Page 1

SCPC IMOBILIÁRIO LANÇADO EM PARCERIA COM SECOVI

R E V I S TA D A A S S O C I A Ç Ã O C O M E R C I A L D O PA R A N Á

COMÉRCIO EM 2012 CAUTELA E ESTOQUES CONTROLADOS

157

ANA AMÉLIA RECEBE HOMENAGEM

2011 N.

DESTAQUE EMPRESARIAL

DEZEMBRO

NA ACP


anĂşncio

2


anĂşncio

3


FELIPE ROSA

PALAVRA DO PRESIDENTE

Gratificação pelo dever cumprido TEMOS MUITO A COMEMORAR com as realizações de 2011, pois

soubemos superar as dificuldades que surgiram e fortalecer a certeza de que a persistência e o trabalho valem a pena nesta vida. Os desafios apresentados a cada um dos colaboradores da Casa exigiram uma entrega especialmente denodada, afinal, coroada pela consciência do dever cumprido. No encerramento de mais um profícuo exercício, a ACP sentese honrada em creditar ao conjunto de seus servidores e corpo associativo, o melhor do sucesso de seus empreendimentos e do avanço qualitativo no conceito da sociedade a que serve desde sua fundação. A diligência, o esmero e a prontidão com que o pensamento dos nossos diretores, conselheiros e colaboradores foi transformado em ações bem-sucedidas, sem dúvida, tornam mais prazerosa a comemoração do êxito alcançado. No momento em que somos todos convocados à fraternidade e gestos mútuos de boa vontade, nada mais apropriado que compartilhar o clima festivo que se aproxima, estendendo as mãos aos nossos semelhantes. Feliz Natal e Próspero Ano Novo!

EDSON RAMON PRESIDENTE DA ACP

4


fae

5


PRESIDENTE Edson José Ramon DIRETORIA Sinval Zaidane Lobato Machado - 1° Vice-Presidente José Eduardo de Moraes Sarmento - 2° Vice-Presidente Antônio Miguel Espolador Neto - 3° Vice-Presidente Oriovisto Guimarães - 4° Vice-Presidente Odone Fortes Martins - 5° Vice-Presidente Dalton Zeni Rispoli - 6° Vice-Presidente – 1° secretário João Edison Alves Camargo e Gomes - 7° Vice-Presidente – 2° secretário Edda Deiss de Mello e Silva - 8° Vice-Presidente – 3° secretário Airton Hack - 9° Vice-Presidente - 1° tesoureiro Marcelo Bernardi Andrade - 10° Vice-Presidente – 2° tesoureiro Marco Antonio Peixoto - 11° Vice-Presidente Jean Michel Patrick Tumeu Galiano - 12° Vice-Presidente Ernani Lopes Buchmann - 13° Vice-Presidente Camilo Turmina - 14° Vice-Presidente Luís Antônio Sebben - 15° Vice-Presidente Gláucio Geara - 16° Vice-Presidente Walter Roque Martello - 17° Vice-Presidente Monroe Olsen 18º - Vice-Presidente Jaime Sunye Neto - 19° Vice-Presidente Jorge Carvalho de Oliveira Júnior - 20°Vice-Presidente Benedito Kubrusly Júnior - 21° Vice-Presidente Déborah Regina Wolski Dzierwa - 22° Vice-Presidente Kazuco Akamine Ferraz - 23° Vice-Presidente Carlos Eduardo Guimarães - 24° Vice-Presidente CONSELHO SUPERIOR (Ex-Presidentes) Werner Egon Schrappe (1990/1992) Eduardo Guy de Manuel (1994/1996) Ardisson Naim Akel (1996/1998) Jonel Chede (1998/2000) Marcos Domakoski (2000/2004) Cláudio Gomes Slaviero (2004/2006) Virgílio Moreira Filho (2006/2008) Avani Tortato Slomp Rodrigues (2008/2010) SÓCIO BENEMÉRITO Rui Barreto CONSELHEIROS Abdo Dib Abagge, Áureo Simões, Belmiro Valverde Jobim Castor, Beatriz Sera, Carlos Antônio Gusso, Edmundo Kosters, Fernando Antônio Miranda, Jaime Canet Júnior, Jefferson Nogarolli, João Carlos Ribeiro, João Elisio Ferraz de Campos, Joel Malucelli, Jonel Chede Filho, Jorge Nacli Neto, Leonardo Petrelli Neto, Luis Celso Branco, Luis Alberto de Paula Cesar, Norman de Paula Arruda Filho, Omar Camargo Filho, Omar Rachid Fatuch, Paulo Cruz Pimentel, Paulo Mourão, Pedro Joanir Zonta, Roberto Demeterco, Roberto Fregonese, Rogério Mainardes, Ruy Senff, Sergio Tadeu Monteiro de Almeida e Wilson Ferro Delara CONSELHO DELIBERATIVO André Kompatscher, Arnaldo Miró Rebello, Carlos Eduardo do Nascimento, Claudio Roth, Dionisio Wosniak, Estefano Ulandowski, Eduardo Cristiano Lobo Aichinger, Evaldo Kosters, Gabriel Veiga Ribeiro, Hamilton Pinheiro Franck, Henrique Domakoski, Hélio Ballaroti Júnior, Henrique Lenz Cesar, Izabel Kugler Mendes, Jacques Rigler, José Carlos Infante Bonato, José Eliseu Galva, José Maria Mauad Abujamra, Ludovico Szygalski Junior, Marino Garofani, Maurício Frischmann, Márcia Cardoso, Naim Akel Neto, Niazy Ramos Filho, Paulo Roberto Brunel Rodrigues, Renato Cezar Scarante, Miguel Zattar Filho, Nelson Mozart Weigang Júnior, Teichum Hiramatsu e Walmor Weiss CONSELHO FISCAL Titulares: Oclândio José Sprenger e Ciro Serenato Suplentes: Irene Gobetti Vissoni, Gilberto Deggerone e Wilma Kurth Heussinger CONSELHO EDITORIAL Pedro Chagas Neto – Coordenador Osvaldo Nascimento, Bernadete Zagonel, Luiz Teixeira de Oliveira Jr., Rogério Mainardes, Jean Michel Galiano, Ursula Poli, Anderson de Souza e Airton Hack

A REVISTA DO COMÉRCIO é uma publicação da Associação Comercial do Paraná - ACP. Rua XV de Novembro, 621 80020-310 Curitiba PR 41 3320 2929 Fax 41 3320 2535. _jornalista responsável: Ana Costa MTB 3478/13/59 _colaboração: Karina Magolbo MTB 4207/17/47 _assesssoria de imprensa: Pedro Chagas Neto, Lucian Haro e Ivan Schmidt _projeto gráfico e diagramação: Ideale Design, ideale@idealedesign.com.br _comercialização: Saltori Assessoria Comercial 41 3016-9094, vicente@saltori.com.br _tiragem: 8 mil exemplares _impressão: Serzegraf _Assessoria de Imprensa da Associação Comercial do Paraná - ACP secretária: Darcília Tirapelli 41 3320 2559 acpimprensa@acp.org.br.

6

Os artigos assinados não representam necessariamente a opinião da Associação Comercial do Paraná - ACP.


sicoob

7


ÍNDICE

Capa

em casa

12 Capa

26 Destaque

Somente 50% dos empresários apostam na estabilidade em 2012

Homenagem à competência e profissionalismo de Ana Amélia Cunha Pereira Filizola

40 Vitrine

Compras coletivas: saiba tudo sobre elas e veja se vale a pena

boa ideia

22 Em Casa

SCPC Imobiliário promete segurança ao setor

ACP EM NÚMEROS ACP FAZ MAIS POR VOCÊ EM CASA NOTÍCIAS NO MEU BAIRRO TEM COMÉRCIO 8

44 Onda Vintage

10 16 22 30 36 39

O passado está na moda e gera lucros

VITRINE BOA IDEIA COMPORTAMENTO NA ESTANTE GASTRONOMIA CRÔNICA

40 44 46 48 49 50


NATAL 2011

Natal encantado da ACP

com leque de atrações EVENTOS FESTIVOS VÃO OCORRER NA ÁREA CENTRAL E NOS BAIRROS

O “NATAL ENCANTADO ACP”, que vai acontecer entre os dias

1º e 22 de dezembro, em Curitiba, terá uma série de eventos, com o objetivo de incentivar a circulação de clientes nos estabelecimentos comerciais de rua, além de integrar a programação oficial dos festejos natalinos da Prefeitura e Instituto Municipal de Turismo. A programação foi aberta no primeiro dia de dezembro, às 21h30, com a inauguração da decoração da fachada do prédio da ACP (XV de Novembro, 621), seguinda de apresentação musical de Márcia Kaiser e Paulo Barato. No dia 2, também às 20h30, a “Fábrica de Brinquedos do Papai Noel” abriu a temporada do Auto de Natal, encenado pelo grupo de sombras Karagozwrk e banda de Papais Noéis, num teatro montado na Praça Santos Andrade. Com entrada gratuita, as apresentações se repetirão nos dias 11, 14 a 18, 21 e 22 de dezembro.

_NOS BAIRROS O “Natal Encantado ACP”, não acontecerá só no Centro, um caminhão-palco, adaptado com som, luz e cenografia natalina, percorrerá alguns bairros de Curitiba e Região Metropolitana, levando o Auto de Natal da Família Horn (pais, sete filhos e um neto), que utiliza recursos circenses nas apresentações, nas Ruas da Cidadania e praças centrais, de 30 de novembro a 22 de dezembro. No figurino, os atores destacam os símbolos natalinos, resgatando o folclore e as tradições dos imigrantes europeus que vieram para a região Sul. Cada apresentação dura trinta minutos. A programação comemorativa de Natal é uma iniciativa da Associação Comercial do Paraná, em parceria com a Canal Marketing Promocional, contando com patrocínio exclusivo do Instituto Renault.

_PAPAI NOEL DOS CORREIOS A ACP também participará da 22ª edição da Campanha Papai Noel dos Correios, em ação conjunta com as escolas da rede pública estadual e municipal, com a finalidade de responder e atender as crianças que escrevem ao Papai Noel, especialmente especialmente aquelas em situação de vulnerabilidade social. As cartas já estão enfeitando as árvores de Natal nas portarias da sede da Associação Comercial do Paraná (XV de Novembro, 621 e Presidente Faria,101).

