Page 1

caderno neurônio • Mario Sergio Cortella • Flávio Gikovate • Luiz Felipe Pondé • Carlos Júlio • Xico Sá

ano 14 • edição 170 • fevereiro 2014

j.r. Duran: “Com mulher não tem jeito. Você tem que fazer o que elas querem”

VR170_01_Capa C.indd 1

novidade na região

Alphaville ganha seu primeiro coworking. Uma oportunidade para empreendedores criativos MAIS ATITUDE Campanha terá prêmio para empresas e pessoas de atitude positiva na região

2/18/14 11:56 AM


sumĂĄrio

12 Coquetel O que tem de novo!

16 Entrevista O jornalista esportivo Milton Neves fala de sua histĂłria e, claro, da Copa do Mundo

22 Orgânico Creative Coworking O primeiro espaço compartilhado de trabalho de Alphaville

24 Atitude Alphaville Os voluntĂĄrios vĂŁo fortalecer ainda mais a campanha. Empresas e pessoas serĂŁo homenageadas

36 PortfĂłlio DĂŠcor Os projetos da arquiteta, designer de interiores e paisagista Ana Cristina Fazzio

42 Swiss Education Group Os melhores do mundo em hospitalidade e hotelaria

108 Persona Edson Troccoli: o homem-pĂĄssaro

MEGARROTEIRO

VERO O guia reúne 49 dicas diferentes de serviços, empresas e profissionais

63 66 70 78 86

DIRETOR Marcos Lage Gozzi qNBSDPT!WFSPDPNCS GERENTE Roberta Furlan qSPCFSUBGVSMBO!WFSPDPNCS EDITOR EXECUTIVO Chico Max qDIJDPNBY!WFSPDPNCS

Educação

EDITORA Caroline Marques

DĂŠcor

qDBSPMJOF!WFSPDPNCS REPORTAGEM Gabriela Ribeiro

ImĂłveis SaĂşde & Beleza

COLABORADORES DE TEXTO JosÊ Gabriel Navarro, Maria Helena Pugliesi, Suzane G. Frutuoso e Tom Cardoso DESIGN Chico Max (direção), Janaína Diniz (designer) e Eduardo Prieto (estagiårio)

Autos

90

Gastronomia

92

Shopping

94

GestĂŁo Financeira

94

Terceirização de Serviços Diagnóstico Veterinårio

96

VERO

FOTOGRAFIA Rodrigo Sacramento REVISĂƒO 3GB Consulting PRODUĂ‡ĂƒO GRĂ FICA Daniel Vasques COMERCIAL Fernanda Junqueira, Luiz Vasconcellos, Nayane Lopes, Pupi Serra e Maria Dulce Toledo (assistente)

GRUPO VERO EDITORA LAGE & IVANESCIUC LAGE & IVANESCIUC COMUNICAĂ‡ĂƒO LAGE & IVANESCIUC SERVIÇOS Al. Rio Negro, 585, Ed. Jaçari, Cj. 44/45, Alphaville, Barueri/SP (11)4195-9666 SFQPSUBHFN!WFSPDPNCS BOVBSJP!WFSPDPNCS vero.com.br DIRETOR DE OPERAÇÕES Walter Coscia

Cortella

PondĂŠ

Gikovate

Carlos JĂşlio

Xico SĂĄ

51 Caderno NeurĂ´nio

“O cara demora mais pra sair da casa dos pais, o cara demora mais pra ter filho, o cara ĂŠ um ser demorado, folgado, que foge do vĂ­nculo dos compromissos Ă  moda antigaâ€? Xico SĂĄ

18 VERO 15 anos

No 15º aniversårio, a VERO não só comemora, mas tambÊm traz novidades e mudanças. Saiba quais!

28 Capa

J.R. Duran: descubra quem ele ĂŠ, alĂŠm de fotĂłgrafo dos ensaios da Playboy

GERENTE FINANCEIRA AndrĂŠa Rodrigues qBOESFB!WFSPDPNCS DEPARTAMENTO FINANCEIRO Lilian Merçon (assistente financeira) e Weslley Damasceno (auxiliar financeiro) DEPARTAMENTO DE OPERAÇÕES Emanuelle Coelhas (assistente de infraestrutura) CTP, IMPRESSĂƒO E ACABAMENTO GrĂĄfica Burti 20 mil exemplares FOTO DA CAPA Autorretrato J.R. Duran


editorial

A gente se vê!

A

o completar 15 anos, o Grupo VERO tem grandes desafios pela frente. Para nós, este é o ano de iniciar um capítulo ainda mais relevante da nossa história. Além da novíssima Atitude Alphaville, campanha que incentiva ações positivas em prol da comunidade, apresentamos nesta edição uma reconfiguração significativa: o grupo passa a atuar com três empresas – VERO (responsável pela revista de mesmo nome), SOMMA (que vai cuidar da Vero Café, que a partir de fevereiro se chamará Somma, e dos já consolidados anuários) e Spaghetti (empresa de eventos responsável, por exemplo, pelo Festival Gourmet). As novas empresas vão compor o primeiro

coworking de Alphaville, o OrgâniCO Creative Coworking. Essa maneira de organização começou em 2002, na Áustria, e prevê o compartilhamento de espaço por pequenas empresas e profissionais liberais. Em pouco mais de uma década, o coworking se expandiu mundo afora (hoje já são mais de 2.500 espaços neste modelo). No meio de tantas mudanças, decidi mudar também. Agitada como sou, sempre estive em constante movimento. Por isso, decidi que é hora de voar mais longe. Me despeço da função de editora da VERO. Deixo para todos os leitores, parceiros e amigos o meu superobrigada.

Beijos e até a próxima vez!

CAROLINE MARQUES Editora


coquetel

RUGBY

A Arena Barueri vai sediar, nos dias 21 e 22 de fevereiro, o Circuito Mundial Feminino de Rugby Sevens 2013/2014 (Women Sevens World Series). O estĂĄdio jĂĄ recebeu alguns eventos da modalidade, como o Campeonato Brasileiro de Rugby Super 10. As equipes participantes sĂŁo Brasil, AustrĂĄlia, Argentina, CanadĂĄ, EUA, Holanda, Espanha, Inglaterra, Irlanda, JapĂŁo, Nova Zelândia e RĂşssia. Os ingressos poderĂŁo ser adquiridos na prĂłpria Arena, e a expectativa ĂŠ receber 10 mil pessoas somando os dois dias. ARENA BARUERI – AV. PREFEITO JOĂƒO VILA-LOBOS QUERO, 1.001 JARDIM BELVAL – (11)4198-8898 – ARENABARUERI.COM

+ FIBRA ALPHAVILLE

A Fibra Alphaville inaugurou a segunda loja na região, no Shopping TamborÊ. A loja oferece objetos decorativos como quadros – em sua maioria com gravuras importadas dos Estados Unidos e Canadå – e esculturas. Outros destaques são as peças Êtnicas da IndonÊsia, como móveis, budas, ganeshas, måscaras de parede, lanternas e abajures.

ADOTE UM

FIBRA ALPHAVILLE – SHOPPING TAMBORÉ – LJ 405 – (11)4191-6477 FIBRAALPHAVILLE.COM.BR

Carl’s Jr. no Shopping TamborÊ

A rede californiana de fast-food, com 70 anos de tradição, acaba de abrir a sua primeira unidade na região. Entre os hambúrgueres oferecidos no menu, destaca-se o Western Bacon Cheeseburger, que leva molho barbecue, bacon, cheddar derretido e rodelas de cebola crocante por cima do hambúrguer de carne bovina grelhada na brasa. Oferecem tambÊm opçþes light como o Low Carb Thickburger, feito de hambúrguer grelhado, cebola, tomate, picles, mostarda, maionese e cheddar, envoltos em uma folha inteira de alface, em vez de ser servido em um pão. O refil do refrigerante Ê gratis. CARL’S JR. – SHOPPING TAMBORÉ (11)4193-8680 – CARLSJR.COM

12 | VERO | FEVEREIRO | 2014

BICHINHO NOVIDADE NO ALPHA SQUARE Previsto para este mês, o Bistrô da Sara abre suas portas no Alpha Square Mall. Hå 15 anos no Bom Retiro, o restaurante, que tambÊm comanda a cozinha do Theatro Municipal de São Paulo durante o almoço, mistura em seus pratos vårias especiarias e ervas. Conta com opçþes vegetarianas, peixes e carnes. BISTRÔ DA SARA – ALPHA SQUARE MALL (11)4195-2464

Agora o Centro de Controle de Zoonoses da Secretaria de Saúde de Barueri mantÊm postos permanentes para adoção de cães e gatos. Todos os animais, de raça ou não, são oferecidos gratuitamente jå com o RGA (Registro Geral do Animal). É necessåria a apresentação de RG, CPF e comprovante

de residência do responsåvel. AlÊm da tenda, que fica aos såbados no estacionamento do Ganha Tempo, hå os seguintes postos (em todos, o horårio para adoção Ê das 9h às 13h, exceto na Feira Noturna, das 18h às 21h): q4FHVOEBTF quartas-feiras: na Av. 26 de Março, boulevard central, ao lado do Balcão de

Informaçþes de #BSVFSJq5FSĂˆBT feiras: na Estrada Velha de Itapevi, no Jardim Paulista, e na Feira Noturna, no estacionamento no GinĂĄsio Poliesportivo JosĂŠ CorrĂŞa – regiĂŁo central. q2VJOUBTGFJSBT no Jardim Silveira, ao lado do campo de futebol. q4FYUBTGFJSBT na avenida ZĂŠlia, s/n, prĂłximo ao Pronto-Socorro.

SECRETARIA DE SAĂšDE DE BARUERI – RUA PROF. JOĂƒO DA MATTA E LUZ, 262 – CENTRO – BARUERI (11)4199-3100 – BARUERI.SP.GOV.BR


2014 | FEVEREIRO | VERO | 13


coquetel

PRA SOLTAR A IMAGINAÇÃO

MUITA DIVERSÃO

O Shopping Tamboré está com várias novidades na programação: até o dia 10 de fevereiro, um circuito de minigolfe fica montado em uma área de 64 m² em frente ao Cinemark, com seis pistas e níveis diferentes de dificuldade. Os jogadores precisam ter no mínimo quatro anos. A brincadeira sai por R$10. Até o dia 23 de fevereiro, o Circo Maximus estará por lá com apresentação de mágicos, palhaços, malabaristas e contorcionistas, além do globo da morte e um show especial com trapezistas. O espetáculo dura duas horas. O valor do ingresso é R$40, inteira, e R$20, meia, e a bilheteria fica no estacionamento do shopping. E para quem gosta de adrenalina, também foi montada uma pista de kart, com circuito de 350 m, localizada no estacionamento G5. A atração é dividida em duas categorias: infantil, R$30; e adulto, R$35. Cada bateria dura dez minutos.

Um dos brinquedos mais conhecidos do planeta está no IguatemiAlphaville até o dia 9 de fevereiro. A Oficina de Criação LEGO fará as crianças de 3 a 12 anos desenvolverem a criatividade, coordenação motora e o raciocínio lógico. Além de brincar, os pequenos poderão tirar fotos com as esculturas feitas com os blocos, expostas no local. O espaço está localizado no Piso Rio Negro, e funciona todos os dias, das 14h às 20h. O tempo de permanência é livre, porém, em caso de filas, será limitado a 20 minutos por participante. A entrada é free. OFICINA DE CRIAÇÃO LEGO IGUATEMI ALPHAVILLE PISO RIO NEGRO – (11)2078-8000 IGUATEMIALPHAVILLE.COM.BR

SHOPPING TAMBORÉ – (11)2166-9702 SHOPPINGTAMBORÉ.COM.BR

Patinação no Parque Shopping A pista de patinação Roller Jam, sucesso nos anos 70 e 80, estará no Parque Shopping Barueri até o dia 10 de março, de segunda a sábado, das 10h às 22h, e aos domingos e feriados, das 14h às 20h. A primeira hora sai por R$20, e na segunda hora o cliente tem desconto de 50%. A classificação etária para brincar é livre, mas crianças com até 5 anos precisam estar acompanhadas dos pais ou responsáveis. PISTA DE PATINAÇÃO ROLLER JAM PARQUE SHOPPING BARUERI – (11) 4688-6800 PARQUESHOPPINGBARUERI.COM.BR

A TURMA DA MÔNICA EM BARUERI No dia 9 de fevereiro, às 16h, o Teatro Municipal de Barueri recebe a Turma da Mônica com o espetáculo Um Plano para Salvar o Planeta. A peça é para toda a família e mostra, de forma esperançosa e divertida, como combater as agressões que o planeta sofre diariamente. Os ingressos custam R$50 (inteira) e R$25 (meia) e podem ser adquiridos pelo callcenter (11)2093-3176 ou no teatro, das 14h às 19h. A TURMA DA MÔNICA – TEATRO MUNICIPAL DE BARUERI – R. MINISTRO RAPHAEL DE BARROS MONTEIRO, 255 – JARDIM DOS CAMARGOS – BARUERI (11)4198-0972 – BARUERI.SP.GOV.BR

14 | VERO | FEVEREIRO | 2014

Praticar esportes com saúde Foi inaugurada em Alphaville a Clínica Esportiva, um espaço totalmente voltado para o bem-estar. Conta com uma equipe multiprofissional: médico esportivo, nutricionista, treinador – que auxilia na montagem de treinos específicos e tira dúvidas sobre os melhores exercícios. Conta com psicólogo – para ajudar em casos de estresse e desequilíbrios físicos e emocionais –, além de nutrólogo e fisioterapeuta. CLÍNICA ESPORTIVA CENTRO COMERCIAL ALPHAVILLE PÇA. DAS TULIPAS, 84 (11)4208-4127 CLINICA ESPORTIVA. COM.BR


2014 | FEVEREIRO | VERO | 15


entrevista

Não vai dar Brasil

O jornalista esportivo Milton Neves, um ícone da profissão, indica suas impressões sobre como será a Copa do Mundo no Brasil por Suzane G. Frutuoso retrato Chico Max

16 | VERO | FEVEREIRO | 2014


J

ornalista, apresentador de rádio e TV, empresário, colunista. Milton Neves é o típico multitarefa, atuando em todas as frentes que seu talento e voz tão marcante permitem. E não bastassem tantas atividades, ele ainda acrescenta pitadas de polêmica ao seu trabalho. Conhecido por dizer o que pensa, Milton concedeu entrevista à VERO logo depois de voltar de férias com a família. Contou sobre como se apaixonou pelo rádio, pelo futebol e quais são suas impressões sobre o que esperar da Copa do Mundo no Brasil, que se aproxima. Filho ilustre de Muzambinho, cidade mineira de 20 mil habitantes, e morador de Alphaville há uma década, acredita que o evento vai deixar um legado positivo, ao contrário do que dizem os pessimistas. Sonhou em ser jogador de futebol? Claro! Como todo garoto que, nos anos 50 e 60, acompanhou a história de gênios do futebol, também pensei em jogar. Tentei, sonhei, vibrava com o Santos pelo rádio. Mas eu era o pior. Aliás, não tenho nenhum talento manual. O meu único talento mesmo é falar.

E como se apaixonou pelo rádio? Quando meu pai morreu, passei a ser criado na casa da minha tia, lá na cidade mineira de Muzambinho, onde nasci. Um dia, meus primos estavam ouvindo Santos x Palmeiras na Rádio Record. Escutei uns três minutos, mas logo voltei para o quintal, para brincar em uma jabuticabeira. Voltei uns 30 minutos depois e meus primos estavam tristes porque o Santos havia perdido. “Como esse meio de comunicação desperta um sentimento forte”, pensei. Assim, aos 8 anos, me apaixonei pelo poder do rádio. Quando veio para São Paulo, o jornalismo esportivo já era seu objetivo? O foco era rádio esportivo, sim. Vim para fazer faculdade. Já sabia

que poderia trabalhar com rádio. Descobri com 16 anos, depois de uma tarde no cinema em Muzambinho. Um morador testava um alto-falante na calçada quando eu passava com dois amigos. Ele me chamou: “Miltinho, fala qualquer coisa aí para testar”. Falei no improviso: “Vamos ajudar a igreja de São José”. Meus amigos disseram que eu tinha uma voz bonita. Mas me animei mesmo quando uma moça veio elogiar minha voz. Aí, voltei lá e pedi pra falar mais um pouco sobre a igreja, de um jeito mais caprichado. Vieram umas 30 pessoas elogiar minha voz. Dali mais um mês, foi montada uma rádio local, e me chamaram para trabalhar. Com a internet ocupando cada vez mais espaço, qual o futuro do rádio? Quando o empresário Assis Chateaubriand lançou a televisão no Brasil, nos anos 50, todo mundo disse que era o fim do rádio. Não aconteceu. Pelo contrário. Hoje, graças à internet, o rádio se tornou melhor. Qualquer rádio, de qualquer lugar do mundo, pega em qualquer lugar. Um dias desses ouvi a rádio de Muzambinho durante minhas férias em Aspen, nos Estados Unidos, pela internet. A rede salvou e aumentou a capacidade das transmissões. E com o trânsito parado das grandes cidades, o rádio virou uma importante companhia. Todo mundo houve, como nunca.

os passageiros até o terminal! Tudo isso para dizer que os torcedores, brasileiros e estrangeiros, vão enfrentar verdadeiras tragédias por conta de infraestrutura. Acredita que a Copa vai deixar um legado econômico positivo para o país? Os pessimistas dizem que não vai sobrar nada. Claro que precisa de hospital e escola. Mas desde a Copa de 50, que também aconteceu no Brasil, continuamos sem escola e hospital. E olha há quantos anos não temos um evento esportivo desse porte. Apesar dos assustadores saltos de orçamento, vai entrar muito dinheiro no país com os turistas. Vai ter legado, sim.

