Page 1

» OS CLASSIFICADOS DA TN CIRCULAM HOJE COM 2.993 ANÚNCIOS E 14 PÁGINAS FUNDADOR:ALUÍZIO ALVES - 1921 - 2006

Ano 62 • Número 274 • Domingo,17 de fevereiro de 2013

MAGNUS NASCIMENTO

MAGNUS NASCIMENTO

Reses mortas, em uma fazenda de Ceará-Mirim: cenário que há anos não era visto no litoral

No Vale do Punaú, plantações de jerimum foram queimadas pela estiagem e pelas pragas

Estragos da seca chegam ao Litoral Dois anos atrás, uma enchente no Vale do Punaú, no município litorâneo de Rio do Fogo (a 70 quilômetros de Natal), destruiu 80% da produção de jerimum na região. Este ano, as perdas previstas chegam a 70% das 4,2 mil

toneladas colhidas em 2012 e os motivos não poderiam ser mais diversos: a falta de chuvas e as pragas da moscabranca e o “purgão” queimaram as plantas e impedem o desenvolvimento dos frutos. Os produtores já contabilizam

ALEX RÉGIS

os prejuízos. A estiagem, fenômeno mais crítico nas áreas do semi-árido, também começa a devastar a pecuária do litoral. Em Ceará-Mirim, criadores registram as primeiras mortes entre o rebanho bovino. [ NATAL 7 E 8 ] ARQUIVO TN/EMERSON DO AMARAL

DESENVOLVIMENTO

Sudene é escritório para administrar “boas intenções” Sem representações locais, sem força política e R$ 3 bilhões para atender 11 estados, a Sudene não influi nem custeia mais o desenvolvimento da região Nordeste. [ ECONOMIA 1 E 3 ]

MUNICÍPIO

Recorde na xícara Consumo de café no Brasil é de 83 litros por pessoa ao ano

Contribuições à Previdência não foram integrais

[ TN FAMÍLIA 1 E 3 ]

Levantamento feito pela gestão da NatalPrev mostra que, nos últimos quatro anos, a Prefeitura não tem feito os repasses integrais. A dívida é de R$ 32,7 milhões. [ PÁGINA 7 ]

GOVERNO PARALELO DO CARDEAL BERTONE LEVOU BENTO XVI À RENUNCIA [ PÁGINAS 9 E 10 ]

Em 1986,quando a Sudene ainda detinha poder político e controle sobre recursos,reunião do conselho foi em Natal

ARENA DO AMÉRICA

APRECIAÇÃO DOS VETOS JÚNIOR SANTOS

PAULA GIOLITO

Governadora pede atenção às dificuldades Ao comentar a votação prevista para o início da semana na Assembleia, a governadora recomenda aos deputados que estejam atentos às dificuldades. [ PÁGINA 3 ]

AEROPORTO

Obra não desafoga os desembarques internacionais

Por trás da tela O lado sensível de Adriano Garib, bem longe da ficção e é contrário a acordo que Padang quer fimar com a OAS. Conselho vai definir caso. [ ESPORTES 4 ]

Concluída em agosto, a reforma de R$ 16 milhões no aeroporto Augusto Severo não foi suficiente para atender mais de um desembarque internacional simultâneo. [ NATAL 1 E 2 ]

CLAUDIO HUMBERTO

JORNAL DE WM

» SEM ACORDO José Rocha defende construção da Arena América para 10 mil torcedores

[ REVISTA DA TV 3 ]

NEGÓCIOS E FINANÇAS Setor portuário quer mudança em MP para atrair investidores [ ECONOMIA 2 ]

70

TOTAL DE PÁGINAS DESTA EDIÇÃO: páginas

REDAÇÃO: PAUTA

pauta@tribunadonorte.com.br

TCU espera investigações sobre fraudes no Jampa Digital [ PÁGINA 4 ] FALE CONOSCO: PABX: 4006-6100 Redação: 4006-6113

GAUDÊNCIO TORQUATO

ELIANA LIMA

Legislação permite a proliferação de partidos e confunde o eleitor . [ PÁGINA 7 ] Assinaturas: 4006-6111 Venda avulsa: 4006-6103 Comercial: 4006-6173

Classificados: 4006-6161 Circulação: 4006-6103 Reclamações:4006-6111

Falta espaço exclusivo para pedestres na praia de pipa. [ NATAL 10 ] HOME PAGE:

www.tribunadonorte.com.br

Reencontro com Vivi no dicionário sobre o humor dos velhos amigos. [ PÁGINA 2 ] PREÇO DESTA EDIÇÃO:

R$ 2,50


2 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

opinião

Domingo | 17 de fevereiro de 2013

ESPAÇO LIVRE [ Agnelo Alves ]

Jornal de WM WODEN MADRUGA - woden@terra.com.br

Humor dos velhos amigos

N

o silêncio do carnaval natalense andei tentando por ordem nas prateleiras, um mofo que ameaça velhas e gastas páginas, uma broca insistente e silenciosa que vai comendo a madeira que não é de lei, uma traça que não sei de onde vem e para onde vai, e não sei como devora livros. Fiz a primeira faxina, mas vou ter de mudar alguma coisa, substituir a madeira. Estante de ferro ou de granito? Eis a questão... Bom, o fato é que nessa lida que prossegue depois das cinzas do carnaval que não houve, fui reencontrando velhas e gostosas leituras. Por exemplo: um livro de Veríssimo de Melo, Dicionário de Espírito e Humor dos Velhos Amigos, e entre suas páginas três cartas suas.

O livro foi publicado em 1988, pela editora RN Econômico, e lançado em março do ano seguinte (vai fazer agora 24 anos) no Hotel Samburá, que não existe mais. Tem prefácio de Diógenes da Cunha Lima que começa logo assim: “Veríssimo de Melo é um dicionário vivo. De espírito e humor”. E no prólogo (ah, naquele tempo havia prólogo!), Verissimo vai, de cara, dando o seu recado: “Enfim, um bom livro – porque, de minha autoria, além do título, quase não coisa nenhuma”. E faz uma ressalva: “Do autor há pacientes anotações de coisas ouvidas na rua e recolta de fragmentos de livros. Atividade puramente seletiva. Se valeu a pena – só leitores inteligentes poderão atestar”. Na peneira de Vivi, passaram, além de norte-rio-grandenses, nomes de outras praias e serras e até gringos: Hemingway, Einstein, Stendal, Gertrud Stein, Pablo Neura, Jorge Luís Borges, Mark Twain, Octávio Paz. Isso sem falar num Gilberto Freyre, num Gilberto Amado, num Joaquim Cardozo, num Mauro Mota, num Autran Dourado, num Nelson Rodrigues, mais ainda os grandes portugas Eça de Queiroz e Fernando Pessoa. Entre os canguleiros e xarias, muita gente. De

Luís da Câmara Cascudo a Luís Tavares. Histórias deliciosas. Leio o primeiro cartão de Veríssimo: “Natal, 2.3.1989 Woden: meu abraço. No dia 10 de março, pelas 18 horas, na confraria do hotel SAMBURÁ, terá lugar o lançamento do meu livro “Dicionário de Espírito e Humor dos Velhos Amigos”, edição de RN-Econômico. Trata-se não de um livro formal. Mas, um “divertissement”, como dizem os franceses. É uma reunião de estórias breves de gente da terra e do mundo. E de reflexões, citações rápidas de grandes mestres como Ortega y Gasset, Jorge Luís Borges, Bernard Shaw, Cascudo e até do meu neto mais novo Gueguel – 4 anos – que diz coisas que qualquer grande poeta assinaria. Você verá. Quero vê-lo no lançamento, com a sua barba fidelcastriana. E informo: não haverá discursos. Haverá um coquetel, preparação para as grandes caminhadas noturnas que sempre desembocam na Bella Napoli. Aviso importante: estou convidando só gente inteligente. Dê uma nota. E receba o afeto que se encerra, Veríssimo de Melo

Do vaticano ao RN

O

quebra-cabeça até que sejam reveladas as verdadeiras razões da renúncia do Papa Bento XVI ainda está longe de ser armado. Quanto tempo vai levar, não faço a menor ideia. Não entro nas especulações legítimas ou meramente suscitadas, próprias de um processo assim mesmo ungido pela fé de que o mistério sempre se sobrepõe as dúvidas. Cuidemos da sucessão governamental, aqui, no nosso Rio Grande do Norte de cada dia. Cedo? Sem dúvida alguma. Cedo até demais. A sucessão governamental está começando cedo porque a “candidata natural” – no caso a governadora Rosalba Ciarlini – está com uma rejeição recorde superior a 77% da sociedade votante. Pior ainda: não tem acertado em nenhuma circunstância de seu governo, cuja metade já transcorreu. Em números precisos, faltam menos de dois anos para terminar. Outro ponto importante para qualquer analista do cenário político estadual: a governadora tem o apoio da poderosa coligação partidária que se aliou ao seu governo. Todos os chamados “grandes ases” da política norteriograndense a apoiam, embora sem forças

Primeiro avião da Redinha ia da Redinha, em 1927, e escolhendo o local onde é hoje Parnamirim para o nosso campo de pouso de aviões. Depois de publicado este artigo vou fazer uma pausa para meditação. Prometo. Grato por tudo. Mais uns dias mandarei a nota sobre o record de prefácios que escrevi. Abs. Veríssimo. PS – Diógenes chegou do giro em Espanha e Portugal. Vem contando coisas do arco da Velha!”

MENINO RUIM Uma das histórias contadas por Veríssimo: “Esta eu assisti. Era menino de doze anos de idade. Acabara de entrar no Ateneu Norte-Rio-Grandense. Estava ao lado do meu pai, na porta da sua loja, quando ia passando, na calçada, o velho Emídio Fagundes, secretário do Ateneu. Papai indagou ao velho: - Emídio, como vai este menino, Veríssimo, no Ateneu? O velho parou, virou-se para o nosso lado, e exclamou com a cara de poucos amigos: - Melo, você tem três filhos. O primeiro, Pelúsio, esse é ruim. O segundo, Protásio, é muito pior do que Pelúsio. E este último, que entrou agora, Veríssimo, este é ruim demais. Não tem classificação. Meu pai riu com a resposta insólita, que só mais tarde eu fui entender melhor. Não sabia que integrava uma família tão confiável...”

OS NATALENSES Conta Veríssimo: “Atendendo a uma consulta do escritor Nilo Pereira, que desejava saber qual a população de Natal, Edgar Barbosa informou: - Para mim são trinta pessoas, com as quais eu me dou.” Diretor Presidente: Henrique Eduardo Alves Superintendente: José Roberto Cavalcanti Diretor Adm.e Operações: Ricardo Luiz de V.Alves Diretor Financeiro: Agnelo Alves Filho Diretor de Redação:Carlos Peixoto cpeditor@tribunadonorte.com.br Gerente Comercial: Eliane Rocha Gerente de Marketing: Andréia Barandas Gerente de Circulação: Thales Vilar

vem reagindo apenas a cada episódio desastroso, mas sem radicalismo, como esse mais recente, dos vetos no Orçamento Geral do Estado. Um ato de insensatez típica de politicagem e de falta de uma assessoria competente, ou, tendo, não é ouvida. Terminará bem, entretanto, porque política é assim mesmo. Até quando? Só Deus sabe. Mas Deus tem a sua Igreja para se preocupar. E muito. Quanto ao Rio Grande do Norte, cuidamos nós para merecermos a sua bênção. Amém.

POLÍTICA E PIZZA Política não é pizza. Nem, tão pouco, pizza é política. Qualquer semelhança é mera coincidência, apenas. No episódio dos vetos: “parece e parecido”. Não foi e não será republicano. Mas ganhos e perdas foram divididos para os Poderes envolvidos. O Executivo não teria força para bancar tamanha desorientação.

Cartas Revolução educacional

A

MARCUS EDUARDO DE OLIVEIRA [ economista ]

Vai aí o segundo cartão de Veríssimo, datado de 9 de março de 1989: “Mestre Woden: pedir mais a você seria demais. Aí vai o livro – com a capa alegre do Marcelo Mariz. Se quiser dar uma nota, sexta-feira, dia do lançamento, para relembrar à turma – 18 horas, no Samburá, eu agradeceria novamente a sua gentileza. Abraço amigo do Veríssimo de Melo”.

Empresa Jornalística Tribuna do Norte Av.Tavares de Lira,101 - Ribeira - Natal/RN CEP:59010200 Fone: (PABX) 4006-6100 Fax: (0xx84) 4006-6124 Endereço eletrônico: www.tribunadonorte.com.br

para mover uma “pena de galinha”, passando para a opinião pública a imagem de que estão apenas guardando a espectativa um “emprego” para um amigo ou familiar. Quem pode ter dúvida da capacidade política do senador José Agripino, presidente nacional do DEM, partido da governadora? Do senador Garibaldi Filho que foi o fator político e eleitoral decisivo para a vitória da governadora Rosalba Ciarlini? Do deputado Henrique Eduardo Alves, agora presidente da Câmara Federal? Do vice-governador Robinson Faria que formou a chapa vitoriosa e foi logo descartado no primeiro ano de governo? Do deputado Getúlio Rêgo, com toda a sua trajetória política marcada pela fidelidade e pela coerência? A recuperação política da governadora não é tão difícil. Portanto, o grande problema é perante a opinião pública. Um desgaste sem precedente na história política administrativa do Rio Grande do Norte. Revelese que esse desgaste, beirando o horror, não tem a contribuição política da oposição que

Brum - www.rabiscosdobrum.zip.net

SEGUNDO CARTÃO

No terceiro bilhete, Veríssimo trata de um episódio importante da história da aviação no Rio Grande do Norte. É datado do dia 18 de janeiro de 1993: “Mestre Woden: meu abraço. Grato pela publicação do artigo sobre o livro de Ronaldo Cunha Lima. Saiu ótimo. Disse que não queria abusar de você já estou abusando. Mandolhe um artigo de absoluto interesse histórico para Natal: a façanha do Cel. Paulo Vachet, descendo com o primeiro avião na pra-

Se o quebracabeça sobre as razões da renúncia de Bento XVI está longe de ser armado, a sucessão governamental no Rio Grande do Norte, em 2014, está imprevisível. – A governadora está nos últimos degraus do desgaste, deixando seus correligionários e aliados soltos no ar e sem pincel.

Os bilionários e a fome no mundo

D

e acordo com o Índice de Bilionários da Bloomberg, o mexicano Carlos Slim, dono de negócios no ramo de telecomunicações em 18 países, com uma fortuna avaliada em US$ 78,4 bilhões, é o maior bilionário do planeta. Depois dele, vem o cofundador da Microsoft, o norte-americano Bill Gates, com fortuna de US$ 65,8 bilhões, seguido pelo espanhol Amancio Ortega, fundador do grupo têxtil Inditex, dono da marca Zara, com US$ 58,6 bilhões. A soma dessas três maiores fortunas atinge US$ 202,8 bilhões. Pelo lado dos brasileiros, os quatro maiores bilionários são: Jorge Paulo Lemann, investidor controlador da Anheuser-Busch InBev, maior cervejaria do mundo, com fortuna avaliada em US$ 19,6 bilhões. Em segundo lugar vem o banqueiro Joseph Safra, com patrimônio de US$ 12 bilhões. O terceiro e quarto lugares, respectivamente, ficam com Dirce Camargo, herdeira do grupo Camargo Correa, com fortuna estimada em US$ 14,1 bilhões e, com o empresário Eike Batista, com fortuna avaliada em US$ 11,4 bilhões. A soma das fortunas desses quatro maiores bilionários brasileiros atinge a cifra de US$ 57,1 bilhões. Já a fortuna somada desses sete "imperadores do dinheiro” chega a US$ 259,9 bilhões. De um lado, rios de dinheiro; do outro, um oceano de tristeza e miséria evidenciada pela fome e subnutrição que atinge, segundo dados da FAO (Fundo para a Agricultura e Alimentação), 1 bilhão de pessoas no mundo. Os que todos os dias tem estômagos vazios e bocas esfaimadas são 14% da população mundial, um entre seis habitantes. Com US$ 44 bilhões (17% da fortuna dos 7 bilionários citados) resolveria o problema desse 1 bilhão de famintos espalhados pelo mundo. O drama da fome é tão intenso que dizima uma criança com menos de cinco anos de idade a cada minuto. Isso mesmo: uma criança menor de 5 anos morre a cada 60 segundos vítima da falta de alimentos em seus estômagos. Isso porque estamos num mundo em que a produção de grãos (arroz, feijão, soja, milho e trigo) seria suficiente para alimentar mais de 10 bilhões de pessoas. Somente o Brasil, terceiro maior produtor de alimentos do mundo, atrás apenas dos EUA e da China,

Classificados: Redação Fax Venda Avulsa Assinatura Natal Reclamações Natal ASSINATURA Mensal (à vista) Semestral (à vista) Anual (à vista)

4006-6161 4006-6113 4006-6124 4006-6100 4006-6111 4006-6111 R$ 43,00 R$ 258,00 R$ 516,00

PREÇO DO EXEMPLAR Rio Grande do Norte 3ª a Sábado Domingo Outro Estado 3ª a Sábado Domingo

verá sua safra de grãos aumentar em mais de 20% na próxima década. No entanto, essa ignomínia chamada fome vai derrubando corpos inocentes ao chão também em nosso pedaço de terra. A situação aqui não é muito diferente da mundial. Em meio às controvérsias em torno do real número de famintos (50 milhões para a FGV, 34 milhões para o IBGE e 14 milhões de pessoas para o governo federal) a fome oculta (caracterizada pela falta de vitaminas e minerais que afeta o crescimento físico e cognitivo, bem como todo o sistema imunológico) atinge 40% das crianças brasileiras. No mapa mundial da subnutrição, estamos na 27ª posição, com 9% da população. Em pleno século XXI, num mundo em que a tecnologia desenvolve técnicas apuradíssimas para clonar tudo o que bem entender, a fome mata atualmente mais pessoas do que a AIDS, a malária e a tuberculose juntas. Numa época em que o dinheiro corre solto pelos cassinos e praças financeiras em busca de lucro e especulação, a Syngenta, multinacional suíça da área agrícola, investe todos os anos a importância de US$ 1 bilhão em pesquisas agrícolas, mas fecha as mãos para a ajuda internacional aos famintos. Nunca é demasiado lembrar que habitamos um mundo em que o custo diário para alimentar uma criança com todas as vitaminas e os nutrientes necessários custa apenas 25 centavos de dólar. Contudo, em decorrência da desnutrição crônica, cerca de 500 milhões de crianças correm risco de sequelas permanentes no organismo nos próximos 15 anos. De acordo com a ONG (Salvem as Crianças), a morte de 2 milhões de crianças por ano poderia ser prevenida se a desnutrição fosse combatida. Mas, poucas são as mãos levantadas em prol dos famintos do mundo. A preocupação dos "Imperadores do Mundo” é outra. Refresquemos a memória em relação a isso: em apenas uma semana os líderes das maiores potências do planeta "fizeram” surgir 2,2 trilhões de dólares (US$ 700 bilhões nos Estados Unidos e mais US$ 1,5 trilhão na Europa) para salvar instituições bancárias no auge da crise econômica que se abateu (e ainda vem se abatendo) sobre as mais importantes economias mundiais desde 2008.

educação também se prepara para uma revolução. Há um ano estive em Madri, na Espanha, onde participei de um encontro mundial de educadores conectados pelas redes sociais. A conclusão a que chegamos é que somos, e seremos, educadores e estudantes durante toda a vida. O modelo educacional secular, no qual um fala e outros escutam já se esgotou. No mundo conectado há três tipos de aluno: aquele que, em silêncio, presta atenção a tudo; outro que precisa conversar e pesquisar em rede; e um terceiro que precisa ver, sentir e tocar para aprender. O espaço físico e as aulas cronometradas não fazem mais sentido. A educação repetitiva e decorativa torna-se obsoleta com toda a informação do mundo absolutamente disponível. No entanto, frequentar uma escola ainda é importante para compartilhar os valores da sociedade, para o coletivismo e para o trabalho colaborativo e em rede, três conceitos fundamentais para qualquer um crescer na vida e na carreira. O professor não é mais o dono do conhecimento, mas sim o maestro do aprendizado em rede. Sim, teremos de estudar durante toda a vida. Em uma época, você será talvez um administrador, depois um professor, um empreendedor, um artista, um vinicultor. Não é fantástico? Preparese para essa realidade. Como? Corra e volte a estudar. Ao planejar seu aprendizado em 2013, mude sua postura na sala de aula, seja simultaneamente um contestador, um pesquisador e um educador. Ficar sentado, esperando receber o conhecimento do professor, é um comportamento do século passado. Estude pelo prazer. Se for fazê-lo por obrigação ou apenas para conseguir uma promoção, é melhor nem começar. Será pior para você. E faça mais: participe de grupos de estudos online, que se organizam na internet, mas que realizam encontros presenciais periódicos, participe de trabalhos voluntários, de saraus de poesia, de debates e trocas de ideias. Neste mundo, em que a simples troca de informação é um motor de grandes mudanças, seu diploma tem prazo de validade curto. Mantenha a calma, vá em frente e sempre pense: que futuro estou construindo para nós e para o mundo? Gil Giardelli - escritor e educador

FILIADO AO

R$ 1,50 R$ 2,50

FILIADO AO INSTITUTO VERIFICADOR DE CIRCULAÇÃO

R$ 2,00 R$ 3,20

REPRESENTANTE NACIONAL – Pereira de Souza & Cia Ltda: Rio de Janeiro :(O21)2544-3070 – São Paulo:(011) 3259-6111

FILIADO À ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE JORNAIS

REDE CABUGI DE COMUNICAÇÃO TRIBUNA DO NORTE 4006-6100 Rádio Globo/Cabugi (AM) Natal 4006-6180 104 (FM) Parnamirim 3272-3737 Rádio Difusora de Mossoró (AM) 3316-3181/2181/3317-6167 Rádio Cabugi do Seridó (AM) J.do Seridó 3472-2759 Rádio Baixa Verde (AM)J.Câmara 3262-2498 Pereira de Souza(SP) 11/3259-6111 Pereira de Souza(RJ) 21/2544-3070


política

Domingo | 17 de fevereiro de 2013

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

3

[ CONTAS PÚBLICAS ] Governadora afirma que está confiante de que os parlamentares estaduais terão os olhares atentos à situação financeira do Estado e ao esforço da atual administração

Notas & Comentários colunanotas@tribunadonorte.com.br

Teste da base apreciação dos vetos do governo ao projeto do orçamento, no início desta semana, será um teste para a base aliada na Assembleia Legislativa. A manutenção dos vetos com margem folgada indicará que a governadora, apesar das reclamações de alguns aliados, mantém uma sustentação política sólida no Legislativo estadual. A derrubada dos vetos, ou mesmo uma votação mais apertada, significará que o ano legislativo começa com a exigência de uma articulação mais cuidadosa para se evitar derrotas graves nas suas implicações políticas e administrativas.

A

Perspectivas

Aposta

Nos bastidores, salas e antessalas da Assembleia, os próprios deputados não arriscam uma avaliação segura sobre o resultado da votação, na próxima terça-feira, dos vetos e do projeto de recomposição orçamentária. Alguns consideram que dificilmente a oposição vai convencer algum deputado dos partidos da base aliada a se rebelar e votar contra o governo, uma vez que até mesmo o Tribunal de Justiça e o Ministério Público sinalizaram favoráveis à manutenção dos vetos, desde que o projeto de recomposição seja aprovado logo em seguida.

Mas há parlamentares oposicionistas que apostam em dissidências na base governista. E acreditam que podem conquistar os trezes votos necessários à derrubada dos vetos. Argumentam que alguns governistas têm motivações políticas para demonstrar insatisfação. Apontam também que preservar o orçamento como foi aprovado pela Assembleia não seria um desastre administrativo, uma vez que os valores não estão tão distantes assim dos que constam no projeto de recomposição. Para derrubada dos vetos, são necessários 13 votos em plenário.

Blocos rua Alguns pré-candidatos à presidência da República nem esperaram a ressaca do carnaval passar e já colocam o bloco na rua de olho em 2014. A exsenadora Marina Silva promoveu, neste fim de semana, um ato lançando um novo partido, denominado Rede. Na próxima quarta-feira, o PT comemora,

em São Paulo, 10 anos da legenda no Palácio do Planalto e deve reafirmar a candidatura da presidente Dilma Rousseff à reeleição. E o PSDB, por sua vez, prepara uma movimentação em Belo Horizonte que marque o lançamento da pré-candidatura do senador Aécio Neves à Presidência.

MENSAGEM DO PREFEITO Na próxima terça-feira, a Câmara Municipal de Natal retoma as atividades, com o fim do recesso. Na primeira sessão, haverá a leitura da mensagem anual do prefeito Carlos Eduardo aos vereadores.

EMANUEL AMARAL

Retrocesso ou renovação ?

A nova legislatura da Câmara Municipal, que começa na próxima terça-feira, promete ser movimentada. Há os ultraesquerdistas; os que perderam o mandato em outra ocasião e agora retornam; os barulhentos com discursos longos, mas carentes de fundamento. Enfim, algumas sessões devem ser agitadas. Resta saber se serão consequentes. E se há chance de prevalecer a atuação dos que se dediquem a um trabalho sério,voltado para o papel de legislar com correção, fiscalizar com eficiência e gerir a própria Câmara sem desperdícios e irregularidades.

Governadora recomenda ‘atenção às dificuldades’ ALEX REGIS

o comentar a votação programadas para a próxima terça-feira, na Assembleia Legislativa, a governadora Rosalba Ciarlini fez um apelo aos deputados: “Eu confio que eles tenham bons olhos para ver as dificuldades e que os recursos do Estado estão sendo administrados da melhor maneira possível”. A declaração foi dada durante a leitura da mensagem governamental, na Assembleia Legislativa, na sexta-feira (15). Na próxima terça, deputados devem apreciar os vetos e a recomposição do Orçamento Geral do Estado (OGE) para 2013. Portanto, ao pedir “atenção às dificuldades”, ela pede a manutenção dos vetos e aprovação dos créditos especiais. A chefe do Executivo observou ainda que a proposta enviada para apreciação dos parlamentares foi alvo de acordo entre os Poderes e contempla as necessidades de todos. “Todos entenderam que a reestruturação [no OGE] era necessária”, frisou a democrata. Os deputados vão decidir se o Governo teve razão ao vetar e, posteriormente, recompor o orçamento para o exercício financeiro de 2013. Os parlamentares decidiram liberar a tramitação das duas matérias – motivo principal de polêmica durante toda a semana passada – e vão definitivamente deliberar o futuro orçamentário de todos os Poderes, incluindo o próprio Executivo, para o ano. Como os projetos serão apreciados em regime de urgência, já na terça-feira (19) o veto imposto ao OGE 2013, que anulou quase R$ 1,2 bilhão das finanças do Tribunal de Justiça (TJRN), Ministério Público (MPE), Tribunal de Contas (TCE) e da própria Assembleia Legislativa (AL), será avalizado ou derrubado pelos parlamentares. Se eles considerarem que a governadora não estava com a razão prevalecerá o orçamento tal qual foi aprovado em dezembro na AL. Para isso, é necessário 13 votos pela derrubada dos vetos e a própria oposição tem desconsiderado essa possibilidade. “A governadora deveria confiar na própria bancada. Ela acha que os vetos serão derrubados pelos membros da própria base de sustentação? Nós não”, ironizou o deputado Fernando Mineiro, líder do bloco PT/PHS/PTB. Um sinal de que os parlamentares vão manter o posicionamento da chefe do Executivo foi dado na sessão da última quinta-feira (14). Apesar das investidas da oposição afirmando que a convocação extraordinária era “inócua” e “inútil”, 13 deputados se posicionaram pela aprovação do pedido da chefe do Executivo, inclusive toda a bancada do PMDB. Se o veto for mantido, os parlamentares em seguida devem apreciar o projeto que cria créditos especiais no montante de R$

A

Deputado Ricardo Motta coordena as votações e as articulações na Assembleia Legislativa

VOTAÇÕES NA ASSEMBLEIA O trâmite e os projetos em discussão Veja como será o trâmite da votação,na Assembleia Legislativa,do projeto que contém o veto da governadora Rosalba Ciarlini ao Orçamento Geral do Estado e da proposta que visa recompor o OGE:

A VOTAÇÃO:

1

Para que o veto seja derrubado é necessário 13 votos.Se isso ocorrer passa a valer o orçamento anterior,aprovado em dezembro pelos próprios deputados;

2 NA SEGUNDA-FEIRA O QUE ESTARÁ EM DISCUSSÃO: Os deputados vão se reunir na segunda-feira (18),em horário regimental (às 10h),para a leitura do veto da governadora Rosalba Ciarlini, que anulou R$ 1,2 bilhão do Orçamento Geral do Estado 2013;

Confio que eles tenham bons olhos para ver que os recursos são administrados da melhor maneira possível” ROSALBA CIARLINI Governadora

1,2 bilhão, mesmo valor do que havia sido anulado. Os líderes da bancada de oposição Fernando Mineiro (PT), José Dias (PSD) e Márcia Maia (PSB) tem tratado as posturas do Governo como “trapalhadas”. “O Executivo destroçou o orçamento e ainda quer humilhar a Assembleia”, frisou José Dias, líder do PSD. Eles afirmam que o Governo cometeu ingerências na AL eu pressionar para que os vetos não fossem analisados.

O TRÂMITE: Após a leitura,o colegiado de líderes deverá se reunir para consensualmente liberar a tramitação da matéria.O projeto que recompõe o OGE,por meio de créditos especiais, também terá o regime de urgência autorizado.A votação é marcada para o dia seguinte;

No final, prevaleceu a tese da oposição de que a anulação parcial do orçamento feito pela governadora precisaria necessariamente ser avalizada. Na sessão da convocação extraordinária, muitos parlamentares da base de sustentação governista preferiram não externar, mas nos bastidores criticavam a postura do Governo em vetar o orçamento dos Poderes. Segundo eles, o Executivo não foi leal durante o ano de 2012 quando praticamente não liberou os recursos oriundos das emendas parlamentares e deixou os deputados em situação difícil. Alguns deles se arriscavam em dizer que a governadora Rosalba Ciarlini não terá facilidade na hora de manter os vetos ao OGE. Isso porque a votação é secreta e muitos estão “sedentos” para descontarem o “desprestígio do ano que passou”.

Ricardo Motta pede “compreensão “ Indicação ao TJ Indicado pela governadora Rosalba Ciarlini para o cargo de desembargador, o advogado Glauber Rego precisa agora ter a escolha confirmada pela Assembleia, o que deve ocorrer sem dificuldades. Glauber é sobrinho do líder da bancada do governo

no Legislativo estadual, deputado Getúlio Rego. De qualquer modo, tradicionalmente, a Assembleia não cria embaraços para as indicações do governante de turno no que diz respeito a vagas nos tribunais e outras instâncias.

ENSINO PÚBLICO A governadora Rosalba Ciarlini e a secretária Betania Ramalho (Educação) abrem oficialmente o ano letivo da rede estadual de ensino nesta segunda-feira, às 8h, durante solenidade no Instituto Presidente Kennedy. NOVA PROGRAMAÇÃO O horário de verão terminou neste sábado. Com isso, as emissoras de televisão e rádio locais que retransmitem programação nacional voltam a ter os horários de exibição de noticiário, novelas e filmes sincronizados com as redes.

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ricardo Motta (PMN), afirmou que espera a compreensão dos parlamentares no sentido de manter os vetos da governadora Rosalba Ciarlini e posteriormente aprovar os créditos especiais que visam recompor o OGE. De acordo com Motta, o entendimento formalizado entre TJRN, MPE, TCE e a própria AL referendam a coerência da matéria. “Eu não tenho como saber se eles vão aprovar as propostas, mas posso dizer que espero por isso”, frisou Motta. O Tribunal de Justiça e o Ministério Público se mostraram preocupados com a liberação do orçamento do mês de fevereiro e pedem aos deputados que agilizem a votação da matéria que vai re-

NA TERÇA-FEIRA Na terça-feira (19),os parlamentares iniciam a sessão,às 10h,com a apreciação do veto do OGE 2013;

compor o financeiro dos Poderes para o ano de 2013. O procuradorgeral de Justiça, Manoel Onofre Neto, afirmou à TN que o ideal seria a recomposição dos valores aprovados no final de dezembro pela Assembleia Legislativa. Mas frisou que os valores apresentados pelo Governo, na articulação mediada pelo presidente da Assembleia Legislativa, permitem que, “minimamente, se atravesse o ano de 2013 sem maiores sobressaltos”. De acordo com Manoel Onofre, a necessidade de recomposição dos orçamentos foi demonstrada pelas instituições envolvidas, em face dos vetos. Ele entende que o próprio Governo reconheceu a necessidade de reajustar o orçamento, abrindo espaço para busca de uma solução consensual. “Antes

de tudo é importante deixar claro o papel institucional dos Poderes e órgãos. A autonomia do Poder Legislativo em encaminhar a temática, com os devidos entendimentos políticos, precisa ser ressaltada”. Ele destacou ainda que a ausência de orçamento – até o momento uma realidade - para dar suporte às despesas básicas das instituições envolvidas, impõe a necessidade de uma solução rápida, “sob pena de inviabilizar o funcionamento destas já a partir do corrente mês”. Através da assessoria de imprensa, o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Aderson Silvino, afirmou que o orçamento acordo com o Governo contempla as necessidades da instituição.

Para que o veto seja mantido é necessário 11 votos.Neste caso, passa a valer o orçamento com as modificações impostas pela governadora Rosalba Ciarlini;

3

Se o veto for mantido,os deputados iniciam em seguida a votação do projeto dos créditos especiais que recompõe o orçamento 2013.Se for o caso,o Governo não terá dificuldades para a aprovação.

Acordo fez a recomposição do orçamento Os técnicos do Governo elaboraram o projeto de lei contendo créditos especiais de R$ 1,2 bilhão após ouvir as demandas do TJRN, MPE, TCE e AL. O Tribunal de Justiça, por exemplo, abdicou de R$ 4,7 milhões; o Ministério Público, de R$ 3,4 milhões; a Assembleia Legislativa, de R$ 3,2 milhões; e o Tribunal de Contas do Estado, de R$ 1,2 milhão. Para o deputado José Dias, uma atitude “ridícula” e que mostrou o despreparo do Executivo, que vetou um orçamento aprovado pelos parlamentares para depois refazê-lo praticamente em mesma fôrma. “O argumento da governadora era que a Assembleia estava querendo acabar com o Proadi [Programa de Apoio ao Desenvolvimento Industrial do Rio Grande do Norte]. Eu quero saber como se esfacela algo destinando mais recursos”, ironizou o parlamentar. Segundo José Dias, o que houve, na verdade, foi um incremento de 43% entre o executado em 2012 e o previsto para 2013 para o Proadi. “Eles realizaram um orçamento para o programa de 151 milhões ano passado e para este ano destinamos 215 milhões. Talvez o Proadi morra, mas de empazinamento por ter muito recurso, agora se o Governo não sabe administrar é outra história”, frisou Dias. Com o crédito especial, o Governo prevê incluir parcialmente recursos correspondentes a emendas coletivas, bem como inserir a Defensoria Pública como unidade orçamentária autônoma para o exercício financeiro de 2013.


4 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

política

Domingo | 17 de fevereiro de 2013

[ INDICAÇÃO PARA O JUDICIÁRIO ] Advogado-geral da União, Luiz Inácio Adams é o padrinho da indicação do tributarista para o cargo que está vago no Supremo Tribunal Federal

Cláudio Humberto E-mail: ch@claudiohumberto.com.br - www.claudiohumberto.com.br

Escândalo envolvendo ministro m anos após a denúncia de graves irregularidades, o Tribunal de Contas da União ainda aguarda que a Polícia Federal conclua investigação do escândalo do milionário projeto Jampa Digital, sistema de internet gratuita, sem fio, para toda cidade de João Pessoa, inaugurado pelo ministro paraibano Aguinaldo Ribeiro (Cidades), em 2010. Sob suspeita de superfaturamento, o projeto previa também que a cidade seria monitorada por câmeras e escolas informatizadas.

U

O instrumento é o juro”

Ministro Guido Mantega (Fazenda) negando uso do dólar para controlar a inflação

Comissão

Alô, galera

O projeto Jampa Digital foi confiado à empresa Ideia Digital Sistemas, cujo representante admitiu pagar “de 5% a 10%” a quem a contratava.

Aguinaldo Ribeiro era secretário de Ciência e Tecnologia quando anunciou “internet de graça pra toda galera de João Pessoa”.

Fantástico

Fui

O escândalo e as suspeitas de superfaturamento foram revelados há quase um ano, em março de 2012, no programa “Fantástico”, da Globo.

O ministro Aguinaldo Ribeiro não foi encontrado. Sua assessoria diz que ele está em ferias até sexta (22), e não pode ser contatado.

Itamaraty fez do assédio uma pizza O embaixador Américo Fontenelle se livrou em 2007 da acusação de insultar e humilhar subordinados, como a que responde hoje em Sidney (Austrália). Era cônsul-geral do Brasil em Toronto (Canadá) e, apesar da gravi-

dade da denúncia e da contundência dos testemunhos, o corregedor do Itamaraty arquivou a sindicância. Ainda foi premiado com o posto em Sidney, onde é novamente acusado de assédio moral.

Sob proteção

Pizzaria Patriota

Américo Fontenelle teria se livrar da sindicância de Toronto por suas ligações ao ex-ministro José Dirceu, a quem assessorou na Casa Civil.

No Itamaraty poucos apostam que resulte em punição as investigações instauradas contra Fontenelle e seu adjunto, Cezar Cidade, em Sidney.

GRACINHAS O site da revista americana Forbes chama a Petrobras de “patinho feio” das petroleiras, mas não aponta quem é a “patinha feia” da empresa.

PTB com Eduardo Réu condenado no mensalão, o presidente licenciado do PTB, Roberto Jefferson, acompanha com entusiasmo a consolidação

da candidatura a presidente do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB). Ele tem mágoas do PSDB e não suporta o PT, daí...

PERSONA NON GRATA O artigo 9 da Convenção de Viena prevê a declaração de “persona non grata” do embaixador que se meter em questões soberanas, como foi o caso do venezuelano Maximilien Arveláiz. Ninguém se mexe?

Contra corrupção Diretora da Escola de Formação dos Magistrados, a ministra Eliana Calmon (STJ) assinará acordo de cooperação com o ministro Joaquim Bar-

bosa, presidente do Conselho Nacional de Justiça, para preparar juízes a combater e julgar com mais rapidez crimes de corrupção.

Pauta comum

Consolidação

Os senadores Aécio Neves (PSDB-MG) e Flexa Ribeiro (PSDBPA) articulam para votar, logo após serem instaladas as comissões, o projeto que reformula a tributação sobre royalties da mineração.

A carteira política do senador Valdir Raupp (RO), presidente interino do PMDB, cresceu de significado: consolidou o posto de ligação mais estreita da cúpula do partido com o vicepresidente Michel Temer.

Rose perde espaço Isolada após disputar com Henrique Alves (PMDB-RN), a deputada Rose de Freitas (ES) não vai apitar mais nada na Câmara. No PMDB, a avalia-

ção é que ela se queimou ao enfrentar Henrique, que a ajudou a alcançar a vice-presidência da Casa. Rose poderá deixar o partido.

MAL A PIOR Militares de cidades onde não há hospital do Exército comemoram: o plano de saúde da Força encaminha aos melhores especialistas. Os outros colegas aguardam na fila de espera para serem atendidos.

Heleno Torres conquista apoios para vaga no STF FELIPE SAMPAIO/SCO/STF

rasília (AE) - O advogado tributarista Heleno Torres despontou nesta sextafeira como candidato favorito à vaga de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). A agenda da Casa Civil mostrava que o advogado seria recebido para tratar de sua candidatura para ocupar a vaga aberta com a aposentadoria do ministro Carlos Ayres Britto. Heleno Torres foi recebido no Planalto para conversar com o subchefe de Assuntos Jurídicos, Ivo da Motta. O tema estava expresso na agenda dele. “Assunto: STF”. Depois, a informação foi retirada da agenda. Heleno Torres foi um dos primeiros nomes a ser cotado para a vaga do tribunal. O advogado-geral da União, Luiz Inácio Adams, é o padrinho da indicação de Heleno Torres. Os dois têm visões próximas sobre Direito Tributário, tendentes a adotar posições favoráveis ao Fisco. Professor de Direito Tributário da Universidade de São Paulo (USP), Torres é pernambucano. Se for indicado, seria o único nordestino da atual composição. Carlos Ayres Britto era sergipano e era o único ministro da região Nordeste. A questão regional, que nem sempre pesa na escolha, neste caso pode ser levada

B

Ministros do Supremo Tribunal Federal esperam definição do novo integrante do Pleno

em consideração. Além de Heleno Torres, os nomes mais lembrados para a vaga são do promotor Paulo Modesto e do advogado gaúcho Humberto Bergmann Ávila. Apesar das indicações de que o processo de escolha está em curso, assessores da presidente Dilma Rousseff dizem que ela está reticente, por enquanto, com o assunto. E ressaltam que a presidente

procura absoluta segurança da indicação. Como disse um dos assessores, a preocupação é não errar na escolha. Recentemente, a presidente negou ter se arrependido da nomeação do ministro Luiz Fux. No entanto, integrantes do governo mantém críticas sobre a atuação do ministro, especialmente no julgamento do mensalão e, mais recentemente, em razão da conces-

são da liminar que obrigou o Congresso a votar os mais de 3 mil vetos presidenciais conforme a ordem cronológica. A liminar, conforme a avaliação do governo, impede a votação do orçamento deste ano e pode provocar o colapso do Congresso Nacional. Além disso, a derrubada dos vetos poderia gerar um rombo de R$ 471 bilhões nos cofres públicos.

[ GASTOS PÚBLICOS ] Fiscalização do TCE constata irregularidades no

[ JUSTIÇA ]

pagamento de salários a servidores em 88 municípios do Rio de Janeiro

TJ libera livro sobre amigo de Lula

Auditoria aponta fraudes ão Paulo (AE) - Auditoria realizada de fevereiro a dezembro de 2012 pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) apontou irregularidades no pagamento de salários a servidores em 88 municípios do Rio. De acordo com o relatório, 144 mortos constavam de folhas de pagamento e 47 presos condenados recebiam salário. Cinco mil servidores tinham dois ou mais empregos públicos, indica a auditoria. Foi identificado o caso de uma pessoa lotada em oito municípios. A fiscalização abrangeu 151 órgãos, tanto de pre-

S

feituras quanto de câmaras de vereadores. Foram verificadas folhas de pagamento de 297 mil servidores, com salários que totalizam R$ 11 bilhões. O relatório preliminar, revelado pelo jornal O Globo, ainda será votado no plenário do TCE. A fase de defesa, portanto, ainda não ocorreu. O município com o maior número de indícios de irregularidades, segundo o TCE, foi o de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Lá, 119 pessoas tinham remuneração acima do teto constitucional e 65 continuaram figurando nas folhas

de pagamento após o registro de óbito. Um caso apontado como “extremo” pelo TCE foi o de um servidor de Caxias com remuneração bruta de R$ 65.022,35 (R$ 46.041,86 líquidos), bem acima do teto salarial constitucional. O ex-prefeito de Caxias, José Camilo Zito dos Santos, que deixou o município em dezembro com uma crise na coleta de lixo, não foi localizado ontem pela reportagem para comentar o relatório do TCE. A atual gestão informou que pediu uma auditoria mais ampla.

orocaba (AE) - O Tribunal de Justiça (TJ) de São Paulo cassou a liminar dada pela Justiça de Sorocaba proibindo a venda e distribuição do livro “Companheiros - A Hora e a Vez dos Metalúrgicos de Sorocaba” que tem como personagem principal o sindicalista Wilson Fernando da Silva, o “Bolinha”, amigo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A liminar, dada no final de dezembro, estipulava multa de R$ 1 mil por exemplar vendido ou distribuído e de R$ 10 mil para cada ato visando à divulgação do livro. O juiz da 3ª Vara Cível de Sorocaba, Mário Gaiara Neto, atendera a um pedido de uma das filhas de “Bolinha”, Daniela Fernandes, para quem o livro não feria a memória de seu pai. O relator do Tribunal de Justiça, Flávio Abramovici, entendeu que o livro não visava a macular a honra do pai da autora da ação. Ele acentuou que, na contracapa, consta afirmativa de Luiz Inácio Lula da Silva em que faz destaque elogioso à conduta do amigo sindicalista, quando afirma que poucas vezes conheceu alguém “com a perspicácia política, a inteligência e o grau de companheirismo do Bolinha”.

S

SÃO PAULO

ASSEMBLEIA CONTRATA FGV SEM LICITAÇÃO A Assembleia Legislativa de São Paulo dispensou licitação para contratar a Fundação Getúlio Vargas (FGV) por R$ 178 mil para a “realização de treinamento em ‘Capacitação para Desenvolvimento Gerencial’” de “até” 70 pessoas. A autorização da Mesa para a contratação, publicada ontem em Diário Oficial, não explica como funcionarão os cursos nem dá detalhes sobre seu cronograma. A Assembleia sustenta haver “recursos orçamentários suficientes para a realização da despesa ora pretendida neste exercício”.


Domingo | 17 de fevereiro de 2013

especial

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 5


6 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

natal

Domingo | 17 de fevereiro de 2013

[ JUDICIÁRIO ]

[ TRABALHO ]

Glauber evita falar sobre indicação

Senac anuncia 5.476 bolsas de estudo

Assessoria do governo confirma indicação de segundo colocado na lista tríplice para a vaga do desembargador Caio Alencar. Indicado vai ser sabatinado na Assembleia Legislativa

governadora Rosalba Ciarlini (DEM) já indicou o advogado Glauber Antonio Nunes Rego, 42 anos, como novo desembargador do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJ-RN), o qual havia ficado em segundo lugar na lista tríplice, com sete votos dos 12 desembargadores que participaram no segundo escrutínio da eleição ocorrida na sessão extraordinária daquela Corte, na manhã de sexta-feira (15). Rosalba tomou uma decisão tipicamente política, porque além dos atributos profissionais, o advogado Glauber Rego é sobrinho do deputado Getúlio Rego, que tem oito mandados como parlamentar da Assembléia Legislativa do Estado, é filiado ao Democratas e líder da governo na Assembleia Legislativa. O advogado Glauber Rego não quis se pronunciar sobre a indicação, porque não havia, ainda, recebido qualquer comunicação do presidente da Assembleia Legislativa, Ricardo Motta (PMN), sobre o ofício encaminhado pela governadora comunicando a escolha para desembargador do TJ, pois ele terá de ser sabatinado pelos 24 deputados estaduais que compõem aquela Casa. No entanto, durante campanha para compor a lista sêxtupla da OAB e da qual sairia a lista tríplice eleita no plenário do TJ, Glauber Rego dizia do seu orgulho como advogado militante há 15 anos e que, caso chegasse a ser escolhido desembargador, “tinha como meta assegurar as prerrogativas previstas no estatuto da advogacia, como garantir acesso irrestrito aos profissionais e dar celeridade à prestação jurisdicional e defender o processo constitucional. Além disso, Glauber Rego afirmava que também tinha como objetivo “realizar tarefas conforme os princípios republicanos, tendo como premissa três pontos - a seguran-

JÚNIOR SANTOS

A

O

Glauber Rego (E), com os ‘concorrentes’ Magda Letícia e Artêmio Azevedo: compromisso com as prerrogativas dos advogados

ça jurídica, a ética e a imparcialidade” no exercício do cargo de desembargador. Glauber Rego deixou para trás os advogados Artêmio Azevedo, que tinha obtido dez votos no primeiro escrutínio da votação no plenário do TJ, passando a ocupar o primeiro lugar da lista, e Magna Letícia Câmara, a qual obteve sete votos na sexta e última votação e também era cotada para a indicação da governadora por ser procuradora geral adjunta da Procuradoria Geral do Estado (PGE). O chefe da assessoria de comunicação do governo do Estado, Paulo Araújo, confirmou, ontem de manhã, que depois de o presidente do TJ, desembargador Aderson Silvino, ter comunicado à go-

vernadora o resultado da eleição da lista tríplice tirada da indicação de seis nomes apresentada pela seccional regional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-RN), Rosalba Ciarlini entregou, no começo da noite da sexta-feira um ofício ao deputado estadual Ricardo Motta, comunicando a escolha de Glauber Rego como novo desembargador do TJ. Natural de Pau dos Ferros, o advogado Glauber Rego passa a ser o 14º desembargador do TJ, que é composto por 15 membros, mas atualmente tem uma cadeira vaga em virtude da aposentadoria do desembargador Rafael Godeiro. Casado com Maria Tereza Rego e pai de dois filhos, Glauber Rego também é agrônomo formado pela antiga Escola Superior de Agricultu-

ra de Mossoró (ESAM), atual Universidade do Semiarido (Ufersa), e se formou em Direito em 1997 pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), tendo ingressado na OAB no mesmo ano. Advogado militante nas áreas de Direito Civil, Empresarial, Trabalhista e Administrativo, Nunes Rego também vem exercendo o cargo de professor em Faculdades de Direito privadas. Caso não opte pela aposentadoria por tempo de serviço, o novo desembargador poderá ficar no cargo até 2040, quando alcançará a aposentadoria compulsória, quando é obrigado a deixar o cargo. Glauber Rego passa a ocupar a vaga aberta com a aposentadoria compulsória do desembargador Caio Regalado de Alencar, ocor-

rida em maio de 2012 depois de 28 anos como membro do TJ-RN indicado pelo Quinto Constitucional como representante do Ministério Público Estadual (MPE). Depois da eleição que foi encerrada às 11h20 da sexta-feira, o próprio Glauber Rego antevia para a TRIBUNA DO NORTE a sua indicação para o cargo de desembargador, lembrando que a governadora tinha inteira “liberdade” para indicar o novo desembargador do TJ, que necessariamente não tinha de ser o primeiro colocado da lista. Ele chegou a citar o exemplo do desembargador Cláudio Santos, que fora eleito o segundo da lista tríplice, mas terminou sendo indicado para o cargo em 2004 como uma decisão política da então governadora Wilma de Faria.

[ EDUCAÇÃO ] Prazo para colocar todas as

[ DEMOCRACIA ] Militantes vão se mobilizar para conseguir, até setembro,

crianças em creches termina em 2016

500 mil assinaturas que permitirão ao partido disputar o pleito de 2014

Universalizar pré-escola é desafio para prefeitos

Marina Silva dá primeiro passo para criar novo partido

rasília (ABr) – Os prefeitos que assumiram o cargo no início deste ano terão um desafio a cumprir até o fim do mandato, em 2016: universalizar a pré-escola. A matrícula de todas as crianças na faixa etária de 4 a 5 anos tornou-se obrigatória em 2009. O prazo final foi fixado para 2016 e a responsabilidade recai sobre os municípios aos quais cabe a educação infantil. O desafio dos prefeitos será garantir vagas para as crianças na rede pública. Alguns municípios, entretanto, não têm unidades suficientes e precisarão construir novos prédios. Além disso, virão mais gastos com os profissionais contratados e a manutenção das novas instalações. Os dados mais recentes do Instituto Nacional de Geografia e Estatística (IBGE) indicam que, em 2010, havia 1.154.572 crianças na faixa de 4 a 5 anos fora da escola. A matrícula na pré-escola, no entanto, avançou na última década. Em 2000, 51,4% das crianças nessa faixa etária tinham acesso à educação, patamar que saltou para 80,1% em 2010. Há pouco mais de um mês exercendo o mandato de prefeito de Araguapaz, município goiano com 8,5 mil habitantes, Fausto Luciano antecipa que será difícil cumprir a meta sem mais recursos do governo federal. “Hoje é quase impossível. Os recursos do Fundeb [Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Bá-

B

Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) lança a edição 2013 do Programa Senac de Gratuidade (PSG), que ofertará 5.476 bolsas de estudos integrais ao longo do ano, em mais de 40 cursos distintos. O Programa tem objetivo de promover a inclusão social através da oferta de vagas gratuitas para a população de baixa renda em cursos de Formação Inicial e Nível Técnico. Na primeira etapa, serão disponibilizadas 1.442 vagas nas áreas de comunicação, informática, idiomas, gestão e negócios, turismo e hospitalidade, saúde e imagem pessoal. As inscrições seguem até 20 de fevereiro, por meio do site www.rn.senac.br/psg. Serão contemplados os municípios de Natal, Mossoró, Assu, Caicó, Macaíba e Parnamirim. O início das aulas está previsto para o início de março. A seleção dos candidatos ocorre de acordo com a ordem da inscrição efetuada no site do Senac, observando-se também os critérios definidos pela Política do PSG: possuir renda familiar mensal per capita de até dois salários mínimos federais e atender aos requisitos exigidos pelo curso escolhido, que variam de acordo com a modalidade. Logo após a realização da inscrição, o candidato será contatado pela entidade, para apresentação dos documentos comprobatórios de renda e requisitos do curso pelo qual optou. Desse modo, as matrículas ocorrerão simultaneamente ao período de inscrições, oportunizando que candidatos suplentes sejam imediatamente convocados, caso ocorram desclassificações. Entre fevereiro e outubro, a instituição lançará mensalmente novos processos seletivos para cursos inseridos no Programa Senac Gratuidade.

sica e de Valorização dos Profissionais da Educação] são escassos. Com os recursos de que dispomos hoje, será preciso existir algo mais até 2016 para que isso seja implementado. É um desafio para os gestores que estão entrando agora”, disse Luciano. As prefeituras recebem apoio federal por meio do Programa Nacional de Reestruturação e Aquisição de Equipamentos para a Rede Escolar Pública de Educação Infantil (ProInfância). O objetivo é financiar a construção de unidades de educação infantil para atender a crianças de até 5 anos, faixa etária da creche à pré-escola. Pelo programa, a prefeitura providencia o terreno e o Ministério da Educação (MEC) financia a construção, os equipamentos e o mobiliário. A meta do atual governo é construir 6 mil novas creches e pré-escolas até 2016. Dados do MEC indicam que 742 unidades de educação infantil foram entregues nos dois primeiros anos de gestão da presidenta Dilma Rousseff e cerca de 5,6 mil estão em construção. Mesmo assim, alguns gestores se preocupam com o custo da manutenção. É o caso do prefeito de Cachoeira Grande, no Maranhão, Francivaldo Souza. “Estamos construindo uma creche, mas, para fazer funcionar, temos que ter a ajuda do governo federal. Não falo só nos equipamentos, mas também da manutenção”, disse ele.

