Issuu on Google+

ENTREVISTA DO MÊS Nesta primeira edição, “O Anunciador” conversou com padre Eduardo da Costa, novo Vigário da Paróquia São João Batista do Fátima. Confira a entrevista. Página 3

PALAVRA SANTA

JOVENS RENOVARAM A FÉ

Conheça o projeto que ocorre nas comunidades da Paróquia visando despertar e estimular a vontade pela leitura da Palavra a cada mês da Bíblia. Página 5

Mais de 100 jovens de sete comunidades se reuniram em Araquari para participar de retiro de espiritualidade. Cerca de 35 pessoas trabalharam no evento . Página 10


Apresentação Horários

Editorial

É tempo de celebração O mês de outubro, por si só, já é um mês especial. É tempo de comemoração. E foi nesse clima que nós preparamos uma novidade para você, caro leitor. Além de ser o mês de Nossa Senhora Aparecida, a padroeira do Brasil, damos início a uma nova fase da nossa paróquia. A partir de agora, todo mês você ficará por dentro de tudo o que acontece na vida da comunidade por meio do jornal O Anunciador. Com um conceito inovador e dinâmico, o jornal traz a proposta de levar matérias especiais e entrevistas que os aproximem do dia

Palavra do Pároco

Comunidade Matriz São João Batista

a dia da Igreja. Para dar início a essas atividades, O Anunciador traz o testemunho do padre Sérgio da Silva. Devoto desde criança de Nossa Senhora Aparecida, ele nos conta como se deu essa relação e a importância que a virgem Maria exerce em sua vida. Vale a pena ler e se encantar também com a cobertura das missões que ocorreram durante o mês de setembro na paróquia. Uma verdadeira prova de união e perseverança ao anúncio do evangelho. É com alegria que desejamos a você uma abençoada leitura!

Padre Sérgio da Silva

Com o lançamento do jornal O Anunciador, estamos iniciando uma nova fase na Pascom (Pastoral da Comunicação) em nossa Paróquia. A comunicação é o portal da evangelização da Igreja. Em parceria com a empresa Arcanjo, especializada em comunicação católica, queremos levar até vocês, queridos paroquianos, um jornal com conteúdos bons sobre a nossa comunidade e Igreja. Nosso propósito é observar o mandato de nosso Senhor Jesus Cristo: “Ide evangelizar” (Cf. Mc 16,15). Utilizando os novos meios de comunicação, queremos informar e interagir com você que acompanha a trajetória da Paróquia São João Batista e de suas comunidades. Por isso, além do jornal, estaremos na internet, no rádio e em outros meios, sempre anunciando a Boa Nova do Senhor. No Ano da Fé e da Juventude, impulsionados pela presença do papa Francisco na JMJRio 2013, essa é a nossa expressão renovada e jovial de mostrar nossos projetos, nossos sonhos, nossas lutas, nossa fé. Tudo isso só será possível com a graça de Deus, que também se manifesta com o seu apoio, de sua família, de nossas comunidades, pastorais, movimentos e serviços. Com a festividade de Nossa Senhora Aparecida, pedimos as bênçãos da Mãe, que soube acolher tão bem a mensagem do Arcanjo Gabriel e respondeu com seu sim fiel ao projeto de Deus para a salvação da humanidade. Sob a proteção de Maria e com a intercessão de São João Batista, iniciamos essa primeira edição no jornal O Anunciador.

Aniversário de sacerdócio No dia 11 de outubro, o padre Sérgio celebra cinco anos de sacerdócio. Com muito carinho a Paróquia louva e agradece a Deus por sua vida e vocação. Que Maria, mãe e fiel intercessora, permaneça sempre conduzindo seus passos nessa jornada rumo ao céu.

Expediente

Missas: • Todos os domingos às 7h30 e 19h Missa da Saúde: • Todas às quartas-feiras às 19h Atendimento da secretaria: • Segunda-feira das 14h às 18h • Terça a sexta-feira das 8h às 12h e das 14h às 18h • Sábado das 8h às 12h

Comunidade Nossa Senhora da Paz

Missas: • 2º e 4º domingo do mês às 9h Atendimento da secretaria: • Terça a sexta-feira das 8h às 12h e das 13h30 às 17h30 • Sábado das 8 às 12h

Comunidade Nossa Senhora do Carmo

Missas: • 1º e 3º sábado do mês às 18h Atendimento da secretaria: • Terça, quinta e sexta-feira das 13h30 às 17h30 • Sábado das 8h às 12h

Comunidade Santa Edwiges

Missas: • 2º,4º e 5º sábado do mês às 18h Atendimento da secretaria: • Terça a sexta-feira das 8h às 11h30 e das 14h às 18h

Comunidade Santa Isabel

Missas: • 1º sábado do mês às 19h30 • 3º domingo do mês às 8h Atendimento da secretaria: • Terça a sexta-feira das 8h às 11h30 e das 14h às 17h30 • Sábado das 8h às 11h

Comunidade Santa Paulina

Missas: • 1º, 3º e 5º domingo do mês às 9h Atendimento da secretaria: • Terça a sexta-feira das 8h às 12h e das 13h30 às 17h30 • Sábado das 8h às 12h

Comunidade São Francisco de Assis

Missas: • 2º, 3º, 4º e 5º sábado do mês às 19h30 Atendimento da secretaria: • Terça a sexta-feira das 7h30 às 12h e das 13h30 às 17h30 • Sábado das 8h às 12h

Outubro | 2013

02

www.saojoaobatistadofatima.com.br


Mensal Entrevista

Artigo

Por Fernanda Cristine Felício

Por Fernanda Cristine Felício

“Ser padre é, enfim, ser Cristo entre os irmãos.”

