Issuu on Google+


2009 - Volume 1 / Número 4

Oeditor

INDICE

miflores@iol.pt

,,

“Gozem a vida pois é muito curta para stresses”

03 O EDITOR

ais uma vez, escrevo este editorial, após alguns adiamentos inevitáveis, tenho o prazer de apresentar o número 04 da Tugabikers Digital Magazine. Nesta edição continuamos com as entrevistas, algo que nos orgulhamos muito. Em Outubro tive o prazer de fotografar no MOTOGP pelo qual não poderia deixar de lhe dar destaque, com o texto de BrunoRider na pele de um comissário. Mais um ano que chega ao fim, mais um Campeonato Nacional que termina, com as provas de Estoril 2 e Braga 3. Parabéns a todos os vencedores e participantes no nosso COV. Mais uma vez quero agradecer pelo apoio demonstrado em cada revista. Conto convosco na próxima edição.

M

,,

Miguel s Flore

Miguel Flores, Editor

04 COV - ESTORIL 2 12 ENTREVISTA COM NELSON ROSA 16 SUPERMOTO - ALMEIRIM 2 20 POSTER 22 HM MOTOS 26 ENTREVISTA COM CLÁUDIA FIALHO 30 COV - BRAGA 3 38 ENTREVISTA COM JOAO RATADO 42 MOTOGP - PORTUGAL 50 CONTRACAPA

FICHA TÉCNICA

Publicado Por: www.tugabikers.com

Edição: Miguel Flores / Bruno Brito Redacção: www.tugabikers.com Direcção Gráfica: Bruno Brito Textos (excepto onde indicado): Miguel Flores / Bruno Brito Créditos das fotos: Miguel Flores E-mail: miflores@iol.pt bribruno@gmail.com

colaboração: César Coriolano e Mafalda Magalhães dos sites: www.forumartebar.gettalk.net www.cesarcoriolano.com Tiago Lopes AKA Sansão propriedade: www.tugabikers.com by Miguel Flores “The tugabikers Magazine”, é uma revista digital criada por amantes de duas rodas e/ou para amantes de duas rodas, sem custos lucrativos ou comerciais cujo o único objectivo é a divulgação da motociclismo. Todos os direitos reservados de reprodução, fotográfica para todos os paises.

Página 03


Miguel Moreira - StockSport 1000

Pรกgina 04


C.O.V.

ESTORIL

2

Realizou-se nos dias 26 e 27 de Setembro a 4ª ronda do Motosport-Campeonato Open de Velocidade no Circuito do Estoril, denominada: Estoril 2, com a organização do Motor Clube do Estoril, o ambiente á volta desta ronda prometia já que a luta para os lugares cimeiros das várias classes do MotospOrt-COV estava ao rubro com alguns pilotos a mostrarem-se mais fortes na ponta final do campeonato. Texto: Tiago Lopes

C

Fotos: Miguel Flores

om a temperatura a

segundos, dividida a classifica-

corrida foi a seguinte: 1ºMiguel

rondar o 30º grau

ção por classes, a classificação

Martinsnº166 Yamaha R6,

durante todo o

foi; no Open 85cc: 1º Ivo Lopes,

2ªNuno Nogueira nº128 Yamaha

fim-de-semana,

2º Fábio Lopes, 3º Ruben

R6, 3º Tiago Cleto nº134 Yamaha

estavam reunidas excelentes

Nogueira; No Troféu 85cc: 1º

R6, 4ºPaulo Sotero nº126 Suzuki

condições para o desenrolar das

Hélder Bessa, 2º Romeu Leite,

GSXR 600, 5º José Gaspar nº112

várias provas que compunham

3ºSalvador Nery; Na Copa Cool:

Honda CBR 600.

esta ronda. No Troféu Júnior,

1ºPedro Barbosa, 2ºDaniel Vila,

Nas Promomoto 1000 com 21

com 21 pilotos inscritos reparti-

3º Yago Nogueira.

pilotos, ao apagar do semáforo,

dos entras as três classes Open

Nas Promomoto 600 com 19

Pedro Flores foi o mais rápido

85cc, Troféu 85cc e Copa Cool, a

pilotos á partida as 14 voltas

permitindo ganhar seis posições

corrida teve uma luta bastante

decorreram com boas lutas, na

até á primeira curva do traçado, o

renhida entres os pilotos Ivo

frente da corrida Miguel Martins e

oposto aconteceu com Miguel

Lopes 75, Fábio Lopes 19,Hélder

Nuno Nogueira disputavam a

Moreira que efectuou um menos

Bessa 121 e Romeu leite 123 a

liderança da corrida com Miguel

bom arranque que lhe custou

terminarem as 5 voltas por esta

Martins a vencer no final das 14

algumas posições que viria a

ordem e separados por apenas

voltas e a encurtar a diferença no

recuperar ao longo da corrida, na

0.721s com Ruben Nogueira a

Campeonato para Nuno Noguei-

liderança da corrida assistia-se a

fechar o top 5 a cerca de 9

ra, a classificação no final da

uma excelente luta entre Tiago

Página 05


uma queda no Braga 2 lhe ter destruído a moto colocando em dúvida o resto da temporada. Classificação final: 1º Tiago Araújo Honda CBR 1000, 2º Eusébio Nogueira Yamaha R1, 3º Miguel Moreira Suzuki GSXR 1000, 4º Sandro Carvalho Suzuki GSXR 1000, 5º Luís Martins Suzuki GSXR 1000. Nas Stocksport 600 com apenas treze pilotos inscritos assistiu-se uma corrida em duas fases, a primeira apenas com duas voltas já que na terceira volta a corrida foi interrompida com bandeira vermelha devido á moto de Miguel Vilares ter partido o motor na recta interior e ser preciso limpar o óleo deixado na pista, na segunda partida da corrida para as quinze voltas (a

