Page 1

Ano VI

Nº 77 Dezembro/2009

Acadêmicos desenvolvem robôs Divulgação

A

cadêmicos do 6º período de Engenharia Elétrica criaram quatro robôs autônomos para a disciplina de Eletrônica Digital. Os robôs se movimentam sozinhos e conseguem, até mesmo, desviar de obstáculos. Página 3

Peça de teatro incentiva cuidados com o meio ambiente Um grupo de alunos da Engenharia Ambiental desenvolveu uma peça de teatro para conscientizar as pessoas sobre seu papel na preservação do meio ambiente. A peça “Desperdício” é apresentada em empresas e eventos da região. Página 5

Projeto tem baixo custo e alta tecnologia.

Lâmpadas dos campi são descontaminadas

As lâmpadas fluorescentes queimadas da FOA e do UniFOA têm um novo destino. A partir de agora, elas estão sendo

descontaminadas e recicladas através de uma máquina conhecida como “Papa-lâm-padas”. Página 4

Cursos esportivos são ministrados para acadêmicos da Educação Física Fotos: Edison Júnior

Acadêmicos aprenderam a pilotar Kart.

Cerca de 160 alunos do curso de Educação Física participaram dos cursos ministrados pela Confederação Brasileira de Voleibol e pelo

Kartódromo Internacional de Volta Redonda, que lhes permitiram descobrir novos mercados de trabalho. Página 3


Via Campus 2

INSTITUCIONAL

 O coordenador do curso de Educação Física, Sílvio Henrique Vilela,

os professores Marcelo Paraíso Alves e Paulo Celso Magalhães e a ex-aluna do curso Christiane Pançardes participaram, entre os dias 4 e 6 de novembro, do III Colóquio Educação, Cidadania e Exclusão - Gênero e Pobreza: Imagens da Escola, realizado na UERJ, no Rio de Janeiro. O professor Sílvio apresentou o trabalho “Quadro Escolar: Que espaço é esse?”; o professor Paulo Celso falou sobre “Programa Incluir: a intervenção a partir da pesquisa-ação” e o professor Marcelo, em conjunto com Christiane, apresentou o trabalho “Práticas corporais, ginástica feminina e educação”.

Enfim, férias

As férias finalmente chegaram. Mais um ano letivo terminou e isso significa que há um bom tempo para descansar e se preparar para o próximo ano. Alguns alunos voltam para sua cidade natal, outros partem para conhecer novos lugares e ainda há aqueles que ficam por aqui mesmo, aproveitando o tempo disponível. Seja qual for o seu destino, reserve um pouquinho do seu tempo para ler a última edição do ano do seu Via Campus que, diga-se de passagem, está dez. Na página ao lado você irá conhecer os robôs móveis que os alunos da Engenharia Elétrica criaram e saberá como foram os cursos ministrados pela Confederação Brasileira de Voleibol e pelo Kartódromo Internacional de Volta Redonda para os alunos do curso de Educação Física. Na página 5 tem uma re-portagem mostrando quem são os alunos da Engenharia Ambiental que desenvolveram uma peça de teatro para conscientizar as pessoas sobre a importância de cuidar do meio ambiente. Além disso, fizemos a cobertura da Semana da Língua Portu-

guesa do UniFOA, da Jornada da Fisioterapia e do Seminário do Escritório da Cidadania, que contou com palestras muito interessantes. Como sempre, o “Fotolog” e o “Minha Dica é...” estão repletos de fotos e dicas dessa galera super animada que agita a nossa faculdade. Ainda nessa edição, você não pode perder a reforma do Lar dos Velhinhos de Volta Redonda, que melhorou significativamente a qualidade de vida dos internos. Tem também as informações sobre o convênio firmado com a prefeitura de Quatis, a aluna Maria Aparecida Martins abrindo o jogo sobre a profissão de contador e os eventos mais importantes que contaram com a participação da Gerência de Comunicação e Marketing. Para terminar, gostaríamos de desejar a você um ótimo ano novo, cheio de conquistas e motivações. Tenha boas festas, aproveite bem as férias e não se esqueça de que no mês de fevereiro estaremos de volta com o seu Via Campus. E para não perder o costume, tenha uma ótima leitura!

