Page 1


Palavra do presidente Prezados Associados e Parceiros AEA, Oficialmente, com muita honra, assumi a presidência executiva da AEA – Associação Brasileira de Engenharia Automotiva no dia 9 de setembro de 2019, em substituição a Flavio Henrique Sakai que, por compromissos profissionais, pediu afastamento do cargo. Por isso, nesta seção Palavra do Presidente, deste Relatório Anual AEA 2019, posso oferecer meus testemunhos a partir daquela data. Assim, designado para o período de setembro de 2019 a dezembro de 2020, sinto-me confortável à frente da entidade, primeiro por compor a diretoria executiva com o engenheiro Edson Orikassa, hoje vice-presidente, que exerceu a presidência por dois mandatos – 2015/16 e 2017/18, quem – aliás – vem-me reportando sobre as principais atividades da AEA. Há uma década, os meus antecessores procuraram profissionalizar a mais importante entidade técnica do setor automotivo brasileiro. Uníssona, a equipe AEA passou a ter um só objetivo, ao coordenar os debates de temas correlatos à cadeia automotiva, com a ajuda imprescindível do Governo, da Academia e demais associações de classe, por meio de regulamentações setoriais, em favor da sociedade civil. No ano em que comemoramos 35 anos de atividades ininterruptas, o processo de reestruturação da entidade, agora mais profissional, ágil e competente, parece-nos uma realidade incontestável. Mas, obviamente, como disse, trata-se de um processo. Sempre há muito por fazer. Por isso, pretendo imprimir um ritmo ainda mais vigoroso, com o objetivo de colocar e manter a imagem institucional da AEA no patamar mais alto da Engenharia Automotiva. A atuação da AEA em temas como emissões veiculares, eficiência energética, segurança veicular, combustíveis, entre outros tantos, já é exemplar, ao trazer demandas dos órgãos competentes, debatê-las e devolvê-las com análises e estudos técnicos. Nesse sentido, por meio de nossas

comissões técnicas, buscaremos – sistematicamente – oferecer respostas mais rápidas à sociedade brasileira, e também por meio de nossos workshops, seminários e simpósios, nacionais e internacionais, além de fortalecer os nossos mais de dez cursos técnicos anuais. Um ponto de destaque em nossa gestão será o estreitamento, ainda mais promissor, com a Academia e instituições de pesquisa, com a finalidade de resgastar a autoestima do setor automotivo que, em 2013, chegou à produção de 3,7 milhões de unidades e, este ano, volta a vislumbrar produção acima de 2,9 milhões de automóveis de passeio e comerciais leves. Aos engenheiros automotivos, portanto, há um futuro promissor. Novas ondas de desafios já estão latentes. E com muita força. Nos últimos salões internacionais do automóvel, embora tenham-se mostrado como uma tendência, os carros elétricos, híbridos autônomos estão aí, prontos para serem estudados. Embora tenha apenas quatro meses à frente da entidade, sinto-me confortável em afirmar que encontrei calorosa receptividade por aqueles que conduzem a AEA. Desejo a vocês um ótimo final de ano. Que possamos estar juntos em 2020 com muita saúde e paz. Besaliel Botelho Presidente


SUMÁRIO 04 04

Diretoria Executiva 2019

05

Área Técnica de Emissões e Consumo de Veículos Leves

05

Comissão Técnica de Eficiência Energética

05

Comissão Técnica de Emissões de Veículos Leves

Conselho Diretor 2019

09 09 10 10 10 10 11 11 11 12 12 13

Grupos de Trabalho Especiais ORVR – Emissões Evaporativas Tendências Tecnológicas NMOG RDE Fator de Regeneração Ki Teor de Enxofre da Gasolina Emissões 2W

05

Área Técnica de Emissões e Consumo de Veículos Pesados Comissão Técnica de Emissões de Veículos Pesados

06

Área Técnica de Segurança Veicular

06

Comissão Técnica de Segurança Veicular

14

06

Comissão Técnica de Segurança de Testes de Impacto

Seminário de Segurança e Conectividade

16

06

Área Técnica de Acreditação de Laboratórios

Prêmio AEA de Meio Ambiente e Celebração AEA 35 anos

18

06

Comissão Técnica de Acreditação de Laboratórios de Emissões de Motos

Simpósio de Eficiência Energética e Emissões

20

Comissão Técnica de Acreditação de Laboratórios de Emissões de Veículos Leves

Simpósio Internacional de Engenharia Automotiva SIMEA 2019

24

07

Comissão Técnica de Ensaio de Proficiência de Laboratórios de Motores Ciclo Otto

Seminário de Manufatura Automotiva e Entrega Prêmio Destaques Novos Engenheiros

26

07

XX Comissão Técnica de Ensaio de Proficiência de Laboratórios de Motores Ciclo Diesel

Simpósio Internacional de Lubrificantes, Aditivos e Fluidos

28

I Workshop AEA – As Tecnologias Futuras para Caminhões e Transporte – FENATRAN 2019 Destaques

05

06

Durabilidade 2W Eventos Lean Conference Brazil Seminário AEA de Inovação em Powertrain

08 08

Área Técnica de Combustíveis

08

Comissão Técnica de Gasolina/Etanol

08

Área Técnica de Lubrificantes

29 29 30 31

08

Comissão Técnica de Lubrificantes e Fluidos

32

Ações em parceria com Órgãos Governamentais

09

Área Técnica de Eletroeletrônica

Cursos

09

Comissão Técnica de Eletroeletrônica

33 34 36 37 40

09 09

Comissão Técnica de Diesel/Biodiesel

Área Técnica de Manufatura Comissão Técnica de Manufatura Avançada

1º Desafio de Manufatura Avançada PCVE e Laboratório Móvel LUMIAR Workshop Rota2030 Projetos e Programas Prioritários

Parceiros Institucionais Vantagens para Associado Empresas Associadas Agradecimentos


Mandatos 2019

Conselho Diretor Presidente: Renato Romio, Instituto Mauá de Tecnologia

Ricardo Simões de Abreu, MAHLE

Vice-Presidente: Ricardo Simões de Abreu, Mahle

Órgãos Governamentais e Estatais

Stephan Heinz Blumrich, Umicore

Margarete Maria Gandini, MDIC Fernando Ferrazza Nardes, DENATRAN

Sócios Individuais:

Paulo Henrique Demarchi, PRF

Elcio Luiz Farah

Gilberto Werneck de C. Filho, IBAMA

Henry Joseph Jr.

Renato Linke, CETESB

Vicente Alves Pimenta Universidades e Institutos de Pesquisa Iniciativa Privada Antonio Carlos B. Megale, Volkswagen

Francisco E. Baccaro Nigro, USP Douglas Eduardo Zampieri, FAPESP Renato Romio, IMT

Carlos Bonote, VCA South America

Paulo Carlos Kaminski, POLI-USP

Edson Paixão, Umicore

Fernando Malvezzi, IMT

Frederico G. C. Kremer, Petrobras

Mario dos Santos Guitti, IQA

Diretoria Executiva Presidente: Besaliel Botelho, Robert Bosch Vice-Presidente: Edson Orikassa, Toyota Diretoria Executiva: Alfredo Castelli, AEA Anderson Suzuki, AEA Carlos Sakuramoto, GM Jefferson de Oliveira, Continental Luciano Driemeier, Ford Marcello Depieri, Magneti Marelli Marcelo Massarani, FDTE -POLI USP Marcio Azuma, Honda

4

Marcos Clemente, Mahle Marcus Vinicius Aguiar, Renault Paulo Jorge S. Antonio, Mercedes-Benz Raquel Mizoe, GM Roberto Weiler, Robert Bosch Rodrigo Giglio, Cummins Rogério Gonçalves, Petrobras Sidney Oliveira, Robert Bosch Simone Hashizume, JX Nippon Oil Gerente Executivo: Paulo Consonni, AEA Assessoria de Imprensa: Koichiro Matsuo, Texto Final


Comissões Técnicas e Grupos de Trabalho 2019

Área Técnica de Emissões e Consumo de Veículos Leves Comissão Técnica de Eficiência Energética Coordenador: Marcos Palasio, ROBERT BOSCH Visando identificar possíveis diferenças de interpretação da nova legislação sobre eficiência energética para veículos, atualmente o grupo está em discussão para elaboração do Manual de Auditoria para o ROTA 2030.

Comissão Técnica de Emissões de Veículos Leves (GT OBDBr) Coordenador: Renato Linke, CETESB Vice Coordenador: Michele K. Gansauskas, TOYOTA A comissão está focando em desenvolver propostas de texto para Instrução Normativa referente a novas propostas de limites de emissões para OBDBr3, sendo essa uma das demandas do IBAMA para implementação das fases L7 e L8 do PROCONVE.

Área Técnica de Emissões e Consumo de Veículos Pesados Comissão Técnica de Emissões de Veículos Pesados Coordenador: Tadeu Cordeiro, PETROBRAS Vice- Coordenador: Marcos Y. Tabuti, VWCO Esta comissão técnica manteve os trabalhos referentes ao preparo da fase P8 do PROCONVE. Por meio da Comissão Técnica Emissões de Veículos Pesados, suportada pelo grupo suportada pelo grupo técnico de OBD/AES Pesados, foi centralizado as discussões de alinhamento referente ao procedimento de atendimento à resolução CONAMA 490 de 16/11/2018 (PROCONVE P8). Estes grupos retificaram os seguintes itens: •

Procedimentos de testes e limites do Proconve P8;

Opcionalidade do combustível de referência ou comercial para teste de ISC;

Alternativa para o armazenamento do DTC;

Definição de família de motores;

Seleção e definição de veículos para testes de ISC

5


Comissões Técnicas e Grupos de Trabalho 2019

Área Técnica de Segurança Veicular Comissão Técnica de Segurança Veicular Coordenador: Carlo Gibran, ROBERT BOSCH Vice-Coordenador: Rodrigo Laurito, VOLKSWAGEN A comissão técnica de segurança atua na área de maneira ampla, considerando todos os aspectos relativos ao indivíduo, ao veículo e à infraestrutura. Em 2019 os participantes estão trabalhando em novo método de classificação veicular, uma vez que há planos para alterar o CTB para as similaridades da norma europeia. Também estão discutindo assuntos pertinentes a CONTRAN 717, Estudo técnico referente ao AEB e LDW.

