Page 1

REVISTA

Casa de Saúde

Stella Maris

60 Edição comemorativa aos 60 anos do Instituto das Pequenas Missionárias de Maria Imaculada em Caraguatatuba - Maio de 2012.

Com Maria, a “Stella Maris”, um dia de louvor por 60 anos de Graças!

anos 1


Casa de Saúde Stella Maris EXPEDIENTE

Edição comemorativa aos 60 anos do Hospital Stella Maris em Caraguatatuba - Maio de 2012.

JORNALISTA RESPONSÁVEL Bruna Vieira Guimarães (MTB 32.441) DIAGRAMAÇÃO E PROJETO GRÁFICO Jessyca Biazini CONSELHO EDITORIAL E REVISÃO Irmãs da Comunidade do Stella Maris COMUNIDADE PMMI DA CASA DE SAÚDE STELLA MARIS Ir. Maria Sílvia da Eucaristia – Superiora Ir. Alessandra Nogueira da Silva Ir. Luisa Maura de Maria Ir. Maria do Carmo Silva Ir. Maria Edith Ir. Maria Salomé Alves Ir. Ruth Maria dos Santos Anjos Ir. Maria Valentina Ir. Celina Conceição de Maria Ir. Mércia da Glória Tiago Lemes Ir. Sandra Helena Macedo Marcondes Ir. Renata Mara de Souza Ir. Simone Gabriel dos Santos TEXTOS E FOTOS Bruna Vieira Guimarães, Jessyca Biazini, Vanessa Fernandes, Thaís Matos*, Daniel Olivieri*, Ir. Alessandra Nogueira da Silva, Ir. Maria Sílvia da Eucaristia e Ir. Sandra Helena. FOTO DA CAPA Marcelo Souza* retrata a Ir. Simone, Pequena Missionária de Maria Imaculada (PMMI), na Praia do Indaiá, em Caraguá. IMPRESSÃO DigitalPress - São José dos Campos Tel. (12) 3937.9647 Edição impressa em 21/05/2012 TIRAGEM: 4.200 exemplares DISTRIBUIÇÃO: Caraguatatuba e região FALE COM O STELLA MARIS Casa de Saúde Stella Maris Av. Miguel Varlez, 980, Caraguatatuba/SP CEP 11.660.650 - Tel. (12) 3897.3300 SITE: www.hospitalstellamaris.org.br OUVIDORIA (sugestões e críticas) Retire o formulário nas recepções do Hospital ou escreva para ouvidoria@ hospitalstellamaris.org.br

2

*Estudantes de Jornalismo do Centro Universitário Módulo.

EDITORIAL

Um dia de louvor por 60 anos de Graças! Esta frase simples mas cheia de significado, carrega em si toda uma expressão do mais puro louvor e gratidão a Deus, por Sua Bondade, por Sua Ternura que sempre nos acompanhou até aqui. São 60 anos de lutas, de desafios, de sementes que foram plantadas, de manifestações da Providência Divina que nunca desamparou esta Obra e sempre nos levou pela mão, de pessoas que se doaram e se doam no trabalho diário, enfim, as graças não são somente puras alegrias, mas oportunidades acolhidas e trabalhadas – muitas vezes carregadas de sofrimentos – mas que nos indicaram o caminho a seguir. Esta Revista dos 60 anos da Casa de Saúde Stella Maris vem a ser este breve relato das Bênçãos do Senhor! Sendo Maria, a Estrela do Mar, em latim, a Stella Maris, a quem esta Obra foi dedicada e recebeu este nome dado por nossa Fundadora, a Serva de Deus Me. Maria Teresa de Jesus Eucarístico, verdadeira alma apaixonada por Nossa Senhora, e porque tudo começou com Elas - com Elas queremos cantar o nosso Magnificat, confiando-lhes mais uma vez o Hospital com todos os seus pacientes, colaboradores, médicos e pessoas de bem que a ele acorrem. Um dia de louvor por 60 anos de Graças! Seja este o nosso hino hoje e sempre, e um estímulo para os próximos anos que serão conduzidos pelo Deus da História!

Ir. Maria Sílvia da Eucaristia Diretora Administrativa

O Site da Casa de Saúde já está “no ar” Canal mostra as especialidades médicas e demais serviços prestados pelo Hospital, em seus 60 anos de história. Visa esclarecer as dúvidas dos moradores e estreitar o relacionamento do Stella Maris com os internautas. A página do Hospital Stella Maris já está disponível na internet de forma provisória. No momento, o site passa por ajustes finais e até o final de maio estará completo e no ar. Buscando a interatividade, o site disponibiliza um e-mail específico para sugestões, dúvidas e reclamações, o que trará liberdade para o usuário expor suas opiniões, bem como cadastro de candidatos ao quadro funcional do Hospital. Também constam informações úteis como o funcionamento da “Visita Aberta“ que facilita o encontro do paciente com sua família.

Acesse: www.hospitalstellamaris.org.br


Sumário

4

Presença Missionária

10

Referência Materno Infantil do Litoral Norte

Início abençoado...

Catástrofe

Qualidade Hospitalar

9

O Hospital hoje

16

Dia de Festa!

18

Duas pessoas, uma paixão

6

14

20 3


TEMPO

Início abençoado... União e a perfeita caridade. Estes foram os conselhos deixados pela Madre Fundadora para as primeiras religiosas da Casa de Saúde Stella Maris.

N

o início da década de 1950, as Pequenas Missionárias de Maria Imaculada iniciaram um trabalho de ajuda aos mais necessitados do Litoral Norte. Desprovida de qualquer assistência hospitalar, a população de Caraguatatuba tinha necessidades urgentes de atendimento na área da Saúde. Sabendo desta demanda, o Padre Américo Virgílio Endrizzi se desfez de todos os seus bens, inclusive de um grande terreno onde hoje está instalado o Hospital para atender o povo sofrido do Litoral Norte. A Casa de Saúde Stella Maris “abriu as portas” no dia 24 de maio de 1952, prestando serviços de enfermagem para adultos e crianças, maternidade, sala de cirurgia, consultório médico e bloco alimentar. Daí por diante seguiu-se a conquista de novos serviços e equipamentos. A cerimônia de Fundação foi celebrada por Dom Idílio José Soares, Bispo Diocesano, que ministrou a benção às diversas dependências do Hospital e Clausura das Irmãs e, na ocasião, falou sobre a oportunidade da Obra e a caridade que a animava. “Na

Festa de Nossa Senhora Auxiliadora, mais um Sacrário sobre a terra! Madre Maria Teresa de Jesus Eucarístico inaugurou mais uma Casa amparando a pobreza, consolando muitas almas sofredoras”, consta na ata de inauguração. Neste dia, já nasceu uma criança na Maternidade. Antes de retornar para São José dos Campos, a Madre Fundadora das Pequenas Missionárias deixou vários conselhos para as religiosas que permaneciam em Caraguatatuba. Entre eles a importância da união e da perfeita caridade. Exatos três anos após abrir as portas, em 24 de maio de 1955 o Hospital inaugurava o novo pavilhão, um berçário com seis leitos. Poucos anos depois, em 21 de outubro de 1958, era a vez da sala de entrada, sala de exames, sala de curativos, hall de entrada, sala de Raio X e câmara escura. A Irmã Valentina, que atua no Stella Maris há mais de 30 anos, rememora o crescimento do Hospital desde a década de 1970. “O Hospital foi crescendo junto com a população de Caraguá. Ele era o “salva-vidas” dos moradores. No início não tínhamos

1952

1972 1967

4

O nome “Stella Maris” é uma homenagem em latim à Mãe de Deus, Maria, a verdadeira “Estrela do Mar”.


