENCIO, Paulo. Mudar e Vencer – como as mudanças podem beneficiar pessoas e empresas. 7ª. Edição, Editora Palavra e Gestos: São Paulo, 2007, págs. 82 a 93. Gibson Zucca da Silva Mestre em Relações Internacionais pela Bristol University – Professor de Graduação e Pós-Graduação do Módulo e Proprietário da Laundromat Caraguatatuba.


14

Que roupa devo vestir para ir ao trabalho?

mulher e a

MODA

A

Algumas grandes empresas facilitam o trabalho, adotando um manual de dress code (código de vestimenta). Quando não há, é bom ficarem atentas aos sinais dados pelas colegas e, principalmente, por quem está nos cargos superiores. Por mais complicado que seja vestir roupas formais e pesadas em um país tropical, no escritório é hora de resistir ao impulso das roupas muito leves e decotadas. A palavra-chave para se vestir corretamente é adequar o guarda-roupa de trabalho para o verão. Peças avulsas são best-sellers, pois elas permitem composições inteligentes e poderosas para proteção das variações climáticas nos ambientes com ar condicionado. As regras variam de um local de trabalho para outro. Primeiro lugar, menos é mais. Independentemente da profissão a dica principal: nunca usem muitos acessórios, estampas e cores extravagantes. A roupa tem que agre-

gar valor ao visual da profissional. Dicas que valem ouro: • Use de muito bom senso e autocrítica com relação ao vestuário e à maquiagem; • Cores escuras emagrecem e passam sobriedade e segurança: cores claras engordam e passam descontração; faça uma composição que equilibre estes dois fatores; • A moda do escritório tem compromisso com peças clássicas, mas nem por isso deve ser careta. Algumas ousadias já foram incorporadas ao dia a dia, como as animal prints. Na dúvida, use-as em detalhes; • Sapatos de salto alongam a silhueta e dão poder à produção. Mas certifique-se de que não fará barulho a cada passo, isso incomoda e chama a atenção; • Acessórios poderosos tiram o visual do óbvio. Se for em tamanho máxi, invista em um item por vez; • Fuja à tentação do jeans se o ambiente não for apropriado; • Evite qualquer tipo de “excesso”: nas cores, no comprimento, na largura das rou-

pas, na fragrância do perfume; • Blazer é um coringa para mulheres; • Evite decotes e transparências, cuidado com babados e rendas; nunca deixe o sutiã visível; • Prefira batom e esmalte claros, saias na altura do joelho e tailleurs; • Maquiagem deve ser discreta e funcional; • As mulheres devem sempre ter uma meia calça de reserva na bolsa; • Bolsas pequenas mostram maior refinamento e delicadeza. Portanto sigam essas dicas e caprichem nos looks de trabalho. Paula Albok Consultora de Imagem e Estilo Atendimento com hora marcada na Fortunatta Esmalteria Nails Bar Rua Avelino Ferreira nº 557 – Centro Caraguatatuba - SP Tel (12) 3882-6151


Mulher: sucesso absoluto hoje e sempre

15

O que é sucesso para você?

mulher nos

Não quero sob hipótese alguma estabelecer aqui mais uma batalha da tão chata e velha “guerra dos sexos”, que vira e volta ressurge das cinzas. O que quero propor é a reflexão sobre a importância absoluta da mulher em todos os setores. Há ainda aquela velha história de que sucesso tem a ver também com a conquista de um bom partido, um bom casamento, a melhor escolha. E, por vezes, ao assumirem essa máxima como realidade, acabam deixando passar grandes amores que perdem espaço por não serem o protótipo do homem ideal, segundo os padrões (ou podrões?) impostos pela sociedade. O pior é que muitos príncipes tendem a virar sapos em um curto espaço de tempo e faz cair por terra tal afirmação. Ainda assim, para alcançar mais essa, a mulher passa a se preocupar ao longo da vida com o corpo perfeito, malhação, cabelos, unhas, pele, dentes, sorriso, comportamento, entre tantas outras coisas que muitas vezes ultrapassam o limite da possibilidade e se transformam em neuroses absurdas e ainda sugere uma competitividade desnecessária entre as mulheres. E mais, após ter obtido tal conquista ela ainda se vê ás voltas com a necessidade de se manter assim, mesmo tendo que assumir um sem número de outras responsabilidades, porque, afinal, sempre disseram que ela tem de estar sempre bem e bonita. Como se não fossem, caso não estivessem com os quilinhos a mais e etc. Um momento em que se sente plena e absoluta é quando chega à maternidade, com a possibilidade concedida somente à

