Issuu on Google+

Alison van Diepen - Raven

 

faz Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057  


Alison van Diepen - Raven

 

Esta obra foi digitalizada/traduzida pela Comunidade Traduções e Digitalizações para proporcionar, de maneira totalmente gratuita, o benefício da leitura àqueles que não podem pagar, ou ler em outras línguas. Dessa forma, a venda deste e‐book ou até mesmo a sua troca é totalmente condenável em qualquer circunstância. Você pode ter em seus arquivos pessoais, mas pedimos por favor que não hospede o livro em nenhum outro lugar. Caso queira ter o livro sendo disponibilizado em arquivo público, pedimos que entre em contato com a Equipe Responsável da Comunidade – tradu.digital@gmail.com Após sua leitura considere seriamente a possibilidade de adquirir o original, pois assim você estará incentivando o autor e a publicação de novas obras. Traduções e Digitalizações Orkut - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057 Blog – http://tradudigital.blogspot.com/ Fórum - http://tradudigital.forumeiros.com/portal.htm Twitter - http://twitter.com/tradu_digital

FEITO POR: Andyinha Bitty Ana Carolina Maria Fleury Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

         

RAVEN by

Allison van Diepen

SINOPSE: A morte é inevitável. A paixão é eterna. Zin dança com fogo em cada passo, fala em uma voz doce como mel, e vê com olhos que podem investigar em sua alma. A amizade de Nicole com ele é a única coisa que a salva do enfado da escola e o tumulto da vida familiar dela. Não é nenhuma maravilha ela estar loucamente apaixonada por ele. Mas ela não pode entender por que ele persiste em manter uma distância, embora ela possa sentir a alma dele alcançando fora dela. Zin é como nenhum homem com que Nicole alguma vez se encontrou, e ele carrega um segredo muito antigo. Quando Nicole descobrir a verdade, o amor dela pode ser a única coisa que pode salvá-lo disto.          

Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

1 – ARDENDO EM BRASAS Me pergunte o exato momento em que eu me apaixonei pelo Zin, e eu vou te dizer que foi a primeira vez que eu o vi dançar. Se você o viu dançar, você entende. Se você não viu, confie em mim - não há nada que ele não possa tirar do chão. Pergunte para ele por que ele não está dançando para uma grande estrela, e ele vai dizer que ele não faz a coreografia de ninguém, mas a sua própria, e ele é muito feliz trabalhando num bar no Evermore. É o doente clube e campo de batalha dos famosos breaker em Manhattan. Ele não acredita que ele atualmente paga quando ele devia estar lá, de qualquer forma. Quando Zin está trabalhando no bar, ele está em todos os lugares ao mesmo tempo, igual na pista de dança. Ele veste blusa preta e baixas calças baggy com correntes de prata. Ele é uma espécie de árabe bonito, com cabelo preto curto e olhos verdes. Sua pele é um oliva pálido na falta de luz solar, uma vez que ele é essencialmente um criatura noturna. Ele raramente vai para a cama antes das seis horas da manhã, e raramente acorda antes das duas horas da tarde. Você deveria ter visto a cara do Zin na primeira noite que eu apareci para o trabalho. "Carlo contratou você? Quando isso aconteceu?" "Ontem. Você não está feliz?" "Yeah, claro." Ele envolveu sua magra massa muscular em torno de min. "Tem certeza?" Meus joelhos enfraqueceram com a sua respiração contra o meu ouvido. Deus, ele cheira bem, como sabonete de marfim e creme pós-barba. "Porque eu não iria estar?" "Você não tem de fazer dever de casa, ou algo assim?" "Questões de colégio já desapareceram, vou apensa trabalhar aqui no final de semana, de qualquer forma." "Sua chamada." Ele sorriu como um leonino. "Espero que você esteja pronta para algum dinheiro sério." Cada vez mais a casa é uma igreja transformada. De acordo com Zin, o local foi eviscerado por um incêndio seis anos atrás. A congregação dos idosos, principalmente nas proximidades da pequena Itália, não podia se dar ao luxo de reconstruir, então eles se afiliaram com outros vários quarteirões de distância. Carlo comprou o lugar depois, e agora o que já foi um santuário tem uma enorme pista de dança, áreas de sofá de veludo, e alcovas com mesas de chá. Ele também restaurou a varanda, um local ideal para sair e ter privacidade ou espionar o andar de baixo. Ele deixou o sobrevivente vidro colorido das janelas como é, parcialmente sombreados pelo fogo, dando ao lugar um sentimento gótico. O local antes das dez é bastante deserto. Dj Gabriel ecoa um jazz rigorosamente baixo. Existem dois casais aqui em primeiro período, posso dizer porque os caras estão tentando não olhar para as minhas pernas. (Depois de algum tempo, a maioria dos rapazes se permitem dar uma olhada.) Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Um dos rapazes está bebendo pesadamente, e a garota está muito rápida com suas mãos. O outro período está indo bem - a garota já está em sua volta. "Combate a meia noite. Espero que você tenha roupas" Zin diz enquanto ele pega as bebidas. "Eu tenho, mais eu não perguntei ao Carlo se eu posso fazer uma pausa." "Ele vai deixar você ir. Ele sabe que a dança traz clientes." "Quem está vindo?". "Spinheads". "Sério?". "Claro." Batalhas é uma única coisa que Zin não faz piadas. "Nós vamos fazer a nova rotina?" "Yeah." Ele parou, e posso dizer que ele está indo ao longo de sua coreografia na cabeça. "Você vai fazer um dizzy run-end 1, uma buttspin. 2 Então prepare alguns applejacks 3 enquanto Slide e eu nos preparamos.” "Consegui." Ele colocou as bebidas para o meu tabuleiro. "Não se esqueça de compartilhar suas dicas." "Yeah, certo." Ele riu e deslizou para baixo no bar para o lado do cliente. Pouco antes da meia noite, o resto do grupo apareceu: Slide - alto, esguio rapaz negro; Rambo baixo, muito Porto-riquenho; e Chen, que tem a forma muscular de uma ginasta graças a um treinamento intenso e de proteína em pó. Somos todos nascidos e criados no Brooklyn, exceto Zin. E não somos apenas um grupo de breaker, somos BFFs. Quero me aquecer com eles, mas acho que terei de esperar até os Spinheads aparecerem antes de perguntar ao Carlo se posso tirar minha folga. Acontece que eles não apareceram até meia noite e meia. Até então estamos cada vez mais embalados, um santuário de bailarinos em chamas. Os Spinheads sabem como fazer uma entrada. Eles estão vestindo agasalhos verde limão e regatas roxas. Não estamos impressionados. Não precisamos seguir uma antiga escola vestindo códigos para saber que somos breakers. "Posso fazer uma pausa para a batalha? Os Spinheads estão aqui." Carlo acenou com a cabeça. Cabelos pretos e mais ou menos trinta anos, ele é conhecido por seus ternos da Gucci, seu sotaque irreconhecível, e sua calça marinheiro. "Eu olho aqui na frente."                                                              1

Passo de dança para confundir?! Não achei referências. Passo de dança que consiste em jogar as pernas para frente e rodar.  3  Passo de dança. Não achei referências.  2

Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

"Eu tenho estado em treinamento por apenas alguns meses. Ainda sou muito principiante." "Vamos ver." Eu gosto da maneira como ele fala, não sei porquê. Carlo parece como um chefe rígido, mas no fundo, ele é bem legal – Zin diz isso dele. Eu mudei minhas calças e, fui para a pista de dança. Não é de se estranhar que Chen começa a batalha pelos recuos em frente aos Spinheads e fazendo gestos zangados com as mãos. A multidão forma um círculo, e Chen começa com algumas toprocks. Então ele cai do chão e gira sobre sua mão. De lá ele arrebenta como um martelo pneumático. A multidão alucina. Chen levantou finalizando um handstand 4, lentamente abrindo suas pernas. Zin se jogou um pouco pra frente e se virou mais a eles. Ele se jogou para trás para esperar a contraprova. Jam e Spinman saltaram para o meio juntos, parando costas-com-costas braços dados, com Spinman lançado ao longo do Jam, Jam voltou e tendo uma longa série de chutes em L no chão. Vi Zin e Chen trocarem um olhar, é um novo movimento para os Spinman. Zin me dá o sinal e eu estou correndo como uma tonta, adrenalina me dando impulso extra de energia. Eu acabei com um buttspin. E voltei de lá, Zin atingiu o chão, iniciando com alguns movimentos com o joelho e, em seguida, um giro em headspin 5, o qual ele lutou espalhado com Slide, entrelaçando suas pernas brancas, enaunto eu faço applejacks. Então Zin está fazendo airswipes 6, chutando as pernas elevadas no ar como a multidão incentiva eles. Como pode alguém rebater essa? Zin é um atleta olímpico sobre a pista de dança. Ninguém pode competir com ele. As garotas Spinhead saem com dois passos. Ela não é ruim. Sua equipe T-Rex começou com seis passos antes de se levantarem com uma certa ostentação, e terminando com um airtrack 7. Sua execução está perfeita. Eu não ousei olhar para a reação do Zin. Chen voltou, chutando as pernas e torcendo seu corpo como arranha-céu móvel. Em seguida Rambo faz algumas robóticas. Eles voltam para trás, e Zin salta com um flip aéreo. Ele cai em um moinho de vento e, em seguida, aparece e gira para a sua volta. Para a vingança final, Spinman faz handless headspins chamados halos. T-Rex e Jam caem e começam a fazer halos de ambos os lados. A sincronização deles é incrível. Em seguida, um por um, cada um congela em uma pose - congelar a cabeça, congelar um lado, congelar uma volta. A multidão feroz sai. Porra! Eles ganharam. Zin levantou suas mãos com calos para fora da pista de dança. Parece que Chen quer começar algo com os Spinman, mas Slide fala desanimado. Ele não vê que Rambo tem em suas mãos                                                              4

 É meio como plantar bananeira, mas geralmente é com apenas uma mão.  Giro com a cabeça. 6  Espécie de passo que se planta bananeira, mas fica meio de lado.  7  Passo de dança. Não achei referências.  Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057 5

 


Alison van Diepen - Raven

 

uma garrafa de cerveja vazia. Peguei o braço dele, e disse para colocar para baixo. Eu não sei porquê Rambo sempre quer lutar. Ele é um rapaz tão bonito na maior parte do tempo. Com eletricidade ainda no meu sangue, quero dançar por mais alguns minutos. E então eu senti: estou sendo vigiada. Não por grupos, não por breakers, mas sim pelo meu chefe. Ele está inclinado contra o bar, seu elegante terno preto, cheio de classe. Ele curva seu dedo indicador. Eu fui até ele. "Me desculpe ter demorado tanto tempo." "Está tudo bem" Seus olhos focados em meu cabelo. Ele suavemente removeu seu olhar para longe dos meus olhos. "Você dança bem, Raven 8." Carlo tem olhos tão negros, que você não pode dizer as pupilas e a íris. Ocorreu-me que se eu fosse dez anos mais velha, e se eu não amasse Zin, eu poderia estar interessada no mistério por trás desses olhos. Eu me aproximei dos clientes, e comecei pegando as bebidas. Eu gosto disso, ele me chamou de Raven. Eu gosto mesmo da escuridão. Eu tenho uma lágrima na pupila do meu olho esquerdo. É exatamente o que parece. Meus amigos costumavam dizer que parecia que minha pupila era uma goteira, e o trasbordamento foi contido na íris. Se meus olhos fossem castanhos como os do meu pai, em vez de azul como os da minha mãe, isso seria menos perceptível. Mas eu não tenho essa sorte. Primeiro quando eu conheço alguém, muitas vezes eu suspeito que eles estão olhando para a minha pupila. Claro, é difícil dizer, pois as pessoas são supostas a olhar você nos olhos. Se eu estou indo para um lugar novo, eu às vezes uso lentes de contatos marrom. Isso me salva de ter que perguntar o que eles realmente estão olhando. Isso não importa, porque quando as pessoas olham em seus olhos, eles realmente não vem você, de qualquer maneira.                  

                                                             8

 

 Raven, significa corvo, mas também significa devorar/comer com sofreguidão – ou seja, alguém que luta por aquilo muito intensamente.  Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057


Alison van Diepen - Raven

 

2 – DESECONHECIDO Minha casa é assombrada por um fantasma que não está morto. Talvez tivesse sido mais fácil se ele estivesse morto. Pelo menos, poderia lembrar dele nos bons dias, os dias de potencial. Mamãe odeia quando eu falo coisas como essas. Ela vive na esperança. Papai não. Ele é realista como eu. Ele sabe que esperança é uma farsa, pelo menos quando estamos falando de fantasmas. A casa está calma agora. O fantasma costumava amar som alto, sentindo a musica desabar as paredes do seu quarto. Eu, sempre preferi minhas músicas baixas, a musica de perto e pessoal. Agora os únicos sons são os baixos murmúrios da CNN ou de um sci-fi shows do papai. A ultima vez que eu vi o fantasma, eu trombei com ele em Chinatown algumas horas antes de amanhecer, fumando maconha na esquina com uma menina branca de dreads. Eu não o vi em messes. Ele parecia diferente, pior. Um longo casaco de carga com vários tamanhos bem grande. Rasgados jeans sobre ele. Ele tinha um cavanhaque descuidado, um olhar de anarquia. Meus pés hesitaram. Eu deveria parar? Ou continuar andando? O fantasma não podia me ver, meu pé continuou movendo. Zin viu que alguma coisa tinha me marcado. "Nic? Você está bem?" "Shhh."

O primeiro dia do semestre é sempre o mesmo. Professores vêem meu sobrenome. Perguntam sobre você, como passam seus dias, com a expectativa de grandes respostas. Eu falei pra eles que meus dias vão bem, trabalhando. E quanto a Columbia? Ele está tendo um tempo fora. Eu encolhi o ombro tipo isso-não-é-grande-coisa. E ele ficou confuso, porque o fantasma nunca diz coisas pela metade, nunca teve interrupções. Ele se formou com um 4.0 .Eles me lembraram quando eu topava qualquer missão que não fosse um A. Eu raramente faço. "Quantos dias faltam para acabar o colegial?" Chen perguntou. "Noventa e dois" Slide responde. "Isso não pode ta certo. Você disse oitenta e sete semana passada." "Eu não estava incluindo o tempo dos exames. Agora estou." "Tudo bem, mas espero que os dias comecem a diminuir em breve, porque eu não sei mais quanto tempo eu posso suportar esse inferno." Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Kim Tran, namorada do Chen, acariciou seu braço "pobre Chenny Wenny." Há uma tradição sênior ,de não comer na cafeteria e almoçar perto de nossos armários. Nós todos trazemos vegetais crus em mini sacolas Ziploc. Slide entrou numa moda de comida crua, pensando que vai melhorar seu sistema imunológico e dar uma vantagem sobre a pista de dança. É melhor que a sugestão da Chen no ultimo mês para fazemos proteínas batidas duas vezes por dia. Eu não vou exatamente olhar para os músculos lá de baixo. Eu virei para o Slide. "Você entregou seu papel de literatura, certo?" Ele acenou. "Terminei no ônibus essa manhã." "Bom." Slide precisa de um pontapé na bunda agora e depois. Ele possui ADD 9 - esperto demais para estar interessado em suas aulas, ou também para se concentrar em uma coisa por muito tempo. Não é uma receita para grandes marca, mas excelente para breakdancer. "Quarenta e seis dias até o início das aceitações" Slide disse. "Nic, você vai ser a primeira a descobrir. Aposto que você vai ter em todo lugar." "Veremos." "Vamos lá, você e a Kim não tem erros sobre isso." Chen disse. Sendo filho de dois contabilistas, ele herdou um cérebro, ele simplesmente não o usa o suficiente, a maioria dos professores contam isso. Ele não está preocupado sobre isso, apesar de tudo. Ele espera que Kim apóie plenamente sua carreira de dança um dia. "Bem, eu não tenho muitos extras curriculares" Eu disse. Todo mundo sabe que você precisa de extra-curriculares para bolsas de estudos, e eu duvido sendo parte de uma família com dívidas. Meus amigos não sabem que o fantasma causa sangramentos em meus pais esgotados. Eles nem sabem que ele se tornou um fantasma. Meu celular vibrou no bolso. Só pode ser o Zin. É 12:43 - Ele acordou cedo hoje. É uma mensagem de texto. OI NIC ESPERO QUE SEU DIA VÁ BEM. NÃO ESQUEÇA DA PRATICA A NOITE 7:30. VEJO VOCÊ Z. Kim deu uma cotovelada em min. "Isso é do Zin?" "Yeah, só para me lembrar da pratica hoje a noite." "Ele nunca nos envia lembretes" diz Chen. Ele se pendura totalmente no meu ombro. "Oh, ele está te desejando um bom dia. Eu juro que vocês estão saindo por trás de nossas costas." Quem me dera.

                                                             9

 

 ADD – Distúrbio de Deficiência de Atenção  Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057


Alison van Diepen - Raven

 

"Continue, Nic! vá, vá, vá!" Eu balancei minhas pernas em torno de um moinho de café, mais rápido e mais rápido. Até que eu estou numa zona que estou só girando, leve e sem importância. Eu parei por um tempo. Os caras se animaram. Slide parou a música. "Isso estava uma porcaria! Desde quando você vai tão rápido?" Eu me peguei em frente da linha, o sangue correndo em minhas veias. "Duas doses de café expresso antes de praticar." "Red Bull é melhor." Slide ligou a musica e Zin foi para a marca girando em um headstand 10. Suas pernas pararam em forma de V, e eu não pude ajudar mas notei que seu shorts de ginástica caíram para trás, revelando uma grave contusão na musculatura da coxa. Maldição. Outra coisa sobre cafeína - eles me fizeram fazer com tesão. Zin alcança seus pés, seus cílios longos e pretos com suor. "Temos que acondicionar isso logo, pessoal. Eu trabalho mais tarde" "Quem me dera eu poder trabalhar de semana a noite," Eu disse. "Você tem sorte, Nic. Carlo normalmente não deixa as pessoas trabalharem só no final de semana. Acho que ele gosta de você" "Bem, eu não tenho nada derramado num no colo de um cliente - ainda." Nós geralmente temos prática duas vezes por semana, sem mencionar a dança nos fins de semana. Zin formou os Toprocrk a uns dois anos atrás após colocar cartazes em clubes de dança e indo em audições. Spinman fazia parte desse grupo inicial, mas ele e os outros caras matutaram muito a cabeça, de modo que ele achou um defeito e começaram a Spinheads. Os Toprocks não quiseram trazer uma menina de volta. Mesmo Chen e Slide, quem me conheciam na escola, questionaram minhas intenções. Eles pensaram que eu era apenas uma menina que queria ser breaker, e num primeiro momento, eles estavam certos. Pensei em fazer até break-dancing isso me daria mais tempo com o Zin. Inferno, eu não sabia fazer os passos então. Eu nem sequer sabia que eles sabiam sobre min. Zin me mostrou e eu fiz. Eu me apaixonei por Zin com danças. Era tudo e eu mesma. Os Toprocks estariam interessados por mim em breve. Ganhei o meu local, em sua horda através de inúmeras horas de treinamento com instrução, DVDs, um tapete, e uma vontade de ferro. Que acabou tendo uma menina no grupo - uma que poderia realmente dançar e não uma proposta era bom para o nosso grupo de rua. Verdade, eu tenho varias limitações que eles não tem. Eu não faço headspins 11 porque eu não tenho confiança ou um sobressalente pescoço. Eu danço duro, mas eu não sou um tomador de                                                              10 11

 

 Um passo como uma parada de mão, com a cabeça no chão, na verdade ele fez um passo de streetdance   Idem ao passo de cima, mas sem as mãos.  Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057


Alison van Diepen - Raven

 

riscos como eles são, especialmente Zin, cujo seu trabalho aéreo é selvagem. E eu não faço nada para trás. Não me peçam pra fazer um back roll 12, não me peçam pra virar sobre as costas, eu não posso. Mas, apesar de todas as minhas limitações, eu tenho alicerces sólidos, controle e carisma, ou assim que dizem. "Vamos, Chen, faça!" Esperamos muito de Chen, uma vez que todos sabem que na Ásia é onde a oportunidade está bem agora. Você pode falar sobre o Campeonato Mundial de Dança - são todos da Ásia. As vezes falamos, de juntar dinheiro para uma viagem até lá, indo até os clubes onde os Breakers Hang treinam, aprendendo com eles. Chen diz ter parentes que poderiam nos colocar em Xangai. Quando a prática terminou, nós deslizamos a mobília do Zin de volta no lugar e os rapazes deram o fora. Eu decidi ficar até o Zin ir para o trabalho. Não quero ir para casa. Zin foi para o banheiro tomar um banho, e eu ataquei de surpresa a geladeira, agarrando pitas, hummus 13, picles, queijo, e espalhei-os sobre a mesa. Mesmo que ele já tivesse jantado, ele sempre tem fome depois da prática. O apartamento de Zin é apenas a cinco quadras da Evermore. Ele pode se dar ao luxo de viver por si próprio, graças aos bêbados do tipo generosos. O lugar possui o mínimo de mobília: uma mesa de café da IKEA, um sofá de couro gasto, uma cozinha com mesa e cadeiras diferentes. Ela funciona bem porque não há muita coisa pra mover quando se pratica. Para decorar, Zin colocou pôsters de filmes – Touro Indomável, Scarface, Os Bons Companheiros. Ele chegou uns minutos depois cheirando como se estivesse varrendo o cheiro. Ele olhou para a mesa. "Fofo." Ele começou a comer, rápido e com as duas mãos, parece que ele está com medo de que levem a comida embora. "Nós vamos pega-los, você vai ver." Ele está falando sobre Spinheads, claro. "Yeah, nós vamos" "Spinman quer a chance de nos jogar para baixo. Isso não vai acontecer." Eu cortei metade da pita com uma colher e puis um pouco de hummus. Eu não tinha percebido nada, como eu estava com fome. Ele olhou nos meus olhos. "Como você está?" "Bem." "Bom." Ele segurou minha mão, uma coisa natural pra ele. Zin vive sobre suas regras, e ele vive bem. Meu pai iria dizer que ele marcha ao ritmo de seu próprio tambor. É verdade. Ele não julgará o sucesso pelas normas das pessoas. Ele não é juíz, todo período. Nem ele fala sobre seu passado. Não muito, de qualquer maneira. Eu sei que a família veio do Yemen cerca de doze anos atrás e ficou no Queens . Zin rapidamente percebeu que ele não era o menino de potencial de ouro. Ele não sabia praticamente inglês, e o que ele sabia, ele aprendeu                                                              12 13

 

Um passo como dar cambalhota.   pitas: como se fosse uma panqueca; hummus: um tipo de molho  Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057


Alison van Diepen - Raven

 

na rua. Com dezesseis ele saiu da escola e começou a trabalhar como lavador de pratos. Ele se mudou quando começou a trabalhar cada vez mais. Quando as pessoas perguntam se estamos namorando, eu falo pra eles que somos apenas amigos. Mas não estamos, realmente não. Temos algo a mais, e nós dois sabemos disso. Zin é o imã e eu sou o metal. Tem sido assim desde o início.  

Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

3 – ENGANAÇÃO O telefone tocou. Eu espero que seja telemarketing. Quando ele é o fantasma, você sabe jantares arruinados. Papai e eu ficamos pensando, mais não falamos, E agora? Que tipo de problema ele está? E quanto dinheiro ele quer? Eu não peguei mais nada da minha comida. Se eu comer enquanto estou tensa, eu consigo uma dor de estomago. Eu já estou sentindo os músculos do meu estômago se contraindo. Hoje é o meu jantar á noite, e eu fiz enchiladas plobanos. Trata-se de fatias de frango enroladas, sufocadas com guacamole e cobertos de queijo. Eu pedi algo parecido na semana passada, quando eu sai pra comer com Zin e percebi que podia fazer isso sozinha. Meus pais ficaram impressionados. Papai continuou a comer. E eu assistia minha comida ficar gelada. Mamãe voltou uns minutos depois. Ela sempre parece, tipo que ela está com frio quando ela está chateada, nariz vermelho, e os olhos aguados. "Ele foi demitido." Incrível, mais ele nunca tinha sido despedido. Despedido o tempo todo. Yeah, certo. É surpreendente que ele ainda possa esmagar suas esperanças. É incrível que ela ainda tem esperanças. Esperanças que ele vá manter um emprego, esperança que ele vá se por em ordem. Espero que ele consiga ajuda. Odeio vê-la triste. Detesto isso. "Quanto ele quer dessa vez?" Eu perguntei. Mamãe sacudiu a cabeça. Ela não gosta de falar sobre o dinheiro presente na sua conta bancária. “Porque você simplesmente não retira a palavra?" perguntei. "Não queremos ele na rua." A resposta de mamãe nunca muda. Eles não querem ele desalojado. Eles dão sempre todos seus últimos centavos para ele, pelo menos, sei que ele tem um telhado sobre sua cabeça. "Para todos nós sabermos, ele já poderia estar desalojado." Eu disse." Ele estava chamando a coleta?" Ela acenou com a cabeça. "Ele disse que está ficando em um quarto da casa. Trata-se de trezentos dólares por mês." "Ele pode conseguir esse dinheiro do governo."

Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

"Nós preferimos que venha de nós." papai disse. É uma coisa moral deles. Embora o fantasma seja um adulto agora, eles ainda consideram seu filho, a sua responsabilidade e não do Estado. "Mas você sabe que ele está usando o dinheiro." "Se não podemos impedi-lo de utilizar, pelo menos podemos parar os concessionários de vir depois dele", Mamãe explicou, como se nós não tivéssemos tido essa conversa centenas de vezes. "Você está permitindo. Talvez se ele não tiver dinheiro, ele pare." Mas eu não credito nisso. Ainda assim, penso que eu deveria chegar a uma solução. Todo problema tem uma solução, certo? A verdade: Eu sei que ele não vai parar. Eu sei que ele vai fazer alguma coisa para alimentar seu hábito. E eu tenho ouvido o que os caras fazem para pagar pelas drogas. E eu não quero isso. Não posso nem sequer pensar nisso. Odeio que eles estão oferecendo-lhe dinheiro. Mas estou satisfeita que estão.

Duas horas depois meu telefone tocou. É o Zin. "Treinando?" ele perguntou. "Claro." Estou respirando difícil. Eu limpei o suor do meu plano da cabeça, com uma pancada forte da minha palma. "Que tal tirar a noite de folga?" "O quê, você vai me divertir? "Claro. Eu não estou trabalhando essa noite." "Ótimo. Deixe-me tomar um banho. Nos vemos em breve." Eu levantei o meu rádio e desci do hall pro meu quarto. Mamãe e papai ter designado o quarto para o meu treinamento extra/ quarto de treino, o que significa que eu não tenho coragem para isso, inacabado porão. Depois do banho, mexi meus cabelos com um rápido golpe com a cabeça para baixo e fiz uma escova para deixá-lo solto em meu ombro. Minha roupa de costume, jeans e uma jaqueta de veludo roxa. Uma hora depois eu toquei em seu apartamento. Sem resposta. Talvez ele esteja no banho. Depois de esperar alguns segundos, tentei de novo. Sem resposta. Eu chequei meu celular para ver se ele tinha mandado alguma mensagem. Nada. "Nic!" Eu olhei ao redor, não via nada. "Aqui em cima!" Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Eu levantei meu pescoço. Zin está de pé no telhado. "Você vem aqui?" "Você quer chamar minha atenção ou o quê ?" "Você não pode subir? Eu subi!" Ele riu. "Ótimo! Quando eu zunir você vem!” Segundos depois eu ouvi o zunido, e saltei as escadas para o telhado. Dançar breaker tem me dado o tipo de resistência que lhe permite fazer esse tipo de coisa, sem sentir como se estivesse tendo um ataque cardíaco. Falando de ataques cardíacos, Zin está de pé na porta de entrada do telhado, iluminado pelo brilho de uma rua próxima. Seu cabelo preto está molhado, como se ele apenas tivesse tomado banho. Ele está vestindo uma camiseta preta de mangas longas e calças jeans, vestuário típico dele, mesmo em Fevereiro. Eu já disse mais de uma vez que ele irá morrer se vestindo como tal, mas ele não se importa. Ele disse que o seu sangue árabe o torna imune do frio. Eu digo que essa é a coisa mais estúpida que já ouvi. "Nic, você veio." Ele está sempre dizendo coisas desse tipo. Como se me ver fosse um evento especial ou algo assim. Ele abriu os braços e me capturou em um abraço. Ele tem uma maneira específica de me quando ele gosta. "Estou feliz que você ligou. Eu precisava sair" "Algo errado?" "Não mais do que é habitual." "Ele ligou?" "Yeah. Dinheiro, como sempre. Nada que não já tenha sido tratado antes." "Eu sei. Ainda." Eu respirei profundamente contra seu peito, como se de alguma maneira eu estivesse ficando sem ar nos pulmões. "Eu não quero ver o show sozinho, " ele disse. "Que show?" "O aniversário do universo." "Esse é um novo." "Na verdade é um velho. Venha." Ele me levou em todo o telhado, parando sobre um grande bloco de concreto, provavelmente um gerador de algum tipo, e me puxou. Ainda por cima tinha um cobertor de lã. "Agora se mantenha calma." Ele me enrolou, segurando-me como um bebê. "Se você não estiver quente, não terá paciência para esperar." Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

"Eu não sou a única que vai congelar, Zin. Está uns trinta graus." "Eu bebi chá, não se preocupe." Eu rolei meus olhos, e sentei para trás. "Então o que estamos procurando?" "Você verá." Eu olhei para as estrelas, bebendo um sopro de ar frio, para exalar névoa branca. "Você é bartender, dançarino, filosófico, e agora astrônomo. Eu estou perdendo alguma coisa?" "Você está perdendo muitas coisas." Eu posso ouvir o sorriso em sua voz. "Você sabe o que, Zin? Ás vezes acho que você veio para a América só pra me distrair." "Ás vezes eu penso assim também." Sentamos em silêncio. Apenas Zin sabia o exato momento de algum espetacular evento. O cobertor e a sua proximidade me mantêm quente. Sinto sua mão me tocando. "Ali." Segui seu dedo, então vejo , acima do Cinturão de Orion. Uma ducha de ouro ardente estoura. "Wow. O que foi isso?" "Uma chuva de meteoros. Eu chamo de aniversário do universo, porque é parecido com fogos de artifícios no espaço." "Isso é incrível." Eu voltei pra ele. Seu rosto é um borrão pálido na escuridão, mais eu vejo o contorno dos seus lábios sorrindo. "Obrigada por me mostrar." "Obrigado, Nic. Sozinho é superestimado." "Yeah." Mas a verdade é que se não estivéssemos juntos, esta noite, ele não teria de ficar sozinho. Há um grande número de garotas que amaria se ele ligasse. Meninas em bandos para Zin. Não só as do grupo de breaker, e ele tem o suficiente dessas. Todo mundo. Mesmo as garçonetes adoram ele. Mas Zin e eu temos algo em comum, não gostamos dessa quietude, nós não gostamos do silêncio. Tenho muitos pensamentos de fantasma. A mente de Zin funciona a uma milha por minuto, e se ele não está centrado em alguma coisa, ele vai começar a ter pensamentos mais profundos e eventualmente se sentir pra baixo. Ele diz que é a maldição de ser filosófico. "Você já se perguntou sobre o fim do mundo?" Ele lançou a questão para a escuridão. "Não muito." Mais eu quero mantê-lo falando."Quando você pensa sobre isso?" "Só se me deixar sozinho. É deprimente. Eu não gosto de pensar no que vem . . . no fim." "Não é como se nós fossemos estar ao redor para ver." Pelo cantinho do olho, vi a cabeça dele virar em minha direção. Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

"Talvez nós iremos." "Você acredita em reencarnação?" "Eu não tenho certeza. Só sei que tudo tem que ter um fim. Não importa quando tempo nós vamos ficar em círculos em torno dele, algum dia, alguma hora, vai parar tudo." "O que o Islamismo diz?" "Ele fala de um dia de julgamento, o dia quando Deus aceita pessoas boas no paraíso." "Como cristianismo, eu acho. Paraíso para os justos." Ele olhou para min." Você acredita no paraíso?" "Sim. Você não?" "Não." "Eu pensei que você era mulçumano." "Eu era, há muito tempo." "Então o que aconteceu?" "Eventos na minha vida me levaram a outra direção." "Bem, talvez a vida leve você de volta um dia." "Eu invejo você, Nic. Fé é reconfortante." Eu penso em meus pais. Eles precisam de Deus. Então eu também." Você provavelmente acha que as pessoas inventam Deus para se confortarem, certo?" "Talvez." "Você pode estar certo. Então de novo, você pode não estar." "Se eu estou errada, estou ferrada. Eu duvido que Deus me deixaria ir. " "Vamos, Zin. Não diga isso. Você é uma das melhores pessoas que eu já conheci." "E uma das mais egoístas." "Bem, eu não vejo isso. Todos temos falhas. Se existe um Deus, eu tenho certeza que ele sabe." "Sim, mas alguns de nós temos mais do que merecemos. E se há qualquer justiça nesse mundo, teremos que pagar por ela." "Isso é doentio." "Isso é vida."

Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Fantasmas ficaram para trás. Objetos movidos de onde ele costumavam estar. Moedas espalhadas em lugares estranhos. Manchas quentes e frias, onde uma vez eles passaram. Culpa. Meus pais se perguntam se eles poderiam ter feito algo diferente. Algo que poderia ter mudado o resultado. Caso tivessem sido duros com ele? Suave? E eu, eu tenho culpa também. Culpa de todas as coisas que eu disse. Culpa de palavras como "Eu odeio você" e "Admita, você é fodido", e " Vai junto." Culpa por desejar que ele se fosse. Culpa dele ter ido.

Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

4 – SEMPRE OUSE É um fato que quinta à noite significa Hip-Hop e Boliche. Depois que o Rambo saiu do trabalho às 9 da noite, ele vai para casa para tomar banho e passar perfume e depois passa para nos pegar no seu carro. Pena que o Zin não pode participar do ritual – enquanto estamos indo para Long Island para jogar numa pista reservada às 10 horas, ele está começando seu turno na Evermore. A música está alta e eu estou espremida no banco de trás com Chen e Kim. Ela fica dando risadinhas, então eu acho que ele está apalpando ela por baixo da jaqueta, mas está muito escuro para ter certeza. Eu gosto de Chen e Kim, sozinhos e juntos. Eles são um casal feliz, mas eles não te fazem sentir uma vela se você está com eles. Me dou conta de como minha vida mudou desde aquela vez no clube quando eu vi os Toprocks em ação pela primeira vez. Naquele tempo, eu andava com o mesmo grupo de garotas que eu tinha conhecido na oitava série quando minha família mudou para cá vindo de Connecticut. Eu não tinha nada em comum com aquelas garotas e quando eu me afastei delas, ninguém se surpreendeu. Não foi culpa de ninguém. Eu sempre procurei por alguma coisa diferente, algo que eu não sabia exatamente o que era. Eu não sou moleca, mas acho que nasci para ser amiga de garotos – eles dão risada, não são traíras, fazem piadas sujas e não estão nem aí. E aí tem a Kim. Ela veio transferida para nossa escola do Colégio JFK porque nossa escola oferecia mais aulas avançadas. Ela é o tipo de garota com quem Chen tem de se esforçar para ficar – o tipo que sabe o valor que tem. Ela tem cabelo preto e curto, com um toque de azul nas franjas e várias tatuagens lindas. Kim não é uma breaker e não tem interesse em se tornar uma. Sua idéia de dançar se limita a movimentos de mão intrincados que, como os garotos brincam, faz ela parecer uma mímica. As pistas de boliche já estão bombando quando nós tomamos posse da nossa e deslizamos no chão brilhante com nos sapatos de boliche de solas macias. “Não, você não fez isso!” Eu falo. Rambo se superou na sua promessa de comprar seus próprios sapatos de boliche – pretos e super brilhantes. Ele faz um passo de moonwalk e gira. É hora de jogar boliche. A única coisa que difere Hip-Hop e Boliche do boliche normal é que tem música hip-hop alta. Geralmente, começamos a dançar espontaneamente. Na metade do primeiro jogo, Chen e Rambo competem pelo primeiro lugar, com Slide um pouco atrás. Eu estou em quarto e a Kim quase não está no placar, provavelmente porque ela tem braços magrinhos e dificuldade de levantar a bola para começar. Ela não tem nada a provar na pista de boliche, e nem eu. Nós deixamos os meninos competir enquanto conversamos e comemos fritas no vinagre. “Pena que o Zin nunca sai nas quintas á noite,” Eu digo a ela. “Eu sei que ele iria adorar.” Ela sorri para mim, e eu sei o que ela está pensando. Uma parte minha quer negar, mas outra parte está morrendo para contar para ela. Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

“Tenho que ser sincera com você, Nic. A tensão sexual está me matando.” “Quê?” “Entre você e Zin. Quando é que você vai fazer alguma coisa a respeito?” “Eu...bem...” Eu não estava esperando que ela colocasse as coisas daquela maneira. Eu mordo meu lábio. “Não conte pros caras, tá? Poderia estragar as coisas de verdade.” “Os caras sabem que tem alguma coisa acontecendo – ou prestes a acontecer. Geralmente eles são sem noção, sim, mas eles percebem o jeito que vocês se olham.” “Você não acha que sou só eu?” “Não.” “Então por que ele não faz algo a respeito?” “E por que não você?” “Eu? Ele é que o confiante.” “Talvez sim. Talvez não. Você não vai saber a menos que você faça alguma coisa.” Eu balanço a cabeça. “Eu não vou fazer nada. Mas eu vou deixar a porta aberta para que ele faça. Eu tenho que ter certeza que é para valer, senão a gente só vai estragar a nossa amizade. E eu não quero ser só mais uma garota, sabe?” “Eu sei, e eu acho que você é esperta. Nunca dê a um cara o que ele quer de primeira se você quer que ele te respeite.” “Foi assim que você fez com o Chen?” “Ainda é assim que eu faço come ele.” Ela sorri. Meu homem é muito doido, mas eu o adoro. A primeira vez que eu vi o Zin, ele estava dançando. Eu era uma das várias pessoas aglomeradas em volta enquanto ele e os Toprocks detonavam a pista em um clube para menores de 21 anos chamado Trix. O ar na pista de dança estava grosso por causa do gelo seco, incomodando minhas lentes de contato. Zin incendiou a fumaça como uma lanterna potente, e eu não conseguia desviar o olhar por um segundo. Quando o show acabou, os Toprocks foram para o bar se hidratar. Eu os segui instintivamente, me apertando pelo mar de pessoas, lutando por um lugar no balcão com meu cotovelo. “Nicole, você veio!” Era o Chen, que estava na minha turma de biologia. Ele e Slide estavam tentando convencer o pessoal da escola toda a ir lá aquela noite para apoiar os Toprocks na batalha.

Eu tinha levado duas amigas comigo, mas elas estavam conversando com alguns atletas de outra escola. “Vocês foram incríveis!” Eu disse. Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

“Valeu!” Slide bateu as mãos comigo. “Fico feliz que você veio.” Eles me apresentaram a um cara pequeno e magrinho chamando Rambo. Eu imaginei que o nome era algum tipo de piada, então eu não perguntei nada. Então Chen cutucou o Árabe maravilhoso no ombro, e ele se virou para o meu lado. Eu esperava que ele sorrisse, mas ele apenas me encarou como se eu fosse algo estranho. “Nicole, esse é o Zin, nosso líder.” Chen disse. “O homem por trás dos Toprocks.” “Ei.” Eu disse. “Ei.” Zin fez uma careta. “Qual o problema com seus olhos?” “Como é?” Eu lembrei que ele não estava perguntando pela razão de sempre, já que eu estava usando lentes. “Ah, o gelo seco os deixa irritados.” “Não foi isso que eu quis dizer. Você está cobrindo seus olhos. Por quê?” Meu queixo caiu. Ninguém nunca notou que minhas íris castanho escuras eram lentes. Elas eram as mais sensíveis e reais que eu pude encontrar. Percebendo meu desconforto, ele tocou a minha mão. “Tudo bem. Então, você gostou da dança?” “Ah, gostei. Eu sempre quis aprender.” Foi então que Zin me mostrou, pela primeira vez, o sorriso que podia iluminar um cômodo.

Sexta à noite. Finalmente. Esperei a semana inteira por isso, para deslizar no belíssimo santuário que vibrava com as batidas rítmicas do DJ Gabriel. Eu nunca me canso da beleza desse lugar. “Senti sua falta!” Viola, loira clara e esbelta, está se trocando no quarto dos fundos onde eu vou para deixar minha bolsa. Ela tem um leve sotaque britânico, o que aumenta sua elegância. Eu olho por sobre o ombro, só para ter certeza que ela está falando comigo. “Obrigada.” Seus olhos azuis brilham. “Muitas gorjetas hoje, posso sentir.” “Espero que sim. Semana passada foi muito bom, para um primeiro turno.” “Você se acostumou com o trabalho rapidinho. Já foi garçonete antes.” “Fui.” No Denny´s, eu não completo. “Bem, Carlo ficou impressionado. É isso que importa.” “Ele falou isso mesmo?” Ela mexe um ombro, à mostra no seu top azul de lantejoulas. “Ele não precisa. Eu trabalho para ele há algum tempo. Eu percebo.” “Legal.”

Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Eu não esperava que a Viola fosse ser tão gentil, não sei porque. Tá bom, eu sei porque: porque ela é linda. Sem dúvida, linda tipo modelo de capa de revista que não precisa usar secador de cabelo. Alguém tem o direito de ser tão maravilhosa e doce ao mesmo tempo? Não ajuda que ela e Zin são bons amigos. “Vocês deviam estar lá fora agora, meninas.” Nos viramos e vemos Daniella, a irmã mais nova de Carlo, que geralmente aparece para dar ordens e parecer importante – pelo menos é assim que eu vejo. Ela tem as feições italianas clássicas, que podem ser encontradas em pinturas da Renascença, mas sem o sorriso sutil de Mona Lisa. Pelo que eu sei, Daniella se dá bem. Nunca ouvi falar de outra pessoa com vinte e poucos anos que seja compradora de arte, ainda mais uma que compra para sua própria coleção. Eu suspeito que seja uma aventura patrocinada pelo Carlo. Deve ser legal. Viola e eu vamos para o bar, parando na cabine do DJ para cumprimentar o Gabriel, um homem negro e bonito com a cabeça raspada. Ele não tem a personalidade que se esperaria de um DJ ele é concentrado, sério, não paquera. Eu ainda não sei a história dele, mas ele me intriga. Na verdade, a maioria dos funcionários me intriga. Eu ainda não consigo acreditar em como sou sortuda de ter recebido essa chance do Carlo. Não tem a ver com o dinheiro, apesar do dinheiro ser bom. Tem a ver com o fato de trabalhar no clube mais legal que existe. Tem a ver com a música alta e trepidante, que afasta todos os pensamentos infelizes, deixando nenhuma preocupação a não ser o próximo pedido de bebida. Depois das onze os clientes entram constantemente. Mig e Richard gostam de deixá-los esperando lá fora no frio por alguns minutos para aumentar as expectativas. E uma fila do lado de fora sempre atrai mais clientes. Os outros Toprocks aparecem logo antes da meia-noite e vão para a pista de dança. Todos estamos esperando uma batalha para esta noite, mas por volta da uma e meia da manhã fica claro que nenhum grupo, Spinheads ou outro, vai aparecer. Eu tiro meus 15 minutos de intervalo para dançar com os caras. No final do expediente, os funcionários vão par a pista de dança. Foi uma das primeiras coisas que o Zin me contou sobre Evermore: Carlo encoraja os funcionários a terminar a noite dançando para relaxar. Claro, eu sempre acompanho. Assim que as portas da frente fecham e o último cliente vai embora, a festa começa. É nessa hora da noite que o Mig é notório por beber umas cervejas, tirar a camisa e começar a tocar guitarra imaginária e bater a cabeça. Não é a melhor coisa de se ver (ou de se cheirar) já que ele está de terno a noite toda e está suando, mas contanto que ele não me agarre e me gire como faz com algumas das outras garçonetes, tudo bem para mim. Viola arrasta Carlo para pista de dança, ele dança por um ou dois minutos antes de voltar para sua inspeção do bar. Ele não é o tipo que relaxa. Uma pena – aposto que ele podia dançar bem se aprendesse a relaxar. Quando a música é cortada, eu estou toda ligada por causa da dança. Eu deveria estar cansada – são quase quatro da manhã – mas me sinto mais alerta e acordada do que me senti a semana toda. Eu consigo ver que o Zin sente o mesmo. “Minha casa?” ele diz. “Pizza?” “Claro.” Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Zin coloca uma jaqueta dessa vez, mas a deixa aberta. Eu entro na minha parca, chapéu e luvas e curvo minha cabeça contra o vento frio. Zin conhece essas ruas e as pessoas que as assombram. Ele cumprimenta os desabrigados amontoados nas soleiras das portas, os viciados estatelados, as prostitutas. Ele sempre tem um rolo de dólares e trocados para dar, mas só se eles pedirem. Às vezes eu acho que ele é bondoso, outras vezes acho que ele é o pateta da vizinhança. Quando eu falei que numa batida a uma casa de crack haviam descoberto milhares de dólares em notas de um dólar e moedas de vinte e cinco centavos, Zin disse simplesmente, “Cada dólar é uma escolha.” Pateta ou não, eu gosto do fato que ele se importa com essas pessoas. Tenho pena deles, mas tenho nojo também – seus olhos vazios, seu cheiro, sua falta de esperança. Tudo isso me traz de volta ao fantasma. Onde ele está agora? “Estou pensando em pizza com carne. No que você está pensando?” Zin tem um jeito de interromper meus pensamentos bem quando eles estão escapando. “Qualquer coisa, menos anchovas.” “Dá pra ser.” A casa do Zin é quente e aconchegante, diferente da casa dos meus pais, onde o aquecedor não produz calor como antes. Mesmo assim, eu nunca estou aquecida o suficiente. Zin diz que é porque eu não tenho gordura suficiente no corpo – ele que o diga. Eu pego uma manta do sofá e coloco nos meus ombros enquanto ele pede a pizza. Eu me acomodo no sofá. Ele senta ao meu lado, bebendo Coca, parecendo calmo. “Sabe, é ótimo ter você na Evermore. Eu quase não me lembro como era antes de você ir trabalhar lá.” “Era ótimo – é por isso que eu me inscrevi.” “É, é verdade.” A cabeça dele se encosta nas almofadas. “Eu ganhei um montão por causa da despedida de solteira. Geralmente a gente não ganha tanto dinheiro em fevereiro. Mais pessoas estão se casando no sul ultimamente.” Estamos próximos no sofá, como sempre. Talvez seja uma coisa cultural o fato de Zin não ter espaço pessoal. Eu com certeza tenho, mas não com ele. Nossas coxas estão se tocando. Tem um clima entre nós; com certeza ele também sente. Ele está estudando meu rosto, e eu sinto algo se levantando dentro dele, como uma pergunta. “Nossa, eu te amo, Nic.” Nós dois ficamos quietos. Ele dá uma risada sem graça. “Te assustei. Não quis dizer... nesse sentido.” “Você não me assustou.”

Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Há um silêncio incômodo. Ele ri mais agora, mas não é sua risada natural. “Nós não somos...esse tipo de coisa.” Ele lê minha expressão. “Ai, merda, Nic.” Eu desvio o olhar. “Nunca ia dar certo, você e eu,” ele diz suavemente. Eu não acredito nessa fala dele. Eu já o vi ficar com muitas meninas sem se preocupar se ia dar certo. Por que não dar uma chance para nós? E daí, se não der certo? Pelo menos nós tentamos. Mas eu não falo nada disso. Porque ele sabe disso. Ele sabe que nós somos imã e metal. Ia acontecer eventualmente. “Você é muito especial para mim.” As palavras dele são nervosas. O sotaque dele sempre fica mais forte quando ele está agitado. Especial? Eu quero vomitar. “Eu não preciso de pizza. Vou chamar um táxi.” Pego meu telefone, mas ele segura a minha mão. “Você não está ouvindo. Olhe para mim.” Eu olho. Eu olho nos seus belos olhos verdes. “Eu não quero ficar com você porque eu sei que não vai durar. Por que estragar isso? É quase perfeito.” “Você não consegue ser fiel, é isso?” “Não. É só que...Eu não sou o tipo de cara que você vai querer daqui a alguns meses quando você estiver na faculdade.” Eu faço uma careta. “Você está preocupado que eu vou te dar o fora porque você é barman?” “Mais ou menos isso.” “Dá um tempo, Zin. Você não precisa dar desculpa. Você não sente o mesmo, e é justo. Só pára de ser tão...meloso comigo, ta legal?” “Sinto muito, Nic. Eu nunca quis te dar esperanças.” Ele parece tão inocente, tão sincero. Me irrita. “Ah, cala a boca. Eu acredito em um monte de coisas de você, mas insegurança não. Você é o canalha mais convencido que eu conheço. Então pára com essa merda de não ser bom o suficiente para mim. Este não é você.” Os olhos dele baixam para a lata de refrigerante. “Eu, eu vou ficar na Evermore o tempo que durar. Você, você vai se tornar alguma coisa importante. Esse negócio de dançar break é só uma fase para você. Você precisa disso agora, mas um dia você vai superar essa cena, e a mim.” “Você é tão arrogante, sabia? Eu fiz alguma coisa para que você pense que eu não levo o break a sério? E o meu trabalho – você acha que não é a melhor coisa na vida no momento? Bom, é. Eu não vou sair da Evermore tão cedo. Na verdade, eu provavelmente nem vou para a Faculdade ano que vem.” Ele pisca. “Você não está falando sério.” Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

“É verdade. Não temos dinheiro. Meus pais estão endividados por causa do meu irmão. E eu decidi que não vou aceitar um centavo deles. Eu acredito que uma pessoa deve pagar por sua própria educação, de qualquer forma. Provavelmente eu vou tirar os próximos 2 anos de folga e trabalhar o máximo possível na Evermore. Então pronto, eu não vou a lugar nenhum por um bom tempo. Mas isso não muda nada, muda?” Eu não consigo ver os olhos dele, porque ele está com a cabeça baixa. Seu corpo todo está tenso, as veias em seu braço estufadas como se estive se preparando para uma pirueta. Dessa vez, quando eu chamo o táxi, ele não me impede. Nós descemos para esperar o táxi. O vento frio chicoteia meu rosto, mas eu mal consigo sentir. Eu não estava preparada para que as coisas desabassem com o Zin. Eu não estava preparada para tudo isso. Eu poderia ter parado, mas eu não parei. Eu queria a verdade sobre os sentimentos dele. Mesmo assim, não parece real. Eu realmente pensei que ele sentisse o mesmo. O táxi estaciona, e Zin me abraça, com aqueles braços fortes e maravilhosos e me aperta contra ele. “Sinto muito, Nic. Eu sei que você não entende, mas confie em mim. Eu estou fazendo a coisa certa, por você.” As palavras dele não fazem sentido para mim.

 

Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

5 – SOLIDÃO INQUEBRÁVEL Segunda de manhã eu cai no meu assento, me sentindo em milhares de pedaços. Embaraçada. Eu não sabia como juntá-los, muito menos como fazer eles ficarem unidos novamente. Vazia. Vê-lo sábado a noite, testou minha habilidades no trabalho, mas eu tinha de continuar. Eu não tinha escolha mas precisava achar um jeito. Meu trabalho, meus amigos, minha dança, tudo estava conectado com Zin. Eu não podia perder todas essas coisas, simplesmente não podia. Eu acho que Zin e eu nunca poderíamos ser amigos, não do meu lado. Minha amizade estava brigando com meu amor por ele. Eu me forcei a prestar atenção na gritaria. sr. Castleman estava passando um trabalho de grupo, o qual eu tinha uma função. Mas então, eu tinha Eli McCain no meu grupo, o qual falava como líder, e seus resultados não era nada menos do que estelar. Bem, eu deixei tudo com ele. Eli destampou sua caneta e começou a distribuir tarefas para mim e Cass, a outra menina do grupo. Nós deveríamos fazer o Power Point da apresentação dos anti-oxidantes. Eu sempre soube que comida os continha, porque papai era o sr. Saúde, mas eu passivamente assisti Eli vir com o seu plano de ação. O sinal tocou. Eu fui para minha próxima aula. Minha mente entrava e saia de foco. Quando o sr. Rankin me questionou sobre passagens de Aristóteles que estávamos lendo, eu levantei minhas mãos porque não tinha a resposta que ele queria. No almoço eu como comida vegetariana com os rapazes, então andamos pela rua até o Dunkin’ Donuts para o café. Eu pedi pelo creme extra, já que meu estômago estava muito ácido. Meus amigos não tinham idéia que eu estava triste porque meu sonho com Zin estava morto. Quando meu relógio dizia que era hora de voltarmos, eu não queria fazer isso. “Eu estou matando a tarde. Alguém mais vai?” Kim fez uma careta. “Eu gostaria, mas tenho um quis.” “Eu estou dentro,” Chen disse. “Eu também,” Slide disse. Ele estava em seu celular com Rambo, que freqüentava o Colégio Morrow. “E aí, quer vir conosco?” Rambo não era do tipo de cara que perdia uma oportunidade de cabular a escola, junto com os Toprocks, e cruzamos o Brooklyn. Eu sentia uma ligeira culpa por ser a que incentivou isso, uma vez que geralmente eu era a que tentava convencer eles a irem para as aulas. Hoje, no entanto, eu não tinha como ficar sentada numa sala por mais algumas horas. Vinte minutos depois nós estávamos na Nissan de Rambo, que cheirava a colônia, como sempre. Eu me joguei no banco de trás, sentindo o som do carro. Chen deslizou para o meu lado. Rambo deslizava pelo trafego. “Vamos ver o que o Zin está fazendo.” Ele trocou para o modo viva-voz. “Zin, e aí?” Droga. Se eu soubesse que ele ia se oferecer para ir até Manhatttan buscar Zin, eu não estaria aqui. O que Zin iria pensar quando ele descobrisse que eu sugeri que nós matássemos as aulas Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

da tarde? Ele ia pensar que é algum tipo de jogo para vê-lo antes da noite de treino de hoje? Ou ele pensaria que eu também matei aula? Não era um bom cenário. Zin no auto-falante. “O que está pegando, Bo?” “Nós estamos no carro procurando um destino. Você ta afim?” “Não posso, eu tenho coisas para fazer.” Ah vamos lá. “Vamos!” Chen e Slide gritaram. “Não, na verdade, eu estou ocupado, mas vejo vocês a noite.” “Está ocupado com quê?” Chen perguntou. “Estudando para seu GED 14?” “Você precisa disso, Bruce Lee.” Eu cutuquei Chen em suas costelas. A única coisa que eu nunca iria me acostumar era a forma como os caras implicavam um com o outro. Eu não pensava muito quando eles chamavam Zin de terrorista, desde que ele sempre brincava com isso, mas o GED era outra coisa. Todos nós sabíamos que Zin não tinha terminado a escola, e ele agia como se ele não ligasse, como se ele não tivesse orgulhoso disso. Droga, eu não devia estar sentindo pena dele. Ele tomou as próprias decisões. Eu sei muito bem.

Na noite de pratica, eu estou pronta para cair no tapete. Enquanto Zin, ele está mais quieto que o usual. Ele parecia nervoso, como se ele tivesse horrorizado que eu fosse fazer algo emocional com ele. Mas isso não aconteceu. A noite de sexta já estava ruim o bastante. Eu não ia transformar num drama. O que eu tinha de fazer para me livrar dele? Zin não tinha feito nada de errado, ele apenas não correspondia meus sentimentos. Era ruim para mim, mas não era um crime. Então nós praticamos, e criticamos os aéreos de Rambo, eu trabalhei no meu passo subindo de seis para oito 15, e nós falamos sobre os Sprinheads e como aquela garota deles não sabia dançar, não como eu. Eu apenas estava mal por ainda estar atraída por Zin. Droga de ferômonios.

Eu estava plantando bananeira, cambaleei, então eu cai de costas no chão.                                                              14

GED - General Educational Development, um certificado de conclusão de estudos, mas há duas situações, uma quando você termina a escola normal e tem esse a mais no curriculum ou pode ser uma espécie de prova que você faz quando não tem estudos, como quando se estuda em casa, ou supletivo, ai você faz o teste, se passar tem o certificado de finalização da escola (O que é o caso do Zin aqui). 15 cranking my six steps up to eight – no original, é um passo de dança, mas infelizmente não achei nada que pudesse explicar melhor que passo é esse.

  Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

“Ouch.” Chen me estendeu a mão, rindo. “Um pequeno problema de concentração?” Terça a noite no Y. Chen estava aqui toda noite por volta das nove, e as vezes me juntava a ele. A adesão era barata e não havia muitas pessoas – não quem importava. Apenas alguns caras com corpo musculoso e pernas magras que se observavam no espelho. Caras que arrotam para ver quem faz o som mais alto. Caras que não me notaria mesmo que eu fizesse exercícios, o que nunca fazia. Eu tirei a mão da barra. “Acho que não estou legal essa noite.” “Mesma coisa da noite passada, huh?” Ele procurou meus olhos. “Todos nós sabemos que algo aconteceu entre você e Zin. Você parecia chateada ontem, e então quando praticávamos nós soubemos que algo tinha acontecido. Eu não queria perguntar nada na frente dos outros....” Eu pisquei. Era tanto para pensar que os caras tinham pistas. Eu não sabia o que dizer. Eu não tinha certeza do que Zin tinha dito a ele. “Nós achamos que finalmente ele se mexeu. Pobre bastardo. É obvio que ele gosta de você tem muito tempo. É fácil para o cara. Ele vai terminar isso. Desde que você não pire e saia do grupo.” “Eu nunca faria isso – sair do grupo, eu digo. Eu não estou pirando.” “Bom.” Uau, eles realmente me queriam. Eu sabia que eles gostavam de mim, admiravam meu trabalho duro. Mas o fato de que eles realmente estavam preocupados que eu deixasse o grupo – isso era bom. “Me ampare, eu vou fazer um duplo para trás.” Ele ajeitou as pernas, começando a posição. “Espere, Chen. Eu gostaria de dizer a você, Zin e eu... não aconteceu como isso. Ele não fez nada que me deixasse desconfortável.” Ele deu de ombros. “Hei, que bom que está tudo legal.” Eu observei ele, embora ele não precisasse. Seu trabalho no ar era sempre sólido – seus treinos de ginástica sem duvida. Chen era extraordinário por sua precisão, enquanto Zin era conhecido por sua incrível força no seu trabalho no ar. Chen ao contrario de Zin, era ambicioso, e ele estava fazendo audições para shows de dança na TV. Ele chegou ao cinqüenta mais num deles no ano passado. Ouvindo os caras falando da situação ajudava. Ao passar os dias eu verificava se a vibração entre nós era uma ilusão, uma desilusão. Mas se todo mundo via isso tão claro, então não era. Eu tinha razão por correr o risco, falando com ele sobre isso. Eu ainda gostaria de saber porque Zin não tinha dado uma chance. As razões não eram reais. Eu ficarei na Evermore enquanto eu puder. Ele achava que eu era tão esnobe para namorar um bartender? Era idiota, e Zin não era idiota. Tanto faz. Isso não mudava que eu sentia falta dele, e eu desejava que nós pudéssemos achar um jeito de ter nossa amizade como antes. “Mais audições vindo por ai?” eu perguntei a Chen. “Dance America, mas nada até julho. Rambo e Slide vão nessa audição. Você deveria também.” Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

“Eu vou pensar sobre isso.” Mas eu sabia que não tinha um nível profissional e nunca seria. Eu sou boa, mas não sublime, não como Chen ou Zin. E eu estava legal com isso. “Eu definitivamente vou ajudar vocês nos treinos.” Nós praticamos mais alguns movimentos, então fomos para a sala de pesos. Eu fazia algumas series com pesos de mãos enquanto ele fazia leg press 16. “Como está indo na Evermore? Fazendo dinheiro como Zin diz?” “Talvez não tanto quanto Zin diz, mas melhor que no Denny’s.” “E sobre aquela menina Viola – ela é solteira?” “Olá, você não tem namorada?” “Não para mim, para Rambo. Ele sempre está babando nela.” “Eu vou descobrir isso para você, mas é um grande tiro. Ela deve ter uns vinte e cinco. Eu tenho duvida que ela procura um cara do 2º grau.” “Rambo acha que o charme dele vai hipnotizá-la.” Nós rimos. “Kim e eu faremos seis meses.” “Tem grandes planos?” “Qualquer coisa que ela queira. Ela deve ter tudo planejado, tenho certeza.” “Eu já mencionei que você e a Kim fazem um casal adorável?” Ele tossiu. “Adorável? Droga, vocês mulheres estão tão determinadas a brincar com a minha masculinidade, não estão?” Eu sorri. “Nós tentamos.”

Eu cheguei em casa por volta das 11:50, cansada. A Daca estava escura. Meus pais sempre iam para cama as 10:30. Colocando para mim uma tigela de cereal, eu fui para o meu quarto e coloquei alguns sons baixos. Isso sempre me dava um descanso antes de ir dormir. Eu peguei meu celular, vasculhei a única foto que tinha dele. Zin nunca posava para fotos, dizia que não era fotogênico – uma estranha coisa para dizer de um cara que não descuidava do seu visual. Infortunamente, essa foto, que eu tirei no bar sem ele saber, estava distorcida. O rosto dele era pálido e fantasmagórico, como um fotografo amador tivesse mexido com ele depois da foto ter sido tirada. E que uma luz tivesse vindo por trás dele, como se alguém tivesse tirado uma foto com flash ao mesmo tempo. A ironia visível para mim: Zin não podia ser capturado numa foto, ou na vida real.                                                                16

 

 Aparelho de academia que exercita as pernas.  Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057


Alison van Diepen - Raven

 

6 – CATÁSTROFE IMPEIDOSA Eu ansiei a semana toda para a emoção frenética do Evermore, agora é aqui. Viola e eu nos encontramos na semana. Ela está tendo problemas com o namorado (nota para mim mesma: dizer ao Chen para ele dizer ao Rambo). Seu atual cara está chateado porque seu ex ainda liga. A coisa é, ela é amiga do seu ex e não quer cortar isso. Eu me simpatizo com ela, mais a situação parece fascinante para mim. Me pergunto o que seria ter dois caras brigando pela minha atenção. Os negócios estão correndo lentamente, e nós estamos fora para servir os clientes. Carlo não gosta de estar próximo a nós, mesmo que em silêncio. Mas eu posso sentir muitas vezes seus olhos. Eu me aproximei do bar para encher minha primeira ordem de bebidas. Zin olha de uma boa maneira, que me faz ranger os dentes, mas eu dei um amigável sorriso. "Pensei se vai ter alguma batalha hoje a noite?" Eu perguntei. "Nunca se sabe. Eu aposto que os Spimans têm medo de voltar. Ele sabe que só teve sorte da última vez." Depois de decorar as bordas das bebidas com frutas fatiadas, ele carregou minha bandeja, e eu as servi para um novo grupo de pessoas no sofá de veludo - um barulhento, puído que cheirava a erva daninha e cheiro próprio. Eu parei sem vida. É o fantasma. A garota que está em seu grupo falou comigo. "Me dá essa coisa de Omega Coquetel. Você entendeu isso?" Eu não tinha entendido. Ele está indo para o meu segundo lugar agora. O fantasma olha para cima, olhar duplo. Aí ele olhou para longe, e continuou a falar com seus amigos, como se não me conhecesse. "Como você está, Josh?" Eu perguntei. O grupo está excitado. "Você sabe quem é aquela garota, Cactus?" Alguém disse. Ele sacudiu a cabeça. Então levantou e seguiu para os banheiros, como se não fosse nada, como se eu fosse o fantasma. "Qual é o seu problema?" Eu puxo sua camiseta com meu punho cerrado. "O que você está fazendo aqui?" "Eu devia lhe perguntar isso." Ele me olhou de cima e para baixo com seus frios olhos azuis. "Brincando de adulto, huh ?" Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

"É...bom te ver." Mas não é bom vê-lo. É assustador. Ele parece a morte. Sua pele está manchada de solavancos vermelhos, seu cavanhaque é impertinente, e os seus olhos estão enormes afundados na sua cara. Seus lábiod se curvaram. Ele está rindo. Ele coloca seu rosto na frente do meu, me dando uma super olhada. "Você gostou de me ver, huh? Isso não é aquilo que você me disse na última vez." "Você não tem que viver dessa maneira, Josh. Nós vamos te ajudar." "Sim? Se você quiser me ajudar, me empresta cinqüenta dólares." "Eu não posso... desculpa." Ele bufou. "Viu? Você não quer me ajudar. Você quer que eu siga suas regras, viver a minha vida à sua maneira. Exatamente como a mamãe e o papai." "Você tem a maior ousadia de falar sobre a mamãe e o papai. Ele fazem tudo por você." "Eles me expulsaram." "Você estava usando na casa deles! O que você esperava?" "Você não vai conseguir isso. Você nunca conseguiu. Porque você não vai fazer o seu trabalho e me traz uma cerveja?" Eu tenho que ir embora. Se não, estou indo perde-lo. Eu comecei, mais ele agarrou meu braço e me puxou de volta. Eu perdi minha bandeja, martinis, vidros estilhaçados no chão. Gritando e com movimentos em volta de min. Carlo deu nele em uma chave de braço. Josh está em pânico, gritando, esperneando. Carlo aproveitou e socou Josh e ele caiu de joelhos, respirando com dificuldade. Os porteiros o arrastaram para fora. Os amigos do Josh estão gritando maldições - eles os levaram, também. Carlo colocou o braço em torno de mim, me segurando. "Você está bem? Você quer me dizer o que aconteceu?" Eu não podia. Eu não podia falar. Não conseguia parar de chorar. Carlo me levou para o escritório, me sentou no sofá baixo. Ele me passou um tecido. Eu dei uma batidinha de leve nos meus olhos, mas o soluço não vai passar. Eu não posso acreditar que isso está acontecendo. Eu vou ser demitida, eu sei. Ele não quer um problema em suas costas. Josh. O fantasma. Ele agora nunca vai voltar para nós. Nunca. Ele me odeia. Eventualmente eu olhei para cima e percebi que Carlo ainda estava lá, paciente como sempre. Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

"Sei que estou despedida." Seus olhos pretos são confortantes. "Você não está despedida, Raven." É uma expressão de afeto, e que me fez sorrir um pouco. "Obrigado." "Você sabia quem era aquele?" Aqui está. Uma oportunidade para dizer a verdade humilhante. "Ele é meu irmão." Ele acenou, me fazendo ir mais adiante. "Eu não o via a messes. Ele só liga em casa para pedir dinheiro aos meus pais. Ele está por conta própria e não vai deixar ninguém ajudá-lo." "Me desculpe." Seus olhos estão estáveis. Minha expressão confusa com lágrimas."O que aconteceu, é culpa minha. Eu continuo a pensar que talvez haja algum caminho para chegar até ele. Mas tudo isso só faz ele ter mais raiva." "Parece que você perdeu o seu irmão há um tempo átras. Aquele cara lá fora, ele não era seu irmão. Ele era um drogado. Ele não é a mesma pessoa que você conhecia. Sua alma está quebrada." "Mas eu ainda amo ele." "Você ama a memória dele, Raven." Ele me puxou para o seu lado. Ele nem se quer se importou que minhas lágrimas estragassem seu terno.

Depois de me deixar por um minuto para verificar se está tudo bem na frente, Carlo voltou para o escritório. Nós estamos falando. Uma ou duas horas se vão, não sei quanto tempo. Eu lhe disse coisas que ninguém sabe, além de Zin e meus pais. Eu lhe disse sobre o inferno quando Josh estava ao redor, e o inferno que ele deixou. Uma em ponto, vi Zin pairar no batente da porta. Carlo o mandou embora. Bom. Eu não quero Zin agora. Não quero mais precisar dele. Eventualmente Carlo checou seu relógio. "Seria melhor eu ir até a frente. Estamos fechando." Não posso acreditar, conversamos a noite toda. Ele me ofereceu seu braço, me ajudando. "Me deixe te colocar em um táxi." "Mas eu posso ajudar a limpar." "Não está noite."

Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Eu andei para fora do escritório com ele, e eu sinto o pessoal me assistindo, nós deixamos o bar. Havia um táxi na frente, há sempre alguns, e Carlo abriu a porta para min e me jogou umas notas na minha mão. "Boa noite, Raven." Inclinado-se para frente, seu lábio gelado tocou minha testa, e eu me afundei novamente no banco.

Eu estou vendo o fantasma através de um espelho bidirecional. Ele está vestindo um Jeans rasgado e sua camiseta, surrada onde eu o agarrei. Seu cabelo castanho está desarrumado, como se não tivesse sido escovado ou lavado há dias. Ele está sentado no meio de um grupo de pessoas. É a sua vez de falar. "Meu nome é Josh e eu sou um viciado. Eu sou viciado em cafeína. Em fast-food. Em minha exnamorada, que é uma espécie de piranha. Em brincar com o tabuleiro Ouija boards 17. Em chat de adultos. No Grand Theft Auto 18. Em navegar na internet para ver as fotos de Scarllet Johansson, que é totalmente quente. Para permanecer fora todas as noites. E talvez, só um pouco, em meth 19." Todo mundo está olhando para ele, sendo simpáticos. Ele virou para o espelho, olhando diretamente através dele. Em mim. "É isso que você quer ouvir, Nic?" ele sorri ironicamente. A cena mudou. Eu estou num necrotério. Eu sei que é mórbido, porque isso é exatamente como um CSI. Frio, nu, azul. Ele está deitado sobre uma mesa, um lençol até seu pescoço. Há uma figura em um manto preto ao lado dele. "Não!"

Eu abracei meu travesseiro, tristeza enchendo minha garganta. Ele não morreu, eu me recordei. Ainda não, de qualquer maneira.                                                                              17  É um tabuleiro como o jogo do compasso – para invocar espíritos e afins. 18  Jogo de corrida, tipo o GTA. 19

 

 Espécie de droga, como o crack ou a cocaína.  Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057


Alison van Diepen - Raven

 

7 – PASSOS LEVES No sábado à noite, o Slide chega para mim e grita em meu ouvido, “Olha quem apareceu!” Eu me viro e vejo os Roccofella Poppers se aquecendo na pista de dança. Meu pulso acelera. Significa batalha. Ótimo. Estou a fim de uma. Os Roccafella Poppers – batizados assim por causa dos Rockefeller Brakers, uns dos melhores dançarinos de break dos anos oitenta – são um grupo do Queens. O líder deles, Kazaam, de 28 anos, é um veterano na cena. Batalhar com eles é uma oportunidade rara. Imagino o que Zin fez para persuadi-los a aparecer. Depois que o Carlo me libera, eu corro para os fundos para me trocar e depois me junto aos caras na pista de dança. Os rostos deles estão sérios. Estamos muito determinados a ganhar essa batalha. É o Slide quem começa a batalha, contraindo os músculos de forma agressiva bem na cara do Kazaam. Ele termina dando um peteleco com o dedo no peito do Popper. Uma multidão interessada se forma a nossa volta. Kazaam revida com um pouco de toprocking 20, depois levanta as pernas e faz um monte de chutes em L, antes de cair no chão e fazer um coffee grinder. 21 A coreografia dele é impecável, e a multidão aplaude. É a vez do Chen de revidar. Ele começa fazendo um headstand 22, levantando e fazendo um handstand. 23 Depois, em um movimento muito legal, ele sai do handstand e aterrisa em splits. 24 A multidão ruge. Chen fica de pé, chamando os adversários com o dedo. Dusk e o mais novo membro do Roccafella, G.Night, marcham para o meio da pista em sincronia perfeita, imitando robôs. Então eles vão para o chão e fazem windmills 25 – G. Night com um pouco menos de velocidade que o veterano, Dusk. Zin e Chen são os próximos, deixando os Poppers no chinelo com headspins sincronizados. Eles vem trabalhando nisso há semanas e valeu a pena. Eu vou pra pista para fazer um worm 26, me contorcendo como uma água-viva. Zin faz outro worm seguido de Rambo.                                                              20

 Passo do break no qual o dançarino fica em pé e mostra seu estilo.   Também conhecido como helicóptero, é o passo de break no qual o dançarino agacha e gira as pernas alternadamente.  22  Passo do break no qual o dançarino gira no chão sobre a própria cabeça.  21

23

 Passo do break no qual o dançarino se apóia de cabeça para baixo sobre uma das mãos.  Passo do break no qual o dançarino separa as pernas até praticamente ficar sentado.

24 25 26

 

 Passo do break no qual o dançarino se apóia alternadamente nas pernas e nos braços, indo para frente e para trás   Movimento do break no qual o dançarino se move em ondas.  Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057


Alison van Diepen - Raven

 

Zin conta “Três, dois, um!” e nós nos levantamos e congelamos em poses diferentes. Na terceira contagem, fazemos alguns movimentos de robô. Depois congelamos de novo. A multidão enlouquece. Os Poppers voltam com mais alguns passos, mas o momento é nosso. Nós vencemos. Nós cumprimentamos os Roccafella Poppers. Eles tem bom espírito esportivo. Não é uma disputa real como é com os Spinheads. Um monte de fãs nos cercam, cumprimentando os caras, batendo os cílios. Ninguém diz nada para mim, claro. As garotas só me olham com inveja enquanto tentam descobrir se eu estou com algum dos caras. Eu fico longe para mostrar para elas que não. Zin e eu não temos o luxo de ficar na pista por muito tempo. Ainda estou dançando enquanto troco de roupa, coloco mais uma camada de desodorante e volto ao trabalho. Enquanto eu espero no bar até que Zin prepare as bebidas, Carlo se materializa ao meu lado. “Bom trabalho, Raven” Eu noto a barba por fazer, o cheiro másculo do perfume e o negro líquido dos olhos dele. Eu já havia notado isso antes? “Obrigada, Carlo.” Zin coloca as bebidas na minha bandeja. Eu sinto os olhos dele queimarem sobre mim, como se estivesse lendo meus pensamentos, como se ele estivesse me avisando para não ir naquela direção com o Carlo. Eu não entendo porque isso seria da conta dele. Eu sorrio para o Carlo e vou embora. Nós. Detonamos. A satisfação me mantém quente enquanto eu ando pelo frio congelante depois do meu turno. Eu precisava ganhar hoje. Eu não sei porque. Não apaga o que aconteceu ontem a noite com o Josh. Não diminui a dor por causa do Zin. Mas durante aqueles minutos, os Toprocks dominaram a pista. E foi o máximo. As ruas estão quietas. É só uma caminhada de cinco minutos até o metrô, e eu já fiz essa rota muitas vezes. Os rostos acabados, amontoados nas soleiras das portas são familiares e benignos. Mesmo assim, eu queria que o Zin estivesse comigo. Ele fazia com que o frio fosse menos cortante, o escuro menos assustador. Eu ouço passos leves na neve atrás de mim. Olhando por sobre o ombro, eu vejo que é um cara mal arrumado. Eu aperto o passo. Ao que parece, ele faz o mesmo. Completamente nervosa agora, eu começo a correr. Uma inspeção da área me diz que eu estou sozinha ali. Coloco a mão no bolso e pego meu celular. “Dá licença, moça?” chama uma voz atrás de mim. Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Eu me viro. Ele está perto o suficiente para que consiga sentir seu cheiro. Os olhos dele estão revirando e vermelhos. Calma. Ele não é diferente do Josh. Provavelmente ele quer dinheiro. “Você podia me dar um dólar para comprar chocolate quente, por favor?” Não é meu hábito dar dinheiro para viciados, mas dessa vez eu dou, já que eu estou em posição vulnerável e não quero irritar o cara. Pego algumas moedas e estendo a mão para entregar para ele. Ele se aproxima, sua mão esticada. Eu noto que sua outra mão está enterrada no bolso do casaco. Meus instintos gritam que eu estou em perigo. Eu pulo para trás, me viro para correr. Mas ele se joga em cima de mim, me derrubando. Eu caio, minha testa bate na calçada abaixo da neve. Eu fico desorientada por alguns segundos e depois a adrenalina toma conta. Eu luto como um gato selvagem quando ele tenta me imobilizar. Tudo que eu consigo pensar é eu não vou deixar você me estuprar, seu viciado nojento! Meu cotovelo o acerta nas costelas, afastando-o o suficiente para que consiga rolar para o lado. Ele volta com um brilho metálico apontado para meu peito. Fura meu casaco, mas desvia. Que merda, ele tem uma faca. Ele está tentando me matar. Eu mal tenho tempo de me encolher na posição fetal e colocar as mãos sobre a cabeça quando vem a próxima facada. Uma dor quente e cortante passa pelo meu braço. Por um momento, é como se o tempo parasse. Eu penso em meus pais, e em como é injusto que alguém tente me matar quando meus pais já passaram por tanta coisa. Com as duas mãos eu pego o pulso dele e uso toda a força que eu tenho para desviar a faca. Ele recua, se desvencilhando das minhas mãos. E então, através das barreiras dos meus braços, eu vejo ele sendo levantado no ar e jogado. Um barulho. Zin está de pé do meu lado, com os olhos brilhando âmbar. Eu pisco. Eu posso estar tremendo por causa da adrenalina, posso estar sangrando muito, mas os olhos deles .... não parecem humanos. “Nic.” Ele está de joelhos, colocando pressão no meu braço. Há uma poça de sangue na neve. Meu sangue. “Pra onde ele foi?” Em resposta, Zin olha por cima do ombro. O cara está deitado a uns 6 metros de distância. Parece que ele bateu contra uma parede e agora está amontoado no chão. Ele não está se mexendo. Eu não entendo. Não tem como Zin, ou qualquer pessoa, conseguir jogá-lo tão longe. Zin pega meu telefone e me entrega. “Chame uma ambulância. Eu tenho que ir. Você não pode contar para ninguem que eu te ajudei ou que eu estive aqui.” “Não me deixe!” A adrenalina está começando a me abandonar e eu me preocupo que eu vou desmaiar. “E se ele se levantar e vier atrás de mim?” Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

“Ele não vai. Ele está quase morto.” “Mas –” “Olha, você não pode contar para ninguém que eu estive aqui. Se você contar, eu estou encrencado.” “Mas você me ajudou!” “Eu ainda posso ser acusado.” Eu o encaro. As íris estão pulsando como um coração. “Zin, seus olhos ... tem algo errado com eles.” “Não tem nada de errado.” Ele desvia o olhar, discando 911 no meu telefone. “Fale. Conte para eles que você o empurrou contra a parede do prédio. Não olhe para ele, está bem? Você só vai ficar assustada. Ele não pode te machucar agora.” “Tudo bem.” A telefonista de emergência atende. “Preciso de uma ambulância. Eu – eu fui esfaqueada. Esquina da Canal Street e —” Zin está me deixando. Eu o vejo se levantar, caminhar na direção do viciado. Ele coloca uma mão sobre a cabeça do cara, e um raio de luz sai do seu braço, se espalhando pelo seu corpo, dissolvendo-se. Meu queixo cai. Zin inclina sua cabeça para trás, respira fundo, depois sai correndo. “Senhora, está na linha?” A telefonista está falando. Eu estou sem fala.                         Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

8 – OLHOS ARDENTES Eu tive sorte. Isso foi como o doutor colocou. Como as enfermeiras tinham dito. Meu braço tinha sido cortado, mas só precisou de dez pontos. “Eu ficaria assustado com a história”, o doutor disse. Eu não respondi. Minha mente estava longe. Meus pais estavam aqui. Eu confirmei a eles que estava bem, isso não tinha sido nada. Os policiais acreditavam que tinha mais na história. “Eu empurrei ele no prédio.” “Você deve ser extremamente forte, senhorita. Seu crânio foi esmagado.” Eu levantei meu braço machucado, tentando parecer inocente – o que eu supus, eu era. “Bem, não sou uma frouxa, principalmente quando alguém está me atacando.” “Há um buraco na parede onde a cabeça dele bateu.” “O impacto valeu para os dois.” “Você tem certeza que nunca teve contato com essa pessoa antes?” “Tenho certeza. Eu nunca o tinha visto na área.” “Então você passa bastante tempo na vizinhança?” “Não na verdade. Eu apenas vou e volto do trabalho.” “Você estava com algum amigo? Talvez alguém que conhecesse o cara?” “Não. Estava sozinha.” Os policias concordaram. Eles queriam acreditar em mim. Este caso seria aberto-e-fechado por eles. “Você trabalha em um clube para menores. Seus pais sabem disso?” “Eles não gostam, mas eles tem as suas próprias batalhas, sabe?” Eles concordaram de novo. “Você não devia andar pelas ruas tarde da noite.” “Eu sei. Foi um erro estúpido.” “Você tem muita sorte de só ter sido isso.” Sim, eu me sentia ter ganho na loteria.

Eu estava jogada contra os meus travesseiros, assistindo minha miúda TV. Eu tinha uma TV bacana em meu quarto, nos dias de prosperidade. Então Josh roubou-a e vendeu. Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Eu revivi a noite passada varias e varias vezes em minha mente, como um filme e eu observava tudo como se estivesse num cinema escuro. A garota encontra um idiota na rua. Há uma luta, um grito. E então a ultima cena passa em câmera lenta: Um belo rapaz com luzes nos olhos joga o cara na calçada e – Uma batida na porta do meu quarto. Minha mãe fala. “Zin está aqui. Você se sente bem para receber visitas?” “Eu chamei ele.” “Ok, eu vou mandar ele subir.” Zin entrou um momento depois, fechando a porta atrás dele. Ele parecia mais pálido que o usual, e incerto. “Como você se sente?” “Eu estou ok. Tylenol ajuda.” Eu olho para meu braço, o que estava com bandagens e tiras. “Não está quebrado. O doutor pensa que eu deveria me movimentar menos por causa das tiras. Então eu não quero arrebentar os pontos.” Ele sentou no fim da minha cama. “O que aconteceu com a polícia?” “Eu disse a eles que ele me atacou, houve uma luta, e eu joguei ele no muro. Eles ficaram com um pé atrás com a minha historia. Eles teriam de ser estúpidos para acreditar que alguém do meu tamanho poderia fazer isso, mas eu não acho que eles se ligaram.” Ele pareceu aliviado. “Obrigado por ter me deixado fora disso.” Eu não disse nada. Eu tinha muitas questões dentro de mim. “Eu estava observando você escondido até a ambulância chegar. Eu não abandonei você. Eu não espero que você acredite em mim, mas é verdade.” “Eu acredito em você.” “Obrigado. Eu sei que a ultima noite foi como um borrão para você. Você ficaria melhor esquecendo tudo isso.” “Eu vi o que você fez com ele.” Ele concordou. “Eu não queria matar o cara. Quando eu vi aquele cara em cima de você, eu fiquei louco. Adrenalina faz isso com você.” “Não é disso que eu estou falando. Você tocou a cabeça dele. Uma luz saiu de dentro dele.” Seus olhos se estreitaram. “O que você está falando?” “Eu vi Zin. Você disse para não olhar, mas olhei. Eu vi o que você fez.” “Você teve muitos momentos na última noite. Eu não estaria surpreso se você pensasse que viu coisas estranhas. É bem normal. Eu não acreditaria no que aconteceria comigo.” “Eu sei o que vi seus olhos estavam... selvagens.”

Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

“Você perdeu muito sangue. Isso soa como alucinação.” Mas sua voz escondia algo além das palavras. “Por favor, Zin. Me conte o que aconteceu.” “Nada aconteceu. Eu sou mais forte do que pareço. E quando eu vi ele machucando você, eu perdi.” “Você está tomando anabolizante ou algo assim?” “Não.” “Então...?” Seus olhos eram suplicantes. “Vamos lá, Nic.” “Não posso. Eu vi você matar aquele cara.” “Ele merecia.” “Eu não estou discutindo isso. Mas eu não entendo porque você não quer me contar. Você não confia em mim?” Seus olhos encontraram os meus, lasers verdes. “Eu confio.” “Então me diga.” Ele ficou em silencio por um tempo, observando suas mãos. “Zin-“ “Eu preciso saber que o que quer que eu te diga, você não vai contar para ninguém, não importa o quanto isso... perturbe.” “Não vou, Zin.” Você sabe como eu me sinto sobre você. “Sou imortal.” Silêncio. Ele me observava, como se eu devesse responder alguma coisa. Eu apenas olhava para ele. Eu não sabia exatamente o que eu deveria esperar que ele dissesse que explicasse a ultima noite, mas definitivamente não era isso. “Eu realmente morri há muito tempo atrás. Um homem, um mágico, me trouxe de volta de algum ponto da morte.” Ele parou, como se não tivesse certeza do que dizer a seguir. “Eu sei é assustador.” “Um mágico... trouxe você da morte,” eu repeti, ouvindo eu mesma dizer como se isso fosse soar menos insano. Meu cérebro estava articulando. O que ele estava dizendo não podia ser verdade. Era impossível. Era ficção cientifica. E isso não era uma explicação racional para o que houve ontem a noite. “Então quantos anos você tem exatamente?” Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Ele se levantou e andou até a janela. “Depende se você conta pelo calendário ou corpo físico. Eu estive por aí por um tempo, mas eu fisicamente tenho 20 anos, com tudo que isso significa... se eu tivesse 40 quando aconteceu, provavelmente seria mais fácil.” Minha mente estava girando. Ele estava me dizendo que era apenas outro honrado cara de 20 anos – exceto que ele estava com 20 anos há muito tempo. Um tremor veio do braço dele; sua mão direita movia uma leve luz. “Zin? Você está bem?” “Eu estou bem.” Mas ele estava se ajeitando então ele bateu contra a esquadria da janela. Eu pulei fora da cama. “Você não está bem, está?” Ele não olhou para mim. “Eu tenho de ir.” Ele estava cruzando o quart quando eu segurei seu braço. “Espera!” Nossos olhos se encontraram. Suas irias eram âmbar. Eu pulei para trás. Ele baixou os olhos, e um segundo depois ele saia.

Naquela noite a campainha tocou. Eu olhei pelo olho-mágico. O cara de entrega de flores. Eu abri a porta. “Oi! Eu tenho uma entrega para Nicole Burke.” “Sou eu.” Uau. Eu peguei e coloquei na mesinha de café, removendo o plástico. Era um buque preto-e-branco, com flores de veludo preto e sedosas brancas. Eu abri o cartão.

Minha querida Raven. Eu fiquei horrizado em ouvir o que aconteceu com você na ultima noite. Zinadin me prometeu que você está bem. Eu desejo que você se recupere logo. Seu, Carlo. Em meu sonho, eu era um corvo (raven) sobrevoando as nubladas nuvens. O céu estava cinzento; não havia calor além do sol atrás de mim. Ventos gelados batiam nos meus cabelos preto-prateados. Eu juntei minhas asas em meu corpo para me aquecer. Então eu comecei a cair. Eu acordei com um estalo. Era 3:36 am, e o quarto estava escuro exceto pelas luzes claras dos postes de frente de nossa casa. Eu fiquei observando alguns minutos, decifrando as sombras. Eu não podia mais fazer isso. Eu disquei no meu celular. Ele respondeu no segundo toque. “Oi, Nic.” Sua voz era fraca, mais fraca que antes. “Eu estava preocupada com você. Você parecia tão terrível quando você saiu.” Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

“Me desculpe, eu assustei você.” “Você não me assustou, não de verdade. Eu apenas estava de guarda baixa. Você vai ficar bem, certo?” “Sim. Isso vai levar alguns dias, mas ficarei bem. Sou imortal, lembra?” “Eu lembro.” A memória de Zin atravessando as ruas tumultuadas de Manhattan sem medo de nada voltaram. Eu sempre achei que ele era maluco. Zin limpou a garganta. “Então... eu não assustei você? Nós ainda podemos ser amigos?” “Claro. Nada mudou. Você é o mesmo, certo?” “Sim. Eu definitivamente continuo o mesmo.” “Então está tudo bem.” Eu ouvi ele suspirando. “Você não sabe o quão agradecido de ouvir você dizer isso. Eu sempre quis te dizer o que eu realmente sou.” “Quem você é, não o que.” “Certo. Obrigado.”                                   Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

9 – FRACO E CANSADO Quando eu acordei na manhã seguinte meu braço ainda estava dolorido, então eu poderia tomar leite que cura tudo e ter o dia de folga da escola. Mamãe se ofereceu para ficar em casa para cuidar de mim, mas eu a assegurei que estava bem. Não tenho certeza se eu estou bem, apesar de tudo. Fisicamente, estou me recuperando. Mentalmente, eu não tenho certeza. No telefone, ontem a noite, na aveludada escuridão, a voz de Zin era todo o conforto que eu precisava. Tudo como meus sentidos sonhavam. E daí que ele é imortal? Ele ainda era meu cara, meu paquera, meu melhor amigo para sempre. Mas na luz do dia, essa coisa de imortal deixou de fazer sentido. Não sei se esse é meu terceiro Tylenol, mas meu estômago está completamente enjoado. Eu fico esperando que ele vai me ligar e dizer que eu caí numa pegadinha. Se eu pudesse ter uma câmera escondida em algum lugar do meu quarto, iria tudo dar certo, e as coisas seriam normais de novo. Passei a manhã rondando em volta da casa de pijama. Eu não podia me concentrar na TV, em casa, livros, MySpace. Eu acabei passando uma hora lendo sobre imortalidade na internet e não encontrei nada útil, exceto uma banda de rock Norueguesa não-tão-ruim. Ao meio dia, estava além de uma louca-agitação. Finalmente eu escrevi para o Zin : - O QUE VOCÊ VAI FAZER? - NADA POR ENQUANTO. - COMO ESTÁ SEU BRAÇO? - OK E SE EU PASSAR AI? - PODE, MAIS MEUS OLHOS AINDA ESTÃO ESQUISITOS. - MEU OLHO É ESQUESITO TAMBÉM. LOL ESTOU MUITO PRÓXIMA. ATÉ BREVE . - ATÉ BREVE. Aproveitei o metrô no outro lado da Ponte de Manhattan. Um cara caladão da velha escola, vem trazendo seu garotinho. Ele colocou seu rádio na minha frente, e eles começaram um show. O pai não é um breaker ruim. O filho se mexe em um flip e hits com sua cabeça no chão, mas saltou para cima e continuou sua rotina sem um soluço. Eu dei um olhar ao pai, seu filho deveria estar na escola, comecei a agitar minha cabeça, quando o menino veio procurando por dinheiro. Saindo do metrô, eu me dirigi para o Zin, ansiosa mas nervosa. Será que ele está melhor ou pior que ontem? Ele vibrou por mim. Quando eu subi a pé cinco andares, achei sua porta ligeiramente aberta, Ele estava no sofá, enrolado em um cobertor. É um dia sem sol e ele não tinha luzes acessas. "Entre. Pode se servir uma bebida, se você quiser." Eu fechei a porta atrás de min. Normalmente eu tranco - em esse tipo de bairro - mas dessa vez eu não tranquei, só para o caso. "Tanto faz, lá fora é mais perigoso para você do que eu sou," ele disse. Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Ele tem um ponto. Eu fechei a porta e sentei junto com ele no sofá. Ele parece muito pueril com o cobertor em torno dele. "Você está pior hoje, não está?" Ele me deu um sorriso tranqüilizador. Em seus olhos eu vejo uma cintilação de âmbar, mas foi embora antes de eu piscar. "Sempre piora antes de melhorar." "Isso tem algo a ver com o que aconteceu na outra noite, não tem?" "Alguma coisa assim. É complicado. Meu corpo vai se recuperar algo, apesar de tudo." "A vantagem de ser ..." "Sim." "Posso te fazer um chá?" "Claro." Eu coloquei a chaleira em cima, para procurar algumas ervas para chá no armário, e coloquei-as em uma bola. Me pergunto se tinha chá em saquinhos quando ele estava crescendo. "Você já comeu?" "Eu estou bem, obrigada." Eu esperei na cozinha a chaleira ferver. Então eu levei a bandeja com alguns digestivos para ele. Ele aceitou o chá, dando um longo gole. Eu assoprei no meu copo algumas vezes antes de tomar um gole. "Merda, esqueci o mel. Quer um pouco de mel?" "Eu estou bem, Nic. Você parece um bocado assustada demais. Não que eu." - um tremor passou pelos seus ombros - "Não que eu te culpe" "Tenho que ser honesta, Zin... Não posso esquecer o que você fez aquele cara. A luz que saiu dele. Quero saber o que fez com ele." "Ele estava morrendo, sua vigorosa vida ia sair do corpo dele. Eu só o ajudei ao longo. Você acredita na alma, não acredita, Nic?" "Eu acredito." Belisquei minha pele. "Este é só o meu disfarce." "Eu amo isso em você. Está tão certa em suas crenças." "Estou?" "Parece que você está." "Você disse algumas coisas na noite do telhado. Coisas que estão começando a fazer sentido." "Essa será a primeira vez." Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

"Você falou sobre tudo chegar ao fim." "Você sabe como as vezes eu sou filosófico. Isso não significa nada." "Se você é imortal, você tem que pensar um pouco sobre o fim dos tempos." "O mágico me fez sentir assim... ele disse que não há nenhum final para sempre, e eu estou para sempre." "Como você se sente sobre isso?" Ele sorriu. "Eu mesmo tenho uma própria psiquiatra mortal, huh? Olha, eu não acho que qualquer pessoa pode manipular o conceito de eternidade. Tudo que eu conheci tinha um começo e fim. A única coisa que não tinha fim era a minha vida." "Você disse, que um tempo, que você se sentiu egoísta, que você tem mais do que você merece. E se houvesse um Deus, você tem que ter remuneração." "Eu não acredito em Deus, mas eu não estou dizendo que não há carma. Quando você vive tanto tempo como eu, você vê as pessoas com o que está próximo deles. Essa é a razão que as vezes eu erro sobre -" Ele se ergueu, como se houvesse passado um tremor por todo o corpo dele. Quando isso acabou, ele travou sua cabeça. "Eu não jogo pelas regras, Nic. Me pergunto se o universo vai notar." "Soa como se você acreditasse num poder superior." "Não importa no que eu acredito. Tudo o que importa é o que é." "O mágico que te mudou - como ele fez isso?" "Eu não sei o feitiço, e eu nunca quero saber." "Porque não?" "Eu ia ser tentado a usar. E um mundo cheio de imortais não é pratico." "Será que ninguém sabe sobre você?" "Isso não é algo que você diga a ninguém, nem mesmo a um melhor amigo. Você pode imaginar o que aconteceria se a palavra saísse. Eu só disse porque você viu." "Não vou dizer a ninguém. Nunca." "Eu sei." "Existem outros como você?" "Tenho certeza." Ele se lançou contra um tremor, então pendeu sua cabeça de volta no sofá. "Provavelmente tem. Somente faz sentido." "Bom você já pensou em encontrá-los?" "Eu devo por um anúncio no jornal?" Ele sacudiu a cabeça. "Olha, eu estou arrependido. Eu não sou eu mesmo hoje." Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

"Me desculpe por tantas perguntas. Talvez eu não deveria ficar mais. Você provavelmente quer descansar e ficar melhor." Ele vacilou e levantou sua mão, tocou ao lado do meu rosto. "Você é calmante. Não vá. Vamos ficar juntos apenas." "Ok." Não tenho certeza com o suposto apenas ‘estar’, mas significa estar quieta por um tempo. Eu estou bem com isso. Eu olhei para ele, o rosto pálido, os lindos olhos que piscam com fogo. Eu sei quem ele é, eu ainda amo ele. Imã e metal, eu e Zin. Isso nunca vai mudar.

Terça-feira no almoço. Tem uma dúzia de pessoas em volta de mim, fazendo vários ruídos tipo uau. Parece que eu estou descrevendo um dia ruim, em vez de, na noite em que eu fui quase assassinada. Tem sido assim todas as manhãs. Quando mamãe falou da minha ausência ontem, ela falou toda a história ao atendimento do escritório. Eles me deram o papel principal da história, deram o toque pessoal na história, quem decidiu que eu era a heroína. Sou uma celebridade na escola agora. Eu fico pensando se eu tivesse morrido, eles não ficariam celebrando quão forte eu fui aquela noite. Eles estariam dizendo que foi uma vergonha. Eu estava tão perto de ser uma vergonha. Mas eu não posso pensar na minha própria mortalidade, sem pensar na que falta para o Zin. Talvez eu devesse pedir a ele para seguir o mágico e me capturar. Então eu não teria mais com o que me preocupar nunca mais, em andar sozinha a noite. "Desculpe, gente, tenho que ir para a aula." Eu disse. "A conferência de imprensa acabou." "Espere! Qual é a sensação de matar alguém?" A pergunta saltou em mim da platéia, o cuidado de um inexperiente calouro. "Eu não o matei. Eu só o empurrei e ele bateu a cabeça. Mas eu não sinto muito que ele esteja morto." "Todo mundo ficou calmo. Eu fui embora antes que alguém pudesse me parar. Acabei de deixar escapar isso? Porcaria. Estou surpresa com as minhas palavras, pela verdade em si. Estou contente pelo cara estar morto, então ele não pode me ferir ou qualquer outra pessoa. Eu só queria poder ter me salvado. Eu tinha raiva o suficiente para rasgar aquele cara, mas ele era mais forte que eu. Eu faria qualquer coisa para ter a força de Zin nesses momentos. "Nic!" Chen se moveu para o meu lado. "Da próxima vez que as pessoas voarem em você como isso, me dê a palavra e eu levo eles lá para baixo" "Obrigada. Eu trato deles. Provavelmente eles pensam que eu sou uma psicótica porca no trabalho, mas eu cuido deles." Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

"Isso não é o que eles estão pensando - estão pensando que você é uma vadia pé-no-saco. E eu tenho que admitir, os golpes mexem mesmo com o meu cérebro. Eu não sabia que você era tão forte. Tem certeza que não está usando os shakes de proteínas como eu disse a você?" Eu ri. "Obviamente, eu não preciso deles." "Ohhh, o que você está tentando dizer?" Ele sorriu. "Você acha que pode lutar comigo?" "Eu poderia polir o chão com o seu rabo." Eu olhei para o meu braço. "Realmente, eu não acho que vou estar lutando por um bom tempo." "Então, nem nós. Os Toprocks não batalha sem um dos seus membros." "Obrigada, mais eu não quero segurar vocês de volta. Os Spinheads poderiam voltar a qualquer momento." "Eles só têm que esperar. Não estou dizendo que não vamos praticar, mas não vamos batalhar. Zin cancelou as práticas dessa semana, de qualquer forma. Diz ele que veio com uma coisa pra baixo, desagradável." "Eu ouvi." "De qualquer forma, eu ainda vou estar no Y algumas noites, se você sentir vontade de trabalhar fora. Eu odiaria que seus músculos super-humanos atrofiassem." "Seria uma vergonha, não é? "Algo dentro de mim estava quieto. Eu estava tão perto de ser uma vergonha. "Você está bem, Nic?" Eu acenei. Ele colocou o seu braço em torno de mim. "Eu sei que isto deve ter te balançado. Não tem nada errado com isso." Ele Piscou para min. "Pelo menos, você teve alguma ajuda naquela noite, hein?" "Eu fiquei olhando para ele. "O que você quer dizer? Não havia mais ninguém lá." Ele sorriu, então olhou para cima. "Talvez você tenha alguma ajuda lá de cima. Não me diga que não tenha pensado sobre isso." "Na verdade, eu não pensei."               Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

10 – ALMA TRISTE SORRINDO É minha culpa o Josh não ligar na semana seguinte para arranjar a transferência. É por causa do que aconteceu na Evermore. Meus pais estão preocupados. Eu ouço mamãe dizer ao papai que ela quer investigar diferentes pensões. Ela precisa vê-lo para saber que ele está bem. “O que, você planeja visitar todas as pensões do Brooklyn?” Papai fala. “Nós não sabemos nem se ele está no Brooklyn.” “Eu posso pelo menos fazer algumas ligações.” Eu estou do lado de fora do escritório. A discussão deles anda em círculos. É a mesma discussão que aconteceu hoje de manhã, ontem à noite e todos os dias antes. O que fazer com relação ao Josh. Onde procurar por ele. Eles estão assustados. Às vezes eu gostaria que eles cortassem o cordão umbilical e acabassem logo com isso, mas não é assim que funciona quando se ama alguém. Eu tenho que fazer alguma coisa. Eu tenho que contar a verdade para eles, ou alguma coisa. Eu entro no escritório onde eles estão sentados com a TV sem som. “Não se incomode, mãe. Ele ligou hoje mais cedo para dizer que não precisava mais do dinheiro.” Os olhos de mamãe se acendem. “Ele conseguiu um emprego?” “Eu não sei, ele não disse.” “Ele falou onde ele está ficando?” Papai pergunta. “Não. Vocês sabem que ele não fala comigo.” Por trás de seus óculos de leitura, papai faz uma careta. Ele quer acreditar em mim, mas eu não acho que ele acredita. Josh nunca mudou de idéia sobre querer dinheiro antes. O papai apenas concorda com a cabeça. Ele vai aceitar o que eu digo, mesmo que ele não acredite. Eu descobri que contar tudo não é sempre a melhor política. Às vezes você tem que mentir para proteger aqueles que você ama.

“Ainda sem notícias do Josh?” Zin me pergunta, enquanto andamos na fila. “Não.” “Merda.” Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

“Isso resume tudo.” Eu não sou fã de filas para filmes do lado de fora do cinema. Não quando o tempo está congelando e meu braço dói e minha mente está sendo assombrada por um fantasma. Graças a Deus pelo Zin. Ele consegue manter minha mente ocupada. Eu só queria que ele dividisse o calor do corpo dele. Ele deve ter muito de sobra, ali de pé com o casaco aberto. Zin chega no caixa e paga os dois ingressos. Enquanto entramos no cinema, eu pergunto, “Pra que isso?” “Eu achei que era uma coisa gentil a se fazer.” “E é, obrigada. Mas não vá pensando que estamos num encontro, porque eu já superei. Já mesmo.” Ele olha para o meu lado, e começamos a rir. Fico feliz que ainda conseguimos fazer piada. Nós sentamos no meio de uma fileira na metade da parte de trás. A luz diminui quando os trailers começam. Depois de cada um, nós aprovamos ou reprovamos. O único filme que concordarmos que tem uma chance de ser decente é o Espanhol sobre um triângulo amoroso. Eu não vou me importar muito com as legendas se o filme for apimentado. Não estamos assistindo o filme nem há vinte minutos quando eu percebo que é um saco. Eu juro que vi a mesma história vinte vezes com pequenas variações. Me toco de como a situação é ridícula – estou sentada aqui ao lado da pessoa mais fascinante que já conheci e estou perdendo tempo com essa porcaria. Eu quero sabe mais sobre o Zin, sobre o passado dele. Mas ultimamente ele tem falado de tudo menos disso, como se ele esperasse que, se não falássemos sobre isso, eu esqueceria tudo o que ele me revelou. Até parece. Mas eu não forcei. A saúde dele me preocupou durante alguns dias, mas ele voltou a ser o mesmo de sempre. Ele está mais gatinho e mais saudável que nunca, como estivesse se reenergizado em algum spa chique. Eu olho para ele, o perfil esculpido na escuridão. Ainda lindo. Em algum ponto durante o filme, ele sacode meu ombro. Eu olho pra cima. “Quê?” “Você estava dormindo.” Ele sussurra. Opa. Eu nem preciso perguntar se eu estava fazendo barulho. Eu sempre resmunguei enquanto dormia, desde pequena. E é por isso que eu quase sempre evitei dormir na casa dos outros. Quem sabe os segredos que eu posso revelar? Zin bate no meu braço. “Nada incriminador. Esse filme é um lixo. Quer ir embora?” Eu concordo, com sono. Quando saímos do cinema para a rua, o choque do ar frio me desperta. Meu corpo se contrai sob meu casaco para se aquecer. Eu não estou mais cansada, e não estou com vontade de ir para casa. Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Eu viro para o Zin. “Na sua casa, para comer alguma coisa?” “Parece bom.” Nós entramos numa loja para comprar comida. Eu pego uma cesta, mas ele a tira de mim. “Cuidado com seu braço.” “Está muito melhor. Eu queria poder voltar ao trabalho nesse fim de semana. Vai ser tão chato em casa.” “Espere até tirar os pontos. Não se preocupe, Carlo entende.” “Ele me mandou as flores mais lindas.” “É mesmo?” Ele joga uma lata de feijões vermelhos na cesta. “Que charmoso.”

Enquanto o Zin frita frango, eu me debruço no balcão observando. “Eu quero saber mais.” Eu digo. “Sobre o quê?” “Sobre você.” Ele dá um suspiro. “Desculpa ter mentido para você sobre meu passado.” “Tudo bem. A verdade não era exatamente uma opção.” “O que você gostaria de saber?” “Tudo que você estiver disposto a me contar. Me conte sobre a sua infância.” “Eu cresci no Yemen, nos anos de 1790.” Ele coloca um pouco de molho hoisin 27 dentro da frigideira, e prova. “Não era para a infância ser divertida.Eu nem acho que tínhamos uma palavra para infância. Meu pai morreu quando eu tinha seis anos. Minha mãe fez o máximo para garantir que tivéssemos comida. Muitas vezes, não tínhamos.” “Meu Deus.” “É. Eu pedia comida na praça do mercado. Igual a um monte de outras crianças. Eu aprendi a fazer piruetas para me destacar. Funcionou.” “Deve ter se sentido bem.” “Com certeza. Foi só o começo. Minhas coreografias melhoravam a cada dia. As pessoas começaram a se desviar de seus caminhos para me ver. Eventualmente eu fui recrutado por um circo.”                                                              27

 

 NT: tempero chinês à base de soja  Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057


Alison van Diepen - Raven

 

“Você teve sorte.” “Mais sorte que os outros, sim. Mas a vida no circo era cruel. É um negócio como outro qualquer e nós éramos o produto. Tínhamos que nos apresentar várias vezes ao dia. Mas eles me alimentavam e eu ganhava dinheiro para minha família, então valia a pena. Está pronto.” Ele traz a panela para a mesa e despeja o conteúdo em dois pratos. Ele começa a comer com seu fervor habitual. Após alguns minutos comendo, eu pergunto, “Então o que aconteceu depois, depois do circo?” “Eu fiquei doente. Tuberculose. Seus pulmões se enchem... eu nunca quero passar por aquilo de novo.” Ele usa um pouco de pão para absorver o resto de molho em seu prato, depois enrola o pão e coloca dentro da boca. “Como você conheceu o mágico?” Ele termina de mastigar antes de responder. “Eu só o conheci semanas depois de ele ter me transformado.” “Você deve ter ficado tão aliviado de acordar e estar saudável de novo.” “Eu estava mais confuso do que aliviado. Eu tinha ficado inconsciente por dias. Naquele ponto eu já não sentia mais dor. Era como ... uma escuridão leve.” “Dava medo, a escuridão?” “Era calmo. Não havia pensamento.” “Então você não viu uma luz nem nada.” Ele sorri. “Ah, é. Você acredita nessas coisas. Não, eu não vi uma luz. Quando eu acordei, eu estava desorientado. Minha família chorava de felicidade. Eles me disseram que eu havia lutado contra a morte. Eu não soube nada sobre o mágico até que ele voltou algumas semanas depois.” “Ele te contou o que aconteceu – que ele havia te transformado em imortal?” “Sim. Ele me disse que eu não iria envelhecer e que depois de um tempo as pessoas iriam notar. Ele me disse que eu não poderia ter uma vida normal. Eu não poderia me casar e ter filhos. Foi um grande choque. Naquele tempo, era o que as pessoas faziam. Era isso que significava ser homem. Você tinha uma esposa e filhos e cuidada deles.” “Deve ter sido horrível.” E era. “Você tinha namorada?” “Sim.” Ele dá outra garfada, engole. Eu sinto uma pontada de ciúme. Eu não deveria perguntar mais. Eu não quero saber. Mas não consigo evitar. “Você devia amá-la.” “Sim, bem, não havia nada que eu pudesse fazer. Eu não podia me casar com ela sabendo que eu não iria envelhecer com ela, e que não haveria filhos.” Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

“Você não acha que ela teria se casado com você de qualquer forma?” Eu casaria. “Não importa. Eu não dei a chance a ela.” Ele abaixa o garfo, encarando o prato. “Eu saí da cidade por um tempo, mas eu voltei eventualmente. Eu tinha a eternidade para explorar o mundo, mas minha família só viveria uma vez. Eles estavam passando necessidade, então eu voltei para o circo, levava dinheiro para casa. Depois de alguns anos as pessoas começaram a perceber que eu não estava envelhecendo. Alguns pensaram que eu era abençoado por Deus. Outros, como minha mãe, acharam que eu era amaldiçoado. Ao deixar o mágico me transformar, ela achava que havia feito um pacto com o diabo; ela achou que era sua culpa, pois ela não havia conseguido me deixar ir. Eu disse que eu não via as coisas dessa forma, mas eu tinha alguma mágoa. Gradualmente, eu aceitei a situação. O tempo te faz ficar assim. Eu sabia que tinha sorte de estar vivo. Foi mais fácil depois que eu deixei a vila, depois que minha família morreu.” “Mas você nunca achou que sua mãe havia feito um pacto com diabo, achou?” Ele dá de ombros. “Que diferença faria se eu achasse?”

                    Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

11 – DEMÔNIO SONHADOR Eu era uma das que conhecia o seu segredo. Eu era uma das que tinha acesso ao seu mundo secreto. A porta que sempre esteve fechada agora estava aberta, e eu estava entrando. Eu não sabia dizer se eu conseguia passar um minuto sem pensar nele, que eu não parava de repensar como seria sentir as mãos dele na minha, seus olhos em mim. E ele se escondia, ainda. Ele falava como se meus sentimentos por ele fosse passado, como se nós não pudéssemos ser algo mais agora que eu sabia a verdade sobre ele. Mas eu não tinha aquele tipo de poder por mais que eu sentisse. E se ele não sabia disso, ele estava blefando. Eu passava meus dias em uma nevoa maravilhada, quase como se eu pudesse ter a habilidade de ver o mundo como fazia Zin. Como é ser imortal? Não ter medo da idade, doenças, ou morte? Andar pela terra em busca de cada experiência que você sonhou? Nunca dizer que não tem tempo? Zin não tinha perdido seu senso de milagres. Ele é fascinado pelas estrelas, o que deve ter estudado por anos. E ele é fascinado pelo corpo humano, e o jeito que ele se move. E eu sou fascinada pelo corpo dele mas do que qualquer outro, e o que ele pode fazer na pista de dança, e como eu sonho que ele venha até eu. Nós falamos no telefone todas as noites. Ele me liga de casa ou do trabalho quando tem uma folga. Eu fecho os meus olhos e escuto suas historias do passado. Mesmo os detalhes menos significativos significavam muito para mim. Eu queria saber como as pessoas viviam, no que elas acreditavam. “Tem sido solitário para você?” eu perguntei. Era tão tarde que eu coloquei meu despertador voltado para a parede para não me lembrar disso. Tudo que eu queria era estar aqui com Zin, sentindo sua conexão. Eu podia ouvir sua fraca respiração do outro lado da linha. “Sim. Eu tenho conhecido muita gente, e eles realmente não me conheciam. Eu não podia dizer quem eu era, ou o que eu tinha vivido. E mesmo se eu pudesse, eu provavelmente não faria. Não é muito comum eu encontrar pessoas em quem eu realmente queria conhecer melhor. Mas eu sabia que queria conhecer você assim que eu te vi.” “Você me deixou com uma impressão, também.” “Bom. Você não precisa me manter ainda, e eu te dou plena razão para isso.” “Não, você não tem.” “Eu estou feliz que você veja as coisas desse modo. Eu tenho tentado ser verdadeiro com você, mas como você sabe, há algumas situações onde eu não tenho opção.” “Claro. Algumas situações você teve de mentir.” “Como com seu irmão.”

Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Eu desejei que ele não me lembrasse disso, mas era verdade. Eu nunca tinha mentido sobre o vicio dele. Mas eu não me sentia pronta para deixar qualquer um saber o que tinha acontecido com ele. Algumas coisas são melhores deixadas quietas. “Eu estou feliz que você saiba sobre mim, Nic. Não devia, mas estou.” “Ninguém quer ficar sozinho com um segredo.” “Ninguém quer ficar sozinho, ponto.”

Meus braços se curaram com o que Zin chamou de “preguiça mortal”, e estou de volta ao trabalho em duas semanas. A primeira vez que eu servi foi um pouco desastrosos porque meus braços tinham se esquecido de como manter o equilíbrio na bandeja, e eu tive um pequeno acidente. Felizmente, eu já estava no meu ritmo novamente. Os Toprocks não iam se apresentar hoje a noite. Já que nós não íamos batalhar ainda, não havia necessidade de pausa, e aparentemente Slide e Rambo estavam conversando com algumas garotas que encontraram no bar ontem. Eu realmente tinha esperança de que as garotas não quisessem apenas que os caras lhe comprassem bebidas. Slide e Rambo eram tão inocentes nessa área. Eu não tinha muita energia para dançar de qualquer modo, desde que meu corpo não estava mais acostumado com as coisas saudáveis. Na verdade, eu estava saturada, então eu agarrei meu casaco e fui para fora atrás de um pouco de ar. Mig disse oi e Richard me deu um aceno de cabeça formal. Mig parou perto da fila. “Eu não sei se nós estamos lhe dando boas-vindas oficialmente. É bom ver você inteira.” O que seria a melhor coisa a dizer, considerando que eu não estive aos pedaços, mas Mig fazia tudo ficar bem. “Como estão as coisas aqui fora?” Eu podia ver que a fila ia longe. “Estamos cheios a semana toda. Bom para os negócios, mas uma vez que nós chegamos na lotação, nós temos de deixar as pessoas de fora. Não importa o quão legal sua roupa é.” Ele riu para si mesmo. “Infelizmente, nós temos mais e mais pessoas fantasiadas achando que vão entrar, e eles estão agressivos por causa disso. Algumas gangues querem marcar um novo território. Alguns gatos querendo entrar com armas a semana passada.” “Isso é assustador. Estou feliz por você ter pego ele.” “Eu também. Para registro, nós nos desculpamos por causa do seu irmão e seus amigos. Nós achamos que eles eram inofensivos. Obviamente nós não sabíamos da conexão.” “Vocês não tinham obrigação. Sem desculpas.” Mig subia enquanto um cara vestindo uma jaqueta fechada tentava passar por Richard. Cada um agarra um braço do cara e jogam ele para trás. O cara amaldiçoa eles, no que Richard responde educadamente. “Se você tiver uma reclamação, mande uma carta para o nosso gerente.” Eu voltei, pendurando o casaco no bar. “Divertido lá fora, não?” Zin disse. Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

“É um jeito de colocar as coisas.” “Não se preocupe. Eles são fortes, aqueles dois.” “Você já trabalhou em algo parecido com isso?” “Sim, e farei novamente. Mas em alguns anos, eu faço algo mais agradável.” “Eu nunca te perguntei sobre seus trabalhos, perguntei?” “Não, nunca.” Eu estava tentando tirar mais dele, mas então eu senti os olhos de Carlo em mim, e sem dizer nenhum palavra, eu voltei ao trabalho. Havia muitos pedidos de drinks de Viola e das meioperíodos Jen e Amy, elas estavam atarefadas. Eu andei como onda, servindo drinks e pegando contas e checando. Em algum momento eu escapei para ir ao banheiro. Carlo, agradecidamente, nos deixava ir ao banheiro quando queríamos, ao contrario de Janice, minha chefe no Denny’s, quem praticamente achava que a gente não devia ir no banheiro durante uma semana. Todas as portas estavam fechadas, mas elas naturalmente ficavam assim, então eu me abaixei para ver as que realmente estavam ocupadas. Alguém estava sentado no chão de forma esquisita. “Tudo bem aí?” Sem resposta. Eu empurrei a porta. Havia uma garota no chão. Eu balancei seu ombro, mas ela não respondeu. A bolsa da garota estava aberta. Eu vi um pedaço de papel e não precisei ver mais.

Eu corri do banheiro, achei Carlo. “Há uma menina no banheiro – ela está inconsciente.” Suas sobrancelhas se elevaram. “Chame Viola. Ela sabe primeiro socorros.” “Devo ligar para 911?” Seu celular já estava na sua mão. “Eu faço.” Eu encontrei Viola atarefada com os drinks. “Alguma garota passou mal no banheiro. Carlo precisa de sua ajuda.” Seus olhos se ampliaram, e ela me entregou as bebidas e se foi. Eu coloquei a bandeja num balcão e a segui. Carlo estava junto da menina. “Nicole, fique lá fora e mantenha as pessoas fora. Diga que o banheiro está interditado.” Eu fiz o que ele disse, ficando na porta e mandando as garotas embora. Mas eu tinha a sensação que eu devia fazer mais, como fazer com que Mig e Richard deixem o caminho livre para os paramédicos, ou ajudar Carlo e Viola a reviver a menina. Eu disse a mim mesma para ficar e não Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

discutir as ordens de Carlo. A garota, pobre garota, poderia estar morrendo. Isso facilmente poderia estar acontecendo com Josh. Ele poderia estar caído num chão de banheiro bem agora, sua vida esvaindo-se. Eu colei meu ouvido na porta mas não pude ouvir nada. Eu abri a porta devagar. Carlo e Viola estavam em cima da garota. Os dedos de Carlo pressionavam o braço dela como se estivesse checando o pulso. “Está na hora.” Viola colocou suas mãos na cabeça da menina. Uma luz saiu de seus braços, fazendo o peito de Viola tremer. A luz veio até ela e se dissolveu. Ela balançou sua cabeça e deu um suspiro profundo. “Sim. Eu tenho ela.” “Ela está resistindo?” Carlo perguntou. “Ela não entende o que aconteceu ainda.” Ela olhou para Carlo, seus olhos eram amarelos. Minhas mãos tremiam, e eu encostei a porta. Os meu Deus. Aquela luz que Viola tirou dela... o que era? Sua alma? “Onde ela está?” um para-médico gritou, dois bombeiros estavam atrás dele. Eu apontei a porta do banheiro. Eles correram para lá. Momentos depois eu podia ouvir eles usando o desfibrilador. Havia uma multidão em volta agora, e eu estava encostada na parede enquanto um grupo de garotas tentava ver dentro do banheiro. Era muito tarde. Eles não poderiam salvar ela. Viola pegara sua alma. Isso era... Zin tinha pego a alma do meu atacante. Uma onda de náusea me atravessou. Eu corri para saída de emergência e estava perto das latas de lixo. Isso é um sonho ruim. É impossível alguém pegar a alma de alguém. Eu devo ter visto errado. Eu me abracei me protegendo do frio, tentando me manter, tentando com que fizesse sentido. Mas eu não podia. Porque eu sabia o que eu tinha visto, e era repugnante. A porta abriu. Zin estava aqui. “Nic, você vai congelar! Entre!” Ele veio me arrastar, mas eu não me movi. Ele andou até mim. “Me desculpe por ser você a encontrar ela. É horrível. Um fio de vida. Vamos, nós estamos fechando. Venha se aquecer.” “Eu estou bem.” Eu dei um passo para trás. Eu não queria que ele me tocasse. Ele congelou. “Eu não posso deixar você aqui fora. Você está tremendo. Você vai congelar aqui.” Eu não estava certa se ele estava me assustando ou me confortando, mas meu estômago se agitou, e eu senti um buraco na minha pele. “Eu preciso de uns minutos sozinha.”

Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

“Ok, mas deixe-me trazer sua jaqueta.” Ele pegou o meu olhar, e seus olhos se levantaram. “Você está com medo de mim. Porque?” Eu não disse nada. Se eu falsse, eu gritaria. “Olhe para mim.” Eu olhei para ele, e sua boca abriu como um suspiro. “Você viu.” Eu dei outro passo para trás, mas ele se aproximou. “Me desculpe, Nic. Eu desejaria que você não tivesse visto.” Ele segurou meus braços. “Nós precisamos conversar.” “Me deixe! Me deixe!” Ele me largou. Eu corri.

