Issuu on Google+

www .uftm.edu.br

Uma publicação da Comunicação Social / UFTM

Ediçao N º 26 / 2016

Novo portal da UFTM De cara nova e muito mais dinâmico!

Pág.15

Os dez anos dos cursos de Letras, Fisioterapia, Nutrição e Terapia Ocupacional

A flexibilização da jornada de trabalho começa a ser implantada

Parceria de sucesso na UFTM desenvolve nova tecnologia para a agricultura

Curso de Ensino a Distância é implantado em Iturama

Pág.3

Pág.19

Pág.10

Pág.26


Editorial

nesta edição

Chegar ao final do ano de 2016, naturalmente,

remete-nos a reflexões e balanços sobre o período vivenciado. A percepção que temos acerca da velocidade com que o tempo passa, muitas vezes, influencia nossa capacidade de acompanhar e reconhecer toda a produção acadêmica e administrativa da UFTM.

Num cotidiano permeado por múltiplas ações, a

comunidade universitária mantém um movimento intenso de produção e construção, demonstrando seu dinamismo

PESQUISA

HC-UFTM participa de estudo sobre doenças cardiovasculares Pág.17

e sua potencialidade para a reinvenção de possibilidades, levando em conta a diversidade de saberes que caracterizam a universidade.

Vivemos tempos difíceis, contudo, as graves

restrições financeiras não têm sido um impeditivo para avançarmos no projeto de desenvolvimento da universidade ao qual nos propomos, ainda que numa velocidade aquém da planejada. Os desafios atuais nos impõem postura proativa, responsabilização e atitudes solidárias na busca de alternativas e condições para superar as dificuldades.

Nesse contexto, o resultado do trabalho realizado em

dois anos, apresentado recentemente na forma de um relatório parcial, evidencia quantitativamente e, qualitativamente, os produtos e os esforços coletivos da nossa comunidade.

Destacamos, ainda, a inauguração, no início

deste semestre, de um conjunto de obras que atenderão à comunidade universitária, disponibilizando estruturas mais adequadas e funcionais e, com isso, melhores condições de estudo e de trabalho.

A implementação do novo portal da Universidade,

também reportada nesta edição, é mais um compromisso cumprido pela atual gestão. Com um visual mais moderno e adaptado às questões de acessibilidade, a atual ferramenta dará mais autonomia aos setores da UFTM para realizar as próprias publicações, compartilhando a gestão da informação no portal.

Além de contribuir para divulgação de diversas

conquistas, o UFTM em notícia socializa parte dos principais acontecimentos nas áreas do ensino, da pesquisa e pósgraduação, da extensão universitária e da administração na UFTM.

Profa. Ana Lúcia de Assis Simões Reitora da UFTM

INTERNACIONALIZAÇÃO

Recém-graduado da UFTM ganha bolsa de mestrado na França Pág.12

Expediente Direção executiva Reitora: Ana Lúcia de Assis Simões / Vice-Reitor: Luiz Fernando Resende dos Santos Anjo / Chefe de Gabinete da Reitoria: Irani Rosa Nunes / Pró-Reitor de Ensino: Wagner Roberto Batista / Pró-Reitora de de Pesquisa e Pós-Graduação: Darlene Mara dos Satos Tavares / Pró-Reitora de Extensão Universitária: Valéria Almeida Alves / PróReitora de Assuntos Comunitários e Estudantis: Sandra Eleutério Campos Martins / Pró-Reitora de Administração: Heloisa Helena Oliveira Martins Shih / Pró-Reitora de Planejamento: Carla Costa Figueiredo / Pró-Reitora de Recursos Humanos: Patricia Ribeiro Costa / Superintendente do Hospital de Clínicas: Luiz Antônio Pertili Rodrigues de Resende UFTM em Notícias - no.26 / 2016 Comunicação Social da UFTM Diretora de Comunicação: Dalva Pereira da Silva Jornalistas: Luiz Vieira - MTb 14307/MG Rosangela Rodrigues - MTb 2566/MG Thalita Vianna - MTb 027366/SP Fotógrafos: Edmundo Gomide Elioenai Amuy Luís Adolfo Fonseca Jr. - MTb 18931/MG Marco Clemente Secretaria: Paula Cusinato Publicidade e Marketing: Marcela Pena; Jayme Amaral Planejamento gráfico e diagramação: Jayme Amaral Revisão de textos: Débora Lima Unidade de Comunicação do Hospital de Clínicas Jornalista: João Pedro Vicente - MTb 11.885/MG Tiragem: 1.500 exemplares Impressão: Gráfica Universitária da UFTM Capa: Marcela Pena - Publicidade/UFTM Distribuição gratuita e dirigida. Comunicação Social da UFTM Unidade Prédio da Reitoria Av. Frei Paulino, 30 - 3o andar Bairro Abadia Tel: (34) 3700-6067 | 3700-6068 | 3700-6069 | 3700-6070 É permitida a reprodução de textos, desde que seja citada a fonte.

2


Os primeiros cursos implantados na UFTM completam dez anos Coordenadores dos cursos falam dos resultados do trabalho Com a transformação em Universidade, em 2005, umas das exigências do processo de implantação foi a criação de novos cursos de graduação, uma vez que havia apenas três. Assim, após um ano, no Vestibular de Inverno de 2006, a UFTM ofereceu quatro novas opções de ingresso. Mais três cursos na área de saúde, seguindo a vocação da Instituição fundada em 1953, Fisioterapia, Nutrição e Terapia Ocupacional; e a primeira licenciatura: Letras – Português/Espanhol e Português-Inglês, oferecendo as primeiras vagas para o período noturno. A implantação ocorreu com recursos provenientes do Programa de Expansão do Ministério da Educação voltado para as universidades federais. À época, para receber não mais setenta e sim 160 novos alunos por semestre, a UFTM realizou concursos docentes para dar início a composição do quadro, preparou novos espaços - salas de aula, laboratórios de ensino, mesmo que de forma provisória, até que um novo projeto de espaço físico fosse implementado para abrigar os novos cursos. Dando um salto de dez anos, os quatro cursos que formaram 885 profissionais somam avaliações positivas no Ministério da Educação, têm docentes qualificados, produção acadêmica e científica reconhecidas, projetos de extensão universitária que estreitam as relações com a comunidade externa, contribuem com a qualificação profissional por meio de programas de residência e de pós-graduação stricto sensu, com egressos da graduação integrando os quadros discentes, sempre atuando na busca da excelência. Conceito Enade:* Letras Inglês Letras Espanhol Nutrição

5 (2014) 4 (2014) 3 (2013)

Fisioterapia e Terapia Ocupacional não fizeram Enade em 2013

Conceito Preliminar de Curso CPCA:* Letras Inglês 4 (2014) Letras Espanhol 4 (2014) Nutrição 4 (2013)

Fisioterapia e Terapia Ocupacional ficaram sem conceito por não terem feito Enade em 2013

Segundo o diretor do Instituto de Ciências da Saúde - ICS, professor Dernival Bertoncello, “estes dez anos dos cursos são um marco para o Instituto, uma vez que já contribuíram para a formação de excelentes profissionais que atuam em várias regiões do Brasil e até fora do país”. “Logo nas primeiras avaliações que esses cursos tiveram, ainda com aproximadamente cinco anos de implementação, foram muito bem avaliados pelas instâncias superiores - avaliações in loco realizadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - Inep e no Enade“, ressalta Dernival. “Os cursos possuem docentes muito bem capacitados voltados para o ensino de graduação e de pós-graduação, pesquisa e extensão, inclusive com trabalhos junto à comunidade de Uberaba e região, bem como pesquisas que têm sido divulgadas nacional e internacionalmente”, avalia. Conceito de Curso - CC

Estrelas no Guia do Estudante:*

avaliação in loco em 2009*

Letras Inglês Letras Espanhol Fisioterapia Nutrição Terapia Ocupacional

5 5 5 4 5

Fisioterapia 4 estrelas Nutrição 4 estrelas Terapia Ocupacional 3 estrelas

Cursos de licenciatura em Letras não são avaliados no Guia do Estudante. *Informações da Divisão de Informação e Pesquisa Institucional da UFTM

3


[Fotos: Edmundo Gomide/UFTM]

Terapia Ocupacional Nutrição

Fisioterapia

4

 [Foto: Elioenai Amuy/UFTM]