Comissão Técnica de Segurança de Testes de Impacto Coordenador: Vilson Tolfo, FCA Vice Coordenador: Flávio Ferreira, TOYOTA O Comitê de Segurança da AEA para Testes de Impacto durante o ano de 2019 realizou uma análise técnica sobre as diretrizes oficiais do Protocolo Latin NCAP para 2020-2023 e vem dialogando com o Sr. Alejandro Furas por meio de conference calls e visitas à sede da entidade.

Área Técnica de Acreditação de Laboratórios Comissão Técnica de Acreditação de Laboratórios de Emissões de Motos Coordenador: Ricardo Grotto, HONDA Vice Coordenador: Raphael Sedano, MARELLI Atualmente o grupo vem realizando a sexta rodada do ensaio de proficiência de gases de emissão de motociclos, denominado como “Correlação AEA-INMETRO 2019”. Foram realizadas uma série de testes para dois motociclos diferentes. Os dados de emissão obtidos até o momento serão avaliados para a verificação da estabilidade das medidas.

6


Comissões Técnicas e Grupos de Trabalho 2019

Comissão Técnica Acreditação de Laboratório de Emissões Coordenador: Danilo Torres, GM Vice-Coordenador: Edson Paixão, UMICORE Este ano, a comissão ficou responsável pelo Grupo de Trabalho Amônia, o qual revisou o método de medição e cálculo das concentrações de amônia no ciclo de condução e os valores a serem declarados em ppm. Os trabalhos realizados foram colocados em um Texto de Norma e reportado ao IBAMA. Esta comissão manteve os trabalhos que foram iniciados anteriormente. Atualmente ela vem realizando a 11ª Rodada da Correlação AEA-INMETRO para motores Ciclo OTTO, avaliando a estabilidade de motores de diferentes marcas. Paralelamente esta comissão vem realizando a Correlação AEA-INMETRO - Ciclo Diesel - 10ª Rodada e a Correlação AEA Mercosul Ciclo OTTO.

Comissão Técnica de Ensaio de Proficiência de Laboratórios de Motores Ciclo Otto Coordenador: Rodrigo Faggi, IMT Vice-Coordenador: Henrich Reis, FCA O objetivo da comissão técnica de Ensaio de Proficiência de Laboratório de Motores do ciclo Otto é contribuir para a acreditação dos laboratórios de testes de motores do ciclo Otto, promover correlações interlaboratoriais nacionais e internacionais e harmonizar procedimentos de ensaios aumentando o grau de confiabilidade dos resultados dos testes feitos pelos laboratórios participantes. Esta comissão vem realizando ensaios de estabilidade do motor fornecido pela FCA com previsão de término para Abril de 2020

Comissão Técnica de Ensaio de Proficiência de Laboratórios de Motores Ciclo Diesel Coordenador: Anderson Oliveira, MWM Vice-Coordenador: Suellen Gaeta, CUMMINS Na mesma linha das comissões de ensaios de laboratórios, o objetivo da comissão técnica de Ensaio de Proficiência de Laboratório de Motores do ciclo Diesel é contribuir para a acreditação dos laboratórios de testes de motores do ciclo Diesel, promover correlações interlaboratoriais nacionais e internacionais e harmonizar procedimentos de ensaios aumentando o grau de confiabilidade dos resultados dos testes feitos pelos laboratórios participantes. Atualmente o grupo vem realizando ensaios de estabilidade com os motores MWM e Cummins para a CI 2019, com previsão de término para abril de 2020. 7


Comissões Técnicas e Grupos de Trabalho 2019

Área Técnica de Combustíveis Comissão Técnica de Diesel/Biodiesel Coordenador: Christian Wahnfried, ROBERT BOSCH Vice-Coordenador: Eduardo R. Oliveira, CUMMINS Esta comissão tem como foco a discussão do Diesel e Biodiesel presentes no mercado e suas normas regulamentadoras. No ano de 2019 esta comissão finalizou a criação de cartilha de boas práticas do Biodiesel, sendo ela na versão Português e traduzida para o Inglês e Espanhol. Esta comissão vem acompanhando os testes e relatórios do combustível B10 e B15 junto ao MME, para avaliação do aumento da mistura de biodiesel, além do trabalho contínuo de acompanhamento de problemas e ocorrências de campo com o diesel brasileiro. Também estão sendo realizadas medições da qualidade do Diesel comercial ao longo da cadeia logística com o intuito de se ter dados reais do combustível entregue ao consumidor final.

Comissão Técnica de Gasolina/Etanol Coordenador: Franck Turkovics, INDIVIDUAL Vice-Coordenador: Roger Valeri Daleffe, FORD No ano de 2019 esta comissão discutiu os aspectos da revisão da especificação da gasolina brasileira, enviando sugestões para a ANP e participando da consulta e audiência públicas. Também foram discutidas sugestões para modificação da especificação dos combustíveis de referência, principalmente da gasolina e do etanol anidro. Foi estudada a viabilidade de utilização de etanol com baixo teor de água em veículos e discussão dos resultados de alguns testes realizados nas montadoras.

Área Técnica de Lubrificantes Comissão Técnica de Lubrificantes e Fluidos Coordenador: Charles Conconi, MERCEDES BENZ Vice-Coordenador: Arley Barbosa da Silva, PROMAX Em 2019 a Comissão Técnica de Lubrificantes idealizou uma cartilha de lubrificantes e está discutindo a possibilidade de criar um filme curta-metragem para divulgação do material da cartilha, além de apresentar durante o XII Simpósio de Lubrificantes, Aditivos e Fluidos as propostas técnicas futuras.

8


Comissões Técnicas e Grupos de Trabalho 2019

Área Técnica de Eletroeletrônica Comissão Técnica de Eletroeletrônica Coordenador: Leimar Mafort, ROBERT BOSCH O objetivo do Comitê Técnico de Eletroeletrônica é integrar as empresas, fornecedores e consumidores, especialistas, acadêmicos e entidades ligadas à mobilidade para estudar e suportar as discussões que tratam no país da legislação e regulamentação dos componentes e sistemas embarcados que utilizem a Eletroeletrônica automotiva.

Área Técnica de Manufatura Comissão Técnica de Manufatura Avançada Coordenador: Anderson Borille, ITA No ano de 2019, o grupo discutiu sobre as atualizações do ROTA 2030, as Propostas para legislação de Incentivos, trabalhou no conteúdo a ser apresentado no IV Seminário de Manufatura da AEA. Atualmente foram reiniciadas as discussões sobre o Capítulo II do ROTA e discutido a criação de um selo 4.0, onde a planta que obtiver sucesso com a implementação e dependendo da amplitude alcançada, a planta receberá uma classificação Bronze, Prata ou Ouro. Os detalhes deste trabalho ainda estão sendo discutido pela comissão.

Grupos de Trabalho Especiais GT ORVR – Emissões Evaporativas Coordenador: Michele K. Gansauskas, TOYOTA Vice-Coordenador: Renato linke, CETESB Foram realizadas várias reuniões entre a Diretoria da AEA e o coordenador do PROCONVE do IBAMA para acordar as atividades (e respectivos prazos) a serem desenvolvidas pela AEA, em cumprimento às exigências fixadas pelas Resoluções CONAMA 490 (Veículos Pesados) e 492 (Veículos Leves) recém-publicadas, especificamente no que diz respeito às atividades da CT e deste seu atual GT, cujos respectivos coordenadores e vice foram indicados pela Diretoria. Os principais subitens que devem ser definidos pelo GT são: família de evaporativas, procedimento de teste de evaporação de 48h, durabilidade de evaporativa, ORVR e pré-condicionamento do veículo.

9


Comissões Técnicas e Grupos de Trabalho 2019

Área Técnica – Tendências Tecnológicas Comissão Técnica Tendências Tecnológicas Coordenador: Everton Silva, MAHLE Vice-Coordenador: Caio Bordon Amaral, SEG AUTOMOTIVE A CT de Tendências Tecnológicas elaborou um Roadmap tecnológico dividido em 2 categorias: veículos de passeio e veículos comerciais e abordará tecnologias como powertrain, chassis e conectividade. Os trabalhos dessa CT ocorrerão de forma transversal e colaborativa com outros CT’s e GT’s da AEA. As apresentações se iniciaram no segundo semestre de 2019 e deverão ocorrer até o fim do primeiro semestre de 2020.

Grupos Especiais GT NMOG Coordenador: Francisco Emilio Baccaro Nigro, POLI/USP O GT foi criado com o objetivo de auxiliar o IBAMA com as demandas técnicas de implementação das fases L7 e L8 do PROCONVE. Em 2019 este GT realizou estudos e discussões sobre determinação de gases orgânicos não-metanos (non-methane organic gases) que culminou em proposta de IN enviada ao IBAMA em 20 de Setembro de 2019.

GT RDE Coordenador: Marcos Toledo, VOLKSWAGEN O GT foi criado com o objetivo de auxiliar o IBAMA com as demandas técnicas de implementação das fases L7 e L8 do PROCONVE. O objetivo em 2019 foi discutir a definição dos critérios de medição das emissões dos gases de exaustão veicular em Tráfego Real (real drive Emission) os representantes estão realizando testes para definir melhores métodos de medição.

GT Fator de Regeneração Ki Coordenador: José Ponte, GM Este GT iniciou suas atividades em agosto de 2019 e tem por objetivo: de acordo com o artigo 23º da Resolução nº 492, de 20 de Dezembro de 2018, editada pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente: a partir da Fase PROCONVE L7, para os veículos que possuam sistemas regenerativos dos dispositivos de controle das emissões e que requeiram um processo de regeneração periódica em menos de 4.000

10


Comissões Técnicas e Grupos de Trabalho 2019 km de operação do veículo, fica estabelecido o fator Ki, que será aplicado aos valores obtidos das emissões de: I.