Paulo Vicente - StockSport 1000

primeira fase da corrida foi anulada visto ainda não terem sido cumpridas três voltas, a corrida voltou a ter as quinze voltas previstas), Sérgio Batista não alinhou

Araújo e Eusébio Nogueira

as 14 voltas e terminar num

corrida com problemas na

por ter abandonado ainda

seguidos de Jorge Paulo no

honroso oitavo lugar. Luís

caixa de velocidades quando

antes da interrupção de

terceiro lugar a defender-se

Martins com o sétimo lugar

ocupava a sexta posição, de

bandeira vermelha, e Miguel

dos ataques de Sandro

da grelha, cruzou a linha de

saudar também o regresso

Vilares não alinhando por

Carvalho (piloto angolano

meta no final da primeira

de Daniel Café depois de

não ter a sua moto recupera-

que há uns anos atrás

volta na

participou no Troféu

vigésima

CBR600f Sport, agora de

primeira

volta ás pistas portuguesas)

posição,

e de um muito rápido Miguel

vindo a efec-

Moreira na parte final da

tuar uma

corrida com este a recuperar

excelente

posições até chegar ao

recuperação

terceiro final na bandeira de

até ao

xadrez, Jorge Paulo acabaria

quinto lugar

por não evitar uma queda a

final, Mário

quatro voltas do fim na

Alves a

parabólica que o colocava

efectuar

fora de prova. Pedro Flores

uma corrida

depois de um excelente

muito

arranque, foi perdendo

regular

posições a debater-se com

acabaria por

problemas físicos, resistindo

abandonar a

Página 06

Amarílio Melo - StockSport 600


Ricardo Lourenço - PromoCup 1000 da para a segunda

Nas Stocksport 1000 o fim-de-semana

partida, após o apagar

onze inscritos para esta ronda o que se espe-

começou da pior maneira para Rui Reigoto, já

do semáforo a classifica-

rava desta corrida, seria se Tiago Dias con-

que uma queda algo aparatosa na curva dois,

ção dos cinco primeiros

seguiria acompanhar o ritmo dos lideres do

nos treinos privados de sábado de manhã lhe

ficou definida no final da

campeonato, já que este tem vindo a melhorar

tirou as hipóteses de discutir o campeonato,

segunda volta com os

bastante ao longo campeonato cada vez mais

partindo a clavícula e precisar de cirurgia, e

cinco primeiros a

confortável nos comandos da sua Yamaha R1,

não alinhando mais nesta prova, apenas com

ao apagar do semáforo para a primeira manga

manterem a mesma ordem até á bandeira de xadrez, com André Carvalho a controlar a distância para Tiago Magalhães e Nuno Cachada, com este a rodar sempre perto de Tiago Magalhães, com os restantes pilotos a terminarem já longe dos três primeiros a cerca de quarenta e cinco segundos. Classificação final: 1º André Carvalho Yamaha R6, 2º Tiago Magalhães Suzuki GSXR 600, 3º Nuno Cachada Honda CBR 600, 4º Carlos Santos Yamaha R6, 5º Miguel Martins Yamaha R6.

André Carvalho - StockSport 600 Página 07


José Leite assumiu a liderança da corrida liderando da primeira á ultima volta mas sempre com Luís Carreira bastante perto não permitindo a José Leite descontrair na liderança da corrida, no terceiro posto rodava Tiago Dias em que nas primeiras voltas ainda fez um esforço para acompanhar os dois primeiros decidindo depois adoptar um ritmo de corrida de maneira a salvaguardar a mecânica da sua moto, no quarto posto terminou Tito Domingues que ao longo da corrida travou uma excelente luta Fernando Costa, Nuno Farias e Nelson Rosa com varias trocas de lugares entre eles a terminarem a corrida na mesma ordem. José leite a rodar muito forte nesta manga conseguiu mesmo bater o tempo da pole (1.44,450s) com a volta mais rápida da corrida em 1.44,321s. Na segunda manga a história viria a ser a mesma mas desta vez com Luís Carreira a cruzar a

Daniel Café - PromoCup 1000

linha de meta na primeira

Luís Carreira - StockSport 1000 Página 08


Pedro Flores - PromoCup 1000

Daniel Lopes - Promocup 600

Pรกgina 09


Nelson Rosa - StockSport 1000

Tito Domingues - StockSport 1000 Pรกgina 10


José Leite - StockSport 1000 posição, no final da segunda volta já José Leite liderava, adoptando um ritmo muito forte fazendo de novo a volta mais rápida de todo o fim-de-semana com 1.44,232s e ganhando alguma vantagem gerindo-a até final da corrida sempre com Luís Carreira na sua sombra, Tiago dias rodou isolado no terceiro posto nunca sendo ameaçado por quem seguia nas posições imediatas, no quarto posto seguia Tito Domingues que parecia que iria terminar de novo na quarta posição, mas que não evitou uma queda a 3 voltas do fim quando seguia

Eusebio Nogueira - PromoCup 1000

com cerca de seis segundos para Fernando Costa, deixando o quarto posto para este, e Nuno farias a terminar no quinto posto perto de Fernando Costa, Tito Domingues viria apesar da queda a terminar a corrida no oitavo posto. Classificação final: Corrida 1: 1ºJosé Leite Suzuki GSXR 1000, 2º Luís Carreira Suzuki GSXR 1000, 3º Tiago Dias Yamaha R1, 4º Tito Domingues Honda CBR 1000, 5º Fernando Costa MV Agusta F4. Corrida 2: 1ºJosé Leite Suzuki GSXR 1000, 2º Luís Carreira Suzuki GSXR 1000, 3º Tiago Dias Yamaha R1, 4º Fernando Costa MV Agusta F4, 5º Nuno Farias Honda CBR 1000. De salientar que nesta ronda a maioria conseguiu bater os seus

Nuno Nogueira - PromoCup 600

melhores tempos, em alguns casos em cerca de dois segundos.