 O curso de Gestão de Recursos Humanos promoveu, de 27 a 30 de outu-

bro, no campus Tangerinal, a I Semana do Gestor de RH. O evento, que contou com diversas palestras, teve por objetivo agregar conhecimento na área de gestão, além de integrar alunos e professores com assuntos de extrema relevância.

 A Fundação Oswaldo Aranha, através da Comissão Interna de Prevenção

de Acidentes do Trabalho, promoveu, de 3 a 6 de novembro, a XIV Sipat (Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho). As palestras aconteceram no auditório da biblioteca, no campus Olezio Galotti. Temas como “Primeiros Socorros”, “A educação como mecanismo de proteção ao meio ambiente do trabalho” e “Orçamento familiar” foram apresentados por especialistas.

 A Superintendência Geral da FOA, a Divisão de Recursos Humanos

e o Serviço de Relações Públicas prestaram uma homenagem a 78 funcionários da instituição pelo seu tempo de serviço. A homenagem foi no dia 28 de outubro, no Centro Histórico-Cultural Dauro Aragão, em Três Poços, e faz parte do projeto “Sistema de Recompensa e Reconhecimento - Homenagem por Tempo de Serviço”, que reconhece a dedicação dos funcionários a cada cinco anos trabalhados.

 O curso de Direito elegeu, nos dias 29 e 30 de outubro, o novo diretório

acadêmico do curso. A partir de agora, os integrantes são: Leandro de Aquino Ribeiro, como presidente; Richard Nunes, como vice-presidente; Luiz Felipe Carvalho, como primeiro secretário; e Luiza Beja, como segunda secretária.

Participe da produção, envie sua opinião, sugestões e reclamações. Ilustre, fotografe, produza a notícia. Conte sua história, fale do seu projeto. Invente sua forma de colaborar. jornalismo@foa.org.br

EXPEDIENTE Ano VI - Nº 77 - Dezembro/2009

Tiragem: 5 mil exemplares

Pró-Reitora Acadêmica: Profª Cláudia Yamada Utagawa

Gerente de Comunicação e Marketing: Débora Martins

Registro ISSN 1809-9483

Periodicidade: Mensal

Pró-Reitora de Pesquisa, Pós-Graduação e Extensão:

Designer Gráfico: Fabiola Campbell

UniFOA - Centro Universitário de Volta Redonda Presidente da FOA: Dauro Aragão

Profª Maria Auxiliadora Motta Barreto

Av. Paulo Erlei Alves Abrantes, 1325, Três Poços

Vice-Presidente: Jairo Conde Jogaib

Superintendente Executivo: Eduardo Prado

Volta Redonda - RJ - Cep: 27240-560

Diretor de Relações Institucionais: Iram Natividade Pinto

Superintendente Geral: José Ivo de Souza

Tel: (24) 3340-8400 - www.unifoa.edu.br

Diretor Administrativo Financeiro: José Vinciprova

Jornalista Resp.interino: Fernando de Barros - RGMTPS 16046

email:viacampus@foa.org.br

Reitor do UniFOA: Prof. Alexandre Fernandes Habibe

Assessoria de Imprensa: Fernando de Barros - RGMTPS 16046

Editoração e Diagramação: Jusimara Medeiros Colaboração: Edison Júnior, Érica Patricia e Felipe Selvani Ilustração : Jader Mattos Fotolito e Impressão: Gráfica Jornal do Commércio


Via Campus 3

INSTITUCIONAL

Alunos da Engenharia Elétrica desenvolvem robôs

Fotos: Divulgação

Protótipos se movimentam sozinhos e desviam de obstáculos Fotos: Divulgação

P

ara fechar o ano em grande estilo, alunos do 6º período do curso de Engenharia Elétrica desenvolveram quatro robôs autônomos que se movimentam para todas as direções e ainda desviam de obstáculos. O projeto final da disciplina de Eletrônica Digital incentivou os alunos a desenvolverem protótipos avançados, capazes de “perceber” um obstáculo e encontrar uma rota alternativa. Os comandos são inseridos nos robôs através de microcontroladores que funcionam de acordo com uma programação definida pelos criadores, o que permite a esses protótipos se locomoverem sozinhos, contando apenas com a ajuda de sensores que indicam o caminho a ser percorrido. Segundo o professor responsável pelo projeto, Péricles Guedes, a criação de robôs é uma área muito valorizada hoje em dia e, dessa forma,

Robô feito pelos alunos.

