Page 1

MUDE SUA VIDA.

A ÂNCORA Firme em meio às tempestades da vida

Quanto Deus Se Importa? Envolvido ou distante?

O Enigma da Trinidade 1+1+1=1

MUDE O MUNDO.


Volume 12, Número 9

C ON TATO PE S S OA L Muito antes da primeira vítima do filme de Indiana Jones cair pela primeira vez em uma armadilha e de a computação gráfica insuflar novo alento de vida nos zumbis, uma das cenas mais aterrorizantes que se via na telona era aquela em que alguém caía em areia movediça. Nenhum episódio de Tarzan seria completo se o herói não impedisse uma alma inocente de ser tragada até a morte pela areia gulosa (como dizem no Norte do Brasil) ou, alternativamente, se não mostrasse o vilão ser engolido e desaparecer aos poucos da superfície. Às vezes, os problemas parecem nos puxar para baixo da mesma forma e quanto mais nos debatemos, mais rapidamente afundamos. Entretanto, raramente as coisas são de fato tão ruins. As leis da Física deixam claro que é praticamente impossível alguém submergir na areia movediça além do nível da cintura. O resgate pode ser difícil e demorado, mas a vítima não afundará totalmente. Da mesma forma, os que têm uma fé viva em Deus submergem apenas parcialmente e ficam presos aos seus problemas apenas temporariamente. Se pesquisar no Google “como escapar da areia movediça” encontrará dicas úteis. Adaptadas à abordagem da fé para o enfrentamento de problemas em geral, essas instruções podem ganhar a seguinte redação: • Não entre em pânico. Reagir em descontrole poderá fazê-lo afundar mais rapidamente. Tente relaxar. Controle seu espírito e confie que Deus está no controle do resto. • Ore. Deus sempre tem um plano melhor do que qualquer outro que você possa traçar. • Livre-se de pesos desnecessários. Os problemas parecem dar importância demais às coisas de menor valor. • Distribua o seu peso. Apoie-se em Deus. “Ele sustenta … com braços eternos.” • Seja paciente. Ações lentas e bem pensadas produzem melhores resultados do que atividades frenéticas. • Descanse regularmente. Higienize a mente e refresque o espírito meditando em pensamentos positivos e edificadores da fé, fundamentados na Palavra de Deus. Se os artigos desta edição o ajudarem a aplicar esses princípios, então realizamos um dos principais objetivos da Contato — ativar e fortalecer sua fé para você estar mais bem preparado para lidar com seja o que for que a vida lhe trouxer.

Contamos com uma grande variedade de livros, além de CDs, DVDs e outros recursos para alimentar sua alma, enlevar seu espírito, fortalecer seus laços familiares e proporcionar divertidos momentos de aprendizagem para os seus filhos. Para adquirir nossos produtos, obter mais informações, ou se tornar um assinante da Revista Contato, visite nossos sites, escreva-nos ou ligue gratuitamente para nossa central de atendimento. Assinaturas, informações e produtos: www.contato.org ou www.lojacontato.com.br E-mail: revista@contato.org Ligue grátis: 0800-557772 Endereço postal: Contato Cristão Caixa Postal 66345 São Paulo — SP CEP 05311-970

Editor Design Diagramação Produção

Mário Sant'Ana Gentian Suçi Angela Hernandez Samuel Keating

© 2011 Aurora Production AG. www.auroraproduction.com Todos os direitos reservados. Impresso no Brasil. Tradução: Mário Sant'Ana e Tiago Sant'Ana A menos que esteja indicado o contrário, todas as referências às Escrituras na Contato foram extraídas da “Bíblia Sagrada” — Tradução de João

Mário Sant’Ana Pela Contato 1. Deuteronômio 33:27 2

Ferreira de Almeida — Edição Contemporânea, Copyright © 1990, por Editora Vida.


Caminhada no Great Orme Abi F. May

O dia começara bem quando saí para subir a pé o Great Orme, um promontório calcário na

costa norte do País de Gales. Mapa na mão, caminhava feliz sob o glorioso sol daquela manhã. Diante de mim, o Great Orme permanecia firme e imutável. A estrada me levou até o sopé do promontório. No início, o mar mandava na minha direção uma brisa suave e revigorante, mas logo um vento tomou seu lugar e reuniu uma tempestade sobre mim. Poucos minutos depois, meu casaco pesava com a chuva. O Great Orme permanecia firme e imutável. Ligeiramente menos feliz, mas ainda esperançosa que o clima melhoraria, segui adiante. O otimismo encontrou sua recompensa quando o sol saiu. Não demorou, passei a levar meu casaco no braço, novamente banhando-me à luz do sol. O Great Orme permanecia firme e imutável. O mapa indicava que deveria deixar a estrada para tomar uma trilha que serpenteava pelos campos por entre arbustos. O terreno irregular e pedregoso exigia que eu forçasse as pernas que doíam conforme a escalada se tornava mais íngreme. As ovelhas se alimentavam de restolhos de pasto, enquanto gaivotas se reuniam nas rochas mais abaixo, antes de se alçarem levadas pelas gentis correntes ascendentes. O Great Orme permanecia firme e imutável. O tempo passou agradável e cheguei ao cume. A vista tirava o fôlego. De um lado, as montanhas galesas e, do outro, o mar aberto. O Great Orme permanecia firme e imutável.

