Page 1

JORNAL

SÁBADO, 5 DE ABRIL DE 2014. ANO 1 - EDIÇÃO 046 - DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

Circulação: Araquari, Balneário Barra do Sul, Barra Velha, São João do Itaperiú e Balneário Piçarras

OS DOIS

LADOS

DA DITADURA

PÁG 4

ARAQUARI, 138 ANOS

PÁG 12

ENTREVISTA COM ULISSES MOLON, DO GRUPO SINUELO

PREFEITO PREPARA OBRAS COM VERBA DO IPTU E DISPARA SOBRE DEFESA CIVIL: “NÃO APRESENTOU TRABALHO”. EXCOORDENADOR REBATE

Em homenagem ao aniversário de Araquari, Voz do Itapocu traz um pouco mais da história que deu inicio ao cultivo de maracujá e a construção da réplica da nau Espera, dois ícones da cidade

DEFESA CIVIL POLÍTICA

Na semana em que o golpe militar de 1964 completou 50 anos, o Voz do Itapocu traz a história de duas pessoas que hoje moram Barra Velha e participaram ativamente da vida política do país nesse período.

Reinaldo Kozoski: do atletismo aos bastidores do regime

Jadir Negreiros: do pódio da Marinha aos porões da ditadura BARRA VELHA

PÁGs 8 e 9

PÁG 5

TRÊS REPRESENTANTES DE BARRA VELHA IRÃO PARTICIPAR DA CONFERÊNCIA NACIONAL

GILBERTO AZEVEDO ASSUME A PREFEITURA BALNEÁRIO BARRA DO SUL PÁG 16 DE SÃO JOÃO DO ITAPERIÚ JOINVILENSES NO TOPO DO CAMPEONATO DE POR 30 DIAS PÁG. 10 FUTSAL. FINAL DO BEACH SOCCER É HOJE

ESPORTE

PÁG 16

FUTEBOL E CICLISMO MARCAM ANIVERSÁRIO DE SÃO JOÃO DO ITAPERIÚ


EDITORIAL

2

Sábado, 5 de abril de 2014.

Ditadura: a consequência natural da morte do debate FACEBOOK

1964. De um lado, a população

tava por vir.

embate de ideias devem existir.

carente, trabalhadores do campo

Nossa herança do período? Mar-

O problema é a falta de abertura

e das fábricas, apoia as chama-

cas da violência e da bestialida-

ao diálogo, o reconhecer que a

das reformas de base, importan-

de que só a ignorância é capaz

opinião do outro existe para so-

te passo para o desenvolvimen-

de gerar. Até hoje limitamos

mar e que (veja você!) nem sem-

to social do Brasil. Do outro, a

nossos debates à simplicidade

pre estamos certos.

classe média, o empresariado e

de termos como ‘direita’ e ‘es-

Tentar apontar um bode expiató-

as instituições conservadoras te-

querda’, ‘reacionários’ e ‘esquer-

rio para a ditadura civil-militar de

mem o “comunismo” que estava,

dopatas’, ignorando toda a ideia

1964 é uma forma simplista de

supostamente, sendo implanta-

que vem do outro lado pelo sim-

pensar. Pior que isso: ela ignora

do no Brasil. Manifestações dos

ples fato de ser do outro lado.

o fato de que, no fundo, nós con-

dois lados reuniram centenas de

Os 50 anos do golpe militar fi-

tinuamos com a mesma atitude

milhares de pessoas, demons-

zeram reacender ainda mais

antidemocrática. Essa não é

trações públicas de um país di-

essa chama na última semana,

uma tentativa de ignorar os cri-

vidido.

e o Voz do Itapocu, apoiador da

mes que ocorreram, que devem

Divisão. Essa é a palavra que

democracia e amparado na sua

sim ser apurados e esclarecidos,

melhor caracteriza o que se pas-

liberdade sem medo de censura,

mas sim uma reflexão do que nos

sava no Brasil naquela época.

traz nesta edição relatos arre-

faz chegar a onde chegamos.

A população, antes adepta ao

piantes dos dois lados de quem

Diz o velho ditado que política, fu-

debate democrático (que ainda

viveu estes anos obscuros de

tebol e religião não se discutem.

engatinhava, é verdade), se tor-

nossa nação. São histórias como

Veja só: colocamos política, que

nava uma pífia imitação da con-

estas que nos fazem refletir so-

nada mais é que o debate em

VEJA ONDE ENCONTRAR O JORNAL DE FORMA GRATUITA TODOS OS SÁBADOS:

dição política mundial da época:

bre questões importantes da

sua essência, junto com temas

www.vozdoitapocu.com.br

inventamos nossa própria ‘guer-

nossa sociedade, muito além de

que transcendem as escolhas ra-

ra fria’. De repente, tornamo-nos

direita ou esquerda.

cionais. Enquanto a política sig-

comunistas

reacionários.

O que queremos, como país?

nificar uma visão dogmática da

Não havia meios termos, opini-

Uma eterna rixa, que inevitavel-

administração pública, radical e

ões ponderadas, nem discussão

mente vai voltar a se acalorar, ou

fechada, não estaremos a salvo

construtiva de opções para o

uma concepção diferente de po-

de um novo regime totalitário,

país. As crescentes tensões en-

lítica, baseada na busca de con-

seja ele da inclinação ideológica

tre esses diferentes setores da

sensos, que favoreça o bem-co-

que for.

sociedade precederam o que es-

mum? É claro que a oposição e o

ou

do Centro de Informações de Recursos Ambientais e de PREVISÃO DO TEMPO Informações Hidrometeorologia de Santa Catarina (Ciram) da Epagri

SÁBADO

(05/04)

DOMINGO (06/04)

SEGUNDA-FEIRA (07/04)

Não leu as edições anteriores do Voz do Itapocu? Acesse: www.issuu.com/vozdoitapocu e leia na íntegra a edição virtual do jornal, de forma interativa e prática.

CONTATOS (47) 3456 1194 Reportagem - jornalismo@vozdoitapocu.com.br Comercial - comercial@vozdoitapocu.com.br Colunistas - colunas@vozdoitapocu.com.br Coluna Social - social@vozdoitapocu.com.br

EXPEDIENTE Tiragem: 5 mil exemplares / distribuição gratuita / semanário Circulação: Araquari, Balneário Barra do Sul, Balneário Piçarras, Barra Velha e São João do Itaperiú

Sol com chuva no início do dia

MÁX: 28º MÍN: 21º

Sol com chuva à noite

MÁX: 32º MÍN: 20º

Sol e pancadas de chuva entre a tarde e noite

MÁX: 35º MÍN: 22º

Reportagem Carolina Nunes Daniel Schiavoni Diagramação Germana Souza Edição Anderson Davi

Colaboradores Angelita Borba de Souza Lígia Delazzeri R. Balbinott Daniela Censi Marcos Zaleski de Matos Volnei Antônio de Souza

Jornalista Responsável Flávio Roberto DRT: 02494 JP

Colunas, artigos, cartas, e-mails enviados e assinados são de inteira responsabilidade de seus autores. O conteúdo não expressa, necessariamente, a opinião do jornal. UMA PUBLICAÇÃO

REDAÇÃO Avª Santa Catarina, 1192 - Sobreloja Centro - Barra Velha - SC CEP: 88390-000


GERAL

Sábado, 5 de abril de 2014.

Balneário Piçarras recebe audiência sobre resíduos sólidos na próxima sexta-feira Audiência pública faz parte do cronograma de elaboração do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos, desenvolvido pela Amfri Acontece na próxima sexta-feira, dia 11, na Câmara de Vereadores de Balneário Piçarras, às 17h30, a audiência pública para a apresentação do Diagnóstico de Resíduos Sólidos, organizado pela Associação dos Municípios da Foz do Rio Itajaí (Amfri). O evento faz parte da elaboração do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos, que está sendo realizado pela empresa Fral Consultoria, contratada pela Amfri. Toda a comunidade pode participar. A elaboração do plano é uma exigência da Política Nacional de Resíduos Sólidos, para que todos os municípios brasileiros tenham o controle da geração até a destinação final dos resíduos sólidos. O plano é composto essencialmente do diagnóstico, prognóstico e planejamento dos componentes que integram a gestão e o gerenciamento

de resíduos sólidos, em sua geração, segregação, coleta, acondicionamento, transporte e forma de tratamento e disposição final, com o intuito de preservar o meio ambiente e assegurar a qualidade da saúde pública. Diagnóstico de Balneário Piçarras Na audiência, além dos engenheiros da empresa apresentarem os dados levantados sobre Balneário Piçarras, os participantes terão a oportunidade debater acerca do tema, com sugestões para a gestão do lixo no município. Um dos estudos aponta uma geração mensal de lixo na cidade de 300 toneladas por mês, em períodos de baixa temporada. No verão, quando a população aumenta, esse índice dobra, passa a 600 toneladas por mês, média de 20 toneladas por dia, depositadas em um aterro sanitário em Brus-

que. Isso apenas contando lixo considerado doméstico, sem contar os resíduos a partir de podas, construções ou reformas, entulhos, lixos eletrônicos e muitos outros. Uma análise gravimétrica efetuada pela Fral Consultoria em fevereiro deste ano mostrou que 46% do lixo produzido na cidade é orgânico, como restos de comida. Ainda, dessa amostragem, foi constatado que 12,4% dos resíduos são provenientes de tecidos, trapos e calçados. Outros 9,8% do lixo vêm dos plásticos moles, como filmes. Papel representou 8% do lixo, papelão 6% e garrafas PET 2,9%. Vidros, fraldas descartáveis e eletroeletrônicos corresponderam a 2,3% cada um do total das amostragens, coletadas no descarregamento dos caminhões de lixo em transbordos da concessionária.

Quadra no Porto do Itaperiú está com 70% da construção pronta A quadra de esportes que está sendo construída no Porto do Itaperiú, em São João do Itaperiú, já está com 70% das obras concluídas. O espaço está sendo construído através de um programa do Ministério do Turismo e localizado na rua Romário de Souza Borges, anexo à Escola Municipal Catulino Onofre Rosa. O investimento na construção é de R$ 380 mil, dos quais R$ 263.250,00 são recursos do Governo Federal, com contrapartida da prefeitura no valor de R$ 116.750,00. No momento, 70% das obras, iniciadas em setembro do ano passado,

Foto: Prefeitura de São João do Itaperiú

3

Saúde

Fisioterapeuta Daniela Censi e-mail: dani_censi@hotmail.com

Atraso no desenvolvimento? Quando se tem na família um bebê, seja filho, sobrinho, irmão ou afilhado, é importante que se avalie como está o desenvolvimento dessa criança. Muitas vezes em razão da correria do dia a dia diversos pontos importantes acabam sendo negligenciados, o que pode trazer prejuízos sérios no futuro. O atraso no desenvolvimento neuropsicomotor (neurológico, psicológico, motor) pode acontecer em razão de vários fatores. Causas pré-natais (consumo de bebidas alcoólicas ou drogas ilícitas pela mãe, síndromes genéticas), problemas ocorridos no trabalho de parto ou parto (infecções, asfixias) e causas pós-parto (infecções, acidentes, desnutrição). Por vezes o bebê nasce saudável e o atraso só é percebido quando chega a hora de engatinhar, sentar, falar e andar. Quando se percebe algum atraso, primeiramente o

pediatra deve ser informado para que seja feita uma avaliação. Caso seja detectado, a criança será encaminhada por vezes para fazer alguns exames. Outras vezes o pediatra apenas dará algumas orientações para que os familiares façam em casa ou para que procurem auxílio fisioterapêutico. O Fisioterapeuta possui diversas técnicas para auxiliar no desenvolvimento das crianças com alguma deficiência. São utilizados exercícios lúdicos, envolvendo brincadeiras e diversão para que as sessões sejam agradáveis e produtivas. Quanto antes o tratamento iniciar, melhor serão os resultados. Caso você conheça alguma criança com algum atraso aparente no desenvolvimento, converse com o pediatra ou um fisioterapeuta, pois esses profissionais vão poder informar o tratamento mais adequado e eficaz.

