Revista A Palavra Edição de Dezembro de 2021

Page 1

EDIÇÃO 118 | DEZ/2021 | DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

4

DIA INTERNACIONAL Dia Internacional da Pessoa com Deficiência

8

AMORIS LAETITIA Amoris Laetitia e a construção diária da vida em família

10

ADVENTO Advento: tempo de se aproximar de Deus


EDITORIAL

POR AGÊNCIA ARCANJO

Bem-vindo à revista A Palavra! Chegamos à nossa última edição do ano! Caros irmãos, 2021 foi intenso! Em nossa paróquia, tivemos muitos desafios e grandes conquistas, que você pôde acompanhar aqui em nossa revista. Agradecemos a você, que esteve conosco, e a Deus por nos abençoar e nos inspirar para continuar nossa missão. Fechamos mais um ciclo, já nos preparando para viver um dos momentos mais especiais do ano para todo cristão: o Natal. Nesta edição, trazemos uma matéria sobre o Advento, tempo de ficar mais próximo do Salvador. Como o texto nos explica, a palavra “Advento” vem do verbo latino: advenire, que se traduz por “vir para junto, chegar bem perto”. Nestes dias que antecedem o aniversário de Jesus, nos silenciamos, nos aproximamos Dele para sentir no coração como viver o nosso verdadeiro papel como cristão. E como bons cristãos, também temos que ser bons exemplos em família. Na matéria central “Amoris Laetitia e a construção diária da vida em família”, relembramos a exortação apostólica do Papa Francisco, que é uma proposta às famílias cristãs para apreciar os dons do matrimônio e da família. É no núcleo familiar que encontramos forças para continuar e superar os desafios do dia a dia. Na matéria “Pastoral da Inclusão a história de uma família especial” você vai conferir um bom exemplo de como uma família unida pode superar qualquer desafio. O companheirismo do casal Diomira e Marcos Maestri foi essencial para todas as superações vividas pelo filho André (in memoriam), portador de Síndrome de Down, que acabou inspirando a participação deles na Pastoral da Inclusão de nossa paróquia. Desejamos a todos uma leitura prazerosa desta última edição de 2021. Que todos tenham um Natal iluminado pela paz de Cristo e um novo ano repleto de Suas bençãos! Esperamos continuar juntos em 2022!

2 | REVISTA A PALAVRA

mensageirodossonhos.com.br


POR PE. DIOMAR ROMANIV, SCJ

PALAVRA DO PÁROCO

Advento: tempo de esperança e tempo de amor! O nascimento é a celebração do encontro daquele que espera com alguém que já vive há diversos meses no ventre de sua mãe, mas que ali já se sente amado, acolhido, esperado! É o início de um novo modo de estar entre nós, que agora não só sentimos e sabemos que existe, mas vemos e podemos tocar! O Natal em que esperamos o nascimento do Salvador é o encontro com Aquele que existe desde sempre, por meio de quem todas as coisas foram feitas! É o encontro com o menino Deus que se encarnou e habitou entre nós! Vivemos nossa vida e intensificamos neste tempo de Advento o nosso amor e a acolhida que queremos dar a Jesus. Este tempo de espera que antecede o nascimento é, portanto, tempo de esperança e é tempo de amor! Esperamos e amamos aquele que está entre nós, mas ainda não vemos! A vida de quem está esperando o nascimento de uma criança vai mudando durante o tempo de espera... novas cores, novos sonhos, novos projetos, novo ritmo de vida! Tudo passa a ser projetado em função daquele que nasce! Também nosso Advento, a espera do Natal de Jesus, nos desafia a sonhar diferente, a pensar novos projetos para o próximo ano, a rever nosso ritmo para que Ele seja o centro da nossa vida, a razão do nosso existir e a causa da nossa alegria e da nossa paz! Desejo a você, querido paroquiano, dias intensos de preparação para o Santo Natal, marcado pela oração, silêncio, alegria, paz! Desejo a você que as luzes deste tempo, os presépios, as árvores de Natal e todos os sinais bonitos que vemos nos ajudem a recordar Daquele que é a LUZ, Dele que, nascido na manjedoura, protegido e adorado por Maria e José, renova nossa esperança e faz a nossa vida dar novos frutos de santidade, justiça e paz!