9


ACP EM NÚMEROS

Comércio otimista

com aumento das vendas de Natal SONDAGEM DA ACP MOSTRA QUE ELEVAÇÃO PODERÁ SER DE 10% EM RELAÇÃO A DEZEMBRO DE 2010

10

O CRESCIMENTO MÉDIO DAS VENDAS de Natal deste ano em

relação a 2010 poderá ser de 10%, com pequena evolução sobre a expectativa de outubro, que ficou em 8%. O dado foi revelado pela sondagem encomendada pela Associação Comercial do Paraná (ACP), realizada com base em entrevistas por telefone com 200 empresários do comércio curitibano, nos dias 23 e 24 de novembro. A margem de erro é de 7% e de 95% o grau de confiança, satisfatório para análise. Segundo a amostragem pesquisada, a maioria dos comerciantes (63%) preparou estratégias para incrementar as vendas natalinas. Eles lançaram mão de promoções, liquidações, ofertas e descontos (54%), além de marketing, propaganda e decoração alusiva (31%). A sondagem efetuada pelo Instituto Datacenso, sob a coordenação do economista Claudio Shimoyama, revela que o índice de otimismo dos comerciantes com os resultados do final do ano cresceu nas últimas semanas, tendo em vista a consciência dos consumidores estimulados a comprar. Na verdade, o coordenador da pesquisa, também enfatizou que “a economia é bastante dinâmica, mas a percepção do comerciante sobre as intenções de compra do consumidor está sempre bastante próxima da realidade”. Contudo, mesmo com o otimismo dos comerciantes, a pesquisa mostrou que a maioria (65%) não pretende contratar mão de obra temporária, mantendo o mesmo quadro de empregados existente no mês de outubro. Quanto ao estoque de mercadorias, 61% dos comerciantes fizeram um pequeno aumento em relação a outubro, dos quais 58% estão otimistas quanto ao aumento das vendas em relação ao mesmo período em 2010. Entretanto, o índice dos que não acreditam que as vendas serão maiores caiu de 36% no ano passado para 25% atualmente. Com o pagamento da primeira parcela do 13º salário em novembro e da segunda em dezembro, a economia curitibana contará com um aporte extra de R$ 2 bilhões, contribuindo para a elevação do nível de otimismo dos comerciantes em relação ao aumento das vendas de produtos natalinos. O coordenador da pesquisa também admite que a reduzida taxa de desemprego em Curitiba (3%) e a elevação do salário médio dos trabalhadores em comparação com o ano passado, “são fatores que reforçam a previsão do aumento de 10% nas vendas de Natal”.


optagraf

11


CAPA

o que esperar

de 2012

A CHEGADA DE UM NOVO ANO sempre traz consigo um

12

frisson no que diz respeito às previsões, em todos os campos da vida. Para os comerciantes, a inflação certamente foi sentida em 2011, porém, 50% dos empresários aposta na estabilidade em 2012. Este dado foi divulgado em uma pesquisa da Amcham, em parceria com o Ibope. Segundo este levantamento, a expectativa é que os negócios voltem ao padrão de 2010 (crescimento de 77%), sendo as áreas que mais concentrarão seus investimentos as estratégias comerciais (canais de vendas, promoção e ações), marketing (lançamento de produtos, comunicação, feiras e eventos), RH (contratações, treinamentos e benefícios), bem como inovação, pesquisa, desenvolvimento e tecnologia. Kanitar Aymoré Saboia Cordeiro, economista e professor da Universidade Federal do Paraná, consultor de empresas, diretor da KM Consultores, Árbitro na ARBITAC, Conselheiro do Con-

FINAL DE 2011 TEM EXPECTATIVA POSITIVA PARA OS LOJISTAS, MAS TAMBÉM TRAZ INCERTEZAS PARA O INÍCIO DO ANO NO COMÉRCIO

selho Federal de Economia – COFECON –, afirma que a crise econômica ocorrida em 2008 nos Estados Unidos contaminou as outras economias, ganhando características globais. “Ostentando mega déficit, sua economia começou a parar, envolvendo a União Europeia, a exemplo da Grécia, Irlanda, Portugal, Itália e, hoje, também a Espanha e França, todas igualmente com enormes déficits fiscais. Esta situação exigirá, além do socorro financeiro do FMI e Bancos Centrais, políticas econômicas restritivas que implicarão na redução da produção, renda e consumo destas regiões, inclusive desemprego”, visualiza o economista. No Brasil, os efeitos já foram sentidos no Brasil em 2011 e, segundo Saboia Cordeiro, serão mais acentuados em 2012, em decorrência da redução das importações, com reflexos no mercado interno, somada à adoção de políticas econômicas defensivas que começam a ser praticadas pelo governo brasileiro na tentativa de evitar maior contaminação com a crise externa.


CAPA __

_CAUTELA E POSSIBILIDADES O economista confirma a constatação da redução do consumo interno e a queda na taxa de crescimento da economia brasileira. Para ele, as incertezas trazidas pela crise favorecem a especulação cambial e devem valorizar o dólar em relação ao real. As consequências são claras: aumento dos preços das importações, de insumos, matériasprimas e alimentos; transferência desta variação cambial para os produtos e repasse destes custos ao consumidor e redução de vendas no comércio ao longo de 2012, seja pela variação positiva de preços das mercadorias e serviços, como pelas pressões inflacionárias decorrentes. “No âmbito do agronegócio, deve ocorrer uma retração da demanda por alimentos e matérias-primas, promovendo uma redução no valor dos produtos de exportação, como no volume físico das vendas”, completa Saboia Cordeiro. Mas nem tudo está perdido. “Ao que tudo indica, teremos no Brasil a adoção de políticas anticíclicas em 2012, como forma de compensar os efeitos da crise externa”, prevê o economista, acreditando que os recursos disponibilizados pela União serão aplicados em projetos nos setores da construção civil pesada, como portos, aeroportos, usinas e linhas de transmissão, além de infraestrutura para a Copa do Mundo, rodovidas e saúde, entre outros setores. Para os comerciantes, Saboia Cordeiro dá uma dica preciosa: “é recomendável estar atento, restringindo ou reduzindo suas compras e mantendo o mínimo de estoques”. Isso porque o cenário internacional e interno, de acordo com o economista, deve estreitar as possibilidades de investimento. Porém, ao mesmo tempo abrem-se janelas de oportunidades para melhorias do próprio negócio, com foco no aumento da produtividade, novas formas de organização e parcerias, visando crescimento do lucro e aumento da renda.

_ KANITAR AYMORÉ SABOIA CORDEIRO: “TEMOS FORTE EVIDÊNCIA QUE A CRISE EXTERNA JÁ ESTÁ PRESENTE NA ECONOMIA BRASILEIRA”

EM VIRTUDE DO DINAMISMO DA ECONOMIA ATUAL, É IMPORTANTE SALIENTAR QUE ESTA ENTREVISTA FOI CONCEDIDA À REVISTA DO COMÉRCIO EM NOVEMBRO DE 2011.

_GASTAR OU GUARDAR? Uma economia mais lenta, porém não estagnada, demanda cautelas, principalmente porque os efeitos da crise internacional demorarão ainda um longo tempo para permitir a recuperação plena de todas as economias atingidas. “Isso significa que o Brasil continuará tendo que administrar sua economia, exercitando diferentes instrumentos de política fiscal e monetária como forma de minimizar ou neutralizar seus efeitos”, explica Saboia Cordeiro. Entre estas políticas, como ressalta o economista, está a restrição de crédito pelo Banco Central, reduzindo o capital de giro para pessoas físicas e jurídicas. Portanto, lá vem mais uma dica: “gaste nas coisas essenciais, com cautela e moderação. Guardar ou poupar é recomendável, bem como aplicar em investimentos conservadores”.

13


CAPA

O quadro desenhado na economia brasileira exige muita cautela, pois atingirá diretamente o consumidor, que enfrentará maiores restrições orçamentárias na renda familiar, incluindo a redução da oferta de empregos

A crise externa já está presente na economia brasileira. Verifica-se que o PIB vem apresentando sensível redução, com 7,5% no quarto trimestre de 2010, evoluindo para 3,16% (estimativa Focus) em nov/2011. A projeção mais otimista para 2012 aponta 3,5% *jul 11

14 FONTE

MTE


CAPA

_O COMÉRCIO ELETRÔNICO EM 2012 Se confirmarem as expectativas desse ano, o que parece certo em função dos últimos dados sobre o e-commerce em 2011, o comércio eletrônico brasileiro deverá viver mais um ano de crescimento dentro da taxa histórica de 30% ao ano. Segundo Josiane Osório, Coordenadora e Instrutora do Curso de E-Commerce, consultora no setor, pedagoga e colaboradora em blogs especializados, a tendência do comércio eletrônico para 2012 continua sendo crescimento e, no que diz respeito às plataformas, é de sistemas cada vez mais integrados às mídias sociais e dispositivos móveis. A segmentação será a grande saída para quem trabalha com este mercado. “Há públicos como a terceira idade que estão se adaptando à tecnologia e, consequentemente, comprando em lojas virtuais”, indica Josiane, atentando para o crescimento das classes C e D, que já representam mais de 60% dos consumidores deste tipo de mercado. Para quem pretende inovar ou investir no e-commerce em 2012, a consultora ensina que seriedade, comprometimento e pontualidade são fundamentais. “Ter sempre um número de telefone em destaque e também um endereço de e-mail para contato, além de uma política de trocas e devoluções”, frisa.

Mais de 85% dos internautas mundiais compram pela Internet, mas em 2012 a procura por produtos eletroeletrônicos e artigos de luxo de alto valor agregado tende a cair. As exceções são os televisores de LCD, celulares e tablets

_ JOSIANE OSÓRIO: “QUEM QUISER PERMANECER NO COMÉRCIO ELETRÔNICO, DEVERÁ OFERECER PREÇOS COMPETITIVOS, POIS A FACILIDADE EM CONSULTAR OS COMPARADORES DE VALORES PELA INTERNET SERÁ O MAIOR PROBLEMA”

VEJA A PREVISÃO DE JOSIANE PARA CADA PRODUTO DO E-COMMERCE Social commerce deverá ganhar um novo impulso em 2012. As compras que têm origem no engajamento das redes sociais tenderão a ganhar uma expressão ainda maior e, por isso, é importante que os administradores de e-commerce tenham a visão ampla. F-commerce também chamado de comércio eletrônico por meio do Facebook, deverá apresentar um crescimento expressivo no Brasil em 2012. Novos aplicativos devem chegar ao mercado brasileiro, com custos reduzidos em função da competição. Tablets no e-commerce com o barateamento dos tablets, a tendência é que conquistem uma parcela significativa do e-commerce em pouco tempo. No exterior eles já respondem por uma boa parcela das compras e aqui não será diferente. Outlets virtuais uma das tendências do comércio eletrônico em 2012 é de que as próprias lojas virtuais passem a ter seus outlets para promover grandes liquidações de estoques. Compras coletivas no segmento de compras coletivas, a previsão é um processo de maior profissionalização dos sites já existentes, cada vez mais segmentados e regionalizados. FONTE

www.cursodeecommerce.com.br

15


conquista de bons resultados o sucesso é “ O segredo ednto amigo, um atendim os produtos qualidade nça dos e a confian laboradores e clientes, co s” fornecedore

