Page 1

60 anos de um ideal


60 anos de um ideal


Índice 7 Apresentação

29 Irati

54

ÁREA CORPORATIVA

8

Para relembrar

30

Francisco Beltrão

55

Departamento de Assuntos Corporativos

9

O idealizador e fundador

31

Rio do Sul

56

Departamento Agroflorestal

9

Solidários à causa

32 Tubarão

59

Expoagro Afubra

10

Em boas mãos (Patrick Francis Fairon)

33 Araranguá

60

Projeto Verde é Vida

12

Mão amiga (Bruno Guilherme Müller)

34

Herval D’Oeste

61

Departamento de Eventos

13

Depois de 60 anos

35

São Miguel do Oeste

62

14

Diretoria e conselhos deliberativo e fiscal nos 60 anos

36 Ituporanga

DEPARTAMENTOS E SETORES DE APOIO E SERVIÇOS

15 16 17

Bons parceiros (Benício Albano Werner) Sempre em frente (Romeu Schneider) Responsabilidade (Marcílio Laurindo Drescher)

37 Mafra 38

Braço do Norte

39

Venâncio Aires

40 Camaquã 41

São Lourenço do Sul Cachoeira do Sul

18

SISTEMA MUTUALISTA

42

18

Por onde tudo começou

43 Sobradinho

19 Operações

44

20

Supervisão Técnica

45 Canguçu

21

Pesquisa e Estatística

46 Candelária

22

AGRO-COMERCIAL AFUBRA LTDA.

47

Santa Cruz do Sul

23

De portas abertas

48

Gerência Comercial

24 Matriz

48

Departamento de Controladoria

27

49

Departamento de Compras

49

Departamento de Logística

Rio Negro

28 Imbituva

Arroio do Tigre

63 Secretaria 63

Assessoria de Imprensa

64

Departamento Financeiro

65

Departamento de Pessoal

66

Departamento de Auditoria

67

Departamento de Controles

68

Departamento de Marketing

68

Tecnologia da Informação

69

Departamento de Patrimônio

70

Departamento de Materiais e Serviços

72

O INCENTIVO À CULTURA E À INTEGRAÇÃO

73

Coral da Afubra

73

Coro Masculino da Afubra

75

Associação Recreativa e Esportiva Afubra - Area

5


Coordenação geral: Mário André Poll Textos: Heloísa Letícia Poll e Mário André Poll Fotos: Lula Helfer e arquivo Afubra Projeto gráfico, diagramação e foto de capa: Gelson Pereira Revisão: Erna Regina Reetz Impressão: Gráfica LupaGraf, Santa Cruz do Sul (RS) Tiragem: 5.000 exemplares


Apresentação

N

o ano que a Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra) comemora 60 anos de existência, a edificação deste livro intenciona trazer à tona um pouco de sua história e retratar as múltiplas unidades e atividades, criadas e desenvolvidas por variados departamentos e setores que surgiram ao longo do tempo, para fazer frente aos objetivos sociais traçados no momento da fundação, preservados e seguidos até hoje, atender os anseios de seu quadro social, traduzido em torno de 100 mil famílias, e das comunidades sul-brasileiras inseridas em sua base de atuação, atualmente formada por cerca de 700 municípios. Por meio de fotografias, a obra também destaca os atuais colaboradores. São mais de mil pessoas que, somadas ao trabalho dos fundadores e ex-colaboradores, edificaram o ideal Afubra durante as últimas seis décadas. Uma prazerosa viagem a todos.

7


60 anos de um ideal

Para relembrar

A

Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra) foi fundada no dia 21 de março de 1955, em Santa Cruz do Sul (RS). A criação foi motivada pela inexistência de uma modalidade de defesa e assistência aos fumicultores. As dificuldades se relacionavam à falta de amparo financeiro diante da sequência de prejuízos oriundos das tempestades de granizo, que devastavam as lavouras de tabaco em questão de minutos, e das instabilidades advindas para colocação do produto no mercado e do preço destinado aos produtores.

8

A assembleia de fundação ocorreu na Aliança Católica, hoje Aliança Santa Cruz. O encontro, que reuniu cerca de 1.500 produtores, concebeu a ideia de reunir a classe em uma associação para defesa de seus interesses. Era o início da Associação dos Plantadores de Fumo em Fôlha do Rio Grande do Sul. Os estatutos foram aprovados na mesma sessão, assim como a eleição e posse da primeira diretoria. A meta inicial era a busca de garantia indenizatória sobre os danos causados pelo granizo. Diante das frustradas tentativas junto

a instituições públicas e privadas, a Afubra partiu para a elaboração de plano próprio. Surgia o Sistema Mutualista, cujo regulamento foi aprovado em 5 de novembro de 1956. O programa, obra pioneira no Brasil, se transformou no ponto alto da organização, galgando vida e grandeza à entidade.

Em 1963, a base de atuação foi estendida para os produtores de tabaco de Santa Catarina e do Paraná. Com isso, a denominação foi alterada para Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra).


O idealizador e fundador

H

arry Antonio Werner nasceu no dia 28 de janeiro de 1924, em Linha Formosa, então distrito de Santa Cruz do Sul, hoje município de Vale do Sol. Em 7 de setembro de 1945, casou-se com Helena Paulina Werner, na localidade de Vila Tereza, hoje município de Vera Cruz. Da união, nasceram dez filhos.

Como sócio-fundador, presidiu a Afubra de 1955 a 1967 e de 1975 a 1983. No período de 1967 a 1969, exerceu a função de vice-presidente, e de 1969 a 1975, como secretário. De 1987 a 1989, ocupou a presidência do Conselho Deliberativo. O dirigente faleceu no dia 9 de dezembro de 1989. Como homem público, Harry Antonio Werner integrou a 4a Legislatura da Câmara de Vereadores de Santa Cruz do Sul. Em 1963, último ano de mandato, ocupou o cargo de presidente do Poder Legislativo do município.

Solidários à causa

P

assada a data de fundação, a euforia foi diluindo-se com o passar do tempo. Os primeiros meses de trabalho, voltados a estruturação e organização, exigiam uma extenuante carga de trabalho. Além disso, a ausência de uma sede própria e a carência de materiais e de recursos financeiros contribuíam para o arrefecimento dos ânimos de muitos seguidores. Parecia que a entidade seguiria os mesmos passos da grande maioria das organizações brasileiras: fechar as portas menos de um ano

depois da criação.

A perseverança e a dedicação de Harry Antonio Werner, obcecado pelo ideal Afubra, expeliu uma possível derrocada. Sempre disposto, ‘corria’ para todos os lados. Com isso, angariou alguns adeptos, solidários à causa, à paixão e ao seu espírito empreendedor.

Entre eles, dois permanecem testemunhando os passos diários da entidade: Patrick Francis Fairon e Bruno Müller.

A perseverança e a dedicação de Harry Antonio Werner, obcecado pelo ideal Afubra, expeliu uma possível derrocada. Sempre disposto, ‘corria’ para todos os lados

9


60 anos de um ideal

Patrick Francis Fairon

Em boas mãos

D

esde o princípio, a Afubra conta com o apoio de pessoas capazes de realizar um trabalho transparente e de credibilidade, fórmula que tem rendido 60 anos de tranquilidade

Na fala serena, as pausas para relembrar o passado são indispensáveis. Aos poucos, enriquecidas por uma história de 60 anos, as lembranças de Patrick Francis Fairon, nascido em 1927, ganham espaço. Vêm à tona para contar a trajetória de uma associação que inspira frases saudosas e contos de feitos memoráveis da consolidação de um ideal. Do sonho de Harry Werner, na década de 1950, surgiram mãos amigas. Sem elas, quem sabe, o diferencial e a inovação semeados naquela época não teriam prosperado. Consultor profissional e amigo do primeiro presidente, Fairon é uma dessas figuras que apoia - e vive - a Afubra desde seus primeiros passos. Um entusiasta que poderia, segundo ele mesmo, passar horas a retratar a longa caminhada da entidade nessas seis décadas. Também frisa o apoio vindo de outros personagens, como Bruno Müller, cujo nome faz questão de citar.

Junto ao amigo Werner, o advogado, graduado pela Pontifícia Universidade Católica do 10

Rio Grande do Sul (PUC-RS), de Porto Alegre, em 1952, auxiliou na consolidação de um ideal, alicerçado em credibilidade, lisura e transparência. Em sua sala, no terceiro piso do prédio da Matriz, em Santa Cruz do Sul (RS), entre pilhas de papeis, coleciona registros e boas histórias de uma época onde (quase) nada parecia impossível. Antes mesmo de relatar os primeiros anos de funcionamento da associação, Fairon reforça: “tudo era ideia do Harry”. Para o entusiasta, a paixão do fundador pela causa fez com que todos quisessem fazer acontecer. “A Afubra era como um filho para ele. Contou

com o apoio da mulher, deixou o comércio de lado (...). Hoje, quando olho para trás, vejo Harry como um grande visionário, um sujeito que sonhou e que soube transmitir e cativar pelo entusiasmo, conseguindo assim adeptos para a busca de um objetivo: a luta pelos direitos dos produtores de tabaco”, conta. Em 1954, quando ocupava o cargo de presidente da Câmara de Vereadores de Santa Cruz do Sul, Fairon foi procurado por Harry. Na ocasião os dois conversaram sobre o que, futuramente, viria a ser a maior associação da fumicultura brasileira. Entre conselhos


e trocas de ideais, ambos trabalharam em conjunto com demais apoiadores.

Em 21 de março de 1955, em Assembleia Geral realizada na Aliança Católica, ambos viram nascer a Associação dos Plantadores de Fumo em Fôlha do Rio Grande do Sul, posteriormente denominada Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra). De acordo com Fairon, os primeiros anos foram duros e primitivos, mas de muita colaboração espontânea. “Era um por todos e todos por um. Não havia dinheiro, apenas o grande amor pela causa”. Frente à paixão de Harry, e de seus interesses a favor dos agricultores, o desenvolvimento da entidade passou a prosperar.

“Todo mundo fazia de tudo para a Afubra se tornar realidade. No governo gaúcho de Ildo Meneghetti, obtivemos o reconhecimento da entidade como de utilidade pública, através do decreto nº 8.304, de 6 de dezembro de 1957. O fato permitiu à associação dar maior garantia ao pagamento do granizo”, lembra Fairon, com ares de saudade.

Em 1962, aliás, aos seus 35 anos de idade, Fairon lembra que nada impedia a vontade de fazer mais e mais pela associação. Nem mesmo os limites geográficos eram problema. Na ocasião, acompanhado pelo então diretor da Gazeta Grupo de Comunicações, Francisco José Frantz, o advogado seguiu a Santa Catarina. No estado vizinho, apresentou o projeto que propunha a ampliação da Afubra ao governador Celso Ramos, do qual recebeu total apoio. O encontro, por sua vez, resultou na

extensão dos trabalhos da Afubra às lavouras catarinenses, em 1963. Em seguida, os fumicultores paranaenses também passaram a integrar o quadro de associados. Com isso, o Departamento de Mutualidade entrou em funcionamento em Santa Catarina e Paraná logo adiante.

