Page 1

29HORAS | 29 de março a 29 de abril de 2010 | josé zaragoza

De 29 de março a 29 de abril de 2010 – distribuição gratuita e exclusiva no embarque de congonhas

Próximo dos 80 e em constante ebulição

zara goza e se reinventa nas artes plásticas e na publicidade

a gata que ruge

paula lima brilha em “cats”

LUIZ TOLEDO A PÁSCOA EM QUE MEU PRIMO BOTOU UM OVO

abram alas!

vai passar o ovo de páscoa com tema, enredo e alegoria

30

dias tem abril. e a agenda 29horas tem

132

programas para todas as horas de todos os dias do mês

buenos capital airesdo brasil a capital dos hermanos nunca foi tão fraterna com o turista brasileiro: é o mais nacional dos destinos internacionais


2 | 29HORAS | 29 de novembro a 29 de dezembro 2009


3


NÃO VIRE AS COSTAS PARA A DISFUNÇÃO ERÉTIL, A ANDROPAUSA E AS DOENÇAS DA PRÓSTATA.

A Sociedade Brasileira de Urologia está fazendo um trabalho inédito pelo Brasil afora. É o Movimento pela Saúde Masculina. Não deixe que a disfunção erétil, a andropausa e as doenças da próstata afastem as pessoas que você ama. Confira as datas, as cidades com orientação médica gratuita e saiba mais no site: www.sbu.org.br/movimento 4 | 29HORAS | 29 de novembro a 29 de dezembro 2009


ESSES PROBLEMAS TÊM TRATAMENTO. TER A SUA VIDA DE VOLTA É MAIS FÁCIL DO QUE VOCÊ IMAGINA.

5


6 | 29HORAS | 29 de novembro a 29 de dezembro 2009


7


>sumário

de 29 de março a 29 de abril

>hora H 12

televisão Sensação da MTV é Vanessa Hadi, ex-advogada e VJ do programa Top ten

14

cinema Estreia do filme Alice, de Tim Burton, é o destaque do mês

16

Arte O futebol-arte que será apresentado na Copa da África do Sul

18

teatro Galã de novela, Sérgio Marone quer investir no teatro

20

Walking Distance O velho Mercadão reserva boas surpresas

22

comida Restaurantes bacanas criam receitas com ingredientes indígenas

24

Comer, Beber, Viver A nova modalidade de bistrôs da Vila Madalena

26

Adega A uva Malbec está na mira do especialista em vinhos Didú Russo

28

29 horas em... A estilista Marie Toscano relaxa na paradisíaca Itacaré

30

das 23h às 29h Carlos Minuano devora um hambúrguer ao som dos Beatles

32

mais que nécessaire Cabelos grisalhos podem ser realçados com técnicas especiais

34

hora livre Luiz Toledo relembra uma das Páscoas de sua infância

Agenda 29 horas 64

132 programas para as mais variadas horas do dia

29 horas com... 98

hank levine O produtor de cinema que irá lançar três novos filmes

capas Paula Lima Fotos: Moa Sitibaldi Maquiagem: Fernanda França (BSide) Assistência: Estéfano da Cunha (BSide) Agradecimento: Guerreiro A cantora Paula Lima usou trio de sombras Moonlight, eyeliner Flashback, Pump Gloss Talking Natural, lápis Cool Liner Be the One, da BSide José Zaragoza Fotos: Érico Hiller


Publisher: Pedro Barbastefano Júnior Conselho editorial: Chantal Brissac, Claudio Elisabetsky, Clóvis Cordeiro, Didú Russo, Fabio Sgarbi, Georges Henri Foz, Pedro Barbastefano Júnior, Wagner Carelli Redação (contato@29horas.com.br): Brunno Carvalho (arte), Chantal Brissac, Claudio Elisabetsky (fotografia), Letícia Liñeira (estagiária), Maria Cecília Maciel (agenda), Vanda Fulaneto, Wagner Carelli Projetos editorial e gráfico, serviços editoriais: Studio San Floro Colaboradores: André Santos, Carlos Minuano, Didú Russo, Ed Motta, Eli Serenza, Érico Hiller, Georges Henri Foz, Kike Martins da Costa, Liana Mazer, Lilian Pacce, Luiz Toledo, Paulo Borges, Rosana Faria de Freitas Gerente de produto: Ariovaldo Dias (ariovaldo@29horas.com.br)

Sócios-diretores Clóvis Cordeiro e Pedro Barbastefano Júnior MARKETING Diretor: Fabio Sgarbi (fabiosgarbi@meta29.com.br) PUBLICIDADE Diretor comercial nacional: Luiz Carlos Stein (stein@meta29.com.br) Diretor nacional de publicidade: Jeferson Teani Fullen (jeferson@meta29.com.br) Equipe comercial: Flávia Moraes (flavia@meta29.com.br), Marcelo Rocha (marcelorocha@meta29.com.br), Renata Piovezan (renata@meta29.com.br), Ricardo Passos (rpassos@meta29.com.br), Rogério Ferreira (rogerio@meta29.com.br), Rose Cruz (rosecruz@meta29.com.br) Rio de Janeiro – Leandro Iulianelli (leandro@meta29.com.br)

>destaques 36 Negra gata

A cantora paulistana Paula Lima brilha na versão brasileira do musical Cats, produz dois álbuns com canções inéditas e volta à TV como jurada do programa Ídolos

42 zaragoza 8.0

Artista plástico e publicitário, um dos sócios da DPZ, agência que fez escola no Brasil, o catalão José Zaragoza continua criando de forma vigorosa e irreverente

50 Roteiro em buenos aires

A capital argentina nunca foi tão fraterna e barata para o turista brasileiro. Confira sugestões de passeios, restaurantes e outras dicas de Natale Giramondo

Curitiba – Andrea Gianini (andrea@meta29.com.br) Brasília – Aloísio Nascimento (dbkn@uol.com.br) ADMINISTRAÇÃO Administrativo e financeiro: João Carlos Vendramini (joaocarlos@meta29.com.br) Equipe de criação: André Yoshikawa (andreyoshikawa@meta29.com.br), Cesar Valério (cesar@meta29.com.br), Karen Kohatsu (karen@meta29.com.br), Rose Oseki (roseoseki@meta29.com.br) Manutenção e logística de distribuição: Marcelo Mattos (marcelomattos@meta29.com.br) www.meta29.com.br Impressão e acabamento: IBEP Gráfica 29HORAS é uma publicação mensal sob encomenda da Meta 29 Serviços de Marketing Ltda. Editora contratada: San Floro Editoração Gráfica ME Jornalista responsável: Wagner Carelli (MTB 12986) Tiragem: 50.000 exemplares DISTRIBUIÇÃO GRATUITA E EXCLUSIVA NAS SALAS DE EMBARQUE DO AEROPORTO DE CONGONHAS A revista 29 Horas respeita a liberdade de expressão. As matérias, reportagens e artigos são de responsabilidade exclusiva de seus signatários. Auditado pela

60 Páscoa temática

Nas docerias e confeitarias da capital paulista, os chocolatiers lançam coleções de ovos e produtos para a Páscoa com sabores e recheios diferentes

logo fsc

A Meta 29, como empresa consciente em relação às questões ambientais e sociais, usa papéis com certificação FSC (Forest Stewardship Council) para a impressão da revista 29HORAS. A Certificação FSC garante que a matéria-prima florestal utilizada em sua produção vem de um manejo considerado social, ambiental e economicamente adequado.


10 | 29HORAS | 29 de novembro a 29 de dezembro 2009


11


hora h

televisão

A bela da tarde

Em 2010 a MTV Brasil completa 20 anos e traz várias novidades. Em maio, por exemplo, Caetano Veloso grava um Acústico, que vai virar CD, DVD e especial de TV. Outro “presente” para os telespectadores é o retorno da parada diária exibida nos fins de tarde, com os clipes mais pedidos pela audiência. A atração agora é apresentada por uma das grandes apostas da emissora musical: a modelo e advogada Vanessa Hadi. Com um gosto musical bem eclético que inclui de Lady Gaga a Kings of Leon, além de muitos flashbacks dos anos 80 e 90, Vanessa não precisava de um programa, porque ela em si já é uma parada: tem 54 kg distribuídos com perfeição por 1,73 m e 28 anos completados este mês. No comando do Top ten MTV desde o início de janeiro, sempre às 17h, essa paulistana recebe via Twitter milhares de mensagens, pitacos e pedidos da audiência a cada dia. Com base nesses votos é elaborado o ranking do programa. “A ideia é que eu não estimule o público a pedir esta ou aquela música, mas quando toca um som que eu gosto, faço uma apresentação mais animada”, confessa a gata. Formada em Direito, ela nunca exerceu a profissão, mas já tem sua carteira da OAB. Desde a adolescência, trabalha como modelo. Para virar apresentadora de TV, ela passou por uma bateria de testes, gravou dezenas de programas que nunca foram ao ar para ganhar

12 | 29HORAS | de 29 de março a 29 de abril 2010

fotos divulgação

Vanessa Hadi é formada em Direito, trabalha como modelo e ainda apresenta todo dia às 17h o Top ten, a parada de clipes da MTV

Vanessa no estúdio do Top ten MTV: a advogada e modelo virou apresentadora


traquejo e naturalidade diante das câmeras, trabalhou sua voz em uma fonoaudióloga e chegou a cursar dramaturgia. “Nunca pensei em ser atriz ou cantar. Meu foco agora é este trabalho de apresentadora. Gosto do trabalho dos jornalistas e adoraria um dia ter a oportunidade de entrevistar um popstar como Bono, do U2”, sonha. Enquanto este desejo não se realiza, Vanessa interage com o público da parada musical. “Recebemos mensagens de uma galera de 10 a 18 anos. Os mais novinhos são muito fofos, enquanto os marmanjos são um pouco mais abusados, mas ainda assim respeitosos. Ouço música o dia todo e passo um tempão diante do computador investigando tendências e caçando novidades”, conta a moça, que mora com os pais, não é fã de baladas, adora comida árabe e sushis, chora toda vez que vai ao cinema assistir comédias românticas açucaradas – na companhia do namorado, um empresário da área de eventos, com quem está há dois anos – e tem como passatempo predileto ficar em casa, no Ibirapuera, brincando com seus três cãezinhos da raça maltês: Cher, Angel e Billy. –Kike Martins da Costa

13


hora h

cinema

Alice maravilha

O outono chega com outra superprodução em 3D: Alice ganha nova dimensão no filme do controvertido diretor tim burton

14 | 29HORAS | de 29 de março a 29 de abril 2010

por sucessos como Edward mãos de tesoura, A noiva cadáver, O estranho mundo de Jack e Marte ataca. E Alice, que nos filmes anteriormente inspirados nas histórias de Carroll sempre era representada por uma garotinha, aqui aparece como uma jovem de 19 anos. Mas, por mais estranho que possa parecer o script da roteirista Linda Woolverton (de A bela e a fera e Rei leão), a nova versão vem bombando nas bilheterias. Lançado no dia 5 de março, Alice arrecadou US$ 116 milhões em seu primeiro fim de semana de exibição. Foi a melhor estreia de um filme em 3D, superando até o faturamento inicial do filme Avatar! Na tela, a fantástica jornada de Alice Kingsleigh começa quando a aristocrática moça é pedida em casamento por Hamish, filho do lorde de Ascot,

O cenário fantástico criado por Burton foi fiel à imaginação do escritor inglês

durante uma festa vitoriana no jardim. Confusa, ela foge sem dar uma resposta, vê um coelho vestindo casaco e usando relógio de bolso passar correndo entre as plantas e sai atrás dele. Quando o bicho some ao entrar numa toca, ela o segue e se vê caindo até chegar ao tal Mundo Subterrâneo. Lá, primeiramente, Alice encontra os irmãos Tweedledee e Tweedledum, que não esclarecem muita coisa por só se comunicarem através de enigmas e charadas. Em seguida, ela começa a explorar esse

lugar estranho, mas ao mesmo tempo familiar, que ela não sabe ao certo se visitou de verdade quando era criança ou se tudo não passava de um sonho. Após encolher por beber o líquido encantado e voltar a crescer por comer um pedaço de bolo mágico, Alice encontra vários habitantes do local: o aloprado Chapeleiro Maluco (Johnny Depp), a bela Rainha Branca (Anne Hathaway), a sábia lagarta Absolem, o sedutor Gato Risonho, o destemido ratinho Dormindongo, o apressado Coelho Branco, o velho pássaro Dodô, o

divulgação

O filme dirigido pelo sombrio Tim Burton e estrelado por grandes nomes de Hollywood, como Johnny Depp, Helena Bonham Carter e Anne Hathaway, estreia no dia 23 de abril. Para o papel da inocente Alice, foi escalada a jovem australiana Mia Wasikowska, revelada em produções como Amélia (em cartaz nos cinemas) e no seriado de TV Em terapia, do canal HBO, no qual interpretava uma atormentada moça com tendências suicidas. É... como se vê, o País das Maravilhas de Tim Burton não é tão alegre, inocente e ensolarado como ele apareceu em outras tantas adaptações dos contos de Lewis Carroll. A propósito, neste novo filme o local é rebatizado como Mundo Subterrâneo, algo bem mais apropriado ao universo bizarro do diretor que ficou famoso


submisso cão Bayard e o feroz Blablassauro. Todos eles lutam contra a tirania da Rainha de Copas (Helena Bonham Carter), que oprime seus súditos.

Alice então descobre o sentido de sua “visita” ao Mundo Subterrâneo e passa a ajudar seus novos amiguinhos na batalha para pôr fim ao governo da

a essência é de Carroll A tecnologia ajudou a deixar ainda mais surreais e piradas as histórias escritas no século 19 pelo reverendo inglês Charles Lutwidge Dodgson, um acadêmico em matemática da Universidade de Oxford, que adotou o nome de Lewis Carroll e ficou famoso no mundo todo com seus livros. O filme inspira-se nos clássicos As aventuras de Alice no país das maravilhas (1865) e Alice no país dos espelhos (1871). “Não é uma transcrição literal do conteúdo do livro, mas sim sua essência”, disse o diretor, Tim Burton, durante o lançamento da superprodução, em Londres.

temperamental e despótica Rainha de Copas. A rica tapeçaria de personagens de Carroll e seu mundo mágico formaram um terreno fértil para que Burton, um cineasta fabulista e conhecido por criar mundos fantásticos e deslumbrantes, soltasse a imaginação. Para completar, o apuro técnico da produção e os efeitos em 3D fazem deste filme um programa quase que obrigatório para os fãs do bom cinema. Crianças, jovens, adultos e idosos ficam tocados e se identificam em alguns

momentos com a história e seus personagens tão amalucados e clássicos, mas ao mesmo tempo tão reais e atuais. “Essa história faz parte da cultura popular e do inconsciente coletivo”, reflete Tim Burton. “Mesmo quem não leu o livro se reconhece em alguma imagem ou situação. É uma história universal que transcen de tempo e lugar”, observa. –K.M.C. Alice no país das maravilhas A partir do dia 23/4 nas redes de cinema, como a Cinemark. www.cinemark.com.br.

15


hora h

arte

Copa das cores

Seleção canarinho das artes plásticas apresenta, em Johannesburgo, homenagem ao futebol-arte

16 | 29HORAS | de 29 de março a 29 de abril 2010

A escalação do time já foi divulgada. São eles: Adriano de Aquino; Antonio H. Cabral; Antonio Peticov; Cláudio Tozzi; Ivald Granato; José R. Aguilar; José Zaragoza (confira a matéria na pág. 42); Luiz Áquila; Luiz Baravelli; Maria Bonomi; Roberto Magalhães; Tomoshige Kusuno e Zelio Alves Pinto. Você deve estar perguntando, por que Os Onze, se o time conta com 13 nomes? Trata-se de outra alusão ao futebol. Entretanto, ninguém vai ficar na reserva, garante Ivald Granato, presidente do G-Onze, ONG voltada à divulgação da cultura brasileira e responsável por levar nossos craques do pincel para Johannesburgo. “Teremos também na exposição um time com onze artistas da África, será um congraçamento de culturas”, diz Granato, que assina a curadoria da exposição ao lado de Jacob Klintowitz. Do lado africano, a curadoria é de

Tela de Peticov escolhida para participar da exposição na África do Sul

Fred Scott e compõem o time os artistas Wayne Barker, Karl Gietl, Simon Stone, Norman Catherine, Johannes Phokela, Sandile Zulu, Samson Mnisi, David Koloane, Annette Loubser e Conrad Botes. As obras estarão no Centro Cultural do Ministério de Esporte,

Cultura e Turismo – o Mandela Square, em Johannesburgo, um dos principais centros turísticos da África do Sul. De lá, seguem para São Paulo, no MuBE (Museu Brasileiro da Escultura), depois viajam para o Rio de Janeiro e Florianópolis. Em 2011, as obras visitam Santiago do

divulgação

Em campo não é certo que batam um bolão, mas se a decisão da próxima Copa do Mundo dependesse do talento para a pintura, nossa seleção canarinho das artes plásticas já estaria com a taça garantida. Um seleto grupo de artistas, consagrados nacional e internacionalmente, conhecido como Os Onze, apresentará em Johannesburgo, a convite do governo da África do Sul, a mostra Os onze, futebol e arte – África 2010 x Brasil 2014. Composta por 22 obras de arte preparadas especialmente para o mundial sul-africano, a exposição, prevista para acontecer entre os dias 8 de junho e 20 de julho, presta uma homenagem ao futebol. Mas atenção, estimado leitor, nossos mestres das artes não enaltecerão em cores e traços qualquer futebol, e sim o futebol-arte. Aliás, no conceito e na prática, uma expressão brasileiríssima, evidentemente.


artistas da bola seleção de amigos surgiu durante a copa de 70

Obra de Ivald Granato

Chile, a convite do Centro Cultural Mapocho, como parte da programação da Copa de 2010 (neste caso, a confirmar, devido ao recente terremoto que abalou o país). Logo depois, Os Onze se apresentarão nas 12 cidades sedes da Copa no Brasil, de 2011 a 2014.

Em meados de maio deste ano, pouco antes do início do mundial sul-africano, o público brasileiro poderá conferir em primeira mão a exposição, que fará uma rápida passagem pelo MuBE, em São Paulo. Como ainda não há uma data fechada, o jeito é ficar de antenas ligadas para não perder. A seleção de craques do pincel apresentou em 2009 exposições coletivas em São Paulo, em Belém do Pará, e em Nápoles. O grupo participou como

convidado de honra da II Bienal de Brasília. Mas o foco agora é a Copa da África do Sul. “Reunir em uma coletiva internacional os expoentes brasileiros nas artes plásticas é uma missão fantástica. São mestres em todas as escolas, todas as técnicas, com carreiras artísticas de muitas décadas que, reunidos como jovens iniciantes, divulgam suas mensagens de inquietudes e emoções”, diz o jornalista Roberto Muylaert, que também integra o conselho do G-Onze. –Carlos Minuano

Assim como “tesão” e outras palavras que não encontram tradução exata, “futebol-arte” é uma expressão genuinamente brasileira. Surgiu em 1958, após a gloriosa vitória na Copa da Suécia (5 x 2 em cima dos suecos). A imprensa mundial se curvava ao espetáculo conduzido por mestres como Pelé, Garrincha, Didi e Nilton Santos. “Diziam que nossa seleção não estava jogando bola, estava fazendo arte”, recorda Edson Botelho, diretor do G-Onze. Ou, mais ainda, afirmavam se tratar de uma seleção oriunda de outras esferas cósmicas. “Os brasileiros parecem vir de outro planeta, com suas leis próprias, indiferentes aos mortais”, noticiou o jornal sueco L’Equipe. O grupo d’Os Onze é formado por artistas e amigos que se reúnem desde a copa de 1970 para pintar obras de arte inspirados nestes fantásticos artistas da bola. Entretanto, a primeira exposição oficial aconteceu durante a Copa da Alemanha. Segundo Botelho, um verdadeiro show de bola. “A mostra foi comentada em mais de 200 artigos publicados em jornais do mundo todo”, diz Botelho, que calcula que cerca de 35 mil pessoas tenham passado pela exposição, realizada na embaixada brasileira em Berlim. O time, após a vitoriosa exposição em Berlim viajou em seguida para Bruxelas; Roma; Helsinque e Santiago. “Temos a possibilidade de levar a cultura brasileira, através d’Os Onze, para diversos países, já recebemos convites para visitar Argentina, México, Espanha, Itália e Finlândia”, acrescenta Botelho.

17


hora h

teatro

Mais palco, menos tv

Protagonista da peça Play, que sai em turnê pelo Brasil, Sérgio Marone quer focar no teatro em 2010

18 | 29HORAS | de 29 de março a 29 de abril 2010

doido”, analisa o jovem ator de 29 anos, que na peça interpreta um artista plástico às voltas com uma curiosa instalação – nela, gravações de pessoas comuns revelam intimidades sexuais. Basta apertar um botão e vidas viram filmes, obras de arte, trechos de interpretação. Aperta-se outro botão no controle remoto e a ficção vira realidade. A câmera que separa um sujeito de outro ao mesmo tempo os aproxima. Tudo se embaralha nessa confusão de limites que são extremamente tênues. “Este ano pretendo me dedicar quase que exclusivamente ao teatro. É um trabalho que atinge um público menor do que a TV, sem dúvida, mas que me dá muita satisfação”,

Marone ficou conhecido nas novelas, mas hoje quer despontar no teatro

explica. Como galã de novelas, Sérgio já exibiu seu corpão de 1,93 m – trabalhado em aulas de musculação, kickboxing e yoga – em comerciais de TV e também em muitas páginas de revistas de famosos. Os affaires com modelos como Naomi Campbell e atrizes como Maitê Proença e Danielle Winits também atiçaram a curiosidade do público ávido por celebridades.

“Hoje posso dizer que esse tipo de exposição não me interessa mais. Não acho legal que minha vida particular vire assunto de mesa de bar ou de salão de cabeleireiro. Já fiz muitas coisas que não pretendo mais fazer. Fui príncipe em incontáveis festas de debutantes, mas espero nunca precisar voltar a fazer isso. Esses bailes podem ser nos lugares

Fotos divulgação

Em Play, o ator Sérgio Marone repensa alguns elementos de sua trajetória e de sua rotina. A montagem teatral, inspirada no filme Sexo, mentiras e videotape, discute a mistura de realidade e ficção na sociedade contemporânea, e Sérgio, que ao mesmo tempo questiona e contesta tudo isso no palco, de certa maneira é fruto dessa complexa era da imagem. “Já atuei em sete novelas da Globo e, quando trabalho na televisão, a gente de certa forma invade a sala de estar da casa do espectador. Por conta dessa intimidade que se estabelece, as pessoas acreditam que nós somos seus amigos de verdade. Isso é bem


Para encarar a turnê pelo Brasil, o ator pratica musculação, kickboxing e yoga

“Não acho legal que minha vida particular vire assunto de mesa de bar ou de cabeleireiro. Já fiz coisas que não pretendo mais fazer”

mais distintos, mas todos têm uma característica comum: são altamente constrangedores e cafonas”, confessa. Nos planos de Sérgio, que nasceu em São Paulo e mudou-se para o Rio há aproximadamente dez anos, só estão atividades relacionadas às artes cênicas. Ele chegou a cursar durante um ano a faculdade de Direito, mas logo enveredou para a

carreira de ator e decidiu abandonar o curso. Para o futuro próximo, ele adoraria poder vivenciar a experiência de cantar e dançar em um musical como Cabaret ou Hair. Outra possibilidade que não descarta é aprofundarse nos estudos para escrever o roteiro de uma peça ou um filme. “Leio muitos livros sobre roteirização e dramaturgia. Quero dominar a composição de um personagem e a formação do esqueleto de um texto para o teatro, para o cinema ou mesmo para a TV”, revela. Enquanto esses projetos todos não saem de sua

cabeça, ele segue ao lado de Maria Maya, Rodrigo Nogueira e Daniela Galli com a turnê de Play por cidades do interior de São Paulo. Em abril, ele estará em Jundiaí, Piracicaba e Salto. Depois segue para Vitória e, nos próximos meses, pretende passar por Natal, Porto Alegre e várias outras capitais. –K.M.C. Play - dias 29, 30 e 31/03 em São Paulo (Teatro Nair Bello tel. 3472-2414), dia 9/4 em Jundiaí (Teatro Polytheama tel. 11 4586-2472), dia 10/4 em Piracicaba (Teatro Municipal tel. 19 3433-4952), dia 11/4 em Salto (Sala Palma de Ouro tel. 11 4602-8686) e dia 30/4 em Vitória (Teatro do Sesi tel. 27 3334-7301).

19


hora h

walking distance

Centro de

multidões

Ponto gourmet da cidade, inaugurado em 1933, o Mercadão atrai 15 mil pessoas por dia com seus diferentes sabores e aromas que se espalham ao longo dos 12.600 m². E essa movimentação também acontece nos arredores da região, que reúne diferentes opções de passeio. Por Letícia Liñeira

Rua Vinte e Cinco de Março É considerada o maior centro comercial da América Latina e um dos mais movimentados núcleos de compras varejistas e atacadistas da cidade. Ali perto também é possível encontrar diversas galerias que vendem produtos importados a baixo custo. R. Vinte e Cinco de Março, s/n˚.