A jornada continua!

Entrevista com padre Eduardo da Costa – Vigário da Paróquia São João Batista - Fátima

“Ide, sem medo, para servir”. Essas foram palavras do papa Francisco, em seu discurso na missa de envio da JMJRio 2013, em Copacabana. A experiência de ser parte dos 3,5 milhões de peregrinos, que estiveram no Rio de Janeiro em julho deste ano, eclodiu um regresso que já apresenta frutos. Ao retornar e contemplar nosso solo de missão, em torno da nossa paróquia, podemos vislumbrar, com um olhar aprofundado, o quão valioso é nosso serviço em prol da evangelização. A fé, uma vez fundamentada na raíz do que é a nossa Igreja, nos instiga a ir, sem medo, ao encontro de todos aqueles que necessitam do anúncio de Deus, que se revela em amor e misericórdia; e nos ensina que é pelo Espírito Santo que será inspirada a criatividade necessária para cativar almas ao Senhor. Nossos grupos de oração receberam jovens com olhar aprimorado sobre a essência de ser missionário a partir da experiência vivida na JMJ. A partilha de tal vivência é plataforma de lançamento para o tempo novo que se expande diante de nós. Papa Francisco nos desafia, pois o evangelho é desafiador. Tenhamos coragem para nos colocar a serviço: audácia de cristão, ousadia própria da juventude. Sejamos os jovens que a nossa Igreja precisa, sejamos o colorido desta nova primavera, os protagonistas de um mundo novo.

“É dando a fé que ela se fortalece” (Encíclica Redemptoris missio, 2)

O Anunciador (OA): Sabemos que a transição de seminarista/diácono/padre é algo esperado e vivido com intensidade. O que representa para o senhor ser, enfim, padre? Padre Eduardo (PE): Bom, ser padre é uma transição grande na vida, ainda que esperado por muitos anos. A vivência como padre supera toda e qualquer expectativa. A experiência espiritual é muito profunda, a possibilidade de ajudar as pessoas in persona Christi, ou seja, atuar como Cristo, curar por meio da unção e confissão, alimentar por meio da eucaristia, pregação e aconselhamentos geram uma satisfação muito grande. Ser padre é, enfim, ser o Cristo entre os irmãos. OA: Diante de todas as responsabilidades às quais seu ministério lhe incumbe, celebrar a Eucaristia é o seu principal compromisso, nós sabemos. O que representou para o senhor, na medida em que puder transcrever em palavras, celebrar a sua primeira missa? PE: Todas as missas são uma graça infinita, mas a primeira é muito especial, e geralmente sonhada, pensada com muita ansiedade. Foi para mim um momento muito belo de ação de graças por tudo o que Deus fez na minha vida, para agradecer e rezar por todas as pessoas que, de alguma forma, se fizeram presentes nestes 17 anos de caminhada seminarística: familiares, benfeitores, amigos, formadores, etc. OA: Como nosso vigário paroquial, Padre Eduardo, qual a sua perspectiva para os trabalhos da nossa paróquia? PE: Como vigário, quero estar à disposição e colaborar estreitamente, com o nosso pároco, o padre Sérgio da Silva. Desejo ajudar nos trabalhos pastorais em prol da evangelização do nosso povo e levar Cristo às pessoas que Deus me confiou. OA: Nossa paróquia tem um povo carismático e carinhoso, por isso deixe uma calorosa mensagem para os leitores do nosso primeiro jornal. PE: Sem dúvida alguma essas são caraterísticas do nosso povo, que com satisfação e alegria percebi desde o primeiro dia que cheguei para servir aqui. Por isso, aproveito para agradecer todo o carinho que recebi ao ser muito bem acolhido no meio de vocês. Meu lema de ordenação foi “O amor de Cristo nos impele” (2Cor 5, 14). Esse amor me fez chegar até ao sacerdócio e, com toda certeza, me levará a doar-me nesta nova missão que o Coração de Cristo me confia. Parafraseando Santo Agostinho gostaria de dizer a cada um: “Para vós sou padre, convosco sou irmão”.

Santo

Nascido na cidade de Assis, Itália, Francisco era filho de um rico comerciante que tirava proveito de sua condição social. Até que se alistou no exército a fim de servir as forças do papa. Certo dia, enquanto rezava, ouviu a mensagem de Jesus lhe dizer: “Francisco, restaura minha casa decadente”. Diante do acontecido, Francisco vendeu os produtos da loja do pai para restaurar a igreja. Indignado com o ocorrido, seu pai deserdou-o. Desapegado dos bens paternos, ele deu início à sua vida religiosa levando a Palavra de Deus com humildade e simplicidade, dedicando-se totalmente aos pobres e doentes. Em 1228, dois anos após sua morte, foi declarado santo pelo papa Gregório IX.

