Page 1

» OS CLASSIFICADOS DA TN CIRCULAM HOJE COM 2.974 ANÚNCIOS E 16 PÁGINAS

Ano 63 • Número 078 • Domingo, 23 de junho de 2013

FUNDADOR: ALUÍZIO ALVES - 1921 - 2006

JARBAS OLIVEIRA/ESTADÃO CONTEÚDO

ACERTOS E ERROS SERVEM COMO LIÇÃO PARA NATAL 2014

ESPANHA QUER SEGUIR COM PASSEIO DE DEL BOSQUE

Em Fortaleza, a beleza do Castelão contrasta com problemas sociais e erros de organização, que podem servir como lição para Natal, sede apenas em 2014.

O técnico Vicente Del Bosque já é um dos maiores vencedores do futebol espanhol e na Copa das Confederações pode conquistar mais um título. Hoje, contra a Nigéria, em Fortaleza, pode manter 100% e avançar. « ESPORTES 1 »

16 horas - Espanha x Nigéria; Globo, Bandeirantes e SporTV 16 horas - Uruguai x Taiti; SporTV 2

faltam

354

DIAS PARA A COPA

JO]AO MARIA ALVES

esporte EMANUEL AMARAL

CARA E CORAÇÃO BRASILEIROS

Valdemar Lemos estreia no alvinegro

« NOVAS FUNÇÕES » A Empresa Brasileira de

Valdemar Lemos comanda pela primeira vez o ABC, às 16h, contra o Alecrim. América x Náutico jogam depois, pela Taça Ecohouse, no Frasqueirão. « ESPORTES 6 »

Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) começa a discutir amanhã com a Aeronáutica, Governo do Estado e Prefeitura de Parnamirim o que fazer da área e instalações do “Augusto Severo”, a partir de abril de 2014, data prevista para a desativação do aeroporto. Uma das ideias da estatal é instalar um complexo empresarial no local. Os lojistas têm proposta diferente. « ECONOMIA 3 »

tn família Saúde de grão em grão na mesa, com o milho Base para deliciosos quitutes do período junino, o milho é considerado um dos alimentos mais nutritivos e completos que existem. « TN FAMÍLIA 1 E 3 »

natal

Lagoa Seca celebra o santo padroeiro

Woden Madruga O resgate de um cronista inflexível nas análises políticas e sociais. « PÁGINA 2 »

Eliana Lima Prefeitos estão irritados com ofícios de juízes que pedem carros. « NATAL 12 »

76

TOTAL DE PÁGINAS DESTA EDIÇÃO: páginas

FALE CONOSCO: PABX: Redação:

« POLÍTICA » Agripino quer manter aliança em qualquer circunstância

Deputados federais da bancada do Rio Grande do Norte garantem que vão reverter o projeto, aprovado no Senado, que impõe prejuízo ao Estado, com as mudanças nas regras de distribuição do Fundo de Participação. « PÁGINA 6 »

O senador José Agripino defende que os partidos que hoje estão na base aliada da governadora Rosalba Ciarlini mantenham a coligação. Ao comentar a sucessão presidencial, afirma que Dilma Rousseff perdeu o favoritismo. « PÁGINAS 3 E 4 »

ANJO E LOBISOMEM DA NOVA SÉRIE

colunistas

Manifestantes vencem o primeiro round. E os próximos passos? « PÁGINA 7 »

« FPE » Bancada tenta reverter alteração prejudicial ao Rio Grande do Norte

revista da tv

Neste domingo, vésperas do dia consagrado pelos católicos a São João, além dos arraiás, fiéis de Lagoa Seca celebram os 50 anos da paróquia. « NATAL 9 E 10 »

Gaudêncio Torquato

Procura-se ideias sobre o que fazer do aeroporto

Cores nacionais no rosto, indignação no peito e protesto na voz. Os jovens das manifestações revivem o furor cívico-popular, mudam o cenário político e abrem novas perspectivas sociais. « PÁGINAS 9 E 10/NATAL 1 A 3 »

Assinaturas: 4006-6100 Venda avulsa: 4006-6113 Comercial:

4006-6111 Classificados: 4006-6103 Circulação: 4006-6173 Reclamações:

4006-6161 4006-6103 4006-6111

SITE: www.tribunadonorte.com.br REDAÇÃO (pauta): pauta@tribunadonorte.com.br

AGÊNCIA O GLOBO

« ESPORTES 2 E 3 »

Rádio Globo Natal 12h – Enquanto a Bola não Rola 15h – Rádio Globo Futebol Clube 16h – Espanha x Nigéria 18h – Balanço Final

O novato Sérgio Guizé e o veterano Gabriel Braga Nunes interpretam João Gibão - um homem que tem asas e o professor Aristóbulo - o lobisomem - na nova “Saramandaia”, que estreia amanhã na Globo. « RTV 6 E 7 »

NO FACEBOOK

facebook.com/tribunarn

NO TWITTER

@tribunadonorte

PREÇO DESTA EDIÇÃO:

R$ 2,50


2

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

Jornal de WM WODEN MADRUGA [ woden@terra.com.br ]

opinião

Nação perplexa AGNELO ALVES jornalista

No baú do tempo Dou uma pausa para o que está acontecendo nas praças, ruas, esplanadas e até em rodovias brasileiras - protestos democráticos, legítimos, republicanos, misturados, lamentavelmente, com ações de vândalos que depredam o patrimônio público, saqueiam lojas e bancos, cenas que amedrontam e causam medo à sociedade pacífica, democrática – para uma remexida em velhos papéis que tento, há anos, enquadrá-los em pastas mais ou menos organizadas. Me vi diante de uns recortes de O Poti, dos idos de 1958. Neles alguns “Quadrantes do Mundo”, que era título da coluna que Sanderson Negreiros escrevia no jornal associado, dirigido por Luís Maria Alves. Éramos companheiros da redação. Eu assinava uma coluna social, “Woden Madruga informa e comenta em Sociedade”. Ocupávamos uma página inteira que era dividida por mais dois companheiros: Almeida Filho (cinema) e Esperidião Neto (música popular, por aí). Uma página, modéstia à parte, inventada por mim. Sanderson que, aos 16 anos, já havia publicado um livro de poesia, “O Ritmo da Busca”, dois anos depois iniciava-se no jornalismo, atendendo a um convite meu para publicarmos aquela “página de variedades”. Era o novo cronista da cidade. A coluna foi um sucesso que durou muitos anos: literatura, política (até internacional), artes, o cotidiano da aldeia. Agora mesmo acabo de ler o seu comentário de abertura da coluna do dia 17 de julho de 1958, com o título “Sobre o Oriente Médio: Avaliação de uma crise”. Começa assim: “A recente revolução no Iraque que terminou com a deposição do Rei Faisal não é inspiração soviética ou da RAU. É apenas resultado do imperialismo ocidental que, embora jogando sempre a culpa em Moscou e Nasser, quer encobrir o regime solerte de sugamento que deixou e deixa as nações árabes, roubando-lhes o petróleo, incentivando-os, assim, como já fizeram, a matar reis e queimar príncipes em praça pública.” O cronista era duro, inflexível mesmo, na análise que fazia da política internacional, não alisando o couro dos americanos e de seus parceiros ocidentais. Mas quando chegava a vez de dirigir o seu olhar poético para as coisas que aconteciam na província, principalmente na área cultural, sua pena se tornava

mais suave, leve tinta azul. Destaco, agora, três notas publicadas na mesma coluna do dia 17 de julho: 1 - Meira Pires promete coisas fabulosas, sob o ponto de vista artístico, para Natal. O Congresso de Teatro que ele vai realizar é o primeiro do Brasil. O IBEC (de que é o presidente no Estado) vai modificar completamente a nossa paisagem artística e intelectual. Confiamos em Meira. 2 - Dorian Gray encerrou sua exposição no “Brasil-EEUU”. Mais uma vez confirmou-se o valor de quem faz da Arte momento sério de afirmação humana. O talento múltiplo, o idealismo e sensibilidade do jovem artista ainda são um exemplo num meio tão carente de exemplos. 3 - Paulo de Tarso é uma promessa artística muito grande, assim o demonstra a sua atuação em “Marcelino, Pão e Vinho”. Em entrevista afirmou que ia ser padre, no que faz muito bem. Notinha de WM: Paulo de Tarso aí citado, então um adolescente que andava pelos 12, 13 anos de idade, é o hoje Dr. Paulo de Tarso Fernandes, jurista brilhante, ex-deputado, ex-secretário de Estado, culto, amante das artes (a ópera é uma das preferidas) e dos bons vinhos. Não seguiu a carreira de ator, nem foi padre, mas quase foi monge.

A

fase agora é de perplexidade com a pergunta que solta da garganta de todos: Como vai terminar e qual o resultado terá? A revogação das majorações nas passagens dos transportes coletivos urbanos? Claro que não. Foi o estopim apenas. Mas ouso repetir o que venho repetindo em artigos diversos neste canto de página e no Panorama Político, através da Rádio Cabugi/Globo: A Nação está como que desliderada em face do falecimento do Estado Brasileiro. Essa constatação me remete a alguns anos passados, quando o povo brasileiro foi mobilizado de Norte a Sul, Leste a Oeste, pedindo “Diretas Já” em substituição ao “simulacro” eleitoral que sustentava a ditadura militar que, mesmo assim, estava moribunda, no fim. Fui testemunha ocular e auditiva – vi e ouvi – tudo sobre os acontecimentos, desde a mobilização na praça pública até as conversas nos bastidores, quando o movimento surgiu e assumiu a liderança nacional, caris-

Brum

mática e confiável do inesquecível Tancredo Neves. A Nação estava perplexa, atônita, com uma pergunta que soltava da garganta de todos, face à desaprovação, pelo Congresso Nacional, da emenda constitucional pelas eleições através das “Diretas Já”, permanecendo o “simulacro” imposto pela ditadura militar. Numa reunião que não esqueço, Tancredo aplacou a ira de 90% dos presentes, no mesmo tom de voz que caracterizava suas intervenções, quando declarou: “Vamos vencer usando as mesmas leis da ditadura que sempre nos derrotaram”. A anticandidatura do também inesquecível Doutor Ulisses Guimarães estava posta. Não para vencer, mas para perder, como já era de praxe. E o Doutor Ulisses não era de desistir. Prestaria mais esse serviço ao Brasil. Unanimidade dos que o admiravam como comandante da oposição à ditadura. Acontece que Tancredo acenara com a vitória. Tancredo renunciaria o Governo de Minas, substituindo o Doutor Ulisses como candidato para perder ou vencer? Quem falaria com o Doutor Ulisses para

Diante de uma Nação desliderada, me remeto a um período histórico para o nosso país: as “Diretas Já” – Nesta época, assim como agora, o clima de perplexidade também foi o estopim para as mudanças. desistir e apoiar Tancredo que poderia ganhar? O doutor Ulisses resistiu. Não em nome de uma ambição. Mas com um argumento sólido. Era preciso contar com o governo de Minas Gerais, se necessário. E a renúncia de Tancredo, governador, enfraqueceria a oposição. Mesmo assim, pediu um prazo para decidir e responder. Viajou para São Paulo. Não havia unanimidade, nos palpi-

Cartas

[ www.rabiscosdobrum.zip.net ]

Protestos

Fiat Lux Num envelope grande, 34 x 24cm, encontro uma mensagem de Wilson Jovino de Oliveira no verso de um cartaz do Fiat Lux (“Setenta anos representando os produtos FIAT LUX no Rio Grande do Norte. Estamos chegando lá. Obrigado pelo valioso apoio e colaboração. J.Oliveira & Cia). É datado de dezembro de 1999. Era sua mensagem de Natal. “Woden: Ilustre companheiro e vivente da velha Ribeira de tantas lutas e tradições. Agradeço a saudável e inteligente vizinhança, mesmo atuando em mundos tão diferentes. Aqui estamos nós com um resto de fé e de esperança por dias melhores para todos – mesmo sentindo ausências irreparáveis e inesquecíveis. Abraços, Wilson” Wilson Jovino de Oliveira nascido em Mossoró, era empresário, esportista (foi diretor do Santa Cruz Futebol Clube) e cronista. Publicou crônicas na TRIBUNA DO NORTE. Seu escritório comercial ficava na Rua Frei Miguelinho, 133, aqui na Ribeira, vizinho à agência da Cruzeiro do Sul (empresa aérea de aviação), de Carlos Filgueira, e da

Casa Bancária Norte-Rio-Grandense (o Banco do Dr. Aldo Fernandes), já na esquina com a rua Nísia Floresta, mesma quadra da TRIBUNA DO NORTE, que então tinha frente para a Tavares de Lira. Era um homem cordial, elegante, vestia-se com apuro e apreciava bons vinhos. Gostava de, ao final da tarde, sair do seu escritório para flanar por algumas ruas da Ribeira. Ia sempre ao Cais da Tavares de Lira olhar o Potengi amado . Na volta, passando pela calçada do Cova da Onça, trocava cumprimentos com o Mestre Gaspar. Adivinhando o pensamento do velho curioso (O que o doutor Wilson vai fazer todas as tardes no cais?), respondia com um sorriso fleumático: “Este rio é um velho amor de antigamente”. Foi um grande amigo do pintor e poeta Newton Navarro. Em seu escritório, Navarro dava expediente quase todos os dias. E ali muitas vezes escrevia as crônicas que publicava na TRIBUNA DO NORTE. Em sua casa da Hermes da Fonseca, no Tirol, Wilson guardava a maior coleção natalense de obras de Newton Navarro. Onde estes quadros estarão hoje?

Poesia “Carro de boi, por inteiro,/ sei glosar, até sem mote:/ mesa, canga, eixo, fueiro,/ repuxo, roda, garrote,/ envarado, tanoeiro,/ rebequém, tinga, arriote,/ almofada, mecha, peito,/ esbirro, anzol, cabeçote,/ arreio, rodeira, leito,/ moleque, cheda, cambão,/ chavela, ferro, cadeia, / canzil, tirada, meião,/ vizinha, chacho, correia,/ tramela, gato, cocão,/ cabeçalho e espurgueiro/ com sebo, azeite e carvão,/ pra rimar por derradeiro/ o gemer do cantochão.../ Atrela os bois, candeeiro,/ que aboio de bom carreiro,/ descarece de ferrão!” (do poema Carro de Boi, do poeta Bartolomeu Correia de Melo, em seu livro póstumo Musa Cafuza, lançado semana passada. O poma é dedicado “ao mestre Osvaldo Lamartine”).

Empresa Jornalística Tribuna do Norte Av. Tavares de Lira, 101 - Ribeira - Natal/RN CEP: 59010-200 Fone: (PABX) 4006-6100 Fax: (0xx84) 4006-6124 Endereço eletrônico: www.tribunadonorte.com.br

Diretor Presidente: Henrique Eduardo Alves Superintendente: José Roberto Cavalcanti Diretor Adm. e Operações: Ricardo Luiz de V. Alves Diretor Financeiro: Agnelo Alves Filho Diretor de Redação: Carlos Peixoto cpeditor@tribunadonorte.com.br Gerente Comercial: Eliane Rocha Gerente de Marketing: Andréia Barandas Gerente de Circulação: Thales Vilar

tes. O Doutor Ulisses resistiria e manteria a candidatura dele para perder? Ou desistiria e apoiaria o nome do governador Tancredo Neves? Reunidos todos os líderes no Hotel Nacional, Doutor Ulisses anunciou a sua decisão. “O candidato é Tancredo Neves”, cabendo a ele – Doutor Ulisses – comandar a campanha. Dirigindo-se diretamente a Tancredo, já o tratou como “presidente do Brasil”. A campanha foi feita como se fosse eleição direta, com o voto popular. Era o povo nas praças e ruas de todo o Brasil. A votação foi no Congresso Nacional, rendido diante do povo. Tancredo foi eleito. Também Paulo Maluf manteve-se candidato, resistindo à Linha Dura – aos generais que queriam a sua renúncia – , acusando Tancredo de estar comprando votos. Já reportei este episódio nesta coluna. E agora? Quem vai liderar a Nação para ressuscitar o Estado Brasileiro morto, mas ainda insepulto com as multidões nas ruas reivindicando, clamando, pedindo, exigindo? Uma Constituinte é a solução. O gigante, realmente, acordou!

Qual a escolha da sociedade? FLÁVIO SÉRGIO DE SOUZA PONTES FILHO promotor de justiça substituto

A

inda no dia 30 de setembro do ano passado, ao escrever neste matutino acerca do combate à corrupção, afirmei que, quanto mais órgãos incumbidos pela investigação de crimes dessa natureza, melhor seria, já que a exclusividade/privatividade da investigação criminal, seja por qual órgão for, em nada traria de benefício para o combate à corrupção e, consequentemente, para a sociedade. Naquela época, a Proposta de Emenda à Constituição nº 37 PEC 37, que pretende conceder a privatividade da investigação criminal à polícia judiciária (polícias civil e federal), já havia passado pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados e estava prestes a ser submetida à aprovação pela Comissão Especial, o que veio a ocorrer no dia 21 de novembro de 2012, ficando a malsinada proposta apta para ir à votação no Plenário daquela Casa Legislativa. A partir daí, como era de se esperar, começaram, com mais vigor, as discussões acerca da PEC 37, figurando, de uma lado, aqueles que são favoráveis à sua aprovação (destacando-se as associações dos delegados de poClassificados Redação Fax Venda Avulsa Assinatura Natal Reclamações Natal ASSINATURA Mensal (à vista) Semestral (à vista) Anual (à vista)

4006-6161 4006-6113 4006-6124 4006-6100 4006-6111 4006-6111 R$ 43,00 R$ 258,00 R$ 516,00

A matéria discutida no âmbito da PEC 37 é de extrema relevância para a sociedade brasileira e, por que não dizer, para o futuro do nosso país”.

lícia) e, do outro, aqueles que são contra (sobressaindo-se as associações dos membros do ministério público). Essa polarização nas discussões trouxe para a opinião pública uma sensação de que a matéria discutida através da PEC 37 se tratava mais de uma “briga” corporativista de cada classe, afastando a população da discussão, como se o resultado dessa “rixa” entre delegados de polícia e promotores de justiça em nada afetasse a sociedade como um todo. Tal sensação, todavia, está completamente equivocada. A matéria discutida no âmbito da PEC 37 é de extrema relevância para a sociedade brasileira e, por que não dizer, para o futuro do nosso país, que, inclusive, pode

PREÇO DO EXEMPLAR Rio Grande do Norte 3ª a Sábado Domingo Outro Estado 3ª a Sábado Domingo

começar a ser decidido já no próximo dia 26 de junho, data em que o Presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves, levará a proposta ao Plenário da referida Casa Legislativa. Diz-se isso porque o que está em jogo através da PEC 37 é justamente o modelo a ser adotado pelo Brasil no que diz respeito às investigações criminais: continuaremos possibilitando que a investigação criminal seja feita por outros órgãos (incluindo o Ministério Público, que vem exercendo um papel de extrema importância no combate à corrupção) ou concederemos apenas à polícia judiciária (polícias civil e federal) a possibilidade de investigar crimes? O preço pela escolha a ser realizada pode ser muito caro, não para os parlamentares que irão votar a PEC 37 no próximo dia 26 de junho, que apostam na memória curta do povo brasileiro para manterem seus mandatos, mas para a sociedade brasileira (sem sombra de dúvida, a principal prejudicada caso a proposta venha a ser aprovada), que irá assistir, sem possibilidade de defesa, já que quem deveria representá-la eram justamente os parlamentares, ao crescimento da impunidade e, consequentemente, da ineficiência dos serviços públicos, da miséria e da criminalidade.

Penso que, ao agredir o patrimônio público, os chamados vândalos têm em sua mentalidade o espírito de desforra, descontentamento, ira e demais sentimentos de raiva e repúdio a tudo ou ao sistema a que estão submetidos. Ao agredir, destruir, descarregam o ressentimento contido com o sistema e a sociedade tão desnivelada como se apresenta ao longo de todos os anos. Existem culpados sim, pelo comportamento destas pessoas e são eles os políticos e governantes, homens que decidem e administram o país,e que também alimentam este sistema cruel capitalista e obsessivo pela ganância, o engodo, a mentira, o descaso com a população, no final reflete no espelho social, o que pensa o povo. O povo está cansado de apertar o cinto, de apanhar nas filas na busca pela dignidade. O povo está cansado de votar em políticos que se comprometem, porém não cumprem. jair.palma@hotmail.com

Manifestações Todo mundo reclama da violência. Violência verdadeira vem ocorrendo, há muito tempo, contra a população mais pobre, que precisa de serviço público de qualidade, tais como educação, segurança, saneamento, moradia decente, atendimento hospitalar eficiente. Há violência quando se chega a um hospital público e o internamento se dá numa maca de corredor, por semanas, esperando por uma cirurgia, muitas vezes com uma fratura exposta. Há violência quando um político corrupto embolsa nosso dinheiro e entope seus apadrinhados nas instituições públicas, geralmente em cargos de chefia, sem mérito de terem estudado e sem aprovação num concurso público. Essa violência é muito maior que as pichações de prédios, trânsito interrompido e vitrines quebradas. Por que foram construídos estádios de futebol, belos e imponentes, numa velocidade tão intensa e não se priorizou a construção de hospitais e complexos escolares de qualidade? Por que temos de aguardar pacientemente melhorias urgentes e assistir esta politicagem corrupta e egoísta? gentil.medeiros@ig.com.br

FILIADO AO

R$ 1,50 R$ 2,50

FILIADO AO INSTITUTO VERIFICADOR DE CIRCULAÇÃO

R$ 2,00 R$ 3,20

REPRESENTANTE NACIONAL – Pereira de Souza & Cia Ltda: Rio de Janeiro : (O21)2544-3070 – São Paulo: (011) 3259-6111

FILIADO À ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE JORNAIS

REDE CABUGI DE COMUNICAÇÃO TRIBUNA DO NORTE 4006-6100 Rádio Globo/Cabugi (AM) Natal 4006-6180 104 (FM) Parnamirim 3272-3737 Rádio Difusora de Mossoró (AM) 3316-3181/2181/3317-6167 Rádio Cabugi do Seridó (AM) J. do Seridó 3472-2759 Rádio Baixa Verde (AM)J. Câmara 3262-2498 Pereira de Souza(SP) 11/3259-6111 Pereira de Souza(RJ) 21/2544-3070


política

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

3

»ENTREVISTA » JOSÉ AGRIPINO

Notas & Comentários

PRESIDENTE NACIONAL DO DEM

[ colunanotas@tribunadonorte.com.br ]

FOTOS: MAGNUS NASCIMENTO

Projeto relevante A Câmara Municipal de Natal iniciará, nos próximos dias, as discussões de um projeto de lei que, certamente, será um dos mais relevantes da atual legislatura. O prefeito Carlos Eduardo assinou, e deve ter enviado, a mensagem que define as normas para “a organização do transporte coletivo de passageiros do município”. De acordo com as justificativas do projeto, o objetivo é resgatar o controle do poder público sobre a prestação desse serviço. A proposta, se aprovada, vai permitr que a Prefeitura faça a concessão, por intermédio de uma concorrência pública, da operação dos ônibus na cidade.

Cassação suspensa O juiz do Tribunal Regional Eleitoral, Carlo Virgílio, suspendeu o processo judicial que tem uma decisão favorável à cassação da prefeita de Mossoró, Cláudia Regina. O magistrado julgou procedente o pedido de suspeição contra o juiz Herval Sampaio, que conduziu o processo em primeira instância.

Agripino quer manter aliança com PMDB e PR em qualquer circunstância

Julgamento no TRE Ficou para a próxima terçafeira, na sessão do Tribunal Regional Eleitoral, programado para começar às 14 horas, o julgamento do processo que tem como réu o deputado federal João Maia. A ação judicial está registrada com o número 7120-

84.2010.6.20.0000 e o acesso aos detalhes da denúncia não fica disponível, porque foi decretado “segredo de Justiça”. A acusação envolve suposta “captação ou gasto ilícito de recurso de campanha”. O relator é o juiz Nilson Cavalcanti.

« RUMO A 2014 » Senador do DEM afirma que defende a candidatura de Rosalba à reeleição, mas destaca que ela deverá avaliar se tem viabilidade ANNA RUTH DANTAS repórter

Os manifestantes têm direito de questionar tudo e propor mudanças. Mas precisam fazer isso de forma pacífica e ordeira” DILMA ROUSSEFF presidenta da República, em pronunciamento transmitido por cadeia nacional de rádio e televisão ABR

Risco bilionário Um levantamento divulgado pelo jornal o Estado de São Paulo justifica o esforço da Fifa e dos governos federal e estaduais em garantir a Copa no Brasil. O principal motivo é que o cancelamento implicaria em prejuízo bilionário. A suspensão das Copas das Confederações e do Mundo deixaria um rombo de mais de R$ 10 bilhões, que seria bancado, em grande parte, pela União. A estimativa é de fontes da Fifa, entidade presidida por Joseph Blatter (foto, ao lado da presidenta Dilma Rousseff), com base nos valores da seguradora Munich Re, a maior do mundo, contratada para garantir os dois torneios.

Despreparo para interpretação O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirmou, em entrevista ao jornalista à Folha de São Paulo, que os políticos não estão preparados para compreender a “insatisfação genérica” da população e nem de capitalizá-la. “Tenho dúvidas se os partidos vão ter capacidade de assimilar tudo isso e transfor-

mar ao menos sua mensagem”, diz Fernando Henrique Cardoso Cardoso. Aos 82 anos, completados na semana passada, o presidente está lançando o livro “Pensadores Que Inventaram o Brasil” (Companhia das Letras), sobre os intelectuais que elaboraram grandes teorias sobre o país.

PEC da Segurança O líder do PMDB na Assembleia Legislativa, deputado estadual Walter Alves, apresentou uma proposta de Emenda Constitucional que garante a ampliação dos investimentos em segurança pública. A PEC, se aprovada, vai garantir que o orçamento geral do Estado destine um mínimo de 9% para o setor. Com isso, vai aumentar os recursos disponívies à segurança pública. Atualmente, são sete pontos percentuais para esta área.

Protesto No Rio de Janeiro, manifestantes decidiram acampar em frente à residência do governador Sérgio Cabral, no Leblon, na Zona Sul. O protesto começou na sexta-feira à noite. Eles permaneciam no local na manhã de sábado, e prometiam ficar pelo menos até a próxima segunda-feira. Mas asseguraram que não haverá depredações ou outros atos de vandalismo.

P

residente nacional do partido Democratas, o senador José Agripino Maia defende a reeleição da governadora Rosalba Ciarlini. Embora considere que ainda é necessária uma recuperação da popularidade, ele se mostra otimista e acredita que a partir do recente programa Sanear RN, lançado pela chefe do Executivo estadual que tem como objetivo ampliar para 80% a cobertura do saneamento no RN, a governadora poderá dar um novo impulso à administração. “Se eu fui o governador das estradas e Garibaldi Filho das adutoras, ela (Rosalba) pode vir a ser a governadora do saneamento básico”, disse o senador, lembrando que Rosalba Ciarlini ainda conseguirá financiamento do Banco Mundial, no valor de quase R$ 1 bilhão. Sobre as recentes críticas públicas feitas pelo ministro da Previdência, Garibaldi Filho, demonstrando descontentamento com o Governo Rosalba, José Agripino defende o diálogo e aposta na argumentação como forma de superar os pontos questionados. Embora demonstre otimismo com a candidatura a reeleição de Rosalba, o senador do DEM também pondera que o mais importante será manter unido o grupo partidário do Democratas, PMDB, PR, PMN e PP e, para isso, cogita até um terceiro candidato ao Governo, que não seja Rosalba, desde que as pesquisas mostrem a inviabilidade da reeleição. Já na análise do campo da oposição, o senador observa fragilidade nas candidaturas postas. José Agripino Maia elogia as recentes manifestações de rua e ressalta: a hegemonia do Governo Federal acabou; o jogo para sucessão presidencial de 2014 “está zerado”. Confira a entrevista concedida pelo senador José Agripino:

? QUEM É José Agripino Maia é o atual presidente nacional do Democratas (DEM) e está no quarto mandato como senador pelo Rio Grande do Norte.

MANDATOS José Agripino foi prefeito de Natal, na época indicado pelo governador Lavoisier Maia. Foi eleito governador em 1982. Em 1990 disputa novamente o Governo do Estado e conquistou um novo cargo no Executivo. Atualmente, exerce, pela quarta vez, o mandato de senador.

Há outros elementos que sinalizem uma recuperação?

A governadora está em vias de obter aprovação pelo Senado de financiamento do Banco Mundial para um programa muito importante que pode sinalizar claramente para perspectiva de ter uma quadra de anos para frente venturosa pelo fato de recursos estarem assegurados com programa de obras já montado. Em função de expectativa venturosa de futuro, acho que o Rosalba pode se posicionar dentro de pouco tempo como candidata viável a reeleição. Nesse posicionamento de reeleição da governadora, como ficam partidos aliados, como o PMDB?

Se o PSB tiver candidato a presidente e o PSD apoiar outro, como fica essa aliança no Estado? São dificuldades que eles vão enfrentar”

Acho que na hora H os partidos vão se reunir com maturidade para discutir a melhor alternativa para o Estado e definir uma candidatura. Eu advogo que nós estejamos juntos em qualquer circunstância, que nós não nos apartemos. Cada qual fala pela sua identidade. O PR, PMN, PP, PMDB, principalmente, o Democratas. Mas não podemos perder de vista nossa unidade porque, com a unidade mantida, a perspectiva de vitória é real. A pública insatisfação do ministro Garibaldi Filho preocupa o senhor nessa bandeira de manter a unidade desta aliança partidária?

Claro que preocupa. Agora em políticaasdivergênciassãonaturais e elas (as divergências) conduzem para prática do diálogo para explicações e busca de entendimento, sempre com respeito. Sempre com respeito.SeGaribalditemdivergências, emite opinião sempre sincera, muito francas com relação ao Governo, elas (as opiniões de Garibaldi) têm que ser, como os movimentosderua,respeitadas,discutidase, na medida do possível, atendidas. O deputado federal Henrique Eduardo Alves, em entrevista publicada no último domingo na TRIBUNA DO NORTE, queixou-se de centralização do Governo e defendeu nova reunião do Conselho Político. Como o senhor avalia essas declarações?

Nesse momento a governadora Rosalba Ciarlini já se habilita para a reeleição?

Eu acho que ela está construindo um caminho. Dois anos de Rosalba foram consumidos para pagar dívidas, administrar escassez e projetar o futuro. Se você me perguntar se ela já administrou a escassez, digo que ainda não, até porque cada vez que se retira o IPI de automóvel reduz o Fundo de Participação. As perdas são flagrantes. Agora ela montou programas muito robustos, como Barragem de Oiticica, Poço de Varas, esse vigoroso programa Sanear RN. Se eu fui o governador das estradas e

Garibaldi Filho o das adutoras, ela pode vir a ser a governadora do saneamento básico.

Dois anos de Rosalba, no Governo, foram consumidos para pagar dívidas, administrar escassez e projetar o futuro”

É uma opinião a ser considerada. Se ele acha isso e tem razões para achar isso, tem que ser dito ao Governo para que faça o meia culpa se for o caso e mude de atitude em busca da boa convivência com o aliado. Acho que essa manifestação, como qualquer outra, ela precisa ter o respaldo da argumentação. Entendo o diálogo de pessoas que procuram se entender é movido a ar-

gumentos. Se os argumentos de quem se queixa são sólidos, cabe a outra parte a superação da dificuldade com o recolhimento da procedência do argumento e o atendimento com a mudança de comportamento para superar a dificuldade. O argumento tem que remeter a mudança de comportamento. Se o argumento existe e na palavra de Henrique o Governo continua centralizador, o argumento tem que ser posto, o Governo tem que fazer sua avaliação e mudar sua postura em nome da boa convivência com os aliados. O vice-governador Robinson Faria se coloca como candidato a governador, a deputada federal Fátima Bezerra postula, publicamente, o Senado, a vice-prefeita Wilma de Faria sinaliza com uma candidatura na chapa majoritária. Falta os governistas colocarem o bloco na rua?

Não. Eles estão sofregos. Eu não quero agir com demérito a ninguém. Mas eu não vejo tanta robustez eleitoral nesse grupo ao qual você se referiu. Como eles não têm a preocupação de exercer governo, eles ficam no lançamento de expectativas pessoais. Nós temos, sem nenhuma presunção, o perfeito entendimento de que juntos somos uma força políticoeleitoral capaz de construir vitórias, com respeito as demandas da sociedade que precisam ser atendidas. Se eles estão esboçando chapas que muitas vezes são conflituosas, veja que Robinson quer ser candidato a governador e Wilma não diz a que é candidata,a mas não descarta a possibilidade de ser candidata a governadora. Há, então, um potencial conflito insuperável na oposição?

Você tem em um agrupamento menor conflitos na base da pirâmide, no ponto mais importante da disputa. Você já não sabe se Robinson e Wilma serão adversários oualiados.Segundopontoaserconsideradoéadisputapresidencial.Se o PSB tiver candidato a presidente e o PSD apoiar candidato a presidente que não o candidato do PSB, como fica essa aliança? São dificuldades que eles vão enfrentar daqui parafrenteepodedestruirqualquer perspectiva de aliança neste momento. Não passa de intenção [as alianças na oposição] e na hora que aintençãoépostajánalargadamostra divergência, porque os ícones tantodoPSBquantodoPSDnãoescondem que podem pretender disputaramesmaposiçãoouomesmo posto de governador. Mas não nos preocupa isso. Temos tempo para fazernossasavaliaçõeseconfiamos que, se nós formos capazes de nos entender em torno de um projeto bom para o Rio Grande do Norte, temos a expressão partidária forte capaz de levar mensagem política com chance de ganhar eleição.

+

PAGINA 4 Continuação da entrevista


4

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

política

Cláudio Humberto

FOTOS: MAGNUS NASCIMENTO

guardadas, apesar da hipotética hegemonia do Governo com sua campeã de popularidade, com o comando dos partidos políticos. E essa hegemonia se desmanchou em três movimentos que ocorreram de uma série de 20 ou 30 que estão em curso.

[ ch@claudiohumberto.com.br - www.claudiohumberto.com.br]

Gasto com fazenda

Com isso muda o jogo para a sucessão presidencial de 2014?

A presidenta Dilma autorizou a compra da Fazenda Buriti, símbolo da briga entre produtores e índios no Mato Grosso do Sul, mas não dispõe no orçamento sequer de um terço do valor da propriedade de 15 hectares, estimada em R$ 150 milhões. Por pressão da bancada estadual, o governo incluiu no Orçamento de 2013 a dotação, insuficiente, de R$ 40 milhões para terras em “situação de conflito”.

Os atuais partidos precisam ser abolidos” SENADOR CRISTOVAM BUARQUE (DF), propondo o fim até do seu próprio partido, o PDT

Morte anunciada

Negociação

Invadida por índios no dia 15 de maio, a fazenda Buriti foi palco de conflito que levou à morte índio Oziel Gabriel e deixou policiais feridos.

O governo criou comissão com produtores rurais, índios, a Funai, a AGU e o Ministério da Justiça para negociar a compra da fazenda.

Prazo máximo Segundo o ministro Gilberto Carvalho (Secretaria-geral), a comissão deverá entregar proposta ao governo e ao proprietário até 5 de agosto. A quem aproveita Baderneiros sabem muito bem: depredação de patrimônio público combina com “licitação emergencial”, a velha jaboticaba brasileira.

Dilma compra casa vizinha ao ex Se o futuro a Deus pertence, Dilma já garantiu o seu na cidade do coração em caso de “aposentadoria”: uma bela casa em estilo colonial português avaliada em R$ 5 milhões, no bairro Tristeza, um dos mais nobres

da capital gaúcha. Será vizinha do ex-marido Carlos Araújo, pai de sua filha, com quem mantém amizade inabalável e confidente. Mineira, Dilma fez carreira política em Porto Alegre e adora a cidade.

Boa troca Dilma declarou ao Tribunal Superior Eleitoral três outros apartamentos na capital gaúcha, mas a casa não chega aos pés, junto ao rio Guaíba. Trilha sonora Para político preso e povo solto: “ah, isso aqui está bom demais, quem está fora quer entrar, mas quem está dentro não sai” (Dominguinhos). PT, nem pensar O ex-governador do DF Joaquim Roriz não descarta aproximação com históricos adversários. "Só não me peça para me aliar ao PT", disse.

Avisa lá

Custo da ignorância

Paralisado com os protestos e aparentemente sem comando, o Brasil lembra a velha piada judaica do patriarca à beira da morte, cercado por todos os parentes atentos: “E quem está tomando conta do loja?”

O Itamaraty ainda calcula prejuízo das manifestações. Mesa, abajur e pelo menos 62 vidraças, além de pichações e paredes chamuscadas pela tentativa de incêndio devem custar mais de R$ 60 mil ao Erário.

Os Ministérios do Planejamento e da Justiça pularam fora da discussão na Câmara, dia 11, sobre o projeto da Lei Or-

gânica da Advocacia-Geral da União. O ministro Luís Adams, chefe da AGU, mandou substituto.

Destinos cruzados

Asa Delta

Enquanto o ministro Fernando Pimentel (Desenvolvimento) trata de cooperação na Venezuela, chega ao Brasil nos próximos dias o governador de Miranda e líder da oposição, Henrique Capriles.

A presidente do Tribunal de Justiça do Rio, Leila Mariano, suspendeu a obra da lâmina superfaturada do anexo 4. A construtora Lopes Marinho, sucessora da finada Delta, está sem receber há dois meses.

Tome tenência, 01! prévio de passeatas e identificando in loco os potenciais agressores, em geral encapuzados.

Eu acho que política, para ser feita com responsabilidade, necessita de pragmatismo. Eu tenho certeza de que se a governadora, que é minha candidata à reeleição, enxergar que não terá condição, será a primeira a abrir mão dessa pretensão. Apenas os aliados, neste momento, apostam no fortalecimento dela como candidata. Mas, tenho a impressão de que ela própria viria a fazer a avaliação. Se não tiver condição de reeleição, será a primeira a declinar da possibilidade de candidatura, sabendo, como sabe, que o PMDB, Democratas, o PR, PMN, o PP, todos torcem pelo sucesso dela. Há quem diga que o deputado federal Henrique Eduardo Alves estaria se habilitando para ser candidato a governador. O senhor acredita nisso?

Apartidário O PMDB nacional mandou espalhar bandeiras do partido e de outros como PT, PSDB, PCdoB e PSOL durante os protestos em Brasília para testar a reação dos manifestantes. Foram todos refutados.

Compra de votos Os líderes do Governo, Arlindo Chinaglia (PT-SP), e do PT, José Guimarães (CE), acataram a proposta de Nilson Leitão (PSDBMT) para acabar com a figura do cabo eleitoral, caçador de votos.

Vozes da rua Alvo de inevitáveis piadas em meio aos protestos nas ruas, Dilma ganhou mais uma: “Se a praça é nossa, agora temos a velha surda.”

Qual a leitura que o senhor faz das ruas neste momento de manifestações?

Quem acompanha a cena política observa que a governadora Rosalba Ciarlini postula a reeleição, a deputada federal Fátima Bezerra quer o Senado, o vicegovernador Robinson Faria almeja o Governo. Mas de onde vem o candidato a senador da bancada governista?

Pela legislação atual, a ree-

Mas a governadora Rosalba não reverteu os índices de desaprovação. Estamos há pouco mais de um ano da eleição. Não tem pouco tempo para ela se viabilizar?

Rosalba tem a obrigação de buscar os meios para viabilizar a administração dela. Agora quem fez a avaliação dos governos do PT, não é Dilma, não é Lula, são dez anos de Governo. Os movimentos de rua fizeram avaliação dos dez anos de governo. Tudo a que as pessoas que foram para a rua fizeram restrição é produto do Governo do PT. É a postura de dez anos de Governo. O povo não admite pagar imposto e ter serviço público de má qualidade. Esses movimentos de rua são avaliação claríssima do Governo do PT. As críticas que fazemos coincidem com o que as pessoas trazem nas ruas.

Acho que Carlos Eduardo vai querer cumprir o mandato dele de prefeito. Está enfrentando dificuldades no começo da administração. Não creio que ele venha a se habilitar, não vai ter condição de, neste ano, construir coisas que o habilitem a uma disputa ao Governo do Estado, mas o tempo dirá.

Neste momento, a tendência hoje é Rosalba ser candidata à reeleição?

É cumprir a lei.

O senhor é um crítico contundente da presidenta Dilma Rousseff. Gestão que é elogiada por Rosalba Ciarlini. O senhor não se sente incomodado de sua aliada elogiar o Governo do qual o senhor é oposição?

Não é o que ele me tem dito. Agora Henrique Eduardo está hoje em uma posição de relevo nacional e, pela postura, que tem adotado, permanentemente, de lutar pelos interesses do Rio Grande do Norte. Claro que estaria habilitado a disputar qualquer posto na política do Estado.

Veja bem: temos dentro da nossa aliança nomes compondo uma chapa para o Governo e Senado tranquilamente. São nomes de qualidade. O candidato a governador ajuda o que disputa o Senado e como o candidato a senador ajuda o candidato a governador. Essa é uma chapa solidária. Nomes de qualidade, a nossa aliança tem vários, tanto para disputar o Governo como para disputar o Senado. Acho que numa chapa bem montada, um ajudará o outro na perspectiva de vitória.

Ou seja, a prioridade na lista de candidatos ao Governo...

A governadora Rosalba tem enfrentado enormes dificuldades, mas se há uma coisa que a população preza é o padrão ético do político. Rosalba pode ter dificuldade na saúde, na segurança. Mas do ponto de vista da honestidade, não há nenhuma mácula na postura dela. Isso é cláusula pétrea no julgamento do eleitor. O eleitor quer eficiência e sabe que eficiência você faz quando tem meios para fazer. Mas se você não for honesto, não tiver garra, você não tem o conjunto de matérias-primas para exercer o bom governo. Esse conjunto Rosalba tem. O que ela precisa é de meios e esses meios, nós aliados, estamos procurando dar a ela. Como isso está em curso, é possível que chegando esses meios, com a matéria-prima de que ela é proprietária, pode se reviabilizar como candidata altamente competitiva.

O senhor fala de uma possível candidatura à reeleição da governadora Rosalba Ciarlini. Mas essa unidade partidária que o senhor prega estaria disposta a caminhar com outra candidatura ao Governo que não a de Rosalba?

E quanto ao prefeito Carlos Eduardo, como o senhor vê a posição dele para o pleito 2014?

A caminho da cesta

Os secretários estaduais de Segurança deveriam parar com a xaropada de “vândalos infiltrados”, exigindo roteiro

‘Dilma Rousseff perdeu o favoritismo para a eleição de 2014’

leição é permitida. Em sendo permitida é um direito dela e esse fato se põe de forma natural.

Se não tiver condição de reeleição, será a primeira a declinar da possibilidade de candidatura, sabendo, como sabe, que o PMDB, o Democratas, o PR, 0 PMN, o PP torcem pelo sucesso dela”

Se imaginava até semana passada que o Brasil vivesse um governo hegemônico com uma campeã de popularidade que era a presidente da República (Dilma Rousseff) e que comandava a maioria dos partidos políticos que obedeciam cegamente a orientação do Poder Executivo. De repente um movimento de insatisfação, especificamente, tipicamente a questão do preço das passagens, fez com que um instrumento chamado internet, redes sociais, que conseguiu reunir 1,5 milhão de assinaturas para pedir a não posse de Renan Calheiros (na presidência do Senado), se não conseguiu impedir a não posse de Renan, foi capaz de fazer a convocação a pessoas que foram ocupar o espaço público da rua para no primeiro momento protestar contra o aumento do preço das passagens que simboliza neste momento a questão da inflação. Mas as pessoas foram para as ruas por dezenas de razões, que estavam

Está zerado. Acho que esses movimentos mostraram que não há hegemonia de ninguém. Primeiro de tudo que a agenda da sociedade não está sendo compreendida nem pelo Governo e nem pelo Poder Legislativo. Nenhum dos dois. E o Governo não está sintonizado. A população passou claramente o recado: de que adianta baixar IPI de carro se as ruas estão entupidas, de que adianta baixar IPI de carro se o transporte de qualidade que são os metrôs andam devagarinho. Não é que o brasileiro não queira a Copa, mas entre gastar dinheiro com a Copa e gastar dinheiro com saúde, educação, segurança, o brasileiro mostrou claramente que é um desperdício do Brasil gastar com uma coisa que não é a prioridade para os brasileiros. Esse recado foi dado e por essa razão acho que a hegemonia, a popularidade e o favoritismo da reeleição da presidente Dilma foram abaixo com os movimentos de rua. Então há novas perspectivas para a oposição ao Governo Federal?

O jogo está nivelado, zerado e quem souber atender as expectativas da sociedade se colocará bem no jogo. Quem tiver a capacidade de colocar com credibilidade para não prometer, mas para tomar atitude real e começar a fazer, vai se situar bem no novo jogo da sucessão presidencial de 2014. Nesse foco, a sucessão de 2014, o DEM está fechado com o PSDB?

O Democratas não está fechado com ninguém. O Democratas tem convivência harmoniosa com o PSDB, mas está muito longe de ocorrer a sucessão e montagem de aliança. Se você perguntar se o Democratas tem simpatia com o PSDB, digo que tem. Mas também temos simpatia por outras candidaturas. Será resolvido na hora oportuna, no começo do próximo ano. O senhor vê possibilidade da oposição se reunir em torno de um novo nome, como o PSB de Eduardo Campos?

Os novos tempos, com a nova agenda, será capaz de produzir diálogos que até a semana passada não fossem nem imagináveis. O seu nome já chegou a ser lembrado como possível candidato a vice-presidente da República. Para 2014, qual o projeto político do senador José Agripino?

Primeiro ajudar o Estado do Rio Grande do Norte. Temos uma convivência política harmoniosa com o PMN, com o PP, PR, PMDB e com outros partidos em torno do Governo de Rosalba que começa a esboçar sinais de reação, veja esse programa anunciado de quase R$ 1 bilhão para saneamento básico. Se ela demonstrar realmente capacidade de se posicionar bem perante o eleitorado, ela será minha candidata e poderá ser candidata desse arco de partidos que na hora h se manifestarão. Cada qual falará por si. Mas há entendimento entre nós. Minha prioridade será encontrar o melhor caminho para o Rio Grande do Norte. Mas insisto na pergunta: O senhor admitiria hoje ser candidato a vice-presidente da República?

Eu fico honrado com essas lembranças que surgem. Isso é por uma razão compreensível. Imaginam que o Democratas vá compor uma chapa com o PSDB, o candidato do PSDB é claramente Aécio Neves e imaginam uma figura do Democratas e que teria que ser nordestino. Como sou presidente do Democratas, é uma suposição quase por via de consequência. Agora entre a suposição e a realidade há uma distância enorme e quero dizer que essa não é a minha preocupação.


geral

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

5


6

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

geral

Bancada do RN quer mudar projeto de redistribuição « FPE » Deputados federais garantem que vão articular alterações para evitar prejuízos ao Estado com as mudanças no Fundo de Participação LUIS MACEDO

A

bancada federal do Rio Grande do Norte no Congresso Nacional promete se dedicar às articulações durante a votação do Projeto de Lei Complementar (PLC) que redefine os critérios de distribuição do Fundo de Participação dos Estados (FPE). A matéria precisa ser apreciada pelos deputados federais nos próximo dias. Se mantido o texto aprovado no Senado, o Governo do Estado perderá, a partir de 2017, parte que lhe cabe na repartição do bolo. O coordenador da bancada, deputado João Maia (PR), disse ontem que se confirmada a possibilidade de prejuízo do Rio Grande do Norte convocará uma reunião com os parlamentares do estado antes que a votação ocorra. “Precisamos nos reunir para votarmos contrários e unidos, se for o caso”, destacou Maia. Ele admitiu que ainda não analisou o conteúdo da proposta, mas frisou que pelo conhecimento que tem sobre o tema há algo errado no ar. “A importância que tem o FPE para o Rio Grande do Norte, as dificuldades que temos, e ainda perder recursos. Isso não parece nem que faça sentido”, acrescentou o parlamentar. A deputada Fátima Bezerra, do PT, observou que o projeto é polêmico, tem um lado positivo porque discute o Pacto Federativo, mas precisa ser melhor de-

Deputados federais vão apreciar o projeto que altera o Fundo de Participação dos Estados

batido porque atinge o Nordeste. “Nossa região não pode ser sacrificada, até pelas desigualdades regionais existentes. Acima de tudo temos que zelar pelo ponto de vista regional. A bancada do nordeste tem estado lá vigilante, atenta”, assinalou a petista, que completou: “Vamos ao debate. Temos atuado para que o Nordeste para que o nordeste não tenha diminuição”. No Senado, a votação do projeto foi tumultuada. A bancada de estados como o Rio Grande do Norte, Paraíba, Ceará e Rio Grande do Sul, insatisfeitas com a redução de percentuais do FPE para seus esta-

dos, brigou. Não adiantou. O senador Paulo Davim observou que os potiguares votaram de maneira coesa contra a proposta e que apesar das reclamações as bancadas do sul e sudeste conseguiram aglutinar melhor as reivindicações. “Nós do RN contestamos, votamos de uma só forma, firmemente, mas não foi possível”, disse ele. O STF concedeu um prazo de seis meses para que o Congresso Nacional apreciasse a proposta depois que considerou o critério antigo de distribuição inadequado. Davim lamenta: “Eu acredito que na Câmara vai ser mais difícil ainda porque lá os estados maiores têm mais de-

putados”, opinou. O senador José Agripino (DEM) criticou a falta de articulação do governo federal com os estados. Francisco Dornelles (PPRJ) disse estranhar a posição de alguns senadores em relação aos estados do Sudeste. Segundo ele, perdas e ganhos não representam quase nada para um estado como o Rio de Janeiro. Já o senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) pediu a rejeição do projeto sob o argumento de que retira recursos de estados pobres como Paraíba e Rio Grande do Norte para entregar a estados ricos como São Paulo e Minas Gerais. ADRIANO ABREU

Secretário alerta para risco de perdas O secretário estadual de Planejamento, Obery Rodrigues, advertiu sobre as possíveis perdas do Rio Grande do Norte com a nova distribuição do FPE. A proposta mantém inalterados até 2015 os atuais índices de repasse. Mas a partir de 2016 novos critérios – como população e o inverso da renda domiciliar per capita – definirão a nova forma de partilha. O FPE é a principal fonte de renda de estados menos desenvolvidos, como é o caso do RN, e a perspectiva de rebaixamento do mon-

tante cabível a cada ente tem preocupado governadores e auxiliares. O secretário Obery Rodrigues, explicou que com os índices aprovados pelos senadores o estado potiguar perde, mas a longo prazo, mais especificamente a partir de 2018/2020. Segundo ele, neste período, o Rio Grande do Norte terá reduzido 0,10% da fatia que lhe cabe atualmente. E passará do coeficiente 4,1779% (ou total do bolo distribuído) para 4,0730%. “Tomando como base a parcela bru-

ta projetada para 2013 significaria uma redução de R$ 77,5 milhões do repasse anual”, disse ele. O secretário fez uma análise estimada da situação, levando em conta os valores do ano. O cálculo foi baseado em projeções que levaram em consideração indicadores de desempenho da economia e da arrecadação dos impostos federais, ou seja, do Imposto de Renda (IR) e do Imposto de Produtos Industrializados (IPI), que constituem a base sobre a qual incide os 21,5% que compõem o FPE.

Obery Rodrigues: Planejamento e Finanças

« REAÇÃO » OAB critica aprovação do da cura gay A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) criticou a aprovação do Projeto da “Cura Gay” pela Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados. Responsável pela área de direitos humanos da OAB, Wadih Damous classificou o projeto como “mais um dos absurdos” da comissão presidida pelo deputado Pastor Marco Feliciano (PSC-SP). Segundo Damous, o papel do Congresso é propor leis para garantir direitos, não para restringir ou criminalizar o direito à livre orientação sexual. “É lamentável uma proposição como essa justamente no momento em que o país assiste a uma mobilização social capaz de enfrentar práticas fundamentalistas e dar efetividade à defesa e garantia dos direitos humanos”. O Projeto da “Cura Gay”, do deputado João Campos (PSDBGO), foi aprovado ontem (18) na Comissão de Direitos Humanos. O texto suspende artigos da Resolução 1/99 do Conselho Federal de Psicologia para autorizar profissionais da área a propor o tratamento da homossexualidade.