5 min.

11 min.

Mercado Municipal Paulistano R. da Cantareira, 306, tel. 3313-1326. Atacado: de seg. a sáb.: das 22h às 6h. Varejo: de seg. a sáb.: das 6h às 18h, dom. e feriados: das 6h às 16h. www.mercadomunicipal.com.br.

Pátio do Colégio Com mais de 450 anos de muita história para contar, o Pátio do Colégio abriga o museu, a cripta de José de Anchieta, a igreja no local onde foi realizada a primeira missa da cidade, a biblioteca temática. E também é centro de diversos projetos sociais, como o Centro Loyola, o OCA e o EMBU. Pça. Pateo do Collegio, 2, tel. 31056898. www.patecollegio.com.br.

20 min.

Mosteiro da Luz/Museu de Arte Sacra Fundado em 1970 e localizado dentro do Mosteiro da Luz, o museu de Arte Sacra é o maior museu do gênero no país. Possui um acervo com mais de 4.000 peças das principais igrejas e capelas do Brasil, do século XVI ao século XX, e de obras de outros países, entre prataria e ourivesaria religiosas, telas, mobiliário, vestimentas sacras e livros litúrgicos raros. Av. Tiradentes, 676, tel. 3326-1373. R$ 6 e R$ 3 (menores de 7 anos e maiores de 60 tem entrada gratuita. R$ 1 para usuários do metrô). De ter. a dom.: das 11h às 19h. www.museuaresacra.org.br.

20 | 29HORAS | de 29 de março a 29 de abril 2010

Caixa Cultural Para manter um diálogo permanente com as raízes culturais brasileiras, este espaço realiza espetáculos de música, teatro, dança e exposições, e desenvolve projetos culturais. Em abril, fica em cartaz o festival Visões urbanas, que reúne performances, oficinas, seminários e exposições fotográficas que apresentam a cidade como tema. Octogonal Térreo – Pça. da Sé, 111 – 8˚ andar, tel. 3321-4400. De 13/04 a 18/04. De ter. a dom.: das 9h às 21h. www.caixacultural.com.br.

fotos divulgação

16 min.


hora h

comida

Nessas ocas, todo dia é Dia do Índio

Restaurantes de São Paulo servem pratos inspirados ou originários da culinária dos povos indígenas do Brasil

22 | 29HORAS | de 29 de março a 29 de abril 2010

cerrado), purê de banana e vinagrete de laranja lima. Em fevereiro, Ana Luiza ganhou em Paris o Gourmand World Cookbook Awards. Seu livro Brasil a gosto, no qual registra viagens e receitas, faturou o prêmio de melhor publicação gastronômica do mundo. Também do Centro-Oeste, a chef Marisa Campos, do restaurante Nicota, em Pinheiros, trouxe um frutinho típico do Mato Grosso e de Goiás, usado no arroz mole de frango e pequi. Muito apreciado pelos caboclos e pelos índios terenas, no Nicota o pequi perfuma um risoto caipira bem úmido servido numa charmosa cumbuquinha e acompanhado de batata palha. Considerado o mais autêntico restaurante de comida brasileira de São Paulo, o Tordesilhas, da chef Mara Salles, criou um menu com várias alternativas de origem legitimamente

Ana Luiza Trajano, que comanda a cozinha do restaurante Brasil a Gosto

A chef Morena Leite, do Capim Santo, e Alex Atala, do DOM e do Dalva e Dito

indígena. Lá pode-se provar duas especialidades famosas da culinária amazônica: o tacacá e o pato no tucupi. O tacacá é servido em cuias como nas ruas de Belém e Manaus. Além de tucupi bem quente, ele leva goma de mandioca, camarão seco e jambu, uma verdura que anestesia a boca ao ser mastigada. No Amazônia, no bairro do Bixiga, o hit é a maniçoba, outro prato típico da região Norte. Tido

como a feijoada dos índios, este rico ensopado de sabor forte e cor esverdeada é feito com folhas de mandioca brava trituradas, cozidas e misturadas a nacos de carne seca. O restaurante Bananeira, no Morumbi, traz boas pedidas como a tainha à moda caiçara (assada na brasa e servida com farofa de camarão e banana) e o peixe na folha de bananeira. Já o Capim Santo, da chef Morena Leite, aposta

fotos divulgação

Para quem vive nas grandes cidades, em geral o dia 19 de abril é praticamente a única oportunidade de homenagear os povos indígenas do Brasil. Mas, para mergulhar no universo e na culinária das selvas do nosso país, basta ir a um dos bons restaurantes de comida típica brasileira. Lá pode-se comer todo dia ótimos pratos originários ou inspirados em tradições dos tupis, maués, terenas, xavantes, pataxós e caiçaras, entre outros. No Brasil a Gosto, nos Jardins, a chef e pesquisadora Ana Luiza Trajano oferece a seus clientes pratos que surgiram após suas expedições pelo país. Ela já criou um menu degustação formado só por receitas à base de mandioca – o principal ingrediente da culinária indígena – e seu cardápio fixo atualmente tem uma receita típica de tribos do Centro-Oeste, o abadejo grelhado com crosta de baru (tipo de amêndoa típica do


No alto, à esquerda, o pato no tucupi, um dos pratos mais pedidos no Amazônia, no Bixiga; acima, o sagu de tapioca com morango e sorbet de lichia, do Capim Santo, nos Jardins; à esquerda, o arroz mole com frango e pequi servido no charmoso Nicota, em Pinheiros, e o filhote ao tucupi e tapioca, do restaurante DOM

Os refinados nativos de Atala Nos restaurantes do badalado chef Alex Atala também são servidas especialidades de inspiração indígena. No cardápio do sofisticado DOM, em meio a iguarias elaboradas com carne de cordeiro ou de pato, há um apetitoso filhote no tucupi e tapioca. O filé de filhote, peixe amazônico de carne branca e firme, também conhecido como piraíba, vem acompanhado de delicadas bolinhas de tapioca embebidas em molho de tucupi, um líquido obtido através da fermentação do caldo da mandioca. No vizinho Dalva e Dito, o chef oferece um substancioso pirarucu na chapa com vinagrete de castanha do Pará e ratatouille do sertão (mistura de vegetais grelhados que inclui quiabo, maxixe, chuchu, abóbora de pescoço, mandioquinha, batata doce, palmito pupunha e banana-da-terra).

em técnicas da cozinha contemporânea com ingredientes da culinária dos índios brasileiros. Como entrada, experimente o mil-folhas de tapioca com aratu (caranguejo de água doce). Depois, prove o tartar de atum com pérolas de tapioca. E, para adoçar a boca, peça uma sobremesa de inspiração indígena: sagu de tapioca com morango, sorbet de lichia e champanhe. –K.M.C.

Amazônia – R. Rui Barbosa, 206, Bixiga, tel. 3142-9264. Bananeira – R. Mal. Hastimphilo de Moura, 417, Morumbi, tel. 3502-4635. Brasil a Gosto – R. Prof. Azevedo do Amaral, 70, Jardins, tel. 3086-3565. Capim Santo – Al. Ministro Rocha Azevedo, 471, Jardins, tel. 3068-8486. Dalva e Dito – R. Padre João Manoel, 1115, Jardins, tel. 3064-6183. DOM – R. Barão de Capanema, 549, Jardins, tel. 3088-0761. Nicota – R. Costa Carvalho, 72, Pinheiros, tel. 3031-6373. Tordesilhas – R. Bela Cintra, 465, Consolação, tel. 3107-7444.

23


hora h

comer, beber, viver por georges henri foz

BOAS NOvAS para O PALADAR

o corredor que divide a vila madalena dos jardins atraiu uma modalidade nova de bistrôs, com cardápio abrangente e bons preços

24 | 29HORAS | de 29 de março a 29 de abril 2010

visual às ruas, assim como foram edificados prédios modernos que ajudaram a inaugurar a nova cara da região. O mais legal dessa história toda é que a região atraiu uma modalidade nova de restaurantes. Sabe aqueles bistrôs com pouco espaço entre as mesas, cozinha 100% à vista, cardápio superabrangente e preços atraentes? É isso. Na França chamamos isso de troquet. Os lugares que cito no final dessa coluna são os que já estão em funcionamento, mas vários outros estão se preparando para abrir. Sem contar as lojinhas de design, galerias de arte e espaços descolados que recheiam esse corredor. Além disso, se quiser atravessar a Rebouças e curtir o outro mini pólo gastronômico da Joaquim Antunes, são dois minutinhos... Daqui a pouco, com a inauguração desta estação de metrô, vai parecer até que estamos em outro país... Qual será? Até a próxima.

Costeleta de porco do Le Jazz

Fachada do Le French Bazar

Le Jazz Restaurante – Tudo muito bom, até nas sobremesas. R. dos Pinheiros, 254,

competente. Costelinha de porco com melaço de cana e limão caipira. R. Antônio Bicudo,

tel. 2359-8141. www.lejazz.com.br.

116. www.restaurantedois.com.br.

Le French Bazar – Experimente a autêntica Blanquette de Veau. R.

La Marie Restaurante – Bons souflés e pratos de aves. R.

Fradique Coutinho, 179, tel. 3063-

www.lamarierestaurante.com.br.

Francisco Leitão, 16, tel. 3086-2800.

1809. www.lefrenchbazar.com.br.

Bem em frente ao French Bazar fica o Pastifício Primo, que vale uma visita para se abastecer de massas frescas e molhos variados. Dois Cozinha Contemporânea – Brasileiro contemporâneo muito

Vinheria Percussi – Italiano pra lá de correto. R. Cônego Eugênio Leite, 523, tel. 3088-4920. www.percussi.com.br.

Nello’s – Cantina italiana tradicional boa e barata. R. Antonio Bicudo, 97, tel. 30824365. www.nellos.com.br.

foto divulgação

São Paulo faz parte das poucas cidades do mundo que, por serem tão dinâmicas, são capazes de produzir, ou mesmo reinventar, um bairro em poucos anos. Um exemplo claro dessa velocidade e da capacidade mágica da nossa cidade é o corredor que divide a Vila Madalena dos Jardins. Para ser mais preciso, me refiro a uma faixa de duas quadras de largura (da Rebouças a Artur de Azevedo), entre a Pedroso de Moraes e a Francisco Leitão. Até pouco tempo atrás, essa região era ocupada por botecos populares e era referência de restaurantes mexicanos pouco confiáveis – aqueles que o público procurava pelo baixo custo, pela tequila abundante e pelo barulho acima do aceitável. Em 2007, começaram as obras do metrô que incluem uma megaestação na rua dos Pinheiros, pouco acima da Mourato Coelho. Os comerciantes do bairro não cochilaram e agregaram um novo


BERSERK!

( ) para descansar ( ) para trabalhar ( ) para reunir ( ) para comemorar

AQUI VOCÊ ESCOLHE. Address Cidade Jardim. Hospedagem e eventos, tudo num só endereço.

Rua Amauri, 513 - São Paulo | 0800 773 4663 | www.addressexecutive.com.br 25


hora h

adega por Didú Russo

Em berço esplêndido

Pequena e densa, a uva Malbec nasceu em Cahors, na França. Agora faz história na Argentina

26 | 29HORAS | de 29 de março a 29 de abril 2010

Compreendo o sucesso do vinho argentino, pois ele agrada a qualquer principiante. Vinho intenso, saboroso, adocicado, baunilha da madeira nova das barricas e sem acidez. Mas recomendo que se conheça a casta na origem, o “Vin Negre” dos vinhos do Cahors, que dominou a corte europeia em épocas de Leonor de Aquitânia, única mulher na história a casar-se com dois reis, Luís VII da França e posteriormente Henrique II de Inglaterra, e que foi uma das mulheres mais importantes na história do vinho de Bordeaux. O Cahors hoje morre de inveja das altas vendas do Malbec argentino e há um grupo de produtores querendo “argentinizar” o Malbec de lá. Uma grande pena se isso vier mesmo a acontecer, pois os Malbec do Cahors são muito superiores, embora exijam um degustador mais desenvolvido no tema e que saiba valorizar vinhos gastronômicos e que, principalmente, tenha método para guardar a garrafa por uns dez anos.

Muitos acham que a Malbec nasceu na Argentina

Nesse caso o Malbec do Cahors fica entre os grandes tintos, com aromas que passeiam por couro, tabaco, ameixas pretas e chocolate, sem carvalho novo evidente, elegante e com uma acidez invejável que implora por mesa de classe. Se você ler a matéria do Natale Giramondo (pág. 50) e se encantar com a possibilidade de passar um fim de semana em Buenos Aires, certamente se deliciará

com bons Malbec na origem e bem mais em conta que aqui no Brasil, mas proponho que antes da viagem você experimente um Malbec de verdade, um Cahors (pode ser o Château La Poujade da www.vitisvinífera.com.br ou o Château de Haute-Serre do www.mistral.com.br), as safras que estão disponíveis ainda não sofreram a tal “argentinização” que rezo para que não aconteça. Saúde!

divulgação

A Malbec, poucos sabem, foi a casta mais plantada na margem direita do rio Gironde (em Bordeaux, na França) em épocas préfiloxera (a grande praga que devastou as plantações no final do século 19), onde hoje predominam as Merlot. Ela é prioritária no Cahors, onde produz vinhos densos e cheios de estrutura, que precisam evoluir na garrafa para mostrar seu potencial e elegância e que costumam acompanhar os suculentos cassoulets. Mas o sucesso da casta em solo argentino foi tão grande que tornouse emblemática do país e muitos até acham que a Malbec nasceu na Argentina. O sucesso fez a fama da região no mundo todo e no Brasil é dos vinhos mais vendidos. Em 2009, o homem do ano da revista Decanter foi Nicolas Catena, um dos responsáveis pelos vinhos de boa qualidade da Argentina. O Malbec na Argentina, porém, carece de acidez em função de seu solo, o que é corrigido hoje pelos produtores com a adição de ácido tartárico.


27


hora h

29 horas em...

29 horas em itacaré Quando quer relaxar da loucura paulistana, a estilista Marie Toscano ruma para o sul da Bahia, mais precisamente para as areias brancas e o mar azulíssimo dessa praia magnífica

Arquiteta e administradora de empresas por formação e estilista de vestidos de noivas e de festas luxuosas por vocação, a paulistana Marie Toscano já foi assistente da americana Donna Karan, com quem trabalhou durante três anos no eixo Nova YorkMilão. Depois, resolveu voar sozinha, voltou a São Paulo e montou seu ateliê em 1995, destacandose pelo design e corte impecável. Sua maior clientela é formada por elegantes socialites e atrizes – Carolina Ferraz entre elas. Marie, que divide seu tempo entre as criações de moda e os dois lindos filhos, adora trabalhar e se considera workaholic. “Correr para dar conta

28 | 29HORAS | de 29 de março a 29 de abril 2010

de tudo já virou parte da minha rotina”, diz ela. Outra paixão é viajar. Sempre que pode, vai com o marido e os filhos para algum canto da Bahia. Aqui, ela dá sugestões para uma estada relaxante na região que fica entre Ilhéus e Itacaré, um paradisíaco pedaço do litoral baiano. -Vanda Fulaneto

frutas, torradas e queijo de coalho. Depois, vou à praia e à piscina – ambas são deslumbrantes! Gosto de curtir os meus filhos e ficar à vontade nessa praia linda, que alimenta a alma. Há várias opções

5h às 11h

“Fico hospedada no Txai, resort que fica a uns 60 km de Ilhéus e a 15 km de Itacaré, na Costa do Cacau, um lugar lindo, com enseadas de pequenas praias de areia branca e mar muito azul. Quando estou lá, acordo sem pressa lá pelas 9h e já visto o biquíni. Vou tomar café da manhã caprichado com

A paisagem inspiradora do resort Txai

de passeio que o hotel oferece, mas o mais popular é o passeio da Fazenda da Caranha.” Txai Resort – Rod. Ilhéus Itacaré, km 48, tel. (73) 2627- 6323. www.txairesort.com.br. Rede Itacaré Aventura tel. (73) 9975-6664. reserva@


Praia de Itacarezinho

e pego alguma outra coisa no bufê montado ali. Depois, me deito em uma das redes e meu programa é uma siesta, com o barulhinho do vento no coqueiral, a brisa e o som do mar. Impossível coisa melhor.”

17h às 23h Cachoeira do Tijuípe

itacareaventura.com.br

fotos divulgação

11h às 17h

“Quando a fome chega dou uns passos e me instalo nas mesas no coqueiral, pé na areia, entre a praia e a piscina, só curtindo a brisa e aproveitando a vista. É aquele visual! Peço uma bela salada e um peixe grelhado

“Gosto de passar o fim de tarde no alto da colina, no spa, que tem uma vista superprivilegiada da praia do mar. Fico bebericando chá de capim santo ou gengibre e ouvindo melodias zen. Às vezes faço sauna, às vezes mergulho na piscina ou faço uma massagem – a essa altura com um luar prateado que reflete no mar. À noite gostamos de ir à cidade de Itacaré (30 min. de carro) comer uma pizza no Beco

Beco das Flores

das Flores ou degustar um camarão pistola com salada no restaurante Manga Rosa. Beco das Flores – R. Lodônio Almeida, 108 tel. (73) 3251-2174. Manga Rosa – R. Pedro Longo, 249, tel. (73) 3251-3095.

23h às 29h

“Vou me deitar naquele quarto delicioso de

decoração balinesa e caio imediatamente em sono profundo. Lá é um silêncio total, ótimo para quem quer dormir bem e descansar da loucura de São Paulo. Só fica aquele barulhinho relaxante das ondas espocando na praia. Acordo novinha em folha.”

29


hora h

das 23h Às 29h por carlos minuano

Lembranças de

Liverpool

eles amam Beatles e hambúrgueres. e criaram, no coração da Vila Madalena, um lugar que une esses dois clássicos

30 | 29HORAS | de 29 de março a 29 de abril 2010

conhecer uma hamburgueria batizada com o nome deles, que acaba de ser inaugurada na Vila Madalena. Lanches turbinados ao som dos Beatles são a atração. Aliás, precisava saber o porquê da homenagem? Seriam John e Paul ávidos comedores de hambúrguer? Minha surpresa aumentou ainda mais quando descobri que a casa ocupa o espaço onde anos atrás funcionou o famigerado boteco conhecido por Sujinho, primeiro reduto ‘udigrudi’ da Vila Madalena. A hamburgueria John & Paul chega em boa hora. Faltava na velha e boa Vila Madalena um lugar agradável para a famosa ‘larica’ pós-balada. Para quem já teve que se contentar com um hot-dog na rua, após alguma noitada na região, a casa, decorada com pôsteres trazidos de Liverpool, é um alento. Clássicos da banda embalam o tempo todo o lanche, ou a paquera – afinal, belas ‘beatlemaníacas’ já estão marcando presença por lá. A ideia surgiu de uma paixão compartilhada com a

O interior da hamburgueria é decorado com figuras da banda inglesa

companheira, segundo me contou o dono da casa, o simpático italiano Antonino Espósito. “Amamos Beatles e hambúrguer, então por que não misturar as duas coisas?”. Depois de uma agradável conversa com o moço, descobri se tratar de um fanático pelos Beatles (embora não admita, diz que fanática é a esposa, ele apenas gosta muuuiiito!). Em seguida, pude ir para a melhor parte: o hambúrguer, claro. Tracei um John e Paul no prato (super burger tradicional, 300 g, R$ 25) junto de uma salada chamada Michelle (misto de folhas, tomate, palmito e lascas de parmesão, R$ 17). Olhando ao redor, percebi feliz que os dias de glória do Ronald

McDonald estão chegando ao fim. Famílias se deliciavam com o cardápio variado. Enquanto a molecada detonava no hambúrguer, pais degustavam vinho, cerveja e até uísque, como jamais fariam no outro conhecido fast food. E o melhor, tudo ao som dos Beatles. Eu, como estava dirigindo, achei melhor não me acabar na cerveja. Tem um bocado de marcas importadas por lá, coisa fina, como a holandesa 8.6 (500 ml, R$ 15). Na próxima vou de táxi e aí elas não escapam. Let it be, let it be. John & Paul Burger – R. Mourato Coelho, 1.285, Vila Madalena, tel. 2337-2540. De dom. a ter.: até 1h, qua. e qui.: até as 3h, sex. e sáb.: até as 5h.

fotos divulgação

Tem gente que não pode ouvir Roberto Carlos que logo se arrepia todo e até chora compulsivamente, geralmente se recordando de algum fora antológico. No meu caso acontece algo semelhante, mas com os Beatles. Claro que sem o ‘chororô’, afinal macho que é macho não chora – só escondido no banheiro, como bem cantou Renato Russo. Entretanto, meu primeiro contato com o som dos garotos do Liverpool foi intermediado por um baiano. No caso, Caetano Veloso, na clássica versão de Help. Jovem e tosco, eu tinha acabado de terminar uma relação. Para piorar, o apartamento era dela. A canção, que falava muito de minha infeliz situação, veio bem a calhar. Mas, pra não ficar no prejuízo, aprendi a tocar Don’t let me down e acabei ganhando a menina de volta. Encurtando a história, o fato é que a música dos velhos John e Paul sempre foram trilha de minhas aventuras – ou desventuras – amorosas. Por essas, e por outras, não poderia deixar de


hora h

mais que nécessaire

Pimenta e sal

“Poivre et sel”: assim as francesas se referem aos homens grisalhos. Aqui, os fios brancos também estão se tornando um charme

32 | 29HORAS | de 29 de março a 29 de abril 2010

no salão do renomado Tony & Guy. Hoje ele trabalha como colorista no MG Hair e atende as belas Isabeli Fontana, Ana Beatriz Barros, Carolina Dickman, Ellen Roche, Daniela Saraiba e Adriane Galisteu, entre outras – nenhuma delas ainda com a cabeleira branca. Dos grisalhos que recebe, cerca de três a cinco homens por semana no salão, todos exigem que suas identidades sejam absolutamente preservadas. Este detalhe ainda mostra o preconceito e o constrangimento masculinos em assumir um tratamento que é cada vez mais comum lá fora. Nos Estados Unidos e na Europa, artistas de cinema, como George Clooney – que aparece deslumbrante no seu último filme, Amor sem escalas – e Richard Gere, declaram naturalmente que fazem o reflexo especial nos cabelos. Segundo Juha, o reflexo inverso deve ser sempre feito com parcimônia e sutileza. Ele só faz quando o homem tem mais de 50% dos fios

George Clooney realça em salões de beleza os seus cabelos grisalhos...

brancos. Aos poucos, ele vai aumentando gradativamente a coloração. “Assim ninguém se choca e o efeito é quase imperceptível”, afirma o colorista, que usa um novo produto da L’Oreal, Cover 5, uma rinsagem específica para cobrir os cabelos

brancos masculinos. Além de acinzentar os fios ainda protege os cabelos dos efeitos maléficos do cloro, da água do mar e do sol. Para alguns jovens senhores que têm apenas os cabelos brancos nas têmporas, a solução é

fotos divulgação

“Os homens são crianças grandes”. Esta foi uma das muitas máximas ditas por Napoleão Bonaparte. E as crianças grandes também envelhecem e ficam com cara de senhores. Cabelos brancos ajudam um homem a parecer mais velho – e ter a cabeça branquinha não depende da idade. Pesquisadores das universidades Bradford, da Grã Bretanha, e Mainz, da Alemanha, descobriram que fatores genéticos e stress podem acelerar o aparecimento dos cabelos grisalhos. O jeito é recorrer à técnica low lights, ou reflexo ao contrário. Ela dá um ar mais jovem e descontraído ao visual. Esta técnica consiste em tingir alguns fios de cabelo branco e depois soltá-los para eles se misturarem. Este processo é bastante rejuvenescedor, pois um homem de cabelos brancos vira um charmoso grisalho. Juha Antero, finlandês de Helsinki, já usava este procedimento em Londres


livres da tintura

Lá fora, elas exibem cada vez mais os fios brancos O que sempre foi um tabu hoje virou sinônimo de modernidade, ousadia. Mas a tendência ainda não pegou forte no Brasil. Na Europa e nos Estados Unidos, mulheres famosas desfilam suas cabeças brancas com altivez e segurança. É o caso da ministra da Economia da França Christine Lagarde, e da americana Kathleen Sebelius, que ocupa a Pasta da Saúde no governo Obama. Elas se livraram da obrigação que é tingir, a cada quinze ou vinte dias, os fios no cabeleireiro. Aqui, por n razões culturais e comportamentais – não se esqueçam que as brasileiras são as que mais consomem tintura loira no mundo todo e as segundas no ranking das cirurgias plásticas, só atrás das americanas – o cabelo branco ainda é algo a ser escondido, sinônimo de desleixo e falta de vaidade. Até senhoras octogenárias se constrangem de exibir a experiência registrada nas suas madeixas! Autora do livro Meus cabelos estão ficando brancos (Globo Livros), a escritora norte-americana Anne Kreamer cansou de tomar chá de cadeira em salões de beleza para cobrir exaustivamente os teimosos fios brancos. Assumiu a cabeça alva. “No início eu me senti mais velha, mas depois vi que ficamos mais jovens e naturais quando deixamos os cabelos branquinhos”, ela diz. Por aqui, poucas têm essa coragem. Entre elas, a atriz Cássia Kiss, a socialite Carmo Abreu Sodré Mineiro e a atriz Betty Faria, que recentemente, para viver uma personagem da novela Uma rosa com amor, do SBT, deixou a tintura de lado. “Foi a primeira vez e estou gostando. Por que os homens podem e nós não? A mulher não tem que vender juventude eterna”, questiona. ...como o ator Richard Gere, que nunca escondeu suas madeixas brancas

só tingir os fios nessa região. Regina Maciel, do salão Marcos Proença, conta que para suavizar os cabelos e deixá-los mais naturais, ela toma o cuidado de preservar a tonalidade certa dos fios de seus clientes antes

de eles ficarem brancos. “Pergunto qual era a cor exata antes de branquear”, explica. Ela costuma fazer balayage em homens com, no mínimo, 15% de fios brancos. Também trabalha em cabeças que estão completamente alvas. “Na

verdade, quero que eles se sintam bem; isso depende muito da vaidade do cliente”. Regina recomenda que o grisalho volte a fazer a tintura entre 40 e 50 dias. “O importante é não deixar o cabelo ficar novamente todo branco, assim é

muito mais fácil manter o efeito natural. Os homens rejuvenescem em média oito anos com esta prática”, observa. –Vanda Fulaneto MGHair – R. Estados Unidos, 1.862, tel. 3068-9035. Marcos Proença – R. Arthur Ramos, 395, tel. 3081-6218.

