Revista Abigraf 311

Page 1

R E V I S TA

I S S N 0103•57 2 X

A R T E & I N D Ú S T R I A G R Á F I C A • A N O X L V I I • J A N / M A R 2 0 2 2 • N º- 311

Adepto das novas tecnologias e apaixonado pela gestão de pessoas, Rodrigo Abreu alerta sobre desafios do metaverso

ExpoPrint & ConverExpo Latin America traz soluções inéditas e transformadoras para uma indústria inovadora e resiliente

Crescimento do e-commerce, impulsionado pela pandemia, contribuiu para bons números do mercado de livros em 2021


Antoine Lavoisier


www.acmead.com.br

E os novos papéis gráficos PROMOLIFT® e PROMOLIFT+® ajudam a transformar as suas idéias em realidade. Produzidos com fibras celulósicas extraídas de forma eficiente, respeitando os recursos naturais. Possuem acabamento fosco perfeito para campanhas promocionais. Disponíveis em baixa gramatura, reduzindo custos e aumentando a produtividade.

Indicados para impressos promocionais, tabloides e revistas.

b o p a p e r. c o m . b r


ISSN 0103-572X Publicação trimestral Órgão oficial do empresariado gráfico, editado pela Associação Brasileira da Indústria Gráfica/Regional do Estado de São Paulo, com autorização da Abigraf Nacional Rua do Paraíso, 529 (Paraíso) 04103-000 São Paulo SP Tel. (11) 3232-4500 Fax (11) 3232-4550 E-mail: abigraf@abigraf.org.br Home page: www.abigraf.org.br Presidente da Abigraf Nacional: Sidney Anversa Victor Presidente da Abigraf Regional SP: João Scortecci Gerente Geral: Wagner J. Silva Conselho Editorial: Fábio Gabriel, João Scortecci, Plinio Gramani Filho, Rogério Camilo, Sidney Anversa Victor, Tânia Galluzzi e Wagner Silva Elaboração: Gramani Editora Eireli Administração, Redação e Publicidade: Tel. (11) 3887.1515 E-mail: editoracg@gmail.com Editor: Plinio Gramani Filho Redação: Tânia Galluzzi (MTb 26897) e Evanildo da Silveira Colaboradores: Hamilton Terni Costa, Jean Poncet e Roberto Nogueira Ferreira Edição de Arte: Cesar Mangiacavalli Editoração Eletrônica e Fechamento de Arquivos: Studio52 Papel do miolo: Lumistar 83 g/m², da BO Paper Enobrecimento da Capa: Green Packing (verniz UV e aplicação de hot stamping com fitas da MP do Brasil) Impressão e acabamento: Lis Gráfica e Editora Acesse: www.abigraf.org.br/revista-abigraf

Apoio Institucional

Associação dos Agentes de Fornecedores de Equipamentos e Insumos para a Indústria Gráfica

“União”, técnica mista em tela, 190 × 190 cm, 2020

REVISTA ABIGRAF

EDUARDO KOBRA O artista da capa

Da periferia de São Paulo para o mundo: este é Eduardo Kobra. Nascido em São Paulo, o artista tornou-se um dos mais reconhecidos muralistas da atualidade, com obras em cinco continentes. Detém o recorde de maior mural grafitado do mundo — primeiro com ‘Etnias’, no Rio de Janeiro, com 2.500 m²; e depois com uma homenagem ao chocolate em um paredão de 5.742 m², na Região Metropolitana de São Paulo. Sua arte urbana começou a ganhar visibilidade em 2007 com o projeto Muro das Memórias. Kobra mergulhou no universo das fotos antigas de São Paulo e passou a reproduzi-las nas ruas em tons de sépia ou em preto e branco, apresentando um estilo de grafite diverso daquele que se espalhava pela cidade. Esse projeto acabou se tornando uma marca, embrião de muito do que viria a seguir. Suas obras passaram a retratar questões urgentes, como a proteção ao meio ambiente, combate às drogas, racismo, fome, desmatamento e a crise de oxigênio durante a pandemia de covid 19. A herança de seu passado no hip-hop é revivida no estilo mais marcante de sua arte: pessoas ilustres como Oscar Niemeyer, Albert Einstein, Salvador Dalí e Chico Buarque cobertas com cores fortes e contrastantes. Essas cores acabaram se tornando seu principal cartão de visitas ao redor do mundo. Seja por conta de sua origem humilde, seja por conta de seu olhar sensível, Kobra cada vez mais se envolve em causas sociais. Ele acredita que a arte pode ser uma ferramenta de resgate da cidadania, sobretudo das crianças e adolescentes que vivem em comunidades pobres brasileiras. Em 2021, criou o Instituto Kobra, que pretende levar arte a pessoas em situação de vulnerabilidade no Brasil. Em seu primeiro grande feito, mobilizou empresários para custear a construção de duas usinas de oxigênio hospitalar para pacientes de covid-19.

Convergência dos mercados é inevitável? Não há gráfica que não esteja pensando em mercados complementares. Em artigo especial, o jornalista Jean Poncet analisa a dificuldade de expandir os negócios e o uso do web-to-print como alavanca de negócios.

36 43

Plural Indústria Gráfica muda de mãos 4

FUNDADA EM 1965

Membro fundador da Confederação Latino-Americana da Indústria Gráfica (Conlatingraf)

REVISTA ABIGR AF

janeiro /março 2022

O maior parque gráfico da América Latina é comprado por seu diretor geral. Carlos Jacomine mantém plano estratégico e Plural deve aumentar sua presença em livros didáticos e impressos de segurança.


Rede AlphaGraphics deve crescer em 22 Na entrevista desta edição, Rodrigo Abreu, responsável pela AlphaGraphics no Brasil, fala sobre o desempenho da rede no ano passado e as estratégias para 2022, incluindo a abertura de novas lojas.

ExpoPrint & ConverExpo Latin America A principal feira do setor na América Latina trará soluções para todos os segmentos da indústria gráfica e de conversão, além de fomentar a troca de experiência e a difusão do conhecimento.

Expansão do e-commerce beneficia a leitura

O ano encerrou-se positivamente para o mercado editorial, com a venda de livros superando em cerca de 20% a inflação do período. Mas os tempos são de cautela, sobretudo com a pressão do custo do papel.

Intergrafica agora é marca 100% nacional Fornecedor com mais de 60 anos de atuação, a Intergrafica Print & Pack quer retomar contato mais próximo com clientes de vários pontos do País, após concretizar a operação de management buyout.

Quatro décadas dedicadas à fotografia O fotógrafo carioca Cesar Barreto enriquece sua trajetória com o lançamento do livro Faróis, com a missão de reproduzir em lindas imagens a importância histórica e a diversidade de faróis espalhados pelo litoral brasileiro.

32

16 20 28 41 46

CONTEÚDO DESTA EDIÇÃO Editorial/Sidney Anversa Victor .................... 6 Intergrafica Print & Pack é Brasileira.......... 41 Rotativa/Noticiário Geral ............................. 8 Conexão Brasília/Roberto N. Ferreira ......... 42

A crise do papel e o mercado gráfico

Entrevista/Rodrigo Abreu .......................... 16 Roberto Jacomine Compra Plural .............. 43

Hamilton Costa reflete nesta edição sobre as mudanças no perfil de consumo do papel, especialmente a linha para imprimir e escrever, sobre as escolhas dos fabricantes e as alternativas para a indústria gráfica.

Mercado de Livros 2021........................... 28 Fotografia/Cesar Barreto........................... 46

ExpoPrint/ConverExpo Latin America ......... 20 Podcast/Ondas Impressas ........................ 44 Gestão/Hamilton Terni Costa ..................... 32 Biblioteca Mosteiro São Bento SP .............. 49 Convergência é Inevitável?/Jean Poncet .... 36 Mensagem/João Scortecci ....................... 50 Ronaldo Arakaki/Konica Minolta ................ 40 janeiro /março 2022

REVISTA ABIGR AF

5


EDITORIAL

Renovação fundamental

r são muitos Os problemas a enfrentaos ns resultados. bo m re ui eg ns co to un nj e só em co

E

é que em 2021 O que nos deixa otimistas is alcançou a casa a geração de empregos forma nte diminuição do dos 2,7 milhões. A conseque itar na retomada da desemprego nos leva a acred produtividade economia e na volta da alta res a todos e de dias bem mais promisso erido Brasil. nós que vivemos no nosso qu

feira do setor Estamos às portas da maior das maiores do gráfico das Américas e uma poPrint representam mundo. Eventos como a Ex novos negócios. importante alavanca para das Depois de tantos adiamentos a não feiras, e principalmente com upa, realização presencial da Dr do nos leva u T int sidney@congraf.com.br a expectativa para a ExpoPr creditar na a a ca & ConverExpo Latin Ameri retomada da a e. nd gra ito 2022 tornou-se mu onomia e n c e Claro que queremos ver as olta da alta . v em inovações, os equipamentos produtividade as tem sis operação, novos insumos, aumentar de gestão que nos ajudem a a isso, nossa produtividade e, junto riências e informações as conversas, troca de expe o universo gráfico. entre todos os que habitam e acrescentaremos Tenho a absoluta certeza qu to. Em momentos tão muito ao nosso conhecimen a junção de forças e complicados como o atual, r novos caminhos. ideias nos ajudam a encontra Print Além disso, o fato de a Expo do segmento de ter-se unido à ConverExpo, ste ano ainda conversão, torna o evento de idade única mais atrativo e uma oportun fica Bra sileira da Indústria Grá lançamentos e Presidente da Associação os com o tat con s mo ter ra pa (Abigraf Nacional) ssos fornecedores. as novas tecnolog ias dos no

Sidney A nversa V ictor

6 REVISTA ABIGR AF

janeiro /março 2022



Novas tintas para contato com alimentos

Love Paper e Two Sides lançam revista infantill Iniciativa da campanha Love

P

roprietários de marcas e designers agora têm muito mais espaço para suas mensagens e informações nas embalagens. É o que garante a Hubergroup Print Solutions, com a sua nova série de tintas para offset plana MGA Contact, para contato direto com alimentos. Graças à seleção cuidadosa de matériasprimas, essas tintas foram desenvolvidas para a impressão segura na parte interna de embalagens de alimentos em papel e papelão. Somente é requerido o uso em conjunto com um verniz base água sobreimpressão, também adequado para contato direto com alimentos. Para tanto, a Hubergroup recomenda produtos de sua série

Acrylac DFC (Direct Food Contact), não havendo necessidade de barreiras funcionais. As tonalidades e solidez das cores da série de tintas disponível em todo o mundo são comparáveis às das tintas de impressão offset convencionais. Na nova série de tintas a Hubergroup somente utiliza ingredientes que são permitidos de acordo com os critérios da UE e da FDA para contato direto com alimentos e as fabrica em uma unidade de produção separada na sua planta de Celle, na Alemanha. Com uma formulação sustentável, os impressos produzidos com esta série de tintas são facilmente recicláveis. www.hubergroup.com

Paper, Two Sides está lançando a revista Atividades para amar papel, para entreter e conscientizar, didaticamente, o público infantil sobre economia circular, reciclagem, ciclo de água e outros, ressaltando a sustentabilidade da comunicação impressa e das embalagens de papel, cartão e papelão. A publicação traz brincadeiras como caça-palavras, 7 erros, sudoku, enigmas, cruzadinhas e muitas outras. O conteúdo, desenvolvido para crianças entre 8 e 12 anos, será também fonte de inspiração para os familiares e professores. “Diversos estudos apontam a eficácia do papel e da mídia impressa na educação e no aprendizado de crianças e adultos. Acreditamos que esta revistinha vai contribuir bastante para levar as crianças a tomar consciência para suas escolhas e torná-las entusiastas da comunicação impressa e das embalagens de papel”, afirma Fábio Arruda Mortara, CEO da Two Sides Brasil e América Latina. Heloisa Vidigal, diretora de

comunicação da organização salienta: “Escolhemos a volta às aulas para o lançamento, pois a intenção é mostrar aos alunos, pais e professores que, além de sustentável, o papel é divertido, prático e atraente”. Nos próximos meses serão distribuídos 2.000 exemplares iniciais impressos pela gráfica D’Arthy, em papel da BO Paper, ambas membros de Two Sides e apoiadoras dessa inovadora iniciativa. Membros patrocinadores serão autorizados a reproduzir a revista em qualquer quantidade, colocando sua marca e distribuindo-a segundo seus critérios, após consulta à Two Sides. www.twosides.org.br www. lovepaper.org.br

Software gratuito da Epson para gestão de impressoras

Recurso criado para auxiliar na

8

instalação, configuração e gerenciamento de impressoras de etiquetas conectadas em rede, a Epson anunciou em fevereiro a plataforma Epson Device Admin para suas impressoras de etiquetas coloridas sob demanda, da linha ColorWorks

REVISTA ABIGR AF

Série C6000, incluindo os modelos CW-C6000A, CW-C6000P, CWC6500A e CW-C6500P. “A intenção da Epson ao criar a ferramenta é poupar os empreendedores do desgaste com a instalação e das despesas adicionais para reforçar a equipe de TI, ou para contratar suporte.

janeiro /março 2022

O aplicativo também permite gerenciar os trabalhos de impressão a distância, e inclui alertas e atualizações automáticas para evitar ao máximo qualquer período de inatividade”, afirma Marcelo D’Alessio, gerente de Produtos da Epson no Brasil. Impressora ColorWorks C6000P

www.epson.com.br



Acordo Xerox e Oracle para impulsionar impressão 3D

Os dois gigantes da tecnologia

Dobradeira-coladeira Bobst específica para e-commerce

Durante a pandemia, o setor

10

de varejo viu-se às voltas com um vigoroso impulso nas vendas pelo comércio eletrônico, provocando gigantesco volume de pedidos através da internet. De repente, o varejo, sob pressão de uma realidade para a qual não estava preparado, passou a exigir novas e rápidas soluções dos proprietários de marcas e dos convertedores de embalagens a fim de suprir a demanda dos consumidores. Para atender às atuais, e futuras, necessidades dos convertedores, a Bobst desenvolveu uma versão de alta tecnologia da dobradeira-coladeira Expertfold 145/165 com inovações específicas para e-commerce. Já contando com um design modular e altamente configurável, que proporciona grande flexibilidade e versatilidade, dois novos módulos foram adicionados à versão 165: Polyvacuum e Gyrobox, com o objetivo de agregar valor às pressões do e-commerce. Disponíveis para a Masterfold 170 e 230, estes dois módulos foram personalizados para a Expertfold 165 e

REVISTA ABIGR AF

estão acessíveis nesta linha para a operação de dobra e cola de caixas litolaminadas. O Gyrobox é um sistema que permite girar as caixas abertas em qualquer ângulo, de 0° a 180°, na direção da corrida. Esse sistema permite uma única passada, à medida que gira caixas da esquerda para a direita, ou ao contrário, fazendo que caixas complexas sejam produzidas a velocidades de até 250 m/min. Este módulo exclusivo, juntamente com o Polyvacuum, assegura a produção rápida e econômica de caixas especiais. Uma conversão rápida do clique à entrega é essencial para as vendas e para a experiência do cliente. “A Expertfold 165 e-commerce produz uma variedade de caixas em uma única linha de produção, com eficiência até mesmo para caixas complexas. Sua tecnologia apresenta uma interface simples, de uso amigável para o operador, e configuração simples”, ressalta Pierre Binggeli, diretor da linha de Produtos DobradeirasColadeiras da Bobst. www.bobst.com

janeiro /março 2022

fizeram um acordo para assegurar sua presença na nuvem e impulsionar a impressão em 3D. A Oracle fornecerá infraestrutura e suporte de software à Xerox, a fim de permitir que esta apresente sua face mais inovadora e de vanguarda. Isso acontece em momento oportuno pois a Xerox está avançando com novos processos. A criação de áreas focadas em tecnologias emergentes, como impressão 3D, internet industrial das coisas e tecnologia sustentável para reduzir as emissões de carbono, é vista como potencial motor de crescimento. A Xerox aproveitará os serviços em nuvem da Oracle para

O

fornecer a coluna vertebral digital de suas iniciativas: aplicações empresariais para comércio eletrônico, finanças e contabilidade; planejamento orçamentário e monetário; análise e armazenamento de dados; entre outras ferramentas. Em setembro de 2020, Xerox e Oracle trabalharam juntas para criar a empresa de software CareAr. A iniciativa foi bem sucedida, o que gerou o desenvolvimento de uma plataforma de realidade aumentada, projetada para os técnicos prestarem serviços remotos usando smartphones, tablets e óculos inteligentes. www.xerox.com

eProductivity Software apresenta-se ao mercado

s visitantes da ExpoPrint & ConverExpo Latin America, entre 5 e 9 abril, terão contato presencial, pela primeira vez, com a eProductivity Software (EPS) como uma empresa independente, após a recente aquisição dessa divisão da Electronics for Imaging (EFI) pelo Symphony Technology Group (STG). A operação foi concluída em 30 de dezembro de 2021. A EPS busca agora expandir sua proposta de valor do portfólio de soluções, com o objetivo de acelerar a trajetória de crescimento por meio de inovação tecnológica e mentalidade centrada no cliente. “Será o nosso primeiro evento como eProductivity Software no Brasil e levaremos experiências

e informações relevantes sobre as tecnologias líderes de gestão gráfica para a indústria de embalagem e impressão, entre elas, o sistema de gerenciamento de processos Metrics e o software iQuote para orçamentos inteligentes”, declarou Oscar Silvério, gerente de operações para a América Latina. A EPS conta com mais de 4.000 clientes de grande e médio porte em todo o mundo, nos principais setores de embalagem e impressão, incluindo papelão dobrável, embalagem de papelão ondulado, etiqueta e rótulos, embalagem flexível, impressão comercial, publicação, mala direta e display, entre outros. www.eProductivitySoftware.com


ROLAND 900 Evolution. A referência para impressão de embalagens de grandes formatos. A impressora de grandes formatos, ROLAND 900 Evolution, proporciona economias de custos e de energia, ótima qualidade de impressão e tempos de acerto ainda mais rápidos. ROLAND 700 Evolution Elite Q ROLAND 700 Evolution Speed Q ROLAND 700 Evolution Lite Q ROLAND 900 Evolution

A Evolução da Impressão. manrolandsheetfed.com Celebrando 10 anos sob o comando da Langley Holdings. evolution@manrolandsheetfed.com Manroland Sheetfed GmbH A Langley Holdings plc company.