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

geral

Gaudêncio Torquato [ gaudenciotorquato@tribunadonorte.com.br ]

E agora, galera? Ante a provável baixa da tarifa de ônibus nas capitais que sediaram as maiores manifestações populares dos últimos tempos, a indagação aguça a curiosidade de todos: qual será o próximo foco? O primeiro round da guerra que tem, de um lado, exércitos compostos por variados conjuntos da sociedade, e, de outro, guerreiros defensores do establishment, deve terminar com evidente vitória dos primeiros. O atendimento da demanda por executivos estaduais e municipais (até o alcaide paulistano cedeu) será o jorro d’água para apagar faíscas que ameaçam multiplicar fogueiras acesas nas principais regiões do território. Urge atentar para o sinal amarelo aceso no farol dos governantes e suas múltiplas significações: o som barulhento das ruas não mais carece de maestros de grandes orquestras, sejam políticos ou lideranças sindicais; não é preciso muito tempo para as massas afluírem às ruas; a tuba de ressonância desses temp for acolhida, como governantes de algumas capitais e Estados já o fizeram (gerando o efeito dominó), permanecerá a dúvida sobre os próximos passos da ampla movimentação social, eis que as palavras de ordem tentam expressar a amálgama de carências que compõem o Produto Nacional Bruto da Insatisfação, agrupando, entre outras, os estrangulamentos do sistema de transportes, a precária estrutura de saúde, as deficiências nas frentes educacionais e a crescente insegurança pública ante a avalanche de atos de extrema violência nas grandes cidades. E agora, galera, as batalhas continuarão? Haverá questões específicas a serem proclamadas? Os administradores públicos, por sua vez, ficarão entre a cruz e a caldeirinha: atenderão as demandas ou farão ouvidos de mercador.

A mobilização estudantil ganha expressão diante de uma paisagem urbana tradicionalmente ocupada por soldados comandados por Centrais Sindicais.” A questão abre um leque de abordagens. A primeira diz respeito à natureza das reivindicações. O pleito da redução da tarifa de ônibus posicionou na linha de vanguarda a esfera estudantil. Os jovens encontraram na vertente dos transportes uma causa próxima aos seus interesses, sem deixar de avocar outras demandas. Vale registrar a energia de um universo de quem se reclamava inércia, desinteresse, apatia. Desde os “caras pintadas” da era Collor não se via tanta disposição, a demonstrar que os exércitos estudantis são os primeiros a usar a musculatura e a entrar no palco de guerra, caso tenham motivo para tanto. A mobilização estudantil ganha expressão diante de uma paisagem urbana tradicionalmente ocupada por soldados comandados por Centrais Sindicais. Nas últimas décadas, vale lembrar, infiltraram-se elas nas entranhas do Estado, em conluio que deixa transparecer preocupação com os cofres. (Basta anotar as grandes concentrações de massas a cargo das Centrais nas festas do 1º de maio, animadas por sorteios de casas e carros). É saudável, portanto, enxergar grupamentos jovens voltando às passeatas, empunhando bandeiras e fazendo ecoar demandas e palavras de ordem. Ocorre que, para ser eficaz, a locução cívica dos estudantes carecerá, doravante, de clarificação de metas, sob pena de suas vozes se perderem na polifonia de uma Torre de Babel. Não se quer dizer que tenham de esquecer o discurso que clama por mudanças em muitas frentes, como este que costurou o pano de fundo da reivindicação da tarifa zero para as passagens de ônibus. Governantes e atores políticos de todas as instâncias precisam ser monitorados, avaliados, cobrados e, assim, perceber que há vigilantes cívicos fazendo ronda no entorno de palácios, sedes de governo, cúpulas congressuais, assembléias e câmaras. Mas, para efeito de resultados imediatos, as manifestações de caráter massivo necessitam abrigar metas, de acordo com parâmetros de bom senso e capazes de abrir diálogo entre partes. Nessa trilha e por conexão com a redução de tari-

fas, seria razoável que, nesse momento, os entes municipais e estaduais se debruçassem sobre os meios de mobilidade urbana, refazendo programas, reordenando cronogramas, com vistas à expansão dos sistemas e melhoria de qualidade dos serviços. Dessa forma, a movimentação adensará seu escopo e poderá obter mais vitórias. O recado das ruas serve também de alerta para que gestores públicos passem a lupa sobre os serviços precários em todos os setores da vida cotidiana. Afinal, aguda dissonância fere a sensibilidade tanto de platéias das cadeiras numeradas quanto de galeras das gerais: de um lado, a estética exuberante dos estádios de futebol, emoldurada por formas e traços futuristas, a denotar a absorção de avançados parâmetros tecnológicos; de outro, a acanhada e esburacada estrutura de serviços, cuja estética é pontilhada por corredores de hospitais locupletados de macas, filas quilométricas em postos de atendimento, superpopulação nos meios de transporte, vielas e becos apinhados de jovens drogados, chacinas seriadas nas periferias. Para completar o cenário de contrastes, a falta de ônibus para acesso rápido aos majestosos estádios e a indignação por se cobrar de torcedores 8 reais por um cachorro quente. A imagem que se tem é a do reizinho que tenta esconder doenças nas habitações de seu reino com paredes folheadas de ouro. Chama atenção o fato de que as manifestações se desenvolvem sob o empuxo de integrantes de grupamentos centrais: estudantes de curso superior (e seus pais), simpatizantes de partidos de esquerda, punks, ativistas em defesa de igualdade de gêneros e minorias, funcionários públicos, profissionais liberais etc. Os exércitos periféricos não formam os maiores volumes dos contingentes. Sabendo-se que as correntes centrais influenciam as margens (a pedra jogada no centro faz marolas que chegam à beira do lago), pode-se imaginar desdobramento perigoso caso bolsões miseráveis sejam afetados em sua parte mais sensível, o bolso. Nesse caso (Deus nos livre dessa ameaça), a fome se juntaria com a vontade de comer.

Gaudêncio Torquato, jornalista, professor titular da USP, consultor político e de comunicação Twitter@gaudtorquato

7

Após protestos, Prefeitura oficializa redução da tarifa « TRANSPORTE » Diário Oficial publica o decreto que estabelece a diminuição do valor cobrado no transporte urbano para o patamar anterior ao reajuste

JÚNIOR SANTOS

ROBERTO LUCENA repórter

A

tarifa do transporte público de passageiros em Natal voltou a ser de R$ 2,20 nas primeiras horas de hoje. O Decreto 9.998, de 21 de junho de 2013, que autoriza o novo valor, foi assinado na manhã da última sexta-feira pelo prefeito Carlos Eduardo e publicado no Diário Oficial do Município (DOM) de ontem. O Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros do Município do Natal (Seturn) permanece sem comentar o assunto. Nas ruas, a população comemorou a redução do preço. De acordo com o prefeito, a decisão de reavaliar o preço da passagem foi “política” e ocorreu num momento de mudanças no país, com Natal seguindo o rumo da vanguarda. “A medida está tomada e é irrevogável”, assegurou o prefeito. Indagado sobre possíveis reflexos da medida no orçamento municipal, Carlos Eduardo afirmou que não acarretará nenhum problema ao Município. “Não terá nenhum reflexo em nenhuma outra área da Prefeitura. Os empresários também precisam fazer os sacrifícios deles”, analisou o prefeito. Uma reunião deverá ocorrer entre Município e Seturn na próxima semana. Na manhã de ontem, os usuários do sistema comentavam a decisão do Poder Executivo Municipal. Para a maioria, o preço co-

Com o decreto assinado pelo prefeito, tarifa de transporte urbano em Natal volta aos R$ 2,20

brado ainda é considerado alto se comparado com a qualidade do serviço prestado. “Acho que a redução foi pequena. Deveriam baixar mais. O preço deveria ser, no máximo, R$ 1,80. Não temos um sistema de transporte público eficiente. Os ônibus demoram muito e as paradas estão todas quebradas”, disse Suziane do Nascimento, 27 anos, enfermeira. Já a auxiliar de enfermagem Marluce de França, 55 anos, acredita que a redução para R$ 2,20 satisfaz os usuários. “Acredito que esse é um valor justo. Se ficar mais caro que isso, aí complica o orçamento de quem é assalariado”, analisou. A redução do valor da tarifa

foi uma consequência imediata às manifestações populares encabeçadas pelo movimento #RevoltaDoBusão. Apesar do novo valor da passagem, os manifestantes garantem que o movimento não vai parar. Uma plenária para decidir as novas manifestações será realizada ainda essa semana. A intenção do grupo é lutar pelo fim da dupla função motorista/cobrador, ônibus 24 horas, passe livre para estudantes da rede municipal e desempregados e redução das tarifas na Região Metropolitana de Natal. Em coletiva de imprensa na última quinta-feira, o diretor do Departamento de Estradas de Rodagem do Rio Grande do Nor-

Advogado e juiz divergem sobre redução da maioridade penal « LEI » Proposta para reduzir a idade a partir do qual os jovens podem ser responsabilizados por crimes provoca debates acirrados

A

polêmica em torno da maioridade penal e medidas socioeducativas foi tema de mesa redonda do projeto “Café e Debate”, da editora Paulus. O encontro ocorreu na manhã deste sábado (22) e, como já era previsível, o antagonismo de opiniões em torno do debate foi uníssono em pelo menos um aspecto: a ineficácia do Poder Público em garantir condições adequadas ao sistema. Os palestrantes Marcos Dionísio Caldas, coordenador do Conselho Estadual de Direitos Humanos; e José Dantas de Paiva, juiz da 1ª Vara da Infância e Juventude de Natal, observaram que enquanto não houver um aparato estatal eficaz, que atenda adequadamente os menores infratores e possa ressocializá-los é inviável discutir maiori-

dade penal. “Como está hoje é jogar lixo para debaixo do tapete”, opinou o magistrado. Em visão oposta, o advogado criminalista Paulo César Ferreira, disse ser a favorável a mudança no Código Penal, embora com ressalvas. “Esperar a adequação do sistema seria uma solução a longo prazo. A sociedade clama mudanças e punição”, frisou Ferreira. O debate é controverso país afora, no entanto, as condições dos estabelecimentos prisionais para abrigar infratores comuns, e a peculiaridade psicológica e social que requer um adolescente tem sido argumento sumário para que as mudanças não avancem. O coordenador Marcos Dionísio observou, também, que de cada 100 homicídios em Natal apenas 5,6%

são elucidados pela Polícia e encaminhados para denúncia do Ministério Público e, em seguida, para julgamento. “Isso quer dizer que de cada 100 homicídios, os autores de 94 deles permanece desconhecidos da Polícia, MP e da própria Justiça”, ponderou, antes de acrescentar: “Só há impunidade para o adolescente infrator? Não será essa impunidade que deveria ser resolvida?”. O criminalista Paulo César enfatizou ser inconcebíveis as estratégias de adolescentes que aproveitam os favorecimentos da lei para cometer crimes brutais. “Há casos de adolescentes que admitem que cometeram atos contra a vida um dia antes de completarem 18 anos para se livrarem das penas severas”, criticou.

te (DER/RN), Demétrio Torres, responsável pela composição dos valores das tarifas intermunicipais, assegurou que o custo de tais passagens está em fase de reavaliação. Entretanto, a assessoria de imprensa do órgão confirmou que ainda não há data para a divulgação da redução ou manutenção dos atuais valores. O DER/RN confirmou que, seguindo o mesmo caminho da Prefeitura de Natal, determinou a desoneração de impostos como PIS e Cofins das passagens. Mesmo assim, alguns trechos sofrerão ágios de valor de até 13%. De determinados pontos de Macaíba, as passagens para Natal chegam a custar R$ 3,20 cada trecho.

O problema é que os estabelecimentos que deveriam ressocializar esses adolescentes não funcionam” JOSÉ DANTAS juiz da Infância e Juventude

A sociedade clama por mudança e punição” PAULO CÉSAR FERREIRA advogado criminalista

autos&

motores

TODAS AS SEXTAS NA

TRIBUNA DO NORTE


8

geral

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

Manifestantes permanecem nas ruas « MANIFESTAÇÕES » Um dia após o pronunciamento da presidenta Dilma Rousseff, protestos continuam e interditam avenidas nas capitais, mas depredações ficam limitadas a pontos isolados GIULIANO GOMES/AE

U

m dia após o pronunciamento da presidenta Dilma Rousseff, o sábado se inicia com manifestações em várias partes do País. No Rio Grande do Norte, manifestantes de Mossoró se vestiram de branco contra a violência. Embora os registros tenham sido de agitações pacíficas, algumas interdições e focos de vandalismos também foram identificados. Em São Paulo, a avenida Celso Garcia, na Zona Leste, foi interditada por manifestantes. Em Belo Horizonte, cerca de mil pessoas ocuparam a Praça Sete. Goiânia teve relatos de manifestantes escoltados por policiais. E no Rio Grande do Sul, houve protestos em Cruz Alta e em Santa Maria. As informações são da manhã de sábado e primeiros minutos da tarde. Em São Paulo, algumas rodovias voltaram a ser interditadas por manifestantes. Em Belo Horizonte, seis mil pessoas estavam nas ruas. Para o final da tarde e início da noite, estavam previstas manifestações em ao menos 8 capitais e 65 cidades do interior do país. Só em Salvador devem ocorrer três protestos. São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Belo Horizonte, Fortaleza, Campo Grande e Boa Vista são outras capitais onde manifestantes prometiam ir às ruas. Nos EUA, moradores de Austin devem declararam seu apoio aos atos brasileiros às 12h (hora de Brasília). Em rede nacional, a presidenta Dilma Rousseff anunciou na noite de sexta-feira (21), que vai elaborar um Plano Nacional de Mobilidade Urbana que privilegie o transporte público. Ela também disse que receberá “líderes das manifestações pací-

Jovens começam o fim de semana nas ruas das capitais

NÚMERO

6 mil pessoas estavam nas ruas na manhã de sábado em BH.

ficas” e que conversará com governadores e prefeitos das principais cidades para elaborar um pacto para a melhoria dos serviços públicos. O pronunciamento foi uma resposta à série de manifestações desta semana em mais de 140 cidades do país. Dilma passou o dia

TARSO SARRAF/AE

Manifestantes continuam com ampla pauta de reivindicações

de sexta-feira discutindo com ministros e assessores a conveniência de fazer o pronunciamento, gravado no final da tarde. “Vou convidar os governadores e os prefeitos das principais cidades do país para um grande pacto em torno da melhoria dos serviços públicos. O foco será:

primeiro, a elaboração do Plano Nacional de Mobilidade Urbana, que privilegie o transporte coletivo; segundo, a destinação de 100% dos recursos do petróleo para a educação; terceiro, trazer de imediato milhares de médicos do exterior para ampliar o atendimento do SUS”.

No pronunciamento, a presidente condenou o vandalismo e as depredações registradas em várias das manifestações e criticou a “minoria violenta e autoritária” que danificou prédios públicos. “O governo e a sociedade não podem aceitar que uma minoria violenta e autoritária destrua o patrimônio público e privado, ataque templos, incendeie carros, apedreje ônibus e tente levar o caos aos nossos principais centros urbanos”, afirmou Dilma. Segundo ela, essa violência “envergonha o Brasil”, é resultado da ação de uma “pequena minoria” e não pode “manchar um movimento pacífico e democrático”. Sobre corrupção, um dos temas mais frequentes nos cartazes de manifestantes nos protestos, a presidente afirmou que o país necessita de “formas mais eficazes” para combater o problema. “A mensagem direta das ruas é pacífica e democrática. Ela reivindica um combate sistemático à corrupção e ao desvio de recursos públicos. Todos me conhecem. Disso eu não abro mão”, declarou. A presidenta justificou os gastos com a Copa do Mundo, um dos principais motivos de protesto dos manifestantes, que reivindicavam a aplicação em saúde e educação do dinheiro gasto com a construção de estádios. “Em relação à Copa, quero esclarecer que o dinheiro do governo federal, gasto com arenas, é fruto de financiamento que será devidamente pago pelas empresas e governo que estão explorando estes estádios. Jamais permitiria que esses recursos saíssem do orçamento público federal, prejudicando setores prioritários”, garantiu.

Mossoroenses pedem melhorias na segurança Cerca de 2 mil mossoroenses foram às ruas na manhã desse sábado em um protesto do movimento “Chegaaa! Paz Mossoró” pedindo segurança na cidade. Vestidos de brancos, os manifestantes pediram várias melhorias na área de segurança de Mossoró, como o aumento do contingente policial, aumento no número de viaturas para rondas e uma ação mais efetiva no combate ao tráfico de drogas. Durante a manifestação, o recente sequestro do Fabinho Porcino foi lembrado, mas a organização enfatizou que a crise na segurança foi o principal motivador do movimento. Segundo dados do Instituto TécnicoCientífico de Polícia (Itep), 90 pessoas foram assassinadas esse ano em Mossoró. Organizada em redes sociais no início de junho, a manifestação se concentrou por volta das 8h, no Memorial da Resistência, no Centro de Mossoró. De lá, seguiram para a Praça Rodolfo Fernandes, também conhecida como Praça da Pax. Os participantes do protesto ainda fizeram um minuto de silêncio para lembrar as vítimas da violência e cantaram o hino nacional, por volta de 10h. A Polícia Militar, Civil e Guarda Municipal estiveram presentes no protesto, que foi considerado completamente pacífico. Por várias vezes, os policiais presentes foram parados pelos manifestantes para tirarem fotos. Os Guardas de Trânsito também estiveram nas ruas para organizar o tráfego e amenizar possíveis transtornos.


geral

Governo Dilma teme protestos durante visita de Francisco

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

ANDRÉ DUSEK/EC

« JORNADA » Papa vem ao Brasil em julho para encontro mundial de jovens. Ministro prevê que evento vai atrair manifestações RAFAEL MORAES MOURA

rasília - Um dos auxiliares mais próximos da presidente Dilma Rousseff, o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, considera que a Jornada Mundial da Juventude, prevista para ocorrer no próximo mês no Rio de Janeiro, pode se desenrolar dentro de um clima de manifestações semelhante ao que vive atualmente o País. Ao comentar as manifestações da última quinta-feira (20), o ministro condenou que os protestos tenham, em alguns casos, virado “expressão lamentável e irresponsável de vandalismo que nos não podemos aceitar”. “A Jornada pode, nós temos de ter clareza, ocorrer dentro de um clima que não vou dizer igual aos dias de hoje, pois a conjuntura evolui tão rapidamente que não temos como profetizar como vai acontecer, seria temerário. Mas teremos de estar preparados para a Jornada ocorrer inclusive em um clima com manifestações no País”, disse o ministro, durante reunião preparatória para o evento, no Palácio do Planalto. Programada para ocorrer de 23 a 28 de julho, a Jornada Mundial da Juventude é um evento organizado pela Igreja Católica e que este ano receberá o papa Francisco. A reunião de hoje foi aberta a cinegrafistas apenas no início - não foi possível acompanhar todo o discurso do ministro. Carvalho destacou que, por um lado, o governo vê os protestos como uma celebração da democracia, frisando que foi difícil conquistá-la. “A gente acha que as massas nas ruas são importantes porque significam o engajamento da cidadania na busca pelos seus direitos. A jornada é mais um desses eventos de expressão de cidadania. Agora ao mesmo tempo temos de entender que essas mani-

B

festações estão demandando mudanças”, comentou o ministro. Para Gilberto, os protestos expressam uma “insatisfação popular expressa, às vezes, de maneira mais adequada, às vezes de maneira menos adequada”. Na avaliação do ministro, os manifestantes levantam temas e bandeiras como o combate à corrupção, a exigência de ética na política e a cobrança de serviços públicos de qualidade, exigindo atitudes dos governos - nas três esferas.

Consumo “E também estão a mostrar essa grande camadas de brasileiros que emergiu da exclusão e que passou a consumir, ela quer novos direitos, e é natural e bom que assim seja. Nós mesmos criamos condições para que houvesse um novo padrão de exigência que temos de correr atrás. E procurar atender essas demandas. A atitude do governo federal desde o primeiro momento foi de ir ao encontro das manifestações, abrir o Palácio para conversas com lideranças, tendo a compreensão de que se trata de um novo tipo de movimento, um novo tipo de liderança”, prosseguiu o ministro Carvalho disse que o que preocupa, no momento, é que as manifestações acabam virando palco de “expressão lamentável e irresponsável de vandalismo que nos não podemos aceitar”. A manifestação na Esplanada dos Ministérios, na quinta-feira, reuniu em torno de 30 mil pessoas, segundo a Polícia Militar, e teve momentos tensos e violentos, quando um grupo de cerca de 100 pessoas tentaram invadir o Itamaraty.

+

NATAL 1 A 3 Leia mais sobre os rumos das manifestações, os antecedentes históricos e as reivindicações dos jovens que saem às ruas DIVULGAÇÃO

Ministro Gilberto Carvalho: pessimismo quanto aos protestos

9

Durante jornada de manifesta;ões na quinta-feira (20), vândalos tentam invadir Itamaraty. Episódio chocou o Governo Dilma


10

geral

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

»ENTREVISTA » LUIZ WERNECK VIANNA SOCIÓLOGO E PROFESSOR DA PUC-RIO

DIVULGAÇÃO

“A busca é por reconhecimento e participação política” « MANIFESTAÇÕES » Jovens que promovem protestos nas ruas das cidades brasileiras estariam expressando divórcio atual entre instituições e a grande maioria da sociedade

PATRICIA FACHIN E GRAZIELA WOLFART

“O

que acontece nessas manifestações é uma recusa”. A afirmação é do professor e pesquisador Luiz Werneck Vianna (foto abaixo) ao comentar sobre a onda de protestos que se disseminou pelas principais capitais brasileiras na última segundafeira, dia 17-06. “Ao longo desses anos, essa geração cresceu vendo e se confrontando com uma situação em que os partidos e a classe política em geral se desmoralizavam a cada dia (...). Tudo isso foi distanciando a população, especialmente os jovens, da vida institucional. Eu insisto: o problema todo é auscultar de forma correta os sinais que estão vindo e agir da forma mais tempestiva possível, pois há o risco de não haver mais tempo”. Para ele, as manifestações expressam “um sentimento de exclusão da arena pública” e “a busca por reconhecimento social”. “As pessoas querem ser reconhecidas, querem que sua dignidade e identidade sejam respeitadas, legitimadas. O tema do reconhecimento, por um lado, e o da participação política, por outro, são o combustível dessa movimentação”, avalia. Werneck Vianna afirma torcer para que o processo desses dias “sirva como uma sinalização poderosa para que mudanças importantes na política brasileira comecem a ser encaminhadas. É um sinal de alerta. Se nada for feito a tempo, se é que ainda há tempo, esse movimento pode ter um desfecho muito ruim. É preciso evitar (...) que 2013 tenha o mesmo desfecho que 1968, isto é, uma juventude desencantada com a política, radicalizada e que procure formas inadequadas de resolução de problemas”. Como podemos compreender as manifestações sem lideranças que ocorreram ontem e na última semana em várias capitais brasileiras? O que elas significam? De um lado, o afastamento imenso da população, em especial dos jovens, da política e dos partidos políticos. Esse é o primeiro ponto, muito evidente. O porquê do movimento, aparentemente por um motivo qua-

As pessoas querem ser reconhecidas, querem que sua dignidade e identidade sejam respeitadas, legitimadas. O tema do reconhecimento, por um lado, e o da participação política, por outro, são o combustível dessa movimentação”

É preciso evitar (...) que 2013 tenha o mesmo desfecho que 1968, isto é, uma juventude desencantada com a política, radicalizada e que procure formas inadequadas de resolução de problemas”

se banal – o aumento irrisório do preço das passagens –, ter desencadeado esta proporção só pode ser entendido como um sentimento que vem se acumulando de exclusão e insatisfação. Ao lado disso, se nas ruas não há vestígios de organização, as redes sociais estão absurdamente dominadas por um diálogo interminável a respeito da situação da geração atual, que tomou forma a partir de um episódio que podia ser entendido como algo de menor expressão. O fato também de terem sido rechaçados por uma repressão muito forte, após seus primeiros movimentos, incendiou a imaginação. Enfim, essa geração se pôs no mundo e está aí a sua marca. Por outro lado, é preciso considerar que esse país tem passado por mudanças muito significativas na sua composição social, na sua demografia, na sua estrutura de classes. Há uma nova classe média, não a classe dita “C”, relacionada a esses programas governamentais, como o Bolsa Família. É uma classe média dos novos serviços, das novas ocupações, que é muito diferente das classes médias tradicionais, tal como havíamos conhecido. Trata-se de uma classe média de um novo tipo. E ela está sem perspectiva quanto ao seu projeto de vida. Além do mais, os setores baixos dessa classe média estão cultivando um ressentimento muito grande. Este ressentimento se manifestou na raiva com que essas manifestações se deram. Na Espanha, as manifestações dos indignados do movimento 15M demonstraram um desconforto econômico, político e social. As mesmas razões motivam as manifestações no Brasil, ou elas são de outra ordem? Acho que não são as mesmas razões. O tema aqui é mais político e cultural. É um sentimento de exclusão da arena pública. A falta de participação dessa geração na política é algo que chama a atenção. Por outro lado, a busca por reconhecimento social desses grupos emergentes das classes médias é muito forte e o tema do reconhecimento é muito associado ao tema do ressentimento. As pessoas querem ser reconhecidas, querem que sua dignidade e identidade sejam respeitadas,

legitimadas. O tema do reconhecimento, por um lado, e o da participação política, por outro, foram o combustível dessa movimentação. Não creio que isso esteja vinculado diretamente a causas econômicas. Até porque, como se observa, do ponto de vista da economia, há no país – e as pesquisas indicam isso – um sentimento de satisfação, de que a vida tem melhorado e pode melhorar ainda mais. Devemos procurar as origens desse movimento que ainda não terminou e não se sabe para onde vai. Fora as redes sociais, não há nada que esteja organizando a sociedade, especialmente essa multidão de jovens, que vem acorrendo à vida social. Não há clubes, não há partidos. Estes (os partidos) vivem inteiramente orientados para sua reprodução política, eleitoral, não têm trabalho de consolidação, de nucleação. A própria Igreja Católica, que antes cumpria um papel muito importante nessa organização, hoje tem um papel muito pequeno. A sociedade está inteiramente isolada da esfera pública. São dois mundos que não se tocam. Um movimento desses, multitudinário, que vai às ruas, sem lideranças conhecidas, é um perigo. Tudo pode acontecer. Abre-se campo para a selvageria. Com quem negociar? É um sinal de alerta. Se nada for feito a tempo, se é que ainda há tempo, esse movimento pode ter um desfecho muito ruim. É preciso evitar – e escrevi isso em um artigo que saiu hoje (18-06) no Estadão – que 2013 tenha o mesmo desfecho que 1968, isto é, uma juventude desencantada com a política, radicalizada e que procure formas inadequadas de resolução de problemas. E quais seriam as formas adequadas? Participação política e organização social. Ainda há um cenário propício para isso? Se não houver, as coisas irão mal. O sinal que soou é muito forte para não ser ouvido e bem interpretado. A política de presidencialismo de coalizão, da forma como a praticamos, demonstrou seu esgotamento, le-

vou à desmoralização da política com o “toma lá, dá cá” e a compra de votos. O que significa uma manifestação cujo grito de guerra seja “povo unido não precisa de partido”? Trata-se da falência da política representativa? Como pensar uma política sem partidos? O que acontece nessas manifestações é uma recusa. Ao longo desses anos, essa geração cresceu vendo e se confrontando com uma situação em que os partidos e a classe política em geral se desmoralizavam a cada dia. Basta ver o noticiário dos jornais: corrupção disso, negociata daquilo. Tudo isso foi distanciando a população, especialmente os jovens, da vida institucional. Eu insisto: o problema todo é auscultar de forma correta os sinais que estão vindo e agir da forma mais tempestiva possível, pois há o risco de não haver mais tempo. O que temos a comemorar nesta terçafeira é um fato importantíssimo: de que esse movimento ainda não carrega um morto. Se tivesse havido conflitos mais severos, com mortos, não se sabe como o país teria acordado hoje. Agora é preciso fazer um balanço do que vem acontecendo e apresentar alternativas e soluções. Nisso, a imprensa tem um papel muito importante de localizar entre eles lideranças, fazer com que elas falem, identificá-las. Porque evidentemente as lideranças podem estar subterrâneas. Afinal, deve haver pessoas que estejam exercendo uma liderança silenciosa sobre esse processo todo. 2013 pode ser o começo de uma cena nova, significando a entrada dessa geração na política institucional brasileira. Ou, contrariamente, com um mau desfecho, uma má solução, isso pode acabar como em 1968, radicalizando a juventude e afastandoa da vida política. Gilberto Carvalho (ministro do governo Dilma, leia na página 9) disse que o governo está preocupado com os protestos e quer garantir diálogo com os movimentos para entender “anseios importantes” que têm levado

ì QUEM É Luiz Werneck Vianna

O QUE FAZ professor-pesquisador na PUCRio. Doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo, é autor de, entre outros, A revolução passiva: iberismo e americanismo no Brasil (Rio de Janeiro: Revan, 1997); A judicialização da política e das relações sociais no Brasil(Rio de Janeiro: Revan, 1999); e Democracia e os três poderes no Brasil(Belo Horizonte: UFMG, 2002). Sobre seu pensamento, leia a obra Uma sociologia indignada. Diálogos com Luiz Werneck Vianna, organizada por Rubem Barboza Filho e Fernando Perlatto (Juiz de Fora: Ed. UFJF, 2012).

as pessoas a se manifestar. O governo foi pego desprevenido? O governo e todos nós vamos ter que entender. O que eu posso dizer é que o acontecimento foi de tal proporção que os seus próprios participantes, hoje, devem estar na condução, nas escolas, nas universidades, discutindo o que houve ontem e o que fazer. O que está claro é que a grande massa desse movimento reprimiu a violência de alguns grupos. Ali se misturou tudo. Os setores mais ressentidos tiveram a oportunidade de manifestar sua fúria, num protesto pela sua exclusão, pelo fato de não serem reconhecidos, e no protesto pelas políticas públicas que não funcionam, como tantas faixas falavam: “não queremos Copa, queremos saúde e educação”. Essa questão da Copa demonstrou ser realmente um desastre, com gastos suntuosos para a organização de um espetáculo de tipo europeu, que não tem nada a ver com a tradição do futebol brasileiro. As pessoas se sentiram excluídas também nos estádios. De modo que a chave não é econômica. Ela é fundamentalmente política e cultural.


Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

quadrantes JOSÉ ARNO GALVÃO [ ADVOGADO ]

Bengalas, sangria e leite de coco

J

osé Mamede Galvão de Freitas, meu avô paterno, era um homem de convicções firmes e temperamento difícil. Dizem até as más línguas que eu teria herdado dele algo mais que o nome e as canelas finas. Já fui indagado mais de uma vez sobre a origem do sobrenome Mamede, aportuguesamento do árabe Maomé, embora se saiba que nossa família não tem nenhuma relação com os povos daquela região. Tudo indica que, numa época em que não estava ainda em vigor o regime de re-

gistro civil instituído pelo Código de 1916, resolveu ele adotar esse nome, a exemplo do que faziam tantos dos nossos ancestrais e que meu pai permitiu-se, ao trocar as posições de parte de seus sobrenomes. Vovô não era dado a manifestações de apreço ou de carinho, mas parece que, junto com Sany, minha irmã mais velha, eu consegui penetrar em sua couraça. O fato é que ele gostava de usar umas bengalas feitas de cipó brocha, que tinham tripla utilidade: serviam de apoio nas ca-

minhadas pelo meio do mato, além de poder ser utilizadas como arma, e era usadas como açoite, quando montado a cavalo. Ao chegar à sua casa, nas férias, encontrava sempre três ou quatro dessas bengalas, as cabeças cuidadosamente esculpidas a ponta de faca nos nós do cipó. Ficavam encostadas à parede da sala de visita e eu não perdia tempo em apoderar-me de uma delas. E em dar-lhe uma nova utilidade: amarrava um barbante junto à cabeça e estava munido de uma montaria que só es-

perava que eu a cavalgasse. Sob o olhar sorridente de Vovô. Uma das lembranças mais vívidas da minha infância era o sabor da sangria que minha mãe preparava, misturando vinho tinto, água e açúcar. Pensei, durante muito tempo, ter sido essa uma exclusividade de nossa casa, mas enganei-me, pois Regina Barreto lembra também de ter tomado sangria preparada pela mãe dela. Na primeira visita que fiz a Madri, almoçando no restaurante do Estádio do Real Madri, experimentei a sangria

lá deles, que tem uma diferença grande, pois é feita com suco de laranja; a mesma fórmula utilizada em Toledo, onde, na companhia de Marília, derrubei uma jarra para me refrescar da tarde quente. Uma das delícias de nossa culinária é, realmente, o leite do coco. O sabor transmitido por ele aos pratos é inigualável; para confirmar basta comparar com uma canjica ou uma pamonha em que se tenha utilizado o leite de vaca. Lá em casa, o leite de coco alem dessa serventia, era usado para preparar diversos pratos, principalmente de peixe e de outros frutos do mar, conferindo-lhes um gosto que o azeite de dendê apenas acentuava. Era usado, tam-

JULIANO SIQUEIRA [ PROCURADOR ]

bém, na feitura de alguns bolos, notadamente o de batata e o de milho, E gostava muito de preparar eu mesmo o prato de batata com coco: machucava uma porção de batata doce, a que adicionava leite de coco até deixá-la cremosa; temperava com sal e acrescentava linguiça do sertão e um ovo frito, com a gema meio crua. O problema era que, lá na casa de Tibáu, a dormida era num quarto comum... Mas, segundo Dácio, suas investigações o levaram à conclusão de que lá em casa dávamos ao leite de coco um uso desconhecido de outras casas, ao molhar com ele o pão. Ainda hoje, considero um prazer ingerir o pão molhado com o leite de coco.

LUCIANO RAMOS [ PROCURADOR ]

Sua Excelência Os Fatos

Uma cabeça ´ de luzes

E

smeraldo Homem de Siqueira morreu em 20 de junho de 1987, pouco antes de chegar aos setenta e nove anos. Seu nome não está em avenidas, escolas, salas. Também, foi banido de exposições, amostras e antologias, produzidas pelo arrivismo pseudo-cultural. Uma exceção: a Biblioteca Pública Municipal, localizada na Capitania das Artes, fruto de um ato digno e independente da primeira prefeita de Natal. Sua vaga, na Academia Norterio-grandense de Letras, foi ocupada por um serviçal do regime militar. Uma espécie de provocação póstuma. Olvidado como fundador da Universidade pública e gratuita (três faculdades!). Até o mais singelo projeto, de iniciativa de um legislador municipal de Natal, emprestando-lhe o nome a uma ruazinha de meia dúzia de casas, no bairro do Tirol, que conheceu e amou na infância e onde sofreu, nos anos que antecederam à morte, foi objeto de veto do Executivo. Alegação: num conjunto perdido, uma via clandestina já o tinha homenageado. A mediocridade de um ex-alcaide era capaz de tudo. O poeta maior – brasileiro, potiguar, universal – , Othoniel Meneses, nos anos cinquenta, em palestra que proferiu na antiga Associação dos Professores, hoje Sindicato dos Trabalhadores em Educação,proclamou:“EsmeraldoSiqueiraéacabeçamais luminosa da sua geração”. Não se inspirou na amizade nascida sob o Estado Novo e na maré alta do nazi-fascismo, mas na verdade, no reconhecimento do saber imenso do amigo das horas difíceis. EsmeraldoSiqueira,meupai,eradotadodeuma memória incomparável, de ironia fina e cáustica, de um volume enciclopédico de informações. Conversava com os clássicos, neoclássicos e iluministas; polemizava com a filosofia alemã; admirava as teoriasdosocialismo;sabiacriticamentedepositivismo e evolucionismo. Dominava a língua e navegou por outras. Viajava, todos os dias, a literatura dos grandes, de Homero e Flaubert, conhecendo até o exagero dos detalhes, os artistas das várias artes e suas obras fundamentais e secundárias. Quando parou de ler, estudar, escrever, sua vida estava reduzida ao embate com o mal que o devorava. Seus vinte e cinco livros publicados e uns vinte inéditos são a expressão do seu mundo ideal, contudo marcado pelos limites e vicissitudes de uma existência singular. Sua indisposição em compor nas fileiras dos acomodados, em ação e verbo, seu horror ao poder burguês e ás chamadas elites dirigentes, fizeram-no um exilado em sua própria Cidade. Alguns amigos, poucos familiares, a gente mais humilde, estes os que constituíam seu público preferido e real. O mais era sonho. A companheira de quarenta anos, os filhos, os primeiros netos e netas, as noras, conheceram sua extrema sensibilidade e dedicação. Não era uma linha reta, tinha momentos de revolta, equívocos, solidão. Era humano, Loucamente humano e apaixonado pela humanidade, a poesia, os vinhos. Com ele a ética se tronava concreta, palpável. Impossível cooptá-lo, corrompê-lo. Diziase cidadão do mundo e livre pensador. Portanto, sempre se colocou na mão da história. Esse homem, com tantas luzes no pensamento, sofria intensamente com uma partida de futebol, fosse a sorte do América F.C. ou da Seleção Brasileira que estivesse em jogo. Gritava gol a plenos pulmões. Não engolia palavrões. Ao contrário. Esmeraldo Siqueira parecia, por vezes, uma criança. Que o diga a crônica natalense da Copa do Mundo de 1958. Ano em que, no dia 16 de agosto, atingiu meio século de vida. Da sua irreverência e sinceridade ferina colheu incompreensões, temores e inimizades. A vingança do esquecimento, acovardado e charlatão, os eunucos guardaram para quando já não fosse mais capaz de fustigá-los ( e defender-se). Vinte e seis anos são passados, desde sua morte, em 20 de junho de 1987. No próximo 16 de agosto, cento e cinco anos do seu nascimento, em Vila Nova. E Esmeraldo Siqueira continua, no seu sono definitivo e leve, assustando os golpistas da conspiraçãodosilêncio,essagentedacordomedo,comouma sombra, ainda, muito incômoda. Uma cabeça luminosa, um discurso sem eufemismos, uma voz forte e clara. Um Siqueira, como seus ancestrais. Filhos, sobrinhos e netos, cultivem a memória do pai, tio e avô, e aprendam. Aprendam sempre. Essa é a nossa única força.

11

Depois de 20 anos na escola/Não é difícil aprender/Todas as manhas do seu jogo sujo/Não é assim que tem que ser. Vamos fazer nosso dever de casa/E aí então vocês vão ver/Suas crianças derrubando reis/Fazer comédia no cinema com as suas leis. Somos os filhos da revolução/Somos burgueses sem religião/Somos o futuro da nação (Geração Coca-Cola, Legião Urbana).

N CLÁUDIO EMERENCIANO [ PROFESSOR DA UFRN]

Crise: sátira voltaireana? Há homens excepcionais que se devotaram em Leibniz, para quem, qualquer que fosse a circunsperscrutar a condição humana. Desvendá-la na tância, injusta, cruel e desumana, o homem deveamplitude de suas contradições. Dos atos, ideais ria estar satisfeito, pois estaria “no melhor dos e fé que a alçam às dimensões espirituais. Mas mundos possíveis”. Parece ser essa a percepção também as posturas que a rebaixam. Que a denidos “ilustres” atores da crise moral que atinge o grem, nivelando-a ao rastejar dos répteis. A reBrasil. Os brasileiros devem conformar-se? Aceivelação desse universo de contrapontos exibe tar passivamente tudo quanto mina e decompõe paradoxos sociais, eloquentes e indiscusuas instituições democráticas? Por fim, tíveis, entre civilização e selvageria, al“O Ingênuo” é um convicto desmemotruísmo e egoísmo, espírito público riado, que, para “viver melhor”, ese corrupção, liberdade e arbítrio, quece seu passado histórico, como justiça e iniquidade, paz e violênse o presente fosse versão sempre cia, ordem e caos. Os extremos são atualizada dos seus valores e creninfindos. Essas crises evidenciam ças. Aldous Huxley e George Orwell, a indignação de cidadãos comuns, respectivamente autores de “O adanônimos, com o status social, ecomirável mundo novo” e “1984”, advernômico, político e moral predominantiram o mundo para a hipocrisia dos pote em sua nação. Quando eclodem derosos. Ditadores que supunham poem uma democracia, geralmente re“Há homens der modificar a vontade de cada um e sultam em aprimoramento das ins- excepcionais que se todos ao sabor dos seus propósitos. Hitituições. No outro extremo, quando devotaram em tler, Stálin e Mussolini, no século XX, irrompem em sociedades totalitárias, perscrutar a foram os mais primorosos modelos da a erosão é inevitável. Assim acontecondição humana. tipologia “voltaireana”. ceu a partir de 1989 com a derrocaDesvendá-la na Rendo minhas homenagens a quada das ditaduras comunistas no lesamplitude de suas tro saudosos amigos. Políticos de exemte europeu. contradições. Dos plar espírito público e intelectuais de Voltaire (François-Marie Arou- atos, ideais e fé que cultura e visão universais: Aluízio Alet), filósofo, romancista e enciclopea alçam às ves, Odilon Ribeiro Coutinho, Thales dista francês do século XVIII, idendimensões Ramalho e Grimaldi Ribeiro de Paiva. tificou, ampla e profundamente, alespirituais. Mas Periodicamente cada um relia Voltaire tos e baixos do homem e sua vida sotambém as por considerá-lo atualíssimo. Incluo cial. Há quem diga que Honoré de posturas que a dois outros amigos, meus mestres, tamBalzac o tenha sobrepujado em sua rebaixam. Que a bém seus leitores infatigáveis: Améri“Comédia humana” (romances que denigrem, co de Oliveira Costa e Mário Moacir perfilam mais de treze mil personanivelando-a ao Porto. Uma coisa certamente eu lhes gens). Mas Voltaire foi original, gerastejar dos diria: – Nunca tão poucos infelicitaram nial e insuperável na arte de satirizar répteis. A revelação e envergonharam tantos. A crise que e ironizar. Em tantos e tantos dos desse universo de aí está precisa suscitar reflexões e reseus romances e contos, há circuns- contrapontos exibe visão de atitudes em autoridades pútâncias e pessoas incrivelmente separadoxos sociais, blicas no âmbito das três esferas de pomelhantes àquelas que dão forma e eloquentes e der (federal, estadual e municipal), no conteúdo à crise brasileira. Particu- indiscutíveis, entre Judiciário, no Legislativo e no Minislarmente “Micrômegas”, “Cândido civilização e tério Público. ou o otimismo” e “O ingênuo”. Pareselvageria, Recentemente a Comissão de Conscem sátiras dessa ridícula, medíocre, altruísmo e tituição e Justiça da Câmara dos Depuboçal, hipócrita e estúpida conjunegoísmo, espírito tados aprovou um Projeto de Emenda tura brasileira. Infelizmente. público e Constitucional (PEC), submetendo de“Micrômegas” foi inspirado em corrupção, cisões do STF à apreciação do Legisla“Gulliver”, personagem criado pelo liberdade e tivo. Um absurdo e uma felonia. Exisirlandês Jonathan Swift. É um viaarbítrio, justiça e tia isso na União Soviética de Stálin, na jante interplanetário. Procedente de iniquidade, paz e Romênia de Nicolai Causescu e obviauma estrela: Sírio. Um dia chega à violência, ordem e mente em Cuba. Pior: o autor do pareTerra e se defronta com abusos, exocaos” cer foi um deputado do PSDB, cuja ditismos e absurdos de governantes. reção se manteve inerte. Agora o SuQue, deliberadamente, ignoram conpremo julgou uma ação em que se presequências de suas atitudes e maneitendia impedir a tramitação de um prora de ser na vida dos governados. Destacam-se jeto de lei no Congresso Nacional. O STF reconhenessa sátira os magistrados, descomprometidos ceu que não pode intervir no processo legislaticom seus misteres institucionais. Voltaire satirivo. A Constituição é clara: qualquer lei ou emenza assim o que hoje em dia chamam de “sistema da podem ser sustadas em sua vigência, medianpolítico-institucional”. Sua visão não é anárquite arguição de inconstitucionalidade interposta, ca, mas de intolerância com o cinismo e a impudentre outros, pelo Ministério Público, que é o fisnidade desses corruptos e corruptores. “Cândical da fiel observância das leis. Perdemos o bomdo” é sua obra-prima. Sua “vítima” é o filósofo senso?

ossa mente parece querer reduzir todos os fatos a uma conta matemática simples, descartando trabalhar com inúmeras variáveis complexas, inclusive ao analisar fatos históricos como os que ocorreram no dia 17 de junho de 2013. Para cada efeito, precisamos de uma causa que lhe tenha gerado, e esta há de ser soberana, explicação última que ligue uma linha reta entre antecedentes e consequentes. À evidência, este reducionismo é incompatível com fatos sociológicos complexos, sobretudo por que a sociedade é um organismo ainda mais peculiar do que os indivíduos que a compõem, que por si só já estão muito longe de serem lineares ou cartesianos. Recordo-me, ilustrando as nuances da alma humana, de um casal que se divorciou supostamente por que o marido negou-se a comprar alface para o almoço e isto gerou uma grande crise, daí para a separação. Mas neste caso é fácil enxergar que a folhinha de alface não tem todo este poder e constitui-se mero símbolo libertário das opressões digeridas internamente dia-após-dia, até que o mínimo, o mais frugal, seja muito e intolerável. Estas idiossincrasias, ao serem projetadas para o coletivo, transformam nossa matemática simplista em uma equação do último grau, com números irracionais e incógnitas trabalhosos. Mas ainda assim, cabe-nos decifrar esta esfinge, afastado o caminho fácil de uma continha simples, com direito inclusive à prova dos nove. Com esta ressalva, muitos se perguntam o que levou o povo brasileiro às ruas, depois de tanto tempo inerte e passivo observador da cena política. A FIFA questiona-se o que houve com seus sonhos de uma noite de verão, com negócios lucrativos e sem resistências ao sul do Equador, depois de ter imposto sua soberania aos governantes brasileiros, que até fizeram uma Lei Geral da Copa com todas as benesses que eles desejavam, além de investir até o que não tinham para fazer uma grande festa mundial com o dinheiro público. Atordoados, imaginavam os senhores da Copa que bastaria a bola rolar para tudo acalmar-se, pois sempre foi assim, e não é coincidência que as eleições presidenciais realizam-se sempre em ano de Copa do Mundo. Como não se acalmou, então deveria haver outro culpado, mais forte que os demais, e aí encontraram os R$ 0,20 (vinte centavos) do aumento de tarifa da passagem de ônibus no Município de São Paulo. Míopes, supostamente não conseguiram enxergar relação entre os protestos e os R$ 38 Bilhões que até aqui serão gastos com estes festejos futebolísticos, nem no número de pessoas mortas por falta de hospitais, e partem para o escárnio com frases como: “É mais fácil realizar Copa em países menos democráticos” e “Copa do mundo se faz com estádios, não com hospitais”. Frases que, independentemente do contexto, jamais deveriam ser ditas para um povo cansado de engolir sapos. A Revolução Francesa não ocorreu em virtude da frase “se não tem pão, que comam brioches”, lançada como um tapa na cara do povo francês faminto do século XVIII, mas esta foi a fagulha que faltava em um chão encharcado de produtos inflamáveis. Basta ir ao Palácio de Versalhes, e ver com olhos e mentes abertas seu desbunde ostensivo, para entender quantos passos foram necessários para que a ebulição social atingisse o nível de cabeças reais serem cortadas na guilhotina. O processo de construção da alma coletiva é lento, suportando muitas vezes condições de vida subumanas, morrendo gente como gado, corrupção no último grau, farras com o dinheiro público, propostas estapafúrdias como a PEC 37, impunidade para desmandos de toda sorte, promessas de um legado que nunca virá... até que um fato dá um sopro de vida àquela alma que vinha sendo gestada. A complexidade aumenta exponencialmente à medida que o dia 17 de junho de 2013 é efeito de anos de massacre coletivo diuturno e sistemático, mas também potencial causa multiplicadora de inúmeros outros efeitos, que vão muito além da redução da tarifa de ônibus ou a contenção dos gastos com a copa, sobretudo se o povo efetivamente descobrir que cidadania passiva alimenta a corrupção ativa.


12

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

geral

»ENTREVISTA » FERNANDO HENRIQUE CARDOSO A importância da obra de intelectuais nacionais SOCIÓLOGO, EX-PRESIDENTE DA REPÚBLICA

HÉLVIO ROMERO

« MESTRES » Novo livro do ex-presidente FHC faz síntese dos pensadores que ajudaram na formação da identidade cultural e política dos brasileiros UBIRATAN BRASIL

S

ão Paulo - Fernando Henrique Cardoso conversou com a reportagem na tarde de quinta-feira, em seu apartamento, em São Paulo. Ele acabara de chegar de um evento promovido pelo governo da Dinamarca. O cansaço logo se dissipou quando começou a falar sobre seus mestres. O novo livro, são textos reelaborados de uma série publicada em 1978 na extinta revista Senhor Vogue, em que FHC apresentava a vida e a obra de intérpretes-chave do Brasil, como Euclides da Cunha, Sérgio Buarque de Holanda e Gilberto Freyre. Esses artigos, revistos e alterados pelo autor, formam um dos núcleos deste livro, devotado aos intelectuais brasileiros que forjaram a visão de FHC sobre o país, sua identidade e suas grandes questões. Outros textos, mais recentes, são inéditos na forma em que publicados agora. Entre estes estão ensaios sobre Joaquim Nabuco, Gilberto Freyre e Raymundo Faoro. ‘Pensadores que inventaram o Brasil’ é assim leitura obrigatória para entender as visões que deram forma às tentativas clássicas de explicação do país, e um convite a refletir sobre a relevância dessas análises ante os desafios do futuro.

Qual característica mais forte de cada um desses pensadores que marcou sua carreira? Começo por Joaquim Nabuco. Era um sujeito capaz de combinar um estilo aristocrático com

forte preocupação social. Ele era um sociólogo de fato, o que era raro na época. Apesar de ter um certo pendor pela monarquia e esteticamente ser conservador, Nabuco era um democrata. Por isso que o comparo a Tocqueville, que era um reacionário mas compreendia as mudanças de tempo. Também gosto de Nabuco por considerar a democracia inglesa superior à americana por causa da noção da igualdade perante à lei.

ì O QUE PENSADORES QUE INVENTARAM O BRASIL Autor: Fernando Henrique Cardoso. Editora: Companhia das Letras (336 págs., R$ 39,50) Lançamento: Masp (Av. Paulista, 1.578). 3ª, 18h30.

O senhor vê alguma semelhança com a sua trajetória? Em alguns pontos, sim, pois ele, como eu, conciliou uma vida intelectual com outra política, e também porque enfrentou todo o drama envolvido (risos). É curiosa a diferença apontada pelo senhor entre a visão que Nabuco tinha do Império comparada com a de Sergio Buarque de Holanda? A análise do Sergio é brilhante e tem menos repercussão que merece - Raízes do Brasil é o livro que o fez entrar para história. É um belo ensaio, mas o outro também é genial. E, na contraposição entre o democrata Sérgio Buarque e o aristocrata Joaquim Nabuco, esse se deixava enrolar pelos meandros do Império, enquanto Sérgio via nesse Império a dominação escravocrata. Ele desmistifica a tradição de que aquele governo era civilizador. Acho que, entre todos os pensadores, é o mais explicitamente democrático. Afinal, Sérgio escreve

Raízes do Brasil nos anos 1930, marcados pela ascensão do comunismo e do integralismo. Assim, a aposta que ele fez era rara, pois, na época, comunista é que era democrata e ele era basicamente liberal, acreditava que a ascensão das classes populares resultaria na democracia. E seu livro foi lido ao contrário, como se portasse uma visão tradicional, uma outra maneira de ser Gilberto Freyre. Algumas de suas frases ainda são atualíssimas, como “só existe democracia com a lei da universal” O Sérgio seria um analista ideal para o que está acontecendo hoje. Como assim? Ele veria que a ascensão do sindicalismo não resultou necessariamente em democracia - ao contrário, vem reforçando a matriz tradicional, corporativista, patrimonialista, da discricionariedade. O instinto democrático tornou-se clientelista. Foi absorvido pela cultura tradicional brasileira.

