Page 1

Edição Junta de Freguesia do Castelo Sesimbra

n.º 6 JULHO 2019

VERÃO 2019 na freguesia do castelo

© MGPhoto

Uma experiência. Uma oportunidade.

Exposição/Recriação Memórias da Nossa Escola

Espaço Zambujal ganha nova vida e polivalência

pág. 8

pág. 12


J JUNTA DE FREGUESIA Eleitos

Maria Manuel Gomes · CDU · Presidente Administração Geral · Recursos Humanos Delegação de Competências · Proteção Civil Atividades Económicas e Turismo Atendimento: terças-feiras, das 10 às 12h

Vera Vieira · CDU · Secretária Substituta Legal da Presidente · Movimento Associativo Cultura · Comunicação e Informação Atendimento: quintas-feiras, das 9.30 às 12.30h

A ASSEMBLEIA DE FREGUESIA Eleitos

Pedro Mendes · CDU · Presidente Ana Marques · CDU · 1.ª Secretária

Ricardo Dias · CDU · Tesoureiro Contabilidade · Finanças · Tesouraria e Desporto Atendimento: segundas-feiras, das 17.30 às 18.30h

Filomena Valente · CDU · 2.ª Secretária João Barateiro · CDU Jovita Lopes · CDU Ana Campos · CDU

Sara Almeida · CDU · Vogal Educação · Juventude · Ação Social e Saúde Atendimento: terças-feiras, das 9 às 11h

André Quaresma · CDU António Marques · PS Carina dos Reis · PS Susana Pascoal · PS Rui Marto · PS

João Ribeiro · CDU · Vogal Serviços Urbanos · Trânsito e Ambiente Atendimento: segundas-feiras, das 15 às 17h

Marcação de atendimentos:

C CONTACTOS Junta de Freguesia do Castelo Avenida Padre António Pereira de Almeida, nº 36, r/c. Santana – 2970-590 Sesimbra 21 268 92 10 96 127 64 03 geral@jf-castelo.pt · secretaria@jf-castelo.pt 38º 27` 37” N 9º 06` 17” W Espaço Zambujal Avenida 25 de Abril, Zambujal 2970-129 Sesimbra 21 087 08 45 96 241 73 27 espaco.zambujal@gmail.com 38° 27’ 12” N 9° 07’ 11”W Lugar da Terra Estrada Municipal 520 - Zambujal de Baixo 2970-000 Sesimbra (antiga escola EB n.º 2 do Zambujal) 96 760 25 11 lugardaterra@gmail.com 38° 27’ 26” N 9° 07’ 29” W

2 · Castelo Informação

21 268 92 10

Filomena Raimundo · PPD-PSD/CDS-PP Diogo Sebastião · MSU

E-mail: assembleia.freguesia.castelo@jf-castelo.pt

F FICHA TÉCNICA Propriedade Junta de Freguesia do Castelo Diretora Maria Manuel Gomes Textos JF Castelo Fotografia JF Castelo CM Sesimbra Mário Gomes (capa) Alpha Média Design e Paginação Maria Soares Impressão Tipografia Belgráfica. L.da Tiragem 1500 exemplares Depósito legal 240074/06


E EDITORIAL

C

Caros munícipes,

A publicação do Decreto-Lei nº 57/2019 de 30 de abril que "Concretiza a transferência de competências dos municípios para os órgãos das freguesias" decorre da Lei 50/2018 de 16 de agosto, que determina o quadro de transferência de competências para as autarquias locais, é parte integrante de um processo designado por descentralização mas que na prática mais não é do que uma transferência de encargos para as autarquias a par de uma profunda e inaceitável desresponsabilização do governo em áreas fundamentais. Esta tranferência de competências para os órgãos das freguesias, tal como prevista, não apresenta quaisquer benefícios para os nossos munícipes, visto que princípios como a qualidade, universalidade e igualdade no acesso aos serviços públicos , não se encontram acautelados. Como não se encontram igualmente elencadas as necessidades e capacidades de cada uma das freguesias para a adequação às exigências decorrentes deste processo. Estão a transferir responsabilidades sem aferir condições. Uniram-se juntas de freguesia, perderam-se práticas de proximidade e agora sobrecarregam as mesmas com total desconhecimento do futuro. Não estão de facto reunidas as condições para aceitar estas transferências do modo como as mesmas nos são apresentadas pelo governo central. E assim não! Continuaremos a pugnar pela qualidade dos serviços e das condições de trabalho dos nossos colaboradores. Entendemos que só desta forma podemos prestar serviço público que acrescente valor e qualidade de vida às populações. O verão está à porta e com ele a freguesia vibra em cada rua e em cada aldeia. Mais um ano as equipas da Junta de Freguesia redobraram-se em esforços para manter o território em fruição plena. É esta qualidade de vida que preservamos e que nos torna procurados por todos os que durante a época estival nos visitam seja pelas paisagens, seja pela paz, seja pela animação de verão que traz vivacidade e cor à Freguesia do Castelo.

Maria Manuel Gomes

Presidente da junta de freguesia do castelo

© MGPhoto

Boas férias a todos!

Castelo Informação · 3


A ATIVIDADE

DINAMIZAÇÃO MUSICAL

Música como motor de inclusão e partilha A Junta de Freguesia do Castelo estabeleceu um protocolo de colaboração com a Casa do Povo de Sesimbra, a CASCUZ e a Cercizimbra que permitirá levar a estas instituições de solidariedade social, sedeadas na freguesia, um projeto de dinamização musical. O projeto, que visa usar a música como ferramenta de partilha e inclusão social, irá permitir aos munícipes com necessidades especiais e aos maiores de 55 anos aprender a cantar ou a tocar um instrumento musical. Nestas aulas, os participantes vão poder revisitar as canções das suas épocas e das suas origens ou aprender a cantar as músicas de que mais gostam. “Basta terem gosto e vontade de aprender ou de partilhar conhecimentos e músicas. Aqui vamos cantar com humor e vamos combater todos os sintomas de depressão e afastar todo o sentimento de isolamento, solidão, ansiedade e stress”, garante a professora Elisabete Lemos. Também consciente da função social e terapêutica da música, a presidente da Junta, Maria Manuel Gomes decidiu investir no projeto, que acredita aumentar a qualidade de vida dos cidadãos da freguesia. “A música mobiliza todos os sentidos do ser humano, estimula o físico, o emocional, e também a vida social, temos uma população sénior, que se caracteriza cada vez mais pelo seu dinamismo por isso abraçar este projeto fez todo o sentido para todos nós na freguesia”, concluiu a autarca.

4 · Castelo Informação

toponímia

Foram instaladas 50 novas placas

F

Foram colocadas no início de julho, cerca de meia centena de placas toponímicas, ao abrigo dos Contratos Interadmi­nistrativos de Delegação de Competências com a Câmara Municipal de Sesimbra. Além das placas, com designações aprovadas recentemente foram também substituídas e reparadas as placas que se encontravam danificadas, nas diversas aldeias da nossa Fre­guesia. Na sequência dos trabalhos de manutenção que a Junta de Freguesia do Castelo efetua regularmente

foram também melhoradas as pinturas das pianhas de apoios às placas toponímicas de alguns locais da fre­ guesia. Neste trabalho, os funcionários dos Serviços Operacionais da Junta tiveram a particularidade de contar com a ajuda dos formandos do Curso de Serviços de Reparação e Manutenção da CERCIZIMBRA que, no âmbito da articulação entre esta Junta e as instituições de solidariedade social da freguesia, participaram na pintura para tornar as placas mais uniformes e coe­rentes.

ESPAÇO PÚBLICO

Requalificação de equipamentos de lazer A Junta de Freguesia do Castelo procedeu à requalificação dos equipamentos de gerontromotricidade e fitness, bem como do Campo de Jogos, no parque situado nas traseiras deste edifício da Junta, em Santana. A chegada dos dias maiores convida a aproveitar estes equipamentos de desporto e lazer para a prática da atividade física, com qualidade e em segurança. Contribuir para a melhoria da vida da comunidade da freguesia e, ao mesmo tempo, promover o bem-estar físico, mental e social dos munícipes são prioridades da Junta de Freguesia. Aproveite este equipamento que é de todos e que pode ser utilizado a qualquer hora do dia.