mulher de gerar uma nova vida que em boa parte, dependerá dela. E aqui, onde está a dúvida sobre o sucesso permanente do espécime feminino? Na realidade, só há um momento em que a mulher demonstra menor poder. É quando se permite esquecer que qualquer êxito está na essência de sua feminilidade, que o resto é passageiro, sem importância e jamais deveria direcionar suas ações e atitudes. Tudo isso é sucesso? A quem considera que sim, a que preço? De novo, vamos relembrar que estamos diante de subjetividade e a felicidade pode ser motivo de sobra para se comemorar vitórias, dia após dia, por toda uma vida. Volto, então, a afirmar o quanto o sucesso é parte integrante da mulher em todos os estágios de sua vida. Não há porque ficar perseguindo uma vitória que já é sua, um sucesso absoluto, hoje e sempre.

Arquivo Pessoal

NEGÓCIOS

E

Eis um assunto de subjetividade sem tamanho, pois o sucesso chega das mais variadas formas e em tempos totalmente distintos. O que é para um pode não ser para outro. Pela própria natureza feminina, que se coloca muito mais exigente e com um crivo infinitamente crítico, esse sucesso pode passar por um processo mais moroso para ser atingido, em virtude de seus padrões de qualidade. E é justamente nesse ponto que quero tocar para afirmar categoricamente o quanto as mulheres já nascem bem sucedidas, mas deixam para perceber, às vezes, tardiamente. Normalmente se atribui êxito à mulher quando alcança um bom emprego, de preferência de destaque e que prove sua superioridade e capacidade de superação em relação a certos machismos do mercado de trabalho. Sempre que uma mulher atinge um cargo de alto escalão em uma empresa, se torna motivo de matérias e de comentários. Parece que foi algo inusitado o que aconteceu. Por quê? Por ser uma mulher? Se fosse um homem seria normal? E realmente têm de ser passíveis de comentários positivos, sim. Porque claramente, demonstram que competência independe de sexo (sem qualquer conotação dúbia). Além disso, nós homens, somos obrigados a nos render à realidade da superioridade feminina, se avaliarmos suas múltiplas atividades diárias, incluindo a profissional.

Clovis Rotth ministra palestras, cursos, treinamentos e presta consultoria nas áreas de Marketing e Vendas há 15 anos


16

Alimentação em cada fase da vida da mulher

mulher e

NUTRIÇÃO

M

Menos massa muscular, mais gordura do que os homens e metabolismo mais lento. Essas são as características mais comuns, principalmente depois dos 40 anos encontradas na mulher moderna. Por isso uma alimentação saudável e que atenda as necessidades de cada fase, levando em consideração as mudanças hormonais durante a fase adulta, é fundamental para uma boa saúde. Na fase adulta a mulher se depara com a menstruação, uma etapa em que os hormônios que interagem com o período menstrual são os responsáveis por regular o comando cerebral da fome e até do humor. As variações de humor, apetite e libido - a famosa TPM - fazem com que a mulher se sinta numa verdadeira montanha russa, por isso uma alimentação que entre de acordo com essas variações e que ainda tenha baixa caloria é o ideal para esse período. O consumo de fibras de aveia, soja, germe de trigo, castanha de caju, gergelim, linhaça, saladas, legumes e frutas facilitam a digestão, melhoram o funcionamento do intestino e ainda au-

xiliam na inibição do apetite. As fibras são ótimas alternativas para amenizar o inchaço típico desses dias e chás como os de hibiscos e aqueles extraídos das folhas da Camellia sinensis como os chás verde, branco, vermelho e até o amarelo - novidade no mercado - são também ótimas opções para a ocasião, pois possuem efeito diurético.

se também o consumo de alimentos ricos em vitamina C para melhor produção dessa proteína, além de alimentos protéicos de origem animal, como as carnes vermelhas magras. Para ajudar no funcionamento do intestino, controle do colesterol e saciedade, uma ótima dica é consumir a farinha de linhaça dourada. Dos 40 - 50 anos: a perda de colágeno se acentua e, além disso, inicia-se o pro-