Foto: Francieli Pamela Pereira

Outubro | 2013

São Francisco de Assis

03

www.saojoaobatistadofatima.com.br


Formação Artigo

Por Luciano de Araujo e Aline Cordeiro da C. de Araujo

Educando com fé: o testemunho dos pais para os filhos Educar, conforme nos fala o dicionário, significa transmitir conhecimentos visando o desenvolvimento do corpo, mente e espírito. É diferente, por exemplo, de treinar, em que o objetivo é adquirir uma habilidade específica por meio da repetição e do condicionamento. É importante fazer essa primeira distinção porque a educação não é a simples aquisição de habilidades. Educação tem a ver com o crescimento do ser humano, tem relação com tornar-se melhor. Por isso mesmo, educar para a vida, para o trabalho, para a fé, não é um mero treinamento. Exige um compromisso de quem educa e uma profunda disposição para mudança daquele que é educado. Educar é transformar. A transformação de uma pessoa inicia inevitavelmente na família. Não é por acaso que a família é a célula-mater da sociedade, pois é a sociedade em pequena escala. Nela, a criança aprende a se relacionar com outras pessoas, que existem regras a serem seguidas, que é preciso obedecer aos mais velhos e prestar-lhes respeito, entre outras coisas. Também é na família que se transmitem os conhecimentos acerca da fé.Entre tantos ensinamentos que são transmitidos pela família, a fé tem um lugar fundamental. Com ela, são repassados valores que alimentam a dimensão espiritual do ser humano. Não basta apenas alimentar a criança e dar-lhe condições materiais (casa, roupas, etc.); é preciso

alimentar seu espírito por meio do afeto, do amor e da fé. São esses elementos que darão solidez ao caráter e tornarão o futuro homem/mulher uma pessoa completa e capaz de viver dignamente na sociedade. A fé pode ser transmitida de várias formas, mas o exemplo e o testemunho dos pais e familiares são as maneiras mais eficazes. Assim como tantas outras coisas são transmitidas por meio do exemplo (o jeito de lavar a louça, a forma de fazer a barba ou pentear o cabelo, o modo de tratar as pessoas), também a fé é repassada dos pais aos filhos dessa forma. Pais que vão à missa com os filhos, que rezam em casa com eles, que nos momentos de dificuldade invocam a Deus, com certeza estarão educando-os na fé, mesmo sem falar nada. Por outro lado, famílias em que os pais apenas dizem aos filhos o que fazer, mas eles próprios não fazem, correm o risco de não serem bem-sucedidos na educação da fé. As crianças menores tendem a ser mais obedientes e a não questionar muito, mas esse tipo de educação perde seu efeito com adolescentes, que começam a duvidar de tudo que lhes é dito. Sem o exemplo para dar validade, as palavras são vazias.Portanto, o exemplo é fundamental desde o início, para dar credibilidade ao que é falado. O próprio Jesus, mesmo sendo divino, veio ao mundo nos dar o exemplo, e nos ensinou o que é amar, nos amando.

Intimidade com a Palavra

no qual Jesus se revela no rosto do Pai, de modo a superar o puramente humano para deixar Deus Se servir de nós como instrumentos de transformação do mundo. A Palavra de Deus é viva e direcionada para a vida da humanidade hoje, amanhã e sempre. Deixemo-nos atrair por ela, permitamos que Deus se revele a nós na intimidade com a Sagrada Escritura.

Por Zenilda Maria Sezerino De modo especial, no mês de setembro a Igreja nos convida a dedicar mais tempo para leitura e estudo da Palavra de Deus, conhecê-la e amá-la mais. Um caminho para isso é a prática da leitura orante da Bíblia. Quando aprendemos a rezar a Palavra de Deus, adentramos a sacralidade da intimidade com ela. E o que significa ter intimidade? Significa que sou íntimo, conheço, vivo a Palavra. Significa que a palavra não ficou só na mente, no intelecto, mas caiu no coração e pode dar frutos agradáveis aos olhos de Deus. Podemos, então, transmitir aos irmãos com atitudes concretas o que experimentamos na Palavra rezada. A intimidade com a Palavra nos torna íntimos de Jesus e nela podemos encontrá-Lo. É na força da história que descobrimos os rastros do Sagrado. Precisamos ter o hábito de ler a Bíblia todos os dias, principalmente o Evangelho,

Outubro | 2013

04

www.saojoaobatistadofatima.com.br


Igreja em ação Projetos

po”, no entanto, se estiverem alimentadas pela Palavra de Deus, terão atitudes mais amorosas e maior disponibilidade para acolher e perdoar seus semelhantes. Louvado seja Deus, que inspirou a criação dos Grupos Bíblicos de Reflexão e do Projeto Palavra Santa. “Todos os homens são chamados a entrar no Reino. Anunciado primeiro aos filhos de Israel, este Reino messiânico está destinado a acolher os homens de todas as nações. Para ter acesso a ele, é preciso acolher a palavra de Jesus” (CIC543).

Por Silvana Maria Imperatori Sesering

Palavra Santa

Foto: Marcos Antônio Alves

Este projeto nasceu do desejo do antigo pároco, padre Joelcio Beninca e algumas lideranças, com o objetivo de proporcionar aos fiéis uma intimidade maior com a Palavra de Deus. Iniciou–se em setembro de 2008 e foi batizado pela sra. Emília Nasário com o nome “Palavra Santa”. A ideia inicial era chamar atenção para a Palavra de Deus, muitas vezes esquecida na estante como objeto de decoração ou no fundo de uma gaveta, sem o merecido destaque na vida do cristão. Mas como despertar esse interesse? Decidiu-se que a melhor maneira seria integrar esse projeto ao Grupo Bíblico de Reflexão, já que, habitualmente, os grupos se encontram para rezar e partilhar a Palavra às terças-feiras. Porém, não poderia ser utilizado o mesmo material dos encontros semanais, portanto, foram escolhidos os dos círculos bíblicos que a Editora Paulus lança anualmente para este mês: “Bíblia Gente”. As comunidades foram divididas em setores para reunir maior número de pessoas. Os pregadores da palavra receberam formação com base no material a ser utilizado nesses encontros. O objetivo era unir os grupos da vizinhança e pregadores de comunidades irmãs. O projeto foi tão bem acolhido que, desde então, o mesmo acontece todos os anos no mês dedicado à Palavra nas sete comunidades que pertencem à Paróquia São João Batista. Nossas famílias são “bombardeadas com tentações todo o tem-

