Issuu on Google+

MUDE SUA VIDA.

QUARKS NA GLÓRIA DE DEUS Sua aura à vista

A transformação de Martha A bondade em ação

Os heróis da minha vida Ajudantes pouco prováveis

MUDE O MUNDO.


Volume 14, Número 7

B om ou justo ? Li recentemente um versículo interessante e muito adequado para o principal tema desta edição: a bondade. Já o havia lido antes, mas, desta vez, a passagem causou uma impressão maior em mim. Na carta que escreveu aos romanos, Paulo diz “Dificilmente morrerá alguém por um justo, embora alguém possa se animar a morrer pelo bom.”1 Isso me fez pensar. O que difere uma pessoa justa de uma pessoa boa? Para o teólogo John Gill, Paulo considera justo o observador da letra da lei, que aparenta ser moral, enquanto que, na sua visão, o bom é quem ultrapassa o limite do dever.2 Na minha opinião, bondade é a justiça misturada com o interesse genuíno pelos outros. Sem a motivação do amor de Deus, não podemos ser bons, mas, com ela, podemos ir além de meramente fazer o que é certo, para fazer uma diferença mais duradoura. Sem dúvida, Jesus é o único capaz de ser totalmente bom, mas espera que procuremos imitá-lO nas nossas vidas e ações. Ele disse: “O homem bom do bom tesouro do seu coração tira o bem.”3 Se preenchermos nossas vidas com Sua bondade e Seu amor, poderemos passar essas virtudes para os outros, para que todos sejam beneficiados e também pratiquem o bem, sempre que houver uma oportunidade.4 Mário Sant’Ana Editor

Contamos com uma grande variedade de livros, além de CDs, DVDs e outros recursos para alimentar sua alma, enlevar seu espírito, fortalecer seus laços familiares e proporcionar divertidos momentos de aprendizagem para os seus filhos. Para adquirir nossos produtos, obter mais informações, ou se tornar um assinante da Revista Contato, visite nossos sites, escreva-nos ou ligue gratuitamente para nossa central de atendimento. Assinaturas, informações e produtos: www.contato.org ou www.lojacontato.com.br E-mail: revista@contato.org Ligue grátis: 0800-557772 Endereço postal: Contato Cristão Caixa Postal 66345 São Paulo — SP CEP 05311-970

Editor Mário Sant'Ana Design Gentian Suçi Diagramação Angela Hernandez Produção Samuel Keating

© 2013 Aurora Production AG. www.auroraproduction.com Todos os direitos reservados. Impresso no Brasil. Tradução: Mário Sant'Ana e Tiago Sant'Ana A menos que esteja indicado o contrário, todas as referências

1. Romanos 5:7 2. Ver http://www.biblestudytools.com/commentaries/gillsexposition-of-the-bible/Romanos-5-7.html. 3. Lucas 6:45 4. Ver Gálatas 6:10. 2

às Escrituras na Contato foram extraídas da “Bíblia Sagrada” — Tradução de João Ferreira de Almeida — Edição Contemporânea, Copyright © 1990, por Editora Vida.


UM

VERDADEIRO

BOM

SAMARITANO Juliana Connolly 

Um artigo publicado no site da BBC News1 me levou a

autoquestionamentos nada fáceis. O texto relata a história de um “bom samaritano” dos dias modernos e oferece um exemplo inspirador do impacto que pode ter um ato de bondade. A matéria me fez avaliar minha vida ultimamente. Teria eu feito o mesmo? Estaria disposta a arriscar meu emprego para ajudar um estranho em necessidade? Insatisfeita com as respostas que dei a mim mesma, tentei perguntas que não parecessem tão dramáticas. Os meus amigos me consideram uma pessoa disposta a ajudar? Será que fiz algo puramente altruísta recentemente? Sendo bem sincera comigo mesma, devo admitir que passo a maior parte do tempo absorta no meu próprio mundo. Acho que todos temos dias em que nos concentramos excessivamente em nossos problemas, dificuldades 1. http://www.bbc.co.uk/news/ magazine-12043294 2. Dr. Laurence J. Peter (1919–1990)

e desejos. É quando andamos pela vida olhando para os pés em vez de para cima e à nossa volta. É como diz a máxima dolorosamente franca: “Há dois tipos de egoístas: os que o admitem e o resto de nós.”2 Então acho que seja benéfico para “o resto de nós” ser lembrados de vez em quando do mundo à nossa volta, das necessidades dos demais e do poder do amor. Para isso, basta bater um papinho com a própria consciência e perguntar como você está se saindo. Há vidas que poderíamos tocar se olhássemos mais para fora, para o que às vezes é necessário acionar o botão “pause” e olhar à nossa volta. E o melhor é que podemos oferecer amor em qualquer situação, onde que quer estejamos e em qualquer caminho que escolhermos seguir. Acho que esta será minha oração por algum tempo.