Página 11


elson N

ROSA

Nelson Martins Rosa é natural de Loulé. Este Técnico de Ar Condicionado, com 31 anos, passa o seu tempo livre entre o Ginásio, Motocross, BTT, Lêr e a Net. Com o code name de BUGA no tugabikers.com, fomos à conversa com Nelson e saber o que este piloto espera do Campeonato Nacional....

T

Texto: Bruno Brito

Fotos: Miguel Flores

ugabikers: Olá Nelson,

levar os meus pequenos á escola, tra-

Tugabikers: Sendo um Rookie este

Como é que começou a

balho…almoço…trabalho…ginásio!!!

ano qual é a sensação?

paixão pelo desporto do

humm ás vezes, finalizando o dia com

Somos poucos Rookies e muito

motociclismo?

lazer familiar.

poucos participantes, mesmo assim a

Tudo começou pelo

convite para participar

sensação é de máxima adrenalina. Tugabikers: Fazendo a pergunta da

como piloto na Resistência 1000km

praxe, qual foi a primeira moto que

Tugabikers: Nas corridas como é?

Vodafone, pelo piloto Jorge Santos

tiveste?

Muita pressão? Stress?

,pois só costumava andar de moto de

A minha primeira moto, foi uma Mag-

Stress simmmm, antes da corrida.

cross, nunca tinha pilotado uma R, e

nifica Yamaha XT 350.

Pressão simmmm, antes do arranque.

tudo começou…..

Mas muita curte durante a corrida. Tugabikers: Qual foi a primeira

Tugabikers: Como é que é um dia

prova em que participaste?

Tugabikers: Que preparativos cos-

na vida do Nelson?

A minha primeira prova foi no Circuito

tumas fazer antes de entrar numa

Pois olha! Tudo começa ás 8h da

do Estoril em 2005 na Resistência

competição?

manhã com o pequeno-almoço, 8:30h

1000km Vodafone.

Os preparativos são muitos, ➧➧➧

Página 12


Pรกgina 13


começando por mim, tenho alguns cuidados alimentares algum tempo antes, tento não me desgastar fisicamente e alguma preparação física (mais resistência). Quanto ao resto, vou buscar os meus patrocínios que são muito importantes, pois sem eles nada disto seria possível, a preparação da moto…a preparação da moto… e também a preparação da moto. Antes da partida para a prova, carrego na carrinha tudo o que necessito e o mecânico. Tugabikers: Qual é a prova que te falta fazer? E com que objectivos? Não é bem “ que me falta fazer”, mas sim, gostava muito de participar nas 8 horas de Suzuka, com o objectivo de participar. Tugabikers: Qual foi o teu melhor resultado como piloto? O meu melhor resultado como piloto foi em 2007 sendo vice campeão no Troféu Promocup 1000. Tugabikers: Quais os objectivos em termos futuros para a tua carreira como piloto? Os meus objectivos futuros consistem em fazer um campeonato numa estrutura onde me permita ser só piloto. Tugabikers: Qual foi o piloto que mais te influenciou? Tenho uma simpatia pelo estilo de pilotagem de John Hopkins. Tugabikers: O que te parece os circuitos em Portugal? Os circuitos em Portugal são bons: - Portimão fantástico - Estoril emocionante - Braga sacrifício “necessita de um tapete novo”. Tugabikers: O que farias tu para aumentar o número de participantes nas competições? Para aumentar o número de participantes no nosso campeonato poderiam reduzir nas taxas de inscrição,

Página 14


aumentar os prémios, e apostar mais na divulgação deste desporto. Tugabikers: Que balanço fazes desta temporada? Boa, sem danos materiais ou físicos, com resultados regulares. Tugabikers: Como defines numa palavra a tua experiência como piloto? Iniciado – verdinho. Tugabikers: Quem foi o piloto que mais te ajudou neste teu sonho? Nunca tive “ajuda” de nenhum piloto em particular. Tugabikers: Atendendo à muita dificuldade que existe em arranjar patrocínios, podemos saber se tens e quais são os que te apoiam? Sim, tenho alguns patrocínios que me apoiam. São eles: Moto Vargues, Loulé conselho, Freguesia de Boliqueime, Freguesia se São Clemente, Dop, Drogaria Moderna, Garagem do Pneu, Auto Boliqueime, Algar Cava, Café Alho, Auto Carlos Alho, Suntronic, Bolihigiene e Motoclube de Loulé. Quero desde já agradecer a todos eles, pelo apoio que me têm dado ao longo destes anos. Espero contar com eles em situações futuras pois os meus objectivos também são deles. Somos como uma só equipa, os objectivos são de todos e o gosto pelas motos e pela velocidade também. Muito Obrigado Tugabikers: Algum comentário que queiras deixar? Quero agradecer ao TugaBikers (Miguel) por esta oportunidade. Espero que continuem com estas iniciativas, pois são estas que divulgam realmente o Campeonato Nacional de Velocidade dando a oportunidade a conhecer todos os pilotos que dele fazem parte. Muito obrigado…Buga58

Página 15


2

Almeirim

Foi em Almeirim, que Marcos Baqueiro se consagrou o novo Campeão Nacional. O piloto espanhol confirmou a conquista de campeão, na jornada de encerramento da competição, que ficou marcada também por alguns duelos, pelo os primeiros lugares no pódio. Texto: Bruno Brito

Página 16

Fotos: Miguel Flores


O

piloto Marcos Baqueiro,

de um confronto com Hélder Silva.

bem conhecido dos circuitos de Velocidade,

investiu este ano no Supermoto,

c NA SEGUNDA MANGA

Luís Ferreira assumiu o comando,

alcançando o melhor resultado

mas só conseguiu isolar-se na 1ª

possível. Sete das onze mangas

posição a um par de voltas do fim,

disputadas ao longo da época,

quando Baqueiro perdeu algum

levou para casa a consagração

tempo na dobragem a concorrentes

de Campeão Nacional. Na

atrasados. O último lugar do pódio

categoria de Supermoto, tive-

ficou para Nuno Pinto que levou a

ram em competição 11 pilotos,

melhor sobre Fábio Assis. Enquan-

dos quais 2 fizeram a sua estreia

to Hélder Silva terminou na 8ª

no Supermoto, Tiago Dias e

posição devido a uma queda

Miguel Oliveira, elevaram a faísca

sofrida logo no início da corrida.

na última jornada.