ASSOCIADOS DESTACAM A IMPORTÂNCIA DA ACP NA RELAÇÃO ENTRE COMERCIANTE, COMERCIÁRIO, CLIENTE E GOVERNO

O, EIROS SILVIA BOIK IKO JOALH RIA DA BO TÁ IE PR O PR

OS MAIORES BENEFÍCIOS de ser associado da

Associação Comercial do Paraná (ACP), segundo os sócios mais antigos da Casa, é a representatividade e as consequências positivas para a empresa. “A conquista de excelentes resultados e as campanhas como a do Centro Vivo são vantagens que não poderíamos ter sozinhos”, diz Silvia Boiko, proprietária da Boiko Joalheiros. Fundada por Chaim Leib Boiko, em 1951, esta é uma empresa que, desde o início, se preocupa com o atendimento individualizado, produtos e serviços de qualidade, sempre focada na confiança e tradição. Para Silvia, ter o selo ACP demonstra que a empresa está atenta ao comércio como um todo, afinal, a ACP representa o segmento perante os poderes Municipal, Estadual e Federal. Hoje a Boiko Joalheiros está na segunda geração, já preparando a terceira geração para administrá-la, procurando sempre manter a tradição de 60 anos, preservando o que foi construído até hoje. “O segredo do sucesso é um atendimento amigo, qualidade nos produtos e a confiança dos clientes, colaboradores e fornecedores”, destaca a empresária. > _ A BOIKO JOALHEIROS JÁ ESTÁ NA SUA SEGUNDA GERAÇÃO, MANTENDO O PRINCÍPIO DO ATENDIMENTO AMIGO

16


certocar

17


> CONQUISTA DE BONS RESULTADOS

BASE DE INFORMAÇÃO Já para Eda Von Der Osten, sócia-gerente da A. Osten & Cia Ltda, a ACP é importante para o comerciante na luta por melhores condições de trabalho. “Em um país onde os encargos tributários e sociais são tão altos, é importante ter um parceiro na busca do crescimento, sem falar na consolidação da relação entre comerciante, comerciário, cliente e governo”, diz Eda. Para ela, a ACP também serve aos empresários como base de informações confiáveis para vendas a prazo, em um país onde este tipo de transação é muito importante. Eda afirma que, durante os últimos anos, o comércio mudou bastante. “A dinamização da economia nos obriga a uma adequação ao mundo virtual, por exemplo, que apresenta renovação diária e constante”, comenta a empresária, frisando que não estar em compasso com esta realidade pode ser o diferencial em relação ao concorrente. Em janeiro de 1950 foi criada a empresa, então com o nome de “Irmãos Von Der Osten”, passando a se chamar, em 1976, “A. Osten & Cia Ltda”. Nascida da persistência e esforço de Alceu Albino Von Der Osten e de seu irmão, Orlando Albino Von Der Osten, passou por muitos percalços até chegar aos dias de hoje. Eda recorda que, naquela época, mesmo diante das dificuldades que o comércio apresentava – estradas de terra e meios de transportes inadequados – via o brilho nos olhos de seu pai quando tinha suas expectativas e perspectivas realizadas no fechamento de um bom negócio, visando também a satisfação do cliente. “Esta lembrança do espírito empreendedor de meu pai e meu tio nos serve de inspiração diária diante das atuais dificuldades do comércio”, finaliza.

ação “ A dinamizia nos da econom a obriga a umao adequação al” mundo virtu , ER OSTEN EDA VON D DA TE EN ER SÓCIA-G & CIA LTDA A. OSTEN

18


prospera lojista CURSOS DA ULC SÃO SUCESSO NA QUALIFICAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO DE EMPRESÁRIOS E FUNCIONÁRIOS

DESENVOLVIDO PARA PREPARAR empresários e funcionários do comércio varejista, de modo a enfrentarem os desafios do mercado, o Prospera Lojista, curso oferecido pela Associação Comercial do Paraná (ACP), por intermédio da Universidade Livre do Comércio (ULC), já apresenta resultados. Lançado em julho de 2011, o Prospera é mais do que um Programa de Qualificação e Aperfeiçoamento do Comércio Lojista, é um produto bem elaborado e que realmente “gera resultados expressivos e práticos”, de acordo com a opinião dos participantes. Para Jéssica Caroline Costa, gerente financeira da Proteção Materiais de Construção, o curso foi excelente. Ela conta que a proprietária da loja, Daniele Mortari, também fez o curso: “eu recomendo. As vendas aumentaram bastante – em média 20% – e também aumentou o movimento na loja, porque houve uma melhora no atendimento”, comenta Jéssica. Já para Eunice Alves Pires Prim, dona da Tele Sete, o curso a ensinou a focar nos pontos fracos e a trabalhar para melhorar sempre. “Neste momento, o financeiro é nosso objetivo, pois precisamos mudar alguns aspectos deste setor, e o pessoal do curso está nos ajudando a melhorar naquilo que estamos com dificuldades”, diz a empresária. >

eles tem “ O link entrdee sucesso, sido o gran os ouvir um e pois podem necessidades, outro, suas flições” anceios e a IM, ERME JARD LUIZ GUILH ARKETING M LL FU A DIRETOR D AVANÇADAS SOLUÇÕES

_ EUNICE ALVES PIRES PRIM: FOCANDO NOS PONTOS FRACOS

_ LUIZ GUILHERME JARDIM: “APÓS O CURSO AS LOJAS PARTICIPANTES RECEBEM O “SELO DE QUALIFICAÇÃO ACP”

19


> PROSPERA LOJISTA

_NOVIDADES O Conselheiro Consultivo da ULC, diretor da Fullmarketing Soluções Avançadas e um dos autores do Projeto, Luiz Guilherme Jardim explica que o curso apresenta algumas novidades que ele considera únicas. “São dois módulos distintos, o ‘Lucrar – Agora eu sei o que fazer’, destinado a proprietários e gerentes do comércio lojista, e o ‘Qualificar – Agora eu sei como fazer’ destinado aos vendedores, colaboradores e áreas administrativas”, comenta, afirmando que, com esta divisão, resolve-se a questão de que quando há um treinamento a ser feito, os proprietários sempre mandam seus colaboradores, sendo que muitas vezes são eles próprios que precisam de reciclagem. “Os dois módulos são distintos e tanto proprietário como os colaboradores são participantes, cada um com seus temas específicos”, frisa. Outro diferencial do curso é a Loja Escola, criada e projetada para que os participantes pratiquem técnicas de atendimento, vendas, negociação, vitrine, organização de espaços e prateleiras, simulando o dia-a-dia de uma loja. Este espaço fica anexo à sala de aula, facilitando a aplicação das técnicas e metodologia empregada no projeto. De acordo com Jardim, após o curso as lojas participantes recebem o “Selo de Qualificação ACP”, criado pela Associação Comercial para que o consumidor identifique o comerciante lojista que apresenta diferenciais na qualidade do atendimento e na gestão de seu negócio. Para conquistar o selo – que fica exposto na vitrine da loja – as empresas associadas à ACP precisam participar do Prospera Lojista. O mais interessante do curso, segundo Jardim, é

“o Prospera é um produto bem elaborado que gera resultados expressivos e práticos” que tanto os donos do negócio como seus colaboradores estão na ULC no mesmo período, apenas em dias diferentes, recebendo treinamento e aprendendo situações práticas e atualizadas. “Desta forma, o “link” entre eles tem sido o grande sucesso, pois podemos ouvir um e outro, suas necessidades, anseios e aflições”, diz o Conselheiro Consultivo, justificando a proposital aproximação e a consequente sintonia entre eles. O resultado disso? É a solução para conflitos existentes, tudo em prol de uma real qualificação e aperfeiçoamento no comércio lojista.

_RECONHECIMENTO OURO, PRATA E BRONZE Os selos “Loja Qualificada 2012” nas versões bronze, prata e ouro, serão concedidos a oito empresas, correspondentes ao número de funcionários que frequentaram as aulas do Prospera Lojista 2011, tendo por base o tamanho do quadro funcional de cada empresa, como reconhecimento de que estão aptas a atuar no mercado. A frequência dos participantes será medida pela participação nos dois cursos do Programa: tanto no “Lucrar”, que é destinado a empresários, quanto no “Qualificar”, que é voltado a funcionários.

20


unimed

21


FELIPE ROSA

EM CASA

SCPC Imobiliário MAIS SEGURANÇA NAS TRANSAÇÕES DE COMPRA, VENDA E ALUGUEL, COM ACESSO FACILITADO ÀS BASES DE DADOS

22

AS EMPRESAS DO RAMO IMOBILIÁRIO contam, agora, com uma nova ferramenta que pode ajudar a diminuir a falta de pagamento nas transações de compra, venda e aluguel de imóveis. É o chamado SCPC Imobiliário, Serviço Central de Proteção ao Crédito específico para compradores, locatários, avalistas e fiadores. A novidade foi lançada oficialmente no Estado, no dia 10 de novembro, por meio de uma parceria firmada entre a Associação Comercial do Paraná (ACP) e o Sindicato de Habitação e Condomínios do Paraná (Secovi-PR). >


EM CASA

“O serviço vai facilitar o acesso informatizado às bases de dados da ACP e do Secovi – PR e, será o primeiro projeto exclusivamente destinado a um segmento em funcionamento no País”, explicou o gerente comercial da ACP, Esdras Leon. Segundo ele, as informações comerciais de restrição de crédito e inadimplência são provenientes de 2.200 entidades brasileiras, espalhadas em 4.100 cidades, e ficarão disponíveis para todo o território nacional. Ainda conforme o gerente, existem hoje 45 milhões de CPFs cadastrados no sistema do SCPC. Levando-se em consideração que há, em média, três restrições ou apontamentos por cadastro de pessoa física, a base dispõe de 150 milhões de informações creditícias, alimentadas principalmente pelos bancos e pelo varejo. De acordo com o presidente da ACP, Edson José Ramon, o compartilhamento desses dados pelas empresas de todo o Brasil vai contribuir para um incremento no setor, que tem grande representatividade na economia local. Segundo Ramon, “o SCPC Imobiliário vai melhorar as operações do segmento, garantindo mais segurança às transações comerciais”. A presidente do Secovi, Liliana Ribas Tavarnaro, afirmou que a parceria entre as entidades para criação do novo serviço vai enriquecer a atuação das imobiliárias no Estado e auxiliar no desenvolvimento dos associados.

FELIPE ROSA

> SCPC IMOBILIÁRIO

_JEAN MICHEL GALIANO: BASE DE DADOS COMERCIAIS EXCLUSIVA PARA O MERCADO IMOBILIÁRIO COMEÇOU HÁ MAIS DE 25 ANOS

IDEIA ANTIGA Conforme revelou o vice-presidente da ACP, Jean Michel Galiano, o trabalho de criação de uma base de dados comerciais exclusiva para o mercado imobiliário começou há mais de 25 anos, quando os primeiros locatários faziam o controle dos inadimplentes por meio de fichinhas de papel. Com isso, segundo ele, a classe já conseguiu inibir a atuação dos chamados “fiadores profissionais”, pessoas que usam documentos falsos, roubados ou clonados para comprovar sua suposta idoneidade como fiador. Já segundo o vice-presidente de planejamento do SecoviPR, Luiz Carlos Borges da Silva, o serviço ainda está em fase de aprimoramento e está aberto para as alterações que forem necessárias. Ele revelou que a plataforma é pioneira por oferecer uma consulta de crédito totalmente automatizada e fez um apelo aos empresários: “de nada adiantará a criação dessa base, se vocês não aderirem e nos ajudarem a formar esse cadastro”.