Autopista Litoral Sul doa ambulância e reforma de unidade de saúde em Araquari

Assim como Barra Velha e Balneário Piçarras, chegou a vez de Araquari receber da Autopista Litoral Sul. O veículo contém nove lugares e deve ficar disponível para atendimento no Posto de Saúde do bairro Rainha. Atualmente, a Secretaria de Saúde conta com duas ambulâncias para atendimento. A data de entrega ainda não foi definida. A empresa também se comprometeu em reformar a Unidade Básica de Saúde do bairro. A reforma contempla consertos na parte de infiltração, reparos elétricos, hidráulicos, pintura e novos equipamentos.

Vacinação contra o HPV já estão concluídas. A previsão de término é para o mês de julho, dependendo das variações climáticas. Além de servir à população

em geral, a nova quadra de esportes também funcionará como ambiente para prática das aulas de educação física da escola do bairro.

A prefeitura de Araquari, por meio da secretaria da Saúde e em parceria com o Ministério da Saúde, vacinou 591 meninas entre 11 e 13 anos contra o HPV até o dia 31 de março. A vacinação previne contra o câncer de colo de útero. A campanha, além de estar nas unidades de saúde, também seguiu para as escolas de Araquari. As vacinas fazem parte do Programa Nacional de Imunização do Ministério e atingiu todo o Brasil


4

GERAL

Sábado, 5 de abril de 2014.

Com recursos do IPTU liberados, prefeito Claudemir Matias planeja obras em Barra Velha Com a queda da liminar que impedia a prefeitura de Barra Velha de utilizar os cerca de R$4 milhões arrecadados com o IPTU deste ano, o prefeito Claudemir Matias já elencou quais serão as obras prioritárias a serem realizadas com este recurso. Segundo ele, a verba será destinada a obras de contenção de cheias no município. O prefeito pretende realizar reformas que atendam os bairros Jardim Icaraí e Los Angeles e as ruas Guatemala e Rio de Janeiro, focos recorrentes de enchentes. Além

dessas obras, com o dinheiro do IPTU a prefeitura programa ainda a pavimentação das ruas Carlos Maia, Rondônia e Soldado Matias Francisco, a reforma da praça do São Cristóvão, da Capela Mortuária e das academias ao ar livre, além da construção do calçadão da praia do Grant. “Será seguida aquela relação de obras que a gente mandou para a Câmara de Vereadores”, promete Matias. A prefeitura também deverá passar por algumas reformas básicas, como pinturas e reparos de goteiras. Segundo ele, as obras já esta-

vam em processo licitatório apesar do congelamento do dinheiro, o que adiantou o processo burocrático. Matias também falou sobre como será realizada a nova cobrança do IPTU, já que muitos contribuintes não pagaram porque os valores dos carnês estavam suspensos. “A prefeitura já enviou para a Câmara a Lei que retira a cobrança dos juros das parcelas vencidas, de fevereiro e março”, disse. O prefeito informou também que as pessoas que quiserem parcelar o pagamento do imposto devem solicitar

os boletos dos meses anteriores. O pagamento à vista poderá ser realizado até o dia 10

de maio, com o desconto de 10%.

“Não apresentou trabalho”, diz prefeito sobre coordenador da Defesa Civil

“Está tudo documentado”, rebate Elton

O prefeito Claudemir Matias também justificou a demissão do então coordenador da Defesa Civil, Elton da Cunha, que foi noticiada pelo Voz do Itapocu na última semana. Além do corte de gastos, Matias argumenta que estava insatisfeito com o trabalho de Elton. “Fica difícil manter um funcionário que é cobrado por diversas vezes e não apresenta trabalho. Hoje não existe nenhum projeto de combate às cheias executado por ele. Nós apresentamos várias opções de consultas, como a Amvali e a SDR, para que ele consultasse. Não apresentou nenhum projeto, não fez nada”, afirmou

Elton da Cunha, ex-coordenador da Defesa Civil de Barra Velha discorda das justificativas apresentadas pelo prefeito, e reforça que sua demissão só lhe foi informada oficialmente na sexta-feira, dia 28. Ele se defende das declarações do prefeito, alegando que desde 2011 existe um plano de contenção de risco, elaborado em parceria com a UFSC, que consta inclusive a assinatura de Matias. Afirma, ainda, que a instalação de núcleos comunitários da Defesa Civil e as estações meteorológicas foram implantadas por meio do seu trabalho junto à comunidade. “Está tudo documentado: o trabalho está lá”, afirmou. Sobre a mobilização popular

Matias. O prefeito ainda rebateu sobre a mobilização de pessoas pela permanência de Elton. “As pessoas que pedem para voltar não estão acompanhando o trabalho. Quem acompanha é o prefeito. Funcionário bom a gente promove, mas quando ele não cumpre com os objetivos, nós cortamos”, afirma Matias. Ele completa ainda que, caso as pessoas estivessem em seu lugar, teriam até o demitido antes. Sobre a alegação de que Elton não teria sido informado de sua demissão, o prefeito explica que o funcionário já sabia da situação. “Foram feitas várias

cobranças, vários pedidos. Ele pode até não admitir, mas nós pedíamos soluções e elas não vinham. As enchentes são um caso grave e isso não se adia. Ele já sabia da demissão”, afirmou o prefeito, que descarta a possibilidade de retorno de Elton à Defesa Civil. O prefeito informou que o próximo coordenador da Defesa Civil da cidade será o bombeiro militar Joel Márcio Erlo, que toma posse na segunda-feira, dia 7. O Voz do Itapocu tentou contato com Erlo, mas ele não se encontrava no quartel de Barra Velha na tarde de quinta-feira.

Mãe do vereador Pulga também está na lista de dispensas Outra demissão que repercute na cidade é a da mãe do vereador Claudenir Arbigaus, o Pulga, que entrou com a ação contra a prefeitura e conseguiu até suspender por algumas semanas a cobrança do IPTU. De acordo com Matias, a servidora Maria José Arbigaus Brenneise foi cortada por razões financeiras. “Nós priorizamos o corte dos funcionários que já tinham outros vencimentos”. Matias afirma que a decisão não tem nenhum viés político. “Prova disso é que ele tem uma irmã com cargo comissionado na Educação. A filha e a esposa também trabalham na prefeitura”, comenta. Mais cortes de funcionários serão feitos nos próximos meses. De acordo com Matias, o gasto com funcionários precisa ser reduzido. “Recebemos uma folha de pagamento do outro governo em 66%. Conseguimos reduzir para 56%, mas a meta é 54%”. O prefeito completa que denuncias em redes sociais podem virar caso de polícia. “Essas denúncias evasivas de pessoas que postam na internet, nós mandamos fazer boletim de ocorrência, vira caso de dano moral. As pessoas podem denunciar, mas precisam de provas e responsabilidade”, conclui.

pedindo sua volta ao cargo, ele afirma: “Sem falsa modéstia: não é por falta do trabalho. A própria população está chancelando meu trabalho. Gostaria que ele (o prefeito) tivesse a sensibilidade de perceber tudo isso. Resta só aceitar a situação e pronto. Como profissional é o que me resta”. No site da Defesa Civil de Barra Velha, consta uma nota de outubro de 2013, elaborada pela assessoria de imprensa da prefeitura, registrando a entrega de um mapeamento de áreas de riscos (foto abaixo). De acordo com release, este foi o primeiro estudo do gênero realizado no município, afirmando que todos os custos foram arcados pelo Governo Federal.


Sábado, 5 de abril de 2014.

Representantes de Barra Velha vão participar da Conferência Nacional da Defesa Civil Três representantes de Barra Velha vão integrar a delegação catarinense que vai participar da Conferência Nacional de Proteção e Defesa Civil, entre os dias 27 e 30 de maio, em Brasília. Como representantes da sociedade civil, Barra Velha terá Marcos Andreas Junghans e Sérgio Luis Kassner. Já Liziane Tamara Téo irá participar como membro da comunidade científica. Eles foram escolhidos entre um total de 50 delegados de Santa Catarina, definidos na Conferência Estadual da Defesa Civil, que ocorreu em Lages nos dias 26 e 27 de março. Ao todo, cerca de 500 pessoas participaram do encontro, que debateram o tema central: “Proteção e Defesa Civil: novos paradigmas para o Sistema Nacional”. De acordo com o secretário estadual da Defesa Civil, Milton Hobus, “a Conferência foi um marco para Santa Catarina, uma grande mobilização na organização da base da sociedade. O nosso Estado

Foto: Viagem Família

está em uma rota de fenômenos climáticos adversos, por isso, este encontro, o repasse e a troca de informações e investimentos do Governo do Estado contribuem muito no desenvolvimento do sistema de proteção dos cidadãos catarinenses”. Ao todo, 10 princípios e 30 diretrizes foram definidas para serem levadas para a etapa nacional da Conferência. “Todas contemplam os bons hábitos da prevenção, cumprimento de normas básicas de habitabilidade com respeito ao meio ambiente e também de processos de ação e reação em resposta a casos de desastres

e ocorrências sejam eles causados pela natureza ou pelo próprio ser humano”, definiu Junghans, através da página da Ong Viagem Família na internet. Marcos, que é diretor da Ong, explica também a finalidade das propostas. “As propostas intensamente debatidas e defendidas são baseadas na Lei 12.608/2012 e agora serão levadas a capital do país onde junto com delegados de todo o Brasil, serão montadas as propostas de leis complementares que serão encaminhadas ao Congresso Nacional e para a Presidência de República para aprovação final”, conclui.

GERAL

5

Encontros debatem obesidade nas unidades de saúde de Barra Velha

Um grupo para receber orientação e discutir sobre os problemas da obesidade. Foi com esse intuito que duas unidades básicas de saúde de Barra Velha iniciaram encontros semanais, buscando dar todo o suporte possível para os participantes que desejam mudar seus hábitos alimentares e ter uma vida mais saudável. O ESF Pedras Brancas foi o primeiro a iniciar o grupo. As reuniões acontecem todas as quartas-feiras, das 13h45 às 15h. O próximo a receber este trabalho será o ESF de São Cristóvão, todas as quintas-feiras, das 14h às 15h. Quem está a frente da organização e realização dos encontros é o NASF - Núcleo de Apoio à Saúde da Família, com uma equipe formada por nutricionista, fisioterapeuta e psicóloga. Elas atuam diretamente na preparação dos conteúdos levados aos participantes. Há também o suporte e apoio de um preparador físico. A participação no grupo de obesidade é pré-requisito para aqueles que pretendem fazer a cirurgia bariátrica pelo Sistema Único de Saúde. Porém, outras pessoas que apresentam sobrepeso ou queiram informações para ter uma alimentação correta e saudável também podem participar do grupo de obesidade.

Programa Saúde na Escola começa nesta segunda-feira em Balneário Piçarras Inicia nesta segunda-feira, dia 7, as atividades do programa Saúde na Escola, em Balneário Piçarras. Segundo o psicólogo Vinicius Luis de Lins, o programa é intersetorial, e a proposta é levar a prevenção até as escolas, pois os jovens não têm o hábito de frequentar Unidades de Saúde e realizar exames preventivos. O tema deste ano é “práticas corporais, atividades físicas e lazer”, focando a relação entre a saúde e a temática. Foram apresentadas algumas sugestões de atividades, mas os critérios ficam por conta de cada escola. As escolas e equipes, tanto da saúde quanto da educação, que melhor se organizarem e mobilizarem a comunidade ganharão uma premiação especial. Nesta semana serão priorizadas as avaliações antropométricas – peso, altura e cálculo do índice de massa corporal (IMC). Em algumas escolas do município já foram realizadas as avaliações no início deste mês para alunos da educação infantil. Foram entregues balanças digitais e estadiômetros, equipamento para medição da estatura, cujos aparelhos ficarão sob responsabilidade das escolas. Outras atividades devem ser desenvolvidas na semana da Saúde na Escola, como verificações vacinais, avaliações da saúde bucal e ocular, além da promoção da segurança alimentar, cultura de paz, direitos humanos, prevenção ao uso de álcool e drogas.