Fotos Arquivo/CSSM

Maternidade em seus primórdios.

Antigos leitos para suporte ao recém nascido.

Cartas de agradecimento dos pais que passaram pela Maternidade.

médicos. Eles vinham de São José dos Campos com certa periodicidade. Eram as Irmãs que faziam um pouco de tudo. O atendimento era mais simples e bem menos burocrático. Depois começaram a chegar os primeiros médicos como o Dr. Keiiti Nakamura, que permaneceu na cidade e atuou no Stella Maris por muitos anos. Os pacientes não tinham como agradecer e muitas vezes retribuiam com galinhas, comidas e outros presentes. São 60 anos de desafios e consolações de Deus”, confirma a Irmã. O próprio Dr Keiiti Nakamura descreve seu início no Stella Maris. “Eu tinha um amigo que trabalhava em São José dos Campos e atendia todo sábado aqui como otorrino e oftalmologista. Ele me deixou um bilhete de que precisava de médico aqui. Cheguei em dezembro de 1964, era dia 16 de dezembro. Vim pra cá porque justamente o Dr. Isaías foi embora e o Dr. Jurandyr tinha entrado de férias naquele dia. Começei logo de cara na temporada. Era temporadinha, mas como éramos em poucos colegas, o trabalho era grande. Os atendimentos, como sempre, eram acidentes de praia, espinho de bagre no pé, anzol e doencinhas pequenas”. “A Irmã Celeste era muito querida. Ela ajudou muitas mamães da região a ter seus filhos. “Naquele tempo era a Irmã que fazia os partos. Ela era muito querida pelas pacientes. Depois que eu vim, passei a dividir os partos com ela. Hoje é comum o pessoal na idade de 30 e 40 anos dizer que nasceu na minha mão. Foi a época que mais trabalhei aqui”, relata Dr. Keiiti Nakamura que está aposentado e continua morando em Caraguatatuba.

EM NÚMEROS, O CRESCIMENTO DO HOSPITAL NOS ÚLTIMOS ANOS NÚMERO DE LEITOS DO HOSPITAL

NÚMERO DE LEITOS DA UTI

ATENDIMENTO MÉDICO - PRONTO SOCORRO

EXAMES LABORATORIAIS

EXAMES RADIOLOGIA

INTERNAÇÕES CIRÚRGICAS

INTERNAÇÕES CLÍNICAS - ADULTO E PEDIATRIA

PARTOS

DIÁRIAS DE UTI

2002 1992

2012 5


IPMMI

Presença Missionária Maria Teresa de Jesus Eucarístico, a Madre Fundadora, deixou um exemplo de idealismo e amor contagiante pelos doentes, sobretudo os mais carentes.

A

história do Stella Maris está intimamente ligada ao dia a dia da população de Caraguatatuba que, se não nasceu no Hospital, já recebeu algum tipo de atendimento ou teve algum parente internado na Instituição. Durante todos esses anos, mesmo com a catástrofe de 1967, as várias crises financeiras e as inúmeras dificuldades para continuar funcionando, o Hospital Stella Maris se mantém ativo e firme no propósito de atender aos mais necessitados. Por meio de um trabalho silencioso e fraterno, as Irmãs Pequenas Missionárias de Maria Imaculada - hoje 13 religiosas que moram no Hospital se multiplicam por todos os setores. No preparo das refeições, na administração, no atendimento aos pacientes e nos cuidados com os recém-nascidos e suas mães, levam aos doentes o conforto e o carinho necessário para superar a dor e o sofrimento provocados pela enfermidade. Essa história de caridade, doação e amor ao próximo começou com Madre Maria Teresa de Jesus Eucarístico, Fundadora da Congregação das Pequenas Missionárias de Maria Imaculada, um verdadeiro exemplo de vida. “Procuramos colocar em prática no nosso dia a dia, os ensinamentos de nossa Fundadora. Nessa Obra que é de Deus, cada gesto, cada sorriso, cada atendimento

6

realizado pelas Irmãs, pelos médicos e funcionários devem manifestar a Sua presença”, disse a Ir. Alessandra Nogueira. Ir. Maria Sílvia, Diretora Administrativa testemunha a atração pelo Carisma da Congregação: “Quando jovem conheci a Congregação primeiramente pela leitura de um pequeno Livro intitulado “Breviário da Confiança” e em seguida por ter presenciado a alegria, o entusiasmo e a vida das Irmãs que residiam em uma Comunidade no Rio de Janeiro. Dalí em diante, decidi também entregar minha vida e abraçar esta missão que continua. Até hoje relembro com emoção o entusiasmo, o idealismo e o amor contagiante de nossa Madre Fundadora pelos doentes, sobretudo os mais carentes”. Ir. Maria Valentina manifesta a sua missão junto aos pacientes: “Antes eu ajudava na enfermagem e nos últimos anos estou no Serviço Social do Stella Maris. Temos muitos casos de abandono de idosos e deficientes. É um longo caminho para conscientizar os familiares a cuidarem deles com amor e responsabilidade. As pessoas precisam ser amparadas. E, quando ficam doentes é o momento de maior debilidade física e emocional. A melhor gratidão deste trabalho é ver o paciente ir embora feliz e tratado. São desafios e consolações que Deus dá a cada dia”, revela.

“A melhor gratidão deste trabalho é ver o paciente ir embora feliz e tratado. São desafios que Deus dá a cada dia”. Para Ir. Simone Gabriel, caraguatatubense, nascida no ano de 1981 na Maternidade do Stella Maris “retornar a Caraguá com 11 anos de Congregação, foi uma grande satisfação. Aqui auxilio no que é preciso, na parte administrativa, com o atendimento às pessoas que precisam de documentos hospitalares. Vim servir a população na cidade que nasci e fui criada”.


Foto Marcelo Souza

Ir. Simone Gabriel dos Santos, nascida na Casa de SaĂşde Stella Maris, em 1981. 7


Quem foi Madre Maria Teresa de Jesus Eucarístico?

“Toda sala de hospital é um templo, e como num templo, nela se exige dos que aí penetram, silêncio, respeito, dignidade de atitudes, elevação moral, consciência da grandeza de seu trabalho”.

Dulce Rodrigues dos Santos nasceu em São Paulo. Tuberculosa, veio tratar-se em São José dos Campos onde iniciou um trabalho humanitário com o propósito de oferecer dignidade e esperança para os doentes abandonados à própria sorte. Fundou a Congregação das Pequenas Missionárias de Maria Imaculada, reconhecida oficialmente pelo Vaticano em 1936, que tem como missão promover a glória de Deus, dedicando-se às obras de serviço espiritual e corporal em favor dos doentes, dos pobres, dos mais abandonados, dos anciãos, das crianças, dos adolescentes e dos jovens para que, seguindo Jesus Cristo, todos tenham mais vida e vida em abundância. Madre Teresa faleceu em 8 de janeiro de 1972. Por sua vida e seu legado, encontra-se em processo de canonização.

Grande Obra Missionária

Foto Bruna Vieira

Passados 60 anos de atividades, o Hospital Stella Maris, uma Entidade filantrópica se mantém firme e forte, apesar de depender, sobretudo, de repasses de verbas de órgãos públicos. O Instituto das Pequenas Missionárias de Maria Imaculada (IPMMI) tem 75 anos de atuação na área da Saúde e Assistência Social. Além da Casa de Saúde Stella Maris, as Irmãs administram outros hospitais de grande e médio porte, como Hospital Madre Teresa, em Belo Horizonte/MG; Hospital Antoninho da Rocha Marmo e Pio XII, ambos em São José dos Campos/SP; Hospital São Paulo, em Campos do Jordão/SP; Hospital Marieta Konder, em Itajaí/SC e,

8

Comunidade PMMI da Casa de Saúde Stella Maris.