CO, NMHC, NOx e aldeídos para veículos a gasolina ou flex;

II. CO, NMHC, NOx, aldeídos, material particulado (MP) para veículos com injeção direta de combustível, total ou parcial; e III. CO, THC, NOx e aldeídos para veículos a Gás Natural Veicular. 1º Os fatores Ki são determinados segundo o Regulamento Europeu UN ECE R83 revisão 5, porém aplicando-se ao ensaio de emissões conforme Norma ABNT NBR 6.601:2012 ou ABNT NBR 16.567:2016, ou normas técnicas brasileiras sucedâneas referenciadas pelo Ibama.

GT Teor de Enxofre da Gasolina Coordenador: Franck Turkovics, INDIVIDUAL GT criado por solicitação da ANP com o objetivo de discutir o teor de enxofre máximo da gasolina a ser exigido pelos veículos brasileiros para atenderem a fase L8 do PROCONVE. Pela inexistência de veículos desenvolvidos para atender a fase P8 do PROCONVE, desconhecimento do desempenho dos motores e equipamentos de controle de emissões para fase L8 com gasolina com 27% de etanol e dificuldade de realização de testes, foi enviada para ANP uma proposta de introdução de gasolina S10 no mercado, apresentada pela ANFAVEA e discutida no âmbito do GT.

GT Emissões 2W Coordenador: Wesney Barbosa, YAMAHA Vice-coordenador: Raphael Sedano, HONDA Este grupo de trabalho se iniciou após a necessidade de normatização da Resolução CONAMA 493 de 2019, que definiu o PROMOT M5. As principais atribuições deste GT serão: •

Atualização do ciclo WMTC, o qual foi revisado para atendimento à legislação europeia Euro 5, estando atualmente defasado na norma brasileira;

A Norma brasileira atual considera o ciclo “WMTC stage 2”, desenvolvido para atendimento ao Euro 4

Para o PROMOT M5, será utilizado o ciclo “WMTC stage 3”, que foi revisado para o atendimento ao Euro 5, e que passou a exigir este ciclo revisado para todas as subcategorias da categoria L (de L1 a L7).

GT Durabilidade 2W Coordenador: Henrique Zonfrilli, HONDA Vice-coordenador: Wesney Barbosa, YAMAHA Este grupo de trabalho se iniciou após a necessidade de elaboração de nova norma específica para motociclos e similares, conforme ciclo AMA e SRC-LeCV, devendo ser concluída até o 1° semestre de 2020. Este grupo deverá discutir a aplicabilidade do ciclo AMA, uma vez que sua descontinuação na Europa já foi definida para algumas categorias, utilizando como base principal para harmonização o DR 168 – 2013 e o CDR 134 – 2014, também tomando como base o anexo VI da Diretiva Europeia 134. 11


Eventos

LEAN CONFERENCE BRAZIL

A 4ª edição do Lean Conference Brazil, organizado pela AEA em parceria com o Honsha.org, inovou ao debater Lean Manufacturing e Indústria 4.0. A AEA realizou nos dias 2 e 3 de abril no Milenium Centro de Convenções a 4ª edição do Lean Conference Brazil, desta vez com o tema Lean 4.0, uma proposta que uniu os conceitos de Lean Manufacturing e da Indústria 4.0. Pascal Dennis, Christoph Roser e Sammy Obara foram os nomes internacionais e autoridades na Indústria 4.0 e em Lean Manufacturing. A apresentação de Obara contou com a participação especial de Sergio Niyama, vice-presidente de TPS e Produção na Toyota do Brasil. O 1º dia do evento foi intercalado com palestras internacionais, sessões interativas, modelos de excelência e network temático. Já no 2º dia, estes especialistas ministraram exclusivamente workshops que possibilitaram aos participantes adquirir conhecimento e técnicas para aplicação imediata em suas organizações.

12


Eventos

SEMINÁRIO DE INOVAÇÃO EM POWERTRAIN

Três painéis compuseram a 5ª edição do Seminário de Inovação em Powertrain, organizada pela AEA no dia 25 de abril, na Universidade Paulista em São Paulo. Foi debatido o tema central “Propulsões alternativas: powertrains inovadores em tempos de eletrificação, Rota 2030 e Renovabio. Coordenada por Alexandre Uchimura, Avelino Souza, Christian Wahnfried e Maurício Lavoratti, a 5ª edição recebeu mais de 160 participantes. No primeiro painel, Edgar Barassa (Unicamp) e Robson da Cruz (USP) mostraram amplo espectro da eletrificação veicular no Brasil, seguido por Gerhard Ett (Electrocell) que falou sobre o “Desenvolvimento da célula de combustível a etanol”, por Mike Lu (Curcas) que discorreu sobre “Green fuel: plataforma brasileira de combustíveis renováveis” e por Ricardo Pinto, da Petrobras, responsável pela palestra “HVO como opção para o Renovabio”. O debate foi mediado por Ricardo Takahira.

O último painel tratou de desenvolver temas do setor automotivo propriamente dito, a começar com a palestra de Orlando Zibini, da Mercedes-Benz, uma visão da montadora em veículos pesados (caminhões e ônibus), seguido pela apresentação de Gustavo Noronha, da Toyota, que mostrou a visão da montadora japonesa no segmento de automóveis de passeio, Celso Argachoy, da Cummins, abordou “Alternativas de energia para o powertrain – combustíveis gasosos” e a visão dos sistemistas foi mostrada por Alexandre Uchimura, da Roberto Bosch. Frank Turkovics, da PSA, mediou o debate desse painel.

No segundo painel, três palestras ilustraram cenários de powertrain alternativos em outros setores. Pedro Scorza, da Gol Linhas Aéreas, mostrou a visão da aviação, meio ambiente, emissões e bioquerosene; enquanto Flavio Carvalho, da AGCO, deu uma visão geral sobre a agricultura e Aleksandro Silva, da MTU do Brasil, falou sobre a Rolls Royce Power Systems AG. O debate foi coordenado por Maurício Lavoratti.

13


Eventos

SEMINÁRIO DE SEGURANÇA E CONECTIVIDADE

A AEA promoveu no dia 16 de maio, o Seminário de Segurança e Conectividade – “Os Impactos do Rota 2030 na Segurança Veicular e os Desafios da Conectividade”. O evento foi realizado na Universidade Paulista, em São Paulo.   A necessidade da indústria planejar o futuro com uma visão mais holística dos novos serviços de mobilidade, dos impactos da conectividade, da propulsão e da autonomia dos veículos foi abordada por Paulo Cardamone, diretor de Estratégia da Bright Consulting em apresentação ‘Futuro das tecnologias’. Na visão do diretor, “a infraestrutura montada para produção do veículo tem que se organizar. A distribuição dos veículos, o processo de venda, a forma como serão vendidos, tudo isso vai mudar, pois os novos jovens digitais querem um mundo conectado; é uma geração que deseja usufruir e não mais possuir”.    O Painel 1 foi aberto com a participação de Plinio Cabral Junior, diretor de Engenharia Elétrica da GM, com a apresentação ‘Segurança em Veículos

14

Elétricos’. Até o final de 2023, a montadora vai lançar no mercado global novos modelos de 20 veículos elétricos.   ‘Os novos desafios da segurança cibernética na indústria automotiva’ foi tema da palestra ministrada por Marcus Vinicius Farbiarz, gerente de P&D de Segurança da SiDi. “Hoje, o grande desafio é garantir a proteção e atualização durante todo o ciclo de vida de um automóvel, que traz ampla superfície de ataque com diversos sensores de conexão como Wi-Fi, USB, cartão de memória, chave remota, entre outros”, informou.   Em ‘Frenagem Autônoma de Emergência (AEB)’, o palestrante Leimar Mafort, gerente de engenharia da Robert Bosch, levou ao público presente o AEB (Autonomous Emergency Braking), sistema de automação capaz de atuar de forma integrada com dispositivos como sensores, radares e câmeras.   O primeiro painel do evento da AEA foi encerrado após a apresentação ‘Data Analitics no Mundo


de Veículos Conectados’, por Gustaf Dieckmann, gerente de Engenharia da Harmann e um amplo debate entre os palestrantes e o público presente, mediado pelo jornalista e diretor da AutoInforme, Joel Leite. Painel II – O gerente de produto da Robert Bosch, Bruno Mori, introduziu a apresentação ‘Configurações de sensores para atender Rota 2030’. Para ele, “o desenvolvimento e o aperfeiçoamento dos sensores abrem possibilidades para a entrega de um melhor custo-benefício com a capacidade de destacar a empresa que oferece essa diferenciação para o cliente”   A palestrante Lilian Laraia, CEO da Laraia Innovation Technology, exibiu dentro da temática ‘Conectividade em Eletromobilidade TRM – Technology Road Map’, um projeto voltado à conectividade para veículos elétricos, com o objetivo promover grupo de estudos para identificar formas de trabalho e tecnologias para VE’s, além de prospectar tecnologias relacionadas a infraestrutura necessária, sistemas de software embarcado em ECUs (Engine Control Unit) e aplicativos móveis embarcados.     Em ‘Proteção a pedestres’, o engenheiro de Produto da GM Rodrigo Ribeiro, compartilhou sobre os estudos existentes para minimizar os impactos nos acidentes causados com pedestres, além da importância da infraestrutura viária e da educação no trânsito. O Painel II foi encerrado com debate mediado por Ricardo Takahira, coordenador do evento da AEA.   Na palestra ‘ADAS – Advanced Drive Assistance Systems’, o diretor executivo da Stamp Jet, Ricardo Silva, orientou sobre a necessidade de recalibração dos sistemas ADAS - ativos e passivos – em casos de colisão, na simples remoção do parachoque, troca de retrovisores, ou serviços da suspensão, entre outros.   O conteúdo ‘Software para veículos inteligentes’ foi exibido pelo palestrante André Barros, da Synkar, empresa focada na criação de produtos, pesquisa científica e desenvolvimento em inteligência artificial para empresas de diversos setores.“Nosso objetivo é contribuir com a indústria eliminando o gap de atraso das empresas brasi-

leiras por meio da inteligência artificial, criando soluções treinadas e adaptadas que possam ser consumidas como serviço de uma forma prática e acessível”.