Hoje, com as ruas agitadas, não se sabe para onde ir. O farol está agora na popa e só vamos para frente porque o mar está empurrando “

Por falar em Gilberto Freyre, um dos destaque do livro é a forma como o senhor reavalia sua obra, dando-lhe mais importância? Tive pouca convivência com ele, mas, quando li sua obra pela primeira vez, desenvolvi um horror pela sua posição política. Eu tinha muita resistência por dois motivos - a primeira porque, em São Paulo, tentávamos fazer uma sociologia empírica, científica, e a visão que se tinha dele (precipi-

tada, na verdade) era de que se tratava mais um ensaísta (e conservador) que um analista. Quando reli sua obra, descobri um grande intelectual, a despeito de ser conservador. O senhor deixou nomes de fora? Sim. José Bonifácio, por exemplo, primeiro pensou o Brasil. Cito muito sua importância, mas não me aprofundo. Também não falo de Rui Barbosa, ícone do liberalismo, mas que não me influenciou. Nunca li sua obra, embora merecesse. Talvez seja um preconceito, pois venho de uma família de militares positivistas. Enquanto meu bisavô era monarquista, meu avô era a favor da abolição e meu pai participou das revoluções de 1922 e 24. Todos tinham horror do Ruy Barbosa, que era mais liberal enquanto eles apoiavam o Estado. E confesso que herdei um pouco dessa aversão. E como foi a relação com Caio Prado Jr.? Era um escritor seco, mas moderno, que notou detalhes importantes na relação do Brasil colonial com a metrópole portuguesa, no latifúndio e na escravidão. Um livro que considero pouco valorizado é A Revolução Brasileira, no qual é revisionista com relação às teses do Partido Comunista. Ao mesmo tempo em que era militante, tinha uma importante formação intelectual. Não se saiu bem na filosofia, na dialética, mas era bom nas análises concretas, além de revelar uma noção sólida de geografia - ele não viajava como turista, mas em busca de aprendizado. É visível sua admiração por Celso Furtado? Porque ele inaugura uma nova tradição. Celso via o Brasil como um país subdesenvolvido em relação aos demais, apontando o crescimento econômico como principal solução para esse problema. Ele introduziu o viés da análise econômica na compreensão do retrato do Brasil. Se Caio tinha uma visão marxista, mas um tanto mecânica, Celso fez análise do processo de formação do mercado interno. Ele explica a dinâmica do processo ao mesmo tempo em que oferecia um

projeto nacional com fundamento econômico. A minha geração cresceu lendo Celso Furtado. Nossa paixão, na época, anos 1950 e 60, era o desenvolvimentismo. Só depois, com regime autoritário, veio a paixão pela democracia, movimentos sociais, já nos anos 70. É nesse momento que acontece uma mudança? Sim, pois a ideia da formação do Brasil vai até minha geração. A partir daí, começa a ser diferente, pois começa a integração, a globalização, palavra, aliás, que ainda nem existia. Começávamos a entender que havia algo novo, a periferia do mundo estava se industrializando e buscava caminhos diferentes. Era preciso entender o interesse nacional de cada país em um contexto global. Caio dizia que não se entendia a colônia sem entender o vínculo com o império. Já Celso afirmava que era preciso romper o vínculo e desenvolver o mercado interno. Hoje, sabemos que o certo não é romper, mas refazer. Esses pensadores funcionam como um farol para o senhor? Sim, formataram meu pensamento atual Mas hoje, com as ruas agitadas, não se sabe para onde ir. Antes, esses pensadores diziam o que fazer. O farol está agora na popa e só vamos para frente porque o mar está empurrando. Não quero personalizar, mas, desde o governo Lula, a visão do futuro está errada. Não se percebeu que a crise terminaria, como deve acontecer. Acreditava-se que os EUA entrariam em decadência e não vão. O Brasil fez o caminho contrário da China, que se concentrou na exportação para acumular capital e investir, enquanto aqui se montou a base a partir do consumo, uma solução trôpega. O consumo cresceu, mas quem consome não está feliz e protesta na rua. Quer outras coisas, sem saber exatamente o quê. Basta ver os cartazes de protesto: tarifa, PEC, saúde, corrupção Por trás disso, surge uma mensagem poderosa: quero viver melhor e isso não significa apenas consumir. O processo lulista deu o contrário. Saturou rapidamente.


TELEFONES ÚTEIS

Receita: 3220-2200 Procon Estadual: 3232-6869 Procon Municipal: 3232-9050 DRT RN: 3220-2000

DÓLAR COMERCIAL

EURO TURISMO

Compra: R$ 2,2430 Venda: R$ 2,2440

Compra: R$ 2,8770 Venda: R$ 3,0720

DÓLAR TURISMO

LIBRA ESTERLINA

Compra: R$ 2,2000 Venda: R$ 2,3530

Compra: R$ 3,4602 Venda: R$ 3,4626

A PRESIDENTE DA ABEEÓLICA, ÉLBIA MELO, ALERTA PARA CONCORRÊNCIA MAIOR NO SETOR DE ENERGIA PÁGINA 7

NA TN ONLINE

Elevar diárias na Copa é tiro no pé, diz Associação dos Hotéis. Veja a entrevista.

blog.tribunadonorte.com.br/mercado/

economia Editora: Renata Moura [ renatamoura@tribunadonorte.com.br ]

Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 23 de junho de 2013

De aeroporto a complexo multiuso « AUGUSTO SEVERO » Faltando menos de um ano para o atual aeroporto potiguar ser desativado, plano da Infraero é transformá-lo em área com equipamentos como hotéis, fábricas e um centro de convenções ANDRIELLE MENDES Repórter

A

Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) quer transformar a área que abriga o Aeroporto Augusto Severo, em Parnamirim, em um grande complexo empresarial. A ideia, porém, ainda está em fase embrionária e não há prazo para um possível projeto sair do papel. Discussões nesse sentido, no entanto, estão em curso e são necessárias porque o Augusto Severo será desativado em menos de um ano, quando o aeroporto de São Gonçalo do Amarante – atualmente em construção – começar a operar. A previsão é que isso ocorra a partir do dia 1º de abril de 2014, a tempo da Copa do Mundo de Futebol. Os estudos que definirão o que será feito da área já começaram a ser elaborados pela equipe técnica da estatal, responsável pela administração do empreendimento. A Infraero, no entanto, quer ouvir o poder público e o empresariado antes de bater o martelo. O destino da área será discutido amanhã com Aeronáutica, governo do estado e Município, em reunião na Base Aérea. Outras reuniões são previstas. “Temos várias ideias. Aquela área pode abrigar hotéis, cinema, centro de convenções, teatro, shopping, concessionárias de veículos e até fábricas de aeronaves”, explica Fernando Nicácio, superintendente regional da Infraero. “Ouso a dizer que poderemos ter mais receitas nesta área do que temos atualmente com a atividade de aviação”, afirmou ele, em audiência pública sobre o destino da área, na Câmara Municipal de Parnamirim, no início do mês. O superintendente não informou qual é a receita do aeroporto. A Infraero, de acordo com ele, aguarda o zoneamento do terreno, que ocupa 5,5 milhões de hectares – o equivalente a 28 estádios do Maracanã, considerado um dos maiores do mundo – para elaborar o projeto básico e começar a negociação com as empresas. “Temos um pote de ouro. O que precisamos é explorá-lo adequadamente”,

diz Nicácio, afirmando que o intuito da estatal, que administra aeroportos em todo o país, é gerar mais emprego e renda na cidade. Apesar da expectativa, ainda não há data para concluir o projeto básico, cuja elaboração dependerá ainda do resultado das reuniões realizadas no estado. “Prefiro não fixar uma data. O que posso dizer é que com a conclusão do projeto básico, daremos início as licitações. Sabemos que essa será a fase mais ‘trabalhosa’”, admite o superintendente regional da estatal, sem informar quanto tempo a estrutura passará ociosa – após ser desativada e os voos transferidos para o novo aeroporto do estado, em São Gonçalo do Amarante.

Administração A área, esclarece Nicácio, será administrada pela Força Aérea e pela Infraero. “Vamos discutir o que será ocupado pela Aeronáutica e o que poderá ser ocupado pela Infraero”. O terreno, diz o superintendente, é da União, e não deverá ser cedido para o Estado, como deseja o governo local. “O empreendimento vai ser administrado pela Infraero”, acrescenta Nicácio, que não sabe quanto a estatal terá que investir na área para transformá-la num complexo empresarial nem quanto o investimento poderá render no futuro à Infraero. O governo do estado, que enviou para análise do gabinete civil um ofício pedindo a retomada do terreno, reafirmou o interesse em recuperar à área - que segundo o secretário estadual de Turismo, Renato Fernandes, foi cedida à Infraero para a construção do aeroporto. O secretário explicou, porém, que apoiará o projeto, mesmo que o terreno permaneça sob posse da União. “O que queremos é que o local se transforme numa área de captação de investimentos”, disse.

+

PAGINA 3 Lojistas querem transformar a área em estação rodo-ferroviária para passageiros e cargas


2

economia

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

Foi a economia, mas não R$ 0,20

Negócios &Finanças

TOMISLAV R. FEMENICK

LUIZ ANTÔNIO FELIPE [ laf@tribunadonorte.com.br]

autor de “Sobre a Filosofia da Ciência”

Opinião pública Para os que não acreditavam em opinião pública, a mobilização nas maiores cidades do País acaba de comprovar que ela existe e tem um efeito multiplicador quando bota o bloco na rua. Se não se dissolver, a mobilização vai contribuir diretamente para mudar os rumos do País. Há reivindicações dos mais diversos interesses, desde a tarifa de transportes (mobilidade), passando por mais investimentos em saúde, educação e segurança. A população (contribuinte e cidadão) deve ficar de olho nas votações dos orçamentos dos municípios, dos estados e da União, sempre nos últimos dias do ano, se quiser tomar as rédeas da situação. É aí onde tudo começa para os investimentos no ano seguinte.

Volume Um empresário do segmento do varejo observa que nos últimos anos aumentou muito o volume de passageiros nos ônibus urbanos no Brasil, inclusive, em Natal. Esse incremento, bem diferente da década de 90 quando os ônibus andavam mais vazios, deu fôlego aos empresários para realizarem investimentos na modernização, mas as prefeituras não realizaram os investimentos necessários nas ruas e avenidas. Ferrovia (I) O planejamento de longo prazo do governo da presidenta Dilma Rousseff prevê investir mais de R$ 100 bilhões, nos próximos 30 anos, para modernizar a rede ferroviária e construir 10 mil quilômetros novos de vias. Por isso, o Brasil se apresenta como um dos países protagonistas do próximo BcnRail, o Salão da Indústria Ferroviária, a ser realizado entre os dias 19 e 21 de novembro, em Barcelona (Espanha), com pavilhão próprio.

Ferrovia (II) A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), prevê uma queda de 30%, na média, no frete com ferrovia que passará em 9 municípios de Mato Grosso. A Ferrovia da Integração Centro Oeste (FICO), é um exemplo da importância do trem para o desenvolvimento do País, principalmente para as longas distâncias, evitando o tráfego desnecessário de caminhões.

Q

ueria passar ao largo, distante mesmo do assunto do momento: o povo nas ruas. Isso já foi abordado, discutido e analisado por dez em cada dez articulistas, cronistas, comentaristas e outros que tais do país. No entanto aqui estou, mas só na condição de simples observador da paisagem. Há muitas especulações sendo ditas por ai a fora. Umas sem preocupação nenhuma de atingir o âmago da questão; outras travestidas de estudos eruditos. Todavia, a conclusão que se tira é que todo mundo foi pego de surpresa, apesar de alguns roteiros já apontarem que a sociedade estava incomodada por algo que não se sabia o que: a gritaria pelo preço do tomate, o crescimento dos índices de insatisfação, a aprovação da presidente Dilma em queda de 10% e a inflação com tendência de crescimento. Um dos grandes acertos dos governos Lula/Dilma é que eles não mexeram nos fundamentos da política econômica estabelecidas no governo Fernando Henrique e, mais importante, inten-

Com a presença dos bancos do Brasil e do Nordeste, da Caixa Econômica e da Agência de Fomento, a Semana do MEI promovida pelo Sebrae, terá mais de 5 mil atendimentos no RN. O foco da mobilização, que acontece em todo o país, é formalizar negócios e também ca-

advogado, prof. da UFRN

pacitar os microempreendedores a se tornarem mais competitivos. O evento acontece de 1º a 6 de julho, com a estrutura com tendas será montada no Alecrim e, em outras cidades. Foi elaborada uma cartilha especial para ser distribuída durante a Semana.

Concorrência No disputado mercado de água mineral no RN, mais empresas estão chegando. A Simas Industrial de Alimentos vai extrair e envasar água mineral na sua área de 43,52 hectares, no Distrito Industrial de Macaíba.

Alimentação Um curso promovido pelo Sebrae, em Caicó, leva sabor e gestão a estabelecimentos do Seridó. A capacitação orienta sobre os principais aspectos do processo de gestão de um empreendimento no setor de alimentação. O curso é destinado a proprietários de bares, quiosques, lanchonetes e restaurantes. O curso teve a participação de pessoas que desejam abrir um novo negócio.

1

O Salão de Turismo Rota 101 Nordeste, de 4 a 6 de julho em Natal, com a presença institucional e empresarial de quatro estados do Nordeste (RN, Paraíba, Pernambuco e Alagoas), será mostrado em detalhes no café da manhã no Mangai, na terçafeira, dia 25, a partir das 8h. A Rota 101 tem 57 municípios, sendo 19 no RN, 15 na Paraíba, 16 em Pernambuco e sete em Alagoas.

2

São várias as empresas

que estão concluindo parques eólicos no Rio Grande do Norte e encaminhando ao Idema o Pedido de Licença de Operação. Os parques em conclusão estão em Touros, João Câmara, Parazinho e na Serra de Santana. Sem a linha de transmissão da Chesf não vão gerar energia no momento.

3

A empresa cearense Satrix Energias Renováveis instala cinco geradores de energia eólica na fábrica da Indústria Becker, em São José de Mipibu, com potência de 16.500 watts. O empresário Astriel Mendonça Júnior, da Becker, contratou a Satrix para instalar, também um conjunto de 507 painéis de geração de energia solar, com potência de 124,2 watts. A Becker terá o maior sistema híbrido de geração própria em indústria.

Habitação A construtora Conisa assina contrato de mais um empreendimento com a Caixa, o Residencial João Machado. Este é o sexto contrato de financiamento imobiliário que a Conisa assina com a Caixa, numa parceria que se estende por mais de 14 anos. O João Machado é um empreendimento no Tirol, com 51 apartamentos com variadas opções de plantas e já com 90% vendido, segundo diz a construtora.

Loja Presente em 17 estados, a Baby Chocolate inaugura loja no Shopping Cidade Jardim. A franquia é especializada em roupas e acessórios para crianças de até quatro anos de idade. Já a marca FOM revela que Natal está no foco da expansão da empresa. O planejamento vi-

sa, além da expansão de suas franquias, a migração do formato quiosque para loja e a criação de um segundo ponto de venda nas principais cidades e capitais. Para montar uma franquia o investimento inicial é de cerca de R$ 300 mil, dependendo do shopping.

se média se endividou e não tem como pagar o que deve. Quando ninguém espera, sempre alguém dá um tiro no pé. No evento que comemorou os dez anos do PT no poder, a filósofa Marilena Chauí – uma das fundadoras do partido e uma dos intelectuais formuladores do seu pensamento – bateu forte na classe média e foi entusiasticamente aplaudida pela plateia. Disse ela: “A classe média é o atraso de vida. A classe média é estupidez, é o que tem de reacionário, conservador, ignorante, petulante, arrogante, terrorista. A classe média é uma abominação política, porque é fascista, é uma abominação ética porque é violenta, e é uma abominação cognitiva porque é ignorante”. Quando pensavam que estavam chegando ao céu, os novos integrantes da classe média viram que seus benfeitores os consideravam serem inferiores. O movimento de acessão também deu aos mais pobres a consciência de que é o povo quem paga impostos e que é com seu dinheiro que os governos distribuem beneficies e mensalões. Mais uma vez dona Marilena atirou no próprio pé ao dizer: “O mensalão não é uma questão moral. O mensalão é

efeito da enorme distorção produzida pela ditadura no campo institucional da política”. Ninguém entendeu porque a maracutaia de hoje é coisa da ditadura militar. Essas coisas é que levaram o povo para as ruas: a desfaçatez com que é tratada a corrupção, a precariedade da saúde, da educação e da segurança públicas, aos gastos excessivos com a Copa. O movimento é um ato de repúdio ao uso indevido do dinheiro do povo pelo Executivo, Legislativo e Judiciário. Repúdio aos palácios, às festas, às viagens e altos vencimentos dos governantes e funcionários públicos, à demora dos julgamentos e da imposição das penas quando os réus são das elites (e hoje muitos petistas são membros da elite social, política e econômica). Repúdio aos conchavos políticos, às licitações com cartas marcadas, às obras inacabadas. Quem pensou que o povo estava aceitando tudo isso errou, ou alguém ainda pensa que o povo foi para a rua só por causa de R$ 0,20 nas passagens do transporte público. A gritaria foi um movimento social, político (sem partidos políticos), mas no fundo tudo foi economia.

Aos construtores, a impunidade (Parte II) FRANCISCO DE SALES MATOS

Semana do micro

sificaram a distribuição de renda, via a Bolsa Família e aumentos reais do salário mínimo. Esta postura se mostrou correta até em plena crise econômica internacional. Tão correta estava a cópia que Lula e Dilma começaram a pousar de mestres, querendo dar lições para o mundo, principalmente para aos Estados Unidos e à Europa. Em tempos de bons ventos só há o marulhar das ondas. O problema é que uma fraca brisa pode se transforma em tempestade. Tanto é que hoje a nossa economia está navegando em mares agitados. Quando as pessoas de baixíssima renda foram guindadas à classe média (com ganhos entre R$ 219,00 e R$ 1.019,00), veio o natural desejo de consumir as coisas que atendem às necessidades mais elementares (alimentação, abrigo e vestuário) e, também, as necessidades sociais (casa própria, telefone celular, eletroeletrônicos domésticos, diversão etc.). Mas, em muitos casos, o crescimento dos ganhos não foi suficiente para cobrir todos esses gastos. A solução do governo foi ampliar e baratear o crédito. O resultado é que hoje estamos com um dos mais altos índices de inadimplência do mundo. A nova clas-

N

osso retorno ao assunto em tela não tem outro propósito, senão repercutir o “grito do silêncio” dessa verdadeira massa de consumidores que, genuflexa, posta-se diante do poder dos construtores e incorporadores, aceitando pacificamente seus produtos, com vícios e defeitos, além de uma instrumentalização jurídica abusiva e excessivamente onerosa, imposta para a venda desses produtos. Não custa lembrar que o tema se contém no universo da (ir)responsabilidade civil do construtor que, em cotejo com os direitos do consumidor, desafia os doutos pela complexidade e vastidão. De saída, não podemos deixar de esclarecer que os contratos de compra e venda de imóveis ou de promessa de compra e venda, articulados por vendedores, construtores e incorporadores, são também conhecidos como contratos de adesão ou de massa, o que significa dizer que são elaborados unilateralmente pelos próprios empreendedores, cabendo aos consumidores apenas concordar com seus termos, isto se quiserem adquirir os produtos postos em venda. Ultrapassado este aspecto preliminar, tem-se que é recorrente dentre os construtores o estabelecimen-

to de prazo aparentemente certo e determinado para entrega das obras que se propõem a vender. E é nesse bote que embarcam os consumidores embalados pela publicidade, pelo sonho da casa própria, pelo prazo razoável contratualmente estabelecido para entrega do bem e, enfim, animados pelos vendedores treinados para vender sonhos. E, assim, planejam a organização das suas vidas, inclusive o próprio casamento, a venda de suas moradias, a entrega da casa alugada, a devolução da casa do sogro(a) ou mesmo a mudança da escola das crianças. Acontece que, o grande dia chega e nada de casa ou apartamento. A construção está pelo meio ou do meio pro fim ou nem no meio, nem no fim, só no papel. E aí fazer o quê? Só resta rezar, apelar para o Papa ou recorrer à Justiça. Considerando que 98% dos consumidores não recorrem à Justiça e que esses engodos continuam incólumes, a conclusão que se chega é que nem a reza, nem o Papa tem dado jeito para que os construtores entreguem as obras que vendem no prazo que eles mesmos estipulam. Agora, o mais grave é que as construtoras inescrupulosas se valem das famigeradas cláusulas de tolerância e continuam a cobrar a correção do período de suas inadimplências, além de fi-

xar novas prestações para esse período, afetando tremendamente os consumidores nas suas próprias existências e nos seus direitos fundamentais, sobretudo o especial direito à moradia. Porém, aos poucos a transparência aflora e hoje é possível vislumbrar o agressivo prejuízo que esses atrasos na entrega de obras provocam nas parcas economias dos consumidores, na verdade direitos individuais homogêneos. Para ilustrar, basta demonstrar que em Natal não são raros os empreendimentos imobiliários construídos ao valor médio de R$ 600.000,00 por apartamento. Considerando que o saldo devedor a ser financia-

do, reajustado pelo INCC, cresce em torno de R$ 4.000,00 por mês, verifica-se que esses atrasos, protagonizado pelo próprio construtor, custa ao comprador R$ 48.000,00 por cada 12 meses de atraso. Agora, se isto é muito grave, imagine-se o comprador em situação de inadimplência. Aquele que faltar um dia com seus deveres é obrigado a pagar juros, multas e demais consectários, e se atrasar o pagamento por prazo superior a 15 dias é notificado dessa inadimplência e corre o risco de perder o imóvel e praticamente tudo que pagou. Mas há luz no fim do túnel. Essa clarividência aos poucos toma conta da consciência coletiva e já se constata uma tendência de se buscar reparação junto ao Poder Judiciário, em que pese a complexa burocracia processual e o vacilo dos Tribunais que claudicaram num primeiro instante não entendendo o que estava subjacente na aparente inofensividade desses atrasos. Mas agora já percebem a razão da desídia empresarial e a cada dia evoluem em suas decisões em favor dos consumidores. Mesmo assim, a demanda é baixa e o construtor/incorporador continua na zona de conforto da impunidade, agredindo direitos individuais homogêneos. Com a palavra o douto Ministério Público.

famoso jogador de futebol americano Joe Namath “para ser um líder, você tem que fazer as pessoas quererem te seguir, e ninguém quer seguir alguém que não sabe onde está indo”. E você, para onde está indo? O que quer para sua empresa daqui a cinco anos, dez ou vinte anos? Já parou para pensar nisso? Outra dica é ser autêntico! Encontre seu estilo, transmita seus valores, compartilhe suas ideias, mas nunca seja o que você não é! Cada um dos seus liderados é um ser humano como você, e nada é desaponta mais do que se decepcionar com um líder que construiu sua carreira escondido atrás de uma máscara. Para ganhar respeito e admiração – duas características muito presentes nos líderes que geram resultados – é preciso ser verdadeiramente você! Não é que você não possa mudar – alterar de estilo, questionar seus valores, modificar suas ideias. Mudar faz parte. Às vezes doído, mas é inerente ao viver.

Contudo, mude sem nunca deixar de ser autêntico! Construir relacionamentos é outra capacidade importante para um líder. E a melhor maneira de se construir relacionamentos é ganhando a confiança do outro. Diversas pesquisas mostram que funcionários são leais e entusiasmados no ambiente da empresa porque trabalham para um líder em que eles confiam! E como ganhar a confiança dos liderados? Mostrando um interesse legítimo pelo seu crescimento, unindo os objetivos da empresa e seus como líder com os motivados pessoais de cada liderado. E lembrando sempre que relacionamento é individual: o líder tem que construir relacionamento com cada um dos liderados, o que demanda tempo e atenção! Para sua empresa crescer, você precisa de pessoas ao seu lado. Nunca ninguém conseguiu desenvolver uma empresa sozinho! Pense nisso! Bom trabalho! Sucesso!

Considerando que 98% dos consumidores não recorrem à Justiça, a conclusão a que se chega é que nem a reza, nem o Papa têm dado jeito para que os construtores entreguem as obras no prazo”.

O líder empreendedor SEMIO TIMENI SEGUNDO mestre em administração, consultor e coach

E

mpreendedor, principalmente quando o negócio está no início, termina por desempenhar várias funções. Não foge das obrigações, faz tudo que precisa ser feito, com disposição e empenho: varre chão, serve cafezinho. É vendedor, cobrador, telefonista, despachante, porteiro, e por aí vai. Assim, perguntase: qual a mais importante função que precisa o empreendedor aprender a desempenhar? Trata-se da liderança! A grande maioria dos desafios humanos precisa de líderes, e tocar uma empresa é um das iniciativas que mais exige a presença deste! Empreender e liderar são dois verbos que andam de mãos dadas, que até se confundem. Porque onde estiverem duas pessoas ou mais, alguém precisará exercer o papel de líder, e no mundo dos negócios isto é algo

normal de acontecer. Na casa dos milhares são os estudos científicos que abordam o tema do líder empreendedor. Contudo, não é precisa ser um cientista social ou escrever teses imensas sobre os desafios de ser um líder empreendedor! Estudar nunca é demais, mas para se tornar um líder você pode começar seguindo algumas dicas consideradas essenciais. Quer saber quais são? A primeira é encarar uma pergunta que a maioria das pessoas tem medo de responder: o que você quer para seu futuro? Pois é, muita gente boa que conheço treme as pernas quando desafiada a definir o que quer para o futuro... A verdade é que empreender tem tudo a ver com crescimento, expansão, desenvolvimento, e saber claramente quais metas você quer obter é fundamental para começar a conquistar liderados para ajuda-lo a alcançar seu futuro. Como já dizia o


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

economia

3

Lojistas têm proposta alternativa « AUGUSTO SEVERO » Lojistas que atuam no aeroporto contrataram uma consultoria e deverão propor o uso da estrutura como estação rodo-ferroviária para cargas e passageiros.Infraero se diz aberta a sugestões

ARQUIVO TN

A

Aeroporto Internacional Augusto Severo Terminal será desativado com a conclusão do aeroporto de São Gonçalo do Amarante Possibilidades para o aeroporto - uma das ideias é construir um complexo empresarial Equipamentos que poderão fazer parte do complexo Centro de Convenções

Durante a última visita ao canteiro de obras no aeroporto, o consórcio informou que a área comercial estava iniciando a negociação com as empresas que prestarão serviço dentro do terminal: livrarias, farmácias, restaurantes. Como andam as negociações. Há contratos assinados?

13,1 mil m²

Área total

Área do estacionamento

13,2 mil m²

5,8 milhões

Área do terminal de passageiros

Capacidade de passageiros/ano:

2,5 mil m²

80

Área do terminal de cargas

Número de lojas dentro do terminal de passageiros

Breve cronologia

1º de abril de 2014

Data da inauguração

Data prevista para desativação, quando o aeroporto de São Gonçalo do Amarante deve ser inaugurado, segundo a empresa concessionária

Data da última reforma

347.583

Quando o aeroporto de São Gonçalo receberá o primeiro voo? A data de 1º de abril para o início das operações está confirmada? Até lá, todos os lojistas estarão instalados?

2003 2004 2005 2006 Fonte: Infraero

*Estatística mais recente.

2007 2008

2009 2010

2011

A situação dele é parecida com a da vendedora Miriam Barbosa da Silva, 30 anos, que trabalha com mais outras oito pessoas numa livraria no aeroporto há quase quatro anos. “É tudo sigilo, mas o que todo mundo sabe é que o aeroporto vai ser ‘entregue’ à base em abril. Não sei a livraria vai ser reaberta em outro local. Caso não seja, todos serão demitidos”, afirma. O medo do desemprego leva a balconista Elizete Dias, 28, a fazer planos. Ela trabalha num restaurante no aeroporto há quase dois anos e se mostra preocupada com o futuro. “Vou esperar até o fim do ano. Se perce-

ber que não vou continuar na empresa, vou procurar outro emprego”, afirma a jovem que mora em Parnamirim, mas leva quase uma hora para chegar ao aeroporto, na mesma cidade. “Não poderia ir para São Gonçalo. É muito longe”. O taxista Paulo Farias, 40 anos – taxista há cinco – também não se mostra entusiasmado com a possibilidade de trabalhar em São Gonçalo do Amarante, onde o novo aeroporto está sendo erguido. “A prefeitura de São Gonçalo vai querer colocar os taxistas de lá para trabalhar”, justifica. Ao deixar a antiga ‘praça’ de táxis, no centro da cidade, e migrar para o aeroporto, o taxista viu a renda mensal subir ‘300%’, segundo ele. É essa renda que ele teme perder com a transferência dos voos comerciais do aeroporto Augusto Severo para o de São Gonçalo. “Se o aeroporto fechar, vou ter que voltar a ser taxista ‘de rua’, o que é ruim, porque aqui as corridas são certas. Os voos têm hora marcada para chegar”. O assistente de serviços gerais (ASG) Adriano Sérgio Pereira da Silva, 29 anos, não se mostra preocupado com o fechamento do aeroporto, como os demais trabalhadores e lojistas. A felicidade é tão grande que ele mau consegue conter o sorriso, na hora de ser fotografado, destoando dos outros rostos fotografados. A expressão tem uma explicação simples: “durante esses cinco anos como ASG no estacionamento do aeroporto juntei dinheiro. Quando sair daqui vou abrir o meu negócio: um lavajato para mim e um mercadinho para minha mulher”. Adriano não é o único que enxerga na desativação do terminal, mesmo que por um período determinado, uma nova oportunidade. A Infraero também enxerga.

2012

Adriano da Silva, ASG: Planos de abrir o próprio negócio

Paulo Farias, taxista: Futuro incerto sem o aeroporto

1.029.643

1.095.685

1.137.196

964.858

Existe total possibilidade claro, estamos falando com vários operadores atuais assim como com operadores novos. A escolha será pelos que apresentem os melhores conceitos comerciais para aeroporto de São Gonçalo do Amarante.

602.930

Estação rodo-ferroviária intermodal

757.877

Evolução no número de passageiros - de janeiro a maio*

Fábricas

Há possibilidade dos atuais lojistas do Augusto Severo migrarem para São Gonçalo do Amarante?

1951 2011

Concessionárias de veículos

As negociações estão com bom andamento e ainda em processo de negociação.

Sem dúvida os espaços comerciais estarão prontos e operando simultaneamente ao início de operação do aeroporto.

5,5 milhões de m²

Hotéis

Teatro

Os lojistas não receberam nenhum comunicado oficial quanto a desativação do aeroporto por parte da Infraero, mas já fecham lojas e deixam o terminal. Dos 80 quiosques destinados a varejo, serviços e alimentação dentro do terminal de passageiros, 18 já foram esvaziados. A situação preocupa. “A disponibilização desses espaços é decorrente da desaceleração em virtude da desativação do aeroporto. A gente começa a ficar preocupado, porque até o dia em que o aeroporto estiver operando, nós temos que ter os serviços sendo prestados”, afirma Fernando Nicácio, superintendente regional da Infraero no Nordeste. A razão do esvaziamento é simples, na avaliação de Leonardo Rodrigo da Silva, gerente de uma farmácia no aeroporto. A desinformação, segundo ele, tem gerado insegurança nos 30 lojistas e mais de 2 mil funcionários do aeroporto. “Estou aqui há cinco anos. Meu contrato acaba em 2017. Não sei para onde vamos. Ninguém nos comunicou nada. Estamos perdidos”.

Trabalhadores

Estrutura à disposição

659.039

Negociações em São Gonçalo estão em curso

Terminal de passageiros do aeroporto: Lojistas querem que Estado transforme o espaço em estação

599.639

dir. comercial do Inframérica, concessionário do novo aeroporto

Previsão de fechamento do aeroporto afugenta lojistas

539.090

BATE-PAPO Daniel Ketchibachian

Imagem aérea do aeroporto Augusto Severo: Empreendimento deixará de receber voos comerciais quando o aeroporto de São Gonçalo do Amarante começar a operar

443.771

Associação dos Lojistas do Aeroporto Augusto Severo tem planos diferentes da Infraero para a a área em que funciona o aeroporto hoje. “Queremos transformar o aeroporto numa estação rodo-ferroviária intermodal que atenda todos os municípios da região metropolitana”, revela Pio Morquecho, presidente da entidade. A alternativa, segundo ele, foi apontada após estudos contratados pela própria associação a uma consultoria local. A associação preferiu não revelar o nome da consultoria contratada nem quanto gastou na realização do estudo, mas informou que apresentará o ‘anteprojeto’ ao governo do estado nos próximos dias. “Já solicitamos uma audiência com o chefe do gabinete civil. Estamos esperando apenas uma resposta. O traçado do projeto já está pronto”, afirmou. O projeto, afirmou Pio, só será elaborado se a associação receber um sinal verde do governo. “Não queremos construir nem administrar a estação. Queremos que o governo execute o projeto. Se o governo se negar, a ideia morre”. Pio, entretanto, se mostra entusiasmado com a ideia, que segundo ele, poderá ajudar a manter os atuais lojistas no local. “O aeroporto fica muito próximo da linha férrea. Poderíamos aproveitar a linha para transportar cargas e pessoas e comprar apenas novos vagões. Seria uma solução para o tráfego de pessoas e cargas na Grande Natal”, argumenta. Com a construção da estação intermodal, a rodoviária ‘nova’ de Natal, localizada no bairro de Cidade da Esperança, poderia, inclusive, ser ‘transferida’ para Parnamirim, segundo Pio Morquecho. “Esperamos que o governo acate a ideia. Está praticamente tudo pronto. O investimento no projeto é quase zero. Basta adequar o terminal”. Com a apresentação, e possível aprovação, do ante-projeto, Pio Morquecho espera que o terminal não fique ocioso e que os lojistas, com contratos ainda em vigor, permaneçam no local. “Sem isso, nosso esforço terá sido em vão”. A Infraero garantiu que avaliará todas as sugestões.

2013


4

economia

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

Vontade de viajar cresce com o grau de escolaridade « TURISMO » Estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV) mostra que

desejo de viajar dobra entre os que têm mais de 10 anos de estudo DIVULGAÇÃO

B

rasília - Quanto mais estudado for o indivíduo, mais propenso ele será a viajar – revela o último estudo Sondagem do Consumidor – Intenção de Viagem, realizado pela Fundação Getúlio Vargas a pedido do MTur. Entre os brasileiros que não completaram o primeiro grau, 17,4%, pretendem arrumar as malas entre junho e novembro. Este percentual sobe para 24,6% entre os que possuem nível superior incompleto e chega a 44,7% entre os pós-graduados. “O acréscimo de escolaridade eleva a renda, é verdade, mas é a cultura produzida por anos de estudo que estimula o indivíduo a conhecer mais”, diz a economista Fernanda Fonseca, que estuda o impacto do turismo na cultura da população. A pesquisa da FGV foi realizada em maio em dois mil domicílios em Belo Horizonte, Brasília, Porto Alegre, Recife, Rio de janeiro, Salvador e São Paulo.

Férias A pesquisa também mostra que cresceu o número de brasileiros que pretende viajar pelo país nos próximos seis meses. De acordo com a Sondagem do Consumidor - Intenção de Viagem, 29,3% dos brasileiros desejam viajar nesse período. Em maio de 2012 esse índice era de 27,7%. Os números foram divulgados ontem pelo Ministério do Turismo. Ana SilvaVista da praia de Ponta Negra, em Natal: A região mais procurada pelos brasileiros, nas férias, deverá ser o Nordeste, diz pesquisaVista da praia de Ponta Negra, em Natal: A região mais procurada pelos brasileiros, nas férias, deverá ser o Nordeste, diz pesquisa A maior parte dos entrevistados que pretende viajar (69,2%) está declinado a escolher destinos nacionais, en-

Para a FGV, renda influencia, mas a cultura do viajante também o estimula a conhecer mais

« DINHEIRO »

Rendimento extra da poupança está de volta A Taxa Referencial (TR), que afeta caderneta, voltou a render após 10 meses zerada

B

rasília (AE) - Os depósitos da caderneta de poupança e do FGTS voltaram a receber na quinta-feira, 20, o rendimento adicional da Taxa Referencial (TR), que ficou zerada entre 7 de agosto do ano passado e o último dia 19. O Banco Central informou que a taxa calculada para o dia 20 ficou em 0,0109%. A “volta” da TR é explicada pela alta dos juros no mercado financeiro. A taxa é calculada com base na taxa média dos CDBs prefixados de 30 dias oferecidos pelos bancos comerciais. O cálculo inclui ainda um redutor que torna a correção menor, compatível com os juros do Sistema Financeiro da Habitação, cujos contratos também são corrigidos pelo indicador. Há dez anos, a TR rendia mais de 4,5% ao ano. A queda dos juros nos últimos anos havia reduzido o peso do indicador. Desde 7 de agosto de 2012, época em que a Selic estava em 8% ao ano, como atualmente, a TR estava zerada. Outro fator que deve influenciar a rentabilidade da poupança neste ano é a volta da taxa básica para um patamar superior a 8,5% ao ano, caso as projeções do mercado financeiro se confirmem.

Hoje, os juros estão em 8% ao ano, o que faz com que os depósitos feitos após 4 de maio de 2012 rendam 0,4551% ao mês mais TR. A expectativa dos analistas é de que suba para 8,5% ao ano na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) marcada para os dias 9 e 10 de julho. Nesse caso, o rendimento passa para 0,4828% ao mês mais TR. Se houver nova alta da Selic no Copom dos dias 27 e 28 de agosto, para 8,75% ou 9% ao ano, o rendimento das novas aplicações volta para 0,5% ao mês mais TR.

Depósitos Em maio – dado mais recente - os depósitos em poupança superaram os saques no país em R$ 5,625 bilhões. Essa é a segunda maior captação líquida (depósitos maiores que retiradas) deste ano, perdendo para março (R$ 5,960 bilhões), mas ficou abaixo do resultado recorde de maio de 2012 (R$ 6,262 bilhões). Nos cinco meses do ano, a captação líquida de R$ 18,822 bilhões é recorde para o período, na série histórica do BC, iniciada em 1995. Com a elevação da taxa básica de juros, a Selic, para 8% ao ano, no dia 29 de maio, a poupança passou a render mais. Por causa da fórmula em vigor desde o ano passado, que atrelou a remuneração da caderneta aos juros básicos, o rendimento da aplicação subiu de 5,25% para 5,6% ao ano. JÚNIOR SANTOS

NÚMEROS

24,6% Dos brasileiros que possuem nível superior incompleto pretendem viajar entre junho e novembro deste ano

44,7% Dos pós-graduados têm planos de arrumar as malas nesse período, de acordo com sondagem da FGV

quanto que uma parcela pequena (29%) planeja viajar para o exterior. A região mais procurada é a Nordeste (52,3%), seguida do Sudeste (25,8%) e Sul (12,4%). Para o diretor do Departamento de Estudos e Pesquisas do MTur, José Francisco Lopes, a preferência do turista brasileiro pelo país é positiva. “A cada dez brasileiros que viajam, apenas um vai para o exterior”, afirma. Em maio do ano passado, o índice de brasileiros que pretendiam fazer viagem doméstica era de 65,1%.

A maioria dos entrevistados (53,8%) pretende se hospedar em hotéis e pousadas e o meio de transporte mais usado é o avião (61%), seguido do automóvel (22,7%), e do ônibus (14,3%). A Sondagem do Consumidor – Intenção de Viagem é elaborada com base em dados de uma pesquisa mais ampla, denominada Sondagem de Expectativas do Consumidor, da FGV. Tratase de uma amostra de mais de dois mil domicílios de Belo Horizonte, Brasília, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.

A volta da TR ocorre com a alta dos juros no mercado financeiro

« PROPOSTA »

Novo código eleva impostos no setor de mineração Mudanças, analisadas no Congresso, não foram bem recebidas por empresas do RN

B

rasília (AE) - Depois de cinco anos de debates internos, a presidente Dilma Rousseff divulgou na terça-feira, 18, o seu 20º pacote de estímulo à economia em quase 30 meses de governo: a nova versão do Código de Mineração. O texto eleva o imposto cobrado de mineradoras e foi enviado para o Congresso Nacional na forma de um projeto de lei com urgência constitucional. O governo espera mais investimentos, mas empresários garantem apenas aumento de preços. O pacote não foi bem recebido no Rio Grande do Norte, onde as empresas esperam custos maiores e ameaçam rever investimentos. A Contribuição Financeira sobre Exploração Mineral (CFEM), conhecida como royalty da mineração, passa a variar de zero a 4% Mas a definição da alíquota para cada mineral, como ferro e ouro, ficará nas mãos do governo. Após a aprovação do código pelo Congresso, Dilma editará decreto com

os valores. Assim, não há garantia de que as alíquotas continuarão as mesmas. Ao fixar uma alíquota mais elevada ante os atuais 2%, o governo desistiu de cobrar participação especial sobre a mineração. O ponto é positivo para a Vale, segundo avaliou o BTG em relatório enviado a clientes, porque haverá menos insegurança quanto à taxação. Uma das inovações é a criação de um título único para as fases de pesquisa e lavra. Hoje, são duas autorizações separadas. Murilo Ferreira declarou que a obtenção das licenças é “uma corrida de obstáculos” e disse esperar que, a partir da mudança, o processo ocorra com maior rapidez. As concessões serão dadas por 40 anos, prorrogáveis por períodos sucessivos de 20 anos. A cada renovação, o governo vai avaliar contrapartidas em investimentos. O governo também promete mais rigor sobre as empresas que detêm autorização para pesquisa mineral. Há um grande estoque paralisado e gerando margem para especulação, comentou o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão. Essas áreas poderão ser retomadas.


economia

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

5


6

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

economia

Abrindo a porteira

Banco de proteínas muda a sorte de produtores rurais

LUIZ ANTÔNIO FELIPE [ laf@tribunadonorte.com.br]

Crise dos alimentos O Banco Mundial teme dificuldades alimentares provocadas pelo aquecimento global, diante da previsão da temperatura do planeta aumentar dois graus centígrados até 2040. Para o BM as “temperaturas extremas poderiam afetar as colheitas de arroz, de trigo, de milho e de outros cultivos importantes, além de ameaçar a segurança alimentar dos países pobres”, adverte a instituição. O banco alerta que o índice de pessoas que sofrem desnutrição pode alcançar, a longo prazo, 90% em alguns países africanos. Também alerta para a pesca indiscriminada nos oceanos que pode extinguir algumas espécies.

Pesca A demanda chinesa encarece os preços dos pescados e frutos do mar, resultado da mudança nos hábitos alimentares na China, cujos negócios deverão chegar a US$ 130 bilhões neste ano. Levantamento revela que os preços internacionais dos pescados bateram novo recorde, impulsionados pelo crescente apetite da China por espécies mais caras, como o atum e ostras, e pelo declínio no volume pescado.

Ambiente

Exposição

Criado na Assembléia Legislativa o grupo de trabalho para implementar o Código Florestal Brasileiro no RN, especialmente o Cadastro Ambiental Rural (CAR) que é um registro eletrônico obrigatório para todos os imóveis rurais. Na próxima terçafeira (25), às 15h haverá uma nova reunião no Idema, com o Fórum de secretários municipais e a Emater, com quem o Idema fará parceria para o cadastramento das propriedades do RN.

Depois da exposição do Seridó, encerrada hoje em Caicó, o calendário de Eventos Agropecuários marca para o início de julho a exposição agropecuária de Coronel Ezequiel, na região do Trairi. Também estão previstas para os meses de julho e agosto a Caprifeira de Lajes e a Festa do Bode, em Mossoró. A Exponovos, em Currais Novos não deverá acontecer este ano.

Isenção Os senadores aprovaram a Medida Provisória 609, que desonera itens da cesta básica. Incluíram outros produtos, vários do campo. São eles: pão de forma, frango industrializado, erva mate, biscoitos do tipo cream cracker, açúcar cristal, molho de tomate vinagre e sucos de frutas. De acordo com o texto, PIS, Cofins e Pasep deixam de incidir sobre mais de 40 produtos básicos.

Reunião com o BNB Marcada para amanhã (24), às 17 horas, no parque de exposições de Parnamirim, a reunião do presidente do BNB, Ary Joel Lazarin, juntamente com o deputado Henrique Eduardo, com cerca de 50 agropecuaristas potiguares. Eles vão conhecer os detalhes das medidas já adotadas pelo banco para o enfrentamento da seca no Nordeste, incluindo a renegociação de longo prazo. A expectativa é de uma solução para o endividamento que prejudica a grande maioria dos produtores.

1

Em algumas regiões do Mato Grosso os preços da saca (60kg) para a safrinha de milho estão em torno de R$ 10,00. A expectativa é que sejam colhidas cerca de 17 milhões de toneladas do grão. Agricultores defendem que o Governo anuncie medidas para auxiliar o setor. Frente a esse cenário, a comercialização da produção segue em ritmo lento. Os produtores aumentaram a área plantada em 500 mil hectares e o clima colaborou, com chuvas na medida certa.

2

A SLC Agrícola, uma das principais produtoras de grãos e fibras do país, arrendará por dez anos uma área de nada menos do que 19,18 mil hectares nos municípios de Balsas e Tasso Fragoso, no Maranhão. Segundo a companhia, a decisão está “em linha com sua estratégia de crescimento em área plantada”. Devido à proximidade, as lavouras arrendadas serão incorporadas à área das fazendas Parnaíba e Planeste.

3

O Governo aumenta o limite de financiamentos para hortifrutis. Os valores aumentaram de R$ 800 mil para R$ 1 milhão por beneficiário. No entanto, foi autorizado limite adicional de 15% para incluir os produtores rurais inscritos no Cadastro Ambiental Rural (CAR) e mais R$ 1 milhão para culturas de batata inglesa, cebola, feijão, mandioca, tomate, demais verduras (folhagens) e legumes.

Cana Apesar do ritmo forte de moagem de cana-de-açúcar no Centro-Sul do país, o preço do álcool não caiu nos postos de combustíveis. Desde o início da safra - fim de março até 1º de junho -, o processamento de cana na região totalizou 116,1 milhões de toneladas, ante 70,8 milhões no mesmo período da temporada passada (2012/13). O volume de cana a ser moído no fim do ciclo, cujo rendimento é menor, deverá diminuir. A moagem desta safra está estimada em 584,5 milhões de toneladas no Centro-Sul e em 50,5 milhões de toneladas no Nordeste.

Bovino Segundo o IBGE, de 2008 a 2012, o rebanho bovino brasileiro cresceu 6,5%. Passou de 199,75 milhões de cabeças para 212,85 milhões de cabeças. Desde 2008, o aumento do rebanho foi contínuo. Isto pode ser explicado pela retenção de matrizes, que teve início em 2007. Neste período, o pecuarista investiu na ampliação do rebanho devido aos preços de venda e rentabilidades mais atrativas da cria, gerados pelas valorizações dos animais terminados e de reposição.

Trigo O Brasil consome cerca de 10 milhões de toneladas de trigo/ano e produz a metade. Até 31 de junho, o grão norte americano, que costuma entrar no país pelos portos do Nordeste, está isento da tarifa comum aplicada aos que estão fora do Mercosul.

« PECUÁRIA » O banco faz parte do projeto Sebrae no Semiárido, iniciativa que promove ações de convivência com as secas no RN FRED VERAS

M

ossoró - O Semiárido Nordestino, mesmo com registros recentes de chuvas, ainda sofre as conseqüências da maior estiagem dos últimos cinqüenta anos. No entanto, no Rio Grande do Norte, a adoção de medidas simples em propriedades rurais, atendidas pelo Projeto Sebrae no Semiárido, mostra que é possível transformar cenários desoladores em ambientes propícios à sobrevivência do homem do campo e ao desenvolvimento dos negócios rurais. O cultivo de espécies resistentes à seca garante alimentação abundante e manutenção do rebanho de caprinos e ovinos. A criação do banco de proteínas, como é denominado o cultivo de espécies para produzir forragem com melhor valor nutritivo aos animais, além de uma experiência exitosa é um alento para produtores rurais como Ana Lúcia da Silva, moradora do Projeto de Assentamento Paraíso, na zona rural de Apodi, na Região Oeste Potiguar. Com um rebanho superior a 200 caprinos, Ana Lúcia conta que a medida ajudou a salvar os animais no período mais crítico mais crítico da estiagem. Em uma área pequena, ela cultiva espécies como a leucena, flor de seda, moringa e palma, e produz feno suficiente para alimentar todo o rebanho durante o ano inteiro. “Estou muito feliz com os resultados. Passamos a seca toda cultivando as plantas e produzindo o feno e não perdemos nenhum animal. Antes do projeto não sabia que podia usar essas plantas para alimentar os animais, e agora tudo é aproveitado”, enfatiza. O alimento em abundância é uma novidade para a produtora. Ela conta que, anteriormente, durante o período de gestação dos animais, faltava alimentação, e, além de magros, muitos animais não resistiam. Atualmente, o feno, rico em proteínas, produzido pelos próprios criadores, ajuda na manutenção da atividade leiteira e de corte. “Estamos com várias cabras que pariram agora, e a produção do leite fica menor. Mas quando voltar ao normal vamos tirar pelo menos uns 30 litros de leite, pois graças à orientação que recebemos, temos alimento de sobra para alimentar o rebanho todo”, acrescenta o produtor Evandro Nascimento. Com atuação nos municípios do interior do Rio Grande do Norte englobados no perímetro da seca, o Projeto Sebrae no

Ana Lúcia Silva é uma das beneficiadas com o banco de proteínas usadas para alimentação animal

Passamos a seca toda cultivando as plantas e produzindo o feno e não perdemos nenhum animal” ANA LÚCIA DA SILVA Produtora rural

Há propriedades com potencial para produzir alimento, reduzir gastos, mas falta conhecimento aos proprietários” VALDEMAR BELCHIOR Co-gestor do projeto

Semiárido teve início em outubro de 2012 e atende a 1.800 produtores. Desenvolvida pelo Sebrae no Rio Grande do Norte, a idéia pioneira será disseminada nos demais estados do Nordeste, por meio das unidades do Sebrae.

Prática é simples, mas ainda desconhecida por muitos Ações como a instalação do banco de proteínas poderiam ser melhor utilizadas, mas a falta de conhecimento impede a disseminação de práticas simples, porém exitosas. De acordo com o co-gestor do Projeto Sebrae no Semiárido, Valdemar Belchior, muitos produtores, apesar de dispor de estrutura necessária, como área irrigada e vegetação, não conseguem reverter o cenário negativo causado pela seca.“Constatamos que há muita falta de conhecimento por parte dos produtores rurais. Existem propriedades rurais com potencial para produzir alimento, reduzir gastos, mas falta conhecimento aos proprietários. O projeto está ajudando muito neste sentido, mostrando que é possível conviver melhor com a estiagem”, avalia. Para reverter o quadro de desinformação entre os produtores rurais, o Projeto Sebrae no Semiárido desenvolve uma série de consultorias. As orientações técnicas, que atendem desde a área de gestão do empreendimento rural ao manejo correto dos plantios, aliam teoria e prática. “Passamos orientações acerca de todos os aspectos que envolvem a propriedade rural,

seja na área de gestão, manejo, nutrição e também genética animal. É assim que estamos promovendo mudanças significativas no Semi-Árido”, avalia o consultor do Sebrae-RN, Ílton Felipe . Mais que o alimento e a garantia de sobrevivência do rebanho, a criação do banco de proteínas significa também economia para os produtores, que passam a utilizar menos silagem e mais feno na composição alimentar dos animais. Com isso, ocorre uma redução nas despesas com a compra de silagem, que está sendo comercializado, em média, a R$ 50 o saco com 50 quilos. “Antes um saco de silagem só dava para usar durante quatro dias, e os gastos eram muito altos. Agora, com o feno que nós mesmos produzimos, a silagem dura sete dias. É R$ 50 de economia toda semana”, comemora a produtora. Somente no mês de maio foi produzido um total de 10 sacos de feno na propriedade de dona Ana Lúcia. O alimento, produzido por meio da moagem e secagem das plantas, pode ser estocado por um longo período, sem perdas nas propriedades nutritivas.


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

economia

7

»ENTREVISTA » ÉLBIA MELO

PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENERGIA EÓLICA (ABBEÓLICA)

FOTOS:EDU BARBOZA

‘Há novos estados no mapa e o RN pode ficar para trás’ « ENERGIA » Presidente da ABEEólica observa que, em meio a cenário mais concorrido, o Estado precisa criar ou manter condições para atrair investimentos

ANDRIELLE MENDES Repórter

presidente da Associação Brasileira de Energia Eólica (ABBEólica), Élbia Melo, admitiu, que o Rio Grande do Norte pode ficar para trás na corrida pelos parques eólicos, se não houver os investimentos necessários para que se torne mais competitivo. A disputa pelos parques – e pelos investimentos – ficará cada vez mais acirrada, com o avanço da tecnologia e as mudanças nos leilões, segundo ela. Élbia destaca que novos estados, alguns com melhor infraestrutura, entraram na disputa – antes liderada pelo Rio Grande do Norte – e confirma que outros deverão competir no segmento onde o RN já foi líder em projetos por leilão e começa a perder espaço. “Não vejo o RN ficando para trás ainda. Pode ser que fique a partir de agora, se não fizer nada. Vento tem. Então, o que está faltando? Provavelmente, um sinal de investimento para o setor”, analisou. Em passagem por Natal esta semana, ela concedeu a entrevista a seguir à TRIBUNA DO NORTE:

A

A Empresa de Pesquisa Energética, responsável por habilitar projetos para os leilões, cadastrou mais de 600 projetos para o próximo leilão exclusivo de energia eólica – recorde no mundo. A que se deve isso? O Brasil tem um potencial muito grande de geração eólica. Os estudos que estão sendo feitos agora e serão divulgados dentro do novo Atlas Eólico Brasileiro muito provavelmente no final do ano vão demonstrar que o Brasil tem 300 gigawatts de potencial eólico. Além disso, a eólica tem sido, de 2009 para cá, a fonte que mais está negociando energia nos leilões. A fonte vem vendendo, em média, por leilão 2 gigawatts. Tem havido um interesse muito grande dos investidores. O Brasil investe bastante em energia. Os estudos são rápidos e os projetos saem rapidamente. Tudo isso justifica essa quantidade de projetos. Em 2001, quando foi feito o primeiro Atlas Eólico, o potencial eólico brasileiro era de 101 gigawatts. E agora vai ser de 300. O reflexo disso é que este ano apareceram estados que antes não participavam dos leilões, como Maranhão, Santa Catarina, Piauí e Pernambuco. Mas porque o potencial au-

O vento é um fenômeno da natureza que o Estado tem, mas não é só isso que basta. É importante que haja uma preocupação do governo estadual de fomentar essa indústria”

mentou tanto? Por causa da mudança de tecnologia. Em 2001, os estudos foram feitos para torres de medição de 50 metros de altura e aerogeradores de menos de 1 megawatt. Agora são feitos para torres de 100 a 120 metros e aerogeradores de até 3 MW cada. Essa máquina mais alta e mais potente permite captar ventos que não se aproveitava antes. Com a nova tecnologia, consegue-se aproveitar ‘ventos médios’ e começam a surgir projetos em outras regiões. A tendência é que o Brasil passe a fazer investimento também no estado do Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, ou seja, quase o país inteiro vai poder aproveitar e fazer investimento em energia eólica. Esse é um fator importante. Esse potencial, estimado em 300 GW, pode então ser ampliado com o avanço da tecnologia... Isso. Nós falamos que nosso potencial eólico estático hoje é de 300 GW, porque qualquer mudança em tecnologia permitirá mais aproveitamento e mudará esse potencial.