O verbo se fez carne! E habitou entre nós!

3 | REVISTA A PALAVRA


IGREJA

POR GUÉDRIA MOTTA

Pastoral da Inclusão A história de uma família especial!

Em 3 de dezembro é celebrado o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência. E a Paróquia São Luís Gonzaga mantém, ainda que timidamente, a Pastoral da Inclusão, coordenada por Diomira Bertoldi Maestri. Sempre no terceiro domingo do mês, na missa das 9h, na igreja Matriz, a liturgia é responsabilidade desta pastoral, porém, desde o início da pandemia do Coronavírus, a presença de pessoas com deficiência na celebração está restrita, já que muitas integram o grupo de risco.

Imagem divulga ção

“São vários os desafios a serem transpostos, desde acessibilidade para o altar, até a presença de um tradutor de Libras. Também falta o envolvimento dos pais, porque eles devem ser os primeiros a acreditar na capacidade de seus filhos”, afirma Diomira, que é casada com Marcos Maestri, mãe do André (in memoriam) e do Eduardo.

4 | REVISTA A PALAVRA


POR GUÉDRIA MOTTA

IGREJA

Família especial

Menino campeão

Diomira e Marcos moravam em Botuverá quando o primogênito, André, nasceu em uma época em que a Síndrome de Down ainda era chamada de mongolismo. Não havia escola de referência e nem Apae. Apenas um livro sobre o tema, em espanhol, que Marcos traduzia com seu pouco conhecimento em italiano.

Diomira e Marcos por muitos anos foram voluntários da Apae em Brusque.

Aos dois meses, André passou por uma cirurgia do coração, em São Paulo. Nos corredores da UTI, a família fez amizade com uma mãe que passava pela mesma situação. “Ela conseguia com a Apae de São Paulo apostilas sobre Síndrome de Down e nos enviava pelo correio”, lembra Diomira. Aos 4 meses, o menino passou pela segunda cirurgia para corrigir sua cardiopatia congênita. “Ninguém acreditava que ele iria sobreviver. A estatística era de um para mil. Ele venceu e permaneceu conosco por 32 anos”. Com a mudança da família para Joinville, André teve acesso a uma equipe multidisciplinar. No entanto, o sonho de vê-lo integrado à escola regular era distante. “Nunca espere isso de um mongoloide”, disse uma diretora sobre o desejo da família em alfabetizá-lo. Assim, a apresentação das letras e dos números ocorreu na sala de casa, porque Diomira acreditava no potencial do filho.

Ali iniciava uma parceria com a escola de natação, que credenciou quatro atletas da cidade para uma competição nacional, em São Paulo. André voltou com duas medalhas de ouro!

Em 24 de abril de 2005, foi fundada a Associação de Pais e Voluntários dos Atletas Especiais de Brusque (APVAEB), trazendo mais vitórias para atletas com deficiência.

Já em Brusque, o menino foi aceito no jardim de infância, aos nove anos, como forma de aprendizado às professoras. Depois, conseguiu matrícula no Dom João Becker. “Um dia, quando cheguei em casa, ele veio empolgado, chamando “mamãe, mamãe”. Era a primeira vez que tinha escrito ‘pegado’. Sua letrinha era linda”, recorda, cheia de emoção. A conclusão do ensino regular para André aconteceu na antiga FIBEB, junto à turma do Ensino de Jovens e Adultos (EJA). Em 2002, ele passou no concurso público e trabalhou no Horto Florestal.