33


hora h

hora livre luiz toledo

Meu primo botou um ovo Uma história real, pascal e, óbvio, oval.

panelas chiando e tachos fumegando 24 horas, sob o comando da Benedita, a preta mais preta que eu conheci, dona dos dentes mais brancos que eu já vi – e que nunca viram um dentista. Se você tocar este sininho que está em cima da mesa da cozinha, terá uma surpresa. Tocou? Então olhe ali na porta que dá para o

poltrona. Ele não sabia o que estava procurando, até que encontrou. Triunfante, ele levantou o braço e, mostrando sua descoberta a todos, declarou: – O Luiz Sérgio botou um ovo. Ainda está quente. O detalhe da quentura do ovo foi coisa de gênio. Ao segurar o ovo que ele mesmo botou, meu primo sarou. Naquele domingo a história foi contada e recontada muitas vezes. E continua até hoje. Feliz Páscoa. Feliz abril novo. yestoledo@gmail.com

shutterstock

A sala da casa era imensa, pé-direito de uns 20 m, portas de uns 5, numa das paredes um relógio enorme, que meu pai chamava de “o grande ditador” (visitei a casa depois de adulto e as dimensões não eram bem assim). No final de um interminável corredor ficava a cozinha. Uma espécie de usina de alimentação, com

quintal: este coelho chamase Serafim. Atendendo ao seu chamado, ele veio buscar seu prêmio. O melhor fica no quintal, mas vamos voltar para a sala, onde o meu primo Luiz Sérgio, o dono desta história, está nos esperando. Desde que chegou, ele sentou quieto na poltrona, emburrado. Ninguém sabia o que ele tinha. Nem com a chegada do nosso tio ele melhorou. Tio, você sabe, é a melhor coisa que pode acontecer entre um pai e um avô. Com cara de quem sabe que algo está errado, ele começou a mexer no Luiz Sérgio, nas almofadas da

34 | 29HORAS | de 29 de março a 29 de abril 2010


>showbiz >capa

Paula Lima prepara dois novos álbuns com canções inéditas, se aventura como atriz na versão brasileira do musical Cats e, em junho, volta à TV como jurada do programa Ídolos por kike martins da costa fotos moa sitibaldi


Paula vive uma gata desprezada no musical que faz sucesso no mundo inteiro


>showbiz

Essa cantora tem a potência vocal de uma tigresa e as sete vidas de uma gata. Ao mesmo tempo em que se prepara para gravar seu 6º álbum, ela se desdobra para continuar fazendo shows pelo Brasil, interpretar uma gata carismática e glamurosa na montagem brasileira do musical Cats e iniciar este mês a maratona de testes em busca de um novo astro pop, com a trupe do programa Ídolos, da TV Record. “É... realmente podemos dizer que este ano eu abri o meu leque de manifestações artísticas. Mas a verdade é que nada foi programado e planejado, as coisas foram aparecendo naturalmente. Adoro desafios”, afirma a paulistana de 40 anos que mora no Ipiranga. Formada em direito na universidade Mackenzie, ela ia realizando seu sonho de se tornar uma promotora quando foi “abduzida” por rappers como Thaíde e DJ Hum e aí enveredou pela música e abandonou a banca e a beca. Fã de Jorge Benjor, Ella Fitzgerald, Elza Soares, Quincy Jones e Michael Jackson, Paula é dona de um suíngue privilegiado e de uma voz aveludada com um timbre grave que não merecia ser desperdiçado num tribunal. Com essa virada radical em sua vida, ganhou o público, que passou a conhecê-la melhor principalmente quando ela se uniu ao grupo Funk Como Le Gusta. Com olhos de felina e uma impressionante cabeleira, repleta de trancinhas, a leoa da noite paulistana gravou um, dois, três, quatro álbuns e, em 2009, chegou ao quinto, com participação de Seu Jorge e direito a um DVD com um show registrado ao vivo. Sobre os dois novos álbuns que pretende lançar ainda neste ano, Paula não revela muita coisa, apesar de muitas definições importantes já terem sido tomadas. “Às vezes um pouco de mistério faz bem”, ri, com seus dentes incrivelmente brancos. É difícil compará-la com outras cantoras, pois nenhuma faz o mesmo mix de funk, samba, MPB, bossa nova e black music. Ou, se faz, não é com a mesma delicadeza e harmonia. Com essas características tão marcantes, foi convocada em meados do ano passado para fazer o papel da gata Grizabella na montagem brasileira do musical Cats, um clássico da Broadway que já foi encenado em dezenas de países e estreou, em 1981, em Londres. O texto original foi escrito

38 | 29HORAS | de 29 de março a 29 de abril 2010

e musicado por Andrew Lloyd Weber a partir de 14 poemas contidos no livro infantil Old possum’s book of practical cats, do consagrado T. S. Elliot. “Outro dia, quando um empresário da Broadway de passagem aqui por São Paulo viu minha interpretação, comentou com o nosso diretor: ‘Puxa, como nunca pensamos em colocar uma cantora de black music antes no papel da Grizabella. Boa sacada’”, conta Paula, que tem dois números de destaque na montagem, praticamente apresentações solo, enquanto na maior parte do espetáculo os outros gatos cantam em coro. “Foi um esforço muito grande assumir essa responsabilidade, mas valeu a pena. A Grizabella é uma bela personagem. Busquei sensações que não quero que me pertençam: dor, angústia, insegurança, desespero. Tive que fazer um condicionamento físico forte, foi um trabalho árduo e algu-

mas vezes doloroso”, confessa. Os ensaios, que levaram seis meses, às vezes duravam 12 horas seguidas. “Está sendo um grande barato. Não sou atriz, porém estou descobrindo um universo diferente, uma visão diferente de palco, de música, de estilo, convivendo e aprendendo com uma grande companhia, com feras da Broadway”, afirma Paula, que só havia visto dois musicais antes de assumir seu papel em Cats. “Assisti às montagens de Chicago e Miss Saigon aqui no Teatro Abril e fiquei impressionada, talvez aí já tenha nascido um desejo de fazer o que estou fazendo hoje”, relembra. “Interpretar em cena o clássico Memory, que já fez tanto sucesso nas vozes de cantores como Barbra Streisand e Barry Manilow, tem sido uma honra para mim. E a adaptação para o português está incrível. Quem traduziu as letras das músicas foi o Toquinho”, comemora Paula. A verdade é que a cantora está ampliando as possibilidades para o futuro, pois São Paulo está vivendo atualmente um momento de efervescência e multiplicação dos espetá-


divulgação

A gata glamurosa Grizabella é o mais novo papel da cantora Paula Lima, que chegou a se formar em Direito, mas escolheu o palco


culos musicais nos teatros. Neste exato momento estão em cartaz sete peças desse gênero originárias da Broadway: além de Cats, em cartaz no Teatro Abril até meados do segundo semestre, estão por aqui Hairspray (no Teatro Bradesco), O rei e eu (no Teatro Alfa), O despertar da primavera (no Teatro Sérgio Cardoso), Meu amigo Charlie Brown (no Teatro Frei Caneca), Bark! Um latido musical (no Teatro Nair Bello) e O som da Motown (no Teatro das Artes). Em Cats, Paula atua ao lado de veteranos em montagens de musicais da Broadway aqui no Brasil. Saulo Vasconcellos, por exemplo, já encarnou o Fantasma em O fantasma da ópera e a Fera em A bela e a fera. Sara Sarres já participou de West side story, Les misérables e Godspell. Depois da temporada paulistana, Cats deve ficar em cartaz no Rio de Janeiro de outubro a dezembro e ainda pode excursionar por outras capitais brasileiras no início de 2011. A rotina de Paula foi completamente alterada por conta do musical. Nas segundas, terças e quartas, ela viaja para fazer shows ou com a equipe de Ídolos para selecionar candidatos ao posto de novo astro pop do país. De quinta a domingo, tem uma dedicação quase que integral a Cats. “A base de tudo é que sou uma cantora. Todas as coisas que têm a ver com a música me interessam, ajudam no meu desenvolvimento como artista e como pessoa. No programa de TV, ao lado de meus queridos Luiz Calainho e Marco Camargo, avalio os candidatos e me recordo do início de minha carreira, é quase uma terapia de regressão. No musical, desenvolvo minha performance no palco. Posso passar bastante tempo com essas outras atividades, mas o que não consigo é ficar sem fazer shows. A minha troca com a plateia quando estou num show solo ou com minha banda é algo muito forte, único, indescritível”, conclui. Essa troca é de fato tão intensa que acabou alçando Paula ao primeiro time da música brasileira. Em seus shows, discos e projetos artísticos, convive com grandes nomes como Ana Carolina, Zélia Duncan, Diogo Nogueira, Arlindo Cruz e Seu Jorge. Este é um clube seleto no qual ela se incluiu graças a sua energia, sua alegria e seu talento. Quem diria que a menina tímida que nasceu na Vila Mariana chegaria lá? Mas alguns indícios foram externados desde cedo: segundo sua mãe, desde a mais tenra infância ela acordava cantando e, depois, dos sete anos aos dezessete anos, ela estudou piano clássico. Deu no que deu!

40 | 29HORAS | de 29 de março a 29 de abril 2010

A cabeleira natural e o sorriso aberto com dentes branquíssimos são marcas dessa talentosa cantora

Produção: Vanda Fulaneto; Maquiagem: Fernanda França (BSide); Assistência: Estéfano da Cunha (BSide); Agradecimento: Guerreiro

>showbiz


Os locais frequentados pela felina COMPRAS – “Às vezes só penso em sapatos e me mando para o Studio TMLS. Se quero camisetas diferentes, caio na Ed Hardy. Se quero um creminho ou um make, vou à MAC, o paraíso da maquiagem!”

do Michael Jackson e do Tim Maia. O último DVD que adquiri foi o de um show das The Supremes, com aquela feminilidade e dança da Motown anos 60. O último CD foi The sea, da Corinne Bailey Rae, lindo!”

Studio TMLS – R. Dr. Melo Alves, 549, tel. 3063-5352. Ed Hardy – R. Dr. Melo Alves, 453, tel. 3081-1404. MAC – Av. Brig. Faria Lima, 2.232 (Shopping Iguatemi), tel. 3815-5011.

Fnac – Av. Paulista, 901, tel. 2123-2000. Livraria Cultura – Av. Paulista, 2.073, tel. 3170-4033.

COFFEE BREAK – “Gosto muito do Santo Grão, nos Jardins, para um cafezinho e um bom papo. Adoro a iluminação do lugar e seus cantinhos aconchegantes. Como se não bastasse tudo isso, lá ainda tem umas saladas bem apetitosas.”

RESTAURANTES – “Amo comida japonesa e vou semanalmente ao Kabura, na Liberdade. Adoro o ambiente do Mestiço e meu prato preferido lá é o Samui (frango com castanha de caju). Outros vícios que tenho são a terrine de queijo de cabra com berinjela do Spot e os pratos criativos do Marakuthai.”

Santo Grão – R. Oscar Freire, 413, tel. 3082-9969.

LIVRARIAS – “Adoro! Fico enlouquecida com tudo que está exposto. É entrar e perder a noção do dinheiro. Frequento a Fnac e a Livraria Cultura. Os últimos livros que comprei foram as biografias do Jimmi Hendrix,

Kabura – R. Galvão Bueno, 346, tel. 3277-2918. Mestiço – R. Fernando de Albuquerque, 277, tel. 3256-3165. Spot – Al. Ministro Rocha Azevedo, 72, tel. 3283-0946. Marakuthai – Al. Itu, 1.618, tel. 3062-7556.

41


>personagem

zara

8.0 goza

Um dos ícones da publicidade brasileira, o artista plástico José Zaragoza fará 80 anos no próximo 14 de julho com o mesmo pique criador que derruba uma Bastilha por dia, produz obras-primas inquietas, irreverentes – e, agora, cada vez mais sensuais por chantal brissac fotos érico hiller


JosĂŠ Zaragoza segura a bicicleta que faz parte da sĂŠrie Yellows, de 2001


>personagem

Ele é artista plástico, publicitário, cineasta, fotógrafo e poeta. Sedutor e brincalhão. Avô e moleque. Cérebro e coração. José Zaragoza é um cara que se desdobra em muitos – mas é único e original. Um homem mito. A três meses de completar 80 anos, continua criando febril e vigorosamente, como sempre fez. Chega todos os dias às 9h na DPZ e fica na agência até as 16h, quando então parte para seu estúdio, em uma casa a algumas dezenas de metros do trabalho, onde pinta o sete com os materiais que encontra pela frente – guache, grafite, cola, crayon, folha de palmeira, pó de café – às vezes até a madrugada. É um espaço projetado pelo arquiteto Aurélio Martinez Flores, magnífico, ao mesmo tempo enorme e minimalista, todo branco, que abriga os trabalhos que Zaragoza fez em mais de 50 anos de estrada, além de muitas obras de amigos como Rubens Gerschman, Ivald Granato e Nuno Ramos. Um refúgio para pinceladas livres e irreverentes, embora Zaragoza não seja artista só de ateliê. Cria onde estiver, seja em mesa de bar, na casa à beira-mar, no Guarujá, na DPZ ou no apartamento em Paris. No dia-a-dia da agência que montou com Francesc Petit e Roberto Duailibi, e que completa este ano 42 anos, ele compartilha campanhas, sucessos e novos projetos. “Eu não tenho funcionários, tenho colegas de trabalho”, diz Zara, como é conhecido pelos mais íntimos, enquanto passeia pelo seu estúdio. E ele o diz já sem denunciar sotaque algum daquele espanhol de Barcelona, formado lá pela Escola de Belas Artes, que aportou em São Paulo aos 21 anos, para ficar: “Como os pescadores da Catalunha, que saem todas as noites com seus barcos em busca de trabalho, eu também um dia peguei um barco e fui em busca da sorte no outro lado do oceano”. Na cidade, trabalhou como fotógrafo, antes de ingressar na agência Thompson. Foi lá que conheceu Duailibi e Petit, sócios e grandes amigos. Primeiro ele criou com Petit, em 1962, o Metro 3, um estúdio que fez sucesso atendendo grandes agências. O passo seguinte foi a concepção da DPZ, que também agregou Roberto Duailibi. “Aquele foi um momento brilhante da propaganda”, diz Zaragoza, em

44 | 29HORAS | de 29 de março a 29 de abril 2010


Acima, Zara em ação. Nas prateleiras, tintas e pincéis variados e trabalhos que marcaram época, como a coleção de pássaros de folhas de palmeira feita com os netos. Ao lado, Zaragoza, Duailibi e Petit

“Hoje gosto de caminhar, mas já gostei muito de dançar, pedalar e nadar. Quando morava em Barcelona, era um ótimo nadador, dava minhas braçadas no mar” 45


>personagem

referência à fase áurea da DPZ, a agência que projetou talentos como Neil Ferreira, Washington Olivetto, Nizan Guanaes e Marcello Serpa, criou trabalhos que entraram para a história da propaganda brasileira (garoto da Bombril, o baixinho da Kaiser, entre outros) e fez a publicidade se transformar em algo sedutor para gerações seguidas de jovens a partir dos anos 70. Para Zaragoza, a propaganda atual não é mais aquela. “Hoje ela está num formato extremamente repetitivo, com atores da Globo e um apelo pouco inteligente. Como é que uma pessoa entra na sua casa, sem pedir licença, e diz algo como ‘faça como eu, use o produto tal’?”, diz, indignado. Em todo caso, ele ainda não desistiu e acredita que pode haver uma luzinha original na cansativa tela da TV. “Há um grupo de profissionais interessados em melhorar a propaganda, o que acho muito saudável. É preciso criar campanhas e anúncios inteligentes, divertidos, de bom gosto, e que tenham a cara do Brasil – um país de personalidade própria, de pessoas que sentem saudade, têm humor e um jeito único de se expressar. Em que outro lugar do mundo dois amigos se encontram na rua e um deles dá uma (amigável) pancada nas costas do outro? Só aqui, mesmo”, diz, com outra de suas sempre gostosas gargalhadas. Zaragoza pega pincel e tinta azul e começa a pintar em um pedaço de acrílico seu autorretrato. Depois passa a mão em alguns lápis de cor, cata um papel, faz uma graça colorida, cantarola enquanto cria. “Não posso parar de pintar”, diz. Ele trabalha todas as tardes e noites. Há dois anos, confessa, está em “uma fase erótica”. Já desenvolveu temas diversos, como a série Windows, de 1989, quando se debruçou sobre as janelas da cidade e se deliciou com prédios iluminados. “Eu ficava olhando as pessoas em São Paulo e Nova York, imaginando suas vidas e histórias”. Outra série instigante foi a de 1995, batizada de Chaves.

46 | 29HORAS | de 29 de março a 29 de abril 2010

“Eu devo a São Paulo tudo o que sou. esta cidade me deu oportunidade de viajar pelo mundo e na volta sentir aquela doce alegria de quem retorna ao lar. ela me deu chances de encontrar trabalho, amigos, sócios e formar família”


O artista faz seu autorretrato em uma placa de acrílico. Abaixo, à esq., rough para o cigarro Charm, nos idos de 1970. Abaixo, à dir., anúncio da Wrangler com Brad Pitt como modelo e story board para o cigarro Pall Mall

47


>personagem

Agora a sensualidade e o amor são seus registros mais fortes. “Fico desenhando cenas de sexo até tarde da noite. Então escuto um toc, toc, toc, vejo que é alguém subindo a escada, minha mulher; aí viro o papel”, conta, rindo. Fez mais de 500 desenhos, que viraram um livro e que serão em breve uma exposição. Ele negocia a estreia da mostra em Paris. “Deve ser no Museu do Erotismo”, diz Zaragoza, que já expôs em vários museus importantes do mundo e participou de Bienais em São Paulo. Em 2004, ele lançou o livro Layoutman, premiado nos Estados Unidos, que reúne seus melhores trabalhos na propaganda. Este ano, no segundo semestre, mais um livro sairá: Zaragoza Vs. Zaragoza, relato de uma vida intensa e vertiginosa. Da infância na Espanha franquista à carreira como cartazista de cinema em Badalona, passando pela temporada em Nova York e a emocionada chegada ao Brasil, todas as histórias estão ali, além de desenhos, fotos, pinturas e trabalhos de publicidade. Os dias de agora são de muita inspiração para pintar e também para curtir os seis netos. Quem não amaria um avô desses? Há algum tempo, preparou com as crianças obras de arte com folhas de palmeiras. Estavam todos reunidos na casa do Guarujá quando ele avistou no jardim o material perfeito para a criação. “Fomos cortando as folhas, pintando e nos divertindo”, diz. “Minha família é de artistas. Além de mim e dos meus quatro filhos, alguns netos também têm o dom.” Zaragoza é casado há 50 anos com Monique, francesa, muito elegante, companheira de inúmeras histórias. A dupla adora receber os amigos em festas que vão até o sol raiar. Quem já participou diz que são recepções sofisticadas e divertidas, como é a essência desse casal paulistano. O próximo 14 de julho, dia em que a França comemora a tomada da Bastilha, vai ter festa chez Zaragoza. O menino que nasceu em Barcelona, caçula de três irmãos, vai fazer 80 anos. Nos seus aniversários, como é de praxe, a DPZ fica toda enfeitada. “Até na privada eles põem cartaz e bolas coloridas. Vou fugir nesse dia”, prevê, o sorriso maroto. Mas sem dúvida será agarrado a unha pelos amigos, filhos, netos, colegas, clientes e todas as pessoas queridas que vão querer abraçá-lo pelos 80 anos bem vividos. Zara goza a vida como ninguém.

48 | 29HORAS | de 29 de março a 29 de abril 2010

Zaragoza vai todas as tardes ao seu estúdio, onde cria, às vezes, até a madrugada


29 hrs em sp com zaragoza As preferências gastronômicas do publicitário

Vizinho – “A minha época de sair muito e badalar já foi. Hoje prefiro alguns poucos lugares, de preferência perto da agência. Um deles é o La Tambouille, que eu frequento com o pessoal da DPZ há muitos anos.” La Tambouille – Av. 9 de Julho, 5.925, tel. 3079-6277

Primo piatto – “O Parigi tem ótima carta de vinhos e atendimento impecável, com pratos clássicos da cozinha italiana. É um restaurante chique e elegante.” Parigi - R. Amauri, 275, tel. 3167-1575

Informal – “Projetado pelo Aurélio Martinez Flores, um arquiteto que eu particularmente adoro, o Gero é gostoso por vários motivos. Tem luz natural, boa comida e muita gente interessante.” Gero - R. Haddock Lobo, 1.629, tel. 3064-0005

Foie gras – “Bem no centro da cidade, em frente a uma banca de flores, este simpático bistrô faz parte da história de São Paulo. Gosto de ir com a Monique e com amigos para um jantar mais demorado.” La Casserole - Largo do Arouche, 346, tel. 3331-6283

49


>viagem

buenos aires

Um destino mais “nacional� que qualquer capital brasileira


A avenida de Mayo, ladeada pelo maior conjunto de construções Art Déco das Américas, e a Casa Rosada ao fundo

A capital dos hermanos nunca foi tão fraterna – nem tão barata – para o turista brasileiro, que sempre teve a cidade como um destino tão ou mais desejável que qualquer ponto do próprio país. agora é hora de visitá-la como quem vai para casa comer, descansar e passar bem. Leve os chinelos

texto e fotos de natale giramondo


>viagem

Claro, buenos aires é um destino internacional – pero no mucho. Creiam, queridos passageiros: neste momento de câmbio altamente favorável, o turista brasileiro – especialmente o de São Paulo – está mais “em casa” na capital portenha que em qualquer capital brasileira. A proximidade, a facilidade de acesso e a vantagem que o real leva sobre o peso são tais que nem é adequado estruturar uma reportagem sobre Buenos Aires da forma como normalmente fazemos – com um roteiro único em que pontuamos o custo e o benefício das opções gastronômicas, de hospedagem e de entretenimento. Desta vez usaremos uma fórmula sui generis: a de um roteiro imperdível do que há de melhor, sem fazer a conta do custo/benefício. E que é possível repetir quatro ou mais vezes ao ano, facilmente, enquanto o câmbio nos permitir. Façamos o cálculo: em Buenos Aires, a mais europeia das cidades da América Latina – e que se empenha, como toda a Argentina, em superar crises econômicas e políticas, internas e externas – um dólar americano valia 3,90 pesos no final de março. Ou seja, 1 peso vale aproximadamente R$ 0,43. O custo do que consumimos em Buenos Aires, em relação aos preços em real de São Paulo, equivale a menos da metade; em relação aos preços de outras cidades brasileiras, as vantagem é ainda maior.

Daí que podemos tomar vinhos excepcionais, daqueles que o nosso grande Didú Russo recomenda entre os mais caros, por algo entre R$ 15 e R$ 60 a garrafa (sugerimos a uva Malbec, ideal para acompanhar as maravilhosas carnes argentinas). Restaurantes ótimos em que, no passado recente, um casal gastaria R$ 200 por refeição, hoje oferecem o mesmo excelente cardápio a R$ 90 por casal. Bem, o amigo passageiro poderá alegar, e o custo do acesso? Afinal, trata-se ainda de uma viagem internacional. A questão é que Buenos Aires, um destino perenemente maravilhoso, recebe 20 voos diários apenas e tão somente do aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. Pelos sites da Gol, Tam e outras companhias aéreas internacionais é possível encontrar, com algo em torno de um mês de antecedência, uma passagem de ida e volta São Paulo-Buenos Aires por meros R$ 600. É um voo rápido e tranquilo, de aproximadamente duas horas e meia. Ao desembarcar, ainda no aeroporto, procure o serviço de remises. São os serviços de carros com motorista, hiperconfiáveis, que levam ao centro ou ao bairro de Palermo por R$ 40 (85 pesos). Você já terá escolhido e reservado seu quarto em algum entre a infinidade de bons hotéis que a cidade oferece, sempre bem localizados e superacessíveis. Indicamos o Meliá Recoleta, os dois Sheratons, o Caesar Silver ou o Caesar Posadas no centro; em Puerto Madero, o Hilton ou o Sofitel – ou qualquer daqueles menores, mas com charme especial, no coração de Palermo. Acesse o www.hotels.com ou os sites das cadeias hoteleiras. O roteiro garantido para quatro ou cinco dias de puro prazer em Buenos Aires que indicamos a seguir foi monitorado

vinhos excepcionais, que aqui o preço ou a culpa não nos deixam provar, custam lá de R$ 15 a R$ 60

A viagem de Natale Giramondo foi integralmente proporcionada por 29HORAS. A reportagem não tem compromisso ou obrigação com quaisquer das pessoas, empresas ou organizações nela citadas.