Bairro Itinga, em Araquari, vai receber nova tubulação Após três inundações no bairro Itinga, em Araquari, no mês de março, a prefeitura trabalha em obras para minimizar os danos de futuras cheias. Através de um recurso de R$200 mil do Governo do Estado, o Poder Executivo está investindo na troca de tubulações do bairro. Serão instalados na região três mil tubos de 60 centímetros. “Com isso pretendemos melhorar o sistema de drenagem em alguns pontos do bairro e evitar os alagamentos”, comenta o prefeito em exercício, Clenilton Carlos Pereira. A prefeitura também contratou os serviços de duas máquinas escavadeiras e uma retroescavadeira para agilizar os trabalhos que seguem na rua das Orquídeas.


Sábado, 5 de abril de 2014.

GERAL

6

Voz do Itapocu marca presença no aniversário de São João do Itaperiú A equipe do jornal Voz do Itapocu marcou presença no último sábado, dia 29, no aniversário de 22 anos de São João do Itaperiú, realizado no centro de exposições da cidade. Além de servir um delicioso carreteiro e bolo, o evento contou ainda com apresentações infantis, uma homenagem do acordeonista Orismar Hess, tocando o hino da cidade, baile dançante, exposição de carros antigos, competições de futebol e ciclismo e a entrega do título de capital catarinense da carne. O repórter Daniel Schiavoni registrou alguns destes momentos, que o leitor confere nas imagens ao lado.

Programação de aniversário de Araquari A programação em comemoração aos 138 anos de emancipação política de Araquari, comemorados neste sábado, dia 5, começou no dia 3, com o “Culto de Ação de Graças”, na igreja Assembleia de Deus, no Centro da cidade. No dia 4, a cidade comemorou a inauguração do novo “Espaço da Memória” e “Casa de Música”, na avenida Doutor Nereu Ramos. Durante o evento, o público pôde apreciar as diversas peças do espaço, assim como apresentações mu-

sicais feitas pelos professores de música e apresentações de dança em alusão ao “Dia da Água” que aconteceu 22 de março. Outra novidade foi a exposição da artista plástica joinvilense Ariane Krelling, que apresenta oito telas com a técnica “art naif”, que é caracterizada pela simplicidade. Neste sábado, a Solenidade Cívica inicia a comemoração de aniversário da cidade, às 8h, seguida do “Desfile Cívico” com participação das escolas, grupos

da terceira idade, Centros de Educação Infantil e outros grupos formados por representantes da comunidade. A abertura do desfile também ficará por conta da fanfarra da Casa da Cultura. Já no período da tarde, quem gosta de esportes e se exercitar, poderá participar de um passeio ciclístico com concentração em frente ao calçadão, às 16h. Às 18h, acontece o encontro das escolinhas de futsal sub-9, no ginásio municipal. Às 19h30 será celebrada a “Missa de Ação

de Graças”, na Igreja Matriz de Araquari. Também no sábado, às 20h, acontece o jogo de Futsal Adulto da 1ª Divisão, no ginásio municipal, entre os times de Araquari e Videira. Quem gosta de futebol também poderá acompanhar o jogo entre Araquari e Escolinha dos Santos, na categoria sub-17, que acontece amanhã, às 9h, no estádio Marcos Tomazzelli.


GERAL

Sábado, 5 de abril de 2014.

Programa Juro Zero é lançado na Ampe, em Araquari Os microempreendedores individuais (MEI) de Araquari e Balneário Barra do Sul ganharam uma nova opção de crédito para financiar seus negócios. O programa Juro Zero, do Governo do Estado, foi lançado nesta semana na sede da Associação das Micro e Pequenas Empresas de Araquari e Balneário Barra do Sul (Ampe), e oferece empréstimos sem juros aliado à orientação empresarial. O projeto é uma parceria entre o Sebrae e o Banco do Empreendedor. O papel do Sebrae no acordo será o de promover apoio técnico aos empreendedores individuais que tomarem os empréstimos. O Sebrae deve trazer orientações e possíveis consultorias para que o empresário tenha mais conhecimentos para melhor desenvolver seu negócio. De acordo com os dados de outubro do Governo Estadual, o Juro Zero já concedeu 19.152

Foto: Prefeitura de Araquari

CLASSIFICADOS ENVIE SUAS OFERTAS PARA CLASSIFICADOS@VOZDOITAPOCU.COM.BR OU LIGUE 3456 1194 IMÓVEIS

empréstimos, que correspondem a cerca de R$ 53.843 mil. Em Araquari, o programa vai destinar R$ 1 milhão para microcrédito, que deverá beneficiar cerca de 500 empresários de micro e pequenas empresas da região da Ampe. O MEI, com receita até R$ 60 mil, poderá solicitar empréstimos de até R$ 3 mil em uma das 18 instituições habilitadas no Estado. O valor pode ser parcelado em oito vezes e, caso o sétimo pagamento seja feito em dia, a última (oitava) parcela será isenta. “Araquari tem vocação para o

crescimento, por isso devemos valorizar os protagonistas dessa história, o microempreendedor. Com o Juro Zero à disposição, terão uma ferramenta a mais para expandir os seus negócios”, afirma o prefeito em exercício de Araquari, Clenilton Carlos Pereira No evento também foi apresentado o local onde funcionará a o Escritório Regional da Junta Comercial de Santa Catarina, em Araquari, na sede da própria Ampe. O objetivo é dar celeridade no processo de regularização de empresas no município.

Quinta dos Açorianos Vende-se casa com dois pavimentos, em fase de acabamento, com dois quartos, banheiro, uma suíte master e demais dependências amplas. Em terreno de 566,67m². Rua do Porto a 100 metros da ponte Pênsil. Preço bem baixo do padrão. Ligue (47) 8436 6962 / 8826 5256 / 8474 1040. Quinta dos Açorianos Vende-se um lote de 17,00 X 25,50m na Rua D. João Sexto. Com preço muito bom. Tratar pelos telefones (47) 8436 6962 / 8826 5256 / 8474 1040. Oportunidade

Casas em Itajuba. Área total 150m², área construída 69m²: sendo dois quartos, sala e cozinha conjugados. Financia CEF. Mais informações pelos telefones: (047) 9710 8586 / 8860 8338 / 8440 2759 / 9260 7315.

Licitação para pavimentação de cinco ruas em Balneário Piçarras

A prefeitura de Balneário Piçarras em março o edital de licitação para a pavimentação de cinco ruas no bairro Nossa Senhora da Paz. As cinco vias que receberão a pavimentação com paver, galerias pluviais, meio fio e calçadas. Serão investidos, no total, R$ 1.037.875,76, obtidos através de recursos financiados pela Caixa Econômica Federal, através do programa Pró-Transporte. O processo licitatório para tomada de preços será na modalidade menor preço global. A abertura dos envelopes será no dia 11.

As vias que receberão as obras são a rua Miguel Pinto, com 200 metros; a rua Manoel Tolentino dos Santos, com 160 metros; a rua Possidônia Ana Duarte, com 74,37 metros; a rua Antônio Manoel Santana, com 118,20 metros; e a rua Maria Pinto Santana, com 441,35 metros. De acordo com o edital, o calçamento deve ser feito em paver intertravado e as calçadas terão sinalização tátil, rampas de acesso para cadeirantes, além de sinalização vertical com placas e horizontal com faixas.

Fumtec debate regularização de estruturas náuticas em Florianópolis O presidente da Fundação de Turismo, Esporte e Cultura de Barra Velha (Fumtec), Thiago Pinheiro, e as assessoras Fernanda Caroline Becker e Juralice Borges Rodrigues estiveram na última semana de março na Assembleia Legislativa (Alesc), para debater a regularização de estruturas náuticas, como trapiches, marinas e decks dentro da água. A audiência pública foi realizada a convite do presidente em exercício da Assembleia Legislativa, deputado Joares Ponticelli, e da presidente da Comissão de Turismo e Meio Ambiente, por propo-

sição do deputado Edison Andrino. No encontro, que contou com vários órgãos envolvidos no debate, foram sugeridas modificações na portaria que regulamenta as estruturas e uma comissão será formada para estudar as propostas. Aproveitando a viagem, a comitiva de Barra Velha realizou uma visita ao Secretário de Estado de Turismo, Esporte e Cultura, Valdir Walendowsky, solicitando apoio estadual na realização de projetos, como a disponibilização de técnicos para futuras parcerias.

7

Barra Velha Vendo Fusca 1300L Ano 1975, bege. 60 mil Km, original. Segundo dono. Telefone para contato: 3456 1194 FK Auto Center - Revisões periódicas - Balanceamento e geometria - Baterias - Suspensão -Troca de óleo - Correia dentada Freios - Insulfilm e acessórios Rua: Deográcio de Oliveira, nº123 bairro São João -

VEÍCULOS EMPREGOS

Itajaí -Telefone: 3083-4818 Sistema Nacional de Empregos (SINE) Cidade: Barra Velha Telefone: (47) 3456-3884 E-mail: sine@barravelha.sc.gov.br Vagas disponíveis Cozinheira Aux. de limpeza Promotor(a) de vendas Aux. de padeiro Atendente de padaria Os interessados deverão comparecer no SINE com os documentos (CPF e RG) e a carteira de trabalho. Para a vaga de operador de caixa é necessário ter o ensino médio completo, as demais vagas o ensino fundamental completo. Grupo Labor Humano Telefone: 3433 3362 ASSISTENTE DE VENDAS Com experiência em vendas por telefone. ATENDENTE Para trabalhar em restaurante. BALCONISTA Não requer experiência. CONSULTOR DE VENDAS Experiência na área de segurança. CONSULTOR DE VENDAS Com experiência em câmera de monitoramento. REPRESENTANTE COMERCIAL Experiência em vendas com produtos para materiais de construção. VENDEDOR Com experiência. AGENTE DE PREVENÇÃO Com experiência. AJUDANTE DE DEPÓSITO Experiência na função, descarregar, lacrar e separar mercadorias. AMARRADOR DE VEÍCULOS Necessária habilitação B. Trabalhará terceirizado na BMW. ATENDENTE DE AÇOUGUE Com experiência. AUXILIAR DE DEPÓSITO Com experiência.


8

Sábado, 5 de abril de 2014.