Despedida André sofreu uma intercorrência vascular em 2006 e, de alguma forma, teve contato com o vírus da hepatite C. A cirrose hepática agravou a cardiopatia e um procedimento cirúrgico já estava previsto, com o uso de uma tecnologia de Milão, em um hospital de Blumenau. Não deu tempo. “Ele passou mal e foi internado. Faleceu sete dias depois, com falência múltipla de órgãos”, lamenta a mãe. Com a perda do filho, muitos imaginaram que a doação da família ao serviço voluntário iria parar. “Continuamos por ele. Toda vez que comprava uma rifa, com o dinheiro do seu trabalho, o André falava que iria construir uma sede para a APVAEB. Ele amava a entidade. Por ele, seguimos”. Hoje a APVAEB representa 58 atletas com deficiência, que competem nas modalidades de basquete, natação, tênis de mesa, bocha paralímpica e bocha rafa vollo.

5 | REVISTA A PALAVRA


ENTREVISTA

POR GUÉDRIA MOTTA

Das delicadezas de Deus por nós

{

Coordenadores da Pascom na Matriz e Comunidades falam sobre as virtudes deste serviço Vejo com gratidão o dom de ser agente da Pascom. Somos Pascom para ser canal de amor e fazer exalar o suave odor de Jesus Cristo, com Sua força e Sua graça. Acredito que a mais bela forma de comunicação é a proximidade. Da pandemia, aprendemos muito, em nosso crescimento pastoral e espiritual, pois nos trouxe abruptamente um futuro para a comunicação. Também foi uma oportunidade para nos reinventarmos como comunicação eclesial. Testemunhamos o que vivemos, comunicamos Jesus Cristo, que transforma nossa vida e, transformados, não somos nós que ficamos, mas Jesus. A Sua esperança é cheia de espiritualidade, porque sabemos em Quem acreditamos, que nos dá sentido e o desejo de sempre caminhar. O grande desafio para os comunicadores é deixar de fazer comunicação personalista para viver uma comunicação do Evangelho. Nossa mensagem é uma pessoa. Não um quê, mas um Quem, com o qual nos relacionamos, e que dá sentido à nossa vida. Queridos agentes da Pascom, que em 2022 tenhamos ainda mais disposição e disponibilidade. E que em vocês prosperem a espiritualidade e a esperança. Busquemos, cada vez mais, a intimidade com a Palavra de Deus. Muita gente ouve, pouca gente escuta.

Juliane Ferreira, coordenadora paroquial

6 | REVISTA A PALAVRA

Adelir Rosa Kohler Pascom Santa Paulina Através da Pascom evangelizamos pelos meios de comunicação e recebemos a palavra do pároco toda semana. Temos a oportunidade de acompanhar tudo que acontece em cada comunidade. Só temos a crescer e nos enriquecer através dos conteúdos que esta pastoral nos proporciona.

Gizele Motta Petermann Pascom Sagrado Coração de Jesus Ser Pascom é estar a serviço da evangelização, mesmo sem aparecer ou usar palavras. É ser instrumento nas mãos de Deus para chegar até os mais dispersos.

Telso Ferreira Junior Pascom Nossa Senhora de Fátima O ser Pascom é a esperança viva da Palavra de Deus através do Evangelho, disseminado pela Igreja e os múltiplos meios de comunicação.


POR GUÉDRIA MOTTA

Carla Andreza Furbringer Pascom Comunidade Santo Antônio Sempre procurei alguma pastoral que eu me encaixasse, que sentisse que seria ali meu lugar, e Deus me designou a ser coordenadora da Pascom, a qual eu amo fazer parte, e estar mais próxima de Deus, podendo também rezar pelas pessoas que ainda não podem estar dentro da igreja.

Jorge Deichmann Pascom Nossa Senhora Aparecida

Juliana Costa Masera Pascom Comunidade São José Como os apóstolos de Jesus, ser Pascom é falar de Cristo e levar a Igreja ao encontro do povo, na atualidade, por vias diferentes das tradicionais. Por meio das mídias digitais, a Pascom é uma nova forma de evangelizar e integrar toda a comunidade de maneira mais ágil. Ter o privilégio de viver de perto momentos religiosos, promover a interação entre a Igreja e os cristãos e buscar sempre mais “seguidores” de Jesus é gratificante!