Os “estreantes” oriundos da Velocidade em adaptação à pista,

c NA PRIMEIRA MANGA

Tiago Dias alcançou o 6.º e 7.º

o piloto espanhol liderou durante

classificado nas duas mangas,

todo o tempo, foi sempre pres-

enquanto Miguel Oliveira cruzou a

sionado por Luís Ferreira. Nuno

meta nos 8.º e 9.º lugares, respec-

Pinto alcançou a 3ª posição depois

tivamente.

Página 17


c NAS MINIMOTOS

c NA SEGUNDA MANGA

alinharam 6 concorrentes, sendo

campeonato, precisamente em

Hélder Batista, voltou ao 1º lugar no

Hélder Batista que já tinha assegu-

Almeirim, onde Bernardo Neto cortou

pódio, deixando Bernardo Neto em 2º

rado a vitória do troféu mesmo antes

a meta, após terem alternado na

lugar. Rodrigo Ferreira alcançou o 3º

desta prova. Apenas falhou uma

liderança ao longo da corrida.

lugar no pódio mesmo com uma

vitória numa manga ao longo do

Página 18

queda no activo.


Pรกgina 19


Pรกgina 20


Pรกgina 21


TRACK DAY No dia 20 de setembro realizou-se mais um track day no autódromo do estoril. A organização deste evento ficou a cargo da hm motos. o tugabikers foi até ao estoril e registou alguns desses momentos.... Fotos: Miguel Flores

Página 22


Pรกgina 23


Pรกgina 24


Pรกgina 25


n a r a l _ a i d áu

cl

A ENTREVISTA Cláudia Fialho ou Kapi como carinhosamente é chamada tem 25 anos. Residente em Alverca, Claúdia trabalha como Auxiliar numa Instituição para Crianças em risco. Claudia divide o seu tempo entre o trabalho e os seus tempos livres. O tugabikers foi à conversa com esta Comissária de Pista e tentar saber mais o que leva uma mulher para a pista. Texto: Bruno Brito Fotos: Miguel Flores

T

UGABIKERS: Como é que o teu dia começa?

sários tendo em conta, que por vezes podem sofrer

Cláudia: O meu dia começa por volta das 23h,

acidentes provenientes dos acidentes nas corridas?

pois trabalho de noite…

Cláudia: Infelizmente ainda existem pessoas envolvidas no meio que por vezes nem se lembram que nós

TUGABIKERS: Como começou a paixão pelas

existimos…o porquê de lá estarmos e os riscos que cor-

motas?

remos. Mas acho que isso está a mudar, já nos começam

Cláudia: Sempre gostei muito de motas, mas a paixão

a olhar com outros olhos, como se pode verificar no

começou quando me iniciei como comissária e com-

vosso Fórum.

ecei a acompanhar de perto tudo isto. TUGABIKERS: Achas que neste momento as comisTUGABIKERS: Como e quando surgiu a ideia de te

sárias são vistas de uma maneira diferente do que

tornares comissária?

algum tempo atrás?

Cláudia: Através de um amigo meu que na altura era

Cláudia: Felizmente acho que sim…ao longo destes anos

comissário. Sou comissária desde 2003.

como comissária, noto uma certa diferença na maneira como nos tratam…já somos comissárias, e não simples-

TUGABIKERS: Qual é a primeira prioridade para

mente mulheres. Cada vez existem mais comissárias,

um comissário quando entra na pista?

o que é óptimo…demonstra que o desporto motorizado

Cláudia: Verificar se a pista está em boas condições,

NÃO É SÓ PARA HOMENS!!!

bem como todo o material de trabalho (bandeiras, extintor, placa com os números, etc.)

TUGABIKERS: Quais são os teus ídolos do motociclismo? Nacional e Internacional.

TUGABIKERS: Achas que é dado valor aos comis-

Página 26

Cláudia: No nacional tenho vários, até porque já começa


a h njin

Pรกgina 27


a ser diferente a maneira como vejo alguns, pela aproxi-

TUGABIKERS: Sabemos que vais participar numa

mação e amizade que vou tendo com eles…posso referir

prova no Qatar em Novembro deste ano, quais são as

um que tem estado afastado das corridas ultimamente

expectativas e também as dificuldades que esperas

que é o Bruno Nunes. Internacional: Marco Melandri…

encontrar? Cláudia: As expectativas são sempre grandes e as dificul-

TUGABIKERS: Cláudia tendo em conta que já par-

dades as mesmas de sempre...por exemplo, na comuni-

ticipaste em provas internacionais fora de Portugal,

cação entre comissários que é o Inglês torna-se sempre

conta-nos a tua experiência nessas provas.

mais difícil devido à inexperiência acima mencionada.

Cláudia: Sim, tenho participado em provas no Qatar

Geralmente nós portugueses somos distribuídos estrategi-

desde 2007. No Endurance, no Moto GP e nas Super-

camente perto dos seus postos, para podermos ajudá-los

bikes. É uma experiência totalmente diferente e eng-

na sinalização ou na intervenção em pista, no entanto

raçada, começando pela cultura do País e pelos seus

por vezes torna-se complicado porque eles pensam que

hábitos. O Motor Clube do Estoril é convidado a fazer

sabem tudo, e rejeitam a nossa ajuda. Uma das várias

estas provas pela falta de experiência que ainda existe

dificuldades que encontramos constantemente é que eles

neste tipo de competição pelo que os comissários, de

gostam muito de dormir...ou seja, é comum encontrá-los

diversas nacionalidades (Filipinos, Indianos, Libaneses,

encostados aos palanques a dormir (há até quem já tenha

Indonésios, Qatarianos, etc.) dizem-nos ter uma vasta

apanhado um ou outro a dormir dentro das caixas que

experiência, quando apenas fizeram uma ou duas provas

contém o material de trabalho..), ou nem sequer encontrá-

e nalguns casos nem o significado das bandeiras sabem.

los porque decidem ir passear pelos outros postos, ou até

Para eles o factor dinheiro e a possibilidade de poderem

mesmo rezar sem avisar ninguém...

comunicar através do rádio é suficiente para aceitar este

Outra das dificuldades, específica nesta prova, é por ser o

tipo de trabalho.

