Revista A Palavra - Edição de Dezembro de 2020 e Janeiro de 2021

Page 1

EDIÇÃO 108 | DEZEMBRO/2020 E JANEIRO DE 2021


Muito bem-vindo a mais uma edição da Revista A Palavra POR AGÊNCIA ARCANJO

Nela, confira a retrospectiva de 2020, ano marcado pela pandemia, e os principais fatos que aconteceram em nossa Paróquia e Comunidades. No último mês do ano, falamos sobre o Tempo do Natal e seus símbolos. Veja também a entrevista do Arcebispo Metropolitano da Arquidiocese de Florianópolis, Dom Wilson Tadeu Jönck. O religioso inspirou-nos a refletir sobre o ano que se finda, seus desafios interpostos e a forma como as paróquias têm se colocado à disposição, dentro de suas limitações, para servir e ajudar o próximo. Nesta edição, confira também os depoimentos dos jovens que estiveram à frente da responsabilidade de transmitir evangelização pelas redes sociais, quando esta via era a única possibilidade de acompanhar as celebrações eucarísticas durante a pandemia. Ainda falando sobre a Covid-19, confira detalhes sobre a Ação Social Paroquial São Luís Gonzaga, que encerra 2020 com o reconhecimento merecido. A ação social arrecadou diversos quilos de alimentos e ajudou muitas famílias a passarem por este momento de fragilidade.

Boa leitura!


PALAVRA DO PÁROCO

PE. DIOMAR ROMANIV, SCJ

Celebremos o Natal e iniciemos 2021 cheios de esperança Queridos paroquianos, Estamos chegando ao fim deste ano de 2020, marcado pela pandemia da Covid-19, e ela não terminou! Alguns diziam que 2020 veio com vírus e, por isso, devia ser deletado. Olhamos para os dias e meses que se passaram e conseguimos ver que nem tudo foi só vírus! Vivemos aprendendo e redescobrindo maneiras de superar as dificuldades em todos os sentidos, inclusive na evangelização! E neste contexto é que vamos celebrar o Santo Natal. Natal! Tempo de celebrar a esperança que se faz pessoa! Jesus é nossa esperança! Sua presença entre nós – EMANUEL – nos dá a certeza de que Deus está conosco! Está sempre e em todos os momentos! E neste contexto também vamos iniciar o ano que se aproxima. 2021! Todos os inícios de ano são continuidade do que já estamos vivendo. 2021 será continuidade de 2020, marcado pela pandemia, suas consequências e seus ensinamentos. Mas, o início de um novo ano, também se caracteriza pela esperança de que será melhor, de que será diferente, trazendo consigo expectativas, sonhos, novos projetos e propósitos. Acolhamos Jesus e os dons que sua encarnação traz para o mundo e acolhamos 2021 com a alegria de viver intensamente os dias que o Senhor nos permite! Sejam dias marcados pela fé, pela esperança e pela caridade! Contemos com a intercessão de Nossa Senhora e de nosso padroeiro São Luís Gonzaga e que juntos nos empenhemos em anunciar o Reino do Coração de Jesus!

Nestes tempos difíceis para muitos, esforcemo-nos por redescobrir a grande esperança e alegria que nos dá a vinda do Filho de Deus ao mundo (Papa Francisco)


