Page 1

jornal das

Agrupamento de Escolas de Esgueira março de 2014— nº 2


Página 1 Equipa: Educadora Sara Carvalho, Professora Celeste Vieira, Professora Alcina Sardo, Professora Isabel Branco, Luísa Rodrigues (5ªF), Martim Tavares (5º F) e Patrícia Ferreira (10ºD).

Editorial

INDICE

Solidariedade, palavra cheia de conteúdo … mas como o vou transmitir? Eis o desafio que me foi lançado para o nº 2 do jornal das 6! Visto a pele de pessoa, de cidadã, de professora e de diretora do Agrupamento e um sem número de ideias relacionadas com solidariedade vão surgindo… E uma pergunta se lhe segue: o que digo aos meus leitores? Sim, os meus leitores de eleição são os alunos das Escolas do Agrupamento. O que lhes digo, a propósito de solidariedade? Bem, meus caros estudantes, dos mais pequenos aos mais crescidos, quero dizer-vos que solidariedade é um valor incontornável numa sociedade democrática para a qual o bem comum deve estar sempre presente, quer nas ações individuais, quer nas ações da comunidade, quer nas ações políticas. A Escola Pública é por definição democrática. Logo, a solidariedade deve sentir-se e respirar-se no dia-a-dia da escola, na sala de aula, na cantina, na biblioteca, no recreio, à entrada da escola, a caminho da escola… Senão, vejamos: Somos solidários quando respeitamos o outro – aluno, professor, funcionário, encarregado de educação – enquanto pessoa, enquanto indivíduo! Somos solidários quando ajudamos o colega, o aluno, o professor, o funcionário num momento de fragilidade!

Continua na página seguinte

Editorial

Pg 1

Atividades

Pg 3

Projetos e Parcerias

Pg 45

Nós e o Mundo

Pg 54

Fazemos História

Pg 58

A Seguir...

Pg 61


Página 2

Editorial

Continuação

Somos solidários quando, no recreio, vemos um colega a ser vítima de outro e temos a coragem de o ajudar a enfrentar o desrespeitador! Somos solidários quando um professor se encontra numa situação de fragilidade, por doença ou cansaço e nós, alunos, o compreendemos e colaboramos nos trabalhos da aula!

Neste segundo número do Jornal das 6 (6 Escolas do Agrupamento de Esgueira), a propósito da comemoração de 2014 como Ano Europeu contra o Desperdício Alimentar, fomos ver o que se passa nos Refeitórios do Agrupamento.

Somos solidários quando algum colega tem alguma dificuldade em

E como um assunto puxa o outro, também

compreender uma matéria e o ajudamos desinteressadamente!

pensámos em voluntariado e solidariedade e

Somos solidários quando escolhemos uma atividade de turma que dê a mesma oportunidade a todos de a realizar!

fomos procurar testemunhos de Alunos e Professores do Agrupamento. As atividades deste 2º período foram muitas

Somos solidários quando deixamos que os outos alunos da turma

e os Projetos e os Parceiros continuaram a

gozem do direito de aprender!

“dar que falar”.

Somos solidários quando respeitamos a diferença nos outros!

Estamos agora em velocidade de cruzeiro,

Somos solidários quando participamos em ações que promovem os direitos humanos!

em direção ao terceiro período e já a pensar no tema do próximo número do Jornal. Já que estamos perto da Primavera e da Pás-

Vamos ser solidários no agrupamento de Escolas de Esgueira!

coa, já a sentir um cheirinho de praia, mas perdidos em exames, opções de cursos, decisões para o futuro… que tal o tema

Helena Libório Diretora do Agrupamento de Escolas de Esgueira

“Renovação”?


Página 3

Esgueira nos Campeonatos Europeus Realizaram-se no fim de semana de 8 e 9 de fevereiro, nas Piscinas Municipais de Leiria os Campeonatos Nacionais de Natação Adaptada. Estiveram presentes 150 nadadores em representação de 25 Instituições/Clubes, o que constituiu um recorde absoluto de participação. Por equipas, o Sporting Clube de Aveiro revalidou o título de Campeão Nacional Masculino e Feminino. Individualmente os nadadores do clube alcançaram 28 títulos de Campeões Nacionais (Medalha de Ouro), 9 de Vice-Campeões Nacionais (Medalha de Prata) e 3 medalhas de Bronze, num total de 40 medalhas. Parabéns ao treinador José Luís Côrte-Real!!! No que respeita aos alunos do nosso Agrupamento, os resultados obtidos foram os seguintes:

Daniel Amaral

6 títulos de Campeão Nacional (Medalhas de Ouro) 1 Recorde Nacional Iniciado

Micael Sousa

6 títulos de Campeão Nacional (Medalhas de Ouro) 1 Recorde Nacional Júnior 1 Recorde Nacional Iniciado

Continua na página seguinte


Página 4

Esgueira nos Campeonatos Europeus

Sónia Resende

6 títulos de Campeã Nacional (Medalhas de Ouro) 1 Recorde Nacional Absoluto 2 Recordes Nacionais Júnior 3 Recordes Nacionais Iniciada

O BiscApp, projeto empreendedor, realizado pelos alunos Bernardo Lopes, Joana Melo, Bruno Costa, Margarida Pugovka e Cláudia Lima, da Escola Secundária Dr. Jaime Magalhães Lima, na disciplina de Filosofia, ficou em 1º Lugar no concurso de ideias empreendedoras “ Take the field”, no âmbito do projeto Aveiro empreendedor, promovido, em Portugal, pela Câmara Municipal de Aveiro em parceria com Regione Lombardia (Itália), a Roménia , a Bulgária e a Espanha, no âmbito do programa europeu “Juventude em Ação”.

Aveiro Empreendedor

O BiscApp foi apresentado pela aluna Joana Melo, no dia 12 de março de 2014, no centro de congressos de Aveiro, tendo sido elogiado pelo júri como uma excelente ideia empreendedora, aconselhando o registo de patente. Também o projeto Aguarela, das alunas Inês Fernandes e Rafaela Ferro foi premiado como ideia empreendedora no âmbito social. As alunas ganharam uma viagem de 5 dias em Milão onde irão representar Portugal, apresentando os respetivos projetos num encontro internacional. Parabéns às alunas pelo seu excelente desempenho! Professora Jacinta Cura


Página 5

Redução do Desperdício e Solidariedade O Parlamento Europeu declarou 2014 como o Ano Europeu contra o Desperdício Alimentar. A proposta foi apresentada para que sejam tomadas decisões importantes na resolução do problema do desperdício alimentar que existe na Europa. De acordo com um estudo publicado pela Comissão Europeia, antes da entrada da Croácia na EU, a produção anual de resíduos alimentares nos 27 Estados-Membros rondava os 89 milhões de toneladas, podendo mesmo chegar aos 126 milhões de toneladas em 2020, caso não tomem medidas preventivas urgentes.

Segundo dados estatísticos apresentados no ano passado, em Portugal cerca de um milhão de toneladas de alimentos por ano, ou seja 17% do que é produzido, vai para o lixo.

Trata-se de um problema de consequência grave no âmbito ético-social e não menos graves no âmbito ambiental e económico – a produção destes alimentos envolve gastos em terrenos, energia e água, recursos humanos, etc. Na Europa, o desperdício de produtos hortofrutícolas próprios para consumo ronda os 30%. http://europedirect.ccdr-alg.pt/site/index.php?name=News&file=article&sid=170#.Uyl_Y6Pivct

Redução do Desperdício nos

Solidariedade

Refeitórios do Agrupamento

A solidariedade é quando somos amigos, e também quando somos honestos com os outros. A solidariedade é uma coisa muito importante mas, vamos explicar melhor para todos os nossos leitores perceberem melhor.

Após demoradas conversações, ficou esta semana definido que

Solidariedade: Indica a qualidade de sere solidário e um sentimento que se identifica em relação ao sofrimento dos outros.

se vai estabelecer um protocolo

A palavra solidariedade tem origem no francês solidarité que também pode

entre o Agrupamento, a Empre-

ser uma responsabilidade de duas partes.

sa que fornece as refeições e

Em muitos casos, a solidariedade não significa apenas reconhecer a situação delicada de uma pessoa ou grupo social, mas também consiste no ato de ajudar essas pessoas desamparadas. Ex: Partilhar um pão a mais com um colega que não traga lanche. Não é preciso ser um ato para recordar para a história mas, um pequeno ato que possa ajudar alguém.

uma organização de solidariedade , com vista à recolha de refeições confecionadas e não consumidas.

Martim Tavares e Luísa Rodrigues, 5ºF


Página 6

Redução do Desperdício

O Sr. António e a D. Fátima

Desde que a confeção dos alimentos passou a ser um encargo de uma empresa contratual os queixumes por parte dos alunos começaram. O cozinheiro da empresa, o Sr. António e a única funcionária da cantina

Fotos de Francisco Morais, 10* D

Conhecendo o Refeitório da Secundária

que realmente trabalha para a JMLima, com cerca de 17 anos de casa, a D. Fátima, falaram-me acerca do funcionamento do refeitório.

O refeitório da escola recebe cerca de 320 alunos quando o menu é carne e 280 quando o que dispõem aos alunos é peixe. ‘Apenas 65% dos alunos consome a refeição que marcou quando a ementa é peixe, o que remete o restante para a reciclagem, segundo o que o Caderno De Encargos dita’, disse-me o Sr. António. O Caderno De Encargos, redigido pela Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares ordena a capitação e a maneira como os alimentos devem ser confecionados. ‘Quando a ementa é carne, cerca de 90% dos alunos realmente consomem a refeição que marcaram’, acrescentou ainda. Ainda assim, é frequente os alunos passarem o cartão e não consumirem a refeição. ‘Costumo estar à entrada do refeitório a fazer esse controlo. Já apanhei muitos alunos em flagrante, quando tentam passar o cartão para depois se poderem ir embora. Fazem-no só para os pais pensarem que almoçaram na cantina’, contou-me D. Fátima. A verdade é que este episódio verifica-se até entre os alunos subsidiados, que são obrigados a almoçar na cantina para não perderem o seu escalão de subsídio. Muitos dos alunos queixam-se acerca dos temperos. ‘A comida está insonsa; Isto não se pode comer, está horrível, sem gosto nenhum’. A verdade é que, segundo ordens superiores, os temperos têm de ser à base de condimentação por ervas aromatizadas. Nada se pode fazer neste sentido, mas sem dúvida que noutros sentidos sim, e é realmente feito. ‘Por vezes, quando achamos que a ementa deve ser melhorada, mudamo-la, para assim agradar aos alunos’, contou-me D. Fátima. ‘Fazemos tudo o que está ao nosso alcance, por exemplo hoje (no dia em que a entrevista foi realizada), o almoço era filetes de solha panados. O único problema é que, com farinha de trigo, o filete ficava com muito mau aspeto e, como os olhos também comem, arranjámos pão ralado, panámos os filetes e os alunos disseram-me que o almoço estava muito bom’, disse-me, com um sorriso na cara.

Patrícia Ferreira, 10ºD


Página 7

Redução do Desperdício Para saberem mais sobre o desperdício alimentar que ocorre na escola Aires Barbosa, dois alunos do clube de jornalismo (Martim Tavares e Luísa Rodrigues do 5ºF) foram entrevistar a Dª. Céu, do refeitório.

Clube de jornalismo: A comida é feita na escola ou vem de fora? Dª. Céu: A comida é confecionada na escola. Clube de jornalismo: Quais são os cuidados a ter? Dª. Céu: O uso de roupa própria, calçado, touca, luvas e a desinfeção dos alimentos crus.

Clube de jornalismo: Quem é que faz a salada? Dª. Céu: São as cozinheiras que fazem a salada, é desinfetada. Clube de jornalismo: Quem é que trabalha na cozinha? Dª. Céu: A Dª. Augusta, a Dª. Paula, a Dª. Ana, a Dª. Celeste e a Dª. Guilhermina. Clube de jornalismo: A que horas é que o refeitório abre? Dª. Céu: Abre às 12:00h e encera às 14:00h.

Clube de jornalismo: O desperdício alimentar é muito ou pouco?

Clube de jornalismo: Que escolas é que cá comem?

Dª. Céu: É muito.

Dª. Céu: Os alunos do 2º, 3º e 4º anos da EB1 de Esgueira e aos da Aires Barbosa. Os do 1º

Clube de jornalismo: Acha que as crianças têm noção do desperdício?

ano da EB1 de Esgueira comem na Jaime Ma-

Dª. Céu: Não, as crianças não têm noção do desperdício.

Clube de jornalismo: Os mais pequenos e os do ensino especial têm prioridade na fila?

Clube de jornalismo: O Que se desperdiça mais, a sopa ou o 2º prato? Dª. Céu: As duas coisas, mas mais o 2º prato, especialmente se for peixe. Clube de jornalismo: Que medidas tomam para evitar esse desperdício? Dª. Céu: Mandamos para trás para comerem mais um bocado.

Clube de jornalismo: As crianças costumam consumir água? E fruta? Dª. Céu: A água sim, a fruta menos.

galhães Lima.

Dª. Céu: Só os alunos do ensino especial têm prioridade.

Martim Tavares e Luísa Rodrigues, 5ºF


Página 8

Solidariedade e Voluntariado

É mais fácil do que parece. Só precisas de ter vontade e perfil para o trabalho. E se não sabes onde procurar, a Bolsa do Voluntariado faz esse trabalho por ti. É uma espécie de "Classificados" para quem quer ser voluntário. Inscreves-te e chamam-te quando precisarem de alguém com o teu perfil. Procura em http://www. bolsadovoluntariado.pt.