Hospital Luiz Bertoli, em Rio D’Oeste/SC. O IPMMI está presente em 15 cidades e 4 Estados brasileiros, no Distrito Federal e em 4 países: Brasil, Portugal, Itália e Moçambique: em hospitais, abrigos para idosos, creches, uma escola rural, centros de formação religiosa e humana, casas de assistência a sacerdotes e atuação em pastorais e missões humanitárias. Em 2010, os sete hospitais administrados pelo Instituto realizaram uma média de dois milhões de atendimentos pelo SUS e sete mil partos. Cerca de 200 idosos e 390 crianças também foram atendidos nos abrigos, creches e escola.


Fotos Bruna Vieira

O Hospital que você não vê

9


TRISTEZA

Catástrofe

A

18 de março de 1967: o dia em que Caraguatatuba parou por causa de uma grande Tromba D´Água.

Catástrofe de 1967, como ficou popularmente conhecido o fenômeno “hecatombe”, que atingiu Caraguatatuba em 18 de março de 1967, foi uma espécie de dilúvio dos morros, após vários dias de chuvas constantes, que acabaram enfraquecendo o solo e provocando o deslizamento de terras. Centenas de casas foram soterradas e os rios ganharam fortes correntezas arrastando não somente casas, mas árvores, pontes, entre outros. Assim consta no livro “Santo Antônio de Caraguatatuba”, organizado Jurandir Ferraz de Campos. Não se sabe ao certo quantas foram às vítimas dessa tragédia que destruiu a cidade, que a partir daí a fez renascer por meio daqueles que sobreviveram e acreditaram no recomeço. Na ocasião, o Governo do Estado de São Paulo decretou alerta máximo, uma vez que a cidade ficou ilhada. O Exército prestou auxílio para os sobreviventes, que até hoje relembram “o dia em que a serra caiu” como se tivesse acontecido ontem. A Casa de Saúde Stella Maris estava no caminho destes deslizamentos, mas por graça de Deus, o prédio não foi sucumbido. Foi uma das únicas construções que se mantiveram em pé, contendo inclusive com sua estrutura parte do deslizamento. Enquanto a avalanche devastava a região e os seus terríveis efeitos se espalhavam por todos os lados, no Hospital, as Irmãs, médicos

10

e funcionários, se dedicavam com verdadeiro heroísmo e poucos recursos para atender as vítimas da Catástrofe. O Dr. Keiiti Nakamura, que se encontrava de plantão na Casa de Saúde, relata que “de sexta-feira para o sábado choveu muito e continuamente. E até à hora do almoço mais ou menos era só isso: Chuva, chuva, chuva. Não pude ir para casa almoçar porque o carro não pegou. Fiquei aqui. Não sei precisar o horário, mas à tarde começaram a chegar pessoas mortas e outras muito machucadas do morro que deslizou ali perto do Hotel Cruzeiro. Então eu tive que ficar atendendo aqui e chamei o Dr. Marcos e o Dr. Jurandyr para me ajudar. E enquanto estávamos fazendo o atendimento, veio a enxurrada num volume tão grande de água e entulho que inundou todo o entorno do Hospital. O rio que tinha 16 metros de profundidade passou a ter mais de 60. Isto isolou o centro da cidade da região onde estava o Hospital. Não havia como passar para o outro lado pois o rio alargou-se de tal maneira e rompeu a ponte. Então continuamos a atender as pessoas que chegavam, até que veio reforço de São Paulo”.

“Não poupamos esforços para socorrê-los e agasalhá-los, e num instante o hospital ficou superlotado”.

Dr. Keiiti Nakamura


Como constam nas crônicas da Congregação das Pequenas Missionárias de Maria Imaculada... Fotos Arquivo/CSSM

“Há uma semana que vinha chovendo em nossa Cidade ininterruptamente. Já o Rio Santo Antônio estava aumentando o seu volume, e lá pelas 12 horas quase a transbordar do seu leito, corria velozmente levando em seu curso algumas bananeiras, e, seu barulho fazia-se perceber, anormal. O nosso quintal em vários pontos mais baixos, devido às chuvas contínuas, as águas empoçavam, como em enchentes comuns. Às 14h30, começaram a chegar as primeiras vítimas do desabamento do morro do Cruzeiro, que desmoronou com as chuvas, e logo após a Benção do Santíssimo, às 15 horas, o movimento na Santa Casa era grande, com a chegada de outras vítimas: homens, mulheres, moços e crianças, alguns já agonizando, outros com ferimentos graves, todos molhados, enlameados, tiritando de frio e apavorados. Não poupamos esforços para socorrê-los e agasalhálos, e num instante o hospital ficou superlotado. No ambulatório, feridos e mortos se estendiam pelo chão. As enfermarias ficaram cheias, e esvaziamos nosso estoque de cobertores, pijamas e camisolas para socorrer os primeiros flagelados. Não só feridos, mas as famílias, os soldados da polícia que estavam transportando as vítimas, também vieram procurar abrigo em nossa Casa, antes que fossem atingidos pelas águas. Começamos então, abrir o nosso Pensionato, no 2º andar, para dar abrigo a quem precisasse, quando repentinamente fomos avisadas que as águas estavam atingindo a nossa Santa Casa. Vinha ela da Serra numa altura de 20 metros, trazendo consigo enormes e grandes quantidades de troncos e árvores, misturadas com barro e sujeira, e com um barulho semelhante a ondas revoltas. Subimos imediatamente os nossos doentes. Foi um correcorre de Irmãs, médicos, enfermeiras e auxiliares, pois as águas foram invadindo tudo em menos de 5 minutos, ficando a nossa Santa Casa toda tomada. Em alguns lugares as águas entravam pelas janelas com quase 2 metros de altura. As chuvas continuavam, era 16h30, e já a escuridão chegava. As águas corriam com ímpeto, levando as enormes toras como se fossem objetos leves. O mesmo acontecia com os móveis, objetos, utensílios, sacarias etc. As casas da vizinhança foram destruídas em grande número. Ouviam-se gritos de socorro e o ruir de grandes prédios. Nada podíamos fazer, era impraticável sairmos para socorrer, pois corríamos o risco de sermos levadas pelas correntezas e sem poder auxiliar alguém. Improvisamos aqui em cima enfermagem e cozinha. O pouco de alimentos que conseguimos salvar foi distribuído aos doentes, abrigados, médicos e auxiliares. Procuramos acomoálos da maneira que pudemos, e até dormiram alguns na Capela. Nossos médicos, Dr. Keiiti, Dr. Jurandyr e Dr. Marcos, muito dedicados, continuaram durante toda a noite com as águas até os joelhos - a fazer na sala de operações, suturas e curativos aos feridos, apenas com a luz de velas, e as Irmãs que os auxiliavam”.

11


CAPA

O Hospital hoje A caminho de tornar-se uma Unidade Regional de atendimento para o Litoral Norte.

P

or ser o Hospital mais estruturado e qualificado da região pela sua localização central e próximo ao acesso à Serra, e também aquele que recebeu o maior número de investimentos, o Hospital Stella Maris posiciona-se naturalmente como a melhor opção para tornar-se uma unidade regional de atendimento à Saúde no Litoral Norte. A Direção do Stella Maris negocia essa possibilidade com as autoridades estaduais. Segundo o Gerente de Relações Institucionais, Amauri Toledo, o Hospital pretende oferecer atendimento regionalizado em algumas especialidades, especialmente Traumato-Ortopedia. Também pleiteia a criação de um Centro de Diagnósticos por Imagem e mais leitos de internação e de UTI adulto.