Endurance (Resistência) de 8 horas...

Página 28


TUGABIKERS: Sentes que a temporada 2009 teve gosto especial tendo em conta que houve uma grande aproximação entre os comissários e os pilotos? Sem dúvida que sim... foi o ano que senti mais aproximação com os pilotos, graças aos fóruns dos Laranjinhas e do Tugabikers, e às nossas deslocações a Braga. Antigamente só conhecia os “principais” pilotos, e muitos deles só pelo número, com o capacete, e em cima da mota, agora já começo a ter amizades com pilotos de todas as classes, dos primeiros classificados aos últimos, e sem capacete!!! Lolll Até há quem nos receba tão calorosamente na sua box com o belo do queijinho, do pãozinho, do paínho, etc... (Obrigada Mário Alves & Família). E obrigada a todos os que nos começam a ver com outros olhos...não só como comissários, mas também como pessoas que adoram o desporto motorizado NACIONAL e que estão lá para ajudar e assegurar sempre a segurança dos pilotos. TUGABIKERS: Para ti qual foi o melhor momento desta temporada? Gostei particularmente do COV em Portimão, quando vi o autocolante dos Laranjinhas nos capacetes e nas motas do Miguel Moreira e do Bruno Nunes...Gostei da atitude e do reconhecimento pelos Laranjinhas...Obrigada Moreira e Bruno! TUGABIKERS: Cláudia agora que o COV terminou que balanço fazes? Cláudia: Bolas...já acabou...estes meses que se seguem são sempre dolorosos, à espera da próxima época. Mas o balanço é super positivo, tanto pelas amizades que se criaram entre pilotos e comissários, como pelas corridas a que assistimos ao longo deste ano. Fiquei contente pelos campeões nacionais que eram os meus favoritos à vitória. Espero pró ano voltar a acompanhar corridas tão bem disputadas... TUGABIKERS: Como defines numa palavra a tua experiência como Comissária? Cláudia: Prazer TUGABIKERS: Algum comentário que queiras deixar? Cláudia: Quero agradecer a vocês Tugabikers por tudo o que têm feito pela divulgação do nosso motociclismo. Sobretudo pelo vosso apoio para com os comissários e pela vossa sempre agradável e divertida companhia. Obrigada Miguel e Bruno!!! Estamos Sempre Convosco!!!

Página 29


. V . C.O

BRAG

O Motosport-Campeonato Open de Velocidade deslocouse de novo a Braga para aqui realizar a última ronda do campeonato, depois de gorada mais uma deslocação a Portimão, foi então nos dias 10 e 11 de Outubro, que a ultima ronda denominada Braga 3 teve lugar com temperaturas bastante agradáveis. Com quatro títulos ainda por serem entregues esta ronda prometia ser bem disputada. Página 30


GA3

N

Texto: Tiago Lopes Fotos: Miguel Flores o Troféu Júnior com os

Hélder Bessa e Angel Outerelo, as

este prontamente socorrido pelos

títulos ainda por decidir e

ultrapassagens são uma constante

comissários e médicos, felizmente sem

com 23 pilotos inscritos

nesta corrida com Ivo Lopes e Romeu

mazelas para nenhum dos dois, e com

assistiu-se a uma excelente

Leite a alternarem a liderança da

espírito louvável por parte de Salvador

corrida, semáforo verde, partiram para

corrida, na quinta volta Salvador Nery

Nery que deferimento de tentar seguir a

as sete voltas ao traçado e eles ai vêm

falha completamente a travagem para a

sua corrida, se preocupou em primeiro

na travagem para a primeira curva, Ivo

curva um, saindo muito rápido de pista

lugar em saber o estado de Araon

Lopes, Angel Outerelo, Hélder Bessa e

com problemas de travões mas ent-

Almeida, devido a este incidente, a

Romeu Leite discutem quem passará

rando em pista na curva dois com a

curva um esteve as ultimas três voltas

em primeiro, e é Ivo Lopes quem toma a

moto desgovernada e embatendo

sobre situação de bandeiras amarelas.

