Page 1

RELATÓRIO DE AT I V I D A D E S

2014


ÍNDIC E 05 PALAVRA DOS PRESIDENTES

07

ABIGRAF-SP E SUAS SECCIONAIS

08 MISSÃO E OBJETIVOS

09 DIRETORIA

10 GRUPOS EMPRESARIAIS

13 GRUPOS DE TRABALHO

14 FEIRA OFFICE BRASIL ESCOLAR E 1º SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO ABIGRAF-SP RECEBE DIRETORIA EXECUTIVA DAS REGIONAIS

16

19

SINDIGRAF-SP

20 MISSÃO E VISÃO

21

22 II ENCONTRO NACIONAL DE SINDICATOS DA INDÚSTRIA GRÁFICA

24 COPAGREM

26 PESQUISA DE SALÁRIOS E BENEFÍCIOS NA INDÚSTRIA GRÁFICA PAULISTA

27 BANCO DE EMPREGOS

27

28

LANÇAMENTO DA CAMPANHA TWO SIDES

DIRETORIA

II FÓRUM GESTORES DE RH DA INDÚSTRIA GRÁFICA

30

AÇÕES DESENVOLVIDAS

32

PESQUISA TWO SIDES – O QUE O BRASILEIRO PENSA DA COMUNICAÇÃO IMPRESSA?

34

AÇÕES CONJUNTAS

36 CAPACITAÇÃO

38 CAPACITAÇÃO SECCIONAIS

40 FEIRA EXPOPRINT LATIN AMERICA

42 PROJETO BIBLIOTECAS

44 ALMOÇO DE CONFRATERNIZAÇÃO DA INDÚSTRIA GRÁFICA

46

PUBLICAÇÕES

48 REVISTA ABIGRAF, ANUÁRIO, BOLETIM IMPRESSÕES E SONDAGEM DA INDÚSTRIA GRÁFICA

50 IMPRESSÕES.COM, COMUNICADOS JURÍDICOS E CONVENÇÃO COLETIVA

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014

3


4

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014


PA L AV R A

DOS

P R ES I D E N T ES

Ação local, alcance nacional Dando voz a um universo de 7 mil empresas, responsáveis por mais de 50% do PIB gráfico nacional, as entidades representativas da indústria gráfica paulista protagonizaram em 2014 ações cujo impacto para o avanço do setor transcenderam as fronteiras do estado. Dois exemplos dessa expressividade nacional derivam do protagonismo do Sindicato das Indústrias Gráficas no Estado de São Paulo (SINDIGRAF-SP) em defesa da atividade: a campanha Two Sides Brasil e o Comitê da Cadeia Produtiva do Papel, Gráfica e Embalagem (Copagrem). A Two Sides Brasil, campanha mundial em defesa da comunicação impressa, foi lançada em abril e conquistou apoio imediato das entidades da cadeia e visibilidade nos mais importantes veículos de comunicação. De lá para cá, como você poderá conferir neste Relatório de Atividades, a Two Sides Brasil desenvolveu material para a divulgação de suas propostas, participou de feiras com estande próprio e realizou, com o Datafolha, a primeira pesquisa nacional para descobrir o que o brasileiro pensa da comunicação impressa. O Copagrem, criado no âmbito da Federação das Indústrias no Estado de São Paulo (Fiesp), é mais um exemplo de união da cadeia produtiva para a construção da competitividade. Coordenado pelo nosso Sindicato, o Comitê já conta com a adesão de 40 entidades patronais e fechou 2014 com seis reuniões realizadas e quatro grupos de trabalho em atividade.

Como mostram as páginas a seguir, o impulso à competitividade do setor e à melhoria do ambiente de negócios motivou também a realização de cursos e palestras de capacitação, a constante melhoria do banco de empregos e a viabilização do Projeto Bibliotecas, em conjunto com a regional paulista da Associação Brasileira da Indústria Gráfica (ABIGRAF-SP). Mais uma vez, o Projeto Bibliotecas beneficiou duas cidades do interior paulista com a modernização de uma biblioteca pública, como acontece desde 2005, quando ele foi criado. Em 2014, as seccionais de Bauru e de Ribeirão Preto das duas entidades elegeram os municípios de Piratininga e de Guatapará para receber o benefício, atraindo autoridades e mídias locais em cerimônias que realçaram o insubstituível valor do livro impresso na educação infantil. A ABIGRAF-SP dedicou-se ainda ao fortalecimento dos seus Grupos Empresariais, responsáveis por apontar oportunidades de avanço tecnológico e no ambiente de negócios dos respectivos segmentos – Cadernos; Embalagens; Livros e Revistas; Impressão Digital e Impressão Digital em Mídia Exterior; Envelopes e Ambiental. Também os Grupos de Trabalho da entidade – Jovens Empresários e de Recursos Humanos – contribuíram para que a Associação paulista cumprisse a agenda de realizações que pode ser conferida nas páginas a seguir.

Outra iniciativa de expressão nacional foi a promoção do 2º Encontro Nacional de Sindicatos da Indústria Gráfica, para estimular as melhores práticas no atendimento às empresas filiadas. Fabio Arruda Mortara

Sidney Anversa Victor

Presidente do SINDIGRAF-SP

Presidente da ABIGRAF-SP

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014

5


6

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA I N D Ú ST R I A G R Á F I CA - A B I G RA F-S P

Fundada em 1968, a Associação Brasileira da Indústria Gráfica Regional São Paulo (ABIGRAF-SP) representa um parque gráfico estadual de cerca de 7 mil empresas. A elaboração de estratégias para a promoção, desenvolvimento e ampliação do setor no Estado, principalmente no interior paulista, está entre os seus objetivos. A ABIGRAF-SP coordena ainda grupos empresariais que são instituídos conforme o perfil ou o segmento de atuação para que seja criada a solução mais eficiente para os problemas específicos de acordo com cada área.

SECC I O N A I S

DA

A B I G RA F-SP

Para fortalecer e se aproximar do setor gráfico nas regiões do interior do Estado de São Paulo, a ABIGRAF-SP possui três seccionais representantes: ABIGRAF SECCIONAL DE RIBEIRÃO PRETO

ABIGRAF SECCIONAL DE BAURU

R. Visconde Inhaúma, 489 4º Andar SL 409

Av. Joaquim Marques Figueiredo, 7-8 Distrito Industrial I

Ribeirão Preto-SP CEP 14010-100 Bauru-SP CEP 17034-290 Fone (16) 3632-0850 | Fax (16) 3610-7724 Fone (14) 3203-1633 | Fax (14) 3203-7757 1º. Vice-Presidente Seccional: Fábio Sarje (GCom) 1º. Vice-Presidente Seccional: Ricardo Scareli Carrijo (Tilibra) Assistente Administrativo: Andressa C. P. Paulino Assistente Administrativo: Eliane Boschetti e-mail: abigrafrp@abigraf.org.br e-mail: abigrafbauru@abigraf.org.br ABIGRAF SECCIONAL DO VALE DO PARAÍBA R. Santa Clara, 552 São José dos Campos-SP CEP 12243-630 Fone (12) 3922-4048 1º. Vice-Presidente (Tachion)

Seccional:

Aloisío

Mello

e-mail: aloisio@tachion.com.br

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014

7


M I SS Ã O L I D E R A R , I N T E G R A R E R E P R E S E N TA R O S E T O R GRÁFICO,

VA L O R I Z A N D O

A

COMUNICAÇÃO

I M P R E S S A E P R O M O V E N D O O D E S E N V O LV I M E N T O DE

SEUS

ASSOCIADOS

E

DEMAIS

PA R T E S

INTERESSADAS.

O B J E T I VOS • R E P R E S E N TA R A I N D Ú S T R I A G R Á F I C A PA U L I S TA .

