Revista a Palavra - Edição de Fevereiro de 2022

Page 1

EDIÇÃO 121 | MAR/2022 |DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

5

CAMPANHA DA FRATERNIDADE

Hora de refletir sobre a educação

7

QUARESMA

Tempo de mudança de vida

12

ESPIRITUALIDADE

Beato Carlo Acutis, o anjo da juventude


EDITORIAL

POR AGÊNCIA ARCANJO

Bem-vindos à revista A Palavra! Vivemos o tempo da Quaresma, um período para refletirmos e reavaliarmos o nosso posicionamento diante da vida. Como agimos? Como pensamos? Como estamos sintonizados com o Reino de Deus? A matéria central desta edição apresenta caminhos para impulsionar o nosso processo de conversão, baseado no jejum, na oração e na esmola. Você não pode deixar de conferir também a matéria sobre a Campanha da Fraternidade sob análise do padre Diomar Romaniv. O pároco reflete sobre esta ação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que este ano tem a educação como eixo central. A campanha nos alerta sobre a valorização da educação tradicional, mas também lembra da missão de cada pai e mãe, que é chamado a educar os seus filhos em um mundo cada vez mais desafiador. “Ser pai e ser mãe é ser protagonista na evangelização do seu filho, da sua filha”, destaca. Também vamos dar as boas-vindas aos dois novos vigários que chegaram em nossa paróquia: padre Claudionor José Schmitt e padre Rodrigo Fernando Tascheck, que agora assumem nova missão em Brusque. E, ainda, vamos conferir como foi a viagem do Padre Diomar Romaniv a Roma, onde participou da IX Conferência Geral da Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus. Um grande abraço em todos os paroquianos e paroquianas, e até a nossa próxima edição. Boa leitura!

2 | REVISTA A PALAVRA

mensageirodossonhos.com.br


POR PE. DIOMAR ROMANIV, SCJ

PALAVRA DO PÁROCO

Querido Paroquiano! Estamos iniciando o mês de março e, com ele, a Quaresma! Começamos um tempo propício, mais intenso de oração, penitência e conversão! Lembro, e você também vai se lembrar, que há anos os dias da Quaresma mudavam o ritmo diário da vida: não se escutava música, pouco se ligava o rádio, os bailes davam uma pausa, entre tantas outras iniciativas. Eram atitudes externas que queriam ajudar a viver este tempo de forma diferente interna e externamente. E, neste ano, o que será diferente na sua vida durante este tempo quaresmal? Tomo a liberdade de propor algumas ideias: • Aproveite esses dias para se alimentar da Palavra de Deus, tirando mais tempo para ler, meditar e rezar os textos bíblicos; • Cultive o silêncio, externo e interno; viva num silêncio orante, que nos ajuda na interiorização e nos leva ao encontro conosco mesmo e com o Senhor; • Esses dias também nos motivam à prática do jejum e da caridade, que revigoram nossa vida pessoal e comunitária. Pratiqueos com mais frequência; • É próprio deste tempo também uma reflexão penitencial. Ao encontrarmo-nos conosco mesmo, damo-nos conta de nossas fragilidades, limitações, vícios e pecados. Examinamos nossa consciência, fazemos penitência, assumimos bons propósitos e isso nos motiva a fazer a experiência mais profunda da misericórdia de Deus no Sacramento da Reconciliação! Abra-se a esta bela experiência de vida e fé; • A oração da Via Sacra nos coloca no caminho do Calvário, que leva à Glória. Paramos diante de cada estação, contemplamos aquela cena, meditamos, rezamos e identificamos no hoje da história tantas pessoas que vivem experiências dolorosas como as de Jesus e dos que o acompanharam. Este exercício espiritual desperta em nós compaixão e solidariedade. Reze a Via Sacra em sua casa, sozinho e em família, e esteja atento aos dias e horários da Via Sacra na sua comunidade. Os quarenta dias da Quaresma nos preparam também para celebrar com piedade a Semana Santa, que nos coloca diante do Mistério central de nossa fé: a Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus. Programe-se desde já para participar das celebrações dos Dias Santos! Querido paroquiano, conte com minha prece por você nestes dias quaresmais!