[ RONDA ]

Bebê morre sufocado na cama dos pais

FRANCO RITHELE / AE

rasília (AE) - Com um discurso recheado de menções ao meio ambiente e diante de uma plateia de 1,5 mil pessoas, segundo os organizadores, a ex-ministra do meio ambiente Marina Silva deu o primeiro passo, neste sábado, para tentar criar um partido político. A nova legenda, que deverá se chamar Rede Sustentabilidade, servirá para abrigar a provável candidatura de Marina à Presidência da República, em 2014. “Nós não seremos nem oposição nem situação à Dilma (Rousseff). Se a presidente estiver fazendo coisa boa para o Brasil, somos favoráveis. Se ela for contra o Código Florestal, o voto é contrário”, afirmou Marina, em um de seus discursos. “É um partido para questionar a si próprio. Não pode ser um partido para eleição”, completou. Dizendo que são “diferentes”, Marina defendeu alianças partidárias. “Podemos fazer alianças pontuais. Não precisamos eliminar sonhos. Mas é preciso que fique claro que somos diferentes.” Para poder se candidatar pela nova legenda em outubro do ano que vem, Marina e os fundadores da sigla terão de conseguir 500 mil assinaturas até setembro deste ano. “Vamos dedicar os próximos três meses para a coleta de assinaturas. Não será difícil”, disse o deputado Walter Feldman (SP), que pretende sair do PSDB para ingressar no partido. Em

B

m bebê de quatro meses morreu enquanto dormia com os pais na comunidade Ocidental de Baixo, na zona Leste de Natal. Maria José e Bruno da Silva, pais da menina Bianca da Silva, dividiam a mesma cama de casal com o bebê e, na manhã de ontem, ao acordarem, perceberam que a menina estava emborcada e sem respirar. Os pais identificaram que ela estava morta e acionaram o Instituto TécnicoCientífico de Polícia (Itep). “Nós estávamos dormindo juntos e quando acordamos, vimos que ela estava emborcadinha e não respirava mais”, relembrou o pai Bruno da Silva, de 20 anos e catador de material reciclado. Inconsolada, a mãe da menina aguardava a chegada dos peritos e do delegados que conduzirá as investigações do caso sentada na cama, ao lado do corpo da criança. Bianca era a primeira do casal. De acordo com o perito do Itep, João Ricardo, que realizou a perícia no local da morte da criança, todo e qualquer óbito que não seja causado naturalmente, por doenças crônicas, por exemplo, é tido como suspeito. O caso de Bianca da Silva será investigado pela Polícia Civil, mas as características iniciais, segundo o perito, levavam a crer que havia sido uma fatalidade. Entretanto, os pais, familiares e vizinhos da menina serão ouvidos.

U

Heloisa Helena vai ingressar no partido criado por Marina Silva

2014, o eleitor votará para eleger os titulares dos governos estaduais, e representantes do Legislativos nos Estados e no Congresso Nacional. Além de Feldman, os deputados Alfredo Sirkis (PV-RJ) e Domingos Dutra (PT-MA) e a exsenadora e vereadora por Maceió Heloisa Helena anunciaram o ingresso no novo partido. Até o final do dia será aprovado o estatuto do partido. A pro-

posta é exigir ficha limpa para os dirigentes partidários e candidatos. Não deverá, no entanto, haver a mesma exigência para quem quiser se filiar à nova sigla. O estatuto também deverá prever uma reavaliação do papel do partido em relação a sua continuidade daqui a dez anos. Também deverá ficar definido que os detentores de mandato terão direito a disputar apenas uma reeleição em cada Casa parlamentar.


geral

Domingo | 17 de fevereiro de 2013

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

7

[ ADMINISTRAÇÃO ] De acordo com auditoria, dívida caracteriza apropriação indébita porque a

gestão anterior reteve valores nos contracheques dos servidores e não fez o repasse à previdência

Gaudêncio Torquato gaudenciotorquato@tribunadonorte.com.br

Cactos vicejam no deserto

L

embram-se do Tiririca, o palhaço eleito com a maior votação do pleito de 2010? Desiludido, anuncia que voltará a fazer graça nos palcos porque na política “não dá para fazer muita coisa”. O mote de sua campanha - “pior do que tá não fica” – parece dar razão ao deputado Francisco Everardo Oliveira Silva, que recebeu mais de um milhão de votos do povo paulista. Basta ver que mudanças na forma de fazer política ganharam passos muito tímidos nos últimos dois anos. Em algumas frentes, em vez de avançar, o país retrocedeu. Veja-se a seara partidária. A par de 30 partidos existentes, pelo menos mais 31 estão sendo criados, a denotar a proliferação abusiva de siglas e os desastrosos efeitos que acabarão mercantilizando cada vez mais a política e jogando-a na bolsa de negociação eleitoral. Trata-se de mais uma demonstração da massa amorfa em que se transformou a estrutura partidária no país. Pior é anotar que isso ocorre num momento de intensa crítica social contra práticas e costumes da velha política.

A facilidade para criar partidos é fruto de uma legislação extremamente liberal, produzida para se contrapor aos tempos em que a ditadura militar mantinha sob cabresto o bipartidarismo”

Nunca se viu tanto alvoroço nas malhas da organização partidária como se observa hoje, haja vista o interesse de múltiplos atores em procurar janelas para sair de seus atuais abrigos partidários e, na pista do troca-troca de agremiações, barganhar condições de apoio às candidaturas em 2014, tanto na área federal quanto na esfera dos Estados. As 500 mil assinaturas exigidas para registro de novas siglas ganham as ruas sob um regime de pressa com prazo de validade. Afinal, para participar do próximo pleito, os novos partidos deverão ser autorizados pelo TSE até outubro deste ano (um ano antes). O que chama a atenção é o foco de atuação das novas siglas. Os nomes sinalizam a especificidade de interesses grupais em detrimento de escopos mais abrangentes e coletivos. Se levarmos em consideração um espectro partidário com, por exemplo, 6 posições – esquerda, direita, centro, centro-esquerda, centro-direita e extrema-esquerda – chegarse-á a conclusão de que uma constelação com mais de 60 entidades atenta contra o bom senso. Partido é parte do todo, mas isso não significa inserir no arco do pensamento nacional interesses de corporações, núcleos, movimentos etc. O rol das novas entidades corrobora a tese de que o corporativismo marca forte presença no espectro social. Um partido da mulher brasileira (PMB), que já conseguiu registro em três Estados, quer apostar na hipótese de segmentação do eleitorado por gênero; um tal de movimento negação da negação (MNN), autodefinido como trotskista, mostra interesse em se fixar na margem extrema com um discurso anulando tudo que emana do establishment; o partido de representação da vontade popular (PRVP), pelo visto, pretende apagar os outros, por não representarem a vontade coletiva; o partido novo (PN), claro, joga os outros no baú da senilidade; o partido cristão (PC) contrapõe-se a outros de viés religioso, como o atual PRB, sob a chancela da Igreja Universal; esboçase uma ARENA, agregando um grupo de jovens de direita que intentam refundar um ente com o mesmo nome que deu apoio à ditadura militar; um partido militar brasileiro (PMB) elege como escopo a segurança pública e, por aí vai, até se chegar ao partido pirata do Brasil (PPB), cuja proposta é a defesa da pirataria nas redes sociais. Nessa moldura oportunista, a Rede, sigla que a ex-ministra Marina Silva lançou, ontem, em Brasília, ganhará até consistência. Esvai-se, assim, o ideário voltado para o bem comum, conceito que implica a integração de fatores como a liberdade, a justiça,

a paz, a utilidade social, a solidariedade e a igualdade. Não se distingue nessa nova modelagem algo que lembre expressões consagradas como o interesse social, a satisfação das demandas coletivas, enfim, “o bem que a todos apetece”, como ensina São Tomás de Aquino. Partido, mesmo querendo significar parcela social, abarca o conceito de comunidade, a “comum união” de pessoas que possuem a mesma natureza e sonham com um mesmo fim. Nesse caso, contrapõe-se ao interesse de corporações e conjuntos que se desdobram para fazer predominar pequena parte sobre o todo. A facilidade para criar partidos é fruto de uma legislação extremamente liberal, produzida para se contrapor aos tempos em que a ditadura militar mantinha sob cabresto o bipartidarismo da Arena e do MDB, entre 1966 a 1969. Aliás, nossa vida partidária nunca se pautou pela linearidade. No período monárquico, os partidos nacionais não agregavam a participação das bases; no primeiro ciclo da era republicana (1889/1930), em função das articulações entre o presidente e os chefes dos Estados membros, os partidos tinham uma identidade regional; entre 1930 e 1946, o autoritarismo restringiu a liberdade partidária. Só a partir da CF de 1946, os partidos ganharam ares democráticos, passando a exprimir um ideário nacional. A Carta de 1988 abriu as comportas e os partidos se multiplicaram. Poucos, porém, atenderam aos preceitos que os qualificam: catalisar correntes de opinião; formar e selecionar quadros para a política; informar e educar o eleitorado. Nos últimos anos, os pequenos gargalos foram afrouxados. No final de 2006, o STF derrubou a cláusula de barreira, que assim rezava: “tem direito a funcionamento parlamentar, em todas as Casas Legislativas, para as quais tenha elegido representante, o partido que, em cada eleição para a Câmara dos Deputados, obtenha o apoio de, no mínimo, 5% dos votos apurados, não computados os brancos e os nulos, distribuídos em, pelo menos, um terço dos Estados, com um mínimo de dois por cento do total de cada um deles”. Nesses tempos de intensa negociação de tempo de propaganda eleitoral (prática usual entre partidos), de coligações proporcionais (que mesclam siglas de visões opostas e elegem figurantes de parcos votos), de bandeiras rotas e assemelhadas, as fontes partidárias secaram. Em seu lugar, descortina-se um deserto, onde a vegetação tem dificuldades para brotar. Ai, apenas os cactos vicejam. Essa é a terra calcinada da qual pretende se afastar o palhaço Tiririca.

GAUDÊNCIO TORQUATO jornalista, é professor titular da USP e consultor político e de comunicação.Twitter: @GaudTorquato

Auditoria aponta rombo de R$ 32 milhões no Natalprev JÚNIOR SANTOS

A

gestão atual da Prefeitura de Natal herdou uma dívida de R$ 32.790. 575,61, valores que deixaram de ser repassados para o Instituto de Previdência Social dos Servidores do Município (Natalprev). Esse débito caracteriza apropriação indébita, uma vez que a prefeitura reteve os valores nos contracheques do funcionalismo e não fez a devida transferência. Mas há também uma lacuna no repasse patronal, ou seja, o bolo financeiro de responsabilidade estatal. O que impressiona no relatório assinado pela atual presidente da Natalprev, Maria Helena Pinheiro, e pela representante do Departamento de Gestão Financeira Atuarial, Zélia Cabral, é que de dezembro de 2010 a dezembro de 2012 a obrigação constitucional deixou de existir de forma continuada, segundo o documento, “causando transtorno e preocupação junto ao Ministério da Previdência”. A TRIBUNA DO NORTE teve acesso ao material elaborado pela atual administração municipal. Há menções sobre uma auditoria realizada pelo Ministério da Previdência (MP), cujos profissionais consideraram a situação “alarmante”. “Foram feitos vários parcelamentos com o Natalprev sendo que a maioria deles foi descumprido, causando várias dificuldades administrativas”, frisou o relatório. Atualmente, a Prefeitura não dispõe do Certificado de Regularidade Previdenciária (CRP), certidão fornecida pelo Governo Federal para os entes adimplentes com as obrigações. Por causa da negativação do CRP no Cadastro Único de Convênio (Cauc), a Prefeitura passou a sofrer outras sanções, todas impostas pela União. É o famigerado bloqueio de repasses voluntários que viriam do Planalto para ajudar a desafogar as dificuldades financeiras. Como já se sabe, problemas no Cauc são dores de cabeça certa para qualquer gestão. Mas neste caso, a equipe de transição do prefeito Carlos Eduardo agiu e conseguiu uma liminar na Justiça para suspender a penalidade. De acordo com o relatório, a Prefeitura de Natal assumiu uma

Problemas começaram na gestão de Micarla de Sousa, que teve dificuldades para pagar salários

dívida de um parcelamento oriundo da auditoria do MP na ordem de R$ 546.509,59/mês. Com juros e multa esse montante ultrapassa os R$ 600 mil mensais, os quais foram divididos em 60 parcelas. “Vale salientar que a dívida continuou mesmo depois desse parcelamento feito, já durante o período de maio a dezembro de 2012 e 13 salário, que também não foi feito um repasse gerando outra dívida”, destacou o relatório. Só relativo a parte dos servidores foram descontados e não repassados R$ 7.268.237,86. Da parte patronal o débito chegou a R$ 17.874.748,04. Uma preocupação da atual gestão do Natalprev é que a emissão do Certificado de Regularidade Previdenciária continuará condicionada ao permanente cumprimento de todos os critérios e exigências estabelecidas na legislação federal que disciplina a Previdência Social. E para isso acontecer, a Prefeitura terá, necessariamente, que fazer um outro parcelamento, que juntando à dívida já existente vai gerar um débito de mais de R$ 1 milhão por mês. A reportagem tentou contato com os ex-presidentes do Natalprev, Manoel Digézio e Sílvio Eugênio Medeiros, mas não conseguiu o contato.

Problema do repasse vem se arrastando desde 2011 No primeiro semestre de 2012, reportagem da TRIBUNA DO NORTE já chamava atenção para um débito de R$ 9,4 milhões com o Instituto de Previdência dos Servidores do Município. Na ocasião foi dito pela reportagem que para evitar a inadimplência que geraria sanções por parte do Governo Federal, a gestão Micarla se viu obrigada em firmar um acordo de parcelamento que resultou na divisão do montante em 60 vezes de R$ 159,7 mil. O extenso período, estipulado para liquidar a dívida (cinco anos), já se sabia, comprometeria uma verba considerável da próxima administração municipal, independente de quem viesse a vencer a eleição daquele ano. O montante só fez aumentar. O acordo formalizado em novembro de 2011 já não era o único da gestão Micarla de Sousa (PV), muito pelo contrário. Já em 2009, primeiro ano de governo, foi feito um parcelamento em 16 meses para extinguir o débito que na ocasião somava R$ 3,5 milhões. Era setembro. A Prefeitura teve as contas desaprovadas em auditoria do próprio MPS no dia 15. Dia 17 do

mesmo mês foi feita a primeira confissão de débito seguida de parcelamento. A auditora fiscal responsável pelo relatório, Madsleine Leandro, atestou ter havido “apropriação indébita do município”. Micarla e talvez Paulinho Freire e Ney Lopes Júnior podem ter que responder na Justiça por isso. Em 2011, ao se constatar uma nova inadimplência, desta vez de R$ 5,9 milhões, o município fez mais um acordo e optou por dividir a dívida em 16 vezes de R$ 370,9 mil. Naquela ocasião, a falha foi motivada pelo atraso das parcelas patronais (contribuição cabível ao empregador, neste caso à própria Prefeitura) pelo período de setembro a dezembro de 2010 e janeiro de 2011. O então presidente do Natalprev, Sylvio Eugênio de Medeiros, garantiu que os pagamentos foram feitos religiosamente. No entanto, após mais cinco meses sem repassar as contribuições patronais, o município teve que realizar um novo acordo, desta feita com a dívida já mais robusta (de R$ 9,4 milhões), cujo parcelamento estaria sendo liquidado sem sobressaltos, segundo Sylvio Eugênio.

Ministério monitora previdência municipal Os regimes próprios de Previdência, como é o caso da capital potiguar, são monitorados pelo Ministério da Previdência Social (MPS). No caso do Natalprev são dois os fundos onde deverão estar as reservas que garantem a aposentadoria dos servidores municipais. O Funfipre (Fundo Financeiro de Previdência), que custeia

os benefícios dos funcionários admitidos até 30 de junho de 2002; e o Funcapre (Fundo Capitalizado da Previdência, dedicado aos servidores admitidos a partir de 1º de julho de 2002. Com a implantação de planos de cargos, carreiras e salários de diversas categorias, em 2011, os repasses mensais para o Natalprev

pularam de R$ 4,5 milhões para R$ 7 milhões. Bimestralmente são enviados relatórios ao MPS que acabam por atestar ou não a regularidade desses instrumentos regionalizados. De acordo com informações do Cadastro Único de Convênio (Cauc) do Governo Federal, o Certificado de Regularidade Previ-

denciária (CRP) do município de Natal está vencido. Se quiser continuar com o CRP em dia e sem problemas com o Governo Federal, a Prefeitura só tem dois caminhos: adimplir rigorosamente os recursos devidos ou dar continuidade ao ciclo renovando os parcelamentos e engodando o saldo devedor.

[ RELIGIÃO ] Vaticano confirma articulações internas para antecipar processo de escolha do sucessor de Bento XVI. Casa de apostas online aponta cardeal de Gana como favorito

Conclave será antecipado Cidade do Vaticano - O Vaticano informou neste sábado que vários cardeais cogitaram a possibilidade de antecipar para o início de março a data para um conclave para eleger o novo papa, que sucederá o Papa Bento XVI, que renunciou. O porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi - que antes havia dito que o conclave provavelmente ocorreria no dia 15 de março ou logo após esta data, uma vez que o Papa renuncia no dia 28 de fevereiro - disse que o tema tem sido discutido por vários cardeais no últimos dias. O conclave reunirá 117 cardeais eleitores

do mundo todo, que precisarão obter dois terços da maioria dos votos para eleger o novo papa, durante encontro a portas fechadas na Capela Sistina. Lombardi disse ainda que assim que renunciar oficialmente, Bento XVI irá ficar na residência papal de verão no Castelo Gandolfo, perto de Roma, por cerca de dois meses, antes de então ir morar num ex-monastério no Vaticano. "Esperamos quie ele fique lá (no castelo) até o final de abril, início de maio, enquanto a nova residência está sendo renovada", disse. A casa de apostas online irlan-

desa Paddy Power apontava na sexta-feira o cardeal de Gana, Peter Turkson, como favorito para assumir como papa, com retorno 2,75 vezes o valor da aposta no religioso, caso confirmada a escolha no conclave do Vaticano que irá eleger o novo pontífice da Igreja Católica. Em nono lugar, o cardeal de São Paulo, dom Odilo Scherer, era o brasileiro melhor colocado no ranking, com retorno para a aposta nele - caso confirmada - de 16 vezes o valor investido. Na segunda colocação do ranking irlandês, bem próximo de Turkson, aparecia o cardeal arce-

bispo de Milão, Angelo Scola, que retornava três vezes o valor da aposta. Em terceiro, vinha o cardeal canadense Marc Ouellet (4,5 vezes), seguido pelo cardeal argentino Leonardo Sandri (7 vezes), o hondurenho Oscar Rodriguez Maradiaga (12 vezes). O segundo brasileiro entre as apostas era o cardeal Claudio Hummes, em 17º lugar e retorno de 40 vezes.

LEIA MAIS Divisões internas levaram papa à renúncia. Páginas 9 e 10


8 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

geral

Domingo | 17 de fevereiro de 2013


geral

Domingo | 17 de fevereiro de 2013

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

9

Fontes próximas ao Vaticano afirmam que exaustão declarada pelo pontífice está ligada aos confrontos internos e não apenas à idade avançada; corrupção no Banco do Vaticano e roubo de documentos contribuíram para o desgaste

[ RELIGIÃO ]

Disputas levaram papa à renúncia JAMIL CHADE AGÊNCIA ESTADO

idade do Vaticano Cansado e sem energia, mas também isolado politicamente. O papa Bento XVI, oficialmente, renunciou ao pontificado por conta de sua fragilidade. Fontes próximas ao Vaticano, porém, afirmam que a exaustão não tem a ver apenas com a sua saúde, mas também com a disputa de poder

C

que marcou seus últimos meses no trono. A renúncia teria sido uma reação extrema ao que muitos classificam de governo paralelo, que teria se formado à sua sombra e sob comando do cardeal Tarcisio Bertone. Por seus aliados, Bento XVI optou por sacrificar seu próprio cargo, na esperança de recolocar a Igreja num caminho de maior coesão, forçando uma nova eleição. Fontes nas embaixadas esANDREW MEDICHINI

Lombardi lembra que renúncia não foi uma decisão improvisada

Mordomo teria sido usado para acentuar jogo do poder Bento XVI também deu indicações de que poderia rever algumas de suas posições, como a questão do preservativo. Cardeais mostraram-se irritados e se apressaram em negar o debate. Esse não seria o único caso de desobediência. Bertone tomaria medidas à sua revelia, até mesmo punindo aliados do papa. Em uma ocasião, teria chorado. Amigo pessoal do papa, Bertone foi a pessoa que mais recebeu poder dentro da Igreja em 2005. Mas, em alianças com membros da Cúria, teria criado situações em que colocava Bento XVI contra esses cardeais. Para evitar uma disputa direta, o papa optou inicialmente por não questionar as decisões de seu ex-aliado. Mas isso teria ido longe demais. Um dos casos que revelou o poder de Bertone foi o do cardeal Carlo Maria Vigano, que alertou Bento XVI sobre suspeitas de corrupção nos contratos do Vaticano. O caso chegou até a imprensa italiana. Imediatamente, Bertone decidiu nomear Vigano como núncio nos Estados Unidos. Também pesaram a revelação de corrupção no Banco do Vaticano, seguido pelo descobrimento de que próprio mordomo, pessoa que o vestia e estava em sua intimidade, havia roubado documentos que expunham a corrupção na Igreja.

O papa é uma pessoa de grande realismo e conhece os problemas e as dificuldades. A renúncia foi uma mensagem à Cúria, mas também a todos nós” FREDERICO LOMBARDI porta-voz do Vaticano

Para diplomatas, um indício de que Bento XVI não acreditava que o mordomo havia agido sozinho foi sua decisão de perdoá-lo, mesmo depois que um tribunal do Vaticano o condenou. Em agosto, Bento XVI foi à casa que o Vaticano dispõe nos arredores de Roma para descanso. Fontes no Vaticano confirmaram que já naquele momento ele estava isolado. Nos últimos meses, o papa abandonou o confronto. Aos que chegavam com alguma intriga doméstica, respondia: “Eu sou um papa velho”.

LEIA MAIS Conclave é um clube dominado por europeus.Página 10

trangeiras junto à Santa Sé relataram ao Jornal O Estado de S. Paulo, na semana passada, os bastidores dos últimos meses de Bento XVI. Dizem que o papa renunciou de livre vontade, mas consciente de que já não mandava sozinho na Santa Sé e, com os poucos anos que lhe restavam de vida, não conseguiria fazer o que havia planejado diante de resistência de seus ex-aliados no plano de fortalecer a Igreja. De forma indireta, a Santa Sé

confirmou que a fragilidade não vinha de sua saúde. “O papa é uma pessoa de grande realismo e conhece os problemas e as dificuldades”, disse o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi. “A renúncia foi uma mensagem à Cúria, mas também a todos nós”, disse. “Foi um ato de humildade, sabedoria e responsabilidade.” Segundo Lombardi, não havia um problema específico, mas sim uma visão “mais ampla da Igreja no mundo. “Não foi uma de-

cisão improvisada. Foi algo muito lúcido.” A possibilidade de renúncia era cogitada por Bento XVI desde abril de 2012, após viagem ao México e a Cuba. O papa alemão chegou ao trono com a promessa de que conduziria uma limpeza na Igreja. O resultado, porém, foi o oposto e o equilíbrio de poder que havia durante os anos de João Paulo II ruiu. Suas decisões de punir cardeais simplesmente foram ig-

noradas ou levaram anos para serem cumpridas, em um desafio claro ao poder do papa. Foram os casos de Roger Mahony ou de Thomas Curry. Marcial Maciel, fundador dos Legionários de Cristo, foi outro que acabou sendo protegido por anos, apesar das denúncias. Por mais que tenha tentado, Bento XVI jamais conseguiu implementar sua ideia “de tolerância zero” em relação à pedofilia. “Quanta sujeira na Igreja”, chegou a declarar.


10

| Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

geral

Domingo | 17 de fevereiro de 2013

Apesar das mudanças introduzidas nos últimos tempos para modernizar as ações da Igreja e atrair fiéis, o sistema de escolha do papa ainda permanece nas mãos dos cardeais da Europa, maioria no conclave

[ RELIGIÃO ]

Um clube dominado por europeus MAURIZIO BRAMBATTI / AE

BRIAN MURPHY Associated Press

idade do Vaticano (AE) A face da Igreja Católica mudou profundamente durante a vida de Bento XVI. As comunidades católicas do Ocidente são hoje menores e mais velhas, enquanto as da África, da América Latina e de bolsões na Ásia florescem, proporcionando juventude e energia ao catolicismo. Essa transformação, no entanto, não se refletiu na composição do conclave de cardeais que elegerá o próximo papa. A composição do conclave continua - pelo menos no que diz respeito à divisão regional de cardeais - um retrato mais do passado do que um reflexo dos caminhos da Igreja nas últimas décadas. Os europeus ainda dominam o conclave. Eles representam mais da metade dos 117 cardeais que se reunirão na Capela Sistina para a votação. Mas as pressões para a Igreja Católica no século 21 - manchada por escândalos de abusos sexual e perda de influência no Ocidente - podem pesar nas deliberações e nas escolhas dos cardeais. Enquanto o conclave não começa, os católicos se questionam se o papado voltará para um italiano, se irá para outro europeu, para a África ou se atravessará o Atlântico. O papa polonês João Paulo II encerrou 455 anos consecutivos de papado italiano com sua surpreendente eleição em 1978. Ter sucessivos papas não italianos, entretanto, não significa que o momento é propício para outro papa que não seja italiano. Deve haver apoio à volta do papado para um italiano uma vez que a burocracia do Vaticano, conhecida como cúria, precisa de uma mão firme no comando. Como sempre, os italianos estão no controle da rede de escritórios e conselhos que gerencia desde as principais políticas do Vaticano à administração diária da cidade-Estado. As teorias a favor de um papa italiano sugerem que apenas uma pessoa de dentro pode guiar os aliados e influir para trazer reformas para a cúria, cujos líderes recuaram diante da tentativa de reformas de Bento XVI. Enquanto isso, o embaraçoso escândalo do ano passado sobre o vazamento de documentos no Vaticano expôs a má administração no alto nível e a resistência em pressionar para haver uma transparência financeira maior. Com vinte e oito membros, os italianos possuem de longe a maioria dos votos entre os cardeais com menos de 80 anos. Esse número sozinho é maior do que a quantidade de cardeais africanos e asiáticos combinados. Uma possibilidade italiana frequentemente considerada é o cardeal Angelo Scola, de 71 anos, arcebispo de Milão. Scola é conhecido por sua visão conservadora sobre assuntos sociais e de família. Mas ele construiu a reputação de compassivo em relação a problemas como pobreza, provavelmente influenciado por seu trabalho de formação no nordeste da Itália. Scola também parece confortável com a persona pública, necessária ao papado nos dias atuais. Ele ficou famoso por desenvolver uma forma aberta de contato com a população ao atender a qualquer pessoa que o quisesse ver, sem necessidade de marcação prévia, durante o tempo em que foi Patriarca de Veneza de 2002 a 2011. Outro candidato italiano possível é o cardeal Gianfranco Ravasi, diretor do escritório de cultura do Vaticano. Alguns outros também desportam como fortes candidatos.

C

De acordo com informações que circulam nos bastidores do Vaticano,disputas internas entre cardeais,e não só idade avançada,seriam o motivo da renúncia de Bento XVI

CONCLAVE

ANÁLISE

O processo de escolha do Papa

AS TENSÕES INTERNAS DA IGREJA ATUAL LEONARDO BOFF Teólogo, filósofo e escritor

Candidato de linhagem aristocrata Em termos absolutos apenas, os cardeais europeus podem perfeitamente bem decretar que o papado vai permanecer em seu continente se essa for a sua única preocupação. Dos 61 cardeais, mais da metade dos elegíveis para o conclave são europeus. Embora seja pouco provável que apenas a geografia seja um fator decisivo no conclave, ela não está muito longe do pensamento de muitos em relação ao aumento da confiança dos prelados vindos da África e América Latina. Se os poderosos italianos fiéis à Scola ou a outro candidato papal, por exemplo, não obtiverem apoio suficiente, eles podem lançar seu apoio a um colega europeu. Esse tipo de movimento refletiria a zona de conforto da Igreja moderna após os papado polonês e alemão. O problema é que muitas dioceses europeias, como muitas do Ocidente, foram duramente atingidas pelos escândalos de abuso sexual durante a década passada. Embora nenhum dos possíveis competidores papais europeus estejam diretamente implicados, existe a possibilidade de haver uma consideração cuidadosa entre os cardeais sobre que potencial contágio viria junto com a escolha.

Entre os nomes que circulam como escolhas europeias possíveis está o cardeal Christoph Schoenborn, de 68 anos, arcebispo de Viena que foi confrontado por escândalos de abuso sexual na Áustria que incluíam seu antecessor. Schoenborn, de linhagem aristocrata, estudou teologia sob o manto do futuro Bento XVI e é conhecido por sua visão estrita da doutrina da Igreja e tradições. Mas ele sugeriu, durante a crise de abuso sexual em 2010, que o Vaticano empreendesse um exame profundo de como educa seus padres. Ele também atiçou um debate amplo entre os teólogos católicos ao reconhecer a possibilidade de uma evolução divinamente guiada, conhecida como “design inteligente”, que desafia as visões tradicionais da Igreja. ÁFRICA O tamanho relativamente pequeno do bloco africano de 11 membros entre os cardeais votantes não reflete a crescente influência do continente nos assuntos do Vaticano. A previsão é de que o número de africanos católicos possa ultrapassar o de europeus até 2030, possivelmente durante o reinado do próximo papa.

Mesmo assim, o número de cardeais africanos tem permanecido estável nas três últimas décadas. A crescente comunidade católica africana destaca a tendência geral sobre o cristianismo no continente, onde os cristãos têm forte influência sobre a fé dos africanos. As dioceses africanas têm prioridades diferentes das Ocidentais. Elas envolvem questões de pobreza crônica e a tentativa de conciliar os rígidos ensinamentos do Vaticano contra contraceptivos e camisinhas com a necessidade de combater crises causadas pelo excesso populacional e pela aids. Para escolher um papa africano, seria necessário um conclave disposto a fazer uma das mais históricas decisões da Igreja. Um dos que são considerados possíveis candidatos a papa, o Cardeal Peter Turkson, de Gana, afirmou que a perspectiva de um pontífice africano “não está tão longe”. Turkson, de 64 anos, foi escolhido para liderar o escritório do Vaticano para assuntos de justiça e paz em 2009. Mas ele sofreu um grande revés no ano passado, ao ser forçado a pedir desculpas após fazer alarmantes previsões sobre o crescimento do Islamismo na Europa.

Adital - Não me proponho apresentar uma balanço do pontificado de Bento XVI,coisa que foi feito com competência por outros.Para os leitores talvez seja mais interessante conhecer melhor uma tensão sempre viva dentro da Igreja e que marca o perfil de cada Papa.A questão central é esta:qual a posição e a missão da Igreja no mundo? Antecipamos dizendo que uma concepção equilibrada deve assentar-se sobre duas pilastras fundamentais:o Reino e o mundo. O Reino é a mensagem central de Jesus,sua utopia de uma revolução absoluta que reconcilia a criação consigo mesma e com Deus.O mundo é o lugar onde a Igreja realiza seu serviço ao Reino e onde ela mesma se constrói.Se pensarmos a Igreja demasiadamente ligada ao Reino,corre-se o risco de espiritualização e de idealismo.Se demasiadamente próxima do mudo, incorre-se na tentação da mundanização e da politização. Importa saber articular ReinoMundo-Igreja.Ela pertence ao Reino e também ao mundo.Possui uma dimensão histórica com suas contradições e outra transcendente. Como viver esta tensão dentro do mundo e da história? Apresentam-se dois modelos diferentes e,por vezes, conflitantes:o do testemunho e o do diálogo.O modelo do testemunho afirma com convicção:temos o depósito da fé,dentro do qual estão todas as verdades necessárias para a salvação;temos os sacramentos que comunicam graça;temos uma moral bem definida;temos a certeza de que a Igreja Católica é a Igreja de Cristo,a única verdadeira;temos o Papa que goza de infalibilidade em questões de fé e moral;temos uma hierarquia que governa o povo fiel;e temos a promessa de assistência permanente do Espírito Santo.Isto tem que ser testemunhado face a um mundo que não sabe para onde vai e que por si mesmo jamais alcançará a salvação.Ele terá que passar pela mediação da Igreja,sem a qual não há salvação. Os cristãos deste modelo,desde Papas até os simples fiéis,se sentem imbuídos de uma missão salvadora única.Nisso são fundamentalistas e pouco dados ao diálogo.Para que dialogar? Já temos tudo.O diálogo é para facilitar a conversão e é um gesto de civilidade.O modelo do diálogo parte de outros pressupostos:O Reino é maior que a Igreja e conhece também uma

realização secular,sempre onde há verdade,amor e justiça;o Cristo ressuscitado possui dimensões cósmicas e empurra a evolução para um fim bom;o Espírito está sempre presente na história e nas pessoas do bem;Ele chega antes do missionário, pois estava nos povos na forma de solidariedade,amor e compaixão. Deus nunca abandonou os seus e a todos oferece chance de salvação, pois os tirou de seu coração para um dia viverem felizes no Reino dos libertos.A missão da Igreja é ser sinal desta história de Deus dentro da história humana e também um instrumento de sua implementação junto com outros caminhos espirituais.Se a realidade tanto religiosa quanto secular está empapada de Deus devemos todos dialogar:trocar,aprender uns dos outros e tornar a caminhada humana rumo à promessa feliz,mais fácil e mais segura. O primeiro modelo do testemunho é da Igreja da tradição,que promoveu as missões na África,na Ásia e na América latina,sendo até cúmplice em nome do testemunho da dizimação e dominação de muitos povos originários,africanos e asiáticos.Era o modelo do Papa João Paulo II que corria o mundo, empunhando a cruz como testemunho de que ai vinha a salvação.Era o modelo,mais radicalizado ainda,de Bento XVI que negou o título de“Igreja”às igrejas evangélicas,ofendendo-as duramente;atacou diretamente a modernidade pois a via negativamente como relativista e secularista.Logicamente não lhe negou todos os valores mas via neles como fonte a fé cristã.Reduziu a Igreja a uma ilha isolada ou a uma fortaleza,cercada de inimigos por todos os lados contra os quais importa se defender. O modelo do diálogo é do Concílio Vaticano II,de Paulo VI e de Medellín e de Puebla na América Latina.Viam o cristianismo não como um depósito,sistema fechado com o risco de ficar fossilizado,mas como uma fonte de águas vivas e cristalinas que podem ser canalizadas por muitos condutos culturais,um lugar de aprendizado mútuo porque todos são portadores do Espírito Criador e da essência do sonho de Jesus.O primeiro modelo, do testemunho,assustou a muitos cristãos que se sentiam infantilizados e desvalorizados em seus saberes profissionais;não sentiam mais a Igreja como um lar espiritual e, desconsolados,se afastavam da instituição mas não do Cristianismo .


Domingo | 17 de fevereiro de 2013

quadrantes

| Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 11

JOSÉ ARNO GALVÃO [ Advogado – da ALEJURN ]

Sossegando uebrando a promessa que fiz a Osair Vasconcelos de não mais escrever sobre carnaval, tenho algo a dizer. Este ano, seguindo o exemplo de tantos foliões aposentados, fiquei em casa nesse período. E não me arrependi, pois não vi nem ouvi nenhum ruído, nenhum barulho, nenhum batuque, nada mesmo, que lembrasse que estávamos naquilo que a imprensa chama de período momesco. Que diferença do “meu” tempo! Tempo do carnaval com cheiro próprio e com músicas que variavam de ano para ano e eram elaboradas exclusivamente para essa época. Tempo em que os clubes, à frente o Aero, seguido pelo América e pelo ABC, além dos menores como a ASSEN, o Ícaro, o Atlântico, o Alecrim, se esmeravam nas pré-

Q

vias, festas que se seguiam ao baile da virada de ano, ele mesmo transformado em uma primeira prévia depois da meia-noite. Nessas festas, adquiria-se preparo físico para enfrentar os dias de “reinado” de Momo, que chegava a emplacar uma semana e que fazia os mais velhos saírem brincando em blocos de sujos, em que se disfarçavam ou vestiam saias e iam visitar incógnitos os amigos, enquanto os jovens enfrentavam os “assaltos” aprazados pelos seus blocos, para os quais contribuíam com a música e a dança, enquanto os donos da casa entravam com a comida e a bebida... e a meninas que acompanhavam os foliões. Quem não queria brincar tinha, como meu pai, a opção do retiro espiritual. Ou preferiam as praias, que nessa época estavam ao aban-

dono. Os blocos para os quais bastavam uma carroça de transportar cana atrelada a um trator e cuja orquestra era constituída de um sax, um trombone, um bombo e um tarol, tocando frevos e marchas, foram substituídos pelos trios elétricos que tocam axé numa altura de ensurdecer, músicas conhecidas e que não são renovadas. Não se trata de saber se era melhor ou pior que agora; era diferente. A lança-perfume não era usada apenas para porres; utilizavase, também, para refrescar o calor e para chamar a atenção das moças. Realmente, os bailes conheciam um ambiente diferente das festas rotineiras, pois, além das fantasias que cada um confeccionava, o perfume espalhado pelas lanças dava à atmosfera uma conota-

Os sambas e sambas-canções de antigamente foram sendo substituídos pelo samba-enredo das escolas de samba, músicas que de tão parecidas, cantadas pelas vozes semelhantes dos puxadores, o que faz com que se possa adormecer na frente da televisão e acordar depois com a sensação de estar vendo a mesma coisa"

ção diferente, que, como assinalou Ticiano Duarte recentemente, era responsável pelas miragens que nos acometiam nos dias que se seguiam ao carnaval, dias em que nos parecia sentir o perfume embriagador do éter e ouvir as canções entoadas pela orquestra. Hoje verifica-se uma falta de renovação do repertório do carnaval. Os sambas e sambas-canções de antigamente foram sendo substituídos pelo samba-enredo das escolas de samba, músicas que de tão parecidas, cantadas pelas vozes semelhantes dos puxadores, o que faz com que se possa adormecer na frente da televisão e acordar depois com a sensação de estar vendo a mesma coisa, pois a diferença estará nas cores predominantes dos sambistas. E as marchas e frevos pernambucanos, que antes conheciam uma renovação todo ano, a ponto do justificar o lançamento de um novo disco pelo conhecido mestre Capiba, deixou de ser composto, levando a que os foliões se limitem a entoar velhas canções de todos já conhecidas. O jeito é cantar como o poeta: Oh, que saudade que tenho...

NELSON PATRIOTA [ Escritor ]

*ROBERTO LUIZ D’AVILA

Falsas promessas na Saúde

Rizolete e a arte da crônica leve e enxuta

o Brasil da atualidade, na área da saúde, vê-se o renascimento das falsas promessas que não se dobram aos argumentos lógicos. A preocupação não está nos resultados que tragam fôlego ao Sistema Único de Saúde. Em lugar disso, o apelo deve assegurar o interesse imediato – seja qual for. Preocupa-nos ver importantes setores da sociedade embarcarem nessa jornada insólita, considerando-se que saúde pública se faz com investimentos contínuos e gestão competente. Pela própria complexidade do tema, as soluções mirabolantes não têm espaço. Em janeiro, mais uma vez, o governo federal simplifica a questão da ampliação do acesso à saúde, atrelando-a à suposta falta de médicos. Para tanto, fez aliados entre os recémeleitos que, pressionados, passaram a defender a importação de profissionais. Essa foi a tônica de recente manifestação da Frente Nacional dos Prefeitos, realizada em Brasília. Não somos contra essa medida, desde que os portadores de diplomas obtidos no exterior sejam submetidos ao Revalida. Esta é a solução para garantir o ingresso, no país, de profissionais minimamente preparados para atender nossa população, haja vista que este exame mede com a mesma régua o candidato formado na América Latina, na Ásia ou na Europa. Entra aquele que tiver bom desempenho. Quem não passar, precisa estudar mais, se preparar melhor para a laA criação de buta. Se no Brasil enfrenta- uma carreira mos sérios problemas pública com o sistema formador específica no de médicos, a situação âmbito do SUS não deve ser melhor em é a saída real outros países. Se aqui te- para o país. Afinal, mos dificuldades de en- o que o Brasil quadrar essas escolas e precisa não é da exigir mais dos egressos interiorização das salas de aula, em ou- do médico, tros lugares ações desse mas, sim, da tipo são impossíveis. Mas assistência além da importação pu- à saúde" ra e simples de profissionais, questionamos também outros pontos sobre os quais os autores da ideia não tecem comentários. Esses médicos “importados” terão condições de trabalho reais e imediatas (infraestrutura, insumos, apoio de equipes multidisciplinares)? O paciente por eles tratado terá garantido acesso facilitado a outros exames e a leito de internação? Sem progressão funcional, com vínculos empregatícios precários e distantes dos centros de formação continuada, eles realmente se fixarão nas zonas de baixa cobertura assistencial? Quem garante que ficarão no interior para sempre? O dilema por eles encontrado será o mesmo dos médicos formados no Brasil: podem até aceitar o desafio, mas diante da falta de estrutura e perspectivas buscarão abrigo nas grandes cidades, acirrando o cenário de desigualdade na distribuição dos profissionais. Os estudos mostram que contamos com médicos em quantidade suficiente para atender nossas necessidades, mas por conta da falta de políticas públicas, eles evitam as áreas mais pobres e o serviço público. Esperamos que a lógica e o bom-senso prevaleçam. O governo precisa entender sua responsabilidade de dotar o Estado de medidas estruturantes, sem apelar para o caminho do imediatismo midiático. A criação de uma carreira pública específica no âmbito do SUS é a saída real para o país. Afinal, o que o Brasil precisa não é da interiorização do médico, mas, sim, da assistência à saúde. Ou seja, garantir a presença de profissionais, de infraestrutura e de uma rede integrada, levando reais benefícios para a sociedade.

uando os fatos que se sucedem, não em âmbito geral, mas doméstico, começam a chamar a nossa atenção, então nos tornamos cronistas. A leitura de “Cotidianas” (Sarau das Letras, 2012), de Rizolete Fernandes, mostra que foi esse o caminho que a autora, também poetisa, trilhou para abraçar a crônica, ou seja, a descrição de fatos circunscritos à sua vida pessoal ou de amigos próximos, à vida de seu bairro etc. A arte desse gênero reside em respeitar os limites: nunca falar de si além do estritamente necessário à compreensão do tema em destaque, que nunca pode ser o si mesmo. Veja-se, por exemplo, a crônica intitulada “A gargalhada de Vanja”. O que acontece, de fato, nesse texto ambientado num espaço situado entre “a minha casa e o calçadão da avenida onde diariamente caminho”? Um encontro com uma senhora de idade avançada que precisa cruzar uma rua e que encontra na cronista a ajuda de que necessitava. A partir daí forma-se uma relação de amizade e companheirismo entre ambas. A idosa, cuja identidade se esgota no nome “Vanja”, se torna tão habituada a contar com a ajuda da cronista que, ao vê-la, certa vez, a distância, prorrompe numa estrepitosa gargalhada. E tem-se o desfecho da crônica. A discrição é, aliás, um dos traços distintivos das narrativas de Rizolete. Um amigo a convida para um jantar, outro lhe oferece uma muda de planta, um francês lhe escreve; ou acontece de ela deparar com um amigo que não via desde algum tempo ou de ouvir um comentário interessante que lhe remeteu à famosa Lei de Murphy, e eis que “Desses surge uma contribuição pers- encontros picaz de uma amiga a esse fortuitos, mundo de leis e normas oficiais providenciados e oficiosas que regem nosso dia pela ordem a dia. Seu curioso nome é “lei oculta da vida, da implicância natural das coi- nasce a crônica, sas”, que trata de situações em sem que os que as coisas – quaisquer que nomes por trás sejam – parecem conspirar desses acasos precisem ser contra nós. Desses encontros fortuitos, tornados providenciados pela ordem públicos. Basta oculta da vida, nasce a crônica saber que, desde de Rizolete, sem que os nomes suas existências por trás desses acasos precisem comuns, eles ser tornados públicos. Basta sa- podem interagir ber que, desde suas existências com a cronista comuns, eles podem eventual- em seu mente interagir com a cronista cotidiano”. em seu cotidiano – daí porque o livro porta o nome de “Cotidianas”. Daí se conclui que a crônica não tem de estar a reboque de uma forma pré-fabricada. Pelo contrário, é um gênero onde reina a máxima liberdade de motivos. Por exemplo, quando a cronista firma posição contra vento e maré e decide abolir o celular de sua vida, na esteira de uma campanha promovida pelo escritor Alex Nascimento. A crônica intitulada “Se eu usasse celular” serve de exposição de motivos da escritora para se posicionar sobre essa questão. Motivo análogo leva Rizolete a se reconhecer mais uma vez em minoria, na crônica “Onde o calor do abraço?”. Dessa vez, ela se descobre entre aqueles poucos leitores que preferem um texto escrito, uma agenda de papel, aos que elegeram o tablet, o smartphone, enfim o computador e derivados como suas plataformas preferenciais de leitura. E novamente traz a público suas razões. Nenhum problema que o cronista firme uma posição, se a defende de modo civilizado e convincente. Até porque permite ao leitor ver o contraditório por trás de uma ideia aparentemente institucionalizada e unânime. Sob esse aspecto, Rizolete faz uma crônica pedagógica, valorizando o espaço que o jornal lhe oferece e reunindo material suficiente para enfeixá-lo em livro. Enfim, se a crônica diverte, faz pensar, põe em xeque valores de momento, questiona as certezas do leitor e propõe outros modos de ver as coisas, nesse caso as crônicas que Rizolete Fernandes reuniu em seu livro “Cotidianas” é uma amostra bastante representativa do gênero entre nós.

N

* presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM)

Q

CLÁUDIO EMERENCIANO [ Professor da UFRN ]

Antes do anoitecer homem alcança a imensidade das coisas desvendando seu sentido. Tudo na vida tem um sentido. Por mais contraditório, inaceitável, absurdo, o declínio de hoje é o ponto de partida da ascensão de amanhã. Se o homem permitir que a beleza do mundo nele habite, com suas variações de cores, enleadas por sinfonias da própria natureza, das cigarras aos pássaros, das cotovias e dos bem-te-vis, dos aromas paradisíacos de rosas, jasmins e margaridas, do desabrochar sem fim de flores em todos os lugares, do hálito da terra molhada pela chuva, do cheiro das brisas do mar, dos ventos que sacodem o manto tecido por lírios dos campos, canaviais e girassóis, campos de trigo ondulando, copas de árvores tremulando, a placidez dos rios que fecundam e fertilizam suas margens, a ilimitada variação do verde nas montanhas, nos vales, nas planícies, nos campos e nas cidades, estrelas que cintilam desde o esmaecer do dia, o assobio do vento que previne, anuncia ou acalma, tudo isso, e muito mais, dizia Vincent Van Gogh, inebria a alma, os sentimentos, a percepção e é susceptível de incorporar-se ao âmago de cada um, inspirando seu viver. Eis o desafio essencial da humanidade: vivenciar a dimensão e o real sentido da vida. Desfrutá-la em harmonia com a Criação. A paz explicita a manifestação ampla, absoluta, infinita do amor de Deus aos homens: “Eu vos deixo a Paz, Eu vos dou a minha Paz” (João 14, 27). O sentido da vida é a paz. Paz individual. Paz coletiva. A violência é a negação da vida. A violência dos dias de hoje, em escala planetária, difundida pela internet e pela televisão, sonega à humanidade o discernimento, a identificação e a busca dos seus objetivos existenciais. Submete-a a um ritmo incontrolável e insano de consumo, de vínculos materiais, hipócritas, falsos, desonestos e iníquos. Subverte, deforma e amesquinha valores e princípios. Pode erodir e debilitar a consciência de grandeza da condição humana. Não é esse o fim da civilização. Os poetas, desde Homero, souberam captar e exaltar a beleza da vida. George Sand (francesa), num dos seus mais fascinantes poemas, diz que a beleza ilimitada da aurora, que ela contemplou com Chopin em Majorca (Espanha), infunde ternura, êxtase e esperança nos homens. Mas aquele momento, antes do anoitecer, quando o sol parece esconder-se, reclinar-se, emoldurando a abóbada celeste com cores que variam entre o violeta e o azul anil, o mundo parece parar, estagnar-se, entregar-se para uma reflexão na vertente dos tempos. Todos os dias. E - dizia Confúcio- poucos homens se apercebem dessa circunstância. George Sand a consagrou, exaltandoa como o monumento diário da paz. A natureza se ergue ao infinito para proclamar que a paz é a linguagem entre Deus e os homens. Paz na mente e nos corações. Eis por que Erich Maria Remarque, em seu “Nada de Novo no Front” (romance da Primeira Guerra), descreve o cessar fogo nesse instante de fim do dia. Os combatentes se rendiam à majestade da ocasião. É o que Nagib Mahfus (egípcio, Nobel da literatura) em sua trilogia “Entre dois Palácios”, “O Pa-

O

lácio dos desejos” e o “Jardim do Passado”, também ressalta. Esse entremeio, tênue, passageiro, fugaz, entre o dia e a noite, é algo místico, mítico e telúrico na cultura árabe. Thomas Edward Lawrence, em “Os seMas aquele momente pilares da sabedoria”, to, antes do anoitetambém identificara a mescer, quando o sol pama coisa entre os povos nôrece esconder-se, mades do Saara. É a menreclinar-se, emoldusagem da eternidade. Cirrando a abóbada cecunstância propícia ao desleste com cores que pojamento das vulgaridavariam entre o violedes do mundo. Momento ta e o azul anil, o que capta o cintilar da etermundo parece parar, nidade. estagnar-se, Uma das mais encantaentregar-se para doras, pujantes e expressiuma reflexão na vervas descrições de Ernest Hetente dos tempos.To- mingway (Nobel da literados os dias. E - dizia tura) está em “As neves do Confúcio- poucos hoKilimanjaro”. A savana afrimens se apercebem cana parece sequer não resdessa circunstância. pirar. O vento cessa. Os aniGeorge Sand a conmais silenciam. Nada se sagrou, exaltando-a agita. O dia se despede. No como o monumento horizonte, numa extremidiário da paz. A natudade a oeste, o sol lentareza se ergue ao infimente se esconde, enquannito para proclamar to, a partir do leste, ergueque a paz é a linguase o manto escuro da noigem entre Deus e os te. A paz reina em tudo e tohomens. Paz na mendos naquele instante. Cirte e nos corações. Eis cunstâncias universais. Jopor que Erich Maria sé Lins do Rêgo as descreRemarque, em seu veu em “Menino de Enge“Nada de Novo no nho”, enquanto Érico VeFront”(romance da ríssimo, em “O Tempo e o Primeira Guerra), vento”, diz que era quando descreve o cessar fo“a gauchada descortinava go nesse instante de o infinito”. Mas os geniais fim do dia. Os comAntônio Maria e Nelson batentes se rendiam Rodrigues, irônicos, roà majestade da ocamânticos e satíricos, vinsião. culavam-nas aos amores clandestinos do fim do dia. Estabeleceram e definiram semelhanças existenciais entre os cariocas e os parisienses. Emile Zola, por exemplo, captou e descreveu o espírito da “Belle Époque” através de uma prostituta – “Naná” - e um escroque – “Bel Ami” –, cujas vidas são a síntese do que Marcel Proust chamou de “tempo perdido”. Collette e Maupassant, na mesma vertente, retrataram um estilo de vida parisiense que sobrevive há mais de 130 anos. Recentemente Woody Allen revisitou esse estado de espírito e esses valores de forma magistral em filme mágico, intemporal e fascinante. Mas não nos esqueçamos que as crônicas de Rubem Braga imantaram a beleza natural do Rio de Janeiro, aquele paraíso que inebriou Stefan Zweig, à condição humana do carioca. Apesar de tudo...


12

geral Natal | Rio Grande do Norte| Domingo | 17 de fevereiro de 2013

Economista de 48 anos de idade que procura demonstrar vitalidade nos palaques, prefere prestação de contas a promessas eleitorais e se define como candidato de esqueda, lidera as pesquisas de intenção de voto para presidente

[ EQUADOR ]

Rolo compressor entra na campanha GONZALO SOLANO Associated Press

uito (AE) - Em cima do palanque, Rafael Correa dança, canta e esbanja vitalidade. O presidente equatoriano não faz promessas em sua campanha pela reeleição. Ele vai muito além delas. Com as bravatas que lhe são características, Correa lembra à multidão entusiasmada em um bairro no norte de Quito dos cerca de 8 mil quilômetros de estrada que foram melhoradas e das escolas e dos hospitais construídos nos seis anos em que está no governo. Odiado pelos defensores das liberdades civis e do livre mercado e amado pelos novos beneficiários da ação do Estado nos últimos anos, o economista de esquerda de 48 anos de idade é o favorito para vencer as eleições presidenciais de domingo no Equador. Ao longo dos últimos anos, Correa proporcionou estabilidade política a um país que viveu pouco mais de uma década de desgoverno, com sete presidentes entre 1997 e 2007. Correa encontra-se à frente do mais generoso regime de gastos públicos da América Latina e implementou uma política de juros baixos para financiamento de imóveis, além de bolsas de estudo pagas pelo governo no exterior e um programa de bem-estar social que no momento beneficia quase um em cada cinco equatorianos.

