__MAIN_TEXT__

Page 1

S a n t u á r i o S a g r a d o Co r a ç ã o d e J e s u s | j o i n v i l l e | J U l H O | 2 0 1 7 | d i s t r i b u i ç ã o g r at u i Ta


Como posso fazer um encontro pessoal com Jesus Cristo

EventoS do mês

EXPEDIENTE

Por Pe. Léo Heck, scj

2

Caros amigos: julho é, tradicionalmente, lembrado pelo breve período de férias escolares. Mas é também tempo propício para formação, retiros e outras atividades. No Santuário, temos agendados alguns retiros: querigmático; casais do ECC; e o feminino e masculino do Emaús. Também os padres farão seu retiro anual. Neste artigo, comento alguns aspectos do retiro querigmático e de evangelização. Como membros desta centenária Paróquia, o nosso objetivo e primeira tarefa é fazer acontecer o Reino do Coração de Jesus na sociedade, nas famílias e no coração de cada homem e mulher. Reino de Deus entendido como um encontro com Jesus Cristo, na adesão ao senhorio de Jesus e pela abertura à ação do Espírito Santo. O retiro é a porta de entrada para a vida nova. Uma Igreja “em saída”, toda missionária é prioridade na evangelização. É preciso “ir ao povo”, sair levando o anúncio da Boa Nova a todos os lares e pessoas, e lançando o convite para um retiro, que tem como base o “querigma” ou “primeiro anúncio”. A todos deve ser dada a oportunidade de um encontro pessoal com Jesus Cristo. Ao anúncio da Boa Nova segue um forte convite (aceite, tome posse, aqui e agora), e motiva-se a pessoa a dar sua resposta pessoal, por meio de uma nova adesão, fazendo de Jesus o seu único e suficiente Salvador e Senhor. Na segunda parte do retiro, fazse o anúncio da Promessa do Espírito Santo. Segue o convite (aceite... tome posse...), e espera-se a resposta, livre e corajosa, abrindo o coração para o derramamento do Espírito. Depois, é só seguir na caminhada da Igreja, com novo ardor, alegria e entusiasmo. “A Vida Cristã fundamenta-se na centralidade do querigma ou primeiro anúncio na missão da Igreja. ‘Primeiro’ significa que ‘é o principal’, que sempre se tem de voltar a anunciar e a ouvir de diversas maneiras. Esse primeiro anúncio desencadeia ‘um caminho de formação e de amadurecimento’, um tempo de acompanhamento em vista da iluminação da vida, a partir da fé cristã. ‘Para se chegar a um estado de maturidade, é preciso dar tempo ao tempo, com uma paciência imensa’” (Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil, 44). Na encíclica Redemptoris Missio lemos: “A evangelização, em sua etapa missionária, é apenas o nascimento, a semeadura das sementes, à qual deve seguir a etapa da pastoral, da edificação, crescimento e consolidação no compromisso” (n. 33). Só assim o cristão torna-se adulto e maduro na fé. E o retiro querigmático é a porta de entrada para essa renovação na Igreja. Evangelizar é preciso, mas para isso não basta apenas nascer para a vida nova; é preciso crescer. Após o retiro de evangelização, segue um período chamado de “Permanecer e perseverar”, para o crescimento como discípulos e missionários. Não basta fazer mais um retiro, é preciso continuar. Em outras palavras, não se põe apenas o fundamento. É necessário erguer o edifício espiritual, até chegar à maturidade em Cristo Jesus. Precisamos ajudar as pessoas a conhecer Jesus Cristo, o Seu Divino Coração, fascinar-se por Ele e optar por segui-Lo. “Anunciar Cristo significa mostrar que crer n’Ele e segui-Lo não é algo apenas verdadeiro e justo, mas também belo, capaz de cumular a vida dum novo esplendor e duma alegria profunda, mesmo no meio das provações” (DGAE, 42). Assim sendo, a missão é a primeira tarefa da Igreja. Ela desperta o desejo de conversão e vida nova, que leva ao retiro de evangelização fundamental. Depois, é só seguir. Eis o desafio que nos espera!

