Issuu on Google+

BOLETIM ESCOLA DAS

O r g a n i z a ç ã o

INFORMATIVO LICENCIATURAS

POLÍTICAS PÚBLICAS Instituto Paulo Montenegro TODOS PELA EDUCAÇÃO

Aqui são apresentados o acompanhamento e estágio de cumprimento das 5 Metas do Todos Pela Educação, principal programa do Governo Federal para a Educação META 1 - Toda criança e jovem de 4 a 17 anos na escola “Até 2022, 98% ou mais das crianças e jovens de 4 a 17 anos deverão estar matriculados e frequentando a escola”. Em 2008, ao analisarmos o Brasil como um todo, 91,4% das crianças e jovens entre 4 e 17 anos já estavam na escola. Essa proporção subiu para 91,9% em 2009. Apesar de positivo, o aumento não foi suficiente para que a meta intermediária de 92,7% fosse atingida. META 2 - Toda criança plenamente alfabetizada até os 8 anos “Até 2010, 80% ou mais, e até 2022, 100% das crianças deverão apresentar as habilidades básicas de leitura e escrita até o final da 2ª série ou 3º ano do Ensino Fundamental”. Atualmente, o sistema educacional brasileiro não dispõe de uma avaliação externa oficial, nacional, regular e em larga escala para medir o que as crianças efetivamente aprenderam nos primeiros anos da Educação Básica. Mas em 2011, o movi-

mento Todos Pela Educação, com a parceria do Instituto Paulo Monte negro/Ibope, da Fundação Cesgranrio e do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), realizou a Prova ABC (Avaliação Brasileira do Final do Ciclo de Alfabetização). A Prova ABC aferiu o aprendizado das crianças em leitura, escrita e matemática para o Brasil e cada região ao fim do 3º ano do Ensino Fundamental . Apesar da Meta 2 fixar expectativas somente para leitura e escrita, os resultados de matemática também estão disponíveis e as mesmas metas foram consideradas. Os dados da Prova ABC têm como abrangência geográfica o Brasil e as regiões. Foram amostrados cerca de 6.000 alunos de escolas estaduais, municipais e particulares de todas as capitais brasileiras. META 3 - Todo aluno com aprendizado adequado à sua série “Até 2022, 70% ou mais dos alunos terão aprendido o que é essencial para a sua série”. Ficou definido, então, que 70% dos alunos da 4ª e 8ª séries ou do 5º e 9º anos do Ensino Fundamental e do 3º ano do Ensino Médio, no conjunto das redes pública e privada, deverão ter desempenhos superiores a respectivamente 200, 275 e 300 pontos na escala de Português do Saeb, e superiores a 225, 300 e 350 pontos na escala de matemá-

tica. A Meta 3 talvez seja a mais desafiadora das 5 Metas estabelecidas pela Comissão Técnica do Todos Pela Educação. Hoje, o Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) indica que nenhuma das séries avaliadas (5º e 9º ano do Ensino Fundamental e 3º ano do Ensino Médio) possui 35% dos alunos com aprendizado adequado META 4 - Todo jovem com Ensino Médio concluído até os 19 anos "Até 2022, 95% ou mais dos jovens brasileiros de 16 anos deverão ter completado o Ensino Fundamental e 90% ou mais dos jovens brasileiros de 19 anos deverão ter completado o Ensino Médio”. A taxa de conclusão do Ensino Médio aos 19 anos foi de 50,2% em 2009. Este percentual está acima da meta proposta, o que é um bom sinal. Entretanto, é preciso observar que a distância para a meta final é ainda grande. Em 2022, espera-se que 90% dos jovens com 19 anos tenham completado esta etapa do ensino (...)