IGREJA

POR JULIANE FERREIRA

Um ano diferente para a Igreja As duas últimas celebrações de Crisma na Paróquia São Luís Gonzaga, contaram com a vinda do Arcebispo Metropolitano da Arquidiocese de Florianópolis, Dom Wilson Tadeu Jönck, que inspirou-nos a refletir sobre o ano que se finda e seus desafios. Para Dom Wilson, todas as ações desenvolvidas ao longo de 2020 pela Igreja, nada mais são do que o que há no coração de cada um que se doa. “Há uma fé muito forte nas nossas comunidades, e isso, de alguma forma, fez prece e apareceu mais nos momentos de dificuldade. Nos momentos de limitação, de pandemia, não podíamos nos reunir para celebrar, ou então muito limitadamente. Mas, se viu as necessidades e respondeu-se de uma forma muito bonita”, declarou. Dois setores são destacados por Dom Wilson: a caridade social e a comunicação. “Havia gente que precisava ser ajudada e a comunidade deu uma resposta muito bonita. Já na comunicação, tratava-se de como fazer chegar o Evangelho em tempos de pandemia, como falar e contatar às pessoas. Os instrumentos técnicos foram usados, as redes sociais foram o grande meio, se descobriu muito. Além disso, muitos jovens começaram a entrar na comunidade por esta porta. Então, foram dois setores intensos neste ano. Uma das áreas que se beneficiou disso foi a catequese. Houve um grande esforço e a catequese, de uma forma geral, continuou acontecendo, desta forma”, observou. Outro aspecto apontado pelo Arcebispo neste olhar sobre 2020, e que ganhou uma notoriedade maior, foi a família, convidada a conviver. “Os filhos estiveram mais tempo com os pais, os pais com os filhos. Mesmo com seus atritos pessoais, estavam juntos, rezando, partilhando. Por isso, penso que tudo isso vai deixar alguns traços positivos neste sentido daqui pra frente. Não sei se irá continuar, gostaria que sim”, ressaltou o Arcebispo.

O verdadeiro sentido do Natal Para o Dom, o Natal, “Será de menos luz, menos festa, menos agitação. Porém, nos dá condição, sobretudo, de festejar em família. E que a família se coloque diante do presépio, faça sua profissão de fé, a sua leitura bíblica, e ali exerça a sua espiritualidade. Penso que isso será importante, porque nos dá condições de celebrar o Natal no verdadeiro sentido dele. Penso que as limitações da Covid-19 podem nos ajudar, neste sentido”, refletiu.


GERAL

POR CARINA MACHADO

Soldado em favor da vida Dr. Eugênio José Paiva Maciel atua na linha de frente contra a Covid-19, missão exaustiva vivida diariamente por médicos em todo o mundo

Em Brusque, o cenário trazido pela Covid-19 não foi diferente de outros lugares. Nessa linha tênue entre vida e morte, é que está o médico intensivista Dr. Eugênio José Paiva Maciel, chefe de UTI do Hospital Arquidiocesano Cônsul Carlos Renaux – Hospital Azambuja, instituição que é referência em saúde para toda região. Carioca do Meier, Dr. Eugênio vem de uma família humilde, e desde cedo nutriu o desejo de ser médico. Estudou muito, concluiu sua graduação pagando os estudos com crédito estudantil e se especializou em clínica Foto: Dr. Eugênio médica e terapia intensiva. “Eu queria fazer uma medicina aonde eu conseguisse reverter o risco iminente da morte. Aí eu vi que isso era terapia intensiva”, conta ele. Há 23 anos, mudou-se do Rio de Janeiro para Brusque, a fim de obter melhor qualidade de vida para o filho. A cidade do Vale do Itajaí, que ele nunca tinha ouvido falar antes, o acolheu e passou a ser a sua casa, assim como o Hospital Azambuja, instituição onde ele atua como chefe de UTI, passando também pelos cargos de diretor clínico por muitos anos e, atualmente, diretor técnico. Com o cenário trazido pela Covid-19, aos 65 anos, ele não hesitou: passou a fazer parte da linha de frente de combate a esta doença, tal como um soldado. “De uma hora para outra tivemos que abrir novos leitos, contratar colegas para trabalhar. É estressante, é, mas ao mesmo tempo, tenho a sensação de estar cumprindo com o meu dever”, comenta. Nesses 35 anos de medicina, este foi o momento mais tenso e desafiador na carreira do médico, que pede a todas as pessoas que mantenham os cuidados e pensem no bem-estar do próximo. “É uma doença horrível, que nos pega de diversas maneiras, pela parte cardíaca, pulmonar, renal e pode levar à morte. É muito ruim você perder um ente querido. Acho que cada um deveria pensar: ‘o que eu posso fazer para que essa doença não se dissemine’. É preciso aprender a conviver com este inimigo. Enquanto não houver vacina, a ideia é eu me cuidar e cuidar do meu próximo”, ressalta.