Alimentação em cada fase da vida Dos 20 - 30 anos: não existe perda de massa óssea, colágeno, e a mulher precisa apenas controlar o peso e as variações de humor devido muitas vezes aos problemas de TPM. Nessa fase é comum também a ocorrência de anemia. Além de uma alimentação saudável, indicamos o consumo de alimentos saudáveis como laticínios desnatados, carnes magras, cereais integrais, hortaliças e frutas, além de chás como os derivados da Camellia sinensis e hibiscus. Para prevenir ou controlar a anemia, a orientação é consumir alimentos ricos em ferro (carnes vermelhas, feijão, folhas verde escuras, beterraba) combinados com sucos ricos em vitamina C. Dos 30 - 40 anos: começa haver a diminuição de colágeno, uma das grandes preocupações das mulheres. A reposição pode ser feita com colágeno hidrolisado. Indica-

cesso de redução da produção de estrogênio. O metabolismo torna-se mais lento e a chance da mulher adquirir mais peso é maior, principalmente na região da cintura-quadril. Ela passa a ter menos massa muscular. Nessa fase, além do colágeno hidrolisado e alimentos ricos em fibras e cálcio, sugere-se o consumo de alimentos derivados de soja, ricos em isoflavonas. Caso a mulher já apresente irregularidades menstruais e alguns sintomas indesejáveis, indica-se alimentos desenvolvidos com a finalidade de funcionarem como coadjuvantes do tratamento.


novos sócios

17

JANEIRO Autônomos/ Profissionais liberais: UGO OSVALDO RAMASCO - CORRETOR DE IMÓVEIS ELIOMAR BATISTA GOMES - CORRETOR DE IMÓVEIS JOSÉ RODRIGUES - OFICIAL PM

1 2 3 4 5

FRANCISCO MONTER JUNIOR ROSEMEIRE APARECIDA PUMMER ANGELINA PAGES RIBAS JOSÉ ROBERTO POLI FÁTIMA APARECIDA CONCEIÇÃO RENATO APARECIDO OLIMPIO DE PAULA DAFNE CAROLINE DOS SANTOS ALMEIDA CARLOS ANTÔNIO CARVALHO COSTA JOSÉ AUGUSTO PELUCIO DE MELLO ADEMAR FIDA JUNIOR ANTÔNIO ADILSON RIBEIRO SÉRGIO BRITO RAFAEL ANTÔNIO CARDOSO DE MOURA DR JOSÉ FERNANDO ARANHA SELMA APDA GARRIDO DOS SANTOS SANTA GOMES MARTINS AMANDA DE ARRUDA P. BUSTAMANTE LÉIA FERNANDA ALMEIDA PACHECO VICENCINA FORTINI QUINETE CLAUDIO BRANCO DACIO AUGUSTO DE BARROS FILHO VILMA DE OLIVEIRA DO PRADO SÉRGIO RIBEIRO DA SILVA RICARDO JOSÉ HERCULANO SANT’ANNA EDNÉIA MENDES DOS SANTOS ADEMAR SIMÃO DE JESUS LUARA ROMAGNOLO MENDONÇA JANDIRA GATTI GUERRA PEDRO NERI DA HORA NEUSA LUNARDI LAUREANO DANILO D’ANGELO VILMA FELISETE DE ALMEIDA ADONIS JOSÉ ALMEIDA OLIVEIRA FILOMENA FERNANDES ZULEIKA PEREIRA ALICE LIPTCZINSKI OLEOIN MIRIAM MANCHILA DIAS SALOMÃO ROSANA APDA DOS SANTOS MEIRELLES CARLOS EDUARDO DA SILVA ADRIANA DA ROCHA CASTRO RENATO LOPES DO NASCIMENTO VALDETE OLIVA PORTELA DE OLIVEIRA MARIA APARECIDA FELIX DIONÍSIO MARIA SANTIAGO CHRISTIANS ANTÔNIO CARLOS DIAS DA SILVA MARIA PEREIRA RAMOS ANDERSON CRUZ DE AZEVEDO CLAUDIA SOUZA DIAS AINETTE EDUARDO CAMPOS LEITE CRISTIANE DE MORAES SILVA MARCELINO JORGE CARVALHO LOPES PRYSCILLA LADISLAU CARNEIRO SU FENGCHANG