“Até 2010, mantendo até 2022, o

O I Simpósio de Desenvolvimento Sustentável da Escola das Licenciaturas aconteceu na quarta-feira, 25 de abril no auditório da unidade 5 do Uninorte/ Laureate, onde estiveram presentes acadêmicos e professores da Escola das Licenciaturas e demais escolas. O objetivo da Conferência Mundial do Meio Ambiente – a Rio + 20, evento promovido pela ONU e que acontecerá em junho/2012, no Rio

• As 5 metas do governo federal no Programa Todos pela Educação • Rio +20 nas Licenciaturas • Como elaborar um currículo? • I Torneio de Futsal da Escola das Licenciaturas • Plano de carreira

Nesta edição:

investimento público em Educação Básica deverá ser de 5% ou mais do PIB”.

As 5 metas do Programa “Todos pela Educação”

1

Em 2009 o investimento público em Educação Básica foi de 4,3% do PIB (Produto Interno Bruto).

Rio + 20 chega às Licenciaturas

1

I Símpósio de Desenvolvimento Sustentável da Escola das Licenciaturas - A Questão do Porto das Lages

2

Estudar faz bem à sua carreira

3

Como escolher o melhor curso?

3

Plano de Carreira

3

Currículo: Os cinco erros mais comuns

4

Ri o + 20 c he ga às Li cencia tura s de Janeiro é dar continuidade à discussão sobre o desenvolvimento sustentável. Durante a Rio +20 espera-se a participação de cerca de 135 chefes de Estado de todo o mundo para se discutir o que já foi feito e o que poderá ser feito a favor das questões ambientais. Para discussão do tema, o I Simpósio de Desenvolvimento Sustentável, escolheu a questão do Porto das Lajes, assunto polêmico que envolve questões ambientais, sociais e econômicas no municí-

Interesses especiais:

META 5 - Investimento em Educação ampliado e bem gerido

ATUALIDADES I SIMPÓSIO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

Volume 1, Edição 1 10/05/2012

pio de Manaus. A escolha do local para a construção do porto é a principal polêmica porque a área é tombada como patrimônio histórico e natural da cidade por ser área do Encontro das Águas e pelos prejuízos que poderão ser causados à pesca pelo incremento do tráfego fluvial na área. Essa questão está em júdice no Ministério Público Federal

Leia mais na página 2.


Página 2

BOLETIM INFORMATIVO ESCOLA DAS LICENCIATURAS

ATUALIDADES

I Simpósio de Desenvolvimento Sustentável da Escola das Licencia turas - A Questão do Por to das Lajes em ser ou não construído naquele local o porto. O organizador do I Simpósio de Desenvolvimento Sustentável, prof. MSc Josildo Severino de Oliveira que atende aos cursos de Pedagogia e Geografia do Uninorte, fez uma retrospectiva histórica dos eventos promovidos pela ONU para discussão da problemática socioambiental, como a Conferência de Estocolmo (1972) e a Rio 92 (mais conhecida como ECO 92) eventos históricos que marcaram a discussão ambiental e cunharam o termo desenvolvimento sustentável. O representante da SEMMAS (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade), Dr. Carlos Alberto de Queiroz Barreto, apresentou o enfoque jurídico da questão do Porto das Lages e a situação do litígio no Ministério Público Federal. Como conhecedor do assunto em questão, o Dr. Carlos Alberto explicou os interesses, vantagens e desvantagens para a paisagem local do Encontro das Águas e para a população da Colônia Antônio Aleixo

Demais palestr antes O professor da Escola das Licenciaturas, Dr. Manuel do Carmo, filósofo e teólogo, apresentou a temática “Ética e Meio Ambiente”, explicando que desde o surgimento dos primeiros hominídeos, o planeta Terra é ocupado, explorado e degradado. Durante a tarde, a SEMMAS enviou como representante a Dra. Juliana Carolino e Tatiana Oliva, da assessoria jurídica daquele órgão, que falaram sobre o Porto das Lages para o público presente naquele horário. À noite, já com um público maior que incluía acadêmicos de Pedagogia, Geografia, Biolo-

