Page 1

Jornal do

SANTU SANT UÁRIO

www. santuarioscj.com.br

Joinville, 01 de Janeiro de 2013 | Ano 01 | N° 01

01


Jornal d o

SANTUÁRIO

Expediente CELEBRAÇÕES NO SANTUário

MENSAGEM DO PÁROCO • Segunda-feira - 19h30 (pelos falecidos) • Terça-feira - 16h (pelas intenções da rádio e internet) e 19h30 • Quarta-feira - 19h30 (pelas famílias) • Quinta-feira - 7h, 16h (pelos enfermos) e 19h30 • Sexta-feira - 7h, 12h30 e 19h30 • Sábado - 7h e 19h • Domingo - 6h30, 8h, 9h30, 11h30, 17h e 19h

INFORMAÇÕES importantes • 1ª sexta-feira do mês Missa às 7h, 12h30, 16h e 19h30 • Adoração ao Santíssimo Sacramento Toda quinta-feira - das 8h às 19h30 • Missa com tradução em Libras 4° domingo do mês - 19h • Missa dos Grupos Bíblicos de Reflexão 2ª terça-feira do mês - 19h30 • Atendimento de confissões, orientação espiritual e bênção de objetos Terça a sexta-feira - 8h30 às 11h | 14h30 às 17h Sábado - 8h30 às 11h

Por padre Sildo César da Costa, scj

Queridos devotos do Sagrado Coração de Jesus: que a paz de Cristo esteja em cada coração. Neste mês de fevereiro daremos início à Quaresma. Tempo forte de preparação para a grande festa dos cristãos que é a Páscoa. “Quaresma é tempo de abertura para o mistério da dor e da morte, da cruz, do Crucificado. Nele, somos conduzidos à graça da vida plena, à ressurreição. Ressurreição, transformação no mistério da dor, da morte, da cruz. Quaresma, caminho de identificação com Cristo, pede de nós jejum, oração, esmola” (cf. Manual da CF 2015). Jejum, oração e esmola fazem com que nos aproximemos de Deus e dos irmãos. É um esvaziar-se de nós mesmos para abrir-nos ao novo que se apresenta: Jesus Cristo. A Quaresma nos propõe uma conversão, uma mudança de vida. Uma libertação pessoal, comunitária e social. A Campanha da Fraternidade deste ano de 2015 nos propõe refletir, meditar e rezar sobre a relação da Igreja e sociedade. O tema é “Fraternidade: Igreja e Sociedade”, e o lema “Eu vim para servir” (cf. Mc 10,45). A Igreja quer fazer memória do caminho percorrido com a sociedade e identificar, compreender os principais desafios da situação atual. A presença da Igreja na sociedade é uma presença transformadora. A Igreja é um sinal profético em uma sociedade em permanente transformação. A Campanha vai fazer recordar na sociedade o quanto a Igreja se pôs a servir a sociedade brasileira e o quanto ainda precisa fazer em virtude dos desafios que a sociedade brasileira se encontra. Em nosso campo mais restrito, que é o nosso Santuário, precisamos mostrar ao nosso povo, o trabalho que a Igreja realiza e faz acontecer. O Santuário Sagrado Coração de Jesus sempre se pôs na dimensão servidora. Queremos aprimorar com a Campanha da Fraternidade a nossa relação com a sociedade, desde o campo da formação da doutrina social da Igreja até ampliação da nossa ação social junto aos mais necessitados. A Igreja tem a responsabilidade de ajudar a sociedade a descobrir os seus valores e a importância que tem, sendo construtores do desenvolvimento humano integral. Quero convidar a você, leitor e devoto do Sagrado Coração de Jesus, a realizar uma bela preparação para a Páscoa neste período quaresmal. Sejamos todos nós, Igreja: sempre dispostos a servir! Seja amado por toda a parte: o Sagrado Coração de Jesus!

hORÁRIOS DAS RÁDIOS Rádio Clube (AM 1590) Segunda a sexta 7h55 - Nos Caminhos da Palavra 11h55 - O Pão da Palavra Domingo 20h30 - A Voz do Santuário 21h - Direção Espiritual