Podes inscrever-te no Banco do Tempo (http://www. bancodetempo.net). Aqui a moeda de troca é o tempo, mas podes oferecer-te para fazeres alguns dos serviços que têm na sua lista sem pedir nada em troca. A oferta é muito extensa: desde tomar conta de crianças, levar e buscar à escola, fazer de guia turístico, ajudar alguém a preencher documentos, fazer companhia ou dar explicações.

Procura instituições de solidariedade social perto da tua zona de residência, como a Santa Casa da Misericórdia, lares de apoio a jovens mães ou centros de dia.

O Instituto Português da Juventude (IPJ) criou o Voluntariado Jovem (http://voluntariadojovem. juventude.gov.pt) que tenta abranger várias áreas. Aqui também só tens que preencher os dados que pedem e chamam-te de acordo com as necessidades.

Em vez de teres as prateleiras cheias de livros que não usas, é sempre boa ideia colaborar com o “Movimento pela reutilização dos livros escolares”. Sabe em que locais podes fazer doações: http://reutilizar.org

ara doar alimentos pensamos imediatamente no Banco Alimentar contra a Fome (http:// www.bancoalimentar.pt), mas existem outras associações que tentam fazer o mesmo trabalho. A Zero Desperdício (http:// www.zerodesperdicio.pt) é um projeto muito dinâmico e eficaz.

Também podes fazer doações à Cáritas, que tem contentores para esse efeito espalhados por todo o País.

Fonte: revista Montepio Inovar – edição de Inverno 2013

Em Aveiro… entre outros:

A Paróquia de Nossa Senhora da Glória possui uma Rouparia Solidária. Este serviço faz a recolha de vestuário, roupas de casa, calçado e brinquedos para distribuir gratuitamente por todos os que procuram ajuda. Funciona no 1.º andar do Mercado de Santiago, de terça a sexta-feira, das 10h-12h e 15h-17h.

Exerce voluntariado nas Florinhas do Vouga Sabe mais em http:// www.florinhasdovouga.pt/ voluntario.php

Para ajudar os animais, dirige-te à PRAVI de Aveiro https://www.facebook.com/praviaveiro

Ajuda a Cáritas Diocesana de Aveiro R. do Carmo, nº 42, Vera-Cruz caritasaveiro@dreamlab.pt

Tens roupa, brinquedos ou equipamentos infantis? Oferece ao Centro de Acolhimento Emergência Infantil de Aveiro, na Rua do Viso 8, Esgueira

No final do ano letivo traz os teus livros, em bom estado, para a Escola. Ainda temos muitos no Banco dos Livros!! Dirige-te ao PBX

Podes ainda dar sangue, medula, voluntariar-te no Hospital, nos Centros de Dia para Idosos … Informa-te em http:// juventude.gov.pt/Voluntariado/Paginas/default.aspx


Página 9

DEPARTAMENTOS DO PRÉ-ESCOLAR E DO 1º CICLO Jardim de Cabo Luís Atividades Muitas das atividades desenvolvidas no jardim de infância prendem-se com a matemática, cada criança desenhou a sua casa e colou em papel cenário para saber quem morava mais perto e mais longe do jardim de infância. Assim aprenderam noções espaciais nomeadamente: perto, longe, em cima, em baixo. A seguir foi feita uma recolha e registo de

Carnaval Como o mês de fevereiro é o mês do carnaval

dados sobre como se deslocavam para o jardim de infância (de bicicleta, de carro e a pé) e fizeram a contagem das crianças para sabermos quantas vinham de bicicleta, de carro e a pé.

utilizamos a técnica do balão com tiras de jornal

Educadora Maria Paula Almeida

coladas para fazermos as nossas máscaras.

É Carnaval

Educadora Maria Paula Almeida

Máscara para colorir (em suporte papel)


Página 10

DEPARTAMENTOS DO PRÉ-ESCOLAR E DO 1º CICLO Jardim de Esgueira Atividades

A sala A do Jardim de Infância de Esgueira ao longo do segundo período explorou/realizou diversas atividades. Partimos de atividades centrais para o desenvolvimento de um conjunto de atividades e experiências que criaram oportunidades desafiantes para as crianças relacionarem e integrarem aprendizagens diversificadas. Procurámos ainda criar contextos significativos para as crianças e incentivámo-las a terem uma participação ativa nas situações/atividades, a descreverem, interpretarem e a darem significado às suas representações. materiais reutilizáveis

Das atividades /festividades desenvolvidas destacamos: Dia de Reis: Exploramos histórias, canções, jogos… Dia da não-violência escolar e educação para a paz: Para assinalar esta data realizamos a dança “Ter Amigos” e a dramatização da canção dos “Abraços”.

Dia da Amizade

digitinta

O Inverno (A água e a sua importância, realização de experiências com a água) desenvolvemos diversas atividades nas áreas das expressões e conhecimento do mundo. Decoramos os espaços com materiais reutilizáveis. Tempo para os afetos O Dia de S. Valentim também foi explorado: falamos dos amigos, o que é ser amigo, da amizade, da solidariedade, da família. Para darmos continuidade ao «tempo dos afetos» iremos festejamos o dia do Pai. Viver o Carnaval: Exploramos algumas histórias, canções e pinturas. Realizamos um desfile de carnaval e um lanche partilhado com os colegas da sala B.

Educadora Júlia

A História da minha família


Página 11

DEPARTAMENTOS DO PRÉ-ESCOLAR E DO 1º CICLO Jardim de Esgueira Pequenos cientistas Para despertar o interesse das crianças por ciência é necessário uma abordagem criativa e implicada. Os interesses vão sendo manifestados e os projetos vão surgindo. Os projetos e as experiências aqui apresentados, partiram das motivações e interesses das crianças revelados e registados no “Diário de Turma”. São exemplo, os projetos do sistema solar e o da defesa dos animais. O sistema solar surgiu por um desejo de saber mais sobre a gravidade; o projeto dos animais surgiu por uma criança ter morto uma minhoca e daí a história de “Nham, Nham!” e da interdependência entre os seres vivos. Os projetos obedeceram a uma planificação inicial sobre o que as crianças sabiam sobre a temática e sobre o que gostariam de saber, e onde iriamos recolher informação. Depois, demos início a diversas atividades relacionadas com o tema: leituras, pesquisas, produção de textos, desenhos e finalmente surgiram as nossas maquetes e o registo do que aprendemos. Mas, muito mais, do que conhecer mais sobre os astros que compõem o Sistema Solar, saber a classificação dos animais quanto ao tipo de alimentação, importa despertar nas crianças a curiosidade, a pesquisa, o trabalho de grupo, promovendo uma aprendizagem significativa e de agrado para os alunos. As experiências partiram de uma QUESTÃO/PROBLEMA, tiveram como MOTE uma história contada, um DESEJO expresso e uma NECESSIDADE. Em todas, as crianças preencheram uma ficha de registo, onde registaram o que pensavam que ia acontecer (levantamento de Hipóteses) e o que viram acontecer (verificação) e as conclusões. Eis as experiências de que falamos: A fusão do gelo MOTE : História “Um bocadinho de Inverno” EXPERIÊNCIA: O mantém mais tempo mais tempo um cubo de gelo?

Pasta de papel NECESSIDADE: Precisamos de pasta de papel para fazer as encostas do vulcão!

Qual o melhor papel para reciclar?

A Flutuação QUESTÃO/ PROBLEMA: Porque é que as folhas flutuam e as pedras não? EXPERIÊNCIA:A flutuação

Educadora Cristina Cação—Sala B Continua na página seguinte


Página 12

DEPARTAMENTOS DO PRÉ-ESCOLAR E DO 1º CICLO Jardim de Esgueira Em defesa dos animais

Planetário

Vulcão • DESEJO: Queremos Fazer: Um vulcão! •

EXPERIÊNCIA: Um vulcão com lava

Explosão de coresQUESTÃO/PROBLEMA: As cores misturamse sempre? EXPERIÊNCIA: Uma explosão de cores!


Página 13

DEPARTAMENTOS DO PRÉ-ESCOLAR E DO 1º CICLO Jardim da Quinta do Simão

“A Maior Flor do Mundo” No dia 13 de fevereiro, as crianças do Jardim de Infância da Quinta do Simão, ouviram a história "A Maior Flor do Mundo" de José Saramago. À medida que os alunos iam ouvindo a história iam observando as ilustrações. No fim do conto visualizaram o vídeo na Internet. Dialogaram sobre a história e sobre o que é ser amigo. Todos juntos construíram “A Maior Flor do Mundo”, utilizando várias técnicas de expressão plástica. Dentro de um coração desenharam os amigos e procuraram as letras da palavra AMIGO em revistas. No dia 14 fizeram um postal e deram-no a um amigo. As crianças adoraram estas atividades!...

Educadora Sara Carvalho

Brincar com o Tangram

O Tangram é um jogo antigo Oriental constituído por sete peças (também conhecidas por tans): 5 triângulos de tamanhos diferentes, 1 quadrado e 1 paralelogramo. Permite facilitar a compreensão das formas geométricas, desenvolver a

cria-

tividade e o raciocínio lógico. O objetivo deste jogo é conseguir fazer uma determinada forma, usando as sete peças, sem as sobrepor. Através da exploração da história:” A Lenda do Tangram” as crianças realizaram a construção de algumas figuras e ainda descobriam que podiam construir letras. Foi muito divertido!

Educadora: Sara Carvalho


Página 14

DEPARTAMENTOS DO PRÉ-ESCOLAR E DO 1º CICLO Jardim da Quinta do Simão Chegou o Inverno No mês de janeiro, as crianças do jardim de infância da Quinta do Simão, trabalharam o inverno, foram muitas as atividades que despertaram o interesse por este tema – histórias, canções, trabalhos de expressão plástica… A sala ficou decorada com lindos bonecos de neve elaborados com diferentes técnicas.

Educadora Sara Carvalho

Manteiga Caseira Fizemos na nossa sala manteiga caseira, foi uma manhã muito divertida e aprendemos muitas coisas. No período da tarde comemos com umas deliciosas tostas barradas com a manteiga produzida por nós.

Como fazer: Coloca no frasco cerca de 50ml de natas frescas que devem estar à temperatura ambiente, um pouco de sal fino e um berlinde. Tapa bem o frasco e agita-o durante 5 a 10 min até observares que no seu interior o seu conteúdo está praticamente sólido. Abre o frasco e separa o líquido do sólido com a ajuda de um coador. Coloca a manteiga no prato.


Página 15

DEPARTAMENTOS DO PRÉ-ESCOLAR E DO 1º CICLO Jardim e EB1 da Quinta do Simão Carnaval de Quinta do Simão O carnaval da nossa escola foi muito engraçado. Alguns meninos foram fantasiados, dançámos muito e até fizemos um pequeno desfile na sala da professora Fátima. Assistiram o projeto EntreSendas e alguns pais. As professoras Joana e Sara também se fantasiaram e desfilaram com as suas fantasias muito bonitas. Todos os meninos estavam entusiasmados e contentes, dançando e cantando músicas ciganas. Foi um dia bem passado e divertido.

Texto do 2º e do 3º F

Dia da Não Violência Escolar e Educação para a Paz Durante uma semana, comemorámos o dia da Não Violência Escolar e Educação para a Paz, em cada sala falámos e refletimos sobre os comportamentos e atitudes que não gostamos e que não devem fazer parte do nosso dia a dia e em particular na nossa escola. No jardim de infância ouvimos a história “ O Livro da Paz” e o poema “A criança merece PAZ. Todas as turmas elaboraram um cartaz em grupo para a decoração do hall de entrada.

Educadoras Sara Carvalho e professoras Fátima Santos e Joana Branco


Página 16

DEPARTAMENTOS DO PRÉ-ESCOLAR E DO 1º CICLO Jardim e EB1 da Quinta do Simão Segurança No dia 27 de fevereiro, o agente Malta veio à nossa escola fazer uma ação

interessante uma vez que puderam constatar os perigos que existem ao manusearem os brinquedos pirotécnicos.

Educadoras Sara Carvalho e Fátima Matas e professoras Fátima Santos e Joana Branco

http://www.1papacaio.com.br/modules.php?

perigosas de carnaval. Foi uma ação

op=modload&name=Imprima_pinte&file=index& do=showpic&pid=10290&orderby=titleA

de sensibilização para as brincadeiras

Projeto SOBE na Quinta do Simão O projeto SOBE "é uma iniciativa da Direção-Geral da Saúde, do Plano Nacional de Leitura e da Rede de Bibliotecas Escolares". Este projeto, de âmbito nacional, pretende fundamentalmente criar um conjunto de boas práticas que consolidem hábitos e comportamentos, no âmbito da saúde oral. Pretendemos, desta forma, contribuir para a consciencialização de alunos e famílias para a importância desta temática. É importante sensibilizar desde cedo as crianças, para os problemas que afetam a saúde oral, a fim de tentar evitá-los ou minimizá-los. A preocupação com a melhoria dos cuidados de higiene oral destes alunos levou-nos a eleger como área prioritária de intervenção. A implementação deste projeto pretende sensibilizar os alunos para a importância da lavagem diária dos dentes, pois as doenças orais, como a cárie dentária e a gengivite, são um problema de saúde pública, que afeta grande parte da população, o que influencia os níveis de saúde, de bem estar e qualidade de vida. Educadoras Sara Carvalho e Fátima Matas e Professoras Fátima Santos e Joana Branco


Página 17

DEPARTAMENTOS DO PRÉ-ESCOLAR E DO 1º CICLO Jardim de Alumieira O Pai Natal respondeu-nos...

