Page 1

» OS CLASSIFICADOS DA TN CIRCULAM HOJE COM 3.080 ANÚNCIOS E 20 PÁGINAS

FUNDADOR: ALUÍZIO ALVES - 1921 - 2006

Ano 63 • Número 108 • Domingo, 28 de julho de 2013

DHAVIS NORMANDO/FUTURA PRESS/AE

JMJ

Bruna Linzmeyer colhe elogios com a interpretação sensível e realista da autista Linda, em Amor à Vida

Jornada será encerrada neste domingo. Papa recomenda aos padres e bispos que a Igreja vá à periferia, onde as pessoas têm “fome de Deus”

« REVISTA DA TV 6 A 8 »

« PÁGINA 7 »

AGÊNCIA O GLOBO

revista da tv

Primeiro semestre foi de baixas para a economia do RN « MERCADO » A economia potiguar registrou, este ano, o pior desempenho da última década no mercado de trabalho e nas exportações. De janeiro a junho, em comparação a igual período de 2012, as vendas para o exterior caíram 11,5% e dois mil postos de empregos foram fechados a mais do que as vagas abertas. Empresários acham difícil qualquer recuperação este ano. Mas, o secretário Rogério Marinho (Desenvolvimento) afirma “ter fé” em novos projetos para o crescimento « ECONOMIA 1, 2 E 7 »

entrevista

Lá vem o trem! E daí? ADRIANO ABREU

Márcia Pitta fala como é ensinar cidadania às crianças

« MOBILIDADE » Expectativas em torno da ponte seguem à espera de virar realidade Inaugurada há seis anos, a ponte Newton Navarro atendeu apenas uma das expectativas anunciadas: encurtar a distância entre o Norte e o Leste da cidade. O projeto segue incompleto e sem data para obras complementares. « NATAL 1 A 3 »

« MÉDICOS » Estrangeiros atuam na medicina local sem problemas Os bolivianos lideram o grupo de 43 médicos com formação no estrangeiro que atuam, hoje, no RN. Para eles, não há discriminação por parte de colegas ou pacientes. O problema é a burocracia estatal para revalidar o diploma. « NATAL 7 E 8 »

« NATAL 11 »

jiu-jítsu « BR-101 » Marginal no sentido do Centro para a Zona Sul já está interditada

Guerreiro está de volta ao tatame, após ano dedicado à filha doente « ESPORTS 5 »

faltam

340

DIAS PARA A COPA

84

TOTAL DE PÁGINAS DESTA EDIÇÃO: páginas

FALE CONOSCO: PABX: Redação:

Apesar dos 13 acidentes registrados este ano, em Natal, a reação da população residente, às margens das linhas férreas, e da maioria dos condutores de veículos à aproximação dos comboios da CBTU, é de imprudência. Em 22 passagens de nível visitadas pela TN, também há deficiências na sinalização. « NATAL 9 E 10 »

geral

Esportes

tn família

Só constituinte evitará uma crise, diz Stédile

O estilo Argel Fucks é de muito trabalho

Cromoterapia já é oferecida pelo SUS

João Pedro Stédile, do MST, considera que protestos de ruas abrem um novo ciclo político no país que, sem constituinte, terá uma crise. « PÁGINAS 12 E 13 »

Argel Fucks conquista vitória na estreia com o América e define um estilo para a equipe que ainda está ameaçada na série B este ano. « ESPORTES 2 »

Os serviços do SUS já oferecem a cromoterapia, tratamento de doenças através da aplicação de cores contidas no espectro solar. « TN FAMÍLIA 1 E 3 »

Assinaturas: 4006-6100 Venda avulsa: 4006-6113 Comercial:

4006-6111 Classificados: 4006-6103 Circulação: 4006-6173 Reclamações:

4006-6161 4006-6103 4006-6111

SITE: www.tribunadonorte.com.br REDAÇÃO (pauta): pauta@tribunadonorte.com.br

NO FACEBOOK

facebook.com/tribunarn

Interdição na marginal da BR-101, no sentido Centro/Zona Sul, começou neste sábado e vai até o dia 16 de agosto. Semob alerta para vias alternativas que podem evitar congestionamentos. « PÁGINA 6 »

colunistas Woden Madruga A crítica de Aluízio aos jornais em bilhete guardado na gaveta. « PÁGINA 2 »

Guadêncio Torquato Políticos devem dar ouvidos ao alerta do Papa sobre jovens. « PÁGINA 7 »

NO TWITTER

@tribunadonorte

PREÇO DESTA EDIÇÃO:

R$ 2,50


2

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

Jornal de WM WODEN MADRUGA [ woden@terra.com.br ]

A crítica de Aluízio

N

o ofício de remexer em gavetas desarrumadas, encontrei esta semana alguns bilhetes preciosos. Entre eles, um de Aluízio Alves. Não tem data. Mas pelo miolo do que está escrito, é coisa de 1977, 78, a Tribuna do Norte sofrendo no terrível corredor polonês das dificuldades de toda as naturezas. Era, eu, o editor desta folha, toda a hora vigiada por Aluízio e José Gobat que espremiam pedras procurando algum suco. Isso sem falar no paredão político – sofria-se o tempo do regime militar - Aluízio cassado como deputado e o pessoal lá de cima tentando puxar o tapete do velho jornal da Ribeira. Botar a Tribuna na rua era matar dez leões por dia. Jornal ainda feito no chumbo, linotipos aposentadas ou quase, poucos anúncios, o caixa embaixo, bem embaixo. Todos sonhando – e trabalhando muito – para colocar a TN na era moderna do offset, árduo caminho. Aluízio, nascido jornalista (e jornalista 24 horas) acompanhava atento, cirurgicamente, o dia a dia do jornal que fundou. Conversas na redação apertada, reuniões, bilhetes, telefonemas. O jornal era criticado todos os dias, ele estando em Natal. Lia o jornal inteiro, anotava e mandava então o recado. Como este que reencontrei agora, datilografado em papel riscado, certamente na falta de uma folha virgem. E são rabiscos dele próprio, Aluízio, feitos com lápis-tinta. Na crítica ao editor, percebe-se algumas pitadas de ironia, própria do estilo Aluízio, uma marca forte do seu discurso político. Vai na íntegra: “Woden: Neste papel riscado, deixolhe um apelo: vamos fazer o jornal mais cedo. Sem sair cedo, jornal não vende. O jornal está ótimo, mas é preferível diminuir até a qualidade, pois não adianta sair tarde e não vender. Depois, sobre qualidade, veja a matéria do Diário de Natal sobre a missa da Cidade da Esperança e a notícia da Tribuna. A impressão que se tem é que o Diário, mesmo com todo o ódio, mandou repórter lá. A Tribuna, juro que não mandou. Pois a no-

ta é feita por quem não esteve lá. Ou então é totalmente incapaz de registrar qualquer coisa. Temos também que tirar o aspecto religioso do jornal. Está órgão do Vaticano, da Diocese, da Paróquia, etc. A secção econômica está boa. Mas, precisa unir-se ao departamento comercial. Pois, não é jornalismo, mas burrice noticiar empresas, de graça, e elas anunciando no concorrente. Veja o problema do horário, mesmo provisoriamente em detrimento do jornal. Mas veja com paciência, própria do seu temperamento, com isenção, marca do seu temperamento, com respeito à burrice eventual de outros, como é do seu temperamento. Estamos numa luta de expansão. Todos têm que ajudar. Ouvindo, debatendo, teimando, transigindo, acertando, combinando. Confio integralmente em você. Com o offset haveremos de reduzir esses problemas. Até lá temos que sofrer, com ‘paciência’. Quando faltar a paciência, vá tomar leite no curral de Lagoa dos Velhos, desde que volte na 1ª hora do expediente... Aluízio”

opinião

O Ibope de Dilma

Q

uando começo a me familiarizar com uma sigla que trata da economia, dentre as mais de dezenas existentes no vasto dicionário difundido pela mídia, surge mais uma, mais outra, não sei quantas. Tantas que, sinceramente, se fosse contar, certamente, os dedos das mãos somados aos dos pés seriam poucos. Não tenho autores em quem aposte. Leio todos da mídia, entre os que assumem a cátedra e os palpiteiros que divertem, quando não exageram além do razoável. Prefiro, sem medo de errar, consultar o meu bolso. O meu ganho no fim do mês na matemática do que gastei, comparando o que sobrou – se sobrou – com o mês anterior. Na comparação, meço a inflação. No frigir dos ovos, tenho a “carestia”. Em minhas contas, a carestia, mês a mês, é bem maior que a inflação nos percentuais das siglas governamentais. O gover-

Brum

no anuncia que a inflação está sob controle. Tudo bem. Mas a carestia não está. Pelo contrário, está crescente. A prova é que as reivindicações de ajuste salarial são baseadas no aumento de custo de vida, isto é, da carestia. Mas será a carestia o item responsável pela queda vertiginosa da presidente Dilma nas pesquisas, sobretudo na mais recente das quais, a do IBOPE, publicada está semana? Não. Mas é um dos principais itens. A presidente Dilma, se tempo tiver, veja no item perdularismo de seu caderno. O Rio Grande do Norte é um pequeno exemplo, mas muito significativo, a saber: 1 – Para a construção do Arena das Dunas foi necessário destruir um estádio que bastava ser modernizado, digamos assim, mais um ginásio de esportes e um kartódromo. Derrubar três para construir um. 2 – Terminal pesqueiro. Já

Três exemplos, só no Rio Grande do Norte, do desperdício de dinheiro: Arena das Dunas, Terminal Pesqueiro e Aeroporto de São Gonçalo” foi inaugurado seis vezes por seis ministros da Pesca. E até hoje não armazenou sequer uma piaba. Sabem por quê? Porque esqueceram de projetar e construir um acesso ao terminal, resultando em milhões de reais jogados fora do alcance dos pescadores. 3 – O Aeroporto de São Gonçalo e o Aeroporto de Parnamirim. Qual o custo do Aeroporto

Cartas

[ www.rabiscosdobrum.zip.net ]

Ato Médico Com a República, foram-se os privilegiados: reis, príncipes, duques, barões etc. Porém, no imagináriodapopulaçãoapenasforam substituídos pelos políticos, juízes, jornalistas, advogados, médicos, e os midiáticos e os milionários. Esse imaginário é maligno para uma democracia, para uma República. Afinal, na República, todos são iguais perante a lei. Enquanto a maior parte da população não tiver consciência cidadã, o atraso político e social persistirá. olivedi100@yahoo.com.br

Vampiros

Morando na Redinha Na mesma sacola, um bilhete do doutor João Medeiros Filho, advogado, jurista, escritor, acadêmico. Das maiores e melhores figuras que eu conheci. Bilhete escrito à mão, caligrafia firme, letras graúdas, como era do seu jeito de escrever. Numa linha (papel tamanho ofício), quatro palavras, no máximo. O bilhete é datado de 18 de dezembro de 1978. Assim: “Woden Madruga: Um abraço. Estou novamente na Redinha, em residência permanente.

Enfrento, assim, o provincianismo que entende só admitir a praia no veraneio. Suponho que a Redinha é hoje um bairro de Natal, perdendo aquela fisionomia tradicional de praia rústica, do tempo de Zerôncio. Aliás, minha rua foi por mim batizada de José Herôncio de Melo, o fundador da festa do Caju. Vou fazer da minha residência na orla marítima o meu universo, o meu reino. Aguardo sua visita. João Medeiros Natal, 18/12/78”

Alpargata franciscana Na margem esquerda da lauda, leio o recado: “Woden, Veríssimo pede para dar una notícia na coluna”. Identifico a assinatura como sendo de Jurandyr Navarro. Está datado de 14 de dezembro de 1995. Na lauda estão anotados, à mão, dados transmitidos por Veríssimo de Melo para Jurandyr. Veríssimo, à época, presidia o Conselho Estadual de Cultura, e comunica a entrega da Medalha do Mérito Cultural Alberto Maranhão, concedida pelo Governo do Estado às seguintes pessoas: Monsenhor Expedito Medeiros, Odilon Ribeiro Coutinho,

Moacyr Gomes da Costa, Dorian Jorge Freire, José Lúcio Dantas e João Batista Cascudo Rodrigues. A solenidade seria realizada no Salão Nobre do Teatro Alberto Maranhão e presidida pelo Governador do Estado, Garibaldi Alves Filho. Aí vem o detalhe, que está lá escrito por Jurandyr e soprado por Vivi: “Informado por Veríssimo, sobre o evento, e que fosse de batina nova e sapatos engraxados, respondeu Monsenhor Expedito: - Eu agora estou usando alpargatas de frade!”

Poesia Quarta-feira que vem, 31, lua em quarto minguante, o poeta Paulo de Tarso Correia de Melo estará autografando, na Academia NorteRio-Grandense de Letras, onde é imortal, seu livro Diário de Natal, numa bonita edição (capa dura) da Sarau de Letras. Ritual marcado para começar às 18 horas. Passeando pelas páginas desse “diário” imaginário, destaco, entre as publicidades e os classificados, o poema Lanchonete: “A garçonete do Bob’s / é um dos poemas de amor / que os poetas não fazem.”

Empresa Jornalística Tribuna do Norte Av. Tavares de Lira, 101 - Ribeira - Natal/RN CEP: 59010-200 Fone: (PABX) 4006-6100 Fax: (0xx84) 4006-6124 Endereço eletrônico: www.tribunadonorte.com.br

Diretor Presidente: Henrique Eduardo Alves Superintendente: José Roberto Cavalcanti Diretor Adm. e Operações: Ricardo Luiz de V. Alves Diretor Financeiro: Agnelo Alves Filho Diretor de Redação: Carlos Peixoto cpeditor@tribunadonorte.com.br Gerente Comercial: Eliane Rocha Gerente de Marketing: Andréia Barandas Gerente de Circulação: Thales Vilar

de São Gonçalo? Com toda certeza, qualquer quantia superior à arrecadação de dois anos do Governo do Estado, somadas a três anos das Prefeituras de Natal e de Parnamirim. O Aeroporto de Parnamirim foi construído pelos americanos na 2ª Guerra Mundial. É dotado das maiores pistas de aterrissagem e decolagem. Sua estação de passageiros é moderníssima e bem equipada. É servido por estradas de acesso. Distante de Natal apenas 13 quilômetros. Distante do aeroporto de São Gonçalo apenas 10 segundos de voo contados no relógio. No entanto, será abandonado (ou não?). Fico imaginando o desperdício por esse Brasil a fora, principalmente no Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais. O dinheiro que está faltando para a Educação, Saúde e Segurança. Culpa só de Dilma? Não. Mas ela precisa agir. Dilma é mais vítima do que algoz.

Um juiz na Suprema Corte EDILSON PEREIRA NOBRE JÚNIOR juiz federal

C

olhe-se de Gustav Radbruch, em passagem de seu “O espírito do direito inglês” (Madri: Marcial Pons, 2001, p. 43. Versão para o espanhol por Juan Carlos Peg Ros), que os direitos de liberdade, na Inglaterra, estão unidos inseparavelmente à common law, não como simples proclamação, mas sim por meio dos recursos para a sua proteção confiados à atividade dos juízes. A constatação do mestre alemão me fez recordar a leitura, proporcionada pelo serviço de biblioteca do Tribunal Regional Federal da 5ª Região, do texto de conferência ministrada por Seabra Fagundes sob o título “Amaro Cavalcanti e as liberdades públicas”, a qual teve lugar no Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte, merecendo publicação na revista Archivo Judiciário (volume XCI, 1949). Único potiguar a integrar o Supremo Tribunal Federal, o que ocorreudentreosmesesdemaiode 1906 a dezembro de 1914, Amaro Cavalcanti se notabilizou por emitir pronunciamento em favor da concretização dos direitos e garantias dos cidadãos assegurados pela Constituição de 1891. Muitos foram os exemplos. Ficou vencido, juntamente com o voto do Min. Alberto Torres, no julgamento de habeascorpuscujopacientefoiD.Luiz deOrleanseBragança,ex-Príncipe da Casa Imperial, votando pela auClassificados Redação Fax Venda Avulsa Assinatura Natal Reclamações Natal ASSINATURA Mensal (à vista) Semestral (à vista) Anual (à vista)

4006-6161 4006-6113 4006-6124 4006-6100 4006-6111 4006-6111 R$ 43,00 R$ 258,00 R$ 516,00

torização do seu desembarque em território brasileiro, por entender que o decreto de seu banimento contrariariaoart. 72, §20, daConstituição. Contribuiu, decisivamente, para o reconhecimento de um sistema de tutela de urgência, para que o cidadão pudesse impugnar atos do Poder Público que exigissem pronta reação. Assim, considerando que a então ação sumária especial não assegurava a prerrogativa judicial para a suspensão liminar do ato administrativo (art. 13, §7º, da Lei 221 de 1890), posicionou-se pela viabilidade, em casos que tais, do emprego do habeas corpus, ao argumento de que este seria cabível para a tutela de outros direitos, diversos da liberdade de locomoção, mas conexos com esta(HC2.794).Foiumartífice,assim, ao lado de Pedro Lessa, de um dos momentos mais elevados de nossa história jurídica. A sua atuação se fez presente também na formulação da garantia da estabilidade do servidor público, ao proferir voto-condutor invalidando demissão de agente dos correios, por sustentar a necessidade, para tanto, de inquérito, no qual deveria ser admitido o oferecimento de defesa. O tempo lhe ofertou razão, conforme se pode ver do art. 169 da Constituição de 16 de julho de 1934. A sua qualidade de magistrado se expressou pela atenção que devotava a todas as causas que lhe eram submetidas, quaisquer que fossem as matérias discutidas. Prova disso é que chegou a estudar russo unicamente para poder bem decidir processo de

PREÇO DO EXEMPLAR Rio Grande do Norte 3ª a Sábado Domingo Outro Estado 3ª a Sábado Domingo

Único potiguar a integrar o Supremo Tribunal Federal, o que ocorreu dentre os meses de maio de 1906 a dezembro de 1914, Amaro Cavalcanti se notabilizou por emitir pronunciamento em favor da concretização dos direitos e garantias dos cidadãos assegurados pela Constituição de 1891” extradição, tendo em vista dúvidas quanto à exatidão da tradução oficial de documentos constantes dos autos. Foi ainda a sua nota singular a de ter expressado seus pontos de vista, energicamente e com independência, em momentos de forte crise entre o Judiciário e o Executivo. Correta, portanto, a conclusão de Seabra Fagundes, no sentido de que Amaro Cavalcanti reuniu duas qualidades essenciais ao juiz: o devotamento e a impavidez no exercício da função.

Realmente a figura do vampiro encanta e, ao mesmo tempo, assombramultidões.Vejofilmeseleio histórias sobre o tema desde sempre, já que herdei essa curiosidade domeupai,queéumadmiradornatodeDráculaeabominaproduções como “Crepúsculo”, que distorceu algumas características seculares dosvampiros.Tenhoumblogsobre cinemaesemprequepossívelabordo essa temática que tanto me fascina. Os filmes que mais me marcaramforam:“EntrevistacomVampiro”;“ARainhadosCondenados”; “Drácula 2000”; “Van Helsing” e “Drácula” de Coppola. Atualmente acompanhoasérie“TrueBlood”que está na sexta temporada de muito sucesso no mundo todo. andikcorreia@hotmail.com

Hospital Os motivos dessa falta de leitos todos sabem, é o fechamento de vários outros serviços, inclusive as APAMI(de caráter filantrópico). Já a falta de profissionais para “mover” os serviços acreditamos que o maior motivo seja remuneração incompatível com a carga horária cobrada, como também o insalubre e arriscado serviço que infelizmente não tem remuneração à altura. fco.fabio.med@hotmail.com

Aeroporto O que precisa ser observado é que hoje em dia uma grande parte da população, que não tem um altopoderaquisitivo,jáutilizaoavião como meio de transporte. Por isso é importante que o acesso ao novo aeroportodevecontarcomumbom sistema de transporte coletivo. anacris@rn.gov.br

Vantagem em tudo Caro Everaldo Lopes: leitor assíduo da coluna, sirvo-me para informar ao amigo que o goleiro Leão tambémparticipoudequatrocopas: 1970, 3º goleiro, 1974 e 1978 titular e 1986, 3º goleiro. Um abraço. felipeaugustoleite@hotmail.com

FILIADO AO

R$ 1,50 R$ 2,50

FILIADO AO INSTITUTO VERIFICADOR DE CIRCULAÇÃO

R$ 2,00 R$ 3,20

REPRESENTANTE NACIONAL – Pereira de Souza & Cia Ltda: Rio de Janeiro : (O21)2544-3070 – São Paulo: (011) 3259-6111

FILIADO À ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE JORNAIS

REDE CABUGI DE COMUNICAÇÃO TRIBUNA DO NORTE 4006-6100 Rádio Globo/Cabugi (AM) Natal 4006-6180 104 (FM) Parnamirim 3272-3737 Rádio Difusora de Mossoró (AM) 3316-3181/2181/3317-6167 Rádio Cabugi do Seridó (AM) J. do Seridó 3472-2759 Rádio Baixa Verde (AM)J. Câmara 3262-2498 Pereira de Souza(SP) 11/3259-6111 Pereira de Souza(RJ) 21/2544-3070


política

[ colunanotas@tribunadonorte.com.br ]

O custo da violência O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) fez as contas e chegou à conclusão de que a morte prematura de jovens devido a causas violentas - homicídios, acidentes de trânsito etc. -, custa anualmente ao Rio Grande do Norte cerca de R$ 900 milhões e R$ 79 bilhões ao Brasil. O estudo, que cruzou dados de 2010, mostra que o RN, com uma taxa de 85,8 a cada grupo de 100 mil habitantes, ocupa o antepenúltimo lugar no ranking do Nordeste. São mais de 53 mil pessoas assassinadas por ano no Brasil. As vítimas tornaram-se cada vez mais jovens. O perfil traçado pelo Ipea mostra que a maioria é do sexo masculino, parda, com 4 a 7 anos de estudo, assassinados em vias públicas por armas de fogo.

Preocupação rado. Entre 2001 e 2011 os homicídios cresceram 251,3% em Natal e 313% no RN, ante uma média nacional de 8,9%. Pior: sem políticas públicas para combater a violência e sem condições de desvendar os crimes, o que dá uma sensação de impunidade, a tendência é piorar.

Insegurança Estudo aponta incidência dos crimes

SE

CE

Os mais violentos

RN

PI

77,9

84,8

PB

85,8

122,7

PE

112,8

125,5

BA

114,5

131,2

191,2

Ranking da violência

AL

MA

Os menos violentos

AL

BA

PE

RN

PI

MA

Mortes Violentas

191.2

131.2

125.5

85.8

84.8

77,9

Homicídio

147.9

89.8

81.5

49.7

23.8

22,4

Homicídio por Arma de Fogo

128.3

75.2

66.5

39.4

14.4

42,7

Suicídio Acidentes de Transporte

4.1

3.3

4.3

3.4

8.9

24,3

30.4

22.2

29.4

26.2

44.7

4,4

Despesa extra Em artigo publicado no qual questiona a eficácia da política de combate à inflação através do aumento de juros, como defende o mercado financeiro, o professor da Fundação Getúlio Vargas, Amir Khair, lembra que cada ponto a mais na Selic representa uma despesa adicional de R$ 27 bilhões para o governo federal. Diz também que os gastos extra provenientes das decisões do Copom representam uma vez e meia os recursos destinados ao bolsa família. No artigo, Khair defende uma nova política econômica para retomar o crescimento basea-

do na economia real. E aponta os pilares: a) operar a Selic ao nível da inflação, como fazem os demais países; b) emitir moeda para pagar os juros da dívida federal, como fazem os países desenvolvidos; c) deixar o câmbio flutuar, sem interferência do BC”. Khair fez as contas sobre as taxas médias da Selic no Banco Central, nos últimos anos: No governo Fernando Henrique: Gustavo Loyola 22,6%, Gustavo Franco 24,6%, Armínio Fraga 19,5%. No governo Lula: Henrique Meirelles 14,9% e Alexandre Tombini até agora 9,6%.

Custo Se verdadeiras as estimativas de empresários do setor, o passe livre total custaria mensalmente R$ 25 milhões à Prefeitura do Natal, valor equivalente a quatro anos de Fundo de Participação de uma prefeitura como Lagoa de Velhos. Esperanças Agricultores dizem que só La Niña, o fenômeno climático que favorece a ocorrência de inverno acima do normal no sertão nordestino, salvará o homem do campo em 2014.

Denúncia O Ministério Público Federal (MPF) apontou suposto envolvimento do ministro Aguinaldo Ribeiro, das Cidades, em desvio de recursos públicos destinados ao projeto Jampa Digital, implantação da rede metropolitana de banda larga sem fio para a população carente de João Pessoa (PB). “Os indícios apontam para a participação do sr. Agui-

3

Juiz determina exoneração de servidores da Assembleia

Notas & Comentários

Apesar de ter uma taxa ainda baixa se comparada com os demais estados brasileiros, o sinal de alerta está aceso. O paraíso da tranquilidade é coisa do passado. Segundo a TN mostrou na semana passada, a violência vem aumentando no Rio Grande do Norte num ritmo acele-

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

naldo Velloso Borges Ribeiro nos fatos supostamente criminosos objeto da investigação”, assinala o procurador da República Domingos Sávio Tenório de Amorim. As apurações aponta superfaturamento de R$ 1,66 milhão em contrato fechado em 2009 por meio de convênio entre o governo federal e a administração da capital da Paraíba.

Defesa O Ministério das Cidades informou que a denúncia da Procuradoria da República contra ele não traz fato novo. “A licitação que resultou na contratação da Ideia Digital não foi conduzida por Ribeiro e sim pela Secretaria de Administração do município (de João Pessoa) na época”.

« CARGOS » Justiça decide, em primeira instância, que seis funcionários do Legislativo estadual efetivados sem concurso precisam ser demitidos

O

embate jurídico que envolve servidores da Assembleia Legislativa efetivados sem concurso público ganhou mais um capítulo. Sentença do juiz estadual Airton Pinheiro anulou os atos administrativos que nomearam seis servidores públicos no Legislativo estadual. Na lista estão o exdeputado estadual, Frederico Rosado, e outros cinco: Ana Fabiola Rego Torquato, Caio Otávio da Cunha Alencar, Helga Maria Torquato Oliveira, José Pádua Martins Oliveira e Marcelo Escóssia de Melo. A sentença do magistrado anulou a nomeação desses servidores para os quadros efeitos da AL e ainda os efeitos administrativos, de promoção e vantagens. Para o magistrado, não há que se falar em efetivar servidores, já que esses não foram submetidos a concurso público. “Considerando a inexistência de controvérsia acerca da não realização de concurso público para provimento dos cargos efetivos da Assembléia Legislativa do Rio Grande do Norte, evidente se afigura a inconstitucionalidade do ato de ‘integração’ dos promovido àquela Casa”, escreveu o magistrado na decisão. O juiz Airton Pinheiro observou que está evidente a ilegalidade dos atos praticados pela Assembleia Legislativa. O magistrado também afastou a possibilidade da irregularidade estar prescrita. Ele observou que os atos da Assembleia não podem se efetivar no tempo. “Verificada a afronta ao princípio do concurso público para acesso a cargo público efetivo, tal situação, flagrantemente inconstitucional, jamais se consolidaria no tempo, não havendo como se reconhecer a prescrição”, destacou. Ele ressaltou ainda que não se pode falar em prescrição já

JOÃO MARIA ALVES

Decisão de primeira instância não acatou os argumentos que apontaram prescrição

Nesse cenário, é flagrante a ofensa ao princípio da publicidade, eis que um mero ‘Boletim’ existente no âmbito interno do Poder Legislativo não tem o mesmo alcance que o Diário Oficial” JOSÉ AIRTON PINHEIRO Juiz

que os atos efetivando os servidores nunca foram publicados no Diário Oficial. “Ademais, cumpre destacar que a contagem do lapso prescricional sequer se iniciou, em face da ausência de publicidade do ato impugnado”, escreveu na decisão. O juiz observou ainda que é

fato incontroverso que o ato de “integração” dos servidores ao Quadro de Pessoal da Assembléia Legislativa somente foi publicado no “Boletim Oficial” daquela Casa e nunca foram enviados ao Diário Oficial do Estado. O magistrado fez severa crítica ao boletim interno da Assembleia, afirmando que ele não pode ser considerado como publicidade oficial de atos. “Nesse cenário, é flagrante a ofensa ao princípio da publicidade, eis que um mero ‘Boletim’ existente no âmbito interno do Poder Legislativo não tem o mesmo alcance que o Diário Oficial”, frisou. Com esse entendimento, o juiz disse que não se pode falar em abertura de prazo para contagem prescricional, já que os atos nem mesmo chegaram a ser publicados em veículo oficial do Estado. Airton Pinheiro concluiu, na sua decisão, que a “não publicação oficial estava direcionada exatamente às ‘integrações/efetivações’ manifestamente ofensivas à ordem constitucional”. ARQUIVO/TN

DETERMINAÇÃO A decisão judicial determina a exoneração dos seguintes servidores: ANA FABÍOLA REGO TORQUATO; CAIO OTÁVIO CUNHA ALENCAR; CARLOS FREDERICO ROSADO DO AMARAL; HELGA MARIA TORQUATO OLIVEIRA; JOSÉ PÁDUA MARTINS OLIVEIRA; MARCELO ESCÓSSIA DE MELO ARGUMENTO DO MINISTÉRIO PÚBLICO: A Assembleia Legislativa jamais realizou concurso público, portanto os servidores não poderiam ter sido efetivados, mesmo após a Constituição de 1988 (que exigiu concurso público para efetivar funcionário). ARGUMENTO DA DEFESA Como os servidores estão no cargos há mais de cinco anos, possíveis irregularidades prescreveram e eles não podem ser prejudicados. à404 é o número de servidores efetivos na Assembleia; 40% deles respondem a ação impetrada pelo Ministério Público; àSeis anos foi o tempo que a Assembleia Legislativa demorou para responder ao Ministério Público sobre a história funcional dos servidores investigados.

Processos envolvem 40% do pessoal Já em processo de realizar o primeiro concurso público da sua história, a Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte não tem perspectivas de quando contará com o desfecho de uma ação proposta pelo Ministério Público Estadual, em 2008, e que envolve cerca de 40% do efetivo de servidores da Casa. Desde aquele ano, os promotores do Patrimônio Público pedem na Justiça a demissão de mais de 190 funcionários efetivados no Poder Legislativo sem concurso público. São 21 processos, que hoje tramitam principalmente no Superior Tribunal de Justiça, em Brasília, e no Tribunal de Justiça. O MPE já perdeu em algumas instâncias. O total de pessoas processadas pelo Ministério Público Estadual que ainda estão ativa, excetuando-se aposentados, estão incluidas no regime estatutário, com estabilidade e diversos outros benefícios. A Assembléia Legislativa tem hoje 404 servidores efetivos. Além disso, são 321 servidores comissionados.

Ilegalidade

Funcionários estão nos quadros da Assembleia desde 2002

Advogados dos funcionários alegam que houve prescrição A defesa dos seis servidores da Assembleia Legislativa que agora tiveram a sua efetividade anuladas pela Justiça estadual, concentrou os argumento na prescrição do processo, já que os atos foram assinados em 2002. Para os advogados Fabiano Falcão, Ivanka Delgado Nobre e José Augusto Delgado, que figuram no processo e apresentaram a defesa, não há guarida na legislação o pleito do Ministério Público devido a “força do tempo em que os demandados estão ocupando tais caros efetivos sem terem sido molestados por qualquer ação judicial”. A defesa, apresentada no processo, sustenta a afronta o princípio da segurança jurídica

e que não houve qualquer irregularidade nos atos Além disso, os seis réus apontaram que há necessidade de formar o “litisconsórcio” (quando se põe outras pessoas para figurarem no processo), como os deputados estaduais que assinaram os atos de efetivação dos servidores. Os advogados querem a inclusão não apenas do deputado que exercia a presidência da Assembleia na época, mas de todos os integrantes da Mesa Diretora. Outro questionamento feito pela defesa é o de que o Ministério Público não poderia questionar a efetividade dos servidores com o instrumento da ação civil pública.

O motivo para a alegada ilegalidade de algumas e a legalidade de outras admissões sem concurso tem raiz na data da efetivação. Como se sabe, antes da Constituição de 1988 o concurso público não era obrigatório. Com a Constituição, todos os servidores admitidos anteriormente ganharam estabilidade e viraram estatutário, mesmo sem concurso. No entanto, segundo os promotores do Patrimônio Público, um total de 194 pessoas foi admitido na Assembleia no período pós1988. Portanto, para o MPE, há uma ilegalidade. Para entender melhor o caso, é preciso remontar ao final da década de 80 e início da década de 90. Àquela época uma lei estadual permitia a mobilidade entre servidores do Executivo, Legislativo, Judiciário, fundações, autarquias, empresas públicas, etc. Então muitos servidores da Companhia de Habitação, do Banco do Rio Grande do Norte (Bandern), e de secretarias da administração direta passaram a ser incorporados ao efetivo da Assembleia. Nos anos seguintes, o processo foi o mesmo. Os salários e as funções desses servidores são variados. Há valores significativos, de R$ 15 mil a R$ 17 mil mensais, e também de valores mais baixos, como R$ 2 mil e R$ 3 mil.