AGIR VISANDO MELHORAR O AMBIENTE DE NEGÓCIOS D O S E TO R G R Á F I C O D O E STA D O D E S Ã O PAU LO.

• VA L O R I Z A Ç Ã O D O P R O D U T O G R Á F I C O .

• INTERIORIZAÇÃO: AMPLIAR ATUAÇÃO NO INTERIOR D O E S TA D O .

• M E L H O R I A C O N T Í N U A D A P R E S TA Ç Ã O D E S E R V I Ç O S .

8

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014


DIRETORIA

A BI GRA F-S P

DIRETORIA GESTÃO 2013/2016

SUPLENTES - CONSELHO FISCAL

Presidente: Levi Ceregato (licenciado)

Flavio Tomaz Medeiros

1º Vice-Presidente: Sidney Anversa Victor (no exercício da presidência)

Marina Romiti Kfouri Ailton Vani da Silva

2º Vice-Presidente: Mário César Martins de Camargo Diretor Administrativo: Ricardo Cruz Lobato

SECCIONAL RIBEIRÃO PRETO

Diretor Administrativo Adjunto: Ricardo Marques Coube

1º Vice-Presidente: Fábio Sarje

Diretor Financeiro: Luiz Gornstein Diretor Financeiro Adjunto: Ivan Duckur Bignardi

2º Vice-Presidente: Sander Luiz Uzuelle Diretor Administrativo: Wilson dos Santos Diretor Financeiro: Edson Antonio Bianchi 1º Suplente: Diógenes de Almeida Clementino

SUPLENTES – DIRETORIA EXECUTIVA

2º Suplente: Márcio Rodrigo Sarje

Valdomiro Luiz Paffaro

3º Suplente: Ana Rita Gomes da Silva

Davidson Guilherme Tomé

4º Suplente: Nildemar Doin Palma

Fábio Sarje Fabio Arruda Mortara

SECCIONAL BAURU

Flávio Marques Ferreira

1º Vice-Presidente Seccional: José Ricardo Scareli Carrijo

Carlos Roberto Jacomine da Silva

2º Vice-Presidente Seccional: Luiz Edmundo M. Coube

Cláudia Benetti Belmonte

Diretor Administrativo Seccional: Flávio M. Della Coletta

Alexandre Tadeu dos Santos

Diretor Financeiro Seccional: Sidinei Gobbo Junior 1º Suplente Seccional: Reinaldo César Rossagnesi

CONSELHO FISCAL

2º Suplente Seccional: Ricardo Lourenço Coube

Wilson dos Santos

3º Suplente Seccional: Luiz Francisco Alves

José Ricardo Scareli Carrijo Jorge Águedo J. Peres de Oliveira Filho

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014

9


G RU POS

EMP RESA RIAI S

A ABIGRAF Regional de São Paulo mantém os Grupos Empresariais, que têm a finalidade de reunir proprietários e executivos de gráficas de segmentos específicos. O objetivo é conhecer e defender ações de natureza econômica ou política, visando o fortalecimento do segmento e da indústria gráfica como um todo.

10

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014


• GRUPO EMPRESARIAL DO SETOR DE CADERNOS (GE-CADE)

• GRUPO EMPRESARIAL DE IMPRESSÃO DIGITAL E IMPRESSÃO DIGITAL EM MÍDIA EXTERIOR (GE-DIGI)

Além de questões comuns ao setor gráfico, que incidem diretamente na produção e nas vendas internas, o GE-CADE está focado na exportação, seu principal mercado comprador. Por este motivo, suas ações são pautadas por pesquisas e análises de desempenho do setor caderneiro.

Criado em 1999, o grupo promove e estimula o crescimento do mercado de impressão digital. Seus projetos incluem palestras e eventos mercadológicos e culturais, discutindo as necessidades do mercado, bem como divulgando as soluções atualmente disponíveis.

Diretora

Flavio T. Medeiros (Fast Print)

Beatriz Bignardi (Bignardi)

Vice-diretor

Vice-diretor

Arno Witte (Alphagraphics)

Diretor

Ricardo Scareli Carrijo (Tilibra)

• GRUPO EMPRESARIAL DE EMBALAGENS (GE-EMBA) Tem suas ações centradas em questões tributárias, aplicação de impostos como ICMS, ISS e aspectos vinculados a uma variada gama de insumos que incidem na produção de embalagens. Uma das conquistas do grupo foi a utilização do cartão BNDES, que facilita o financiamento para os clientes do segmento gráfico, bem como a dilatação do prazo do ICMS.

• GRUPO EMPRESARIAL DE ENVELOPES (GE-ENVE) Os participantes são empresários de todo o Brasil, representando gráficas que concentram 70% da produção brasileira de envelopes e que analisam pontos como exportação, aspectos econômicos, a exemplo da variação da demanda e a concorrência dos envelopes plásticos. Diretor Ricardo Minguez (Planalto Envelopes)

Diretor Sidney Anversa Victor (Congraf) Vice-diretora

Vice-diretor Ricardo Foroni (Foroni)

Marina Romiti (Romiti)

• GRUPO EMPRESARIAL DE IMPRESSÃO DE LIVROS E REVISTAS (GE-EDITORIAL) Discute questões relacionadas ao mercado, incluindo as ações desenvolvidas por entidades congêneres. Também trabalha para que o Governo procure coibir a importação de livros.

• GRUPO EMPRESARIAL AMBIENTAL (GE-SUSTENT)

Diretor

A questão ambiental é cada dia mais presente em nossas indústrias. Precisamos entender as demandas ambientais, legais e mercadológicas que se relacionam à indústria gráfica. Para isso, promovemos discussões e debates periódicos.

Luiz Gornstein (Ipsis Gráfica e Editora)

Diretor

Vice-diretor

Ricardo Coube (Tiliform)

João Scortecci

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014

11


12

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014


GRU POS

DE

T RA BA L H O

Com o objetivo de trocar experiências e informações sobre o mercado, a ABIGRAF-SP criou os Grupos de Trabalho que promovem encontros e discussões sobre a Indústria Gráfica. Conheça os Grupos de Trabalho:

• GRUPO DE TRABALHO DE JOVENS EMPRESÁRIOS (GT-JOVEM) Tem como objetivo desenvolver lideranças empresariais para o setor gráfico, e promover a participação de novos empreendedores nas entidades que compõem o Sistema ABIGRAF. Diretor Felipe Salles Ferreira (Macron)

• GRUPO DE RECURSOS HUMANOS (GT-RH) Objetivos: (I) promover permuta de informações e experiências do ramo, através de reuniões periódicas; (II) facilitar os contatos entre os profissionais de Recursos Humanos, fora do âmbito das reuniões, objetivando o fortalecimento da cooperação mútua; (III) debater assuntos técnicos, experiências e resultados, buscando a permanente atualização em Recursos Humanos; (IV) incentivar o zelo profissional, enfatizando a ética profissional; (V) debater entre os integrantes, a padronização, no que for viável, dos procedimentos em relação à aplicação de Modificações Legislativas, Acordo/Dissídio Coletivo, Nomenclatura de Cargos e procedimentos em geral; (VI) assessorar a Diretoria do SINDIGRAF-SP nas negociações coletivas. Coordenador Edison Infanger (Bignardi)