é muito importante para os alunos se familiarizarem com esse meio. “Atualmente a robótica móvel está avançando muito. Temos até Copa do Mundo de futebol de robô aconte-

cendo. Além da importância dessa área, esse é o tipo de atividade onde os alunos aprendem se divertindo, porque todos gostam de desenvolver um “brinquedo” como esse,” afirmou o professor.

Para o próximo semestre, Péricles irá incentivar os alunos a implementar avanços nos projetos, o que culminará em uma competição de habilidades entre robôs. De acordo com ele, o próximo passo será fazer os robôs se movimentarem em uma trajetória pré-definida, o que é ainda mais avançado do que desviar de obstáculos. Para o professor, promover melhorias nos protótipos é uma forma dos alunos buscarem oportunidades de vivenciar os desafios da engenharia, que certamente aparecerão na sua vida profissional. O acadêmico Eduardo Phelipe dos Santos, que participou da criação de um dos robôs, conta que o projeto foi trabalhoso, mas bem interessante. “É um trabalho que requer muita teoria para dar certo, nossos conhecimentos foram realmente testados. Para o próximo período, pretendemos incrementar o robô, acrescentando novas tecnologias e inovações”.

Curso capacita alunos para atuarem na Superliga de voleibol U m convênio firmado entre o Centro Universitário de Volta Redonda (UniFOA) e a Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) habilitou 17 alunos e professores do curso de Educação Física da instituição para atuar na Superliga de voleibol 2009/2010. Através de um curso ministrado no campus Olezio Galotti, em Três Poços, entre os dias 12 e 15 de novembro, pela empresa S.C. Consultoria, vinculada à CBV, um grupo de estatística foi formado para avaliar e anotar todos os critérios e fundamentos envolvidos no torneio nacional de voleibol. De acordo com o representante da empresa responsável pelo curso, Rodrigo Brandão, o objetivo do grupo de estatística é levantar todos os números do campeonato. “Toda cidade que tem um time participando da Superliga deve ter um grupo de estatística para avaliar os jogos realizados na cidade. É através dessa equipe que descobrimos quem foi

o melhor levantador, melhor pontuador e os destaques da competição. Nessa edição do torneio, que contará com a participação da equipe de Volta Redonda, é essencial um grupo de estatística local,” explicou Rodrigo. Ainda segundo ele, essa foi a primeira vez que o curso foi ministrado na região e, a partir de agora, Volta Redonda faz parte do seleto grupo de cidades brasileiras que conta com uma equipe própria de estatística. Para o coordenador do curso de Educação Física do UniFOA, Sílvio Henrique Vilela, os alunos e professores que participaram do curso têm a oportunidade de ingressar num mercado de trabalho inovador. “Esse sistema de avaliação que foi ensinado é um sistema utilizado no mundo todo, em todas as confederações de voleibol. Podemos dizer que capacitamos os participantes em nível internacional, já que, a partir de agora, podem trabalhar em torneios de qualquer país”.

Mais uma parceria Além de firmar um convênio com a Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) o UniFOA firmou uma parceria com o Kartódromo Internacional de Volta Redonda, que proporcionou a cerca de 120 alunos do curso de Educação Física um workshop gratuito para “Oficial

de competição”, realizado no dia 20 de novembro, no próprio kartódromo, no bairro Niterói. O curso, que pela primeira vez foi ministrado para estudantes no Brasil, habilitou os participantes para trabalharem como fiscais em qualquer modalidade automobilística.