4

política

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

Projeto evita mudar a Constituição « REFORMA POLÍTICA » Um dos coordenadores do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral defende propostas que não exijam emendas constitucionais para viabilizar as alterações na legislação eleitoral POR JOSÉ ROBERTO CASTRO E PEDRO VENCESLAU da Agência Estado

S

ão Paulo (AE) - A aposta para viabilizar a reforma política já para 2014 do juiz Márlon Reis, um dos coordenadores do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral, é um projeto que não exija mudanças na Constituição. Sem alterar a Constituição, em vez de três

quintos dos votos, é necessário apenas maioria simples dos votos na Câmara e no Senado, metade mais um. O objetivo é conseguir 1,5 milhão de assinaturas até o dia 4 de agosto, o que faria com que o projeto de reforma do Movimento Eleições Limpas chegasse ao Congresso Nacional com um tempo razoável para ser aprovado. Para valer em 2014, o projeto de iniciativa popular preci-

sa ser aprovado na Câmara e no Senado até o dia 4 de outubro, um ano antes da eleição. O número de assinaturas obtidas até o momento é um mistério, já que o movimento não tem como contabilizar o número coletado pelas diversas frentes de divulgação do movimento, como igrejas, OABs e Maçonaria, por exemplo. As assinaturas eletrônicas, colhidas pelo site do movimento somam cerca de 70 mil.

“O tempo do Congresso é um tempo político. Se a sociedade mostrar com as assinaturas que esta é uma demanda, é possível aprovar em um tempo menor que esse”, afirma.

Projeto A principais mudanças no projeto apresentado são sobre o sistema eleitoral e o financiamento. No financiamento, a proposta é limitar as doações às pes-

soas físicas com um limite de até R$ 700. O projeto elimina a contribuição de empresas. A mudança proposta no sistema eleitoral prevê a eleição de vereadores, deputados estaduais e federais em três etapas. A primeira etapa seria a realização de primárias dentro dos partidos e os candidatos seriam ordenados de acordo com a votação. Em um segundo momento, aconteceria o primeiro turno da

eleição com as pessoas votando em partidos, não em candidatos. A proporção de voto recebida por cada partido determina quantas cadeiras ele terá. No segundo turno das eleições, cada partido lança dois candidatos por vaga conquistada, os nomes que disputam esta eleição são os mais bem colocados na primária. O eleitor vota mais uma vez e escolhe os futuros parlamentares.

Especialistas destacam custo elevado de campanha São Paulo (AE) - Especialistas acreditam que dificilmente uma campanha eleitoral no Brasil, com a legislação em vigência hoje, possa ser bancada única e exclusivamente com doações de pessoas físicas. A Rede, partido que a ex-senadora Marina Silva trabalha para criar, discute a possibilidade de aceitar somente esse tipo de recurso. O discurso adotado pelos “sonháticos” que acompanham a exsenadora é conseguir estabelecer um modelo de financiamento de campanha em que muitas pessoas doem pouco. Atualmente, a lógica é outra: pequeno número de grupos empresariais doando grandes quantias. Consultores de marketing político acham impossível, portanto, que alguém venha a repetir por aqui o sucesso do modelo adotado por Barack Obama, que em suas duas últimas campanhas à Presidência dos EUA conseguiu arrecadar milhões de dólares pela internet. Para Marcelo Branco, ex-co-

ordenador de mídias sociais da campanha de Dilma Rousseff em 2010, esse tipo de doação só vai ganhar importância se a uma reforma política sair do papel. “Se grandes empresas não poderem mais doar, vai ajudar a valorizar essa ação de financiamento coletivo, que é o típico financiamento da Internet, onde pequenas doações fazem grandes projetos”, afirma. O consultor em marketing político e professor da USP Gaudêncio Torquato aponta outro obstáculo: “Nós não temos uma cultura na área de doação pela internet. Apesar de termos uma massa bastante volumosa de internautas, esse tipo de doação ainda é visto com muita desconfiança. Se ela (Marina) esperar por isso, vai morrer na praia.” Para o especialista em marketing digital Gabriel Rossi, a rejeição à classe política que resultou na onda de manifestações de junho pode dificultar ainda mais colocar em prática esse tipo de arrecadação. DIVULGAÇÃO

Juiz coordena o Movimento de Combate à Corrupção eleitoral

Beneficiária do Bolsa Família nega doação para candidata Campo Verde (AE) - A desempregada Sebastiana da Rocha, 33 anos, mãe de duas crianças, exbeneficiária do Bolsa Família em Mato Grosso, negou nesta sextafeira que tenha doado dinheiro para a campanha eleitoral da então candidata Dilma Rousseff, (PT), em 2010. “É uma coisa inusitada que me pegou de surpresa”, disse ela, acrescentando que vai registrar um boletim de ocorrência e procurar advogado para acompanhar o caso. Sebastiana, hoje vivendo em Campo Verde, a 138 km de Cuiabá, apareceu em registro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) como doadora de R$ 510 para a campanha de Dilma. Naquele ano, ela recebeu do Bolsa Família um total de R$ 528. Hoje, aplicando-se o índice oficial de inflação, esses valores seriam de R$ 592,05 e R$ 617,78, respectivamente. O caso foi revelado pelo jornal Folha de S. Paulo. Vivendo numa casa humilde, de alvenaria, no bairro Jupiara, ela disse ao Grupo Estado ter ficado surpresa, no dia

23, ao receber uma ligação do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) perguntando se havia feito a doação e se era beneficiária do Bolsa Família. “Neguei a doação, mas confirmei que era beneficiada do Bolsa”, disse. No dia seguinte, já às 7h30, nova surpresa: o pessoal da prefeitura bateu à sua porta. “Queriam saber das minhas condições de vida, como eu vivia, o que tinha na casa. Mandei entrarem e mostrei tudo. Contei minha história porque não tenho nada a esconder”, afirmou. Depois da visita, uma nota da prefeitura informou ter constatado que ela “estava em condições de vulnerabilidade”. Sebastiana disse que recebeu Bolsa Família de março de 2010 a dezembro de 2012, quando morava em Cuiabá. “Inicialmente era de R$ 82,00 e o último foi de R$ 64,00”. Cadastrada em Cuiabá, ela continuou recebendo mesmo depois de ir para Campo Verde. “Estou sendo acusada por uma coisa que não fiz e quero saber como isso aconteceu”, afirmou.


especial

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

5


6

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

geral JOÃO MARIA ALVES

« EVENTO »

Gestores e produtores definem plano cultural

A Placas de sinalização foram instaladas na manhã deste sábado (27). Interdição vai até o dia 16/08

Começa a interdição para as obras nas marginais da Br-101 « TRÂNSITO » Trecho entre o posto Planalto e o Natal

shopping vai ficar fechado por 20 dias para obras de saneamento. Semob prevê congestionamentos

P

Interdição Por 20 dias, ônibus e carros devem fazer desvio Desvio de linhas: Centro/Bairro

Rua Atau

lfo Alves

Posto Planalto

BR-101

Trecho interditado Marginal da BR-101 para obra de esgotamento Rua F rei H. de Co

Natal Shopping

imbra

elos próximos 20 dias, contados a partir deste sábado, 27, os motoristas que trafegam no sentido Centro-Zonal Sul, pela Marginal da BR-101, deverão evitar o trecho a partir da altura do Edifício Jacumã. O trânsito pelas vias principais da BR-101 deve ser priorizado. Isto porque a Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern), irá realizar uma obra de ampliação do sistema de esgotamento sanitário e implantação de nova tubulação no bairro de Candelária e interditou, na manhã de ontem, o fluxo de veículos entre as ruas Ataulfo Alves (lateral do Posto Planalto) até a Avenida Brancas Dunas (lateral do Natal Shopping Center). De acordo com o agente de trânsito da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob), Israel Ferreira, os ônibus que trafegam pela marginal deverão obedecer o desvio traçado pela Secretaria para evitar congestionamentos. Na altura do Posto Planalto, os ônibus irão dobrar à direita, seguir até à rua Frei Henrique de Coimbra, na qual entrarão à esquerda em direção à Avenida Brancas Dunas. Isto feito, dobrarão à direita na avenida e sairão na Marginal da BR101, ao lado do Natal Shopping. A parada em frente ao Natal Shopping foi temporariamente transferida para o ponto de ônibus em frente ao Carrefour, na antiga Estação de Transferência.

Av.

Na manhã de ontem, enquanto as placas de sinalização e interdição das vias eram colocadas, o trânsito fluía sem maiores transtornos. Além da Marginal da BR, os acessos às ruas localizadas no traçado do serviço também tiveram suas entradas/saídas para a marginal fechadas. Todo o acesso deverá ser feito através de Candelária. A Semob ressaltou que os motoristas evitem a marginal durante o período do serviço para que não fiquem mais tempo do que o

Br

as anc

Dun

as

usual presos em engarrafamentos. Os demais trechos da rodovia não sofrerão interdição nos próximos 20 dias. A previsão da conclusão da obra é o dia 16 de agosto.

Próxima interdição A Superintendência Regional do Departamento Nacional de Infraestrutura (Dnit) informou, através de edital, que uma segunda intervenção de 30 dias deverá ocorrer entre 17 de agosto e 15 de setembro.

integração do governo e sociedade na construção de políticas públicas em cultura para o Estado, no contexto do Sistema Nacional de Cultura, avançou mais um passo neste sábado, 27. Durante toda a manhã, representantes de secretarias de cultura e educação de 30 municípios potiguares, além de artistas e produtores culturais participaram do Seminário do Plano Estadual de Cultura, realizado no Teatro Alberto Maranhão. O seminário é a última etapa antes do envio da minuta do projeto de lei do Plano Estadual de Cultura para votação na Assembleia Legislativa. “Estamos referendando as ações do Plano estadual que vem sendo trabalhado há um ano e meio. Um momento histórico para a nossa cultura que passará a ter um instrumento regulatório e um norte para ações em dez anos”, ressaltou a secretária de cultura, Isaura Rosado. O plano estadual está em acordo com o que prevê o SNC e deverá inserir projetos e programas baseados em quatro eixos: gestão e fomento; diversidade cultural; acesso a bens e serviços culturais; participação social e políticas setoriais. O idealizador do Sistema, João Roberto Peixe, destacou a necessidade de viabilizar estruturas organizacionais, bem como recursos financeiros e humanos dentro de um novo formato de gestão pública em cultura. O conceito de cultura, explicou ele, foi repensado na tridimensionalidade do simbólico (linguagens artísticas, vivências e eventos), da cidadania (universalização do direito aos bens e serviços culturais) e econômico, enquanto instrumento de desenvolvimento do país para ser aplicado na transversalidade das demais secretarias de governo (educação saúde, segurança, turismo e desenvolvimento econômico). Pensado para ser executado nos próximos 30 anos, sendo atualizado a cada década, a continuidade das ações previstas em 53 metas do SNC - que vão desde a capacitação e qualificação dos agentes culturais e sociedade, construção de espaços e marcos regulatórios - esbarram em dificuldades já conhecidas, como a falta de financiamento. Para isso, estados e municípios devem se estruturar no sentido de criar organismos representativos de gestão, espaços físicos, fundo de financiamento. “A cultura no Brasil nunca foi prioridade de governo para ser contemplada com recursos minimamente suficiente. O plano traz a implantação de um fundo de financiamento, em cada nível de governo, com maior destinação”, afirma. Para assegurar a execução em longo prazo, o idealizador frisou a necessidade de transformar os planos em leis, para garantir a institucionalização dessas ações enquanto plano de Estado e não de governo, mas é preciso que a sociedade tome posse, cobre, para não virar letra morta”, disse. No Rio Grande do Norte, 85 municípios estão em processo de adesão ao Sistema Nacional de Cultura.

O plano estadual de cultura é a certidão de nascimento da cultura e a discussão com a sociedade vai legitimar as ações ” IAPERI ARAÚJO Pres. do Conselho Estadual de Cultura


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

geral

Gaudêncio Torquato

O PAPA FRANCISCO NO BRASIL

A igreja na periferia

[ gaudenciotorquato@tribunadonorte.com.br ]

A janela do amanhã Ao lembrar que a juventude é a “janela pela qual o futuro entra no mundo”, no discurso que abriu sua agenda no país, o papa Francisco quis ressaltar o motivo de sua peregrinação –presença na Jornada Mundial da Juventude – e também alertar os políticos que aos jovens devem ser dadas condições para exercer de maneira condigna seu papel na sociedade. Foi bastante claro: “a nossa geração se demonstrará à altura da promessa contida em cada jovem quando souber abrir-lhe espaço”. Um recado adequado no momento oportuno para a platéia certa. A população jovem brasileira soma 51 milhões de pessoas – 10 milhões entre 15 a 17 anos, 23,1 milhões entre 18 a 24 anos e 17,5 milhões entre 25 a 29 anos – sendo, nos últimos tempos, o motor da mobilização social nas grandes e médias cidades do país. Como agrupamento mais descontente com a classe política, desfralda o simbolismo citado pelo carismático pontífice para fustigar as fortalezas do poder e, à sua maneira, aplainar os caminhos de um amanhã que se lhe apresenta sombrio, uma existência que ameaça ser mais sofrida que a de seus pais.

O segmento jovem, ademais, é o que possui visão mais pragmática da política e entende que esta se desvia de sua finalidade básica, atender ao bem comum.” O fato é que aos jovens não tem sido oferecido espaço para participação mais efetiva no processo político-institucional. Não que lhes seja tolhido o direito de ingressar na vida pública. O que os afasta da esfera política são as formas tradicionais de representação, o modus operandi dos atores, as ações e atitudes escandalosas que sujam a imagem dos representantes nas instâncias federativas. Pesquisa feita por Época/Retrato mostra que apenas 1% dos jovens é filiado a partido político, o que não quer dizer desinteresse pela política, eis que dois em cada cinco adolescentes entre 16 e 18 anos gostariam de seguir carreira política em uma moldura partidária mais limpa. Outro mapeamento, feito pelo Centro de Pesquisas do Instituto Paulista de Adolescência, revela que menos de 20% dos jovens de 16 a 18 anos possuem título de eleitor. Corrobora-se a visão de que os poucos jovens que decidem enveredar pela trilha política são cooptados por uma cultura viciada em “ismos” (fisiologismo, grupismo, mandonismo, nepotismo), acabam se transformando em “novos coronéis”, passando a compartilhar os currais da velha política. Não por acaso, temos uma arcaica e gigantesca máquina política, povoada com 64 mil cargos eletivos, de presidente a vereador; candidatos a prefeito e vereador somam 380 mil. Não é de surpreender que as temáticas de interesse dos jovens, a partir da educação, ficam longe das pautas congressuais. Quando o assunto é pertinente– como a questão dos cursos de medicina e importação de médicos– a voz da estudantada avoluma-se em protestos. Na verdade, as políticas públicas voltadas para as causas dos jovens são pontuais e segmentadas. É o caso do programa Bolsa-Família. Não se nega que milhões de brasileiros deixaram o território da miséria, o que proporcionou melhores condições de vida aos jovens pobres. Porém, os jovens da classe média tradicional não foram contemplados com programas orientados para o aperfeiçoamento de suas condições educacionais e profissionais, o que acaba contribuindo para adensar a contrariedade no meio da pirâmide social. Seus horizontes ficaram mais turvos, contribuindo para fortalecer a cadeia de mobilização e unindo elos da corrente de indignação que agrega muitos parceiros. Sem comandos de líderes tradicionais, os jovens acorrem às ruas e dão forma a um

novo pólo de poder, na sustentação da hipótese de que “se o poder centrífugo não atende ao clamor das turbas, o poder centrípeto o empurrará”. A par de demandas reprimidas, registrase o desfile de casos escabrosos, principalmente na apropriação vergonhosa de recursos públicos, fato que contribui para aumentar o produto nacional bruto da insatisfação social. O segmento jovem, ademais, é o que possui visão mais pragmática da política e entende que esta se desvia de sua finalidade básica, atender ao bem comum. Tem faltado, isso sim, compreensão sobre o papel da juventude na sociedade. A velha classe dirigente, por seu lado, luta a todo custo para preservar o status quo. Entender o jovem exige, primeiro, inseri-lo no quadro de transformações ocorridas nas últimas décadas. Karl Popper e Konrad Lorenz constatam, em sua obra “O Futuro Está Aberto”, a existência de um abrangente processo de massificação na sociedade, caracterizado, sobretudo, pela perda de valores. O fim da Guerra Fria desfez as clássicas divisões ideológicas. Os países romperam fronteiras, integrando-se aos mercados globais e acompanhando a evolução tecnológica. O capital físico, variável-mor do crescimento econômico, cedeu lugar ao capital humano, caracterizado pelo conjunto de capacitações que as pessoas ganham por meio da educação, do treinamento e da experiência para desempenhar suas atividades com competência. Essa é a nova ordem que instiga os jovens. Quando falta a matéria prima deste novo ciclo – que caracteriza a Sociedade da Informação e do Conhecimento – a frustração se estabelece. Da frustração para a revolta, o passo é curto, a rebeldia se impõe. Não estão os jovens preocupados com ideologia, direita ou esquerda. Pode ser que, em um ou outro país, o fundamentalismo de cunho religioso seja o leit motiv das mobilizações. Por aqui, o pragmatismo abre alas. Nossos jovens não vivenciaram os anos de chumbo. Apenas uns poucos ouviram de seus pais os ecos dolorosos do passado. A preocupação que os move agrega coisas como educação, emprego, melhoria dos serviços públicos. Reivindicam condições para competir em um mercado cada vez mais exigente. Se nossa geração não souber abrir espaço para a juventude, a janela do futuro ficará fechada. Abram os ouvidos, políticos e dirigentes, à profecia desse jesuíta, o papa Francisco.

Gaudêncio Torquato, jornalista, professor titular da USP, consultor político e de comunicação Twitter@gaudtorquato

7

Durante missa na catedral de São Sebastião, no Rio, o Papa Francisco reafirma compromisso da Igreja com os pobres CARLOS MORAES/O DIA/AE

D

urante a missa celebrada na Catedral Metropolitana de São Sebastião, no centro da capital fluminense, para mais de mil bispos, sacerdotes, religiosos e seminaristas, neste sábado (27), o papa Francisco lembrou de madre Teresa de Calcutá e chamou os líderes da Igreja Católica a irem até as periferias, onde as pessoas “têm sede de Deus”. “Que [Deus] nos empurre a sair ao encontro de tanto irmãos e irmãs que estão na periferia, que têm sede de Deus. Que não nos deixe em casa, mas que nos empurre a sair de casa. E assim sejamos discípulos do senhor”, afirmou Francisco. Francisco chegou a citar uma frase de madre Teresa de Calcutá: “Devemos estar muito orgulhos de nossa vocação, que nos dá a oportunidade de levar cristo aos pobres, às favelas, às vidas miseráveis”. Francisco falou sobre a vocação religiosa e ressaltou que os sacerdotes têm que estar “muito orgulhosos” das suas, por elas lhes darem “a oportunidade de servir a Cristo nos pobres”. “É nas favelas, nas povoações pobres, nas vilas onde é preciso ir buscar e servir a Cristo. Devemos ir a eles como o sacerdote se aproxima do altar: com alegria”, declarou (leia, abaixo, a íntegra do sermão). Segundo o pontífice, as relações humanas são regidas “por

Amados Irmãos em Cristo, Vendo esta catedral lotada com Bispos, sacerdotes, seminaristas, religiosos e religiosas vindos do mundo inteiro, penso nas palavras do Salmo da Missa de hoje: “Que as nações vos glorifiquem, ó Senhor” (Sl 66). Sim, estamos aqui reunidos para glorificar o Senhor; e o fazemos reafirmando a nossa vontade de sermos seus instrumentos, para que não somente algumas nações mas todas glorifiquem o Senhor. Com a mesma paresia —coragem, ousadia— de Paulo e Barnabé, anunciemos o Evangelho aos nossos jovens para que encontrem Cristo, luz para o caminho, e se tornem construtores de um mundo mais fraterno. Neste sentido, queria refletir com vocês sobre três aspectos da nossa vocação: chamados por Deus; chamados para anunciar o Evangelho; chamados a promover a cultura do encontro. 1. Chamados por Deus. É importante reavivar em nós esta realidade que, frequentemente, damos por descontada em meio a tantas atividades do dia a dia: “Não fostes vós que me escolhestes, mas eu que vos escolhi”, diznos Jesus (Jo 15,16). Significa retornar à fonte da nossa chamada. No início de nosso caminho vocacional, há uma eleição divina. Fomos chamados por Deus, e chamados para permanecer com Jesus (cf. Mc 3, 14), unidos a Ele de um modo tão profundo que nos permite dizer com São Paulo: “Eu vivo, mas não eu, é Cristo que vive em mim” (Gal 2, 20). Este viver em Cristo configura realmente tudo aquilo que somos e fazemos. E esta “vida em Cristo” é justamente o que garante a nossa eficácia apostólica, a fecundidade do nosso serviço: ‘Eu vos designei para irdes e para que produzais fruto e o vosso fruto permaneça” (Jo 15,16). Não é a criatividade pastoral, não são as reuniões ou planejamentos que garantem os frutos, mas ser fiel a Jesus, que nos diz com insis-

Apesar do frio e da chuva, multidões repetiram recepção calorosa ao papa na manhã de sábado

dois “dogmas” modernos: eficiência e pragmatismo”. Por isso, “há lugar para os idosos, não há tempo para gastar com os pobres na rua”. “Não podemos ficar encerrados na paróquia, nas nossas comunidades, quando há tanta gente esperando o evangelho! Não se trata simplesmente de abrir a porta para acolher, mas de sair pela porta fora para procurar e encontrar. Decididamente, pensemos a pastoral a partir da periferia, daqueles que estão mais afastados, daqueles que habitualmente não frequentam a paróquia”, disse o líder da Igreja Ca-

tólica. “Também eles são convidados para a Mesa do Senhor.”

Discípulo missionário Francisco ainda disse que, quando era jovem, seu sonho era ser missionário no Japão, mas Deus mostrou que sua missão era a própria pátria. “Ajudemos os jovens a perceberem que ser discípulo missionário é uma consequência de ser batizado, é parte essencial do ser cristão, e que o primeiro lugar onde evangelizar é a própria casa, o ambiente de estudo ou de trabalho, a família e os amigos”, disse Francisco. “O ‘permanecer’ com Cristo

não é se isolar, mas é um permanecer para ir ao encontro dos demais”, afirmou o papa. “Com a mesma ousadia de Paulo e Barnabé, anunciemos o Evangelho aos nossos jovens para que encontrem Cristo, luz para o caminho, e se tornem construtores de um mundo mais fraterno.” Neste domingo (28), durante a missa de encerramento da Jornada Mundial da Juventude, a partir das 10h, o Papa Francisco anuncia o local da próxima JMJ. A tarde o Papa terá um encontro com os voluntários que trabalharam no evento e as 19h embarca de volta para o Vaticano.

“Fomos chamados por Deus” tência: “Permanecei em mim, e eu permanecerei em vós” (Jo 15, 4). E nós sabemos bem o que isso significa: Contemplá-lo, adorá-lo e abraçá-lo, particularmente através da nossa fidelidade à vida de oração, do nosso encontro diário com Ele presente na Eucaristia e nas pessoas mais necessitadas. O “permanecer” com Cristo não é se isolar, mas é um permanecer para ir ao encontro dos demais. Vem-me à cabeça umas palavras da Bemaventurada Madre Teresa de Calcutá: “Devemos estar muito orgulhosas da nossa vocação, que nos dá a oportunidade de servir Cristo nos pobres. É nas favelas, nos ‘cantegriles’ nas Villas miseria, que nós devemos ir procurar e servir a Cristo. Devemos ir até eles como o sacerdote se aproxima do altar, cheio de alegria” (Mother Instructions, I, p.80). Jesus, Bom Pastor, é o nosso verdadeiro tesouro; procuremos fixar sempre mais n’Ele o nosso coração (cf. Lc 12, 34). 2. Chamados para anunciar o Evangelho. Queridos bispos e sacerdotes, muitos de vocês, senão todos, vieram acompanhar seus jovens à Jornada Mundial. Eles também ouviram as palavras do mandato de Jesus: “Ide e fazei discípulos entre todas as nações’ (cf. Mt 28,19). É nosso compromisso ajudá-los a fazer arder, no seu coração, o desejo de serem discípulos missionários de Jesus. Certamente muitos, diante desse convite, poderiam sentir-se um pouco atemorizados, imaginando que ser missionário significa deixar necessariamente o País, a família e os amigos. Recordo o meu sonho da juventude:partirmissionárioparaolongínquo Japão. Mas Deus me mostrou que o meu território de missãoestavamuitomaisperto:naminha pátria. Ajudemos os jovens a perceberem que ser discípulo missionárioéumaconsequênciadeser batizado, é parte essencial do ser

cristão, e que o primeiro lugar onde evangelizar é a própria casa, o ambiente de estudo ou de trabalho, a família e os amigos. Não poupemos forças na formação da juventude! São Paulo usa uma bela expressão, que se tornou realidade na sua vida, dirigindo-se aos seus cristãos: “Meus filhos, por vós sintodenovoasdoresdopartoatéCristo ser formado em vós” (Gal 4, 19). Também nós façamos que isso se torne realidade no nosso ministério! Ajudemos os nossos jovens a descobrir a coragem e a alegria da fé, a alegria de ser pessoalmente amados por Deus, que deu o seu Filho Jesus para nossa salvação. Eduquemo-los para a missão, para sair, para partir. Jesus fez assim com os seus discípulos: não os manteve colados a si, como uma galinha com os seus pintinhos; Ele os enviou! Não podemos ficar encerrados na paróquia, nas nossas comunidades, quando há tanta gente esperando o Evangelho! Não se trata simplesmente de abrir a porta para acolher, mas de sair pela porta fora para procurar e encontrar. Decididamente pensemos a pastoral a partir da periferia, daqueles que estão mais afastados, daqueles que habitualmente não frequentam a paróquia. Também eles são convidados para a Mesa do Senhor. 3. Chamados a promover a cultura do encontro. Em muitos ambientes, infelizmente, ganhou espaço a cultura da exclusão, a “cultura do descartável”. Não há lugar para o idoso, nem para o filho indesejado; não há tempo para se deter com o pobre caído à margem da estrada. Às vezes parece que, para alguns, as relações humanas sejam regidas por dois “dogmas” modernos: eficiência e pragmatismo. Queridos Bispos, sacerdotes, religiosos e também vocês, seminaristas, que se preparam para o ministério, tenham a coragem de ir contra a corrente. Não renunciemos a este dom

Não queremos ser presunçosos, impondo as nossas verdades. O que nos guia é a certeza humilde e feliz de quem foi encontrado, alcançado e transformado pela Verdade que é Cristo, e não pode deixar de anunciá-la ” de Deus: a única família dos seus filhos. O encontro e o acolhimento de todos, a solidariedade e a fraternidade são os elementos que tornam a nossa civilização verdadeiramente humana. Temos de ser servidores da comunhão e da cultura do encontro. Permitam-me dizer: deveríamos ser quase obsessivos neste aspecto! Não queremos ser presunçosos, impondo as “nossas verdades”. O que nos guia é a certeza humilde e feliz de quem foi encontrado, alcançado e transformado pela Verdade que é Cristo, e não pode deixar de anunciá-la (cf. Lc 24, 13-35). Queridos irmãos e irmãs, fomos chamados por Deus, chamados para anunciar o Evangelho e promover corajosamente a cultura do encontro. A Virgem Maria seja o nosso modelo. Na sua vida, Ela deu “exemplo daquele afeto maternal de que devem estar animados todos quantos cooperam na missão apostólica que a Igreja, tem de regenerar os homens” (Conc. Ecum. Vat. II, Cost. dogm. Lumen gentium, 65). Seja Ela a Estrela que guia com segurança nossos passos ao encontro do Senhor. Amém.


8

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013 LALO R. VILLAR/AP/AE

geral Maquinista está indiciado « ACIDENTE » Polícia espanhola resolve deter o condutor do trem que descarrilou e matou 78 passageiros. Entre as vítimas está um brasileiro

S

Trem descarrilou ao tentar fazer curva em alta velocidade

antiago de Compostela - O Ministro do Interior da Espanha disse que o condutor do trem que descarrilou na última quarta-feira em Santiago de Compostela, matando 78 pessoas, está agora detido por suspeita de homicídio por negligência. O ministro do Interior, Jorge Fernandez Diaz, anunciou a me-

dida contra o maquinista Francisco José Garzón, que tinha sido detido anteriormente por suspeita de imprudência. O ministro também disse que Garzón recebeu alta do hospital e foi levado para a delegacia de polícia. No Brasil, o Ministério das Relações Exteriores, Itamaraty, confirmou que um brasileiro, que

também tem a nacionalidade espanhola, está entre os 78 mortos no acidente do trem que descarrilou há dois dias, em Santiago de Compostela, na Espanha. O Consulado do Brasil em Madri, capital espanhola, entrou em contato com a família do homem que morreu, mas os parentes disseram que não necessitam de

apoio e pediram para evitar a divulgação de detalhes. O acidente ocorreu no último dia 24 com o trem que fazia a rota Madri e Ferrol. Há suspeitas de que o maquinista Francisco José Garzón Amo, de 52 anos, tenha extrapolado a velocidade permitida. Ele recusou-se a prestar esclarecimentos à polícia.

« FÓRMULA 1 »

Hamilton larga na frente hoje no GP da Hungria

O

inglês Lewis Hamilton larga na frente, hoje, GP da Hungria, com largada marcada para às 9h. É a terceira vez seguida que o piloto da Mercedes consegue a pole position, sendo a quarta vez na temporada. Ele cravou 1min19s388. O brasileiro Felipe Massa fez o sétimo tempo, com 1min19s929. Nesta temporada, apenas Vettel, Hamilton e Rosberg conseguiram largar na primeira colocação. Hamilton venceu no ano passado o GP em Budapeste. Vettel ficou com a 2ª melhor marca; Grosjean fez com o 3º tempo. Rosberg, Alonso e Raikkonen complementam a lista dos melhores colocados. Sebastian Vettel, que já havia feito o melhor tempo no treino livre de sexta, cravou 1m19s506 na sessão oficial deste sábado a 5 minutos do fim. Mas Hamilton superou o alemão no minuto final da atividade. Sem vencer há 76 corridas, a maior na história envolvendo um ferrarista, Felipe Massa chegou a Hungria ouvindo especulações de que pode não ter espaço na Fórmula 1 caso deixe a escuderia italiana no fim do ano. O piloto de 32 anos falou informalmente à Rede Globo que o assunto não é procedente. Para quem acompanha a temporada de Fórmula, o detalhe é que a corrida não será exibida pela Rede Globo, que priorizará a cobertura do Papa Francisco no Brasil. A cobertura da competição será feita pelo canal Sportv.

Pelo retrovisor Alonso parece ser o único que piloto que ameaça mais um título de Vettel - está em segundo lugar no campeonato, com 123 pontos contra 157 do alemão. No treino da última sexta, o espanhol da Ferrari fez o quarto tempo, com 1min21s426. Já o finlandês Kimi Raikkonen, em terceiro na temporada (116 pontos), deixou sua Lotus na oitava posição nos treinos livres, ao cravar 1min22s011 Enquanto isso, o piloto brasileiro Felipe Massa, que havia tido dificuldades em ser rápido no treino da manhã, quando terminou apenas com o 15º colocado, melhorou bastante na sessão da tarde. Pressionado pelos últimos resultados ruins, ele foi apenas 128 milésimos mais lento do que seu companheiro na Ferrari e conseguiu o quinto melhor tempo do dia: 1min21s544. A surpresa negativa do Q3 foi o desempenho de Mark Webber, companheiro de Vettel na Red Bull. O problema no Kers que complicou seu desempenho durante todo o treino não foi superado na última etapa, e ele acabou se conformando com o 10° lugar sem sequer arriscar uma volta rápida em Budapeste. No restante do treino qualificatório, as equipes correram sem problemas e a ocorrência de acidentes.