Mãe, Rainha e vencedora: três vezes admirável

Por Maria de Lourdes A. Adão

O movimento da Mãe Peregrina começou na Comunidade São Francisco de Assis, em agosto de 2000. Várias capelinhas foram espalhadas pelas ruas dos bairros da comunidade para que, por meio da representação da imagem, a mãe de Jesus visitasse os lares das famílias, favorecendo a ação evangelizadora e cultivando o amor e a união junto à família visitada. Renovando a aliança de amor com Maria, com o passar do tempo, o então pároco padre Nei introduziu as capelinhas nos Grupos Bíblicos de Reflexão, ao qual permanece até os dias de hoje, sempre acompanhadas do terço.

A missão de cativar as crianças

seus bens com todas as crianças do mundo. Os encontros são semanais e abertos a todos que quiserem participar do grupo. Cada mês, um novo tema é propostos para ser trabalhado. Pesquisas, oração, terço missionário, entre muitas outras atividades são desempenhas durante o mês.

Por Cristiane Rover

“De todas as crianças e adolescentes do mundo, sempre amigos” A Infância e Adolescência Missionária (IAM), foi fundada em 19 de maio de 1843 por Dom Carlos Forbin Janson, que se sensibilizou com as notícias de missionários dos países em missão, de maneira especial a China, por conta da dura realidade pela qual passavam as crianças, com o alto índice de abandono e mortalidade. Em meio a isso, Dom Carlos, convocou justamente as crianças, e lhes propôs rezarem uma Ave Maria por dia, além de doarem uma moeda por mês em prol dos pequenos necessitados. Com o lema “Criança/Adolescente evangelizando e ajudando crianças/adolescentes” assim surgiu a Obra da Infância e Adolescência Missionária, que hoje está presente em mais de 110 países. Em nossa paróquia, comemoramos 17 anos de sua implantação. Temos IAM nas Comunidades: Nossa Senhora da Paz , Santa Edwirges, São João Batista, São Francisco de Assis e Santa Paulina. A IAM propõe um programa baseado na oração, no sacrifício e em gestos de solidariedade. Assim elas se tornam evangelizadoras de outras crianças. Ela educa as crianças e adolescentes no crescimento da fé, inserindo-as nas atividades missionárias numa dimensão universal. Pelo compromisso do batismo, vivem concretamente a experiência e a partilha da fé e de

Outubro | 2013

05

www.saojoaobatistadofatima.com.br


Devoção à Santíssima Vi Dia 12 de outubro a Igreja celebra o dia de Nossa Senhora Aparecida, a padroeira do Brasil. Viver essa data com a verdadeira devoção que lhe cabe, é assumir o papel de cristão Católico Apostólico Romano. É assumir Maria como mãe de Jesus, mãe da Igreja e de todas as pessoas. Todo o amor, emoção, alegria, entrega e devoção que se vive neste dia tão especial não é por menos, já que nem mesmo o Arcanjo Gabriel, enviado por Deus, se conteve diante dela. Maria, uma jovem de Nazaré, que encontrou graça diante de Deus, e que mesmo com todas as incertezas que a anunciação do Arcanjo poderia causar em seu coração, se pôs em serviço dizendo: “Eis aqui a serva do Senhor.

Outubro | 2013

06

Faça-se em mim segundo a tua palavra” Lc 1,38. Não pensou nas consequências que tal decisão poderia lhe trazer, não pensou na sua idade ou em seu noivo José, não pensou nas explicações que teria que dar a ele, a sua família e a toda sociedade que na época era muito mais tradicional e incompreensiva com uma jovem que por ventura aparecesse grávida antes do casamento. Ela pode até ter ficado assustada, mas mais que isso, imediatamente se colocou em prontidão para ser usada pelo Senhor. A partir da intervenção divina que por meio dela aconteceu, a vida começou a ser modificada para sempre. Era Deus escrevendo a história da humanidade, enviando seu filho unigênito para vir à terra e trazer a salvação a todos, e entre tantas maneiras que Ele poderia escolher para fazer com que Jesus viesse a terra, Deus fez questão que seu filho viesse por meio de Maria. Deus quis que Jesus fosse gerado no ventre de Maria. Desejou que Jesus tivesse uma mãe e um pai, uma família. Muito sabiamente São Luís Maria Montfort, muito devoto de Nossa Senhora disse: “Deus Pai juntou todas as águas e chamou-as mar; juntou as suas graças e chamou-as Maria”. Essa frase que mais parece um verso tirado de um bonito poema é profunda e verdadeira, capaz de expressar tamanha a importância de Maria para Deus e para todas as pessoas. Maria é a junção do amor mais puro e verdadeiro de mãe. Alguém que para que os planos de Deus se concretizassem, abriu mão de tudo. Enfrentou os medos, fugiu das perseguições, permaneceu sempre firme e fiel ao lado de seu filho. O gestou, alimentou, ensinou e o amou. Cuidou como só uma mãe é capaz de cuidar. Foi a primeira seguidora de Jesus, a primeira que acreditou em sua divindade. Acompanhou toda a vida de Cristo, desde as primeiras falas, até o primeiro milagre e o momento do martírio. Que dor não sentiu ao ver com seus próprios olhos seu menino, sendo humilhado, flagelado e morto numa