52 | 29HORAS | de 29 de março a 29 de abril 2010

e balizado pelas dicas de nossos queridos amigos portenhos, siempre, Oscar Alberto e Juan Manuel. Para os felizardos que podem começar este passeio na quinta-feira, sugerimos uma primeira caminhada de reconhecimento pelo recanto mais europeu de Buenos Aires, La Recoleta. Por suas ruas arborizadas, lojas e cafés charmosos passeamos acompanhados da simpatia dos hermanos. Os argentinos são sempre muito simpáticos aos brasileiros. Jamais encare as inevitáveis discussões sobre futebol e política que eles provocarem como animosidade,


O café La Biela, paradinha obrigatória em La Recoleta, ponto de partida no roteiro de ambientação à cidade. Na pág. oposta, o café do museu Malba, onde mora o Abaporu, de Tarsila do Amaral, comprado pelo milionário argentino Eduardo Costantini

53


>viagem

A Floralis Generica, uma escultura móvel que cobre quatro hectares da Plaza de las Naciones Unidas. Foi doada à cidade pelo autor, o arquiteto argentino Eduardo Catalano. Um sistema hidráulico abre e fecha suas pétalas gigantes várias vezes ao dia. À noite, é realçada por luzes vermelhas


encerre a tarde passeando pelos parques e praças entre o centro e Palermo. aí os portenhos caminham, fazem ginástica, andam de bicicleta, montam seus piqueniques – e paqueram


>viagem nem leve para o lado pessoal. A polêmica faz parte do DNA argentino, e eles pagam dobrado para “discutir”. É parte indissociável de seu comportamento. Não se esqueça que a milonga é criação portenha – e, obviamente, também o “milongueiro”. E embora hoje identifiquemos “milongueiros” por toda parte, ainda não há no mundo quem supere seus inventores. Quando passamos por lá em março chegamos a ouvir que eles não precisam ganhar “essa tal Copa do Mundo da África” porque este ano já ganharam o Oscar de melhor filme estrangeiro (com O segredo dos seus olhos)...

Sigamos pela Recoleta. Lojas tradicionais como os calçados Guido ou cafés como o La Biela, em frente ao cemitério, merecem uma paradinha especial. Encare como um pit stop de adaptação às delícias da cidade, porque depois dessa primeira tarde, de inspiração europeia, sugerimos um jantar de tradição legitimamente portenha (agendado pelo concierge do seu hotel) no El Mirasol da Recova, ou no Happening, em Puerto Madero. Na sexta-feira, já ambientado, faça uma caminhada matinal por Puerto Madero, região que foi objeto de um plano de recuperação urbana único e exemplar em todo o mundo. De área mais deteriorada da cidade – situação em que permaneceu por seis décadas – Puerto Madero tornou-se um de seus bairros mais exclusivos, para o que contribui a vista maravilhosa para o rio de qualquer ponto da região. Vale a pena conhecer os lobbys dos hotéis Hilton e Faena, se possível com cafezinho e alfajor. Estão na região a maioria das modernas construções e edifícios que destoam da belíssima arquitetura vintage de Buenos Aires. O que, na opinião de nossos amigos portenhos, torna Puerto Madero um lugar mais adequado para passeios diurnos – dá-se preferência a caminhos mais tradicionais para a diversão noturna. Dê sequência à caminhada tentando se poupar; não barbarize nas tentações gastronômicas diurnas para poder chutar o balde a la noche. Satisfaça com moderação suas laricas vespertinas. Uma empanada cairá bem. Não deixe de conhecer a melhor empanada ao forno da cidade: a do El Sanjuanino, que fica na rua Posadas entre Callao e Ayacucho (atrás do Hotel Alvear). As empanadas de queso y cebolla são de outro planeta. Não se mate, pois o melhor está por vir à noite. Nada melhor que encerrar a tarde passeando por um dos inúmeros parques e praças entre o centro e Palermo. É nessas praças que os adoradores de Buenos Aires – seus habitantes – fazem suas longas caminhadas, praticam ginástica, andam de bicicleta, montam seus piqueniques – e paqueram. E chegamos à noite única da cidade, povoada por esses seres notívagos, os portenhos. Aproveitemos o que eles nos oferecem de melhor: ótimos restaurantes, ótimos bares e ótima música. Comece por perambular um pouco fora do circuito das parrillas e não perca o excelente Oviedo, em Palermo, na

56 | 29HORAS | de 29 de março a 29 de abril 2010

puerto madero passou de região mais decadente a bairro exclusivo e moderno. visite de dia. à noite, prefira a tradição


Acima, a belíssima livraria El Ateneo, montada em um belo e antigo teatro. À direita, Puerto Madero à noite (mas prefira visitála de dia). À esquerda, a inevitável e sempre deliciosa Calle Florida. À esquerda, acima, o ambiente maluquinho e muito divertido da galeria Bond Street, na avenida Santa Fé

57


>viagem esquina das ruas Ecuador e Beruti (é bom reservar). É um espanhol único, tradicional, com uma adega maravilhosa. De entrada, oferece centollas divinas e peixes incomparáveis. O ambiente é informal, mas muito elegante. Após o jantar, arrisque um tango tradicional em um lugar muito especial, recomendado pelo querido Juan Manuel: o salão Canning, na rua Scalabrini Ortiz, 1.331. O tango aí é mais clássico e menos turístico – e não tem nada de sofisticado.

Sábado é o grande dia deste fim de semana prolongado. Não perca um segundo. Depois de um bom desayuno – o café da manhã – no seu hotel ou em algum café tradicional estilo europeu, como o Florida Garden, na famosa, inevitável e sempre deliciosa Calle Florida, caminhe um pouco pelas ruas icônicas da história de Buenos Aires. Comece com um passeio pela avenida Nove de Julho, “a mais larga do mundo”, segundo nossos hermanos, tome a Calle Florida e rume sentido praça de Maio, onde está a Casa Rosada, sede do governo federal argentino. Na Florida, aprecie as lojas e galerias com moderação – o pico realmente legal de compras está em Palermo, chegaremos lá. Dê uma entrada nas Galerias Pacifico, vale pela arquitetura. Já na avenida de Mayo, caminhe até o Congresso e vá olhando para cima: a avenida está ladeada pelo maior conjunto arquitetônico Art Déco das Américas (também segundo os locais). À tarde, pegue um táxi – aliás, é baratíssimo – e vá até Palermo, um dos maiores e mais deliciosos bairros da cidade . Divide-se informalmente em Palermo Viejo, Palermo Hollywood (onde ficam os estúdios de TV) e Palermo Soho (porque lembra o Soho nova-iorquino). Palermo Soho e Palermo Hollywood têm a mais fervilhante vida boemia de Buenos Aires. São os bairros do momento, cheios de lojas e restaurantes bacanas. Comece pela praça Serrano, cercada de bares, e caminhe até a rua Gurruchaga, quase esquina com a rua Aguirre. Lá se encontram os outlets de marcas mais legais de Buenos Aires – Puma, Lacoste, Prune. Tudo muito barato. Na rua Honduras você vai encontrar lojas com os mais divertidos objetos para a casa, de preços variados, que surpreendem e não assustam. Nossa preferida é a Calma Chicha, que fica no número 4.925. Depois, passe pela Boutique Del libro, uma livraria supercharmosa com um café simpático e muitos objetos para presentes, edições especiais e livros – fica na rua Thames, 1.762. Funciona de terça a domingo das 11h às 23h. Programe-se então para ficar por Palermo e jantar no Restaurante Tegui, na rua Costa Rica, 5.852 (Palermo Hollywood), e fazer a digestão ouvindo ótima música em um lugar que não tem nada de chique, mas que tem um ótimo astral. É o La Viruta, na rua Armenia, 1.366. Domingão, ao acordar após vários “champãs” e algumas

Performer cantor em San Telmo, com a benção de Gardel, siempre

taças de vinho do dia anterior, não se deprima. Buenos Aires oferece ótimos roteiros de despedida. Não perca o tradicional passeio pelas ruelas de San Tel-

palermo soho e palermo hollywood são os bairros boêmios do momento

58 | 29HORAS | de 29 de março a 29 de abril 2010

mo. Além das loucurinhas dos antiquários e os performers mais simpáticos, há por aí também lojas bárbaras de design com objetos hipercriativos e bonitos. Para o almoço saideiro não deixe de ir ao La Brigada na rua Estados Unidos, 400, em frente ao mercado de San Telmo. É bom chegar cedo, fica lotado. Peça mollejas, entrañas e bolinhos de acelga. Tudo é bom, e você voltará para o Brasil com sabor da Argentina na boca – o da carne. Suerte! Buen viaje!


nos intervalos...

não dá pra fazer tudo de uma vez. As dicas a seguir são para seus próximos Teatro Colon – Inaugurado no começo quatro dias em BsAs do século 20 tem capacidade para 2.500

Interior do La Brigada, em San Telmo, lugar ideal para encerrar o passeio...

... e levar na boca o gosto mais preponderante da Argentina: o da carne

Interior do El Sanjuanino, onde se fazem as melhores empanadas do planeta

pessoas na sala principal e previsão de reabertura em maio de 2010. Mesmo sem espetáculo, vale a visita. É lindo. Café Tortoni – O primeiro café da América do Sul, na avenida de Mayo. Sente-se para um café acompanhado de um tango no final da tarde. Depois, caminhe pela Figueroa Alcorta, passando pela famosa escultura móvel Floralis Generica, pelo Museu Malba – seu café merece uma paradinha, também – e termine no shopping Paseo Alcorta, referência da moda argentina. Pelo caminho, note os “paseadores de perros”, com até 15 cachorros em cada mão, pelos parques. Livraria El Ateneo – Instalada em um antigo e belo teatro na avenida Santa Fé. Bárbara para livros e CDs – e merece um tostado em seu café. Hotel Alvear – Na Recoleta, perfeito para o chá da tarde, em linda louça, bela arquitetura e cheio de gente bonita. Galeria Bond Street – também na Santa Fé, para os maluquinhos de plantão que gostam de rock e alternativos. Restaurante Astrid y Gastón – A embaixada mundial do ceviche peruano. Hiper-sucesso. (La Finur, 3.222, em Palermo Chico). Restaurante Tomo I – Tradicional há 40 anos, considerado uma das grandes cozinhas de Buenos Aires. Fica no Hotel Panamericano, na avenida Nove de Julho. Restaurante Sotto Voce – Disparado um dos melhores italianos. Tanto a matriz na Avenida Libertador esquina com Ayacucho quanto a filial de Puerto Madero. Hipódromo de Palermo – Inaugurado no final de 1870, é o mais famoso de todos os hipódromos da América Latina. Além da paixão única dos argentinos pelo turfe, o hipódromo ainda abriga abaixo de suas três arquibancadas um imenso cassino de máquinas, 24 horas por dia, digno de Las Vegas.

59


>pรกscoa


Ao lado, a chef Carole Crema, da La Vie em Douce e o casal Patrícia e Michael Brock, da Jean et Marie. Na pág. oposta, ovo da Carole com casca recheada de paçoca e dadinhos de amendoim

abram alas para o ovo de Páscoa!

Enredos e alegorias inspiram confeiteiros e chocolatiers na hora de criar linhas temáticas de ovos gourmet por kike martins da costa fotos roberto seba

Tem gente que diz que a Páscoa é a festa mais esquisita do ano: tem um coelho que bota ovo e, como se não bastasse isso, seus ovos são de chocolate! Para completar, esses ovos ficam pendurados no teto do supermercado ou escondidos nas moitas do jardim, e não na porta da geladeira, como no resto do ano todo. Vai entender... Bem, mas já que Páscoa é sinônimo de ovos de chocolate, a reportagem da 29HORAS selecionou para você algumas das novidades mais incríveis à venda na cidade. Nas docerias e confeitarias da capital paulista, os chocolatiers lançam coleções de ovos e produtos como se este

61


>páscoa

evento fosse uma São Paulo Chocolate Week ou um desfile de Carnaval. Cada criador pensa num “enredo” e, a partir disso, desenvolve seu trabalho e solta sua criatividade. Na La Vie em Douce, por exemplo, a chef Carole Crema traz para este ano uma Páscoa psicodélica, inspirada no tropicalismo e no movimento hippie. “É que esta é uma época em que, mais do que nunca, precisamos de paz e amor”, explica. Na coleção 2010 de sua loja nos Jardins, Carole oferece ovos preparados exclusivamente com chocolates Belcolade, Callebaut e Varhona, em duas opções de tamanhos e seis sabores diferentes (paçoca, ovomaltine, crocante, ao leite, branco e amargo). Todos são embalados em papel laminado com cores vibrantes e são colocados em uma sacolinha de feira com listras coloridas. Há ainda os tentadores bolos de colher, que podem ser recheados de brigadeiro, de praliné ou de nutella. No atelier Chocolat des Arts, na Vila Nova Conceição, o tema escolhido este ano para a coleção de ovos de Páscoa foi o movimento Belle Époque, com suas formas elegantes que remetem às plantas e aos animais. Exemplo disso é o ovo Pavão, com suas exuberantes “penas” desenhadas em chocolate belga, simbolizando a renovação, conforme descreve Cintia Sanches Lima, dona da loja. “A Belle Époque foi uma época de florescimento do belo e de transformações, assim como a Páscoa.” Outra marca que adotou as formas da fauna e da flora como fonte de inspiração para desenvolver seus ovos de chocolate nesta Páscoa foi a Jean et Marie, no Itaim. Patrícia e Michael Brock, que se conheceram no atelier de François Payard, em Nova York, e vieram para São Paulo no ano passado para abrir seu próprio negócio, criaram ovos com formas de ninho de joão-de-barro ou decorados com flores e borboletas feitas de chocolate. “Eu já havia pensado em fazer isso no ano passado, mas acabamos sem tempo. Desta vez fizemos tudo com bastante calma e acho que o resultado ficou bem bonito”, conta Patrícia. Os ovos são recheados de delicadas trufas feitas sem conservantes – uma ótima desculpa para que a gente os consuma o mais rapidamente possível e sem culpa nenhuma, antes que elas estraguem! Na Opera Ganache, da empresária Cecília Moraes e do confeiteiro Rafael Barros, as formas da natureza também têm destaque. A grande novidade deste ano são os ovos feitos no formato dos frutos do cacaueiro. Eles podem ser confeccionados com chocolate branco, ao leite, amargo ou com a casca recheada de marzipan. Hummmmmmm... O marzipan também aparece na coleção da Anusha. A chocolatière Ana Maria Castanho oferece ovos recheados de marshmallow, damasco, especiarias, paçoca, tangerina, licor Bailey’s, amaretto, nutella, maracujá, brownie, gianduia, brigadeiro e laranja, sem falar do marzipan. E, não bastasse fazer uma linha sem açúcar, outra novidade da co-

62 | 29HORAS | de 29 de março a 29 de abril 2010

Ovo Monarca com borboletas e flores de chocolate belga, do casal Brock

A grande novidade deste ano são os ovos feitos no formato dos frutos do cacaueiro. Eles podem ser confeccionados com chocolate branco, ao leite, amargo ou com a casca recheada de marzipan


Ovo pavão, da Chocolat des Arts e ovo Buda, da Sweet Brazil

Ovo de Mara Mello decorado com ganache de framboesa com manjericão

leção é o ovo com cristais de flor do sal, que criam um interessante contraste com a doçura e a textura do cacau. A flor do sal está presente também nas criações da confeiteira Mara Mello, em cuja loja ficam expostos doces que mais parecem joias. Para esta Páscoa, ela desenvolveu ainda lindos ovos decorados com chocolate branco e chá verde, com baunilha e aromáticos grãos de cumaru ou com ganache de framboesa e manjericão. Para quem quiser comemorar de acordo com as tradições o Pessach, a Páscoa judaica, a loja oferece doces feitos sem fermento e com chocolate belga kosher. A torta de macaron de chocolate com banana e gianduia é uma dessas deliciosas alternativas. É, literalmente, para comer rezando. Já na Sweet Brazil, que há alguns anos ficou famosa por produzir chocolates com formas eróticas, agora a palavra de ordem é o bom humor e um toque zen. Na Páscoa de Paula de Lima Azevedo, o ovo Buda tem a casca toda rendada em

chocolate branco, a caixa Fauna traz ovinhos com estampas de tigre, onça, girafa, zebra e leopardo, e o ovo Paris faz uma “homenagem” à devassa Paris Hilton: tem a forma de uma boneca com batom bem forte, grandes olhos azuis, fivela no cabelo, sapato de salto alto e telefone celular comestível em punho. Até mesmo a sofisticada marca francesa Valrhona, que abriu este ano sua primeira loja no Brasil, pela primeira vez em sua história decidiu produzir ovos de chocolate para conquistar a clientela paulistana e não ficar de fora dessa festa. No quiosque recém-inaugurado no Shopping Iguatemi, a marca oferece ovos “grand cru de terroir”, elaborados com cacau de Madagascar, do Equador, da Venezuela e da Costa do Marfim. Por fim, na Saint Phylippe, os chocolates “de origem” também aparecem em destaque, com variedades feitas com cacau da Indonésia, Nova Guiné, República Dominicana, Tanzânia, São Tomé e Granada. Na marca, que pertence à chocolatier Andressa Vasconcellos, outros destaques deste ano são o ovo esfera, rendilhado e coberto com folhas de ouro, e o ovo Rubi, com ganache de champanhe. Como se vê, as opções são inúmeras, e vai ser difícil você não ter uma Páscoa nota 10 nos quesitos sabor, harmonia e evolução! Anusha Chocolates – R. Com. Miguel Calfat, 420, Itaim, tel. 3045-6054. Chocolat des Arts – R. Diogo Jácome, 360, Vila Nova Conceição, tel. 3044-7431. Jean et Marie – R. Prof. José Benedito de Camargo, 74, Itaim, tel. 3044-1197. La Vie em Douce – R. da Consolação, 3.161, Jardins, tel. 3088-7172. Mara Mello – Al. Gabriel Monteiro da Silva, 1.308, Jardim Paulistano, tel. 3062-2028. Opera Ganache – R. Francisco Leitão, 469, cj. 1.204, Pinheiros, tel. 5017-6928. Saint Phylippe – R. Pará, 18 (ChocoLab), Higienópolis, tel. 5543-2770. Sweet Brazil – R. Raja Gabaglia, 155, Vila Olímpia, tel. 3842-0006. Valrhona – Av. Brig. Faria Lima, 2.232 (Shopping Iguatemi) – Jardim Paulistano, tel. 3032-5555.

63


dezembro 2009

por maria cecília maciel

94

90

Interior da loja Dot Objetos

Concerto na Sala São Paulo

programas clássicos Abril se despede do verão mas não dos “agitos”, que agora esquentam num outro estilo. As salas estão recheadas de grandes concertos A Sociedade de Cultura Artística convidou dois consagrados musicistas para apresentações nos dias 13 e 14, o violinista russo Vadim Repin e o pianista israelense Itamar Golan. O Mozarteum Brasileiro abre o seu calendário internacional, dia 27, com o grupo de câmara Ensemble Berlin, formado por integrantes da Orquestra Filarmônica de Berlim. Sem falar da temporada 2010 da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, que é, certamente, uma das mais ricas em variedade e amplitude. Há ainda show da Orquestra Fundação Bachiana Filarmônica, com o Maestro João Carlos Martins, no Palácio das

64 | 29HORAS | 29 de março a 29 de abril 2010

87 Linha de móveis Marx, da Lider

Convenções do Anhembi, Romeus e Julietas, com a Orquestra Sinfônica Municipal no Auditório do Ibirapuera, Vesperais Líricas (Werther, de Massenet), do Projeto Pró-Ópera, lançado pela Secretaria Municipal de Cultura, além de três adaptações da Broadway. Confira também as novidades da área gastronômica, com novos restaurantes e pratos, as estreias de cinemas, teatros e exposições, entre outras diversões garantidas na cidade.


85 Exposição Brasília cinquenta anos - Serigrafias de Oscar Niemeyer, Lucio Costa e Athos Bulcão

os destaques do mês

O quê? Os musicais da Broadway em São Paulo. Por quê? Três novos musicais agitam a cidade. Cats ganha letras de Toquinho. Até 30/5. Qui. e sex.: às 21h; sáb. às 17h e 21h e dom.: às 16h e 20h. De R$ 50 a R$ 240. Teatro Abril - Av. Brigadeiro Luís Antônio, 411, tels. 4003-5588 e 2846-6232. O despertar da primavera recebeu cinco indicações ao Prêmio Shell. Até 2/5. Qui.: às 21; sex.: às 21h30, sáb.: às 21h e dom.: às 18h. R$ 50 e R$ 25. Teatro Sérgio Cardoso - R. Rui Barbosa, 153, tel. 3288-0136. Meu amigo, Charlie Brown tem o maior número de montagens nos Estados Unidos. Até 27/6. Sáb. e dom.: às 16h. R$ 50 e R$ 25. Teatro Shopping Frei Caneca - R. Frei Caneca, 569 - 6º Andar, tel. 3472-2226.

23h às 29h

O quê? Jockey Club no fim de semana. Por quê? É uma ótima opção de programa aos sábados e domingos, não só para os adultos apostarem nos páreos, como para a família inteira. As crianças vão adorar brincar no playground localizado no gramado defronte as arquibancadas sociais ou participar do passeio de pônei. Os monitores se encarregam de orientá-las e protegê-las com capacete. Além disso, as opções gastronômicas são muito boas: o Charlô, no 1˚ andar da tribuna social, o Cânter Bar, em frente ao disco de chegada, e a Mercearia São Roque. Das 13h30 até anoitecer. Grátis. Av. Lineu de Paula Machado, 599, tel. 2161-8300.

17h às 23h

O quê? Visitas monitoradas ao Mercado Municipal Paulistano - Mercadão. Por quê? Depois de um intervalo desde o final do ano passado, está de volta com três novos roteiros, sempre às terças, quartas e quintas-feiras, às 10h. O tour cultural dura cerca de duas horas e é repleto de surpresas gastronômicas. A saída é sempre da chamada “sala vip”, um restaurante onde pode-se experimentar deliciosas pizzas, bruschettas e massas. O menu degustativo, servido no início do passeio, é gratuito, mas as variadas comidinhas dos boxes são cobradas. As inscrições devem ser feitas com um dia de antecedência, entre 9h e 16h. R. da Cantareira, 306, tel. 3313-2444, r. 231.

11h às 17h

5h às 11h

confira as sugestões que servem para todos os dias de sua semana O quê? Forneria San Paolo. Por quê? Os sanduíches à moda italiana são tratados como alta gastronomia. São mais de 30 opções de recheio, acompanhados de salada ou batatas fritas. Da cozinha também saem outros pratos rápidos que já renderam 12 premiações nas mais conceituadas publicações. Para harmonizar com o elaborado cardápio, há vinhos selecionados servidos em decantadores. A casa oferece, a partir das 23h, o jukebox, um cardápio musical com mais de 600 títulos, que vão de Beatles a The Clash. De dom. a qua.: das 11h30 às 2h, qui.: das 11h30 às 3h, sex. e sáb.: das 11h30 às 4h. R. Amauri, 319, tel. 3078-0099. www. forneriasanpaolo.com.br.

65


PREPARE-SE PARA A COMÉDIA DO ANO!

segunda, 29

março 2010 música

SAIR DA ROTINA NUNCA FOI TÃO DESASTROSO.

5h às 11h

O quê? Almanaque musical. Por quê? Apresentações de concerto didático que enfocam o passado do Teatro Municipal de São Paulo. Com a Orquestra Sinfônica Municipal e Corais Lírico e Paulistano. Regência e direção musical de Rodrigo de Carvalho, roteiro e narração, de João Malatian. às 11h30. Grátis. Galeria Olido – Sala Olido Av. São João, 473, tel. 3331-8399.