O que você percebe é que no Nordeste o Estado com maior capacidade instalada é o Rio Grande do Norte, só que o RN não tem atraído os fabricantes de equipamento. Por que? Por questões de logística. Esse é um ponto que chama a atenção”

A tendência para os próximos leilões é que eles recebam mais projetos e fiquem ainda mais competitivos? Sim. Quando você tem uma quantidade maior de projetos inscritos e a demanda tende a ser a mesma, na média, os leilões tornam-se mais competitivos. Para esse ano, nós imaginamos que os leilões não seriam tão competitivos pelo fato das linhas de transmissão, porque agora os projetos que vão participar só podem ser projetos com linhas de transmissão. No entanto a sistemática publicada essa semana pelo Ministério de Minas e Energia mantém a mesma competição, porque os projetos inscritos vão para habilitação e depois a leilão. E todos vão poder participar da primeira fase do leilão. Eu digo que o leilão vai ser extremamente competitivo. O leilão a ser realizado em agosto atrela a contratação dos projetos à garantia de escoamento da energia. Que vantagens e desvantagens esse modelo traz? Eu acho que esse modelo e essa escolha de fazer um leilão com garantia de linhas muito importantes, porque linha hoje é um gargalo no Brasil, não só para energia eólica, mas para energia elétrica de uma forma geral. Então, não faz muito sentido fazer um leilão

sabendo que não vai ter a linha. Embora estejam sendo remunerados mesmo com os parques parados, os investidores não têm interesse em construir um parque eólico e o parque ficar parado. Eles querem produzir energia. É claro que o modelo é ruim por um lado, porque acaba deixando muitos projetos de fora. Muitos estados reduzem muito os projetos. Mas isso é uma questão de curto prazo, porque no médio e longo prazo, isso será solucionado com o leilão de linhas estruturais e planejadas. É claro que o setor vai ser penalizado no curtíssimo prazo, mas haverá uma solução de longo prazo. Esse novo modelo não acaba penalizando estados como o Rio Grande do Norte, que não tem linhas e subestações suficientes para escoar energia eólica, mesmo que no curto prazo? É, na realidade ele penaliza todos os estados. Todos os estados estão com esse problema – em maior ou menor grau. Os 665 projetos de parques cadastrados no próximo leilão têm restrição de linhas. Ainda assim não será tão prejudicial, porque há mais oferta que demanda. Acredito que vamos ter muito mais restrições regionais do que restrições quanto a quantidade de energia eólica vendida. Vamos continuar vendendo no patamar que a gente vendia. A diferença é realmente regional e isso você só vai perceber depois do resultado do leilão, porque a gente não sabe exatamente onde estão essas linhas. Embora ainda lidere em oferta de energia contratada no país, o RN já não é o estado que mais apresenta projetos por leilão. Isso se deve a dificuldade de escoamento de energia eólica? Eu acho que são infinitos fatores que explicam isso. Não é um fator isolado. Este ano a gente tem a questão das linhas. Há casos de empreendedores que estavam com projetos para regiões muito distantes, olharam e disseram: “sem condições, não podemos nos inscrever no leilão, porque não vamos conseguir escoar energia”. Então, a linha afetou também. Agora o que é importante, que eu estou percebendo, principalmente neste leilão, é que, de fato, es-

tão aparecendo outros estados no mapa eólico brasileiro. E se os estados detentores dos recursos eólicos, do vento de boa qualidade, não fizerem uma política destinada ao setor, tendem a perder a competitividade. O vento é um fenômeno da natureza que o estado tem, mas não é só isso que basta. É importante que haja uma preocupação do governo estadual de fomentar essa indústria. E eu não estou falando em dar subsídios para a indústria, retirar ICMS, ISS, mas sim do governo do estado prestar atenção naquele potencial de investimento e dar as condições para esse investimento, e isso está associado à logística, seja de transporte seja de transmissão, está associado a celeridade na liberação das licenças ambientais, entre outras coisas. Outros estados já despertaram para esse mercado... Isso. E os investidores já estão olhando para esses outros estados. E aí você percebe que os estados que estão aparecendo tem uma estrutura boa, principalmente no que se refere a portos, estão crescendo muito e atraindo as fábricas de equipamentos. Porque uma coisa é atrair o parque eólico. Outra é atrair as fábricas. O que você percebe é que no Nordeste o estado com maior capacidade instalada é o Rio Grande do Norte, só que o RN não tem atraído os fabricantes de equipamento. Por que? Por questões de logística. Esse é um ponto que chama a atenção. Os estados têm que realmente estar atentos para entrar nessa corrida de captação de investimentos e atrair a cadeia produtiva e os seus benefícios. Tudo isso tem que ser pensado. Ainda dá tempo de o RN recuperar o espaço perdido? Não vejo o RN ficando para trás ainda. Pode ser que fique a partir de agora, se não fizer nada. Pelo menos, a minha leitura é diferente. Se você observar os projetos que foram leiloados de 2009 para 2017, vai observar que o RN é o líder e está lá na frente. Mas a partir de agora tem que ficar atento e criar as condições – ou manter as condições que tinha – para trazer os investimentos para cá. Vento tem. Então, o que está faltando? Provavelmente, um sinal

ì QUEM É Élbia Melo é presidente da Associação Brasileira de Energia Eólica (ABBEólica)

FORMAÇÃO Doutora em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (2003), mestre em Economia pela Universidade Federal de Santa Catarina (1999) e bacharel em Ciências Econômicas pela Universidade Federal de Uberlândia (1997).

CARGOS Membro da Diretoria da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica de junho de 2006 a Abril de 2011.Foi Conselheira da Eletrosul (2005-2006), economista-chefe do Ministério de Minas e Energia (2003-2006), coordenadora de Política Institucional do Ministério da Fazenda (2002-2003),assessora na Eletrobras (2001),assessora na Aneel (2001-2001) e professora da Universidade Federal de Santa Catarina (1998-2000).

de investimento para o setor, e isso é um papel importante do governo estadual. Representantes de quatro estados nordestinos vieram no início do ano até o RN participar de uma reunião sobre o setor. Eles discutiram a construção de um linhão que interligasse os parques em todos os estados e escoasse energia. Esse projeto seria elaborado com base em estudos da ABBEólica. A associação já concluiu os estudos? A gente está de fato trabalhando no estudo desse linhão, mas independente disso existe um pacote a ser leiloado pelo Ministério de Minas e Energia que vai trazer toda a infraestrutura básica para esses estados. Ele não substitui nosso projeto, mas alcança em grande grau o que pretendíamos, tanto que o estudo que vamos continuar elaborando vai ser adaptado a partir desse projeto para aprimorá-lo.


8

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

economia

Expansão da internet é desafio « ZONAS RURAIS » Pesquisa mostra que o Brasil tem 80,9 milhões de usuários de internet, mas nas classes D e E e nas zonas rurais crescimento é mais lento. O custo elevado é um dos empecilhos MAGNUS NASCIMENTO

S

ão Paulo (ABr) – O Brasil tem 80,9 milhões de usuários de internet, aponta pesquisa divulgada pelo Centro de Estudo sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação (Cetic.br). A oitava edição do levantamento Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC) Domicílios mostra que houve um aumento de 15 pontos percentuais na proporção de pessoas que utilizam a rede mundial de computadores no país nos últimos cinco anos, passando de 34%, em 2008, para 49%. Apesar do avanço, o estudo revela dificuldades para a expansão da internet especialmente em classes sociais mais baixas e nas zonas rurais. Nas classes D e E, 80%, ou 68 milhões de pessoas, nunca usaram a internet. Na média geral, o custo elevado foi apontado como a principal razão para a falta de internet no domicílio, tendo sido citado por 44% dos entrevistados. Esse percentual, entretanto, está em queda desde 2008, quando a taxa era de 54%.

Diferenças Na zona rural, apenas 10% dos domicílios estão conectados, enquanto na área urbana, o percentual chega a 44% das residências. A média brasileira é 40% dos domicílios com internet, um acréscimo de 4 pontos

Na zona rural, apenas 10% dos domicílios estão conectados, enquanto na área urbana, o percentual chega a 44% das residências

percentuais na comparação com a última pesquisa (36%). A falta de disponibilidade é o principal motivo apontado pelos entrevistados em domicílios da zona rural. O estudo consultou 17 mil pessoas em todas regiões do país. “Observamos maior cresci-

mento nos mercados mais atrativos, como Sul e Sudeste, onde há maior concentração de provedores. Essa dinâmica de mercado precisa ser tratada pelas políticas públicas, por um arcabouço regulatório. Estamos chegando em um esgotamento [das

ações já implementadas]. Se temos interesse em levar a banda larga para 100% dos domicílios brasileiros, algo de diferente precisa ser feito”, avaliou Alexandre Barbosa, gerente do Cetic.br. Barbosa citou como ações que deveriam ser ampliadas, as

desonerações de mecanismos de acesso à internet, a exemplo do que foi feito recentemente com o smartphone, e a expansão da rede na zona rural. “É uma ação nova [banda larga na área rural] que busca que as operadores se comprometam em levar para es-

sas zonas. A gente vai demorar para ver o reflexo dessas medidas”, apontou. Na comparação entre classes sociais, a disparidade do acesso à internet nas residências chega a 91 pontos percentuais. Enquanto na classe A o percentual chega a 97%, nas classes D e E, ele é 6%. Observa-se, por outro lado, forte crescimento, nos últimos cinco anos, nas classes B (de 58% para 78%) e C (de 16% para 36%). Em relação ao tipo de conexão, a banda larga fixa manteve uma proporção relativamente estável, passando de 69% para 67%. A conexão móvel, por sua vez, alcançou 21% dos domicílios, ante 17% na última apuração. A internet discada, apesar do decréscimo expressivo desde 2008, ainda é utilizada em 7% das residências. Em 2008, esse percentual era de 31%. É crescente, ainda, a utilização de conexão à internet mais veloz. Houve acréscimo de 20% para 32% dos domicílios que fazem uso de velocidade acima de 2 megabytes por segundo (Mbps). A diminuição das residências que utilizam conexão até 256 kbytes por segundo (Kbps) também é expressiva, passando de 15% para 9%. Em 2008, esse percentual era de 41%. Muitos dos entrevistados (20%), no entanto, não souberam responder à pergunta.


NO FACEBOOK

Curta e compartilhe charge de Brum.

facebook.com/tribunarn

TÁBUA DE MARÉS

Preamar 04h06-2.5 - 16h41-2.4 Baixa-mar 10h02-0.0 - 22h21-0.1

FASES DA LUA Hoje: Cheia 30/06: Minguante

JUIZ MÁDSON OTTONI, DIRETOR DO FORO DA COMARCA DE NATAL, FALA DO DEPÓSITO JUDICIÁRIO - PÁG 4 E 5

NA TN ONLINE

Confira galeria de imagens com fotos da semana.

tribunadonorte.com.br

natal Editora: Cledivânia Pereira [cledivania@tribunadonorte.com.br ]

Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 23 de junho de 2013

o futuro

JUNIOR SANTOS

do presente

Depois de conquistas e apoio popular, para onde vai a mobilização?

Leia mais nas páginas 2 e 3


2

natal

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013 EDU BARBOZA

EDU BARBOZA

MAGNUS NASCIMENTO

MAGNUS NASCIMENTO

Movimento busca futuro à altura das conquistas « REIVINDICAÇÕES » Eles foram vistos, ouvidos e provocaram a queda no preços de passagens de ônibus em Natal. Agora, tentam planejar os próximos passos do movimento que se espalhou pelo País

ADRIANO ABREU

O

futuro das manifestações populares que tomaram as ruas de Natal nas últimas semanas será definido está semana durante plenária (ainda sem data e horário marcados) entre os coordenadores do movimento. Eles vão analisar as conquistas das movimentações até agora, os danos das ações isoladas de vandalismo e se novos protestos serão convocados. “Faremos uma reunião de avaliação na próxima (esta) semana para debatermos quais resultados práticos conquistamos

e depois vamos deliberar em plenária quais serão os próximos atos do movimento”, argumenta o militante Dayson Moura. Na lista das conquistas, a mais importante é – sem dúvidas – a anunciada redução da tarifa de ônibus na capital para R$ 2,20 a partir de hoje. A suspenção do aumento do preço da tarifa e a melhoria da estrutura de transporte público em Natal foram as principais reivindicações dos jovens desde o início das mobilizações em Natal, que se espalhou pelo Bra-

sil com um leque maior de reclamações. Muitos ainda são os questionamentos a respeito do futuro dos protestos em Natal e no Brasil. Mas um dado já é unânime entre os especialistas e analistas sociais: esses protestos, sem dúvida alguma, já entraram para a história político/social do País. Principalmente pela quantidade de participantes - no último protesto (dia 20), mais de um milhão de pessoas participaram diretamente das manifestações em

388 cidades do Brasil. E como foi possível mobilizar tantos, em tão pouco tempo? O poder das redes sociais é a respostas mais frequente para esse questionamento.

Revolução de 1932 A Revolução Constitucionalista de 1932 também conhecida como Guerra Paulista ocorreu em São Paulo de forma armada durante quatro meses e que tinha como objetivo a derrubada do Governo Provisório do então presidente Getúlio Vargas. Os manifestantes defendiam também a promulgação de uma nova constituição para o Brasil.

Intentona Comunista Em novembro de 1935 a Intentona Comunista ou Revolta Vermelha foi uma espécie de rebelião contra o governo de Getúlio Vargas. A Intentona teve conotação política, mas foi rapidamente combatida pelas Forças de Segurança Nacional. A Intentona ganhou adeptos entre os militares e foi destaque no Rio Grande do Norte onde os comunistas tomaram o poder durante três dias.

Redemocratização A partir de 1943, a pressão contra a ditadura de Getúlio Vargas cresce. No início de 1945, Vargas concede anistia aos presos políticos, reforma a legislação partidária e eleitoral, anuncia eleições gerais e convoca uma Assembléia Constituinte. Seu partido (PTB) ensaia lançar o ditador como candidato, manobra que provoca reação dos adversários do governo. Setores civis e militares articulam um golpe, e, em 2 de outubro de 1945, Vargas é deposto. Na eleição, Eurico Gaspar Dutra é eleito.

Marcha da Família com Deus pela Liberdade As manifestações de direita em 1964 ganharam voz com a “Marcha da Família com Deus pela Liberdade” com foco em manifestações dos setores conservadores da sociedade brasileira. Os protestos começaram no Rio de Janeiro contra o anúncio do então presidente João Goulart de que faria programa de reformas de base que afetariam os setores fiscal, econômico, político e agrário desagradando a sociedade. As manifestações congregaram meio milhão de pessoas e criticavam o regime comunista.

Análise Para o pesquisador da Fundação Getulio Vargas (FGV), Luiz Antonio Joia, que estuda eparticipação (ação política pela rede social) e cidadão mediado por tecnologias, o fenômeno dos protestos brasileiros é algo inédito no país graças à internet e

Principais revoltas no Brasil

Revolta da Vacina Em novembro de 1904, moradores do Rio de Janeiro iniciaram uma revolta popular contra a campanha de vacinação obrigatória contra a varíola feita pelo governo brasileiro e liderada pelo médico sanitarista Dr. Oswaldo Cruz. Além da questão de saúde, o descontentamento com a reforma urbana da cidade promoveu confrontos entre a população e a polícia.

Revolução de 1930 A revolução de 30 foi marcada pela luta por mudanças na política, economia e no setor social, com o grito dos manifestantes pelo veto a liberdade de expressão, igualdade entre homens e mulheres e o voto que não era secreto. A sociedade aos poucos - defendia o seu espaço principalmente, pelo poder econômico que tinham através da riqueza dos cafezais.


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

natal

3

JUNIOR SANTOS

BATE-PAPO

CARACTERÍSTICA

Alípio de Souza professor da UFRN e cientista social

“Não aceita a tutela política de nenhuma natureza” É possível hoje caracterizar esse movimento? Ele tem um perfil que possa ser definido?

MAGNUS NASCIMENTO

às redes sociais. “Esse movimento é a cara da web. Ele é anárquico, sem dono e impessoal, que se autorregula e suporta qualquer coisa. É a transposição da World Wide Web [o sistema da internet] para o mundo real. É surpreendente e imprevisível”, ponderou ele. O professor defende que a rede mudou a concepção de tempo e de espaço das pessoas e as relações sociais, tornandose um ator no processo de reivindicações. “Você passa a saber tudo o que acontece em tempo real, o que faz com que as pessoas se engajem numa velocidade absurda. A tecnologia não gera o fenômeno, ela o amplifica”, comentou. Ele lembra do movimento Diretas Já, que demorou cerca de um mês para ser organizado, enquanto o movimento atual, com o que chama de “boca a boca digital”, levou dias para ser orquestrado. A internet permitiu que vários fatores, como o aumento de preço do ônibus, os gastos do país com a Copa das Confederações, a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 37 (que retira poderes de investigação do Ministério Público) e o Projeto da “Cura Gay”, contribuíssem para a união de grupos insatisfeitos com questões diferentes e que hoje saem as ruas. “Os R$ 0,20 foram apenas o que disparou o gatilho, tudo isso mediado pela tecnologia da informação e da comunicação”, explicou.

Golpe Militar de 1964 Golpe de Estado aplicado em abril de 1964 pelos militares que expulsou o presidente João Goulart (apelidado de Jango) e deu início a ditadura que durou 21 anos. A história conta que o golpe foi apoiado pela sociedade, Igreja, segmentos da sociedade como a OAB e imprensa. Na época de 1960 O Brasil ainda sentia os efeitos do enfrentamento ideológico da Guerra Fria (socialismo x capitalismo).

Acho que sim. Já está a vista de todos que o movimento nacional é heterogêneo, com vários setores, segmentos e tribos que participam e suas reivindicações são também heterogêneas e nenhuma delas se subordina uma a outra. É um conjunto de questões que são colocadas e aparecem em cartazes, em falas e nas faixas que mostram o caráter plural e heterogeneo do movimento. Algo importante assinalar do ponto de vista de caracterização do movimento é que o movimento não aceita a tutela política de partidos ou de entidades tradicionais como sindicatos ou ONG´s. É um movimento que se dá uma autonomia, uma direção própria sem aceitar a tutela política de nenhuma natureza e que em,bora tenha iniciado com a questão da tarifa dos transportes públicos, com a dimensão que tomou, terminou por reunir um conjunto de insatisfações e temas da vida cotidiana brasileira. Li um cartaz que dizia “Por uma vida sem catracas” que representa um desejo de uma vida melhor, sem catracas, uma metáfora do que as pessoas estão dizendo: uma vida com saúde de qualidade, educação de qualidade, transporte de qualidade. Uma vida em que as pessoas usufruam do direito que tem. Essas insatisfações foram o motivo que fez aumentar esse movimento no país?

Com certeza. O que inicialmente era uma bandeira por diminuição das tarifas que foram aumentadas nos transportes públicos, cresceu com um grito geral contra insatisfações que estavam acumuladas como a ausência de políticas públicas sérias, de serviços públicos de qualidade, diversos direitos afetados. Vejam que nas passeatas, surpreendentemente, nós temos cartazes falando da questão da PEC 37, contra a homofobia, pelos direitos indígenas, os direitos das mulheres. Há um conjunto de questões que remetem de um lado a reivindicação de uma vida justa e de qualidade e por outra por um aprofundamento da democracia no Brasil. Esse movimento claramente tem um apelo que é a ampliação da participação democrática. Não se trata de um movimento contra a política e não se trata de um movimento de modo algum que nega o sistema democrático e sim que apela a amplia-

Diretas já! A revolução popular das “Diretas Já!” foi um movimento da sociedade que lutava por melhorias políticas e ampliação da democracia e teve intensa participação popular no ano de 1984 através de passeatas e comícios em todas as regiões do Brasil. Os manifestantes da “Diretas Já!” reivindicavam as eleições presidenciais diretas no Brasil nos anos de 1983 e 1984.

Ocupação da reitoria da UFRN No início dos anos 80, as universidades federais sofriam com constantes cortes de verbas. A UFRN, inclusive, corria o risco de perder a residência universitária e o restaurante. Uma portaria publicada prejudicava o acesso de estudantes ao restaurante universitário, o que deflagrou a ocupação da Reitoria. O movimento durou seis dias e só foi encerrado com a suspensão da portaria que aumentava, em 500%, o preço da refeição do restaurante.

Caras-pintadas Com rostos pintados em verde e amarelo, os jovens e estudantes do Brasil saíram às ruas em 1992 para protestar contra a corrupção e as medidas econômicas adotadas pelo então presidente da República, Fernando Collor. Os manifestantes pediam o impeachment do Presidente. O movimento culminou na CPI e impeachment de Collor.

ção da democracia dizendo “o sistema político da democracia representativa tem lá sua importância, mas ele é incompleto, é imperfeito”. É necessário ter também um nível de participação política mais direta das massas, das pessoas, do povo, e nesse sentido essa miscelânea geral de questões que estão pautando as manifestações são bastante heterogêneas nesse sentido. Do ponto de vista político, que frutos, que resultados essas mobilizações podem trazer para o país? O que isso pode refletir do ponto de vista político? Podem mudar a visão dos gestores públicos?

Eu não tenho dúvida. Esses protestos nas ruas das cidades brasileiras, das menores as maiores cidades estão dizendo para os governantes, gestores e políticos: “Queremos ser escutados! Nossas demandas e reivindicações terão que ser levadas a sério”. E nesse sentido o fazer política no Brasil será diferente daqui por diante. Esse sistema de corrupção, de clientelismo, esse sistema falido dessa política desengajada e de costas para as demandas e apelos da sociedade, vai mudar. Se não imediatamente, mas agora já sofreu um trincamento, um abalo com conseqüências. Várias cidades já fizeram a redução da tarifa e já é um resultado. Inclusive nacionalmente a coordenação do movimento deu uma entrevista dizendo que era uma vitória a redução da tarifa em São Paulo. Aqui, a Prefeitura anunciou que a partir do domingo a tarifa volta aos R$ 2,20. Como o senhor avalia esses resultados?

Uma vitória importantíssima do MPL, o Movimento pelo Passe Livre e das manifestações que ampliaram o próprio movimento MPL no Brasil. Uma vitória, uma conquista, mas o próprio movimento, as próprias manifestações já estão dizendo “Não vamos parar por isso!”. Como antes eu já dizia, o movimento ampliou-se em seu caráter, em suas reivindicação. Não se trata apenas de reivindicar a redução das tarifas dos transportes públicos. Foram pautados diversos outros temas e muito certamente o acúmulo de força dessas manifestações deixou impeto de protesto, de indignação que creio vai manter as reivindicações ligadas a outros temas, outras questões. Então não creio que o fato das prefeituras reduzirem as tarifas e voltarem as tarifas anteriores isso vá cessar com as manifestações nas cidades.

Revolta do Busão Desde o ano passado, jovens de escolas e universidades se organizaram através de redes sociais e iniciaram o protesto contra aumento da tarifa de ônibus e pediam melhoria da qualidade dos tranportes que ficou conhecido como a “Revolta do Busão”. O movimento foi ampliado ganhando notoriedade e se espalhou pelo Brasil, com protestos pelo Passe Livre em São Paulo e melhorias nos serviços públicos em todo o país. Em Natal, a Prefeitura retrocedeu e voltou a tarifa de R$ 2,20.

Se, por um lado, a característica anárquica dos movimentos é surpreendente, a falta de liderança e de pauta do movimento criam uma questão complexa, Luiz Antonio Joia, da FGV. “Você pode ter na mesma passeata duas pessoas lutando por coisas totalmente opostas. Diferentemente da Primavera Árabe e de movimentos na Europa, no Brasil não há uma pauta”, lembrou. De acordo com o pesquisador, esse cenário pode apresentar risco para o movimento. “O perigo da falta de foco é que oportunistas e partidos políticos podem apropriar-se desse movimento. É importante que as pessoas digam o que querem e, sobretudo, como querem, como implantar esse projeto”. Como acadêmico, Joia se diz entusiasmado com os recentes acontecimentos. “Não dá para prever o que vai acontecer, pode não dar em nada, mas deixará uma semente. São sinais que devemos acompanhar e depois tirar lições que sirvam para nossos alunos e para a sociedade”.

Em Natal, movimento surgiu em 2004 Em Natal o movimento começou com foco no aumento das passagens de ônibus e ganhou força com outras reivindicações como melhorias na saúde, a PEC 37, saúde, educação e Copa do Mundo. A reportagem da TRIBUNA DO NORTE conversou com um dos militantes da “Revolta do Busão”, grupo que iniciou a mobilização em Natal. “O movimento contra o aumento nas passagens e melhorias no transporte público começou em 2004, no Via Direta, com os mesmos atores do processo como a secretária Elequicina, os mesmos diretores do Seturn e também houve confronto com a Polícia, mas dessa vez o protesto despertou atenção nacional do movimento estudantil e foi ampliado”, comenta Dayson Moura. A união dos estados em prol de melhorias no transporte público provocou ainda mais protestos pelo Brasil e mesmo separados pelo limite territorial, os estudantes mantiveram o ideal inicial: o de protestar. “As manifestações no Brasil ganharam força com o Movimento Passe Livre (MPL). Aqui em Natal tivemos uma boa surpresa que é ter pessoas nas ruas que nunca participaram de protestos”, conta Dayson Moura.

O perigo da falta de foco é que oportunistas e partidos políticos podem apropriar-se desse movimento” LUIZ ANTONIO JOIA Especialista da FGV


4

natal

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

Tem um pouco de tudo no depósito judiciário de Natal « JUSTIÇA » Objetos, carros e equipamentos ligados a histórias de crimes são recolhidos a um depósito. Falta catalogação e organização de material estocado VINÍCIUS MENNA Repórter

A

ficha de apostas do caçaníquel ainda está no lugar de retirada do prêmio, empoeirada e intocada há anos. Ao lado dela, várias outras máquinas repousam caladas, sem emitir o tilintar tão característico desse objeto. Próximo delas há uma infinidade de bens cujas histórias também ficaram adormecidas com o tempo: uma cadeira de dentista, uma bicicleta, um carro, equipamentos eletrônicos, DVDs piratas, eletrodomésticos, cervejas e vinhos vencidos, colchões, máquinas de escrever e até vasos sanitários. Todos esses objetos que aparentemente não reservam conexão alguma entre si estão ligados a histórias de crimes, tais como assaltos, tráfico de drogas e outros, ou são decorrentes de ações cíveis. Eles estão reunidos no depósito judiciário da Comarca de Natal, um galpão localizado em Neópolis que reúne todo o tipo de bens. Alguns desses objetos foram leiloados na quarta-feira passada: quatro veículos em bom estado e outros 14 em condição de

ì O QUE Depósito judiciário da Comarca de Natal

POR QUE Objetos ligados a histórias de crimes ficam armazenados aguardando perícia ou conclusão do julgamento

sucata, 37 motos também inutilizadas, assim como 180 bicicletas que podem ser mais úteis em ferros velhos. Até uma betoneira foi à leilão. Todos esses objetos faziam parte de processos judiciais e estavam ocupando um espaço importante para o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte. Mas há muitos que ainda ficaram no galpão de Neópolis e tem histórias das mais diversas. Exemplo disso é uma cadeira

odontológica que está guardada no local. Ela foi apreendida pela polícia durante a prisão de um homem que vinha atuando como dentista, na Zona Norte, sem ter registro profissional. Há também cervejas e vinhos que foram apreendidos por ausência de nota fiscal, carimbos e outros materiais de escritório que eram usados no controle dos negócios ligados ao tráfico de drogas além de equipamentos eletrônicos dos mais diversos que foram trocados por drogas em bocas de fumo e foram apreendidos durante a prisão de traficantes. Até colchões fazem parte desse inusitado acervo, arrolados em processos por se tratarem de compras efetuadas com cartões de crédito clonados. Todas essas histórias são contadas pelo servidor Marcial Araújo, que é responsável por catalogar os bens e, na medida do possível, preservá-los. “A maior parte é do que está aqui é sucata”, diz. Tem de tudo no depósito e esses bens se acumulam por anos a fio, situação que vem preocupando o juiz Mádson Ottoni, diretor do Foro da Comarca de Natal. “Hoje o depósito está em

Depósito também abriga todo o arquivo de antigos processos da Comarca de Natal. Projeto de digitalizaç

condições de extrema dificuldade de funcionamento em razão da superlotação. Tanto é que hoje nós temos inúmeros automóveis que foram apreendidos judicialmente espalhados em delegacias de polícia da capital. Eles não estão no depósito por falta de espaço”, explica Ottoni. Além do leilão, outras estratégias já foram trabalhadas pelo diretor do foro para solucionar o problema, algumas delas de cunho social. “Doamos tênis, roupas, mochilas, carteiras escolares para o Armazém da Caridade na semana passada, para distribuição em favelas”, diz. Camisas falsificadas ainda

embaladas e em bom estado também foram cedidas para distribuição em comunidades carentes. Até esquadrilhas de alumínio que estavam entulhadas no depósito acabaram ganhando destino mais nobre: foram para uma associação de catadores. Outros bens, caracterizados como inservíveis, também saíram do galpão. “Fizemos uma primeira destruição de CDs e DVDs piratas e caçaniqueis, na sede da Urbana. São bens que não podem retornar ao comércio por serem ilegais. Agora pegamos os veículos para um leilão, já que eles ocupam muito espaço e não

podem ser destruídos”, explica o magistrado. Segundo o diretor do Foro da Comarca de Natal, devido à variedade e quantidade de objetos mantidos no depósito, o Tribunal de Justiça não tem hoje um controle efetivo do acervo. “Não há um sistema informatizado, existe apenas controle feito em um sistema simples, desenvolvido pelo Marcial, em uma tabela. O Tribunal precisa se apoderar desse acervo para disponibilizar a consulta a juízes e secretarias. Com essa limpeza, vamos ter condições de cadastrar esses bens”, relata Ottoni.


Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

natal

5

FOTOS: MAGNUS NASCIMENTO

BATE-PAPO Juiz Mádson Ottoni diretor do Foro da Comarca de Natal

“Quero deixar o depósito organizado” Qual a importância dos leilões para a organização do depósito?

Carros, colchões, móveis são alguns dos objetos guardados

Com o leilão dos veículos, nós vamos tirar uma boa parte do que está no depósito e vamos ter condição de receber bens que estão espalhados pela Comarca de Natal que são apreendidos diariamente. Até o fim da gestão, queremos dar uma possibilidade de melhor funcionamento para o depósito. Quero deixar o depósito organizado, com empilhadeira funcionando e palets. Já solicitamos uma licitação ao Tribunal de Justiça nesse sentido. Para onde vai o dinheiro apurado com os leilões?

ão não tem data para ser iniciado

Até vasos sanitários estão entre os objetos armazenados

Depósito funciona há 15 anos A criação do depósito judiciário foi ideia do próprio juiz Mádson Ottoni, durante outra gestão do magistrado frente ao Foro da Comarca de Natal, entre 1998 e 2000. A história do depósito é tão inusitada quanto as que estão por trás dos objetos mantidos nele. O magistrado conta que, em um caso clássico da Justiça no RN, havia um carro que foi apreendido e ficou em plena praça André de Albuquerque por um bom tempo. “Era um Monza que chegou inteiro e foi ficando. Depois tiraram pneus, vidros. Serviu até de motel. Era o símbolo do atra-

so da Justiça. Eu não aceitei aquilo. Cheguei à conclusão de que era preciso ter um depósito”, relata o juiz.O primeiro local a abrigar o depósito ficava na Avenida do Contorno, na Ribeira, onde também foi criada a Central de Avaliação e Arrematação, que sediava os leilões. A Central também remete a outra anedota. Segundo ele, um oficial de Justiça passava antigamente com um sino no corredor do Foro. Em um certo dia, ele achou o fato curioso e decidiu perguntar do que se tratava. A resposta: “É um leilão. Esse sino é para

avisar que nós vamos começar o leilão”. “Eu questionei se ele achava que ia chamar a atenção com o sino, que realmente não atraía ninguém. Não era efetivo e os bens continuavam em posse dos devedores”, diz o magistrado. Com isso, Mádson Ottoni elaborou uma proposta para criar uma Central e fazer os leilões de maneira que as pessoas pudessem verificar os bens que podiam ser arrematados na Central, na véspera. “Disciplinamos o processo e, a partir de então, a cada ano um leiloeiro oficial assume a tarefa”, relata.

O apurado é depositado no Fundo de Aparelhamento do Judiciário e outra parte no Fundo Nacional Antidrogas (Funad), em favor da União. Existem veículos que são objeto de apreensão em processo que envolve tráfico de entorpecentes e esse apurado é depositado na Secretaria Nacional Antidrogas, através do Funad. Para onde vão as armas de fogo apreendidas?

Nós temos um cofre-forte e elas são destinadas ao Exército para serem destruídas. Existe uma legislação federal que disciplina isso. Antigamente, se fazia acautelamento para a Polícia Militar, com um termo de recebimento, mas depois da Lei do Desarmamento isso foi proibido e hoje as armas são levadas a destruição.

Muitas máquinas caça-níqueis estão no depósito

Arquivo guarda processos antigos da Comarca de Natal Ao lado do depósito judiciário, em Neópolis, também funciona o arquivo da Comarca de Natal, onde algo em torno de 250 mil processos que contam a história da cidade são mantidos em condições precárias, numa sala quente e sem um controle efetivo do Tribunal de Justiça. De acordo com o chefe do Patrimônio Histórico do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte, Eduardo Gosson, que também coordena o Memorial da Justiça Desembargador Vicente Lemos, o arquivo tem processos importantes tanto na área criminal como na administrativa. “São processos antigos, que datam de 1912, com validade histórica e que chamam a atenção por sua excepcionalidade”, pondera Gosson. Segundo o diretor do Foro da Comarca de Natal, Mádson Ottoni, apesar de contar a história de Natal, o acervo “fica numa sala do tamanho de um corredor, em caixas e mais caixas de processos, arquivados em uma sala quente, sem um con-

trole do Tribunal e também com cadastro simples”. “Temos processos da década de 30, 40, que contam a história da capital. É a vida toda da Comarca de Natal. Tem gente que faz trabalhos lá, teses. Pede autorização para ter acesso a determinados processos, inventários de famílias tradicionais. Isso é memória, não podemos destruir esse acervo”, argumenta Mádson Ottoni. O magistrado explica que o Tribunal de Justiça já trabalha na elaboração de um edital para digitalização do arquivo. “Estamos analisando se vai digitalizar ou microfilmar, que são custos diferentes, se vamos fazer isso a partir de agora, com todo o acervo ou com parte dele. Mas não tem como guardar aquilo. Para preservar esses processos é preciso de condições adequadas”, analisa Ottoni. O diretor do Foro da Comarca de Natal acrescenta que a ideia é digitalizar os processos e incinerá-los em seguida, separando apenas aqueles os que tiverem valor histórico.

legenda


6

natal

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

« ARTIGO »

Poder Judiciário

Parlamento vinculado (II)

ANELLY MEDEIROS [ anellymedeiros@hotmail.com ]

MARCELO ALVES DIAS DE SOUZA

Lista tríplice será conhecida dia (26) Os nomes dos três advogados potiguares que formarão a lista tríplice para o preenchimento da vaga destinada ao Quinto Constitucional devem ser conhecidos na próxima quarta-feira. A votação está marcada para começar a partir das 8h, durante sessão ordinária do Pleno. Estão na disputa os advogados Magna Letícia, Artêmio Azevedo, Marisa Rodrigues, Verlano Queiroz, Glauber Rêgo e Priscila Fonseca. Na votação anterior, cancelada pelo CNJ, foram escolhidos Artêmio Azevedo, Magna Letícia e Glauber Rêgo, este último escolhido pela governadora Rosalba Ciarline para ocupar a vaga do desembargador Caio Alecar. A expectativa é que os desembargadores sigam a mesma linha, agora em sessão pública com voto nominal e fundamentado. DIVULGAÇÃO

Novo Procurador-Geral enfrenta crise O Procurador-Geral de Justiça, Rinaldo Reis, assumiu com vontade de balançar as estruturas do MP com a extinção de 48 cargos de ajudante dos procuradores, cuja remuneração é de R$ 7,5 mil. Recém-empossado, Rinaldo não estaria agradando, alguns colegas, com a nova forma de comandar o Ministério Público do RN. Cerca de 20 pro-

motores recorreram à Justiça para derrubar essa decisão de modificar os cargos do MP, sem submeter a proposta ao Colégio de Procuradores de Justiça. Para todos não foi surpresa a decisão do procurador, já que a proposta de modificar a estrutura de cargos do MP fazia parte do plano de campanha de Rinaldo.

Meta 18 terá apoio da Ass. Comercial O presidente e o diretor da Associação Comercial do RN, Itamar Maciel e Hindenberg Dutra, estiveram com o juiz auxiliar da presidência do TJRN, Fábio Filgueira, para saber detalhes da Meta 18, estabelecida pelo Conselho Nacional de Justiça. A meta tem o objetivo de julgar, até o fim de 2013, os processos contra a administração pública e de improbidade administrativa distribuídos ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), à Justiça Federal e aos estados até 31 de dezembro de 2011. De acordo com o TJRN, parte das ações de improbidade diz respeito a empresários e comerciantes do Estado. “Nosso

objetivo é orientar os empresários que estão incluídos nessas demandas judiciais, auxiliando na apresentação da defesa”, disse o presidente da ACRN, Itamar Maciel. O juiz Fábio Filgueira colocou o sistema de informação do Tribunal à disposição da Associação. “ Nosso interesse é trabalhar em conjunto com as entidades de Classe com o objetivo, também, de alcançarmos as metas estabelecidas”, afirmou Filgueira. Boa parte dos processos poderá ser enviada para os mutirões, principalmente, aqueles que estão em comarcas que contam com juízes substitutos.

Apoio ao manifestação popular A manifestação que fez Natal parar, na última quinta-feira, contou com o apoio da Associação dos Defensores Públicos do Estado do Rio Grande do Norte – ADPERN, da Defensoria Pública Geral do Estado e da OAB/RN. No caso dos Defensores, equipes estavam de prontidão para dar apoio jurídico aos manifestantes no prédio da De-

fensoria Pública e na frente do Natal Shopping. “Esse foi um momento importante que surgiu naturalmente e que tende a solidificar as instituições. A defensoria apoia a apuração dos atos de vandalismo e entende que cada um deve pagar conforme suas atitudes”, afirmou o presidente da Associação Francisco Paula Leite.

Em barriga de mulher grávida e cabeça de juiz ninguém sabe o que é que tem”. Presidente do TJRN, desembargador Aderson Silvino, em entrevista à Tribuna do Norte.

Processo Seletivo O Ministério Público abriu inscrições para os processos seletivos dos cargos de: Chefe do Setor de ArquivoGeral; Chefe do Setor de Obras e Projetos; Diretor de Planejamento e Gestão Estratégica; Diretor de Tecnologia da Informação; Gerente de Sistemas; e Assessor Técnico de Inovações Tecnológicas. Os interessados devem entregar os currículos no setor de Protocolo da sede da Procuradoria-Geral de Justiça, no bairro de Candelária, até o dia 26. . Expediente nos festejos juninos Em virtude das festas de São João e São Pedro, essa semana passará bem rápido. No Tribunal de Justiça, amanhã, dia 24, não haverá expediente na primeira e na segunda instâncias. Já na sexta-feira, dia 28, o expediente termina às 14h.

Procurador Regional da República

C

omo disse aqui na semana passada, a resposta à questão - a decisão final proferida pelo STF numa ADI deve vincular também o Poder Legislativo, que não poderá editar norma de igual conteúdo à já declarada inconstitucional? - requer, num exercício de direito comparado, um passeio pelo direito europeu. Para tanto, passeei por um livrinho que já me foi útil em inúmeras ocasiões: “Las tenciones entre el Tribunal Constitucional y el Legislador en la Europa actual” (editora Ariel, 1998), que conta com a colaboração de renomados juristas do Velho Mundo. No passeio, verifiquei, por exemplo, que na Alemanha a regra geral é a vinculação do Poder Legislativo à decisão na ação direta que declara a inconstitucionalidade de ato normativo, que não poderá editar norma de igual conteúdo. Nesse sentido, esclarece Albrecht Weber que as sentenças do Tribunal Constitucional Federal “vinculam os órgãos constitucionais da Federação e dos Länder, assim como a todos os tribunais e administrações. No que diz respeito às sentenças de cassação, ou seja, às que declaram que uma norma é nula ou incompatível com a constituição, o efeito vinculante significa uma proibição de reiteração por parte do legislador, que não pode voltar a aprovar uma norma declarada inconstitucional, nem pode repetir o erro constitucional cometido” (tradução livre). Assim, também, na Itália. Segundo Robert Romboli, “a Constituição italiana não contém um princípio escrito que obrigue o legislador a não aprovar novamente uma lei já considerada ilegítima pela Corte Constitucional. Este efeito, contudo, parece se deduzir facilmente dos princípios do sistema institucional desenha-

do pela Constituição e, portanto, do papel que nele se outorga às pessoas titulares do poder normativo (Parlamento - Governo) e daquela atribuição própria dos órgãos de controle da constitucionalidade na função de manter integridade do sistema, ou seja, dos ‘guardiãs da Constituição’ (Corte Constitucional e Presidente da República). A doutrina que trata deste tema (Modugno e, especialmente, D’orazio) chega a uma conclusão semelhante, falando de uma estrita proibição jurídica para o legislador de reproduzir illico ac immediate uma norma declarada inconstitucional, proibição especificamente relativa ao poder de legislação ordinária do Parlamento”. Por último, esse mesmo entendimento é dominante em Portugal, onde, nas palavras de Luís Nunes Almeida, “o legislador não poderá voltar a aprovar as disposições declaradas inconstitucionais se não foram alteradas as circunstâncias que motivaram o juízo de inconstitucionalidade. (...). Nos casos de inconstitucionalidade material, o legislador deverá deixar passar o tempo razoável para poder ser considerada exigível ou, no mínimo, aceitável, a revisão da decisão anterior”. No Brasil, todavia, prevalece o entendimento contrário. Segundo esse entendimento, o efeito vinculante, expressamente previsto no art. 102, § 2º, da Constituição Federal, não se aplica ao Poder Legislativo (não referido no artigo mencionado), que poderá, no âmbito da sua atividade (materialmente) legislativa, criar norma com o mesmo conteúdo daquela reconhecida inconstitucional pelo STF. Aliás, isso foi defendido, há cerca de 20 anos, pelo Ministro Moreira Alves em voto, na qualidade de relator, na Ação Declaratória de Constitucionalidade 1-1/DF. Não se pode desconhecer o entendimento dominante. Mas, neste espaço (democrático, acre-

Uma das primeiras objeções que se faz a estender o efeito vinculante da decisão que declara a inconstitucionalidade da norma ao Poder Legislativo está na reverência, à teoria da separação dos poderes” dito), é lícito defender, nem que seja para debates futuros, posição antagônica. Uma das primeiras objeções que se faz a estender o efeito vinculante da decisão que declara a inconstitucionalidade da norma ao Poder Legislativo está na reverência, quase religiosa, à teoria da separação dos poderes. Não enxergo esse óbice de natureza principiológica. Digo isso porque a teoria da separação de poderes, na sua concepção mesmo e entre nós, não é tão rígida assim. Se o fosse, não permitiria nem o próprio controle de constitucionalidade das leis por parte do Judiciário. Mas permite, e isso ninguém discute. Um segundo óbice alegado é a ausência de texto constitucional expresso no sentido da vinculação. Mas isso também se dá na Itália e, como foi visto, lá é reconhecida a vinculação do Poder Legislativo. Na verdade, no Brasil, assim como na Itália, parece desnecessária a afirmação expressa da extensão do efeito vinculante ao Poder Legislativo. Isso decorre do próprio sistema desenhado na nossa Carta de 1988, no qual o STF exerce o papel de guardião da Constituição. Se ele é o guardião, cabe a ele dar a última palavra sobre a constitucionalidade ou não da legislação infraconstitucional.

Na realidade, nada mais racional que o Poder Legislativo fique vinculado a isso, não só para a norma específica declarada inconstitucional por ação direta - e quanto a isso ninguém discute - mas também para futuro, não podendo editar norma idêntica (ou de conteúdo idêntico). As situações, no que interessa - constitucionalidade ou não das normas - são idênticas. Não se vê, assim, o porquê de não dar a solução mais racional. Falamos, aqui, de racionalidade para indagar: se a norma (ou norma semelhante) já foi declarada inconstitucional, qual a razão, se não houve qualquer mutação, de repetir o Legislativo o mesmo erro? Repetindo, estar-se-ia, mais uma vez, descumprindo a Constituição. Bom, afirmar que o Parlamento está proibido de editar norma de conteúdo idêntico àquela declarada inconstitucional em ação direta pode dar a entender que se deve retirar dele, via controle preventivo, a capacidade de ir, voluntariamente, contra a decisão do STF e, de fato, editar nova norma de igual conteúdo. Pensar isso - vide a maioria de 7 x 3 em sentido contrário já estabelecida, no STF, no MS 32033 - seria estar completamente fora da realidade. A própria natureza da relação Congresso Nacional x STF, que em essência é uma relação política, impede isso. Mas uma coisa eu posso defender, já agora no âmbito do controle repressivo: editada norma de conteúdo idêntico àquela declarada inconstitucional em ação direta, por esse só fato (sem necessidade de nova declaração de inconstitucionalidade via ação direta), ela deve ser desaplicada por juízes, tribunais e pela Administração, ensejando, se for aplicada, o manejo direto de Reclamação ao STF (para que este garanta a autoridade da sua anterior decisão). E vocês, o que acham?


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

natal

7

Myanmar: terra dos pagodes dourados, povo gentil e ferrenha ditadura KARLA LARISSA Especial para a Tribuna do Norte

M

yanmar não estava em nossos planos iniciais. Tínhamos notícias de que viajar pelo país era difícil, inseguro, que não havia caixas eletrônicos para saque com cartões estrangeiros (ATMs) e que boa parte da internet era bloqueada. Mas depois de conversar com um amigo que havia visitado o país há alguns meses, decidimos arriscar. Demos entrada no visto em Bangkok, capital da Tailândia, e paraconsegui-lotivequeomitirminha condição de jornalista. A antiga Birmânia vive há mais de 50 anos sob comando do regime militar. E jornalistasdefinitivamentenãosãobem vindos em ditaduras, assim como advogados e ativistas sociais. Informei que era estudante de língua portuguesa e no dia seguinte recebemos o visto. Dois dias depois, pegamos o voo para Yangon, a antiga capital do país. E até receber o carimbo da imigração estava com o coração apertado, pois mesmo com o visto em mãos, poderia ter sido barrada. Mas ainda bem que não fui e pudemos viver os oito dias mais intensos de nossa Volta ao Mundo até agora.

Inle Lake, no Leste de Myanmar, é um lago de 100 quilômetros de extensão que fica em meio às montanhas, a quase 900m acima do nível do mar

siçãoentreoantigoeomodernoéum longo caminho que está apenas começando e a passos curtos. A cidade de dezenas de pagodes dourados, belos parques, luxuosos hotéis e campos de golfe é também das ruas enlameadas, da falta de iluminação pública (em Myanmar há cortes de energia praticamente todo dia) e, claro, como em todo o país, há muita pobreza. Chegamosnoperíododasfamosas monções asiáticas e nos três dias queestivemosnacidade,achuvanão dava trégua. Mas, mesmo debaixo de muita água, fomos às ruas. Um jeito interessante de conhecer Yangon é pegar o trem circular. Nãoénenhumpasseioturístico,mas oprópriotremutilizadopelosmoradores e que passa por toda a cidade, do centro e periferia à área rural. Pagamos 1 dólar cada e passamos 3 horas dentro do vagão com olhar fixo na paisagem e em tudo que acontecia do lado de fora.

O povo mais gentil Em Myanmar encontramos uma Ásia mais genuína com menos influências ocidentais. Homens e mulheres usam longyi, roupa tradicional, que explicando bem rudemente, seria um tipo de canga. Calça jeans é coisa rara de se ver. Mulheresecriançastambémandamnas ruas com o rosto pintado de tanaka, uma pasta branca a base de sândalo, usada para proteger do sol. Os birmaneses são profundamente religiosos e têm sua cultura baseadanobudismo.Emtodoopaís, há muitos, muitos monges, que são extremamente respeitados. Por diversas vezes, presenciamos a Ronda da Manhã ou Ronda das Almas, quando os monges e monjas, a partir dos 7 anos, saem àsruassilenciosamente,decabeças raspadas e descalços, para receber doações, alimentos que irão consumir durante o dia. Uma lição diária de humildade e de generosidade. Impossível não se emocionar. Aliás, com o povo de Myanmar aprendemos muito. Gente muito simples que nos mostrou que pobreza não é sinônimo de violência. Lá nos sentimos seguros e em paz. Os birmaneses são o povo mais gentil e hospitaleiro que já conhecemos. E são sem dúvida o que há de melhor no país. Assim como Myanmar se chamava Birmânia até 1989. Rangoon tornou-se Yangon. Capital do país até 2006, continua sendo a principal porta de entrada do país.

Templos

Pequenas monjas saem para receber doações de alimentos

Impressões As primeiras impressões são as melhorespossíveis.Yangontemum aeroporto moderno e, agora, há sim ATMs por toda parte, mesmo com muitodelesemmanutenção.Naen-

trada da cidade, os outdoors anunciavamachegadadoscartõesdecréditoeoretornodaCoca-Cola,quehá seisdécadasnãoeravendidanopaís. Mas logo percebe-se que Yangonéfeitadecontrastes.Equeatran-

O casal potiguar, Karla Larissa e Fred Santos, no Pagode Shwe Dagon

Também não há como ir a Yangonenãoconhecerseusfamosospagodes. Mas são tantos que foi preciso escolher quais visitar. O mais impressionante deles é sem dúvida o ShweDagon.Acredita-sequeotemplo tenha sido construído há 2.500 anos e lá estariam guardadas as relíquias de quatro Budas, inclusive, oitofiosdecabelosqueteriamsidodoados pelo próprio Buda Siddhartha Gautama. O Shwe Dagon foi construídonoaltodeumacolina.Suastupa principal atinge 98 metros de alturaeécobertocommilharesdeplacas de ouro. Em volta da stupa estão 64 pequenos pagodes. Em toda Ásia já visitamos muitos templos, mas o Shwe Dagon me tirou o fôlego. E como em Myanmar ainda são poucos os turistas, o

pagode é frequentado principalmenteporfiéis.Assim,conseguimos visitarotemplocomcalma,fazeroraçõeseobservardepertomongesmeditando e o jeito peculiar que os budistas têm de orar.

Bagan De Yangon fomos para Bagan em um ônibus noturno. A cidade foi capital de vários reinados birmaneses e em seu auge existiram ali mais de5milpagodes,amaiorparteconstruída entre os séculos 6 e 7. Depois de muitas invasões, saques, abandono e até sismos, hoje restam as ruínas de mais de 2 mil templos distribuídos em uma área de 41km². Dos mais altos, podemos ver que são templos a perder de vista. Simplesmente incrível. Por diversas vezes, a UNESCO tentou transformar Bagan em Patrimônio da Humanidade, mas a junta militar de Myanmar restaurou os templos como bem quis, sem respeitar o estilo arquitetônico e os materiais utilizados na época das construções. Bagan fica em uma região árida de Myanmar e em muito me lembrou o sertão brasileiro. E tão especial quanto a paisagem são as pessoas do lugar. Entre um templo e outro estávamos sempre conversando com os locais, adultos e crianças, todos com um sorriso no rosto, mesmo aparentando levar uma vida difícil. As crianças começam a trabalhar desde cedo, vendendo postais e souvenirs, para ajudar no sustento de casa.