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014

13


FEIRA OFFICE BRASIL ESCOLAR E 1º SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO OFFICE BRASIL ESCOLAR Cerca de 200 educadores das redes pública e privada de ensino participaram do “1º Seminário de Educação Office Brasil Escolar – A convivência do tradicional e do digital na educação infantil”, que aconteceu no dia 13 de agosto no Anhembi, em São Paulo. O evento foi uma iniciativa da regional paulista da Associação Brasileira da Indústria Gráfica (ABIGRAF-SP), com patrocínio da Francal Feiras e idealização da Ricardo Viveiros & Associados, e fez parte da programação paralela da Office Brasil Escolar 2014, a segunda maior feira mundial de artigos para papelaria, escolas e escritórios. Na abertura, o porta-voz da ABIGRAF-SP, Reinaldo Espinosa, declarou que a indústria gráfica vem sendo impactada pelo crescimento da comunicação eletrônica e quer entender melhor esse fenômeno. “Mas não fomos movidos apenas por questões de mercado. As evidências de que o contato precoce com as mídias eletrônicas é prejudicial para crianças pequenas têm se avolumado e quisemos contribuir para a reflexão sobre um tema tão importante para o futuro. Afinal, uma infância saudável, lúdica e afetivamente equilibrada é a base sobre a qual se constroem pessoas mais criativas, produtivas e engenhosas — o capital humano de qualidade que irá assegurar o desenvolvimento contínuo do país e das próximas gerações”, disse ele. Aline M. Richetto, professora de didática aplicada ao cuidado na Faculdade Santa Marcelina, em São Paulo, abordou o tema “Brincadeiras e desenvolvimento psicomotor e social e a tecnologia na educação infantil”. Ela lembrou que, embora o Brasil ainda

14

não tenha indicações oficiais sobre o assunto, a Academia Americana de Pediatria e a Sociedade Canadense de Pediatria recomendam que crianças de até 2 anos não sejam expostas a tablets, celulares ou outros eletrônicos e que, dos 3 aos 5 anos, essas diversões não ocupem mais do que uma hora diária da rotina infantil. Dessa idade em diante, o limite pode ser ampliado a, no máximo, duas horas por dia. Pouco entusiasmada com a febre de aplicativos para os pequenos, Aline diz que, neles, a criança encontra tudo pronto e pré-ordenado, o que contraria a liberdade intrínseca às brincadeiras, aumenta a passividade e prejudica a capacidade de interagir socialmente. Ana A. C. Osório, professora e pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Distúrbios do Desenvolvimento da Universidade Presbiteriana Mackenzie, em São Paulo, falou sobre “A importância das atividades estruturadas e não estruturadas para o desenvolvimento sociocognitivo na primeira infância”. Embora reconheça que as novas tecnologias dinamizam a rotina familiar, ela recomenda comedimento e diz que vários estudos mostram não haver benefícios no contato de crianças até 2 anos com as tecnologias ditas educacionais e que, pelo contrário, a exposição prolongada à tecnologia impacta negativamente a capacidade de concentração dos pequenos. Marcelo Sando, filósofo, educador e autor do livro Notas e reflexões sobre educação (Ed. Melo), realizou a palestra “Projeto Scholé – liberdade para descobrir o conhecimento”, na qual questionou o processo de educação tradicional e propôs uma nova pedagogia,

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014


na qual o aluno seja orientado a construir seu conhecimento a partir dos próprios interesses e ritmo. Sando comentou ainda que a criança pequena aprende pela convivência e ilustrou com histórias, como a de crianças ainda muito novas que já desbloqueiam celular ou acionam sozinhas o DVD. Ricardo Viveiros, jornalista e escritor, compar tilhou sua experiência como criador de histórias infantis na palestra “Quem conta um conto aumenta pontos… na criatividade, na compreensão e na imaginação”. Para incentivar o hábito da leitura, ele recomenda estimular as intersecções entre a literatura e a vida e avisa que os leitores (mesmo mirins) são coautores dos livros que leem e reinventam as histórias nas suas cabecinhas. Ressaltou o poder das palavras na formação infantil e fez várias sugestões de como aproximar as crianças dos livros – por exemplo, criando um “cantinho da leitura”, interpretando os personagens enquanto lê e, acima de tudo, transformando essas ocasiões em momentos de compartilhamento.

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014

Viviane Flores, gerente educacional e coordenadora da equipe de assessoria pedagógica da Editora FTD, em São Paulo, na palestra “O livro infantil e a ampliação do repertório da criança”, elencou quatro qualidades imprescindíveis a um bom livro infantil: o caráter imaginoso (pela presença de mitos, monstros e personagens fantásticos); o dramatismo (determinado por uma trama que envolva e desperte reflexão); linguagem simples (sem ser medíocre); e enredo construído de modo a respeitar a inteligência da criança (sem soluções simplistas).

15


16

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014


A B I G R A F - S P R E C E B E A D I R E T O R I A E X E C U T I VA DAS REGIONAIS

Em 15 de setembro, 16 dirigentes e executivos

isso sua importação sofre restrições e, assim

de 11 regionais da ABIGRAF e da ABTG foram

que são instaladas, essas máquinas tornam-se

recepcionados na sede da ABIGRAF-SP para a

responsabilidade exclusiva da indústria gráfica”,

reunião do Conselho Diretivo da ABIGRAF Nacional.

disse ele.

A e n t i d a d e a n f i t r i ã , A B I G R A F- S P, p o r m e i o

A realização do 23º Congresso da Conlatingraf,

do

V i c to r,

no mês de outubro, em Cartagena, na Colômbia,

boas

a organização do Congraf 2015 no Rio de Janeiro,

p re s i d e n te s

as resoluções Camex 58 e 59, que definiram

d o s C o n s e l h o s , Julião Flaves Gaúna e do Executivo

isenção de impostos de importação para inúmeras

(ABIGRAF N a c i o n a l ) , L ev i C e re g a to, t a m b é m

máquinas e equipamentos gráficos, e a presença

f i z e ra m u m p ro n u n c i a m e n t o a o s p re s e n te s .

do setor, por meio da campanha Two Sides e do

seu

re a l i z o u vindas

p re s i d e n te um aos

S i d n ey

A nv e rs a

p ro n u n c i a m e n to p a r t i c i p a n te s .

Os

dando

A pauta incluiu pontos como as gestões para enquadramento no setor dos CNAEs relativos à

Projeto Imagem do Graphia, na Bienal do Livro, foram outros temas abordados.

reprografia; o entendimento da Cetesb de que a

Relatos das regionais fecharam a programação

Indústria Gráfica está livre de responsabilidades

do dia, que incluiu ainda uma revisão do status

sobre a logística reversa de embalagens pós-

de iniciativas em andamento, como a extensão

consumo e a NR 12. Os dois últimos itens foram

da

abordados pelo presidente da ABTG, Cláudio

concessão de margem de preferência nas compras

Baronni, que frisou a necessidade de alertar as

de cadernos e livros pelos programas públicos,

empresas associadas para providenciarem laudo

a apresentação dos resultados da Office Brasil

técnico dos seus equipamentos.

Escolar e a participação da entidade como parte

Ao comentar o assunto, Ceregato chamou atenção para o fato de que muitas máquinas importadas

desoneração

da

folha

de

pagamentos,

a

interessada no processo antidumping de chapas pré-sensibilizadas para impressão off-set.

não cumprem os requisitos da Norma: “Nem por

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014

17


18

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014


S I N D I C ATO D A S I N D Ú S T R I A S G R Á F I C A S N O E S TA D O D E S Ã O PAU L O - S I N D I G R A F- S P

Criado em 1923, o Sindicato das Indústrias Gráficas no Estado de São Paulo (SINDIGRAF-SP) representa aproximadamente 7.000 empresas em sua área de atuação. Devido à sua representatividade, pela tradição na defesa da categoria e por abranger parcela significativa das indústrias gráficas brasileiras, o SINDIGRAF-SP está à frente de ações cujos benefícios refletem não apenas nas empresas instaladas no Estado de São Paulo, mas, em muitos casos, alcançam o mercado gráfico nacional como um todo. As ações do SINDIGRAF-SP primam pela preocupação ética e a busca permanente da transparência. Buscamos atingir diversos públicos e interlocutores, sejam as empresas gráficas associadas, trabalhadores do setor, autoridades, outras entidades de classe e da sociedade civil. Em termos estratégicos, a entidade tem como proposta reforçar três linhas de trabalho: a gestão, a pressão por mudanças e a educação, com ênfase à transmissão de conhecimentos técnicos e gerenciais, por meio de publicações, pesquisas, censo, cursos, eventos, entre outras atividades. A entidade mantém seu foco, ainda, no conceito de responsabilidade social e no respeito ao meio ambiente pelas gráficas.