O vizinho Morador de Alphaville há dez anos, Milton escolheu o bairro em busca de mais privacidade. Hoje casado, pai de três filhos e já avô, ele

A seleção brasileira está preparada para conquistar o Hexa? Não vai dar Brasil, não. Se for, será com muita dificuldade.

lembra da época em que morava no bairro Campo Belo, na capital paulista. "Lá todos me conheciam. Em Alphaville, quebrei a cara

O Brasil está preparado, do ponto de vista do evento, para oferecer uma Copa de qualidade? Não. Vou te dar um exemplo. Recentemente fiz uma viagem rápida a trabalho para Buenos Aires. Na volta, depois de duas horas e meia de voo até Cumbica, o avião aterrissou e ficou parado por 20 minutos, com as portas fechadas. Questionei a aeromoça sobre a demora. Ela disse que não tinha escada para os passageiros descerem. Qualquer aeroporto decente no mundo tem finger, aqueles corredores para desembarque. E quando chegou a escada, não tinha ônibus para levar

Acha que durante a Copa, assim como na Copa das Confederações, manifestações estão por vir? As manifestações são legítimas e devem ocorrer de novo. Há muito o que melhorar no país.

(risos). Como estou em uma cidade do interior, todo mundo se

Na sua opinião, por que a Arena Barueri não foi escolhida para a Copa? A Arena Barueri é uma construção muito boa. Só não foi escolhida por questões políticas. Disseram que um dos motivos é porque a Castelo fica parada com trânsito. Mas o que não fica parado em São Paulo com trânsito? A Arena tinha perfeitas condições de sediar os jogos.

conhece. Mas não reclamo. Faz parte. O dia em que não quiserem conversar comigo e tirar foto, acabou minha carreira. Adoro receber esse retorno das pessoas e trato bem quem vem falar comigo. Faço questão.”

Por fim, acha que o clima da Copa vai incentivar o esporte na região? O que emplaca em São Paulo emplaca no Brasil. Incluindo a região de Alphaville. Vai fomentar o esporte. Vai ferver em eventos esportivos. Não diria que, durante a Copa, o turista virá à região para passear. Mas os imóveis podem impressionar e atrair compradores estrangeiros. Inclusive atletas.

2014 | FEVEREIRO | VERO | 17


renovação

VERO entra no 15º ano com novidades

Novo escritório, novas empresas, campanha pela valorização de Alphaville e eventos exclusivos por Suzane G. Frutuoso

18 | VERO | FEVEREIRO | 2014

O primeiro coworking de Alphaville já está em funcionamento na atual sede da Vero


N

o ano de 2000, o mercado editorial brasileiro somava 185 títulos, mas apenas 80 continuaram até 2011. No mesmo período, outros 305 novos veículos foram lançados, dos quais 162 foram descontinuados. Dados como esses, do IVC (Instituto Verificador de Circulação), mostram que permanecer no mercado editorial brasileiro é um grande desafio. Ao entrar no seu 15º ano de vida, a VERO comemora não apenas seu aniversário, mas também todo o crescimento conquistado, com grandes novidades. Além da revista mensal, focada nos moradores da região de Alphaville, Tamboré e Aldeia da Serra e hoje líder na região, de acordo com pesquisa do Datafolha, outros

importantes projetos foram consolidados neste período. E agora uma nova fase se inicia. A linha de anuários – também distribuída para o mesmo público da VERO, com publicações nas áreas de arquitetura & design, saúde & beleza e sabor & gastronomia – e a VERO Café, revista mensal focada no público que trabalha na região, ganharam força e agora passam a fazer parte da nova empresa SOMMA, com administração independente. A revista lançada como VERO Café terá ainda mais identidade e passa a ser chamada Revista Somma. E os anuários agora são Indicador Saúde Somma, Sabor & Gastronomia Somma e Portfólio Arquitetura & Design Somma. Outra novidade para celebrar os 15 anos é a campanha Atitude

Abaixo, produtos do Grupo VERO: os anuários SOMMA, a revista VERO Café, que passa a se chamar Revista SOMMA, a tradicional revista VERO. Por último, o Festival Gourmet, da Spaghetti Eventos

Alphaville, iniciativa da Revista VERO, lançada na edição de janeiro. O movimento incentiva relações mais saudáveis e cordiais na região, para despertar nas pessoas a sensação de pertencimento a essa comunidade e tornar mais agradável a convivência diária por aqui, com ações previstas para todo o ano de 2014, sempre baseadas nos três pilares – Mais Gentileza, Mais Cultura e Mais Alegria (veja mais na pág. 30). Já a Spaghetti Eventos, empresa da qual a VERO é sócia, continua sendo responsável pelas principais festas da revista e outros grandes eventos, como o Festival Gourmet. “E estamos preparando algo inesquecível para celebrar os 15 anos da VERO” afirma Lurdinha Capobianco, sócia da Spaghetti.

2014 | FEVEREIRO | VERO | 19


DIVIDIR PARA GANHAR DINAMISMO Amigos desde a adolescência em Alphaville, sócios desde 1996 na extinta Qualipress e desde 1999 na VERO, Marcos Lage e Marcelo Ivanesciuc agora decidiram separar as operações na área de conteúdo e eventos. “Operar com CNPJs diferentes para nós significa que cada empresa – VERO, Somma e Spaghetti – poderá traçar seus caminhos com mais independência e agilidade. Mas estaremos sempre juntos, como empresas irmãs”, afirmam Marcos Lage, que segue com a VERO e a Spaghetti, e Marcelo Ivanesciuc, agora à frente da Somma Conteúdo. Em nova fase, a dupla, com quase 20 anos de parceria, apresenta a grande novidade do ano em uma área totalmente nova. Marcos e Marcelo agora são sócios em uma nova empreitada: o OrgâniCO Creative Coworking, um espaço de trabalho compartilhado que vai servir tanto à VERO, Somma e Spaghetti quanto a profissionais autônomos e pequenas empresas. O ambiente visa estimular a troca de experiências, conhecimentos e ideias (saiba mais na página xx). A novidade traz ainda a renovação de outra parceria bem-sucedida. Walter Coscia, após oito anos no grupo, torna-se sócio de Marcos e Marcelo no OrgâniCO, assumindo junto com eles o desafio do primeiro coworking da região, que tem como principal diferencial o foco em reunir empresas e profissionais da área criativa, como agências de comunicação, fotógrafos, arquitetos, designers, empresas de tecnologia ou de outros ramos em que a inovação esteja em pauta. A seguir, acompanhe entrevistas com Marcos e Marcelo, sobre os próximos passos.

Ampliando identidades MARCELO IVANESCIUC, DIRETOR SOMMA

MARCOS GOZZI, DIRETOR VERO e SPAGHETTI

Sede do Grupo VERO, na Al. Rio Negro, que já está preparada para receber os primeiros profissionais na fase experimental do coworking

Por que adotar esse novo formato? Marcos: Queremos fortalecer a vocação de cada negócio. Com mais foco e maior autonomia, cada empresa se torna mais eficiente, e as equipes ganham em agilidade. Trata-se nãode uma ruptura, mas de um movimento planejado que se iniciou em 2008, com a criação de núcleos de negócios, uma decisão que se mostrou bastante acertada e agora é consolidada com a criação da Somma Conteúdo. Como vai funcionar a Somma Conteúdo? Marcelo: Nesse novo formato, somos responsáveis pelos Anuários de Saúde, Gastronomia e Decoração & Arquitetura – guias de profissionais, produtos e serviços da região. E a partir de agora, além dos moradores, também atenderemos a população diária de 200 mil pessoas que trabalham aqui, atendidos pela VERO Café, que agora se chama Revista Somma. Essa mudança marca ainda mais essa convergência. Por exemplo, agora quem anuncia nos anuários também será divulgado na Revista Somma todos os meses. Por que investir em publicações tão específicas? Marcelo: A região apresenta um crescimento contínuo, tanto de moradores quanto de empresas e profissionais que estão chegando. O

20 | VERO | FEVEREIRO | 2014

mercado precisa conhecer tudo isso, de forma organizada e interessante, como fazem nossas publicações. Os guias ajudam nesse sentido, e agora teremos mais foco e independência para tornar a Somma ainda mais relevante dentro dos segmentos em que atua. Como surgiu a ideia de criar um coworking? Marcos: A intenção de trazer esse conceito para Alphaville começou em 2010. Desejávamos uma maior oxigenação para a VERO, em que pudéssemos adotar um modelo de operação mais leve e criativo, sem perder o foco na geração de resultados. Encontramos no coworking uma forma capaz de estimular o desenvolvimento de novos modelos de negócio, novas parcerias e permanente troca de experiências. Qual é o maior desafio dessa nova fase? Marcos: Equalizar todas as expectativas e ansiedades quanto ao novo modelo de operação será essencial. A resposta está justamente no lançamento do OrgâniCO, que visa transformar e impactar positivamente o local onde estamos. Para isso precisamos promover uma cultura mais consciente e coletiva, que impacte no crescimento positivo da região. Não significa reinventar a roda, mas repensar como a roda pode girar a favor de mais de pessoas.


2014 | FEVEREIRO | VERO | 21


novidade na região

Compartilhar para multiplicar

FOTOS FLICKR

Coworking é o ambiente ideal para estimular a criatividade, aproximar contatos e gerar negócios. O conceito agora chega a Alphaville

A

ideia de compartilhar ganhou força nos últimos anos, um comportamento das redes sociais transferido para o cotidiano e para o mercado de trabalho. Com esse espírito, pautado pela sinergia e por valores semelhantes, nasceu o coworking (termo em inglês para “trabalhando em conjunto”). No dia 9 de agosto, é celebrado mundialmente o CoWorking Day. O conceito evoluiu a partir de 2002, com uma iniciativa austríaca de um centro compartilhado para empreendedores, depois para uma rede londrina de inovadores, até chegar ao modelo de hoje. O primeiro espaço de coworking, o Citizen Space (em São Francisco), foi inaugurado em 9 de agosto de 2005. No Brasil, o primeiro nasceu em São Paulo, em 2008: Impact Hub. Esta rede internacional, com endereços na Vila Madalena e na

22 | VERO | FEVEREIRO | 2014

região da Paulista, aceita uma vasta variedade de profissionais – o que já envolve 7.000 pessoas: empreendedores, investidores sociais, freelancers, ativistas, criativos, consultores, estudantes, educadores e qualquer pessoa ou organização interessada em compartilhar experiências e ambiente de trabalho. Em 2011, a Deskmag, revista especializada em coworking, realizou uma pesquisa com 650 pessoas em 25 países, indicando que já existiam 2.500 escritórios compartilhados no mundo. E segundo o Movebla – blog sobre coworking que, em parceria com o CoworkingDay.org, criou um mapa dos espaços no Brasil –, no Brasil já são 101 escritórios.

POR QUE COWORKING? Além de compartilhar estrutura com excelente custo-benefício, outra vantagem da prática é a in-

Um dos coworkings mais conhecidos do mundo, o Impact Hub Madrid fica bem no centro da cidade. Lá, empresários, startups, investidores sociais, profissionais liberais e artistas dividem o mesmo espaço de trabalho

teração, o que não acontece com quem opta pelo home office ou por escritórios virtuais. Compartilhar o espaço de trabalho permite colaboração e troca de informações que impulsionam a criatividade, o complemento de conhecimentos e até a geração de novos negócios. No coworking, os empreendedores e profissionais autônomos continuam trabalhando de forma independente. Porém, os custos da infraestrutura do espaço compartilhado são divididos de acordo com os serviços utilizados. Assim, o profissional foca ainda mais na sua demanda, sem deixar de lado a convivência profissional. Em geral, os escritórios compartilhados contam com Wi-Fi, espaço de convivência, salas de reunião, cafeteria, copa/cozinha, espaço para eventos, armários, cadeiras ergonômicas, impressoras, scanners, pro-


RANKING DOS PAÍSES QUE MAIS UTILIZAM O COWORKING 1º Estados Unidos (781) 2º Alemanha (230) 3º Espanha (199) 4º Inglaterra (154) 5º Japão (129) 6º França (121) 7º Brasil (95) ***Dados da rede global Deskwanted

jetores. Nas grandes cidades, é bem comum que os coworkings ofereçam, ainda, bicicletário e vestiário.

PRIMEIRO COWORKING DE ALPHAVILLE

FONTE: The Coworking Space Concept, By Anne Leforestier

Antenado nesse movimento, o Grupo VERO traz o novo conceito para Alphaville e região, com o projeto OrgâniCO Creative Coworking – um espaço projetado para estimular a criatividade e as relações entre coworkers. O projeto prevê cerca de 90 estações de trabalho, com inauguração prevista para junho deste ano, sendo que 30% das posições serão ocupadas por colaboradores diretos da VERO, SOMMA e Spaghetti Eventos. A proposta é reunir empreendedores, profissionais liberais e microempresas com atividades ligadas a inovação, comunicação e tecnologia. Uma agenda especial de eventos e palestras com foco no desenvolvimento de negócios e empreendedorismo, além de integração entre coworkers, fará parte do dia a dia no 5

OrgâniCO. Para participar, os interessados passarão por um processo de seleção que vai identificar as atividades e profissionais com maior aderência ao mix criativo – o objetivo é que a interação entre os participantes seja a melhor possível. Antes disso, já em fevereiro, a empresa começa a operar em caráter experimental o seu coworking. Com uma disponibilidade de espaço reduzida, essa fase experimental acontece no atual endereço do grupo. O próprio grupo foi restruturado em três empresas independentes e mais uma área de backoffice compartilhado. Dessa forma, todos passam a ser clientes do OrgâniCO. “Optamos por um modelo com a presença de empresas-âncoras. VERO, Somma e Spaghetti assumem esse papel, que deve potencializar o ecossistema OrgâniCO por serem empresas de mídia e eventos de grande experiência na região” diz Marcos Lage, diretor da VERO e idealizador do projeto. Além de planos mensais e anuais, estão previstos planos de 7 dias/ mês, 14 dias/mês e diárias avulsas. No plano básico, o profissional terá espaço mobiliado, internet de alta velocidade, salas de reunião, recepção e café. Já os profissionais que queiram participar mas não necessitam de estação de trabalho também são bem-vindos por meio de um plano específico, pelo qual poderão vivenciar todas as atividades da comunidade OrgâniCO, inclusive da agenda de eventos, palestras e encontros. Empresas interessadas em fomentar o desenvolvimento do empreendedorismo e da economia criativa serão convidadas a participar por meio de cotas especiais de pa-

Acima, o Hub Vilnius, coworking na capital da Lituânia. Além do espaço compartilhado, eles fazem seminários e eventos de difusão de inovação. Abaixo, o Laptop fica em Jordan, bairro do leste de Paris, e recebe especialistas apaixonados por ideias, imagens e textos

trocínio, que preveem a concessão de bolsas para projetos inovadores. Uma combinação de alta sinergia com ambiente inspirador para potencializar resultados, assim é o OrgâniCO. Profissionais de criação, direção de arte, design e arquitetura, tecnologia e webdesign, blogueiros, assessoria de imprensa, fotografia e vídeo, estilo e moda, artes plásticas e outros são esperados como parceiros. “Temos o objetivo de construir um núcleo criativo que possa estimular e fortalecer os negócios e a economia da nossa região”, diz Walter Coscia, diretor responsável pela operação OrgâniCO. Para Marcos Lage, “Lançar o primeiro coworking de Alphaville é um passo importante” neste momento em que a VERO completa 15 anos”. E na opinião de Marcelo Ivanesciuc, Diretor da Somma, “Esta interação com outros profissionais no OrgâniCO pode gerar novas oportunidades de negócios para seu público”.

O QUE OS COWORKERS MAIS VALORIZAM?