11h às 17h

arte O quê? Exposição Grandes artistas / grandes formatos. Por quê? A mostra, que fica em cartaz até 3/4, reúne sete obras de grandes dimensões produzidas pelos seguintes artistas: Carmela Gross, Iole de Freitas, Frida Baranek, José Resende, Carlos Fajardo, Arthur Luiz Piza e Carlito Carvalhosa. Os preços das obras variam de R$ 40.000 a R$ 120.000. De seg. a sex.: das 10h às 19h e sáb.: das 12h às 16h. Grátis. Gabinete de Arte Raquel Arnaud R. Artur de Azevedo, 401, tel. 3083-6322.

gastronomia

17h às 23h

O quê? Festivais do Chateaubriand e do Camarão no Freddy. Por quê? São duas sugestões clássicas deste restaurante francês, pioneiro na cidade, que está completando 75 anos. De segunda a segunda, as opções incluem entrada, prato principal e sobremesa e, de segunda a quinta, nos jantares, desconto de 30%. Entre as carnes, Chateaubriand Freddy (madeira, champignons e ervilha), ao molho bearnaise, au poivre, à provençal, ao molho mostarda, aos três queijos ou ao curry. Para quem escolhe camarão, uma das pedidas é o à la Newburgh (flambado com conhaque), à baiana, à provençal ou à grega. Até 30 de maio. De seg. a sex.: das 12h às 15h e das 19h às 24h, sáb.: das 19h à 1h e dom.: das 12h às 17h. R. Pedroso Alvarenga, 1170, tel. 3167-0977. www.restaurantefreddy.com.br.

9 DE ABRIL NOS CINEMAS

23h às 29h

livros O quê? Livraria da Folha em promoção. Por quê? Para combater a insônia e o stress. Fidel & Che: uma amizade revolucionária (Editora Globo - de R$ 69,90 por R$ 55,90), de Simon Reid-Henry; Elza Soares: cantando para não enlouquecer (Planeta - de R$ 39,90 por R$ 31,90), de José Louzeiro. E toda a categoria de Lewis Carrol, criador de Alice no país das maravilhas, com 20% de desconto. A versão bem humorada do escritor Ruy Castro, com ilustração de Laurabeatriz, editada pela Companhia das Letrinhas, que custava R$ 38, agora sai a R$ 29,20. E tem Alice, de Jorge Zahar Editor, a partir de R$ 15,92. www.livraria.folha.com.br.

66 | 29HORAS | 29 de março a 29 de abril 2010


terça, 30

março 2010

evento

5h às 11h

O quê? Ice Sports - Conferência Internacional de Gestão e Marketing Esportivo. Por quê? O evento apresenta um painel internacional de especialistas, chefes e funcionários do Estado, CEOs do setor privado, representantes da indústria do esporte, além de membros da sociedade civil, universidades, federações e confederações. Palestras de hoje: Movimento olímpico internacional perspectivas, possibilidades e tendências, Uma visão geral do quadro jurídico, político, econômico, social e institucional frente à indústria do esporte brasileiro e A indústria do esporte: tendências, perspectivas, desafios e mercado global com uma visão sustentável; amanhã: Esportes, turismo, tecnologia e segurança, Copa do Mundo na África do Sul 2010 e no Brasil em 2014 e Gestão de arenas esportivas públicas e particulares. A partir das 8h. WTC Convention Center - Av. das Nações Unidas, 12.551. www.icesports.com.br.

O quê? Chocolates artesanais Marghi e Sweet Brazil. Por quê? Em tempo de Páscoa, são duas boas indicações para comprar ovos bem especiais. Na Marghi, eleita como a melhor de São Paulo pelo suplemento Paladar, do Estadão, por dois anos seguidos, a especialidade é a versão com recheio de marzipã (com amêndoa mesmo) e casca crocante de chocolate amargo. De seg. a sex.: das 9h às 18h, sáb.: das 9h às 12h. R. Nossa Senhora do Outeiro, 537, tel. 5666-0877. www.chocolatesmargui.com.br. Já a Sweet Brazil, além da qualidade, a marca é conhecida pelo design criativo - e divertido. De seg. a sex.: das 9h às 18h. Al. Raja Gabaglia, 155, tel. 3842-0006. www.sweetbr.com.br. Ambas são loja e fábrica e trabalham com chocolates D.O.C. (Denominação de Origem Controlada), teores de cacau diversos e das melhores procedências do mundo.

11h às 17h

gastronomia

gastronomia

17h às 23h

O quê? Menu especial com peixes do rio Amazonas, no Barbacoa. Por quê? Para fugir da mesmice. Mas vai só até 4/4. Pode-se escolher entre a costela de Tambaqui, acompanhada de arroz com camarões (R$ 61,80); filet de Pirarucu com purê de mandioquinha e rúcula (R$ 56,90); filet de Filhote, com banana da terra grelhada ao azeite de ciboulette (R$ 58,40) e filet de Tucunaré, acompanhado de arroz com alho poró, castanha de caju e pimenta doce biquinho (R$ 62,50). Seg. a sex., das 11h30 às 23h, sáb., das 11h30 às 21h e dom., das 11h30 às 19h, no D&D Shopping. Av. Nações Unidas, 12.555, tel. 3043-9244. De seg. a qui.: das 11h45 às 23h, sex. e sáb.: das 11h45 às 24h e dom.: das 11h45 às 22h, no Morumbi Shopping. Av. Roque Petroni Jr., 1089, tel. 5181-6898.

O quê? Farofa Paulista. Por quê? Tem pratos deliciosos como o virado à paulista, cuscuz, dobradinha, cozido de músculo com batata, sardinha ao alho e óleo, entre outros. Não poderiam faltar as “televisões de cachorro”: três, assando galetos que podem ser levados para casa. A simplicidade é quase um lema da casa, até na relação de preços do cardápio, que não ultrapassam os R$ 30. Todos os dias: das 12h às 3h. Al. Tietê, 665, tel. 3063-0642.

23h às 29h

gastronomia

67


quarta, 31

março 2010

5h às 11h

exposição O quê? Exposição Roberto Carlos - 50 anos de música. Por quê? Apresenta toda a trajetória de sua carreira, desde a assinatura de seu primeiro contrato profissional, em 1959, até os dias de hoje. Entre as memórias, a Jovem Guarda, as lembranças da cidade natal, o grande amigo e parceiro Erasmo Carlos. Até 9/5. De ter. a dom.: das 10h às 21h. De R$ 5 (ter. e qua.) a R$ 20 (de qui. a dom.). Oca Parque do Ibirapuera - Av. Pedro Álvares Cabral, s/n˚, portão 03, tel. 3079-1065.

11h às 17h

gastronomia O quê? Restaurante Pé de Manga. Por quê? Entre as opções, salmão grelhado ao molho agridoce; picanha grelhada com molho chimichurri, vinagrete e farofa. Aos sábados, tem feijoada e aos domingos o menu artístico, como o Elvis Presley (Penne com molho de shitake, vinho branco e azeite de ervas - R$ 30) ou o Marilyn Monroe (Salmão grelhado com risoto de banana da terra e molho agridoce R$ 37). De seg. a qui.: das 12h às 15h e das 18 às 3h, sex. e sáb.: das 12h às 3h e dom.: das 12h às 24h. R. Arapiraca, 172, tel. 3032-6068. www.pedemanga.com.br.

17h às 23h

arte O quê? Presto e Rafael Silveira, na Choque Cultural. Por quê? É um dos grandes craques da pintura urbana da atualidade. Presto começou a pintar nas ruas em 1996 e desde então desenvolve imaginário próprio com figuras fantásticas, de colorido intenso, geralmente personagens de cartoon. Já o curitibano Rafael Silveira faz sua primeira individual em São Paulo, trazendo suas criações pop surrealistas em telas. Até 17/4. Seg.: das 12h às 18h e de ter. a sáb.: das 12h às 19h. R. João Moura, 997, tel. 3061-4051. www.choquecultural.com.br.

balada

23h às 29h

O quê? Hell on High Hell, na Hot Hot. Por quê? Uma das festas de rock mais badaladas da cidade está de casa nova e comemora sete anos de sucesso da parceria entre a promoter Lu Riot e Fernanda Martini. A balada é um mix de atrações, como pocket shows, bandas ao vivo e DJs iniciantes no rocker brasileiro. Às 23h45. R$ 20. R. Santo Antônio, 570, tel. 2985-8685.

68 | 29HORAS | 29 de março a 29 de abril 2010


quinta, 01

abril 2010

exposição

5h às 11h

O quê? Exposição Os anos JK - A era do novo. Por quê? Para reviver os Anos Dourados, as pin-ups, os pés palitos, os topetes, lambretas, vestidos com corte evasê, a TV Tupi, o Sputinik... São 75 imagens amealhadas da Cinemateca Brasileira, do arquivo pessoal do cineasta Roberto Santos (que dirigiu a novela Anjo Mau), do fotógrafo Sérgio Jorge (o primeiro a receber o Prêmio Esso de Jornalismo, em 60, por uma reportagem para a Manchete) e do francês Jean Manzon (que atuou em O cruzeiro e virou um dos mais importantes documentaristas do Brasil). Ainda é possível aproveitar o finalzinho do curso de dez aulas, que começou em 9/3, com historiadores e profissionais das áreas culturais, às terças e quintas, das 19h à 21h. Até 11/4. De ter. a dom.: das 9h às 21h. Grátis. Caixa Cultural. Pça. da Sé, 111, tel. 3321-4400.

O quê? Kevin Store. Por quê? É uma nova loja de departamentos virtual, brasileira, com quatro mil produtos diferenciados de grandes marcas do mundo, como Pasito a Pasito, Ammannati, Montecristi, Le Creuset, Camon, entre outras que produzem e comercializam verdadeiros objetos de desejo. Uma das novidades da Chef’s Choice é a máquina que produz casquinha crocante para sorvete, em dois minutos (R$ 380). www.kevinstore.com.br.

11h às 17h

casa

O quê? Menu Kappo Blue Label do Kinoshita. Por quê? Para participar de uma experiência gastronômica inédita. O chef Tsuyoshi Murakami do restaurante Kinoshita criou um menu com pratos da cozinha oriental que harmonizam perfeitamente com o whisky Johnnie Walker Blue Label, considerado a joia da coroa da família Johnnie Walker. A parceria entre o restaurante japonês de São Paulo e o scotch whisky é restrita: para apenas 100 pessoas. O cardápio, que inclui, entre outros pratos, ovas de tainha, na entrada, delicadas fatias de peixe branco servido ao molho ponzu, yuzu com azeite extravirgem, camarão crocante e soft de chocolate Valrhona, na sobremesa é servido com uma garrafa numerada de whisky Blue Label de 200 ml, e sai por R$ 520, para duas pessoas, sem serviço e sem outras bebidas. A reserva é obrigatória. Até 20/4. De seg. a sex.: das 12h às 15h, sáb.: das 12h às 16h e de seg. a sáb.: das 19h às 24h. R. Jacques Félix, 405, tel. 3849-6940.

17h às 23h

gastronomia

O quê? A balada do Trixmix Cabaret Contemporâneo. Por quê? Como é de praxe, depois das apresentações que unem circo, teatro e festa em clima de cabaré (R$ 35, a partir das 20h30), os DJs comandam o show, onde público e artistas invadem a pista, sem hora para acabar. A bilheteria reabre às 23h15 para a balada, com preço reduzido (R$ 17). Clube Eazy - Av. Marques de São Vicente, 1767, tel. 3611-3121.

23h às 29h

balada

69


sexta, 02

abril 2010

5h às 11h

arte O quê? Exposição Matias Duville e Jorge Pedro Núñes. Por quê? Para ver dois expoentes da arte latino-americana, abrindo a temporada da Galeria Luisa Strina. O primeiro apresenta seus desenhos em grande formato: paisagens catastróficas, onde a ausência do homem permite imaginar um novo mundo de ficções, alimentado pela cultura visual contemporânea. Já Jorge Pedro Núñez, residente em Paris, se apropria da obra de Oiticica e outros artistas para reinterpretá-la a partir de meios tão inusitados como as páginas da revista norte-americana Artforum. Até 14/04. De seg. a sex.: das 10h às 19h e sáb.: das 10h às 17h. R. Oscar Freire 502, tel. 3088-2471.

cinema

11h às 17h

O quê? Chico Xavier. Por quê? Estreia hoje o filme baseado no livro As Vidas de Chico Xavier, do jornalista Marcel Souto Maior. Mostra a trajetória, lutas e amor de Chico Xavier, que viveu 92 anos desenvolvendo importante atividade mediúnica e filantrópica. Uma produção de Bruno Wainer com direção de Daniel Filho. www.cinemark.com.br.

17h às 23h

musica O quê? Show de André Abujamra. Por quê? O cantor multimídia recebeu o Prêmio APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) como melhor grupo do ano (1995) e clipe de ouro da MTV como banda revelação (1997). De forma independente, lançou os CDs Infinito de pé e Retransformafrikando. Como produtor, foi responsável pelo primeiro LP da Banda Vexame, da Sony Music, pelo álbum Tem mas acabou do grupo Pato Fu, além do CD Sem título de Tom Zé. Dias 2/4 e 3/4 às 21h e 4/4 às 19h. R$ 30 e R$ 15. Auditório Ibirapuera - Av. Pedro Alvares Cabral, s/nº, portão 2, tel. 36291075. www.auditorioibirapuera.com.br.teatro.

O quê? Temporada do Traditional Jazz Band, na Livraria Cultura. Por quê? Para retornar ao Projeto Vamos ao Jazz, a cada sexta-feira, às 20h, o tradicional septeto apresenta repertório de própria autoria e interpretações. O ingresso vale um quilo de alimento não perecível, trocado com uma hora de antecedência. Livraria Cultura - Shopping Villa-Lobos – Auditório Eva Herz - Av. das Nações Unidas, 4.777, tel. 3024-3599.

23h às 29h

teatro O quê? Vérber Dirigis; As bestas Atacam Novamente. Por quê? Os atores Rodrigo Mangal, Marcola, Alexandre Bamba e Mário Matias destilam todo o seu veneno, ou humor, para abordar o horror da vida cotidiana, com seus desastres aéreos, programas de TV de quinta categoria, moralismos injustificados e ufanismos exacerbados. Rodrigo Mangal também dirige e colabora ao lado de Kadu Campos nos textos de Guilherme Bernanrdes. Às 23h59. R$ 30 e R$ 15. Espaço Parlapatões. Pça. Franklin Roosevelt, 158, tel. 3258-4449.

70 | 29HORAS | 29 de março a 29 de abril 2010


sábado, 03

PREPARE-SE PARA A COMÉDIA DO ANO!

abril 2010

arte

SAIR DA ROTINA NUNCA FOI TÃO DESASTROSO.

5h às 11h

O quê? Cras e o novo asceticismo, de Stephan Doitschinoff. Por quê? O artista paulistano urbanista, autodidata, que ainda adolescente pintava cenários para grandes shows de rock, de bandas como Sepultura e Black Sabbath, está a pleno vapor. Além dessa mostra individual, no acervo da Choque, ele foi eleito o artista revelação de 2009 pela Associação Paulista de Críticos de Arte. Irá apresentar uma exposição no Museu de Arte Contemporânea de San Diego, em julho, e outra na Galeria Subliminal Projects, de Shepard Fairey, em setembro; firmou parceria com Anna Sheffield para lançar uma linha de joias especiais e teve seu projeto A mão selecionado pelo edital do Prêmio Interações Estéticas em Pontos de Cultura, da Fundação Nacional das Artes e do Ministério da Cultura (MinC). O Prêmio contempla a elaboração de uma grande escultura de cerâmica assinada por Stephan a ser instalada nas imediações do Museu Afro, no Pq. do Ibirapuera, por um ano a partir desse mês, bem como a criação de um painel. R. João Moura, 997, tel. 3061-4051. www.choquecultural.com.br.

O quê? Mostra da companhia de teatro infantil Truks. Por quê? O grupo paulistano é uma referência em teatro de animação – a arte de manipular bonecos – e completa 20 anos de criação com uma série de espetáculos e dois grupos convidados: Morpheus de Teatro, composto por um ex-integrante e por uma das fundadoras da Truks e Matéria Bruta, também nascida em suas oficinas. Programação: Os Vizinhos (hoje e amanhã, às 16h); Zôo-Ilógico (10/4 e 11/4, às 16h); E se as Histórias Fossem Diferentes (17/4 e 18/4 às 16h) e O Senhor dos Sonhos (24/04 e 25/04, às 16h). Funarte - Sala Guiomar Novaes. Al. Nothmann, 1.058, tel. 3662-5177.

11h às 17h

teatro

O quê? Circo de Teatro Tubinho. Por quê? A Companhia que já foi vista por mais de um milhão de pessoas resgata o Teatro Circense e comemora 50 anos, com 35 artistas e um repertório de mais de 90 peças. A lona fica montada no Memorial da América Latina e a cada dia tem uma peça diferente, entre dramalhões, melodramas, comédias, infantis e chanchadas. Às 21h: Ghost ou não goste - Tubinho do outro lado da vida!, 4/4: às 11h: Marcelino pão e vinho e às 19h: Obrigado, Sampa!. R$ 15 e R$ 20. Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664, tel. 3823-4600. www.ingressorapido.com.br.

17h às 23h

circo

O quê? Putz Grill. Por quê? Para praticar a terapia do riso, ou melhor, da gargalhada, na madrugada. Um dos destaques do programa CQC, da Band, o humorista e repórter Oscar Filho, depois de visitar mais de 70 cidades brasileiras, está em São Paulo. O show, visto por mais de 100 mil pessoas foi escrito e idealizado pelo próprio Oscar Filho, aborda o cotidiano das pessoas de uma forma hilária. Às 23h59. R4 25 e R$ 50. Teatro Frei Caneca - R. Frei Caneca, 6º andar (Shopping Frei Caneca), 569, tel. 3472-2226/2229-2230. www. teatrofreicaneca.com.br.

23h às 29h

teatro

71

9 DE ABRIL NOS CINEMAS


domingo, 04

abril 2010

5h às 11h

arte O quê? Páscoa com arte. Por quê? Último dia para ver a exposição da artista plástica Suzy Gheler, conhecida pelos seus bonecos de tamanho natural. Para a exposição Páscoa com arte, no Pátio Higienópolis, Suzy recria a atmosfera e os costumes dos anos 60 com personagens que lembram a modelo “Twiggy”, usando trajes típicos, em tons fortes e pintados a mão, além de lambretas, árvores estilizadas, “garçons” servindo cuba-libre e coelhos, claro! Além da mostra, há degustação de chocolates da Lindt. Suzy também está no Shopping Center Norte e no Shopping Miller, de Curitiba. Das 10h às 22h. Av. Higienópolis, 646, tel. 3823-2300.

11h às 17h

criança O quê? 100 + nem menos. Por quê? Espetáculo infantil contemporâneo que se utiliza de diversos materiais para criar e desenhar figuras e personagens no ar. Em alguns momentos, as imagens remetem à arte Naif, às garatujas infantis e aos quadros de Joan Miro e Paul Klee. Em outros, brincam com conceitos primários da Matemática. A movimentação coreográfica e música na animação de objetos e bonecos contam mais do que os poucos diálogos. Dias 4/4, 10/4, 11/4, 17/4 e 18/4: às 16h. R$ 12 e R$ 24. Teatro Alfa - R. Bento Branco de Andrade Filho, 722, tel. 5693-4000. www.teatroalfa.com.br.

17h às 23h

gastronomia O quê? Restaurante Sakê. Por quê? Com duas unidades em Vitória, ES, quem comanda a cozinha da nova casa em São Paulo é o criativo sushiman Marco Pim. E há pratos para os não adeptos da culinária japonesa, como o ravióli de salmão ao molho tri funghi e os medalhões de filé recheados com shiitake. De segunda a sexta, a casa oferece um menu executivo a partir de R$ 19,90, com duas opções de entrada, sete opções de prato principal e duas escolhas de sobremesa. De seg. a dom.: das 12h às 15 (almoço), de dom. a qua.: das 19h às 24h e de qui. a sáb.: das 19h à 1h (jantar). R. Dr. Mário Ferraz, 37, tel. 3034-3125.

23h às 29h

casa O quê? Box para banho da Heaven Spas. Por quê? A nova cabine de banho Shower Spa H-0002 é um verdadeiro entretenimento. Com todas as paredes feitas de vidro temperado e o piso de mármore preto, o box fica livre para ser instalado em qualquer espaço, não necessariamente junto à parede. A ducha traz jatos verticais articulados, misturador termostático, ducha manual, entradas para CD e MP3, telefone viva voz e sistema para circulação de ar. E ainda tem uma sauna úmida inteligente com controle digital de tempo e de temperatura. Av. dos Bandeirantes, 2800, tel. 5044-0846. www.heavenspas.com.br.

72 | 29HORAS | 29 de março a 29 de abril 2010


segunda, 05

abril 2010

O quê? A marca Athleta, da The Brand´s Company. Por quê? Por conta da Copa da África do Sul, ela está de volta. A Athleta desenhou os modelos para as copas de 58, 62 e 70, os anos em que Brasil foi campeão. Aliás, também foi da marca a ideia de colocar as estrelinhas que simbolizam cada copa conquistada, depois copiada por todas as seleções mundiais. Agora ressurge com um grande diferencial: é a única marca urban wear, para usar na rua e torcer, que traz o futebol como conceito e tradição. SAC: 315 -2553. www.athletabrasil.com.br.

5h às 11h

moda

O quê? A Super 13ª Office Solution Arquishow Facilityshow. Por quê? É a maior feira de arquitetura corporativa da América Latina. Mais de 180 empresas nacionais e estrangeiras vão participar do evento. Numa área de 24,5 mil metros quadrados, entre os produtos expostos, dirigidos a escritórios, shopping centers, hospitais, hotéis, empresas de call center, órgãos públicos e outros empreendimentos, a última palavra em mesas, cadeiras, estações de trabalho, divisórias, pisos, revestimentos, luminárias, persianas, forros, automação, telefonia e hardwares, entre outros produtos dirigidos especialmente ao setor. O evento também conta com noites de autógrafos, com o lançamento de livros sobre o setor, congressos dirigidos a pregoeiros e facilities, encontro entre presidentes de licitações, roteiro de certificação e sustentabilidade, mostra de design e a sétima edição do Grande Prêmio de Arquitetura Corporativa. No dia 9/4, último dia de feira, acontece um grande “feirão” dos produtos expostos nos estandes, com descontos de até 70%. Das 14h às 21h. Fundação Bienal de São Paulo. Grátis. Pq. do Ibirapuera, Portão 03, tel. 5576- 7600. www.flexeventos.com.br.

11h às 17h

evento

O quê? Novos hambúrgueres da americana Applebee’s. Por quê? A maior rede de casual dinning do mundo acaba de lançar um novo cardápio, batizado de Realburger, com novas combinações e preparo artesanal: os hambúrgueres passam a ser moldados e temperados na hora. Uma das pedidas é o Peppercorn Steakhouse Burger, com um toque de pimenta-do-reino moída na hora, fios de cebola empanados, queijo americano derretido, maionese, alface, tomate, picles e cebola roxa. De dom. a qui.: das 12h às 24h, sex. e sáb.: das 12h à 1h. Al. dos Arapanés, 508, tel. 5051-1946. E mais três endereços: www.applebees.com.br.

17h às 23h

gastronomia

O quê? Aniversário de 10 anos do bar São Cristovão. Por quê? Leonardo Silva Prado, o Léo dono do bar, ganhou do poeta Fabrício Corsaletti dez quadras bem humoradas e mandou imprimir nos guardanapos do bar, dando início às comemorações. O bar também ganhou dez caricaturas de dez jogadores “Camisa 10” do futebol brasileiro, feitas por dez ilustradores e expostas nas paredes junto às reportagens futebolísticas, que fazem a fama do local. Por fim, Léo receberá seus amigos famosos da gastronomia paulistana para dar um toque na cozinha. O chope da casa é considerado um dos mais bem tirados da cidade, e a alheira (uma especialidade portuguesa a base de pão, frango desfiado, carne suína e alho) e a morcilha (versão espanhola do chouriço, com condimentos e um toque de canela) são os aperitivos mais concorridos. Noite de jazz às segundas, a partir das 21h30, e jazz cubano aos sábados, a partir das 18hs. De seg. a dom.: das 12h até o último cliente. R. Aspicuelta, 533, Vila Madalena, tel. 3097- 9904.

23h às 29h

bar

73


terça, 06

abril 2010

5h às 11h

criança O quê? Bébé Sucré. Por quê? Traz no conceito fazer moda infantil nacional (de 0 a 6 anos) com preços competitivos, matérias primas naturais, acabamento artesanal e um toque europeu. Há também uma linha homewear, para os bem pequenos que acabaram de chegar; papelaria, com itens como álbuns de fotos, cadernos de anotações e caixas organizadoras; linha de calçados e bijoux, com acessórios de cabeça e fivelinhas feitas de feltro. De seg. a sex.: das 10h às 19h e sáb.: das 10h às 16h. R. Joaquim Antunes, 102, Sobreloja, tel. 2867-0570.

teatro

11h às 17h

O quê? Duas memórias. Por quê? Inspirado na obra de Chiquinha Gonzaga, a Cia. Damas em Trânsito e os Bucaneiros apresentam um projeto inspirado em técnicas de contato-improvisação com dança, teatro, balé clássico, kempo indiano, aikido e dança contemporânea. São cinco intérpretes/criadores que se movimentam enquanto tocam trilha baseada na obra da primeira pianista de choro. Com direção de Alex Ratton Sanchez, Duas memórias tem como elenco Carolina Callegaro, Ciro Godoy, Clara Gouvêa, Débora Marcussi e Laila Padovan. Até maio. Dias 6/4, 13/4 e 27/4, às 15h, na Estação da Luz (Pça. da Luz, 1). Dias 1/5 e 2/5, às 17h, 6/5 e 7/5 , às 21h, e 8/5 e 9/5, às 17h, na Casa das Rosas (Av. Paulista, 37) e nos dias 4/5 e 11/5, às 15h, na Estação Brás (R. Domingos Paiva, s/n°).