15


Eventos

PRÊMIO AEA DE MEIO AMBIENTE E CELEBRAÇÃO AEA 35 ANOS

A AEA realizou no dia 06 de junho o XIII Prêmio AEA de Meio Ambiente, em noite comemorativa de 35 anos de sua fundação, com a participação de cerca de 200 convidados, na Casa Traffô, em São Paulo. Nesta edição do Prêmio AEA, 55 trabalhos foram inscritos nas quatro categorias: Jornalística, Responsabilidade Ambiental, Responsabilidade Social e Tecnologia. Os trabalhos foram analisados por uma banca de jurados, liderada por Alfredo Castelli, coordenador do evento. Na Categoria Jornalística, a grande vencedora foi “A hora dos elétricos”, de autoria de Itamar Melo de Oliveira, do jornal Zero Hora, de Porto Alegre. As menções honrosas ficaram para os trabalhos “Carro elétrico, híbrido, sustentável e autônomo: tendência ou necessidade?”, de Gislene Maria Bastos, repórter do Grupo RIC, e “ Nissan Leaf é o primeiro elétrico autorizado a usar smart grids na Alemanha”, de Gustavo Henrique Ruffo, da Autocar Brasil. O título de melhor trabalho da Categoria Responsabilidade Ambiental foi para “Aumento de descarte de pré-filtro separadores água/óleo diesel gerados pelo aumento da porcentagem do bio-

16

diesel”, dos autores Alan Bonel, Eloisa Parkutz, Lucio Araújo, Marcio José Cirino, Marcos Marcondes, Sergio Amaral e Thiago Nogueira, das empresas Volkswagen Caminhões e ônibus, Unesp IPBEN, Parker Hannifin, Universidade Estácio de Sá e Teccom Tecnologia em Combustíveis. Ainda na categoria, levaram as menções honrosas os trabalhos “Ideias inovadoras para a redução de resíduos nos processos produtivos e indiretos”, de Anderson Romeira, Fábio Muniz, Joana Amaral, Lediane Barros, Luís Gaya e Rosimário Sá, da Honda, Automóveis do Brasil, e “Sala E·H General Motors São Caetano do Sul – espaço socioambiental interativo de engenharia de eficiência hídrica e energética””, dos autores Andreiele Ribeiro Pinto, Eduardo Chuqui Junior e Leonardo Sanches Junior, da General Motors do Brasil. Graziela Araújo Pontes, da Renault do Brasil, com o paper  “Projeto supera”, foi a grande vencedora na Categoria Responsabilidade Social, este ano pela segunda vez consecutiva. As menções honrosas desta categoria ficaram para “Projeto conectando a comunidade à natureza”, de Andressa Albanus, Audrey Lemes e Julia Kunrath, da General Motors, e “Eco Ginc Facens”, de autoria de Fran-


cisco Alencar, Lourranny de Souza, Raquel Barbosa e Tamara Nanni, da Facens – Faculdade de Engenharia, Tecnologia e Arquitetura de Sorocaba. E, finalmente na Categoria Tecnologia, os vencedores foram Adriano Cagnin, Renato Leite, Ronaldo Ramos e Thiago Cabrelon, da Robert Bosch, com o trabalho “Lifecycle assessment on powertools”. Uma das menções honrosas ficou para o “Ônibus Volkswagen e-flex: plataforma co o mais abrangente e inovador conceito de flexibilidade e modularidade a ser aplicado em veículos comerciais elétricos”, dos autores Alexandre Nogueira, Argel Franceschini, Carlo Fernandes, Daniel José Ribeiro, Fabrício Kawakami e Rodrigo Chaves, da MAN Latin America. A outra foi entregue para Luiz Gustavo Amaral, da ESSS, com o trabalho intitulado “Optimization based on 3D CFD simulations of an axial turbine from a small gas turbine engine”. Em relação aos 35 anos de fundação, a AEA homenageou os engenheiros, executivos e representantes de órgãos governamentais, montadoras, sistemistas e universidades, por meio das 81 empresas e instituições mantenedoras da entidade.

17


Eventos

SIMPÓSIO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA E EMISSÕES

A promoveu no dia 12/06, no Millenium Centro de Convenções, em São Paulo o Simpósio de Eficiência Energética e Emissões, em sua 5ª edição, com a temática “Desafios da harmonização: matriz energética, tecnologia de motores e legislação brasileira”. O evento viabilizou um fórum de discussões por meio de palestras e debates sobre os caminhos necessários para a implantação das tecnologias globais e da matriz energética brasileira, com participação cada vez maior de biocombustíveis. E uma das grandes preocupações, de acordo com Joseph Henry Jr., diretor técnico da Anfavea, é elevar o nível de qualidade e tecnologia dos produtos fabricados no Brasil, já que temos a capacidade de produção significativa de veículos, com cadeia de fornecedores bastante apta. O diretor técnico da Anfavea em palestra de abertura ‘Mercado e Expectativas’, ainda reforçou sobre os principais objetivos da política industrial para o setor automotivo Rota 2030, como o esti-

18

mulo à geração de inovação por meio de pesquisa e desenvolvimento, melhorias da sustentabilidade veicular com redução das emissões de CO2 e do consumo de combustível, valorização dos biocombustíveis dentro da matriz energética brasileira, continua evolução da segurança veicular, além da contribuição do aumento da competitividade. De acordo com as projeções da Anfavea, em 2019 teremos um aumento de vendas de 11,4% quando comparado com 2018. O Painel 1 teve início com a apresentação “A importância atual e futura dos biocombustíveis na matriz energética brasileira”, ministrada por José Mauro Ferreira, diretor de Estudos do Petróleo, Gás e Biocombustíveis da EPE. Para Ferreira, a matriz energética brasileira vem recebendo mudanças significativas com novas fontes de energia, sendo que a previsão é crescer mais de 30% até 2040. Ainda de acordo com os dados da EPE, cerca de 20% do consumo de transportes é por meio de combustíveis renováveis.


Nas metas de emissões de CO2 da matriz de combustíveis, há a previsão de queda 95,9% em 2029, segundo Ricardo Gomide, coordenador Geral do Ministério de Minas e Energia. Em palestra ‘Atualização Renovabio’, Gomide afirmou que política de descarbonização da matriz brasileira de combustíveis que visa o aumento da energia e redução de emissões de CO2 deve ser atendida por biocombustíveis. O projeto de um complex industrial, a ser localizado perto de Assunção, no Paraguai, totalmente dedicado a produção de Diesel Renovado, com início de produção previsto para 2022, foi apresentado por Julio César Minelli, diretor executivo da Associação dos Produtores de Biodiesel do Brasil (Aprobio) em palestra ‘Projeto HVO’. “O biocombustível avançado, a partir do óleo vegetal, gorduras e resíduos, pode ser usado em motores Diesel, sem  a necessidade de modificações ou adaptações”, disse Minelli.   As atividades do Painel 1 foram encerradas após amplo debate com o público presente e mediado pelo jornalista e colunista automotivo Fernando Calmon. Não é procedente o receio de que o biodiesel seja incompatível com níveis de emissões mais restritivos. Para Vicente Pimenta, consultor técnico da Abiove, as principais fabricantes de veículos e motores já garantem seus produtos para uso com percentuais ainda maiores do que os que serão aplicados em horizonte próximo no Brasil, informou durante sua apresentação ‘Desafios na fase P8 com o aumento do teor de Biodiesel’.   Em defesa da Inspeção Técnica Veicular e Renovação de Frotas, Gabor Deák, diretor de Tecnologia do Sindipeças, apontou alguns benefícios destas ações, tais como: redução das mortes e dos feridos em acidentes com caminhões velhos e inseguros, redução dos gastos referentes a acidentes com caminhões, e redução da emissão de poluentes atmosféricos e de gases de efeito estufa de aproximadamente 2.000.000 t de CO2.   A apresentação ‘Características da gasolina brasileira e sua influência na eficiência energética’, ministrada por Frederico Kremer, gerente de Soluções Comerciais da Petrobras inaugurou as

atividades do Painel II. Na oportunidade, Kremer apresentou o Programa de Testes de companhia para avaliação de desempenho, consumo e detonação e fez sugestões de alteração de algumas especificações da gasolina. Em ‘Vantagens dos motores com ignição por centelha com alta taxa de compressão’, o diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da Mahle, Ricardo Abreu, comentou sobre alto poder de octana do etanol, considerado o melhor aditivo para elevar o número de octanas da gasolina.   O Painel II foi encerrado com palestra ‘Revisão de especificação da gasolina, Resolução 40 de 2013’, ministrada por Ednéia Caliman, especialista em Regulamentação da ANP.   As apresentações ‘Necessidades de adaptação dos laboratórios para atendimento ao L7, L8 e P8’ e ‘Necessidades de adaptação dos veículos leves e pesados para atender P8 e L8’, foram exibidas por Jorge Yonezawa, Technical Sales da AVL, e Edilson Pacheco, gerente de Economia de Combustível e Emissão de Gases de Efeito Estufa da FCA América Latina, respectivamente.   Em ‘Programa brasileiro de ensaios de proficiência de emissões : metodologia e resultados para veículos leves, pesados, motocicletas e motores diesel e ciclo Otto, o diretor de Metrologia Científica e Tecnologia do Inmetro, Marcelo Lima Alves, reforçou sobre o uso de métodos estatísticos apropriados como contribuição para o aprimoramento dos ensaios de proficiência e dos processos de análise dos laboratórios de emissão. O Painel III teve debate entre os palestrantes e foi ministrado por Wagner Oliveira, jornalista e sócio diretor da Future Transport.