Pascom é uma oportunidade para a Igreja, especialmente para os leigos, de se ver através do registro de seus momentos mais importantes. Comunicação que faz refletir sobre os nossos valores e nossa identidade católica e nos lembra que o mais importante é a difusão do Evangelho e a salvação das almas.

Hallan Dalagnoli Pascom São João Batista Ser Pascom, antes de qualquer coisa, é uma honra! Vivendo no tempo onde a tecnologia domina todas as áreas da nossa vida, poder usar essa ferramenta para evangelizar é gratificante. É necessário ter comprometimento, disciplina, coragem e humildade. Ajudamos a levar a Palavra de Deus ao máximo de pessoas.

Deisimery do Nascimento Pascom Cristo Rei

ENTREVISTA

Paulo Henrique Chaves Pascom Santa Rita de Cássia Pertencer a uma pastoral que se conecta com todas as outras. Poder evangelizar sem fronteiras, pois isso é ser Pascom: informar, evangelizar e conectar. Uma pastoral que teve grande impacto nestes últimos dois anos e evoluiu muito.

Ana Paula de Souza Pascom São Francisco de Assis Levar a Palavra de Deus, nem que seja para apenas uma família, vale a pena, pois já estamos realizando o chamado de ser Pascom, comunicadores da Palavra. Trabalhar nesta pastoral é muito gratificante, pois conseguimos seguir em frente na caminhada da fé, levando o amor de Deus a cada pessoa.

Ser Pascom é ser perseverante, paciente e positivo, aproximando as pessoas de Deus e da Igreja, levando mais fé, esperança e amor.

7 | REVISTA A PALAVRA


Em um mundo onde as famílias vêm sofrendo cada vez mais o impacto da separação causada pela falta de diálogo, egoísmo, ausência de pais e filhos no lar, relembrar os principais pontos da exortação apostólica “Amoris Laetitia” - sobre o amor na família - é um convite para que o núcleo familiar volte a fortalecer seus laços em Deus. A carta, publicada em 2016, é uma proposta às famílias cristãs para “apreciar os dons do matrimônio e da família e a manter um amor forte e cheio de valores como a generosidade, o compromisso, a fidelidade e a paciência”; além disso, “se propõe a encorajar todos a serem sinais de misericórdia e proximidade para a vida familiar, onde esta não se realize perfeitamente ou não se desenrole em paz e alegria”. Ela chega para reavivar a nossa consciência sobre a importância do matrimônio e da família, e para mostrar a necessidade de continuar a aprofundar, com liberdade, algumas questões doutrinais, morais, espirituais e pastorais. Diante de um mundo que cada vez mais oferece opções que desviam pais e jovens dos caminhos familiares, Papa Francisco clama que todos conheçam a “Amoris Laetitia”, que às famílias tornem-se “abertas à humanidade, dando a sua contribuição para que o mundo seja melhor”.


Ações importantes para manter a família unida na fé: Ore em família

Defina um horário para toda a família estar reunida em oração. Deve ser um horário fixo em que todos os integrantes estejam presentes. Quando a família se reúne para rezar, há um movimento natural para união, compreensão e perdão.

O que é Amoris Laetitia? Incentive o diálogo

De nada adianta viver unidos sob o mesmo teto se não há conversa, se as pessoas não compartilham seus sentimentos e experiências de vida. O diálogo permite saber o que o outro está pensando e sentindo, e é a melhor forma de resolver desentendimentos.

Invista no afeto

O afeto é uma forma de aproximação das pessoas e tem várias formas de ser colocado em prática. Porém, não se esqueça também do carinho físico. Um simples abraço proporciona conforto e é uma ligação muito forte.