www.saojoaobatistadofatima.com.br


irgem Maria cruz sem possuir nenhuma culpa. Como serva do Senhor, sofreu e aguentou em silêncio todas as dores, pois sabia que mais uma vez, estava cumprindo a vontade de Deus. Por tudo isso “o que a fé católica crê acerca de Maria fundamenta-se no que ela crê acerca de Cristo, mas o que a fé ensina sobre Maria ilumina, por sua vez, sua fé em Cristo. CIC 487 963. Ela o amou primeiro. Ela é capaz de aproximar e conduzir todos os seus filhos para mais perto de Jesus. Por ser mãe que é de Jesus tornou-se também mãe de todos os filhos de Deus. Maria, dona de tantos títulos. Aqui no Brasil, em especial, muito conhecida por Nossa Senhora Aparecida, pois em 1717 três pescadores jogaram as redes ao Rio Paraíba do Sul, interior de São Paulo, e após inúmeras tentativas sem sucesso, a rede puxou o corpo de uma imagem. Os pescadores guardaram a imagem e lançaram as redes novamente e, ao puxá-las, avistaram a cabeça de uma santa que se encaixava exatamente no corpo encontrado, formando assim a imagem de Nossa Senhora Aparecida. Após lançadas mais uma vez as redes, eram tantos os peixes que os três pescadores quase não conseguiram dar conta de puxá-la. Esse foi o primeiro milagre. A imagem ficou guardada na casa do pescador Filipe Pedroso por 15 anos e as pessoas reuniam-se para rezar junto dela. Com o passar dos anos, o pequeno oratório construído já não comportava tantos fiéis que vinham ao seu encontro. Em 1734, foi construída uma capela no alto do Morro dos Coqueiros. Mais tarde, em 1745, o número de fiéis que visitavam o local não parava de aumentar, por isso foi dado início a construção de uma igreja maior, a atual Basilica Velha. Desde o seu aparecimento os testemunhos alcançados por intermédio de Nossa Senhora Aparecida são muitos e, em 1904 o papa Pio 10º deu ordem de coroação a imagem, e em 1929 ela foi declarada a padroeira do Brasil. Nossa Senhora Aparecida padroeira do Brasil e nossa mãe, rogai por nós!

Outubro | 2013

Testemunho padre Sérgio

Minha experiência com a virgem Maria “Tudo iniciou de casa. Minha família, de maneira muito especial, minha mãe - é devota de Nossa Senhora Aparecida. Ela é representante do Clube dos Sócios, da Aparecida do Norte, desde que eu me entendo por gente. Por isso fui criando essa grande afinidade. A comunidade em que nasci, do Saí Mirim, chama-se Nossa Senhora Aparecida. Ou seja, não tinha como não ter afinidade com a padroeira, já que ela está presente em minha vida desde o início. Nossa Senhora sempre foi apresentada como mãe e, para mim, a imagem de mãe sempre foi muito bonita e muito importante na minha vida, porque a minha mãe sempre foi muito marcante, muito presente comigo. Nossa Senhora sempre teve um lugar de destaque na minha espiritualidade Lembro-me da chegada da imagem da padroeira da minha localidade. Inclusive, eu tenho uma foto quando criança do lado dessa imagem. Era uma imagem grande de Nossa Senhora Aparecida. Sempre rezei o terço em casa e os textos de Lucas sempre ficaram marcados na minha vida. Sempre pedi intercessão de Nossa Senhora nos momentos de maior precisão. Lembro-me que uma vez eu me perdi e, depois de uma meia hora tentando encontrar o caminho de saída do local, eu disse: “Vou pelo caminho de Nossa Senhora”. Eu tinha 11 anos e estava desesperado. Lembro que andei uns cem metros em linha reta e, depois de eu ter falado que iria pelo seu caminho, eu encontrei a saída. Isso ficou gravado na caminhada da minha vida, para sempre pedir ajuda e intercessão à minha mãe. Fui ordenado dia 11 de outubro e minha primeira missa foi rezada dia 12 de outubro, dia de Nossa Senhora Aparecida. É uma devoção muito grande que eu tenho. Amo Nossa Senhora e procuro sempre trilhar o seu caminho. Eu a tenho presente nas minhas orações diárias, e nas celebrações das missas. Eu sempre sinto que ela está comigo. As pessoas que rezam por mim, eu não tenho dúvida, me colocam sob a proteção de Nossa Senhora. Ela tem seu papel de consulta na vida da Igreja e na minha vida pessoal, sempre como mãe de Jesus, mãe da Igreja e nossa mãe. Em todas as comunidades que eu tenho ido, inclusive quando fui formador do seminário, a presença de Nossa Senhora sempre se fez real. Na minha casa mesmo, eu tenho a imagem de Nossa Senhora sempre em cima de mim. Ela está comigo, me protegendo. Tenho um carinho muito grande pela imagem de Nossa Senhora Aparecida e digo que todos os anos quando chega perto do mês de outubro - de maneira especial dia 12 de outubro-, para mim é uma grande emoção. Fico realmente contando as horas e os minutos para celebrar este momento. E muito mais marcante agora por eu estar completando cinco anos de sacerdócio.”