Aos poucos a associação passou a ser respeitada em todo o Brasil, em especial nos estados do Sul, onde atua. Dos pontos marcantes, Patrick relembra de um episódio na década de 1970, quando houve denúncias de irregularidades que, segundo ele, pretendiam comprometer a lisura do funcionamento do Departamento de Mutualidade. A ocasião, no entanto, deu oportunidade à defesa de coroar com plenitude, em Brasília (no Banco Central), seu ideal de fundação. Pelo pleno reconhecimento demonstrado, da total transparência dos atos administrativos, a entidade continuou a merecer a indispensável credibilidade conquistada junto aos órgãos governamentais. “Desde a sua fundação, a Afubra sempre se preocupou em respeitar todos os quesitos legais. Naquela época a defendi com tranquilidade, sentimento que carrego até hoje, pois transparência é algo que se cultiva há 60 anos, desde o primeiro estatuto”, afirma.

No ano de 1966, Fairon passou a fazer parte da associação como sócio remido. O comprovante de pagamento das vinte anuidades, necessárias para tal, é até hoje guardado, com carinho. Mais tarde, em 1983, no entanto, como forma de reconhecimento Harry o escolheu para fazer parte do Conselho Deliberativo. Uma singela forma de homenagear quem, até hoje, faz história na Afubra.

Antes mesmo de relatar os primeiros anos de funcionamento da associação, Fairon reforça: “tudo era ideia do Harry”. Para o entusiasta, a paixão do fundador pela causa fez com que todos quisessem fazer acontecer

11


60 anos de um ideal

O homem sereno guarda lembranças de uma época em que a Afubra parecia um sonho distante de ser alcançado Bruno Guilherme Müller

Mão amiga

E

história viva e de sucesso de uma entidade Ao relembrar o passado, Bruno, pensativo, que entende o real significado da expressão sorri diante da história. “Eles (os fundadores) fizeram milagres. Quando fui convida“lutar pelo que se quer”. do para escrever o estatuto, pensei: ‘Como Após 60 anos de histórias, Bruno continua vou fazer’?” Após a fundação, o contabilista, acompanhando pelos jornais e nas conver- que também redigiu a ata da assembleia resas com amigos, como o presidente Benício alizada em 21 de março de 1955, continuou Werner, o caminhar da instituição, cujo pri- a prestar assessoria, de forma indireta, à meiro estatuto originou-se de suas mãos. Afubra. Da busca por conhecimento, das habilidades como contabilista e de preocupação em Da participação, que ocorreu ao natural, Aos 89 anos, o homem sereno, de fala tran- auxiliar, na época, o amigo Harry Werner, conforme conta, produtores rurais passaquila e desapressada, guarda lembranças de surgiu o documento, a base legal da Afu- ram a contar com uma mão amiga na busuma época em que a Afubra parecia um so- bra por muitos anos. Também fez parte do ca por amanhãs melhores. Coincidência ou nho distante de ser alcançado. Assim como Conselho Fiscal como membro efetivo e su- não, o mesmo que Harry encontrou naquela ocasião. outros tantos personagens, ele se traduz na plente. m 1925 nem sequer se pensava em criar uma associação para defesa dos fumicultores. Nesse ano, no entanto, especificamente no dia 27 de outubro, nascia uma das figuras que ajudou a consolidar o sonho de Harry Werner. Hoje, na sala do escritório de contabilidade, no Centro de Santa Cruz do Sul, Bruno Guilherme Müller, sentado em frente a uma parede repleta de livros, relembra a luta por um ideal.

12


Depois de 60 anos

D

ecorridas seis décadas desde a fundação, a atuação da Afubra está fortemente ligada à agricultura familiar, em especial com os fumicultores. Norteada pelo diálogo, postura pacífica e de fácil acesso, a entidade exerce forte liderança dentro do contexto da fumicultura, inclusive em nível mundial. O período de 60 anos de atividades contempla trabalhos pioneiros voltados, em especial, ao setor fumageiro. Auxílios às lavouras e à reconstrução de estufas, acompanhamento da comercialização, elaboração de custos de produção e participação no processo de negociação de preço são alguns dos serviços prestados.

A Afubra integra ainda o grupo que fomenta o Sistema Integrado de Produção, programa básico que planeja o cultivo de tabaco no sul do país. Sua principal característica é regular os aspectos quantitativo e qualitativo de cada safra. Devido a isso, o Brasil alcançou o primeiro lugar no tocante às exportações do produto, posição conquistada em 1993 e mantida até hoje. Comporta igualmente outras atividades de cunho institucional, como o recolhimento de embalagens de agroquímicos, prevenção contra o trabalho infantil e irregular, preservação e conservação ambiental e a defesa do setor como importante fonte de renda e empregos para o País. Também se inserem no avançado campo de trabalho da Afubra vários programas de orientação e fomento à diversificação de culturas e/ou atividades nas propriedades

rurais, através da Agro-Comercial Afubra, manutenção de um Centro de Pesquisas e Desenvolvimento para Diversificação da Agricultura Familiar, em Rincão del Rey, interior de Rio Pardo (RS), promoção e realização da Expoagro Afubra, feira agrícola especialmente voltada ao âmbito familiar rural, e o desenvolvimento do Projeto Verde é Vida, programa ambiental que interage com centenas de escolas, professores e estudantes de vários municípios da região Sul. No campo esportivo, apoia constantemente os campeonatos de futebol amador, prática bastante difusa nas comunidades interioranas, e, na área cultural, o apoio vem através do Coral da Afubra e do Coro Masculino da Afubra, grupos que são mantidos pela entidade.

Síntese: - Sistema Mutualista, que concede benefícios aos associados (auxílios mútuos, que cobrem os prejuízos causados pelo granizo e para reconstrução de estufas e funeral). - Defesa dos interesses dos fumicultores e da fumicultura nacional. - Participação no planejamento e nas orientações de produção. - Negociações que garantem mercado e preço mínimo. - Pagamento da produção logo após a entrega à indústria. - Levantamento dos custos de produção em todas as microrregiões que formam a área fumageira sul-brasileira. - Formação de banco de dados cadastrais e estatísticos sobre a produção brasileira e

mundial. - Incentivo à complementação de culturas, com orientações técnicas gratuitas e fornecimento de insumos certificados e implementos de qualidade. - Implantação e difusão de lavouras demonstrativas de culturas paralelas. - Incentivo à preservação de florestas nativas, prática do florestamento e reflorestamento e implantação e difusão de florestas energéticas. - Desenvolvimento do Projeto Verde é Vida, programa ambiental voltado à preservação e conservação da natureza. - Promoção e realização da Expoagro Afubra, feira agropecuária dirigida especialmente à agricultura familiar.

13


60 anos de um ideal

Diretoria e conselhos deliberativo e fiscal nos 60 anos

N

a data que marca os 60 anos de atividades, coincidentemente, a Afubra está sob o comando de um dos filhos do fundador. Benício Albano Werner, eleito pela primeira vez em 2007 e reeleito em 2011, é o primeiro membro da família, depois do pai, que ocupa a presidência da entidade. Completam a equipe executiva Romeu Schneider, como secretário, e Marcílio Laurindo Drescher, como tesoureiro.

14

Como suplentes da diretoria, Mário Ilo Grützmacher exerce a função de vice-presidente, Marco Antonio Dornelles, segundo-secretário, e José Sebold, segundo-tesoureiro.

O Conselho Deliberativo é presidido por Patrick Francis Fairon. Completam o quadro titular Evaldo Possamai, Mauro Flores, Ozi Gouvea de Andrade, Severino Simon, Thadeu Wensing e Valdir Storer. Como suplen-

te, consta Benjamin da Cunha.

Arsélio Renz, Heitor Álvaro Petry e Idacir José da Rosa formam o Conselho Fiscal titular. Na suplência, atuam João Francisco Bortoli e Ornélio Sausen. Pesar: Durante o transcurso da gestão dos 60 anos, que teve início em 2011, três membros vieram a falecer. São eles: Norberto Furbringer, Silvio José Moleta e Lauro da Silva.


Benício Albano Werner

S

Bons parceiros

ob o olhar atento do pai, cujo retrato estampa uma das paredes da sala da presidência, Benício Albano Werner procura encontrar palavras para definir um sonho de 60 anos. Para o filho do fundador, para quem acompanhou passo a passo, dentro e fora de casa, o dia a dia da associação, a tarefa de definir, e até mesmo sintetizar seis décadas, requer reflexão, responsabilidade e a cautela de não deixar nada pra trás, de não cometer injustiças. Para isso, cita apenas três nomes: Harry Antonio Werner, padre Emílio Backes e o professor Albino Pedro Sehnem. Antes da fundação, foram eles que se debruçaram sobre uma mesa, durante vários encontros, para rabiscar ideias e rubricas para definir objetivos, estatutos e os planos de trabalho da Afubra. Dos rabiscos que surgiram, coube a Bruno Müller, mais tarde, a formatação legal e o registro dos documentos. A preocupação pelo justo, pelo correto e pela procura das melhores palavras expõe, também, a filosofia da entidade, passada de gestão para gestão. De acordo com Benício, a Afubra pode ser considerada, hoje, o resultado de muito trabalho, dedicação e persistência, em especial da primeira diretoria.

O trabalho realizado em harmonia, de forma integrada, sustentado na colaboração mútua entre quadro social, colaboradores, diretoria e conselhos, mantém o sucesso da

15


60 anos de um ideal

associação. Cada detalhe e movimento são pensados com o intuito de estreitar os laços com o produtor rural, além de proporcionar o que há de melhor para o desenvolvimento no campo. Quem sabe seria esse o segredo para a vitalidade contagiante em seu 60º aniversário?

A estrutura moderna de que dispõe, somada ao comprometimento e à qualificação daqueles que fazem o cotidiano da organização, garantem o bom atendimento aos associados e clientes. De acordo com Benício, no auge dos seus 60 anos, a Afubra conta com

uma estrutura física adequada e moderna. A boa distribuição geográfica de suas unidades, nos três estados do Sul do Brasil, também garante comodidade a todos.

Parcerias: enquanto Harry Antonio Werner lutava, em 1955, para fundar a associação, seu filho Benício compartilha, atualmente, a luta pela garantia e continuidade da produção de tabaco, combatida fortemente por organizações antitabaco no Brasil e no mundo. Ao mesmo tempo, procura manter os objetivos iniciais voltados à segurança do associado, em casos de intempéries, e à

Romeu Schneider

Sempre em frente

E

ntre tantos nomes que construíram a história de 60 anos da Afubra, o de Romeu Schneider marca forte presença. Ele, que já foi gerente da primeira filial, em Rio Negro (PR), e vice-presidente por três mandatos, comemora as seis décadas de atividades como secretário da entidade. O posto já havia sido ocupado por ele de 1983 a 1987, passando a fazer parte na gestão seguinte do Conselho Deliberativo. Voltou à função de secretário em 2003, exercendo-a até hoje. Conforme Schneider, os propósitos da Afubra, voltados ao associativismo e à resolução de problemas dos produtores de tabaco, são mantidos desde sua fundação até os dias atuais. “Durante estes 60 anos, muitos acontecimentos mudaram rumos, mudaram fatos, mas os objetivos nunca foram abandonados. Sempre tiveram como foco a

16

sustentabilidade social e econômica da propriedade.