3 | REVISTA A PALAVRA


MATÉRIA

PADRE MARIANO WEIZENMANN, SCJ

Padre Dehon e as obras sociais Entre os dias 13 e 18 de fevereiro, a Congregação dos Padres do Coração de Jesus celebrou sua IX Conferência Geral, em Roma. O tema contemplou “Os dehonianos em compromissos sociais”. Eis porque, no dia do aniversário de nascimento do Fundador e de Orações pelas Vocações Dehonianas, propondo revisitar seus compromissos sociais. Já em 1872, seis anos antes de fundar a Congregação, o jovem sacerdote Dehon organizou o Clube da Juventude São José. Visava auxiliar os jovens na vida cristã, aliviar a dureza de suas vidas e encorajálos no trabalho cidadão. Dois anos depois, criou um Escritório de Obras Sociais para conscientizar patrões e empregados sobre seus direitos e deveres. Obra muito cara a Padre Dehon foi o Instituto São João, fundado em 1877, que proporcionou aos jovens uma séria formação, para melhorar a vida, o trabalho e a sociedade. Entre 1887 e 1901, com o empresário León Harmel, Dehon organizou encontros e cursos de formação e cooperação entre sacerdotes e leigos, em torno das questões sociais. Padre Dehon enviou seus primeiros missionários ao Equador em 1888 e ao Brasil em 1893. A principal característica dessas missões era, justamente, o oferecimento das atividades de cunho social.

4 | REVISTA A PALAVRA

Com a fundação da revista O Reino do Sagrado Coração nas almas e na sociedade (1889), o Fundador proporcionava um olhar crítico sobre os acontecimentos sociais e políticos da época. Essas atividades do Padre Dehon em favor da justiça e da dignidade humana são parte da herança carismática que dele recebemos.


POR GUÉDRIA MOTTA

Fala com sabedoria, ensina com amor

ARTIGO

A Quaresma é um tempo de conversão, de reflexão e de revisão de vida. Conforme explica padre Diomar Romaniv, este tempo “nos permite viver a vida que o Senhor nos oferece com sua Paixão, Morte e Ressurreição”, afirma.

(Cf. Pr 31,26)

Padre Diomar Romaniv apresenta a Campanha da Fraternidade 2022

Segundo ele, para vivenciar a Quaresma em plenitude, a Igreja propõe alguns pedidos, como a leitura mais atenta e aprofundada da Palavra de Deus, o jejum, a caridade, a oração da Via Sacra, entre outros. “Nos propondo algumas perguntas sobre o pecado, a Igreja nos faz entender e refletir que somos responsáveis por nosso processo de conversão e de mudança de vida, pois nossos pecados podem repercutir na vida social”, destaca padre Diomar.

Campanha da Fraternidade Por isso, neste tempo de Quaresma, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) lança a Campanha da Fraternidade como mais um instrumento de reflexão aprofundada sobre uma realidade que pode ser convertida e melhorada, tendo como inspiração a Palavra de Deus. “Neste ano, a Campanha da Fraternidade fala sobre educação e o texto que inspira esta reflexão vem de Provérbios (31,26) ´Fala com sabedoria, ensina com amor´. Então, em primeiro lugar, nós queremos pedir esta graça de falar com sabedoria e ensinar com amor”, diz o pároco. Lançando luz sobre a educação, a Campanha da Fraternidade foca diretamente no sistema educacional, que envolve crianças, adolescentes, jovens e adultos, passando pela integralidade do ser humano, alfabetização, conhecimento técnico, profissional e aprendizados múltiplos. “O tema também revela a missão de cada pai e mãe, que é chamado a educar os seus filhos no mundo desafiador que temos. Ser pai e ser mãe é ser protagonista na evangelização do seu filho, da sua filha. Não se pode delegar esta responsabilidade para outras instituições, que até ajudam, mas não substituem os pais, que devem falar aos filhos

