Issuu on Google+

CAMPO GRANDE, SETEMBRO/2010

Informativo mensal - Ano X No 250 - Campo Grande - MS - Setembro/2010


Pesquisa fortalecida na UCDB

A UCDB acaba de receber mais um importante reconhecimento por suas contribuições na pesquisa aplicada e no desenvolvimento de novas tecnologias, através da aprovação, pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), de nossa inserção no Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Tecnológica (PIBITI). Assim como o já consolidado Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC), o PIBITI é um programa de bolsas para participação de acadêmicos em projetos de pesquisadores da UCDB, mas que estejam voltados para o desenvolvimento tecnológico. Também tivemos nas ○

ÍNDICE

na formação de pessoas quanto na produção de conhecimento e tecnologia, são essencialmente públicos e, portanto, desde que prestados de forma séria, competente e comprometida socialmente, devem ser estrategicamente apoiados pelos governos, sejam essas instituições privadas ou governamentais. O principal critério para direcionar os investimentos de recursos públicos deve ser sempre a quantidade e a qualidade dos benefícios que estes investimentos trarão para a sociedade. É por isso, e por tudo o que nossa instituição já demonstrou ter realizado, através de suas atividades de ensino, pesquisa e extensão, que estamos convictos de que o governo, seja ele municipal, estadual ou federal, toma uma decisão acertada quando investe recursos públicos, direta ou indiretamente, na Universidade Católica Dom Bosco.

últimas semanas a aprovação de recursos financeiros da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul (Fundect), através do seu Edital Universal, com recursos para custeio e equipamentos, e do Edital de Bolsas de Mestrado. Estes recursos somam-se aos que vêm sendo obtidos constantemente através da participação de nossos pesquisadores nos editais de fomento à pesquisa baseados em critérios de qualidade acadêmica. A recente divulgação, pela primeira vez no país, de um edital de R$ 60 milhões da agência Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), voltado exclusivamente para a ampliação da infraestrutura de pesquisa científica e tecnológica em instituições privadas, juntamente com a crescente abertura dos editais já tradicionais para a participação de algumas instituições não governamentais, nos motiva a acreditar que esteja sendo consolidada uma nova visão de estado. Uma visão que entende que os serviços prestados por instituições universitárias tanto

Hemerson Pistori

JORNAL UCDB

CAMPO GRANDE, SETEMBRO/2010

03

Visando fomentar o incentivo à produção de conhecimento no campo da tecnologia e processos de inovação, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) criou o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (PIBITI) e agora contempla a UCDB com cinco bolsas.

04

ENTREVISTA

Por 42 anos, o professor Dr. Vicente Fideles de Ávila, dedicouse à educação. Somente na UCDB foram 17 anos nos Mestrados em Educação e em Desenvolvimento Local em Contexto de Territoralidades.

05

ESPORTE

A equipe de futsal da Universidade Católica Dom Bosco conquistou no início deste mês o bicampeonato do Metropolitano de Futsal. Na decisão, o time comandado pelo técnico Paulo Sérgio derrotou o Colégio ABC na cobrança de pênaltis.

06

CULTURA E ARTE

Mais de mil pessoas prestigiaram o espetáculo Chico, um certo Buarque de Hollanda, promovido pelo setor de Cultura e arte da Universidade Católica Dom Bosco.

Hemerson Pistori Pró-Reitor de Pesquisa e PósGraduação da UCDB

PESQUISA

Silvia Tada

02

editorial

07

QUALIFICAÇÃO

08

RELATÓRIO

A Diretoria Administrativa tem realizado diversos cursos e treinamentos visando a qualificação continuada dos colaboradores. Um dos treinamentos foi ministrado por um dos principais palestrantes da área de liderança do País, Aly Baddauhy Jr.

FRASE DE DOM BOSCO

A Comissão Própria de Avaliação da Universidade Católica Dom Bosco divulga a síntese dos resultados evidenciados no processo da Avaliação Institucional 2009 (AI 2009).

“Amem o que agrada aos jovens e os jovens amarão o que agrada aos superiores”. ○

09

TECNOLOGIA

Estudos para a utilização de gases resultantes de biodigestores de estações de tratamento da empresa Águas Guariroba, concessionária de água e esgoto de Campo Grande, em veículos automotores avançam e a expectativa é de que, em breve, a frota circule com o biogás produzido na própria unidade. A pesquisa é conduzida por professores dos cursos de Engenharia Mecânica, Engenharia Mecatrônica e Engenharia de Computação da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB).

10 11

ARTIGO AGENDA UNIVERSITÁRIA Eventos, dicas de sites e livros.

12

VOCAÇÃO

Conheça um pouco mais sobre a vida do Padre Filippo Rinaldi, “Sacerdote e Reitor Mor da Sociedade Salesiana de São João Bosco

JORNAL UCDB: elaborado pela Assessoria de Imprensa da Universidade Católica Dom Bosco - UCDB. Periodicidade mensal. E-mail: noticias@ucdb.br. Telefones: (67) 3312-3355 e 3312-3359. Fax: (67) 3312-3353. Site: www.ucdb.br. Jornalistas: Jakson Pereira (DRT: 467/MS), Silvia Tada (DRT:33/17/13). Revisão: Edilza Goulart. Diagramação e Capa: Designer - Maria Helena Benites. Tiragem: Universidade Católica Dom Bosco Chanceler: Pe. Lauro Takaki Shinorara

15.000 exemplares. Impressão: Gráfica UCDB. Instituições ou pessoas interessadas em receber esta publicação, entrar em contato pelo e-mail: noticias@ucdb.br.

Reitor: Pe. José Marinoni Pró-Reitor de Administração: Ir. Raffaele Lochi

A Universidade Católica Dom Bosco - UCDB - não se responsabiliza pelos artigos assinados ou de origem definida. Os textos, mesmo

Pró-Reitor de Pastoral: Pe. Pedro Pereira Borges

quando não publicados, não serão devolvidos aos autores.

Pró-Reitora de Ensino e Desenvolvimento: Conceição Aparecida Butera Pró-Reitor de Pesquisa e Pós-Graduação: Hemerson Pistori Pró-Reitora de Extensão e Assuntos Comunitários: Luciane Pinho de Almeida

Entidade filiada à ABRUC - Associação Brasileira das Universidades Comunitárias


pesquisa

CAMPO GRANDE, SETEMBRO/2010

03

JORNAL UCDB

INICIAÇÃO CIENTÍFICA

Católica recebe bolsas do PIBITI Projetos de pesquisa nas áreas tecnológica e de inovação são contemplados, pela primeira vez, pelo programa do CNPq Aline Araújo

estudantes e valoriza o trabalho do pesquisador. “Quando um aluno tem bolsa, ele tem um incentivo e

se sente valorizado, logo sua produtividade aumenta”, comentou a professora e pesquisadora, também selecionada, Dra. Francilina Araújo Costa. “Para o pesquisador que pretende crescer na carreira acadêmica, é fundamental ter orientado um bolsista. Se for de um programa de nível nacional como o CNPq, melhor ainda” complementou o professor Edson. “A bolsa é um estímulo para o envolvimento de acadêmicos nas atividades desenvolvidas pelos pesquisadores voltadas para o desenvolvimento tecnológico e inovação. Os acadêmicos devem ficar atentos às possibilidades de sua inserção nos diversos projetos de pesquisa, desenvolvimento tecnológico e inovação que podem proporcionar uma capacitação diferencial, desejável no mercado de trabalho cada vez mais competitivo”, destacou o coordenador do PIBIC e PIBITI da Católica.

Acadêmico: Juliano Farias Martins Cheverria

Acadêmico: Tarcila Aparecida Sandim

A iniciação científica da Católica conta hoje 310 acadêmicos pesquisadores, entre bolsistas e voluntários do PIBIC e agora também do PIBITI, que contempla os seguintes projetos:

Projeto: Desenvolvimento sustentável da região Centro-Oeste tendo por base a cadeia produtiva do bambu. Coordenador: Marney Pascoli Cereda Acadêmico: Vitor Hugo dos Santos Brito.

Projeto: BIOVIC - Uso de Visão Computacional no Controle Microbiano em Processos de Produção de Álcool. Coordenador: Hemerson Pistori Acadêmico: Diogo Soares da Silva

Projeto: Cultivo in vitro da mandioca (Manihot esculenta Crantz) e avaliação da eficiência de agentes geleificantes alternativos. Coordenador: Francilina Araujo Costa

Projeto: Estudo Químico e Farmacológico do Caule e da Flor de Jacaranda cuspidifolia Mart. (Bignoniaceae). Coordenador: Ana Lucia Alves de Arruda

ALINE ARAÚJO isando fomentar o incentivo à produção de conhecimento no campo da tecnologia e processos de inovação, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) criou o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (PIBITI) e agora contempla a Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) com cinco bolsas. Com o objetivo de produzir conhecimento por meio da pesquisa, assim como o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC), já reconhecido pela qualidade da produção de conhecimento por meio da pesquisa da UCDB, o PIBITI vem para iniciar as atividades voltadas para o desenvolvimento tecnológico e inovação. “É o reconhecimento claro da nossa capacidade no campo da pesquisa, tecnologia e inovação, área das mais promissoras do País. A formação de recursos humanos nesta área é de fundamental importância, e o fato de a UCDB participar do grupo apoiado pelo CNPq deve ser motivo de orgulho para todos nós”, explicou o coordenador do PIBIC e PIBITI da Católica, Dr. Cristiano Marcelo Espinola Carvalho. Essa inserção da Católica no campo da produção de tecnologia e inovação vai além do reconhecimento científico, pois de acordo com o pesquisador, os projetos envolvidos no PIBITI estão focados em aplicar seus resultados em beneficio da sociedade. “O nosso foco principal é realizar pesquisas cujos resultados possam ser comercializados e utili-

V

Acadêmicos dos cursos de Engenharia participam de reunião de um dos projetos que fazem parte do PIBITI

zados em benefício da sociedade”, destacou o professor e pesquisador da Católica, Edson Antonio Batista, coordenador de um dos cinco projetos aprovados. Os alunos selecionados recebem apoio financeiro para trabalhar, porém, a maioria dos projetos também conta com a colaboração de acadêmicos voluntários que entram para a pesquisa para adquirir conhecimento. É o caso do acadêmico de Engenharia de Computação, Jeandro Dias, que realizava pesquisa, há mais de um ano, como voluntário, e que agora foi contemplado com a bolsa do PIBITI. “Entrei como voluntário e é satisfatório saber o trabalho sendo reconhecido. Sinto-me recompensado e feliz em saber que a Universidade está crescendo, não se limitando apenas ao ensino, mas também ao crescimento cientifico dos acadêmicos”, relatou.