6 7 8 9

aniversariantes

MARÇO

MARIA LUIZA CHAD BOURABEBY WILLIAN MARTINEZ SOBRINHO KRISTIANE TIRADO ZULMIRA QUEIROZ DE AVELAR KARINA HELENA SCHMIDT ROSSI NILTON CÉSAR DOS SANTOS CLARA OCHOA MIRIAM DO CARMO ZACARIAS ASSUMPÇÃO FRANCISCA LINDALVA GOMES SÉRGIO JOAQUIM FEITOZA ROSEANE ROSSI TATIANE PASSOS DO NASCIMENTO EDNA HELENA DE CAMARGO PESSOTO EUGENIO AUGUSTO DELL AGNOLO SILVIO DA SILVA SANTOS LUIS HENRIQUE MORENO ROMERO ANTÔNIA BRITO DE OLIVEIRA MÔNICA CAMPOS RODRIGUES DE SOUZA ALESSANDRO NOGUEIRA DA SILVA PRESCILIANA DA SILVA CARVALHO ALICE TOGUCHI RAFAEL GIORGETI DOS SANTOS LUIZ FERNANDO DE JESUS SILVA

Empresas: EXTRA CLEAN LAVA RÁPIDO EXCELÊNCIA TRANSPORTES EXECUTIVOS LUCK PRESENTES RESTAURANTE MARTIN DE SÁ PANIFICADORA MARIA MORENA ADEGA TRAVESSÃO

TATIANE DAIANE DOS SANTOS

10 11 12 13 14 15 16 17 18 19

ELZA CABRAL FURTADO MARIA APDA DE FÁTIMA ARAÚJO CUNHA MARIA MARGARETH LEOPOLDO ANA MARIA PIMENTA ROCHA MARCIA GARCIA JANDIRA DE OLIVEIRA MONTEIRO RICARDO CASTRO DA SILVA EGLAIR TADEU JULIANI LUIZ CARLOS ANDRIONI MONDINI MARIA APARECIDA CAETANO ELISETE LOPES MARTINS LIMA ELAINE DOS SANTOS CARVALHO PATRICIA DE JESUS XAVIER TACIANA ALBA DE ANDRADE DIEGO RIZZO ALONSO CAMPANO ANTÔNIO MARIO DE OLIVEIRA FILHO EUGENIO JOSÉ LUQUES ROSELI DA SILVA ALICE MUNHOZ DAVINO BEATRIZ ROSA DA SILVA MARIO HENRIQUE ISAAC MARIANO MOHAMAD KASSEN KAMAR FÁBIO AUGUSTO HENRIQUE DE OLIVEIRA DALIO HIRO CAMPOS OZONO DESEADA ROMANO ALEXANDRE DE SOUSA FORI CLEIDE DA SILVA SANTOS AUGUSTO MEYER FONTES MATILDE RAMIRES MALVA RAUL EDUARDO PERTIERRA JOÃO BATISTA FARIA WILNEY SCHIMIDT CARDOSO PAULA ELIZABETH SANCHES SONIA MARIA MAXIMILIANO SORAYA RETORE KITAHARA ANDREA AMBROSIO EBERL LUIZ HENRIQUE ABREU ADRIANO BAPTISTA MAZER ANDRE RODRIGUES MARTIRE VANESSA DA SILVA SANTOS CAROLINA LEITE DA SILVA JORGE ELENILDA LEMES DOS SANTOS GIUSEPPE BOHMER RIBEIRO ALVES MARIA MANOELA BARBOSA DE OLIVEIRA ROSARIA LOPES DE ALMEIDA ANDRADE MARIA ANGELA FERNANDEZ MONJE MARCIA REGINA DA SILVA ELUIZIO GOMES DE ALMEIDA DEBORA DUARTE AMORIM APARECIDA DE AMORIM PAIÃO MARIA BERNADETE VIEIRA SALLES WILLIANS FRANCISCO BULLARA NATALIA MARGARETE SANTOS DE OLIVEIRA RONIZE GALINO ANA PAULA SAMPAIO DE SOUZA RODRIGO AMORIM CARMONA MARCELLO DUBAU CÉSAR AUGUSTO CAETANO DA SILVA IVONE TAVARES MENESES SOARES JORGE APPES FILHO LAURA APARECIDA CESAR DAVID CERESER NORMA DRUZIAN ASSAF DARCI ADOLFO DE PAULA LUCIANA PUPO SCORZAFAVA ERTA RANIE MARQUES NOGUEIRA DOROTHEA SCHUETTE ALICE DA PENHA SANTOS BRAZ DAGUIMAR DE GODOY MACHADO EVA NOGUEIRA VANZELLA ELAINE CRISTIANE MENDES NEUSA LIMA OLIVEIRA ERIC MAC EMIDIO SANTOS JAYNE DANILA MARTINS GOMES SOARES