 [Fotos: Luís Adolfo/UFTM]


Curso de Terapia Ocupacional Segundo as professoras Alessandra Cavalcanti e Fabiana Caetano, que assumiram a coordenação do Curso no início de novembro, “a Terapia Ocupacional vive um momento ímpar em sua história. A profissão está às vésperas de comemorar no cenário mundial 100 anos de profissão e o Curso de Terapia Ocupacional da UFTM completa em 2016, 10 anos de muito desenvolvimento e crescimento.” Atualmente, o curso totaliza 16 professores do corpo docente específico de terapeutas ocupacionais, organizados em grupos de pesquisa reconhecidos pela Instituição com linhas e projetos que contemplam os ciclos de vida e os diversos níveis de atenção à saúde. Também são desenvolvidos projetos de extensão, inclusive com financiamento do MEC. O Curso vem se esforçando para um ensino de qualidade englobando a formação de um terapeuta ocupacional generalista,

envolvido em atividades tanto de ensino, quanto de pesquisa e extensão, relatam as coordenadoras. O Curso inaugura uma nova fase, voltandose para uma análise do Projeto Pedagógico do Curso (PPC-TO) pareada com as ações do Programa de Educação Tutorial, o PETGradua SUS. A intenção é ampliar os direcionamentos do PPC-TO, propondo uma revisão fundamentada na visão dos egressos e do Núcleo Docente Estruturante - NDE, pautada nas Diretrizes Curriculares Nacionais de Terapia Ocupacional em sintonia com os padrões mínimos da Federação Mundial de Terapia Ocupacional (World Federation Occupational Therapist - WFOT), de forma a atualizar o PPC e garantir o credenciamento mundial do Curso de Terapia Ocupacional da UFTM, o que garantiria uma internacionalização dos egressos, destacam.

Curso de Nutrição De acordo com a coordenadora do Curso de Nutrição, professora Selma Sanches Dovichi, que teve a satisfação de oferecer a primeira disciplina profissionalizante do Curso - a Prática Orientada I, para a primeira turma, quando havia apenas duas docentes nutricionistas. O quadro docente foi, gradativamente, sendo composto por nutricionistas e um farmacêutico da área de alimentos. Professores das áreas biológicas e humanas já estavam presentes na Instituição, mas também passaram por um aumento do número de docentes, de modo a contemplar os novos cursos que foram iniciados em 2006, conta Selma. “É lógico que passamos por inúmeras dificuldades, que iam desde o número insuficiente de docentes e a falta de formação específica de docentes não nutricionistas sobre a profissão e suas necessidades formativas até a falta de estrutura física, como laboratórios e salas

de aula, e também o desconhecimento por parte dos alunos que ingressavam no Curso a respeito da profissão. Superamos todas essas dificuldades, com trabalho árduo e dedicação”, afirma a coordenadora. “Nossos egressos se inseriram em programas de pós-graduação nos segmentos especialização, aprimoramento, residência, mestrado e doutorado na UFTM e em universidades no Brasil e no exterior, e também iniciaram suas carreiras em Alimentação Coletiva, Nutrição Clínica ou Nutrição em Saúde Pública”, destaca. Atualmente, o Curso trabalha na revisão e remodelação do Projeto Pedagógico “para atender a demandas científicas e do mercado na área de Nutrição, para oferecer à região e ao país melhores nutricionistas. Nossa marca almejada é a qualidade e a ética profissional, conclui professora Selma.

Curso de Fisioterapia Para a professora Lislei Patrizzi Martins, coordenadora do Curso de Fisioterapia, “o perfil idealizador e de trabalho em equipe, sempre pautado em um planejamento detalhado buscando excelência, foi determinante para que, nesses dez anos de intenso trabalho, o Curso alcançasse o reconhecimento nacional merecido e um crescimento exponencial acima das expectativas”. Avaliações positivas e reconhecimento, como o melhor curso de Fisioterapia do país, segundo os índices do Enade e CPC de 2010, estão registrados nestes dez anos. No entanto, “a maior satisfação e certeza de que estamos no caminho certo, está relacionada à inserção dos egressos do Curso de Fisioterapia da UFTM no mercado de trabalho e a aprovação

dos mesmos em concursos públicos e em programas de pós-graduação lato e stricto sensu”, destaca a coordenadora. Neste ano, a UFTM e a Universidade Federal de Uberlândia – UFU, de forma associativa, tiveram o Programa de Mestrado em Fisioterapia aprovado e receberam os primeiros alunos. Como coordenadora do Curso de Fisioterapia, Lislei destaca o trabalho desenvolvido pelo corpo docente, pelos professores de outros Departamentos que muito contribuem para o crescimento do Curso e de todos os servidores técnicoadministrativos que compõem a equipe. “Temos ainda muito a fazer, mas estamos neste momento muito satisfeitos com os resultados alcançados”, finaliza. 5


Letras

 [Foto: Elioenai Amuy/UFTM]

Curso de Letras O primeiro curso de Licenciatura da UFTM, Letras, que recebeu conceito máximo, 5, no Conceito Preliminar de Curso - CPC, avaliado pelo Inep em 2011, realizou várias atividades durante o ano em comemoração aos dez anos. As várias atividades, bem como uma semana de programação especial, idealizada e conduzida pelo professor Carlos Morais, foi um “encontro privilegiado do grupo de amigos que se foi criando em torno do curso, de tantas e merecidas homenagens aos profissionais que nele atuaram, de amizade e respeito pelos colegas do magistério, pessoas que acreditam na Educação como uma saída para transformação da nossa sociedade”, segundo a coordenadora do Curso, Maria Eunice Barbosa Vidal. Para ela, faz parte da tradição aproveitar as datas comemorativas para promover reflexões. “Sabe-se que o dez é um número convencionado. Mas, neste caso, reveste-se de especial significado. Dez anos pode parecer muito, mas é um espaço curto de tempo, se considerarmos toda a informação acadêmica que já se produziu. A qualidade 6

dos projetos que se desenvolveram. O expressivo número de egressos bem sucedidos que servem de referência e inspiração para os atuais alunos. Os eventos já promovidos. As inúmeras publicações. A criação do mestrado profissional – ProfLetras, enfim, são muitos os avanços que marcaram a história da Letras ao longo de uma década, e tudo isso, ao mesmo tempo, é uma homenagem a todos que compuseram essa história, consolidando o curso como uma referência nacional para o debate acadêmico na área de Letras”, analisa. Para a coordenadora, os cursos de Letras entram “na adolescência - fase jovial enamorada dos desafios de novos rumos, cheia de viço e de expectativas, mas com maturidade. Pois se constata a sua trajetória de sucesso consolidada pelos seus gestores, professores e pela participação ativa de seus alunos, os quais constituem a razão de ser de todas as ações que se impulsionaram até aqui”. E finaliza desejando que “o tempo vindouro seja suave, de equilíbrio na ciência e na vivência, que seja perene, duradouro, longo, longo”.


UFTM inaugurou e reinaugurou unidades

 [Fotos: Elioenai Amuy/UFTM]

A Reitoria da UFTM inaugurou a Unidade III e ampliação da Biblioteca Setorial, na Univerdecidade, e reinaugurou o Prédio da Reitoria e Auditórios, no bairro Abadia, no final de agosto. Na solenidade, estiveram presentes a reitora Ana Lúcia de Assis Simões, pró-reitores, diretores de unidades acadêmicas, coordenadores de curso, servidores docentes e técnico-administrativos, discentes e representantes de autoridades políticas e de instituições do Estado.