Via Campus 4

INSTITUCIONAL

FOA firma parceria com empresa de Engenharia Ambiental Lâmpadas fluorescentes da instituição passarão a ser descontaminadas Fotos: Divulgação

T

odas as lâmpadas fluorescentes queimadas da FOA e do UniFOA estão sendo descartadas de uma forma que não agride em nada o meio ambiente. A Fundação Oswaldo Aranha, obedecendo às diretrizes da lei 5.131, firmou uma parceria com a empresa “Escolha Ecológica Engenharia” para fazer a descontaminação das lâmpadas dos seus campi. Até agora, 346 lâmpadas já foram descartadas e descontaminadas. A parceria começou no mês de outubro, devido às exigências da lei decretada pelo governo estadual em 2007, que estabelece as normas de armazenamento e descarte de lâmpadas fluorescentes. Através de um equipamento conhecido como “Papalâmpadas”, resíduos perigosos que antes poderiam agredir o meio ambiente são totalmente reapro-veitados pela empresa em um processo inovador, mas muito simples: depois que a lâmpada é triturada, ela passa por três filtros, para que todos os componentes sejam separados. O fil-

Bruno Faria e Thiago Santos – ex alunos da Engenharia Ambiental.

tro de serviço pesado captura o pó de fósforo e micro-partículas de vidro; o filtro HEPA elimina as partículas mais finas; e, o filtro de carvão ativado, remove os vapores de mercúrio. Após dois anos de uso, o carvão ativado que

contém o vapor de mercúrio retido passa por um processo em que o metal volta à sua forma líquida para ser utilizado em empresas farmacêuticas. O assessor financeiro da FOA, José

Augusto de Souza, lembra que as grandes empresas aderiram a uma crescente preocupação com o meio ambiente, e o UniFOA não poderia ficar de fora. “Além de promover um armazenamento correto das lâmpadas, identificando-as e separando-as do lixo comum, começamos a fazer o descarte da forma correta, para ficarmos de acordo com a lei e para beneficiarmos o meio ambiente,” explicou o assessor. Ainda de acordo com ele, o próximo passo será firmar uma parceria com a empresa Light Esco, subsidiária da Light que opera com grandes grupos, para trocar todas as lâmpadas da instituição por outras mais eficientes e com maior vida útil, o que irá gerar menos lâmpadas descartadas. Para quem quiser aproveitar os benefícios do “Papa-lâmpadas” e descartar corretamente as lâmpadas fluorescentes de sua casa, é só procurar a loja Certa Material Elétrico, localizada na Avenida Paulo de Frontin, 769, no bairro Aterrado. A loja faz a descontaminação de até 10 lâmpadas por vez, gratuitamente.

Asilo entregou reforma financiada pela FOA

O Lar dos Velhinhos de Volta Redonda, localizado no bairro Monte Castelo, entregou aos seus internos, no dia 12 de novembro, as obras de reforma realizadas graças a um convênio com a Fundação Oswaldo Aranha, que doou cerca de R$ 100 mil para o asilo. Com o investimento foram feitas reformas nos alojamentos masculino e feminino, nos banheiros (que se encontram dentro das normas da Anvisa), na lavanderia e nas enfer-marias masculina e feminina. Além disso, foi construída uma oficina de manutenção e um centro de vivência, destinado ao lazer dos idosos. Para o presidente da instituição, o médico Geraldo Antunes Martins, havia uma grande necessidade de que reformas fossem feitas, mas não havia recursos para isso. “Não tínhamos saída, a não ser buscar parcerias. Assim, buscamos

através do UniFOA, que já se destaca em trabalhos sociais, uma parceria que beneficia ambas as partes. O UniFOA nos auxiliou nas obras, enquanto disponibilizamos vagas de estágio aos alunos dos cursos de Enfermagem e Serviço Social aqui mesmo no asilo” comentou. Para o presidente da FOA, Dauro Aragão, tanto a instituição que preside como o UnIFOA, não tem apenas a missão na área educacional, mas também a de participar ativamente da vida da comunidade de Volta Redonda e região. “Quando a direção do Lar nos procurou, apresentando a proposta, percebemos que a missão tinha uma grande identificação com a instituição. Nada mais justo do que estender a mão para ajudar a quem necessita de ajuda.” O Lar dos Velhinhos de Volta Redonda, fundado em 1963, atende atu-

Geraldo Antunes e Dauro Aragão.

almente a 93 internos, sendo 55 mulheres e 38 homens. Quem quiser ajudar a instituição pode entrar em contato pelo telefone 3343-2324 ou comparecer à sua sede, que fica na Rua Professor Maurício Gomes da

Silveira, nº 620, Monte Castelo. As doações fundamentais para o lar são fraldas geriátricas, produtos de higiene (em especial sabonetes), produtos de limpeza e alimentos não perecíveis.