4,5 4 3,5 3 2,5 2 1,5 1 0,5 0

s s s g a e e o o o s lo ra fe idad ativ açã rkin ker niõe qui anç ora ento dad izad r i h r r z l os o i n v n c o u 4 a e a eu w u abo cal m na ow ra r o tr Seg so 2 ara et At riv rso om col Lo e n es c P ç s c a p e a e de nte o p Esp s d nt Ac aço op to ie de ele paç p aç s a p c en mb s E d E Es Ex ni im A nt rtu o Se Op

PLANO BÁSICO ORGÂNICO Incluso: estação de trabalho, espaço mobiliado, internet de alta velocidade, salas de reunião, recepção e café. Telefone: (11)4195-9666 E-mail: contato@ organicoworking.com.br Site: organicoworking.com.br

2014 | FEVEREIRO | VERO | 23


o bairro em movimento

Premiação inédita na região reconhece atitudes positivas de pessoas e empresas A campanha Atitude Alphaville terá prêmio em novembro e forte ação de voluntários ao longo do ano POR GABRIELA RIBEIRO

Entenda a campanha Como a sua atitude poderia mudar uma sociedade? Sábio como é, Dalai Lama já dizia: “Seja a mudança que você quer ver no mundo”. Com 40 anos, Alphaville já sofre com problemas comuns de uma cidade grande. No ano passado, foi lançada a campanha +40, que instigava os moradores a questionar como seria o futuro do bairro. E como continuidade, a Atitude Alphaville veio para incentivar ações simples, individuais e coletivas voltadas para o presente. Aqui, todas as atitudes positivas são bem-vindas: um sorriso ao encontrar o vizinho, dar uma mãozinha ao idoso na hora de atravessar a rua, um bom-dia ao chegar ao trabalho, manter-se calmo no trânsito, compartilhar seu conhecimento em um bate-papo e, por que não, também participar de

24 | VERO | FEVEREIRO | 2014

uma grande mobilização para que este movimento ganhe ainda mais força em toda a comunidade? O objetivo é simples: resgatar e fortalecer o sentimento de comunidade, o orgulho de pertencer a Alphaville, Tamboré e Aldeia da Serra, para juntos tornarmos a região um lugar cada vez melhor para morar e trabalhar. Durante o

ano, os três pilares da campanha serão trabalhados por etapas: Mais Gentileza, que começa em março, vai estimular o respeito e carinho entre as pessoas, além da solidariedade; Mais Cultura, em maio, vai incentivar a busca e o compartilhamento de conhecimento; e Mais Alegria, em agosto, que vai criar mais motivos para acender sorrisos nas pessoas. E, além das empresas patrocinadoras do projeto, qualquer pessoa pode ajudar nesse movimento.


Empresas de atitude positiva Os apoiadores e patrocinadores da campanha terão grande visibilidade como empresas responsáveis na região, além de poder ativar eventos para o público interno e externo e participar de conteúdos editoriais. Todos os parceiros poderão usar o selo Empresa Mais Atitude em sua comunicação, mostrando que também querem uma região cada dia melhor para se viver e trabalhar.

PRÊMIO ATITUDE ALPHAVILLE

2014 Como forma de incentivar as boas atitudes, cidadãos e empresas da região serão homenageados em novembro durante uma cerimônia solene realizada pela organização da campanha. Representantes da VERO, colaboradores, além de embaixadores da campanha, farão parte do comitê julgador. De acordo com Chico Max, serão ao menos dez ganhadores entre personalidades e empresas com iniciativas positivas. Para concorrer, as empresas deverão inscrever seus projetos. Já as pessoas com iniciativas independentes deverão ser indicadas por terceiros ou descobertas pela redação. A entrega do prêmio terá ampla cobertura e divulgação nos canais

VERO. Se você conhece alguém que tenha atitudes ou projetos que promovam uma vida melhor na nossa região, indique pra gente pelo e-mail reportagem@vero. com.br, e as empresas em breve serão informadas sobre como se inscrever. “Temos muitas iniciativas transformadoras na região. Desde empresas que investem na cultura de seus funcionários ou preservam o meio ambiente até pessoas que, com o próprio esforço, fazem trabalhos solidários, por exemplo. Queremos que esse tipo de ação seja reconhecido por toda a comunidade e ainda mais valorizado. Esta é a ideia do prêmio, celebrar o que temos de melhor”, informa Chico.

EMPRESAS DA REGIÃO SERÃO HOMENAGEADAS EM NOVEMBRO

2014 | FEVEREIRO | VERO | 25


SEJA UM EMBAIXADOR Em apenas um mês de lançamento da Atitude Alphaville, dezenas de pessoas se inscreveram para se tornar embaixadores. “A campanha já nasce com uma série de ações garantidas pela VERO, com o apoio dos patrocinadores. Mas com a força dos embaixadores, muito mais poderá ser realizado e o efeito positivo desse movimento ampliado ainda mais”, diz Roberta Furlan, gerente da revista VERO. O papel dos embaixadores é fundamental. Funciona assim: vamos reunir um grupo de voluntários interessados em melhorar o dia a dia e o ambiente na nossa região. Essas pessoas vão idealizar ações colaborativas e unir forças para implementá-las. De campanhas de solidariedade a grandes e divertidas mobilizações, ações frequentes e amplamente divulgadas pela VERO ganharão ainda mais evidência. “Os voluntários podem até mesmo definir um cronograma de ações mensais. Já pensou que bacana? Haverá um trabalho de coordenação feito por nossa equipe, mas o andamento e a viabilização desses projetos serão de responsabilidade dos

voluntários”, diz Roberta. Ao contribuírem diretamente com a transformação positiva da região, os Embaixadores Atitude Alphaville também terão uma grande experiência: estar engajado em uma causa com grande valor para nossa comunidade, ter a oportunidade de aumentar sua rede de relacionamento e agregar ao portfólio profissional sua participação no projeto. Todo esse empenho será valorizado pela VERO, com grande exposição do trabalho e do perfil dos Embaixadores na revista e no Facebook. “Qualquer um pode ser embaixador, tanto moradores quanto quem trabalha na região. E quanto mais pessoas participando ativamente, mais resultados teremos”, diz Chico Max, editor executivo da VERO. Inscreva-se! Para participar é simples: envie seu nome, celular e endereço por e-mail para nós. Nossa equipe vai entrar em contato para agendar ainda para este mês o primeiro batepapo para a apresentação do movimento aos Embaixadores. Escreva para reportagem@vero. com.br e participe!

ADESIVOS DISTRIBUÍDOS EM 2014 PREVISTO PARA

MARÇO

PREVISTO PARA

VÍDEO

MAIO

PREVISTO PARA

AGOSTO

26 | VERO | FEVEREIRO | 2014

ATITUDE ALPHAVILLE EM ÁUDIO E VÍDEO

OU DIGITE TVERO DIGITAL


mostre que você tem atitude seja um embaixador inscreva-se pelo email reportagem@vero.com.br

Os Embaixadores Atitude Alphaville irão ajudar a implementar de forma colaborativa as ações da campanha. Por essa contribuição direta com a transformação positiva da região, os Embaixadores terão seus trabalhos amplamente divulgados na Vero. Saiba mais na matéria da página 24.

2014 | FEVEREIRO | VERO | 27


capa

28 | VERO | FEVEREIRO | 2013


Quem é J.R. Duran? Esqueça o fotógrafo dos ensaios da Playboy. Hoje, tão difícil quanto definir qual é sua faceta é tentar descobrir qual será o seu próximo passo por Tom Cardoso

Escrevendo os últimos capitulos de seu livro Cidade Sem Sombras durante férias em Positano

2013 | FEVEREIRO | VERO | 29


capa

E le jura que não passa de “um operário da fotografia”. Conversa. Não deixa de ser irônico. O profissional que passou três décadas fotografando – nuas – as mulheres mais bonitas do país, nos mais variados ângulos e posições, detesta ser fotografado – mesmo que seja por um ângulo dos mais toleráveis: tomando um café numa padaria da Vila Madalena, a poucos quarteirões de seu estúdio. Para que a entrevista com J.R. Duran seguisse sem grandes tensões, ficou combinado que ele enviaria para a VERO um autorretrato, assim como as outras imagens que compõem esta entrevista. Foi como transferir para o próprio a solução de um enigma: quem é hoje J.R. Duran? O fotógrafo de moda? O fotógrafo de publicidade? O fotógrafo das belas mulheres? O fotógrafo de guerras? Ou o escritor de romances policiais? Ou o viajante? Ou o editor de revista? Que o leitor tire sua própria conclusão.

Você acaba de lançar seu novo romance policial, Cidade Sem Sombras, que encerra a trilogia iniciada com Lisboa e seguida por Santos. Além dos três livros, você também publicou, no ano passado, um diário (Cadernos de Viagem). O escritor está engolindo o fotógrafo?

30 | VERO | FEVEREIRO | 2013

Ninguém engole ninguém aqui. Sou apenas um fotógrafo que publica textos. Cada vez mais textos... Sim, mas não acho que uma atividade exclua a outra. Pelo contrário: são convergentes. As duas atividades são uma maneira de enxergar o mundo. Sempre fotografei para mim mesmo, assim como escrevo pensando em mim, e não em agradar um determinado público. Não tenho compromisso com ninguém. Na verdade, eu sempre escrevi, apenas não era publicado. Agora sou, mas estou longe de virar um escritor. Sou um fotógrafo. Um operário da fotografia. Mas você poderia muito bem, por comodismo, não se aventurar em outras áreas, muito menos em uma área difícil como a literatura. Seguir sendo o J.R. Duran, uma grife da fotografia. Eu sou um fazedor. Não sou um teórico. Se acho que é preciso ser feito, eu faço. Quando eu decidi criar a Revista Nacional, era uma maneira de fazer coisas que as pessoas não pediam para mim. Pensei: “Se não me pautam, eu vou criar as pautas para mim”. Quando comecei a fotografar, nunca achei que ia ganhar dinheiro. Era só uma forma de me aproximar das pessoas, de viajar. Continua assim até hoje. O que eu faço tem tudo a ver com a minha maneira de viver. Sou curioso, quero testar novos formatos a todo momento. Foi por isso que acabou no meio de uma guerra em Angola? Sim. Mas não fui fazer fotojornalismo. Levei a câmera que uso sempre, para fotografar mulheres nuas ou ensaios de moda, ou de publicidade. É uma câmera de médio formato. Nunca troquei de

chapéu de acordo com a pauta. As pessoas, quando veem esse equipamento, sabem que não estou ali para fazer uma simples foto de lembrança. O que eu quero é entendê-las. Nesse aspecto eu sou um retratista, não um cara que faz foto três por quatro, e sim um curioso que retrata as pessoas. Com a expansão da tecnologia digital, todo mundo virou um pouco fotógrafo... Eu me divirto com as bobagens que as pessoas fazem, mas o digital resolveu a minha vida, facilitou e muito o meu trabalho. Comparo o advento do digital com a invenção da tipografia, que revolucionou a imprensa. Com a fotografia foi a mesma coisa. O problema é que as pessoas acham que estão fazendo fotos geniais – e quase sempre não é genial. Assim como são poucas as pessoas que sabem distinguir uma sinfonia de Mozart da de Shubert, meia dúzia sabe o que é uma foto genial. Não estou dizendo que sou genial. Não sou. Apenas sei o que é e o que não é. Para virar o fotógrafo que sou hoje, com certo reconhecimento, passei os primeiros 15 anos da minha vida profissional fotografando como um louco. Daqui a 20 anos, portanto, teremos um escritor amadurecido, reconhecido pela crítica? Você tem escrito com um certo ritmo... Provavelmente não. Se eu fizesse livros de autoajuda, talvez. Ou se escrevesse inglês, ou se o meu nome fosse “J.R. Coelho” (risos). E escolhi uma área, a policial, que é considerada pela crítica “literatura menor”, apesar de não ter como referência os clássicos do gênero. Não me interesso, por exemplo, pela obra da Agatha Christie. Os meus livros são mais existencialistas. O Raymond Chandler, um dos escritores que eu mais admiro, dizia que toda pessoa passa por um momento decisivo


Acima, Duran com a tribo dos Mursi, fotografando para o livro Cadernos Etíopes. Ao lado, capa da última edição, número 4, da Revista Nacional

2013 | FEVEREIRO | VERO | 31


capa

na vida, em que tudo pode mudar para melhor ou para pior. Eu me interesso por esses dilemas da existência humana.

Com mulher não tem jeito. Você tem que fazer o que elas querem, seja na fotografia, na ficção ou na vida real

Intervalo de fotos com Monica Bellucci para a revista Vogue

32 | VERO | FEVEREIRO | 2013

Quando foi para você esse momento, em que a vida poderia seguir por um desses dois caminhos? Eu sou muito cuidadoso, apesar de muito impulsivo. É um paradoxo, mas que faz todo o sentido: justamente por ter esse tipo de personalidade eu tenho que tomar uma série de cuidados, para não meter os pés pelas mãos. Como tomei os meus cuidados, não deixei que a impulsividade me atrapalhasse.

Você nunca mais vai ouvir da minha boca nada parecido com isso. Por quê? Arrependeu-se? Não. Até porque são respostas bastante óbvias.

Não? Com mulher não tem jeito. Você tem que fazer o que elas querem, seja na fotografia, na ficção ou na vida real. Com mulher você jamais pode ser impositivo. Se for, é o princípio do fracasso.

Mas existe a história de que, durante os ensaios, cercado de técnicos, de luzes, com prazo para entregar o trabalho, é difícil o fotógrafo sentir qualquer tipo de desejo pela modelo, mesmo sendo um nu artístico... Uma vez, entrevistando o Tarcísio Meira, perguntei sobre o beijo técnico. A resposta dele foi genial: “Não existe beijo técnico. Existe, sim, é um beijo com vários técnicos olhando”. É claro que, durante o ensaio, há toda uma tensão, com prazos, com detalhes técnicos, que impedem que a gente sinta qualquer tipo de desejo. Mas quando o ensaio acaba... A fotografia, como eu disse, me aproximou de muita gente interessante. Ela permite isso. Um dos meus assistentes saiu de férias e quando voltou, disse: “Duran, a melhor praia do mundo é o seu estúdio”.

Em entrevista recente para o programa da Marília Gabriela, no SBT, você disse que “ficou com muito mais modelos do que os homens pensam e com muito menos do que teve oportunidade”...

Em algum momento você pensou em escreveu um livro sobre os bastidores dos ensaios para a Playboy? Para o livro se tornar interessante, eu teria de revelar o nome das mulheres. E não tenho a me-

Esse cuidado o ajudou, por exemplo, na hora de fotografar lindas mulheres para a Playboy? Não.


2013 | FEVEREIRO | VERO | 33


capa

nor vontade de ganhar dinheiro explorando os outros. E também não tenho o menor problema em passar para a posteridade. Não tenho o que contar. Quero que apenas minha família se lembre de mim – o resto não tem a mínima importância. Repito: sou apenas um operário da fotografia. E o meu casamento com a Playboy acabou. Não fotografo mais para eles. Em algum momento, durante esse longo casamento, o incomodou o fato de as pessoas associarem o seu nome apenas aos ensaios da Playboy? Não. Eu sei que é assim. Só pessoas mais próximas sabem que tenho três livros de ficção escritos, um diário, que edito a Revista Nacional, que trabalho pra caramba. E não acontece só comigo. A maioria das pessoas acha que o Fernando Meirelles é apenas um cineasta que vai para Hollywood, que concorre ao Oscar, que fica pendurado na fama o dia inteiro. E não é assim. A vida tem outro ritmo. O Fernando tem sua produtora de comerciais (02 Filmes), está aí, na batalha. Outro dia, a minha gerente ligou, oferecendo um empréstimo. Eu disse que só me interessaria se os juros fossem, claro, bem camaradas. Ela ficou sem graça e se justificou: “É, Duran, me desculpe, mas você sabe que o negócio do banco é ganhar dinheiro”. Eu respondi: “O meu também” (risos).

Mas imagino que você recuse uma série de convites... Outro dia a minha secretária não estava no estúdio e eu mesmo atendi o telefone. Era um cara querendo falar comigo. Eu disse: “Sou eu mesmo”. E ele: “Quero fazer um booking para a minha filha”. Perguntei quantos anos tinha a filha dele, e ele respondeu que ela tinha 15 anos”. Eu encerrei a conversa ali mesmo: “15 anos? Manda ela estudar”. Você mora no Brasil há 40 anos. E continua com o sotaque catalão... Você acha? Curioso. Os catalães acham que eu tenho sotaque inglês. E os ingleses juram que sou italiano. Gosto disso.

Trechos de Cidade de Sombras, de J.R. Duran.