A solenidade A cerimônia iniciou na Unidade III com o descerramento de placa no pavimento térreo. O diretor do ICTE, professor Evaldo Malaquias, cumprimentou e agradeceu a todos que trabalharam na obra. “A estrutura física é muito importante. As salas de aula, gabinetes dos docentes, os laboratórios são importantes porque essa estrutura é a base, o alicerce para construção de sonhos.” A diretora do Icene, professora Patrícia Buranello, compartilhou o significado do prédio para o Instituto. “Esse prédio vai abrigar laboratórios muito importantes para

as licenciaturas. Isso me traz muita satisfação porque, de certa forma, nós devolveremos para a sociedade professores que vão gerar mais conhecimento.” A Reitora celebrou a inauguração de mais um espaço para desenvolvimento do ensino, da pesquisa e da extensão universitária. “Sabemos que temos ainda muito por fazer, como as adaptações. Uma segunda etapa é equipar o prédio para que as atividades possam funcionar a contento, e nos esforçaremos para conquistar mais uma realização.” 7


8

Diretora do Icene, Reitora, Diretor do ICTE e Prefeito Universitário na Unidade III- Univerdecidade

Plantio de mudas na Biblioteca Setorial - Univerdecidade

Depois de uma visita às instalações, o público seguiu para a Biblioteca Setorial, onde foi descerrada a segunda placa, inaugurando a ampliação do espaço. Para a diretora da Biblioteca Universitária, Rachel Silva, o investimento nas bibliotecas é muito importante para o desenvolvimento técnico e científico da Universidade. “O aumento triplica nosso espaço físico, são 19 salas de estudo em grupo, criação de cabine de estudo individual e serão quase 40 computadores para acesso dos usuários. Traz também melhores condições de trabalho para os servidores que poderão promover o desenvolvimento de novas atividades para os usuários que são a razão de existir da nossa biblioteca.” O pró-reitor de Ensino, Wagner Roberto Batista falou da satisfação de vivenciar o momento de inauguração da complementação da biblioteca. “Por vezes, eu passei por aqui durante o dia e vi alunos das engenharias disputando os espaços para poderem estudar, para se prepararem para as provas, para os trabalhos e, à noite, a mesma coisa. Então quando expandimos a biblioteca, nós podemos oferecer a esses alunos um conforto um pouco maior.” A Reitora parabenizou a iniciativa do grupo de servidores, docentes e estudantes que idealizaram o projeto do plantio de mudas de trepadeiras em uma área interna e aberta da biblioteca. Durante a solenidade, duas espécies diferentes foram plantadas. “Esse é, sem dúvida, um projeto que contribui com a humanização. Sabemos que não basta plantar, mas cuidar da manutenção das mudas. Uma planta, assim como o ser humano, tem

necessidades diárias para sobreviver, por isso o grupo participante do projeto previu essa atenção especial pós-plantio.” A cerimônia encerrou-se com a reinauguração do prédio da Reitoria e auditórios no bairro Abadia. A Reitora e o professor Valdemar Hial, diretor da FMTM nas gestões 1989 a 1993 e 1997 a 2001, descerraram a placa da solenidade. O professor Hial, gestor responsável pela obra de construção da Unidade, relembrou as experiências e fatos relacionados ao projeto e sua realização. “Eu confesso que estou emocionado por participar da reinauguração deste prédio. Eu o vejo reestruturado para receber a Reitoria da Universidade e foi um marco histórico exatamente por causa disso. E o mais importante para mim, é que preparou o campo para uma futura universidade, marcando a história da Instituição”, afirmou Hial. Para Ana Lúcia, o momento também teve um significado especial. “É a coroação de um trabalho sério e comprometido, feito em parceria, de uma forma muito participativa com nossos colaboradores. A despeito de tantas dificuldades pelas quais passamos no momento, conseguir concluir obras de um padrão diferenciado e realizadas com baixo custo, se comparadas ao preço de mercado, para nós é motivo de orgulho.” A Reitora lembrou que a solenidade, além de celebrar projetos da atual gestão, marcou a continuidade e a realização de projetos iniciados na gestão anterior, quando o professor Virmondes Rodrigues Junior era o reitor da UFTM.


Prefeito Universitário, Reitora, Diretora da Biblioteca e Pró-Reitor de Ensino na inauguração da Biblioteca Setorial - Univerdecidade

Reitora com o professor Valdemar Hial na reinauguração do prédio da Reitoria

Prédio da Reitoria O prédio original foi construído para abrigar as diretorias da Faculdade de Medicina do Triângulo Mineiro - FMTM, ao final da década de 80 e início dos anos 90. A obra teve como finalidade sua reforma e modernização, em função da nova realidade de expansão e transformação da Instituição em Universidade, implementando novo projeto de informatização, de iluminação e de climatização. Com uma área de 4.778,68 m², o prédio foi adequado para atendimento às exigências de acessibilidade bem como a adequação do Projeto de Prevenção e Combate a Incêndio. Os Anfiteatros foram modernizados e adequados, em termos de acessibilidade, iluminação e de atuais recursos audiovisuais e Biblioteca Setorial da Unidade acústicos. Tudo para atender Univerdecidade à nova planta de ocupação do organograma vigente. Abriga a Com uma área ampliada de 1.322 m², o valor Reitoria da Universidade, Viceda obra na Biblioteca Setorial da UFTM, da Unidade Reitoria, Chefia de Gabinete, Univerdecidade, foi de R$ 1.767.739,89. O projeto Halls, Secretaria e apoios arquitetônico foi desenvolvido com foco em Programa administrativos, Procuradoria de Necessidades para complementar demanda dos cursos Jurídica, Auditoria, Comunicação, de graduação, pós-graduação, laboratórios instalados na Proad, Proplan, Proens, PROPPG, Unidade da Univerdecidade. A Biblioteca foi dotada de Auditório, Salão para convenções espaços funcionais, luminosidade e interação de fluxos, e eventos, entre outros. Para projeto de informatização e climatização para atender às a reforma foram destinados condições requeridas ao usuário e às suas finalidades. recursos no valor de R$ 5.655.773,70.

Unidade III da Univerdecidade A Unidade III da Univerdecidade é a construção de uma edificação de 8.020,00 m², com quatro pavimentos e dois estacionamentos. O prédio abrigará salas de aula, gabinetes para professores do Icene e ICTE, direção, coordenação de cursos e laboratórios do Icene, um auditório para aproximadamente 130 pessoas, cantina, área de convivência e instalações sanitárias e de apoio. Os recursos destinados à obra foram na ordem de R$ 14.225.070,16. 9


30

UFTM implanta flexibilização da jornada de trabalho

Comitê Técnico de Acompanhamento iniciou os trabalhos

De acordo com a Resolução, a flexibilização da jornada para seis horas será autorizada aos servidores que desempenham atividades que demonstram necessidade por funcionamento contínuo e ininterrupto por período igual ou superior a doze horas e disponham do quantitativo de servidores técnico-administrativos para o desenvolvimento dos serviços. Para a implementação da flexibilização da jornada, conforme prevê a Resolução nº 5, foi designado, em 4 de outubro, o Comitê Técnico de Acompanhamento, por meio da Portaria nº 880, publicada no Diário Oficial da União em 6 de outubro, que será presidido pela pró-reitora de Recursos Humanos, Patrícia Ribeiro Costa, integrado por mais seis membros indicados pela Reitoria – Ana Palmira Soares dos Santos, 10

Danielle Mendonça Gonzales Alves, Eliana Helena Corrêa Naves Salge, Kedson Palhares Gonçalves, Marina Dutra de Jesus e Stefanio Seixlack Neto –, um representante da Asmed, Carla Maria de Sousa e Oliveira, e um do SinteMed, Adilson Rabis Diniz. Segundo informação do Comitê, os trabalhos foram instalados no dia 20 de outubro, em reunião realizada com a reitora Ana Lúcia. Até 6 de dezembro, prazo previsto pela Portaria, o Comitê deverá elaborar o regulamento de funcionamento e os formulários que deverão ser preenchidos pelos servidores e pelos Grupos de Trabalhos. Nesse processo, a Resolução também prevê a criação dos Grupos de Trabalho, integrados por três a cinco membros pertencentes à Reitoria, pró-reitorias, Institutos,


0

A Resolução que dispõe sobre a flexibilização da jornada de trabalho dos servidores técnico-administrativos em Educação da UFTM foi assinada pela reitora da UFTM, Ana Lúcia de Assis Simões, no dia 2 de setembro. O ato aconteceu na Reitoria e contou com a presença da pró-reitora de Recursos Humanos, Patrícia Ribeiro Costa, do superintendente do Hospital de Clínicas, Luiz Antônio Pertili Rodrigues de Resende, do presidente da Associação dos Servidores - Asmed, Jesus de Faria Fernandes,  dos coordenadores do Sinte-Med, Rolando Malvásio e Rosa Emília Rangel.

Cefores, campus fora da sede e Hospital de Clínicas.