20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31

RICARDO ZOLLNER HOLMO MARINALVA GUARENTO ULHOA EUNICE DA PENHA BRAZ ATILIA BRITO DE SOUSA JAIME DO NASCIMENTO MARIO ANTÔNIO DA COSTA MANSO JOSÉ ERNESTO GHEDIN SERVIDEI MARIA CRISTINA QUIRINO ROSA DE FARIA FERNANDA DA COSTA ANTUNES LETÍCIA CRISTINA DE MELO DAMIÃO LOPES DE ASSIS VALDECI INÁCIO DE SOUZA CRISTIANA GENTIL LOPES DE FARIA ARENA OSVALDO ISSAMU KIMOTO DENIS RONALDO PINTO JOSÉ SOARES DE OLIVEIRA FILHO ROSANGELA DRAGONE LATINI AGDA FARIA DE SOUZA MARCOS VICENZOTTO FERREIRA HUBERT ANTÔNIO CARVALHO FARIA ANTÔNIO AMÂNCIO DA SILVA MARIA APARECIDA RAMOS ISABEL FERREIRA JOSÉ IVANEUTON FARIAS BRITO MARCIA ALVES FIGUEIREDO GILSON DE OLIVEIRA SOUZA JOÃO RICARDO BENDER THIELE MARCIA REGINA PAIVA SILVA REGINALDO GERALDO TORRES MARIA HELENA FAINA ISAAC MIGUEL CARLOS ALBERTO MARTINS LEA MARIA POLILLO IRIAS GLÓRIA OLIVEIRA DA SILVA WALTER LATERZA ALEXANDRE MAGNO MOLITERNO MARIA LUCIA DE ALCANTARA ARMENTANO ELIANA BANHEZA CRUZ THALITA GHETTI BAUERMANN OLIVEIRA YAEKO ANDO ROBERTO DIAS DAS MERCES CÉSAR ANTÔNIO OLIVEIRA DA SILVA MARIA IGNES MAIA JULIO CELSON DUARTE MOACIR MARTINES JUNIOR RUTH PEREIRA ITALIANI DOMINGOS LIDI YARA DE MOURA ALMEIDA CLAUDIO MASSON SILVANA CAROLINA GIORGETI SANTOS LUCIENE SILVA DIAS DOS SANTOS JOYCE MARIA FERREIRA DE AZEVEDO DIEGO DO PRADO SILVA YONEKO NAKANISHI ANA ROSA ANGELO TUPINAMBA REZENDE GABRIELA GALVÃO JOUCLAS MAURO LANZA LUCIA MARIA TEIXEIRA EMILIO CAMPI NETO DEGMAR (MARCO) MOREIRA FERNANDES WANIA DA SILVA MORGADO NATALIA DAS CHAGAS TILLVITZ WALDIR RAMOS DOS REIS ROSANGELA MARIA S. DE MORAES KEIO NAKANISHI ELZA PINHEIRO RODRIGUES MARIA JOSÉ LABEGALINI ANUNCIATO CLÉLIA SCODELER COSTA KIKUCHI MARIO CANDUCCO JULIANA CAMARGO PEREIRA STRICKER DANIEL TOTI TIAGO SANTOS MALVÃO GOMES


Revista InterfACE Empresarial - edição 17  

Revista mensal da Associação Comercial e Empresarial de Caraguatatuba - Ano 02 - nº 17 - Março de 2014.