"Estava escuro, já era noite, e apenas a luz da cidade entrava pela janela, junto com o barulho do trânsito, que subia, devagar, da rua. Havia parado de chover, e uma brisa úmida começava a soprar suavemente. O pédireito do quarto era alto, as paredes, forradas por um papel que há tempos desistira de permanecer colado. Tentei mexer as mãos, achando que estariam amarradas, e descobri que não que era um homem livre. Um homem livre com dor de cabeça" "Sentia que o suor fazia a festa transbordando por todos os poros de meu corpo e formava uma camada invisível sobre cada polegada de minha pele. Sentia a camisa de linho branco, amassada, grudada no peito e nas costas. O medo já tinha se espalhado pelo meu corpo inteiro e não tinha mais lugar para ir. Ia morrer, pensei, se já não estivesse morto. Era como se estivesse ouvindo o barulho da caneta escrevendo o meu fim no livro-caixa da contabilidade divina"

34 | VERO | FEVEREIRO | 2013

Um dos meus assistentes saiu de férias e quando voltou, disse: “Duran, a melhor praia do mundo é o seu estúdio


2013 | FEVEREIRO | VERO | 35


portfólio décor

Prazer em projetar Com um estilo moderno, que alia tendência e personalização, a arquiteta, designer de interiores e paisagista Ana Cristina Fazzio tornou-se uma das profissionais mais requisitadas da região

O

s gestos delicados, o sorriso simpático e o ar jovial de Ana Cristina Fazzio parecem ser incompatíveis com as atividades pesadas e frenéticas que toda construção ou reforma demandam. No entanto,

basta vê-la em ação no acompanhamento dos projetos que assina para compreender que, com ela, delicadeza e energia funcionam em total equilíbrio. Criteriosa, faz parte de seu dia a dia circular pelas obras, fiscalizando e aprovando os trabalhos das equipes de pedreiros,

A arquiteta em seu escritório, em Alphaville

CHICO MAX

Ana Cristina Fazzio Al. Mamoré, 911 cj. 1303/1304 Alphaville (11)4195-2096 (11)4195-5801 contato@ anacristinafazzio. com.br anacristinafazzio. com.br

36 | VERO | FEVEREIRO | 2014

por Maria Helena Pugliesi pintores, eletricistas e demais profissionais. Da qualidade do cimento que fará a laje ao vaso de flores que dará o toque final na decoração, em tudo há a mão e a dedicação de Ana Cristina. Sua paixão pela estética vem de longe. Ainda criança adorava pintar e desenhar, já na adolescência aproveitava as viagens de férias ao exterior com a família para descobrir novas culturas observando a arquitetura e a decoração das edificações locais. “As viagens instigaram meus conhecimentos para grandes referências de estilos e novos repertórios, serviram para me atualizar com o que estava acontecendo no mundo. Começou como diversão, depois virou aprendizado”, lembra. Quando chegou a hora de decidir qual faculdade cursar, não hesitou em optar pela arquitetura. Cursou a FAAP, onde também se pós-graduou, e passou uma temporada em Milão, na Itália, aperfeiçoando-se em design de interiores no Instituto Europeu de Design (IED). Mas não foi com arquitetura que Ana Cristina iniciou sua carreira profissional. “Apesar das aulas de paisagismo não serem muito profundas, me apaixonei pela disciplina e resolvi trabalhar com um dos melhores da área, o paisagista paulistano Gilberto Elkis. Aprendi muito com ele e com os vários cursos de especialização que fiz”, conta.

DE VOLTA ÀS ORIGENS Em 2004, porém, partiu para uma nova fase, formando uma sociedade para criar seu próprio escritório de arquitetura, paisagismo e decoração. O local escolhido não po-


FOTOS: DIVULGAÇÃO

1

2

3

4

ȱˆ Ao rebaixar o teto, a arquiteta conseguiu criar um projeto de luz e som perfeito para a sala de 70 m2. ȲˆOs tijolinhos aparentes sumiram. No lugar deles, entraram painéis de carvalho.

ȴˆCom móveis da Florense e equipamentos de última geração, o espaço é integrado à sala e tem vista para a horta

ȳˆMantendo apenas as estruturas do imóvel, Ana reformulou os espaços e criou elementos de forte apelo visual, como a estante laqueada com prateleiras iluminadas, que isola da sala o lavabo e a entrada da garagem.

2014 | FEVEREIRO | VERO | 37


FOTOS: DIVULGAÇÃO

portfólio décor

5

6

deria ser outro senão Alphaville. “Tenho uma relação muito forte com a região. Meus pais e eu nos mudamos de São Paulo para cá em 1986. Passei o melhor de minha infância e juventude aqui. Nada mais justo que dedicar minha profissão a um lugar que sempre me acolheu tão bem.” Após quatro anos de parceria, Ana Cristina resolveu, em 2008, seguir carreira solo e imprimir seu estilo próprio e bem-sucedido de construir, reformar e decorar.

PROXIMIDADE COM O CLIENTE Ana Cristina Fazzio prefere atuar em obras próximas ao seu escritório.

38 | VERO | FEVEREIRO | 2014

7

“Sou perfeccionista. Faço questão de cuidar pessoalmente de cada detalhe, da construção à decoração. Projetar à distância, para mim, não dá certo”, diz ela, que também não abre mão de acompanhar os clientes nas lojas de móveis e tecidos, nas galerias de arte e até em viveiros para escolher as plantas que mais combinam com o perfil dos moradores. Completando dez anos de carreira, ela tem um rol considerável de projetos prontos nos vários condomínios de Alphaville e de Aldeia da Serra, além de São Paulo e interior paulista, e outros tantos em andamento. Apesar de contemporaneidade e limpeza visual serem características fortes de seu estilo, Ana Cristi-

ȵˆOs vasos longilíneos na mesa de centro formam par perfeito com o arranjo circular de flores naturais ȶˆIntegrada à sala, a cozinha acompanha, no revestimento dos armários, o estilo sóbrio do estar, mas ganha pitadas coloridas na pia ȷˆUm dos escritórios da Itatiaia Mercedes-Benz transformado em discoteca na Festa Vero 2013

na nem de longe se repete nas propostas. “Cada trabalho é pensado exclusivamente para determinado cliente. Gosto de frisar que meu diferencial é a personalização dos projetos”, acrescenta. Conectada às tendências mundiais da decoração, sempre em busca de novas tecnologias que tornam a casa mais prática e saudável e observadora perspicaz das demandas da vida moderna, ela muitas vezes surpreende os clientes com sugestões. “Aí está a grande satisfação da profissão. Escutar dos proprietários, no final da obra, ‘Valeu a espera, tudo está maravilhoso’ ou ‘Ficou muito melhor do que esperávamos’ não tem preço”, conclui.


2014 | FEVEREIRO | VERO | 39


publieditorial saúde

Efeitos colaterais da atualidade

criança e determina os valores a seguir. É claro que, enquanto os progressos atuais proporcionam muitas facilidades, os adultos deparam-se também com sentimentos de insegurança e incerteza. O que são transtornos da chamada “pós-modernidade”? Em cada período da história aparecem transtornos, correlatos com o modo de vida que as pessoas levam e como este as afeta. O mundo atual facilita a instabilidade emocional, uma vez que se espera sucesso profissional, felicidade, alegria, coragem, independência, liderança, deixando uma sensação de desamparo. Nas últimas décadas a depressão e o Transtorno de Pânico têm mobilizado cada vez mais a procura pela psicoterapia. Os sintomas deste último – falta de ar, palpitações, mãos e pés gelados, palidez, estranhamento, tonturas, formigamentos –, que nem sempre aparecem ao mesmo tempo e na mesma pessoa, são suficientes para deixar uma sensação de falta de controle.

Transtornos emocionais são cada vez mais frequentes no mundo contemporâneo. A Dra. Mariana Minerbo fala sobre suas causas e tratamentos por Caroline Marques

E

m uma época em que a informação chega mais rápido do que as pessoas conseguem assimilar e as cobranças da sociedade são intensas, transtornos emocionais como depressão, ansiedade e Transtorno de Pânico são cada vez mais frequentes. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 350 milhões de pessoas têm depressão, e, nos próximos 20 anos, ela deve se tornar a doença mais comum do planeta. Para falar sobre a influência do modo de vida contemporâneo no cotidiano, conversamos com a Dra. Mariana Minerbo, psicóloga clínica há 30 anos. “Os relatos de pessoas com sintomas que hoje sabemos ser de Transtorno de Pânico instigaram, há muito tempo, o meu interesse rumo a uma melhor compreensão desse quadro clínico. Por esse motivo, escolhi o tema para minha tese de doutorado.” De acordo com a sua experiência clínica, o que mais lhe chamou a atenção ao longo deste percurso? É difícil mencionar os problemas emocionais de um determinado período sem inseri-los em um contexto social, econômico ou histórico para melhor compreendê-los. Nestes últimos anos, houve mudanças significativas na sociedade como um todo, e estas se refletem em diversos aspectos sociais. Pode dar exemplos? Veja o caso das famílias. Elas estão vivenciando transformações rápi-

40 | VERO | FEVEREIRO | 2014

das e intensas – como no fato da legalização do divórcio e da união de pessoas do mesmo sexo – que lançam uma demanda por novos valores, tarefa nada simples se levarmos em conta o curto período histórico. Ao mesmo tempo, o avanço tecnológico exacerbou a competitividade, o consumo, a demanda por mão de obra qualificada e a busca incessante por melhores colocações no mercado de trabalho.

Como o Transtorno de Pânico é tratado? Com medicamentos aliados à psicoterapia. Enquanto os medicamentos aliviam os sintomas, a psicoterapia proporciona o autoconhecimento, desvendando os fatores que levaram a pessoa a desenvolver o transtorno. Em si, o Transtorno não é grave, mas seu efeito psicológico é comprometedor se não for tratado.

Quais as implicações dessas transformações para crianças e adolescentes? Enquanto houver uma conscientização por parte dos adultos no sentido de reconhecer e respeitar as suas possibilidades, provavelmente eles transmitirão essas atitudes aos filhos. Afinal, é o ambiente familiar que ampara a

Qual a diferença entre depressão e tristeza? Depressão é um transtorno, e sua causa deve ser entendida e tratada com psicoterapia e, se for necessário, com medicamentos. Tristeza é um sentimento normal que ajuda a refletir e lidar melhor com a sua causa.

Mariana Minerbo Calç. das Papoulas, 61 Centro Comercial Alphaville (11)4195-1888 marmin@uol. com.br

E como identificar se alguém tem depressão ou está apenas triste? A tristeza pode aparecer em consequência de uma perda, saudade, dificuldade ou contratempo, e quem está triste sabe o que ocasionou esse sentimento e tem elementos para lidar com ele. Uma tristeza não superada poderá tornar-se, em alguns casos, uma depressão. O deprimido tem desinteresse por coisas que costumavam ser prazerosas, choros frequentes sem razão aparente e letargia.


2014 | FEVEREIRO | VERO | 41


hospitalidade suíça

Carinho e excelência Na Suíça, é possível aprender com os melhores do mundo o ofício da hotelaria e da hospitalidade POR GABRIEL NAVARRO

P

ara fazer a diferença em uma área de serviços em que, literalmente, se compete com todo o mundo, é preciso se profissionalizar com excelência. Mais do que isso: acumular experiências globais. Esse é um dos principais diferenciais do Swiss Education Group (SEG), além de seu reconhecimento e de suas parcerias com universidades e empresas da Europa e dos EUA, que tornam os cursos de lá equilibrados entre teoria com tradição e prática inovadora – características ainda pouco praticadas no ensino superior brasileiro. Não à toa, o grupo é líder em ensino de hospitalidade na Suíça. A

42 | VERO | FEVEREIRO | 2014

instituição foi fundada há mais de três décadas e forma (com cursos 100% em inglês) cerca de 5.400 alunos por ano em seus sete campi, espalhados pelas regiões francesa e alemã do território suíço. “A percepção sobre servir pessoas está mudando”, diz o diretor acadêmico executivo do grupo, Emanuel Douglas Donhauser. De acordo com ele, o Brasil ainda vê as atividades relacionadas à hospitalidade com preconceito, mas o setor está virando um ramo de gente graúda rapidamente mundo afora. “Essa indústria começou com negócios familiares. Porém, nos últimos oito anos, começou a se profissionalizar. A carreira na área oferece hoje

Acima, vista da escola Swiss Hotel Management School em Caux/ Montreaux

oportunidades em grandes empresas, como Accor e Hyat.” As duas companhias citadas por Donhauser, aliás, são só algumas das que mantêm parceria com o SEG. Entram também nessa lista Marriot, Ritz Carlton, Fairmont, Shangri-la, entre outras gigantes da hospedagem. E elas, por sua vez, mantêm interesse pelos recém-formados na instituição, considerados altamente qualificados e promissores. “Um gerente de recursos humanos de um hotel hoje pode tocar essa mesma carreira em qualquer lugar do mundo. E esse é apenas um exemplo. Essa formação permite atuar em várias áreas do hotel”, diz o diretor. “Os principais executivos


70% dos alunos saem empregados em uma grande rede hoteleira

nas redes líderes do mundo atualmente não são mais membros das famílias donas das companhias.” Para dar conta de ajudar a formar essas novas lideranças, a infraestrutura do SEG inclui desde investimentos em programas de educação continuada até hotéis-escolas notoriamente luxuosos, com valorização do ambiente natural e cozinhas completas.

Duas vezes por ano, o grupo reserva dois dias para que as empresas venham aos seus campi conhecer os estudantes que estão para se graduar e aqueles que estão buscando estágio desde o primeiro ano de curso, mais da metade deles vinda de fora da Europa. O resultado é impressionante: 70% desses veteranos saem da faculdade empregados em uma grande corpora-

ção de hospitalidade graças a este evento, chamado International Recruitment Forum (IRF), neste ano programado para ocorrer em março e outubro. Como em uma grande feira de trainees, ocorrem palestras, visitas a estandes e cadastramento em bancos de talentos. Em alguns casos, o desempenho dos alunos é verificado na prática, ao se observar o trabalho realizado nos hotéis-escolas. Um dos maiores diferenciais responsáveis por esse alto grau de empregabilidade são aulas que balanceiam teoria e prática. “Minha família tem tradição na rede hoteleira de Campos do Jordão. Somos do Hotel Toriba, e, na hora de escolher a escola, minha mãe fez questão de vir comigo conhecer. Eu tentei estudar no Brasil, mas senti que precisava de algo mais completo, em que minha formação incluísse experiência prática, e isso estou conseguindo aqui, com os estágios. Depois de formada, penso em trabalhar nos Estados Unidos, mas com certeza eu também conseguiria um ótimo trabalho

Ao lado, Vicente Melo e Rebeca Cesar de Macedo, alunos da Swiss Hotel Management School

E abaixo, alunos no campus IHTTI, localizado em Neuchâtel

2014 | FEVEREIRO | VERO | 43


no Brasil”, conta a aluna de hospitalidade do campus da Swiss Hotel Management School em Caux. Todos os cursos intercalam seis meses de estágio prático com seis meses de estudos em sala de aula, sempre em tempo integral, e geralmente trabalhando em uma empresa diferente por ano. A experiência de trabalho é acompanhada de perto pelo coordenador do curso, que faz visitas ao local de estágio, e tanto o estudante como a corporação devem apresentar relatórios ao final do período. A vivência fora da classe também ajuda a pagar as contas. Enquanto um ano de curso no SEG custa por volta US$ 30 mil (cerca de R$ 73 mil), o estagiário na Suiça recebe, em média, US$ 2,5 mil (ou R$ 6 mil) a cada mês. Durante o período de aula, os alunos vivem nos próprios hotéis-

-escolas. Às vezes, são organizadas excursões para os fins de semana, como visitas profissionais ou rotas de vinho na França e na Itália. Já as possibilidades para recuperar o investimento feito no aprendizado na instituição são virtualmente infinitas. O sorocabano Felipe Ishihama, por exemplo, retornou ao Brasil depois de concluir a graduação em hotelaria e foi o escolhido para comandar o Mee, novo restaurante asiático do Copacabana Palace, no Rio. Ele embarcou para a Suíça por meio da Just Intercâmbios, que também tem unidade em Alphaville.

PASSEIO DE TREM

Outra oportunidade para quem está na Suíça é realizar o passeio no Train du Fromage, ou, literalmente, Trem do Queijo. Com entradas que vão de R$ 80 a R$ 215 (a depender da idade do passageiro e da classe desejada), a rota sobre trilhos percorre paradas tradicionais da fabricação do queijo suíço, com repouso em chalés rústicos e refeições que viram verdadeiros passeios no tempo, inclusive em um museu dedicado à iguaria. E, é claro, o clássico fondue faz parte do menu. Os tíquetes podem ser adquiridos em estações de trem e comprados antecipadamente pelo telefone +41 (0)21 989 81 90.

TEMPERO BRASILEIRO Por um lado, o Brasil reúne oportunidades para os egressos do SEG; por outro, o país leva à instituição de ensino atributos que interessam muito às empresas da área. “O Brasil é hoje a bola da

Ao lado, estudantes durante aulas no Hotel Institute Montreux. Abaixo, fachada do mesmo campus

44 | VERO | FEVEREIRO | 2014

vez no turismo. Em São Paulo, por exemplo, os melhores hotéis são muito caros”, lembra Donhauser, indicando o largo espaço que o setor tem para crescer por aqui. “E os estudantes brasileiros”, completa o diretor acadêmico executivo, “têm um tempero: exercem uma hospitalidade mais humana, com alma, com coração, algo realmente quente. Isso, somado à hospitalidade típica da Suíça, é o melhor dos mundos.” São várias as faculdades que compõem o SEG. Em todas vigora o sistema em que graduandos, nos primeiros dois anos na instituição, estagiam por oito a 12 meses. O César Ritz Colleges, por exemplo, tem três campi: um ao lado do Lago de Genebra e os outros dois na região que fala alemão, em Lucerna e Brig (neste último, oferecem-se opções de pós-graduação, além do bacharelado). Lá os cursos de graduação duram três anos, e os de mestrado, dois. No Hotel Institute Montreux, fundado há quase 30 anos, o destaque fica com a intensa vida cultural (e, portanto, turística) da cidade, que inclui o Festival de Jazz de Montreux, o mais importante evento musical da Europa. Os cursos ali duram de dois a três anos, e, em abril, começa a pós-graduação em gestão de negócios em hospitalidade. Há ainda a IHTTI (School of Hotel Management) no coração da francófona Neuchâtel, com cursos


2014 | FEVEREIRO | VERO | 45


Ao lado e abaixo, campus do César Ritz Colleges em Briga-Glis

de dois a três anos mais voltados para o mercado de luxo, e, a partir deste mês, inicia-se a pós-graduação em Hotéis e Design. Completa a rede a Swiss Hotel Management School (SHMS), com um campus no histórico palácio de Caux (perto de Montreux) e outro em Leysin (comuna de fácil acesso a partir tanto de Genebra quanto de Zurique). A gama de cursos nesta última instituição é ampla, com graduações de dois a três anos em hospitalidade e eventos e cursos de pós com duração de um ano para gestão de hotéis, resorts e spas, além de uma opção recém-lançada, voltada para o setor de restaurantes. A tradição e o pioneirismo do SEG criam números volumosos para uma instituição relativamente nova, se comparada às centenárias universidades do continente europeu. O grupo já conta com mais de 20 mil graduados espalhados pelo planeta e investiu cerca de 40 milhões de reais em infraestrutura apenas ao longo do ano passado. As qualidades que tornam a companhia a maior da Suíça em formação para gerenciamento do ramo hoteleiro são complementadas por cursos intensivos de inglês e uma equipe de quase 180 professores, a maioria deles com vasta experiência de mercado – e dois chegando ao grau de pós-doutores com financiamento da própria instituição.