_SCPC IMOBILIÁRIO IRÁ GARANTIR SEGURANÇA A ESTE NICHO DE MERCADO

23


EM CASA

Presidente da ACP destaca

consolidação da Arbitac FELIPE ROSA

MEDIAÇÃO E ARBITRAGEM AJUDAM A SOLUCIONAR CONFLITOS

_ RAMON: “ESTÁ CONSOLIDADA A IMPORTÂNCIA DESSE INSTRUMENTO NA SOLUÇÃO DE CONFLITOS COMERCIAIS”

O PRESIDENTE Edson José Ramon reiterou, durante o ato

de comemoração dos 15 anos da Câmara de Mediação e Arbitragem (Arbitac), no último dia 21, que “pela experiência acumulada, está plenamente consolidada a importância desse instrumento na solução de conflitos comerciais”, salientando também a colaboração efetiva “para desafogar o tão sobrecarregado Poder Judiciário”. Ele agradeceu a presença do ex-vice-presidente da República, Marco Maciel, a ele se referindo como “político da mais alta estirpe, que sempre foi um exemplo e um baluarte da ética, valor tão escasso em nosso País de hoje”. “Por tudo isso, enfatizou, a Arbitac é uma das mais bem-sucedidas criações da ACP. Se ela alcançou a relevância que hoje desfruta, foi graças ao trabalho conjunto dos que acreditaram no seu potencial”, encerrou. Por sua vez, José Eduardo Sarmento, coordenador-geral da Arbitac e vice-presidente da ACP agradeceu o esforço de todos os que colaboraram para o fortalecimento da Arbitac, atualmente presidida por Jonny Paulo da Silva.

DEMOCRACIA PARTICIPATIVA O ex-vice-presidente Marco Maciel lembrou os 15 anos de vigência da lei, ressaltando que a mesma foi baseada nos princípios da democracia participativa, e “os resultados verificados no campo da mediação e arbitragem são extremamente significativos e mostram o acerto da criação da Arbitac”. O advogado João Bosco Lee acrescentou que a arbitragem no Brasil, mesmo com as dificuldades que está enfrentando atualmente “é um sucesso e tem futuro”.

24 _ MACIEL: “OS RESULTADOS VERIFICADOS NO CAMPO DA MEDIAÇÃO E ARBITRAGEM SÃO EXTREMAMENTE SIGNIFICATIVOS”


alter data

25


EM CASA

Destaque

Empresarial 2011 COMPETÊNCIA PROFISSIONAL E PESSOAL EM EVIDÊNCIA NA COMUNICAÇÃO DO PARANÁ

FELIPE ROSA

A JORNALISTA ANA AMÉLIA Cunha Pereira Filizo-

_ JORNALISTA RECEBE TROFÉU DAS MÃOS DO PRESIDENTE DA ACP, EDSON RAMON, E DA COORDENADORA DO CME, KAZUCO AKAMINE FERRAZ

26

la, vice-presidente do Grupo Paranaense de Comunicação (GRPCom) foi a escolhida para receber o troféu Destaque Empresarial 2011, oferecido pela Associação Comercial do Paraná (ACP), por meio de seu Conselho da Mulher Executiva (CME). O prêmio homenageia a “empresária do ano”, que conquistou evidência no seu ramo de atuação. Na cerimônia, o presidente da ACP, Edson Ramon, lembrou que a homenageada segue empunhando as bandeiras do Paraná e dando continuidade ao trabalho de seu pai, o jornalista Francisco Cunha Pereira. “Ana Amélia foi escolhida por sua competência profissional e pessoal e porque soube enaltecer os valores do nosso Estado durante o ano de 2011”, disse ele. A coordenadora do CME, Kazuco Akamine, ressaltou a dedicação de Ana Amélia em sua rotina de trabalho e mostrou como a vice-presidente do GRPCom tem a estima e a admiração dos colaboradores da empresa que dirige. “Ela tem uma vida monástica, sempre trabalhou nos mesmos horários que todos os seus funcionários. Por isso, goza da admiração de seus subordinados”, declarou Kazuco, que completou: “ Ana Amélia traz dentro de si uma humildade e bondade dignas de uma sacerdotisa”. Em seu discurso, a jornalista agradeceu a homenagem e disse dedicar o prêmio a todas as mulheres que trabalham no GRPCom. Segundo Ana Amélia, o jornal Gazeta do Povo e a ACP são “duas senhoras parceiras de luta” que venceram muitas causas em benefício do Paraná. “Mas as batalhas ainda não acabaram, e vocês podem contar com o GRPCom”, acrescentou ela.


EM CASA

ACP entrega documento à ministra da Justiça do Trabalho ná (ACP), Edson José Ramon, entregou à ministra Delaíde Miranda Arantes, do Tribunal Superior do Trabalho (TST), no último dia 23, um documento ressaltando que “70% do alto índice de mortalidade das micro e pequenas empresas do País decorre da condenação que sofrem nas ações trabalhistas propostas por ex-empregados, na maioria das vezes resultantes do não cumprimento de meras obrigações burocráticas”. O evento contou com a participação de Edson Luis Campanholo, presidente da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), empresários do comércio, membros da Justiça do Trabalho e demais convidados da ACP. Filha de agricultores, nascida em Pontalina (Goiás), Delaíde concluiu o curso de Direito aos 27 anos e, depois de longa carreira profissional, chegou ao TST como representante do quinto constitucional dos advogados, nomeada pela presidente Dilma Rousseff no dia 1º de março desse ano. Falando aos empresários e demais convidados da ACP, a ministra Delaíde Arantes, que é casada com o ex-deputado federal Aldo Arantes, também defendeu o “estreitamento do diálogo dos tribunais superiores com as entidades empresariais”, afirmando que será portadora do documento para o presidente do TST, ministro João Oreste Dalazen, um gaúcho que fez carreira no Paraná. Ela relatou que ao assumir o cargo recebeu o gabinete com 11 mil processos, dos quais despacha uma média de 600 por mês. Segundo a ministra, “a relação capital e trabalho desperta a atenção de todos, incluindo a Justiça do Trabalho, exigindo muita responsabilidade na ação de julgar, daí a necessidade do julgador ter informações constantes sobre as preocupações da classe empresarial”. Como exemplo de seu procedimento como magistrada, a ministra Delaíde Arantes declarou que nas reuniões com a assessoria sempre adverte “que por trás dos 11 mil processos estão 11 mil vidas, daí o extremo cuidado para evitar falências, quebras e interrupção das atividades, especialmente de micro e pequenos empresários”. No encerramento do encontro, o presidente Edson José Ramon presenteou a ministra com livros sobre os recursos naturais paranaenses, o acervo artístico da instituição e aspectos culturais de Curitiba.

O alto índice de mortalidade das micro e pequenas empresas decorre da condenação que sofrem nas ações trabalhistas, na maioria das vezes resultantes do não cumprimento de meras obrigações burocráticas

FELIPE ROSA

O PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO Comercial do Para-

_ MINISTRA DO TST RECEBE DOCUMENTO DAS MÃOS DO PRESIDENTE EDSON RAMON

27


EM CASA

Consumidor paga as dívidas: depois vai às compras CRISE ECONÔMICA E CRÉDITO MAIS CURTO MUDAM COMPORTAMENTO: PRESENTES NATALINOS MAIS MODESTOS

OS GASTOS COM AS FESTAS de final de ano e a

28

compra de presentes ficarão em segundo plano no uso do 13º salário dos curitibanos, conforme revela uma pesquisa do Instituto Datacenso encomendada pela Associação Comercial do Paraná (ACP). A maioria dos consumidores irá pagar primeiro suas contas para depois voltar a comprar. O levantamento ouviu uma amostra de 1.020 pessoas que consultaram o Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC) na Central de Atendimento da ACP, durante o mês de outubro. Destes, 90% deles tinham alguma restrição no CPF. Embora ainda seja grande o número de endividados, o índice de inadimplência diminui pela segunda vez no ano, em outubro, depois de sofrer alta consecutiva desde julho. Em setembro, o nível de inadimplência chegou ao pico de 12%, mas caiu para 9% no mês passado. No universo de pessoas entrevistadas há um equilíbrio entre homens (49%) e mulheres (51%), com idade entre 21 e 40 anos (63%), e renda familiar de até três salários mínimos (66%). Os principais fatores geradores de inadimplência, nesses casos, foram: o descontrole de gastos (24%), a perda do emprego (22%) e o empréstimo do nome (15%). A maioria afirmou que pretende quitar os débitos com o salário e cortando os gastos desnecessários (55%), enquanto 19% usarão recursos como o 13º e o dinheiro das férias. Segundo o consultor econômico da ACP, Cláudio Shimoyama, a principal intenção do consumidor é tentar quitar a dívida o mais rápido possível, para ter tempo de aproveitar as promoções de final de ano. “Podese afirmar que a maioria dos inadimplentes vai pagar suas dívidas antes do Natal”, disse ele. O comportamento do consumidor curitibano em meio à crise financeira também mudou. O valor médio da

_ SHIMOYAMA: “PODE-SE AFIRMAR QUE A MAIORIA DOS INADIMPLENTES VAI PAGAR SUAS DÍVIDAS ANTES DO NATAL”

compra neste Natal será cerca de 50% menor que o do ano passado, confirmando as expectativas da ACP, que vem percebendo redução na intenção de gastos desde outubro e prevê um Natal de consumo mais modesto em 2011. Outro fator que aponta cautela no comportamento dos consumidores é a redução das compras parceladas e operações com o cartão de crédito. Em outubro, o pagamento à vista, em dinheiro, foi a forma preferida pelos curitibanos.


anĂşncio

29


notícias

15 ANOS DOS JOVENS EMPRESÁRIOS bases sólidas para disseminar a cultura do associativismo nas mais diversas atividades comerciais, buscando sempre melhorar as condições fiscais do País para os micro e pequenos empreendedores”, disse. Participaram do evento, também, alguns dos ex-coordenadores do CJE, entre eles: Alexandre Caiado (1996-1998), Jorge José Domingos Neto (1998-2000), Cláudia Lubi (2000-2002) e Cristian Ney Gomes (2008-2010). A noite de comemoração foi seguida de um bate-papo com o empresário Rodrigo Miranda, dono da rede de fast-food curitibana “Vininha”, além de um pocket show do músico Elton Mazera e uma apresentação de stand up comedy com o humorista Rodolfo Pereira.

FELIPE ROSA

“É importante que os jovens se interessem em empreender. Eles são a esperança da geração de ideias inovadoras nas empresas, pautadas pela ética e pela moral”. Essas foram as palavras do presidente da Associação Comercial do Paraná (ACP), Edson José Ramon, que abriram as festividades em comemoração aos 15 anos do Conselho de Jovens Empresários (CJE) da Casa, celebrados no último dia 17. Ainda segundo o presidente, mais do que comemorar 15 anos, a atuação do Conselho junto à sociedade curitibana mostra que a ACP consegue aliar tradição ao novo, na defesa das causas sociais e representativas de classe. Nas palavras do atual coordenador do CJE, Monroe Olsen, “nesses 15 anos de história, o Conselho conseguiu construir

30


FOTOS: FELIPE ROSA

notícias

MOVIMENTO PRÓ-UFPR

EMPRESA AMIGA DA EDUCAÇÃO

As atividades do Movimento Pró-UFPR, que entre outros direcionamentos visa restaurar e revitalizar o prédio histórico da Universidade Federal do Paraná, na Praça Santos Andrade, em Curitiba, foram retomadas no último dia 10, durante um café da manhã na Federação do Comércio do Paraná (Fecomércio). O evento serviu, também, para apresentar às entidades patrocinadoras do movimento o plano de mídia do projeto. O movimento é formado por ex-alunos e ex-professores da Universidade, com o intuito de sensibilizar a comunidade para apoiar os projetos especiais da UFPR. É este o anseio que os eventos realizados pelo Movimento buscam despertar. A expectativa é envolver diversos voluntários, sejam estudantes, professores, técnicos e aposentados da instituição, integrantes das associações de classe e de organizações públicas e privadas, além da sociedade em geral. Todos podem contribuir financeiramente para a concretização dos projetos que incluem ensino, pesquisa e extensão.