CRONOGRAMA MENSAL Missa - Quarta-feira de cinzas Local: Galpão Data: 18 de fevereiro Horários: 8h e 19h30 Seminário sobre fé e doutrina social da Igreja

Local: Centro Diocesano de Pastoral Data: 28 de fevereiro Horário: 8h

Formação sobre a Campanha da Fraternidade

Local: Auditório Data: 4 de março Horário: 19h30 Catequese de adultos Se você não tem algum dos sacramentos da Iniciação à Vida Cristã (Batismo, 1ª Eucaristia e/ou Crisma) procure nossa Secretaria para mais informações.

Rádio Difusora Arca da Aliança (AM 1480) Domingo 8h - Transmissão da missa Rádio Cultura (AM 1250) 1ª semana do mês (segunda a sexta-feira) 11h - Refletindo a Palavra

2

www.santuarioscj.com.br


Jornal d o

SANTUÁRIO

Geral ORAÇÃO

Por professor Felipe Aquino

O que é o Credo? Em seus doze artigos, o ‘Creio’ sintetiza tudo aquilo que o católico crê Desde o início de sua vida apostólica, a Igreja elaborou o que passou a ser chamado de “Símbolo dos Apóstolos”, cujo nome é o resumo fiel da fé dos apóstolos de Jesus. Foi uma maneira simples e eficaz da Igreja exprimir e transmitir sua fé em fórmulas breves e normativas para todos. Em doze artigos, o “Creio” sintetiza tudo aquilo que o católico crê. O símbolo da fé, o ‘Credo’, é a “identificação” do católico. Assim, ele é professado solenemente no dia do Senhor, no batismo e em outras oportunidades. Todo católico precisa conhecê-lo com profundidade. Por causa das heresias trinitárias e cristológicas que agitaram a Igreja nos primeiros séculos, ela foi obrigada a realizar concílios ecumênicos (universais) para dissipar os erros dos hereges. Os mais importantes para definir os dogmas básicos da fé cristã foram os Concílios de Niceia (325) e Constantinopla (381). Desses dois importantes Concílios originou-se o ‘Credo’ chamado Niceno-constantinopolitano, o qual traz os mesmos artigos da fé do ‘Símbolo dos Apóstolos’, porém de maneira mais explícita e detalhada, especialmente no que se refere às Pessoas divinas de Jesus e do Espírito Santo. O Catecismo da Igreja nos diz que: “Nenhum dos símbolos das diferentes etapas da vida da Igreja pode ser considerado como ultrapassado e inútil. Eles nos ajudam a tocar e a aprofundar, hoje, a fé de sempre por meio dos diversos resumos que dela têm sido feitos” (CIC 193). E você? Já professou sua fé hoje?

Credo Niceno-constantinopolitano Creio em um só Deus, Pai Todo-Poderoso, criador do céu e da terra, de todas as coisas visíveis e invisíveis. Creio em um só Senhor, Jesus Cristo, Filho Unigênito de Deus, nascido do Pai antes de todos os séculos. Deus de Deus, luz da luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro, gerado, não criado, consubstancial ao Pai. Por Ele todas as coisas foram feitas. E por nós, homens, e para nossa salvação, desceu dos céus, e se encarnou pelo Espírito Santo, no seio da Virgem Maria, e se fez homem. Também por nós foi crucificado sob Pôncio Pilatos, padeceu e foi sepultado. Ressuscitou ao terceiro dia, conforme as escrituras, e subiu aos céus, onde está sentado à direita do Pai. E de novo há de vir, em Sua glória, para julgar os vivos e os mortos; e o Seu reino não terá fim. Creio no Espírito Santo, Senhor que dá a vida, e procede do Pai e do Filho; e com o Pai e o Filho é adorado e glorificado; Ele que falou pelos profetas. Creio na Igreja, una, santa, católica e apostólica. Professo um só batismo para a remissão dos pecados, e espero a ressurreição dos mortos e a vida do mundo que há de vir. Amém.