Área de reciclagem na fábrica da Ibema em Embu das Artes (SP)

Violeta Very Peri é a cor do ano de 2022 Como já se tornou tradicional,

Ibema reciclou 3 mil toneladas em 2021 Dentro do seu programa de economia circular, por meio de uma cadeia de supply chain inteligente e de parceiros, a Ibema comemora a marca de 3 mil toneladas de material pós-consumo reciclados em 2021, ou seja, lixo tirado de circulação. No cálculo, entram aparas pós-consumo de cartões, papéis e ondulados que iriam para o lixo, após servirem aos seus propósitos. IBEMA RITAGLI – Materializando os conceitos ESG, a empresa lançou em 2019 o Ibema Ritagli, primeiro papel-cartão triplex pós-consumo do mercado brasileiro. Com 50% de

Prêmio Afeigraf para livros infantis A Associação dos Agentes de

12

Fornecedores de Equipamentos e Insumos para a Indústria Gráfica está promovendo o 4º Prêmio Afeigraf 2022 na categoria Livro Infantil, para obras inéditas, com realização da Scortecci Editora. A premiação tem por objetivo prestigiar a literatura brasileira e descobrir novos talentos, com a publicação de trabalhos selecionados por uma comissão julgadora. Poderão participar brasileiros maiores de 21 anos, residentes ou não no País, com trabalhos em prosa ou verso. Cada um dos REVISTA ABIGR AF

fibras recicladas em sua composição, sendo 30% originadas do pós-consumo, é indicado para as indústrias de cosméticos, farmacêutica e próprio para o contato indireto com alimentos, garantindo printabilidade e verso branco ou creme. O Ibema Ritagli conta com o apoio de cooperativas e empresas de logística reversa para integrar os critérios ESG. Com isso, o meio ambiente fica mais limpo, as comunidades de catadores geram renda e a gestão de governança mantém a cadeia funcionando no longo prazo. www.ibema.com.br

três trabalhos vencedores receberá pelo correio 50 exemplares de sua obra impressa pela Scortecci Editora, grátis, a título de direito autoral. O conteúdo deverá obedecer a um dos três eixos temáticos: Diversidade – valorização das diferenças étnicas, raciais, sociais, de gênero, de crença e de culturas. Meio Ambiente – promoção de ações de conservação para a qualidade de vida no presente e no futuro. Cidadania – promoção de ações para a vida em sociedade, visando a realização dos direitos humanos para todos. As inscrições estão abertas e vão até 30 de junho. Os resultados serão divulgados em 31 de outubro deste ano. www.scortecci.com.br

janeiro /março 2022

no final do ano passado a Pantone anunciou a cor que vai nortear a tendência em diversos segmen- of the Year em destaque contém tos da indústria em 2022. A esco- todas as informações relevanlhida foi o Pantone 17-3938 Very tes sobre cores para usar o Very Peri, destacando a tonalidade vio- Peri em várias mídias de design leta. O Very Peri combina tons ver- físicas e digitais. sáteis em uma série de quatro paAssim, uma cor da família azul letas, disponíveis para designers volta a ser tendência a exemplo por meio da plataforma digital do que aconteceu em 2020 com de cores Pantone Connect, dispo- o “Classic Blue”. Já para o ano pasnível como aplicativo móvel e na sado, a Pantone inovou ao anunweb, e como um aplicativo de ex- ciar duas cores como tendêntensão do Adobe Creative Cloud cias: o “ultimate gray” e o amarelo para tornar a captura, a curado- “illuminating”. ria e o design com Pantone Color Para mais informações, acesse fáceis e acessíveis. A página Color pantone.com/connect.

Mazurky adquire impressora EFI inédita no Brasil

Localizada em São Bernardo do

no mercado de embalagens em Campo (SP), a Mazurky Embala- corrugado e comunicação vigens adquiriu uma impressora sual”, afirma Eduardo Mazurjato de tinta de passagem úni- kyewistz, diretor comercial ca para embalagens de papelão da Mazurky. Anderson Chaves, SDM da liondulado EFI Nozomi C18000 Plus, primeira unidade desse nha Nozomi na EFI, acrescenta: equipamento vendida para o “A primeira Nozomi no Brasil é Brasil. A impressora que chega- um marco para a EFI e temos a rá à Mazurky é dotada da tecno- certeza de que será uma revolulogia “inkjet single pass”, usa tin- ção no segmento. Na Europa e tas UV com sistema de cura por EUA os impressores e fabricanLed e está configurada para im- tes de embalagens em papelão primir com CMYK + UV + bran- ondulado já descobriram as inúco, para reproduzir até 97% da meras maneiras de agregar valor a seus trabalhos com o uso escala Pantone. “Nossa empresa sempre se dessa solução”. Preparando-se para recepautou em inovação e boas práticas. E a Nozomi C18000 Plus ber o equipamento da EFI , a tem tudo a ver com esse con- Mazurk y investiu em uma texto. É um marco importante nova planta, com a previsão para o nosso negócio, pois ain- de em junho próximo comporda não existe no Brasil uma im- tar todo o parque industrial da pressora de passagem única UV, empresa, incluindo a recémo que trará um grande diferen- adquirida Nozomi. cial nas mais variadas aplicações www.efi.com.br



Avery Dennison amplia linha sustentável

A Unidade Horizonte foi instalada pela Klabin em 2020 na Região Metropolitana de Fortaleza

Klabin expande produção no Ceará

Em fevereiro, a Klabin anunciou

Liner rPET 23 utiliza flocos de garrafas pet provenientes de resíduos pós-consumo

A Avery Dennison migrou em ja-

14

neiro todo o seu port fólio “Sustainable Advantage”, voltado aos materiais sustentáveis, com o lançamento do liner rPET 23. Utilizado em todo o portfólio de materiais autoadesivos da empresa, o liner será composto por 30% de conteú do reciclado, utilizando flocos de garrafas pet provenientes de resíduos pós-consumo, reforçando o foco da multinacional em inovações que promovam a economia circular. Segundo estudos da empresa, o uso do novo liner reduz o consumo de materiais fósseis em 30%, as emissões de gases do efeito estufa em 16%, de energia em 14% e de água em 5%, quando comparado ao liner convencional. Também conhecido como “protetor” do rótulo ou etiqueta, o liner é a parte do adesivo destacada durante o processo de rotulagem. Assim como acontece com o liner papel, o liner rPET também pode ser coletado pelo programa AD Circular, que busca oferecer soluções para a reciclagem dos resíduos gerados em toda a cadeia de rótulos, transformando materiais que seriam descartados em novos produtos e reduzindo o desperdício.

um investimento de R$ 188 milhões para a expansão da sua unidade de produção de embalagens de papelão ondulado no município de Horizonte (CE). O aporte permitirá ampliar a produção da companhia no Nordeste e atender ao crescente mercado de fruticultura na re gião, além dos segmentos de legumes e verduras, assim como o setor

www.klabin.com.br

Grupo Langley comanda Manroland Sheetfed há 10 anos

www.averydennison.com REVISTA ABIGR AF

industrial. O projeto contempla a aquisição de uma onduladeira e uma impressora, de última geração, mais a transferência de duas impressoras da Unidade de Goiana (PE). O início de operação está previsto para ocorrer no primeiro trimestre de 2023, quando a Unidade cearense passará a produzir 100 mil toneladas anuais de embalagens de papelão ondulado.

janeiro /março 2022

E

ste ano é muito significativo para a Manroland Sheet fed, porque assinala os 10 anos sob o comando do grupo privado de engenharia Langley Holdings. A aquisição pelo grupo inglês ocorreu em 9 de fevereiro de 2012, tirando-a da insolvência apenas alguns dias depois da parte referente a impressoras rotativas ser vendida para outro investidor. Os últimos 10 anos ficaram marcados para a Manroland Sheet fed por uma forte consolidação, crescimento e evolução. Nesse pe río do, “A Evolução da Impressão” tornou-se o slogan da empresa, incorporando uma visão para o crescimento e a liderança através dos novos e constantes de safios da indústria gráfica. Mantendo essa meta, foi realizado na Drupa 2016 o lançamento da Roland 700 Evolution, máquina

que marcou um novo padrão na tecnologia de impressão. Os lançamentos posteriores na gama Evolution fortaleceram a reputação da Manroland Sheetfed como fabricante das impressoras offset planas com as mais avançadas tecnologias. O ano de 2020 presenciou a expansão da família de impressoras da linha Evolution com a inclusão da Roland 900 Evolution, líder em grandes formatos. Em junho do ano passado, com a entrada recorde de novos pedidos, a fábrica de Offenbach teve de aumentar sua produção. Após completar um século e meio de existência e dez anos de sucesso dentro do grupo Langley, a Manroland Sheetfed culmina suas comemorações com o recorde de vendas, tendo ainda tempos mais promissores pela frente. www.manrolandsheetfed.com

Jorge Maldonado, sócio-diretor da Aeprotec

Aeprotec, nova empresa de produtos e serviços

A partir do início do ano, o mercado gráfico passou a contar com os serviços especializados da Aeprotec, nova empresa voltada ao aprimoramento de processos, em diversas frentes, como a análise estatística de processos e a aplicação das modernas tecnologias existentes na atualidade, a exemplo da indústria 4.0. A Aeprotec dedica uma atenção especial ao meio ambiente, graças à parceria com a GMPrint, especialista no gerenciamento da produção com foco na redução da emissão de carbono. Outra parceria importante é com a suíça System Brunner, líder mundial em soluções para estandardização no controle da qualidade das cores, que atua há quase 40 anos no mercado, tendo na Aeprotec a única empresa mundial com a sua representação. O sócio-diretor, Jorge Maldonado, afirma que a Aeprotec é uma empresa de produtos e serviços em completa harmonia com os novos tempos e acrescenta: “Toda mudança exige investimentos, e é nesse contexto que a Aeprotec demonstra o seu know-how, apresentando estudos de viabilidade econômica de projetos em tecnologia, considerando que não é sensato, na atua lidade, investir sem estudos prévios”. www.aeprotec1.com



ENTREVISTA Por: Tânia Galluzzi

Rodrigo Abreu

“Ficar sozinho é sempre mais difícil”

E

mpreendedor e investidor nas áreas gráfica, de educação e tecnologia, Rodrigo Abreu é master franqueado e franqueado da AlphaGraphics no Brasil, rede que faz parte de um grupo com três marcas: AlphaGraphics, PostNet e MBE, presentes em 50 países. Entusiasta das novas tecnologias e apaixonado pela gestão de pessoas, Rodrigo dá conta de outras funções como diretor de Marketing e Comunicação da Associação Brasileira de Franchising e diretor de Novos Mercados da Abigraf. Nesta entrevista, o empreendedor fala dos caminhos trilhados pela AG nos últimos dois anos, da operação em si e da expectativa para 2022.

16 REVISTA ABIGR AF

janeiro /março 2022


Como foi 2021 para a rede AlphaGraphics? Nos úl- e foi o que aconteceu. O resultado do último timos dois anos, a AG se lançou em novos mercados. trimestre, e especialmente o de dezembro, é fruto dessa visão. Como foi essa estratégia? Olhando para o último trimestre, fechamos Quantas unidades AlphaGraphics estão em 2021 apenas 15% abaixo do resultado do mesmo período de 2019. Se compararmos o semestre, operação no Brasil atualmente? Temos 15 operações funcioa queda foi de pouco mais nando e a expectativa da de 30% e olhando para os 12 abertura de três no primeimeses gira em torno de 40%. ro semestre. Duas em São Mas o importante é olhar Temos 15 operações Paulo e uma no Rio de Jaesse ritmo, enfatizando que funcionando e a neiro. São empresas do setivemos em 2021 o melhor expectativa da tor gráfico que vêm acomdezembro de nossa históabertura de três no panhando o movimento da ria. É óbvio que a variante primeiro semestre. Ômicron está atrasando um AG e estão nos procurando Duas em São Paulo pouco a retomada dos escripara se unir a nós. As negoe uma no Rio de tórios e vai retardar a recuciações com essas três esJaneiro. A verdade é peração. Mas, antes disso, tão bem avançadas, e podeque nunca tivemos a nossa projeção era de que mos ter até mais novidades. tantas conversas até abril ou maio deste ano A verdade é que nunca tivesólidas com já estaríamos no mesmo ritmos tantas conversas sómo de 2019. Tudo o que fizelidas com pessoas do setor pessoas do setor mos estava dentro do planequerendo conhecer a Alphaquerendo conhecer jado. A questão é que havia Graphics, exatamente pora AlphaGraphics, muita coisa projetada para que a pandemia mostrou exatamente porque acontecer em cinco anos e que em qualquer situação a pandemia mostrou foi condensada em dois. ficar sozinho é mais difícil.

que em qualquer situação ficar sozinho é mais difícil.

Quais fatores impulsionaram o bom resultado no último trimestre de 2021? Eu creio que são vários. Existia uma demanda reprimida em relação a treinamentos, eventos e até de turismo. Por outro lado, como AlphaGraphics, aceleramos a implantação de novos projetos, ampliamos nosso portfólio. O exemplo mais contundente é a nossa atuação no mercado de comunicação visual, pela qual não éramos reconhecidos antes da Covid. Outros exemplos: produção de etiquetas em pequenas e médias tiragens sob demanda, soluções em Realidade Aumentada, fabricação de caixas e kits personalizados, incluindo a logística de entrega. O legal do último trimestre é que o resultado confirmou a nossa projeção. Apostamos que a demanda do que já oferecíamos voltaria e que passaríamos a ser reconhecidos por novas soluções e sairíamos fortalecidos,

Onde estão essas 15 unidades? Qual é o perfil dessas operações, existem diferenças entre elas? Temos uma loja no Espírito Santo, uma em Brasília, uma em Fortaleza, duas no Rio e dez em São Paulo. É importante dizer que, sim, há diferenças em termos de capacidade de produção, mas não em relação à capacidade comercial. Isso significa que todas as lojas têm que estar culturalmente preparadas para vender todo o nosso portfólio, independentemente de estarem ou não habilitadas a produzir internamente. Naturalmente, você vende aquilo em que se sente mais confortável. Mas priorizamos o consumidor final. Ele pode preferir uma loja ou outra em função do relacionamento, por proximidade, porém tem de saber que qualquer unidade será capaz de atendê-lo. Se o franqueado vai fazer a produção internamente ou através de um parceiro, não faz diferença para o cliente final.

17 janeiro /março 2022

REVISTA ABIGR AF


Como podemos definir o mix de produtos da AlphaGraphics? A impressão digital continua sendo o carro-chefe, responsável por cerca de 50% da nossa receita, principalmente impressão colorida, tanto aqui quanto na AG no resto do mundo. A sinalização está representando em média 25% da receita global e no Brasil estamos muito próximo disso, entre 20 e 25%, sendo que em 2019 a comunicação visual girava em torno de 15% da receita. Vale destacar os serviços de marketing digital, que partiram de 2% do faturamento em 2019 para 12%. O que você considera serviços de marketing digital? Design, criação de campanha de e-mail marketing, de website, construção de site de e-commerce, enfim, tudo o que é ligado à tecnologia e ao marketing. Estamos nos apresentando de uma outra forma para o cliente. Normalmente a gráfica é procurada no momento da produção do material e buscamos estar ao lado dele desde o planejamento.

nossos quatro pilares e têm que ser fortalecidos e crescer juntos em todas as nossas operações. Esse é o nosso grande desafio. Como fica a estrutura das unidades? Qual o perfil do franqueado? A capacidade de produção e a estrutura do franqueado variam bastante. Pode ser uma loja como a minha, com 70 m² e 10 funcionários, a unidades com mais de 1.200 e 70 funcionários. O que importa é a percepção do empresário, que ele tenha uma postura comercial agressiva, proativa, voltada para os quatro pilares.

E como você enxerga o ano de 2022? É um ano de consolidação desses novos produtos e serviços. Do ponto de vista conjuntural, será marcaO gráfico não pode do pelas questões política e ignorar a discussão econômica, além da elevado Metaverso. ção dos custos de insumos Não podemos mais como o papel e da energia. ficar discutindo se As vendas vão aumentar, as apostilas serão mas é preciso estar muitíssiimpressas ou digitais, mo atento aos custos. Outra questão importante: o gráporque elas serão fico não pode ignorar a disinterativas, assim cussão do Metaverso. Não Mas essa venda, vamos dizer, como as embalagens. podemos mais ficar discuconsultiva, não é novidade. Nos livros didáticos, tindo se as apostilas serão Sim, é verdade, mas vamos toda página terá impressas ou digitais, porlá. A crise não bateu só no um QR Code que que elas serão interativas, nosso mercado. Muita emlevará o leitor ao assim como as embalagens. presa pequena e média teve mundo virtual. Nos livros didáticos, toda de dispensar o serviço de página terá um QR Code que agências de comunicação. Muitas tinham departalevará o leitor ao mundo virmentos de marketing interno e tiveram de eli- tual. Isso pode fazer com que interajamos ainminá-los. Mas precisam continuar fazendo da mais com os clientes. E não só com a área de marketing. É aí que a gente entra. A crise nos compras, mas também com a equipe pedagódeu a oportunidade de sermos mais agressi- gica. A questão é que há pessoas que não quevos e de dizer para o cliente: fazemos a sua lo- rem mudar, não querem discutir o setor e não gomarca, o hotsite do seu evento. Esse tipo de podemos gastar nossa energia tentando conserviço vinha crescendo organicamente, mas vencer profissionais com esse perfil. Existem a pandemia acelerou esse processo. Impressão, os early adopters e os never adopters, que terão sinalização, marketing e tecnologia. Esses são cada vez menos espaço.