A rota que tomei para descer foi bem diferente. Apesar de haver estudado o mapa, percebi que, fazia algum tempo, andava em círculos. Meu cansaço aumentava e junto com ele a incerteza de que estaria de volta ao hotel antes do anoitecer. O Great Orme permanecia firme e imutável. Meu caminho cruzou com o de um homem daquelas bandas e bom conhecedor do promontório, que por ali passava com seus cães. Em meu socorro, mostrou-me uma trilha curta e direta. Estava cansada, mas também reanimada com a expectativa de regressar ao hotel antes do sol se pôr. O Great Orme permanecia firme e imutável. Os altos e baixos da vida de fé muito se assemelham ao meu dia no Great Orme. Nossa fé pode chegar às terras altas ou baixar até os vales, mas, independentemente de como nos sintamos, a Palavra de Deus, a fundação sobre a qual nossa fé é edificada, permanece firme e imutável. Abi F. May é membro da Família Internacional na Europa e articulista da Contato. ■

“Passará o Céu e a Terra, mas as Minhas palavras não hão de passar.”—Lucas 21:33 3


Será que Deus se importa mesmo? Peter Amsterdam

Ao longo de uma semana,

ouvi três pessoas dizerem três coisas diferentes que me fizeram pensar na minha relação com Deus e na Sua participação na minha vida. Uma disse que não sabia se Deus realmente Se importava com o que fazemos e que, à parte da salvação, talvez não estivesse interessado nas decisões que tomamos. Disse que achava que a maioria das nossas escolhas não faria diferença para Ele, principalmente as do dia a dia. A outra afirmou acreditar que Deus só intervém depois que chegamos ao limite e não temos mais nenhum outro meio de descobrir a Sua vontade. Essa pessoa pensa que Ele espera que usemos todos os recursos disponíveis e façamos tudo o que podemos, antes de Se envolver em nossas questões. Na visão da terceira pessoa, Deus, na Criação, agiu como um relojoeiro, que monta o relógio, dá corda e o larga para funcionar por conta própria. Assim, teria criado o mundo e as leis da natureza e, a partir daí, 4

deixado tudo funcionar sem Sua intervenção ou envolvimento. Fiquei pensando nesses comentários por alguns dias, porque essas maneiras de ver as coisas me incomodaram. Algo dentro de mim se recusava a aceitar que Deus não Se importasse comigo e que não quisesse participar da minha vida, ou que receber Sua atenção exigisse tanto empenho que nem parecia valer a pena. Se qualquer desses três conceitos fosse verdadeiro, eu não precisaria de Deus para mais nada a não ser para o perdão pelos meus erros e pecados. Se assim, para que serviria Deus? Nos momentos de conflitos, na hora da necessidade de orientação, preciso ter certeza de que Ele pode me ajudar, e não ficar questionando se Ele Se importa comigo ou se quer Se envolver na minha vida. Remoendo esses três pontos de vista, lembrei-me de três fatores que os contradiziam. 1. Experiência Pessoal Deus interveio na minha vida em diferentes ocasiões, deixando claro

que, sim, está interessado nas minhas decisões. Há muitos anos, tive um sonho no qual recebi a resposta antes sequer de conhecer a pergunta. Poucos dias depois, me foram oferecidos dois trabalhos e, graças ao sonho, estava bem claro que oferta eu deveria aceitar, o que me colocou no caminho do meu trabalho principal para o Senhor, na diretoria da Família Internacional desde então, há 15 anos. Eu não


tinha feito nada para receber a resposta, muito menos usado todos os recursos disponíveis. Em inúmeras ocasiões, busquei e recebi a orientação do Senhor. Orei e encontrei soluções. Pedi a Deus para me responder e Ele me atendeu: por meio de profecia, na meditação, durante a leitura da Palavra e por meios de circunstâncias, Ele falou ao meu coração e me deu conselhos e orientações claros que funcionaram. Sei, por experiência pessoal, que Deus Se importa, está interessado em mim e participará da minha vida se eu estiver receptivo a Ele. 1. Atos 16:6–10 2. Provérbios 3:6 3. Salmo 32:8 4. Salmo 143:8