BOLSA Vantagem para o acadêmico e para o docente, a bolsa motiva os

BOLSAS

Projetos aprovados

Projeto: Hardware para Identificação de Sistemas e Controle Escalar de Motor de Indução Trifásico Coordenador: Edson Antonio Batista Acadêmico: Jeandro da Costa Dias


04

entrevista

CAMPO GRANDE, SETEMBRO/2010

JORNAL UCDB

Vicente Fideles de Ávila Silvia Tada

42 anos dedicados à Educação os 42 anos de carreira educacional do professor Dr. Vicente Fideles de Ávila, de 70 anos, 17 foram dedicados aos Mestrados em Educação (criado com ênfase em formação de professores) e em Desenvolvimento Local em Contexto de Territorialidades da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). Trabalhou com milhares de alunos, desde a direção da catequese na Diocese de Guaxupé (MG) até os referidos Mestrados. O docente, que se aposentou da UFMS em 1993 e também se desvinculou da UCDB em julho deste ano, sempre se interessou por capaci-

tação de professores que de fato se tornem “formadores”, que ao mesmo tempo educam e ensinam, mas nunca se reduzem a meros “ensinadores”. Doutor em Política e Programação do Desenvolvimento pela Universidade de Paris I/Panthéon- Sorbonne (França, 1980), Bacharel (1963) e Mestre (1965) em Teologia pela Pontifícia Universidade Gregoriana-PUG de Roma (Itália), é licenciado em Filosofia e Pedagogia por duas Faculdades mineiras, respectivamente a então Salesiana de São Del Rei (1971), quando complementou o Curso de Filosofia-de-Seminário concluído em 1961) e a FAFIG

de Guaxupé (1972). Fideles foi convidado a trabalhar na UCDB com integral dedicação à institucionalização da pós-graduação stricto sensu e da pesquisa na nascente Universidade. Por isso, sempre atuou intensamente nos dois programas, fez parte da equipe que atuou na implantação do PIBIC/ UCDB, conduziu a criação das duas primeiras revistas de caráter permanente da Universidade (a Série-Estudos – Revista do Programa de Mestrado em Educação e a Multitemas), empenhouse pelo surgimento da Editora UCDB e assessorou a progressiva implementação da pós-graduação e pesquisa até

JORNAL UCDB: Como foi o início de sua carreira? VICENTE FIDELES: Formei-me em Filosofia, Pedagogia (licenciaturas) bacharelado e mestrado em Teologia, estes dois últimos na PUG de Roma, e doutorado em Política e Programação do Desenvolvimento, na Universidade de Paris I/Panthéon-Sorbonne. Fiz estágios socioeducacionais na Alemanha e na França. Em setembro de 1965, voltei ao Brasil e, no início de 1966, fui designado diretor diocesano da catequese. Por seis anos, trabalhamos intensamente e em equipe –uma central e três setorializadas- e elaboramos programa de ensino religioso solicitado pela Secretaria Estadual de Educação de MG, em janeiro de 1996, desenvolvemos a série de folhetos para uso nas escolas primárias (da época), os editamos até aproximadamente 50 mil exemplares, porque a demanda por eles foi crescendo vertiginosamente a ponto de, entre 1967 e 1971, já estarmos recebendo encomendas de Dioceses de 19 estados brasileiros. Tínhamos a proposta de trazer a religião para o cotidiano da vida (e não apenas a de levar a vida para o cotidiano da religião), para que adultos e crianças a descobrissem desde ali mesmo, onde e como viviam. Portanto, já nesse período comecei a me definir como professor interativo, pois me deslocava sempre, dialogava muito e com muita gente (crente e descrente), me compeli a escrever materiais próprios e enfrentamos –sempre eu e as equipes— desafios de programação e realização de cursos para mais de três mil professores primários. Mas, convidado cerca de dois dias antes, foi em 1º. de agosto de 1968 que o Diretor da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Guaxupé (FAFIG) me registrou em CTPS e me oficializou como docente de Educação Superior, ou “Ensino Superior” para a época. Em abril de 1971, iniciei a tramitação junto ao Vaticano do meu processo de Dispensa do Ministério eclesiástico. A Dispensa — prefiro considerá-la assim — foi selada maio de 1972.

catequética (mediante irrestrita dedicação e até bastante sucesso), senti que ainda não atingia muito o meu objetivo, de base essencialmente humana, de criar reais e melhores perspectivas (sociais, culturais, educacionais, materiais e espirituais, é claro) de vida para as pessoas pobres, excluídas e marginalizadas como as do meio rural de minha infância: eu mesmo só fui alfabetizado aos onze anos de idade, e por minhas irmãs que só tinham -como se dizia- o “terceiro ano primário”. Então, acreditei que pela Educação teria mais possibilidade, e por aí me enveredei, embora para sobreviver nessa nova dimensão de vida tivesse que enfrentar outras ocupações. Mudei-me para Curitiba no final de 1972, dei aulas onde consegui e até trabalhei por três meses na Petrobras. Mas, logo em seguida, outubro de 1973, voltei de corpo e alma à Educação, intercalando docência com funções técnicoeducacionais. Comecei a trabalhar no Centro de Treinamento e Aperfeiçoamento de Pessoal do Paraná (CETEPAR), quando programamos e desenvolvemos, no final de 1993 e todo o 1974 (assumindo a Gerência de Operações desse Centro em maio), um curso de aperfeiçoamento para implantação da Lei n. 5692/ 71 nos 80 maiores municípios do estado para 18 mil professores.

sidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), convidado pelo novo Reitor, professor Jair Soares Madureira. Trabalhei como técnico e, no início de 1986, fiz concurso e integrei os corpos docentes dos dois primeiros Mestrados da UFMS, justo os em Educação e em Saúde Coletiva. Neste último, só lecionei num semestre, porque, em 30 de julho de 1993, me aposentei e, já em 1º de setembro, estava começando a luta pelo primeiro Mestrado (em Educação) da UCDB, como visto antes.

D

JORNAL UCDB: Por que o Sr. deixou a vida religiosa? VICENTE FIDELES: Para ser correto, não deixei a vida religiosa, fui apenas oficialmente dispensado do Ministério sacerdotal, como dito atrás. Aliás, quero ressaltar que sempre fui e serei grato à Igreja pela generosa oportunidade de boa formação que me proporcionou. E, para essa Dispensa, a principal razão que me venceu, embora a muitos possa não ter convencido, foi a de que, mesmo trabalhando com pastoral

JORNAL UCDB: E como começou a experiência universitária? VICENTE FIDELES: O Reitor da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) me convidou para ajudar a implantar o Planejamento Institucional nessa IES, o que ocorreu de setembro de 1975 a fevereiro de 1981. Em setembro de 1977, parti para o doutorado em Paris, onde mantive contato com colegas doutorandos e gente do mundo inteiro (nessa época, inclusive ilustres brasileiros lá estavam exilados, como Celso Furtado, Paulo Freire, Fernando Henrique Cardoso e outros). Em seguida, retomei minhas atividades na UEPG, mas logo, em fevereiro de 1981, fui convidado a trabalhar no MEC, em Brasília (DF), assumindo — na Secretaria de Estudos e Articulação de Planejamento — a coordenação de avaliação e controle, chegando à função de Secretário Substituto (Adjunto) de Planejamento da Secretaria Geral do Ministério em 1984. Foram quatro anos de experiências muito marcantes, porque, em relação a todo o panorama da Educação nacional, o MEC me proporcionou a posição de “mirante”. JORNAL UCDB: Quando o Sr. veio para Campo Grande? VICENTE FIDELES: No final de maio de 1985, para trabalhar na Univer-

JORNAL UCDB: E como foi a vinda do Sr. para a UCDB? VICENTE FIDELES: Já tinha contato com as então Faculdades Unidas Católicas de Mato Grosso (FUCMT), pois ministrara disciplina em Pós-Graduação Lato Sensu. Conhecia o Pe. Afonso de Castro, mas sem muito relacionamento direto. Um dia, encontramo-nos e ele me revelou que gostaria que eu fosse trabalhar na faculdade. Retruquei-lhe que o faria com prazer, mas só depois de me aposentar, pois tinha Dedicação Exclusiva na UFMS e me faltavam ainda alguns anos para a aposentadoria. Aposentei-me e vim para o Mestrado em Educação, que havia recebido respaldo do ex-Conselho Federal de Educação para ser implantado em consórcio com duas outras IES (exSesup e ex-Socigran). A professora Dra. Helena Farias de Barros e eu fomos os primeiros doutores contratados para a Universidade recém-criada. Mas, sempre contamos com as valiosíssimas parcerias de outros professoras da Unesp, como as das professoras Josefa, Leny, Clacy, dos professores Jayme Wanderley, Chamé, e outros. A professora Helena é muito bem relacionada na área educacional e foi seu mérito — bem como das mencionadas parcerias — trazer renomados professores do Brasil todo para colaboração no Mestrado. Depois, foram criados os Mestrados em Psicologia e em Desenvolvimento Local. Tivemos muitos desafios, porque ainda não havia aqui cultura vivenciada tanto de Administração Universitária voltada à pesquisa e pós-graduação stricto sensu. Todavia, e pouco a pouco, não só a direção da UCDB como todos os salesianos da MSMT passaram a apoiar a pós-graduação e até a se capacitarem pós-graduadamente. Fiquei no mestrado em Educação de 1993 a 2003, desde 1998 também atuando no Mestrado em Desenvolvimento Local (até publiquei o livro “Educação Escolar e Desenvolvimento Local”) para, de 2004 em diante, me vincular apenas ao Desenvolvimento Local. Aliás, eu de fato encontrei a rota daquele objetivo mencionado na questão “Por que o Sr. deixou a vida

A nova missão do professor Fideles é a manutenção de seu blog o final da década de 1990. Foi casado por quase 38 anos com Marlene, falecida no dia 2 de maio. É pai de Flávia, doutoranda e professora de Direito Internacional e do Trabalho, em Belo Horizonte, e de Elisa, médica veterinária e mestre em Produção e

Gestão de Agronegócios. Também se orgulha da netinha Luísa e de seu pai, o genro Luciano. Agora, dedica-se ao blog www.desenvolvimentolocal vfa.com.br, que já disponibiliza, na íntegra, quase quatro dezenas de estudos seus (livros, artigos e folhetos).