19


Eventos

SIMEA 2019

Mobilidade, smart city, globalização, digitalização, sustentabilidade e o Rota 2030, com foco em pesquisa e desenvolvimento, foram alguns dos temas de destaque na abertura e nos painéis do 27º SIMEA - Simpósio Internacional de Engenharia Automotiva, realizado nos dias 21 e 22 de agosto no Novotel São Paulo Center Norte, na capital paulista, com a participação de cerca de 900 executivos e profissionais da cadeia automotiva brasileira. Além do presidente da AEA, também os demais participantes da cerimônia de abertura do SIMEA falaram da importância do Rota 2030 e dos novos rumos da indústria automotiva brasileira. Entre eles, Antonio Megale, presidente de honra da edição 2019 do simpósio; Gábor Deàk, consultor do Sindipeças; Maurício Lavoratti, coordenador do evento; Joseph Henry Jr, diretor técnico da Anfavea; Patrícia Ellen, secretária de Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo; e José Antonio Silvério, do SEMPI/MCTIC.

20

Da parte do governo federal, o secretário de Desenvolvimento da Indústria, Comércio, Serviços e Inovação do Ministério da Economia (SDIC/ME), Caio Megale, palestrou na abertura do simpósio, ocasião em que definiu o Rota 2030 como um programa de sucesso. “Ele estabelece uma fonte de recursos para inovar, fundamental para a retomada dos investimentos”. Mobilidade – No primeiro dia do evento, painel realizado no auditório abordou o tema “Inovações em mobilidade e urbanização do futuro”, com a participação de Paulo Cardamone, chief of strategy da Bright Consulting, e de Rodrigo Chaves, chief of technology office da VWCO, Volkswagen Caminhões e Ônibus. Cardamone falou sobre smart city brasileira e visão do futuro para a mobilidade sustentável no Brasil. Segundo ele, até 2025 haverá 25 cidades inteligentes no mundo. Sobre mobilidade, comentou o elevado número de mortos no trânsito


no Brasil e os elevados custos que isso gera. Defendeu a necessidade de se investir em tecnologia e soluções as vezes até simples para reduzir as mortes principalmente nos grandes centros.

car” -, aconteceram 54 sessões técnicas sobre temas específicos de engenharia automotiva nos dois dias do SIMEA 2019.

Rodrigo Chaves, por sua vez, falou sobre como as tendências da mobilidade estão influenciando os negócios da indústria automotiva. Segundo ele, não basta hoje vender e oferecer serviços. O executivo falou do sucesso do e-Delivery e do Volksbus e-flex, lançados pela montadora há um ano. No painel sobre o Rota 2030 na quinta-feira, 22, Adriana Regina Martin, diretora do departamento de Apoio a Inovação da Secretaria de Empreendedorismo e Inovação do Ministério da Economia, informou que está programado para 20 de setembro a divulgação dos seis projetos e programas prioritários credenciados ao Rota 2030 e as instituições responsáveis por eles. Também o coordenador da indústria automotiva do Ministério da Economia, Ricardo Zomer, participou do painel sobre “O novo regime automotivo brasileiro: as soluções da engenharia nacional”, explicando toda a logística do Rota 2030. Os dois outros participantes do painel sobre o Rota 2030 foram o diretor de Planejamento e Gestão da Embrapii, José Luís Gordon, e o diretor de Relações Governamentais da General Motors, Adriano Barros. Além de debates e palestras de alto conteúdo técnico sobre temas fundamentais do cenário atual – entre elas as de Gianni López, diretor do Centro Mário Molina, do Chile sobre “O desafio do mundo da mobilidade em busca de eficiência”, a de Luiz Fernando Oliveira, da Renault, sobre “Como as montadoras e sua cadeia de valor estão encarando os novos serviços de mobilidade”, a de Daniel Scuzzarello, que abordou “O impacto da transformação digital na engenharia de mobilidade”, a de Helio Akira Oyama, da Qualcomm Technologies, sobre “Key factor for mobility consumer” e, finalmente, a de Heiko Weller, sênior vice-presidente de Engenharia da Robert Bosch GmbH, que dissertou o tema “Modern prowertrain developments for passanger

21


Eventos

MELHOR TRABALHO E MENÇÕES HONROSAS SIMEA 2019

A AEA anunciou no dia 23 de outubro, durante o XII Simpósio Internacional de Lubrificantes, Aditivos e Fluidos, o melhor trabalho e as menções honrosas entre os inscritos da 27ª edição do SIMEA 2019, promovido em agosto pela entidade. O evento de premiação aconteceu no Milenium Centro de Convenções, em São Paulo. A comissão técnica do SIMEA 2019, coordenado pelo professor Ronaldo Salvagni, realizou a avaliação dos resumos e dos trabalhos finais entregues, levando-se em consideração

aspectos como ineditismo, conteúdo técnico, inovação e voltado à área da mobilidade. Os artigos técnicos foram enquadrados em assuntos relacionados com a Engenharia Automotiva, agrupados nos temas Combustíveis, Biocombustíveis e Lubrificantes e Aditivos; Emissões, Inspeção Técnica Veicular; Ensaios e Simulações; Materiais e Reciclagem; Motores e Transmissões; Manufatura e Processos; Projeto e Tecnologia do Veículo e Segurança Veicular. Confira a lista dos premiados:

Melhor Trabalho Tema: Impacto do processo de regeneração do filtro de partículas (dpf) nas emissões reguladas e não reguladas em veículo comercial leve do ciclo Diesel Autores: Luiz Carlos Daemme, Lactec. Renato de Arruda Penteado Neto, Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento SM Categoria: Emissões, Inspeção Técnica Veicular; Ensaios e Simulações

22

Marcelo Risso Errera, Universidade Federal do Paraná Sergio M. Correa, Universidade do Estado do Rio de Janeiro Fatima M. Zanon Zotin, Universidade do Estado do Rio de Janeiro


Menções Honrosas

Categoria: Combustíveis, Biocombustíveis e Lubrificantes e Aditivos Tema: O etanol brasileiro como alternativa à eletrificação para cumprimento de metas da COP21 Autores: Alex Restani Siegle, UNICAMP Yuzo Iano, UNICAMP Maria Carolina de Barros Grassi, UNICAMP Luiz Vicente Figueira de Mello Filho, MACKENZIE

Categoria: Emissões, Inspeção Técnica Veicular; Ensaios e Simulações

Categoria: Ensaios e Simulações

Tema: Análise especiais de hidrocarbonetos em emissões de escape de veículos flex

Tema: Otimização do projeto aerodinâmico do reboque do caminhão por meio de simulações de CFD

Autores:

Autores:

Graciela Arbilla, UFRJ

Filipe Fabian Buscariolo, USP

Cleyton Martins da Silva, UFRJ

Julio Cesar Lelis Alves, USP

Bruno Siciliano, UFRJ

Leonardo Jose Della Volpe, GMNA

Pedro Caffaro Vicentini, PETROBRAS Luciana Neves Loureiro, PETROBRAS

Flávio Koiti Maruyama, UFABC Felipe Costa Magazoni, THERMAX

José Claudino Almeida, SENAI Luiz Carlos Daemme, LACTEC

Categoria: Motores e Transmissões Categoria: Segurança Veicular Tema: Impactos na segurança veicular pela ação dos raios ultravioletas em faróis automotivos Autores: Carlos Alberto Leite de Moura, ARTEB

Categoria: Materiais e Reciclagem Tema: Efeitos da espessura da seção nas propriedades mecânicas do Simo GCI para caixas de turbocompressores

Autores: André Vinicius Oliveira Maggio, USP Marco Isola Naufal, IPT

Autores:

Marcos Henrique Carvalho, USP

Wilson Luiz Guesser, UDESC

Armando Antonio Maria Laganá, USP

Ângelo Carlos Gamba, Tupy Carlos Souza Cabezas, Tupy

Tema: Um modelo de processo gaussiano para pneus em maleta combinada Autores: André Pelisser Cavalcante Souza, ETAS Categoria: Projeto e Tecnologia do Veículo e Segurança Veicular

Tema: Modelagem do fenômeno da detonação aplicada ao motor de combustão flex

Joao Francisco Justo, USP Angelo Maggio Neto, USP Categoria: Ensaios e Simulações Tema: Otimização do desempenho vibracional de um veículo comercial por meio da combinação de métodos de teste e CAE Autores:

Wilhelm Andriessen Vatanabe, USP

Davi Machado Cury, SIEMENS

Alexandre M. Kawamoto, ETAS

Fernando Henrique Nardelli, SIEMENS

Victor Lyra Namba, USP

André de Oliveira, SIEMENS 23


Eventos

SEMINÁRIO DE MANUFATURA AUTOMOTIVA

A 4ª edição do Seminário de Manufatura Automotiva, com o macrotema “O papel da Inteligência Artificial na Sociedade 5.0 – A indústria 4.0 no dia a dia das pessoas” -, no dia 19 de setembro, no Inovabra Habitat, em São Paulo, teve como objetivo debater os potenciais usos, gargalos, benefícios e riscos da inteligência artificial, IoT (Internet das Coisas) e da visão computacional na indústria e na sociedade. O evento reuniu estudantes, engenheiros e profissionais do setor automotivo e de outros setores com interesse na atualização e discussão do tema. A palestra de abertura foi promovida pela coordenadora Geral no Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Eliana de Azambuja, que abordou sobre o Plano de Ação da Câmara Brasileira da Indústria 4.0. “Nosso objetivo é fomentar o desenvolvimento de produtos e processos compartilhados entre startups e grandes empresas, apoiar a inserção de empresas na Indústria 4.0, além de programas de desenvolvimento da cadeia de valor da Indústria 4.0., informou a coordenadora.