2. A Palavra de Deus O Antigo e o Novo Testamento falam da relação de Deus com o homem, Sua intervenção, orientação, conselhos, instruções e avisos. São muitos exemplos do envolvimento de Deus no processo de decisão dos Seus seguidores, mas o seguinte, encontrado no Livro dos Atos, é muito bom: “E, passando pela Frígia e pela província da Galácia, foram impedidos pelo Espírito Santo de anunciar a palavra na Ásia. E, quando chegaram a Mísia, intentavam ir para Bitínia, mas o Espírito de Jesus não lho permitiu. E, tendo passado por Mísia, desceram a Trôade. E Paulo teve, de noite, uma visão em que se apresentava um varão da Macedônia e lhe rogava, dizendo: Passa à Macedônia e ajuda-nos! E, logo depois desta visão, procuramos partir para a Macedônia, concluindo

que o Senhor nos chamava para lhes anunciarmos o evangelho.” 1 Mostra claramente que Deus tinha uma preferência quanto aonde os discípulos deveriam ir, e deu instruções específicas. A Bíblia diz explicitamente que devemos buscar a orientação divina antes de uma decisão e que, se o fizermos, Ele nos orientará: “Reconhece-O em todos os teus caminhos, e Ele endireitará as tuas veredas.” 2 “Instruir-te-ei e ensinar-te-ei o caminho que deves seguir; guiar-te-ei com os Meus olhos.” 3 A fé de Davi na orientação divina fica clara nesta oração registrada no Livro dos Salmos: “Faze-me saber o 5


caminho que devo seguir, porque a Ti levanto a minha alma.”4 Jesus disse que se precisarmos de algo, devemos recorrer a Deus e esperar que Ele nos atenda: “Pedi, e dar-se-vos-á; buscai e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á. Porque aquele que pede recebe; e o que busca encontra; e, ao que bate, se abre.”5 Ao escolher os apóstolos entre Seus discípulos, fica evidente que Jesus acreditava que Seu Pai O guiaria nas decisões: “E aconteceu que, naqueles dias, subiu ao monte a orar e passou a noite em oração a Deus. E, quando já era dia, chamou a Si os Seus discípulos, e escolheu doze deles, a quem também deu o nome de apóstolos."6 As Escrituras deixam claro que Deus quer e intervirá se nós assim desejarmos. 3. O Espírito Santo Além da experiência pessoal e dos exemplos na Palavra, pensei também na promessa que Jesus fez de que, quando Se ausentasse fisicamente, o Pai enviaria o Espírito Santo para habitar entre os que criam. Ele disse que o Espírito Santo viveria em nós. "E Eu rogarei ao Pai, e Ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre, — o Espírito da verdade, que o mundo não pode 5. Mateus 7:7–8 6. Lucas 6:12–13 7. João 14:16–17, 20 8. João 14:6 6

receber, porque não O vê, nem O conhece; mas vós O conheceis, porque habita convosco e estará em vós. Naquele dia, conhecereis que estou em Meu Pai, e vós, em Mim, e Eu, em vós."7 Se Deus enviou Seu Espírito para habitar comigo para sempre, faz sentido entender que Se interesse na minha vida, no que faço e nas decisões que tomo. Diria que Ele, na verdade, está muito interessado. — E não apenas interessado, mas envolvido. A palavra grega parakletos usada em referência ao Espírito Santo no Novo Testamento significa conselheiro, ajudante, intercessor, consolador ou advogado. Gosto desses significados, que retratam o Espírito de Deus desempenhando todos esses papeis na minha vida. Adoro o fato de que Deus é meu parceiro no dia a dia, está interessado em mim, em quem sou e no que faço. Vejo evidências suficientes do desejo de Deus de participar da minha vida ativamente e de iteragir comigo. É uma relação de cumplicidade. O Seu Espírito habita em mim, guia minhas decisões e ajuda na jornada na vida. Estou muito agradecido por Ele não ter simplesmente “dado corda” em mim e Se afastado. Pelo contrário, deu-me os meios para interagir com Ele por meio da Palavra e do Seu Espírito. Peter Amsterdam e sua esposa, Maria Fontaine, são diretores da Família Internacional, uma comunidade de fé cristã. ■

Se você ainda não se conectou ao Deus interativo, pode fazê-lo agora mesmo recebendo Seu Filho, Jesus, como Salvador. Para isso, faça uma oração como a seguinte: Jesus, quero vivenciar o amor e desvelo que Deus tem por mim, os quais prometeu se manifestariam por Você, “o caminho, a verdade e a vida."8 Abro meu coração e O convido para entrar. Amém.