PARCEIROS NORTE-AMERICANOS E BRITÂNICOS

MERCADO DE HOTELARIA

É fácil se lembrar de belezas naturais e diversidade cultural quando se pensa no Brasil – não tão simples é saber ganhar dinheiro com isso. O país chegou ao ano da Copa com potenciais ainda a serem descobertos pelo setor turístico nacional. A Embratur prevê a vinda de 7 milhões de estrangeiros em 2014, que devem deixar por aqui US$ 9,2 bilhões, ou seja, US$ 2,5 bilhões a mais do que o registrado em 2012.

46 | VERO | FEVEREIRO | 2014

Mesmo ao se observar apenas o cenário local, há perspectivas interessantes. O Brasil pode se tornar o terceiro maior mercado aéreo doméstico do planeta até 2017, pelos cálculos da Iata (Associação Internacional de Transporte Aéreo, na sigla em inglês), atrás apenas de EUA e China.

QUEM LEVA? JUST INTERCÂMBIOS Calç. das Bétulas, 48 - Centro Comercial Alphaville (11)4191-4845 justintercambios. com.br

O SEG também mantém parcerias com universidades norte-americanas, o que torna os cursos oferecidos ainda mais globais. É essa característica que tirou o venezuelano Vicente Melo do país em que vivia, a República Dominicana – famosa no Caribe por seus resorts e hotéis all-inclusive –, para ir estudar hospitalidade no grupo suíço. “O que vejo como grande diferencial neste curso é ter uma visão ampla da área, em um ambiente multicultural. Com esta formação, consigo encontrar excelente colocação na indústria hoteleira em qualquer lugar do mundo em uma posição de management em diversas áreas. E é isto que vemos aqui: além de aprender todas as etapas da hotelaria, como recepção, concierge, alimentos e bebidas, aprendemos a gerenciá-las. Para poder gerir, é preciso saber fazer”, afirma Melo, que estuda no campus de Caux.


1

º

PRÊMIO ATITUDE ALPHAVILLE

Vem aí o prêmio que vai homenagear pessoas e empresas de atitude positiva na região. Participe! comercialvero@vero.com.br (11) 4195 9666

2014 | FEVEREIRO | VERO | 47


publieditorial St. George’s

A

A ST. GEORGE’S

CHEGOU! A St. George’s School, da empresa inglesa Oxx education, escolhe Alphaville para fundar a sua primeira unidade no Brasil

POR CAROLINE MARQUES

48 | VERO | FEVEREIRO | 2014

prender inglês em uma escola de primeiro mundo, sem sair de Alphaville. Essa é a proposta da St. George’s School, que acaba de chegar à região, trazendo na bagagem 800 anos de excelência em ensino por meio da parceria educacional que possui com a Cambridge University Press. A Universidade de Cambridge é a número um do mundo em ensino de língua inglesa, com 88 prêmios Nobel e alunos ilustres como Isaac Newton, Charles Darwin e John Harvard. Na unidade de Alphaville, primeira da empresa inglesa na America Latina, a tradição secular de qualidade de ensino une-se ao que há de mais atual em tecnologia e infraestrutura. No prédio moderno e superequipado, localizado na área central do bairro, as salas contam com lousas digitais, biblioteca, laboratório, cafeteria e estacionamento com manobristas. EXCELÊNCIA MÁXIMA DE ENSINO Com cursos para adultos e crianças – a partir dos 3 anos de idade –, a St. George’s acredita que aprender inglês não deve ser um experiência ruim. “Nossas aulas fogem do padrão tradicional e entretêm os alunos com filmes, músicas, jogos, desafios, debates e tecnologia interativa. Os nossos alunos vêm


felizes para as aulas, diz o diretor da St. George’s School em Alphaville, Thiago Contador. Todo o trabalho na escola é baseado em três pilares: qualidade, formação internacional e excelência no atendimento. “Nossa qualidade é baseada na melhor equipe pedagógica, nos mais modernos materiais didáticos e em uma metodologia inovadora, ”, diz Thiago. MAIS DO QUE UMA ESCOLA DE INGLÊS A escola acredita que, para que seus alunos tenham condições de se relacionar com o mundo – profissional ou pessoalmente –, não basta que apenas saibam falar inglês. “Além da comunicação, eles precisam saber se expressar, ter conhecimento multicultural e visão global de mundo”, comenta. “Muito mais do que proporcionar fluência no idioma, nosso objetivo é tornar nossos alunos cidadãos internacionais, preparados para enfrentar o mun-

“Um conjunto que tem tudo para representar uma escola realmente única” MARCIO LINARES EMPRESARIO

“A St. George's mostrou um método inovador para estudar que me cativou. ” LUCIO PEGASANO DIRETOR TECNOLOGIA

do globalizado”, ressalta Thiago. Para atingir o objetivo, além das aulas de inglês, os estudantes da St. George’s participam do programa International Being, que tem como foco, por meio de debates, discussões, workshops, formar cidadãos globais, utilizando o inglês como base. O programa tem dois parceiros de peso na geração de conteúdo: o Discovery Education, do canal Discovery Channel; e o Newsweek Education, da renomada revista Newsweek. COMPROMISSO COM O APRENDIZADO Atendimento de qualidade para a St. George’s é estar comprometido com o aprendizado e a melhor formação dos seus alunos. “Diferentemente das grandes redes nacionais, nas quais o aluno é mais um, o nosso compromisso com nossos alunos é verdadeiro e personalizado. Por meio de uma equipe pedagógica exclusiva, damos todo o apoio de que o aluno necessita, sem nos limitarmos à sala de aula”. Essa combinação é a chave de ouro para a revolução que queremos trazer no cenário de escolas de idioma no Brasil”, finaliza o diretor da St. George’s School.

“A minha experiência na St. George's tem sido incomparável” SAMANTA SOUZA

ENGENHEIRA

Al.Araguaia, 661, Alphaville (11)4382-6303 atendimento@ stgeorgeschool. com.br stgeorgeschool. com.br

2014 | FEVEREIRO | VERO | 49


C • A • D • E • R • N • O

ap o io

Iniciativa da Revista VERO para o fomento da reflexão sobre temas relevantes em prol de uma sociedade mais criativa, humana e equilibrada

n

5

Todos os meses na VERO. Acompanhe!

."3*04&3(*0$035&--"q'-¥7*0(*,07"5& -6*;'&-*1&10/%¬q$"3-04+»-*0q9*$04¥


prefácio

Por que aprender inglês?

E

m tempos de Copa do Mundo no Brasil, há muito investimento sendo feito na área de ensino de inglês. Com isso, vários artigos sobre a importância de se aprender o idioma de Shakespeare aparecem na mídia, repetindo um discurso que todos já conhecemos. O inglês é descrito como língua oficial dos negócios, do mundo acadêmico, dos turistas e da internet. Ele é visto como a ferramenta essencial para participar de um mundo globalizado. Isso tudo é verdade, mas há novidades nessa área. De acordo com estudos recentes das neurociências, aprender uma segunda língua aumenta a capacidade cognitiva do cérebro. Segundo a neurocientista cognitiva Ellen Byalistok, pesquisadora da York University, em Toronto, há uma grande diferença na maneira como crianças bilíngues ou monolíngues processam a linguagem. Byalistok observou que crianças de 5 e 6 anos dos dois grupos possuíam uma quantidade similar de linguagem para a resolução de problemas. Entretanto, as crianças bilíngues demonstraram uma capacidade maior de ignorar detalhes insignificantes e focar nos aspectos mais importantes de uma questão. Por exemplo, ao serem confrontadas com a frase “Maçãs crescem nos narizes das pessoas” e perguntadas sobre a correção gramatical de tal sentença, as crianças monolíngues

travavam, porque o conteúdo da frase não faz sentido. Já as crianças bilíngues não apresentavam dificuldade de entender que, apesar da falta de sentido, a frase é gramaticalmente correta. Segundo Byalistok, as crianças bilíngues exercitam mais um sistema executivo do cérebro responsável por processar duas informações diferentes e decidir o que é mais importante em dado momento. Isso ocorre porque, em um cérebro de um bilíngue, as duas línguas sempre aparecem, e esse sistema de rede neurais tem que atuar para decidir qual deve ser utilizada no contexto dado. Além desse aumento na capacidade cognitiva, o bilinguismo pode retardar o aparecimento de certas doenças, como o mal de Alzheimer. Em um primeiro estudo, publicado em 2004, a equipe de Byalistok identificou melhor performance do sistema executivo de tarefas do cérebro de idosos bilíngues normais em relação ao cérebro de monolíngues normais. Posteriormente, ao comparar os registros médicos de 400 pacientes com mal de Alzheimer, verificou-se que, apesar de os bilíngues também desenvolverem a doença, só o fizeram cinco ou seis anos mais tarde em relação aos monolíngues. Considerando esses novos desenvolvimentos das neurociências, fica claro que a discussão sobre os benefícios de se aprender uma segunda língua ainda pode ser bastante aprofundada.

CECILIA STANISCIA, coordenadora pedagógica St. George’s School


} LUIZ FELIPE PONDÉ

HORA DE ACORDAR ano novo já começou quente com rolezinhos nos shoppings. O Brasil parece um adolescente procurando baladas políticas porque morre de tédio. Mas, diga-se de passagem, os jovens de periferia que foram a esses rolezinhos querem apenas comprar roupas que imitam marcas e pegar meninas. São mais normais do que os sociólogos que se levam muito a sério. Realizados nos shoppings que eles frequentam (e nunca quiseram invadir o JK Iguatemi, quem quis foram os movimentos antissociais de estudante de classe média alta de cabeça feita por seus professores), os rolezinhos da periferia são uma declaração de amor ao shopping como templo de lazer. Pena que alguns, como sempre, aproveitaram pra roubar. Multidão Sim, tédio, e não “consciência sempre dá errado. Eu sempre suspeitei que muita política”. E eu, como alguém que gente que foi pras baladas de ju- acredita mais em Dostoievski do nho (transformadas em fetiche que em Marx (este é uma moda por jornalistas e intelectuais que que vai passar, como passou a na sua maioria estudaram em co- escolástica medieval), creio que légios caros da zona oeste de São as pessoas são mais movidas por experiências ordinárias e essenPaulo), foi por tédio. Veja, não se trata de dizer que o ciais como inveja, ressentimento, país não precisa melhorar, trata-se medo, tédio, taras sexuais, do que de dizer que a obsessão por mani- por projetos políticos. E aqueles festação de massa não é evidência que são verdadeiramente movide sucesso, como afirmam muitos dos por projetos políticos, esses professores de sociologia e história projetos são apenas a casca que esconde a inveja, o ressentimendos nossos filhos. O exemplo da Argentina mostra to, o medo, o tédio. No fundo, são que fazer manifestação na rua uns tarados por invadir a vida dos não garante nada: a política dos outros e destruir a frágil ordem hermanos é pior do que a nossa, que o cotidiano suporta. tudo que eles têm é peronismo de Mas, infelizmente, a elite brasileidireita, de centro e de esquerda. ra, ruim como quase sempre, não No Brasil, logo teremos apenas percebe que ela posa um pouco petismo de direita, de centro e de como a elite da República de Weiesquerda. E nossa elite continua mar (Alemanha) nos anos que a flertar com o socialismo como precederam o nazismo. Sempre se este fosse prova de que ela chiques e em festas inteligentinhas, não percebeu que brincava agora é legal. com fogo quando apoiou os rapazes de Munique. O que eu quero dizer com isso? Muitas coisas, mas não que marchamos pra uma ditadura nazista, e sim para um regime socialista rosa-choque, ou como diz um amigo meu, rosa-chique. Falei acima de sociólogos e histo-

Luiz Felipe Pondé, filosofo, doutor pela USP, pós-doutor pela Universidade de Tel Aviv, colunista da Folha de São Paulo, professor da PUCSP e FAAP, autor de, entre outros, A Filosofia da Adúltera, Ensaios Selvagens (Ed. LeYa)

CHICO MAX

O

riadores e de escolas caras. Repeti essa ideia algumas vezes, e não por acaso. Está na hora de acordar. Vocês já pararam pra saber o que muitos dos professores dos seus filhos ou netos ensinam pra eles? Vou dar uma dica: que dinheiro é mau, que você é ganancioso e responsável pela miséria do mundo. Que meninos são machistas porque sentem ciúmes das namoradas, que menina que quer ser mãe e ter uma família é oprimida, enfim, toda uma agenda politicamente orientada. Muitas escolas e universidades estão fazendo uma lavagem cerebral nos jovens da elite econômica no Brasil. Não adianta se esconder e fingir que sofre com a África ou que vota na esquerda rosa-choque pra dizer que tem consciência social. É melhor ler sobre a elite da República de Weimar. Quando ela acordou, era tarde. Olhem pra Venezuela. Bom ano.


} FLÁVIO GIKOVATE

O MEDO DA FELICIDADE enho tratando deste tema desde o final dos anos 1970, e ele surgiu em minha mente de uma forma estranha e surpreendente: de repente percebi que as pessoas, ao se apaixonarem, passavam a viver em estado de alarme, muitas vezes em pânico, como se algo de terrível estivesse para lhes acontecer. Dormiam mal, perdiam o apetite, viviam obcecadas, pensando compulsivamente no que estava lhes acontecendo, querendo saber o tempo todo do amado e se ele ainda estava lá pronto para dar continuidade ao relacionamento. Isso, em princípio, não fazia o menor sentido, pois, afinal de contas, se apaixonar era o anseio máximo daquelas pessoas que, depois, por motivos duvidosos, acabavam por se afastar de seus amados como que para se livrar desse estado de espírito próprio de quem vive num campo de batalha e pode isso, diminuir a felicidade por ter ser alcançado por uma bomba a podido adquiri-lo! Muitos dos que tomam uma porção de pinga num qualquer momento. Percebi depois que a sensação de bar despejam uma pequena parte iminência de tragédia também se – “para o santo” –, e isso parece ser manifesta quando uma pessoa ob- uma espécie de pagamento feito tém um resultado excepcional em à divindade para que possam se seu trabalho, em suas atividades deliciar com aquele prazer e bemesportivas, em seus ganhos finan- -estar. Freud, para tentar explicar ceiros... Ou seja, sempre que acon- nossas tendências agressivas e tece alguma coisa muito boa, as autodestrutivas, acabou por forpessoas passam a se sentir amea- mular a hipótese de que existe em çadas, como se elas aumentassem nós uma “pulsão de morte”, um as chances do acontecimento de impulso permanente e definitivo alguma desgraça. Bem mais tarde, que opera contra nós. Penso que constatei que esse mesmo tipo de os mecanismos que sabotam nossensação está na raiz de todo ritu- so bem-estar são indiscutíveis, al supersticioso, presente em qua- mas não concordo com a ideia de se todos nós e tão antigo quanto as que possuímos uma força que nos mais antigas civilizações: quando impulsiona na direção da morte. questionadas acerca de como es- Tenho pensado cada vez mais tão indo as coisas, respondem que no nascimento como um evento estão indo bem e imediatamente marcante e extremamente traubatem na madeira, como que se mático, seguindo os passos de protegendo contra a inveja dos um psicanalista, discípulo e dehumanos e a ira dos deuses. O pois dissidente de Freud, que foi medo da inveja, do “olho gordo” O. Rank. Para ele, o nascer é uma estava presente no Egito antigo, transição para pior, a “expulsão em que as mulheres estéreis eram do paraíso” que correspondia à proibidas de olhar o ventre das simbiose materno-fetal. A ruptuque estavam grávidas, porque isso ra dramática dessa condição de harmonia é vivenciada como um seria nocivo ao feto. O medo da felicidade tem uma estado de pânico, manifesto clacorrelação direta com nossas ten- ramente no rosto do que acaba dências destrutivas: ao nos depa- de nascer. Assim, nosso primeiro rarmos com a aflição que o suces- registro cerebral é o da harmoso provoca, tendemos a estragar nia e o seguinte corresponde à uma parte do que conquistamos dor da ruptura e o surgimento da com a finalidade de preservar o sensação de desamparo que, de principal: tendemos a raspar o pa- alguma forma, irá nos acompara-lama do carro novo para, com nhar por toda a vida.