Cristo não tem corpo senão o teu Nem mãos que não sejam as tuas Teus são os olhos pelos quais vê com compaixão o mundo São teus os pés que O levam para fazer o bem Pelas tuas mãos, o Salvador abençoa todo o mundo Sim, são tuas as Suas mãos; teus, os Seus pés, Seus olhos e Seu corpo Cristo não tem corpo senão o teu Nem mãos ou pés na Terra, além das tuas e dos teus Teus são os olhos pelos quais vê com compaixão o mundo Cristo não tem um corpo na Terra senão o teu. — Atribuído a Teresa de Ávila (1515–1582) ■

Juliana Connolly é carioca e mora em Austin, Texas, onde é consultora de pesquisas e produção para A Família Internacional. ■ 3


QUARKS NA GLÓRIA DE DEUS

Maria Fontaine, adaptado

Peter e eu tiramos uns dias de folga em uma pequena cidade litorânea. Andava na praia uma

tarde, quando uma das cenas mais lindas se formou diante de meus olhos. Nuvens esparsas começaram a adquirir tonalidades pastel pêssego, violeta e dourado, sobre o azul profundo do céu. Amo ver pores-do-sol, mas volta e meia me deparo com um que me arrebata. E o Grande Pintor sem dúvida me fascinou naquele fim de tarde. Era como se Ele estivesse derramando uma luz líquida colorida em cada nuvem. As cores foram ficando cada vez mais intensas até dar a impressão que transbordavam das nuvens e caíam como em cascata em raios 4

belíssimos e rodopiantes como um caleidoscópio de beleza viva. Tudo o mais perdeu em importância enquanto essa obra de arte ganhava forma diante de meus olhos. Suavemente, o espetáculo deslizou para baixo a até parecer envolver o oceano, transformando-o em um mar de cores vibrantes, suaves e delicadas, como um espelho à distância, jorrando luz dourada sobre as ondas que arrebentavam na praia


ali, pertinho de mim. Senti-me imersa em toda aquela beleza e era como se aquele ocaso houvesse trazido o encorajamento e o amor de Deus por mim. As cores ganharam uma tonalidade sobre um promontório coroado por um monte não muito elevado, que se erguia da água a pequena distância de onde eu estava. Era como se o fluxo de luz viva tivesse vazado pela borda do céu sobre aquele lugar, cobrindo tanto o monte quanto as pequenas construções que o pontilhavam, transformando-as por um instante em gemas que irradiavam matizes vermelhos e dourados. Em vívida transformação, os tons pastel deram lugar a outros, mais profundos e ricos: um vermelho vivo e cor-de-vinho, salpicado de azul cobalto e castanho. Por fim, depois de uns quinze minutos que pareceram instantes, o grandioso espetáculo começou a se recolher. Sua glória se verteu pacificamente sobre a névoa que chegava com a noite, para voltar outro dia e, mais uma vez, pintar o mundo. Fiquei ali parada, envolta da penumbra que se adensava, fascinada com aquele grand finale como uma criança que assiste a uma exibição pirotécnica esperando que recomece. Foi quando percebi que aquele glorioso e assombrosamente complexo show de poder e beleza não passava de um pensamento, um piscar de olhos de Deus. Apenas um grão de poeira da imensidade das Suas habilidades —apenas um quark no vasto universo do Seu poder. Se este pequeno e efêmero evento comoveu dessa forma minha alma e me tirou o fôlego com sua beleza, como eu poderia imaginar ou compreender seu Criador, capaz de gloriosamente salpicar o céu com beleza e lavá-lo em um momento, como se apenas Sua aura por ali tivesse passado. Às vezes, ficamos tão presos ao plano físico, receosos, preocupados por achar que estamos sozinhos em meio aos problemas e que os devemos resolver por conta própria. Mas em momentos assim, a realidade que não pode ser calada é que somos muitíssimo amados por Aquele que pode explodir nos céus um espetáculo de beleza com nada mais que um rápido pensamento e isso me lembra em quem tenho confiado. O que Deus me disse por meio daquela gloriosa arte celestial foi: “Posso criar e sustentar qualquer coisa, proteger qualquer um, resolver qualquer problema. Sou beleza. Sou poder. Sou amor. E tudo isso faço por você.” Momentos assim me ajudam a lembrar que o mesmo ser todo-poderoso que cria grandiosidades momentâneas para todas as Suas criações está muitíssimo atento às nossas menores necessidades e desejos, guiando-nos e cuidando de nós, de grandes e pequenas maneiras. Como poderíamos