18 REVISTA ABIGR AF

janeiro /março 2022


BRAINSTORM

Faça a sua história com a Lis! Por amar o que fazemos há mais de 30 anos é que cuidamos do seu livro com muita dedicação e responsabilidade. Por isso, oferecemos atendimento personalizado desde a entrada dos arquivos até a entrega do produto finalizado. Temos profissionais qualificados e treinados para avaliar sua publicação e acompanhar todas as fases de produção para que, no final, tenhamos orgulho de ter impresso o seu livro e feito jus à oportunidade e confiança a nós concedida.

Mais do que especializados na produção de livros, jornais e revistas para pequenas e grandes tiragens com qualidade na impressão e no acabamento, oferecemos todo o suporte e cuidado necessários para que sua obra alcance o sucesso almejado. Entre em contato conosco e entenda como a Lis cuida da sua história.

Rua Felício Antônio Alves, 370 Bonsucesso, Guarulhos SP Fone: 11 3382.0777 www.lisgrafica.com.br


E 20

Uma feira para todas as impressões

stamos às portas do grande encontro global de impressão e conversão de 2022. A ExpoPrint & ConverExpo Latin America acontece de 5 a 9 de abril no Pavilhão Verde do Expo Center Norte, em São Paulo, para mostrar uma indústria inovadora e resiliente. Nos estandes, fornecedores e distribuidores de todo o mundo vão revelar tecnologias transformadoras. É importante lembrar que muitas dessas soluções nunca foram mostradas ao público e serão vistas pela primeira vez na feira. São impressoras, tintas, insumos, mídias, softwares, equipamentos, acessórios, entre outros produtos. Como a ExpoPrint & ConverExpo Latin America é a feira de todas as impressões, o visitante encontrará soluções independente do mercado em que atua. São itens voltados REVISTA ABIGR AF

janeiro /março 2022

para impressão editorial, promocional, comunicação visual, conversão de embalagens e rótulos, decoração, fotografia e todos os outros segmentos que demandam materiais impressos, nos mais variados substratos. Além dos lançamentos e da troca de experiências, a ExpoPrint terá ações e espaços para difusão do conhecimento e discussões aprofundadas. A arena Maker, por exemplo, vai destacar o poder do termoplástico na comunicação visual. Serão explicações didáticas e práticas sobre como lidar com materiais como acrílico e criar soluções rentáveis. Na Ilha da Sublimação Fespa Digital Printing ocorrerão palestras diárias com especialistas dando dicas técnicas, de gestão, vendas, redes sociais e muito mais. Será também organizado, pela primeira vez, o Flexo Tour, que vai mostrar o

processo de uma tecnologia que vem ganhando cada vez mais espaço: a flexografia para conversão de embalagens e rótulos. Estreia ainda o Portal Print Live. Em um estúdio especial, acontecerão entrevistas com especialistas, conversas com representantes do setor e lives diárias para mostrar tudo o que está ocorrendo no evento. Veja nas páginas seguintes os produtos e lançamentos dos principais expositores. EXPOPRINT & CONVEREXPO LATIN AMERICA 2022 Data: 5 a 9 de abril de 2022 Local: Expo Center Norte, Pavilhão Verde, em São Paulo Dias e horários: terça a sexta, das 13h às 20h, sábado, das 10h às 17h Realização: Afeigraf e Abflexo/FTA-Brasil Organização e promoção: APS Eventos Corporativos www.expoprint.com.br/visitar


Apresentamos aqui os principais produtos e lançamentos que os visitantes verão na ExpoPrint/ConverExpo Latin America 2022. Para todas as empresas expositoras com participação confirmada até 15 de fevereiro, a Revista Abigraf transmitiu um formulário a ser preenchido e aparecem nesta e nas páginas seguintes aquelas que enviaram as informações até a data de fechamento da publicação. ACTEGA Actega do Brasil Tintas e Vernizes Estande C-7-620 Rua Nossa Senhora da Penha, 800 18147-000 Araçariguama SP Fone: (11) 2078-1230 www.actega.com PRINCIPAIS PRODUTOS

Esmaltes e vernizes, tintas, adesivos, vedantes e compostos de PVC especiais com foco nas indústrias de embalagem, artes gráficas e médica, desenvolvidos para uso em embalagens flexíveis e metálicas, caixas dobráveis, etiquetas e impressões comerciais. LANÇAMENTO/NOVIDADE

ACTGreen: vernizes barreira e vernizes sustentáveis de sobreimpressão para uso em caixas dobráveis, publicações e impressões comerciais ■ Wessco Polar: vernizes UV prata, efeitos prateados como alternativa econômica a estampagem a quente e frio. AGFA Agfa Gevaert do Brasil Estande B-12-844 Alameda Vicente Pinzón, 51, 7º andar 04547-130 São Paulo SP Fone: (11) 5188-6444 marketinggs.br@agfa.com www.agfa.com

Produz impressões homogêneas e detalhadas de até 3,30 m de largura e até 600 m²/hora. ANARIÊ Anariê Brasil Estande B-19-1140 Rua das Imbiras, 117 02316-000 São Paulo SP Fone: (11) 3804-1004 WhatsApp: (11) 93001-0580 anariebrasil@terra.com.br www.anariebrasil.com.br PRINCIPAIS PRODUTOS

Suprimentos para o mercado de envelopamento decorativo, automotivo, comunicação visual e serigrafia: adesivo, ferramentas, acessórios, mídias, tintas para impressão de grande formato, de marcas como Alltak, Avery, SH Decor, Oracal, Olfa, Adere, Joker, Jetbest, Saturno e Agabe. APOLO Apolo Sistemas Gráficos. Ind. Com. Serv. Imp. Exp. Estande C-15-1105 Rua Santa Mônica, 1383 06715-685 Cotia SP Fone: (11) 3164-9400 michel@apolo.com.br www.apolo.com.br

BESSERDRUCK BD Manutenção Gráfica e Comércio de Peças Estande C-13-1025 Av. Mutinga, 2880 05110-000 São Paulo SP Fone: (11) 3901-5814 WhatsApp: (11) 99908-5814 vendas@besserdruck.com www.besserdruck.com

capaz de se adaptar rapidamente às necessidades do mercado. LANÇAMENTO/NOVIDADE

Ferramenta de atendimento pelo WhatsApp, permitindo ao usuário elaborar orçamentos, obter status de pedidos, emissão de boletos e muito mais ■ ERP completo para o setor gráfico, disponibilizando consultores especializados para tirar dúvidas em gestão de custos, processos e outras situações.

PRINCIPAIS PRODUTOS

Assistência técnica para impressoras offset Heidelberg, com laboratório eletrônico, peças e consumíveis, oficina, manutenção mecânica e eletrônica. BLANQUETA VIRTUAL Roberto Ferreira dos Santos Estande D-8-759 Rua Almirante Barros, 68 09310-030 Mauá SP Fone: (11) 2312-8372 WhatsApp: (11) 98044-6460 vendas@blanquetavirtual.com.br www.blanquetavirtual.com.br

PRINCIPAIS PRODUTOS

PRINCIPAIS PRODUTOS

PRINCIPAIS PRODUTOS

PRINCIPAIS PRODUTOS

Impressora Anapurna H3200i, 3,20 m de largura, flexibilidade, alta produção ■ Chapas offset, com/sem processamento químico, ecológicas ■ SW de fluxo de trabalho para jornais, gráficas editoriais, embalagens e inkjet digital ■ Synaps, papel sintético, alta qualidade e printabilidade, resistente a água, calor, rasgo. LANÇAMENTO/NOVIDADE

Impressora inkjet digital Jeti Tauro H3300 UHS Led, de grande formato e ultravelocidade, altamente produtiva para mídias rígidas e flexíveis, automação de ponta e baixo consumo de tinta.

Impressoras digitais para rótulos Xeikon CX3S e VersaPress XL ■ Impressora digital para papelão e sacolas JetCarton ■ Máquina para fabricar caixas de papelão Aopack ■ Formadora de copos de papel EasyCup ■ Formadora de embalagens de papel PackFood ■ Corte e vinco automática EasyCut ■ Acabamento digital para rótulos MultiBlade. LANÇAMENTO/NOVIDADE

Demonstração da nova impressora digital Xeikon CX3S, de sexta geração, baseada na tecnologia Cheetah 2.0 para conexão com acabamentos inline ou offline. Esta solução de toner seco, certificado pela FDA para contato direto e indireto com alimentos, evita a necessidade de usar substratos especiais tratados.

BWPAPERSYSTEMS BW Paper Systems Estande C-10-931 Rua San José, 659 06715-862 Cotia SP Fone/WhatsApp: (13) 99111-1907 edney.fernandes@bwpapersystems.com www.bwpapersystems.com b pape syste s co

Blanquetas para impressoras offset e dryoffset ■ Calos calibrados e de poliéster adesivado para calço de chapas e blanquetas ■ Barras de aço alumínio e adesivos para blanquetas ■ Conversão de blanquetas para terceiros ■ Panos para limpeza automática de blanquetas ■ Toalhas de limpeza industrial. BREMEN SISTEMAS Bremen Sistemas e Serviços Estande B-8-820 Rua Frei Estanislau Schaette, 526, s/03 89037-000 Blumenau SC Fone: (47) 3035-1022 WhatsApp: (47) 99248-4250 comercial@bremen.com.br www.bremen.com.br

Cortadeiras para papel e cartolina ■ Embaladeiras de resmas para vários substratos ■ Linha completa para tamanhos fólio, digital e cut size (resmas A4 e carta) ■ Linha completa de confecção de cadernos ■ Troqueladoras web fed ■ Linhas completas para passaporte e RFID ■ Onduladeiras e impressoras para papelão corrugado. LANÇAMENTO/NOVIDADE

Cortadeira Falcon, corte transversal síncrono, com descarga sem desacelerar a linha. Solução ideal para grandes produções a um custo compatível.

PRINCIPAIS PRODUTOS

CM COMANDOS LINEARES CM Comandos Lineares Estande A-10-715 Av. Eng. Alberto de Zagottis, 760 04675-085 São Paulo SP Fone: (11) 5696-5000 WhatsApp: (11) 94116-9822 comercial@cmcomandos.com.br www.cmcomandos.com.br/

Wingraph 5.0, software para atender micro, pequenas, médias e grandes gráficas em todo o País. Possui estrutura flexível, leve, rápida e eficiente,

No-break Conception 51 5 a 300 kVA, trifásico, tecnologia avançada DSP (Digital Signal Processor), memória in-

PRINCIPAIS PRODUTOS

janeiro /março 2022

REVISTA ABIGR AF

21


terna para 5.000 registros, medições em True RMS com precisão de milímetros, by-pass estático de manutenção, software de gerenciamento remoto Real-Time, possibilidade de upgrade do firmware do DSP, controle inteligente de velocidade dos coolers.

Indigo folha e bobina ■ Impressoras 3D Stratasys, com soluções aplicáveis aos mais diversos mercados. LANÇAMENTO/NOVIDADE

Demonstrações diárias em impressoras HP Indigo séries 3, 4 e 5 e também nos modelos recentes de impressão 3D Stratasys nas tecnologias FDM e Polyjet. CORALIS Coralis Comercial Estande B-4-314 Rua do Orfanato 760, conj. 82 03131-010 São Paulo SP Fone: (11) 2915-544 WhatsApp: (11) 99204-2019 coralis@coralis.com.br www.coralis.com.br

LANÇAMENTO/NOVIDADE

No break Composition S3, torre e rack 3, 6 e 10 kVA, monofásico, tecnologia avançada DSP, controle digital, dimensões reduzidas, by-pass individual por módulo. CMYK TINTAS CMYK Ind. e Com. de Tintas e Vernizes Estande B-7-610 Rua Frei Egidio Laurent, 150 06298-020 Osasco SP Fone: (11) 4556-7921

LANÇAMENTO/NOVIDADE

Linha 26, Lami Oxi: tinta oxidativa, ideal para suportes não absorventes ■ Linha 38, UV Card Bank: tinta desenvolvida para cartão de crédito. COMPRINT Comprint Máqs. e Materiais Gráficos Estande A-6-540 Rua Gilberto Sabino, 135 05425-020 São Paulo SP Fone: (11) 3371-3371 atendimento@comprint.com.br www.comprint.com.br

PRINCIPAIS PRODUTOS

22

Soluções em impressão digital e acabamento para os setores comercial, editorial e de embalagem ■ Impressoras HP REVISTA ABIGR AF

WhatsApp: (11) 98930-7992 tatiana.s.abib@dupont.com www.dupont.com PRINCIPAIS PRODUTOS

Portfólio DuPont Cyrel para flexografia: chapas Cyrel Lightning, Cyrel Easy R e Cyrel DLC/ALC e também a gravadora de chapas Cyrel Fast 3000TD ■ Portfólio DuPont Artistri: linhas de tintas digitais Brite P5500 e Xite P2700. LANÇAMENTO/NOVIDADE

PRINCIPAIS PRODUTOS

LANÇAMENTO/NOVIDADE PRINCIPAIS PRODUTOS

LANÇAMENTO/NOVIDADE

EFI Pro 30h: estreia no Brasil da nova impressora híbrida de impressão mesa plana e rolo a rolo com tecnologia UV e 1,60 m de largura de boca. EPRODUCTIVITY SOFTWARE Metrics Sistemas de Informações, Serviços e Comércio Estande C-16-1131 Rua Cincinato Braga, 340, 14º andar 01333-010 São Paulo SP Fone: (11) 2199-0100 WhatsApp: (11) 94148-7795 contact@eproductivitysoftware.com www.eproductivitysoftware.com

Os produtos acima estão sendo expostos pela primeira vez no Brasil ■ Serão apresentados também dados sobre a sustentabilidade da flexografia, com base em estudo de ACV (Análise de Ciclo de Vida), que compara a flexografia à rotogravura e a gravação térmica com a solvente.

X-Rite ■ EFI: lâmpadas Led D50 ■ Cabines de luz ■ Rutherford: espectrodensitômetros, espectrofotômetros e gerenciamento de cores ■ Cabines e luz em Led dimerizável, de acordo com a norma ISO 3664 ■ Escalas Pantone ■ Pantone Live ■ Sistema de gerenciamento de cores Color Cert.

Tintas e vernizes para: ■ Offset plana, metalgráficas convencionais e UV ■ Tintas de segurança ■ Ultravioleta, para papel, flexo, plástico e shrink sleeve.

PRINCIPAIS PRODUTOS

Soluções EFI para display graphics e amostras de materiais impressos em embalagens de papelão ondulado pela impressora EFI Nozomi.

Espectrodensitômetro e aplicativo Coralis, para controle de qualidade e desenvolvimento de cores ■ Sistema automatizado de acerto de cor na impressão offset (planas e rotativas) ■ Cabines de luz em Led dimerizável, de acordo com a norma ISO 3664.

ECALC SOFTWARE Ecalc Sistemas de Computação D-2-341 Rua Butantã, 461 05424-140 São Paulo Fone/WhatsApp: (11) 4871-1348 felipe.lemos@ecalc.com.br www.ecalc.com.br PRINCIPAIS PRODUTOS

LANÇAMENTO/NOVIDADE

Easycalc, software completo para orçamentos e gestão de vendas do mercado gráfico ■ Express, módulo administrativo e financeiro com integração com o Sefaz ■ Eplan, módulo de planejamento com apontamento de produção ■ Emining, business intelligence ■ Ebackup, realização de backups de forma automática com armazenamento nas nuvens.

Experiências e informações sobre o eProductivity Software ■ Demonstrações com consultores técnicos das mais novas versões do Metrics e iQuote.

LANÇAMENTO/NOVIDADE

CORREIAS SCHNEIDER Correias Schneider Estande A-4-231 Pça. Bento de Camargo Barros, 64 01101-020 São Paulo SP Fone: (11) 3775-8080 WhatsApp: (11) 98899-7300 vendas@correias.com.br www.correias.com.br PRINCIPAIS PRODUTOS

Correias em V, lisas ou dentadas ■ Polias em V ■ Correias micro-V ■ Correias sincronizadoras em borracha e poliuretano, abertas ou fechadas ■ Polias sincronizadoras ■ Buchas cônicas Taper Bush (TB) ■ Correias em V desmontáveis. DUPONT CYREL SOLUTION DuPont Estande C-9-820 Av. Sylvio Honório Álvares Penteado, 370 06460-020 Barueri SP

janeiro /março 2022

PRINCIPAIS PRODUTOS

Tecnologias da eProductivity Software para a indústria de impressão e embalagem, entre elas o sistema de gerenciamento de processos Metrics e o software iQuote para orçamentos inteligentes.

Emining (business intelligence): gestão de dados otimizada e personalizada, erros minimizados, tomadas de decisão assertivas, melhoria na eficiência e gerenciamento inteligente das informações com qualidade de dados. EFI EFI Brasil Estande C-16-1131 Rua Cincinato Braga, 340, 14º andar 01333-010 São Paulo SP Fone: (11) 2199-0100 info@efi.com www.efi.com

EPSON Epson do Brasil Indústria e Comércio Estande A-5-510 Av. Tucunaré, 720 06460-020 Barueri SP Fone: (11) 3956-6859 marketing@epson.com.br www.epson.com.br

PRINCIPAIS PRODUTOS

Equipamentos para o segmento têxtil, com destaque para a impressora industrial sublimática SureColor F1007H, com tintas flúor ■ Novidades para os segmentos de rótulos e etiquetas, outsourcing, comunicação visual, fotografia e CAD. LANÇAMENTO/NOVIDADE

SureColor V7000, equipamento UV para impressão em vários tipos de mídias, incluindo substratos rígidos como MDF,



acrílico e vidro e possibilidade de aplicação de verniz localizado. Ideal para criação de comunicação visual interna e externa, brindes e muito mais.