dianteira seguido de Romeu Leite,

violentamente em Araon Almeida, sendo

A classificação final à geral: 1ª Ivo

Página 31


Lopes, 2º Romeu Leite, 3º Hélder Bessa, 4º Fábio Lopes, 5º Marcos Ramirez. Por categoria: Open: 1º Ivo Lopes, 2º Fábio Lopes, 3º Marcos Ramirez, 4º Victor Fernandez, 5º Ruben Nogueira; Troféu 85: 1º Romeu Leite, 2º Hélder Bessa, 3º Alcides ribeiro, 4º Luís Pinto, 5º José Magalhães; Copa Cool: 1º David Ferreira, 2º Pedro Nuno, 3º Daniel Vila, 4º Yago Martinez, 5º Paulo Leite. No Campeonato as contas ficaram, Fábio Lopes arrecadou o título no Open, Hélder Bessa no Troféu 85 e David Ferreira ao vencer esta corrida na Copa Cool arrecadou o título de campeão. Nas Promomoto 600, com catorze pilotos inscritos e a alinharem apenas treze, Noélia Lorenzo a não poder alinhar na corrida devido a queda nos treinos, semáforo verde para as dezanove voltas e é Nuno Nogueira quem toma a liderança seguido Paulo Sotero, Miguel Vilares e Miguel Martins no final da primeira volta, ainda na primeira volta Tiago Cleto abandona na direita para o gatilho com a corrente partida, passagem na linha de meta na segunda volta e é ainda Nuno Nogueira quem lidera mas agora com Miguel Vilares em segundo com Paulo Sotero e Miguel Martins nas posições seguintes com Miguel Martins a ultrapassar Paulo Sotero, com Miguel Vilares e Miguel Martins a rodarem num bom ritmo e a aproximarem-se do líder da corrida, mas na quarta volta Miguel Vilares cai na curva 2 e a não pode prosseguir em corrida deixando a perseguição ao líder da corrida a Miguel Martins, na quinta volta, Tiago Rocha aqui a despedir-se da sua Ducati (para o ano irá pilotar uma moto britânica), não evita uma queda na travagem para curva um. Miguel Martins assume a liderança na sexta volta e começa a distanciar-se de Nuno Nogueira, a recuperar de um mau começo Romeu Leite e num ritmo forte vai recuperando lugares e chegando-se aos primeiros, fazendo a volta mais rápida da corrida e a conseguir chegar ao segundo lugar, na luta pelo quarto lugar assiste-se a uma luta interessante entre quatro pilotos, Daniel Lopes a fazer um bom final de corrida, Paulo Sotero, José Gago e António Pereira. Classificação final: 1º Miguel Martins, 2º Romeu leite, 3º Nuno Nogueira, 4º Daniel Lopes, 5º José Gago. Com o terceiro lugar nesta corrida Nuno Nogueira sagra-se vencedor da classe Promomoto 600.

Página 32


Pรกgina 33


Nas Promomoto 1000 com quinze

lugar cai na chicane, levando

pilotos inscritos e apenas treze a

algum tempo até conseguir por

alinharem na corrida, Na partida

de novo a sua moto a trabalhar

para as dezanove voltas Eusébio

mas a abandonar na mesma

nogueira instala-se na liderança

volta nas boxes até final da

da corrida com Jorge Silva a

corrida assistia-se uma interes-

tentar segui-lo, na entrada para a

sante luta pelo segundo lugar

segunda volta André Caetano cai

que sorriu a Sandro Carvalho.

na travagem para curva um, assim

Classificação final: 1º Eusébio

como Miguel Moreira e instantes

Nogueira, 2º Sandro Carvalho, 3º

depois Luís Martins cai também

Paulo Brandão, 4º Jorge Silva, 5º

na curva dois, tendo que André

Jorge Paulo. Tiago Araújo sem

Caetano e Luís Martins precisa-

precisar de participar nesta prova

rem de assistência por parte da

sagrou-se vencedor da classe

equipa médica, situação que levou

Promomoto 1000.

a algum tempo de bandeiras

Na classe Stocksport e já com o

amarelas na curva já que a

titulo de campeão entregue a

situação de André Caetano

André Carvalho, assistiu-se uma

parecia um pouco complicada,

corrida com catorze inscritos e a

algumas voltas a verificar-se a

alinharem na partida treze

situação de bandeiras amarelas

pilotos, após a partida André

na curva um, Eusébio nogueira

Carvalho instalou-se no comando

isolava-se na frente da corrida

da corrida e dai não saiu até a

enquanto Sandro Carvalho e

bandeira de xadrez, numa corrida

Paulo Brandão ultrapassavam

sem muitos pontos de interesse

Jorge Silva e lutavam pela

já que os pilotos rodavam

segunda posição, na décima

espaçados e sem muitas lutas

segunda volta Mário Alves quando

entre eles, Tiago Magalhães e

discutia com Jorge Silva o quarto

Nuno Cachada foram a excep-

Página 34


Pรกgina 35


ção, com Tiago Magalhães a tentar chegar a André Carvalho e a defenderse de Nuno Cachada a rodar sempre muito próximo de Tiago Magalhães, com Tiago Magalhães a conquistar o segundo lugar com Nuno Cachada a menos de um segundo. Classificação final: 1º André Carvalho, 2º Tiago Magalhães, 3º Nuno Cachada, 4º Carlos Ferreira, 5º Pablo Gonzalez. Nas Stocksport 1000, com o campeão ainda por definir e com uma surpresa, Rui Reigoto ainda bastante combalido devido a uma queda no Estoril 2 estava na lista de inscritos para esta prova, com intenção de pontuar na primeira corrida de modo a obter a terceira posição no campeonato, apenas com onze inscritos para esta ronda, assistiu-se a duas corridas sem muita história, na primeira corrida e com dezassete voltas para cumprir Rui Reigoto é o mais rápido e toma a liderança arrancado do quinto posto da grelha, no final da primeira volta é Rui Reigoto quem lidera mas sendo ultrapassado no decorrer da segunda volta por José Leite que assume a liderança da corrida para não mais largar e Luís Carreira a ocupar o segundo posto, enquanto mais atrás Tiago Dias levaria algumas voltas até ultrapassar Rui Reigoto e ficar isolado no terceiro posto, Fernando Costa chegava também junto de Rui Reigoto, com Fernando Costa a ter bastante dificuldades em ganhar posição até que na décima quarta volta depois de muitas tentativas em se colocar na frente de Rui Reigoto, comete um erro na travagem na direita para o gatilho e toca na traseira da moto de Rui Reigoto, acabando os dois por cair, conseguindo Rui Reigoto com a ajuda dos comissários de pista prosseguir em corrida, e Fernando Costa a precisar de assistência por parte da equipa médica, felizmente apenas algumas mazelas, mas nada que pudesse impedir o piloto de alinhar na segunda corrida, com Rui Reigoto a conseguir voltar à corrida na oitava posição, na décima sexta volta Tito Domingues abandona a corrida após queda na direita para a recta interior,

Página 36


Raul Felgueiras a rodar consistentemente no segundo 23 termina em quarto lugar e Paulo Vicente no quinto lugar, Sérgio Batista apesar de terminar a corrida no quarto lugar viria a ser desclassificado por irregularidades na sua moto. Classificação final: 1º José Leite, 2º Luís Carreira, 3º Tiago Dias, 4º Raul Felgueiras, 5º Paulo Vicente. Na segunda corrida com Rui Reigoto a não alinhar, o pelotão a ficar reduzido apenas a dez motos, a história da corrida acabou por ser mais monótona já que José Leite liderou da primeira à última volta, assim como nas posições seguintes acabaram Luís Carreira, Tiago Dias, Sérgio Batista e Raul Felgueiras. Fernando Costa abandonou à décima sexta volta quando era quarto classificado. Classificação final: 1º José Leite, 2º Luís Carreira, 3º Tiago Dias, 4º Sérgio Batista, 5º Raul Felgueiras.