Via Campus 5

INSTITUCIONAL

Peça de teatro feita por alunos desenvolve consciência ambiental “Desperdício” é apresentada em empresas e eventos da região Fotos: Divulgação

A

professora Dayse Cássia Fagundes e os alunos do curso de Engenharia Ambiental Felipe Yamamoto, do 4º período, Taís Meire Pena e Anna Beatriz Petrillo, do 2º período, encontraram uma nova forma de conscientizar as pessoas sobre os cuidados que devem ser tomados com o meio ambiente. Com a peça de teatro “Desperdício”, apresentada em empresas e eventos da região, eles mostram, de forma leve e divertida, que todos podem e devem fazer sua parte para ajudar a salvar o planeta. A encenação, que dura aproximadamente 20 minutos, fala de um jovem que se diz ambientalista e defensor do meio ambiente, mas, que na prática, revela uma total falta de consciência ecológica: ele deixa a televisão e o computador ligados mesmo fora de uso, deixa a torneira aberta por bastante tempo, e ainda faz muitas outras “pequenas” coisas que a maioria de nós fazemos. Taís explica que, com o desenrolar da peça, as pessoas observam as atitudes erradas do personagem e per-

Professora e alunos se juntam em prol do meio ambiente.

cebem que podem mudar o que está acontecendo. “A ideia de poder mudar a consciência das pessoas é bem inte-

ressante. Assim que a professora Dayse nos contou sobre a proposta do teatro ficamos motivados a participar. Nós rapidamente nos reunimos, bolamos

o roteiro e começamos a ensaiar.” A professora Dayse destaca que o ponto chave da peça é retratar como as pessoas são no que diz respeito à consciência ambiental. “Todos nós falamos por aí que preservamos o meio ambiente, mas, na verdade, fazemos muita coisa errada. Ao assistir à peça, as pessoas percebem que falam muito e fazem pouco”. Os quatro integrantes começaram a desenvolver a apresentação há poucos meses, por sugestão de um dos professores do curso. De acordo com Anna, a motivação para fazer a peça veio da possibilidade de amenizar os estragos causados ao meio ambiente. “Se todas as pessoas fizerem um pouco, as coisas serão bem melhores,” enfatizou. Para quem ainda não se convenceu sobre a importância de fazer parte do time que preserva o meio ambiente, Felipe deixa um recado. “É muito importante uma ação em conjunto de todos nós. Não adianta uma pessoa tomar atitude se um milhão não fizer nada. É necessário que todos compreendam e participem”.

II Semana da Língua Portuguesa reúne cerca de 300 pessoas

Em comemoração ao dia da língua portuguesa, comemorado em 5 de novembro, o curso de Letras promoveu, entre os dias 4 e 6, a II Semana da Língua Portuguesa do UniFOA. Cerca de 300 pessoas, incluindo alunos, professores - do UniFOA e de outras instituições - e comunidade participaram do evento, que promoveu a integração entre pesquisadores de estudos linguísticos e literários e alunos do curso. As palestras, ministradas no auditório do Clube dos Diretores Lojistas de Volta Redonda (CDL), ficaram por conta do autor e professor da USP José Luiz Fiorin e dos professores da UERJ José Carlos de Azeredo e André Nemi Confort. De acordo com o professor Fiorin, o evento não foi proveitoso só para os alunos. “Há muito não falava para uma

plateia tão atenta. Não me admira que o curso de Letras do UniFOA tenha tirado nota máxima no Enade,” elogiou o professor. Além das palestras, foram realizados minicursos sobre diversos assuntos no campus Aterrado. Segundo a coordenadora do curso, Cláudia Maria Gil Silva, os minicursos proporcionaram aos alunos a possibilidade de desenvolver sua capacidade intelectual. “As palestras foram ótimas e os alunos tiveram contato com pesquisadores de ponta sem precisar sair da cidade. Já com os minicursos, eles foram incentivados a ler, interpretar e analisar textos”, afirmou Claúdia. Para o aluno Álvaro Monteiro Carvalho, do 5º período, o evento foi muito bom graças à sua organização. “Tanto os professores quanto os alunos que

Evento reuniu grandes nomes da área.

fizeram parte da organização do evento estão de parabéns. Além das palestras e

dos minicursos que foram muito bons, a dedicação e o comprometimento da organização foram fundamentais”.