imaginar sermos por Ele esquecidos ou que Ele não esteja em absoluto e perfeito controle de todos os detalhes de nossas vidas? O sol se põe majestoso, Deus deixou-me Seu rastro ver Com brilho esplendoroso Iluminando o entardecer. Os vales e colinas ao redor Refletem tamanho fulgor, E qual órgão de nobre catedral Alçam a Deus o seu louvor: “Santo, santo!” Anjos ecoam em união; “Santo, santo!” Ouvem-se cantarem a canção; “Santo, santo!” Sinos repicam a emoção; “Santo, santo é o Senhor o altíssimo.” Deus revela ao pôr-do-sol Seu poder e grandeza, A grande e maior glória Que nos reservou na natureza; No momento de revelação Esquecem-se dor e temor O amor é nossa consolação, No grandioso coro celeste: Bem-aventurado pôr-do-sol, A abrilhantar os caminhos, Emocionando com seu esplendor Dando perfeição ao fim do dia. Deus é a razão do viver, Nossa alma Ele satisfaz, Para quem busca a Sua glória Ele será mais do que capaz —Calvin W. Laufer (1874–1938) Maria Fontaine e seu marido, Peter Amsterdam, são diretores da Família Internacional, uma comunidade cristã.■ 5


Iris Richard

Os heróis da minha vida Era 1977. Fazia um ano que Karl

e eu deixáramos a Alemanha em um motor-home. Nesse tempo, passamos pela Itália, pela antiga Iugoslávia, Grécia, Turquia, Irã, Afeganistão e Índia. O plano era ir para o Nepal, comprar uma fazenda em alguma montanha e ali nos estabelecermos, longe da sociedade moderna. Nosso orçamento era modesto e costumávamos comer em pequenas lanchonetes à beira da estrada ou comprávamos comida em feiras locais, de forma que não surpreende eu ter contraído hepatite viral. Chegáramos ao litoral goês, mas, infelizmente, não havia atendimento médico por perto e minha saúde piorava

6

rapidamente. Vendo meu estado desesperador, alguns moradores da vila onde estávamos passaram a me fazer visitas diárias e me mantiveram numa dieta de mamão e água de coco. Graças à sua ajuda, recuperei-me. Perdera dez quilos, mas estava saudável outra vez. Quando por fim chegamos ao Nepal, não demoramos para, ansiosos, integrar um monastério budista para um período de experiência, mas não encontramos o que buscávamos. Eu achava que existia algo maior do que eu, mas estava confusa. Perguntava-me a que deus devia orar enquanto admirava as incontáveis estrelas do céu límpido que cobria as montanhas.

Já de volta à Índia, foi a vez de Karl pegar hepatite. Dirigi a noite inteira enquanto se debatia na parte de trás do motor-home. Quando amanheceu, parei numa hospedaria onde estava um grupo de viajantes europeus. Um deles, David, falava alemão e nos ajudou a encontrar um médico e um quarto para alugar. David decidiu ficar alguns dias conosco. “Deixe-me ler para vocês de um livro que mudou minha vida” —disse quando novamente nos encontramos, no dia seguinte. A leitura de curtas passagens da Palavra de Deus se tornou parte da rotina diária enquanto Karl recuperava as forças. Antes de ir embora, David nos apresentou seu Salvador, Jesus, e Suas Palavras que eu lia na Bíblia se tornaram uma luz para minha vida desde então. Aquelas pessoas em Goa eram pobres e não nos conheciam, mas seu interesse e compaixão salvaram-me a vida. David era um estranho, mas graças a ele encontrei propósito e direção. Minhas circunstâncias hoje resultam da bondade combinada desses estranhos abnegados que conheci naquele outono, na Índia. Iris Richard é conselheira no Quênia, onde desde 1994 é um ativo membro da comunidade e realiza trabalhos voluntários.■


BONDADE — O FRUTO EXEMPLAR Rafael Holding

Espera-se que os cristãos sejam pessoas boas. Na

verdade, é comum os não-cristãos esperarem muito mais dos que têm fé em Cristo do que deles próprios ou de outros. O próprio Jesus disse aos Seus primeiros discípulos: “Vocês são a luz para o mundo. Não se pode esconder uma cidade construída sobre um monte. Ninguém acende uma lamparina para colocá-la debaixo de um cesto. Pelo contrário, ela é colocada no lugar próprio para que ilumine todos os que estão na casa. Assim também a luz de vocês deve brilhar para que os outros vejam as coisas boas que vocês fazem e louvem o Pai de vocês, que está no 1. Mateus 5:14–16 NTLH 2. Ver 2 Samuel 11; Salmo 51; 1 Samuel 13:14. 3. Ver Atos 9:1–16. 4. Ver Lucas 7:36–50; 8:2–3.