24

‘O Ponto de Partida da Inteligência Artificial” foi temática do Painel A que contou com três apresentações. “Tendências transformando a indústria automotiva”, por Marcelo Cioffi, líder de Mercado Automotivo, Diversidade e Inclusão da PwC Capital Markets. Segundo o executivo, “o número de funções de logística no chão de fábrica será reduzido em cerca de 60%, em parte porque os humanos serão substituídos por veículos autônomos. Na indústria automotiva propriamente dita, o uso individual de veículos pode diminuir em um cenário de 2030, mas vai aumentar o uso compartilhado. Com isso, a demanda por automóveis ainda será muito significativa”. Ministrada por Luciano Mendes, da Inatel, a palestra “Redes Móveis de 5a. Geração: Cenários e Aplicações” abordou sobre os desafios sobre a implementação do 5G e, por outro lado, sobre as vantagens da rede como uma solução definitiva para o problema de acesso fora dos grandes centros. A palestra “Revolução 4.0: agora é crucial desaprender para aprender” foi ministrada por Célia Costa, sócia-diretora da People & Strategy, que debateu sobre os desafios atuais em trabalhar com a transformação cultural, as barreiras nas introduções das novidades da indústria, com a


demanda por profissionais capazes de resolver todos os problemas que mudam a todo instante. O Painel B – “O Que Está Acontecendo Fora do Setor Automotivo?” teve início com a apresentação “Trabalho no Mundo 5.0”, na qual o Dr. Marcos Barreto, da USP, exibiu uma visão para 2030, quando, segundo ele, haverá maior concentração da economia, um risco maior de pobreza para jovens e a mudança na jornada de trabalho já que haverá menor necessidade de profissionais em campo.

Entrega Prêmio Destaques Novos Engenheiros

Arthur Horn IMT

Danilo Cruz UNIP

Fabio H. Medeiros FEI

Gabriel Erwin USP

“A Inteligência Artificial vai aumentar em até 40% a produtividade no ambiente de trabalho”, informou David Dias, diretor da Accenture em palestra “Inteligência Artificial: Momentum, Conceitos e Evolução”. O momento atual traz um novo paradigma para as empresas, sobre como prosperar em um ambiente imprevisível. Para Jaime Frenkel, diretor de Gestão de Inovação da Elo Group, “é preciso que hoje as companhias percebam rapidamente as mudanças, responsa rapidamente e ao mesmo tempo aprenda e evolua com essas diferenças”, disse durante sua apresentação “Disrupção, transformação e liderança”, que abriu as atividades do Painel C – ‘Da Idéia a Implantação’. A palestra “Desvendando e Superando os Desafios da Manutenção Preditiva usando um Protótipo de Digital Twin”, ministrada por Valdir Cardoso, presidente da Altair Engineering do Brasil”, encerrou as atividades dos Painéis A, B e C após debate mediado por Anderson Suzuki, diretor de Comunicação da AEA, entre os palestrantes e o público presente durante o evento. “Da ideia à Implantação” também foi temática da palestra de André Sernaglia, produtor executivo de Inovação e Tecnologias Criativas da Vetor Zero. E a apresentação “IA na Inspeção do Setor Aeronáutico” foi apresentada por Renan Padovani, CEO da Autaza. Enquanto, o executivo Edilson Lima, do Bradesco, foi responsável por ministrar o tema “BIA – Bradesco Inteligência Artificial”. O conteúdo do encerramento da 4ª edição do seminário da AEA foi desenvolvido por Elcio Brito, da SPI Integração, Victor Lebro, da Rosas de Ouro e Luiz Egreja, da Dassault Sistemas.

Lucas Marques UNICAMP

Mariane Bigarelli UTFPR

“Carnaval 4.0” foi tema desta palestra que contou sobre um dos planos da escola de samba para o próximo Carnaval 2020. “Temos o desafio de juntar a arte, tecnologia e a emoção para viajar pelas quatro Revoluções Industriais por meio de experiências digitais e interativas desenvolvidas em parceria com grandes empresas de tecnologia e centros acadêmicos como Insper, Instituto Mauá, FEI e USP”, disse Lebro. 25


Eventos

SIMPÓSIO DE LUBRIFICANTES, ADITIVOS E FLUÍDOS

Ao menos duas palestras - “Inovação na Mobilidade: Origens, Conquistas e Futuro”, de Demetrio Vetorazzo, chefe-assistente de Transmissão Regional da General Motors, e “ Eletrificação: perspectiva para mobilidade urbana e o impacto na indústria de lubrificantes”, de Rafael Ferreira Ribeiro, gerente de Marketing da Chevron Oronite para América Latina, agitaram a plateia do XII Simpósio Internacional de Lubrificantes, Aditivos e Fluidos, no dia 23 de outubro, no Milenium Centro de Convenções, em São Paulo. O simpósio trouxe para debate o macrotema “Lubrificantes e a Mobilidade Sustentável”, no qual palestras e discussões técnicas sobre que o há de mais recente em desenvolvimento tecnológico sobre lubrificantes automotivos, debatendo a importância deste setor para evolução da mobilidade sustentável; as modernas tecnologias de motores e leis ambientais mais restritivas exigem lubrificantes cada vez mais amigáveis ao meio ambiente. A sessão de abertura do evento teve a participação de Paulo Consonni, gerente executivo da entidade, e de Simone Hashizume, diretora da AEA e uma das coordenadoras do simpósio, que enfatizaram a contribuição do setor no processo

26

de atendimento cada vez mais restritivo das leis de emissões e eficiência energética veicular. Em palestra de abertura, “Inovação na Mobilidade: Origens, Conquistas e Futuro”, o palestrante Demetrio Vetorazzo, chefe-assistente de Transmissão Regional da General Motors, trouxe uma reflexão sobre as origens do sistema de propulsão automotiva, sendo que ideias originadas há séculos integram os veículos que usamos hoje. “Os OEMs automotivos estão buscando agressivamente óleos de motor de baixa viscosidade para melhorar a eficiência do motor. Essas tendências globais favorecem a redução de emissões de CO2 e melhoram a eficiência de combustível”, disse Michael P. Sheehan, químico técnico de desenvolvimento de clientes da Exxon Mobil, em apresentação “Ativando a economia de combustível através da inovação de óleo básico”.  Em “Aditivos para óleo de motor e mobilidades sustentáveis”, o especialista em Engenharia de Pesquisa e Desenvolvimento da Afton Chemical, William Anderson, reforçou sobre as regulamentações globais que exigem melhor economia de combustível e incentivam os OEMs a produzir


projetos de motores mais sofisticados. Além das questões ambientais, o gás natural apresenta vantagens econômicas à medida que novos campos e métodos de produção são desenvolvidos. E em apresentação “Gás natural e biogás por um futuro mais sustentável”, Fred W. Girshick, da área de Tecnologia de Lubrificantes da Infineum, os três tipos de combustíveis gasosos - gás natural, aterro sanitário e biogás - apresentam desafios diferentes para o projetista de motores e, portanto, para o formulador de óleo de motor. “As especificações de lubrificante para ciclo diesel continuam evoluindo em uma velocidade sem precedentes devido a tendências importantes como redução de emissões, durabilidade e economia de combustível”, disse Fabio Araújo, gerente de Produtos da Lubrizol, durante palestra “As Tendências no Mercado de HDMO”. Para Araújo, economias emergentes como o Brasil têm desafios importantes pela frente com a introdução de novas legislações de emissões e a nova especificação ACEA 2020. Todas essas mudanças criam novos desafios para a Indústria e para o usuário final. Em palestra “ Eletrificação: perspectiva para mobilidade urbana e o impacto na indústria de lubrificantes”, Rafael Ferreira Ribeiro, gerente de Marketing da Chevron Oronite para América Latina, informou que os projetos híbridos e totalmente elétricos têm necessidades únicas que a tecnologia avançada de lubrificação pode ajudar a resolver.  O Painel I - A Indústria do Lubrificante em 2030 – integrou a programação do evento da entidade e o palestrante Marco Antonio Gonzalez de Almeida, consultor master em Lubrificantes da Petrobras Distribuidora, em apresentação “Lubrificantes para PCMO em 2030”, exibiu um cenário atual comparando-o com o futuro, as tendências, além de elencar os prováveis desafios tecnológicos para a indústria de lubrificantes no País.

sito de desempenho recomendado. Para Roberta Teixeira, da Iconic, palestrante da apresentação “Lubrificantes para motores Diesel, leves e pesados”, “a regulação é importante para o aumento do nível mínimo de desempenho dos lubrificantes e a indústria tem um papel fundamental na conscientização do consumidor final quanto à aplicação correta, independente da idade do veículo. O mercado de lubrificantes também está se transformando com desenvolvimento de novas formulações e especificações para atender à tendência da crescente demanda de veículos com transmissões automáticas. A palestra de André Pires, gerente Industrial da Moove Lubrificantes, abordou as tendências do mercado e as principais características dos lubrificantes para transmissões automáticas. O Painel I foi encerrado após debate entre os palestrantes e o público presente, mediado por Sergio Viscardi, da Viscardi Consultores Associados. A Comissão Técnica de Lubrificantes, Fluidos e Aditivos da AEA, ao longo de 2019 abordou em suas reuniões mensais as novas tendências globais para lubrificantes de motores Diesel e como estes novos produtos podem trazer benefícios ao mercado brasileiro de caminhões e ônibus. Na palestra “Emissões, sustentabilidade e impactos no lubrificante”, Marcus Vercelino, daquela comissão, apresentou  como novos testes e especificações de instituições independentes como a ACEA e API trazem um maior nível de proteção aos veículos pesados que operam ou irão operar no Brasil. A palestra “Quantificação direta de aditivos lubrificantes por XRF”, ministrada por Cristian Roque Perdoná, coordenador de Aplicação da Bruker, encerrou as atividades do simpósio.