Psicoterapeuta e autor de mais de 30 livros, entre eles Sexualidade sem fronteiras (MG Editores) e Nossa sorte, nosso norte: Para onde vamos? (Papirus 7 Mares). Também é âncora do programa No Divã do Gikovate, na rádio CBN

EDUARDO KNAPP

V

Prefiro atribuir a essa vivência traumática, que se fixa em nossa mente de forma definitiva, a existência de tendências sabotadoras de nosso bem-estar e que nos acompanham por toda a vida. Penso na formação de uma espécie de reflexo condicionado, de modo que, ao nos aproximarmos de um estado de harmonia e bem-estar semelhante ao que experimentamos no útero – e nada é mais parecido com isso do que o aconchego que acompanha um encontro amoroso de qualidade –, imediatamente nos sentimos ameaçados, como se outra vez uma hecatombe viesse a nos atormentar; agora pensamos que a harmonia irá nos trazer a morte, destruindo nossa recém-conquistada felicidade. Associamos a paz uterina à sua destruição, de modo que tememos o estar bem por temermos suas consequências nefastas. A lógica dos processos psíquicos é peculiar, de modo que deve ser procurada de uma forma própria. Se perguntarmos às pessoas que nunca se viram numa situação de grande felicidade se elas sentiriam medo, é claro que a maioria delas responderia negativamente. Porém, a verdade é que esse medo é universal, e nunca conheci alguém que não o tivesse em alguma dose. Aprender a conviver com ele e a não fugir das situações em que ele aparece corresponde a um ato de coragem adequado. Afinal de contas, apesar da aparência, felicidade não mata!


} CARLOS JĂšLIO

COMO GANHAR SEM CONCRETIZAR A VENDA ma das vantagens de se morar na regiĂŁo de Alphaville ĂŠ a convivĂŞncia com tanta gente boa que produz, comercializa e colabora para a construção de um futuro mais bem compartilhado. Por isso, torço sempre pelo sucesso dos vizinhos. Desejo que seus negĂłcios cresçam, prosperem e agreguem valor Ă  economia local. Aqui e ali, conversando com os integrantes de nossa comunidade, costumo ouvir diversas indagaçþes sobre negociação. Evidentemente, as pessoas querem vender mais, fidelizar e fazer caixa. Costumo dizer que sĂŁo os resultados que validam as estratĂŠgias de um negĂłcio. No entanto, a obsessĂŁo pelo “aqui e agoraâ€? nem sempre gera a desejada consistĂŞncia na atividade empresarial. A “nĂŁo vendaâ€?, por exemplo, tende cursos necessĂĄrios para efetuar a a deixar um amargo na boca. Essa aquisição. Tempos depois, ao obter frustração ocorre principalmente o valor necessĂĄrio, retorna para quando, depois de muita investi- realizar a compra. gação, o cliente desiste do negĂłcio. 3) Por um motivo ou outro, o A sensação inevitĂĄvel ĂŠ de tempo cliente desiste da negociação. No desperdiçado. Somos levados a entanto, bem impressionado com pensar que adicionamos ao currĂ­- o atendimento, indica a empresa para um amigo ou parente, ação culo um pequeno fracasso. Arrisco, entretanto, sugerir uma que resulta em uma venda. abordagem diferente para esse 4) Mesmo sem adquirir o produto tipo de ocorrĂŞncia. Se vocĂŞ agiu ou indicar possĂ­veis compradores, diligentemente e nĂŁo vendeu, o cliente bem atendido auxilia a pode ter semeado um sucesso fu- manter a boa reputação da marca, turo. Vejamos, pois, situaçþes em atuando como promotor de marque a “nĂŁo vendaâ€? pode se con- keting espontâneo. Em meu livro VocĂŞ, um Grande verter em ĂŞxito. 1) No momento decisivo, o cliente Negociador, da Editora Livros de desiste da compra, muitas vezes Safra, mostro diferentes pesquisas porque descobre que o bem no que confirmam uma teoria: a atenqual estava focado nĂŁo atende a ção ao cliente ĂŠ o ponto nevrĂĄlgico suas necessidades. Semanas, me- de um negĂłcio. ses ou anos depois, no entanto, Essa realidade aparece num essatisfeito com o atendimento, re- tudo encomendado pela Walt torna para adquirir outro produto. Disney World e ĂŠ comprovada 2) Ao fazer as contas, o cliente des- por levantamentos de diversos cobre que ainda nĂŁo dispĂľe dos re- institutos de pesquisa norte-americanos. Com pequenas variaçþes, os nĂşmeros sĂŁo estes: ĂŽGRVFOLHQWHVGHL[DPGHFRPprar de um fornecedor por motivos sobre os quais os executivos tĂŞm pouco ou nenhum controle: eles mudam de bairro, alteram comportamentos ou simples-

Carlos JĂşlio ĂŠ consultor, palestrante, escritor e pesquisador no campo da administração de negĂłcios DIVULGAĂ‡ĂƒO

U

mente morrem; ÎDOHJDPTXHRSUHŠRDUD]¼R para abandonar determinado fornecedor; no levantamento da DisQH\ HVVHV PHVPRV  GL]HP TXH migram para um concorrente; Î  GHVLVWHP SRU PRWLYRV UHODcionados à qualidade do produto; ÎLQGLFDPRDWHQGLPHQWRGRV funcionårios e seu comportamento como a principal motivação para deixar de comprar de uma empresa. ConvÊm fazer as contas. No total, para cada cliente perdido em razão do preço, hå 7,5 que desaparecem por conta do atendimento inadequado. Quer vender mais, e sempre? Dê o seu melhor. Semeie! Semeie o que puder! Você pode plantar uma goiabeira e saborear rapidamente sua dådiva. Mas pode tambÊm apostar na jabuticabeira. Demora bem mais para frutificar. Mas o sabor da gostosura compensa a espera.


} XICO SÁ

A VIDA DO HOMEM COMEÇA AOS 54 udo bem, tio Nelson Rodrigues já dizia: um homem aos 20 e poucos anos não sabe sequer pronunciar um bom-dia para uma mulher. Certo, certíssimo. “Certo” como boca de padre, justo como boca de bode. A gente demora pra cacete a amadurecer. É sério. Não existe carbureto ou qualquer outra química que apresse tal processo. Há até quem diga, a tirar pela nossa zoação permanente, que não amadurecemos nunca. Pode ser. É realmente um eterna pelada com direito a churrasco e cerveja depois. Nada mal. Há uma leveza boa também nisso, como me alertava uma ex, coisa mais linda de Minas Gerais. “Ora, homem vai até pra guerra, não é fácil”, dizia a mesma graça de moça tentando entender as manjos começam a aproveitar a nossas bobagens. vida como adultos de verdade – Tudo bem que a gente demora, vol- haja aspas para adultos de verdato algumas casas. Mas daí achar que de. Somente nessa fase outonal, a vida do macho começa apenas aos digamos assim, os homens estariam “resolvidos e seguros”. 54 é exagero. Demais da conta. É o que diz uma pesquisa inglesa Ao contrário das gerações antepublicada pelo The Telegraph, riores, a madureza de hoje é mais um jornal metido a sério. Bote demorada. O cara demora mais pra sair da casa dos pais, o cara sério nisso. A vida principia aos 54 anos para demora mais pra ter filho, o cara os marmanjos. Ah, é? A manche- é um ser demorado, folgado, que te me faz deitar na rede branca e foge do vínculo e dos compromisreler todo o Tolstói outra vez en- sos à moda antiga. quanto espero esse Gênesis chegar O temor de não acertar na vida – como se a vida fosse uma planilha na varanda do Capibaribe. A tese da pesquisa é até simples: do Excel – faz também o homem somente a essa altura os mar- adiar esse momento ideal. É medo de tudo: De ficar sem grana, um loser perdido e estranho no paraíso como um personagem de filme de Jim Jarmusch. Pior: um velho lesado e mais liso que muçum (Synbranchus marmoratus) do açude do Orós. O medo da solidão também pega. Principalmente aos domingos. Ai de mim, Copacabana.

Xico Sá é escritor e jornalista. Autor de Big Jato (editora Companhia das Letras), entre outros livros

CHICO MAX

T

O medo do corpo caído (ah, seus metrossexuais mal-agradecidos dos seiscentos diabos!) e outras inseguranças anatômicas. Ah, vão se danar, homem que é homem não se preocupa com um galinheiro inteiro, quanto mais com um ou outro pezinho de galinha no poleiro da existência. Deixai as rugas residirem, sem pagar o aluguel da vaidade, em vossos rostos. Quanta frescura, meu Deus, quanto frufru e nove-horas, se é que você me entende. Haja medo. A pesquisa também detectou o medinho de lidar com a careca, com o queixo duplo e com as mamas (rs). Um autêntico macho-jurubeba não teme essas minúcias desimportantes. Em um mundo onde os fracos não têm vez isso não existe.


} MARIO SERGIO CORTELLA

O MISTÉRIO DO SIMPLES assada uma década da publicação de O Livro das Ignorãças do sempre centenário poeta Manoel de Barros, continua mais vivo o seu desnorteante Uma didática da invenção; nesse poema o mato-grossense teceu chinesa constatação ao anotar: O rio que fazia uma volta atrás de nossa casa era a imagem de um vidro mole que fazia uma volta atrás de casa. / Passou um homem depois e disse: Essa volta que o rio faz por trás de sua casa se chama enseada. / Não era mais a imagem de uma cobra de vidro que fazia uma volta atrás de casa. / Era uma enseada. / Acho que o nome empobreceu a imagem. Uma imagem continua valendo mais do que mil palavras? É provável; afinal, a imagem é síntese, agrega em si múltiplos sentidos e, ao mesmo tempo, expressa com vigor a sas maneiras é aquela que concapacidade de alargar a compre- segue gerar palavras grávidas de ensão. Lembremo-nos que o verbo imagens, como nas metáforas, pacompreender vai além da ideia de rábolas e alegorias. Um outro jeito entender ou saber; o significado poderoso é trazer para dentro da original é de incluir, envolver e expressão das ideias uma arquiteabraçar e, desse modo, a imagem tura das palavras que seja – como favorece a compreensão, isto é, fa- o essencial das imagens – simples, cilita o alcance da abrangência. A ou seja, sem complicações. Ser imagem é mais clara e transparen- simples, por contraditório que soe, te porque não está, como a grande é muito complicado, e isso todos parte dos discursos, cheia de do- dizemos. Complicado? Sim, e, por bras internas ou de meandros se- incrível que pareça, a ideia de simmânticos (nela presentes mas não ples e a de complicado estão etidominantes). Entretanto, a grande mologicamente ligadas. vantagem da imagem é poder ser O vocábulo simples veio para nós simples; com ela seria possível do latino simplex, no qual sim oferecer todo o conteúdo de um (ou sem) participa a noção de um parágrafo como este sem precisar ou único, isto é, não composto tal como nas palavras similaridade tantos volteios. Há, contudo, muitas maneiras de ou semelhante (de só um modo). dizer-se e dizer o mundo por meio Por sua vez, o plex se origina do de palavras; a mais poderosa des- indo-europeu plek e este exprime o substantivo “dobra” ou “laço”. Assim, simplificado é com uma só dobra ou sem qualquer uma delas, enquanto que complicado é aquilo que está muito dobrado, pois o prefixo cum indica intensidade. Por isso, o compositor Renato Teixeira descomplica bastante o mistério ao cantar que “O maior mistério é ver mistérios / Ai de mim, senhora natureza humana / Olhar as coisas como são, quem dera / E apreciar o simples que de tudo

Filósofo e escritor. Este é um trecho do livro Não Espere Pelo Epitáfio! (Provocações Filosóficas), publicado pela editora Vozes CHICO MAX

P

emana. / Nem tanto pelo encanto da palavra / Mas pela beleza de se ter a fala”. Para não ficar perplexo (enredado em laçadas) é melhor ex/plicar (com a acepção mesma de tirar as dobras, desdobrar, arrancar os laços para fora), deixando a tessitura da ideia bem lisa, aberta, evidente, sem complicações. Explicar com perfeição exige ver e ouvir por inteiro as imagens presentes nas falas recolhidas por Guimarães Rosa nos implicados cafundós; Para entender mais sobre simplicidade, é bom ler, reler e fruir aquilo que qualquer personagem dele singelamente diria, como “pra não nascer, já é tarde; pra morrer, inda é cedo”; ou, ainda, “viver de graça é mais barato” e, talvez, “rir, antes da hora, engasga”. Porém, mesmo quem não é destes grandes sertões também consegue ser um pouco riobaldiana; isso nos ensina Alice Roosevelt Langsworth: “Minha filosofia é simples. Encha o que estiver vazio. Esvazie o que estiver cheio. E coce quando sentir coceira”.


MEGARROTEIRO

VERO A seguir, confira os melhores endereços, estabelecimentos, profissionais e serviços que você encontra bem perto, na nossa região

EDUCAÇÃO

DÉCOR

IMÓVEIS

66

63

GASTRONOMIA

90

SAÚDE & BELEZA

70

94

92

86

78

GESTÃO FINANCEIRA

SHOPPING

AUTOS

TERCEIRIZAÇÃO DE SERVIÇOS

94

DIAGNÓSTICO VETERINÁRIO

96

pr óp rio

y liv er

m en to

De

Es ta ci on a

rt co nd ic io na do

Co uv e

Ar

sib ili da de pa ra cr ia nç Ca as rta de vi nh os Ár ea

an te s

Ac es

um

W i-F i pa ra f Ár ea

Ede m fu ai l nc io na m en to M an ob ris ta io

Si te

H or ár

Te le fo ne

En de re ço

E


Roteiro EDUCAÇÃO

IDIOMAS

EDUCAÇÃO St. George’s School A escola, da empresa inglesa Oxx education, escolheu Alphaville para abrir sua primeira unidade na America Latina. Parceria educacional da Cambridge University Press – que tem 800 anos de excelência em ensino –, ela oferece cursos para adultos e crianças a partir dos 3 anos de idade. Em seu prédio, localizado na área central do bairro, além das salas com lousas digitais, há biblioteca, laboratório, cafeteria e estacionamento com manobristas. Inaugurada em 2013, a escola acredita que, além da comunicação, os alunos precisam saber se expressar, ter um conhecimento multicultural e uma visão global de mundo. Al. Araguaia, 661, (11)4382Alphaville stgeorgeschool. 6303 atendimento@ com.br stgeorgeschool.com.br

2014 | FEVEREIRO | VERO | 63


IDIOMAS

Roteiro EDUCAÇÃO Red Balloon

IDIOMAS

Puc-SP

Fundada em 1946, a Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) está em Barueri desde 2007. Aqui oferece graduação de administração, economia e psicologia, extensão de psicopedagogia, logística e gestão de pessoas, além de diversos cursos de especialização. De acordo com o ranking do MEC, a PUC-SP é classificada como a melhor universidade particular do estado de São Paulo e a segunda do país. Av. Sebastião Davino dos Reis, 786 – Jd. Tupanci – Barueri (11)4199-4299 admbarueri@pucsp.br pucsp.br

Cultura Inglesa

Ensina inglês pela conversação, leitura, redação e atividades culturais para crianças, adolescentes e adultos. Seus alunos aprendem a se comunicar sem serem forçados a repetir de forma mecânica ou decorar. Atividades como e-Campus – site para prática de inglês na internet –, grupos de teatro e de leitura, coral, festival de música, eventos culturais e competição de oratória são inclusas na mensalidade. Suas salas são Calç. Procion, equipadas com quadro interativo e acesso à internet. (11)4153-9143 alphaville@ 8 – Centro de Apoio 2 – Alphaville culturainglesasp. com.br culturainglesasp.com.br

64 | VERO | FEVEREIRO | 2014

UNIVERSIDADE

A escola, em Alphaville há 12 anos, tem como objetivo a formação completa de crianças e adolescentes no idioma inglês. Os estudantes de 3 a 6 anos desenvolvem a compreensão e a produção oral por meio de histórias, vídeos e músicas. A partir dos 8 anos, eles começam a ler e a escrever em inglês, e por volta de 9 anos, já estão aptos a prestar os primeiros exames de proficiência Cambridge. Conta com 19 salas de aula, além de salas de vídeo, artes, brinquedos e computadores. Também oferece aulas de apoio e de teatro em inglês inclusas na mensalidade. Al. Amazonas, 560 (11)4193-1053 Alphaville redballoon.com.br alphaville@redballoon. com.br


ENSINO INFANTIL

Roteiro EDUCAÇÃO Kids Place A escola de educação infantil e berçário, inaugurada em 2003, utiliza como material de apoio as apostilas do Sistema Positivo de Ensino, e o didático My Litle Island (Pearson Education) para as aulas diárias de inglês. Sua missão é desenvolver e educar as crianças com padrões de qualidade e inseri-las nos contextos social, ambiental e cultural. A grade curricular abrange atividades como linguagem oral e escrita, natureza e sociedade, relações matemáticas, inglês, artes plásticas, música, informática e atividades esportivas como natação, capoeira, ballet, judô e educação física. Recebe crianças a partir de quatro meses até cinco anos, em turmas de meioperíodo (a partir de um ano) e período integral. Al. Amazonas, 552 (11)4195-487 Alphaville kidsplaceonline.com.br