JOVENS

POR GUÉDRIA MOTTA

Protagonismo jovem

Missão cumprida em meio à pandemia Quando as portas da Igreja se fecharam, um protagonismo ascendeu. Não apenas pelo fato de estar longe do grupo considerado de risco para a Covid-19 mas, sobretudo, por dialogar intimamente com os aparatos tecnológicos, uma linguagem que paróquias e comunidades ainda dominavam pouco. Na igreja Matriz São Luís Gonzaga, por tantas noites, um grupo de jovens se revezava. Carregavam cabos, fios e tomadas para lá e para cá. Vez ou outra, a equipe transparecia insatisfação, já que essa tal de internet nem sempre estava disposta a colaborar. Para Deus, só o melhor! Quanto desafio pesou sobre ombros tão jovens: a responsabilidade de transmitir evangelização pelas redes sociais, quando esta via era a única possibilidade de acompanhar as celebrações eucarísticas, alimento da fé. Nesta última edição da Revista A Palavra de 2020, queremos reconhecer o trabalho, o empenho e a perseverança de tantos jovens que ouviram o chamado e se fizeram presentes, atuando na linha de frente cristã em meio à pandemia. Antes, no entanto, de lermos alguns depoimentos de como foi atravessar esse período, deixamos aqui um trecho da mensagem do Papa Francisco, no Dia Mundial da Juventude, em 30 de março deste ano, quando pediu aos jovens testemunhos de “esperança, generosidade e solidariedade neste tempo difícil”.

Cristo Vive: é Ele a nossa esperança e a mais bela juventude deste mundo! Tudo o que toca torna-se jovem, fica novo, enchese de vida. Por isso, as primeiras palavras, que quero dirigir a cada jovem e a cada cristão, são estas: Ele vive e quer-te vivo! Ele está em ti, está contigo e jamais te deixa. Por mais que te possas afastar, junto de ti está o Ressuscitado, que te chama e espera por ti para recomeçar. Quando te sentires envelhecido pela tristeza, os rancores, os medos, as dúvidas ou os fracassos, Jesus estará a teu lado para te devolver a força e a esperança.

(Christus vivit, 1-2).


“Assumir o protagonismo na igreja em meio a uma pandemia que nos afastou de tantas pessoas por tanto tempo, por si só, tem sido um aprendizado diário. Sincronicamente, é uma certeza diária do amor de Deus por cada um de nós, pois jamais estivemos sós nesta jornada tão desafiadora - de fazer comunicação na Igreja de forma responsável, num tempo de incertezas e inseguranças. Os trabalhos na Pastoral da Comunicação são constantes, exigem de nós um envolvimento incessante e persistente na busca pelo novo jeito de falar com as pessoas por meio de vídeos, fotos, legendas, textos, stories, transmissões e por aí vai. Nunca é só o básico. Nunca é só concluir um trabalho e fim. É preciso pensar na próxima estratégia, planejar e executar. A internet é um instante e temos que ser fugazes na mesma velocidade. Aprendemos com isso. Que toda experiência obtida neste ano, que todas as soluções adquiridas para cada estratégia que pensamos, seja nosso passaporte para 2021, na certeza de que a cada nova missão, estaremos dispostos e alegres em servir. Nunca é cansativo quando se faz com amor”

Juliane Ferreira, 30 anos Comunidade Matriz

“Foi gratificante estar ainda mais próxima da minha pastoral e dos seus membros neste período de pandemia. Também percebi, de minha parte, maior aproximação e envolvimento com a Igreja de forma geral e com processos que até então, por mais que já estava à frente da Pascom, não tinha conhecimento. Avalio que a presença dos jovens neste ano de pandemia foi imprescindível, assim como o fortalecimento da pastoral a qual pertenço, a Pascom, que ganhou uma visibilidade maior e também assumiu uma posição de muita importância. Como jovem, servir ao Senhor, estar mais próxima da Igreja e assim, me aproximar ainda mais de Deus, foi valioso! Posso afirmar que levo deste ano tão instável muitos ensinamentos, crescimento pessoal na fé e também amizades, coisas que só conquistei devido a pandemia”.