religiosa?”, quando de fato comecei a articular Educação e Desenvolvimento Local, da maneira lógica como mostram os textos disponíveis no blog. Ministrei a disciplina “Filosofia da Mente” duas vezes no curso de Filosofia (graduação), assim como o primeiro módulo de metodologia no semestre inicial de funcionamento do Mestrado em Psicologia. Orientei 39 mestrandos.

de um bom educador. E sempre lhes ponderei que a digna recompensa do bom/excelente educador é sempre a perspectiva de homenagem póstuma, pelo que também sempre me taxaram de pessimista. Mas não há nenhum pessimismo nisso e o motivo é logicamente óbvio, ou seja, o bom/excelente educador forma/educa sempre em perspectiva de sociedade futura, fato que nem sempre a sociedade atual consegue ou quer entender. Então, o bom/excelente educador acaba aprendendo a realizar investimentos formativo-educacionais para dimensões de médio e longo prazos societários, nem sempre colhendo os louros enquanto vivo. Ora, se penso assim, imaginem vocês o quanto me emocionei com esses 42 anos de trabalho educacional, ou mais particularmente os 17 anos de UCDB, concluindo e ao mesmo tempo culminando com apoteoses como as das homenagens que venho recebendo, sobretudo por perceber o reconhecimento de que tudo o que consegui realizar não mais me pertence e, sim, às gerações presentes, mas formadoras das futuras. Por outra, o fato de essas homenagens demonstrarem e publicarem que o meu esforço não foi só o de mero ensinador ou receitador desarma a gente, que sequer apostava em homenagem póstuma. Isso é um reconhecimento que legitima o trabalho. Recebi e-mails e mensagens, na sessão do dia 23 de agosto passado, promovida pela coordenação do Mestrado em Desenvolvimento Local. Foram muitas falas demasiadamente comoventes para mim, como a da professora Cleonice (lembrando nossa histórica parceria ao longo dos onze anos do Programa), da ex-aluna Danielle (representando os mestrandos e me passando mensagens de que tiraram bons proveitos de nossa convivência formal e informal), do professor Josemar (também representando nossos colegas professores e marcando tom de proveitosa convivência humana, científica e social), do Pró-Reitor, professor Hemerson Pistori (me surpreendendo com emocionantes alusões) e, por fim, do próprio Reitor, Pe. José Marinoni, falando sobre nossa profícua convivência ao longo dos decorridos 17 anos, dos enormes desafios, principalmente nos primeiros anos de UCDB, e, ainda, publicando mensagens de agradecimentos pessoais, como também de toda a UCDB, do Chanceler e da própria Mantenedora, a Missão Salesiana de Mato Grosso. Isso gera verdadeira enchente de emotividade e só me resta agradecer.

JORNAL UCDB: Para o Sr., o que é ser professor? VICENTE FIDELES: Ser professor é uma questão de cultura e postura. A cultura não é estática, ela avança. Categorizo três tipos de professores. O antigo é o ensinador. O outro é o ensinador que educa (o termo educar é um pouco complicado, porque às vezes é confundido com plasmar ou domesticar, dependendo de como você o entende). O terceiro é o formador que, ao mesmo tempo, ensina e educa ajudando a se formar o educando, que aprende a aprender. Isso é feito através também de postura, e não apenas só de saber. Em nossa história acadêmica (iniciada à época do império, mas perpassando o regime de Cátedra e respingando até os dias de hoje) havia –e ainda por vezes háapenas o professor-ensinador. No entanto, depois que você começa a descobrir o mundo, e também as pessoas se contaminam pelas riquezas de informações, oportunidades de conhecimentos e chances de contatos, a Educação se torna muito mais que simplesmente ensinare-aprender, e o papel do professor assume dimensões muito maiores, importantes e significativas. Eu já dizia isso em 1974, naquele Curso de Aperfeiçoamento para implantação da Lei n. 569271, a que me referi anteriormente. Uma coisa é fazer a prática ou mera aplicação de alguma coisa já teorizada (ensinar, por exemplo) e outra é transformar a prática em praxis, isto é, tornar a prática consciente dela mesma, por diálogo interativo com tudo ou o máximo de tudo que esteja em jogo na bilateralidade de cada cenário teóricoaplicativo em questão. É por aí que a Educação passa a exercer sadio, desejável e até necessário papel transformador. Jornal UCDB: O Sr. foi homenageado publicamente com um anúncio no Correio do Estado, na Folha do Povo e um evento na UCDB. Como recebeu esses reconhecimentos? VICENTE FIDELES: Disse ao pessoal, que foi até minha casa justo no dia do anúncio -13/7-, que a gente investe, corre risco, cria, mas nem sempre espera retorno alvissareiro. Aliás, várias vezes alunos me perguntaram a respeito do em quê consistiria o digno reconhecimento


esporte

CAMPO GRANDE, SETEMBRO/2010

05

JORNAL UCDB

BICAMPEÃ

UCDB conquista o Metropolitano de Futsal pelo segundo ano consecutivo A decisão foi contra o Colégio ABC e após empate no tempo normal e na prorrogação, vitória foi definida nos pênaltis Fotos: Leandro Abreu

LEANDRO ABREU equipe de futsal da Universidade Católica Dom Bosco conquistou, no início deste mês, o bicampeonato do Metropolitano de Futsal. Na decisão, o time comandado pelo técnico Paulo Sérgio derrotou o Colégio ABC na cobrança de pênaltis. Esta foi a segunda conquista da Católica na temporada, já que antes havia ficado com o título da fase estadual da Copa Morena. O jogo final foi marcado, além da conquista, pelo acidente envolvendo o jogador Herison, que aos 3 minutos do segundo tempo, caiu e se cortou com uma ferpa que se soltou da quadra do ginásio do colégio Oswaldo Tognini. Após ser atendido, o jogador foi encaminhado ao hospital e passou por uma cirurgia para retirar pedaços da ferpa, e a partida foi adiada. Na retomada d0 jogo, três dias depois em outro local, no Ginásio Guanandizão, as equipes voltaram a jogar com o placar empatado por 1 a 1 (gols marcados antes da paralisação), com gols de Hebersson para a UCDB e Matheus para o ABC.

A

DECISÃO O confronto final que consagrou a UCDB foi muito equilibrado, acirrado e eletrizante, tendo várias chances para os dois times e fazendo com que o campeão aparecesse nos pequenos detalhes e graças a boa atuação do goleiro Jefersson. Ainda no colégio Oswaldo Tognini, o primeiro a marcar foi o ABC, quando logo no início da partida o atleta Matheus chutou contra o gol da Católica e com o auxílio de um desvio da defensa abriu o placar. Depois disso, a UCDB equilibrou o confronto e partiu em busca do gol de empate, conquistado no início da segunda etapa. Após boa jogada, Hebersson entrou na área e, com um chute cruzado, igualou o placar. Seguido do gol aconteceu o acidente com o Herison, fazendo com que os capitães e técnicos entrassem em um acordo para que a partida fosse adiada. Com o recomeço do confronto decisivo no Guanandizão, as equipes continuaram de-

Após disputa acirrada que começou no Oswaldo Tognini e terminou no Guanandizão, jogadores celebram a conquista do Metropolitano 2010

monstrando disposição e empenho. Mas, após muitas chances criadas e mal aproveitadas por ambos os lados, o tempo regulamentar acabou empatado por 1 a 1, resultando que levou a final para a disputa de uma prorrogação de cinco minutos. Como o empate persistiu também no tempo extra, a partida foi decida na disputa de pênaltis, onde a UCDB levou a melhor. Foram cinco cobranças para cada equipe. Nas primeiras séries todos converteram, mas logo a estrela do goleiro Jefersson da

Católica brilhou, fazendo com que defendesse uma cobrança do adversário, finalizando em 5 a 4 a disputa e consagrando o bicampeonato da UCDB no Metropolitano de Futsal. “Neste ano, o nosso time não parou de treinar. No primeiro semestre foi para a Copa Morena e, agora, para o Metropolitano. Mas já estamos pensando nos próximos desafios, o Estadual e a Copa dos Campeões, que é o campeão da Copa Morena daqui do Estado enfrentando o campeão do Mato

Grosso”, comentou o técnico Paulo Sérgio. Os quatro primeiros colocados do Campeonato Metropolitano de Futsal se classificaram para disputar o Estadual, que acontece neste mês. Neste ano, além dos finalistas (UCDB e ABC), também se classificaram o time da Funlec e a equipe do Pinheiros. “As duas equipes tinham condições de levar o título, ambas fizeram ótima campanha e chegaram com méritos à final, mas tanto a UCDB quanto o

ABC tiveram várias chances e as desperdiçaram, acabando que o jogo foi decidido numa felicidade do goleiro da UCDB, que defendeu um pênalti”, disse o presidente da Federação de Futsal de Mato Grosso do Sul (FFSMS), Renê Martinez, sobre as campanhas e merecimentos dos finalistas. O time campeão atuou na decisão com Tirso, Arthur, Allan, Fausto, Hebersson, Alexandro, Jeferson, Gerson, Herison, Dieg o, Lineker e Thalisson.

Confronto foi marcado pela rivalidade entre as duas equipes, mas no final foi o capitão Tirso da UCDB que levantou o troféu da competição


06

cultura e arte

CAMPO GRANDE, SETEMBRO/2010

JORNAL UCDB Arquivo UCDB

SHOW

Evento reúne teatro, dança e música Mais de mil pessoas prestigiaram o espetáculo KARLA MACHADO

m comemoração ao aniversário de Campo Grande, a Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) junto com seus grupos de arte — Coral UCDB, teatral Senta que o Leão é Manso e a Companhia de Dança Ararazul - apresentou, no

E

Centro de Convenções Arquiteto Rubens Gil de Camillo, o espetáculo “Chico, um certo Buarque de Hollanda”. O evento foi prestigiado por mais de mil pessoas e contou com o apoio da Fundação de Cultura (Fundac). Durante o espetáculo foram interpretadas trechos da obra do compositor, escritor e cantor Chico Buarque de Hollanda, um dos prin-

Ao som de músicas interpretadas pelo Coral UCDB, integrantes do Senta que o Leão é Manso se apresentaram

cipais representantes da cultura popular brasileira. “Achei o evento maravilhoso, até me emocionei em algumas canções, pois eu acho lindo coral e estou impressionada com a organização e a estrutura do espetáculo”, comentou Maria Dutra, aprovando o evento. Arquivo UCDB

Acadêmicos e egressos da Católica foram regidos pela maestrina Edna Palmeira Martinez, em noite de festa

O Reitor da UCDB, Pe. José Marinoni, esteve presente no evento e destacou a cultura como forma de expressão da educação. “São João Bosco fazia questão de que em todas suas casas tivessem canto, teatro, esporte e dança, pois a educação tem de envolver o ser todo e a UCDB busca isso, valorizar seus acadêmicos pois, sem eles, esse espetáculo não existiria hoje”. A Pró-Reitora de Extensão e Assuntos Comunitários, Dra. Luciane Pinho de Almeida, ressaltou o envolvimento de 75 acadêmicos e ex-acadêmicos no show. “É uma grande festa e toda equipe está de parabéns pela emoção que causou ao público”, comentou. Roberto Figueiredo, coordenador do setor de Cultura e Arte da Católica e diretor-presidente da Fundac, relatou a importância da realização de um espetáculo como esse. “É importante para a UCDB, pois demonstra que a

Universidade tem um diferencial, que é investir na cultura não só com os acadêmicos mas em Campo Grande”. ESPETÁCULO A coralista e ex-acadêmica da UCDB Geyse Espinosa ressaltou a importância de o grupo participar da apresentação. “Para nós, do Coral, é muito bom ter um público como esse, pois divulga o nosso trabalho e, ainda mais, é uma honra cantar Chico Buarque. Não podemos esquecer da dança e do teatro, que deram uma luz especial para o espetáculo”. “Todas as minhas expectativas foram alcançadas e ver a casa cheia é uma felicidade tremenda, pois demonstramos o trabalho que vem sendo preparado há dois anos e meio e o público conseguiu entender o quanto esse trabalho é importante pra o grupo”, aprovou a maestrina Edna Palmeira Martinez.