“Considerado o maior Hospital da região, e único com atendimento SUS em Caraguá” . 12

Apesar das dificuldades financeiras que enfrenta, o Hospital Stella Maris tem investido fortemente na melhoria de sua infraestrutura e na formação de sua equipe técnica, utilizando recursos provenientes de verbas públicas, da captação de recursos através da Campanha da Nota Fiscal Paulista e outros, e ainda, valendo-se de empréstimos bancários. O setor de Captação de Recursos do Hospital mantém também contato com políticos, ONGs, Governos Federal, Estadual e Municipal em busca de mais recursos e investimentos.

Um Hospital cada vez melhor Ações de melhoria como o Projeto de Revitalização dos Hospitais Filantrópicos, reformas conseguidas com grande sacrifício em vários setores , são as grandes conquistas que lentamente vão acontecendo, dependendo tão somente da entrada de recursos. Um exemplo disso é a reforma da Pediatria que ganhou mobiliário e equipamentos hospitalares modernos e foi decorada com motivos infantis, especialmente com adesivos que fazem referência ao mar. Pelos corredores foram espalhados peixes coloridos. O balcão da enfermagem recebeu um adesivo que reproduz o fundo do mar. No final do corredor foi instalada a foto de uma criança caminhando na praia. Neste último setor reformado,

por exemplo, todo o mobiliário foi conseguido graças aos recursos da Campanha da Nota Fiscal Paulista. Segundo Amauri Toledo, a Pediatria necessitava de mudanças. “Agora contamos com um espaço moderno, amplo e acolhedor. Em um ambiente adequado, que oferece tranquilidade e atenção, temos certeza que estamos colaborando com a recuperação dos nossos pequenos pacientes”, explica. Faltam ainda vários locais a reformar e sofrer adequações para o bem estar dos pacientes e acompanhantes. Com o trabalho árduo de todos, com a busca de recursos e projetos, esperamos logo poder ver concretizado este sonho: o Stella Maris oferecer de maneira completa o conforto necessário a todos.


Novidades e instalações

Fotos Bruna Vieira

Nos últimos três anos, o Stella Maris investiu R$ 300 mil provenientes de recursos próprios e emendas parlamentares na compra de equipamentos para o Laboratório de Análises Clínicas. O Laboratório que atende toda a demanda do Hospital e da rede pública municipal de Caraguatatuba funciona 24 horas por dia. Como os Serviços de higienização, organização e segurança são essenciais para o Serviço hospitalar, igualmente a CME - Central de Materiais Esterilizado, que torna estéril materiais, equipamntos para serem utilizados em cirurgias, curativos e procedimentos - teve uma reforma para atender a demanda do Hospital e do Pronto Socorro, enquanto aguarda a aprovação de Projeto junto ao Estado, para a construção da nova Central, com mais equipamentos de esterilização e autoclaves. O Hospital Stella Maris conta também com uma Agência Transfusional onde são armazenadas as bolsas de sangue utilizadas em cirurgias ou para pacientes atendidos na Emergência do Pronto Socorro.

De cima para baixo: Maternidade - Espaço Keiiti Nakamura e Sala de Espera, corredor do Setor 2, Laboratório, Jardim interno da Maternidade e Pediatria.

Dentro do processo de reestruturação e reforma do Hospital, a inauguração da nova ala de internação para cirurgias com 22 leitos (Setor 2) foi um grande avanço para oferecer mais conforto e qualidade aos pacientes. Em uma área de 354 m2, o Setor de Internação para Cirurgias oferecerá 4 enfermarias (com 4 leitos cada), 5 apartamentos e um leito de isolamento. Preocupado com a hotelaria, o Hospital instalou modernos móveis hospitalares nos quartos. O setor de internação para cirurgias atende pacientes SUS, de convênios e particulares. Segundo o Dr Hélio Batista de Souza, Diretor Técnico do Stella Maris, a ala faz parte da estratégia de melhoria contínua das instalações. “Nos últimos 3 anos, inauguramos uma área anexa ao Pronto Socorro com 20 leitos de observação e emergência, ampliamos a sala de emergência e reformamos a sala de observação do Pronto Socorro, inauguramos a nova Maternidade e a Primeira UTI Neonatal do Litoral Norte”, ressaltou.

13


Corpo Clínico dedicado Muitos são os Profissionais Médicos que se dedicam há anos e diariamente aos pacientes. Muitas são as histórias de uma vida hospitalar e dos atendimentos no Pronto Socorro. Igualmente acolhemos os que há pouco tempo encontram-se no Hospital, exercendo sua profissão e missão. Afinal eles ajudaram e ajudam a contruir estes 60 anos de História! A todos que realmente “vestem a camisa do Stella Maris” e por ele lutam para que cada vez mais cresça em Qualidade e Humanização, a nossa gratidão. Esta Festa também é sua! Um é ginecologista. O outro Medeiros, obstetra, chegou a Caraguá ortopedista. Um cuida da saúde das três anos antes de Ibrahim, em 1976. mulheres e das mamães. O outro “Vim com a minha mãe conhecer O Dr. Ibrahim Antônio cuida de músculos, ligamentos, ossos a cidade após saber que estavam Bittar Júnior, Vice Diretor do e articulações. Eles chegaram recém- precisando de médicos. Logo de cara Corpo Clínico do Stella Maris formados, após a residência médica, gostei. Era um hospital com potencial fala do setor de Ortopedia que na Casa de Saúde Stella Maris. De lá de crescimento e a cidade com ótima avançou muito. “Cresceu tanto pra cá se passaram mais de 30 anos. qualidade de vida. E assim foi. Construí em volume de cirurgias como Continuam com o mesmo entusiasmo minha família aqui. Tive duas filhas”, em complexidade. Essas mais pela profissão, com a mesma vontade confirma. de 11 mil cirurgias que só eu de ajudar os pacientes, com o mesmo realizei no Hospital mostram o Dr. Márcio ressalta o idealismo de ‘preparar o terreno’ para acolhimento no Hospital. “Receberamtrabalho nestes últimos tempos, que outros jovens médicos repitam a me muito bem. Sempre fui bem tratado com o aumento de acidentes de história de dedicação e crescimento aqui. Até hoje. Sinto-me realizado. trânsito na região. O Hospital junto a este Hospital. tem procurado acompanhar isso Aprendi muito. No início não tinha “Eu espero que cheguem muitos médicos e então acabávamos no sentido de realizar todos esses jovens cirurgiões que queiram fazer fazendo um pouco de tudo”, afirma. procedimentos”, confirma. a escolha que fiz. Montar um serviço O Stella Maris Hoje, 95% dos exames de de ortopedia ou melhorar este que obstetrícia são feitos na Casa. Até 2010, disponibiliza o serviço de existe. O hospital, a população e a quase 11 mil partos foram realizados. Traumato-Ortopedia. “Temos cidade precisam disso. E tem chegado artroscópio, intensificador de Dr Márcio é o atual Diretor mais gente que vai dar continuidade Clínico do Stella Maris. Revela ainda imagem que é um raio-x dinâmico a isso”, revela o Dr. Ibrahim Antônio uma enorme satisfação que quer “deixar para cirurgia. Na realidade o Bittar Júnior que em 1979, pisou pela o hospital da melhor forma possível Hospital está equipado para o primeira vez, no chão da abençoada para que outros médicos sintam o amor atendimento básico e para os Casa de Saúde de Caraguá. politraumas”, acrescenta. e o prazer que tenho por trabalhar nesta Já o Dr. Márcio Rios de Casa de Saúde”, confessa. Dr. Ibrahim revela que “Masi recebeu do que deu, recebeu muito mais de Deus e da cidade. Sempre achei que essa conta me foi muito favorável. Eu era um cirurgião recém-formado com curso de especialização em Ortopedia. Fiz uma escolha por Caraguatatuba. Hoje sou caiçara mesmo. Confesso que estou muito contente por ter vindo para cá, por ser médico, por ser cirurgião, por ser ortopedista e ter feito o que eu fiz aqui”, finaliza. Dr. Márcio Rios.