17h às 23h

gastronomia O quê? Becco 388. Por quê? Inaugurado no dia 2/2, tem um menu delicioso e criativo, com pratos como o queijo brie folhado ao forno, servido com mix de frutas vermelhas frescas e lascas de amêndoas e o papardelle, cortado na faca e servido com pinoli, manteiga italiana e sálvia. O restaurante é do casal de chefs paulistanos Daphne Glidden e André Barone, que viveu sete anos nos Estados Unidos e agora mostra o talento em Higienópolis. De ter. a qui.: das 12h às 15h30 e das 18h as 23h, sex. e sáb.: das 12h às 15h30 e das 18h às 24h30 e dom.: das 12h às 17h. R. Mato Grosso, 388, tel. 2361-0388.

internet

23h às 29h

O quê? AU em Rede. Por quê? É uma nova comunidade on-line para arquitetos, designers, estudantes e profissionais da construção, que permite aos participantes publicar projetos e aumentar a rede de relacionamentos. O site também é aberto para quem contrata serviços de arquitetura. www.revistaau.com.br/emrede.

74 | 29HORAS | 29 de março a 29 de abril 2010


quarta, 07

abril 2010

arte

5h às 11h

O quê? O Batik de Alice Brill. Por quê? A artista, que completa 90 anos, em 2010, apresenta vinte peças criadas com o batik, técnica de tingimento originária do Oriente. Pioneira, começou a trabalhar com o processo em meados dos anos 50. Na mostra, ela apresenta trabalhos em roupas e em telas de papel arroz. Pintora, desenhista, fotografa e escritora, Alice Brill nasceu na Alemanha em 1930 e veio para o Brasil aos 13 anos. A artista plástica fundou o Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM) ao lado de seu marido, Juljan Czapski, além do Clube dos Artistas e Amigos da Arte e da Associação Brasileira de Pesquisadores em Arte. Até 2/5. De ter. a sex.: das 10h às 21h, sáb., dom., e feriados: das 10h às 20h. SESC Pompeia - R. Clélia, 93, tel. 3871-7700.

O quê? Sassá Sushi. Por quê? Porque tem um delivery de qualidade. Feito na hora e embalado com cuidado, a casa utiliza uma caixa toda especial para que nada saia do lugar durante o caminho. Para quem se sente inseguro de pedir comida japonesa para viagem, saiba que no próprio menu delivery do Sassá está indicado o que “chega muito bem” e o que “chega com pequena variação” - caso dos Temakis, que tem um formato mais flexível. Entre as escolhas, há o combinado para duas pessoas (R$ 63,80), que inclui 20 sashimis, oito sushis variados, oito uramakis, quatro hossomakis, dois dyos, dois futomakis, duas ovas e duas acelgas. O Yakissoba de carne ou frango (R$ 24) também está entre as opções da casa para entrega em domicílio, nos seguintes bairros: Pinheiros, Itaim e Vila Nova Conceição (taxa de R$ 3) e Jardins, Cerqueira Cesar, Moema, Alto de Pinheiros e Morumbi(taxa de R$5). De seg. a qui.: das 12hs às 15h e das 19h30 às 24h, sex.: das 12hs às 15hs e das 19:30hs à 1h30, sáb.: das 12h30 à 1h30 e dom.: das 12h30 às 23h. Av. Horácio Lafer, 640, tel. 3078-4538. www.sassasushi.com.br.

11h às 17h

gastronomia

O quê? Villa Bamboo. Por quê? A casa oferece uma selecionada carta de cervejas e um extenso cardápio de petiscos, comidinhas de boteco e carnes exóticas. Entre os “belisquetes”, os destaques ficam para as linguiças especiais do Gijo, calabreza tradicional e picante e para as chamadas carnes exóticas: a Caldeirada do Zé Jacaré ao molho de cerveja, os aperitivos alemães Eisbein, Salsicha Pingüim e o Cordeiro Aperitivo ao Molho de Hortelã. De seg. a sex.: das 11h30 às 15h e das 17h às 24h (fecha a cozinha) e às 24h40 (fecha o bar), sáb.: das 12h à 1h e dom.: das 12h às 23h. R. Joaquim Távora, 895, tel. 3895-1565.

17h às 23h

gastronomia

O quê? Exposição de Giancarlo Latorraca, no Ritz Itaim. Por quê? Para apreciar artes plásticas na noite. O arquiteto, designer e diretor técnico do Museu da Casa Brasileira criou grandes painéis, onde retrata a rotina das duas casas Ritz (Franca e Itaim): as cozinhas em pleno funcionamento, o movimento do salão, referências ao cardápio e até a saída dos motoboys para o delivery. A obra, batizada de Os bastidores do restaurante fica exposta até junho. De seg. a qua.: das 12h às 15h e das 20h às 24h, qui. e sex.: das 12h às 15h e das 20h à 1h, sáb.: das 12h30 à 1h e dom.: das 12h30 às 24h. R. Jerônimo da Veiga, 141, tel. 3079-2725.

23h às 29h

arte

75


quinta, 08

abril 2010

5h às 11h

moda O quê? Espaço Gestar. Por quê? Chegou em São Paulo com uma proposta diferente: agora as gestantes podem encontrar roupas mais modernas para usar durante a gravidez. As batas básicas saem de cena e entram vestidos estampados, calças com corte mais moderno, lingeries para uso diurno e noturno, além de cosméticos e perfumarias especiais para grávidas. É um ponto de encontro exclusivo para gestantes e para a troca de informações sobre a gravidez, dispondo com livros, cursos e palestras gratuitos. Av. Ibirapuera, 2523, tel. 5051-4886 / 5051-5641. www.espacogestar.com.

gastronomia

11h às 17h

O quê? As novidades do restaurante Viena Delicatessen. Por quê? A chef Camila Prado apresenta novas delícias para a sobremesa: a taça Romeu e Julieta, feita com sorvete de creme, goiabada cremosa, goiabada em barra e cubinhos de queijo minas, ou então a taça Brasil, preparada com sorvete de coco e pedaços da fruta, doce de leite cremoso e caramelado e farofa crocante (R$ 12,90, cada). Para beber, agora o menu inclui chás gelados à base de chá preto, com folhas naturais vindas do Ceilão, nos sabores pêssego, limão e framboesa ( R$ 6,90). De seg. a qui.: das 11h45 às 22h30, sex. e sáb.: das 11h45 às 23h. Shopping Iguatemi - Av. Brig. Faria Lima, 2.232, tel. 3815-4933. De seg. a qui., das 11h30 às 22h30; sex., das 11h30 às 24h; sáb., das 11h45 às 24h e dom., das 11h45 às 23h. R. Augusta, 1.835, tel. 3283-4130.

música

17h às 23h

O quê? Concertos na Osesp. Por quê? Sofia Gabaidulina e Anton Arensky apresentam Um certo olhar noite, na Sala do Coro, às 19h, e, dia 10/4, Um certo olhar tarde, às 14h45. Também a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, regida por Isaac Karabtchevsky, apresenta-se, hoje às 21h, na Sala São Paulo. R$ 36 a R$ 122. Pça. Júlio Prestes, 16, tel. 3223- 3966.

O quê? Show de Jon Secada. Por quê? O cubano radicado nos Estados Unidos, alegria dos fãs das baladas românticas, já vendeu mais de 20 milhões de discos, tem dois Grammys e cantou com Daniela Mercury Se eu não te encontrasse, tema do filme Pocahontas. Ele ainda participa da 4ª Temporada de Latin American Idol, lança os álbuns Expressions, com clássicos internacionais, na versão Jazz e The Best of Jon Secada-Live from Rio, DVD gravado ao vivo no Brasil. Às 22h. R$ 80 ( setor 3) a R$ 200 (camarote). HSBC Brasil - R. Bragança Paulista, 1281, tel. 4003-1212. www.hsbcbrasil.com.br.

23h às 29h

bar O quê? Bar Casa na Praia. Por quê? Para matar a saudade de pisar no siri. A casa leva a assinatura de experts, já que é dos mesmos donos do Pé no Pq., em Moema, e do Açaí, na Vila Olímpia. Cinquenta sabores de sucos, açaí na tigela, casquinha de siri na cestinha de massa, chope e caipirinhas especialíssimas. De seg. a dom.: das 11h à 1h, sex e sáb.: das 11h até o último cliente. R. Doutor Amâncio de Carvalho, 329, tel. 5082-5002.

76 | 29HORAS | 29 de março a 29 de abril 2010


sexta, 09

abril 2010

O quê? A nova camisa amarela da seleção brasileira, produzida pela Nike. Por quê? A camisa é feita 100% de material reciclável, entre eles garrafas de plástico (oito pets para cada unidade). O modelo homenageia a camisa usada em 70 e está bem mais confortável, com as referências em silk especial em vez de bordado. O novo uniforme foi apresentado no último amistoso contra a Irlanda, que o Brasil fez em Londres. À venda na rede de lojas Bayard, por R$ 239,90 e R$ 179,90 (a réplica). www.bayardnet.com.br.

5h às 11h

moda

O quê? Caça às bruxas. Por quê? Estreia com Nicolas Cage e Ron Perlman, direção de Dominic Sena. Behmen (Cage) é um cavaleiro das Cruzadas, que, depois de muita lutas e perdas, volta para casa e encontra uma Europa devastada pela fome e a peste negra. Neste cenário, ele se une a um grupo de guerreiros encarregados de levar uma garota, suspeita de ser bruxa, para um monastério distante. Outras estreias: Caso 39 e A estrada. Nos cinemas, como a rede Cinemarmark. www.cinemark.com.br.

11h às 17h

cinema

O quê? Turnê N9ve, de Ana Carolina. Por quê? O Nove é, na verdade, o sétimo disco da cantora, com nove faixas inéditas, entre elas 10 minutos, Dentro, 8 Estórias, Entreolhares (The Way You’re Looking at Me), um dueto com o norte-americano John Legend, e as parcerias com a contrabaixista Esperanza Spalding e com Daniel Jobim, neto de Tom Jobim. Dias 9/4, 10/4 (22h) e 11/4 (20h). De R$ 70 a R$ 180. Credicard Hall - Av. das Nações Unidas, 17955, tel. 2846-6000. www.credicardhall.com.br

17h às 23h

música

O quê? Restaurante Al Kebab. Por quê? A casa, que é a primeira do gênero no bairro da Vila Madalena (“kebabaria”), está na moda. Há sete opções de recheios enrolados em pão pita, entre espetadas de carne e vegetarianas. Há também falafel, espetinhos, saladas e porções. Para acompanhar, cervejas em garrafa, drinques e caipirinhas. De seg. a qua.: das 18h à 1h30, qui.: das 18h às 2h, sex. e sáb.: das 18h às 3h e dom.: das 13h à 1h30. R. Mourato Coelho, 1.168, tel. 3097-0123.

23h às 29h

gastronomia

77


sábado, 10

abril 2010

5h às 11h

arte O quê? Lam: A obra gráfica. Por quê? Curiosamente, trata-se da primeira mostra individual, no Brasil, de um dos maiores artistas da América Latina, expoente da pintura moderna e do movimento surrealista, com obras vendidas a dois milhões de dólares, quase trinta anos após a sua morte. Wilfredo Lam nasceu em Cuba, filho de pai chinês e mãe mestiça. A mostra exibe 40 anos de sua trajetória: da influência da escola de arte espanhola à amizade com Pablo Picasso, que o levou a transitar pelo cubismo, passando pelo contato com a arte africana até chegar no surrealismo e a busca das expressões autênticas de sua terra natal. Para o curador Paulo Venancio Filho, quatro desenhos que ilustram o livro Fata Morgana, de 1941, do poeta André Breton, e um grupo de gravuras inspiradas na mais famosa pintura de Lam, A Selva, produzida entre 1942 e 1944, mantida pelo MoMA de Nova York, são os grandes destaques. Até 2/5. De ter. a dom.: das 10h às 17h30 (c/ permanência até às 18h). R$ 6 (sáb.: grátis). Estação Pinacoteca - Lgo. Gen. Osório, 66, tel. 3335-4990.

11h às 17h

gastronomia O quê? As entradas do restaurante Dois, Cozinha Contemporânea. Por quê? Têm combinações inesperadas, como um inédito chantilly de mostarda Dijon que rega o tartar de peixe branco, acompanhado de ovas de salmão, grissini negro e azeite de ciboulelete (R$ 29,80) ou, mais simples, a berinjela na brasa, com tahine, mel, sementes de tomate, ervas e azeite (R$ 17,50). De ter. a sex., das 20h às 24h; sáb., das 12h às 17h e das 20h às 24h e dom., das 12h às 17h. R. Antonio Bicudo, 116, tel. 2533-5028. www.restaurantedois.com.br

musica O quê? Epica. Por quê? Com abertura de Tierramystica, a banda holandesa de metal sinfônico, fundada por Mark Jansen (exguitarrista do After Forever), apresenta-se, hoje, às 22h. Utilizando vocal soprano e gutural, as letras das músicas falam de sentimentos, cultura e do sentido da vida. De R$ 100 a R$ 200. Via Funchal - R. Funchal, 65, tel. 2144-5444. www.viafunchal.com.br.

17h às 23h

O quê? Dionne Warwick Forever. Por quê? Para ver e ouvir essa “senhora” vibrante, dona de um vozeirão, que tem uma família talentosa e adora o Brasil. Às 22h. R$ 120 (setor 3) a R$ 260 (camarote). HSBC Brasil. R. Bragança Paulista, 1281. R. Bragança Paulista, 1281, tel. 4003-1212. www.hsbcbrasil.com.br.

23h às 29h

evento O quê? Yes! Rock Music Fest. Por quê? Contando com as bandas Hori, Restard, Stevens, Mash, mais a participação especial de Manoela Gavassi e do DJ Arikawa, além de outros grupos, no palco, o show também vai esquentar no camarote com a presença dos mocinhos bonitos, capas da Capricho, especialmente convidados para o evento. R$ 25 (pista) e R$ 35 (camarote). Victoria Hall. A partir das 23h. R. Baraldi, 743, São Caetano do Sul, tel. 4232-7537. www.yesrockfest.com.br. Vendas online pelo site www.ticket360.com.br.

78 | 29HORAS | 29 de março a 29 de abril 2010


domingo, 11

abril 2010

arte

5h às 11h

O quê? Exposição O deserto não é silente. Por quê? A rica história da Líbia aparece em telas de artistas contemporâneos, que evocam temas diversos, como o deserto, a lua e os animais. Até 18/4. De ter. a dom.: das 10h às 17h. Museu Afro Brasil - Pq. do Ibirapuera Av. Pedro Álvares Cabral, s/n˚, 5579-0593. Grátis. www.museuafrobrasil.com.br.

O quê? Série Cinema em Concerto, segunda apresentação comemorativa dos 20 anos da Orquestra Experimental de Repertório, do Teatro Bradesco. Por quê? Apresenta a obra de Alexandre Guerra para filmes, documentários e mini séries brasileiras, com a regência de Juliano Suzuki. No repertório, trilhas da série Maysa (direção de Jayme Monjardim) e dos filmes Mata Atlântica e os ciclos da vida (direção de Fernão de Lara Mesquita); Um homem de moral (direção de Ricardo Dias); Bodas de papel (direção de André Sturm); Julia Mann (direção de Marcos Strecker); Quem se importa? (direção de Mara Mourão); O mistério do poço azul (direção de Mauricio Dias e Túlio Schargel); Bugigangue (animação em 3D, dirigida por Alexandre Machado); 23 anos em 7 segundos (documentário dirigido por Di Moretti e Julio Xavier) e Amyr Klink e o continente gelado (direção de Lawrence Wahba). Antecedendo o concerto, às 12h, será apresentada a palestra ilustrada A música no cinema, sobre a composição de trilhas sonoras, às 11h. R$ 30. Bourbon Shopping São Paulo. R. Turiassú, 2100, tel. 3670.4100. www.teatrobradesco.com.br.

11h às 17h

música

O quê? Show de Matisyahu. Por quê? É no mínimo singular. O músico norte-americano, judeu hassídico, começou a bombar depois que o videoclipe da música King Without a Crown passou na MTV, em 2004. Sua música mistura reggae com crença ortodoxa judaica, incluindo citações do Torá, dança estilo rap e uma boa dose de rock’n’roll na guitarra. Às 20h. De R$ 100 (pista) a R$ 180 (camarote). Via Funchal - R. Funchal, 65, tel. 2144-5444. www.viafunchal.com.br.

17h às 23h

música

balada

23h às 29h

O quê? Bloom Project Aldeinha. Por quê? Trata-se de uma proposta urbanística e artística em uma área de 17 mil metros quadrados na Marginal Tietê, próximo à Ponte Júlio de Mesquita onde, até janeiro do ano passado, existia a favela da Aldeinha. A ideia é transformar a área em um parque efêmero, decorado com flores e plantas, com a participação dos ex-moradores, capacitados em profissões de jardineiros e marceneiros. O projeto apresenta uma plataforma de comercialização para os 17 mil lotes virtuais, a partir de R$ 100, com o objetivo de viabilizá-lo economicamente. Quem compra um lote ganha uma fotografia numerada e assinada pelo artista tunisiano, radicado na frança, Jean Paul Ganem. Mais informações no www.bloomproject.org.br.

79


segunda, 12

abril 2010 compras

5h às 11h

O quê? Obra de Arte. Por quê? É um misto de loja e escola de arte, e tem à venda mais de três mil itens assinados por mais de 50 novos criadores de decoração, moda e design. Joias, bijoux, acessórios e roupas compõem a área fashion. Peças decorativas e de design em cerâmica, mosaico, vitral, madeira, metal e tecido integram o segmento home. De seg. a sáb.: das 10h às 18h. R. Indiaroba 97, tel. 5535-5928.

11h às 17h

gastronomia O quê? Brigaderia. Por quê? Recéminaugurada no Shopping Market Place, a loja é consequência natural do sucesso das encomendas às sócias Fernanda Zajd e Taciana Kalili do docinho tipicamente brasileiro. Nesse caso, ele leva matéria-prima belga e aparece em versões especiais, como amêndoa, nozes, macadâmia, Ovomaltine, limão, meio amargo, entre outros. Destaque para as charmosas embalagens, que enobrecem ainda mais o produto. De seg. a sáb., das 10h às 22h e dom., das 14h às 20h. Av. Dr. Chucri Zaidan, 902, tel. 8752-4949.

17h às 23h

gastronomia O quê? Original Shundi. Por quê? A casa que atrai muita gente por suas iguarias exóticas tem novo chef: Ronaldo Imai. Entre as sugestões, Menu Degustação criado com produtos frescos, do dia (R$ 100 a R$ 250, por pessoa), tempura de shisso com ouriço do mar; toro selado com flor de sal ao molho ponzo; cestinha crocante com salmão, barbatana de tubarão e ovas. Seg.: das 12h às 15h e das 20h às 23h, de ter. a sex.: das 12h às 15h e das 20h até o último cliente, sáb.: das 13h às 17h e das 20h a 1h e dom.: das 13h às 17h e das 19h às 23h. R. Dr. Mário Ferraz, 490, tel. 3079 0736. www.originalshundi.com.br.

23h às 29h

internet O quê? Ringue. Por quê? Outra casa noturna do chef Cássio Machado, inaugurada este ano e inspirada no universo do boxe, com referências ao esporte até no cardápio. Nas paredes, a imagem de uma luta de mulheres em Paris, clicada por João Wainer, painéis de Flávio Rossi, a gravura Lutando boxe, de Marcel Duchamp, foto de Madonna feita num ringue, entre outras imagens históricas. De seg. a qui.: das 20h às 3h, sex. e sáb.: das 20h às 4h. R. Lisboa, 191, tel. 3082-7904.

80 | 29HORAS | 29 de março a 29 de abril 2010


terça, 13

abril 2010

O quê? Livro infanto-juvenil Espelho. Por quê? A autora coreana, Suzy Lee, é considerada umas das grandes revelações da arte do livro-imagem. Seu primeiro título, Onda, foi um sucesso não apenas entre as crianças como também entre os adultos de todo o mundo. Em Espelho, ela mergulha na relação simbólica entre o ser humano e seu reflexo. Por meio de uma sedutora narrativa visual, com grafite e aquarela, Suzy Lee apresenta o primeiro encontro de uma garotinha com o espelho. R$ 39. Cosac Naify R. General Jardim, 770/2, tel. 3218-1469. www.cosacnaify.com.br/infanto.

5h às 11h

livros

gastronomia

11h às 17h

O quê? Azeite The Greek Extra Virgem. Por quê? A empresa foi premiada com troféu de ouro, em Nova York, pelo cuidado e conhecimento milenar na produção de azeite. O The Greek é elaborado na Ilha de Creta, Grécia, com azeitonas de clima seco, o que garante baixíssima acidez e excelente qualidade. Praticamente artesanal, as azeitonas são colhidas pelos cidadãos de Galiá e o azeite é obtido da primeira prensa a frio. Há pouco tempo no mercado, o preço está bem competitivo, R$ 11,90 (500 ml), nas boas mercearias e supermercados. Importado pela Knossos. Al. Rio Negro, 1105, cj.72, 7ºandar, tel. 4688-2187.

O quê? Apresentação do violinista russo Vadim Repin e do pianista israelense Itamar Golan. Por quê? São dois consagrados musicistas da nova geração. Repin, ainda jovem, venceu o concurso de violino Queen Elisabeth Competition, realizado em Bruxelas, e há mais de 20 anos se apresenta como solista, tendo participado das orquestras filarmônicas de Viena e de Nova York. O requisitado pianista Itamar Golan também exibe uma jornada brilhante, com passagens pelas filarmônicas de Israel e de Berlim, sob a regência de Zubin Mehta. A dupla apresenta as canções Sonata para violino e piano (Debussy), Divertimento (Stravinsky), Fratres (Arvo Pärt) e Sonata para violino e piano Nº 7 (Beethoven). Amanhã, também às 21h, Sonata para violino e piano (Janácek), Sonata para violino e piano Nº 3 (Brahms) e Sonata para violino e piano (Strauss): às 21h. Teatro Cultura Artística – Av. Juscelino Kubitschek, 1.830, tel. 3258-3344.

17h às 23h

música

O quê? Rock e mesa de snooker no Snooker Rock Bar. Por quê? Para passar boas horas com os amigos, tomar um chope com farto colarinho, pedir a porção de croquete com carne seca, ou ainda, a picanha argentina com uma guarnição a sua escolha. A casa tem dois ambientes com dois bares, um deles com cinco mesas de snooker. Nas terças e quartas, pagando a primeira hora de jogo, a segunda sai de graça. De ter. a dom.: a partir das 17h. Al. dos Aicás, 1245, tel. 5092-3444. www.snookerrockbar.com.br.

23h às 29h

bar

81


PREPARE-SE PARA A COMÉDIA DO ANO!

quarta, 14

abril 2010 livros

5h às 11h

SAIR DA ROTINA NUNCA FOI TÃO DESASTROSO.

O quê? Coleção Paixão entre Linhas, da editora Leitura. Por quê? Em ano de copa, mais um lançamento para mergulhar de cabeça no futebol. São 12 kits, cada um com três livros (infantil, de estatísticas e memórias), que contemplam os quatro principais times de São Paulo (Palmeiras, Corinthians, São Paulo e Santos), Rio de Janeiro (Fluminense, Vasco, Flamengo e Botafogo), Minas Gerais (Cruzeiro e Atlético) e Rio Grande do Sul (Internacional e Grêmio). R. Major Quedinho, 111, 7° andar, tel. 3256-4444. www.editoraleitura.com.br.

11h às 17h

compras O quê? Charm Bracelet da joalheria Pandora. Por quê? A grife dinamarquesa é a maior do mundo em número de peças vendidas e a quarta, em volume de vendas no Brasil. Presente em 25 países, instalou-se, oficialmente, no mês passado, no número 809 da rua Oscar Freire. Suas joias permitem que cada pessoa se inspire na própria individualidade para formar peças únicas. A pulseira Charm, por exemplo, vai sendo construída aos poucos, por meio de contas estilizadas, travões, separadores, que podem ser adquiridos, um a um, nas celebrações, viagens e momentos felizes. Tudo é feito em ouro 14k ou 18k e prata, combinados com pedras preciosas, como topázio, safira, ametista e brilhante. É uma marca que prima pela qualidade, design moderno (assinado por Lone Frandsen e Lisbeth EnØ Larsen), e preço acessível. R. Oscar Freire, 809. www.pandora-jewelry.com.