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014

19


M I SS Ã O DEFENDER OS INTERESSES DAS EMPRESAS DO S E T O R G R Á F I C O PA U L I S TA E P R O M O V E R O S E U D E S E N V O LV I M E N T O C O M T R A B A L H O E G E S T Ã O PROFISSIONAL.

V I S ÃO S E R R E C O N H E C I D O C O M O A P R I N C I PA L E N T I D A D E S I N D I C A L R E P R E S E N TAT I VA D O S E T O R G R Á F I C O PA U L I S TA ,

EM

FUNÇÃO

SERVIÇOS

P R E S TA D O S

DA E

EXCELÊNCIA DO

DOS

COMPROMISSO

COM O AU M E N TO DA CO M P E T I T I V I DA D E DA S EMPRESAS FILIADAS.

20

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014


DIRETORIA

S IN DI G RA F-S P

CONSELHO DIRETIVO

SUPLENTES - CONSELHO FISCAL

Presidente: Fabio Arruda Mortara

Antonio Carlos Brusco

1º Vice-Presidente: Ricardo Marques Coube

Sander Luiz Uzuelle

2º Vice-Presidente: Sidney Anversa Victor

Flavio Tomaz Medeiros

Diretor Administrativo: Umberto Giannobile Diretor Administrativo Adjunto: Paulo Gonçalves Diretora Financeira: Beatriz Duckur Bignardi

DELEGADOS - FIESP Fabio Arruda Mortara Mário César Martins de Camargo

Diretor Financeiro Adjunto: José Carlos Christiani de La Torre

SUPLENTES - DELEGADOS - FIESP

Diretor de Marketing: Alexandre Tadeu dos Santos

Levi Ceregato Ricardo Marques Coube

SUPLENTES - DIRETORIA EXECUTIVA Ricardo Cruz Lobato Rodney Paloni Casadei Valdomiro Luiz Paffaro Fábio Sarje Jorge Águedo J. Peres de Oliveira Fº

CONSELHO FISCAL Carlos Roberto Jacomine da Silva

REPRESENTAÇÃO REGIONAL – RIBEIRÃO PRETO 1º Vice Presidente Regional: Fábio Sarje 2º Vice-Presidente Regional: Sander Luiz Uzuelle Diretor Administrativo Regional: Levi Ceregato Diretor Administrativo Regional Adjunto: Wilson dos Santos Diretor Financeiro Regional: Edson Antonio Bianchi

Marina Romitti Kfouri Edson Antonio Bianchi

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014

Diretor Financeiro Regional Adjunto: Diógenes de Almeida Clementino

21


22

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014


O II Encontro Nacional de Sindicatos da Indústria Gráfica, em 21 de junho, trouxe à capital paulista 50 presidentes e executivos de mais de 20 sindicatos e associações representativas da indústria gráfica nacional. Promovido pelo Sindicato das Indústrias Gráficas do Estado de São Paulo (SINDIGRAF-SP), o evento é realizado desde 2013 com o objetivo de compartilhar subsídios para aprimorar a gestão das entidades do setor e a análise do momento político e econômico. “A indústria gráfica tem registrado sucessivos resultados negativos desde 2007. Os sindicatos e as associações da classe são o primeiro ponto onde os empresários do setor, em que predominam pequenas e microempresas, buscam apoio”, afirma Fabio Arruda Mortara, presidente do SINDIGRAF-SP. O programa foi composto por 12 palestras. A primeira, Planejamento Estratégico: Implantação e Controle, foi ministrada por Andreas Dohle, do Instituto para o Desenvolvimento das Organizações, que recomendou às entidades pensarem os planejamentos de modo holístico, sem esquecer dos aspectos operacionais e financeiros que viabilizarão as ações. Um ponto alto do evento foi a palestra Perspectivas para um Brasil Melhor, de Fábio Barbosa, presidente do Grupo Abril, que analisou a situação econômica, alertando para o risco de o país “não enriquecer antes de envelhecer”, em referência ao bônus demográfico que vivemos, em descompasso com os baixos níveis de crescimento. Falou ainda que a solução para recuperar a competitividade está em diminuir o custo país e não em políticas setoriais que visem aumentar o custo mundo. Ao comentar as mobilizações dos últimos dois anos, ele diz que aprendemos a consumir produtos, mas não cidadania, e que é preciso evoluir do “#vem para a rua” para o “#vem para a urna”. E finalizou: “A corrupção nasce da tolerância com os pequenos delitos. É preciso dar certo, fazendo a coisa certa, do jeito certo. O jogo é duro, mas é na bola e não na canela.”

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014

No módulo Formação Profissional para a Indústria Gráfica, o professor Walter Vicioni Gonçalves falou da responsabilidade da educação na recuperação da competitividade. Sucessão Empresarial Familiar foi o tema abordado pelo especialista em empresa familiar Domingos Ricca, da Ricca Assessoria. Fechando o primeiro bloco, Mário César Martins de Camargo, ex-presidente da ABIGRAF e diretor da FIESP, fez uma análise dos 7 Erros do Empresário Gráfico e comentou a própria experiência como empresário do setor. À tarde, a economista Zeina Latif, da XP Investimentos, analisou o ambiente de negócios e criticou políticas setorialistas: “Escolher setores vencedores tem efeito sobre toda a economia e não traz benefícios para o conjunto do país”, disse ela, prevendo que alta taxa de juros e câmbio continuarão prejudicando desempenho e investimentos da indústria até 2015. A especialista em compliance Josefa Lira falou sobre a importância de entidades e empresas disporem de condutas e processos éticos e aderentes aos valores das instituições, seguida pelo gerente de marketing da ABIGRAF, Igor Archipovas, com a palestra Marketing e Comunicação em Entidades de Classe, e por Fabio Arruda Mortara, com o tema Como Implantar a Two Sides Brasil nos Mercados Regionais. Após uma rodada de relatos de Boas Práticas Sindicais e Ações de Sucesso, o tema Técnicas de Negociação Sindical correspondeu à penúltima palestra do dia, a cargo do advogado Jerônimo Ruiz, diretor do Sindicato das Indústrias do Papel, Celulose e Pasta de Madeira no Estado de São Paulo. Para finalizar, o cientista político Carlos Melo, professor do Insper, mobilizou as atenções ao esmiuçar o Cenário Político Brasileiro.