Fone: (11) 5523-0299 WhatsApp: (11) 98959-8157 ecosta@gppecas.com.br www.gppecas.com.br

GROUPWORK Groupwork Serviços de Representação Comercial Estande B-9-824 Rua Vergueiro, 2253, conj. 1416 04101-100 São Paulo SP Fone: (11) 3500-4411 info@groupworkbrasil.com.br www.groupworkbrasil.com.br

PRINCIPAIS PRODUTOS

Linhas para offset: Rapida Eco, Eco-Perfect-Dry, Combifix XL e MGA ConPRINCIPAIS PRODUTOS tact ■ Produtos para flexo UV da linha Impressoras Varioman: possuem dife- NewV Flex. Para o mercado de embarenciais como automação, flexibilidade, lagens flexíveis: novos vernizes de barconvergência de processos e redução reira, desenvolvidos para tornar as emde custos. Outro destaque é a ferramen- balagens mais sustentáveis. ta Smart, que aumenta a produtividade, eleva a eficiência e automatiza proces- HYBRID SOFTWARE sos. É um sistema completo, que pode Hybrid Software LCC trabalhar com o Maintellisense, plata- Estande D-8-802 forma inteligente da Manroland Goss. One South State Street LANÇAMENTO/NOVIDADE 18940 Newtown, Philadelphia, USA A Varioman, da Manroland Goss, nova Fone: (+1) 215 550-6243 referência de produção e eficiência, pro- WhatsApp: (11) 98946-9934 porciona custos de produção mais bai- vlademirc@hybridsoftware.com xos devido à tecnologia offset e conver- www.hybridsoftware.com gência de processos independente do PRINCIPAIS PRODUTOS processo a ser impresso, por alcançar PackZ, eleva produção de pré-impresvelocidade até 400 m/m, independendo são a velocidade superior ■ StepZ, edido substrato e da configuração. tor de PDF baseado na tecnologia PackZ. Soluções para impressão de dados variáHEIDELBERG DO BRASIL veis. Step&Repeat, otimizações de imHeidelberg do Brasil Sistemas pressão ■ Cloudflow, fluxo de trabalho Gráficos e Serviços de produção modular no processamenEstande A-12-1010 to de arquivos, gerenciamento de atiAlameda África, 624 vos, provas eletrônicas e automação de 06543-306 Santana de Parnaíba SP fluxo de trabalho. Fone/WhatsApp: (11) 99638-8928 LANÇAMENTO/NOVIDADE Paula.silva@heidelberg.com Demonstração das novas ferramentas www.heidelberg.com/br adicionadas na versão 2022 de cada PRINCIPAIS PRODUTOS plataforma (PackZ 7.5, StepZ 7.5 e Completo portfólio de impressoras, equi- Cloudflow 02.22). pamentos de pré-impressão e acabamento, além de consumíveis, peças, KOENIG & BAUER serviços e consultoria. A Heidelberg Koenig & Bauer (BR) Comércio do Brasil é provedora de soluções com de Impressoras e Serviços profissionais altamente qualificados. Estande A-8-710 LANÇAMENTO/NOVIDADE Rua Capitão Antônio Rosa, 376, conj. 81 Ocupando o maior estande da feira, sob 01443-010 São Paulo SP o lema “Always a step ahead”, a Heidel- Fone: (11) 3803-7560 berg declara na ExpoPrint seu protago- WhatsApp: (11) 96713-6008 nismo na liderança tecnológica. rafael.martinsmoreira@koenig-bauer. com.br HUBERGROUP www.koenig-bauer.com.br Hubergroup Brasil Tintas Gráficas Estande C-10-940 Rua Brascola, 222 09892-110 São Bernardo do Campo SP Fone: (11) 4176-5500 vendas@hubergroup.com PRINCIPAIS PRODUTOS www.hubergroup.com.br Família de impressoras Rapida, com PRINCIPAIS PRODUTOS novo design. Software LogoTronic, base Avançadas tecnologias de tinta para im- de toda comunicação com manutenção/ pressões em offset, flexografia e roto, serviços, controle de qualidade e conealém de uma gama repleta de vernizes xão com o software Optimus. Chapa

FLOCK COLOR Flock Color Ind. Com. de Máquinas Estande A-15-815 Rua Dona Antônia, 208 07021-000 Guarulhos SP Fone: (11)2464-2828 WhatsApp (11) 96372-2767 flock@flockcolor.com.br www.flockcolor.com.br

LANÇAMENTO/NOVIDADE

Fornecedora de peças e suprimentos para impressoras laser e copiadoras. Produtos compatíveis de qualidade e excelência equiparados ao OEM. LANÇAMENTO/NOVIDADE

Fusores ■ Toners ■ Kits de manutenção ■ Cilindros ■ Peças.

PRINCIPAIS PRODUTOS

Solda Banner ■ Corte-vinco ■ Estufas de secagem ■ Ilhoseira ■ Vacuum Forming ■ Flocagem ■ Laminadora a frio ■ Seladora blister ■ Túnel de encolhimento.

GLOBAL UV Top Lâmpadas Comercial EstandeA-10-731 Rua Bom Jesus de Iguape, 5136 81730-020 Curitiba PR Fone/WhatsApp: (41) 98876-5429 sac@globaluv.com.b www.globaluv.com.br

LANÇAMENTO/NOVIDADE

PRINCIPAIS PRODUTOS

Solda banner pneumática.

Fabricante de lâmpadas ultravioleta para diversas marcas e modelos de máquinas gráficas, flexográficas, serigrafia, impressão de segurança e outras, em que se necessita de qualidade em aplicações com ultravioleta. Fabricação atendendo especificação do cliente ou amostra fornecida, com rígido controle de qualidade.

FURNAX Furnax Comercial e Importadora Estande A-1-101 Rua São Luiz, s/nº 18147-000 Araçariguama SP Fone: (11) 3273-1000 marketing@furnax.com.br www.furnax.com.br

PRINCIPAIS PRODUTOS

Equipamentos para todo tipo de acabamento gráfico, especialmente corte e vinco para todas as demandas de formato e volume de trabalho ■ Impressoras offset Komori ■ Impressoras digitais ■ Impressoras flexográficas ■ Linhas para produção de papelão ondulado ■ Máquinas para produção de copos e sacos de papel, entre outros.

LANÇAMENTO/NOVIDADE

Lâmpadas ultravioleta de média e alta pressão ■ Reatores eletrônicos HPE de alta performance e eficiência energética ■ Lâmpadas ultravioleta compatíveis com todas as máquinas do mercado. GREEN RECICLAGEM Green Comércio e Gerenciamento de Resíduos Recicláveis e Aparas Estande D-12-1011 Rua Tupiniquins, 55 09990-300 Diadema SP Fone: (11) 2924-1429 reciclagem@greengra.com.br www.greenreciclagem.com.br

LANÇAMENTO/NOVIDADE

Demonstrações de soluções de vanguarda em equipamentos de impressão e transformação de embalagens. PRINCIPAIS PRODUTOS

24

GENERAL PARTS General Parts Informática Estande D-5-451 Rua Prof. Oswaldo Quirino Simões, 142 04775-010 São Paulo SP REVISTA ABIGR AF

e aditivos. Linhas Rapida, Resista, Reflecta (séries offset), Frontal Uni, Bond Top e Bond Star (séries Flexo, Roto) e Revolution (web offset).

Compra de aparas de papel, chapas offset, plásticos e resíduos recicláveis. Fornecimento de infraestrutura no cliente, coleta, transporte e destinação final ambientalmente correta de resíduos.

janeiro /março 2022


de verniz com reserva. Setup de 1 minuto. Desacoplamento de rolaria, praticidade de instalação/movimentação, automação e controle de qualidade QualiTronic ColorControl.

mia de adesivo entre 10 a 20%, pode ser utilizada com adesivos de cura convencional ou UV ■ Nova Luxor/Alufin Ecofin S, película ecológica e econômica para hot stamping.

KONICA MINOLTA Konica Minolta Business Solutions do Brasil Estande B-1-202 Av. Faria Lima, 1478, 17º andar 01472-900 São Paulo SP Fone: (11) 3050-5300 WhatsApp: (11) 95557-7439 karen.nakamura@konicaminolta.com www.konicaminolta.com.br

LASSANE Lassane Tecnologia em Encadernações Estande D-1-301 Rua Serra de Paracaina, 716 03107-020 São Paulo SP Fone: (11) 5549-8511 sac@lassane.com.br www.lassane.com.br

modelos UJV100-160 (UV), JV100-160 (solvente) e o modelo TS100-1600 para sublimação ■ Solvente 3,20 m SWJ-EA, UCJV300-75, CJV150-160, JFX200, UJF3042 e CF2 plotter para vinco e recorte. MIRUNA Indústria de Máquinas Miruna Estande D-3-336 Rua Howard Archibald Acheson Jr., 295 06711-280 São Paulo SP Fone: (11) 2711-0844 miruna@miruna.com.br www.miruna.com.br PRINCIPAIS PRODUTOS

PRINCIPAIS PRODUTOS PRINCIPAIS PRODUTOS

Impressoras digitais para a indústria gráfica ■ AccurioPress C14000, AccurioPress C7100, AccurioPrint C4065 ■ Editorial: AccurioPress 6136P ■ Rótulos e etiquetas adesivas: AccurioLabel 230 ■ Gráfica rápida: Bizhub C300i. LANÇAMENTO/NOVIDADE

AccurioPrint C4065, novo modelo de entrada, compacto e robusto ■ AccurioPress C14000, modelo de alta produtividade com velocidade de até 140 ppm ■ AccurioPress C7100, com elevado nível de automação e velocidade de até 100 ppm ■ AccurioLabel 230, para o segmento label. KURZ DO BRASIL Kurz do Brasil Folhas e Máquinas para Estampagem a Quente Estande C-7-671 Rua Achilles Orlando Curtolo, 195 01144-010 São Paulo SP Fone: (11) 3871-7340 vendas@kurz.com.br www.kurz.com.br

Equipamentos para encadernações manuais e elétricas ■ Capas ■ Espirais ■ Duplo anel (wire-o) ■ Pouches ■ Bopp. LANÇAMENTO/NOVIDADE

Vincadeira elétrica SCV, equipamento elétrico para serrilha, corte e vinco ■ Vincadeira manual, facilita as operações de vinco do papel ■ Espiramatic, furo e encadernação inteligente, permite que as folhas possam ser retiradas e recolocadas sempre que necessário. MAXCESS DO BRASIL / MLC-ROTOMETRICS MLC Indústria Mecânica Estande C-4-441 Rua Antônia Teresa de Paula Matias, 161 03728-010 São Paulo SP Fone: (11) 2623-6545 agamboa@maxcessintl.com www.maxcessintl.com

Arames e máquinas para aplicação industrial, desenvolvidos especialmente para grampeação. São soluções que atendem os fabricantes de embalagens e empresas que embalam seus produtos ao final da linha de produção, empresas ou setores logísticos, indústrias gráficas e outras. LANÇAMENTO/NOVIDADE

Modernização de máquinas já consagradas, para o aumento da segurança na operação dos usuários. MP DO BRASIL MP do Brasil Estande B-4-340 Av. Condeal, 236 07170-550 São Paulo SP Fone: (11) 2088-7510 WhatsApp: (11) 95214-6983 contato@mpdobrasil.com.br www.mpdobrasil.com.br

LANÇAMENTO/NOVIDADE

Chapa para vernizes à base de água e UV, para envernizar em linha nas espessuras 1, 15 e 1,35 mm, destacável, aplicações com ou sem reserva, de fácil recorte manual ou CAD, já presente nas principais indústrias de embalagens brasileiras.

LANÇAMENTO/NOVIDADE

Desenvolvimento e fabricação de películas para hot stamping, decorativas e funcionais, destinadas à indústria gráfica, de embalagens, etiquetas, rótulos, automobilística, têxtil e outras. LANÇAMENTO/NOVIDADE

PRINCIPAIS PRODUTOS

Nova película Cold Foil Luxor/Alufin KPS SX+, além de proporcionar uma econo-

Tecnologias UV mesa plana, rolo a rolo e equipamentos base solvente ■ Linha 100,

PRINCIPAIS PRODUTOS

POLICROM SOUTH AMERICA Policrom Screens South America Com. Imp. Exp. Estande C-10-920 Rua Bernardo Guimarães, 48 05092-030 São Paulo SP Fone: (11) 3333-3130 WhatsApp: (11) 99969-8601 vendas@policrombr.com www.policrombr.com PRINCIPAIS PRODUTOS

PRINCIPAIS PRODUTOS

MIMAKI BRASIL Mimaki Brasil Comércio e Importação Estande A-7-613 Av. Dr. Luís Rocha Miranda, 177 04344-010 São Paulo SP Fone: (11) 3207-0022 danilo.ribeiro@mimakibrasil.com.br www.brasil.mimaki.com.br

LANÇAMENTO/NOVIDADE

Alceadeiras grampeadeiras de revistas e catálogos Prinova e Primera Pro ■ Acabamento de livros lombada quadrada Alegro e Publica Pro e livros capa dura BF Pro ■ Encadernadoras de livros de lombada quadrada Alegro Digital e Vareo Pro ■ Software Connex, integração de produção e controle dos fluxos de trabalho.

Panos (TNT) secos e umedecidos para uso no lavador automático de impressoras offset planas e rotativas ■ Poliéster tratado, filmes imprimíveis a jato de tinta, lâminas de tinteiro para impressoras Heidelberg ■ Blanquetas para impressão, chapas para aplicação de verniz, manta antirrepinte, calço.

Alinhador de banda ■ Controlador de tensão ■ Eixos expansivos ■ Cortadores ■ Vídeo scan ■ Videoinspeção ■ Facas flexíveis ■ Facas maciças rotativas ■ Cilindro magnético ■ Contrafaca ■ Controladores de pressão de corte ■ Performax (contrafaca ajustável) ■ Engrenagens. Faca flexível de alta durabilidade ■ Alinhador de banda, controlador de tensão, eixos expansivos e cortadores.

PRINCIPAIS PRODUTOS

Portfólio completo para acabamento de livros e revistas impressos em offset ou digital ■ Soluções para acabamento de revistas ou livros de tiragem alta, média, pequena ou de 1 exemplar (book of one) ■ Soluções Kolbus para máquinas de armar capa dura de livros, para fabricação de caixa rígida em papelão e para fabricação de embalagens de e-commerce.

PRINCIPAIS PRODUTOS

Fabricação e fornecimento de filmes de hot stamping e cold foil para o mercado gráfico, hologramas de segurança, indústria plástica, moveleira, molduras, entre outras. MÜLLER MARTINI BRASIL Müller Martini Brasil. Com. Repr. Estande C-11-955 Rua Eng. Mesquita Sampaio. 137 04711-000 São Paulo SP Fone: (11) 3613-1000 info@mullermartini.com.br www.mullermartini.com.br

PRISCELL Priscell Indústria e Comércio Estande C-8-720 Rua Emílio Goeldi, 339 05065-110 São Paulo SP Fone: (11) 3677-2666 WhatsApp: (11) 99145-1337 prisco@priscell.com.br www.priscell.com.br PRINCIPAIS PRODUTOS

Aplicadores de adesivos hot-melt ■ Aplicadores de adesivos à base de água ■ Aplicadores de fitas dupla face janeiro /março 2022

REVISTA ABIGR AF

25


■ Fechadora semiautomática de laterais e fundos de sacolas de papel ■ Aplicadores de PUR.

LANÇAMENTO/NOVIDADE

Sistema de aplicação de adesivos à base de água, sem entupir os bicos de aplicação, utilizado no sistema de paletização, eliminando o sistema de stretch. Desenvolvido pela Priscell, com patente requerida. PTC PTC Graphic Systems Estande A-14-1072 Rua da Saudade, 150 03323-050 São Paulo SP Fone: (11) 2097-7290 WhatsApp: (11) 99964-5005 info@ptcgs.com.br www.ptcgs.com.br

PRINCIPAIS PRODUTOS

Impressoras híbridas e flexográficas ■ Revisoras flexográficas ■ Porta-bobinas de troca automática de entrada e saída ■ Sistemas de extração de esqueletos e aparas ■ Máquinas offline de acabamentos ■ Troqueladoras de precisão para IML ■ Cilindros magnéticos ■ Insertadoras RFID ■ Tratadores corona e de plasma. QUIMAGRAF Quimagraf Indústria e Comércio de Material Gráfico Estande A-6-601 Rua Prof. José Maurício Higgins, 644 81650-250 Curitiba PR Fone: (41) 3376-2991 WhatsApp: (41) 99996-1719 vendas@quimagraf.com.br www.quimagraf.com.br

PRINCIPAIS PRODUTOS

26

Chapas digitais Fujifilm com e sem processo ■ Chapas convencionais TechNova ■ Bopp para termolaminação ■ Tintas e aditivos SunChemical ■ Cola animal para capa dura Royal Cartton ■ Blanquetas ■ Calços calibrados ■ Panos para limpeza automática ■ Produtos químicos e solventes ■ Insumos ■ Permanent Paper para impressão digital. REVISTA ABIGR AF

VISUTEC Multivisi Comércio e Importação Estande C-1-307 Rua Tupaciguara, 455 38400-700 Uberlândia MG Fone/WhatsApp: (34) 4005-9091 michell@multivisi.com.br www.multivisi.com.br

LANÇAMENTO/NOVIDADE

Chapa digital Fujifilm Superia ZX sem processo (lançamento mundial) ■ Mídias para impressão digital. REINAFLEX MÁQUINAS Reinos Indústria e Comércio Estande A-4-410 Rua Sargento Hilário Costa Filho, 60 13347-434 Indaiatuba SP Fone: (11) 2341-3323 WhatsApp: (11) 98281-9832 contato@reinaflexmaquinas.com.br www.reinaflexmaquinas.com.br PRINCIPAIS PRODUTOS

Fabricação de máquinas flexográficas de 1 a 8 cores, com tambor central em larguras de 160 mm a 1.600 mm ■ Máquinas rebobinadeiras de mesa pequenas e de rebobinadeiras maiores de até 2.200 mm, com velocidade de 600 m/min. ROLOTIPO Rolotipo Ind. Com. Arts. Borracha e Plástico Estande B-8-715 Av. Recife, 879 07215-030 Guarulhos SP Fone: (11) 2465-1155 WhatsApp: (11) 97088-0905 gabriel@rolotipo.com.br www.rolotipo.com.br

LANÇAMENTO/NOVIDADE

A linha FC-500VC e FC-700VC apresenta quatro funções: vinco, corte, corte-beijo e perfuração. Essa versatilidade vem aliada a uma mesa plana (flatbed) com vácuo, garantindo registro e corte ágeis e precisos com o motor servo. SPGPRINTS SPGPrints Brasil Estande D-8-722 Av. Comendador Leopoldo Dedini, 150 13422-210 Piracicaba SP Fone: (19) 3437-1300 brasil@spgprints.com www.spgprints.com

PRINCIPAIS PRODUTOS

PRINCIPAIS PRODUTOS

Revestimento, fabricação e serviços mecânicos em cilindros de borracha para empresas do setor de impressão em geral e empresas do setor de papel e celulose. LANÇAMENTO/NOVIDADE

Novos compostos de borracha para solução de fonte e durabilidade maior dos cilindros. SAVIE MERCAN AVB Comércio Importação e Distribuição Estande C-1-301 Rua I, 85, sala 1A 32015-490 Contagem MG Fone: (31) 4042-5676 WhatsApp: (31) 99886-7028 contato@saviemercan.com.br www.saviemercan.com.br

Impressoras digitais têxtil e tintas digitais ■ Telas e insumos para serigrafia rotativa gráfico/têxtil ■ Soluções para impressão rotativa serigráfica dos mercados têxtil, gráfico e industriais ■ Gravadoras CTP para os processos dry offset, flexo, letterpress, serigrafia rotativa e tampografia. LANÇAMENTO/NOVIDADE

Impressoras digitais têxtil ■ Tintas digitais sublimação ■ Módulo RSI e Rotamesh ■ Gravadora CTP Varilex. TOYO INK Toyo Ink do Brasil Estande C-15-1102 Rua Gustavo Henrique Meerson, 350 13213-186 Jundiaí SP Fone/WhatsApp: (11) 98802-5571 felipe.chaves@toyoink.com.br www.toyoink.com.br PRINCIPAIS PRODUTOS

PRINCIPAIS PRODUTOS

Linha de tintas e vernizes para impressão offset, flexográfica, rotogravura e inkjet ■ Tintas de baixa migração e baixo odor ■ Vernizes bactericidas e antivirais com tecnologia revolucionária.