Inle Lake De Bagan, voltamos a pegar a estrada rumo a Nyaung-Shwe, uma das cidades ao redor do Inle Lake, no Leste de Myanmar. O lago de 100 km de extensão fica em meio as montanhas, a quase 900 m acima

do nível do mar. Ao longo do Lago Inle há centenas de vilarejos flutuantes, com casas construídas com bambu tecido, palha e madeira, erguidas sobre palafitas.PercorremosoInleemumpequeno barco, com capacidade para quatro pessoas. E o que chama mesmo atenção no lago são os pescadores.NoInleLakehá9espéciesdepeixes que são encontradas apenas lá. Olagoérelativamenteraso,comprofundidade média de 2 m, mas a água é coberta por juncos e plantas flutuantes. Para facilitar a visualização dos peixes, os pescadores têm estilo único, equilibrando uma perna na popa do barco e a outra ao redor do remo. Parece um balé. Em uma das pequenas cidades em volta do rio, conhecemos um autêntico mercado asiático. Com um vai e vem frenético de barcos que se abastecem de frutas e verduras a serem comercializadas nas grandes cidades.

Esperança O povo de Myanmar sonha e acredita em dias de democracia. E deposita toda a esperança em uma mulher: Aung San Suu Kyi. Prêmio Nobel da Paz, Suu Kyi é filha de Aung San, um herói nacional. Ela já foi eleita pelo povo em 1990 para ser primeira ministra do país. Mas não chegou a ocupar o cargo, tendo sido presa pela ditadura militar. Suu Kyi passou quase 15 anos em prisão domiciliar e negou exílio por diversas vezes. Está em liberdade desde 2010, após muita pressão internacional. Vimos seu retrato pendurado em vários estabelecimentos e casas. Em uma das vezes que perguntei sobre quem era na foto, recebi como resposta: ela governará nosso país em 2015!

Autêntico mercado asiático às margens do Inle Lake, grande lago de 100 quilômetros de extensão


8

natal

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

UERN abre cursos para servidores « OPORTUNIDADE » Parceria entre UERN e secretaria de Administração do Estado vai

oferecer 470 vagas em cursos de graduação e pós-graduação aos servidores estaduais JOÃO MARIA ALVES

A

Universidade Estadual do Rio Grande de Norte (UERN) e a Secretaria de Estado da Administração e dos Recursos Humanos (SEARH) firmaram convênio com o objetivo oferecer cursos de graduação e pós-graduação aos servidores do Estado através da Escola de Governo Cardeal Dom Eugênio de Araújo. No total 470 vagas serão abertas. O convênio possibilitará a realização de cursos de graduação em Tecnologia em Gestão Pública e pós-graduação latu sensu, em nível de especialização. O estado entende que os servidores precisam aprimorar seus conhecimentos técnicos e administrativos para aperfeiçoar a prestação de serviços nas repartições públicas do Rio Grande do Norte. Segundo a diretora geral da Escola do Governo, Tânia Leiros, o clima é de comemoração e desafio pelo inicio de uma parceria que vai gerar muitos dividendos para o RN. “Esse convênio torna possível que um órgão do Estado preste serviço de capacitação a outro. O RN utilizava outras instituições de ensino, até mesmo de outros Estados, mas hoje a UERN passa a fazer esse papel e vai elevar o nível de qualidade dos serviços públicos”, comentou Tânia Leiros. O reitor da UERN também comentou a importância do

« LEILÃO »

Caern fará leilão de carros e equipamentos segunda (24)

V

Cursos de graduação e pós-graduação serão oferecidos aos servidores através da Escola de Governo Dom Eugênio de Araújo

Esse convênio torna possível que um órgão do Estado preste serviço de capacitação a outro” TÂNIA LEIROS Diretora da Escola de Governo

convênio e demonstrou satisfação em participar do ato que aproxima a Universidade da Administração Estadual. “Estamos abrindo uma porta que estava fechada há oito anos. A governadora nos deu a possibilidade de fazer mais pelo Estado através da capacitação dos seus servidores. Não estamos fazendo nada empiricamente, tudo foi planejado e bem elaborado”, afirmou Milton Marques. A governadora Rosalba Ciar-

lini, disse que essa é uma obra extremamente importante para o desenvolvimento sustentável do RN. “Nós estamos abrindo um novo caminho de colaboração e de reconhecimento da UERN. Não é justo que a prata da casa seja deixada de lado no processo de melhorias que o Estado vem passando, como o Sanear RN e o RN Sustentável, do qual nós já conseguimos os recursos junto ao Banco Mundial”. O Secretário de Estado da Ad-

ministração e dos Recursos Humanos, Alber Nóbrega comentou que a Escola do Governo é a casa do Servidor público do RN. “Em algumas semanas lançaremos a licitação para aprimorar a Linha Digital de Trafego de Informação em redes eletrônicas (INFOVIA). Hoje, estamos assinando essa parceria com a UERN e Escola do GoveRNo para profissionalizar o setor público, que utilizará esses serviços”, explicou o titular da pasta.

eículos, computadores, impressoras, refrigeradores, cofres, copiadoras e outros equipamentos fazem parte do leilão que será realizado no próximo dia 28 pela Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern), na Estação de Tratamento de Água do Jiqui - ETA Jiqui. O leilão está marcado para 10h e a partir da próxima segunda-feira (24), os interessados poderão visitar o local para ver o material a ser leiloado, no horário das 8h às 11h e das 14h às 17h. No total, são 86 veículos, leves e pesados, com períodos variados de uso. Todo material leiloado foi de uso da empresa e não atende mais as demandas da companhia. Segundo o gerente em exercício do Patrimônio da Caern, Francisco Cavalcanti, “são veículos e equipamentos que não servem mais à empresa, mas que podem ter algum uso por um particular”, explica ele. Algumas peças são sucatas outras são carros que ainda funcionam e podem atender necessidades de particulares. Mais informações sobre o leilão estão disponíveis no site do leiloeiro oficial, no endereço www.robertoalexandre.com.br.


TÁBUA DE MARÉS

NO TWITTER

Preamar 04h06-2.5 - 16h41-2.4 Baixa-mar 10h02-0.0 - 22h21-0.1

Fique bem informado. Siga a TRIBUNA DO NORTE no Twitter.

@tribunadonorte

FASES DA LUA Hoje: Cheia 30/06: Minguante

CANTOR EVANDRO MESQUITA FALA DE ROCK E FUTURO DA CARREIRA • PÁGINA 11

CADASTRO POSITIVO

Acompanhe no site da TRIBUNA DO NORTE as principais notícias do Rio Grande do Norte.

www.tribunadonorte.com.br

natal Editora: Cledivânia Pereira [cledivania@tribunadonorte.com.br ]

Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 23 de junho de 2013

Paróquia de São João completa 50 anos « COMEMORAÇÃO » Os fiéis católicos concentram atenção na festa dos 50 anos de São João

como padroeiro do bairro de Lagoa Seca. Programação terá celebração e programação festiva

O

s festejos juninos entram na reta final, atrelados principalmente à religiosidade dos fiéis da Igreja Católica. Neste domingo (23) o ápice é a véspera do São João, mas as festas continuam até o dia de São Pedro, 29 de junho em Natal e diversas cidades do interior do Rio Grande do Norte. Em Natal, os fiéis católicos concentram atenção na festas dos 50 anos de São João como padroeiro do bairro de Lagoa Seca, onde um palco e estandes foram montados em frente à Igreja do bairro, na rua homônima. Maria das Graças Duarte colabora na administração da Igreja de São João e disse que o público tem comparecido à festa do padroeiro de Lagoa Seca: “Não veio mais gente na quinta à noite porque tiveram medo da manifestação que ocorreu”. Segundo ela, até mesmo o padre do bairro, José Nazareno da Nóbrega, que mora na Zona Norte “não veio”. No entanto, ela acredita que hoje e amanhã, os fiéis virão em peso para a festa de São João Batista, que começou no dia 15 e se encerra amanhã, segundafeira (24), data alusiva ao santo no calendário religioso. Às 19 horas de hoje ocorre o nono novenário, com o tema “Jubileu de Ouro: uma paróquia madura? O pregador será o padre Ednaldo Virgílio, enquanto a coordenação está a cargo da Pastoral da Terceira Idade e Esperança. Amanhã, dia de São João, haverá procissão de encerramento com banda de música às 16 horas, e em seguida, às 17 horas, celebração da missa presidida pelo padre Edilson Nobre, que é Vigário Geral da Arquidiocese de Natal. O tema é “Celebremos a Fé e a missão nos 50 anos da Paróquia de São João Batista”. A programação sociocultural contará, hoje, com o pavilhão de comidas típicas e apresentação da Quadrilha da Juventude às 21h30, enquanto às 22h30 haverá shows de “Marquinhos do Forrró e trio sertanejo”. Finalmente, amanhã tem

ì QUEM São João É dele o papel de destaque no ciclo de festas em junho. Nascido em 24 de junho, alguns meses antes de Jesus, São João Batista é filho de Isabel, prima de Maria, que anunciou a vinda do Messias e foi chamado de precursor do povo judeu.

Fogueira Maria e Isabel, grávidas ao mesmo tempo, combinaram que a primeira a ter o bebê avisaria a outra acendendo uma fogueira que pudesse ser avistada, a distância, no deserto da Judéia, onde viviam. Santa Isabel foi a primeira a acender o fogo, quando nasceu João.

Pregador e batista Antes mesmo de Jesus, João Batista já pregava publicamente às margens do Rio Jordão. Ficou conhecido pela prática de purificação através da imersão na água, o batismo, tendo inclusive batizado o próprio Cristo nas águas desse rio, tornando-se, por isso, uma tradição no cristianismo.

Morte e adoração São João foi preso a mando do Rei Herodes e levado para uma fortaleza onde foi mantido por dez meses até sua morte. Sua prisão é atribuída à liderança de uma revolução, porém sabe-se que a veemência de sua pregação incomodava os poderosos. Atendendo ao pedido de sua enteada Salomé, o monarca mandou degolá-lo e a sua cabeça foi-lhe entregue numa bandeja de prata. Depois, foi queimado em uma fogueira numa das festas palacianas de Herodes.

a barraca da saudade e apresentação, a partir das 18h30, da Banda Filarmônica da cidade de Acari, na região do Seridó.

+

PÁGINA 10

Tradicional brincadeira com fogos requer cuidados.


10

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

natal

Acidentes com fogos aumentam « PERIGO » Neste período junino, quando há queima de fogos e de fogueiras, o número de atendimentos no Centro de Tratamento de Queimados do Walfredo Gurgel cresce 30%, em relação aos outros meses ANA SILVA

F

estejos juninos são uma ode à alegria, mas também exige cuidados das pessoas pelo menos nas comemorações com os fogos de artifício e as fogueiras que são acesas às vésperas do dia de São João e de São Pedro. O Centro de Tratamento de Queimados (CTQ) do Hospital Walfredo Gurgel (WWG) chamam a atenção para o respeito às normas de de segurança, vez que os acidentes envolvendo vítimas de queimaduras, aumentam justamente neste período junino, quando à queima de fogos e o acendimento de fogueiras, anualmente, elevam em 30% o número de atendimentos no CTQ. Osatendimentosporcausadesses acidentes, em grande parte, ocorrem devido à falta de atenção dos pais, crianças de até cinco anos são as mais atingidas. Fogueiras mal apagadas e fogos não compatíveis com a faixa etária estão entre os motivos mais comuns de acidentes, levando menores a permanecer meses internos no Centro. A enfermeira chefe do CTQ, Paula Delne, chama a atenção para o problema: “para a criança – e para muitos pais – uma bomba ou um traque explodir é apenas uma brincadeira. Eles não percebem o perigo que aquela situação representa”. Paraela,aprevençãoéamelhor maneira de evitar acidentes. A en-

ì COMO AGIR 1 - Lavar a área queimada com água corrente e sabão; 2 - Cobrir o ferimento com um pano seco e limpo; 3 - Encaminhar a vítima ao CTQ do Hospital Walfredo Gurgel o mais rápido possível. Fonte - HWG

fermeira adverte, inclusive, que há fogos aparentemente inofensivos, mas que devem ser evitados, devido ao seu grau de imprevisibilidade, como as “cobrinhas”, cuja direção a ser tomada após acesa não é possívelsercontrolada,podendogerarumaqueimaduradesegundoou terceiro grau, quando em contato com a pele. Em casos de queimaduras, segundo orientação da fisioterapeuta do CTQ, Joana Darc Gomes, o local afetado deve ser lavado apenascomáguacorrente,nãoaplicando nenhum produto como pasta de dente, café ou pomadas”. Segundo ela, além de não contribuírem em nada para a cicatrização da área queimada, esses produtos podem piorar o quadro de saúde do paciente, prolongando o tempo de tratamento e aumentando o risco de infecção.

Festas juninas movimentam interior e capital do Rio Grande do Norte As cidades de Assu e Mossoró são o carro-chefe dos festejos juninos no interior, mas em Natal os adeptos de São João e São Pedro tem no 27º Festival de Quadrilhas Juninas patrocinados pela Fundação Cultural Capitania das Artes o principal atrativo, concorrendo, inclusive, com festivais semelhantes promovidos por duas emissoras de TV em Monte Alegre e São Gonçalo do Amarante. O 27º Festival de Quadrilhas vai até o dia 30 de junho, um dia depois das comemorações do São Pedro, cujo intuito de é res-

gatar, preservar e difundir as tradições juninas regionais, com grupos distribuídos em três categorias: categorias Tradicionais, Estilizadas e Cômicas. A programação ocorre sempre a partir das 18 horas, no estacionamento do ginásio Nélio Dias, Zona Norte de Natal e este ano, os arraiás e quadrilhas (matutas e estilizadas) foram contempladas com incentivos financeiros para a produção. De acordo com a Funcarte, as quadrilhas estão concorrendo a uma premiação de R$ 37 mil.

A prevenção é a melhor maneira de evitar acidentes com as tradicionais brincadeiras com fogos durante o período junino

São João em Natal Veja programação das festas na cidade 23/6, domingo Jogo da Copa das Confederações, 18 horas

Premiação das quadrilhas 1º Lugar

R$ 5 mil

Realização do Concurso e Gravação do Compacto (Especial para Exibição na TV)

2º Lugar

R$ 3,5 mil

3º Lugar

R$ 3 mil

4º Lugar

R$ 2 mil

5º Lugar

R$ 1 mil

24/6, segunda-feira Final do Forraço

Rainha do Festival

R$ 1 mil

Marcador do Festival

R$ 1 mil

18 horas – Jogo da Copa das Confederações

Estilizada

Tradicional

21 horas – Apresentação Musical

Realização do Concurso e Gravação do Compacto (Especial para Exibição na TV) 21 horas - Show com Léo a Fera do Forró Dia 25/6, terça-feira 18 horas - Apresentações de Grupos Juninos e Concurso de Quadrilhas

1º Lugar

R$ 5 mil

2º Lugar

R$ 3,5 mil

3º Lugar

R$ 3 mil

4º Lugar

R$ 2 mil

5º Lugar

R$ 1 mil

Rainha do Festival

R$ 1 mil

Marcador do Festival

R$ 1 mil

Cômica 1º Lugar

R$ 3 mil

Fonte: PMN

tn família

Todos os domingos na

TRIBUNA DO NORTE


Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

natal

3porquatro

11

POR ANNA RUTH DANTAS

« EVANDRO MESQUITA » FOTOS: DIVULGAÇÃO

Música boa não tem validade” A

pós 30 anos de banda Blitz o cantor Evandro Mesquita, líder do grupo, acredita que o grande momento é o vivido atualmente. Turnê na estrada, integrantes sincronizados e um trabalho autoral. Se nos palcos mostra estar empolgado, na televisão não é diferente. O artista atua no programa Grande Família da Rede Globo. Dois trabalhos que o levam a exercitarem a criatividade em canais diferentes, como o próprio Evandro Mesquita descreve. E o que a marca Globo, onde aparece o ator Evandro Mesquita, agrega ao cantor da Blitz. A resposta de pronto do artista é “nada”. Mas logo depois ele pondera: “A Globo ela dá visibilidade para a gente que está na área”. A Blitz estará nos palcos de Natal no próximo dia 5 de julho, no Teatro Riachuelo. Aliás, é na capital potiguar que ocorre a estreia da turnê dos 30 anos da banda. “No começo eu queria que minha turma da praia curtisse nosso som. Era eles que eu queria agradar”, diz Evandro Mesquita, lembrando do propósito inicial da Blitz. Um foco que se tornaria pequenino diante do público que a Blitz, ao longo da sua história, viria a conquistar. Você está convidado a parar na Blitz com Evandro Mesquita. Confira o 3 por 4.

O que mudou no trabalho da banda e no trato com a carreira da Blitz da formação original dela e neste novo momento? No começo eu queria que minha turma da praia curtisse nosso som. Era a eles que eu queria agradar. Pouca coisa que tocava nas rádios nós curtíamos e gravar um disco era uma coisa muito difícil e distante. Para segurar os músicos o sonho de gravar se tornou possível quando nasceu de dentro do meu grupo de teatro o Circo Voador e aí Conquistamos o bairro, a cidade, o país. Ano retrasado tocamos no Japão e foi emocionante, acabamos o show com todos chorando, parte do publico, produção e banda. É incrível como músicas compostas solitariamente há 30 anos permanecem vivas até hoje e do outro lado do mundo. Nossa música atrai várias gerações e níveis sociais diferente. Acho que é o humor, a teatralidade e a poesia direta que faz as pessoas curtirem e ela não ficar datada. Estamos aí fazendo 30 anos dessa turnê sem fim! E o trato é sempre de muito amor e prazer de estar na estrada, viajando e fazendo shows. Como explicar que músicas de sucesso do início da Blitz ainda hoje são muito pedidas pelo público? Música boa não tem prazo de validade! Que fórmula foi essa que deu certo? Não tem formula. É incrível e emocionante ver no público a galera que acompanhou nossa história de perto e a garotada que descobriu a banda em internet ou nos discos dos pais e irmãos mais velhos. Eles comparecem e participam oxigenando nossos shows. Você também fez carreira solo como cantor, em seguida retornou a Blitz. Como avalia a experiência da carreira solo e o que o trouxe para Blitz? Eu sempre fui um cara e um artista de turma de rua, turma de praia, de time de futebol, de grupo de teatro e de banda gosto dessa troca de informações. No solo é um monólogo. Bateu saudades e comecei a tocar com meus grandes amigos que eram e são da banda, o Billy e o Ju-

ba. E a Claudia Niemeyer que tocava com a gente no underground, quando o Lobão era nosso baterista. Vimos que a força das canções e da banda estava intocável e melhor com a experiência da estrada. O que você leva da televisão para música e da música para televisão? Exercito a criatividade em sintonias e canais diferentes. Nossa música, além das nossas próprias histórias, os temas sempre foram teatrais, com personagens, cenários. Qual o contexto de A Grande Família na carreira de Evandro Mesquita? Um seriado que faço há oito anos com muito prazer, quase sempre. Fazer humor em um programa que está há tantos anos no ar torna-se mais complicado? Não. Nós sempre tentamos deixar viva a interpretação o que torna divertido e inesperado cada gravação. Depois de seis décadas de vida, uma carreira estável, o que Evandro Mesquita planeja profissionalmente? Muita música, muitos shows, arte e ócio. Há críticas muito contundentes pela proliferação das músicas a partir da internet e, com isso, a queda na venda dos CDs. Qual a sua avaliação sobre isso? As gravadoras dizem que o faturamento do digital é 48% do mercado. Esses novos caminhos são estimulantes e a garotada sabe bem fazer descobrir esses caminhos além da facilidade de gravar “em casa”. O que esperar do show em Natal? Um puta show!!! Quais as novidades que virão com essa apresentação?

Um cenário com uma produção impecável e surpreendente, um repertorio com nossos “clássicos” e surpresas inusitadas. Além de um time pra Felipão nenhum botar defeito. Com Juba na batera, Billy nos teclados, Claudia no baixo, Rogerio

Meanda na guitarra, Andréa Coutinho e Giovana Cursino. Nesses 30 anos de Blitz qual foi o momento mais delicado da banda? Acho que a gente passou por grandes momentos e muitos delicados. E isso ocorreu desde quando gravamos o primeiro disco e tivemos duas músicas censuradas. Aí no segundo disco também tivemos música censurada, mas escrevemos uma carta para Solange, que era a censora da época, e mostramos para ela que era importante aquele tipo de música porque era a linguagem de rua, era um documento histórico e ela liberou as músicas. Esse foi um momento delicado, quando a gente falava nas entrelinhas, sem mudar o discurso. Cantávamos no meio da ditadura.

E ì BATE VOLTA

QUEM É Na minha!

O cantor e ator Evandro Mesquita, 61 naos

O divisor de águas:

O QUE FAZ

Pára em qual Blitz:

Você Não Soube Me Amar

Evandro por Mesquita: Enquanto houver bambu tem flecha!

É o líder da banda Blitz. Na tela da Globo ele está no ar com o programa A Grande Família, onde interpreta o personagem Paulão. Mas a interpretação na televisão vai muito além e começou em 1985 com o seriado Armação Ilimitada. Já nos palcos da música, a Blitz marca três décadas de história.

canais de arte (o palco dos shows e o trabalho no programa Grande Família) diferentes.

E qual foi o grande momento da Blitz? O grande momento da Blitz é agora. Foi o DVD maravilhoso que fizemos, em dezembro do ano passado, na praia de Ipanema, comemorando 30 anos de praia. Aliás, foi naquela praia que a banda nasceu. O show foi no Circo Voador e foi demais. Tinha muita coisa para dar errado (no show), previsão de chuva, gerador queimando, mas a galera compareceu e a banda estava super afiada, a gente conseguiu registrar músicas da nossa história, mostrar coisas novas e também cover. Esse foi um momento muito especial do que eu tenho muito orgulho. Em que a marca Globo da qual é integrante o ator Evandro Mesquita agrega ao cantor Evandro Mesquita? Em nada. É um trabalho completamente diferente. Na Blitz há um trabalho mais autoral, é mais minha, há 30 anos. Então eu tenho esse carinho especial. A Globo ela dá visibilidade para a gente que está na área. Mas os shows do público é diferente. Acho que o trabalho na Globo me acrescenta como artista, de fazer desafios, mas são

ì

Qual o desafio que se coloca para Blitz agora depois de 30 anos? É essa continuidade, essa turnê sem fim, estar na estrada com prazer, com amigos, isso é o grande barato, é a grande procura, é um trabalho independente e te dar retorno. Você tem um time na mão e todo mundo joga junto.

O Brasil sempre viveu grandes crises. É na crise que você tem que cortar o “s” e vai virar crie. Em todas as crises você tem que criar”

Você se sente mais responsável pela Blitz do que os demais integrantes? Eu sou o fundador da banda. Billy e Juga estão comigo nesses 30 anos, atravessamos mares, tempestades, calmarias, estamos resistindo. Claudinha tocava na época do underground, as meninas que entraram depois estão muito bem. Não estão (as integrantes posteriores ) tentando imitar o que a Blitz era, elas têm personalidade própria. A banda agora está com uma pegada super especial e a gente tem que tirar proveito disso e curtir. As pessoas se surpreendem com a sonoridade da banda, como está adaptada, presente e é isso.


12

natal

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

« ELIANA LIMA » elianalima@tribunadonorte.com.br

“A violência, seja qual for a maneira como ela se manifesta, é sempre uma derrota” Nesses tempos de manifestações no Brasil, Jean-Paul Sartre nunca foi tão atual em solo brasileiro FOTOS JOAONETOFOTOS.COM

Não está... Um fato que se torna corriqueiro vem deixando prefeitos do interior indóceis e desesperados. Recebem ofícios de juízes solicitando carro da prefeitura para uso da Justiça. E quando o Município só dispõe de um carro? Alguns prefeitos, usando da “diplomacia política”, e, até, com medo da Toga, disponibilizam.

2

1

Memória Dos talentos memoráveis da cultura potiguar, a história de Tonheca Dantas, autor da valsa Royal Cinema, será resgatada. Em comemoração ao centenário da composição, uma parceria entre a Prefeitura de Natal e o Grupo Vila levantará o projeto ‘Tonheca Dantas: O Maestro dos Sertões’, realizado pela Orquestra Sinfônica do RN e a Cooperativa da Música Potiguar (Compor).

...Correto Para atender, tem prefeito que se submete, até, a disponibilizar carro da saúde, que atende toda a população. E se alguém passar mal e precisar de um carro? A culpa será da Justiça?

1 – DOMINGO...

Errado Em algumas cidades, a Justiça Eleitoral solicita o carro, com combustível e motorista devidamente habilitado, para o transporte de servidores do cartório que irão vistoriar os locais de votação dos municípios integrantes da Zona Eleitoral da comarca, para identificar a existência de barreiras arquitetônicas que impossibilitem ou dificultem o acesso do eleitor, tendo em vista solicitação formulada pela Comissão de Acessibilidade do TRE.

Os lindinhos e apaixonadinhos Abílio Oliveira e Nathasha Gelelaite

Musicalidade

2 - ...DE...

A Revista Bzzz revelará a novidade que vai causar a Unimed Natal. O lançamento em Natal será dia 4, com coquetel no Solar Bela Vista. No dia 5, será encartada nesta Tribuna do Norte, para assinantes, e será vendida nas principais bancas da capital dos magos-leitores. No dia 7, amanhece encartada no jornal O Mossoroense, com coquetel de lançamento, à noite, no Garbos Recepções.

A valsa Royal Cinema já integrou trilha sonora de novela de época da Rede Globo.

Primeiramão

Luciana e Acácio Pereira

3 - ... PORTARRETRATO Manuela e Tiago Flor

4 - ...DO... Renata e Bianor Bezerra

5 - ...AMOR

Difícil Como se trata de Justiça Eleitoral, gestores ficam temerosos de represália. Assim, cedem e prejudicam as atividades e, também, à população.

Boa música

Cristiane Queiróz e Guto Rodrigues

3

Todo cuidado... Há tempo que o blog Abelhinha e esta coluna alertam sobre o perigo iminente que as passarelas em Natal ameaçam. Sem a manutenção devida, ferros estão enferrujados e se desprendendo; concreto se desfazendo, etc e mais. Corre o risco de pedaços atingirem carros ou transeuntes.

...É pouco E se despencar? Era a sensação, por exemplo, que se teve quando a passarela que corta a BR-101, entre o Via Direta e Natal Shopping, foi tomada por manifestantes. Preocupante.

Medidas Diante do perigo que se anuncia, a coluna questionou à prefeitura sobre recuperação. Informou que a Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) já abriu a licitação para a elaboração do projeto de recuperação. Da instalada na Av. Salgado Filho, apenas. Definido o projeto, demandará mais um tempo para fixar prazos para a obra.

Zelo... Outro problema em Natal são os mercados públicos. Além da caótica estrutura física e da desorganização de alguns, música alta sem isolamento acústico. Secretário de Serviços Ur-

ma Petrobras, é a única que saiu de verdade do papel”, desabafa Jean-Paul.

banos (Semsur), Raniere Barbosa concorda que é necessário se realizar isolamento acústico, assim, o bom exemplo parte da prefeitura.

...Que urge Principalmente o Mercado de Petrópolis, que há foi transformado em casa de show, herança da primeira gestão de Carlos Eduardo que continuou na Gestão Borboleta, sem solução. Raniere afirma que é “meta” da sua “gestão na Semsur elaborar um projeto para isolar acusticamente o Mercado de Petrópolis”. Enquanto não for feito, fará um trabalho juntamente com a Semurb para verificar os decibéis durante os eventos apoiados pela Prefeitura.

Iniciativa O secretário garante que as obras de recuperação começam este ano, que as licitações estão correndo na Comissão de Licitação da Secretaria de Administração (Selgem). O Mercado das Seis “será praticamente reconstruído”, com projeto desenvolvido pelas arquitetas da Semsur. Vai ganhar um novo pavimento para abrigar alguns dos comerciantes informais do Alecrim, e terá praça de alimentação, com vagas para estacionamento.

Em tempo O Mercado das Seis, apesar de extremamente decrépito, é o preferido de alguns dos melhores arquitetos de Natal. É lá onde se encontram peças de artesanato e de utilidades domésticas ímpares. A Abelhinha adora! Cliente cativa.

4

« COLMEIA » à Domingo de parabéns para o urkaravelho Clênio Maciel, José Alves, Haroldo Ribeiro Dantas, José Alves, Élida Mercês.

Bacana E no Mercado de Petrópolis, é vasta a opção de peças de antiguidades. São várias lojas. Mais artes plásticas, Cineclube Natal, restaurante vegetariano, as delícias de Dalila, de Aluízio. É ótimo. Só preciso organizar.

à Nesta segunda, coro de felicidade para Marcelo Bulhões. à Dia 6 de julho tem o 10º Arraiá do Clube Tiradentes, 18h à meianoite, na sede da Associação dos Subtenentes e Sargentos Policiais Militares e Bombeiros Militares do RN, ao som Forró Aí Pode, Meirinhos do Forró & Forró Meirão.

Então Muito se criticou a refinaria Clara Camarão, por ser “mini”, etc. Ná época, o então secretário Jean-Paul Prates (Desenvolvimento) insistia que era o tamanho ideal. Hoje a realidade mostra. As pomposas refinarias da disputa nordestina estão todas emperradas. Uma com problemas no TCU (Suape: Refinaria Abreu e Lima) e duas que não conseguem sair do papel (Maranhão e Ceará).

Ou seja A “mini” “refinaria, que muitos insistem em desprezar, além de ser a mais rentável do Siste-

A praia da Pipa será palco de mais uma edição do Fest Bossa & Jazz, de 22 a 25 de agosto, com patrocínios Cosern e Oi, através da Lei Câmara Cascudo de Incentivo à Cultura do Governo do Estado. Já estão confirmados nomes nacionais e internacionais, em doze shows. Terá também workshops musicais, oficinas socioambientais, Sesc Cinema Royal, da parceria com a Fecomércio.

à A Casa Talento promove hoje o Recital Show, 15h30, no Anfiteatro do Parque das Dunas. Ocasião para, também, contribuir com a viagem que alunos farão a Londrina para participar do 33º Festival de Música de Londrina, de 13 a 27 de julho, adquirindo o CD da Orquestra Talento, R$ 10,00.

5

à De 4 a 6 de julho, o Centor de Convenções de Natal será palco do Salão de Turismo Rota 101 Nordeste, que integrará os estados do RN, Pernambuco, Paraíba e Alagoas.


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

natal

13

« GEORGE AZEVEDO » georgeazevedo@digizap.com.br

Lume da fogueira A Terra de Santa Luzia “ferve” com o Mossoró Cidade Junina, que chega à sua reta final. De quebra, hoje tem show de Paula Fernandes, na Estação das Artes, a partir das 21h. E tem muito mais por vir... Garota Safada, na quinta-feira, 27; Luan Santana, na sexta-feira, 28, e por aí vai. Enquanto isso, curta algumas imagens dos primeiros dias no camarote Skol UnP. As fotos são do Trafegando.com

Ana Luíza Borges. Uma deusa

André Luvi e Xandy Avião no palco do camarote Skol UnP. Show!

Pablo Gondim e a belíssima Samille Freitas

O humorista Samuel Candidus e sua musa Mirian Santos

Alana Gondim. Toda simpática

Darquinha Azevedo, aniversariante de hoje, ao lado da filha querida Mariana Azevedo. Grande abraço

Georgiano Azevedo com Juninho Batendo Perna

De Pau dos Ferros para o MCJ, José Vieira e Soraya

Luana Vieira circulando com a amiga Alda Oliveira

Tony Santos no giro com Tayanne Gondim

Festival Movimento Hotspot Durante o último fim de semana, o Festival Momento HotSpot passou por Natal. Sob a batuta de Paulo Borges – o nome forte do São Paulo Fashion Week e Fashion Rio – o evento trouxe um recorte da produção de 303 artistas selecionados em todo o Brasil em uma exposição incrível para o Teatro Riachuelo. O HotSpot contou com a participação do roteirista e diretor João Falcão, da diretora criativa Graziela Peres e claro, do idealizador do movimento, Paulo Borges. Além das presenças do artista plástico César Revoredo, do jornalista Yuno Silva e da arquiteta Viviane Teles numa conversa sobre a cena cultural ativa no Rio Grande do Norte. Para encerrar o último dia do festival na noite do sábado, 15, deram um show no palco do teatro os mossoroenses selecionados na categoria música The Red Boots e a cantora potiguar Khristal. O registro são das lentes de Alexandre Lago e Elias Medeiros

Exposição dos projetos, de 303 artistas selecionados em todo o Brasil

Paulo Borges, Graziela Peres e João Falcão

Paulo Borges e Juliana Flor: queridos

Jéssica Góes, Ulysses Freire e Débora Brandão, em pauta

Paulo Borges em um papo com os visitantes do festival

Paulo Borges em momento Portfólio para Luíza Ribeiro

Show dos mossoroenses selecionados na categoria música com The Red Boots

Equipe HotSpot unida, só sorrisos

George Azevedo em um papo super empolgado com Paulo Borges

A cantora potiguar Khrystal com toda sua simpatia


14

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

natal DIVULGAÇÃO

NELSON MATTOS FILHO avoante1@gmail.com

O

Rio de Janeiro continua lindo! Foi com essa frase na cabeça que adentramos a Baía da Guanabara, num misto de euforia, alegria, deslumbramento e dever cumprido. Mas nem tudo era tão belo, e as águas de vazante da grande baía cantada em verso, prosa e poesia, denunciavam com clareza o desmando e a má educação dos homens. Quanta porcaria! Colchão, sacos plásticos, pedaços e toras de madeira, animais mortos, casco de geladeira e mais uma infinidade de lixo faziam a denuncia diante do mar para quem quisesse ver e também para o Cristo Redentor, que a tudo observava com os braços abertos de espanto. Naquela hora lembrei os muitos comentários desairosos que já ouvi de velejadores cariocas que navegam nas águas do nordeste e tiram onda de ecologistas abismados e vestidos de uma destoante empáfia. Falar do quintal alheio é muito salutar. Mas vamos deixar isso para outra hora, ou mesmo jogar tudo no arquivo morto da razão, já que nesses tempos de descaso e desfaçatez pública que vive o nosso país, o máximo que vamos conseguir é 10 minutos de discussão em mesa de bar ou em redes sociais e nada mais. Olhar o projeto arquitetônico oferecido de bandeja pela natureza ao Rio de Janeiro é um alento para a alma de qualquer mortal. Nada parece fora do lugar e com

SOB A PROTEÇÃO DE SÃO SEBASTIÃO um olhar mais aguçado, podemos até achar que tudo se encaixa como um grandioso quebra cabeça. Até as obras dos homens, como a estátua do Cristo Redentor e o bondinho do Pão de Açúcar, se completam e dão mais riqueza as linhas do grande arquiteto da natureza. Sem perder um ângulo sequer, tentei registrar tudo o que conseguia avistar em meio aquela selva de morros, montes e pedras, mas percebi que nem de longe conseguiria traduzir em fotos o que sentia naquele momento. Mas ten-

tei. Olhadas do mar as cidades parecem mais felizes, justas e sóbrias. Tentei levar para a posteridade, sob as lentes de uma máquina fotográfica, minha primeira entrada, para mim triunfal, daquele mundo tão cheio de charme e famosidade chamado de Rio de janeiro. Lugar em que as coisas acontecem e que é a cara mais conhecida do Brasil. Mas fiquei meio que frustrado, já que o Cristo, no alto do seu altar de pedra, nem de longe apareceu para um aceno. Mas tem nada não, pois tudo que

vem Dele vem para o nosso bem. Ele devia ter lá os seus motivos e eu nem em pensamentos poderia deixar de compreender. Conferindo as marcações fui aproando o Naumi para o local programado de nossa chegada, mais precisamente no Clube Naval Charitas, onde já nos esperava o comandante Rui Talaia, proprietário do barco. Na nossa velejada de apresentação a cidade de São Sebastião, podemos ver a pujança do iatismo por aquelas bandas, já que, uma boa, partici-

pativa e competitiva regata estava sendo realizada. Outrora dominada pelo cacique Arariboia, que comandava a tribo dos temiminós, um povo que apreciava um guisado de carne humana e tinha na agricultura de subsistência baseada nas queimadas, a fonte de suas raízes, a Baía da Guanabara de hoje ainda tem muito cacique cheio de mau costume. Os tupinambás eram seus mais temíveis e ferozes adversários, mas nem de longe deviam ter a barbaridade escrachada e impu-

ne que vivemos atualmente. Fortaleza de Santa Cruz, Forte Tamandaré da Laje, Morro do Morcego e assim fomos chegando ao fim de nossa velejada no veleiro Naumi. Restava ainda a ancoragem, a entrega do barco ao proprietário, uma cerveja gelada para comemorar, mais uma noite a bordo e o desembarque para retornar ao encontro do nosso Avoante que deixamos em Salvador/BA, mas os deuses da natureza estavam se preparando para uma grande guerra a céu aberto e parece que apenas esperavam a nossa chegada para iniciar a peleja. No dia seguinte, depois de desembarcar já com saudades do Naumi, fomos recepcionados pelo amigo Ronaldo, veleiro Timshel, no Jurujuba Iate Clube. Ronaldo ainda nos levou para dormir no seu apartamento e foi nessa noite que o céu desabou sobre a cidade do Rio de janeiro e adjacências, resultando em destruição e mortes. Olhei para Lucia é falei: Escapamos de uma boa! Nessa velejada de Salvador ao Rio de Janeiro no veleiro Naumi, tivemos a boa companhia dos amigos João Rolim e Lourdes, veleiro Compostela, que muito nos alegraram em aceitar o convite. Agradecemos ainda ao amigo Rui Talaia, por mais uma vez nos ter confiado o comando de seu belo veleiro. Para nós foram mais 740 milhas de conhecimentos e que acolhemos com muita humildade e valor, como tudo o que o mar nos ensina.


esportes Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 23 de junho de 2013

Editor: Itamar Ciríaco- itamar@tribunadonorte.com.br

A Espanha enfrenta a Nigéria para manter os 100% e garantir liderança e vaga para semifinal

Estádio Castelão terá reforço no esquema de segurança para evitar repetição de confrontos

Nigerianos precisam de um “milagre” para continuar na Copa das Confederações JARBAS OLIVEIRA/ESTADÃO CONTEÚDO

R

ecife (PE) - Gazeta Press - Líder do Grupo B da Copa das Confederações, com seis pontos, a Espanha enfrenta a Nigéria às 16h (de Brasília), no Estádio Castelão, em Fortaleza (CE), pela última rodada da fase de grupos precisando de um simples empate para garantir a primeira colocação. Até em caso de derrota a Fúria dificilmente vai deixar a liderança escapar, pois conta com saldo de gols positivo de 11 tentos, contra 4 da Nigéria e zero do Uruguai, que dividem a segunda posição com três pontos. Já os nigerianos vivem situação delicada, mesmo levando vantagem sobre o Uruguai no saldo de gols. Isso porque, além de vencer a poderosa Espanha, o time africano precisará torcer para que a Celeste não dê uma goleada no Taiti, em confronto previsto para o mesmo horário em Pernambuco. Stephen Keshi, técnico da Nigéria, porém, quer ver sua equipe pensando apenas no duelo com os espanhóis. “Já teremos muitos problemas enfrentando a Espanha e não devemos aumentar o nosso leque de preocupação pensando no que pode acontecer na partida no Uruguai. Nosso primeiro objetivo tem que ser vencer o nosso jogo e depois observar o que a rodada nos ofereceu. Nosso foco está apenas na Espanha”, disse Stephen Keshi, que vai manter a base da escalação que vem jogando. Pelo lado da Espanha, o técnico Vicente del Bosque promete que sua equipe vai se empenhar na busca de uma vitória,

Passeio com Del

Bosque

FICHA TÉCNICA NIGÉRIA ESPANHA Enyeama, Ambrose, Oboabona, Omeruo e Echiéjilé; Mikel, Ogu, Ogude, Oduamadi e Musa; Ideye Técnico: Stephen Keshi

Casillas, Arbeloa, Sergio Ramos, Piqué e Jordi Alba; Busquets, Xavi e Iniesta; Fábregras, Pedro e Soldado Técnico: Vicente del Bosque

Estádio: Castelão, em Fortaleza (CE) Horário: 16h(de Brasília) Árbitro: não divulgado pela organização

Uruguai quer atropelar para garantir a semifinal Recife (PE) - O Uruguai enfrenta o Taiti às 16h (de Brasília), na Arena Pernambuco, em Recife (PE), pela última rodada do Grupo B da Copa das Confederações precisando de uma goleada para não depender de outro resultado para garantir a classificação. A Celeste vem de triunfo por 2 a 1 sobre a Nigéria, mas divide a segunda posição com os próprios nigerianos, todos com três pontos. Porém, os africanos levam vantagem no saldo de gols (4 a 0) e hoje estariam nas semifinais. A situação não chega a ser um drama para o Uruguai, pois o Taiti perdeu seus dois jogos por goleada (6 a 1 para a Nigéria e 10 a 0 para a Espanha). Assim, se conseguir aplicar uma boa goleada a Celeste deverá garantir a classificação mesmo que os nigerianos derrotem os espanhóis, praticamente garantidos com seis pontos, no mesmo horário. Portanto, a ordem é atropelar os taitianos. “Respeitamos demais o Taiti, mas sabemos que temos que construir uma boa vitória para não corrermos o risco de uma eliminação. Mas vamos precisar ter tranquilidade para alcançarmos esse objetivo, pensando em um gol de cada vez até termos a certeza de que vamos superar o saldo da Nigéria”, disse Óscar Tabárez, treinador do Uruguai. Em termos de escalação, o Uruguai terá uma modificação

mesmo estando praticamente garantida nas semifinais. “Nós temos um compromisso com a competição e com a seriedade do torneio e do futebol. Portanto, vamos entrar em campo pensando em fazer uma grande partida contra a Nigéria e buscar o resultado positivo. Queremos terminar bem esta etapa para chegarmos com moral na próxima fase da Copa das Confederações”, disse Del Bosque. Em relação ao jogo, os atletas espanhóis consideram ser preciso neutralizar o ponto forte da Nigéria. “A Nigéria tem um time veloz e vai fazer de isso sua principal arma contra o nosso time. Vamos precisar neutralizar isso”, afirmou o meia Iniesta. O treinador da Espanha não quis antecipar a escalação que pretende mandar a campo, mas deverá voltar a usar os titulares, preservados na goleada de 10 a 0 aplicada sobre o Taiti.

em relação à formação que derrotou os nigerianos no meio de semana. O zagueiro Lugano recebeu o segundo cartão amarelo no meio de semana e vai ter que cumprir suspensão. Assim, Coates terá a oportunidade de iniciar entre os titulares. Conforme já era o esperado, o treinador decidiu manter o ousado esquema com três homens de frente: Forlán, Suárez e Cavani. Pelo lado do Taiti o técnico Eddy Etaeta tem consciência de que a classificação é impossível. Para isso, além de golear o Uruguai por 16 gols de vantagem, dependeria de uma goleada da Espanha sobre a Nigéria. Portanto, a meta é apenas se despedir de maneira digna.

FICHA TÉCNICA URUGUAI TAITI Muslera, Coates, Godín e Cáceres; Maxi Pereira, Arévalo Ríos, González e Rodríguez; Forlán, Suárez e Cavani Técnico: Óscar Tabárez

Roche, Aitamai, Jonathan Tehau, Vallar, Ludivion e Lemaire; Vahirua, Bourebare e Caroine; Chong Hue e Alvin Tehau Técnico: Eddy Etaeta

Estádio: Arena Pernambuco, em Recife (PE) Horário: 16h(de Brasília) Árbitro: não divulgado pela organização


2

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

esporte FOTOS: ITAMAR CIRÍACO

Uma das maiores reclamações diz respeito à demora no atendimento nos bares das arenas

O preço dos alimentos e bebidas, tabelados pela Fifa, também foi alvo de críticas pela torcida

« O QUE NÃO FUNCIONA » Longas filas, transporte, segurança, custo alto e grandes distâncias percorridas a pé são empecilhos para satisfazer em 100% o torcedor que frequenta as novas arenas brasileiras

lição para casa ITAMAR CIRÍACO editor

E

m pouco menos de um ano os potiguares terão acesso a uma experiência inédita em Natal. Receber uma Copa do Mundo, pela primeira vez, exigirá mudanças que já podem ser observadas em Fortaleza, uma das sedes da Copa das Confederações, com estrutura semelhante a da capital potiguar. No jogo Brasil x México, segundo números da FIFA, cerca de 2.500 potiguares compraram ingressos.

Ingressos E é exatamente esse o primeiro passo para quem pretende viver esta experiência. Ingresso comprado, o torcedor recebe-

rá um e-mail informando sobre a data para recebimento do mesmo. Para a Copa das Confederações, os centros de troca sofreram com problemas de tecnologia e também com filas. Nem mesmo aqueles que fizeram o agendamento conseguiram fugir do transtorno. Outra falha da organização diz respeito ao fato de, na compra, o comprador ter acesso apenas a escolha do setor no estádio, ficando para a Fifa a determinação da cadeira. Criativos, os cearenses logo encontraram um meio de resolver a falha utilizando o Facebook para poder se acomodar perto de amigos e familiares na Arena Castelão. O evento organizou a troca de assentos das três parti-

A opção de transportar todos em ônibus é interessante, mas precisa ser mais bem planejada

das realizadas em Fortaleza e já tinha perto de 7 mil participantes na página da rede social.

Deslocamento Ingresso comprado, o segundo passo é chegar no estádio. No jogo entre Brasil e México, o esquema de segurança e trânsito reuniu ônibus extras para os torcedores saindo de todos os terminais em direção ao estádio. Para o torcedor que foi de carro ao estádio a opção foi a criação de bolsões de estacionamento utilizando a estrutura da iniciativa privada, como shoppings e supermercados. De lá partiam ônibus gratuitos para os que estavam de posse do ingresso. No entanto, o torcedor teve que andar por até 25 minu-

tos dos pontos de parada até o estádio Castelão. Os pontos finais de parada desses transportes coletivos ficavam em distâncias que variam de 1,1 km a 2 km. Em Fortaleza foram 11.800 vagas de estacionamento, nos bolsões. Pior que isso foi caminhar por uma das áreas consideradas de alto risco praticamente sem policiamento, uma vez que 90% da PM estava envolvida com a manifestação realizada na cidade no dia do jogo. O local – a poucos metros do estádio moderno era o oposto do vizinho majestoso. Esgoto a céu aberto, moradias em condições precárias e moradores atônitos assistiam o cruzar das centenas de pessoas vestindo amarelo.

Sinalização O caminho para o estádio foi facilitado pela nova sinalização colocada em Fortaleza, específica para o evento, bilíngues (português e inglês). No entanto, em alguns lugares o turista estrangeiro ainda sofreu. No Metrô as indicações eram insuficientes. Ao todo, 4,7% dos ingressos vendidos para os jogos da Copa das Confederações na Capital foram adquiridos por turistas de outros países. Em seguida está o Rio de Janeiro (3,6%) e Belo Horizonte (3,1%). No jogo entre a seleção brasileira e mexicana o percentual de ingressos vendidos para estrangeiros foi de 2,1%, com a seguinte distribuição: México (32%), Estados Unidos (26%), Espanha (14%), Alemanha (8%), França e Holan-

A realização de eventos na cidade durante os jogos precisa ser estimulada, como em Fortaleza


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

esporte

3

FOTOS: ITAMAR CIRÍACO

A questão da segurança precisa ser rediscutida para a Copa, após confrontos dos últimos dias

Ao lado da moderna arena, um bairro humilde, com esgotos a céu aberto suscita debates

« O QUE PODE SER FEITO » Conforto das arenas, beleza e a presença num grande evento internacional são atrativos, mas a cidade precisa estar pronta para receber os turistas e tratar melhor seu cidadão tregue a cada torcedor no ato da retirada dos ingressos, proíbe os torcedores de portarem materiais racistas ou xenófobos ou de cunho comercial. Bandeiras e cartazes devem ter o tamanho inferior a 2 metros x 1 metro e 50 centímetros e ser feito de material pouco inflamável. São proibidos mastros de qualquer tipo. “Apenas mastros de plástico flexíveis e os chamados mastros duplos que não excedam 1 metro de comprimento e 1 centímetro de diâmetro e que não sejam feitos de material inflamável são permitidos”. Os torcedores não devem utilizar instrumentos que produzam volume excessivo de barulho e nem grandes quantidades de papel. Por fim, a FIFA exige que não seja permitida a entrada de objetos volumosos, como: escadas; bancos; cadeiras dobráveis; caixas; recipientes de papelão; sacolas grandes; mochilas malas e bolsas esportivas. “Volumoso significa quaisquer objetos que sejam maiores do que 25cm x 25cm x 25cm e que não possam ser guardados embaixo dos assentos no estádio”.

Gastos da (3% cada). Dos brasileiros, 67,5% foram cearenses e 35,9% de outros Estados, sendo 4,8% de paulistas, 4,5% de potiguares, 3,9% de piauienses, 2,3% de maranhenses e 2,1% de brasilienses.

Transporte A Linha Sul - que liga o bairro de Pacatuba, na região metropolitana, ao centro da capital - circulou das 13h às 20h para atender à demanda dos torcedores. Normalmente, a linha é operada das 8h às 12h. Apesar da linha não passar perto dos locais dos jogos, os ônibus especiais levaram o público de uma Estação (Parangaba) ao estádio Castelão.

Seguranças Cumprida a etapa do trans-

porte até o estádio, o torcedor precisa estar preparado para atender às exigências de “comportamento” feitas pela Fifa. A parte interna é comandada por equipes privadas. Ao chegar, apenas o ingresso é exigido. Os torcedores devem se submeter a revistas pessoais e até remoção de itens que sejam “proibidos de usar, possuir, portar ou levar para dentro do estádio em dias de partida”, como: armas de qualquer tipo, assim como objetos que podem ser usados para a prática da violência, como projétil e guarda-chuvas longos; garrafas, copos e outros recipientes semelhantes; e fogos de artifício, sinalizadores, bombas e outros objetos de fumaça, engenhos pirotécnicos ou dispositivos que pro-

duzam efeitos similares. É proibida ainda a entrada de qualquer tipo de líquido, narcóticos ou estimulantes, animais, instrumentos que emitam raios laser e objetos com substâncias corrosivas (latas de spray, por exemplo). Os aparelhos eletrônicos também são restritos, segundo o código. “As câmeras (exceto para uso privado e, caso, com apenas um conjunto de pilhas sobressalentes ou recarregáveis) e Computadores pessoais e outros dispositivos (incluindo, por exemplo, laptops ou PC tablets) usados para os fins de transmissão ou disseminação de sons, imagens, descrições ou resultados dos eventos pela internet ou outros meios”. De acordo com o código, en-

Na entrada do estádio todos passam por uma revista rigorosa, inclusive com detectores de metais

Dentro do estádio, prepare o seu bolso. Segundo a tabela da FIFA, os alimentos variam entre R$ 5 e R$ 12. O preço dos líquidos são: Água R$ 6; Refrigerante 600 ml R$ 6; Isotônico R$ 6; Cerveja sem álcool R$ 6; Cerveja Brahma R$ 9; Budweiser R$ 12. O cardápio de alimentos tem: Batata ondulada R$ 7; Amendoim R$ 7; Tortilhas Chips R$ 7; Chocolate R$ 7; Cachorro-quente R$ 8; Sorvete R$ 8. Em cada cidade, são vendidos produtos regionais. Em Fortaleza e Recife, o bolo de rolo custa R$ 5. Além delas, no Rio de Janeiro é vendido biscoito de polvilho (R$ 5) e em Salvador acarajé (sem camarão R$ 6/ com camarão R$ 8).

Comunicação De dentro do estádio o torce-

dor pode ter dificuldade para entrar na internet ou fazer uma ligação. Dos seis estádios que recebem os jogos da Copa das Confederações, apenas dois —Mané Garrincha, em Brasília, e Castelão, em Fortaleza— conseguiram concluir mais de 75% das instalações de antenas para reforçar o sinal para que os torcedores façam uso dos serviços de voz e dados, informou o Sindtelebrasil.

Obras Na saída do estádio, também foi possível encontrar problemas no trânsito devido a obras ainda não concluídas e que só serão entregues em tempo para a Copa do Mundo em 2014. A construção de um túnel interligando a região do estádio à zona hoteleira da capital e as obras na avenida Dedé Brasil, também nos arredores do Castelão são os principais problemas. Além disso, existe o compromisso de construir mais duas estações da linha de metrô da capital e o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) para ligar a zona hoteleira à área do estádio. A saída utilizando-se o transporte coletivo gratuito também é complicada. O número de pessoas é bem maior que o transporte oferecido. No Aeroporto Pinto Martins, apesar das obras, nenhum problema foi registrado. Segundo a ANAC, o fluxo de passageiros na Copa das Confederações é o mesmo da alta estação e a ampliação só deverá ficar pronto para o Mundial.