E corri. Até a fadiga e o frio me fazerem parar. Eu andei pelas ruas escuras atrás de um taxi. Eu não estava com medo de um outro ataque de idiotas. Eu estava com mais medo do que eu deixei na Evermore. Eu encontrei o taxi. Me trouxe em casa, a qual estava escura exceto pela luz do poste. No meu quarto eu acendi as luzes, um triplo-check na janela para ver se estava fechada, fechei as cortinas, e entrei na cama, joguei o cobertor em mim. Eram 4:39 am. Não conseguia dormir. Nem agora, talvez nunca. Eu dizia para mim mesma se eu apenas podia esquecer a noite passada, eu estava ok. Apenas algumas horas antes do amanhecer. Talvez umas três horas antes de meus pais levantarem. Aparentemente eles não podiam vir atrás de mim com meus pais em volta. A menos que eles quisessem todas as nossas almas. Eu continuava pensando na pobre garota do banheiro. Em Zin em cima do idiota, a luz que saia dele. Zin me disse que estava ajudando a alma do cara ‘seguir’ não que ele estivesse dizendo que seguia para dentro dele. Não podia acreditar que ele tinha mentido para mim. Que tipo de pessoa roubava a alma dos outros? Era inumanos, inumano. Eu deveria saber pelo estranho brilho em seus olhos que ele era um demônio. Eu me lembrei que se Zin quisesse me machucar, ele teve muita chance. Apenas porque ele podia pegar a alma dos outros, não significasse que ele queria a minha. Nós éramos melhores amigos por Deus. Isso devia significar algo para ele. Mas e sobre Carlo e Viola? Eles não tinham nenhuma lealdade comigo. Xin deve ter dito à eles o que viu. Eles podiam estar a caminho agora mesmo. Como eu poderia me defender contra imortais que não podemos matar? Uma batida na janela. Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Por favor, que seja apenas a minha imaginação. Talvez sejam apenas barulhos da casa. Outra batida, alguma forte o bastante para balançar as cortinas. Eu queria me afundar nas cobertas, mas eu não me movi. Se alguma coisa ia me atacar, eu queria ver ela chegando. Eu não fui até a janela. Eu não queria saber quem estava lá fora. Mesmo se fosse Zin com seus olhos imploradores, não tinha jeito de eu ir até ele. Outra batida. Era uma educada, não com força; o que era obvio não queria acordar meus pais. Ainda sim, eu não seria idiota de ir até a janela. Ele – ou eles – poderiam bater a noite toda se quisessem. Eu não vou me mover. Eu esperei uma próxima batida, mas não veio. Segundos passavam. Minutos. Nada. O que estava lá fora se foi, ou eles queriam me fazer pensar que tinham ido. Não importava. Eu não iria na janela checar se tudo estava ok. Eu iria ficar aqui até o sol nascer. E foi o que fiz. O sol nasceu as 7:04 am. Meus olhos estavam pesados, mas eu estava livrre. Eu tinha sobrevivido a noite sem ter sido assassinada. Mesmo assim, eu ainda esperava ouvir meus pais andarem pela casa para que eu pudesse sair da cama. Eu abri as cortinas para procurar meu celular e a jaqueta que estava pendurada no trinco da janela. Abri a janela, eu sentia o gosto estranho no ar enquanto eu pegava eles. Meu celular apitou. Uma nova mensagem. O som da voz de Zin me fez arrepiar. “Nic, me desculpe por tudo isso. Eu não posso imaginar o que você está pensando. Lembre-se que quando estávamos no telefone e nós concordamos que teríamos algumas situações que fosse necessário mentir, mesmo que você não quisesse? Bem-“ Eu não podia ouvir mais. Eu apaguei a mensagem. Ele falava tão normal, tão o-mesmo-velho Zin, com sua voz rouca que me fazia sonharadora e de coração na mão. Eu não podia deixar ele me dobrar. Minha vida estava presa aqui. Minha alma estava presa. O celular tocava na minha mão. O número de Zin apareceu. Por alguns segundos meu dedo ia apertar o botão talk, mas então eu fechei o flip. Eu poderia saber muito mais. Eu não queria saber mais. Ser imortal era uma coisa. Ser parte de um grupo de pessoas que roubava as almas era outra coisa.         Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

12 – FLERTE GENTIL Se Zin realmente se importa comigo mesmo que um pouco, ele vai me deixar sozinha. Ele vai deixar tudo que eu vi se dissolver num pesadelo que irá desaparecer ao longo do tempo. Um dia eu vou me perguntar se realmente aconteceu. Mas ele continua me ligando. Eu desliguei meu telefone. Ele me liga no telefone dos meus pais, e eu digo que não vou responder porque eu e Zin estamos brigados. Meu pai tem a coragem de olhar feliz. Ele nunca foi fã número um de Zin. No início da tarde eu estava pouco funcional, então me deitei no sofá para uma soneca. Estou em um quarto azul que eu não reconheço; Zin está pairando sobre min. "Nic" ele sussurrou "Você está pronta, não está?" "Para quê?" "Shhh..." Seus lábios curvaram como num sorriso, como se soubesse um segredo. "Apenas confie em mim". Seu rosto desceu ao meu. Me ocorreu que eu deveria impedi-lo de me beijar, mais eu não consigo lembrar o porquê. Talvez eu não queira lembrar. Eu quero sentir seu beijo tão fortemente. Fechando os olhos, eu esperei o toque de seus lábios. Mas ele não veio. Abri meus olhos para encontrá-lo. Olhando em volta, percebi que não estava em um quarto azul, e sim numa mortuária. Tentei me levantar, mas estou paralisada. Oh meu Deus. Ele está aqui. Carlo está de pé em cima de mim com um manto negro com capuz, e um perigoso calor em seus olhos. "Eu estive esperando você, Raven. Já faz tempo." Seus olhos negros viraram ouro derretido. Me deixe ir! Mas as palavras não saiam. Eu não podia falar. Não foi possível me mover. Ele colocou suas mãos sobre minha cabeça, e eu senti minha alma sendo roubada. Uma dor excruciante atravessou meu peito. "Você está bem, querida?" Eu abri meus olhos, e mamãe estava ajoelhada do meu lado. "Uh . . . yeah." Ela procurou meu olhar. "Você tem certeza?" Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

��


Alison van Diepen - Raven

 

Eu me sentei. "Eu estou bem. Desculpa te assustar." Forcei meus pés a irem a cozinha, encontrei café frio na cafeteira. Eu o esquentei no microondas, e em seguida sentei a mesa e o tomei. Uma vez que eu estou suficientemente alerta, liguei para o Rambo. "Nic, o que aconteceu?" "Nada. Estou entediada. Você?" "Shopping." Que é uma atividade típica para Rambo no domingo. "Slide também está aqui. Parece que você precisa sair. Nós vamos terminar aqui, e passar e te pegar. Você não precisa estar em casa para o jantar, precisa?" "Não." "Bom." "Espera - você não vai ligar para o Zin vai?" Eu perguntei. "Eu não estava pensando nele. Ele odeia fazer compras. Porque? Vocês brigaram?" "O que ele fez?" Slide falou em cima. "Nada. Eu só - eu não quero vê-lo hoje." "Você é a chefe, Nic." Rambo disse." Nós vamos ver você logo." Tomei um banho, coloquei uma roupa decente, e esperei pela minha carona. Quando o Nissan me puxou para cima, eu coloquei uma cara de alegria, mas eu sei que não soou convincente. Os caras me estimulavam demais para saber o que aconteceu entre Zin e eu. Eu lhe disse que a sua arrogância sobre breakdancing está demais. "Vou ser honesto com você," Rambo disse." Zin ligou. Uma vez que ele descobriu que estávamos vindo ver você ele me fez prometer lhe dar uma mensagem." Meus olhos se alargaram. O que que é que Zin estava disposto a dizer, na frente desses caras? "Ele disse que você não tem escolha a não ser ouvi-lo, assim você pode esperar vê-lo em breve." "Isso soa como uma ameaça!" Slide disse." Tem certeza que isso é sobre breakdancing?" Eu não disse nada. Ele soa como uma ameaça. Passamos o dia visitando lojas da Long Island, em seguida fomos ao restaurante Pizza Hut para o jantar. No momento em que eu cheguei em casa, eram onze horas e eu estou muito cansada. Eu sou o que as pessoas chamam de pessoas britânica estilhaçada, em mais formas do que uma. Meu plano é colocar um filme e esperar adormecer. Dessa forma, se eu receber uma visita na minha janela, eu não estarei lá. Além disso, não machucaria colocar um cadeado na porta. Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Eu ergui a cabeça por cima do meu quarto, a luz só do filme. Eu não percebi que estava segurando minha respiração, eu meio que esperava que Zin estivesse lá de pé. Agarrando meu edredom, travesseiro e pijama, eu desci as escadas e me deitei em cima do sofá de couro marrom, depois liguei a TV. Eu ouvi passos na escada. Papai apareceu na porta. "Você está planejando dormir aqui em baixo?" "Eu provavelmente vou lá para cima depois. Eu só quero ficar confortável." "Tudo bem. Boa noite querida." "Boa noite, papai." Depois que eu o ouvi voltar lá para cima, diminui o volume da TV e desliguei as luzes. Minha mente está andando em círculos, e de tão exausta que eu estou, eu não posso pará-lá. Então eu resolvi apenas descansar, se eu não dormir, e eu me pergunto se vou dormir em paz novamente.

Uma corrente de ar frio me envolveu. Eu abri os olhos. Um brilho azul e branco da televisão encheu o quarto é o horário da noite, algumas estações param a transmissão, há apenas o chiado na tela. Zin está parado no meio da sala. Eu sei que é a sua silhueta. Um grito aparece em mim, mais desaparece rapidamente. Ele não está aqui para me machucar. "Você é bonita quando dorme." Ele se moveu, apenas para ligar uma lâmpada. Isso faz meus olhos demorarem alguns segundos para se ajustarem. Enquanto se ajustam, é só ele. Lindo. Forte. "Você pode ver que eu não estou aqui para te machucar." "Eu não quero você aqui." "Eu sei. Mas, deixar você sozinha não é uma boa opção, agora que você sabe sobre nós. Eu acho que é melhor - Todos pensam que é melhor - se você entender." "Então eu não vou a polícia?" "Você é inteligente o suficiente para saber que você só estaria parecendo uma louca." "Estou louca?" "Não, você não é louca, e eu não sou mal. No fundo, você sabe disso." Talvez ele esteja certo. Talvez seja meu medo, eu sei que ele não pode ser mal. "Nós somos imortais, Nic. O que eu disse era verdade." "Quem é nós?" "Todos os funcionários em tempo integral do Evermore. Eu, Carlo, Viola, Mig, Richard, Gabriel. E Daniella. Estivemos juntos por um tempo. O mágico mudou a todos nós, nos fez o que somos." Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Quem você é, eu quis corrigi-lo, mas não corrigi. Um pensamente mo ocorreu. "Carlo é o mago." "Sim, ele é. Como você sabia?" "Eu tive... um sonho estranho. O que lhe dá direito de tomar a alma de alguém?" "Nós pegamos as almas para permanecermos vivos. Mas só levamos das pessoas que estão morrendo de qualquer jeito; e nós não levamos a alma de qualquer um; algumas almas são muito fortes e não podem ser absorvida mesmo na hora da morte. Tomamos algumas danificadas, as almas doentes, aquelas de dependentes de tóxicos ou álcool. Vícios deixa buracos nas almas, Nic. As almas são fáceis de absorver." "Almas como a do meu irmão?" Seus olhos caíram. Eu não espero que ele responda. Mas então ele levanta a cabeça e concorda. "Assim como seu irmão, se ele tivesse uma overdose." Eu tomei um suspiro estremecido. "Você está impedindo a alma das pessoas, de passar a próxima fase." "Lamento ter que dividir isso com você, mas não há céu, não do outro lado. As almas têm sorte, porque elas podem viver dentro de nós. A maioria das almas, no momento da morte, apenas se dispersam." "Como você sabe?" "Estive por aqui há muito tempo." "Você não respondeu a minha pergunta." "Eu só sei que esta é a forma como ela é." "Parece que você tem um complexo de Deus." "Talvez. A maneira como sobreviver não é fácil de aceitar. Mas a alternativa é se deixar morrer de uma morte lenta e horrível - deixar seu corpo caído na sua frente como se você fosse um cadáver no chão, Não é uma opção. Ouça, Nic. O que eu te falei sobre o meu passado, a confusão... era tudo verdade. Eu só não disse que havia outros como eu. Eu não tinha direito de partilhar o segredo deles." Eu sorri sem graça. "Imortal abandonado, huh? Atravessando o mundo por si mesmo? Eu sou a única que você pode falar?" O remorso e seus olhos mudaram para amargura. "Talvez um dia você vai entender." "Eu não preciso entender. Você não precisa me dizer tudo disso. Porque você?" "Nós pensamos que seria melhor se eu explicasse para você. Ninguém quer assustá-la. Na verdade, queríamos ver você de volta no Evermore na próxima semana." Eu pisquei. "Você quer que eu volte lá?" "Somos todos humanos, Nic. Nunca houve um mortal que poderia nos deixar antes. Agora que você sabe, você não tem que sair por aí." Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

"Mantenha seus amigos perto, e seus inimigos mais ainda, hein?" "Não somos uma ameaça para você ou qualquer outra coisa." "Exceto para alguém que tem uma alma fraca e está morrendo." "Você está brava." Ele deu um passo mais perto, e tocou meu rosto com as costas dos dedos. "Pelo menos, mostra que você não está mais assustada." Eu engoli, evitando o seu olhar. Eu não diria que eu não estou com medo. Mas eu não diria que eu tenho por fora, também. "Você tem um nome? Pessoas como você eu quero dizer?" "No Oriente, nós somos chamados de Jiang Shi." "E aqui?" "Não há nenhum nome para nós aqui, nenhuma mitologia." "Você pode tocar minha alma?" "Só se você me quisesse. Então, você está salva." "Nem mesmo o Carlo, o mago, poderia levá-la?" "Nem mesmo Carlo." "Como você sabe que minha alma é tão forte?" "Eu posso ver isso." Ele sentou ao meu lado. "Eu estou vendo direito agora." Eu me sinto exposta, mais eu não que parte minha cobrir. "Como?" "Sabe o que eles falam sobre olhos." Nós estamos olhando um para o outro. E eu sinto a estranha sensação no meu peito. É como se minha alma estivesse levitando. "Nic, você se lembra de quando nos conhecemos, e você estava usando essas lentes de contato? Ela me deixou louco. Eu não podia ver você. Eu precisava ver você." Ele estava me vendo. E eu o estou vendo. E ele é muito intenso. Eu tive que desviar o olhar. A sensação em meu peito se aliviou. "Então essa noite, você não vai liderar um ataque pela minha alma... você confirma.” Ele confirmou. "Então porque você se sente desse jeito?"

Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Ele está em silêncio, como se estivesse pensando na questão. "Eu vou te dizer, se você realmente quiser saber." "Eu quero saber." Ele respirou fundo. "É dor e êxtase ao mesmo tempo. Você luta com ele, tenta trazê-lo para você, e quanto mais próximo você fica, mais doce se sente. E quando a alma está dentro de você, você continua a lutar, mas você sabe que você ganhou. Você se sente com 10 metros de altura e com a força de cem homens. Mas a essa altura não passa. Dentro de horas, sua energia começa a falhar e você fica fisicamente doente por uns dias, e o seu corpo luta para controlar a alma dentro de você. Ela se contorce e chuta, como um bebê lutando para sair da barriga da sua mãe. Por fim ele para de lutar. Ele sabe quem está no controle." Seus olhos picaram como um pulso. "Espero não ter te assustado." "Você assustou." Mas eu não consegui desviar o olhar.

                                        Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

13 – AUDAZ Tudo mudou e nada mudou. No dia seguinte enquanto eu assisto minhas aulas, copio anotações e sofro durante o trabalho em grupo, Zin ainda domina meus pensamentos com domina uma pista de dança. Sinto como se estivesse vivendo em uma realidade alternativa onde a superfície da vida é a mesma, mas o interior é diferente. É confuso, enlouquecedor. Mas a única coisa da qual tenho certeza é que Zin não é mau. Ele faz o que é necessário para sobreviver. Não importa se é certo ou errado. Duvido que até a pessoa mais forte recusaria tomar uma alma se isso resultasse em sua própria morte horrível. Eu imagino como o Zin pode ter tanta certeza que não há nada depois da morte – que nossas almas se dissipam, que é o fim. Como ele pode saber, se ele mesmo não morreu? Eu tenho tantas perguntas. Quanto mais eu penso, mais perguntas surgem. No segundo horário, nos dão tempo no laboratório de computação para fazermos o trabalho de Filosofia. Beleza. Como era mesmo que ele chamava as pessoas como ele? Era uma palavra chinesa que soava como “jengshi.” Eu digito a palavra: Jengshi. O site de busca mostra os sobrenomes de algumas pessoas, nada importante. Eu tento como duas palavras. Google pergunta: Você quis dizer Jiang Shi? Eu clico nisso. O primeiro site que eu vejo tem tudo sobre folclore asiático. Eu corro a página. Jiang Shi. Tradução: cadáver duro. Também conhecidos como Zumbis Chineses. Personagens populares dos filmes de terror Chineses, os Jiang Shi são cadáveres ressuscitados que se mantem vivos não atráves de sangue, como os vampiros, mas através da absorção da alma de suas vítimas. Às vezes conhecidos erroneamente como vampiros chineses. Além do texto, há fotos de filmes de terror mostrando criaturas tipo zumbis, com braços, línguas e unhas horrivelmente longos, por causa do rigor mortis. Eu mordo os dentes. Zin não é um desses monstros. Quem quer que ele seja, ele não é aquilo. Eu só quero que o Zin seja o Zin que eu conheço. Não uma pessoa trazida de volta dos portões da morte. Não algo para o qual não existe nome em Inglês. Mas não adianta ficar desejando por algo que é impossível. Eu dou uma olhada em outros websites, mas não acho nada que me ajude. A maioria é sobre o papel dos Jiang Shi em filmes de terror dos anos 80. Encontro um trabalho de um estudante de cinema dizendo que os Jiang Shi geralmente se vestem com uniformes militares nos filmes para simbolizar opressão do Estado. Há uma foto de um oficial do governo com pele branco-pálida e sangue pingando dos olhos com a legenda: “Eu vou comer sua alma.” “Credo!” diz uma voz atrás de mim.

Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Eu pulo no assento. Sra. Rankin está encarando a tela e fazendo caretas. “Você estava planejando mudar seu tema para filmes de terror, Nicole?” “Não.” Eu fico mais que feliz em fechar a página.

O treino de break naquela noite é estranhamente normal. Eu já expliquei para os caras que Zin e eu resolvemos nossas diferenças e estamos de bem de novo. Eles parecem aliviados. No fundo, os Toprocks são um grupo que ama a paz, menos na pista de dança. Meu braço voltou ao normal e parece que não está com danos permanentes nos nervos. No entanto, eu ainda evito colocar muito peso sobre ele. Os caras me enchem o saco por poupar o braço, mas eu sei que eles não me culpam. Depois do treino, eu estou prestes a pegar uma carona com o Rambo quando o Zin me pede para ficar um pouco. “Nós temos algumas coisas para resolver,” ele explica. “Eu chamo um taxi para você.” Eu concordo, e os caras vão embora. Quando a porta fecha, Zin vira para mim e sorri. “Privacidade, finalmente. Eu estava com saudades.” Eu sinto um onda de felicidade. Mas eu me lembro que Zin sempre fala assim comigo, como se eu fosse a convidada especial da festa. “Não existem mais segredos entre nós, Nic. Eu posse to contar qualquer coisa que você quiser saber. Ou eu posso não te contar nada. O que você quiser.” “Eu tenho algumas perguntas.” Ele levanta uma sobrancelha. “Eu sinto que você está subestimando.” “Eu estava na internet hoje e procurei os Jiang Shi.” Ele arregala os olhos. “Droga, eu devia ter te avisado. Tudo aquilo é – “ “Mentira. Eu sei.” Ele parece aliviado. “Nós somos mostrados como zumbis que voltaram à vida ou vampiros que sugam sangue, mas não é isso que somos. Nós somos humanos de carne e osso como qualquer um.” “Eu tenho uma pergunta e eu nem acredito que nunca te perguntei isso antes.” “Vai fundo.” “Na pista de dança, você tem que se segurar, certo? Você não pode nos mostrar tudo o que você pode fazer de verdade, porque não pareceria humano?” “Eu não iria tão longe. Não consigo voar nem nada. Eu apenas tenho força e velocidade extra. É gerado pelo fato de que eu carrego várias almas dentro de mim, fora a minha”. “Me mostre.” Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

“Te mostrar?” “Qual a altura que você consegue pular de verdade?” “O teto é muito baixo para te mostar.” “Você está falando sério, não está?” “Claro.” Ele coloca a música. “Não deveríamos afastar os móveis?” “Não precisa.” Ele sorri. “Eu tenho os pés leves quando é necessário.” A próxima faixa é a última batida hip-hop de K-o. Zin faz alguns slides antes de fazer eight steps. Ele dança um pouco em círculos, indo cada vez mais rápido até que meus olhos quase não conseguem acompanhá-lo. Mas ele só está começando. Ele faz headspins tão rápido que minha visão literalmente embaça. Ele para com um salto. Mesmo suando, ele não parece cansado. Parece que ele gosta da minha expressão de surpresa. “Você assistiu ao filme Matrix?” “Sim.” Eu pisco. Ele acabou de subir a parede e pular do teto. “Você poderia fazer isso de novo?” Ele repete, subindo a parede, encostando dois pés no teto antes de cair de pé. Ele está de pé na minha frente, sorrindo. “Esse passo é um bom exercício aeróbico.” “Uau. Você tem certeza que é humano?” “Estou suando, não estou? Eu não fiz nada sobrenatural. Aquilo foi tudo velocidade.” “Você venceria Dance América rapidinho.” “Eu sei. Não seria justo. Eu nem tenho certeza se é justo participar das batalhas, mas eu tento muito manter meus passos dentro de um nível normal. Eu não me permito fazer nada que eu não teria feito nos meus dias de acrobata.” “Se eu conseguisse fazer coisas assim, eu mostraria para todo mundo e ganharia um monte de dinheiro.” Ele ri. “Você não iria trapacear em competições, Nic.” “Será? Dance America paga cem mil. Eu poderia doar metade para caridade. Isso iria satisfazer minha consciência.” “Não iria não. Sua alma é muito pura. É uma das coisas incríveis a seu respeito.” Coisas incríveis a meu respeito? É tão ridículo que eu tenho que rir. Ele ri também, mas não tenho certeza se estamos rindo da mesma coisa. “E agora? Eu não trabalho hoje.” Ele estica a mão para mim. “Quer passear?” Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

“Claro.”

As ruas do Village estão quietas como numa típica Segunda-feira, com o mendigo ocasional parado numa esquina ou um cônjuge brigado fumando numa varanda. Eu gosto dessa vizinhança, mas só porque a presença de Zin dá segurança. Com o Zin do meu lado, eu iria a qualquer lugar. A letra de uma canção antiga vem à minha cabeça. Eu posso ir onde ninguém mais pode ir. Eu sei o que ninguém mais sabe. Andar ao lado do Zin traz uma aura diferente para as ruas escuras e antigos prédios sombrios. Uma aura de magia. “Eu amo Nova York.” Ele consegue dizer isso sem parecer clichê. “Eu não ia querer ficar para sempre, mas eu amo.” É difícil não deixar meu orgulho de Novaiorquina aparecer. “Você viveu em todas as partes do mundo. Você já encontrou uma cidade melhor que essa?” “Não é questão de ser melhor. Cada cidade tem uma energia diferente, um pulso diferente. Nova York é a cidade perfeita para o negócio de clubs. O lugar perfeito para dançar break. O pulso da cidade é rápido e frenético. Mas eu amei outros lugares por razões diferentes. Eu amo cidades que conectam rios e montanhas. O pulso delas é o pulso forte da terra, a batida do coração da natureza. Eu consigo passar anos nesses lugares.” Eu tenho medo de perguntar, mas eu me forço. “Quanto tempo acha que vai ficar em Nova York?” “Nós ficamos dez anos em cada lugar. É mais fácil assim. Nós estamos aqui há seis.” Mais quatro anos. A idéia de conhecer o Zin por apenas mais quatro anos é insuportável. De onde virá a luz, então? “A idéia de ir embora...” te deixa triste, eu quero perguntar. Mas ele vai saber por que eu estou perguntando, então eu não digo. “Para onde vocês vão depois?” “Nós não decidimos até a véspera de irmos embora.” “Tem que ser a cada dez anos pontualmente? Tenho certeza que as pessoas não iriam perceber que vocês não estão envelhecendo. As pessoas podem parecer jovens por muito tempo ultimamente. “ Ele sorri. “Nós achamos que é melhor. Mas nem sempre é fácil, se nós temos ligações.” Mas ele não olha para mim enquanto diz isso. Ele está olhando direto para o céu, onde seu olhar inevitavelmente se perde. “E existem lugares neste mundo que precisam de nós mais do que Nova York. Vir para cá foi como férias para nós, e nós nunca fazemos isso por muito tempo.” “Então depois daqui, pode ser que vocês vão se tornar voluntários ou coisa parecida?” “Nós vamos onde precisam de nós. Os últimos lugares ... acabaram com a gente.” “Eu não fazia idéia que vocês usavam sua mortalidade desse jeito – para ajudar as pessoas. Eu só pensei... acho que eu não tinha pensado muito sobre isso. “ “Dirigir um clube é ótimo por alguns anos, mas não nos daria nenhuma satisfação duradoura. E quando se vive por muito tempo, é difícil achar satisfação. Especialmente considerando a maneira como sobrevivemos.” “Incomoda você, não é?” Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

“Sim.” Ele chuta uma pedrinha. “Mas, é óbvio que você e os Jiang Shi estão retribuindo para as pessoas. Deveria dar uma equilibrada, você não acha?” “Eu não sei. Talvez um dia eu descubra.” Estamos andando por uma área plana, com prédios fechados com tábuas e pixações. Normalmente, eu estaria olhando por cima do ombro, mas agora não. É libertador. “Deve ser maravilhoso ir onde você quer sem ter medo de nada.” Eu digo. “É sim, mas a novidade nisso acaba logo. Para você, aposto que seria o máximo, especialmente porque você é uma garota.” “É, tem essa parte. Minha força feminina não me ajudou exatamente algumas semanas atrás.” “Eu não quis que você ficasse pensando naquilo.” “Eu já estava pensando naquilo.” Eu olho para ele. “Então o que acontece se um imortal se machuca? Você pode se machucar?” “Nós podemos, mas a energia dentro de nós permite a regeneração. A luz combinada das almas dentro de nós é poderosa – quanto mais almas temos dentro de nós mais poderosos nós somos. Então se machucassem o Carlo ele se curaria mais rapidamente do que eu. Ele é o mais velhos de nós, com mais almas.” “Até as almas doentes possuem essa energia que pode curar vocês?” “Todas as almas humanas possuem. Vê aquele cara ali?” A visão dele é boa. Eu poderia não ter enxergado o cara. Ele está a alguns metros de distância, uma figura cinzenta contra uma porta cinzenta. “Sim, eu vejo.” “A alma dele está uma bagunça. Mas ainda possui luz. Eu consigo ver daqui.” “Parece que ele está falando sozinho.” “É o que você pensa. Mas a alma dele foi tomada por uma entidade ruim – uma energia negativa que se alimenta de almas quebradas.” “Você está me dizendo que ele está possuído?” Ele concorda com a cabeça. “Existem coisas piores do que o Jiang Shi por aí, pode acreditar.” Vendo meu olhar de alarme, ele diz, “Mas sua alma é forte, então você nunca precisará conhecêlos.” “Há algo que pode ser feito por ele?” “Ele pode expulsar a entidade se ele quiser. Mas pode ser que ele não saiba mais a diferença entre ele e a entidade.” Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Ao passarmos pelo cara, Zin deixa cair dois dólares dentro da lata em frente dele. “Cada dólar é uma escolha.” Eu o cito. “Cada momento é uma escolha. Só pra constar, já vi homens em Wall Street com a alma pior do que a dele.” “Você pode desligar, para que você não veja almas o tempo todo?” “Não. Mas não me incomoda tanto quanto costumava incomodar. Você fica desensibilizado. Não é o que está por fora de mim que é a parte difícil.” Nós chegamos a um pequeno parque gradeado. Ele pula a cerca baixa; eu também. É um pequeno Oasis de neve e árvores com galhos congelados, um paraíso de inverno no meio da cidade. “Qual é a parte difícil?” Eu pergunto. “As almas dentro de mim. É uma luta mental constante para acalmá-las. As mais irritantes podem te incomodar muito.” Eu olho para cima, para ele, o luar congelando seu cabelo. Um arrepio sobe pelo meu corpo. “Mas eles não podem te dominar, certo?” Os dentes dele brilham brancos na escuridão. “Não. Carlo nos treina para fortificar nossas mentes e almas para que possamos controlar as almas que absorvemos. “ “Ótimo, porque...” “Chris Harris nunca vai me dominar, eu te prometo. Um cara persistente, mas fraco.” “Chris Harris – era esse o nome dele?” “Era assim que ele era chamado. As almas geralmente não se identificam por nomes.” “Isso está me assustando.” “Você não tem razão para se assustar. Eu protegeria você com minha alma.” Ele coloca meu rosto entre as mãos. Suas mãos estão quentes apesar do frio. “Você me lembra de como a vida é preciosa.” Eu faço uma ligação anônima, denunciando Chris Harris como o meu agressor. É a coisa certa a ser feita. Ele deve ter uma família em algum lugar. Uma família que merece saber. Dois dias mais tarde um policial me liga com detalhes. Chris Harris era conhecido nas ruas como Main – de Maníaco, não de Main Street. Ele tinha uma ficha criminal longa com prisões por porte de drogas, agressão e arrombamento e invasão. Ele era do Colorado. Terra de montanhas e córregos e cartões postais. Eu fico me perguntando se ele cresceu em uma cidade grande ou pequena. Imagino quando ele começou a se encrencar. Me pergunto quando sua alma começou a se deteriorar. Me pergunto se a alma do Zin pode salvar a dele, pelo menos por um tempo.

Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Estou tendo um chilique de última hora. Achei que eu estava pronta para voltar para Evermore, mas agora não tenho certeza. Uma coisa é o Zin. Eu confio nele. Um grupo inteiro de Jiang Shi que roubam almas é outra. Talvez eu devia ter pensado mais nisso. Zin agarra minha mão quando viramos a esquina na direção da Evermore. “Fala sério, Nic. Eles são todos como eu. Não há razão para ficar nervosa.” “Eu não estou nervosa. Só estou suando muito.” Ele tem a coragem de rir. “O-oi, gente,” digo para Mig e Richard. Mig me dá um grande sorriso, seguido por uma piscadela. Meus olhos se arregalam, e ele começa a rir. Richard balança a cabeça formalmente. Viola me cumprimenta jogando beijos como sempre. Me ocorre que ela provavelmente tem idade para ser minha tatara-tataravó. Ela começa a conversar como ela sempre faz. Seu calor me acalma. Eu tento não pensar no que eu vi semana passada. Era uma questão de sobrevivência, eu lembro a mim mesma, nada mais. Então eu vejo Carlo se aproximar, e meu corpo todo endurece. Carlo, o mágico, o super poderoso, Aquele que brinca com a Vida e a Morte. “Olá, Raven.” De novo com esse nome. “Oi.” Eu não fico para bater papo. Eu procuro por clientes que precisam de atendimento, e corro para pegar os pedidos. Quando eu levo meu primeiro pedido para o Zin, ele ainda está com aquele sorrisinho irritante no rosto. Eu decido ignorar. “Os caras vem hoje à noite?” Eu pergunto. “Eu falei com o Rambo algumas horas atrás. Ele dizem que eles devem passar por aqui mais tarde. Eles vão para um clube no centro para ganhar algum dinheiro dos turistas.” “Mas e se os Spinheads ou os Double You´s aparecerem?” “Ainda não estamos prontos para lutar. Estamos preocupados que você machuque seu braço. Mais algumas semanas e estaremos no ponto.” Ele enche minha bandeja. Por volta da uma da manhã, eu estou exausta, e apesar de ter dito a mim mesma que eu iria dançar no meu intervalo, eu decido subir para a sacada para respirar. Eu me debruço no corrimão com vista para a pista de dança. Uma voz emerge da escuridão. “Você não precisa nos temer, Raven.” Carlo anda na minha direção, debruçando no corrimão do meu lado. “Eu sei que é muita coisa para processar. O universo que você conhece mudou. O impossível se tornou possível. Zin confia em você, e eu também.” Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Seu olhar varre o clube abaixo. “Quero que você saiba que não há necessidade para medo. Você está segura conosco. Tão segura como se fosse uma de nós.” “Eu sei.” “Você não pode saber. Mas vai saber, com o tempo. Espero que Zinadin não tenha dado razões para que você me tema.” “Ele disse que você era poderoso... mas não de um jeito ruim.” Com esse comentário, ele sorri. “Zinadin pode ter me descrito como um mágico. A maioria das pessoas me descreveu assim ao longo dos anos. Parece ser um termo que se encaixa na cultura popular. Mas não posso dizer que alguma vez fiz mágica. Apenas conheço a ciência da alma. Aprendi que muitas coisas são possíveis se o universo cooperar.” Não tenho idéia do que dizer, então escolho humor barato. “Então, você pode me transformar em coelho?” “Não, mas eu posso te transformar em Jiang Shi.” Eu me encolho. “Essa foi uma tentativa fraca de brincar com você. Obviamente humor não é meu forte. Eu vim até aqui porque eu queria acalmar você, acredite ou não. Quero que você seja feliz trabalhando aqui.” É verdade que ele pode ter falado isso porque eu sei o segredo dele agora, mas acho que a preocupação dele é verdadeira. “Evermore não é o que eu achava que era, mas eu ainda estou apaixonada por esse lugar. Ainda me sinto em casa.” “Bom. Fico satisfeito que você sabe sobre nós, Raven. Parece certo, não parece?” Eu concordo com a cabeça. Me sinto privilegiada de ser o único mortal em quem eles confiam. Nós dois olhamos para a ação lá em baixo, os dançarinos se liberando num ritmo frenético. A manga dele encosta na minha, e eu não preciso me mexer. Me sinto próxima dele. “Me parece que nosso Zinadin está apresentando você ao nosso estilo de vida. Eu estendo o mesmo convite a você. Me pergunte qualquer coisa e eu direi a você. “Obrigada.” Não sei o que eu fiz para merecer isso, mas estou feliz. “Eu sempre quero saber mais.” Um fantasma de um sorriso. “Achei que você fosse querer.”             Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

14 – MISTÉRIO EXPLORADO Nada ia voltar ao normal. Tudo depende se o seu conceito de normal muda. Como com Zin e os Jiang Shi. Enquanto as semanas passavam, a nova realidade surgia, e eles pareciam normais para mim, apenas normal como qualquer outra coisa. Eles apenas pareciam ser antigos e sábios. Zin dizia que você não vive centenas de anos sem ganhar sabedoria, mesmo se você fosse um idiota – não que algum deles fosse. Apenas longe disso. O que me fazia querer entender porque Carlo transformava as pessoas. Era difícil acreditar que ele transformava pessoas aleatoriamente. Quanto mais eu ouvia, mais eu estava convencida que ele escolhia pessoas especiais. Viola comentou que Zin foi um acrobata famoso ‘por todo o Oriente Médio’. Era mais do que um circo como ele tinha mencionado. Mas Zin ficava para trás quando comparado com os outros: Gabriel foi um comandante do regimento negro durante a Revolução Francesa; Mig foi um explorador espanhol; Richard foi um cavaleiro nos tempos Elizabetanos; Viola foi uma grande poetisa na Inglaterra Georgiana que escrevia sob pseudônimo masculino. E Daniella, bem, ela é a Irma de Carlo. Mudá-la era certo. Eu perguntei a Viola sobre tudo isso numa dessas noites que estávamos nos trocando. “Carlo transforma pessoas forte, física e mentalmente. Todos os homens do nosso grupo são capazes de nos defender se for preciso. E eles precisam.” “E você? Ele deve achar literatura valiosa, também.” Ela riu. “Você pode dizer que sim. Eu certamente não era uma típica moça nos meus dias. As pessoas me chamavam de original, e isso não era gentil. A sociedade não exatamente me aprovava.” “Porque você era uma poetisa?” “Não, isso veio depois. Inicialmente era porque eu me recusava a casar com qualquer um, e minha mãe, com seu coração abençoado, não me forçaria a me casar com que eu não amasse. E então quando eu tinha dezenove anos, eu me comprometi num relacionamento com um dos amigos do meu irmão.... e isso me arruinou. E estava manchada para a sociedade, e minhas chances de casar foram embora.” Ela sorri. “melhor coisa que me aconteceu.” “Sério?” “Oh, sim. Eu estava cansada dos jogos da alta sociedade de Londres e me foquei no meu sonho de escrever e viajar pelo Continente. Durante minha viagem para Itália, eu conheci Carlo. Ele era um cortesão italiano, incrivelmente namorável.” A expressão dela era sonhadora. “Nós nos apaixonamos.” “Você e Carlo? Eu não tinha idéia.” “Estar com ele era... o êxtase. Não havia duvidas em minha mente que nos casaríamos e ficaríamos juntos para sempre. Mas uma noite que eu esperava que ele me fizesse o pedido, ele terminou nosso relacionamento.” “Eu acho que ele não tinha escolha.” Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

“Sim, mas claro, ele não disse o real motivo que ele não poderia casar comigo. Eu achei que era porque eu tinha feito mistério da minha reputação; eu fui uma tola. eu deixei a Itália, devastada. Uma ano depois, quando eu fiquei muito doente, eu escrevi para ele uma carta de despedida. Ele veio imediatamente. E quando eu estava perto da morte, ele me transformou.” “Uau. Quanto tempo vocês ficaram juntos?” “Um século mais ou menos. Desde então a gente vai e volta.” “Um século? Isso é o relacionamento mais longo que eu já ouvi.” Ela riu. “Isso era longo, mas maravilhoso.” “Porque vocês terminaram?” “Nós não queríamos ficar cansados um do outro, então decidimos dar um longo tempo. Nós voltaremos um dia. Um grande amor pode sobreviver por séculos, e isso é o que eu e Carlo temos.” Uma imagem de Zin veio à minha mente. Eu podia imaginar passando séculos com ele. Algumas pessoas você nunca se cansa. Algumas pessoas são eternas. Se apenas eu tivesse algum tipo de chance com Zin. Se apenas eu soubesse que teríamos algum tempo juntos. Mas aquela era a historia de amor de Viola, não minha.

Hoje a noite, pela primeira vez, eu fui convidada para um dos jantares de domingo de Carlo. Enquanto eu caminhava, eu me senti vazia. Eu pensei que seria a única não Jiang Shi lá, mas isso se mostrou errado pois vários Jiang Shi tinha trazido amigos. A casa de Carlo era preta-e-branca e cheia de quartos. Eu acho que tinha pelo menos quatro quartos, ou talvez os espelhos fazia as paredes serem maiores do que eram. A sala era minimalista, com mobiliários pretos e paredes brancas. Totalmente fora do estilo das revistas. Zin ainda não tinha chegado, e Viola estava numa conversa com um cara (eu imaginei ser o namorado dela), então eu me sentei do lado de Richard. Ele era alto e forte como Mig, mas não de todo musculoso, e com sua formalidade que não era do século 21. Ele dificilmente disse mais de que duas palavras desde que vim para Evermore. “Hey.” Eu sorri. “Olá.” Nos ficamos em silencio por alguns minutos. Eu vasculhei meu cérebro atrás de algo para dizer. “Eu ouvi dizer que você conheceu a Rainha Elizabeth, a primeira,” eu disse rapidamente. “Como ela era?” “De reputação duvidosa, mas muito respeitada.” “Reputação duvidosa? Você está dizendo que ela era uma vadia?” Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

“Eu digo que ela tinha reputação duvidosa. Ela usava muita maquiagem. Naqueles dias eles usavam tintas com chumbo. No fim do dia você estava todo rachado e duro. Era grotesco.” “Eca.” Carlos me perguntou o que eu queria beber. Carlo me servindo. Agora isso era uma mudança legal. Eu pedi um gin e uma Tonica, um drink de adulto. Ele me trouxe em minutos. “Obrigada, Carlo. Você é um excelente anfitrião.” Ele sorriu. Algumas poucas pessoas chegaram, e Richard e eu acabamos no sofá com Gabriel, que tinha um jeito tão intenso e diferente da calma de Richard. Quando Gabriel começou a falar sobre política, eu percebi que nossa interação não deveria passar de nada além de musica. “E se isso não mudar, nós vamos entrar em outra Guerra Civil,” ele disse. “Neste século.” “A próxima grande guerra não será nesse país,” Richard disse. “A Terceira Guerra Mundial vai forçar todo o oriente a se unir.” Eu engasguei com meu drink, desejando ter escolhido algo mais doce. Eu não queria ouvir sobre a 3ª Guerra. Isso me assustava. O que provavelmente não fazia sentido, já que no final desse século eu estaria morta, e esses caras não. Daniella estava ao meu lado do sofá, seu magro, barbeado namorado estava perto dela segurando um Martini. Eu ouvi que ele era um tipo acadêmico de nome James, mas ela não tinha me apresentado a ele. “Eu ouvi algo sobre a 3ª Guerra Mundial?” ela perguntou. “Está vindo,” Richard disse. “Ninguém pode discutir que irá começar no Oriente Médio.” Daniella levantou a sobrancelha. “Mas que cinismo. O que há com vocês caras?” Ela se virou para James. “será que eu sou a única imortal otimista?” “Eu sou otimista,” eu disse. “Quer dizer, eu tento ser.” Daniella deu de ombros, o que significava que ela tinha tomado conhecimento da minha existência. Eu preferia que ela completamente continuasse a me ignorar do que dar uma de paternalista. Eu me desculpei e fui para cozinha, onde Carlo estava cortando os vegetais. A cozinha dele era exatamente o que eu esperava que fosse – estado puro, com aparelhos de ultima geração, preta e prata. “Cheira bem. Quer ajuda com alguma coisa?” “Está tudo bem. Eu sou uma velha máquina, como dizem. Mas obrigado, Raven.” “Obrigado por me convidar.” “Você é da família.” Eu senti os pelos da minha nuca se levantar. Alguma coisa sobre o modo como ele falou isso tinha me deixado nervosa. Eu forcei um sorriso. “Sim, sim. Estou certa que você diz isso a todos os mortais.” Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

“Atualmente, não.” A frigideira chiou enquanto ele jogava os vegetais. Eu sinto um inexplicável pânico. Então eu percebo: Claro que ele não diz isso á todos os mortais; eu sou a única mortal que conhece sobre eles. “Eu estou contente que você esteja ok de eu conhecer sobre vocês,” eu disse. “Eu confio em você completamente.” “Obrigada. Eu não estou certa se eu mereço tudo ainda, mas eu agradeço.” “Você não tem de merecer. Eu posso ver sua alma.” “Oh, certo. Então você pode ver que eu não sou o tipo de pessoas que você vai ver no Enquirer 28.” Ele parecia perdido. “Quem é enquirer?” Eu ri. Eu acho que ele não estava na América há tanto tempo. “É um jornal de fofocas.” “Ah sim.” Eu olhei para ele por um momento. “Eu ouvi que você é um mestre da cozinha mundial.” “Eu tive anos de prática. Mas se suas expectativas forem altas, eu tenho medo que você fique despontada.” “Eu nunca tenho altas expectativas. Esse é o meu jeito de raramente ficar desapontada, ou raramente surpresa.” Talvez seja do meu drink, mas eu me sinto como se eu pudesse perguntar a ele qualquer coisa; ele disse que diria tudo. “Eu vejo que vários Jiang Shi tem relacionamentos com mortais. Você não fica preocupado que isso fique serio?” “Eles sabem que eles devem se separar no tempo apropriado. A maioria o faz antes do tempo chegar. É natural da maioria dos relacionamentos românticos que eles serão os últimos.” “E você – já teve relacionamento com mulheres?” Uma sobrancelha negra se levantou. “Você esta curiosa essa noite.” “Desculpe.” “Não precisa.” Ele coloca uma tampa na frigideira e deixa ferver. Aproximando da ilha de mármore onde eu estava sentada, ele tamborila os dedos. “Eu gosto da companhia das mulheres. Eu simplesmente prefiro manter um encontro real. Infelizmente, meu jeito não é usual nestes dias. Mulheres estão desapontadas, mas nunca surpresas.” “isso é triste.” “Eu faço o que é melhor para todos.” Eu me lembrei das palavras de Zin naquela horrível noite que ele me rejeitou. Eu estou fazendo o que é melhor para você.                                                              28

 Na verdade, não seria bem um jornal de fofocas e sim aqueles jornais que mostram historias absurdas, tipo fantasmas, pessoas e objetos estranhos.  Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Carlo estava na minha frente como se pudesse ler meus pensamentos. “A maioria dos Jiang Shi deixa uma trilha de corações partidos atrás deles. Eu tento avisar isso. Eu não tive um relacionamento sério com uma mulher mortal.” “Viola disse que vocês estiveram juntos por um tempo.” “O relacionamento mais longo da minha vida, eu penso que durou uns trinta anos com uma mulher chamada Martine.” “Você passou tanto tempo com uma mulher que não era uma Jiang Shi?” Ele balançou a cabeça. “ela era uma de nós.” “Onde ela está agora?” A expressão dele ficou séria. “Assassinada.” “Como isso é possível?” “Desde que você conhece os Jiang Shi, você também deve conhecer os nossos inimigos. Eles são chamados Heng Te, que são caçadores. Eles são mortais, guerreiros chineses que o objetivo tem sido vagar pela terra atrás dos Jiang Shi. Felizmente nós temos conseguido nos manter longe deles por gerações.” Eu não podia acreditar nisso. Os Jiang Shi tem inimigos? É doentio pensar que os Heng Te estão matando eles. Ser um Jiang Shi não deve ser fácil, e eles pagam sua divida com a humanidade de qualquer jeito que eles possam. Na verdade, era o que Zin tinha dito. “Eu achei que fosse impossível matar um Jiang Shi.” “Eles tiram todas as almas do nosso corpo. É o único jeito de nos matar.” “Oh Deus.” “Não se preocupe, Raven. Todos os Jiang Shi sabem se defender. Todos foram treinados e testados.” “Testados para o que?” Zin apareceu na porta da cozinha. “Sífilis,” eu digo, dando outro gole no meu drink. “Droga de Sífilis,” Zin disse. “pergunte ao Mig. Ele tinha antes de ser transformado.” “Eu espero que isso não seja tema do jantar,” Carlo disse.