OBRAS E AMBIENTE URBANO

Aposta na requalificação e manutenção do património e espaço público Continuando o investimento na requalificação do património e no espaço público, os serviços da Junta de Freguesia, continuam a desmatar, reparar e pintar as fontes, fontanários e poços das várias localidades. As desmatações revelaram antigos poços que não estando cobertos apresentavam perigo para os munícipes mais incautos. Assim, a Junta de Freguesia investiu na compra e aplicação de tampas em quatro poços e também de um portão na Fonte da Caldeiria, na Azoia. A Fonte do Carvalho foi igualmente intervencionada tendo sido replantada uma oliveira no local, a qual tem vindo a ser regada pelos munícipes que a visitam.

EQUIPAMENTOS DESPORTIVOS

GD Alfarim aposta em melhores condições desportivas

O

O Grupo Desportivo de Alfarim levou a cabo algumas obras de remodelação no edifício sede da associação. A requalificação dos balneários e a cons­trução de uma sala polivalente para formações, palestras e exposições veio me­lho­rar o espaço para todos aqueles que o frequentam e permitir a esta instituição a realização de acões não só na qualificação desportiva dos técnicos e atletas, mas igualmente na área formativa de ou­ tras vertentes, nomeadamente da cultura. As obras, que representaram um investimento de 60 mil euros, foram realizadas com o apoio da Junta de Freguesia do Castelo, Câmara Municipal de Sesimbra e Instituto Português do Desporto e Juventude. “Dar mais

e melhores condições a todos os que usufruem do equipamento foi e é para a direção uma prioridade”, referiu José

Fernando Dias, presidente da Direção do GDA, na cerimónia de inauguração destes equipamentos. Castelo Informação · 5


A ATIVIDADE

BEM-ESTAR ANIMAL

Freguesia vai acolher Centro de Recolha Oficial de Animais de Companhia Já iniciaram as obras para o Centro de Recolha Oficial de Animais de Companhia, que vai ser construído no Pinhal do Cabedal, na freguesia do Castelo, junto à Estação de Transferência de Resíduos Sólidos, e do canil da Bianca – Associação de Proteção de Animais. Nesta primeira fase estão a decorrer os trabalhos de preparação do terreno e delimitação da zona de implantação do equipamento, que ocupa uma área de 500 metros quadrados. Terminada a obra, o equipamento irá ter 30 espaços individualizados com boa exposição solar, gabinetes para vacinação antirrábica, colocação de microchips e assistência médica, armazém de rações,

instalações para o pessoal, receção e estacionamento. Criar condições para o bem-estar animal

no concelho é o principal objetivo desta obra municipal que contempla um canil, gatil e posto de veterinário municipal.

Exercício Europeu de Proteção Civil

Freguesia participou no CASCADE'19

A

A Freguesia do Castelo participou no Exercício Europeu de Proteção Civil CASCADE’19, com a simulação da queda de uma arriba, no dia 31 de maio, no Ribeiro do Cavalo, onde participaram vários agentes de proteção civil do município e do distrito, bem como elementos da Junta de Freguesia do Castelo e da Câmara Municipal de Sesimbra. “Estes simulacros são importantes porque no fundo para além da prevenção, há conhecimentos que adquirimos e assim será mais fácil agir no caso de uma situação destas realmente acontecer”, adiantou a presidente da Junta de Freguesia do Castelo, Maria Manuel Gomes, que assistiu ao simulacro, no papel de Observador, numa embarcação marítima. Organizado pela Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, em colaboração com a Direção-Geral da Autoridade Marítima, com o apoio da União Europeia, o CASCADE´19 foi o maior exercício de sempre realizado em território nacional, e decorreu em cerca de

6 · Castelo Informação

20 localidades dos distritos de Aveiro, Évora, Lisboa e Setúbal. Ao todo foram mobilizados mais de 600 operacionais de Portugal, Alemanha, Bélgica, Croácia, Espanha e França, em mais de 60 cenários distintos, que simularam, por exemplo, even-

tos sísmicos, cheias, poluição marítima, colapso de estruturas ou incêndios urbanos. A Junta de Freguesia do Castelo disponibilizou nesta data um conjunto de serviços e equipamentos, a fim de dar apoio ao exercício CASCADE`19.


pavimentações de ruas e estradas da freguesia

Trabalhos avançam a bom ritmo Na Freguesia do Castelo o programa de pavimentações levado a cabo pela Câmara Municipal avança a bom ritmo.

E

Está concluída a pavimentação da Rua Serra do Zambujal. A obra, que decorreu no troço compreendido entre o entroncamento com a Rua da Assenta, é um dos principais acessos à zona poente da vila de Sesimbra, e ao Sentrão. Os trabalhos englobaram ainda a construção de valetas para escoamento dos pluviais, para escoamento das águas das chuvas, bem como a renovação da conduta e de ramais domiciliários de água, por forma a melhorar o abastecimento a várias habitações. A repavimentação da EM569, na Azoia, está em curso, entre a Rua da Palmeira, junto ao Moinho do Outeiro, e a Rua do Morne. Nesta fase, a via já recebeu a primeira camada de betuminoso, o que vai permitir a circulação de viaturas em maior segurança até à colocação da camada final. De referir que esta via recebeu saneamento básico e novas condutas de abastecimento de água, no âmbito de duas obras que ainda estão em curso em vários aglomerados da Azoia. Próximo da Aldeia do Meco, nos Fetais, está em curso a repavimentação da Rua da Quinta, uma via com cerca de um quilómetro, que estabelece ligação

entre a Avenida das Forças Armadas e a Rua do Casalinho. Para além do novo piso, esta rua recebeu também saneamento e uma nova conduta de abaste­ cimento de água. As obras para a construção dos percursos pedonais Santana - Almoinha, Santana - Cotovia e Zambujal - Corredoura já foram adjudicadas. O percurso Santana – Almoinha desenvolve-se entre o Largo Capitães de Abril e o entroncamento com Estrada da Abadessa, numa distância de cerca de dois quilómetros. De Santana à Cotovia, a obra decorre na Avenida João Paulo II, numa distância de 800 metros, entre o entroncamento com a Rua Jorge de Castilho e o cruzamento com a Rua do Areal. Na Avenida 25 de Abril, entre o Zambujal e a Corredoura, a intervenção abrange um troço de cerca de 1300 me­ tros. As intervenções, incluídas no Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano – Plano de Ação de Mobilidade Urbana Sustentável, do Portugal 2020, têm como objetivos melhorar a acessibilidade pedonal, pro­ porcionando a deslocação a pé de modo suave em percursos de curta distância e no acesso aos transportes pú-

blicos, e reduzir a dependência do transporte individual. Junto ao Parque Augusto Pólvora, na Maçã, EN379, já está construída a rotunda que veio reconfigurar a circulação viária neste cruzamento. A obra envolveu a repavimentação total das vias, a remo­ delação das condutas e ramais de abastecimento de água e melhoramentos nos passeios. Importa ainda referir que, para além da rotunda, decorre em simultâneo a construção do percurso pedonal entre a Maçã e a Moagem de Sampaio.

Castelo Informação · 7


D DESTAQUE . cultura . lazer

ESPAÇO ZAMBUJAL

Uma nova vida para um espaço público polivalente O Espaço Zambujal, um dos equipamentos físicos da Junta de Freguesia do Castelo, reabriu ao público no passado mês de abril, após conclusão das obras de requalificação.