07

www.saojoaobatistadofatima.com.br


Comunidades São Francisco de Assis

Por Amauri Joel Michalski

Reforma da igreja “No início era um sonho, que aos poucos está virando realidade”. Tudo iniciou em 2010 ainda com o Pe. Joelsio. Era preciso melhorar o altar, porém havia prioridades: centro pastoral, auditório e as salas de catequese. Iniciamos o trabalho e paramos em 2011 quando surgiram problemas elétricos. Era preciso também construir a rampa de acesso do Centro de Pastoral. Em 2012 ocorreu a compra de um terreno atrás do centro pastoral, em que o pagamento iniciou este ano. Ainda em 2012, começou-se a pensar na reforma que contemplaria o altar e a Capela do Santíssimo, mas devido a um temporal houve a necessidade de modificar primeiro o forro da igreja. Iniciou – se então a revitalização. O projeto passou pelas mãos de um arquiteto indicado pela Mitra. As janelas foram trocadas e aumentaremos o espaço interno, passando a sacristia e demais salas para a parte lateral da igreja. O custo aproximado do projeto é de R$ 600.000,00. A obra será realizada em duas partes e estará concluída em 2014. Iniciamos com R$ 300 mil, sendo que R$ 270 mil foram financiados. Este projeto foi aprovado pelas lideranças da comunidade e pelo Pe. Sérgio que conta com o apoio de todos os paroquianos para a conclusão das obras.

Nossa Senhora da Paz

Santa Paulina

Por Carlos Alberto da Silva

Por Marcia Gervazi

No dia 15 de setembro, aconteceu a Festa da Padroeira Nossa Senhora da Paz. A comunidade pôde celebrar com fé e alegria este dia tão importante. As pastorais da comunidade marcaram presença no evento, servindo e confraternizando com harmonia e união a data. Outra conquista comemorada com alegria, foi a realização da troca do telhado. Conquista essa que se deve a cada dizimista que fielmente colaborou para a concretização dessa obra. A comunidade agradece de forma muito especial cada um que contribuiu para que isso se tornasse real.

Setembro foi o Mês da Bíblia e em toda a Paróquia São João Batista - Fátima acontecia a Palavra Santa. Para que pudessem pregar o evangelho nas comunidades, os pregadores tiveram que passar por uma formação. Então, estavam ainda mais preparados para o que Deus os havia reservado. Suzana Fernandes é membro da paróquia e relata o quanto foi bom e esclarecedor poder partilhar do amor de Deus e sanar muitas dúvidas a partir das questões levantadas pelo pregador Vilardi. Dinâmicas e momentos especiais de partilhas também fizeram parte das pregações de Marcos Alves. Que na alegria do servir, possamos caminhar desejosos pela luz da Sagrada Escritura e, com Jesus, numa conversão profunda, procurar sempre pela Palavra anunciada, refletida e vivida. Com a Palavra Santa, queremos, ainda mais, seguir e fazer o que o nosso mestre Jesus Cristo falou “Ide por todo o mundo e evangelizai’’. E aqui já fica o convite para que no próximo ano você também participe desse momento especial com sua comunidade.

Outubro | 2013

Foto: Carlos Eduardo Bisewski

Setembro, mês da Bíblia

Foto: Carlos Eduardo Bisewski

Festa da Padroeira

08

www.saojoaobatistadofatima.com.br


Comunidades Santa Isabel

Matriz

Por Fernanda Cristine Felício

Grupo de Oração Jovem Luz Divina

Por Andressa Baumer

Pastoral Antialcoólica

A Comunidade Santa Isabel celebrou, no mês de setembro, o aniversário de cinco anos do Grupo de Oração Jovem Luz Divina. Jovens das demais comunidades pertencentes à paróquia e amigos se reuniram numa celebração alegre e festiva no sábado, dia 7, em louvor a Deus pelo dom da vida. “A Comunidade muito se alegra em fazer parte da vida dos jovens, pois os jovens são a Igreja” disse Roberto, coordenador da comunidade, em homenagem e agradecimento. Os encontros do GOJ Luz Divina ocorrem aos domingos, às 19h, na igreja. Com alegria e entusiasmo fica o convite para você, leitor: venha conhecer esse Grupo de Oração, participar e viver tamanha graça de pertencer a Cristo na sua juventude.

Santa Edwiges

Foto: Richard Henrique Caetano

Jovens comemoraram cinco anos do grupo dia 7 de setembro

“O senhor não daria banho a um leproso nem por um milhão de dólares? Eu também não. Só por amor se pode dar banho a um leproso.” Madre Teresa de Calcutá. Fundada no dia 8 de novembro de 1994, a Pastoral Antialcoólica vem, por amor, junto a muitas famílias realizando um trabalho que procura levar a sobriedade a todos aqueles que sofrem do vício do alcoolismo. “Esta pastoral me trouxe a vida” relata Luiz Carlos Sales, que, emocionado, conta que por meio de muita oração conseguiu completar 22 anos sem ingerir nenhum tipo de bebida alcoólica. Se você precisa de ajuda ou conhece alguém que pode estar precisando, não hesite em conhecer essa pastoral. Vá até a secretaria de sua comunidade e informe-se!