Era difícil para Carlo fazer qualquer coisa meia-boca. Como o nosso jantar – uma tradicional comida italiana com variedade de vegetais, 3 tipos de peixe, e pasta caseira. Os Jiang Shi atacaram a comida como se fosse a ultima refeição, o mesmo jeito que Zin fazia. Eu acho que almas extras aumentam seu apetite. Eu estava com Carlo do meu lado (ele estava na cabeceira da mesa, sem surpresa) e o namorado de Viola, Kirk, do outro lado. Kirk é um corredor de MotoCross que viaja o mundo com Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

uma grande empresa que eu nunca tinha ouvido falar, ele era boa pinta em seu jeito rude, mas áspero em volta, e não alguém sofisticado por quem Viola se apaixonaria. Mas então, talvez tivesse algo especial. A tristeza se apossou de mim. Eu estaria melhor não estando com Zin do jeito que eu queria? Todo tempo eu observava ele na mesa, eu sabia que não. Se ele me desse uma chance um dia, eu ficaria. Mesmo se isso terminasse em coração partido. Eu sabia que ia terminar em coração partido. Eu percebi que não era a única observando Zin. Daniella também fazia, abaixando suas pestanas escuras. Mas eu percebi. Eu não podia acreditar que eu não tinha percebido isso antes, mas então, eu raramente estava próxima deles. Daniella estava apaixonada por Zin. Uau. Eu não estava pronta para lidar com isso. Se eu podia ver, Zin também. Eles iriam ficar juntos? Eles eram Jiang Shi. Talvez eles já estivessem juntos. Claro. Este grupo tem estado junto há muito tempo e nenhuma atração tem mudado ao longo dos anos. Obviamente. Daniella ainda tinha sentimentos por Zin. Era incrível como tudo podia ficar claro em um segundo. Era difícil de aceitar que ele tinha tido uma namorada seria alguma vez – mesmo que isso fosse à duzentos anos atrás – mas um relacionamento com Daniella? De repente meu jantar estava sem graça. Eu me virei para Carlo. “Você está lendo minha mente ou coisa assim?” Ele sorriu gentilmente. “É fácil ler seu rosto. Eu estou observando você responder a sua intuição. Intuição é tudo, não é? Você esta correta, Raven.” “eles costumavam ser... um casal?” “Por pouco tempo – cinco anos, mais ou menos. Coisa de uma noite pelos nossos padrões.” “O que aconteceu?” “Pergunte para ele. Eu estou certo que ele vai te dizer. Faz tanto tempo agora.” Então Zin e Daniella não eram um casal eterno como Carlo e Viola. Obrigada Deus.

Ex-namoradas são como carros problemáticos. Você não quer conhecer os detalhes, mas quer. Nós estávamos em um canto vazio do trem em cadeiras de plásticos laranja. No outro canto, um grupo de adolescentes estavam falando alto e sendo desagradáveis. Sabe, eu gostaria de saber se faço parte da mesma geração que eles ou é algum tipo de piada cósmica. “Então você e Daniella, huh? Quando voltam?” Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Ele não parecia feliz. “Carlo te contou.” “Ele confirmou isso. Mas eu percebi ela olhando para você.” Ele suspirou. “Eu preferia esquecer o que aconteceu.” “Desculpe. Eu sei que não é da minha conta.” “Não é isso. Eu acho que não te disse porque... saber que minha vida tinha sido salvar por uma paixão súbita não é um orgulho.” “Você esta dizendo que Carlo transformou você porque Daniella se apaixonou por você?” “É exatamente o que eu estou dizendo. Eu não era um cavaleiro da corte de Elizabeth. Eu não era um herói de guerra. Eu era apenas um entretenimento.” “Um famoso, eu ouvi dizer.” “Eu não era tão famoso. Eu era um ato popular no festival local, nada mais. Carlo e os Jiang Shi estavam na platéia uma vez, e aparentemente Daniella caiu de amores a primeira vista. Eu diria que era paixão, uma vez que nós nem tínhamos falado ainda.” Para minha surpresa, eu senti por Daniella. Quem somos nós para dizer se estamos apaixonados ou não? Quando eu vi Zin pela primeira vez, uma intensa emoção veio para mim. Se Daniella sentiu algo similar, eu não a culpo por chamar de amor. “Eu fiquei doente por um tempo, e ela perguntou à Carlo se podia me transformar. Depois que eu mudei, minha vida mudou completamente, eu deixei minha cidade, conheci os Jiang Shi, e estava junto com Daniella.” “Mas você não amava ela?” “Não. Eu tentei me convencer que sim. Que seria fácil amar um Jiang Shi. Eu não queria ficar sozinho na época.” Época. Ele queria ficar sozinho agora? “Eu sou grato a Daniella. Ela me ajudou a aprender a viver como um Jiang Shi. Ela me amava mesmo quando eu não merecia isso, mesmo sabendo que eu realmente nunca poderia amar ela de volta. Eu sei que ela é fria as vezes, mas ela é um boa pessoa.” “Deve ser uma situação terrível para os dois.” “Eu estava muito confuso para notar seu sofrimento.” O lado da sua boca subiu sem nenhum humor. “Eu atualmente me recinto por ela ter pedido a Carlo para me transformar. Eu não queria ser um Jiang Shi. Eu queria minha outra vida de volta. Eu sei que isso soa irracional; eu estaria morto se eu não tivesse sido transformado. Mas eu não sou o mais racional deles – é sua parada.” Ele segurou as portas antes que se fechassem, mantendo-as aberta então eu pulei fora. Nos subimos as escadas que nos levava para fora da estação. Eu percebi que eu tinha mais em comum com Daniella do que eu pudesse imaginar. Era difícil amar Zin e não estar com ele, na situação dela – estar com ele, mas saber que ele não a amava – deve ser muito pior. Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Minha vizinhança estava silenciosa exceto pelo vento forte que mexia as arvores. Acima de nos, as estrelas eram mudas e longínqua. Eu desejava sentir o calor das mãos de Zin nas minhas. Mas ele somente pegava minha mão quando queria me levar para algum lugar. “Eu sempre me perguntei se Carlo se recente por ter me mudado. Ele passou séculos protegendo ela, e então eu venho e quebro o coração dela.” “Ele não pode protegê-la de ser humana. Coração partido é uma parte.” Eu sorri para ele. Algumas vezes apenas estar do lado dele era suficiente, mas outras, como agora, a distancia entre nós era inquebrável. “Eu acho que sim.” “Carlo não se recente de ter transformado você, porque ele te conhece.” “Ele disse muitas vezes que me vê como um filho. Mas as vezes eu realmente acho que ele se recente.” “Eu estou certa que Carlo não diria isso se não fosse verdade.” “É o mistério do mágico. Você o conhece por duzentos anos e na verdade nunca o conhece por completo.”

                              Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

15 – A ALMA QUE FALA Quando eu cheguei em casa da escola no dia seguinte, mamãe estava na sala de estar lendo uma revista. Tive a sensação de que ela estava me esperando. "Nicole." Uh-oh. "Josh ligou." Ela andou em minha direção, com os olhos cheios de lágrimas. Josh. O fantasma. Eu quase não pensava nele, nas últimas semanas. Eu estava bem com isso. Feliz com isso. Eu considerei correr – para meu quarto, sair da porta da frente. Eu não tinha escolha, e eu não fui a lugar nenhum. "Mãe, eu estou -" "Ele disse que nunca ligou. Isso é acima de tudo que você já fez. Eu disse que você não ia mentir para nós e que ele deve ter esquecido da ligação. Então ele me contou sobre o que aconteceu no clube." Eu deixei meus olhos caírem. "Como você pode deixar os seguranças espancá-lo? A vida miserável dele já não foi o suficiente?" Ela começou a chorar. Tentei abraçar ela, mas ela se afastou. "Eles não bateram nele, mãe. Ele ficou todo louco, então eles tiveram que levá-lo para fora." "Ele disse que você o humilhava na frente dos amigos dele. Seu irmão se sente mal sobre sua vida sem você, está sendo tão difícil pra ele." "Eu só estava tentando ajudar." "Ajudar? Ele disse que você o acusou de nos manipular por dinheiro. Ele estava tão ferido que recusou o nosso convite para conseguir o dinheiro que tínhamos prometido. Eles o chutaram para fora da pensão porque ele não podia pagar o aluguel. Ele me ligou de um abrigo." Um nódulo queimou a minha garganta. Mesmo se eu pudesse dizer isso, me desculpe parece inútil agora. Seus olhos estão enormes, ampliados pelas lagrimas. "Eu não posso acreditar que você mentiu para nós e nos disse que estava tudo bem. Eu só estou fora de mim, Nicole. Eu sabia que Josh era manipulador. Eu nunca pensei que você fosse também." Eu apenas fiquei ali, esperando seus olhos me deixarem ir.

Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Então ela estava chorando de novo. Eu gostaria que ela voltasse para a raiva. Se ela quiser gritar comigo, eu tenho muito mais raiva para jogar para ela. Mas eu não posso gritar, com suas lágrimas. Eu corri até o meu quarto, caindo na minha cama. Tudo o que eu queria fazer era proteger ela e o papai. Porque ela não entende isso? Tudo é tão fodido. Assim, completamente e absolutamente fodido. Eu gostaria de poder fazer alguma coisa, tomar alguma coisa, para fazer esta dor passar. Mas não, este é o estilo de Josh. Ele é viciado. Eu não posso me auto destruir.

Eu não tenho mais lágrimas. Eu preciso ir a algum lugar. Eu preciso escapar. "Eu liguei para o Zin. "Eu posso ir ai?" "Claro. Você está bem?" "Não. Tudo bateu no ventilador." Eu fui para o metrô com os olhos fechados, meu iPod tocando um otimista hip-hop. Eu aumentei a musica para abafar o barulho do trem. A senhora do meu lado me deu um empurrãozinho, então eu abaixei um pouco. Sim, senhora, eu vou ser surda por todo tempo, eu tenho vinte. Eu já aceitei isso. Quando eu cheguei em sua porta, Zin me abraçou. "Você não parece muito bem, Nic. Você não comeu, comeu?" "Eu não sinto vontade de comer." "Pelo menos tome um pouco de chá." Nós fomos para a mesa onde ele esteve comendo sua típica comida mediterrânica. Ele colocou um copo de chá para min. "Me diga o que aconteceu. Bota isso pra fora. Você vai se sentir melhor depois disso." Dei a ele todos os detalhes sórdidos. Quando acabou, eu me senti mais leve por ter vomitado tudo para fora. E Zin não está olhando tipo: eu sou mal, uma egoísta . "A vida é uma droga desse jeito." Ele disse." Não importa o que você faça você não pode impedir as pessoas que você ama de sofrimento." Eu concordei. É verdade. Um Jiang Shi saberia. "Eu gostaria muito poder fazer você parar de sofrer, Nic. Mais eu não posso." Eu bebi meu chá. Eu não posso imaginar o que faria sem o Zin. "São 5:50" ele disse. "Eu tenho que trabalhar as nove. Que tal pegar um filme cedo, manter sua mente fora dessas coisas ?" Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

"Eu acho que não consigo me concentrar num filme agora." "Que tal uma caminhada?" "Ok." É o crepúsculo. Massas escuras de nuvens cobrem o céu, refletindo assustadoramente as luzes da cidade. Zin está andando mais rápido que o usual, me fazendo tensão para me manter com ele. Eu sei que ele está fazendo de propósito, de modo que eu estou andando mais rápido do que pensando. À beira do rio, nós olhamos para as ondas onduladas. O vento inundou meus olhos, e voltou para a água, meu cabelo voando para todos os sentidos, me cegando. Zin tentou domá-lo, prendendo o cabelo atrás das minhas orelhas antes de voar novamente. Nós rimos juntos. E de repente, depois de uma hora de tristeza, eu estou olhando para seu rosto lindo, e eu senti alegria nele. Ele olhava nos meus olhos. E por um momento eu pensei que talvez ele me amasse também. "Nic querida, você me surpreende." Seus lábios próximos ao meu. Como dois fios elétricos procurando juntos, suas faíscas de energia. Eu senti as células do meu corpo cada vez mais vivas. Há fogo aqui, e nós o estamos o persuadindo em um verdadeiro inferno, - respirando, em fôlegos - e aprofundamos cada vez mais nossas bocas. Meu corpo é pressionado contra o seu, meus braços em volta de seu pescoço, e minhas mãos em seu cabelo. O fogo, eu percebi, é dele, nos lábios, em sua alma, e eu estou aclamando para me aproximar dele, para ser queimada. Me dei conta de algo crescente em meu peito. A bem aventurada sensação de que minha alma está subindo dentro de mim, como se estivesse sendo puxada para a superfície. Eu abri um pouco meus olhos, vendo meu reflexo em seus olhos - cara pálida, e cabelo escuro girando em torno de mim. Eu notei uma bola brilhante dentro de min. Mas há algo estranho nela, como um rasgo, e uma manta brilhante branca em volta dela. Parece um vácuo, escuridão. Em pânico, eu me afastei. Seus olhos estão brilhando como código morse. "O que acabou de acontecer?" eu perguntei. "Sua alma subia para conhecer a minha." Ele parecia impressionado. "Eu acho que vi, minha alma." "Você viu a si mesma como eu a vejo. É uma bela alma, não é?" "Há algo errado com isso. Algo horrível." "Está tudo bem, Nic. O que você viu, o buraco. É onde o seu irmão costumava estar." "Eu pensei que você disse que minha alma era forte!"

Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

"Ela é forte. Mas está doendo. O centro da alma de todos está o amor. O amor que temos pelos outros, o amor que os outros têm para nós. Em sua alma, você perdeu Josh. Você está perdendo sua família, antes de isso se rasgar." Eu não posso acreditar que tenho um buraco em minha alma. Um nada. Um vazio. Como eu poderia ter andado com isso, e nem mesmo saber?

"Nic, a primeira vez que vi você, sem suas lentes de contato, eu vi sua alma, em toda sua dor e beleza. Eu me convenci que eu poderia ajudá-la a se curar. Mas acho que tudo o que eu fiz foi distraí-la da dor. Me desculpe." "Como eu faço para curá-la, então?" Eu cruzei meus braços sobre o peito, como se algo pudesse escoar para fora do buraco. "Eu não posso fazer Josh melhorar. Eu não posso fazer minha família ficar bem de novo." "Mudar a situação não é a cura. Tampouco enchendo-a com outra pessoa." Eu pisquei. "Você está dizendo que eu tentei preencher isso com você?" Seus olhos estão tristes. "Você não vê? Eu queria que você a preenchesse comigo. Eu não pude me ajudar." Ele virou as costas, mãos curvadas em torno dos trilhos Eu me sinto doente. Tão doente. "Você está dizendo que eu o tenho usado para o preenchimento da minha alma?" Seus olhos não se desviaram das ondas. "Só você sabe a verdade." "Mas é obvio que você pode ver coisas que eu não posso. Você vê tudo, não é? Como você pode ver o buraco dentro de mim, e não me dizer alguma coisa?" "Eu não achei que era preciso. Você carrega dor como todo mundo faz." "Mas não é horrível?” Eu pensei sobre o buraco, o nada, e eu quero apagar isso da minha memória. "Sou apenas outra alma doente, não sou?" "Não para mim." Lágrimas escorreram pelo meu rosto. Ele se virou para mim, tocando um lado do meu rosto, seus olhos cheios de ternura, "Ela vai ficar bem, Nic." "Não, não vai." Eu limpei minhas lágrimas. "Talvez nós... não devêssemos fazer isso. Eu só estou usando você para encher minha alma, de qualquer jeito. Certo?" Ele não disse nada. Eu estou esperando ele me falar para sair de perto dele, mas ele não disse uma palavra. "Eu estou indo para casa." Eu comecei a andar, e ele caminhou ao meu lado. "Sozinha." eu disse. Ele concordou, e me deixou para a noite.   Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

16 – VELUDO AFUNDANDO Foi um erro. Eu nunca devia ter olhado tão fundo nos olhos do Zin. Eu nunca devia ter olhado para minha própria alma. Mas eu não posso voltar. Não dá para des-saber o que eu sei. Mesmo os Jiang Shi, que conquistaram vida e morte não podem voltar no tempo. Claro, eu precisava demais do Zin. Claro, ele era minha obsessão, minha fantasia. Mas ele era minha pessoa favorita, o único que fazia a vida ficar bonita. Ele podia me culpar por tentar encher o buraco em minha alma com ele? Era tão errado? Tinham passado duas semanas desde que eu olhei dentro da minha alma e, apesar de eu ainda ver o Zin freqüentemente, parecíamos estranhos. Talvez o beijo não tenha significado para ele o que significava para mim. Afinal de contas, para ele é só temporário. Para ele, eu sou um relacionamento de 4 anos em potencial, um ponto na sua infinita linha da vida. Ele não merece minha raiva. O que eu vi não foi culpa dele. Eu poderia ter fechado meus olhos e ficado na ignorância tranqüila para sempre. Mas não, eu quis ver minha alma. Alguma parte de mim viu a oportunidade de ver a verdade e a aproveitou. Ele tem razão quando diz que eu estava enchendo minha alma com ele, mas isso não significa que meu amor por ele não é real. É sim. Eu sei disso com a mesma certeza que reconheceu o buraco dentro de mim. E eu sei que meu amor por ele não é a soma do seu talento e beleza e charme. Meu amor é o garoto pálido tremendo debaixo do cobertor. Meu amor é o silêncio no telhado. Mas é tarde demais para isso.      

Carlo prefere luz de velas. Apesar de ter duas luminárias antigas na parte de trás do escritório, há apenas velas no seu campo de visão, emitindo um brilho fraco. O cômodo é escuro e elegante, como ele – mesa e estante de mogno, mobília de couro preto. Quando eu entro, ele está debruçado sobre as contas, que ele guarda em livros com capa de couro. “Você disse que era um cientista de almas.” Ele levanta os olhos. “Sim.” “Bem, se eu tenho um problema com minha alma, talvez você possa me dizer como curá-la.” “Sente-se Raven. Esse é o problema do buraco, eu imagino.” “Você também consegue vê-lo?” Eu odeio a idéia de ser um livro aberto para qualquer Jiang Shi ler. “Sim. Infelizmente, eu não posso ajudá-la a fechar o buraco dentro de você. O que eu sei, no entanto, é que quando fazemos uma pergunta ao universo, ele tende a nos dar a oportunidade de Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

encontrar a resposta. Eu acredito que o Universo tem um sistema de equilíbrio. Mantenha a pergunta sobre a cura em sua mente, e talvez você encontre a resposta. “É possível que não haja uma resposta?” “Claro que é. Também é possível que a resposta não seja algo que você está disposta a aceitar, pelo menos não agora. Eu me sinto tonta. “Não tenho certeza de que entendi.” “Eu não espero que você entenda. Apenas continue repetindo a pergunta.”        

“O que vamos fazer hoje à noite?” Eu pergunto para o Rambo no telefone. “Eu vou pegar os garotos e Kim e vamos beber no parque com alguns amigos. Passo na sua casa ás oito.” Eu não sou fã de beber e não consigo agüentar metade da bebida que os caras conseguem, mas eu não me importo porque estou desesperada para sair. Minha casa tem o tipo de tristeza que transpira pelas paredes. Está me afetando mais do que nunca. Acho que quando eu podia contar com o Zin, a energia dele me protegia disso. “Não está quente lá fora, longe disso, então eu coloco um chapéu preto e luvas longas listradas e uma blusa de frio por baixo da jaqueta. Rambo aparece dez minutos atrasado, o carro cheio de perfume e todo mundo.” Quando chegamos ao parque, devia ter umas vinte pessoas lá. A maioria eu conheço da escola. Eles estão todos em volta do trepa-trepa, nos degraus, balanços e escorregadores. Nós sentamos no segundo nível da estrutura, balançando as pernas por cima da beirada. Chen me oferece uma cerveja e eu aceito, apesar de não ser fã de cerveja. Existem várias conversar aleatórias acontecendo. Eu entro em uma, mas ela não mantém minha atenção. Minha mente viaja e eu bebo minha cerveja. Eu consigo ver minha respiração no ar da noite. “Você parece triste ultimamente.“ Kim se senta do meu lado. “Parece que as coisas não deram certo com o Zin.” “Temos nossos altos e baixos. Acho que não estamos destinados a ser um casal.” “Sinto muito por isso. Espero que não seja minha culpa. Eu achei mesmo que vocês eram pra valer.” “Não é culpa sua. Vínhamos passando muito tempo juntos, de qualquer forma. Tenho ignorado outras coisas.” Eu olho para ela, sem ter certeza se devo contar mais. “Na verdade, tem um problema familiar que às vezes me deixa triste.” “Seu irmão.” Eu olho para ela. “Como você sabe?” Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

“Nós vimos no centro algumas vezes.” Ela não diz mais nada, mas não precisa. “Oh. Eu acho que estava com um pouco de vergonha. Eu não gosto muito de falar sobre isso.” “Eu entendo.” Não acredito que ela e os caras sabiam disso o tempo todo. E eu achei que estava conseguindo esconder deles. “Mesmo quando não estou pensando nisso, continua lá. É como ... um vazio dentro de mim.” “Eu sei o que você quer dizer. Meu tio tem sofrimento mental, e ele simplesmente se trancou em seu apartamento e não quer falar com a gente. Tem sido difícil para minha família, especialmente minha mãe. Eles costumavam ser muito próximos.” “Sinto muito. Como sua mãe lida com isso?” “Ela aceitou que não há nada a fazer. Ainda não é fácil, mas eu a ela alguma paz.” “Mas e o buraco? Quer dizer, o vazio?” Kim dá de ombros. “Você tem que aceitar como uma parte de você. O que mais se pode fazer? Só seu irmão pode salvar a si mesmo.” Eu penso no desabrigado possuído. De acordo com o Zin, até mesmo ele poderia se salvar se ele tentasse com vontade. Isso significa que o Josh pode também. Mas eu não posso salvá-lo.          

Viola e eu estamos no café no centro do Brooklyn misturando leite e açúcar em nossos cafés. Um cara magricela se aproxima, olhando para ela com uma expressão estúpida e esperançosa. “Lindo dia lá fora, não é? Mal posso esperar para levar meus cachorros para um passeio.” Viola concorda com a cabeça e sorri. Eu continuo a me fascinar com o fato de que qualquer cara acha um jeito de paquerá-la onde quer que ela vá. É a segunda vez que ela me convida para tomar café. Espero que ela não esteja com pena de mim. Eu odiaria pensar que ela só está andando comigo porque ela vê o buraco na minha alma.” “Aquele cara achou mesmo que ele tinha chance? “ Eu pergunto, quando sentamos. “Claro, todos eles acham. É como jogar na loteria. Ele sabe que é difícil ganhar, mas ele sente que deve tentar.” “Isso não te irrita?” “Às vezes. Carlo nunca gostou.” “Carlo, ciumento, hein? Eu consigo entender isso.”

Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

“Ele nunca admitiria que é ciumento. Ele apenas dizia que estes homens perdiam meu tempo e o dele. Ele nunca se preocupou que qualquer um deles fosse me fazer uma oferta tentadora de qualquer forma.” “Isso é que é auto-confiança.” “É. Auto-confiança é uma coisa que não falta para ele. E outras coisas também.” Ela pisca. Eu quase engasgo com o café. “Kirk não iria querer de ouvir isso.” “Kirk nunca ouviria isso, acredite. Ele já é ciumento o suficiente. Ele acha que sempre que está fora da cidade eu tenho que ficar ligando para ele vinte quatro horas por dia, ansiando por ele. Eu simplesmente não faço isso. Um pouco de distância é saudável. É melhor para nós dois se não ficarmos envolvidos demais.” “Faz sentido.” “Então, você se forma logo, certo? Deve ser emocionante.” “É um alívio. Estou entediada com o segundo grau. Não vejo a hora de evoluir.” “Qual é o seu plano par ao ano que vem?” “Eu não sei. Não tenho certeza se vou para a faculdade por enquanto.” “Bom para você. Que perda de tempo.” “Sério?” “Claro! Para que passar os próximos 4 preciosos anos da sua juventude sentando em salas de aula, indo a festas ruins, comendo comida de cantina, bebendo demais? Sempre pareceu ridículo para mim. Você aprende vivendo a vida, não ficando na sala de aula. Se há algo sobre o qual você realmente quer aprender, ótimo, faça isso, mas a menos que você esteja absolutamente sedenta de conhecimento, você deveria ficar aqui, no mundo real. “ “Nossa. Nunca ouvi ninguém que olhasse por esse ângulo.” “Vamos encarar os fatos, Nicole. Você é mortal. Eu não quero te deixar deprimida, mas é verdade. Você não tem tempo a perder. Viaje pelo mundo enquanto você está jovem e saudável, depois volte e consiga seu diploma.” “Eu pensei em fazer isso. Meus pais vão ficar decepcionados se eu não for para a faculdade agora, mas eu não vou gastar o dinheiro se eu não estou pronta.” “O que você quer estudar?” “Psicologia, eu acho. Por que as pessoas fazem o que fazem.” “Eu cem anos, tudo o que eles ensinam agora vai ter mudado. A melhor maneira de entender as pessoas é por experiência. Na verdade, a melhor maneira é se tornar um Jiang Shi. Especialmente logo que você é transformado, você fica dolorosamente perceptivo – você consegue ver tudo e todos, muito claramente.”     Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

17 – PÁSSARO DE EBANO Se sonhos te dizem algo sobre seu subconsciente, então eu estava assustada. Eu sempre sonhei com o gralhar de pássaros negros que ficavam sobrevoando desastres horríveis – queda de avião, deslizamentos, tsunamis. O sonho é desprovido de cor, como nos filmes antigos em preto-e-branco. Mas a coisa assustadora é, eu me encontrei observando todos esses horrores no sonho, como um apático observador da tragédia humana. E algumas vezes eu não observava os corvos (ravens), eu era um deles, voando sobre as cidades e países, sobre anos e séculos. Como se eu passasse através do ar, eu sentia o vento passando por minhas penas, e eu me sinto, completa, gloriosamente livre. Eu acordei uma manha com a sensação que este era o símbolo que eu queria para uma tatuagem. Eu tinha intenção de ter uma há um tempo, mas agora eu finalmente sabia o que seria. Um corvo. Engraçado como não tinha pensado nisso antes, considerando que é o apelido que Carlo me deu. Eu naveguei pela net, procurando pela figura certa. Eu vi corvos se alimentando de carcaça de roedores e pequenas aves. Não, obrigada. Eu vi vários corvos empoleirados, de bico fino e gordos e não tão elegantes. E então eu vi. A que eu queria. Era as costas de um corvo abrindo suas asas, a cabeça virada para um dos lados orgulhosamente. É um corvo cuja envergadura fazia ele ser mais do que seu tamanho. É um corvo se preparando para o vôo. A tatuagem teria de ser preta-e-branca com acabamento. Eu não queria nenhum brilho, nenhum glamour. Era muito ruim não poder voar para Los Angeles para Kat D fazer para mim. Ela era especializada em tatuagens em preto e cinza. Eu não acredito que eu vou realmente fazer uma tatuagem. É uma idéia péssima, e é uma ave de má sorte para arrancar.

No passado, eu nunca poderia ter feito isso sozinha. Mas agora eu estava aqui, andando para uma loja de tatuagem para entrar numa agulha. Zaggy, o tatuador é uma propaganda ambulante do seu trabalho, com imagens no pescoço e braços de sua esposa. Ele parece um tipo estranho, mas doce e amigável, com boa reputação. Ele tinha feito um bonito símbolo chinês nos ombros de Kim, e ela tinha me dito que ele era cuidadoso e higiênico, e ele oferecia pausas se a dor estivesse matando você. Zaggy me levou para parte de trás. Ele me disse para tirar a camisa e o sutiã; ele virou enquanto eu fazia isso. Ao meu lado, tinha um cara tatuando o braço com uma inscrição em latim. Eu não sabia o que era, mas eu peguei a palavra “Memoriam” e algumas datas em números romanos. Um tributo a um amigo falecido, eu acho. Nos trocamos um olhar, e ele me deu um breve sorriso, Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

e u de repente me dei conta de que eu estava de topless e ele provavelmente pode ver meus seios esquerdo. Zaggy fez o desenho nas minhas costas com estêncil e me mostrou no espelho para eu dizer ok. “É sua primeira tatuagem?” “Sim. Isso vai doer como o inferno?” “Não. Talvez um pouco, mas apenas nas partes sensíveis. Pronta?” “Uh. Calma.” Eu inspirei e respirei, tentando me acalmar. “Sim.” A agulha trabalhava, parecia que eu pegava fogo. “Owwww.” Ele riu mas não parou. A mão esquerda apertava minhas costas, me fazendo ficar parada. “é preciso se acostumar. Nós daremos uma parada quando terminar o contorno.” Kim estava certa. Zaggy era legal. Ele me fez questões para que eu ficasse falando, falando, e tirasse meu foco com a dor. Depois de um tempo eu tinha apenas mini ataques de pânico – como eu estou indo? – mas contive, dizendo a mim mesma que eu poderia pirar depois. Não tinha como voltar agora. “Nós terminamos.” As palavras me reviveram. Eu sai da mesa, minhas mãos ainda agarravam com muita força. Ele inclinou o espelho para que eu pudesse ver minhas costas. Uau. É o que eu tinha imaginado – muito melhor. O corvo está aqui, orgulhoso. Eu amei.

“É uma hora ruim?” Eu perguntei da porta do escritório. Eu tinha chegado uma hora antes, esperando que a gente tivesse chance de conversar. “Não de tudo.” Carlo fez gestos para eu me sentar. “eu estive curiosa sobre como tudo isso começou – os Jiang Shi, eu quero dizer.” “Eu estava querendo saber quando ia me perguntar.” Ele sorriu. “Isso começou com minha irmã. Daniella esteve doente desde que era pequena. Sua doença dominou a vida da minha família por anos. Você sabe como isso é.” Eu sabia como o inferno era. “Minha família era obcecada com o mistério da doença dela. Meu pai, um cortesão em Florença, me mandou para universidade para estudar medicina. Olhando para trás, a escola de medicina causava mais dor do que melhoras. Era tão primitiva. Nós sangrávamos as pessoas por qualquer motivo. Nós não tínhamos conhecimentos de como as doenças surgiam. Eu acreditava que a solução podia vir de qualquer lugar. Eu procurei em filosofia, metafísica, religião. Eu visitava Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

padres e bispos, a maioria me dizia que a solução era rezar. Eu pagava para eles rezarem pela minha irmã. Nunca funcionava. O desespero da minha família só aumentava a ganância deles.” “Que horrível.” “Era. Um mercador amigo do meu pai, falou de rumores sobre monges no oriente que curavam usando a energia das almas. Eu viajei ate lá, para Jiangsu, uma província da China, e ouvi a lenda de vários aldeões. Eles contaram que há 40 anos, os monges desceram até a cidade para curar doenças, mas alguns meses depois, eles pararam abruptamente. Ninguém sob explicar porque, mas os aldeões disseram que quem tinha sido curado não envelhecia.” “Você encontrou algumas dessas pessoas?” “Inicialmente não. Os aldeões se recusavam a mostrar quem tinha sido curado pelos monges. Eu percebi que a razão era medo. Minha intuição foi confirmada quando eu me aproximei de uma senhora que me mostrou um menino de seis anos de idade que ela dizia ser seu filho. Ela pediu dinheiro antes de dizer qualquer coisa. Ela disse que um monge chamado Tolor tinha curado o filho dela muitos anos antes e ele tinha retornado depois, dizia que ela não poderia dizer que era filho dela tinha sido curado. Então ela ficou quieta e eles eventualmente deixavam o vilarejo por anos, e quando ela voltou ela dizia que era seu neto. Quando ela retornou, nenhuma das pessoas que tinha sido curada estavam no vilarejo. Ela não sabia se eles tinham sido mortos ou tinham ido embora. Mas ela acreditava que os monges tinham alguma coisa a ver com desaparecimento.” “Os monges assustavam eles?” “Isso, ou pior. Eu fui até o monastério, implorando aos monges que me mostrassem um caminho para curar a minha irmã. A maioria deles não me disse nada, mas um deles ficou com pena de mim; ele disse que mesmo se eles tivessem descoberto um meio de usar o poder das almas, usálo seria um grande erro, pois isso interferia no ciclo de vida e morte. Os monges acreditavam que a morte era parte natural da evolução do espírito. Eles viam isso como o desejo de Deus.” “Mas você não tinha nenhum problema em interromper o ciclo. Porque você não acredita em Deus.” “Certo. Os monges apenas me fizeram mais determinados à descobrir o seu segredo. Eu então aprendi que o monge Tolor tinha deixado o monastério logo depois as curas no lugar.” Os olhos preto dele brilhavam. “eu o encontrei.” “Ele era um Jiang Shi?” “Não. Ele era um homem velho. Eu convenci ele que eu era merecedor de conhecer o feitiço, que eu poderia ser confiável em não usar de qualquer maneira. Ele ficou preocupado comigo, pensando, que os monges se transformaram cada vês mais em militantes indo atrás daqueles que eles tinham transformado e matando-os. Infelizmente, a missão deles saia todo dia. Eles pertenciam a uma ordem dos Heng Te.” “Eles eram os guerreiros que você tinha falado?” um sentimento estranho passou por mim. “Sim. É difícil para você ouvir, Raven?” “Eu quero ouvir, continue.” “De qualquer forma, eu retornei para casa para Daniella, e a saúde dela tinha sido restaurada.” “E você decidiu se transformar, também?” Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

“Sim. Como eu poderia deixar passar essa oportunidade? Eu tinha planejado fazer isso nos meus trinta anos, mas quando a praga veio, foi necessário ser mais cedo.” “E seus pais?” “Meu pai morreu dormindo. Eu nunca tive a chance de transformá-lo. E minha mãe, quando ela ficou doente, se recusou a ser transformada. Ela acreditava que ela iria ser curada na vida após a morte, e ela estava procurando por isso. Ela tinha confiança que o paraíso era muito melhor que a terra e que ela poderia ver meu pai novamente. Eu não podia tirar isso dela.” “Eventualmente você decidiu transformar outros depois da sua irmã.” Ele concordou. “Por mais que eu gostasse da companhia da minha irmã, eu desejava que ela não fosse minha família pela eternidade. Depois de alguns anos, eu tive muitas oportunidades de transformar pessoas em Jiang Shi. Muitas oportunidades, mesmo. Mas eu apenas me permiti mudar um pouco. Eu acredito que o mundo é melhor sem as brigas causadas pelos dois tipos de humanos. Tudo que eu queria era uma família próspera – um grupo de pessoas que podia explorar juntos, que estivesse ligados pela bondade e não por sangue. Humanos tem uma grande necessidade de viver em grupo.” Ele estava certo sobre isso; é o que queríamos. “Existe também razoes praticas para mantermos o grupo pequeno, também. Muitos Jiang Shi inevitavelmente chama atenção. Se os governos descobrissem minha ciência, nós seriamos ratos de laboratório. Agora, nós somos parte de uma lenda.” “Como você decide quem vai se tornar um Jiang Shi?” “Não há um método particular, mas eu escolho as pessoas que eu admiro. Pessoas fortes e resistentes e de caráter.” “Porque você escolheu Zin?” A boca dele se transformou, como se ele soubesse o que eu estava querendo. “A paixão de Daniella por ele foi a razão que eu considerei, mas não a razão final de transformá-lo. Zinadin é mais que um entretenimento, como você sabe. Ele traz fogo, carisma, a tudo que ele faz. E ele tem uma incrível compaixão e gentileza que era raro num jovem homens nos dias dele – de qualquer dia. Você sabe porque ele ficou doente, Raven?” “Eu acho que ele tinha a epidemia da tuberculose.” “Zinadin estava viajando com o circo quando ele recebeu a noticia que a epidemia da tuberculose estava em seu vilarejo e muitos familiares estavam doentes. Ele devia ficar fora do vilarejo ate a epidemia passar. Mas ele não fez.” Eu fechei meus olhos. Que terrível escolha a fazer – ficar com sua família e correr o risco da morte, ou ficar longe e nunca mais os vê. “Ele não era apaixonante só por ser um acrobata, Raven. Ele era apaixonante por ser quem era.” “Você tem orgulho dele.” “Sim.” O calor dos seus olhos era inexplicável. Eu teria de dizer a Zin sobre nossa conversa. Ele ficaria feliz em saber que Carlo se sentia desse jeito. Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

“Há algo que eu não te disse, Raven. Você pode achar que é intrigante.” “O que é?” “Eu sonhei que você vinha para Evermore.”

                                                    Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

18 – FARFALHAR INCERTO "Eu vou querer três cosmos" disse ao Zin poucos minutos depois. "Cougars, hein?" "Você não deveria julgar as pessoas por suas bebidas." "Estou errado?" Eu dei um sorriso. "Não" Ele sorriu de volta, mas um sorriso reservado. O beijo ainda está entre nós, como se isso tivesse acontecido noite passada. Ele fez as bebidas, eu tentei não o assistir, mas não consegui. Eu ainda me pergunto porque ele deixou aquele beijo acontecer em primeiro lugar. Seria um começo para nós, ou apenas um deslize de atração? Eu tenho medo de perguntar. A verdade é que não importa o que está por trás daquele beijo, provavelmente ele lamenta depois do jeito que eu me apavorei. Ele deve pensar que eu sou uma imatura. Uma típica mortal imatura. Ele é a luz mais brilhante que eu já conheci, e eu sou uma idiota com um buraco na alma. "Então?" Perguntou ele. "Então o que?" "Você não vai entregar as bebidas?" "Oh." Sinto falta dele. Da intimidade que tínhamos. Das intermináveis conversas no telefone sobre tudo e sobre nada. Os silêncios em que nós éramos apenas nós. Eu entreguei as bebidas, e os cougars nem se quer olharam pra min. Ah bem. Eu acho que demorou demais. Antes que eu pudesse ter outro fim, notei Zack, o DJ de tempo parcial estava na tripulação da cabine. "Cadê o Gabriel?" Perguntei para Viola. Suas sobrancelhas estavam franzidas. "Ninguém sabe." "Talvez ele esteja preso no transito?" "Ele normalmente está com seu celular junto dele. Ele deveria estar aqui á uma hora atrás." Ela parecia preocupada, o que me deixa preocupada também. Gabriel não parece ser do tipo que prega peças. Voltei para os meus clientes. Em um momento eu vi Carlo no bar conversando com Zin. Eu fui para lá, logo depois que o Carlos saiu. "O que tem o Gabriel?" Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

"Ele deixou uma nota para Carlos. Nós temos uma reunião sobre isso, quando estamos perto. A reunião Jiang Shi." "Posso ir? Eu estou tipo... nas coisas." "Não há necessidades." Mas Carlos discorda disso. Ele me encontrou alguns minutos depois e me disse para eu ir a reunião. Essa tensão está me matando. Porque todo mundo está tão nervoso? Depois que o clube fechou e os empregados de tempo parcial se foram, nós nos juntamos no escritório do Carlos. "Gabriel se foi." Ele disse, "Ele me deixou uma nota dizendo que ele se foi por um tempo indefinido." A sala caiu num silencio mórbido. Carlos passou a nota para o Richard, que o leu, e em seguida, o passou. Eu li quando me passaram.

Carlo, É hora de continuar a minha jornada. Eu espero que você, e meu amado Jiang Shi vão entender. Por favor, deixe que todos saibam que eu vou sentir falta deles e que eu espero voltar um dia. Gabriel.