Para o presidente, a Afubra, ao longo das seis décadas, conseguiu criar laços duradouros com diversas instituições ligadas aos interesses do produtor rural, como sindicatos e federações. A defesa voltada aos produtores de tabaco, que precisou ser trabalhada nos primeiros anos, hoje está alicerçada em bases sólidas, assim como o trabalho voltado para a diversificação da propriedade rural, por meio de relações de cooperação e cordialidade.


ética, a honestidade, a transparência, o prag- houve avanço em relação à participação em matismo e a ação para que o planejado fosse organizações internacionais, com muito protagonismo. De acordo com Schneider, hoje, alcançado”, afirma. inclusive, a associação é uma das mais conPara tanto, o secretário destaca a grande sultadas quando o assunto é tabaco e diveroferta de soluções e aperfeiçoamentos, além sificação das pequenas propriedades. “Fado acompanhamento das evoluções tecno- zer parte desta evolução, como participante lógicas, com a preocupação em realizar ati- ativo durante os últimos 40 anos, é prova vidades de forma moderna. Prova disso, de dos acertos nas decisões importantes para acordo com o membro da diretoria, está no o crescimento desta organização. Estar prefato de a Afubra ter sido uma das primeiras sente nos momentos importantes do desenorganizações informatizadas no sul do Brasil. volvimento da entidade é um sentimento do dever cumprido, embora sinta que ainda há Ao mesmo tempo, durante as seis décadas, muito a contribuir”, afirma.

Marcílio Laurindo Drescher

Responsabilidade

O

tesoureiro Marcílio Laurindo Drescher expressa uma posição enfática sobre os 60 anos da entidade. Reconhecida mundialmente, a Afubra, dotada de mais de mil colaboradores diretos, possui grande responsabilidade: corresponder às expectativas de todos, principalmente de seus milhares de associados distribuídos pelo Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

Ele também destaca a importância do trabalho realizado de forma conjunta, diariamente, entre associados, diretoria, conselhos, entidades coirmãs e instituições públicas e privadas. Foi por meio dele que a confiança e a responsabilidade da Afubra, conforme diz Marcílio, foram construídas e consolidadas ao longo de seus 60 degraus de história. 17


60 anos de um ideal

SISTEMA MUTUALISTA Por onde tudo começou

D

as intempéries que devastavam as lavouras e das frustrantes caminhadas em busca de auxílios, surgiu o Sistema Mutualista. O plano propiciou novos caminhos à fumicultura sul-brasileira, principalmente pela cobertura em decorrência dos prejuízos causados pelo granizo e pelos sinistros em estufas. Passados 60 anos, o mutualismo perma18

nece como o carro-chefe das múltiplas atividades executadas e administradas pela Afubra. De cooperação mútua, pioneiro e ainda único em atividade no Brasil, o plano foi sendo aperfeiçoado ao longo dos anos. O último ajuste ocorreu em 2008, quando foi criada a Unidade Referencial Mutual (URM), indicador que define, atualmente, os cálculos dos benefícios e das contribuições.

A particularidade do Sistema Mutualista da Afubra é que ele difere totalmente de uma companhia de seguros. Trata-se de programa ligado a uma entidade de classe, sem fins lucrativos. Não há receita oriunda de prêmios, tampouco indenizações. O fundo vem de contribuições para, num sistema mútuo, repassar benefícios previstos em estatuto e em regulamento aprovados por uma assembleia, formada pelo próprio quadro social.


Mutualismo e C sua estruturação

om o aumento da demanda, que se acentuava a cada novo período, a Afubra montou estrutura própria para atender, com mais agilidade e precisão, os pedidos de inscrição e os avisos de sinistros. Internamente, surgiram os departamentos de Operações e Pesquisa e Estatística. Externamente, a Supervisão Técnica.

Operações

O departamento de Operações concentra os dados e controles do Sistema Mutualista, provenientes dos pedidos de inscrição e das fichas de avaliação referentes às lavouras atingidas por granizo e granizo e/ou tufão, danos em estufas e auxílios funerais. A equipe de colaboradores recebe os pedidos de inscrição e alimenta os sistemas de informática que garantem cálculos precisos sobre contribuições e pagamento dos auxílios aos associados.

Gerente: Laci Severo Sentimento: “Comprometimento com responsabilidade.”

19


60 anos de um ideal

Supervisão Técnica

Composta de avaliadores, coordenadores e inspetores, a Supervisão Técnica é responsável pelos trabalhos de avaliação dos sinistros que ocorrem em lavouras e em unidades de cura. Distribuídas por todas as regiões fumageiras do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, as equipes atuam conforme roteiros pré-elaborados e em áreas previamente determinadas, visando atendimento com o menor custo possível. Em casos de forte demanda, no entanto, as equipes se deslocam entre regiões, para atender mais rapidamente os registros de sinistros.

Oficina Mecânica Subordinada à Supervisão Técnica, a Oficina Mecânica responde pela manutenção preventiva da frota de veículos da Afubra. Pequenos serviços corretivos também integram o cotidiano da equipe, bem como controles de quilometragem de cada unidade para substituição de itens básicos (óleos, velas, filtros, amortecedores, pneus) em tempo hábil, fatores que elevam a segurança e a vida útil de cada equipamento. 20

Gerente: Iraldo Backes

Sentimento: “Sinto-me satisfeito e orgulhoso pela oportunidade de dedicar 39 anos de trabalho à entidade, principalmente pelo reconhecimento vindo dos associados, que assimilo com muita humildade.”


Pesquisa e Estatística

O departamento de Pesquisa e Estatística tem dois propósitos básicos. O primeiro se relaciona a controles internos sobre a atuação da equipe ligada à Supervisão Técnica. Produção individual, custos de alimentação e hospedagem e desempenho da frota de veículos são alguns dos aspectos avaliados a cada safra. O segundo é a formação e o registro de dados sobre a fumicultura. Volumes colhidos, custos operacionais, tabela de preços e dados sobre exportações, faturamento e geração de tributos são alguns dos itens pesquisados. Trata-se, atualmente, do maior banco de dados sobre a fumicultura brasileira e mundial. Gerente: Paulo Vicente Ogliari

Sentimento: “Neste momento histórico da Afubra, sintome feliz e muito agradecido pelo aprendizado e pela oportunidade de crescimento profissional ao longo dos vários anos que atuo na entidade.”

21


60 anos de um ideal

AGRO-COMERCIAL AFUBRA LTDA. E

mbora hoje a fumicultura se traduza no principal produto agrícola da maioria dos municípios onde é cultivada, a atividade surgiu como opção de diversificação. Santa Cruz do Sul, município que se identifica como berço do cultivo de tabaco no Sul do Brasil, viu nascê-la por obra do acaso. Os imigrantes tinham, como propósito, a produção de alimentos, primeiramente voltados à subsistência, para depois destinar o volume excedente à venda.

22

A produção maior de milho, feijão, batata, Sul do Brasil. banha e outros, no entanto, não encontrava compradores. Quando sim, o preço ofereci- A prática da diversificação, por sinal, sempre fez parte da história da Afubra. Além do era praticamente irrisório. de estar inserido entre os seus objetivos, o Com isso, a produção de tabaco galgou pas- incentivo a cultivos diversos veio logo após sos. E diante da renda que gerava, rumou a superado o período de estruturação. E ficou passos largos para outras regiões. Mesmo ainda mais contundente com a criação do assim, o cultivo de alimentos e a criação de Departamento de Fomento Agropecuário, animais permanecem como uma forte ca- em 1960, e com a implantação da subsidiáracterística da propriedade fumageira do ria Agro-Comercial Afubra, em 1994.


De portas abertas

Agro-Comercial Afubra: Romeu, diretor-presidente,...

...Marcílio, diretor-administrativo,...

...Benício, diretor-financeiro.

J

possível adquirir móveis, eletrodomésticos, produtos voltados ao lazer, tintas, eletroeletrônicos, acessórios para pets, ferramentas, brinquedos, bazar, mudas produzidas no Centro de Pesquisa para Desenvolvimento da Agricultura Familiar, em Rincão Del Rey, Rio Pardo (RS), entre outros. O abastecimento das unidades é realizado por duas Centrais de Distribuição, localizadas em Santa Cruz do Sul (RS) e em Mafra (SC).

Em janeiro de 1994, surgiu a subsidiária Agro-Comercial Afubra Ltda. A partir de então, teve início um processo de expansão, com participação ativa no mercado. Vinte anos depois o faturamento de todas as unidades chegou a R$ 335 milhões. Fruto de comprometimento e muito trabalho dos 794 colaboradores que desempenham suas funções exclusivamente nas lojas (no total, a Afubra conta com um quadro de 1.042 funcionários).

á é tradição, em Santa Cruz do Sul (RS). Na época de Natal, as portas da loja da Afubra, na matriz, se abrem para a arte. Duas noites são reservadas para que o coral e o coro da entidade possam emocionar diferentes públicos, desde o mais jovem ao mais experiente. Mas além de proporcionar esses momentos de harmonia, de paz, quando tudo parece passar tão depressa, a Agro-Comercial também encanta durante todo o ano. Nos três estados da região Sul do País, a Afubra conta com 24 estabelecimentos comerciais. São quatro no Paraná, oito em Santa Catarina e doze no Rio Grande do Sul, dois deles como postos de venda. A caçula da rede passou a receber clientes no fim de novembro de 2014, no bairro Ana Nery, em Santa Cruz do Sul. Por lá, assim como nas outras unidades, é

Apesar de toda essa variedade, 60% do faturamento das lojas provêm da venda de produtos voltados à agricultura e à pecuária. Aliás, toda a história da Agro-Comercial Afubra começou com a criação do Departamento de Fomento Agropecuário, por meio do qual eram oferecidos sementes, insumos, implementos agrícolas e orientação técnica gratuita de técnicos agrícolas e de engenheiros agrônomos e florestal.

Mesmo com a alteração para empresa comercial, o objetivo delineado no início permaneceu: incentivar a diversificação e dar o suporte necessário para tal. Tanto na matriz como nas filiais, equipes técnicas promovem a difusão de tecnologias por meio de assistência, com o esclarecimento de dúvidas e orientações, além da realização de vendas externas. As equipes de cada unidade preo23


60 anos de um ideal

cupam-se sempre em estar atentas às necessidades dos produtores e associados, bem como do consumidor urbano.

Na entidade há 40 anos (31 deles na diretoria, onde ocupa atualmente o cargo de secretário), o diretor-presidente da Agro-Comercial Afubra, Romeu Schneider, se diz realizado por poder fazer parte de 60 anos de boas histórias, em especial da área co-

todo o momento, nacional e internacionalmente. Além dos endereços tradicionais, a Agro-Comercial Afubra, desde a sua criação, vem participando ativamente em feiras, como a Oktoberfest, em Santa Cruz do Sul, Mesmo diante de todo esse crescimento, Fenachim, em Venâncio Aires, Fenarroz, em segundo Romeu, ainda há muitas perspec- Cachoeira do Sul (RS), além de outras. Tem tivas. Para isso, o segmento necessita cami- igualmente participado como destaque da nhar junto da evolução técnica da agricultu- Expoagro Afubra desde a primeira edição, ra, acompanhar as novidades e buscá-las a ocorrida em 2001. mercial. Nos últimos dez, por sinal, destaca feitos realizados, como a ampliação da loja matriz e da unidade de Venâncio Aires (RS), e a abertura de novas filiais.