Nossa Senhora do Carmo

Por Inácio Schmitz

Projeto centro cultural e social

Por Edilceu

Encontro de casais com Cristo

“Queremos saciar-nos com os bens de tua casa, com a santidade do teu templo” Sl 64,6. A comunidade se organizou em pastorais e a estrutura atual é modesta e insuficiente. Atualmente, o projeto Centro Cultural e Social Santa Edwiges está em edificação, e suas instalações físicas são viabilizadas por doações, dízimo e arrecadações com campanhas diversas. O auditório será inaugurado em 20 de outubro, com a celebração da missa, nas festividades de comemoração do dia da santa padroeira. A atividade catequética já acontece nas salas anteriormente construídas. Como está planejado, além de servir as pastorais da Igreja, o projeto, sem fins lucrativos, prevê a realização de uma forte ação nas áreas da assistência social e promoção cultural da população local e estará focando a todos, indistintamente, oportunizando crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos para seu desenvolvimento social, cultural e humano.

Outubro | 2013

Ocorreu nos dias 6, 7 e 8 de setembro o retiro do Encontro de casais em Cristo (ECC) da nossa paróquia. No total 25 casais participaram, sendo que quatro casais de nossa comunidade tiveram uma grande experiência colocando Cristo em seu matrimônio e em sua família. Esperamos que esse Cristo, além de transformar as famílias presentes no retiro, possa também despertá-las para vida pastoral na comunidade. Que todos os casais sintam o chamado na comunidade que estão inseridos, assim como Cristo chamou a Pedro: “De hoje em diante serás pescador de homens”. Que o encontro de casais continue sendo instrumento de graça, transformando e despertando as famílias para uma vivência no Cristo Ressuscitado.

09

www.saojoaobatistadofatima.com.br


A Paróquia Geral

Cobertura

Por Carlos Alberto da Silva

Retiro Paroquial Jovem de Espiritualidade

Novos projetos de comunicação na Paróquia

“Cristo bota fé nos jovens” papa Francisco

A Palavra de Deus sendo anunciada em diferentes plataformas

Nos dias 21 e 22 de setembro, na cidade de Araquari, mais de 100 jovens pertencentes às sete comunidades da paróquia e uma equipe de trabalho envolvendo 13 jovens e 22 adultos da Paróquia São João Batista, do Fátima, se reuniram para um final de semana de retiro. Uma experiência que tende a nos retirar de nós e nos devolver, na medida certa, sem os excessos da caminhada e com uma porção nova de entusiasmo para o serviço do Reino de Deus. A ministração musical ficou por conta do Ministério de Música Marcas da Promessa e as pregações com André de Oliveira, Pierre Patrick Pires, Darlan dos Santos e Marcelo Buttchevits. Pregações voltadas às áreas da vida que necessitam do olhar, do cuidado, da cura de Deus. Momentos de partilha fraterna regados por conversas, risadas, comidinhas preparadas com amor e carinho. O retiro em Araquari finalizou-se com a celebração da Santa Missa, presidida pelo padre Eduardo. Contudo, a experiência lá vivida se estende para a nossa caminhada. Esse é o tempo novo que se rasga diante de uma juventude que compreende que ser de Cristo nos basta e com Ele se tornam novas todas as coisas.

Da esquerda para direita: Carlos, Cleide, Pe. Sérgio, Andressa. Fernanda, Franciele, Filipe, Gustavo e Carlos

No mundo atual, em que a comunicação é veloz, nossa Pastoral da Comunicação (Pascom), terá uma intensificação nos trabalhos com o lançamento do tão sonhado jornal O Anunciador e, muito em breve, o site e redes sociais. Serão 3.000 exemplares levando notícias da Paróquia e de toda a Igreja. Este ano, a Pascom retomou suas atividades atuando no Facebook, postando conteúdos como fotos, publicações de eventos, evangelho, santo do dia, entre outros temas. Observando a interatividade com os paroquianos, sentimos a necessidade de ir ainda mais além. Apoiados pelo padre Sérgio, que sugeriu à Pascom a parceria da empresa Arcanjo, a pastoral sentiu ainda mais confiança para prosseguir com os trabalhos de forma a alcançar toda a Paróquia. Após aprovação unânime do projeto no CPP, sentimos estar no caminho certo. Muito em breve será lançado um novo site, que assim como a fan page, contará com atualizações diárias. Ele viabilizará ainda mais a interação da paróquia com a comunidade, por meio de recursos como: pedido de oração, intenções de Santa Missa, notícias, entre outros. A equipe Pascom está feliz pela confiança depositada, e está empenhada para fazer acontecer a comunicação, sempre pensando em anunciar a Palavra de Deus e divulgar os trabalhos pastorais.

Aconteceu aqui

Por Janete Xister Leme e Mariza Branco

Missões Querigmáticas

equipe. Em nome de toda a Paróquia São João Batista, ficam aqui registrados os agradecimentos a Deus e a todos os missionários pela dedicação e apoio prestados nas missões em nossas comunidades. Pelas missões realizadas, Deus seja louvado!