17h às 23h

dança O quê? Celtic Legend. Por quê? Trata-se de um espetáculo de dança com música irlandesa, ao vivo, onde cerca de 20 artistas interpretam a magia celta, mais especificamente o folclore da Ilha Emeralda, mesclando o sapateado alegre e vibrante a sons tradicionais e contemporâneos, produzidos por violinos, gaitas-de-fole, acordeões, guitarras e flautas celtas (Tin Whistle). Criado em 2002, o Celtic Legend já se apresentou em mais de 200 países, de diferentes continentes. Às 21h. Teatro Bradesco - Shopping Bourbon - R. Turiassú, 2100, 3° piso, tel. 3670-4100.

9 DE ABRIL NOS CINEMAS

23h às 29h

balada O quê? Cartel Club. Por quê? Novo reduto nos Jardins que chega com uma proposta de resgatar as noites mais intimistas, raras nas baladas dos grandes clubes. A recepção fica por conta do relações-públicas Dorival Neto. Nas quartas, mix de pop, disco, rock e festa The Kitchenix, com os Djs Diego Moura e Junior C. Sextas, Candy Pop, Super Fun – disco, electro, funk chic, com Boss in Drama; e sábados, super classic – disco house, com convidados especiais. Qua., sex. e sáb.: a partir das 23h. R$ 40 (mulher) e R$ 60 (homem). Al. Franca, 1.100, tel. 3081-4124.

82 | 29HORAS | 29 de março a 29 de abril 2010


quinta, 15

abril 2010

compras

5h às 11h

O quê? Kate Moss For Longchamp. Por quê? Acaba de desembarcar no Shopping Cidade Jardim a linha de bolsas da marca francesa Longchamp, assinada por sua garota propaganda: Kate Moss. São peças que prometem agradar mulheres cheias de atitude, com um certo estilo rock’n’roll. A coleção Ladybroke traz um toque de boemia; a Golborne, em preto e nude, é super versátil, atraindo mulheres de todas as idades; a Glastonbury foi inspirada no espírito do Festival de Glastonbury, onde meninas desfilam com pequenos shorts jeans, botas e acessórios com muitas franjas; já a Gloucester é bem atemporal, em cores como cinza, vermelho, preto, e uma edição limitada de couro com estampa de zebra. As peças custam de R$ 1.165 a R$ 5.900. Shopping Cidade Jardim. Av. Magalhães de Castro, 12000, tel. 3552-1555.

gastronomia

música

música

O quê? Vesperais Líricas - Werther, de Massenet. Por quê? Encenação gratuita que faz parte dos 30 anos do Projeto Pró-Ópera, lançado pela Secretaria Municipal de Cultura. Direção cênica de João Malatian. Werther – Miguel Geraldi, tenor; Charlotte – Laura Aimbiré, meiossoprano; Sophie – Adriana Magalhães, soprano; Albert – Jonas Mendes, baixo e Karin Uzun – piano. Teatro João Caetano. Às 19h. R. Borges Lagoa, 650, tel. 5573-3774.

O quê? Concertos na Osesp. Por quê? Hoje é dia de concerto da série “Carnaúba”, às 21h, com a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, Louis Langrée como regente e Ole Edvard Antonsen, no trompete. Dia 16/4, a série Paineira, às 21h, e dia 17/4, Imbuia, às 16h30. Programa: Wolfgang Amadeus Mozart (La Clemenza di Tito, KV 621: Abertura), Johann Nepomuk Hummel (Concerto para Trompete em mi maior), André Jolivet (Concertino para Trompete) e Pyotr Il’yich Tchaikovsky (Sinfonia nº 6 em si menor, Op.74 – Patética). R$ 36 a R$ 122. Pça. Júlio Prestes, 16, Sala São Paulo, tel. 3223- 3966.

17h às 23h

11h às 17h

O quê? Os “belisquetes” do restaurante Maní. Por quê? São verdadeiras iscas para trazer o cliente de volta para a casa. Confira: bolinho de quinua ao curry com geleia de aipo; batata bolinha gratinada com gorgonzola e parmesão; iscas de peixe cozidas no tucupí com banana da terra e migalhas da casa; espetinho de polvo à galega, com batatas confitadas e páprica doce; mini bruschettas com queijo brie, presunto de parma, figo e mel; dados de atum marinados com morangos e shissô, pirulitos de parmesão servidos em flor de sal e raviolis de manga e queijo de cabra com azeite de azeitonas negras. Ter. e qua.: das 12h às 15h e das 20h às 23h30, qui.: das 12h às 15h e das 20h às 24h, sex.: das 12h às 15h e das 20h30 às 24h30, sáb., das 13h às 16h e das 20h à 24h30 e dom.: das 13h às 17h. R. Joaquim Antunes, 210, tel. 3085-4148.

O quê? Lions Club. Por quê? O novo estabelecimento, estilo retrô, chega para subverter. Segundo Facundo Guerra, um dos sócios, a casa lança um desafio a todos os DJs que tocam por lá: “Quem é reconhecido por tocar rock aqui vai tocar blues e jazz, já o DJ que toca house vai tocar tecno. Correntes afins, o lado B do case deles”, explica. Outra inovação é transformar os clientes VIPs em membros, escolhidos pelos sócios, com regalias como não pagar para entrar, ter caixas exclusivos e poder convidar até quatro amigos por mês para acompanhá-los nas baladas, sem pagar nada por isso. “Em todo clube de membros montado até hoje no mundo, o sócio paga uma anuidade. Esse critério econômico traz as pessoas mais ricas. E a gente quer as pessoas mais legais de São Paulo”, explica Guerra. De qui. a sáb.: a partir das 23h. Av. Brigadeiro Luis Antônio, 277, 1º andar, tel. 3104-7157.

23h às 29h

balada

83


sexta, 16

abril 2010

5h às 11h

compras O quê? 3D Extreme Mascara Waterproof da Revlon. Por quê? Para deixar os cílios 25 vezes mais volumosos, 80% mais longos e 70% mais curvados, segundo a marca americana. O produto, à prova d’água, traz o pincel Bold Impact, que alonga, maximiza a curvatura e separa até mesmo os menores cílios. A fórmula apresenta textura de gel e pigmentos de cor intensa para deixar o olhar bem marcante, sem a necessidade do uso de primer. Por R$ 54,52. SAC 0800 7733450. www.frajo.com.br.

11h às 17h

design O quê? Estrelas do Design Finlandês e Finlandia Vodka no Instituto Tomie Ohtake. Por quê? Mais de 200 peças, entre objetos, mobiliário, tecidos e vestuário, provenientes do Museu de Design de Helsinque, representam o que é, hoje, a principal fonte de identidade e economia da Finlândia. Durante a mostra, o visitante também poderá conhecer a Finlandia Vodka em degustações de drinques com frutas da estação, num bar personalizado com capacidade para servir 600 convidados. Até 9 de maio. Instituto Tomie Ohtake. De ter. a dom.: das 11h às 20h. Grátis. Av. Faria Lima, 201, tel. 2245-1900.

17h às 23h

musica O quê? Paulo Ricardo, no Tom Jazz. Por quê? Sempre dá para matar a saudade do RPM com London London, Rádio pirata e Olhar 43. E entre outras do repertório estão Diz, uma bossa nova com roupagem pop, Menina linda, A chegada e Ninfa. Paulo Ricardo também apresenta músicas do CD/DVD Acoustic Live, como Beautiful girl. Às 22h. R$ 70. Av. Angélica, 2331, tel. 3255-3635. www.tomjazz.com.br.

23h às 29h

balada O quê? Toy 7 Anos - The Week. Por quê? A aguardada festança eletrônica que agitou Floripa no Carnaval promete bombar no Moinho Santo Antônio – patrimônio histórico da cidade de São Paulo, um dos mais belos locais para eventos, com diversas salas, uma linda fonte interna e amplo jardim. Comandada pelos meninos da The Week, responsáveis pela decoração e iluminação do local, conta com os DJs Guto Bumaruff, João Neto e o mexicano Isaac Escalante. Às 23h59. R$ 50. R. Borges de Figueiredo, 510, tel. 6698-0765. www.moinhoeventos.com.br.

84 | 29HORAS | 29 de março a 29 de abril 2010


sábado, 17

abril 2010

O quê? Brasília Cinquenta Anos - Serigrafias de Oscar Niemeyer, Lucio Costa e Athos Bulcão. Por quê? Para conhecer a história da capital brasileira através dos traços e obras dos respectivos artistas. Ao todo, são vinte serigrafias confeccionadas no ateliê da Lithos Edições de Arte, a partir das obras originais dos artistas, todas assinadas e numeradas. Até 30/5. De ter. a sex.: das 10h30 às 21h30, sáb., dom. e feriados: das 10h30 às 18h30. SESC Pinheiros - R. Paes Leme, 195, tel. 30959400. www.sescsp.org.br.

5h às 11h

arte

O quê? Na casa da Ruth. Por quê? O espetáculo musical foi concebido e é interpretado pela cantora Fortuna, com composições de Hélio Ziskind e texto da escritora Ruth Rocha. No show, Fortuna atua ao lado da companhia do Coral Infantil, sob regência de Gisele Cruz; do ator Rafael Zolko; do quarteto instrumental, sob direção de Gabriel Levy; e jovens percussionistas da Futurong, projeto social que atende crianças e adolescentes. Naum Alves de Souza assina roteiro e direção geral do show. Dias 17, 18, 24 e 25/4: às 16h. Teatro Sérgio Cardoso. R. Rui Barbosa, 153, tel.3288-0136.

11h às 17h

criança

O quê? Show do Social Distortion. Por quê? Trata-se do primeiro tour pela América do Sul do grupo, considerado um dos principais do renascimento punk dos anos 1980. “A banda e eu estamos muito ansiosos por essa turnê”, diz Mike Ness, vocalista, guitarrista e líder. “A contar pelos milhares de e-mails que recebemos de nossos fãs na América do Sul, é loucura pensar que demoramos tanto tempo para confirmar esses shows”. Às 22h. De R$ 120 a R$ 200. Via Funchal - R. Funchal, 65, tel. 2144-5444. www.viafunchal.com.br.

17h às 23h

musica

O quê? Skol Sensation - The Ocean of White. Por quê? É a segunda edição desse espetáculo interativo de performances, música eletrônica, cenografia, luz e magia, em São Paulo. Em seis horas e meia de duração e em 72 mil m² de área construída - 20% a mais que em 2009 -, o espetáculo traz jatos e fontes de água, águasvivas cenográficas gigantes, artistas de rapel, dançarinas e efeitos de luzes, movidos pela batida da música. E o público no dress code obrigatório: todo de branco. Às 23h. De R$ 85 a R$ 340. Pavilhão de Exposições do Anhembi. Av. Olavo Fontoura, 1.209, tel. 2226-0400.

23h às 29h

evento

85


domingo, 18

abril 2010 música

5h às 11h

O quê? Romeus e Julietas com a Orquestra Sinfônica Municipal. Por quê? Com Rodrigo de Carvalho, na regência, a programação inclui P.I. Tchaikovsky: Romeu e Julieta, Abertura – Fantasia; S. Prokofieff: Romeu e Julieta, excertos do Balé e L. Bernstein: West Side Story, Danças Sinfônicas. Às 11h. R$ 20. Auditório Ibirapuera - Av. Pedro Alvares Cabral, s/nº, Portão 2 - Pq. do Ibirapuera, tel. 36291075. www.auditorioibirapuera.com.br.

11h às 17h

curso O quê? Aula de pintura em seda ministrada por Mônica de Godoi. Por quê? Para aprender batik e outras pinturas em tecido com uma expert no assunto, que domina as mais variadas técnicas, das 9h às 12h ou das 14h às 17h, ela ensina o Batik/Microcraquelê com Gelo. No dia 14/4: das 9h às 12h ou das 14h às 17h, pode-se aprender a técnica Bolas Espatuladas. E dia 28/4: das 9h às 12h ou das 14h às 17h, é a vez do Pontilhado Aborígine. Tel. 3758-3041. www.monicadegodoi.com.br

17h às 23h

música O quê? Paul McCartney. Por quê? Essa é a terceira passagem de Paul McCartney pelo Brasil: ele já fez Show no Rio de Janeiro, em 1990 (Paul in Rio), e três anos depois, em São Paulo e Curitiba. De acordo com o site Song Kick, trata-se da última turnê do ex-beatle, 67 anos, que passará por cem cidades, em dois anos. Estádio Cícero Pompeu de Toledo (São Paulo Futebol Clube). Pça Roberto Gomes Pedrosa, 1, tel. 3749-8000. www.saopaulofc.net.

bar

23h às 29h

O quê? Bar da Dida. Por quê? Para curtir uma boa cerveja (Bohemia, Original e Serramalte). A casa da ex-produtora de teatro Adriana Oddi, a Dida, funciona, mesmo, do lado de fora, onde estão quase todas as mesas espalhadas pela calçada, ocupando inclusive o estacionamento vizinho, de um cabeleireiro que funciona de dia. Lá dentro, o espaço minúsculo é suficiente para abrigar o balcão com quatro banquetas, o freezer e o banheiro. A pedida são os sanduíches de berinjela, sardela e provolone no pão italiano e o de salmão defumado, cream cheese e folhas de endívia na ciabatta. A famosa caipirinha de saquê com uva e gengibre não tem erro. Ter. e qua.: das 18h30 às 2h, de qui. a sáb.: das 18h30 às 3h e dom.: das 17h30 às 2h. R. Dr. Melo Alves, 98, tel. 3088-7177. www.bardadida.com.br.

86 | 29HORAS | 29 de março a 29 de abril 2010


segunda, 19

PREPARE-SE PARA A COMÉDIA DO ANO!

abril 2010

casa

SAIR DA ROTINA NUNCA FOI TÃO DESASTROSO.

5h às 11h

O quê? Linha de móveis Marx, da Lider. Por quê? Foi feita em homenagem ao artista e paisagista Burle Marx. Composta por uma arca, uma mesa lateral (R$ 936), uma mesa de centro (R$ 1.860) e um banco (R$ 1.104), é toda feita em madeira maciça padrão demolição, com detalhes em inox. SAC: 0800-283-1220. www.liderinteriores.com.br.

O quê? Cor, corte & ferrugem, de Alberto Martins. Por quê? É a primeira individual do artista santista e escritor (autor de Goeldi: história de horizonte (1995), Prêmio Jabuti em sua categoria, e da novela A história dos ossos (2005), segundo lugar no Prêmio Portugal Telecom de Literatura brasileira) no circuito das galerias, depois de ter realizado exposições solo no Instituto Moreira Salles e na Estação Pinacoteca, em São Paulo. São 20 obras, entre pinturas e relevos, alguns em ferro, outros em ferro e zarcão. Operando por meio do corte e da corrosão do ferro e do desdobramento de planos, “o artista explora indagações construtivas na arte contemporânea, atiçando as brasas da arte concreta dos anos 50”, define a galerista Raquel Arnaud, dona do espaço onde ele expõe. De seg. a sex.: das 10h às 19h e sáb.: das 12h às 16h. R. Artur de Azevedo, 401, tel. 3083-6322.

11h às 17h

arte

música

17h às 23h

O quê? Banda Mantiqueira. Por quê? A Mantiqueira começou nas noites paulistanas no Sanja Jazz Bar, em curta temporada. Depois, no Bar Vou Vivendo, onde permaneceu por quatro anos, lotava a casa nas segundas-feiras. Também participou do Free Jazz Festival com apresentações no Rio de Janeiro e em São Paulo. Às 22h. R$ 40. Tom Jazz - Av. Angélica, 2331, tel. 3255-3635.

O quê? Bar Tira. Por quê? Bom lugar para petiscar e bebericar. Os irmãos e sócios Rodrigo, Danilo e André Vicente batizaram a casa em homenagem à índia Bartira, filha do cacique Tibiriçá. Ali, os clientes também podem saber o que significa Pacaembu, Sumaré, e quem foi Cardoso de Almeida, Ministro Godói, Professor Alfonso Bovero, Claro Marcondes Homem de Mello, com histórias contadas nos jogos americanos. Já o romance da índia Bartira e João Ramalho é contado nas paredes do bar por meio das fotos de Raphael Briest. De seg. a sáb.: das 11h30 à 1h. R. Bartira, 429, tel. 2645-0474.

23h às 29h

bar

87

9 DE ABRIL NOS CINEMAS


terça, 20

abril 2010 livros

5h às 11h

O quê? Intercâmbio de A a Z, de Marina Motta. Por quê? É um guia completo para quem pretende fazer intercâmbio. Trata-se das experiências de uma jovem administradora, de 28 anos que, após ter realizado 11 intercâmbios e de atuar como orientadora de intercâmbio estudantil por cinco anos, resolveu compilar tudo em um livro de bolso. Há desde informações sobre a ansiedade pré-viagem até programas de estágio internacional, passando por bagagem, casa de família, dormitório estudantil, high school, escolas de idiomas lá fora, passagem com desconto para estudantes, viagens de mochilão, vistos, gastos, etc. Por R$ 30, na Livraria Cultura (www. livrariacultura.com.br). Mais informações no site www.intercambioaz.com.br.

11h às 17h

teatro O quê? V Mostra Latino-Americana de Teatro de Grupo, da Cooperativa Paulista de Teatro. Por quê? O Centro Cultural São Paulo reúne de 20/4 a 25/4, onze companhias teatrais da América Latina, EUA e África. Cinco brasileiras (das cidades de Teresina, Uberlândia, Rio de Janeiro, São Paulo e Florianópolis), quatro da América Latina (Colômbia, Peru, Chile e Argentina), uma companhia hispânica com sede em Miami, nos Estados Unidos, e uma de Luanda, em Angola. Entre os destaques, o chileno Tryo Teatro Banda, que abre a mostra, às 18h, com uma mistura de teatro e música executada ao vivo, usando instrumentos musicais indígenas para contar o início da história do Chile. Do Brasil vem o Grupo Tá na Rua, de Amir Haddad, que completa 30 anos em 2010, para fazer um ensaio aberto sobre seu atual processo de pesquisa, cujo tema é a última crise financeira mundial, pré-intitulado A alegria do palhaço é ver o circo pegar fogo... Todos os trabalhos dos grupos são inéditos em São Paulo, com exceção de Cidade Desmanche, do Teatro de Narradores, vencedor do prêmio Cooperativa Paulista de Teatro 2009 na categoria de melhor espetáculo para espaço alternativo. A partir de hoje, às 14h. Centro Cultural São Paulo R. Vergueiro, 1.000, tel. 3397.4000. www.centrocultural.sp.gov.br.

17h às 23h

musica O quê? Simply Red. Por quê? A banda inglesa, que já vendeu mais de 50 milhões de cópias no mundo, em 26 anos de carreira, apresenta a turnê Farewell tour, com grandes sucessos do grupo, como Stars, Holding back the years, If You don´t know me by now e For you babies. Às 21h30. De R$ 100 (plateia Superior 3) a R$ 400 (camarote Setor 1). Credicard Hall Av. das Nações Unidas, 17955, tel. 2846-6000. www.credicardhall.com.br.

filme

23h às 29h

O quê? Crosby, Stills, Nash & Young - Dejá Vu, na TV. Por quê? Se sobrou gás na volta da balada, uma boa fita antes de dormir. O documentário acompanha a banda Crosby, Stills, Nash e Young durante a tournée Freedom of Speech. O jornalista Michael Cerre revela as reações dos fãs, a postura do grupo frente à Guerra e as eleições de 2006. Às 5h40, no HBO.

88 | 29HORAS | 29 de março a 29 de abril 2010


quarta, 21

abril 2010

arte

5h às 11h

O quê? Coleção Brasiliana Itaú, na Pinacoteca. Por quê? Para ver a Vista da cidade de São Paulo, tela de Arnaud Julien Pallière, de 1821, anterior à máquina fotográfica. Assim como as exposições de Hercules Florence e de Langsdorff, que estiveram em cartaz no espaço, essa mostra, com 300 obras, ajuda a contar a história do país por meio dos viajantes do passado. Entre outros destaques, pode-se conferir as gravuras de Jean-Baptiste Debret e Johann Moritz Rugendas, numa vitrine que retrata a vida dos escravos e a vista de São Luís do Maranhão pintada pelo italiano Giuseppe Leone Righini. Pinacoteca do Estado - Pça. da Luz, 2, tel. 33241000. Ter. a dom., das 10h às 17h30 (c/ permanência até as 18h). Até 2/5. R$ 6 (sáb.: grátis).

O quê? Expo Noivas e Festas São Paulo 2010. Por quê? Visita obrigatória para os pombinhos que já têm data marcada para a troca de alianças. A exposição e venda de produtos e serviços para a realização de festas de casamento se estende a comemorações de 15 anos, bodas, eventos, etc. Entre as atrações, desfiles de vestido de noivas e daminhas, trajes de noivos e pajens; exposição de bolos decorados e venda de bolos fatiados. Das 14h às 22h. Expo Center Norte - Pavilhão Amarelo. R. José Bernardo Pinto, 333, tel. 2089-8500. www.exponoivas.com.br.

11h às 17h

evento

O quê? Korn. Por quê? É uma das bandas de metal mais bem sucedidas do mundo. Desde o primeiro álbum, Korn, lançado em 1994, o grupo californiano já vendeu mais de 25 milhões de discos no mundo inteiro, 16 milhões só nos Estados Unidos. O Korn já ganhou dois Grammys de seis nomeações e também tem o maior número de vídeos para uma banda de rock/metal na história do MTV Total Request Live: cinco. Em única apresentação em São Paulo. Às 21h30. De R$ 100 a R$ 300. Av. das Nações Unidas, 17955, tel. 2846-6000. www.credicardhall.com.br.

17h às 23h

música

O quê? Festa hip hop com os DJs Kabeça e Thiago, no Casa Club Hostel Bar. Por quê? , os shots Brazilian Spirit (cachaça, xarope de guaraná e suco de limão) são cortesia. O Casa Club Hostel Bar é uma mistura de albergue, bar, “esquenta” e balada. E ponto de encontro de gente que vem e vai para todas as partes do planeta. Fincada no miolo da Vila Madalena, bairro famoso pela gastronomia, vida cultural, artística e boemia, é um bom lugar para chegar e já se entrosar com a vida frenética da pauliceia. E para quem é daqui, um bom lugar para conhecer gente nova. R. Mourato Coelho, 973, tel. 3798-0051. www.casaclub.com.br.

23h às 29h

balada

89


quinta, 22

abril 2010

5h às 11h

arte O quê? Chá do Chapeleiro Maluco da Mostra Coisas da Alice. Por quê? Inspirada pelo universo lúdico do tema, a publicitária e empresária Doris Sochaczewski, da loja Coisas da Doris, convidou vários artistas plásticos, designers e marcas de São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre para dar asas à imaginação e desenvolver produtos especialmente para essa mostra. O resultado é a criação de mais de 50 produtos, entre livros, porcelanas, fotos, quadros, painéis, fantasias, bonecas, todos bem criativos. Até 5/5. Al. Ministro Rocha Azevedo, 834, tel. 30831962. www.coisasdadoris.com.br.

11h às 17h

gastronomia O quê? Menu do restaurante Caroline. Por quê? A responsável pelos novos sabores é Malu Facchini, chef e proprietária. Para a entrada, ela sugere, por exemplo, o Carpaccio de peixe. Para o principal, experimente a Tulipa de linguado à Caroline - recheado com panaché de camarão e champignon selvagem, servido com risoto de zaferano. E na sobremesa, que tal o Mil Folhas de Coco? De seg. a qui.: das 12h às 24h, sex. e sáb.: das 12h à 1h e dom.: das 12h às 23h. R. Oscar Freire, 145, tel. 3068-0601. www.restaurantecaroline. com.br.

17h às 23h

musica O quê? Concertos da Osesp. Por quê? A Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo regida por Roberto Minczuk com Claudio Cruz ao violino, apresenta, hoje, o concertoJacarandá, às 21h; dia 23/3, Pequiá, às 21h; e dia 24/4 Ipê, às 16h30. Programa: Ludwig van Beethoven (Abertura Zur Namensfeier, Op.115), Ronaldo Miranda (Concerto para Violino), Gustav Mahler (Sinfonia nº 1 em Ré maior – Titã). De R$ 36 a R$ 122. Pça. Júlio Prestes, 16, tel. 3223- 3966.

23h às 29h

bar O quê? Novidades no bar Dry. Por quê? O que um drinque de ovas de salmão tem a ver com mini-hambúrgueres? Ambos foram criados para comemorar os dois anos do bar que tem um dos melhores martinis da cidade. O Dry balls, criado pelo barman Eduardo Renna, sob consultoria de Gisela Schmitt, é feito com ovas de salmão, erva-doce e zest de lima-da-pérsia. Já a porção de quatro mini-hambúrgueres com recheios variados inclui até uma versão de foie gras. De seg. a sex.: a partir das 19h e sáb.: a partir das 20h. R. Pe. João Manuel, 700, tel. 3729-6653. www.drybar.com.br.

90 | 29HORAS | 29 de março a 29 de abril 2010


sexta, 23

abril 2010

curso

5h às 11h

O quê? Cose di Legno. Por quê? Escola de marcenaria comandada pelo professor Piero Calo, com passagens pelas oficinas de Mauro Calabi, Ècoule Boule (Paris-França) e pela North Bennet Street School (Boston-EUA) e Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT). Foi montada com o intuito de permitir que os alunos mergulhem na atmosfera do trabalho artesanal de uma marcenaria. Tel. 3082-2387. www.cosedilegno.com.br.