Página 37


JOÃO RATADO

a reportagem Com 42 anos João Manuel Ratado, residente em Albufeira, é Técnico de Informática. Tem como hobbies a música. O Tugabikers foi ao encontro de João Ratado e tentar descobrir o que leva o Piloto aos circuitos nacionais... Texto: Bruno Brito Fotos: Miguel Flores

T

ugabikers: Olá João Ratado, Como é que

rápido, acabei por estar na grelha de partida sem saber

começou a paixão pelo desporto do motoci-

bem como.

clismo?

João Ratado: Nasceu comigo, desde que me lembro de

Tugabikers: Nas corridas como é? Muita pressão?

ser gente, sempre adorei motos.

Stress? João Ratado: Sim é, principalmente quando não se têm

Tugabikers: Como é que é um dia na vida do João

uma equipe que nos ajude, que é o meu caso, temos que

Ratado?

tratar das verificações documentais e técnicas, montar

João Ratado: A minha vida é o de uma pessoa normal,

desmontar rodas, marcação de pneus, depois temos que

que trabalha 9h00 por dia e que se junta aos amigos

estar atentos aos aditamentos de horários e regulamentos.

quando pode aos fins-de-semana.

Enfim andamos atrás de um horário onde as horas parecem ser muito pequenas.

Tugabikers: Fazendo a pergunta da praxe, qual foi a primeira moto que tiveste?

Tugabikers: Que preparativos costumas fazer antes de

João Ratado: A minha 1ª moto foi uma Yamaha DT125.

entrar numa competição? João Ratado: Preparo toda a logística habitual, depen-

Tugabikers: Qual foi a primeira prova em que partici-

dente para qual circuito se vai, como deves imaginar a

paste?

logística para Braga é bem maior do que para o Estoril

João Ratado: A 1ª prova foi o ano passado 2008, no

ou Portimão, até mesmo porque o Circuito de Braga têm

COV do Estoril.

muito poucas Boxes comparadas com os outros dois.

Tugabekers: Como foi a tua 1ª corrida?

Tugabikers: Qual é a prova que te falta fazer? E com

João Ratado: Bem foi complicada, correu tudo muito

que objectivos?

Página 38


Pรกgina 39


João Ratado: Ainda me falta fazer Estoril e Portimão,

Tugabikers: O que farias tu para aumentar o número

e os objectivos são sempre os mesmos acabar a prova

de participantes nas competições?

com a melhor posição final.

João Ratado: Reduzir os preços dos pneus, não se admite que mais de metade do orçamento de uma época

Tugabikers: Qual foi o teu melhor resultado como

seja para comprar pneus. Não nos podemos esquecer

piloto?

que são os pneus que mantêm a mínima segurança do

João Ratado: 20º

piloto. Mas divulgação a nível televisivo, transmissão das corridas.

Tugabikers: Quais os objectivos em termos futuros para a tua carreira como piloto?

Tugabikers: Que balanço fazes desta temporada?

João Ratado: A minha idade já não me permite sonhar

João Ratado: Ainda não terminou, mas como sempre

muito, mas quero de ano para ano ser melhor, até que

produtiva, nem que seja a nível pessoal, mais experi-

me sinta capaz.

encia.

Tugabikers: Qual foi o piloto que mais te influen-

Tugabikers: Como defines numa

ciou?

palavra a tua experiência

João Ratado: Eddie Lawson.

como piloto?

Tugabikers: O que te parece os circuitos em Portugal? João Ratado: Cada um com o seu carisma e dificuldade gosto deles todos sem excepção.

Página 40


João Ratado: Amador Tugabikers: Quem foi o piloto que mais te ajudou neste teu sonho? João Ratado: A minha entrada na competição, não foi devida a nenhum piloto em especial, embora hoje receba dicas e ajudas de vários que fui/vou conhecendo. Não vou nomea-los para não me esquecer de nenhum e assim não criar descontentamentos. Tugabikers: Atendendo a muita dificuldade que existe em arranjar patrocínios, podemos saber se tens e quais são os que te apoiam? João Ratado: Infelizmente ainda não recebi apoios de ninguém, mas espero que para a próxima época a coisa mude de figura. Tugabikers: Algum comentário que queiras deixar? João Ratado: Obrigado a Tugabikers e em especial ao Miguel Flores, que além de ser um grande Amigo e fotógrafo está-se a revelar um grande impulsionador no meio do mundo motociclistico.

Página 41


MO TOG P

NA PELE DE UM COMISSÁ

Bruno Rider

Foi nos dias 2,3 e 4 de Outubro que se realizou mais uma prova do MOTOGP. O Autódromo do Estoril foi o palco de todas as atenções, com cerca de 46 mil espectadores nas bancadas. Lorenzo foi o grande vencedor sendo já a sua segunda vitória no Estoril.