Juliana Costa Masera, 25 anos Comunidade São José Operário

“Foi, de certo modo, desesperador, mas inspirador. Estar diante de um evento catastrófico deste me mostrou o quão pequena sou diante de Deus, porém também me fez entender que com Ele, nada devo temer. Estar à frente e servir a Deus neste tempo não foi fácil, mas foi necessário. Acredito que através disso, consegui entender que, independente das tribulações que estou passando, nunca devo desistir de seguir o exemplo de Jesus. Me fez enxergar que eu sou um instrumento nas mão de Deus, usada para tornar os planos Dele em realidade”. Caroline Habitzreuter, 21 anos Comunidade Cristo Rei


“Foi algo muito desafiador no começo, porém proporcionalmente gratificante, a PASCOM se reinventou, tendo que descobrir um mundo, até então novo, das transmissões de missas. Acompanhar toda essa mudança foi algo muito especial para mim. Além de todos aprenderem juntos, me aproximou muito de Deus e descobri um novo jeito de ir na missa, servindo a Deus e a comunidade que não pode ir por diversos motivos. Ver os comentários e os pequenos testemunhos nas lives são de encher o coração de satisfação e orgulho, um sentimento de que colaborei para a Igreja ficar ainda mais ativa em um tempo tão difícil”

Arthur Sophiatti, 17 anos Comunidade Nossa Senhora de Fátima

“Estar passando por essa pandemia tem nos deixado cada vez mais angustiados e inseguros com tudo, e poder estar na Igreja, rezando a missa todos os sábados me dá a certeza de que tudo isso vai passar! Sou coordenadora dos coroinhas e durante a pandemia exerci vários outros papéis que antes, muitas vezes, eram ocupados por pessoas que agora não podem comparecer, desde a escala para leituras, a recepção da igreja, e o principal, a transmissão ao vivo, que foi um dos momentos mais gratificantes pra mim, no qual pude levar a benção do padre a todas as pessoas que não puderam estar presentes. Acredito que nós, jovens, agora mais do que tudo, devemos nos unir para deixar a Igreja com a mesma força que ela tinha antes, afinal, seremos o futuro dela e de nossa comunidade”.

Chaieni Carolini Mariani Covalsky, 18 anos Comunidade Santa Paulina

“Fui me fortalecendo na oração. Em casa fiz um altar para que pudesse acompanhar as missas, e após receber o convite para participar da Pascom, foi muito gratificante, pois me aproximei mais de Deus e pude levar a palavra Dele para quem não poderia estar presente nas missas durante esse momento tão difícil que vivemos”.

Nicoli Yasmin Groh, 17 anos Comunidade Sagrado Coração de Jesus


ENTREVISTA

POR JULIANE FERREIRA

Oração, compreensão e fé

As novas missões dos padres Aléssio e Diego diante da necessidade de transferências anunciadas pela Congregação Na vida sacerdotal de um padre, a transferência é um processo necessário. As mudanças são baseadas em critérios de demandas e serviços, e, é exatamente nisso que cada sacerdote se propõe durante a vida religiosa: estar a serviço. Diante das necessidades, eles são chamados a dar um passo. Nunca é para abandonar pessoas ou sofrer grandes traumas. É um processo de crescimento. Quando Cristo chamou os discípulos, Ele os chamou e depois os enviou. Com os sacerdotes também é assim: são chamados e enviados ao longo da vida a corresponder a isso. “Ir em nome de Cristo’’ é o propósito que inspira a nova fase na vida dos padres Aléssio da Rosa e Diego Martins, que, a partir de 2021, seguirão rumo à nova missão na Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus (Dehonianos). O Pe. Diego será Ecônomo Provincial em Corupá, sede da Província Brasil Meridional dos Padres do Sagrado Coração de Jesus. Já o Pe. Aléssio atuará especificamente na área da educação, em Brusque.

Dedicação à educação

Ao finalizar um ano que considera o que mais trabalhou em sua vida, principalmente como professor, por conta da ruptura e adaptação quase que imediata diante da pandemia, Pe. Aléssio conclui o atípico 2020 com o sentimento de missão cumprida. Ele deixou Brusque em 2015, retornou em março de 2018, onde permaneceu como vigário paroquial até os dias atuais. Agora, será transferido para o Convento Sagrado Coração de Jesus, para auxiliar a direção da Faculdade São Luiz e manter suas funções como professor. “Esta minha transferência será a mais tranquila, porque é só mudar de casa, para fazer melhor a minha missão aqui e que hoje executo com duas funções. São duas coisas exigentes”, explica. “É um momento de crescimento, porque se a gente não é desafiado, temos uma tendência enquanto ser humano a se acomodar. Quando você muda de função, tem que aprender coisas novas e sair da zona de conforto”, observa. As demandas impostas neste ano trouxeram mais experiência e amadurecimento, por isso, esperança e gratidão são as duas palavras escolhidas pelo padre para se despedir da comunidade. “Tive a oportunidade de conviver com vários colegas, tanto mais novos quanto mais velhos do que eu, e de conhecer mais as nossas comunidades. Foi uma experiência muito rica, de desafios. Por vezes correspondemos, por vezes não, diante das demandas, mas saio com sentimento de gratidão e de carinho por cada uma das nossas comunidades e também com a comunidade paroquial - desde o padre Flávio com seus 91 anos, ao padre Diego, que era o mais novo. Foi uma experiência muito positiva, crescemos muito e isso deixa saudades. Como eu só vou mudar de casa, quase do outro lado da rua, a gente vai se encontrar mais vezes”, conclui.