Mesas de corte servo com sucção Vulcan FC-500VC e FC-700VC ■ Cortadeira de adesivos em folha com alimentação automática Vulcan SC-350 ■ Cortadeira de adesivos em folha com alimentação automática Vulcan SC-350 ■ Cortadeira de cartões de visita Vicut CC-330.

Soluções de impressão produzidas no Brasil para os mercados editorial, promocional e de embalagem, como tintas de baixa migração e baixo odor em conformidade com as normas globais, bem como vernizes antivirais e bactericidas.

janeiro /março 2022

LANÇAMENTO/NOVIDADE

PRINCIPAIS PRODUTOS

Plotter de impressão ecossolvente ■ Impressora DTF ■ Plotter de recorte ■ Máquina de corte laser ■ Fiber laser ■ Laminadoras, entre outros. LANÇAMENTO/NOVIDADE

Máquinas de corte laser ra DTF.

Impresso-

WEKO AMÉRICA LATINA Weko América Latina Equipamentos Industriais Estande B-14-841 Rua Albany, 140 89085-104 Indaial SC Fone: (47) 3333-1320 info@weko.net.br www.weko.net PRINCIPAIS PRODUTOS

Sistemas de aplicação de líquidos e pó para os segmentos da indústria gráfica, de papel, filmes plásticos e outros ■ Sistemas de reumidificação de papel em linhas de impressão digital. ZÊNITE SISTEMAS Zênite Sistemas Estande C-11-952 Rua Itaguaí, 866 30775-110 Belo Horizonte MG Fone: (31) 3419-7300 WhatsApp: (31) 99725-2358 vendas@zsl.com.br www.zsl.com.br PRINCIPAIS PRODUTOS

G.Works Enterprise (GE), sistema de gestão completo, com atendimento a todos os segmentos de impressão: offset, flexografia, cartonagem, comunicação visual, digital, serigrafia, formulário e dados variáveis. Disponível em 4 versões: Full, Standard, Smart e Lite. LANÇAMENTO/NOVIDADE

Gestão de tarefas e documentos integrados ao sistema ■ Controle de desenvolvimento de arte para acompanhamento de todo o processo de criação ■ Geração de laudos para a área de qualidade ■ Habilitação de novos recursos para cálculo de impressão digital ■ Novos recursos no CRM e expedição.


www.fespabrasil.com.br

FESPA Digital Printing A principal feira de impressão digital do rasil.

Esperamos por você em 2023!

Saiba mais sobre o evento


Foto: jcomp / br.freepik.com

MERCADO EDITORIAL Texto: Evanildo da Silveira

Confinamento e e-commerce favorecem mercado de livros Setor comemora os bons números de 2021, porém o momento ainda exige cautela.

O

setor de livros fechou o ano de 2021 registrando um crescimento significativo, com as vendas superando em cerca de 20% a inflação do período. Os dados são da pesquisa 13º Painel do Varejo de Livros no Brasil, realizada pela Nielsen BookScan e divulgada pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros, Snel. O estudo mostra que, em relação a 2020, houve aumento de 29,3% em volume e de 29,2% em faturamento. Em números absolutos, foram vendidos 55 milhões de obras, que movimentaram R$ 2,28 bilhões. Também houve crescimento na publicação de novos títulos, que, no caso, foi de 9,7%. Dante José Alexandre Cid, que assumiu a presidência do Snel em janeiro, atribui parte desses bons resultados ao fato de as pessoas ficarem mais tempo em casa, por causa da pandemia, e terem retomado o hábito de leitura. “Isso impulsionou bastante as vendas, principalmente na área de conhecimentos gerais”, diz. “Em contrapartida, houve queda significativa no

comércio de livros didáticos no segundo semestre de 2020 e ao longo de 2021, embora ainda não tenhamos os dados exatos.” Feita a ressalva de que ainda não há números por segmento, Dante Cid destaca o aumento na demanda por livros infantis, porque as crianças ficaram em casa e não foram à escola, assim como de religiosos e de autoajuda, pelas dificuldades que as pessoas tiveram que enfrentar, bem como obras de ficção, para lazer. “Houve elevação significativa também nos quadrinhos”, acrescenta Marcus Teles Carvalho, presidente da Associação Nacional de Livrarias, ANL . Apesar disso, Dante Cid vê com menos entusiasmo o desempenho do setor editorial em 2021. Para ele, não se pode esquecer que esse

Marcus Teles Carvalho, presidente da ANL

28

Dante José Alexandre Cid, presidente do Snel

REVISTA ABIGR AF

janeiro /março 2022

aumento das vendas se deu sobre uma base retraída. “Precisamos entender que em 2020 houve uma queda do mercado, principalmente em março, abril e maio, porque as livrarias estavam fechadas”, lembra. “Mas as virtuais cresceram. E depois, no segundo semestre, as físicas começaram a reabrir, se recuperando ligeiramente.”


FORTE AJUDA DO E-COMMERCE

A internet também contribuiu para expansão do mercado de livros. “Nós sabemos, por meio de conversas no setor, que o e-commerce mais do que dobrou sua fatia no mercado durante a pandemia. Além disso, os in fluenciadores digitais também tiveram papel importante, estimulando os jovens a ler.” Marcus Carvalho concorda. “No ano passado, ainda aconteceu o fechamento de livrarias em algumas cidades, no primeiro trimestre. No segundo semestre, elas recuperaram cerca de 90% das vendas. Mas em 2021 o mercado ainda não tinha voltado aos níveis de 2019, por causa das perdas dos primeiros quatro meses. Houve um crescimento de 29% em relação a 2020, mas bem menor em relação ao ano anterior.” Quanto ao aumento do número de novos títulos, Dante Cid atribui o fenômeno ao represamento no início da pandemia. “A partir do segundo trimestre de 2020, muitas editoras seguraram os lançamentos pela incerteza que havia em todos os setores da economia”, explica. “Felizmente isso se normalizou em 2021.” O presidente da ANL ressalva que o crescimento se deu em relação a 2020, no qual foi registrada queda de lançamento de novas obras. “O número histórico de títulos novos é de 13 a 14 mil por ano”, informa. “Em 2019, foram cerca de 13.500 e em 2020 caiu para perto de 11.500. Em 2021, os lançamentos voltaram aos níveis de dois anos antes. O que houve foi uma recuperação do mercado.” Em relação a questão dos custos, Dante Cid ressalta que não houve aumento do preço médio dos livros. Embora haja dados de que isso ocorreu em dezembro, ele explica que o fato se deve mais ao perfil das obras vendidas. “Eram mais caras, talvez por serem compradas para presente”, diz. “Mas, ao longo do ano, o setor conseguiu preservar o valor, o que deverá ser muito difícil daqui para frente, em função do aumento dos custos em toda a cadeia de suprimentos, como o papel.”

O executivo argumenta que será difícil manter os preços em 2022. “Teremos que avaliar como o setor vai proceder. Haverá uma elevação generalizada, por causa da inflação, e no mercado editorial não será diferente.” Apesar disso, o presidente do Snel prevê que o setor continuará em crescimento em 2022. Contudo, esse movimento depende basicamente de dois fatores: o retorno das aulas presenciais e, com isso, a recuperação do segmento de livros didáticos, e a manutenção do hábito de leitura, que cresceu com a pandemia.

FATURAMENTO E VOLUME 2021 x 2020 FATURAMENTO (R$ bilhões) 2,279 1,763

+29,28%

2020

2021

VOLUME (milhões de exemplares) 55,0 42,5

+29,36%

2020

2021

T. Mercado – Acumulado WK01 / WK52: 2020 (30/12/2019 a 27/12/2020) x 2021 (04/01/2021 a 02/01/2022). Fonte: Nielsen | Nielsen BookScan

COMPARATIVO 13º PERÍODO – 2021 x 2020 Volume

2020

2021

VARIAÇÃO

5.176.908

5.432.792

4,94%

Valor

R$ 205.886.512,49

R$ 235.007.166,44

14,14%

ISBN

150.231

154.292

2,70%

Preço médio

R$ 39,77

R$ 43,26

8,77%

Desconto médio

24,34%

21,92%

– 2,42 p.p.

29

T. Mercado – Período 13: 2020 (30/11/2020 a 27/12/2020) x 2021 (06/12/2021 a 02/01/2022). Fonte: Nielsen | Nielsen BookScan

janeiro /março 2022

REVISTA ABIGR AF


AFEIGRAF Texto: Tânia Galluzzi

ExpoPrint em quatro quadros Quando você estiver lendo este texto, muito provavelmente a grande feira do setor de impressão na América Latina já estará acontecendo, materializando o esforço de centenas de pessoas, que trabalharam intensamente para sua realização.

dedicação que marca a ExpoPrint & ConverExpo 2022 não é nova. Ela está calcada na visão de 15 fornecedores do setor, que se uniram há 18 anos para criar a Afeigraf com o objetivo de promover uma feira que atendesse ao perfil e às necessidades da indústria gráfica brasileira e latino-americana. Em suas quatro edições, a ExpoPrint conseguiu cumprir a principal missão da entidade, de promover o intercâmbio de conhecimentos e a troca de experiências entre os seus associados e os profissionais gráficos.

2006

308 EXPOSITORES 24.463 VISITANTES

2010

211 EXPOSITORES 35.523 VISITANTES

2014

300 EXPOSITORES 48.866 VISITANTES

2018

NÚMEROS DA EXPOPRINT

326 EXPOSITORES 50.216 VISITANTES

Essa trajetória começou a ser desenhada em junho de 2004, com o coquetel de lançamento da ExpoPrint Latin America 2006. Acompanhando o modelo da alemã Drupa, determinou-se que a mostra aconteceria quadrienalmente, sendo a primeira edição programada entre 31 de maio e 6 de junho de 2006, no Transamerica Expo Center, em São Paulo, organizada pela Messe Frankfurt Feiras. A decisão dos 15 fornecedores mostrou-se acertada. Em um ano marcado pelo bom desempenho da economia nacional, a primeira edição reuniu 308 expositores, registrando 24.463 visitantes. O volume de negócios gerados, incluindo os previstos para os 18 meses seguintes,

30 REVISTA ABIGR AF

janeiro /março 2022

foi estimado em US$ 120 milhões. Do ponto de vista tecnológico, a feira ajudou a consolidar uma tendência que já vinha acontecendo dentro das gráficas: a integração da impressão offset com a digital. Quatro anos mais tarde, a ExpoPrint Latin America 2010, já sob a coordenação da APS Eventos Corporativos, conseguiu atrair o interesse de toda a região. O número de visitantes cresceu quase 50%, com 35.523 profissionais circulando por seus corredores, ocupados por 211 expositores, que demonstraram 500 marcas, movimentando mais de US$ 300 milhões. Em 2014, já posicionada entre as três feiras gráficas mais importantes do mundo, a mostra surpreendeu por sua magnitude. Foram 48.866 visitantes, que geraram negócios da ordem de US$ 400 milhões. O público teve à disposição 40 mil m², ocupados por cerca de 300 expositores, que demonstraram mais de 750 marcas. Uma das principais características dessa edição foi a forte presença dos estrangeiros, majoritariamente latino-americanos, que somaram 4.082 pessoas, contra 1.258 em 2010. As soluções apresentadas respondiam, em sua maioria, ao combate ao desperdício e aumento da produtividade. Impulsionada pela superação dos efeitos recessivos na economia brasileira, a quarta edição da ExpoPrint Latin America, em 2018, bateu a marca de R$ 900 milhões em negócios gerados. Realizado no Expo Center Norte, o evento recebeu seu maior público, atraindo para 326 expositores um total de 50.216 visitantes, dos quais 4.684 profissionais vindos de toda a América Latina e outras partes do mundo. Aproximando-se ao segmento de conversão, por meio da união com a ConverExpo, a feira de 2018 conseguiu apresentar um panorama amplo do universo da impressão, tanto nos processos tradicionais quanto no digital, cada vez mais presente. Até a tecnologia D esteve representada, dos formatos pequenos a soluções de grande porte. E a história continua a ser construída, prometendo novos capítulos recheados de informação, inovações e soluções que beneficiem toda a sociedade. FONTES: Livro Afeigraf: 10 anos de tecnologia em impressão gráfica Revista Abigraf, edições 224, 248, 272 e 294


A HORA DE AGIR E AGORA. & B NVEBO B D¶F B BRVJ

NOSSO PAPEL É PRESERVAR!

A Leograf desenvolve diversas iniciativas para colaborar com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) abordando temas como a gestão e reciclagem de resíduos, consumo de água, preservação da biodiversidade, controle de emissões atmosféricas, contribuímos de forma direta e indireta, para garantir a preservação do meio ambiente e a qualidade de vida. Estar em sintonia com empresas de todo o mundo, que compartilham da nossa preocupação com o planeta, possibilita a Leograf a troca de experiências, know how, conhecimento técnico e parcerias para o desenvolvimento de suas ações. Estamos sempre em busca de somar e ajudar a sociedade da melhor maneira que pudermos. .

Saiba mais em www.leograf.com.br nas redes sociais ou pelo QR Code.


GESTÃO

Hamilton Terni Costa

A crise do papel e o mercado gráfico: uma reflexão

O

mercado gráfico tomou um susto quando a Cia. Suzano, em janeiro deste ano, enviou um comunicado aos seus clientes anunciando um aumento de 35% no preço do papel couché para vigorar a partir de março. Os aumentos nos diferentes tipos de papel, incluindo papel-cartão, ondulado e outros já vinham se sucedendo ao longo dos meses, desde 2020. Além de outros custos também em ascensão: energia, combustíveis e insumos em geral, com consequência para os fretes e demais itens cuja base de custos esteja atrelada ao dólar e preços internacionais. A grita com o comunicado foi geral, motivada pelo choque derivado do elevado percentual e em um tipo de papel onde praticamente não há, no mercado nacional, outro fornecedor. Na prática, a Suzano produz perto de 95% do consumo interno de couché ao mesmo tempo em que não há papel disponível no exterior para importação. Daí porque argumentei, a partir de uma postagem feita pelo podcast Ondas Impressas, que tínhamos a tempestade perfeita. A junção das questões conjunturais relativas ao imenso desequilíbrio nas cadeias de suprimento internacionais causadas pela pandemia e consequente aumento de custos, com uma questão estrutural, a falta de maior concorrência interna. Nesse meio tempo, a Cia. Suzano, após negociações com entidades do setor, como a Abigraf, acabou por revisar o reajuste e decidiu parcelá-lo até junho, não resolvendo a variação do preço, mas, ao menos, permitindo que o repasse a produtos gráficos com base nesse papel fosse

32 REVISTA ABIGR AF

janeiro /março 2022

um pouco amenizado e que evitasse, na pior hipótese, que consumidores migrassem ao digital por um impacto de custos. Mas, não só isso. Além de ter tido a oportunidade de conversar com diretores da empresa buscando entender algo de seus custos e as pressões do momento, também aproveitei para uma longa revisão dos números da Suzano e como a empresa tem procurado se diversificar e o norte de sua expansão, especialmente depois que se fundiu com a Fibria. Interessante ver que, apesar da divisão de papéis continuar sendo importante, com mais de 5 bilhões de reais de faturamento anual — um quinto do faturamento da empresa —, o crescimento da área de celulose e os novos produtos que vêm sendo pesquisados e comercializados ganham, claro, evidência, reduzindo, no total, a participação dessa área tradicional. E isso é estratégico. Volto nisso mais adiante. O reajuste de preços e a escassez de papel não é uma exclusividade nossa. Europa, Estados Unidos e América Latina estão sofrendo com isso. Em fins de janeiro, a Intergraf, federação gráfica europeia que reúne associações gráficas de 20 países, fez um apelo público aos fabricantes de papel relatando que a atual crise de fornecimento terá “severas repercussões’ no fornecimento de material impresso para todos os setores econômicos e põe em risco a recuperação da indústria gráfica cujos níveis de demanda estão equivalentes à de antes da pandemia. Na Europa, a crise foi agravada por greves em plantas nos países nórdicos, especialmente na produção de papel para imprimir e escrever.


