Page 1

ANO XXXI - Nº. 369 Mês de Julho de 2013

O CONCELHO DE VILA VELHA DE RÓDÃO Registo de Imprensa - Nº 108771

Publica-se na última semana de cada mês

Mensário Regionalista Fundador: DOMINGOS ALVES DIAS

PUBLICAÇÕES PERIÓDICAS Castelo Branco TAXA PAGA

Depósito Legal Nº. 4032/84

Director JOSÉ FAIA P. CORREIA

Número Avulso: 0,80

Redacção: Avª. Almirante Reis, Nº. 256 - 1º. esqº. 1000-058 LISBOA - casacvvrodao@sapo.pt - www.ccvvrodao.no.sapo.pt - Telem. 967 018 215 - NIB: 003500630008193433011

31 Anos ao serviço do nosso Concelho

Portas do Almourão em processo de classificação

Pág. 5

Feira da Gastronomia e Actividades Económicas de Vila Velha de Ródão “O Tejo por Terras de Oiro”

Pág. 7

JOVENS REPÓRTERES PARA O AMBIENTE

AEVVR vence o 1º prémio do Concurso Nacional AMS - Goma Camps

Vila Velha de Ródão recebe investimento III RODAM FEST de milhões no papel “tissue” Pág. 3

O DIA DOS AVÓS

A opinião é unânime: “o III Rodam Fest superou as expectativas”!

Pág. 3

O

s alunos do 9º ano do nosso Agrupamento conquistaram o 1º prémio (da tipologia “artigo”) do concurso nacional “Jovens Repórteres para o Ambiente”, dando assim continuidade ao excelente trabalho desenvolvido pelos seus colegas no ano letivo anterior. Pág. 6

Editorial Pág. 2

PS de Ródão apresenta candidatos aos Órgãos Autárquicos Últ. Pág.

Pág. 8

Brincando aos governantes

O ESTALO DE VIEIRA (o Padre Pregador) Os políticos e o estado a que o país chegou!!! José Faia P. Correia Pág. 3

UMA VEZ MAIS AS POVOAÇÕES DO NOSSO CONCELHO ORGANIZAM AS TRADICIONAIS FESTAS POPULARES DE VERÃO. PARTICIPE! DIVIRTA-SE! REVEJA FAMILIARES E AMIGOS!


6

JULHO DE 2013

O CONCELHO DE VILA VELHA DE RÓDÃO

JOVENS REPÓRTERES PARA O AMBIENTE

Entrevista Exclusiva - Boss AC

AEVVR vence o 1º prémio do Concurso Nacional

O

s alunos do 9º ano do nosso Agrupamento conquistaram o 1º prémio (da tipologia “artigo”) do concurso nacional “Jovens Repórteres para o Ambiente”, dando assim continuidade ao excelente trabalho desenvolvido pelos seus colegas no ano letivo anterior. A reportagem agora premiada já tinha sido distinguida com o prémio “Reportagem do Mês”. A Direção do AEVVR congratula-se com mais este sucesso dos alunos e professores que os orientaram. Parabéns a todos!

[REPORTAGEM]

Oiro de Ródão

N O

concelho de Vila Velha de Ródão, situado junto ao rio Tejo, desenvolveu, ao longo da sua história, uma tradição ancestral no cultivo do olival e na exploração do azeite como produto de elevada importância económica. As imponentes e multicentenárias oliveiras que circundam o espaço da capela da Srª da Alagada provam essa antiguidade. A escola, como instituição da comunidade local, deve promover o conhecimento da realidade que a rodeia e, por isso, considerou-se pertinente desenvolver um trabalho que retrate e dê a conhecer o mundo rural, na vertente da produção e extração do azeite. Para isso, os alunos do 9ºA propuseram-se desenvolver um trabalho, no sentido de ficar a conhecer esta realidade, tendo entrevistado duas individualidades – Francisco Henriques, investigador local que realizou um estudo sobre um lagar social já desativado e fez o inventário dos lagares existentes no concelho e Maria do Carmo Sequeira, presidente da autarquia, que falou sobre o projeto da recuperação do Lagar de Varas, espaço museológico situado no centro da vila. Francisco Henriques referiu a importância do azeite na economia rodense e falou sobre as caraterísticas dos lagares por ele inventariados: 84 unidades, de pequena e média dimensão, distribuídas por quase todas as localidades do concelho e a maioria já desativadas. Esta investigação demonstrou que o azeite foi, desde sempre, um produto de elevada importância na economia familiar desta zona e

que servia de moeda de troca, devido ao seu valor, constituindo sinal de riqueza. Constata-se que, atualmente, a maioria destes lagares está desativada ou em ruínas e que os olivais situados nas encostas do Tejo se encontram abandonados. Por que razão? Segundo o investigador, esta situação resulta sobretudo do envelhecimento da população do concelho, processo que se tornou mais visível a partir da década de 50 do século passado e que se reflete no abandono das terras e, consequentemente, dos olivais. Dada a importância e a representatividade concelhia deste tipo de unidades industriais, procurou-se ainda compreender a importância que o município atribui a este rico património, especialmente os lagares, e de que forma o tenciona preservar, no âmbito da estratégia de valorização da identidade local e do desenvolvimento turístico do concelho. Para melhor ter a noção do quanto este património se apresenta relevante, foi promovida uma visita guiada ao espaço museológico do Lagar de Varas, recentemente recuperado pela Câmara de Ródão, e que apresenta um conjunto diversificado de tecnologias de extração de azeite, que vão desde as tradicionais varas, onde um tronco de grandes dimensões era utilizado, como contrapeso, para apertar as seiras e extrair o azeite da azeitona, entretanto esmagada, num pio de granito movido pela força de animais. Foi neste local privilegiado que os alunos conversaram com Maria do Carmo Sequeira, que