Q

Odiado pelos defensores do livre mercado, mas amado pela população pobre, Rafael Correa é favorito nas eleições deste domingo

O apoio a Correa baseia-se nas camadas mais pobres da população e na classe média baixa. Em 2010, esses estratos representavam respectivamente 37% e 40% da população equatoriana, segundo dados do Banco Mundial. Correa, no entanto, não considera esse apoio como favas contadas Todos os sábados - e também algumas noites durante a semana -, Correa usa as

ondas do rádio e na televisão para divulgar sua “revolução cidadã” e cutucar verbalmente seu inimigos “oligarcas”. O “socialismo do século 21” praticado por Correa é uma variação sutil do lançado por Hugo Chávez na Venezuela, mas o equatoriano mantém o mesmo discurso combativo em relação à atuação da imprensa. Desde que chegou ao poder,

Correa passou a mover ações por calúnia na justiça contra jornalistas que o acusaram de ser um “ditador”. Ao mesmo tempo, Quito tem acusado de sabotagem líderes indígenas que organizaram protestos contra o governo por sua recusa em consultar os povos nativos com relação a direitos à água e pela insistência em abrir o Equador à mineração de metais precio-

sos em larga escala. Grace Jaramillo, uma cientista política equatoriana que estuda no Canadá, acusa Correa de ter feito o estado de direito regredir no país ao politizar o poder judiciário. “Sem um judiciário independente, qualquer um que se oponha ao governo corre o risco de se tornar uma presa”, declarou. Grupos de defesa de direitos hu-

manos como a Anistia Internacional (AI) alegam que Correa criminalizou o protesto pacífico. Ainda assim, apenas um punhado de opositores poderia ser chamado de prisioneiro político no Equador. A imprensa local, por sua vez, concentra seu foco em Correa à medida que o Estado expande o número de veículos de comunicação em suas mãos. Quando assumiu o poder, somente a Rádio Nacional era estatal. Hoje, o governo equatoriano possui cinco canais de televisão, quatro estações de rádios, dois jornais e quatro revistas. Em campanha, o alto e dinâmico líder equatoriano atrai a atenção de seus seguidores. “Vocês querem a volta do velho Equador de escolas e hospitais em greve?”, pergunta ele num comício. “Vocês querem o país nas mãos das mesmas pessoas que o arruinaram?” “Não”, respondem os cerca de 5 mil presentes a um comício na região norte de Quito em janeiro. “Vocês sabem que deste lado estão as pessoas que sempre cumpriram suas promessas, que nunca vão decepcionar vocês”, prossegue Correa. Veronica Bermudez, uma dona de casa de 53 anos, é uma das mais entusiasmadas no comício. “Ele nos deu renda, nos deu saúde gratuita, se preocupa com a educação dos nossos filhos”, diz ela “Como seria possível não o amar?”

“Bolsa-Família”dá R$ 100 a pobres,idosos e mães solteiras Ao todo, 1,9 milhão de equatorianos recebem o equivalente a pouco mais de 100 reais por mês do governo: mães solteiras, idosos e famílias necessitadas. As crianças recebem gratuitamente uniformes e materiais. Nos hospitais públicos, o tratamento e os remédios são gratuitos para a população de baixa renda. Tais fatores contribuem para a elevada popularidade de Correa, atualmente em 56%. As pesquisas de intenção de voto mostram Correa com pelo menos 40% de apoio, sempre à frente de seus concorrentes. O segundo colocado, Guillermo Lasso, não chega a 20% das intenções de voto. Lasso, que deixou a presidência executiva do Banco de Guayaquil para enfrentar Correa nas urnas, promete baixar os impostos das empresas que gerarem empregos e abolir uma taxa de 5% sobre o capital que deixa o país. Ao passo que uma reforma tributária implementada por Correa é considerada responsável por desencorajar investimentos estrangeiros e enfraquecer os bancos, o desemprego caiu de 9,82% em janeiro de 2007 para 4,71% em novembro do ano passado. O produto interno bruto (PIB) equatoriano, enquanto isso, cresceu 5,2% em 2012 enquanto a maior parte dos países do mundo ainda patina na crise. O preço do petróleo em torno de US$ 100 por barril tem sido benéfico para o Equador, cujos recursos petrolíferos representaram mais da metade das exportações nos últimos anos. As receitas com petróleo cobrem 20% do orçamento nacional. Com isso, o Equador liderou a proporção de gastos públicos em programas sociais na região em 2011, reinvestindo 11,1% do PIB, à frente dos 10,8% da Bolívia. Ao passo que os programas sociais deixam contente uma grande parcela da população, Correa tem dificuldade para conter uma

crescente sensação de vulnerabilidade ao crime por parte dos equatorianos. Da mesma forma que é criticado por fustigar os grupos privados de mídia, Correa surpreendeu o mundo no ano passado ao conceder asilo ao jornalista australiano Julian Assange, fundador e editor-chefe do WikiLeaks, uma plataforma dedicada ao vazamento de informações sigilosas de governos e empresas. O asilo a Assange, que está refugiado na Embaixada do Equador em Londres, causou fricção com os governos do Reino Unido, da Suécia e dos Estados Unidos. Mas a crise mais grave en-

Votarei em Correa até morrer, pois ele é o único que faz alguma coisa pelos pobres" MANUEL SIGCHA Comerciante

frentada pela administração Correa desde que assumiu o governo equatoriano foi interna: em setembro de 2010, um motim de policiais terminou com 12 pessoas mortas e uma tropa de elite do exército precisou resgatar Correa em um hospital submetido a cerco pelos amotinados. Do episódio, a imagem que ficou foi a de Correa em uma janela, com o peito pra fora, desafiando os policiais amotinados a atirarem nele. Atos como este ajudaram a cimentar a popularidade de Correa junto a pessoas como o comerciante Manuel Sigcha, de 26 anos. “Ele é o melhor presidente que tivemos desde que nasci. Votarei em Correa até morrer, pois ele é o único que faz alguma coisa pelos pobres.”


economia DÓLAR COMERCIAL Compra: R$ 1,9660 Venda: R$ 1,9670 DÓLAR PARALELO Compra: R$ 2,02 Venda: R$ 2,11

POUPANÇA HOJE 0,5000% CDB 6,99% BOVESPA

SALÁRIO MÍNIMO

R$ 678,00

Receita: 3220-2200 Procon Estadual: 3232-6869 Procon Municipal: 3232-9050 DRT RN: 3220-2000

TAXA SELIC -0,3%

TELEFONES ÚTEIS

7,25%

ENTREVISTA

A economista Tania Bacelar faz uma análise sobre o desenvolvimento do Nordeste. PÁGINA 7 DÓLAR TURISMO Compra: R$ 1,9200 Venda: R$ 2,0700 EURO Compra: R$ 2,5570 Venda: R$ 2,7300

Editora: Renata Moura E-mail: renatamoura@tribunadonorte.com.br

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE Domingo • 17 de fevereiro de 2013

Com um orçamento insuficiente para atender a demanda de projetos do Nordeste, a autarquia, recriada há quase seis anos, tem o papel questionado por especialistas. No RN, valor aplicado nos últimos anos foi mínimo. [ DESENVOLVIMENTO ]

Falta de recursos limita a nova Sudene MARCOS GARCIA/JORNAL DE FATO

ANDRIELLE MENDES Repórter

ecriada há quase seis anos para estimular o desenvolvimento da região, a Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) tem tido a atuação limitada pela falta de recursos. A autarquia federal, vinculada ao Ministério da Integração, teve um papel fundamental no crescimento do Nordeste, mas sofreu um processo de esvaziamento nos últimos anos. Primeiro, de poderes. Depois, de estrutura. O número de funcionários caiu de três mil para 160 e todos os escritórios, incluindo o do Rio Grande do Norte, foram fechados. Só a sede, em Recife, permanece aberta. A Sudene perdeu o poder de executar grandes obras no Nordeste, no norte de Minas Gerais e do Espírito Santo, e passou a levar as demandas dos estados onde atua para os Ministérios, com outras prioridades. Hoje, a autarquia criada pela equipe do economista Celso Furtado no governo de Juscelino Kubitschek tem que dividir o bolo de R$ 3 bilhões entre os estados onde atua. O montante, que está dentro do Fundo do Desenvolvimento do Nordeste (FNDE), está previsto no orçamento para 2013 e é quase quatro vezes me-

R

nor que o FNE, Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste, operacionalizado pelo Banco do Nordeste (BNB) e com papel complementar. O orçamento, que precisa atender a necessidade de onze dos 26 estados brasileiros, é dez vezes menor que o previsto para executar um só projeto no Sudeste, o trembala. Único projeto de trem de alta velocidade em andamento no país, o trem-bala deve custar cerca de R$ 30 bilhões. Boa parte deste dinheiro virá do Tesouro Nacional, de onde também vem o dinheiro destinado à Sudene. Para Tânia Bacelar, que foi por 20 anos economista da Sudene e coordenou o Grupo de Trabalho de Recriação da autarquia, o valor não dá para atender nem de longe as necessidades da região que mais cresce no país. DISTRIBUIÇÃO Mas não é só o valor que é alvo de questionamentos. A distribuição dele também o é. Estados menos dinâmicos como o Rio Grande do Norte têm abocanhado uma fatia bem pequena deste bolo. Estados com o RN, por sua condição econômica, deveriam ser o alvo da política de incentivos da Superintendência, reconhece Henrique Tinoco, diretor de Gestão de Fundos e Incentivos e de Atração de Investimentos da Sudene, mas o es-

NÚMEROS

R$ 3

Bilhões.É o orçamento que a Sudene terá este ano para atender as necessidades da região.

0,94% Dos R$ 5,07 bilhões contratados com a Sudene foram destinados ao Rio Grande do Norte.

tado só ficou com 0,94% (R$ 47,9 milhões) dos R$ 5,07 bilhões contratados em empreendimentos ou em fase final de contratação dentro do FNDE, segundo números da própria autarquia. O RN foi o que menos recebeu recursos do Fundo de Desenvolvimento do Nordeste (FNDE) entre os estados que já receberam (RN, CE, BA e MA). Se dividido igualitariamente, cada um dos onze estados onde a Sudene atua deveria ter recebido R$ 460,95 milhões cada, ou seja, 9,09% do total distribuído. A realidade, no entanto, é bem diferente. Só Pernambuco levou 33,16% deste montante - dinheiro que vai financiar a instalação da montadora Fiat. O

Ceará abocanhou outros 10,42%. O montante destinado a Pernambuco e ao Ceará é ainda maior, considerando que os dois estados também foram contemplados com recursos da Transnordestina, um investimento de R$ 2,67 bilhões, a ser aplicado no Piauí, Pernambuco e Ceará, e que vai beneficiar diretamente 19 municípios no Piauí, 28 no Ceará e 34 em Pernambuco. “A Sudene foi criada para reduzir o hiato inter-regional. A preocupação com as desigualdades intra-regionais eram trazidas pelos governadores, ao seu Conselho Deliberativo. Mas os recursos dos incentivos, por exemplo, se concentraram fortemente na Bahia, Pernambuco e Ceará. Como se vê, o debate sobre o desenvolvimento regional não pode ser feito em uma única escala – a da macro região – pois a desigualdade herdada é muito grande e sai se reproduzindo em várias escalas”, alerta Tânia Bacelar. Os especialistas não questionam apenas a distribuição dos recursos do FNDE. A atuação da Sudene também virou alvo de questionamentos. Outra vez.

LEIA MAIS Falta de estrutura é alvo de críticas. Página 3.

Fábrica de revestimentos em Mossoró é a única do RN financiada


2

| Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

economia

Domingo | 17 de fevereiro de 2013

LUCIANO RAMOS [ Mestre em Direito do Estado.Procurador-Geral do Ministério Público junto ao TCE/RN ]

Negócios &Finanças LUIZ ANTÔNIO FELIPE laf@tribunadonorte.com.br

Aplicações em 2013 revista Exame traz, como matéria de capa - em todo começo de ano -, um roteiro para investidores com o título “Onde investir em 2013”. Inicialmente fala de planejamento para ganhar dinheiro com juros em baixa e crescimento modesto. Em ações, a revista diz que um dos maiores investidores da Bovespa está “comprando adoidado” e, com relação a imóveis a dica é comprar apartamento para alugar que voltou a ser um bom negócio. Por último, analisando a aplicação em fundos diz que os gestores driblaram a queda da bolsa – e onde eles aplicam agora.

A

NEGÓCIOS A indústria Afical teria sido negociada a outro grupo. A empresa fica no Distrito Industrial, entre Parnamirim e Macaíba e está paralisada. A fábrica trabalhava com biscoitos wafflews, importado da China e mel processado. O valor da transação não foi revelado.

Eólica (I)

Eólica (II

Vai aumentando de forma exponencial a capacidade de geração de energia eólica no mundo. Em 2012 o crescimento foi de 18,6%, em relação a 2011, totalizando 282,48 mil MW (megawatts). De acordo com levantamento do GWEC (Conselho Global de Energia Eólica), a China continua liderando a lista dos maiores geradores eólicos do mundo, com capacidade instalada de 75,5 mil MW.

Os Estados Unidos se destacaram entre os maiores produtores eólicos do mundo, com crescimento de 27,8% da capacidade instalada, somando 46,9 mil MW ao fim de 2012. Com crescimento de 75,2% da capacidade instalada, na comparação com 2011, o Brasil fechou o ano com 2,5 mil MW instalados de energia eólica. Tem muito mais a incorporar até 2015.

PORTOS Representantes do setor portuário tentam sensibilizar o governo para alterar a medida provisória que muda as regras de operação dos portos brasileiros (MP 595). o Rio Grande do Norte teria a oportunidade de atrair investidores um porto privado, para qualquer tipo de carga.

VIAGENS O ministro da Fazenda já afirma que o governo brasileiro não permitirá que o dólar volte ao patamar de R$ 1,85. Na cotação atual, em torno de R$ 1,95, estimula ainda mais o turismo emissivo. É só comprar agora para viajar depois.

Carência de infra-estrutura Enquanto no Rio Grande do Norte para se fazer ou duplicar uma estrada é uma enorme dificuldade, Pernambuco vai ampliando a malha viária. O governo de lá vai lançar em maio o edital para contratar obras da BR423, uma duplicação de 80,2 quilômetros é estimada em R$ 500

milhões pra começar em setembro. A duplicação será dividida em dois lotes, cada um deles tem cerca de 40 quilômetros. O governo do Estado gastou R$ 6,5 milhões para fazer os projetos executivos. Aqui, até o viaduto do Baldo, um reparo que vai custar R$ 3 milhões, não tem recursos.

EXPEDIENTE Pra ser sincero, o ano de 2013 começa mesmo é amanhã. Uma expectativa positiva toma conta dos brasileiros ao sentir que no Executivo, Judiciário e até no Legislativo, o mais desmoralizado dos poderes, há um compromisso de fazer melhor. Votar as matérias, processos e executar as grandes obras estruturantes. Não há motivos para desconfiar dessas promessas.

1

Empresários potiguares estarão na maior feira do segmento de mobiliário e acessórios de alta decoração da América Latina,a 15ª edição da ABIMAD (Feira Brasileira de Móveis e Acessórios de Alta Decoração),na próxima semana (19 a 22),em São Paulo.A feira expõe móveis para ambientes internos e externos,além de objetos de decoração que combinam qualidade,tecnologia e design.

2

esquisa do Indicador do Agente Imóvel revela que após uma expressiva expansão do mercado imobiliário,o Rio de Janeiro apresentou mais de dez bairros com valor do metro quadrado acima dos R$ 10 mil.Entre eles, destacam-se os bairros do Leblon,Ipanema, Lagoa e Jardim Botânico, com R$ 21.483/m2,R$ 18.962/m2,R$ 14.551/m2 e R$ 13.061/m2 respectivamente,com os preços mais caros da capital.

3

O metro quadrado em São Paulo sobe 17% em 2012,aponta relatório do Agente Imóvel.A Chácara Itaim foi o bairro mais valorizado,com crescimento de 21% e preço de R$ 15.519/m².A Zona Oeste é a região com os maiores preços. Durante todo o ano de 2012,o mercado mantevese em crescimento constante,com maior valorização nos meses de outubro (2,8%),novembro (1,9%) e dezembro (2,0%). É melhor comprar em Miami.

DECLARAÇÃO

A Receita Federal deverá divulgar amanhã (18), a Instrução Normativa referente à entrega da declaração do Imposto de Renda Pessoa Física 2013. Segundo o supervisor nacional do Imposto de Renda, Joaquim Adir, não haverá grandes alterações nos procedimentos deste ano. Ou seja, a correção da tabela será pela inflação apenas.

CONSULTORES

O Sebrae mantém abertas até amanhã (18), as inscrições para o credenciamento de prestadores de serviços de instrutoria e consultoria. Podem participar do processo seletivo pessoas jurídicas e profissionais autônomos. Informações sobre os documentos necessários e as datas das provas de conhecimento e habilidades das no site do Sebrae, no www.sebrae.com.br/sgc. Os selecionados vão trabalhar em Brasília.

EQUIPE Depois de uma temporada em San Francisco - EUA, um dos fundadores e ex-sócio da Diginet e Digizap, Sergio Menezes, retorna a Natal e assume a gerência comercial da Qualitek Tecnologia. A empresa potiguar tem se consolidado no segmento de Segurança da Informação em cidades como Recife, Salvador, São Paulo, Manaus, Belém e Brasília.

Negócios momescos cada nova geração, a dependência econômica dos filhos em relação aos pais amplia-se em mais alguns anos. Demoramos mais a ingressar na população economicamente ativa e, após ingressarmos, ainda passamos bons anos morando na casa destes verdadeiros abnegados, que muitas vezes ainda serão chamados a contribuir financeiramente (afeto eles sempre deram) com a criação dos netos. As atuais e as próximas gerações de jovens são precoces no uso da tecnologia, mas tardias na assunção das responsabilidades da vida adulta, sempre passíveis de serem delegadas para que sejam assumidas pelos pais. Diversas são as causas deste fenômeno, mas necessariamente requer uma acomodação (tácita ou explícita) entre os dois principais personagens envolvidos, pai e filho, qualquer que tenha sido o motivo pelo qual eles optaram, ou se resignaram, por esta forma de convívio. Assim, legitima-se a assunção de responsabilidades que deveriam ser do outro, por considerá-lo ainda não preparado, por centralizar a tomada de decisões, ou outras justificativas que tais. Ocorre que nós projetamos esta mesma relação com o Estado, em que ele é o eterno patriarca a nos dar condição de existência, ainda que para isso precise invadir o campo que é próprio da iniciativa privada, como claramente delineou a Constituição Federal quanto à atividade econômica, a qual só é passível de atuação do Poder Público quando ameaçada a segurança nacional ou em

A

face de relevante interesse público (art. 173 da Constituição Federal). Da mesma maneira que os pais não devem viver a vida dos filhos, possibilitando a estes o necessário amadurecimento com o ônus que lhe é inerente, nada obstante darlhes o suporte para que se desenvolvam, também o é na relação Estado/iniciativa privada quanto à assunção de responsabilidades na seara da atividade econômica. O papel do Poder Público há de ser de gerar condições para que a iniciativa privada seja o ator principal na condução dos negócios. Cabe ao Estado, essencialmente, regular, fiscalizar e fomentar; a iniciativa de produzir bens e serviços para o mercado, conforme a opção constitucional, haveria de ser-lhe incumbência excepcional. Mas lá se vai uma grande distância entre as coisas como deveriam ser e como elas realmente são. O cordão umbilical com a Administração Pública é muito mais difícil de cortar, quer seja por que o “pai” não quer abdicar desta relação de poder, quer seja por que o “filho” não quer abrir mão das benesses que este estado de coisas provoca. Nitidamente, observamos esta relação patriarcal na organização do carnaval em determinados municípios do Rio Grande do Norte, que até percebem a feição de negócio que os festejos momescos trazem em seu bojo, mas não verificam a pertinência destes com a iniciativa privada, que deveria ser fomentada para assumir o ônus e colher os bônus que lhes são próprios.Se assim o é em condições

normais de temperatura e pressão (CNTP, como diria minha professora de química), ainda menos espaço há para esta relação patriarcal quando parcela significativa dos municípios de nosso estado está diante de responsabilidade premente que é o combate à seca, em tudo preponderante sobre os encargos da realização de festas, que nos acostumamos a serem bancadas pelo Estado, mas que não estão entre suas funções típicas. É intuitivo até que em momentos de escassez, queda de receitas, dificuldades financeiras, concentremos nossos esforços na manutenção daquilo que é essencial e assunção das responsabilidades prioritárias. Adotar postura diversa seria equivalente a tocar violino enquanto o barco afunda, o que teria ocorrido segundo relatos no caso do Titanic. Diante da seca que se instalou na sala de nossa casa, só após garantidas as responsabilidades que lhe são próprias é que será razoável imaginar que o Poder Público vá assumir o ônus inerente à realização de festas como o carnaval, ainda assim com extrema parcimônia e tendo como opção primeira fomentar a iniciativa privada para assumir os custos e o lucro do negócio. Ao contrário da verdadeira relação pai e filho, a assunção de responsabilidades pelo Estado que não lhe são próprias certamente nos será cobrada futuramente, quer seja na figura de mais impostos, quer seja por causa das consequências da não realização das funções típicas estatais.

TOMISLAV R.FEMENICK [ Auditor e Consultor ]

Joint Venture, a origem al qual como alguns tipos de sociedades empresariais, a joint venture foi gestada na época das grandes navegações e descobertas e, ainda, no período que lhe foi sequente, os anos da colonização e da exploração mercantilista da América e de algumas regiões da África e da Ásia. Isso porque a produção, o transporte e o comércio de mercadorias alcançaram uma proporção nunca vista e, pela primeira vez, uma escala verdadeiramente mundial. Nem as tradições, nem as hansas e guildas (as associações que agrupavam mercadores, artesãos e artistas, visando proporciona-lhes assistência e proteção) e nem os conceitos jurídicos tinham condições para resolver os novos problemas e desafios que as novas e intrincadas formas e oportunidades de negócio apresentavam. É axiomático: todo grande problema exige uma grande solução. O problema era que o grande volume de mercadoria obtido no retorno de cada viagem ao além-mar também exigia grande soma de dinheiro para investir na construção e no afretamento de navios, no financiamento das viagens, na aquisição de produtos trazidos da Ásia, África e América. A solução foi compartilhar os investimentos para tornar viáveis os lucros, e, como decorrência, estes também eram partilhados. Então, “nas grandes guildas e hansas, as compras faziam-se em comum, e nos portos a fretagem dos barcos era empreendida por vários parceiros” (PIRENNE, 1982). Esses atos de compartilhar junto riscos e lucros, que eram mais uma prática de negócio que uma técnica jurídica, são tidos como os primórdios da moderna joint venture. No século XVI apareceram na Europa várias sociedades informais, via de regra com caráter

T

temporário, sem personalidade jurídica e organizadas fora da órbita do Estado. Agrupavam recursos de dois ou mais comerciantes para aparelhar navios, com o objetivo de realizar negócios com as colônias, viagens nas rotas que iam ao oriente ou mesmo apresar escravos na África. Nos séculos seguintes, esses empreendimentos realizavam uma parte do comércio ultramarino que não era atendido pelas “companhias privilegiadas” (Portugal), “bevoorrechte bedrijven” (Holanda), “compañías privilegiadas” (Espanha), “compagnies privilégiée”s (França) e “chartered companies” (Inglaterra), sociedades que recebiam o “privilégio real de comércio”, através de cartas régias. A prática de fazer mercancia fora dos privilégios reais ficou de uso comum, porém não havia uma denominação específica para esse tipo de associação. No Reino Unido, nos séculos XVI e XVII, essas organizações eram identificadas como “merchant ventures”, “gentleman adventures”. ou “adventures joint stock companies” – não confundir com as “joint stock company” atuais, que são um tipo de sociedade que se situa entre as definições de parceria e corporação, cujas ações são negociadas no mercado secundário e que seus acionistas são responsáveis pelas dívidas da sociedade. Uma referência tida como a das mais remotas da expressão joint venture é a que foi feita por George Joseph Bell, em 1839. Disse ele que, “joint venture” ou “joint trade” é “uma sociedade restrita a um único negócio, especulação, operação comercial ou viagem, e seus sócios – ocultos ou desconhecidos – não fazem uso de denominação social e não correr risco além das operações em si”. Todavia, as joint ventures co-

mo as conhecemos hoje em dia teve origem nos Estados Unidos. Um dos casos mais citado como exemplo aconteceu em 1889, quando quinze companhias ferroviárias se uniram para formar a “Terminal Railroad Association of Saint Louis” (Terminal Ferroviário de Saint Louis), manter seus equipamentos e operar o entroncamento. Com o termino da Segunda Grande Guerra, em meados do século XX, a prática das joint ventures se consolidaram nos Estados Unidas e de lá se espalharam pelo mundo. Não há na língua portuguesa uma tradução que represente o real significado da expressão “joint venture”. Quando traduzida literalmente, significa “associação de risco”, relacionada a um contrato de colaboração empresarial. Mas isso não diz tudo o seja esse tipo de empreendimento. Na França o termo é traduzido como “association d’entreprises” (associação de negócios), “entreprise comuna” (negócios em comum), “entreprise conjointe”, ou “coentreprise”. Na Alemanha, esse tipo de associação é tido simplesmente como uma combinação de empresas ou um Konzern (grupo). No direito europeu, norte americano ou brasileiro não há um sistema normativo para esse instituto. Talvez seja porque este seja um fato eminentemente econômico e não um preceito jurídico; um conjunto de ideias facilmente adaptáveis a vários conceituados do direito comercial. Por outro lado, não existe uma concepção clara para o conceito, como também não há como se distinguir claramente o que é e o que não é uma joint venture. No campo legal, joint venture é um conceito vacante. Porém essa espécie de vazio no espaço prático e teórico do direito não impede que o fenômeno se afirme no mundo dos negócios.

ALCIMAR DE ALMEIDA SILVA [ Consultor Fiscal e Tributário ]

Águas e esgotos sanitários onsiderados serviços públicos essenciais a toda cidade ou núcleo populacional, por dedução das competências traçadas pela Constituição Federal é de se reconhecêlos como pertencentes à esfera municipal, que pode fazê-lo diretamente ou por delegação a terceiros, isto porque estão eles entre os serviços industriais cuja prestação é permitida a particulares por delegação da administração. Aprovado o Planasa – Plano Nacional de Saneamento Básico, durante o governo da Revolução de 64, o governo federal firmou convênio com os Estados para que estes executassem, diretamente ou através de uma entidade delegada, aqueles serviços, mediante concessão dos Municípios às companhias estaduais criadas com este fim, de que é exemplo a CAERN. Com poucas exceções os Municípios do Rio Grande do Norte fizeram àquela Companhia a concessão para exploração dos serviços públicos locais de abastecimento de água e de esgotamento sanitário, por longos prazos – em geral em torno de 20, 30 ou 40 anos – de forma gratuíta, em muitos casos também concedendo outros estímulos, como a cessão de imóveis do patrimônio municipal, de servidores públicos municipais e até da isenção de tributos, o que não condiz em face do atual ordenamento constitucional e legal. Esgotados aqueles longos prazos é oportuno que os Mu-

C

nicípios examinem a possibilidade de assumirem a exploração daqueles serviços, se isso lhes for favorável sob os aspectos econômico, técnico e político, tendo presente que se trata de uma fonte de receita não-tributária. Mas se a opção fôr no sentido de renovação da concessão, devem os Municípios considerar o resultado para as finanças municipais, fixando prazos mais curtos, cobrando remuneração pela concessão, além de isenção ou tarifa reduzida para o abastecimento de água e de esgotamento sanitário dos bens públicos de uso comum, de uso especial e de comunidades carentes, sem desprezar a exigência de novos investimentos para garantir a eficiência dos serviços. Pois o que não é razoável é os Municípios concederem a exploração desses serviços de sua competência, sem remuneração, serem cobrados pelo consumo de água em próprios municipais e de fornecimento à população carente, além de terem despesa com a recuperação de vias públicas danificadas por ocasião de serviços de implantação ou conserto de redes de abastecimento de água e de esgotamento sanitário executados pela concessionária. Há que se considerar também que a concessionária retira água de mananciais localizados em território de muitos Municípios para atender à necessidade de fornecimento em outros onde não há água suficiente, obtendo com isso

inegável vantagem econômica, sem que os Municípios onde estão os mananciais recebam qualquer compensação, como parece também ser razoável que venha a ocorrer. Por fim, este é um problema que deve ser tratado com diretrizes gerais, tendo à frente, por um lado o Governo do Estado, através das Secretarias a que o assunto esteja afeto e a CAERN e, por outro, a Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte e os Prefeitos Municipais, devendo sua solução estar aberta a peculiaridades locais. Demais não será ainda reclamarem os Municípios não lhes assistir direito em indicar sequer o ocupante de uma Diretoria ou mesmo da inexistência de uma Diretoria ou de um órgão de hierarquia imediatamente inferior para representar os interesses dos Municípios e com estes intercambiar. Tais medidas reduziriam expressivamente a forma de superioridade com que as administrações municipais são tratadas pela Companhia que delas é concessionária e detentora das prerrogativas constitucionais e legais que lhe são asseguradas. Pois se aos Municípios assiste interesse público na execução e manutenção da prestação de serviços de abastecimento de água e de esgotamento sanitário tendo suas populações como destinatárias, institucionalmente devem eles ser tratados como acionistas ou que outra figura jurídica venha lhes ser atribuída.


Domingo | 17 de fevereiro de 2013

economia

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 3

Especialistas criticam o fato de a Sudene, que no passado teve participação importante na industrialização do Nordeste, ter sido recriada sem instrumentos para atuar e de ter hoje um papel inexpressivo no estímulo ao desenvolvimento da região.

[ SUDENE ]

Falta de estrutura é alvo de críticas ALEX REGIS

altam recursos e sobram críticas à atuação da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene). Parte delas vem de quem conhece bem a autarquia. Tânia Bacelar, professora da Universidade Federal de Pernambuco, foi economista da Sudene por 20 anos e chegou a ser diretora de Planejamento Global da superintendência na década de 80. A economista, que também foi secretária Nacional de Políticas Regionais do Ministério da Integração Nacional e coordenou, na época, o Grupo de Trabalho de Recriação da Sudene, não tem dúvidas de que a Sudene que aí está é bem diferente da que foi desenhada, em 2003. “Faltou patrocínio político à proposta de recriação da Sudene”, afirma. “Ao ser aprovada, a Sudene nasceu sem instrumentos para atuar. Foi abandonada a sua própria sorte. Sequer um concurso público para refazer seu quadro técnico”, acrescenta. Por isso, faltam recursos para atender as necessidades do Nordeste. A economista Suely Chacon, professora da Universidade Federal do Ceará, havia alertado para o mesmo perigo, em entrevista ao jornal cearense o Povo, em 2006. “O governo tirou da nova Sudene os principais instrumentos para sua atuação”, afirmou

ADRIANO ABREU

F

A nova Sudene não tem proeminência. O que tem de destaque para a região é o FNE (Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste) gerido não pela Sudene, mas pelo Banco do Nordeste” MARIA DO LIVRAMENTO Cientista social

Suely, na época. As críticas não se resumem a pesquisadores de fora do estado. William Pereira, economista e professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, também pensa parecido. “A Sudene teve um papel fundamental na industrialização e no desenvolvimento do Nordeste, e em particular do Rio Grande do Norte. No entanto, desde os anos 70 vinha sendo sucateada. Nos anos 80, praticamente já não tinha o mesmo papel que tinha na década anterior ou em 1960. Os militares esvaziaram a Sudene cortando seus recursos. O fechamento da instituição já era esperado. A chamada nova Sudene (anos 2000) ficou apenas na intenção. Não lhe foi dado o mínimo necessário para atuar de forma séria e estruturada”, analisa William. Para o pesquisador, a nova Sudene, em função do pouco recurso que dispõe, não tem expressão no fomento ao desenvolvimento do Nordeste. Maria do Livramento, cientista social e também professora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, vai além. “A nova Sudene não tem proeminência. O que tem de destaque para a região é o FNE (Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste) gerido não pela Sudene, mas pelo Banco do Nordeste”.

Demanda por recursos supera oferta

Indústrias têxteis no RN: A velha Sudene ajudou a estruturar o polo de produção do setor no RN

Promessa é de atuação mais forte O diretor de Gestão de Fundos e Incentivos e de Atração de Investimentos da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), Henrique Tinoco, acolhe as críticas, mas justifica que a superintendência só passou a contar com o seu principal instrumento indutor de desenvolvimento muito recentemente. Embora a Sudene tenha sido recriada em 2007, o Fundo do Desenvolvimento do Nordeste (FNDE), que é o instrumento usado pela superintendência para realizar investimentos em infraestrutura e serviços públicos e em empreendimentos produtivos e novas atividades produtivas, só foi viabilizado no final de 2012. O Fundo foi operacionalizado em 2010, mas só teve as regras detalhadas no fim do ano passado, explica Henrique. Antes disso, a Sudene tinha a atribuição de levantar os problemas da região, mas não o poder para ajudar a solucioná-los. “Vamos começar a atuar agora. Ficamos até novembro de 2012 aguardando a financeirização do FNDE”, justifica Henrique Tinoco. O diretor reconhece que a nova Sudene é muito diferente da velha, mas explica que nem por isso ela deve ser desprezada. “Claro que a gente tem que fazer uma mea culpa em função do que a Sudene foi. Mas o papel da superintendência continua sendo relevante. É ela quem articula as demandas da região. Seu papel não é mais executar grandes obras, mas apontar que obras são

Com quase seis anos de atuação, a nova Sudene tem em sua carteira projetos orçados em mais de R$ 30 bilhões - dez vezes mais do que pode financiar em 2013. Engana-se quem pensa que os projetos foram se acumulando e estariam represados. Eles foram apresentados em apenas um mês. “O Fundo de Desenvolvimento do Nordeste, gerido pela Sudene, foi ‘financeirizado’ em novembro de 2012. Em dezembro, já tínhamos uma carteira de R$ 30 bilhões em projetos”, admira-se Henrique Tinoco, diretor de Gestão de Fundos e Incentivos e de Atração de Investimentos da au-

tarquia. Deste total, pelo menos R$ 5 bilhões estão previstos para o Rio Grande do Norte, dos quais R$ 2,5 bilhões podem ser financiados pela Sudene. Se liberado, o dinheiro será aplicado na construção do ‘Enerland - Terra da Energia’. O projeto, que começou a ser elaborado há quatro anos pelo consórcio formado por empresas espanholas, alemãs, árabes e brasileiras, representado pela espanhola Alondra, foi apresentado no final do ano passado ao governo do estado, ao Ministério do Turismo, ao da Integração e ao de Minas e Energia, e prevê a construção de cinco parques temáticos, um centro comer-

cial, 15 montanhas russas e sete resorts com capacidade para 35 mil pessoas. A análise ainda não tem data para ser concluída, mas a Sudene já manifestou interesse em financiar a obra. Outros projetos também aguardam aval da autarquia para serem executados no estado. “Nossa missão é fortalecer os estados menos dinâmicos como o RN. Estados como Alagoas, Piauí, Rio Grande do Norte são prioridade. Um projeto para o RN, por exemplo, é mais ‘aderente’ do que um projeto para Pernambuco”, afirma Henrique. A realidade, observam os especialistas, é um pouco diferente.

SUDENE Raio-X da autarquia

DIVULGAÇÃO

Autarquia recriada em 2007 tem no Fundo do Desenvolvimento do Nordeste seu principal instrumento indutor do crescimento

Diferenças entre os Fundos para o Nordeste

R$ 5,070 bilhões

359

FNDE X FNE

é o total contratado ou em fase final de contratação na Sudene,através do FNDE;

é o total de incentivos e benefícios fiscais aprovados pela Sudene em 2012 para implantação,modernização, diversificação,ampliação e reinvestimento de empresas nos estados onde atua;

R$ 3 bilhões é quanto a Sudene terá a disposição para aplicar,dentro do FNDE em 2013.

Fundo do Desenvolvimento do Nordeste (FNDE) Quanto a Sudene contratou* Ceará

R$ 528.649.074

Bahia

R$ 61.728.156

Maranhão

R$ 53.576.481

Rio Grande do Norte

R$ 47.987.358

Transnordestina (PI,PE e CE)

R$ 2.672.400.000

*Valor contratado após a recriação da autarquia.

Henrique Tinoco, diretor da Sudene: “Vamos começar a atuar agora”

necessárias e financiar parte dos projetos apresentados”, esclarece. A autarquia entrará num novo momento, vislumbra Henrique Tinoco, com a recém financeirização do FNDE, que é o estabelecimento de regras mais claras para a aplicação do Fundo e a redução de riscos para o Tesouro Nacional, e a reativação do Conselho Deliberativo da Sudene, o Condel, prevista para os próximos meses. O Conselho Deliberativo é o órgão máximo de articulação e decisões estratégicas da autarquia. “Antes a Sudene podia exe-

cutar tudo e acabava se perdendo diante de tantas coisas que precisava fazer na região. Hoje ela indica aquilo que se faz necessário, sem ter a preocupação de executar, porque outros Ministérios fazem isso”, explica o diretor de Gestão de Fundos e Incentivos e de Atração de Investimentos da Superintendência.

LEIA MAIS Nordeste precisa de caminhos novos,defende o ex-governador Geraldo Melo.Página 4.

Bahia

Pernambuco

Projetos em fase final de contratação

R$ 24.332.143

R$ 1.681.777.801

Projetos em análise para o RN** Eólica Bela Vista,em Areia Branca:

Eólica Mar e terra,em Areia Branca:

Eólicas Gestamp (dois projetos),em João Câmara:

R$ 57,4 milhões

R$ 26,2 milhões

com recursos do FDNE e investimento próprio de R$ 22 milhões;

com recursos do FDNE e investimento próprio de R$ 19,2 milhões;

R$ 92,8 milhões com recursos do FDNE e investimento próprio de R$ 45,3 milhões.

**Levantamento foi realizado pelo governo do Estado com base em publicação da Sudene do dia 14 de janeiro. Incentivos e benefícios fiscais Estados que mais tiveram pedidos de incentivos e benefícios fiscais aprovados

Bahia

Pernambuco

Ceará

100

70

50

OBS:O Rio Grande do Norte teve 17 pleitos atendidos.

FNDE (operacionalizado pela Sudene) O Fundo de Desenvolvimento do Nordeste (FDNE) tem como finalidade assegurar recursos para a realização de investimentos na área de atuação da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene),em infraestrutura e serviços públicos e em empreendimentos produtivos com grande capacidade germinativa de novos negócios e novas atividades produtivas. FNE (operacionalizado pelo BNB) O Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste tem como finalidade contribuir para o desenvolvimento econômico e social do Nordeste,através de instituição financeira federal de caráter regional,mediante a execução de programas de financiamento aos setores produtivos,em consonância com os respectivos planos regionais de desenvolvimento.Os financiamentos se destinam a produtores rurais,firmas individuais,pessoas jurídicas,associações e cooperativas de produção que desenvolvam atividades nos setores agropecuários,mineral, industrial,agroindustrial,turístico, de infraestrutura, comercial e de serviços. Fonte:Sudene/Governo do RN


4 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

economia

Domingo | 17 de fevereiro de 2013

[ SUDENE ] Análise é do ex-governador do RN, Geraldo Melo, integrante da equipe responsável por criar a Sudene nos anos 50. Melo destaca

o papel da Superintendência no desenvolvimento da região, mas observa que hoje são necessários novos estudos e compreensões.

“NE precisa de caminhos novos” ara Geraldo Melo, ex-governador do Rio Grande do Norte, o Nordeste não precisa da velha Sudene, mas de pessoas que olhem, estudem e compreendam a região. O ex-senador, que exerceu os cargos de vicediretor de Atividades Econômicas Básicas e diretor da assessoria técnica, não tinha nem 20 anos quando foi indicado para integrar a equipe responsável por criar a autarquia, na década de 50. Na época, ele cursava planejamento do desenvolvimento econômico na Comissão Econômica para América Latina, da ONU. “Em 1958, uma seca devastadora se abateu sobre a região. O presidente Juscelino Kubitschek queria saber o que fazer, além de criar frentes de emergência, para que, um dia, a seca deixasse de ser uma tragédia e passasse a ser vista com uma caraterística normal do meio ambiente regional”, relembra. O primeiro passo, segundo Geraldo, foi escolher um economista para escrever um relatório sobre a região. A tarefa coube ao paraibano Celso Furtado. “Celso escreveu o ‘Diagnóstico Preliminar da Economia do Nordeste’, em que, pela primeira vez, o Nordeste foi visto como um sistema econômico, com recursos, com vantagens comparativas e com desvantagens, e também

EMANUEL AMARAL

EMERSON DO AMARAL

P

Reunião da Sudene em Natal: Em 1986, autarquia detinha poder político e mais força

com secas fazendo parte do seu clima. Juscelino se entusiasmou. Criou um Conselho de Desenvolvimento do Norte (Codeno)”, que se transformou na Sudene. O objetivo, relembra o exsenador, era criar condições para o desenvolvimento econômico da região. “A criação dessas condições iria exigir prioridade nos investimentos públicos, para, ao longo do tempo, reduzir a diferença com o centro-sul do país. Havia três eixos principais na proposta: industrialização re-

Federação das Indústrias do RN defende reformulação Dentro do Rio Grande do Norte, há quem defenda a nova Sudene e há quem questione a sua atuação. O presidente da Federação das Indústrias do RN (Fiern) e também industrial, Amaro Sales, sugere que a autarquia seja reformulada. Para Amaro, o Fundo Constitucional de Desenvolvimento do Nordeste (FNE), operacionalizado pelo Banco do Nordeste (BNB), deveria passar a ser gerido pela Sudene. “Os recursos da nova Sudene são muito escassos. Nenhuma instituição sobrevive desta forma. Não se faz nada sem recurso”, justifica. As mudanças não parariam por aí. A reformulação, de acordo com Amaro, poderia ser mais ampla e deveria ser discutida em fóruns como os realizados antes no âmbito da superintendência. “Precisamos mudar a Sudene, outra vez. Ela não é viável da forma como está. Não se sustenta”. Para o industrial, o impacto da recriação da autarquia foi nulo no estado. A Porcellanatti, empresa de revestimentos cerâmicos em Mossoró, foi a única beneficiada com recursos do FNDE até o momento no RN, “e está temporariamente fechada”. O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Rogério Marinho, preferiu não entrar neste mérito, e afirmou o governo já começou a definir uma estratégia de novas demandas em investimentos e projetos com o apoio da Sudene. O plano, segundo ele, será apresentado na primeira semana de março, durante encontro da presidente Dilma Rousseff com os governadores do Nordeste em Natal. “Há investimentos estratégicos que precisam ser discutidos, inclusive para atender a demanda de mais de um estado do Nordeste. Estamos na conclusão dessa pauta para apresentação pela Governadora neste encontro”, afirmou. Rogério questionou os números apresentados pela superintendência para o estado e ressaltou que há vários projetos aguardando aprovação. “Se considerarmos os novos projetos, os investimentos no RN são muito maiores do que os R$ 47 milhões”.

Precisamos mudar a Sudene, outra vez. Ela não é viável da forma como está. Não se sustenta. Os recursos são muito escassos”.

AMARO SALES Presidente da Fiern

“Há investimentos estratégicos que precisam ser discutidos, para atender a demanda de mais de um estado”.

ROGÉRIO MARINHO Titular da Sedec

gional e alargamento da fronteira agrícola para o oeste, incorporando o Maranhão. Um terceiro eixo era o da coordenação da ação governamental, através de uma das mais engenhosas soluções administrativas que se criaram no país: no Conselho Deliberativo da Sudene sentariam lado a lado os governadores de nove Estados e os representantes dos ministérios federais com algum tipo de atuação, mesmo muito pequena, na região. Isso se pretendia. Isso se fez”.

Melo: Não estamos precisando da velha Sudene. O NE precisa de novos caminhos

Embora questionem a atuação da nova Sudene, os especialistas são unânimes quando dizem que a velha Sudene ajudou a transformar o Nordeste. Geraldo Melo não pensa diferente. “Quando Juscelino criou a Sudene era necessário criar um centro de decisão afastado da capital federal, dentro da própria região. Era uma solução de autarquização do processo decisório, para que a força dos problemas regionais fosse mais facilmente observada, entendida, escutada. Nos tempos at-

uais, a autarquização perdeu o sentido. Esse deslocamento do centro de poder para o Nordeste serve apenas para que esse centro de poder não tenha poder. Celso produziu o mais lúcido e mais importante documento sobre a região, olhando a nossa realidade como nunca havia sido olhada. Ele viu, entretanto, o nordeste daquele tempo. Um nordeste que não existe mais”, analisa. Os tempos mudaram, observa. “E não será tentando voltar no tempo, procurando fazer re-

nascer a Sudene de antigamente, imaginando ser possível refazer os percursos antigos, que atenderemos as necessidades de hoje, Isso é uma ingenuidade. Mais do que uma ingenuidade, é uma falácia. Não estamos precisando da velha Sudene. Estamos precisando de que alguém faça com o nordeste de hoje o que Celso Furtado e sua equipe foram capazes de fazer com o nordeste de ontem: olhá-lo, estudá-lo, compreendê-lo e propor caminhos novos”.


Domingo | 17 de fevereiro de 2013

economia

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

5

ALDAIR DANTAS

[NEGÓCIOS] Especialistas dão dicas de gestão financeira que, se bem

aplicadas, podem dar um “empurrão” ao crescimento dos negócios.

O planejamento deve começar com a identificação exata de quanto entra e quanto sai do caixa por dia

Após a folia, tempo é de planejar finanças da empresa assada a folia do carnaval, o momento é de pensar no futuro da empresa, principalmente a área financeira. É hora de pensar em crédito, contas, fazer reserva, investimentos e até contratações. Apesar de muitos empreendedores terem dificuldade de gerir as finanças do negócio, o começo do ano fiscal é propício ao planejamento, para analisar o que ocorreu no ano anterior e projetar o que se espera para a empresa ao longo dos doze meses seguintes. “O empresário tem que analisar como a empresa está com relação às finanças. A partir dessa observação, é possível definir metas e objetivos. Esse planejamento financeiro necessita de informações com relação a tudo que ocorreu na empresa”, ensina o consultor Henderson César Oliveira. De acordo com o especialista, o planejamento deve começar com o detalhamento dos controles financeiros da empresa, identificando exatamente quanto entra e quanto sai do caixa, diariamente. Com o registro, fica fácil calcular quanto se movimentou e se pagou – em despesas fixas e variáveis –, e quanto é preciso gerar para se manter. Nessa matemática, o empreendedor precisa incluir reser-

P

vas para pagamento de décimo terceiro salário, férias, eventuais multas de rescisão de contrato e manutenção de equipamentos. A boa gestão financeira de um empreendimento necessita de controles efetivos básicos, como controle de contas a receber, apagar, caixa, banco e controle de estoque e fluxo de caixa. Além de um planejamento estratégico financeiro rigoroso a curto, médio e longo prazo. A boa gestão das finanças da empresa foi decisiva para o negócio de Fabiano Garcia aumentar o faturamento mensal. O empresário possui uma panificadora, que também funciona como self-service, e constatou que conhecer os números é fundamental para ampliar a lucratividade. “Fui educado para crescer, mas não entendia por que vendia muito, porém, minha lucratividade era baixa”. O empresário cometia um erro muito comum a proprietários de pequenas empresas que não adotam uma gestão profissionalizada do negócio: misturar finanças pessoais com as da empresa. DIVISÃO Erroneamente, esses empreendedores costumam jogar as despesas pessoais - como mensalidade escolar dos filhos, plano de saúde, su-

permercado e empregada doméstica - nas planilhas do negócio, sem se preocupar em contabilizar corretamente as finanças do empreendimento. Como resultado da confusão da pessoa física com a jurídica, tudo acaba saindo da mesma conta. Desse modo fica impossível saber qual a real situação financeira da empresa, especialmente a sua lucratividade. “Quanto mais despesas existem dentro de uma empresa, menor é o lucro líquido. A solução é separar as contas e a criar uma retirada, denominada pró-labore”, ensina Henderson César Oliveira. No caso de Fabiano Garcia, a saída foi se capacitar para aprender a conhecer melhor os números e identificar o que proporcionava lucros e o que dava prejuízos. Procurou o Sebrae no Rio Grande do Norte e passou pela Consultoria Integrada em Gestão (CIG) e aprendeu a formar preços, planejar o negócios, controlar gastos e apostar em campanhas de marketing para a padaria, aberta em fevereiro de 2011. Na época, o faturamento mensal girava entre R$ 15 mil e R$ 18 mil. Após as intervenções, a receita mensal da panificadora subiu para R$ 70 mil, obtendo uma lucratividade da ordem de 20%. “Consigo facilmente bater essa meta devido à consultoria”, garante o empresário.

Regime simplificado gera economia Uma boa gestão financeira passa também pela parte fiscal e tributária. No caso dos pequenos negócios, o enquadramento adequado no Simples Nacional, o regime simplificado de arrecadação tributária, chega a gerar uma economia de até 85% para a empresa. E há muitas empresas no Rio Grande do Norte pagando mais por mera falta de conhecimento das regras do Simples. Dependendo da atividade, faturamento, quantidade de funcionários e margem de lucro, os micro negócios podem ser classificados dentro do Simples como Microempreendedor Individual (MEI) ou como Microempresa (antiga firma individual). Apesar de bem parecidas, as d-

uas categorias pagam valores mensais bem distintos, a primeira cerca de R$ 36,00 e a segunda até R$ 250. Tudo vai depender do enquadramento. Há muitos negócios que estão enquadrados como Microempresa, que, com base no faturamento, tem uma receita anual bruta inferior a R$ 360 mil. Mas que poderiam ser considerados MEI, já que há atividades que são comuns às duas categorias. Para ser considerado MEI, o empreendedor precisa faturar até R$ 60 mil por ano e ter apenas um funcionário registrado. A vantagem de ser microempresa é que não há restrições quanto a número de funcionários, en-

tretanto, dependendo da margem de lucro, a empresa paga impostos com alíquotas que variam até 4% sobre a margem de lucro. É obrigado a manter livro de registro e ter um contador Para saber o melhor enquadramento no Simples, o empresário pode consultar um contador ou procurar um posto de atendimento do Sebrae. Os analistas avaliarão a situação e as possibilidades de enquadramento para que ele pague os tributos compatíveis com o porte do negócio.

LEIA MAIS Controle das despesas é chave para gestão bem sucedida. Página 6

ORIENTAÇÃO O Sebrae RN mantém programas que ajudam os empresários a gerir as finanças do negócio.Um deles é o Empresa Viva,um programa que orienta nas etapas de implantação,desenvolvimento e gerenciamento para quem tem a idéia de montar seu próprio negócio ou possui um pequeno negócio com até dois anos no mercado.O programa ajuda a capacitar os empreendedores a resolverem questões essenciais relacionadas à gestão e ao funcionamento de um pequeno negócio,abordando conceitos básicos sobre empreendedorismo,mercado, plano de negócios,gestão de pessoas e também a área financeira.Dura cinco semanas, envolvendo treinamento e oito horas de orientação individualizada.Outro programa do Sebrae é o Consultoria Integrada em Gestão (CIG),o qual disponibiliza treinamentos e consultorias nas áreas comercial,de planejamento e de finanças.No total,a capacitação dura três meses.


economia

6 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

Domingo | 17 de fevereiro de 2013

[ NEGÓCIOS ] Especialista recomenda que empresários anotem em uma planilha todas as despesas. A estratégia ajuda a ver se a empresa está no vermelho e a levar o negócio de volta aos trilhos

Abrindo a porteira laf@digizap.com.br

Pesquisas x crédito

Controle de despesas é chave para gestão bem-sucedida ALEX COSTA

A

pesquisa e o crédito influenciam a alta da produtividade agropecuária. As lavouras brasileiras estão entre as que mais têm crescido no mundo, puxando o aumento da produção mundial. O Brasil e a China são os principais mercados que mais aumentaram a produtividade agropecuária entre os anos de 2001 e 2009. É o que mostrou um recente estudo de técnicos do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos. No caso brasileiro, estudos apontam que fatores como a pesquisa, o crédito agrícola e as exportações influenciam diretamente nesse crescimento. O levantamento leva em conta a Produtividade Total dos Fatores (PTF), cálculo feito a partir da divisão entre tudo o que é produzido nas lavouras e na pecuária sobre os insumos utilizados no campo (entre os quais trabalhadores rurais, máquinas agrícolas, defensivos e fertilizantes).

CRÉDITO De acordo com o estudo, o aumento de 1% nos gastos com pesquisa é responsável por um crescimento da PTF de até 0,35% em 10 anos, enquanto o acréscimo de 1% nos desembolsos do crédito rural (custeio, investimento e comercialização) eleva esse índice em 0,25% e o impacto das exportações em 0,14%.

Feira (I)

Feira (II)

O Ministério da Agricultura e Pecuária seleciona empresas para a 10ª Alimentaria & Horexpo 2013, uma oportunidade para expositores brasileiros apresentarem seus produtos ao mercado português. A feira, que ocorre de 14 a 17 de abril, em Lisboa, é a única de alimentos e bebidas na União Europeia promovida pelo Mapa em 2013. Para se candidatar a uma vaga, a empresa deve se inscrever online até 22 de fevereiro. As inscrições são gratuitas.

Considerada uma das maiores feiras de alimentos, bebidas, equipamentos, serviços e tecnologia da América Latina, a Super Rio Expofood volta a ocupar o pavilhão 4 do Riocentro entre os dias 19 e 21 de março. A expectativa da organização é superar em 15% o volume de negócios da edição anterior, que movimentou R$ 140 milhões. Paralelamente à feira, organizada pela Associação dos Supermercados do Rio de Janeiro, em parceria com a Escala Eventos, serão realizadas a AbiepanExpo, O Gourmet Show, a 25ª Convenção Supermercadista e o 14° Seminário Nacional de Panificação & Confeitaria.