ENTREVISTA

POR JULIANE FERREIRA

De volta ao Seminário Diego Martins se tornou sacerdote dehoniano em 2017, após 14 anos de estudos no Seminário. Sua vinda a Brusque, em fevereiro de 2020, teve intenção de proporcionar ao jovem padre uma nova experiência: desenvolver trabalhos pastorais e atuar em um setor totalmente distinto do que fez durante toda sua vida religiosa. “Foi maravilhoso estar aqui, uma verdadeira escola, seja na comunidade religiosa, em casa com os padres, ou nas questões pastorais que fui envolvido. Na medida que fosse possível, me envolvi, seja nas pastorais e movimentos que acompanhei e até mesmo naquilo que eu não acompanhava, mas procurava estar sempre junto”, enfatiza. Apesar de sua vasta bagagem de experiências, vê como grande desafio a nova missão que assumirá, na sede provincial, em Corupá. “Terei que aprender muita coisa nova e distinta, que não faziam parte da minha vida e que agora farão parte, ou seja, será uma missão totalmente nova e específica que Deus me pede neste momento. No fundo, a gente está sempre nas mãos de Deus. E colocar-se nas mãos de Deus é acreditar que a vontade d’Ele passe, também, pela vontade dos nossos superiores, pela vontade de quem conduz e guia o nosso caminho”, conta.

Mensagem aos jovens “Não se deve desanimar, porque o melhor sempre vai chegar. De modo muito particular, falo sobre esperança e a busca pela Santidade. Que os jovens busquem cada vez mais serem Santos: sejam radicais, busquem o caminho do Evangelho, o caminho do seguimento de Jesus, e nesse caminho contem com a minha prece, com minha amizade e orações, pois, onde eu estiver, estaremos neste mesmo caminho juntos e unidos na oração”.

Mudanças em Brusque, Guabiruba e Botuverá A Paróquia São Luís Gonzaga acolhe, a partir de fevereiro de 2021, os padres Paulo Riffel e Tiago Araújo. Atuarão no Convento, Faculdade e Colégio São Luiz, a partir de 2021, os padres Aléssio da Rosa e Silvano Borba. A Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Guabiruba, acolherá o padre Mário Peixe e a paróquia São José, de Botuverá, acolherá seu novo pároco, o Pe. Aldecir Piai. Já a Casa Padre Dehon também passa por transferências: deixa a Casa os padres Mário Peixe e Francisco Lawall - que assumirá a Paróquia Imaculada Conceição, em Mangueirinha/PR após 18 anos em Brusque, e o Frater Anderson Viana, que irá para São Paulo, para o 1º ano de Teologia. Um novo frater deve ser transferido para a Casa Pe. Dehon, com nome a definir.


> MARÇO – O início de uma pandemia. No dia 18, o Governo de Santa Catarina decretou o lockdown no Estado. Com isso, missas foram suspensas e, igrejas, fechadas. Iniciou, pelas redes sociais da Paróquia, a transmissão das celebrações eucarísticas, diretamente da Capela da Casa Paroquial. Famílias foram motivadas a colocarem um ramo e um pano branco em suas casas como sinal de fé durante a Semana Santa. Dia 21 os padres celebraram, pela primeira vez, uma missa na igreja Matriz sem a presença de fiéis, apenas os seis religiosos e a equipe de organização.