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

geral

9

Rondas escolares Cipred tenta inibir a violência, o aliciamento e o uso de drogas ilícitas e lícitas dentro ou fora da escola por alunos das redes pública e privadas de ensino Municípios com ação do Proerd

Ocorrências 2010

2011 31

2012

38

17 14

Apreensões 2010/2012

15

23

15 19

17 10

armas de fogo

18

10 3

3 11

Jul

Ago Set

Out Nov

1

Abr Mai Jul Ago Set Out

Dezembro e janeiro – férias escolares

« PREVENÇÃO » Programas executados pela Polícia Militar, na prevenção ao tráfico, tem resultados positivos no meio escolar do RN

C

Mai

Ago

Out

armas

quilnteos, 1,5 orp ece

de ent incluindo 100 pedras de crack e um quilo de maconha.

Guamaré Jardim do Seridó Jucurutu Lagoa Nova Macaíba Montanhas Monte das Gameleiras Mossoró Natal* Nova Cruz Olho d´agua dos Borges Parelhas Parnamirim* Pureza Santa Cruz*

*Cidades onde existem a “Ronda Escolar”

Proerd e Ronda Escolar afastam tráfico da porta das escolas riada há cinco anos, a Companhia Independente de Prevenção ao Uso de Drogas (Cipred) da Polícia Militar do Rio Grande do Norte (PM-RN) é o guarda-chuva de dois programas que tentam inibir a violência, o aliciamento e o uso de drogas ilícitas e lícitas dentro ou fora da escola por alunos das redes pública e privadas de ensino. O “Programa Educacional de Resistência às Drogas” (Proerd) é o mais antigo desses programas. Está em execução há dez anos e atende, atualmente, escolas de 42 municípios do Rio Grande do Norte. Deste total, quatro contam com um outro projeto, complementar: a “Ronda Escolar”. Como o Proerd trabalha de forma muito subjetiva, o major Arthur Monteiro de Araújo – comandante da companhia – considera que “não dá para mensurar” o resultado do trabalho preventivo sobre o uso de drogas por adolescentes. Resultados mais visíveis e mensuráveis são obtidos com o Ronda Escolar, em execução nas cidades de Currais Novos, Natal, Parnamirim e Santa Cruz. Em outubro deste ano a Cipred/PM e a Secretaria Estadual da Educação e da Cultura (SEEC) devem realizar o “4º Encontro de Segurança Escolar” para os gestores de escolas públicas e privadas. Uma enquete de atendimento feita entre os gestores escolares em outubro de 2012, já mostrava que todos os 118 entrevistados defendem a ampliação da Ronda Escolar, criada há três anos. A enquete ainda mostrou que 57 dos entrevistados destacaram a “rapidez” do atendimento da “Ronda Policial”, que é feita por uma viatura e três praças da PM, enquanto 61 gestores

Mar

50 brancas

Acari Areia Branca Boa Saúde Bodó Bom Jesus Brejinho Caicó Caraúbas Carnaúba dos Dantas Cerro Corá Cruzeta Currais Novos* Equador Florânia Goianinha

classificaram o “bom trato” como um diferencial. Mais preocupante é o que a enquete mostrou sobre o uso de drogas e/ou a presença delas no ambiente escolar. Dos gestores ouvidos, 62 admitiam a existência de problemas de drogas dentro das escolas, “mas sob controle”, enquanto 12 diziam que “existe e é grave”. 44 disseram que não existiam problemas de drogas nas escolas. O major Arthur Emílio Monteiro de Araújo, conta que no começo da Ronda Escolar “havia ocorrências quase que diariamente” no entorno das escolas, como os casos das brigas entre grupos rivais de escolas do centro de Natal, que ganharam alguma notoriedade na imprensa.Durante os dois primeiros meses de implantação da Ronda Escolar, em julho e agosto de 2010, o número de ocorrências chegou a 23 e 31, respectivamente, mas depois apresentou uma curva descendente até chegar a apenas duas ocorrências em dezembro do mesmo ano. . Depois caiu para 17 em setembro e 10 nos dois meses seguintes O major Arthur M. de Araújo informa que em quase três anos de atividade, o projeto “Ronda Escolar” afastou, segundo ele, as pessoas envolvidas com a criminalidade de dentro ou do entorno das escolas. “As equipes têm telefones próprios e antes de ligar para o 190, ligam para a Ronda de serviço, evitando a burocracia do Ciosp, com pedido de informações, endereços etc. O policial da Ronda Escolar passou a ser referência”.

+

PAGINA 10

Educadores elogiam o Proerd e as rondas

Santana do Seridó Santo Antônio São Bento do Trairi São Fernando São G. do Amarante São José do Seridó São Miguel do Gostoso São Tomé Serra de São Bento Serra Negra do Norte Serrinha Sítio Novo Taipú Tenente Laurentino

Fonte: Cipred/PM


10

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

Cláudio Humberto [ ch@claudiohumberto.com.br - www.claudiohumberto.com.br]

Já gastaram mais de R$ 8,5 milhões Os deputados federais João Paulo Cunha (PT-SP), Valdemar da Costa Neto (PR-SP) e José Genoino (PT-SP) já torraram mais de R$ 8,5 milhões do contribuinte de 2011 para cá. Além de altos salários e mordomias como motorista e imóvel funcional em área nobre da capital, condenados vão à forra com passagens aéreas, combustível, escritórios de apoio, segurança particular, consultorias e pesquisas.

O debate foi um dos mais pobres que já tivemos notícia” Governador e presidenciável Eduardo Campos (PSB-PE), sobre as eleições de 2010

Falam muito

Cada centavo conta

Em tempos de espionagem, deputados, que deveriam ser ex, gastaram com telefone R$ 207.084,78. Devem ser conversas com os advogados.

A coisa deve estar feia para Costa Neto. Nem os R$ 0,30 de carta comercial enviada em maio de 2013 escaparam. Foi pra nossa conta.

Olha a dieta Genoino recebe alimentação regrada do SENAC, tudo reembolsado, até os R$ 12 gastos na escapadinha com pão de queijo no aeroporto.

Pergunta no aeroporto A PF vai revistar o avião do presidente encrenqueiro da Bolívia Evo Morales antes ou depois da missa com o Papa neste domingo?

Vereadores bajulam A Câmara Municipal de Olinda deu o título de cidadão honorário a Antonio Campos, especialmente pelo seu trabalho como organizador da Festa Literária de Porto de Galinhas – que, aliás, fica em outro mu-

nicípio. A bajulação faz justiça a Antonio, que, irmão do governador Eduardo Campos, assegurou patrocínio de R$ 3,5 milhões da Empetur, empresa do governo estadual, para a tal 9ª Fliporto, em novembro.

Irmão amigo

Pátio dos milagres

Antonio Campos já recebeu parcela de R$ 2,625 milhões do patrocínio da Empetur, conforme comprovante ao qual esta coluna teve acesso.

O ex-über empresário Eike Batista fechou o site com o nome dele e desistiu do Twitter, onde tinha quase quatro milhões de seguidores.

Os incomodados É praticamente certa a saída da deputada distrital Eliana Pedrosa do PSD para o PSDB, partido pelo qual concorrerá as eleições de 2014.

Endereço errado Como muitos que tentam negócios no governo federal, o consórcio Inframerica, que administra o de Brasília, pediu bênção a Lula para ganhar a

concessão do aeroporto do Galeão ou Confins. Mas Dilma, dona da caneta, anda irritada com o ritmo lento das obras na capital.

Yes, we can

Antes da lama

A tentativa por decreto de quebrar sigilo de internautas para identificar vândalos rendeu apelido de adversários ao governador Sérgio Cabral (PMDB): “Obama do Engenho Novo” (subúrbio do Rio onde nasceu).

Militares teriam sugerido a Candelária para o encerramento da visita do Papa, diz o exprefeito Cesar Maia (DEM-RJ). Palco de memoráveis protestos, foi preterido pelas autoridades religiosas e pelo governo.

Tudo sob controle

Não entra mosca

Virtual candidato à Presidência, Eduardo Campos (PSBPE) aproveita a calmaria em Brasília – com o recesso branco no Congresso – para viajar o interior de Pernambuco, já de olho em fazer sucessor em 2014.

Alvo de críticas por suas declarações homofóbicas, o deputado e pastor Marco Feliciano (PSC-SP), presidente da Comissão de Direitos Humanos, tem fugido das câmeras: “A hora é de submergir”, explica.

Assim não dá O núcleo do PT na Educação pressiona o Planalto a negociar sobre o projeto que destina royalties do petróleo à educação e saúde. Muitos votaram constrangidos com o governo, e outros boicotaram a votação.

Espiões na mira O deputado Fernando Ferro (PT-PE) já recolheu 130 assinaturas para criar a CPI da Espionagem Americana. Ele quer saber qual o “real estado de segurança das vias de comunicação”.

Estrategista Presidente do PSDB-DF, Eduardo Jorge mantém segredo sobre 2014: “Temos que agregar todo mundo que é contra o PT. Se eu disser que fulano é candidato ao governo, ninguém vem para o partido”.

Nem aí Curiosidade da pesquisa Ibope/CNI: a badalada reforma política para aliviar a barra dos políticos preocupa apenas 1% dos entrevistados.

geral

Educadores elogiam ação da PM junto às escolas « PREVENÇÃO » Palestras sobre riscos e consequências do uso de drogas

são inseridas na grade curricular. Rondas inibem presença de traficantes JOÃO MARIA ALVES

P

or causa das férias escolares do meio do ano, nas escolas estaduais e particulares, o projeto “Ronda Escolar” havia, praticamente, entrado em recesso. Mas com a antecipação do fim das férias nas escolas municipais, as viaturas da Polícia Militar do Rio Grande do Norte voltaram a circular pelo entorno das escolas, como foi na Escola Municipal Noilde Ramalho, na comunidade da África, na Redinha. A diretora da escola, Ana Lúcia da Silva Queiroz, disse que na sua unidade nunca houve histórico de tentativa de aliciamento ou venda de drogas, primeiro porque lá só estudam crianças com até 12 anos, nos primeiros anos do ensino fundamental. Porém, ela disse que a presença a ronda da PM “ajuda como prevenção”. Ana Lúcia Queiroz explicou que o Proerd também é importante para a comunidade escolar - “ano passado a gente não teve e os alunos ficaram perguntando quando ia voltar”. Segundo ela, o Proerd não entra em conflito com a grade pedagógica da escola, porque o instrutor, um policial treinado, quando vai falar para as crianças sobre os efeitos da droga para o usuário, “aproveita a aula sobre o corpo humano”. Ela explicou que as aulas do Proerd ocorrem uma vez por semana e na Escola Municipal Noilde Ramalho, onde existem duas turmas com faixa etária média de 12 anos, principal alvo do Proerd, as aulas ocorrem na quinta-feira, uma começando às 12 horas e outra às 13h. O cabo Sérgio Sérgio Souza comanda uma guarnição do “Ronda Escolar” na Zona Norte de Natal e disse que na África não tem ocorrências que tragam alguma preocupação. Segundo ele, a guarnição atende com mais frequência ocorrências, principalmente no horário da tarde ou à noite, quando estudam os adolescentes, nas Escolas Waldson Pinheiro e Dulce Wanderley, situadas respectivamente no Vale Dourado e na Redinha. Souza acha que uma viatura só é muito pouco para dar conta de toda a Zona Norte. “Precisamos de pelo menos duas”. O comandante do Cipred, major Arthur Monteiro de Araújo, confirma que no começo do projeto, havia dez viaturas policiais à disposição do “Ronda Es-

Proerd é executado há cinco anos. Rondas Escolares mostram eficiência, mas só tem um veículo

O ano passado a gente não teve (o Proerd) e os alunos perguntavam quando ia voltar” ANA LÚCIA DA SILVA Diretora de escola na Redinha

colar”, número que foi reduzido a seis, e que no momento não existe previsão para a volta das outras quatro. Segundo ele, o projeto atende no Estado, anualmente, mais de 70 mil crianças em Natal e no interior e pode não impedir, que num futuro, um adolescente ou uma pessoa em fase adulta venha a usar droga até pela curiosidade. Porém, o major Arthur Araújo diz que uma criança, futuramente vai estar mais preparada para “dizer um não ou como deve agir” em casos de aliciamento, inclusive por colega que lhe oferece droga: “Ele vai dizer que não tem receio de perder um amigo e vai entender que pode ter outros amigos sem precisar usar drogas”. O tenente Willame Bruno da Silva comanda o 1º Pelotão do Cipred que executa o Proerd, e afirmou que esse programa “é só um dos três eixos” que pode atuar no combate às drogas: “O primeiro é a prevenção, o segundo é a repressão ao crime e em terceiro o tratamento clínico para o jovem

que tenta se ressocializar”. Segundo o tenente, o Proerd é exatamente o primeiro eixo, dentre diversas instituições que atuam para minimizar o problema das drogas. “A gente tem feito a nossa parte nas escolas e no entorno delas, mas temos visto que o tráfico de drogas tem sofrido migração, saindo do ambiente escolar”, afirmou. Infelizmente, disse o tenente, o crime organizado trabalha em rede, enquanto na área do poder publico falta uma integração entre todos os órgãos envolvidos, “que trabalha individualmente, cada um fazendo um pouco, mas pra melhorar é preciso um trabalho articulado, saber o que o outro está fazendo”. O Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd) foi implantado no Brasil há 20 anos, mas no Rio Grande do Norte foi efetivado no ano de 2002. No início, a primeira turma contou com apenas cinco policiais e atendeu 100 crianças e jovens. Atuando desde 2002 no Estado, o PROERD em 2012 está presente hoje nos 42 municípios abaixo, e seus 100 policiais militares instrutores atendem anualmente uma média de 70.000 crianças, adolescentes e comunidade em geral. Araújo conta que o Proerd e o Ronda Escolar contam com 100 praças cada projeto, que atuam no campo e na área administrativa e de apoio. No caso dos praças da Ronda Escolar, eles cumprem uma jornada de 12 horas, de 6:30 às 18 horas e de 12:30 às 23:30.

ì PERFIL DO INSTRUTOR DO PROED Ser voluntário Ter experiência em atividade educacional à Ter facilidade de comunicação à Ter criatividade à Não ser fumante à Não fazer uso abusivo de álcool àTer curso de habilitação 80 horas/aulas à à

Objetivos do Proerd Envolver a polícia, a escola, a família e a comunidade na problemática das drogas e da violência à Desenvolver uma ação pedagógica de prevenção ao uso indevido de drogas e a prática da violência nas escolas à Desenvolver o espírito de solidariedade, de cidadania e de comunidade na escola à Sensibilizar os pais e os educadores para o trabalho de prevenção ao uso indevido de drogas e à prática da violência; à Promover o desenvolvimento de valores positivos à Fortalecer a autoestima das crianças e dos adolescentes à Sensibilizar as crianças e os adolescentes para que desenvolvam estilos de vida saudável à Sensibilizar as crianças e os adolescentes para que reconheçam e resistam às pressões diretas ou indiretas que poderão influenciá-los a experimentar drogas ou mesmo a agirem com violência à

Fonte - Proerd


Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

geral

Tomislav R. Femenick Jornalista, mestre em economia com extensão em sociologia e história, membro da diretoria do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte.

A

estrutura fundamental dos governos democrático tem como alicerce o pensamento de dois grandes filósofos franceses, Jean-Jacques Rousseau e Charles-Louis de Secondat, o barão de Montesquieu, bem como do político e pensador norte-americano, Thomas Jefferson. Rousseau expressou a ideia de que governantes e governados teriam um contrato tácito, não formalmente expresso, estabelecendo que os legisladores devem fazer as leis de acordo com a vontade do povo e que, pelo primado da maioria, as leis deveriam valer para todos; até para aqueles que com elas não concordasse. Montesquieu defendia que o poder deveria ser dividido em três segmentos perfeitamente distintos: o Legislativo faz as leis, o Executivo executa a administração geral do aparato estatal e o Judiciário decide sobre os conflitos de interesses, aplicando normas gerais e abstratas. Por sua vez, Jefferson defendia um Executivo não centralizador, como forma de impedir que os governantes tivessem em suas mãos todas as funções de mando e de formulação das leis, evitando-se, dessa forma, o surgimento de uma “monarquia republicana”. Embora oriundo do campo parlamentar (foi deputado federal de 1946 a 1961), como governador Aluízio Alves teve vários problemas com os outros poderes. As relações que deveriam ser de harmonia e de alinhamento para administrar os interesses do povo potiguar, nem sempre assim o foram. Dizia-se que os problemas do governo Aluízio Alves com o legislativo estadual, se originavam no fato dos deputados – distanciando-se da sua função de cogerenciar estruturalmente o Estado – não quererem tomar conhecimento do que estava sendo feito pelo executivo, com o objetivo de desenvolver a economia e modernizar o instrumental de governo do Rio Grande do Norte.

Conversando com Deputados Nem sempre as relações do governo Aluízio Alves com os deputados estaduais se deram em níveis eminentemente institucionais. Houve períodos de alta e de baixa. O ímpeto de alterar, de mudar como as coisas eram conduzidas entre o Palácio Potengi (depois Palácio da Esperança) e a Assembleia Legislativa do Estado rendeu ao novo governador uma série de tropeços e situações inusitadas. Indagado como encarou esse fato, Aluízio respondeu: “Quando estudava no curso de Ciências Jurídicas e Sociais da Faculdade de Direito de Maceió, eu tinha, como se diz, dois livros de cabeceira: ‘A Origem do Direito dos Povos’, do professor Jayme de Altavila, e ‘Do Contrato Social’, de Montesquieu. Essas duas obras nortearam o meu pensamento jurídico e impuseram uma direção social em todas as minhas ações. Tanto é assim que na mensagem que enviei à Assembleia do Estado em 1961, por ocasião da abertura dos trabalhos do poder parlamentar, citei em primeiro lugar o pensamento de Montesquieu. [Nessa altura, o ex-governador buscou um entre os livros que estavam à sua frente]. Aqui está: ‘A Democracia se afirma, em nosso regime constitucional, pela harmonia e independência dos três poderes: Legislativo, Judiciário e Executivo. Cada um tem atribuições específicas. Todos têm deveres comuns. Montesquieu, ao formulá-los, não fez uma criação intelectual, ou um jogo de xadrez jurídico. Armou um sistema visando a uma finalidade, que é a da Democracia, que é a do Poder em si mesmo:

A Consciência Política de Aluízio Alves – III ATRITOS NO CAMINHO DA HARMONIA FOTOS: REPRODUÇÃO

obstinados e convenceram a todos nós da imparcialidade política que imperaria no Tribunal de Contas. No final todos tivemos êxito. Tanto é assim que, além de instalar o Tribunal, foi no meu governo que ele ganhou novas instalações, inclusive ocupando uma segunda sede, com condições mais adequada para abrigar sua estrutura e realizar sua missão”.

Conversando com Magistrados

a realização, pelos instrumentos políticos do Estado, do bem geral do povo. É certo que nem sempre a realidade se coloca nesse plano ideal’, pelas deficiências de nossa formação cultural e despreparo. A minha citação teve o caráter de profissão de fé. O que eu não sabia na ocasião era o quando era extensa a fronteira que separava o ideal democrático e a realidade política de nosso Estado. Esperava que, passada a campanha, os ânimos tivessem serenados, tivessem se amortecidos. Pobre desejo. Uma ala de deputados torpedeava todas as minhas propostas e todos os projetos dos seus colegas que me apoiavam. Era-me inesperado, mas era crível. Uma parcela significativa dos integrantes da Assembleia tinha uma formação política arraigada em tradições antigas, com visões paroquiais, de defesa somente dos sentimentos provincianos ao extremo, quando não de vantagens para seus respectivos grupos. O problema não foi outro. Eram as negociações de balcão, a grosso e a granel. Um caso foi típico. Houve um deputado que tinha me apoiado, que tinha feito campanha para mim, que votou contra um projeto de interesse do governo, se não me engano, uma estrada vicinal ligando a cidade de Caraúbas ao seu então distrito de Janduís, onde havia somente uma vereda. Dias depois, o mesmo deputado participou de uma reunião no Palácio para tratar de outro assunto. Então eu lhe perguntei por que ele tinha votado contra a estrada de Caraúbas. A resposta me surpreendeu. A causa tinha sido o fato do secretário de educação ter confirmado a permanência de uma professora como diretora de um grupo [escola de primeiro grau] em sua região de atuação política. A professora tinha sido noiva de um primo dele e tinha rompido o compromisso. Não eram incomuns fatos dessa natureza. Mas aprendi a

lição. Daí para frente eu cultivei o hábito de ouvir os pedidos dos deputados, sempre que havia propostas importantes, de interesse Estado, em votação na Assembleia. Alguns pedidos eram consistentes, porém a maioria, a grande maioria, eram coisas esdrúxulas e outro até mesquinhos, como nomeação de delegados, de amigos para empregos e demissão, isso mesmo, de desafetos, mesmo que os atingidos apoiassem o governo. O problema se tornava maior quando eram os próprios dirigentes da Assembleia que faziam esses pedidos. Muitas vezes tive que os atendes para viabilizar os grandes projetos que visavam o desenvolvimento do Rio Grande do Norte, como a modernização do ensino público, criar condições para o desenvolvimento econômico, levar água para as regiões mais secas, por exemplo”.

Conversando com Ministros Os Tribunais de Contas dos Estados, como linha auxiliar do poder legislativo, tinham – e ainda têm – por objetivo a fiscalização das contas do Estado e de seus Municípios. O Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Norte foi criado em 1957, pelo então governador Dinarte Mariz, no prenúncio da disputa pelo cargo de governador do Estado, tendo Djalma Marinho e Aluízio Alves como candidatos, o primeiro apoiado por Dinarte. Eleito governador, Aluízio relutou em ter suas contas fiscalizadas por uma corte composta por membros indicados por Dinarte Mariz, seu desafeto político. Essa nova disputa chegou ao Supremo Tribunal Federal, que decidiu pela legalidade do ato de Dinarte. Só assim foi que o Tribunal foi instalado, em 1961, logo no início do ser mandato. Indagado sobre esse imbróglio, Aluízio o explicou da seguinte maneira: “Na política do Rio Grande

do Norte nada é absolutamente claro, tudo é difuso, tudo tem diversas interpretações, fato que às vezes torna as versões mais importantes que os fatos. Se hoje ainda é assim, imagine nos anos sessenta do século passado. E esse foi o caso do Tribunal de Contas. A versão que então corria – e que ninguém desmentia – era que o objetivo de Dinarte era dificultar as ações do meu governo. Tanto seria possível ser essa a verdade era que o tribunal foi criado em 1957, mas somente seria instalado no governo seguinte. Nada tinha contra os seus integrantes, contra seus ministros [na época os atuais conselheiros eram chamados de ministros]. Porém não desejava e nem queria ser a Joana D’Arc dessa história. O apaziguamento dos ânimos deu-se pela atuação de dois ministros, que se destacaram no esforço de me convencer da imparcialidade que ira nortear os trabalhos do Tribunal: Mota Neto e Romildo Gurgel. Mota Neto era uma pessoa tremendamente extrovertida e com uma incrível capacidade de convencimento. Motinha era do PSD, partido pelo qual fui eleito, porém tinha aberto uma dissidência que apoiava meu adversário, que tinha como candidato a vice-governador seu conterrâneo Vingt Rosado. Mais tarde ele me disse que essa foi um das suas coerências de mossoroense. Depois houve uma estreita aproximação política entre nós, o que nos levou, inclusive a sermos amigos. O outro, Romildo Gurgel, era um articulador nato que atuou entre as lideranças do poder Executivo e Legislativo. Enquanto Motinha se aproximava e me envolvia com seu jeito aparentemente despreocupado de ser, Romildo atuava se empenhando em fazer uma costura de trato político. Era impressionante como eles se moviam nesse jogo de cena muito bem orquestrado e afinados entre si. Nisso eles foram

Nas sociedades primitivas existia a ordem discricionária, imposta pela força. Depois o costume, a prática frequente, a repetição da mesma ordem, a procedência deu lugar ao direito consuetudinário. Ambas não tinham nenhum sentido democrático. Atualmente a ordem se obtém pelo império das leis, fato que o distingue das situações que anteriormente eram usuais. Esse novo sentido deu um papel bem peculiar ao Poder Judiciário, no âmbito da governabilidade. Nas disputas entre poderes, é o Judiciário – com suas diversas áreas de atuação e de circunscrição – que zela pela aplicação das normas legais. O Poder Judiciário é o arbitro que dirime as contendas dos dois outros poderes, o Executivo e o Legislativo e tem, ainda, a função de decidir as questões entre o Executivo ou Legislativo, contra o próprio Judiciário. Por isso é que se espera que ele seja exercido com a autoridade jurisdicional que lhe é própria, total autonomia e imparcialidade inquestionável. Todavia esse ideal só é obtido com a prática constante do estado democrático de direito. Quando a democracia não existe ou mesmo é incipiente, esse ideal pode ser aviltado, enxovalhado. Problemas com a justiça todos os Executivos têm. O grande problema é quando há deterioração do relacionamento, quando a harmonia se esgarça e prejudica o funcionamento pleno e independente desses dois poderes, o Executivo e o Judiciário. No governo de Aluízio Alves ocorreram divergências, posicionamentos diferentes, que poderiam ter comprometido o perfeito funcionamento do estado democrático de direito. Falando sobre esses fatos, assim se posicionou o ex-governador: “Durante toda minha carreira política, as minhas atitudes raramente foram de neutralidade, sempre fui a favor ou contra. Posso ter errar, e errei muitas vezes, porém não por omissão. Assim foi que agi, com relação à Justiça, durante toda a minha vida, até por coerência e respeito à minha formação acadêmica. Sempre tive por lema que, em um estado democrático de direito, se pode discordar das decisões da Justiça, mas se deve acata-las e, mais que isso, se deve cumpri-las. O problema acontece quando as decisões são equivocadas. Mesmo assim (repito, em um estado democrático de direito) elas devem ser honradas, obedecidas – o que é bem diferente nos estados de exceção, nas ditaduras, situação oposta ao estado de direito. Saindo do campo teórico, vamos voltar ao mundo real. Vamos falar das relações do meu governo com o Poder Judiciário. Há um adágio, um provérbio popular, que circula entre advogados e até entre os magistrados, que diz que alguns juízes pensam que são deuses e que alguns magistrados têm certeza que são. Se hoje se diz assim, imagine como era no meado do século passado. Certamente que não todos, porém alguns juízes insinuavam favores em troca de uma decisão favorável ao Estado, mesmo que o Estado hou-

11

vesse observado toda a legislação e todas as normas legais referentes aos processos que eles estavam julgando. Sempre procurei explicações para isso, até que um dos meus secretários, não me lembro qual deles, me alertou para o fato de que esses mesmos juízes eram oriundos de famílias que se dedicavam à política partidária em seus Municípios”. E quanto ao Tribunal de Justiça do Estado? Perguntei. A resposta de Aluízio foi surpreendente, no seu final: “Para o filosofo inglês Thomas Hobbes [novamente Aluízio consultou um dos livros que estava lendo na ocasião], a justiça é um valor intrínseco do ser urbano, civilizado. É o que deu razão à criação e o que dá sustentação à existência do Estado. Com seu papel de mediadora política, exerce a função de encontrar soluções para os desacordos entre os vários órgãos do aparato estatal, visando à estabilidade nas suas relações. Esse conceito sobre a justiça exige, entre outras coisas, que seus procedimentos sejam envoltos em garantias que vão além da lisura processual. Exige, também, lisura pessoal dos julgadores. Somente assim se tem um arcabouço jurídico que respeita e justifica seus objetivos. Quando assumi o governo ainda havia muitas mágoas remanescentes da campanha. Afinal até pouco tempo antes eu fazia parte da UDN, que no Rio Grande do Norte era comandada por Dinarte Mariz e muitos desembargadores eram e continuavam sendo extremamente ligados a ele. Então entre esses magistrado criou-se um clima antiAluízio, ambiente no qual germinou e cresceu uma ala (se assim se pode chamar) organizada

Embora oriundo do campo parlamentar (foi deputado federal de 1946 a 1961), como governador Aluízio Alves teve vários problemas com os outros poderes” que atuava contra mim e, por decorrência, contra os interesses do meu governo. Esse foi um caso bastante estressante e desconcertante, que levou a que se cometessem excessos de ambos os lados. Em determinada ocasião, eu necessitei de uma decisão ou parecer do Tribunal (não me lembro bem qual era) que repercutia profundamente na economia do Estado. Na mesma ocasião em que recebi a decisão da Corte Judiciária, que era contraria as pretensões do governo, recebi também um oficio do mesmo Tribunal pedindo a liberação de verbas para pintar seu prédio. O meu despacho no processo foi dado por escrito e formulado em clima de revide, e foi mais ou menos assim: ‘já que não posso limpar por dentro, vamos pintar por fora’. Confesso que foi uma impropriedade, um ato não político. Hoje eu teria sido mais sensato e não o faria nesses termos. Porém o marcante era o paradoxo dos fatos. A origem de todos esses atritos entre o governo do Estado e o Tribunal de Justiça era um posicionamento tomado a priori por aquela ala contrária ao meu governo, melhor dizendo, contrária a pessoa de Aluízio Alves. Ora, os desembargadores que se alinhavam a Dinarte quase que controlavam o Tribunal, descaracterizandoo como corte de justiça. Embora abstrato, o termo justiça é perfeitamente entendido por todos como aquilo que é justo, que está em conformidade com as leis. E não aquilo que é submisso aos interesses dos julgadores”.


12

geral

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

»ENTREVISTA » JOÃO PEDRO STÉDILE DIRIGENTE NACIONAL DO MOVIMENTO DOS TRABALHADORES RURAIS SEM TERRA (MST)

‘Sem uma constituinte, entraremos numa crise” « REFORMAS » Líder dos sem-terra e ativista social, principal defensor da reforma agrária ampla no Brasil, Stédile considera que o país vive um momento de transição, com renascimento das mobilizações de ruas. As manifestações, segundo ele, vão prosseguir até alterar a correção de forças políticas dentro da sociedade NILTON VIANA

E

m junho, no auge dos protestos que sacudiram o país, o Brasil de Fato publicou uma entrevista com João Pedro Stedile, dirigente nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e membro das articulações dos movimentos sociais brasileiros por mudanças sociais, para fazer um balanço e entender o significado daquele momento. Agora, passado um mês daquele momento histórico, e após a realização do dia nacional de paralisações, convocado pelas centrais sindicais e pelos movimentos sociais, publicamos nova entrevista com Stedile. O dirigente acredita que está definitivamente enterrada qualquer possibilidade de mudança política através do atual Congresso. E ele é taxativo: “Se não viabilizarmos uma assembleia constituinte, entraremos numa crise política prolongada, cujos desdobramentos ninguém sabe como acontecerão”. Passado o primeiro mês das

grandes mobilizações e da paralisação de 11 de julho, que balanço você faz? O resultado das grandes mobilizações ocorridas em junho é extremamente positivo. A juventude passou a limpo a política institucional e rompeu com a pasmaceira da política de conciliação de classes, em que se dizia que todos ganhavam. Depois, tivemos a paralisação nacional do dia 11 de julho – organizada pelas centrais sindicais e pelos setores organizados da classe trabalhadora – que apesar da manipulação da imprensa burguesa foi realmente um sucesso. A maior parte da classe trabalhadora nos grandes centros do país não foi trabalhar. E seguiu-se em muitas cidades mobilizações representativas ou massivas, por demandas locais, contra a prepotência da polícia, contra os governos locais, como o caso do Rio de Janeiro, Vitória, Porto Alegre, etc. Tudo isso recolocou as massas em movimento atuando na luta política concreta e usando as ruas como espaço de disputa.