*Adaptado do portal Canção Nova (http://goo.gl/SqwRmx)

CAMPANHA SANTO DO MÊS

Nossa Senhora de Navegantes Nossa Senhora dos Navegantes passou a receber muitos pedidos de intercessão na Idade Média, na época das Cruzadas, quando os portugueses e espanhóis cruzavam o mar Mediterrâneo rumo à Palestina para protegerem os lugares sagrados dos infiéis. Nesta devoção Maria foi chamada também de Estrela do Mar, aquela que protege os navegantes. Antes das travessias, os navegantes participavam de uma santa missa pedindo proteção a Nossa Senhora dos Navegantes, rogando a ela coragem de enfrentar o mar e suas tempestades com aqueles pequenos barcos. É a padroeira

dos navegantes e dos viajantes. Em todos os lugares, a festa de Nossa Senhora dos Navegantes é celebrada no começo de fevereiro, com missas e grandes procissões de barcos, no mar ou nos rios. A imagem de Nossa Senhora dos Navegantes é representada por Maria, em pé, dentro de um barco segurando o Menino Jesus no colo.

www.santuarioscj.com.br

Fraternidade: Igreja e sociedade Campanha da Fraternidade 2015 busca recordar vocações Com o tema “Fraternidade: Igreja e sociedade” e lema “Eu vim para servir” (cf. Mc 10,45), a Campanha da Fraternidade deste ano buscará recordar a vocação e missão de todo o cristão e das comunidades de fé, a partir do diálogo e colaboração entre Igreja e Sociedade, propostos pelo Concílio Ecumênico Vaticano 2º. O texto base que auxilia nas atividades da Campanha da Fraternidade reflete a dimensão da vida em sociedade que se baseia na convivência coletiva, com leis e normas de condutas, organizada por critérios e, principalmente, com entidades que “cuidam do bem-estar daqueles que convivem”. Na apresentação do texto, o bispo auxiliar de Brasília e secretário geral da CNBB, dom Leonardo Ulrich Steiner, explica que a Campanha da Fraternidade 2015 convida a refletir, meditar e rezar a relação entre Igreja e sociedade. “Será uma oportunidade de retomarmos os ensinamentos do Concílio Vaticano 2º. Ensinamentos que nos levam a ser uma Igreja atuante, participativa, consoladora, misericordiosa, samaritana. Sabemos que todas as pessoas que formam a sociedade são filhos e filhas de Deus. Por isso, os cristãos trabalham para que as estruturas, as normas, a organização da sociedade estejam a serviço de todos”, comenta dom Leonardo. Quer saber mais? A Livraria do Santuário tem o texto base que auxilia nas atividades da Campanha da Fraternidade e o livro custa apenas R$ 10,30.

3


Jornal d o

SANTUÁRIO

Em fevereiro, a Igreja se prepara para viver o tempo litúrgico da Quaresma, um período forte de meditação, doação e caridade. Em 2015, o tempo quaresmal inicia em 18 de fevereiro, e acontece durante 40 dias que precedem a Ressurreição de Cristo, a grande celebração da Páscoa. A Quaresma, principalmente para a Igreja Católica, vem como forma de relembrar o tempo que Jesus viveu também por 40 dias no deserto, enfrentado tentações, mortificações e desejos carnais. Cristo no deserto deixou o ensinamento de que pelo jejum, oração e esmola toda e qualquer tentação da carne pode ser vencida. E esse é o objetivo durante a Quaresma: se preparar e se despojar do pecado para a celebração da Ressurreição de Cristo, a reencarnação da vida. Para bem se preparar, é recomendada a prática da penitência a ser exercitada e estimulada com afinco pelos fiéis durante os 40 dias de despojamento, como assim afirma a Sagrada Escritura: “Fazei penitência, porque está próximo o Reino dos céus” (Mt 4,17). Se para alcançar o céu é preciso estar preparado, da mesma forma, para receber o Cristo ressuscitado também é preciso se preparar. O coração se torna o local em que Jesus renasce na vida do homem, por isso é preciso que o coração seja um santuário completamente purificado e imerso do amor de Deus. Papa Francisco, em sua mensagem para a Quaresma de 2014, afirmou: “A Quaresma é um tempo propício para o despojamento; e nos fará bem questionar-nos acerca do que nos podemos privar, a fim de ajudar os outros e enriquecê-los com a nossa pobreza. Não nos esqueçamos de que a verdadeira pobreza dói: não seria válido um despo-