14

Foto Bruna Vieira

Foto Ir. Sandra Helena

11 mil cirurgias 11 mil partos

Dr. Ibrahim Bittar.


Raio X

Fevereiro/2009: O Stella Maris inaugura uma ala anexa ao Pronto Socorro atual com 20 leitos de observação e emergência, retirando definitivamente as macas dos corredores. Maio/2009: Reforma da UTI adulto com aquisição de novos equipamentos, com recursos próprios.

A partir de Junho de 2010 Pediatria com motivos infantis.

Setembro/2009: Por meio de parceria com a Petrobrás, amplia e reforma a Sala de Emergência, adequa a entrada das ambulâncias e reforma da Sala de Observação do Pronto Socorro. 2010: Instala uma cobertura metálica na entrada do Pronto Socorro e troca os bancos de cimento por cadeiras confortáveis para que os pacientes aguardem atendimento. Setembro/2010: Inaugura a Maternidade e a primeira UTI neonatal do Litoral Norte, com 11 leitos, além de um Centro Cirúrgico e Obstétrico com 4 salas. Cria um Pronto Atendimento exclusivo para gestantes. Esposos ou acompanhantes passam a ter direito a acompanhar o parto. Implanta o teste da Orelhinha, entre outras benfeitorias.

Novo Centro Cirúrgico e Obstétrico árias especialidades, inclusive ortopédico

Visita Aberta.

Fotos Arquivo / CSSM

Novo Centro Cirúrgico e Obstétrico.

Laboratório: Nos últimos 2 anos, o Stella Maris investiu R$ 300 mil (provenientes de recursos próprios e emendas parlamentares) na compra de equipamentos para o Laboratório de Análises Clínicas. O Laboratório funciona 24 horas por dia. Dezembro/2010: adquire novos equipamentos hospitalares (13 ventiladores mecânicos e 10 monitores cardíacos) com verba federal de R$ 775.530,00 por meio de emenda parlamentar do Deputado Federal Clodovil Hernandez. Janeiro/2011: Inicia a reforma da Lavanderia. O Hospital ganha recurso da SERVENG para aquisição de uma secadora e uma centrífuga, ambas para 50 kg de roupa. Por meio da Divisão Regional de Saúde (Governo do Estado), passa a integrar o Projeto de Revitalização de Hospitais Filantrópicos. O objetivo do Projeto é contribuir para a melhoria contínua da qualidade do atendimento nos serviços de saúde mediante metodologia específica, implantando rotinas formalizadas, treinamentos específicos, enfim, trazendo a organização necessária – administrativa e técnica. Março/2011: O Hospital inaugura uma nova ala de internação para cirurgias com 22 leitos. Maio/2011: O Hospital implanta a classificação de risco no Pronto Socorro, que permite o atendimento dos pacientes por gravidade de caso e não mais por ordem de chegada. Novembro/2011: Inicia a visita ampliada no Hospital Dezembro/2011: Inauguração da nova ala de pediatria

Quadro de pacientes internados.

15


MATERNIDADE

Referência materno-infantil no Litoral Norte Moradores do Litoral Norte contam com Maternidade e UTI neonatal que dispõem de equipamentos de última geração e atendimento humanizado.

Foto: Ir. Sandra Helena

N

“A UTI neonatal é referência no atendimento de bebês prematuros”. 16

estas seis décadas, desde a sua Fundação, a Casa de Saúde Stella Maris viu nascer muitos caiçaras. Hoje, muitos vendedores, professores, advogados, comerciantes e até pessoas que trabalham no próprio Hospital nasceram ali pelas mãos das Irmãs, do Dr. Keiiti Nakamura, do Dr. Márcio Rios e outros médicos que atuam hoje na região. Quantas mães não se lembram de passar o principal momento de suas vidas, acolhidas pelo carinho das Pequenas Missionárias e dos funcionários do Hospital. E é para tornar este instante mais bonito e especial do que já é, que o Stella Maris transformou suas instalações na maior e mais moderna Maternidade do Litoral Norte. Para construir e equipar a Maternidade e a UTI Neonatal, inauguradas em julho de 2010, foram recebidos investimentos do Governo do Estado na ordem de R$ 2,6 milhões. “Esse investimento representou um grande avanço para a Saúde Pública no Litoral Norte, reforçando a posição do Hospital Stella Maris e da cidade de Caraguatatuba como referências em atendimento médico-hospitalar de qualidade na região”, afirma a Ir. Alessandra Nogueira. A Maternidade recebeu o nome de Centro de Parto Normal Dr

Keiiti Nakamura, homenagem a um dos primeiros médicos do Litoral Norte e pioneiro no atendimento às gestantes. Hoje, o local atende gestantes de alto risco, possui 51 leitos destinados a gestantes e parturientes e clínica cirúrgica. Tem potencial para 280 partos e 400 cirurgias por mês. Para garantir o bom atendimento e eficiência, a Maternidade conta com equipe médica habilitada para a especialidade nas 24 horas. A primeira UTI Neonatal do Litoral Norte foi inaugurada junto com a Maternidade para atender de forma adequada os recém-nascidos, de acordo com as exigências da Sociedade Brasileira de Medicina e do Ministério da Saúde. Para isso a unidade possui 11 leitos, sendo um de isolamento, e recebeu equipamentos de última geração como monitores multiparâmetros, respiradores e incubadoras e conta ainda com uma equipe de médicos intensivistas, neonatologistas e enfermagem, além de um médico diarista, que acompanha o quadro clínico das crianças em tratamento. A UTI Neonatal recebeu o nome de Dr. Luiz Roberto Barradas Barata, Secretário Estadual de Saúde, que sensibilizado com a situação do atendimento em Caraguatatuba, foi um grande parceiro na conclusão da obra. Faleceu em julho de 2010.


Qualidade em todos os momentos Com uma área de 923,8 m2, o prédio da Maternidade possui salas equipadas para acompanhar a mãe desde as primeiras contrações até o nascimento do bebê. As inovações vão desde a recepção, desembarque das pacientes, sala de triagem e sala de admissão para prestar os primeiros atendimentos à futura mamãe, até Centro Cirúrgico com quatro salas (para cirurgias gerais e parto cesáreo) e um Centro de Parto Normal com leitos de PPP (pré-parto, parto e puerpério - onde a gestante em trabalho de parto permanece com um acompanhante de sua escolha antes, durante e pós parto). Além dos demais atendimentos, conta ainda com sala de recuperação anestésica, leitos de observação e emergência, sala de exames com um moderno ultrassom e três cardiotocógrafos, e um corredor de interligação com as demais áreas hospitalares para facilitar o acesso.

Fotos: Bruna Vieira

Atendimento humanizado na UTI neonatal.

Equipamentos de última geração para os cuidados dos bebês prematuros.

“A sensibilidade, o carinho e o respeito são aliados da tecnologia”.