Ararazul é premiado em Festival de Joinville KARLA MACHADO Com a coreog rafia “De todo, íntimo”, a companhia de dança Ararazul, da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), ganhou o 3° lugar na competitiva do 28° Festival de Dança de Joinville na categoria Dança Contemporânea – Duo Avançado, com a apresentação dos bailarinos Laiane Paixão e Paulo Paim. O grupo foi o único selecionado do Estado para o maior festival do mundo e teve trabalho reconhecido pelos jurados. A dança apresentada foi criada no ano passado pelo coreógrafo e coordenador do Ararazul Chico Neller para o “Projeto Dançar”. A coreografia representa uma relação amorosa, fiel e íntima. “A experiência foi muito válida, é para a vida toda, pois por mais que treinemos aqui, participemos de espetáculos, lá

(Joinville) é outro mundo, bem maior. Os bailarinos que vão para o festival têm muita técnica, mas a gente se sentiu preparado e fomos mostrar o nosso trabalho e deu certo”, comentou a bailarina Laiane Paixão sobre a experiência de participar de um festival como o de Joinville. Os bailarinos puderam participar de oficinas nas quais tiveram contato com personalidades nacionais e internacionais da dança. “Durante as oficinas de dança tivemos um contato direto com os profissionais consagrados, tiramos dúvidas, conversamos e adquirimos mais conhecimentos”, relatou a dançarina. Paulo Paim, integrante do grupo Ararazul, relatou que a emoção de ser premiado “é forte e intensa, pois fomos os únicos de Mato Grosso do Sul selecionados para participar. Estar lá na noite do festival, dançando, já é uma vitória, pois es-

távamos entre os seis melhores do Brasil. Podemos dizer que o nosso trabalho foi reconhecido, que os ensaios frutificaram e pudemos mostrar o que a gente faz da dança aqui no Estado, no Ararazul, com o coreógrafo Chico Neller, com os bailarinos. Fomos recompensados”. ARARAZUL A Companhia de Dança Ararazul foi criada há mais de 15 anos pela UCDB, sob a coordenação do setor de Cultura e Arte. Formada por 16 acadêmicos da Instituição, tem como objetivo difundir a arte da dança regional/contemporânea no meio acadêmico e na sociedade, buscando promover por meio da cultura, o desenvolvimento humano, trabalhar a auto-estima, a cidadania e a criatividade no meio acadêmico. Eles se apresentam em eventos realizados pela Instituição e nos principais festivais de dança do Estado.

Divulgação

Paulo Paim e Laiane Paixão representaram a UCDB em Santa Catarina


qualificação

CAMPO GRANDE, SETEMBRO/2010 Aline Araújo

Fotos: Leandro Abreu

Aline Araújo

Aly Baddauhy falou sobre liderança

Colaboradores da Instituição participaram de treinamento organizado pela Diretoria Administrativa

LIDERANÇA

Católica investe na capacitação dos colaboradores Treinamento sobre Liderança foi realizado em três dias na Católica JAKSON PEREIRA

A

Universidade Católica Dom Bosco, por meio da Direto ria Administrativa, realizou, com cerca de 70 representantes de áreas administrativas da Instituição e do Colégio Salesiano Dom Bosco, um treinamento de liderança ministrado por Aly Baddauhy Jr., um dos principais especialistas da área

de desenvolvimento de liderança do País. Na abertura do treinamento, o Pró-Reitor de Administração, Ir. Raffaele Lochi, destacou a importância da participação dos colaboradores. “A universidade é o local onde se busca a sabedoria e nós precisamos cada dia fazer uma universidade melhor. Não queremos melhorar apenas o aspecto físico, tam-

bém investimos em recursos humanos para ter sempre o colaborador empenhado e preparado para bem conduzir a Instituição”, destacou o Pró-Reitor. Para o diretor administrativo da Católica, Antonio Alves, o maior patrimônio da instituição são as pessoas que trabalham para melhorá-la a cada dia. “Não conseguiremos ter excelência em atendimento com o

público externo se não tivermos um público interno preparado e satisfeito. Hoje, somente as empresas quem têm os melhores profissionais se destacam e é por isso que investimos em nosso corpo técnico-administrativo, pois queremos os melhores profissionais para atuarem no apoio pedagógico da instituição”, disse o diretor. Em 12 horas de curso, Aly Baddauhy Jr. abordou diversos fatores relacionados à liderança para fazer uma instituição cada vez melhor e comentou sobre a importância do atendimento qualificado. “Toda instituição precisa de pessoas motivadas para que seu desenvolvimento seja constante. É preciso refletir sobre a conduta dos colaboradores dentro da Instituição, pois só assim saberemos de que forma nossos clientes estão sendo atendidos”, comentou. AVALIAÇÃO Para professora Maineide Zanotto Velasques, assessora da Pró-Reitoria de Ensino e Avaliação, o evento demonstrou a preocupação da Instituição com os colaboradores. “Gostei muito de participar e este treinamento mais uma vez demonstra o quanto a UCDB está preocupada com a qualidade de seus colaboradores e trabalha para que cada dia eles se sintam participantes deste processo de desenvolvimento da universidade”, ressaltou a docente. Da mesma forma pensa a coordenadora do complexo de Laboratórios Biossaúde, Regilene Fátima de Oliveira. “Vejo de forma positiva a iniciativa da UCDB, pois se o colaborador tem formação, ele obtém

07

JORNAL UCDB

informações e atualiza conhecimento para que possa ajudar a empresa e seus colegas”, relatou a colaboradora que já vê mudanças em seu trabalho. “Para mim, foi muito válido, pois pude rever muitos pontos positivos e negativos do meu dia-a-dia, também pude entender e compreender o verdadeiro papel do líder. Isso está me ajudando a tomar algumas decisões certas em momentos certos. Este treinamento só tende a melhorar ainda mais o meu desempenho e dos colaboradores com os quais trabalho, tendo uma troca diária de informações e sugestões entre as partes”, complementou. A iniciativa faz parte do trabalho da Diretoria Administrativa da UCDB que, através da sua equipe do Gestão com Pessoas, realiza desde o início do ano o projeto InFormando, que tem o objetivo de formar e informar os representantes das áreas da universidade em palestras e treinamentos e que visa o melhor desempenho dos profissionais de cada área. Pela proposta do InFormando, quinzenalmente, gestores da Católica reúnem-se para encontros de capacitação e formação de liderança. “Além de integrar e discutir assuntos pertinentes para o desenvolvimento de cada área e de cada participante, capacitamos as pessoas para melhor gerir o capital humano e os processos da Instituição”, enfatizou a coordenadora do Gestão com Pessoas, Katiuce Piúna Duque. Desde março deste ano, foram realizadas nove edições, que abordaram os temas como salesianidade no ambiente corporativo, etiqueta corporativa, primeiros socorros, responsabilidade civil nas instituições salesianas, excelência no atendimento, desafios da liderança, ferramentas de comunicação interna e externa, processos internos da Instituição e atendimento especial indígena. “É possível perceber a melhoria, as áreas estão mais integradas e os representantes de área e gestores estão buscando seu autodesenvolvimento e a unificação da comunicação interna na UCDB”, avaliou Katiuce.

VALORIZAÇÃO Jakson Pereira

Concurso premia frases em homenagem aos pais JAKSON PEREIRA A Diretoria Administrativa da Universidade Católica Dom Bosco, através da área de Gestão com Pessoas, realizou no último mês o Concurso Cultural do Mês dos Pais, onde os colaboradores da UCDB preencheram um cupom com uma frase criativa sobre a data comemorativa. Todas as frases ficaram expostas em um mural no saguão do bloco Administrativo e foram avaliadas por uma comissão formada por professores da Instituição.

A frase vencedora foi da colaboradora da Editora UCDB, Glauciene da Silva Lima Souza. “Escrevi cinco frases e recebi com surpresa o resultado. Fiquei muito contente com a iniciativa da Instituição, pois esta é uma forma de homenagear meu padrasto Marcio Garcia Lima, que merece todas as homenagens do mundo”, comentou Glauciane, que perdeu o pai muito cedo, e desde os 15 anos é criada pelo padrasto. Com prêmio, a campeã com a frase ‘Paciência e autoridade insubstituíveis’, ganhou um fotolivro no formato A4

com 30 fotos. A segunda posição do concurso ficou com Beatriz Consolini Rodrigues, colaboradora da área administrativa e que apresentou a frase ‘Pai: Três letras cujo significado é infinito’. “É muito bom participar deste tipo de concurso e estou muito satisfeita com o resultado”, disse Beatriz após receber o prêmio. O terceiro lugar ficou com a colaboradora da conservação, Dorideth Rios Figueiredo, que apresentou a frase ‘Conduta do pai – caminho dos filhos’, e foi representada na entrega do prêmio pela chefe de gabinete da Reitoria, Janete Lara. A premiação foi entregue em solenidade realizada na sala da Reitoria e entregue pelo Reitor

A entrega dos prêmios foi feita pelo Reitor da UCDB, Pe. José Marinoni

da Católica, Pe. José Marinoni, que durante o parabenizou as colaboradoras não só pela conquista, mas pela participação no concurso. Também participaram da

entrega do prêmio, a coordenadora do Gestão com Pessoas, Katiuce Piúna Duque, e a representante do Marketing, Juliana de Oliveira Escobar.