céu.1 Isso não quer dizer que devamos ser santimoniais ou algo assim. A verdadeira bondade se traduz em sinceridade, empatia, prestabilidade e de muitas outras maneiras. Infelizmente, não é raro cristãos entenderem que devem ser perfeitos — uma óbvia impossibilidade. É preferível simplesmente fazer o melhor possível, admitir suas falhas e erros com sinceridade, humildade e dar a Deus a glória por qualquer coisa boa que fazemos. Essa é Sua ideia de bondade. Se você fizer o melhor ao seu alcance e confiar o resto a Deus, Sua bondade se manifestará. R afael Holding é escritor e mora na Austrália. “Bondade — o fruto exemplar” é um trecho do livro da série Faça Contato, intitulado Os Dons de Deus. Para adquiri-lo, escreva para revista@contato.org ■

S A N TO S P E C A D O R E S A ideia que faz de bondade é muitas vezes bem diferente da nossa. O rei Davi tramou a morte de um homem para poder ficar com a mulher dele. Mas Davi sabia que era um pecador cuja única esperança era o amor, a misericórdia, o perdão de Deus e, por causa do Seu grande arrependimento e por ter aprendido a amá-lO ainda mais por tudo que passou, Ele disse que Davi era um homem segundo o Seu coração.2 Deus tomou o apóstolo Paulo, o fanático perseguidor dos primeiros discípulos, e o tornou no maior cristãos de todos os tempos.3 Jesus escolheu uma prostituta possessa pelo demônio, Maria Madalena, para ser uma Suas seguidoras favoritas.4 O conceito que Deus tem de bondade não é a perfeição imaculada. Bom é o pecador que reconhece que não tem integridade própria, mas que depende totalmente da bondade de Deus. Pessoas assim são os únicos santos que existem. Não há outros! —David Brandt Berg (1919–1994) ■ 7


Aleksandra Radmanovic

O que é beleza Faz pouco tempo, fiz uma pesquisa sobre “beleza” nos textos bíblicos.

Descobri que o Antigo Testamento está cheio de mulheres bonitas. Sara era uma delas.1 Rebeca era “muito formosa”.2 Raquel era bonita de rosto e corpo.3 Em toda a terra, não se achavam mulheres tão formosas como as filhas de Jó.4 A lista é longa. Acho que minha favorita é Abigail que, conta-nos a Bíblia, era bonita e inteligente.5 É todo o elogio que uma mulher quer. Cheguei à conclusão que no contexto cultural do Antigo Testamento, em que as qualidades espirituais eram 1. Ver Gênesis 12:11. 2. Ver Gênesis 24:16. 3. Ver Gênesis 29:17. 4. Ver Jó 42:15. 5. Ver 1 Samuel 25:3. 6. Nova Versão Internacional. 7. Ver http://aulete.uol.com.br/bonito 8

mais valorizadas do que o são hoje, o bom, íntegro e espiritualmente saudável também era tido por belo. Isso fazia com que a mulher virtuosa fosse considerada bonita por Deus e pelos homens. A beleza não dependia tanto do estado da aparência, da proporcionalidade das medidas do corpo, dos tamanhos e das formas. Mas o que chamou minha atenção em particular foi uma curta história encontrada no Evangelho segundo Marcos6: Marcos14:3: “Estando Jesus em Betânia, reclinado à mesa na casa de um homem conhecido como Simão, o leproso, aproximou-se dEle certa mulher com um frasco de alabastro contendo um perfume muito caro, feito de nardo puro. Ela quebrou o frasco e derramou o perfume sobre a cabeça de Jesus.” Não foi a primeira vez que li a passagem, mas nunca havia atentado

para o fato de que a mulher quebrara o vaso. Por se tratar de um perfume caríssimo, o recipiente provavelmente também tinha um valor expressivo. Contudo, ela o quebrou, possivelmente para demonstrar que Jesus valia tudo para ela, que queria se entregar a Ele completamente, o melhor que possuía, o que tinha de mais precioso e caro, sem nada reter. Marcos 14:4: Alguns dos presentes começaram a dizer uns aos outros, indignados: “Por que este desperdício de perfume?” É tão fácil julgar as coisas superficialmente. A profundidade da motivação de alguém é, às vezes, difícil discernir, especialmente quando suas ações fogem do costumeiro. Marcos 14:5: “Ele poderia ser vendido por trezentos denários [o equivalente a um ano de salário], e