Seja um exemplo

Sabe a expressão “faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço“? Então, ela não pode existir em seu lar. Você tem que ser o exemplo! Suas pequenas atitudes no âmbito familiar podem gerar admiração pelos parentes. Quando há essa admiração, a possibilidade de existir vínculos é muito maior.

Seja positivo

Não é nada agradável encontrar uma pessoa em casa com a cara fechada, sem vontade de conversar. Experimente imaginar que, no momento em que você for passar pela porta de entrada, as preocupações do trabalho ficarão do lado de fora. A família poderá ser uma excelente forma de distração! Gostou das dicas? Então coloque-as em prática para tornar a vida em família muito mais sagrada e feliz para todos os integrantes. A família é um projeto de Deus e deve ser cuidada como um grande tesouro que Ele nos proporcionou.

“Eu e minha família servi­remos ao Senhor.” (Josué 24,15)

Amoris laetitia (a “Alegria do Amor”) é uma exortação apostólica do Papa Francisco, publicada em 8 de abril de 2016. Possui nove capítulos e tem como base os resultados de dois Sínodos dos Bispos sobre a Família ocorridos em 2014 e 2015. As assembleias foram precedidas por uma ampla consulta a todas as dioceses do mundo e será válida até 26 de junho de 2022, por ocasião do X Encontro Mundial das Famílias, em Roma.


ESPIRITUALIDADE

PADRE PAULO VANDERLEI RIFFEL, SCJ

Advento

Tempo de ficar mais próximo do Salvador Estamos chegando ao Advento de 2021, do nascimento de Jesus Cristo, nosso Salvador. Aliás, este Advento nos prepara para o próximo Natal, quando Jesus completa dois mil e vinte e um anos desde Sua vinda, entre nós. A palavra “Advento” vem do verbo latino: advenire, que se traduz por “vir para junto, chegar bem perto”. Na linguagem cristã católica, o Advento é o tempo litúrgico que precede a grande festa do Natal de Jesus. São as quatro semanas preparatórias dos corações para o natalício de Jesus Cristo. Nessa oportunidade, somos chamados a realizar uma aceitação mais profunda da pessoa de Jesus, do seu Evangelho, bem como de sua Igreja, com toda a abrangente riqueza espiritual que ela oferece. O significado existencial da palavra Advento é muito sugestivo. Advento sugere e exprime uma atitude e uma decisão de alguém querer vir para perto de nós. Mas, ao mesmo tempo, sugere a nossa atitude e decisão de corresponder àquele que vem, indo ao Seu encontro, feliz por causa de Sua vinda, e com determinação de acolhê-Lo da melhor forma. O Advento inicia no dia 28 de novembro e se estende até o santo Natal. São as quatro semanas destinadas à preparação do seu coração para um renovado encontro com aquele que vem e a quem você é convocado a acolher da forma mais consciente e calorosa. Quem é aquele que quer chegar bem perto de nós na caminhada do Advento? Quem é aquele que quer bastante tempo - quatro semanas - para vir chegando pertinho de nós? Por que Ele quer vir para junto de nós, e vai chegar ao final do Advento? Quem é aquele de quem você quer aproximar-se mais, e para isso precisa de quatro semanas para preparar-se? Só poderia ser alguém que muito nos ama, e a quem estimamos sobremodo, já que Ele tem um tempo bem marcado e longo para vir. Este encontro entre Jesus e nós, desejado, preparado carinhosamente, esperado ansiosamente por ambos, transformar-se-á em Natal. Fará acontecer o Natal. Trará o Natal para dentro do nosso coração. Aliás, então nós seremos Natal! Jesus vivo terá chegado e envolvido nossa vida com Seu amor salvador, com Sua palavra de vida, com Sua presença tão honrosa e transformadora. 10 | REVISTA A PALAVRA

O tempo do Advento é para isto: para esperar ansiosamente aquele que vem para perto, para junto de nós. Nesta espera, preparamo-nos em espírito, mente e corpo para o grande encontro com Jesus. O tempo do Advento é para que nós caminhemos ao seu encontro, como quem, muito ansioso, não consegue ficar parado, esperando. Nesta caminhada ao encontro de Jesus, temos quatro semanas para preparar seu coração, a fim de acolher com muito carinho Aquele que vem.