As atuais unidades comerciais Matriz Desde os tempos de Departamento de Fomento Agropecuário, a loja matriz atendia os associados e clientes na Rua Júlio de Castilhos, 1.021, no centro de Santa Cruz do Sul. Com o aumento da demanda, as áreas destinadas para depósito, situadas ao lado, foram demolidas para edificação de novo prédio. Surgia a nova loja da Afubra, inaugurada

SANTA CRUZ DO SUL (RS) no dia 16 de novembro de 2004, com frente para a Rua Carlos Trein Filho. O antigo espaço passou por reformas, sendo reincorporado ao ambiente menos de um ano depois. Com isso, a loja passou a ter dois acessos. Além disso, os clientes começaram a usufruir de amplo estacionamento coberto, situado na parte térrea do complexo comercial.


Gerente loja segmento agrícola: Elias Birnfeld

Sentimento: “Sinto-me cúmplice do esforço contínuo de muitas pessoas, cujo trabalho prosperou com muito sucesso ao longo de seis décadas. Sou muito grato à Afubra e levo o sentimento de retribuir aos clientes e associados a confiança em nosso trabalho, com princípio e valores que alicerçam a empresa.”

Gerente loja segmento urbano: Nádia Beatriz Rohr Sentimento: “Sinto muito orgulho por acompanhar o crescimento e desenvolvimento da organização, fruto da dedicação e do trabalho em grupo.”

Oficina de Máquinas Ligada à gerência da Loja Matriz, a Oficina de Máquinas presta assistência técnica para determinada linha de produtos comercializados pela rede de lojas. Entre eles, estão equipamentos movidos à combustão, como motosserras, máquinas de cortar grama e roçadeiras. Devidamente autorizada, a equipe, seguidamente, passa por treinamento nas fábricas dos fornecedores. 25


60 anos de um ideal

Setor Agronômico Vinculado à área agrícola, o Setor Agronômico é responsável pela orientação e correta utilização de agroquímicos, prescrição de receituário e manejo técnico de lavouras, através de orientação gratuita de alto nível. O trabalho é feito por equipe profissional, fator que promove o crescimento sustentável da agricultura e a tornam referências técnica e ética nas regiões onde a Afubra atua.

A expansão

D

iante do aumento da área de atuação, a sede da entidade ficava cada vez mais distante do quadro social. Com isso, planos foram traçados para atender aos produtores que moravam em regiões mais longínquas.

A meta passou a ser implantada a partir de 1966, com a aquisição do primeiro imóvel próprio (anterior à sede da matriz) e abertura da primeira filial. Por conta disso, a unidade de Rio Negro, no Paraná (foto ao lado), é considerada um marco dentro da história da Afubra. Ali também começou a trajetória do diretor-presidente da Agro-Comercial Afubra dentro da entidade. No local, Romeu Schneider exerceu o papel de gerente por nove anos.

26

Superado o primeiro passo, outros pontos foram abertos com o decorrer do tempo. Além da aproximação, eles oferecem atendimento mais qualitativo e estreitam os laços com os produtores de tabaco e com as comunidades onde a Afubra atua.


Rio Negro

A primeira filial foi aberta em 12 de fevereiro de 1966. Ela está situada na Rua Carlos Schneider, 3475, no bairro Bom Jesus, mesmo endereço desde o início das atividades. A estrutura, no entanto, não é mais a mesma. No dia 22 de março de 2004, houve a reinauguração da unidade, com a construção de novo prédio de 2 mil m².

Gerente: Andréia de Melo

Sentimento: “Sinto orgulho de estar à frente de uma empresa respeitada e admirada. Também expresso imensa gratidão pela acolhida, pela valorização e pelas ótimas condições de trabalho, o que me concede crescimento profissional e fortifica meus conhecimentos e experiências.”

PARANÁ


60 anos de um ideal

Imbituva

PARANÁ

A unidade foi inaugurada no dia 10 de abril de 1991. Ela se situava, inicialmente, na Rua Joaquim Marcondes Pupo, 555, em prédio locado. Pouco tempo depois, contudo, ocorreu a aquisição de terreno e a construção de sede própria, na Rua Jacob Brenner, 830, onde está localizada até hoje.

Gerente: Lázaro Ramon Böck

Sentimento: “Neste momento histórico, sinto-me muito orgulhoso e lisonjeado por fazer parte do quadro de gestores de uma empresa sólida, essencialmente correta e que busca fazer sempre o melhor aos seus associados e clientes.”

28


Irati

PARANÁ

Aberta no dia 19 de novembro de 1996, a unidade iniciou suas atividades em prédio alugado, na Rua Coronel Garcia, 516. Logo depois, foi transferida para outro prédio locado, na Rua Coronel Emílio Gomes, 399, espaço bem mais amplo em relação ao anterior. Depois disso, o prédio, agora próprio, sofreu intervenções, o que trouxe mais conforto e comodidade à comunidade.

Gerente: João Paulo Perussolo

Sentimento: “Sessenta anos de muito trabalho e dificuldades, que foram sendo superadas diante do empenho e dedicação de homens e mulheres de muita fibra, com o objetivo de atingir o objetivo comum: a segurança de produtores e dos clientes em geral. Diante disso, sinto orgulho e muita satisfação por integrar esta grande família.”

29


60 anos de um ideal

Francisco Beltrão

PARANÁ

A quarta unidade em terras paranaenses foi inaugurada no dia 17 de dezembro de 2009. Situada na Av. Duque de Caxias, 199, bairro Alvorada, as dependências próprias somam uma área de 2.678 m².

Gerente: Atacir Nicolodi

Sentimento: “Neste momento significativo, manifesto minha gratidão pela oportunidade de contribuir com a entidade na defesa dos interesses de milhares de pequenas famílias. Tenho 41 anos de idade, quase metade deles dedicados à Afubra. Obrigado pela confiança e votos de muitos anos futuros.”

30


Rio do Sul

SANTA CATARINA

A primeira filial aberta em solo catarinense, em sede própria na Rua XV de Novembro, 540, bairro Laranjeiras, ocorreu no dia 16 de fevereiro de 1974. Uma casa situada em frente, inicialmente alugada como depósito, permitiu a construção de nova loja. A reinauguração do espaço, situado na mesma rua, mas agora sob o número 549, ocorreu no dia 30 de agosto de 1992.

Gerente: Armelita de Pin Laux

Sentimento: “Do primeiro até o presente momento, são muitas histórias de dedicação, aprimoramento, modernização e ética de milhares de pessoas dispostas a construir uma entidade forte, o que fez dela uma referência no país e no mundo. Como participante ativa durante muitos anos, sinto-me extremamente honrada.”

31


60 anos de um ideal

Tubarão

SANTA CATARINA

Com sede própria, na Av. Patrício Lima, 1061, no bairro Humaitá, a filial foi aberta no dia 30 de abril de 1975. Mais tarde, a unidade foi reformulada, o que motivou uma reinauguração, ocorrida no dia 18 de maio de 1996.

Gerente: Patric Marciano Barp

Sentimento: “Sinto-me feliz, lisonjeado e honrado por fazer parte desta maravilhosa empresa. Testemunhar uma parte de seus 60 anos, que me permitiu presenciar o intenso trabalho em prol de seus milhares de associados e clientes, é muito gratificante. Parabéns, Afubra, pela data histórica.”

32


Araranguá

SANTA CATARINA

A unidade foi inaugurada no dia 17 de maio de 1985. Ela está localizada na Alameda Antônio Alves da Silva, 474, bairro Cidade Alta.

Gerente: Leandro Richard da Silva

Sentimento: “Para quem só tem esta organização como local de trabalho e de experiência profissional, sinto-me como um pequeno tijolo na construção desta grande obra, que defende a agricultura, em especial os fumicultores, e as comunidades onde atua. É motivo de orgulho e satisfação, portanto, presenciar, juntamente com toda a família Afubra, mais esse momento de grande simbolismo e significado na vida da entidade.”

33


60 anos de um ideal

Herval D’Oeste

SANTA CATARINA

As instalações da filial foram inauguradas no dia 23 de maio de 1986. Ela está situada na Rua Nereu Ramos, 2, centro da cidade. Mais tarde, o local foi alvo de ampliações e reformas, o que motivou uma reinauguração, ocorrida no dia 12 de abril de 2008.

Gerente: José Carlos Kucher

Sentimento: “Com foco sempre voltado à missão e princípios, sinto-me gratificado, assim como meus colegas de casa, por fazer parte do quadro funcional da entidade, principalmente neste momento especial.”

34


São Miguel do Oeste

SANTA CATARINA

Situada no ponto extremo do oeste catarinense, próxima à divisa com a Argentina, a unidade iniciou suas atividades no dia 15 de maio de 1995, em prédio próprio. Ela está situada na Rua Santos Dumont, 230, no centro da cidade.

Gerente: Cleuze Facchin Martins Pinto

Sentimento: “Sinto orgulho de fazer parte dessa equipe. Para mim, a data que marca seus 60 anos significa mais uma grande vitória. Também me sinto feliz porque faço parte desta história há vários anos, o que permitiu que pudesse acompanhar parte da evolução da entidade, o que me leva a admirá-la e dedicar-me cada vez mais ao trabalho que aqui desempenho.”

35


60 anos de um ideal

Ituporanga

SANTA CATARINA

A história dessa filial começou em 15 de julho de 1997, em prédio alugado, junto ao Müller Palace Hotel, na Rua 14 de Fevereiro, 19. Com aquisição de local próprio, o endereço passou para Rua Presidente Nereu, 1039, na área central da cidade. A reinauguração ocorreu no dia 10 de novembro de 2008.

Gerente: Zeli de Lurdes Mees

Sentimento: “Sinto forte orgulho e alimento enorme gratidão pelo aprendizado e compartilhamento de dados dentro de uma empresa reconhecida pela ética, honestidade, comprometimento e respeito. Em minha trajetória, descobri que o segredo do sucesso é a constância do propósito. Mas o sucesso só é permanente quando se descobre o segredo de lidar e conviver harmoniosamente com milhares de pessoas.”

36


Mafra

SANTA CATARINA

A unidade foi inaugurada no dia 26 de agosto de 1997. Ela se situava, inicialmente, na Rua Felipe Schmidt, 236, em prĂŠdio locado. Em 2014, ainda em local alugado, se transferiu para o nĂşmero 577 da mesma rua.

Gerente: A mesma da filial de Rio Negro (PR)

37


60 anos de um ideal

Braço do Norte

SANTA CATARINA

A filial foi aberta no dia 23 de abril de 1998, primeiramente em prédio alugado, situado na Rua Sen. Nereu Ramos, 1573. Depois, foi transferida para a Rua Bernardo Locks, 246, em prédio igualmente locado. A aquisição de área central, situada na Av. Felipe Schmidt, 1073, permitiu a construção de prédio próprio. A reinauguração ocorreu no dia 17 de março de 2009.

Gerente: Venício Aguiar Ascari

Sentimento: “Desde criança, ouvia meus pais falarem da entidade. Hoje, como integrante da organização, sinto orgulho, alegria e satisfação por fazer parte de uma parte de sua história, testemunhando seu crescimento e sucesso. Agradeço pela oportunidade e a parabenizo pelos 60 anos de história.”