23


Coordenador: Fabio Arruda Mortara Coordenadores Adjuntos: Elizabeth Maria Barbosa de Carvalhaes | José Luiz Vegette Sindicatos filiados à Fiesp - Sindicato da Indústria de Artefatos de Papel, Papelão e Cortiça no Estado de São Paulo – SIAPAPECO - Sindicato das Indústrias Gráficas de Campinas – SIGC - Sindicato das Indústrias Gráficas no Estado de São Paulo – SINDIGRAF - Sindicato das Indústrias Gráficas de São José do Rio Preto – SIGRARP - Sindicato da Indústria de Material Plástico do Estado de São Paulo – SINDIPLAST - Sindicato da Indústria de Papel, Celulose e Pasta de Madeira para Papel no Estado de São Paulo – SIP - Sindicato da Indústria do Papelão no Estado de São Paulo – SINPESP - Sindicato da Indústria de Tintas e Vernizes no Estado de São Paulo – SITIVESP Entidades e Sindicatos - Associação dos Agentes de Fornecedores de Equipamentos e Insumos para Indústria Gráfica – AFEIGRAF - Associação Brasileira das Agências de Publicidade – ABAP - Associação Brasileira de Celulose e Papel – BRACELPA - Associação Brasileira de Editores de Livros Escolares – ABRELIVROS - Associação Brasileira de Embalagem – ABRE - Associação Brasileira de Empresas de Design – ABEDESIGN - Associação Brasileira de Empresas com Rotativas Offset – ABRO - Associação Brasileira da Indústria de Artefatos de Papel e Papelão – ARTEFATOS - Associação Brasileira da Indústria Gráfica – ABIGRAF NACIONAL - Associação Brasileira da Indústria de Material Fotográfico e de Imagem – ABIMFI - Associação Brasileira da Indústria de Tintas para Impressão – ABITIM - Associação Brasileira das Indústrias de Etiquetas Adesivas – ABIEA - Associação Brasileira das Indústrias de Formulários Contínuos e Gerenciamento da Informação – ABRAFORM - Associação Brasileira das Indústrias Recicladoras de Papel – ABIRP - Associação Brasileira de Marketing Direto – ABEMD - Associação Brasileira de Papelão Ondulado – ABPO - Associação Brasileira Técnica de Celulose e Papel – ABTCP - Associação Brasileira Técnica de Flexografia – ABFLEXO - Associação Brasileira de Tecnologia Gráfica – ABTG - Associação Nacional dos Aparistas de Papel - ANAP - Associação Nacional dos Distribuidores de Papel – ANDIPA - Associação Nacional de Editores de Publicações – ANATEC - Associação Nacional dos Editores de Revistas – ANER - Associação Nacional de Jornais – ANJ - Associação Nacional de Livrarias – ANL - Câmara Brasileira do Livro – CBL - Fundação Biblioteca Nacional – FBN - Sindicato das Agências de Propaganda do Estado de São Paulo – SINAPRO - Sindicato das Empresas Proprietárias de Jornais e Revistas de São Paulo – Capital – SINDJORE - Sindicato Nacional do Comércio Atacadista de Papel e Papelão – SINAPEL - Sindicato Nacional dos Editores de Livros – SNEL - Sociedade Brasileira de Silvicultura – SBS

24

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014


OBJETI VO

D O

CO PAG R E M

Criado em 2013, o Copagrem une esforços e fortalece os diversos setores que compõem esta cadeia produtiva, por meio de uma maior sinergia e desenvolvimento de ações estratégicas, tendo como consequência a melhoria do ambiente de negócios e o aumento de competitividade.

Resgate da Competitividade Para construir um ambiente mais favorável aos negócios gráficos, temos somado forças com outras organizações da cadeia produtiva. Nacionalmente, a ABIGRAF participa de fóruns como a Rede Setorial da Indústria, criado pela CNI, e a Coalizão para a Competitividade, coordenada pela Abimaq. A principal iniciativa, porém, foi a criação do Comitê da Cadeia Produtiva do Papel, Gráfica e Embalagem (Copagrem), que funciona no âmbito da Fiesp e tem coordenação do SINDIGRAF-SP. O Copagrem já conquistou a adesão de 40 entidades setoriais nacionais e estaduais e realizou seis reuniões. Grupos de Trabalho • Valorização da comunicação impressa Temas abordados: Campanha de Valorização da Comunicação Impressa | Two Sides | Print Power • Sustentabilidade Temas abordados: Plano Nacional de Resíduos (PNRS) | Legislação | Certificações | Licenças • Tributação - Papel Temas abordados: Desoneração da folha de pagamento | Pleitos de redução de impostos | Contribuições, taxas e impostos | Alíquotas de imposto e importação | Papel imune, papel reciclado e projetos de leis. • Competitividade Temas abordados: Desoneração da folha de pagamento | Pleitos | Impostos | Crédito | Políticas Públicas e Melhorias no Ambiente de Negócios.

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014

25


A MELHO R FER RAMEN TA PARA A AD MINISTRAÇÃO DE CAR GOS, SALÁRI OS E BENEFÍ CIOS DA INDÚSTRI A G RÁFI CA

A Pesquisa Salarial é uma ferramenta eficaz para a administração de cargos, salários e benefícios da Indústria Gráfica Paulista. Criado em 1987, o estudo já contou, em cada edição, com a participação de mais de 50 empresas de pequeno, médio e grande porte, representativas dos segmentos que compõem o parque industrial gráfico paulista. Na primeira etapa dos trabalhos, foram revistos os cargos constantes na edição anterior, totalizando 266 cargos pesquisados, até o nível de Gerência, sendo 141 pertencentes às áreas técnicas, operacionais e de apoio e 125 administrativos. Já na segunda etapa, foram levantados os salários nominais efetivos, os benefícios e outras práticas de recursos humanos, atualizados para os meses de setembro ou novembro, observada a data-base de reajuste salarial e os índices acordados quando das Negociações Coletivas de Trabalho. A Pesquisa coloca ainda à disposição das empresas gráficas, de forma técnica e confiável, informações precisas sobre o mercado de trabalho do setor, o que possibilita a avaliação das estruturas de custos, sendo uma importante ferramenta na definição de estratégias salariais. Sua finalidade é contribuir efetivamente na orientação das empresas gráficas quanto à formatação de suas políticas de Gestão de Recursos Humanos, em um ambiente altamente competitivo.

26

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014


BANCO DE EMPREG OS Criado em 2005, o Banco de Empregos é uma ferramenta gratuita, que se tornou o canal ideal para quem procura oportunidades de trabalho disponíveis no setor. Proporciona também que as empresas cadastrem suas vagas gratuitamente. •

Mais de 700 empresas em busca de

profissionais qualificados. •

Mais de 25 mil visitas por mês.

Cadastro gratuito de vagas e currículos.

I I F ÓRU M - GESTO RES D E RH DA I ND ÚSTRI A G RÁFI CA

Criado em 2013, o Fórum Gestores de RH já está em sua segunda edição. Seu objetivo é reunir profissionais da área para aprimorar e discutir suas habilidades entorno da contratação e treinamento de

profissionais

da

área

gráfica.

O

II

Fórum

apresentou uma programação diversificada e de grande interesse aos profissionais de RH. O evento promoveu as seguintes palestras: •

Como usar e como melhorar o desempenho dos

profissionais? (SENAI) •

Pesquisa Salarial: o que a sua empresa ganha

participando? (Wiabiliza) •

eSocial: Como implantar na sua empresa?