OS D

LAD

“Se as pessoas entendessem o que nós, comunistas, queríamos, não teriam aceitado a ditadura: infelizmente, fizeram o povo acreditar que comunista é aquele que ‘come as criancinhas’. Conseguiram fazer o povo pensar que éramos monstros! Eles não entendiam que, se houvesse justiça, nós poderíamos vivem em paz com que produzíamos”

DA DIT

Jadir Negreiros: do pódio da Marinha aos porões da ditadura Da insatisfação com a falta de liberdade e repressão, alguns militantes decidiram pegar em armas para lutar contra o regime. Pessoas, como o senhor Jadir Corrêa Negreiros, escolheram o caminho da clandestinidade para libertar presos políticos, exigir o fim da ditadura e, em seu próprio caso, sobreviver à perseguição que sofria. Um senhor de altura mediana, de olhos pequenos e sorriso largo. Tem leve tremor nas mãos, acessos de tosse e dificuldades respiratórias, herança das torturas sofridas. Em seu peito, cicatrizes de balas. Em sua alma, marcas de um período negro. Sua história na militância esquerdista remonta o tempo de seu avô. “O meu avô, Henrique Corrêa de Negreiros fez parte da Coluna Prestes (movimento político-militar, de inclinação esquerdista, que marchou pelo Brasil durante 1922 e 1927). Ele era comunista. Meu pai também se tornou um legítimo comunista: montou uma cooperativa, só para gente pobre, em Itajaí. Eu herdei isso dele”. Apesar da identificação ideológica com marxismo, seu Jadir era jovem e sonhava integrar a Marinha. “Eu amava as Forças Armadas. A Marinha era o que eu queria para: eu achava muito bonita a farda. Viajei pela América do Sul, fomos até a África, em uma missão de paz... Cheguei até a participar de algumas competições de natação pela corporação”, disse seu Jadir, como quem fala de um bom amigo que um dia o traíra. Mas, ao chegar ao Brasil, em 1964, seu Jadir foi avisado por um amigo de seu pai de que corria perigo: estava sendo procurado pelo regime por sua posição

ideológica. “’O que eu vim dizer pra ti é o seguinte: seu pai disse para você sair fora! Sai fora que vai acabar sobrando para ti! Eles querem saber onde está teu pai e você está sendo taxado de comunista’. Aí, eu passei mais um tempo lá e fugi”, relembra. Ao abandonar o navio, Jadir foi diretamente para Curitiba, rever a mãe (na época, seu pai viva escondido em Santos, distante da família por questões de segurança). Por um golpe de sorte, acabou escapando dos agentes da CENIMAR, o Centro de Informações da Marinha. “Eu tava jogando futebol, num campinho do lado da casa da minha mãe, quando vi aquele carro preto, com aqueles caras de terno preto, parados em frente de casa. Aí vieram me avisar: ‘a polícia da Marinha está atrás de você!’”. Depois de uma vaquinha feita por seus amigos, Jadir fugiu para a Argentina com um passaporte falso, doado por um frei dominicano. Morou em La Boca, um distrito de Buenos Aires que, na época, abrigava as casas de prostituição da cidade. “Lá eu encontrei um amigo meu, também fugitivo. Moramos juntos. Eu lavava pratos para sobreviver. Fiquei ali até em 68. De lá fui para o Rio de Janeiro”, explicou. Mas por que entrara na luta armada contra o regime? Ele conta que encontrou antigos militares, insatisfeitos com a ditadura, que estavam organizando milícias e resistências para combater o regime. “Eram muitos os que não concordavam com o horror do que acontecia”, afirma. Durante sua militância, seu Jadir conta ter atuado junto a conhecidas figuras da resistência, como Carlos Lamarca, Fernando Gabeira e Jamil Rodrigues,

nos movimentos VPR (Vanguarda Popular Revolucionária) MR-8 (Movimento Revolucionário 8 de outubro) e ALN (Aliança de Libertação Nacional). “Me envolvi em diversos conflitos armados: fui baleado oito vezes durante as ações”. Seu Jadir atuou em ações famosas, como o sequestro do embaixador americano, do cônsul japonês e do assalto à casa da amante de Adhemar de Barros. “Essas ações serviam para manter a luta armada: precisávamos manter alguns lugares de treinamento, carros e armas à disposição”, justifica. Seu Jadir conta como foi preso. “Fui baleado num tiroteio com o chamado ‘esquadrão da morte’, no Rio. Mas eles me queriam vivo: me levaram até o hospital Souza Aguiar, para que fosse tratado. Cheguei a escapar, mas como estava muito mal por causa da bala, precisei voltar ao hospital. Lá, fui capturado”, explica. E aí começou seu tormento: seu Jadir foi torturado com choques e espancamentos, teve suas unhas arrancadas e perdeu a audição de um dos ouvidos com um golpe. “Ele (o ouvido) estourou de uma vez! Apesar de estar amarrado, ainda consegui livrar o direito. Mas esse aqui não deu: o sangue foi longe. Aí, o torturador mandou o outro parar. Jogaram um balde de água fria em cima de mim. O sangue estancou por ele próprio. Aí me botaram no “pau-de-arara” (instrumento de tortura)”, descreve. “O que mais irritava meus torturadores é que eu não dizia ‘ai’: eu perguntava ‘queria que teu filho tivesse aqui no meu lugar?’ e eles me batiam com mais raiva”, contou. Ele conta que perdeu muitos amigos, viu pessoas que nunca pegaram em ar-

O golpe civil-militar completou 50 anos foi comandado pelas forças armadas e financeiro dos Estados Unidos. O pensam mentou a classe média, grande parte da a tomada de poder por parte dos militare Até hoje, as opiniões sobre o período se dos direitos humanos e a suspensão dos defende que a ditadura salvou o país de Para tentar compreender melhor os doi com duas pessoas que hoje moram Bar período: Jadir Corrêa Negreiros, que foi serviu como soldado da antiga Polícia do mas serem torturadas até a morte. “O frei Tito, coitado, foi torturado até não agüentar mais. Era um bom homem e morreu enlouquecido por causa da tortura. Vi também a movimentação dos estudantes. Eles fizeram muita coisa boa! Mas apanhavam, como apanhavam”, narrou com evidente comoção. O que mais aliviou seu Jadir foi o fato de seu pai nunca ter sido preso pela ditadura. “Horas antes do DOI-CODI chegar pra pegar meu pai, o coração dele parou. Se fosse preso, ele morria na tortura. Graças a Deus, morreu antes”, disse aliviado. Perguntado se ele se arrependia de algo, ele é categórico. “Não foi em vão e não em arrependo. Fiz tudo isso e minha consciência não me acusa de nada. Sinto pelos meus companheiros perdidos, que as mães e pais não tem nem como enterrar, rezar no dia das almas... E, hoje, não está dando nada para eles (os militares envolvidos nas torturas)! Eles não estão sendo punidos, não tão indo para a prisão, nada!”. Hoje, ele leva uma vida modesta em Barra Velha. Seu Jadir recebe uma aposentadoria por invalidez e luta na justiça por uma indenização. “Por muito tempo andei armado, desconfiava de todo mundo. A gente fica assim depois da tortura. Eu tinha muito ódio. Me encontrei no espiritismo e comecei a tirar aquele ranço, que tava me atormentando a alma. Esse meu passado foi um grande aprendizado. Doloroso, frustrante... mas a gente sempre espera que o dia de amanhã seja melhor do que hoje! Não só para mim, mas para ti, para tua família, para todos”, encerra.


ESPECIAL

DOIS

DOS

TADURA

na última terça-feira, 1º de abril. Durante 21 anos, o país e por parte da classe empresarial, recebendo forte apoio mento da existência de um suposto golpe comunista movia imprensa nacional e do clero, que, literalmente, pediram es. dividem: parte da população condena as graves violações s direitos individuais e coletivos. Outra parcela, no entanto, e algo pior. is lados desse período, o jornal Voz do Itapocu conversou rra Velha e participaram ativamente da vida política nesse i militante político e guerrilheiro, e Reinaldo Kozoski, que o Exército e cabo do CIE (Centro de Inteligência do Exército). Muitos jovens entravam para o exército, na época, sem uma perspectiva exata do que era o serviço militar: encontravam, na caserna, a chance de praticar esportes, de ficarem mais disciplinados e de ganharem o status de agente do Estado. O senhor Reinaldo Kozoski foi um dos brasileiros que, encantado com essas possibilidades, acabou tendo uma oportunidade rara: além de conviver de perto com figuras como Figueiredo e Geisel, conheceu em detalhes a luta contra as guerrilhas e vivenciou momentos marcantes na história do Brasil. O “Cabo Kozoski”, como até hoje é conhecido por colegas de farda, é um senhor alto, de porte atlético. As feições europeias e o sobrenome entregam a ascendência polonesa. Um recente acidente de carro o obrigam a utilizar um andador enquanto não está completamente recuperado mas, mesmo com o apoio do aparelho, sua força física é evidente. Por conta dessa força física, acabou entrando para o exército. “Eu gostava mesmo era de atletismo. Meu pai, quando serviu, ganhou a ‘Corrida do Soldado’. No início, eu só tinha essa perspectiva”, disse Reinaldo. “Ganhei a ‘Corrida do Soldado’ pela PE (Polícia do Exército)! Tem uma fotografia minha lá no quartel, com toda a equipe”, conta com orgulho. Seu bom desempenho nas funções de soldado, somado às suas conquistas no atletismo, abriram portas para ele dentro do Exército. “Um dia, o meu comandante da Companhia me disse: ‘Reinaldo, vai e se apresenta para o major da 2ª Seção (seção responsável pela informação)’. Então eu fui e me apresentei. Eu pensei que me mandariam fazer alguma coisa simples. Mas não era isso”, narra. Ele conta que, nesse momento, foi levado ao Ministério do Exército, com mais seis soldados de outros quartéis. “Eu achei

9

“Nós tentamos ajudar! Olha, no período militar você não tinha cerca em casa. Não tinha esses absurdos! O salário era o suficiente. Então, qual o bônus que o governo militar deu? Naquela época, bandido era preso e o povo era livre”.

Reinaldo Kozoski: do atletismo aos bastidores do regime

que seria para fazer serviço burocrático”, explica. Mas, depois de alguns dias, foi chamado para uma reunião com seus superiores. “Ele chegou pra mim e falou ‘Alemão, o negócio é o seguinte: sabemos tudo da sua vida. Sabemos que você frequenta a igreja Mórmon aqui, sai do quartel tal hora, seu pai trabalha nesse lugar... Resumindo: sabemos tudo sobre você’”, relembra. O Cabo ficou surpreso. “Eles falaram a vida de cada um dos soldados que estavam ali comigo. E continuou: ‘vocês foram escolhidos a dedo para trabalhar aqui, sem vocês saberem. Tem mais uma coisa: chamei vocês aqui nessa sala para vocês tomarem uma decisão agora. Vocês têm a liberdade de escolher. Ou sai ou fica. Se ficarem, vão trabalhar aqui e, se for ordenado para que vocês matem o próprio pai, vão ter que cumprir’. Podem escolher: se saírem, vão continuar suas vidas como soldado, normal. Mas, se ficarem, nunca mais vão sair disso’”, disse Reinaldo. Nesse momento, a vida do ‘Cabo Kozoski’ mudou. Escolheu atuar na função que lhe foi proposta: o CIE (Centro de Informações do Exército). “Nosso trabalho era levantar informações e entregar direto para o Presidente. Fui várias vezes entregar relatórios para o Figueiredo quando ele era chefe da SNI”. Ele conta que, na necessidade de entregar informações urgentes e ultrassecretas para o general Figueiredo, precisou se vestir de faxineiro. “A gente só podia entrar no gabinete dele de terno e, como eu trabalhava à paisana, não tinha dado tempo de me vestir daquele jeito. A solução foi pegar a roupa de faxineiro, pedir para um outro comandante, que me conhecia, para conseguir entrar no gabinete e entregar o arquivo na mão do Figueiredo. Lembro até hoje dele (Figueiredo)

me olhando desconfiado”, riu. Seu trabalho na CIE envolvia uma rede de informações de todo o Brasil, que coletava dados estratégicos e reportava à central. “Passou pela minha mão muita informação importante do que acontecia. Eu redigia o boletim, então precisava saber de tudo que acontecia, entendeu?” O CIE era também o principal órgão de censura do regime. Sobre a prisão e a tortura, Reinaldo deixa seus pontos de vista. “Meu amigo, o conceito de tortura é relativo. O que acontece hoje nas delegacias? Nunca fui chegar para um adversário, na guerra fria - porque aquilo era guerra! - chamando de ‘meu amigo’. O cara te mata antes que você abra a boca! Você tinha que impor medo, respeito! Presenciei cenas, não era minha função, em que a situação era essa”, relatou. Para ele, o capuz preto, que cobria a visão dos prisioneiros, marco da repressão, era indispensável. “Cheguei a falar isso num quartel, para militares: o capuz foi a melhor coisa que inventaram. O cara é bandido, subversivo, terrorista... Ele olha tua cara, vai matar tua família. Você precisa entrevistar o cara, arrancar alguma coisa dele! Você vai chegar e oferecer ‘ô meu amigo, vou te dar um refrigerante, você me conta tudo?’. Claro que num conta! O capuz era para a sobrevivência do prisioneiro!”, argumenta. “Ele tinha escolha: a gente propunha ‘ó, meu amigo, você pode ficar sem o capuz, mas aí eu vou ter que te matar’. Se não botasse o capuz na cabeça dele, ele iria se vingar do soldado! Nunca fiz isso, mas, por trabalhar no comando, eu sabia como funcionava a coisa”, desabafou. Segundo o Cabo, a violência era um revide aos militantes. “Você é o sargento que pegou o cara, viu a desgraça que o cara fez. Você vai usar os direitos humanos,