PÓS-GRADUAÇÃO E MBA

ESCOLA

Escola Morumbi

Completando 45 anos em 2014, a escola tem três unidades: Jardins e Jardim Europa, em São Paulo, e Tamboré – primeira a atender, no mesmo local, de bebês a pré-vestibulandos. Seu sistema de ensino é próprio, fundamentado em teóricos da educação e aliado a estratégias didáticas facilitadas por recursos tecnológicos de última geração. A escola propõe atividades que vão do xadrez à robótica, além de incentivar as artes e as atividades físicas em salas, os estudos do meio e as visitas a institutos de pesquisas, exposições e museus. Além disso, ela prioriza o atendimento individualizado aos alunos e o estímulo à participação dos Al. América, 710 – Tamboré familiares. (11)2666-2888 escolamorumbi.com.br contato@escolamorumbi.com.br

Alpha - Strong Treinamento e Educação Executiva

A Strong, fundada em 1996 como uma das primeiras conveniadas da FGV no Brasil, conta com várias unidades no estado, sendo uma delas em Alphaville, aberta em 2006. Oferece pós-graduação em Administração e 14 cursos de MBA, entre Gestão Empresarial, Negócios, Projetos, Pessoas e Marketing. Suas dez salas de aulas têm infraestrutura multimídia e capacidade para 45 alunos cada. Tem também auditório, biblioteca, secretaria acadêmica Al. Tocantins, 125 e espaço convivência. Edifício 2 Anexo e 10º Andar Edifício Westgate Alphaville (11) 3711-1000 strong.com.br/ fgvalphaville

2014 | FEVEREIRO | VERO | 65


MÓVEIS PLANEJADOS

Roteiro DÉCOR

Dell Anno A loja-conceito vende móveis planejados de alta qualidade e segurança na entrega. Desde 2013, as ferragens e gavetas da Blum fazem parte de sua biblioteca de produtos. Além de montadores próprios, possui sala de apresentação exclusiva a clientes e arquitetos e estacionamento com manobrista. E mais, seu departamento técnico cuida de todos os projetos com o objetivo de minimizar ao máximo as possibilidades de erros e dar total assistência aos Al. Araguaia, clientes. 671 – Alphaville (11)4208-4515 dellannoalpha.com.br contato@dellannoalpha. Seg. a sex., 9h às com.br 20h; Sáb., 10h às 17h

66 | VERO | FEVEREIRO | 2014


MÓVEIS PLANEJADOS

Roteiro DÉCOR Florense Com mais de 10 mil projetos executados na região e atuando há 26 anos em Alphaville, investe na renovação de seu parque fabril, com a instalação do maior centro de acabamentos de móveis do país. Suas cozinhas, armários, estofados, móveis corporativos e complementos se destacam pelo design universal, qualidade das matérias-primas, engenharia de precisão, durabilidade e 170 padrões de acabamentos. Oferece projetos em parceria com arquitetos e designers de interiores. Al. Rio Negro, 1.030 – lj 1 – Alphaville (11)4191-6885 florense.com florensealphaville@ florensealphaville.com. Seg. a sex., 9h às br 20h; Sáb., 9h às 18h

S.C.A. Mobiliário Contemporâneo Fundada em 1967, a grife gaúcha de móveis sob medida inaugurou seu showroom em Alphaville há dois anos. Além da tradição, a empresa tem um tecnológico parque fabril. Oferece soluções completas em móveis planejados para interiores residenciais e comerciais, instalação e assistência técnica. Com diversificada gama de produtos e atendimento exclusivo, a marca tem como público-alvo clientes que valorizam o design e a inovação. Al. Araguaia, 751 – lj 3 (11) 4314-2626 Alphaville sca.com.br contato@scaalphaville.com.br Seg. a sex., 10h às 19h; Sáb., 10h às 16h FOTOS ALAIN BRUGIER

MÓVEIS PLANEJADOS

E

2014 | FEVEREIRO | VERO | 67


Roteiro DÉCOR

CHURRASQUEIRAS A GÁS

PERFUMES

REVESTIMENTOS

Staccato Revestimentos

Fundada em 2009, e na região desde 2010, a boutique de revestimentos, louças e metais oferece ampla variedade de marcas nacionais e importadas, com diversas peças exclusivas. Instalada em um espaço de 300 m2, oferece atendimento diferenciado com vendedores especialistas e também projetista para paginação dos materiais e medição de obra. Além de estacionamento próprio, tem sala para reuniões entre arquitetos e clientes. Av. Andrômeda 900 – Alphaville Conde (11)4191 9816 staccatorevestimentos. contato@staccatorevestimentos. com.br Seg. a sex., 9h às 19h; Sáb., 9h às 15h com.br

Avatim

Especializada em produtos de perfumaria, ambiência, higiene pessoal e relaxamento. Durante a fabricação, busca na natureza combinações harmônicas de ingredientes e embalagens, resultando em produtos elegantes, sofisticados e exóticos. Na filial de Alphaville, inaugurada em 2010, oferece produtos para o corpo em diversas opções de aromas, cores e texturas e também realiza personalização de artigos, aromatização em eventos, lojas e hotéis, além de atendimento corporativo. Al. Araguaia, 762 – loja 50 – térreo – Shopping Flamingo (11)4193-3149 avatim.com.br shoppingflamingoalphaville@avatim.com.br Seg. a sáb., 10h as 20h

Home & Grill Empresa especializada em espaços gourmet, oferece o que há de mais inovador em churrasqueiras a gás e acessórios para esses ambientes, utilizando as melhores tecnologias e aço inoxidável em toda a sua linha de produtos, além de prestar suporte e assistência técnica de qualidade e fabricar coifas sob medida. Suas churrasqueiras a gás são fabricadas para durar, proporcionando mais praticidade, prazer e comodidade aos novos chefs da família. Oferece produtos com até dez anos de garantia. Calç. das Papoulas, 100 Centro Comercial Alphaville (11)4193-3677 homeegrill. atendimentosp@ com.br Seg. a homeegrill.com.br sex., 9h às 18h; Sáb., 9h às 13h

68 | VERO | FEVEREIRO | 2014


HIDROMASSAGENS

ARQUITETURA E DESIGN DE INTERIORES

Roteiro DÉCOR Simone Mello de Albuquerque A profissional, formada em design de interiores e arquitetura, atua há 15 anos em Alphaville e região, São Paulo (na capital e no interior) e no litoral norte do estado. Em seu escritório próprio, juntamente com sua equipe, oferece soluções completas em projetos de arquitetura, arquitetura de interiores, decoração, paisagismo, administração e execução de obras. Priorizando atender o desejo e a expectativa de seus clientes, a profissional cria espaços confortáveis e bem aproveitados com linhas retas e cores neutras, garantindo elegância e modernidade aos ambientes. Al. Amazonas, 938 Sl 14, Bl B - Alphaville (11)4689-1023 / (11) 4195-4469 / (11)99121-0505 smarquitetura.com simone@ smarquitetura.com Seg. a sáb., 8h às 18h

Riolax Alphaville Inaugurada em 2012, a loja tem 160 m² e oferece um showroom completo. Lança anualmente modelos de hidromassagens, spas e ofurôs. Seus produtos são confortáveis, ousados, com tecnologia e matériaprima de qualidade e o melhor custo-benefício. Também oferece assistência técnica e todo o suporte necessário para seus produtos. Além da unidade de Alphaville, está presente em Brasília e em diversas cidades dos estados de São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Paraná e Minas Gerais. Calç. Antares, 208 Centro de Apoio II (11)4153-6810 Alphaville / 4153-6811 riolax.com.br contato@ riolaxalphaville.com.br Seg. a sex., 8h às 18h; Sáb., 9h às 13h

2014 | FEVEREIRO | VERO | 69


Roteiro IMÓVEIS

CORPORATIVO

IMÓVEIS Office Bethaville Site officebethaville.com.br Incorporação MPD Engenharia e Tamboré Empreendimentos e Participações Localização Av. Trindade, 254 – Bethaville Vendas Fernandez Mera, Lopes e TOP Brokers Informações (11)4163-3002 Opções de metragens 41 m² a 853 m² Data de entrega outubro / 2014 Projeto de arquitetura José Lucena Arquitetura Projeto paisagístico Luciana Moraes Total de unidades 292 Número de torres 1 Pavimentos 16 Elevadores 7

70 | VERO | FEVEREIRO | 2014


HOTELEIRO

Roteiro IMÓVEIS Grand Bourbon Alphaville

MIXED USE

Site grandbourbon.com.br Incorporação Goincorp Empreendimentos Imobiliários Localização Av. Andrômeda, 655 – Alphaville Vendas Abyara, CIA Lançamentos Imobiliários, Lopes e imobiliárias locais Administração Hoteleira Bourbon Hotéis e Resorts Informações (11)4166-5555 Opções de metragens 23,55 m² a 59,35 m² Data de entrega dezembro / 2016 Projeto de arquitetura Formo Arquitetura e Design Projeto de decoração de interiores Regina Ulhôa Canto Total de unidades 461 Número de torres 1 Pavimentos 36 Elevadores 10

Link Site linkmpd.com.br Incorporação MPD Engenharia Localização Av. dos Parques – Tamboré Vendas Fernandez Mera, Lopes e TOP Brokers Informações (11)2424-8696 Opções de metragens 45 m² e 58 m² (studios) / 30 m² a 480 m² (offices) Data de entrega fevereiro / 2016 Projeto de arquitetura José Lucena Arquitetura Projeto paisagístico Mera Arquitetura Paisagistíca Projeto de decoração AR Arquitetura & Design Total de unidades 371 Número de torres 1 Pavimentos 14 + térreo Elevadores 4 (studios) e 4 (offices)

2014 | FEVEREIRO | VERO | 71


Duetto Absoluto Site duettoalphaville.com.br Incorporação CNA Spitaletti e Módena Localização Av. Andrômeda, 615 Green Valley Vendas Alpha Prime Informações (11)4195-5200 / 0800 038 4088 Opções de metragens 27 a 35 m² (flats) e 26 a 182 m² (módulos corporativos) Dormitórios 1 (flat) Data de entrega março / 2017 Projeto de arquitetura Kartal Arquitetura Projeto de decoração Suzana Mesa Total de unidades 627 Número de torres 1 Pavimentos 41 Elevadores 12

RESIDENCIAL

MIXED USE

Roteiro IMÓVEIS

Complexo Madeira

Site complexomadeiraalphaville.com.br Incorporação Alphapar e Tivoli Localização Al. Madeira Vendas CIA e Abyara Informações (11) 4191-3337 Valor inicial do m2 salas comerciais R$7.200/m2, apartamentos Blue Tree R$12.300/m2 Opções de metragens salas a partir de 45 m2, lajes de 900 m2, apartamentos de 26 m2 e 52 m2 Data de entrega dezembro / 2014 Projeto arquitetônico Ricardo Julião Projeto paisagístico Benedito Abbud Total de unidades 674 Número de torres 2 torres integradas (1 vertical e 1 horizontal) Pavimentos 26 andares + 3 subsolos Elevadores 15 + 2 escadas rolantes

Novare Alphaville

Site novarealphaville.com.br Incorporação Netcorp Brasil Localização Av. Ômega, 174 – Alphaville Vendas Abyara / Lopes Informações (11)4191-3985 / 4191-2133 Opções de metragens 50 m² a 70 m² (apartamentos) / 108,47 e 134,35 m² (duplex) / 169,51 e 212,49 m² (cobertura triplex) Data de entrega 2016 Dormitórios 1 suíte, 1 ou 2 dormitórios (apartamentos) / duplex / cobertura triplex Projeto de arquitetura Jose Lucena Projeto de decoração Fernanda Marques Número de torres 1 Pavimentos 28 Elevadores 5

72 | VERO | FEVEREIRO | 2014


2014 | FEVEREIRO | VERO | 73


RESIDENCIAL

Roteiro IMÓVEIS Selenita Residence & Long Stay Site selenitaresidence.com.br Incorporação CNA Spitaletti Localização Av. Trindade, 216 – Bethaville Vendas Alpha Prime Informações (11)4195-5200 / 0800 038 4088 Opções de metragens 26 a 52 m² Dormitórios 1 (suíte) Data de entrega março / 2016 Projeto de arquitetura Kartal Arquitetura Projeto de decoração Igor Miyahara Total de unidades 435 Número de torres 1 Pavimentos 30 Elevadores 5

Boulevard Tamboré Site boulevardtambore.com.br Incorporação MPD Engenharia e Tamboré Empreendimentos e Participações Localização Al. Cores da Mata, 10 – Tamboré Vendas Fernandez Mera, Lopes e Top Brokers Informações (11)4152-3333 Opções de metragens 136, 168 e 224 m² Dormitórios 2 (suíte), 3 (suíte) ou 4 (suíte) Data de entrega fevereiro / 2017 (Torres A, B e C); fevereiro / 2018 (Torre D); fevereiro / 2019 (Torres E, F e G) Projeto de arquitetura Candusso Arquitetos Projeto paisagístico Benedito Abbud Arquitetura Paisagística Projeto de decoração Camila Klein Total de unidades 360 Número de torres 6 Pavimentos térreo + 14 Elevadores 5 (Torre A) 3 (Torres B, C, D, E e F)

74 | VERO | FEVEREIRO | 2014


2014 | FEVEREIRO | VERO | 75


Altavis Aldeia Da Serra

Site altavisaldeia.com.br Incorporação Cipasa Urbanismo Localização Est. Mal. Mascarenhas de Moraes, 5.800, Aldeia da Serra Coordenação de vendas Dome Informações 0800 605 2400 Valor inicial do m² R$690 o m² Opções de metragens 420 m² (a partir) Projeto de arquitetura StudioR Projeto de decoração Barbieri&Gorski Total de unidades 565 (residenciais) e 22 (comerciais)

Bremen Administradora de Imóveis

LOCAÇÃO

IMOBILIÁRIA

TERRENOS

Roteiro IMÓVEIS

Em Alphaville há dois anos, trabalha com venda, locação, administração e troca de imóveis – um grande diferencial, já que é possível utilizar carros nas negociações de troca. Além da sede na região, de 100m², a imobiliária também atua nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Santa Catarina e na região Nordeste. Al. Araguaia, 272 – loja 10 – sobreloja 5 Alphaville (11)3641-1693 bremenimoveis. com.br contato@bremenimoveis.com.br Seg. a sex., 8h30 às 19h

Prédio Comercial para Locação

Localização Al. Araguaia, 120 – Alphaville Pavimentos 3 Numero de torres 1 Valor da locação R$120 mil Área total 2.058,47 m² Locadora EPD Participação, Empreendimento e Associação Societária S/A Telefone (11)99659-4075 (Celso) Elevadores 1 (para carga)

Prédio Comercial para Locação

Localização Av. Dib Sauaia Neto, 1.450 – Alphaville Pavimentos 3 Numero de torres 1 Valor da locação R$80 mil Área total 2.750,00 m² Locadora EPD Participação, Empreendimento e Associação Societária S/A Telefone (11)99659-4075 (Celso)

76 | VERO | FEVEREIRO | 2014


2014 | FEVEREIRO | VERO | 77


Roteiro SAÚDE & BELEZA

Fono Alpha

Inaugurada em 2011, em Alphaville, a clínica de fonoaudiologia e aparelhos auditivos é comandada pela Dra. Andrea Caruso Leone, médica especialista em audiologia pela Santa Casa de São Paulo. Com profissionais de audiologia, realiza atendimento preciso, individual e personalizado. Oferece os melhores aparelhos auditivos do mercado e um programa de reabilitação auditiva que garante melhoria na qualidade de vida, integração familiar e social do portador de Calç. das Tulipas, 78 perda auditiva. (11)4191-8835 Centro Comercial Alphaville fonoalpha@hotmail.com Seg. a sex., 8h às 17h

Klinique Saúde e Bem-Estar

MULTIDISCIPLINAR

FONOAUDIOLOGIA

SAÚDE & BELEZA

Há seis meses em Alphaville, reúne profissionais de endocrinologia, dermatologia, nutrição e estética corporal e facial. É comandada pela Dra. Karla Fabiana Brasil Gomes, especialista em endocrinologia e metabologia pela SBEM e doutoranda pela USP, e pela Dra. Maria Cristina S. Valencio, dermatologista clínica, cirúrgica e cosmiátrica, especialista em dermocosmiatria e membro das Sociedades Brasileiras de Dermatologia e de Cirurgia Dermatológica. Av. Copacabana, 112 – sl 1.112 – Alphaville (11)2970-1815 klinique.com.br falecom@klinique.com.br Seg. a sex., 9h às 18h; Sáb., 9h às 13h. Convênios: Particular, Bradesco e Omint

78 | VERO | FEVEREIRO | 2014


2014 | FEVEREIRO | VERO | 79


PSICÓLOGA

Roteiro SAÚDE & BELEZA Dra. Mariana Minerbo

PEDIATRA

Home Angels

Comandada pela psicóloga especializada em gerontologia Giovana Castro (acima) e pela empresária Andréa Kurihara, oferece cuidadores para idosos, pessoas com necessidades especiais, limitações físicas, bebês, crianças e adultos em recuperação de cirurgias e pós-parto. Seus profissionais ajudam na higiene pessoal, alimentação, administração de medicamentos, atividades de educação, cultura, recreação e lazer. Os atendimentos são feitos nas próprias casas dos pacientes. Alphaville, Aldeia da Serra e Granja Viana (11)4192-2711 / homeangels.com.br/baruerialphaville (11)96459-0136 barueri-alphaville@homeangels-sp.com.br Seg. a sex., 9h às 18h