08

relatório

CAMPO GRANDE, SETEMBRO/2010

(CIPA); treinamentos para colaboradores; investimentos em equipamentos das salas de aula – cadeiras ergonômicas, ar-condicionado, quadro branco, data show – que possibilitam melhor condição de trabalho ao docente e melhor comodidade ao discente. Sugestões: melhorar a comunicação das mudanças nos processos de trabalho e na formulação das novas políticas organizacionais e sua implantação; implantar novos planos de carreira docente e administrativo.

AVALIAR PARA MELHORAR: RELATÓRIO DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2009 A Comissão Própria de Avaliação (CPA) coordenou o processo de Avaliação Institucional 2009 (AI 2009), em consonância com seu projeto 2005-2010, cujo objetivo é “avaliar de forma permanente, sistemática, participativa e ética, visando o aperfeiçoamento das políticas institucionais e da qualidade das atividades de ensino, pesquisa, extensão e gestão da Instituição”. Com a participação dos vários segmentos institucionais, a CPA elaborou o relatório compatível com as dimensões de avaliação propostas pelo Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior, encaminhando-o ao MEC. Segue a síntese dos resultados evidenciados no processo avaliativo. Missão e o PDI Destaques: reorganização política e administrativa das pró-reitorias; criação da Comissão de Trabalho Docente (COTRAD) e Comissão de Trabalho Administrativo (CTA) para propor os planos de carreira; reestruturação dos projetos pedagógicos de cursos nas áreas de comunicação social, licenciaturas e saúde; comprometimento da comunidade acadêmica durante a avaliação institucional externa, tendo em vista o recredenciamento da UCDB. Sugestão: promover atividades de vivência da identidade salesiana para evidenciar seu diferencial institucional. Políticas e Desempenho do Ensino Destaques: continuidade do processo de capacitação docente (NAP e NIS); fortalecimento do programa Atenção à Saúde Acadêmica (ASA) para atendimentos de discentes e docentes; ampliação dos cursos de graduação e pós-graduação à distância e criação da unidade no centro da cidade para os cursos de pós-graduação lato sensu; maior utilização do hospital veterinário, da fazenda escola, do complexo didático esportivo e clínicasescola para atividades acadêmicas. Sugestões: ampliar os investimentos em equipamentos, instalações,

laboratórios e suportes técnicos na fazenda escola; ampliar a infraestrutura de apoio nos pólos presenciais da educação à distância para a pósgraduação; construir o acesso coberto à biblioteca, ao ginásio, às clínicas, ao Bio-saúde, às rampas e ao Labcom; compatibilização entre os sistemas informatizados internos. Políticas e Desempenho da Extensão Destaques: implantação do Comitê de Extensão; ampliação de número de convênios, projetos, acadêmicos e públicos atendidos (16.869 atendimentos); engajamento de 55 professores; produção de 22 artigos científicos, 25 pôsteres, 26 apresentações orais, 05 vídeos e 03 dissertações de mestrado. Sugestões: ampliar a divulgação das ações da Extensão à comunidade acadêmica; fomentar recursos para aumentar o número de docentes envolvidos nas atividades de extensão. Políticas e Desempenho da Pesquisa e da Pós-Graduação Pesquisa Destaques: implantação do grupo de professores pesquisadores dos cursos de graduação; ampliação do número de estudantes (242) na iniciação científica, do valor de bolsas e grupos de pesquisa (57). Sugestões: ampliar a divulgação acerca da Pesquisa realizada pela UCDB; fomentar recursos para incluir mais docentes na Pesquisa; estruturar o Núcleo de Inovação Tecnológica; implantar ambiente de trabalho específico para o professor pesquisador. Lato-Sensu e Stricto-Sensu Destaques: 16 cursos de pós- graduação lato-sensu; implantação do curso de doutorado em educação; ampliação de bolsas produtividade CNPq aos docentes (8). Sugestões: fomentar a publicação dos docentes em veículos qualificados, segundo o Qualis CAPES; ampliar o apoio para a participação dos professores em eventos nacionais e internacionais.

Responsabilidade Social Destaques: valorização da formação cidadã como diferencial institucional; atendimento do Núcleo de Prática Jurídica (NUPRAJUR), do 5º Juizado Itinerante, do complexo das Clínicas-Escola, dos programas educacionais (Casa Dom Bosco, Asilo, Gibiteca) à população. Sugestões: promover ações interdisciplinares e regulares; otimizar os meios de comunicação para a divulgação das ações sociais realizadas e dos programas de assistência estudantil pela comunidade acadêmica. Comunicação com a Sociedade Destaques: acolhida aos calouros; Dia de Campus; jornal institucional mensal; edição semanal de jornal Enfoco; apresentações culturais e religiosas (coral, grupos de música, dança e teatro, missas semanais e comemorativas, retiros espirituais); programas institucionais de rádio e televisão; divulgação de palestras, cursos e congressos; sistemas de comunicação internos: Sistema de Informações Integradas ao Acadêmico (SIIA), ao docente (SIID), à Coordenação de Curso (SIIC); site da UCDB. Sugestões: ampliar a divulgação para os discentes acerca das ações desenvolvidas por órgãos institucionais, como ASA, SIMA, NAP, Pastoral, Cultura e Arte, Setor de Esporte, Apoio Comunitário; aperfeiçoar a comunicação com os egressos e a sociedade civil. Políticas de Pessoal e Condições de Trabalho Destaques: semana de prevenção contra acidentes de trabalho

Organização e Gestão Destaques: melhoria do atendimento do restaurante universitário (preço e qualidade); participação dos docentes e representação discente no Conselho de Curso e Núcleo Docente Estruturante, Conselho Universitário, Comissão de Trabalho Docente, CPA. Sugestões: aperfeiçoar os procedimentos para a realização de eventos; realizar palestras, encontros e workshops visando à comunicação das políticas institucionais; padronizar os mecanismos de divulgação das informações de gestão. Infra-estrutura e Recursos de Apoio Destaques: investimentos em equipamentos e processos de atendimentos nas clínicas-escola, fazenda escola, hospital veterinário, laboratórios e instalações das salas de aula; investimentos na biblioteca (aumento do acervo: Em 2007: títulos = 120.233; exemplares = 260.547; em 2008: títulos = 122.246; exemplares = 268.210; em 2009: títulos = 123.848; exemplares = 274.835). Sugestões: fomentar o uso da biblioteca (constata-se a diminuição de empréstimo domiciliar da biblioteca à comunidade acadêmica da UCDB e egressos: em 2006 = 169.545; em 2007 = 154.459; em 2008 = 131.442; em 2009 = 114.932); investir em recursos de proteção e atualização do acervo da biblioteca; captar recursos para transporte, viagens técnicas e atividades práticas; aperfeiçoar o sistema de comunicação interna.

JORNAL UCDB Planejamento e Avaliação Institucional Destaques: campanha da avaliação institucional promovida pela agência dos cursos de Comunicação; adesão razoável da comunidade acadêmica; realização de avaliações parciais por áreas de formação. Sugestões: aperfeiçoar o sistema informatizado para a avaliação institucional; ampliar as ações de sensibilização e socialização, visando adesão de maior número de respondentes no processo de coleta de dados; necessidade de utilizar estrategicamente os resultados da Avaliação (relatórios parciais de cursos, programas e setores, relatórios por área de formação, relatório da CPA) pelos conselhos de cursos e gestores para intervir nos projetos pedagógicos de curso, no PDI e nos processos organizacionais. Políticas de Atendimento aos Estudantes Destaques: oferecimento de 2.233 bolsas aos estudantes (PROUNI, bolsa social, atividade esportiva, PIBIC, FIES, colaboradores). Sugestões: divulgar os setores institucionais de apoio ao acadêmico (Atenção à Saúde Acadêmica, Setor de Integração Mercado Academia, Setor de Atendimento ao Acadêmico) e as atividades oferecidas pelos programas existentes. Sustentabilidade Financeira Destaques: reorganização das áreas de licenciatura, saúde e comunicação social como estratégia acadêmico-institucional de sustentabilidade dos cursos; modernização tecnológica nas salas de aula. Sugestões: ampliar a gestão participativa; promover ações que favoreçam o aumento no número de ingressantes nos Cursos de graduação e Pós-Graduação. A CPA informa que o relatório integral pode ser disponibilizado para consulta. Ao mesmo tempo, agradece a participação da comunidade acadêmica no processo de avaliação e, desde já, conclama a todos para a continuidade das ações previstas para 2010. Jakson Pereira

Professores Regina Cestari, Maineide Zelotto Velasques e José Moacir, responsáveis pela Avaliação


tecnologia

CAMPO GRANDE, SETEMBRO/2010

09

JORNAL UCDB

Fotos: Divulgação/Engenharias UCDB

Gás metano é queimado

Na Granja Bedin foram instalados equipamentos para filtrar o produto dos biodigestores, resultando em gás natural limpo, que pode ser utilizado em veículos

GNBIO

Pesquisa da UCDB avança na produção de gás natural Projeto é desenvolvido na empresa Águas Guariroba e em granjas de São Gabriel do Oeste SILVIA TADA studos para a utilização de gases resultantes de biodigestores de estações de tratamento da empresa Águas Guariroba, concessionária de água e esgoto de Campo Grande, em veículos automotores avançam e a expectativa é de que, em breve, a frota circule com o biogás produzido na própria unidade. A pesquisa é conduzida por professores dos cursos de Engenharia Mecânica, Engenharia Mecatrônica e Engenharia de Computação da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). "A Unidade de Purificação de Biogás (UPB) já foi instalada, os testes iniciais para verificação de todo o sistema concluído e aprovado. Estamos aguardando o resultado do monitoramento dos gases que está sendo executado, a fim de coletar informações a respeito da qualidade e quantidade do biogás gerado pelos reatores, para depois iniciarmos a purificação, transformação em GNBio (Gás Natural)", explicou um dos professores responsáveis, Dr. Edson Batista. Geralmente, o gás proveniente de biodigestores é queimado. Com o novo sistema, é possível purificar o gás, com sistemas desenvolvidos pela UCDB, que passa a se chamar GNBio, que tem maior valor