Verdade, bondade e beleza são diferentes faces do mesmo Todo. —Ralph Waldo Emerson (1803–1882) Uma das principais regras religiosas é não perder uma ocasião para servir Deus. E já que não O podemos ver, nosso serviço deve ir para nosso próximo, o que Ele receberá como feito para Ele em pessoa, como se estivesse visível diante de nós. —John Wesley (1703–1791) Se entendermos que nosso primeiro e mais importante dever consiste em amar Deus acima de tudo e amar os demais, inclusive nossos inimigos, por causa do amor que temos por Deus, então poderemos desfrutar tranquilidade espiritual sob quaisquer circunstâncias. —A. W. Tozer (1897–1963)

a? o dinheiro ser dado aos pobres.” E a repreendiam severamente. Marcos 14:6: “Deixem-na em paz”, disse Jesus. “Por que a estão perturbando? Ela praticou uma boa ação para comigo.” O vocábulo grego aqui trazido para “boa” se translitera kalos, e seus significados incluem bonita, a palavra que eu estava buscando, definida da seguinte forma: “Que é agradável ou aprazível ao sentido da visão [...];ou por sensibilizar, causar comoção; digno de apreço, admiração, respeito etc. por resultar em ou encerrar algo bom; que revela altruísmo, correção, idoneidade, bondade, generosidade, educação, ou gentileza etc.”7 Jesus viu seu coração, viu além do meramente apropriado, razoável, usual ou esperado nas demonstrações de fé e convicção religiosa, e declarou que, para Ele, as ações daquela mulher eram dignas de apreço, admiração e respeito.

E vemos aqui a coragem de Jesus de defender uma pessoa mal interpretada e asperamente julgada. Marcos 14:7: “Os pobres vocês sempre terão com vocês, e poderão ajudá-los sempre que o desejarem. Mas a Mim vocês nem sempre terão.” O mundo está repleto de pessoas destituídas e causas que precisam ser ajudadas, mas as oportunidades para expressar amor àqueles que são mais importantes para nós são limitadas. Marcos 14:8: “Ela fez o que pôde. Derramou o perfume em Meu corpo antecipadamente, preparando-o para o sepultamento.” Aquele pouco que ela pôde fazer teve grande significado para Aquele que ela amava e em quem acreditava.

todo o mundo, também o que ela fez será contado em sua memória.” Aquela mulher acreditou em Jesus a ponto de traduzir sua crença em ação. Dispôs do que tinha, fez o que lhe era possível, com originalidade, criatividade e não teve medo de demonstrar seu amor. Foi genuína e autêntica, o que a tornou famosa e ilustrou com grande propriedade o que Deus considera belo. Há inúmeras maneiras de servir Deus e expressar amor e adoração por Ele. Quando a inspiração brotar do coração e formos sinceros com nós mesmos, nossas ações, assim como as da mulher dessa história, deixarão um legado para que as próximas gerações possam conhecer as belezas de Deus e Seu Espírito. Aleksandra R admanovic é

Marcos 14:9: “Eu lhes asseguro que onde mãe, professora e coach em quer que o Evangelho for anunciado, em Bucareste. ■ 9


A transformacao de Martha Dina Ellens

Quando a conheci, ela estava sentada no banco de um parque onde eu caminhava com meu bebê. Casada havia dois anos, era meu primeiro filho. Martha olhava para o nada e sequer notou quando me sentei para dar atenção ao meu filho irrequieto que, aos oito meses, não queria ficar no carrinho. Quando por fim o viu, seu semblante ganhou vida e sorriu para nós. Puxei conversa e descobri que era enfermeira e parteira aposentada. Aos 60 e poucos anos, Martha era magrinha, de baixa estatura e tinha cabelos ondulados até o ombro. Disse-me que jamais havia casado, mas que sempre amou bebês e ajudou centenas a nascer. Contou que havia tirado uma licença por conta da carga horária pesada, mas depois descobri que tivera um esgotamento nervoso e tentava se recuperar de 1. João 8:12 2. Provérbios 4:18 10

um problema crônico com depressão, o que fez que a licença temporária se convertesse em permanente. Explicou que gostava de vir ao parque porque desfrutava a natureza. Era algo que lhe trazia paz. Contei para ela algo que Jesus havia dito: “Eu sou a luz do mundo. Quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida"1 e antes de nos despedirmos, ela orou comigo para aceitar Jesus como seu Salvador. A partir daquele momento, transformou-se. Passou a estudar a Bíblia e, não demorou, dedicava a maior parte do tempo para ajudar os outros, enquanto suas crises de depressão se tornavam cada vez menos frequentes. Cerca de um ano depois, ela apareceu em nossa casa com uma banheira de plástico, cheia de artigos para recém-nascido. “Para vocês!” —disse com um sorriso maroto. “Parabéns por estar grávida outra vez!” Fiquei surpresa! Eu não havia contado a novidade para ninguém além de meu marido, mas, de alguma forma, ela sabia e se deu ao trabalho de preparar uma