INFORMAÇÕES importantes

CELEBRAÇÕES NO SANTUário • Segunda-feira - 19h30 (pelos falecidos) • Terça-feira - 19h30 (pelas intenções da rádio e internet) • Quarta-feira - 16h (pelos enfermos) e 19h30 (pelas famílias) • Quinta-feira - 7h e 19h30 • Sexta-feira - 7h, 12h30 e 19h30 • Sábado - 7h (devocional mariana) e 19h • Domingo - 6h30, 8h, 9h30, 11h30, 17h e 19h • 1ª sexta-feira do mês: 7h, 12h30, 16h, 19h30 e 23h • Missa com tradução em Libras: 4° domingo do mês - 19h

• Adoração Eucarística Quinta-feira - 8h às 19h30 • Grupo de Oração RCC Quinta-feira - 20h30 • Santuário Jovem Sábado - 20h

O Jornal do Santuário é uma publicação do Santuário Sagrado Coração de Jesus, sob responsabilidade do padre Léo Heck, scj Rua Inácio Bastos, 308 - Bucarein - Joinville/SC 47 3455.2204 | www. santuarioscj.com.br

Produção

Missa de louvor 27 de julho, às 19h30 Encontro de Namorados 29 de julho, às 13h30 Encontro de Recém-casados 12 de agosto, às 14h

Desde abril não é mais celebrada missa, às 16h, às terças e quintasfeiras no Santuário. A missa com bênção da saúde passou a ser celebrada em novo horário: quartas-feiras, às 16h.

memórias pe. Aloísio Cada um é aquilo que reza, na manifestação do amor na oração. Se a nossa oração for cheia de amor, é expressão a Deus e ao próximo. Rezar é entrar em contato com Jesus, com o que Ele sentia e vivia. Ele condensou no Pai-nosso tudo o que vivia.

hORÁRIOS DAS RÁDIOS

• Atendimento de confissões, orientação espiritual e bênção de objetos Terça a sexta-feira - 8h30 às 11h e das 14h30 às 17h Sábado - 8h30 às 11h • Terço dos Homens Segunda-feira - 19h

Oração do Terço na Gruta 12 de julho, às 19h

• Rádio Clube (AM 1590) Segunda a sexta-feira 6h55 - Nos Caminhos da Palavra 12h55 - O Pão da Palavra Sábado 7h - A Voz do Santuário 7h30 - Direção Espiritual • Rádio Difusora Arca da Aliança (AM 1480) Domingo 8h - Transmissão da missa • Rádio Cultura (AM 1250) 1ª semana do mês (segunda a sexta-feira) 11h - A Palavra de Deus

SUGESTÃO DE CONTEÚDO: redacao@agenciaarcanjo.com.br www.agenciaarcanjo.com.br facebook/agenciaarcanjo 47 3227.6640

DIAGRAMAÇÃO Mariana Emerim

JORNALISTA RESPONSÁVEL Rayana Borba DRT/SC 3809

REDAÇÃO Filipe Natali

TIRAGEM: 2500 exemplares

REVISão Bruna Brenneisen

IMPRESSÃO: Gráfica Volpato

www.santuarioscj.com.br


livraria

geral

Livro do mês Mensalmente, a Livraria Sagrado Coração de Jesus, anexa ao Santuário, sugere a leitura de um título aos devotos do Coração. Para julho, a sugestão é “Aquela que acreditou - A vida oculta de Maria de Nazaré”, no qual a autora, Lúcia Arruda, conta, em forma de romance bíblico, e com pesquisa atualizada sobre o contexto da época, a história “daquela que acreditou” (Lc 1,45), desde seu nascimento até seus últimos dias em Jerusalém. A figura de Maria que emerge destas páginas é a de uma mulher simples, do povo, que viveu plenamente a vida humana, com suas agruras e tristezas, alegrias e realizações, colaborando com fidelidade no plano de salvação de Deus para toda a humanidade. Lançado em abril, o livro está à venda por R$ 19. Adquira o seu!

entrevista

amizade

Por Rayana Borba

Santuário Jovem: um grupo de oração jovem O Santuário Jovem tem levado os jovens cada vez mais próximos do Coração de Jesus. Os encontros semanais acontecem sempre aos sábados, às 20h, no Centro Comunitário Pe. Erico Ahler. Se você sente o desejo de intensificar sua espiritualidade e fazer novas amizades, venha fazer esta experiência.