Retrospectiva Desde 2014, a questão foi objeto de reivindicação, estudo, debate com a participação dos servidores técnicoadministrativos e da administração. Inicialmente, foi designada uma Comissão Responsável pela Apresentação de Proposta de Viabilidade da Implantação do Decreto nº 4.836/2003, que alterou o Decreto nº 1.590/95. No primeiro semestre de 2015, em reunião pública, a Comissão apresentou o Relatório Final dos trabalhos realizados com uma proposta de viabilidade de implantação,

 [Fotos: Luís Adolfo/UFTM]

Reitora e a Comissão responsável pela proposta de 30 horas

bem como uma Minuta de Portaria, que foi encaminhada à Pró-Reitoria de Recursos Humanos - PRORH para que uma minuta de resolução fosse elaborada contendo regras claras e definições, conforme a legislação vigente. Em novembro de 2015, após análise jurídica, a reitora Ana Lúcia apresentou à Comunidade UFTM uma proposta de Minuta de Resolução, com as regras de implantação da flexibilização de jornada de trabalho. No primeiro semestre deste ano, após discussões e sugestões formalmente apresentadas pelo Sinte-Med, foi elaborada uma nova versão da Minuta de Resolução, a qual foi encaminhada à Procuradoria Federal junto à UFTM para parecer jurídico e posterior finalização do processo. 11


Recém-graduado da UFTM ganha bolsa para Mestrado na França Engenheiro formado pela Universidade é o primeiro selecionado por programa de Fundação internacional  [Foto: Marco Clemente/UFTM]

Diego Martos Tavares, formado no curso de Engenharia Elétrica da UFTM

Diego Martos Tavares, recém-formado no curso de Engenharia Elétrica da UFTM, é um dos três brasileiros selecionados pela Fundação Renault em 2016 para receber bolsa de estudos de mestrado na França. O programa é uma parceria entre a Fundação e a Universidade ParisTech, um conjunto de escolas de engenheiros de Paris. A Fundação abre processo seletivo uma vez por ano e escolhe treze profissionais em países emergentes onde atua, como China, Rússia, México, na África do Norte, Europa e na América Latina. “A Renault queria desenvolver o carro elétrico, para tanto, entrou em contato com as principais universidades da França e propôs a criação de um mestrado para desenvolver o veículo. A universidade topou e a Fundação paga os alunos para se manterem na França. A universidade oferece o curso”, relatou Diego. 12

O programa tem previsão de duração até dezembro de 2017. “Eu ficarei até abril em Paris, depois eu mudarei para o norte da França onde farei pesquisa em laboratório por três meses. Após, implementarei toda a minha pesquisa na indústria por meio de um estágio. O que virá a seguir, depende de outras variáveis, como o tema da pesquisa para decidir e a indústria que seremos mandados”, explicou o engenheiro. Ao final do programa, a Fundação tem a opção de contratar o profissional bolsista ou apoiá-lo para fazer doutorado. A experiência internacional não é novidade para Diego. De março de 2014 a julho de 2015, ele fez um intercâmbio pelo programa Ciência sem Fronteiras, em que ficou no norte da França, numa graduação sanduíche. “Eu aproveitei uma oportunidade muito boa, passei em todas as disciplinas,


aprendi a língua, fiz contatos, tudo isso tornou possível eu retornar de cabeça erguida.” A expectativa do ex-aluno com o mestrado é aprender ainda mais. “Sou um grande fã do aprendizado, nunca me canso de aprender. A gente não vê carro elétrico nas ruas do país, mas eles estão nas ruas da Europa, na China, nos Estados Unidos, lá está se tornando cada vez mais comum. Eu pretendo voltar um dia para o Brasil para ajudar a desenvolver o veículo elétrico. Não só o carro, mas ônibus também, um transporte não poluente. Então eu espero que seja

uma grande época de aprendizado, de nova tecnologia, para que algum dia eu possa voltar ao meu país e ajudar algo crescer aqui”. Diego acredita que é uma conquista pessoal, mas também para a UFTM. “É a primeira vez que um aluno da engenharia, curso que fará sete anos agora, começa a ter esse ganho com os alunos. Para mim, é muito importante e para a Universidade. Eu quero que a Instituição cresça ainda mais, levando sempre novos alunos para intercâmbio. E que essa experiência internacional dê mais visibilidade para a Universidade.”

Embaixador Universitário da França: acesso à internacionalização No caminho de sucesso de Diego, há a nomeação para estagiário do Programa Embaixadores da França, de agosto de 2015 a junho de 2016. Ele cumpria as atribuições na unidade da Assessoria de Cooperação Internacional - ACI. “Foi neste período que eu descobri o processo seletivo da Fundação Renault. Também me ajudou a desenvolver bem meu francês, porque eu fazia parte de um grupo de conversação.” A aluna do curso de Engenharia Mecânica, Larissa Robin Takahashi, é a atual estagiária do Programa na Universidade. Ela já participou do Brafitec, Programa de Cooperação FrancoBrasileira para Formação de Engenheiros, de julho de 2014 a setembro de 2015, quando estudou na ENSTA-Bretagne, em Brest, noroeste da França. “Eu me interessei pelo processo por diversos motivos. Sempre gostei de trabalhar com organização de eventos. Também sentia falta da língua francesa no meu dia a dia e tinha medo de esquecê-la, principalmente agora que retomei meus estudos na língua inglesa. Sem falar no maior contato com a parte de mobilidade acadêmica com a França, conhecendo melhor os requisitos e regras pois, quando terminar a graduação, quero poder tentar uma bolsa de doutorado na França”, afirmou Larissa. O programa Embaixadores Universitários da França é desenvolvido pela embaixada francesa, em parceria com a Rede Uniminas, um consórcio que reúne 11 universidades federais, inclusive a UFTM, duas universidades estaduais,

o Cefet - Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais e a PUC Minas, com o Campus France, agência oficial de informação e orientação sobre estudos na França. Na UFTM, a missão destes embaixadores tem sido sensibilizar toda comunidade acadêmica sobre a possibilidade de intercâmbio em instituições francesas, bem como divulgar a língua, a cultura e informações sobre o sistema educacional na França. “Estas ações são extremamente importantes, principalmente no cenário atual onde temos o programa Ciência sem Fronteiras congelado e sem perspectivas de reativação a curto prazo, pois abre a possibilidade de novas alternativas de intercâmbio. Após mais de um ano do programa na Universidade, tenho certeza de que as atividades desenvolvidas pelos nossos Embaixadores atendem perfeitamente às expectativas e a proposta apresentada no projeto”, afirmou o professor Wendell Meira, coordenador da ACI. Larissa está a frente do grupo de conversação de francês, com aulas para alunos no nível iniciante e intermediário. “É uma experiência completamente diferente do que eu estava acostumada e que tem sido incrível. Acredito que esse Programa é fundamental nas universidades para quebrar o bloqueio que as pessoas têm de aprender francês, além de provocar o desejo nas pessoas de realizar parte de sua formação acadêmica lá, lembrando que a França é um dos países que mais recebe estudantes estrangeiros”, concluiu a estudante. 13