E qual o significado disso do ponto de vista programático? Do ponto de vista programático, estamos assistindo a uma conjugação de dois polos: de um lado a juventude contestando a forma de fazer política, a falta de representatividade do Congresso, do poder Judiciário e governos. Desnudando a gravidade da crise urbana, na situação dos transportes e a vida nas cidades. E fazendo a crítica à Rede Globo e apoiando a democratização dos meios de comunicação. E de outro lado, com a entrada em cena dos setores organizados da classe trabalhadora, foi posto na agenda as demandas por reformas estruturais, relacionadas com as necessidades socioeconômicas de todo o povo. Como é a garantia dos direitos sociais, contra a lei de terceirização e precarização das condições de trabalho, pela redução da jornada de trabalho e o fator previdenciário. Também a pauta da soberania nacional contra os leilões de petróleo e a pauta da política econômica, contra as altas taxas de juros, por uma reforma tributária, que revise inclusive

a política de superávit primário que vem sendo aplicada desde o governo FHC. Por que a proposta da presidenta Dilma de realizar uma constituinte e um plebiscito não prosperou? ApresidentaDilmasentiuobarulho das ruas e num primeiro momento apresentou a proposta de realização de uma constituinte e a convocação de um plebiscito oficial para consultar o povo sobre essas mudanças. Foi uma boa iniciativa, apesar de que o plebiscito proposto estava relacionado a pequenas mudanças eleitorais, que não tinham uma relevância maior de reforma política. Mas, por incrível que pareça, ela foi boicotada e derrotada. Primeiro por sua base parlamentar, que na verdade não é base do governo, é base das empresas que financiaram suas campanhas. Segundo, foi boicotada pelo PMDB e por parte da própria bancada do PT. E assim está definitivamente enterrada qualquer possibilidade de mudança política através do atual Congresso. Ou se-

ja, se comprovou, mais uma vez, que ninguém corta seus próprios privilégios. Pior. Em meio a toda essa mobilização, os principais representantes dos poderes constituídos se comportaram com escárnio frente às demandas das ruas, ao usar os jatinhos da FAB para ir a festas e jogo da seleção. E as maracutaiasdopresidentedoSTFcom suas mordomias, sua promiscuidade com a Globo, empregando

um filho, e a denúncia de que recebeu mais de 500 mil reais sem trabalhar da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ). Tudo isso deixou a presidenta derrotada politicamente. Acho que seu futuro depende agora de muita coragem. Primeiro deveria fazer uma reforma ministerial para trocar imediatamente vários ministros da área política, Casa Civil, da Justiça e da Comunicação que ainda não


Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

geral

E

ì QUEM MAURÍCIO LIMA

escutaram as ruas... E dar uma prova de que quer mudar. Se afastar o mais rápido possível do PMDB e seguir ouvindo as ruas! Como você vê o comportamento e os objetivos da burguesia brasileira frente a essas mobilizações? Os setores organizados da burguesia brasileira e que a representam nos mais diferentes espaços

também ficaram atônitos diante das mobilizações, sem saber o que fazer e tateando suas táticas. Vejam a própria postura da Globo como foi se alternando ou as orientações que davam para suas polícias militares. Eles continuam divididos. Umapartecontinuaapoiandoogoverno Dilma, embora preferisse que o Lula voltasse para dar mais segurança ao pacto de classes que se estabeleceu em 2002. E outra

João Pedro Stedile é gaúcho, graudado em economia pela PUC/RS. É membro da direção nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), do qual é também um dos fundadores. Participa, desde 1979, das atividades da luta pela reforma agrária no MST e na Via Campesina Brasil. De formação marxista, Stédile é um dos maiores defensores de uma reforma agrária no Brasil. Filho de pequenos agricultores da província italiana de Trento, reside hoje em São Paulo.

parte da burguesia, mais ligada ao agronegócio e ao setor rentista do capital financeiro, se articula em torno de um único objetivo: desgastar ao máximo o governo Dilma para colher os frutos nas eleições de 2014. Porém, eles ainda não têm um candidato que consiga representar seus interesses e ao mesmo tempo capitalizar os desejos de mudança das ruas. Até porque eles não são a mudança, eles são o retrocesso, a volta aos programas neoliberais e a maior dependência do Brasil aos interesses estrangeiros. Eles vão continuar tentando motivar a juventude para que coloque temas reacionários ou utilizar o 7 de setembro para exaltação da pátria, como faziam no passado. Mas, para nossa sorte, acho que eles também estão mal na foto, como diz o ditado. E a juventude não entrou nessa.Ecomaentradadaclassetrabalhadora em cena, se colocaram temas da luta de classe na rua.

O que deve acontecer nas ruas daqui para frente? É muito difícil prever o desdobramento. É certo que as mobilizações vão continuar. Tanto de maneira pontual contra questões locais, como o caso do governador do Rio de Janeiro, os pedágios de Vitória, a luta pela tarifa zero, que sóestácomeçando...Eossetoresorganizadosdaclassetrabalhadorajá seprogramaramparadiversasmobilizações durante todo o mês de agosto.Dia6deagostoteremosmanifestaçõesdossetoressindicais,na frente de todas as sedes patronais, contra o projeto de terceirização e pela redução da jornada de trabalho. Na semana de 12 de agosto, teremosumagrandemobilizaçãodos jovens estudantes, por temas relacionadoscomaeducação.Dia30de agosto está marcada nova paralisação nacional com a mesma pauta política e econômica da mobilização do dia 11 de julho. Tenho certeza que essa paralisação será ainda mais significativa. E na semana de 7 de setembro teremos mobilizações contra os leilões do petróleo, da energia elétrica, as mobilizações dogritodosexcluídosqueenvolvem as pastorais das igrejas etc. Assim, teremosumagostomuitoativo.Mas oprincipaléqueconsideramosque está se abrindo um novo período histórico de mobilizações de massa, que será prolongado, até que se altere a correlação de forças políticas na institucionalidade. E qual é a proposta dos movimentos sociais frente a essa situação? Frenteaessaconjuntura,temos discutido nos movimentos sociais e realizado inúmeras plenárias locais, estaduais e nacionais dos mais diferentes espaços para ir acertando os passos unitários. Achamos quedevemosestimulartodotipode mobilização de massa nas ruas, como já descrevi sobre o mês de agosto. E por outro lado, a única saída políticaacurtoprazoélutarmospela convocação de uma constituinte

Se não viabilizarmos uma assembleia constituinte, entraremos numa crise política prolongada, cujos desdobramentos ninguém sabe como acontecerão”

Está se abrindo um novo período histórico de mobilizações de massa, que será prolongado, até que se altere a correlação de forças”

13

exclusiva para promover as reformaspolíticasqueabrirãoespaçopara as necessárias reformas estruturais. Como o Congresso não quer constituinte e derrotou o próprio governo, cabe às forças populares se mobilizarem e convocarem por conta própria um plebiscito popular que pergunte ao povo uma única questão: você acha necessário umaassembleiaconstituinteexclusiva para realizar as reformas? E com esse plebiscito popular, organizado por nós mesmos, colher milhões de votos, por exemplo, entre setembro e novembro, e aí fazer uma grande marcha a Brasília e entregar ao parlamento a proposta, para que eles convoquem a eleição dos constituintes junto com a eleição de 2014. E aí teríamos o Congresso temporário, funcionando, e outra assembleia constituinte que teria, por exemplo, seis meses (durante o primeiro semestre de 2015) para promover as reformas que as ruasestãoexigindo.Nopróximodia 5 de agosto, realizaremos uma plenária nacional de todos os movimentos sociais brasileiros, para debater essa e outras propostas e aí darmos os encaminhamentos necessários. Espero que os dirigentes que por ventura lerem essa entrevista se motivem a participar dessa importante plenária que será realizada em São Paulo. Mas você acha que essa proposta tem viabilidade política? Nesse momento estamos fazendo muitas consultas entre os movimentos sociais, correntes partidárias, forças populares e a aceitação é muito grande. Se conseguirmos organizar um plebiscito popular e ele recolher milhões de votos, isso será a pressão para encontrar uma saída política. Se não viabilizarmos uma assembleia constituinte, entraremos numa crise política prolongada cujos desdobramentos ninguém sabe como acontecerão. Até porque as eleições de 2014 não vão resolver os impasses colocados nas ruas.


14

quadrantes

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

JOSÉ ARNO GALVÃO [ ADVOGADO ]

Livros

V

ez por outra nós vivemos a necessidade de tomar decisões difíceis. Não que todos vejam como necessariamente difíceis tais decisões: para alguns são extremamente fáceis e não exigem duas palavras para sua implementação. Já falei sobre minha relação com os livros, relação que herdei de meu pai, para quem o livro era um objeto precioso, independente de vetustez ou raridade. Não foi à toa que testemunhei o crescimento de sua própria bibilioteca de um pequeno amontodo de livros que ocupava uma pequena estante na casa da av. Deodoro, até aquela

verdadeira livraria que ele deixou, advertindo sobre os problemas que estava deixando para minha mãe e eu administramos junto com os livros. No começo, o mais fácil foi a classificação e catalogação, realizados por uma equipe competente contratada pela Prefeitura, inspiração do então Prefeito Garibaldi Filho. À certa altura, foi a difícil decisão sobre o lugar que ela devia ocupar, se na sede da Fundação Hélio Galvão, se no apartamento de minha mãe e, em qualquer caso, se continuaríamos utilizando as mesmas estantes de madeira maciça. A bibilioteca ficou lá no

prédio da Campos Sales, mas as estantes foram armazenadas no meu sítio de Pium, substituídas por algumas de aço, pela única virtude de serem mais leves. E, depois de descer e subir mais de uma vez, resolveu-se dar-lhe um descanso, e ela voltou para o primeiro andar, seu pouso original. Esse mesmo dilema tive já de enfrentar duas vezes. Na primeira vez, foi um impedimento parcial que obrigou-me a encaixotar os livros e armazená-los em Pium. Posteriormente, ao mudar de apartamento, consegui lugar para abrigar parte substancial da biblioteca. Mas deixei

parcela importante encaixotada. Só não contava com os insetos que atacam a madeira. Quando quis resgatar os livros restantes, constatei que diversos deles estavam ocos, suas página consumidas por larvas que, ainda vivas, pareciam pedir mais. Prometi a mim mesmo não permitir a repetição de tal fato. Para isso, ao mudar-me para as residências seguintes, reservava o principal espaço, fosse sala de visitas, fosse sala de estar, para abrigar minha biblioteca, situação que consegui manter até recentemente, morando na casa da rua Humberto Monte, em Capim Macio, on-

de reservei um amplo espaço, originalmente destinado a garagem, para seu pouso. Nunca dei ouvidos aos conselhos de alguns amigos, para quem os livros não passam de objeto de consumo, descartáveis quando desnecessários, tanto que, recentemente, um deles havia providenciado a limpeza de suas estantes, encaminhando o conteúdo, basicamente livros técnicos, para bibliotecas, onde, possivelmente eles serão melhor utilizados. Nem me balancei a seguir o exemplo de um outro, que há muito confessara não ter podido resgatar seus livros de estudos, depositados na casa de uma irmã, face à oposição de sua cara metade. E mais: contou ele que, periodicamente, a mulher promovia uma “limpeza”: arrecadava os livros que ele houves-

CLÁUDIO SANTOS [ DES. TJRN ]

NELSON PATRIOTA [ ESCRITOR ]

Contos de Nabokov são pérolas do gênero

O juiz e a mídia - I

C

om o crescente processo de transparência que grassa no Poder Judiciário brasileiro desde a Emenda Constitucional nº 45, a qual, entre outras disposições ainda pouco consideradas, criou o Conselho Nacional de Justiça, há ainda nebulosa área em que a comunicação social é precária ou ruidosa, e, por que não dizer, às vezes até inexistente. Refiro-me à incompreensão, com origem histórico- secular, por parte da magistratura nacional, quanto ao verdadeiro papel e objeto da imprensa (mídia), mais ainda de forma significativa nos últimos tempos, era das modernas redes sociais, de consumo imediato. Pela própria natureza da atividade, o magistrado é isolado no seu trabalho cotidiano, bem como até na sua vida privada, desde a proibição de se pronunciar sobre questões jurisdicionais pendentes que tramitam sob sua atribuição de julgar, bem como em se relacionar na comunidade em que vive com cidadãos do mesmo nível social, normalmente muitos envolvidos em processos cíveis e criminais, desde empresários até gestores públicos, sob julgamento de magistrados que circulam no mesmo nível social. Há bem pouco tempo havia um temor reverencial da mídia tradicional quanto às questões, jurisdicionais ou não, que envolviam magistrados, quer no seu mister diário ou na sua vida privada. Agora, ultimamente, ao contrário, ocorre verdadeira sangria desatada de denuncismo. Mais ainda, portanto, o magistrado tem o dever – como sempre o teve, é bem verdade – de justificar bem sua atuação e sua vida pessoal perante a sociedade em que vive, já que é o último guardião da cidadania, da efetivação da dignidade da pessoa humana, entre outros inúmeros valores que tem o dever de zelar e preservar no exercício de suas atribuições. A liberdade de expressão e o direito do cidadão de receber todas as informações de seu interesse, quando se voltam para o trabalho e a vida do magistrado, são vistas de forma reticente pela magistratura. Permeando todo esse contexto, não se pode desprezar, para alicerçar essa flagrante situação, a relevância de interesses envolvidos, muitas vezes escusos ou pouco republicanos, capazes de passar por cima do cidadão-magistrado, desde que se alcance o objetivo da empreitada. Atualmente, notadamente com a ausência de Lei de Imprensa, como ocorre hoje, qualquer pessoa que queira ser, é jornalista; não precisa mais do que saber escrever ou falar, medianamente. Inclusive os menos preparados para tão digna profissão, notadamente estes, acham-se possuidores de direitos absolutos, a partir da simples leitura (leiga) dos dispositivos constitucionais que guardam a liberdade de expressão, inclusive o sigilo da fonte (sempre há fonte?). O magistrado poderia, nas questões profissionais, se limitar a expor as motivações da sua decisão, expostas sempre de público, salvo exceções pontuais. Na sua vida privada, há de manter-se exemplar, como determina a lei orgânica da magistratura, atendendo estritamente à legalidade de sua conduta, bem como à moralidade de suas ações. O principal problema que enfrenta o magistrado, diante da mídia, é a dificuldade dos jornalistas em compreenderem que a atividade é preponderantemente de solução de conflitos, em que sempre uma das partes – quando não todas – é desagradada pelo ato judicial. E, em meio e esse vendaval de problemas comuns de varre o país, alguns que não lograram êxito em suas pretensões na Justiça, aproveitam-se do momento e passam a agredir os magistrados, muitas vezes de forma injusta e usando jornalistas amigos, quando não esses próprios, utilizandose de armas poderosas de formação de opinião pública, que imaginam absolutamente livres, abaixo apenas da total liberdade que a leitura apressada do texto constitucional permite aos leigos. E cometem-se evidentes injustiças ao noticiar fatos inverídicos, meias verdades, sem contraditório, seja em nome do que for, sob respaldo do que imagina existir: a absoluta liberdade de expressão, quando a Constituição da República não aceita direitos absolutos de quem quer que seja. Voltaremos, no próximo domingo, a abordar esse tema, destacando as reações que tais relações provocam e as possíveis soluções para o conflito delas resultantes. Até lá!

se adquirido no período, empacotava tudo e doava a alguma biblioteca. Se isso o incomodava, não me fez confidência. À sua boca assomava um sorriso, não sei se achando engraçado, se de puro nervosismo. Mas, dessa vez, a separação foi traumática. No meu atual pousio, não há espaço nem para dez por cento de meus companheiros. E a única solução viável foi mandá-los para a companhia dos livros de meu pai na Fundação Hélio Galvão, dessa vez arrumados nas velhas estantes de madeira de lei que meu pai encomendara e que eu guardara cuidadosamente em Pium. Deu tão certo e a madeira é de tão boa qualidade que apenas perdi uma prateleira. Só está difícil visitálos; ainda não me adaptei ao novo ambiente.

N

CLÁUDIO EMERENCIANO [ PROFESSOR DA UFRN ]

A nação se reencontra

T

empos jamais perdidos. Circunstâncias em ranças. Foi uma aurora universal. No Brasil o reque os homens fazem a História. O esplengime de liberdades retornava. Em todas as outras dor da luz, que se irradia e elimina as últicrises (1954, 1955, 1961, 1964, 1968, 1982, 1984 e mas resistências das trevas. Nesse sentido, o tem1992) correntes de opinião dividiram o país. Capo parece fluir devagar. Lento. Às vezes trôpego, da uma tinha uma percepção da sociedade brasiem virtude de convulsões e conflitos sociais. leira. Visões boas e visões más. Mas a crise atuMas, a identidade do homem com Deus, al é de decomposição moral, de ausência a inserção espiritual da criatura na odo espírito público, de descompromisbra do Criador, germina fases em que so social, de hipocrisia e insensatez a humanidade pula e avança. Quancriminosas. Entretanto, um aspecto do os homens cometem desatinos é o divisor de tudo isso: a crise não em escala, perdem consciência da nasceu nem emergiu da nação. A crialma do tempo. Do conteúdo que se é, essencialmente, do Estado, ala História imprime em cada época. cançando setores públicos, meios de O espírito do tempo não pode ser igcomunicação social, e, sobretudo e norado. Tampouco submetido às irprincipalmente, organizações criminorupções de ódio, barbarismo, injussas de todo tipo, em nefasta e sórdida tiça, crueldade, mediocridade e esA humanidade promiscuidade com gestores e agentes tupidez, que desvirtuam e subvertem sempre buscará públicos. Daí decorre a impunidade. a razão da vida. respostas para Os que estudaram a alma nacional A humanidade sempre buscará indagações que brasileira, como Gilberto Freyre, Cârespostas para indagações que decordecorrem de suas mara Cascudo, Oliveira Viana, Afonso rem de suas dúvidas, suas incertezas, dúvidas, suas inArinos, Sérgio Buarque de Holanda, seus receios, suas fragilidades e suas certezas, seus rePaulo Prado, Caio Prado Júnior, Viancontradições. Mas os caminhos da cu- ceios, suas fragili- na Moog, Darcy Ribeiro e muitos ouriosidade, da sede de saber, da indôdades e suas contros, reconheceram, numa convergênmita vontade em desvendar o descotradições. Mas os cia admirável, apesar das contradições nhecido, não são incompatíveis com caminhos da cue injustiças sociais, aspectos predomia fé. Pelo contrário. Os homens e as riosidade, da sede nantes em nossa gente: bondade, hosmulheres de fé sabem localizar a verde saber, da inpitalidade, tolerância de todo tipo, condade no íntimo do seu ser, de sua dômita vontade ciliação, honestidade, solidariedade, consciência e seus corações (sentiem desvendar o alegria de viver, esperança, boa-fé, esmentos). A fé é uma porta que se abre desconhecido, não pírito de paz e amor. Os nossos valores para Deus e o universo. Sem limites. são incompatíveis cristãos abrigam todos, do homem de Sua substância é o amor. O verda- com a fé. Pelo con- fé ao agnóstico. A nação se redesperta, deiro amor nunca se esgota. Projeta trário. Os homens e reencontra-se com a visita do Santo Pao homem no infinito. as mulheres de fé dre Francisco. Suas palavras e seu tesO Brasil vive a mais grave crise sabem localizar a temunho de fé, amor e esperança, reade sua História. Crise moral e crise verdade no íntimo briram e renovaram nossos genuínos institucional. Seus desdobramentos do seu ser, de sua sentimentos: “Aprendi que, para ter são previsíveis e antevistos. Senão veconsciência e seus acesso ao povo brasileiro, é preciso injamos. Resumidamente. A monarcorações (sentigressar pelo portal do seu imenso coquia ruiu porque a sociedade dela se mentos). A fé é ração; por isso permitam-me que nescansou. Os que a ela se opunham prouma porta que se ta hora eu possa bater delicadamente fessavam ideais republicanos. A Re- abre para Deus e o a esta porta. Peço licença para entrar e pública foi, assim, a antítese do Imuniverso. Sem litranscorrer esta semana com vocês. pério. Em 1930 o país se dividiu. Immites. Sua subsNão tenho ouro nem prata, mas trago punham-se novas instituições. Até tância é o amor. o que de mais precioso me foi dado: então, de 1889 a 1930, predominaJesus Cristo! Venho em seu Nome, param oligarquias que se sucederam aos ra alimentar a chama de amor fraterbaronatos da “nobreza” imperial. Voto secreto, vono que arde em cada coração; e desejo que chegue to feminino, eleições livres, industrialização, ura todos e a cada um a minha saudação: ‘A paz de banização, modernização, integração regional, alCristo esteja com vocês’!”. As manifestações pafabetização, constituíam a utopia e ideais revolucíficas dos nossos jovens expressam a identidade cionários. Em 1932 irrompe outra revolução para da nação com as aspirações de justiça, harmonia cobrar as reformas políticas preconizadas em 30. e busca da felicidade. Em 1937 o golpe, que implantou a ditadura do EsO papa não exclui ninguém: “Nesta hora, os tado Novo, foi a versão tupiniquim dos fascismos braços do Papa se alargam para abraçar a inteira da Itália, da Espanha e de Portugal. Garroteavanação brasileira, na sua complexa riqueza huse e exilava-se, até o fim da Guerra, em 1945, a demana, cultural e religiosa”. É como se Deus o timocracia. Em 1946 houve um renascer de espevesse enviado para um novo despertar do Brasil.

ão passará indiferente àqueles que estão mais ou menos familiarizados com a obra de Vladimir Nabokov a recente publicação dos seus “Contos reunidos” (Alfaguara, 2013), com tradução de José Rubens Siqueira e notas de Dmitri Nabokov, filho único do autor russo. A importância é dada por si mesma, ao encerrar um ineditismo inexplicável dessa parte fundamental da obra nabokoviana entre nós, espécie de inércia editorial que flagela o setor do livro no Brasil, denotando um autorreconhecimento de sua falta de ambição e responsabilidade editorial. A própria Alfaguara não chega a ser uma exceção em meio à norma negativa. Basta ver que o terceiro volume da trilogia “1Q84”, de Haruki Murakami, ainda não foi lançado, caso único, cremos, entre as línguas latinas, com a ressalva de que em Portugal a obra foi publicada em 2012 pela Casa das Letras. Com Nabokov se dá um dilema que resulta às vezes em posições extremistas, a exemplo de Machado de Assis. É melhor o romancista ou o contista? Há partidários passionais das duas posições. Após a leitura de uma dúzia de contos (em Nabokov uma dúzia curiosamente é treze, como no livro “Nabokov’s dozen”), é inevitável que nos ocorra a dúvida estética, pois é tal a força de seus protagonistas que rivalizam com os tipos mais salientes dos romances. Contos como “Bachmann”, “As irmãs Vane”, “Perfeição”, “Visita ao museu”, “Uma beleza russa”, “Ultima Thule”, “Natasha”, entre tantos outros, frequentam as páginas das antologias de contos russos há décadas. Isso não impede que antologias americanas o incluam entre seus iguais, uma vez que parte substancial da obra do autor de “Lolita” foi escrita em língua inglesa. Caso, aliás, da citada “Lolita”. Em suas mais de 800 páginas, “Contos reunidos” fornece ao leitor os temas mais frequentes da obra nabokoviana, a começar pelos pequenos dramas dos exilados – experiência que o próprio escritor viveu desde seu exílio nos anos 1920 em Berlim e onde, sob um véu de fantasia e segredo, conheceu Véra Slonin, que viria a se tornar a Senhora Nabokov. Mais importante do que isso, o leitor pode conhecer a prosa nabokoviana, algo tão distinto quanto a kafkiana e a beckettiana, para citar dois estilos rivais em popularidade. Leve e sutil, mas especialmente poética, repleta de imagens líricas independentemente de que enredo se trate, Nabokov incorpora a sua literatura humor e empatia com seus personagens, compostos, em sua grande maioria, por seres comuns, risíveis, quando olhados a distância, mas nem por isso menos sofredores, humanos, sobretudo se flagrados no calor da narrativa. A corajosa e necessária iniciativa da Alfaguara em publicar num só volume as três edições de contos que Nabokov publicou, além daqueles da fase russa que foram traduzidos para o inglês por Dmitri Nabokov, sinaliza a possibilidades novas para a atualização da obra nabokoviana no Brasil, da qual um livro fundamental como “O dom” (“The Gift”, na versão inglesa), seu último romance russo, permanece inédito no Brasil. Do mesmo modo, o leitor brasileiro continua privado da oportunidade de ler os dramas de Nabokov, que em inglês portam os nomes de “The Waltz Invitation” (“O convite à valsa”) e “The man from URSS and Other Plays” (“O homem da URSS e outras peças”). Permanecem inéditos ainda o livro “Strong Opinions” (“Opiniões firmes”) e sua obra crítica, como “Lectures on Dom Quixote” (“Palestras sobre o Dom Quixote) e as “Lectures on Russian Literature” (“Palestras sobre a literatura russa”), dentre outras, como sua vasta correspondência com o crítico americano Edmund Wilson, suas poesias etc. Nesse sentido, é de especial importância o trabalho que a Companhia das Letras vem fazendo ao republicar romances seus sob a competente tradução de Jório Dauster, talvez o melhor tradutor de Nabokov hoje no Brasil. Enfim, são tempos nabokovianos que não devem ser desperdiçados.


Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

geral

Agronegócio argentino acusa governo de inércia

« ÁSIA »

A encruzilhada da China no rumo do crescimento

« AMÉRICA LATINA » A Argentina já foi considerada “o celeiro do mundo”

e hoje atravessa crise sem precedentes no setor da agropecuária

Gigante do Oriente precisa escolher entre qualidade e níveis altos de crescimento

DIVULGAÇÃO

LUCAS HIRATA Agência Estado

S

A Argentina caiu do terceiro lugar no ranking de exportadores de carne, quando vendia cerca de 700 mil toneladas/ano, para o 11º MARINA GUIMARÃES correspondente

B

uenos Aires, 26 - O setor agropecuário da Argentina desperdiça potencial por causa da política oficial de intervenção no mercado. A reclamação é feita quase em coro pelas lideranças que nesta semana participaram da 127ª Exposição de Pecuária, Agricultura e Indústria Internacional, em Buenos Aires Para esses representantes, a safra 2013/14, que poderia chegar a um volume de até 130 milhões de toneladas, deve continuar ao redor dos 100 milhões de toneladas. “Em lugar de estar investindo 260 bilhões de pesos, os produtores poderiam colocar 50% mais por ano”, disse à Agência Estado o economista Ernesto Ambrosetti, chefe do Instituto de Estudos Econômicos da Sociedade Rural da Argentina (SRA). Assim, conforme Ambrosetti, somente em grãos e oleaginosas, o investimento, que na última safra foi de 100 bilhões de pesos, poderia ser de 150 bilhões pesos. A colheita recorde que o governo informou há alguns dias, de 105 milhões de toneladas de grãos, foi comemorada pela presidente Cristina Kirchner, durante discurso transmitido em cadeia nacional de TV. O número é contestado pelas associações rurais, que apontam volume inferior, de 97 milhões de toneladas, e acusam o governo de usar de criatividade, já mostrada na apuração da inflação e na contabilidade financeira do Te-

souro. “As contas oficiais incluíram cultivos que, tradicionalmente, não entram no cômputo geral da safra, como a canola, o algodão etc”, disse Ambrosetti. A safra de trigo, em fase final de implantação, e as de soja e milho, que começam a ser semeadas em dezembro, têm prognósticos negativos. Intervenções frequentes na comercialização das principais commodities, altos impostos aplicados na exportação e limites colocados à venda de determinados produtos são apontados pelo setor como limitador do investimento e perda de competitividade do segmento. “Pela primeira vez todos os exercícios que fazemos sobre os resultados econômicos da safra 2013/14 para o produtor são negativos, e isso implica menor uso de fertilizantes e de sementes geneticamente melhoradas”, explicou Ambrosetti. Neste cenário, o rendimento dos cultivos vai depender apenas da sorte de ter bom clima, sem estiagem ou excesso de umidade. O presidente da SRA, Luis Miguel Etchevehere, sintetizou o problema: “Quando tiram a rentabilidade do produtor, ele reduz o uso de tecnologia.” Desde 2007, quando Cristina Kirchner foi eleita para o primeiro mandato, a produção agrícola na Argentina cresceu somente 1,6%. Entre 2003 a 2007, a colheita cresceu 39%, enquanto na década de 90 a expansão foi de 68%. Os números mostram que o humor dos produtores piora com endure-

Pela primeira vez todos os exercícios que fazemos sobre os resultados econômicos da safra 2013/14 para o produtor são negativos” ERNESTO AMBROSETTI Chefe do SRA

cimento da política de intervenção oficial. Segundo a Associação Argentina de Consórcios Regionais (AACREA), entre 76% a 89% dos lucros das empresas do agronegócio estão comprometidos com o pagamento de impostos federais, provinciais e municipais. São mais de 20 impostos ao setor, incluindo as famosas retenções, que são cobradas sobre as exportações e têm um peso de 60% no total da carga tributária. O campo paga 58% mais de imposto que a média dos setores da economia. Em um país com inflação entre 25 a 26% anuais, conforme institutos privados, e 10,9%, conforme cálculos oficiais, um câmbio oficial artificial em 5,48 pesos (cotação desta sexta-feira) e um paralelo em 8,41 pesos por unidade, mais as retenções de 35% para as vendas externas da soja; 23% para trigo e 20% para milho, os produtores colocam a boca no trombone pa-

ra gritar contra o aperto. “O produtor de soja, por exemplo, recebe 1 dólar a cada 3,20 pesos (considerando o câmbio oficial de 1 dólar a cada 5,48 pesos, menos o desconto de 35% de retenção), mas paga seus insumos pelo preço do dólar paralelo de 8,51 pesos por cada dólar”, reclamou Etchevehere. O estancamento do agronegócios na Argentina começou em 2008, a partir do conflito travado entre Cristina e os ruralistas por causa da resolução 125, que previa estabelecer retenções variáveis, conforme o valor internacional dos produtos exportados. “Depois do conflito, tínhamos expectativa de recompor a relação com o governo, mas isso nunca ocorreu. A falta de uma mesa de diálogo somada à política de intervenção criou um clima de desconfiança e não previsível”, comentou Luciano Miguens, dono da fazenda Cabaña La Pátria Chica e que presidia a SRA na época do conflito. Ele disse que a política intervencionista faz com que ninguém inicie projetos ou proponha investimentos novos. “O produtor hoje só investe o que é necessário para manter o negócio e sobreviver. Uma coisa é investir com visão de ampliar a produção e os lucros; outra bem diferente é fazê-lo para manter o status e sobreviver”, sintetizou ele.

+

PAGINA 16

15

Exportações de carne caem e consumo interno fica mais caro

ão Paulo (AE) - A liderança chinesa se encontra em uma encruzilhada entre aplicar profundas reformas estruturais para reforçar a qualidade do crescimento econômico e, ao mesmo tempo, garantir uma expansão em níveis bem mais altos do que aqueles observados nos principais países desenvolvidos. Segundo economistas, ainda que os dois caminhos não sejam contraditórios, eles precisam de atenção e a solução poderá ser encontrada em medidas pontuais que impulsionem o crescimento, sem se desviar do desenvolvimento das reformas. Entre essas medidas, investimentos em ferrovias e projetos antipoluição. Até a chegada da nova liderança do Partido Comunista, no ano passado, o crescimento chinês se baseava na expansão do crédito, grandes investimentos estatais, exportações e produção industrial. Contudo, este modelo vem mostrando sinais de esgotamento, o que é agravado pelo envelhecimento da população chinesa e pela consequente diminuição da abundante mão-de-obra disponível no mercado. No segundo trimestre, o crescimento anual do Produto Interno Bruto (PIB) da China desacelerou para 7,5%, em comparação com uma expansão de 7,7% nos três primeiros meses do ano. A meta do governo para 2013 é um crescimento econômico de 7,5%, meta que alguns economistas e investidores já temem que não seja alcançada. Na última segundafeira, entretanto, um discurso do primeiro-ministro da China, Li Keqiang, durante reunião do Conselho de Estado trouxe à tona uma nova perspectiva. O primeiro-ministro afirmou que o país não pode permitir que a expansão do PIB escorregue abaixo de 7% para que seja possível cumprir a meta oficial do governo de dobrar o tamanho da economia chinesa nesta década. A mensagem sugeriu, pela primeira vez, que esse pode ser o piso da taxa de crescimento que as autoridades chinesas irão tolerar. A taxa de crescimento de 7% em 2013 refletiria o desempenho mais fraco desde 1990. Além disso, essa taxa de expansão do PIB implicaria em uma desaceleração do crescimento abaixo de 7% no segundo semestre deste ano. “A tolerância de um crescimento mais lento não é ilimitada”, disse o economista Zhu Haibin, do JPMorgan China, em re-

latório enviado para clientes na quarta-feira (24). Zhu espera que a desaceleração seja respondida por uma série de “micro medidas” para manter o crescimento dentro dos limites. Isso poderia incluir a construção de ferrovias, infraestrutura de TI e telecomunicações, financiamento para tecnologia “verde” e incentivos fiscais para o setor de serviços e pequenas e médias empresas. Para os analistas do Deutsche Bank, as políticas “verdes”, ou antipoluição, podem ter um impacto maior sobre o modelo de expansão do que sobre o próprio crescimento econômico no curto prazo. O estímulo ao uso de fontes renováveis de energia, substituição do carvão e uso de formas mais limpas de transportes, por exemplo, podem levar a uma desaceleração do crescimento em setores como de carvão e automóveis, mas devem acelerar a expansão em novas energias, metrôs e trens. “O impacto sobre o PIB é

NÚMEROS

7,5% é a taxa de crescimento prevista para o PIB chinês, neste segundo trimestre

7,7% era a meta fixada pelo governo para o crescimento do PIB anual, mas dificilmente será atingida

neutro, mas as políticas eventualmente melhorarão a estrutura e a sustentabilidade da economia.” Essencialmente, essas medidas seriam financiadas pelo Orçamento do governo central, ao contrário dos programas de estímulo do passado, que muitas vezes estavam relacionados a uma licença para bancos distribuírem empréstimos a empresas selecionadas, com pouca atenção para a credibilidade dessas companhias. Na quarta-feira, o Conselho de Estado chinês anunciou que irá reformar o mecanismo de investimentos e financiamento no setor ferroviário para atrair mais recursos para construção de ferrovias, incluindo a criação de um fundo de desenvolvimento ferroviário, bem como permitir a participação do capital privado nas ferrovias entre cidades chinesas. A promessa do Conselho de Estado foi feita algumas horas após a divulgação de dados novamente fracos do setor industrial chinês. O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) da indústria chinesa caiu para o nível mais baixo em onze meses.