BEBIDAS Alternativas para registro de bebidas entram em discussão no Ministério da Agricultura. São bebidas alcoólicas que utilizam espécies de vegetais, principalmente, catuaba, jurubeba e marapuama que deverão ser apresentadas à Anvisa.

1

A expedição “Retratos da Seca”mobiliza a Federação da Agricultura e Pecuária do RN nos dias 22,23 e 24 deste mês.A caravana vai passar pelos territórios mais afetados pela seca potiguar nesses últimos meses percorrendo vários municípios e mostrará para jornalistas convidados a real situação dos produtores rurais. Começa em Lajes e terminará,no dia 24, com visitas a propriedades de Santo Antônio.

2

O preço do leite pago aos fornecedores do Programa do Leite Fome Zero será R$ 0,95 a partir de março.A decisão foi tomada em reunião realizada na Secretaria do Desenvolvimento Agrário,com representantes da Câmara Setorial do Leite. O secretário Nelson Martins comunicou aos produtores a decisão do Conselho Nacional de Segurança Alimentar (Consea) do novo preço do leite pago aos fornecedores do Programa Leite Fome Zero.

3

Com o aumento dos combustíveis os valores elevados dos fretes tendem a pressionar os custos dos principais insumos agrícolas em 2013.Dados preliminares apontam que o desempenho das indústrias de insumos segue o desenvolvimento da produção agropecuária do Brasil.Ao longo de 2012,o setor de fertilizantes registrou entregas recordes, cerca de 30 milhões de toneladas.

REBANHO

m tese todo dono de empresa deveria saber lidar facilmente com os números, mas a prática comprova que o cenário é bem diferente. Elaborar um bom plano de finanças não é algo tão simples, principalmente para quem não está acostumado com os cálculos. No entanto, tudo pode começar em alguns passos. O primeiro deles é ter controle total das despesas. Anotar em uma planilha todas as despesas fixas, como aluguel, folha de pagamento, energia e água. “É comum os empresários não saberem informações corretas sobre saldo do caixa, valor dos estoques das mercadorias, valor das contas a receber e das contas a pagar, volume das despesas fixas e financeiras. Isso ocorre porque não é feito o registro adequado das transações realizadas”, diz o consultor Henderson César Oliveira. O segundo passo está relacionado à diferenciação entre o que é receita e o que é lucro, lembrando que lucro é tudo o que sobra após pagar com o faturado todas as despesas explicitas e implícitas do negócio. O terceiro passo seria calcular o capital de giro, ou seja, aquela quantidade de dinheiro necessária para manter a empresa funcionando corretamente durante um determinado período (geralmente um mês), e o caixa mínimo, que, como o próprio nome indica, é o valor mínimo para cobrir as despesas diárias. Feito isso, o empresário consegue visualizar se a empresa está no vermelho ou se está com uma boa lucratividade, podendo assim planejar as finanças em longo prazo. O ideal é que o planejamento seja feito para 36 meses, porém pode ser anual, podendo sofrer ajustes. Se as atividades proporcionaram uma lucratividade acima de 30%, a recomendação de especialistas é reinvestir no negócio, mas com uma reserva para aqueles gastos de fim de ano, como férias e 13º salário, e imprevistos. Por isso, é tão importante que o

E

NO VERMELHO

A engenheira e empresária Andréa Leal apostou em consultoria

É comum os empresários não saberem informações corretas sobre saldo do caixa, valor dos estoques, das contas a receber e a pagar, volume das despesas fixas e financeiras”. HENDERSON OLIVEIRA Consultor

planejamento seja feito ainda no início do ano. O capital da empresa, a sua receita à vista e a prazo, sua lucratividade, rentabilidade, suas despesas e custos são fontes relevantes para tomada de decisão e conseqüentemente farão parte do planejamento financeiro da organização. “A empresa toda deve ser levada em consideração como também o mercado em que ela atua”, diz consultor. Foram lições como essas que a engenheira civil Andréa Leal te-

ve de aprender. De uma hora para outra, teve de abdicar dos conhecimentos da engenharia e voltar-se à administração. Em 2006, abriu uma loja de pisos e revestimentos no bairro do Tirol, em Natal, tendo que incluir na rotina de trabalho cálculos de tributos e contabilidade. “Até tinha um certo controle, mas não conseguia manter uma planilha adequada para a realidade da minha empresa”. Após anos de inexperiência, viu que era hora de passar por uma educação financeira. Procurou o Sebrae e ano passado contratou consultoria para melhor gerir essa parte do negócio. “O planejamento me permitiu ter uma visão geral do meu negócio de forma simplificada, sabendo exatamente quantos dos meus recebíveis eram à vista, cartão de crédito e cheque”, diz a empresária, que passou a ter um controle diário das entradas e saídas, alimentando a planilha diariamente. “Esse planejamento mostra toda a minha movimentação, inclusive em longos períodos. Hoje, já posso prever quanto vou faturar em vendas a crédito e antever os recebíveis, o que me permite programar os débitos futuros”.

Se espera a empresa está no vermelho, é preciso analisar se a crise é momentânea – provocada por questões de vendas sazonais, por exemplo – que pode ser sanada com um financiamento. De acordo com a analista do Sebrae-RN na área de crédito, Ruth Suzana Maia, existem linhas de financiamento para capital de giro que podem ser aplicadas da forma que o empresário desejar, entrando direto na conta da empresa. Mas precisa ter cuidados para que a dívida não aumente. Se a crise for recorrente, é preferível contratar uma consultoria para diagnosticar a origem do problema porque crédito, em vez de melhorar, pode agravar o problema.“Quando entrar dinheiro na empresa, deve ser paga a parcela do empréstimo para primeiro estabilizar a situação”, diz Ruth Maia.

AÇÕES PONTUAIS PARA SAIR DO VERMELHO

*Aumentar as receitas/vendas *Diminuir as despesas *analisar quais são os gastos que estão extrapolando *Adotar medidas para economizar nas despesas fixas (energia, telefone,água,salários, aluguel etc) *Verificar se as retiradas mensais dos sócios (prólabore) estão compatíveis *Avaliar cada gasto que a empresa tem *Rever a política de compras e vendas da empresa *Observar a precificação dos produtos e serviços da empresa.

Em novembro de 2012 foram abatidas 467 mil cabeças em Mato Grosso, um número 11,44% maior do que o registrado em 2011. O rebanho bovino de Mato Grosso cresceu 564% em 30 anos.

*Implantação de controles básicos de gestão na empresa

Chuvas no Nordeste

*Levantamento de todas as dívidas e prazos a pagar

Boas perspectivas de chuvas para os próximos dias. Os parâmetros meteorológicos estão indicando uma atuação mais forte da Zona de Convergência Intertropical e as águas do Atlântico mais quentes. Ainda não é

PLANEJAMENTO

possível uma confirmação de inverno no semi árido nordestino. A próxima análise climática dos meteorologistas do Nordeste será em Natal, na sede da Emparn, quinta e sexta-feira (21 e 22) próximas.

EDUCADORES O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural no RN (Senar), lança edital de credenciamento para educadores prestadores de serviço. O processo se estenderá até o dia 22 de fevereiro e abrange diversas áreas da Educação Profissional Rural. Nessa primeira fase, os interessados deverão acessar o site: www.senarrn.com.br, onde encontrarão todas as informações necessárias para seu credenciamento disponíveis no edital.

CARNAVAL A Vila Isabel contou a história do campo e é a campeã do Carnaval 2013 no Rio. A agremiação conquistou os jurados e o público com enredo que exaltava o campo e o interior. Com o enredo ’A Vila canta o Brasil celeiro do mundo - “Água no Feijão que chegou mais um’, exalta o campo. O samba-enredo, feito por Martinho da Vila e Arlindo Cruz, entooava: “Ô muié, o cumpadi chegou, puxa o banco, vem prosear, bota água no feijão, já tem lenha no fogão, faz um bolo de fubá”.

Confira as quatro etapas fundamentais 1ª Controlar todas as despesas,entradas e saídas de recursos 2ª Separar o que é receita e o que é lucro 3ª Calcular o valor necessário para a empresa funcionar (capital de giro) e o valor mínimo para a empresa funcionar em um dia (caixa mínimo) 4ª Analisar a situação da empresa e projetar as ações para o futuro


economia

Domingo | 17 de fevereiro de 2013

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 7 DIVULGAÇÃO

A senhora coordenou o Grupo de Trabalho de Recriação da Sudene em 2003.Quais as diferenças entre o que foi proposto e o que foi acatado? Soubemos que nem tudo o que foi proposto foi acatado. É verdade. No Congresso, o projeto de Lei de recriação da Sudene teve pouquíssimos patrocinadores e o Ministério da Fazenda influiu para cortes importantes nas propostas de instrumentos de estímulo ao investimento na região. O relator Zezeu Ribeiro (PT/BA) viveu intensamente este momento, como um dos poucos defensores da Sudene. Por outro lado, o Fundo Nacional de Desenvolvimento Regional – proposto nas duas PEC da Reforma Tributária enviadas pelo Presidente Lula morreu no Congresso! Os governadores – em especial os do próprio Nordeste – atuaram para que, se aprovado, os recursos fossem direto para os caixas estaduais. Resumo da ópera: faltou patrocínio político à proposta de recriação da SUDENE. Por que o projeto original não foi acatado na sua integralidade? Que consequências implantar um projeto diferente do proposto trouxe para o desenvolvimento da região? Faltaram patrocinadores de peso. Com o tempo – o projeto se arrastou no Congresso – o próprio Presidente Lula foi deixando para lá a proposta da Sudene, pois deve ter visto que seu Governo chegava na região por outras políticas públicas (as sociais, a de reajuste do salário mínimo, a de ampliação do crédito, a de investimento em grandes obras como a Transposição do São Francisco e a Transnordestina). Ao ser aprovada, a Sudene nasceu sem instrumentos para atuar. Foi abandonada a sua própria sorte. Sequer um concurso público para refazer seu quadro técnico! Sequer os Governadores da nova safra se reuniam no seu Conselho Deliberativo: preferiam se encontrar em fórum paralelo, inclusive com o Presidente da República. O primeiro encontro da Presidenta Dilma com os Governadores do Nordeste se deu em Aracaju, longe da Sudene. Hoje,a Sudene é um orgão com foco no planejamento,explicou o diretor de Fundos e Incentivos,em entrevista recente à TRIBUNA DO NORTE. A autarquia, que foi responsável pela execução de grandes obras na região, perdeu seu poder decisório,reconhece a direção.O que o Nordeste,e o norte de Minas e Espírito Santo,perderam com isso? Foco no planejamento? De que? Nem um Plano Emergencial para o momento de seca grave a Sudene liderou! Especialistas afirmam que a Sudene de hoje é muito diferente da Sudene do passado.Poderia elencar as principais diferenças, a senhora que foi por 20 anos economista da Sudene? A do passado tinha um excelente quadro técnico; a de hoje está esvaziada. A do passado era fórum de discussão importante sobre o Nordeste, a de hoje sequer é convidada para eventos relevantes. A do passado tinha recursos significativos e instrumentos importantes para atuar, e a atual não os tem. Qual o papel da Sudene de hoje para o desenvolvimento da região? Seu papel não é sequer discutido. As lideranças nordestinas estão inebriadas com alguns investimentos que desembarcaram na região nos últimos tempos e com os resultados do dinamismo do mercado interno (estimulado pelo peso que as classes populares têm no NE). Não conseguem olhar o futuro! E ele está carregado de ameaças. Talvez quando as ameaças ficarem mais visíveis, se volte a pensar no Nordeste em seu conjunto. Por enquanto, as disputas federativas dominam o ambiente e “cada um por si” atua como pode. Ou talvez se encontre outro fórum – que não o Conselho Deliberativo da Sudene – para articular um pensamento

Governadores, ao seu Conselho Deliberativo. Mas os recursos dos incentivos, por exemplo, se concentraram fortemente na Bahia, Pernambuco e Ceará, embora estados de menores bases econômicas – como o RN – tenham sido dinamizados (o polo têxtil do RN, o polo de fruticultura irrigada do Assu, entre outros, estimularam a economia local). Como se vê, o debate sobre desenvolvimento regional não pode ser feito em uma única escala – a da macro região – pois a desigualdade herdada é muito grande e sai se reproduzindo em várias escalas. Henrique Tinoco, um dos diretores da Sudene, explica que muitos dos pequenos estados ficam sem recursos,porque não apresentam projetos de qualidade. A senhora concorda? Os estados que menos recebem recursos também têm sua parcela de culpa? Caberia à Sudene apoiar os Estados e não “passar o bastão”! Para se lutar contra as desigualdades, temos aprendido com as chamadas “políticas afirmativas” cujo principio básico é: privilegiar os que têm menos oportunidades! Ou seja, reconhecer, de partida, que a desigualdade se reproduz em detrimentos dos menores, dos mais frágeis, dos que tiveram menos oportunidades.

[ ENTREVISTA / TÂNIA BACELAR / ECONOMISTA ]

“A Sudene foi abandonada à própria sorte” ANDRIELLE MENDES Repórter

T

ânia Bacelar conhece a Sudene – e o Nordeste - como poucos. Especialista em Plane-

jamento Global pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal), da Organização das Nações Unidas (ONU), ela foi, durante 20 anos, a economista da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene). À frente da Secretaria Nacional de Políticas Regionais do Ministério da Integração, recebeu como missão coordenar o Grupo de Trabalho de Recriação da autarquia federal, em 2003. O projeto ficou pronto, mas não recebeu a atenção que deveria. O resultado, afirma, é uma superintendência fraca. “Seu papel não é sequer discutido”, afirma. Desprezar a Sudene ao invés de tentar fortalecê-la é perigoso para a região, alerta Tânia. “As lideranças nordestinas estão inebriadas com alguns investimentos que desembarcaram na região nos últimos tempos e com os resultados do dinamismo do mercado interno (estimulado pelo peso que as classes populares têm no NE). Não conseguem olhar o futuro! E ele está carregado de ameaças. Talvez quando as ameaças ficarem mais visíveis, se volte a pensar no Nordeste em seu conjunto”, afirma.

novo sobre o futuro da região, se é que Chico de Oliveira (seu primeiro Superintendente Adjunto) tem razão e ela não faz mais sentido. O futuro dirá! O fato do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) ser operacionalizado pelo BNB não esvazia a Sudene? Pergunto isso por que dos quase R$ 15 bilhões em fundos para o Nordeste previstos para 2013,quase R$ 12 bilhões serão operacionalizados pelo BNB. Não considero que este seja o problema. A Sudene nunca foi uma instituição financeira. Ao ser criada a Sudene, o BNB já atuava no Nordeste. As duas instituições se complementavam. O FNE, um dos poucos instrumentos atuais de política regional, está bem no Banco do Nordeste. O FNDE terá cerca de R$ 3 bilhões em 2013. É muito? É pouco? A senhora se recorda quanto a Sudene investia em média, por ano, no período em que foi economista da autarquia?

É pouquíssimo! Basta comparar, como o número do FNE! Ou com o orçamento do “trem bala”, se quiser olhar para fora da região! Professora Maria do Livramento,da UFRN,diz que a Sudene já não pensa mais o Nordeste.A autarquia teria deixado de pensar uma política regional para implantar uma política nacional na região.A senhora concorda com esta análise? Eu também defendo – e o fiz em alguns artigos - uma Política Nacional de Desenvolvimento Regional. Ela deve ser explicitada em várias escalas, pois a desigualdade regional do país se reproduz em escala macro (e nesta, o Norte e o Nordeste é que devem ser o foco das atenções) mas também em escalas outras. Tal política deve ser coordenada nacionalmente, sob o comando técnico do Ministério da integração e o comando político da Casa Civil ou do Ministério do Planejamento ( dependendo de quem lidera a coordenação das diversas políticas públicas federais). Isso não implica que a Sudene dei-

xe de pensar o Nordeste. A Diretoria de Fundos e Incentivos da Sudene reafirmou em entrevista à TRIBUNA que o alvo continua sendo os estados menos dinâmicos como o RN, mas dos quatro estados que receberam recursos do FNDE (CE, RN, BA E MA) - sem considerar o destinado a Transnordestina e o ainda em fase de contratação - o RN foi o menos recebeu recursos.Isso não seria uma contradição? Esta é a realidade. As desigualdades internas também marcam o Nordeste! A Sudene foi criada,inicialmente, para reduzir as desigualdades no país.A autarquia não corre o risco de aprofundar, pelo menos a nível de Nordeste, as desigualdades se continuar liberando mais recursos para os estados mais dinâmicos como CE,BA e PE? A Sudene foi criada para reduzir o hiato inter-regional. A preocupação com as desigualdades intra-regionais eram trazidas pelos

A SUDENE DO PASSADO TINHA UM EXCELENTE QUADRO TÉCNICO; ERA FÓRUM DE DISCUSSÃO IMPORTANTE SOBRE O NORDESTE,TINHA RECURSOS SIGNIFICATIVOS E INSTRUMENTOS IMPORTANTES PARA ATUAR. A DE HOJE ESTÁ ESVAZIADA E NÃO TEM NADA DISSO"

AS LIDERANÇAS NORDESTINAS ESTÃO INEBRIADAS COM INVESTIMENTOS QUE DESEMBARCARAM NA REGIÃO NOS ÚLTIMOS TEMPOS E COM OS RESULTADOS DO DINAMISMO DO MERCADO INTERNO. NÃO CONSEGUEM OLHAR O FUTURO! E ELE ESTÁ CARREGADO DE AMEAÇAS”

PARA SE LUTAR CONTRA AS DESIGUALDADES, TEMOS APRENDIDO COM AS CHAMADAS POLÍTICAS AFIRMATIVAS CUJO PRINCIPIO BÁSICO É: PRIVILEGIAR OS QUE TÊM MENOS OPORTUNIDADES! OU SEJA, RECONHECER,DE PARTIDA,QUE A DESIGUALDADE SE REPRODUZ EM DETRIMENTOS DOS MENORES”

O Nordeste vem crescendo mais do que o país. A região, no entanto,ainda concentra boa parte da população pobre e analfabeta do Brasil, e sofre com graves problemas de logística e infra-estrutura. Até que ponto essas limitações impactam no crescimento da região? Elas continuam impactando. O hiato entre o Nordeste e as regiões mais ricas se expressa sempre que se mapeia um indicador socioeconômico. Qual é a tendência para o crescimento do Nordeste? Continuar crescendo acima da média nacional? Reduzir o ritmo de crescimento? Estagnar? Trabalho com a hipótese de que no futuro próximo o país vai vivenciar um novo ciclo de concentração industrial, que beneficiará o Sudeste/Sul. O setor de Petróleo & Gás, por exemplo, que já lidera os investimentos industriais no país desconcentrou algumas refinarias e estaleiros, mas a cadeia produtiva a ele ligada é fortemente concentrada no Sudeste/Sul. Na outra ponta, a da energia renovável via produção de etanol, tem suas empresas fortemente concentradas em São Paulo, Mato Grosso do Sul, Goiás. Enquanto isso, o Nordeste perde peso relativo na produção nacional de cana e de álcool. Por outro lado, a nova política de concessão ao setor privado de investimentos em infra-estrutura tende a favorecer as regiões mais ricas e dinâmicas: basta ver o novo mapa de concessão de rodovias. Os investimentos param na Bahia. Como os fundos como o FNDE, operacionalizado pela Sudene, e o FNE, pelo BNB, podem ajudar a região a crescer? Como fazem: financiando empreendimentos produtivos e no caso do FNDE também de infraestrutura no Nordeste. Mas seus recursos, somados, são modestos, quando comparados às necessidades regionais e a investimentos previstos para outras regiões. O que a região precisa para continuar crescendo e por muito tempo? Ampliar investimentos em infra-estrutura e em qualificação de seus recursos humanos. A escolaridade média da população do Nordeste é 83% da média nacional! Aliás, os primeiros Planos Diretores da Sudene priorizaram exatamente este tipo de investimento, embora para a maioria o que ficou foi a imagem da Sudene dos incentivos fiscais (no que ela foi transformada pelos Governos Militares). Uma imagem, portanto, distorcida! A região precisa ser priorizada também nos investimentos das políticas sociais. Seus indicadores permanecem longe da média nacional.


8 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

economia

Domingo | 17 de fevereiro de 2013


natal

ILUMINAÇÃO PÚBLICA

Professor da UFRN,Glaúcio Brandão,fala sobre projeto E-Poste,que pode ajudar a otimizar o consumo de energia elétrica. PÁGINA 3

TEMPO HOJE

TÁBUA DE MARÉS

FEIRAS LIVRES

Nublado com pancadas de chuvas Máx.: 31ºC Mín.: 25ºC

Preamar 09h23-1.8 - 21h53-1.7 Baixa-mar 02h43-0.8 - 15h26-0.8

Cidade da Esperança: hoje 386 bancas/406 feirantes Quintas 232 bancas/144 feirantes

BALNEABILIDADE Impróprias Rio Pium - Balneário

FASES DA LUA Crescente: hoje Cheia: 25/02 Nascer do sol: 5h26 Pôr do sol: 17h43

Editora: Margareth Grilo e-mail: margareth@tribunadonorte.com.br

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE Domingo • 17 de fevereiro de 2013

[ AEROPORTO AUGUSTO SEVERO ] Apesar da ampliação da área de desembarque internacional em 34,16%, o espaço não consegue

atender a demanda. Além disso, o aeroporto não tem capacidade para receber, simultaneamente, mais de um voo internacional

Desembarque internacional saturado GABRIELA FREIRE repórter

desembarque internacional do Aeroporto Augusto Severo está saturado. Essa é a realidade enfrentada por quem chega de outro país no principal, e até agora único, terminal aéreo de passageiros de Natal. A reforma e ampliação do empreendimento, concluída em agosto do ano passado e avaliada em mais de R$ 16 milhões, contemplou a completa reforma dos toaletes, a criação de um fraldário, a construção de novas salas de embarque e desembarque, instalação de dois novos elevadores e escadas rolantes na parte interna do desembarque, além da instalação de 12 novos balcões de check-in. A área de desembarque internacional foi ampliada em 34,16%, segundo dados da Infraero. Mesmo assim, o espaço não consegue atender a demanda. Segundo funcionários, o Augusto Severo não tem capacidade para receber mais de um voo internacional simultaneamente. O fluxo dos voos que chegam ao Augusto Severo vindos de outros países não é intenso. Apenas cinco voos internacionais, provenientes de Portugal, Itália e Holanda, desembarcam nacidade em horários bem espaçados. Mas basta um avião lotado chegar que a situação se complica as aeronaves que operam esses destinos possuem uma média de 260 lugares. O tempo estimado para realização dos procedimentos de controle de imigração, feito pela Polícia Federal, e de fiscalização de produtos adquiridos fora do país, feito pela Receita Federal, é de 40 minutos. No entanto, a espera enfrentada no Augusto Severo pode chegar a até duas horas. Tempo bem maior que o esperado. O ambiente destinado aos procedimentos não é dos melhores. Mesmo após a reforma que resultou na otimização do espaço, o desembarque internacional não é confortável. Com aproximadamente 100 metros quadrados a área operacional obriga turistas e viajantes a se espremerem junto com suas malas. A cabeleireira Emily Medina ficou indignada com a situação vivida quando chegou em Natal. Depois de 14 horas de voo e visivelmente cansada, precisou passar mais de 50 minutos na fila do desembarque. “É uma primeira impressão horrorosa. É tudo muito complicado e demora-

O

do, depois de tantas horas de voo temos que enfrentar mais essa fila”, reclama. Emily Medina veio a passeio a Natal e não tinha mercadorias para declarar, o que a irritou mais. ainda “Estou na fila com pessoas que estão vindo com compras e precisam passar por um processo mais demorado que o meu. É muita desorganização”, disse. O empresário potiguar Fernando Antônio se diz constrangido com a demora, que segundo ele, é peculiar ao aeroporto de Natal. “Viajo uma média de três vezes ao ano e quando volto para casa é essa situação”, diz. Ele já estava na fila há quase uma hora e o número de pessoas na sua frente ainda era grande. A Tribuna do Norte acompanhou parte de um procedimento de desembarque de passageiros internacionais. A presença da equipe foi suficiente para dar início a uma série de reclamações, muitas anônimas, vindas de quem aguardava na fila. O funcionário de uma companhia aérea que preferiu não se identificar foi taxativo: “Não temos condições de receber mais de um vôo ao mesmo tempo”. A constatação dele é justificada com o baixo efetivo de equipes de inspeção da Receita e Polícia Federal no momento. A jornalista Jussara Correia recorda que apenas dois guichês da Polícia Federal funcionavam quando chegou em Natal. “E um era só para os estrangeiros e outro para os brasileiros. Quem era estrangeiro demorava ainda mais”. Segundo informações apuradas pela reportagem, a situação se repete em outros desembarques. Outro problema é apontado pelo professor Ricky Damasceno. Como o espaço reservado ao desembarque internacional é reduzido, as esteiras de circulação das bagagens segue o mesmo padrão. “Quando cheguei para pegar minha bagagem, me deparei com várias malas jogadas no chão, uma em cima das outras. O que dificultava muito a identificação”, reclama. O procedimento de jogar as malas no chão é realizado pelos funcionários das companhias aéreas e é “padrão” já que é preciso liberar espaço para as outras bagagens circulem e o serviço seja finalizado.

LEIA MAIS Receita Federal vai otimizar serviços alfandegários no Augusto Severo.Pág.2


2 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

natal

Domingo | 17 de fevereiro de 2013

O sistema de seleção de canal, utilizado em outros aeroportos do Brasil, vai ser implantado para facilitar a vida do viajante, que não precisa declarar a aquisição de bens fora do país. A expectativa é que o tempo de espera seja reduzido

[ VOOS INTERNACIONAIS ]

RF vai otimizar serviços alfandegários JÚNIOR SANTOS

m método para dinamizar o serviço de fiscalização alfandegária será implantado no Aeroporto Augusto Severo até o fim do mês de março. O sistema de seleção de canal é utilizado em aeroportos do Brasil e facilita a vida do viajante que não precisa declarar a aquisição de bens fora do país. Uma pequena reforma vai ser feita na área operacional do desembarque internacional. A expectativa é que o tempo exigido do passageiro seja reduzido. Nesse sistema o viajante vai optar entre os canais verde (se não precisa declarar) ou vermelho (se precisar declarar bens adquiridos), acelerando o serviço. De acordo com o inspetor chefe da Aduana, Jorge Luíz da Costa, o sistema de seleção de canal está sendo implantando também em Fortaleza. “Estamos nos preparando para grandes eventos. O aeroporto de Natal é uma alternativa para receber comitivas que participarão da Copa das Confederações”, afirma. O inspetor reconhece as limitações do terminal e disse que vem negociando as melhorias com a Infraero. A reforma para o funcionamento do sistema foi uma solicitação da Receita Federal e consiste na colocação de divisórias que garantem a privacidade

U

PF e Receita Federal tentam explicar demora

NOVO AEROPORTO Sobre o projeto do novo aeroporto de São Gonçalo do Amarante a informação é de que as obras de terraplanagem,sob responsabilidade da Infraero,serão entregues em novembro de 2013.A concessionária já está construindo o terminal e a primeira fase do projeto tem previsão de ser entregue até a Copa do Mundo.A expectativa é que o mesmo já esteja em operação no próximo mês de dezembro. Com o início da operação do novo aeroporto,o Augusto Severo,que funciona em Parnamirim,deverá ser desativado para aviação comercial e usado exclusivamente para a aviação militar.

necessária em algumas inspeções individuais ou mais rigorosas. Além disso, a Receita Federal investiu R$ 200 mil na adquisição de uma esteira com raio-x passa observação das bagagens. “A aquisição desse equipamento é de responsabilidade da Infraero, mas em função da urgência na implantação do sistema resolvemos fazer esse investimento”, destaca Jorge Luíz da Costa. Outra melhoria ao aeroporto proposta pela Receita é a inauguração do Centro de Cães de Faro (CCF) da Receita Federal. Um novo aliado no combate à entrada e à saída de entorpecentes no país, explica Costa.

Na área operacional,o processo de liberação do passageiro chega a demorar até duas horas

JÚNIOR SANTOS

NÚMEROS DO AUGUSTO SEVERO Conheça a situação de voos e estrutura do aeroporto e os procedimentos adotados no desembarque internacional Voos nacionais

Voos internacionais

80

5

por dia (entre pousos e decolagens).

por semana

* Capacidade aumentou de 4,2 milhões passageiros por ano para 5,8 milhões Em 2012,recebeu 2,68 milhões de passageiros.Ou seja, o aeroporto suporta o dobro do fluxo registrado “sem transtornos ou gargalos”, afirma Infraero

12h às 13h30 é o horário de maior fluxo no terminal. Concentração de 12 voos chegando e partindo

Empresário Fernando Antônio se diz constrangido com a demora

Projeto de revitalização das pistas fica pronto até junho Os passageiros dos voos domésticos passam longe das reclamações dos passageiros dos vôos internacionais. Os elevadores quebrados, as escadas rolante paradas e o forte calor fazem parte da história do Aeroporto Internacional Augusto Severo. Cinco meses após reforma que durou mais de um ano, o terminal parece ter conseguido, finalmente, decolar. A informação de que será desativado para aviação comercial e usado exclusivamente para a aviação militar, após inauguração do Aeroporto de São Gonçalo, não significa o fim das melhorias no terminal. O pátio e as pistas deverão passar por melhorias em breve. O projeto deve ficar pronto até o meio do ano. “Uma empresa já foi contratada ao valor de R$ 300 mil. Após a conclusão, a obra passará pelo processo licitatório, contra-

tação e seguirá os trâmites exigidos”, explica o gerente de operações da Infraero em Natal, Adailton Gomes Teixeira. O gerente de uma operadora de turismo Pedro Monte elenca as melhorias. “O ar-condicionado agora funciona, assim como os elevadores e escada rolante. Depois da mudança aqui no saguão, não tem mais aquele tumulto de antes”. O permanente investimento reacende o questionamento sobre a definição do Augusto Severo como o aeroporto da Copa do Mundo. “Eles gastam um dinheirão todo desse e dizem que vão desativar tudo já no ano que vem”, questiona o taxista Albenides Martins. A Infraero vem preparando o Augusto Severo para uma possível ajuda na Copa de 2014. “A reforma deixou o aeroporto preparado para essa demanda”, garantiu Adailton Gomes. JÚNIOR SANTOS

Na área operacional,passageiros se espremem junto às malas

MELHORIA DE ESTRUTURA (Após reforma concluída em agosto/2012)

ITEM Embarque doméstico Desembarque doméstico Embarque internacional Desembarque internacional Saguão Check-in's Canais de inspeção Salas de embarque Portões de embarque Lojas comerciais

ANTES 401m² 743m² 428m² 609m² 1.497m² 32 guichês 2 guichês 2 5 44

DEPOIS 722m² 996m² 544m² 818m² 2.388m² 36 guihês 5 guichês 4 8 47

PASSO A PASSO Etapas cumpridas dentro do desembarque internacional O passageiro chega e se dirige ao terminal de desembarque internacional.

1

Forma-se uma fila para o procedimento de imigração com a Polícia Federal.

2

3

Acesso à esteira de bagagens.

Fila para inspeção com a Receita Federal/ Aduana e VigiAgro (Ministério da Agricultura), para verificação de mercadorias adquiridas fora do país.

4

5

Liberação

QUANTO TEMPO PODE DEMORAR ESSE PROCESSO: Expectativa

Realidade

40 minutos

até 2 horas

PROJETOS AMPLIAÇÃO 2013 * Reforma do pátio e pistas de pouso – Projeto de melhoria deve ficar pronto até o meio do ano. Obras ainda sem previsão de início.

ADRIANO ABREU

Com a reforma, dois novos elevadores foram instalados

* Inauguração do Centro de Cães de Faro (CCF) da Receita Federal - Um novo aliado no combate à entrada e à saída de entorpecentes no país.

A imigração é o primeiro processo a que o viajante estrangeiro é submetido. A chefe da delegacia de imigração, Polyana Pimenta, disse que os procedimentos não são demorados. “Só demanda mais tempo quando é identificado algum problema. Como irregularidade no visto, multa a ser paga, problemas de impressão no passaporte ou mandado de prisão”, explica. A equipe é formada Por quatro funcionários terceirizados e três agentes por turno, além de um responsável geral. Sobre o tempo demandado em todo o processo é enfática. “São procedimentos de segurança que não podemos abrir mão em função do conforto do passageiro”. A etapa que segue a imigração é a coleta das bagagens e a inspeção na Aduana. O verdadeiro gargalo. O inspetor chefe da Aduana, Jorge Luiz da Costa, destaca que a insistência das pessoas em entrarem no país com produtos de origem orgânica atrasa esse processo. “Cerca de 80% a 90% do que é trazido é de origem orgânica, proibido de entrar no Brasil segundo normas da Anvisa. É feita uma seleção não invasiva, que filtra algumas bagagens que podem conter bens não permitidos no país”, explica. A seleção , explica Costa, é realizada com base em critérios objetivos. A aquisição dos novos equipamentos e implantação do novo sistema devem dar mais celeridade ao processo.

Reformas continuam em andamento Apesar da reforma do aeroporto Augusto Severo ter sido concluída em agosto do ano passado, pequenas intervenções continuam sendo feitas no terminal. O gerente de operações e segurança da Infraero, Adailton Gomes Teixeira, explicou que a loja Duty Free, localizada nas dependências do desembarque internacional, será reduzida para liberar mais espaço para os passageiros que aguardam pela inspeção fiscal. “Essa redução acontecerá de forma que consiga atender, sem problema, o objetivo da loja e com isso otimizar o espaço da Receita Federal”, disse. Além disso, o serviço da Polícia Federal poderá ser incrementado após a oferta de mais dois balcões para atendimento imigratório. A limitação de espaço impede a melhoria do serviço de entrega das bagagens. “Não tem como aumentar a esteira devido ao espaço que temos. Quando o vôo internacional não coincide com um doméstico, utilizamos uma segunda esteira”, explica. Sobre o trato com as malas, Adailton Teixeira disse que a orientação passada aos funcionários das companhias aéreas, é que sejam colocadas em disposição ao lado da esteira. ADRIANO ABREU

Por dia, cinco voos internacionais chegam ao Augusto Severo


Domingo | 17 de fevereiro de 2013

natal

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 3

Em média, a capital consome R$ 18 milhões/ano na iluminação pública. A estimativa é que o E-poste possa economizar até uma hora de uso em cada lâmpada. Isso significaria uma economia estimada em R$ 2 milhões/ano [ ILUMINAÇÃO PÚBLICA ]

Projeto promete otimizar consumo projeto E-poste pode trazer uma economia estimada em R$ 2 milhões por ano, nos custos da iluminação pública de Natal. Em média, a capital consome, anualmente, R$ 18 milhões com a iluminação nos postes de ruas e em espaços públicos. O novo sistema será capaz de monitorar o funcionamento dos pontos de luz nas ruas e programálos de forma mais exata para aproveitar a luz do sol. A iniciativa surgiu de pesquisadores majoritariamente ligados à Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), em 2010. Conforme o coordenador do projeto, o professor de engenharia elétrica da UFRN Gláucio Brandão, é possível melhorar o aproveitamento da luz natural, principalmente na região Nordeste. “Dá pra programar para um poste acender exatamente às 17h30”, citou. A programação dos horários também são variáveis com a época do ano, uma vez que os horários da luz solar também variam. Atualmente, as lâmpadas possuem uma fotocélula que deveriam desligar e ligar automaticamente cada lâmpada. Para isso, o equipamento identifica quando o dia anoitece e amanhece. “Esse equipamento é muito antigo, muitas vezes, as fotocélulas não funcionam e isso representa custos desnecessários”, disse Luiz Lopes, consultor contratado pela Prefeitura de Natal. Essa deficiência é facilmente verificada pelas ruas de Natal. Pontos de luz ficam acesos durante o dia e apagados de noite, como acontece na avenida Duque de Caxias. Segundo secretário municipal de Serviços Urbanos, Raniere Barbosa, a pasta gasta cerca de R$ 600 mil, por mês, somente com manutenção da rede. O cálculo da economia na conta de iluminação pública diz respeito apenas ao consumo. “A economia pode aumentar inclusive se for levada em consideração a manutenção”, afirmou Brandão, lembrando que as lâmpadas poderão ficar menos tempo acesas e, consequentemente, ganharão em vida útil. O consultor do projeto afirma que E-poste já foi devidamente testado e validado. O sistema de controle está em funcionamento há dois anos, de forma experimental, na praça Hélio Galvão Capim Macio. Há apenas um chip que programa vários postes. O primeiro equipamento desenvolvidos pelos pesquisadores tinha as dimensões de um aparelho de telefone fixo. Três versões depois, o tamanho é comparável ao de um smartphone.

FOTOS:JOÃO MARIA ALVES

O

SISTEMA APRIMORADO A pesquisa teve início em 2010.Desde então,o grupo de pesquisadores produziu quatro aparelhos,até chegar à versão final.

Acoplado ao poste,o equipamento (Foto 1) permite monitorar o os pontos de luz e programá-los da forma mais exata para aproveitar a luz do sol.Apesar de estar pronto para uso,o sensor está sendo melhorado para associar itens que podem medir qualidade do ar, temperatura,umidade e consumo real das lâmpadas. Na avenida Duque de Caxias pontos de luz ficam acesos durante o dia e apagados à noite

Prefeitura investiu R$ 400 mil em projeto de automação De acordo com o consultor Luiz Lopes, a Prefeitura de Natal investiu R$ 400 mil no desenvolvimento do e-poste na gestão passada. Inclusive existe já existe projeto para instalar 500 chips pela cidade. “Se a Prefeitura desejar, há uma previsibilidade para a confecção de 500 peças, no valor de R$ 80 mil, o que representa o controle de 18% dos pontos de iluminação pública de Natal”, disse. Segundo ele, nessa primeira fase, a própria equipe da UFRN poderia confeccionar os chips, mas não teriam condições para produzir em escala maior. Para o coordenador do e-poste, o professor Gláucio Brandão, cabe à Prefeitura decidir como irá instalar. “À medida que fossem queimando os sensores conven-

Com o sistema E-poste, as lâmpadas poderão ficar menos tempo acesas e ganharão em vida útil

NÚMERO

18%

dos pontos de iluminação pública podem ser controlados,segundo o consultor do projeto Luiz Lopes

cionais, a Prefeitura iria substituindo pelos novos. Poderia ser também uma experiência por bairros”, explicou. No entanto, o titular da Semsur diz desconhecer o projeto. “Ele tem que entregar um relatório da consultoria e o projeto à Prefeitura”, cobrou. Raniere Barbosa informou que houve uma apresentação do projeto para a equipe da secretaria (ele não estava presente), mas nenhum projeto foi entregue na ocasião. “Em 2008, instalamos um sistema de telemetria em duas ruas de Natal no estilo do E-poste”, rememorou. Nessa nova gestão, o secretário está em busca de um sistema de automação existente no Rio de Janeiro, mas disse que o projeto local era bem-vindo.

E-POSTE ESQUEMA DE FUNCIONAMENTO DO SISTEMA

Também será possível monitorar e programar os postes por meio de computadores portáteis.

As informações de monitoramento devem ser enviadas para uma central de comando.Na central é possível visualizar relatórios sobre o funcionamento e programar cada ponto de luz.

O chip fica instalado em um poste e consegue comandar e monitorar mais de um ponto ao mesmo mesmo.

A economia pode aumentar inclusive se for levada em consideração a manutenção da rede de iluminação” GLÁUCIO BRANDÃO Coordenador do E-poste/UFRN

Gláucio Brandão aponta expectativa de economia de R$ 2 milhões

Cálculo da Economia na Iluminação Pública

1 O cálculo é feito com

base nas cerca de 60 mil pontos de luzes na rede de Natal.

2 Cada ponto fica,em

média,aceso 12 horas por dia.

Fonte:Anuário 2010 da Prefeitura do Natal.

3 Cada uma lâmpada

consome 200 watts por hora num dia cada,sendo o preço do k/w R$ 0,05.

4 A estimativa do

professor Gláucio Brandão é que o e-poste possa economizar até uma hora de uso em cada lâmpada.


4 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

natal

Domingo | 17 de fevereiro de 2013

ARTIGO

Poder Judiciário ANELLY MEDEIROS - ANELLYMEDEIROS@HOTMAIL.COM

coluna Poder Judiciário volta, depois de umas férias, com uma notícia bastante aguardada pelo meu jurídico. A escolha da lista tríplice, enfim, aconteceu. Os advogados Artêmio Azevedo, Glauber Rêgo e Magna Letícia agora fazem parte da lista tríplice que será encaminhada à governadora Rosalba Ciarline. Quem cair nas graças da governadora, será o novo desembargador do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte pelo Quinto Constitucional. O certo é que os três candidatos são respeitados pela classe e quem vencer representará bem a advocacia potiguar na Corte.

A

ARTÊMIO JORGE DE ARAÚJO AZEVEDO

FOTOS:JÚNIOR SANTOS

tem 51 anos é filho do Professor Arnaldo Arsênio de Azevedo e de Amazilde Araújo de Azevedo,brasileiro.Casado com Uianê Pinto Azevedo.Advogado militante nas áreas Cível e Penal há 18 anos. Graduado nos cursos de Economia e Direito pela UFRN.Pós graduado pela USP e pela Escola Superior de Magistratura do Rio Grande do Norte. Professor Substituto do Curso de Direito da UFRN. O senhor está disputando o cargo com outros dois profissionais respeitados pela seriedade e ética.Qual o diferencial que o credencia ao cargo? Penso que seriedade e ética são obrigação.Tenho consciência de que Cargo de Desembargador exige bem mais.Exige conhecimento jurídico,maturidade, serenidade e equilíbrio para julgar,que alcancei com meus 51 anos de idade e meus 32 anos de vida profissional.Quem obteve o reconhecimento expressivo e a confiança dos Desembargadores que me colocaram no primeiro lugar da lista,está legitimado a servir ao Poder Judiciário do nosso Estado. Qual será o maior desafio nessa nova fase da disputa? Demonstrar à Senhora Governadora que as qualidades já reconhecidas pelos Senhores Desembargadores foram expressão inequívoca de que o Tribunal de Justiça escolheu o meu nome em primeiro lugar como o advogado apto e preparado a exercer o Cargo de Desembargador.

GLAUBER RÊGO, natural de Pau dos Ferros, é casado com Fabiola Torquato e tem dois filhos. É advogado formado pela UFRN. Também é Engenheiro Agrônomo pela ESAM. Há 15 anos atua nas áreas do Direito civil, Empresarial, Trabalhista e Administrativo. O senhor está disputando o cargo com outros dois profissionais respeitados pela seriedade e ética.Qual o diferencial que o credencia ao cargo? A escolha da Governadora será difícil,face às características semelhantes dos postulantes ao cargo (sérios e éticos).Respondendo de forma objetiva,não diria diferença,mas particularidades,tais como:Advogado militante no interior do estado;ter outra formação acadêmica (além de advogado, engenheiro agrônomo);e o desejo de realizar um trabalho comprometido com os princípios republicanos e a ética. Qual será o maior desafio nessa nova fase da disputa? Saber que somente um poderá ser escolhido!

MAGNA LETÍCIA tem 48 anos é casada e mãe de dois filhos.Graduada pela UFRN.Vinte e sete anos de advocacia,sendo 19 anos como Procuradora do Estado.Pósgraduada em Direito Público pela UFRN.Corregedora-Geral da PGE/RN e atual Procuradora-Geral Adjunta. A senhora está disputando o cargo com outros dois profissionais respeitados pela seriedade e ética.Qual o diferencial que a credencia ao cargo? Entendo ter maturidade e a experiência necessária ao cargo,inclusive na atuação em um colegiado e no âmbito público e privado.Meu curriculum mostra bem isso.Tenho como qualidades pessoais o equilíbrio aliado a responsabilidade, imprescindiveis ao bom desempenho da nobre função de julgar. Qual será o maior desafio nessa nova fase da disputa? Tenho consciência de que estou preparada para o cargo,de forma a desempenhá-lo com ética.Sei que a escolha da Governadora será baseada em uma apreciação correta de muitos critérios.O desafio,portanto,é de me credenciar demonstrando que possuo esses critérios.

FÉRIAS POR UM FIO O presidente do STF, Joaquim Barbosa, determinou a criação de uma comissão especial para analisar o projeto de lei que propõe o fim das férias de 60 dias de juízes e procuradores, concedidas durante o período da Ditadura Militar. Como era de se esperar, a mudança encontra bastante resistência. O ministro Marco Aurélio, que é contra o projeto, alega que aproveita esse tempo de descanso para reduzir a pilha de processos em seu gabinete.

FÉRIAS IIPara a presidente da AMARN, juíza Hadja Rayanne Alencar, as férias dos magistrados são uma prerrogativa institucional de uma carreira típica de Estado. Para a presidente, é preciso ressaltar que apesar da polêmica estar instalada somente em torno da magistratura diversas carreiras gozam do benéfico 60 dias de férias: Ministério Público, Procuradorias do Estado e Município, Vereadores, deputados.

ASSEPSIA Ao conceder o HC que possibilitou ao médico Tufi Soares Meris, cumprir prisão domiciliar, o ministro Ricardo Lewandowski superou a Súmula 691 do STF que veda ao Supremo a apreciação da solicitação, antes do STJ. O ministro considerou a prisão do médico “teratológica, flagrantemente ilegal ou abusiva. No caso sob exame, verifico que a situação é excepcional, apta a superar o entendimento sumular, diante do patente constrangimento ilegal a que está submetido o paciente.” O médico Tufi Soares Meris é acusado de integrar um esquema de corrupção na Secretaria Municipal de Saúde nos anos de 2010 e 2011.

A tal tolerância zero MARCELO ALVES DIAS DE SOUZA Procurador Regional da República Mestre em Direito pela PUC/SP Doutorando em Direito pelo King’s College London – KCL

éspera de carnaval, sobriamente assistindo à TV já tarde da noite (“revoltadamente”, confesso, pois, em Recife/Olinda, onde estava, a folia já estava na rua), vi, num dos nossos telejornais, uma reportagem lembrando que este ano teríamos nosso primeiro período momesco com a tal “tolerância zero” no que toca a álcool e direção. Sem dúvida, é um tema que, diretamente, interessa a todos os apreciadores – profissionais e amadores – de fermentados e destilados (entre os quais me incluo). Mas que também diz respeito – e muito – ao restante da população, já que é uma questão de segurança pública. Lembro-me que, ano passado, foi um tema muito debatido no verão potiguar, em razão das fiscalizações, às vezes pirotécnicas, para coibir a combinação de álcool e direção (vide a crônica “O pedestre infrator”). Mas este verão – pelo menos essa foi minha impressão – a coisa não gerou tanta polêmica. Talvez estejamos cada vez mais conscientes de que a combinação álcool/direção não dá certo. Talvez a coisa tenha perdido a graça, dado que nenhuma “celebridade” potiguar – pelo menos que eu saiba – foi pega no bafômetro. Mas o fato é, na virada de dezembro para janeiro, com a Lei 12.760/12 e a Resolução 432/13 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), a política de combate ao álcool na direção tornou-se ainda mais rígida. Em primeiro lugar, a Lei 12.760/12 alterou a Lei 9.503/97, que instituiu o Código de Trânsito Brasileiro – CTB. Em sua nova redação, a Lei 9.503/97, no seu art. 165, determina, como infração (administrativa) gravíssima: “Dirigir sob a influência de álcool ou de qualquer outra substância psicoativa que determine dependência: Penalidade - multa (dez vezes) e suspensão do direito de dirigir por 12 (doze) meses”. E segundo o parágrafo único do mesmo artigo, “aplica-se em dobro a multa prevista no caput em caso de reincidência no período de até 12 (doze) meses”. Nos termos da Resolu-

V

ção 432, se o famoso bafômetro já marcar 0,05 miligrama de álcool por litro de ar, o companheiro está, como se diz, “reiado”. Ouvi falar que isso é menos que um copinho de cerveja, uma taça de vinho ou qualquer dose do querido Old Parr. A penalidade, que era antes de R$ 900,00, é agora de R$ 1.915,30, com recolhimento da habilitação, suspensão do direito de dirigir por 12 meses, sem falar na retenção do veículo, até a apresentação de condutor habilitado (se não há outro motivo para o carro ficar retido, claro). E pode chegar, em caso de reincidência dentro de um ano, a R$ 3.830,60, com nova suspensão do direito de dirigir por mais 12 meses. “Que cachacinha cara”, diria um amigo meu. Mais gravemente, o novo art. 306 do CTB (com a redação dada pela Lei 12.760/12) diz que é crime “conduzir veículo automotor” – sem falar, como era antes, em via pública – “com capacidade psicomotora alterada em razão da influência de álcool ou de outra substância psicoativa que determine dependência: Penas - detenção, de seis meses a três anos, multa e suspensão ou proibição de se obter a permissão ou a habilitação para dirigir veículo automotor”. Pondo de lado as enfadonhas tecnicalidades jurídicas quanto ao crime do citado art. 306 – que, aliás, serão no futuro decididas por nossos tribunais –, algumas observações são possíveis. (i) A inserção da expressão “com capacidade psicomotora alterada”, que assim será considerada se houver concentração igual ou superior a 6 decigramas de álcool por litro de sangue ou igual ou superior a 0,34 miligrama de álcool por litro de ar alveolar, neste último caso verificada via bafômetro. E essa alteração de capacidade será reconhecida também por sinais (como sono, soluços, olhos vermelhos, vômito, cheiro de bebida ou andar

trôpego), verificados, por exemplo, via exame clínico/pericial, vídeo, prova testemunhal (da autoridade de trânsito), na forma disciplinada pelo Contran (leia-se Resolução 432). (ii) A anterior redação falava conduzir em via pública. A nova redação não faz essa restrição. Bom, é razoável presumir que a condução ilegal pode se dar em qualquer via. (iii) A nova redação diz em “razão da influência de álcool ou de outra substância psicoativa que determine dependência”. Nesse ponto, alguns dizem, até remédios licitamente tomados ou outras substancias que alterem a personalidade do indivíduo podem dar ensejo à conduta tipificada. Outra mudança diz respeito ao art. 277 do CTB. A antiga redação falava em bafômetro do condutor suspeito de dirigir sob a influência de álcool. A nova redação diz: “O condutor de veículo automotor envolvido em acidente de trânsito ou que for alvo de fiscalização de trânsito poderá ser submetido a teste, exame clínico, perícia ou outro procedimento que, por meios técnicos ou científicos, na forma disciplinada pelo Contran, permita certificar influência de álcool ou outra substância psicoativa que determine dependência”. Não achei uma boa ideia essa coisa de fazer bafômetro em todo mundo, mesmo sem suspeita de ingestão de álcool, mas apenas por haver sido parado na blitz (reiterando que a submissão ao bafômetro, acredito, ainda é voluntária). Lá teremos filas intermináveis com, por exemplo, motoristas profissionais e senhoras (visivelmente insuspeitos de haverem ingerido álcool) submetidos desnecessariamente ao teste. E tome desperdício de bafômetros. Sei que a questão direção/álcool, com tolerância zero, ainda vai gerar muita polêmica. E falo tanto juridicamente como, pondo de lado as tecnicalidades e chatices do Direito, entre apreciadores e não apreciadores da branquinha e assemelhados. Até porque outros países – como, segundo me disseram, os EUA, o Reino Unido, a França, a Alemanha e os nossos confrades Argentina e Uruguai – permitem dirigir com certa quantidade de álcool no organismo. De minha parte, para a folia de carnaval – se é que folia tive – dei a sorte de encontrar uma motorista que não bebia. Tratamonos muito bem.


natal

Domingo | 17 de fevereiro de 2013

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 5

[ PERIFERIA ] As demandas dos habitantes do Brasil Novo estão longe de serem atendidas pelo

Poder Público. Além das ruas esburacadas, faltam ônibus, base de polícia e posto de saúde FOTOS:JOÃO MARIA ALVES

A única praça do conjunto está abandonada há vários anos

As águas servidas são lançadas nas ruas e se misturam ao lixo

Brasil Novo, velhas deficiências MARCELO LIMA repórter

o bairro Pajuçara, zona Norte de Natal, o conjunto Brasil Novo condensa velhas deficiências que ferem violentamente a cidadania. O lugar espelha a realidade de periferias negligenciadas pelo poder público. No conjunto, enquanto a água servida é lançada nas ruas com fartura, as torneiras dentro das casas só vertem gotas. Por lá, nada de Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs). Há apenas uma escola de ensino fundamental que não comporta todas as crianças. Também não existem unidades de saúde no conjunto, muito menos bases policiais. Para completar, nenhuma linha de ônibus entra no Brasil Novo em função das ruas esburacadas. Depois de desacreditar no poder público, resta na ponta da língua dos “novos brasileiros” um lema cansado e previsível: “De novo, o conjunto só tem o nome”. Do alto da avenida Barragem Armando Ribeiro uma paisagem de agudo contraste: as casinhas simples do conjunto encimados por dunas brancas. Basta descer a ladeira para a paisagem natural ceder espaço a problemas de toda sorte. Em frente a única praça do conjunto, mora há 12 anos a dona de casa Maria Lenize da Silva, 47 anos. Faz uma semana que das torneiras só saem pingos d’água. “A gente tem que ficar esperando a água cair. Sempre faltava um ou dois dias. Essa semana foi que ficou pior. Aqui falta tudo”, desabafou. Muitos moradores conseguiram livrar-se do problemas da falta d’água nos primeiros dias com caixas d’água grandes, ou mesmo com a compra de água mineral para todo tipo de uso. De acordo com a Companhia de Abastecimento e Esgoto do Rio Grande do Norte (Caern), a falta d’água aconteceu porque uma bomba queimou. Conforme a estatal, o abastecimento começou a ser normalizado, ontem à noite.