> ABRIL – Mês da Paixão de Cristo/ Páscoa. Dia 3 foi realizada a Adoração ao Santíssimo Sacramento, transmitida através da Casa Paroquial. Dia 5, a Celebração de Ramos na igreja Matriz, apenascomapresençadepadreseequipe de transmissão, o que se repetiu durante toda a Semana Santa, concluída com o sobrevoo e bênção com o Santíssimo nas cidades da Forania (Brusque, Guabiruba e Botuverá). No 3º Domingo da Páscoa (25), houve a reabertura das igrejas e retorno das missas, com presença reduzida de público, conforme estabelecido em decreto.


> MAIO – Mês de Nossa Senhora. A comunidade paroquiana foi incentivada a construir um jardim para Nossa Senhora, na igreja Matriz. Durante o mês, o Setor Juventude realizou Terço on-line. O Emaús iniciou o Drive-Thru do Bem. A primeira edição arrecadou quase duas toneladas de donativos e, até dezembro, foram seis edições promovidas. Durante o mês também foram retomadas as missas na maior parte das Comunidades. No dia 29 ocorreu a Coroação de Nossa Senhora e a Vigília de Pentecostes. Dia 30 aconteceu uma live sobre o filme “Albertina”, conduzida pelo Pe. Aléssio, via videochamada transmitida pelo Facebook da Paróquia.

> JUNHO – Mês de São Luís Gonzaga. Ocorreu a confecção do Tapete de Corpus Christi, no corredor central da igreja Matriz. Foram celebradas as solenidades de Corpus Christi, Sagrado Coração de Jesus, Imaculado Coração de Maria e Dia de São Luís Gonzaga. Houve uma homenagem aos profissionais da saúde e às vítimas da Covid-19. No dia 25, o Setor Juventude organizou uma Adoração na Matriz, de forma presencial e on-line. A Paróquia recebeu Moção de Congratulações da Câmara de Vereadores pela realização das transmissões da Semana Santa. O mês encerrou com a bênção do Santíssimo para Brusque, na mesma noite em que a cidade sofreu danos devido a um ciclone extratropical.


> JULHO – Mês do aniversário da Paróquia. Mês de missa e live sobre Santa Paulina. No dia 20, um novo decreto fechou a igreja por mais uma semana, reaberta com autorização no dia 28. Assim, em 31 de julho, foi celebrada missa de aniversário da Paróquia, além de uma live com padre Joãozinho no mesmo mês, sobre Maria.

> AGOSTO – Mês Vocacional. Dia 1° foi marcado por uma live cruzada, conduzida pela Arquidiocese de Florianópolis. Houve, ainda, uma live tendo como tema “Família” e o Drive-Thru bateu recorde de arrecadação, com quase seis toneladas.

> SETEMBRO – Mês da Bíblia. Foram realizadas Adorações com Jovens todas as sextasfeiras. Ocorreu live sobre os Grupos Bíblicos em Família, além do Projeto #ComPaixão. O mês foi marcado pelo Encontro dos Pais da Iniciação à Vida Cristã, ao aumento da capacidade de público nas missas e pela retomada das celebrações de Batismo. Merecem destaque também os 10 anos da Dedicação da igreja Matriz e os 116 anos da presença Dehoniana em Brusque.


> OUTUBRO – Mês de Nossa Senhora Aparecida e Primeira Comunhão. Foi iniciado um longo e adaptado ciclo de celebrações da Primeira Comunhão. O Dia Mundial do Pão contou com missa especial na Matriz. Houve encerramento das transmissões diárias das missas.

> NOVEMBRO – Mês das celebrações de Crisma. Novembro deu início à caminhada das celebrações de Crisma. Foram 11 missas, até o início de dezembro. Foi celebrada a vida de quem já partiu, no Dia de Finados. A Ação Social Paroquial foi premiada pela iniciativa do Drive Thru do Bem. A igreja novamente reduziu sua capacidade de público em todas as celebrações. Os sinos da igreja Matriz passaram por mudança no sistema.

> DEZEMBRO - Mês do Natal. A Paróquia vive o Tempo do Advento, com a Coroa, a preparação da decoração natalina e o presépio em todas as comunidades. Foram acesas as luzes da árvore de Natal na Matriz, na noite da primeira sexta-feira do mês, dedicada ao Sagrado Coração de Jesus.