‘não, que não pode fazer, não pode pôr a mão nele’? Você dá-lhe uma bolacha na cara, rapaz! E as vítimas desse cara?”, desabafou. Para Reinaldo, ninguém foi pego ‘por engano’ durante o período. “Não dava nem tempo de errar! Tinha tanta gente pra pegar e nós éramos tão poucos. O problema não era o soldado fardado, entrando na mata. Era o soldado à paisana, que corria os riscos”, afirmou. Ele também revela que inteligências internacionais colaboravam para a captura de ‘subversivos’ através do compartilhamento de informações. “Nós já sabíamos dos nomes falsos que eles usavam. Se o cara ia para a França, por exemplo, a inteligência de lá já passava para a gente por onde esse cara andava, se tava de bigode, de barba... Quando voltava pra cá, a gente já sabia como pegar”. Perguntado sobre quais foram os ônus e os bônus do período militar, Reinaldo é direto: “militar não tem que governar. Nós seguramos como militares, do jeito que sabíamos. ‘Ordem! Disciplina!’. A gente assumiu porque o povo pediu ajuda. Estava uma bagunça, nós fomos salvar as instituições que estavam ameaçadas”. Sobre a Comissão da Verdade, que está em trâmite em Brasília, para apurar envolvidos com a ditadura, ele dispara: “Estão dando liberdade para os terroristas, os subversivos e tentando incriminar os bons”. Depois de quatro anos de serviço militar, seu Reinaldo pediu baixa do exército, vendeu seus bens e atuou como missionário da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, no Rio Grande do Sul. Hoje, ele trabalha com a esterilização de centrais de material hospitalar.


Sábado, 5 de abril de 2014.

Fórum Parlamentar Catarinense reúne representantes da região em debate com a ANTT Foi realizado no último dia 28, em Joinville, o Fórum Parlamentar Catarinense, que reuniu 16 deputados federais e três senadores de Santa Catarina com representantes políticos e empresariais da região Norte do Estado, totalizando cerca de 300 participantes. O evento contou com a presença do diretor da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Jorge Bastos, que recebeu demandas das lideranças do Fórum. O deputado federal Marco Tebaldi foi o coordenador do Fórum, que tratou como demandas prioritárias a melhoria na infraestrutura de mobilidade urbana e a escassez do gás natural. Tebaldi cobrou de Bastos o estudo de viabilidade para a terceira pista no trecho Norte da BR-101. “Na vinda de Florianópolis para Joinville, pude ver que a rodovia já está no seu limite. Precisamos urgente planejar uma alternativa. Podem ter certeza que este Fórum tem nos alertado e saímos daqui com este compromisso”, garantiu o diretor da

ANTT. A agilidade na duplicação da BR-280, no trecho entre a BR101 e São Francisco do Sul, foi outro ponto bastante debatido. Para as lideranças da região, a obra é fundamental para o desenvolvimento econômico do Norte de Santa Catarina, por ligar diretamente ao porto. Além disso, a escassez do gás natural foi destacada como outro grande problema. “Teremos que importar gás da Europa. Ele vem liquido em navios e aqui, em contato com o oxigênio, vira gás. Teremos de ter estrutura em nossos portos para receber este gás e distribuí-lo”, alertou o coordenador do Fórum sobre a demanda apresentada por empresários. Outro tema abordado foi o contorno ferroviário de Joinville. “Hoje, o contorno não é um assunto apenas de Joinville, mas de toda a região. Envolve Joinville, Araquari, São Francisco do Sul e Balneário Barra do Sul”, destacou Tebaldi. Segundo ele, a obra está paralisada desde 2012 e o

deputado já recebeu diversas previsões para a retomada. Associações pedem apoio A infraestrutura não foi a única pauta da reunião. Os representantes da região aproveitaram para solicitar aos deputados federais e senadores apoio político em outras demandas da região. O presidente da Amvali, prefeito de Guaramirim Lauro Frohlich, chamou a atenção para a importação de banana do Equador, que vai prejudicar os produtos brasileiros. “Nosso país é autossuficiente. Por conta de um desequilíbrio na balança comercial com aquele país, querem nos penalizar. Precisamos que nossos representantes nos defendam”, afirmou Frohlich. Já o presidente da Amunesc, prefeito de São Francisco do Sul, Luiz Zera, falou sobre a criação da região metropolitana. “Precisamos retomar a discussão da criação da região metropolitana, porque muitas questões terão de ser debatidas em conjunto”, argumentou o prefeito de São Francisco do Sul.

Gilberto Azevedo assume interinamente o cargo de prefeito de São João do Itaperiú O vice-prefeito de São João do Itaperiú, Gilberto Azevedo, assumiu interinamente na segunda-feira, dia 31, o cargo de prefeito do município. Pelos próximos 30 dias, Gilberto irá substituir Rovâni Delmonego, que ficará de férias até o dia 30 de abril. A solenidade que marcou a transmissão de cargo foi realizada no gabinete do prefeito com a presença de secretários, servidores públicos, familiares e do deputado Silvio Dreveck. De acordo com Gilberto, este mandato está sendo realizado em parceria entre ele e Rôvani, e por este motivo não será necessário uma grande obra ou um grande projeto para destacar o seu trabalho a frente do Poder Executivo. “Estou presente diariamente nas decisões, durante o período em que estiver à frente da prefeitura vou dar sequência ao trabalho. O que ficará em evidencia é o meu jeito de geren-

ciar”, destacou. Entre as atividades que ficarão a carga de Azevedo, neste inicio de mês estão: a licitação da construção do Posto de Saúde Central, uma reunião com o secretário de Segurança do Estado, que terá como objetivo trazer um subquartel ao município, dar continuidade as obras da quadra do Porto do Itaperiú e da nova escola e creche de São João do Itaperiú. “Vou aproveitar a condição de prefeito para visitar empresas

que queiram se instalar no município, além de atender a população, porque só temos êxito se tivermos parceria com os munícipes”. Na cerimônia da entrega do cargo, o prefeito Rovâni destacou a parceria e o trabalho que vem desenvolvendo com Gilberto, desde o inicio do mandato. “Estamos trabalhando em equipe desde o inicio, procurando sempre tomar as melhores decisões para o município”.

POLÍTICA

10

Políticos região Norte apoiam candidatura própria do PMDB ao Governo do Estado Foto: Rodrigo Souza

O segundo encontro da ala que apoia a candidatura própria do PMDB ao Governo do Estado neste ano aconteceu em Araquari, na noite de sexta-feira, dia 28. Segundo a assessoria do deputado estadual Carlos Chiodini, o encontrou reuniu cerca de 1200 pessoas que apoiam a candidatura própria. Além de Chiodini e do deputado federal Mauro Mariani, o evento teve a presença do prefeito de Balneário Camboriú, Edson Renato Dias, o Piriquito, o ex-prefeito da capital, Dário Berger, além de dezenas de vereadores e prefeitos da região Norte, que foram para Araquari levar apoio a candidatura de governador da sigla. Paulo Afonso Vieira, presidente de honra do partido, mostrou ao público o manifesto assinados por 44, dos 45 vereadores peemedebistas da região, apoiando a candidatura própria do PMDB ao Governo do Estado. “É inconcebível nós temos que lutar para se candidatar ao Governo do Estado. Uma possibilidade que nunca passou pela minha cabeça e que tenho certeza não se repetirá. Vamos mostrar nossa força, ganhar a pré-convenção e fazer com que o PMDB reassuma o comando de Santa Catarina”, afirmou o ex-governador. “O PMDB é sinônimo de força e coragem, e é assim que nós vamos escrever nossa história, mesmo com tantas dificuldades. Esta será mais uma batalha vencida por este partido que tenho orgulho de fazer parte”, afirmou Mauro Mariani.

Prefeito de Araquari foi a Brasília em busca de recursos para pavimentação O prefeito em exercício de Araquari, Clenilton Carlos Pereira, esteve no Ministério do Turismo, em Brasília, com o secretário de planejamento Josué Vieira e o presidente da Câmara de Vereadores de Araquari, Márcio Correa. O objetivo da viagem foi buscar recursos para a pavimentação da Estrada Geral da Corveta e Porto Grande. Segundo ele, a pavimentação da estrada melhoraria também, o trânsito na BR-280, visto que a Estrada Geral da Corveta e Porto Grande liga uma federal à outra. São previstos mais de cinco quilômetros de pavimentação e o investimento de aproximadamente R$10 milhões. “Nós estamos trabalhando agora para licitar o projeto e assim entregá-lo ao Ministério do Turismo para a avaliação”.

Deputado estadual Nilson Gonçalves visita Barra Velha e São João do Itaperiú O deputado estadual Nilson Gonçalves (PSDB) cumpriu agenda em Barra Velha e São João do Itaperiú no final de março. Em São João do Itaperiú ele foi recebido pelo prefeito Rovâni Delmonego e outros representantes do governo, onde recebeu um ofício solicitando recursos no valor de R$100 mil para investimentos no município. O deputado se comprometeu em buscar tais recursos, reforçando que a cidade tem se destacado nos processos burocráticos junto a SDR de Joinville. Já em Barra Velha, Gonçalves esteve no gabinete do prefeito Claudemir Matias. O chefe do Executivo solicitou ao deputado o repasse de mais um veículo para auxiliar no transporte de pacientes para tratamento fora de domicilio (TFD). O parlamentar já havia auxiliado no repasse de dois veículos tipo caminhonete que auxiliarão os trabalhos da secretaria de Obras e secretaria de Agricultura.


Sábado, 5 de abril de 2014.