38


Venâncio Aires

RIO GRANDE DO SUL

O maior município produtor de tabaco do Brasil recebeu uma filial da Afubra no dia 29 de setembro de 1983. Ela se situava na Rua Voluntários da Pátria, 945. Em 1987, a sede foi transferida para a Rua Osvaldo Aranha, 1659. Recentemente, as instalações foram ampliadas e reformadas, o que motivou sua reinauguração, ocorrida no dia 12 de novembro de 2014.

Gerente: Tiago Maracci

Sentimento: “Sinto-me lisonjeado por fazer parte da grande família Afubra neste momento tão especial. Parabéns pelos 60 anos de transparência e credibilidade.”

39


60 anos de um ideal

Camaquã

RIO GRANDE DO SUL

Foi inaugurada no dia 10 de abril de 1990, inicialmente em prédio alugado, situado na Rua Bento Gonçalves, 141. Com a aquisição de área própria, a sede foi transferida para a Rua Pinheiro Machado, 564, centro da cidade. A filial também responde pelo posto de vendas de Dom Feliciano, situado na Rua Tiradentes, 250.

Posto de Dom Feliciano

Gerente: Marcelo Adriano da Silva

Sentimento: “Que o caminho percorrido nestes 60 anos sirva de base para tantos outros anos que virão. Sinto-me feliz por fazer parte desta história de sucesso e credibilidade.”

40


São Lourenço do Sul

RIO GRANDE DO SUL

A loja abriu suas portas no dia 1º de outubro de 1996, em prédio alugado, na Rua Coronel Alfredo Born, 569. Depois, mudou-se para o número 679 da mesma rua, também locado. No dia 4 de dezembro de 2006, transferiu-se para prédio próprio, situado na esquina da Rua Coronel Alfredo Born e Av. Garibaldi.

Gerente: Margarida Bubolz

Sentimento: “É difícil encontrar palavras que expressem minha emoção neste momento tão especial. O que posso dizer é que sinto grande orgulho de integrar esta grande família. Parabéns a todos.”

41


60 anos de um ideal

Cachoeira do Sul

Posto de Paraíso do Sul

RIO GRANDE DO SUL

A loja foi aberta oficialmente no dia 3 de dezembro de 2004. Ela está localizada na Rua Saldanha Marinho, 1393, no centro da cidade. A filial também é responsável pelo posto de vendas de Paraíso do Sul, situado na Av. 1º de Janeiro, 1377.

Gerente: Fábio Renato da Silva

Sentimento: “Sinto grande orgulho e satisfação por fazer parte desta grande família, principalmente pelo fato de ter iniciado minha carreira profissional na Afubra aos 17 anos. Ao mesmo tempo que agradeço pela oportunidade de desenvolverme profissionalmente, tenho sempre em mente o ideal Afubra, procurando representá-lo dignamente e desenvolver ações e projetos com muita dedicação em prol das comunidades onde atuamos.”

42


Sobradinho

RIO GRANDE DO SUL

A unidade foi inaugurada no dia 4 de dezembro de 2007, utilizando-se de prédio locado. Com aquisição de espaço próprio, a filial se transferiu para a Rua Januário Pio Lazzari, 418, bairro Maieron, no dia 19 de maio de 2014.

Gerente: João Paulo Porcher

Sentimento: “Nesse momento histórico, é um privilégio integrar a família Afubra, principalmente pelo cultivo de valores sadios e pelos laços afetivos que criamos com as pessoas que nos cercam. No momento, identifico-me demasiadamente com essa maravilhosa empresa, que carinhosamente chamo de nossa segunda família..”

43


60 anos de um ideal

Arroio do Tigre

RIO GRANDE DO SUL

A segunda unidade da região centro-serra do Vale do Rio Pardo foi inaugurada no dia 12 de dezembro de 2007. Ela se localiza na Rua 25 de Julho, 195, na área central da cidade. O prédio é locado.

Gerente: o mesmo da filial de Sobradinho (RS)

44


Canguçu

RIO GRANDE DO SUL

O início das atividades ocorreu no dia 13 de outubro de 2010. O prédio próprio de 3.300 m² está situado na Rua General Osório, 596, na área central da cidade.

Gerente: Daniel Holz Prestes

Sentimento: “A Afubra chega aos 60 anos fazendo história e deixando sua marca de seriedade e apoio ao fumicultor. Para mim, integrar seu quadro de gestores é uma realização pessoal e profissional, visto que estou ajudando a construir parte da história da entidade, ou seja, estou participando daqueles raros momentos que ocorrem em nossa vida, aqueles que fazem a diferença.”

45


60 anos de um ideal

Candelária

RIO GRANDE DO SUL

Localizada na Rua 15 de Novembro, 493, a inauguração da unidade ocorreu no dia 4 de outubro de 2012. A área de 750 m² é locada e se situa no centro da cidade.

Gerente: Sinésio Mueller

Sentimento: “Integrar a família Afubra neste momento histórico, principalmente pelas suas lutas e conquistas em defesa da fumicultura e das ações em prol das comunidades, é motivo de muito orgulho, tanto pessoal como profissional. Expresso meu reconhecimento e agradecimento a todos que construíram estes 60 anos de história.”

46


Santa Cruz do Sul

RIO GRANDE DO SUL

A caçula das unidades da Afubra foi inaugurada no dia 27 de novembro de 2014. Ela está situada na Av. Euclides Nicolau Kliemann, 369, no bairro Ana Nery. O prédio próprio tem em torno de 2.400 m² e conta com estacionamento coberto.

Gerente: Roberto Luedke

Sentimento: “Com a alma alegre, fruto da consciência que o trabalho realizado dá sentido à existência e que nos impulsiona para um futuro promissor, expresso meu orgulho de integrar a família Afubra neste momento histórico.”

47


60 anos de um ideal

Gerência Comercial

C

om a expansão da rede de lojas, a Agro-Comercial Afubra criou o cargo de Gerente Comercial. Ser o elo entre Diretoria e as gerências das filiais é sua principal função. Também trabalha com vendas, estoques e resultados.

Na administração, fomenta o acompanhamento, a variação e a pesquisa-padrão de preços, assim como a margem de contribuição, índices de participação e dos custos das vendas externas.

Em conjunto com as gerências das lojas, organiza o calendário de promoções e realiza a projeção orçamentária anual. Na área de estoques, busca o equilíbrio entre o que está disponível nos depósitos e o que é vendido, tarefa executada em conjunto com a Controladoria.

Gerente: Ricardo Senger Michel

Sentimento: “Fazer parte da organização neste momento tão importante é motivo de muito orgulho, alegria e satisfação. Grandes profissionais passaram, estão e passarão por aqui. Fico grato e muito feliz por estar fazendo parte desta grande história. Que venham muitos e muitos anos mais.”

Departamento de Controladoria

C

om a missão de prestar apoio à Gerência Comercial, o departamento atua como facilitador de vendas e regulador de estoques. As atividades incluem remanejamento de produtos, reservas de mercadorias vendidas pelas lojas, cadastro de mercadorias, fornecedores e transportadores, fechamento diário e mensal de estoques e processos de inventário. Também elabora planilhas e relatórios para análises gerenciais.

48

Gerente: Marco Simch

Sentimento: “Neste momento de congraçamento, integrar o quadro de gestores é motivo de satisfação, principalmente pelo convívio com princípios éticos e íntegros. A Afubra também me proporciona dignidade pessoal e familiar e muito aprendizado, o que facilita o trabalho que direcionamos aos associados, clientes e comunidades ligados à entidade.”


Departamento de Compras

O

departamento é responsável pela aquisição, reposição e gestão das mercadorias de 16 segmentos que recheiam as prateleiras da rede de lojas da Agro-Comercial Afubra. O processo de compra contempla tomada de preços, prazos de entrega, condições de pagamento, qualidade dos produtos e assistência técnica. A equipe também está atenta às novidades, o que motiva visitas a fábricas e cursos de aperfeiçoamento. O sistema de compras é totalmente informatizado, o que garante o controle dos estoques junto às centrais e nas lojas.

Gerente: Sílvio Clóvis Genehr

Sentimento: “Quando dirijo meu pensamento para aquele velho galpão de madeira, onde tive a felicidade de iniciar minha carreira de aprendizado, sinto um grande orgulho pelos 43 anos dedicados à entidade, hoje reconhecida internacionalmente, bem como tive a honra de participar durante 15 anos de sua diretoria.”

Departamento de Logística

N

a teoria, o Departamento de Logística representa a contabilidade, organização e planejamento de produtos estocados dentro de uma organização. Na prática, o trabalho vai muito além disso. Trata-se de uma ciência que administra o armazenamento, distribuição e manutenção dos vários tipos de mercadorias destinadas à venda ou consumo.

Com o aumento das áreas de atuação, o departamento passou a ser uma parte essencial dentro da Agro-Comercial Afubra. Ele é responsável pela gestão dos produtos estocados nas duas centrais de distribuição e pela distribuição e transporte entre as diversas unidades da organização.

Logística: equipe administrativa Gerente: Marco Antonio Werner

Sentimento: “Sinto-me gratificado pelo aprendizado que conquistei ao longo de mais de vinte anos. Por conta disso, devo a esta magnífica organização o profissional que sou hoje. Também acompanhei a criação do Departamento de Logística, o que me permitiu forte amadurecimento profissional. Além disso, tive o privilégio de participar de 40% dos 60 anos de existência da Afubra, o que me possibilitou participar ativamente de sua verdadeira transformação.”

49


60 anos de um ideal

Centrais de Distribuição de Mercadorias CD Mafra

CD Santa Cruz do Sul

P

ara fazer frente à crescente demanda de mercadorias, gerada pelo incremento da rede de lojas, a Afubra dispõe de dois Centros de Distribuição (CDs), um em Santa Cruz do Sul (RS), em prédio próprio, e outro em Mafra (SC), em prédio locado. Instalado em uma área de 22,6 hectares, o Centro de Distribuição de Santa Cruz do Sul

50

comporta 54 colaboradores diretos, entre auxiliares, assistentes, encarregados, motoristas, operadores de empilhadeira e subgerente. Eles atendem as lojas situadas no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e no Paraná.

de segurança e utilizam recursos naturais renováveis e sustentáveis, promovendo a preservação e conservação do ambiente.

Um exemplo é o telhado, projetado para aproveitar ao máximo a luz natural, fator Em operação desde 2011, o prédio de 21 que reduz o consumo de energia elétrica. O mil m², localizado no Distrito Industrial, foi mesmo acontece com as águas das chuvas, construído com base em tecnologias moder- que são recolhidas para um açude, com canas, que reduzem custos, ampliam quesitos pacidade para 7 milhões de litros, e uma cis-


Equipe CD Santa Cruz do Sul

Equipe CD Mafra

terna, de 35 mil litros. Os dois reservatórios abastecem hidrantes, irrigam gramados e jardins, lavam equipamentos e asseiam os sanitários do local.