D

De acordo com a presidente da Junta de Freguesia do Castelo, Maria Manuel Gomes, o renovado espaço ganhou uma nova vida. "Avançámos com este projeto de alterações porque temos vindo a regis­ tar uma mudança de públicos. Alterámos o conceito e criámos outras áreas que passam a estar disponíveis para todos, quer para quem procura um livro quer para quem precise de um lugar para se concentrar e trabalhar. Demos também vida ao espaço exterior, e colocámos mesas e bancos, para que todos possam usufruir do Espaço Zambujal até nos dias em que o equipamento está fechado, sendo esta uma área de rede WI-FI".

8 · Castelo Informação

Já o presidente da Câmara Municipal de Sesimbra, Francisco Jesus, lembrou a importância da polivalência deste espaço, que há 12 anos abria portas ao público pela primeira vez.

Este espaço é uma realização de Abril "Em 2007, a 25 de abril, abríamos este equipamento para proporcionar a todos o acesso à leitura, aos livros, à música. Um espaço polivalente que nasceu com o contributo de todos. Estar aqui hoje, ainda que as realidades sejam diferentes, é um enormíssimo prazer. O Espaço Zambujal está bonito, tem um ar mais fresco e

jovial. Ficamos a ganhar ainda mais com este renovado Espaço. Parabéns a todos", referiu Francisco Jesus. Para além de uma sala onde os mais pequenos podem brincar, desenhar, ler, entre outras atividades, o Espaço, conta com uma área de literatura, para todos os gostos e idades, de diversos autores nacionais e internacionais. Nesta remodelação foi ainda contemplado um espaço de coworking, junto à zona de acesso à internet. Após o descerramento de placa alusiva à inauguração e visita ao Espaço, Maria Manuel, apresentou um novo projeto: Livros Livres. "Esta foi uma ideia que surgiu com esta (re)inauguração e com a consequente seleção de literatura e doações de obras literárias à Junta de Freguesia nos últimos anos. Queremos que as pessoas possam ler, não só aqui mas também nas suas


Avançámos com este projeto de alterações porque temos vindo a regis­tar uma mudança de públicos. Alterámos o conceito e criámos outras áreas que passam a estar disponíveis para todos

casas, nos lugares onde se sentirem melhor. Durante o mês de abril foram deixadas em vários locais – escolas, ins­­tituições e locais de comércio - cai­ xas com livros para a população, gratuitos e sem compromisso na devolução. O nome diz tudo, são Livros Livres", acrescentou. "Quisemos melhorar o interior e o exterior do Espaço para voltar a colocá-lo ao serviço da população, dando também melhores condições para quem cá trabalha. Espero que todos possam usufruir dele como local de aprendizagem, de convívio e de troca de vivências entre gerações", concluiu a presidente da Junta. Descerraram a placa, de inauguração destas obras de requalificação, a presi­ dente da Junta, Maria Manuel Gomes, e o presidente da Câmara Municipal de Sesimbra, Francisco Jesus. A cerimónia terminou com um momento de poesia com Francisco Valverde Arsénio e um moscatel de honra. O Espaço Zambujal é um equipamento da Junta de Freguesia do Castelo de caráter cultural com atividades programadas, durante todo o ano, e destinadas a todas as faixas etárias. Mensalmente poderá ser consultada a programação deste espaço em www. jf-castelo.pt. Castelo Informação · 9


D DESTAQUE . DESPORTO

SESIMBRA SUMMER CUP 2019

Mais uma edição de sucesso Encerrou mais uma edição do Sesimbra Summer Cup, Torneio Internacional de Futebol Infantil e Juvenil e Futebol de Praia, que decorreu no concelho de Sesimbra de 26 a 30 de junho de 2019, envolvendo cerca de 1500 participantes.

M

Mais de 70 equipas abrilhantaram o nosso concelho durante o Sesimbra Summer Cup (SSCup) que mais uma vez dei­ xou registo de qualidade no panorama do futebol de formação em Portugal e no Mundo. Esta edição contou com o Melhor Jogador de Futebol de Praia do Mundo em 2018 - Llorenç Gómez León (ENZO10), como embaixador deste torneio. O SSCup teve o apoio da Câmara Municipal de Sesimbra, Assembleia Municipal de Sesimbra, Fede­ ração Portuguesa de Futebol, Associação de Futebol de Setúbal, IPDJ, PNED, Núcleo de Confraternização dos Árbitros de Futebol do Barreiro da AF Setúbal, Dagol, Côte D’Azur, Crédito Agrícola - Caixa da Costa Azul, Auto Nurse, Continente, Hotel do Mar, Transportes Sul do Tejo, Sports Training, SulTaças, Vera Rodrigues Cabeleireiro, Supermercado Nela Coviran, UIN, PLAY e Unusual Média, numa organização da Junta de Freguesia do Castelo, Grupo Desportivo de Sesimbra, Grupo Desportivo de Alfarim, ACRUT Zambujalense e Associação de Desenvolvimento da Quinta do Conde. Equipas de Portugal (Continente e Ma­­ deira) e Espanha viveram uma competição

10 · Castelo Informação

única, com o futebol de praia a registar enchentes diárias nas competições realizadas no Campo de Jogos da Praia do Ouro, em Sesimbra. Para além da salutar competição, nos diversos escalões, é de assinalar, a apresentação e sorteio do evento, realizado em direto no Instagram, no Espaço Zambujal da Junta de Freguesia do Castelo, a cerimónia de abertura e apresentação das equipas num ambiente fantástico organizado no Campo de Jogos da Praia do Ouro, em Sesimbra, bem como a ce­ rimónia oficial de encerramento e entrega dos prémios que teve lugar no mítico Estádio da Vila Amália, em Sesimbra. Os vencedores dos vários escalões de fu-

tebol foram: U9: Fase Ouro - Ponte Frielas B e Fase Prata – GD Sesimbra, U10: Fase Ouro – AC Arrentela e Fase Prata – ACRUT Zambujalense, U11: Fase Ouro – AD Fazendense e Fase Prata – Maritimo FC Rosarense, U12: Fase Ouro – UF Comércio Indústria e Fase Prata – ADRC Vasco da Gama, U13: Fase Ouro – Maritimo Fc Rosarense e Fase Prata – São Domingos FC, Sub 15: Fase Ouro – GD Sesimbra A, Fase Prata – UD Ponte Frielas e Fase Bronze – CD Arrifanense. Na vertente de Futebol de Praia o Grupo Desportivo de Sesimbra venceu em U9: Sporting CP, U10: ACRUT Zambujalense, U11: EF Benfica Algueirão, U12: GD Sesimbra, U13; GD Alfarim e U15: AD Quinta Conde. Vários prémios individuais e coletivos também foram entregues, fruto das diversas parcerias estabelecidas com a organização, num Torneio que mereceu palavras elogiosas pela excelente organização, bem como pela forma de receber todos os que estiveram no nosso concelho. Parabéns aos envolvidos e boas férias, com reserva para a 10.ª edição do Se­ simbra Summer Cup, onde mais novidades não vão faltar.


Castelo Informação · 11


D DESTAQUE . educação . cultura

Herdeiras do Professor Amável Andrade de Sousa, após a assinatura do protocolo de cedência à Junta de Freguesia

ABRIU AO PÚBLICO exposição/recriação no lugar da terra

Memórias da Nossa Escola Situada no Lugar da Terra, no Zambujal, Memórias da Nossa Escola é uma exposição/recriação que retrata uma sala de aula no tempo do Estado Novo – anos 30/70 do século XX com o objetivo de preservar a memória para as gerações futuras.