Preparados para viver um tempo de silêncio e despojamento, os fiéis são introduzidos na Quaresma pela celebração de Cinzas quando os cristãos são convidados a receber a bênção do sacerdote. A celebração faz parte do tempo litúrgico quaresmal, em que apresenta a oração, jejum e esmola como práticas espirituais. As cinzas provêm da queima das folhas de palmeiras utilizadas no Domingo de Ramos do ano anterior. Ao receber a imposição de cinzas sob a testa, os fiéis confirmam que: ‘se do pó viemos, ao pó retornaremos’. Papa Francisco, em sua homília na missa de Quarta-feira de Cinzas de 2014, disse: “Somos convidados a iniciar esse caminho, no qual, desafiando a rotina, nos esforçamos para abrir nossos olhos e ouvidos,

4

mas especialmente o coração, para ir al a Quaresma vem atualizar as palavras cada um a entregar sua vida e seu cora ma. Aproveite a celebração das cinzas reconciliação com o Senhor: “Afeiçoai às da terra” (Cl 3,1-2). Eis o chamado p transformação e afeição às coisas do alt Se, portanto, as cinzas iniciam o tra morte e Ressurreição de Cristo, é nece versão. O coração fechado não tem esp preciso dar livre acesso para a ação de

www.santuarioscj.com.br


Jornal d o

SANTUÁRIO

jamento sem essa dimensão penitencial”. Do mesmo modo que a penitência, outras práticas espirituais são apresentadas na Quaresma como o jejum, a confissão e a caridade. É na vivência do jejum e da caridade que todo pecado é vencido e todo vício é aniquilado. Deus se usa desse anseio de abster-se de algo tão desejoso pelo homem para curar corações feridos e alienados pelos desejos do pecado. O Catecismo da Igreja Católica vem confirmar que é preciso “uma reorientação radical de toda a vida, um retorno, uma conversão para Deus de todo nosso coração, uma ruptura com o pecado, uma aversão ao mal e repugnância às más obras que cometemos. Ao mesmo tempo, é o desejo e a resolução de mudar de vida com a esperança da misericórdia divina e a confiança na ajuda de Sua graça” (CIC 1431). A Quaresma, por muitas vezes, tem sua essência equivocada, por alguns julgarem como um período de proibições e suspensões de atitudes e hábitos. De fato, essa é virtude do período quaresmal, se despojar e deixar de lado muitas atitudes que não agradam a Deus. Mas para vivê-la com tenacidade é necessário que seja feita com o coração, um desejo de mudança de vida, um anseio profundo da alma do ser humano, uma ambição que culmine no que afirma a Sagrada Escritura: “Assim, se alguém está em Cristo, ele é uma nova criatura; passou o que era antigo e apareceu o que é novo” (2 Cor 5,17). Que todos possam presenciar e vivenciar em sua vida o período quaresmal, para que depois dos 40 dias, muitas graças possam ser testemunhadas na vida de cada devoto do Sagrado Coração de Jesus.

ra ir além do nosso ‘quintal’”. Em 2015, alavras do sumo pontífice convidando eu coração no primeiro dia da Quarescinzas para fazer propósitos e buscar a feiçoai-vos às coisas lá de cima, e não mado para os cristãos: viver 40 dias de s do alto. m o trajeto de preparação para a vida, é necessário um coração aberto à contem espaço para o que vem de Deus, é ção de Cristo Ressuscitado. O Evange-

www.santuarioscj.com.br

lho da Quarta-feira de Cinzas diz: “Ficai atentos para não praticar a vossa justiça na frente dos homens, só para serdes vistos por eles. Caso contrário, não recebereis a recompensa do vosso Pai que está nos céus” (Mt 6,1). O evangelista vem explanar que muito mais do que praticar a esmola, oração e o jejum (ter um coração aberto), é preciso que esses atos não sejam forma de vanglória, e sim um ato verdadeiro e sincero para com Deus. Que os fiéis e devotos do Coração de Jesus possam traçar uma meta e novos propósitos para viver esse tempo de Quaresma, abrindo o coração à graça de Deus e vivenciar o melhor tempo de despojamento que o Senhor pode conceder ao Seu povo.