linda surpresa para mim e para o pequenino que estava a caminho. Meses depois, meu marido e eu estávamos tomados de felicidade por mais um menino para nossa família. Após o parto, entretanto, houve complicações: contraí uma infecção e tive febre. Felizmente, o bebê não foi afetado, mas pôde ficar comigo no quarto. Meu marido teve de cuidar do nosso primeiro filho, mas não fiquei sozinha. Quando Martha soube da minha condição, fez uma mala e veio ficar comigo no hospital. Por duas semanas, cuidou de mim dia e noite. Depois que eu amamentava, ela pegava o bebê, trocava suas fraldas e o colocava para dormir. Também preparava refeições nutritivas que me ajudaram a recuperar as forças e a infecção começou ceder. Todo o tempo, Martha foi uma fonte de consolo e ânimo, conversando comigo, lendo para mim e orando por mim. Ela sempre nos visitava e um dia nos trouxe notícias sérias: estava com câncer e precisava ser internada imediatamente. Apesar de tudo que os médicos fizeram, Martha faleceu pouco depois de forma calma e tranquila. Um de seus versículos bíblicos favoritos era: “A vereda dos justos é como a luz da aurora que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito.”2 Do momento em que conhecera seu Salvador, a luz do Seu amor brilhou cada vez mais forte em sua vida e a inspirou a se tornar mais como Ele. Dina Ellens lecionou no Sudeste Asiático por mais de 25 anos. Aposentada, permanece ativa como trabalhadora voluntária e se dedica à sua carreira de escritora. ■

PRACTIQUE, PRACTIQUE, PRACTIQUE Henry Drummond, adaptado

A vida não é um período de férias, mas de educação. O que faz

de alguém um bom tenista? A prática. O que faz de alguém um bom artista, um bom escultor ou um bom músico? A prática. O que torna uma pessoa melhor? A prática. Não há outro jeito. Alguém que não exercitar o braço, não desenvolverá o bíceps; se não exercitar a alma, não a desenvolverá, não fortalecerá seu caráter, não terá vigor moral nem vivenciará a beleza do crescimento espiritual. O amor não tem a ver com emoção e entusiasmo, mas é uma expressão rica e vigorosa do caráter cristão como um todo —é a natureza de Cristo em pleno desenvolvimento. E todos os elementos desse bom caráter só podem ser reunidos pela prática incessante. Henry Drummond (1851–1897) foi um evangelista, escritor e palestrante, nascido na Escócia. ■ 11


Bondade em ação Para Pensar

É um grande erro pensar em grandiosidade sem bondade. E isso digo na certeza que jamais houve um homem verdadeiramente grande que não tenha sido, ao mesmo tempo, verdadeiramente virtuoso. —Benjamin Franklin (1706–1790)

A liberdade, a moralidade e a dignidade humana do indivíduo consistem precisamente disto: quem pratica o bem não o faz a força, mas porque livremente o concebe, é o que deseja e ama fazer. —Mikhail Bakunin (1814–1876)

Faça todo o bem que puder, de todas as formas que puder, a todas as almas que puder, em todo lugar que puder, com todo zelo que puder, por tanto tempo quanto puder. —John Wesley (1703–1791)

A bondade é o amor em ação: amor com a mão no arado, amor com o fardo nas costas, amor seguindo as pegadas dAquele que foi por toda parte praticando o bem. —James Hamilton

Não o que se professa, mas o que se pratica torna alguém bom. —Provérbio grego

Não digais que se as pessoas foram boas convosco, sereis bons com elas; e se vos oprimirem, então as oprimireis. Determinai-vos, antes, a ser bons com os que vos fizerem o bem; e não oprimir os que vos oprimirem. —Maomé (570–632)

Não é possível ser bom cedo demais, pois nunca se sabe quando será tarde demais. —Ralph Waldo Emerson (1803–1882) A bondade é o único investimento que nunca falha. —Henry David Thoreau (1817–1862) 12

O bem é um produto da ética e da arte espiritual dos indivíduos. Não pode ser produzido em massa. —Aldous Huxley (1894–1963)