Para os processos de recebimento e expe-

dição, o CD santa-cruzense possui 18 docas. Do montante, três possuem niveladoras para caminhões terceirizados, uma vez que todos os veículos próprios possuem plataformas elevatórias. Além disso, a unidade dispõe de transformador e gerador de ener-

gia de 300 KWAs; sala de baterias segregada do prédio principal, onde estão à disposição carregadores e baterias reservas para utilização em equipamentos elétricos e sistema de armazenagem com 12 mil posições paletes, podendo chegar a 35 mil, se necessário. 51


60 anos de um ideal

Além disso, o CD possui empilhadeiras elétricas e GLP, paleteiras elétricas e manuais, encarteladora, estrechadora automática, lavadora e varredeira elétricas (utilizadas na limpeza interna), micro-trator (adaptado com roçadeira), trator de cortar grama, máquina de cortar grama à gasolina, roçadeiras, coletores de dados (para operação de todas as atividades que compõem o processo logístico de mercadorias) e uma frota própria de veículos, composta por carros, camionetes, caminhões pesados e extra-pesados (toco, truck e cavalos mecânicos) e semi-reboques.

Assim como ocorre em Santa Cruz do Sul, no município catarinense de Mafra, a equipe da Afubra procura desenvolver as atividades logísticas com eficiência e eficácia, atendendo os clientes internos e externos através de uma gestão competente, utilizando de forma responsável recursos humanos, físicos e tecnológicos que geram resultados positivos para a organização, princípios que, por sinal, foram estabelecidos como sua missão. Nessa unidade, que atende as lojas de Santa Catarina e, eventualmente, do Paraná, 24 colaboradores executam suas tarefas em uma área total de 7 mil m2. Por lá, estão à disposição quatro docas de recebimento e expedição, sendo uma delas niveladora.

52

O sistema de armazenagem possui 3,5 mil posições paletes, sendo utilizados, também, racks e paletes para empilhamento blocado, assim como ocorre no CD santa-cruzense. A estrutura de Mafra conta, ao mesmo tempo, com empilhadeiras GLP, paleteiras elétricas e manuais, encarteladora, lavadora elétrica, varredeira à combustão, máquina de cortar


grama, roçadeira e coletores de dados. A frota interna de veículos possui veículo utilitário, caminhão toco, cavalos-mecânicos e semi-reboques.

Os Centros de Distribuição da Afubra têm como visão serem uma referência de qualidade nas operações logísticas, com elevado nível de serviço, sendo um diferencial competitivo e contribuindo para o crescimento sustentável da organização. Contemplam, no cotidiano, três processos básicos - recebimento, armazenagem e expedição interna e externa - e dois secundários - inventário e tratamento de avarias.

53


60 anos de um ideal

ÁREA CORPORATIVA

D

esde os primeiros anos de existência, a Afubra enfoca a ideia que o produtor rural precisa dedicar-se a cultivos e/ou atividades diversas, principalmente no tocante à própria subsistência, assim como de seus familiares. Os riscos de quem se dedica quase que exclusivamente à monocultura, portanto, sempre foram motivo de 54

ações por parte da entidade, iniciadas logo ambiente, da educação, do social e cultural. após a fundação e que persistem até hoje. Além disso, a equipe corporativa também Gerenciado pelo Departamento de Assuntos participa de fóruns, comitês, conselhos e Corporativos, o trabalho, que você verá nas de câmaras técnicas, bem como firma conpáginas seguintes, contempla o incentivo e vênios e termos de cooperação técnica com a realização de ações voltadas à promoção órgãos governamentais e instituições prido desenvolvimento rural, da economia, do vadas.


Unidos por uma boa causa Departamento de Assuntos Corporativos

O

Departamento de Assuntos Corporativos surgiu com o propósito de organizar e reunir as ações de apoio aos produtores rurais associados. Por conta disso, ele concentra as ações desenvolvidas pela Afubra que vão ao encontro da missão e visão da entidade de proporcionar bem estar aos associados, aos clientes e às comunidades, assim como de fortalecer as relações institucionais e a defesa do quadro social perante as instâncias governamentais.

O departamento agrega, atualmente, diferentes ramificações de cunho institucional, umas já existentes antes de sua criação, outras que surgiram depois. São elas: o Departamento Agroflorestal, Centro de Pesquisa para Desenvolvimento da Agricultura Familiar, Expoagro Afubra, Projeto Verde é Vida, Departamento de Eventos e os grupos culturais Coral e Coro Masculino da Afubra. Cada uma possui suas responsabilidades, sendo que algumas contam com gerência e equipe de trabalho própria. Além dos colaboradores da casa, o desenvolvimento das atividades também é realizado, muitas vezes, em conjunto com entidades parceiras. Boas relações são valorizadas para a garantia de resultados mais satisfatórios. Por sua vez, os convênios são estabelecidos com o objetivo de ampliar o leque de medidas em prol dos agricultores. Entre as instituições, estão o Instituto Bra-

Gerente (também 2o Secretário da entidade): Marco Antônio Dornelles

Sentimento: “Baseado na relação pessoal, principalmente com produtores rurais, sinto muito orgulho de fazer parte desta história, visto que a Afubra é sinônimo de confiança e de simplicidade. Pelo fato de ter sido fundada por agricultores familiares, estes princípios também foram seguidos na relação com as instituições que trabalham com os agricultores e que tem os mesmos objetivos da Afubra. Dentro deste contexto, o trabalho é desafiador, mas que, ao mesmo tempo, traz satisfação por estar contribuindo como profissional e como pessoa dentro deste grande grupo.”

sileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Associação de Turismo da Região do Vale do Rio Pardo (Aturvarp), Associação Gaúcha de Empresas Florestais (Ageflor), Câmara Setorial da Silvicultura, Conselho Municipal de Desenvolvimento Agropecuário de Santa Cruz do Sul (Comdap), Central de Abastecimento do Rio Grande do Sul - Regional de Santa Cruz do

Sul (Ceasa), Conselhos Municipais de Meio Ambiente, Comitê Pardo, Conselho Regional de Desenvolvimento da Região Sul (Corede), Agência Gaúcha de Desenvolvimento e Promoção do Investimento (AGDI), Associação Santa-cruzense de Feirantes (Assafe), entre outras.

Como entidade de defesa dos produtores 55


60 anos de um ideal

de tabaco, a Afubra foi peça fundamental para a criação de políticas públicas a favor da agricultura familiar. Dia a dia a entidade desempenha papel importante para que todos tenham acesso às oportunidades. Em 2014, por exemplo, teve participação na criação da Cartilha de Manejo Sustentável das Propriedades Rurais e o Respeito ao Meio Ambiente, em parceria com o Ibama. Entre as principais atividades em execução, figuram a divulgação de novas tecnologias,

difusão de conhecimento, gerenciamento de insumos na propriedade, questões energéticas, como o Programa de Biodiesel, gerenciamento de viveiros nos três estados do Sul do Brasil, além da realização de cursos de viveiristas em Santa Cruz do Sul (RS), promoção de dias de campo e reuniões periódicas em nível municipal, regional e estadual. Também participa de projetos e programas que beneficiam os associados da entidade e

os agricultores de maneira geral. A atuação mais contundente, neste momento que comemora 60 anos de atividades, está ligada ao programa Agroindústria e Alimentos da Agricultura Familiar do Vale do Rio Pardo (APL/VRP), que surgiu em 2012, por força de edital, publicado pelo Governo do Rio Grande do Sul. Desde sua criação, a Afubra atua como entidade gestora do plano de trabalho e dos recursos destinados para o fortalecimento e desenvolvimento das agroindústrias familiares do Vale do Rio Pardo.

Departamento Agroflorestal

A

o longo de sua história, a Afubra sempre incentivou ações voltadas a atividades paralelas ao tabaco e à sustentabilidade das propriedades rurais. Para isso, mantém o Departamento Agroflorestal, cuja equipe está sempre atenta às novas tecnologias, principalmente sobre produtos e

56

Gerente: Juarez Iensen Pedroso Filho.

serviços, na otimização dos investimentos e nos resultados oriundos de diversas atividades agrícolas. Também promove dias de campo, reuniões técnicas, encontros de negócios, parcerias e treinamentos entre fornecedores e produtores e participa de feiras e eventos voltados a esse fim.

Sentimento: “A Afubra encanta pela sua história, competência e perseverança no auxílio às demandas de seu quadro social. A minha participação, embora ainda pequena, concede-me a oportunidade e o privilégio de interagir diretamente com o associado e sua família, tudo isso com o propósito de levar informação, conhecimento, serviços e produtos para atender a grande demanda dos agricultores familiares. Motivo de orgulho, portanto, participar da celebração do momento que celebra os 60 anos da entidade.”


Centro de Pesquisa para Desenvolvimento da Agricultura Familiar

Os frutos do campo

A

fastado do movimento da cidade, rodeado por caminhos verdejantes e recheado de vitalidade. Um lugar onde conhecimento e boas ideias crescem de forma acelerada. Onde, ano a ano, produtores, estudantes e demais interessados em agregar possibilidades à diversificação da agricultura familiar encontram seriedade e apoio. É assim, em Rincão Del Rey, no interior de Rio Pardo. Por lá, em um ambiente que poderia até ser considerado um paraíso, a Afubra mantém o Centro de Pesquisa para Desenvolvimento da Agricultura Familiar. Distante de qualquer badalação, mas próximo dos sons do crescimento e da sustentabilidade.

Ao chegar ao local, de 84 hectares, onde também é realizada a Expoagro Afubra, qualquer visitante é recebido com alegria e entusiasmo. Entre açudes, escritórios, galpões, alojamentos, máquinas e outros elementos que constituem a estrutura, que tem como principal intuito dar suporte e apoio ao produtor rural, bem como incentivar a implantação de novas atividades agropecuárias e abraçar a realização de novas pesquisas, circulam dezesseis colaboradores. Além disso, a cada ano, muitos estagiários realizam estudos no local. Oriundos de regiões fumageiras, colocam a teoria dos cursos Técnico em Agropecuária, Agronomia e Engenharia Florestal em prática no Centro de Pesquisa.

Abençoados pelos eucaliptos imponentes,

57


60 anos de um ideal

diversos projetos são realizados na propriedade. Por lá crescem as mudas de árvores produzidas no viveiro, como as nativas de sombra, frutíferas e silvestres; 300 aves, em sistema semiconfinado, tornam realidade o projeto Avicultura Colonial, em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) - unidade de Pelotas (RS); vacas das raças Holandesa e Jersey, que produzem individualmente 21 litros de leite por dia, interagem com o sistema de pastagem; novilhas, voltadas à produção de matrizes de alta genética, crescem vistosas; mudas de batata-doce são produzidas para atender produtores familiares de diversas regiões, que solicitam as mesmas. Alguns hectares da propriedade também são direcionados à produção de soja (8 ha), milho (7 ha) e feijão (0,5 ha). Todas as culturas são destinadas à alimentação animal e à comercialização, assim como ovos, leite, mudas, entre outros.

Em meio ao cenário produtivo, a proposta do Centro de Pesquisa é servir como base para a realização de projetos de pesquisa e de extensão, juntamente com instituições parceiras e por meio da realização de eventos para produtores, como dias de campo. Ao mesmo tempo, os produtores têm à disposição toda uma equipe disposta a prestar assistência e orientação técnica. Por esses motivos, o centro é hoje fundamental para o desenvolvimento da agricultura familiar com foco principal na difusão tecnológica. A preocupação é buscar novidades e ampliar o conhecimento aliado a benefícios e vantagens à vida no campo. * Subordinado ao Departamento Agroflorestal. 58


Expoagro Afubra

N

o ano em que comemora 60 anos de existência, a Afubra também brinda os quinze anos de realização da Expoagro Afubra. A feira, voltada especialmente à agricultura familiar, já ocupa lugar de destaque na agenda dos principais eventos agropecuários do País. A primeira edição, realizada em 2001, trouxe à tona um projeto inovador elaborado pela associação.