Para Pensar

a ÂNCORA Temos essa consolação como âncora da alma, segura e firme. — Hebreus 6:19 Temos alguém em quem podemos ter confiança eterna e assim estar eternamente seguros. Sabemos que Deus vela por nós onde quer que estejamos e independentemente do que estejamos fazendo. Temos essa âncora. O que acontece ao nosso redor no instável mar da vida é de menor importância. Podemos sobreviver e superar as circunstâncias, porque temos Jesus. — David Brandt Berg Para entender o valor da âncora, precisamos sentir a tempestade. — Autor anônimo Sabe-se que os primeiros cristãos muitas vezes usavam o símbolo do peixe para se identificarem para seus irmãos na fé. Um fato menos conhecido é que a imagem da âncora era também usada para a mesma finalidade. Desde os 1. Tradução literal de Minha Esperança, Edward Mote, 1834

tempos antigos, a âncora simboliza segurança. Para os cristãos, representava sua esperança em Cristo, o qual os traria para a segurança do porto do Seu reino celeste. As âncoras adornam numerosos túmulos dos primeiros cristãos, sepultados nas catacumbas sob Roma. — Christine Hunt Não estabilizamos o barco prendendo a âncora a algo que esteja a bordo. A ancoragem é feita a algo fora da embarcação. Da mesma forma, a alma não encontra repouso nela própria, mas na natureza de Deus, na certeza da Sua verdade, na impossibilidade de Ele nos ser falso. — Adaptado dos escritos de Dr. Thomas Chalmers (1780–1847) Jesus Cristo é a âncora da sua alma. Não é preciso inquietar-se com os detalhes da vida. Você pertence a Deus e nada pode jogá-lo contra as rochas. Você está seguro porque Ele é

seguro. Confie em Cristo em todas as circunstâncias. Relaxe. Desfrute o pôr do sol. Delicie-se no sabor da vida. Descanse, certo de que “qualquer que seja a tempestade, segura está minha âncora, do outro lado do véu.”1 — Steve McVey (1954 — ) Tenho uma âncora segura e firme, que para sempre perdurará. [Suporto] os golpes da tempestade, pois minha âncora na rocha firme está. Pela tempestade navego em paz, até a maré mudar. Pois em Cristo forte sou, pois nEle posso me ancorar. Ancorado estou, ancorado estou; Soprai, então, fortes ventos, Sobre minha pequena e frágil embarcação; Pois Sua graça não há de falhar; Pois na Rocha, minha âncora forte está. —William Clark Martin (1864–1914) ■ 7


O ENIGMA DA TRINDADE Jessica Roberts

Em plena aula de Matemática, um

dos meus alunos do segundo ano fez a seguinte declaração: “Não existe Deus!” Considerando que estávamos em uma escola cristã e que o garoto, Martin, era filho de um pastor, fiquei intrigada e lhe perguntei o que o levara àquela conclusão. “Meu pai diz que existem Deus, Jesus e o Espírito Santo, mas também que há apenas um Deus. Não faz sentido.” O que fazer? Com certeza, Martin não foi o primeiro a se deparar com o mesmo problema ao refletir na Santa Trindade, mas, naquele momento, eu preferia continuar com a explicação sobre multiplicação. — Martin, agora estamos na aula de Matemática. Podemos falar disso em outra hora? — Mas é um problema de Matemática — argumentou. Três não é igual a um! Que pai ou professor não se viu em uma sinuca de bico como essa? As crianças às vezes fazem perguntas nada fáceis de responder. Aprendi que, em casos assim, é melhor pedir sabedoria a Deus, porque aquilo que eu talvez interprete como arrogância ou insolência da criança pode ser, na verdade, a curiosidade que Deus lhe deu e propiciar uma excelente oportunidade de ensinar. Senti que meus conhecimentos teológicos não estavam lá tão frescos 1. Cânticos 2:1 8

na memória para explicar o conceito da Trindade ao Martin e aos outros alunos da sala. … Recreio! Salva pelo gongo! Por dez minutos, enquanto as crianças brincavam, orei. E a resposta veio. Foi um tanto simplista e provavelmente nada parecida com a que daria Santo Agostinho ou outros pensadores cristãos, mas foi a que eu tinha para os alunos quando voltaram para a sala. E funcionou. “A Bíblia chama Jesus de ‘A rosa de Sarom’1 — expliquei. “Deus é como a raiz da roseira. Ele fica escondido, mas é de onde a rosa surgiu e cresceu. Jesus é como a rosa que nasceu desse arbusto. Ele é a parte que aparece do amor de Deus, para que possamos ‘vê-lo’ e senti-lo. O Espírito Santo é como a seiva da roseira que corre pelo seu caule e pelos ramos, para mantê-la viva. São três elementos, mas a mesma planta. Entendem?” Acredito que Martin terá perguntas ainda mais difíceis no futuro e, claro, eu mesma tenho inúmeros questionamentos. Felizmente, Deus sempre responde quando Lhe perguntamos com sinceridade. Suas respostas podem ser simples e diretas como a que deu para Martin, mais complexas ou Ele pode nos dar a paz para aceitar o que ainda não conseguimos entender. Jessica Roberts é membro da Família Internacional no México. ■