Este ano, o Pai Natal respondeu às nossas cartas rapidamente. Gostámos muito das suas palavras e sentimo-nos especiais e felizes pela sua resposta a cada um de nós. Também

Os Reis

O Jardim de Infância mais uma vez, cumpriu a tradição de cantar “as Janeiras”, promovendo a sua vivência na /com a comunidade. Fomos cantar “As Janeiras” aos idosos, funcionários e crianças da creche do Centro Social de Santo André, onde fomos recebidos com muito entusiasmo, carinho e alegria. Cantámos as janeiras para as nossas famílias no jardim de Infância, e como de costume foi um momento sempre especial para todos nós. Foi uma semana de azáfama, na preparação da atividade para partilhar com a comunidade, mas foi muito prazenteiro...

Educadora Adelaide

Cantar para a família

achámos muito fixe o jogo que ele nos enviou... para o ano vamos escrever-lhe outra vez…

O Aniversário do Porquinho da Índia Tobias

A Andreia fez anos e ofereceu aos seus amigos a visita da Quinta Pedagógica, que nos veio contar a história do “aniversário do Tobias”, um porquinho da Índia, que descobriu que tinha muitos amigos. Foi um momento inesperado e emocionante, na interação entre nós e os animais que vieram à nossa escola... o porquinho da índia Tobias, a coelha “ Pintinhas” e a cabrinha “Doce de Morango”... gostámos muito da história e descobrimos muito sobre os animais da quinta ( dos que vieram e dos amigos deles).

Educadora Adelaide


Página 18

DEPARTAMENTOS DO PRÉ-ESCOLAR E DO 1º CICLO Jardim de Alumieira Uma experiência...

A mãe do Ivo veio falar-nos sobre os vulcões e ensinou-nos a fazer uma experiência... foi surpreendente... e ponto de partida para descobrir o que podemos fazer para descobrir mais sobre os vulcões... e outros assuntos associados...

Educadora Adelaide

Ida à Biblioteca Municipal de Aveiro

Este ano voltámos a ir à Biblioteca Municipal de Aveiro... fomos participar num entrelaçar de histórias... que apelou à imaginação e à interação, através de diferentes formas de expressão, apelando ao uso dos diferentes sentidos dos intervenientes, nomeadamente a partir dos objetivos evocativos das histórias. A envolvência da contadora de histórias e do espaço ajudou a criar uma experiência singular,

Educadora Adelaide

convidando a voltar …


Página 19

DEPARTAMENTOS DO PRÉ-ESCOLAR E DO 1º CICLO Jardim e EB1 da Alumieira

O Carnaval das crianças de Alumieira

O nosso carnaval começou com uma sessão muito séria e interessante. Foi uma sensibilização da Polícia de Segurança Pública, para os perigos decorrentes das brincadeiras de carnaval. Aprendemos a identificar vários brinquedos pirotécnicos, em particular, diferentes tipos de bombas. Abordámos o perigo dos foguetes utilizados em festas populares. Achámos muito importante aprender a preservar o nosso corpo. No dia seguinte, de manhã, desfilámos pelas ruas de Mataduços. Foi um “Corso Trapalhão”em que todos os meninos e meninas iam fantasiados das mais diversas personagens. Divertimo-nos com a música, dançando e atirando serpentinas e confetis. Alguns adultos também participaram no cortejo, enquanto outros nos observavam. Nesse mesmo dia, à tarde, fizemos um concurso de fantasias, onde desfilaram personagens carnavalescas que se sujeitaram à opinião de um júri. Finalmente, divertimo-nos no karaoke, cantando várias músicas e pondo em competição as nossas vozes.

Texto Coletivo 4º D - Alumieira


Página 20

DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS

A escola é como viajar,

A escola é um lugar de aprender

Fazemos imensos amigos

E junto com ela crescer

Vemos bonitas paisagens,

Ela faz -nos forte

Mas também temos que estudar.

Estudar não é apenas sorte Na escola nunca estamos sozinhos, É vontade de vencer. Cá temos os nossos amigos,

Poema Liberdade Escola não é escola É direito da criança Educação e esperança De um futuro promissor.

Estudar é imaginar É buscar Lutar para o sonho conquistar.

Estude…. Lute ….. Seja um vencedor .

Isa Ladeira, 6º A

Para em tudo nos apoiar, Sê livre Voa como as gaivotas, Sê uma gaivota. Entra pelo céu a dentro Como se o céu não tivesse um fim. Mergulha à procura de peixe E encontra o perfeito para ti. Sê como o mar Sempre sem parar. Trabalha, estuda e descansa. Pensa no teu futuro, constrói-o. Nunca desistas! Sempre que haja um obstáculo Contorna-o, tenta modulá-lo. Sê como o vento. Leva cada mensagem À pessoa a que se destina. Se houver uma muito importante Sê veloz como o vento E leva-a o mais rápido possível Porque se não te despachares Há quem precise de ti E está à tua espera. Essa pessoa confia em ti! Sê como a relva Sempre fresca e verde Em qualquer estação do ano. E mais verdinha com o passar do tempo. E agora sê como o sol. E ilumina a tua cabeça com este texto. Guarda-o sempre no teu coração!

Sabes quando se celebra o Dia Mundial da Poesia? _____ de março

Bárbara Alves, 6B

Também temos professores Para em tudo nos ajudar. Na escola temos que estudar Mas também temos algum tempo Para brincar.

Erica Tavares e Inês Sousa, 6ºA

Conheces estes poetas?


Página 21

DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS No âmbito do Dia do não Fumador, os alunos elaboraram trabalhos, dos quais vos apresentamos dois:

O coelho fumador Era uma vez um coelho fumador que tinha dois grandes defeitos: fumava muito e gabava-se constantemente da sua rapidez. - Ninguém corre mais rápido do que eu! – dizia ele todos os dias. - Mesmo a fumar, sou o animal mais veloz da floresta! – repetia ele, sem modéstia. - O tabaco é prejudicial à saúde. – disse a tartaruga. - Não acredito nessas coisas. – respondeu o coelho. Então, a tartaruga sugeriu que fizessem uma corrida, mas com uma condição: se a tartaruga ganhasse, o coelho deixava de fumar e de se gabar e, se fosse ele a ganhar, a tartaruga teria de admitir que era o animal mais lento da floresta. Assim foi. Antes de começar a corrida, o coelho acendeu o seu cigarro e, quando começou a corrida, correu tanto que chegou a um certo ponto...cansou-se e ficou a descansar durante muito tempo. Quando deu conta, a tartaruga já estava muito longe, ele recomeçou a corrida com toda a velocidade, mas não foi a suficiente, porque a tartaruga já tinha cortado a meta. Todos festejaram a vitória dela. - Tinhas razão. – disse o coelho. - De hoje em diante, vou deixar de fumar e de me gabar. Obrigado por me ajudares a compreender o verdadeiro significado da vida. – acrescentou o coelho. Assim foi, o coelho cumpriu as suas promessas. Moral da fábula: o coelho reganhou a saúde que tinha perdido.

Gustavo, 5ºB


Página 22

DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS No âmbito do Dia do não Fumador, os alunos elaboraram trabalhos, dos quais vos apresentamos dois:

O coelho fumador

Era uma vez um coelho fumador que tinha dois grandes defeitos: fumava muito e gabava-se constantemente da sua rapidez. - Ninguém corre mais do que eu! – dizia ele todos os dias. - Mesmo a fumar, sou o animal mais veloz da floresta. – repetia ele, sem modéstia. Um dia uma tartaruga perguntou-lhe: - Queres fazer uma corrida? - Amanhã às três horas. – respondeu o coelho. No dia seguinte, o coelho chegou a fumar e a tartaruga estava pronta para a corrida. - Prontos? Partida! Lá foi o coelho à frente. Quando chegou a meio da corrida viu que a tartaruga ainda estava longe e decidiu parar para fumar. A tartaruga passou-lhe à frente sem ele se aperceber, pois estava a fumar... Quando a tartaruga estava quase a chegar, o coelho só ouvia aplausos! Foi a correr para ver se ainda conseguia ganhar, mas não conseguiu... A tartaruga exclamou: - Mais vale não fumares e não te gabares, do que fumares e gabares-te! O coelho ficou triste por ter perdido a corrida, mas por outro lado, percebeu que ía parar de fumar. Certo dia, uma lebre chegou à cidade deles a fumar... O coelho lembrou-se daquilo que lhe tinha acontecido e contou-lhe. Ela não quis saber... A lebre disse: - Queres fazer uma corrida para veres que isso é um sonho? - Sim, fazemos amanhã. Então, os dois fizeram o acordo e, no dia seguinte...deram a partida, mas a lebre ficou a fumar . De repente, ficou com dores e morreu... Catarina Castro, 5ºD


Página 23

DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS

O AMOR anda no ar…

O AMOR anda no ar… e os nossos jovens românticos quiseram cantá-lo em verso! O amor faz maravilhas e com ele nascem verdadeiros poetas (neste caso de doze, treze anos!). Tal como Florbela Espanca, que dizia: “Falo de ti às pedras das estradas/E ao sol que é louro como o teu olhar, /Falo ao rio, que desdobra a faiscar, (…)Falo às gaivotas de asas desdobradas,”, os nossos alunos mais jovens tiveram vontade de cantar em voz alta o que lhes ia no coração! Fernando Pessoa assumia que “O AMOR, quando se revela, /Não se sabe revelar./ Sabe bem olhar p'ra ela, /Mas não lhe sabe falar”, mas os nossos jovens não se ficaram só pelo olhar! Pegaram na “pena” e nas “penas” e voaram nas asas do Cupido, apadrinhados por São Valentim! E vejam que almas de poetas em embrião existem no Agrupamento de Escolas de Esgueira!... A professora: Natália Ferreira

Eu para ti sou só mais uma. Mesmo assim, não te desejo mal. Eu sei que sou banal! Gosto de ti, desde a primeira vez em que te vi. Quando vi o teu sorriso, pensei em rosas!

És o melhor da minha vida.

Quando ouvi a tua voz, pensei em melodias suaves!

Não quero encontrar a saída.

Quando vi o teu rosto, o meu coração começou a bater! Quando vi o teu sorriso radiante, iluminou-se o coração,

Sem ti vivo no escuro,

depois de dez anos de solidão!

Mas o meu coração está quente e puro.

És a única que faz o meu coração bater,

Tu para mim és o tal!

preciso de ti para viver.

Como tu não há outro igual.

És o verso principal da minha canção! Estás em primeiro no meu coração. Somos como Romeu e Julieta, És a rosa do meu jardim,

Não fujas de mim como uma borboleta.

a flor mais bela do meu coração. Sem ti a minha vida não faz sentido. És a melodia da minha canção!

Para acabar só te digo: - Ei! Fica comigo! Patrícia Queirós, nº25 e Joana Ramos, nº 32 – 7º C

És o amor da minha vida. Preciso de ti para viver. Sem ti ao meu lado Prefiro morrer. Na primeira vez em que te vi,

________________________ O amor que sinto Vai além do universo. Por estarmos separados, O meu amor anda disperso.

Sabia o que sentia! Com este poema,

O meu amor por ti

espero que sejas minha!...

É mais abrasador

Marcos Ribeiro, nº 21 – 7º A

Do que a intensidade Da luz e do calor. Rui Miguel Tavares, nº 13 – 7º B


Página 24

DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS Ida ao Teatro

Dia da poesia

No dia 13 de Fevereiro, os alunos do 5º e 6º anos da escola Aires Barbosa

O dia 21 de março é o Dia Mundial da poe-

foram assistir à representação da peça de teatro “No Jardim do Rapaz de

sia.

uma adaptação da obra O Rapaz de Bronze, a qual faz parte da lista de obras indicadas para Educação Literária. O objetivo da sua visualização foi proporcionar aos alunos o contacto com atividades culturais, fazer com que percebam melhor a obra, alarguem os seus horizontes e desenvolvam a sua cultu-

Sophia de Mello Breyner Andresen

Bronze” no Centro Cultural de Aveiro. A peça é

A Professora Celeste Cruz levou os seus alunos ao Auditório da Aires Barbosa e lá leram alguns poemas.

ra geral . A peça foi bastante interessante e os alunos gostaram imenso da representação dos atores que, em diferentes momentos, interagiram com eles, acharam-nos divertidos, apreciaram os fatos, os cenários, o som, o perfume, a criatividade, as vozes, enfim, quase tudo. No final da peça, as turmas mostraram-se encantadas com tudo que viram e gostavam de voltar para terem oportunidades de assistirem a outras representações. A atividade cumpriu totalmente os objetivos propostos.

Professora Benilde Coutinho

No dia 11 de fevereiro, as turmas de 9ºano da nossa escola foram ver uma recriação da peça de Gil Vicente “Auto da Barca do Inferno”, encenada pelo grupo “actus”. Na minha opinião, um crítico novato e inexperiente (sejamos sinceros), foi uma excelente representação por parte de todos os atores, que entretiveram até aqueles mais difíceis de impressionar. Naquele dia, Gil Vicente, estivesse ele vivo, veria a sua peça; mais uma vez, cumpriria o seu lema “ridendo castigat mores”, ao educar os presentes, bem como proporcionando alguns momentos de comédia. A teimosia e apego aos bens materiais da maior parte das personagens foram bem personificados pelos atores, assim como as características individuais de cada um (presunção do fidalgo, ilusões de martírio da Alcoviteira). Comédia não faltou, tendo sido usado o ridículo, a linguagem e, na minha opinião, o mais adequado à plateia, o atrevimento, que provocou grandes alaridos. Um dos que melhor usou esta “arma” foi o Diabo, que, nas suas interacções atrevidas e chocantes, nos fez rir. Esta, repito, excelente peça acabou como muitas das nossas aulas, com uma advertência dos atores sobre o barulho que fizemos. Acabo isto com o seguinte aviso: não façam o mesmo! André Alves, 9ºE


Página 25

DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS

St.Valentine's Day

Os professores e os alunos de Inglês comemoraram o St.Valentine's Day realizando atividades em sala de aula, que incluíram troca de mensagens em cartões alusivos ao dia, pesquisas e escrita de pequenos textos, pintura de imagens e audição de músicas inglesas e americanas.