O quê? Estreia do filme Alice no país das maravilhas. Por quê? Para ver a produção que arrecadou US$ 116,3 milhões em sua abertura, batendo vários recordes. A continuação da história da Alice traz Johnny Depp, Anne Hathaway, Michael Sheen, Alan Rickman, Mia Wasikowska, Helena Bonham e é recorde de bilheteria nos Estados Unidos. Direção de Tim Burton. Agora, a moça foge ao descobrir que será pedida em casamento e mais uma vez segue a pista do coelho branco e vai parar no País das Maravilhas. Nos cinemas da cidade, como a rede Cinemark. www.cinemark.com.br.

11h às 17h

cinema

música

17h às 23h

O quê? Show do Moby. Por quê? O multiinstrumentista é uma das maiores referências da música eletrônica mundial e produtor de sucesso. Vem divulgar seu último disco de estúdio, Wait for me, lançado em junho 2009. Às 22h. De R$ 140 (pista) a R$ 300 (camarote). Credicard Hall - Av. das Nações Unidas, 17955, tel. 2846-6000. www.credicardhall.com.br.

O quê? Teatro na madrugada: Com quem fica o coração? Por quê? Famoso cirurgião mutilado promove tráfico de órgãos humanos. Seu enfermeiro acabou de matar a esposa homossexual e adúltera. Direção de Mauricio Paroni de Castro, com Carlos Meceni, Janine Corrêa e Josué Torres. Até 26/6, sex. e sáb. às 23h59. Espaço dos Satyros UM – Pça. Franklin Roosevelt, 214. R$ 20; R$ 10 (Estudantes, Classe Artística e Terceira Idade); R$ 5 (Oficineiros dos Satyros e moradores da Pça. Roosevelt). Tel. 3258- 6345.

23h às 29h

teatro

91


sábado, 24

abril 2010

5h às 11h

evento O quê? Pet Fashion Week SP. Por quê? É a versão brasileira do conceituado e glamuroso evento americano voltado para o mundo pet. Criado há mais de cinco anos, com edições em New York e no Japão, o PFW oferece a designers e empresas a oportunidade de apresentar ao varejo seus produtos e inovações nos segmentos de moda, tosa e lifestyle. Para entrar com seu animal, é preciso apresentar a carteira de vacinação atualizada. Sheraton WTC Convention - Golden Hall. Av. das Nações Unidas, 12.551. www.petfashionweeksp.com.

11h às 17h

música O quê? Série Aprendiz de maestro, realizada pela Tucca, Associação para Crianças e Adolescentes com Câncer. Por quê? Você assiste a um belo espetáculo e ainda ajuda quem precisa. Na série, orquestra, ópera, teatro e balé passados para a criançada de forma lúdica e divertida, através da performance de personagens como Operilda e Maestro João. Programação: Pedro e o lobo – Histórias de Operilda (24/4); O dia do maestro (8/5); Operilda e O lago dos cisnes (19/6); Era uma vez a orquestra (11/9); Allegro, um boneco sem concerto (9/10); Ópera dos bichos (27/11) e Concerto de Natal (18/12). Sempre aos sábados: às 11h. Valor da assinatura entre R$ 210 a R$ 320, com 100% revertidos às crianças e adolescentes carentes atendidas pela Tucca. De seg. a sex.: das 10h às 18h. Pelos tels. 2344-1051/3057-0131 ou por e-mail: ingressos@tucca.org.br. www.tucca.org.br.

17h às 23h

musica O quê? Show de Maria Rita. Por quê? Para comemorar as mais de 60 mil cópias vendidas do seu DVD de Platina Samba meu. No repertório, canções como Tá perdoado (Franco/ Arlindo Cruz), Num corpo só (Arlindo Cruz/ Picolé) e Maria do Socorro (Edu Krieger). Além de seus novos sucessos, não vão faltar os clássicos dos discos anteriores, como Cara valente (Marcelo Camelo), A festa (Milton Nascimento) e Caminho das águas (Rodrigo Maranhão). Às 22h. De R$ 60 (pista) a R$ 180 (camarote). Citibank Hall - Al. dos Jamaris, 213, tel. 2846-6232 .www.citibankhall.com.br.

23h às 29h

evento O quê? Electrance – Open Air. Por quê? O evento acontece no espaço Magic City na cidade de Suzano, em São Paulo, com dois parques aquáticos, piscinas aquecidas, mini-kamikaze, outro de 20m, além de dois toboáguas. Área VIP com piscinas aquecidas, hidromassagem, cascatas e ofurôs. A festa traz grandes nomes da música eletrônica mundial e nacional. Acesso com asfalto e estacionamento interno para 3.000 veículos. A partir das 22h até às 18 do dia seguinte. Magic City - Estr. do Pavoeiro, 8.870, Saída ABC. De R$ 30 a R$ 120 (camarote com R$ 50 de consumo). Tel. 2027-0770.

92 | 29HORAS | 29 de março a 29 de abril 2010


domingo, 25

abril 2010

O quê? Fox Café Restaurante. Por quê? Oferece nos fins de semana e feriados um farto e saboroso buffet de café da manhã, das 9h às 14h, com mini pães de fabricação própria, brioches, variadas opções de bolos, iogurtes, cereais, ovos mexidos, frutas, sucos de frutas naturais, leite, achocolatados e café expresso. Tudo a R$ 23,90, por pessoa. Seg.: das 12h às 19h, de ter. a sex.: das 12h às 23h, sáb.: das 9h às 24h e dom. e feriados: das 9h às 19h. R. Joaquim Antunes, 48, tel. 2364-3559. www.sitefox.com.br.

música

O quê? Domingo é dia de teatro! Por quê? Trata-se de um projeto de teatro infantil que promove apresentações gratuitas, todos os domingos às 15h, até novembro, no auditório da Livraria Cultura do Shopping Market Place. A ideia aproxima o Shopping do universo cultural, atrai famílias com filhos nos finais de semana e apresenta novos grupos de teatro. Av. Dr. Chucri Zaidan, 902, tel. 34744033. www.livrariacultura.com.br

O quê? Grandes Encontros 2010. Por quê? Tem Zélia Duncan e Anelis Assumpção na praça de eventos do Shopping Anália Franco, e será transmitido ao vivo pela da Rádio Eldorado FM (92,9 kHz) e pelo Território Eldorado (www. territorioeldorado.com.br). Às 12h30. Shopping Anália Franco - Av. Regente Feijó, 1739, tel. 4003-4133.

11h às 17h

teatro

5h às 11h

gastronomia

O quê? O inferno sou eu. Por quê? Marisa Orth é Simone de Beauvoir na peça de Juliana Rosenthal K., com Paula Weinfeld e direção de José Rubens Siqueira. A vinda dos filósofos Jean-Paul Sartre e Simone de Beauvoir para o Brasil serve de inspiração para fomentar o diálogo entre Simone de Beauvoir - o mito, a mulher, a amante, a professora – com a jovem admiradora e interessada estudante de Letras do Recife, nos anos 60. Às 19h. Até maio. R$ 50 e R$ 25. Teatro Jaraguá - R. Martins Fontes, 71, tel. 3255-4380.

17h às 23h

teatro

O quê? Bar Balcão. Por quê? O balcão enorme, sem fim, dá o tom na casa de ambiente moderno, frequentada pelos apreciadores de jazz, artes plásticas, e um bom bate-papo regado a chope gelado. No mezzanino, há algumas mesinhas para os menos democráticos. A pedida são os pratos rápidos e os sanduíches, como o Hambúrguer Tomate (pão de hambúrguer , hambúrguer recheado com mussarela, molho de tomate, fritas e salada) ou o Balcão Vegetariano (pão ciabatta, cogumelos na manteiga, tomate seco, queijo parmesão e rúcula). De seg. a sáb.: das 18h às 2h e dom.: até 1h. R. Dr. Melo Alves, 150, tel. 3063-6091.

23h às 29h

bar

93


segunda, 26

abril 2010

5h às 11h

compras O quê? Dot Objetos. Por quê? Para quem busca peças inovadoras, divertidas e design arrojado para decoração da casa, escritório ou presente. Com quase 200 nomes, entre artistas consagrados e revelações, a butique de objetos se firma como loja/galeria. Ao lado dos “colegas de profissão”,Temis de Paris, uma das sócias, também expõe seu trabalho, que já rendeu premiações e exposições coletivas e individuais no Brasil e no exterior. De seg. a sex.: das 10h às 19h e sáb.: das 10h às 16h. R. Pirapora, 112, tel. 3052-1930.

11h às 17h

gastronomia O quê? Restaurante Baruk. Por quê? Entre os destaques, a berinjela Baruk – carne refogada à moda árabe, fatias do legume com creme branco salpicado de amêndoas torradas e o hambúrguer Oriental, feito de kafta e guarnecido com folhas verdes, acompanhado com shimeji e shiitake, temperado com gengibre. Para sobremesa, sorvetes, feitos na casa, como o de miski com calda de frutas vermelhas e de canela com calda de nozes, entre outros doces tradicionais. De seg. a sex.: das 11h às 20h e sáb.: das 11h às 17h. Al. Raja Gabaglia, 160, tel. 3045-9999. www.restaurantebaruk.com.br.

17h às 23h

gastronomia O quê? Camarão & Cia. Por quê? A rede abriu nova unidade no shopping Vila Olímpia. Entre as novidades, camarões à napolitana com linguini aos quatro queijos e camarões grelhados ao azeite de alho. O segundo restaurante paulistano da grife gastronômica, cuja matriz fica em Pernambuco, brinda os clientes com um livro de receitas criadas por seu chef francês, François Schmidt. Para ganhar, bastam seis adesivos adquiridos com a compra de um prato mais um refrigerante da marca Ambev. De seg. a sáb.: das 10h às 23h e dom.: das 10h às 24h. Shopping Vila Olímpia R. Olimpíadas, 360, tel. 3047-6234.

23h às 29h

balada O quê? All of Jazz. Por quê? Apresenta show ao vivo todos os dias. A casa reúne admiradores e grandes talentos brasileiros do jazz, da música instrumental e bossa nova. O ambiente é o que se espera dele: intimista, acolhedor e discreto. No piso superior há uma loja com livros, posteres, fitas de vídeo e vídeo laser; um acervo de 3.000 CD’s de Jazz e MPB da melhor qualidade. E quem faz aniversário no bar e assiste ao show ganha um CD de presente. De seg. a sex.: das 19h30 às 3h e sáb.: das 21h às 4h. R. João Cachoeira, 1366, tel. 3849-1345. www.allofjazz.com.br.

94 | 29HORAS | 29 de março a 29 de abril 2010


terça, 27

abril 2010

O quê? Entre atos 1964/68. Por quê? Trata-se da primeira de uma série de três exposições que pretende investigar o acervo do Museu de Arte Contemporânea da USP, tendo como foco a arte brasileira produzida no contexto da ditadura militar (1964-1985). As curadoras Ana Magalhães, Cristina Freire e Helouise Costa, todas docentes da Divisão de Pesquisa em Arte, Teoria e Crí­tica do MAC USP, selecionaram 113 obras de 49 artistas, entre eles José Roberto Aguilar, Cybèle Varela, Nelson Leirner, Arnaldo Ferrari, Iberé Camargo, Claudio Tozzi, Antonio Henrique Amaral e Mira Schendel. “Mais do que buscarmos marcas explí­citas de engajamento polí­tico nas obras, cabe-nos saber ler nas entrelinhas os indícios que trazem das relações de poder que se estabeleceram dentro e fora do circuito de arte”, assinalam no texto que abre a mostra. Até 1/8. De ter. a sex.: das 10h às 18h, sáb., dom., e feriados: das 10h às 16h. Grátis. MAC USP Cidade Universitária - R. da Reitoria, 160, tel. 3091-3039. www.mac.usp.br.

5h às 11h

arte

evento

11h às 17h

O quê? 14º ExpoVinis Brasil 2010. Por quê? O maior salão de vinhos da América Latina, organizado pela Exponor Brasil, é uma grande referência para quem busca negócios no universo dos vinhos. São milhares de rótulos de diferentes países e amostras das novidades da produção mundial do velho e novo mundo. Simultaneamente ocorrem as mostras Brasil Cachaça e Epicure - principal encontro dos segmentos do tabaco, presentes finos e artigos de luxo na América do Sul. Dia 27/04, somente para profissionais. Dias 28/4 e 29/4: das 14h às 19h, somente para profissionais e a partir das 19h até as 22h, entrada para profissionais e consumidor. Expo Center Norte - Pavilhão Vermelho. R. José Bernardo Pinto, 333, tel. 2089-8500. www.exponor.com.br.

O quê? Ensemble Berlin. Por quê? Abre a Temporada Internacional 2010 do Mozarteum Brasileiro, na Sala São Paulo. Música de câmara, de alto nível e clima descontraído. Fomado em 1999 por integrantes da Orquestra Filarmônica de Berlim, no festival de Música de Landsberger, os músicos do Ensemble Berlin - Philipp Bohnen (violino), Christoph von der Nahmer (violino), Martin von der Nahmer (viola), Clemens Weigel (violoncelo), Ulrich Wolff (contrabaixo), Christoph Hartmann (oboé) e Franz Draxinger (trompa) -, numa fértil colaboração com o arranjador Wolfgang Renz, apresentam uma série de joias musicais da música clássica, romântica e moderna. Dias 27/4 e 28/4, às 21h. Pacotes entre R$ 450 e R$ 1.250, para oito concertos internacionais ao longo do ano. Sala São Paulo - Pça. Júlio Prestes, 16, tel. 3223-3966. Confira a programação no site www.mozarteum.org.br.

17h às 23h

música

O quê? Seleção Brasileira e Carioca no Pirajá. Por quê? As seleções são os nomes dos combinados de petiscos, que trazem um pouco de tudo que há no cardápio, com duas unidades de cada. Frango a passarinho, bolinho de carne, cupim no buraco, torresmo e sanduíches especiais, como o paladino com lascas de costela bovina em molho rôti, tomate e palmito, no pão francês. De seg. a qua.: das 12h à 1h, de qui. a sáb.: das 12h às 2h e dom.: das 12h às 19h. Av. Brig. Faria Lima, 64, tel. 3815-6881. www.piraja.com.br.

23h às 29h

gastronomia

95


quarta, 28

abril 2010

5h às 11h

fotografia O quê? Maureen Bisilliat: Fotografias. Por quê? A inglesa Sheila Maureen Bisilliat fez parte da equipe da revista Realidade, da Editora Abril. A mostra permeia entre a sua produção fotográfica e editorial, já que é autora de livros de fotografias inspirados em obras de grandes escritores brasileiros. Até 4/7. Galeria de Arte do SESI – Centro Cultural FIESP - Ruth Cardoso. Seg.: das 11h às 20h, de ter. a sáb.: das 10h às 20h e dom.: das 10h às 19h. Grátis. Av. Paulista, 1313, tel. 3146-7405.

17h às 23h

11h às 17h

evento O quê? SP- Arte 2010. Por quê? Com 2.500 obras, a sexta edição da Feira Internacional de Arte de São Paulo, considerada a mais importante da América Latina, destaca-se pela adesão de galerias de países fora, como México e Inglaterra e pelo seu crescimento e vitalidade: um abrangente panorama da produção moderna e contemporânea. Do total das 79 galerias participantes, 10 são estrangeiras, 13 inéditas (cinco internacionais e oito nacionais), e há também a Arte Nova, no mezanino, representada por jovens artistas, pouco conhecidos, mas promissores. Em suas últimas edições, a Feira tem recebido um público superior a 13 mil visitantes, entre colecionadores, críticos, curadores e os próprios artistas. Hoje, das 14h às 18h, é o preview para colecionadores e profissionais e das 18h às 22h (abertura oficial para convidados). Dia 29/4 e 30/4: das 14h às 22h e 1/5 e 2/5: das 12h às 20h. R$ 25 (estudantes e aposentados pagam meiaentrada). Fundação Bienal de São Paulo - Pq. do Ibirapuera, piso térreo, portão 3, tel. 5574-5922. www.sp-arte.com.

gastronomia

teatro

O quê? Degustação de histórias – Contos Eróticos. Por quê? Noite bem especial, regada a vinho e alta gastronomia. A Degustação de Histórias é um projeto exclusivo da Livraria da Vila em parceria com o contador de histórias Ilan Brenman e a chef de cozinha Joana Leis. As noites temáticas acontecem uma vez por mês em cada loja da Livraria da Vila com um convidado especial surpresa. Das 19h45 às 21h30. R$ 65. No café da loja do Shopping Cidade Jardim. Av. Magalhães de Castro, 12000, tel. 3755-5811.

O quê? Inês - Gil Vicente por ele mesmo. Por quê? A comédia, de Achileu Nogueira Neto com a Cia. dos Ícones tem como pano de fundo A farsa de Inês Pereira, de Gil Vicente – o primeiro autor teatral na literatura portuguesa, anterior a Shakespeare (Inglaterra) e a Molière (França). Até 24/6, sempre às quintas-feiras, às 21h. R$ 40 e R$ 20 (antecipado) ou R$ 60 e R$ 30 (no dia). Teatro Anhembi Morumbi R. Dr. Almeida Lima, 1.134, tel. 2872-1457.

bar

23h às 29h

O quê? Jazz nos Fundos. Por quê? Apenas nas últimas quartas do mês, o espaço reúne coletiva de artes plásticas com ensaio aberto de bandas de jazz, no projeto “Arte nos Fundos”, a partir das 20h. Funciona normalmente de qui. e sex., das 20h às 2h; sáb., 19h às 2h. R$ 13 a R$ 19. Proibido para menores de 18 anos. R. João Moura, 1076. www.jazznosfundos.net.

96 | 29HORAS | 29 de março a 29 de abril 2010


quinta, 29

abril 2010

O quê? 20ª Fitness Brasil Internacional. Evento Wellness e Fitness, em Santos. Por quê? É o maior encontro de wellness e fitness da América Latina. Durante quatro dias, os participantes terão acesso a 84 cursos, treinamentos, workshops, clínicas e palestras em diversas áreas e a Expo Fitness Brasil, com diversos lançamentos e ofertas de produtos e serviços para profissionais e interessados no estilo de vida saudável. De 29/4 a 2/5, das 9h às 18h30. Mendes Convention Center. Av. General Francisco Glicério, 206, Santos, tel. 5095-2699. www.fitnessbrasil.com.br.

5h às 11h

evento

O quê? Inventolândia - Museu Contemporâneo das Invenções. Por quê? Para ver muita ideia maluca em projetos e outras que já foram colocadas em prática. São dois andares com cerca de 500 peças em exposição, nacionais e estrangeiras. Há, por exemplo, uma cadeira de balanço que acomoda um adulto e duas crianças, nas laterais – ideal para a hora de contar histórias. Já pensou em guardar os sapatos em gavetas disfarçadas na escada? Há um jogo de xadrez comestível, um prato com orifício para a taça e um hashi tipo pregador de roupa, para não deixar o alimento cair. E que tal um escorregador de fibra, semelhante aos usados em parques aquáticos, como saída de incêndio nos prédios? De seg. a sex.: das 9h às 12h e das 14h às 17h. R$ 10 (grátis para menores de dois anos e maiores de 65). R. Dr. Homem de Mello, 1.109, tel. 3873-3211.

11h às 17h

passeio

música O quê? Nouvelle Vague. Por quê? O grupo francês, formado em 2003, conhecido por transformar punk rock e new wave em bossa nova, apresenta o repertório de seu mais novo disco, o NV3, que traz os vocais da belga Helena Nogueira e da brasileira Karina Zeviani. Dia 29/4: às 21h (abertura dos portões) e 22h30 (início do show). R$ 100. R. Barra Funda, 969, tel. 3661-1500. www.clashclub.com.br.

17h às 23h

O quê? Concertos Osesp. Por quê? A Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, regida por Alexander Vedernikov com Cristina Ortiz ao piano, apresenta, hoje, a série Cedro, às 21h; dia 30/4, Araucária, às 21h e dia 1/5, Mogno, às 16h30. Alexander Borodin (Príncipe Igor: Danças polovtsianas), Wilhelm Stenhammar (Concerto nº 2 para Piano em ré menor, Op.23) e Pyotr Il’yich Tchaikovsky (Suite nº 3 em Sol maior, Op.55). De R$ 36 a R$ 122. Pça. Júlio Prestes, 16, Sala São Paulo, tel. 3223-3966.

O quê? O mix de sanduíches do SubAstor. Por quê? Sabe quando você pega o cardápio e fica em dúvida no que escolher? Nesse caso, o mix de sanduíches com três sabores diferentes pode ser a solução. Na coquetelaria, a mixologia molecular (estudo da composição química do álcool para a elaboração de sabores dos drinques) é marca registrada da casa, traduzida em drinques especiais como o martini de pepino ou de melancia. Nas caixas, mix de lounge music, jazz, r&b, funk e rock. Seg.: das 20h às 2h, de ter. a qui.: das 20h às 3h, sex. e sáb.: das 20h às 4h. R. Delfina, 163, tel. 3815-1364.

23h às 29h

bar

97


29 horas com...

todas as horas 8h.

A agitada rotina do economista, empresário e produtor de cinema que irá lançar este ano três filmes no mercado brasileiro Em junho, o alemão Hank Levine se prepara para iniciar as gravações do longa-metragem Roque Santeiro, uma adaptação do texto original de Dias Gomes que foi censurado durante o regime militar e que será dirigida por Daniel Filho. “O desafio de preservar o original para o contemporâneo é ainda maior, já que o filme vem com muitas expectativas por causa do sucesso que a novela teve na época em que foi exibida”, confessa. Hank passa o dia entre reuniões com roteiristas e patrocinadores, dirigindo e produzindo material para o mercado brasileiro. Entre as estreias previstas para este ano estão Rosa Morena, longa realizado em co-produção com a Dinamarca, e Kristina, uma co-produção Brasil-Canadá-

98 | 29HORAS | 29 de março a 29 de abril 2010

Finlândia e Catalonia, inspirada na obra-prima de George Orwell sobre a guerra civil espanhola. Nas produções nacionais, Hank se prepara para dirigir e roteirizar os documentários Crianças abandonadas, que mostra a situação da adoção e do abandono infantil no Brasil e Diários dos refugiados, sobre a realidade da imigração ilegal. Ele também está escrevendo um roteiro sobre a organização criminal PCC e os ataques ocorridos em maio de 2006, em São Paulo. Economista, empresário e diretor de produção, formado pela Freie University e Film Academy, de Berlim, Hank, 44 anos, acumula experiência em produções independentes em diversos países. Morou em Los Angeles e em Nova York no início dos anos 90,

onde desenvolveu conteúdo audiovisual para os Estados Unidos, Austrália, África do Sul, Canadá e Europa. Entre seus trabalhos destacam-se o documentário War zone, de Maggie West e o longa Passport, de Reto Caduff. No Brasil, sua carreira começou em 2000, como consultor da indústria cinematográfica brasileira para o mercado internacional. Foi coprodutor de Cidade de Deus, de Fernando Meirelles, co-dirigiu o documentário Ginga, a alma do futebol brasileiro, videoclipes e filmes publicitários e, em 2003, criou o departamento internacional da O2 Filmes, produtora de Meirelles. Hoje, dedica-se à sua produtora Ginga Eleven, que foca em longas e documentários para o mercado, além de co-produções internacionais. –Letícia Liñeira

11h.

“Aqui na Ginga passo o dia inteiro fazendo reuniões com patrocinadores, investidores e, uma vez por semana, tenho a minha terapia – senão acabo enlouquecendo.”

15h.

“Além das reuniões, visito os sets de filmagens, faço o controle de fluxo, negocio com atores, enfim, ‘apago fogo’ por aqui.”

17h.

“Costumo sair com as minhas filhas, a Kether e a Zoe, de 7 e 8 anos, duas vezes por semana. Vamos muito ao cinema, levo-as para andar de kart (às vezes elas reclamam que eu fico o tempo todo no celular só resolvendo as coisas de trabalho). De vez em quando também gosto de trabalhar em casa. Marco encontros com roteiristas e distribuidores lá mesmo. É mais tranquilo.”

19h/20h.

“É a hora que eu faço algum tipo de esporte, como tênis e natação.”

24h.

“Esse é mais ou menos o horário em que estou acostumado a dormir. Nunca antes da meia-noite.”

andré santos

Hank levine

“Acordo, tomo café da manhã com a Paola, minha esposa, dou uma olhada nos e-mails e saio para passear com a minha cachorra. Como não tenho carro, pego a bicicleta e venho para a produtora (dependendo de como estiver o tempo, pego um táxi).”


Depois de um ano de trabalho, nada como dar um pulinho no paraíso. Do Lago Spa Hotel Curitiba. Um espaço único de aprimoramento para o seu eu interior e exterior. Consulte nossos planos, visite nosso site.

99


Revista 29HORAS - Ed.06 - abril 2010 - Capa 2  

Revista mensal com agenda cultural de São Paulo, distribuída no Aeroporto de Congonhas. Capa: Jose Zaragoza

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you