N

ILHADOS O fim da circulação dos ônibus no Brasil Novo aflige ainda mais Maria Lenize e sua filha cadeirante de 17 anos. Há cinco meses, as linhas 75, 76 e 79 deixaram de circular dentro do conjunto. A justificativa do Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros de Natal (Seturn) é a “falta condições de tráfego” nas ruas.

NÚMEROS DO PAJUÇARA É nesse bairro que está localizado o conjunto Brasil Novo,um dos 13 loteamentos. PAJUÇARA

61.086 habitantes 13 conjuntos 2 bases de polícia 1 delegacia 8.433

crianças e adolescentes com até 14 anos

30 %

de drenagem e pavimentação

De acordo com a Prefeitura de Natal,o Pajuçara possui 13 conjuntos habitacionais,entre os quais,o Brasil Novo.No bairro,existem 8.433 habitantes com idade entre 0 e 14 anos - 29% da população. Nos arredores do Brasil Novo existem quatro escolas municipais,duas estaduais e dois CMEIS.A situação é ainda mais grave para os adolescentes que precisam de uma escola de ensino médio.Caso não encontrem vagas no conjunto Santarém,a única saída são as escolas da zona leste,principalmente Cidade Alta e Alecrim. Outra deficiência é a falta de postos de saúde.

Pajuçara

Conjunto Brasil Novo

Fonte:Anuário 2010 da Prefeitura do Natal.

Os problemas aumentaram com a ausência de transporte público

Apesar disso, ônibus de indústrias, como Vicunha e Guararapes, circulam pelo Brasil Novo. E mesmo

autos &

motores

TODAS AS SEXTAS NA TRIBUNA DO NORTE

quando os ônibus passam por lá, Maria Lenize passava por um drama para entrar nos veículos. “Os ele-

vadores só viviam quebrados. Eu tinha que pegar ela no colo e pedir pra alguém me ajudar” relatou. Para levar a filha à fisioterapia e consultórios médicos, Maria Lenize conta com o Programa de Acessibilidade Especial Porta a Porta (Prae). Entretanto, ter o direito de ir e vir limitado, também gera a restrição de outros direitos que necessitam do primeiro para se concretizarem, como o lazer. A saída da mãe é pagar uma corrida de táxi. Segundo a Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob), há um estudo de viabilidade para o retorno das linhas. “Enquanto não houver possibilidade de acesso, não podemos obrigar os ônibus passarem por ali”, disse o secretário adjunto de Transportes de Natal, Clodoaldo Cabral. Ele afirmou também que a gestão anterior enviou um ofício para a Secretaria de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb). Mas a atual gestão teve que enviar outro para a Secretaria Municipal de Obras Públicas e Infraestrutura (Semopi), a pasta que realmente é responsável por solucionar problemas de pavimentação e drenagem. A equipe de reportagem tentou contato com a Semopi, mas não conseguiu.


natal Natal | Rio Grande do Norte | Domingo | 17 de fevereiro de 2013

FOTOS:JOÃO MARIA ALVES

6

Longe das

ESCOLAS

E DOS SERVIÇOS ESSENCIAIS, O JEITO É ANDAR A PÉ, EM BUSCA DE ASSISTÊNCIA a única rua asfaltada, está localizada a Escola Municipal Zuleide Fernandes. A instituição tem vagas para cerca de 600 alunos do 1º ao 5º ano do ensino fundamental, mas não é o suficiente. Todos os anos a escola envia para a Secretaria Municipal de Educação uma lista de excedentes para verificar a possibilidade de matrícula em outras da rede. A dona de casa Lucineide Lemos matriculou dois dos seus filhos ontem na Escola Zuleide Fernandes. Moradora do Brasil Novo há uma semana, ela já se preocupa com o filho mais velho de 11 anos. Caso ele seja aprovado este ano, Lucineide terá que encontrar uma escola fora da comunidade para matriculá-lo. Segun-

N

do a mãe, ele poderá ir para uma escola no Santarém, comunidade de onde a família se mudou recentemente. “Vai ser muito ruim pra ele pegar esse sol quente”, avaliou a mãe. Depois que os estudantes chegam ao 6º ano do ensino fundamental, eles são encaminhados para a Escola Municipal Maria Alexandrina Sampaio no Parque das Dunas. Mas o encaminhamento não é certeza de se conseguir vagas até porque a partir do sétimo ano a prioridade é a renovação da matrícula dos alunos que já estudam na instituição. A situação é ainda mais grave para os adolescentes do Brasil novo que precisam de uma escola de ensino médio. Caso não encontrem vagas no conjunto Santarém, a única saída são as escolas da zona leste, principalmente Cidade Alta e Alecrim.

Lucineide Lemos reclama da ausência de escola do ensino médio

Violência preocupa Um tiro na cabeça do filho desesperou o comerciante Claudionor Araújo da Fonseca. Ele vive há quatro anos no conjunto e já teve seu estabelecimento comercial assaltado duas vezes. “Da primeira vez, eles levaram meu carro e deram uma geral com a arma na mão no comércio”, contou. Foi no segundo assalto, há quase dois anos que o filho foi ferido com um tiro de raspão na cabeça. “Três caras chegaram num carro e um deles entrou. Meu filho estava com a cabeça no meu colo. Na hora que o assaltante falou, o menino levantou e ele disparou de tão nervoso que tava”, relembrou. A ambulância foi chamada, mas o comerciante disse que demorou muito. Ele mesmo levou o filho para a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA)

do Pajuçara. O adolescente, que à época tinha 12 anos, foi transferido em seguida para o Hospital Walfredo Gurgel. Não houve sequelas. Obviamente a ameça permanente da insegurança não é exclusividade de Claudionor. “Todo dia a gente ouve falar de quem teve o comércio assaltado por aqui”, acrescentou. Ainda segundo o comerciante, a polícia só apareceu – muito tempo depois - porque ele tem um familiar na polícia. Nos casos de atendimento médicos de baixa complexidade, os moradores utilizam a unidade de saúde do Parque dos Coqueiros. “Só dão fichas nas sextas-feiras. E a gente tem que acordar de 3h para conseguir”, informou Maria Lenize. A UPA do Pajuçara serve para os casos de média complexidade.

Num assalto,o filho de Claudionor Fonseca foi baleado na cabeça


natal

ENTREVISTA

Psicólogo Fábio de Cristo,autor do livro“Psicologia e trânsito“ fala sobre violência nas estradas. PÁGINA 9

TEMPO HOJE

TÁBUA DE MARÉS

FEIRAS LIVRES

Nublado com pancadas de chuvas Máx.: 31ºC Mín.: 25ºC

Preamar 09h23-1.8 - 21h53-1.7 Baixa-mar 02h43-0.8 - 15h26-0.8

Cidade da Esperança: hoje 386 bancas/406 feirantes Quintas 232 bancas/144 feirantes

BALNEABILIDADE Impróprias Rio Pium - Balneário

FASES DA LUA Crescente: hoje Cheia: 25/02 Nascer do sol: 5h26 Pôr do sol: 17h43

Editora: Margareth Grilo e-mail: margareth@tribunadonorte.com.br

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE Domingo • 17 de fevereiro de 2013

Este ano, a expectativa é que seja produzido, em 343 hectares, algo em torno de 1/3 do montante colhido no ano passado, que foi de 4,2 mil toneladas. Ressabiados com os prejuízos, os produtores de jerimum reduziram os investimentos

[ ESTIAGEM ]

Efeitos da seca chegam ao litoral potiguar MAGNUS ARAÚJO

RICARDO ARAÚJO repórter

epois da enchente, a seca. Dois anos após as inundações que devastaram as plantações de jerimum do Vale do Punaú, distrito do município de Rio do Fogo, distante 70 quilômetros de Natal, desta vez é a falta de chuvas que reduz, mais que pela metade, a produção do fruto/legume. Em 2011, o transbordamento do rio Punaú provocou a perda de 80% da safra, estimada em 4 mil toneladas. Este ano, a expectativa é que seja produzido, em 343 hectares plantados, algo em torno de 1/3 do montante colhido no ano passado, que foi de 4,2 mil toneladas. “Se engana quem imagina que a seca só atinge o sertão do Rio Grande do Norte. A queda na produção de jerimum no Vale do Punaú foi causada pela seca, que prejudicou bastante nossa safra este ano”, afirma o presidente da Associação dos Produtores de Jerimum do Vale do Punaú, João Batista Bandeira Gomes. Além da estiagem, pragas como a mosca-branca e o “purgão”, dizimam ainda mais as plantações. “Tudo isto reflete na qualidade do produto. E baixa qualidade é baixo preço”, relembra João Batista. No início da colheita, em dezembro de 2012, a unidade do je-

D

rimum foi vendida por até R$ 0,25. Tal valor corresponde a uma perda de até 75% do custo cobrado atualmente, que é de R$ 1,00. Ressabiados com os prejuízos acumulados desde as enchentes consecutivas, cuja maior devastação foi registrada em 2011, os 30 produtores inscritos na Associação não contraíram mais empréstimos ou adquiriram máquinas para empregar nas plantações, somente compraram agrotóxicos para combater as pragas comuns na região. De longe, os pés de jerimum parecem sadios e exuberantes. De perto, porém, é possível visualizar que o fruto/legume cresce travando uma batalha, muitas vezes mortal, com as pragas que o acometem. Somente em uma das áreas plantadas, a fusão da falta de chuvas com a “peste do purgão” provocou a perda de 20 toneladas do que foi plantado no final de 2012. O representante dos produtores, João Batista Bandeira Gomes reclama do descaso do Governo do Estado. “O governo virou as costas para o produtor rural. Nós não temos nenhum tipo de apoio”, afirma. João Batista relembra os problemas herdados da maior enchente do rio Punaú, ocorrida há dois anos, cujas ações para redução dos danos imediatos e prevenção, jamais saíram do papel. “Desde 2011, nada foi re-

solvido. Os secretários estaduais de Agricultura e Recursos Hídricos estiveram conosco, ouviram nossos pedidos e nada fizeram”, lamenta. Além das reuniões das quais participaram representantes dos produtores e moradores das áreas atingidas pela enchente no Vale do Punaú, os agricultores encaminharam ofícios à governadora Rosalba Ciarlini e ao então secretário estadual de Recursos Hídricos e vicegovernador, Robinson Faria. Nos dois documentos, solicitavam a dragagem do rio Punaú. O céu cinzento que, nos períodos de seca é um alento ao produtor rural, é visto com esperança e medo pelos plantadores do vale do Punaú. A cada chuva, como a que caiu no início da manhã da sexta-feira, 15, no litoral oriental potiguar, os agricultores relembram os dias vividos em janeiro de 2011, quando perderam quase tudo o que plantaram quando o rio transbordou. “Nem mesmo os R$ 12.600,00 prometidos pelo governo, ainda em 2011, para limpeza manual do leito do rio, foi entregue. Não há sinal de melhoria. O governo é omisso”, assevera João Batista.

LEIA MAIS No Vale do Punaú,as perdas de produção só aumentaram desde 2011.Página 8.

Na esperança de aumento na oferta de água,os produtores começam a abrir novos canais de irrigação


8 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

natal

Domingo | 17 de fevereiro de 2013

Após três anos de perdas consecutivas, parte dos produtores teme investir ou contrair empréstimos e não ter condições de pagá-los. Alguns, como Francisco Gomes, sequer chegaram a plantar com medo de não ter uma boa colheita

[ ESTIAGEM ]

Perdas de produção só aumentaram FOTOS:MAGNUS NASCIMENTO

e dentro de uma Belina antiga, com algumas modificações que lhe permitem guiála, o agricultor Francisco Gomes de Oliveira contemplava a vastidão dos campos produtores de jerimum no Vale do Punaú. Paralítico há mais de 20 anos, após uma infecção medular, ele ficou incapacitado de caminhar e fazer o que mais lhe dava prazer e sustento para sua família: plantar e colher abóboras. Alheio à impossibilidade de se locomover como outrora, a maior preocupação do produtor é o futuro da próxima safra. Após três anos de perdas consecutivas, ele teme investir ou contrair empréstimos e não ter condições de pagá-los. “Não cheguei nem a plantar esse ano com medo de não colher o suficiente para pagar as despesas. A situação é muito difícil”, afirma. Francisco Gomes, relembra que os estragos causados pelas enchentes de 2011 o impediram de quitar um empréstimo contraído em um banco que financia o crédito rural em decorrência da queda da produção do jerimum. Ele comprou um microtrator comumente utilizado em plantações para agilizar a colheita do fruto/legume. Entretanto, os R$ 24 mil divididos em 72 parcelas estão com débitos em aberto e ele não tem previsão de quando irá quitá-los. Numa situação não tão complexa quanto a de Francisco Gomes, está o produtor Geraldo Batista. Mesmo assim, ele lamenta as perdas de produção que só aumentam

D

desde 2011. Das 150 toneladas de jerimum colhidas nos seus sete hectares de área plantada até 2010, ele estima que a produção este ano chegará à metade do colhido há três anos. “Acho que nem chegaremos a colher 80 toneladas esse ano. Só produzimos bem quando a terra está bem adubada, irrigada. Seca do jeito que está, não tem como. Com a queda da qualidade do preço e da qualidade do produto, perdemos a capacidade de investir na lavoura”, explica Geraldo Batista. Em um dos trechos da sua propriedade, as perdas de produção acumuladas entre novembro e janeiro deste ano chegam a 20 toneladas. Nem mesmo a irrigação, feita através da sucção via bomba da água do rio Punaú, conseguiu reverter a situação da seca do solo. Além disso, os frutos/legumes foram afetados pelo “purgão”, uma espécie de fungo que dizima a plantação e impossibilita a venda do jerimum. O que não é possibilitado vender para consumo humano é separado e cedido e/ou vendido a alguns produtores rurais para alimentar porcos e gado. Assim como o presidente da Associação dos Produtores de Jerimum do Vale do Punaú, João Batista Bandeira Gomes, o agricultor Geraldo Batista reclama do descaso do Governo do Estado com os produtores da região. “Falta incentivo. O Governo até hoje não fez a dragagem do rio Punaú, que muito nos ajudaria”, relembra.

Plantio da cana foi reduzido em quase 30%

2011: os estragos foram provocados pela enchente que tomou conta dos mais de 300 hectares

No distrito de Capela o gado sucumbe sedento e faminto

2013: agora é a estiagem que atinge o Vale e traz prejuízos, reduzindo drasticamente a produção

Litoral Oriental tem pastos devastados e gado morto

SITUAÇÃO DO VALE DO PUNAÚ

A terra rachada, a vastidão dos pastos secos e o gado morto, sendo consumido pelo chão batido, não são mais cenas exclusivas do sertão potiguar. A seca atinge, de forma voraz, o litoral potiguar. Devastando pastos e matando rebanhos, a falta de chuvas deixa suas marcas nas propriedades rurais que um dia foram reconhecidas pela sua fertilidade e contribuíram para o apogeu econômico do plantio da cana-de-açúcar na região do Vale de Ceará-Mirim, distante 28 quilômetros de Natal. No distrito de Capela, nas proximidades de Ceará-Mirim, os pastos secos nos quais os gados sucumbem sedentos e famintos, se escondem entre as frondosas árvores que ainda sustentam o verde. Nas comunidades rurais próximas à Lagoa do Jenipapo e ao Riacho da Goiabeira, é possível certificar-se que a falta de chuvas já é uma dura, e não menos cruel, realidade que ao longo do último ano atingiu a maior parte dos municípios potiguares mais afastados do litoral oriental. Num raio de aproximadamente 50 metros de extensão, pelo menos 12 ossadas de vacas, bois e bezerros jaziam, expondo o modo como o qual não suportaram a fusão da fome com a sede e caíram. O mais intrigante era que, a poucos metros dali, o Riacho da Goiabeira ofertava água límpida. Entretanto, por estar dentro de uma propriedade privada pertencente à Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), cuja pastagem de rebanhos é proibida, o gado não pode saciar a sede. O dono do rebanho foi procu-

Os poços estão secando. Não tem muita água, pois as lagoas estão secando também” JOSÉ ROBERTO BASÍLIO Morador da região

rado para comentar os efeitos da seca em sua propriedade e quantos animais já haviam morrido. Não foi localizado, porém. De acordo com José Roberto Basílio, morador da região, além das mortes de animais de grande porte, os peixes que habitam as lagoas próximas ao distrito de Capela também estão morrendo em decorrência da seca prolongada. “A lagoa secou bastante já. A gente atravessa de um lado a outro sem a água bater no joelho hoje em dia. E a gente também vê muitos peixes mortos”, afirma. Além disso, o morador diz que o acesso à água potável na região, feita na maioria das granjas e fazendas através de poços artesianos, está diminuindo. “Os poços estão secando. Não tem muita água pois as lagoas estão secando também. O Governo nunca veio aqui ver isso”, assevera. O secretário estadual de Recursos Hídricos, Gilberto Jales, foi procurado, ao longo da tarde da sexta-feira, 15, para comentar a situação da seca nos distritos de Punaú e Capela. Ele, entretanto, não respondeu ou retornou as tentativas de contato telefônico. Do mesmo modo agiu o secretário estadual de Comunicação, Paulo Araújo.

Depois da enchente de 2011,agora,a estiagem está devastando o plantio de jerimum no litoral oriental do Estado Prejuízos acumulados

Safra 2010/2011

Os danos causados às plantações de jerimum,ora causados pelas enchentes do rio Punaú,ora pela seca que assombra o Rio Grande do Norte como um todo,somam prejuízos cujos valores finais ainda não foram calculados pelos produtores rurais. Acompanhe abaixo o volume de perdas na produção entre os anos de 2010 e 2013.

80% de perdas numa safra estimada em 4 mil toneladas; Prejuízos da ordem de R$ 3 milhões. Safra 2011/2012 Recuperação da colheita com estabilidade climática,sem enchentes danosas às plantações.Entre novembro de 2011 e fevereiro de 2012 foram colhidos cerca de 4,2 mil toneladas de jerimum,com valorização do valor de mercado e qualidade do produto.

Área de Plantio

Valor unitário

Safra 2012/2013

Segundo dados da Associação de Produtores de Jerimum do Vale do Punaú,a área de plantio abrange uma área de 343 hectares, distribuídos em 49 lotes de 7 hectares cada.

Os valores cobrados pela unidade do jerimum variam de R$ 0,20 a R$ 1,00. De acordo com a Associação de Produtores do Vale do Punaú,o ideal é que o preço se mantenha na ordem de R$ 1,00 para não comprometer os investimentos no plantio.

Corresponderá a 1/3 da produção do ano passado. A Associação de Produtores estima que serão coletados,até o final deste mês,algo em torno de 1,3 mil toneladas,com perda de valor de negociação mercadológica e baixa qualidade do produto.

Rio do Fogo Ceará

Vale do Punaú Pernambuco Alagoas

Bahia

Rio de Janeiro

Fonte:Associação dos Produtores de Jerimum do Vale do Punaú

Para o presidente da Federação de Agricultura e Pecuária do Rio Grande do Norte (Faern), José Vieira, os efeitos da seca no estado potiguar são muito mais profundos. “Além do gado morto, das culturas dizimadas no sertão, o plantio de cana reduziu 30% esse ano, todas as agriculturas não irrigadas sofreram sérias perdas e o semi-árido chegou a praticamente 100% de produção perdida”, afirma. Em contrapartida, ele assevera que o Governo do Estado vem sendo alertado desde o ano passado, com a cobrança de ações intensificadores. Ele lamenta, porém, que tais ações ocorrem de forma muito tímida e não acontecem na velocidade que as necessidades do homem do campo exigem. “É tudo de forma sonolenta, devagar”, diz. Para traçar o retrato fiel do impacto da seca no Rio Grande do Norte ao longo de 2012 e início deste ano, o presidente da Faern irá comandar uma expedição por seis municípios potiguares mais afetados pela estiagem prolongada. Entre os dias 22 e 24 deste mês, as cidades de Lajes, Ipanguaçu, Apodi, Pau dos Ferros, Caicó e Santo Antônio, serão visitadas. “A “Expedição Retratos da Seca” mostrará a real gravidade. Afinal de contas, o rebanho continua morrendo, a produção de castanha irá cair violentamente, seguido da mandioca”, relembra. Como consequência da seca no estado potiguar, um quilo de farinha de mandioca está sendo comercializado a quase R$ 5,00. Até meados do ano passado, a mesma pesagem do produto não passava dos R$ 2,00. Indagado sobre o montante de recursos investido pelo Governo do Estado em ações de prevenção e redução de danos causados pela seca, José Vieira afirma que ainda não viu nenhum resultado. “Aonde estão as ações? Eu ando o Estado todo e não vejo nenhuma das ações. A reclamação de falta de apoio do governo é geral. O desastre é monstruoso e falta sensibilidade dos governos e da sociedade como um todo, que está distante da realidade do campo. Vale salientar que a renda do produtor caindo”, adverte. Dentre as ações cobradas pela Faern estão a instalação e perfuração de poços artesianos, instalação de dessalinizadores e mais agilidade nos projetos, como a expansão do Programa do Volumoso, que atualmente só atende 3% dos produtores rurais potiguares. Para José Vieira, faltam ações que minimizem o impacto da seca num curto intervalo de tempo. “Nós estamos numa fase de levantamento do que se deixou de produzir no estado como um todo. Ainda serão construídas mais 2.600 barragens subterrâneas, que são ações estruturantes e iremos aumentar o número de beneficiados com o Programa de Volumoso. O Governo está fazendo a parte que lhe cabe e, nesse momento, é muito fácil culpar o Governo. Nós estamos tentando ajudar os mais afetados e as ações estão começando a se configurar como planejamos”, assevera José Simplício, que responde interinamente pela Secretaria Estadual de Agricultura.

Escoamento da produção O Vale do Punaú,segundo dados da Associação dos Produtores,é responsável pela terceira maior produção de jerimum no país e desponta em primeiro lugar quando comparado com os demais municípios potiguares.O jerimum colhido em Punaú é vendido,prioritariamente, para os estados do Ceará,Bahia, Pernambuco,Alagoas e Rio de Janeiro.

Falta incentivo. O Governo até hoje não fez a dragagem do rio Punaú, que muito nos ajudaria” GERALDO BATISTA Produtor


natal

Domingo | 17 de fevereiro de 2013

| Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 9

3porquatro

POR ANNA RUTH DANTAS

FÁBIO DE CRISTO

AUTOR DO LIVRO “PSICOLOGIA E TRÂNSITO - REFLEXÕES PARA PAIS, EDUCADORES E (FUTUROS) CONDUTORES”, O PSICÓLOGO FÁBIO DE CRISTO AFIRMA QUE O TRÂNSITO NÃO PODE SER APONTADO COMO A CAUSA DA VIOLÊNCIA. O TRÂNSITO, DEFENDE ELE, É UM ESPAÇO DE EXPRESSÃO HUMANA.

“Temos de repensar a nossa conduta social” FOTOS:ROBERTO NOCITI

O brasileiro sabe se portar no trânsito? Um estudo recente com dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), do Ministério da Saúde, indica que as mortes no trânsito brasileiro aumentaram 32,3% de 2000 a 2010. De acordo com este estudo, os acidentes com motociclistas têm aumentado a cada ano, sendo uma das maiores preocupações, especialmente nas cidades de pequeno porte (até 20 mil habitantes). Numa análise rápida, alguém pode supor que estas mortes são explicadas apenas porque os brasileiros não sabem se comportar no trânsito, razão pela qual estão morrendo mais. Entretanto, se pensarmos que as infrações mais comuns são: ultrapassar o sinal vermelho, não usar o cinto de segurança, estacionar em local proibido e dirigir falando ao celular, dificilmente se sustenta a suposição de que os motoristas desconhecem a lei. Qual motorista ou motociclista habilitado pode argumentar honestamente que desconhece essas proibições? Saber a existência das normas, portanto, não é garantia de que as pessoas se comportarão adequadamente, muito embora isto seja um primeiro e importante passo. Mas, além disso, parcela das violações tem origem em não querer se comportar adequadamente numa determinada situação, sendo motivadas, por exemplo, pela pressa, impaciência e excesso de autoconfiança. As pessoas, em muitos casos, sabem que estão fazendo algo errado. Os usuários da via também são responsáveis pelo trânsito, e um dos desafios é fazer os brasileiros incorporarem a cultura de segurança no trânsito. Isto, por sua vez, depende tanto do conhecimento (saber) quanto da motivação (querer). O que leva a ações agressivas? O nosso trânsito está cada vez mais estressante e perigoso por várias razões, dentre elas, o crescente número de veículos e a potência dos motores. Nesse sentido, encarar as ruas e calçadas movimentadas não é tarefa simples, pois exige mais de nossas capacidades psicológicas, como atenção, concentração, conhecimento e equilíbrio emocional. Entretanto, nem sempre estamos preparados para enfrentar as situações adversas do trânsito. Como consequência, poderemos manifestar comportamentos agressivos. Em alguns casos, estes comportamentos se expressam por palavras grosseiras e contato físico, como chutes. O comportamento agressivo pode estar relacionado a várias causas cujas raízes estão no trânsito e no indivíduo que não conseguiu manter-se em equilíbrio frente à determinada situação. A violência e a competitividade, infelizmente, fazem parte do cotidiano do trânsito; todavia, não é o trânsito que nos agride e nos mata, são as pessoas que o fazem. O trânsito não é um espaço ruim ou negativo por natureza, como alguns costumam tratar, às vezes, sem perceber. O trânsito é um espaço de expressão humana. Temos de repensar a nossa conduta social; assim também mudaremos o trânsito. Comoexplicarsituaçõesextremas no trânsito, como os homicídios? O trânsito de hoje é bem diferente de 20 ou 30 anos atrás. As causas da violência no trânsito, portanto, são múltiplas, sendo, por vezes, difícil identificar uma principal. Algumas causas, por exemplo, podem estar nas características do indiví-

ções pós a lei seca. O tempo de permanência na instituição e a taxa de mortalidade foram menores. Neste último caso, 14% em relação ao primeiro semestre. O governo teria economizado 36% com gastos relacionados ao atendimento dos feridos em relação ao primeiro semestre. As campanhas educativas são uma das estratégias para tentar minimizar o ato de beber e dirigir. Elas são valorizadas por muitos profissionais, especialmente educadores. Existem situações, todavia, que a fiscalização é mais eficiente. No caso do consumo de álcool enquanto dirige, ele não pode ser resolvido apenas com educação ou informação. Muitos motoristas já sabiam antes da “lei seca” que beber e dirigir é uma combinação perigosa. Com o rigor da lei, o comportamento no trânsito nestas férias foi afetado. A perspectiva de prisão ou punição rigorosa tem desestimulado a transgressão.

studo recente com dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), do Ministério da Saúde, indica que as mortes no trânsito brasileiro aumentaram 32,3% de 2000 a 2010. Para o psicólogo Fábio de Cristo, autor do livro “Psicologia e trânsito Reflexões para pais, educadores e (futuros) condutores” não se trata do brasileiro desconhecer a lei de trânsito, mas das infrações que são feitas com conhecimento. “Alguém pode supor que estas mortes são explicadas apenas porque os brasileiros não sabem se comportar no trânsito, razão pela qual estão morrendo mais. Entretanto, se pensarmos que as infrações mais comuns são: ultrapassar o sinal vermelho, não usar o cinto de segurança, estacionar em local proibido e dirigir falando ao celular, dificilmente se sustenta a suposição de que os motoristas desconhecem a lei”, analisou o psicólogo, que também é autor do blog Psicologia e Trânsito (www.portalpsitran.com.br).Fábio de Cristo observou que o trânsito não pode ser apontado como a causa da violência, já que o perfil dele quem dá é a própria sociedade. “O trânsito não é um espaço ruim ou negativo por natureza, como alguns costumam tratar, às vezes, sem perceber. O trânsito é um espaço de expressão humana. Assim, as formas como as pessoas se relacionam no trânsito podem ser indicadores de como os membros da uma sociedade se relacionam de modo geral”, analisa o psicólogo. Ele defende uma atuação maior de pais, escolas e autoescolas para desenvolverem valores e atitudes que debatam os fatores de risco associados ao trânsito e ao indivíduo. O convidado de hoje do 3porquatro é um psicólogo de análises apuradas, um cidadão preocupado com o próprio contexto da sociedade.

E

Não é o trânsito que nos agride e nos mata, são as pessoas que o fazem.”

duo que possui traços de personalidade agressiva; outras causas estão nas relações sociais insatisfatórias, por exemplo, um conflito entre dois motoristas por algum motivo no trânsito (alguns bem banais que tomam grandes dimensões). Vale ressaltar ainda que as condições da via e as condições ambientais também podem influenciar o estado emocional das pessoas. Obviamente, estas situações não justificam qualquer ação que vise ferir ou mesmo matar um ser humano, e quem faz isso deve ser punido duramente pela sociedade e pelas autoridades policiais. Essas pessoas devem também ser encaminhadas a um profissional competente, seja psicólogo e/ou médico. Em geral, o que aprendemos são as normas e regras de circulação e como manobrar o veículo. As autoes-

colas, as escolas e os pais deveriam ir além; deveriam desenvolver valores e atitudes dos (futuros) motoristas por meio de atividades que discutam sobre os diversos fatores de risco associados ao trânsito e ao indivíduo; que proporcionem a autorreflexão do aluno (motorista) sobre as suas capacidades e potencialidades para lidar com as situações adversas e agressivas.

O senhor distingue o comportamento dos jovens e dos adultos no trânsito? As consequências de se locomover perigosamente ou de não saber “as regras em jogo” podem ser bastante estressantes e severas para os envolvidos, especialmente para a população jovem. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), os acidentes de trânsito matam quase 1,2 milhões de pessoas em todo o mundo a cada ano, sendo a segunda causa de morte entre as pessoas de cinco a 25 anos. Sendo os jovens, portanto, os mais vulneráveis e com maior exposição ao risco de acidentes de trânsito, deveriam existir campanhas na televisão, no rádio, no jornal, que incentivassem os pais a dialogar com seus filhos sobre como se locomover corretamente, a pé ou

de carro, pois que isso não é algo que já se nasce sabendo. A grande dificuldade para isso é que nem sempre os próprios pais sabem agir corretamente, transmitindo, desse modo, informações incorretas e valores incompatíveis com a segurança.

Detalhes Para aguentar o trânsito: Entrar no veículo preparado para enfrentar as adversidades,a fim de não “estragarmos o nosso dia”.Vale a pena planejar o itinerário antes de sair de casa e as atividades que serão desenvolvidas,sabendo que fatos inesperados poderão acontecer e gerar aborrecimentos; como disse,a percepção da perda de tempo pode produzir estresse. O que é necessário para ser bom motorista: Além da habilidade para manobrarmos o veículo com segurança,é necessário habilidades para conviver com muitas pessoas e habilidade de nos autoavaliarmos a fim de controlarmos nossas emoções e impulsos. O que faz um mau motorista: Possui dificuldades para manobrar o veículo,dominar as situações de trânsito e enfrentar a pressão social durante os deslocamentos.

O brasileiro já sabe [das leis]; mas ele também tem de querer se comportar com segurança." Perfil

E a lei seca? Qual o efeito prático? Alguns dos efeitos são: mudança de comportamento, redução no número de mortes e diminuição dos gastos públicos com internações. Um estudo investigou possíveis reflexos da “lei seca” nas internações hospitalares. Analisaram-se os dados do Sistema de Informações Hospitalares do SUS de 2008, comparando as internações nos dois semestres do ano, isto é, antes e depois da lei. Segundo a pesquisa, houve uma queda de 28% nas interna-

O psicólogo FÁBIO DE CRISTOé especialista em Gestão de Pessoas e mestre em Psicologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte.Atualmente,ele cursa doutrado em Psicologia na Universidade de Brasília,onde é membro do Laboratório de Psicologia Ambiental e desenvolve pesquisas sobre as relações pessoa-ambiente, especificamente no contexto do trânsito.Ele atua também como professor de cursos de capacitação para psicólogo perito examinador de trânsito e especializações em psicologia do trânsito e medicina do tráfego.Fábio é coordenador da Rede Latino-Americana de Psicologia do Trânsito.Autor do livro Psicologia e trânsito - Reflexões para pais, educadores e (futuros) condutores.

O Governo justifica que as multas sãoeducativas.Defatoelastêmcaráter educativo? A fiscalização e a punição são elementos tão importantes para o trânsito seguro, quanto para a educação. Muitos têm a percepção distorcida de que fiscalização e punição são ruins e nos privam a liberdade. Acredito que ainda precisa ser demonstrado até que ponto a multa é percebida como educativa pelos usuários do trânsito. Mas, sem dúvida, a fiscalização e a punição servem para proteger a sociedade. Estudos indicam que a simples presença da fiscalização já inibe comportamentos inadequados no trânsito. Desta forma, são importantes para inibir a transgressão das leis. Educaçãodetrânsitonaescola?Como efetivamente executar esse projeto? No meu livro “Psicologia e trânsito: reflexões para pais, educadores e (futuros) condutores”, argumento que a educação para o trânsito no Brasil está focada mais na memorização das leis – o que é certo ou errado – do que na discussão e reflexão dos fundamentos delas ou nas consequências potencias, para si e para outros, de não cumprilas. As relações no trânsito dizem respeito às relações humanas e isso deveria ser mais trabalhado nas escolas. A maior dificuldade que o condutor encontra não é manejar seu veículo, e sim como relacionarse com os demais participantes. No contexto europeu, por exemplo, está sendo discutida a formação do motorista como uma formação para a vida, e a psicologia está ajudando nisso decisivamente. Homens e mulheres? Quem se comporta melhor no trânsito? A Fundação Getúlio Vargas avaliou os efeitos da implantação do código de trânsito brasileiro, em 1998, na redução das mortes no trânsito. Os resultados sugerem que as mortes diminuíram, sendo 14 mil vidas salvas entre 1998 e 2004. Segundo o estudo, uma das razões para isso é que as mulheres demonstram maior sensibilidade a leis de trânsito mais rígidas do que os homens, que morrem mais no trânsito. De acordo com estudos internacionais, os homens são mais propensos a correr riscos, usam com menos frequência o cinto de segurança, engajam mais em direção agressiva, velocidade e cometem mais violações. As mulheres, portanto, parecem se comportar melhor no trânsito.


10

natal

| Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

Domingo | 17 de fevereiro de 2013

Eliana Lima elianalima@tribunadonorte.com.br

Como todos sabem, Natal tem poucos prédios antigos restaurados. No bairro da Ribeira tem vários em vias de desabar. A lógica é simples: primeiro, os grandes eventos – com dinheiro público -, depois, no dia de são nunca, a restauração desses prédios” Do jornalista-letrado Tácito Costa, cirúrgico, em artigo no seu site Substantivo Plural

»FIO...

Chegou à Polícia Federal, na investigação sobre o rapto das crianças do Planalto, que o Estado chegou a pagar passagens aéreas para que as cinco crianças embarcassem para São Paulo, diante do voo perdido. Jogou as lupas agora para saber quem ordenou e o motivo.

FOTOS JOAONETOFOTOS.COM

» DOMINGO... Lindinhos – muito – e apaixonadinhos, Júlia Arruda e Renato Quaresma

» ...DE... CasadónsVinhedos, Juliana e Rilde Chaves

»...DA...

Coletou também sobre um americano que tentou arrancar uma criança do colo da mãe - provavelmente no Aeroporto Augusto Severo -, inclusive com violência. A mulher chegou a denunciar, mas não obteve sucesso, sentindo-se intimidada pelo americano, diante da presença dele.

»AVANÇO

Por falar em criança, entra em vigor no dia 1º de março a nova regulamentação do Código Brasileiro de Autorregulamentação Publicitária. A partir daí, serão proibidas ações de merchandising ou publicidade indireta direcionadas às crianças.

Durante o veraneio na Praia de Pirangi, no mês de janeiro, o que mais chocou a Abelhinha foi uma mãe, jovem e bonita, que não trabalha, enquanto as filhas, de menor, pegam no pesado. E ainda se prostituem. É incrível como só os, digamos assim, de fora conseguem ver tais absurdos que poderes constituídos não alcançam.

» ...CASAIS... Nos cliques de João Neto: Daniele e George Marques

» ...JOVENS... Para o portaretrato: Rodrigo Dantas e Renata Araújo

»AGENDA DE CANDIDATA

»PENSANDO...

» ...BELOS

Observando o slogan do Governo Dilma, ‘País rico é país sem pobreza’, para reafirmar a promessa da presidente Dilma de priorizar a erradicação da miséria e reduzir a pobreza extrema no Brasil, a Vespinha-Astuciosa viu, no mínimo, duas contradições.

Flashes para Andrezza e Marcelo Melo

»...EXEMPLO...

Para exemplificar, vamos ao município potiguar de Baía Formosa, um paraíso destino turístico que atrai olhares do mundo. O prefeito Nivaldo Melo (PSB) fez um exaustivo périplo embusca de recursos federais para sanear a cidade.

Hoje é o aniversário da vice-prefeita Wilma de Faria. Dedicará o dia a receber cumprimentos na capitalpotengi. Maaasss...passará a semana inteirinha cumprindo agenda em vários municípios, onde será recebida por prefeitos para festejar seu aniversário. Parece até agenda rumo a 2014...Ou não?!

»CONTAGEM

A Abelhinha-Gourmet está curiosa por demais para conhecer o restaurante Vila de Cintra, previsto para ser inaugurado no próximo dia 21, em Ponta Negra, todo com inspiração medieval, da ambientação ao cardápio.

»...BEM

No Brasil, é necessário cenário trágico para se investir no desenvolvimento. Ou a soma de número determinado de habitantes.

Já se vão um ano cinco meses que o conselheiro Alcimar Torquato se aposentou e o Governo não indicou substituto. E já chega ao segundo mês do resultado da eleição do Conselho Superior de Polícia Civil, sem que o governo decida quem substituirá o delegado-geral Fábio Rogério. Ou se ele continuará no cargo, já que foi o mais votado. É aguardar se demorará para escolher o nome da lista tríplice que será o novo desembargador do Tribunal de Justiça. E o novo procurador-geral de Justiça, que tem eleição confirmada para o dia 19 de abril.

Bem versejou o grande poeta Olavo Bilac: “Uma criança é como o cristal e como a cera. Qualquer choque, por mais brando, a abala e comove, e a faz vibrar de molécula em molécula, de átomo em átomo; e qualquer impressão, boa ou má, nela se grava de modo profundo e indelével”.

»MOSTRANDO...

»REMANCHE...

»...REMANCHE

»BELAS PALAVRAS

Primeiro que o Brasil – como o próprio Governo Dilmais canta aos ventos do mundo – já é um país rico, mas cheio de miséria. Segundo que no último dia 10 completou dois anos de lançamento da nova marca, e tudo continua com dantes. Etc e mais.

Das praias famosas brasileiras que atraem turistas, a coluna só tem conhecimento de que a Pipa não dispõe de espaço comercial exclusivo para pedestres. Assim funciona em Porto de Galinhas (PE), Búzios (RJ), com sua bela Rua das Pedras; Jericoacoara (CE) – carros de visitantes sequem entram, ficam no estacionamento logo na entrada; Arraial D’Ajuda e Trancoso (BA), e outros mais, onde carros são proibidos. Algumas tem horário determinado para o trânsito de veículos.

»DESCUIDO

»...MEADA

No relatório do delegadón-bonitón Ben-Hur Medeiros, há dois meses responsável pelo caso do rapto na seara da Polícia Civil, constam um casal de americano e uma mulher que foi identificada na viagem que ele fez a São Paulo. Resta saber se o delegado continua ou se repassa tudo à PF, que ingressou no caso a pedido do senador Paulo Davim, vicepresidente da CPI do Tráfico de Pessoas.

»...PIPA

»...NO...

»BZZZZZZ...

No Ministério da Saúde, justificou-se a impossibilidade porque só poderia para município com população a partir de 50 mil. Baia Formosa não chega a nove mil. Na Funasa, a alegação era a necessidade de mortalidade infantil. Não é o caso do município. No Ministério do Turismo foi que teria que ter plano diretor.

Nada será como dantes...nos escaninhos do amor...

COLMEIA

» Hoje tem grito de felicidade para

»...RN

A sorte foi lançada numa feliz conincidência, quando o prefeito conversou com um turista e, após expor os problemas para sanear o paraíso, ouviu que estava diante de um assessor direto de Lula. Este se comprometeu, e cumpriu, de levar o problema ao então presidente. Foi o pontapé para dar certo, contando com o empurrão da então governadora Wilma de Faria (PSB) e da deputada federal Fátima Bezerra (PT). E, claro, garantido por um projeto bem fundamentado. Enfim, foi possível e o paraíso já recebe as obras de saneamento. Ah, ainda sofreu percalços para licença ambiental.

»EM TEMPO

Há dois anos que a Abelhinha não ia a Baía Formosa por asco. Não suportava sumidores em plena areia da praia. Agora, o cenário volta a ser digno de um paraíso, muitos retornos serão certos.

a chíquima-querida Jurema Cansanção,Flávia Moura e para a vice-prefeita Wilma de Faria.

» Na agenda de comemorações de »S.O.S...

Por falar em paraíso, existe um belo projeto para a rua principal da Praia de Pipa, a ‘broadway’, com calçadão. Recursos federais estão garantidos. Se é que já não foram devolvidos por ter ultrapassado o tempo determinado. Enquanto isso, os buracos se multiplicam no paralelepípedo desnivelado. Além disso, os visitantes ainda têm que driblar também o espaço com carros.

Wilma de Faria,começa com café da manhã na área de lazer do Panatis, ao lado da comunidade,e missa,às 19h,na Cidade da Esperança.

»

Especialista em beleza,Sheila Wal vai reinaugurar seu salão em novo endereço,no bairro Lagoa Nova,com ambientes individualizados para os serviços.


Domingo |

17 de fevereiro de 2013

natal

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

11

FOTOS: CANINDÉ SOARES

George Azevedo georgeazevedo@digizap.com.br

Arrastão O Carnaval de Macau, mais uma vez, se consagra como o maior do Rio Grande do Norte recebendo cerca de 400 mil foliões nos dias de folia, entre os tradicionais mela-mela, festas na praia e durante a noite na arena de shows. De parabéns o prefeito Kerginaldo Pinto por este grandioso evento!!!

Deputados George Soares e João Maia muito bem recebidos por Rodrigo Aladim, Flávio Veras e o prefeito Kerginaldo Pinto

Vice-prefeito de Macau, Einstein Barbosa confere o melhor do mela-mela ao lado do prefeito Kerginaldo Pinto

Maninho e Chico Paraíba, os donos do sucesso do camarote Jardim Itaipava Fest, point da galerinha jovem

No mela-mela de Macau, o vereador Júnior do Grafith com prefeito Kerginaldo e os vereadores de Natal, Rafael Motta e Eudiane Macedo.

No camarote oficial, empresário José Maria e sua Maysa Jácome, Liana com Jorge Ribeiro, prefeito Kerginaldo Pinto com sua Aline Kely, Luciano e Vera Albuquerque

Fabiana Sá e Mariana Azevedo. Cheias de charme!!!

Bruno Negreiros e sua belíssima Carmen Julia Montenegro no camarote da Arena, em Tibau

Robson Jr e Maria Clara com Ricardo André Amorim e Giovana Paiva entre chiques e famosos na folia da Arena Show

FOTOS: TRAFEGANDO.COM

Tibau folia!! Viviane Rose, ex-Miss Mossoró, caiu na folia do “Carnaval das Antigas’, do Álibi

Trio animado ao som do Muidão. Eloah Belmont, Juliane Alves e Mariana Carlos

Junior Escóssia e Nildinha, pura animação, no clube Álibi

Jonas Filho e Roberta Rosado no comando do bloco “Passando o Rodo

A praia de Tibau ficou superlotada nos dias de Carnaval. Teve festa no clube Álibi, troças pelas ruas da cidade, paredões nas praias, blocos e grandes atrações na Arena Show, como Thiaguinho, Márcia Freire, Aviões do Forró e Grafith. Uma cidade sem lei e sem dono!!! Foi uma verdadeira loucura, mas que deu pra se divertir bastante!!! E muita gente bonita circulou por lá. Veja o que o Trafegando.com registrou.

Marcelo Maia e Samara Mendes caíram na folia do bloco “Passando o Rodo”

Junior Amorim e Adriana Freire curtindo o som de Thiaguinho

Silveira Neto com o prefeito de Messias Targino, Arthur Targino, na Arena Show

Ériko Fernandes, aniversariante de hoje, com a esposa linda Luara Rosado atrás do trio-elétrico

Petras Vinicius e Tereza Santos no camarote dos Azevedo vendo as troças passar

Turminha da Tráfego Models enchendo de beleza a Arena Show na Taverna Theacher’s. Deu no que falar!!!

Artêmio Souza e Nil Costa, pura fechação no bloco das Virgens. Seguuuuura o Tchan!!!

Reginaldo Lopes e Marluce entraram no embalo das troças, sempre no maior pique


natal 12 Natal | Rio Grande do Norte | Domingo | 17 de fevereiro de 2013

DIVULGAÇÃO

NELSON MATTOS FILHO Velejador-avoante1@gmail.com

assa longe de mim a ideia de ser especialista em alguma coisa, principalmente em navegação, que é o que me envolve há quatorze anos. Mas acho que posso dizer que já conheço um pouco, apenas um pouco, do que é a rota Natal/Salvador, que já naveguei dezenas de vezes e em todas elas aprendi e desaprendi alguma coisa. Certa vez conversando com um amigo, que se acha o dono dos mares e dos ventos, me espantei quando ele falou que nenhum mar conseguia lhe surpreender, por que as milhas que ele já navegou lhe dão o direito de domar tudo o que vier pela frente. Preferi ficar calado a ter que responder aquele disparate. Dizem que o mundo é dos audaciosos, mas eu prefiro achar o contrário. Não ache que existem poucas pessoas nos mares com o mesmo pensamento desse meu amigo. Em todos os lugares, principalmente sobre os palhoções dos clubes e marinas, encontramos pessoas que acham o mar um ser domável e extremamente previsível. Muitos acham tudo tão fácil que dificilmente se dão o trabalho de ir ao mar. Preferem gastar toda a teoria que um dia aprendeu nos livros, ou em conversas ao redor de uma boa churrasqueira, a ter que mostrar na prática se realmente sabe o que diz. Quando olhei para o tapete de mar, que navegávamos este ano

P

ANGÚSTIAS EM UM

MAR ESPELHADO

entre Sergipe e Bahia, sem um sopro sequer de vento, lembrei do meu amigo rei dos mares. O que será que ele diria quando chegasse em terra? Será que diria que netuno se rendeu a sua passagem ou será que diria que nunca mais navegaria em um mar calmo como aquele? Envolvido nas perguntas, e afirmações possíveis, fiquei apreciando aquele mar de sonhos e vendo o nosso Avoante se deslocar como uma imensa preguiça dos mares. Coisa de quem não tem o que fazer!

Essa foi a navegada que muitos pedem a Deus e que derrubam todas as barreiras. É numa dessas que muitos se acham super competentes e tudo pode ser incrivelmente previsível. Deve ser em um mar assim que o meu amigo vira as costas para os elementos da natureza e se acha infalível. Aquele era um mar que mais parecia um grande lago do mais puro azeite. Mais liso impossível, mas alguma coisa nos espreitava ao longe. Nada naquele mar parecia real. Em nossa volta, nuvens encobriam

o mundo deixando as nossas manhãs com aquele jeitão de verão europeu, que eu não conheço, mas que deve ser assim. O Avoante deslizava tão macio, empurrado pela força do motor, que até as pequenas ondulações produzidas pelo atrito do casco com a água se transformavam em criativos desenhos em nossas mentes. O céu estava tão encoberto de nuvens que nos dois dias e meio de duração da nossa travessia não tivemos a felicidade de visualizar o pôr do sol. Nuvens escuras e

ameaçadoras se formavam ao longe e relâmpagos iluminavam por cima dos morros. Ecos distantes de trovões davam aquela sensação que alguma fera estava prestes a voar sobre as nossas cabeças. Era tudo tão surreal que passávamos horas a observar o céu, a procura de algum sinal que disparasse um alarme. Como se eu já não estivesse com todos os sentidos em alerta. Aprendizados! Nada mais do que aprendizados. São situações como essa que me faz ver que não sabemos nada so-

bre a natureza. Podemos até nos cercar de todas as modernas tecnologias meteorológicas, mas apenas para ler as previsões e nada mais. Nos poucos momentos em que tive acesso aos sinais da net e do celular, busquei informações do que estava acontecendo com o tempo ou o que poderia acontecer, mas nem de longe consegui nada que pudesse descrever o que estávamos presenciando. Aquele era o tipo de mar que qualquer roteirista de filme de amor americano gostaria de ter como cena de fundo: O veleirinho navegando sem adernar, a atriz sem nem assanhar os cabelos, o ator se desmanchando em tórridas declarações e de vez em quando um clarão iluminando o céu para mostrar que a vida é bela. Nunca desejei tanto avistar os lampejos do Farol da Barra e adentrar as águas da Baía de Todos os Santos, para receber a proteção do Senhor do Bonfim. Queria fugir de todos aqueles olhos que nos espreitavam não sei de onde. Queria respirar aliviado, apesar de estar navegando em um mar mais aliviado impossível. Sonhava estar ancorado quando todos aqueles elementos resolvessem dar início a festa. Mas ao mesmo tempo pensei nas palavras do meu amigo, porém não me vi com capacidade de domar nada, muito menos a natureza. Atracamos o Avoante no píer do clube Angra dos Veleiros e em menos de duas horas o mundo desabou sobre nossa cabeça. Acho que deu para escutar um sussurro: Seja bem vindo a Bahia! Só me restou agradecer.


esportes

HOJE NA TV

RÁDIO GLOBO NATAL

8h45 -Copa da Inglaterra: Chelsea x Brentford;ESPN Brasil 16h - Carioca: Vasco x Audax; Globo e BAND

7h - Esportes em Debate 17 h - Estadual:Alecrim x Santa Cruz

AMÉRICA

José Rocha, afirma que é contrário ao acerto com a empresa OAS PÁGINA 4

CURIOSIDADES

DICAS

NÚMEROS

O basquete,um dos esportes mais populares em todo o mundo,foi criado em 1891 por James Naismit.

O Conselho Deliberativo do América,se reúne na próxima quinta-feira,na sede social do clube,na Av.Rodrigues Alves

80MIL Foi o número de torcedores que compareceu para ver a chegada de C.Ronaldo no Real.

Editor: Itamar Ciríaco e-mail: esporte@tribunadonorte.com.br

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE Domingo • 17 de fevereiro de 2013

Vindo de três jogos sem derrota, alviverde de Natal vai tentar surpreender o líder da competição para se aproximar da vaga na próxima fase. Expectativa fica por conta das possíveis estreias dos atacantes Rico e Renan Marques

[ CAMPEONATO ESTADUAL ]

Alecrim tenta manter bom momento GABRIEL PERES

em perder há três jogos e vindo de duas vitórias seguidas, o Alecrim volta a campo hoje, às 17h, no Ninho do Periquito, para colocar à prova o bom momento dentro do campeonato estadual. O adversário de logo mais é o líder da competição, o Santa Cruz, que soma 21 pontos, sete a mais que o alviverde, que está na quinta colocação. A partida é válida pela 11ª rodada da primeira fase da disputa. Para o confronto, o técnico Pedrinho Albuquerque vai poder contar com os dois novos contratados, os atacantes Rico e Renan Marques, que estavam defendendo o América na Copa do Nordeste. Eles foram apresentados na última sextafeira e já estão à disposição do comandante alecrinense. “São dois atletas de muita qualidade, com passagens em grandes clubes, mas que não faziam mais parte dos planos do América-RN após a eliminação da Copa do Nordeste. Estou implantando um projeto ousado no Alecrim e esses dois atacantes vão ajudar muito na busca pelo título”, disse o presidente Anthony Armstrong. Se depender do atacante Rico, ele quer enfrentar o Santa Cruz. “Fico feliz por ser uma experiência em um novo clube. Sempre

S

Potiguar de Mossoró mede forças com o ASSU

FICHA TÉCNICA ALECRIM SANTA CRUZ Rodrigues;Geovani, Bruno Recife,Allan e Maicon; Pedro Ivo, Juninho Cearense, Ruy Cabeção e Miller;Jô (Rico) e William Carioca Técnico:Pedrinho Albuquerque.

Marcello Galvão;Eli, Tiago Messias, Romeu e Wlademir; Vanderson,Fabinho Vitória,Leomir e Madson;Felipe Alves e Maurício Pantera. Técnico:Wassil Mendes

Melhor ataque do campeonato estadual, com 14 gols marcados em 10 jogos, o Potiguar de Mossoró, terceiro colocado na competição, com 16 pontos, vai enfrentar o ASSU, na quarta posição com 15 pontos, no Edgarzão, às 17h de hoje. A novidade no time de Mossoró, comandado por Samuel Cândido, deve ser a estreia do lateral direito Marcus Vinícius, que estava defendendo o Tirandentes/CE e já está regularizado. Confiante, o jogador mostra vontade de jogar e ajudar o Potiguar em conquistar mais uma vitória e seguir bem na classificação. “Desde que iniciei no futebol sempre fiz boas estreias. Sou pé quente. Espero manter essa escrita e ajudar os meus companheiros dentro de campo, para conquistarmos mais três pontos”, afirmou Marcus Vinícius.

Estádio: Ninho do Periquito, São Gonçalo do Amarante/RN. Horário: 17h Árbitro: Ítalo Medeiros de Azevedo. Assistentes: Ubiratan Bruno Viana e Rômulo Campos Alves.

vou procurar dar o melhor. Vou “chegar chegando” já e se for pra jogar domingo, vou jogar e dar de tudo para o Alecrim ter sucesso no campeonato” disse Rico. Pelo lado do Santa Cruz, o técnico Wassil Mendes sabe que uma vitória, garante, matematicamente o time na próxima fase da competição e aposta na defesa para sair de campo vencedor. O time é o que menos sofreu gol no estadual, tomando apenas cinco em dez partidas. O destaque do time é o atacante Felipe Alves.