Foram decorados alguns espaços da escola, em colaboração com a biblioteca da escola e foi projetado o filme "Enchanted" no auditório, durante a semana.

Professora Celeste Vieira


Página 26

DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS EL ESPAÑOL EN PALABRAS NOTICIAS Alfonso Cuarón gana Oscar como Mejor Director y Editor El mexicano Alfonso Cuarón se llevó el Óscar de mejor director por

Gravedad

(Gravity),

convirtiéndose en el primer cineasta latino de la historia que se impone en esa categoría Alfonso Cuarón Orozco, es un guionista, productor y director de cine mexicano nacido en la Ciudad de México el 28 de noviembre de 1961. Cuarón comenzó dirigiendo en su país natal, pero el reconocimiento internacional le llegó con producciones norteamericanas como El prisionero de Azkaban de la Saga de Harry Potter. Ahora

con

su

más

reciente

trabajo

cinematográfi-

co, Gravity protagonizado por Sandra Bullock y George Clooney este mexicano recibe el Oscar y es considerado uno de los mejores directores de la década.

Muere una estrella luso española: Paco de Lucía Paco de Lucía, cuyo verdadero nombre es Francisco Sánchez Gomez, nació el 21 de diciembre de 1947 en Algeciras, España y murió el 25 de febrero de 2014, en México. Considerado una de las principales figuras del flamenco actual y a quien se le atribuye la responsabilidad de la reforma que llevó este arte a la escena musical internacional. Lo que muchos no saben es que su madre, Lucía Gomes era portuguesa y es a ella que se debe su nombre artístico. El sobrenombre «De Lucía» quedó ligado a él durante su niñez ya que, como él mismo contó en su momento, en su barrio había muchos «Pacos» y para identificarlos se añadía el nombre de la madre. En aquella década de 1950, ese pequeño Paco, «el de Lucía», ya empezaba su carrera como guitarrista. Con su muerte se pierde uno de los mejores guitarristas de flamenco del mundo.

EL DÍA DE LOS ENAMORADOS


Página 27

DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS EL ESPAÑOL EN PALABRAS

EL DÍA DE LOS ENAMORADOS

Para recordar este día tan especial, algunos alumnos de español fueron invitados a participar, con sus trabajos, en una actividad de escritura. A partir de una frase de una canción, “HAY TANTAS COSAS QUE ME GUSTAN HOY DE TI”, ellos tendrían que escribir un poema. Otros, tendrían que hacer una postal con una frase o poema. Presentamos algunos de sus trabajos.


Página 28

DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS HAY TANTAS COSAS QUE ME GUSTAN HOY DE TI Hace algunos meses que te conocí y En cuanto te vi puse una sonrisa de oreja a oreja. En ese momento eras tan solo uno más en el mismo grupo de amigos. Pasado algún tiempo empezamos a hablar y todo cambió. Desde entonces Veo en ti un puerto de abrigo, Siento mariposas en mi barriga siempre que estoy contigo. Necesito mucho tu compañía, te necesito como la tierra necesita el sol, como el corazón la sangre, así puedes ver que te amo. Para mí, eres la definición de perfección. Hay tantas cosas que me gustan, que me gustaron y que me gustarán de ti: Tu pelo, tu sonrisa, tus dientes, tu forma de ser, tu forma de vestir. Todo me gusta de ti y me deja enamorada. Hay tantas cosas que me gustan hoy de ti: Cuando me proteges Cuando dices que haces todo por mí Cuando me das muchos abrazos porque estoy triste Y me dices palabras cariñosas. Incluso cuando me haces cosquillas, sabiendo que me enfado. Todo eso me fascina. No tengo palabras para definir mi amor Pero tú sabes que eres todo para mí. Te amo ahora y siempre te amaré.

Rita (11ºE)

A Minha Lua O que hei de fazer? Sem a Lua Não consigo ver Só sei que flutua Lá no céu, Mas quando amua É porque o sol nasceu. O que aconteceu À Lua? Preciso do seu luar Para viver e sonhar… Agora, o sol Nasceu E agarrada ao anzol A Lua desapareceu.

A Nossa Amizade Desde o dia em que te conheci Nunca mais te perdi Nem de vista, nem da lista Da amizade. É verdade!

Os Sentimentos O amor vai e Vem.

Nunca vi alguém como tu, Tão especial Que não leva a mal Se lhe chamar Lulu. Minha amiga, quero dizer Que estou a viver Uma amizade de verdade Que vai durar uma eternidade.

A felicidade vem, Nos momentos da verdade.

Beatriz Fernandes, 8ªE

A amizade de verdade Só vem, não vai.

A tristeza é horrível, Por isso, enxotamo-la Para não nos magoar Para se tornar invisível. A paixão é linda E dolorosa Na nossa vida Amorosa.


Página 29

DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES Basquetebol de iniciados masculinos

Basquetebol 3x3 Feminino

No passado dia 10 de Janeiro a equipa de Basquetebol

No passado dia

de iniciados masculinos deslocou-se à Escola Secundá-

16 de janeiro,

ria José Estêvão para participar no 1º Encontro. O nossos alunos tiveram uma boa

deslocámo-nos à escola EB da Mealhada para participarmos no

prestação,

nosso primeiro

vencendo

Encontro de

um jogo con-

Basquetebol 3x3

tra o Colégio

deste ano letivo 2013-2014. As nossas duas equipas (A e B) estão

D. José I e perdendo contra o Agrupamento de Escolas

de parabéns! 6 jogos/ 6 vitórias e um comportamento exemplar.

da Gafanha.

Professor Pedro Costa

Já temos um total de 18 pontos.

Professor Pedro Costa Xadrez No dia 28 de fomos jogar Xadrez a Ovar. As prestações dos nossos alunos foram muito boas e o seu comportamento foi exemplar.

Professora Lisa Leandro


Página 30

DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES Mega Atleta Realizou-se no passado dia 26 de Fevereiro em Vagos a fase CLDE do Mega Atleta. O nosso agrupamento participou com os alunos apurados da Escola Aires Barbosa e Escola Jaime Magalhães Lima, num total de 42 atletas. Foi um dia inteiro de competição em que os nossos alunos deram o seu melhor no campo desportivo e tiveram um comportamento exemplar estando todos

de parabéns.

Futsal Juniores Femininas No passado dia 28 de fevereiro , a equipa de juniores femininas de futsal da escola secundária Jaime Magalhães de Lima deslocou-se à escola secundária de Anadia para mais um encontro do calendário de desporto escolar. Realizou 2 jogos, o primeiro com a Secundária de Anadia e o segundo com a Secundária Júlio Dinis de Ovar, vencendo os dois jogos. Parabéns a todos os elementos da equipa!

Encontro por Equipas de Ténis de Mesa No dia 17 de março, o Agrupamento de Escolas de Esgueira esteve representado no Encontro por Equipas de Ténis de Mesa, no âmbito do calendário do desporto escolar, o qual decorreu no Colégio D. José I, por duas equipas de Iniciados Masculino, uma da EB2.3 Aires Barbosa e outra da Escola secundária Dr. Jaime Magalhães Lima (ESJML). A competição pautou pelo excelente sentido de fair play e a participação das duas equipas foi bastante positiva, tendo-se classificado em 2º e 4º lugar as equipas da ESJML e da EB 2.3 Aires Barbosa respetivamente. Estão apurados para a fase final de ténis de mesa de Aveiro - competição individual de iniciados masculino - os alunos da ESJML Ricardo Pereira (8ºE), Duarte Valente (8ºE), Alexandre Matos (8ºG) e Rafael Marabolin (8ºF). Esta competição terá lugar na EB 2.3 Dr. João Rocha Pai, no dia 28 de Março.


Página 31

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL Projeto de Investigação Científica nas Unidades de Ensino Estruturado As Unidades de Ensino Estruturado para a Educação de Alunos com Perturbação do Espectro do Autismo, do Agrupamento de Escolas de Esgueira estão a colaborar num Programa Doutoral em Multimédia em Educação, do Departamento de Comunicação e Arte e Educação, da Universidade de Aveiro. O projeto no qual participam sete alunos com Perturbações do Espectro do Autismo, do primeiro e segundo ciclos, consiste na criação e validação de um modelo em ambiente digital, para a promoção e desenvolvimento de competências de raciocínio matemático em alunos com esta problemática. A implementação deste projeto passa pela realização de sessões periódicas, com a participação direta dos alunos, dos professores das Unidades de Ensino Estruturado que com eles trabalham. Colaboram, também, neste projeto os professores que lecionam a disciplina de matemática no segundo ciclo, professora titular de turma e encarregados de educação.

Elza Lobo / Carmen Ucha /M. de Jesus Pinheiro (docentes das Unidades de Ensino Estruturado para Alunos com Perturbação do Espectro de Autismo)

Dia de S. Valentim

Palestra- “Porque é que certas Crianças não Aprendem?”

A Unidade de Ensino Estruturado para Educação de Realizou-se, no passado dia 26 de Fevereiro um ação de formação promovido pelo Departamento de Educação Especial em coorganização com a Unidade de Desenvolvimento do Serviço de Pediatria de CHBV (Centro Hospitalar do Baixo Vouga) e a Unidade de Saúde Pública - Centro de Saúde de Aveiro – Equipa de Saúde Escolar

Alunos com Perturbações do Espetro do Autismo do 2º e 3º ciclo comemorou o Dia de S. Valentim. Os alunos fizeram trabalhos alusivos ao tema, no âmbito das oficinas de tecela-

Assuntos abordados:

gem e fizeram uma mostra na

Perturbação do Desenvolvimento Intelectual

escola Aires Barbosa, na sala dos professores e na sala dos alunos, durante os intervalos.

Perturbação com Défice de Atenção e Hiperatividade e comorbilidades Perturbações específicas da aprendizagem: Dislexia e Disgrafia Palestrantes: Carolina Duarte (Pediatra do Neurodesenvolvimento) – Unidade de Desenvolvimento do CHBV Carlos Silva (professor) – Departamento de Educação Especial do Agrupamento de Escolas de Esgueira

Professor Carlos Silva

“Eu fiz corações de amor para comemorar o dia dos namorados.”

Micael Sousa


Página 32

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL " As 3 equipas de Boccia do Agrupamento de Escolas de Esgueira deslocaram-se, no dia 10 de março, à escola Básica da Torreira para a 3ª concentração de jogos de Boccia,como o estipulado no projeto de desporto escolar. Os 17 alunos presentes brilharam na forma como se comportaram, evidenciaram bom domínio técnico- tático e capacidade de interação com colegas de outros Agrupamentos Escolares. A paz e a concentração por todos sentida nestes encontros esteve bem patente em mais este convívio. A Escola Básica da Torreira primou pela organização e a experiência foi, para todos, muito enriquecedora. Duas das nossas equipas venceram os 4 jogos a que foram submetidas. Claro está que só uma venceu. Temos, assim, uma das equipas do Agrupamento de Escolas de Esgueira na fase final de Boccia, pois foi a vencedora da série D.

Professora Graça Magalhães

Livros e Bolinhos No âmbito das comemorações da semana da leitura e em articulação com equipa da Biblioteca escolar da Escola Aires Barbosa, os alunos com Currículo Específico Individual que frequentam a área específica “Culinária” confecionaram e decoram bolinhos que posteriormente foram enriquecidos com frases de autores da literatura portuguesa. Estes doces brindaram os alunos que durante esta semana participaram nas atividades e requisitaram livros da biblioteca escolar.

A atividade teve como objetivos contribuir para promoção do gosto pela leitura e a inclusão e participação dos alunos com Necessidades Educativas Especiais nas atividades da escola. As docentes Maria José (Bibliotecária) e Guilhermina Almeida (Educação Especial)


Página 33

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS

Palestra “Viagem à Antártida” O cientista Professor Dr. José Xavier esteve no Agrupamento de Escolas de Esgueira para dinamizar uma palestra subordinada ao tema "Viagem à Antártida", no âmbito da disciplina de Geografia. José Xavier, biólogo marinho e investigador do Instituto do mar da Universidade de Coimbra, foi distinguido com o prestigiado prémio internacional Martha T. Muse 2011 para a ciência e política na Antártida.

Professora Matilde Silva

Parlamento dos Jovens Realizou-se no dia 26 de fevereiro nas instalações do IPDJ de Aveiro, uma reunião para a eleição da mesa da Sessão Distrital do Parlamento dos Jovens, ensino básico (círculo de Aveiro). Nesta eleição, como consta do Regimento do Programa Parlamento dos Jovens, o(a) Presidente, assim como os restantes membros da mesa (três no total: presidente, vice-presidente e secretário (a)), são eleitos pelos deputados selecionados para este fim, nas Sessões Escolares de cada círculo eleitoral. A candidata ao ensino básico é Marta José Marques dos Santos. À mesma hora e no mesmo local, para a eleição da mesa da Sessão Distrital do Parlamento dos Jovens, ensino secundário (círculo de Aveiro), a escola será representada pela deputada Mariana Romão Barros

Professora Zilda Oliveira


Página 34

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS Prémio Ilídio Pinho Palestra pelo Dr Carlos Fiolhais

O Agrupamento, através das Professoras Paula Gouveia e Ana Paula Moreira, concorreu ao Prémio Ilídio Pinho, tendo o projeto

No dia onze de março, com o apoio da

passado à 2ª fase do concurso.