Conquiste o avarento com presentes; subjugue o mentiroso com a verdade; anule iracundo com a gentileza e vença o mau com a bondade. —Provérbio indiano A vida se torna mais difícil para nós quando vivemos para os outros, mas também mais rica e mais feliz. —Albert Schweitzer (1875–1965) Os ideais que sempre brilharam diante de mim e me encheram com a alegria de viver são bondade, beleza e verdade. Nunca achei interessante ter como meta consolo ou felicidade. Um sistema de ética construído sobre isso seria suficiente apenas para uma manada de bois. —Albert Einstein (1875–1955) Ser bom é nobre; mas ensinar a alguém a ser bom é ainda mais nobre e nenhum incômodo. —Mark Twain (1835–1910) ■


Escolha de mãe Renee Chang

Nenhum de seus amigos ou familiares entende por que ela fez o que fez, mas a

maioria desaprova, pois entende ser tolice. As objeções se explicam, pois May já tem seus quarenta e tantos anos, mora sozinha desde que a filha se mudou e, apesar de endividada, cria a menina que o ex-marido teve com outra mulher. May se casou muito jovem e quando estava na casa dos vinte se divorciou, mas mesmo antes disso já criava seu primeiro filho sozinha, pois seu companheiro era dependente químico e passava metade do tempo na cadeia. Então, mais de vinte anos após a separação, o homem reapareceu e lhe pediu um favor: queria que May encontrasse uma maneira de levar a criança que tivera com outra mulher para um orfanato, antes de ele ser

preso de novo. A pequena Joline fora abandonada pela mãe e tudo indicava que seu destino era passar a infância em uma instituição. Em vez disso, May encontrou uma maneira de ficar com a bebê e a tem faz cinco anos. Não é fácil. May luta com grande dificuldade para conseguir pagar as contas e Joline é uma criança difícil. Mas May é inabalável. “Vivem me dizendo que Joline é um grande fardo e que não vale os sacrifícios que faço para cuidar dela. Mas ninguém me pergunta como eu me sinto nem quer saber por que estou fazendo isso. Depois que meu último relacionamento fracassou, senti como se tivesse perdido tudo pelo que viver e que jamais teria uma família normal. Mas quando vi pela primeira vez o sorriso de Joline e senti sua mãozinha segurar com força meu dedo, foi como

encontrar alguém que me amava e precisava de mim. Ela não é um fardo, mas minha fonte de amor e alegria.” Justamente então, a menina se aproximou, colocou os braços em volta do pescoço de May, beijou-a no rosto e disse: “Eu te amo, mamãe. Você é a melhor mãe do mundo!” O semblante de May se iluminou com a expressão de mãe orgulhosa. Entendi então que May tinha razão, apesar de ser mal interpretada pelos demais. Em vez de deixar os revezes e dificuldades a arrastarem para um poço de autocomiseração, escolheu se concentrar em dar o que tinha. E ao fazer isso, encontrou a felicidade que parecia sempre lhe escapar. Renee Chang é diretora de uma empresa de consultoria em Taiwan.■ 13


Um dos maiores presentes que meu pai me deu —sem querer— foi eu testemunhar a coragem com que lidava com a adversidade. Ele era sempre inabalável, completamente tranquilo, o mesmo homem entusiasta, risonho e jovial. —Ben Okri (nascido em 1959)

É PROFESSOR E NÃO SABE

A vida está repleta de espinhos e não conheço alternativa a passar rapidamente por eles. Quanto mais permanecermos nos nossos infortúnios, maior será seu poder de nos prejudicar. —Voltaire (1694–1778)

Elsa Sichrovsky

O clima estava perfeito e a

maioria dos meus amigos desfrutava de um fim de semana prolongado; eu, não. Passara por um período de doenças que me deixou atrasada com minhas tarefas escolares e eu tinha uma montanha de projetos, relatórios e exercícios que precisava fazer até o fim do mês. Sentia-me com muito para fazer e pouca energia. Após várias horas de trabalho intenso, ainda não havia avançado muito, então decidi passar algum tempo em meio à natureza para levantar meu ânimo e fui para um parque próximo. Seus caminhos e gramados normalmente quietos fervilhavam com pais e crianças, 14

cujos risos cheios de emoção enchiam o ar. Eu estava caminhando havia algum tempo quando o grito de ansiedade de um garoto capturou minha atenção. Virei-me e vi um homem jogando futebol com seu filho de três anos. O garoto corria de um lado para o outro, perseguindo e chutando a bola. Na maior parte do tempo, nem fazia contato com ela e deixava passar vários dos passes que o pai fazia para ele, mas continuava brincando com paixão e entusiasmo. Tive de rir da cena. Depois de algum tempo, notei algo estranho no braço direito do pai. Não acompanhava os movimentos do corpo, mas permanecia inerte, pendurado ao lado do corpo.