OUTROS JOGOS Corintians x Palmeira Baraúnas x Potyguar/CN

O presidente do clube, Anthony Armstrong, entre os novos reforços: Rico (esq.) e Renan Marques


2

esportes

| Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

Domingo | 17 de fevereiro de 2013

Técnico Gilson Kleina reconhece a superioridade e a dificuldade de enfrentar o Corinthians atualmente, mas sabe que uma vitória no clássico servirá para dar moral aos palmeirenses

MINEIRO

Verdão testa força com o Timão

Nova Serrana/MG (Gazeta Press) - Líder do Campeonato Mineiro com duas vitórias em dois jogos, o Cruzeiro terá o primeiro compromisso longe da torcida na competição estadual. A Raposa visita hoje, às 18h30, o Guarani, que este ano manda os jogos na cidade de Nova Serrana, no estádio Arena do Calçado. Para essa partida, o técnico Marcelo Oliveira terá algumas novidades na equipe celeste. O volante Leandro Guerreiro, expulso na estreia do Mineiro contra o Atlético-MG retorna ao time. O atacante Dagoberto, que vinha aprimorando a forma física e entrando apenas no segundo tempos dos jogos, deve assumir a condição de titular. O armador Diego Souza, que foi liberado pela Fifa para ser regularizado pelo Cruzeiro é outro jogador que aparece como novidade no time cruzeirense. Com as mudanças, quem perde o lugar na equipe é o lateral-esquerdo Egídio, que vai para o banco de reservas, com Everton sendo deslocado para a função, abrindo uma vaga no meio-campo. Na lateral direita, Ceará tem lugar garantindo.

[ CAMPEONATO PAULISTA ]

ALAN MORICI

ão Paulo (Gazeta Press) - O Pacaembu sediará hoje às 16 horas, um dos Derbys com maior oposição entre os rivais. Se o Corinthians, mandante do clássico, ainda segue contagiado pelos títulos da Libertadores e do Mundial no ano passado, o Palmeiras ainda se ressente pelo rebaixamento no Brasileiro de 2012. E é a maneira que cada um vai lidar com isso que deve decidir o confronto. Com a reformulação prejudicada pelas eleições presidenciais, ocorridas no último dia 21, o Verdão entra em campo em meio à montagem tardia de seu elenco. Três dos nove reforços trazidos pela diretoria não devem entrar em campo ainda (o volante Léo Gago, o meia Rondinelly e o atacante Leandro), mas uma escalação que ainda busca entrosamento será usada. Com pouco tempo para treinar visando o clássico, Gilson Kleina dificilmente mexerá no time com Weldinho e Marcelo Oliveira, ambos ex-Corinthians, nas laterais e o zagueiro Vilson improvisado como volante. Na frente, segue a experiência com Souza, Wesley, Patrick Vieira e Vinicius marcando no campo adversário e alternan-

S

FICHA TÉCNICA CORINTHIANS PALMEIRAS Cássio;Alessandro, Gil,Paulo André e Fábio Santos;Ralf, Paulinho,Jorge Henrique e Danilo; Emerson e Guerrero Técnico:Tite

Fernando Prass; Weldinho,Henrique,Mauricio Ramos e Marcelo Oliveira;Vilson e Márcio Araújo;Souza, Wesley,Patrick Vieira e Vinicius Técnico:Gilson Kleina

Estádio: Pacaembu (SP) Horário:16 horas Árbitro:Antônio Rogério Batista (SP) Assistentes:Anderson José de Moraes Coelho (SP) e Ricardo Lanutto (SP)

do-se do meio-campo ao ataque. Desta forma, a equipe estreou na Libertadores vencendo o Sporting Ctristal, do Peru, e ganhou confiança. “Temos que viver essa vitória até o jogo, sem achar que está empolgado. Precisamos trabalhar com os pés no chão, mas competir. Se não competirmos, vai complicar muito”, disse Kleina, ciente de sua situação diante do adversário deste domingo. “O momento do Corinthians é ímpar. Qualquer adversário que o en-

frenta hoje sabe que pega um entrosamento longo e uma base forte que se reforçou. Teremos que nos superar”, admitiu. Já no Corinthians, o confronto com o Palmeiras será o último teste dos titulares antes da partida contra o boliviano San José, fora de casa, na próxima quartafeira pela Libertadores. “Treino de luxo? Não, não. Será muito difícil”, sorriu o zagueiro Gil, que disputará o seu primeiro clássico como corintiano. O discurso de Gil é ensaiado pelos jogadores do Corinthians. O técnico Tite não admite menosprezo ao rival, apesar dos contrastes entre o atual campeão mundial e um dos postulantes do título da Série B deste ano. A vitória do Palmeiras sobre o Sporting Cristal serviu para aumentar ainda mais o respeito pelo adversário. Em sua escalação, o Corinthians terá apenas uma novidade. O goleiro Cássio finalmente está recuperado de lesão no ombro esquerdo e disputará o seu primeiro jogo na temporada. “Ainda estou um pouquinho abaixo tecnicamente, mas me sinto preparado”, avisou. Já o astro Alexandre Pato seguirá como opção no banco de reservas.

pedron@natal.digi.com.br

Rico e Renan Oliveira Alecrim anunciou na última sexta-feira a contratação de Rico e Renan que até recentemente estiveram no América. Rico fez boas partidas

O

pelo América e marcou três gols na Copa do Nordeste. Já Renan Oliveira nas duas partidas não produziu o esperado. Agora, em se tratando de Campeonato Es-

Erivelton

tadual acredito que o Alecrim fez duas ótimas contratações. Que os dois jogadores possam fazer do Alecrim um clube mais vitorioso. DIVULGAÇÃO

A direção do ABC anunciou o empréstimo do meia Erivelton para o Santa Cruz. Como o jogador não vem sendo aproveitado pelo técnico Givanildo Oliveira no momento a direção preferiu emprestar o jogador para que ele possa ganhar experiência. Erivelton tem amplas possibilidades de fazer um bom trabalho no Santa Cruz, até porque lá ele não é tão cobrado como é no clube do povo.

Reunião sobre o Barretão Uma reunião com as participações de José Rocha, Eduardo Rocha e José Medeiros pelo América com o empresário Marconi Barreto, que está construindo o Barretão, deu o que falar na última sextafeira. Isso porque a atual diretoria não gostou nem um pouco de saber da existência dessa reunião. Agora, o ex-presidente do clube Eduardo Rocha fez questão de dizer que não ocorreu nada demais na reunião. Muito pelo con-

trário. Eduardo Rocha disse na última sexta-feira no programa Globo Esportivo 1ª Edição da Rádio Globo que tudo o que foi conversado foi repassado a atual diretoria e que todos buscam o mesmo objetivo e o mesmo ideal. Para o exdirigente a hora é de união entre todos os americanos. Por tudo que vem ocorrendo, não tenho dúvida alguma de que a reunião do CD no próximo dia 21.02.2013 será quente. Podem anotar!

Potyguar CN Tudo indica que o Potyguar CN segue o caminho da volta à série B do Campeonato Estadual de 2014. Isso porque a equipe não consegue sair da lanterna da competição. A equipe de Currais Novos precisará de muito futebol em pouco tempo para mudar o seu destino na competição. Será que tem força pra isso? Nos próximos dias teremos a resposta.

ATLÉTICO/MG

CUCA DECIDE POUPAR ATLETAS Alexandre Pato ainda não conveceu Tite e continua na reserva

Modificado,Santos tenta reabilitação contra a Ponte

Pedro Neto

BIRA MARQUES NO PROGRAMA ESPORTES EM DEBATE E o nosso entrevista no Programa Esportes em Debate nesse sábado foi o vice-presidente de futebol do ABC, Bira Marques. Como não poderia ser diferente Bira Marques falou sobre diversos assuntos e principalmente sobre as contratações feitas até agora pelo ABC. Para Bira Marques o ABC realmente tem acertado muito mais do que errado nas contratações em 2013. O vice-presidente também falou que acredita muito no ABC esse ano. Já com relação à folha de pagamento Bira Marques disse que atualmente ela está próxima dos 350 mil. Para Bira Marques o ABC tem tudo para dar a volta por cima e realizar um grande ano, conquistando o Campeonato Estadual e realizando uma boa campanha na série B e na Copa do Brasil. Que o vice-presidente esteja certo na sua fala.

CRUZEIRO ENCARA GUARANI NO INTERIOR

Campinas (SP) - Após sofrer a sua primeira derrota no Campeonato Paulista, para o Paulista, no último domingo, no Pacaembu, o Santos volta a campo diante da Ponte Preta, hoje, a partir das 18h30, no Estádio Moisés Lucarelli. O Peixe luta diretamente com a Macaca pela liderança do Paulistão e uma vitória deve devolver essa condição ao clube praiano. Para esse compromisso, os santistas não poderão contar com o atacante Miralles. O argentino, que vinha atravessando boa fase entre os titulares do Alvinegro Praiano, teve uma lesão muscular contra o Galo do Japi. Com um edema na coxa esquerda, Miralles acabou sendo vetado pelo departamento médico do clube. Com isso, o técnico Muricy Ra-

malho irá promover uma alteração no esquema tático da equipe. O Santos irá atuar no 4-5-1, deixando de lado o 4-4-2 que vinha sendo utilizado, desde o início da temporada. Desta forma, Renê Júnior volta ao time no lugar de Miralles, reforçando a marcação no meio-campo. O volante Marcos Assunção, que estreou diante do Paulista, estará em campo. Motivado, Assunção espera ajudar o Peixe a conquistar uma vitória em Campinas. “Time grande não pode sofrer duas derrotas seguidas. Se não, o ambiente fica ruim, afeta a confiança e começam a pairar algumas dúvidas”, afirmou. O lateral esquerdo Léo, recuperado de uma artroscopia no joelho direito, é a novidade hoje.

O foco do Atlético-MG neste primeiro semestre é a conquista da Libertadores, mas o clube não abriu mão do Campeonato Mineiro e vai lutar pelo bicampeonato. O Galo volta a campo hoje, às 16h, para enfrentar o Araxá, no estádio Independência, buscando a segunda vitória na competição Estadual. O técnico Cuca reconhecendo que o time alvinegro ficou desgastado no jogo contra o São Paulo deve poupar alguns atletas para duelar neste confronto frente a uma das equipes que subiu para elite mineira na temporada passada. Cuca argumenta que dificilmente a equipe atleticana conseguirá atuar em todas as partidas com intensidade máxima. “Estamos no início de temporada. Você não vai conseguir jogar nessa intensidade quarta e domingo. Vamos conversar com a fisiologia e a preparação física e sentir dos jogadores. Quem tiver ideal, joga”, disse.


esportes

Domingo | 17 de fevereiro de 2013

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

3

[ CAMPEONATO CARIOCA ] Invictos na competição, rubro-negro e alvinegro querem aproveitar o clássico para garantir primeira colocação e a vantagem nas semifinais

Apito Final EVERALDO LOPES - elopes@tribunadonorte.com.br

Um assunto polêmico

Flamengo e Botafogo fazem choque de líderes MAURICIO VAL/VIPCOMM

uando, nos primórdios do futebol brasileiro, não se discutia outra coisa senão os campeonatos estaduais, conhecidos também como citadinos, o torcedor brasileiro só conhecia duas competições: os Campeonatos Estaduais e o Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais. O RN teve sua primeira participação em 1929, sendo goleado pelo Ceará por 7x1. Foram os Estaduais que fizeram a festa do torcedor nos primórdios do futebol brasileiro. Tempos depois, surgiu o torneio Rio/São Paulo – claro, envolvendo paulistas x cariocas, e a primeira Taça Brasil de Clubes, nos anos cinquenta. Porém, sempre preservando os Estaduais. Foi através deles que os clubes conquistaram adeptos. No Rio, o Fluminense, o Botafogo, o Vasco e o Flamengo, até hoje donos das maiores torcidas. Na capital paulista, surgiram São Paulo, Corinthians, Palmeiras e por ser muito próxima, Santos. e mais alguns que não cresceram.

Q

UM ASSUNTO (2) Em Natal, foi a mesma coisa, no Recife idem, Salvador, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre com seus clubes centenários. Como, então, tantos anos depois, jogar fora, desprezar esses autênticos bandeirantes do futebol? Na Europa, em vez dos estaduais, eles têm as divisões, tão fortes que substituem os nossos estaduais.

A “farra” da CBF A “farra” (2) Adiantando logo de saída ao amigo torcedor, que a “farra” referida aí em cima não é a do vil metal de Camões, mas uma farra de clubes brasileiros, de norte ao sul, do leste ao oeste. Refiro-me aos 42 anos do Campeonato Brasileiro, cujo largada aconteceu dia 07 de agosto de 1971, com 10 jogos na primeira rodada, assim formada: Santa Cruz x Corinthians, Inter x Flu, Palmeiras x Portuguesa, Ceará x Vasco, Coritiba x Cruzeiro, São Paulo x Grêmio, Sport x Flamengo, Bahia x Santos, Atlético Mineiro x América/MG e Botafogo x América/RJ. Por incrível que pareça, apenas 20 clubes, quantidade dos dias atuais Só, que, há as séries de “A” a “D”, que não existiam nos primeiros anos do Brasileirão.

Pode-se até argumentar que, 20 clubes não se configuravam como um exagero da “madrasta” do futebol, considerando-se que, em 1979 o total de clubes chegou ao absurdo de 94 no total, a ponto do lanterninha – o Guará EC, ter concluído sua participação com zero ponto, ou seja, sequer um mísero empate. O presidente da CBF era o (já falecido) almirante Heleno Nunes (almirante de pijama, da mesma forma como havia os generais de pijama, ou seja, já na reserva). Segundo os analistas políticos da época, o almirante Heleno atendia a todos os pedidos dos governadores da Arena (Aliança Renovadora Nacional) e o primitivo MDB, hoje PMDB.

RODADACHEIASem futebol na capital, a rodada de hoje do Estadual reúne os oito participantes: ASSU x Potiguar/M (apita Pablo Ramon), Corinthians x Palmeira (Suelson Diógenes), Alecrim x Santa Cruz ( Ítalo Medeiros), e Baraúnas x Potiguar/CN (Andrielly Elkeitt). Jogos todos à tarde.

Muitos, já sumiram Veja, leitor, alguns “inexpressivos clubes do futebol brasileiro, naquele ano: XV de Jaú, Guará, Rio Negro, Tiradentes/PI, Moto Club, Colorado, Leônico, Comercial/MT, Galícia, Pinheiros, São José, o Inter de Santa Maria, cidade da lamentável tra-

gédia da boate “Kiss”. Corumbaense, Bangu, Americano/RJ, Maranhão AC, Colatina. Eram tantos, que na formação da tabela o jeito foi colocar vários grupos de seis clubes com letras indicativas, isto é, séries “A” até a letra “O”.

MUITOS (2) A grande zebra do Brasileirão aconteceu em 1986, quando o América do Rio eliminou o Corinthians/SP, derrotou o São Paulo e foi 3º do Brasil. Os participantes da “A” e “B” estão a quatro meses da largada do CB, depois será a vez da série “C” e, largando por último, os da “D”, onde aparece o Baraúnas/RN, de volta em mais uma tentativa. Nem todos os torcedores acompanharam os primeiros anos do Brasileirão. A coluna espera ter agradado ao leitor.

Baru abre os olhos Surgiu uma luz no fim do túnel, advertindo os dirigentes do Baraúnas, que – após a análise de um expert na legislação esportiva, chegou-se à conclusão de que a 3ª vaga de um clube do RN na Copa do Brasil deve ser dada

ao Baraúnas de Mossoró. Assim sendo, opção pessoal do presidente José Vanildo, de que a vaga é do 3º colocado no Estadual, cairia por terra. O pessoal do tricolor mossoroense voltou a se animar, com essa.

VICE DO ABC NO ESPORTES EM DEBATE

Ainda sem muita vivência no mundo do futebol, o vice-presidente do ABC, Bira Marques, é o entrevistado deste sábado/domingo do tradicional programa da rádio Globo. No sábado aconteceu às 14h30 e, neste domingo, às 7 da matina, já sem o horário de verão.

PELLÈ,O CONQUISTADOR À primeira vista, dá vontade logo de ver que Pellè é esse. Trata-se do italiano Grazianno Pellè. Dizem que o cara é bonito, é conquistador, é ídolo das holandesas, joga no Feyenoord. À primeira vista, todo mundo dá logo uma armada, pensando que é o coroa Pelé.Está na Placar deste mês.

A “Fera” vai Quem me garante é um dos fundadores da “Fera”, professor Normando Bezerra. Informa que, para o jogo de logo mais no “ninho do Periquito”, sairá um ônibus às 14h, ao preço de apenas R$ 5,00. Quanto

ao ingresso, como no estádio Luiz Rios não tem Geral, é preço único: R$ 10,00 na arquibancada. Uma vitória hoje – seria a terceira seguida, leva o time de Pedrinho Albuquerque lá pra perto do líder.

m choque de líderes. Assim pode ser considerado o clássico entre Flamengo e Botafogo, hoje, às 18h30 no Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ), na principal atração da sétima rodada da Taça Guanabara, primeiro turno do Campeonato Carioca. As duas equipes estão invictas na competição. O Rubro-Negro lidera o Grupo B com 16 pontos, dois a mais que o Glorioso, que lidera o Grupo A. Quem vencer estará matematicamente nas semifinais. As duas equipes estão embaladas por bons resultados na rodada passada. O Flamengo goleou o Friburguense por 4 a 0, enquanto que o Botafogo conseguiu grande virada diante do Resende: 4 a 2. Os números também são aliados dos protagonistas do clássico. Os flamenguistas foram os que mais venceram até aqui: cinco vezes. Já os botafoguenses possuem o ataque mais positivo, com 15 gols marcados, média 2,5 gols por jogo. Essa realidade faz os dois lados esperarem um confronto muito equilibrado. “Eu sempre falo, futebol é dentro de campo. Alguns jogos atrás ninguém falava que o Flamengo era favorito e hoje somos líderes. Nós sempre soubemos do nosso potencial. As duas equipes têm as melhores campanhas do campeonato. Esperamos o estádio lotado e quem vai ganhar são as duas torcidas. Nós jogamos bem contra o Vasco e a gente espera jogar de igual para igual com o Botafogo. Temos atacantes velozes e habilidosos. Não há favorito, mas espero que o Flamengo saia vitorioso e possamos comemorar a classificação”, afirmou o goleiro Felipe, titular do Flamengo. O zagueiro Bolívar, um dos líderes do elenco do Botafogo, concorda. “As duas equipes estão atravessando um grande momento e quem ganhar este clássico vai sair muito fortalecido para a fa-

U

Meia Carlos Eduardo tem estreia confirmada e vai atuar com a camisa que já pertenceu a Zico

FICHA TÉCNICA FLAMENGO BOTAFOGO Felipe,Leonardo Moura,Wallace, Marcos González e João Paulo;Víctor Cáceres,Ibson e Elias;Carlos Eduardo,Hernane e Rafinha Técnico: Dorival Júnior

Jéfferson,Lucas, Antônio Carlos, Bolívar e Márcio Azevedo;Julio Cesar, Fellype Gabriel, Lodeiro,Seedorf e Vitinho;Bruno Mendes Técnico:Oswaldo de Oliveira

Estádio: Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ) Horário: 18h30 Árbitro: Rodrigo Nunes de Sá (RJ) Assistentes: Rodrigo Joia (RJ) e Rodrigo Corrêa (RJ)

se decisiva da Taça Guanabara. Ninguém aqui pensa em perder, mas acredito que este também seja o pensamento do outro lado. Espero uma partida muito equilibrada, com o ganhador sendo conhecido somente nos detalhes.

Quem errar menos vai vencer”, disse o defensor. Como não faltam ingredientes neste clássico, duelo entre grandes jogadores também estará presente no Engenhão. De um lado o astro holandês Clarence Seedorf, principal atração do Botafogo. Do outro lado Rafinha, a promessa flamenguista, que tem deixado a Nação enlouquecida. “Via o Seedorf pela televisão quando ele estava no Milan e hoje terei a oportunidade de jogar contra ele. Espero dar o meu melhor dentro de campo para conseguir o resultado positivo. As duas equipes são fortes e quero ter uma grande atuação para ajudar o Flamengo a ganhar”, disse Rafinha. Já Seedorf, como prefere não individualizar os duelos, destacou a sensação vivida pelos atletas na véspera deste tipo de confronto. O holandês reconhece a importância deste clássico.

Deco é a novidade no Fluminense DHAVID NORMANDO

Após vencer na estreia na Libertadores no meio de semana, o técnico Abel Braga decidiu poupar os titulares do Fluminense para ao confronto de hoje, às 18h30, contra o Volta Redonda, na Cidade do Aço, pela Taça Guanabara. No entanto, o treinador ganhou dois reforços para esta partida: o zagueiro Gum e o meia Deco estão recuperados de lesão e vão entrar em campo pela primeira vez oficialmente na temporada. Além dos dois jogadores considerados titulares, o goleiro Diego Cavalieri é outro que deverá estar presente desde o início. Abel Braga ressaltou que Gum e Deco estão 100% e precisam de ritmo de jogo. Além disso, o duelo contra o Grêmio, pela Libertadores, na próxima semana, foi outro fator para a decisão de poupar os principais jogadores. “Os dois vão jogar. A equipe vai ser mista no domingo, mas eles vão jogar. O Gum necessita de jogo, pois é forte e precisa de ritmo. O Deco aerobicamente é bom e não deve sentir a carga da partida. Só que ritmo de jogo só

SÃO JANUÁRIO

VASCO TENTA SUPERAR O AUDAX O Vasco recebe o Audax hoje, às 16h, em São Januário, no Rio de Janeiro (RJ), pela sétima rodada da Taça Guanabara, primeiro turno do Campeonato Carioca. O Cruz-maltino passa por um momento complicado, sem vencer há três jogos e na terceira colocação do Grupo A com dez pontos, fora da zona de classificação para as semifinais. Após o empate por 1 a 1 com o Fluminense, no sábado de Carnaval, os vascaínos passaram a precisar desesperadamente de um bom resultado para evitar uma eliminação precoce, que poderia transformar o clube em um caldeirão. Já os visitantes, que empataram sem gols com o Volta Redonda na semana passada, somam 11 pontos no Grupo B e, com campanha surpreendente, sonham com a classificação. Gaúcho, técnico do Vasco, conversou com seus jogadores no sentido deles terem tranquilidade dentro de campo a fim de conseguirem uma boa atuação. Apesar de os maus resultados estarem sendo uma realidade no clube, o treinador está confiante por conta do desempenho da equipe. PROGRAMAÇÃO DA TV

Recuperado de lesão muscular,Deco faz sua estreia na temporada

adquire jogando. A equipe vai ser escalada de acordo com o nosso planejamento, não vamos fugir. Não vou arriscar até porque na quarta-feira tem Grêmio”, disse. A única dúvida está no ataque, com Samuel e Michael disputando um lugar na equipe para compor o setor com Marcos Júnior e Rhayner. Pelo lado do Volta Redonda, o

técnico Alfredo Sampaio já não acredita em classificação para as semifinais da Taça Guanabara. Com seis pontos, na quinta posição do Grupo A, a equipe ainda tem chance matemática de conseguir o feito. esmo assim, o treinador quer somar pontos para se afastar da zona de rebaixamento do Campeonato Carioca e fazer um segundo turno mais tranquilo.

08h45 - Copa da Inglaterra:Chelsea x Brentford;ESPN Brasil 09h00 - AutoEsporte;Globo 10h00 - Esporte Espetacular 11h45 – Campeonato Inglês: Liverpool x Swansea City;ESPN 13h15 – Campeonato Alemão: Hoffenheim x Stuttgart;ESPN Brasil 16h00 – Campeonato Carioca:Vasco x Audax;Globo e BAND 16h45 -Campeonato Espanhol; Valladollid x Bétis;ESPN 17h00 – Campeonato Frânces: Sochaux x PSG;Sportv2 18h00 – Terceiro Termpo;Band 18h30 – Campeonato Paulista:Ponte Preta x Santos;Sportv 20h30 – Bate-Bola;ESPN Brasil 22h00 – Sportscenter;ESPN Brasil


esportes 4 | Natal Rio Grande do Norte |Domingo| 17 de fevereiro de 2013 FOTOS:JÚNIOR SANTOS

ARENA

DA DISCÓRDIA

Enquanto conselheiros querem a construção do estádio americano, presidente tenta acerto com a empresa OAS FELIPE GURGEL Repórter de Esportes

ão bastasse a eliminação precoce na Copa do Nordeste, o assalto a sede do clube e grave crise financeira que o América atravessa, uma guerra silenciosa está sendo travada, nos bastidores, entre o presidente alvirrubro, Alex Padang e alguns conselheiros americanos. Tudo por causa do contrato oferecido pela OAS, empresa responsável pela Arena das Dunas, para que o time rubro mandasse seus principais jogos na praça esportiva que está sendo construída para a Copa do Mundo de 2014. Com isso, a Arena do Dragão, que também está em obras, seria utilizada apenas em jogos menores, como, por exemplo, nas partidas do campeonato estadual, com exceção do clássico com o ABC. A possibilidade de isso acontecer vem causando uma insatisfação geral entre os torcedores americanos e também em uma ala de representantes do conselho deliberativo do clube, que querem apenas o estádio rubro co-

N

mo casa do América. Dentre eles está o médico José Medeiros, um dos conselheiros mais atuantes do América e que, ao lado do presidente do conselheiro deliberativo do clube, José Rocha, são contra os termos de contrato apresentado pela OAS a Alex Padang. “São 48 páginas de contrato e muitos artigos. E, em vários pontos, o América sai prejudicado nesse acerto. Primeiro, a OAS quer que o clube seja responsável pela Arena das Dunas pelos próximos 15 anos, arcando com todos os custos de um estádio daquele porte. Em contrapartida, eles patrocinariam o América no período de 1 ano e meio. Isso não podemos aceitar”, revelou José Rocha. Com um tom mais radical em relação ao contrato, José Medeiros afirma que, se fosse por sua decisão, não teria nem conversa com a OAS. O principal, de acordo com ele, é continuar com as obras da Arena do Dragão. “Se essa empresa que está construindo a Arena das Dunas não tem nenhum projeto futuro para tornar o local sustentável, que procurem outra

maneira e não tentem atrapalhar a vida do América. O nosso estádio vai sair de qualquer forma”, afirma Medeiros, que é um dos responsáveis por controlar o caixa de verbas para o andamento das obras no futuro estádio americano. Mesmo não confirmando, o clima entre conselho deliberativo e o presidente americano aparenta ser tenso, no atual momento. Na última quinta-feira, convidado pela reportagem da TRIBUNA DO NORTE, a fazer uma visita às obras da Arena do Dragão, José Rocha foi até o local acompanhado de José Medeiros, Francisco Sobrinho, engenheiro responsável pela obra e alguns torcedores. Durante a visita, apareceu o presidente do clube, Alex Padang, acompanhado do advogado Osvaldo Sestário, que representa o América nos julgamentos do STJD, no Rio de Janeiro e Paulo Schmitt, procurador do STJD, que estavam fazendo uma visita as instalações do clube e iriam fazer uma palestra aos jogadores americanos. Foi quando Alex Padang perguntou a José Rocha, quando a Arena do América ficaria pronta.

A resposta do presidente do conselho deliberativo deixou o ambiente tenso. “Se eu tivesse R$ 5 milhões na mão, já estaria pronto. Mas, você foi divulgar na mídia esse contrato com a OAS e a situação ficou complicada”, disse Rocha, diante de todos os presentes. Outra informação colhida seria que Padang teria solicitado ao grupo que está gerenciando as obras do estádio americano, recursos para investir no futebol. “Isso não existiu. E mesmo que tivesse acontecido, seria como as ondas do mar. Iriam bater e voltar, quantas vezes fosse necessário. O dinheiro do nosso estádio vai ser investido no estádio e não no futebol. Isso é uma certeza de tenho”, afirmou Medeiros. Em relação a possibilidade de

renúncia do presidente Alex Padang, caso o contrato com a OAS não seja aceito pelo conselho deliberativo, tanto José Rocha, quanto José Medeiros, se mostraram tranquilos. “Essa possibilidade nunca foi comentada por Padang, pelo menos comigo não. Tenho certeza de que ele não vai tomar essa decisão. Ele está sendo um grande presidente para o América”, disse Rocha. Já Medeiros foi mais taxativo e usou a história do próprio América para falar sobre a possibilidade de renúncia. “Quero deixar claro que não tenho nada contra o presidente Alex Padang. Mas, a história do América foi feita de renúncias e clube sobreviveu a todas”, finalizou Medeiros.

NÚMEROS

126

camarotes já foram vendidos,de forma antecipada,para a construção da Arena do Dragão

5

milhões.É quanto o clube precisa arrecadar para concluir a primeira etapa do estádio americano

Edílson Batista faz parte do grupo de torcedores que doam cimento

Conselheiros e torcedores estiveram nas obras da Arena do Dragão

Torcedores criticam atitudes de Padang Independente do que venha acontecer nos próximos dias, no que diz respeito a Arena do Dragão, a relação entre presidente e torcida parece estar abalada. É fácil perceber pelos comentários dos americanos pelas ruas de Natal ou nos dias de treinos no centro de treinamento do clube. Um dos torcedores mais radicais a favor da construção de um estádio próprio e radicalmente contra o acerto com a OAS, o aposentado José Edson Diniz, mais conhecido como “Marinheiro”, foi taxativo sobre a possibilidade da não utilização do estádio do América nos próximos anos, com os jogos maiores sendo transferidos para a Arena das Dunas. “Isso é uma covardia que

o presidente está fazendo com a torcida. Queremos ter a nossa própria casa. Meus filhos compraram camarote aqui e agora, o que vão fazer se esse acerto com a OAS acontecer? Se essa empresa está com problemas para viabilizar o estádio depois da Copa do Mundo, que procure outra solução e não venha querer atrapalhar a vida do América”, desabafou. Opinião semelhante tem José Filho. Ele e o amigo Edílson Batista, representam uma espécie de associação de torcedores fora de Natal e arrecadam cimento e materiais de construção para doarem ao América, na tentativa de acelerar as obras da Arena do Dragão. Até o momento, eles já con-

seguiram doar cerca de 300 sacos de cimento e estão dispostos a tudo para ajudar na construção da tão sonhada casa americana. “Se for preciso, eu mesmo venho para cá e trabalho de pedreiro, para que esse estádio seja construído. O que não pode acontecer é que a Arena do Dragão fique pelo caminho. Isso seria uma decepção muito grande”, afirmou Filho, que mora em São José de Mipibú. Já Edílson Batista foi mais diplomático. Mesmo assim, deixou claro sua vontade de ver o estádio do América erguido nos próximos anos. “Essas turbulências no futebol são normais. O que não podemos deixar é de pensar no futuro e o estádio é o nosso futuro. Não

podemos deixar essa oportunidade passar. Se não for agora, não vai ser mais nunca”, afirmou Batista. Até a rivalidade clubística entra em campo nesse momento turbulento em que atravessa a administração americana. “É difícil andar nas ruas e vê os abecedistas tirando sarro da gente, dizendo que não temos casa. E eles estão na nossa frente justamente por ter construído o estádio deles. E é isso que queremos, a nossa casa. Não queremos mais nos arriscar em pegar a BR-101 para assistir jogos em Goianinha. Existe a possibilidade de jogar no Barretão, em Ceará - mirim. Mas, depois disso, o que vai ser do América?” indagou Marinheiro.

Não sou contra a Arena América, mas tem que se pensar com maturidade. O clube não pode parar no tempo. Constrói seu próprio estádio e conta também com a Arena das Dunas” ALEX PADANG Presidente do América

Presidente do clube defende acerto com a OAS Qualquer decisão sobre a Arena do América, das Dunas ou mandar seus jogos no estádio Barretão, pelos próximos cinco anos, como foi proposto por Marcone Barreto, proprietário do estádio de Ceará-Mirim, só deve ser tomada na próxima quinta-feira, dia 21 de fevereiro, quando todas essas possibilidades serão discutidas em reunião convocada pelo presidente do Conselho Deliberativo do clube, José Rocha. O momento mais esperado é a apresentação do contrato oferecido pela OAS ao presidente americano Alex Padang. De antemão, o mandatário rubro, em entrevista concedida a Rádio Globo Natal, na quarta-feira da semana passada, antecipava que alguns conselheiros rubros eram contra a possível negociação com a empresa detentora da Arena das Dunas e criticou a posição deles. “Defendo uma opinião, mas acredito que alguns conselheiros não acham viável jogar na Arena das Dunas. Até hoje não me apresentaram nenhum argumento que justificasse isso, nenhum número ou dado que prove que é impossível jogar lá”, disse Padang. De acordo com o presidente americano, já aconteceram várias reuniões entre ele e os representantes da OAS. Os contatos vinham sendo mantidos em sigilos para que, caso fosse exposto na mídia, não causasse problemas nas negociações. Mesmo negociando com a Arena das Dunas, Alex Padang fez questão de afirmar que não é contra a construção do estádio americano e sim, está pensando no futuro do clube, com essa possível parceria. “Não sou contra a Arena América, mas tem que se pensar com maturidade. O clube não pode parar no tempo. Constrói seu próprio estádio e conta também com a Arena das Dunas”, finalizou o presidente americano. O atual momento parece ser de solidão para o presidente alvirrubro. Na última quinta-feira, representantes da comissão de obras da Arena do América, se reuniram com Marcone Barreto, em um escritório de advocacia em Natal, sem a presença do mandatário americano, que revelou não ter sido informado de tal reunião e se mostrou surpreso com o fato, mas, preferiu não se pronunciar sobre o acontecido, afirmando que vai esperar a reunião do conselho deliberativo, marcado para a próxima quinta-feira. Já o ex-presidente do clube, Eduardo Rocha, confirmou que a reunião aconteceu em seu escritório, mas, eles foram pegos de surpresa com a a chegada de Marcone Barreto no local, para apresentar uma proposta oferecendo o estádio de Ceará-Mirim, para que o América mandasse seus jogos lá, pelos próximos cinco anos, sem custos. E desmentiu, também, que estejam trabalhando contra o atual presidente. “Se ele está procurando alguma dificuldade em relação a minha pessoa, e falo também em relação da José Rocha, ele não vai encontrar. Não somos contra ele. Qual a necessidade disso? Infelizmente ele não soube suportar uma eliminação precoce e tomou as decisões que quis tomar e agora tem que arcar com os ônus”, finalizou Rocha.

Padang preferiu o silêncio e só vai se pronunciar na quinta-feira


A REVISTA DA TV É UM SUPLEMENTO DA TRIBUNA DO NORTE. NÃO PODE SER VENDIDO SEPARADAMENTE.

UM HERÓI IMPERFEITO KEVIN BACON CONTA QUE NÃO QUERIA MAIS INTERPRETAR VILÕES E ESTREIA COMO PROTAGONISTA NA TV NA PELE [ PÁGINAS 6 A 8 ]

revista da tv Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 17 de fevereiro de 2-13 programação MTV aposta em séries de ficção com as novas “Overdose”, de Arnaldo Branco, e “Projeto secreto”, de Felipe Hirsch [ PÁGINA10 ]

ele é bonzinho No ar como o capanga Russo, de “Salve Jorge”, Adriano Garib se declara um homem sensível e diz que gosta de tocar gaita e escrever [ PÁGINA11 ]

.


Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

revista da tv

Domingo | 17 de fevereiro de 2013

TERÇA

QUARTA

QUINTA

SEXTA

Orelha envia mensagens a Morgana. Fatinha entrega a única cópia do CD com a imagem do beijo para Bruno. Vitor promete não citar o nome de Sal no inquérito. Lia sai para encontrar com Vitor. Robson se sente mal após beber a suposta poção do rancor. Bruno joga o CD no lixo.

Lia conversa com Ju sobre a atitude de Sal. Marcela sente ciúmes de Lorenzo com Raquel. Bruno resgata o CD que atirou no lixo e pensa em Fatinha. Marcela conversa com Lorenzo sobre ciúme. Rosa conversa com Pilha sobre as poções de Morgana. Sal bate à porta do quarto de Fatinha.

Lia tenta falar com Vitor sobre Sal quando Fatinha a interrompe. Em seu blog, Ju fala sobre relacionamentos. Bruno se desconcentra com Fatinha e não termina a palestra que estava apresentando. Ana e Fatinha começam a discutir. Orelha faz outra surpresa para Morgana.

Ana vê a cena do beijo de Bruno e Fatinha no laptop do namorado e termina seu relacionamento com ele. Ju conversa com Lia sobre Gil. Ana segue Bruno em direção ao hostel. Bruno afirma para Fatinha que não quer mais saber dela e destrói o CD na sua frente.

Albertinho pede à mãe que decida entre o casamento com Esther ou o convívio com Elias. Albertinho propõe a Esther que eles se casem e morem em São Paulo. Isabel resolve desmanchar o noivado com Zé Maria. Mario pede a mão de Diva. Edgar avisa a Catarina que Melissa vai morar com ele.

Zé Maria luta capoeira para salvar Fátima de bandidos. Laura fica surpresa ao saber, por Ciço, que Edgar é jornalista. Edgar confessa a Laura que ele é Antônio Ferreira. Jurema e Túlio se escondem da polícia, que prende foliões. Isabel avisa a Jurema que Zé Maria já tem outra mulher em sua vida.

Isabel conta a Jurema que viu Zé Maria de braço dado com uma moça. Assunção conta a Edgar e a Laura que foi ludibriado e comunica que mandou soltar os foliões. Laura conta a Edgar que Paulo Lima é seu pseudônimo de escritor. Laura resolve voltar a morar com Edgar.

Isabel conta a Afonso que vai ao cartório registrar Elias com Albertinho. Celinha e Guerra se casam. Alzira revela aos funcionários do teatro que Luciano não é filho de Manoel Loureiro. Laura pede Edgar em casamento. Fernando entrega o documento que passa as ações para o nome de Margarida.

Umberto diz a Constância que Albertinho registrou Elias. Diva diz a Frederico e Mário que nenhum deles é pai de Luciano. Laura conta para Guerra que é Paulo Lima e diz que só autoriza a publicação de suas matérias no jornal se puder assiná-las com seu nome. Guerra não aceita.

Felipe se desespera com o fato de ter dormido com Carolina. Nando pede carona na estrada. Fábio e Juliana se encontram no parque. Roberta e Nando encontram Carolina e Felipe na recepção do hotel. Veruska chega ao Rio. Roberta descobre que sua reserva foi cancelada por causa de Felipe.

Roberta e Nando vão encontrar o fornecedor. Carolina afirma que fará Felipe ficar com ela. Baltazar avisa que Charlô saiu de casa. O depósito da loja é sabotado. Carolina convence Roberta a deixá-la ficar no Rio até o fim da convenção. Charlô descobre que pode perder a aposta.

Charlô diz a a Juliana que, para não perder a aposta, precisa provar que Otávio sabotou a loja. Juliana segue a avó até o Rio. Juliana encontra Nando no quarto do pai. Charlô invade o salão da convenção e Felipe entra em pânico. Charlô obriga Felipe a conversar com ela. Nando e Juliana se beijam.

Nando fala para Juliana que não quer magoar Roberta. Felipe é acusado de assediar Carolina. Nando flagra Vânia e Ulisses. Ronaldo encontra Isadora em festa. Nenê e Veruska abrem o bagageiro no aeroporto. Carolina diz a Felipe que sabe como vencer a aposta contra Charlô.

Carolina sugere que ela e Felipe sabotem o desfile da Positano. Charlô convoca uma professora para ensinar Nando a desfilar. Felipe expulsa Carolina de sua casa. Juliana garante para Vânia que esquecerá Nando. Nenê mostra os recibos para Carolina e ela os leva para Felipe.

Russo confirma a gravidez de Morena. Na delegacia, Lurdinha reconhece a foto de Santiago. Helô suspeita de que Morena tenha sido traficada. Lívia decide processar Theo. Zyah vai falar com Russo. Russo negocia o preço de Morena com Zyah.

Helô expulsa Stenio de sua casa ao saber que ele representará Lívia no processo contra Theo. Ricardo diz a Helô que investigará bordéis na Turquia. Irina desconfia de Rosângela. Morena consegue fugir, mas um carro explode perto dali.

Zyah encontra Morena. Morena revela a Zyah que foi enganada por Russo. Mentindo, Rosângela afirma a Russo e Irina que Morena morreu. Lívia e Theo se enfrentam na porta de um restaurante. Morena hesita em ligar para casa. Zyah leva Morena à Capadócia.

Zyah deixa Morena em sua caverna. Morena conta a Mustafá que está grávida. Aisha se decepciona com o exame de DNA. Demir tenta um emprego para Morena. Raquel reconhece Wanda e se surpreende ao vê-la falando com Nunes.

Helô vê a foto que Demir colocou no perfil falso de Morena e fica intrigada. Ricardo descobre que o perfil falso foi criado na Turquia. Helô não consegue fazer Stenio dar o endereço de Wanda. Theo descobre que Áurea foi falar com Lívia e decide procurá-la.

Jaime estuda com a ajuda de Helena e Renê. No recreio, os alunos tentam motivar Jaime. Cirilo vai até a diretoria e pede a Olívia para ser reprovado. Suzana acredita que Renê está falando mal dela para Olívia a pedido de Helena. Renê elogia a diretora e a seduz para tentar ajudar Jaime.

Renê pede que Olívia dê uma segunda chance a Jaime. Jaime faz a prova na diretoria e é aprovado. Miguel diz a Maria Joaquina que Clara sofreu um acidente depois de deixá-la de carro no colégio. Helena leva a garota ao hospital, onde fica sabendo que sua mãe fará uma cirurgia.

Os pais de Cirilo vão ao hospital doar sangue, já que são do tipo O negativo. Miguel diz que Clara não corre mais riscos. Na escola, Maria Joaquina agradece a ajuda de Cirilo. A menina pede que Cirilo vá até o seu lado, diz que gosta dele e o abraça. Helena chega e se emociona com a cena.

Firmino e Renê descobrem o perfil de Olívia em um site de relacionamento e a incentivam a ir a um encontro. Ao ver Jurandir, ela vai embora, sem saber que se trata de um golpe dos meninos. Mais tarde, o verdadeiro homem chega à lanchonete mas não a encontra.

Fabiana se espanta com a visita do oficial de justiça para Norberto. Joana conta a Breno que está fazendo um documentário secreto com Celina. Lucas vê o pai saindo do motel e continua seguindo Catarina. Isabel enfrenta Norberto.

Norberto manda Arnaud matar Heloisa e recuperar a carta. Ao esperar Cremilda, Osório/Deodoro pergunta sobre o segredo de Dóris e desmaia ao saber do acidente. Arnaud segue Heloisa até Petrópolis e Álvaro se desespera ao ver que a esposa foi baleada.

Eduardo fala com Álvaro e sofre ao saber da morte de Heloisa. Lucas se espanta ao saber que Catarina é irmã de Celina. Cremilda arromba o cofre de Aragão antes do casamento, para cobrir as despesas. Norberto some em mergulho com Isabel.

Taís chega à casa da tia com Eduardo, incriminado pela morte de Norberto. Etelvina vai embora, mas avisa a Breno que sua tia Horácia está a caminho do Rio. Álvaro fica revoltado ao saber que Norberto e Paulo são os responsáveis pela morte de Heloísa.

SEGUNDA

SÁBADO

Inter TV/Cabugi – Canal 11

MALHAÇÃO Vitor entrega um caderno de poesias suas para Lia e Fatinha chega. Marcela pede que Lorenzo converse com Gil sobre a relação dele com Ju. Bruno percebe o clima entre Ju e Gil. Fatinha liga para Bruno. Lia mostra a canção que fez com o poema de Vitor quando Sal chega.

NÃO HÁ EXIBIÇÃO

Inter TV/Cabugi – Canal 11

LADO A LADO Edgar leva Melissa para a escola de Laura. Edgar descobre que Fernando não pediu empréstimo para as ações da fábrica. Esther ameaça terminar com Albertinho caso ele não se afaste de Elias. Edgar pressiona Fernando para que confesse sobre o roubo da carga.

Inter TV/Cabugi – Canal 11

GUERRA DOS SEXOS Nando e Roberta são encurralados pela quadrilha de assaltantes. A cantora misteriosa deixa na mansão um canudo de papel. Carolina diz que teve uma noite de amor com Felipe, que fica confuso. Olívia e Charlô descobrem que o canudo de Alessandra é um mapa.

Inter TV/Cabugi – Canal 11

SALVE JORGE Russo orienta Wanda a voltar ao Brasil. Morena pede para Mustafá comprá-la de Russo, mas ele não crê no que ouve. Lívia liga para Theo e Áurea atende. Helô convoca Jô e Barros para o trabalho no caso de tráfico de pessoas. Russo leva Morena ao médico.

TV Tropical – Canal 8

CARROSSEL Na diretoria, Helena conversa com Rafael e Olívia. Em manifestação, alunos pedem a libertação de Jaime. Rafael diz para Jaime brincar na rua. Jaime encontra os amigos, chora e conta que nunca viu seu pai tão decepcionado. Helena e Renê preparam um “intensivão” para Jaime.

NÃO HÁ EXIBIÇÃO

BALACOBACO TV ponta Negra– Canal 13

2

Heloisa diz a Taís que Paulo e Lito são a mesma pessoa e decide ler sua carta. Norberto propõe um teste de gravidez a Isabel. Patrick pede segredo a Etelvina e diz que o filho de Norma pode ser dele. Zé Maria chora com as revelações de Diva sobre as traições de Dóris.

NÃO HÁ EXIBIÇÃO


revista da tv

Domingo | 17 de fevereiro de 2013

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte 3

PAULA GIOLITO

PERFIL

MARIA DA LUZ MIRANDA

Malvado, só na ficção

driano Garib é um homem sensível. O intérprete do impiedoso Russo, em “Salve Jorge”, garante que, de bruto, só tem a aparência. Ator e professor de teatro, Garib se orgulha do sucesso que seu personagem faz nas ruas, assume com bom humor a virilidade do papel e diz que a vida segue como antes. Com mais popularidade, é certo. Mas sem afetação, porque ele garante que não é disso. Antes de Russo, cujas maldades fazem o telespectador confundir ator e personagem, Garib fez algumas participações esporádicas em programas da TV Globo, onde também participou de novelas como “Duas caras” (2007) e “Salsa e merengue” (1996). Na Record, atuou em “Vidas em jogo” (2011). Mas é no teatro que ele fez carreira, com tipos como o vilão Edmundo, em “Rei Lear”, e o canalha Patrício, em “Toda nudez será castigada”. No cinema, recentemente emprestou o corpo e os trejeitos a um deputado nada correto em “Tropa de elite 2”.

A

Na novela de Gloria Perez, elechegou a viver um romance - com outros interesses, como já era de se esperar - com Lucimar (Dira Paes), mãe de Morena. Também vem mantendo uma relação dúbia com Rosângela (Paloma Bernardi), a mais ambiciosa das jovens vítimas do tráfico de pessoas e que deseja fazer parte da máfia. Mas Garib aposta que, no fim, toda maldade será castigada.- Gloria é uma moralista, tem preocupações éticas que poucas pessoas têm. Claro que ela vai matá-lo de forma brutal - acredita. Enquanto a sentença não vem, Garib administra as opiniões públicas e a recém-conquistada fama de sexy. - Sou um ator veterano, tenho 48 anos. Não tenho mais idade para deslumbramento ou para fazer o papel de galã. Sexy é o Domingos (Montagner, que vive o guia turístico Zyah na trama), o Rodrigo (Lombardi, o capitão Théo), o Murilo (Rosa, que encarna o capitão Élcio). Eu, não. Sou meio grotesco mesmo. Sempre que sobra tempo, Garib toca gaita e escreve. Professor do curso de interpretação da Casa

Na pele do temido Russo de ‘Salve Jorge’, Adriano Garib quer fugir do estereótipo e encarnar gays

TV GLOBO/RAPHAEL DIAS

DONO de um gato na ficção, Adriano tem dois na vida real: Kafka e Borges VILANIA Russo em ação: Morena (Nanda Costa) é uma de suas vítimas mais constantes NO TEATRO. Ao lado de Malu Galli, em 2005, na peça “E agora nada é mais uma coisa só”

DIVULGAÇÃO/GUGA MELGAR

- Tudo que faço é com muito amor e muita entrega - explica Garib. No entanto, nenhum papel havia lhe dado tanto reconhecimento e visibilidade até o surgimento de Russo, o capanga do tráfico que não mede sua crueldade, usa o tabefe como lema e nem precisa fazer cara feia para assustar a sofrida mocinha Morena (Nanda Costa). Basta aparecer em cena. Ao contrário da ficção, Garib conta que faz questão de manter a ternura. Não acho que mulher goste de cafajeste ou de pancada. A minha não gosta - diz o ator que, na vida real, é pai de Gabriel, de 18 anos, já foi casado três vezes e tem a mesma namorada há seis anos. Em casa, Garib também exercita o afeto com os gatos Borges e Kafka, cujos nomes são inspirados em dois dos seus autores de cabeceira Jorge Luis Borges e Franz Kafka. Russo, coincidentemente, ganhou um gato para chamar de seu na trama das 21h. O bichano que o brucutu apelidou de Iuri veio a reboque do crescimento do personagem.

das Artes de Laranjeiras (CAL), mantém uma biblioteca com mais de dois mil títulos em casa, na Zona Sul do Rio. Até o fim do ano, ele promete, termina de escrever um romance. Depois de publicálo, só quer a chance de fazer um papel que não tenha necessariamente a ver com sua cara de mau. - Posso fazer um pai de família, uma pessoa ocupada com algo que nada tenha a ver com submundo diz ele, que acredita que mudar do lado dos malvados para os bonzinhos seria um salto na carreira. - Tenho intensidade para doar, e vibrar num outro lugar faz toda a diferença. Mas seu sonho, mesmo, é interpretar um personagem homossexual. - Ah, isso eu jantaria. E ainda faria um gay com virilidade. Virilidade não é só macheza. É raça, é presença - teoriza. O ator ressalta que não é religioso. Mas, por via das dúvidas, as imagens de São Miguel e São Jorge estão em seu apartamento. Talvez eles possam atender a este seu pedido.


4

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

revista da tv

Domingo | 17 de fevereiro de 2013 FOTOS:AGÊNCIA O GLOBO

REALITY

Em alto e bom tom Programas de calouros se renovam e, em busca do público adolescente,atrações priorizam talentos musicais mais jovens MARINA COHEN

antar no chuveiro não é mais uma opção. Onze anos após a estreia da primeira temporada de “American Idol”, que renovou o formato dos programas de calouros, os reality shows musicais continuam conquistando o público que adora sofrer junto com os concorrentes. Em meio a tantas produções, inclusive nacionais, a novidade agora é o alvo. Por aqui, dois novos realities agora voltam seu olhar para os adolescentes: “Fábrica de estrelas”, do Multishow (no ar a partir de 1º de abril, às 22h) e “Breakout Brasil”, do Sony Spin (estreia em 21 de março, às 21h) buscam jovens talentos. O girl power será o mote de “Fábrica de estrelas”. No programa, o produtor musical Rick Bonadio (que revelou Mamonas Assassinas, NX Zero e Manu Gavassi) sairá em busca de cinco garotas para formar uma banda brasileira exclusivamente feminina. O programa pretende mostrar como se monta uma banda de sucesso desde os primeiros passos. As meninas pré-selecionadas por Bonadio terão aulas de canto, coreografia e presença de palco, além de passarem por testes de vídeo, fotografia e figurino. A cada desafio, uma concorrente será eliminada, até restarem apenas cinco.- Juventude é o que procuro nelas, e atitude. As meninas precisam ser ousadas e mostrar uma personalidade forte - afirma Bonadio. - Com Beyoncé, Rihanna, Lady Gaga e tantas outras mulheres brilhando no cenário pop internacional, essa é a hora de abrir o espaço para as brasileiras. Entre um teste e outro, será mostrado o dia a dia do estúdio Midas, por onde passaram artistas como Thiaguinho, Fiuk, Luiza Possi durante a gravação do programa. Até as meninas do

C

Rouge apareceram para dar dicas às novatas e gravar uma nova faixa do grupo, que, após sete anos de hiato, anunciou seu retorno aos palcos no fim do ano passado. - Para quem gosta do mercado de música vai ser muito interessante, pois as pessoas vão ver como os artistas são de verdade. O que irá ao ar é 100% real: tanto o que dá certo quanto o que dá errado. A gente não vai esconder nada - diz Bonadio, prometendo momentos polêmicos. Já o “Breakout Brasil” vai estrear com seus cinco finalistas definidos. Após a avaliação dos jurados e 150 mil votos dos fãs pela internet, as bandas Cartoon, Paranoika, Dias de Truta e Hewie e o rapper Mr. Armeng foram as escolhidas para disputar um contrato com a gravadora Sony Music. Durante os quatro episódios do reality, os candidatos serão avaliados e orientados pelo produtor musical Dudu Marote, pela diretora artística Anna Butler e pelo empresário Marcello Lobato. Segundo o diretor da atração, Décio Matos Jr., o maior desafio da produção foi criar um formato pouco parecido com os muitos programas musicais que já existem. - Acredito que essa competição será diferente pelo fato de todos os artistas estarem prestes a estourar. Fiquei surpreso com o nível dos concorrentes, e, por isso, acho que a gincana será altamente competitiva - comenta Matos Jr.. Os jurados procuraram escolher artistas de perfis bem diferentes: um artista solo com veia poética, uma banda de rock comercial, outra bem

PARA MENINAS. O produtor musical Rick Bonadio à frente da equipe de produção do reality show “Fábrica de estrelas”

DIFERENTES. Bandas finalistas do programa “Breakout Brasil” e o apresentador Edu K, da banda Defalla

underground, e por aí vai. O produtor Marcello Lobato garante que todos os escalados para a batalha musical são competentes, mas que só quem tem a tal “estrela” ou o “fator X” pode vencer a competição. - Quando a banda ou o artista tem algo a dizer, a gente identifica logo.