Texto Editores, recebemos no Agrupamento, o

"Mar de oportunidades" - Projeto que visa a sensibilização para a

Professor Doutor Carlos Fiolhais, catedrático do

sustentabilidade e uso eficiente dos recursos marinhos, desenvol-

Departamento de Física da Universidade de Coimbra e co-autor de

vendo nos alunos competências de leitura, estudo e investigação, articulando saberes. Este trabalho, homenagem a Luiz Saldanha, biólogo marinho, pioneiro do ensino de Oceanografia

inúmeros manuais

Biológica e Ictiologia e grande incentivador do atual

escolares.

envolvimento português na investigação do mar profundo, ficará concretizado na decoração da sala de

No

auditório

da

Ciências Naturais da Escola Aires Barbosa.

Escola Aires Barbosa, repleto de alunos de 8º, 9º e 10º anos, o Professor Carlos

Visita à Fábrica da Ciência Viva

Fiolhais “apoiado nos ombros de gigantes como Galileu, Newton e Einstein”, explicou a teoria do

Nos dias 30 e 31 de janei-

Big Bang, momento inicial do Universo, com apro-

ro os alunos de 9º ano (3 turmas/dia) deslo-

ximadamente 15 mil milhões de anos. Durante

caram-se à Fábrica da Ciência Viva, para

cerca de uma hora fomos transportados pela Via

assistirem ao espetáculo “Química por Tabe-

Láctea, encontrando estrelas, planetas, asteróides e

la 2.0”. Este espetáculo é “um show de ciên-

até mesmos buracos

cia que procura fazer a ligação constante com a química que nos

negros (sabiam que

rodeia no quotidiano. Consiste numa sequência de transformações

existe um perto do

químicas curiosas e surpreendentes, onde são explorados conceitos

nosso Sol?). Após a

de ácido-base, oxidação-redução, precipitação, combustão, comple-

explicação, sempre

xação, quimioluminescência, entre outros. As alterações de cor e de

num modo bem humorado, característico do Pro-

estado físico proporcionam efeitos visuais apelativos estimulando a

fessor, alguns alunos colocaram bastantes questões,

participação do público. Química por Tabela 2.0 mostra que “por

demonstrando o interesse que o tema desperta na

tabela” é possível aprender química fora da sala de aula.” Aprovei-

maioria dos jovens.

tando a mudança de Física para Química, na planificação, as pro-

Professora Celeste Caetano

fessoras de Física e Química proporcionaram aos alunos alguns momentos de divertimento e motivação para o estudo de novos conteúdos. http://www.ua.pt/fabrica/ PageText.aspx?id=7316

Professora Celeste Caetano


Página 35

Educação para a Cidadania

Textos elaborados no âmbito da disciplina de Educação para a Cidadania, comentando frases distribuídas aleatoriamente.´ Professora Leonor Pereira Um voluntário é alguém que …

é solidário, pensa nos outros e não é invejoso, nem ganancioso.

Formação para Docentes Realizou-se uma Sessão de informação destinada aos professores de Educação para a Cidadania e dinami-

Um voluntário é especial pois é ele quem ajuda os pobres, doentes, idosos a atravessar a estrada, etc. Até agora, ninguém pensou nas pessoas que fazem voluntariado, trabalham sem receber e ainda existem pessoas mais solidárias, aquelas que abdicam do pouco dinheiro que têm para gastar com outras pessoas. Se é triste, é.

zada por uma fisioterapeuta, sobre Postura corporal em sala de aula e uso e transporte mochilas.

de

Concordo com esta frase é claro, porque os adjetivos que qualificam um voluntário são como os números infinitos. Acho o que fazem lindo, uma das minhas colegas teve de escrever um texto sobre a frase: “os homens não choram ”, mas com isto choravam de certeza. Há dias, vejo na televisão notícias de incêndios em que aparecem voluntários para ajudar a combater o fogo. Também tenho uma tia que partiu um pé e tem uma doença nas mãos, mas tem uma pessoa que a ajuda a alimentar-se, tomar banho, etc. Conclusão: sem um voluntário, ela não conseguiria estar recuperada, por isso, isto é para todas as pessoas que fazem voluntariado. (palmas)

Maria Margarida Ferreira Coelho, 6ºA

Existem sempre três verdades, a minha, a tua e a verdadeira verdade. A verdade depende do ponto de vista de cada um. Duas pessoas, a contar o mesmo acontecimento dão importância a coisas diferentes, logo contam versões diferentes da mesma história, que embora possam ser as duas verdades, levam a pensar coisas diferentes. Num crime, as testemunhas tentam dizer sempre o que viram, por vezes contam coisas que levam a conclusões diferentes, cabe por isso aos investigadores do caso, juntarem as peças do “puzzle “ e tentarem apurar o que realmente sucedeu. Existem momentos em que duas ou mais pessoas dizem coisas diferentes, e ainda assim, todas estão a dizer a verdade. Por exemplo, como ganhei uma corrida a um colega digo que corro mais que ele, e esse meu colega como também me ganhou uma corrida diz que corre mais do que eu, na verdade estamos empatados e continuamos sem saber quem corre mais.

Marta Raquel Silva Matos, 6º A


Página 36

Visitas de Estudo Visita de estudo do 5º E e do 5ºF

No dia 21 de Março, as turmas do 5ºE e do 5ºF realizaram uma visita de estudo ao Centro de Interpretação da Batalha de Aljubarrota -CIBA, ao Mosteiro da Batalha e ao Jardim Botânico em Coimbra Os alunos partiram da escola às oito horas e dirigiram-se ao CIBA onde foram muito bem recebidos por uma das guias do centro. Após uma breve explicação sobre o que iam ver, assistiram a um pequeno filme sobre a batalha de Aljubarrota. A seguir, puderam ouvir pormenorizadamente todos os detalhes da guerra, fizeram todas as perguntas que acharam convenientes, tocaram nas réplicas das diferentes armas usadas, viram as diferentes exposições e, por fim, andaram pelo espaço onde decorreu a batalha, sempre acompanhados pelas professoras e pela guia que foi incansável nas explicações que foi dando. A seguir ao almoço, partiram em direção ao Mosteiro da Batalha onde puderam visitar a sala dos túmulos, as capelas imperfeitas entre outros espaços do mosteiro. Por fim, a viagem continuou rumo ao Jardim Botânico, em Coimbra. Como estava a chover, para pesar dos alunos, só foi possível visitar a entrada do parque e fazer um breve lanche. A viagem de regresso a Aveiro decorreu normalmente, mas com alguma mágoa não só porque não puderam ver tudo o que estava planeado, mas também porque a aventura pelo passado tinha chegado ao fim.

Professora Benilde Coutinho


Página 37

SERVIÇOS DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO Palestra—Vocações

No dia 18 fevereiro foi dinamizada uma palestra com às turmas do 9º A e 9ºD da nossa escola, por um profissional, o Polícia Tiago Gaspar e no dia 26 de Fevereiro para as turmas do 9ºB, 9ºC e 9ºD com um Médico um Veterinário Dr. Artur Lopes. Estas palestras foram organizadas pelos Serviços de Psicologia e Orientação do agrupamento e integram-se no âmbito do programa de orientação escolar e profissional do 9º ano. Cada um dos profissionais abordou o seu percurso escolar, profissional

Tiago Gaspar

e o quotidiano da sua profissão. No final da palestra houve um período de tempo para esclarecimento de dúvidas e/ou curiosidades. Estas ações foram bem recebidas por parte dos alunos, que se demonstraram interessados e cooperantes e são mais uma forma de esclarecer e orientar os alunos no processo de tomada de decisão relativamente ao seu percurso futuro. No dia 21 de fevereiro Ana Valente que foi nossa aluna até ao 9ºano de escolaridade e Artur Lopes

que atualmente se encontra a estudar no curso superior de Teatro na Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa, deu o seu testemunho aos alunos do 9º E, onde abordou o seu percurso escolar até ao momento. Nesta sessão falou não só do curso que frequenta, mas também

da sua experiência enquanto aluna da nossa escola, bem como, do curso profissional de Interpretação-teatro que frequentou no Conservatório de Música da Jobra. Também, falou dos pré-requisitos e exames nacionais que teve de realizar para ingressar no ensino superi-

Ana Valente

or,

bem como das possíveis saídas profissionais no futuro. Esta palestra foi organizada pelos Serviços de Psicologia e Orientação do agrupamento e integrou-se no âmbito do programa de orientação escolar e profissional do 9º ano. Esta ação foi bem recebida por parte dos alunos, que se demonstraram interessados e cooperantes e constituiu mais uma forma de esclarecer e orientar os alunos no processo de tomada de decisão relativamente ao seu percurso futuro, nomeadamente informando acerca das diferenças entre um curso cientifico-humanístico e um curso profissional. Psicóloga Paula Sousa

Feira Vocacional Os Serviços de Psicologia e Orientação do agrupamento estão a organizar a Feira Vocacional que se irá realizar no dia 6 de maio Esta Feira Vocacional tem como objetivo promover a pesquisa e recolha de informação acerca das ofertas educativas, formativas e profissionais. Neste sentido pretende-se que os alunos do 9º e 12º ano de escolaridade consigam esclarecer-se perante as várias alternativas escolares relacionadas com as diversas profissões, bem como possibilitar-lhes a recolha de informações detalhadas sobre os cursos, currículos, saídas profissionais, estágios e provas de ingresso, entre outras relevantes para a sua decisão.


Página 38

Bibliotecas do Agrupamento “Newton gostava de ler!”

Inspeção Geral de Atividades Culturais “Newton No dia 21 de janeiro, pelas 14h30, foi realizada, no auditório da Aires Barbosa, uma sessão sobre propriedade intelectual e direitos de autor, a 41 alunos do 4º ano, no âmbito do projeto "IGAC vai à escola".

gostava

de

ler!” é um projeto local promovido pela Fábrica Centro de Ciência Viva de Aveiro, em parceria com a Rede de Bibliotecas Escolares, em que se promove a leitura, o conhecimento científico e a atividade experimental. Neste âmbito, a Professora Bibliotecária Brígida Varanda dinamizou 10 sessões a todos os alunos do Jardim de Infância e Escola Básica de Esgueira e uma sessão ao 3º ano da Escola

Básica

de

Alumieira. As sessões iniciaram-se com a reprodução da história “Na tacinha das natas”, a partir do CD, fazendo a professora simultaneamente a dramatização. Posteriormente os alunos realizaram o seu reconto oral. Após alguns momentos de interação, era proposto aos alunos que colaborassem na experiência da manteiga, sugerida na história. Para a realização da experiência foram necessários os seguintes materiais: natas frescas, frascos com tampa, pedras pequeninas lavadas, sal e tostas. Em cada frasco colocou-se natas até metade e uma pedrinha. Tapou-se e os alunos começaram a agitá-los vigorosamente, sem parar, tal como as rãs da história que agitaram as patas para se salvarem. Ao fim de algum tempo e de muito esforço, o ar que existia dentro do frasco misturou-se com as natas e ficou preso lá dentro. As natas aumentaram de volume e formaram chantili. Continuou-se a agitar até se romperem as membranas dos glóbulos de gordura, e se formar a manteiga. Depois retirou-se a manteiga do frasco e separou-se o soro. Temperou-se com uma pitada de sal e colocou-se a manteiga em tostas. Por fim foi só saborear! Os alunos participaram com grande interesse e mostraram-se motivados no desenvolver da atividade, tendo muitos referido que gostariam de repetir a experiência. Afinal fazer manteiga está ao alcance de todos e não é magia, é CIÊNCIA!... Professora Bibliotecária, Brígida Varanda


Página 39

Bibliotecas do Agrupamento Resultado do Concurso “Mensagens de Amor” 1º prémio

2º prémio

Sê amigo Por favor, Não inimigo, Meu amor.

Uma palavra de Amor

Esta é a minha amizade.

chega,

Amizade é amor,

para alegrar o dia de

Amizade não é maldade,

alguém.

Por favor. António 6ºC nº2 Maria Rodrigues 6º C Nº15

3º prémio O carinho e o amor são as melhores palavras do dicionário. As mais bonitas e as mais fortes, por isso tem cuidado quando as usas. O amor não é só para os namorados, mas também para os amigos. Toda a gente tem o direito de o dar e receber. Feliz dia dos namorados! Luísa Rodrigues 5ºF

Menção honrosa Como o amor é lindo! O amor é lindo de várias maneiras, De beijinhos de abraços de carinhos, O amor não é só para os namorados, Também é para os amigos, para a família… Pelos livros, pelas próprias funcionárias e professores A biblioteca traz-nos muito amor Tudo o que há na biblioteca é alegria e muita magia!! Maria Lourenço 4ºB Margarida Camolo 4ºB


Página 40

Bibliotecas do Agrupamento Resultado do Concurso “Mensagens de Amor” Para celebrar o Dia dos Namorados, a Biblioteca Jaime Lima lançou um pequeno desafio romântico e criativo a todos os alunos do Agrupamento: o concurso “Quadras de Amor”. A apresentação das quadras contou com a imaginação dos participantes. A criatividade, originalidade e inspiração foram os critérios de apreciação e seleção dos três melhores trabalhos. O 1º prémio foi atribuído à aluna Matilde Silva do 8ªE, o 2º prémio, ao aluno Rui Almeida do 9ºC e o 3º prémio, à aluna Ana Fernandes do 8ºC.