Inabalado, o homem acenou para o filho com seu braço bom e mais uma vez lhe passou a bola. Cheguei em casa ao pôr-do-sol, contagiada pelas gargalhadas daqueles dois, que ainda ecoavam em minha mente. Não creio que o pai se considere um grande professor de moral, mas, sem saber, naquela tarde de domingo, foi minha inspiração. Seu exemplo de alegria e despojamento reduziram meus problemas às devidas dimensões e me encorajaram a enfrentar meus desafios com o mesmo espírito de coragem e fé. Elsa Sichrovsky é aluna do ensino médio e mora com sua família em Taiwan. ■


Um exercício espiritual Abi F. May

A BONDADE DE DEUS A bondade de Deus dura para sempre. —Salmo 52:1(RA) As coisas boas aparecem em nossas vidas nas mais diferentes formas: amigos, família, saúde, felicidade, um teto sobre a cabeça, comida à mesa, os prazeres que nos trazem a música, a arte e a literatura. A Bíblia nos ensina que Deus é a origem dessas bênçãos. “Poder comer, beber e ser recompensado pelo seu trabalho é um presente de Deus.”1 “Toda boa dádiva e todo dom perfeito é lá do alto, descendo do Pai das luzes.”2 Essas dádivas, ainda que maravilhosas, são apenas pequenas ilustrações do amor de Deus. Quão fácil é, no corre-corre do dia-a-dia, ignorar a maior manifestação da Sua bondade: Sua dádiva na pessoa de Seu Filho, Jesus Cristo. “Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna.”3 Poderíamos dizer que Jesus é a bondade de Deus que se fez carne. E 1. Eclesiastes 3:13 NVI

essa dádiva nos leva a outra: “o dom gratuito de Deus é a vida eterna, em Cristo Jesus nosso Senhor.”4 Deus não tinha de enviar Seu filho nem este estava obrigado a dar a vida por nós. Mas foi o que fizeram e, por isso, podemos receber o perdão pelos nossos pecados e ter a garantia de passar a eternidade na amorosa presença de Deus. Se o sacrifício de Jesus, sem Seus sofrimentos na cruz, sem Sua morte, sem Sua ressurreição e triunfo sobre a sepultura, não teríamos a promessa da vida eterna. Para este exercício, dedique algum tempo para agradecer a Deus pela dádiva da salvação. Agradeça-Lhe por enviar Jesus para morrer em seu lugar. Agradeça-Lhe pelas dádivas do perdão e da redenção. Use suas próprias palavras, ou, se preferir, faça a seguinte oração: “Obrigado, Deus, por enviar Seu filho, Jesus, para receber a punição por todos os meus erros e falhas.5 Por favor, mantenha meu coração, minha mente e minha vida abertos para você, para que eu sempre me lembre da Sua bondade.”

2. Tiago 1:17 NLT 3. João 3:16 4. Romanos 6:23 5. Ver 1 Pedro 2:24.

Abi F. May é educadora, escritora na Grã-Bretanha e articulista da Contato. ■

Remido, eu vou proclamar, Remido por preço real. Remido por Cristo na morte, Eu tenho a paz eternal. —Fanny Crosby (1820–1915) Hinário Adventista do Sétimo Dia —Nr. 215 15


Com Amor, Jesus

Mais que um grão de areia Na medida com que você se preencher com Meu espírito, Eu o reabastecerei com recursos. Quando mais Me der de si, mais poderei lhe dar de Mim —Meu amor, Meu poder, Minha unção, Minhas dádivas, Minhas percepções, Minha sabedoria, Minhas bênçãos, Minha força, Minha proteção, Minha criatividade, Minha inteligência, Meu contentamento, Minha alegria, Minha paz. Todas essas coisas são elementos da Minha bondade. Todas são suas para que delas se aproprie e podem se tornar uma parte cada dia maior da sua vida. Conforme você Me conhecer melhor e aprender a receber diretamente de Mim Minhas palavras, poderá ter mais dessas dádivas e tesouros maravilhosos. Eles crescem e se multiplicam em seu coração e nas vidas daqueles que sua vida tocar. Nunca pense que você é apenas mais um entre muitos no mundo e que o que faz não tem efeito nos outros, que você é apenas um entre muitos grãos de areia no mundo e tudo que você faz não influencia os outros ou a sociedade ao se redor. Influencia. Você pode tornar o mundo um lugar melhor, a seu próprio modo, pelas coisas que diz e faz. Você pode trabalhar comigo e trazer mais da Minha natureza, do Meu amor e da Minha bondade para o mundo. Quando você é guiado por Mim e trabalha no poder do Meu Espírito, as coisas que você faz ajudam a realizar Meu plano perfeito nas vidas de todos os envolvidos.


Contato, julo de 2013: Benignindade