Portal UFTM es de cara nova

 [Fotos: Edmundo Gomide/UF

O portal da UFTM mudou. A página institucional está de cara nova, adaptada às novas tecnologias, com foco na acessibilidade e em aperfeiçoar a comunicação com o cidadão. A mudança, além de ser um compromisso da atual gestão, vai ao encontro dos padrões estabelecidos pelo Governo Federal, por meio da Secretaria de Comunicação Social do Governo Federal – Secom, e apresenta importantes melhorias como segurança, rapidez de acesso, acessibilidade e flexibilidade. Na UFTM, o novo portal funcionará integrado com um Sistema de Publicações desenvolvido pelo Departamento de Tecnologia da Informação – DTI, a ferramenta dará autonomia aos setores para realizarem publicações de documentos e informações. Outras novidades em relação ao novo portal são o design responsivo, que permite que o layout se adapte a diversos dispositivos móveis como tablets e smartphones, e a maior integração de conteúdo com as redes sociais, ampliando o contato com a comunidade. O trabalho de planejamento, desenvolvimento e implantação do novo portal da Instituição foi realizado pelo Departamento de Tecnologia da Informação – DTI, juntamente com a equipe de Comunicação Social e com a consultoria da Pró-Reitoria de Planejamento. De acordo com a diretora de Comunicação Social, Dalva Pereira da Silva, o novo portal atende a uma demanda da Instituição que estava com o portal anterior tecnologicamente defasado. “A autonomia dos setores para realizar as próprias publicações é a maior vantagem que o novo portal apresentou. A padronização das páginas dos cursos e dos diversos setores da UFTM também era uma necessidade da Instituição que buscamos atender com a nova proposta. Além disso, foi realizado o trabalho de mapeamento e planejamento da página para facilitar a navegação e evitar problemas como a duplicidade de publicações”, completou Dalva. O Sistema de Publicações foi desenvolvido pelo técnico em Tecnologia da Informação, José Roberto de Sousa Júnior, e implementado no Sistema Integrado, que é desenvolvido em linguagem de programação PHP. A proposta é usar o Sistema Integrado, que já é comum a todos os servidores da Instituição, para criar e gerir áreas de publicação no novo portal, permitindo o vínculo de editores com cada área de publicação. Desta forma, o sistema oferece autonomia aos servidores para publicarem conteúdos relevantes à comunidade. De acordo com o diretor do Departamento de Tecnologia da Informação – DTI, Gilson Antônio Carneiro, o novo portal oferece autonomia e a possibilidade de comunicação de uma forma mais dinâmica. “O Sistema de Publicações desenvolvido por nossa equipe permite a criação de seções que são hospedadas em nossos servidores de dados e possibilitam a integração com o novo portal. A ferramenta dá liberdade para que os diversos setores administrem as publicações necessárias como editais, formulários e algumas informações pertinentes a cada área. Com isso, os setores ganham autonomia para disponibilizar diretamente no portal algumas informações”, acrescentou Gilson. 14


stá Página foi reestruturada de acordo com os padrões recomendados pela Secretaria de Comunicação do Governo Federal

FTM]

Equipe do Departamento de Tecnologia da Informação desenvolveu Sistema de Publicações que funcionará de forma integrada ao novo portal dando autonomia para os setores realizarem publicações de documentos e informações.

15


Com a nova ferramenta, a logística de publicações dos editais institucionais foi remodelada. Agora, cada setor poderá realizar a tarefa. Cada tipo de edital possui uma página específica onde são publicados todos os documentos relacionados ao mesmo como, por exemplo, anexos e resultados. O sistema também divide as páginas em duas seções, em andamento e encerrados, desta forma, ao programar a data da publicação, o administrador consegue garantir ao usuário mais facilidade para identificar os editais.

Identidade Padrão de Comunicação Digital O novo portal da UFTM segue as homologados pela Secretaria de Comunicação da recomendações da Identidade Padrão de República e ficou evidente que a melhor opção Comunicação Digital do Governo Federal, um para a UFTM, tanto em confiabilidade quanto conjunto de diretrizes, orientações, padrões e em manutenção, era a versão em “Joomla”. modelos aplicados em elementos que compõem Toda estrutura foi baseada nos padrões que a Identidade Digital, constam no manual como a barra de de identidade governo, portais visual dos portais institucionais, governamentais, sítios temáticos, disponibilizado informativos, redes pela Secom, a maior sociais, guia de serviços, parte desses padrões guia de aplicativos e são forçados pelo outras ferramentas gerenciador de digitais. Para a conteúdo”, acrescentou implantação do novo Vinícius. portal, foi adotado o A nova sistema de gestão de padronização tem entre conteúdo de código seus objetivos qualificar aberto “Joomla”. A a comunicação, O novo site é responsivo, funcionando implementação do permitindo que o em diversas plataformas, como tablets e sistema de gestão cidadão encontre, celulares. ficou a cargo do com mais facilidade as diretor da Divisão informações; alinhar de Sistemas, Rodrigo Ferreti, do diretor do essas informações com foco no usuário; e Serviço de Sistemas de Apoio Administrativo, garantir o acesso a todos a qualquer momento, independentemente da forma ou dispositivo de Vinícius Ferreira, da estagiária Gabriela Pantoja Fagundes, estudante do curso de Análise e conexão, assegurando a acessibilidade digital. Desenvolvimento de Sistemas do IFTM, da chefe A nova identidade também garante uma do Serviço de Publicidade e Marketing, Marcela navegação acessível para pessoas com deficiência Pena e do chefe do setor de Comunicação por meio de softwares de acessibilidade inclusiva e também pelo módulo de alto contraste para e Jornalismo, Luiz Vieira. “Testamos as diferentes opções de gerenciadores de conteúdo pessoas com baixa visão.

Próximas etapas

16

O processo de desenvolvimento e implantação do novo portal será contínuo. Todas as publicações, a partir da implantação, serão feitas no novo portal e as publicações anteriores estarão disponíveis por meio da intranet da instituição até o mês de fevereiro de 2017 para que os setores façam o resgate e migração das informações que julgarem necessárias. A próxima etapa do projeto consiste na migração das páginas dos Institutos Acadêmicos da UFTM para o novo sistema e da implantação das páginas dos cursos nos idiomas inglês e espanhol. O trabalho de tradução será realizado em parceria com a Assessoria de Cooperação Internacional - ACI/UFTM.


HC-UFTM participa de pesquisa nacional sobre doenças cardiovasculares  [Foto: Dir.Comunicação HC/HC-UFTM]

Médica Lívia Figueira Avezum Oliveira e paciente

O Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro, por meio de seu Núcleo de Estudos Clínicos - NEC -, vai participar de um estudo multicêntrico destinado a reunir informações sobre o tratamento ambulatorial de doenças cardiovasculares no país. Trata-se do Registro Pinnacle Brasil, coordenado pela Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo como parte de uma estratégia internacional da American College of Cardiology Foundation. A expectativa é de que sejam realizadas 20 mil consultas médicas, durante dois anos, em 500 centros de pesquisa brasileiros. Cada paciente inserido será acompanhado durante 12 meses. O objetivo principal é traduzir a melhor evidência disponível em tratamento clínico de rotina em quatro grandes áreas: doença arterial coronária, fibrilação atrial, insuficiência cardíaca e hipertensão arterial sistêmica.

Parâmetros “A metodologia será observacional, ou seja, não haverá intervenção medicamentosa por

parte dos centros de pesquisa. Os participantes serão avaliados periodicamente no que tange aos fármacos utilizados, peso e massa corporal, hábitos de vida, de alimentação e adesão ao tratamento”, explica a diretora científica do NEC HC-UFTM, Lívia Figueira Avezum Oliveira. De acordo com a médica, a análise deve apontar como tem sido a terapêutica dessas enfermidades no Brasil, sua aplicabilidade a partir das taxas de adesão e se a prática assistencial está compatível com as diretrizes científicas vigentes. Podem participar indivíduos com mais de 18 anos, diagnosticados com alguma doença cardiovascular e que realizem acompanhamento na rede pública ou particular de saúde. O NEC já está aberto à inserção de interessados, que podem entrar em contato pelo telefone (34) 3318-5505. “O maior benefício dos resultados será conhecer melhor o manejo dessas doenças, em busca de melhorias nas políticas públicas de saúde. As descobertas poderão ser revertidas em mudanças futuras nos tratamentos, de modo a deixá-los mais adequados e eficientes para os pacientes”, avalia Oliveira. 17


HC-UFTM adquire bisturi eletrônico para tratamento de lesões ginecológicas  [Foto: João Pedro Vicente/HC-UFTM]

O Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro adquiriu novo equipamento destinado a procedimentos ambulatoriais ginecológicos, com ênfase no tratamento de lesões que podem levar ao câncer de colo de útero. A aquisição foi entregue à Unidade Materno Infantil no dia 2 de setembro e resulta de investimento de R$ 8 mil, proveniente do Programa de Fortalecimento e Melhoria da Qualidade dos Hospitais do SUS/MG - Pro-Hosp. Trata-se de um bisturi eletrônico dotado de ponteiras com eletrodos para

18

cauterização de vasos e alça distérmica para ressecção de lesões. “Com anestesia local, a utilização acontece em consultório e demora, em média, meia hora, sem necessidade de internar a paciente”, explica a médica Ana Cristina Macedo Barcelos. De acordo com a profissional, a expectativa é de que o aparelho seja utilizado em até duas mulheres por semana, pela disciplina de Ginecologia. “A importância dessa tecnologia está em facilitar o tratamento precoce, prevenindo o câncer de colo de útero, que é a terceira maior causa de óbito de mulheres no Brasil”, afirma.