E

calorífico, acima de 96% de pureza. Esse produto é comprimido, colocado em cilindros e utilizado como combustível. "A UPB tem capacidade de purificar 480 metros cúbicos (m3) de biogás por dia, gerando 240 m3 de gás natural. Na estação de tratamento Los Angeles, a capacidade de produção média é de 2.000 m3 de biogás por dia, ou seja, 30.000 m3 de GNBio por mês. Com esse volume, a Águas Guariroba pretende abastecer a frota de aproximadamente 54 veículos", detalhou o coordenador do projeto, professor Luiz Fer-

nando Baroni. A implantação de uma produção em escala industrial proporcionará várias vantagens. Na área ambiental, a queima de biogás reduz consideravelmente a emissão de poluente, podendo inclusive ser atestado para a comercialização de crédito de carbono, porém, com a presença de enxofre. Com o filtro da UCDB, o material fica retido nos filtros, melhorando a qualidade do ar. Há também o impacto social, já que a retirada do enxofre reduz o odor do ambiente e favorece melhores condições de trabalho, e o tecno-

lógico, com o desenvolvimento de novas tecnologias na área de mecânica, controle e automação e software. O resultado da pesquisa trará, ainda, impactos econômicos, com a redução de gastos com combustíveis e a comercialização de crédito de carbono. SÃO GABRIEL DO OESTE Em outra frente de pesquisa, a UCDB instalou sistemas de produção de biogás na Granja Bedin, em São Gabriel do Oeste, a 130 quilômetros de Campo Grande, em parceria com a Cooperativa Agropecuária da cidade

Professor Luiz Fernando Baroni é um dos pesquisadores envolvidos no desenvolvimento da nova tecnologia

(COASGO), que administra aproximadamente 67 granjas. Cada uma delas possui pelo menos um biodigestor, gerando um total de 80.000 m3 de biogás por dia. "O projeto foi instalado na granja por um período de 11 meses. Neste tempo foram realizados os testes com os equipamentos, chegando ao final com uma pureza de 98 % de metano, atendendo assim ao regulamento técnico Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Este projeto pode ser instalado em qualquer granja, bastando para isso à existência de pelo menos um biodigestor", disseram os pesquisadores. Até então, o metano produzido, em vez de eliminado no meio ambiente, era queimado e, assim, produzia-se menos poluentes. Pelo trabalho desenvolvido pela UCDB, é incluída mais uma etapa nesse processo, com nova filtragem que torna o gás mais potente e menos corrosivo para motores. Os primeiros testes com o gás resultante do primeiro filtro mostram resultados animadores. Conforme os coordenadores, o produto apresenta menor quantidade de poluentes e podem gerar energia suficiente para abastecer veículos automotores, como o gás natural, diminuindo os custos de produção. Sem essa nova filtragem, o gás é considerado "fraco" e provoca redução da vida útil dos motores. Uma nova etapa será realizada, com a participação de novos agentes - Instituto de Difusão e Desenvolvimento Tecnológico (IT3), COOASGO, APL Cerâmico Terra Cozida do Pantanal, de Rio Verde, SENAI, SEBRAE e FIEMS para instalação de um Núcleo de Produção de GNBio para ser utilizado em fornos cerâmicos. São pesquisadores envolvidos os professores Dr. Edson Batista, Esp. Luiz Fernando Baroni, Me. Alexsandro Monteiro Carneiro, Dr. Mauro Conti Pereira, Dr. Marco Naka, engenheiro mecatrônico Carlos Vanti e o acadêmico de Engenharia Mecatrônica Eduardo Bedin.


10

artigo

HISTÓRIA Museu das Culturas Dom Bosco: um estudo das potencialidades de desenvolvimento local a partir da educação básica Dulcília Silva*

E

m 2003, o Museu das Culturas Dom Bosco iniciou uma nova etapa de sua história, quando a Missão Salesiana de Mato Grosso e a Universidade Católica Dom Bosco decidiram que a museografia desenhada pelos padres fundadores do museu, Félix Zavattaro (SDB), Ângelo Venturelli (SDB) e João Falco não conseguia mais dar conta das novas propostas colocadas pela museologia contemporânea. O espaço tornou-se pequeno para se diversificar as atividades desenvolvidas e atender as necessidades de professores e alunos. Sendo assim, as instituições mantenedoras propuseram a construção de um novo

CAMPO GRANDE, SETEMBRO/2010

espaço que hoje funciona no Parque das Nações Indígenas. Nesse novo espaço foi possível criar programas específicos para que se cumpram os objetivos determinados pela missão norteadora do museu, entre os quais o estreitamento dos laços acadêmicos com a universidade, principalmente, com o programa de pós-graduação e pesquisa, uma vez que, a partir da década de 1990, o museu assumiu as características de museu universitário. A primeira ação pública capaz de dar visibilidade ao fato e torná-lo oficial foi a apresentação da dissertação de mestrado da funcionária do museu, Profa. Rejiane Platero, no Programa de Desenvolvimento Local da Universidade Católica Dom Bosco, coordenado pela Dra. Maria Augusta de Castilho, que foi, inclusive, a orientadora do trabalho. Rejiane, quando iniciou o curso, tinha dúvidas em relação à delimitação do assunto. Por conhecer o trabalho realizado pelo museu na área de educação por meio do Programa de Didática Museal Aplicada, Dra. Maria Augusta su-

geriu que sua orientanda fizesse um estudo das potencialidades de desenvolvimento local do museu a partir da educação básica. O trabalho da mestranda aponta para o reconhecimento da correlação entre cultura e desenvolvimento derivado da percepção de que as atividades culturais não se ancoram exclusivamente no valor do patrimônio monumental e nos acervos dos museus tradicionais; ao contrário, aborda também de atividades portadoras de futuro. Para isso, prioriza a educação, propondo introduzir nos currículos escolares saberes relativos à Educação Patrimonial, à cultura e aos museus, como estratégia de desenvolvimento social e econômico dos municípios. O trabalho parte de um exemplo complexo: a situação do Museu das Culturas Dom Bosco em relação a questões que envolvem o sentimento de pertença da população de Campo Grande, situação criada pela divisão política do estado de Mato Grosso. Habitantes da cidade, quando visitam o espaço expográfico permanente, questionam o fato de as

etnias de Mato Grosso do Sul possuírem um acervo muito pequeno em relação às demais etnias. É difícil explicar que os missionários salesianos foram convidados pelo governo para trabalharem, a princípio, com os Bororos e depois prosseguiram seu trabalho com outras etnias espalhadas por todo o norte de Mato Grosso, Goiás e Amazonas. Quando aconteceu a divisão do estado, a Missão Salesiana e o Museu Dom Bosco ficaram do lado de Mato Grosso do Sul, com acervo característico dos povos do norte, do então denominado Mato Grosso, dos Karajá e dos Povos do Rio Uaupés. Assim, a comunidade sulmatogrossense, apesar de ser multicultural, posto que aqui convivem povos do sul, sudeste, centro-oeste, não conseguem sentir o museu como patrimônio seu, mesmo que esteja situado no Parque das Nações Indígenas e que, no acervo de Arqueologia, encontrem-se vestígios e índices fortes de seu pretérito. Isso fez com que o museu desenvolvesse atividades que atingissem jovens

JORNAL UCDB e crianças por meio da Educação Patrimonial, via Museu das Culturas Dom Bosco, pois acredita que só assim pode fazer com que esta comunidade viva o museu com pertencimento. Essa dissertação, portanto, é de grande valia, não só para o museu e para Campo Grande, mas também para a sociedade brasileira que vive situação semelhante em relação a seu patrimônio cultural e sua identidade. O museu agradece e parabeniza à Rejiane, ao Desenvolvimento Local, na pessoa da Dra. Maria Augusta e aos componentes da banca, à diretora do museu, Dra. Aivone Carvalho, que deu condições para que a Rejiane realizasse seu trabalho e espera que esse seja um de uma série de outros trabalhos que tenham o museu como objeto de estudo, única forma de dar visibilidade às importantes pesquisas realizadas na UCDB e instituições anexas. * Coordenadora do Departamento de Documentação e Difusão Cultural do Museu Dom Bosco.

A CARTA MAGNA DO REINO As bem-aventuranças: eis a revolução permanente do Evangelho, eis as frases que embaralham todas as certezas, eis as regras da santidade (Anônimo). O primeiro discurso com que Jesus apresenta o Reino de Deus, no Evangelho de Mateus, começa com uma palavra que vai direto à mente e ao coração dos seus ouvintes de então e de todos os tempos: “felizes... felizes... felizes...”, repetida nove vezes. São as chamadas “bem-aventuranças”. O anúncio do Reino consiste, pois, numa promessa de felicidade. Não se trata de um código moral ou de um novo decálogo. Como escrevi, numa carta do início do meu mandato, “tudo é unificado na centralidade do Reino; por isso, foi definida como ‘carta magna da proclamação do Reino’. Um Reino no qual a paternidade de Deus não se caracteriza pelo seu domínio, mas, ao contrário, o seu domínio se qualifica pela paternidade, de modo que, no ‘Reino dos céus’, não há escravos, nem servos, mas filhos” (ACG 384). Na mesma carta, eu indicava, porém, que muitas vezes nos esquecemos dessa perspectiva, e aquilo que Jesus diz em seguida pareceria uma radicalização da Lei antiga, impossível de realizar. Entretanto, Jesus mostra como seria o mundo e a convivência humana se levássemos a sério as suas palavras e colaborássemos na construção do seu Reino. No mundo, então, não só deixariam de existir assassinatos, mas nem sequer ofensas ou desprezos; nem adultérios nem furtos; e teríamos tanta confiança recíproca que não haveria necessidade de qualquer tipo de juramento. É “a utopia do Reino”, que ousaria definir como “o sonho de Jesus”. Também encontramos no evangelho de Lucas o oposto das bem-aventuranças, que alguém definiu como “más-aventuranças” (Lc 6,24-26). Não são maldições, pois Jesus quer a salvação de todos, mas advertências sérias, variantes das mesmas atitudes de fundo: orgulho e autossuficiência. Maria o denunciara no Magnificat: a soberba, o poder, a riqueza (cf. Lc 1,5153) impedem a acolhida do Reino como um dom. Jesus adverte, com a máxima seriedade, sobre a possibilidade de não se acolher o Reino e, por isso, ficar nas trevas da solidão e do falimento. Alguns se perguntarão por que, então, a vida cristã é vista por muitos como fonte de obrigações, de observância de normas, de jugo do qual libertar-se. Lembremo-nos da polêmica suscitada por aquele ônibus inglês que trazia um cartaz: “É provável que Deus não exista, mas não te preocupes: goza a vida”. Pareceria ser