POR GUÉDRIA MOTTA

PASTORAIS

Apostolado da Oração celebra 150 anos de presença no Brasil Data foi comemorada com a missa no dia 07 de novembro, às 17h na igreja Matriz.

O Apostolado da Oração (A.O.), também chamado de Rede Mundial de Oração do Papa, comemorou 150 anos de presença no Brasil. Em 2021, a história deste movimento junto à Paróquia São Luís Gonzaga completa 124 anos e para marcar estas datas, foi celebrada uma missa comemorativa no domingo, 7 de novembro, às 17h, na igreja Matriz. “Em Brusque, somos mais de mil zelados (pessoas que participam do A.O.), distribuídos em 11 comunidades. Nossa missão é rezar diariamente. Ao amanhecer nos consagramos a Deus, pela nossa devoção ao Sagrado Coração de Jesus. Oferecemos nossas alegrias, tristezas, orações, palavras e ações. E, ao anoitecer, fazemos a revisão de vida, refletindo sobre como foi o dia. Rezamos sempre pela intenção que o Papa escreve mensalmente e envia ao mundo”, explica Maria da Glória Almeida, que coordena o movimento há quatro anos na paróquia, missão que a partir de agora será assumida por Sueli Faria Lauritzen. “A espiritualidade do coração de Jesus ensina o imenso amor que Cristo tem para conosco. A oração diária é o que dá sentido e nos torna mais fortes para enfrentar as dificuldades, dores e alegrias do dia a dia. Pedimos a Deus que nos revele o segredo para ter um coração manso e humilde”, conta a nova coordenadora, Sueli. Na paróquia, o encontro dos membros do Apostolado da Oração acontece na primeira sextafeira do mês, embora algumas comunidades mantenham esta programação na quinta-feira. O dia é marcado pela adoração ao Santíssimo Sacramento, celebração eucarística e remissão mensal. Além disso, são organizados retiros, formações, concentrações arquidiocesanas e congressos nacionais.

Saiba mais Texto de Sueli Lauritzen O Apostolado da Oração foi fundado em um seminário da Companhia de Jesus, em Vals, na França, em 3 de dezembro de 1844, durante a festa de São Francisco Xavier. Padre Francisco Goulart explicou aos jovens seminaristas, animados de zelo pela missão, como as orações e sacrifícios poderiam levar preciosíssimo auxílio àqueles que já trabalhavam na seara do Senhor. Esta proposta deu origem ao Apostolado da Oração. Divulgado para sacerdotes, logo tornou-se conhecido na França e em outras nações. No Brasil, o primeiro centro do Apostolado da Oração foi fundado em 30 de junho de 1867, em Recife (PE), na igreja de Santa Cruz, fundado por padres jesuítas. Em 1º de outubro de 1871, padre Bartolomeu Taddei, missionário recém-chegado da Itália, fundou o primeiro centro do A.O. na cidade de Itu (SP), data de referência para a celebração dos 150 anos do movimento no país. Em Brusque, o Apostolado da Oração foi fundado em 19 de agosto de 1897, pelo padre jesuíta Antônio Eising.

11 | REVISTA A PALAVRA


Bispo no MCC Na noite de 18 de outubro, o Movimento de Cursilho (MCC) - setor Brusque GED Florianópolis - recebeu como mensageiro Dom Wilson Tadeu Jönck, SCJ, arcebispo da Arquidiocese de Florianópolis. Na oportunidade, ele falou sobre fé e sua vivência (o Sínodo). O evento contou com a participação de membros do MCC, também de outros movimentos e comunidades da Igreja Católica de Brusque e região.