16

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

geral « ARGENTINA »

Exportações de carne caem enquanto preços sobem Consumidor argentino está comprando menos e pagando mais pela carne nacional

B

uenos Aires (AE) - O resultado da política de intervenção oficial na Argentina é visível na mesa e nos mercados. O preço de um corte médio, como o contra filé, ao consumidor não custa menos que 40 pesos, enquanto o produtor recebe apenas 16,33 pesos por quilo. De cada 100 quilos de carne bovina produzido, 93 quilos são destinados ao abastecimento doméstico. Somente sete quilos são exportados. “Esta relação é a mais baixa de todos os tempos”, disse à Agência Estado Arturo Llavallol, diretor do Instituto de Promoção de Carne Bovina (IPCVA). Até 2006, a Argentina exportava entre 15% a 20% de sua produção. De 80% a 85% eram consumidos internamente. A Argentina caiu do terceiro lugar no ranking de exportadores de carne, quando exportava cerca de 700 mil toneladas/ano, para o 11º posto, com vendas de apenas 160 mil toneladas anuais. Desde 2006, o país perdeu 10 milhões de cabeças de gado. Segundo a Fundação Pensar, a menor venda de carne implicou em uma entrada menor de di-

visas no país em torno de US$ 5 bilhões/ano. Para exportar carne, é necessária uma licença e o pagamento de 15% de retenção. “Se o governo libera a exportação, a venda externa compensa o produtor, que poderá produzir mais carne e mais barata no mercado interno”, afirmou Alfredo Gusmán, da Associação de Criadores de Angus. Para o presidente da Sociedade Rural da Argentina, Luis Miguel Etchevehere, o governo se apropria da renda agropecuária, ao tirar o capital dos produtores. Com isso, diz ele, o governo contraria a política de defesa da mesa dos argentinos, argumentada pela Administração Pública Federal: não há produção suficiente de trigo; a carne é cara; 130 frigoríficos foram fechados e 13 mil trabalhadores estão desempregados. A produção de leite é outra vítima da política kirchnerista, segundo Guillermo Giannasi, da Federação Agrária Argentina (FAA). “A produção é a mesma que há 14 anos, com a diferença que existem 6 mil fazendas produtoras a menos”, disse ele. Desde 2008, o preço ao produtor aumentou 177%, enquanto ao consumidor o aumento foi de 321%. “Se a equação tivesse sido o contrário, estaríamos recebendo 3,20 pesos por litro em lugar dos atuais 2,10 litros”, ressaltou.


TELEFONES ÚTEIS

DÓLAR COMERCIAL

EURO TURISMO

Receita: 3220-2200 Procon Estadual: 3232-6869 Procon Municipal: 3232-9050 DRT RN: 3220-2000

Compra: R$ 2,2530 Venda: R$ 2,2550

Compra: R$ 2,9030 Venda: R$ 3,0700

DÓLAR TURISMO

LIBRA ESTERLINA

Compra: R$ 2,1900 Venda: R$ 2,3630

Compra: R$ 3,4694 Venda: R$ 3,4716

O SECRETÁRIO ROGÉRIO MARINHO FALA SOBRE PROJETOS PARA REAQUECER A ECONOMIA DO RN. PÁG. 7

NA TN ONLINE Projeto vai incentivar vendas de micro e pequenas empresas aos governos. Veja a entrevista. blog.tribunadonorte.com.br/mercado/

economia ALDAIR DANTAS

Editora: Renata Moura [ renatamoura@tribunadonorte.com.br ]

Natal • Rio Grande do Norte • Domingo, 28 de julho de 2013

Crescimento distante O primeiro semestre foi de marcha lenta para exportações e o mercado de trabalho no RN, que registrou um dos piores desempenhos, desde 2002, nas duas áreas. Retomada este ano é dúvida

ANDRIELLE MENDES repórter

A

economia do Rio Grande do Norte fechou o primeiro semestre do ano em baixa. Nos primeiros seis meses de 2013, o valor das exportações caiu e o mercado de trabalho desaqueceu. A seca, apontada como um dos principais vilões para a retração, não explica totalmente o quadro. O valor exportado no RN cresceu menos do que em todos os outros estados do Nordeste, igualmente afetados pela falta de chuvas. Enquanto o governo do estado tenta buscar uma solução para a crise, empresários de vários ra-

mos adotam estratégias diferentes para manter as exportações em alta e evitar novas demissões. O governo do estado diz que é preciso fazer ‘da crise uma oportunidade’, mas especialistas têm dúvidas quanto a recuperação da economia em 2013. Segundo dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior e do Ministério do Trabalho e Emprego, o RN registrou no primeiro semestre do ano um dos piores desempenhos desde 2002.

+

PÁGINA 3 RN fica para trás no comércio exterior

Contêineres no Porto de Natal: seca prejudicou as exportações, mas o Rio Grande do Norte sofreu mais do que todos os outros Estados da região Nordeste, igualmente afetados pela falta de chuvas


2

economia

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

Negócios &Finanças

A caminho dos 70

LUIZ ANTÔNIO FELIPE [ laf@tribunadonorte.com.br]

ARY JOEL LANZARIN Presidente do Banco do Nordeste do Brasil (BNB)

Carências do Nordeste Diagnóstico apresentado pela pesquisa Integra Brasil revela que os avanços do Nordeste não são suficientes para reduzir as desigualdades. Salienta que o crescimento na economia nordestina já é notícia há alguns anos, com números e dados divulgados a todo instante por importantes institutos de pesquisa. Apesar disso, a participação no PIB brasileiro permanece baixa em relação à sua população, além do PIB per capita permanecer bem inferior à média nacional há mais de 70 anos. Essas pesquisas geram algum desconforto aos nordestinos que apostam no desenvolvimento acelerado da região, o que não vem ocorrendo. Ainda dependemos de investimentos maciços em pesquisas, infraestrutura e educação.

DIFERENÇAS Debates realizados recentemente em Campina Grande e Recife, sob a coordenação do Integra Brasil- Fórum do Nordeste no Brasil e no Mundo, reuniram representantes de vários órgãos, estudiosos e lideranças políticas e empresariais. O objetivo dos debates é responder quais os principais obstáculos à integração entre os estados do Nordeste e como poderão ser vencidos em benefício do desenvolvimento da região e de cada um dos seus estados.

Tecnologia

Retorno

A Braskem, que ano passado registrou 47 novas patentes, totalizando 650 em seus dez anos de história, já contabiliza 36 outros pedidos de patentes até a metade de 2013. Aproximadamente 18% do faturamento da companhia com resinas foram gerados por produtos lançados nos últimos três anos. Hoje, há na empresa cerca de 300 profissionais dedicados ao desenvolvimento de novos produtos e aplicações.

Além da lição de como ser um cidadão diferente no mundo, dirigida especialmente aos cristãos pelo Papa Francisco, as pesquisas indicam que a grande maioria dos peregrinos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) demonstram interesse em volta ao Brasil. É a grande oportunidade para a chamada propaganda “boca a boca”, fazer o Brasil entrar no roteiro mundial do turismo, aliando as campanhas promocionais da Embratur.

A

o recebermos a incumbência de dirigir o Banco do Nordeste, a Instituição vivia situação atípica. Graças ao esforço da Diretoria e à adesão dos funcionários, aplicamos, em quatro meses, 60% dos recursos disponíveis em 2012. Nesse ano difícil, o BNB investiu R$ 22 bilhões nas atividades produtivas da Região. Retomamos a tranquilidade na empresa, resgatamos a credibilidade da organização. Para isso contribuíram o esforço de equipe e o apoio da presidenta Dilma e de seus ministros. Mas o resultado positivo somente foi possível porque construímos uma agenda de compromissos. Propusemos nova dinâmica, objetivando tornar a empresa mais competitiva e rentável. Dessa forma é que o BNB se robustecerá para cada vez mais prestar serviços ao Nordeste. Nessa lógica, o desenvolvimento regional é o carrochefe na modernização do Banco. Ressalte-se o planejamen-

Prudência no endividamento O crédito está ficando mais caro com o aumento recente da taxa de juros, exigindo prudência dos tomadores. A expectativa é de que o custo se eleve também para o crédito destinado ao investimento (longo prazo). O mercado fu-

turo de juros que baliza as operações já embute no preço uma Selic de 10% ao ano. Bancos preparam repasse. A queda dos spreads (diferença entra a captação e o o que o banco empresta) levará a um aumento no futuro.

MOVIMENTAÇÃO Os gastos de turistas estrangeiros com cartões Visa no Brasil, durante a Copa das Confederações, subiram 112% em restaurantes, sobre junho de 2012. Totalizaram R$ 2,5 milhões. Em hospedagem, a alta foi de 7%, para R$ 8,3 mi.

1

A Associação Brasileira de Construção

Industrializada de Concreto promoverá no Crea, em Natal, dia 6 de agosto, o curso “PréFabricados de Concreto: uma abordagem completa da fábrica aos canteiros”. Patrocinado pela T&A PréFabricados, terá como palestrante o especialista Carlos Franco, diretor da CalFAC Engenharia e Consultoria (SP). As inscrições estão abertas até o dia 30, no: administrativo@abcic.o rg.br/ (11) 3763-2839.

2

A Justiça do Trabalho reajustará os valores dos depósitos recursais pela variação acumulada do INPC, pesquisado pelo IBGE desde julho de 2012 até junho de 2013. Segundo especialistas na área, a partir do próximo dia 1º de agosto os valores passam para R$ 7.058,11, no caso de interposição de recurso ordinário e R$ 14.116,21 para os casos de interposição de recurso de revista, embargos, recurso extraordinário ou em ação rescisória.

3

As empresas não têm o dever de indenizar empregado por acidente no trabalho. O ponto fundamental da decisão da Justiça do Trabalho de São Paulo foi a conclusão de que diante da culpa exclusiva da vítima, descabe responsabilizar a empregadora e demais terceiros envolvidos no acidente. A justiça julgou improcedente o pedido de indenização da mãe de um empregado que perdeu a vida em um acidente do trabalho.

TECNOLOGIA A Ibyte aposta em nicho de mercado e lança o Nettop Ibyte. Nettop (também chamado de Mini PC) é um computador de mesa que veio para resolver a falta de espaço em residências ou empresas. Custa R$ 899,90. Pelo seu tamanho podese otimizar espaço: 20,5 cm de altura e 3 cm de espessura.

DESTINO Em 2012, a França manteve seu posto de primeiro destino internacional com um recorde de 83 milhões de turistas estrangeiros e um crescimento de 23% de chineses e 21% de brasileiros. O número de pernoites aumentou 2,4% e os gastos de turistas cresceu 6,3%, alcançando 35,8 bilhões de euros. Apesar da crise internacional e do aumento da oferta turística, o número de viagens dos franceses se manteve estável.

ATENÇÃO O Núcleo de Amparo ao Menor recebe hoje (28), o evento “Fazendo a Diferença”, a partir das 9h, a comunidade de Felipe Camarão. A ação é voltada ao atendimento de jovens, seus familiares, com a união de voluntários, empresários, entidades e pessoas da comunidade. A equipe da Logos Advocacia Lógica participa voluntariamente prestando esclarecimentos sobre o direito à moradia e à propriedade e a regularização fundiária.

O BNB desembolsou R$ 2,68 bilhões por meio do FNE Estiagem, desde julho do ano passado, registrando mais de 382 mil operações de crédito. Com base nos instrumentos legais, renegociou, na posição de 28 de junho último, 431.634 operações, no valor de R$ 3,426 bilhões”

tados. Ou seja, passamos de 206.443 operações, no valor de R$ 3,861 bilhões, para 264.824 operações, no valor de R$ 6,278 bilhões. Por outro lado, a estiagem que se abate sobre a Região ge-

rou uma tensão natural, dada a gravidade da situação que acabou minimizada devido à sensibilidade da presidenta Dilma. O BNB desembolsou R$ 2,68 bilhões por meio do FNE Estiagem, desde julho do ano passado, registrando mais de 382 mil operações de crédito. Com base nos instrumentos legais, renegociou, na posição de 28 de junho último, 431.634 operações, no valor de R$ 3,426 bilhões. É assim que contribuímos para um Nordeste capaz de tornar realidade os sonhos dos empreendedores, criando empregos, gerando renda e vencendo as secas com as quais precisamos aprender a conviver. Por ocasião dos 61 anos do Banco, promovemos o XIX Fórum Banco do Nordeste de Desenvolvimento, cuja temática principal abordou o Semiárido Brasileiro e o Desenvolvimento Regional. O desafio do semiárido reclama a consciência de todos, visando transformá-lo num oásis perene. E os milhões de brasileiros que vivem nesta área do País sabem do seu potencial para contribuir com a Nação.

Caminhos erráticos! LUCIANO RAMOS Procurador-Geral do Ministério Público de Contas do RN; Mestre em Direito do Estado.

PAGAMENTO A semana que está começando é de pagamentos de salários dos servidores públicos, da Previdência Social e da iniciativa privada. Período de vendas para o varejo que está de olho no Dia dos Pais (11 de agosto).

to estratégico participativo e ao qual se alinha a eficiência operacional. Some-se a governança corporativa alicerçada no princípio da tomada de decisão colegiada. Hoje, no BNB, ninguém mais decide unilateralmente. Quanto ao relacionamento com clientes, o foco é conferir excelência no atendimento, enquanto a modernização da infraestrutura de TI já registra avanço efetivo. Destaque-se também a nova estrutura organizacional, com aumento de funcionários concursados. São essas pessoas, os mais antigos e os novos, que dão vitalidade à organização. E sobre os ombros de todos pesa, hoje, o desafio de agilizar o crédito, reduzindo prazos de análise das propostas de financiamentos. Os compromissos estão sendo efetivados. Por essa razão, até podemos comemorar a boa performance do FNE. Comparando-se os números do principal funding do Banco nos primeiros seis meses deste ano em relação ao mesmo período do ano passado, crescemos 28,3% em quantidade de operações e 62,6% em valores contra-

Quando eu soltar a minha voz Por favor, entenda... Coração na boca, peito aberto/Vou sangrando São as lutas dessa nossa vida/ Que eu estou cantando... Quando eu abrir minha garganta/Essa força tanta Tudo que você ouvir/Esteja certa que estarei vivendo... (Sangrando, Gonzaguinha)

E

ra madrugada, as dores do parto beiravam o insuportável, mas ela esperava pacientemente um anjo que a conduzisse ao hospital, pois sozinha estava desde os três meses de gravidez, tocada sem qualquer pré-natal. E o anjo materializouse em uma Kombi de caranguejos de um vizinho, que iniciou o calvário de hospital em hospital, todos sem vaga, até encontrar um médico iluminado que interrompeu a “Crônica da Morte Anunciada”, e aceitou realizar o parto em uma maca no corredor. Estes fatos distam aproximadamente 1.300km e 35 anos do nosso Rio Grande do Norte atual, mas, como realidade vivida, estão absolutamente no epicentro de nosso estado, normalmente com histórias trágicas de mortes que haveriam de ser evitadas,

se o serviço público que justifica a existência de toda a custosa máquina pública fosse devidamente prestado. Obviamente, as mazelas são inúmeras, mas é necessário começar por alguns pontos fundamentais e, como salientei no artigo anterior (Erráticos Caminhos!), tornou-se urgente repensar a quantidade de nossos hospitais regionais, porque comprovada a ineficiência geral do sistema, delineada por minudente trabalho desenvolvido pelo TCE/RN (Relatório de Auditoria Operacional site www.tcern.gov.br). De todos os dados ali existentes, basta registrar que a imensa maioria das internações nestes hospitais seria evitada se houvesse atendimento básico. Ou seja, a nossa demanda premente, na maioria dos casos, não é por custosos hospitais supostamente aptos a fazer internações, mas, sim, postos de saúde estruturados e abastecidos, para que uma gripe não vire pneumonia, por exemplo. Com esta premissa, a necessidade de readequação da rede de hospitais, nosso caminhar nos leva ao que fazer e como fazer... Consórcios Públicos... Infelizmente, o RN não é pródigo em consórcios públicos e solidariedade entre os entes locais, o que faz com que qualquer estrutura com este perfil associativo só possa vingar se capitanea-

A nossa demanda premente, na maioria dos casos, não é por custosos hospitais supostamente aptos a fazer internações, mas, sim, postos de saúde estruturados e abastecidos, para que uma gripe não vire pneumonia, por exemplo” do pelo Estado e estimulado por verbas federais. Além disso, é necessário que haja um projeto piloto, exemplo a ser seguido pelos demais. E por onde começar? A vocação para o projeto inicial é nitidamente dos locais em que haja dois destes hospitais que distem até 100 km um do outro, conjugada a pequena distância com a baixíssima resolutividade de ambos - evidentemente, neste primeiro passo, excluam a região metropolitana de Natal, por ser receptor de toda a demanda reprimida. Identificado este perfil, o passo seguinte é traçar qual o raio de abrangência des-

tes dois hospitais – possivelmente haverá um terceiro hospital ineficiente neste perímetro -, com isso, estarão estabelecidos os municípios que participarão do consórcio, entre os quais deverá ser feito um plebiscito, para a população envolvida identificar onde deverá permanecer o hospital regional, transformando o(s) outro(s) dentro do perímetro em unidade básica de atendimento com funcionamento 24 horas. O hospital regional remanescente permanecerá custeado integralmente pelo estado do RN, para onde migrarão parte dos recursos públicos, equipamentos e pessoal que serviam ineficientemente no hospital agora encaminhado para o consórcio, enquanto a unidade básica “especial” de atendimento será bancada pelo Estado e todos os municípios por ela atendidos, obedecida a Lei nº 11.107/05. Com um detalhe, se o Estado presta atendimento básico, esta atividade não é diretamente financiada por verbas federais, tal qual ocorre quando esta mesma prestação é feita pelos municípios. Evidentemente, esta não é uma receita de bolo nem a estrada de tijolos amarelos do Mágico de Oz, mas um caminho possível, ainda que necessite de eventuais ajustes de rota. A única certeza é que não podemos continuar deixando as pessoas sangrarem até a morte.

O MST e o uso do latifúndio JOÃO LYRA NETO Jornalista

N

ão é de agora que luta o MST - Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra - para conseguir pedaços de terras para trabalhar e plantar. Esse movimento é antigo e tem deixado o INCRA Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária - meio embaralhado para encontrar solução para atender a milhares de trabalhadores. Criado em substituição ao IBRA e ao INDA, o INCRA passou a distribuir lotes de terras em Altamira, no Maranhão. Para isso, elaborou um amplo catálogo para atender aos posseiros e suas famílias, abriu a Belém-Brasília para trazer agricultores do Sul para trabalhar nessa área, que teve a sua concessão de terras promovida. A partir daí, iniciou o INCRA, o seu grande trabalho

dando condições àqueles que queriam explorar a terra. Em Recife, foi feita a primeira desapropriação no Governo Médici. Foi da Usina Caxangá. Estava selada a reforma agrária, no Nordeste. Mesmo assim, as dificuldades apareciam em face da demora na solução dos pedidos dos agricultores do MST. No que toca a isso, o presidente do INCRA, deputado Dante de Oliveira, não conseguiu solucionar os problemas e renunciou. As invasões, pelos agricultores, se sucediam. Sabem os que lutam por essas desapropriações junto ao INCRA, da existência de dezenas de propriedades improdutivas, sem a presença dos seus donos. São propriedades abandonadas e, mesmo assim, contestadas pelos seus proprietários. No Nordeste, e no Sul, isso realmente é comum. Aí é onde reside o trabalho dos dirigentes do MST, nes-

Com Lula na presidência, pela sua conhecida linha política, o MST tinha maior aproveitamento. Era o estímulo a uma luta que se tornava cada vez mais sufocante para o Incra” sa imensa e interminável luta em favor da terra. Na verdade, passa a ser um problema de justiça, coisa que já podia ter acontecido. As invasões, tanto nas propriedades rurais, quanto nos setores administrativos da Instituição, aumen-

tam o problema, dificultando a solução. Com Lula na presidência, pela sua conhecida linha política, o MST tinha maior aproveitamento. Era o estímulo a uma luta que se tornava cada vez mais sufocante para o INCRA. Com os movimentos populares e representantes de classe presentes em todo o País, o MST “montou no cavalo” no encontro de soluções para os pedidos de assentamento de terras. O trabalho do Governo, no momento atual, é fazer projetos para o crescimento do País. Sobre isso, o que a presidente Dilma tem feito é olhar para a região Nordeste. As suas visitas aos estados, inaugurando obras, tem sido olhadas com interesse. São rodovias, canais de irrigação, casas populares e assistência à pobreza. Nesse contexto, porém o MST não pode ficar de braços cruzados.


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

economia

3

RN fica para trás no comércio exterior « EXPORTAÇÕES » Estado foi o que menos cresceu, desde 2002, de acordo com levantamento que considera o primeiro semestre e apenas os Estados do Nordeste. Ritmo no mercado de trabalho também é fraco EMANUEL AMARAL

Rio Grande do Norte foi o estado do Nordeste onde o valor exportado no primeiro semestre do ano menos avançou desde 2002. Outros estados igualmente afetados pela seca, como a Bahia, registraram crescimento quase 100 vezes superior ao do RN, em termos de exportação. Os dados são Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Mas não é apenas o valor exportado que tem crescido em marcha lenta no estado. As contratações com carteira assinada também perderam fôlego e fecharam o primeiro semestre de 2013 com o quarto pior desempenho desde 2003. A multinacional americana Del Monte Fresh Produce Brasil Ltda, que cultiva banana em três municípios no Rio Grande do Norte e exporta quase 100% do que produz para a Europa, não conseguiu conter a queda nas exportações no primeiro semestre. A área de plantio foi ampliada em 150 hectares, chegando a 1,4 mil apenas no estado, mas ainda assim o volume exportado foi 28% menor que o exportado no mesmo período do ano passado. A razão foi a seca. O quadro fez a empresa repensar investimentos e cogitar a possibilidade de enxugar o quadro de funcionários, segundo Denílson Cardoso, diretor jurídico da empresa.

O

Castanha Manoel Cristiano da Cunha, produtor de castanha de caju no assentamento rural Novo Pingos, em Açu, viu a seca dizimar a produção e os colegas produtores irem buscar trabalho nas indústrias da região. “Vendíamos nossa produção para as beneficiadoras, mas esse ano não produzimos nenhum quilo”. Segundo Manoel, vai ser difícil o assentamento voltar a produzir as 100 toneladas comercializadas na safra 2010/2011. Os dois produtos – a banana e a castanha de caju – estão entre os responsáveis por puxar para baixo o valor exportado pelo Rio Grande do Norte. Só de castanha de caju – segundo produto com maior representatividade na pauta de exportações potiguar - o estado deixou de ex-

Com a oferta reduzida, em decorrência da seca, a castanha de caju desacelerou no comércio exterior: o Estado deixou de exportar R$ 8,3 milhões, de janeiro a junho ALDAIR DANTAS

Retomada do crescimento é dúvida

portar R$ 8,3 milhões nos primeiros seis meses de 2013. Apesar da desaceleração, empresários que optaram por aportar seu capital no RN têm lançado mão de uma série de estratégias para driblar as dificuldades e manter a exportação e a geração de emprego em alta. Luiz Roberto Barcelos, sócio-diretor da Agrícola Famosa, maior exportadora de frutas frescas do Brasil e maior produtora de melão do mundo, conseguiu, por exemplo, aumentar de 20% para 40% o volume de frutas exportado no primeiro semestre do ano. “Exportamos 300 conteinners a mais nesse período”, relatou. O dólar em alta ajudou a empresa, que cultiva boa parte das frutas em áreas irrigadas, a ampliar sua participação no comércio exterior. Para a próxima safra, há a perspectiva de ampliação da área de plantio e a contratação de, pelo menos, mais 500 funcionários no RN e no Ceará. Especialistas, porém, estão menos otimistas em relação ao futuro.

“Devemos fechar o ano exportando menos do que em 2012. Acredito que seguiremos a tendência nacional, que ainda é de queda”. ALDEMIR FREIRE economista e chefe do IBGE/RN

O Rio Grande do Norte dificilmente conseguirá repetir o desempenho alcançado em 2012, segundo avaliação de Aldemir Freire, economista e chefe do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística no estado (IBGE/RN), que diz ter dúvidas com relação a recuperação da economia potiguar neste ano. “Devemos fechar o ano exportando menos do que exportamos no ano passado. Acredito que seguiremos a tendência nacional, que por enquanto é de queda”. As projeções para a geração de emprego também não são muito animadoras. “Grandes obras de infraestrutura serão concluídas, como o estádio Arena das Dunas e o aeroporto de São Gonçalo do Amarante, o que impactará na geração de empregos no estado. Praticamente todos os outros setores estarão em pior situação do que estiveram em 2012. O comércio

vai melhorar, mas não vai repetir o desempenho de 2012. A construção civil provavelmente também não. A indústria extrativa enfrenta problemas, com a desaceleração da produção de petróleo. E até o setor de serviços reduzirá o ritmo das contratações”, prevê.

Prejuízos O estado, acrescenta Fran Bezerra, superintendente do Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste (Etene), vinculado ao Banco do Nordeste (BNB), levará pelo menos seis anos para recuperar as perdas provocadas pela seca, sobretudo no campo. “Temo até que este ano seja mais difícil que 2012, porque 2013 herda todos os prejuízos de 2012”, justifica. O especialista em Comércio Exterior, Otomar Lopes Cardoso Júnior, professor da Universidade Potiguar e da Faculdade de Natal, se mostra mais oti-

mista com relação a recuperação do valor exportado, e explica que há uma relação direta entre exportações e geração de emprego, sobretudo na fruticultura. “Quando as exportações sobem, a geração de emprego também sobe em determinadas atividades”. O economista e secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado, Rogério Marinho, prefere não fazer projeções, mas diz que é possível transformar a crise em oportunidade. “Precisamos encontrar alternativas para dinamizar a economia”, diz.

www.tribunadonorte.com.br O economista e chefe do IBGE/RN, Aldemir Freire, analisa o ritmo da economia. Veja a entrevista em blog.tribunadonorte.com.br/merc ado/

Indicadores RN fecha primeiro semestre com queda nas exportações e saldo negativo de empregos O RITMO DAS EXPORTAÇÕES

O RITMO DAS CONTRATAÇÕES

Variação do valor exportado – jan a jun

Saldo* de empregos - jan a jun.

Brasil

Nordeste

Rio Grande do Norte

Brasil

Nordeste

Rio Grande do Norte

-3,15%

-15.65%

-11,5%

826.168

-26.570

-1.927

2010

8.188

2005

107,6 milhões

121,6 milhões

9.485 105,7 milhões

137,6 milhões

2004 124,7 milhões

164,7 milhões

167 milhões

181,4 milhões

170,2 milhões

257,7 milhões

107,6 milhões

111,4 milhões

3.846 2007

-884

-2.475

-3.854

Fonte: Caged/MTE

-14.519

Variação do valor exportado no Nordeste – jan a jun de 2002 a 2013

BA

PI

MA

AL

PE

CE

PB

Setores que mais contrataram em 2013 - RN

RN

BA

CE

PI

SE

PB 7º

PE 8º

AL 9º

+3.414

Administração pública

+59

Setores que mais demitiram em 2013 - RN

-41.162

RN 6º

-24.489

MA 5º

-3.875

295

6.227

13.152

Serviços

-1.431

+4,2%

+68,6%

+117,5%

26.640 SE

+171,3%

-95,72% -80,97% -50,45%

+218,9%

+295,2%

+314,3%

+338,5%

+412,6%

+638,43% +490,63% +416,17%

Maiores quedas no RN jan a jun (2013/2012) Camisas Maiôs Botões

2013

-1.927

Ranking do emprego no Nordeste - jan a jun de 2013

Maiores altas no RN jan a jun (2013/2012) Frutas Ferramentas Garrafões

2011

-1.703

2009

2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2013

522

532

2006

2003

2012

2012

2008

-1.927

121,62 milhões

Evolução do emprego no RN - jan a jun

Evolução no valor exportado de jan a jun (em dólar) - RN

103,1 milhões

Variação do valor exportado pelo RN - jan a jun (em dólar)

Indústria de Transformação

-2.220

Agropecuária

-2.126


4

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

economia

Bancos públicos assumem liderança « CRÉDITO » Dados do BC mostram que os bancos públicos passaram a morder, em junho, uma fatia de 50,3% do mercado. É a primeira vez que assumem a dianteira desde 1999, em meio a onda de privatizações do setor

B

rasília (AE) - Impulsionados pelo segmento imobiliário e pelos investimentos, os bancos públicos passaram a responder, em junho, por mais da metade do crédito do País (50,3%). É a primeira vez que as instituições estatais dominam o mercado desde 1999, em meio a onda de privatizações do setor. A partir dos anos 2000, seis bancos estaduais passaram para a iniciativa privada: Banestado (2000), Banespa (2000), Banco do Estado da Paraíba (2000), de Goiás (2001), do Amazonas (2002) e do Maranhão (2004). O paulista Banespa contava na ocasião do leilão de venda com mais de 1,3 mil pontos de atendimento. O espanhol Santander arrematou a instituição e hoje é o quinto maior banco do País em ativos. O aumento da participação dos bancos públicos se deve, segundo o chefe do Departamento Econômico do Banco Central (BC), Tulio Maciel, principalmente ao desempenho dos financiamentos de casas, apartamentos e prédios. “Isso é reflexo da dinâmica do crédito imobiliário”, resumiu, acrescentando que os bancos oficiais são fortes nessa área. Maciel lembrou que, de um ano para cá, a participação do crédito imobiliário no Produto Interno Bruto (PIB) passou de 6% para 7,5%. “Esse financiamento foi o destaque do mês”, disse. De acordo com o BC, o crédito imobiliário está crescendo a uma taxa de 35% ao ano nos últimos meses. Outro ponto que ajudou na arrancada das instituições estatais, conforme Maciel, foi o dos investimentos, capitaneados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).


economia

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

5


6

economia

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

Nova praga gera prejuízo de ao menos R$ 2 bi ao país

Abrindo a porteira LUIZ ANTÔNIO FELIPE [ laf@tribunadonorte.com.br]

Energia no campo O consumo médio de energia elétrica no primeiro semestre no RN cresce 7,8%, comparando com os seis primeiros meses de 2012. Segundo a Cosern, o acréscimo é atribuído ao período de poucas chuvas e elevadas temperaturas, sobretudo nos quatro primeiros meses. Em todas as classes de consumo houve crescimento no consumo acumulado do ano. O setor rural foi o que apresentou a maior expansão de demanda de energia no período analisado, 12,6%, em função da necessidade de irrigação das lavouras. Também foi neste período que começou a redução tarifária.

« AGRICULTURA » Perdas são computadas principalmente nas lavouras de soja e algodão. Mais de 30 culturas, no entanto, podem sofrer danos ANA SILVA

ADIAMENTO A Festa do Bode, que seria realizada no próximo final de semana em Mossoró, foi adiada para o fim de semana seguinte, de 8 a 11 de agosto. Também está adiada a Capirfeira de Lages, a mais tradicional do interior do Estado.

Congresso (I)

Congresso (II)

O pesquisador José Araújo Dantas, do Laboratório de Solos da Emparn, participa do 34º Congresso Brasileiro de Ciências do Solo, a partir de hoje até sexta-feira, 2, em Florianópolis. Vários temas estarão em discussão, além da apresentação de trabalhos técnico-científicos. O congresso é realizado a cada dois anos e, de 30 de julho a 4 de agosto de 2015, vai acontecer em Natal .

Começa amanhã, em São Paulo, a 3ª edição do Congresso ANDAV – Fórum & Exposição, realizado. É uma iniciativa da Associação Nacional dos Distribuidores de Insumos Agrícolas e Veterinários, entidade que reúne mais de 1200 distribuidores de 520 municípios. Além do Fórum de palestras terá também exposição institucional, com a participação de dezenas de empresas de diferentes setores da cadeia do agronegócio. Na cultura do milho, a Helicoverpa armigera geralmente põe os ovos sobre o “cabelo” da espiga

DIA DO AGRICULTOR Brasil tem aproximadamente 5 milhões de propriedades rurais, administradas por micro, pequenos, médios e grandes empresários. Hoje é comemorado o Dia do Agricultor, um cidadão e profissional que alimenta o País e ainda mantém em alta as exportações. De acordo com informações do Ministério do Desenvolvimento Agrário, o país tem 4,3 milhões de propriedades da agricultura familiar, que responde por 75% da mão-de-obra no campo. Um total de 70% dos alimentos consumidos no Brasil é originário desse tipo de agricultura.