O presidente Edson José Ramon recebeu a placa de “Empresa Amiga da Educação” das mãos do empresário Guilherme Cunha Pereira, vice-presidente do GRPCom, durante reunião com o prefeito Luciano Ducci, para formalizar a ampliação do projeto Ler e Pensar, realizado pelo referido grupo de comunicação. A ACP é uma das parceiras do projeto. O Ler e Pensar será estendido a mais 77 escolas da rede municipal de ensino, facilitando aos estudantes o acesso diário à Gazeta do Povo e formação de novos leitores, além da utilização de matérias e reportagens nas tarefas escolares. O Ler e Pensar, lançado há 12 anos, está presente em 166 das 179 escolas da capital. Segundo Edson José Ramon, “o objetivo da ACP é estar presente no que é de maior interesse para a comunidade, o desenvolvimento dos valores humanos e a promoção do homem”.

XXI CONVENÇÃO DA FACIAP Com o objetivo de participar das principais discussões sobre associativismo e o papel das entidades representativas de classe como agentes de desenvolvimento da economia do Estado, a Associação Comercial do Paraná esteve presente nos três dias da XXI Convenção Anual da Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado do Paraná (Faciap), realizada em Foz do Iguaçu.

O encontro reuniu empresários, comerciantes e membros das Associações Comerciais e Empresarias de todo o Paraná, para discutir temas como Sociedades e Garantia de Crédito (SGC), cooperativismo de crédito, questões legais de interesse do comércio, sustentabilidade e estratégias para a fixação da renda local. Além de participar das mesas redondas e painéis do evento, a ACP montou uma tenda para divulgação dos serviços da entidade durante os dias de feira.

31


FOTOS: FELIPE ROSA

notícias

SÉRGIO SOUZA NA ACP

32

O senador paranaense Sérgio Souza, (PMDB), esteve na Associação Comercial do Paraná (ACP), no início do mês de novembro, para participar de uma reunião do Conselho Político. Durante o encontro, o parlamentar falou de assuntos de interesse do Estado, como a instalação do Tribunal Regional Federal (TRF), regime tributário do Simples Nacional e incentivos públicos ao esporte paranaense. O presidente da ACP, Edson José Ramon, acolheu o senador afirmando que a entidade se preocupa, desde sua fundação, com a defesa das causas paranistas. Segundo ele, “Sérgio Souza vem se destacando no Senado Federal por sua simplicidade e pragmatismo e a ACP estará sempre aberta para colaborar com a construção de um tempo de ética e virtude para a sociedade paranaense.” Agradecendo a hospitalidade e recepção, o parlamentar afirmou ter assumido um grande desafio ao comparecer na entidade, por se tratar de uma instituição que representa não apenas o comércio, mas também os interesses do Paraná como um todo. Sérgio Souza afirmou, ainda, que deseja ser pautado pelos paranaenses em seu mandato, na intenção de contribuir, principalmente, para o desenvolvimento do Estado.

ACADÊMICO HONORÁRIO DA ACCUR O presidente Edson José Ramon foi homenageado no começo do mês de novembro, com o título de acadêmico honorário da Academia de Cultura de Curitiba (Accur), que também concedeu a mesma honraria ao presidente da seccional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-PR), José Lúcio Glomb. A Accur é presidida pelo acadêmico João Darci Ruggeri, que na solenidade realizada na ACP, entregou ao prefeito Luciano Ducci a Honorífica Ordem da Cultura, em reconhecimento aos bons serviços da municipalidade em apoio às manifestações artísticas e culturais em Curitiba. O evento foi prestigiado pelo vice-governador e secretário da Educação, Flávio Arns, e a presidente da Fundação Cultural de Curitiba, Regina Storelli. Foram empossados como acadêmicos efetivos Aníbal Andraus Neto, Celso Coppio, Elvo Benito Damo, Maiviles Amaro da Silva, Maria Ângela Tassi Simões Teixeira, Maria Helena Saparolli, Sérgio Luiz Benghi, Rita Camargo Caldas e Regina Casillo. Ao agradecer a homenagem, o presidente Edson Ramon revelou que “na verdade, quem merece a distinção é a própria Associação Comercial do Paraná, que desde sua fundação em 1890, sempre lutou pela valorização e preservação da cultura de nossa gente”.


notícias

BLITZ ACP

CENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES O presidente da Associação Comercial do Paraná (ACP), Edson José Ramon, propôs no último dia 23 a Roni Anderson Barbosa, presidente da CUT-PR, “a realização de um trabalho conjunto das duas instituições contra as elevadas taxas de juros, prejudiciais tanto aos trabalhadores quanto ao setor produtivo da economia”. A proposta foi apresentada durante o debate sobre temas de interesse comum entre empresários e trabalhadores, organizado pelo Conselho Político da entidade, que discutiu com o presidente da CUT-PR temas pontuais como distribuição de renda, queda dos juros, combate à corrupção, melhoria dos serviços públicos, desoneração da folha de pagamento e Previdência Social, entre outros. O presidente da CUT-PR lembrou que a reforma previdenciária e das leis trabalhistas são necessárias, mas “não podem mexer nos direitos dos trabalhadores”, acentuando com bom humor que “se isso acontecer, como sempre dizemos, o pau vai quebrar”. Contudo, assegurou aos presentes que a orientação que prevalece atualmente na executiva da central sindical “é a participação ativa para a transformação do Brasil num país desenvolvido”.

Comerciantes, empresários e profissionais liberais dos bairros de Curitiba podem se associar à ACP, agora, sem sair de onde trabalham. Desde outubro a entidade tem realizado, em parceria com as Associações Comerciais de Bairros, uma série de blitzes para divulgar as vantagens de ser um associado da entidade. Além de agentes treinados “batendo porta em porta” para apresentar os serviços da entidade, uma barraca de informações comerciais é montada para atender os interessados. As filiações realizadas nos períodos de campanha garantem aos novos associados um benefício especial: nos três primeiros meses, o valor das mensalidades será convertido em consultas aos serviços de proteção ao crédito e/ou registros de CPFs inadimplentes no banco de dados da entidade. Os consumidores também podem, durante as ações, consultar seu nome no banco de dados do Serviço Central de Proteção de Crédito (SCPC) da ACP. No encerramento das blitzes, que já foram realizadas nos bairros Sítio Cercado, Bigorrilho e Campina do Siqueira, a ACP promove uma palestra com Ernani Buchmann, um dos publicitários mais premiados do Paraná, que fala sobre “Como a comunicação pode ajudar a sua empresa a vender mais”.

33


FOTOS: FELIPE ROSA

notícias

ANTIPICHAÇÃO O presidente da ACP, Edson José Ramon, enviou correspondência apoiando a iniciativa do deputado estadual Ney Leprevost (PSD) em apresentar projeto de lei sobre a “Prevenção e Punição a Atos de Pichação” nos bens públicos e particulares no âmbito do Estado do Paraná. Pela mensagem, a ACP coloca-se à disposição para colaborar com os trabalhos por meio do Centro Vivo, projeto criado em 2004 que visa garantir o desenvolvimento da área central de Curitiba, direcionando esforços para a sua transformação em um ambiente integrado, seguro, agradável e de fácil acesso. Edson Ramon declarou que a ACP “tem buscado desenvolver ações que resultem na solução deste problema que é cada vez mais recorrente e preocupante para toda a comunidade”. O Projeto de Lei tramita na Assembleia Legislativa desde o dia 10/10/2011 e pode ser acompanhado pelo Portal da Transparência no site www.alep.pr.gov.br.

34 34

ACP RECEBE PRESIDENTE DA CONAJE O presidente da Confederação Nacional dos Jovens Empresários (Conaje), Marduk Duarte, esteve na ACP, recentemente, para participar de uma reunião e acompanhar de perto a atuação do Conselho de Jovens Empresários (CJE) da Casa. Segundo ele, o Paraná tem grande representatividade no cenário empresarial brasileiro e é um dos estados mais atuantes em mobilizações encabeçadas por jovens empreendedores. O encontro serviu, também, para planejar as próximas ações da luta pela redução da carga tributária brasileira, uma das principais bandeiras levantadas pelo movimento, além de somar esforços para a realização de novos projetos em prol dos pequenos empresários em início de carreira. O vice-presidente da Casa e coordenador do Conselho Político da ACP, Marco Antonio Peixoto, aproveitou a oportunidade para entregar a Duarte uma cópia do documento “O Brasil que Queremos”, projeto criado pela entidade a fim de disseminar nacionalmente os princípios defendidos pelo Movimento “O Paraná que Queremos”, outra iniciativa lançada no Estado para combater irregularidades na Assembleia Legislativa. Segundo Peixoto, “o documento funciona como uma manifestação contra a corrupção e compõe reivindicações diante de acontecimentos públicos”.


notícias

OPERAÇÃO CONSORCIADA

ACP, FIEP E OCEPAR NA TV SINAL Foi assinado no último dia 17, no gabinete do presidente da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), deputado Valdir Rossoni (PSDB), o convênio de cooperação entre a instituição, Associação Comercial do Paraná (ACP), Federação das Indústrias do Paraná (Fiep) e Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar), visando a edição de um programa semanal – Paraná Empreendedor — a ser transmitido pela TV Sinal, às segundasfeiras, no início da noite. Além do presidente da Alep, assinaram o convênio os presidentes Edson José Ramon (ACP), João Paulo Koslowski (Ocepar) e Edson Luis Campanholo (Fiep). O documento foi também firmado pelo deputado Plauto Miró Guimarães, primeiro-secretário da Alep, para quem “o ato simboliza o reconhecimento da sociedade às mudanças ocorridas na Assembleia Legislativa, pois as mesmas entidades de classe que há algum tempo exigiam, em praça pública, a correção dos rumos, hoje se associam conosco para mostrar a pujança da economia paranaense”. Rossoni definiu “o momento histórico vivido pela Alep”, lembrando a abertura da Casa em direção à sociedade, que “além das informações sobre a atividade legislativa veiculadas pela TV Sinal, a partir de agora estará abrindo espaço para a ação empresarial, numa iniciativa inédita no País”. Por sua vez, o presidente da ACP, Edson José Ramon, salientou que a assinatura do convênio pelas entidades de classe com a Alep “representa um depósito de confiança do empresariado no trabalho realizado pelos novos dirigentes da Casa”.