Interação entre Universidade e grupo empresarial gera nova tecnologia para a agricultura Pesquisa recebeu apoio do Programa de Formação de Recursos Humanos em Áreas Estratégicas – RHAE, criado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação e CNPq. Produto deve chegar ao mercado em 2017 e é destinado ao controle biológico da Lagarta do Cartucho do Milho.  [Fotos: Edmundo Gomide/UFTM]

Empresário (primeiro à esquerda), colaboradores do projeto de pesquisa e a coordenadora do NIT (primeira à direita)

A interação entre a UFTM, órgãos de fomento à pesquisa e um

grupo empresarial gerou resultados positivos para a agricultura. Uma nova tecnologia de controle biológico para a Lagarta do Cartucho do Milho (Spodoptera frugiperda), a principal praga da cultura do milho e que pode reduzir a produção do grão, deve ser lançada no mercado no próximo ano e promete oferecer uma solução saudável, sem riscos para o meio ambiente. Além disso, a parceria entre o grupo empresarial e Universidade trouxe como reflexo a geração de empregos. 19


20

A proposta da pesquisa, que levou a geração da nova tecnologia, surgiu por meio de uma demanda do empresário Paulo César Manara Bittar, farmacêutico industrial e especialista em homeopatia. O empresário, que atua no mercado desde 1997, buscava ampliar as áreas de atuação de sua empresa, até então focada em farmácia homeopática e produção de medicamentos homeopáticos para a pecuária. A ideia era estender os negócios para a aplicação na agricultura. “Somos uma empresa voltada para a Saúde Limpa. Iniciamos aplicando essa missão na pecuária e, em 2012, decidimos levar essa tecnologia para a agricultura. Após prospecção, encontramos a Embrapa Milho e Sorgo, em Sete Lagoas. O pesquisador Fernando

bolsas de fomento tecnológico para agregar pessoal altamente qualificado em atividades de pesquisa e desenvolvimento nas empresas, além de formar e capacitar recursos humanos que atuem em projetos de pesquisa aplicada ou de desenvolvimento tecnológico. Conseguimos bolsas para professores doutores, juntamente com alguns estagiários”, acrescentou Paulo. Durante a realização da pesquisa, cada especialista da UFTM desempenhou um papel. “Os pesquisadores da UFTM envolvidos no projeto são as professoras Mônica Hitomi Okura, que dá suporte ao processo industrial envolvendo microbiologia, determinação de padrões de produção e diversas ações relacionadas; o professor Luís Carlos de

Hercos Valicente sugeriu trabalharmos com o controle biológico de pragas para a Lagarta do Cartucho do Milho, fazendo seu controle por meio de um vírus”, explicou o empresário. Com a proposta da pesquisa em mente, era preciso buscar formas de desenvolver a nova tecnologia. Em 2012, a proposta foi aprovada em um edital de inovação do Senai e foi iniciado o desenvolvimento do projeto. Em 2013, o empresário o inscreveu no Programa de Formação de Recursos Humanos em Áreas Estratégicas – RHAE, criado em parceria do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação - MCTI e Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq. Após a aprovação do projeto, foi firmado um Acordo de Cooperação Técnica entre a UFTM e o grupo empresarial. “Fizemos o projeto para obter apoio pelo RHAE. Resumidamente, o programa oferece

Morais, doutor na área química, que trabalhou na formulação e adequação do produto a ser lançado no mercado, com melhorias em relação à formulação original; e o professor André Luís Pedrosa, responsável pela parte de Biologia Molecular, que focou o trabalho em questões como avaliação do perfil genético do microrganismo utilizado, pois o que mata a lagarta é um vírus (Baculovirus spodoptera), e em metodologias industriais diversas. A interação entre empresa e Universidade trouxe um suporte muito grande para o projeto, que está em fase final e deve lançar seu primeiro produto no mercado ainda em 2017. Essa inovação, além de gerar empregos, vai trazer para o mercado um produto mundialmente inédito para atacar um problema que os inseticidas convencionais e os transgênicos não conseguiram resolver a contento”, completou Paulo.


Interação entre pesquisa, Universidade e mercado de trabalho Em 2013, o grupo empresarial tinha a estrutura física para começar o desenvolvimento em escala piloto. O biomédico, Wesley Botelho Sousa, atuava como bolsista no desenvolvimento do projeto no grupo empresarial e conta que o desenvolvimento da pesquisa trouxe a possibilidade de ingressar em um programa de mestrado. “Desde o final da graduação, tinha o interesse em entrar no mestrado. Como acompanhava a pesquisa, desenvolvi um projeto relacionado ao tema, na terceira tentativa consegui entrar no Programa de Mestrado Profissional em

Inovação Tecnológica da UFTM. No mestrado, que tem o foco mais voltado para o mercado, pude desenvolver meu projeto e aprimorar as técnicas de trabalho. Hoje sou gerente da biofábrica. Atuo neste projeto há aproximadamente quatro anos e, desde que recebemos a metodologia padrão da Embrapa Milho e Sorgo, trabalho no aprimoramento das práticas de produção com o objetivo de tornar viável a fabricação do produto em questão. Acredito que a pesquisa ajudou a encurtar a distância entre empresa e Universidade”, completou o biomédico.

Núcleo de Inovação Tecnológica De acordo com a pesquisadora e também coordenadora do Núcleo de Inovação Tecnológica – NIT/UFTM, Mônica Hitomi Okura, a primeira etapa do projeto de pesquisa foi concluída, mas a parceria entre a Universidade e a empresa permanece. “Surgem constantemente novas propostas para solucionar ou melhorar necessidades da empresa. Assim, o contrato acabou se estendendo. Com as novas necessidades, o NIT procura sempre novos professores que queiram e possam ser vinculados ao projeto. Primeiramente, o Núcleo verifica as necessidades do empresário, conversa com alguns professores que estejam trabalhando na área, solicita uma reunião entre as partes e depois ajuda a elaborar um contrato para fechar a parceria”, explicou a coordenadora. Ainda de acordo com Mônica, após a conclusão da pesquisa, o NIT auxiliou o grupo na elaboração de termo de segredo industrial, estratégia para preservar a natureza confidencial de uma informação e evitar que seja divulgada, adquirida ou usada por terceiros

não autorizados. O uso da estratégia comercial de proteção de ativos intangíveis, envolvendo o segredo industrial, garante à empresa o direito de exclusividade, mas não configura o direito sobre a propriedade desse bem intelectual. “O NIT elaborou o termo de sigilo para todos os participantes da equipe de trabalho. A decisão do empresário no segredo industrial foi de proteger seu processo de produção industrial por tempo indeterminado, ao invés do período de uma patente”, completou a coordenadora do NIT.

Vantagens em se utilizar o segredo industrial: .Não há custos para registro; .Não há necessidade de tornar a tecnologia pública, como no caso da patente; .A duração do monopólio é ilimitada (enquanto o segredo existir); .O efeito é imediato.

21


Startup incubada na UFTM ganha mercado em Uberaba Plataforma criada por alunos para contratar garçom free-lance atende demanda local

 [Foto: Divulgação/UFTM]

Equipe da startup Trathus e professor Vítor (primeiro à direita) durante evento de empreendedorismo em Belo Horizonte

“Nós já conseguimos atender algumas festas, buffets e bares com garçons free-lancers que já trabalharam pela nossa plataforma virtual. Hoje a gente já conta 53 garçons contratados e há profissionais já prometidos para novembro em um casamento. E estamos começando a entrar no mercado de Belo Horizonte, que é nosso foco”, contou animado Tales Sgorlon Tininis, aluno do curso de Engenharia de Produção da UFTM e integrante da equipe startup Trathus, inicialmente nomeada Unijobs, uma das seis selecionadas para receber apoio da Incubadora de Empresas da Universidade, a Impulso. A Incubadora é um dos projetos desenvolvidos pelo NuEmp, Núcleo de Empreendedorismo da UFTM criado e desenvolvido na Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação, com o objetivo de apoiar projetos inovadores e os empreendedores da comunidade universitária. “Esta é uma questão muito positiva, pois notamos vários grupos 22

interessados em compor equipes para iniciar projetos de empresas na forma de startups que buscam capacitação na Incubadora de Empresas Impulso”, afirmou o professor Vítor Naves, coordenador do NuEmp. O Núcleo realiza atividades na sala da Impulso, na sala C1 da Unidade I da UFTM, na Univerdecidade. Startup é uma empresa recém-criada, ainda em fase de desenvolvimento e pesquisa de mercados. “As equipes selecionadas para pré-incubação vêm realizando trabalhos de consultoria, assessoria e capacitação empreendedora. A incubadora oferece oficinas e workshops em parceria com o Sebrae e a Funepu em diversas áreas de gestão, além de mentorias de professores da Instituição, que são reuniões ou encontros com cada equipe para avaliar a evolução de seu projeto e desempenho”, informou Fábio Garcia, economista servidor da UFTM, que é gestor da Impulso. A incubadora da UFTM apoia o desenvolvimento de seis equipes de startups


que buscam o fortalecimento de seus projetos empreendedores de base tecnológica. São grupos formados na sua maioria por alunos da graduação, especialmente por alunos dos cursos de engenharia. Também há equipes formadas por professores e alunos de pós-graduação da UFTM. “No primeiro edital para seleção dos projetos para serem incubados, era necessário  [Foto: Marco Clemente/UFTM]