Ranking das frutas O Ceará alcança a primeira posição no ranking de exportação de fruticultura no Nordeste e a segunda colocação entre todos os estados brasileiros, liderado por São Paulo (US$ 47 milhões). Depois do Ceará, vem a Bahia, com US$ 30,4 milhões.

Depois Rio Grande do Norte (US$ 27,5 milhões) e Pernambuco (US$ 15,6 milhões). O melão continua liderando as exportações no setor nordestino de fruticultura. A banana, saltou de US$ 5,5 milhões para US$ 8,2 milhões (18,5 mil toneladas).

EMBALAGENS O RN destinou ao local ambientalmente correto cerca de 48 toneladas de embalagens vazias de defensivos agrícolas no primeiro semestre de 2013. O Sistema Campo Limpo (logística reversa de embalagens vazias de defensivos agrícolas), é formado por agricultores, fabricantes - estes representados pelo Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (inpEV). A quantidade é 183% maior, se comparado o mesmo período de 2012.

1

Além de contribuir diretamente para o superávit da balança comercial, a agropecuária responde por quase metade dos empregos criados em junho. Dos 123,8 mil empregos formais criados no país em junho, 59 mil estão no setor agropecuário, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Por outro, há uma ligeira queda na riqueza gerada pelo campo, segundo pesquisa.

2

A Prefeitura de Extremoz convoca os agricultores, associações e cooperativas do município para apresentarem propostas de venda para o Programa Agricultura Familiar. O período de entrega das propostas vai até quarta-fera (31). O programa objetiva fornecer alimentos para a merenda escolar da rede municipal de ensino.

3

A Federação da Agricultura do RN apresentou o Cartão do Produtor ao Governo, num encontro na sede da Emater. A ferramenta que, implantado no RN, vai desburocratizar diversos trabalhos das secretárias de Agricultura e da Tributação, como é o caso da emissão das Guias de Trânsito de Animal (GTA) e vacinação contra a febre aftosa no rebanho potiguar, além de descontos em estabelecimentos comerciais.

B

rasília - A identificação de uma nova espécie de praga nas lavouras de milho no Brasil mobilizou um grupo de pesquisadores da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) a criarem ações emergenciais para controle da Helicoverpa armigera, muito próxima de uma espécie mais comum e já conhecida pela maioria dos agricultores, a lagarta-daespiga, ou Helicoverpa zea. A Helicoverpa armigera surgiu nesta safra de 2013 e já causou prejuízos superiores a R$ 2 bilhões, principalmente em lavouras de soja e algodão. A praga também atinge o milho. Não se sabe ao certo como ela entrou no Brasil. A hipótese mais provável é que tenha sido em flores ou plantas ornamentais. Mas o fato é que a praga agora está no país e pode causar danos a mais de 30 culturas, incluindo: soja, laranja, algodão, quiabo, cebola, melão, morango, batata doce, alface, tomate, maçã, feijão, batata e milho, entre outras, segundo a Embrapa. As ocorrências de maior severidade, até agora, foram registradas no Oeste da Bahia, causando perdas elevadas na produtividade, mesmo com a aplicação de inseticidas químicos.

NA INTERNET A Embrapa disponibilizou,em seu portal,o serviço Alerta à Helicoverpa,com informações técnicas sobre a nova praga e medidas de controle.A Embrapa Milho e Sorgo também criou,na primeira semana de abril,o hotsite “mipmilho”, com ações relacionadas ao Manejo Integrado de Pragas.

Segundo o pesquisador Ivan Cruz, do Núcleo de Pesquisa em Fitossanidade da Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas-MG), as diferenças entre essa espécie e a lagarta-da-espiga são muito sutis. “Não são facilmente separadas visualmente. As diferenças estão na genitália das duas espécies”, diz. De acordo com ele, a Helicoverpa armigera é muito severa em países da Ásia, África e Austrália e tem como hospedeiros as seguintes culturas: milho, soja, algodão, sorgo granífero, painço, girassol, cereais de inverno (trigo, aveia, cevada e triticale), linhaça, grãode-bico, feijão e culturas hortícolas, como cerejas, tomate, pepino e frutas cítricas.

APLICAÇÃO O Banco do Nordeste investiu R$ 355 milhões do FNE (Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste), no RN, nos seis primeiros meses do ano. O volume é 170% acima do valor aplicado no mesmo período de 2012, distribuído em 17,7 mil operações de crédito. Mais de 73% dos recursos foram contratados em municípios da região do semiárido potiguar, que enfrenta uma das piores estiagens dos últimos anos. No Nordeste, foram contratados R$ 6,2 bilhões. Um dos destaques foi o setor rural, que recebeu mais de R$2,4 bilhões, 18% a mais que no 1º semestre do ano passado. EXPOSIÇÃO A 13ª Exposição Nacional de Caprinos da Raça Boer, que foi realizada durante a ExpoCrato, no Ceará reuniu criadores de vários estados. A cabra Boer Grande Campeã Nacional foi o animal de nome “Rebanho Ipojuca Parcas 150”. E o Grande Campeão Nacional foi o bode do criador José Mário de Viana Galvão, “Rebanho Ipojuca Hélio 172”. No Leilão ExpoCrato foram vendidos 13 animais Boer que participaram da Nacional, sendo 12 fêmeas, num total de R$ 91.920,00, com média de R$ 7.760,00. O reprodutor Boer, Campeão Nacional, foi vendido por R$ 18 mil.

tn família TODOS OS DOMINGOS NA TRIBUNA DO NORTE

Resistência Cruz reforça que o que torna a praga importante e severa é o fato de possuir alta mobilidade, polifagia e alta taxa de reprodução. “Um problema agravante ao manejo da praga tem sido também o desenvolvimento da resistência aos inseticidas, fato já documentado na literatura, especialmente em relação a piretroides sintéticos, embora já haja registro de resistência a outros grupos de compostos, como carbamatos e organofosforados”, explica o pesquisador. Os ovos da Helicoverpa armigera são geralmente postos sobre o “cabelo” do milho, assim como a espécie H. zea. “Ao eclodir, as larvas consomem os grãos em desenvolvimento e, além desse dano direto, são comuns as infecções bacterianas secundárias”, alerta Cruz. De acordo com o pesquisador, as larvas também podem se alimentar das folhas do cartucho, das folhas mais desenvolvidas na planta e do pendão. Uma das características que tornam essa lagarta ainda mais severa é seu ciclo de vida, que é em torno de um mês, o que permite a existência de várias gerações anuais e contínuas, especialmente nas áreas mais quentes.

Pesquisadores apostam no controle biológico Segundo o pesquisador Fernando Hercos Valicente, do Núcleo de Biologia Aplicada da Embrapa Milho e Sorgo, estão sendo identificados genes promissores de Bt (Bacillus thuringiensis) que possam ter eficiência comprovada contra a Helicoverpa armigera. “Estamos iniciando os testes e podemos ter algum sucesso no controle da praga”, antecipa. Segundo ele, a próxima etapa é a multiplicação dos agentes por biofábricas, primeiro em escala piloto, fase que deve ser feita por atores que tenham interesse na tecnologia desenvolvida pela Embrapa. Ivan Cruz reforça que o principal agente de controle biológico, para liberação em nível de campo, para o controle de ovos de diversas espécies de Lepidoptera são as vespinhas do grupo Trichogramma, um inseto diminuto, porém com alta eficiência no controle das pragas. “A liberação desse agente de controle biológico deve estar associada com armadilha contendo feromônio sexual que, ao ser utilizado no campo, serve para detectar a chegada da mariposa na área-alvo e indicar a época de liberação. A armadilha, bem como o feromônio sexual, já está disponível no mercado internacional”, explica o pesquisador.

Controle O pesquisador da Embrapa Milho e Sorgo destaca que o correto manejo das pragas de milho deve considerar necessariamente a possibilidade de liberação do Trichogramma, tanto para o controle da lagarta-do-cartucho como para o controle do complexo de Helicoverpa (zea e armigera). “O alto índice de parasitismo natural de ovos da lagarta-da-espiga indica a adaptação da espécie ao agroecossistema milho e a real possibilidade de uso também para o controle da nova espécie, H. armigera”, relata.


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

economia

7

»ENTREVISTA » ROGÉRIO MARINHO SECRETÁRIO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO RN

“Eu tenho fé” FOTOS:EDU BARBOZA

« DESENVOLVIMENTO » Projetos relacionados à interiorização da indústria e ao setor de confecções fazem o Governo crer que é possível a aceleração

ì QUEM É Rogério Marinho é secretário estadual de Desenvolvimento Econômico

FORMAÇÃO Formado em Economia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte

CARREIRA Professor e economista, Rogério Marinho trabalhou durante mais de 20 anos na administração pública. Foi secretário, consultor, vereador e presidente da Câmara Municipal de Natal. É deputado federal e foi presidente do PSDB no Rio Grande do Norte.

ANDRIELLE MENDES repórter

asta dar uma olhada nos indicadores oficiais para perceber que a economia do Rio Grande do Norte – assim como a do país – não anda muito bem. Produção, exportação, geração de emprego. Tudo desacelerou no último semestre. Os números, no entanto, parecem não intimidar o secretário de Desenvolvimento Econômico do Rio Grande do Norte, Rogério Marinho. O economista admite que a situação não é das melhores, mas afirma que é melhor buscar alternativas, a lamentar as dificuldades. Rogério Marinho, que prometeu ‘virar o jogo’, diz ainda ter cartas na manga para tentar acelerar a economia. À frente da pasta do Desenvolvimento Econômico no estado há pouco mais de seis meses, anuncia novos projetos como a instalação de novos distritos industriais e o fortalecimento de pequenas fábricas de confecção no interior do estado, em parceria com gigantes do setor, como a Guararapes, e ainda espera boas notícias para o final do ano. “Eu acredito que chegaremos ao final do ano com boas notícias. Eu tenho fé”.

B

Que balanço o senhor faz do primeiro semestre? O otimismo que existia no país diminuiu nesses seis meses e isso certamente impactou a nossa economia. Além disso, a seca impactou fortemente nossa atividade produtiva. Verificamos, inclusive, uma redução na exportação de produtos como castanha do caju, mel e frutas tropicais. Recentemente, o Ministério do Trabalho e Emprego divulgou um relatório mostrando que o crescimento progressivo que estava ocorrendo na geração de emprego foi freado no estado. Apesar disso, entre os estados do Nordeste, nós tivemos o segundo o melhor índice, apesar de negativo. Também estamos sendo afetados por questões macroeconômicas. O Rio Grande do Norte tem buscado novo fôlego, forças para resistir a essas dificuldades econômicas que acometem o país como um todo. É preciso fazer da crise uma oportunidade. Nós temos duas formas de encarar o processo: ou aceitamos como fatalismo, e achamos que vamos ficar do mesmo jeito e as coisas não vão se resolver, ou passamos a buscar soluções, novas formas de conviver com o problema e alavancar a economia do estado.

Nós estamos nos preparando para dinamizar a economia. Acredito que os projetos que elaboramos começarão a dar frutos no final do ano”.

O senhor se referiu a um novo fôlego. Esse novo fôlego virá de onde? Temos algumas ações importantes. Lançamos recentemente junto com a Fiern o programa Mais RN, que sistematiza informações importantes e customiza uma série de projetos já existentes no estado. Teremos em breve um mapa de oportunidades para dinamizar e fortalecer nossa economia. Também vamos criar uma carteira de projetos estruturantes. Imagine o governo federal anunciando que vai investir R$ 50 bilhões em obras. Se o estado tiver projetos, evidentemente estará numa melhor situação para recepcionar esses recursos. Isso nos dará um diferencial com relação aos outros estados. Mas esse programa trará resultados a curto prazo? A curto prazo. A cada 45 dias a consultoria vai apresentar produtos.

Segundo nossos cálculos, serão investidos em torno de R$ 30 milhões nesse programa só em capacitação (para fortalecer as chamadas facções)”

Mas como a divulgação desses produtos mexerá com a nossa economia? É como eu falei. Vamos preparar uma carteira de projetos e apresentá-la aos empresários onde eles estiverem. Também vamos trabalhar muito forte a interiorização da indústria. Há quatro meses começamos um trabalho, que vamos lançar no dia 5 de agosto, junto com a Hering e a Guararapes, que é o fortalecimento de pequenas fábricas no interior do estado, na área de facções. Procuramos primeiro a Guararapes. Tivemos várias conversas com o seu controlador, seu Nevaldo Rocha. Ele colocou a necessidade de dobrar o número de lojas da Riachuelo no país nos próximos quatro anos, e sua ideia de fazer no país o que a Zara fez na Espanha. Ele disse, porém, que estava decepcionado com a burocracia e falta de apoio, e que estava pensando em desistir do projeto, e importar mais roupas da China, Paquistão, Bangladesh. Então nós tivemos uma conversa, ele foi bastante sensível. Dissemos que o projeto, se mantido. deixaria de ser um projeto somente da Guararapes e passaria a ser um projeto de Estado. Seu Nevaldo deu o sinal verde e nós começamos a trabalhar nesse projeto há quatro meses em parceria com o Sebrae e a Fiern. A ideia é identificar os empreendedores que queiram fornecer as peças para a Guararapes e a Hering e qualificá-los. Vamos orientálos desde a escolha do modelo

começado a trabalhar uma nova fonte de energia, que é a solar. O RN está, inclusive, sendo procurado por empresas fabricantes de equipamentos para geração de energia solar do mundo inteiro. gerencial até o atendimento à legislação. Vamos preparar todo o arcabouço necessário para que eles tenham segurança e trabalhem dentro da legalidade. Quantos empregos poderão ser gerados através do fortalecimento dessas pequenas fábricas? A previsão é que sejam gerados 20 mil empregos diretos nas facções nos próximos quatro anos. Isso significará só do ponto de vista da Guararapes, a contratação de cerca de 300 pequenas empresas. E da Hering, cerca de 60, cada uma com 40 ou 50 funcionários. Essa é uma ação que não tem similaridade no país. Acreditamos que será uma marca importante e um trabalho que pode tomar uma dimensão maior nesses quatro anos. Segundo nossos cálculos, serão investidos em torno de R$ 30 milhões nesse programa só em capacitação. A Hering é inclusive pioneira. Já trabalha com 80 facções e vai ampliar a sua ação aqui no estado. Resultados já em 2014? Sim. Resultados já em 2014. Outro projeto que estamos trabalhando é a instalação de um call center em Mossoró. Também estamos tentando estabelecer ao longo da BR 101 novos parques industriais. Temos já o de Goianinha e o de Monte Alegre criados. Em conversa com o deputado federal Henrique Alves, presidente da Câmara dos Deputados, ele apresentou uma emenda aprovada e avaliada em R$ 22 milhões para instalar distritos industriais nos municípios de Vera Cruz, Nísia Floresta, São José de Mipibu, e fortalecer o de Macaíba. Os recursos já estão sendo liberados. O prazo para inaugura-

ção dependerá da burocracia própria de cada município. São muitos projetos, de fato. Mas como está nossa economia hoje? Estagnada? Em declínio? Pergunto isso, porque nossos indicadores não são positivos... Nossa economia está em consonância com o que está ocorrendo no país. Como disse anteriormente, é na crise que se gesta oportunidades. Nós estamos nos preparando para dinamizar a economia. Acredito que os projetos que elaboramos começarão a dar frutos no final do ano. Na área de interiorização da indústria, temos outras ações importantes. Uma delas é a instalação de um parque tecnológico em Macaíba, avaliado em R$ 30 milhões. A ideia é trazer institutos de pesquisa, de certificação de tecnologia, universidades, a Petrobras, e empresas privadas, que vão trabalhar com pesquisa, extensão, incubação de empresas e fabricação de componentes para o mercado de energia, neste local. Em 2009, o RN viveu o boom da energia eólica. Mas apesar de o estado ter 40% dos projetos ligados a geração de energia eólica do país, temos apenas uma fábrica de equipamentos em João Câmara, que é uma empresa transitória e que pode ser desmontada a qualquer momento e levada para outro lugar. A Bahia, o Ceará e Pernambuco foram mais ágeis que o RN e recepcionaram essas fábricas de componentes. Queremos recuperar esse tempo perdido, encontrando espaço para que as empresas possam se situar e ao mesmo tempo fazendo o link entre academia e mercado. É preciso ressaltar que desde o final do ano passado o governo federal tem

Quantas empresas já demonstraram interesse em investir em energia solar no Estado? Mais de dez. Alguma já deu algum passo concreto? Algumas já pediram até registro na Junta Comercial para produzir componentes no estado. Acreditamos que o cavalo que bebe primeiro, bebe água limpa, por isso a nossa ideia é sair na frente. Instalar a estrutura para recepcionar essas empresas antes dos outros estados. O escoamento de energia estará garantido? Hoje, a eólica enfrenta dificuldades e há parques ociosos espalhados pelo Estado... Sim, há um esforço do governo federal nesse sentido. O senhor acredita que ainda dá para virar o jogo até 2014, quando se encerra este mandato? O que eu acredito é que não podemos ficar parados. Estamos sendo impactados por uma situação de depressão econômica. O que nos cabe é preparar o estado para que ele possa reagir. O estado tem pago um preço alto pela falta de logística para escoamento de cargas. Nosso porto não tem para onde ser ampliado e isso nos fez perder investimentos. A construção de um novo porto deve ser a bandeira da classe política do estado. O que esperar do segundo semestre, então? Em acredito que, pelo menos em termo de exportações, alcançaremos o mesmo patamar do ano passado, mesmo com as dificuldades que estamos vivendo. Acredito que chegaremos ao final do ano com boas notícias. Eu tenho fé.


8

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

economia Acordo deve estimular investimentos em ‘startups’ « INOVAÇÃO » O Mdic e a organização Anjos do Brasil se uniram para buscar maneiras de desenvolver esse segmento empresarial

B

rasília – As startups, empresas especializadas na oferta de serviços e bens inovadores, ganharam mais apoio do governo brasileiro. Por meio de um acordo assinado com a organização sem fins lucrativos, Anjos do Brasil, que apoia o empreendedorismo inovador brasileiro, o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) vai buscar maneiras eficientes de auxiliar o desenvolvimento deste segmento empresarial. De acordo com o secretário de Inovação do MDIC, Nelson Fujimoto, o acordo irá possibilitar criar novas políticas públicas para estimular o chamado ‘investimento anjo’, que se direciona às empresas startups. “Contamos com a atuação da Anjos do Brasil fornecendo informações sobre o setor e, principalmente, desenvolvendo juntos instrumentos de apoio a esse segmento. Esses instrumentos poderão ser projetos específicos, como contratação de estudos e capacitação ou ainda aperfeiçoando o marco regulatório vi-

gente”, afirma o secretário. Fujimoto ressaltou ainda que o acordo não traz somente benefícios para investidores anjos ou empreendedores. “Ele criará o desenvolvimento de políticas públicas mais reais, diretamente ligadas a esse universo e que ajudarão também no crescimento de um país mais próspero e que aposta nos seus talentos”, disse. Para a Anjos do Brasil, esse acordo representa um passo importante para a consolidação do segmento. “É uma grande honra podermos cooperar com o MDIC para o fomento do investimento anjo e para o desenvolvimento do empreendedorismo brasileiro. Consideramos este acordo um passo muito importante para que sejam desenvolvidas políticas e ações de estímulo a esta prática fundamental para o financiamento de negócios inovadores” afirma Cássio Spina, fundador da Anjos do Brasil. O acordo foi assinado durante o primeiro Congresso de Investidores Anjo, realizado este mês, em São Paulo-SP.


TÁBUA DE MARÉS

NO FACEBOOK

Preamar 08h32-2.1 - 21h00-1.9 Baixa-mar 08h32-2.1 - 21h00-1.9

Curta e compartilhe charge de Brum.

facebook.com/tribunarn

FASES DA LUA Hoje: Cheia 29/07: Minguante

BOLIVIANA CLAUDIA MIREYA ESTÁ ENTRE OS 25 MÉDICOS ESTRANGEIROS QUE ATUAM NO RN - PÁGINAS 7 E 8

NA TN ONLINE

Confira galeria de imagens com fotos da semana.

tribunadonorte.com.br

natal Editora: Cledivânia Pereira [cledivania@tribunadonorte.com.br ]

Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 28 de julho de 2013

Ponte aguarda obras complementares « INFRAESTRUTURA » Seis anos após ser inaugurada com promessa de alavancar o desenvolvimento do turismo no litoral Norte e de melhoria de trânsito para moradores da zona Norte, a Ponte Newton Navarro é subutilizada RICARDO ARAÚJO repórter

P

assados quase seis anos desde que foi inaugurada, a Ponte Newton Navarro, que une as zonas Leste e Norte de Natal, não desempenha, integralmente, a função para a qual foi erguida. Isto porque as obras complementares de escoamento do tráfego a partir da estrutura não foram executadas, mesmo oito anos após o anúncio das suas construções pelo Governo do Estado. Do lado Norte do empreendimento, no bairro da Redinha, resta ser construído um complexo viário com um viaduto e quatro alças de acesso às vias adjacentes. A intervenção visa solucionar o problema dos engarrafamentos na região e interligar a via às demais obras contempladas no Programa Pró-Transporte que também amarga o dissabor dos atrasos na execução. O anunciado “boom” de desenvolvimento econômico que se daria na zona Norte a partir da inauguração da ponte, ocorreu timidamente e muitos projetos sequer saíram do papel. A vinda de estrelas do esporte e cinema internacional como David Beckham e Antonio Banderas, respectivamente, entre 2007 e 2008, não foram suficientes para alavancar a comercialização dos empreendimentos de luxo previstos para o Litoral Norte em decorrência do apelo paisagístico da região e fluidez do tráfego prometido pelo Executivo Estadual como principal legado da milionária obra da ponte. As melhorias para a região, porém, mais uma vez foram anunciadas pela Secretaria de Estado de Infraestrutura (SIN). Após anos parada, as obras do Pró-Transporte, que visam integrar a praia da Redinha à BR-101 Norte, deverão sair do papel nos próximos meses. O processo licitatório das obras que movimentarão R$ 88 milhões foi concluído em junho passado próximo e a construtora IM Comércio e Terraplenagem será a responsável pela execução dos serviços. “Com a conclusão das obras do Pró-Transporte, a ponte irá atingir a sua completa funcionalidade. Com certeza a atual situação irá mudar e a capacidade de tráfego será total”, garante o coordenador de Gestão de Infraestrutura da SIN, engenheiro Rafael Brandão. Para saírem do papel, as o-

ì O QUE A Ponte Newton Navarro precisava de obras complementares que nunca saíram do papel: complexo viário na João Medeiros Filho e obras do Pró-transporte na Moema Tinoco

QUANDO Estrutura demorou mais de uma década para sair do papel. O valor da construção ainda é motivo de inquéritos que investigam superfaturamento do projeto.

bras contempladas no PróTransporte e o complexo viário da Redinha tiveram que ser incluídos nas mesma licitação. A previsão da SIN é de que as obras comecem em trinta dias, após o encerramento dos procedimentos burocráticos entre o Executivo Estadual, a IM Comércio Terraplenagem e a Caixa Econômica Federal, banco financiador dos recursos. Após iniciada, a obra do viaduto da Redinha deverá se estender por um ano. Serão necessárias algumas desapropriações. A SIN, contudo, não detalhou quais imóveis serão atingidos, tampouco o valor que será investido na indenização das famílias. No que tange as intervenções do Pró-Transporte, serão necessários 24 meses para que estejam concluídas. Do total estimado para os empreendimentos – R$ 88 milhões – parte será financiado pelo Governo Federal, que são os R$ 12 milhões referentes ao complexo viário da Redinha. Estes recursos são remanescentes da monta anunciada ainda em 2005 para as obras. Outros R$ 45 milhões serão viabilizados através de empréstimos e os outros R$ 31 milhões serão de contrapartida do Governo do Estado. “Os licenciamentos ambientais estão concluídos. A obra está contratada e todo o planejamento de execução, adiantado”, assegura Rafael Brandão.

+

PAGINA 2 E 3 Turistas e moradores reclamam da deficiência de estrutura viária


2

natal

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

Sem as obras complementares, ponte ficou isolada « MOBILIDADE » A Ponte Newton Navarro precisa de projetos complementares que estão com recursos assegurados desde 2005, mas não foram viabilizados

A

falta de infraestrutura para fluidez do tráfego na zona Norte de Natal é evidente nas vias mais movimentadas da região, cuja densidade demográfica é a maior da capital. Concebido entre os anos de 2005 e 2006, o Programa Pró-Transporte tem como objetivo desafogar as principais vias, incluindo melhorias nos acessos à PonteNewtonNavarro,duplicação e construção de um viaduto duplo na Avenida das Fronteiras. Entretanto,dasnoveintervençõesprevistas no projeto original, somente 20,34% foi concluído até hoje, que é justamente a obra correspondente ao viaduto na avenida das Fron-

teiras. Em 2011, o viaduto foi aberto ao tráfego sem a conclusão das obras adjacentes, dentre elas a duplicação da própria Avenida das Fronteiras. O Estado assumiu a obra em 2012 e deflagrou um novo processo licitatório somente em 2013. As obras que serão executadas pelo Estado custarão até R$ 88 milhões,quaseodobrodoorçamento inicial do projeto. A obra consiste na criação de dois eixos em pista dupla,dotadosdecorredoresexclusivos para ônibus e ciclovias. OEixoFronteiraspartedoGancho de Igapó, na Avenida Tomaz Landim,percorrendoaAvenidadas Fronteiras, Rio Doce e a Tocantí-

neaatéoentroncamentocomaAvenida Moema Tinôco. O segundo eixo é envolve as avenidas Moema TinôcoeConselheiroTristão,atéoencontro com a Avenida João MedeirosFilho,ondeseráconstruídooViaduto da Redinha, que dá acesso à Ponte. A obra inclui ainda a facilitação do acesso à BR-101 Norte. Além daduplicaçãodoscorredoresviários, que deverão permitir maior fluidez aotransportecoletivo,oprojetoprevê melhorias para a mobilidade de pedestres com a padronização de passeios públicos e implantação de passarelas.Tambémestãoincluídos 108novosabrigosdeônibuseacriação de 11 km de ciclovias.

Nova ponte sobre o Rio Potengi melhorou a mobilidade entre as zonas Leste e Norte da cidade, mas não conseguiu oferecer todos os benefícios apontados à época da construção

Zona Norte é carente de infraestrutura A zona Norte é hoje, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a zona que mais cresce em termos populacionais. Entre os anos 2000 e 2010, a taxa de crescimento populacional foi de 2,18% contra 1,22% do restante da capital. Em uma década, o número de moradores da área saltou de 244.743 para 303.543. A estimativa do IBGE é de que a região conte com mais de meio milhão de habitantes até o ano de 2020. Por enquanto, o Governo do Estado não sinalizou a construção de nenhuma outra estrutura para escoamento do tráfego de veículos, ônibus e caminhões a partir e para aquela região. “A zona Norte pre-

cisa evoluir para além-moradia. Isso diminuirá o fluxo de pessoas de lá para cá. Faltou um conjunto de investimentos acompanhado da ponte. A nova ponte atendeu a demanda em partes. Se não existisse, a situação seria pior”, acrescenta Aldemir Freire, chefe do IBGE no Rio Grande do Norte. Ele afirma que três eixos são determinantes para a atração de investimentos para a região e consequente desenvolvimento econômico e social. “O Aeroporto de São Gonçalo do Amarante, o Programa Minha Casa, Minha Vida e as obras de mobilidade contempladas no Pró-Transporte são investimentos estruturais que poderão contribuir

para o desenvolvimento daquela região, dando dinamismo”, avalia Aldemir Freire. Para ele, é preciso descentralizar os serviços e expandir os mesmos modais de atendimento em repartições públicas, por exemplo, para a zona Norte. Isto feito, poderia contribuir, inclusive, para os engarrafamentos registrados diariamente nas duas pontes. “Além dos investimentos em transporte público, trens urbanos. Faltam, também políticas públicas de incentivo para que empresas se instalem na zona Norte”, ressalta. Se a zona Norte fosse uma cidade, seria a segunda maior do Estado, deixando Mossoró e Parnamirim para trás.

Manutenção da estrutura é falha A falta de manutenção na estrutura submersa e no entorno da ponte é uma preocupação dos moradores e comerciantes da praia da Redinha. O quiosqueiro Luiz Miguel, de 47 anos, assistiu a construção da megaestrutura e afirma que pouco mudou desde que as estruturas de concreto deram forma a uma das pontes mais altas da América do Sul. “Até agora, estamos no amarelo. Não tem investimentos no restante da infraestrutura nem aqui embaixo, na praia, nem lá no trânsito”, destaca. Ele trabalha no mesmo quiosque, às margens do encontro do rio Potengi com o oceano Atlântico, há oito anos. Ele lamenta a extinção do serviço de traslado de veículos particulares e de passeio através da balsa marítima. “Era um atrativo a mais para a praia que deixou de existir”, diz. Mesmo com tantas ressalvas, ele admira a beleza e im-

ponência da construção e comenta que o que mais o chama atenção quando olha para cima, é a altura da ponte. “São tantas histórias em tão pouco tempo”, balbucia enquanto admira a dimensão dos pilares de sustentação. E é nos pilares que se escondem muitas histórias de pescador. Naqueles mais próximos à margem do rio Potengi, os pescadores limparam, expulsaram os consumidores de drogas e moradores de rua que fizeram moradia nas estruturas ocas e transformaram o espaço em depósitos de redes e itens diversos utilizados na pescaria. O pescador Franco Xavier diz que somente após a união dos pescadores que trabalham nas margens da ponte, os usuários de drogas e moradores dos pilares rumaram para outros endereços. “A gente conseguiu que eles saíssem daqui numa boa. Lim-

pamos os pilares, colocamos portas e hoje está organizado. É nosso depósito”, diz. O que não está organizado, porém, é o entorno da ponte no trecho da praia da Redinha. Uma casa que foi desapropriada para dar espaço à obra continua parcialmente erguida e alguns barracos foram construídos nas proximidades. Moradores que pediram sigilo de identidade afirmam que as estruturas foram montadas no intuito de que o Governo do Estado pague pela “desapropriação”. No que se refere à manutenção da Ponte Newton Navarro, a assessoria de imprensa da Secretaria de Estado da Infraestrutura (SIN) assegura que a iluminação, pintura e sinalização, são responsabilidades da Prefeitura de Natal. Ao Governo do Estado cabe a mudança dos parafusos de sustentação dos pilares e a manutenção da sinalização marítima.

Localização do projeto foi questionado Ao longo das discussões na esfera do Governo Municipal sobre o melhor ponto para a construção da nova ponte, cogitou-se a possibilidade dela ligar a Cidade Alta à zona Norte a partir do Canal do Baldo. Alguns estudiosos disseram, ainda na década de 1990, que o ponto escolhido, entre Santos Reis e Redinha, foi incorreto. Isto posto em decorrência dos trabalhos desenvolvidos no Porto de Natal. O presidente da Companhia Docas do Rio Grande do Norte (Codern), Pedro Terceiro de Melo, afirma que a Ponte Newton Navarro limitou a entrada de determinados navios de turismo em decorrência da altura da estrutura. Além disso, a falta de defensas nos pilares centrais do empreen-

dimento impedem a movimentação de embarcações no terminal aquaviário no período noturno. “A Marinha limitou o acesso de embarcações ao Porto no horário da manhã e tarde em decorrência dos riscos de acidentes no período noturno”, esclarece o presidente. Somente após a colocação das defensas, o livre trânsito de embarcações a qualquer hora será liberado. As defensas deveriam ter sido colocadas no pilares centrais até um ano depois do início da utilização da ponte. Na semana passada, a Codern cancelou a licitação que estava em curso para a construção do “berço 4” do Porto de Natal – uma obra que duplicaria a capacidade do porto – mas não deverá engavetar o projeto. A

pretensão, em vez disso, é abrir uma nova licitação ainda este ano, incluindo, no projeto, a construção dos pilares de proteção da ponte Newton Navarro. Como consequência disso, a ampliação do Porto que deveria ser concluída até 2014, só ficará pronta em meados de 2015. A mudança nos planos foi detalhada pela Codern. O valor estimado da obra também mudou. A ampliação antes orçada em R$ 113,1 milhões passará a custar cerca de R$ 190 milhões, incluindo os pilares de proteção – um reajuste de 67,9%. A Codern aguarda que uma empresa alemã com expertise na construção de defensas, elabore o projeto que deverá ser executado na Ponte Newton Navarro.