necessário colocar Deus de lado para ser felizes. De onde vem essa oposição tão radical às ‘bem-aventuranças’? A resposta está no Evangelho. Ao analisar as bemaventuranças, percebemos que os caminhos apresentados por Jesus não são aqueles oferecidos pelo mundo. Basta ler a 1ª. Carta de João: “Tudo o que há mundo – a concupiscência humana, a cobiça dos olhos e a ostentação da riqueza – não vem do Pai, mas do mundo” (1Jo 2,16). E há um convite aos jovens: “Eu vos escrevi, jovens, porque sois fortes, e a Palavra de Deus permanece em vós” (1Jo 2,14b). Isso não significa que se deva desprezar o mundo e/ou fugir dele. Ao contrário: “Deus amou tanto o mundo, que entregou o seu Filho único” (Jo 3,16). Paulo VI, referindo-se a isso, deixou escrito: “A Igreja deve amar o mundo. O que não significa, porém, ser semelhante a ele, ser mundano. Amar o mundo significa conhecê-lo, estudá-lo, servi-lo”. Podemos aprofundar ainda mais o significado das bem-aventuranças. No Novo Testamento, a primeira bem-aventurança não aparece na pregação de Jesus, mas bem antes. Está no encontro de Maria com Isabel, que se congratula com Ela dizendo: “Feliz és tu que acreditaste, pois se cumprirá o que te foi prometido pelo Senhor” (Lc 1,45). E a última bem-aventurança evangélica está no encontro de Jesus ressuscitado com Tomé: “Felizes aqueles que não viram e acreditaram” (Jo 20,29). É extraordinariamente significativo que as duas bem-aventuranças tenham como conteúdo a mesma atitude: a FÉ. Ela permite compreender e acolher as outras. Somente do ponto de vista da fé podemos compreender que o caminho da nossa verdadeira realização passa pela cruz e a morte, para chegar à plenitude da Ressurreição. Dom Bosco foi particularmente sensível ao caráter alegre da vida cristã e, no “Jovem Instruído”, chama a atenção dos jovens para o engano usado pelo demônio a fim de afastá-los da prática religiosa, fazendo crer que ela é fonte de tristeza, tédio e frustração. Nada mais falso. A vida cristã, enquanto seguimento de Jesus é o único caminho para a verdadeira felicidade. Assim Dom Bosco pregou incansavelmente e assim foi compreendido pelos seus meninos, como Domingos Sávio, que chega a criar o típico lema salesiano: “Nós fazemos consistir a santidade em estar sempre alegres”. Mensagem do Reitor Mor dos Salesianos para julho de 2010


www.zootecniabrasil.com.br Este site é dedicado a todos que trabalham na produção, no melhoramento genético e em desenvolvimento de técnicas de reprodução de animais domésticos, silvestres, exóticos e ornamentais no País, tendo como

foco a conser vação,a preservação e o bem-estar animal. O site conta com diversos ambientes virtuais: ag ropecuários, ecológicos, agronegócios, ciência e tecnologia, etc, e tem como objetivo estimular o debate sobre o tema entre estudantes de graduação, pósgraduação, mestres, doutores, profissionais, políticos, ONGs, ambientalistas, e principalmente os

EVENTOS VII SEMINÁRIO DE EXTENSÃO - A FORMAÇÃO PROFISSIONAL E O EXERCÍCIO DA CIDADANIA

De 27 a 29 de setembro, será realizado na UCDB o VII Seminário de Extensão, que tem como tema A Formação Profissional e o Exercício da Cidadania. O objetivo do evento, realizado pela Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários, é discutir e refletir sobre a extensão na Instituição, abordando a formação acadêmica e a educação para exercício da cidadania, democratizando o conhecimento científico, presente no ensino, na pesquisa e na extensão. As inscrições estão abertas de 18 a 22 de setembro. Mais informações pelo telefone (67) 3312-3574 ou e-mail projetoscomunitários@ucdb.br.

IV CONGRESSO INTERNACIONAL EM CIÊNCIAS DA RELIGIÃO E XI SEMANA DE ESTUDOS DA RELIGIÃO

MEGA EVENTO O Mega Evento Nutrição 2010 será realizado de 30 de NUTRIÇÃO 2010 setembro a 2 de outubro, no Centro de Convenções e Eventos Frei Caneca, em São Paulo (SP). Contando, desde o ano 2000, com o apoio e a presença de importantes entidades internacionais, o Mega Evento Nutrição trata de temas como nutrição clínica, esportiva, hospitalar, geral, saúde pública, alimentos funcionais, food service, gastronomia e aspectos alimentares/culturais. Mais informações: www.nutricaoempauta.com.br

DICAS DE LIVROS

www.nutricaoempauta.com.br A revista bimestral Nutrição em Pauta, com 17 anos de existência e mais de 20 mil assinantes, é o melhor canal de comunicação direto com os profissionais do setor de nutrição, saúde e alimenta-

Com o objetivo de promover a reflexão e o diálogo entre pesquisadores e representantes de movimentos sociais de diferentes estados do Brasil e de outros países sobre a escola, identidades e diferenças culturais, a UCDB realiza, de 20 a 23 de setembro, o IV Seminário Internacional: Fronteiras Étnico-Culturais e Fronteiras da Exclusão. Mais informações pelo telefone (67) 33123593 ou e-mail adir@ucdb.br

raquelkussama.com.br

Com o tema "Patrimônio Histórico, IV ENCONTRO Memória e Ensino", será realizado, no ESTADUAL DE campus da Universidade Estadual do HISTÓRIA Maranhão, de 27 a 30 de setembro, o IV Encontro Estadual de História. Será o momento para a comunidade acadêmica trocar experiências quanto à pesquisa e ao ensino de história e discutir problemas que envolvem as práticas de trabalho. As inscrições podem ser feitas até o dia 26. Mais informações: http:// anpuhma.cliovirtual.com.br/index.php

produtores rurais, através de artigos, curiosidades, fotos e participação no fórum.

IV SEMINÁRIO INTERNACIONAL: FRONTEIRAS ÉTNICO-CULTURAIS E FRONTEIRAS DA EXCLUSÃO

CONGRESSO NACIONAL DE FISIOTERAPIA NA SAÚDE COLETIVA

www.sogeografia.com.br Este é o site da área de geografia mais divertido do Brasil! Além de aprender geografia utilizando materiais de fácil entendimento, os internautas podem encontrar inúmeras páginas com curiosidades, jogos, bandeiras, hinos, exercícios, provas online, artigos e muito mais.

Acadêmicos e profissionais de Fisioterapia podem participar do "XX Fórum de Ensino em Fisioterapia II - Congresso Nacional de Fisioterapia na Saúde Coletiva", que acontece em Belo Horizonte (MG), entre os dias 15 e 18 de setembro. O tema discutido no evento será "A política nacional de saúde funcional: um caminho a ser construído nas Instituições de saúde e de formação". Na programação do evento estão conferências, oficinas, painéis, encontros e apresentações de trabalhos.

O SulComp 2010 é um evento promovido pelo Curso de Ciência da Computação da Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC), de Criciúma (SC), com apoio da Sociedade Brasileira de Computação - SBC. O evento tem como objetivos promover a colaboração acadêmica entre as diferentes universidades, buscar a disseminação do conhecimento e experiências relacionadas às diversas áreas computacionais, além de permitir a integração da comunidade sul catarinense de pesquisadores, profissionais, alunos e empresas que atuam na área. A quinta edição do Congresso Sul Brasileiro de Computação será realizada de 29 de setembro a 1º. de outubro, com várias atividades. como palestras, sessão oral, sessão pôster e IV Workshop de Trabalhos Acadêmicos. Mais informações: http://www.unesc.net/ post/213/11/9599

O objetivo principal deste livro é alertar pais e educadores sobre a necessidade do diagnóstico e tratamento precoces dos transtornos mentais da infância e adolescência, tendo, assim, um caráter preventivo e de utilidade pública, que, evidentemente, não substitui a avaliação e nem os procedimentos realizados pelos profissionais especializados.

REVISTA TELLUS, N.18 Autores: VVAA [...] Ao longo desses anos, a Tellus se tornou um conceituado veículo de divulgação de trabalhos acadêmicos sobre povos indígenas, tanto quanto de reflexões derivadas de uma prática antropológica engajada. Refletindo a proposta do NEPPI, de desenvolver estudos interdisciplinares, a Tellus se consolidou como fonte de informações e de análises de experiências junto a populações indígenas, com ênfase na publicação de materiais sobre educação escolar indígena, direito à terra, etnolinguistica, atenção à saúde e história indígena.

II SEMINÁRIO INTERNACIONAL EM FAMÍLIA CONTEMPORÂNEA: NATUREZA E CULTURA

11

dantes da área.

De 27 a 29 de setembro, em Goiânia, será realizado o IV Congresso Internacional em Ciências da Religião e a XI Semana de Estudos da Religião, Para propiciar a atualização dos com o tema "Religião, transformações estudos literários, linguísticos e de culturais e globalização". Segundo os aquisição de línguas estrangeiras a organizadores, o objetivo será discutir partir da temática enfocada, promover sobre os desafios e as contribuições intercâmbio acadêmico a partir da que o fenômeno religioso e suas contribuição de pesquisadores e interfaces culturais aportam para o professores de várias instituições e campo das Ciências da Religião. Os socializar a troca de conhecimentos, convidados são estudiosos e estimulando a participação e a pesquisadores em Ciências da Religião, reflexão da comunidade acadêmica, da Teologia, da Antropologia e da será realizado de 21 a 24 de setembro Sociologia Religiosa e demais áreas o X Seminário Internacional em afins. Mais informações: Letras do Centro Universitário www.pucgoias.edu.br Franciscano (Unifra), em Santa Maria (RS). Informações e inscrições: www.unifra.br/eventos/inletras2010.