Fábio Garcia, gestor da Impulso/UFTM

que a equipe proponente tivesse, no mínimo, um integrante da comunidade Universitária da UFTM, seja docente, discente ou técnicoadministrativo. Temos uma equipe incubada em que a maioria de seus integrantes é do Intituto Federal do Triângulo Mineiro – IFTM, campus Uberaba, mas há um aluno da UFTM integrante. É muito positiva a interação com outras instituições de ensino da cidade”, avaliou Vítor. De acordo com o coordenador, surgiram mais interessados pelo trabalho desenvolvido. “Estamos recebendo a demanda de empreendedores da escola técnica da UFTM, o Cefores, que gostariam de iniciar suas startups. O NuEmp espera apoiar também este público, seja no desenvolvimento de produtos ou serviços de base tecnológica.”

Startup no caminho do sucesso Quatro alunos do curso de Engenharia de Produção da UFTM e um do curso de Sistema da Informação da Uniube formam a startup Trathus que desenvolveu uma plataforma na internet que já dá resultados positivos. “Se um estabelecimento comercial precisa de um garçom free-lance, o interessado entra em nossa plataforma, cadastra a vaga de acordo

com as especificações que escolher e, assim, encontramos um garçom que encaixa perfeitamente no perfil em tempo hábil”, explicou Tales. O empreendedorismo sempre foi área de interesse em comum dos estudantes e a idéia da plataforma surgiu pela observação. “Essa demanda por garçons free-lancers percebemos ao frequentar bares. Notamos várias situações em que o dono estava na operação de atendimento, algo que não entendíamos. E muitos dos integrantes da equipe participaram ou participam de comissões de formatura, então vimos a mesma dificuldade do contratante, ou de quem organiza a formatura. Sempre tinha problemas relacionados a essa mão de obra. Foi quando começamos a lapidar a nossa ideia, vimos que tinha mercado para crescer nessa área e conseguimos validar a plataforma no mercado”, compartilhou o aluno. A startup começou a se desenvolver a partir do ingresso no processo seletivo da UFTM, segundo Tales. “Acredito que a incubadora tenha dado o impulso para nossa ideia. No primeiro edital, nós fomos fomentados a nos inscrever. Tínhamos só a ideia, então começamos a olhar mais para ela, além de pensar e entender um pouco mais o mercado por meio do edital. Nunca nos faltou auxílio para crescer. A Impulso sempre faz mentorias, workshops e palestras sobre diversos temas que agregam muito ao nosso conhecimento.” O dinheiro que a equipe recebe por meio dos contratos, por volta de 10% do valor, é investido na própria plataforma e em melhorias de conteúdo para os integrantes, por meio de capacitações. “Eu falo que esse foi um projeto fantástico em que todo mundo teve oportunidade de participar. Quando entramos, não tínhamos a dimensão do que isso se tornaria e do quanto iríamos crescer, tanto com responsabilidade, quanto com entendimento de mercado, a questão financeira e até aplicação de ferramentas da graduação da engenharia de produção, como a qualidade. Os ganhos de conhecimento, de experiência, de maturidade são imensuráveis”, concluiu o novo empreendedor. A próxima meta da startup é conquistar mais mercado, ganhar a confiança dos contratantes, fechar parcerias cada vez maiores, inclusive com organizações que oferecem cursos para garçom e disponibilizar na plataforma material online para os trabalhadores envolvidos. 23


Arborização muda cenário das unidades da UFTM na Univerdecidade Plantio gera envolvimento e integração da comunidade universitária

 [Foto: Edmundo Gomide/UFTM]

Plantio realizado por alunos do Mestrado em Ciência e Tecnologia Ambiental

Iniciado em novembro de 2015, o projeto de arborização nas unidades I e II da UFTM na Univerdecidade já recompõem o cenário “árido” de áreas destinadas ao verde, criam espaço de conivência e beneficiam a integração dos atores da comunidade universitária. A arborização é um projeto de extensão coordenado por professores da Engenharia Ambiental que conta com a parceria dos cursos de Engenharia, dos servidores técnico-administrativos e da iniciativa privada. Segundo a professora Ana Paula Milla dos Santos Senhuk, coordenadora da ação, os cursos de Engenharia da UFTM possuem em seus projetos pedagógicos disciplinas que abordam questões ambientais logo no primeiro ano, contudo, há a necessidade de medidas que melhorem as práticas sustentáveis no campus, extrapolando ações pontuais de ensino e pesquisa. “Os benefícios da criação de espaços verdes nas unidades da Univerdecidade são diversos e de extrema necessidade”, afirma Ana Paula. 24

Até o momento, foram plantadas mais de 160 árvores doadas pela empresa de automóveis San Marco e por servidores da UFTM. A primeira ação foi registrada em novembro de 2015, com a construção de canteiros no estacionamento da Unidade I e o plantio de mudas de oiti e caroba para sombreamento e paisagismo. Espécies frutíferas como acerola, goiaba, jabuticaba, pitanga, caju, manga, amora, laranja, mexerica, carambola, entre outras, foram plantadas na Unidade I e nas proximidades do Restaurante Universitário, na Unidade II. Mudas de pau-brasil foram plantadas em frente à Biblioteca. O plantio também acontece por ocasião dos eventos, como recepção dos calouros de 2016, primeira turma do Mestrado em Ciência e Tecnologia Ambiental e na solenidade de inauguração da ampliação da Biblioteca Setorial, todos na Unidade II. Além do plantio, o projeto prevê a manutenção das mudas. “O trabalho da equipe tem sido crucial para a sobrevivência de praticamente todas as mudas plantadas.


[Fotos: Edmundo Gomide/UFTM]

Arborização na área dos laboratórios Unidade II - Univerdecidade

Todos têm participado não apenas dos estamos acompanhando o crescimento das plantios, mas também da manutenção, como mudas que só vão dar frutos daqui a alguns estaqueamento, rega, adubação, coroamento, anos”, afirma Cristiano Rezende Gerolin, que controle de pragas, entre outros. Também é cursa o último ano de Engenharia Ambiental. possível observar o envolvimento cada vez Para Gerolin, o projeto vai contribuir maior dos servidores da UFTM, ajudando para ampliação das áreas de convivência, a cuidar das plantas e participando com melhorar o conforto térmico, enfim, doações”, relata a professora Ana Paula. propiciar maior bem estar para a comunidade Espera-se que os resultados universitária. “O plantio já propiciou contribuam para a construção de uma mudanças na Universidade, algumas áreas sociedade mais sustentável e sensível às já estão sendo utilizadas para convivência questões ambientais, servindo de exemplo dos alunos durante os intervalos como, por para outras unidades da UFTM e para outras exemplo, em frente aos laboratórios, onde universidades. foram plantadas mudas no início deste Para Ludmilla Ribeiro, estudante do ano. Além disso, aumentou a integração primeiro ano de Engenharia Química, todos entre técnicos, alunos e professores que se os futuros engenheiros devem se preocupar propuseram a contribuir nas regas semanais com o ecossistema e desenvolver suas das mudas. À medida que forem crescendo atividades profissionais sem prejuízo para o árvores, os benefícios da arborização ficarão meio ambiente. “Não apenas a Engenharia ainda mais evidentes”. Ambiental, mas todos os ramos da Engenharia devem se comprometer a operar em favor dos bens naturais”. Ludmila que resolveu  [Fotos: Divulgação/UFTM] integrar o projeto por perceber a mudança no cenário, afirma. “No projeto de arborização, vi a oportunidade de fazer a diferença  [Foto: Edmundo Gomide/UFTM] no meio em que vivo e levar essa experiência para minha futura carreira. Antes.... Primeira ação do Projeto, Além de melhorar visualmente o construção de canteiros cenário, é perceptível uma mudança nos ares, o que estabelece uma relação entre o homem e o meio natural, garante uma melhor qualidade de vida. Isso me chamou a atenção e despertou meu interesse pelo projeto”. “É muito importante participar do projeto porque é um legado que Depois... O crescimento das árvores no estacionamento estamos deixando na Universidade, da Unidade I - Univerdecidade