com sabedoria e ensinar com amor” destaca padre Diomar. A Campanha da Fraternidade também toca diretamente à Igreja, sobretudo quando voltada para a Iniciação à Vida Cristã (IVC), à Pastoral Familiar, aos cursos de Teologia e às escolas e faculdades católicas. “Neste contexto, nós pedimos ao Senhor a graça de falar com sabedoria, de ensinar com amor e de encontrar, no meio deste campo que é a educação nas suas mais diferentes ramificações, desde o núcleo familiar até as instituições, a graça de ali realizarmos o projeto do Reino de Deus. A educação contribui muito para tornar o Reino de Deus realidade em nossa sociedade”, frisa o pároco. Padre Diomar enfatiza que, quando as pessoas aprenderem a viver o amor como uma prática mais constante e concreta, aí estarão vivenciando o que o Senhor espera de todos. “Aquilo que Ele viveu, pediu que nós, entre nós, vivêssemos também. Portanto, desejo que este tempo quaresmal, que este tempo da Campanha da Fraternidade, se prolongue durante todo o ano e nos ajude a refletir sobre a missão de educar, cada um na sua situação particular e na responsabilidade que temos de educar as pessoas que estão à sua volta”, detalha.

5 | REVISTA A PALAVRA


ENTREVISTA

POR GUÉDRIA MOTTA

Educação: ato humano, ação divina

{

Padre Adilson José Colombi, ministra formação sobre a Campanha da Fraternidade A Campanha da Fraternidade de 2022 foi o tema escolhido para a palestra de abertura do Ano Pastoral. A formação, ministrada pelo padre Adilson José Colombi, foi realizada na noite de quarta-feira, 23 de fevereiro, no auditório paroquial.

Revista A Palavra: Revista A Palavra: Qual o objetivo da Campanha da Fraternidade e qual a temática escolhida para este ano?

Padre Adilson José Colombi: A Campanha da Fraternidade, instituída pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), acontece desde 1964 no tempo da quaresma. Ela sempre apresenta um tema e um lema, que nos ajudam a viver esta preparação para a Páscoa. A Quaresma é um período de apelo à conversão, de mudança de vida e de comportamento. Por isso, a temática escolhida é sempre uma realidade sociocultural que necessita de reflexão e de ação transformadora. Em 2022, pela terceira vez na história da Campanha da Fraternidade (1982/1998/2022), o tema escolhido apresenta a educação, mas com um enfoque diferente das abordagens anteriores. O tema deste ano é “Fraternidade e Educação” e o lema “Fala com sabedoria, ensina com amor” (Cf. Pr 31,26).

6 | REVISTA A PALAVRA

Qual a abordagem que a CF 2022 nos apresenta?

Padre Adilson José Colombi: Neste ano, a Campanha da Fraternidade não quer refletir a respeito de uma particularidade específica da educação. Isso está assinalado na apresentação do Texto Base, diante do desafio de redescobrir caminhos para uma reconstrução que não é parcial, mas global, e que não atinge somente aspectos específicos, mas que deve chegar às raízes do modo como as pessoas e povos compreendem e organizam a totalidade da vida. O documento também afirma “Educar é um ato eminentemente humano. Somos renovados quando aprendemos mais a respeito da vida e de seu sentido, quando nos ensinam novos conhecimentos e quando percebemos que em nós existe a profunda sede de aprender e ensinar”. Não se trata de refletir e agir sobre aspectos específicos, mas a respeito dos fundamentos do ato de educar e nos motivos de nossas escolhas em nossas ações de educar.


POR GUÉDRIA MOTTA

Revista A Palavra: A Campanha da Fraternidade fala sobre o desenvolvimento humano integral. O que isso significa?