PSICOPATOLOGIA DA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA PARA PAIS E EDUCADORES Autores: José Carlos Souza e Neomar Souza

Nádia Heusi Silveira Editora da Tellus

ção de todo o País. Tem participado ativamente da formação e atualização desses profissionais, divulgando artigos científicos nas áreas de nutrição clínica, nutrição hospitalar, nutrição e esportes, nutrição e pediatria, etc. O site contém os resumos dos artigos e matérias de capa da revista, publicados desde 1998, servindo como apoio para profissionais e estu-

X SEMINÁRIO INTERNACIONAL EM LETRAS LINGUAGENS: INTERFACES E DESLOCAMENTOS

V SULCOMP CONGRESSO SUL BRASILEIRO DE COMPUTAÇÃO

O II Seminário Internacional em Família Contemporânea: Natureza e Cultura é uma iniciativa do Programa de Pós-Graduação em Família na Sociedade Contemporânea da Universidade Católica do Salvador (UCSal) e visa reunir pesquisadores para enfrentar os desafios da teorização, da compreensão e da experiência empírica com pesquisa acerca do objeto família. Participam pesquisadores da Universidade Católica de Milão, da Universidade de Bolonha, das universidades federais de Minas Gerais, Bahia, Sergipe, Pernambuco e Santa Catarina. O evento acontece de 20 a 22 de setembro. Mais informações: http://www.ucsal.br/

"Religiosidades populares e multiculturalismo: intolerâncias, diálogos, interpretações" é o tema do III Simpósio Internacional de Teologia e Ciências da Religião da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), que acontece em Recife. No evento, devem se reunir teólogos e cientistas da religião que trabalham a problemática do diálogo entre culturas e religiões para discutir o conceito de religiosidade popular e suas expressões culturais na complexidade do mundo globalizado. Mais informações: http:// www.unicap.br/simposio_teologia/

III SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE TEOLOGIA E CIÊNCIAS DA RELIGIÃO DA UNICAP

odia.terra.com.br

CONECTE

agenda

CAMPO GRANDE, SETEMBRO/2010

criancaevang.blogspot.com

JORNAL UCDB


12

personalidade salesiana

ilippo Rinaldi nasceu em LuMonferrato (Alessandria), na Itália, no dia 28 de maio de 1856, oitavo de nove filhos, e foi batizado no mesmo dia, com o nome de Pedro Filippo. Os pais, Cristoforo Rinaldi e Antonia Brezzi, eram camponeses prósperos. A família vivia fortes e profundas tradições cristãs, de modo que mais de vinte de seus membros se tornaram sacerdotes diocesanos, religiosos e religiosas. Nesse ambiente cristão rural, Filippo recebeu a primeira educação à qual foi coerente por toda a vida. Sua mãe exerceu uma influência particular sobre ele. Após frequentar em escola privada o primário, entrou, no ano de 1866, no colégio da cidade vizinha de Mirabello, onde Dom Bosco havia aberto a sua primeira obra fora de Turim. Ali, Filippo teve a possibilidade de encontrar-se por duas vezes com Dom Bosco, uma no mês de novembro de 1866 e outra, no dia 9 de julho de 1867, ocasião em que se confessou com ele. Mais tarde, relatou que, na confissão, viu, “improvisamente, o rosto do santo refulgir de luz arcana”. Isso explica o fascínio que Dom Bosco devia exercer sobre ele, embora, no fim do primeiro ano de colégio (1866-1967), Filippo tenha voltado para casa. Por uma dezena de anos, Filippo retomou o trabalho nos campos com os seus familiares, levando uma vida religiosa exemplar. Com 18 anos, foi eleito Prior da Fraternidade de São Brás. Em 1876, encontrou-se de novo com Dom Bosco, que não o havia perdido de vista e lhe pedia uma resposta. No colóquio, percebeu outra vez o fato que já havia contemplado em Mirabello. “... Eis que se lhe iluminou de novo o rosto, em seguida irradiou da sua pessoa uma luz forte, mais forte do que a luz do sol, de modo que, passados alguns instantes, foi voltando ao seu aspecto normal”. Filippo já estava seguro de sua vocação. “Após saudar finalmente os parentes, voltava as costas àquele mundo que havia roubado os mais belos anos da minha vida”. Em 1877, deixou sua cidade e entrou no colégio de Sampierdarena, com a firme intenção de se tornar salesiano. Tinha vinte anos, mas superou logo as dificuldades escolares. Passou para a segunda classe ginasial e terminou a terceira com sucesso. Em seguida, apresentou-se para as provas das Escolas Estatais e conseguiu a habilitação de professor. No dia 8 de setembro de 1879, entrou no noviciado de San Benigno Canavese (Turim) e, no dia 20 de outubro, o próprio Dom Bosco entregou-lhe a vestidura clerical juntamente com outros cinquenta noviços. No dia 13 de outubro de 1880, Filippo fez a profissão perpétua. Pode-se dizer que, a partir daquele momento, ele passou a estar sob orientação direta de Dom Bosco, que traçou os próximos passos que deveria dar em sua vida. Dada a maturidade da sua forma-

CAMPO GRANDE, SETEMBRO/2010

F

Padre Filippo Rinaldi foi o terceiro sucessor de São João Bosco e impulsionou a congregação salesiana

Padre Filippo Rinaldi “Sacerdote e Reitor Mor da Sociedade Salesiana de São João Bosco” 28/05/1856

ção, Dom Bosco fez com que acelerasse os estudos. Recebeu, em breves intervalos, as Ordens e, no dia 23 de dezembro de 1882, foi ordenado sacerdote em Ivrea. Dom Bosco, que já havia percebido as suas virtudes e as suas capacidades apostólicas em apenas um ano de sacerdócio, nomeou-o, em 1883, diretor dos “Filhos de Maria”, isto é, das vocações adultas, em Mathi Torinese. Padre Rinaldi soube criar entre aqueles jovens o espírito de uma verdadeira e alegre família. De Mathi, passou, com o mesmo cargo, para São João Evangelista, em Turim, e ali gozou do privilégio, por cinco anos, de ir semanalmente confessar-se com Dom Bosco, recebendo dele provas de íntima confiança espiritual. Foram anos de precioso amadurecimento sacerdotal e salesiano. Em 1889, o Padre Rua, que sucedeu ao fundador da Congregação Salesiana, mandou-o de maneira inesperada para a Espanha, como diretor da Casa de Sarriá, nas cercanias de Barcelona. Padre Rinaldi nunca aprendeu perfeitamente a língua espanhola, mas “amou a Espanha como se lá tivesse nascido” e por isso ganhou a simpatia de to-

dos. Com a ajuda da insigne cooperadora Dorotea Chopitea Serra, fez de Sarriá a casa-mãe das obras salesianas da Espanha e de Portugal. Dali, a Congregação se espalhou por toda a península, também com o auxílio das filhas de Maria Auxiliadora, levadas por Filippo para além dos Pirineus. A Inspetoria Salesiana espanhola foi ereta1 em 1892, e Padre Rinaldi foi seu primeiro titular e propulsor, por quase um decênio. Em nove anos abriu vinte e uma casas, de tal forma que se pode dizer que o Padre Rinaldi foi o “Fundador” da obra salesiana na Espanha. Para medir o trabalho do Padre Rinaldi na Espanha, basta pensar que, logo após a sua partida, a obra salesiana foi dividida em três inspetorias. Em 1901, Padre Rua pediu-lhe que estivesse ao seu lado na qualidade de Prefeito (= Vice) Geral da Congregação, em Turim. Habituado a uma vida de contínuo movimento, Padre Rinadi teve que mudar completamente seu modo de agir no novo encargo, mas, por virtude da obediência, e por temperamento, adaptou-se ao novo teor de vida, não se deixando fechar com-

05/12/1931

pletamente por trás da mesa do escritório. Na verdade, sua alma sacerdotal o levou a outras obras e atividades que dão uma dimensão do seu zelo. Toda manhã celebrava a Santa Missa às 4h30min e depois de um par de horas sentava-se no confessionário, sempre muito frequentado. O número dos penitentes cresceu com o passar dos anos. Não foi um orador no sentido clássico, mas fez muitas pregações, com palavra inspirada, ao Oratório feminino, às Irmãs, aos Irm��os. Em 1907, tornou-se diretor do Oratório Feminino das Filhas de Maria Auxiliadora, em Valdocco (Turim), ao lado da Casa Mãe dos Salesianos. Como diretor, Padre Rinaldi celebrava a missa dominical e fazia a função vespertina, pregava, confessava, acolhia a Associação. Ele não tirava a autoridade das Irmãs e das dirigentes leigas, mas na realidade estava presente em tudo. Era o bom pai que em tudo mostrava a presença de Dom Bosco no meio dos jovens. O clima espiritual criado por ele entre os jovens fez com que criasse e levasse gradualmente adiante o projeto de uma nova forma de “vida

JORNAL UCDB consagrada no mundo”, que continua hoje no Instituto Secular das “Voluntárias de Dom Bosco”. Percebeu a importância dos leigos na vida da Igreja e promoveu por isso as Associações dos Salesianos Cooperadores (quase uma terceira Ordem Salesiana), dos ExAlunos dos Salesianos e das Filhas de Maria Auxiliadora. Em 1911, por ocasião do Congresso Internacional, com a participação de representantes de vinte nações, deu início a uma “Federação”, de caráter mundial, que foi a primeira no mundo entre os ex-alunos de todas as escolas católicas. Para os Irmãos e as Filhas de Maria Auxiliadora, foi “mestre de salesianidade”, dando, por vários anos, aulas teóricas e práticas de pedagogia salesiana aos estudantes de teologia. No dia 4 de abril de 1922, eleito Reitor Mor da Sociedade Salesiana, deu um extraordinário impulso a toda a vida da Congregação. “Ocupou-se com um ardor extraordinário com a formação pessoal, à qual incrementou com suas circulares, com suas visitas, conferências e, especialmente, com reuniões frequentes de inspetores, mestres de noviços e diretores de casas de formação”. O incremento dado às vocações foi extraordinário: de quatro mil, os salesianos passaram a oito mil, e as casas, de 400 para 650. Apesar dos problemas de saúde, fez muitas viagens, conquistando a todos com o coração mais do que com o dinamismo da ação. O acontecimento mais importante durante o seu reitorado foi a Beatificação de Dom Bosco, em 1929, que lhe proporcionou a ocasião de fazer reviver o carisma do fundador na sua originalidade. Ao mesmo tempo, agravaramse-lhe as condições de sua saúde. Sobretudo o aumento dos distúrbios cardíacos levou-o a pensar em renunciar ao seu cargo. Contudo, continuou até a última hora recebendo os irmãos, escrevendo algumas de suas mais bonitas circulares e fazendo conferências. O seu prestígio moral só aumentou nesses últimos anos de sua vida. Morreu no dia 5 de dezembro de 1931, como ele mesmo o havia previsto. Sua tumba se encontra na Basílica de Nossa Senhora Auxiliadora, em Turim. No dia 29 de abril de 1990, Filippo Rinaldi foi beatificado por João Paulo II. Texto traduzido do livro de: Resch, Andreas: I Beati di Giovanni Paolo II. Volume II: 1986-1990. - Vaticano: Libreria Editrice Vaticana, 2002, 318 p., ISBN 88209-7340-5 Tradução: Pe. Pedro Pereira Borges /Pró-Reitor de Pastoral da UCDB 1

Termo canônico usado para indicar que uma obra foi aprovada pela Igreja ou por uma Congregação para funcionar em determinado local.


Jornal UCDB - Edição Setembro 2010