Equipe executora: Docentes do Departamento de Engenharia Ambiental: Ana Paula Milla dos Santos Senhuk, Ana Carolina Borella Marfil Anhê e Elcides Rodrigues da Silva. Discentes Engenharia Ambiental: Amanda Gonzaga; Állison Borges Leal, Cristiano Gerolin, Frederico Barros Figueiredo, Leonardo Alves Cristino da Silva Guerrera, Luana Cristina Campos, Lucas Franco Martins, Marcela Chiari, Mariane da Silva Iglesias, Monielle Avelar e Renato Nascimento Cruz. Discentes Engenharia Química: Ludmilla Pereira Mendes Lopes Ribeiro Técnico-administrativo: Marco Antônio Simões Borges

25


CEAD do Campus de Iturama envolve três municípios UFTM e prefeituras de Uberaba, Iturama e Jales participam ativamente na realização do Curso de Educação a Distância  [Foto: Marco Clemente/UFTM]

Fernanda orienta a aluna Maria Teresinha em aula presencial na Casa do Educador

A iniciativa do Campus da UFTM em Iturama de iniciar no segundo semestre de 2016 o Curso de Formação Pedagógica em Educação a Distância já colhe frutos expressivos. Ao todo, são 108 alunos ativos, distribuídos em quatro turmas: Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Prefeitura Municipal de Uberaba, Prefeitura Municipal de Iturama e Prefeitura Municipal de Jales. Foram ofertadas duas disciplinas – Ambientação em EaD e Fundamentos e Políticas Públicas em EaD. Já foram abordadas temáticas relacionadas à ambientação do estudante ao Ambiente Virtual de Aprendizagem moodle, que é a plataforma virtual utilizada, bem como conceitos centrais sobre Educação a Distância, Evolução da EaD no Brasil e Regulamentação da Educação a Distância no país. O coordenador do Curso, professor Vicente Batista dos Santos Neto, avalia este início como muito proveitoso, uma vez que puderam ser apreendidos vários conceitos sobre a modalidade que cresce no país. “Para a UFTM, trata-se de um aprendizado importantíssimo, que é o de se fazer Educação a Distância. Toda Instituição de Ensino Superior ao desenvolver um projeto de EaD necessita desenvolver uma forma própria de como ofertar e manter cursos 26

e, sem dúvida, o Curso de Formação Pedagógica em EaD consiste num salutar laboratório”, afirmou o coordenador. O perfil dos estudantes do Curso, embora envolva a formação docente, é bem variado. Há professores do ensino superior da UFTM, técnico-administrativos da UFTM e de prefeituras parceiras, além de professores do ensino básico dos municípios parceiros. A partir da primeira experiência com o Curso, a expectativa é formatar novas propostas nos diversos níveis de ensino e áreas de atuação da UFTM. “Como possibilidades, destacamos a reoferta do Curso de Formação Pedagógica em EaD para o ano de 2017, uma vez que tivemos uma lista de espera na UFTM de 20 servidores que desejavam participar e não foram contemplados. Nesse sentido, os servidores que foram alunos do curso poderão ser docentes ou


[Foto: Divulgação/UFTM]

tutores na próxima oferta, o que significa poder aprimorar ainda mais os seus conhecimentos em EaD”, explicou Vicente. Para o coordenador, a UFTM ao consolidar essa modalidade de ensino, propiciará novas possibilidades educacionais a seus estudantes e ampliará sua atuação local e regional com diversas possibilidades. “É um caminho longo que muitas universidades federais já estão trilhando e que agora se torna uma realidade na UFTM”, concluiu. A realização do Curso teve o apoio da Reitoria da UFTM, da Pró-Reitoria de Ensino, da Diretoria do Campus Iturama, da Universidade Aberta do Brasil – UAB/ UFTM e do Centro de Educação a Distância e Aprendizagem com Tecnologias da Informação e Comunicação – CEAD. O Departamento de Tecnologia da Informação hospeda o Ambiente Virtual de Aprendizagem. A Prefeitura Municipal de Uberaba, na condição de parceira para a execução do Curso, contribui com quatro docentes e sete tutores pertencentes à Casa do Educador, órgão responsável pela formação continuada de professores da Secretaria Municipal de Educação. As demais prefeituras parceiras entram com o apoio de tutores e operacionalização do Curso em suas cidades: Iturama e Jales. Docentes e técnicoadministrativos da UFTM participam voluntariamente nas funções de docentes e tutores dos cursos.

Aula inaugural do CEAD na UFTM - Campus Sede

Réa Silvia da Silva, técnica em assuntos educacionais da UFTM, é aluna do Curso. “Eu decidi me inscrever devido à importância do tema e do momento histórico do EaD na UFTM. O curso proporciona uma reflexão em torno dos desafios e perspectivas inerentes a essa modalidade, além de proporcionar um espaço de construção de saberes entre profissionais de diversas áreas da UFTM”, avaliou a servidora. De acordo com o professor Wagner Roberto Batista, pró-reitor de Ensino, o Curso de Formação Pedagógica em EaD, promovido pela UAB - CEAD/Proens, proporciona aos docentes e servidores da UFTM mais um avanço no campo do ensino e, em especial, na utilização dos recursos de EaD atualmente disponíveis. “A Proens encoraja a busca constante para o aperfeiçoamento de técnicas e estratégias pedagógicas. Visamos oferecer em nossa comunidade universitária possibilidades de evolução no perfil profissional e melhoria nas estratégias educacionais, bem como sua didática. A UFTM avança em seu papel social enquanto Instituição, o que nos dá muito orgulho”, afirmou o Pró-Reitor.

Aprovação entre os envolvidos Maria Teresinha Araújo, aluna do CEAD, é professora e pedagoga que trabalha na Casa do Educador da Secretaria Municipal de Educação de Uberaba. “Eu decidi fazer o curso porque atualmente vemos as formações, tanto dos alunos quanto dos professores, voltadas a uma educação a distância, então eu queria conhecer. Até hoje só trabalhei com educação presencial, então eu queria saber como funciona para um dia poder atuar na área. Eu indicaria para outros professores porque toda oportunidade nova de aprendizagem tem que ser compartilhada com os profissionais da área”, disse a aluna do Curso. Fernanda Silveira Oliveira é tutora do Curso na turma da Prefeitura Municipal de Uberaba e professora formadora de educação infantil na Casa do Educador. “Eu trabalho com profissionais da rede municipal que hoje precisam cumprir uma carga horária extensa de formação. Muitos trabalham dois, três períodos e eu vi no Curso uma forma do profissional se qualificar, estudar, ter uma nova oportunidade, mas dentro de um horário possível para ele”, destacou. A diretora do departamento de formação profissional da Secretaria Municipal de Educação de Uberaba, Sonaly Pereira Machado, é a coordenadora do projeto de Educação a Distância pela Prefeitura de

Uberaba. Ela explicou que a modalidade é nova para o grupo. “Nós estamos aprendendo a ser alunos de educação a distância para sermos professores de educação a distância. E a receptividade foi bastante grande, tanto é que nós estamos como uma demanda, já esperando uma próxima abertura de curso para 2017. Nesta turma, trabalhamos com pedagogos, mas pretendemos para 2017 estender o curso para a rede toda, para quem quiser”, finalizou.  [Foto: Marco Clemente/UFTM]

Sonaly Machado, coordenadora do projeto de Educação a Distância pela prefeitura de Uberaba 27


Curso de Agronomia

 [Fotos: Divulgação/UFTM]

I Feira de Profissões de Iturama

Curso de Ciências Biológicas

Divulgação dos cursos oferecidos pela UFTM Campus Iturama, realizada em 13 de outubro de 2016.

Curso de Química


UFTM em notícias - Edição n.º 26 - Novembro de 2016