J

"Já não vinha ao quadro há mais de 60 anos e hoje entrei sem pedir licença. Mas no meu tempo, nem eu nem nenhum colega entrava na sala de aula sem pedir autorização para entrar". Foi com estas palavras que Odete Moleta, de 73 anos, falou abertamente sobre como foi a sua vida na escola e fora dela. Tempos difíceis, de algumas reguadas mas também de muitas brincadeiras, de solidariedade e de muito respeito pelo professor. "É este reviver e transmitir de memó­ rias que queremos criar neste museu, nesta sala de uma escola primária de outros tempos que era muito diferente das de hoje", refere Maria Manuel Gomes, presidente da Junta de Freguesia do Castelo, na inauguração da exposição Memórias da Nossa Escola, que recria quase que fielmente uma sala de aula no tempo do Estado Novo – anos 30 / 70 do século XX, e que contou com a presença

12 · Castelo Informação

dos presidentes da Câmara e Assembleia Municipal de Sesimbra, representantes da comunidade educativa e de muitos munícipes, alguns crianças durante o regime político de Salazar. Houve várias recordações, dos caminhos até à escola, dos atrasos por causa das brincadeiras, da sopa aquecida numa lamparina, dos castigos, das relações com o professores e com os colegas, dos métodos de ensino ou do ambiente escolar. "Íamos a pé de casa para a escola e da escola para casa, não eram permitidos atrasos, e também não podíamos entrar na sala de aula sem ter vestida a bata branca. A aula começava com uma Avé Maria e terminava com o Pai Nosso", contou Gisela Marques, acrescentando que "rezar era obrigatório assim como todas as quartas-feiras era o dia da revista. Eram observadas as unhas, não podiam estar sujas, analisados os cabelos, que

não podiam ter piolhos, e depois cantávamos o hino nacional". Mas nem tudo era mau, também ha­via coisas boas, realçou ainda Gisela Mar­ ques, antiga aluna daquela escola, que falou da solidariedade dos professores Aurélia e Amável Andrade de Sousa. "Os meus livros, roupas e sapatos eram doados por estes jovens professores. Vi­via-se numa época muito difícil, não havia às vezes dinheiro para comer quanto mais para material escolar", refere. Valores e sentimentos de partilha que foram passados por este casal de Professores às suas filhas, que conscientes da dedicação e da paixão do pai à educação durante toda a sua vida, decidiram ceder o seu espólio literário e material à Junta de Freguesia como garantia da sua preservação, apreciação e estudo e permitindo assim a realização desta exposição. "O nosso pai adorava o ensino e sempre nos ensinou os valores da honestidade e da humildade e é um orgulho muito grande estar aqui nesta recriação. Agradeço muito à Junta de Freguesia por recordar o homem honesto, que sempre foi, dedicado ao ensino e à educação",


afirmou Ana Maria, a mais velha de três irmãs, nesta cerimónia após a assinatura do protocolo de cedência de todo o espólio do “Professor Amável”, como era conhecido. Também Odete Graça, presidente da Assembleia Municipal de Sesimbra, recordou o professor como um homem de princípios e de trabalho. "Tinha uma de­dicação extrema à educação e prova disso são as materiais, objetos e documentos aqui expostos nesta sala de aula, que hoje são verdadeiros documentos históricos e que agora são património da comunidade". Situada no Lugar da Terra - um museu de memórias rurais, de profissões e saberes que moldaram a aldeia do Zambujal e a freguesia do Castelo nos últimos séculos – a exposição Memórias da Nossa Escola é para Francisco Jesus, presidente da Câmara Municipal de Sesimbra, um espaço de memórias vivas: "É delicioso estar aqui a ouvir estas histórias e vivências, não pelo período social e económico, porque não podemos esquecer que esta

Houve várias recordações, dos caminhos até à escola, dos atrasos por causa das brincadeiras, da sopa aquecida numa lamparina, dos castigos, das relações com o professores e com os colegas era uma sala de aula do Estado Novo, mas sim pela partilha de memórias para que as gerações futuras possam perceber como funcionavam as escolas com todas

as dificuldades e exigências da época que nos fazem também entender as cara­ terísticas deste concelho na altura". Mas tal como Odete Moleta, também o autarca ia a pé para a escola. "No meu tempo só não usava farda, mas brincava num terreno de terra batida onde exis­ tia um poço no meio e isso hoje era impensável no espaço de recreio de uma escola atual. Mas com isto quero dizer que é um privilégio estar nesta sala de aula que foi criada neste edifício da fre­ guesia, que tem aqui a sua génese e a sua identidade". Francisco Jesus reforçou ainda que só ao reviver o passado se pode cons­truir melhor o futuro. No final, e após o descerramento da placa, a presidente da Junta de Freguesia do Castelo agradeceu a todos os presentes e a todos os que direta e indiretamente contribuíram para a construção da exposição Memórias da Nossa Escola. "Obrigada a todos os que partilharam as suas memórias e vivências. Queremos que este espaço seja de todos e para todos, por isso este projeto não termina com esta inauguração pois acredito que muitos outros contributos vão chegar e a nossa recolha estará sempre em permanente construção". A cerimónia terminou com um moscatel de honra e a atuação da banda de formandos do Centro de Reabilitação Pro­­fissional da Cercizimbra, que orienta­ dos pela professora Elisabete Lemos, in­terpretaram alguns temas da música portuguesa. A exposição Memórias da Nossa Escola está aberta ao público no horário de funcionamento do Lugar da Terra, de 3.ª a sábado, das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00. Castelo Informação · 13


D DESTAQUE . desporto

O

O Castelo Ladies’Cup 2019 – 1º Torneio de Futebol Feminino do Castelo juntou oito equipas, com muitas caras conhecidas da freguesia e do concelho. A equipa Old School foi a grande vencedora da 1ª edição deste Torneio. A alegria e a boa disposição foram uma constante nesta festa do desporto, que contou com a presença de muitos fami­ li­ares e amigos. «São de aplaudir estas ações porque o que vale é o convívio entre todas, muitas delas amigas ou mães e filhas, e isso é importante para criar laços entre as diferentes gerações», realçou um dos membros do público acrescentando que «algumas até dão uns toques de bola». Também a presidente da Junta de Fre­ gue­sia do Castelo, Maria Manuel Gomes, vincou a importância de uma vida ativa e o fortalecer de laços de afeto para promover a amizade entre todos combatendo, ao mesmo tempo, o isolamento a que muitos por vezes estão sujeitos». A autarca agradeceu ainda a parti­ cipação de todos. «Às equipas, aos árbitros que assumiram uma função determinante e a todos os trabalhadores da Junta que prepararam todos os detalhes para que este torneio fosse especial para todas as envolvidas. Um verdadeiro trabalho de equipa». Garantido fica por agora, a realização do Torneio no próximo ano.

Caminhada comemorativa Pelo 2.º ano, a Junta de Freguesia promoveu uma caminhada comemorativa alusiva a este dia, com destino à Quinta de Calhariz. Na iniciativa, que juntou mais de 150 mulheres, de várias idades e de todo

14 · Castelo Informação

© MGPhoto

Boa disposição no 1.º Torneio de Futebol Feminino

© MGPhoto

Comemorações do Dia Internacional da Mulher

concelho, foi oferecido a cada uma das participantes, uma t-shirt, um saco de pano alusivo à data e uma garrafa de água. Antes da partida, a presidente da Junta de Freguesia, Maria Manuel Gomes, agradeceu a presença de todos e realçou a importância do Dia Internacional da Mulher. «Peço apenas que façamos duas reflexões, uma sobre as mulheres que infelizmente não conseguiram assinalar este dia, e que infelizmente já não se encontram entre nós, e uma reflexão sobre a mulher comum, que no seu dia-a-dia é

mãe, mulher, trabalhadora, que trata da casa e da sua família, e que muitas ve­ zes não é lembrada. Muitas vezes o nosso olhar vai para as mulheres de topo, de poder, que se destacam em determinadas áreas, mas gostaria também de que não nos esquecêssemos da mulher comum que apesar de passar despercebida na sociedade tem um papel determinante na sua comunidade». Após estas palavras a autarca pediu uma forte salva de palmas para todas as mulheres da freguesia do Castelo, do concelho de Sesimbra e de todo país e mundo. «Porque merecemos. E agora vamos ao nosso passeio», disse acrescentando que «espero que passem uma manhã tranquila, bem-disposta e que se divirtam neste encontro» A Caminhada Comemorativa e o Castelo Ladies’Cup 2019, foram algumas das iniciativas programadas para a come­ moração do Dia Internacional dos Direi­ tos da Mulher, assinalado em março, na Freguesia do Castelo.