Crises de Maria Fontaine

Aceitar todos os pontos da doutrina e acreditar completamente por fé não é sempre natural para todos. Assim como o Senhor fez as pessoas com personalidades e características físicas muito diferentes, há também diversos tipos de fé. Quer a sua seja a que requer tempo e estudo antes de você crer, quer você abrace conceitos com pouco ou nenhum questionamento, a meta final é o que conta: uma fé viva. Não deve ser visto como fora do normal passar por crises de fé, duvidar ou questionar os pontos da doutrina, inclusive os princípios cristãos. O Senhor, muitas vezes, opera por meio dessas batalhas da mente e do espírito e as usa para nos fortalecer. Ele pode usar esse processo para nos ajudar a voltar para a fundação da nossa fé, para reafirmar nossas crenças e garantir que nossas vidas estejam bem alicerçadas no que cremos. Isso pode nos ajudar a entender o porquê de acreditarmos nas doutrinas que aceitamos e nas suas respectivas fundamentações nas Escrituras. Muitos cristãos vivenciaram crises de fé ou tiveram de enfrentar ondas de dúvidas. Alguns exemplos notáveis que me ocorrem agora são Martinho Lutero, Madre Teresa e Adoniram Judson. Esses conflitos interiores e as batalhas que travaram para alcançar um lugar de fé e entendimento estão documentados. O resultado de suas experiências, entretanto, foi uma

crença mais forte, um entendimento mais profundo de Deus e o relacionamento íntimo que Ele busca com cada um de nós. Suas batalhas e vitórias inspiraram muitos. Eu diria que suas dificuldades lhes deram uma compreensão mais profunda das dificuldades que as pessoas enfrentam para afirmar sua fé e como isso pode vir a fortalecê-la. Muitos têm experiências similares. Em vez de entender as dúvidas e as crises de fé exclusivamente como ameaças que devam ser resistidas, afastadas de nossa mente e coração, devemos lembrar que os questionamentos, as dúvidas e o ceticismo podem ser degraus para uma fé cristã mais forte e madura. Servem para nos levar a examinar a essência do que cremos e afirmá-la. Podem nos ajudar a pensar e entender nossa fé tanto espiritual quanto intelectualmente, a pesquisar e descobrir “se estas coisas são assim”,1 para construir uma fé pessoal e pensada. Uma fé edificada sobre tais premissas não será facilmente dissuadida quando confrontada por argumentos ou crenças contrários ou com as visões intelectuais dos que não creem. Em última análise, o resultado pode ser uma fé mais forte e mais experiente. ■

1. Atos 17:11 9


Onde Começar? UMA REFLEXÃO SOBRE A LEITURA DA BÍBLIA

Chris Hunt

Eu era jovem quando me converti e me

disseram que deveria ler a Bíblia, mas eu não tinha nenhuma ideia de onde começar. Tinha o hábito de dar uma olhada nas últimas páginas antes de começar um livro, só para ter uma ideia de como a história terminaria. No caso da Bíblia, o que aconteceu foi que caí de cabeça no Livro do Apocalipse. E não fez nenhum sentido para mim! Felizmente, alguns cristãos mais experientes vieram em meu socorro e me deram alguns conselhos de como eu deveria ler a Bíblia: “Os Evangelhos são objetivos e a ajudarão a aprender sobre a vida e os ensinamentos de Jesus, entender a essência da mensagem de Jesus. O melhor ponto de partida é o

10

Evangelho segundo João.” Foi interessante descobrir depois que é o livro que contém mais palavras de Jesus em toda a Bíblia. Cada capítulo revela um aspecto da Sua personalidade, mensagem e vida. Mas a leitura não foi isenta de dificuldades. Ao terminar de ler os quatro Evangelhos, via contradições entre eles. Se aquela era a Palavra de Deus, por que os autores contaram algumas histórias ou citaram Jesus de forma diferente? Alguém me ajudou: “Quando você conta um filme a um amigo, não narra toda a história, apenas as partes que lhe chamaram mais a atenção. Outra pessoa provavelmente escolheria outras cenas que lhe pareceram mais relevantes. Não foi diferente com os evangelistas. Cada um relatou alguns aspectos da vida e ministério de Jesus e omitiu outros.” Fez sentido. Na sequência recomendada para leitura, os próximos livros eram Salmos e Provérbios. No primeiro encontrei uma coletânea inspiradora de orações, súplicas, louvores, promessas e profecias. No outro, senti-me diante de uma riqueza de sabedoria prática. Como o Livro de Provérbios encontra-se dividido em 31 capítulos, proporcionou-me a conveniência de poder ler um capítulo por dia, durante um mês. Mas se desejar um plano de ação, não apenas para crescer em fé, mas para dividir o que aprender com os outros, leia o Livro dos Atos. Ele relata as atividades dos discípulos, como trabalharam juntos e espalharam as Boas Novas, durante os primeiro 30 anos após a ressurreição de Jesus. Certamente, a Bíblia tem muito mais do que os livros que aqui citei, mas foram um bom começo para minha jornada de fé e ainda hoje são meus favoritos. Chris Hunt vive na Grã Bretanha e é leitora da Contato desde sua primeira edição, em 1999. ■