“O Espírito Santo descerá sobre vocês e dele receberão força para serem minhas testemunhas.” Atos 1,8. O Espírito Santo nos dá à graça de falar de Deus para pessoas que ainda não se alimentam da Palavra. Para muitos, é fácil falar de Deus para quem já é cristão. Entretanto, o grande desafio é sair nas ruas para evangelizar, com um sentimento de incapacidade, e perceber logo no início da missão, que somos chamados a viver o amor de Deus, e que Ele próprio nos convocou e capacitou a missão. De fato, torna-se muito gratificante levar esse amor a outras pessoas. Sair em missão não é apenas evangelizar o próximo, mas também evangelizar o nosso próprio coração. Quando carregamos conosco a mesma missão de Jesus Cristo, Deus nos capacita a viver em comunidade, a trabalhar em

Outubro | 2013

Por Fernanda Cristine Felício

10

www.saojoaobatistadofatima.com.br


Interatividade Testemunho

Crianças

Por Osvaldo Maia

Assim como todos os Cristãos, o meu chamado teve início com o batismo, mas o que me fortaleceu foi a educação na fé que recebi dos meus pais. Mesmo com todas as dificuldades, eles participavam assiduamente com toda a família na missa aos domingos, trabalhavam ativamente na comunidade e davam testemunho de doação e fé. Após fazer a primeira Comunhão e Crisma, aos quinze anos, entrei para o grupo de jovens, onde permaneci até próximo ao meu casamento. Ali participei de retiros, formações, fui coordenador, apreendi a valorizar ainda mais a Palavra de Deus e a vida em comunidade. Foi lá que conheci a minha esposa. Após o casamento continuei como catequista do Crisma, depois como ministro da eucaristia, ministro da Palavra e coordenador paroquial, até receber o convite para o diaconato. Com o apoio de toda a minha família disse com muito amor o sim a Deus, para servir como instrumento de Cristo a Igreja e aos irmãos. Agradeço a minha esposa e todos que sempre rezaram por mim, me incentivaram, me apoiaram, me corrigiram e fizeram parte da minha caminhada para a Vocação Diaconal.

Olá, criançada! Neste mês especial, preparamos um espaço para você colorir e interagir com O Anunciador. Solte a imaginação e pinte Nossa Senhora Aparecida, nossa mãezinha. Capriche!

Envie seu testemunho para: comunicacao@saojoaobatistadofatima.com.br

Jogos Esta foi uma edição em que pudemos nos aprofundar ainda mais no amor da mãe Maria. Para descontrair um pouco, preparamos um caça-palavras com algumas das principais palavras extraídas do jornal desta edição!

DEVOÇÃO MÃE AGRACIADA SENHORA NAZARÉ APARECIDA FIAT JESUS SILÊNCIO ESCOLHIDA

Outubro | 2013

A D A A A D A A A É A S A D A A A F A

A E R K A E É A A E A I A E É S A I É

D V D I O D S S M D G L É B E L G A D

11

à E C à à E I à à E Ã Ê Ã E à à R T Ã

A D A A A D L A S D A N A D A A A S A

D E D D D E Ê D E E D C D E D D C A D

E M E E E D N E N S E I E D E E I D E

V E D D D E K D H I D O D E D N A E D

O D E E E D P E O L E E E D E M D D E

Ç E D S D S O D R Ê D D D E M D A E D

à D E C E D R E A C E E E D A E E D E

O E D O D E O D D N D D D E G D D E M

E D E L E D E E E J E E E D R E E D Ê

A E A H A E A A A E A A V E A A A E N

A Ê A I A É A A A A J A O A C A A A A

D A D D D A D D D A E D D J Ç D D A Z

à D à A à M S à E D S J à E Ã É I E A

A E A A A Ã E A S Ã U E A S A A A Ã R

D S M D D E N D P A S N D A D D J A É

W C Ã E E D H E O D E E E S E E E D E

V O D D D E K D S E D D D E D D S E D

H L M E E D E E É G A L I L F Ç E D E

O H G D D E D D D E D D D E D D D E D

P O R E E D E E E D E E E D E F I A T

R K A D G A L I L É I A D E D D D E D

S Ç C E E D E E E D E E E D E E E D E

E É I E E G A L I A P A R E C I D A A

www.saojoaobatistadofatima.com.br


A igreja São João Batista foi fundada em 1966 e contou, desde o início, com a ajuda da comunidade para evoluir. A primeira missa foi rezada em um rancho de pau a pique coberto com folhas de coqueiro do próprio local. “Os coqueiros serviram como bancos para o povo sentar”, conta Sr. Evandel, um dos voluntários na limpeza do terreno para fundação da Igreja. “Para chegar ao local, fomos no caminho cheio de mato e lama. A missa foi bela e o povo ficou feliz.” Nesse dia, a primeira missa, que ficou marcada na história da comunidade foi rezada pelo padre Érico. “Não desistam, tenham força e muita fé, pois foi assim que Brasília começou”, afirmou quando pregava para a comunidade. Devido ao esforço, ao trabalho e à fé da comunidade, hoje a igreja é uma bela paróquia. A primeira capela foi levantada entre 1973 e 1975. Até então, a construção era de madeira. Com o rápido crescimento do bairro, novas comunidades foram surgindo e, com isso, o fortalecimento da ação evangelizadora tornou-se cada vez mais eficiente. Aquela construção simples no início, de madeira, teve que ser ampliada: da pequena igreja de madeira ao grande templo de alvenaria. Quantas mãos calejadas nessa empreitada! Quantos voluntários unidos em um único objetivo! Localizada na região Sul de Joinville, a comunidade tornou-se paróquia somente no ano 2000, e hoje abrange os bairros Adhemar Garcia, Fátima, Ulisses Guimarães e Jarivatuba, constituindo uma população de aproximadamente 45.000 habitantes.

*Informações retiradas do trabalho de conclusão do curso de Teologia do padre Sérgio da Silva.


Jornal O Anunciador | Edição de outubro/2013