5


Jornal d o

SANTUÁRIO

Santuário SERVIR

Por Kathia e Luiz Stolf

Venha fazer parte da vida pastoral do Santuário Nosso Santuário Sagrado Coração de Jesus está na caminhada rumo aos cem anos de trabalho missionário em Joinville. Neste contexto, muitas pessoas já passaram pela Paróquia, servindo e colocando seus dons e talentos para a evangelização. A Igreja, fundada por Cristo, é muito mais que a simples construção onde nos encontramos e celebramos a santa missa, ou os bispos, padres e diáconos que muitos pensam serem os únicos responsáveis por essa Igreja. Nós, leigos, também somos chamados a fazer parte dessa Igreja viva e atuante. Você pode estar pensando “nunca fui convidado, como posso me inserir e fazer parte dessa Igreja?” Somos uma Igreja rica em pastorais e movimentos, cada qual com sua finalidade ou carisma, e dentro dessa diversidade, com certeza, você poderá colocar seus talentos para produzir frutos. Portanto, sinta-se convidado desde já a fazer parte dessa Igreja, de uma forma muito concreta colocando seus dons a disposição de Jesus. Como já dissemos, são muitas as pastorais e movimentos, e há muito trabalho a ser realizado. Venha conhecer, deixe seu nome na Secretaria ou entre em contato diretamente com os voluntários que já estão engajados. Você que participa das missas no Santuário, já deve ter observado as equipes de liturgia, canto, ministros, coroinhas, acolhida. A cada celebração são equipes diferentes, por isso são necessários muitos voluntários. Existem, ainda, as catequeses de Batismo, Eucaristia, Crisma, Infância Missionária, e os trabalhos coordenados pela Pastoral Familiar, voltados mais para as famílias, noivos, recém-casados, encontro de casais, orientação e ajuda. Se você ainda não se identificou com nenhuma dessas pastorais, existem tantas outras: Dízimo, Social, Santuário Jovem, Emaús, Consolação e Esperança, Apostolado da Oração, Antialcoólica, Comunicação, Grupos Bíblicos de Reflexão, Renovação Carismática, Mãe Peregrina, Congregação Mariana, Leigos Dehonianos e equipe de missionários permanentes. Papa Francisco, quando esteve no Brasil, disse que a Igreja precisa ir ao encontro daqueles que estão afastados, mas para isso é necessário pessoas de boa vontade e disponíveis. Cristo está chamando você especialmente, a se inserir nesse projeto de vida e assim tornar esse mundo melhor. Lembre-se: somos as mãos, pés e voz de Jesus neste mundo. Venha trabalhar conosco e fazer parte deste projeto de Deus e ser um discípulo missionário do Sagrado Coração de Jesus.

Novo vigário O Santuário acolherá em 16 de fevereiro o novo vigário paroquial, padre Lucas Ignácio Scheid, scj, que atuava na Paróquia Nossa Senhora Aparecida, em Palmas/PR. Padre Lucas substituirá nosso atual vigário paroquial, padre Kleber Ferreira de Oliveira, scj, que, a pedido do Superior Provincial, assumirá o Santuário São Judas Tadeu, em Curitiba/PR. Padre Kleber se despede de nosso Santuário na missa das 19h de 22 de fevereiro. Mais detalhes na edição de março do Jornal do Santuário.