Por meio da exposição de lavouras experimentais, demonstração de máquinas, comercialização de produtos, inclusive da agricultura familiar, e de muitos outros trabalhos expostos, em parceria com diversas instituições públicas e privadas, o agricultor é incentivado a buscar e a fazer o melhor. Tudo isso é realizado no Parque de Exposições, situado às margens da BR 471, em Rincão Del Rey, distrito de Rio Pardo (RS). Os números de cada edição, por sua vez, demonstram o sucesso da iniciativa que procura divulgar as tecnologias à disposição do produtor rural, aliadas ao potencial da região. Na primeira, a feira, cuja entrada é gratuita, contou com 64 expositores e um público de 2 mil pessoas. Já em 2014, 80 mil visitantes percorreram o parque e conferiram as novidades trazidas por 402 expositores.

Tudo isso gerou a movimentação recorde de negócios de R$ 67 milhões. Deste valor, R$ 500 mil foram oriundos da comercialização de produtos das 146 agroindústrias familiares presentes na última edição. A 15ª edição, então, agendada para os dias 24, 25 e 26 de março de 2015, deve registrar, mais

uma vez, boas notícias e perspectivas para o campo. Tudo pensado, com entusiasmo e comprometimento, em prol do produtor.

* Coordenada pelo gerente de Assuntos Corporativos. 59


60 anos de um ideal

Projeto Verde é Vida

A

preocupação com o meio ambiente sempre foi assunto sério na Afubra. Ciente de sua importância, a associação passou a desenvolver ações de educação ambiental desde os primeiros anos de existência. Em 1991, os múltiplos trabalhos foram unificados com a criação do Projeto Verde é Vida, cujas atividades já são marca registrada dentro de sua história.

Com o objetivo de desenvolver a educação socioambiental e promover a educação no meio rural, sua diversificação, sustentabilidade e a valorização do homem do campo, a equipe da Afubra trabalha em conjunto com escolas, alunos e professores estabelecidos nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. Além disso, comunidades, associados e clientes também são convidados a incorporarem as boas práticas ambientais ao cotidiano. Tudo em prol de um futuro ainda melhor para a atual e futuras gerações. Algumas ações do Verde é Vida contam com o apoio de centros de pesquisa, universidades, escolas e demais entidades parceiras. Em conjunto, ou de forma privada, desenvolvem doações de mudas de árvores nativas e de material didático-pedagógico; palestras e manutenção e assistência em viveiros de mudas para reflorestamento e conservação ambiental. Além disso, o Projeto Verde é Vida também participa de eventos e de atividades lúdico-pedagógicas, tendo o Afubrinha, mascote da Afubra, como referência. Também registra participação no Programa Crescer Legal, ação

60

Coordenador Geral: Adalberto Sidnei Huve (também gerente de Assuntos Ambientais)

Sentimento: “Comemorar 60 anos de atividades não por obra do acaso, mas sim pela confiança dos associados, clientes e colaboradores que, com dedicação, buscam sempre o sucesso coletivo. Sinto-me extremamente gratificado por fazer parte desta família.

voltada à prevenção do trabalho infantil e às irregularidades do trabalho de adolescentes.

Para dar andamento a todas as propostas,

Coordenador Pedagógico: Prof. José Leon Macedo Fernandes

Sentimento: “Na atividade profissional, quando se faz o que se gosta, o trabalho sempre se apresenta com qualidade e com bons resultados. É dessa forma que a Afubra, através do Projeto Verde é Vida, desenvolve suas ações. Portanto, para mim, é um privilégio fazer parte do seu quadro funcional, visto que ela se preocupa com os aspectos socioambientais das comunidades onde atua”.

o Verde é Vida é dividido em três segmentos: Programa de Sensibilização Ambiental (PSA); Programa de Ação Socioambiental (PASA); e o Programa Crescer Legal.


Departamento de Eventos

D

iante de uma demanda cada vez mais crescente, a Afubra criou o Departamento de Eventos com o objetivo de assessorar e aprimorar a participação de suas equipes em eventos de múltipla natureza. O trabalho, quase sempre invisível, consiste em tarefas e serviços de apoio e de infraestrutura para construções perenes ou temporárias em locais que abrigam feiras, exposições, comemorações e encontros que contam com a participação da Afubra. A atuação mais contundente acontece no Parque da Expoagro Afubra, cuja equipe é responsável pela infraestrutura do local. Gerente: Agostinho Wilges

Sentimento: “São 23 anos de trabalho. Durante este período, procurei ser sempre prestativo com os associados, clientes, fornecedores e colegas. Busquei criar personalidade própria e convicções para executar minhas tarefas pensando em todos os detalhes. Com isso, aprendi muito junto aos colegas, primeiramente escutando para depois decidir. Um forte abraço à família Afubra, em especial aos seus associados.”

61


60 anos de um ideal

DEPARTAMENTOS E SETORES DE APOIO E SERVIÇOS

D

iante da expansão da Afubra, tornou-se necessário criar departamentos e setores para fazer frente às demandas voltadas ao atendimento do quadro so62

cial e dos clientes, assim como às de natureza contábil, tributária, fiscal, trabalhista e previdenciária ou mesmo de interesse interno da organização.


Secretaria

A

Secretaria tem a missão de assessorar a rotina diária dos membros da Diretoria e dos Conselhos da entidade. Atualização da agenda, atendimento telefônico, recepção de autoridades e visitantes de ordem geral, redação e encaminhamento de correspondências e seleção, leitura e arquivamento de materiais periódicos são algumas das tarefas. Também se insere nas atividades a organização do arquivo histórico da entidade. Gerente: Neusa Teresinha Simon

Sentimento: “Faz 32 anos que integro o quadro de pessoal. Meu primeiro e único emprego. Vi a Afubra crescer, em espaço físico, em quadro de associados e de colaboradores e em atividades em prol deles e das comunidades onde está inserida. Aqui compartilhamos ideias e sonhos com o objetivo de crescer em conjunto com a entidade. O lema Um por todos e todos por um é nosso guia. Tenho orgulho de fazer parte da grande família Afubra.”

Assessoria de Imprensa

A

Assessoria de Imprensa tem como objetivo promover uma relação saudável entre a organização e os veículos de comunicação, através das áreas do jornalismo e relações públicas. Produzir artigos, repassar informações e criar e manter uma ligação de confiança e respeito mútuo com a mídia externa são suas principais atribuições. Jornalista assessora: Luciana Jost Radtke

Sentimento: “Tenho muito orgulho em fazer parte da família Afubra. Trabalhar numa entidade que foca suas ações na agricultura familiar e sua sucessão, na diversificação e na sustentabilidade da propriedade rural, na conscientização sobre a necessidade da preservação e conservação do meio ambiente e na valorização da educação rural, é motivo de grande satisfação pessoal e profissional.”

63


60 anos de um ideal

Departamento Financeiro

C

omo o próprio nome diz, o departamento é responsável pelo controle financeiro de toda a organização. Sua equipe responde pelo sistema de conta corrente do mutualismo, que efetua o recebimento de inscrições e pagamentos de auxílios, e o sistema de contas a pagar, através do

64

controle de recebimentos diversos e repasses a fornecedores e credores da instituição. Também controla os fluxos de caixas, promove o orçamento diário sobre as disponibilidades bancárias e executa planilhas para aplicações financeiras, depósitos bancários e serviços de conciliação.

Gerente: Maria Cleci Severo Antunes

Sentimento: “Sinto-me orgulhosa e muito grata por integrar e fazer parte da história desta grande família. Afinal, são mais de 25 anos de minha vida dentro desta organização."


Departamento de Pessoal

O

departamento tem como principal atribuição desenvolver as atividades relacionadas ao vínculo empregatício do grupo de colaboradores de toda a organização. Seleção e recrutamento de pessoal, administração de cargos e salários e de be-

nefícios, acompanhamento e aplicação das empresa também se inserem no contexto dilegislações trabalhista e previdenciária, se- ário de trabalho da equipe. gurança e medicina do trabalho, folha de pagamento e registros na Carteira de Trabalho Gerente: Wiliam Fengler Sentimento: "Expresso sentimento de orgulho de estar e Previdência Social (CTPS) e os que marcam contribuindo, há mais de 30 anos, para a realização de a trajetória de cada funcionário dentro da um sonho."

Segurança do Trabalho

C

om o constante aumento de atividades, das instalações, áreas de circulação e do incremento do número de colaboradores, as questões voltadas à segurança e medicina do trabalho recebem atenção cada vez maior por parte da Afubra. Uma das providências foi a constituição da área de Segurança do Trabalho, que engloba um técnico

específico e os membros da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA).

Um dos objetivos do grupo é apontar e inibir eventuais riscos que podem surgir no ambiente de trabalho e prestar orientação sobre medidas preventivas. Também se inserem a análise de métodos e processos de

trabalho, identificação de fatores de risco, doenças profissionais e presença de agentes nocivos à saúde do trabalhador.

Como tarefas, a área executa procedimentos de segurança e higiene do trabalho, conscientiza sobre possíveis acidentes, distribui e fiscaliza o uso de equipamentos de prote65


60 anos de um ideal

ção (EPI’s) e providencia treinamentos sobre primeiros socorros, prevenção e combate de incêndios, brigada de emergência, plano de rotas de fuga e de trabalhos em altura. CIPA: prevenir acidentes e evitar a formação de doenças originadas pelo trabalho são os principais objetivos da comissão. A meta é tornar compatível, de forma permanente, a relação entre trabalho e a saúde e a preservação da vida do trabalhador. Na Afubra, a comissão promove reuniões mensais e promove, anualmente, a Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho, com a promoção de palestras educacionais e motivacionais. * Área subordinada ao Departamento de Pessoal.

Equipe CIPA

Departamento de Auditoria

E

ntre suas atribuições, a equipe da auditoria interna examina e pericia os métodos e sistemas da organização. As análises, que contemplam todas as unidades, incluem a área financeira, rotinas de segurança e as normas estabelecidas pela empresa. Também acompanha a legislação oficial do País e promove a conferência dos estoques, confrontando relatórios e contagens físicas.

66

Gerente: Nestor Sérgio Werner

Sentimento: “Tenho muito orgulho de fazer parte desta grande família. São mais de 31 anos de dedicação na evolução dos controles de segurança, trabalho que executo com muita responsabilidade visando as práticas corretas em nosso dia-a-dia. Afubra, motivo de muito orgulho.”


Departamento de Controles

C

omo principal atribuição, o departamento é responsável pelos registros dos atos e fatos contábeis diários que ocorrem na organização. Cria e mantém todas as operações do sistema de gestão que permitem a correta inclusão dos mais diversos documentos. Também está sob seus cuidados a adminis-

tração e controle de custos e orçamentos, Gerente: Alberto Raffler que traçam as metas e objetivos de cada Sentimento: “Neste momento histórico, meu como integrante do quadro de gestores, é departamento e segmento, o controle sentimento, de reconhecimento, gratidão e amizade. Sinto que faço patrimonial, que espelha as imobiliza- parte de uma grande família, respeitosa e digna, onde a ções e movimentações, e o atendimento hierarquia zela pelo bom relacionamento. A entidade é única na minha concepção, semelhante ao sentimento em de exigências legais, através da confe- relação à família. Posso afirmar que, admitido com 15 rência e conciliação de contas e valida- anos de idade, hoje, com 38 anos de trabalho, a Afubra me proporcionou crescer em idade e experiência.” ção e envio de arquivos digitais.