L LUGARES DA FREGUESIA

ZAMBUJAL

V

Um lugar de vida e história

“Vivíamos numa época difícil mas posso dizer que, apesar de a minha infância ter sido dura, fui feliz”. É com esta frase que Geraldino Marques, de 70 anos, nascido e criado no Zambujal de Baixo, começa por contar como era a vida na aldeia das suas raízes quando era miúdo. Filho de um padeiro e um dos mais novos de cinco irmãos recorda um tempo onde a iluminação nas casas do Zambujal era feita com candeeiros a petróleo e a água retirada a partir de um poço que existia nas traseiras da casa dos seus pais. “O poço não servia apenas a nossa família lembro-me de outras pessoas virem pedir para tirar água. A verdade é que existia entre todos um verdadeiro espírito de comunidade”. Esse sentimento de entre­

ajuda também era visível quando era necessário pastar os animais ou cuidar das terras de cultivo. “A vida no Zambujal era uma vida de campo, dura e igual a tantas outras aldeias do concelho e de Portugal. Lembro-me das minhas irmãs irem trabalhar dias e dias para os vizinhos, que depois retribuíam, especialmente nas mondas e nas ceifas. Aliás, as famílias eram numerosas porque deste modo havia sempre muita gente para ajudar”. No Zambujal de antigamente existiam pouco mais do que meia dúzia de famílias. “Era a dos Marques, dos Maravilhas, dos Gaboleiros, dos Pinhais, dos Canteiros, dos Texugos, dos Rodrigues e dos Elois”, enumera Geraldino. Também Vitalino Pinhal, de 72 anos, recorda estes nomes e

Inserido no Parque Natural da Arrábida, o Zambujal é um dos lugares da freguesia do Castelo, que começa nas Covas da Raposa e termina nos Pinheirinhos. Na aldeia do Zambujal é possível viajar no tempo já que por aqui encontramos uma jazida de icnofósseis com vestígios de dinossáurios, datada do Jurássico, entre os 140-130 milhões de anos a.C..

Geraldino Marques

a aldeia do Zambujal de onde saiu já homem feito e à qual regressou para gozar a sua reforma. “Nesta época era habitual as famílias trocarem votos matrimoniais entre si. Aliás os meus pais eram parentes muito próximos e ainda hoje grande parte das pessoas que aqui vive tem laços familiares entre si”. Famílias que viviam em casas simples e de piso térreo, rodeados de terrenos que cultivavam para consumo próprio

Vitalino Pinhal

ou para trocar por outros bens. “Todas as famílias tinham a sua horta, as suas árvores de frutos e os seus animais de criação. O meu pai, para além de padeiro, também cuidava da terra e criava coelhos e patos”, recorda Geraldino. “Todos os domingos lá ia eu pastar os patos pelos campos, que se alimentavam de caracóis, e só podia regressar quando eles estivessem de papo cheio”. Geraldino começou a trabalhar e a ajudar a família

Castelo Informação · 15


L LUGARES DA FREGUESIA

É assim que Geraldino Marques e Vitalino Pinhal, naturais do Zambujal, recordam a aldeia que os viu nascer. As lembranças de infância de ambos cruzam-se na narrativa do Zambujal, que com o passar dos anos foi “crescendo” graças também aos investimentos públicos que foram surgindo. no campo aos 9 anos, depois de concluída a 4.ª classe. “Neste tempo não era obrigatório irmos à escola, e eu até gostava de aprender, mas tinha tarefas às quais não podia fugir e essas sim eram impres­cindíveis”. Nesta época, os caminhos do Zambujal eram todos de terra batida, com poucos acessos e onde quer que fosse a deslocação os percursos eram sempre feitos a pé. “O meu avô morava no Alto do Marquês e muitas vezes tinha que levar recados do meu pai e, lá ia a correr pelo meio do mato, até batia com a sola dos sapatos no rabo e chegava todo transpirado”. Mas no regresso não era um banho quente que o esperava. “Banho? Só tomávamos banho, uma vez por semana e era ao domingo. Neste dia vestia-se a roupa de sair e na segunda voltava-se à roupa de trabalho para os outros seis dias” revela. “Era mesmo assim”, assegura Vitalino. Quando questionado sobre as dificuldades de uma época em que se viva maioritariamente com o que se tinha, Geraldino responde, com um rosto expressivo, “pelo menos na nossa casa havia sempre pão, ainda que fosse o quei­mado ou o do dia anterior. Mas sei que nem todos tinham este privilégio”. A verdade é que muitos homens de ou­ tras famílias dividiam-se entre o campo e o mar para ganhar mais uns trocados. Era este o caso do pai de Vitalino. “Era comum durante o inverno trabalhar-se no campo, onde se cuidava dos animais e da terra, e no verão, partir-se, como o meu pai, que chegou a governar uma armação, em direção a Sesimbra, pela

16 · Castelo Informação

Assenta/Sentrão - o único caminho existente que ligava o Zambujal à vila – para trabalhar nas armações. Nesse tempo era assim que se ganhava mais algum di­ nheiro para a família”.

Mas ambos recordam como o Zambujal era um lugar rico em pedra calcária e onde muitos homens trabalhavam. “Para além da pedreira tínhamos também o Forno da Cal, onde a pedra calcária

TERRA DE MONUMENTOS NATURAIS ÚNICOS Jazida de Icnofósseis da Pedreira do Avelino. A Jazida de Icnofósseis da Pedreira do Avelino, no Zambujal, foi classificada como Monumento Natural pelo decreto n.º 20/97 de 7 de maio, é um dos sete monumentos naturais existentes em Portugal. A Pedreira do Avelino um conjunto de 108 pegadas pertencentes a diferentes espécies de dinossáurios, sobretudo quadrúpedes, datadas do Jurássico (entre os 140-130 milhões de anos a.C.), época de um ecossistema lagunar. A jazida comporta, em sobreposição ao maciço calcário, uma laje com 10 metros de largura por 15 metros de comprimento e cerca de 60 centímetros de espessura, onde se encontram registados os negativos dos vários trilhos de pegadas. Gruta do Zambujal. Descoberta em 1978, a Gruta do Zambujal comporta um extenso complexo geológico de galerias e passagens, emergindo várias formações litoquímicas como estalactites e bandeiras de formas raras, como as asas-de-borboleta ou as argolas. Acolhe também uma importante colónia de morcegos. A entrada encontra-se obstruída por grandes blocos soltos, consequência da laboração da antiga pedreira. Tem uma extensão de 108,50 metros e uma altura máxima de 33 metros, desenvolvendo-se ao longo de um corredor principal. Foi classificada como Monumento Natural pelo Decreto-lei n.º 149/79 de 21 de maio e por motivos de segurança não é visitável.

instituições particulares de solidariedade social A aldeia do Zambujal conta também com dois equipamentos da rede social; Casa do Povo de Sesimbra e CASCUZ (Centro de Apoio Sócio Cultural Unidade Zambujalense), que atualmente empregam cerca de uma centena e meia de funcionários, nas diversas valências de apoio à infância e 3.ª idade, dando apoio a cerca de 500 famílias da freguesia.


Parque Empresarial do Zambujal

era cozida e transformada, porque antes do cimento as casas eram construídas com cal”, explica Vitalino acrescentando que “apesar da pobreza que existia, e que era extensível a todo o concelho e ao

país, no Zambujal já existiam empresas consistentes e em verdadeira expansão”. Neste sentido, Geraldino relembra o tio Joaquim Penim Marques, um homem que na época tinha uma visão muito à frente

EQUIPAMENTOS SÓCIO-CULTURAIS ESPAÇO ZAMBUJAL. O Espaço Zambujal (antiga Biblioteca do Zambujal) é um equipamento da Junta de Freguesia do Castelo, de carácter cultural com atividades programadas e destinado a todas as faixas etárias. Assim sendo e ao longo de todo o ano, são realizados uma série de ações e eventos permitindo à população da freguesia do Castelo aceder a uma variedade de iniciativas e programas culturais. LUGAR DA TERRA. O Lugar da Terra, com um espaço museológico de antigas artes ofícios, já praticamente extintos da freguesia, conta também agora com uma exposição de uma sala de aula antiga que remete ao tempo de Estado Novo, séc XX.