Equipa da BE Jaime Magalhães Lima

Atividade "O carteiro do Amor" Para comemorar o dia dos namorados, a equipa da Biblioteca Escolar da Aires Barbosa, em colaboração com a assistente operacional Esmeralda Freitas, desenvolveu a atividade "O carteiro do Amor". Os alunos escreveram uma carta, a alguém que consideram muito especial (colegas, professores, funcionários...), e depositaram-na numa caixa que se encontrava na Biblioteca. No dia dos namorados foram entregues cerca de 400 cartas aos destinatários, com a preciosa ajuda do Cupido da BE ( D. Esmeralda). Esta atividade, do agrado de todos, teve uma participação ativa dos alunos


Página 41

Bibliotecas do Agrupamento

Dramatização musicada do livro “O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá”

No dia 14 de fevereiro, no âmbito da Comemoração do Dia dos Namorados, as docentes Ema Viana e Margarida Bontempo dramatizaram o livro “O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá” de Jorge Amado. A atividade teve lugar no auditório da Biblioteca da Escola Aires Barbosa, entre as 11:00h e as 12:00h tendo assistido os alunos das turmas do 4.ºC, 6.ºC, 5.ºB e do Ensino Especial, acompanhados dos respetivos professores. Foram convidados os elementos da Direção da escola que acederam ao convite com a prensença da Diretora Helena Libório e a Vice Diretora Isabel Branco. A atividade incluiu uma versão da música “Os enamorados” dos Clã, com letra adaptada ao tema e uma dramatização, com máscaras, do livro “O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá”. A canção incluiu uma parte de solminização, com a participação interativa dos alunos. Numa primeira fase, os alunos tomaram consciência do que é a solminização, tendo treinado alguns exercícios. Posteriormente ensaiou-se o refrão. Este foi cantado, com texto diferente, em três momentos da dramatização, com participação ativa dos alunos. O material e a adaptação da música e do texto foram realizados pela professora Ema Viana que, com a colaboração da assistente operacional Esmeralda Freitas também procedeu à elaboração das máscaras. No seguimento da atividade, verificámos com agrado, que existiu um elevado número de requisições do livro “O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá” por parte dos alunos.

Professora Margarida Bontempo


Página 42

Bibliotecas do Agrupamento Voluntários de Leitura "Viagem pelos contos" "O projeto Voluntários de Leitura, promovido pelo CITI - Universidade Nova de Lisboa em parceria com a AVL - Associação para o Voluntariado de Leitura, destina-se a potenciar o desenvolvimento de uma rede de voluntariado na área de promoção da leitura". As investigações "têm vindo a comprovar que tanto a aprendizagem formal da leitura, como o aprofundamento das competências que a leitura envolve são largamente beneficiadas pelo apoio de voluntários", que promovam o gosto pelo livro e pela leitura. Na Escola Básica de Esgueira temos duas voluntárias de leitura, Ana Leal Salústio e Joana Mafalda Melo. Estas voluntárias disponibilizam generosamente algum do seu tempo livre para promover o prazer de ler, apoiando os docentes e a biblioteca nas atividades de promoção da leitura e constituem um apoio importante à escola. Desde o 1º período têm desenvolvido animações e dramatizações de histórias no Jardim de Infância, às três turmas do 1º ano e a uma do 2º ano. As sessões têm tido uma grande recetividade pelos alunos e os professores consideram-nas uma mais-valia para a promoção da leitura, trazendo vários benefícios aos alunos, nomeadamente no gosto pela leitura e no prazer de ler. Pelo fantástico trabalho que têm desenvolvido junto das nossas crianças, aqui fica o nosso sincero e merecido agradecimento.

Professora Bibliotecária, Brígida Varanda

Atividades para o dia dos Namorados

Visita o Blog das Bibliotecas!!


Página 43

Associação de Pais e Encarregados de Educação A Associação de Pais e Encarregados de Educação

Os Pais e o Voluntariado

da Secundária Dr Jaime de Magalhães Lima respondeu ao desafio … ler para os meninos do 1º ciclo. Eis o depoimento da voluntária Ana Salústio: Os bolsos da Ana são assim, vão ao encontro da imaginação O desafio foi … ler para a pequena-

e das sensações.

da.

Os bolsos da Ana são traquinas, tanto sur-

Grande, este desafio, porque conhe-

preendem com uma

cendo as mentes destes seres tão

história, como de re-

pequenos e exigentes no que toca a

pente

novidades sempre frescas, a pergunta

escondem

imagens, sem palavras

pôs-se: Ler o quê? Como?

a Há uma rotina que aprecio fazer,

acompanhar;

eu

ficaria mal vista se não

vasculhar as prateleiras das livrarias à procura de livros

tivesse a sorte de ter pequenos autores que logo criam carru-

infantis. Adoro as gravuras (entendo perfeitamente a

agens de palavras pontuadas com os devidos sinais, que, mal

ânsia de, após cada página lida, ver com olhos arregala-

chegam à estação completam um comboio de imaginação. E

dos todos os pormenores desenhados do que se acabou

quando das palavras se passa à ação, aí entram em palco

de contar), e muitas vezes são elas o ponto de partida

atores e atrizes acabadinhos de sair dos livros. Há ainda

para uma leitura rápida mas decisiva sobre o mágico

aquelas vezes em que os bolsos à primeira vista vazios, guar-

transporte desse livro para um novo lar.

dam gestos que despertam emoções, que unem amizades e se

Felizmente há ilustradores

atrevem a espevitar palavras de gratidão.

fantásticos e, felizmente tam-

Ler com os bolsos da Ana é assim, sempre um rodopio, onde

bém para mim, “Os bolsos da

os pequenos ouvintes entram na história, fazem a história,

Marta”, de Quentin Blake,

descobrem a história, ouvem a história, onde o carinho e os

deram-me a ideia fabulosa que

sorrisos ocupam um lugar especial num dos bolsos, o meu

precisava para manter a ex-

bolso preferido.

pressão de curiosidade bem sorridente nos olhos desses pequenos diabretes que tanto me fascinam.

Um abraço e nunca se esqueçam de ir ao encontro da vossa imaginação.

Os bolsos da Marta depressa se transformaram nos bolsos da Ana. Bolsos cheios de magia onde tudo cabe, personagens que saltam dos livros, cenários que acomodam as palavras que vão criando a magia de mundos encantados, ilustrações que salpicam de cor as emoções de quem ouve e às vezes outras surpresas que nem mesmo eu tenho consciência.

Com um sorriso, Ana, a dos bolsos.


Página 44

Associação de Pais e Encarregados de Educação

RECOLHA DE ALIMENTOS

Com o intuito de ajudar as famílias mais carenciadas da Escola Sec. Dr. Jaime Magalhães de Lima e desta forma proporcionar uma Páscoa mais recheada, a Associação de Pais da Escola Dr. Jaime Magalhães Lima irá proceder a uma recolha de alimentos na semana de 24 de Março a 4 de Abril.

A Recolha de alimentos será efetuada no Bloco A da Escola Sede.

A solidariedade é o sentimento que melhor expressa o respeito pela dignidade humana" (Franz Kafka)


Página 45

Projeto Promoção e Educação para a Saúde

DIA DA NÂO VIOLÊNCIA ESCOLAR E DA EDUCAÇÂO PARA A PAZ

A 30 de janeiro, comemorou-se no nosso Agrupamento o dia da Não Violência Escolar e Educação para a Paz, com o objectivo de sublinhar a importância de uma permanente educação para a Não Violência e Paz. Neste dia, que coincide com a data da morte de Mahatma Gandhi, procurou-se sensibilizar a Comunidade Educativa para valores fundamentais a uma convivência saudável e harmoniosa, como a tolerância, a solidariedade e o respeito pelos outros. As comemorações, que se estenderam a toda a semana de 27 a 31 de janeiro, contaram com a participação das diversas escolas do agrupamento, desde o pré-escolar ao secundário e com a colaboração da Biblioteca. No pré-escolar e no 1º ciclo as educadoras e os professores, dinamizaram atividades diversificadas adequadas a estes pequeninos, para quem os valores da amizade, respeito e tolerância são já aprendizagens fundamentais, bem visíveis nos diversos cartazes, painéis artísticos, escrita de mensagens e jogos didáticos realizados. Para os 2º, 3º ciclos e secundário, a equipa do PES elaborou propostas que foram acolhidas e enriquecidas, nas aulas de Português de algumas turmas, com análise de textos e escrita de mensagens de não violência, para cobrir de sábias penas a “Pomba da Paz”, nas aulas de Educação para Cidadania em que foi feita uma reflexão sobre um tema muito importante “A prevenção do bulling” e nas aulas de EMRC em que os alunos tomaram consciência da responsabilidade de serem “construtores de paz”. Nem à hora do almoço este tema foi perdido de vista: nos tabuleiros da cantina, mensagens de Paz como doces sobremesas. Como pudemos testemunhar, muitos trabalhos resultaram desta reflexão e foram expostos nas várias escolas.


Página 46

Projeto Promoção e Educação para a Saúde SEMANA DA NÃO VIOLÊNCIA ESCOLAR E DA EDUCAÇÃO PARA A PAZ ● Pré –escolar: → Exploração de histórias: “O pássaro da Alma” “Gosto de ti”… → Construir um pássaro com as gavetas que nós queremos abrir → Exploração da canção “São dois braços, são dois braços” de Sérgio Godinho → Uso da caixinha de emoções → Jogos de cooperação → Trabalho de texto/ilustração → Desenho das mãos simbolizando pássaros/paz → Jogo dos sentidos 4.º ano →- Visualização de uma apresentação em Powerpoint sobre o significado do dia; →- Exploração de poemas sobre os temas (paz, relações interpessoais, sã convivência); →- Elaboração de dois cartazes, um dos quais, com ideias/palavras/frases/atitudes ofensivas e proibidas que geram "violência" e, o outro, com ideias/palavras/frases/atitudes de respeito e "obrigatórias", que contrastam com as primeiras, para afixar na(s) escola(s), em local visível.

● 2º e 3º ciclos – Escola Aires Barbosa → Colocação de uma mensagem alusiva ao dia nos tabuleiros da cantina (dia 30 de janeiro) → Leitura e análise de poemas/textos, na aula de Português, para sensibilização ao tema e escrita de mensagens para construção da Pomba da Paz, no placard junto à biblioteca. → Reflexão sobre a violência na escola/bulling, com base numa ficha de trabalho e num Power Point, nas aulas de Educação para a Cidadania. ● Biblioteca →Colaboração da biblioteca em todas as actividades previstas →Exposição temática Escola Dr. Jaime Magalhães Lima → Colocação de uma mensagem alusiva ao dia nos tabuleiros da cantina (dia 30 de janeiro) → Leitura e análise de poemas/textos, na aula de Português, para sensibilização ao tema e escrita de mensagens para construção da Pomba da Paz, no placard do Polivalente. → Sessões sobre “Prevenção da violência no namoro”- 9º ano.(a decorrer em fevereiro) → Reflexão sobre a violência na escola/bulling, com base numa ficha de trabalho e num Power Point, nas aulas de Educação para a Cidadania.

PES


Página 47

Projeto Promoção e Educação para a

Sessão sobre sexualidade

Saúde

No dia 18 e 19 de fevereiro de 2014, veio às turmas do 4º ano do agrupamento, uma enfermeira chamada

Teatro debate na escola

Ana Lúcia, do Centro de Saúde de Aveiro, falar-nos sobre sexualidade.

”Nem muito simples nem Começou por nos mostrar um filme animado

demasiado complicado”

onde aparecia um livro chamado Sex que era sábio e falava das diferenças entre os rapazes e as raparigas e sobre as No dia 9 de dezembro realizou-se no auditório da Escola Secun-

mudanças que irão acontecer no nosso corpo com a chega-

dária Dr Jaime Magalhães Lima uma sessão de teatro debate inti-

da da adolescência. Apesar de ser uma fase complicada,

tulada ”Nem muito simples nem demasiado complicado” que

não precisamos de nos preocupar, pois toda a gente passa

abordou a educação para as relações interpessoais e sexualidade.

por isso.

O espetáculo foi dinamizado pela associação USINA (companhia

No final do filme, a enfermeira perguntou se

de teatro do Porto) em resultado de uma candidatura do PES ao

tínhamos dúvidas e fez-nos perguntas sobre o filme. Ela

Programa Cuida-te do Instituto Português do Desporto e da Ju-

falou-nos também sobre alguns cuidados de higiene que

ventude.

devemos ter e disse-nos que cada um tem as suas partes privadas e se alguém quiser tocar nelas e nós não quiser-

Este programa tem por objetivo trabalhar na área da saúde juvenil e na promoção de estilos de vida saudáveis, estimulando a

mos, devemos dizer um NÃO muito grande, fugir e contar a um adulto de confiança.

reflexão e o debate. Na nossa opinião, esta atividade foi muito interesPuderam assistir e participar neste espetáculo as turmas do 11º

sante e educativa, porque aprendemos muitas coisas novas.

B,D,E;G e F. Os alunos foram surpreendi-

puderam interagir nas cenas e encontrar solução para situações problemáticas da vida afetiva/sexual.

Sessão na turma do 4ºA

dos por um espetáculo onde

Todos se mantiveram muito interessados e participativos com vontade de continuar o debate nos seus grupos. Foi uma oportunidade que gostaríamos de poder oferecer a mais

Agradecemos à enfermeira Ana Lúcia por ter vin-

alunos.

do falar connosco. Valeu a pena! Texto dos Alunos do 4.º B


Página 48

Projeto Promoção e Educação para a Saúde NÃO à Violência no Namoro No dia 24 de fevereiro, nós, alunos do 9ºF da Escola Jaime Magalhães de Lima, recebemos a visita das dr.as Délcia Pereira e Patrícia Pinho do Núcleo de Apoio à Vítima de Violência Doméstica da Cáritas Diocesana de Aveiro. No encontro – que visava sensibilizar-nos para a não-violência nas relações interpessoais, com incidência no namoro e intimidade, e para o respeito pela diversidade – as formadoras promoveram o debate e a discussão de situações concretas. Fizemos um jogo que nos ajudou a compreender melhor quem somos, o que pensamos e como agimos, neste campo. Foi um momento muito enriquecedor e agradável que contribuiu para a nossa formação como seres humanos mais conscientes, tolerantes, respeitadores e responsáveis. Parabéns às formadoras e à equipa que as trouxe até nós. Texto do 9º F Fotos do 9º C “Condução Segura e Prevenção dos Consumos” No âmbito do PES, nos dias 17, 18, 19 e 21 de março as turmas do 12º ano participaram em sessões de Educação para a Saúde, dinamizadas pela enfermeira da Unidade de Saúde Pública de Aveiro em parceria com a PSP , visando a informação, reflexão e promoção de atitudes corretas e seguras nos jovens condutores e naqueles que os acompanham. Pretende-se, com esta iniciativa alertar os nossos alunos para as enormes consequências do consumo de álcool e outras substâncias para a saúde, e sobretudo para o elevado número de perda de vidas humanas em idades jovens.