Engarrafamentos e problemas de trânsito na antiga Ponte de Igapó ainda são constantes, mesmo com a construção da nova estrutura há seis anos

NÚMEROS

194 milhões de reais foi o valor final da construção da ponte sobre o Rio Potengi.

1.781,60 m é a extensão total da estrutura que liga as zonas Norte e Leste de Natal.

170 milhões é o peso total da estrutura que é tida como uma das maiores do país.

31 edifícios dariam para ser construídos com o concreto utilizado na obra.

25 mil veículos por dia deveriam circular na nova estrutura já no primeiro ano de implantação.

Construção é alvo de vários processos judiciais Ao longo de quase duas décadas, desde à concepção do projeto aos dias atuais, a Ponte Newton Navarro se tornou alvo de ações judiciais. Um levantamento da TRIBUNA DO NORTE identificou que pelo menos oito processos tramitam relacionado à Cejen Engenharia e Prefeitura de Natal envolvendo a referida ponte. Há, ainda, um outro processo que corre no Tribunal de Contas do Estado (TCE), que aponta superfaturamento na obra. O Ministério Público junto ao Tribunal de Contas do Estado (MP/TCE) divulgou, em janeiro deste ano, o parecer sobre as supostas irregularidades na construção e prestação de contas da Ponte Newton Navarro. Os possíveis problemas foram apresentados em relatório do Tribunal de Contas do Estado (TCE/RN) que apontava “sobrepreço” de mais de R$ 20 milhões na obra. No entanto, o parecer do MP/TCE, assinado pelo então Procurador-Geral do órgão, Thiago Martins Guterres, pede o ressarcimento de R$ 1.616.625,36 ao Erário Estadual, bem como a condenação de quatro ex-gestores da secretaria de Estado da Infraestrutra (SIN),

entre eles, o deputado estadual Gustavo Carvalho. O parecer foi remetido ao relator do TCE/RN Renato Costa Dias. Além do deputado, o MP/TCE pede a condenação, com pagamento de multa, de Francisco Adalberto Pessoa de Carvalho, Carlos Cabral Freitas de Macedo e Ulisses Bezerra Filho. O pedido de ressarcimento do valor recai sobre os citados que, segundo o parecer, omitiram-se ao dever constitucional de prestar contas de pagamentos decorrentes das notas de empenho 2007NE017 e 2007NE028. O relatório do TCE/RN foi feito através de análise de medições, ordens bancárias de pagamento, empenhos e notas fiscais. O conselheiro Renato Costa Dias foi procurado para comentar o assunto, mas não estava viajando e assessoria do seu gabinete informou que não tinha autorização para informar o número do telefone celular do conselheiro. Fontes da TRIBUNA DO NORTE junto ao TCE/RN, porém, afirmam que o voto do relator poderá ser exarado no próximo mês de agosto e encaminhado para avaliação do Pleno da Corte de Contas.


natal ARQUIVO TN

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

Expectativa do comércio da região era grande A contribuição da Ponte Newton Navarro para o desenvolvimento da zona Norte é inegável. A obra, contudo, ainda não opera em sua integralidade e muito do que fora anunciado pelo Governo do Estado e por entidades privadas, não passou de promessas. De acordo com avaliação do presidente da Associação Comercial do Rio Grande do Norte, Adelmo Freire, o comércio e os colaboradores ganharam com a ponte em termos de acessibilidade e incremento da mobilidade urbana. “É preciso, porém, que o comércio da região seja mais explorado entre os próprios moradores e isso depende de obras de mobilidade e ligação entre os bairros”, aponta Adelmo Freire. Ele destaca que é muito mais fácil, por exemplo, um jovem se deslocardoConjuntoParquedosCoqueiros para o Midway Mall, na Avenida Bernardo Vieira, em detrimento da escolha do Natal Norte Shopping, no Conjunto Santa Catarina. Isto porque não há ônibus diretodeumbairroaooutro.“Ocomércio da região evoluiu após a inauguração da ponte com o Carrefour, Atacadão e o próprio shopping. O comércio disponível atende a de-

O comércio disponível atende a demanda local. Mas é preciso investir em infraestrutura”

Acompanhe abaixo o processo de idealização, licitação, entraves burocráticos, suspeitas de superfaturamento e conclusão da Ponte Newton Navarro: 1993 – Os primeiros diálogos quanto à necessidade da construção de uma nova ponte ligando a zona Norte às demais áreas da capital é discutido na Prefeitura, sob a batuta da então prefeita Wilma de Farias. 1994 – O então prefeito de Natal, Aldo Tinoco, anuncia edital para seleção de empresas para construir uma ponte em arco ou elevatória, ligando a zona Leste à Norte, com cobrança de pedágio ao custo de R$ 0,25. ARQUIVO TN

presidente da Associação Comercial

manda local. Mas é preciso investir em infraestrutura”, adverte. AAssociaçãoComercialnãodispõe de estudos comparativos do crescimento da atividade comercial na região após a inauguração da PonteNewtonNavarro.Alémdoincremento no comércio, com a instalação de novos empreendimentos, ocorreu uma valorização imobiliária nas áreas mais próximas à ponte. Atualmente, existem canteiros de obras de apartamentos montadosamenosdetrêsquilômetros da estrutura viária, com imóveis custando mais de R$ 100 mil.

Engarrafamentos: melhorou, mas não resolveu

EMANUEL AMARAL

Cronologia

ADELMO FREIRE

EMANUEL AMARAL

Ao cidadão da zona Norte que precisa se deslocar para as demais zonas da cidade em horários de pico não resta outra saída senão a paciência. Pela antiga Ponte de Igapó ou pela mais recente estrutura, o engarrafamento é praticamente o mesmo. Às 6h30, no sentido zona Norte – Centro por Igapó, o congestionamento se estende ao longo das Avenidas Felizardo Moura e Tomaz Landim até as proximidades do Gancho, na entrada para São Gonçalo do Amarante. Já na Ponte Newton Navarro, a lentidão em dias normais vai até a altura do Colégio Expansivo. Em dias de chuva ou quando ocorrem acidentes, as filas chegam à antiga Penitenciária João Chaves. “Eu gastei cerca de 30 minutos da Avenida Boa Sorte, que é aqui pertinho, para chegar neste ponto da Avenida Tomaz Landim. Todo dia é esse engarrafamento aqui”, assegura Maria Marivan. Para não chegar atrasada no primeiro dia no novo emprego, ela pediu ajuda a um amigo, que a conduziria do complexo viário de Igapó ao bairro de Lagoa Nova. O traslado de determinados bairros da zona Norte para o centro de Natal demora até 90 minutos de manhã e no

3

Eu gastei cerca de 30 minutos da Av. Boa Sorte para chegar neste ponto da Avenida Tomaz Landim. Todo dia é esse engarrafamento aqui”

1995 – O valor da ponte é estimado em R$ 70 milhões, com 820 metros de extensão e vão central de 150 metros, o quinto maior da América do Sul. O projeto é do potiguar Ubirajara Ferreira da Silva. 1999 – A Cejen Engenharia é a única empresa a apresentar proposta e vence a licitação. A empresa prometeu entregar a obra em 2002, com um custo de R$ 50 milhões e pedágio de R$ 2,15 – 8,6 vezes maior que o inicial. Primeira estaca é cravada em novembro de 1999 em cerimônia oficial para 200 convidados. 2000 – Projeto da ponte é reformulado. Cejen optou por um vão central com 200 metros e aumentou o número de pistas de rolamento nos dois sentidos de duas para três. 2001 – Cejen assegurou conclusão da obra para dezembro de 2002. A Caixa Econômica Federal e o Portus – fundo de pensão portuária – injetaram R$ 14 milhões cada na obra, cujo custo foi elevado para R$ 70 milhões. 2002 – Cejen não tem recursos para concluir a obra com apenas 20% concluídos. O então prefeito Carlos Eduardo determinou a prescrição do contrato e lançou um novo edital. A Cejen sugere que o Governo do Estado assuma as obras. FRANKIE MARCONE

MARIA MARIVAN moradora da zona Norte

final da tarde. No trecho do bairro da Redinha próximo à ponte, são os semáforos os grandes vilões do tráfego. Além deles, o estreitamento das vias em determinados pontos complica ainda mais o trânsito. Motoristas de ônibus, veículos e motociclistas procuram a melhor saída e, na pressa, acidentes ocorrem. Como o que a reportagem registrou na manhã da quinta-feira, 25, envolvendo motociclistas. Um outro problema é o reduzido número de linhas de transporte coletivo que cruzam a ponte – aproximadamente meia dúzia.

2003 – Projeto da ponte completa 10 anos. Três licitações, uma concessão anulada e obra inacabada. Uma nova licitação foi anunciada para o início de 2004. 2004 – Governo assume obra e envia projeto de lei à Assembleia para aprovação de empréstimo junto ao BNDES da ordem de R$ 90 milhões. Nova licitação é feita e Consórcio Queiroz Galvão/Construbase vence. 2005 – TCE aponta desrespeito à Lei de Licitações e ausência de estudos ambientais e de tráfego. Anunciadas obras viárias na Redinha e em Santos Reis ao custo de até R$ 12 milhões e ficariam prontas em cinco meses. JÚNIOR SANTOS

Empreendimentos turísticos não se concretizaram

Construção de defesos nos pilares da ponte ainda não foi realizada EMANUEL AMARAL

Sem reestruturação, Moema Tinoco sofre com alagamentos

Dos 80 empreendimentos turísticos previstos para serem erguidos na região Norte da capital, incluindo o litoral, a partir da inauguração da Ponte Newton Navarro, poucos saíram do papel. Outros, com vendas exclusivas ao público internacional, sucumbiram diante da crise financeira instalada na Europa, principalmente. O trade turístico, porém, avalia que ocorreu um incremento na atividade desde que a ponte foi aberta ao público, em 21 de novembro de 2007. “Nós tivemos um aquecimento para a parte litorânea norte por causa do acesso pela ponte. A ponte é um marco diferenciado para a zona Norte”, destaca o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Rio Grande do Norte (ABIH/RN), Habib Chalita. Ele diz que o número de passeios de buggy aumentou e que a ponte se tornou um dos principais cartões postais da cidade e é um item a mais para admiração do turista contemplativo. Divergente do ponto de vista do presidente da ABIH/RN,

o presidente do Sindicato dos Bugueiros de Extemoz, Sebastião Cândido, lamenta o descaso do Governo do Estado com as obras complementares à ponte. “A reclamação dos turistas é generalizada. Há um descaso e o turista diz que não volta e a gente sente isso. A ponte é importante. Mas ela só não basta”, afirma Sebastião Cândido que trabalha há quase 30 anos como bugueiro. Ele destaca que a situação está tão complicada para o Turismo como um todo que o Rio Grande do Norte está perdendo para Maceió. Numa das principais vias de acesso à praia de Genipabu, internacionalmente famosa pelas dunas e dromedários, a buraqueira e o acúmulo de lama assusta moradores e turistas. Após o período de chuvas, o que se vê na Avenida Moema Tinôco é uma imensa lagoa de água barrenta. “A ponte melhorou o acesso, mas quando o turista chega aqui que vê isso, muitas vezes desiste”, relata o guia Daniel Souza. Há dias em que nenhum pacote turístico ou serviço de guia é vendido no local.

2006 – Governo anunciou conclusão do empreendimento para outubro daquele ano. Custos da obra estavam em R$ 137 milhões. Mais que o dobro que o estipulado pela Cejen Engenharia. MARCELO BARROSO

2007 – Catorze anos após os primeiros estudos, a ponte é entregue à população no dia 21 de novembro, feriado em Natal. O empreendimento virou atração turística e registrou o primeiro suicídio no dia da inauguração. Fonte: Arquivo TN


4

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

natal ANA SILVA

Projeto de educação e cidadania será lançado em Natal « INICIATIVA » Guia prático que vai ajudar a difundir noções básicas de Direito nas escolas brasileiras será lançado na próxima quarta-feira

O presidente da Anatra, advogado Luiz Gomes, diz que inicialmente serão lançados 5 mil exemplares do livro

E

ntidades ligadas às áreas de Direito e Educação, lideradas pela Associação Norterio-grandense de Advogados Trabalhistas (Anatra), lançam em Natal nesta quarta-feira, 31, o projeto Educação para a Cidadania. Trata-se de um guia prático que vai ajudar a difundir noções básicas de Direito nas escolas brasileiras. O projeto será lançado no Centro Municipal de Referência em Educação – Cemure, dentro da programação da I Conferência sobre Educação Integral, que tem como conferencista o senador Cristovam Buarque (PDT-DF). Defensor da melhora na Educação no Brasil, através da federalização de todas as escolas, Cristovam Buarque, que foi ministro da Educação, no governo Lula, abordará o tema “Educação integral é a solução possível”, a partir das 9h. Buarque assina o prefácio do Guia Prático ‘Educação para a Cidadania’, elaborado pelos advogados Luiz Gomes e Rafaela Lourenço, em conjunto com a pedagoga Yraguacy Araújo Almeida de Souza, e afirma que educação vai além da instrução. “Educar é formar, preparar, abrir a mente para todos os aspectos da vida”, adverte o senador no prefácio do Guia. Segundo o presidente da Anatra, advogado Luiz Gomes, inicialmente serão lançados 5 mil exemplares do livro, mas o Guia Prático está disponível para reedição à medida que houver demanda por parte das escolas, sejam elas públicas ou privadas. O trabalho trata, em seu primeiro capítulo, do direito constitucional. Ou seja, dos direitos fundamentais do ser humano. “Todo cidadão deveria saber dos

deveres e das obrigações que tem. Nós precisamos transmitir para professores e alunos os valores éticos de um processo democrático”, afirma Luiz Gomes. O livro trata ainda de outros oito temas: direito eleitoral, do idoso, previdenciário, ambiental, da família, da criança e do adolescente, do consumidor e do trabalho. Em cada capítulo além dar noções básicas de cada tema, os autores elencam sugestões de atividades de pedagógicas e extraclasse. A obra buscou a interdisciplinaridade, unindo o Direito e a Educação, expondo a necessidade e a importância do conhecimento jurídico e da interação professor e aluno para a efetividade dos ensinamentos e o alcance da cidadania plena. Para Luiz Gomes conhecer as noções básicas do Direito é elemento fundamental para a construção de uma consciência cidadã. “No caso do Direito Ambiental, nós podíamos falar apenas sobre proteção do meio ambiente, mas nós queremos mais. Queremos dizer quais são as ferramentas legais que ele pode orientar e ensinar na escola para que o aluno saiba porque o ambiente está protegido’, explica Gomes. Na conclusão do Guia Prática, os autores deixam claro que “não se pode pensar que cidadania consiste apenas em informar, pois ela forma o caráter, a conduta dos indivíduos que compõem o tecido social, edificando um cidadão capaz, solidário, ético e comprometido com um mundo mais justo, humano e equilibrado”. SERVIÇO: para conhecer o projeto, acesse www.anatra.com.br

BATE-PAPO Luiz Gomes advogado e presidente da Anatra

“É importante conhecer os direitos fundamentais ” Qual o objetivo desse projeto? Educação para cidadania, todos falam. Mas não existia ainda no universo educacional e jurídico uma ferramenta capaz de instrumentalizar o professor, a liderança comunitária, que fosse capaz de dar condições mínimas para instruir e educar para a cidadania. Esse projeto nasce com esse propósito, nasce com a pretensão de ser o instrumento capaz de dar ao professor a condição mínima de falar sobre cidadania para os seus alunos, para os pais dos alunos e para a comunidade. Sendo o professor o propulsor da cidadania brasileira, o elo mais importante depois da família, é importante que ele tenha a noção básica dos direitos fundamentais, dos direitos mínimos que o cidadão precisa saber. Esse guia é exclusivo para as escolas? Não. Também está disponibilizado para lideranças sociais e comunitárias. A cada capítulo transmitimos e orientamos algumas atividades extraclasse, intraclasse e até comunitárias. Isso para que o líder comunitário, o es-

tudante, o pai possa saber como e o que fazer diante de uma situação de fato e de direito que ele vive no seu dia a dia, no seu cotidiano. Com esse trabalho tentamos atingir a importância da família, do casamento, da proteção do lar e da educação. Vamos ensinar aos professores onde estão as normas legais que asseguram esses direitos. Como as escolas podem ter acesso a esse guia? Esse projeto está disponibilizado para todas as prefeituras, para todos os governos, e também para as escolas privadas. Agora, tem que ter a iniciativa da parte que gera a educação. Nós temos uma ferramenta capaz de oferecer uma grande solução educativa para a cidadania. Então, o secretário de educação, o prefeito, o governo do estado pode procurar o projeto e ele vai estar disponibilizado para que ele possa aplicá-lo. O projeto prevê alguma capacitação de professores? Temos uma parceria com a Escola Nacional de Advocacia e a ideia é de que onde tiver um advogado, que ele seja um monitor dentro da escola, para ajudar a escola. Então nós pretendemos que a advocacia brasileira se integre a esse projeto para um esforço coletivo na construção da cidadania.


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

natal

5

UFRN promove concurso fotográfico « DISPUTA » A finalidade é incentivar a arte da fotografia e estimular o surgimento de novos talentos. O tema do concurso é ‘Acessibilidade e respeito: Eu posso! Você deixa?’

A

Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), por meio da Comissão de Apoio ao Estudante com Necessidades Educacionais Especiais (CAENE) e apoio da Pró-Reitoria de Extensão (PROEX) realiza o Concurso Fotográfico “ Acessibilidade e respeito: Eu posso! Você deixa?. A finalidade é incentivar a arte da

fotografia e estimular o surgimento de novos talentos. O concurso sensibiliza e desperta um novo olhar sobre a diversidade humana e inclusão. Aspectos relacionados aos diferentes tipos de deficiências (física, sensorial e intelectual) poderão ser registrados. As fotos enviadas deverão ser coloridas ou em preto e bran-

« FÍSICA »

Cientistas de 14 países estarão reunidos em UFRN

ientistas de instituições de 14 países reúnem-se na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), de 29 de julho a 9 de agosto, para discutirem sobre aplicações de um dos campos da Teoria de Cordas e gravitação: a holografia. Tratase do evento “Física dos Hádrons: um desafio para a Holografia”, realizado pelo Instituto Internacional de Física (IIF), da UFRN, que acontece no auditório do Departamento de Física Teórica e Experimental, localizado no Campus Central da Universidade. A programação prevê para primeira semana do evento uma escola introdutória direcionada para estudantes de pós-graduação e jovens pesquisadores da área e um workshop para a segunda semana. A abertura do evento está agendada para as 9h do dia 29. A língua oficial do evento é o inglês, que é a língua comum entre os participantes. “Os hádrons são partículas subnuclear que estão participando de uma interação forte”, explica o físico russo Dmitry Melnikov, professor pesquisador do IIF e um dos organizadores do evento. Já a holografia, em termos de fácil compreensão, seria a representação de algo - que possui suas próprias dimensões no mundo real - em um espaço especulativo com um número maior de di-

mensões. “Para isso, temos que, necessariamente, usar a teoria da gravitação quântica. E isso nos dá uma vantagem adicional quando se estuda partículas que interagem fortemente entre si”. Melnikov explicou que o primeiro trabalho sobre a ideia geral do princípio holográfico na teoria da gravitação quântica foi publicado por volta de 30 anos atrás, porém a mais moderna formulação sobre o assunto surgiu em 1997, no artigo do físico argentino Juan Maldacena. “Foi um trabalho que apresentou uma formulação específica para o que chamamos de correspondência holográfica”, disse o físico. Para saber mais sobre a correspondência holográfica, o professor Melnikov recomenda a palestra de abertura, ministrada pelo professor Carlos Nuñez, da Universidade de Swansea (Reino Unido). Nuñez fará uma introdução detalhada sobre tal assunto, considerado também como uma valiosa ferramenta matemática para os cientistas. As inscrições já foram encerradas para os participantes em geral.Porém ainda são permitidas inscrições de estudantes e pesquisadores da UFRN, por se tratar da instituição organizadora. Para tanto, os interessados devem enviar e-mail para bpessoa@iip.ufrn.br e seguir as instruções fornecidas. Outras informações, como a programação e resumos de palestras estão disponíveis no site (www.iip.ufrn.br), por meio da guia “eventos” do menu principal.

« ÁGUA »

« ESCOLAS »

Seis cidades do médio Oeste ficarão sem abastecimento

Governo implantará programa de defesa civil

Instituto Internacional de Física promove evento sobre física subnuclear

C

A

s cidades de Paraú, Triunfo Potiguar, Campo Grande, Janduís, Messias Targino, Patu e comunidades rurais da Serra de João do Vale terão suspensão do abastecimento de água a partir das5horasdamanhãdaterça-feira (30). A previsão é que o abastecimento retorne no início da noite de quarta-feira (31). A Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) precisa paralisar o abastecimento para executar o serviço de reposicionamento da captação flutuante, com quatro bombas, localizada na barragem Armando Ribeiro Gonçalves. Em função da redução do volume de água da barragem, a Caern terá que deslocar o flutuante para um local mais profundo. A orientação para a população é de sempre fazer o uso racional da água. No caso de suspensão, a população deve atentar para o período de paralisação do abastecimento para evitar transtornos na realização das tarefas diárias.

A

Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) está convidando os municípios a participarem do ‘Programa Defesa Civil nas Escolas’. O Projeto será implantado a partir de outubro e tem como objetivo promover a conscientização e capacitação da Comunidade Escolar para ações preventiva e de enfrentamento de eventos danosos, naturais ou causados pelo homem, bem como o enfrentamento de situações emergenciais no interior das escolas para garantir a segurança dessa população. ‘Defesa Civil nas Escolas’ irá desenvolver ações, na primeira a Sedec está em articulação direta com o Ministério da Educação para a inclusão do tema RRD no Projeto Mais Educação; Na segunda etapa, será desenvolvido, em paralelo ao X Fórum Nacional de Defesa Civil, o Fórum Infanto-Juvenil, nos dias 07, 08 e 09 de agosto, em Joinville/SC.

ca, retratando a visão pessoal sobre a acessibilidade e o respeito relacionados aos diferentes tipos de deficiências.Pode participar fotógrafo amador e profissional. A inscrição será feita mediante o envio das fotos, obrigatoriamente com as etiquetas preenchidas e coladas no versos das mesmas, pessoalmente ou via

ì QUANDO O resultado será no dia 25 de outubro, na CIENTEC. Mais informações pelo telefone (84) 3342- 2501

correio para a CAENE, até o dia 30 de setembro. Os concorrentes poderão se inscrever com o limite máximo de três fotografias , medindo 20 x 30 cm em papel fotográfico fosco. A seleção e premiação das fotografias serão realizadas por uma comissão composta por três membros da UFRN. Os prêmios serão concedidos aos três primei-

ros lugares e menção honrosa para as próximas doze fotografias. O primeiro lugar ganha uma máquina fotográfica; o segundo recebe um Laptop e o terceiro ganha um livro. O resultado será no dia 25 de outubro, na CIENTEC. Mais informações pelo e-mail: inclusão@reitoria.ufrn.br ou pelo telefone (84) 3342- 2501.


6

natal

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

« ARTIGO »

Poder Judiciário

O papa alquimista (II)

ANELLY MEDEIROS [ anellymedeiros@hotmail.com ]

MARCELO ALVES DIAS DE SOUZA Procurador Regional da República

Decisão causou surpresa A decisão do juiz Airton Pinheiro, da 1ª Vara da Fazenda de Natal, no processo sobre a constitucionalidade de Resolução da Assembleia Legislativa do RN, pegou os envolvidos de surpresa. Muitos dos processos, que são divididos em grupos, já tiveram julgamento favorável no TJRN e estão tramitando no Superior Tribunal de Justiça. O juiz Airton Pinheiro considerou, na última quinta-feira, a inconstitucional do ato que “integrou” funcionários, sem concurso público, no quadro efetivo da Casa legislativa. Os seis interessados que tiveram os pedidos negados comunicaram que irão recorrer da decisão. O advogado nesse processo é o ex-ministro do STJ, o advogado José Delgado. ALEX RÉGIS

Advogados são proibidos de entrar no Fórum Uma portaria da direção do Fórum Seabra Fagundes não está agradando os advogados potiguares. A partir das 14h, eles só poderão entrar no fórum se tiveram autorização dos magistrados. O presidente da OAB/RN, Sérgio Freire, marcou para essa semana uma reunião onde irá tratar sobre o assunto. Sérgio Freire lembra que já existe um posicionamento do Conselho Nacional de Justiça contra decisões como esta. Ele entende que o advogado tem direito de entrar nas dependências do fórum, enquanto tiver funcionários nas dependências do prédio.

Trabalho escravo contemporâneo A presidente da Associação de Magistrados da 21ª Região (AMATRA21), juíza Maria Rita Manzarra, é uma das entrevistadas do programa “Justiça e Trabalho” que irá ao ar, hoje, às 6h30, e amanhã às 7h30, na TV Justiça. A juíza discute o trabalho escravo contempo-

râneo que será tema do VI Congresso Internacional de Direito do Trabalho, promovido pela Amatra com apoio institucional do TRT-RN. O programa também é exibido na TV Mossoró, nas quartas, às 21h30, e aos sábados, a partir das 14h30.

Dalmo Dallari ministra palestra em Natal O jurista Dalmo de Abreu Dallari, professor da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, que é reconhecido como uma das maiores autoridades no tema da Teoria do Estado e do Direito, fará a palestra inaugural da primeira turma do Programa de Residência Judicial (Pós-Graduação Lato Sensu), marcado para amanhã, às 19h, na Escola de Magistratura do RN. A Residência é resultado de uma parceria entre Esmarn e UFRN. O palestrante falará sobre os “Desafios da Ma-

gistratura Brasileira: perspectivas sobre sua função instrumental, política e simbólica”. Para a coordenadora administrativa da Esmarn, Ticiana Nobre, “O aluno não vai ter no curso preparação para um concurso, por exemplo, nem será aprofundado em questões de Direito Civil ou Administrativo. Ele será conduzido a ter uma consciência mais ampla acerca da carreira do juiz, dos desafios que a envolvem, como o elevado quantitativo de processos e a estrutura física que ainda pode melhorar”.

“Fazendo a Diferença” A comunidade de Felipe Camarão recebe hoje o evento “Fazendo a Diferença com o NAM– Núcleo de Amparo ao Menor”. A ação social será voltada ao atendimento de jovens e seus familiares e é resultado da união de voluntários, empresários, entidades e pessoas da comunidade. A equipe da Logos Advocacia Lógica irá participar voluntariamente do evento prestando esclarecimentos sobre o direito à moradia e à propriedade e a regularização fundiária urbana, compreendendo ações possessórias, de usucapião e adjudicação compulsória.

Caminhada e passeio ciclístico Com o intuito de promover a saúde de seus magistrados e servidores, o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte, vai realizar a “1ª Caminhada e Passeio Ciclístico do TJRN”. O evento promovido por meio do programa Pró-Vida ocorrerá no domingo, 4 de agosto, às 16h, na Via Costeira de Natal. A ação é a primeira atividade de rua desenvolvida pelo Pró-Vida, que já promove diversas atividades no Fórum Miguel Seabra Fagundes voltadas para a qualidade de vida e saúde dos integrantes do Judiciário potiguar. O programa visa promover o bem estar das pessoas e assim diminuir o absenteísmo, resultando na melhoria na prestação de serviço para o cidadão.A Caminhada e Passeio Ciclístico do TJRN será integrada ao projeto Costeira Viva - promovido pela Secretaria Estadual de Turismo e que faz da Via Costeira um espaço de lazer para os natalenses. São 3,6 quilômetros da via interrompidos para o trânsito e liberados para a prática esportiva. Os participantes podem deixar seus veículos no estacionamento do Centro de Convenções, que conta com policiamento no local.

C

omo disse aqui na semana passada, a minha viagem a Viterbo (na região do Lácio italiano), devidamente caracterizado de Sherlock Holmes, tinha um propósito específico: investigar a vida e, sobretudo, a morte do Papa João XXI, falecido e sepultado naquela aprazível cidadezinha. Tinha ouvido falar de Viterbo e do Papa João XXI na minha escola de italiano em Roma. Na ocasião, pensei: “eis um bom tema para uma crônica. De fácil pesquisa, sobretudo”. Ledo engano. Como acabei penosamente descobrindo nas minhas aventuras, que me levaram também à Basílica de São Paulo Extramuros (nos arredores de Roma), a vida de João XXI, mesmo considerados os padrões da sua época, é pródiga de perplexidades e mistérios (pelo menos em dois momentos, senti isso quase na própria pele). João XXI nasceu Pedro Julião (sendo também conhecido em vida, dado sua origem ibérica, como Pedro Hispano). Até onde se pode afirmar com segurança, isso se deu entre os anos 1205 e 1220 (uma dúvida de “apenas” 15 anos). Foi papa de setembro de 1276 a maio de 1277, quando de sua inusitada morte. Natural de Lisboa, ele é hoje considerado o único português a ter assumido o trono de São Pedro, já que São Damaso, papa do século IV, outrora afirmado como nascido em Portu-

gal (mais precisamente em Guimarães), teria de fato nascido, segundo estudos mais recentes, na própria Roma. Sem dúvida, Pedro Julião foi, para os padrões de qualquer época, um homem extraordinário: intelectual eclético, foi excepcional médico, professor, teólogo, filósofo e muitas outras coisas mais naquele agitado século XIII (marcado, já no seu início, pela conversão e difusão das ideias do “primeiro” Francisco). Tendo iniciado seus estudos em Lisboa, Pedro Julião mudouse para França e, na Universidade de Paris, conviveu com os grandes nomes da teologia cristã da época. Foi provavelmente aluno de São Alberto Magno (Doctor Universalis) e companheiro de estudos de São Tomás de Aquino (Doctor Angelicus) e São Boaventura de Bagnoregio (Doctor Seraphicus). Admirador de Aristóteles, escreveu, entre inúmeras outras obras, um tratado – denominado “Summulæ Logicales” – que, reeditado centenas de vezes, foi o texto padrão nas universidades européias sobre a lógica do grande filósofo grego por mais de três séculos. Na medicina, sua produção científica, nas mais diversas especialidades, é vastíssima. Muito embora não se possa afirmar com 100% de segurança (como, aliás, se dá com muito do que se diz desse instigante personagem), Pedro Julião/João XXI é tido, por exemplo, como o autor do “Thesaurus Pauperum” (“Tesouro dos Pobres”), popularís-

Pedro Julião é eleito Papa em 1276, em um daqueles conturbados conclaves acontecidos em Viterbo” simo tratado de medicina que, descrevendo as inúmeras doenças conhecidas à época, com os respectivos tratamentos, foi reeditado e traduzido um sem número de vezes. Curiosamente, diz-se que Pedro Julião/João XXI, no seu “Tesouro dos Pobres”, dá várias de dicas de contracepção, tanto pré como pós-coito, que, mesmo para os padrões da ciência médica atual, são consideradas extremamente eficazes. Admitida a autoria do “Tratado”, seria ele, o próprio Papa, no mundo (muitas vezes hipócrita) dos dogmas, um herege? De minha parte, acho que não. Nesse ponto, penso que ele foi muito mais um homem prático, conhecedor das fraquezas da carne e não hipócrita. Afinal, como aprendi outro dia pelas bandas de Pernambuco, quando muito afirmadas, “riqueza e castidade são só metade da metade”. Bom, de toda sorte, para quem interessar, o “Thesaurus Pauperum” está disponível, de graça, segundo eu mesmo constatei, no

“Google e-books”. Está em latim, infelizmente (ou felizmente, para se ter desculpa, como justificativa do “descuido”, de não haver entendido a bula direito). No mais, para se ter uma ideia definitiva da grandeza intelectual de João XXI, ele é um dos poucos papas a ter a alma alçada ao Paraíso, por Dante Alighieri, na “Divina Comédia”. Ali, ao lado de São Boaventura, “Pietro Spano” brilha com seus “doze tratados”, numa explícita homenagem à sua prodigiosa produção intelectual. Quanto à vida religiosa, Pedro Julião nela ingressa, pelos registros da época, antes de 1261 (embora, constituindo mais um ponto nebuloso da sua biografia, não se saiba precisamente quando). É feito Arcebispo de Braga, pelo Papa Gregório X, em 1273. Já no ano seguinte, em 1274, o mesmo papa o faz Cardeal/Bispo da Sé suburbicária de Frascati, nos arredores de Roma, permitindo ao Pontífice contar facilmente com os serviços do grande médico português. Em 1275, Gregório X faz do Cardeal Pedro Julião seu médico principal. Pedro Julião é eleito Papa em 1276, em um daqueles conturbados conclaves acontecidos em Viterbo, no qual os cardeais eleitores foram vítimas até de violência física. Ele adota, com base em curiosos critérios, o nome de João XXI. Infelizmente, como se verá na nossa próxima conversa, por não mais que alguns meses.