Escola de Teologia

Imagem divulgação

No mês de novembro, os inscritos na Escola de Teologia estudaram ‘Teologia Trinitária e Revelação’ com aulas ministradas pelo Padre Paulo Riffel. As aulas acontecem todas às quintas-feiras no auditório da Matriz, com início as 19h30. A taxa de inscrição é de R$ 25, que pode ser feita na primeira aula.

Pastel na Matriz

Imagem divulgação

Na noite de 5 de novembro, ocorreu no Salão Paroquial a 2ª Noite do Pastel da Catequese. As vendas dos pastéis, foram um sucesso.

Imagem divulgação

12 | REVISTA A PALAVRA


Imagem divulgação

Carreteiro Santa Rita

Catequese Nossa Senhora Aparecida Durante a Santa Missa, presidida pelo padre Diomar Romaniv, catequizandos da Comunidade Nossa Senhora Aparecida, no Steffen, receberam uma Bíblia e uma Cruz. Este rito marca a entrada dos catequizandos no 2° Tempo do itinerário catequético, onde aprofundarão os principais conteúdos da fé a partir da Bíblia, da doutrina e da liturgia.

na

Comunidade

No dia 6 de novembro foi realizado o dia do Carreteiro delivery na Capela Santa Rita. A comunidade agradece a todos que contribuíram, ajudaram e fizeram acontecer.

Imagem divulgação

Finados O Dia de Finados foi marcado por celebrações nas comunidades da Paróquia São Luís Gonzaga. Na Comunidade São João Batista, no bairro Bateas, a data foi celebrada em solenidade presidida pelo padre Paulo Riffel. Na Comunidade Sagrado Coração de Jesus, Pe. Carlos presidiu a celebração, que contou com a presença de diversos fiéis.

Imagem divulgação 13 | REVISTA A PALAVRA


COMUNIDADES

POR GUÉDRIA MOTTA

Comunidade Santa Rita conclui reforma da secretaria

{

A Capela da Comunidade Santa Rita de Cássia entregou recentemente a reforma da Secretaria. É neste espaço que muitas vezes acontece o primeiro contato de um fiel com a comunidade, por isso tem que ser um lugar de acolhida, onde todos se sintam bem. A obra chega para melhor acolher os fiéis e todas as pessoas que procuram a Capela.

A Secretaria de uma igreja é, também, um lugar de acolhimento, espiritualidade e organização da vida de uma comunidade. Como lembra padre Diomar Romaniv, alguns aspectos caracterizam este espaço: o aspecto acolhedor, pois é ali que se transmite uma boa acolhida a quem chega em busca de atendimento. É também um lugar de espiritualidade e não uma Secretaria burocrática, que cumpre funções. É um ambiente de fé e também um espaço com o aspecto da organização, onde as coisas estejam organizadas de maneira prática.

“Isso tudo para que no decorrer das outras questões da vida interna da Secretaria, possa ser somado para colaborar na história da comunidade e da cidade. Tanto é que a maioria dos locais em que se busca a história de um povo ou de uma pessoa é na igreja. E não é diferente na comunidade Santa Rita, esse espaço que guarda a história do povo da sua comunidade.

14 | REVISTA A PALAVRA


POR AGÊNCIA ARCANJO

INFANTIL

15 | REVISTA A PALAVRA


EDIÇÃO Raissa Lemos Rocha

Esta é uma publicação da Paróquia São Luís Gonzaga, sob responsabilidade do Pe. Diomar Romaniv, scj e da Pascom da Paróquia, situada na Rua Padre Gatone, 75 - Centro, Brusque/SC. www.paroquiasaoluisgonzaga.com

DIAGRAMAÇÃO Letícia Sales SUGESTÃO DE CONTEÚDO redacao@agenciaarcanjo.com.br www.agenciaarcanjo.com.br facebook.com/agenciaarcanjo (47) 3227-6640

REVISÃO Stella Bousfield IMPRESSÃO Gráfica Volpato TIRAGEM 1.500 exemplares