A secretária Municipal de Urbanismo de Curitiba, Suely Hass, e o administrador da Regional Matriz, Luiz Hayakawa, apresentaram na Associação Comercial do Paraná (ACP), a Operação Urbana Consorciada Linha Verde. O projeto prevê intervenções no eixo da Linha Verde, desde o Contorno Sul até o Atuba, que irão mudar o perfil urbano da região. Os investimentos serão feitos pela Prefeitura com recursos provenientes do lançamento da venda de Certificados de Potencial Adicional de Construção (Cepacs) lançados nas na Bolsa de Valores. “Após a lei ser aprovada na Câmara de Vereadores, o Ippuc é que fará os projetos urbanísticos ao longo do novo eixo de desenvolvimento da Linha Verde. Esse é um projeto que vai ajudar muito na requalificação de uma importante área da cidade”, disse a secretária de Urbanismo, Suely Hass. A projeção de investimentos para a Linha Verde com a captação de recursos da venda dos Certificados de Potencial Adicional de Construção (Cepacs) é de R$ 1,5 bilhão. “Os Cepacs serão emitidos na Bolsa de Valores e os recursos gerados pela negociação dos títulos aplicados diretamente em infraestrutura na área de abrangência do eixo de desenvolvimento”, disse o administrador da Matriz, Luiz Hayakawa.A área definida para receber os  investimentos envolve 22 bairros ao longo da Linha Verde: Atuba, Tingui , Bairro Alto, Bacacheri, Jardim Social, Tarumã, Capão da Imbuia, Cristo Rei, Jardim Botânico, Cajuru, Jardim das Américas, Prado Velho, Guabirotuba, Parolin, Hauer, Fanny, Novo Mundo, Xaxim, Capão Raso, Pinheirinho, Tatuquara e CIC.  

35


NO MEU BAIRRO TEM

orçamento municipal e cautela para o Natal OS COMERCIANTES ESTÃO COM UM PÉ ATRÁS, MAS OTIMISTAS EM RELAÇÃO ÀS VENDAS DE FIM DE ANO

s que as o m e b e c r Pe s d a Le i audiêncinatária Anual Orçameaminho legal são o c cançar nossas p a ra a l i c a ç õ e s” re i v i n d

NETTO BUENO ABICAM E PAULO E A D E T N ELHO D E PRESID EIRO DO CONS IVO DA ACP V LH E IO S C N R É O C M S D O CO BAIRRO

CARLOS RUGGI/IPPUC

TALVEZ VOCÊ AINDA NÃO SAIBA, mas a população curitiba-

36

_ PAULO BUENO NETTO: EXISTE UM CAMINHO LEGAL PARA AS REIVINDICAÇÕES

na pode e deve participar da escolha dos investimentos da Prefeitura de Curitiba. Todos os anos, atendendo a Lei Federal, a Prefeitura realiza duas audiências públicas para determinar as Diretrizes do Orçamento, a chamada Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). Já as audiências da Lei Orçamentária Anual (LOA) são para especificar exatamente onde e no que os recursos serão aplicados. De olho nesta oportunidade, a Associação de Moradores e Empresários do Bigorrilho e Campina do Siqueira (ABICAM), presidida pelo conselheiro do Conselho de Bairros Comércio Vivo da ACP, Paulo Bueno Netto, é pioneira na participação das audiências. “Percebemos que este é o caminho legal para alcançar nossas reivindicações. As conquistas que temos hoje são em função destas audiências. Quem fugir disso não consegue muita coisa, só verba para manutenção”, explica Bueno Netto. Parceira da Associação Comercial do Paraná no Conselho de Bairros Comércio Vivo, a ABICAM é uma das nove associações comerciais que fazem parte deste projeto da ACP, abrangendo 18 bairros de Curitiba. “O Conselho detectou que era preciso encontrar um mecanismo legal de busca das reivindicações do bairro e a ABICam se tornou parceira da ACP em passar esse conhecimento”, comenta o conselheiro, frisando que hoje outras associações de bairro já estão participando das audiências. E Bueno Netto avisa: “nossa meta é participar das audiências orçamentárias do Estado”. E vale o esforço de participar? De acordo com o conselheiro, a participação nas audiências permite encontrar soluções para os problemas do bairro de forma prática. Porém, como tudo, há muito para melhorar, principalmente no que diz respeito ao retorno para o cidadão. “Muitas vezes o povo pede, faz suas reivindicações e fica sem resposta. O poder público deveria responder para o cidadão porque vai ou porque não vai atender à sua solicitação”, diz Bueno Netto, de maneira a nunca deixar uma proposição sem resposta. Bem, 2012 está chegando e, quem sabe, mudanças ainda possam ocorrer. >


vaquinha

37


NO MEU BAIRRO TEM > ORÇAMENTO MUNICIPAL E CAUTELA

_O NATAL VEM AÍ! E estas mudanças já estão sendo esperadas pelos comerciantes dos bairros São Braz e Orleans ainda este ano, ainda que a sondagem encomendada pela Associação Comercial do Paraná ao Instituto Datacenso mostre que o otimismo do comércio caiu bastante nos últimos meses. A expectativa de crescimento estava em 14%, mas este número agora caiu para 8%. Porém, para o presidente da Associação Empresarial São Braz e Orleans (AESBO), Roberto Carlos de Lima, Conselheiro do Conselho de Bairros do Comércio Vivo da ACP, é preciso ser otimista: “ainda contamos com um aumento de 20% nas vendas em relação ao Natal do ano passado”, diz. De acordo com Lima, o comerciante precisa inovar para chamar atenção dos consumidores. Ele afirma que, quando um empresário vai reclamar com ele, a dica é sempre inovação e criatividade: “ofereça um produto diferenciado, melhore o atendimento e surpreenda seu cliente. Só assim você conseguirá melhorar as vendas”, afirma. O consumidor sempre está à procura de um ótimo atendimento, produto de qualidade e bom preço. “O empresário precisa focar no atendimento, fazer um pósvenda, ligar para o cliente e saber se ele foi bem atendido e encontrou tudo o que precisava”, explica o Conselheiro. Outro ponto importante que traduz o otimismo de Lima e dos comerciantes do local é a revitalização da Avenida Toaldo Túlio, que não só deixou a rua mais bonita e iluminada, mas também trouxe uma renovação para os ânimos: “com novas calçadas e ciclovia, muitos moradores passaram a fazer caminhadas no próprio bairro no final do dia. Isso é mais uma oportunidade para os comerciantes, que só precisam permanecer abertos até um pouco mais tarde”, comenta.

_ ROBERTO CARLOS DE LIMA: EXPECTATIVA DE AUMENTO DE 20% NAS VENDAS PARA O NATAL

Para 2012, a AESBO está com vários planos, entre eles o Cartão Fidelidade para as empresas do bairro, estimulando os compradores. “Também há um estudo na ACP para implantar o Estacionamento Regulamentado - Estar - em alguns pontos da Toaldo Túlio”, diz o conselheiro, completando que é preciso conscientizar comerciantes e funcionários, pois muitos vêm de carro e o colocam em frente à loja: “daí o cliente fica sem opção e vai consumir em outro lugar”. Outro plano de Lima é melhorar a poluição visual dos dois bairros, de forma a deixar a comunicação mais clara.

_PARTICIPE VOCÊ TAMBÉM! Todo cidadão pode dar sua opinião. Basta entrar no portal da Prefeitura de Curitiba (www. curitiba.pr.gov.br) e clicar no anúncio da Lei Orçamentária Anual. As áreas de investimentos mais votadas e as sugestões de obras e serviços indicadas pelos cidadãos serão priorizadas na elaboração do orçamento. A população também pode participar enviando sugestões pelo telefone 156, que funciona 24 horas. A elaboração da proposta da Lei Orçamentária Anual (LOA) é a segunda fase do programa Orçamento Cidadão, da Prefeitura de Curitiba. Nesta fase, os curitibanos podem escolher de forma mais detalhada quais serão os investimentos do município em cada bairro, com a possibilidade de sugerir até mesmo a localização das obras. A apresentação da proposta da LOA de 2012 já foi feita no dia 27 de setembro, em audiência pública, no Memorial de Curitiba. No dia 30 do mesmo mês, o Secretário Municipal de Finanças, João Luiz Marcon, entregou proposta da Lei Orçamentária Anual à Câmara de Vereadores, prevendo investimentos de R$ 5,1 bilhões, valor 9,7% maior que o orçamento de 2011, que foi de R$ 4,66 bilhões.

38

FONTE

SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DA PREFEITURA DE CURITIBA


COMÉRCIO

padarias delivery APOSTAM NO SERVIÇO DE ENTREGA EM DOMICÍLIO PARA GANHAR MERCADO E AUMENTAR A FONTE DE RECEITA DO SEGMENTO SEGUNDO A ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA das Indústrias de Alimentação (Abia), somente em 2010 o segmento de comida fora do lar, também chamado de “food service” faturou R$ 75,1 bilhões, representando 35% do faturamento das padarias. Isso porque, atentas ao crescimento da demanda do serviço de entrega, as panificadoras brasileiras têm investido cada vez mais neste mercado, fazendo com que o segmento entre na disputa pela preferência do consumidor. O momento é muito favorável para o setor, a confirmação da Associação Brasileira da Indústria de Panificação e Confeitaria (Abip), demonstrando isso pelos números de 2010, ano em que o faturamento do segmento chegou a R$ 56,3 bilhões, 13,7% a mais que em 2009. “No conceito de padaria gourmet, há um atendimento diferenciado e uma especialização maior. Na prática, isso significa vender produtos de conveniência e aproveitar a circulação de pessoas em diversos períodos”, afirma Alexandre Pereira, presidente da Abip. Todos os dias são atendidos mais de 42 milhões de consumidores nas 63,2 mil padarias brasileiras.

Os produtos mais solicitados via delivery em Curitiba são bolos, salgados e sanduíches de metro. A qualidade e a pontualidade são itens fundamentais para fidelizar o cliente.

los adaptados – porque o produto tem que chegar intacto e fresquinho para o cliente – para levar as encomendas e equipe para atendimento via telefone. A otimização do delivery também se dá no planejamento dos trajetos e nas embalagens especiais. Em Curitiba, algumas panificadoras já oferecem este serviço, como a Cravo & Canela, que atua na cidade desde 1986 e, hoje, possui duas unidades. Fábio Freitas, gerente da filial Bom Retiro conta que não houve necessidade de fazer nenhuma modificação na estrutura da panificadora, pois o movimento ainda não é grande. “O maior investimento que fizemos foi no carro para entrega, que requer modificações para levar as encomendas com segurança, de modo a prestar um bom atendimento ao cliente”, afirma. Para valer a pena, a panificadora atende somente quando o pedido atinge o valor mínimo de R$ 70,00, fora a taxa de entrega, que não é cobrada para os bairros da filial e da matriz da loja: Bom Retiro e Mercês.