Feriado No entanto, o que parece mesmo ter deixado a cidade mais tranquila para o jogo foi mesmo a decretação de feriado. A Câmara Municipal de Fortaleza aprovou o projeto de lei que transformou em feriado os dias de jogos da Copa das Confederações, o que deve se repetir na Copa. A medida causou polêmica poi o comércio local reclamou de prejuízos.

A sinalização turística bilíngue foi instalada em Fortaleza, mas precisa ainda ser ampliada


4

esportes

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

Alessandro desfalca o Corinthians « RECOPA » Capitão corintiano no título do Mundial e da Libertadores sofreu uma lesão muscular em confronto diante da Portuguesa e não vai encarar o São Paulo no primeiro jogo da final da competição

S

ão Paulo (AE) - O lateral-direita Alessandro, do Corinthians, está fora da primeira partida da decisão da Recopa Sul-Americana contra o São Paulo, no dia 3 de julho, no estádio do Morumbi. Uma lesão muscular na coxa direita sofrida no último jogo do time, contra a Portuguesa, pelo Campeonato Brasileiro, no último dia 8, vai obrigar o técnico Tite a deixar de fora o capitão dos títulos da Copa Libertadores e do Mundial de Clubes da Fifa do ano passado. Outra dúvida para o clássico é o zagueiro Paulo André. No mesmo jogo contra a Portuguesa, ele deixou o campo reclamando de dores na coxa esquerda, mas deve ter condições de atuar. “O Paulo André está treinando na musculação, mas é um caso teoricamente mais fácil. O Alessandro vai demorar um pouco mais. Por ser um atleta de mais idade, precisamos de um tratamento especial”, explicou o preparador físico do time, Fábio Mahseredjian.

O substituto na lateral direita deve ser Edenílson, que pode ser efetivado na vaga de titular no ano que vem, quando Alessandro, já com 34 anos, pretende se aposentar. “Para ele e para o Danilo, por exemplo, jogar quarta-feira e sábado não dá. Algumas situações nos obrigaram a colocá-los, mas é difícil”, lamentou o preparador físico. O elenco se reapresentou na última segunda e desde quarta estão em regime de concentração, como se fosse uma pré-temporada. Até começar a decisão da Recopa, o clube pretende marcar amistosos para dar ritmo de jogo à equipe. Em julho, o Corinthians terá uma agenda cheia de jogos. As finais da Recopa serão nos dias 3 e no dia 17, este no estádio do Pacaembu. Pelo Brasileirão, o time enfrentará Bahia, em Salvador, no dia 7; Atlético Mineiro, no Pacaembu, no dia 14; Atlético Paranaense, em Curitiba, no dia 21; São Paulo, no Pacaembu, no dia 28; e Grêmio, no Pacaembu, no dia 31.

ì QUEM Alessandro é um dos jogadores mais experientes do elenco corintiano e ganhou o reconhecimento do técnico Tite por estar no clube desde a disputa da Série B, em 2009

O QUE Recopa é o torneio disputado pelos campeões da Libertadores e o Campeão Sulamericano da temporada passada. A competição é decidida em apenas dois jogos.

Pedro Neto [ pedron@natal.digi.com.br ]

RODRIGO SENA

Alecrim Para a disputa da Taça Ecohouse os torcedores do Alecrim deverão ver uma nova equipe em relação a que disputou o Campeonato Estadual. O técnico Wassil Mendes deverá colocar em campo vários jogadores que estão sendo observados e outros que vieram das categorias de base do clube. Dos antigos dois deles deverão estar em campo na tarde de hoje. Ruy Cabeção e Elton que estiveram recentemente no América. Aliás, não dá para dizer que estiveram, pois ficaram apenas por duas rodadas no clube rubro. Vamos esperar que o Alecrim possa realizar bons jogos, até porque o elenco do ano que vem já está preparado desde já.

Pingo O atacante Pingo é o novo contratado do ABC. Na última sextafeira a direção alvinegra confirmou que o atacante que já esteve duas vezes no América e que jogou este primeiro semestre no Ceará chega para ser mais um atacante no alvinegro. Pingo teve duas boas passagens pelo América e mesmo não sendo titular foi um dos artilheiros da equipe na série B de 2012. Não tenho nenhuma dúvida de que o alvinegro acerta em cheio na sua contratação. Só não dá para garantir que ele terá no ABC o mesmo sucesso que teve no América.

Taça Ecohouse E hoje à tarde teremos o início da Taça Ecohouse no estádio Frasqueirão. ABC x Alecrim na preliminar às 16h00. Já às 18h00 teremos América x Náutico. Tenho dito que foi uma grande jogada do presidente do Alecrim Anthony Armstrong a realização dessa taça, até porque os clubes buscavam amistosos antes do reinicio das séries A e B. Um dos grandes atrativos da Taça Ecohouse é o valor dos ingressos. Pelos seis jogos – três rodadas – o torcedor pagará R$ 50 na arquibancada e R$ 100 nas

cadeiras especiais. Isso significa dizer que cada partida sairá por menos de R$ 10. O ABC deverá apresentar suas novas contratações, Pingo, Erick Flores e Tony. Já o América deverá apresentar Rai e Rodrigo Pimpão. E, como não poderia ser diferente o Náutico por estar disputando a série A será uma atração à parte. Que o torcedor possa prestigiar a Taça Ecohouse e incentivar a sua equipe de coração nas três rodadas que começam hoje e que terminam no próximo sábado.

Rádio Globo A Rádio Globo estará cobrindo todos os jogos da Taça Ecohouse com toda a sua equipe de esportes. Serão dois jogos neste domingo. Dois jogos na próxima quarta-feira. E, mais dois na rodada final que acontecerá no próximo sábado. Aliás, como não poderia ser diferente, pois fazemos futebol durante os 365 dias do ano. Mais uma vez contamos com a audiência de vocês.

Uma escalação diferente A escalação do América para o jogo de hoje será bem diferente daquela que o torcedor quer ver na série B. Agora, isso não é nenhuma novidade, pois o próprio Roberto Fernandes já tinha dito isso. Rodrigão, Chiquinho, Cléber, Alexandre e Bruno; Ricardo Baiano, Daniel, Jerson e Vaninho; Ebinho e Alex. Como podemos observar é praticamente outra equipe em relação à última que perdeu dentro de casa para o Palmeiras pela série B. Já no jogo da próxima quarta-feira o técnico deverá colocar em campo a equipe considerada principal.

David Luiz Como joga fácil o zagueiro da seleção brasileira. Jogador jovem e muito vigoroso para David não existe bola perdida. Como se não bastasse a sua boa forma atual o jovem tem ao seu lado na seleção brasileira outro grande jogador que o Thiago Silva que cresce a cada partida. Acredito que estamos bem servidos na zaga brasileira, até porque os dois mesmo sendo jovens são rodados e jogam em grandes clubes do futebol europeu.

ALE CABRAL/FUTURA PRESS/AE

Recuperação Se ficou longe de corresponder às expectativas técnicas em seu primeiro semestre de Corinthians, Alexandre Pato pôde comemorar um período livre de contusões mais graves. Houve apenas um pequeno problema na coxa direita, e a projeção da comissão técnica para o segundo semestre é bastante positiva. “O Pato encerrou o primeiro semestre jogando, está com 100% de suas condições. O que posso afirmar é que as avaliações dele foram melhores agora do que tinham sido no início do ano”, disse o preparador físico Fábio Mahseredjian, após análise da bateria de testes feita pelos atletas na volta ao trabalho, no início da semana. “A potência aeróbia, os índices de força e a condição anaeróbia também estão muito bons. Os índices fisiológicos dele foram melhores agora”, acrescentou Mahseredjian, julgando possível superar, na segunda metade do ano, as 27 partidas feitas pelo atacante no primeiro semestre.

Lesão muscular faz Alessandro parar por, pelo menos, 15 dias

« ATLÉTICO-MG »

« PALMEIRAS »

Multa rescisória segura Ronaldinho no clube

Serginho destaca briga por vaga

Advogado do Galo anunciou que multa para tirar o atleta inviabiliza a saída

O

craque Ronaldinho Gaúcho deve mesmo permanecer no Atlético-MG, cumprindo contrato até o fim do ano com o time mineiro. Nos últimos dias surgiram algumas notícias sobre uma possível transferência do jogador para o futebol da Turquia, informação rechaçada pelo atleta pelas redes sociais. O advogado do Galo, Lásaro da Cunha, tranquilizou ainda mais a torcida do Atlético-MG afirmando que existe uma multa em caso de rescisão de contrato de Ronaldinho. O valor, porém, não foi divulgado, mas teria sido um dos empecilhos para um possível acerto com os turcos do Besiktas. “Em caso de ruptura unilateral, há uma multa compatível com os valores envolvidos no contrato. O Ronaldo tem vínculo com o Atlético-MG até o fim desta temporada”, disse o advogado Lásaro da Cunha, em entrevista ao jornal Hoje em Dia. Ainda segundo a publicação, Ronaldinho recebe cerca de R$ 900 mil por mês, no Atlético-MG. No Galo, o jogador é uma das referências do time, que é único brasileiro que segue na disputa pelo título da Libertadores. Os atleticanos vão duelar contra os argentinos do Newell’s Old Boys pela semifinal da principal competição de clubes das Américas.

Regresso Depois de oito dias de folga, os jogadores do Galo estão de volta ao batente, e o ritmo de treinos promete ser intenso até o próximo dia 3 de julho, quando a equipe encara os argentinos do Newell’s Old Boys, pela semifinal da Libertadores. O técnico Cuca afirma que foi importante e bem pensado o descanso que os atletas tiveram, para que agora o time recupere o bom futebol do início da temporada. “Esta semana de descanso já havia sido planejada, pensada e repensada pela comissão técnica, departamento de fisiologia e diretoria, e temos tempo hábil para trabalhar a equipe para este jogo importantíssimo na Argentina. Tivemos uma quantidade grande de jogos e, para o que a gente projetou, está indo tudo muito bem, fomos campeões mineiros e estamos na semifinal da Libertadores”, declarou. Para enfrentar o Newell’s Old Boys, Cuca ainda aguarda a recuperação dos volantes Leandro Donizete e Pierre, que sentiram lesões musculares. O treinador argumenta que o Atlético-MG vinha trabalhando bem próximo do limite, e que por isso, os atletas acabaram sentindo. “No último jogo, tivemos duas baixas e algumas outras ameaças porque é o limite do ser humano. O cara joga domingo e quarta, domingo e quarta, aí chega uma hora que não aguenta. Então, a gente não tinha porque, em cima dessa intensidade, vir aqui e ficar a semana toda trabalhando”, disse Cuca, projetando uma rotina forte para os próximos dias. EDU ANDRADE

Após a pausa, Cuca retoma trabalhos em tempo integral no clube

Com mais de 40 jogadores no elenco, a briga por uma vaga no Palmeiras cresce a cada dia. Na reta final da Série B, antes da paralisação para a disputa da Copa das Confederações, o meia Serginho vinha levando vantagem nesta disputa e fez sua primeira partida como titular do clube na vitória por 2 a 0 sobre o América-RN, no último dia 11. O próprio jogador, contratado ao fim do Campeonato Paulista junto ao Oeste, exaltou essa competição pela titularidade. “O Palmeiras é um time grande e todos que estão aqui vão estar sempre lutando e buscando seu espaço. Temos que estar sempre brigando. A luta para estar no time titular ou mesmo no banco de reservas será intensa, mas os outros jogadores não são meus concorrentes, são meus amigos. Vou trabalhar no dia a dia para conquistar meu espaço e procurar estar sempre ajudando”, declarou.

« CRUZEIRO » Martinuccio, Cruzeiro e Flu perto de acerto O argentino Martinuccio terminou a temporada passada em alta no Cruzeiro, mas o ano de 2013 não começou bem para o jogador, que teve que ser submetido a cirurgia na tíbia das duas pernas, e vem se recuperando aos poucos, mas ainda não estreou no ano. O contrato do atacante termina no final deste mês, e o presidente Gilvan Tavares afirma que o acerto por mais um ano está próximo. A maior parte dos direitos do argentino pertence ao Fluminense, que vem conversando com Cruzeiro para renovar o empréstimo. O presidente celeste elogia Martinuccio, e espera garantir o atleta na Toca da Raposa logo após o clube cruzeirense retornar de excursão aos Estados Unidos. O desejo do atleta de ficar no Cruzeiro deverá ser decisivo para o acerto.


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

esportes DIVULGAÇÃO

Apito Final Antigos torneios amistosos

Os velhos (2) Quando não eram torneios reunindo clubes nordestinos, sempre com uma taça homenageando algum desportista, uma data cívica ou um nome pomposo do tipo Taça Independência, taça Rio Grande do Norte/Paraíba, entre outros nomes, era um time do Sul/Sudeste percorrendo todo litoral brasileiro. Foi assim que o natalense de 50/60 anos atrás viu passarem por aqui até mesmo os melhores times

cariocas e paulistas. Geralmente, vinham via marítima, navios do Lloyd Brasileiro ou Costeira, parando em todas as capitais. Ver o Flamengo golear o América/RN por 6x2, em 1947 – dia 15/07, foi a glória para os rubro negros da época, no velho “JL”. O time foi este: Luiz Borracha, Miguel, Norival, Bria e Jaime, Biguá e Perácio, Jacyr, Zizinho, Pirilo e Vevé. Natal viveu tarde de festa.

Os velhos (3) Passaram por Natal o Vasco, Flamengo, Fluminense, Palmeiras, EC Bahia, até o Taubaté de São Paulo aqui jogou, os cariocas Madureira, Bonsucesso, São Cristóvão, Olaria, o Santos de Pelé aqui jogou com o “Rei” na frente como grande chamariz de público. Era o futebol romântico no “JL”, de um torcedor já idoso, que já nem quer mais saber de ver a velha bola de couro rolar. Os torneios foram sendo arquivados porque surgiram as Taças de Prata, os campeonatos do Nordeste, os Brasileiros de Seleções Estaduais, até chegar ao desinteresse por amistosos.

Torneio caseiro

Amistoso: uma raridade

Escrevi muito sobre jogos amistosos de anos passados, coisa rara nos dias atuais, quando as datas estão sempre imprensadas. De vez em quando é bom ver algum jogo sem o desespero da derrota nem os exageros nas vitórias. São duas partidas do torneio EcoHouse. Que tal recompensar o esforço do empresário Antony Armstrong, patrono do Alecrim FC? Dois jogos neste domingo, reunindo ABC x Alecrim às 16h e a seguir o clássico quase centenário ABC x América, às 18h.

Amistoso ABC x América nunca se vulgarizou, nem nos tempos saudosos do “Juvenal Lamartine”. Nesse ponto, os cartolas souberam valorizar a tradição e a rivalidade. O último aconteceu às vésperas de fechar os portões para dar lugar à Arena das Dunas. Quem sabe, em 2014, com a proximidade da Copa, os portões não sejam abertos para um América x AB C? Pode ser até valendo pela série “B”, desde que não tenha ocorrido nenhum “desastre” de um ou de outro. Como ascender à série “A” é quase impossível que, que seja pela “B”.

Pra cá, nada? Atuar num clube de expressão bem que quebra um galho na hora das aperturas negociar um jogador para quitar o salário dos jogadores. O Fluminense acaba de vender sua revelação Wellington por R$ 5 milhões a um clube árabe. Fosse uma promessa de um clube do Nordeste, no máximo ofertariam um milhão. A maior revelação do ABC – Wallyson, em 2007 foi vendido por R$ 800 mil.

Ó o Pingo aí! Futebol profissional tem suas facetas. Pingo quando defendia o América, deve ter feito muita raiva aos abecedistas. Passaram-se os meses, foi para o Ceará, e se não encheu a bola, fez seus golzinhos. Agora, eis Pingo vestindo a camisa alvinegra, dessa vez podendo irritar os que o aplaudiram. Curioso é que os dois reforços que chegam tem nomes estranhos: Pingo e Pimpão.

« CARTÃO AMARELO »

« FÓRMULA 1 »

Ferrari se diz “perplexa” com punição da Mercedes

EVERALDO LOPES [ elopes@tribunadonorte.com.br ]

A abertura neste domingo da I Copa EcoHouse faz o futebol potiguar recordar os antigos torneios amistosos no Nordeste, inúmeros durante muitos anos. Como era pequeno o número de clubes e pouquíssimas as competições, sempre havia mais datas sobrando para vários torneios. Não é bem o caso do EcoHouse, que apenas vai aproveitar a paradinha do Campeonato Brasileiro, dando lugar à C opa das Confederações. Nos anos 40 até 60, raro era o mês em que não se programava um quadrangular, geralmente reunindo Treze, Botafogo ou Campinense da Paraíba, ABC e América do RN, CRB e CSA de Alagoas, outras vezes algum clube cearense ou pernambucano. O Central de Caruaru era quase um “freguês”, do Ceará vinha Ferroviário ou Maguary. Hoje o Maguary nem existe mais. Não sei se ainda existe o sorvete Maguary. A vantagem desses quadrangulares era a de apresentarem jovens revelações, já que não havia televisão, pouco se sabia como andavam os times por lá. A Copa EcoHouse é mais caseira, porém é sempre interessante ver ABC e América atuarem sem compromisso maior de ganhar. Vamos aproveitar o domingo e a iniciativa de Antony Armstrong, e “matar a saudade” dos velhos quadrangulares.

5

M

Médico avalia boa evolução no quadro do central Lucão, que pode reaparecer contra os franceses

Bernardinho recebe boas notícias sobre atletas contundidos « LIGA MUNDIAL » Lesionados Sidão, Lucarelli, Isac e Lucão têm boa recuperação e em breve estarão de volta à equipe, que joga no próximo sábado

O

central Sidão já estava fora antes mesmo da estreia na Liga Mundial. Outros três, os centrais Lucão e Isac e o ponteiro Lucarelli, se lesionaram depois do início da competição. Mas a boa notícia da semana fica por conta de uma rápida recuperação de todos. Segundo o médico da seleção brasileira masculina de vôlei, Ney Pecegueiro do Amaral, os quatro estão em boas condições e devem voltar em breve. O central Sidão passou por cirurgia nas costas e, praticamente recuperado, já retoma os treinamentos com o grupo no Aryzão, o Centro de Desenvolvimento do Voleibol, em Saquarema (RJ). A volta aos jogos ainda não é certa, mas o central está em boa condição. “O Sidão já iniciou os saltos e tudo indica que a partir da semana que vem já volte a treinar normalmente, no mesmo ritmo de toda a equipe”, disse Ney Pecegueiro. Após avaliar os últimos exames de Lucão, que sentiu dores na região abdominal na primeira rodada da Liga Mundial, e Lu-

carelli, que sentiu a coxa na segunda, o médico da seleção brasileira também demonstra otimismo. “Os dois têm um edema muito leve, que já está 99% melhor. O Lucarelli já intensificou os treinamentos nessa semana e o Lucão já está fazendo um trabalho um pouco mais leve e também deve treinar normalmente a partir da próxima semana”, destacou Ney. O central Isac passou pelo caso mais impressionante. O jogador sofreu uma luxação exposta no quinto dedo da mão direita durante o terceiro set do segundo jogo contra a Argentina. O caso assustou inicialmente, mas o jogador atravessa uma boa fase de recuperação. Ney Pecegueiro estava na Argentina e, após acompanhar Isac nos primeiros dias, esteve com o jogador novamente nesta semana. “Consultei o Isac e a situação dele é ótima”, garantiu o médico. O próprio jogador faz questão de tranquilizar a todos. “Estou me sentindo bem, sem dor, o dedo não esta inchado, enfim, o Dr. Ney disse que a recupera-

ção está indo muito bem. E, acima de tudo, estou confiante de que vou melhorar mais rápido do que o esperado. Estou em Saquarema com o grupo e e sei que logo vou estar de volta”, afirmou Isac. Após as duas primeiras rodadas da Liga Mundial, o Brasil está na liderança do Grupo A, com 11 pontos. A equipe comandada pelo técnico Bernardinho venceu a Polônia no primeiro final de semana por 3 sets a 1 e 3 a 2, e depois a Argentina, em dois jogos por 3 sets a 0. Os Estados Unidos ocupam a segunda posição, com oito pontos; a Bulgária está em terceiro com cinco; a Argentina vem na sequência com quatro pontos; a França soma dois, e a Polônia, última colocada do grupo, tem um ponto, porém é a única equipe que fez apenas dois jogos. Na próxima rodada, a seleção brasileira jogará em casa. As partidas contra a França serão no ginásio do Ibirapuera, em São Paulo (SP), nos dias 28 e 29 de junho. No primeiro dia, o confronto será às 10h, e, no segundo, às 10h10.

aranello (AE) - Por meio da coluna “Horse Whisperer”, que publica em seu site oficial, a Ferrari disse que ficou “perplexa” com a decisão da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) de punir de forma branda a Mercedes, após julgamento realizado no na quinta-feira, em Paris Acusada de ter sido beneficiada por realizado testes privados com seu carro atual usando os novos pneus da Pirelli, no mês passado, em Barcelona, a equipe foi apenas repreendida pela entidade e suspensa do programa de formação de novos pilotos da Fórmula 1, marcado para acontecer no próximo mês, em Silverstone. A Mercedes foi julgada por ter realizado três dias de testes privados, entre 15 e 17 de maio, no circuito de Barcelona, na Espanha, onde Lewis Hamilton e Nico Rosberg andaram com o carro deste ano da escuderia com o objetivo de se adaptar aos novos compostos fornecidos pela fabricante italiana. Ao terem conhecimento da realização dos testes apenas em 26 de maio, data do GP de Mônaco vencido por Rosberg, a Ferrari e a Red Bull entraram com protestos junto à FIA, alegando que a Mercedes acabou tendo uma vantagem injusta em relação aos concorrentes ao treinar durante a temporada sem que as outras equipes pudessem fazer o mesmo. “É um pouco desconcertante, para dizer o mínimo, ver que o culpado pode sair praticamente inocente por ter obtido uma vantagem esportiva injusta”, ressaltou a Ferrari, lembrando que a própria FIA admitiu que a Mercedes, mesmo sem agir com má-fé, infringiu o regulamento da Fórmula 1. Ao comentar a punição, a Ferrari ainda desdenhou da importância de a Mercedes não poder participar do programa de jovens pilotos no próximo mês, ao comparar a punição com o benefício que a equipe teve ao testar sozinha os novos pneus da Pirelli em Barcelona. “Não me digam que treinar por si só durante três dias no circuito da Catalunha é o mesmo que fazer testes junto as outras noves equipes em Silverstone com alguns jovens aspirantes ao volante e em um lugar em que a meteorologia pode ser muito variável, na metade do verão”, disse a escuderia italiana.


6

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

esportes

Waldemar Lemos inicia seu teste « TORNEIO ECOHOUSE » Após buscar muita informação sobre o elenco alvinegro, novo treinador poderá

avaliar a qualidade dos jogadores que tem para trabalhar. Já o verdão faz seu primeiro jogo após o Estadual EMANUEL AMARAL

A

parada para a disputa da Copa das Confederações foi bastante tumultuada para o ABC. O clube alvinegro demitiu o então técnico Paulo Porto, que vinha fazendo uma campanha sofrível no comando do time na disputa da série B, ocupando a última posição na tabela, com apenas dois pontos em seis jogos disputados e contratou o experiente Waldemar Lemos para comandar o time, tanto na sequência da competição nacional, quanto na disputa da Taça Ecohouse, que começa hoje, com rodada dupla no estádio Frasqueirão. O jogo de estreia do alvinegro é contra o Alecrim, a partir das 16h. Mas, a situação do treinador abecedista não é nada fácil. Com apenas uma semana de trabalho, o grupo ainda não atingiu o patamar físico esperado pelos preparadores do clube e o time titular deve entrar em campo bastante modificado, principalmente o ataque abecedista, já que quase todos os jogadores do setor estão entregues ao departamento médico. As únicas opções para Waldemar Lemos são os jovens, Alvinho, que vinha sendo titular na série B e Felipe Alves. Em compensação, o volante Edson está de volta ao time, depois de ficar afastado da equipe cerca de dois meses, se recuperando de uma lesão no joelho direito. O jogador se mostra empolgado em poder retornar aos gramados e acredita que a Taça Ecohouse vai servir para entrosar o time. “Teremos esses jogos da Taça Ecohouse e será muito importante para que a equipe possa se entrosar, para que o professor possa colocar o perfil que ele deseja para o time, ob-

FICHA TÉCNICA ABC ALECRIM Rafael; Renato, Leandro Cardoso, Lino e Guto; Edson, Bileu, Leandro Santos e Jean Carioca; Alvinho e Felipe Alves. Técnico: Waldemar Lemos

Estádio: Frasqueirão, Natal/RN Horário: 16h Árbitro: Andrielly Elkeit de Oliveira Assistentes: Luiz Carlos Costa França e Francisco de Assis da Hora.

ì QUEM

Inicialmente, técnico Waldemar Lemos preferiu realizar o trabalho de reorganizar o ABC taticamente dentro de campo

servar os jogadores e escolher a melhor equipe”, afirmou Edson. O zagueiro Lino, que deve ser titular na partida de hoje, também está confiante em fazer um bom torneio pelo ABC, para retornar na série B com uma motivação ainda maior. “Além de intensificarmos os treinamentos, ainda tem o fato que temos vários jogadores machucados, outros que estão voltando do DM, e essa parada será importante para que todos possam voltar bem, para que possamos nos en-

trosar e vamos aproveitar esses jogos que teremos para acertar e corrigir todos os detalhes”, disse o defensor. Único clube sem uma divisão a disputar no Campeonato Brasileiro, o Alecrim vê de maneira muito positiva as duas competições promovidas pelo patrocinador. Sem participar de jogos oficiais desde o término do Campeonato Potiguar 2013, a equipe alecrinense tem como primeiro adversário da Taça Ecohouse o ABC. Para o técnico Wassil Men-

des, tanto a Taça quanto a Copa Ecohouse são fundamentais para o clube não interromper o trabalho e alcançar uma melhor preparação para o próximo Estadual, além de disputar títulos, o que é sempre importante para atletas e torcedores. “Essas duas competições que teremos pela frente são muito importantes para o clube, que tantas vezes fechou as portas após o Campeonato Potiguar para só retomar os trabalhos no ano seguinte. A torcida quer sempre conquistas e tí-

tulos, assim como os jogadores. Temos duas boas oportunidades com a Taça e a Copa Ecohouse”, disse o treinador. Apesar de manter 15 atletas que estavam no clube no primeiro semestre, o Alecrim vem bastante modificado para a competição. Além dos dez reforços que chegaram com o aval da comissão técnica, atletas que disputam e lideram o Estadual pela equipe sub-20 também vêm treinando entre os profissionais e podem integrar a delegação.

Fernandes avalia alternativas contra o Náutico

JÚNIOR SANTOS

Depois de 12 dias sem saber o que é jogar futebol, o América volta a campo hoje, às 18h, para fazer sua estreia na Taça Ecohouse, enfrentando o Náutico/PE, no estádio Frasqueirão. A torcida americana está ansiosa para saber as novidades no time, que vem fazendo uma campanha abaixo da crítica na série B do Brasileiro, ocupando a 19º posição, com apenas três pontos conquistados, em dezoito disputados. A equipe que vai entrar em campo contará com várias alterações, já que o técnico Roberto Fernandes afirmou que, nessa primeira partida, deve utilizar um time considerado alternativo. A explicação é que os titulares ainda estão fazendo um trabalho de recondicionamento físico. Outros atletas, como o atacante Rodrigo Pimpão e o lateral esquerdo Rai, recém-contratados, não devem, sequer, participar dessa competição. “A Taça Ecohouse vai servir para avaliar alguns atletas que jogaram pouco ou ainda não tiveram chances no time. Vai ser um torneio importante, com clubes históricos no nosso estado e também com a participação do Náutico. Mas, a princípio, vamos utilizar o time titular apenas em uma partida, já pensando no retorno da série B do Brasileiro. Se nossa prioridade fosse essa competição, teríamos apenas uma semana para preparar a equipe e nossa meta principal, nesse momento, é a competição nacional”, revelou o comandante americano. O confronto diante do Náutico vai servir para atletas como o lateral direita Chiquinho, con-

Marcelo Galvão; Gilberto Matuto, Nei, Romeu e Luiz Carlos; Leomir, Pedro Ivo, Diego e William Carioca; Robertinho e Danilo. Técnico: Wassil Mendes

A Taça Ecohouse vai servir para avaliar alguns atletas que jogaram pouco ou ainda não tiveram chances no time ” ROBERTO FERNANDES técnico do América

Jérson terá a oportunidade de iniciar como titular e vai tentar provar sua utilidade para o América

tratado junto ao Potiguar de Mossoró, fazer sua estreia com a camisa do América. Outros jogadores como o goleiro Andrey, o volante Márcio Passos, os zagueiros Cléber e Edson Rocha e o atacante Vinícius Pacheco, todos considerados titulares, mas, que jogaram pouco, seja por contusão, suspensão ou regularização, também devem participar da Copa Ecohouse, para adquirirem ritmo de jogo o mais rápido possível, sempre visando o retorno na série B, contra o Bragantino, em Bragança Paulista. Mesmo com a possibilidade de poupar vários jogadores, alguns atletas do elenco estão com vontade de participar da Taça Ecohouse, como é o caso do atacante Júnior Negão, titular do América na disputa da série B. “Todo jogador

quer estar em campo, jogando, ajudando seu time e comigo não é diferente. Todo jogador quer estar em campo, jogando, ajudando seu time, que é quem coloca o time em campo. Vamos esperar para saber como as coisas vão acontecer”, afirmou o centroavante. O zagueiro Edvânio é um dos jogadores que não irá a campo hoje, e deve permanecer entre os titulares. Ele acredita que a disputa pela condição de fazer parte do time principal é saudável para o clube e que vai procurar buscar seu espaço, mesmo com os retornos de Edson Rocha e Cléber. “É uma disputa saudável, pelo fato de se ter grandes jogadores. Aquele que estiver melhor no momento, o professor vai optar e colocar pra fazer a sua parte. Mas todo mundo está se ajudando,

FICHA TÉCNICA AMÉRICA NÁUTICO Rodrigão, Chiquinho, Cléber, Alexandre e Bruno; Ricardo Baiano, Daniel Amora, Jérson e Vaninho; Edinho e Alex. Técnico: Roberto Fernandes.

Felipe; Maranhão, Alison, Jean Rolt e Douglas Santos; Elicarlos, Magrão, Rodrigo Souto e Martinez; Jones Carioca e Élton. Técnico: Zé Teodoro

Estádio: Frasqueirão, Natal/RN Horário: 18h Árbitro: Emanoel Eduardo Marinho. Assistentes: Leandro Lincoln Santos Neves e Edilene Freire.

nos treinos, conversando entre si e procurando o melhor para o grupo”, afirmou Edvânio.

Jean Rolt saiu da fase de transição e foi entregue ao grupo. Até o momento se apresentou muito bem” FÁBIO RIBAS médico do Náutico

Todo jogador quer estar em campo, jogando, ajudando seu time, que é quem coloca o time em campo” JÚNIOR NEGÃO atacante do América

Waldemar Lemos assumiu o comando técnico do ABC na segunda-feira e terá a oportunidade de mandar a equipe em campo pela primeira vez. Ele aproveitou a semana de trabalho para realizar treinos táticos.

O QUE O treinador vai avaliar o grupo para informar à diretoria sobre a necessidade da contratação de mais reforços. Inicialmente ele disse que pretende realizar um trabalho de recuperação da estima do elenco que encontrou.

Zé Teodoro ganha mais duas opções Os treinos em Goianinha/RN, durante a intertemporada, trouxeram duas boas notícias para a torcida alvirrubra. E ambas vieram do departamento médico do clube. O zagueiro Jean Rolt e o volante Martinez estão participando normalmente das atividades, inclusive aquelas que o técnico Zé Teodoro utiliza a bola. Dos dois, Jean era quem vinha de um período mais longo de inatividade. O zagueiro teve que passar por uma cirurgia no joelho e nas primeiras rodadas do Brasileirão, estava no processo de transição do DM para o campo. A volta aos treinos coincidiu justamente com a intertemporada alvirrubra no Rio Grande do Norte. Agora, passa por um processo de recondicionamento físico e deverá ficar a disposição do novo comandante já no retorno da Série A. “Jean Rolt saiu da fase de transição e foi entregue ao grupo. Até o momento se apresentou muito bem, não teve problema. A gente espera que continue a corresponder e ser entregue ao Zé Teodoro para trabalhar normalmente”, disse Fábio Ribas, médico do Náutico que acompanha o time em Goianinha. O Náutico passa por problemas técnicos na série A do Brasileiro, estando na zona de rebaixamento da competição, com apenas quatro pontos, em cinco jogos disputados, ocupando a incômoda 19ª posição na tabela.


revista da

A REVISTA DA TV É UM SUPLEMENTO DA TRIBUNA DO NORTE. NÃO PODE SER VENDIDO SEPARADAMENTE.

Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 23 de junho de 2013

+

Inscrita no curso de Engenharia, Bianca Salgueiro é a protagonista da nova “Malhação”

Programa matinal “Encontro”, completa 1 ano e a jornalista Fátima Bernardes diz estar satisfeita

« PÁGINA 10 »

« PÁGINA 3 »

Galãs misteriosos O novato Sérgio Guizé e o tarimbado Gabriel Braga Nunes vivem homens cheios de segredos na nova versão de ‘Saramandaia’, que estreia amanhã na Globo « PÁGINAS 6 E 7 »


2

revista da

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

DIVULGAÇÃO

« BASTIDORES »

Chef. Os quitutes preparados por Hannibal (Mads Mikkelsen) dão trabalho: órgãos de porcos são usados em cena

Não é tudo verdade Com réplicas de corpos e imitações de pratos com carne humana, ‘Hannibal’ tem na produção de arte uma aliada THAÍS BRITTO

N

a reta final da primeira temporada de “Hannibal”, é possível dizer que boa parte das ações mais importantes da trama se passam mesmo é dentro da cabeça de Will Graham (Hugh Dancy), consultor do FBI que é o principal cliente do Dr. Hannibal Lecter (Mads Mik-

kelsen). Mas outros aspectos que se destacam na série criada por Bryan Fuller, no ar no AXN às terças-feiras, às 22h, até 9 de julho, são os cenários e a produção de arte, cuidadosamente pensados para ajudar o espectador a embarcar na história: seja ao ver o canibal cozinhar pulmões e outras partes dos corpos de suas vítimas, ou ao acompanhar

o trabalho da polícia no laboratório forense. Sendo Hannibal um exímio chef - e fã de ingredientes um tanto exóticos, digamos -, a cozinha é parte importantíssima do visual da série. Um passeio pelo estúdio onde a atração é gravada, em Toronto, no Canadá, revela detalhes que podem passar despercebidos pelo público. Janice Poon, food

stylist que dá consultoria para a série, tem muito trabalho ao lado de sua equipe: eles precisam criar pelo menos dois pratos para cada episódio. E são receitas à la Hannibal: com uvas excêntricas vendidas apenas num país distante e... Pulmões humanos. - Usamos muitos órgãos de porco quando Hannibal os está manuseando, pois são do mesmo tamanho dos órgãos humanos. Mas o problema não é só a carne. Outros ingredientes são difíceis de achar, já que ele é um cozinheiro sofisticado e o roteiro chega com determinações específicas - explica Janice. No blog Feeding Hannibal (em tradução livre, “alimentando Hannibal”, no endereço janicepoonart.blogspot.com), ela descreve semanalmente os preparativos das iguarias de cada episódio, com direito a rascunhos desenhados de como o prato ficará em cena. Ainda que sejam receitas inocentes, como uma salada, é preciso que tudo fique pelo me-

nos um pouco assustador. No nono episódio, Janice usou aspargos para sugerir uma semelhança com ossos de mãos humanas. A preparação do ator Mads Mikkelsen para a performance na cozinha também ficou a cargo de Janice, que o considerou um excelente aluno. O dinamarquês diz que todos os pratos sempre estiveram deliciosos. Sobre a melhora de suas habilidades culinárias, ele conta que até aprendeu a cortar melhor os alimentos. A professora revela: - Dei três horas de aula para Mads e foi suficiente. Ele já foi dançarino. Acho que isso ajuda, porque ele tem muita coordenação nos movimentos. E corta como um profissional. Virou um perito no assunto. Em uma das gravações, o vi dizer para alguém: “Ei, não é assim que se faz”. Logo pensei: “Criei um monstro!”. Na hora de partir para o lado criminal, outro aspecto importante da série, entra em ação o produtor de arte Matthew Davies, responsável pelo departamento de investigação forense e pelo necrotério que, nos estúdios, ficam lado a lado. Na cama deste último, um corpo - tudo de mentira, claro. Mas bem realista. A estrutura também é, na medida do possível, bastante fiel ao que seria um laboratório forense real: todos os equipamentos são iguais aos usados pelo FBI, nos Estados Unidos. Os corpos são construídos com um tipo especial de borracha, Matthew explica: - Tentamos fazer o mais próximo possível da realidade não apenas visualmente, mas também em relação ao peso. Se você segurar a mão do boneco, por exemplo, vai sentir o mesmo peso de uma mão humana. Já o escritório e consultório de Hannibal, um dos mais imponentes e impressionantes elementos visuais da série, tem pé direito altíssimo e nem parece um cenário. Móveis garimpados e cuidadosamente escolhidos dividem espaço com objetos de decoração, lâmpadas, cortinas e obras de arte. Até as centenas de livros que ficam no mezanino são todos de verdade. Ah, uma das produtoras avisa: Esse mezanino vai ser bem importante no último episódio.


revista da

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

« ANIVERSÁRIO » MÔNICA IMBUZEIRO

Nosso encontro com Fátima Um ano depois da estreia de seu programa matinal, jornalista afirma estar satisfeita com o resultado e se sente mais próxima do público NATÁLIA BOERE

H

Se eu quisesse uma audiência de 30 pontos, teria ficado no “JN”

á um ano, Fátima Bernardes estava no centro da notícia. Não como nos tempos de “Jornal Nacional”, onde sua voz nos informava sobre os acontecimentos marcantes do dia. A jornalista era o assunto da época porque a curiosidade e a expectativa em torno de seu programa matinal eram enormes. Às vésperas da edição de aniversário do “Encontro com Fátima Bernardes”, marcada para a próxima terça-feira, a apresentadora se mostra satisfeita com a mudança. Mas isso não significa que a comemoração será grandiosa: Porque é só um ano, né? - ela resume. Fátima é simples assim. Sua ideia para o programa de aniversário é apenas refletir o que acontece na vida das pessoas em um ano. E falar sobre coisas que aconteceram na vida dela ao longo deste ano. - Foi um período de muito aprendizado. Faço televisão há 25 anos e estou numa situação totalmente nova, num trabalho que não tem mais teleprompter, onde sou dona do tempo integralmente. E agora chego em casa mais cedo, tenho mais disponibilidade para os meus filhos, jantamos juntos, vemos o “Jornal Nacional”, isso foi um ganho muito grande para mim - pontua, explicando que, ao deixar a apresentação do telejornal, que dividia com o marido William Bonner, o expediente de 14h às 21h15m foi trocado pelo de 7h às 16h30m. O “Encontro com Fátima Bernardes” também passou por

transformações recentemente, que vieram junto com a mudança na direção de núcleo no final de fevereiro - Boninho assumiu, no lugar de Maurício Farias. Desde o fim de maio, o cenário está mais colorido e claro, a plateia foi reposicionada, assim como as bandas convidadas. - Em um programa diário, a gente tem que oferecer algo novo para o público, senão ele cansa, enjoa. Em casa mesmo, a gente muda o sofá de lugar, os objetos. Outro dia mudei um vaso de lugar em casa, e o William falou “ué, não tínhamos esse vaso?”. Você mexe um pouco para dar um colorido novo. A plateia fora do palco dá mais mobilidade para eu me deslocar, como apresentadora. E a ideia de ter um canto para a banda foi ótima. Fátima diz que a relação com o Boninho é tranquila e de longa data: eles se conhecem desde 1991, quando ele dirigiu a transmissão do festival Rock in Rio II no Maracanã, em que ela trabalhou como repórter. E conta que o novo diretor chegou para somar: Ele é muito presente, dá muito retorno, cobra de mim uma postura mista de apresentadora de entretenimento e de jornalismo e diz para eu não ter medo de arriscar, de ousar, de falar para a câmera. A jornalista explica que o trabalho numa bancada de telejornal é muito diferente daquele feito num estúdio com plateia. E ela precisou mudar um pouco: Eu era muito solícita com os convidados, falava muito com eles. E é sempre bom lembrar de falar também com quem está em casa e que, durante anos, me viu só no 3x4. É

3

importante envolver o público na conversa que está acontecendo no palco - observa. Outro ponto muito comentado nos meses de estreia do programa foi a audiência, que se mantém estável na casa dos 6 ou 7 pontos. Fátima garante que isso não a preocupa. - O melhor de tudo - e ninguém acredita nisso - é que eu não sou cobrada, porque nós fizemos uma troca. A Globo tinha uma programação infantil e optou por uma programação adulta. A gente sabia que aquele público infantil ia embora. Conquistamos um público novo e somos líderes no horário. Tenho certeza de que oferecemos um produto de qualidade. Se eu quisesse uma audiência de 30 pontos, teria ficado no “JN”. Não era isso que eu buscava. Aos 50 anos, Fátima mostra equilíbrio até para lidar com rumores maldosos sobre sua saída do telejornal, em dezembro de 2011: Ouvi até que eu saí por causa do HD (imagem de alta definição), mas o “JN” não é HD, e o meu programa é. Uma pessoa que tinha a popularidade, a aceitação que eu sempre tive, elogiada em em todos os projetos, em todos os trabalhos. Não consigo entender esses comentários maldosos. E também não me incomodo. Com o “Encontro”, novas faces de Fátima estão em evidência. Seu corte de cabelo, suas roupas e acessórios chamam a atenção do público. Se na bancada, seu estilo era mais sério, como pedia o programa, no matinal ela pode se divertir com o guarda-roupa. Outra percepção é de que se tornou uma figura mais acessível aos olhos do público. - Antes, as abordagens eram engraçadas. Se eu estava no supermercado, perguntavam “Fátima, vai subir mesmo o preço de tal mercadoria? Você acha que o governo está indo bem?”. As pessoas achavam que eu sabia de tudo e até pediam licença para botar a mão no meu ombro para tirar fotos. Hoje, me perguntam se tal artista é simpático, fazem brincadeiras comigo, se sentem mais à vontade para se aproximar - diverte-se.


Tássia Camargo passará uma semana na Amazônia rodando o documentário “Um sonho maior sob o céu dos Parkatêjês “. O filme contará a história da tribo que quase foi extinta na década de 1980 e hoje tem cerca de mil integrantes. É uma coprodução com a Casa da Gávea.

Haja tecido para tal manequim A equipe de arte de “Saramandaia” produz cerca de 500 docinhos para as cenas de Dona Redonda, personagem de Vera Holtz. Cada peça de seu figurino consome 20 metros de tecido. Na nova versão da novela, ela explodirá só nos últimos capítulos.

Saudade chama Fafy de volta ao Rio Carioca nascida na Tijuca, mas há dez anos morando em São Paulo, Fafy Siqueira tem vindo muito ao Rio para gravar “Sangue bom”. Sentiu tantas saudades que decidiu: quando a novela chegar ao fim, vai voltar a morar na cidade.

com Florença Mazza e Ana Luiza Santiago, Clara Passi e rafaela Santos kogut@globo.com.br

Vivendo numa tribo na Amazônia

patrícia kogut

4

revista da

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

Golpe do baú, neuroses e claque

DIVULGAÇÃO

O Multishow estuda lançar um programa de auditório com Tatá Werneck. O piloto será gravado nos próximos meses. No ar em “Amor à vida”, a atriz também está escalada para um humorístico sobre neuroses no canal.

10

Kayky Brito vai estrear como apresentador no próximo dia 20. O ator comandará um programa sobre esportes (ainda sem título definido) na TV Cenário, via internet. As gravações já começaram sob a direção de Marcos Salles.

LEO FARIA

E

la foi um dos símbolos sexuais dos anos 1990 como a androide Dorfe, musa andrógina que apresentava na Globo o “Doris para maiores”, mistura de jornalismo e humor considerada um embrião do “Casseta & Planeta, urgente!”. A atração estreou em 1991, quando a era digital começava a se descortinar. Agora, aos 53 anos, Doris Giesse está disposta a voltar ao jogo, desta vez pela internet: estreia em julho um site (dorispramaiores.com.br) com vídeos sobre saúde, dança (ela é bailarina de formação) e comportamento, “sem grandes sofisticações técnicas”. Um piloto já está no ar no YouTube. - É um site para a mulher madura. Hoje, ela está com 50 anos, mas com cara de 20, linda. Como parecer jovial sem ser ridícula? O tempo da maturidade é outro. É um tempo de criatividade. Estou curiosa com os rumos que a tecnologia e a medicina estão tomando. Casada com o jornalista Alex Solnik desde 1994, Doris tem um casal de gêmeos, de 16 anos. Depois de um período como “mãezona em tempo integral”, está disposta a usar a web como trampolim para uma volta à televisão. - As pessoas ficam bestas de eu não

estar fazendo nada. Então, vou mostrar que estou viva - declara. Fora do ar desde que apresentou telejornais no SBT e na Record nos anos 1990, Doris ganhou as manchetes em 2007 ao cair do oitavo andar do prédio onde mora, em São Paulo. Foi salva por

Para a programação da RedeTV! aos domingos. A grade da emissora é praticamente toda ocupada por atrações religiosas e comerciais (“Igreja Universal”, “Deus, médico dos médicos”, “Igreja do evangelho”, “Voz da verdade”, anúncios de alimentos etc). O loteamento só não é completo porque há ali uma ou outra produção própria. Uma vergonha.

um telhado de zinco e escapou com uma fratura no braço. A imprensa especulou sobre suicídio. - Foi acidente mesmo - diz, sucinta. - Passamos por uma fase difícil, que foi superada. Tivemos problemas de falta de emprego, perdemos muitas coisas. Agora, vou retomar minha carreira.

RAFAEL SORÍN/TV GLOBO

Para a “Dança dos famosos”. O quadro do “Domingão do Faustão” tem tudo a ver com esforço e superação. Os artistas que topam participar se envolvem de verdade, o que fica visível para o público. Com isso, o programa naturalmente divide torcidas e faz todo mundo vibrar. Além de tudo, do cenário ao figurino, é muito bem produzido.

0

Rotina radical

Doris ressurge pela web

Leitura na terra natal Nanda Costa, a Morena de “Salve Jorge”, estará em Paraty, sua cidade natal, mês que vem. Ela vai participar da Casa do Autor Roteirista, ciclo de debates que ocorre em paralelo à Flip. A atriz fará a leitura de “Socialistes”, texto de Newton Cannito.

Amor entre dois irmãos

Elba visita o Nordeste de Negrão Elba Ramalho esteve no Projac para gravar uma participação em “Flor do Caribe” e se encontrou com o autor da novela, Walther Negrão. “Estou muito honrada por ele ter escrito esta cena para mim. Me emocionei bastante com o convite”, disse a cantora.

Férias curtas antes de viagem aos anos 1940 Para participar de “Joia rara”, Zezé Polessa só pôde tirar dez dias de férias depois do fim de “Salve Jorge”. Ela também antecipou os ensaios da peça “Quem tem medo de Virginia Woolf?”. A atriz está aprendendo como trabalha uma governanta para a novela, que se passa nos anos 1940.

Edgard Miranda, que vai dirigir a novela de Cristianne Fridman na Record, rodará um curta-metragem estrelado por Bruno Ferrari e Jorge Pontual. “De todo meu amor”, de Renê Belmont, gira em torno de dois irmãos e fala sobre esquizofrenia.

Talentos da internet Eliana estreará ainda neste semestre, no seu programa no SBT, uma adaptação do “YouTube secret talent”, da Endemol. Os candidatos vão cadastrar vídeos no site. Um júri com celebridades da internet e o público vão eleger o melhor.


revista da

«MALHAÇÃO» Globo 17:30

«FLOR DO CARIBE» «SANGUE BOM» Globo 18:00

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

« NOVELAS »

Globo 19:00

«AMOR À VIDA» Globo 21:00

«CARROSSEL» RECORD 20:30

«DONA XEPA» RECORD 22:10

5

«SARAMANDAIA» GLOBO 23:00

SEGUNGA-FEIRA Bruno pede Fatinha em casamento. Há uma passagem de tempo. Luana volta para o Rio de Janeiro. Orelha tenta ajudar Nando a reconquistar Tizinha. Gil incentiva Ju a falar com seus pais sobre a viagem para Nova York.

Isabel e os tenentes fazem uma busca na casa de Dionísio. Ester e Cassiano discutem por causa dos ciúmes que ela sente de Cristal. Dionísio afirma a Alberto que alguém em sua casa o traiu, e desconfia de Ester.

Irene foge de casa, e Fabinho se desespera. Sheila denuncia Tito. Tábata muda o visual de Filipinho. Lara ouve Amora falar que rompeu o noivado. Renata pergunta se tem chances com Érico. Zito fotografa Amora e Bento.

Amarilys impede Ninho de contar a Bruno que é pai de Paulinha. Paloma conta que é mãe de Paulinha e pede que César a deixe ver a menina. Márcia consegue os falsos documentos para Atílio. Lutero acusa Félix de roubo.

As crianças conversam na casa abandonada sobre o que vão fazer nas férias. Laura quer fazer um almoço romântico para Helena e Renê. Maria Joaquina aceita o convite de Cirilo e vai até a casa dele. Renê e Helena se surpreendem com o almoço.

Pérola descobre que perdeu o acesso às câmeras da empresa. Dorivaldo é intimado, e Xepa o defende. Rosália finge que quer recomeçar em São Paulo, e Isabela promete ajuda. Meg tenta convencer Júlio César a operar.

Gibão sonha com a mudança do nome da cidade de Bole-Bole para Saramandaia. Leocádia apara as asas de Gibão. Cazuza se levanta do caixão, e todos se assustam. Zico exige que o delegado prenda Vitória e seus filhos.

Mantovani avisa a Cassiano que a interceptação ao avião de Gonzalo foi feita. Duque sugere a Cassiano que ele tenha um caso com Cristal. Samuel aconselha Ester a contar para os tenentes que Dionísio desconfia dela.

Jonas e Douglas flagram Zito saindo da casa de Bento, e Amora destrói as fotos. Érico afirma que perdoou Renata. Zito decide não delatar Amora, e Sueli se irrita. Kevin foge de casa. Fabinho revela que Irene e Plínio são seus pais.

Félix acusa Lutero de não estar capacitado a continuar como diretor clínico. Bruno decide contar a verdade a Paloma. Thales se desculpa com Nicole. Niko e Eron dispensam mais uma candidata à mãe de aluguel.

Cirilo vai jogar futebol com os meninos e promete fazer um gol para Maria Joaquina. Firmino conta a Graça que Jaime, Paulo e Mário já entraram escondidos na escola usando uma cópia de sua chave para copiar o resultado da prova de Matemática.

Dorivaldo teme que Xepa se afaste. Rosália aproveita seu momento a sós com Vitor Hugo e tenta seduzi-lo, mas François os interrompe e comemora ao saber que Vitor vai ser pai. Miro acerta os detalhes da palestra com Xepa.

Zico e Vitória ficam abalados com a presença um do outro. Gibão tem uma visão com dona Redonda. Cazuza explica a Risoleta que Aristóbulo se transforma em lobisomem. Marcina invade o quarto de Gibão para seduzi-lo.

Alberto e Dionísio negam que as joias sejam deles. Dionísio fica furioso com Alberto por ter perdido suas joias. Carol conta a Lino que Maria Adília morreu há três anos. Dionísio revela a Alberto que queimou as fotos que estavam no bunker.

Plínio e Malu se surpreendem com a revelação de Fabinho. Bárbara pede que Gilson a ajude a separar Bento de Amora. Bárbara, Bento e Amora se surpreendem quando Malu chega na festa com Fabinho.

Jacques conta a César que Paloma poderia ter morrido por causa de Lutero. César decide afastar Lutero do cargo. Niko convida Amarilys para jantar com ele e Eron. Aline convence César a alugar o flat. Paloma recusa o beijo de Bruno.

Olívia questiona a história das chaves a Firmino. O porteiro explica, mas a diretora acha que ele traiu sua confiança. Em uma reunião, Olívia conversa com os pais dos alunos e revela o que os filhos fizeram. Helena se diz decepcionada com os meninos.

Geni, Graxinha e Gisele anunciam que Xepa é a nova presidente da associação, mas ela diz que não pode assumir o posto. Lis pressiona Júlio César, que admite ter um problema no coração. Meg faz as pazes com a mãe.

Gibão tenta resistir a Marcina, e Zélia chega. Marcina sai da casa de Gibão e começa a sentir o corpo pegar fogo. Zico encerra o discurso de Aristóbulo. Risoleta aborda Aristóbulo na rua, mas ele se afasta. Zélia conversa com Lua.