Encontrando Jesus no Livro de João Gretchen Stein

João 20:31 é um versículo-chave: “Estes

[relatos], porém, foram escritos para que creiais que Jesus é o Cristo, o filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em Seu nome.” Jesus, enquanto Filho de Deus, é um dos principais temas do Livro de João, assim como a fé e a vida eterna. O apóstolo registrou mais as Suas palavras que as Suas ações. Nos primeiros capítulos, Jesus faz a mais completa descrição dEle próprio e de Deus já registrada. Nos capítulos cinco e seis, repetidamente declara haver sido enviado por Deus. Um quarto do livro — capítulos 13 a 17 — é dedicado às últimas horas que Jesus passou com Seus discípulos, na noite anterior à Sua crucificação, quando os preparou (e a nós) para continuar sem a Sua presença física. Jesus usou “Eu sou…” para se descrever de 14 maneiras no Evangelho segundo João. “Eu o sou Messias.” — João 4:26 “Eu sou o pão da vida.” — João 6:35 “Eu sou de cima.” — João 8:23 “Eu sou a luz do mundo.” — João 9:5 “Eu sou a porta.” — João 10:9 “Eu sou o bom pastor.” — João 10:11 “Eu sou o Filho de Deus.” — João 10:36 “Eu sou a ressurreição.” — João 11:25 “Eu sou Mestre e Senhor.” — João 13:13 “Eu sou o caminho, a verdade e a vida.” — João 14:6 “Eu sou a videira verdadeira.” — João 15:1 Gretchen Stein é membro da Família Internacional na Europa. ■

LEITUR A QUE ALIMENTA O Evangelho segundo João

Capítulo 1: Cristo, o filho de Deus Capítulo 2: Cristo, o filho do homem Capítulo 3: Cristo, o divino mestre Capítulo 4: Cristo, o ganhador de almas Capítulo 5: Cristo, o grande médico Capítulo 6: Cristo, o pão da vida Capítulo 7: Cristo, a água da vida Capítulo 8: Cristo, o defensor dos fracos Capítulo 9: Cristo, a luz do mundo Capítulo 10: Cristo, o bom pastor Capítulo 11: Cristo, o príncipe da vida Capítulo 12: Cristo, o rei Capítulo 13: Cristo, o servo Capítulo 14: Cristo, o consolador Capítulo 15: Cristo, a videira verdadeira Capítulo 16: Cristo, o concessor do Espírito Santo Capítulo 17: Cristo, o intercessor Capítulo 18: Cristo, o sofredor modelo Capítulo 19: Cristo, o Salvador crucificado Capítulo 20: Cristo, o conquistador da morte Capítulo 21: Cristo, o restaurador dos penitentes ■ 11


UM DIA

DE CADA

VEZ Kevin Langam

Uma das mais poderosas orações já ensinadas tem dois mil anos e contém um

pedido muito simples que me ajuda a me concentrar em viver o agora: “O pão nosso de cada dia nos dá hoje.” Durante 25 anos, a dependência do álcool e das drogas me roubou a habilidade de desfrutar a vida. O remorso do passado e o medo do futuro eram tão grandes que eu vivia aterrorizado pelo que cada dia poderia me trazer. E foi nessa simples frase bíblica que descobri o que para mim parecia um novo conceito de vida. Ao viver um dia de cada vez, estou livre do temor e do tormento. Não preciso ter a garantia de que minhas necessidades da próxima semana, do próximo mês e do 12

próximo ano serão atendidas. Tudo que preciso é o que necessito hoje. É por isso que devo me esforçar para viver minha vida um dia de cada vez. Cheguei à conclusão que o único tempo que tenho é hoje. Não há garantias do amanhã. Quanto a ontem, passou para sempre, com todos os seus erros e pesares. Hoje, o momento presente, esse sim é precioso. Apesar de ter aprendido essa lição, ainda me flagro desperdiçando tempo revivendo o passado ou me preocupando com o futuro. O efeito que o vício teve em mim foi que eu levava a mim mesmo e as minhas sórdidas circunstâncias a sério demais, a ponto de perder contato com a liberdade. Não existia alegria nem satisfação real em nada que eu fazia. Tudo ao meu redor era cinzento e opaco.