Página 49

Projeto Eco Escolas

Amigos do Ambiente

Reciclagem de cápsulas de café ENTREGUE AS SUAS CÁPSULAS USADAS NUM PONTO DE RECOLHA PONTO DE RECOLHA DE CÁPSULAS DE CAFÉ

Localiza-se no Bloco A da Escola Aires Barbosa.

Em sua casa... Da próxima vez que tomar café, não deite a borra ao lixo. Ofereça-a às suas plantas! Sabia que pode utilizar as borras de café como adubo? O café contém grandes quantidades de azoto e de potássio,

É este.

ambos importantes para o desenvolvimento das plantas. Para utilizar as borras de café como adubo, simplesmente

As cápsulas de café têm na sua composição materiais cujo processo de

espalhe-as sobre a terra dos seus vasos ou jardim e regue. Para além disso, a cafeína permite afastar certas pragas, tais

reciclagem é completamente distinto: borra de café, ma-

como caracóis e lesmas. Pode também colocar as borras de

terial que é orgânico, e a cápsula que acondiciona o café que é de alumínio ou de plástico com alumínio. É por-

café no compostor. Depois coloque a cápsula limpa no ecoponto amarelo.

tanto um resíduo misto, não podendo ser incluído nos circuitos existentes de recolha seletiva. Para resolver o problema da produção destes resíduos, algumas marcas já criaram um sistema de recolha,

de forma a poderem recuperar e valorizar as duas componentes das cápsulas:

Pode também usar o “outpresso” para separar a borra e o alumínio com maior rapidez e eficiência.

-Nespresso: http://www.nespresso.com/ecolaboration/ pt/pt/recycling.html; - Dolce Gusto: https://www.dolce-gusto.pt/PT/Servico/ Pages/FAQs.aspx#area5 Ao facilitar a recuperação das cápsulas usadas pretende-se preservar os recursos, reduzindo a produção

Mas NUNCA deite no contentor do lixo indiferenciado as suas cápsulas de café.

de desperdícios. O alumínio é um material infinitamente reciclável cujo processo de reciclagem requer uma quantidade mínima de energia, não provoca qualquer perda de peso ou qualidade e pode ser repetido infinitamente. Os resíduos de café podem ser valorizados de diferentes formas: podem ser utilizados, por exemplo, como fertilizante natural para a agricultura ou como fonte de energia para o aquecimento doméstico.

Porque O AMBIENTE AGRADECE!

Projeto “Amigos do Ambiente”


Página 50

Escolíadas O Talento Tem Muitas Artes

A frase slogan remete-nos, de imediato, para o universo das Escolíadas. O festival de caráter artístico que congrega escolas da Região Centro, celebra este ano a sua 25ª edição. O natural crescimento do evento levou à divisão das escolas por pólos, existindo no presente ano três: Coimbra, Aveiro e Viseu.

A edição desse ano valeu-nos o prémio de melhor dança e de melhor claque. Ilusões foi o tema que escolhe-

As três escolas mais pontuadas de cada disputam uma final.

mos para 2011; conscientes de que a vontade ilude a

A escola mais pontuada de cada pólo participará numa fina-

ilusão, fomos mais uma vez à finalíssima e ficámos em

líssima. As escolas inscritas têm uma equipa constituída por

primeiro lugar, ganhando os prémios de melhor ator,

22 elementos e um apresentador e por uma claque com um

prémio juventude, melhor claque, melhor música e

máximo de 52 elementos. Apresentam uma prova de teatro,

dança. 2012 correspondeu à apresentação do tema

uma prova de música e/ou dança, uma prova de pintura e

Bichos e à exploração do universo das fábulas. O univer-

provas de claque. Ao longo da sessão têm também que res-

so simbólico colo-

ponder a perguntas de cultura geral e música. O júri pontua

cado em cena não

todas as provas de zero a vinte valores.

foi contudo suficiente para nos levar

A ESJML teve ao longo deste quarto de século participações

à final do pólo.

esporádicas tornando a sua presença constante desde 2007.

Mas… “Sem a lou-

Nesse ano, foi apresentado o tema Personae que partia do

cura o que é o

pressuposto shakespeariano “Totus mundus agit histrio-

Homem/ mais que a besta sadia/ cadáver adiado que

nem” (O Mundo é um Palco). 2008 foi o ano de Sete Peca-

procria?”. 2013 foi o ano do tema Loucura. O facto de

dos Mortais, integrando na claque o Coralima. A música

termos sido a segunda escola mais pontuada do pólo

apresentada foi a mais pontuada desse ano. Em 2009 evoca-

levou-nos até à finalíssima desta feita no Centro de

mos o Circo, partindo da

Artes e Espetáculos da Figueira da Foz e, novamente, a

máxima de Juvenal “Panis et

um honroso primeiro lugar.

Circensis” (Pão e Circo). 2010 marcou a viragem na apresentação das provas passando a escola a apresentar provas de dança em vez de provas de música. A aposta trouxe frutos. Nesse ano com o tema Mitos estivemos entre as quatro escolas mais pontuadas e marcámos presença na finalíssima que aconteceu no Velódromo de Sangalhos.

Continua na página seguinte


Página 51

Escolíadas Certos de

No presente ano, preparamos afanosamente a nossa presta-

que “pelo

ção, que acontecerá a 26 de abril. Guardando a explicação

sonho

do tema para o próximo número do jornal, deixamos aos

que

leitores um desafio/enigma: se nós fossemos os olhos do

mos”,

mundo, o que veríamos?…

haja É dever da escola, enquanto lugar de educação, tomar o destino nas mãos, criar futuros, criar circunstâncias propícias ao crescimento pessoal e social de todos os elementos que a integram. As Escolíadas potenciam a vertente educativa da escola mobilizando saberes e valorizando dimensões

é va“ ou

não haja frutos”, conseguimos mais uma vez mobilizar a comunidade escolar em torno de um projeto. “Partimos” de um desafio que nos uniu, “vamos como sempre à descoberta”, “somos escola que se revê naquilo que gosta de fazer”.

minimizadas pela crescente vontade de certificar o saber

Professora Conceição Limas.

estritamente académico. A existência deste tipo de atividades na escola reaviva a noção de

Paideia,

de educação integral dos indivíduos. Não resistimos a citar Sebastião da Gama, poeta e pedagogo sensível e atento, desaparecido prematuramente.

Pelo sonho é que vamos, comovidos e mudos. Chegamos? Não chegamos? Haja ou não haja frutos, pelo sonho é que vamos. Basta a fé no que temos. Basta a esperança naquilo que talvez não teremos. Basta que a alma demos, com a mesma alegria, ao que desconhecemos e ao que é do dia a dia. Chegamos? Não chegamos? - Partimos. Vamos. Somos.


Página 52

Projeto EntreSendas

O Projeto EntreSendas-E5G, da Cáritas Diocesana de Aveiro, começou a funcionar em pleno, no espaço exterior da Escola EB1 Quinta do Simão, após o incêndio nas anteriores instalações do projeto. Com atividades para crianças e jovens das comunidades ciganas de Ervideiros e seus pais e familiares, bem como para outras crianças e jovens das escolas EB1 Quinta do Simão e Aires Barbosa, o projeto vê assim a totalidade das suas atividades a serem retomadas, após esta grande contrariedade. O EntreSendas-E5G tem como objetivos a diminuição do insucesso, absentismo e abandono escolares das crianças e jovens das comunidades ciganas, a corresponsabilização dos pais no processo educativo dos filhos, bem como o desenvolvimento de competências pessoais, sociais, profissionais e empreendedoras de crianças e jovens das comunidades ciganas de Ervideiros e outras crianças e jovens. Retoma-se, graças ao Agrupamento de Escolas de Esgueira e à Escola EB1 Quinta do Simão, este importante trabalho com estas comunidades. O EntreSendas-E5G agradece a disponibilidade por parte do Agrupamento de Escolas de Esgueira e da Escola EB1 Quinta do Simão, parceiros muito próximos na intervenção do EntreSendas, em receber o projeto no seu seio e agradece toda a colaboração e proximidade.

Andreia Andrade, Educadora Social e Catarina Gilo, Psicóloga

Também no âmbito do Projeto EntreSendas, mas com os alunos da Escola Aires Barbosa, produziram-se cartazes alusivos ao Dia dos Namorados:


Página 53

Parcerias Banco Alimentar Contra a Fome

Muitos particulares, empresas e instituições já aderiram à Campanha “Papel por Alimentos” numa importante parceria na luta contra a fome: foram recolhidas em 2012, ano de arranque da campanha, mais de 3.200 toneladas de papel, ou seja, mais de 165 mil litros de leite, 121 mil latas de salsichas, 117 mil latas de atum, 50 mil litros de óleo e 14 mil litros de azeite e assim ajudar a dar resposta ao número crescente de pedidos de apoio recebido. Esta ação é desenvolvida em parceria com a Quima, empresa de recolha e recuperação de resíduos, que por cada tonelada de papel recolhido entrega o equivalente a 100 euros em alimentos. As escolas podem participar envolvendo os alunos e a comunidade escolar na Campanha “Papel por Alimentos” promovendo a recolha de papel numa lógica de participação cívica e ambiental. E ainda sensibilizando para a importância do papel que cada pessoa tem na sociedade e para a possibilidade de recuperar nas próprias casas e reutilizar coisas que parecem não ter valor. Este ano letivo o Agrupamento de Escolas de Esgueira já participou! O pepel recolhido no papelão colocado na Escola Sede já rendeu mais de 1500 kg!

240 Kg em 16/12/2013 331 Kg em 4/07/2013 346 Kg em 19/07/2013 340 Kg em 21/10/2014 295 Kg em 25/02/2014

Portucel A Portucel da Figueira da Foz tem sido parceira do Agrupa-

Nestlé A Nestlé tem sido parceira do Agrupamento de Escolas de Esgueira, oferecendo alimentos que serão entregues a agregados mais carenciados.

mento, tendo oferecido desde novembro cerca de mil e quinhentos euros, o que tem permitido fornecer suplemento alimentar (lanche) a alunos carenciados. Desde o início do ano e até final de fevereiro, já fornecemos 3095 suplementos alimentares (Pequenos-almoços e lanches) Obrigada Portucel!

Obrigada Nestlé!


Página 54

Testemunhos de Voluntariado

Procurámos, no Agrupamento, pessoas com experiência de voluntariado e tomámos conhecimento da experiência da Professora Carla Costa, que nos contou o seguinte:

Uma experiência de voluntariado “Fazer pouco, pequenas coisas, apenas o possível.” - é o que devemos ter em mente quando partimos em voluntariado. “ A comunhão gera comunhão. Criam-se elos de amizade, amor e esperança, que por sua vez originarão outros elos feitos da mesma matéria. É na construção desta corrente que a felicidade acontece na vida de quem parte e de quem acolhe.” Em 2011, decidi fazer formação, no âmbito do voluntariado missionário através dos Leigos da Boa Nova, e estive de janeiro a junho de 2012 na Casa Missionária na Vila de Macia no sul de Moçambique, onde pude concretizar um projeto no ensino do Português que vinha alimentando há muitos anos. A vila de Macia é uma pequena e simpática localidade situada no distrito do Bilene, a cerca de 30 quilómetros do litoral, na província de Gaza, que ao longo dos últimos anos foi crescendo e atualmente conta com cerca de 40 000 habitantes e que, à semelhança do país, percebemos os inúmeros contrastes. A par dos sinais de desenvolvimento, verifica-se que a pobreza é muita, assim como as doenças (principalmente a malária e o HIV/SIDA). As calamidades naturais que assolam o país, principalmente na estação das chuvas, deixam as populações sem os seus bens. As perspetivas de emprego são reduzidas, e a saída tem sido o comércio informal (a revenda na rua de produtos de todo o género).

Embora o esforço tenha sido muito grande nos últimos anos ao nível da educação, no que diz respeito à construção de escolas primárias e secundárias e à capacitação adequada aos docentes, muito há ainda por fazer. Sensibilizou-me particularmente, por um lado, tomar conhecimento através dos noticiários televisivos que há escolas no país com salas de aula sobrelotadas de alunos (50, 70 ou mais) e, por outro, visitar uma Escola Primária, no mato, e assistir a uma aula da 1ª classe com os alunos sentados no chão e naquelas condições mostrarem uma enorme alegria e vontade de aprender! Cinco jovens voluntários Argentinos, que estiveram hospedados na Casa Missionária, apoiaram a construção das salas de aula feitas com material local. A Casa Missionária foi construída nos finais dos anos 80 no centro da vila, ocupando um espaço de cerca de dois hectares, tendo sido machambas (quintas) no tempo colonial. A Escola Primária Completa 1º de junho nasceu há precisamente 22 anos, neste local, depois dos Acordos de Paz de 1992, com o objetivo inicial de recolher e ocupar os meninos de rua, dando-lhes educação e também preparando-os para o mercado de trabalho através do ofício de carpinteiro e serralheiro. Começou com poucos alunos, crianças órfãs e vulneráveis, alargando-se às restantes, contando hoje com cerca de quinhentos alunos da 1ª classe à 7ª classe (escolaridade obrigatória e gratuita). Os alunos usam uniforme, a camisa azul-claro e as calças e a saia azul-escuro, para ir às aulas, exigência do padre da Casa Missionária, cantam todos o Hino Nacional “Pátria Amada” no exterior em fila, cumprimentam os professores e só depois é que se dirigem às salas de aula. Quando alguém entra na sala de aula, levantam-se e dizem em coro: “ Bom dia sr. professor!” ou “Boa tarde srª professora!”.