Isabel desconfia de que algo está errado com Ester. Taís confessa a Olívia que ainda é apaixonada por Hélio. Duque se emociona quando Amaralina revela que se sente protegida por ele. Alberto tranca Ester no bunker.

Amora fica com ciúmes de Bento. Celinha aconselha Plínio a conversar com Irene antes de julgá-la. Bento tira satisfações com Malu. Lili reconhece Verônica vestida de Palmira. Malu conta para Luz sobre seu plano. Fabinho beija Bárbara.

Carlito é atingido ao tentar afastar uma briga entre Márcia e Rita Cadilac. Niko e Eron convidam Amarilys para gestar o filho dos dois. Márcia se arruma para casar com Atílio. Nicole exige saber de Vinícius quanto tempo de vida ela tem.

Os alunos se arrependem do que fizeram e pedem perdão a Helena. Jaime ameaça bater em Jorge, mas Cirilo o defende e é destratado pelo riquinho. Firmino é demitido por Olívia, arruma sua mala e se despede da Escola Mundial.

Xepa fica envergonhada ao se apresentar na faculdade de Édison. Lis discute com Édison no meio da palestra, enquanto Xepa defende seu filho. Vitor Hugo desconfia do sequestro de François. Lady mexe na caixa de Meg.

Gibão vê dona Redonda inchar. Marcina termina seu namoro, e Aparadeira comemora. Lua conta para o irmão que Zélia está grávida, e Gibão não percebe o aviso que o pássaro tenta lhe dar. Bia se preocupa com dona Redonda.

Alberto destrata Samuca quando o menino pergunta por Ester, que desmaia no bunker. Alberto liberta Ester, mas a ameaça. Cassiano vai à casa de Alberto avisar que está com Samuca e nota algo errado com Ester.

Fabinho marca um encontro com Bárbara e manda Malu pôr uma câmera no quarto. Amora diz a Bento que vai assumir o romance com ele. Bárbara confessa o que fez contra Irene. Natan invade o quarto de Bárbara.

Ninho tenta se entender com Paulinha. Márcia chora ao descobrir que foi abandonada. Atílio volta para sua casa, confuso. Nicole descobre que tem pouco tempo de vida. Glauce decide sumir com o prontuário de Luana.

Firmino vai até a casa de Helena, diz que foi mandado embora e pede ajuda. Renê e a professora se prontificam a falar com Olívia. As crianças da escola fazem um protesto pela volta do porteiro, que ganha a adesão de seus pais.

Júlio César recebe em seu celular uma foto de François, com o rosto machucado. Cintia revela para Édison que sabe que Xepa é sua mãe. Rosália descobre que seu pai deixou uma dívida de financiamento da casa de Xepa.

Risoleta discute com Aparadeira para defender Aristóbulo. Marcina e Gibão voltam a namorar. Gibão tem uma visão que o deixa aflito e pede o consolo de Leocádia. Vitória e Zico se encontram e e acabam se beijando.

Samuca liga para Ester e avisa que está no barco com Alberto. Ester entende que o filho corre perigo e resolve dizer à polícia que não reconhece as joias. Cassiano desconfia de que Ester esteja sendo ameaçada.

Bárbara tenta se explicar para Natan e se enfurece com Fabinho. Malu revela à mãe que gravou as confissões. Plínio fica arrasado. Fabinho ameaça Amora para que ela se case com ele.

Paloma tenta convencer Bruno a deixá-la levar Paulinha para casa. Thales encontra Nicole. Joana confirma a Lutero que Glauce sumiu com o prontuário de Luana. Atílio entra na sala de César, e Félix fica em pânico.

Não há exibição.

Não há exibição.

TERÇA-FEIRA Sal garante a Luana que é um novo homem e pede que ela chame Vitor. Olavo e Marta não permitem que Ju viaje com Gil. Luana e Sal escolhem o nome de seu filho e se emocionam. Pilha cobra o beijo prometido de Fatinha. QUARTA-FEIRA Não haverá exibição.

QUINTA-FEIRA Fatinha pede que Vitor tenha cuidado com Sal. Nélio e Rasta incentivam Bruno a fazer uma despedida de solteiro. Vitor e Lia chegam ao hostel e não encontram Luana. Alemão ameaça Sal e diz que está com Luana. SEXTA-FEIRA Não haverá exibição.

SÁBADO Não há exibição.

Não há exibição.


6

NATALIA CASTRO

G

revista da

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

abriel Braga Nunes e Sergio Guizé se conheciam somente de vista, da Praça Roosevelt - reduto underground em São Paulo -, quando viajaram para Los Angeles por conta dos preparativos para de “Saramandaia”, nova novela das 23h que estreia amanhã e será exibida de terça a sexta-feira , com 57 capítulos. Por acaso, se esbarraram na imensa cidade americana, em um loja de instrumentos musicais. E descobriram, em comum, o apreço pelas guitarras. - Nosso primeiro dia de amizade foi vendo guitarras. Ainda não tocamos juntos, mas Gabriel vive com a guitarra nas costas, e eu canto e toco na Tio Che, uma banda de punk-rock - comenta Guizé. Pode-se dizer que a paixão pela música - e a torcida pelo Corinthians - são apenas dois dos elos entre a dupla. Oriundos da cena teatral paulista, os atores compartilham, também, um currículo cheio de tipos incomuns em suas carreiras. Como os da próxima novela das 23h, Na adaptação de Ricardo Linhares para a trama de Dias Gomes, exibida originalmente em 1976, Sergio é João Gibão, um homem que nasceu com asas e sofre com sua anormalidade. Já Gabriel incorpora Aristóbulo, professor de Literatura que se transforma em lobisomem nas madrugadas de quinta para sexta-feira. - “Saramandaia” trata do tema mais atual de todos, que está nos noticiários semanalmente: a intolerância com as diferenças. A sexual, a racial, a religiosa. É uma novela extremamente atual, mesmo que não tenhamos mais a ditadura militar. Uma grande sacada do Linhares - afirma Gabriel. O ator, que na sua volta à Globo se destacou como o psicopata Léo em “Insensato coração” - de Linhares e Gilberto Braga -, foi um dos primeiros convidados do autor para participar do remake. - Sabia que o Gabriel faria bem aquele personagem cheio de formalidades que tem uma fera intensa dentro dele - ratifica Linhares. Já Sergio foi alçado pela produção devido à performance como o policial Breno na primeira

temporada da série “Sessão de terapia”, exibida no ano passado pelo GNT. - Queríamos um rosto novo e quando vimos a chamada do programa, achamos nosso João Gibão. O trabalho dele foi o próprio cartão de visitas - elogia o autor. Apesar de tipos esdrúxulos, Aristóbulo e Gibão reagem de modos distintos às suas excentricidades. Enquanto um aceita com naturalidade sua condição e se esconde por uma questão social, o outro vive amargurado com suas asas. As mesmas que o impedem de dar um passo a mais no romance com Marcina (Chandelly Braz). - Ele se coloca como uma aberração e tem medo de revelar esse defeito que, na verdade, é uma virtude: A liberdade. O grito de liberdade incomoda. E o legal da novela é levantar essas questões: por que ele não me aceita? por que eu sou diferente? - filosofa Sergio. Em comum, Gibão e seu intérprete dividem a angústia. Se o personagem sofre sozinho por ter um par de asas, o ator de 33 anos nascido em Santo André (SP) revela que os sentimentos de inquietude e tensão são inerentes ao seu processo criativo. Mesmo com anos de profissão - e muitas peças de teatro - nas costas, ele ainda encara cada personagem como “um problema a ser resolvido”. - Vira um processo esquizofrênico mesmo. Eu não sossego. Mas optei por ser ator por isso. Se fosse fácil, não teria graça. Já recusei muitos papéis porque não me motivavam. Para ficar mais focado, ele optou por morar perto do Projac e costuma se isolar em casa com o cachorro, Gustavo Micharia. Conta que passa horas absorto “no mundo das ideias”. Pintor nas horas vagas, Sergio está levando para as telas a interpretação do livro “O túnel”, do argentino Ernesto Sabato. - Acho que tem a ver com o Gibão, algo como um tipo de homem que se esconde dentro do seu próprio túnel. O que vem depois pode ser uma surpresa boa ou ruim compara ele, que, com a cabeça fervilhando, tem dormido pouco: - Eu levo o personagem para casa, e é difícil sair dele. São anos de terapia.

Fora do comum Com papéis inusitados em “Saramandaia” Gabriel Braga Nune Guizé analisam seus personagens e os caminhos da profissão LEO MARTINS

Mais escolado em se tratando de novelas, Gabriel vai por outra linha. Considera o processo de criação “bem gostoso” e acha que o personagem se desenha aos poucos, sempre na relação com os outros. Aristóbulo, por exemplo, passará por uma curva dramática “bonita” ao desapegar da tradição e aceitar os novos tempos. Também lidará com um dilema ao se apaixonar por Risoleta (Débora Bloch), cuja fama não é das melhores na cidade de Bole-bole. - O que fazer quando a paixão não é bem vista? Ou até mesmo não é aceita? - indaga ele, dizendo que escolheu fazer o papel pela vontade de interpretá-

lo: - É como namorar - compara. Da versão original, Gabriel guarda na memória a música de abertura, “Pavão misterioso”, na voz de Ednardo; e, não por acaso, o lobisomem vivido por Ary Fontoura. Segundo ele, o convite para a novela o remeteu à “primeira infância”, a sensações lúdicas que ficaram até os dias atuais. Desde que retornou à Globo, em 2011, o ator de 40 anos fez, além de “Insensato coração”, “Amor eterno amor” e “O canto da sereia”. A realização artística na TV, ele explica, justifica o afastamento do teatro. Pelo mesmo motivo, Sergio abdicou de três peças que fa-

zia em São Paulo: “Chá com limão”, “Hotel Lancaster” e “Pornô falcatrua”. Mas, avisa, tem pavor de se tornar um ator à base do piloto automático. - Não tenho nada contra a TV, mas morro de medo de fazer sempre o mesmo, de estar ali somente pelo trabalho e pelo dinheiro. Enfim, tenho dois braços e duas pernas. Prefiro fazer outra coisa a algo relacionado à arte medíocre - garante ele, que leva para a vida o lema “Prefiro viver em pé do que morrer ajoelhado”, herdado da época em que integrou o movimento punk, na juventude. Enquanto Sergio gesticula sem pa-

r f q r ( j c t t n m f p d


revista da

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

Fantástico e real ga Nunes e Sergio ofissão LEO MARTINS

TV GLOBO/ALEX CARVALHO

Gabriel Braga Nunes. O ator diz que a novela remete à sua infância. Acima, posa como o professor Aristóbolo

Um coloca o coração pela boca. A outra explode de tanto comer. Tem quem bote formigas pelo nariz e até quem crie raízes de tanto ficar sentado. Em “Saramandaia”, trama das 23h que estreia amanhã, o sentido literal, mesmo o mais estranho, vira realidade. Um realismo fantástico - presente na obra de Dias Gomes em 1976 - que o autor Ricardo Linhares não só manteve como ampliou, reunindo a tipos icônicos, como Dona Redonda (Vera Holtz), outros novos, como Stela (Laura Neiva). - Grande parte das pessoas tem intolerância ao que foge do comum, dos padrões. E isso estará presente o tempo todo. Todos os tipos que criei têm algo de diferente - diz o autor. Se a primeira versão continha uma metáfora à ditadura militar, o remake embarca na “ditadura da intolerância”, afirma o autor. E, diz ele, a melhor forma de mostrar isso é através da comédia: É uma maneira mais forte de criticar, tocar em assuntos mais densos - conta Linhares, descrevendo “Saramandaia “ como uma comédia de costumes. O autor apostou numa história de amor e rivalidade entre três

gerações das famílias Vilar e Rosado, representadas por Tibério(Tarcísio Meira) e Candinha (Fernanda Montenegro). Mas além de romance e “muito beijo na boca”, a política continua presente no embate entre os Bolebolenses - contra a mudança do nome original da cidade, BoleBole - e os saramandistas que, apoiados por uma premonição progressista de Gibão (Sergio Guizé) querem que o lugar se chame “Saramandaia”. Para contextualizar os protestos, Ricardo se inspirou nas manifestações políticas mundo afora como a Primavera Árabe, as manifestações no Egito, em 2011, e o movimento americano Ocuppy Wall Street. - Logo no início, brinco com o “Occupy o coreto”. Vou abordar o mensalão e haverá uma cena inspirada no atentado do Riocentro, de 1981. Acho importante esses movimentos, contanto que pacíficos. Nascido em 1962, Ricardo Linhares tinha 14 anos quando assistiu à “Saramandaia”. Na época, lembra que a novela era o assunto principal do colégio. A vontade de escrevê-la é desejo antigo, ele conta, afirmando que

7

a primeira ideia era exibi-la no horário das 18h. - Mas quando peguei o material do Dias para ler, vi que não se adequava. Essa questão da sátira política não é o que o público das seis espera. Engavetado, o projeto foi levado novamente à direção da Globo assim que o horário das 23h foi aberto, com “O astro”, em 2011. E, antes mesmo da estreia de “Gabriela”, em 2012, “Saramandaia” já estava aprovada. Para a nova trama, Linhares optou por rostos pouco conhecidos, frescos para os olhos do telespectador. Dessa forma, surgiram os nomes de Sergio Guizé, Chandelly e Fernando Belo. Todos responsáveis por papeis importantes à história. - Acho muito importante que exista uma renovação. Eu, como público, gosto de ver caras novas e talentosas, que tenham carisma. O Sergio faz o papel que era do Juca de Oliveira, o Fernando o que foi do Antônio Fagundes, a Chandelly, o que a Sonia Braga fez logo depois de “Gabriela” - detalha.

+

PAGINA 8

“Saramandaia” usa comédia para falar de intolerância Veja galeria de fotos TV GLOBO/JOÃO COTTA

TV GLOBO/ALEX CARVALHO

om limão”, falcatrua”. tornar um mático. a a TV, mas sempre o te pelo trafim, tenho as. Prefiro lacionado ele, que leefiro viver hado”, hergrou o mode. ula sem pa-

rar, discorre sobre diversos assuntos e fala, com veemência, sobre a fase em que era fissurado por jornalísticos e a relação de amor e ódio com a política (“Já pensei que mudaria o mundo. Hoje, prefiro ser apolítico”), Gabriel é mais comedido. Pensa duas, três vezes, antes de responder às perguntas. Pede tempo. Gosta de observar e avisa que não quer soar clichê. Apesar da timidez, mostra ser um cara bem-humorado ao fazer uma última observação. - Olha, a grande prova que eu respeito as diferenças é que sou amigo dele - brinca, apontando para Sergio. E os dois caem na gargalhada.

Sergio Guizé. O ator conta que carrega o personagem João Gibão dentro dele até para casa

MOVIMENTO. As manifestações políticas estarão presente a todo momento na nova novela das 23h

1


8

revista da

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

LEONARDO AVERSA

autor precisa acreditar nele, assim como o Aguinaldo. Ricardo conhece os arquétipos. O autor admite não saber se o realismo fantástico, pouco explorado na TV brasileira, vai agradar ao telespectador. - No exterior, você vê isso com mais frequência em séries como“Trueblood”e“Supernatural”. Espero que agrade - torce ele, que já cont com 33 capítulos prontos.

1.DESEJO. O autor Ricardo Linhares conta que viu a novela com 14 anos e sempre teve vontade de levála novamente para a televisão

1

2. VOO. O Gibão de Juca de Oliveira voou no último capítulo, representado a liberdade

Efeitos especiais E para tornar o literal real, atores como Gabriel Braga Nunes, Sergio Guizé e Vera Holtz viajaram até Los Angeles, onde tiveram os corpos escaneados e moldados em fibra de vidro, na técnica chamada body scanning. Na criação, as equipes tiveram a consultoria do maquiador Mark Coulier, premiado pela caracterização de Meryl Streep como Margaret Thatcher no filme “A dama de ferro”. - Nós vivemos hoje o limite entre o material filmado e o que é produzido na computação gráfica. É um momento chave, de transição. - diz Gabriel.

3. COMIDA. Wilza Carla ficou marcada como Dona Redonda, que explode de tanto comer

2

3 FOTOS DE ARQUIVO/1976

Apesar de ter feito mudanças na trama - e ter retirado personagens que considerou datados, como o coronel Tenório Tavares, vivido por Sebastião Vasconcellos , Ricardo fez questão de manter a memória de Dias Gomes. A música-tema, “Pavão misterioso”, deixou a abertura para voltar como trilha sonora de João Gibão. E o próprio autor - ou quase isso - aparece numa na Igreja de Santo Dias, padroeiro da cidade da ficção. - Há uma linda escultura em destaque no interior da igreja destaca ele, que também faz referências às cidades Greenvile e Serro Azul, já presentes em novelas de Aguinaldo Silva, com quem o autor fez parcerias em “Pedra sobre pedra”, (1992), e “Fera ferida”, (1993). - Imagina, só um grande autor para fazer esse tipo de homenagem. O Ricardinho é gentil e generoso. Está feliz de fazer a novela e estamos felizes de participar dela - empolga-se Lilia Cabral, uma das primeiras convidadas para o remake. - Para fazer uma história com realismo fantástico, o

4

4. NOVO. Ary Fontoura deu vida ao primeiro professor Aristóbulo

ì Quem ? Tibério

Vitoria

Lua Vianna

Dona Redonda

Risoleta

Tarcisio meira

Lilia Cabral

Fernando Belo

Vera Holtz

Débora Bloch

Patriarca dos Vilar. De passado violento e prepotente, passa os dias sentado numa poltrona onde está criando raízes. Foi apaixonado por Candinha (Fernanda Montenegro).

Filha de Tibério, a empresária retorna a BoleBole 30 anos depois de ir para São Paulo. De volta, tenta se entender com Zico (José Mayer), com quem teve um romance no passado.

Prefeito querido pelo povo, se mantém alheio à briga das famílias Vilar e Rosado e os partidos. De origem humilde, é ético e honesto. É apaixonado pela noiva, Zélia.

Come com prazer e sem culpa. Odeia criança e não liga para a filha, Bia, tendo como xodó o cachorrinho Pingo. Rabugenta e tradicionalista, adora opinar sobre a vida dos outros.

Dona da pensão frequentada pelos homens, é rejeitada pelas mulheres. Apaixonada por Aristóbulo (Gabriel Braga Nunes), deseja vê-lo como lobisomem. Tem um segredo.

Candinha

Zélia

Zico

Marcina

Dona Pupu

Fernanda Montenegro

Leandra leal

José Mayer

Chandelly Braz

Aracy Balabanian

Matriarca dos Rosado, é autoritária e espertíssima. Convive com a culpa de ter causado sofrimento a pessoas no passado. Conversa com galinhas imaginárias.

Veterinária, é briguenta como a mãe, Vitória, e quer acabar com a corrupção na cidade. Por conta disso, entra em conflito com o noivo, Lua (Fernando Belo) o prefeito apartidário.

Do clã Rosado, é dono de canaviais e de usinas de açúcar. Quer manter o nome da cidade. Casado com Helena (Angela Figueiredo), deseja Vitoria. Com raiva, põe formigas pelo nariz.

Simples e romântica, namora João Gibão (Sergio Guizé) e chega a arder de paixão pelo rapaz, mas sofre ao saber que ele tem um segredo. Trabalha na farmácia do pai, Cazuza.

Risonha e avoada, é mãe de Aristóbulo, o único filho homem após sete mulheres. Encanta-se por Risoleta. É casada com Belisário (Luiz Henrique Nogueira).

Seu Encolheu

Pedro

Stela

Cazuza

Leocádia

Matheus Nachtergaele

André Bankoff

Laura Neiva

Marcos Palmeira

Renata sorrah

Rebelde, ele se descobriu homem do campo após morar com o avô, Tibério. Cuida da fazenda da família, mas odeia cobranças. Namora Bia (Thais Melchior) sem compromisso.

Neta de Helena e Zico, cresceu acreditando ser orfã. Se apaixona por Tiago (Pedro Tergolina). Suas lágrimas fazem renascer algo que estava sem vida, como uma flor murcha.

Conservador e metódico, é dono da única farmácia da cidade. Defende Zico e costuma pôr o coração pela boca. É casado com a exparteira Aparadeira (Ana Beatriz Nogueira).

Mãe de João Gibão e Lua, é artista e faz trabalho com rendas e couro. Usa uma grande tesoura de costura para aparar as asas que o filho esconde. É respeitada por todos na cidade.

Chefe de gabinete de Lua, é apaixonado pela mulher, Dona Redonda (Vera Holtz), com quem vive uma relação intensa. Faz a previsão do tempo conforme a dor em seus ossos.


revista da

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

Thaís Britto revistadatv@oglobo.com.br

Filmes de hoje

FOTOS DE DIVULGAÇÃO

Fique de olho Melissa McCarthy ficou só na indicação, mas é possível ver a ganhadora do Oscar do mesmo ano em ação hoje: Meryl Streep venceu em 2012 por “A dama de ferro” (Telecine Premium, 1h25m). A premiada do ano anterior também está na grade: Natalie Portman, por “Cisne negro” (FX, 1h50m).

9

Dois filhos de Francisco FX, 15:45 (BRASIL, 2005). de breno silveira. Drama. Um dos maiores sucessos de bilheteria da história do cinema brasileiro, o filme narra a trajetória da dupla Zezé Di Camargo e Luciano a partir de sua relação com o pai, Francisco (Ângelo Antônio).

Missão madrinha de casamento Missão madrinha de casamento. Melissa McCarthy se destaca

Tootsie. Hoffman é ator que finge ser mulher para conseguir papel

As virgens suicidas Telecine Cult 22h00 (EUA, 1999). de sofia coppola. Drama. Prestes a lançar o aguardado “The bling ring”, Sofia Coppola conseguiu deixar para trás o rótulo de “filha de Francis Ford Coppola” e construiu uma carreira respeitada como diretora. Aqui, em seu longa de estreia, ela já mostrava características que seriam marcantes em outros de seus trabalhos, como “Encontros e desencontros” e “Um lugar qualquer”: personagens introspectivos e existenciais, estética contemplativa e trilha sonora indie. Na trama, as cinco filhas do casal Lisbon tentam interagir com os meninos do bairro, apesar da disciplina rígida imposta pelos pais. O título entrega o final, mas isso é o que menos importa.

Telecine Pipoca, 16:00 (EUA, 2011). de paul feig. Comédia. O longa traz para o universo feminino o tipo de humor que consagrou a trupe comandada por Judd Apatow . A problemática Annie (Kristen Wiig) se desdobra para provar que pode ser a madrinha perfeita para o casamento da melhor amiga Lilian (Maya Rudolph).

Tootsie TCM, 17:30 (EUA, 1982). de SYDNEY POLLACK. Comédia. Dustin Hoffman levou uma série de prêmios - entre eles o Globo de Ouro - por este personagem, um ator em dificuldades que finge ser mulher para conseguir um papel. Jessica Lange venceu o Oscar de melhor atriz coadjuvante.

Busca implacável

As virgens suicidas. Kirsten Dunst é Lux, uma das cinco filhas do casal Lisbon que vivem sobre rígidas regras disciplinares impostas pelos pais

Globo, 00:00 (EUA/ frança, 2008). de pierre morel Ação. Ex-agente secreto, Bryan Mills (Liam Nesson) terá que colocar seus conhecimentos em prática para resgatar a filha, que some em uma viagem.

PROGRAMAÇÃO TV Brasil 06:30-Sustentáculos 07:00-Palavras de vida 08:00-Santa missa 09:00-Viola, minha viola 10:15-O Brasil tem disso 11:15-Batatinhas 11:20-Senha verde 11:30-Dinosapien 12:00-ABZ do Ziraldo 12:30-Vila Sésamo 13:00-Dango balango 13:30-Batatinhas 13:35-TV Piá 14:00-Anabel 14:15-Carrapatos e catapultas 14:30-Batatinhas 14:35-Meu amigãozão 14:45-Cocoricó na cidade 15:00-Escola pra cachorro 15:15-Batatinhas 15:20-Tromba trem 15:30-Catalendas 15:40-Batatinhas 15:45-Senha verde 16:00-Papo de mãe 17:00-Shamwari 17:30-Samba na Gamboa 18:30-O corpo virtual

19:00-América Latina tal como somos 20:00-Conexão Roberto D'Avila 21:00-No mundo da bola 22:00-Nova África 22:30-Soy loco por ti cinema: "Octubre" 00:00-Festas juninas Brasil 02:00-No mundo da bola 03:00-Doc TV: "Passagem" 04:00-Telecursos tecendo o saber 04:30-Telecurso ensino médio 04:45-Telecurso ensino fundamental 05:00-Telecurso Tec 05:15-Telecurso profissionalizante 05:30-América Latina tal como somos 06:00-Terra de viajeros

Globo

05:45-Sagrado 05:55-Santa missa 06:55-Globo comunidade 07:25-Pequenas empresas 08:00-Globo rural 08:55-Auto esporte 09:30-Esporte espetacular 12:30-Temperatura máxima: "Um faz de conta que acontece" 14:25-Esquenta 15:50-Copa das Confederações 18:00-Domingão do Faustão 20:45-Fantástico

23:05-Revenge 00:00-Domingo maior: "Busca implacável" 01:35-Sessão de Gala: "Os cavaleiros do apocalipse" 03:05-Corujão

Rede TV

05:55-Ultrafarma 07:55-Igreja Universal 10:00-Campeonato Paulista Sub 20: Audax x Santos 12:00-Deus, médico dos médicos 13:00-Concessionário 13:30-Rallye race 14:00-Igreja do evangelho 14:30-Voz da verdade 14:45-Top therm 15:15-A hora e a vez da pequena empresa 15:30-Superpapo 15:45-Top therm 16:15-Transição 16:45-Top therm 17:00-Galinha morta 17:15-Pague menos 17:45-Video mania 18:00-Ritmo Brasil 18:45-Video mania 19:15-O último passageiro

20:30-Te peguei 21:30-Teste de fidelidade 23:30-Dr. Hollywood

Band

06:00-Igreja Mundial 06:50-Popeye 07:00-Profetizando vida 07:30-Exerça sua fé 08:00-Igreja Batista da Barra 09:00-A informar 09:30-Baixada cap 10:30-Mackenzie em movimento 10:45-Infomercial - Polishop 11:45-Verdade e vida 12:00-Campeonato brasileiro de gran turismo 12:50-Band esporte clube 14:30-Band mania 15:40-Copa das Confederações: Nigéria x Espanha 17:50-Band mania 20:00-Polícia 24h 21:00-Pânico na Band 00:00-Fórmula Indy 00:15-Canal livre 01:15-Madrugada de vida nova 02:05-Copa das Confederações: Uruguai x Taiti

SBT

05:15-Jornal da semana 06:30-Pesca alternativa 07:30-Brasil caminhoneiro 08:00-Aventura selvagem 08:30-Vrum 09:00-Chaves 11:00-Domingo legal 15:00-Eliana 19:00-Roda a roda Jequiti 19:45-Sorteio da Tele Sena 20:00-Programa Silvio Santos 00:00-De frente com Gabi 01:00-True blood 02:00-O mentalista 03:00-Rizzoli & Isles 04:00-Jornal do SBT

Record

06:30-Desenhos bíblicos 08:00-Domingo de prêmios 08:30-Desenhos bíblicos 09:00-Record kids 13:00-Tudo a ver 15:30-O melhor do Brasil. Com Rodrigo Faro 19:30-Domingo espetacular 23:15-Tela máxima


10

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

revista da

EM FOCO

COLUNA DO

Clube do assinante

TV GLOBO/RAPHAEL DIAS

Da sala de aula para a televisão

Promoções e descontos renovados a cada domingo. DIVULGAÇÃO

Promoções válidas de domingo (23/06/13) a sábado (29/06/13), limitadas às quantidades em estoque, somente para assinantes da TRIBUNA.

Sapekas Play – Colônia de férias Mais uma vez o Sapekas Play realizará a colônia de férias para crianças a partir de 04 anos. No período do dia 01/07 a 31/07 de segunda a sexta-feira. A colônia funcionará meio período das 13h às 17, incluso lanche. Esta semana, o Sapekas Play oferecerá um desconto, exclusivo ao assinante da TN, na colônia de férias, no limite de até 03 crianças por assinante. Válido somente para inscrições realizadas nesta semana. Rua Raimundo Chaves, 1908, Candelária Tel.:3206.6915 à vista (dinheiro) na colônia de férias, no limite de até 03 crianças por assinante. Válido somente para inscrições realizadas nesta semana.

DIVULGAÇÃO

50%

P Películas Design A Películas Design desenvolve um excelente trabalho com a aplicação de películas, sejam elas para controle solar ou decoração. Lá, você também encontra persianas, tapetes personalizados, tudo com a qualidade que você procura. Esta semana, a Películas Design oferecerá um desconto, exclusivo ao assinante da TN, no metro quadrado de películas decorativas. O desconto é válido somente na linha de películas decorativas. Rua Jaguarari, 1875, Jaguarari Center, loja 12 – Lagoa Nova Tel.: 3223.6770/8838.1928 vista (dinheiro) no metro quadrado de películas decorativas. O desconto é 50% àválido somente na linha de películas decorativas. ■As promoções publicadas na Coluna do Clube do Assinante são exclusivas para assinantes da TRIBUNA DO NORTE, PESSOAS FÍSICAS. ■Desconto não acumulativo. ■ Para ter direito à promoção, o assinante deverá apresentar a carteira do Clube e a Identidade no ato da compra. ■Contatos para credenciamento: Depto. de Marketing. Tel. 4006-6100, R. 6262. ■e- mail.mkttn@tribunadonorte.com.br; clube@tribunadonorte.com.br

rotagonista da nova temporada de “Malhação”, que estreia no dia 8, Bianca Salgueiro apareceu pela primeira vez na TV em 2005, aos 11 anos, na minissérie infantil “Clara e o chuveiro do tempo”. No entanto, ela é sincera: diz que sabe que não é bem dessa época que as pessoas a reconhecem nas ruas. - A lembrança mais marcante que o públicos tem de mim é, sem dúvida, o fato de eu ter passado em primeiro lugar em vários vestibulares numa época em que, além de me preparar, estava gravando a novela “Fina estampa” diz a atriz, hoje com 19 anos. Leitora voraz de livros como “Inferno”, de Dan Brown - “Gosto de ler qualquer coisa, mas o que as pessoas podem não imaginar é que eu amo história e livros biográficos” - , Bianca agora encarna Anita, jovem que quer cursar Arquitetura e usa suas habilidades para decorar a nova casa da

família, maior depois do casamento da mãe, Vera (Isabela Garcia) com Ronaldo (Tuca Andrada). Enquanto isso, ela ainda se encanta por Ben (Gabriel Falcão). - Anita é uma pessoa íntegra, corajosa, discreta e madura e sempre disposta a ajudar as pessoas. Sou mais vaidosa que ela, que sempre abre mão dos seus desejos em nome das outras pessoas.

Eu primeiro avalio, vejo o que será bom para mim e para os outros, e tento fazer com que todos fiquem felizes. Não abro mão dos meus sonhos - diz. A entrada em “Malhação”, conta a atriz, que também fez carreira como dubladora, foi quase no susto. Com o fim de “Fina estampa”, Bianca fez dois intercâmbios. Ao voltar, mergulhou de cabeça no curso de Engenharia. Convidada por um produtor de elenco para fazer um teste para a novela adolescente, a atriz esperou por três meses até ser chamada. Só que... -Entrei para a equipe de aerodesign da PUC-Rio e fui para o Texas, nos Estados Unidos, participar de uma competição mundial. Acabei tendo que voltar correndo de lá, pois haveria um novo teste para a confirmação do novo elenco. Fiquei muito feliz. Mas foi uma correria, porque tive que mudar minha passagem em menos de 24 horas (risos)!


Liv Brandão e Tatiana Contreiras seriaais@oglobo.com.br

seriais

revista da

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

11

« SONY, SEGUNDAS, 22H »

Os escândalos enfim chegam ao Brasil

U

ma das mais aclamadas entre as (muitas) séries sobre política do momento, “Scandal” finalmente chega ao Brasil. Criada por Shonda Rhimes, de “Grey’s Anatomy” e “Private practice”, a atração tem préestreia hoje, às 22h, no Sony, com estreia definitiva amanhã, marcada para o mesmo horário. A trama acompanha a saga de Olivia Pope (encarnada por Kerry Washington, de “Django livre”), ex-relações públicas e amante do presidente americano. Após passar anos gerenciando as crises do governo, a personagem deixa a Casa

Branca para abrir sua própria empresa. Sua intenção é buscar não só novos rumos profissionais, como dar uma guinada em sua conturbada vida pessoal, o que não é lá muito fácil. Como o título do programa adianta, sua função é prevenir escândalos envolvendo seus poderosíssimos clientes, resolvendo os problemas antes mesmo que eles cheguem ao conhecimento da população. Custe o que custar. Cheia de intrigas, conflitos e romances proibidos, a série virou febre. Entre os fãs de carteirinha de “Scandal”, estão

artistas como a criadora de “Girls”, Lena Dunham, a apresentadora Oprah Winfrey e a cantora Mary J Blige. Até o ex-presidente dos Estados Unidos Bill Clinton entrou para o grupo ao confessar não perder um episódio. E olha que uma das cenas mais emblemáticas mostra o presidente Fitzgerald Grant (Tony Goldwyn) fazendo sexo com Olivia no salão oval da Casa Branca. A semelhança com o episódio vivido pelo próprio Clinton em 1998, durante seu segundo mandato, não é mera coincidência. A responsabilidade pelo realismo é, em

grande parte, de Judy Smith. Exassessora do governo de George W. Bush, a relações públicas serve de consultora para as cenas da série, além de fazer as vezes de produtora executiva. Com apenas sete episódios, a primeira temporada estreou nos EUA em 2012. A segunda leva, dividida em 22 capítulos, acaba de acabar lá fora. Graças ao sucesso, um terceiro ano já está confirmado. Também pudera: a média de audiência é de 8 milhões de espectadores por semana e, a cada episódio, 200 mil mensagens são disparadas sobre a série no Twitter. FOTOS DE DIVULGAÇÃO

SOBE Mesmo em crise, a MTV acerta: dá para ver toda a temporada de ‘Menina sem qualidades’ no site do canal

DESCE Por que o AXN não cria uma segunda sessão de ‘Hannibal’ às terças como seu irmão Sony faz com algumas séries?

Adeus, Selma

Pós-’Lost’

Charlie Sheen não perde a mania de causar. Dessa vez, a ira do ator se voltou contra Selma Blair, com quem ele contracena em “Tratamento de choque” (exibida aqui pelo TBS). O barraco começou quando Selma reclamou com os produtores que Sheen não agia como profissional e vivia atrasado. Resultado? A atriz foi demitida. Sheen agora quer Mila Kunis na série.

Damon Lindelof, um dos badalados autores de “Lost”, já tem projeto novo para a TV. O piloto de “The leftovers”, que já está sendo produzido pela HBO, terá a atriz Liv Tyler em seu elenco.

Futuro obscuro O fato de Jennifer Love Hewitt estar esperando um bebê deixou “The client list” numa sinuca de bico. A gravidez da atriz deve ser incorporada à história, mas... Ela, que além de protagonista é produtora, quer que o marido da personagem (e seu noivo na vida real) seja o pai da criança. Já Jordan Budde, criador da série, tem outra ideia em mente.

Retorno Heather Locklear, a Amanda Woodward de “Melrose”, ganhou um papel em “Franklin & Bash” como uma nova sócia dos rapazes.

Para os fãs Max Greenfield, de “New girl”, retomará seu papel em “Veronica Mars” no filme da série, que já está em fase de produção. Oba!


Igor Fidalgo igor.fidalgo@oglobo.com.br

o que vem por aí

12

revista da

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

Peões na roda

CENA VIRTUAL DEU NA TV E FEZ SUCESSO NA INTERNET VEJA OS VÍDEOS EM oglobo.com.br/revistadatv

Q

ue toquem os berrantes: a sexta edição de “A Fazenda” começa hoje na Record, às 21h30m. E, logo na estreia, traz uma supresa nunca antes vista na história dos reality shows. Pelo menos é o que promete Rodrigo Carelli, diretor da atração. “Não sei se é bizarro, mas é bem surpreendente”, valoriza ele. No jogo apresentado por Britto Jr. (foto), 16 peões com “níveis diferentes de fama” (e ainda não revelados oficialmente) disputam o prêmio de R$ 2 milhões. Na casa, vão conviver com 15 espécies de animais. “Uma questão curiosa é a disparidade: há participantes que detestam animais e outros que amam”, diz Carelli. FOTOS: DIVULGAÇÃO

Jovens tristes Titi Müller chorou ao se despedir do “Acesso MTV. A emissora anunciou cortes de programas, e outros VJs, como Chay Suede e Juliano Enrico, foram dispensados.

Gol relâmpago Neymar fez o primeiro gol da seleção brasileira no jogo contra o Japão pela Copa das Confederações em tempo recorde: marcou aos 3 minutos do primeiro tempo e fez história.

Alto risco

O último baile

Conhecido como o rei da corda bamba, o americano Nik Wallenda vai tentar atravessar o Grand Canyon, a uma altura de cerca de 500 metros, no documentário “A vida por um fio” (Discovery, hoje, 21h). O acrobata diz que o desafio é dedicado a seu bisavô Karl Wallenda, que morreu depois de cair de uma corda bamba em Porto Rico, em 1978.

No episódio final da primeira temporada do reality “Dance moms” (Bio, hoje, 22h), as alunas da exigente professora de dança Abby Lee Miller se tornam profissionais após fazerem um vídeo musical em Hollywood. Mas só uma delas vai ser a estrela do clipe... Quem será a escolhida?

Temas Urbanos

Almoço grátis? A âncora do “Jornal do SBT” Rachel Sherazade causou polêmica ao comentar as manifestações contra o aumento da passagem de ônibus em São Paulo.

Fausto Fawcett, o “pai” de “Kátia Flávia, a godiva do Irajá” (música que também fez sucesso na voz de Fernanda Abreu) estreia “Sombrio 40°” (Canal Brasil, quinta, 0h). A cantora, aliás, é uma das convidadas do primeiro episódio, ao lado de Merval Pereira.

Na malandragem O ator Zéu Britto e o MC Leozinho são os convidados de Sérgio Mallandro no “Papo de Mallandro” desta semana (Multishow, quinta, 22h). A trillha do programa fica por conta da banda Turmalina.


NO FACEBOOK

ASTROLOGIA

POSTURA & SAÚDE

PÁGINA 6

PÁGINAS 6 E 7

Lua cheia em Capricórnio é chamada para focar nos problemas com a realidade.

Assista ao trailer do novo filme de animação da Pixar, “Universidade Monstros”. facebook.com/tribunarn

Você sabe a partir de que idade é preciso se preocupar com a postura de seu filho?

CONFIRA AS ESTREIAS DESTE FINAL DE SEMANA NOS CINEMAS NATALENSES • PÁGINA 6 E 7

PAULO COELHO

Relatos e ensinamentos de quem renunciou a tudo e foi morar no deserto. PÁGINA 2

tnfamília Editor: Isaac Ribeiro [tnfamilia@tribunadonorte.com.br]

Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 23 de junho de 2013

Espigas ISAAC RIBEIRO Repórter

Q

uando chega o período junino, o milho ganha ares de celebridade. Ele estampa cartazes, anúncios em jornais e revistas, posts nas redes sociais, vídeos na televisão. Nos arraiás, ele é consumido cozido, assado, em forma de canjica, pamonha, mungunzá, bolo, cuscuz, polenta, curau, dependendo da região. É um sucesso! Mas será que as pessoas realmente sabem o valor nutricional que o grão dourado tem? O milho é considerado um alimento bem completo, dos mais nutritivos, pois é rico em carboidratos, proteínas, vitaminas A e do complexo B e aminoácidos, além de fibras, presentes em sua casca. Sem falar em seus derivados, como a farinha e o óleo. Sua importância para a dieta humana vai muito além dos quitutes juninos. Suas propriedades funcionais atuam na prevenção de doenças cardiovasculares e degenerativas, como alguns tipos de câncer. De acordo com a nutricionista Rossana Mello, os carotenóides pre-

ì O QUÊ Importância do milho para a nossa alimentação vai além dos quitutes oferecidos nos arraiás juninos. Alimento funcional e nutritivo, seus grãos e derivados, como o óleo e a farinha, possuem propriedades essenciais à saúde

de saúde

Base para deliciosos quitutes do período junino, o milho é considerado um dos alimentos mais nutritivos e completos que existem, pois é rico em carboidratos, proteínas, fibras, aminoácidos e vitaminas A e do complexo B, além de prevenir doenças cardiovasculares e degenerativas sentes em sua composição são essenciais também no estímulo do sistema imunológico e agem como antioxidantes. “As propriedades funcionais do milho são reforçadas também pela presença de fitoquímicos, sendo os mais abundantes o ácido fenólico, o ácido ferúlico e os flavonóides, estando associado à redução dos danos em células neuronais e à redução da lesão pré-cancerosa de câncer de cólon”, comenta a nutricionista. Até o bagaço do milho é benéfico à nossa saúde. As fibras presentes no grão, resultantes do processamento por meio da moagem, influenciam no perfil das lipoproteínas — conjunto de proteínas e lipídeos que ajudam o transporte da gordura pelo plasma — e nos níveis de colesterol sanguíneo, conhecidos fatores de risco

de doenças cardiovasculares, como esclarece a Rossana Mello. “Esses efeitos têm sido atribuídos pelo importante papel exercido pela fibra na redução do tempo de trânsito intestinal e pelos benefícios na própria flora intestinal, quanto à influência direta no metabolismo de ácidos biliares e na absorção de colesterol, triglicérides e outros lipídeos séricos no intestino”, diz Rossana. Mas apesar de todas as propriedades nutricionais, o

consumo indiscriminado, principalmente do amido de milho, presente em produtos industrializados, com carboidratos refinados em excesso, podem causar acúmulo de gordura, entre outros males. Para um consumo ideal do milho, a nutricionista Rossana

Mello recomenda não exagerar na quantidade, procurar consumi-lo da forma mais natural possível, evitando ao máximo as conservas; e preferir canjicas e pamonhas feitas em casa. “Comendo com moderação, você pode aproveitar as delícias juninas e ainda assim manter a forma. Afinal, sentirse bem também envolve participação cultural.”

+

PÁGINA 3 Milho substitui alguns alimentos


2

tn família

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

« PAULO COELHO » Contos dos padres do deserto

D

urante o início da era cristã, o mosteiro de Sceta tornou-se o centro de convergência de muita gente que, depois de renunciar ao que tinha, ia morar no deserto que circundava o mosteiro. Muitos dos ensinamentos destes homens foram coletados, e publicados em diversos livros. Nesta coluna (e em outras, no futuro), compartilharemos juntos de alguns destes textos.

O caminho do meio O monge Lucas, acompanhado de um discípulo, atravessava uma aldeia. Um velho perguntou ao asceta: - Santo homem, como me aproximo de Deus? - Divirta-se. Louve o Criador com sua alegria - foi à resposta.

Os dois continuaram a caminhar. Neste momento, um jovem aproximou-se. - O que faço para me aproximar de Deus? - Não se divirta tanto - disse Lucas. Quando o jovem partiu, o discípulo comentou: - Parece que o senhor não sabe direito se devemos ou não devemos nos divertir. - A busca espiritual é uma ponte sem corrimão atravessando um abismo – respondeu Lucas. - Se alguém está muito perto do lado direito, eu digo “para a esquerda!” Se aproximam do lado esquerdo, eu digo “para a direita!”. Os extremos nos afastam do Caminho.

A busca do sábio

Na coluna deste domingo, e de outras no futuro, serão descritos relatos e ensinamentos de muitos homens que, no início da era cristã, renuciaram a tudo o que tinham e foram morar no deserto, nos arredores do mosteiro de Sceta

O abade Abraão soube que perto do mosteiro de Sceta havia um sábio. Foi procurá-lo e perguntou: - Se hoje você encontrasse uma bela mulher em sua cama, conseguiria pensar que não era uma mulher? - Não, - respondeu o eremita, - mas conseguiria me controlar. O abade continuou: - E se descobrisse moedas de ouro no deserto, conseguiria ver este ouro como se fossem pedras? - Não. Mas conseguiria me controlar para deixá-lo onde estava. Insistiu Abraão: - E se você fosse procurado por dois irmãos, um que o odeia, e outro que o ama, conseguiria achar que os dois são iguais? Disse o ermitão: - Mesmo sofrendo, eu trataria o que me ama da mesma maneira que o que me odeia. Naquela noite, ao voltar para o mos-

teiro de Sceta, Abraão comentou com seus noviços: - Vou lhes explicar o que é um sábio. É aquele que, ao invés de matar suas paixões, consegue controlá-las.

O fato Matthew Henry é um conhecido especialista em estudos bíblicos. Certa vez, quando voltava da Universidade onde leciona, foi assaltado. Naquela noite, ele escreveu a seguinte prece: Quero agradecer Em primeiro lugar, porque eu nunca fui assaltado antes. Em segundo lugar, porque levaram a minha carteira, e deixaram a minha vida. Em terceiro lugar, porque, mesmo que tenham levado tudo, não era muito. Finalmente, quero agradecer. Porque eu fui aquele que foi roubado, e não aquele que roubou.

MÉDICO E PROFESSOR DA UFRN - BOUCINHAS_JC@HOTMAIL.COM

(CARDIOGERIATRA) WWW.MEDICARECLINICA.COM.BR @NO_FORMOL

« JORGE BOUCINHAS »

« JOÃO MARIANO SEPÚLVEDA »

Repercussões da candidíase

O gigante acordou

N

F

o Artigo da passada semana o assunto abordado foi o das “Disbioses”, tema sobre o qual, infelizmente, deve mais uma vez ser frisado ainda estar pouco considerado nos diagnósticos clínicos, já que usualmente a Medicina Ocidental atribui menos valor que a Oriental ao papel do aparelho digestivo nos distúrbios corporais gerais. Visando aprofundá-lo mais, hoje continua-se na mesma direção de pensamento, mas agora entrando a falar sobre um dos germes que mais têm chamado a atenção dos que lidam com a Medicina Ortomolecular. Este pequeno ser tem bom conhecimento por parte de Pediatras e Ginecologistas, de vez que é o responsável pelos famosos “sapinhos” tantas vezes encontrados em bocas de crianças, bem como por pela talvez mais comum forma de corrimento vaginal ou leucorréia, problema muitas vezes apelidado pelas pacientes, especialmente as oriundas do interior do Estado, de “flores brancas”. Trata-se, portanto, do microorganismo do grande Reino dos Fungos, de nome Candida albicans, responsável pela monilíase ou candidíase. Ela está envolvido, com relativa freqüência, em colonizações intestinais extensas ou, mesmo, embora bem mais raramente, em invasões sistêmicas. Com relação às macrocolonizações, ocasiona quadros fermentativos, cuja maior manifestação são os gases abundantes, com quadro clínico abdominal que se torna muito incômodo, podendo chegar a ser doloroso. A presença do fungo quando tal quadro se apresenta é comuníssima, embora por vezes não seja causa principal. Mas o que usualmente se negligencia é que podem aparecer sintomas e sinais bem mais variados. Talvez o mais comum deles sejam as dores de cabeça tipo enxaqueca, chegando alguns estudiosos (mas sem maior comprovação até agora) a considerar o fungo a mais encontradiça causa indireta das mesmas. Também ocorrem insônia, dificuldade de concentração, depressão e até quadros ansiosos. Há pesquisadores que lhe atribuem até mesmo participação secundária na famosa TPM (“Síndrome de Tensão Pré-Menstrual”) e na baixa da imunidade, o que facilitaria o aparecimento de infecções de repetição por outros agentes. Umas palavras especiais devem ser destinadas ao aparecimento de sensação de cansaço cons-

tante (a chamada “Síndrome de Fadiga Crônica”). Curioso e geralmente pouco notado é que tal cansaço acompanha o consumo de açúcares (atenção: não só o açúcar comum de mesa, mas principalmente ele!). Aparentemente o açúcar é usado pela Candida para sua multiplicação, e como ela produz toxinas que interferem na captação da piridoxina (a vitamina B6) pelo Sistema Nervoso Central, isto reduz a síntese cerebral de serotonina, que sabe-se ser um mediador químico fundamental para a sensação de bem-estar, e o paciente começa a sentir-se indisposto, sem ânimo para agir. Infelizmente todos estão continuamente expostos à Candida, pois é dos microorganismos mais comuns, encontradiça no ambiente e até nos alimentos. E, curiosamente, o organismo defende-se mal, pois é freqüente a deficiência de formação de anticorpos contra ela. Encontram-se pacientes em que a presença é de quantidades relativamente pequenas dela, mas que são hipersensíveis à mesma, pelo que reagem fortemente à sua presença. Quando de suas manifestações mais claras, externas, quais os “sapinhos” e a leucorréia, é comum o emprego de antifúngicos para seu tratamento. Os praticantes da chamada Medicina Ortomolecular também os empregam, ocasionalmente, para o tratamento das manifestações gerais, após feito o diagnóstico através de testes cutâneos de sensibilização ou do VEGATEST (método de biorressonância factível de ser realizado em consultório). Que o leitor atente para sintomas estranhos ou pouco usuais que lhe apareçam. Podem ser causados por indevidas infestações por estes pequenos visitantes (por vezes “habitantes”!). Mas é fácil mantê-los longe: emprega-se muito, da mesma forma que para as demais “Disbioses”, a recolonização intestinal por lactobacilos. Vêm entrar aí, como visto da semana passada, especialmente o consumo elevado de iogurtes, coalhadas caseiras e quefir (contendo, respectivamente, Lactobacillus bulgaricus, Lactobacillus acidophilus e uma mescla de 56 bactérias, em especial lactobacilos), afora muitas preparações farmacêuticas facilmente encontráveis. Os lactobacilos, afora competirem seletivamente com a Candida, reduzindo seu número, ainda corrigem os distúrbios da permeabilidade intestinal que esta acarreta, fazendo com que suas toxinas não mais penetrem na circulação sanguínea, pelo que os sintomas que acarreta são minimizados gradualmente até desaparecerem.

inalmente, pelo futuro dos jovens e pela segurança dos mais velhos, o país parece ter chegado ao limite da tolerância contra os medíocres que se alojaram no poder e posam de donos, proprietários da corte, que transformaram, todos e quaisquer cargos de poder, seja de Presidente do País, de uma escola de samba, um clube de futebol, de um plano de saúde ou de uma cooperativa medica, em atividades que usurpam, violam a confiança a eles concedida, desvirtuando-a para vendetas pessoais, beneficiamentos diretos e indiretos, favorecimentos, propinas enfim todas essas praticas que parecia, o povo tolerava e não estavam nem ai! Ledo engano! Ocorre, em regra, salvo raras exceções, que a viabilizam, que aquele que está atento ao trabalho, se aliena ou se deixa alienar, fica meio sem tempo ou disposição de se dedicar a outras coisas que não seu labor. Se qualifica para cada vez ser melhor no que faz, vai acumulando procura, trabalho e demanda e cada vez mais assoberbado, deixa em mãos de outros o macro domínio de seu destino! A política e seus atrativos cargos atraem os da lei do menor esforço, “vou lá prometo um monte de sandices, e depois...”! O medíocre, que eu sempre digo que não é ruim, apenas mediano, os desocupados, os preguiçosos, que almejam dar o lance, tirar na loteria, ganhar trabalhando pouco, veem nos cargos o canto da sereia, “vou as reuniões, recebo um jeton, aumento os subsídios dos diretores, todos me apoiam e me perpetuam no comando! Uso a mídia e já sou bom, de arrumadinho em jeitinho vou me safando”! A roda gira famílias ficam ricas, medíocres, acéfalos crescem comandam mas por não terem nenhum mérito, erram muito, comentem crimes a frente de cargos que depois deixam sem serem responsabilizados pelo fracasso gerencial que cometeram, põe a culpa na instituição, foi a Prefeitura, nunca o Prefeito, foi o plano de saúde, nunca seu gestor! Com esse comportamento gerações de pessoas são prejudicadas sem que se apontem o responsável! Pior para os mais indefesos, os idosos, fragilizados e cidadania zero! Um dia a casa cai, entender o que esta acontecendo neste momento, deveria contagiar a todos, cada um com sua indignação direcionada contra todas as formas de autoritarismo, corrupção, auto aumentos indevidos de proventos! A direção é só escolher pode ser pelo suposto

enriquecimento excessivo do filho do ex Presidente da Republica, ou de algum familiar de algum ex Presidente de Cooperativas Medicas, ou de seu clube de futebol, como meu Flamengo, este surrupiado e usado até a beira da insolvência, importante é a mudança da postura, é legitimo sim se indignar com o estado da saúde, educação, segurança, Previdência, obras sempre, hiper/super/ mega faturadas, gestão fraudulenta e formação de quadrilha! Má fé! Estádios construídos a peso de ouro, fechados como o Engenhão, no Rio de Janeiro. Será que virão outros? Lícito, cobrar dos medíocres as soluções que eles são incapazes de alcançar por razões obvias, e assim exigir sua renúncia, seu afastamento e cessação do discurso que é impossível ser feito! Sim é impossível ser realizado por quem não tem preparo, por quem se beneficia pelo status quo de quanto pior melhor... Recorrente ver os idosos terem de escolher entre comer ou tomar seus medicamentos. Sujeitos a filas e esperas astronômicas, por um atendimento parco e desrespeitoso. Direito é direito solapar, negligenciar, negar, dissimular a obtenção do que é justo liquido e certo esperar pela compensação de nossos impostos, represa um caldo que uma hora transborda! Parece que começou a transbordar, e poderia contaminar a nós médicos, balizando nossos lideres, de forma ordeira mas firme da insatisfação e indignação, de até quando assistirmos quadros incapazes de gerir portarias de WC, a banir e prejudicar colegas que tem nas boas praticas sua missão! Submissão a mediocridade!? Simples e empreendedor, o empresário Marcelo ALEcrim, ensina “a cada degrau que eu subia ampliava meus horizontes e via novos alvos a alcançar, e a cada dificuldade intransponível superada via que não era tão difícil assim afinal...” deu no que deu! Se espelhe companheiro, e tente galgar seus degraus e evoluir, pare de balançar a escada dos outros para que caiam! O chefe da Casa Civil da Presidência, afirmou que estava difícil entender o movimento, penso que talvez queira dizer: “senhor, meu representante, em qualquer nível, te coloquei ai para que resolvas os problemas, os quais falaste que resolveria, do preço do tomate ao valor das consultas que nos tocam, se é impossível para ti, e se não vai conseguir pede para sair”!