Hoje, os sinais positivos do renascimento espiritual aparecem na minha vida. Cada dia ganho mais energia espiritual e gosto pela vida. Desfruto mais as pessoas, inclusive a mim mesmo. Redescobri o prazer de rir. Sei que nem todos os dias serão mares de rosas e que terei que lidar com dores e decepções. Ser livre dos erros que cometi e das preocupações do que há por vir nem sempre me isentará do sofrimento no presente nem das consequências das minhas ações. O melhor que posso fazer é parar, dar uma boa olhada dentro de mim, enfrentar os problemas de hoje com determinação e sinceridade, tomar as decisões que tenho de tomar hoje e ter a certeza de que Deus está comigo. A carga dos meus “ontens” são pesadas demais para eu suportar sozinho. E se pensar na minha vida em termos


Mesmo que a fé não seja maior que um grão de mostarda, pode mover uma montanha inteira.1 Por isso, não deve ser necessário nem mesmo uma partícula microscópica de fé para você fazer tudo que precisa fazer a cada dia. Não se preocupe. Deus o ajudará quando a hora chegar. — David Brandt Berg

POR QUE SE PREOCUPAR?

de todas as coisas que tenho de fazer amanhã, na semana que vem ou no próximo ano, serei engolfado pelo peso das preocupações. Sempre que vejo que estou me aproximando de um desses estados mentais, tenho de pedir a Deus para me trazer de volta para o agora, onde as cargas são mais administráveis e onde, com Sua ajuda, consigo fazer algo a respeito delas, ou aceitar que não há nada que eu possa fazer. Para a maioria das pessoas, o planejamento é uma função normal e saudável. Para mim, é uma faca de dois gumes. Um bom plano pode manter minha vida administrável e me ajudar a realizar as coisas, mas quando planejar torna minha felicidade contingente 1. Mateus 17:20 2. Mateus 6:25–26; 28–34

das minhas expectativas, estou encrencado. Isso acontece porque sou mais pessimista do que otimista com respeito ao futuro e, por isso, imagino que provavelmente viverei tragédias em vez de triunfos. O presente pode ser grande e interessante o bastante para tomar minha atenção, se eu a ele a dedicar. Ao me concentrar no aqui e agora, e me manter acessível aos outros, a Deus e a tudo que há de bom ao meu redor, posso ter uma vida feliz, um dia de cada vez. Kevin Langam é bacharel em psicoterapia e é atualmente o terapeuta responsável por um centro de tratamento de dependentes químicos na Inglaterra. Faz 19 anos que está recuperado. ■

“Por isso vos digo: Não andeis ansiosos pela vossa vida, quanto ao que haveis de comer ou beber; nem pelo vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo mais do que o vestuário? Olhai para as aves do céu; não semeiam, não colhem, nem ajuntam em celeiros, e contudo, o vosso Pai celestial as alimenta. Não tendes vós muito mais valor do que elas? Quanto ao vestuário, por que andais ansiosos? Observai como crescem os lírios do campo. Eles não trabalham nem fiam. Eu, porém, vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles.Se Deus assim veste a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, não vestirá muito mais a vós, homens de pequena fé? Portanto, não andeis ansiosos, dizendo: Que comeremos? Que beberemos? ou: Com que nos vestiremos? Mas buscai primeiro o Seu reino e a Sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. Portanto, não andeis ansiosos pelo dia de amanhã, pois o amanhã se preocupará consigo mesmo. Basta a cada dia o seu próprio mal. —Jesus 2 ■ 13


VOCÊ É O QUE MEMORIZA Um exercício espiritual

Você está lendo a Bíblia ou um artigo que inclui passagens bíblicas e, de repente, um versículo parece saltar

da página. Fala com você de forma especial, dando-lhe ânimo, inspiração ou orientação. Às vezes, essa percepção vem como um flash, aquele momento de eureka. Em outras ocasiões, você sente que aquela mensagem tem um significado particular para você e que se aplica a uma situação ou problema específico que você está lidando naquele momento. Deus nos dá essas passagens especiais para aumentar nosso entendimento dEle e dos Seus caminhos, e para construir uma fundação sólida para nossa fé. “De sorte que a fé vem pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus.”1 Os seguintes versículos fortalecem a fé dos cristãos há eras. Memorize 1. Romanos 10:17 14

pelo menos alguns deles e depois aprenda também os que lhe forem especiais. Tente guardar na memória pelo menos um versículo por semana durante o próximo mês. Com a prática, a tarefa se torna mais fácil. Salvação João 3:16: Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o Seu Filho unigênito, para que todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna. A Palavra Salmo 119:11: Escondi a Tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra Ti. Mateus 24:35: O Céu e a Terra passarão, mas as Minhas palavras jamais passarão. Oração Jeremias 33:3: Clama a Mim, e responder-te-ei, e anunciar-te-ei coisas grandes e ocultas, que não sabes.