Dra. Lilian Zaboto

Formada há 15 anos, é especialista em pediatria pelo Hospital Infantil Menino Jesus e acompanha seus pacientes do nascimento à adolescência. Atende há 13 anos em Alphaville, onde realiza consultas de pediatria, puericultura e vacinação. Também é diretora da Clínica Vacinville e credenciada aos hospitais Israelita Albert Einstein e São Luiz. Além disso, é membro da Sociedade Brasileira de Pediatria e de Imunologia e oficial médica da Reserva da Força Aérea Brasileira. Av. Copacabana, 112 – cj. 1.313/1314 – Alphaville (11)4302-6330 / (11)4191lilianzaboto.com.br contato@lilianzaboto.com.br Seg. a sex., 9114 9h às 19h; Sáb., 10h às 14h (nesse dia, apenas vacinas)

80 | VERO | FEVEREIRO | 2014

CUIDADORES

Psicóloga, mestre e doutora em psicologia clínica pela Universidade de São Paulo (USP), tem mais de 30 anos de experiência em diferentes perfis de pacientes. Segue a orientação psicanalítica, pois acredita que essa forma de abordagem lida com aspectos amplos e profundos do ser humano, e não apenas com a eliminação de um determinado comportamento e sintoma. Em seu doutorado, estudou a influência do modo de vida contemporâneo no cotidiano, que pode gerar quadros de síndrome do pânico, fobias e depressão. O mestrado teve como questão principal a inquietação natural do adolescente e seus desafios, complementando o atendimento com a orientação vocacional. O Instituto Sedes Sapientiae, onde especializou-se em atendimento infantil, foi sua base de formação psicanalítica. Também orienta pais sobre limites, bullying e separação. Oferece ainda atendimento a casais e supervisão Calç. das para psicólogos. Papoulas, 61 – Centro Comercial (11)4195-1888 Alphaville marmin@uol.com.br


2014 | FEVEREIRO | VERO | 81


ODONTOLOGIA

CIRURGIÃO PLÁSTICO

Roteiro SAÚDE & BELEZA Dr. Tárcio Caetano Médico há 19 anos e cirurgião plástico há 14, o especialista tem como missão proporcionar um atendimento personalizado. Realiza desde a simples correção do alargamento do “furo” da orelha até tratamentos capilares, reconstruções mamárias e cirurgias plásticas estéticas – implantação de próteses de glúteo, mamas e panturrilhas; lipoescultura e lipoaspiração; cirurgias da face com tecnologia contemporânea, como lasers para melhores resultados, associado ao ácido poli-L-láctico, também indicado para flacidez de braço, interno de coxa , nádegas e pescoço. doctarcio@hotmail .com tarcioac30@terra.com.br clinicatarciocaetano.com.br

Dra. Alessandra Bernardes Com mais de 17 anos de experiência em odontologia e pós-graduada em dentística restauradora com ênfase em estética, direciona seu trabalho aos tratamentos estéticos, remodelações de sorrisos e procedimentos preventivos para a manutenção da saúde bucal. É docente do CETAO – instituição de ensino superior, extensão e pós-graduação em odontologia. Al. Itapecurú, 645 cj.1.334 – Alphaville (11)4193-2878 draalessandrabernardes.com.br contato@raalessandra bernardes.com.br Seg. a sex., 8h às 19h

82 | VERO | FEVEREIRO | 2014


2014 | FEVEREIRO | VERO | 83


Clínica Aba

Atuando como um espaço multidisciplinar, a clínica tem como missão agregar diversas especialidades da saúde para um atendimento mais completo e seguro. Oferece consultórios equipados e mobilidade para médicos, psicólogos e dentistas em planos de locação flexível. Entre os serviços administrativos incluídos estão recepção, confirmação de consultas, limpeza, café, TI, segurança, estacionamento, marketing personalizado, entre outros. Av. Andrômeda, 885 – Torre Office – sl 210 (11)2424-8255 clinicaaba.com. Alphaville contato@clinicaaba.com.br Seg. a br sex., 7h às 20h; Sáb., 7h às 13h; Atendimento de urgência nos finais de semana

Beth Ballet

ESTÉTICA E BEM-ESTAR

ESCOLA DE DANÇA

CLÍNICA MULTIDISCIPLINAR

Roteiro SAÚDE & BELEZA

Há 24 em Alphaville, a escola de dança conta com a competência de profissionais renomados, formados e premiados no Brasil e no exterior. A técnica da dança é aplicada a partir dos três anos, nas modalidades de baby class, linguagem lúdica com fundamentos do ballet clássico, e baby dance, linguagem da dança associada à técnica do sapateado, que passa pelos adolescentes com musical americano, musical indiano, jazz, ballet clássico e sapateado. Além disso, oferece também aulas para adultos acima de 30 anos. Al. Araguaia, 710 – Alphaville (11)4195-5490 bethballet.com.br bethballet@bethballet.com.br Seg. a sex., 9h às 20h30 (aulas) e E 9h às 18h (secretaria)

Anna Pegova Seus tratamentos são exclusivos, com técnicas próprias, desenvolvidas e apuradas em anos de experiência. São cuidados estéticos faciais com ativos únicos, que abrangem desde a limpeza de pele – tratamento mais procurado, por seus resultados imediatos –, tratamentos antirrugas e antiflacidez de última geração, cuidados para acne, beleza do pescoço e colo, tratamentos pré e pós-cirurgia plástica, tratamentos relaxantes e modeladores corporais. Para desfrutar de todos estes benefícios, as lojas possuem ainda um design de interiores que proporciona tranquilidade e prazer. A forma de dispor seus produtos, mobiliários e locais de atendimento foi projetada para privilegiar o atendimento, trazendo conforto, sofisticação e, acima de tudo, orientação a todos os seus clientes. Calç. das Bétulas 49 Centro Comercial Alphaville (11)4195-1414 annapegova.com.br alphaville@annapegova.com.br Seg. a sex., 9h às 20h; Sáb., 8h30 às 18h

84 | VERO | FEVEREIRO | 2014


2014 | FEVEREIRO | VERO | 85


Roteiro AUTOS

HVille

A concessionária Honda, há 15 anos em Alphaville, agora atenderá em dois endereços. Comercializa veículos 0km, seminovos e adaptados para portadores de necessidades especiais. Também oferece produtos como seguro, financiamento, documentação e serviços como leva e traz, express service, funilaria e pintura, oficina mecânica, lavagem, e ainda um restaurante exclusivo Fran's Café. Est. da Aldeinha, 525 – Alphaville – Barueri Avenida Prefeito Doutor Hirant Sanazar, 625 – Umuarama – Osasco (11)4196-4444 (Alphaville) / (11)3683-4444 (Osasco) hville. com.br facebook.com/HondaHVille Show Room: Seg. a sex., 7h30 às 19h; Sáb. e feriados, 9h às 17h; Dom., 9h às 14h. Assistência técnica: Seg. a sex., 7h às 18h

Bremen Motors

LOJA

CONCESSIONÁRIA

AUTOS

A loja de veículos multimarcas trabalha com modelos nacionais e importantes, novos e usados, e blindados. Inaugurada em dezembro de 2013 em Alphaville, oferece marcas premium como Ferrari, Lamborghini, Porsche, Audi, Mercedes-Benz e BMW. Priorizando um atendimento personalizado, também recebe clientes com hora marcada. Al. Araguaia, 272 – loja 10 – Alphaville (11)3647-8384 bremenmotors.com.br contato@bremenmotors.com.br Seg. a sex., 8h30 às 19h; sáb., 9h às 14h

86 | VERO | FEVEREIRO | 2014


2014 | FEVEREIRO | VERO | 87


CONCESSIONÁRIA

Roteiro AUTOS Bmw Agulhas Negras Líder em vendas na América Latina nos últimos seis anos, a concessionária, sediada em São Bernardo do Campo, em 12.000 m², e São Paulo, com 2.200 m², atua no mercado automobilístico desde 1960 e representa a BMW desde 1998. Vende veículos 0km e seminovos da marca, além de oferecer serviços como oficina mecânica, sistema de leva e traz com caminhõesplataforma, delivery de peças, entre outros. Av. Dr. Rudge Ramos, 837 – São Bernardo do Campo / Av. 23 de maio, (11) 3033 – São Paulo 4950-8045 / (11)4950-8044 bmwagulhasnegras. contato@ com.br agulhasnegras.com.br Seg. a sex., das 8h às 20h; sáb., dom. e feriados, das 9h às 18h

Itatiaia Distribuidora de Veículos Inaugurada na região em 1992, a concessionária é referência em produtos e serviços em marcas de veículos de luxo, tais como Mercedes-Benz, Chrysler, Mitsubishi, Jeep e Dodge. A bandeira Itatiaia – que foi criada em 1957 como concessionária de veículos Mercedes-Benz – também tem uma filial e uma oficina especializada em Sorocaba. Oferece também serviço de leva e traz. Estrada da Aldeinha, 55 – Alphaville (11)4166-2222 itatiaia. itatiaia@itatiaia.net net Seg. a sex., 8h às 19h; Sáb., 9h às 17h; Dom., 10h às 14h

88 | VERO | FEVEREIRO | 2014


2014 | FEVEREIRO | VERO | 89


GASTRONOMIA

Feita com molho de tomate pelado, mozarela de búfala fresca, cebola e tomatinhos cobertos com um delicioso pesto de manjericão, a Leggera é uma das mais pedidas na casa. Com foco no delivery, a pizzaria conta com uma boa carta de vinhos da importadora Mistral, a preços convidativos. Centro Comercial (11)4195Alphaville 1642 / 4195-1647 grazieadiopizzeria. Delivery com.br todos os dias, 18h às 23h

90 | VERO | FEVEREIRO | 2014

TERCEIRIZAÇÃO E SERVIÇOS

DIAGNÓSTICO VETERINÁRIO PIZZARIA

Grazie a Dio Pizzeria Artigianale

GESTÃO FINANCEIRA

SHOPPING

GASTRONOMIA

Roteiro MIX


2014 | FEVEREIRO | VERO | 91


Trattoria Vitória Régia

ESPAÇO DE EVENTOS

Em ambiente lúdico, colorido e integrado – o que facilita o contato visual entre pais e filhos – , o Zip Zap Zoom Festas realiza eventos infantis para até 120 pessoas sentadas. Oferece uma completa infraestrutura em brinquedos, som, iluminação, estacionamento gratuito para todos os convidados das festas e menu diferenciado. Além disso, tem gerador, ar condicionado e elevador para pessoas com necessidades especiais. Av. Sagitário, 717 – Alphaville (11)4191-9818 zipzapzoomfestas.com.br e 4257-1554 contato@zipzapzoomfestas.com.br Seg. a sex., 9h às 18h; Sáb., 9h às 15h / Festas: E Seg. a dom., almoço e jantar

Alpha Square Mall

SHOPPING

Inaugurado em 2012, o complexo, mix de lojas e serviços, de 5.200 m², está localizado próximo ao cruzamento das avenidas Sagitário e Yojiro Takaoka. O Mall, interligado às Torres Office, reúne 72 lojas divididas em dois pavimentos e diversas opções gastronômicas com restaurantes de cozinha internacional, refeições leves, lanches rápidos, cafeterias e docerias. Também tem estacionamento coberto (conveniado com suas lojas) com manobrista e mais de 1.000 vagas. Av. Sagitário, 138 (11)2664-0404 alphasquaremall.com.br atendimento@ Todos os dias, alphasquaremall.com.br 10h às 22h

92 | VERO | FEVEREIRO | 2014

MALL

GASTRONOMIA

Inspirada nos modelos das butiques italianas, o restaurante alia o conceito de modernidade à tradição. Tornou-se referência em comida italiana de qualidade na região de Alphaville com seu cardápio variado de massas artesanais, saladas, assados e grelhados , além de uma carta de vinhos equilibrada, com rótulos nacionais da Casa Valduga e internacionais escolhidos cuidadosamente pelo proprietário, Regis Amadeu. Oferece mesas ao ar livre e tem capacidade de 80 lugares. Pç. Vitória Régia, 44 – Centro Comercial (11)4191-9209 Alphaville trattoriavitoriaregia. trattoria@ com.br trattoriavitoriaregia.com. Seg. a sáb., 11h30 às br 15h30

Zip Zap Zoom Festas

SERVIÇOS

ITALIANO

Roteiro MIX


2014 | FEVEREIRO | VERO | 93


GESTÃO FINANCEIRA

Roteiro MIX

GESTÃO FINANCEIRA

b2finance Como uma extensão financeira de seus clientes, ela gerencia processos operacionais e administrativos, com foco na estratégia de cada companhia-cliente. Realiza gestão fiscal, financeira, contábil, tributária e de TI para que pequenas, médias e grandes empresas se foquem apenas no seu business. A b2finance também apoia as micros e pequenas empresas com valores compatíveis como Angel – um conjunto de profissionais que prestam consultoria personalizada para empresas com custo de um contador comum. Al. Mamoré, 911 19º andar – Alphaville (11)3173-4499 b2finance-group.com contato@b2financeSeg. a sex., group.com 8h às 18h

Grupo Cunha

TERCEIRIZAÇÃO

Trabalha com a terceirização de mão de obra na área de segurança, monitoramento, recepção, jardinagem e principalmente limpeza e portaria. Inaugurado em Alphaville há 13 anos, atua em toda a grande São Paulo com mais de 2000 funcionários. Investe constantemente na capacitação e qualificação dos colaboradores, realizando treinamentos e reciclagens no próprio centro de treinamento, simulando situações reais. R. Topázio, 272 – Jd. dos Camargos – Barueri (11)4199-1433 grupocunha.com.br cunha@grupocunha. 24h com.br

94 | VERO | FEVEREIRO | 2014

TERCEIRIZAÇÃO DE SERVIÇO

Mauro Inagaki, CEO da b2finance


2014 | FEVEREIRO | VERO | 95


TERCEIRIZAÇÃO

Grupo Haganá Foi fundado em 1997 por ex-oficiais do exército e do serviço secreto israelense. Oferece um pacote completo de soluções de terceirização, com vigilantes, escolta armada, ronda, portaria, recepção, limpeza, bombeiros, monitoramento de alarmes e imagens, comercialização de equipamentos eletrônicos e controle de acesso. R. Cruzeiro, 549 Barra Funda – São Paulo (11)3393-1717 comercial@hagana. hagana.com.br com.br 24h

Provet Unidade Alphaville

VETERINÁRIO

Recém-inaugurado em Alphaville, em janeiro de 2014, o centro de diagnósticos e especialidades veterinárias conta com mais quatro unidades em São Paulo. Todas são equipadas para oferecer mais de 600 tipos de exames. Oferece também orientação direta da equipe aos clientes. Al. Dali, 82 – loteamento Burle Marx – Alphaville (11)4153 0053 provet. alphaville@ com.br Seg. a provet.com.br sex., 9h às 18h; Sáb., 9h às 14h

96 | VERO | FEVEREIRO | 2014

DIAGNÓSTICO VETERINÁRIO

SEGURANÇA ARMADA E TERCEIRIZAÇÃO

Roteiro MIX


2014 | FEVEREIRO | VERO | 97


Prático de estacionar, fácil de comprar Manobrista grátis

Al. Rio Negro, 1033 - Alphaville - Barueri, (11) 4191-1190 - www.alphashopping.com.br De segunda a sexta-feira, das 10h às 21h. Aos sábados, até às 20h


Certas coisas sĂŁo muito importantes... Alarmes Monitoramento 24 horas CircuĂ­to fechado de TV

(11) 4153-7931


persona | fevereiro | 2014

EDSON TROCCOLI por Gabriela Ribeiro

Aos 63 anos de idade, e morador de Alphaville há 27, Troccoli é empresário do ramo de cabos especiais – já foi inventor e criou um descascador de pinhão, espremedor de alho e um abridor de potes –, artista plástico, pizzaiolo e, ainda, pratica voo livre.

“A sensação de voar é fascinante. É como pilotar uma moto sem estar no chão, sentindo aquele vento no rosto”, diz o empresário, que pratica voo-livre há 15 anos. O sonho infantil persistiu: "Lembro que abria os braços e brincava de voar, e isso nunca saiu da minha cabeça", conta. E desde seu primeiro voo, chegando a uma altitude de 3 km , descobriu como manter-se tranquilo e equilibrado. "Voar é a coisa mais prazerosa do mundo; às vezes, quando estou lá em cima, não penso em nada, fico só admirando a natureza." Sua ligação com o céu é tão íntima que nem parece se tratar de um esporte radical. E ainda neste ano, Troccoli, um verdadeiro homem-pássaro, pretende chegar à marca de 500 voos – e só faltam 13 pra isso.

108 | VERO | FEVEREIRO | 2014


2014 | FEVEREIRO | VERO | 109


110 | VERO | FEVEREIRO | 2014


Revista VERO | Fev/2014  

Alphaville | Atitude | Comportamento | Coworking | Gente | Luiz Felipe Pondé | Flávio Gikovate | Carlos Júlio | Xico Sá | Mario Sergio Corte...

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you