6

12 PROMESSAS

2ª promessa do Sagrado Coração de Jesus: “Estabelecerei e conservarei a paz em suas famílias”

A segunda promessa do Sagrado Coração de Jesus a Santa Margarida Maria (1647-1690) aparece em frases como estas: “Ele reunirá as famílias desunidas”; “Ele prometeu reunir as famílias divididas, proteger e assistir as que se encontram em alguma necessidade e lhe pedirem com confiança”. Hoje existe uma verdadeira guerra contra a família. As novelas reservam o último capítulo para um casamento. Porém, os outros duzentos capítulos são propaganda explícita do divórcio. Muitos jovens já não podem crer na frase: “Até que a morte os separe”. Além disso, há cada vez mais violência dentro de casa, cresce o número de abortos, aumentam os conflitos entre pais e filhos. Diante de tudo isso, a promessa do Coração de Jesus é como um oásis de esperança: “Farei reinar a paz em suas famílias”. Veja que Deus escolheu nascer em uma família: Jesus, Maria e José! Seu primeiro milagre foi em uma festa de casamento: as bodas de Caná. Tinha uma família muito amiga em Bethânia: Lázaro, Marta e Maria. Gostava de entrar na casa das pessoas, como no caso Zaqueu e tantos outros. Hoje precisamos convidar novamente o Rei da paz para reinar em nossos lares. Um primeiro passo é consagrar sua casa ao Coração de Jesus. Faça a entronização da imagem ou gravura do Sagrado Coração em seu lar. Reze todos os dias pedindo que sua casa seja um santuário da vida, uma Igreja doméstica, um lugar de paz. Se a Igreja deve ser uma família e cada padre, pai do povo, então as famílias devem ser Igrejas e os pais, sacerdotes do lar. E a paz reinará. É promessa do Coração de Jesus. *Adaptado de: As 12 promessas do Coração de Jesus, Pe. Joãozinho, scj

www.santuarioscj.com.br


Jornal d o

SANTUÁRIO

Espiritualidade SALVAÇÃO

Por Arthur Garcia Bartsch

O Sacramento do Batismo

Após a Ressurreição, Cristo anunciou a Seus discípulos: “Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado” (Mc 16,16), e lhes confiou essa missão “Ide, pois, e ensinai a todas as nações; batizai-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo” (Mt 28,19). Diante disso, desde o tempo dos apóstolos, a Igreja ministra efusivamente o sacramento do Batismo. O catecismo indica que o Batismo não é apenas um rito ou um símbolo, mas sim, um caminho do reino da morte para a vida verdadeira. O sacramento do Batismo torna o ser humano um filho de Deus, libertando-o do pecado original e permitindo um novo nascimento, para a vida no Espírito (CIC 1213). Desse modo, o Batismo é único meio de Salvação conhecido pela Igreja, pois só a partir dele o ser humano se liberta da escravidão do pecado. Não significa que o

ANO DA FAMÍLIA

Adaptado de Dom Irineu Roque Scherer, bispo da Diocese de Joinville

Família, berço de vocações Para 2015, a Diocese de Joinville escolheu este importante tema “Família, berço de vocações”, como prioridade. Qual foi o porquê deste tema? Primeiramente, escolhemos por causa do Sínodo sobre a Família, em Roma, por ser um tema quente e atual de interesse mundial. E a família é berço de vocações, por causa do Ano da Vida Consagrada, que já está em curso e que se estenderá até o dia 2 de fevereiro de 2016. Assim sendo, o tema da Família é caro a todos nós, que viemos de uma família humana, na qual nascemos, crescemos e nos desenvolvemos. Por isso é difícil perdermos as raízes familiares. Hoje, vivemos numa correria, as drogas e o álcool se espalharam pelas cidades e pelos campos. Quase não existe família que não seja atingida por este tremendo e verdadeiro flagelo. Os meios de comunicação modernos são eficientes e prazerosos. Mas, ao mesmo tempo a internet diminuiu a extensão geográfica do mundo. Vivemos num mundo virtual, distantes do mundo real, incapazes de olhar nos olhos dos familiares, que parecem mais estranhos que gente de convívio. Os membros da família vivem como estranhos, sem momentos de diálogo, sem momentos de oração e convívio ver-