Perdão Efésios 4:32: Antes sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo. Dar Atos 20:35: Mais bem-aventurada coisa é dar do que receber. Encontrar a vontade de Deus Salmo 143:8: Faze-me ouvir do teu constante amor pela manhã, pois em ti confio. Faze-me saber o caminho que devo seguir, pois a ti levanto a minha alma. Provérbios 3:6: Reconhece-O em todos os teus caminhos, e Ele endireitará as tuas veredas. Proteção Salmo 46:1–2: Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia. Pelo que não temeremos, ainda que a terra se mude, e ainda que os montes se transportem para o meio dos mares. Provisão Filipenses 4:19: E o meu Deus suprirá todas as vossas necessidades. Consolo João 14:18: Não vos deixarei órfãos; virei para vós.. Hebreus 13:5: Não te deixarei, nem te desampararei. Cura Êxodo 15:26: Eu sou o Senhor que te sara. Jeremias 30:17: Eu te restaurarei a saúde, e curarei as tuas chagas. ■


fãS da bíblia Muitos livros de minha biblioteca estão ultrapassados ou já não me adicionam nada. Tiveram seu valor no passado, assim como as roupas que usei aos dez anos de idade, mas que agora já não me servem. Ninguém jamais se tornou grande demais para as Escrituras. O Livro se amplia e se aprofunda com os nossos anos. — Charles Haddon Spurgeon (1834–1892), pregador e escritor britânico Na Bíblia encontrei as palavras para meus pensamentos mais íntimos, canções para minha alegria, expressões para minhas angústias ocultas e intercessões pelas minhas falhas e vergonhas. — Samuel Taylor Coleridge (1772–1834), poeta britânico Não faltam evidências de que a Bíblia, apesar de escrita por homens, não é o produto da mente humana. Tem sido reverenciada por incontáveis multidões como uma mensagem para nós do Criador do universo. Não devemos construir sobre a areia da ciência incerta e sempre mutável, mas sobre a rocha das Escrituras.” — Sir Ambrose Fleming (1849–1945), engenheiro eletricista e inventor britânico Para mim, a Bíblia é o livro. Não entendo como alguém possa viver sem ela. — Gabriela Mistral (1889–1957), poetiza chilena e laureada com o Nobel

Todas as descobertas humanas parecem ter como único propósito confirmar com mais e mais intensidade a verdade contida nas Sagradas Escrituras. — Sir William Herschel (1738–1822), astrônomo britânico. É fundamental entender uma grande diferença entre a Palavra de Deus e a do homem. Esta é um pequeno som que voa nos ares e logo se dissipa. Todavia, a Palavra de Deus é maior que o Céu e a Terra, maior que a morte e o Inferno, forma parte do poder de Deus e dura eternamente. — Martin Luther (1483–1546), reformista alemão A Bíblia é um diamante, um colar de pérolas, a espada do Espírito, uma carta náutica para o cristão velejar para a eternidade, um mapa para as caminhadas do dia a dia, o relógio de sol pelo qual ele acerta sua vida; a balança para pesar as ações. — Thomas Watson (1620–1686), pregador e escritor inglês. As alternativas para a autoria deste livro [a Bíblia] são apenas três: homens bons, homens maus e Deus. A primeira opção não é verdadeira, pois eles próprios afirmam que as Escrituras foram inspiradas pela revelação de Deus. Os maus não poderiam ser os autores da Bíblia porque não escreveriam algo que os condenasse. Resta-nos então uma conclusão: a Bíblia nos foi dada pela inspiração divina. — John Wesley (1703–1791), Teólogo inglês, fundador do metodismo ■

15


Com Amor, Jesus

O FAROL Minha Palavra é como a luz de um farol brilhando na escuridão para guiar os barcos pelos mares escuros e tempestuosos. Coloqueio-o na praia, voltado para o mar, para que tantos quanto possível vejam sua luz e sejam atraídos a Mim. Você é como o capitão de um barco navegando em um mar escuro. Quando não há luz, você não consegue ver o horizonte, seu navio pode bater nas pedras e se perder. Mas porque amo você, envio Minhas Palavras como o poderoso raio de um farol incidindo sobre as águas, à sua procura. Minha luz alerta para os perigos e aponta o caminho de volta para casa. Lâmpada para os seus pés é a Minha palavra, e luz para o seu caminho.1 Busque na Minha Palavra a luz e a orientação que precisa, para poder chegar a salvo ao porto por mais escura que seja a noite e mais feroz a tempestade. 1. Salmo 119:105

Setembro de 2011: Solução de problemas  

Até onde Deus está disposto a ajudá-lo a encontrar respostas às suas perguntas e soluções para seus problemas? A resposta poderá surpreendê-...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you