SEGURANÇA PÚBLICA 11

Seminário discute prevenção e combate ao uso de drogas na infância e adolescência em Balneário Piçarras O Conselho Tutelar de Balneário Piçarras, em conjunto com o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente – COMDICAPI, promoveram na noite do dia 27 de março, o primeiro seminário sobre a prevenção e combate às drogas na infância e adolescência, na Câmara de Vereadores do município. O evento contou com a explanação do coordenador do Sítio Caminho Novo, Gilberto José Cardozo, além do comandante do 25º Batalhão de Polícia Militar, Tenente Coronel Marco Antonio Otavio. O seminário teve a presença dos conselheiros tutelares, do COMDICAPI, vereadores, membros do Conselho Comunitário de Segurança (Conseg), educadores, representantes da sociedade civil e o grupo Desbravadores, novo parceiro

das ações do COMDICAPI. Segundo Roseli de Fátima Carvalho Krahl, presidente do Conselho Tutelar, em um levantamento de dados feito junto às polícias civil e militar, chegou-se a um índice de quase 40% de adolescentes do município envolvidos com algum tipo de droga, seja ela lícita ou não. A partir desses dados, surgiu a proposta do seminário, de forma a conhecer e discutir possíveis formas de combater a ameaça das drogas sobre a juventude. Gilberto Cardozo, ex dependente químico e hoje envolvido em projetos de prevenção e resgate, contou a sua experiência quase fatal com drogas, em especial o álcool. “O álcool é uma grande porta de entrada para outras drogas”, alertou Gilberto. O tenente Carlos Alberto Ma-

fra, que comanda o 3º Pelotão de Balneário Piçarras, fez referência ao efetivo policial da cidade, atualmente com 26 policiais, as novas viaturas e o trabalho realizado pelo Conseg, com as palestras nas escolas objetivando aproximar a PM da comunidade. O Tenente Mafra ainda falou sobre o Proerd, Programa Educacional de Resistência às Drogas e a Violência, que voltou a ser ministrado em Balneário Piçarras no segundo semestre do ano passado, após dois anos sem atividades. O comandante do 25º BPM, Tenente Coronel Marco Antonio Otavio, lembrou que é preciso buscar os recursos para o Fundo da Infância e Adolescência (FIA), através de campanhas de conscientização às empresas e pessoas físicas. Segundo ele, é possível

Polícia Civil investiga atropelamento que matou motociclista em Araquari A polícia civil de Araquari investiga as circunstâncias do acidente que acabou com a morte do motociclista Silvano Tonholi, de 33 anos, na madrugada do último sábado, na rodovia SC-A 280, que dá acesso a BR-280, em Araquari. O motociclista foi atingido por uma caminhonete Ford Ranger, que passou duas vezes por cima da vítima, antes de seguir para Joinville. O motorista do veículo, que não prestou socorro, depôs na delegacia nesta semana, ele alegou

que dormiu ao volante e que não percebeu o acidente. Por enquanto, o motorista da caminhonete, que retornava de uma pescaria em Balneário Piçarras, segue em liberdade. Segundo a polícia, ele pode ser indiciado por dolo eventual, quando não há a intenção de matar, ou por homicídio doloso, quando há a intenção ou o autor assume o risco de matar alguém. Outras testemunhas foram ouvidas durante esta semana. Uma das questões que a polí-

cia investiga é se o motorista estava alcoolizado, o que agravaria a sua situação. Segundo pessoas que presenciaram o acidente, o veículo saiu da pista e atingiu a moto no acostamento por volta das 4h30 de sábado. Na sequência, a caminhonete deu a ré, atingindo novamente a vítima, para retornar a pista e ir embora. Na batida, a placa do veículo ficou na rodovia, facilitando a investigação. O carro foi encontrado dias depois, abandonado na zona Sul de Joinville.

Dupla é presa em banco de Barra Velha Dois homens foram presos nesta semana tentando roubar um caixa eletrônico do banco Bradesco, no Centro de Barra Velha. Eles estavam por volta das 7h30 de quarta-feira tentando retirar envelopes com dinheiro de dentro da máquina, com um fio de naylon e fitas dupla face. Populares perceberam a ação e acionaram a polícia, que efetuou a prisão dos dois homens, um de 19 e outro de 30 anos. Eles não portavam armas e não resistiram a prisão. Os dois foram levados para a delegacia de polícia civil, onde foi feito o flagrante.

Foto: Prefeitura de Balneário Piçarras

destinar parte do Imposto de Renda para o fundo. Pessoas físicas podem destinar até 6% do imposto devido ao FIA e empresas até 1% do IRPJ, sem acréscimos nos tributos. Miriam Brito Bezerra, presidente do COMDICAPI, afirmou que outros seminários deverão ser realizados, para que a sociedade apresente su-

gestões, discuta os índices e busque soluções conjuntas. “Todo ser humano tem direito de ser resgatado. Chamamos para que cada um traga o que pode fazer para mudar essa realidade”. Ela também afirmou que será feita uma reunião com empresários da cidade para tratar do FIA.

Quartel dos Bombeiros Militares de Balneário Piçarras muda de endereço O Corpo de Bombeiros Militar de Balneário Piçarras está atendendo desde a última semana em novo endereço. O quartel localizado em uma casa alugada, na Avenida Nereu Ramos, foi substituída por um imóvel na rua Ludgero Caetano Vieira, nº17. De acordo com o Sargento Sidnei Rogério Rudolf, a mudança para o novo endereço, que fica próximo a ponte entre Balneário Piçarras e Penha, foi motivada pelo fato da proprietária colocar o imóvel a venda. Segundo ele, o novo espaço também possui uma melhor estrutura. “O antigo local possuía instalações precárias. Esse novo local, também é alugado, mas é mais amplo e comporta melhor o quartel”. Segundo o Sargento, no novo local, os bombeiros também devem passar a ajudar em ocorrências na cidade de Penha. “No antigo local, com a proximidade dos bairros Itajuba e Medeiros, os Bombeiros de Barra Velha solicitavam o nosso atendimento. Com essa mudança passaremos a ajudar nos atendimentos de algumas localidades de Penha”, destaca. O telefone para contato continua sendo o 33471763.


ENTREVISTA

Sábado, 5 de abril de 2014.

12

ARAQUARI, 138 ANOS

Entrevista: Ulisses Molon, sócio do grupo Sinuelo Muito antes de Araquari ganhar repercussão nacional e internacional com a chegada da BMW, a cidade já tinha alguns símbolos definidos para divulgar a cidade Brasil afora, afinal, são 138 anos comemorados neste sábado, dia 5. Entre estes ícones marcantes, dois estão diretamente ligados ao grupo Sinuelo, que chegou ao município no inicio da década de 1970. Foi na década de 1980 que o Sinuelo começou a plantar na cidade o maracujá, uma fruta desconhecida, que depois de alguns anos, fez sucesso nas plantações de agricultores da cidade. Não à toa, Araquari foi certificada como capital catarinense do maracujá e até hoje realiza a tradicional festa com produtos a base da fruta. Mais a frente no tempo, em 2000, quando todo o Brasil estava mobilizado em celebrar os 500 anos do dito ‘descobrimento’, uma réplica idêntica nau Espera, que compôs a esquadria de Cabral, foi inaugurada às margens da BR-101, em Araquari. O projeto foi capitaneado pelo grupo Sinuelo, que criou em seu espaço um memorial e um parque. Novamente o município foi alçado em nível nacional, recebendo a chancela do Ministério do Turismo. Em homenagem aos 138 anos de Araquari, o Voz do Itapocu conversou com um dos sócios do grupo Sinuelo, Ulisses Molon, para falar justamente sobre esses marcos na história do município.

Como o Sinuelo veio para Araquari? Na época de 1970 a BR-101 estava sendo aberta, a trajetória toda. A (rodovia) 116 tinha caído muito o movimento, e como nós tínhamos vinícola e precisávamos vender nossos produtos, nós procuramos alternativas, porque o movimento iria vir todo pra cá, como de fato aconteceu. Então foi desta forma que a gente veio pra cá. Foi pesquisado vários lugares, entre todos o que mais deu certo foi nessa região, pelo fato da planície, de retas, estão nós escolhemos. Tivemos de Barra Velha várias propostas e finalizamos aqui porque era mais amplo e a finalidade de crescimento, que a gente previa que iria dar certo, que nós precisávamos de um espaço maior. E foi desta forma que nós viemos para cá. A vinícola já existia desde quando? Os Irmãos Molon fez ano passado 50 anos. Em Araquari está fazendo 44 anos. Como foi a evolução do Sinuelo? Nós começamos aqui com uma tenda vendendo vinhos, sucos e produtos do sul como salame, queijo e peles. Esse foi o inicio nosso. E depois veio interesse das distribuidoras, a Esso e em seguida a Petrobrás, que nós acabamos acertando pra fazer junto com o nosso ponto, para vender nossos produtos. O projeto da Esso era muito arrojado para a época. O da Petrobrás também era, mas em um custo com a metade do preço. Então a gente optou pelo da Petrobrás, eles confiaram em nós e fizemos essa parceria que

dura até hoje. Como surgiu a produção própria do Sinuelo aqui, que culminou com o maracujá? Foram várias etapas de lá pra cá. Começou com a criação da granja, depois de um certo tempo começamos a produzir hortifrutigranjeiro para abastecer aqui, inclusive leite e etc. Depois surgiu a ideia, por acaso, por curiosidade, de plantar o maracujá, uma fruta que não tinha valor comercial aqui na época. Mesmo assim eu trouxe e fiz o plantio me 1988, eu que trouxe para o Estado de Santa Catarina. O que nós fazíamos, consumia aqui mesmo e começamos a levar pro Ceasa, às vezes voltava. Começou a produzir bem, então a única coisa que a gente tinha na época sobrando era o maracujá, não valia muito, mas a gente tava produzindo e era de qualidade boa. Nem sempre vendia, mesmo barato, às vezes a gente trazia de volta. E não desanimamos, fomos em frente. Depois de um certo tempo começou a ter uma procura melhor, e um preço também melhor e isso despertou o interesse de outras pessoas do Ponto Alto, do Garcia (regiões de Araquari). Quem acreditou e gostou do que viu foi o prefeito na época, o Aci Ferreira de Oliveira. Depois que começou a crescer, ele e a esposa falaram: ‘porque não fazer a festa do maracujá?’. Muitos aventureiros plantaram, aá baixou o preço. Para melhorar o comércio, surgiu a ideia de criar a festa do maracujá. Foi então que nós juntamos em várias reuniões. O colégio mais antigo de Araquari foi ocupado pela festa.

As salas de aula, para expor o maracujá, e outras empresas que tinham por aqui, mas nem todas. Foi pequeno, mas fez sucesso, a turma gostou, não deu problema. É mais orgulho, não pelo resultado, mas orgulho de ter essa cultura para pequenos agricultores que puderam ter mais um ganho extra. Como são áreas pequenas, que produzem bem. Então depois foi se espalhando pelo Sul e por ai a fora. Nós produzimos ainda em uma escala pequena daquela do inicio. Surgiram muitas doenças, então é um desafio grande, não é fácil. O que mais o Sinuelo produz em Araquari? Hoje o forte é o gado de leite, são cerca de três mil litros por dia de leite e suínos. São 250 cabeças de gado leiteiro e em torno de 1800 a duas mil cabeças de suínos. Verduras para o restaurante, frutas, o maracujá, acerola, lichia, basicamente isso. E a cana de açúcar pra fazer caldo de cana e outras coisas. Esse é o forte da granja. Criamos uma agroindústria, que é a queijaria, fábrica de queijos especiais. Ao todo são mais de 12 tipos diferentes de queijo. Têm os embutidos, que é o nosso foco universal, que a gente faz desde o parma até a linguiça. São com condimentos naturais, diferenciados das industriais tradicionais. Esse é o desafio e o diferencial que o Sinuelo tem. Há muitos anos nós mantemos e fazemos desta forma. Todo mundo tem, então não vale a pena, a intenção é o diferente. Como surgiu o memorial do descobrimento? Na época o arquiteto Franco

Imbrianti, Italiano, esteve em São Marcos, no Rio Grande do Sul, na vinícola, e falou com os irmãos de lá e apresentou o projeto. E nós em uma reunião do grupo discutimos sobre isso. Mas São Marcos, na Serra (Gaúcha), ‘como vai criar um memorial da navegação?’. Então eu disse que lá não tinha nada a ver, aqui tem tudo a ver. Araquari tem extremo com o mar, ainda mais quando era junto com Balneário Barra do Sul. E mesmo hoje ainda permanece, então tem acesso pelo mar, tem tudo a ver com o mar. Então se é pra fazer o projeto, vamos fazer aqui. Na época nós apresentamos o projeto e foi muito bem recebido pelo governo do município e pelo Estado, que na época era o Francisco Garcia. Ele se interessou muito, a própria imprensa divulgou. O Estado não tinha um projeto desse porte para ser aproveitado pelos 500 anos do Brasil. Franco tinha experiência, então ele fez contato até com o Governo Federal e o Ministro (do Turismo) na época esteve aqui e deu a chancela. Desde aquela época nós temos a chancela desse projeto. Um aval que esse projeto era interessante e a forma que foi feito, bem natural, e exatamente, um projeto resgatado da época do descobrimento. Nicolau Coelho era o Capitão dessa nau, que é uma Nau média. Na época tinham as pequenas, médias e grandes, e tinham as caravelas, mais rasteiras para andar em águas mais rasas. As naus eram os navios cargueiros da época. Dessa forma nós abraçamos esse projeto, foi um investimento bastante interessante e até

hoje, em torno de 500 mil pessoas já visitaram. Além da nau tem um parque, como surgiu esse entorno? Na verdade a Nau que é o carro chefe. Depois veio o memorial a primeira missa, que todos os anos acontece no dia 21 de abril, às 17h. É um Frei que vem realizar a missa junto com os padres daqui. É uma replica exata, inclusive o altar tem as medidas exatas do altar montado em Porto Seguro, na Bahia. O parque contém uma ilha com uma aldeia indígena, tem a ilha do Pau Brasil, que são seis árvores que vieram certificadas da Bahia, legítimas. O parque tem os pássaros e aves exóticas, plantas frutíferas, tem o passeio no pedalinho que imita a réplica da nau. Demos um tempo e agora estamos com projetos novos para implementar. Então eu prefiro não anunciar agora, mas vai ser bem interessante. A área do parque é 56 mil metros quadrados. Quantas pessoas trabalham no Sinuelo em Araquari? Em Araquari, empregos diretos são em torno de 350, 360. Indiretos mais de 250. No total 600 funcionários. Indiretos são as empresas que estão instalados dentro do complexo do Sinuelo, são 67 empresas, além do Sinuelo, o restaurante, posto, enfim, além disso tem todos os terceirizados que são as salas alugadas. O Sinuelo está com algum projeto novo? Com certeza, tem um grande projeto que vai ser lançado em breve.