Padre Adilson José Colombi: A pessoa integral é uma unidade e uma totalidade. São quatro dimensões e nenhuma delas pode ser podada. A primeira é a naturalidade, o que o Papa Francisco chama de “casa comum”. Somos um ser natural. E, dentro desta realidade, percebo que não sou um objeto, mas um sujeito e, por isso, a consciência se apresenta como segunda dimensão, acompanhada pela certeza de que não se vive sozinho na dimensão social e comunitária, que nos abre para o infinito, o transcendente, o absoluto, que é Deus. Este é o sentido cristão do ser humano integral.

Revista A Palavra:

ENTREVISTA

Revista A Palavra: Neste contexto, quem se torna responsável pela educação?

Padre Adilson José Colombi: A CF 2022 nos recorda que “educar não é um ato isolado. É um encontro no qual todos são educadores e educandos. É tarefa da própria pessoa, da família, da escola, da Igreja e de toda a sociedade. Afinal, como nos ensina um conhecido provérbio de origem africana, ‘é preciso uma aldeia para se educar uma criança’”. Somos então convidados a “ver a realidade da educação em diversos âmbitos, iluminá-la com a Palavra de Deus, encontrando e redescobrindo meios eficazes que favoreçam processos mais adequados e criativos, a fim de que ninguém seja excluído de um caminho educativo integral que humanize, promova a vida e estabeleça relações de proximidade, justiça e paz. A educação é um indispensável serviço à vida. Ela nos ajuda a crescer na vivência do amor, do cuidado e da fraternidade”.

De que maneira a Palavra de Deus pode nos inspirar à educação?

Padre Adilson José Colombi: A Campanha da Fraternidade de 2022 acentua sempre a maneira de Jesus educar. Ele é o grande educador. “Educar é também uma ação divina. A Bíblia nos mostra a história de um Deus que educa seu povo, caminhando com ele, conhecendo suas fragilidades, respeitando suas etapas e alertando diante dos erros. Quando contemplamos as ações e as palavras de Jesus, encontramos um caminhar educativo. Sua presença atenciosa junto às pessoas, a relação entre milagres e a conversão, o uso de exemplos recolhidos do cotidiano, tudo, enfim, nos apresenta Jesus como o grande educador”.

7 | REVISTA A PALAVRA


CENTRAL

POR AGÊNCIA ARCANJO

Todos os anos, guiada pelo equinócio, no primeiro domingo após a primeira lua cheia da primavera, a Igreja celebra a Páscoa do Senhor, o evento mais importante do ano para todo fiel católico.

Sendo o acontecimento central da fé católica, este evento vem acompanhado da necessidade de uma preparação intensa e profunda, que é a Quaresma. A Quaresma é o período de quarenta dias entre o Carnaval e o Domingo de Ramos, onde a Igreja, como boníssima mãe e mestra, convida seus filhos a um momento sério de mudança de vida e conversão. A palavra conversão cabe muito bem ao sentido e ao convite do período quaresmal. Esta palavra significa mudança, alteração de algo para outra coisa, e é exatamente isto que cada católico deve fazer neste período, transformando suas maldades e erros em amor, bondade e caridade para com Deus e o próximo.

8 | REVISTA A PALAVRA


POR AGÊNCIA ARCANJO

CENTRAL

Para que o fiel católico alcance essa mudança, ele é convidado a três práticas que vão impulsionar seu processo de conversão. Essas práticas são o jejum, a oração e a esmola. Pelo jejum se pratica a virtude da temperança para deixar de ser uma pessoa gulosa, que devora tudo o que vê pela frente, seguindo o ensinamento do próprio Jesus que diz: “Nem só de pão vive o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus” (Mateus 4,4). Nos tempos atuais, podemos estender a prática do jejum não somente pela comida, mas também com as redes sociais e dispositivos eletrônicos, para que, com o jejum, o fiel saiba, através da abstinência de carne e de outras práticas, encarar as privações que naturalmente a vida irá propor. Pela oração é que se conhece Deus, e todo fiel que segue os ensinamentos do Mestre também precisa se relacionar, conhecer o seu Senhor, e a oração é a porta para isso. Na Quaresma, somos convidados a ir além das práticas de orações devocionais e constantemente procurar Deus na oração pessoal, tendo por Ele uma relação de Pai e amigo. Pela esmola se encontra o caminho do desapego das coisas terrenas, para que se possa compreender que as coisas do Alto são mais importantes do que tudo o que se possa ter nessa vida. Além disso, a doação de algo ou uma ajuda a um irmão produz um espírito de fraternidade e comunhão, estando atento às necessidades dos outros e amparando da forma como é possível, percebendo ao final que somos todos irmãos de um mesmo Pai. Como dito no início deste texto, todos os anos somos convidados a um período de maior fidelidade a Deus, mas, mesmo a Igreja nos proporcionando este tempo regularmente, não significa que no próximo ano exista a garantia certa de que você, que lê esta matéria, viverá a Quaresma e a Páscoa com a Igreja, pois a Deus pertence a vida e a morte. Por isso, somos convidados a viver este tempo de conversão como se fosse a última Quaresma de nossas vidas, para que um dia possamos viver a Páscoa eterna no céu.