_ FÁBIO FREITAS: “OS CLIENTES QUE PROCURAM PELO DELIVERY SÃO OS QUE BUSCAM E PREZAM PELA COMODIDADE”

RETORNO GARANTIDO Levando em conta que o serviço delivery já representa 40% do faturamento de algumas panificadoras, o investimento que é necessário para esta novidade vale a pena. Para ofertar este diferencial, a empresa precisa de motoristas, frota com veícu-

39


VITRINE

a hora e a vez dos sites de

compras coletivas A TENDÊNCIA DE SE CONSUMIR PELA INTERNET FOI UMA VERDADEIRA FEBRE NO ANO PASSADO

O QUE MAIS CHAMA ATENÇÃO são as ações de

40

marketing direcionado, associadas a produtos de qualidade e preços inferiores aos convencional. Mesmo que a expansão deste tipo de e-commerce continue a passos largos – pois estimula a compra por impulso –, o empresário que o oferta já está repensando as vantagens deste comércio, principalmente pela diminuição do lucro. Raphael Prugner, sócio-diretor de Criatividade, Planejamento e Operações da SocialMX, empresa curitibana especializada em planejamento e criação de sites, administração de mídias sociais, gestão de crises na internet e monitoramento de marcas, entre outros serviços, lembra que os primeiros sites de compra coletiva surgiram entre o final de 2009 e o início de 2010. “O Peixe Urbano foi um dos grandes responsáveis por apresentar ao país este novo formato de comercialização de produtos pela internet”, afirma Prugner, recordando que após o passo inicial, vários sites de compras coletivas explodiram na rede. Para o especialista, estes portais possibilitam a vários clientes adquirir produtos e serviços que não fazem parte de seu cotidiano, seja por desconhecerem a marca, ou pelos valores altos para sua possibilidade financeira. “Com isso, o número de pessoas que vão ao ponto de venda consumir aumenta significativamente”, diz Prugner, fazendo um alerta: “se o empresário não tomar cuidado e planejar corretamente, o faturamento e a lucratividade podem ser afetados negativamente”. >

_ RAPHAEL PRUGNER: “COM ISSO, O NÚMERO DE PESSOAS QUE VÃO AO PONTO DE VENDA CONSUMIR AUMENTA SIGNIFICATIVAMENTE”


A Felicidade é descrita em sorrisos.

uniodonto

Parceria ACP - Uniodonto, para você sorrir e ser feliz. Saúde em dia beneficia o desempenho e produtividade dos funcionários, as empresas que possuem o plano odontológico da Uniodonto registram maior produtividade e uma redução significativa do absenteísmo, além de ser uma importante ferramenta de retenção de talentos. E o melhor de tudo, sorrir é qualidade de vida, felicidade e bem estar.

Informações (41) 3320.2929 | sac@acp.org.br

www.uniodontocuritiba.com.br


VITRINE

CUIDADOS NECESSÁRIOS Consumidores estão sempre atrás de vantagens. Isso não vai mudar nunca. E é este o grande trunfo dos sites de compras coletivas. Porém, Prugner comenta que o empresário precisa estar ciente que o anúncio neste tipo de midia é uma ação de marketing, visando reconhecimento de marca, tendo a venda como objetivo secundário. “O segmento de compras coletivas está passando por um momento de maturação, no qual apenas os principais sites com abrangência nacional e/ou focados em nichos específicos de públicos têm se destacado”, frisa Prugner, destacando setores de entretenimento – bares, restaurantes e shows –, estética, turismo e eletrônico como os detentores dos maiores percentuais de ofertas. Prugner acredita que a compra coletiva, como conhecemos hoje, tem prazo de validade. “Nos próximos meses ainda veremos os principais sites ganhando mais participação, enquanto novos portais serão lançados, e outros tantos vão encerrar suas atividades ou realizar uniões para se manterem no mercado”, prevê o especialista. Mas ele frisa que, assim como outras modas da internet, a compra coletiva terá apenas uma queda no uso, até encontrar novos formatos. “Quem sabe o futuro não seja uma compra mais social, na qual você não depende de tantos outros usuários para adquirir, mas que o desconto seja proporcional ao engajamento que tenha em promover um produto?”. Está lançada a ideia.

_ANUNCIAR OU NÃO ANUNCIAR? Compare os prós e contras para não deixar sua empresa cair em uma cilada com sites de compras coletivas:

PRÓS Preços baixos

CONTRAS Atrai somente os “caçadores de descontos”

42

Atrai clientes novos Promove sua empresa e marca, aumentando a visibilidade Ajuda a escoar produtos Constrói novos relacionamentos Fomenta a conectividade social Fazer uma oferta bem planejada, com benefícios de compra adicional

Vender mais do que pode produzir com a mesma qualidade Falha no atendimento ao cliente, pelo volume aumentado Descontos de 50% nos serviços, o que pode acarretar em prejuízo para empresa Falta de reembolso ou troca, afastando para sempre o cliente Apenas cerca de 22% dos clientes voltam para consumir, pois a maioria não tem poder aquisitivo para tal Escolher mal o site de compra coletiva e ter seu e-mail recebido como SPAM


serzegraf

43


BOA IDEIA

a onda vintage NUNCA FOI TÃO MODERNO ESTAR FORA DE MODA. O PINGUIM DE GELADEIRA RECUPEROU O SEU LUGAR, JUNTO COM ITENS FABRICADOS ENTRE AS DÉCADAS DE 50 E 70, E O EMBALO RETRÔ CONQUISTOU O MERCADO

O VISUAL PODE SER ANTIGUINHO mas, por trás do invólucro “old

fashion” se escondem práticas e modernas tecnologias. Quem ama o estilo está sorrindo à toa e quem nem tinha nascido naquele tempo está se apaixonando pelos objetos antigos, como fogões e geladeiras de linhas arredondadas e cores fortes, monitores de computador que lembram os primeiros aparelhos de televisão e as bases para iPod que imitam velhos aparelhos de som. Antenado nesta nova onda, o empresário Aloyr Mario Sabbag Neto e sua sócia e esposa, Adriane Collet, mudaram o conceito de sua loja, que foi inaugurada em 2009 com o intuito de vender presentes. “Começamos a notar que estávamos comprando muitos produtos na linha retrô, principalmente pelo design original das peças”, conta Sabbag Neto lembrando que durante a Copa de 2010 reformou a loja e assumiu o foco Vintage. Como não existia em Curitiba nenhum local que vendesse apenas estas peças – principalmente com a variedade ofertada, somando cerca de 700 itens –, a Certas Coisas Vintage logo se tornou uma referência para um público específico e para os curiosos. “Tem gente que vem só para conhecer”, conta o empresário.

_ALOYR MARIO SABBAG NETO: EM BREVE A LOJA PASSARÁ POR UMA REFORMA E IRÁ CONTAR COM TRÊS SALAS E UM CAFÉ, PARA QUE O AMBIENTE FIQUE AINDA MAIS ACOLHEDOR

44


CRIAÇÃO PRÓPRIA A Certas Coisas Vintage trabalha apenas com réplicas de produtos que remetem aos anos 40, 50 e 60. Alguns são inéditos e outros exclusivos, pois a loja conta com uma pequena oficina onde são feitos acabamentos de peças cuja manufatura é terceirizada. “Antes de fabricarmos um produto, fazemos um amplo trabalho de pesquisa”, comenta Sabbag Neto, revelando que o item mais vendido na loja é justamente uma criação deles: o porta-tempero da Maizena. “Em segundo lugar estão os produtos com a marca CocaCola e Harley-Davidson”, frisa, além dos imãs de geladeira retrô, que são os que mais saem. Segundo o empresário, a tendência Vintage sempre existiu, principalmente a partir dos anos 80, quando as pessoas perceberam que tudo estava muito padronizado. “Daí o antigo começou a agradar cada vez mais homens e mulheres de todas as idades”, diz Sabbag Neto, frisando que inclusive abre sua loja aos domingos até às 19h00 para proporcionar a oportunidade das pessoas passearem e conhecerem coisas diferentes. Coisas Vintage, claro!

dutos Réplicas são pmrotodas n ovo s m a s c o c a s as característi dos originais, no que principalmente esign diz respeito ao d

_UM DOS CARROS-CHEFE, CRIAÇÃO EXCLUSIVA DA CERTAS COISAS VINTAGE: O PORTA-TEMPEROS DA MAIZENA

SERVIÇO

CERTAS COISAS VINTAGE RUA ROCHA POMBO, Nº 843, JUVEVÊ, CURITIBA-PR (41) 3359-1960 WWW.CERTASCOISASVINTAGE.COM.BR

45


COMPORTAMENTO

o fantasma do assédio moral

DEVIDO AO NÚMERO CRESCENTE DE DENÚNCIAS, O ASSÉDIO MORAL PREOCUPA HOJE NÃO SÓ O EMPREGADO, MAS TAMBÉM O EMPREGADOR. AFINAL, QUAL A DIFERENÇA ENTRE PRESSIONAR O FUNCIONÁRIO POR UM TRABALHO MAIS EFICIENTE E O ASSÉDIO MORAL?

ELE PODE SER CONCEITUADO como forma de

46

conduta abusiva, repetitiva e prolongada, que viola os direitos personalíssimos da pessoa, objetivando eliminá-la da posição que ocupa no emprego, danificar o ambiente de trabalho e, sem dúvida, desestabilizar psicologicamente a vítima. De acordo com alguns pesquisadores, assédio moral é um comportamento que sempre existiu. O tema ganhou notoriedade, talvez pelos graus cada vez mais graves de violação de direitos dos trabalhadores e, apesar de não existirem critérios para fixação de valor de reparação por assédio moral, há que se considerar que o dano maior não é o financeiro,mas sim, para a imagem da empresa, que pode ficar comprometida perante os olhos do público e também do mercado de trabalho. Claudio Millian, advogado especializado em Direito Empresarial e do Consumidor, professor universitário e pós-graduando em MBA em Comércio Internacional, respondeu à Revista do Comércio algumas das questões sobre assédio moral, a fim de minimizar as dúvidas dos empresários acerca do assunto. _ CLAUDIO MILLIAN: “O MAIOR PERIGO QUE O COMERCIANTE ESTÁ SUJEITO É A FALTA DE PERCEPÇÃO DESSA NOVA REALIDADE”


r c O QUE CARACTERIZA ASSÉDIO MORAL?

Claudio Millian: O assédio moral é a exposição continuada de alguma pessoa a situações vexatórias, de maneira repetitiva e prolongada durante uma relação. Ele é mais comum em relações de trabalho em que a hierarquia age de forma autoritária em que predominam condutas negativas, desumanas e de forma antiética, causando séria instabilidade na vítima, gerando o direito à indenização por dano moral, previsto na Constituição e legislação em geral.

Segundo dados da Organização Internacional do Trabalho (OIT), o assédio moral já é considerado um grave problema para a saúde pública. O levantamento revela, ainda, que 42% dos brasileiros já sofreram algum tipo de assédio moral

r c QUAL A CONSEQUÊNCIA PARA A VÍTIMA DO ASSÉDIO MORAL?

CM O resultado é o dano moral, é aquele que traz como consequência ofensa à honra, ao afeto, à liberdade, à profissão, ao respeito, à psique, à saúde, ao nome, ao crédito, ao bem-estar e à vida, sem necessidade de ocorrência de prejuízo econômico. Por se tratar de uma relação privada, cabe a vítima a prova, sendo admitida através de testemunhas idôneas que presenciaram o assédio moral cometido, pois inexiste uma legislação especifica, sendo tratado na Consolidação das Leis do Trabalho de maneira geral, subsidiada pelo entendimento jurisprudencial dos Tribunais.

r c PARA O COMERCIANTE, QUAL É O MAIS PERIGOSO?