gia, Petróleo e Gás, Engenharia Ambiental e Letras, entre outros, dada a importância da temática em questão para todas as áreas do conhecimento, tivemos a participação do Dr. Carlos Alberto, procurador jurídico da SEMMAS e a participação da Profa. MSc Gislaine Raposo Bacelar, professora do UNINORTE que em 2010 fez parte da equipe do IPHAN que elaborou o processo de tombamento do Encontro das Águas como patrimônio natural. Outra participação muito importante no simpósio foi dos comunitários da Colônia Antônio Aleixo, participantes do movimento popular “S.O.S. Encontro das Águas”, nas pessoas da Sra. Lucilene Pontes, Sra. Maria Delvanir e Sr. Antônio Bentes, que fizeram seu pronunciamento apresentando o ponto de vista da maioria dos moradores da comunidade. Percebe-se que a comunidade da Colônia Antônio Aleixo está dividida: os pescadores artesãos são contra pois temem a diminuição da oferta de pescado com o aumento do

A par ticipação dos acadêmicos da Escola das Licencia turas Um dos momentos mais relevantes foi o de questionamentos por parte do público presente.

proteção ao Encontro das Águas, patrimônio tombado pelo IPHAM pela sua importância para a cidade.

Os acadêmicos da Escola das Licenciaturas mostraram estar atentos à questão ambiental, levantando questões sobre as vantagens e benefícios da construção do Porto das Lajes para a população local, a adequação da escolha do local em relação aos impactos ambientais e sociais que serão causados, sobre a participação dos moradores da Colônia Antônio Aleixo nas discussões e a questão da

A realização do I Simpósio de Desenvolvimento Sustentável pelo curso de Pedagogia, faz parte do Programa de Qualidade de Ensino (PQE) e teve como objetivo levar o debate sobre as questões sociioambientais aos docentes e discentes do Uninorte, comprovando o compromisso com a responsabilidade social da IES.

“ A Rio+20 apresenta à Escola das Licenciaturas a oportunidade de refletir sobre o Desenvolvimento Sustentável da Amazônia” Profa. Helenice Ricardo tráfego fluvial que espanta os peixes, outros moradores estão otimistas porque representantes dos empresários apontam para oportunidade de trabalho no porto. Essa e outras questões socioambientais de nossa cidade merecem nossa atenção e o Prof. Josildo Oliveiira, organizador do evento já aponta para a 2a. edição do Simpósio sobre Desenvolvimento Sustentável, promovido dessa vez, pelo curso de Geografia da Escola das Licenciaturas.


Volume 1, Edição 1

Página 3

CARREIRA Estudar faz bem à sua car r eira A necessidade de se aperfeiçoar é grande e o mercado exige cada vez mais. Por isso, os profissionais da educação investem na formação continuada.

"Os que mais buscam formação continuada, e com muita avidez, são os que lecionam de 1ª a 4ª", diz Claudia Davis, pesquisadora da Fundação Carlos Chagas, em São Paulo.

Adaptado de Márcio Ferrari

Atualização e aprimoramento são fatores que movem muitos desses educadores. Mas a busca tem pelo menos outro motivo: a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), que, segundo convicção disseminada, exigia que todos os professores tivessem diploma de nível superior.

Quem trabalha com conhecimento, nunca pode deixar de estudar. "Antigamente havia a crença ingênua de que, uma vez formado, se estaria eternamente apto para o mercado", diz José Cerchi Fusari, professor da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP). Hoje é difícil encontrar alguém que ainda acredite nisso. Os profissionais do magistério reconhecem a necessidade da formação e a oferta de cursos de capacitação é cada vez maior justamente porque a procura não pára de crescer.