EQUIPAMENTOS DESPORTIVOS ASSOCIAÇÃO CULTURAL E RECREATIVA UNIÃO TRABALHADORA ZAMBUJALENSE (ACRUTZ). Fundada desde o ano de 1974, a ACRUTZ, conta com dois campos de futebol de 7; um campo de futebol de 11; um campo de futebol de 5 e um campo de ténis, para desenvolvimento das suas atividades desportivas. Desenvolve ainda outro tipo de iniciativas de caracter regular, no seu edifício sede (Zambujal de Baixo), como bailes, aulas de artes marciais e danças de Salão e onde também se encontram regularmente os seus associados. Humberto Leandro, é atualmente o presidente desta Associação. POLIDESPORTIVO DA RIBEIRA. Campo de jogos municipal aberto ao público para a prática de diversas modalidades desportivas.

António Pires, proprietário da empresa de corte de mármores

do seu tempo, e uma vida acima da dos seus conterrâneos. “Foi um empresário muito importante, tinha uma indústria de pedra e trabalhava na construção de estradas com várias autarquias e empresas da região. Deu emprego a muita gente e chegou a ser o regedor da freguesia do Castelo”, realça. “Foi o fundador da ACRUT Zambujalense. Mandou erguer o edifício e transformou-o num verdadeiro espaço de cultura e entretenimento, onde ti­nham lugar vários espetáculos musicais e peças de teatro". Relembra a atuação na coletividade de Eugénia Lima, acor­ deonista prodígio e uma das grandes compositoras portuguesas da época. “A ACRUT Zambujalense era palco de verdadeiros bailes e festas. Aliás, foi o tio Joaquim Penim Marques que cedeu as instalações do primeiro piso do edifício para acolher a primeira sala de aula até à construção da Escola Primária do Zambujal”. É assim que Geraldino Marques e Vitalino Pinhal, naturais do Zambujal, recordam a aldeia que os viu nascer. As lembranças de infância de ambos cruzam-se na narrativa do Zambujal, que com o passar dos anos foi “crescendo” graças também aos investimentos públicos que foram surgindo. A terra rural, onde só existiam apenas algumas casas e um punhado de cons­ truções simples de comércio e indústria, deram lugar a uma aldeia desenvolvida, com uma centra­lidade e notoriedade que acolhe várias empresas de sucesso nacional e internacional sedeadas no parque empresarial, atualmente o maior do concelho, e muitos outros locais de interesse histórico e cultural. Castelo Informação · 17


A ACONTECEU

ETNOGRAFIA

Aldeia do Meco recria costume antigo

TRADIÇÃO

Regresso do Baile do Poço Passados cerca de 30 anos, o tradicional Baile do Poço voltou à aldeia do Zambujal trazendo à comunidade, recordações e memórias antigas. Este baile era realizado sempre na 5.ª Feira da Espiga, pelos populares da aldeia, que se reuniam após o dia da apanha da espiga à volta do ancestral poço e aí dançavam e cantavam pela noite dentro. Para além do tradicional momento de baile, este momento foi também animado pela atuação do Grupo de Cantares Populares da Freguesia do Castelo que apresentou vários temas tradicionais, acompanhados pela voz da população presente O Baile do Poço foi reativado pela associação ACRUT Zambujalense em parceria com a Junta de Freguesia. Foi uma noite de festa que durou noite adentro, e onde se puderam trocar recordações e memórias com as gentes das várias aldeias vizinhas.

18 · Castelo Informação

V

Vestidas a rigor e com enormes trouxas de roupa, um grupo de vinte mulheres, de várias idades, vestiram-se de Lavadeiras e recriaram um quadro etnográfico, que animou todos os presentes, ao recordar um costume antigo da Aldeia do Meco. Em desfile, desde da Rua do Comércio, até à fonte, as Lavadeiras do Meco foram acompanhadas pela música dos Amigos da Ramboia, os gaiteiros de Meco, e pelo Grupo Folclórico e Humanitário do Concelho de Sesimbra. Para a Gilda Melo, da Associação MECO - Nativos e Amigos, organizadora deste evento, recriar estes momentos é lembrar um pouco a história da aldeia. “No fundo queremos reviver tempos antigos e é muito interessante ver e ouvir os nossos pais e avós a recordar histórias antigas. Era habitual as mulheres, com os filhos, virem às fontes e às ribeiras lavar a roupa e para elas estes momentos eram momentos especiais pois aqui partilhavam a sua vida umas com as outras”.

MÚSICA

Bossa Nova no Parque

As Lavadeiras do Meco prometem regressar no próximo ano já que o balanço desta primeira edição é bastante positivo. “Correu tudo muito bem, aliás superou as nossas expectativas. As pessoas aderiram ao nosso convite e hoje temos aqui um grupo de 20 mulheres, sendo que a mais nova tem 5 anos e a mais velha 73. Muita gente veio também assistir ao desfile e à recriação da lavagem de roupa, por isso acredito que nos próximos anos mais caras se vão juntar a nós e deixo já o convite». Depois da recriação da lavagem de roupa pelas Lavadeiras do Meco seguiu-se a atuação do Grupo Folclórico e Humanitário do Concelho de Sesimbra e um almoço convívio, que terminou ao som da música de Bruno Marques. O evento, promovido pela Associação MECO- Nativos e Amigos, com apoio da Junta de Freguesia do Castelo, juntou dezenas de munícipes que não quiseram perder a recriação deste ofício, lembrando memórias antigas da aldeia.

O

O Parque 25 de Abril, em Santana, recebeu os grandes clássicos da Bossa Nova e de Choro num agradável final de tarde de Julho. Organizado e promovido pela Junta de Freguesia do Castelo, Bossa Nova no Parque, trouxe a este espaço Jeã de Assis e o grupo Choro de Varanda, que em atuações intervaladas fizeram as delícias de todos aqueles que assistiram a este agradável momento.


Santos Populares

Festas animam a freguesia

E

Baile Popular em Alfarim organizado pela Associação Tempos Antigos – Costumes e Tradições de Alfarim

Baile Popular em Sampaio organizado pelo GRES Saltaricos do Castelo

© Alpha Média

Em Alfarim, na Aldeia do Me­ co, na Moagem de Sampaio, no Largo do Centro Paroquial do Castelo (Santana), na Lagoa de Albufeira, e mais recentemente em Sampaio (Cercizimbra), as festas dos Santos Populares foram comemoradas com muita música, animação e a gastronomia da época, como a tradicional sardinhada assada no pão ou os típicos caracóis. Entre petiscos, bailes e manjericos os arraiais, a cargo de algumas associações e instituições do Castelo, reuniram a comunidade e proporcionaram, tanto a munícipes como a muitos ve­ raneantes, verdadeiros momentos de festa, onde todos foram bem-vindos. Nos últimos anos, a Junta de Freguesia tem vindo cada vez mais a apoiar estes festejos para preservar a memória popular e cultural da freguesia do Castelo e garantir que a tradição dos Santos Populares se renova todos os anos.