CM Na realidade, todas as formas de assédio são prejudiciais, não somente ao comerciante, que, para preservar seus melhores ativos – que são a clientela, a boa imagem e o capital humano –, mas também à sociedade, que sofre indiretamente com tais abusos.

r c QUAL O LIMITE ENTRE ASSÉDIO MORAL E EXIGÊNCIA CORPORATIVA?

CM A exigência corporativa não pode controlar excessivamente a atividade a ponto de tolher a liberdade, nem ser calcada no tratamento vexatório do trabalhador. Os deveres funcionais em geral são descritos nas atividades rotineiras e de forma clara e objetiva, sendo admissível, dentro dos limites legais, a adoção de uma relação de trabalho mais flexível, permitindo uma melhor gestão de pessoal. O assédio contraria essa premissa e limita uma conduta de crescimento e criatividade, o que poderia ser um elemento diferencial no mercado. Assim, o primeiro limite é o bom senso, sendo o mais extremo, a limitação da lei. r c EXISTEM TIPOS DIFERENTES DE ASSÉDIO MORAL? COMENTE.

CM Alguns confundem o assedio moral, advindo da relação hierárquica, com o dano moral na relação de consumo, ou seja, fornecedor e cliente, na qual inexiste a hierarquia. No entanto, é possível a ação de dano moral com base no Código de Defesa do Consumidor com base no artigo 42, que: “Na cobrança de débitos, o consumidor inadimplente não será exposto a ridículo, nem será submetido a qualquer tipo de constrangimento ou ameaça”.

c QUAL É A DIFERENÇA ENTRE ASSÉDIO MORAL E BULLYING? r

CM Esta é uma confusão que acontece bastante. Bullying é um termo utilizado para descrever atos de violência física ou psicológica, intencionais e repetidos, praticados por um indivíduo ou grupo de indivíduos causando dor e angústia à vitima, sendo executadas dentro de uma relação desigual de poder, em âmbito escolar, sem uma motivação evidente.

_ATITUDES PONTUAIS Claudio Millian lista algumas condutas que são caracterizadas como assédio moral para que o empresário possa não só tomar ciência, mas também cuidado: 1 Insultar e acusar sistematicamente a vítima de não servir para nada 2 Espalhar rumores negativos e/ou depreciar o funcionário sem qualquer motivo sistematicamente 3 Fazer com que a pessoa faça o que ela não quer, ameaçando-a para seguir as ordens 4 Fazer comentários depreciativos sobre a família, local de moradia, aparência pessoal, etnia, religião, orientação sexual, nível de renda, nacionalidade ou qualquer outra inferioridade 5 Fazer com que a pessoa faça o que ela não quer, ameaçando-a para seguir as ordens 6 Isolar socialmente o trabalhador no local de trabalho de forma intencional 7 Utilizar de expressões ameaçadoras ou vexatórias na frente de várias pessoas

47


DIVULGAÇÃO

NA ESTANTE

_O que estou lendo? Estou lendo o livro de Tony Hsieh, que é interessantíssimo! Muito rico em informações que reforçam a importância de se fazer o que gosta, mostrando o caminho da paixão e do lucro. Não há limites para novas experiências, muito menos para testar novas ideias. É feito para empreendedores, investidores e pessoas que querem se desenvolver e tornar seu ambiente de trabalho melhor. Repleto de dicas que todos podem usufruir. “Satisfação garantida” precisa estar na biblioteca de toda empresa, pois transformará a cultura de seu ambiente de trabalho e ajudará a construir sua marca. SATISFAÇÃO GARANTIDA AUTORA: TONY HSIEH

_FERNANDA DONAIRE BIZZOTTO É FORMADA EM DIREITO, PÓS-GRADUADA EM DIREITO DO TRABALHO, JÁ ATUOU COM MODA, INICIOU CURSO DE INSTRUTORA DE YÔGA E, ATUALMENTE, FAZ ASSESSORIA JURÍDICA PARA A LIVRARIA NOVA ORDEM.

EDITORA: THOMAS NELSON BRASIL

CRIANDO UM NEGÓCIO SOCIAL Neste livro, o autor Muhammad Yunus – vencedor do prêmio Nobel da Paz em 2006 – mostra como os negócios sociais passaram da teoria a uma inspiradora prática, adotada por grandes companhias, empreendedores e ativistas sociais. A obra é inteiramente dedicada ao conceito de Negócio Social, sua aplicação e manutenção, levando em conta que cada negócio social gera emprego, boas condições de trabalho e, forçosamente, trata de desafios sociais específicos, tais como falta de educação, saúde e boa nutrição.

EMPREENDEDORISMO NA INTERNET Terceiro título da coleção E-Commerce Melhores Práticas, este livro foi desenvolvido para atender a uma necessidade apresentada por empreendedores e empresários interessados no mercado da Internet: escolher de forma criteriosa o segmento de atuação. A leitura ajuda o empreendedor a encontrar um nicho de negócio compatível com seus interesses e também fornece critérios lógicos de avaliação do empreendimento, sendo um guia prático sobre a montagem de negócios na Internet, focando a perspectiva de sucesso.

VOCÊ É DO TAMANHO DOS SEUS SONHOS

48

Um verdadeiro antídoto contra a crise e o medo de sonhar. Esta publicação ajuda o leitor a resgatar a capacidade de sonhar e empreender mudanças objetivas para realizar seus projetos, por meio de um passoa-passo para tirar os sonhos da cabeça, colocá-los no papel e torná-los realidade. A primeira versão do livro foi publicada em 2003 e tornou-se best-seller, com mais de 150 mil exemplares vendidos. Agora, ganha nova edição, ampliada com capítulos inéditos.


GASTRONOMIA

FILETTO AL MASCARPONE CON CONCHIGLIE AI QUATTRO FORMAGGI Desde 1984 o Restaurante Scavollo faz história em Curitiba e, este ano, foi premiado pela Bom Gourmet da Gazeta do Povo na categoria carne. Com toda sua tradição, incluindo os famosos festivais gastronômicos que realiza, o Scavollo mantém o clima charmoso em todos os seus ambientes, com música ao vivo de um suave piano, e nada melhor que um bom filé para degustar com os amigos. Aqui vai uma receita exclusiva do restaurante, que tem um cardápio de dar água na boca!

por Restaurante Scavollo PREPARO FÁCIL RENDE 2 PORÇÕES

_INGREDIENTES PARA O MIGNON

400g

filé mignon cortado em medalhões (4 unidades) sal a gosto azeite de oliva

PARA A MASSA

400g

massa em conchas, recheadas de quatro queijos

PARA O MOLHO

330 ml 100g 100g 100g 30g 5g

molho bechamel de queijo catupiry de queijo provolone de queijo mascarpone de queijo parmesão de hortelã desidratado

_PREPARO Tempere o mignon com sal a gosto. Em uma frigideira, coloque um pouco de azeite de oliva e grelhe os medalhões de mignon. Em uma panela, coloque o molho bechamel e, em seguida, os queijos catupiry, provolone e mascarpone, com um pouco de creme de leite. Cozinhe por 10 minutos. Monte em um prato refratário uma cama das conchas recheadas de quatro queijos. Sobre a cama, disponha os mignones grelhados e cubra com o molho de queijos. Salpique queijo parmesão e leve ao forno 200ºC para gratinar, por 5 minutos. Quando retirar do forno, salpique hortelã desidratado e sirva a seguir. SERVIÇO RESTAURANTE SCAVOLLO (41) 3225-2244 WWW.SCAVOLLO.COM.BR

Harmonização vinho Alamos Malbec (aromático-suave). Pela presença de frutos vermelhos, a uva malbec é suculenta e reina soberana sobre as demais, com sua cor vermelho rubi.

49


crônica

a história da vaquinha AUTOR DESCONHECIDO

Um Mestre da sabedoria passeava por uma floresta com seu jovem discípulo, quando avistou ao longe um sítio de aparência pobre, e resolveu fazer uma breve visita. Durante o percurso, ele falou ao aprendiz sobre a importância das visitas e das oportunidades de aprendizado que temos, inclusive com as pessoas que mal conhecemos. Chegando ao sítio, constatou a pobreza do lugar. Sem acabamento, casa de madeira, o mínimo de utensílios e os moradores – um casal e três filhos – vestidos com roupas sujas e rasgadas. Aproximou-se do senhor, que parecia ser o pai daquela família, e perguntou: “neste lugar não há sinais de pontos de comércio, nem de trabalho. Como vocês sobrevivem”? Calmamente veio a resposta: – Temos uma vaquinha que nos dá vários litros de leite todos os dias. Uma parte nós vendemos ou trocamos na cidade mais próxima por outros gêneros de alimentos. Com a outra parte, fazemos queijo, coalhada e outros alimentos para nosso consumo... E assim vamos sobrevivendo. O Mestre agradeceu a informação, contemplou o lugar por uns momentos, despediu-se e foi embora. No meio do caminho, em tom grave, ordenou ao seu fiel discípulo: “Pegue a vaquinha, leve-a até o precipício e empurre-a lá para baixo”. Em pânico, o jovem ponderou ao Mestre que a vaquinha era o único meio de sobrevivência

50

daquela família. Percebendo o silêncio, sentiu-se obrigado a cumprir a ordem. Assim, empurrou a vaquinha morro abaixo, vendo-a morrer. Esta cena ficou marcada na memória do jovem durante alguns anos. Certo dia, ele decidiu largar tudo o que aprendera e voltar ao mesmo lugar para contar tudo àquela família, pedir perdão e ajudá-los. Quando se aproximava, avistou um sítio muito bonito todo murado, com árvores floridas, carro na garagem e algumas crianças brincando no jardim. Ficou desesperado imaginando que aquela humilde família tivera que vender o sítio para sobreviver... Onde será que estavam? O que teria acontecido a eles? Apertou o passo e, ao chegar lá, foi recebido por um caseiro simpático, a quem perguntou sobre a família que ali morou há alguns anos. “Continuam morando aqui”, respondeu rapidamente o caseiro. Surpreso, o discípulo entrou correndo na casa e viu que era efetivamente a mesma família que visitara antes com o Mestre. Depois de elogiar o local, dirigiu-se ao senhor que era o dono da vaquinha que ele havia empurrado no precipício: – Como o senhor conseguiu melhorar este sítio e ficar tão bem de vida? A resposta foi entusiasmada: – Tínhamos uma vaquinha que caiu no precipício e morreu. Dali em diante, tivemos que aprender a fazer outras coisas e desenvolver habilidades que nem sabíamos que tínhamos. E completou feliz: – Foi assim que conseguimos conquistar o sucesso que seus olhos vêem agora! MORAL DA HISTÓRIA_ Todos nós temos uma “vaquinha” que nos dá as coisas básicas para sobreviver. Identifique a sua e depois, aproveitando o final do ano e todas as possibilidades que se apresentam ao vislumbrar um novo ano se aproximando, empurre sua “vaquinha” morro abaixo. Em 2012 escolha ampliar seus horizontes, dar oportunidade para o progresso, para exercer sua criatividade e olhar os problemas da vida por outro ângulo. Às vezes só é preciso deixar a acomodação diária para notar que há sempre uma perspectiva completamente nova pronta para ser descoberta!


vetor sistemas

51


itaipu

52

Revista do Comercio ACP 2011-12  

Revista do comercio Dez de 2011

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you