"Para muitos, continuar estudando é um modo de conseguir ou manter o emprego, e não há lei que mude isso", diz Oliver Mizne, da Ideal Invest, financeira especializada em educação. (novaescola@atleitor.com.br)

Plano de Carr eira ou Necessidade Especial para oferecer um atendimento adequado para essa comunidade. Em se tratando de indivíduos surdos, a situação é mais complicada, já que os mesmos utilizam uma língua diferenciada para interagir com o professor e os demais alunos, exigindo com isso a presença de um intérprete, para que haja interação entre “ Segundo a Constituição ‘a educação é direi- todos e sucesso no processo ensino aprendito de todos’ o que significa que alunos com zagem. necessidades especiais também fazem parte Falando sobre minha experiência profissional, desse “grupo” e devem ter seus direitos respeitados, sobretudo no aspecto educacional, trabalho com alunos surdos desde a fundação das escolas para atendimento específico nisso se fundamenta a inclusão social. Entretanto, os educadores nem sempre estão em Manaus, ainda quando se trabalhava com preparados para atender essa clientela. Em- a Abordagem Oralista na educação de tais bora os cursos de graduação contenham em alunos, o que me oportunizou fazer uma desua grade disciplinas que falam sobre o aten- zena de cursos na área. Atualmente, o surdo dimento a esses educandos, ainda não é o utiliza como metodologia educacional o Bilinsuficiente. O certo é que, quando se confron- guismo, que tem como instrumento de comutam com a realidade, acabam tendo certo nicação e de aprendizagem a Libras como impacto, por não se sentirem preparados Ao escolher um curso, pode-se seguir um plano de carreira, orientar-se por interesses pessoais ou suprir uma necessidade específica do mercado. A professora Yêda dos Santos Santos escreve-nos sobre sua experiência:

Como escolher o melhor curso

primeira língua e o Português, na modalidade escrita, como segunda língua.

“ Aprender Libras em cursos especializados é fundamental” Yêda dos Santos Santos

O que escolher e por quê?

Em nível superior, cursos sequenciais servem à complementação de estudos e não exigem vestibular, mas também não dão diploma. O mesmo vale para pós-graduações lato sensu.

Os programas do MEC (Ministério da Educação e Cultura) costumam ser voltados para as necessidades mais profundas e urgentes do ensino.

Para titulação, só servem cursos superiores de graduação e pós-graduações stricto sensu como os que a Escola das Licenciaturas oferece. Quase todo curso, de qualquer nível, conta pontos na carreira do magistério.

O Proformação, por exemplo, atende os leigos, para que obtenham diploma equivalente ao Normal de nível médio, o ProInfo oferece treinamento em informática etc.

Na hora da escolha, cerque-se de cuidados. . Procure referências e, sobretudo, verifique se o curso segue as Diretrizes Nacionais para Formação de Professores e se o MEC o reconhece. (www.educacaosuperior.inep.gov.br).


Conheça a Escola das Licenciaturas A Escola das Licenciaturas tem como objetivo a formação para o exercício da docência em nível fundamental, médio e superior. Possui cursos específicos para a formação de licenciados em Geografia, História, Biologia, Computação, Química, Matemática, Letras Língua Inglesa e Letras Língua Portuguesa. Todos os cursos são reconhecidos pelo MEC e oferecem certificação reconhecida em todo o país.