Marcha Popular de Alfarim organizado pela APEBJIA

Baile Popular na Aldeia do Meco organizado pela Associação MECO – Nativos e Amigos

TRADIÇÃO

Procissão da Penitência no Cabo Espichel Dizem os mais antigos que quando havia falta de chuva para as colheitas e quando escasseava a comida era habitual o povo percorrer os caminhos até ao Cabo Espichel para, em silêncio e em penitência, pedir um milagre para que a chuva viesse regar os campos e inundar as casas de abundância. Hoje, muitos anos depois, dezenas de pessoas juntaram-se para que o ritual acontecesse e a tradição se fizesse, novamente, cumprir. A cerimónia de cariz religioso terminou com a atuação do Grupo de Cantares Populares da Freguesia do Castelo. A Procissão da Penitência tem lugar no segundo domingo após a Páscoa e a fim de preservar a tradição desta data, foi pelo segundo ano consecutivo, reativada pelos locais com o apoio da Junta de Freguesia em parceria com a Paróquia de Nossa Senhora da Consolação do Castelo. Castelo Informação · 19


A ACONTECEU

AÇÕES DE SENSIBILIZAÇÃO AMBIENTAL

Limpeza de praias

LIVRO

Horticultura de Palmo e Meio estreia-se na Freguesia O livro Horticultura de Palmo e Meio, da autoria da equipa da “ANIME - Projeto de Animação e Formação” aglomera um conjunto de conhecimentos científicos e empíricos, relacionados com a agricultura, ambiente e alimentação, explorando a horticultura (e não só) em ambiente escolar. Esta obra surge após a dinami­zação de um projeto-piloto colaborativo levado a cabo no ano de 2018, entre a ANIME-PAF e diversos parceiros, no qual se pôde observar o nascimento de diversos laboratórios ao ar-livre. Os seus conteúdos auxiliarão professores e outros agentes educativos, a implementar hortas pedagógicas de sucesso. No dia 22 de Maio de 2019, Dia Internacional da Biodiversidade, o livro Horticultura de Palmo e Meio foi pela primeira vez apresentado ao público, na freguesia do Castelo. A ação teve lugar na EB/JI da Cotovia, onde cerca de 40 crianças tiveram o primeiro contacto com o livro e puderam experienciar duas atividades relacionadas com a temática do mesmo; uma sementeira e uma plantação de arbustos/aromáticas, na horta escolar. O livro e projeto Horticultura de Palmo e Meio contam com o apoio da Câmara Municipal de Sesimbra, e das juntas de freguesia do Castelo e Quinta do Conde. O livro encontra-se à venda ao público nas instalações da JF Castelo pelo valor de 10€ a unidade.

20 · Castelo Informação

A

A Junta de Freguesia do Castelo e a Câmara Municipal associaram-se ao Projeto Missão Possível, que em parceria com a 100 Pegadas, desafiaram a população local a participar numa recolha de lixo, que decorreu na Lagoa de Albufeira, no passado mês de maio. Alertar para os problemas da po­ luição e despertar a comunidade pa­ra as questões ambientais foram

os principais objetivos da ação, que pretende sensibilizar os mais jovens e os utilizadores daquele espaço para comportamentos a adotar na preservação de espaços protegidos. Mais recentemente foi também rea­ lizado o evento 3.º Bicas Beach Clean UP, que juntou também um grupo de locais para a limpeza da praia da Bicas. Esta iniciativa contou também com o apoio da Junta de Freguesia.

DIA DA ÁRVORE

Data assinalada nas escolas da Freguesia A Junta de Freguesia assinalou o Dia da Árvore, 21 de março, com a oferta de uma árvore de citrinos, a todas as escolas de ensino público e privado da Freguesia do Castelo. “Só conhecendo podemos preservar e, seguindo esta máxima, é fundamental que as nossas crianças saibam, e a maioria sabe, que é na nossa freguesia do Castelo que encontramos a maior mancha verde do concelho e onde se encontra a Mata de Sesimbra que faz parte do pulmão da Área Metropolitana de Lisboa, já para não falarmos do que isso significa para todos nós”, adiantou Maria Manuel Gomes, presidente da Junta, nas escolas que visitou e onde fez a entrega das árvores. “Estas atividades de sensibilização sobre como tratar a floresta e a importância que elas têm no sítio onde vivemos, trabalhamos e estudamos são muito importantes na consciencialização dos mais pequenos para a proteção e preservação deste bem tão valioso”,

referiu uma das professoras, numa das escolas visitadas. Através de um cartaz de divulgação criado para este efeito, a presidente da Junta deu a conhecer às crianças, professores e auxiliares algumas curiosidades sobre a mancha verde e as espécies de árvores existentes na freguesia do Castelo.


HISTÓRIAS VIVAS

Animação "viva" na Freguesia

O

Os Três Porquinhos e O Flautista de Ha­ melin foram os contos tradicionais, esco­ lhidos para a 4.ª e 5.ª edição das Histórias Vivas, uma iniciativa promovida pela Junta de Freguesia do Castelo que pre­ tende recriar contos infantis, promover o convívio entre gerações e dar a conhecer alguns dos lugares da freguesia. “Este projeto tem sido muito bem aco­ lhido pela comunidade e prova disso é voltarmos a ter connosco muitas famílias, com os avós, os pais, os tios e muitas crianças» realça Maria Manuel Gomes no início de cada encontro onde dá as boas-vindas a todos os participantes. No final a opinião é unanime. “Vim com a minha mãe à história do capuchinho mas gostei muito mais desta. Adorei ver os três

quinzena da criança

Teatro em destaque

A

A Junta de Freguesia promove, há 12 anos, a Quinzena da Criança, que tem como objetivo principal oferecer aos mais pequenos ações pedagógicas num contexto descontraído e divertido. Este ano, para além de um conjunto de ati­ vidades abertas à comunidade, entre as quais uma exposição, uma oficina de expressão plástica, horas do conto e de cinema, a programação contou mais uma vez com sessões de Teatro infantil, que ano após ano fazem as delícias de miúdos e graúdos. No Espaço Zambujal foi apresentada a peça 5 Contos de Fadas em 50 minutos, que juntou em cena as histórias de cinco princesas bem conhecidas - a da Branca

porquinhos a cantar e a dançar, e até o lobo mau portou-se muito bem”, afirmou a Le­ onor, de 6 anos. Também a amiga Maria se rendeu ao conto. “A minha avó já me tinha contado esta história mas assim com pes­ soas e tudo é muito mais engraçado”. Para os mais velhos é de destacar a componente lúdica e didática da iniciati­ va. “As crianças divertem-se sempre, mas no final há sempre uma mensagem e isso é fundamental, na minha opinião para o

de Neve, da Pequena Sereia, da Rapunzel, da Princesa e o Sapo e da Cinderela. O espetáculo, promovido pela Associação Teatral e Cultural Reflexo, propôs um novo olhar sobre estes clássicos, com um importante foco na valorização das figuras femininas, que foram reduzidas a estereótipos às vezes pouco dignificantes. Já no dia 1 de junho e para assinalar o Dia da Criança foi apresentada a peça Há Festa na Casa do Rei, com encenação de Inês Ponte e com a participação do Grupo de Teatro Campitos, composto pelos elementos das oficinas de teatro da Junta de Freguesia do Castelo, que nos últimos meses aprenderam alguns dos segredos e técnicas desta arte. O conto apresentado falava do Rei Sol que recebeu, com toda a pompa e circunstância a corte no seu palácio. Houve muita música, dança e um bobo que animou ainda mais todos os presentes. Promover o teatro na Freguesia do Castelo, sobretudo junto dos mais jovens, e incentivar o surgimento de mais parti­

sucesso de qualquer ação”, realçou Patrí­ cia Narciso, que participou com a so­ brinha e a filha a convite de uma amiga. "Fiquei encantada por ouvir algumas pessoas dizer que nunca tinham estado nestes lugares. Por exemplo, houve quem já não viesse à Fonte do Carvalho há mui­ tos anos e que até pensavam que este es­ paço já nem existisse e que quando viram a recuperação da fonte, ficaram tão felizes que viajaram até à sua infância. E isso é realmente muito enriquecedor”, enalteceu a presidente da Junta. Histórias Vivas é uma atividade pro­ movida pela Junta de Freguesia do Cas­ telo em parceria com o Grupo de Teatro Às Três Pancadas do GRES Bota, Grupo de Teatro da Escola Navegador Rodrigues Soromenho, Cercizimbra e Junta de Fre­ guesia de Santiago.

cipantes aproveitando o interesse que esta arte de palco tem suscitado entre a comunidade, são os principais objetivos destas ações. A Quinzena da Criança foi mais um sucesso nesta sua 12.ª edição.