Foto: Amanda Joenk

3

(JS) Jornal do Santuário: Como funciona a dinâmica dos encontros do Santuário Jovem? (AN) Aline Nascimento: Os encontros trazem os mais diversos temas, permitindo momentos de estudo da Palavra, reflexão, oração, espiritualidade, convivência em grupo, alegria e diversão. Os temas são sugeridos por nós mesmos e aprofundados por fiéis que dominam o assunto.

Amigos pela fé A espiritualidade que brota do Coração de Jesus também inspira o amor pelo próximo. Foi assim com Francisca Nascimento e Carlos Serafim, que se conheceram há quase um ano no Santuário Jovem e, desde então, são grandes amigos. “A nossa amizade se fortalece em Cristo nas nossas orações e intenções pelo outro”, explica Francisca, acrescentando que os encontros do Santuário Jovem ajudam a concretizar o convívio com dinâmicas. Além disso, Francisca e Carlos participaram juntos da Missão Dehoniana Juvenil (MDJ), que este ano foi em Vidal Ramos/SC, tendo experiências incríveis para evangelizar cada vez mais. Da convivência com a amiga Francisca, Carlos destaca que o mais importante é saber que tem alguém com quem pode contar. “E isso independe das circunstâncias: ela é capaz de escutar, partilhar coisas e principalmente rezar comigo. Tudo isso faz com que a nossa amizade seja muito importante”. E assim, cultivando bons amigos, os jovens entendem que também podem ser canais da graça de Deus na vida das pessoas, trazendo alegria e sorrisos em todos os momentos.

(JS): Vocês são assistidos por famílias. Qual a importância desse apoio? (AN): O Santuário Jovem está sempre pronto para acolher aqueles que querem viver o carisma do Coração de Jesus. E, para isso, é fundamental contar com o apoio das famílias. Hoje temos alguns pais de integrantes do grupo que auxiliam nas mais diversas atividades, sendo companheiros nessa caminhada espiritual dos seus filhos, da própria família e do grupo de jovens.

www.santuarioscj.com.br

Foto: Danieli Herdt

(JS): O grupo tem algum carisma específico? Como isso é trabalhado? (AN): Em 2017 assumimos a missão de viver o carisma Dehoniano. Praticamos a oblação e reparação, que é a entrega e reconciliação com Cristo, aprofundados a cada encontro. Temos uma capelinha itinerante do Sagrado Coração de Jesus que os jovens levam para casa para viver uma semana de experiência de oração. Também aprofundamos o carisma nas adorações eucarísticas que são muito presentes nos nossos encontros.


Por Jouber Castro Ao som da sineta, os joelhos se dobram. Todos, de mãos postas, ouvimos palavras de 2 mil anos atrás, cheias de significado. Ao que Jesus proclama: “eis o Meu Corpo”. Levantamos nosso olhar até a Eucaristia e a notamos emoldurada por uma engenhosa combinação de cores, formas e texturas que, de uma só vez, sintetiza algumas das mais profundas simbologias do Cristianismo. É o nosso ícone. Nossa retina não nos deixa duvidar: se o vemos, estamos no Santuário. Essa complexa e gigantesca obra de arte sacra foi montada pela artista Maria Inês Asinelli durante uma grande reforma do Santuário Sagrado Coração de Jesus e inaugurada em abril de 2005. Chamado de “presbitério”, o espaço principal das celebrações conta com o ícone ao fundo, mas reúne também o altar (mesa onde o sacerdote consagra e partilha o pão e o vinho), o ambão (espaço para proclamação da Palavra), a pia batismal (com água benta corrente) e a cruz processional (representação da crucificação na Sexta-feira Santa). O ícone é formado por 18 diferentes tipos de material, entre pastilhas, pedriscos, seixos, arentos, ágatas, pedras goianas e pedras São Tomé. Os reflexos da luz nos seus pouco mais de 10 metros de altura formam diferentes desenhos conforme a posição do fiel na igreja. De uma só vez, representa o Sagrado Coração de Jesus, a Santíssima Trindade, o Cordeiro de Deus, a Divina Misericórdia, o Sacerdócio, o Cristo Ressuscitado e a vitória de Cristo sobre o mal. Veja na página ao lado algumas das principais simbologias contidas no grande mosaico:

O Jornal do Santuário conversou com Maria Inês Asinelli, artista que desenvolveu o ícone do Santuário Sagrado Coração de Jesus, trabalho que levou, da criação à conclusão, um ano para ser executado. Especializada em vitrais e mosaicos, ela atua com arte sacra há quase 40 anos e desenvolveu aprendizado técnico, artístico e embasamento espiritual para melhor representar o cristianismo. Confira mais informações sobre o trabalho feito no Santuário. (JS) Jornal do Santuário: Como foi desenvolver o trabalho para o Santuário Sagrado Coração de Jesus? (MA) Maria Inês Asinelli: Este mosaico foi um desafio. Há algum tempo estava desenvolvendo a técnica que propicia a colocação de pedras, ágatas, pedriscos e seixos, o que trouxe um resultado expressivo de alto relevo e uso das pedras brasileiras.

www.santuarioscj.com.br


1 – A mão do Pai que envia Seu filho, Jesus Cristo, para redimir o mundo 2 – O Espírito Santo, amor que flui entre o Pai e o Filho 3 – A mandala, que está em volta do Cristo, demonstra que Ele rompeu as barreiras do inferno, abrindo o caminho entre o céu e a terra, surgindo assim vitorioso e irrompendo em nossa história 4 – O cordeiro envolvido pelo Coração misericordioso de Jesus. A realidade do Antigo e do Novo Testamento se fundem 5 – O Cristo de mãos abertas: gesto de acolhimento e entrega de si mesmo 6 – O Cristo que nos abençoa 7 - A estola por cima da casula: “...comparável sob todos os pontos ao Filho de Deus, permanece sacerdote para sempre.” (Hb 7,3b) 8 – A estola se prolonga até a cadeira, para indicar a participação do presbítero no sacerdócio de Cristo 9 – A água e o sangue que jorram do céu passam pelo Cristo e chegam até nós na pessoa do sacerdote. É a razão pela qual a cadeira está colocada aos pés de Cristo

(JS): Como foi a inspiração para criar o mosaico? (MA): Ao criar um espaço litúrgico vários fatores são analisados. O estilo arquitetônico, o equilíbrio e a harmonização de todos os elementos, além da integração do conjunto. É importante manter a arte sacra dentro das normas litúrgicas. Tornar um espaço litúrgico acolhedor, aberto e harmonioso para o recolhimento e oração é a minha meta. (JS): O que te inspira? (MA): Estar em silêncio e receber a inspiração para cada trabalho é um exercício de amor e devoção. (JS): Há alguma curiosidade desse projeto específico? (MA): Nenhum trabalho é igual ao outro. Cada um tem sua própria linguagem, forma e força espiritual. Foi um período de muitos desafios pela inovação dos materiais e equilíbrio dentro da linguagem sacra e, no final, para mim o resultado foi muito gratificante.

www.santuarioscj.com.br


pastoral familiar

6

Casamento comunitário Foto: Carol Costa Fotografia

santuário

Por Marco Farias

A Pastoral Familiar promove, em 11 de novembro, às 15h, um casamento comunitário. A celebração, de vários matrimônios, ao mesmo tempo, é para casais preparados para esse fim, participantes da comunidade ou que desejem dela participar. É um serviço e uma doação que a Igreja oferece aos casais em busca da vivência mais plena da fé. Destina-se a noivos, casais que estão em união estável, ou que estejam casados apenas no civil, com ou sem filhos, que desejam receber o sacramento do Matrimônio, e ainda não o fizeram por várias razões. Para isso, devem ter uma preparação especial em consonância com a doutrina da Igreja. Os custos são menores, pois o Santuário irá disponibilizar uma só equipe

de canto, fotografia e decoração, com valores acessíveis, sendo os mesmos divididos entre os casais participantes. As inscrições ocorrem até 31 de julho e os casais interessados podem obter mais informações com a Secretaria do Santuário.