A crise econômica vem impactando o processo de renovação de frota de caminhões e ônibus; potencializou-se ainda a busca pela redução do gasto com lubrificante em detrimento ao requi-

27


Eventos

I WORKSHOP AEA - AS TECNOLOGIAS FUTURAS PARA CAMINHÕES E TRANSPORTE

A primeira edição do “Workshop AEA - As Tecnologias Futuras para Caminhões e Transporte” aconteceu no dia 15 de outubro durante o 22º Salão Internacional do Transporte Rodoviário de Carga – FENATRAN , em São Paulo. O workshop contou com mais de 100 participantes que tiveram a oportunidade de debater durante os três painéis apresentados temas referentes a emissões, combustíveis e segurança veicular e novas tecnologias. A abertura do evento foi realizada pela primeira vez pelo novo Presidente da AEA – Besaliel Botelho – que assumiu o posto em setembro deste ano. O Painel I abordou o tema “emissões” e foi composto pelos palestrantes Carlos Ibsen Vianna - CETESB , André Sperl VCA e Tadeu Cavalcante – AEA. A mediação do painel foi realizada pelo Gilberto Leal, consultor da CBMM. Combustíveis foi o tema abordado no Painel II com a participação dos palestrantes Marco Antonio Garcia – SCANIA, Ricardo Rodrigues - PETROBRAS e Christian Wahnfried– AEA e contou com a mediação do Rogério Gonçalves, Diretor de Combustíveis – AEA. Antes do encerramento do workshop, o Painel III contou com a participação da Camila Maiche, – VOLVO , Marcus Kliewer, MERCEDES-BENZ, Daniel Tavares – DENATRAN e Carlo Gibran – AEA, com a mediação do Flávio Ferreira – AEA, para as discussões com foco em segurança veicular e novas tecnologias.

28


Destaques

1º DESAFIO AEA DE MANUFATURA AVANÇADA “Acelerando o IOT e a IA do futuro para estudantes de ensino médio e fundamental” O 1º Desafio AEA de Manufatura Avançada tem como objetivo desmistificar a complexidade e a percepção de elevação das tecnologias habilitadoras da indústria 4.0. O desafio será direcionado para escolas públicas do estado de São Paulo como projeto piloto do desafio. Todas as informações como o edital e como se inscrever você encontra acessando o site

AEA: www.aea.org.br

PCVE - PROGRAMA BRASILEIRO DE COMBUSTÍVEIS, TECNOLOGIAS VEICULARES E EMISSÕES O Programa Brasileiro de Combustíveis, Tecnologias Veiculares e Emissões tem como objetivo gerar estudos científicos relativos à influência dos combustíveis e das tecnologias veiculares nas emissões automotivas. É importante dizer que essas pesquisas são de domínio público e que vão gerar benefícios para a sociedade como um todo. O PCVE é composto pelo Ministério de Minas e Energia (MME), Ministério do Meio Ambiente (MMA), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Associação Brasileira de Engenharia Automotiva (AEA) e Petróleo Brasileiro S.A. (Petrobras).

29


Destaques

LABORATÓRIO MÓVEL LUMIAR LUMIAR é um laboratório móvel dedicado ao monitoramento da qualidade do ar e das condições atmosféricas. O laboratório mede todos os gases e partículas regulamentados e alguns que em geral não tem na rede normal de monitoramento. Além dos gases que são regulamentados é realizado a medição de outros gases e outras formas de medidas de partículas. Não é medido apenas a concentração, mas também o número de partículas, tornando-se um laboratório bem detalhado e completo. O laboratório é deslocado a qualquer momento para qualquer lugar que seja necessário a medição.  Movido a energia elétrica – é necessário um local para fazer a instalação e funciona automaticamente. É possível realizar o monitoramento de tudo que ele coleta remotamente. Com a criação do LUMIAR foi criado também o Centro de Operações que faz a operação e monitoramento remotamente. O que esperamos é proporcionar uma melhor calibração dos modelos que são dedicados a qualidade do ar e fornecer melhor subsídios para gestão da qualidade do ar, da tomada de decisões e tudo que é relativo a qualidade do ar. 

30


Destaques

WORKSHOP ROTA 2030 PROJETOS E PROGRAMAS PRIORITÁRIOS

O Programa Rota 2030 é regulado pela Lei nº 13.755/2018, que prevê concessão de três principais benefícios para o setor automotivo brasileiro: condições para a comercialização de novos veículos; redução de imposto de renda e da contribuição social sobre o lucro líquido para empresas que investirem em pesquisa e desenvolvimento e isenção fiscal para aquisição de peças importadas. Os investimentos poderão ser realizados sob a forma de projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação e de programas e projetos prioritários de apoio ao desenvolvimento industrial e tecnológico para o setor automotivo e sua cadeia como um todo. São considerados dispêndios estratégicos para tais investimentos os nove pilares relacionados com as áreas de pesquisa e desenvolvimento, que são: manufatura avançada, conectividade, mobilidade e logística, novas tecnologias de propulsão, autonomia veicular, desenvolvimento de ferramental e moldes, nanotecnologia, soluções em data analytics e inteligência artificial. As empresas que importarem autopeças que não são produzidas dentro do território nacional, que hoje já possuem alíquota reduzida de imposto de

importação a 2% dentro do regime chamado Ex-tarifário, terão esta alíquota reduzida a zero realizando investimentos em áreas consideradas estratégicas. Podendo ter uma poderá ter uma dedução adicional do IRPJ e CSLL chegando a 12,5%. Tal aporte estimula o desenvolvimento de mecanismos de fortalecimento da cadeia de autopeças brasileira, induzido através de parcerias com instituições de pesquisas e tecnologias, universidades, organizações independentes etc. Neste ano, a AEA realizou 14 workshops sobre o tema com o intuito de esclarecer e discutir os programas já aprovados no Rota 2030 e aproximar cada vez mais as empresas das universidades e ICT’s. Oito desses workshops foram realizados em diferentes estados do Brasil, como Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Pernambuco, Bahia e Rio de Janeiro. Com o apoio de entidades parceiras, foi possível reunir mais de 100 participantes em cada região, entre representantes do governo federal, empresas com plano de habilitação ao Programa Rota 2030 e das instituições de ensino com potencial para execução dos projetos e programas previstos no Regime Tributário de Autopeças não produzidas no País.

31


Ações em Parceria com Órgãos Governamentais

AÇÕES EM PARCERIA COM ÓRGÃOS GOVERNAMENTAIS ANP – Agência Nacional do Petróleo • Suporte ao GT MME de testes com biodiesel (B10-15-20) e consolidação dos testes Anfavea / Sindipeças; • Diesel de referência com biodiesel (B7) para homologação de aplicações Proconve L7, L8 e P8; • Regulamentação do Diesel Renovável HVO; • Workshop ANP de Qualidade de Biodiesel e suas Misturas; • Painel sobre HVO no evento Arena ANTP; • 2º Workshop da Rede de Biocombustíveis RBIOCOMB;

DENATRAN - Departamento Nacional de Trânsito • Entrega do relato sobre Veículos Autônomos; • Atualização da Cartilha de Airbags com inclusão dos aspectos relacionados aos airbags laterais.

IBAMA - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis PROCONVE, PROMOT E M5

• Criação de nove Grupos de Trabalho para tratar de temas específicos para o L7, L8, P8 e M5: • • • • • • • •

32

OBDBr; NMOG; RVEP; RDE; AMÔNIA; OBD e AES PESADOS; EMISSÕES 2W; DURABILIDADE 2W;


Cursos

CURSOS Os cursos da AEA tem se consolidado como uma ótima opção para os profissionais que buscam especialização na área em que atuam e também tem atraído um número significativo de estudantes, que buscam além de capacitação profissional, meios para ingressar no setor automotivo. Em 2019 foram realizados mais de 10 cursos presenciais, com destaque para o treinamento “Inteligência Artificial para Veículos Autônomos’. O curso foi realizado nos dias 23 e 24 de Outubro, no ESPM Tech em São Paulo, com o objetivo de apresentar do ponto de vista da tecnologia com ênfase em software,  a I.A. (inteligência artificial), Machine Learning e Deep Learning, com aplicações práticas e perspectivas de veículos autônomos.

Curso AEA Calibração de Motores

Representantes de montadoras, autopeças, petrolíferas, produtores de aditivos e fornecedores de equipamentos do setor automotivo em geral participaram dos cursos.” Presenciais ou online, os cursos AEA são garantem conteúdo técnico de alto nível, programação exclusiva com foco no tema que irão abordar e são ministrados por professores atuantes no mercado, que contam com significativa experiência acadêmica e extensa carreira profissional.

Curso AEA Rede CAN Módulo I

Os cursos in company realizados pela AEA são a alternativa perfeita para as empresas que buscam levar conhecimento, especialização e inovação aos seus colaboradores. Para estes casos, a AEA utiliza metodologia e materiais específicos para atingir o objetivo buscado pela empresa.

Curso IA

33


Apoio Institucional

ABAL Associação Brasileira do Alumínio - ABAL abal.org.br ABEIFA Associação Brasileira das Empresas Importadoras e Fabricantes de Veículos Automotores abeiva.com.br ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas abnt.org.br ABRACICLO Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares abraciclo.com.br ABRAFILTROS Associação das Empresas de Filtros abrafiltros.org.br ABRAMET Associação Brasileira de Medicina de Tráfego abramet.com.br AFEEVAS Associação dos Fabricantes de Equipamentos para Controle de Emissões Veiculares da América do Sul afeevas.org.br ANFAVEA Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores anfavea.com.br CEDATT Conselho Estadual para a Diminuição dos Acidentes de Trânsito e Transportes transportes.sp.gov.br/cedatt/index.php

PLURAL somosplural.com.br POLI-USP poli.usp.br PROCOBRE - INSTITUTO BRASILEIRO DO COBRE procobre.org SIMEPETRO Sindicato Interestadual das Indústrias Misturadoras e Envasilhadoras de Produtos Derivados do Petróleo simepetro.com.bR SINDILUB Sindicato Interestadual do Comércio de Lubrificantes sindilub.org.br/v2/default.asp SINDIPEÇAS Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores sindipecas.org.br/home SINDIREPA Sindicato da Indústria de Reparação de Veículos e Acessórios do Estado de São Paulo portaldareparacao.com.br SINDIRREFINO Sindicato Nacional da Indústria de Refino de Óleos Minerais sindirrefino.org.br SPI INTEGRAÇÃO DE SISTEMA spi-integradora.com.br

CONSULADO GERAL BRITÂNICO gov.uk/world/organisations/british-consulate-general-saopaulo.pt

UNIP unip.br

FAAP Fundação Armando Alvares Penteado faap.br

VEÍCULO ELÉTRICO LATINO-AMERICANO velatinoamericano.com.br

FACENS facens.br CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FEI portal.fei.edu.br/pt-br/paginas/home.aspx

PORTAL TRANSPORTE DIGITAL NEWS www.transportedigitalnews.com.br BORRACHA ATUAL borrachaatual.com.br

FUNDAÇÃO SANTO ANDRÉ fsa.br

FUTURETRANSPORT futuretransport.com.br

INSTITUTO MAUÁ DE TECNOLOGIA maua.br

LUBES IN FOCO www.lubes.com.br

IQA Instituto da Qualidade Automotiva iqa.org.br/publico/?abandona=sim

RÁDIO SOBRE RODAS sobrerodas.com.br=

PARQUE TECNOLÓGICO DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS pqtec.org.br ESCOLA POLITÉCNICA DA USP poli.usp.br

34

REVISTA FAROL ALTO farolalto.com.br REVISTA PUBLIRACING revistapubliracing.com.br


Vantagens para o associado

VANTAGENS PARA O ASSOCIADO Confira os benefícios que você pode usufruir no ano de 2020 e participe das discussões técnicas que contribuem para a evolução da engenharia automotiva no Brasil.