INSTITUCIONAL

Via Campus 8


Via Campus 9

VI Jornada Científica da Fisioterapia

A

INSTITUCIONAL

fim de incentivar a pesquisa científica e aprimorar o conhecimento técnico dos alunos, o curso de Fisioterapia promoveu, nos dias 3 e 4 de novembro, na clínica do curso, no campus Olezio Galotti, em Três Poços, a VI Jornada Científica da Fisioterapia. O evento, que teve a participação de mais de 100 pess oas, entre alu no s e c on vid a dos, contou com apresentação de artigos científicos dos alunos e trabalhos de conclusão de curso (TCC) dos formandos. Segundo a professora responsável pelo evento, Paola Imbroinise, o tema dos artigos foi “Patologias Raras” e até mesmo os professores se surpreenderam com as descobertas dos alunos. “O interessante é que todos os artigos foram desenvolvidos basea-dos nos pacientes da própria clínica, com quem os alunos tem uma relação direta. Nos surpreendemos com as descobertas deles, desta-

cou Paola. “Os alunos ganharam preparo e conhecimento científico, o que será fundamental para quando estiverem formados e desejarem publicar seus artigos e trabalhos,” completou. Para a estudante Ana Carolina Carelli, do 7º período, o desenvolvimento dos artigos foi importante para sua formação. “Foi bom fazer e apresentar um artigo científico antes de estar formada porque já me sinto preparada para apresentar outros quando for profissional. Agora eu sei exatamente como fazer minhas publicações”, afirmou Ana. Segundo Leda Nogueira, também do 7º período, o evento serviu, também, para divulgar o curso. “Atra-vés dos artigos e TCC’s conseguimos mostrar para as pessoas, principalmente aos convidados, a importância da Fisioterapia. Nós temos espaço no mercado de trabalho e comprovamos isso através de nossas apresentações”.

Fotos: Edison Júnior

Evento mostra a importância do profissional de fisioterapia.


Via Campus 10

INSTITUCIONAL

III Seminário do Escritório da Cidadania

Foto: Divulgação

Os cursos e o mercado de trabalho do ponto de vista do aluno

Três palestras específicas foram ministradas. Maria Aparecida Martins de Britto 7º Período de Ciências Contábeis

Para falar do curso de ciências contábeis, não posso deixar de contar um pouco da minha história profissional. Comecei a trabalhar aos 16 anos de idade e, desde então, sempre fiquei responsável pela parte financeira das empresas. Foi tudo uma feliz coincidência. Comecei a me familiarizar com execução de débitos e créditos, estoques, fluxo de caixa, custeio de produtos e muitas outras atividades de responsabilidade do contador. Conheci tudo que podia na prática, mas percebi que estava sentindo falta da teoria, eu precisava entender os porquês. E então eu comecei o curso de ciências contábeis e senti que estava em casa. Me encontrei profis-sionalmente. Aprendi na teoria, através de estudos e comprovações, o que já fazia parte da minha vida. Com o decorrer do curso, fui agregando cada dia mais conhe-cimento e aprimorando meu potencial, rodeada por profissionais e professores

inteligentes e capacitados. Atualmente, trabalho na parte fiscal e tributária de uma grande empresa, e posso dizer que ainda fico encantada com este universo de informações. Cuido das importações e da parte de custos, o que considero fascinante. Para aqueles que estão iniciando na profissão, digo que o ponto chave de um bom contador é buscar sempre o máximo de informações que puder sobre esse “mundo dos negócios”. Também é impres-cindível aprender o processo inteiro de uma produção até chegar ao resultado, ao balanço patrimonial. Um contador precisa sair de trás da mesa e estar junto à sua empresa, ajudando a gerenciar os negócios e fazendo parte dele. Por fim, é preciso ter inteligência e humanidade, já que lidamos não só com números, mas também com pessoas.