ESPIRITUALIDADE

POR AGÊNCIA ARCANJO

Advento e seus símbolos: O Advento é tempo de espera. Aguardamos a manifestação da vinda do Filho de Deus. Uma espera vigilante, marcada pela modéstia, simplicidade, austeridade e penitência. Advento é tempo propício para a celebração, a qual lateja em nossas veias a esperança de dias melhores e um futuro menos sombrio. Ao falarmos de Advento e Natal alguns símbolos povoam nossa mente: a coroa, as velas coloridas, os sinos, as luzes e o presépio. Cada elemento que compõem esse tempo tão especial possui um significado. Conheça-os:

Coroa e velas coloridas Um desses significados é a coroa, sua forma simboliza a eternidade e, sua cor, representa a esperança e a vida. Vem entrelaçado por uma fita vermelha, símbolo do amor de Deus por nós como, também, do nosso amor que aguarda com ansiedade o nascimento do Filho de Deus. No centro do círculo, colocamse as quatro velas para serem acesas uma a cada domingo do Advento. As luzes das velas simbolizam a nossa fé e nos levam à oração.

Sinos O sino de Natal é o símbolo que representa o anúncio do nascimento de Jesus. Isso porque, além de sinalizar as horas, o toque dos sinos avisa as pessoas para se reunir para um acontecimento.


As luzes

As luzes, por exemplo, representam as estrelas, e a estrela que costuma ser colocada no topo da árvore, representa a Estrela de Belém.

A árvore

A árvore de natal faz parte da tradição para celebrar o nascimento do “Deus da Luz”, pois as árvores eram consideradas a ligação entre a Terra e o Céu, simbolizando a fertilidade e a continuidade da vida.

Presépio No Brasil, montar um presépio em casa já virou tradição entre as famílias católicas. Sua montagem deve ser feita no 1° domingo do Advento e representa o momento do nascimento do menino Jesus, e a chegada dos Reis Magos para entregar-lhe os presentes.


A Associação Dehoniana Brasil Meridional, mantenedora das obras de Educacionais e de Assistência Social das Províncias BRM e BSP tem nova diretoria

A Província BRM da Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus elegeu seu novo Governo Provincial para o mandato 2021/2024

Missa na comunidade em honra a Cristo Rei, ministrada pelo Pe. Carlos Nicolodelli

Padre Diego Martins e o projeto de reforma da igreja Santa Paulina, que foi apresentado à comunidade no final de novembro

Santa Missa celebrou o Dia de Finados na Comunidade Sagrado Coração de Jesus


Presépio Comunidade Cristo Rei Presépio Comunidade Nossa Senhora Aparecida

Presépio Comunidade Nossa Senhora de Fátima

Presépio Comunidade Nossa Senhora de Lourdes

Presépio Comunidade Sagrado Coração de Jesus

Presépio Comunidade Santa Rita

Presépio Comunidade Santa Paulina


Presépio Comunidade Santo Antônio

Presépio Comunidade São João Batista

Presépio Comunidade São Francisco de Assis

Presépio Comunidade São José Operário

Presépio Igreja Matriz

Os sinos da igreja Matriz passaram por mudanças e agora contam com sistema de inteligência artificial, que geram economia e segurança


ESPECIAL

POR GUÉDRIA MOTTA

Solidariedade em ação

Trabalho para manter o alimento na mesa das pessoas em ano de pandemia

A Ação Social Paroquial São Luís Gonzaga encerra 2020 com o reconhecimento que merece. Além de ganhar um prêmio estadual, por meio de um concurso realizado pela Arquidiocese de Florianópolis, o projeto, que já ultrapassa a marca de 70 anos de história em Brusque, foi destaque na imprensa nacional. Tudo isso para reverenciar o que fez de melhor neste ano de pandemia: manteve o alimento na mesa de quem precisa. “A Ação Social fez um trabalho histórico durante a pandemia, com menos voluntários envolvidos e dentro de uma perspectiva muito mais intensa e continuada do que nos últimos anos. Também descobrimos novas maneiras de ser presença e de construir o Reino de Deus. Uma dessas marcas é o Drive Thru do Bem, já reconhecido pela iniciativa e pelos frutos que realiza na vida da Igreja”, afirma o pároco, padre Diomar Romaniv.