Nos Estados Unidos, as fábricas de papel estão trabalhando no limite de sua capacidade, mas incapazes de suprir o aumento da demanda sem os estoques intermediários que existiam antes da pandemia e que foram esgotados com a paralisação das mesmas. Os papéis de imprimir e escrever, revestidos ou não, tiveram aumentos de até 25% em 2021 (em dólar) e a consultoria Risi, especia lista no setor, espera pelo menos mais dois reajustes em 2022. A rea lidade é que muitas fábricas de papel foram paralisadas durante a pandemia e algumas até desativadas. Estima-se que algo perto de 11 milhões de toneladas de papel, espe cial mente de imprimir e escrever deixaram de ser produzidas. Algumas fábricas retornaram mudando sua produção para papel kraftliner, pelo aumento de consumo de embalagens. Levará ainda um imprevisível tempo para tudo se equilibrar outra vez. Possivelmente só ao longo de 2023. O prestigioso jornal Financial Times, em fevereiro, fez uma matéria sobre a questão do papel ilustrado por gráfico indicando que o preço dessa commodity atingiu o mais alto pico em anos. Seguramente não é uma situação que vai se per petuar. Como toda commodity ela oscila em função de oferta e demanda, especialmente em tempos de desequilíbrios como os de hoje e deverá recuar em alguns meses. O duro, claro, é para quem depende dela para produzir, conseguir repassar esse impacto. Especialmente em um setor onde a comunicação digital se oferece com menor custo, ainda que não substitua em muitas aplicações o material impresso e tenha menor efetividade. Mas que leva o cliente a pensar nessa alternativa, não há dúvida. Voltando à nossa seara, não é minha intenção aqui entrar tanto no mérito da questão de custos e ava liar se os aumentos são justos ou inadequados para o momento. A maioria dos aumentos são consequência do que descrevemos. A verdade é que os ajustes são fortes e difíceis de digerir. Possivelmente maiores do que deveriam ser. Sei muito bem o que é estar do lado da mesa de quem tem de enfrentar esses aumentos e negociar com os clientes sentindose ensanduichado. Ainda mais no meio de tantas incertezas como as que temos vivido nos dois últimos anos. Tampouco vou entrar na grita de monopólio, oligopólio — que sabemos que é — ou outras colocações comuns ao setor. Ainda que essa

circunstância também influa, e muito, na questão comercial e ainda que a produção de couché, no Brasil, esteja na dependência de uma fábrica somente, o que é preocupante. O que estou procurando ver é como as empresas papeleiras estão se adequando a esse mundo mais digitalizado onde tanto se fala contra o papel. E, mais especificamente, o que o perfil de consumo de papel é uma indicação sobre as mudanças que temos vivido no mercado gráfico. Vamos começar pelo Brasil. Baseado nos números divulgados pela IBÁ , Indústria Brasileira de Árvores, o Brasil produz um total, arredondado, de 10 milhões de toneladas de papel por ano. Somos o décimo produtor mundial e o segundo maior produtor mundial de celulose e o primeiro em fibra curta. Desse total de papel, cerca de 20% são os chamados papéis gráficos, os de imprimir e escrever, predominantemente o offset e o couché. Pois bem. Como tem sido o consumo desse papel no Brasil nos últimos anos? Vamos pegar o chamado consumo aparente que é a produção nacional, mais importação menos as exportações. Em 2014, esse consumo foi de 2,310 mil toneladas. Depois disso, os anos de maior consumo foram 2016 e 2017 com 1,872 mil toneladas. 2019?, só 1,724 mil. Em 2020 1,342 mil e em 2021 1,572 mil. Ou seja, nos últimos sete anos jamais voltamos aos patamares de 2014. Pena que esses números da IBÁ , há muitos anos, não são mais mostrados por tipo de papel. Dessa forma não se sabe, oficialmente, qual foi a queda do couché, por exemplo. Mas que deve ter sido significativa, não há dúvida. Vamos dar uma olhada no papel-cartão cuja demanda foi de 550 mil toneladas em 2015, subindo para 571 mil, em 2017, 603 mil, em 2018, e 592 mil, em 2019. Subiu em 2021 para 625 mil toneladas, já refletindo um aumento na produção de embalagens. Mesmo assim, estamos falando de um crescimento de 13,6% em 6 anos, o que daria cerca de 1,5% de taxa de crescimento anual composta. Como embalagens também representam consumo em geral, esse percentual é muito baixo, no meu modo de entender, para um país com um mercado como o do Brasil. Mas só mostra como nossa economia andou pouco nesse período. E isso porque 2021 apresentou um aumento de 5,6% sobre 2019, um ra zoável aumento e que indica como a embalagem em cartão se robusteceu durante a pandemia.

33 janeiro /março 2022

REVISTA ABIGR AF


Pelo que tudo indica, é um sinal claro de tendência de crescimento. Ainda mais se considerarmos toda a pressão ambiental que estamos vivendo com a busca de embalagens com materiais não fósseis. Se a economia ajudar, então, nem se fale. O que deve levar a mais investimento dos fabricantes para o aumento de produção no Brasil. Possivelmente em detrimento de outros papéis, como o de imprimir e escrever. No exterior os papéis destinados a gráficas também vêm apresentando queda há um tempo. Segundo relatório da McKinsey, de 2019, os papéis de imprimir e escrever tiveram uma taxa anual composta negativa em 1,5% de 2010 a 2018, com uma previsão de declínio mais acentuado. Mas temos de pular a pandemia para ver em que patamar se estabilizam. Nesse mesmo período, o papel-cartão apresentou taxa anual composta com crescimento de 1,7% e o corrugado de 2,7%. A previsão da consultoria é que, nesse ritmo de queda do papel de imprimir e escrever, a tendência é vermos uma maior conversão de equipamentos de papel voltados a embalagens e suas variações, o que já está acontecendo como já falamos antes. Nesse aspecto, e voltando às considerações para empresas como a Suzano, torna-se compreensível sua estratégia de investir em novos materiais como o papel para copos, papéis sanitários e no estímulo ao desenvolvimento de embalagens com materiais de origem não fóssil com barreiras de proteção. Por isso, suas pesquisas em produtos para conversão de 10 milhões de toneladas de plástico usados em embalagens para substratos que contenham mais base de celulose. Ou mesmo outros produtos como a lignina. Sua visão, e a de muitos fabricantes, é a de melhor aproveitamento de sua base florestal e os produtos que possam ser gerados a partir dela. Mas, se pergunta o gráfico: como fico eu? A Suzano fica bem, e nós, como ficamos diante dessas mudanças? Vamos todos fazer embalagens e sair fora do resto? Não é bem assim. Há diferentes considerações. Primeiro que, sem dúvida, o mercado comercial e promocional onde milita a maior parte das gráficas tende a se encolher, gradualmente. Há muito espaço nele ainda, mas será cada vez mais um mercado competitivo, com margens apertadas, comoditizado e que exigirá das gráficas que tenham muito foco em produtividade, automação dos processos e vendas em boa parte também automatizadas.

34 REVISTA ABIGR AF

janeiro /março 2022

Na área editorial, apesar da queda de revistas, sem falar em jornais que em sua maioria têm produção própria, a produção de livros também apresenta oportunidades interessantes. Seja em novas edições, seja na recuperação de catálogos, seja pela diminuição de estoques das editoras e sua venda online. Nesse aspecto, a impressão digital passa a ser, ainda mais, uma tecnologia muito adequada para atender a essas demandas, aliada a serviços de distribuição diretamente ao comprador ou via marketplaces digitais. Por outro lado, há crescentes mercados com produtos que não necessariamente usam papel. São os de comunicação visual, os de impressão funcional e seus diferentes nichos, com destaque para o têxtil, seja na impressão de roupas, seja na impressão de tecidos. Muitos são mercados fragmentados, mas onde oportunidades residem na possibilidade da cocriação de produtos junto com os clientes. O mercado de embalagens impressas é imenso, va riado, mas ao mesmo tempo muito competitivo. Não cabem todos nele, mesmo com bom crescimento. Além disso, sua adaptação a ele para quem não é do ramo, exige uma forte mudança no direcionamento dos negócios, mentalidade e equipamentos. Ainda assim é uma opção viável a muitas empresas, seja em rótulos, embalagens em cartão, ondulado e flexíveis. Enfim, o que quero dizer é que vivemos um momento de grandes mudanças. O foco das papeleiras vai se alterando conforme os mercados vão se alterando. As caídas no uso de determinados papéis e o crescimento em outros é significativo disso. É um momento em que o gráfico tem que pensar em diferenciações e redefinir seu foco estratégico. Se você não sabe como fazer isso, busque ajuda, converse com mais gente, participe de seminários, faça cursos. A mudança a partir de agora poderá fazer toda a diferença no seu futuro como empresa e como empresário. Independente do custo final da matériaprima, o que deve prevalecer é o valor que você gera para o mercado. Se você não atrai clientes a partir dos benefícios que oferece, está mesmo na hora de mudar. Já pensou nisso? Hamilton Terni Costa é diretor da AN Consulting hterni@anconsulting.com.br



ARTIGO ESPECIAL

Texto: Jean Poncet

Ilustração: GarryKillian / br.freepik.com

Convergência dos mercados de impressão: isso é inevitável?

O autor deste artigo é editor-chefe de uma série de títulos, incluindo: Etiq & Pack (principal revista de embalagens impressas da França), S&E (jornal sobre grandes formatos), Pap’Argus (revista mensal sobre papel-cartão) e Liquides & Conditionnement (revista especializada em acondicionamento de alimentos líquidos). 36 REVISTA ABIGR AF

janeiro /março 2022

H

oje, além da impressão no sentido tradicional, outras áreas estão crescendo: fabricantes estão oferecendo máquinas de impressão D que não “imprimem” cores ou textos em superfícies, mas sim em formas D. Gutenberg deve estar rolando em seu túmulo! Erez Zimmerman, CEO da Massivit D e especialista em impressão D de grande formato, certa vez disse em uma feira em Munique: “Vamos surpreender a Drupa com novos produtos e inovações”. Isso, dito por uma empresa especializada em D, levou a imaginar qual seria a relação entre a criação de uma brochura em quatro cores (o que o cliente tradicional procura) e a produção

de uma garrafa gigante de champanhe para decoração no ponto de venda. Uma garrafa gigante de champanhe (entre outras coisas) é de algum interesse para o cliente tradicional? Obviamente, sim. Este é um sinal de convergência visível, imediata e inegável. A impressão digital certamente transformou o mundo da impressão, que, por muito tempo, ficou restrito a documentos impressos e fotocópias. Então, o jato de tinta foi primeiro atrás do mercado de etiquetas, seguido pelo mercado de embalagens de banda estreita, ou pequeno formato. Ao mesmo tempo, no mundo dos grandes e muito grandes formatos, o jato de tinta afastou a serigrafia e até mesmo


o processo de offset dos trabalhos mais comuns. um outro patamar, o investimento chegará a Nos últimos anos, tem havido um tipo de man- meio milhão de euros, o que já não é a mesma tra que se espalhou como um incêndio: “Os mer- história. A rea lidade é que você não conseguirá produzir etiquetas muito sofisticadas, que cados tiveram que convergir ou seriam forçados exigem processos de acabamento caros, sem a isso. Essa convergência levaria a uma evolução desembolsar esse montante. espetacular!”. Claro que isso não é totalmente Depois, há o pedágio de recursos humanos, verdadeiro, nem totalmente falso. O declínio na indústria de impressão off- onde a tecnologia digital suprimiu o know-how set comercial tradicional levou muitas gráfi- do operador da máquina, colocando-o na précas a expandir sua gama de ofertas de negó- -impressão, mas não eliminou a expertise de acabamento, que fará toda a diferença. cios. Quem imprime periódicos tem reduzido É bom fazer etiquetas, mas você precisa ter custos, enquanto outros conseguem sobreviver graças aos tabloides que os grandes supermer- mercado! E a maioria do pessoal comercial é, por natureza, muito tra di ciocados comumente ameaçam nal. Aquele que construiu eliminar. Aqueles que essua base de negócios conhetavam fazendo brochuras cendo todos os compradores tiveram que encontrar noQual seria a relação de brochuras deve começar vas oportunidades. A transentre a criação de tudo de novo, sem abanpromo, ou impressão de douma brochura em donar seu negócio básico. cumentos, que já explorava quatro cores e a Não se trata de abrir mão de as possibilidades do digital produção de uma tudo para renovar os seus para dados variáveis, tinha garrafa gigante de interlocutores. Não é imsuas empresas especia li zachampanhe para possível, mas leva tempo, o das. Muitas delas foram dedecoração no ponto que exige um investimensenvolvidas a partir do que de venda? Uma to adicional. Algumas pesantes era conhecido como soas pensam que podem se impressão contínua. Não hagarrafa gigante de sair bem tornando- se subvia dúvida quanto a migrar champanhe (entre contratantes. Depois, recupara essa nova área, com outras coisas) é de peram seus ne gócios e opeoutro nicho de produtos. algum interesse para ram suas impressoras, mas A coisa mais simples a fazer o cliente tradicional? o fazem frequentemente neera desenvolver atividades Obviamente, sim. gligenciando suas margens. com serviço adicional, como Este é um sinal de Recentemente, em uma etiquetagem ou sinalização. convergência visível, mesa redonda rea lizada em imediata e inegável. Lyon, França, estávamos A DIFICULDADE DE EXPANDIR conversando com Robert SEUS NEGÓCIOS Tison, gráfico da Isère (ImMas não vamos nos iludir. primerie Suquet), que deIsso continua avançando, senvolveu a impressão de etiquetas em uma porém ainda é um complemento para esses gráfica comercial para a compra de uma impresgráficos, exceto para se atua lizarem e ficarem sora de toner de médio porte. Após iniciar momais bem equipados. O custo do investimento destamente para servir seus clientes, sempre é um entrave, mas nem sempre é o fator mais procurando evitar perdê-los, adquiriu as habiimportante. Existem pelo menos duas outras razões: uma, referente ao equipamento, e ou- lidades que o levaram a acreditar que esse negócio lhe permitiria crescer apesar do declínio da tra, referente às pessoas. Para expandir seus negócios, você pode comprar uma impresso- impressão tradicional. Ele percebeu que a parra digital por um valor baixo. Sem ter que abrir te mais difícil estava bem à sua frente. “No comão das suas máquinas offset planas, um grá- meço, pegamos os pedidos e depois, através do boca-a-boca, a gente vai se desenvolvendo ainfico pode adquirir uma impressora toner de da mais. Mas, para seguir em frente, é indisbanda estreita para fazer etiquetas por menos de 40.000 euros, e até menos por alguns mo- pensável se organizar e investir, até ra zoavelmente, e aí fica mais difícil, porque passamos delos de baixo desempenho. Para elevar-se a

37 janeiro /março 2022

REVISTA ABIGR AF


a depender da comercia lização”. Isso pode im- empreendimento especializado, sem impressão plicar tanto na mudança do perfil de um geren- própria, mas com uma oficina para acabamente de impressão para gerente de vendas, ou en- to de corte equipada com solução web-to-print dedicada à reprografia. Em seguida, desenvoltão na contratação de um vendedor, gerando veu uma atividade de grande formato integrandespesas adicionais. do prensas roll-to-roll para imprimir lonas ou Poderiam dizer que isso é exclusivo desse setor, mas não é verdade. Com certeza, o de- pôsteres. Isso não é convergência? Em Honfleur, Xavier Rozé, chefe da Masenvolvimento de embalagens flexíveis deu novas ideias a muitos impressores de etique- rie Printing Company (Imprifrance Network), gráfica francesa tradicional mente es pe cia litas. Por exemplo, algumas pequenas sacolas zada em brochuras, equipou-se com uma impoderiam ser produzidas em impressoras de pressora de corte de 1,60 m depois de hesitar etiquetas. Vá rios impressores que estavam interessados nesse possível desenvolvimen- em entrar no negócio de etiquetas. No entanto, desenvolver uma atividato perceberam rapidamende de “grande formato” gete que isso exigia materiais ralmente requer o controle de acabamento diferentes da instalação: embalar um — a menos que fossem enIndependente do veícu lo ou o balcão de uma tregues sacolas com problenegócio, a impressão loja não é tarefa tão simmas de qualidade. Além disespecializada tem ples assim. É isso que torso, os clientes fiéis que lhes bons dias pela na os sites web-to-print tão con fiavam os seus rótulos frente, pois não é bem-sucedidos. Eles não nenão eram compradores hafácil diversificar. cessitam de marketing porbituais desse novo produSem dúvida, é mais que existe um site na interto que estava sendo oferecifácil permanecer net funcionando em regime do. É importante reconhecer fiel ao negócio de self-service e também de que essa parece ser a mesma básico, estendê-lo ao implementação, já que, uma situação para os conversomáximo e, acima de vez entregue a encomenda, res de embalagens flexíveis, tudo, buscar novas está cumprida a sua missão. já que eles não se aventuNão nos esqueçamos do param na indústria de etiqueopções com ganhos gamento feito no ato do petas, mesmo que tenham de produtividade. dido, o que é ainda melhor! capacidade técnica para tal. Para finalizar, no granWEB-TO-PRINT ESTIMULA de formato podemos ver a A CONVERGÊNCIA DE MERCADOS evolução dos materiais utilizados, com a busNa verdade, a ideia de convergência de merca- ca pela implementação mais simples possível. dos vem principalmente dos fabricantes, princi- A lona de PVC dá lugar à têxtil e, numa curiosa palmente digitais, mas não apenas com o exem- mistura de gêneros, a decoração atrai os profisplo da Mark Andy ou Omet, que agora oferecem sionais da sinalização. Você então tem que se impressoras flexográficas em modelos de 450 equipar em roll-to-roll quando estiver em uma mm, 550 mm, ou até mais largas. A ideia tam- mesa, ou vice-versa. Também é possível escobém vem do web-to-print. A multiplicação de re- lher entre impressão direta (para vinil) e subliferências nos sites do setor, sejam eles BB ou mação (para têxteis). No entanto, isso requer BC, sustenta a ideia de convergência. um investimento significativo para empresas A alemã Impressoras Online, em Neustadt- que geralmente são grandes pequenas empresas. -an-der-Aisch, perto de Nuremberg, pode faIndependente do negócio, a impressão espezer qualquer coisa com seu arsenal de impres- cia lizada tem bons dias pela frente, pois não é soras convencionais e digitais. Quando não fácil diversificar. Sem dúvida, é mais fácil pertem condição, ela facilmente terceiriza o ser- manecer fiel ao negócio básico, estendê-lo ao viço. O mesmo acontece com grupos interna- máximo e, acima de tudo, buscar novas opções cionais, como o Cimpress, ou mais regionais, com ganhos de produtividade, a exemplo das como o Printoclock, em Toulouse, na França, diversas soluções que foram apresentadas na por exemplo. Printoclock, começou como um Vir tual Drupa 2021.