« LIBERTAS » Voz e paz Toda manifestação espontânea e pacífica legitima os anseios e os direitos de cidadania. Os jovens têm a força da energia vital canalizada na liberdade de expressão individual e coletiva. A criatividade e a arte, geralmente, são meios utilizados para comunicar o clamor por uma sociedade mais justa, ética e transparente. As redes sociais constituem espaços de expressão e trocas num exercício de convivência com todas as diversidades. O grande desafio é não se deixar dominar pela emocionalidade para não ultrapassar a tênue linha do equilíbrio. Acredito que a voz coletiva, emitida e ancorada nos movimentos baseados na cultura de paz, pode ecoar e tocar nos corações, até dos mais individualistas. A princípio, parece impossível mobiliar-se e promover mudanças sem recorrer a atos de violência. Quem não se lembra do movimento das mães da Plaza de

Mayo que até hoje se reúnem, semanalmente. Em janeiro participei de uma passeata, com aproximadamente trinta e cinco mil pessoas, a maioria joven, que tomava as ruas de Santa Maria, RS, unidos pela dor, comunicando sua indignação, exigindo justiça, com voz em uníssono, intercalada por um silêncio que se fazia escutar pela força da união. Da mesma forma, quando cantamos o hino nacional com amor por um país e um povo que promove uma transformação social que pode e deve ser plantada com as sementes da lucidez e paz. Grace Wanderley de Barros Correia – grace@libertas.com.br

Paz O mestre respondeu para as pessoas que diziam querer a Paz: “Vocês pedem: ‘Eu quero paz’. Se removam o ‘eu’ (ego) e se removam o ‘quero’ (desejo), o que resta é ‘paz’.”

“O grande desafio é não se deixar dominar pela emocionalidade para não ultrapassar a tênue linha do equilíbrio. Acredito que a voz coletiva, emitida e ancorada nos movimentos baseados na cultura de paz, pode ecoar e tocar nos corações, até dos mais individualistas. A princípio, parece impossível mobiliarse e promover mudanças sem recorrer a atos de violência.”

Sai Baba.

Psicologia no Parque A tarde do dia 25 de agosto terá uma programação especial. O “Psicologia no Parque”, promovido pela quarta vez pelo CRP-RN, promete bons momentos de lazer e entretenimento para o público presente no parque, com oficinas e vivências que ajudarão a divulgar o trabalho do psicólogo para a sociedade. Participe dessa divulgação da Psicologia. Informações: www.crprn.org.br.

Psicólogo nas escolas Psicólogos (as) de todo o país devem continuar mobilizados pela aprovação do PL 3688/2000 que prevê que psicólogos e assistentes sociais atuem nas escolas como profissionais parceiros da comunidade escolar. Assine o abaixo assinado on-line no site: site.cfp.org.br.

Esta coluna é de responsabilidade da Libertas Comunidade www.libertas.com.br - libertas@libertas.com.br

Quero saber Uns dizem que ser gay tem cura e outros que não. Tenho um irmão gay e estou em dúvida se ele deve fazer terapia ou não? O que você me diz disso? Carla

Resposta Prezada Carla, A orientação sexual, homo ou hetero, não tem nenhuma relação com doença, portanto não tem indicação para terapia. Esta ocorre, quando a pessoa, independente da orientação sexual, está vivendo em sofrimento e sente que precisa de ajuda de um psicoterapeuta. Associar gay a doença revela ignorância e/ou preconceito. Atenciosamente, Grace Wanderley de Barros Correia psicóloga Clínica -CRP 02/0279


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

tnfamília

3

RODRIGO SENA/2011

ì O QUE

Milho substitui alguns alimentos Farinha de milho serve como alternativa no preparo de pães e bolos por possuir mais fibras em sua composição e ser livre de glúten, assim como o cuscuz substitui o pão EDU BARBOSA

O

milho tem tantas propriedades benéficas e é tão versátil que poderia muito bem substituir alguns alimentos de nossa dieta diária. Ele possui, por exemplo, mais nutrientes do que pão e arroz. Vale salientar que a melhor forma de saborear uma espiga do cereal é cozido e sem adição de manteiga. Seus derivados também podem substituir outros alimentos em seu preparo. A farinha de milho serve como uma boa alternativa à de trigo no preparo de pães e bolos, por possuir mais fibras em sua composição e ser livre de glúten, o que facilita o funcionamento do organismo. Outra alternativa ao pão branco, muito difundida entre os nordestinos, principalmente, é o cuscuz tradicional de milho. O pãozinho francês, chamado também, de sal, é feito de farinha de trigo refinada, pouco saudável. O angu e a polenta também podem ser usados como acompanhamento nas principais refeições do dia. “Não se deve abusar dos flocos de milho açucarados, porque a quantidade de açúcar nesses produtos industrializados pode fazer mal à saúde. É recomendado também que se evitem preparos que dependam de grande quantidade de gorduras, como sopas de fubá com linguiça e polentas fritas”, alerta a nutricionista Rossana Mello.

Sabor e saúde Comparada à farinha de trigo, a de milho apresenta várias vantagens. A principal é preservar uma série de nutrientes que são perdidos durante o processo de refino da dita tradicional. A perda maior é justamente das fibras, responsáveis por ajudar o organismo a eliminar toxinas e manter a taxa do colesterol em níveis aceitáveis e adequados. O fato de não conter glúten em sua composição libera o seu consumo tanto para quem é celíaco quanto para quem está em meio na uma dieta restritiva. Fortificada com ferro, a farinha de milho é eficiente na prevenção da anemia, que atinge boa parte da população brasileira, sobretudo crianças. Pelo menos é o que atesta um estudo do Departamento de Tecnologia de Alimentos e medicamentos da Universidade Estadual de Londrina, no Paraná.

Nutricionista Rossana Mello exalta milho como alimento funcional, mas recomenda moderação

Já o óleo de milho possui gordura polinsaturada e é uma das principais fontes de ômega6 existentes, o que previne contra os distúrbios cardíacos.

Além de vitamina A, essencial para a visão e para a diferenciação dos tecidos, o óleo de milho também possui elevado teor de vitamina E, que previne ou evi-

ta a ação dos radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento do organismo. Por possuir uma grande estabilidade oxidativa, o óleo de milho é indicado para frituras por demorar bem mais para se degradar, comparado aos demais tipos disponíveis no mercado. Segundo Rossana Mello, ele também é fonte de vitamina E e vitaminas do complexo B, o que lhe confere alto valor nutricional. “Possui elevada funcionalidade, sabor excepcional, economia, benefícios para a saúde, fácil digestão, sendo ele rico em ácidos graxos essenciais, ajudando a regular os níveis sanguíneos de colesterol e pressão arterial”, comenta a nutricionista.

Curiosidades sobre milho Confira também alguns números sobre propriedades do cereal De acordo com dados arqueológicos, o milho teria surgido há cerca de 7 mil anos onde hoje situam-se México e Guatemala. Ele é cultivado há 4.000 anos. Milho é uma palavra de origem indígena caribenha e significa “sustento da vida”. Assim como o trigo e o arroz, o milho é um vegetal da família das gramíneas. Até a descoberta da América por Cristóvão Colombo, o milho era praticamente desconhecido dos europeus e do resto do mundo. O “cabelo” do milho serve para transportar os grãos de pólen que fecundarão os óvulos da espiga, promovendo a reprodução. O espaço entre o plantio e a colheita é de apenas 150 dias. O amido de milho era usado para engomar roupas. A maior cultura agrícola do mundo é a do milho – maior até que trigo e arroz.

O chá feito com os cabelos da espiga do milho seria excelente para os rins. Uma espiga de milho perfeita tem, em média, 800 grãos distribuídos em 16 linhas. Os Estados Unidos são o maior produtor mundial de álcool combustível de milho – o etanol de milho. Existem mais de 3 mil produtos feitos de milho, entre salgadinhos, óleo, margarina, cereais em flocos, sorvete, suco, uísque… O uísque do tipo Bourbon contém de 50 a 80% de milho. A maior parte das destilarias de bourbon estão no estado norteamericano de Kentucky.

NÚMEROS

100g do grão

= 360 kcal = 20% da necessidade calórica de um adulto = 2.100 kcal

100g

Os maiores produtores mundiais de milho são, pela ordem: Estados Unidos, China, Índia e Brasil.

de milho cozido = 138 kcal = 28,6 g de carboidrato = 6,6 g de proteínas = 0,6 g de gordura = 3,9 g de fibras

Apenas 5% da produção brasileira é destinada a humanos. A maior parte é usada como ração animal.

18kg

/ habitante / ano é a média de consumo per capita no Brasil

Por ser bastante nutritivo, mais até que o feijão e o arroz, e por prevenir algumas doenças, o milho pode ser utilizado com mais frequência em nossa alimentação diária

BATE-PAPO

“Forma mais indicada de consumo do milho é a cozida” — O amido de milho é totalmente benéfico para o organismo?

Por o milho ser do grupo dos carboidratos, deve-se ter atenção ao consumo em excesso, pois pode levar a um sobrepeso se consumido em excesso, principalmente se a pessoa for sedentária. O milho deve fazer parte de uma alimentação equilibrada e variada, pois um dos princípios de uma alimentação saudável é a variedade. Desta forma, quanto mais variada a nossa alimentação, mais rica em nutrientes ela será. CEDIDA Os diabéticos é o grupo que deve ter atenção à quantidade consumida, sendo, recomendada o acompanhamento com um nutricionista. — Qual é a forma mais saudável de consumir o milho? E a mais calórica, que deve ser evitada?

A forma mais indicada de consumo é a cozida (milho cozido). Não exagerar no consumo de canjica, bolo, pamonhas por causa dos ingredientes que são adicionados a essas preparações, tornando-as muito mais calóricas. — É possível distinguir o milho transgênico do normal? O que ele pode causar à nossa saúde?

Adriana Gurgel Nutricionista

Não exagerar no consumo de canjica, bolo, pamonhas por causa dos ingredientes que são adicionados”

No Brasil, o artigo 40 da Lei de Biossegurança (11.105/05) prevê a rotulagem dos transgênicos conforme o Decreto nº 4680/03. Esse decreto determina que todos os alimentos ou ingredientes alimentícios com presença de organismos geneticamente modificados (OGM) – acima de 1% da composição final do produto – sejam rotulados. A indicação é que a população faça a opção por alimentos orgânicos sempre que possível. O consumidor pode optar por não consumir milhos transgênicos se procurar por o milho orgânico, já que os demais milhos não especificam o teor do que está sendo vendido. O milho é benéfico para consumo. Mas existem dúvidas quanto a toxicidade do milho onde suas sementes foram modificadas geneticamente (transgênicos).


4

tnfamília

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

Parabéns

Carpe Diem!

Férias

Deu medo!

Os jovens também são vítimas desse mal que atinge parte da população mundial.

O fato de serem crianças, o esqueleto está em fase de formação, sendo mais susceptível a deformações.

Grande número de atividades, peso excessivo das mochilas, longos períodos em frente à TV são algumas das causas dessas dores.

A postura adequada na infância ou a correção precoce de desvios posturais nessa fase possibilitam padrões corretos na vida adulta.

•••

Nesta segunda, 24, vivas antecipados para o arquiteto Felipe de Araujo Bezerra, Anne Karinne Barros, advogada Lucila Almeida em temporada de estudos na Itália, amigo mais querido Marcelo Bulhões Sá Leitão. Data celebrada com um dia de festa entre amigos na Fazenda Santa Fé - Reta do Tabajara.

O Instituto Bem-te-vi oferecerá um programa de Colônia de Férias para crianças, entre 5 e 10 anos, durante o mês de Julho. Serão quatro semanas de atividades criativas, com alimentação e materiais inclusos. Detalhes no nosso blog.

jotaoliveira@tribunadonorte.com.br

Jota Oliveira

JOÃO NETO

JOÃO NETO

Vivas para a arquiteta show Gracita Lopes, em idade nova hoje

Amigos de Dez: Ana Tonelli e Marcelo Bulhões. Ele rasgando folhinha amanhã

ARQUIVO PESSOAL

JOÃO NETO

Felicidades para Emanuelle e o arquiteto inventor/criativo Felipe Bezerra, rasgando folhinha nesta segunda

A alegria e descontração dos + queridos Beta/Marino Eugênio

JOÃO NETO

ARQUIVO PESSOAL

Álvaro Motta recebe o abraço carinhoso da filha querida Karlla

Lá na Europa, a advogada Lucila Almeida trocando de idade hoje

A partir de qual idade você deve se preocupar com a postura do seu filho? DIVULGAÇÃO

ALINI BRITO - FISIOTERAPEUTA E EDUCADORA FÍSICA • DÚVIDAS NO SITE WWW.ITCVERTEBRAL.COM.BR

Desde o nascimento, você precisa estar atento à postura do bebê.

Vivas para Evandro Motta Júnior, D. Lurdinha Monte Carrilho, João Dantas, Gracita Lopes, Clênio Maciel, José Alves, Joana D’arc Azevedo, Haroldo Ribeiro Dantas e Ana Maria Garcia.

« POSTURA E SAÚDE »

E com medo, a vontade de desistir. De parar com tudo, de nunca mais dar oportunidade para nada e nem ninguém. Ai vem a vida e mostra que “nunca mais” é muito tempo, e as vezes, mesmo sem querer, somos empurrados para uma nova experiência. Como ondas fortes na praia que nos empurram de volta para a areia. Olhe para o mundo e veja quantas oportunidades! Somente os cegos da alma continuam presos ao “mundinho” que criaram. Acreditando que existem culpados por acreditarem em tudo. Olhe para o mundo como quem chega pela primeira vez na sua rua, na sua cidade, diante das montanhas, diante do mar, diante da praça, ou mesmo na favela onde você p ode estar morando agora. Tudo é transitório, nossa fase, nosso ânimo, nossa alegria, nossas tristezas. Tudo passa e isso é tão certo que nesse exato momento, deixamos mais um tempo para trás. Não se perca no medo de nada. Se é para amar, ame, entreguese gostosamente a paixão. Se é para comer, coma prazerosamente, sentindo os gostos e texturas. Se é para ser feliz, seja por completo, sem esperar nada em troca. Se é para viver, viva para o bem, para servir, para doar-se. Porque a vida tem essa estranha mania de enriquecer quem nada quer. E dar muito para quem espera tão pouco. Olhe para o mundo e apresente-se: - Eu sou aquela pessoa que descobriu que a felicidade habita em mim. E nada e nem ninguém pode roubá-la.

N

ão, não é depois do primeiro ano de vida. Aliás, começa antes mesmo de ele aprender a sentar. Desde o nascimento, você precisa estar atento à postura do bebê. Confira nossas dicas:

Colo que acalma Você certamente já o segurou sentada no chão ou na cabeceira da cama. Saiba que essa posição é ótima. A coluna do bebê fica bem encaixada nas suas pernas e ele ainda vai se divertir brincando com você. Procure sempre posições em que ele possa ver o seu rosto.

Hora do banho Para que o bebê relaxe – e não escorregue –, é indicado o uso de um tapete antiderrapante na banheira. Ela deve estar na altura da barriga da mãe, para que não fique reclinada demais, forçando os ombros. Apóie a cabeça do bebê em um dos braços, deixando os pés e mãos dele li-

pode causar dor nas costas. A melhor opção é o trocador.

A postura adequada na infância ou a correção precoce de desvios posturais nessa fase possibilitam padrões corretos na vida adulta”

vres. Ao virá-lo, segure-o pelo tronco e enxágue com a outra mão.

Bem sequinho Tire-o da banheira. Com a toalha, embrulhe-o junto ao seu corpo, segurando-o pela bacia. Na correria, é comum trocar o bebê em cima da cama. Mas isto não é o recomendado, porque a postura da mãe fica errada e

Sono tranquilo Reduzir os espaços do berço com almofadas é interessante quando o bebê tem até 6 meses. Elas vão acalmá-lo, aconchegálo e também servirão de apoio para as costas. O travesseiro não pode faltar, assim a cabeça não fica pendente. Das posições, a que não é legal para a postura do bebê é a de bruços, porque a cabeça e os braços ficam para trás. Os jovens também são vítimas desse mal que atinge parte da população mundial. Pelo fato de serem crianças, e não adultos, o esqueleto está em fase de formação, sendo mais susceptível a deformações e as estruturas músculoesqueléticas, apresentam menor suportabilidade à carga.

Mas, o que fazer para que elas cesçam sem problemas? Grande número de ativida-

des, peso excessivo das mochilas, longos períodos em frente à TV e uso intenso do computador e videogame e são algumas das causas dessas dores, além da ergonomia escolar inadequada, que leva os alunos em fase de crescimento e desenvolvimento a apresentar alterações posturais após alguns anos de ida à escola. As mochilas dos estudantes, por exemplo, têm peso superior ao recomendado para o seu corpo, podendo levar os estudantes a ter sequelas severas em sua saúde, incluindo dores na coluna, alterações na marcha e má postura. Por isso, cerca de 80% das crianças entre 8 a 10 anos já apresentam dores nas costas. Os padrões posturais assumidos em sala de aula são muito importantes. Estudos demonstram que a maioria das crianças senta na maior parte do tempo com o tronco flexionado, utilizam a mão sobre o queixo durante as atividades na carteira escolar na tentativa de aliviar o peso da cabeça e a maioria apresenta queixas na região do pescoço e da cabeça. O excesso de peso é um fator causador da lordose lombar, pois altera a linha do quadril em função do abdômen proeminente. Hábitos posturais incorretos adotados desde o ensino fundamental são motivos de preocupação. A postura adequada na infância ou a correção precoce de desvios posturais nessa fase possibilitam padrões corretos na vida adulta, pois esse período é da maior importância para o desenvolvimento músculo-esquelético do indivíduo com maior probabilidade de prevenção e tratamento dessas alterações na coluna vertebral. A idade escolar compreende a fase ideal para recuperar disfunções da coluna de maneira eficaz. Após esse período, o prognóstico torna-se mais difícil e o tratamento mais prolongado, pois a ossatura e a musculatura já estão formadas. Mais informações no www.herniadedisco.com.br


tnfamília BLOGJOTAOLIVEIRA

BLOGJOTAOLIVEIRA

Milagre

Em tempo junino Simone Silva, Clodualdo Bahia e hair stilyst Edmilson Alves

O Vaticano acaba de reconhecer o 2º milagre atribuído ao beato João Paulo II. A decisão deve acelerar o processo de canonização, que deve acontecer em meados de outubro.

Casal querido: Yasha e Ivanóide Maia forrozeando na junina de dez

BLOGJOTAOLIVEIRA

Lingerie Junior Álvares e Duda Mamede em noitada junina de dez

Sustentável O esforço da Natura em promover a integração entre bem social, ambiental e econômico lhe rendeu frutos. Ela acaba de se tornar a única empresa da América Latina no B-Team. Parabéns!

BLOGJOTAOLIVEIRA

Na junina Pra lá de dez com os + queridos Beto Santos/Thaysa

Música Valéria Oliveira lança, próximo dia 11 de julho, seu CD “Em Águas Claras”, uma homenagem da cantora à Clara Nunes. O show será no Teatro Riachuelo, às 21h.

Novo estudo detalha relação entre laticínios e saúde óssea « ALIMENTAÇÃO » Segundo pesquisadores, ingestão de leite e iogurte está associada a uma maior densidade mineral dos ossos do quadril

U

m estudo realizado por pesquisadores do Institute for Aging Research (IFAR), um afiliado da Harvard Medical School (HMS), descobriu que a ingestão de laticínios - especialmente leite e iogurte está associada com uma maior densidade mineral óssea (DMO) do quadril, mas não da coluna vertebral. Já o creme de leite, por outro lado, pode estar associado com uma menor DMO total. Publicado na revista Archives of Osteoporosis, o estudo sugere que nem todos os produtos lácteos são igualmente benéficos para promover a saúde dos ossos. “De acordo com os pesquisa-

Matutos estilizados, vereador Raniere Barbosa e Karla Veruska, no Versailles

Festa Juninos de dez no Versailles os + queridos Lauro Herculano/ Rosane Soares

Acabou o suspense. A linha de maquiagem de Marc Jacobs já tem cara, data de lançamento e descrição dos produtos. A partir de 09 de agosto, os 122 da coleção serão vendidos nas lojas americanas. Por aqui, a previsão é só em 2014.

dores, os laticínios fornecem diversos nutrientes importantes que são benéficos para a saúde óssea. No entanto, o creme de leite e seus derivados, tais como sorvetes, apresentam baixos níveis desses nutrientes e têm altos níveis de gordura e açúcar”, informa o reumatologista Sergio Bontempi Lanzotti, (CRM-SP 60.377), diretor do Iredo, Instituto de Reumatologia e Doenças Osteoarticulares. Segundo os resultados da pesquisa, 2,5-3 porções de leite e de iogurte por dia foram associadas a uma melhor densidade óssea. Mais pesquisas são necessárias para examinar o papel da ingestão do queijo (alguns dos

5

BLOGJOTAOLIVEIRA

BLOGJOTAOLIVEIRA

Beauté

Estreando cabelo novo e de blusa transparente, Gisele Bündchen sacudiu o Salão Moda Brasil, em Sampa. A top passou pela feira para lançar a nova coleção da sua linha de lingerie Brazilian Intimates. - Afinal ela pode!

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

quais podem ser ricos em gordura e sódio) e se os alimentos lácteos individualmente têm um impacto significativo na redução de fraturas. Os pesquisadores basearam suas conclusões em dados coletados a partir de um questionário de frequência alimentar preenchido por 3.212 participantes do Framingham Offspring Study. Eles compararam a ingestão de laticínios dos participantes com sua densidade mineral óssea, o que revelou os benefícios do leite e do iogurte e os malefícios do creme de leite para grande parte dos homens e mulheres de meia idade que participaram do estudo.

Exclusiva Gracinha Ferreira é uma conceituada chef de cozinha potiguar. Há mais de 20 anos trabalhando na área da gastronomia, ela foi o nome por trás do saudoso restaurante “Raro Sabor”, que ficou conhecido pelos deliciosos pratos e por ser o ponto de encontro dos amigos para um bom happy hour. O local, que começou como uma pequena delicatessen, agradou o paladar de todos pela inovação dos sabores que sua Chef proporcionava. Aliás, essa é a marca de Gracinha, que sempre procurou desenvolver suas próprias receitas e não simplesmente copiá-las de outro lugar. Tanto que, depois de encerrar as atividades do espaço, continuou sendo procurada pelos antigos clientes e amigos, que não queriam perder o seu talento culinário, para promover jantares, desde a produção do cardápio até a supervisão do serviço final. Além disso, ela também trabalha prestando consultoria a restaurantes locais como o Dos Mares, onde tem alguns dos seus pratos no menu da casa. Em sua nova “empreitada”, mais exclusiva, Gracinha trabalha com jantares mais elaborados, mas se engana quem acha que ela apresenta um cardápio pré-estabelecido. Tudo é sempre combinado com seus clientes. Mostrando todo o seu requinte, ela leva sua própria equipe de garçons e o serviço é inglês. Tudo para proporcionar o melhor dos sabores àqueles que se preocupam em manter o bom gosto e valorizam uma boa gastronomia.

Próximo dia 6 de julho, Natal começará a fazer parte das boas festas GLBT com a realização da primeira edição da Surprise! Os produtores Caio Machado e Leo Machado vão preparar o Galpão 29 com tudo do bom e do melhor para os participantes aproveitarem. Fazendo jus ao nome, várias surpresas acontecerão durante a noitada, estendida até o meio dia do domingo.

História A cidade de São José de Mipibú vai ganhar um pórtico, em sua avenida principal, onde serão recriados detalhes do cultivo da cana-de-açúcar, primeira fonte econômica do lugar, além de um painel contando a história do município.

Talento Mostrando cada vez mais porque é a agência que pensa como o cliente, a Art&C é responsável pelas melhores propagandas do nosso Estado. Confira mais no www.artc.com.br.

Homenagem Em comemoração ao centenário da valsa Royal Cinema, de autoria do potiguar Tonheca Dantas, o Morada da Paz e a Prefeitura patrocinam o projeto “Tonheca Dantas: O maestro dos sertões”, realizado pela Orquestra Sinfônica do RN.


6

tn família

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

FOTOS: JOVINHO/LIEGEBARBALHO.COM

Feijão Society

Copa O Governo do Rio Grande do Norte publicou no Diário Oficial do Estado o decreto que dispõe sobre o expediente durante os jogos da Seleção Brasileira na Copa das Confederações 2013. De acordo com publicação, o funcionamento dos órgãos e entidades da administração pública direta e indireta nos dias das competições será encerrado às 15h. O Decreto não se aplica aos casos de atividades e serviços essenciais de natureza contínua.

Bilíngue Está tramitando na Assembleia Legislativa do RN o projeto de Lei para que seja instalada nos terminais de transportes públicos, monumentos históricos e atrações turísticas, sinalização bilíngue, em português e inglês. A iniciativa é do deputado Walter Alves. Segundo o parlamentar, o objetivo é atender aos visitantes e turistas estrangeiros em trânsito no Estado. As placas de sinalização utilizarão como segunda opção a língua inglesa, por tratar-se de uma linguagem universal e de domínio maior entre os estrangeiros. De acordo com o deputado, a medida proposta é necessária para melhor direcionar e facilitar o deslocamento de turistas, sobretudo os que não dominam o idioma nacional.

Sintonia dos casais Jair Paiva e Valkíria Fagundes, Etiene e Rui Cruz

Gabriela Medeiros com a governadora Rosalba Ciarlini

Celso Amâncio e Rodrigo Loureiro com a magistrada Sandra Elali

A Blonde com o simpático casal Arnóbio Pacheco e Maria Helena

Os colegas Virgínia Coelli e Márcio César

Elegância em dose dupla de Dodora Pessoa e Jô Godeiro

Discrição de João Bianor com sua Renata Bezerra

Augusto Maranhão e o des. Aderson Silvino

Dalvanice Azevedo e José Maria de Brito

Maria da Rocha Nunes e Francisco Nunes

Da utopia ao sonho possível: é assim que a lua cheia vem para dar conta do que pode dar certo em sua vida e em seus propósitos. Se você se embalou em canções e sonhos, chega o tempo de acionar a razão e a experiência e focar em ambições possíveis.

Touro 21/04 a 20/05 O cenário astral desta lua cheia é curioso: reforça os projetos coletivos que pareciam impossíveis, mas pede que seja feita uma seleção de passos que permitam sua realização. Menos espontaneidade e mais estratégia tanto no se comunicar quanto no estudar e pesquisar.

Gêmeos 21/05 a 20/06 Assuntos relacionados a finanças estão no foco da lua cheia de hoje —e se estendem por toda a semana. Embora seja domingo, é hoje que começa a melhor fase do mês para rever gastos e rendimentos. Alguns projetos não deram em nada e precisam ser abandonados.

Domingão de lua cheia é sinal certo de que seu humor vai e volta, à mercê das tendências coletivas e do astral geral. A seu favor, a justa medida, a responsabilidade e a capacidade de imaginar. Mas é hora de incorporar, nas relações amorosas, um compromisso mais firme.

Leão 22/07 a 22/08 A saúde está na pauta —com a lua cheia de hoje, e por duas semanas, cuide melhor dela. Equilibre sua necessidade de sono e descanso com trabalho. Não queira dar uma de semideus, pois estaria prejudicando a si próprio. Hoje, aproveite para descansar muito.

Virgem 23/08 a 22/09 De hoje até o fim do mês, espere alguns confrontos ou rompimentos com amigos, organizações ou entidades com as quais costumava se relacionar bem. Ainda não é o momento de se distanciar, mas de ver outras possibilidades. Dê mais atenção ao seu amor, por exemplo.

A mudança da fase lunar hoje traz mais percepção —de hoje até o fim do mês— sobre os resultados dos esforços que você fez na área social e profissional. Mire o futuro e o que pode dar certo de verdade, e desista do que, até o fim de julho, não trouxer o devido retorno.

Escorpião 23/10 21/11 Momento de conexão total com tendências coletivas —cultura, comportamento, política, artes, tudo junto ao mesmo tempo agora. Você é dos poucos que conseguem enxergar no meio da neblina. Com a cheia lunar, muitas dúvidas ficarão esclarecidas, cabe a você comunicá-las

Sagitário 22/11 a 21/12 De hoje a 29 de junho, a pedida é focar na sua verba real, aquela com a qual você paga suas contas básicas. Todo o resto tem de ser revisto. Se as contas não fecham, é agora que você tem a chance de aumentar as entradas. Para isso, a lua cheia confere vista aguda e praticidade.

Antônio Faria e sua Maria José. Ela mudando de idade

★ RUIM ★ ★ REGULAR ★ ★ ★ BOM ★ ★ ★ ★ ÓTIMO ★ ★ ★ ★ ★ EXCELENTE ✩ ESTREIA

Lua cheia em Capricórnio é chamada para focar nos problemas com visão realista Libra 23/09 a 22/10

Raíssa Carvalho em click com Amaro Júnior

« CINEMA »

BÁRBARA ABRAMO

Câncer 21/06 a 21/07

Simpatia de Sônia Fonseca e Fairuz Gosson

Amarílis Almoedo, Wellington Júnior Barbalho, Liege Barbalho e Diogo Alves

«HORÓSCOPO » Áries 21/03 a 20/04

Wilma de Faria posa com Zélia Lima, Liege Barbalho e Norma Guimarães

Rubi Marcelo, Larissa, Márcio, Marcos e Vanessa convidando para celebração das Bodas de Rubi dos seus pais Ronaldo Mello e Marília. A família agradecerá a Deus com Missa em Ação de Graças, às 11h do dia 6 de julho, na Igreja Bom Jesus. Após a cerimônia, os anfitriões receberão os convidados no Versailles Cidade Jardim.

liegebarbalho@tribunadonorte.com.br - Anna Ruth Dantas (interina)

» No telão da Tela Viva foram exibidas as marcas dos patrocinadores da nossa feijoada, a quem a colunista agradece o apoio: Caio Fernandes Negócios Imobiliários, Cerveja Devassa, Cirufarma, Constel, Ecohouse, Fecomércio/RN, PG Prime e Natal Pisos. O evento teve como acesso uma camiseta com design assinado pelo artista plástico Gilson Nascimento. Com cliques do fotógrafo Jovinho, toda cobertura do “Feijão Society” pode ser acessada no liegebarbalho.com no link Quem Acontece.

A colunista com Íris Machado, a governadora Rosalba e Ana Tereza Motta

Liege Barbalho

Esta colunista comemorando o sucesso de mais uma edição do “Feijão Society”. Tendo como palco o Hotel Praiamar, que dispõe de visão privilegiada da beira-mar da praia de Ponta Negra, o encontro aconteceu em clima de congraçamento e descontração. O espaço recebeu decoração assinada pela Amorosa Floricultura. O buffet do hotel foi elogiadíssimo por todos, além do toque todo especial das delícias Caffech. Na sessão sorteio, 40 mimos foram brindados entre os participantes.

Capricórnio 22/12 a 20/01 Sua saúde e seu bem-estar em primeiro lugar nesta cheia lunar, que acontece no seu signo tocando a energia de Plutão. Muitas emoções e medos podem vir à tona e é importante entender e ter com quem falar e em quem se apoiar. Momentos de decisão na área afetiva.

Aquário 21/01 a 19/02 A lua cheia de junho acontece hoje. Sinal de mais oscilações de humor e saúde que vem vindo por aí. Assuntos relacionados a remédios, seguros de saúde, empregados e estilo de vida precisam ser revistos porque tudo o que precisa saber a respeito será esclarecido.

Peixes 20/02 a 20/03 Você faz parte da turma do zodíaco que conseguirá expressar todas as vozes discordantes e alternadas que se fazem ouvir — nas ruas e nos corações. Aproveite esta lua cheia para engatar um projeto coletivo, expressivo e original. Há campo para isso e você sairá feliz depois.

✩ MINHA MÃE É UMA PEÇA (12 anos, nacional) Moviecom 1. Sessões 14h, 15h50, 17h45, 19h40 e 21h30 / Cinemark 5. Sessões 12h15, 14h20, 16h25, 18h25, 20h40 e 22h50 (sáb) / Cinemark 6. Sessões 13h05, 17h15, 19h20 e 21h20 Dona Hermínia (Paulo Gustavo), uma mulher de meia-idade, aposentada e sozinha, tem como preocupação maior procurar o que fazer. Para uma mãe dedicada, a preocupação com os filhos é sempre uma ocupação. Mas os filhos de Dona Hermínia cresceram e agora ela está entediada. Sem um trabalho ou um companheiro, a nada simpática Dona Hermínia passa seu tempo desabafando com a tia idosa, a vizinha fofoqueira e a amiga confidente. Direção: Andre Pellenz

eeeeeSTAR TREK – ALÉM DA ESCURIDÃO (12 anos, dublado e legendado) Moviecom 3. Sessão (dub) 17h30 / Moviecom 6. Sessão (dub) (3D) 16h15 / Moviecom 6. Sessão (3D) (leg) 21h15 / Cinemark 2. Sessão (3D) (leg) 22h10 (exceto qua e qui) / Cinemark 7. Sessões (3D) (dub) 12h50, 18h e 23h20 (sáb) Quando a tripulação da Enterprise é chamada de volta para casa, eles descobrem que uma força de terror incontrolável, de dentro de sua própria

organização, detonou a frota e tudo aquilo que ela representa, deixando nosso mundo em situação de crise. Tendo contas pessoais a ajustar, o Capitão Kirk lidera uma caçada humana em um mundo em zona de guerra para capturar um homem que é por si só uma arma de destruição em massa. Na medida em que nossos heróis são lançados em um jogo de xadrez épico de vida ou morte, o amor será contestado, amizades serão rompidas e sacrifícios terão que ser feitos pela única família que Kirk ainda possui: sua tripulação. Direção: J.J. Abrams

eee VELOZES E FURIOSOS 6 (14 anos, dublado e legendado) Moviecom 3. Sessões (dub) 14h50 e 20h15 / Cinemark 1. Sessão (leg) 23h40 (sáb) Desde que Dom (Vin Diesel) e Brian (Paul Walker) envolveram-se com um chefão do crime no Rio de Janeiro vivem como fugitivos separados pelo mundo. Enquanto isso, o agente Hobbs (Dwayne Johnson) persegue uma organização de pilotos mercenários. Para prendê-los, Hobbs decide fazer um acordo com Dom (Vin Diesel) e sua equipe para que vença esse bando nas ruas de Londres e, em troca, eles poderão retornar ilesos para casa. Direção: Justin Lin


Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

tnfamília

7

JOÃO NETO

Alemanha romântica

A minha irma Fátima Correia Mann escolheu um roteiro de três cidades ao longo do Reno para a nossa viagem de final de semana. Saímos num trem-bala de Colônia até Koblenz e de lá num trem regional para a nossa primeira parada, BACHARACH! Chegamos em “BACCHI ARA”, que quer dizer “igual ao altar de BACO”. São inúmeras as ruínas Os jurídicos Jarbas Bezerra, Leila do Sec XIII e imperdíveis são a Yasmin Ziemann,Thiago Reis e os O amor à química os uniu: Lívia Lisboa Os noivos Sales e Lívia, Marjan Lisboa Cunha Lima e Soledade Fernandes nos visita à capela Gótica, à noivos Lívia Lisboa e Francisco Sales e Francisco Sales e o noivo Luiz Gustavo salões da cidade fortaleza BurgStalhech e às suas JOÃO NETO JOÃO NETO ruínas. A cidade é linda com Party Gemas córregos por entre suas ruas, jardins bem cuidados, muitos A turma GLBT de Natal Depois de descanso merecido restaurantes e um movimento vai receber, próximo dia nas Minas Gerais. A design intenso no centro da cidade. 6 de julho, sua primeira Luanda Galvão está atendendo Pegamos um barco e deixamos edição da Surprise! Sob as futuras noivas em sua loja. BACHARACH. Enfim chegamos produção de Caio Nas compras da viagem, belos a RÜDESHEIN, lugar onde a Roberto e Leo Machado, topázios imperiais para criar correnteza do Reno é mais forte. a festa promete peças incríveis para sua O nosso hotel ficava situado na iluminação e sonorização clientela de gosto refinado. rua mais badalada, a de alta qualidade. “Drosselgasse”, a ruela mais Celebrando a vida e a Fazendo jus ao nome, visitada e conhecida do Vale amizade, as amigas Gutemberg Tinoco com a várias surpresinhas Madalena Montenegro, Gilian musa Marlene nos salões Lindinhos e apaixonados, o Romântico do Reno. À noite, acontecerão durante a Varela e Paula Alves do Solar Bela Vista casal Diego Galvão/Nicole * A Taça EcoHouse reúne a seus restaurantes e hotéis noitada, estendida até o partir deste domingo quatro oferecem música ao vivo e todos meio-dia do domingo, OBFLASH LITO TRINDADE times: ABC, América, dançam e divertem-se que terá o Galpão 29 Náutico - PE e Alecrim, que alegremente. A cidade é rica na como cenário. se enfrentarão em um total arquitetura, conhecida pelos de seis jogos com três nobres casarões datados da rodadas duplas. Todos os Idade Média, muitas com jogos serão no estádio capelas particulares e afrescos. Fraqueirão. Depois fomos para Loreley. É um ponto onde o Reno faz a * O Salão de Turismo Rota curva, o rochedo de Loreley. O casal Ezequiel Ferreira de Souza/Letícia com 101 Nordeste será Imponente, místico, bonito... A o jornalista Thiago Cavalcanti, que escreveu a Larissa e Ananias Neto fazem moldura para o apresentado durante café da lenda data da Idade Média com matéria do casal na Revista Versailles patriarca construtor Severino Dantas manhã no restaurante duas versões: uma que o local Mangai, nesta terça, a partir era habitado por anões e que CANINDÉ SOARES CANINDÉ SOARES das 8h. O evento contará tumultuavam a vida dos com a presença institucional navegantes. A outra, mais e empresarial de quatro romântica, diz que o rochedo estados do Nordeste (Rio era habitado por uma linda Grande do Norte, Paraíba, sereia cantante... Ela está Pernambuco e Alagoas). representada ao pé do rochedo por uma estátua. No mesmo estilo romântico desembarcamos em Boppar. Foi em Boppar que os Romanos Vamos festejar hoje Lourdinha construíram uma fortaleza para As belas irmãs Ana Augusta e Ana Paula de O nosso top dentista Ricardo Fonseca Monte Carrilho, Evandro se defender dos alemães. As Paula nos agitos da cidade recebendo o certificado de palestrante pela Motta de Andrade Jr., Maria ruínas dos muros e da fortaleza organizadora do curso Luciana Kaiser das Graças Cardoso Lopes, são pontos de visitação.A praça JOÃO NETO JOÃO NETO João Dantas, Clênio Maciel, principal é ocupada por José Alves, Joana D’arc mesinhas dos seus restaurantes Azevedo, Haroldo Fernandes e cafeterias. Nela fica sua igreja Ribeiro Dantas, Joãozinho principal, com um belo Cristo Paiva. Amanhã dia 24 Rayssa na sua lateral, a céu aberto, e Lorena Alves, Felipe Bezerra, roseiras naturais ornam o seu Lucila Gabriel Almeida, Daniel entorno. No ínicio da noite Maia, João Batista Cascudo pegamos o trem regional para Marcelo Bulhões Sá Leitão, KOBLENZ e de lá numa Anna Karini Barros, Patrícia conexão com o trem bala Santos, JB Moura, Carol retornamos a Colônia. O alto astral do casal Maria do Carmo (Cacá) e Amanhã vamos festejar Marcelo Bulhões/Ana Almeida. Dia 25 Fernando Guerreira Marcos Araújo para alegrar nosso domingo Tonelli. Ele em idade nova Bezerril, Edmar Viana, Noite de quinta passada no Virgínia Coelli Fernandes, lançamento da revista Dover Góes, Magaly Sidon, Versailles, quem aportou Rochele Fonseca Cabral, deslumbrante nos salões da Orlando Gadelha Neto, casa de festa foi Letícia Galvão, Isabelle Azevedo, Vitor acompanhada do amado Potiguar, Jô Lopes, Luís Felipe Ezequiel F. de Souza. O casal foi Bezerra. Dia 26 Renata matéria na seção memória da Bezerra, Larissa Oliveira, revista. Ela, que vem se Ricardo Melo, Misael Barreto, tratando de um problema no Paulo Freire, Jane dos Santos joelho, e que em breve se opera, Martins, Lúcio Teixeira, não deixou a peteca cair. Valério Gurgel Sá, João Elegante, prestigiou a nova Miranda, Neurival Fagundes edição, sorriu, posou para fotos. Andanças pela Alemanha, curtindo os ares românticos do Velho Mundo na ótima companhia de Abrantes, Fábio Lopes de Essa mulher é show !!!!!!!!!!!!! minha irmã Fátima e de seu marido alemão Marek Mann Andrade. hilnethcorreia@tribunadonorte.com.br

Hilneth Correia

» CURTAS »

» PARABÉNS »

« CINEMA » ★ RUIM ★ ★ REGULAR ★ ★ ★ BOM ★ ★ ★ ★ ÓTIMO ★ ★ ★ ★ ★ EXCELENTE ✩ ESTREIA ✩ UNIVERSIDADE MONSTROS (Livre, dublado) Moviecom 4. Sessões 13h15 (sáb e dom), 15h30, 17h45 e 20h / Moviecom 6. Sessões (3D) 14h e 19h / Cinemark 1. Sessões 11h10 (sáb e dom), 13h40, 16h10, 18h40 e 21h10 / Cinemark 2. Sessões (3D) 12h, 14h30, 17h10 e 19h40 Mike Wazowski e James P. Sullivan são uma dupla inseparável, mas nem sempre foi assim. Desde o momento em que esses dois monstros incompatíveis se conheceram, eles não se suportam. Universidade Monstros revela o segredo de como Mike e Sulley superaram suas diferenças e se tornaram melhores amigos. Direção: Dan Scanlon ★ ★ DEPOIS DA TERRA (12 anos, dublado e legendado) Moviecom 7. Sessões (leg) 14h50, 17h, 19h10 e 21h20 (exceto qui) / Cinemark 3. Sessões (dub) 11h (sáb e dom), 13h10, 15h30, 17h50, 20h10 e 23h (sáb) Um pouso forçado deixa o adolescente Kitai Raige (Jaden Smith) e seu lendário pai Cypher (Will Smith) encalhados na Terra, mil anos depois que eventos cataclísmicos forçaram a humanidade a fugir. Com Cypher gravemente ferido, Kitai deve embarcar em uma perigosa jornada para pedir ajuda, enfrentando terreno desconhecido, evoluídas espécies animais que agora dominam o

planeta, e uma implacável criatura alienígena que escapou durante o acidente. Pai e filho devem aprender a trabalhar juntos e confiar um no outro se quiserem alguma chance de voltar para casa. Direção: M. Night Shyamalan ✩ GUERRA MUNDIAL Z (14 anos,

legendado) Moviecom 5. Sessão 21h20 (qui) / Cinemark 2. Sessão (3D) 22h10 (qua e qui) A história gira em torno do funcionário das Nações Unidas Gerry Lane (Brad Pitt), que atravessa o mundo em uma corrida contra o tempo para deter uma pandemia que está derrotando exércitos e governos e ameaçando dizimar a própria humanidade. Direção: Marc Forster

★★ SE BEBER NÃO CASE! 3 (14 anos, dublado e legendado) Moviecom 7. Sessões (dub) 15h05, 17h15 e 19h25 / Moviecom 7. Sessão (leg) 21h30 / Cinemark 4. Sessões (leg) 11h30 (sáb e dom), 13h50, 16h, 18h20, 20h50 e 23h10 (sáb) Desta vez, não há casamento nem despedida de solteiro. Então, nada poderia dar errado, certo? Mas quando o Bando de Lobos cai na estrada, tudo pode acontecer. Direção: Todd Phillips

*** ELLES (16 anos, legendado) Cinemark 1. Sessão 21h10 (ter e qui)

Anne (Juliette Binoche) é uma jornalista de uma revista feminina de grande sucesso, que precisa escrever um artigo sobre jovens estudantes universitárias que se prostituem para pagar os estudos. Durante sua pesquisa, conhece Alicja (Joanna Kulig) e Charlotte (Anaïs Demoustier), estudantes em Paris que lhe revelam seus segredos e aventuras e mexem com sua vida. Direção: Malgorzata Szumowska ★ ★ ★ ★ UM GOLPE PERFEITO (14 anos, legendado) Cinemark 6. Sessão 15h Curador contrata rainha de rodeios texana para dar golpe em colecionador com a venda de um falso Monet. Direção: Michael Hoffman ★ ★ ★ ODEIO O DIA DOS NAMORADOS (14 anos, nacional) Cinemark 7. Sessões 15h40 e 21h Débora (Heloísa Pérrisé), uma publicitária que privilegia a carreira em detrimento da vida afetiva, precisa aprovar uma importante campanha cujo cliente é o seu ex-namorado Heitor (Daniel Boaventura), que ela dispensou de forma humilhante. Com a ajuda do amigo Gilberto (Marcelo Saback), Débora repensa sua relação amorosa com o ex, enquanto passa por situações hilárias. Direção: Roberto Santucci

Animação: Universidade Monstros Na nova animação da Disney Pixar, conhecemos o início da jornada dos (até então jovens) Mike Wazowski (Billy Crystal) e James P. Sullivan (John Goodman), do mega sucesso ‘Monstros S/A’ (2001). A trama se inicia com Mike ainda criança, na escola, num passeio escolar. O pequeno é menosprezado pelos colegas de classe, e após um acontecimento inesperado, descobre que no futuro quer ser um Assustador. Alguns anos mais tarde, Mike começa a estudar na Universidade Monstros, uma prestigiada instituição de ensino onde somente os melhores assustadores se formam. Lá, ele vai parar na mesma turma do desleixado Sullivan, que se garante no nome de sua família para gozar de prestígio no campus. ‘Universidade Monstros’ é um filme lindo, colorido, divertido e com boas sacadas. A participação do brasileiro Michel Teló dura menos de 20 segundos e passa despercebida. A trama do filme é boa e agrada até aos mais velhos, mostrando que o selo Disney ainda tem muito fôlego e boas histórias para contar. O 3D é de excelente qualidade e o dublador Mauro Ramos (que dá voz ao personagem Sully no Brasil) é competente. O filme teve a direção de Dan Scanlon.


8

tnfamília

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 23 de junho de 2013

1

2

Direto de Londres, nosso correspondente Márcio Delgado conta tudo sobre a semana de moda londrina

3

4

5

PRONTOS PARA QUALQUER OCASIÃO 6

aos casacos longos, chapéus e o clássico terno de três peças, a Grã-Bretanha tornou-se um dos pilares em moda masculina internacional, fazendo com que duas tradicionais semanas de moda ao longo do ano tenha se desdobrando em quatro, sendo dois dos eventos exclusivamente dedicados a grifes que trabalham com acessórios e vestuário para homens e batizados de ‘London Collections: Men’.

7

Um recente estudo encomendado ao museu inglês Victoria & Albert e lançado esta semana pelo British Fashion Council, órgão responsável pela organização dos desfiles distribuídos em diversos pontos do centro de Londres, viajou no tempo e fez uma cronologia de 1528 até os dias atuais, tentando explicar como, ao longo dos séculos, a moda tem criado – e quebrado – os seus próprios conceitos. Para quem acha que moda é superficial, talvez não

talentosos cujo esforço criativo contribui para uma indústria que movimenta £ 10 bilhões e que atualmente cresce mais rápido do que o mercado da moda feminina’ comemorou o prefeito da cidade, Boris Johnson. ‘O terno teve origem na GrãBretanha e ruas da alta costura como a Savile Row, em Londres, é motivo de inveja de designers, curadores de marcas e varejistas em todo o mundo com alfaiates que já vestiram de primeirosministros e magnatas a estrelas da música pop. E a área continua a atrair novas gerações de homens que querem o melhor em roupas que o dinheiro pode comprar’, explica Dylan Jones, a frente da semana de moda masculina de Londres, evento que atraiu

8 georgeazevedo@tribunadonorte.com.br

Londres está para a moda assim como o Brasil lembra o samba. Parece simples, descrito assim em uma sentença e fazendo uma comparação de contextos diferentes. Mas o fato é que a capital inglesa há muito tempo serve de referência para o que as pessoas vestem no resto do mundo e, quando o assunto é a moda masculina, a influência não fica atrás. Das botas Wellington – as famosas galochas, como conhecemos –

tenha notado os números que cercam o mercado das agulhas e tesouras: apenas no Reino Unido o setor é resposável por mais de 800.000 empregos e, mesmo com a economia fazendo pose de cansada, o segmento conseguiu manter um crescimento médio de 3% nos últimos anos. Não é a toa que moda é tema até de doutorado, como o curso de História da Moda no Royal College of Art, de onde saiu a autora do estudo, Keren Protheroe. ‘Estou contente de apoiar o London Collections: Men, que com muita calma mostra por que Londres é a capital da moda masculina do mundo. Seja com casacos ou chapéus, a moda é um patrimônio como nenhum outro. E como os últimos dias mostraram, temos designers de moda masculina muito

01 – Astrid Andersen 02 – Astrid Andersen 03 – James-Long 04 – James-Long 05 – Kaushal Niraula 06 – Oliver Spencer 07 – Richard Nicoll 08 – Richard Nicoll

FOTOS:WALTERLAN PAPETTI

134 estilistas mostrando seus trabalhos entre desfiles e exibições. ‘Mas Londres não defende apenas o que é tradição. Também temos uma história de anarquia, de tendências e exemplos de pessoas vestidas de formas extravagante e colorida’ – enfatiza Jones, ex-jornalista do jornal The Sunday Times e atual editor da revista GQ.

Primeira vez Fugindo dos flashes e desfiles em Covent Garden, o designer Kaushal Niraula optou pelo Mayfair Hotel, próximo a Green Park, para mostrar os seus ternos pela primeira vez, em Londres, consciente de que o mercado sabe o que quer. ‘O público masculino está muito mais exigente. Ele agora sabe o que é moda e como se vestir. E isso aumenta a pressão na hora de criar. Foise o tempo que homens não escolhiam roupas com muito cuidado e atenção aos detalhes’, acredita Niraula que, aos 26 anos, trocou o ramo dos negócios pela moda. E detalhes não faltaram. Na abertura do evento, para contrastar com os ternos e casacos quadriculados, camisas lisas deram um tom clássico. E na segunda parte da noite, foram as criações mais audaciosas, como ternos rosa claro e jaquetas de veludo, que mostraram a versatilidade do estilista que dedicou 12 meses para chegar ao conceito mostrado ao público. A coleção está disponível para compras online através do site: kaushalniraula.com.

Ciclismo fashion O estilista James Long optou por uma coleção masculina para a Primavera / Verão 2014 que tem como inspiração uma das modalidades mais difíceis do ciclismo: o helltrack, esporte que combina diferentes terrenos, subidas, descidas e até mudanças climáticas para testar a resistência dos competidores. Apesar da passarela ser uma área bem mais segura do que trilhas e pistas de corridas , o estilista preservou elementos como lycra, malha, zípers e borracha na confecção das roupas, resultando em peças com listras e detalhes bem definidos. ‘Moda masculina não tem que ser sem graça. É apenas o caso de dosar qualidade na medida certa e saber o limite entre a criatividade e o comercial’ acredita Long. A grife americana Kurt Geiger foi a responsável pelos tenis e sapatos preto e vermelho do desfile.

Tribuna do Norte - 23/06/2013