Lembro até hoje da primeira vez que ouvi Planet Hemp e Pitty e pensei: “Isso é relevante” - recorda Lobato, dando um conselho aos jovens calouros: - É preciso ser verdadeiro. Não adianta o cara ser urbano e fazer um som rural só porque está na moda. Não vá na onda, siga seu instinto.


revista da tv

Domingo | 17 de fevereiro de 2013

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

Os descendentes TELECINE PREMIUM,14:05

SOB O SOL DA TOSCANA. Diane Lane se reinventa em temporada na Itália

COMÉDIA ROMÂNTICA. Do que as mulheres gostam Mel Gibson

ZEAN BRAVO revistadatv@oglobo.com.br

FILMES DE HOJE

FOTOS DE DIVULGAÇÃO

FIQUE DE OLHO

(EUA, 2012). DE ALEXANDER PAYNE. COMÉDIA DRAMÁTICA. Um George Clooney de chinelo, bermuda e com o semblante quase sempre preocupado. É assim, sem apelar para o charme de filmes como “Onze homens e um segredo”, que o ator surge na pele de Matt King. Pai de duas meninas, ele é um advogado que vive no Havaí e tem como missão cuidar da herança da família (os tais descendentes do título). Mas a situação complica mesmo depois que sua mulher sobre um acidente de barco e entra coma. Para piorar, Matt descobre ainda que ela tinha um caso com outro homem e estava pronta para sair de casa.

SINTONIA DE AMOR MEGAPIX,23:55

PROTAGONISTA DE “OS DESCENDENTES”, GEORGE CLOONE TAMBÉM PODE

COMÉDIA DRAMÁTICA.Alexander Payne dirige “Os descendentes”, com George Clooney

SOB O SOL DA TOSCANA

DO QUE AS MULHERES GOSTAM

TELECINE TOUCH,11:55

MGM,14:15

(EUA/ITÁLIA,2003). DE AUDREY WELLS. COMÉDIA ROMÂNTICA.Viajar em busca de autoconhecimento é um clichê que funciona positivamente no caso deste filme.Moradora de São Francisco,a escritora Frances Mayes (Diane Lane) vai passar uma temporada na Itália para superar um divórcio.Lá, compra uma casa na Toscana por impulso.E muda de vida. Enquanto cuida da complicada reforma da propriedade, Frances descobre novas amizades e possibilidades amorosas.

(EUA, 2000). DE NANCY MEYERS. COMÉDIA ROMÂNTICA. Nick Marshall (Mel Gibson) é um publicitário machista que não encara muito bem a contratação de Darcy Maguire (Helen Hunt) para o cargo de diretora de criação na agência em que trabalha. A sorte do sujeito muda depois de um acidente que lhe confere o poder de ouvir os pensamentos das mulheres. Esperto, Marshall usa seu novo dom para se dar bem.

SER VISTO HOJE EM

“SYRIANA - A INDÚSTRIA DO PETRÓLEO”. DIRIGIDA POR STEPHEN GAGHAN, A TRAMA POLÍTICA, SERÁ EXIBIDA ÀS 22H PELO CANAL TNT E TRAZ AINDA NO

MATT DAMON E CHRISTOPHER PLUMMER. ELENCO

PROGRAMAÇÃO TV Brasil 06:30-Sustentáculos 07:00-Palavras de vida 08:00-Santa missa 09:00-Viola, minha viola 10:15-O Brasil tem disso 11:15-Batatinhas 11:20-Senha verde 11:30-Barney e seus amigos 12:00-ABZ do Ziraldo 12:30-Vila Sésamo 13:00-Dango Balango 13:30-Batatinhas 13:35-TV Piá 14:00-Anabel 14:15-Carrapatos e catapultas 14:30-Batatinhas 14:35-Meu amigãozão 14:45-Cocoricó na Cidade 15:00-Escola pra cachorro 15:10-Batatinhas 15:15-Tromba trem 15:30-Catalendas 15:40-Batatinhas 15:45-Senha verde 16:00-Papo de mãe 17:00-Isolados 6:“O fim do isolamento”

18:00-Samba na Gamboa 19:00-América Latina tal como somos:“O barco prometido” 20:00-Conexão Roberto D'Avila 21:00-Esportvisão 22:00-Natália 6 22:30-Soy loco por ti cinema:“O sangue” 00:15-Curta TV 00:45-DOC TV Latino América 01:45-Esportvisão 02:45-DOC TV (biografias):“Bianchetti” 03:45-Curta os curtas:“Novembrada” 04:00-Telecurso tecendo o saber 04:30-Telecurso ensino médio 04:45-Telecurso ensino fundamental 05:00-Telecurso TEC 05:15-Telecurso profissionalizante 05:30-Salto para o futuro

Globo 05:45-Santa Missa 06:45-Sagrado 07:00-Globo Comunidade 07:30-Pequenas empresas 08:00-Globo rural 08:55-Auto esporte 09:30-Esporte espetacular

12:35-Esquenta! 13:55-Temperatura máxima:“Quarteto fantástico” 15:45-Campeonato Carioca — Vasco x Audax 18:00-Domingão do Faustão 20:45-Fantástico 23:00-Big Brother Brasil 13 23:45-Domingo Maior:“O Mestre das armas” 01:35-Flash Big Brother Brasil 13

Rede TV 06:00-Ultrafarma 08:00-Igreja Universal 10:00-Campeonato paulista série A2: Monte Azul x Capivariano 12:00-Deus médico dos médicos 13:00-Parceria 15:15-A hora e a vez da pequena empresa 15:35-Super papo 15:45-Parceria 16:15-Transição 16:45-Parceria 17:15-Pague menos 17:45-Parceria 18:00-Ritmo Brasil 18:30-Star trek 19:30-O último passageiro 20:45-Operação de risco 21:30-Tá gravado 22:00-WWE Smackdown 23:00-Dr. Hollywood 23:45-É notícia

00:45-Good news 01:15-Bola na rede 01:45-Super papo 03:00-Igreja da Graça — Nosso lar

Band 06:00-Igreja Mundial 06:50-Popcorn TV 07:00-Profetizando vida 07:30-Exerça sua fé 08:00-Igreja batista da Barra 09:00-Projeto nova vida 10:00-A informar 10:30-Mackenzie em movimento 10:45-Informecial 11:45-Verdade e vida 12:00-Pé na estrada 12:30-Band esporte clube 13:00-Brasil open 15:00-Gol, o grande momento do futebol 15:15-Futebol 2013 17:50-Terceiro tempo 18:00-Sessão livre 20:00-Os Simpsons 21:00-Pânico na Band 00:00-Canal livre 01:00-Projeto nova vida 02:00-Show mix 02:25-Família Soprano 03:25-Um tio da pesada 03:50-Popcorn TV

(EUA,1993). DE NORA EPHRON. COMÉDITA ROMÂNTICA. Jonah (Ross Malinger) é um menino preocupado com o pai,Sam Baldwin (Tom Hanks),que ainda não superou a morte da mulher mesmo depois de um ano.Numa tentativa de reverter a questão,ele liga para um programa de rádio e tenta arrumar uma namorada para o pai.A iniciativa comove Annie Reed (Meg Ryan),que se apaixona por Sam. 04:00-Igreja mundial

SBT 06:00-Arnold 06:30-Pesca alternativa 07:30-Brasil caminhoneiro 08:00-Aventura selvagem 08:30-Vrum 09:00-Chaves 11:00-Domingo legal 15:00-Eliana 19:00-Vamos brincar de forca 19:45-Sorteio da Tele Sena 20:00-Programa Silvio Santos 00:00-De frente com Gabi 01:00-True blood 02:00-O mentalista 03:00-Alcatraz 04:00-Jornal do SBT

Record 05:45-Desenhos bíblicos 08:00-Domingo de prêmios 08:30-Record kids 13:00-Tudo a ver 14:45-Programa do Gugu 19:00-Domingo espetacular 22:00-Tela máxima 23:45-Câmera em ação 01:00-IURDI

5


6

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

revista da tv

Domingo | 17 de fevereiro de 2013 FOTOS DE DIVULGAÇÃO/ WARNER

1

SÉRIE

CAÇADOR DE SERIAL KILLERS Kevin Bacon abandona os vilões e diz que buscava há anos um papel como o do mocinho de ‘The following’, sua estreia como protagonista na TV, no ar na quinta, na Warner THAÍS BRITTO

ente se lembrar de um personagem interpretado por Kevin Bacon no cinema. O desafio é facílimo, já que, com 35 anos de carreira, o ator acumula mais de 50 filmes no currículo. Agora, faça um esforço para lembrar-se de um mocinho vivido por ele. À exceção do protagonista de “Footloose” - que, sejamos sinceros, era um tanto rebelde -, foram poucos os rapazes de bom coração defendidos por Kevin em sua trajetória cinematográfica. Mas tudo está prestes a mudar. A partir de quinta-feira, às 23h, o ator não apenas estará do lado bom, mas vai encarar seu primeiro protagonista na TV. Na série “The following”, que será exibida pela Warner, ele é Ryan Hardy, um ex-agente do FBI que precisa voltar à ativa quando um serial killer que prendeu há 10 anos escapa da cadeia. Kevin é mais um na longa lista de estrelas do cinema que têm migrado para as produções televisivas. O ator estava mesmo empenhado na mudança: em uma mesa redonda com jornalistas de vários países num quarto do hotel Four Seasons, em Nova York, diz que vinha buscando o papel ideal na TV há cerca de três anos. - Li muitas coisas boas nesse período, mas não sabia se eram personagens que eu gostaria de fazer por mui-

T

to tempo. Não queria mais fazer o vilão. E achei que esse tipo de herói, tão vulnerável, com um vazio na alma e que luta contra tantas coisas, é ainda mais heroico do que seria se surgisse em um cavalo branco - justifica. Mas a demora em encontrar o personagem certo não tem nada a ver com falta de qualidade, ele garante. A televisão começou a chamar a atenção de Kevin por meio de sua mulher, a atriz Kyra Sedgwick. Premiada com um Emmy e um Globo de Ouro por sua performance, ela foi, por sete temporadas, a protagonista da bem-sucedida “The closer”. O ator conta que nunca foi um espectador assíduo de TV mas, ao acompanhar o trabalho de Kyra, acabou descobrindo um desconhecido novo mundo de ótimas produções. - Cheguei a passar um fim de semana fazendo nada além de assistir a “The wire” - lembra ele, citando produções como “A sete palmos”, “Homeland” e “Breaking bad” como exemplos de séries que o influenciaram na decisão de explorar um universo que, segundo ele, tem saído na frente: - Não tenho lido bons roteiros de cinema. E, quando buscava pilotos de TV, era um ótimo atrás do outro. “The following” começa com a fuga de Joe Carroll (James Purefoy) da prisão. Dez anos antes, Ryan Hardy (Kevin) foi o único agente capaz de des-

cobrir que o aparentemente pacato professor de inglês era o assassino por trás da morte de 14 jovens estudantes. Apesar do feito, nos dias atuais vemos Ryan vivendo uma vida sem perspectivas, num apartamento imundo e bebendo muito mais vodca do que o indicado pelo bom senso. É quando o agente é chamado de volta para ajudar na captura do serial killer. No desenrolar da série, veremos que a relação entre os dois é bem mais complexa do que a de mocinho e bandido. Ryan usa um marca-passo graças a um ferimento causado em seu último embate com Joe. E ainda há uma mulher no meio: o agente chegou a ter

um caso com Claire Matthews (Natalie Zea), a esposa do assassino. Até o fim de janeiro, o elenco tinha gravado cerca de 14 episódios. Kevin já teve tempo de sobra, portanto, para encontrar os prós e contras da rotina na TV. A rápida preparação para cada episódio e a variedade de diretores são o lado mais complicado, na opinião do ator. Mas a profundidade que o personagem pode alcançar no decorrer de uma série faz o trabalho bem mais interessante:É legal essa criação a longo prazo do personagem, mas é muito diferente. Quanto assisti ao piloto, fiquei decepcionado com a minha performance. Estou acostumado a avaliar o todo.

Num filme, por exemplo, aquela seria toda a minha atuação. Depois pensei: “É só o começo”. A cada semana mostraremos mais uma nuance dele, vamos retirando as camadas. Espero que a audiência queira saber mais sobre ele. Kevin se define como “um ator que se prepara muito”, e para viver Ryan não foi diferente. No início do processo, bombardeou o criador da série, Kevin Williamson, com perguntas. Depois, veio o dever de casa. - Fui ao FBI e assisti a documentários. Mas, para mim, o mais importante é tomar decisões pessoais a respeito desse cara. Por exemplo, qual é a religião dele? Como é sua família? São coisas que

2


revista da tv

Domingo | 17 de fevereiro de 2013

2

3

4

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

ý outros célebres assassinos da tv

Dexter Morgan (“Dexter”) O SERIAL KILLER QUE MATA SERIAL KILLERS, DEXTER É CONSIDERADO UM ASSASSINO DO BEM, DIGAMOS.

1. BONZINHO. Kevin Bacon é Ryan Hardy, ex-agente chamado de volta quando Joe Carroll (James Purefoy)foge da prisão.Ele foi o único que conseguiu prender o serial killer dez anos antes, e escreveu um livro sobre a história

2. MISTÉRIO. Denise (Valorie Curry), a babá do filho de Claire (Natalie Zea), guarda um segredo

3. PARCEIRO. Shawn Ashmore interpreta Mike Weston, jovem agente do FBI que trabalhará ao lado de Ryan

4.TRIÂNGULO AMOROSO. Claire Matthews (Natalie Zea) era casada com Joe, com quem tem um filho, mas acabou se envolvendo com Ryan

5. BANDIDO. O charmoso professor de inglês mata inspirado pelos textos de seu ídolo Edgar Allan Poe, e ainda angaria seguidores para matar por ele enquanto está na cadeia

5

Trinity (“Dexter”) O PERSONAGEM, INTERPRETADO POR JOHN LITGOW, FOI O RESPONSÁVEL PELA MORTE DA MULHER DE DEXTER.

provavelmente nunca aparecerão na série. Ele é vegetariano? Prefere escrever a lápis ou caneta? Qual seria o tipo de música que ele escutaria? Esse tipo de coisa - explica, deixando claro que os 35 anos no ramo não diminuíram seu prazer: - Amo atuar. O período entre o “ação” e o “corta” ainda é uma das melhores experiências da minha vida. Kevin Williamson, o criador e produtor-executivodasérie-que,aliás,também trouxe ao mundo produções como “Dawson’s creek” e “The Vampire diaries” -, não hesita ao apontar o que diferencia a atração de outras produções do gênero. - Kevin Bacon! - diz, rindo. Brincadeiras à parte, a escalação de uma estrela de cinema é um ótimo chamariz para a nova atração, mas outro fator também promete atrair espectadores: uma profusão de serial killers, objetos de verdadeira adoração na TV americana (veja box na página anterior). Williamson admite ser fascinado por eles - ele é roteirista dos filmes da franquia “Pânico”. E Joe Carroll, o principal vilão da história, não é um assassino em série qualquer. No primeiro episódio, o público descobre que ele é o líder de uma espé-

cie de seita e, da prisão, recrutou sabese lá quantos seguidores para colocar em prática seu plano, ainda desconhecido. Tudo isso baseado em textos de Edgar Allan Poe, ídolo maior de Carroll e sua trupe. O detalhe é que, por mais louco que possa parecer, o enredo não está tão longe da realidade. Williamson foi ao FBI e descobriu: existem cerca de 300 assassinos em série em ação - e à solta - nos EUA. Para o britânico James Purefoy, esse perigo iminente é uma das causas do fascínio que o gênero provoca: Você pode estar sentado tendo uma conversa civilizada com alguém e aquela pessoa estar, na verdade, fantasiando em matar você. Acho que é tão fascinante e assustador porque é muito real. Serial killers não são como vampiros e zumbis. São reais e estão por aí. Trezentos deles, segundo o FBI. As cenas violentas - que, de fato, são muitas, especialmente no primeiro episódio - causaram polêmica antes da estreia. O ataque à escola Sandy Hook, que matou mais de 20 crianças na cidade de Newtown, em dezembro, trouxe à tona o debate sobre o excesso de violência na TV, no cine-

The miniature killer (“CSI”) A GRANDE VILÃ DA SÉTIMATEMPORADA DA SÉRIE CHEGOU A SEQUESTRAR SARA (JORJA FOX).

The carver (“Nip/Tuck”) INTERPRETADO POR BRUNO CAMPOS, O ASSASSINO MATAVA BELAS MULHERES E DEFORMAVA SEUS ROSTOS.

ma e nos videogames. - Sim, é uma série violenta. E isso vem sendo feito há 2.500 anos desde o nascimento da arte dramática na Grécia. Desde então, nós assistimos a violência. Sabemos porque este assunto está em voga agora. Se “The following” fosse lançada daqui a seis meses, isso não seria discutido. Há violência em várias atrações. Não é nenhuma novidade - opina Purefoy. Sobre a polêmica, Williamson e Marcos Siega (que também é produtor executivo e diretor da série) defendem que a trama é, na verdade, uma história de amor. E esperam que o público consiga ver, além da violência, o desenvolvimento dos personagens que criaram. Nos EUA, é a primeira vez que um canal de TV aberta exibe uma produção com níveis tão altos de brutalidade. Mas os produtores dizem que não precisaram mudar nada, e nem sofreram qualquer censura no que diz respeito ao sangue. Mas quando se fala de sexo... - Às vezes temos uma ideia incrível para uma cena de assassinato, gravamos e pensamos: “Nunca vão nos deixar passar isso”. E então, quando o canal vê o episódio, manda uma mensagem: “Será que vocês podem cortar aquela cena em que aparece um lado do seio da atriz?”. E nós ficamos pensando: “Mas e aquela parte da faca no pescoço dela?”. Sobre isso, não falam nada - conta Siega, em tom de piada. Williamson complementa: É muito estranha a forma como lidam com sexo e violência nesse país... A dupla explica ainda que a estrutura da série não é do “assassino da semana”, embora haja, sim, uma grande contagem de corpos. Para que o público não se perca nos dez anos que separam a captura de Joe e sua fuga, os produtores decidiram usar flashbacks, evitando discursos forçados ao introduzir o passado dos personagens. Outro recurso importante é a trilha sonora, resquício do passado de Siega como diretor de videoclipes: Queríamos algo pesado, um som masculino. E, então, pensamos em rock. Num episódio, temos Sepultura fazendo um cover de Massive Attack. Além disso, queríamos uma pulsação ditando o ritmo das cenas, o que tem a ver com a condição cardíaca de Ryan. Então, na trilha original, às vezes ouve-se algo como um coração batendo - explica Siega. A REPÓRTER VIAJOU A CONVITE

Red John (“The mentalist”) ELE MATOU A FAMÍLIA DO

7

DO WARNER CHANNEL.

PROTAGONISTA PATRICK JANE (SIMON

LEIA MAIS

BAKER), QUE VIVE A CAÇÁ-LO.

sobre o assunto na página 8.


8 Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

revista da tv

Domingo | 17 de fevereiro de 2013

FOTOS:WARNER/ DIVULGAÇÃO

MAIS ATRAÇÕES

temporada de serial killers Outras séries que retratam assassinos - alguns deles célebres! - estão em produção.

BATES MOTEL Marcos Siega dirige um ator que veste uma máscara de Edgar Allan Poe em cena da série

A SÉRIE DO A&E VAI MOSTRAR

A INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA DE NORMAN BATES, O DESAJUSTADO PROTAGONISTA DE “PSICOSE”, DE ALFRED HITCHCOCK.QUEM INTERPRETA O PERSONAGEM É FREDDIE HIGHMORE (NA FOTO), O RAPAZINHO DE “EM BUSCA DA TERRA DO NUNCA”.

Um toque brasileiro Diretor e produtor-executivo de ‘The following’, Marcos Siega tem pai e mãe brasileiros e se identifica com a cultura do país m grupo de jornalistas de vários lugares do mundo visita os sets de gravações de “The following”, no Brooklyn. Após dirigir uma cena, Marcos Siega se aproxima das duas repórteres do Brasil e pergunta, em inglês: - Vocês são as brasileiras, não é? Diante da resposta positiva, ele abre um sorriso e emenda, em ótimo português: - Eu também sou brasileiro! Quase não consigo praticar meu português por aqui. Diretor e produtor-executivo da série, Marcos nasceu em Nova York, mas,

U

durante toda a infância e adolescência, passava três meses por ano em Porto Alegre, cidade natal de seu pai, Jorge Siega. Jogador de futebol, ele foi morar nos EUA com a mulher ao ser transferido para o New York Cosmos em 1968, aos 19 anos. Marcos nasceu no ano seguinte e, desde então, se divide entre as duas culturas. Em casa, ensina português aos filhos e, às vezes, fala também com a mãe, que mora nos Estados Unidos. A língua e a música são ícones brasileiros presentes em sua vida, mas a maior paixão mesmo, é claro, é o esporte que levou seu pai para fora do país.

- Mais do que tudo, (minha paixão) é o futebol. Torço para o Grêmio e para a Seleção Brasileira. Acompanho os jogos aqui pela Globo Internacional, canais de esporte ou pela internet - conta o diretor, lembrando subitamente de mais uma importante característica brasileira (e, sobretudo, gaúcha): - Ah, eu também sou ótimo no churrasco. Na minha casa fazemos quase todo domingo. Marcos conta que sempre quis ser diretor, mas não tinha ideia de como colocar isso em prática. No início dos anos 90, foi outra de suas paixões, o rock, que catapultou a carreira. Integrante de uma banda, começou a gravar vídeos com os amigos, até que um deles garantiu um contrato com uma gravadora. A partir daí, Marcos dirigiu clipes para grupos como Weezer, System of a Down e Blink-182 até conseguir seu espaço na TV. Em “The following”, além de dirigir, ele também atua como produtor executivo. As decisões criativas, ele conta, são todas tomadas em conjunto por ele e Kevin Williamson. - Meu maior desafio como diretor é manter o clima e o visual do primeiro episódio. Colocamos o padrão lá em cima e, portanto, as expectativas são altas - define. (THAÍS BRITTO)

HANNIBAL

HANNIBAL LECTER (MADS MIKKELSEN) É A ESTRELA DA ATRAÇÃO DA NBC.AGORA SEU OPONENTE É O AGENTE DO FBI WILL GRAHAM (HUGH DANCY ). QUANDO SUA PERSEGUIÇÃO A UM SERIAL KILLER FICA DIFÍCIL, ELE PEDE AJUDA A LECTER, UM PSIQUIATRA, SEM SABER DO PERIGO.

RIPPER STREET

A PRODUÇÃO DA BBC, COM O ATOR MATTHEW MACFADYEN, SE PASSA EM 1889, SEIS MESES APÓS O ÚLTIMO ASSASSINATO COMETIDO POR JACK, O ESTRIPADOR.NO ENREDO, POLICIAIS SEGUEM NO ENCALÇO DO ASSASSINO DE WHITECHAPEL ENQUANTO LIDAM COM OUTROS CRIMES.


revista da tv

Domingo | 17 de fevereiro de 2013

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

9

DIVULGAÇÃO

ENTREVISTA

O poder da mente Estrela de ‘Dynamo: Mágica impossível’, o ilusionista britânico Steven Frayne sofria bullying e aprendeu truques para se defender NATALIA CASTRO

teven Frayne tinha apenas 7 anos quando aprendeu com o avô um importante truque de mágica: parecer 10 vezes mais pesado para que as pessoas não consigam levantá-lo do chão. O aprendizado, ele conta, veio num momento pertinente. De aparência franzina, o garoto era constantemente alvo de bullying no colégio, vítima de dois irmãos que adoravam colocá-lo num cesto de lixo e deixálo rolar por uma ladeira. - A mágica foi a única coisa que

S

fez as pessoas pararem de me atazanar - relembra o mágico, hoje mundialmente conhecido sob a alcunha de Dynamo e estrela do programa “Dynamo: Mágica impossível”, no ar às sextas, às 22h, no TLC. - Isso é minha paixão, meu legado, tudo o que sou. Na atração, o ilusionista britânico de 30 anos, nascido em Bradford, mostra o que mais gosta de fazer: surpreender anônimos e famosos. - Gosto de entreter, olhar para as pessoas e ver a reação delas com o que fiz - explica ele, por telefone. Seus números vão desde transfor-

mar bilhetes de loteria em notas de diquero que elas se esqueçam de seus nheiro e levitar objetos a andar pelas problemas - garante. águas do rio Tâmisa, em Londres. Dynamo diz que seus câmeras não Dynamo revela que passou 15 anos fazem ideia do que vem pela frente. pensando em como realizar este últiE, muitas vezes, nem ele está ciente do mo feito: que vai acontecer. Seu trabalho, ele - É uma ideia que tinha desde crianressalta, é na base da improvisação. E, ça. E, se eu fizesse isso, teria que ser por conta disso, ele nem ensaia. no rio mais famoso - Nunca dei vexade Londres. Foi loume porque sempre co porque quando improviso, vejo o pus o primeiro pé na que tenho à disposiágua havia apenas ção e sigo em frente 20 pessoas me ANDAR SOB A - revela. olhando, e quando A magia de ÁGUA É UMA cheguei no meio do Dynamo vem contrajeto, eram 2 mil. VONTADE quistando não só Ainda passou um anônimos. Chris QUE TINHA barco por mim, e Martin, do Coldplay, lembro que alguém DESDE CRIANÇA. já declarou ser fã. gritou pedindo que Snoop DEMOREI 15 ANOS Orapper eu fizesse o moonDogg ganhou um walk (passo de dan- PARA REALIZAR” truque feito, acrediça popularizado por te, via Twitter. Mas Michael Jackson). Steven Frayne o profissional diz Imagina! que adoraria mostrar Apesar de publisuas habilidades pacar vídeos no YouTube desde 2005, ra Eminem: Sou fã de suas músicas e foi a “travessura” que o fez ganhar fao acho um cara interessante. ma mundial. Mas Dynamo garante: Quando não está executando suas não deseja, por exemplo, acertar os mágicas, Dynamo conta que gosta números da loteria. Quer apenas deimesmo é de ficar com a namorada. xar o dia de seus espectadores mais Voltar ao Brasil, onde esteve em 2012, divertido. também está em seus planos: - Estar apto a realizar meus truques - Fiz mágica nas comunidades, fui ao redor do mundo é uma grande amà praia de Ipanema. Quero voltar pabição. Gosto de fazer as pessoas rirem, ra aproveitar.

NO SANGUE. Nascido em Bradford, no Reino Unido, Dynamo conta que herdou seus conhecimentos do avô e que não pensa em ter outra profissão


10 Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

revista da tv

Domingo | 17 de fevereiro de 2013 ARQUIVO/ LEONARDO AVERSA

COLUNA DO

Clube do Assinante Promoções e descontos renovados a cada domingo

DIVULGAÇÃO

Promoções válidas de domingo (17/02/13) a sábado (23/02/13), limitadas às quantidades em estoque, somente para assinantes da TRIBUNA.

lipes musicais e, mais recentemente, o humor, têm sido os principais carroschefes da MTV nos últimos anos. Até agora. Em 2013, o canal vai investir com um pouco mais de afinco em séries de ficção. Um sonho antigo, segundo o diretor da emissora paulista, Zico Góes, que cita a série “Casal neura”, protagonizada por Cazé e Marina Person em 2007, como uma das muitas tentativas de adentrar o mundo da dramaturgia. No entanto, desta vez, em vez de produzir uma série internamente, a MTV terceirizou a tarefa. Segundo Zico, foram dois motivos que determinaram este passo. - O primeiro é porque temos um acordo com a RioFilme, em formato de edital, para produzir séries e programas de TV. O resultado saiu no fim do ano passado. O outro é que encontramos o amor da nossa vida, o Felipe Hirsch. O relacionamento começou com o tributo à Legião Urbana, em que ele fez a direção de arte. Foi paixão mútua à primeira vista - conta. Vencedora do edital, “Overdose” é definida por seu criador e diretor, o roteirista e cartunista Arnaldo Branco, como um falso documentário. Inspirado em “This is Spinal Tap”, de Rob Reiner, ele conta a história da banda homônima desde seu início: o primeiro clipe, a primeira turnê e todos os níveis de fracasso pelos quais os músicos passam a cada etapa. Segundo ele, a série - produzida pela Carambolas, do “Larica total”, do Canal Brasil - foi desenvolvida pensando em quem é o públi-

C Ceiça Flores Presentear alguém com flores revela sempre carinho e estima. Faça uma visita e conheça os serviços de Ceiça Flores. Lá, você encontra buquês e arranjos de flores naturais. São flores como orquídeas, lírios, rosas, gérberas, girassóis, crisântemos e muito mais. Esta semana, Ceiça Flores oferecerá um desconto, exclusivo ao assinante da TN, nos buquês de flores naturais. Não inclui entrega em domicílio e não é válido para a venda de flores avulsas. Av. Eng. Roberto Freire, estacionamento do Nordestão – Cidade Jardim Tel.: 3217.2755

50% à vista (dinheiro) nos buquês de flores naturais. Não inclui entrega em DIVULGAÇÃO

domicílio e não é válido para a venda de flores avulsas.

Consumiss Store A Cosumiss Store é uma loja essencialmente jovem, suas roupas trazem a beleza, a qualidade e o bom gosto feminino. Lá,você encontra vestidos, saias, blusas, calças, bermudas, além de acessórios como cintos, pulseiras, etc. Aproveite e renove seu visual com mais este excelente desconto. Esta semana, a Consumiss Store oferecerá um desconto, exclusivo ao assinante da TN, em toda a loja. Av. Prudente de Morais, Shopping Natal Sul, loja 22, Lagoa Nova Tel.: 3234.1996

50% à vista (dinheiro) em toda a loja. ■As promoções publicadas na Coluna do Clube do Assinante são exclusivas para assinantes da TRIBUNA DO NORTE, PESSOAS FÍSICAS. ■Desconto não acumulativo. ■ Para ter direito à promoção,o assinante deverá apresentar a carteira do Clube e a Identidade no ato da compra. ■Contatos para credenciamento: Depto.de Marketing.Tel.4006-6100,R.6262. ■e- mail.mkttn@tribunadonorte.com.br; clube@tribunadonorte.com.br

Para renovar sua grade em 2013, MTV aposta em uma atração sobre a rotina de uma banda de rock e um projeto sobre a juventude atual co da MTV. - Esse universo de shows, camarins e ensaios interessa ao público da MTV, que, sim, levamos muito em conta. Principalmente quando não tentamos pontuar o texto pelas nossas referências de velhos caquéticos define Arnaldo. Já a atração capitaneada por Felipe Hirsch, colunista de O GLOBO, segue envolta num grande mistério. O nome, “Projeto secreto”, também não ajuda muito a descobrir do que se trata. O diretor dá algumas pistas sobre a série: É um romance de formação. Como “O anos de aprendizado de Wilhelm Meister”, de Goethe, ou “O despertar da primavera”, de Wedekind. Mas acontece agora, nos nossos dias. E é sobre, exatamente, a juventude dos nossos dias - diz. Os atores foram recrutados de forma livre, com testes abertos pela internet. Uma prova da liberdade dada pela MTV para suas ideias e do caráter experimental do canal, fatores que atraíram Hirsch desde o início:Aceito projetos que me trazem liberdade total pra criar, conceitualizar, desenvolver as ideias, achar suas formas, sua linguagem. A MTV me deu isso.

SECRETO. Projeto de Felipe Hirsch é sobre juventude

MTV/ DIVULGAÇÃO

A vez da ficção

ROCK. Banda fictícia é tema de “Overdose”


revista da tv

COM FLORENÇA MAZZA E ANA LUIZA SANTIAGO, CLARA PASSI E RAFAELA SANTOS KOGUT@GLOBO.COM.BR

PAT R Í C I A KOGUT

Domingo | 17 de fevereiro de 2013

ENQUETE

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte 11

Mãe em dois tempos

CABELO,CABELEIRA, CABELUDA... MICHEL FILHO

ais de cem anos separam Priscila Sol de sua personagem em “Lado a lado”, novela de João Ximenes Braga e Claudia Lage exibida na faixa das 18h,na Globo.Apesar de viver numa época bem diferente,livre dos preconceitos que imperavam no início do século XX,a atriz tem uma história parecida com a de Sandra: com pouco mais de 20 anos,foi pega de surpresa por uma gravidez acidental.Na hora,diz,levou um susto.Mas hoje,passados nove anos, ela comemora a chegada de Vitor: - A nossa relação é a mais linda possível.Mesmo sendo criança,ele me entende muito,peço a opinião do Vitor para tudo.Por isso,fico angustiada pela Sandra - diz a atriz, referindo-se à sua personagem,que convive com o filho como se ele fosse seu irmão.- Por mais absurdo que pareça,essa situação era corriqueira na época. Ser mãe novamente está nos planos de Priscila,que ficou famosa na televisão ao interpretar Paixão em “Viver a vida”, de Manoel Carlos.Ela e o namorado,o publicitário João Faria, com quem está há quase dois anos,

M

Ângela Vieira ressurgirá diferente na televisão.Escalada para “Flor do Caribe”, novela de Walther Negrão dirigida por Jayme Monjardim para as 18h,ela vai alongar os cabelos para arrasar como Lindaura.

AINDA INICIANTE NO MANEJO DAS VELAS Falando na novela,Rafael Almeida,que aprendeu piano e tênis para novelas que fez,terá de recorrer a dublês em “Flor do Caribe”. Seu personagem pratica windsurfe.O ator fará aulas antes das gravações,mas é difícil.

SÉRIE NACIONAL PARA O SONY:‘AGORA VAI’ “Agora vai”é o nome da série brasileira que Luca Paiva Melo,Fábio Danesi e Rodrigo Castilho criaram para o Sony.A equipe de roteiristas que eles escalaram está terminando de escrever a primeira temporada. planejam um filho: Não quero para agora,mas também não posso adiar muito,já estou com 33 anos. Prevista para acabar em meados de março,“Lado a lado”está na reta final de gravações.Com isso,a atriz,que mora em São Paulo,tem passado cada vez mais tempo no Rio.E a

10

Para Marjorie Estiano (Laura) e Thiago Fragoso (Edgar) nesta reta final de “Lado a lado”, novela das 18h de João Ximenes Braga e Claudia Lage,do núcleo de Dennis Carvalho.Entrosados desde o início,os atores só fizeram afinar a parceria.Não é à toa que suas cenas juntos empolgam e esse entusiasmo se reflete em elogios e torcidas nas redes sociais.

saudade do filho e do namorado, baseados na capital paulista,só aumenta. - Qualquer folga que tenho,corro pra lá,nem que seja para passar um dia conta a atriz,que agora,além da TV, planeja se dedicar ao teatro e ao cinema.

0

Para os canais de TV paga que,para agradar a gregos e troianos,dividiram sua programação entre atrações dubladas e legendadas.Mas,apesar das reiteradas promessas,ainda não chegaram ao mundo perfeito.Ou seja,é uma coisa ou outra,não dá para escolher apertando a tecla do controle da operadora.Já passou da hora de acertar isso.

JOÃO KLÉBER VOLTA À TV... Além de um matinal,João Kléber comandará uma atração semanal noturna na RedeTV!.O programa será gravado e ainda não tem previsão de estreia.Segundo ele,nada de“Teste de fidelidade”ou afins,mas“com polêmica”.

...E AVISA AOS NAVEGANTES... João se diz preparado para críticas:“Já estou PhD nisso.Mas todo concorrente vai ficar de olho.Podem até me subestimar no início.Mas vou para cima deles e vão ficar muito preocupados.A TV brasileira está morna”, afirma o apresentador.

NOVELA,CINEMA ETC LUANA: CONVITE PARA ‘O PEQUENO BUDA

VOCÊ ACHA QUE ALBERTINHO (RAFAEL CARDOSO)

Luana Martau,no ar atualmente na série “Louco por elas”, foi convidada pela diretora Amora Mautner para um papel em “O pequeno Buda”, novela para as 18h.Elas trabalharam juntas em “Cama de gato”,“Cordel encantado”e “Avenida Brasil”.

MERECE O PERDÃO DO FILHO,ELIAS

(CAUÊ CAMPOS), EM “LADO A LADO”?

NÃO 69% SIM 31%

PASQUIM:PAR ROMÂNTICO COM LÍVIA DE BUENO

‘Pé na cova’: novo cenário para stripper Miguel Falabella,Maurício Xavier,Mart’nália e Luma Costa gravam uma cena de “Pé na cova”em que Ruço pede a ajuda de Tamanco para ligar o som da funerária. No episódio,ele descobrirá que a filha faz apresentações ao vivo na oficina.

Carlito,personagem de Marcos Pasquim em “Saramandaia”, terá um romance com Laura,que será interpretada por Lívia de Bueno na novela de Ricardo Linhares.A atriz contracenou com Nathalia Dill em “Paraísos artificiais”, longa de Marcos Prado.

‘TREVAS’NO RIO DE JANEIRO,MAS NO FUTURO “Coração das trevas”, série de animação,foi beneficiada com R$ 957.790 do Fundo Setorial.A produção será exibida na TV Cultura e é inspirada no clássico homônimo de Joseph Conrad,mas ambientada num “Rio de Janeiro do futuro”.

Fernanda Pontes assinou contrato com a Globo e vai estar em “Flor do Caribe”. Além disso,fez o seu primeiro longa-metragem,“Isolados”. No filme de Tomas Portella,ela é Bianca e contracena com Regiane Alves. DIVULGAÇÃO

JOÃO MIGUEL JÚNIOR


Revista da tv Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 17 de fevereiro de 2013

IGOR FIDALGO igor.fidalgo@oglobo.com.br

O QUE VEM POR AÍ

12

Amores e espíritos de Domingos

CENA VIRTUAL DEU NA TV E FEZ SUCESSO NA INTERNET VEJA OS VÍDEOS EM oglobo.com.br/revistadatv

streia do Canal Brasil desta quinta,às 23h30m,“Jogos da paixão”, de Domingos Oliveira,é baseada na peça “Turbilhão”, também de Domingos.O enredo acompanha a vida dentro e fora do consultório de Inês (Vanessa Gerbelli),uma psicanalista que se apaixona por dois homens ao mesmo tempo,vividos por Aderbal Freire-Filho e Pedro Furtado.O detalhe:eles são pai e filho.Além disso,a protagonista recebe conselhos amorosos do espírito de seu falecido pai,Vitor (Camilo Bevilacqua).Dividida em quatro episódios,a série é narrada pelo jovem cineasta Matheus Souza.

E

CANAL BRASIL/ DÉBORA 70

SOCO ACIDENTAL A coreografia não estava tão sincronizada e Daniela Mercury acabou levando um soco de um bailarino em cima de seu trio elétrico.Nada sério: pegou o microfone e continuou.

RECORDAR É VIVER

GANGNAM STYLE Já o trio elétrico de Cláudia Leitte recebeu um convidado internacional e especialíssimo: o cantor coreano Psy.Ao lado de Cláudia e Sabrina Sato, botou todos para dançar.

AZUL E BRANCA O samba-enredo foi o destaque da Vila Isabel, campeã do carnaval carioca, praticamente uma unanimidade entre os espectadores do desfile.

ZAPEANDO

As trilhas sonoras mais marcantes das novelas são o tema do “Reviva” (Viva,amanhã,23h).O programa entrevista cantores cujas músicas fizeram sucesso nos folhetins,como José Augusto,Rosemary,Rosanah, Fafá de Belém (foto) e Sidney Magal. Mariozinho Rocha,diretor musical da TV Globo,também é entrevistado e relembra como o hit “Aguenta coração”, de José Augusto,acabou virando a músicatema da novela “Barriga de aluguel”, de Glória Perez,em 1990.

A&E.O CANAL EXIBE O SHOW “ELTON JOHN LIVE IN IBIZA”(HOJE,23H),O CANTOR SE APRESENTOU AO LADO DE UM GRUPO DE MÚSICA ELETRÔNICA.

DISCOVERY.ESTREIA NOVA TEMPORADA, EM SEIS EPISÓDIOS, DO “CATÁSTROFES AÉREAS” (AMANHÃ,21H30M).

DIVA NO ALTAR

MEMÓRIA DO RAP

No episódio final da quarta temporada de “Drop dead diva”(Sony,quinta,10h e 17h),Jane (Brooke Elliot) se prepara para seu casamento enquanto precisa encarar seus sentimentos mal resolvidos por Grayson (Jackson Hurst).Kelly Osbourne participa do episódio como uma testemunha num caso comandado pela advogada.

Na estreia de sua temporada 2013, o “Hip hop mix” (Mix TV, sábado, 21h) faz um tributo ao rapper Sabotage, considerado um dos mais importantes artistas do gênero e que foi assassinado em 2003. Entre os convidados estão Paulo Miklos e Beto Brant, que falam sobre o trabalho com o rapper no filme “O invasor”, além de expoentes de várias gerações do rap, como Rappin Hood, Negra Li, Thaíde e Black Alien.

GLOBO NEWS.A PARTIR DE AMANHÃ, O “ESTÚDIO I”(14H) TERÁ OS COMENTARISTAS DE CULTURA ARTUR XEXÉO,TOM LEÃO E JOÃO PAULO CUENCA DIARIAMENTE ANALISANDO OS INDICADOS AO OSCAR. GNT.A TEMPORADA 2013 DO “GNT FASHION”(AMANHÃ,22H) ESTREIA TRAZENDO O MELHOR DA SEMANA DE MODA DE NOVA YORK. ID.DUAS NOVAS SÉRIES NO AR ESTA SEMANA: “HOLLYWOOD,SONHO OU PESADELO?”(QUINTA, 22H) E“NASCIDOS PARA MATAR”(SÁBADO,20H). MULTISHOW.O CANAL EXIBE AOVIVO O DESFILE DO

MONOBLOCO (HOJE,12H30M),QUE CONTARÁ COM A PARTICIPAÇÃO DO BLUE MAN GROUP.


tn família

E-mail: tnfamilia@tribunadonorte.com.br Editor: Isaac Ribeiro

ASTROLOGIA

CINEMA

MÚSICA

GLAM

ARTIGO

PAULO COELHO

Lua crescente em Touro acelera ritmo da semana e traz escolhas importantes

“A hora mais escura”é crônica sobre caça ao terrorista Bin Laden”

Banda The Hives está entre as atrações do Lollapalloza Brasil

Está na hora dos garotos ousarem com sungas tribais, geométricas e tropicais

Emprego dos chamados Florais de Bach são tema de Jorge Bouncinhas

PÁGINA 6

PÁGINAS 6 e 7

O que há no final do túnel? Colunista escreve sobre algumas situações obscuras

PÁGINA 4

PÁGINA 8

PÁGINA 2

PÁGINA 2

NATAL | RIO GRANDE DO NORTE Domingo | 17 de fevereiro de 2013

MAIS CAFÉ Consumo de café no Brasil bate todos os recordes de crescimento, chegando a 83 litros por pessoa ao ano — maior índice desde 1965. Perspectiva é aumentar mais 3% em 2013, segundo dados da Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic) ALEX REGIS

CAFÉ E SAÚDE

ISAAC RIBEIRO Repórter

brasileiro gosta mesmo de café. Isso ninguém pode negar. E provas não param de surgir. Segundo a Associação Brasileira da Indústria do Café, o consumo da bebida no país bateu recorde entre 2011 e 2012 e deve continuar crescendo este ano. De acordo com os dados divulgados pela Abic este mês, foram consumidos 4,98 kg de café torrado per capita; o equivalente a 83 litros por pessoa ao ano. Desde 1965 nunca se bebeu tanto café no Brasil. E os índices apresentados pela Abic colocam o Brasil à frente dos Estados Unidos, da França e da Itália no consumo por habitante. A previsão é que o hábito

O

de beber café cresça 3% em 2013. A Associação Brasileira da Indústria de Café atribui o crescimento no hábito de beber café no Brasil, nos últimos anos, à retomada do desenvolvimento econômico do país, além do aumento do poder de compra das classes B, C e D, e ainda o aumento da renda no Nordeste e no Centro-Oeste. O barista Paulo Guillen analisa o fato de o café não ter atingido marcas tão alvissareiras desde 1965 devido à grande concorrência com produtos como achocolatados, sucos prontos, refrigerantes e outros industrializados. “Então, esse recorde pra gente é para toda a cadeia produtiva, pois é um esforço de todos para melhorar a qualidade e a diversidade de métodos de pre-

paro. É um marco significativo para nós”, comenta. O gosto pelo café por parte dos brasileiros é algo muito arraigado, algo próximo aos 95% da população, de acordo com a avaliação de Paulo Guillen. “É uma coisa bastante constante. É um hábito; não é só modismo. E, na cidade, a gente tem percebido que uma das características é o consumo fora de casa que tem crescido. Percebemos o surgimento de muitas cafeterias, muitos pontos de venda de café”, diz. Além do aumento do poder de compra do brasileiro, o maior consumo de café também pode estar ligado à melhora da qualidade do produto — e um sinal disso são as cafeterias, que passaram a fazer parte do roteiro de muita gente. E cada um tem uma razão dife-

rente para gostar de tomar um cafezinho. O servidor público Marcos Sérgio, 45 anos, diz ir pelo menos duas vezes ao dia a uma cafeteria de um amigo seu, em um dos shoppings da cidade, sempre acompanhado da esposa, também apreciadora de café. Para ele, o pequeno ritual serve para aliviar as tensões cotidianas. “Na verdade, o hábito de beber café me proporciona uma quebra de ritmo. Em casa eu não bebo café; bebo aqui. Para mim, o café serve como uma válvula de escape para o estresse, do trabalho, dos problemas”, comenta ele, enquanto saboreia um expresso.

LEIA MAIS “Estratégias para aumentar consumo”Página 3.

Mas além de possíveis modismos, ao café também são atribuídas propriedades terapêuticas. A cafeína é um estimulante natural, que ativa a memória — principalmente a de curto prazo — e ajuda à concentração. Além de estimular o sistema nervoso central e fortalecer processos psicológicos, a substância também possui efeitos broncodilatadores. Daí o fato de portadores de asma bebedores de café apresentarem menos crises respiratórias. Mas as evidências de benefícios do café à saúde não param por aí. O hábito de consumi-lo de forma moderada e diária, de três a quatro xícaras, também está associado a uma menor incidência de câncer de cólon/reto, mama e fígado.


tn família

2 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

Domingo | 17 de fevereiro de 2013

Paulo Coelho [ escritor ]

No final do túnel negro - Vi apenas um túnel. No bar em Sibiu, na Transilvânia, Sorin olha-me no fundo dos olhos. Vai um pouco mais adiante. - Vi um túnel negro com um homem no final, que me fazia sinais. Eu espero. Temos todo o tempo do mundo e eu me lembro que, quando estive na mesma situação, vi também um túnel, só que levava até um hotel no Rio de Janeiro, o Hotel Glória. Olhei aquele hotel, esperei o pior, e pensei: “não é justo: tenho apenas 26 anos!”. Justo ou não, na madrugada do dia 27 de maio de 1974, eu estava diante da morte, e não conseguia ver o que acontecia ao meu lado. Só o túnel e o hotel. Mas minha história não vem ao caso; serve apenas para dizer que entendo perfeitamente o que Sorin está me contando neste bar perdido no meio dos Montes Cárpatos. - Vi apenas um túnel negro, com um homem apontando uma arma para mim, e dizendo para que eu descesse do carro. O calvário de Sorin Miscoci começou no

dia 28 de março de 2005, perto de Bagdad. Tinha sido designado para passar uma semana ali, a pedido de uma estação de TV da Romênia. Terminou sequestrado por 55 dias. - Mais tarde, quando fui libertado, os agentes de segurança americanos me perguntaram quantas pessoas estavam ali. E eu disse: uma. Eles riram e disseram que não podia ser assim. Foi o psicólogo quem me ajudou, explicando que em situações como esta nada que está em volta tem importância. Você vê apenas o foco da crise, o que lhe ameaça, e simplesmente esquece todo o resto. Sorin acaba de casar-se com Andréa, que lhe acaricia a mão. Estamos viajando juntos há três dias, e continuaremos outra semana atravessando os montes Cárpatos. Eu conhecia sua história, mas esperei até que estivesse em sua cidade Natal para perguntar os detalhes. Cristina Topescu, uma amiga de longa data, jornalista da mesma TV para a qual Sorin trabalha, também está na mesa. Conta que, na hora de mobilizar o país, poucos co-

legas se apresentaram para ir falar com o Presidente da República, com medo de perder o emprego. - O pior foi quando eu vi Sorin com o macacão laranja e a cabeça raspada, em um vídeo que foi entregue à Al-Jazeera (canal árabe baseado no Qatar) – diz Cristina. – Era um sinal de que a execução não devia tardar. - Eu pedi apenas uma coisa a Deus: morrer com um tiro no coração. Já tinha visto vídeos de prisioneiros sendo decapitados; pedi, implorei para ser fuzilado – completa Sorin. Andréa lhe dá um beijo. Ele sorri, pergunta se eu quero continuar naquele restaurante, ou se devemos ir até o único karaokê de Sibiu. Prefiro cortar a conversa por ali, melhor cantarmos juntos. Nosso grupo se levanta, tento pagar a conta, mas ela foi oferecida pelo restaurante, em homenagem ao herói local, aquele que sobreviveu apesar de tudo. No caminho da discoteca, penso no túnel negro: sem querer romantizar uma situação dramática, entendo que isso se passa com to-

“Vi um túnel negro com um homem no final,que me fazia sinais. Eu espero.Temos todo o tempo do mundo e eu me lembro que,quando estive na mesma situação,vi também um túnel,só que levava até um hotel no Rio de Janeiro,o Hotel Glória.Olhei aquele hotel, esperei o pior”

Dr.Jorge Boucinhas [ médico e professor da UFRN ]

Libertas libertas@libertas.com.br

Ressignificando Na contemporaneidade as pessoas se afastam, cada vez mais, de si mesmas. Perde-se muito tempo na superficialidade, sem sequer buscar encontrar o verdadeiro sentido da vida. No ocidente, dentro de uma cultura narcisista, o poder tornou-se um valor a ser conquistado a qualquer preço. O consumo, ilusoriamente, representa o objeto de preenchimento das faltas existenciais. Há forte pressão para fazer, fazer, fazer... Correr, correr, correr... Priorizam-se as conquistas materiais e descuida-se de si e do planeta. Polui-se o ar, aterram-se rios, destroem-se florestas. A segurança não faz parte da cultura. Talvez, se coloque o cinto de segurança para não se pagar multas. As drogas, lícitas e ilícitas, são usadas como forma de anestesiar os sentimentos, da mesma forma que cresce a (auto) medicamentalização. O desrespeito à natureza e à própria vida traz como consequência um aumento de desastres, catástrofes, violência, muitas delas anunciadas pelo descuido e distorção de valores. A morte faz parte da vida, mas que aconteça de forma natural. Ela também precisa ser tratada com respeito. Neste contexto atual, nega-se sua existência e não se preparam as crianças para esta realidade. A dor é inevitável, mas podemos atravessá-la pela âncora dos vínculos afetivos e pela prática do amor, da compaixão, da generosidade. Grace Wanderley de Barros Correia Psicóloga CRP 02/0279

do mundo. Quando estamos diante de algo que realmente nos ameaça, é impossível olhar à volta, embora este seja o procedimento correto e mais seguro. Não conseguimos ver claro, usar a lógica, conseguir informações que podem ajudar a nós mesmos e aos que procuram nos tirar daquela situação. No amor e na guerra somos humanos, graças a Deus. Chegamos ao karaokê, bebemos um pouco mais, cantamos Elvis, Madonna, Ray Charles. Nosso grupo é interessante: Lacrima, que foi abandonada pela mãe quando tinha apenas dois meses. Leonardo, que vem de uma depressão de dois anos. Cristina Topescu, que superou momentos difíceis recentemente. Sorin com seus 55 dias de cativeiro, e Andrea, que quase perdeu a pessoa que amava. Eu, com minhas cicatrizes no corpo e na alma. E mesmo assim bebemos, cantamos, celebramos a vida. Ter amigos como estes me dá mais do que esperança; me faz entender que os verdadeiros sobreviventes jamais serão vítimas de seus algozes, porque conseguem manter o que há de mais importante no ser humano: a alegria. E onde houver alegria depois da tragédia, haverá sempre um exemplo a ser seguido.

boucinhas_jc@hotmail.com

Emprego dos florais s mais atualizadas teorias da Psicossomática estão a afirmar que o grosso das doenças tem sua causa em conflitos emocionais. Assim, sentimentos ditos “negativos”, persistentemente reprimidos, terminam por emergir, resultando em problemas de ordem física. Tais idéias, com foro de modernas, não deixam de ter suas raízes em doutrinas psicanalíticas já consideradas clássicas, mas os reais seus precursores foram muitos, desde os gregos de antanho até os chineses antigos, passando, mais modernamente, por Samuel Hahnemann, o genial codificador da Homeopatia, o qual muito escreveu sobre as relações entre estados emocionais e saúde corporal. Um dos seus importantes seguidores do século passado, o Dr. Edward Bach, médico inglês que fez importantes contribuições à Homeopatia trabalhando sobre a relação das bactérias intestinais com a saúde do indivíduo, partiu para uma interessante investigação com flores dos campos do País de Gales, Grã-Bretanha. Tendo sido um sensitivo, parapsicologicamente muito bem dotado, Bach utilizou tais dotes na observação dos estados emocionais que a ingestão dos extratos de flores silvestres provocavam-lhe. No decorrer da primeira metade da década de 1930 identificou as propriedades de 38 flores, tendo descrito os estados de ânimo que eram capazes de provocar, o que significaria também, na acepção toda particular da doutrina homeopática, serem capazes de curar. Homem profundamente espiritualizado, dizia Bach que o medo, o egoísmo, a apatia, o orgulho, a ignorância, o ódio, o ciúme e a avareza consti-

A

tuir-se-iam nas verdadeiras causas das enfermidades. Em sendo predominantes no aparelho psíquico do indivíduo, levariam ao desencadear das patologias as mais diversas. Daí que, uma vez localizado o defeito básico da personalidade (como ele denominou ao estado de ânimo “pernicioso” que nela preponderava), haveria que se lhe dar combate, procurando o indivíduo uma harmonização para a qual muito contribuiriam a energia das flores preparadas da forma que preconizava. Utilizados já há muito mais que meio século, os remédios de Bach têm demonstrado tal eficácia que grupos de diversas parte do mundo têm procurado ampliar estudos e pesquisas visando aumentar o número dos produtos de flores que tivessem efeitos benéficos sobre a saúde física e mental do ser humano. Cunhouse, inclusive, a expressão “Elixires Florais”. Seriam preparações líquidas com verdadeira função de “catalizadoras naturais da saúde”, de vez que estimulariam a “energia vital” e auxiliariam na tomada de consciência da problemática mental nociva, abrindo o caminho para a resolução tranqüila e gradual dos conflitos e, em última análise, propiciando a desaparição dos distúrbios clínicos. De início suas idéias revolucionárias, bem chocantes para o establishment médico, foram negadas, mas houve seu apossar por parte do público leigo, que testou em si próprio, e sua expansão passou a ser grande. Com o tempo ocorreu o surgir de fenomenal interesse, o qual teve lugar principalmente nos anos da década de 80, quando houve um verdadeiro “boom”. Uma série de novos “pesquisa-

dores de florais”, nos mais diferentes países, apareceu e passou a fazer investigações por conta própria, de forma que hoje multiplicaram-se como fungos após a chuva, e têm-se os Florais Norte-americanos (provenientes de grupos bem variados, como os do Colorado, os do Alaska, os da Califórnia), os da Austrália, os da França, os da Espanha, os do Canadá, os da Argentina (ditos Florais de Raff), os da Rússia, os da África do Sul, e etc, etc. Pelo esforço em experimenUtilizados já há muito tar os efeitos e tentar sua validação, são de resmais que meio saltar dentre todos esses os da Flower Essence século,os remédios Society, criada em 1979 por Richard Katz, nos de Bach têm Estados Unidos, que tem sério trabalho de didemonstrado tal vulgação e pesquisa em todo o mundo, agora eficácia que grupos preparando e distribuindo 83 Elixires já bem tesde diversas partes do tados e tendo 112 mais em investigação, afora mundo têm muitos mais listados. São coletivamente denoprocurado ampliar minados Florais Californianos. Com relação a estudos e pesquisas este país de Vera Cruz, nele já campeiam os Flovisando aumentar o rais Brasileiros, inicialmente os de Minas Gerais, número dos depois os Amazônicos, os de Aleixo, os de Saint produtos de flores Germain. Perdoe-se ao Autor por sempre poque tivessem efeitos derem faltar alguns, pois que são tantos que fabenéficos sobre a lhas inevitavelmente ocorrem. saúde física e mental Com relação à sua validação científica, ainda do ser humano. há longo caminho a percorrer, embora muito já Cunhou-se,inclusive, tenha sido intentado. É importante citar que, no a expressão“Elixires Brasil, o Conselho Federal de Medicina optou Florais”. pela judiciosa conduta de aconselhar maior experimentação antes de avalizá-los. Uma coisa é certa: mal não causam, pela sua forma peculiar de preparação. E são bem baratos se comparados aos medicamentos convencionais. Praticamente nada custa, portanto, experimentá-los e tentar usufruir suas benesses.