CURRÍCULO Erros mais comuns no currículo Que o currículo é fator determinante na seleção de um candidato a uma vaga de emprego você já está cansado de saber. Daí a importância de cuidar da qualidade do conteúdo. Para ampliar sua chance de ser chamado para uma entrevista, consultamos três especialistas em Recursos Humanos que apontam os principais erros que os profissionais cometem ao elaborar esse cartão de visita. 1- Mentir ou exagerar sobre o conhecimento de uma língua estrangeira é prática comum e ao mesmo tempo fácil de ser detectada. Uma simples conversa com o recrutador ao telefone é suficiente para checar a proficiência no idioma e deixar o candidato em situação embaraçosa. Segundo Beatriz Collor, muitas pessoas erram por não fazer uma avaliação criteriosa. Na dúvida, nada melhor que a sinceridade. “É preferível mostrar que você não possui um determinado conhecimento, mas tem vontade de aprender, do que mencionar informações que não correspondam com a sua realidade profissional”, indica Luciene Medeiros, consultora de RH da Catho Online. 2- Ainda que você tenha experiência em áreas diversas, é importante enxugar o currículo e focar apenas na vaga em que está interessado. Se já foi ajudante na loja do tio, por exemplo, ou teve outros empregos irrelevantes no início da carreira não precisa mencionar no currículo. “O currículo sempre deve ser focado para a vaga em que o profissional está interessado, sendo condizente com sua formação acadêmica ou experiência profissional”, aconselha Luciene Medeiros, consultora de RH da Catho Online. Além disso, no topo deve constar, de forma bastante objetiva, a área na qual o candidato pretende atuar. “Executivo de negócios está na moda. Mas, o que isso significa? A pessoa deve ser clara ao expor seu objetivo”, ressalta Beatriz Collor, responsável pela área de recrutamento e hutting da Crossing BPI. 3- Currículos concisos são mais apreciados pelas empresas. Para profissionais em início de carreira, é recomendável uma página e

TIRA-DÚVIDAS Profa. Adriana Antony

para profissionais experientes, duas. “O conteúdo do currículo será avaliado pela lógica e síntese empregados em sua produção. Currículos com mais de duas páginas normalmente são considerados extensos, pois tornam a leitura cansativa para os selecionadores”, enfatiza Luciene Medeiros, consultora de RH da Catho Online. O ideal é que o documento seja objetivo, destacando resumidamente as principais qualificações, experiências, projetos e conquistas profissionais. “É importante que a pessoa entenda o curriculo como um documento, apresentação profissional. O detalhe vai ser avaliado numa entrevista presencial”, diz Bárbara Will, diretora de recrutamento do grupo Business Partners Consulting. 4- Colocar uma pretensão salarial no currículo pode fazer com que você perca oportunidades de trabalho e a possibilidade de negociar uma faixa salarial ou benefícios melhores. “Informações como o salário anterior e a pretensão salarial devem ser tratadas preferencialmente no momento da entrevista, onde o profissional poderá detalhar melhor suas qualificações e resultados que justifiquem o salário proposto”, orienta Luciene Medeiros, consultora de RH da Catho Online. 5- Hobbies e qualidades pessoais como criatividade, determinação e comprometimento devem definitivamente ser deixados de fora do currículo. “Tais informações vão estender o currículo e não serão de fundamental importância”, observa Beatriz Collor, responsável pela área de recrutamento e hutting da Crossing BPI.

ENTRE EM CONTATO... Opiniões, dúvidas ou sugestões ? Entre em contato conosco do Programa Qualidade de Ensino da Escola das Licenciaturas (PQE) ESCOLA DAS LICENCIATURAS Diretora: Maria Izolda Barreto Rua Huáscar de Figueiredo, n. 1730 Telefone: 3212—5067 E-mail: helenice.ricardo@uninorte.com.br

INFORMES I TORNEIO DE FUTSAL DAS LICENCIATURAS O evento será realizado na Unidade 13 em duas fases, a classificatória, nos dias 19 e 20 de maio e a final que ocorre no dia 25 de maio às 20 h. Cada curso pode fazer a inscrição de duas equipes nas categorias feminino ou masculino, compostas por, no máximo, doze integrantes, incluindo o técnico e o auxiliar. As regras do torneio estão de acordo com a Confederação Brasileira de Futebol de Salão (CBFS) e os critérios de classificação e duração dos jogos estão presentes no regulamento do evento. Para participar, as equipes compostas por alunos da instituição, devem preencher a ficha de inscrição disponível na coordenação de cada curso das Licenciaturas.


Boletim Informativo de Licenciatura #1