O

Escritório da Cidadania, através do Núcleo de Práticas Profis sionais, realizou, nos dias 10, 11 e 16 de novembro, no campus Vila, o III Seminário do Escritório da Cidadania, que contou com três palestras, sendo uma para cada núcleo (Núcleo de Práticas Contábeis, Núcleo de Prática Jurídica e Núcleo do Serviço Social). De acordo com o responsável pelo Núcleo de Práticas Profissionais, Dario Aragão Neto, o evento é fundamental para o aprimoramento profissional dos acadêmicos. “Temos como objetivo principal aprimorar a prática profissional do acadêmico, reforçando a nossa missão no Escritório da Cidadania,” explicou. A primeira palestra a ser apre-sentada foi “Custas Processuais, Taxas Judiciárias, Emolumentos e sua importância no Sistema Jurídico Atual” voltada aos alunos do curso de Direito, ministrada por Selma Serra de Figueiredo, escrivã da 4ª Vara Cível de Volta Redonda. Segundo Selma, esse é um tema fundamental para o estudante de Direito, mas que ainda não faz parte da matriz curricular. “Considero extremamente impor-

tante tratar desse tema, que infelizmente não se aprende na sala de aula. Sinto-me honrada pelo convite da instituição para dar dicas tão importantes aos acadêmicos.” A segunda palestra foi ministrada pelo professor do curso de Ciências Contábeis Hyder Marcelo Araújo Lima, que falou sobre “Dicas para se livrar das dívidas e ter uma boa saúde financeira”. Segundo ele, as pessoas endividadas acabam acumulando vários problemas, incluindo estresse e baixo rendimento no trabalho. “Uma dica importante para aqueles que querem economizar é fazer uma lista antes de sair de casa. Essa é uma forma simples e eficaz de não gastar muito e ter de onde tirar num momento de precisão,” explicou Hyder. A última palestra foi voltada para o curso de Serviço Social. Com o tema “Afinal, o que é família? Reflexões sobre sua organização e respon-sabilidades na contemporaneidade”, a palestra ministrada pela professora Daniele Santa Bárbara abrangeu temas importantes relacionados ao papel da família enquanto instituição.


INSTITUCIONAL

Via Campus 11

FOA firma convênio com Prefeitura de Quatis A

Fundação Oswaldo Aranha e a Prefeitura Municipal de Quatis assinaram, no dia 4 de novembro, um convênio que proporcionará o internato rural para 20 alunos do 11º e 12º períodos do curso de medicina que, sob a supervisão de um tutor, prestarão serviços nas unidades de saúde da família, nas comunidades rurais da cidade e no Hospital Municipal São Lucas, mantido pela Associação de Proteção à Maternidade e Infância de Quatis. O convênio, que terá duração de 10 anos, foi assinado pelo presidente da Fundação Oswaldo Aranha, Dauro Aragão, pelo reitor do UniFOA, Alexandre Habibe e pelo prefeito de Quatis, José Laerte D´Elias. Segundo o coordenador administrativo do curso de medicina, Mauro Tavares, os acadêmicos prestarão serviços em plantões de emergência, área cirúrgica, PSF e ambulatórios, além de planejamento de gestão na área da saúde propondo ao município políticas de diagnósticos e medidas saneadoras em seus diversos níveis de saúde municipal. Para José Laerte, esse convênio é um sonho de mais de 10 anos que se torna realidade. “Temos certeza de que os nossos moradores e visitantes se sentirão ainda mais seguros com a presença dos acadêmicos que reforçarão em muito o nosso serviço de saúde”, afirmou. Para Dauro Aragão, essa é uma forma do UniFOA estar ainda mais próximo da comunidade,

Foto: Divulgação

Dauro Aragão e José Laerte assinam o termo do convênio.

além de permitir aos alunos que farão parte do internato conhecer uma outra realidade, permitindo mais ganho ao seu conhecimento e preparando-os

ainda mais para a vida profissional. O internato terá início na primeira quinzena de janeiro de 2010.


INSTITUCIONAL

Via Campus 12


Via Campus - Dezembro/2009  

O Caderno Universitário do UniFOA

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you