Centopeia e a Formiga Uma centopeia vinha andando e uma formiga admirada perguntou: - Como você anda com tantas pernas sem tropeçar? A centopeia respondeu: - Nunca parei para pensar sobre como faço para andar. Simplesmente ando. Desde este dia a centopeia nunca mais andou direito.

Debate O CRP/RN, através de sua Comissão de Avaliação Psicológica, realizará, no dia 22 de fevereiro, das 14h às 18h, na sede do CRP/RN, o debate “Os Desafios das Perícias Psicológicas no âmbito do CRAS e CREAS”. Todos estão convidados a participar e discutir esse tema atual da Psicologia brasileira com profissionais da área. O evento é preparatório para o VIII Congresso Nacional da Psicologia. Vagas limitadas. Informações: crprn.org.br.

Quero saber Tenho enfisema pulmonar, sou fumante totalmente dependente, principalmente, nos momentos em que bebo.Já tentei deixar, mas nunca consegui. Peço a sua ajuda. Victor.

Resposta Prezado Victor Diante da dependência precisa determinação, disciplina ao tratamento e tornar-se consciente dos danos provocados pelo cigarro. É imprescindível um tratamento confiável que o ajude a sair da dependência. Penso que um acompanhamento psicoterápico, exercícios para diminuir a ansiedade e outros meios como acupuntura. Mas é melhor procurar algum centro especializado em tratamento de tabagismo. Converse com seu médico pneumologista para ter melhor orientação. Você precisa ficar bem atento à necessidade de deixar de fumar. Confie e priorize sua saúde. Atenciosamente, Grace Wanderley de Barros Correia - Psicóloga CRP 02/0279 Esta coluna é de responsabilidade da Libertas Comunidade www.libertas.com.br libertas@libertas.com.br

Dra.Rita de C.M.Medeiros Homet Mir [ psicodermatologista ]

ritaursula@ig.com.br

A Luz do Mundo: Cura do Espírito Ontem despertei-me , como de costume, ouvindo a Rádio Rural (a Canção Nova de Natal) e liguei a televisão na Canção Nova, pois adoro ouvir o depoimento de jovens que se encontram em Cristo, após períodos de sofrimento, provações, lutas interiores, etc, etc, etc. Ontem, exatamente ontem, era o depoimento de uma jovem que sofreu uma depressão grave. Havia perdido seu pai em um acidente de automóvel do qual saíra com traumatismo severo. No final do seu testemunho chega a notícia: o Papa Bento XVI acaba de renunciar. Fui tomada de uma perplexidade apavorante. Eu não acreditava, aliás, eu não queria acreditar. É que de repente senti-me órfã, num espaço de dois anos, pela segunda vez. Explicar-me-ei, desvendarei esta “orfandade”: no dia 12 de junho de 2011 perdi meu pai, meu São José, o grande amor de minha vida. Meu sofrimento foi tanto que minha alma e minhas pernas não suportaram. A alma foi ferida, rasgada, estropiada e as pernas ficaram “bambas”. Agora entendo a expressão “não encontrei mais chão”. Pois bem, eu, literalmente, não encontrava mais o chão: as pernas falhavam e sentia dores atrozes. Não havia me conformado com a enfermidade e o falecimento de Papai, com o seu sofrimento do qual fui testemunha, nas noites tristes em que o via na UTI do Hospital São Lucas. Estava “quase” revoltada com o nosso Bom Deus. Para mais INRI (a inscrição na cruz de Cristo), como se diz na Espanha, eu, Católica de nascença (devo isto aos meus pais) encontrava-me numa Igreja Protestante da qual guardo com carinho ótimos ensinamentos e amizades, mas da qual, por uma razão pura e simples, eu não poderia participar: não poder pedir a intercessão de nossa Mãe Virgem Maria. Esta interdição era para mim, outro motivo de sofrimento. É que Maria, principalmente Nossa Senhora Auxiliadora foi, é e será SEMPRE a minha MÃE. Maria colocou-me em seus braços desde que nasci e coloquei Maria, mesmo frequen-

tando esta Igreja Protestante, na cabeceira do leito de meu pai numa das noites terroríficas da UTI. Outra interdição que também foi determinante para o meu retorno à Casa Paterna ( a Igreja católica ) foi o fato de que , nesta Igreja Protestante, não existem aquelas homenagens que fazemos aos nossos mortos : a missa de 7 dia,30 dias e de 1 ano e todas as missas que peço rezar pela alma de meu pai no Convento Sto. Antonio. Pedí, supliquei para ler, no sétimo dia, uma poesia que havia feito para meu pai e nada, nadinha MESMO. Os compreendo, eles estava certos, era eu que não estava em meu lugar. Eu não estava obedecendo à primeira exortação do sábio educador, no cap.I, versículo 8 de Provérbios: “Ouve, meu filho, a instrução de teu pai, não desprezes o ensinamento de tua mãe”.Seria sempre uma “Estranha no Ninho”, e era como me sentia, por mais amáveis que fossem comigo. Lá mesmo, comecei a estudar o Livro de Salomão, este sábio que me conquistou. Enchi um caderno com o seu estudo e o “santinho” de recordação da festa dos 80 anos do meu querido, amado e inesquecível Irmão Kerginaldo (meu diretor de quando era médica do Colégio Marista) que trazia no verso o proverbio 3.1-3, tornou-se como um chamado contínuo aos meus ouvidos. Era o meu inconsciente coletivo ( para falar uma linguagem Junguiana ) que, já extenuado, berrava aos meus ouvidos: Ouve, Rita, ouve os meus preceitos. Há uma explicação lógica para isto: a minha família é católica praticante e eu fui uma aluna exemplar na fé Salesiana e depois no Marista; ambas tem Maria como forte intercessora, junto de Jesus Cristo: eu só poderia mesmo andar de bengala ao afastar-me desta fé. Não que esta fé fosse a minha bengala, mas caminhava trôpega, pois sem a fé estava exaurindo o sopro da minha vida. Resolvi, então, fazer o caminho de volta para reaprender a andar. Um fator foi determinante: no prazo de um ano após a morte de

“Ali,junto ao leito de minha tia,fui levada pelas mãos da sua irmã Naná (Inalda Medeiros) e das minhas primas Gorette e Isabel a rezar várias Ave Marias por Dedé. Naquela hora não precisava mais de Freud,Lacan, Ferenczi,Groddeck, Winnicott,Dolto, Jung,Melaine Klein. Nenhum psiquiatra da terra daria jeito nesta ferida que levava em minha alma,em meu espirito.”

meu pai, a sua irmã mais velha foi vítima de um melanoma muito invasivo com metástase cerebral. Outro sofrimento. Minha querida tia Dedé ( Maria Odete de Medeiros )encontrava-se em seu leito de morte num sofrimento análologo ao do meu pai. A semelhança física de ambas , extenuadas perante a presença ameaçadora de uma morte iminente era algo que nem gêmeos univitelinos apresentaria. Ali, junto ao leito de minha tia, fui levada pelas mãos da sua irmã Naná (Inalda Medeiros) e das minhas primas Gorette e Isabel a rezar várias Ave Marias por Dedé. Naquela hora não precisava mais de Freud, Lacan, Ferenczi, Groddeck, Winnicott, Dolto, Jung,Melaine Klein. Nenhum psiquiatra da terra daria jeito nesta ferida que levava em minha alma,em meu espirito. Comecei a rever meus velhos amigos. Vi Monsenhor Agnelo na Catedral e perguntou-me se já voltei de vez da Espanha. Agora eu digo que sim e relembrei as tardes em que saia da Faculdade de Medicina e ia assistir sua missa na capela da Maternidade Januario Cicco. Fui com Naná às missas de comemoração da festa de Nossa Senhora da Apresentação e à reinauguração da Igreja de Mirassol, onde vi o meu querido Monsenhor Lucas. Enfim, fui fazendo meu caminho de volta até que um dia, mesmo tropega, reinaugurei minhas pernas, indo à missa sem a bengala. Escrevi todo este preâmbulo, talvez, por querer fugir ao tema inicial. Encontro-me, antes das seis da manhã, na janela leste do meu apto. vendo o sol nascer. Aqui no meu escritório, numa terça feira de Carnaval, desejei falar deste sentimento que quis avassalar-me: o sentimento de orfandade. E, finalmente, o último fator determinante para a minha volta foi o meu enamoramento espiritual pela Santidade, inteligencia e cultura do nosso querido Papa. Inebria-me ouvir suas homilias e ler seus livros. É um Tomás de Aquino da atualidade. Ajudou-me a sair,como diz seu texto no livro Porta Fidei com o qual iniciei esta matéria,do Deserto Espiritual no qual encontrava-me.


tn família

Domingo | 17 de fevereiro de 2013 EMANUEL AMARAL

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 3 ELISA ELSIE

JUNIOR SANTOS

JUNIOR SANTOS

ESTRATÉGIAS PARA AUMENTAR O CONSUMO aumento no consumo apontado pela Associação Brasileira da Indústria de Café parece não nutrir nenhum tipo de comodismo no setor. Estão sendo sempre criadas novas estratégias para atrair novos consumidores. Entre eles, os mais jovens. Segundo o barista Paulo Guillen, muitas vezes o público jovem entra no universo do café pelos drinques feitos tendo a bebida como base, pela combinação com sorvete, milshakes, cafés com leite ou com caramelo. Eles começam a provar, simpatizam com o sabor e, a partir daí, vão conhecendo outras variedades. “É um público que prova uma diversidade maior até adquirir o hábito de consumir o café. E a gente começa hoje a perder essa imagem negativa que o café tinha”, comenta o especialista em café e proprietário de cafeteria. Também é objetivo de quem produz e comercializa café divulgar os vários benefícios da bebida para a saúde, sempre baseado em pesquisas realizadas por universidades e entidades conceituadas. A Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, por exemplo, possui estudo afirmando ser o hábito de beber café um fator para a redução do risco de desenvolver câncer endometrial. As mulheres que beberem mais de quatro xícaras por dia, durante um período prolongado, reduzem em 25% o risco de desenvolver a doença. A revista Cancer Research publicou, ano passado, um estudo afirmando ser a ingestão de cafeína capaz de diminuir o risco do tipo mais comum de câncer de pele, o carcinoma basocelular. A cafeína também teria a capacidade de alterar os níveis de estrogênio, como indicou uma pesquisa realizada em mulheres na faixa entre 18 e 44 anos de idade, bebedoras de café ou de bebidas com cafeína em sua composição. O estudo foi publicado ano passado no The American Journal of Clinical Nutrition.

O

ALDAIR DANTAS

BATE - PAPO Paulo Guillen, »barista e empresário A Abic também fala em crescimento de 3% para 2013. Quais os desafios para esse consumo crescer ainda mais? Está surgindo uma variedade de métodos de preparo. A gente percebe o crescimento de uso de máquinas de café espresso domésticas, de cafeteiras elétricas, — e esse crescimento é bastante notável no Nordeste. E a gente percebe fora de casa, nas casas ELISA ELSIE

TAMBÉM É OBJETIVO DE QUEM PRODUZ E COMERCIALIZA CAFÉ DIVULGAR OS VÁRIOS BENEFÍCIOS DA BEBIDA PARA A SAÚDE, SEMPRE BASEADO EM PESQUISAS REALIZADAS POR UNIVERSIDADES E ENTIDADES CONCEITUADAS CAFÉ Conheça alguns benefícios e malefécios atribuídos à bebida VILÃO OU HERÓI?

CONSEQUÊNCIAS

BENEFÍCIOS

MALEFÍCIOS

Sistema nervoso Estimulante.Há evidências de que a cafeína é capaz de minimizar os sintomas do Mal de Parkinson.

Coração Pessoas com problemas no coração devem evitar o consumo, pois pode acarretar em aceleração de batimentos cardíacos.

Coração Quatro doses diárias seriam capazes de reduzir os riscos de insuficiência cardíaca em 11%.

Insônia O efeito estimulante da cafeína mantém seu cérebro mais ativo,dificultando o sono. “Número 1” A cafeína também tem propriedades diuréticas.

Ossos Idosos e mulheres na menopausa devem evitar a bebida,pois seu consumo pode incidir na ocorrência da osteoporose.

Pulmões Melhora a capacidade respiratória de pessoas com asma. Pâncreas Diminui em até 28% o risco de diabetes do tipo B,devido à presença de antioxidantes.

“Número 2” A cafeína acelera a digestão.

Fertilidade Segundo cientistas do Hospital Universitário Aarhus,na Dinamarca, mais de cinco doses diárias de café reduzem em 50% a chance de sucesso no tratamento de fertilização

Sistema digestório Consumir café após as refeições aumenta a produção de saliva e das enzimas digestivas que agem a favor do trato intestinal. PELE Devido ao poder antioxidante da cafeína,essa substância está inversamente associada ao tipo mais comum de câncer de pele.

Atualmente,o café é a segunda bebida mais consumida no mundo, perdendo apenas para a água.

A palavra "café" vem do árabe Kahoua ou Qahwa (o excitante).

O café foi consumido pela primeira vez por volta do século IX na Etiópia.

75 % do café mundial vem da planta de café Arábica. Existem mais de 25 tipos de plantas de café,mas apenas 2 são populares:a Robusta e a Arábica.

São necessários mais de 42 grãos de café para fazer um café espresso.

O café foi consumido pela primeira vez por volta do século IX na Etiópia.

No mundo,mais de 1.400 milhões de xícaras de café são bebidas diariamente.

Fonte:Revista Saúde / Revista Cafeicultura / Abic / Café Fácil

“Estamos tendo um esforço de divulgar essas características do café e estamos conseguindo também tirar essa imagem negativa que o café tinha”, comenta Paulo Guillen, que acredita ainda haver

uma falta de compreensão dos pais com relação ao aumento do consumo de café entre as crianças. “Nós substituímos o café ou café com leite que elas tomavam pela manhã por achocolatados,

enquanto está demonstrado que o café com leite traz muito mais benefícios que os produtos industrializados”, analisa o barista. “O café ajuda às crianças a despertarem a memória de curto prazo,

Estamos tendo um esforço de divulgar essas características do café e estamos conseguindo tirar a imagem negativa que ele tinha.”

comerciais, nas cafeterias, o que chamamos de monodoses, que são cafés preparados exclusivamente para esses clientes. Essa é uma tendência.

VOCÊ SABIA? Depois do petróleo,o café é a segunda mercadoria mais importante para a economia mundial.

que vai ajudá-las muito no aprendizado, deixando ela mais esperta e mais concentrada. Já tem pesquisas que dizem que o café incluído na merenda escolar melhora o rendimento dos alunos.”

— A formação de mão de obra, a capacitação, tem acompanhado esse aumento no consumo? Não. Ainda temos um déficit bastante grande de mão de obra qualificada. A gente percebe muito isso, não tanto em nível de cafeteria, mas em restaurantes, que não tem mão de obra qualificada. O barista que está lá, como não tem essa qualificação, muitas vezes não consegue servir um bom café, o que prejudica muito o trabalho de toda uma cadeia produtiva. Então, ainda falta muita formação desse profissional, que é bastante escasso.


4 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

tn família

Domingo | 17 de fevereiro de 2013

HITS

Jota Oliveira

Quem não gosta de escutar uma boa trilha sonora, ainda mais quando é sucesso. Veja em nosso blog, na seção Sounds, a lista de candidatos a hits de 2013.

jotaoliveira@tribunadonorte.com.br JOAONETOFOTOS.COM

JOAONETOFOTOS.COM

PARABÉNS!

CARPE DIEM! PEDAÇOS DE MIM Eu sou feito de sonhos interrompidos, detalhes despercebidos, amores mal resolvidos. Sou feito de choros sem ter razão, pessoas no coração, atos por impulsão. Sinto falta de lugares que não conheci, experiências que não vivi, momentos que já esqueci. Eu sou amor e carinho constante, distraída até o bastante, não paro por instante. Já tive noites mal dormidas, perdi pessoas muito queridas, cumpri coisas não prometidas. Muitas vezes eu desisti sem mesmo tentar, pensei em fugir para não enfrentar, sorri para não chorar. Eu sinto pelas coisas que não mudei, amizades que não cultivei, aqueles que eu julguei, coisas que eu falei. Tenho saudades de pessoas que fui conhecendo, lembranças que fui esquecendo, amigos que acabei perdendo. Mas continuo vivendo e aprendendo. (Martha Medeiros)

‘Jardim de Infância’reunido:Juja,Laércio Filho,Gustavo,Aécio,Sidney,Ezequiel,Ronald e Álvaro Alberto

Jurema Cansanção rasgando folhinha hoje

TEMPO

ECOLÓGICO

Prevendo (e confirmando) os famosos ‘atrasos’, o representante brasileiro do comitê executivo da Fifa, Marco Polo Del Nero, afirmou que a Federação cobra bastante prazos e que o torneio sairá, mas não no tempo em que eles querem. - Como sempre, aqui no Brasil, as desculpas saem antes das ações.

A partir do dia 23 de fevereiro, estará nas lojas Nike de todo mundo, um tênis de basquete produzido inteiramente de rolhas de champanhe. O novo modelo será comercializado até o fim do ano e é o primeiro de uma linha sustentável. - Quero só ver se resolverem falsificar o dito cujo. Vai ser tanto tênis se desmontando por aí...

Trocando de idade hoje com os cumprimentos da coluna Ana Lilian Andrade de Souza,Flávia Moura, Jurema Mesquita Cansanção,Manoel Felipe Neto,Patrícia Torres,a viceprefeita Wilma de Faria,Diego Fernandes,Elaine Vládia e Carol Bezerra. Nesta segunda,18,vivas antecipados para Moura Junior e,em Mossoró,os vivas vão para o colunista Paulo Pinto em mais uma primavera.

JOAONETOFOTOS.COM

DIVULGAÇÃO

Os anfitriões Augusto Carlos Viveiros/ Da Graça celebrando o 5º ano da sua folia de carnaval

As pescadoras de Jacumã: Regina, Nilma, Nilze, Rosa,Virgínia, Karenina, Marta, Miriam e Sânzia

Marilda/Hermeneluce Fernandes na descontração do baile do litoral norte

Banda toca no terceiro dia da edição brasileira do festival americano Lollapalooza, a ser realizado em São Paulo, nos dias 29, 30 e 31 de março. Há dez anos, estava na crista da onda junto com The White Stripes, The Strokes e The Killers

[ MÚSICA ]

The Hives vem ao Lollapalloza POR ROBERTO NASCIMENTO Agência Estado

ão Paulo - The Hives já foi a banda preferida de todo mundo. Ou pelo menos era o que sugeria o título de uma coletânea de greatest hits, Your New Favorite Band, lançada em 2001, antes mesmo de o grupo ter um hit ou ficar famoso. Foi uma tacada típica do Hives, ilustres showmen do garage rock dos anos 2000. Nos anos que sucederam, lançaram três discos, deram visibilidade a dois que já haviam lançado, e emplacaram um belo punhado de hits como Main Offender, Outsmarted, ou Hate to Say I Told You So, da trilha sonora de Homem-Aranha.Chegaram ao estrelato sempre uniformizados de black-tie ou jaquetas de couro, contando histórias sobre um misterioso produtor que controlava a banda por trás das cortinas, vestindo roadies de ninjas e confabulando outras ironias que combinaram bem com o pop punk enxuto que produziam. Não é mais a banda preferida de todo mundo, mas na turnê do quinto título de sua discografia, Lex Hives, ainda fazem um dos melhores shows de rock na praça. “A coisa mais importante é manter a forma”, explica o guitarrista Nicholaus Arson, quando indagado sobre o fôlego necessário, depois de duas décadas na estrada, para desferir acordes com a energia de teenagers inconsequentes. “Temos fôlego. Temos resistência. Amamos o que fazemos”, completa. The Hives toca no terceiro dia do festival americano Lollapalooza, a ser realizado em São Paulo, nos dias 29, 30 e 31 de março. Há dez anos, estavam na crista da onda junto com The White Stripes, The Strokes, The Killers e outros sujeitos no plural, ex-

S

poentes de um vago revival de garage rock que deu ao gênero seu fôlego mais comercial da década. “O que fazíamos virou mainstream. Começamos quando o punk melódico e o hardcore - Bad Religion, entre outros - fizeram sucesso. Hardcore e punk melódico tinham começado a reinar no mundo. Era uma época em que o punk era totalmente diferente. Era mais divertido. Quando o revival de garage começou, no fim da década, estávamos bem posicionados”, conta. A questão mais óbvia para uma banda moldada em The Stooges, MC5 e outros ícones do garage rock original, é o que fazer com esse revival depois do terceiro ou quarto disco. Na visão da crítica, o Hives tem deixado a desejar. Tirou a graxa e a ferrugem ao contratar produtores descolados como Pharrell Williams para seu disco The Black and White Album, de 2007. Pecou ao abandonar completamente a ética caseira em Lex Hives, de 2012. “É difícil fazer garage rock moderno. Antigamente, era como achar uma coisa perdida, o amor de sua vida. Esse tipo de música funcionava nos anos 1990, nos anos 2000. Éramos parte do revival. Mas as coisas têm que caminhar”, conta ainda Nicholaus. Na faixa Patrolling Days, do novo disco, Lex Hives, por exemplo, ouve-se uma produção cristalina, acordes crocantes e, em cima do mix, o vocalista da banda, Peter “Howlin’ Pete” Almqvist, entoando gritos que não convencem como os de Outsmarted, por exemplo. Pergunto se o excesso de preciosismo não prejudicou a banda. “Não. Era para ser o disco mais hi fi do Hives. Agudos nítidos, graves retumbantes. Queríamos nos afastar daquele verniz analógico”, explica Nicholaus. Para

The Hives ainda faz um dos shows mais empolgantes entre os novos veteranos do rock n’roll da década passada. Combinam fúria punk com sacadas coreográficas, como o momento em que a banda para repentinamente, no meio do show,e os músicos viram estátuas por quase dois minutos

o roqueiro, não importa que os discos estejam se desvencilhando da estética antiga. O Hives ainda faz um dos shows mais empolgantes entre os novos veteranos do rock n’ roll da década passada. Combinam fúria punk com sacadas coreográficas, como o momento em que a banda para repentinamente, no meio do show, e os músicos viram estátuas por quase dois minutos. Por este e outros motivos, rock n’ roll moderno não obedece a protocolos críticos convencionais. Dezenas de bandas como Hives, Franz Ferdinand, The Killers e Queens of The Stone Age, todos presentes na programação do Lollapalooza deste ano, podem ter estacionado em outras décadas, musicalmente. Mas, ao vivo, atraem mais público e fazem shows mais vívidos que os nomes de música eletrônica, r&b, ou

hip-hop, que definem o panorama musical atual. Duas guitarras, um baixo, uma bateria, e um cantor esgoelado, por mais que sejam batidos em disco, e que trabalhem dentro de uma receita estética com pouca margem para inovação, ainda falam a uma multidão de 70 mil com admirável força.


tn família

Domingo | 17 de fevereiro de 2013

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 5

LUXO

Jota Oliveira

Atual montadora líder em veículos populares no país, a italiana Fiat quer avançar no segmento de carros de luxo com as marcas Chrysler e Alfa Romeo.

jotaoliveira@tribunadonorte.com.br

INADIMPLÊNCIA

CUIDADOS

BASFOND

HOMENAGEM

PÁSCOA

A taxa de inadimplência do comércio varejista acelerou 11,8% em janeiro de 2013, em comparação com o ano anterior, que foi de 7%. As informações são da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

O Brasil deixou de ser um dos países mais ativos na proteção da sua moeda. Segundo estudo do HSBC, o país está na 4ª colocação entre os mais intervencionistas. Os campeões foram Japão e Suíça.

Que a moda sempre esteve relacionada a algumas polêmicas todo mundo sabe, mas algumas deram mais o que falar. Relembre em nosso blog, na seção Fashion, aquelas que causaram confusão.

A morte de Whitney Houston completou um ano esta semana. Desde então, diversas homenagens foram preparadas para a cantora em diversos meios, DVD, CD e filme. Resta saber quando elas chegarão as mãos dos fãs brasileiros.

Os supermercados já começaram a decorar suas prateleiras com os tradicionais ovos de Páscoa. A média de consumo anual do brasileiro é de 2,2kg de chocolate por pessoa, a maior parte dela na semana santa. Adeus dieta!!!

JOAONETOFOTOS.COM

JOAONETOFOTOS.COM

JOAONETOFOTOS.COM

PODEROSA A fusão de duas grandes companhias aéreas americanas, American Airlines e US Airways, promete criar a maior empresa mundial do ramo em volume de passageiros. O negócio já foi aprovado e o valor de mercado da ‘novata’ será de quase US$ 11 bilhões. - Resta saber se o serviço será tão ‘vantajoso’ quanto o negócio.

FALHA

As indianas Tuíza, Pérola e Virgínia Shelman na folia de Jacumã

Proprietários de iPhone que fizeram a atualização do aparelho para a versão do IOS 6.1 é bom tomar cuidado. Pois uma falha de segurança no software permite que outras pessoas consigam acessar os dados sem digitar o código de segurança. O vídeo que ensina o processo está no YouTube.

Quarteto de dez: Stefânia Ferreira de Souza, Helder Tinoco, Maninha/Sinval Dias no domingo de momo

Os jurados do baile: Mário Barreto e o artista plástico Flávio Freitas

JOAONETOFOTOS.COM

MUDANÇA Acostumada às personagens ricas e elegantes, Malu Mader vai encarar algo bem diferente em sua próxima novela. A atriz voltará ao ar como pobretona barraqueira em ‘Sangue Bom’, próxima das 19h.

Em clima de Carnaval, Adriana Ferreira de Souza,Thiago Cavalcanti, Anieda Calafange, Adriana Dias e Carla Bezerra

Trio de Dez curtindo a folia do litoral norte,Jurema Tinoco,Gerlane e Duda Bulhões JOAONETOFOTOS.COM

JOAONETOFOTOS.COM

KETCHUP BILIONÁRIO Brasileiros donos do Burger King fecharam parceria para comprar a Heinz, famosa marca de ketchup, num acordo de US$28 bilhões. O negócio está sujeito à aprovação dos acionistas da empresa e autoridades regulatórias.

ENGODO Com a Lei Seca mais rígida, vários jovens do sudeste do País estão fazendo uso de um medicamento para “enganar” o bafômetro: o Metadoxil. O Laboratório Baldacci S.A., que comercializa o remédio, ressalta que seu uso não impede a detecção do álcool pelo equipamento. Olha a consciência!

PROTEÇÃO Que o Nordeste é abençoado com sol o ano inteiro a gente agradece, mas é bom tomar cuidado com a exposição da pele ao astro-rei. O Inpe divulgou que o Índice Ultravioleta chega ao nível extremo durante o verão. Proteja-se!

TRANQUILO A cúpula de segurança do RN detectou uma queda no número de ocorrências de 6,25% no Carnaval 2013, em comparação com o ano passado. O titular da Secretaria Estadual de Segurança Pública, Aldair da Rocha, acredita que o governo está no caminho certo.

FRUSTRADO Um casal de Tartarugas-deGalápagos, espécie gigante em risco de extinção, não acasalaram ao ouvir o pianista francês Richard Clayder. A tentativa desesperada para a reprodução em cativeiro é para que os animais, já velhos, não morram sem deixar descendentes.

Os foliões estilizados Carlos Henrique/Larissa e Andréa Dias/João Paulo Ferreira de Souza

BARREIRAS Quebrando cada vez mais os tabus no nosso país, o STJ garantiu a um casal homossexual, em união estável, o direito de uma delas adotar a filha da outra, concebida por meio de inseminação artificial.

REVIVAL Não foi apenas nas bolsas que as correntes da Chanel fizeram sucesso, os relógios da grife também não passaram despercebidos. Para marcar o aniversário de 25 anos, a marca vai lançar uma reedição do seu primeiro modelo em abril.

EUTANÁSIA A Ordem dos Médicos da França anunciou a permissão do uso de uma “sedação terminal” em pacientes com males irreversíveis. A OMF deseja que os casos de assistência à morte sejam reservados a casos como agonias prolongadas ou dores incontroláveis.

Nos terraços de Da Graça/Augusto Carlos, Paulo César Viveiros /Adriana e Andrea Schultz/Rafael Corrêa


6 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

tn família

Domingo | 17 de fevereiro de 2013

NA ESPANHA Uma equipe da emissora espanhola TVE esteve em Natal na última semana gravando um documentário sobre a capital potiguar.No roteiro destaque para pontos turísticos como:o Forte dos Reis Magos,corredor cultural da Ribeira,Ponte Newton Navarro,Farol de Mãe Luíza entre outros.

Liege Barbalho liegebarbalho@tribunadonorte.com.br

AGITOS DO CARNAVAL

REINADO DE MOMO Consagradíssimo o Carnaval de Macau. Para alegria do prefeito Kerginaldo Pinto, que está de parabéns pela estrutura montada para receber os foliões. Segundo estimativa da Polícia Militar, duzentos e cinquenta mil pessoas marcaram presença na Cidade do Sal, que este ano ficou pequena durante os festejos de Momo. Apesar da quantidade de visitantes, além no período de folia, a cidade se manteve limpa, os serviços funcionando e o prefeito acompanhando tudo de perto.

Simpatia de Anderson Grafith com sua bela Raíssa Liegge

Prefeito Carlos Eduardo posa com o cantor Isaque Galvão no Centro Histórico de Natal

FOTOS:LIEGEBARBALHO.COM CANINDÉ SOARES,MARLIO FORTE E ANA AMARAL

Vereador Rafael Motta com Flávio Veras e o prefeito de Macau, Kerginaldo Pinto

»»Durante o dia a praia de

Camapum era palco para esquente do tradicional bloco Mela-Mela puxado por três trios elétricos, destaque para a Banda Grafith, amada pelos macauenses. À noite, o Largo de Eventos Mestre Avelino concentrava os foliões com shows de bandas, reunindo pessoas de várias partes do Estado e do Brasil. A coluna ressalta a competência dos jornalistas Celso Amâncio e Rodrigo Loureiro, que receberam a imprensa com fino trato. Esta colunista agradece toda atenção do prefeito Kerginaldo Pinto e sua primeira-dama Aline Kelly.

Várias »»

Descontração de Jorge Barbosa e o colunista Toinho Silveira

Prefeito Kerginaldo Pinto com a primeira-dama Aline Kelly

Os jornalistas Rodrigo Loureiro, Liege Barbalho e Celso Amâncio

»»Em Pirangi não foi

diferente, o tradicional Carnaval do litoral sul potiguar recebeu nos quatro dias cerca de duzentas mil pessoas. Nomes como do baiano Ricardo Chaves movimentaram a festa momesca no município do prefeito Maurício Marques, que comemora o sucesso do evento. O agito tomou conta da badalada praia, tendo como palco principal a avenida Márcio Marinho que se transforma no corredor da folia, em clima total de animação.

Anna Ruth Dantas posa com o prefeito de Parnamirim Maurício Marques e Haroldo Azevedo Filho em Pirangi

Integrantes da Banda Grafith: Carlinhos, João, Kaká e Júnior, amados e idolatrados pelos macauenses

»»

Edmilson José e sua simpática Dalila Faria, em evento no hotel Pirâmide

Fred Queiroz recebe coro de vivas da sua musa Erika Nesi

Mary Rosado e o Des. Saraiva Sobrinho. Ele brindando mudança de idade

ANIVERSÁRIOS Os cumprimentos da coluna para os aniversariantes da semana. Magnólia Fonseca,Felinto Rodrigues,diretor da TN,Agnelo Alves Filho,jornalista Tácito Costa,desembargador Saraiva Sobrinho,Wald Faraj,Aimberê Câmara,Jânio Varela Sobral, os empresários Paulo César Galindo e Fred Queiroz,advogada Sarah Spencer e o procurador do Estado,Vivaldo Lima.

Bárbara Abramo

Cinema

Horóscopo Lua crescente em Touro acelera ritmo da semana e traz escolhas importantes

Áries 21/03 a 20/04

Os próximos sete dias serão ótimos pra você focar o aspecto concreto dos seus planos.Alocar recursos e mobilizar finanças com esse fim são assuntos em destaque.No amor,apoie-se mais em seu valor pessoal.

Touro 21/04 a 20/05

É em seu signo que ocorre a Lua crescente de fevereiro! Sinal de que estes serão dias decisivos pra você medir projetos, intenções e fazer escolhas.Em especial as que tem relação direta com profissão e influência social.

Gêmeos 21/05 a 20/06

Seus planos de expansão precisarão passar pelo filtro objetivo dos recursos materiais que tem agora —e esse é o diferencial em torno do qual gravitará a semana. Se você se valoriza mesmo,saberá para onde e como ir.

»»

»»

»»

Não muito adepta da folia, a colunista passou grande parte do período de carnaval em casa. Descanso, tranquilidade, sessões de filmes e acompanhando as apresentações das escolas de Samba do Rio de Janeiro. Talento e muita criatividade encantam os que vão ao Sambódromo e também para os que acompanham no conforto de seus lares, a beleza e a sofisticação dos desfiles. A Vila Izabel foi a campeã de 2013.

HORÁRIO De verão terminou ontem à meia-noite.Os relógios devem ser atrasados em uma hora nas regiões Sul,Sudeste e Centro-Oeste e no Estado do Tocantins.Segundo matéria publicada no portal UOL,a quantidade de energia elétrica economizada nos 119 dias da medida é suficiente para abastecer uma cidade do porte de Belo Horizonte, com quase 2,4 milhões de habitantes, por dez dias. FRATERNIDADE A capital potiguar reuniu jovens de várias partes do Brasil durante o lançamento oficial da Campanha Nacional da Fraternidade 2013.Tendo como tema“Fraternidade e Juventude”,o encontro aconteceu na última sexta-feira no Centro de Convenções de Natal.O evento teve como palestrantes:o Arcebispo de Natal,Dom Jaime Vieira Rocha;o padre cantor Fábio de Melo;e o missionário da Comunidade Canção Nova,“Dunga”. HABILITAÇÃO O Departamento Estadual de Trânsito do RN desativou ontem o posto fixo de entrega da Carteira Habilitação,no Shopping Via Direta.A medida surgiu devido o novo sistema de distribuição que passou a ser realizado pelos Correios,através do Sedex.O documento será enviado à agência mais próxima da residência do condutor.De acordo com Willy Saldanha diretor-geral do Detran/RN, o procedimento de pegar a habilitação nos Correios só é necessário para quem optou. ORELHÕES A evolução dos serviços de telecomunicações pode resultar em uma redução de até 538 mil dos 950 mil telefones públicos que existem no país.Segundo a Anatel, 188 mil já podem ser desligados porque estão praticamente sem uso. De acordo com publicação do Jornal O Globo,a agência colocará em consulta pública,até o fim de março, um estudo com perguntas para a sociedade sobre a evolução tecnológica da telefonia fixa e a possibilidade de mudança de regras para redistribuição e redução dos aparelhos no país.

Câncer 21/06 a 21/07

Um bom jeito de abordar os temores do futuro é avaliar quem são aqueles com quem pode contar —pessoas leais e práticas que saberão ajudar a superar entraves.Isso determinará sua semana e sua atuação em grupo.

Leão 22/07 a 22/08

O parceiro certo é aquele que está junto de você de verdade,na hora de tornar real e de concretizar uma aspiração.No casamento ou nos negócios,isso definirá tudo na semana que começa agora.

Virgem 23/08 a 22/09

Um domingo de urgências,em que as considerações práticas que você reivindicou tanto podem ser finalmente ouvidas pelos interessados diretos.Nesta Lua crescente,o que não for confiável será descartado.

Libra 23/09 a 22/10

Um clima mais movimentado na semana —e você será chamado a provar a aplicação prática de recursos conjuntos,extraindo o sumo do sentido de empreitadas a dois.Dívidas precisam ser saldadas nestes dias.

Escorpião 23/10 21/11

Chegou o momento de ajustar os seus sonhos de liberdade aos interesses do casal, a oportunidade de rejeitar o que nunca poderia estar de acordo com seu interesse comum com um sócio. Semaninha de provas!

Sagitário 22/11 a 21/12

Adaptar e refinar, escolher o que é bom e tem valor mensurável dentre muitas ideias e informações recebidas:esses são os desafios que começam hoje, com a crescente lunar em Touro.Pese e defina.

Capricórnio 22/12 a 20/01

Se você guardou ou ganhou dinheiro nos últimos tempos,nada como aproveitar um pouco só o que ele tem de bom pra dar.Pensando nisso você pode escolher novas diversões e desafios nestes dias.

Aquário 21/01 a 19/02

O Sol está prestes a sair de seu signo —e nesse contexto de pressa surgem indagações:o que você tem em casa,capaz de sustentar suas liberalidades e esquisitices? Ajustes entre você e a família nesta semana!

Peixes 20/02 a 20/03

Muito bacana,esta semana:você verá como algumas concepções teimosas e idealizadas estavam atrapalhando seu ambiente.Hora de considerar a vida como ela é e só depois disso decidir como se organizar.

** MEU NAMORADO É UM ZUMBI (12 anos,legendado) Moviecom 1.Sessões 15h e 19h25 / Cinemark 5.Sessões 12h40,17h10,19h25 e 22h Em um mundo pós-apocalíptico,o zumbi R.(Nicholas Hoult) faz amizade com a humana Julie (Teresa Palmer),a namorada de uma de suas vítimas.O envolvimento dos dois acaba despertando uma reação em cadeia que o transformará,assim como outros mortos-vivos perseguidos pelo general Grigio (John Malkovich).Direção: Jonathan Levine *** CAÇA AOS GANGSTERES (16 anos,legendado) Moviecom 1.Sessões 17h05 e 21h35 Los Angeles, 1949. Impiedoso, o rei do crime Mickey Cohen (Sean Penn), comanda sua cidade, dominando parte dos lucros das transações com drogas, armas, prostitutas e - se ele puder - cada aposta feita a oeste de Chicago. E faz tudo isso não apenas com a proteção de seus capangas, mas também policiais e políticos sob o seu controle. É o suficiente para intimidar até o mais corajoso e durão dos policiais... com exceção, talvez, de um pequeno e secreto grupo de fora do departamento de polícia. Direção: Ruben Fleischer

★ RUIM ★ ★ REGULAR ★ ★ ★ BOM ★ ★ ★ ★ ÓTIMO ★ ★ ★ ★ ★ EXCELENTE I ESTREIA

**** LINCOLN (12 anos,legendado) Moviecom 2.Sessões 16h15 e 21h10 / Cinemark 3.Sessões 11h20 (sáb e dom), 14h30,17h40,20h50 (exceto ter e qui) e 23h55 (sáb) O ator Daniel Day-Lewis interpreta o 16º presidente dos Estados Unidos,durante o final de seu mandato,em uma época sangrenta.Em uma nação dividida pela guerra e por fortes ventos de mudança,o presidente Lincoln percorre um caminho de difíceis ações,a fim de terminar a guerra,unir o país e abolir a escravidão. Com coragem moral e força para obter sucesso,suas escolhas nesse período crucial mudam o destino das gerações que ainda estão por vir.Direção:Steven Spielberg *** INATIVIDADE PARANORMAL (16 anos,legendado) Moviecom 2.Sessões 14h20 e 19h15 / Cinemark 5.Sessões 15h O casal Malcolm e Keisha se muda para a casa dos seus sonhos – mas não demora até que ambos descubram que mais alguém anda morando por lá.Trata-se,no caso,de um demônio que possui a esposa de Malcolm e transforma a vida sexual deles num inferno.Entra em cena,então, um grupo de caçadores de fantasmas para ver se ajuda a limpar o ambiente. Direção:Michael Tiddes


Domingo |

10 de fevereiro de 2013

tn família

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 7

Hilneth Correia hilnethcorreia@tribunadonorte.com.br

DIAS DE MOMO EM MIAMI

CONDOMÍNIO DA FOLIA TRADIÇÃO é tradição e quem sabe faz... Assim tem sido a família FERREIRA DE SOUZA VIVEIROS, desde que inaugurou o condomínio de verão em Jacumã. Casa bonita, com espaço para receber e festejar. A proposta de verão tem sido reunir os amigos que ficam na praia no período momesco. E só assim os amigos conseguem reviver os bons tempos de folia, quando a nossa cidade tinha seus clubes. Uma festa com buffet de Renata Motta dividido entre os ambientes da piscina, com entradinhas, crustáceos, sanduichinhos e, nos salões, os pratos quentes. Serviço de bar show! Mesmo ausente soube dos detalhes.

PASSAPORTE PARA A FOLIA? fantasia e muita criatividade. O show ficou por conta dos MENINOS DO JI que chegaram como nos anos 50 e acompanhados de uma bandinha. Vencedores muitos e as “meninas veranistas” ganharam mais uma vez com as PESCADORAS. Uma festa para aplaudir Augusto, Da Graça e os filhos Marilda, Estefânia, João Paulo e Luiz Felipe com todos da família e agregados. Fui representada pelos queridos Raphael e Andréia que estavam de marinheiros.

MIAMI.COM Como já havia contado para vocês na coluna de quinta, apesar de tranquilo, sem muito agito, como acontece no Brasil, o nosso carnaval em Miami foi show! Cheia de encontros e surpresas, a temporada foi bastante agradável na companhia de Priscila Gimenez, Osmarina Menezes e do filho Lupércio, além do encontro com amigos queridos das terras potiguares. Fiquem agora com os clics desses dias inesquecíveis.

CARNAVAL DE DA GRAÇA VIVEIROS REUNIU FAMILIARES E AMIGOS

PARABÉNS PRA VOCÊS Abraçar os amigos... Wilma Maria de Faria, Carlos Costa, Jurema Mesquita Cansanção, Flávia Moura, Ana Lílian Andrade de Souza Ribeiro, Manoel Felipe Neto, Paulo Pinto Moura Jr., Felinto Rodrigues, Flávio Azevedo, Herculano Azevedo Jr., Magnólia Fonseca, Violeta Araújo, Lauro Herculano Filho, Fernando Bezerra, Graziela Fonseca

★ RUIM ★ ★ REGULAR ★ ★ ★ BOM ★ ★ ★ ★ ÓTIMO ★ ★ ★ ★ ★ EXCELENTE lESTREIA

Cinema *** JOÃO E MARIA – CAÇADORES DE BRUXAS (14 anos, dublado e legendado) Moviecom 3. Sessões (leg) 14h45, 16h45, 19h e 21h / Moviecom 6. Sessão (3D) (dub) 20h / Moviecom 6. Sessão (3D) (leg) 22h / Cinemark 4. Sessões (leg) 12h10 (sáb e dom), 14h10, 16h10, 18h20, 20h30 e 22h50 (sáb) Depois de pegarem um gostinho por sangue quando crianças, João (Jeremy Renner) e Maria (Gemma Arterton) se tornaram vigilantes extremos, determinados a defender seu povo. Agora, sem que eles saibam, João e Maria passaram a ser a caça e têm que enfrentar um mal muito maior do que as bruxas... seu passado. Direção: Tommy Wirkola. Estreia – A HORA MAIS ESCURA (14 anos, legendado) Moviecom 4. Sessões 14h15, 17h25 e 20h35 / Cinemark 2. Sessões 13h, 15h40, 18h30, 21h20 e 0h05 (sáb) Crônica sobre a caça ao terrorista Osama Bin Laden durante uma década após os atentados terroristas de 11 de setembro. E sua morte nas

mãos de um esquadrão especial da Marinha norte-americana. Direção: Kathryn Bigelow *** TAINÁ 3 – A ORIGEM (Livre, nacional) Moviecom 5. Sessões 13h15 (sáb e dom), 15h05 e 16h55 / Cinemark 7. Sessões 11h30 (sáb e dom), 13h30, 15h30, 17h30 e 19h30 Tainá (Wiranu Tembé) fica órfã ainda bebê. Ela é criada pelo pajé Tigê (Gracindo Jr) e sonha em ser a primeira guerreira menina da aldeia. Ela conhece Laurinha (Beatriz Noskoski) e é grande amiga do índio Gobi (Igor Ozzy). Juntos, eles buscam informações da origem de Tainá e lutam contra um contrabandista de madeira que está por trás do desmatamento da floresta. Direção: Rosane Svartman *** O VÔO (14 anos, legendado) Moviecom 5. Sessões 18h45 e 21h30 Whip Whitaker (Denzel Washington), um experiente piloto de avião, é alcoólatra e se torna um herói quando consegue aterrissar seu avião depois de uma pane em pleno vôo, salvando quase todos os

passageiros a bordo. O problema é que ele estava sobre a influência de drogas e álcool no momento do acidente, e não aceita o rótulo de salvador da pátria. Direção: Robert Zemeckis *** AS AVENTURAS DE TADEO (Livre, dublado) Moviecom 6. Sessão (3D) 13h45, 15h50 e 17h55 O pedreiro sonhador Tadeo sempre quis se tornar um famoso arqueólogo e aventureiro, e acaba levado por um famoso arqueólogo para uma expedição no Peru. Com a ajuda do cão Jeff, da professora Sara, um papagaio mudo e seus amigos, vai tentar salvar a lendária Cidade Perdida dos Incas de um grupo de caça tesouros do mal. Direção: Enrique Gato ***** OS MISERÁVEIS (12 anos, legendado) Moviecom 7. Sessões 14h25, 17h35 e 20h45 Na França do século 19, o exprisioneiro Jean Valjean (Hugh Jackman) é perseguido há anos pelo implacável policial Javert (Russell

Crowe), depois que ele violou sua liberdade condicional ao roubar os candelabros de prata da igreja. Anos depois, agora rico e com uma nova identidade, Valjean conhece Fantine (Anne Hathaway), uma das exfuncionárias de sua fábrica, que implora a ele que cuide de sua filha Cosette (Isabelle Allen). O encontro entre os dois muda suas vidas para sempre. Direção: Tom Hooper ***** O LADO BOM DA VIDA (12 anos, legendado) Cinemark 1. Sessões 11h10 (sáb e dom), 13h50, 16h30, 19h10 e 21h50 Pat Solatano (Bradley Cooper) perdeu tudo: casa, trabalho e esposa. Vivendo com a mãe (Jacki Weaver) e o pai (Robert DeNiro), depois de passar oito meses preso, está determinado a reconstruir sua vida e voltar com sua esposa, apesar das circunstâncias difíceis de sua separação. Porém, quando ele conhece Tiffany (Jennifer Lawrence) as coisas se complicam. Direção: David O. Russell Estreia – AS VANTAGENS DE SER INVISÍVEL

(14 anos, legendado) Cinemark 3. Sessões 20h50 (ter e qui) Baseado no romance escrito por Stephen Chbosky, Charlie (Logan Lerman), um estranho simpático e ingênuo, enfrenta o delicado momento de lidar com o primeiro amor, o suicídio de seu melhor amigo, e sua própria doença mental enquanto juntos lutam para encontrar um grupo de pessoas com qual ele pertença. Direção: Stephen Chbosky

***** MONSTROS S/A (3D) Cinemark 6. Sessões 16h35 e 18h50 O astro do susto, Sulley, e seu falante assistente, Mike, trabalham na Monstros S.A., a maior fábrica de processamento de gritos da cidade de Monstrópolis. Os monstros acreditam que as crianças são tóxicas, e entram em pânico quando uma menininha invade seu mundo. Direção: Pete Docter, David Silverman e Lee Unkrich

** DE PERNAS PRO AR 2 (12 anos, nacional) Cinemark 6. Sessões 12h (sáb e dom), 14h20, 21h e 23h20 (sáb) Alice (Ingrid Guimarães) é dona de uma rede de sex shops que, ao tentar conciliar a dura rotina de trabalho e vida familiar, sofre colapso nervoso e se vê obrigada pelo marido a se internar em um spa. Justamente nessa hora, surge uma oportunidade única de expandir seus negócios em Nova Iorque. Parte para lá com a família à passeio, mas na verdade, com o intuito de viabilizar seus interesses profissionais. Direção: Roberto Santucci

***** DJANGO LIVRE (16 anos, legendado) Cinemark 7. Sessão 21h30 Django (Jamie Foxx) é um escravo, comprado pelo caçador de recompensas alemão Dr. King Schultz (Christoph Waltz) para auxiliá-lo em uma missão. A dupla acaba fazendo amizade e, após resolver os problemas do Dr. Schultz, a dupla parte em busca de Broomhilda (Kerry Washington), esposa de Django. Para isso, eles devem enfrentar o vilão Calvin Candie (Leonardo DiCaprio), proprietário da escrava. Direção: Quentin Tarantino.


tn família 8 | Natal | Rio Grande do Norte | Domingo | 17 de fevereiro de 2013

| georgeazevedo@tribunadonorte.com.br

FICHA TÉCNICA Produção e direção de Moda: George Azevedo;Fotos: Anderson Grant e Kássia Fernandes;Styling: Weuquens Queiroz e Max Almeida;Modelo: Rodrigo Galvão,Rodrigo Silva,Jeferson Medeiros,Nicholas Cesconeto,Michael Medeiros e Luan Jácome; Looks: Rio Center,Água de Coco e Romance Brazil;Agradecimento:Hotel Vila do Mar

k praia, que devemos relaxar no loo al av rn ca o e eio ran ve de porada Não é porque passou a tem

não é mesmo? Afinal vivemos num lug ar “abençoado por Deus” com mar e sol à nossa disposição o ano inteiro. E para ficar bem “gatxinho” sob o “solzão” Sungas coloridas da Romance Brazil

vale ousar nas bermudas e sungas com Sem medo de errar. Ah, nã o

estampas tribais, geométricas e tropicai s.

se esqueçam do protetor so lar, ta!?

THE BEACH BOYS Sungas Tie dye Rio Center

Bermudas com estampas tropicais Rio Center

Sungas Romance Brazil

Rodrigo Silva veste sunga Água de Coco

Jeferson Medeiros usa sunga Água de Coco

Bermudas estilo surf wear Rio Center

NEWSNEWSNEWSNEWSNEWSNEWSNEWS

Frederico Pletsch desembarca na cidade nos próximos dias para comandar a primeira edição da 40 Graus - Feira de Calçados e Acessórios que acontece nos dias 4,5 e 6 de março de 2013,das 10h às 19h,no Centro de Convenções de Natal. ✱ Enquanto a cidade“bomba”com as liquidações de verão,a Folic anuncia a chegada da sua moda inverno 2013.E olha só como é o

nome da coleção:“Insta Glam”.Adoramos! Melhor ainda quando chegar nas lojas do Midway Mall e Petrópolis. ✱ A empresária Soraya Simonetti cai em campo na produção de sua coleção Estrela Viva para o inverno 2013 com lançamento previsto para o inicio de março.✱ Na próxima terça-feira,19,a Tráfego Models inicia a nova turma do Projeto Modelando.

Tribuna do Norte - 17/02/2013