Participação nas comissões técnicas e grupos de trabalhos especiais, discutindo temas abrangentes da engenharia automotiva e participando ativamente da elaboração das novas regulamentações e normas para o setor; Propor novos assuntos para discussão em comissões técnicas e grupos de trabalho; Contato com profissionais provenientes de montadoras, sistemistas, autopeças, representantes de entidades governamentais parceiras da AEA, associações, entidades, academias e centros de pesquisa por meio das atividades proporcionadas pela entidade; Contato com formadores de opinião, especialistas no setor e profissionais líderes de empresas participantes em eventos AEA; Participação em eventos organizados pela AEA em parceria com empresas e órgãos governamentais; Divulgação de logomarca no site AEA e em todos os materiais institucionais de divulgação; Desconto em cursos e eventos promovidos pela AEA; Inscrições cortesia em eventos (de acordo com a categoria da empresa);

35


Empresas Associadas

ABIOVE - Associação Brasileira da Indústria de Óleos Vegetais abiove.org.br

ACTIOIL actioil.com

AFTON CHEMICAL INDÚSTRIA DE ADITIVOS LTDA aftonchemical.com

CONTINENTAL BRASIL INDÚSTRIA AUTOMOTIVA LTDA continental-corporation.com CORNING BRASIL corning.com COSAN LUBRIFICANTES E ESPECIALIDADES cosan.com.br

AGCO do Brasil fendt.com.br

CUMMINS BRASIL LTDA cummins.com.br

ALTAIR - Engineering do Brasil altair.com

DAF CAMINHÕES BRASIL dafcaminhoes.com.br/pt-br

APROBIO aprobio.com.br

DELPHI POWERTRAIN delphi.com

AUDI DO BRASIL audi.com.br

DENSO DO BRASIL denso.com

AVL SOUTH AMERICA LTDA avl.com

ESI South America Comércio e Serviços de Informática esi-group.com

BASF basf.com.br

FEV América Latina www.fev.com/brazil

BMW DO BRASIL bmw.com.br FCA Fiat Chrysler Automóveis fiat.com.br BORGWARNER BRASIL borgwarner.com

CAOA Montadora de Veículos S.A. caoa.com.br

CASTROL DO BRASIL LTDA castrol.com

CEBI BRASIL cebibrasil.com.br

CNH INDUSTRIAL LATIN AMERICA cnhindustrial.com

36

FORD MOTOR COMPANY DO BRASIL LTDA ford.com.br

FUCHS DO BRASIL S.A. fuchsbr.com.br

GARRETT MOTION INDÚSTRIA AUTOMOTIVA BRASIL www.garrettmotion.com GB AUTOMOTIVE LTDA gbautomotive.com.br


~

Empresas Associadas

GENERAL MOTORS DO BRASIL LTDA chevrolet.com.br

HARLEY DAVIDSON DO BRASIL LTDA harley-davidson.com

HARMAN DO BRASIL harman.com

Iochpe Maxion - S.A Divisao Fumagalli iochpe.com.br JOHNSON MATTHEY BRASIL LTDA matthey.com

JX NIPPON OIL & ENERGY CORPORATION nex.jx-group.co.jp/english/

HONDA AUTOMÓVEIS DO BRASIL LTDA honda.com.br

KIA MOTORS DO BRASIL LTDA kia.com.br

HONSHA LEAN GESTÃO EMPRESARIAL LTDA honsha.org

LUBRIZOL DO BRASIL ADITIVOS LTDA lighting.phillips.com.br

HPE AUTOMOTORES DO BRASIL LTDA (MITSUBISHI) mitsubishimotors.com.br & suzukiveiculos.com.br

LWART LUBRIFICANTES lwart.com.br

HYUNDAI MOTOR BRASIL hyundai-motor.com.br

MAGNETI MARELLI magnetimarelli.com

ICONIC LUBRIFICANTES iconiclubrificantes.com.br

MAHLE METAL LEVE br.mahle.com

IDEMITSU LUBE SOUTH AMÉRICA idemitsu.com.br

MAN LATIN AMÉRICA man-la.com

INVENTTA BGI (Incentivar Consultoria Empresa) brasil.abgi-group.com

INVENTTA BGI (Incentivar Consultoria Empresa) brasil.abgi-group.com

INFINEUM BRASIL LTDA infineum.com INGEVITY Química ingevity.com INNOSPEC DO BRASIL innospecinc.com

MERCEDES-BENZ mercedes-benz.com.br

MWM MOTORES mwm.com.br

Napro Eletronica Industrial napro.com.br

NETZ ENGENHARIA netz.com.br

NGK ngkntk.com.br

37


Empresas Associadas

Nissan do Brasil Automóveis nissan.com.br

Nova Petrene Consultoria novapetrene.com.br

Siemens Industry Software new.siemens.com SMARTTECH smarttech.com.br Star Comunicação e Serviço star-latam.net

Novelis do Brasil novelis.com TCA HORIBA horiba.com/br OXITENO oxiteno.com.br

PEAK AUTOMOTIVE LTDA peak.com.br

PETROBRAS – PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. petrobras.com.br

TECCOM INDÚSTRIA E COMERCIO teccom10.com.br THE CHEMOURS COMPANY chemours.com

TOYOTA DO BRASIL LTDA toyota.com.br

PEUGEOT CITROEN DO BRASIL site.groupe-psa.com

PROMAX PRODUTOS MÁXIMOS S.A. INDÚSTRIA E COMÉRCIO promax-bardahl.negocio.site

RAIZEN COMBUSTÍVEIS S.A. raizen.com RENAULT DO BRASIL – NISSAN renault.com.br

ROBERT BOSCH DO BRASIL brasil.bosch.com.br

SAHARA PRODUTOS ESPECIAIS E SERVIÇOS hwww.saharabr.com.br

SCANIA LATIN AMERICA SCANIA BRASIL scania.com.br

UMICORE DO BRASIL LTDA umicore.com.br

UNICA – UNIÃO DA INDÚSTRIA DE CANA-DE-AÇÚCAR unica.com.br

UNIPAC grupojacto.com.br

VCA - VEHICLE CERTIFICATION AGENCY dft.gov.uk

VOLKSWAGEN DO BRASIL www.vw.com.br

VOLVO DO BRASIL VEÍCULOS LTDA volvogroup.com.br

SCITEC scitec.com.br SEG Automotive seg-automotive.com/

38

YAMAHA MOTOR DO BRASIL yamaha-motor.com.br


Empresas Associadas

AGRADECIMENTOS Prezados associados, colegas de diretoria e colaboradores da AEA, Iniciamos o ano de 2019 com o Programa Rota 2030 aprovado, no dia 7 de novembro de 2018, durante a cerimônia de abertura do 30º Salão Internacional do Automóvel de São Paulo, às vésperas do final do mandato do presidente da República Michel Temer. Mas, sobretudo, iniciamos o ano com a expectativa de retomada e fortalecimento da economia brasileira. Independente do quadro político, a AEA – Associação Brasileira de Engenharia Automotiva manteve-se neutra e, mesmo com o prenúncio da junção do MDIC – Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior com o Ministerio da Economia, SEPEC que conduziu o Inovar-Auto e foi mentor do Rota 2030, seguiu à frente das principais discussões técnicas setoriais. Assim, antes de encerrar o ano de 2018, a AEA idealizou e organizou o primeiro workshop do Programas e Projetos Prioritários, os PPPs, que viriam a nortear a nova política industrial do setor automotivo brasileiro. Daí em diante, a AEA coordenou mais quatro workshops e descentralizou o detalhamento do Rota 2030 em nove principais polos produtivos automotivos do País, desencadeando a reunião final no dia 4 de dezembro em São Caetano do Sul. Somente por esse cronograma de trabalho, é possível afirmar que a AEA teve um 2019 cheio de atividades, levando-se em consideração ainda as mais de 20 reuniões de diretoria, 9 seminários e simpósios, mais de 10 cursos presenciais, mais de 15 reuniões em Brasília, nos ministérios da Economia, Minas e Energia, Meio Ambiente, entre outros órgãos e autarquias governamentais. 2019 ficou marcado também pelo lançamento do LuMIAR - Laboratório móvel para pesquisa e monitoramento da qualidade do ar, em parceria com o Ministério das Minas e Energia (MME), a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Ministério do Meio Ambiente (MMA), o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), e a Petrobras, dentro Programa Brasileiro de Combustíveis, Tecnologias Veiculares e Emissões – PCVE, criado em 2016, em parceria com Universidade de São Paulo (USP). Gostaria, assim, de agradecer ao ex-presidente Flavio Sakai e ao atual presidente Besaliel Botelho pela excelente condução das atividades da Diretoria Executiva, aos membros do Conselho de Administração pela confiança e, finalmente, aos membros do staff da AEA. Desejo a todos saúde, sucesso e realizações em 2020.

Edson Orikassa Vice-Presidente

39


40

Relatório Anual de Atividades AEA 2019  

Relatório Anual de Atividades AEA 2019  

Profile for aea4
Advertisement