Sala de recepção da Maternidade inaugurada em 2010 no Hospital Stella Maris.

Humanização Na UTI Neonatal do Stella Maris, a sensibilidade, o carinho e o respeito são aliados da tecnologia. O atendimento humanizado faz a diferença. Para humanizar o ambiente, a UTI e os uniformes das funcionárias contém motivos infantis. Num ambiente tranquilo e acolhedor, a mãe pode acompanhar o filho e amamentá-lo no local, se houver indicação médica. Além disso, pais e familiares podem visitar o recém-nascido dentro da UTI. “Construímos com muito carinho para fazer com que a estadia daqueles que precisam de atendimento seja a mais tranquila possível”, confirma a Ir. Sandra Helena, Gerente de Enfermagem.

17


REVITALIZAÇÃO

Crescimento com Qualidade Foto: Divulgação/CSSM

Programa de Revitalização quer elever o desempenho dos funcionários.

O

Funcionários do Stella Maris que fizeram o curso de Gestão de Processos do Cealag.

Programa de Revitalização dos Hospitais Filantrópicos do Estado de São Paulo, implantado por meio da Divisão Regional de Saúde, o qual o Hospital Stella Maris faz parte, visa contribuir para a melhoria contínua da qualidade do atendimento nos serviços de saúde. ARevitalização quer elevar o desempenho administrativo e a qualidade dos serviços prestados por meio de um sistema de gestão de qualidade. Com metodologia específica, o programa implanta rotinas formalizadas, treinamentos específicos, para compor a organização necessária administrativa e técnica. Desde fevereiro de 2010, o Stella Maris integra o projeto apoiado pelo Ministério da Saúde, e conquistou a modalidade PRATA em assistência hospitalar no final de 2011. A avaliação foi feita no dia 24 de novembro de 2011 pelos auditores do CQH (Compromisso

18

com a Qualidade Hospitalar) – Entidade avaliadora – sendo esta a segunda avaliação realizada durante o Projeto. Na pesquisa conferiram a qualidade da assistência em todos os setores, na área de Recursos Humanos, nos processos e ações relacionados à implantação do Programa de Revitalização. O Hospital recebeu uma avaliação de 263 pontos. No final de 2012, o Hospital será submetido a uma nova avaliação e quer conquistar o selo Ouro, concedido para hospitais que recebem o mínimo de 350 pontos, sem zerar nenhum critério. Para o Gerente de Relações Institucionais do Hospital, Amauri Toledo, o crescimento na avaliação mostra que o Hospital está no caminho certo. “A obtenção do selo Prata comprova que o Stella Maris presta à população de Caraguatatuba serviços com qualidade. Nossa equipe está focada na melhoria contínua. Rumo ao selo Ouro”, afirma.

“Estamos próximo ao ouro na Assistência Hospitalar”.


Comitê Interno Cealag Projeto, alcançaremos o padrão de organização necessária para nossa Instituição”, explica Ir. Maria Silvia. Até agora muitos aspectos mudaram. Hoje as reuniões são formalizadas com atas e informadas ao setor de comunicação interna. A Captação de Recursos Federais está fortalecida com visitas a Deputados e Senadores em Brasília, o que aumentou de duas para sete as ementas para o ano de 2012. A Casa de Saúde está em comunicação direta com a equipe do PSF para referenciar e dar continuidade ao tratamentos dos pacientes com alta junto a Rede Municipal de Saúde. Todos estes indicadores mostram que o Projeto de Revitalização é de importância vital para a Instituição. A mudança organizacional é notória. “Com certeza tem sido a grande vitória para todos”, concluiu a Irmã Maria Silvia.

Foto: Bruna Vieira

de Clima. Com tanta novidade foi necessário um Informativo mensal para que todos ficassem “por dentro” dos acontecimentos. Juntos definiram a nova Identidade Organizacional da Entidade que tem como Missão “Atender e cuidar de forma humanizada com qualidade na assistência hospitalar” e Visão “Ser reconhecido até 2013 como referência regional de excelência em Serviços de Saúde de média e alta complexidade”. É um programa de extrema importância para iniciar o processo de crescimento na qualidade da assistência hospitalar. “São muitas as frentes a serem trabalhadas e é árduo o trabalho diário em “fazer acontecer” as mudanças em meio às dificuldades da rotina hospitalar, mas acreditamos que com a preciosa orientação e auxílio do Foto: Divulgação/CSSM

Em fevereiro de 2011, a Casa de Saúde Stella Maris implantou o Comitê Interno, composto pelas Chefias dos Setores e Lideranças. Este grupo foi criado para melhorar a estrutura organizacional da Instituição. As ações desenvolvidas pelo grupo visam, principalmente, o trabalho em equipe. A partir de estudos e reuniões (fotos), várias medidas foram tomadas para aumentar a satisfação do usuário, como a implantação de uma pesquisa onde o paciente ou acompanhante expressa sua opinião quanto à qualidade dos serviços e atendimento. Além de demonstrar que se importa com os usuários, o CEALAG (Centro de Estudos Leopoldo Ayrosa Galvão) quer saber como os funcionários se sentem em trabalhar no instituto e realizaram uma Pesquisa

Fases de Revitalização

O Programa tem duração de dois anos e está dividido em etapas. Na primeira fase do, funcionários do Hospital foram indicados a fazer parte do Comitê Interno e responderam um questionário com 500 perguntas para identificar a situação em que o Hospital se encontrava. A segunda fase do Programa contou com palestras de capacitação para informar aos participantes as mais modernas metodologias, ferramentas e práticas de gestão. A primeira palestra foi realizada em 3 de Fevereiro sobre

Gestão de Custos, proferido pelo professor Luiz Otávio Vianna, consultor do Cealag, no Teatro Municipal, em São Sebastião. A segunda palestra, sobre Gestão de Processos, nos dias 14 e 15 de Fevereiro/2012, foi ministrada por Marisa Lea Cirelli Sarrubbo, no auditório da Associação Comercial e Empresarial de Caraguatatuba (ACE). E a terceira palestra sobre Gestão de Suprimentos foi com Wilson Reinhardt Filho, nos últimos dias 11 e 12 de abril, no Auditório do Centro Universitário Módulo. Mais de 300 pessoas participaram dos cursos que

foram muito bem avaliados por meio das pesquisas de satisfação. Em unidade ao Projeto e à equipe de qualidade do IPMMI, estamos caminhando para a execução do Programa 5S que ajusta a rotina profissional com 5 “sensos”, entre eles: Utilização, Organização, Limpeza, Saúde e Auto Disciplina. Neste sentido, foi criado um concurso interno para a criação do Mascote 5S que teve 18 inscritos esbanjando criatividade. A mascote escolhida foi a estrelinha MariSTELLA. O desenho estará estampado em vários locais e documentos do Hospital.

19


COMUNIDADE

Duas pessoas, uma única paixão

A

Foto: Bruna Vieira

Foto: Thaís Matos

Eles são apenas conhecidos, mas tem um amor em comum: o Hospital Stella Maris.

mauri Toledo e Regina Freire. Não, não se trata de um casal! Ele trabalha no local há 11 anos. Começou na assistência aos pacientes como fisioterapeuta e chegou à Gerência de Relações Institucionais, cargo que não imaginava ocupar. Ela é bancária em atuação. Há sete anos começou a se enamorar do Hospital e há dois anos desempenha a função de voluntária. Amauri Barbosa Toledo teve a oportunidade de crescer profissionalmente junto com o Hospital.“Quando cheguei fazia aquele trabalho “pé no chão” e fiquei nele durante sete anos. Nós tínhamos poucos equipamentos e sempre quebravam. Então eu tomei a iniciativa de cuidar deles e começaram a durar mais. Em 2008, chegou a Ir. Maria Sílvia com propostas inovadoras. Na inauguração da Maternidade, em julho de 2010, fiquei responsável pela compra de todos os equipamentos. Investimento do Governo do Estado de 1,2 milhões. Foi uma luta conseguir gerenciar tudo isto, mas hoje com a UTI neonatal somos referência para todo o Litoral Norte”, contou emocionado. Amauri falou também das reformas em andamento. “Hoje temos uma ala de internação para ser reformada e uma construção iniciada que aguarda verbas. É um investimento grande e pesado. Aumentaremos o número de leitos e de atendimento quando terminar”.