CULTURA

Sábado, 5 de abril de 2014.

Gestores municipais querem que Governo do Estado crie Sistema Estadual de Cultura Membros do colegiado de Cultura da Amvali participaram na última semana do IV Fórum Catarinense de Gestores Municipais de Cultura, em São Francisco do Sul. O objetivo do encontrou foi proporcionar a integração das regiões catarinenses, além de promover o debate das políticas públicas do setor cultural, ampliando o diálogo entre o Ministério da Cultura - MinC, as prefeituras e o governo do Estado, com o intuito de fortalecer as ações de programas já existentes e iniciar futuras parcerias. Segundo a Federação Catarinense dos Municípios, o evento reunião 191 participantes, de 128 municípios de Santa Catarina. No encerramento, os participantes aprovaram a Carta de São Francisco do Sul, que reivindica, entre seus principais pontos, o alinhamento do Estado de Santa Catarina ao Sistema Nacional de Cultura (SNC), em todas as suas instâncias. O manifesto pede a implementação o Sistema Estadual de Cultura, permitindo assim que os municípios catarinenses que já possuem seus Sistemas

Foto: Amvali

Municipais de Cultura organizados possam receber os benefícios de gestão e de financiamento à Cultura. Os repasses oriundos do Fundo Nacional de Cultura iniciaram em 2014, mas apenas para os estados que possuem Lei do Sistema Estadual de Cultura, o que não é o caso de Santa Catarina. Para a União, os gestores municipais de Cultura reivindicam que os municípios que já tem adesão ao SNC possam receber auxílio em gestão e recursos, mesmo que o Estado não esteja alinhado ao sistema ainda. No último mês o Ministério da

Esquinas da

Prefeitura de São João do Itaperiú recebe exposição Caminho do Peabirú Depois de passar por Balneário Piçarras, chegou a vez de São João do Itaperiú receber a exposição Caminho do Peabirú, do Instituto Manoa. A exposição de fotos e peças relacionados a rota ficará no hall da prefeitura até o dia 11 deste mês, das 7h30 às 11h30 e das 13h às 17h. A abertura foi durante o aniversário do município, no último sábado, quando o acervo esteve exposto no centro de exposições da cidade, durante as festividades. Considerado um roteiro histórico, com mais de dois mil anos de história, o Caminho do Peabirú, que sai do litoral catarinense até o Peru, passando por Bolívia e Paraguai. A história do Caminho de Peabiru, cujo significado mais conhecido é Caminho de Grama Amassada, é uma rota muito antiga usada para ligar o Oceano Atlântico ao Pacífico, passando por quatro países: Brasil (em Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul), Bolívia, Peru e Paraguai. Este caminho liga a cidade de Cusco, no Peru, à antiga Capitania de São Vicente, e desce até Palhoça, no litoral catarinense. Segundo estudiosos, é o único caminho que liga os dois oceanos de ponta a ponta, não existindo ainda uma rota por ferrovias ou rodovias. Alguns historiadores dizem que o início do caminho é próximo a Foz do Rio Itapocu, em Barra Velha, cruzando a cidade de Garuva, na divisa do Estado.

Campanha de arrecadação de livros na biblioteca de Balneário Piçarras A biblioteca municipal José Ferreira da Silva, de Balneário Piçarras, está com uma campanha de arrecadação de livros novos ou usados. Contando atualmente com 11 mil títulos, das mais diversas áreas do conhecimento, a biblioteca abre espaço para quem já leu o seu livro, possui algum acervo e não usa mais, ampliar o acervo público. As doações dos livros, exceto os didáticos, podem ser feitas na biblioteca, que fica no Centro Cultural (Avenida Getúlio Vargas, 1.113). No caso de quantidades maiores, o doador pode entrar em contato com a arte educadora Marli Marlei Czelusniaki, que os livros serão buscados no local em que estão guardados. O telefone da biblioteca é 3347 1839.

História

Professora e historiadora Angelita Borba de Souza e-mail: angelitaborba@hotmail.com Se você fosse adolescente nos anos de 50 ou 60 em Barra Velha, com certeza seria um assíduo freqüentador do “Café Veneno”. Ormelio Gonçalves era o proprietário deste local, que se localizava nas margens da lagoa, na atual esquina da Praça Lauro Carneiro de Loyola, mais ou menos onde está a Secretaria de Turismo e o setor de vendas de artesanatos. Entretanto, os pilares do “Café Veneno” ficavam dentro da lagoa, pois esta se estendia muito além do que temos hoje. Segundo um dos filhos, o local era ponto de encontro e de discussões acaloradas entre os políticos do período, e servia além dos tradicionais petiscos de um bar, um sonho que era conhecido em toda a região. Cancha de bocha e caldo de cana também eram atrativos da lanchonete. O curioso nome “Café Veneno” pode ter surgido em função das conversas que rolavam no local, pois a política sempre estava na ordem do dia, e as alfinetadas nos adversários eram constantes. Além de política, também aconteciam

Cultura publicou edital no Diário Oficial da União, que visa fortalecer o SNC e prevê a destinação de R$ 30 milhões para os estados que já implementaram seus sistemas. Os recursos serão distribuídos através de três eixos: promoção da Diversidade Cultural Brasileira, Fomento à Produção e Circulação de Bens Culturais e Implantação, Instalação e Modernização de Espaços e Equipamentos Culturais. A Carta de São Francisco do Sul será entregue ao Ministério da Cultura, Governo do Estado, Assembleia Legislativa e Congresso Nacional.

13

Ormelio Gonçalves – E a história do famoso “Café Veneno”

encontros, namoros começaram, terminaram, amigos confraternizavam e celebravam, festejavam os feriados e finais de semana – uma verdadeira confraria popular da cidade. Tudo sob o olhar responsável de “Seu Ormelio”, que era muito querido entre os barra-velhenses. Vindo de Joinville para trabalhar no ramo da panificação, adotou Barra Velha e aqui constituiu família. Trabalhou muitos anos com o famoso Francisco Gomes, e posteriormente em seu próprio empreendimento – surge então o “Café Veneno”. Lá, atendia muitos turistas vindos da região – se comunicando inclusive em alemão, língua que dominava. Apaixonou-se por Adelina Magalhães, que adotou o Gonçalves posteriormente, e com ela construiu sua família. Foram ao todo 10 filhos, que ocupavam todo o tempo de Adelina. São 7 filhos e 3 filhas: Valdir, Claudionor, Orlando, Mauro, Ivo, Jairo, Giovani, Marília, Natália e Adelina. Destes, apenas 2 moram hoje fora de Barra Velha. O restante todo se enraizou no Município e formam famílias tradicio-

nais. A casa da família localizava-se na Rua Paraná, em frente à residência atual de Arthur Negri, hoje ela não está mais lá, pois o imóvel foi vendido após a morte de Ormelio. Pai rígido quanto aos estudos, fez questão de que todos os filhos estudassem. Todos começaram na extinta Escola “Pedro Paulo Phillippi”, e os meninos continuaram seus estudos na Escola Agrícola de Araquari (atual Instituto Federal Catarinense, o IFC). Depois de lá, cada um seguiu sua vocação. Seu Ormélio esteve no comando da família Gonçalves até 1986, quando uma bronquite que se agravou acabou por levá-lo ao hospital, em Gaspar, de onde não voltou mais com vida. Hoje, Adelina Gonçalves Magalhães “toma” conta da família sem seu companheiro do lado. Ela mora com um dos filhos do casal. A família Gonçalves cresceu, e dos 10 filhos, descendem 28 netos e 33 bisnetos, que comemoraram os 90 anos de Adelina no dia 29 de março. A Rua Ormelio Gonçalves é aquela que

dá acesso ao túnel de acesso do São Cristovão, e inicia nas imediações da Panificadora da Léia, na esquina com a Rua Capitão Furtado. Com a homenagem do nome da rua em mais uma “Esquina da História”, Ormelio, um dos mais populares comerciantes barra-velhenses, foi também imortalizado. Fonte: Valdir Gonçalves


14

VARIEDADES

Sábado, 5 de abril de 2014.

CURIOSIDADE A Copa das figurinhas vai começar A Copa do Mundo se aproxima e com ela, mesmo quem não é muito chegado ao futebol, acaba entrando no espírito da competição, acompanhando as partidas e escolhendo suas seleções favoritas. Uma das maiores ‘febres’ neste período são os álbuns de figurinhas da Copa, já tradicionais, que mobilizam colecionadores no mundo inteiro, amantes ou não do esporte. No Brasil, o álbum começa a cir-

HORÓSCOPO

cular a partir desta semana em bancas de revista, ao preço de R$5,90, sendo que uma versão especial estará disponível com capa dura por R$24,90. O pacote com cinco figurinhas custará R$1,00. Serão 17 jogadores de cada uma das 32 seleções, além dos 12 estádios que serão utilizados no mundial. Ao todo, são 640 figurinhas, sendo 40 metálicas.

Áries

Grande anseio de inovações e de mudanças. Energia experimental e inconvencional. Surpresas podem ocorrer. Independência necessária ao seu desenvolvimento.

MODA E SAÚDE

Saia com fenda lateral

O melhor acessório para este outono e inverno? Pernas em dia! As fendas e assimetrias, principalmente em saias e vestidos, prometem ser o hit da estação. Entre as famosas, Rihanna, Lily Collins e Elizabeth Olsen já embarcaram na tendência, que ganhou força, e também deve desembarcar no País, após o desfile de primavera 2014 de Joseph Altuzarra. A tendência é democrática na questão de valorizar o corpo da mulher e valoriza vários biotipos. Podem ficar bem em mulheres altas e magras, como também nas mais curvelíneas. O importante é estar com as pernas bem cuidadas e em dia.

Quando usar Apesar da fenda ser normalmente associada a eventos noturnos, a peça também pode ser adaptada mais ao dia a dia. Dependendo do tamanho da fenda, pode-se usar durante o dia. As saias lápis, por exemplo, tendem a ter fendas mais tímidas, que podem ser combinadas com peças mais casuais. Se a ocasião é mais a noite, peças de couro combinadas à peças mais fluidas, com uma transparência sutil. Para o dia, camisetas de malha podem ser uma boa composição para looks mais práticos. Apesar das dicas, é preciso ter cuidado especial antes de apostar na tendência: bom senso. Existe uma linha tênue entre a sensualidade e a vulgaridade. A mulher precisa ter segurança ao escolher um peça com fenda. Por ser uma peça mais sensual, é preciso ter uma postura mais elegante.