Segundo ele, há cerca de dois anos foi contratada uma assistente social, com o objetivo de prestar um serviço mais profissional e menos assistencialista. “A intenção é orientar, acompanhar, visitar as diferentes realidades e, às vezes, encontrar necessidades maiores do que aquelas solicitadas”, conta o pároco. Nesse sentido, diversas pessoas foram encaminhadas para atendimentos psicológicos, além do recebimento e repasse de currículos. Hoje, a Ação Social aguarda novos currículos para o envio às empresas, que costumam entrar em contato, na busca por colaboradores.


ESPECIAL

POR GUÉDRIA MOTTA

Cadastros dobraram na pandemia De acordo com a assistente social, Patrícia Antonietti, os cadastros juntos à Ação Social dobraram durante a pandemia. Das 2030 famílias cadastradas, houve um crescimento de 1987 famílias desde março. “Aumentou o número de pessoas desempregadas ou com salários reduzidos. Felizmente conseguimos fazer muitos encaminhamentos ao mercado de trabalho. E, apesar de passarmos períodos de até 15 dias sem nenhum alimento, conseguimos oferecer um suporte emergencial às famílias”, relata Patrícia. Em meio à pandemia da Covid-19, a assistente social viu seu grupo de voluntários reduzir significativamente, já que a maior parte é formada por pessoas que fazem parte do grupo de risco. No entanto, outras iniciativas foram criadas e, entre elas, a mais importante: o Drive-Thru do Bem, proposto na primeira edição, em maio, pelo Movimento de Emaús. “É o que salva as famílias. Muitas pessoas doam alimentos. Algumas compram cestas básicas nos mercados e enviam. Mas no Drive se arrecada uma grande quantidade e isso permanece suficiente por alguns dias”, enfatiza a assistente social.

Doações A Ação Social permanecerá aberta até 3 de janeiro, de segunda a quinta-feira, das 13h às 17h, respeitando apenas os feriados de Natal e Ano Novo. O fechamento do local será a partir do dia 4 de janeiro, por um período de 15 dias. A prioridade neste momento é a doação de alimentos não perecíveis e produtos de higiene e limpeza. A assistente social também faz um apelo às pessoas na doação de roupas e calcados: consciência e responsabilidade, já que a oferta deve estar limpa e em condição de uso. Exatamente pelo número reduzido de voluntários, muitas vezes se perde tempo na separação dos produtos que, em boa parte, são lixo.


INFANTIL

POR AGÊNCIA ARCANJO

Natal é tempo de amor e paz. No Natal, temos a alegria de viver em Cristo! Elabore um lindo cartão de Natal com um dos símbolos deste tempo tão especial: a árvore de Natal. Recorte um retângulo de papel cartão verde e dobre ao meio para formar o cartão; Desenhe um pinheiro de Natal na capa do cartão; Passe cola branca de acordo com o desenho e polvilhe glitter prateado sobre a cola branca; Bata o cartão para tirar o excesso de glitter e pronto; Dedique esse cartão a uma pessoa especial e deixe o Natal dela ainda mais iluminado.

O desafio continua! Leia com atenção essa edição especial da Revista A Palavra e fique ligadinho em nossas redes sociais... No final de janeiro, vamos testar seus conhecimentos ;)


mensageirodossonhos.com.br

io Revista

A Pastoral da Comunicação da Paróquia São Luís Gonzaga realiza uma missão em diferentes áreas. Além da revista, temos programa diário na rádio, transmissão da Santa Missa pela rádio, redes sociais e TV a cabo (TV cidade, TV Brusque e TV Ser). Estamos nas redes sociais (Facebook, Instagram, YouTube). Seu patrocínio nos ajuda neste empenho na evangelização.

supermercadoscarol.com.br Guabiruba | Brusque | Nova Trento | Blumenau

ANUNCIE AQUI!


tt

Esta é uma publicação da Paróquia São Luís Gonzaga, sob responsabilidade do Pe. Diomar Romaniv, scj e da Pascom da Paróquia, situada na Rua Padre Gattone, 75 - Centro, Brusque - SC. www.paroquiasaoluisgonzaga.com

EDIÇÃO Aline F S Oliveira SUGESTÃO DE CONTEÚDO redacao@agenciaarcanjo.com.br www.agenciaarcanjo.com.br facebook.com/agenciaarcanjo (47) 3227-6640

DIAGRAMAÇÃO Tuany Pereira REVISÃO Ariane Miranda