20

O Hospital vive uma fase de revitalização buscando a excelência nos serviços de saúde. Além de ter como referência a UTI neonatal e a Maternidade, “nós temos uma equipe de Ortopedia de excelência e ainda uma sala cirúrgica de ponta e equipamentos de última geração. O trabalho é incessante, 24 horas no ar. Não podemos pensar em parar. Caraguá cresce e o Hospital também”. Amauri reafirma a sua vocação pela Saúde e a paixão pelo Hospital. “O sonho da minha vida era trabalhar com religiosos. Sempre acreditei que este é um ambiente incorruptível. E Deus me abençoou. Só tenho a agradecer as Irmãs que “construíram”o que sou hoje. É um ambiente maravilhoso, mas com muitos desafios. Amo o Hospital e adoro Caraguá. Aqui é o meu lugar de fato e estar com as irmãs é uma benção. Reconheço que não é fácil ver uma freira administrando um hospital. Vivemos num mundo machista. Administrar um hospital com todo mundo jogando contrário é de tirar o chapéu. Desempenho este trabalho com o peito estufado e feliz”, finaliza emocionado.

Voluntária curiosa* Há uma voluntária curiosa. Há quatro anos, Regina Freire sai da agência bancária onde trabalha, às 16h e segue para o Stella Maris. Durante uma hora e meia visita pacientes e leva uma palavra de conforto a eles. Às 18h, quando a missa começa, ela corre para a Capela e agradece por poder estar ali ajudando. “Eu amo o Stella Maris e o que eu puder fazer por ele, vou fazer sempre”, declarou enfática. Uma das histórias que mais a emociona foi a de Seu Luiz. “Ele ficou por muito tempo na UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Em uma das minhas visitas, ele me pediu que rezasse por ele e eu o fiz. Ele agradeceu muito e eu fui para outros quartos. Quando voltei para me despedir, disseram que ele tinha morrido. Acho que ele sabia que ia morrer, precisava de uma oração e graças a Deus eu estava lá e orei com ele”, narrou. O amor dela pela Casa de Saúde não tem tamanho. “Se este Hospital não existisse, sei lá o que seria de Caraguá. Senão fossem as irmãs, esta cidade não teria a qualidade de saúde que hoje tem”, finalizou.


Rir é o melhor remédio

Foto: Arquivo/CSSM

A mais preciosa

Tereza Navarro Magalhães (fotos) dedica há anos, muitas horas de sua vida ao Hospital Stella Maris. Já na década de 1990, ela frequentava a Casa de Saúde e dedicava atenção às crianças da Pediatria, aos pacientes internados na Enfermaria, as Irmãs e todos que passavam pelo Hospital. Ela fala sobre as oficinas de costura e crochê que frequentava. Sim, ela e outras voluntárias se reuniam duas vezes por semana no Hospital e passavam as tardes fazendo enxoval de bebê e consertando roupas. E os chás com ações entre amigos... Sua memória é fantástica ao relatar cada detalhe desses eventos, visitas e oficinas. E ela continua firme no propósito de servir. Ainda hoje frequenta as

missas na Capela e ajuda de todas as formas possíveis. Inclusive nos eventos comemorativos dos 60 anos ela convidou pessoalmente amigas, familiares e vereadores para participar da Caminhada seguida do Abraço Coletivo no Hospital, em fevereiro último. Na Noite Italiana, em março, ela fez questão de colocar o avental e ajudar a servir as pessoas durante toda a festa. Além de tudo, ela é uma devota fidelíssima aos ensinamentos da Serva de Deus Madre Maria Teresa de Jesus Eucarístico. Por estas e outras razões que não cabem neste pequeno texto, ela é uma voluntária “muito preciosa” do Stella Maris. Caraguá precisa de outras Terezas como esta!

Foto: Daniel Olivieri

Quem nunca viu a alegria de uma criança ao brincar com um palhaço? Até os adultos gostam. Motivados pela vontade de ajudar o próximo e o amor à arte, alguns artistas do Litoral resolveram criar o grupo Riso Solidário, composto por 12 atores independentes que visitam os pacientes no Hospital. A ideia do Projeto surgiu na 1ª Mostra Independente de Teatro de Caraguatatuba, em janeiro de 2012. Depois disso criaram o Riso Solidário em Caraguatatuba. O coordenador da Associação Popatapataio de Arte e Cultura, Daniel Forjaz relata que “quando tudo parecia estar perdido”, eles foram bem recebidos na Casa de Saúde Stella Maris. “A recepção dos pacientes é maravilhosa. Muitas vezes encontramos pacientes com dor e tristes. Entramos com toda a alegria e fazemos todos sorrir e interagir com brincadeiras e descontração. É muito bom”, relata. A intenção do grupo voluntário é ampliar as visitas e se possível visitarem os pacientes mais vezes na semana. Sorrir é um remédio sem efeitos colaterais e nem precisa de prescrição médica.

Horário ampliado de visita O Hospital Stella Maris tem agora a “Visita de Aberta”com mais opções de horários para visitantes acompanharem seus pacientes internados. A visita acontece diariamente das 10 às 19h, com revezamento de duas pessoas por leito. Anteriormente, os horários de visita eram limitados à uma hora apenas. Esta foi uma iniciativa do Comitê Interno de Revitalização do Hospital Stella Maris. Para o Gerente de Relações Institucionais do Hospital, Amauri Toledo, estar em contato com um ente querido durante a internação, é fundamental para o seu restabelecimento. “Além disso, o acolhimento de seus familiares e amigos põe em prática o cumprimento da Missão do Hospital que é atender e cuidar de forma Humanizada com qualidade na assistência hospitalar”.

Comitê de Humanização Instituído no início de 2012, o Stella Maris conta com um Comitê de Humanização composto por vários profissionais de todas as áreas do Hospital com a finalidade de ampliar as ações de humanização junto a pacientes, familiares e a todos os que procuram a Instituição.

21


60 ANOS

Dia de Festa!