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014

27


28

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014


L ANÇ AMENTO DA CAM PANHA TWO SI D ES C H EG OU AO BRAS IL A M AI S IM PORTANTE CAM PANHA M U N DIAL EM FAVO R DA COMUNICAÇÃO I M PRESSA No dia 7 de abril, aconteceu o lançamento oficial no Brasil da campanha mundial Two Sides, que tem o objetivo de estimular a produção responsável da comunicação impressa, desfazer mitos ambientais que colocam em dúvida sua sustentabilidade e informar o público sobre as vantagens dessas mídias. Criada em 2008, na Inglaterra, a Two Sides já está presente nos principais países europeus – incluindo Alemanha, França, Itália etc. –, nos Estados Unidos, na Austrália e na África do Sul e chegou ao Brasil por iniciativa da Associação Brasileira da Indústria Gráfica (ABIGRAF) e do Sindicato das Indústrias Gráficas no Estado de São Paulo (SINDIGRAF-SP). “A adesão à Two Sides insere o País na mais bem sucedida iniciativa mundial de difusão da sustentabilidade da comunicação impressa. Vamos trabalhar com determinação para mostrar que somos uma atividade essencial à vida das pessoas e ao bom funcionamento da sociedade. Sem falar na importância dessa cadeia produtiva na geração de empregos, na arrecadação de tributos, no aporte tecnológico e em inúmeros outros valores agregados à atividade”, afirma Fabio Arruda Mortara, presidente do SINDIGRAF-SP. Articulado pelo SINDIGRAF-SP, o lançamento contou com a presença do diretor da Two Sides no Reino Unido, Martyn Eustace, e foi formalizado durante reunião do Comitê da Cadeia Produtiva do Papel, Gráfica e Embalagem (COPAGREM), na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), na capital paulista. Diálogo com a sociedade, o Protocolo de Intenções conta com a adesão de 42 entidades representativas das atividades da cadeia. Somadas, elas reúnem cerca de 80 mil empresas, geradoras de 615 mil empregos diretos e faturamento na casa dos US$ 40 bilhões. Entidades como a Associação Nacional de Jornais (ANJ), a Associação Nacional dos Editores de Revistas (Aner) e a Associação Brasileira das Empresas de Rotativas Offset (Abro) são alguns signatários de primeira hora da iniciativa.

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014

Para estabelecer um diálogo esclarecedor com a sociedade, sensibilizando formadores de opinião, setor público, educadores, fornecedores e consumidores de produtos impressos, a Two Sides prevê ações variadas. A primeira delas foi a publicação e divulgação do “folheto – Mitos e Fatos”, conteúdo de embasamento científico, que prova a sustentabilidade da cadeia e foi divulgado a partir do lançamento. Em outubro foi a vez do site entrar no ar. Também estão disponíveis anúncios variados para diferentes públicos. “À medida que a campanha avança, poderá haver a tropicalização das peças”, diz Mortara. Outra frente de ação é o combate pontual de mensagens e iniciativas, públicas e privadas, que erroneamente associem a impressão à falta de sustentabilidade. Pluralidade favorece a informação para quem estranha uma campanha de valorização da comunicação impressa com site e peças para veiculação em rádio e TV, Mortara explica que essa é uma falsa contradição e que é preciso combater o canibalismo entre o impresso e o eletrônico. “A difusão do conhecimento e da informação se favorece da pluralidade. Quanto mais culta e educada uma população, tanto maior o acesso e o consumo que ela faz de internet, jornais, revistas e livros, sem que uns excluam os outros”, defende Mortara. De fato, os números mostram isso. A Pesquisa Brasileira de Mídia 2014, divulgada em fevereiro pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, estudou os hábitos de consumo da população brasileira e constatou que o consumo de jornais, revistas e internet – os três! – aumenta conforme o nível de renda e de escolaridade. “A Two Sides veio reforçar a percepção de que a mídia impressa é e continuará sendo atraente, prática e sustentável, além de imbativelmente confiável”, finaliza Mortara, lembrando que, nesse mesmo levantamento, 53% da população consideraram os jornais impressos os veículos de maior credibilidade.

29


AÇÕES F E I RAS S ETOR IAIS

I NFORMATI VO TWO SID ES

Expo Print Latin America

Bienal do Livro

30

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014


A N Ú N C I OS EM JOR NAIS E REVI STAS

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014

31


32

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014


PESQ U ISA TWO S ID ES – O QUE O BRASILEIRO PENSA DA COMUNICAÇÃO I M PRESSA? Estudo inédito, divulgado pela campanha Two Sides Brasil, em conjunto com o instituto Datafolha, mostrou que o brasileiro prefere ler e guardar seus documentos em papel do que em mídias eletrônicas.

Também no que diz respeito à conservação de documentos importantes, o impresso é disparadamente o favorito: 82%, ante apenas 17% de adeptos de mídias eletrônicas para esses arquivos.

14 de outubro – Em coletiva realizada na Sede da ABIGRAF, a campanha Two Sides Brasil, que tem o objetivo de informar e difundir a sustentabilidade do papel e da impressão, apresentou os resultados da pesquisa de opinião sobre a Comunicação Impressa, realizada pelo instituto Datafolha.

De maneira geral, a percepção do eletrônico como mídia mais sustentável ocorre com maior frequência entre a população jovem (16 a 34 anos), com ensino superior e pertencente às classes A e B.

Nela, foram entrevistadas 2.074 pessoas acima de 16 anos, em 135 municípios. Segundo o instituto, essa amostra garante um nível de confiabilidade de 95%, com margem de erro de dois pontos percentuais. “Os principais números comprovam uma realidade que já intuíamos: o brasileiro prefere fazer suas leituras e comunicações em papel e também confia mais nessa mídia para conservar seus documentos importantes”, constata o country manager da campanha no País, Fabio Arruda Mortara, presidente do Sindicato das Indústrias Gráficas no Estado de São Paulo (SINDIGRAF-SP), entidade que coordena a implementação da Two Sides Brasil, com apoio da Associação Nacional de Jornais (ANJ), Associação Nacional dos Editores de Revistas (ANER) e outros representantes da cadeia do papel e da impressão. Segundo o estudo, a preferência por livros, revistas e cartas em papel é característica, respectivamente, de 59%, 56% e 55% da população. Na mesma sequência, os que preferem o meio eletrônico para essas leituras correspondem a 35%, 37% e 38%. A equação inverte-se, embora com menor margem de diferença, entre os leitores de jornal – 48% preferem o eletrônico contra 46% pró-impresso. Mas 80% afirmam que ler em papel é mais agradável do que ler em uma tela.

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014

Apesar disso, é quase unânime (95%) a percepção – em favor do papel, diga-se de passagem – da importância da renovação de florestas para conter o aquecimento global e da reciclagem como característica de produtos sustentáveis (reconhecida por 92% dos entrevistados). Os números deixaram claro ainda que a população desconhece quanto do papel e do papelão consumidos são reciclados (46%, de acordo com dados da Bracelpa de 2012), mas 44% acreditam que a cadeia do papel e da impressão reciclam mais do que outras indústrias. Para 89% dos entrevistados, a extensão de áreas florestais diminuiu no País nos últimos 50 anos, mas a indústria de papel e celulose não figura entre as três atividades mais relacionadas a essa perda. A Two Sides Brasil integra a maior campanha mundial em favor da comunicação impressa e conta com apoio de 42 entidades, que congregam cerca de 80 mil empresas, geradoras de 615 mil empregos diretos e faturamento anual de US$ 40 bilhões. Seus objetivos são desfazer mitos e difundir informações sobre a sustentabilidade do uso do papel e da comunicação impressa, além de combater o greenwashing .

33


A Ç Õ E S C O N J U N TA S

2014 34

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014


RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014

35


CA PAC I TA Ç Ã O Para promover com eficiência a capacitação de profissionais do setor gráfico, o SINDIGRAF-SP juntamente com a ABIGRAF-SP oferecem cursos e palestras gratuitas para transmissão de conhecimentos técnicos e gerenciais. • WORKSHOP GESTÃO FINANCEIRA Com uma programação variada, o workshop abordou temas para aprimorar e tornar mais eficaz o financeiro das empresas, mostrando como planejar e controlar o lucro, a importância da contabilidade e como lidar com a inadimplência. “O workshop foi fundamental para enfatizar a importância da gestão bem planejada para ser eficiente; reforçou o cuidado que cada gestão / empresário deve ter com com o fluxo do seu caixa e gastos desnecessários. Citou assuntos essenciais para uma gestão financeira de eficiência e sucesso.” Talita Botelho Gomacol Etiquetas e Rótulos Adesivos Ltda.