67


60 anos de um ideal

Departamento de Marketing

O

s tabloides de mercadorias, produzidos regularmente, explicitam uma das atividades desenvolvidas pelo departamento. É ele, portanto, o responsável pela criação de quaisquer materiais que divulgam a organização. A produção publicitária e/ou institucional por equipe própria, por sinal, possibilita peças exclusivas e redução de custos. Gerente: Cristian Bischoff

Sentimento: “Vivo a Afubra há 16 anos, sempre com o intuito de criar coisas novas, de inovar, de elevar ainda mais a confiança e a credibilidade que ela conquistou ao longo de sua história. Sinto-me feliz pelo papel que desempenho, mas muito mais pela oportunidade de agradecer publicamente.”

Tecnologia da Informação

O

desenvolvimento e a manutenção dos processos informatizados, criados e repassados como ferramentas de trabalho aos colaboradores, constitui a principal função do departamento Tecnologia da Informação. A computadorização, vital hoje em qualquer organização, proporciona maior agilidade e mais eficiência à execução

68

das tarefas, o que reflete maior produtividade e em menor tempo e um melhor atendimento dos clientes e associados, além de prover as áreas estratégicas com informações para auxiliar nas tomadas de decisões. Também cabe à equipe o apoio aos usuários para correta utilização das ferramentas e o acompanhamento constante da evolução na

área da informação.

Gerente: Alexandre Alves da Rosa

Sentimento: “São 26 anos de trabalho dedicados à empresa, a qual considero minha segunda família. É difícil frisar, em poucas palavras, tudo o que ela representa para mim. Em resumo, sinto muito orgulho por integrar seu quadro funcional, bem como uma enorme gratidão por tudo o que já me proporcionou durante todo este período de minha vida.”


Data Center

E

m tempos de globalização, o uso de computadores é vital às organizações, conforme já dito no tópico anterior. Por conta disso, a Afubra possui um moderno Data Center. Sob a tutela do Departamento da Tecnologia da Informação, o espaço, que se localiza na sede da matriz, em Santa Cruz do Sul, pode ser definido como o ‘coração’ dos vários sistemas que formam a área de informática da entidade e de sua subsidiária.

O complexo de máquinas, que exige ambiente climatizado e cuidados especiais de segurança, é responsável pelo processamento e armazenagem das informações corporativas de todas as unidades da empresa. Composto de um rack, dotado de servidores com grande capacidade de processamento, e de um conjunto de discos, com alta capacidade de armazenamento, o Data Center possui sistemas de redundância que permitem alta

disponibilidade de processamento e armazenamento. Também possui um sistema de cópias de segurança robotizado, que garante, diariamente, o armazenamento de dados e a eliminação da necessidade de intervenção humana para sua execução.

Departamento de Patrimônio

C

om a expansão do patrimônio, distribuído pelos três estados do Sul do Brasil, a entidade sentiu a necessidade de destinar cuidados especiais aos seus imóveis. Para isso, criou departamento específico com o objetivo de manter a valorização de seus bens prediais. A equipe trabalha de forma preventiva, sugerindo reformas, ampliações e serviços de manutenção. Também atua, quando determinado pela Diretoria, nas questões legais quando da aquisição de novos imóveis, equipamentos e materiais e supervisiona a contratação de construtoras, bem como o acompanhamento de obras.

O Data Center possui, ainda, outros servidores para processamento de sistemas específicos, equipamentos de rede para interligação de todas as unidades e um sistema de nobreaks e geradores que suprem eventuais quedas de energia.

Gerente: Mário Ignácio Baierle

Sentimento: “É muito gratificante ser membro de uma família que avança unida e forte. É motivo de satisfação e alegria, portanto, fazer parte desta entidade, com a qual compartilho desafios e conquistas há 36 anos.”

69


60 anos de um ideal

Departamento de Materiais e Serviços

A

amplitude de uma organização, quase sempre, exige uma gama de serviços e materiais que, muitas vezes, passam despercebidos. Mas eles existem. Na Afubra, o departamento de Materiais e Serviços responde pela negociação e contratação de sistemas

70

de telefonia, energia elétrica, vigilância, Gerente: Márcia Lúcia Prado entre outros. Também responde pela Sentimento: “Neste momento significativo, sinto-me muito aquisição de bens móveis, na recepção orgulhosa e grata pelos aprendizados, a visitantes, na compra, armazenagem e experiências e pelo crescimento profissional. Também agradeço pelas distribuição de material de expediente amizades que conquistei nestes 31 e uniformes e pelos serviços de copa e anos de integração à família Afubra, como carinhosamente a chamamos.” de asseio do ambiente de trabalho.


Marcenaria

Formam o departamento:

- Recepção: a equipe tem a missão de bem receber visitantes, entre eles os associados. O atendimento, que precisa ser simpático e respeitoso, atende ou direciona internamente o público que vem de fora. No tocante ao quadro social, as recepcionistas também auxiliam no preenchimento de pedidos de inscrições, emissão de recibos e informações sobre o sistema mutualista. - Telefonia: muitas vezes, a telefonista também se torna o primeiro contato relacionado

ao público externo. Devido a isso, a equipe de telefonia precisa estar bem informada sobre o funcionamento da empresa, o que facilita o repasse de chamadas e agilização do atendimento. - Almoxarifado: o setor é responsável pela aquisição, armazenagem, controle e entrega de qualquer material utilizado internamente pela empresa, inclusive uniformes. Além da matriz, a equipe atende todas as filiais da Afubra. - Serviços Gerais: o setor engloba, basica-

mente, toda a equipe que preza pelos serviços de portaria, copa e limpeza. Afinal, um ambiente organizado e asseado, acompanhado de um bom café, também insere qualidade à organização.

- Marcenaria: a maior parte do mobiliário da Afubra é produzido internamente. Trata-se de uma marcenaria própria, que têm como tarefas a fabricação e manutenção de escrivaninhas, balcões, armários, entre outros móveis, com o objetivo de suprir as necessidades dos setores e departamentos da organização. 71


60 anos de um ideal

O INCENTIVO À CULTURA E À INTEGRAÇÃO 72


Coral da Afubra

Coral da Afubra Coro Masculino da Afubra

N

o mês de setembro, quando Santa Cruz do Sul (RS) celebra seu aniversário, não é apenas o clima de primavera que pode ser sentido no ar. Como tradição, no período é realizado o Encontro de Corais da Afubra. Momento reservado, desde 1997, para brindar a arte, homena-

gear a cidade-mãe da associação e proporcionar uma noite ímpar a cidadãos amantes do canto de múltiplas vozes. Enquanto que, historicamente, não haja registros precisos sobre a origem dos corais no mundo, acredita-se que a prática come-

çou na Europa. A atividade esteve ligada, nos primórdios, à religiosidade. Hoje, além da igreja, muitas outras instituições adotaram o canto em grupo como importante papel na promoção da cultura e do bem-estar, tanto de quem canta, quanto de quem aprecia. 73


60 anos de um ideal

Na Afubra, a história do primeiro coral teve início no dia 17 de janeiro de 1995. O grupo atual é formado por 27 cantores, entre funcionários, amigos e familiares, que encantam, em suas apresentações, espectadores do Rio Grande do Sul, de Santa Catarina e do Paraná.

Como presente pelos seus 40 anos, a Afubra foi agraciada com a primeira performance do grupo. Até hoje, já foram realizadas 448 apresentações, ocorridas em diversos municípios dos três estados do Sul do Brasil. O repertório compreende cânticos sacros, dos folclores alemão, italiano e brasileiro e músicas populares brasileira e de outros países. Três anos depois de sua fundação, em 1998,

Coro Masculino da Afubra

74

o Coral da Afubra foi agraciado com o troféu Destaque em Música, concedido pelo Rotary Club Santa Cruz do Sul - Oeste e Gazeta Grupo de Comunicações. O sucesso do trabalho desenvolvido, com responsabilidade e primor, também resultou na gravação de um CD, em junho de 2004. Composto por 19 canções, o álbum recebeu o título de Cantando para Deus, e marcou as comemorações do cinquentenário da Afubra. Em novembro de 2006, foi lançado o segundo disco, com a participação especial da banda do 7º Batalhão de Infantaria Motorizado (7º BIB). Entre suas dez composições, figuram os hinos do Brasil, do Rio Grande do Sul e o de Santa Cruz do Sul.

No dia 29 de agosto de 2010, a entidade redobrou seu apoio à arte do canto de corais. Nesta data, surgia o Coro Masculino da Afubra. Sua primeira apresentação ocorreu durante o 14º Encontro de Corais, no teatro do Colégio Mauá, em Santa Cruz do Sul. Formado por 14 cantores, o grupo compartilha o mesmo objetivo do coral coirmão, ou seja, levar música, cultura e alegria a diferentes recantos. Tudo isso regado com muito comprometimento e amor pelo canto. Desde o surgimento, ambos os grupos têm como presidente o colaborador Agostinho Wilges e, como regente, o professor Abílio Piovesan.


Associação Recreativa e Esportiva Afubra - Area

F

undada no dia 18 de março de 1978, a Associação Recreativa e Esportiva Afubra (AREA), entidade sem fins econômicos, tem como objetivos promover atividades voltadas ao bem-estar e fortalecer a união entre seus associados e familiares ligados à organização Afubra. Dotada de sede própria, a AREA oportuniza momentos de lazer, através de práticas

esportivas, sociais, culturais e recreativas. Também mantém vários convênios com empresas comerciais e de serviços, prática que garante benefícios e descontos ao quadro social.

Simbologia: além de promover a integração entre o capital humano, a AREA homenageia perenemente a Associação dos Fumicultores do Brasil e a Agro-Comercial Afubra. A láurea

está estampada nas quatro cores oficiais que identificam a agremiação onde quer que esteja. A primeira cor é a verde, que representa a agricultura, principal área de atuação da Afubra. A segunda é a amarela, que dignifica o patrimônio das duas organizações empregadoras, assim como de seus associados, clientes e colaboradores. Completam o quadro as cores azul e branca, que simbolizam a harmonia entre empregadores e associados.

Diretoria AREA

75


Missão Proporcionar o bem-estar aos associados, clientes e comunidades, através do mutualismo, de programas socioambientais, de soluções no comércio de bens e serviços e de alternativas na agricultura familiar e no agronegócio. Visão - Agro-Comercial Afubra Ltda. Ser referência pelo atendimento diferenciado, diversidade de bens e serviços e competitividade como base para o seu crescimento. Visão - Associação dos Fumicultores do Brasil Estar preparada para os desafios do futuro do mutualismo, da agricultura familiar e do agronegócio. Princípios - Associativismo - Ética - Integridade - Simplicidade - Religiosidade - Eficácia - Respeito ao Meio-Ambiente - Responsabilidade Social - Qualidade - Parceria


Afubra 60 anos  

O livro retrata a história da Afubra e as atividades desenvolvidas pelos setores e departamentos, que fazem frente aos objetivos sociais tra...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you