www.santuarioscj.com.br

ser humano não vá mais pecar, contudo, como diz Santo Tomás de Aquino, pelo batismo o ser humano tem a força para não mais cair em tentação (cf. Summa Theologica, III). Como consequência disso, surge a antiquíssima tradição da Igreja de batizar as crianças. Essa prática, que remonta ao tempo das catacumbas, permite que a pessoa ao longo de praticamente toda a sua vida possa ser filha de Deus. E, além disso, possa ter maiores condições de responder adequadamente sua vocação à santidade, recebida no mesmo batismo. O batismo, de maneira geral, é válido se a pessoa ainda não batizada, ou ao menos um dos pais - no caso das crianças - consentir livremente pela realização do ato do batismo e desenvolver uma verdadeira conversão. Daquele dia em diante buscará viver sendo um pequeno Cristo no mundo (cf. CDC, cân. 864-871). No caso particular das crianças, para que possam agir como cristãos, há a necessidade da educação na fé. Essa educação, muito antes da catequese propriamente dita, é de responsabilidade dos pais e, sobretudo, dos padrinhos. O Código de Direito Canônico, dedica um capítulo a respeito dos padrinhos e sua missão. Aos pais não há exigências de condição de vida, entretanto, cabe aos padrinhos, em últimas circunstâncias, a missão de evangelizar a criança. Desse modo, para ser padrinho é necessário ter recebido os sacramentos da Confirmação (Crisma) e da Eucaristia e, além disso, “levar uma vida consentânea com a fé e o múnus que vai desempenhar” (cf. CDC, cân. 872-874). O batismo é considerado por muitos teólogos e santos o momento mais importante na vida do cristão, de tal modo que assim como se celebram aniversários de nascimento e casamento, o católico, ao menos pessoalmente, deveria celebrar a data em que Deus anunciou a si: “Tu és o meu filho amado, em ti ponho meu bem-querer”.

dadeiro. Os meios de comunicação são bons, mas podem atrapalhar quando mal utilizados. Podem, inclusive, nos levar ao inferno! Aí vem a pergunta: num ambiente desses pode surgir uma vocação verdadeira ao sacerdócio, à vida consagrada e ao matrimônio? Jamais! Só por milagre porque disso Deus sempre é capaz. As famílias vão se formando sob os desígnios de Deus. Ele provê tudo, mas é preciso que cumpramos nossa parte. Por isso, os primeiros responsáveis pela família são os pais, que devem se preparar bem para o casamento, depois para receber os filhos e educá-los na fé e no amor. Depois, os filhos vão se tornando responsáveis pela família igualmente. Todos os seus membros, portanto são construtores do bom ou mau convívio do lar. Viver num clima de paz e harmonia é muito agradável, mas construí-la não é tão fácil e depende da colaboração de todos. Que este Ano da “Família, berço de vocações”, traga muitos bons frutos para nossa Diocese. Que nossas famílias sejam tão bem constituídas, para que delas nasçam abundantes vocações ao sacerdócio, à vida consagrada e ao matrimônio. Deus, que é família trinitária, do céu nos envolva, nos abençoe e derrame abundantes graças e bênçãos para que pelas famílias bem constituídas possamos ser “sal da terra e luz do mundo”.

7


Olá, amiguinho do Coração de Jesus!

Neste mês, o Brasil inteiro comemora o Carnaval, que reúne muitas pessoas. Essas festas geralmente não agradam muito a Deus, por isso nós, como bons cristãos, queremos fazer a vontade do Pai e convidamos você a nos ajudar em uma missão de Carnaval muito especial. Geraldinho, como um bom católico está organizando um retiro de crianças durante as festividades de Carnaval, poderia auxiliá-lo? Você só precisa descobrir os itens abaixo e escrever o seus respectivos nomes.

Vamos lá?

Profile for Agência Arcanjo

Jornal do Santuário - Edição Fevereiro de 2015  

Jornal do Santuário - Edição Fevereiro de 2015  

Advertisement