Issuu on Google+

Jaci Borges:

“é essencial gostar de estar aprendendo”

Edição especial feita para divulgar os participantes do projeto Avós na Comunicação

Perfil Nome: Jaci Ruppenthal Borges Idade: 67 anos Cidade natal: Santa Cruz do Sul Hobby: tocar violão e pintar Defeito: Muitos rsrsrsr...um dos...autoritária Qualidade: sinceridade O que diria sobre si mesmo: sou uma vovó que gosta muito de conviver com jovens, pois estou sempre aprendendo muito com eles. O que admira em alguém: humildade E o que detesta: falsidade Sonho: ...são tantos. A felicidade de meus filhos e netos, realizar meus projetos de vida (meu curso de Design de interiores), conhecer Fernando de Noronha e conviver sempre muito...muito...com meus amigos.

Jaci Ruppenthal Borges, 67 anos, procura aproveitar o tempo livre com o maior número de tarefas possíveis. Ocupa seu tempo entre as aulas de inglês, tocar violão, o grupo Dançando na Terceira Idade e o coral Arte de Viver. Por ter sido monitora de creche e educadora, valoriza o aprendizado como algo inerente para qualquer idade. Por isto ela declara que “é essencial gostar de estar aprendendo”. Jaci, que concedeu entrevista ao DizAí, está há dois anos e meio do projeto Avós na Comunicação, tendo participado da oficina de rádio Aprendizes do Tempo e, durante os dois semestres do ano passado, da Oficina de fotografia para terceira idade, a qual atualmente ajuda a coordenar.

Qual motivo a fez se interessar por fotografia e o que isso mudou em sua rotina? (Lindiara Hagemann) – Acadêmica do quinto semestre de Jornalismo Jaci responde: “Eu sempre gostei muito de fotografia. Talvez o motivo seja de adquirir conhecimento e poder fotografar com mais qualidade e conhecer melhor os recursos de minha máquina fotográfica. Muita coisa mudou na minha rotina. Antes eu pedia para meus filhos ou netos fotografarem sempre que eu via uma coisa interessante ou momentos que queria guardar na lembrança. Agora eu mesma faço e com muito prazer.”

Expediente: Texto: Maurício Beskow. Fotografia: Luisa Pretzel. Editoração: Viviane Moura. Coordenador: Hélio Etges

DizAí - Qual sua relação com o projeto Avós na Comunicação, há tempo está no projeto e de quais atividades participou durante esse período? Jaci - Comecei em 2009 no projeto Aprendizes do Tempo, na Oficina de Rádio, iniciada na Asan. Participei em 2010 na Oficina de fotografia para terceira idade nos dois semestres. DizAí - Em que aspectos o projeto influenciou em sua qualidade de vida? Jaci - Com a participação no projeto Aprendizes do Tempo fiquei mais desinibida, pois sempre fui muito tímida e tinha muita dificuldade de falar em público. DizAí - Quais são os benefícios sentidos pelas atividades exercidas? Jaci - São muitos os benefícios, mas o que mais senti foi a elevação da autoestima, pois quando estou no meu grupo de convivência sempre sou convidada a fazer algumas fotos ou, até mesmo, a apresentação do grupo. DizAí - Como tem sido a experiência nas atividades de comunicação? Jaci - Muito enriquecedora, pois somos eternos aprendizes. DizAí - O que diria para quem não tem conhecimento das atividades oferecidas? Jaci - Que participem assim que tiverem oportunidade, pois vale muito a pena. DizAí - O que a mantém na atividade? Jaci - O prazer de me manter ativa, aprendendo sempre mais e convivendo com pessoas que hoje já considero meus amigos. DizAí - Principal aprendizado no projeto ? Jaci - Ouvi um dia de um dos participantes de projeto Aprendizes do Tempo, gostei muito e hoje passo adiante: “Somos idosos, mas não estamos com o prazo de validade vencido.”


Diz Aí 24