• CURSO eSOCIAL O objetivo foi esclarecer de forma didática mudanças e implicações legais, fiscais, trabalhistas, previdenciárias e fundiárias com o advento do eSocial.

36

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014


• CURSO DOMINANDO PROBLEMAS NA PRODUÇÃO OFFSET O curso teve como objetivo demonstrar como identificar problemas, possíveis causas e soluções em impressão offset. Contamos com 65 participantes em cada dia.

“Curso explicativo com grande aproveitamento teórico relacionados à problemas e soluções na impressão offset na rotina diária. Achei ótimo.” Carlos Davi de Lima Artes Gráficas Coppola

• USO RACIONAL DE ÁGUA E ELETRICIDADE Com uma grade de profissionais altamente especializada no assunto, as palestras apresentaram o impacto na redução de custos nos negócios.

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014

37


CA PAC I TA Ç Ã O S ECC I O N A I S BAU RU E RIBEI R Ã O PR E TO As Seccionais da ABIGRAF-SP, com o apoio do SINDIGRAF-SP, também promoveram com eficiência a capacitação de profissionais do setor gráfico, oferecendo cursos e palestras gratuitas para transmissão de conhecimentos técnicos e gerenciais. BAURU • BOAS PRÁTICAS NA ARTE FINALIZAÇÃO | ARQUIVOS PARA PRÉ-IMPRESSÃO Os associados tiveram a oportunidade de conhecer informações técnicas e boas práticas para a construção e geração de arquivos digitais de peças publicitárias, promocionais e editoriais, eliminando, assim, erros que ocorrem na pré-impressão.

• SOLUÇÃO INTEGRADA - QUALIDADE, MEIO AMBIENTE E SEGURANÇA Implantação de melhorias contínuas nos processos utilizados nas empresas gráficas para diminuição de impactos causados no meio ambiente (destinação correta dos resíduos), diminuindo os riscos à saúde e à segurança como o uso correto dos EPI e sinalizações no parque gráfico.

38

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014


• NOVAS OPORTUNIDADES E DIFERENCIAIS TÉCNICOS PARA GRÁFICOS NO SEGMENTO EDITORIAL E PROMOCIONAL A palestra teve como objetivo expor produtos gráficos e nichos pouco explorados pelo setor gráfico, além de recursos e diferenciais técnicos que podem ser implantados para produzir impressos de maneira mais eficiente, aumentando a lucratividade e reduzindo os custos de produção.

• I ENCONTRO DE SEGURANÇA E MEIO AMBIENTE Melhorias no processo de impressão, implementação da NR15, responsabilidade ambiental e sustentabibilidade foram os temas abordados no I Econtro, além da exposição de cases de algumas empresas.

BAURU E RIBEIRÃO PRETO • eSOCIAL - UNIFORMIZAÇÃO DAS INFORMAÇÕES FISCAIS, PREVIDENCIÁRIAS E TRABALHISTAS O curso teve como objetivo mostrar as mudanças e implicações legais, fiscais, trabalhistas, previdenciárias e fundiárias com o advento do eSocial. “Muito bom, bem explicado, e com palavras de fácil entendimento.” Rita Maria Lucera - Ribeirão Preto Contábil Bortoletti

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014

39


40

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014


E X P O P R I N T L AT I N A M E R I C A 2 0 1 4 U M M A R C O PA R A O M E R C A D O D E I M P R E S S Ã O A ExpoPrint Latin America 2014 foi um marco para Indústria Gráfica. Foram quatro anos de muito planejamento e trabalho entre Afeigraf (Associação dos Agentes de Fornecedores de Equipamentos e Insumos para a Indústria Gráfica), a realizadora do evento, e a APS Feiras & Eventos, a organizadora, para que a feira pudesse se transformar no maior evento de impressão das Américas e oferecesse a melhor qualidade possível a visitantes e expositores. Profissionais de impressão do Brasil, da América Latina e do mundo todo lotaram os corredores e pavilhões da ExpoPrint Latin America 2014. Um público positivo não apenas em quantidade, como também em qualidade, formado por profissionais tomadores de decisão. Nos belos estandes montados pelos expositores de marcas reconhecidas mundialmente, foram vistos lançamentos mundiais, soluções inovadoras, tendências que vão ditar o rumo do mercado nos próximos anos.

Foi possível também conhecer a alta tecnologia para futuros projetos e investimentos. A feira foi um momento especial para animar e impulsionar este mercado fundamental para a indústria brasileira e mundial, aumentando a confiança do empresário gráfico e de todos que fazem parte desta cadeia. Agora, os olhares estão voltados para a ExpoPrint Latin America 2018, que já é um grande sucesso de procura. Ela irá acontecer no Expo Center Norte, em cinco dias. Em breve, mais detalhes serão divulgados da quarta edição da ExpoPrint Latin America.

A ExpoPrint 2014 reforçou sua posição de ser o grande encontro para a indústria gráfica da América Latina. Empresários tiveram a chance de conhecer equipamentos, fazer testes, perguntar aos profissionais especializados, negociar e fechar negócios. Foi também a comprovação da preocupação com a sustentabilidade e com a educação do mercado, com diversos estandes promovendo palestras durante os sete dias de ExpoPrint.

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014

41


42

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014


Criado em 2005 pela ABIGRAF-SP e pelo SINDIGRAF-SP, o Projeto Bibliotecas inaugurou 18 bibliotecas em todo o estado desde então. O projeto é realizado em parceria com as Prefeituras Municipais, que cedem espaços para serem equipados com computadores e uma extensa variedade de livros, selecionados pela Secretaria da Cultura do Governo do Estado de São Paulo. Em 2014, chegamos à marca de 18 mil livros doados, sempre com o apoio das Seccionais Ribeirão Preto e Bauru da ABIGRAF-SP, fundamentais para a escolha dos espaços que recebem as novas bibliotecas.

Os livros fornecidos devem ser impressos no Brasil. Junto com o acervo, as entidades doam também um computador. Para aumentar a frequência de jovens leitores, foi promovido o Prêmio de Melhor Leitor, a ação visa a premiar três crianças elencadas pelo bibliotecário responsável como as que mais leram na última cidade beneficiada. Outra ação elaborada foi o envio de marcadores de página às bibliotecas reinauguradas como incentivo à leitura.

E s te a n o, d u a s c i d a d e s d o i n t e r i o r d e S ã o Paulo, receberam as bibliotecas. A primeira delas está localizada em Piratininga, a Biblioteca Professora Angela Ribeiro Paes, favorecendo 796 mil leitores. Guatapará foi a segunda cidade a ser favorecida. Vale destacar que o trabalho desempenhado pelas entidades vai além da oferta de um local específico para fomento intelectual. As obras que acompanham as bibliotecas seguem dois preceitos: o primeiro diz respeito à quantidade, que é de 600 exemplares para municípios de até 10 mil moradores e de 1.000 unidades para cidades que tenham um número maior de habitantes.