38 REVISTA ABIGR AF

janeiro /março 2022


PUBLIEDITORIAL

Por que o mercado gráfico deve investir em soluções de embalagens? Na prática! 1 Protege produtos gráficos contra batidas, dobras e/ou riscos: as embalagens são altamente resistentes, garantindo os produtos contra danos vindos de manuseio, transporte e armazenamento. 2 Evita exposição à poeira, sujeira, umidade e outros: a embalagem age como uma barreira, protegendo os produtos contra o ambiente, conservando a aparência de nova, mesmo depois de meses armazenadas.

A Gráfica Viena, em Santa Cruz do Rio Pardo, interior de São Paulo, tem a seladora em L + túnel de acabamento da Tecfag para finalização dos seus produtos

Porque garantir segurança e a qualidade do produto final deve ser um compromisso! Com 12 anos de experiência e excelência em suas atividades, a Tecfag atende a indústria gráfica com soluções essenciais para garantir a qualidade do produto final. Especialista em automação de processos fabris e fim de linha, a empresa atende, também, outros segmentos do mercado, sempre com o objetivo de aumentar a eficiência e a produtividade dos seus parceiros. Garantir a qualidade do produto pronto é uma etapa bastante importante no setor gráfico. Afinal de contas, levar o produto ao consumidor final implica em protegê-lo para facilitar seu escoamento com segurança no processo logístico. Os equipamentos mais utilizados para esse fim são as seladoras em L e os túneis de encolhimento. Esses dois processos, a termosselagem e o termoencolhimento, evitam problemas de desgastes dos produtos, facilitando seu transporte e manuseio. No primeiro processo, realizado por meio de seladoras em L, os produtos são envoltos com plástico filme e, em seguida, selados. No segundo, realizado por meio de túneis de encolhimento, o plástico filme é retraído através do calor e fica moldado no mesmo formato do produto. Esses dois processos são comumente utilizados em conjunto. A Tecfag tem mais de 10 modelos de seladoras, automáticas e semiautomáticas. As diferenças entre os modelos serão sempre o tamanho dos produtos a serem selados e a produtividade esperada.

3 Facilita o manuseio, armazenamento e distribuição das mercadorias: os produtos podem ser empacotados em lotes, o que facilita seu manuseio, armazenamento e distribuição. 4 Identificação do produto empacotado: diferente de caixas, por exemplo, essa embalagem é totalmente transparente, permitindo que os clientes visualizem claramente o produto. 5 Simplifica a realização de listagens dos produtos: quando empacotados por lotes facilitam a realização de inventários e controle. 6 Solução com excelente custo-benefício: comparada a outras soluções de embalagens, essa é a que apresenta melhor custo-benefício.

PROJETANDO O FUTURO DA INDÚSTRIA NO BRASIL

Visite nosso site

0800 947 5000 www.tecfag.com.br

janeiro /março 2022

REVISTA ABIGR AF

39


MUDANÇA Texto: Evanildo da Silveira

Ronaldo Arakaki assume a presidência da Konica Minolta

Manter a empresa como referência em impressão digital colorida de produção é o desafio.

Com longa carreira na empresa, Ronaldo Arakaki, desde janeiro, é o novo President & COO da Konica Minolta do Brasil

40 REVISTA ABIGR AF

janeiro /março 2022

D

esde janeiro, a Konica Minolta Business Solutions do Brasil, tradicional fabricante de impressoras digitais, tem novo presidente e chefe de operações. Ronaldo Arakaki assumiu o posto de President & COO no lugar de Takahito Mitsuhashi, que ocupou o cargo até dezembro de 2021 e agora seguirá como Chairman & CEO. Arakaki é o primeiro brasileiro a ocupar o cargo. Para o executivo, depois de passar por diversos setores da empresa, ser convidado para assumir a presidência foi, ao mesmo tempo, a realização de um sonho e também um grande desafio. “Sem dúvida, este é o momento mais desafiador de minha carreira”, revela. “Mas tenho um time especial e, com certeza, poderei contribuir, ao lado de meus colegas e amigos, para manter a Konica Minolta como referência em tecnologia de impressão no Brasil.” A empresa fechou 2021 com crescimento no lucro operacional. No Brasil, a Konica Minolta se manteve na liderança em market share em equipamentos de impressão digital de produção em cores. “Isso nos dá motivação para traçar momentos ainda melhores para 2022”, diz o novo presidente. “Claro, prevemos dificuldades também, sobretudo com relação à oscilação de preços e custos devido ao câmbio e de fornecimento de matéria-prima, algo que tem afetado as indústrias globalmente, e o mercado gráfico não é diferente.” De acordo com Arakaki, a impressão digital vem expandindo suas aplicações para vários segmentos. “Prova disso é a digitalização crescente do mercado de embalagens, rótulos e etiquetas, para os quais temos soluções bastante atraentes em termos de qualidade, produtividade e

custo-benefício por meio da linha AccurioLabel”, explica. “Outro dado interessante é a demanda cada vez maior por automação, que se torna um ponto de diferenciação entre os equipamentos, uma vez que enxergamos qualidade como obrigação.” Em 2022, a Konica Minolta pretende seguir forte na área de impressão digital profissional colorida e nos segmentos que precisam de alta qualidade de cor e imagem. “Neste ano, estamos lançando na ExpoPrint a AccurioPress C 7100, novo modelo que eleva os níveis de automação e flexibilidade para nossos clientes. Temos ainda a AccurioLabel (190 e 230), que faz sucesso dentro do mercado de rótulos devido à simplicidade operacional e qualidade de impressão.” Nesse quadro, a meta de Arakaki é coordenar o time para prosseguir com a reestruturação necessária, diante das mudanças que a pandemia trouxe. “Foram dois anos de várias adversidades, mas estamos muito otimistas, mesmo porque conseguimos aumentar o lucro operacional, ainda que houvesse grandes obstáculos”, diz. O executivo planeja ainda dar sequência ao processo de transformação digital, uma das principais diretrizes da companhia. Ela passa não apenas pelos produtos e serviços, mas pelos processos como um todo. Quanto à ExpoPrint & ConverExpo 2022, que ocorre no começo de abril, em São Paulo, o novo presidente diz que a Konica Minolta tem grandes ex pectativas. “ Tradicionalmente nosso estande é um dos mais movimentados, e esperamos o mesmo desempenho este ano.” Além do lançamento da AccurioPress C7100, a empresa apresentará as impressoras AccurioPrint C4065 e a AccurioPress C14000, que se destacam pela alta produtividade e automação, além da AccurioLabel 230, impressora digital em cores para o segmento de rótulos e etiquetas. KONICA MINOLTA www.konicaminolta.com.br


REFORMULAÇÃO

Intergrafica, sempre Intergrafica Depois de passar alguns anos usando a marca Ferrostaal, a marca tradicional da indústria gráfica brasileira volta a predominar: Intergrafica Print & Pack, agora com autonomia nacional.

S

em dúvida, a Intergrafica Print & Pack faz parte da história da indústria gráfica brasileira, com mais de 60 anos de atuação. Tradicional fornecedora do setor gráfico e ligada ao grupo alemão Ferrostaal, a marca foi reintroduzida por meio de um processo management buyout1 e hoje é controlada pelos dois diretores brasileiros, Janio Coelho e Pedro Henrique Neto. De acordo com Janio, CEO da nova empresa, a marca Intergrafica Print & Pack nunca foi desativada, mantendo-se como nome forte do setor. Ela pertencia à Ferrostaal, controlada pelo grupo alemão MPC. “Em determinado momento os gestores da matriz decidiram mundialmente, usar o nome Ferrostaal”, explica. “No Brasil, criamos a Ferrostaal Equipamentos e Soluções, mas o nome fantasia sempre foi mantido como Intergrafica Print & Pack. ” Desde 2016, Janio vinha fazendo com a nova direção da empresa o buyout, promovendo paulatinamente a transferência da administração para o Brasil. “Isso faz todo o sentido, porque até 2014, 2015, a Intergrafica da Alemanha financiava os equipamentos”, conta. “Era ela, na verdade, que comprava das fábricas e era a exportadora, embora as máquinas viessem dos fabricantes diretamente para os usuários finais.” Em 2014, como resultado das diversas crises que assolaram o mundo, a matriz 1 Aquisição de uma empresa por parte dos seus gestores

Os diretores da agora brasileira Intergrafica Print & Pack (E/D): Janio Coelho e Pedro Henrique Neto

deixou de promover financiamentos, e assim, não havia razão para as compras continuarem passando pela Alemanha, gerando “doble cost”. A direção da matriz, entendeu que fazia sentido a brasileira Ferrostaal Equipamentos e Soluções assinar os contratos diretamente com os fabricantes. Assim foi feito com a RMGT, Horizon, Eterna (membro do grupo Bobst) e com a francesa MGI. A subsidiária brasileira passou a ter total independência negociando diretamente dos fabricantes. “A operação não mudou para nossos clientes, pois eles continuam adquirindo os sistemas como faziam antes”, diz Janio. Desde a Drupa de 2016 a Ferrostaal Equipamentos e Soluções trabalha de forma independente e com bons resultados no Brasil. Mas ainda havia uma questão. “Apesar de independentes, continuávamos com uma estrutura pesada”, lembra Janio. A saída encontrada pelo time brasileiro foi a apresentação de um plano em que a Ferrostaal Equipamentos e Soluções não dividiria mais os custos administrativos e gerais com as outras unidades da Ferrostaal no Brasil (petróleo e gás, projetos industriais, energia renovável, entre outros setores). MARCA NACIONAL

Depois que o plano foi apresentado aos gestores alemães, estes começaram a estruturar a separação da divisão gráfica. Cumpridas as metas estabelecidas pelo grupo alemão em 2018, 2019 e 2020, o buyout se

oficializou em maio de 2021, com a criação de um novo CNPJ para Intergrafica Print & Pack. “Houve a cessão da marca, que hoje nos pertence”, destaca Janio. Atualmente, o portfólio da Intergrafica inclui impressoras offset RMGT (Ryobi Mitsubishi Group), linhas de acabamento da Horizon e da MGI e, para embalagens, máquinas de corte e vinco e coladeiras da Eterna. A empresa fechou o primeiro semestre de atuação 100% da marca brasileira no último dezembro com resultados animadores e deve concluir 2022 também de forma positiva. “O ano que vem será de consolidação, com a empresa deslanchando, para ficar cada vez mais forte, em todos os cantos do Brasil”, adianta Janio. “Estamos bem-posicionados em vários locais, mas queremos retomar um contato mais próximo com regiões importantíssimas, como o Nordeste e Minas Gerais. A partir de meados de 2022 e em 2023 vamos focar nessa reestruturação em nível nacional. ” Pedro Henrique, diretor Técnico, trouxe com sua experiência e reputação um suporte interno e externo de altíssimo nível, fundamental para que o planejamento pudesse ser implementado. Ele também tem participação ativa no setor comercial, sempre apoiando e compartilhando todas as ideias em cada negócio. Assim, o comprometimento com o resultado pós-venda fica ainda mais fortalecido. INTERGRAFICA janiocoelho@ippack.com.br

pedrohenrique@ippack.com.br

janeiro /março 2022

REVISTA ABIGR AF

41


Joanna Marini

CONEXÃO BRASÍLIA

Roberto Nogueira Ferreira

S

SOBRE BULAS E CARDÁPIOS. As bulas impressas em seu labirinto

e fosse só produzir e vender. Atender pedidos e imprimir. Dar ao papel conteúdo, cor e forma. Transformar o branco do papel em documento essencial. Tudo seria simples e fácil como sempre foi. Sim, porque a indústria gráfica há mais de dois séculos informa e eterniza o que interessa à sociedade brasileira. De repente, não mais que de repente, eis que a tecnologia chega, avança, ocupa espaços, para o bem e para o mal. A bula impressa, quieta em seu canto, cumprindo indispensável papel social, se vê comparada ao cardápio de um botequim qualquer, com todo respeito que eles, os botequins, bares e restaurantes merecem. O parlamentar que propõe o fim da bula impressa parece desconhecer as desigualdades no acesso à Internet. Desconsidera, por outro lado, que o consumidor é em regra um ser vulnerável tecnologicamente e que, portanto, cabe ao fabricante o ônus de lhe fornecer todas as informações necessárias, que hoje presentes estão na bula impressa. Que informações seriam essas? Por exemplo: O que é essencial saber antes de usar o medicamento. Como o medicamento age em seu organismo. Quando e em que situações o medicamento não deve ser usado. Quais são as advertências e as precauções necessárias que o consumidor idoso deve ter. O que fazer frente a reações adversas. Qual é a dosagem recomendada. Enfim, são informações básicas que protegem o consumidor e, também, o fabricante, por isso elas devem estar impressas no documento que formaliza essa relação, no caso, a bula. Papel impresso é documento, para ambas as partes. Outro aspecto que permeia debates quando se trata de papel impresso, e não é de hoje, é o falso argumento sobre a “devastação de florestas nativas”. A tecnologia, no caso, poderia favorecer os mal informados, ainda que bem intencionados. É só pesquisar no Google que

42 REVISTA ABIGR AF

janeiro /março 2022

lá se encontra: 100% da celulose utilizada no Brasil, que se transforma em papel, são derivadas de árvores plantadas exclusivamente para fins industriais. Não se derruba árvore nativa para fazer papel. Outra pesquisa disponível e necessária pode evidenciar a realidade aos parlamentares e demais interessados em “bula eletrônica”. A referência é sobre como a bula é vista aos olhos do mundo. Vejamos alguns países em que a bula impressa é obrigatória por Lei: Bélgica, Dinamarca, Alemanha, Áustria, Finlândia, Estônia, Hungria, Itália, Suécia, Suíça, Países Baixos, Portugal. E tantos outros mais. A proposição, além de equívocos formais no texto original do Projeto de Lei, em parte contornados no Substitutivo aprovado na Câmara dos Deputados no apagar das luzes de 2021, continua a carecer de debates profundos no âmbito do Congresso Nacional — exame em Comissões Técnicas e Audiências Públicas —, para se conhecer o posicionamento das entidades de defesa do consumidor, da classe médica/hospitalar, dos fabricantes, dos órgãos responsáveis pelas políticas públicas de saúde, de representantes do poder judiciário, pois, muito além do avanço tecnológico, estamos a falar, ao fim e ao cabo, de vidas humanas e não humanas, inserindo-se o universo dos animais. Medicamentos e filé com fritas são incomparáveis. Mitigar os riscos, construir uma proposta final que contenha avanços tecnológicos é natural e saudável. Foge à naturalidade propor o fim da bula impressa em um país que tem 14 milhões de desempregados e 20 milhões de cidadãos vivendo abaixo da linha de pobreza. Todos, potenciais e efetivos consumidores de medicamentos. Muito provavelmente, sem acesso à internet. Roberto Nogueira Ferreira é consultor da Abigraf Nacional em Brasília roberto@rnconsultores.com.br


AQUISIÇÃO Texto: Tânia Galluzzi

“Seguiremos empoderando o impresso” Equipe de comando da Plural. Em pé (E/D): Welder Garcia, gerente Comercial e de Orçamentos; Welinton Martins, gerente de Produção e Inovação; Carlos Jacomine, presidente; Rogério Cordeiro, gerente Administrativo e Financeiro; Marco Cruz, gerente Comercial e de Marketing. Sentadas (E/D): Patrícia Souza, gerente de Atendimento ao Cliente e PPCP; Adriana Gasparini, gerente de Gestão Humana e Recursos Socioambientais; Ivana Freire, gerente Jurídica; Fabiana Polla, gerente de Qualidade e Projetos Especiais

Plural é adquirida por seu diretor geral, Carlos Jacomine, e deve expandir sua atuação nos segmentos de livros didáticos e impressos de segurança.