Fotos: Bruna Vieira

Q

A Casa de Saúde Stella Maris preparou uma série de eventos para comemorar seus 60 anos de Fundação.

uatro meses atrás, teve início à programação de aniversário com a campanha “Abrace o Hospital”. No dia 24 de fevereiro, mais de 500 pessoas “Caminharam por uma Saúde Melhor em Caraguatatuba”. Elas saíram da Praça Cândido Motta, em frente à Igreja Matriz de Santo Antônio, percorreram o Centro da cidade com placas, lenços, faixas, botons, num clima de harmonia e alegria chegaram ao pátio do Hospital. Com animação e força de vontade, os funcionários, amigos, apoiadores da causa da Melhoria da Saúde na Cidade, além das Irmãs do Instituto das Pequenas Missionárias de Maria Imaculada que vieram de outras cidades, entoaram o grito: “Viva o Stella Maris”! Foram aplaudidos pela comunidade nas ruas, com direito

22

a carro de som e fazendo todos rirem com as palhaçadas dos “clowns” do Grupo “Riso Solidário”. Ao chegarem ao Stella Maris, após breves palavras de Dom Antônio Carlos Altieri nosso Bispo Diocesano, receberam as bênçãos de Deus. De mãos dadas, formaram uma corrente em volta do Hospital, abraçando-o simbolicamente num gesto de carinho e atenção a esta respeitada “Senhora” Casa de Saúde. Olhares emocionados, sensação de dever cumprido e gratidão reinaram no dia do Abraço Coletivo ao Hospital. Rojões finalizaram o ato das mãos dadas, dos sorrisos nos rostos, dos balançares de lenços brancos da paz. Este primeiro evento contou com o apoio da Diocese por meio da Campanha da Fraternidade deste ano que tem como tema “Fraternidade e Saúde Pública” e da Associação Comercial de Caraguatatuba.

“Viva o Hospital Stella Maris”.


E não parou por aí... No dia 23 de março, às 20h30, foi realizada ao redor do Stella Maris, a Via Sacra com o texto proposto pela Campanha da Fraternidade 2012. Este momento de oração pelos 60 anos do Hospital, contou com a participação de 80 pessoas e com liturgia presidida pelo Pe. Ernesto, da Catedral do Divino Espírito Santo. “Nós Irmãs e vários funcionários participamos de todo o percurso, carregando a cruz, as velas e lendo textos. A Via Sacra terminou na Capela onde rezamos por todos os presentes e agradecemos a participação de todos, disse Ir. Sandra Helena. No dia seguinte, preparamos um ambiente descontraído para a 1ª Noite Italiana. O céu estrelado do dia 24 de março foi regado de vinho tinto com três tipos de macarrão e molhos. As cores verde, vermelho e branco (da Itália) decoraram as mesas ao redor do lago do Hospital. Cerca de 500 pessoas provaram o delicioso macarrão e puderam escolher pelo molho de tomate fresco, bolonhesa ou molho branco. O sucesso está atribuído aos funcionários e voluntários que conseguiram doações, organizaram, divulgaram e venderam os convites para a festa. Agora podemos revelar o segredo do “tempero” da macarronada: muito empenho e união!

Aquecendo corações

A festança não parou! Com um aroma que dava para sentir à distância, o saboroso Caldinho do Stella Maris, servido no dia 28 de abril, teve uma pitada de alegria e amor que aqueceu os corações dos mais de 500 presentes. Além da boa comida, teve ação entre amigos com muitos “prêmios” como bicicleta, cafeteira, quadros, chuveiros e outras prendas que garantiram a diversão dos convidados. Destaque para o trabalho dos funcionários e voluntários que não pararam um minuto.

E chegou o dia tão esperado!

Não é todo dia que se faz 60 anos! Por isso, para este 24 de maio, data exata do aniversário do Hospital, foi preparado um dia festivo para agradar todos os funcionários, voluntários e admiradores do Stella Maris. Os recursos que possibilitaram a realização desta festa foram arrecadados com a Noite Italiana e a Noite do Caldinho. Ao meio dia, um grande almoço foi servido para todos os funcionários, até mesmo os que não tinham escala de trabalho neste dia. As surpresas da festa ficaram por conta do bolo recheado dos 60 anos, da garrafinha de água personalizada da festa -entregue aos 510 colaboradores - e ainda a homenagem aos que há 20 anos dedicam-se ao serviço no Hospital À noite, a Celebração

Eucarística presidida por Dom Altieri, Bispo Diocesano, o ápice deste “Dia de louvor por 60 anos de Graças!” A Eucaristia, razão de ser de todo o trabalho realizado neste Hospital, foi sobretudo “ Ação de Graças” por termos chegado até aqui, com a força de Deus e proteção de Maria, a Stella Maris. Em seguida, os convidados seguiram para o coquetel, junto ao lago, que reuniu autoridades locais, médicos, os membros do Comitê Interno e as Irmãs Pequenas Missionárias de outras cidades. Durante o dia foi lançada esta revista e exibido o vídeo institucional das seis décadas do Stella Maris confeccionado por alunos de Jornalismo, por meio do apoio do Centro Universitário Módulo.

23


Dedicamos esta página a todos que pelo apoio, pela generosidade, pelo trabalho voluntário, pelas arrecadações e doações de prendas, pelo trabalho muitas vezes escondido mas marcante, pela participação na “Caminhada e no Abraço ao Hospital”. Vocês “fizeram acontecer” os eventos e esta Festa dos 60 anos da Casa de Saúde Stella Maris! •Dom Altieri, DD. Bispo Diocesano e Clero da Diocese de Caraguatatuba •Irmãs PMMI das Comunidades de São José dos Campos •Prefeitura de Caraguatatuba – empréstimos de tendas •Vereadores de Caraguatatuba, sobretudo ver. Wilson Gobetti e ver. Omar Kazon •Voluntários e Pastoral da Saúde do Hospital •Seminaristas do Propedêutico e Seminário de Taubaté •Cúria Diocesana e Paróquias •Catedral do Divino Espírito Santo •Igreja Matriz de Santo Antônio •Associação Comercial e Empresarial de Caraguá •Centro Universitário Módulo •Prof° Tarcísio e D. Lusia – Educandário Coração Eucarístico de Jesus – SJ Campos •Membros do Comitê Interno de Revitalização •Equipes Médicas do Corpo Clínico •Equipe de Enfermagem (enf., auxiliares e técnicos)

•Equipe de Nutrição (a todas que trabalham na Cozinha e Copa pelos pratos maravilhosos das festas) •Equipe de Higienização e Lavanderia •Equipe Administrativa, de Informática •Imprensa: Revista de Praia em Praia, Rádio Integração FM, Rádio Caraguá FM, Rádio Beira Mar, Rádio Morada, Rádio OceânicaAM/Jovem Pan; Jornal Imprensa Livre, Revista Cidade - Caraguatatuba •Guilherme Gregório – brindes ação entre amigos •Carlinhos Paes – Locutor – animação Caminhada •Água Viva Coral •Floricultura Nova Aliança – Sra. Mércia e esposo – Arranjos de Flores para a Capela •Sociedade São Vicente de Paulo – SJCampos •Sr. Cidreira – Carro de som para a Caminhada •Horus Festas e Eventos - Cleuber - Som •Grupo Riso Solidário •Elias - cantor

Igualmente, esta Revista e a Programação do dia 24 de Maio de 2012, só foram possíveis graças aos recursos da “Noite Italiana” e “Noite do Caldinho” e as doações de nossos parceiros: •Açougue Santa Cristina I e II •Center Trevo •Euroquadros •Eco10 •Gênesis Papelaria ( SJCampos) •J. Bike •Jocami •KS Frutas •Camar Carnes •Laboratório Cipax (SJCampos)

•Lenox •Llun Bronzeart •Mercadinho São Pedro •Nice Calçados •Nikkeypar •O Boticário •Oficina das Pizzas •Phyton Laboratório •Padaria Esquina do Pão

•Padaria Esquina do Indaiá •Padaria Pão D´Ouro •Relojoaria Universal (SJCampos) •Serramar •Supermercado Silva Indaiá •Shibata •Vitor Magazine •Waroup •Yumi

Obrigado! 24

Foto: Marcleo Souza

Que Deus os abençoe e recompense! Fica aqui o nosso muito...

Revista de 60 anos do Hospital Stella Maris  

Edição comemorativa aos 60 anos do Hospital. Mais uma produção da Agência GENTECOM :)

Advertisement