eucaristia

sacramento

Solenidade de Corpus Christi Catequese para adultos

Foto: Jacqueline Freudenborg

Foto: Jean Patrick/Diocese de Joinville

Voltada para maiores de 18 anos, a Catequese de Adultos é destinada aos que ainda não receberam um ou mais dos sacramentos da Iniciação à Vida Cristã (Batismo, 1ª Eucaristia e Crisma), que são pré-requisitos para ser admitido como padrinho ou madrinha de Batismo e para receber o sacramento do Matrimônio. Os encontros acontecem uma vez por semana, e são realizados no método da leitura orante da Bíblia, permitindo ao catequizando concluir a Catequese e estar apto para receber o sacramento em poucos meses. As inscrições podem ser feitas na Secretaria do Santuário até 31/7.

ANIVERSÁRIO DE ORDENAÇÃO Em 6 de julho, nosso vigário, Pe. Lucas Scheid, scj, completou seu 49º ano de ordenação sacerdotal. Natural de Luzerna/SC, Pe. Lucas iniciou sua caminhada vocacional aos 15 anos, em 1954, no Seminário de Crissiumal/RS. Foi ordenado sacerdote por dom João Hoffmann, em 6 de julho de 1968, em Três Passos/RS. Que o Coração de Jesus continue a derramar abundantes bênçãos sobre a sua missão e vocação. Parabéns, Pe. Lucas!

Foto: Diocese de Joinville

Foto: Unica Foto Film

Milhares de fiéis participaram da tradicional missa de Corpus Christi da Diocese de Joinville, realizada na praça Nereu Ramos, em 15 de junho. A celebração, seguida de procissão até a Catedral, foi conduzida pelo então administrador diocesano, Pe. Adenir Ronchi.

POSSE DO BISPO Diante de uma Catedral lotada de fiéis, em 24 de junho, dom Francisco Bach tomou posse como o 5º bispo da Diocese de Joinville. A missa, presidida por dom Wilson Jönck, scj, arcebispo metropolitano de Florianópolis, contou ainda com a participação de vários outros bispos, do clero diocesano e de autoridades civis e religiosas, vindas dos 18 municípios que compõem a Diocese.

www.santuarioscj.com.br


Foto: Reprodução/Internet

Uma Igreja movida pela caridade

No mundo existe uma disparidade social e emocional muito grande, realidade que aflige desde os povos mais ricos até os mais pobres. Por isso o dia 19 de julho é destinado à memória dos “povos oprimidos”. E a Igreja Católica, em especial, recorda a data, pois é a instituição que mais fez e faz caridade no mundo, principalmente nos países mais pobres e oprimidos. Na Bíblia a caridade é a solução proposta na carta de Paulo aos conflitos ao povo do Corínto, como está escrito “a caridade é paciente, a caridade é bondosa. Não tem inveja. A caridade não é orgulhosa. Não é arrogante” (1Cor 13,4). Caridade essa que pode-se traduzir em outras versões da Sagrada Escritura na palavra amor, e como o livro de primeiro João diz “Aquele que não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor” (1Jo 4,8). Portanto, a caridade está ligada diretamente ao amor, que é Deus. A própria Igreja tem em sua Doutrina Social, elaborada pelos últimos sete papas. E essa proposta cristã é anunciar a verdade de Cristo na sociedade e a transformar visando o bem comum. Porque se o próprio Senhor precisou de caridade, quem são os fiéis que não precisam? Assim como está escrito: “porque tive fome, e deste-me de comer; tive sede e deste-me de beber” (Mt 25,35). Jesus foi caridoso, e ao mesmo tempo necessitado de caridade. A Igreja de Cristo não aceita propostas assassinas, de lutas selvagens e materialistas, como observadas em alguns lugares do mundo. Inclusive, ela propõe ainda que sejam amados os inimigos. O Catecismo da Igreja Católica ensina que: “as nações ricas têm a responsabilidade moral grave para com aquelas que não podem garantir sozinhas os próprios meios de seu desenvolvimento... É um dever de solidariedade e de caridade; é igualmente uma obrigação de justiça” (CIC 2439). Que neste mês, em especial, a Igreja possa se unir em oração por aqueles que são oprimidos e vivem na ausência da caridade. Que a luz do amor mostre o caminho e direcione os passos pelos “verdes pastos e às águas tranquilas” (Sl 23).