Página 42


P

ÁRIO

S

exta-Feira 2 de Outubro,

no túnel situado na bancada A era a

ambiente já era de festa ou não fosse o

à chegada ao Autódromo

loucura total da qual nunca tinha

MCE o organizador responsável pelo

já se fazia sentir a

assistido na minha vida a segurança

Grande Prémio. Depois de alguns

monstruosa máquina que

ainda se tornava mais rigorosa. Todos

breves momentos no convívio com o

o MOTO GP faz mover em qualquer

os seguranças confirmavam se todos

“Laranjal” foi feita uma “chamada à

circuito onde se realize. A segurança já

os comissários tinham um colete criado

rede”.... altura em que a maioria dos

se tornava apertada, muitos curiosos se

especialmente para a prova e se todos

comissários se concentraram numa

deslocavam ao Autódromo, a fim de

os intervenientes continham os passes

sala, e ouvir o Director de Pista António

conseguir ver nem que fosse de relance

que lhes desse acesso aos mais

Lima. Nessa breve sessão foi traçado o

o mítico Valentino Rossi. Na passagem

diversos locais. No Bar do paddock, o

que seria esperado nos 3 dias do

Página 43


Pรกgina 44


MOTOGP. Uma vez terminada a sessão, foi hora de todos os comissários seguirem para a pista para os postos já estabelecidos. Uma vez na pista e ao contrário do que acontece no nosso Campeonato Nacional as inspecções são efectuadas várias vezes. Primeiro é efectuada a Inspecção Nacional, depois a Inspecção Medica e por fim a Inspecção Internacional. Á hora exacta e conforme estipulado começam os primeiros treinos. Às 12h30 é dado o início oficialmente ao Grande Premio de Portugal. Ouve-se os primeiros motores aquecerem a adrenalina cada vez se começa a sentir mais. As 125 entram na pista. A Bancada E fervilhava de adeptos, os nossos vizinhos espanhóis, lotaram por completo a bancada era a festa total. Os treinos decorreram sem grandes percalços. Precisamente as 13h55 entram o momento mais esperado para alguns, Rossi e Lorenzo entram na pista, a bancada E quase que vai abaixo, para mim foi uma total surpresa, tendo em conta que quando o nosso Campeonato Nacional as bancadas estão praticamente despidas. Para ser sincero para mim não foi nada alucinante ou algo de outro mundo o MOTOGP, porque aliás acho que não fica nada atrás o nosso campeonato, mas como tal esta é a minha opinião. Sem que desse por isso as 250 entram em cena, para mim foi talvez com as 125 as corridas que mais adrenalina me deu gosto de apreciar. Os treinos ai deram realmente para verificar o andamento dos pilotos, sempre seguros de si, grandes despiques entre eles. Quando estava a tomar-lhe o gosto é dado o fim dos treinos. Uma vez terminados os treinos é hora de concentração no bar onde o pessoal do qual tenho a certeza que era a primeira vez que via uma competição mundial pode trocar impressões sobre este primeiro dia.

Página 45


Sábado 3 de Outubro O dia começa bem cedo, às 06h00 o frio apertava mas nada demovia todas as pessoas que ali se encontravam para dar o seu melhor e levar o nome do MCE a bom porto. Depois de uma breve sessão com os chefes de posto foi dado inicio a colocação de todos os comissários nos postos devidos. Por incrível que pareça, mas já se conseguia ouvir os adeptos espanhóis fora do recinto do Circuito a espera que as portas fossem abertas para ocupar os lugares nas bancadas. Pois é verdade muitos irão perguntar onde me encontrava eu para conseguir me aperceber disto tudo. Na realidade estava no posto 48 na entrada do Triangulo e acreditem que o silêncio que se fazia sentir conseguia-se ouvir mesmo tudo. Depois das inspecções, durante o período da manhã foi dado inicio a mais jornada de treinos livres. As 09h00 arrancam as primeiras motas. Mais uma vez as 125 a dar um espectáculo de deixar qualquer um KO. O dia já estava a tornar-se competitivo e também o sol já começava a tornar-se bastante quente. Para os comissários que se encontravam na pista, não havia tempo para descanso, 15 minutos no máximo o tempo para esticar as pernas ou ter dois dedos de conversa sobre duvidas que foi o meu caso.

Página 46


Mas é no período da tarde que o clima aquece quando os treinos cronometrados começam. A faísca é alta e não há margem para erros, todos os pilotos dão o seu melhor na conquista dos primeiros lugares na grelha de partida. Eu estando no posto a dar bandeiras já estava maluco com tanto picanço que assistia fosse nas 125 ou nas 250. É verdade que o MOTOGP pode ser algo que todos se identifiquem mas acreditem que apesar de ter gostado não foi algo que sentisse tanta adrenalina como as restantes classes. De volta ao paddock o ambiente era frenético, ninguém parava, mecânico de um lado para o outro, as estações de televisão faziam os últimos preparativos para a transmissão em Directo, uma grande máquina que não parava de me surpreender. Embora tenha que confessar que achei uma máquina muito articulada, não dando espaço para que o ambiente se tornasse mais descontraído. Domingo, 4 de Outubro Finalmente o grande dia havia chegado, o dia de todas as decisões que seria os primeiros a cortar a meta. Novamente

Página 47


Pรกgina 48


as 06h00 todo o pessoal no Autódromo, embora alguns rostos já demonstravam algum cansaço nada demovia ninguém do Autódromo. O dia não começava da melhor maneira. O tempo parecia querer pregar uma partida aos pilotos e todo o Warm Up em ambas as classes foi feita debaixo de um tempo cinzento que ameaçava de vez enquanto com alguma chuva. As 07h30 ora em que as portas foram abertas para as bancadas, rapidamente se encheu de adeptos. Por incrível que pareça as 11h15,o semáforo verde o céu abriu por completo dando lugar a uma grande corrida nas 250. Nas MOTO GP o grande vencedor foi Lorenzo deixando o companheiro de equipa Rossi para quarto lugar. Mais uma vez as 125 deram o seu espectáculo maior, entre algumas quedas, no entanto e provavelmente a melhor corrida. Aproveito este momento para agradecer a todas as pessoas que tornaram possivel a minha presença no MOTOGP. Amigos e MCE e todos os comissários, o meu muito obrigado.

Página 49



The Tugabikers Magazine