Castelo Informação · 21


A ACONTECEU QUINTA NA MOAGEM

A ruralidade em destaque

NOVO LIVRO DE JOSÉ ARSÉNIO

Sesimbra... três freguesias, um concelho O Centro de Interpretação do Património Rafael Monteiro, no Castelo, acolheu o lançamento do livro Sesimbra…três freguesias, um concelho – Santiago, Castelo, Quinta do Conde, da autoria do sesimbrense José Arsénio. Na apresentação, o autor agradeceu a presença dos amigos e familiares e o apoio das Juntas de Freguesia para a publicação de mais uma obra. “O apoio de várias pessoas foi fundamental e o das Juntas determinante para este meu trabalho". A obra, composta por 72 páginas, onde apresenta dezenas de imagens, acompanhadas de textos e legendas de António Madeira, surge na sequência do trabalho de divulgação do património histórico, natural e humano do concelho que José Arsénio tem feito nos últimos anos. “É sempre motivo de orgulho termos no nosso concelho gente que valoriza e ama aquilo que é seu, e que contribui com o seu trabalho para a valorização do nosso território”, realçou Maria Manuel Gomes, ao felicitar o autor. José Manuel Arsénio nasceu em Sesimbra, em 1957, e especializou-se na área da fotografia na Associação Portuguesa de Arte Fotográfica. Sesimbra…três freguesias, um concelho – Santiago, Castelo, Quinta do Conde encontra-se à venda ao público nas instalações da Junta pelo valor de 10€.

22 · Castelo Informação

N

No primeiro fim-de-semana de ju­ nho, a Moagem de Sampaio foi novamente espaço de festa, com vista à promoção da economia local. O certame, que em poucos anos ganhou um lugar de destaque na região de Setúbal, no que diz respeito à promoção de ati­ vidades rurais e económicas, ofereceu várias propostas de animação e aprendizagem para toda a família. No local, os vi­sitantes puderam encontrar ovelhas, cabras e cavalos, assistir a demonstrações de ordenha e tosquia, e aprender a fazer queijo, num espaço que simboliza o mundo rural. A venda de pão, doçaria, frutas e legumes, queijos de produtores locais e artesanato, foram também outros dos produtos atrativos neste certame. Para além da animação infantil, os mais novos, puderam ainda experimentar voltinhas em charrete e de burro, insufláveis e elásticos. A Quinta na Moagem, este ano na sua 6.ª edição foi organizada pela Câmara Municipal de Sesimbra, em parceria com a Junta de Freguesia do

Castelo e com a Arcolsa - Associação de Criadores de Ovinos Leiteiros da Serra da Arrábida.

ATLANTIS CACTUS PARK

Um espaço único No Zambujal, freguesia do Castelo, abriu portas no dia 25 de maio, o Atlantis Cactus Park, um local composto por pomares de figueiras da Índia, de pitayas e outras espécies de cactos. No Atlantis Cactus Park o público vai poder visitar o local, conhecer o espaço e a origem, importância e utilizações possíveis de algumas das espécies aqui plantadas. Até ao final do ano, o Atlantis Cactus Park, vai dinamizar um conjunto de atividades que incluem, visitas guiadas para escolas ou grupos, degustações de fruta, batidos e chás à base de cactos, oficinas temáticas e de animação. Para os seus proprietários, Mário e Gilberta Gonçalves, casal de empreendedores

desta freguesia, “o Atlantis Cactus Park é um modelo totalmente diferente dos encontrados a nível mundial para a observação de cactos ornamentais ou frutíferos. Vamos mais longe dizendo que este espaço é único no seu todo, não sendo apenas um jardim botânico, como também fazem parte do mesmo, vários pomares de Opuntias e de Cactos Pitayas”. Este espaço, está aberto ao público todos os dias, das 8h30 às 18h00. Saiba mais em https:// www.pitayaportugal.pt/atlantiscactus-park.


CABO ESPICHEL

Encontro de carros antigos e desportivos

BAZAR DA BAGAGEIRA

Iniciativa atrai dezenas de participantes

O

mesmo tempo, uma nova atitude em relação aos artigos em segunda mão, sendo igualmente um espaço de convívio e partilha. Esta iniciativa teve lugar no último domingo de cada mês, entre as 10h00 e as 13h00, entre os meses de Fevereiro a Junho. A participação no Bazar da Baga­ geira é gratuita, mediante inscrição e co­nhecimento das normas e funcionamento deste evento. O Bazar da Bagageira voltará no último domingo de Setembro, podendo os interessados proceder à sua inscrição no site da Junta de Freguesia do Castelo em www.jf-castelo.pt.

O parque de estacionamento do Parque Augusto Pólvora, na Maçã, tem acolhido as últimas edições do Bazar da Bagageira, iniciativa organizada pela Junta de Freguesia do Castelo, e pensada para fins de reutilização, troca e venda de artigos em segunda mão, ve­ lharias ou peças recicladas que estejam guardadas na arrecadação ou no sótão. Para os responsáveis da Junta de Freguesia a ideia passou por criar um pequeno bazar, onde num ambiente informal, qualquer pessoa pudesse escoar roupa, acessórios, livros, brinquedos, pequeno mobiliário, artigos de decoração ou peças recicladas a preços acessíveis promovendo, ao

No passado dia 7 de julho, teve lugar no Cabo Espichel, o 8.º Encontro de Carros Antigos e Desportivos. Esta iniciativa organizada por um grupo de apaixonados por este tipo de veículos, contou com cerca de 150 carros expostos e centenas de visitantes que ao longo do dia, se deslocaram ao Santuário do Cabo Espichel a fim de poderem ver autenticas relíquias mecânicas. Para além da exposição dos carros, o evento ficou também marcado por uma aula de Power Bike, ao ar livre, e pela possibilidade de os visitantes poderem fazer várias visitas temáticas nas imediações deste espaço. O 8.º Encontro de Carros Antigos e Desportivos no Cabo Espichel contou com o apoio da Junta de Freguesia na sua organização e realização.

TÉNIS CORPO EM MOVIMENTO SÉNIOR

Passeio-convívio a Mafra

P

Para assinalar o final das atividades deste ano, o grupo de alunos do projeto Corpo em Movimento Sé­ni­or, reuniu-se num passeio convívio a Mafra, à Aldeia Típica José Franco. Um dia divertido, em que não faltaram elogios à organização. O projeto Corpo em Movimento Sé­ni­ or, com vista ao bem-estar e promo­ção da saúde física, retoma a sua atividade no próximo mês de outubro.

Open do Castelo O Clube Escola de Ténis de Sesimbra, realizou nos dias 8 e 9 de junho o XI Open do Castelo, no Centro Municipal de Ténis de Sesimbra, na Maçã. O torneio é dirigido ao escalão sénior e foi disputado num quadro de vinte e cinco jogadores.  Esta prova que recebeu o nome da freguesia, é patrocinada por esta Junta de Freguesia desde a primeira edição e faz parte integrante do calendário oficial da Federação Portuguesa de Ténis. Castelo Informação · 23


dia 3 | 22h00 - Noite de Fados | ALFARIM, Largo das Forças Armadas

dia 10 | 22h00 - Baile | Animação Musical com Júlio Panão | ALDEIA DAS PEDREIRAS, Largo das Festas

dia 26 | das 17h00 às 21h00 - Baile | Animação Musical com Bruno Marques | ALDEIA DO MECO, Fonte dos Curvais

Profile for JF Castelo

Revista Castelo Informação _ N.º 6 _ Julho 2019  

Revista informativa da JF Castelo - Sesimbra

Revista Castelo Informação _ N.º 6 _ Julho 2019  

Revista informativa da JF Castelo - Sesimbra

Advertisement