MEGA SENA

Resultado Concurso 1587 (02/04)

08 - 19 - 21 - 30 - 52 - 56 Próximo sorteio: 05/04 (hoje) Prêmio Estimado: R$50.000.000,00

LOTERIA FEDERAL

Resultado Concurso 04854 (02/04) 1º prêmio - nº 04.248 - R$250.000,00 2º prêmio - nº 50.209 - R$16.300,00 3º prêmio - nº 02.485 - R$16.000,00 4º prêmio - nº 61.418 - R$15.800,00 5º prêmio - nº 05.596 - R$15.223,00

Leão

Hora de mudar a mentalidade, de se abrir a novos conceitos e conhecimentos. Viagens, espiritualidade, cultura e estudos podem ajudá-lo a abrir novos caminhos. Evite atitudes radicais.

Uma nova e surpreendente fase na vida afetiva tem início neste momento. Criatividade e uma auto-expressão mais autêntica e liberta de antigos conceitos, sagitariano.

Arroz biro-biro

Modo de preparo Em uma panela, derreta a manteiga em fogo alto, junte o presunto e frite por quatro minutos. Acrescente os ovos e sal e frite por mais dois minutos, mexendo delicadamente. Junte o arroz e cozinhe por dois minutos ou até aquecer. Salpique a salsa e sirva com a batata palha. Dica: Se preferir, substitua o presunto por peito de peru.

Momento importantíssimo nos relacionamentos. Novas pessoas e situações, libriano. Parcerias, associações e relações em fase marcante de renovação e reinvenção.

Sagitário

GASTRONOMIA

- 2 colheres (sopa) de manteiga - 1/2 xícara (chá) de presunto picado - 3 ovos batidos - Sal a gosto - 2 xícaras (chá) de arroz cozido - 2 colheres (sopa) de salsa picada - Batata palha

Forte anseio de inovação, que encontra respaldo nas circunstâncias atuais. O momento é de mudanças e é fundamental que siga intuitivamente o que percebe que precisa modificar.

Libra

LOTERIAS

Ingredientes

Gêmeos

Informações Preparo: Rápido (até 30 minutos) Rendimento: 6 Dificuldade: Fácil Categoria: Arroz e risoto

Aquário Inquietação e nervosismo, sobretudo se você se sentir oprimido, aquariano. O momento é de renovação e de situações bastante diferentes do habitual. Surpreenda.

Touro Se você resistir demasiadamente às mudanças, a vida se encarregará de mudá-lo forçadamente. É hora de perceber que a mudança não é somente uma necessidade individual, mas coletiva.

Câncer Excelente momento para buscar coisas novas na carreira, agindo com mais independência. Um dos períodos mais importantes do ano e que estimula a inovação e o pioneirismo.

Virgem Não há mais como adiar mudanças que são importantes a sua evolução. Hora de compreender o que é preciso eliminar, transformar. O que tem valor perene e não transitório.

Escorpião Excelente momento para inovar no trabalho e para desenvolver novos interesses. Em relação à saúde, métodos alternativos ajudam a restabelecer o equilíbrio.

Capricórnio Uma nova etapa na vida doméstica e familiar está ocorrendo neste momento. Situações surpreendentes em relação ao lar, à casa, à imóveis e aos familiares.

Peixes

Bom momento para inovar na expressão de suas potencialidades e talentos. Evite precipitações e impulsividade nas finanças. Reconheça o que tem valor. Intuição para negócios.


#SOCIAL

Sábado, 5 de abril de 2014.

ANIVERSÁRIOS DASEMANA

15

AGENDA #Parabéns

#Balneário Piçarras Challenge Rock Cafe 05/04 - Ponto Trinta

2 de abril Ana Paula Tavares Cavon

#Penha Bailão do Silva

05/04 - Banda Estrela Negra + Corpo e Alma - Elas free até 23h30 ( a partir das 23h) 06/04- Tarde Dançante: Musical Movimento ( a partir das 16h)

10 de abril Lúcia Liamir Hernandez Klain

#Itajaí Greenwich Pub

10 de abril Amanda Provesi de Aguiar

10/04 - Yellow Box na volta do Válvula Rock Sessions ( a partir das 21h)

#Balneário Barra do Sul

11 de abril Eduardo Schult

Praça Central

05/04 -Banda Candeia (a partir das 20h)

BEM NA FOTO II Jogos Escolares da Paz Iniciaram na terça-feira, dia 1º, o II Jogos Escolares da Paz em Barra Velha. A solenidade de abertura foi realizada no Ginásio de Esportes Alfredo José de Borba, no Centro, e contou com a presença de autoridades locais, professores e alunos do município. O evento realizado entre terça-feira e sexta-feira, dia 4, no Ginásio de Es-

#Ginásio

portes Alfredo José de Borba, Praia Central e Centro Esportivo Recreativo José Quintino, em Itajuba, integrou alunos das redes municipal e estadual de ensino em diferentes modalidades de esportes como: futsal, atletismo, xadrez, tênis de mesa, judo e futebol de campo.


16

ESPORTE

Sábado, 5 de abril de 2014.

Aniversário de São João do Itaperiú teve futebol e ciclismo O aniversário de São João do Itaperiú, no último sábado, dia 29, também teve uma programação esportiva entre as comemorações. Além da segunda rodada do campeonato de futebol suíço, a etapa catarinense de ciclismo e um passeio ciclístico também movimentaram moradores e levaram diversos competidores ao município. Futebol No futebol, as partidas foram disputadas no campo central do município, nas categorias adulto, veterano, sub-17, sub 14 e feminino. A rodada foi bastante equilibrada, com poucos gols na maratona de 12 partidas jogadas no sábado. No adulto, destaque para o Santa Luzia, que bateu o Santa Cruz por 3 a 0. Na categoria veteranos, o destaque foi a partida entre Boleiros e União Santa Luzia, que acabou em 3 a 2 para os Boleiros. No sub-

14, os Moleques da Vila golearam o Santo Antonio por 4 a 1, fazendo o placar mais extenso da tarde. A próxima rodada será disputada entre este sábado e o domingo, no campo do Beto, no bairro Santa Cruz. Ciclismo Enquanto o futebol lotou a arquibancada no Centro da cidade, as atividades de ciclismo levaram o esporte para outras comunidades de São João do Itaperiú. O destaque foi a etapa do Campeonato Catarinense da categoria XCM, que pela 5ª vez passou pelas ruas do município. Ao todo, 77 ciclistas participaram da prova organizada pela Federação Catarinense de Ciclismo. Os profissionais fizeram um percurso de 60 km, passando por várias comunidades da cidade. O título geral ficou para o atleta de elite Flávio Reblin, que compete por Timbó, com o tempo de uma hora, 51 mi-

nutos e 32 segundos. Valcemar Justino da Silva, de Balneário Piçarras veio em segundo, praticamente empatado com o campeão. Frank Sinatra Deluvino, de Itajaí, chegou oito segundos depois e levou o terceiro lugar no pódio. Já os amadores pedalaram 20 km a menos e o campeão, Anderlee Lach, fechou a prova com o tempo de uma hora, 33 minutos e 26 segundos. Em segundo lugar veio Vanderlei Lach, 20 segundos depois. Trinta segundos mais tarde chegou o terceiro colocado dos amadores, Johnny Raizel. Passeio ciclístico Bem antes da competição, pela manhã, ocorreu o 7º passeio ciclístico, que saiu defronte à prefeitura e percorreu as principais ruas do centro. Ao todo, 174 pessoas participaram do passeio e concorreram a quatro bicicletas.

Equipes de Joinville acabam no topo do campeonato de futsal de Balneário Barra do Sul Equipe campeão do futsal. Foto: Prefeitura de Balneário Barra do Sul

A quadra central de Balneário Barra do Sul ficou lotada no último sábado, dia 29, para prestigiar a final do campeonato de futsal organizado pela secretaria de Esporte e Turismo do município. Na decisão entre times joinvilenses, quem levou a melhor foi a equipe da Pousada Estrela da Barra/Mercado Mariano/Auto Escola Aventureiro, que bateu o Conexões Tupy/ Assessoritec na final e levantou o caneco. A terceira colocação ficou com a equipe do Tradição, também de Joinville. Os três primeiros colocados levaram para casa troféus e medalhas, entregues pelo prefeito Ademar Borges, o secretário de Esporte e Turismo, Alessandro Remeniuki, e representantes da Câmara de Vereadores. Ao todo, 27 equipes da região Nor-

te do Estado disputaram a competição, a grande maioria de Joinville. Final do beach soccer Apesar do fim do campeonato de futsal, a bola não para em Balneário Barra do Sul. Neste sábado, dia 5, acontece a decisão do campeonato de beach soccer organizado pela Secretaria de Esporte e Turismo. Os jogos iniciam às 15h30 na Boca da Barra. Primeiro, definem a terceira colocação as equipes joinvilenses da Fonte Fomento/Botafogo da Enseada e Transporte Daniel/CCP.

A grande final será às 16h30. Terraplanagem Testoni, atual campeã do beach soccer de Barra Velha, enfrenta a equipe do Mendes e Mendes Construção/Amigos do Duca, de São Francisco do Sul. Os jogos ocorrem na arena montada em frente ao hotel Bandeirante.

Joinville começa a decidir o título contra o Figueirense na Arena, neste domingo O Joinville começa a decidir neste domingo o título do Campeonato Catarinense 2014. A partida de ida da decisão contra o Figueirense será na Arena Joinville e o JEC busca de uma boa vantagem para levar ao jogo de volta, no domingo seguinte, em Florianópolis. A bola rola a partir das 16h e o árbitro será Bráulio da Silva Machado. Desde 2010 sem chegar a uma final de estadual, o Joinville entra para quebrar um tabu de 12 anos sem título catarinense. Para isso, precisa passar por cima da vantagem da equipe da capital, que joga por dois resultados iguais (dois empates ou uma vitória e uma derrota pelo mesmo saldo de gols) para ser campeão. Para o Figueira, alcançar o rival Avaí no número de títulos catarinenses, 16, é o que está em jogo.

A vantagem do jogo de volta em casa foi para o Figueirense porque a equipe da capital bateu o Criciúma no Sul do Estado por 3 a 2 na última rodada do quadrangular. O JEC, que precisava apenas vencer o Metropolitano em Blumenau, não saiu do 0 a 0 e ficou com o segundo lugar da fase. Hexagonal Na penúltima rodada, que será disputada neste sábado, às 16h, o Marcílio Dias vai a Florianópolis encarar o Avaí, líder com dois pontos a mais que o clube de Itajaí. Já a Chapecoense, que tem o mesmo número de pontos que o Avaí, enfrenta o Juventus em Jaraguá do Sul. No jogo dos desesperados contra o rebaixamento, Brusque e Atlético de Ibirama duelam no Alto Vale.

Corredor de Barra Velha ganha mais um troféu

A coleção de troféus e medalhas do corredor barravelhense Antonio Waldemiro Hein ganhou mais um item no último final de semana. Ele ficou com a segunda colocação na categoria entre 50 e 54 anos na corrida rústica em comemoração aos 100 anos do América Futebol Clube, em Joinville. Na classificação geral, Hein ficou com a 27ª colocação na competição que contou com cerca de 300 participantes.

Jornal Voz do Itapocu - 46ª Edição - 05/04/2014  

46ª Edição do Jornal Voz do Itapocu, com circulação nas cidades de Barra Velha, Araquari, Balneário Piçarras, São João do Itaperiú e Balneár...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you