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014

43


44

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014


M AIS DE 20 0 EMP RES Á R I OS G R Á F I COS SE DESP EDEM DE 20 14 E M G RA N D E EST I LO

CONFRATERNIZAÇÃO E OTIMISMO MARCARAM O EVENTO DE ENCERRAMENTO DA INDÚSTRIA GRÁFICA PAULISTA No dia 16 de dezembro, na sede da Fiesp, a ABIGRAF Nacional, a ABTG, a ABIGRAF-SP e o SINDIGRAF-SP ofereceram almoço de confraternização para empresários do setor e representantes de instituições de relacionamento da indústria gráfica. A abertura coube ao presidente do Conselho da ABTG, Reinaldo Espinosa, que chamou a atenção para que a indústria gráfica participe do dia a dia das pessoas, trazendo benefícios intangíveis para suas vidas. O e m p re s á r i o M á r i o C é s a r M a r t i n s d e C a m a rg o re p re s e n to u o p re s i d e n te d a F i e s p , Pa u l o S ka f, e fa l o u s o b re a re s p o n s a b i l i d a d e d a i n d ú s t r i a c o m o g e ra d o ra d e e m p re g o, s e r v i ç o s , re n d a e te c n o l o g i a . O deputado estadual Fernando Capez (SP) previu um 2015 difícil para a indústria e ressaltou a necessidade de propostas que favoreçam o crescimento econômico e o desenvolvimento do estado e do país. O presidente da ABIGRAF Nacional, Levi Ceregato, pronunciou-se, dando ênfase ao empenho da entidade, que congrega regionais em 22 estados, de trabalhar de modo próximo às autoridades, conciliando interesses comuns a todos com as peculiaridades e as necessidades das diferentes regiões. Em nome da ABIGRAF-SP, o presidente Sidney Anversa Victor destacou a necessidade da indústria de se manter mobilizada para cobrar do governo a efetivação de medidas que revertam a atual situação do País, sem perder de vista o desejo de mudança legitimado por quase 50% do eleitorado nas urnas.

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014

Fabio Arruda Mortara, presidente do SINDIGRAF-SP, fechou o ciclo de pronunciamentos expondo os esforços do Sindicato paulista em torno da união da cadeia produtiva, indispensável à criação de condições para o crescimento sustentável do setor, da promoção de um associativismo de qualidade e da defesa da sustentabilidade da comunicação impressa. Durante o almoço, o publicitário Roberto Duailibi, sócio fundador da agência DPZ, considerada por muitos a “mãe” das agências brasileiras, pela qual passaram alguns dos maiores nomes da publicidade, como Washington Olivetto, Nizan Guanaes e tantos outros, realizou a palestra “Quem falou em sociedade sem papel?”. COLETIVA DE IMPRENSA REÚNE JORNALISTAS DE TODO PAÍS Como parte da programação de final de ano, os presidentes da ABIGRAF Nacional, ABIGRAF-SP e SINDIGRAF-SP – respectivamente, Levi Ceregato, Sidney Anversa Victor e Fabio Arruda Mortara, reuniram a imprensa para anunciar as prévias de resultados do setor, as vitórias do ano e as bandeiras para 2015, expressas na Carta à Nação, dentre outros temas. Agência Estado, rádio Jovem Pan, jornais Brasil Econômico e Propaganda & Marketing, além de publicações setoriais, como Revista Abigraf, Publish, Desktop e os boletins da RISI e da ANL, estiveram presentes. Simultaneamente, veículos de comunicação de todo o Brasil receberam o conteúdo da coletiva.

45


PUBLICAÇÕES

2014 46

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014


RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014

47


R EV I STA

A B I G RAF

Circulando desde dezembro de 1975, a Revista Abigraf ocupa a liderança na mídia especializada do setor gráfico brasileiro.

Detentora

de

vários

prêmios

nacionais

e

internacionais (entre eles, o Prêmio Benny, maior concurso mundial do setor), tem periodicidade bimestral e tiragem de 10.000 exemplares, distribuídos gratuitamente em todo o Brasil. Uma pesquisa feita junto aos leitores revela elevados índices de aprovação em relação à sua qualidade gráfica e

editorial:

diagramação

(94%),

credibilidade

(93%),

qualidade do texto (90%), nível de informação (89%), conteúdo (89%). A pesquisa aponta também que cada exemplar é lido, em média, por 5,5 pessoas, o que projeta, na tiragem total, um universo superior a 50.000 leitores. É editada e comercializada pela Clemente e Gramani Editora.

ANUÁRIO BRASILEIRO DA INDÚSTRIA GRÁFICA É o único diretório da indústria gráfica brasileira e circula desde 1996. Fonte indispensável de consulta para clientes e profissionais do setor, apresentou na sua 18ª edição (2014) um banco de dados das 2.112 principais gráficas de todo o País, com um verdadeiro “raio-x” de cada uma, incluindo endereçamento completo, número de funcionários, área instalada, formato máximo de impressão, certificações, processos gráficos disponíveis e especializações. Inclui também o Guia de Fornecedores, com 80 páginas que trazem um banco de dados com informações sobre 550 fornecedores de matérias-primas, insumos, processos, sistemas, equipamentos gráficos e prestadores de serviços. Respeitado no mercado pela qualidade de conteúdo e confiabilidade de informações, o Anuário é conhecido como a “bíblia” da indústria gráfica brasileira. É editado e comercializado pela Clemente e Gramani Editora.

48

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014


BOLETIM IMPRESSÕES Periódico bimestral, o boletim revela como nossas entidades estão trabalhando para fortalecer a Indústria Gráfica. Encontramos também as tendências tecnológicas do mercado, dicas de leitura e a opinião de nossos presidentes. Há ainda a Agenda do Gráfico, que mostra as principais obrigações tributárias, trabalhistas e previdenciárias.

SONDAGEM DA INDÚSTRIA GRÁFICA BRASILEIRA Com abrangência nacional, a Sondagem da Indústria Gráfica apresenta uma pesquisa que revela a confiança do empresário gráfico. O estudo engloba a percepção em relação às condições atuais da empresa e ao ambiente de negócios no período em que se foi realizada a pesquisa.

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014

49


I M PR ESS Õ ES.CO M Boletim eletrônico que informa as atividades, iniciativas e eventos das entidades para o fortalecimento da Indústria Gráfica.

COMU NICA DOS

JU RÍD I COS

Os Comunicados Jurídicos têm o objetivo de informar aos associados as legislações, projetos de leis, entre outros assuntos pertinentes às áreas trabalhista, previdenciária e tributária. Além disso, por meio do SINDIGRAF-SP INFORMA, leva-se ao conhecimento do empresário gráfico e dos colaboradores das empresas do setor, informações sobre as negociações coletivas de trabalho.

C O N V E N Ç Ã O C O L E T I VA D E T RA BA L H O O SINDIGRAF-SP acompanha, todo ano, as negociações coletivas de trabalho. Para informar seus associados, publica todas as condições de trabalho previstas nas cláusulas presentes na cartilha da Convenção Coletiva, que também está disponível no site do SINDIGRAF-SP.

50

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014


Gerência Geral Wagner J. Silva Secretárias Ana Carina do Prado | Denise Monteiro Administrativo e Financeiro Anderson Coelho | Cristianne Moreira | Fátima Sola | Jackson Santos | Janayna Soares | Livia Salce Rodrigues | Priscila Miranda | Rogerio Camilo | Samantha Martins | Sonia Souza Econômico Gabriela Oliveira da Silva | Heitor Henrique Cassiri | Zeina Latif Jurídico Nílsea Borelli | Priscila Corrégio Marketing Carolina Vidal | Cristiano de Souza | Haiany Nascimento | Igor Archipovas | Larissa Neder | Mariana Souza | Priscilla Perniciotti Seccional Bauru Eliane Boschetti Seccional Ribeirão Preto Andressa C. P. Paulino

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014

51


Associação Brasileira da Indústria Gráfica Regional do Estado de São Paulo - ABIGRAF-SP Sindicato das Indústrias Gráficas no Estado de São Paulo - SINDIGRAF-SP Rua do Paraíso, 529 - Paraíso - São Paulo-SP - CEP: 04103-000 Telefone: +55 11 3232 4500 - Fax: +55 11 3232 4507

www.abigrafsp.org.br | www.sindigraf.org.br

Relatório de Atividades 2014 ABIGRAF-SP e SINDIGRAF-SP  
Advertisement