9 | REVISTA A PALAVRA


MATÉRIA

POR GUÉDRIA MOTTA

Padre Diomar representa a Província BRM em Conferência Geral da Congregação em Roma Pároco substituiu o Superior Provincial, padre Sildo César da Costa O pároco da Paróquia São Luís Gonzaga, padre Diomar Romaniv, esteve em Roma no mês de fevereiro, onde participou da IX Conferência Geral da Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus. No encontro, ele representou o Superior da Província Brasil Meridional (BRM), padre Sildo César da Costa. “A Conferência Geral é um encontro internacional da Congregação, para estudo e reflexão a partir de um tema atual e significativo da vida da Igreja e da caminhada da Congregação, que presta serviço no mundo inteiro. Eu estou aqui em nome da Província do Sul do Brasil, substituindo o padre Sildo, nosso provincial, que, por motivos extraordinários, não pode se fazer presente, mas me enviou em nome do governo da nossa Província”, conta Padre Diomar. A conferência iniciou no domingo, 13 de fevereiro, e seguiu até sexta-feira, dia 18. Na semana seguinte,

padre Diomar participou do Encontro dos Superiores Maiores da Congregação, de 19 a 24 de fevereiro. Além do estudo, o evento foi marcado pela oração e partilha, bem como pela missa diária, celebrada em diversas línguas. “À noite, temos momentos mais livres para convivência, para conversas individuais entre as diversas entidades da Congregação, em diferentes províncias. Também faz parte do contexto uma conversa com o Superior Geral da Congregação, padre Carlos Luis Suarez Codorniú”, destaca o pároco. Segundo ele, a partir desta conferência se estabelecem as diretrizes que conduzirão o trabalho da Congregação no mundo, diante de cada realidade específica, que se transforma em uma grande obra pelo serviço prestado.

Compromissos sociais Os temas que nortearam a IX Conferência Geral apresentavam os compromissos sociais e o impacto do amor de Deus na sociedade. Entre os objetivos foram listados a inspiração dos religiosos dehonianos e leigos à paixão do Padre Dehon pela justiça social e a busca para que este legado esteja enraizado na contemplação do amor do Sagrado Coração, a redescoberta da identidade dehoniana pelo engajamento no compromisso social, a transmissão de patrimônio e a inspiração de novos religiosos dehonianos e leigos neste envolvimento com as causas sociais.

10 | REVISTA A PALAVRA


POR GUÉDRIA MOTTA

COMUNIDADE

Formação para a catequese Durante três noites, catequistas atualizam conhecimento e experiência de fé A coordenação paroquial da Iniciação à Vida Cristã (IVC) realizou, nos dias 8, 15 e 22 de fevereiro, uma formação para os catequistas. O encontro ocorreu no período da noite, no auditório, e foi cheio de conhecimento e de experiências de fé. O primeiro formador foi Saymon Alves Meyer, que explicou como funciona todo o processo de IVC e os itinerários utilizados nessa formação, que dura cinco anos e envolve toda a família. Já a segunda noite de capacitação contou com a presença do padre Silvano João da Costa, enfatizando a importância de se praticar a leitura orante da Palavra de Deus. “Somos catequistas e convidados a ter esta intimidade com a Bíblia. Foi uma noite maravilhosa. É lindo ver um amor que transborda por Jesus. Nossos corações ficaram cheios desta vontade de fazer diariamente a leitura orante da Palavra e de nos tornarmos íntimos com Deus, para passar isso às outras pessoas e, principalmente, às crianças que nos são confiadas”, explica a coordenadora da catequese, Grasiele Dalbosco de Oliveira.