lhes explicou o processo que levou à aquisição e posterior recuperação do lagar. Segundo a presidente da câmara, este era “um espaço que tinha valor para preservar a história do concelho, que se confunde muito com o fabrico do azeite”. O município tem várias atividades previstas para dinamizar este local, que constitui um ponto de grande interesse para os forasteiros que visitam o concelho, os quais, a par do monumento natural das Portas de Ródão, podem também visitar o Museu de Arqueologia e Centro de Interpretação da Arte Rupestre do Tejo e este lagar. Na opinião de Maria do Carmo Sequeira, “o património rural tem muito a ver com a identidade do concelho e com a memória dos nossos antepassados, que fizeram um grande esforço para trabalhar as terras e divulgar os produtos de qualidade que produziam”. Neste sentido, destaca-se o trabalho desenvolvido pela autarquia para a criação, nas diferentes freguesias, de vários pontos de interesse destinados a constituir uma grande rota do concelho de Ródão e que inclui património natural e rural, integrados ou não em rotas destinadas a pedestrianistas e a outros tipos de públicos. O projeto do município intitulado Terras de Oiro, cujo principal objetivo é ajudar a promover o azeite produzido na região, é um projeto importante, e o que se pretende é dinamizar a economia local e dar a conhecer o património rural recuperado, no qual se integram os lagares.

Jovens Repórteres do Ambiente do 9ºA

o dia 29 de junho de 2013, sábado, Vila Velha de Rodão vibrou ao som de Boss AC, mais conhecido por AC …”para os amigos!” No final do concerto, alguns alunos do jornal “Gente em Ação” puderam fazer todas as perguntas de que se lembraram ao músico, descobrindo que o seu verdadeiro nome é Ângelo Firmino César… daí o AC. E foi assim… Em criança já ambicionava ser cantor? Não, eu em criança queria ser cientista. Quando compõe músicas, em que se inspira? Normalmente, as músicas que eu escrevo são muito “vibráteis”(porque vibram? Ou nos fazem vibrar?!), baseiam-se no que eu digo, no que vejo, histórias que se passam comigo ou perto de mim. Basicamente, é eu acordar e a inspiração aparece [risos].

Gostava da escola? Sim, era muito bom aluno, gostava de todas as disciplinas, adorava ir para as aulas. Qual é a música de que gosta mais? Não há uma música de que eu goste mais porque isso é a mesma coisa que perguntar a um pai qual é o filho de que gosta mais! O pai de certeza que gosta de todos os filhos. A meu ver, cada música tem uma história própria. Há alturas em que estou mais “virado” para umas do que para outras, mas não consigo decidir de qual gosto mais! Tem algum músico(a) que o inspira? Não, inspirar não, mas há muitos que me influenciam e com muitos deles já tive oportunidade de trabalhar. Na música “ É sexta-feira” como em tantas outras, de uma forma “divertida” faz referência à paz, ao amor, mas também ao desemprego, à falta de dinheiro,… que medida tomaria em 1ºlugar se fosse o

“dono” do nosso país? Para começar, acho que é muito pouco provável que eu me torne o “dono” de qualquer coisa [risos], muito menos de um país e na realidade não é uma crítica, é mais uma observação, mas obviamente que a pergunta é tão hipotética que eu nem tenho resposta visto que nunca serei o “dono”! O que eu espero é que seja cada vez mais a sociedade seja mais justa, haja mais oportunidades para preparar o caminho para vocês e, muito provavelmente, estará nas vossas mãos o futuro desta sociedade. Assim decorreu a entrevista onde Boss AC admitiu ainda aos seus jovens admiradores/ entrevistadores que o seu maior sonho era ganhar o EuroMilhões… numa sexta-feira [risos]. Boss AC lamentou também não poder ficar a conhecer Vila Velha de Rodão, mas prometeu voltar, mais tarde, para conhecer as terras onde (en)cantou a noite 29 de junho.

Como é tradição, o AEVVR esteve presente na Feira de Gastronomia e Atividades Económicas com dois stands, nos quais os visitantes puderam observar alguns dos trabalhos desenvolvidos durante o ano letivo, com especial destaque para o clube de jardinagem e para o projeto "Um Bosque Perto de Si". Os vídeos com os resumos das atividades desenvolvidas durante o ano letivo estão disponíveis na página do AEVVR no Facebook, em www.facebook.com/Agrevvr ."

Profile for AEVVR

Jornal do Concelho - julho 2013  

Página do AEVVR no jornal "O Concelho de Vila Velha de Ródão" (julho 2013)

Jornal do Concelho - julho 2013  

Página do AEVVR no jornal "O Concelho de Vila Velha de Ródão" (julho 2013)