www.santuarioscj.com.br

espiritualidade

Por Arcanjo Comunicação Católica

liturgia Por Ivone Moreira

Uso do incenso na missa O uso do incenso na missa tem sua origem quando Deus disse a Moisés: “Construirás um altar para queimares sobre ele o incenso” (Ex 30,1), sendo que o próprio Deus indicou os ingredientes e ensinou como fazer a mistura das essências odoríferas (cf. Ex 30,34-38). No Novo Testamento, ele aparece, quando os Reis Magos foram visitar o Menino Jesus recém-nascido: “Entrando na casa, acharam o menino com Maria, Sua mãe. Prostrando-se diante d’Ele, O adoraram. Depois, ofereceram-Lhe como presentes: ouro, incenso e mirra” (Mt 2,11). O ouro representava a realeza de Jesus; o incenso, Sua divindade; e a mirra, Sua humanidade. O de maior valor simbólico, porém, era, sem dúvida, o incenso. Em Apocalipse 8,3-4, João vê um anjo perto do altar, com um turíbulo de ouro cheio de incenso, para oferecê-lo com as orações de todos os santos. “E da mão do anjo, subia até Deus a fumaça do incenso com as orações dos santos”. Incenso e oração são oferendas que têm o mesmo propósito: são sacrifícios apresentados a Deus: “Que minha oração suba até Vós como a fumaça do incenso...” (Sl 140,2). É um ato de homenagem a Deus, bem como aos homens e objetos consagrados ao culto divino. A tradição cristã começou a usar o incenso a partir do século 4º. Atualmente, o incensório é o turíbulo, onde se colocam as brasas que recebem o incenso oferecido na naveta. O incenso pode ser usado nos seguintes momentos, na celebração da missa: durante a procissão de entrada; no início da missa, quando se incensam a cruz e o altar, como glorificação ao Rei e Senhor; no Ato Penitencial, como purificação, expiação dos pecados; na procissão e proclamação do Evangelho, como respeito e veneração ao Livro Sagrado, em homenagem à palavra de Jesus; no Ofertório, quando se incensam as ofertas, a cruz, o altar, o sacerdote e o povo; na elevação da hóstia e do cálice, após a consagração. A incensação feita aos ministros e à assembleia é um gesto de reverência, pois eles formam um só corpo com Cristo. O incenso é, na verdade, símbolo de adoração a Deus. Olhemos, portanto, a fumaça do incenso com os olhos da fé, pois ela sobe aos céus como nossa oração, súplica, adoração e ação de graças.

7

Foto: Unica Foto Film

Dia dos povos oprimidos


Mais uma vez, a Novena e Festa do Sagrado Coração de Jesus, realizada entre 14 e 25 de junho, proporcionou aos devotos, fiéis e peregrinos, momentos de oração e partilha em comunidade. Para esta edição, meditamos, durante a novena, as virtudes de Maria: fé, humildade, silêncio, contemplação, fidelidade, disponibilidade, prontidão, força, coragem... Ainda na novena, contamos com a presença de párocos e paroquianos de algumas de nossas comunidades-irmãs da Comarca Sul da Diocese de Joinville. Assim, nos preparamos para celebrar a Solenidade do Sagrado Coração de Jesus com júbilo! E o que dizer de nossa festa gastronômica? Mais uma vez fomos testemunhas do empenho e dedicação de nossos voluntários, que trabalharam exaustivamente para que tudo saísse como o planejado. Nosso muito obrigado a todos que contribuíram de alguma forma para a realização da festa, seja com a doação de “prendas” e brindes para o Show de Prêmios, com os envelopes do “Amigos do Coração”, “Festeiros”, e a você, que prestigiou nossa festa, partilhando em comunidade e consumindo os quitutes preparados com tanto amor e carinho por nossos voluntários! Viva o Coração de Jesus, pelo Coração de Maria!

Fotos: Jacqueline Freudenborg

Peregrinação a Aparecida

Profile for Agência Arcanjo

Jornal do Santuário - Edição julho de 2017  

Jornal do Santuário - Edição julho de 2017  

Advertisement