Encerramento A última noite de formação foi conduzida pelo pregador André Vilela, que trouxe como tema de reflexão a espiritualidade. “O objetivo foi fazer com que as catequistas deixassem esta formação com muita vontade de ir para a sala de catequese. Esperamos que elas tenham se sentido renovadas, abastecidas e dispostas a transformar o mundo”, revela Grasi. Na Paróquia São Luís Gonzaga, o ano da catequese já está planejado. Neste momento foram iniciadas as celebrações com a presença dos pais e, ao que tudo indica, será um grande ano de trabalho. “Queremos catequizar com amor. Hoje a catequese integra toda a família e nós já estamos colhendo bons frutos deste movimento, com pais se tornando catequistas”, destaca a coordenadora. 11 | REVISTA A PALAVRA


ESPIRITUALIDADE

PADRE TIAGO ARAÚJO, SCJ

Carlo Acutis, o Anjo da Juventude Carlo Acutis nasceu no dia 3 de maio de 1991 em uma família de origem italiana. O menino cresceu em um lar católico, entretanto, seus pais não tinham o hábito de participar assiduamente das missas, sendo a babá a responsável por ensinar a ele os valores da fé cristã.

sepultamento, a Igreja estava tão cheia que muitas pessoas tiveram que participar da cerimônia do lado de fora. Foi com essa fama de santidade que, logo após a sua morte, difundiu-se o nome de Carlo como um possível santo da Igreja Católica.

Em 1997, Carlo manifesta a seus pais o desejo de receber a Comunhão Eucarística. Desde então, o menino participava diariamente da missa. Seu passatempo favorito era estar com os amigos. Gostava de jogar Playstation, navegar na Internet, ensaiar os teatros da escola e seu herói favorito era o Homem-Aranha. Carlo vivia intensamente as alegrias da infância sem perder o profundo relacionamento com Jesus. Aos 15 anos de idade, o jovem sentiuse indisposto e levaram-no a uma clínica médica. O diagnóstico: Leucemia fulminante tipo M3. Em 11 de outubro, Carlo entra em coma, devido a uma hemorragia cerebral e então, às 6h45 do dia 12 de outubro de 2006, seu coração para de bater.

O milagre ocorrido através da intercessão do jovem se deu no Brasil à uma criança de 3 anos em 12 de outubro de 2013, dia de Nossa Senhora Aparecida, por isso a devoção ao Beato está sempre associada à espiritualidade mariana.

Foi a partir da morte de Carlo que sua vida cristã começa a ter ainda mais significado. No dia do seu

Costumamos chamar, carinhosamente, nosso querido amigo de “Carlito”. Divulgamos esta devoção porque acreditamos que, no mundo atual, é possível, sim, viver uma vida de santidade. É igualmente possível realizar as nossas atividades diárias, hobbies e compromissos sem deixar de testemunhar o Evangelho anunciado por Jesus Cristo. Carlo é conhecido como o Anjo da Juventude, o Cyber Apóstolo, o Influencer de Deus. Certamente, após a sua canonização, será proclamado o padroeiro da Internet.

A Eucaristia é a minha autoestrada para o céu”.