N

o dia 13 de janeiro uma notícia surpreendeu o universo da impressão: a venda da Plural, detentora do maior parque gráfico da América Latina, capaz de rodar 1,5 milhão de cadernos de 16 páginas por hora. Não menos impactante foi a revelação do comprador. A empresa foi adquirida por seu funcionário número 1, Carlos Jacomine, contratado em 1993, antes mesmo de a companhia adquirir os contornos que a definiriam e a levariam à liderança do mercado. Sem revelar detalhes e valores em função de contratos de confidencialidade, o executivo afirma que a aquisição se deu com recursos próprios após um ano de negociações. A venda começou a ser cogitada após a oferta pública de ações (IPO) do PagSeguro, sistema de pagamentos do UOL , em 2018, que levantou US$ 2,7 bilhões na bolsa de valores de Nova York. O UOL , grupo brasileiro de conteúdo, produtos e serviços de internet, possuía então 48% da Plural. A preferência seria da Quad/ Graphics, detentora de 49% da gráfica — os 2% restantes estavam nas mãos do Grupo Folha, criador do UOL em 1996 —, porém a companhia norte-americana, uma das maiores provedoras mundiais de soluções para impressão, declinou do negócio. Respondendo ao conselho de gestão do UOL, a Plural acabou se tornando uma atividade marginal dentro do grupo. A Quad, por sua vez, estava às voltas com questões às quais as empresas americanas estão pouco acostumadas: inflação batendo os 8% e escassez de matériasprimas, consequências diretas da pandemia. Estava escrito o enredo para que Jacomine, que

ingressou na Folha como gerente administrativo em 1993, assumindo três anos depois a direção geral da gráfica, se apresentasse como uma alternativa viável. “Quem está de fora tende a ter uma visão mais crítica em relação ao futuro da indústria gráfica. Admito que é um mercado que não cresce, porém está cheio de oportunidades”, diz o executivo. No caso da Plural, tais brechas respondem pelo nome de impressos de segurança e livros didáticos, embaladas pela saúde financeira da Plural. “O impresso não vai acabar, e o mercado, superofertado, vai se acomodar. E a Plural continuará lutando com o trinômio qualidade, prazo e preço para se manter na liderança.” Hoje, 25% da receita da Plural advém de produtos de segurança como certificados, loterias e provas, 25% de impressos comerciais como catálogos, 15% da produção de revistas e 20% de obras didáticas e paradidáticas. No campo educacional, de acordo com Jacomine, a Plural tem entre 5 e 7% do mercado e o objetivo é elevar essa participação para 15% ao longo de 2022. “No ano passado fizemos um robusto investimento em um núcleo de impressão digital, complementando nosso parque em offset, e seguiremos empoderando o impresso com tecnologia.” O presidente da gráfica, instalada no município de Santana de Parnaíba, na Grande São Paulo, faz questão de também valorizar sua equipe de 700 profissionais: “Temos um time coeso e todos os gerentes estão comigo há mais de 20 anos. Isso faz toda a diferença”. PLURAL INDÚSTRIA GRÁFICA www.plural.com.br janeiro /março 2022

43 REVISTA ABIGR AF


PODCAST

Terceira temporada começa discutindo custo do papel Primeiro episódio de 2022 do Ondas Impressas recebe Guilherme Miranda, diretor comercial da Suzano, que destrincha as causas da elevação no preço do papel para imprimir e escrever.

44

N

o dia 2 de março estreou a terceira temporada do Ondas Impressas, podcast de negócios voltado ao universo da impressão. O programa debruçou-se sobre a questão do aumento de preço do papel, tendo como convidado Guilherme Miranda, diretor comercial da Suzano. No dia 20 de janeiro, a companhia, atualmente a única fabricante de papel couché LWC no continente americano, comunicou ao mercado um aumento de 35% na sua linha de revestidos. A notícia provocou forte reação do setor gráfico e, após reunião com a Abigraf Nacional, a empresa revisou a aplicação do reajuste, dividindo os aumentos entre os meses de março e junho.

Guilherme Miranda, diretor comercial da Suzano

REVISTA ABIGR AF

janeiro /março 2022

Além de abrir espaço para as explicações da Suzano, o podcast traz informações sobre o atual cenário do papel para imprimir e escrever no Brasil e no mundo e os problemas que a indústria gráfica vem enfrentando com a elevação de custo de sua principal matéria-prima. Ainda no ano passado, o programa, comandado pela jornalista Tânia Galluzzi e pelo consultor Hamilton Costa, falou em seus últimos episódios sobre o Congresso Internacional de Tecnologia Gráfica, realizado no final de novembro, contando com a participação de Wilson Paduan e Francisco Veloso, ambos membros do conselho diretivo da ABTG; os impactos da tecnologia 5G na indústria, abordados por Osvaldo Lahoz Maia, gerente de Inovação e de Tecnologia do Senai-SP, e Élcio de Sousa, diretor das Escolas Senai Theobaldo De Nigris e Barueri; fechando a segunda temporada com um balanço dos temas discutidos ao longo de 2021. Todos os episódios estão disponíveis nas principais plataformas de podcast (Spotify, Amazon Music, Apple Podcasts, Google Podcasts, Deezer, Overcast, Castbox e Stitcher) e também no canal do Ondas Impressas no YouTube. ONDAS IMPRESSAS Site: ondasimpressas.buzzsprout.com E-mail: ondasimpressaspodcast@gmail.com Instagram: @ondasimpressas LinkedIn: Ondas Impressas


Para onde vai a LQG~VWULD JUiÀ FD em um mundo FDGD YH] PDLV digital? E sua empresa? +55 11 5093-0734

hterni@anconsulting.com.br

Pergunte a quem sabe e que pode te ajudar nesse momento GH WUDQVLomR H GHVDÀ RV ( VH EHQHÀ FLH GH VXD DVVHVVRULD DVVLP FRPR PXLWDV JUiÀ FDV QDV $PpULFDV HQWUH RXWUDV D 7UDQVFRQWLQHQWDO GR &DQDGi D &DGHQD H D /HJLV GD &RO{PELD D 4XDG GD $UJHQWLQD D 4XHEHFRU GR 0p[LFR D &RQJUDI 5HGRPD H $OWHURVD GR %UDVLO H HP GH RXWURV SURMHWRV +DPLOWRQ 7HUQL &RVWD e sua equipe internacional na AN Consulting. Autor do livro *UiÀ FD XPD LQG~VWULD HP WUDQVIRUPDomR


Cesar Barreto

Fazedor de imagens

2

46

C

esar Barreto parece querer se livrar do papel de obreiro das imagens. Diz estar a caminho da aposentadoria como fotógrafo pela ausência de uma visão clara quanto ao futuro da atividade. “Sem trazer vocação para fazer vídeos, pilotar drones, intentos de mergulhar de cabeça no metaverso ou ficar na pendência de descobrir quando enfim seremos substituídos por uma poderosa inteligência artificial, tenho ganas de plantar sardinhas e pescar olivas em alguma ilha açoriana, enquanto aguardo um vulcão salvador.” Ranzinza, decepcionado com um país que maltrata os que o amam, cansado de remar contra a maré. Independente da caixinha na qual


F OTOG R A F I A Niterói. “Mentiria fragorosamente se dissesse ter havido uma identificação imediata com o meio. O laboratório, contudo, me pegou de jeito e daí a fascinação deslanchou.” Não demorou muito para Cesar tornar-se assistente em um estúdio. Sem planejamento, depois de uns 15 anos de estrada Cesar finalmente enxergou-se como fotógrafo, seguro do que poderia oferecer. Se o olhar e a técnica estavam ao seu dispor, a lida com clientes, equipes de produção e egos inflados o desagradava. “Com o passar dos anos fui limitando meu campo de trabalho, tornando-me laboratorista, atividade que garantia sossego. Nos últimos anos transferi essa linha de atendimento para o laboratório digital, o que vem a ser muito conveniente para quem adotou a roça mineira e sobrevive a uma epidemia há dois anos.” Nesse meio tempo, exposições, livros, workshops, ampliações em PB para obras de outros fotógrafos, premiações e presença em acervos

Cesar Barreto acumula mais de quatro décadas de dedicação à fotografia, com atuação em diferentes segmentos, como ensaísta, instrutor, impressor em laboratório analógico e digital e eventual articulista em revistas especializadas. Texto: Tânia Galluzzi

3

1 Farol de Cabo Frio – do livro “Faróis” – Andrea Jakobsson Estúdio, 2021 2 $44 – Série “Moedas de Areia”, exposta no MNBA, 2009 3 Museu Nacional da República – do livro “A Doce Revolução de Oscar Niemeyer” – 19 Design Editora, 2007 4 Farol de Cabo Frio – do livro “Faróis” – Andrea Jakobsson Estúdio, 2021

queiramos aprisioná-lo, o fato é que a rea lidade desmente as divagações desse carioca de 64 anos, 40 dos quais dedicados exclusivamente à fotografia. Ele acaba de lançar o livro Faróis, produzido a convite do Andrea Jakobsson Estúdio Editorial em parceria com a também fotógrafa Gabi Carrera e textos de Marcelo Campos. A obra, impressa pela Ipsis, se propõe a traduzir a importância histórica e a diversidade de estilos construtivos de 30 luzeiros espalhados pelo litoral brasileiro, de Norte a Sul. Cesar cuidou também do tratamento final das imagens. A atenção na pós-produção nos dá a pista do que no universo da fotografia cativou o Cesar adolescente e frequentador de um curso básico na Sociedade Fluminense de Fotografia, em

4

47


5

6

de instituições como o Museu de Arte do Rio e a Coleção Masp/Pirelli. Incitado a pinçar, desses, o trabalho mais marcante, Cesar milita a favor dos amantes da impressão ao afirmar que “os projetos mais significativos são aqueles 7

melhores papéis em PB disponíveis no mundo, as quais espero que venham a preservar por um bom tempo a afamada fotogenia carioca.” Para nosso deleite, apesar da atratividade das sardinhas e das oliveiras, Cesar Barreto continua a nos regalar com suas imagens. Que o ímpeto de criar trabalhos únicos, com as suas digitais, mantenha-se mais forte que os ventos que sopram nos Açores. 8

5 Congresso Nacional – do livro “A Doce Revolução de Oscar Niemeyer” – 19 Design Editora, 2007 6 Meguilat – da exposição “Lusa – A Matriz Portuguesa” – CCBB, Rio, 2007 7 Museu do Amanhã – para catálogo de abertura, 2015 8 Repolho – ensaio pessoal, circa 1990 9 Tempestade em formação no Arpoador II – exposição “Rio Pictoresco” – MNBA, 2000, e livro homônimo da Editora Casa da Palavra, 2013

CESAR BARRETO www.

48

que escapam da efemeridade e ganham forma de livro, onde minha visão se rea liza na interpretação de obras de terceiros ou de temas da própria natureza”. E daí emerge Rio Pictoresco, editado pela Casa da Palavra em 2013, seu primeiro livro autoral. Cesar conta que o projeto nasceu da percepção de que o Rio é metrópole com uma das mais ricas iconografias conhecidas, mas que nas décadas finais do século XX vinha sendo maltratada e com sérios riscos de conservação, pois praticamente todo o acervo fotográfico recente vinha sendo feito em cor, formato pequeno ou nos laboratórios estressados das redações de imprensa. “Assumi uma linguagem totalmente clássica e adotei as câmeras de grande formato e panorâmicas, produzindo ampliações nos


RAÍZES Texto: João Scortecci

Raridades da Biblioteca do Mosteiro de São Bento Biblioteca do Mosteiro de São Bento, no coração da cidade de São Paulo, teve início com a fundação do Mosteiro, em 1598. Hoje, o acervo, um dos mais antigos do Brasil, é constituído por obras impressas que revelam aspectos da cultura beneditina. Contém exemplares de livros antigos, desde incunábulos, do século XV, obras do século XVI ao XVIII, além de um grande acervo dos séculos XIX e XX , que, com as coleções de periódicos, totalizam mais de 115.000 volumes, dos mais diversos assuntos sobre Teologia, Patrística, Escritos Monásticos, História Geral, História da Igreja, História do Brasil, Filosofia, Literatura, além de outras áreas das ciências humanas. Um exemplar da “Bíblia de Gutenberg”, o pai da imprensa, datada de 1496, é o livro mais raro do acervo. Entre outras raridades da biblioteca, destacam-se: um comentário da Bíblia, em latim, de 1500; uma Bíblia em alemão, de Martinho Lutero, de 1656; a enciclopédia “História Natural do Brasil”, do médico e naturalista holandês Guilherme Piso, com ilustrações do holandês Albert Eckhout, datada de 1658 e um dos primeiros registros de fauna e flora brasileiras; os tratados do filósofo grego Aristóteles, nos idiomas grego e latim, de 1607; edições de “O Príncipe”, de Maquiavel — todas do século XIX ; “Steganographia”, de 1676, obra do monge Johannes Trithemius, que trata da ocultação de mensagens e remete a escritos esotéricos e códigos; um exemplar do “Alcorão”; alguns volumes da “Encyclopédie”, de Diderot, do século XIX ; “Sermões”, do

Mestre Eckhart, dominicano alemão do século XIV; e um antifonal, de 1715, com resumos de salmos da Bíblia, base para o canto gregoriano. Os primeiros registros da história dessa biblioteca são de 1750, quando as aquisições começam a aparecer em atas dos capítulos — nome dado às reuniões internas dos monges. Eram obras vindas da Europa, principalmente do antigo Mosteiro de São Martinho de Tibães, em Braga, Portugal. Na época, entre os beneditinos estava o escritor e historiador Frei Gaspar da Madre de Deus (Gaspar Teixeira de Azevedo, 1715–1800), considerado um dos primeiros historiadores de São Paulo. “[…] pensara que todo livro falasse das coisas, humanas ou divinas, que estão fora dos livros. Percebia agora que não raro os livros falam de livros, ou seja, é como se falassem entre si. À luz dessa reflexão, a biblioteca pareceume ainda mais inquietante. Era então o lugar de um longo e secular sussurro, de um diálogo imperceptível entre pergaminho e pergaminho, uma coisa viva, um receptáculo de forças não domáveis por uma mente humana, tesouro de segredos emanados de muitas mentes, e sobrevividos à morte daqueles que os produziram, ou os tinham utilizado.” UMBERTO ECO, EM “O NOME DA ROSA”

João Scortecci é gráfico e editor scortecci@gmail.com

49 janeiro /março 2022

REVISTA ABIGR AF


MENSAGEM

Adivinhação não vale!

te é, com certeza, Para a indústria gráfica esor de sua história. o momento mais desafiad xima que nos eças. Gosto de pensar na má cab as são ulo Pa o Sã pois, não é igraf Regional ecisão se toma na hora!”. De “D ra: sur Estou na presidência da Ab sus o acertada. o editorial que escrev Já é realização. Errada ou o. isã dec is desde 2021. Este é o quart ma olada pela concorrência primeiro, “Carta aos Para a indústria gráfica, ass para a Revista Abigraf. No s sta po pro pelo desequilíbrio de resentei dias eletrônicas e castigada mí cavaleiros de Gutenberg”, ap s da i let sente mais no seg undo, ref o, este é, com certeza, o pre um ins e ços para a gestão da entidade; pre iros dias de gestão; Falar, então e agora, de sobre a sina dos 100 prime desafiador de sua história. s vei ssí po s ho son ei ssível guerra mundial? ecisões por causa de uma po no terceiro editorial, justif iqu ind , ste Ne ”. blicado, na edição o de 2022 quando este editorial for pu z, para as resoluções para o an lve Ta a ad tom a seja mais um desafios para de 2022, a ameaça de guerr rço ma proponho ref lexões sobre os de er do futuro? indústria gráfica. sim espero. O que então faz As do. de decisões no presente da ssa pa eres na sede os os dias — nos Certa vez, num evento de líd O presente — o nosso, de tod sor fes pro o do hoje! Não o Paulo, a. Que nos livre da paralisia voc da Abigraf, na cidade de Sã con do em os, sacrif ícios grande vantag julgar antecipadamente err os am cis Delfim Netto nos disse: “A pre . uro”. Rimos. Muito tomada de decisões, passado é que ele já foi o fut e medos. Podemos promover s vei nsá po res s do nossa experiência O professor Delfim foi um tas ou erradas, com base em cer do ca épo de uma “bola de Paulo, na sibilidade. Não precisamos pela minha vinda para São sen e . 72 19 desafios, co”, no ano de Podemos correr riscos, novos l”. chamado “milagre econômi sta cri nistro, errando te e do “achismo Aprendemos juntos! Ele, mi sem as adivinhações da sor to, uie inq no o chegaremos a , alu rutural”. Fora isso, creio, nã e acertando ferozmente. Eu est do ean ern esp do, do de um futuro o, protestan uir, neste presente, o passa str questionando, perguntand con es, açõ endo alucin r e que possa ser e — quase diariamente — viv que queremos que seja melho . sil” Bra de da ali “re ssas decisões de hoje. tragédias e conquistas da julgado com as razões de no uro fut m ne do ssa struir o A realidade — que não é pa Ao trabalho, então, para con cos ris e põ e nos im berg! — é o momento presente, qu presente, com alma de Guten lso pu im do te, tan ins do e nos cobra decisões ao mesmo tempo, inesperado e da sur presa, e, scortecci@g mail.com os, tem e qu to en im hec con no s são baseada razões e fatos vividos. responsável ou não, sobre as Tomamos decisões no Não poderia ser diferente. sibilidade — únicas jogo entre experiência e sen istadas por nós, e de mais ninguém — conqu balho. Faz parte! empresários, com suor e tra enhar o meu ideal Levei muito tempo para des fil da natureza humana. de vida, considerando o per usta. O futuro — que um Simples e cruel. Desleal e inj no passado — responde, dia foram decisões tomadas por acertos, erros e quase que na sua totalidade, sente. Não temos bola de sacrif ícios realizados no pre ela época, ainda estudante. cristal! Assim pensei, naqu que o hoje virou um fica Quando julgamos — depois Bra sileira da Indústria Grá arente. nsp Presidente da Associação Tra . ico lóg e ro cla is ) ma f-SP ontem — tudo fica Regional São Paulo (Abigra sabido e esperto. Assim is ma a fic ões raz s da o nd O mu

E

J oão Scortecci

50 REVISTA ABIGR AF

janeiro /março 2022


Nós temos os melhores acabamentos para seu produto gráfico. Sempre. Nossos acabamentos: GreenPacking: Laminação (BOPP, Holográfico, Antirrisco, Soft Touch e Metalizado), Vernizes UV Total, Reserva e Serigráficos (Gloss, Mate, High Print, High Color, Texturizado e Glitter). GreenStamp: know-how exclusivo em Hot Stamping e Relevo.

ENTRE EM CONTATO E PEÇA SEU CATÁLOGO

De acabamento nós entendemos.

Av. do Anastácio, 50 Parque São Domingos São Paulo SP CEP 05119-000 Fones: (11) 2936.2000 e (11) 2936.2006 greenpacking.com.br bruno.felipe@ greenpacking.com.br jjesus@greenpacking.com.br

Brainstorm

Qual o seu acabamento gráfico preferido preferido?



Issuu converts static files into: digital portfolios, online yearbooks, online catalogs, digital photo albums and more. Sign up and create your flipbook.