Mig explodiu : "Que diabos ele esta pensando, em sair sozinho com o Heng Te lá fora?" "Eu estou preocupado com a segurança dele também." Os olhos de Carlo fitou cada um de nós. "Alguém sabe por que ele fez isso? Alguma coisa deve ter o levado a tomar essa decisão." Todos encolhemos os ombros ao redor. Ao meu lado, Zin estava calmo. Posso dizer que Carlo está o assistindo. Finalmente Zin falou. "Nao é tão surpreendente. Gabriel estava infeliz." "Eu pensei que era só uma fase." disse Daniella. "Todos nós temos nossas fases." "Eu sei que as almas dele davam problemas." Disse Viola. "Talvez fosse muito para ele. " Richard franziu a testa. "Ultimamente, ele vem falado sobre outra Guerra Civil. Talvez ele queira ficar fora da America caso isso aconteça." "Independentemente o motivo pelo qual ele saiu, se ele estiver em contado com qualquer um de vocês, por favor o incentive a voltar para casa." A voz de Carlo está áspera, e eu sei que ele está falando com o coração. "Nós não podemos proteger um ao outro se não estivermos juntos." "É melhor ele não ter voltado para Uganda." disse Viola. Eu virei para o Zin. "O que tem Uganda?" "Era o nosso ultimo destino antes de virmos parar aqui. Olha, é negocio de Jiang Shi. Não é nada para você se preocupar. Eu ainda nao entendi porque Carlo acha que você tem que estar aqui." Olhamos para cima, e vimos os olhos do Carlo em cima de nós. "Ela sabe sobre nós, então deve estar aqui." ele disse. Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Os olhos de Zin estavam desafiadores, mas ele não disse nada.

"Quer sair?" Zin me perguntou após a reunião. "Arranjamos uma pizza?" Há uma urgência em seus olhos que não coincide com suas palavras. "Claro" Nós andamos em silêncio. Não temos gasto tempo com nós dois desde a descoberta do buraco em minha alma, e eu estou muito nervosa para conversa fiada. Eu sei que isso deve ter alguma coisa a ver com o Gabriel. Quando ele fechou a porta e a trancou, eu perguntei, "O que está acontecendo?" Ele pulou no sofá, e me puxou para perto dele. "O que eu vou dizer vai assustar você, mas eu estou preocupado que eu não possa o ajudar. É hora de você conhecer nossas suspeitas." "Nossas suspeitas?" "Minha e de Gabriel." Ele tomou uma respiração profunda, "Carlo pode querer te machucar." "O que?" "Acho que ele quer fazer de você uma Jiang Shi." "Porque ele iria querer isso?" "Ele gosta de você. Talvez ele queira te adicionar na família. Eu nunca vi ele ter esse tipo de interesse por um mortal antes. Ele age como se você fosse um de nós. " "Mas isso é porque eu sei sobre todos vocês. Eu sou a única mortal que sei, certo? É por isso que ele me trata da maneira como ele me trata." "Eu e Gabriel achamos que ele contratou Chris Harris. Ele pode ter planejado encontrar você quando você estivesse morrendo e te mudar." "Isso é loucura! Carlo nunca faria algo assim." "Eu sei que Chris Harris estava perseguindo você naquela noite, e eu acho que ele foi contratado para te atacar. Tenho uma vaga sensação do que ele estava pensando no momento. As vezes posso entrar em sintonia com os seus pensamentos... Ele tinha expectativa de dinheiro para seu próximo hit, mas não vinha de você." "Eu não acredito nisso." "Eu não quero acreditar nisso. Nem o Gabriel. Ele acredita que as suspeitas podem ir muito mais longe. Ele acredita que há vida após a morte. Ele pensa que Carlo nos enganou a pensar que não há modo a não ser continuar tomando as almas.” "É o que você acha?" Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

"É difícil pra mim acreditar que Carlo iria mentir tão deliberadamente para nós. Mas eu não sei. O que mais me assusta é que ele parece ser fixado em você." Eu queria negar, mas eu não podia. Seria uma mentira dizer que eu não sei que Carlo tem algum sentimento muito especial por mim. Ele foi insinuando isso, desde que eu fui para o Evermore. "Mesmo se ele tivesse isso... essa fixação, isso não significa que ele gostaria de me machucar." "Ele pode não ver que vai te machucar. E há uma outra coisa, Nic. Gabriel acredita que os Heng Te não são reais, que Carlo criou o mito a séculos atrás para nos assustar, e nós nos unirmos. Até esse dia, Carlo é o único que encontrou um Heng Te." "E sobre o Jiang Shi que morreu?" "Martine desapareceu. Nunca houve um corpo. Nós não temos prova de como ela morreu, exceto o que o Carlo nos disse. Todos nós sabíamos que ela estava tendo problemas para lidar com as almas dentro dela. Uma delas poderia ter tomado o seu lugar. Gabriel acha que Carlo poderia ter usado o seu desaparecimento como uma oportunidade para perpetuar a ameaça Heng Te." Nada disso me parece certo. "Você sabe onde Gabriel está, não sabe?" Ele concordou. "Na província de Jiangsu, lesta da China. Onde todas as lendas se originam. Ele acha que pode haver uma maneira de descobrir mais sobre a ciência da alma, como Carlo chama isso. Gabriel sempre se ressentiu de Carlo ter o transformado em um Jiang Shi. Ele se sente como se tivesse sido enganado ao descobrir o que há além da morte. Nós decidimos manter a missão em segredo até que haja provas para confrontar Carlo, se ele encontrar alguma." "Você não pode ver a alma do Carlo? Se ele está mentindo pra vocês, e se ele é capaz de me ferir?" "A alma de Carlo é opaca. É como uma parede de luz brilhante, mas nós não podemos ver dentro. Ele diz que é porque ele prefere manter sua alma privada, mas ele nunca revelou como ele foi capaz de fazer isso." Me lembrei de Zin dizendo que você pode conhecer Carlo por duzentos anos e não conhecê-lo em tudo. Este deve ser o motivo. "Carlo a chamou de Raven desde o início. Você já se perguntou o porque?" "A cor do meu cabelo." "É mais do que isso. Entrei em sua biblioteca. Corvos são mencionados em muitos dos textos, ao lado dos Jiang Shi. Ele são ambos vistos como seres que cruzam entre o reino dos vivos e dos mortos. " Eu me levantei, me virei, e levantei a parte de trás da minha camisa. Ele empalideceu. "Sugestão de Carlo?" "Não, ele ainda não sabe sobre isso. Ninguém sabe. Eu só queria uma tatuagem, e eu ficava sonhando com corvos. É verdade que eu nunca pensei sobre corvos antes dele começar a me chamar disso, mas, isso é loucura. Eu confio em Carlo. Eu sinto uma ligação entre nós." Seus olhos estavam estreitos. "Isso poderia ser feito também. Ele é poderoso. Ele fez o que todos nós somos. Eu não sei mais o que ele pode fazer. Olha, eu não tenho a pretensão de ser racional Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

sobre isso. Depois que você se machucou naquela noite, eu senti essa raiva dentro de mim. Ninguém tem o direito de te ferir ou te mudar. Eu não vou te perder, Nic." Você não me tem, eu quase disse. Mas seria uma mentira. Ele me tem, e sempre terá. Ímã e metal nunca mudam.                                                       Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

19 –NÃO VISTO Eu digo a mim mesma que a próxima vez que eu olhar para o Carlo, eu saberei. Eu saberei se existe alguma chance de ele estar por trás do ataque. Eu saberei se ele estiver mentindo sobre os Heng Te. Eu saberei se ele é um mestre da mentira que enganou os Jiang Shi e os fez desistir de acreditar na vida após a morte. Antes do meu turno começar, eu vou falar com ele no escritório. “Oi, Carlo.” “Raven.” Ele põe o trabalho de lado. “Como foi sua semana?” Então nós conversamos sobre a escola e dançar break e o tempo todo eu estou pensando que minha intuição deve funcionar e responder minha dúvida sobre Carlo, mas nada acontece. Carlo é uma caixa trancada. Os olhos dele não revelam nada. E, aparentemente, nem a alma dele. “É melhor eu ir trabalhar.” Eu digo, me levantando. “Havia lago que você queria me perguntar?” “Perguntar? Não, nada.” “Achei que você estava evoluindo para algum tipo de pergunta. Não se preocupe. Tenha um bom turno.” “Obrigada. Te vejo mais tarde.” Eu saio do escritório, sons de hip hop vindo até mim de todos os ângulos. No que eu estava pensando? É claro que ele sabia que eu estava tentando compreende-lo. Só espero que ele não suspeite o porquê. Como eu posso não ter nenhuma intuição a respeito dele? Não foi ele que me disse que intuição é tudo? “Kirk terminou comigo.” Eu dou um pulo. Viola chegou do meu lado. “O que aconteceu?” “Ele disse que eu não o amo. Que eu não levo nosso relacionamento a sério. Ele estava certo. Eu nunca quis levar a sério, ele sendo mortal e tudo. A maioria dos caras não se importa. A maioria dos caras gosta. Mas o Kirk realmente queria algo real.” “Eu sinto muito que não tenha dado certo.” “Eu também. Ele é um cara melhor do que eu jamais imaginei.” “Você vai tentar tê-lo de volta?” Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

“Para quê? Eu não fico muito tempo com mortais mesmo. Nenhum de nós fica. Não quero ofender, mas namorar mortais é um saco.” “Não me ofendeu.” “Não vou dizer que não estou tentada a voltar com ele por um tempo. Mas é melhor para ele que eu me afaste. Eu gosto dele o suficiente para deixá-lo ir.” Ela está certa, sem dúvida. Ela suspira. “Às vezes eu digo a mim mesma que está na hora de ficar solteira e celibatária por um tempo. Mas nunca funciona. Quando eu não estou num relacionamento, eu sinto que estou perdendo alguma coisa. Estou sempre mais feliz quando tenho essa conexão em minha vida. Amizade não é suficiente. Você mesma sabe disso, não é?” Eu sei que quando se trata de Zin e eu, amizade nunca parece suficiente. Mas é tudo que eu tenho. “Achei que você e Zin teriam ficado juntos um tempo atrás, mas o Zin é assim. Ele sempre foi o sensível. Ele não consegue amar e deixar as pessoas como o resto de nós. Eu me preocupo com ele.” “Por quê?” “Porque ele ama você.” Eu pisco. “Me ama?” “Ah, é mesmo. Eu sempre esqueço que você não consegue enxergar a alma dele. Sim, ele ama você. E obviamente você o ama. Sua alma é tão óbvia a respeito disso quanto a dele.” Meus olhos arregalam. “Então ele sabe que eu o amo?” “Claro que ele sabe. Está estampado na sua alma. É melhor você escrever na sua testa.” “Ai, Deus.” “Não fiquei tão horrorizada. Vocês dois se amam, e você tem quase quatro anos até que ele vá embora. É uma vida inteira para alguém da sua idade.” “E se quatro anos não for o suficiente?” Ela dá de ombros. “Isso é algo que você vai ter que descobrir. Hm, o Carlo está olhando para nós. É melhor irmos.” Eu me aproximo de alguns clientes para pegar os pedidos e depois vou para o bar. Meus olhos observam o Zin como se eu o estivesse vendo pela primeira vez. Nossos olhares se prendem. Eu me perco dentro daquele verde. Me perco nele, como daquela primeira vez que eu o vi dançar. Ele quebra o contato visual. “Tem algum pedido?” Eu limpo a garganta. “Martini com chocolate e um Strongbow.” “Falou.” Os olhos dele ainda são intensos – enquanto ele os movimenta para as bebidas, eu vejo um pouco de âmbar. Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

No meu intervalo, eu vou para a varanda. Eu preciso fugir da loucura, pensar. Eu sento no parapeito da frente. Eu quero me perder naquelas pessoas dançando, me tornar um com eles. Dançar foi o mais próximo que eu cheguei de me perder. O mais próximo que eu cheguei de um barato, o mais próximo que eu vou chegar. Os passos dele me assustam. Enquanto Zin se aproxima, os olhos dele pulsam como batidas de coração lentas. “Eu pensei que você tinha falado que os Jiang Shi não conseguiam ler mentes.” “Nós não conseguimos. Estava na sua alma.” Ele senta do meu lado, toca minha bochecha. Eu fecho os olhos. “Eu ainda não te assustei, não é?” “Não.” “Quando eu te beijei, achei que você estava pronta. Achei que você queria isso. Depois você viu a sua alma e ficou tão triste, eu não quis te pressionar.” “Por que você iria querer ficar com alguém com uma alma como a minha? Como é que você pode deixar isso de lado? É tão horrível.” “A alma de todo mundo tem algum dano. É inevitável. Na minha, eu ainda carrego a perda da minha família duzentos anos atrás.” “Desculpe por ter pirado com você.” “Não precisa.” A mão dele escorrega para o meu pescoço, acariciando-o. Ele vai me beijar. Se eu deixar, não vai ter volta. Quatro anos até ele me deixar, e eu provavelmente nunca vou vê-lo de novo. Eu vou ser forte o suficiente para ficar com ele e depois deixá-lo ir? Ele vira meu rosto para o dele, gentilmente, e eu vejo sua alma brilhante resplandecendo atrás dos olhos dele. Eu sinto minha alma tremer no meu peito, subindo. E eu sei que não há mais escolha, apenas destino. Uma voz corta a escuridão. “Raven” Nós dois damos um pulo. Carlo emerge das sombras. “Seus pais estão tentando te encontrar. Seu irmão está no hospital.”

          Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

20 – ESCURIDÃO Eu vou ser uma das fortes, eu digo a mim mesma enquanto a noite bate na minha janela. Eu vou levar eles por isso. Quando fomos para a emergência, havia uma fila, onde a enfermeira encaminhava as pessoas. Avistamos uma placa que dizia tratamento intensivo, nós andamos por um corredor e depois outro, e paramos em frente a uma porta que dizia CTI. A porta sinaliza um telefone na parede perto de nós. Eu o peguei e esperei pela voz do outro lado. “Meu irmão, Josh Burke, está na CTI. Nós gostaríamos de vê-lo.” Um minuto depois, uma enfermeira abriu a porta. Ela tinha 50 e poucos anos, com tipo, olhos maternais. “Os Burkes?” Todos nós concordamos. Ela nos leva para dentro. “Eu estou feliz que nós fomos hábeis em entrar em contanto com vocês. Quando Josh estava sendo trazido, ele teve um ataque cardíaco.” Eu ouvi a respiração da minha mãe parar. “Nós fomos hábeis em ressuscitar o coração dele, mas eu tenho medo que ele agora esteja em coma.” A enfermeira puxou as cortinas, e nós vimos ele. Ele estava ligado a muitas maquinas, mas para mim ele apenas estava dormindo. Ele parecia em paz, mais em paz do que eu o tinha visto há muito tempo. Meus pais se aproximaram do outro lado da cama e pegaram suas mãos. O rosto dele aparece contra os lençóis brancos, talvez devido ao calor do quarto. Mamãe chegou perto e sussurrou algo em seu ouvido. Eu desejei que ele pudesse ouvi-la. Eu toquei o cabelo dele, sentindo o calor da cabeça dele em minhas mãos. Eu percebi que não estava mais com raiva dele, sobre o que ele tinha feito com meus pais, com ele mesmo, nossa família. O que senti por ele foi puro amor. Nós tiramos nossos casacos. A enfermeira trouxe uma cadeira extra para meu pai, e eu sentei no canto da cama. Ela fechou as cortinas quando saiu. Mamãe tinha lagrimas silenciosas em suas bochechas, e o rosto de papai era angustiante. Era quente e claustrofóbico aqui, como uma tumba. Nós não saíamos de perto dele, nem para ir ao banheiro, para o café, para uma pausa de qualquer tipo. Nós observávamos os números pelo monitor. Eu abri a cortina alguns centímetros para ter um pouco de ar. Meus pais tinham trocado de lugar então meu pai estava na cabeceira da cama, segurando as mãos de Josh. “Se ele simplesmente pudesse passar a noite, talvez ele fique ok,” Papai disse. “Ele vai ficar ok... o que quer que aconteça,” eu disse. “Eu digo, mesmo se... ele vai ficar bem.” Meus pais olharam para mim e não disseram nada. Eles voltaram a olhar o filho deles. Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Amanhecia. A enfermeira sugeriu que nós devíamos fazer turnos – dois iriam para casa descansar, outro ficaria com ele. Nenhum de nós queria ir. Por volta das 7:30, eu me ofereci para buscar café e comida para eles. Eles concordaram. “Enquanto você faz isso, você poderia ligar para Emily?” Mamãe perguntou. “Emily?” A ex de Josh. Sua namorada do colegial. Mamãe concorda. “Ela vai querer saber.” “Ok.” Minha mãe estendeu o celular, o que tinha o numero de Emily programado. Eu segui as setas ate a cafeteria. Antes de entrar, eu parei e liguei para Emily. Ela respondeu. “Janet, está tudo bem?” “É a Nicole. Nós estamos no hospital. Josh está em coma.” As palavras pareciam estranhas em minha boca. Eu desejava poder voltar atrás, mas não era possível. “Oh meu Deus. Qual hospital?” “O New York Methodist.” “Eu estou indo.” “Nós estamos na CTI. Diga que você é a noiva dele. Só a família pode entrar.” “Ok. Eu chegarei logo.” Eu fui para fila dos sanduíches. Eu chequei meu relógio, desejando que eles não tenham saído do quarto. O numero da Emily era o sete na lista de contatos da minha mãe. Eu sabia que elas eram próximas quando Emily namorava Josh no colégio. Eu sabia que elas ainda trocavam cartões de Natal. Eu só não sabia que elas ainda se falavam. Emily sempre tinha sido uma influencia calmante em Josh. Ela esteve com ele até o primeiro ano dela da faculdade, quando sua espiral começou. Eu estou certa que ela tentou de todos os jeitos que ela pôde. Quando eles terminavam, Josh nos disse que ela era insuportável, resmungona, uma vadia esnobe. Nós nunca acreditamos nisso – nós conhecíamos Emily. Nós sentíamos vergonha sabendo como ele tratava ela. E ainda sim, Emily estava no hospital. Eu voltei alguns minutos depois. Nada tinha mudado. Meus pais não tinham se mexido. Emily chegou apenas as 9hs. Ela e mamãe se abraçaram. Emily tinha provavelmente suportado muito mais do eu minha mãe tinha pensado ou do que eu suportaria; era tudo isso naquele abraço, eu sabia. Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

E eu era grata. Eu não tinha visto Emily em mais de um ano. Ela estava parecendo uma caloura de quinze anos. Eu não estava acostumada a vê-la em moletom e rabo de cavalo. Ela sempre estava cuidadosamente arrumada. Ela abraçou meu pai, depois eu. “Obrigada por vir,” eu disse. Ela franze mas não disse nada. Me machucava vê-la não sendo útil. Ela sentia que pertencia aqui. Ela ficou próxima à minha mãe, ela coloca um braço em seus ombros. Minha mãe falou das condições de Josh. Emily escutava atenta, os olhos dela nunca deixaram o rosto de Josh.

Zin e eu nos mandávamos mensagens. - JOSH NO HOSPITAL. EU Ñ VOU AO TRABALHO HJ A NOITE. POR FAVOR AVISE CARLO. - QUAL O HOSPITAL? EU IREI. - OBRIGADA MAS Ñ VENHA. EU ESTOU OK.

Eu não deveria querer ir correndo para seus braços, deveria. Mas não, ele não pertencia aqui. Ele não conhecia Josh e ele não era próximo da minha família. Eu não sentia que era certo trazê-lo para cá, não agora. Josh nunca se mexeu exceto a leve respiração em seu peito. Os olhos dele nunca se mexeu através de suas pálpebras que indicasse que ele estava sonhando. Sua vitalidade as vezes caia, então estabilizava. Nós podíamos ver e ouvir cada respiração, cada vacilar, na maquina. Eu estava focada nas batidas, esperando pela próxima. Eu segurava as mãos dele como se meu toque o mantivesse vivo.

Os dias se passavam, começando sem fim. Nós fazíamos turnos, um ou dois iam para casa descansar por algumas horas. Como eu estava acostumada a ficar acordada a noite, eu ficava nas horas escuras enquanto meus pais iam para casa, e eu descansava durante o dia. No quinto dia, as noticias vieram. Sua função cerebral não existia. Os médicos queriam que nós considerássemos desligar as maquinas. Lagrimas sinalizavam o colapso familiar.

Ele realmente tinha ido. Ele escorregou por nossos dedos enquanto o coração continuava batendo. Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Minha mente se transportou para dois verões atrás, nossa viagem de família ao Grand Canyon. Nós paramos no Yavapai Point para assistir ao pôr-do-sol. Mamãe e papai ficaram próximos do corro, enquanto Josh e eu fomos ate depois do guarda-corpo, e o canyon se estendia a nossa frente. Eu parei a alguns passos atrás, enquanto Josh seguiu em frente, e eu fiquei com medo que algum vento pudesse levar ele. “Josh.” Ele deu uns passos para trás, com um sorriso acanhado. Eu não achava que ele queria chegar tão perto do precipício. Nós olhamos para a grandeza do canyon. Toda ansiedade que eu carregava foi embora – escola, drama, notas – nada disso importava mais. Era apenas eu e o canyon e o sol laranja e meu irmão comigo. Um feliz silencio sobre mim. “Isso dá perspectivas,” eu disse. “Sim.” Nós ficamos em silencio por um longo tempo. O sol estava quase atrás das montanhas agora. As cores se transformavam de areia para cinzas e vermelhos. Eu fechei meus olhos e ouvi o vento batendo contra as meias. Eu não pensei ter ouvido o vento bater com força antes. Eu suspirei, abrindo meus olhos. “Faz você olhar para si mesmo. É calmante.” Eu me virei para Josh, que mantinha os olhos fixos em algum ponto distante. “Você já olhou para seu interior e viu... nada?” ele perguntou. “Não. Você já?” Ele concordou. “Eu tentei meditação por uns tempos. Eu pensei que isso pudesse me ajudar a manter minha mente. As vezes minha mente apenas não pára... eu não gosto do que há em mim.” “O que você quer dizer?” “Eu não sei. Algo em mim me faz sentir... vazio. Como se não existisse propósito, sem nada. Como se eu não existisse.” Ele me olhava agora, procurando em meu rosto compreensão. “Bem, talvez você não tenha ido fundo o bastante.” “Mas o que se isso é quem eu sou?” “Você não é vazio. Ninguém é.” Ele não parecia convencido. Ele se voltou para o canyon, envolvido no desaparecimento do crepúsculo.

Meus pais não tinham falado em desconectar o suporte de vida de Josh. Não ainda. Mas eles não poderiam adiar a questão por muito tempo. Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Nós sabíamos que ele tinha ido. Mas a idéia de desconectar ele, o fim disso, era insuportável. Isso significaria que ele iria embora para sempre. O relógio marcava 8:37 pm. Eu não tinha certeza do dia. Eu e Emily andávamos pelos corredores. Cada passo era pesado, como andar na neve. “Obrigada por estar aqui por minha mãe.” “Ela estaria por mim, também.” Emily tentava sorrir. “Ela me disse sobre sua dança, que você faz parte de um grupo de breaker. É muito legal.” “Obrigada. Você deveria ir na Evermore alguma sexta ou sábado. Algumas vezes batalhamos com outros grupos.” Eu tentei pensar em algo mais para dizer. “Como está a faculdade?” “Estressante, mas legal. Eu não posso acreditar que estou na metade do curso. Você já escolheu sua faculdade?” “Não.” “Você se inscreveu em Columbia?” “Não é minha coisa, mesmo se eu pudesse ir.” Ela parecia surpresa. “Bem, são grandes escolas e isso significa que você pode ficar perto de casa – um, se isso for um apelo para você.” Ela obviamente sabia que eu tinha feito o possível para não ficar perto de casa ano passado. Mas não tinha julgamento em seus olhos. “Você é uma pessoa maravilhosa, Nic. Sua mãe me disse o que aconteceu com você recentemente. Ela disse que quando você estava no hospital, você era a única que mantinha eles juntos. Você tem feito a mesma coisa nesses dias. De fato, você sempre foi o elo, desde que eu conheço você.” Eu não estava certa do que dizer. Era o oposto de como me sentia. A única razão de ser calma era que não queria meus pais preocupados comigo. Era um trem descarrilado por dentro. Quando eu olhava para Josh, isso machucava tanto que queria gritar. “Mesmo quando você era bem nova, você sabia quem você era,” ela disse. “A vida não intimidou você. Você pega as coisas como elas vem. Josh nunca foi assim.” “Eu não acho que seja fácil como você diz, mas comparado ao Josh, quem se estressava por qualquer coisa, provavelmente parece assim. Ele sempre foi perfeccionista. Ele não podia aceitar nada menos que o melhor. Eu acho que é parte do que dirige ele... você sabe.” “Eu sei. Lembra quando ele tirou o 2º lugar nas Olimpíadas de Matemática? Para ele, foi uma falha total. Ele tinha uma boa frente, mas ele era tão inseguro. Eu tentei ajudar ele. Ele nunca escutava.” “Você ajudou ele demais. Ele teria saído há muito tempo dos trilhos se não fosse você.” Ela suspirou. “Eu não sei sobre isso. Quando as coisas começaram a ficar feias, eu falhei. Eu apenas não podia mais. Ele podia ser tão nervoso as vezes. Mas eu fiquei pensando que se eu me afastasse um pouco, ele não seria tão auto-destrutivo.” “Você não pode pensar uma coisa como essa. Você agüentou ele mais do que a maioria das pessoas iria.” Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Ela pressionou um lenço nos olhos. “Eu tentei. Eu apenas desejo...” “Você fez tudo que pode. Em algum ponto você teve de se salvar dele. Nós todos olhamos para trás e desejamos ter feito algo diferente. Mas não havia como.” O desespero no rosto dela era igual ao meu. “Eu penso que vamos achar um meio,” ela disse. “Eu penso que ele eventualmente vai para reabilitação, vai melhorar, e nós vamos continuar de onde parou.” “Nós sempre esperamos que ele fosse para reabilitação. Quando qualquer um de nós tentava falar para ele, acaba virando uma grande gritaria. No final, ele me odiava.” A gravidade disse me atingiu. Meu irmão iria morrer me odiando. Minha ultima memória dele era de sua raiva na noite no Evermore. Eu me sentia doente. “Ele amava você, Nic.” “Há muito tempo atrás, talvez.” “Não há tanto tempo. Mesmo quando começávamos a faculdade, ele algumas vezes ficava me gabando das coisas que você tinha dito. Como se você fosse o oráculo do conhecimento.” “Sério?” Ela concordou. “ele tinha muito respeito por você.” A tatuagem nas minhas costas pinicou. Eu olhei em volta. Carlo estava parado no final do corredor. “Eu posso encontrar você depois no quarto? Eu preciso ficar sozinha uns minutos.” “Claro.” Ela pegou outro corredor. Carlo e eu nos aproximamos. Seus olhos negros eram sombrios. Quando seus braços me abraçaram, eu me despenquei nele. “Zin me contou o que aconteceu. Ele disse que seu irmão esta preso à maquinas e o medico avisou que serão desligadas.” Eu concordei, dando um passo para trás. “Meus pais não vão desligar ainda. Eu não sei quanto tempo –“ E então as lagrimas que eu estive segurando caíram. “Shh... Eu quero ajudar.” Sua voz era tão calma que eu mal podia ouvi-lo por cima dos meus soluços. “Não há n-nada que você pode fazer. Sua função cerebral se foi. Uma vez que se foi, você não ppode voltar.” “A vida do seu irmão não precisa ter um fim.” Minha mente girou. Eu me afastei dele. “Não diga isso. Por favor. Isso não é uma opção.” “Eu sei que o conceito de imortalidade é difícil para você.” “É errado. Pegar almas... é como assassinato.” Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

“O homem sempre tenta sobreviver colocando a si próprio acima dos outros. Não esqueça, nós pegamos apenas as almas das pessoas que estão próximas da morte. Você sente que nós todos somos assassinos? É assim que você nos vê?” “Eu não disse isso. Mas eu não quero que meu irmão seja...” “Você prefere que ele morra?” “Eu não quero que ele morra. Mas se acontecer, a alma dele sempre viverá. Ele estará com Deus.” “Eu suplico que você deixe de lado suas reservas pois seu irmão não terá outra chance. Eu posso te dar o velho Josh de volta. O que era legal.” O que era legal. Ele sabia quanto eu queria o velho Josh de volta. Tanto que está me rasgando por dentro. Mas o que custaria? Se eu desse isso, Josh iria me agradecer ou me odiar? “Porque você se importa com meu irmão?” “Eu me importo com você. É por isso que estou aqui.” Seus olhos negros se focaram em mim, e eu soube que era verdade. Ele se preocupava comigo. Ele sabia que eu amava Josh. Ele sabia que eu faria qualquer coisa para trazer ele de volta. Mas que direito eu tinha para sentenciá-lo na terra, para sobreviver pegando almas? Eu não podia. Eu não queria ser a responsável por alterar o destino que Josh tinha criado para si. Quem eu era? Eu não era Deus. Nem Carlo. “Obrigada pela oferta, Carlo. Mas minha resposta é não.” Antes que ele pudesse dizer qualquer coisa, eu me virei e fui para o quarto. Eu esperava que ele me seguisse, que tentasse mudar minha resposta. E talvez eu queria que ele fizesse. Mas quando olhei de volta, ele tinha ido. Eu retornei a CTI, entrando silenciosamente para não perturbar ninguém. Passando a cortina, eu vi Emily sozinha com Josh. Ela estava sussurrando para ele, pressionando a Mao dele no coração dela. Antes que ela pudesse me ver, eu escapuli para fora do quarto. Ela merecia ter uns minutos sozinha com ele para dizer o que ela precisava. Eu achei meus pais no lounge próximo a cafeteria. Havia uma TV presa na parede, mostrando a CNN. Eu me espremi entre eles no sofá. Eu senti braços a minha volta. Uns minutos depois nós nos levantamos com os membros instáveis. Mamãe e eu fomos para o quarto e papai foi ao banheiro. Mamãe e eu entramos – e paramos. Josh estava sentado na cama, seus braços em volta de Emily. Seus olhos azuis em nós. “Mãe, Nic, juntem-se ao abraço!”

Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

21 – BEM-AVENTURADOS Eu estou muito chocada para me mover. Mamãe correu para os braços do Josh. "Oh, querido, nós pensamos que tínhamos te perdido! É um milagre!" Mas não é um milagre. É o Carlo. Eu voei até Josh, e nós nos mantemos apertados, um circulo de amor. Isso não pode estar acontecendo, eu continuei pensando. Mas está acontecendo. Josh está de volta. "Você nunca vai me perder, mãe." Ele beijou a testa dela. "Você olha como se tivesse tido um tempo difícil nesses passados dias. Basta apenas me dizer e tudo terá ido.” Mamãe acenou, muito chocada para poder falar. Ela se agarrou a ele. Eu o puxei de volta, limpando meus olhos. Josh me alcançou e pegou minha mão. "Eu senti sua falta, Nic." "Eu tambem." Meu pai entrou, e parou morto. Então ele correu mais rápido, jogando seus braços em volta de seu filho. A enfermeira ficou lá, muda, antes de se apressar para fora. Nós todos estamos ao redor de Josh, nos abraçando e chorando. "Você está vivo," papai continuou dizendo. Eu nunca vi tanta alegria em seu rosto, nunca. "Ele me curou", disse Josh. "Quem?" meus pais perguntaram. "Eu não sei. Eu acordei e ele estava ali, verificando se meus sinais vitais estavam bem. É como se ele fosse um médico, mas ele estava usando um terno." Ele olhou para a Emily, que estava limpando suas lágrimas com um pedaço de tecido. "Eu não sei quem ele era", ela falou."Um curandeiro, eu acho. Ele me disse para colocar as mãos sobre a cabeça dele. Ele colocou suas mãos sobre as minhas. Falou em alguma língua. Houve uma luz. Foi através de nós..." O médico chegou, os olhos arregalados por trás dos óculos. "Isso é inacreditável." "Não seria a primeira vez que me chamaram de inacreditável," Josh disse. "Então, eu posso ir para casa agora?" "Uh, não, definitivamente não. Eu gostaria de fazer mais alguns exames, para ter certeza de que você está completamente estabilizado." Nós saímos do caminho para que o médico pudesse se aproximar de Josh. Ele checou o pulso e a pressão arterial manualmente, com espanto em todo seu rosto. Em seguida ele examinou as máquinas, como se elas pudessem ter tido um mal-funcionamento. Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Ele não vai encontrar uma explicação lógica para o que está procurando. Josh ficou nisso por alguns minutos, então olhou melancolicamente para o soro. "Posso pegar um pouco de comida de verdade?"

Eu acordei no dia seguinte, logo depois da uma da tarde. Felizmente, mamãe e papai não me acordaram para a escola. Eles não poderiam ser razoáveis e esperarem que eu fosse após o esgotamento dos últimos dias. Eu desci as escadas com pressa para encontrar uma nota sobre a mesa da cozinha. Ei dorminhoca! Nós estamos no hospital visitando o Josh até três horas. Há também o horário de visita das seis ás oito, se você quiser passar por lá. Nós vamos trazer uma pizza para casa no jantar. Com Amor, Mãe e Pai. Eu exalei. Não foi um sonho. Josh está bem. Se ser um Jiang Shi é estar bem. Carlo. Eu quero abraçá-lo. Eu quero dar um tapa nele. Eu não sei o que eu quero, ou o que eu deveria sentir. Josh está vivo. Vivo e bem. Um sentimento correu através de mim. Alegria. Eu liguei para o Zin. "É bom ouvir sua voz, Nic. Como ele está?" "Ele está ótimo." "Ótimo?" Ele pareceu surpreso. Então eu me lembrei que a minha ultima mensagem, eu estava considerando Josh vivendo por um suporte de aparelhos. "Ele estava perto da morte, mas depois Carlo apareceu." Houve um longo silêncio. "Zin, você está ai?" "Você está me dizendo que ele mudou Josh." "Yeah. Você deveria ter visto Josh ontem. Ele estava tão alerta e feliz. Ele estava mesmo contando piadas." "É bom ouvir isso," mas sua voz estava contida. "O que é isso?" "Nada. Eu sei quanto você o ama. Não posso culpá-la por fazer o que você fez." "Não foi minha escolha. Eu falei pro Carlo não mudá-lo, mas ele tinha chegado perto e feito, de qualquer maneira." Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Ele está sério. "Yeah." Lágrimas enchendo meus olhos. "Josh poderia estar morto agora, se Carlo tivesse me ouvido." "Foi preciso muita força para dizer não." "Como deixar meu irmão morre é a coisa certa? Eu estou feliz de Carlo não ter me ouvido." "Você acredita na vida após a morte. Assim como a maioria das pessoas. Não há razões para se sentir culpada." "Josh está diferente agora. Nós temos ele de volta, realmente de volta, ele é o que costumava ser." "Isso é maravilhoso, Nic." Mas a sua voz não esta conveniente. Posso dizer que a mudança de Josh foi uma má idéia. "Você não soa como se isso fosse maravilhoso." "Só me de um pouco de tempo para absorver isso. Carlo não mudou ninguém em duzentos anos, e ele só... muda certos tipos de pessoas." "O que você está supondo? Josh não é bom o bastante para ser um Jiang Shi?" "Eu não estou dizendo isso. Mas você sabe tão bem quanto que Carlo escolheu cuidadosamente todos que ele mudou. Ele nunca mudou ninguém que não estava mentalmente bem antes." "Josh pode ser seguramente um Jiang Shi. Você vai ver." "Eu espero que você esteja certa. Nós não saberemos até ele tomar sua primeira alma. Mas isso não será por muito tempo." Longo tempo. Quando eu estiver morta há muito tempo.

Quando eu cheguei ao hospital, Josh estava sentado. Seu cavanhaque está irregular e por isso, suas faces estão afundadas, as sombras roxas sobre seus olhos, as cicatrizes na pele. Ele parece jovem e com uma cara boa. Saudável. Mas a diferença mais surpreendente são seus olhos. Eles estão claros e brilhantes, eles se iluminaram quando eu entrei na sala. "Ei, Nic! Eu estava esperando você parar por aqui." Eu o abracei, depois sentei em uma cadeira as lado da cama. "Como você está se sentindo?" "Como se eu devesse estar numa maratona, não enfiado nesta sala." "Você parece bem. Quando você vai poder ir para casa?" "O doutor disse que amanhã, se todos os exames estiverem ok. Ele está apenas arrasado porque não pode explicar a minha recuperação. Ele não acredita que um curandeiro esteve aqui. Ainda é Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

difícil pra mim acreditar. Mas este homem, quem seja ele, salvou minha vida. Eu tenho que encontrá-lo e lhe agradecer. E eu quero perguntar como em nome de Deus como ele me arrastou de volta. Você acredita em anjos?" "Eu não sei." "Eu também não. Eu só fico pensando, porque ele me escolheu? Porque foi me dado uma segunda oportunidade, quando tantas outras pessoas, tantas pessoas boa, morrem?" "Você é uma pessoa boa, Josh. Você sempre foi. É só quando... você foi viciado e tudo foi por água a baixo. Isso não muda quem você é." "Eu me lembro dele, a forma como ele pensa. Ele não merecia um milagre." "Josh, você era um viciado. É uma doença. Você não pode culpar a si mesmo." Mas minhas palavras não eram verdade. Eu o culpava por destruir a si mesmo, por destruir a nossa família. Quem mais eu poderia culpar? "Você não precisa dizer isso, Nic. Eu fiz minhas escolhas. Eu vou fazer diferente dessa vez." Ele e deu um sorriso tranqüilizador. "Quando Deus lhe dá uma chance dessas, você não pode desperdiçá-la." Logo ele vai saber a verdade sobre o por que ele ainda está vivo. Carlo vai esmagar essa sua idéia de Deus.

                              Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

22 – COMO ANTIGAMENTE É pura crueldade eu ter que ir para escola no dia seguinte. Eu quero estar no hospital com meus pais quando Josh receber alta. Eu quero ficar beliscando o Josh, e a mim, para ter certeza de que é real. Não existe chance de recaída agora. Nenhuma chance de desastre. Não existe nem chance de que algum acidente roube a vida dele. Eu posso assistir aula e pensar no Josh sem ter uma sensação tensa e ruim no estômago. Eu me sinto mais leve, tão mais leve que eu aposto que o Zin vai notar isso em minha alma. O Zin não podia simplesmente ficar feliz por mim? Fico surpresa que ele, dentre todas as pessoas, esteja questionando o julgamento de Carlo, já que ele mesmo só está vivo por causa disso. No almoço, meus amigos estão hesitantes em fazer perguntas. Eles sabem porque eu estive fora de circulação por alguns dias – eu dei permissão ao Zin para contar a eles sobre a overdose de Josh. Eu decido contar tudo. Oficialmente. “Ele está com problemas há algum tempo. Desculpe não ter contado para vocês, gente.” “Você não precisava nos contar nada.” Slide diz. ‘É um assunto de família.” Chen me dá um tapa nas costas. “É. Todos nós temos problemas de família. Ele vai ficar bem? Ele não pode voltar a entrar em coma, pode?” “Não. Ele vai receber alta do hospital hoje.” “Devem ter sido uns dias infernais,” diz Slide. “Acho que você não vai querer ir para o Hip-Hop e Boliche hoje à noite. “É, é melhor eu ficar em casa. Preciso de um tempo com a família.” “Estamos tão felizes que ele está bem,” diz Kim. “Você falou com ele a respeito de reabilitação? Ou talvez seja muito cedo, já que ele está recebendo alta hoje.” “Tenho certeza que meus pais irão conversar com ele sobre isso.” Apesar de que ele não vai precisar, eu não digo. “Tenho a sensação que esta experiência deu uma acordada nele. Acho que ele vai melhorar. E vai ser para valer desta vez.” Meus amigos estão concordando com a cabeça, mas aposto que eles estão cépticos. Eu não os culpo. Eu também estaria. Eles não sabem o que eu sei.

Quando eu chego em casa, mamãe está na cozinha fazendo macarrão com queijo, o prato favorito de Josh. “Oba.” Eu a abraço. “Onde ele está?” Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

“No quarto dele.”

Eu corro lá para cima. É surreal, ver o Josh no seu antigo quarto. Ele está sentado em sua cama, rasgando seus antigos pôsteres em pedacinhos. As paredes dele costumavam ser cobertas por pôsteres de heavy metal, e agora estão completamente vazias. Ele olha para cima. “Você acha que eu posso reciclar esses pôsteres? Não tenho certeza se é possível reciclar papel com impressão brilhante.” “Eu também não tenho certeza.” Eu mergulho na cama dele. “Vejo que você está redecorando.” “Vou ficar mais feliz sem todos esses pôsteres à minha volta.” Ele rasga outro pôster, no meio do olho demoníaco de Marilyn Manson. “Tudo bem para mim as paredes estarem vazias agora. Vou pintar de branco. Odeio esse azul marinho.” “Eu também, não tem mais nada a ver com você.” “Nunca teve a ver comigo. Não faça a mínima idéia quem era aquele outro cara... só espero nunca encontrar com ele de novo.” Consigo ver o traço de dúvida nos olhos dele, o medo de que ele vá escorregar de novo. Ele não faz idéia de que não pode ficar viciado, porque os Jiang Shi são imunes a doenças. “Você vai ter que se acostumar a dividir o banheiro de novo.” Ele diz. “Droga.” Eu sorrio, lembrando como costumávamos brigar por causa disso. Era ele que sempre demorava muito. Eu o acusava de ser mais vaidoso que uma garota. Pensando bem, ele não era muito pior que o Rambo. “Como foi a escola?” ele pergunta. “Blá.” “Sua formatura é em alguns meses. É bem legal.” “Acho que sim.” “Seu entusiasmo é contagiante. Mamãe diz que não sabe seus planos para o próximo ano. Ela tem medo de te perguntar.” “Eu entrei em alguns lugares, mas eu sei que não temos dinheiro. Talvez eu vá para City College ... ou talvez eu tire algum tempo de folga.” “Eu sei que é minha culpa que não temos dinheiro. Não sei o que dizer. Pedir desculpas não parece suficiente.” “Não se preocupe. Só estou feliz que você esteja bem.”

Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

“Obrigado. Se você for mesmo para City College, provavelmente estaremos juntos no campus. Espero que isso não estrague seus planos. Eu liguei alguns minutos atrás e um conselheiro disse que com minhas notas no SAT 29 não vou ter problema em conseguir vaga.” “Você já decidiu isso?” “Eu pensei nisso ontem à noite. O único jeito de conseguir pagar os nossos pais antes que eles aposentem é conseguindo um emprego que pague bem. O que significa voltar para a faculdade imediatamente. Não podemos mais pagar pela Columbia, então eu vou para City College. Se minhas notas forem tão boas quanto eu imagino que vão ser, eu consigo entrar numa Escola de Direito decente.” “Uau. Você já planejou seu futuro em menos de 24 horas, eu ainda estou confusa sobre o que fazer no ano que vem.” “Você sabe que eu sempre quis fazer Direito. Se eu não tivesse feito besteira, eu já estaria na metade do curso agora. Mas eu consigo. É para isso que servem as aulas de verão e as aulas noturnas. Pensei em passar os primeiros anos da minha carreira no Direito Corporativo e depois, quando eu estiver estável financeiramente e tiver pago nosso pais, eu mudo para Direitos Humanos e Ajuda Legal.” “É um super plano.” O mesmo Josh de sempre, planejando e obcecado. Acho que essa parte não muda quando você vira imortal – sua personalidade permanece a mesma. Mesmo assim, ele não vai ser capaz de passar dos limites dessa vez. Não quando não há limites para ele.

Estou na mesa de jantar com minha família. Estamos conversando, rindo. É como es tivéssemos voltado aos velhos tempos, os tempos de potencial. Josh continua afogando seu macarrão em catchup. Eu continuo dizendo para ele que não faz sentido, porque não se pode sentir o gosto do queijo. Ele continua me ignorando. Meus pais estão felicíssimos. Eles estão sorrindo tanto que mal conseguem colocar comida na boca. “Emily está vindo às 8”, diz Josh. “Ela vai trazer um filme e Jiffy Pop. Vocês topam?” “Claro.” Papai e eu dizemos ao mesmo tempo. Mamãe concorda com a cabeça. “Parece bom!” Essa família é minha? A sobremesa é o sabor favorito de Josh do sorvete Ben & Jerry, Chuncky Monkey. O Josh come 3 bolas gigantes. Ele está comendo com se não tivesse visto comida em décadas. Não há dúvida que ele é um Jiang Shi. “Você vai ganhar peso rapidinho,” mamãe diz. “Espero ganhar 10 quilos até setembro.”                                                              29

 

 NT: equivalente ao Vestibular  Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057


Alison van Diepen - Raven

 

“Seria uma meta divertida.” Mamãe ri. “Alguns de nós precisam fazer o contrário.” É bom ver mamãe rir disso. Ela deve ter ganhado dez quilos nos últimos dois anos, e eu sei que é por causa de suas preocupações com o Josh. Mas agora que Josh voltou, ela pode se concentrar em ficar saudável de novo. Josh sorri. “É, existem coisas piores do que ganhar peso, mas eu vou fazer isso do jeito certo. Vou comer coisas saudáveis e ir para a academia. Você vai na Y, não é, Nic? É decente?” “E barato. Tenho alguns passes para convidados que eu posso te dar.” “Ótimo.” “Só tenha cuidado para não colocar muito peso no seu corpo muito rápido,” papai diz. “Pode deixar.” Depois do jantar Josh recolhe os pratos e começa a lavar a louça. Meus pais se olham. Mesmo quando estava bem, Josh nunca ajudou. Josh ri. “O que é que vocês estão olhando? Já que vocês não vão me cobrar aluguel, eu vou ajudar por aqui. Nic, quer secar?” Emily aparece um pouco antes das oito, e começamos a assistir ao filme. É uma comédia com Will Ferrel que nos faz rir desde a primeira cena. Não consigo lembrar a última vez que fiquei com a minha família. Pela primeira vez em muito tempo eu não quero estar em nenhum outro lugar.

Por volta de onze e meia da noite meu telefone se acende. Eu esperava que fizesse isso. “Você não estava dormindo, estava?” É só por formalidade. Zin sabe que eu nunca estou na cama antes da meia-noite. “Não. Você está no seu intervalo?” Consigo ouvir a rua atrás dele. “Sim. Eu queria saber como estão as coisas.” Eu o imagino do lado de fora da Evermore, sem casaco apesar da noite fria, e quase posso sentir seu cheiro. “Está tudo ótimo. Tivemos um jantar em família como nos velhos tempos. Você devia ter visto ele comendo. Ele é pior que você.” Ele dá uma risada. “Ele tem que recuperar o tempo perdido.” “É. E olha só, ele já está fazendo planos para o outono. Ele quer voltar para a faculdade.” “Você sempre me disse que ele era persistente.” “Com certeza. Eu estava pensando ... e se você contasse para ele que ele é um Jiang Shi? Talvez pareça menos assustador vindo de você.”

Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

“Deveria ser o Carlo. Ele o mudou, e ele sabe porque. Ele entende os Jiang Shi melhor do que qualquer um de nós, especialmente eu.” Talvez ele tenha razão. Zin, com suas suspeitas sobre o Carlo, pode confundir o Josh. “Você tem notícias do Gabriel?” “Ainda não.” Eu respiro. ”Espero que ele encontre a resposta logo.” “Eu também. Eu quero confiar no Carlo. Mas acima de tudo, eu quero saber a verdade. E olha, sinto muito por não ter reagido do jeito que você esperava à mudança do Josh. Acho que eu não estava pronto para a existência de mais um Jiang Shi.” “Tudo bem. Você sabe que eu era contra no início. Mas agora que eu o tenho de volta, não posso questionar. Eu o amo demais para desejar que não tivesse acontecido. “Você é um anjo, Nic.” Ele diz calmamente. “Obrigada. Na verdade, Josh achou que o Carlo podia ser um anjo.” Zin ri. “Agora, isso é engraçado. Eu achava que a última coisa com que iam confundir o Carlo seria um anjo.” “Mas eu consigo entender. Ele é muito obscuro, mas tem algo etéreo nele.” “Etéreo? Parece que você está a fim dele.” Eu rio, e ele também. Ciúme só poder ser um jogo entre nós, porque ele conhece minha alma. E ele sabe que não há ninguém além dele. “Então você vai vir trabalhar amanhã à noite, certo?” ele pergunta. “Sim.” “Parece que não tem vejo há anos.” Ele pausa, e eu sei que ele está pensando no nosso último momento juntos na varanda.” “Eu queria mesmo ter te ligado antes, ver se você queria sair ... mas eu sabia que você ia querer passar tempo com sua família.” “É. Eu até passei o Hip Hop e Boliche.” “Isso prova alguma coisa. Rambo continua falando dos novos sapatos de boliche. Eu simplesmente não entendo.” “Nem eu.” “Bom eu tenho que voltar. Mas eu te vejo amanhã à noite. Senti sua falta, Nic.” “Eu sentia sua também.”     Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

23 – DENTRO DA TEMPESTADE A próxima noite que eu fui trabalhar cheguei uma hora e meia antes. A porta do escritório estava aberta. Carlo estava em sua mesa quando eu entrei, banhado na luz de velas. Ele se levantou, andou em volta da sua mesa. “Raven”. Ele me deu um longo olhar. “Eu devia me desculpar?” “Não.” Ele sorriu. “Bom. Eu só fiz o que você queria que eu fizesse, mas tem medo de represália. Eu vi a verdade em sua alma.” “Eu sei. Obrigada.” “Sente-se,” ele disse, e voltou a sua cadeira. “Eu... não posso explicar muito o que você fez pela minha família. Tudo que posso dizer é que Josh está bem.” Eu estava determinada a não chorar. Havia coisas que precisávamos falar. Coisas importantes. “Josh acha que você é um curandeiro ou anjo. Ele quer agradecer a você. Quando você vai dizer a ele a verdade?” “Eu quero responder a sua questão. Normalmente eu espero algumas semanas ate que a pessoa volte ao seu juízo. O que você acha?” “Eu acho que você deve dizer a ele logo. Eu posso dizer que ele esta preocupado em ficar viciado novamente, e eu não quero que ele tenha algo com isso. Mais, ele esta fazendo planos de voltar a faculdade no outono. E ele esta tentando voltar para ex-namorada dele. Eu apenas acho que ele deve saber a verdade.” “Eu vou dizer a ele amanhã. De a ele meu numero e nos arranje um encontro.” “Ok.” eu não podia ajudar mas me sentia nervosa. Josh ia saber a verdade. Ele estava para descobrir que não poderia ficar em um mesmo lugar mais de dez anos. Que ele deveria esperar ir a áreas com guerras junto com os outros. Ele iria saber que tudo isso aconteceu devido a minha conexão com Carlo. E ele talvez possa me odiar por isso. “Eu não estou preocupado, Raven. A maioria das pessoas gosta da idéia de ser imortal.” “Josh nunca foi como a maioria das pessoas.” “E você? Gostaria de ser imortal?” Meu coração parou de bater. Eu pensei na suspeita de Zin e Gabriel sobre o ataque. Mas eu ainda não sabia se era verdade. “Eu acho que a resposta era... algumas vezes.” Ele levantou sua sobrancelha. “Mesmo depois do seu irmão ter sido transformado? Você não gostaria de se juntar a ele?” “O que isso tem a ver se eu vou me juntar a ele ou não? Não estou morrendo.” “Não, você não está. Eu sei, no entanto, você tem tido sonhos.” “Que sonhos?” “Sobre os corvos.” Minha garganta estava seca. “Eu tenho tido esses sonhos estranhos.” Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

  “Eu acho que chegou à hora de saber do seu destino, raven. Eu fui avisado há muitas décadas atrás.” ele parecia tão intenso, eu quase esqueci de respirar. “Eu sei que quando o corvo aparece, um corvo com uma lágrima nos olhos, uma nova era de Jiang Shi esta próximo.” Ele andou ate mim. Ele estava tão perto que meu pulso vacilou, como se ele tivesse um campo eletromagnético em volta dele. Então ele passou a mão nas minhas costas, bem em cima da tatuagem. Ele sabia. Eu cobria a tatuagem tão bem, mas ele sabia. “Espero que traga alguma realização para você, mas eu não acho que possa esperar muito mais. Seu destino é ser uma de nos, Raven.” “Uma de vocês? Significa....” “Sim. Seu destino é ser uma Jiang Shi.” Eu fiquei sem voz. Eu olhei para ele, esperando que sua expressão séria se transformasse num sorriso. Mas como ele tinha dito uma vez, humor não era o seu forte. “É difícil aceitar, mas eu tenho previsto. Em seiscentos anos, eu nunca tive uma visão que não tenha virado realidade.” “Me desculpe, Carlo, mas não vejo isso acontecendo.” “Não importa se você pode prever ou não. Isso é como as coisas são. Eu espero que siga meu conselho e se transforme em uma de nós. Se você esperar o destino, talvez seja mais doloroso.” Eu engoli. “O que você esta me pedindo para fazer?” “Você pode ser submetida a uma overdose controlada, um coquetel farmacológico que tem faça ter um ataque cardíaco. Eu estarei com você, pronto para quando o momento de ser transformada chegar. O único jeito de se tornar um Jiang Shi é o momento da morte, quando as almas se soltam do corpo, pronta para abandoná-los.” “Isso é louco. Você pode perder o momento e meu coração pode parar.” “Isso é impossível. O coração é forte antes de falhar. Isso é uma janela para o ato. Entretanto, eu terei um desfribilidor a mão em todo caso.” “Você acha que eu me envenenaria?” “Como eu disse, se nós não fizermos isso nós mesmos, o destino irá propor um caminho que pode ser pior.” “Você espera que eu pule nisso?” “Não pular, talvez, mas considerar.” “Eu não acredito nisso.” Eu pressionei meus dedos em minha têmpora. “Isso é insano.” “São tantos paradigmas num momento tão curto para você, Raven. É natural se sentir do jeito que você se sente.” Eu olhei para os olhos negros dele. Anjo ou demônio? Meus olhos tinham lágrimas. Eu não podia olhar para ele novamente. Porque eu deveria? Ele via tudo de qualquer maneira. “Você ama nosso Zinadin. E ele ama você. Há apenas uma coisa que existe entre vocês.” Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

  Minha mortalidade.

Eu estava parada do lado de fora do escritório de Carlo como uma bêbada. Era irreal. Eu apenas tinha uma chance para ficar com Zin para sempre. Nunca envelhecer, nunca morrer. Explorar cada canto do mundo. Tudo que qualquer pessoa poderia sonhar. Parte de mim gostaria que ele não me desse escolha. Se alguma coisa acontecesse comigo e ele me transformasse num Jiang Shi – tudo bem. Mas não do jeito que Carlo queria que eu me transformasse. Eu realmente diria não a minha mortalidade? A resposta veio com rapidez: uma vida normal, carreira, filhos, estabilidade. Tudo que eu sabia e queria da vida. E a chance de achar isso era além. A chance de achar isso se realmente existisse uma luz. Estranho, mas eu sempre esperei ter filhos um dia. Eu não sei porque. Você pode criá-los bem e ainda sim eles fazerem asneiras. E então eles crescem, isso pode arruinar sua vida. Você nunca mais será feliz de novo. Porque iria se meter nisso? “Viajando, huh?” Zin apóia os cotovelos no bar. “Sim.” “Bom ver você.” “Digo o mesmo.” “O que Carlo disse sobre Josh?” “Um, amanhã. Ele dirá a ele amanha.” “Tem algo errado?” “Não.” Talvez eu não esteja mentindo. Eu não sei se algo esta errado ou não. Tudo que eu sei é, eu tenho de pensar nisso eu mesma. Zin piraria se eu contasse a ele sobre a oferta de Carlo. Ou não? Eu olhei em volta. “Eu deveria pegar os pedidos.” “Ok. A propósito, os Toprocks vem hoje a noite.” Ele pegou minha mão, e uma pequena eletricidade passou para mim. “Nós vamos dançar mais tarde.” Eu concordei, procurando pelos clientes. Ele nunca tinha dito isso antes. Nós vamos dançar mais tarde. Nós dançaríamos para sempre se... Eu não podia deixar meus pensamentos tomarem essa direção. Se eu escolhesse me tornar um Jiang Shi, não deveria ser por causa de Zin. De acordo com Carlo, eu não preciso dizer o motivo para me tornar uma Jiang Shi ou não, tudo que precisava dizer era quando e como aconteceria. Mas Carlo podia estar errado. Zin e Gabriel pensavam que ele estava errado sobre a vida após a morte. Porque não sobre sua visão? Eu somente poderia fazer isso se eu realmente tivesse certeza. Os Toprocks e Kim apareceram por volta da meia-noite. Eles estavam bombando, indo diretamente para pista de dança. Eu dei uma pausa para dançar com eles. Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

  As mãos de Kim com seu usual movimento frenético. Slide estava do lado dela. “Você não deveria estar trabalhando!” “Apenas se mexa, Slide. Eu tenho mais de onde veio esse.” “Uau,” todos dissemos. “Minha garota poderia se tornar uma breaker um dia, quem sabe?” Chen gracejou. “É o meu grande sonho, Chenny Wenny.” “Eu tive de vir,” Rambo disse. “Vamos treiná-la e fazer ela se juntar aos Spinheads e fazer eles perderem todas as batalhas!” Kim mexeu suas bugingangas azuis. “Eu seria feliz, Bo. Enquanto eu for isso, eu poderia dizer a todas as garotas no bar que você esta usando sapatos de boliche.” “Diga então. Quem iria me culpar? Quem mais tem sapatos que poderiam deslizar como esses?” ele deu alguns movimentos, com a sola escorregadia. “Impressionada,” eu tive de dizer. “Eu também. Preciso pegar um par.” Zin estava parado ao meu lado. “Você deveria ter me dito que ia dar uma pausa.” “Desculpe.” Eu estava tão cheia de emoções, eu tinha de solta-las. Meus olhos estavam bem fechados, e eu deixei a musica tomar conta de mim. Eu podia sentir meus amigos movendo seus corpos no ritmo. Gelo seco estava no ar, transformando a pista num sonho gelado. Meus olhos estavam focados em Zin, que estava se movendo como um líquido na mistura. Eu me lembrei da primeira vez que o vi, sua luz queimava na fumaça. A nevoa engrossa. Nós éramos quase cegos e quase chocantes com essa doçura seca, mas nunca paramos de dançar. A sensação de claustrofobia tomou conta de mim como se eu desejasse a nevoa. Então eu senti fortes braços em volta da minha cintura e o rosto de Zin perto do meu, como se ele dissesse, É apenas nós agora. Seus lábios encostaram em minha bochecha, e seu corpo se movia junto com meu. Ele tentava entrar no meu ritmo, e suas mãos pressionavam um pouco as minhas costas, me mantendo perto. Olhos verdes na minha frente me questionavam ainda esperando a resposta. Você quer isso? Eu coloquei minha mão na cabeça dele e trouxe seu rosto mais perto do meu. Apertando meus lábios contra os dele, nossas bocas se encontraram. O calor corria por nós como mel, e nós nos movíamos como um, do jeito que queríamos que fosse. Só há uma coisa entre vocês. A voz de Carlo estava na minha cabeça. E naquele momento, havia somente uma resposta. Sim. Agora. Para sempre. Zin deve ter sentido a intenção do pensamento, porque ele ajeitou as costas, suas mãos tocavam meu pescoço. A nevoa em volta de nós estava começando a se dissolver, e as formas das pessoas voltaram a aparecer, nos mostrando que não estávamos sozinhos. “Você virá mais tarde?” ele perguntou. Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

  Eu tinha uma decisão para tomar. Uma decisão da qual eu não poderia voltar atrás. E eu tinha de fazer isso por mim mesma. Se não, eu podia recuar, e acusar ele para sempre. “Não hoje a noite. Eu preciso... pensar. Mas eu posso amanha. Eu prometo.” Ele sorriu. “Então amanha é o dia.” Quando eu fui para cama naquela noite, eu disse a mim mesma que eu acordaria com a resposta. Meus sonhos exploraram o dilema usando símbolos que eu pensaria pela manhã. E minha decisão seria obvia. Mas meu subconsciente não sabia nada do meu dilema, porque nos sonhos, eu estou deitada com Zin entre lençóis brancos. Nossos corpos estavam tão próximos que eu podia sentir sua respiração nos meus lábios. Nos beijávamos tão intenso, e não havia pressa. Era como se nós transpassássemos o tempo. Ele tirou os cabelos do meu rosto, pressionando seus lábios contra minha bochecha, nas minhas têmporas. Eu sorri para seu rosto, o amor estava estampado nos seus olhos. Seus lábios desceram para meu pescoço, falando uma suave e antiga melodia que eu não conseguia identificar. Mas eu sentia o que ele estava dizendo. Eu percebi que nós estávamos nus, e isso não parecia nada estranho. Era natural, alegre, como se nós estivemos de estar daquele jeito. Minhas mãos estavam em seu peito, sentindo o calor de sua pele, o batimento do seu coração. Eu escorreguei minhas mãos sobre seu abdômen, e eu ouvi ele prender a respiração, então rir. A risada de Zin me enchia de felicidade. Eu estava rindo também. Ele beijava meu corpo com reverencia, cada toque dos seus lábios na minha pele me ligava. Eu olhava para o cabelo escuro dele, observando ele brincando com meu umbigo. Ele olhou para mim, seus olhos brilhavam como batimentos cardíacos, seus lábios famintos. Então ele deslizou sobre mim, e nós nos tornamos um.

Eu acordei em um emaranhado de cobertas e luxuria. Era muito achar respostas em meu sonho. Eu desci as escadas e encontro Josh na cozinha com meus pais, bebendo café de pijamas. “Algo cheira bem.” Eu observo a mesa. “Torradas!” “Eu fiz o bastante para você, também,” Josh diz. “Impressionante.” Em que universo Josh faria o café da manha para nós? Num universo onde os Jiang Shi tem vida longa, veio a resposta. Um tremor passou por mim ao pensar que Josh hoje descobriria a verdade. Eu dei a ele o numero de Carlo, então deixei o Carlo cuidar do resto. Josh nunca foi uma criança que aceita mudanças de modo algum. Ele sempre foi todo rotina, controle. Agora ele ficará sabendo de algo que vai mudar completamente sua visão de vida e mundo. Como ele vai lidar com isso?

Eu estava grudada na janela do meu quarto. O sol da tarde estava se escondendo numa nuvem. Josh estava fora por quatro horas agora. Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

  Eu passei a maior parte do dia vagando pela casa, parando nas janelas, navegando em pensamentos. Eu não estava perto de dar uma resposta a Carlo, ou a mim mesma. Eu não conseguia separar a decisão de me tornar uma Jiang Shi com meu amor por Zin, e até que eu conseguisse isso, eu sentia que não podia tomar a decisão certa. Amor é uma razão para escolher a imortalidade? Como eu sabia que Zin m amaria para sempre? Talvez nos próximos, 50 anos, ou 100 anos, e então eu passaria a eternidade sozinha? Eu voltei ao presente quando eu escutei Josh bater a porta do carro. Correndo escada a baixo, eu abri a porta da frente antes dele tocar. “Como foi?” Ele entrou, olhou em volta. “Mamãe e papai estão em casa?” “Não.” Seus lábios abriram um sorriso. “Eu não posso acreditar que você sabia disso todo esse tempo!” “Sim, bem.” Ele foi ate a cozinha, encostando num dos cantos. “Eu estava com medo de acreditar, você sabe? Carlo teve de me provar para que eu acreditasse. Tudo que eu tive de fazer era olhar no espelho, ver dentro da minha própria alma. Isso estava comigo desde que eu acordei, eu estava vendo as almas das pessoas, eu apenas não sabia o que era.” Ele me deu um olhar penetrante. “Carlo estava certo. Sua alma é brilhante.” “Você pode ver desse jeito?” “Sim. É maravilhoso. E perfeitamente inteiro. A maioria não gosta” Oh meu Deus. O buraco se foi. Ele estava certo, eu podia sentir. Desde que ele tinha acordado no hospital, desde que eu tinha minha família de volta, o buraco tinha ido. Isso era maravilhoso. E isso ainda parecia como conversar. Zin não tinha dito que todos nós carregamos um pouco de perda em nossas almas? Porque eu não carregaria, como todos os outros? Eu não deveria responder isso. Eu apenas deveria agradecer a Deus por isso. Ou Carlo. “Imortalidade, Nic. Você pode acreditar? A idade não vai me tocar. Nem doenças. Você sabe o que isso significa? Eu nunca mais vou ser um viciado de novo.” Eu sorri. “Eu sei.” “Quando Carlo disse que os Jiang Shi nunca ficam viciados, era como me libertar de uma prisão. Eu não tenho que ter medo mais.” “Estou tão feliz de você estar feliz, Josh.” “Carlo disse que você estava preocupada sobre isso. Porque eu não ficaria?” “Bem, Zin disse que não se sentia tão bem. Ele sentia como se ele não tivesse escolhido.” “É incompreensível. Mas o que nós podemos ser está além das minhas expectativas. Pense sobre todas as coisas que eu serei capaz. Eu tenho todo o tempo para ver o mundo. Talvez algum dia eu explore os outros planetas. Quem sabe? Eu estou tão feliz de estar vivo, Nic. E tudo é por sua causa.” Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

  “É por causa de Carlo, não minha.” “Se Carlo não se importasse tanto com você, ele nunca me mudaria. Não é como se ele fosse em hospitais procurando transformar as pessoas.” Obviamente Carlo não achou necessário dizer a ele a verdade – que eu tinha dito não a sua transformação. Outra coisa que eu estou grata. “Eu acho que ele te disse como se manter vivo.” “Sim. Nós absorvemos as almas danificadas para nós mesmos.” “Você esta ok com isso?” “Não é como se a gente pegasse as pessoas nas ruas. Ele me disse que a pessoa precisa estar num ponto próximo da morte. Qual a alternativa para uma alma danificada?” Que era a pergunta de um milhão de dólares. “Eu espero que isso não incomode você,” ele disse. “É novo, sabe? Eu não quero que isso faça você ciumenta. Você vai ter uma vida longa, natural, maravilhosa, Nic. Eu tenho certeza disso.” “Eu não sou ciumenta.” Mas eu percebi que minhas palavras eram: uma mentira. A questão é – o que eu vou fazer sobre isso?                                     Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

24 – MUNDO SUSSURADO É um alivio ir para o Evermore esta noite, porque eu passei horas respondendo as perguntas do Josh sobre os Jiang Shi, e nenhuma das minhas respostas eram boas demais para ele. Essa é uma coisa sobre Josh, quando ele que saber uma coisa, ele quer saber tudo de uma vez, e fica incansável.. Eu cheguei no Evermore 5 minutos depois no meu turno começar e fui direto para o trabalho, sem conversar com o Zin ou mais ninguém. Mas Zin está me observando, e quando eu trouxe os primeiros pedidos, ele perguntou: "Como Josh recebeu as noticias?" "Bem. Ótimo, na verdade." Ele olhou surpreso: "Mesmo?" "Sim. Ele está exaltado, como se ele fosse um presente para o ao mundo" "Uau, ele pode rolar com os perfuradores, aquele cara" Ele encheu minha bandeja, e eu as trouxe para os meus clientes. Eu meio que esperava que ele me lembrasse da minha promessa de vir mais tarde. Mas ele não tem que - ele sabe que eu não esqueci. Carlo me cumprimentou com um aceno, mas não se aproximou de mim. Suponho que ele está tentando me dar um espaço, mas o olhar em seus olhos é mais urgente que o da noite passada. Desde que Rambo me disse que os Toprocks não iam batalhar essa noite, eu decidi ir para fora, na minha pausa para tomar algum ar e assistir ao drama de programação usual. "Como está indo a noite?" Perguntei ao Mig e Richard. "Está indo. " Richard respondeu." Eu ri, porque não é a maneira usual dele dizer. "Eles estão nos mantendo ocupados." Mig disse. "Nós acabamos de rejeitar um grupo agressivo e eles não estavam lá muito felizes." "Eu acho que você espera uma carta ao gerente, hein?" "Sim, " Ele me parece distraído. "Esta frio aqui fora. Você deveria voltar para dentro." "Certo. . . vejo você mais tarde. " Eu voltei para dentro, um pouco magoada que Mig não queria bater papo. Mas eu sei que ele está ocupado, e eu não deveria levar para o lado pessoal. A galera na fila está cheia de drama esses dias, por isso eles não estão se distraindo. Eu poderia usar o banheiro, e voltar ao trabalho. Eu ouvi tiros. Caos girou em torno de mim. Eu me empurrei para encostar na parede junto com uma multidão de pessoas gritando e correndo para as portas da frente. Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

A musica parou, e uma cacofonia de gritos e sons agudos resoavam pelo clube. Todo mundo lutou para passar pela porta da frente o mais rápido possível. Alguns escaparam pela porta de trás.

Eu corri para a frente para encontrar o pequeno aglomerado de pessoas na calçada, em volta do Mig, que está sangrando muito. Eu percebi que todos que estavam ali eram Jiang Shi. Carlo levantou Mig esforçadamente, todos os 100kg dele e deslizou em torno da parte de trás do edifício, para o escritório. Eu virei para o Zin. "Ele vai ficar bem, certo?" "Sim. Nós temos que tirar as pessoas daqui. Me fala se você ver policiais." Zin, Richard e eu temos um trabalho a fazer, e nós fizemos. Voltamos para o bar, tentando acalmar as pessoas e os orientando as saídas traseiras e laterais, sem deixá-los atropelarem uns aos outros. Enquanto isso, minha cabeça está girando. Aposto que o grupo que Mig rejeitou a entrada voltou para vingança. Graças a Deus ninguém foi pego no fogo cruzado. Eu percebi que Mig deve ter adivinhado que eles poderiam voltar, e é por isso que ele me mandou entrar. Se eu estivesse lá fora um minuto a mais, em pé ao lado dele... então eu ia me arrepender de não ter deixado Carlo me mudar em Jiang Shi. Eu foquei no controle da multidão. Dentro de uns minutos tivemos o bar livre de todos, incluindo aquelas pessoas que se amontoavam nos banheiros, na sala de mudanças e na varanda. Eu vi Carlo e Richard na frente do prédio, conversando com a polícia. Eu me pergunto como eles estão explicando o sangue na calçada, se eles não podem produzir uma vítima baleada. No escritório, Mig esta deitado no sofá, seu rosto se contorcendo de dor, enquanto Viola esta ajoelhada ao lado dele pressionando toalhas encharcadas de sangue em seu tronco. Ele não parece tão imortal. Zin colocou o braço em volta de mim, "Ele vai ficar bem. Você vai ver. Mesmo que ele ficasse assim por alguns dias, ele ia se curar naturalmente. Mas Carlo tem uma maneira muito mais rápida de curar um Jiang Shi." Ele foi para o lado do Mig " Quantas vezes você foi baleado no século passado - cinco?" Mig gemeu. "Vai se foder. Eu não pedi isso. " "Eu disse que ser bartender era mais fácil" Eu vi o canto da boca do Mig puxar para cima, como se ele estivesse tentando dar um sorriso, mas ao invés disso ele rangeu os dentes. "Podemos começar ?" "Carlo já estará de volta em um minuto." disse Zin. "Ele está tratando dos policiais." A porta do escritório abriu, e Daniella correu para dentro " Mig, de novo não!" Ela correu até ele e beijou sua testa. Momentos mais tarde, Carlo e Richard entraram, removendo as jaquetas e arregaçando as mangas. "Pronto?" Carlo perguntou a todos.

Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Os Jiang Shi se reuniram na frente do sofá. Eu sai de perto, mas Carlo fez gestos para eu chegar mais perto "Você deve prestar atenção, Raven." Eu estou atrás do sofá, enquanto Viola tira as toalhas dele. Há duas feridas abertas, uma perto do centro do peito, a outra em seu abdômen esquerdo. Carlo passou a mão sobre a pele do Mig sem hesitação ou horror, enquanto sangue fluía por suas mãos. E ele começou a lista "três costelas quebradas, o pulmão direito entrou em colapso, hemorragia na cavidade torácica inferior... ". Eu tentei entender tudo. Essas lesões provavelmente teriam sido fatais para um mortal. E ainda não há tristeza nessa sala, somente solução. Carlo colocou as mãos em diferentes partes do Mig que precisavam de cura. Zin está com as mãos em cima das costelas quebradas, enquanto as mãos de Viola estão afundadas em seu peito ferido. Quando todos estavam em posição, Carlo disse: "Agora". A luz de Carlo apareceu primeiro, inundando o peito do Mig, seus olhos castanhos preencheram com uma luz branca. Sua expressão vai da angustia para a admiração. O tempo passa. Os Jiang Shi não se moveram, ou falaram, ou vacilaram. A luz encheu Mig e a sala. Abruptamente Carlo levantou as mãos, e sua luz desapareceu. E um por um dos outros removeu suas mãos. O brilho da luz sumiu do quarto, e agora há apenas um pano encharcado de sangue, e pessoas exaustas. Eu estou amedrontada. Eu testemunhei o poder de cura das almas, e é a coisa mais incrível que eu já vi. "Eu preciso de um banho." resmungou Mig, se sentando. "Vamos precisar de um sofá novo." disse Daniella. Ela já tem um esfregão e começou a limpar o chão ao redor do sofá. Zin está na minha frente. Ele enxugou minha lágrimas com seus polegares. "Você está bem?" Eu acenei. Agora eu sei qual vai ser a minha decisão.

Zin pegou minhas mãos enquanto nos andávamos. Eu me sinto tão leve com o amor, que eu não tenho certeza se meus pés estão tocando o chão. Quando chegamos dentro do seu apartamento, Zin foi direto para o banheiro tirar sua roupa com sangue e tomar banho. Me sentei no sofá, me sentindo até tonta com os replays da milagrosa cura de Mig na minha mente. Zin apareceu com uma toalha de banho enrolada na cintura. Não é a primeira vez que eu o vi sem camisa, mas isso choca meu sistema de qualquer jeito. Seus olhos encontraram o meu por um breve momento antes dele entrar em seu quarto e fechar a porta. Ele saiu logo depois em um shorts e uma camiseta. Sentado no sofá, ele virou para mim. Por um segundo achei que ele poderia me beijar, mas ele só olhou nos meus olhos. Eu senti minha alma flutuar ao encontro da sua. "Nic. Doce Nic." Ele se inclinou para me beijar, mas eu estou sorrindo tanto que interferiu. Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

"Eu estou tão feliz que vamos ficar juntos." Eu disse "Para sempre". Ele voltou para trás, com um olhar severo. "O que você quer dizer? " Eu respirei, agora é a hora de lhe dizer. "Eu acho que Carlo não disse sobre sua visão," "Que visão?" "Ele disse que eu estou destinada a virar uma Jiang Shi" Zin pareceu salpicado com água fria. "Explique isso para mim. " "Você estava certo de que ele estava me chamando de Raven por uma razão. Ele disse que teve uma visão de um corvo com uma lágrima no olho décadas atrás. Aparentemente, isso significa que uma nova era esta chegando para os Jiang Shi, e eu devo fazer parte dela. Ele se ofereceu para me mudar." "E você vai aceitar tudo o que o Carlo falou como verdade? Ele teria que leva-lá a morte - você sabe, não sabe?" “Eu sei. Eu não gosto de pensar sobre essa parte, mas - " "Isso é o que eu estava com medo! Ele mudou Josh, e tudo são flores, e agora você está concordando em deixar que ele te mude. Merda, Nic, eu pensei que suas crenças eram mais fortes do que isso." "Eu não sei exatamente no que eu acredito, Zin, mas eu acredito na alma. Eu acredito na cura que eu vi. Era tão bonito." "Isso é apenas uma parte do que fazemos. Não tem expliquei que nem tudo é luz do sol?” "Você fez. Eu sei que não seria a vida mais fácil. Mas, Zin, eu poderia ter morrido esta noite. Eu estava do lado do Mig um minuto antes dele ser baleado. O que você acha disso? Quer ser feliz por ter acabado com a minha mortalidade?" "Não me pergunte isso. Não é justo. Você sabe que eu me destruiria se alguma coisa acontecesse com você." "Então porque você é tão contra de eu me tornar um Jiang Shi? É só porque você não confia no Carlo?" Ele me pareceu pensativo. "Eu não ouvi nada do Gabriel. O que pode significar que existem mesmo Heng Te lá fora. Talvez eles," Ele se interrompeu recusando-se a terminar o pensamento. "Isso significa que Carlo está dizendo a verdade." "E isso significa também que estamos todos em perigo. Se os Heng Te pegaram o Gabriel, eles poderiam seguir o caminho de volta para nós. É isso que você quer? Viver a sua vida sempre fugindo? "Pelo menos eu teria uma vida para proteger. Quando você é mortal, você não pode tomar o dia seguinte garantido. Qualquer coisa pode acontecer." "Você está bem certa sobre esse assunto, não está?" Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

"Sim". "Me diga uma coisa, Você quer se tornar uma Jiang Shi para ficar comigo?" Eu me sentei ao lado dele, colocando minha mão em suas costas. "É parte disso. Não é o que você quer?" Senti as suas costas contra apertarem minha mão. "Eu não posso garantir que eu vou querer muitos anos a partir de agora." Eu recuei, a dor me rasgando por dentro. Então é assim que ele nos vê. Temporário. Se eu sou mortal ou não. E eu achava que ele me queria para sempre. Eu me levantei para sair, e me lembrei da outra noite que ele me rejeitou aqui nesse sofá. Eu estou fazendo a coisa certa para você, ele disse. Mas a verdade é que, ele só me empurrou para me proteger. E é exatamente isso o que ele está fazendo agora. Eu me sentei. "Assim seja, então. Se não temos passado, não temos passado.” Ele levantou a cabeça. "Me desculpa. Eu não quis dizer isso." "Eu sei." Um olhar de determinação encheu seus olhos. "Eu não quero fazer isso, Nic - Eu não quero ter que te dizer porque eu não quero você sendo uma de nós, Mas você não está me dando escolhas." Eu engoli. "Me diga então." "Eu vou lhe mostrar." "O que você -" Mas já era tarde demais para perguntas. Suas palmas estão pressionadas ao lado da minha cabeça, quente contra o meu crânio. Ele está olhando para mim, seus olhos estão queimando como chamas. "Coloque suas mãos sobre a minha cabeça, como eu estou fazendo com você". Coloquei minhas mãos em cada lado de sua cabeça, olhando em seus olhos. Em segundos eu pude ver a sua alma e todo seu brilho. Repentinamente eu estou caindo, deslizando num buraco dentro dele. Eu pisquei e eu estou em um lugar de trevas. Frio e assustador. Há uma desordem dentro de mim, desejando sair para longe daqui. Não é uma escuridão calma. Gritos vieram até mim, quase estourando meus tímpanos, me picando, me atormentando. Eu tentei correr, mas as paredes me pegaram com braços fortes. Eu estou presa. Um grito de pânico aumentou na minha garganta. "Me deixe sair!" E agora eu estava no sofá novamente, chorando. Com os braços do Zin em volta de mim. "O-Oque foi aquilo? Onde eu estava?" Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

"Você estava dentro de mim." "Mas eu pensei que a sua alma. . ."

"Fosse um lugar de luz. E é, parcialmente. Mas dentro dela, há um lugar escuro. Um lugar que é criado quando você toma a sua primeira alma. Eu não estou falando de um pequeno rasgo, ou um vazio, com a maioria das pessoas têm. Estou falando de um quarto inteiro. Um lugar onde a raiva e o caos vivem. " "Você . . . vive com isso?" "Todos os dias aquilo me chama, Nic.Tenta me arrastar pelos meus sonhos, eu vou lá quase toda noite. Todos nós vamos." Ele deteve meu olhar." Você não pode ter almas trancadas dentro de você e manter sua alma intacta. Rasgam-se vários buracos em você." "Não é possível dete-los?" "Não. Elas ficam em você até enfraquecerem a sua própria alma. Você precisa de outras para repor as energias. Ela trabalha por enquanto, até que a nova alma se une as outras, e as rebeldes." Eu ainda estou tremendo. Eu não quero pensar sobre ele lidando com esse lugar toda noite. Eu não quero pensar em Josh tendo aquele lugar. Ele levantou o meu queixo. "Olhe para mim, Nic. Nada me faria mais feliz do que a ter comigo para sempre. Mas não as custas de sua alma. Você entendeu?" Eu concordei, ainda tremendo.

                        Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

25 – SOMBRA Josh fica batendo o pé durante nossa viagem de metrô até a casa de Carlo. “Me sinto como uma criança que está indo conhecer a família adotiva pela primeira vez.” Ele está tão formal e bonito, ainda é difícil acreditar que é ele mesmo. Seu cabelo castanho escuro está molhado da chuva, seus olhos estão claros e azuis. Ele está usando uma jaqueta leve cáqui, uma camisa de botões que combina com os olhos e calças sociais – provavelmente uma das roupas que a mamãe comprou para ele no Colegial para usar nas competições do Clube de Debate. Ainda está chuviscando quando descemos do metrô, então atravessamos a rua correndo para o prédio de Carlo, nos escondendo debaixo do guarda-chuva. O porteiro nos deixa entrar e pegamos o elevador até o apartamento de Carlo. “Prédio chique,” diz Josh. “Parece que o Carlo está indo bem com a Evermore.” “Tenho certeza que sim. Quem sabe quanto dinheiro se pode guardar durante alguns séculos?” Daniela nos recebe na porta, pegando nossos casados e nos levando para a sala de estar. Esta noite é só para Jiang Shi, sem nenhum mortal, com exceção de mim. Os olhos deles estão fixos em Josh. Carlo diz, “Eu apresento a vocês Joshua, o mais novo membro de nossa família.” Um carinho surge na sala enquanto todos se levantam para abraçar Josh, apertar sua mão ou dar beijos europeus na bochecha. Zin é o último a se levantar. Ele dá um abraço de urso no Josh e um tapa nas costas. “Bem-vindo à família, irmão. Eu sei que Zin fala sério. Ele irá pensar em Josh como seu irmão. Ele irá cuidar dele. Josh e eu nos sentamos numa namoradeira enquanto Zin se balança no braço ao meu lado, sua mão descansando em meu ombro. De frente para nós, no sofá, Richard se inclina. “Nos conhecemos antes sob circunstâncias diferentes. Você se lembra?” Josh fica vermelho. “Eu me lembro.” “Então, qual é a sua história?” Daniella quer saber. “Carlo não quis me contar nada.” Josh se contorce no assento. “Eu era viciado em drogas. Eu tive overdose. Carlo foi ao hospital, salvou minha vida.” Certo então todo mundo já sabe. As cartas estão na mesa. Mas os Jiang Shi ainda não terminaram. Eles tem perguntas. Parte de mim quer agarrar o braço de Josh e sair correndo. A maioria dessas pessoas não era de uma época em que boas maneiras era tudo? Eles possuem o tato de uma bola de demolição. Eu olho para o Carlo, que assiste a tudo com satisfação. Eu entendo. Josh é da família agora, não deve haver segredos entre eles.

Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Carlo olha para mim, e eu sei que ele está pensando que eu serei a próxima a me unir à família. Mas eu não tenho mais certeza. Não depois do que Zin me mostrou na noite passada. Finalmente a inquisição termina, e a conversa flui para outros tópicos. Josh sussurra para mim, “Prova de fogo.” “Você foi ótimo. Sua ficha está limpa agora.” Ele concorda com a cabeça. “Tabula rasa.” NT: do latim “folha em branco” No jantar, a atmosfera é tranqüila, e o Josh está se divertindo, se matando de rir das piadas nojentas do Mig. Ele seguiu meu conselho de não atacar os Jiang Shi com mil perguntas, mas ele consegue encaixar algumas bem colocadas, e ele espertamente pede para ouvir histórias que vão dar a ele algumas das respostas que ele quer. Quando a sobremesa termina, as pessoas carregam suas conversar e xícaras de chá de volta para a sala de estar. Eu ajudo Carlo a juntar as louças, e o Zin também. Não estou certa se o Zin só está querendo ajudar ou se está tentando impedir que Carlo e eu tenhamos um momento sozinhos. “Seu irmão está se ajustando bem,” diz Carlo. “Está sim. É um alívio.” “Eu te disse que não havia razão para se preocupar. Imortalidade é um presente.” Eu noto a tensão no queixo de Zin, mas ele não interrompe nossa conversa. Ele continua colocando as louças na máquina. “Alguma notícia de Gabriel, Zinadin?” Carlo pergunta. Zin responde sem se virar. “Não. Nenhum de nós teve notícias dele.” Carlo sabe. Eu não sei como, mas ele sabe. Talvez ele consiga ver em nossas almas que nós sabemos mais do que estamos dizendo. Talvez tenha sido óbvio o tempo todo. “Espero que ele encontre o que está procurando,” diz Carlo. Zin se vira vagarosamente. “Pode dizer. Você sabe porque ele foi embora, não sabe?” O rosto de Carlo está impassivo. “Ele precisava de respostas que eu não poderia dar a ele. Talvez Gabriel já tenha encontrado a verdade. Talvez ele tenha morrido para descobrir. Zin endurece. “Você acha que ele está morto?” “Temo que sim. Heng Te existem.” Eu toco o braço de Zin, querendo apoiá-lo, mas ele se afasta e fica na frente de Carlo. “Você sabe de tudo, não é? Como você pode saber que não há nada após a morte? Como você pode saber, se você nunca morreu?” Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

“Minhas crenças se baseiam em observação científica. Já vi almas saírem dos corpos e dissiparem. Para mim, isso significa que elas desapareceram. É possível que eu esteja errado? Sim, é possível.” Os olhos de Zin estão arregalados. “Você está admitindo que pode estar errado.” “Claro. Eu não profetizo saber todos os secretos do universo. Eu sei apenas o que eu observei, e eu sempre mostrei aos meus Jiang Shi a verdade como eu a conheço.” “E você quer que a Nic se transforme por causa desse sonho com o corvo que você teve? E se você estiver errado?” “É uma visão, não um sonho. E eu nunca estive errado nessa área, Zinadin. Nunca.” Carlo olha para mim. “Eu vejo que você não tomou sua decisão ainda, Raven. Você precisa superar seu medo. Não há muito tempo.” Então ele percebe o medo em minha alma. Imagino se ele sabe o que o Zin me mostrou. Carlo se vira para Zin. “Se ela pudesse ver sua alma, ela veria que que você não quer que ela mude? Ou ela veria a verdade? ”

“Você não me ligou de volta ontem, Nic,” diz Chen na manhã seguinte nos nossos armários. “Eu quero saber o que aconteceu na Evermore no sábado à noite.” “Um dos seguranças levou um trio, não é? Diz Slide. “Meu amigo Paul estava na fila, e ele jura que foi aquele grandalhão Hispânico – Mig, eu acho. Mas depois, no jornal, disseram que ninguém se machucou.” Eu odeio mentir para eles, mas não tenho escolha. “O jornal está certo. Alguns caras que foram impedidos de entrar voltaram e passaram atirando, mas ninguém se machucou.” “Eu estou falando, o Paul jura que um dos seguranças estava sangrando, “ Slide insiste. “Falou o amigo dele também viu.” “Eu acho que o Paul e o amigo dele tem imaginação muito fértil. Mig esta ótimo. Apareça lá essa semana e você vai ver.” “Fico feliz em saber,” diz Slide. “Quem quer que tenha sido o atirador devia estar drogado para não acertar em ninguém, mas graças a Deus que ele não acertou. Assustador, não é? Evermore é o último lugar onde eu pensei que uma coisa dessas fosse acontecer. Nunca tem brigas lá.” “Isso é porque eles farejam os caras maus e não deixam que eles entrem,” diz Kim. “E é exatamente por isso que aquilo aconteceu. É doido pensar que na maioria dos sábados à noite nós estávamos lá.” “Não acredito que eu perdi a ação,” diz Chen. “Na única vez que eu não vou pra Evermore no sábado à noite, rola o maior drama. Que azar o meu.” Kim vira os olhos. “A maioria das pessoas diriam que foi sorte.” “Bom, eu estou faminto por ação, ok?” Ela levanta uma sobrancelha. “De que tipo de ação você está falando?” Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Os dois riem. Slide e eu só sacudimos a cabeça. “Oh, temos grandes notícias para você,” Slide me diz. “Estávamos no Vice e encontramos os Spinheads. Chen e Spinman quase saíram no braço – você devia ter visto!” “Eu podia ter detonado aquele fracote,” diz Chen. “Mas eu não queria ser preso, então achei melhor fazermos do jeito mais limpo. Eles vão à Evermore daqui duas semanas, no sábado à noite. Nós vamos lutar com eles à meia noite.” “Vai ser a revanche do século,” diz Kim, sarcasticamente. “Essa merda é séria, Kim,” Chen fica nervoso. “Eu sei , querido,” ela responde, mantendo um sorriso. “Vamos ter que praticar mais, “ diz Slide, olhando para mim. Eu concordo coma cabeça. Dançar Break é a última coisa na minha cabeça no momento, mas eu sei como essa batalha é importante para os caras. Não vou decepcioná-los.

Sons de Chromeo estão saindo do estéreo. Estou fazendo 6 passos em câmera lenta. Tenho essa idéia de jogar as duas pernas para cima no final, como um dançarino Russo, e depois dar embalo com os calcanhares. Uma boa idéia na teoria, mas eu não consigo executá-la. “Tente desse jeito.” Chen mergulha no chão e faz exatamente o mesmo passo que eu estava pensando, perfeitamente. Eu dou um gemido. “Minha espinha não é de minhoca, igual a sua.” “Dê impulso com um braço, ao invés de dois,” sugere Slide. “Assim dá mais impulso.” Ele tem razão, e eu consigo fazer – mal feito, mas é um começo. “Vamos ter que fazer em sincronia,” diz Rambo, praticando a sequência. “Depois a gente pode passar a fazer uma dança Russa completa.” Ele cruza os braços e agacha. “Dah, dah, dah!” Nos dissolvemos em risos, todos menos o Zin. “ Eu tenho algumas idéias para passos que vão detonar com os Spinheads,” diz ele. “Me digam o que vocês acham.” Ele faz os passos devagar, um após o outro. Há magia neles, mas não é a magia sobre-humana de antes. É simplesmente a magia de Zin, que consegue fazer qualquer passo ficar bonito. Quando ele termina, nos discutimos quais passos irão funcionar melhor e como usá-los. Slide põe a música e nós treinamos certas partes. Zin trabalha com Chen nos passos mais complexos que eles farão juntos. Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Eu percebo como eu tenho sorte em estar aqui com esses caras, que são tão apaixonados pelo que fazem. Mas quanto tempo os Toprocks vão durar antes que a vida leve cada um em direções diferentes? Pensar nisso me entristece. Eu tive mais bons momentos com esses caras do que jamais tive e provavelmente nunca vou ter melhores. Eu só quero me agarrar nesses momentos e não deixar o mundo, ou o temo, tocar neles. Mas o tempo sempre muda as coisas. As pessoas envelhecem, evoluem. Eu sinto que o Zin está me observando. Provavelmente ele sabe que eu estou perdida em pensamentos, já que meus passos se desaceleraram. Eu nunca consigo dançar e pensar ao mesmo tempo. Essa é uma das coisas ótimas em dançar – temporariamente eu fico livre dos meus pensamentos. Eu sei que Zin está mantendo distância até que eu tenha dado minha resposta ao Carlo. E eu sei que é porque o Zin se preocupa que, quanto mais ligado a ele eu estiver, maiores as chances de eu querer ser transformada, apesar dos avisos dele. A ironia é que não faz diferença se eu tenho tempo sozinha com o Zin ou não, porque eu já estou mais que ligada a ele. Ele está em minha alma e eu na dele. Ele também sabe disso.

                                  Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

26 – FANTASMA “O que você esta fazendo?” eu perguntei, assistindo Josh colocar 400kg na barra. “Eu posso fazer isso.” ele comentou. “Sim, e as pessoas podem perceber. O que você acha que elas vão pensar quando alguém magro como você levantar esse peso?” “Hey, eu não sou magro. Mas peguei o ponto.” Ele retirou 200kg da barra. “Me cubra, ok?” “Ok.” me cobrir era uma piada. “Não faça de novo quando eu não estiver por perto, certo? Eu falo serio sobre chamar atenção.” Ele tomou posição, ele levantava facilmente. “Eu sei. Eu não preciso de cientistas em volta de mim ou me querendo saber meu segredo. Talvez eu esteja querendo mandar uma mensagem – em caso de ter algum Heng Te por perto.” “Você sabe?” “Claro. Carlo me contou.” “Está com medo?” “Não de verdade. Eu serei cuidadoso. É uma coisa que eu tenho certeza.” terminando a primeira serie, ele sentou. “Eu não vou deixar a terra ate ser bom e estar pronto. Vovô me falou.” “Vovô?” “Ele veio no fim, bem antes de Carlo me mudar. Ele disse que ainda não era hora de eu passar.” “Você esta brincando.” “Não. Eu não tenho certeza se era real, mas eu sabia que era. Não é como se ele tivesse vindo enquanto eu sonhava. Não havia sonho. Era escuridão. Pelo que eu saiba, eu estava com a função cerebral morta. Mas eu o vi, o ouvi claramente como estou ouvindo você.” “O que ele disse?” Ele se ajeitou e continuou malhando. “Ele disse que eu não podia deixar a terra ate ter espantado meus demônios. Então eu acredito que tenho muito anos pela frente, mesmo com os Heng Te em volta.” “Você realmente acha que era o vovô?” “Acho. Carlo acha que era minha subconsciência. Ele é ateu, você sabe. Ele não acredita em Deus ou vida após a morte.” “E você? Você ainda acredita em Deus?” “Qualquer um depois dessa experiência sabe que é um milagre. E é o q é, mesmo se Carlo chama de ciência. Eu acho que tem algo depois da morte, Nic. Eu respeito Carlo, mas não vejo como uma única pessoa pode ter todas as respostas.” Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

“Então você se sente perdendo algo não atravessando?” A serie acabou, ele se sentou novamente. “Eu não estava pronto para passar. Droga, se eu morresse, eu provavelmente seria um fantasma agora, indo atrás de algum idiota através da Tábua Ouija 30. Ou estar morto como um batedor de porta. eu apenas sei que não era minha hora. Não era para mim morrer desse jeito, com tanta culpa, com tanta coisa inacabada. Isso seria uma perda total. Você esta bem?” Eu quase deixei você morrer desse jeito, me desculpe. Mas eu não sei se ele entenderia minhas razoes, e eu nunca diria a ele. “Eu estou bem. Tempo no Cardio?” “Sim, mas não muito. Eu quero ficar dentro dos limites. Vamos remar por 10 minutos.” Nos fomos para maquinas de remar, lado a lado no chão. Eu comecei fazendo esforço, indo para baixo e com força, repetindo de novo e de novo. “Você esta perdendo muita energia,” ele comentou. “Você tem certeza que não quer ser um de nós?” Eu gruni. Parte de mim queria chorar de frustração. Ele não tinha idéia como eu estava me sentindo agora, como eu estava ficando. “Mãe e pai estão muito melhores nesses dias.” Ele remava com tranqüilidade. “Você acha que eles estão assustados com meu relapso?” “Eles estão assustados, mas eles estão bem com isso. Eles estão felizes, no entanto. Eu não tenho visto eles assim há muito tempo.” “É bom, porque eu não estarei perto para sempre. Será bom saber que você estará por perto para cuidar deles. Nós temos quatro anos, Carlo disse.” “Eu ouvi.” “Eu tenho de admitir, eu estou excitado em me mover para o próximo lugar. E o próximo. Na ultima noite eu fiquei até as quatro estudando mapas do mundo.” “Ele disse o que os Jiang Shi fazem nesses lugares?” “Claro que ele me disse. Ele disse que pararam aqui em Nova York como se fosse uma duas semanas de férias para eles. O próximo lugar será onde realmente precisaram de nós. Eu acho muito legal. Eu sempre quis salvar o mundo.” Eu possuía uma dor incomoda dentro de mim. Eu desejava que ele pudesse ficar conosco por um tempo. Instantaneamente ele estava pronto para partir com os Jiang Shi a qualquer dia. Mas esse era Josh, e sempre tinha sido. Uma vez que ele tinha uma idéia na cabeça, dificilmente ele mudava. “Oh, e eu esqueci de te dizer: eu terminei com a Emily. Nós oficialmente não voltaremos mais, e estamos encaminhando para finalizar a relação. Eu deixei bem claro que era um problema meu, e                                                              30

 

 É o nosso jogo dos espíritos, aquele que se desenha as letras + as palavras SIM ou NÃO e usa um copo com água.  Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057


Alison van Diepen - Raven

 

que nós não tínhamos um futuro.” Vendo minha expressão, ele congelou. “O que é isso? Eu fiz a coisa certa.” “Eu apenas me sinto triste por ela.” “Eu também. Todos os Jiang Shi tem de quebrar corações algumas vezes. É inevitável.” “Eu sei.” “Eu sei que você sabe.” Ele parou de repente e se virou para mim. “Me diga a verdade, me irrita saber que Zin chegou a esse ponto com você. Eu posso ver o amor entre vocês. Nada bom pode vir disso.” Ele estava certo. Eu terminaria com o coração partido a menos que eu me tornasse um deles. “Eu gostaria que você pudesse ficar com ele o Maximo possível, Nic. Começou o processo. Se você ficar com ele pelos próximos quatro anos, será bem pior quando nós formos embora.” “Eu sei.” “Mas você não quer ser uma de nós, quer?” “É tarde para isso. Você não pode ver na minha alma?” Ele concorda. “Eu acho que posso.”

Noite de sexta, passava das três da manha. Apenas Carlo e eu no escritório dele. “Você pensou sobre minha oferta, a que eu fiz?” ele pergunta. “Sim, e eu decidi que eu não vou deixar você me transformar.” “Porque?” “Porque eu não tenho certeza. E eu acho que se você não tem certeza de algo, você não deve fazer algo tão drástico.” Eu estava esperando que ele comentasse sobre a minha teoria ilógica, mas ele apenas disse, “Então você esta colocando sua vida na mão do destino.” “Minha vida sempre esteve nas mãos do destino, não? Se algo acontecer comigo amanhã, e você tiver a oportunidade de me mudar, então faça. Mas de outra forma eu continuarei como eu sou.” “E sobre Zinadin?” “O que tem ele?” Se ele quer a mudança devido ao meu amor por Zin, tudo bem. Mas ele não comentou. A verdade estava bem na frente dele. “Eu acho que está comentando um erro, Raven. Mas eu respeito sua decisão. Minha profecia irá se realizar independentemente. Eu espero que você esteja preparada.”

Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

“Eu não estou preparada para nada. E eu não sou particularmente brava, também. Então se a profecia me chamar para algo, eu não entenderei.” Eu me levantei. “Eu tenho de ir.” Enquanto eu caminhava pela porta, ele dizia, “Não é fácil voltar para sua vida depois que você conhece o seu destino.” Eu não tinha resposta para isso, então eu dei de ombros, então fechei a porta atrás de mim. Fora do escritório, Zin estava esperando. Sem uma palavra, ele me deu um abraço, e eu senti minha alma se misturava com a dele.

Tentava entender o aviso de Carlo. A verdade era que eu sabia que alguma coisa estava vindo. Minha intuição sabia. Meus sonhos, cheios de corvos, sabiam. Eu acordei do cochilo com um barulho na minha janela. Meu quarto está cinza. Eu saio da cama e chego até a janela, olhando entre as travas. É Zin. Eu abro a janela, e ele desliza sem nenhum som. Eu percebo sua preocupação, calor, acidez, e quero carregá-lo de volta pata o mundo dos sonhos. Mas a aflição em seu rosto cai sobre mim. “Eu tive um sonho.” Ele fala sem respirar, como se ele estivesse correndo. “Me diga.” Eu pego a mão dele, e nós nos sentamos na minha cama. “Ele está morto.” Seus olhos estão cheios de tristeza. “É minha culpa. Eu nunca devia ter deixado ele ir.” “Oh meu Deus. Gabriel?” “Sim. Ele veio me dizer adeus.” Arrepios passam por mim. “Mas era apenas um sonho.” “Era tão real. E isso explica porque eu não ouvia nada dele. Eu tinha esse sentimento de que alguma coisa estava errada, desde o inicio.” “Ele disse como aconteceu?” “Não. Ele apenas disse que ele estava certo.” “Sobre o que? Sobre Carlo?” “Eu acho que significa que ele estava certo sobre a vida depois da morte. Esse sonho, essa comunicação... pode ser a prova, Nic. Há alguma coisa depois da morte.” “Josh disse que nosso avô veio até ele quando estava morrendo. Isso pode ser a prova também.” “Gabriel se foi. Eu não quero acreditar. Eu quero pensar que há alguma maneira de pensar que ele ainda pode estar vivo. Você sabe o que isso significa, você não sabe? Os Heng Te são reais, e eles pegaram ele.” Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

“Se ele está morto, significa que ele achou o lugar que ele queria ir. Significa que ele resolveu o mistério. E como você realmente sabe que era os Heng Te? Talvez seja um outro jeito para os Jiang Shi se moverem sem que você saiba.” “Talvez.” “Ele disse algo mais?” Ele olhou para mim, seus olhos eram assombrados. “Ele perguntou quando nós íamos deixar de fugir.” Nós não nos movemos por um segundo. Gradualmente nós deitamos, de mãos dadas. Olhando para o teto escuro, como se as respostas estivessem lá, como se nós pudéssemos vê-las.

                                        Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

27 – MEIA-NOITE Os Spinheads entraram pelas portas do Evermore como pistoleiros do velho oeste. Nós, os Toprocks, estamos prontos. Eu me troquei rapidamente nos fundos. Quando eu sai, Carlo está lá. "A batalha é hoje a noite, eu vejo. Você poderia passar no meu escritório quando acabar? " Se ele vai me dizer mais como eu deveria me tornar uma Jiang Shi, eu não quero ouvi-lo. Mas ele é o chefe, então eu concordei. "Boa sorte, Raven." "Obrigada." Eu cheguei na pista de dança. A energia dos Toprocks me bombam. Nós gostamos de começar as batalhas, então temos que agir rápido. Como um grupo nós cruzamos a pista de dança. Slide alguns passos a frente dos Spinmans começou a fazer a danca dos monstros do video "Thriller". Nós rimos. Os Spinmans bufaram alto. Eles nunca levam na brincadeira. Ele deu três passos, formando um quadrado, depois atingiu a pista com mais seis passos. Caindo sobre seu braço direito em um inclinado L-kick. Legal. Zin explodiu no meio com um flip de frente, entrou na disputa. A platéia saudou. Ele usou seus braços para se levantar, como um ginásta fazendo seus exercícios no chão. Jam pulando sobre o joelho, fazendo multiplos moinhos de ventos. Eu me aproximo em um freestyling. Eu senti a multidão comigo. Desmaiando no chão como uma lombriga, eu apareci como um jack-in-the-box, em seguida voltei para trás com applejacks, assovios e aplausos inspiradores. A menina do Spinheads entrou em dois tempos, seguidos por baby wipes. Não é um movimento de poder, mas sim uma boa técnica. Eu bati palmas para ela, e ela me olhou. Outros dos seus meninos, um novo membro da tripulação Spinman, vem como um cavalo broncos, mas ele está com muita adrenalina, o que torna impossível para ele manter as pernas no ar por muito tempo. Você pode dizer,que neste momento os Spinman não estão amando sua tripulação. Temos que aproveitar isso e mostrar uma habilidade unida. Zin está pensando a mesma coisa que eu. Ele mergulhou e fez o novo movimento que eu fiz - que chamamos de pop-up-russo - com um carisma incrível. Nós todos caimos no chão e nos juntamos a ele. Todo tempo nos pop-up , Zin terminou com um flourish - um backflip, um L-kick, e um airswipe. Ele veio junto, como se nós tivéssemos nascido para isso. A multidão enlouqueceu.

Deixamos os Spinheads na poeira.

Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Os Toprocks foram aplaudidos. Nós gostaríamos de fazer o mesmo com os Spinheads, mas eles estão saindo da pista de dança. Perdedores ressentidos. Bem, eu não posso culpá-los - nós ficamos da mesma maneira.

Eu olhei em volta, esperando ver Carlo vendo a nossa vitória, mas eu não o vejo. Eu fui direto para o escritório, mas encontrei a porta fechada. Acho que ele está esperando por mim. Eu bati. Quando não houve resposta eu abri, e parei morta. Carlo está se agitando violentamente as rajadas de luz para fora dele e subindo pelo ar. Alguém está atrás dele, com as mãos pressionadas em sua cabeça. Eu assisti, atordoada, as formas de luzes flutuarem até o teto. "Pare! - você o está matando! " Carlo caiu sobre a mesa. Atrás dele, Kim encontrou meus olhos, removendo as mãos da cabeça dele, como a ultima luz desapareceu. " Eu corri para ele, sacudindo seus ombros. "Carlo!" "Ele se foi", ela disse baixinho. "Eu sinto muito." "Desculpa?" Eu parei longe dela. Me recuso a executar isso através do meu cérebro. "Você o matou." "Acredite, Nic, eu não tive escolhas. " Eu procurei seus olhos, procurando pela pessoa que eu conheço. A pessoa que eu achei que fosse minha amiga. "É você, Kim?" "Sou eu." "Você é uma Heng Te." "Sim." Ela correu para a porta e a trancou. "Eu não posso acreditar que esqueci de fazer isso. Graças a Deus que era... só você." Eu percebi que ela estava entre mim e a porta. "Saia do meu caminho!," eu disse, tentando manter minha voz longe da agitação. Para minha surpresa ela saiu. "Você pode sair se quiser. Mas por favor me ouça primeiro. Preciso da sua ajuda." Ela está louca? Eu a vi matar o Carlo e agora ela quer que eu a ajude? Eu corri para a porta. "Você pode salvar Zin e Josh."

Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Minha mão está na maçaneta da porta, mas ela tirou minha atenção. Me virei de volta e encarei ela. "Há outros Heng Te a caminho daqui." Ela disse. "É por isso que eu tive que fazer esta noite. Eu queria dar aos Jiang Shi uma escolha antes dos outros chegarem." "Que tipo de escolha?" "Para se tornarem mortais." "Mortais? Não é possível." "É Tudo o que eu tenho que fazer é reverter o feitiço, libertar as almas que eles levaram, e deixar a sua alma original intacta. Os Jiang Shi voltariam para a idade que tinham quando eles foram transformados e viveriam suas vidas como o resto de nós. " "Porque Carlo não pode ter essa mesma escolha?" "O guardião dos feitiços tinha que morrer. Era a unica maneira de garantir que os Jiang Shi não fossem mais criado para sempre." "Mas Carlo teve a magia por centenas de anos, e ele só mudou poucas pessoas!" Ela sacudiu a cabeça. "Carlo não foi honesto com você sobre quantas pessoas ele mudou. Ha mais Jiang Shi do que qualquer um que você conhece. Mesmo que Carlo tivesse prometido nunca mais tornar alguém em Jiang Shi, eu não poderia contar que ele mantivesse a palavra. Tenho certeza de que a compaixão que o motivou a mudar as pessoas que ele mudou. Compaixão é a maior tentação de todas." Eu fiquei olhando para o corpo sem vida do Carlo. Eu senti como se estivesse presa em uma nuvem de gelo seco em uma pista de dança, sem saber se o caminho é para baixo ou para cima. Kim está olhando para o seu corpo também, com lágrimas nos olhos. "Eu tentei fazer com que fosse o mais rápido possível, mas ele continuava resistindo..." Suas lágrimas parecem reais. Como ela pode matar alguém em um minuto, e chorar no próximo? Não faz sentido. "Eu não quero que isso aconteça com os outros, Nic. Se depender dos Heng Te, todos eles vão acabar assim. Para os Heng Te, pegar uma alma, é pior que assassinato." "Mas eles levam apenas as doentes." "Mesmo que alguém com uma alma doente merece uma chance de ir para o reino da luz. Você ficaria surpreso com a cura que pode ocorrer do outro lado. Gabriel descobriu isso. " "Zin pensa que Gabriel está morto." "Ele está certo. Seu corpo humano está morto. Ele se aproximou dos Heng Te, na província dos Jiangsu, e pediu para eles liberarem as almas dentro dele. Apesar da doutrinação de Carlo, Gabriel tinha adivinhado a verdade." "Que verdade?" "Que a morte não é o inimigo. Isso é apenas uma porta." Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Uma porta. É o que eu acreditava antes que os Jiang Shi viessem ate mim, antes de eu começar a questionar tudo. Eu fiquei olhando para ela, desejando que eu pudesse ver a pureza de sua alma. Ela sabe que oferecer a um Jiang Shi se tornar um mortal é tudo o que eles sempre quiseram. Daria a Zin e eu a chance de passar as nossas vidas juntos. A Josh daria uma chance de recomeçar. Kim deve saber o quanto eu quero acreditar nela. "Porque você vai contra os outros Heng Te?" "Eu sempre acreditei na missão dos Heng Te fossem as almas livres, não punir os imortais. A maioria dos Heng Te perderam o ponto de vista. Eu fui treinada para guiar almas a luz, e não caçar Jiang Shi. Quando eles me deram essa missão, eu não estava preparada. Estive em Nova York por messes, e eu nunca poderia imaginar que o grupo aqui do Evermore era ou não Jiang Shi. Os Heng Te estão no meu caminho, porque eles suspeitam sobre o porque que eu não dei uma avaliação final. Eles acham que eu estou escondendo alguma coisa... que, nessas ultimas semanas, eu escondi. Quando eu descobri que o grupo aqui era realmente Jiang Shi, eu não poderia contar para eles." "Como você descobriu isso?" "Zin nos disse quando seu irmão tinha declarado morte cerebral. Então, alguns dias depois, eu descobri que ele estava em casa com a sua família. Foi quando eu soube. Eu não disse aos Heng Te mas, eles vão descobrir muito em breve." "Eles vão machucá-la?" "Eu vou ser punida, mas isso não importa. Eu tenho que fazer isso." Ela me olhou de forma constante. "Por favor, convença os Jiang Shi de me deixarem transformálos em mortais. E se você nao puder, diga a eles para correrem para longe o mais rápido possível, que eles conseguirem. Porque da próxima vez que encontrarem uma Heng Te, eles não vão receber esta oferta."

Aconteceu novamente. Num piscar de olhos, o mundo que eu conheço girou sobre o meu eixo, e se estabeleceu em um lugar diferente. Eu andei pelo clube. O som baixo, com o rápido ritmo do meu coração. Eu me inclinei sobre o bar, agarrando a mão de Zin. "Vem comigo." Eu o conduzi até a varanda, onde me sentei, e lhe disse tudo. Ele esta chacoalhando a cabeça. Ele não quer acreditar em mim. "É verdade, Zin. Eu vi as almas deixarem seu corpo." "De jeito nenhum." Ele se levantou e foi para as escadas. Corri atras dele, mas fui pega pela multidão. Até o momento de eu entrar no escritório, Zin está de pé sobre o corpo de Carlo. Eu tranquei a porta e caminhei até ele. "Ele se foi." Havia lágrimas em seus olhos. Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

"Eu sinto muito." "Kim fez isso? Mas a sua alma é pura - eu vi isso!" "Ela disse que ele tinha que morrer para que não fossem mais criados Jiang Shi. Ele mudou muito mais pessoas do que o seu grupo. " "Mesmo que ele tenha mudado, ele não merecia isso. Nós temos testemunhados coisas horríveis acontecerem a pessoas inocentes. Um sofrimento que você não pode imaginar." "Eu sei. Kim também sabia." "Mas ela o matou da mesma forma." Há um brilho perigoso em seus olhos. "Onde ela está? " "Eu não sei onde ela está agora. Ela me disse para chamá-la quando você tiver tomado a sua decisão." Ele está olhando para Carlo. "Ele estava certo sobre os Heng Te. Eu não deveria ter duvidado dele." "Não pense nisso agora. Temos que juntar todos os outros. Você precisa decidir hoje a noite." "Como você sabe que Kim não vai fazer isso para todos nós?" Os olhos de Zin ainda estão em Carlo. Não suporto mais olhar para Carlo. Eu não posso chorar por ele agora. Há muito a ser feito. "A alma de Kim é pura, Zin. Você mesmo já viu isso. E ela está lhe dando uma escolha. Ela quer que todos possam viver." Ele ficou em silêncio por um tempo. "Você está certa. Vamos buscar os outros. Podemos nos encontrar na sala de manutenção." "Você já decidiu?" Eu mantive minha respiração, meu mundo inteiro pendurado naquela resposta. "Sim." Seus olhos olharam profundamente nos meus. "Eu escolhi você."

Passava das duas horas da manhã, e o clube ainda está bombando. Os outros que trabalham meio período estão trabalhando no clube, enquanto o resto de nós está reunido na sala de manutenção, eles pensam que algo importante está acontecendo, como alguém foi pego roubando. Eles não tem idéia. Eu olhei em volta para os Jiang Shi. "Tem um Heng Te aqui. Mas sem pânicos - vocês não precisão ter medo dela. Ela está aqui querendo ajudar... É a Kim." "A namorada do Chen, Kim?" Mig está incrédulo. "Ela é uma Heng Te?" "Sim. E tem outros Heng Te por perto. Eles podem chegar mais cedo que amanha de manhã. Antes disso acontecer, ela quer oferecer a chance de vocês virarem mortais." Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Os Jiang Shi começaram a me encaram como se eu estivesse insana. "É uma brincadeira?" Richard olhou em volta. "Mas que inferno está Carlo?" Eu virei para o Zin. Ele tomou fôlego." Não é fácil dizer isso... Carlo está morto. Kim tirou as almas dele - " Viola começou a chorar e enterrou sua cabeça em suas mãos. "Onde ele está?" Daniella exigiu. "Eu não acredito nisso," disse Richard. "Carlo era um guerreiro. Ele nunca teria deixado ela ficar tão intima." "Eu quero ver meu irmão! Onde ele está?" "No escritório," disse Zin. Eles correram para o escritório. Zin e eu seguimos. Quando abriram a porta, eles arfaram. Daniella correu para ele primeiro, erguendo a cabeça dele. Então ela colocou suavemente de volta e se agachou, enquanto chorava. Viola colocou seu braços em cima dele. Mig foi examinar o corpo. "A luz se foi. Ele realmente se foi." "Onde está Kim? " Richard berrou. "Ela vai responder por isso!" "Vingança contra um mortal não vai trazer ele devolta." Zin disse. Daniella levantou a cabeça, seus olhos queimando em mim. "Isso é sua culpa! Você trouxe isso para nós!" "Shh..." Mig colocou seus braços em volta dela. "Nicole não seria capaz de parar um Heng Te. Não é culpa dela." "Sim, é culpa dela. Ela é o corvo das visões de Carlo." Os olhos de Daniella estão fixos em mim. "Ele sabia que iria morrer quando você aparecesse. E ele estava disposto a morrer, porque ele acreditou que havia um propósito, que você iria nos levar a algo melhor. Mas tudo o que você quis foi nos destruir. Eu tinha razão em não confiar em você. Você deveria morrer!" Ela veio para cima de mim. Zin a agarrou antes que ela pudesse chegar em mim, prendendo seus braços para o lado. "O que você quer dizer, que ela deveria morrer?" Uma calma mortal na voz de Zin. "Ela deveria ter morrido. Então, tudo isso não estaria acontecendo. Então, Carlo ainda estaria vivo!" Ela lutou nos braços dele. "Você contratou Chris Harris." "Sim. E eu gostaria que ele tivesse conseguido!" Os olhos de Zin vibraram. Eu posso vê-lo apertar o seu pulso sobre ela. "Zin!" eu gritei. Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Mas foi desnecessário. Ele a libertou e se afastou. Daniella começou a chorar novamente. Não posso deixar de sentir pena dela. O que ela fez, ela fez de amor pelo seu irmão. Ela provavelmente pensou que a morte de um mortal, era um negócio mais justo do que a de um Jiang Shi. A realização começa a aparecer. Ela estava certa: Carlo devia saber que ele ia morrer. E ele tentou me fazer examinar o destino do corvo, embora ele mesmo não soubesse completamente. Meu destino era o sinal de uma nova era de Jiang Shi, mas eu nunca me tornarei um. E a nova era não era o que Carlo pensava - era a era da mortalidade. "Eu sei que todos nós queremos lamentar por Carlo", eu disse. "Mas vocês tem que fazer uma escolha em breve, antes dos outros Heng Te chegarem aqui." "Ela quer que todos morram!" A voz de Daniella é estridente. "Olhe o que ela fez ao meu irmão. E ela é amiga de um Heng Te." "Kim era minha amiga também", disse Zin. "Nenhum de nós tínhamos qualquer idéia de que ela era uma Heng Te." Daniella olhou para ele. "Bem eu não estou indo junto com ele. Eu não estou me colocando a mercê de Kim." "Nem eu", disse Richard. "Eu não vou deixar nenhum Heng Te perto de mim." "Eu vou primeiro", Zin se ofereceu. "Se isso não funcionar, vocês todos podem estar fora da cidade pela manhã." "Como você pode se submeter a isso, Zin?" Daniella perguntou. "Mortalidade não é nada mais que uma morte lenta. Você não concordaria com isso se não fosse por ela." Zin não discutiu. Ele apenas respondeu, "É hora de parar de correr." "Prefiro continuar correndo do que envelhecer e morrer!" Daniella disse. "Que tipo de vida seria essa?" "Uma vida normal." Viola está a passos do corpo de Carlo. Seu rosto cheio de lágrimas. "Estou cansada de viver sem fim no campo de visão. As almas dentro de mim querem ser libertadas. As vezes, elas gritam tão alto que eu não agüento." Mig concordou. "Eu sei o que você quer dizer. Mas como é que vamos confiar num Heng Te? Se nos submetermos a ela..." Ele olhou para o corpo de Carlo. "Carlo ficaria furioso que estamos mesmo tendo essa conversa." É Richard. "O que deu em todos vocês? Desde quando estamos fazendo negócios com os inimigos?" "Kim não é nossa inimiga", disse Zin. Richard zombou. "Ela é um Heng Te, e são responsáveis pela morte de Carlo e Martine. Pelo que nós sabemos, eles podem ter matado Gabriel também. " Zin olhou para mim, e então disse. "Gabriel deu a si mesmo para eles, e pediu para libertarem sua alma." Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

Os Jiang Shi se olharam um para o outro. "Gabriel está morto?" Viola disse. "Sim." Daniella bufou. "Isso é o que acontece se você se submete a um Heng Te. Você morre." "Não foi dada a chance que Kim está nos oferecendo ao Gabriel", Zin disse. "Ela é a única Heng Te que não acha que somos mal." "De qual quer forma, Carlo gostaríamos que nós rejeitássemos essa oferta." disse Richard. "Eu não vou aceitar mais sessenta anos, quando eu posso viver para sempre." "Mas e se esses sessentas anos fossem os melhores que viveu?" Viola perguntou. "Você poderia se estabelecer em um lugar, casar, ter filhos. Eu acho que isso seria... maravilhoso." "Olhe ao redor, Viola", disse Richard. "A vida de um mortal não é tão maravilhosa quanto você fala. É sofrimento, com um pouco de felicidade aqui e ali. Porque alguém iria escolher quando você tem a imortalidade?" "Nós não estaríamos dando nossa imortalidade", Zin respondeu. "A alma de Gabriel ainda está viva. Ele veio para mim em um sonho e pediu para nós pararmos de correr." Virei-me para Josh, que tem ficado estóico durante todo esse tempo. "Diga-lhes sobre o seu encontro com o espírito do vovô quando você estava no hospital." Ele deu nos ombros. "Poderia ter sido um sonho." "Mas você disse que era tão claro – o que ele falou para você." Ele evitou os meus olhos. "Nós não temos nenhuma prova de vida após a morte, Nic. Tudo o que sabemos é que há vida aqui e agora. Richard está certo. Eu não quero viver apenas uma vida, não quando eu tenho opção." "Bem, eu estou indo para isso," disse Mig. "Se ser mortal vai tirar os barulhos da minha cabeça." Ele olhou para Zin. "E você está disposto a ir primeiro, para testá-lo por nós?" "Eu estou." "Brava criança", Mig disse. "Então, eu acho que é a hora de darmos os votos. Se você é a favor da mudança, fique ao lado de Zin. Se não, fique do lado de Richard." Eu assisti Mig e Viola irem para ao lado do Zin, enquanto Daniella dava os braços para o Richard. Josh foi para Daniella e Richard. Corri até ele. "Por favor, pense sobre isso." "Eu pensei. Isto é onde eu pertenço." "Você pertence a sua família! Esta sendo dada uma oportunidade para você ter uma vida normal. Você não quer ficar com Emily? E estar lá para o papai e a mamãe? Se voce viver dessa forma, você vai estar sempre correndo. Você não pode realmente querer isso. Não tem que ser assim. Mesmo que você tenha recaídas, estaremos lá para te ajudar." Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

"Você estava lá da ultima vez e não foi suficiente. Não será neste momento, ou qualquer outro." Meus olhos inundaram em lágrimas. Tanto quanto isso dói, eu sei que ele está certo. Eu nunca quero que ele volte para o seu vício. Nunca. "É hora de ir." Disse Daniella. Ela caminhou até Carlo, o beijou no alto da cabeça, e sussurrou algo. "Adeus, Nic." Disse Josh. Eu o abracei apertado. Não queria que ele se fosse.

O clube está fechado agora, e Kim retornou. Eu estou tão nervosa. Eu mal posso respirar. "Eu posso... ir com ele?" Pedi segurando o braço de Zin. Kim balançou a cabeça. "Quando as almas dentro dele se soltarem, elas podem tentar possuí-la." Abracei Zin. "Se isto não der certo -" "Vai dar certo." "Eu acho que vai." Ele me puxou para trás, olhando nos meus olhos. "Mas se não der, desfrute da sua vida. Não fique triste por mim." Então ele sussurrou no meu ouvido: "Se isso não funcionar, eu vou te encontrar do outro lado." Isso soa como um adeus. "Espere! Se você acha que isso não vai funcionar, por favor, não faça isso." "Nós temos que tentar." Ele olhou para Kim, que está nos observando como um médico observando a gravidade de uma cirurgia complicada. Então ele se virou para mim. "Aconteça o que acontecer, não ficarei triste de ter tentado." Seus braços em torno de mim, e eu me sinto envolvida por seu amor. Eu o beijei com todas as emoções que estavam reprimidas em mim. Quando ele terminou o beijo, suas íris estão completamente âmbares, o brilho de sua alma brilhando através de seus olhos. "Eu te amo," disse ele. E eu percebi que ele estava recuando. "Eu te amo." Ele se virou e seguiu Kim para o escritório. A porta se fechou atrás deles.

Eu não quero me mover, respirar, ou falar até que ele saia do escritório novamente. Eu senti a mão de Viola no meu braço. "Ele fará isso ser possível." Eu concordei. Mig esta impaciente. "Porque não podemos ouvir nada?" Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


Alison van Diepen - Raven

 

"Seja paciente," disse Viola. Um estrondo quebrou o silêncio. Luzes apareciam através das rachaduras da porta do escritório. "Ele vai resistir, " disse Viola, apertando sua mão no meu braço. "Ele vai suportar." Eu não sei se ela esta dizendo isso para me tranqüilizar ou tranqüilizar ela mesma. Mig parou de andar. "Ela pode estar matando-o. E nós estamos apenas esperando!" "Isto é o que Zin quer". Disse Viola, e depois ouvimos um agoniado gemido do outro lado da porta. Tremi. "Eu vou entrar." Disse Mig. Viola o puxou para o outro lado da porta. "Temos que deixá-la concluir o processo." "Talvez Mig esteja certo", eu disse. "Nós só poderíamos dar uma olhada... para certificarmos que Zin esta bem." "Não", disse Viola. "É muito perigoso para qualquer um de nós, especialmente você. Sua alma esta tentando sair para superfície. Se você entrar, vai estar vulnerável a tudo o que está sendo exorcizado de Zin." Esforcei-me por ficar assim, ate mesmo com os gritos de Zin. Sendo assim, o homem que eu amo esta lutando pela sua vida. E depois veio o silêncio.

*** fim *** Traduções e Digitalizações Orkut - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057 Blog – http://tradudigital.blogspot.com/ Fórum - http://tradudigital.forumeiros.com/portal.htm Twitter - http://twitter.com/tradu_digital  

FEITO POR: Andyinha Bitty Ana Carolina Maria Fleury   Comunidade Orkut Traduções e Digitalizações - http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=65618057

 


R__