Continua na página seguinte

Sabe mais sobre Voluntariado em: http://juventude.gov.pt/Voluntariado/Programa-Agora-Nos-Jovens-Voluntarios/Paginas/Programa-Agora-Nos -Jovens-Voluntarios.aspx


Página 55

Testemunhos de Voluntariado É contagiante a alegria das crianças quando se encontram no recinto do recreio ou quando estão de regresso a casa: pulam, trepam às árvores, jogam, conversam sentadas debaixo da enorme mangueira à entrada da Missão ou no muro junto às abacateiras e estufa de flores e plantas, correm pelos caminhos da Casa Missionária, comem, bebem, saem portão fora, que se encontra sempre aberto, para irem comprar o seu lanche às lojas ali por perto, brincam com carrinhos feitos de arame, atiram amendoim ao ar para apanharem com a boca, cantam e dançam. Presenciei muito poucas situações de agressividade e de mau comportamento e tive conhecimento apenas de uma situação de um aluno problemático que teve imediatamente uma expulsão temporária por ter caluniado uma professora. É evidente que há situações menos agradáveis no dia a dia de uma sala de aula e no recreio, quem está no “terreno” sabe, no entanto a imagem com que fico daquela escola é a de que o aluno tem muito respeito pela figura do professor e gosta de aprender. Está incutido nos hábitos dos alunos tarefas como varrer, ao fim de cada turno da manhã e da tarde, as seis salas de aula e levar o lixo para o buraco no recreio para depois ser queimado. Ao sábado, de vez em quando, há brigadas de limpeza também para o efeito. Pretendi com o trabalho junto das crianças da escola o aperfeiçoamento da oralidade, da leitura e da escrita na Língua Portuguesa através da simulação de pequenos diálogos, leitura e interpretação de textos do manual deles, leitura e reconto de histórias e o registo escrito das mesmas. Como eles gostavam de mostrar com orgulho as suas competências! Lembro-me de como eles competiam entre si! Era prática deles mostrar também as suas habilidades no canto e na dança. A colaboração com a escola teve como objetivo aproveitar os tempos livres dos alunos, manhãs ou tardes, conforme o horário escolar dos mesmos. Na dinamização desses tempos livres, estabeleci com eles um acordo, primeiro tinham de fazer os trabalhos de casa, ler, esclarecer dúvidas e só depois é que escreviam no quadro, desenhavam em folha A4 e coloriam e/ou utilizavam os jogos didáticos ou recreativos que havia no Centro de Estudos/Biblioteca, uma salinha em frente ao gabinete da Direção.

Lembro-me do “nó” na garganta quando lhes anunciei o meu regresso a Portugal e o silêncio tácito que se seguiu e que foi quebrado por mim para amenizar o ambiente:”Para o ano venho cá ver-vos, está bem meninos?”. Comecei por ser para eles a srª explicadora, a srª professora e, por fim, já era a “tia” Carla. Na escolinha (edifício exíguo perto da escola primária), apoiei os “Pombinhos”, cerca de cento e vinte alunos dos três aos cinco anos, na festa dos aniversariantes de março e no Dia Mundial da Criança. Era engraçado vê-los sentadinhos nas esteiras à sombra naqueles dias escaldantes de verão às 15h à espera que os viessem buscar… O convívio entre os paroquianos ao domingo na Casa Missionária era muito frequente, onde não faltava o canto, a dança, o relato de histórias, acompanhados da gastronomia típica moçambicana. Através do contacto que tive com os Religiosos, fui tomando consciência do trabalho gigantesco que a Igreja Católica tem realizado sobretudo nos últimos vinte anos, em termos de Evangelização, principalmente nas comunidades dos locais mais remotos e na recuperação de valores morais e culturais que se perderam após a independência desta excolónia Portuguesa. A vida e a dignidade humanas são postas em causa quase todos os dias, deixando no cidadão comum uma preocupação e uma grande sensação de insegurança, através de factos que são notícia, como os muitos acidentes de viação, atropelamentos, assaltos, raptos, homicídios, tráfego de órgãos e de seres humanos. Fé, humildade e paciência foram os princípios que nortearam o tempo ali vivido.

Carla Costa, voluntária em 2012

Informa-te junto do Banco de Voluntariado de Aveiro


Página 56

Somos o Presente Iniciamos neste número do “Jornal das 6” um conjunto de trabalhos que visam dar a conhecer os Professores, Alunos e Assistentes do Agrupamento de Escolas de Esgueira

No dia 14 de janeiro de 2014, três alunos do club de jornalismo foram entrevistar a dona Fernanda do PBX da escola Aires Barbosa, para saberem um pouco mais sobre o seu trabalho.

Jornal das 6: Quais são as suas tarefas? Dª. Fernanda: Atender o telefone, fazer a receção aos alunos e aos pais. Se algum aluno precisar de ir ao hospital fazer os procedimentos para ele ir ao hospital. Atender os Senhores professores chamar substituição para os senhores professores. Também faço limpeza. Jornal das 6: Há quantos anos está na escola? Dª. Fernanda: Há 18 anos, nesta escola trabalho há 18 anos mas já trabalhei na Murtosa. Jornal das 6: O que mais gosta na escola? Dª. Fernanda: Gosto de tudo porque gosto muito de fazer aquilo que faço. Com o gosto de fazer aquilo que faço, gosto de tudo nesta escola, principalmente de lidar com os meninos mais pequenos. Jornal das 6:O que menos gosta de fazer nesta escola? Dª. Fernanda: Não há nada que eu não goste de fazer. Não gosto, muitas vezes, do comportamento de alguns alunos. Cada vez mais os meninos são mais rebeldes e há muita fala de respeito. Isso é o que eu não gosto. De resto gosto de tudo.

Lara Cruz, Luísa Rodrigues e Martim Tavares do 5ªF

O Jornal precisa de si Tem um texto interessante? Um desenho bem feito? Gosta de desporto, música, cinema … ? Gostaria de ver publicado um artigo sobre o seu tema favorito? Colabore !!

jornal@esjml.edu.pt


Página 57

O Mundo Depois da Escola

Entrevista a Romão Machado, professor de EVT da Escola Aires Barbosa, aposentado desde 2011.

- Olá Romão, fala-nos um pouco de ti... - Neste momento sou um cidadão normal do mundo, que ocupa o seu tempo o melhor possível, sempre dentro de uma atividade cívica e de responsabilidade, que me permite estar em paz e com a consciência tranquila, como pessoa que sou. - O que sentes em relação à profissão que deixaste para trás? - Comecei a trabalhar muito novo e abracei a profissão de alma e coração. Apaixonei-me mesmo por ela...investi muito, foi sempre gratificante para mim; desenvolvi-a o mais honestamente possível, tentando ser muito criterioso e responsável, levando por diante a transmissão de valores aos meus alunos. - Como passas agora os teus dias? - Neste momento são dias curtos, deviam ter mais de 24 horas. Deixei a profissão, entrei noutro ciclo da minha vida, dedicando-me a muitas atividades. Não estou parado... dedico-me a fotografia de natureza e vida selvagem, ornitologia... gosto de aeromodelismo, barquinhos à vela e eu próprio os construo ; faço também criação de bonsais... por vezes sou guia em percursos na natureza...como o de Salreu, por exemplo. E fica pouco tempo disponível... - Tens alguma mensagem para deixar, como professor que foste, tendo em conta o que tens ouvido sobre a educação nos nossos dias? - O que eu sei, pelo que tenho ouvido e lido na comunicação social e me vou apercebendo pelos colegas com quem vou falando, as coisas neste momento não estão nada boas do ponto de vista pedagógico e humano. Nada se compara ao tempo em que eu lecionava...a mensagem que eu deixaria seria, ao fim e ao cabo, aquela pela qual eu sempre lutei: é essencial a dignidade, o respeito, e tentar fazer sempre o melhor, não pensando só em nós, mas sempre em quem nos rodeia... na nossa profissão: os nossos alunos. - Obrigada Romão, por esta partilha e pela disponibilidade, que no fundo sempre revelaste, enquanto foste nosso colega na Aires Barbosa... Professora Celeste Vieira


Página 58

Fazemos História A propósito do tema “Voluntariado”, fomos ouvir um antigo aluno do Agrupamento de Escolas de Esgueira—o Tiago Barbosa. Eis o que ele nos disse:

Olá, Sou o Tiago Barbosa e venho-vos falar de Voluntariado. Por querer ser solidário e seguir uma profissão que sempre correu na família, entre Pai, Mãe, Tios e Primos, inscrevi-me nos Bombeiros Voluntários, na atual Associação Humanitária de Bombeiros Guilherme Gomes Fernandes, mais conhecida por Bombeiros Novos de Aveiro, com os meus 14 anos de idade, no ano de 2002 quando ainda estudava na Escola Secundária Dr. Jaime Magalhães Lima. Foi uma escola que me marcou, apesar de, na altura, eu não ter o comportamento mais correto. Agora mais tarde, vejo que me portei erradamente. Sempre tive a solidariedade e ajuda dos meus Professores, que tentaram incentivar-me e ajudar-me. Uma das disciplinas que mais me cativou, foi o Português, daí estar hoje a escrever este texto. Mas voltando ao tema; Já lá vão 12 anos e continuo a ser Bombeiro Voluntário, a ser solidário sem olhar a raça, religião ou cor. É um orgulho poder ajudar o próximo, sem esperar nada em troca. Custa um bocado e há certos momentos impossíveis de tirar da cabeça, como muitos mais Bombeiros podem confirmar. Poderia falar-vos dos inúmeros incêndios, emergências ou mesmo transportes de doentes, que por uma ou outra razão ficaram marcados. No final, o que conta é o sentimento de dever cumprido e sentir que ainda existe a tal dita solidariedade, que cada vez parece menos. O que significa para mim solidariedade? É como já disse em cima, ajudar o próximo sem olhar à raça, religião ou cor. É algo que fazemos do coração, algo que nos motiva a dar o passo em frente.

Tiago Barbosa


Página 59

Fazemos História A propósito do tema “Voluntariado”, fomos ouvir uma antiga aluna do Agrupamento de Escolas de Esgueira— a Sarah Reis. Eis o que ela nos disse:

Desde pequena que sempre disse que queria partir em missão. Então há dois anos atrás, e ao fim de um ano de formação de voluntariado missionário organizado pelo SDAM (Secretariado Diocesano de Animação Missionária), a organização dividiu-nos por grupos e por países, tendo eu calhado no Brasil (Amazónia – Manaus - Manicoré) com as minhas duas companheiras, a Paula e a Margarida. E foi assim que se deu início à nossa grande aventura… Penso que a minha grande motivação para ganhar coragem e partir em missão foi a minha fé! Fé não só em Deus, mas fé de que eu em conjunto com muitos outros podemos mudar o mundo. Sempre lutei por um mundo mais justo e menos egoísta e, portanto, foi isso que me faz avançar. Estivemos inseridas no Centro Juvenil Salesiano de Manicoré, onde estávamos com os jovens, quer a brincar, quer a ensinar-lhes um pouco do que nós sabíamos e a aprender o muito que eles tinham para nos ensinar. Visitávamos várias pessoas doentes, fomos à escola de meninos com deficiência, visitámos a prisão e demos várias palestras em áreas de educação, saúde e voluntariado. Ao fim de semana participávamos nos oratórios das comunidades que consistiam em brincar com as crianças, dar-lhes uma merenda e fazer uma pequena oração. Eu, como tenho formação superior em Psicologia, era solicitada também para falar pessoalmente com pessoas que pediam ajuda e também com jovens que atravessavam, em especial, problemas familiares. Poderia estar aqui a enumerar uma grande quantidade de coisas que fiz, mas uma coisa que aprendi com esta experiência é que acima tínhamos de “estar” ali, não tanto fazer… Tínhamos de ouvir e falar com as pessoas, brincar, sorrir, sentar no chão, dar abraços, beijos… Portanto, acima de tudo estive com as pessoas. Sinto que o pouco que podemos fazer pode ser muito para muita gente e por isso todos os momentos valeram a pena. Recordo com carinho os sorrisos das crianças, os abraços aconchegantes, os “obrigados” que ouvi tantas vezes, mas que no fundo sentia que eu tinha muito mais a agradecer. Sinto que regressei com o coração maior e mais rico, com mais vontade de dar um pouco de mim aos outros. Com esta experiência aprendi a dar mais valor àquilo que tenho, às pessoas que amo e, sobretudo, à pessoa que sou.

Sarah Reis 23 anos


Pรกgina 60

A Seguir...

Continua na pรกgina seguinte ...


Página 61

A Seguir...

Nota: as atividades anteriormente referidas, a ter lugar durante o 3º período, são as que constam, neste momento, no Plano de Atividades. Outras poderão ainda ter lugar.


Para não esquecer o tema do próximo número, (RENOVAÇÃO), aqui ficam umas fotos tiradas pela Professora Celeste Vieira nos Jardins da Aires Barbosa.

Como são bonitas as nossas Escolas!!

A Equipa do “Jornal das 6”


Jornal das 6 - nº 2  

Jornal do Agrupamento de Escolas de Esgueira

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you