Beato Carlo Acutis, o anjo da juventude, rogai por nós! Na Igreja Matriz, todo dia 12 de cada mês acontece a Santa Missa devocional ao Beato Carlo Acutis. @carloacutissc @matrizsaoluisgonzaga

12 | REVISTA A PALAVRA


POR JULIANE FERREIRA

PARÓQUIA

Bem-vindos, novos seminaristas Neste ano, quatro novos seminaristas chegaram ao Convento Sagrado Coração de Jesus para seguir na etapa da Filosofia. São eles: Gabriel Santos (São Bento do Sul - SC), Lucas Mendes (Ijuí - RS), Lucas Pereira (Blumenau - SC) e Luan Felipe de Jesus Bastos (Joinville - SC).

Imagem: Divulgação.

Como vai a minha floricultura?

A Paróquia São Luís Gonzaga acolheu seus dois novos vigários paroquiais neste início de ano: padre Claudionor José Schmitt e padre Rodrigo Fernando Tascheck, que agora assumem nova missão em Brusque, junto às Comunidades, pastorais e movimentos.

Padre Flávio Morelli, scj, comemorou seus 70 anos de Vida Consagrada. Natural de Botuverá, padre Flávio tem 92 anos. Ele foi vigário da Paróquia São Luís Gonzaga até junho do ano passado, quando foi submetido a uma cirurgia em decorrência de uma queda. Neste momento, ele segue em recuperação no Noviciado Nossa Senhora de Fátima, em Jaraguá do Sul.

Imagem: Divulgação.

25 anos de Adoração

Imagem: Divulgação.

Missa de acolhida dos novos padres

Escola de Teologia

Imagem: Divulgação.

A Paróquia São Luís Gonzaga realizou no dia 10 de fevereiro uma missa em Ação de Graças aos 25 anos do Grupo de Adoração ao Santíssimo Sacramento. A celebração, presidida pelo padre Paulo Vanderlei Riffel, e concelebrada pelo padre Claudionor José Schmitt, relembrou a importância da Adoração, realizada na Igreja Matriz desde 1996, e que acontece todas as quintas-feiras, das 7h às 19h. A celebração também lembrou o Dia de Santa Escolástica, irmã gêmea de São Bento de Núrsia, que possui milhares de fiéis em todo o mundo.

No mês de fevereiro, a Escola de Teologia retomou suas aulas e os inscritos estudaram sobre Eclesiologia (estudo sobre a Igreja), com aulas ministradas pelo padre Diomar e padre Rodrigo Tascheck. Os encontros acontecem todas as quintas-feiras, no auditório da Matriz, com início às 19h30. A taxa de inscrição custa R$ 25, que pode ser feita na primeira aula.

Imagem: Divulgação. 13 | REVISTA A PALAVRA


COMUNIDADES

POR JULIANE FERREIRA

Entrega do projetor (comunidade N. Sra. de Fátima) A Comunidade Nossa Senhora de Fátima, no Maluche, inaugurou recentemente o novo projetor, que já está sendo utilizado nas celebrações com os fiéis.

Imagem: Divulgação.

Nossa Senhora de Lourdes A Comunidade Nossa Senhora de Lourdes, no bairro São Pedro, celebrou o Dia da Padroeira e, também, o Dia Mundial da Saúde. O tríduo iniciou na quinta-feira, 10 de fevereiro, com missa às 19 horas na capela. No local também houve venda de cachorro quente e de pastel.

Imagem: Divulgação.

14 | REVISTA A PALAVRA


POR AGÊNCIA ARCANJO

INFANTIL

15 | REVISTA A PALAVRA


EDIÇÃO Raissa Lemos Rocha

Esta é uma publicação da Paróquia São Luís Gonzaga, sob responsabilidade do Pe. Diomar Romaniv, scj e da Pascom da Paróquia, situada na Rua Padre Gatone, 75 - Centro, Brusque/SC. www.paroquiasaoluisgonzaga.com

DIAGRAMAÇÃO Letícia Sales SUGESTÃO DE CONTEÚDO redacao@agenciaarcanjo.com.br www.agenciaarcanjo.com.br facebook.com/agenciaarcanjo (47) 3227-6640

REVISÃO Ana Sanches IMPRESSÃO Gráfica Volpato TIRAGEM 1.500 exemplares