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

natal

7

RN tem 25 médicos estrangeiros « SAÚDE » No Rio Grande do Norte, atualmente existem 43 médicos com formação acadêmica realizada no exterior. Destes, 25 são estrangeiros, dos quais 18 são bolivianos ROBERTO LUCENA repórter

N

opróximodia25,maisdemil médicos graduados em universidades estrangeiras começam o processo de revalidação do diploma. Será a terceira edição do ExameNacional deRevalidação deDiplomasMédicosexpedidospor Instituição de Educação Superior Estrangeira, oRevalida. Brasileiros que foram estudar fora e estrangeiros que desejam trabalhar no país vão se submeter ao exame. Se aprovados, unem-se aos 6.822 médicos formados no exterior que hoje atuam de forma legal no Brasil. No Rio Grande do Norte, são 43 profissionais com formação realizada no exterior, destes, 25 são estrangeiros. AmaioriavemdaBolívia.Opaís que faz fronteira com quatro Estados brasileiros é a terra natal de 18 médicos que h0je moram na capital do RN e em cidades do interior. Relacionamentos pessoais e possibilidade de crescimento profissionalsãoapontadoscomomotivospara a migração destes profissionais. É o caso da médica Claudia Mireya Paredes Marinho, 36 anos, natural de Tarija, cidade localizada no Sul da Bolívia. Claudia estudou na UniversidadeMaiorRealePontificiade San Francisco Xavier de Chuquisaca, em Sucre, capital do país. Na faculdade, conheceu um potiguar com quem namorou e casou anos depois.“Aindanoperíododocurso, compreiaideiadevirmorarnoBrasil. Eu já conhecia a região Sudeste do país e ele [o marido] me falava de como era bom morar aqui. Decidi que viria para cá”, relembra. Também por causa de um relacionamentoamoroso,omédicobolivianoJesus RollyDominguezGutierrez, 45 anos, decidiu deixar a capital da Bolívia para morar primeiramente em Pau dos Ferros. A viagem para o Rio Grande do Norteocorreuhádezanos.Hoje,elemora em Natal, atua como geriatra e professor de Medicina numa universidade particular. “Já havia morado nos Estados Unidos por um tempo, conheci o Rio Grande do Norte em 2000 e, em 2002, casei e decidi morar por aqui”, resume. Além do fato de serem casados

com potiguares, ambos profissionaisdividemumhistóricoparecido quando o tema é revalidação do diploma. Diferente dos profissionais que vão se submeter ao exame no próximo mês, os médicos que já atuamnoBrasilpassaramporumprocessoconsideradomaisdifíciledesgastante pela maioria. Foram dois anos para Claudia Mireya conseguir a revalidação do diploma. ParaJesusDominguez,o“milagre”foi consumado após três anos de desgaste. “Fiz a prova duas vezes: uma emRondôniaeaoutranoCeará,onde fui aprovada. Depois da prova, ainda tive que complementar a carga horária de aulas em Santa Catarina. Foi bem cansativo”, lembra Claudia Mireya. A médica atualmente divide o tempo em três atribuições. Atende na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Pajuçara,ServiçodeAtendimentoMóvel de Urgência (Samu Natal) e ProntoSocorrodoHospitalSãoLucas. E ainda precisa de tempo para cuidar dos filhos: um casal de gêmeos de nove anos. “O processo de revalidação foi bem complicado. Consegui revalidar em Santa Catarina. Não preciseivoltaràsaladeaulaporquejáhaviapassadopelaresidênciamédica. Mesmo assim, foram três anos até que o processo fosse encerrado definitivamente”, informa Jesus Dominguez. A burocracia para conseguir atuar de maneira legalizada no Brasil não era fator desconhecido pelos profissionais. O processo, aliás, apesar de desgastante, é classificadocomonecessáriopelosmédicos. Outros problemas, no entanto, foram superados de forma mais simplespelosestrangeiros:alíngua portuguesa e o “nordestinês”. Para compreender o que os pacientes relatavam, Claudia Mireya diz que sempre pedia para os enfermos apontarem para o local da dor, por exemplo. “O pessoal falava que estava com cobreiro. Eu não sabia o que era. Pedia para apontar e entendia que se tratava de uma herpes-zóster.Diziaqueestavacom

+

PAGINA 8 Médicos farão o Revalida

EDU BARBOZA

O médico boliviano Jesus Rolly Dominguez Gutierrez está no Rio Grande do Norte há 10 anos. Atua como geriatra e professor universitário

Médicos estrangeiros Veja quem são e onde estão os que já atuam no Brasil Brasileiros

Números

388.015

7.284

6.822

4.423

quantidade de médicos com registro ativo no Brasil.

fizeram graduação fora do país, ou seja, 1,87% do total.

quantidade de médicos que fizeram graduação fora do Brasil e estão em atividade regular.

médicos brasileiros fizeram graduação em outro país e revalidaram o diploma no Brasil.

Estrangeiros

2.399 quantidade de médicos estrangeiros em atividade no Brasil. A maioria dos médicos é boliviana: são 880 ao todo. Os demais 1.519 médicos são naturais de outros 52 países diferentes. No Rio Grande do Norte, segundo o Cremern, há 25 médicos estrangeiros em atividade. Fontes: Cremern e CFM; Pesquisa Demográfica Médica no Brasil, 2013

Distribuição dos médicos com graduação estrangeira Estado Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins Maranhão Piauí Ceará Rio G. do Norte Paraíba Pernambuco Alagoas

Quantidade de médicos 295 178 273 38 86 20 142 149 34 168 43 35 193 29

Estado Sergipe Bahia Minas Gerais Espírito Santo Rio de Janeiro São Paulo Paraná Santa Catarina Rio G.do Sul Mato G. do Sul Mato Grosso Goiás Distrito Federal

Quantidade de médicos 6 467 459 25 514 1.974 523 241 363 136 199 285 105


8

natal

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

Regra para revalidação não era clara « SAÚDE » De um total de 6.822 médicos formados no exterior e que já atuam no país, 4.423 são brasileiros. Até 2011 - quando foi implantado o Revalida - regras para validar diplomas não eram unificadas no país

A

maioria dos médicos formados no exterior em atividade no Brasil é de brasileiros. De acordo com o Conselho Federal de Medicina (CFM), de um total de 6.822 médicos formados no exterior, 4.423 são brasileiros. Bolívia, CubaeArgentinasãoalgunsdospaíses escolhidos pelos que vão estudar fora. Brasileiros ou não, os médicos graduados fora do país tiveramquepassarporumprocessolento,difíciledispendiosoparaque,enfim, pudessem ter o registro de médico, o CRM, em mãos. São profissionais que se formarammuitoantesdaimplantaçãodo Revalida.Oexameunificadosurgiu em 2011. Antes dele, cada universidaderealizavaprovascomregrasdiferentes e não tão claras. Em 1996, quando decidiu estudar na Bolívia, Rúbia Fontes, 40 anos, sabia que, aoretornar, enfrentariaumamaratona para revalidar o diploma. “O processoprarevalidarfoihá10anos. Quando cheguei, esse processo era praticamente desconhecido. Algumas faculdades não tinham isso. ConseguirevalidaremFortalezadepois de enfrentar uma prova com 200 questões em 4 horas. Foi cansativo”, diz. A médica Virgínia Helena Vasconcelos, 31 anos, foi estudarMedicinamaislonge.OlocalescolhidofoiCuba.Em2001,aviagem à ilha foi um passo decisivo na carreira da profissional. “Escolhi ir para lá pelo que se conhecia e se falavadaMedicina,queémuitoboa.Em Cuba, não tinha custos com a faculdade e o ensino é de muita qualidade, estimulando o contato médico com pacientedesdeo início”, conta.

EDU BARBOZA

Com relação ao processo de revalidação,VirgíniaVasconceloslembra que foram momentos delicados. “Foi desgastante porque, primeiro, tem a tradução dos papéis. Depois, veio a procura de editais para revalidação,jáqueasuniversidades faziam quando e como queriam”, pontua. Questionadosseofatodeterem se formado no exterior foi causa para algum tipo de discriminação, seja por parte de pacientes ou colegas de profissão, os médicos afirmam que não observaram qualquer tipo de problema. “Não existe discriminação quando existe competência. Existediscriminaçãoquandoháincompetência”, diz Rúbia. “Nunca me senti constrangido”, coloca Jesus Dominguez. Apesar das dificuldades para conseguir o CRM, todos os profissionais ouvidos pela TRIBUNA DO NORTE concordam que o processo de revalidação é necessário. Não há consenso quanto à melhor forma da avaliação, mas há uma certeza:ninguémpodeatuarcomomédicosemqueanteshajaumaavaliação do profissional. “Precisa do Revalida sim. A medicina pode ser a mesmaemqualquerpaís,masaforma de aplicar é diferente. Aqui tem doenças que lá na Bolívia não tem e o inverso também acontece”, argumenta Claudia Mireya. “Acho justo oprocesso.Nãomearrependoenão reclamei de nada. Temos o livre arbítrio de estudar e morar onde quisermos, mastemosquerespeitasas leislocais.Setinhaquerevalidar,assim fiz. Sabia que era assim e não acho injusto”, pontua Rúbia.

A médica boliviana Claudia Mireya defende o Revalida: “A medicina pode ser a mesma, mas a forma de aplicar é diferente”

Anúncio do “Mais Médicos” criou polêmica A discussão sobre a importância do processo de revalidação do diploma tem como pano de fundo a polêmica envolvendo o programa “Mais Médicos”, do Governo Federal. Uma das possibilidades da iniciativa do Governo que pretende levar médicos para cidades com poucos profissionais é a contratação de médicos estrangeiros que atuariam no Brasil, por tempo determinado de três anos, sem a necessidade de realizar a prova do Revalida. O Ministério da Saúde (MS) alega que não é necessário o Revalida porque o “Mais Médicos” seria um projeto de aperfeiçoamento na atenção básica. “O que

se pretende é o intercâmbio de experiências entre médicos estrangeiros e profissionais de saúde brasileiros. Neste projeto os médicos estrangeiros terão sua atuação delimitada pelo MS e contarão com supervisão acadêmica, tutoria e realizarão curso de especialização. O Revalida se aplica para o trabalho médico de estrangeiro por período indeterminado, o que não é o caso”, informa o MS. As entidades que representam os médicos se posicionam contrariamente ao programa. A Associação Médica Brasileira (AMB) requereu, na Justiça Federal, a anulação do programa. No pedido, a AMB questiona a

falta de urgência e relevância do programa e a vinda de médicos estrangeiros para o Brasil sem a validação de diplomas. A associação impetrou mandado de segurança. No mandado, questionase também a falta de comprovação do domínio da língua portuguesa pelos candidatos estrangeiros, de discussão sobre a obrigatoriedade do serviço civil e a criação de subcategorias de médicos com limitação territorial. Devido à polêmica, alguns médicos estrangeiros procurados pela reportagem se recusaram a falar. Outros comentaram o assunto, mas pediram que a identidade não fosse revelada.

Foi o caso de um colombiano que mora em Natal há alguns anos. “Parece que todos os médicos estrangeiros viraram vilões. Estou me sentindo um judeu na Alemanha de Hitler”, disse. O médico disse que o momento não é adequado para falar sobre o assunto e espera que os ânimos se acalmem. “Há muita pressão contra os estrangeiros. Colocaram todos os que são de fora num mesmo saco e estão nos culpando por algo que não é culpa nossa”, pontua. Ele disse ainda que a pressão é feita pelos próprios médicos brasileiros. “Mas um dia as categorias vão ver que não temos culpa de nada”.


TÁBUA DE MARÉS

NO FACEBOOK

Preamar 08h32-2.1 - 21h00-1.9 Baixa-mar 08h32-2.1 - 21h00-1.9

Curta e compartilhe charge de Brum.

facebook.com/tribunarn

FASES DA LUA Hoje: Cheia 29/07: Minguante

A ESCRITORA MÁRCIA PITTA FALA DA CONSCIÊNCIA CIDADÃ DAS CRIANÇAS • PÁGINA 11

NA TN ONLINE

Confira galeria de imagens com fotos da semana.

tribunadonorte.com.br

natal Editora: Cledivânia Pereira [cledivania@tribunadonorte.com.br ]

Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 28 de julho de 2013

Pare, olhe, escute e CUIDADO! « SINALIZAÇÃO » A TRIBUNA DO NORTE percorreu 22 cruzamentos dos trilhos das linhas férreas com avenidas e ruas de Natal. Em quase todos, encontrou deficiência na sinalização e falta de equipamentos LEANDRO CUNHA Repórter

“P

are, Olhe”. O alerta “Escute”, apesar de estar escrito nos sinais visuais de todos os cruzamentos da linha férrea com ruas e avenidas de Natal, não tem muita função. Isso porque os sinais sonoros de 22 cruzamentos percorridos pela reportagem da TRIBUNA DO NORTE na última terça-feira (23) não estavam funcionando, segundo observação na passagem dos trens ou de relatos da população. Além disso, dos 22 cruzamentos visitados, somente quatro (um deles de responsabilidade do Grupamento de Fuzileiros Navais de Natal) possuem a cancela, como forma indicativa de alerta para motoristas que trafegam nesses locais. Na peregrinação pelos cruzamentos da linha de trem com as vias rodoviárias no perímetro urbano, os problemas não são apenas de sinalização. Algumas das estações ferroviárias estão abandonadas, pichadas e com lixo acumulado, como a estação Alecrim II, na rota da Linha Sul, sentido Natal/Parnamirim.

Vandalismo No cruzamento da rua Presidente Mascarenhas com rua dos Paianases, no bairro das Quin-

tas, moradores denunciam que a sinalização sofre com a ação de vândalos. “Aqui até que tinha cancela, mas as pessoas arrancaram”, disse a autônoma Maria de Paula Souza. Ideia compartilhada pela taxista Luiz Antônio, que completa: “Muitos motoristas sem paciência ficam em cima da linha do trem e já vi gente arrancando a cancela que existia aqui”, disse.

Explicação A CBTU, por meio da assessoria de imprensa, também aponta o vandalismo pela falta de estrutura na sinalização, principalmente em atos durante a madrugada, mas assegura que equipes de fiscalização da CBTU vão todas as manhãs aos cruzamentos verificar os danos. Sobre a falta de cancelas, a CBTU confirmou que apenas três trechos possuem o equipamento sob sua responsabilidade: Mor Gouveia, Mário Negocio e Bernardo Vieira. A justificativa da companhia de manter as cancelas nesses locais é pela movimentação maior de pedestres e veículos. Sobre as que não têm, a CBTU informou que o problema é falta de verba, uma vez que a instalação custa aos cofres R$ 150 mil, alem de contratação de pessoas para operar a cancela.

Em 2013, foram registrados 13 acidentes em Natal Este ano foram registrados 13 acidentes envolvendo trens urbanos em Natal. Coincidentemente, onde aconteceu o último acidente, na terça-feira (23), no cruzamento da Miguel Castro com Sampaio Correia, a equipe de reportagem encontrou policiais civis da Delegacia Especializada em Acidentes de Veículos (Deav) um dia depois do ocorrido fazendo vistoria no sinal que fica no cruzamento. De acordo com o agente Falcão Leal, o trabalho que consiste em fotografar, filmar e elaborar relatório dos cruzamentos foi um pedido do delegado Sérgio Leocádio, mas sem fazer menção a acidente em específico. “Nossa ação é dissociada de qualquer acidente. Estamos aqui para mostrar o descaso desses sinais”, disse. Já o delegado afirma ser uma

medidapreventivaapenasequeencaminhará o relatório aos órgãos responsáveis. “A polícia não tem esse poder de fiscalizar, mas, os policiais vão fazer esse relatório e quandoeutivercomoconteúdoemmãos vou mandar para a CBTU e prefeitura”, disse Sérgio Leocádio. Sobre o inquérito do acidente que vitimou o adolescente Davi Teixeira, que estava no ônibus da linha 10/29 da empresa Reunidas e que se chocou com um trem entre as avenidas Bernardo Vieira e Coronel Estavam no último dia 10, o delegado confirmou que está escutando apenas vítimas e que até no máximo esta semana estará com o documento pronto para encaminhar à justiça.

+

PAGINA 10

Veja fotos e informações da deficiência da sinalização em Natal


10

natal

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

ADRIANO ABREU

ADRIANO ABREU

ADRIANO ABREU

Rua 1º de Maio com rua Santa Isabel (Cidade Nova)

Rua Sampaio Correia com avenida Miguel Castro

Estação Alecrim II (Guarita)

As placas de sinalização e o sinal luminoso estão no lugar, mas há falhas no sinal sonoro e na falta de cancela

Dos quatro equipamentos de sinalização que deveriam existir no local, há apenas as placas de sinalização. Polícia Civil fez perícia na área

A única sinalização é um poste que anuncia a via férrea. Segundo moradores, vândalos depredaram e desmontaram sinalização

Sinalização é deficiente Na peregrinação pelos cruzamentos da linha de trem com as vias rodoviárias no perímetro urbano, os problemas não são apenas de sinalização. Algumas das estações ferroviárias estão abandonadas, pichadas e com lixo acumulado JOÃO MARIA ALVES

Avenida Bernardo Vieira com avenida Coronel Estevam placa de sinalização: tem sinal luminoso: tem sinal sonoro: quebrado cancela: tem É um dos quatro cruzamentos que possui cancelas. Mesmo assim, ainda há deficiência na sinalização sonora.

ADRIANO ABREU

Rua Sampaio Correia com avenida Miguel Castro placa de sinalização: tem sinal luminoso: quebrado sinal sonoro: quebrado cancela: não tem A deficiência da sinalização juntamente com o grande tráfego de veículos pelo local fazem do cruzamento um dos mais perigosos de Natal.

JOÃO MARIA ALVES

JOÃO MARIA ALVES

JOÃO MARIA ALVES

Rua Pres. Mascarenhas com Paianazes (Quintas)

Rua Jequiriçá – Soledade II

Avenida João Medeiros Filho

O cruzamento tem intenso movimento, mas não há cancelas ou sinal sonoro funcionando, que anuncie a passagem do trem

No local, não existe cancela e a guarita onde deveria trabalhar funcionários para garantir segurança, estava fechada

Sem cancela ou sinalização sonora funcionando, o cruzamento da via férrea com a avenida João Medeiros Filho é uma das mais movimentadas


Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

natal

3porquatro

11

POR ANNA RUTH DANTAS

« MÁRCIA PITTA » FOTOS: DIVULGAÇÃO

Os princípios devem ser vividos e não impostos” A

consciência cidadã das crianças depende, necessariamente, do exemplo que ela recebe em casa. Análise é da escritora Márcia Pitta, autora de vários livros voltados para crianças e que aborda questões de política e cidadania. Ela acredita que para formação dos cidadãos fundamental é o exemplo e começa pela prática do respeito ao próximo. Para Márcia Pitta os pais devem evitar impor comportamentos aos filhos, mas transmitir de forma simples e com a própria vivência. “A questão de valores e princípios deve ser passada de forma simples, nada de ser imposto, mas, sim vivido, compartilhado e acordado por todos”, destacou a escritora. Ainda observando a questão da cidadania, Márcia Pitta observou que esse é um assunto fortemente carregado de valores e princípios e precisa ser trabalhado, independente da idade cronológica. “Ao trabalhar com as crianças, a leitura, por exemplo, desde a educação infantil o movimento de interação, que proponho em um de meus artigos, requer um comportamento de cidadania”, explicou a escritora. A convidada de hoje do 3 por 4 traz interessantes lições aos pais e professores, e mostra, de forma muito clara, como cada um pode contribuir para a formação da cidadania a partir da sua casa. Confira o 3 por 4 a nossa conversa: No seu livro a senhora fala para criança, mas aborda temas um tanto “áridos” como política e poderes. Como despertar o interesse das crianças por esses assuntos? Acredito muito no aprendizado pelo desejo, pela curiosidade que proporciona a vontade de querer saber. A criança curiosa deseja saber e com esse desejo aprende. Uma das formas de despertar o desejo por este tema de suma importância na vida de cada um, eu trabalhei no livro “O Pote Mágico”. Qual a participação da escola e dos pais na formação desses jovens e no despertar da consciência cidadã? Não conseguiremos incentivar o desejo se não formos modelo de comportamento e de cidadania. Pais, professores, comunidade... Precisamos ter em primeiro lugar o respeito pelo próximo. A questão de valores e princípios deve ser passada de forma simples, nada de ser imposto, mas, sim vivido, compartilhado e acordado por todos. Qual o efeito que os atuais movimentos e manifestações de rua poderão ter nas crianças, que hoje assistem as cenas pela televisão? A movimentação pacífica só traz bons exemplos, é uma demonstração de que é possível acreditar na união, na conquista justa e na comunhão do bem comum, além de ser um orgulho para o país. Ficou claro nesta manifestação que ações políticas que contradizem o bem comum não devem ser aceitas e sim discutidas e acordadas. Há uma idade específica para os temas de cidadania começarem a ser abordados nas escolas? Acredito muito em acordos construídos juntos e com a participação de todos os envolvidos para qualquer assunto. Cidadania é comportamental e fortemente carregada de valores e princípios que precisa ser trabalhada sempre independente da idade cronológica. Ao trabalhar com as crianças, a leitura, por exemplo, desde a educação infantil o movimento de interação, que proponho em um de meus artigos, requer um

comportamento de cidadania. No momento em que você constrói com o grupo uma postura de acordos e respeito você está abordando cidadania. A política que vai mudar os jovens ou os jovens que irão mudar a política? Qual sua aposta? Aposto nos jovens, mesmo porque se não apostasse nos jovens não poderia ser professora. O requisito principal para ser um bom professor é acreditar que seu aluno é capaz. Mas há de se saber que os jovens precisam sentir-se amparados (“ouvidos” e “sentidos”) quando buscam manifestações pacificas por algo de total honraria. Qual o perfil dos jovens cidadãos que estão concluindo o ensino fundamental? A senhora percebe diferença com as gerações passadas? No momento em que você ouve e escuta verdadeiramente o que o outro tem a dizer, faz uma leitura do outro... Você sente o outro! Ao sentir compartilha e tenta juntos amenizarem um problema, interpretarem uma questão, partirem para uma solução e a agressividade fica sem razão de existir. Gerações passadas não tinham a liberdade de expressão e, portanto não conseguiam colocarse como realmente sentiam-se. Receavam questionar. Pais e professores enérgicos muitas vezes sem perceber impediam o sonho, a dúvida pública e podavam o desejo de saber pelo prazer. Gerações que concluem o ensino fundamental hoje têm liberdade de expressão, porém muitos são agressivos e não tem o desejo, a curiosidade para questionar. Muitos estão na escola por estar. Não pararam para pensar o que fazem e porque fazem. Pais e professores não impedem os sonhos, não podam os desejos pelo saber, mas por outro lado muitos jovens estão desmotivados. Eles mesmos podam seus desejos por presenciarem tanta violência. No meio da violência e da injustiça sentem-se perdidos e desmotivados. As manifestações de rua começaram com jovens, mas desencadearam alguns

comportamentos de violência nesses adolescentes. Seria isso o comportamento coletivo? Para que um comportamento coletivo seja frutífero, saudável, é preciso ter claro em mente que ao perguntar o que o outro tem a dizer, você tem que estar aberto e disposto a ouvir. Se o professor ou os pais perguntarem e não prestarem a atenção à resposta ou não validarem o que foi dito, a criança perderá o entusiasmo e em uma próxima vez que você solicitar a participação desta criança ela não mais fará com o mesmo entusiasmo ou responderá o que você quer ouvir, porque saberá que não foi ouvida e sentida. Por esta linha de pensamentos entendemos parte da agressividade que não se justifica e não faz parte do coletivo. Desde cedo as crianças precisam vivenciar comportamentos coletivos saudáveis, e é ai que entra os acordos por todos os envolvidos, momento em que vivenciam manifestos de conduta cidadã. Como tratar na escola com o tema da corrupção? É o cerne, ponto que trará vida para estes alunos. Entender como mudar o que está errado em suas vidas. Mostrar a eles que vale a pena estudar porque realmente vale a pena. Muitas vezes com tanta corrupção até nós professores nos perguntamos se vale a pena tanto esforço, que dirá as crian-

ì QUEM É Márcia Pitta é pedagoga e escritora. Autora dos livros Pedaços de Mim, Lição de Vida, Curta e Vida e o Pote Mágico, os dois últimos lançados pelo selo Novos Talentos da Literatura da editora Novo Século

O QUE FAZ Em “ O Pote Mágico” (livro lançado por ela): as crianças vivenciam diversas questões através de interesses voltados para o bem comum, com a curiosidade estudam e explicam, trocam conhecimento com adultos que também aprendem e ensinam... São jogos, pesquisas, reuniões... Ninguém ensina nada e todos acabam por conhecer muito de tudo, inclusive a questão do voto tornar-se consciente

Desde cedo as crianças precisam vivenciar comportamentos coletivos saudáveis, e é aí que entra os acordos por todos os envolvidos”

ças. Os professores também precisam acreditar que vale a pena e eles “Professores” e “Pais” são a chave para o passe desta mudança. Começar pelo princípio de que estudar não deve ser um ato encarado como esforço e sim um desafio gostoso como um jogo que ao adquirir certo conhecimento, você contemplou os requisitos para passar para a próxima fase. Mas a competição é consigo mesmo. Neste jogo o adversário não é outra pessoa. Você vai jogando consigo mesmo e a cada conhecimento adquirido você está se superando e pode passar para a próxima fase. O desafio é saber até onde você consegue chegar. Quanto mais conhecimento, maior o número de fases concluídas. Sabendo-se de antemão que todos são capazes de superação, cada um há seu tempo e dentro de seus limites. Como alcançar o princípio do “voto consciente”. A partir de que se pode chegar a ele (o voto consciente)? Só podemos ter consciência do que vivenciamos. Teoria e prática formam um todo que deve ser vivido, experimentado e discutido com o grupo. O ideal é separar um tempo para este tema em sua rotina. Jogos, discussões em grupo, pesquisas e vivências. Quem sabe montar chapas de partidos na classe onde cada um consiga ter momentos de fala e exponha a que se propõe para que os demais possam validar a coerência da proposta?


12

natal

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

« ELIANA LIMA » elianalima@tribunadonorte.com.br

“Hoje começamos uma semana estupenda no Rio; que ela seja uma ocasião para aprofundar a nossa amizade em Jesus Cristo!” Do Papa Francisco, ao chegar no Brasil para a Jornada Mundial da Juventude FOTOS JOAONETOFOTOS.COM

Irregularidades

através dos amigos Cláudio e Marcos Lopes, defensores intransigentes do homem do campo e da sua cultura de raiz. Fomos levar para ele um DVD da festa junina que o Studio Corpo de Baile tinha feito em sua homenagem. Foi um batepapo agradável e inesquecível, pois mesmo estando diante de um mito nos sentíamos à vontade diante da sua humildade que fazia com que a conversa fluísse naturalmente”.

Ouvidos no chão, Bareta está cismado. Silêncio ensurdecedor, perigo para esquemas em curso. A qualquer momento, quem sabe, explosão de informação. Viiixeee

Estetoscópio Existe um consenso no Governo Rosa(do): a Secretaria de Saúde (Sesap) sofre fortes boicotes internos. Pessoas de dentro que trabalham contra. O secretário Luiz Roberto tem se esforçado, mas encontra resistências em vários setores. Ma seara ravengariana, já se ouve “Saudades de Domício (Arruda)”.

1

2

Fellings

3 – COLMEIA

Lá vem Bareta com as suas. Conta sobre uma advogada bela, inteligente e descolada. É a nova sensação de uma Confraria de bacanas e bem-nascidos. Assíduos num restaurante badalado, em mesa redonda, quando ela chega, pronto, é o centro das atenções. Muitos agrados. Muitos risos. Alguns suspiros...

Casadón-bacanas, Denielle e o RAF Rogério Nunes nos festejos da colmeia

Corações

1 – DOCE Casadóns Bodas de Rubi, os queridóns Marília Borges e Ronaldo Melo, em noite concorrida no Solar Belza Vista

Não adianta

2 – PÓLEN

De um experiente jaleco: “A questão da saúde é prioridade. Que não existe, entra e sai governo. Cadê que se convida secretário com autonomia para demitir e nomear? Promessas existem, mas só do tipo de campanha. Os esquemas permanecem, entra e sai governo. Não querem estancar a sangria. Secretários chegam com intenção de correção e de fazer boa gestão, dão o melhor de si, mas os esquemas impedem. Enquanto não se estancar, a saúde continuará moribunda”.

Cristina e Eugênio Pessoa conferem as páginas Bzzz, na noite de holofotes

Suspiros também pelos campos de gestões. Primeiro escalão em chamas. Bareta captou comentários sobre fogueira de ciúmes, vaidades e poder. Emoções à flor da pele. Paixões clandestinas. Viagens combinadas. Outras desencontradas.

4 – FAVO As amigas Diassis Rosado e Kalina Leite nos holofotes que tomaram conta do Solar Bela Vista

5 – BZZZ O brinde de Natácia Varella Barca ao sucesso

Intensidade

Então

No burburinho do amor proibido, monta-se a paixão nunca antes imaginada.

Uma coisa é certa, sobre prioridade: órgão com mais dinheiro, foi na saúde que se tiraram milhões para pagamento de funcionários. Um problema leva a outro. Também atingida, a segurança pública, sem condições es em dinheiro, cresce o número de procura por atendimentos nos hospitais. Etc e mais.

Sininhos

4

E tem poderoso que anda suspirando pelos cantos. Inclusive em audiências. Só não se sabe – ainda – o motivo. Por quê. Ou por quem... Huuummm...

Troca

Fumaça O ciúme começa a movimentar os apoiadores do vice-governador Robinson Faria e a viceprefeita de Natal, Wilma de Faria. Ele em campanha declarada para governador. Ela, em campanha velada. Ele mais ansioso. Ela mais experiente. Estratégias diferentes. Então. No próximo ano, a eficiência mostrará a definição do quadro.

Eleitoral No movimento de acólitos, entram as peças de intriga no tabuleiro. Apoiadores de um lado trocando farpas com o de lá. E viceversa. Robinson quer que todos declarem apoio. Wilma sabe que tem que construir e conquistar com o tempo os apoios. Comportamentos, temperamentos e estratégias diferentes.

Então O causador de todo esse movimento da oposição rumo às eleições? Certamente: o desastre governamental que se supera. Fraco e desarticulado, favorece o surgimento de candidaturas. Todos vendo um lugar ao sol.

E ele? Muitos ainda acreditam que o ministro Garibaldi Filho sairá candidato ao governo. Quem frequenta a seara garibaldista afirma

Nas lupas de Bareta, também uma história de amor em momentos conturbados. Ela descobriu as cercas que ele andava pulando. Não tirou a aliança da mão esquerda. Mas colocou freios ABS. Descobriu até quem estava do outro lado da cerca. Agora, ele bebe vinho carreteiro, e a bela faz massagens de creme de aroeira. Eita!

3

« COLMEIA » que não. Reforça a intenção dele investir para o filho Walter Alves comandar o Estado no futuro próximo. Se Garibaldi governador, numa provável eleição vitoriosa, impossibilitaria esse projeto. É. Faz sentido.

Números... Por falar em urnas de 2014, a pesquisa Ibope divulgada na última quinta-feira detonou o sonho de muitos governadores que pretendiam renovar os seus mandatos ou disputar a eleição para o Senado. Gente que já esteve no céu como é chamado o Senado -, convive agora no inferno da rejeição.

...Que recuam De exemplos, os ex-senadores Sérgio Cabral (PMDB) e Marconi Perillo (PSDB), que hoje governam o RJ e GO. O futuro deles deve ser a Câmara dos Deputados. Ou promovem uma parafina estratégica

de suas carreiras. à Domingo de parabéns para Fernando Tavares, Adriana Tinoco, Carlos Escóssia (Mossoró).

E mais Na mesma pesquisa, fica evidente a generosidade dos nordestinos com alguns governantes: dos três governadores avaliados na região, apenas o baiano Jaques Wagner (PT) ficou abaixo dos 30% de ótimo/bom. Eduardo Campos (PE) e Cid Gomes (CE) ficaram bem na foto. Rosalba se salvou. De citação.

à Nesta segunda, grito de felicidade para Tereza Cristina de Araújo Lima, jornalista Suelen Lobato, federal Ohara Fernandes, Suênia Patrícia Alves, médico José Gurgel, Luiz Cláudio Chopp.

5

Aliás Não fosse o Nordeste, a presidente Dilma teria ficado bem abaixo dos 31%. A região muito dependente de bolsas-família e outras cositas deu os melhores índices para a petista.

Enquanto isso Aqui no RN, abecedistas, americanos e até barauneses nem precisam de pesquisas. Mas o senti-

mento de todos é que estamos próximos dos governantes da série C.

uma vaia histórica. Dona Dilma já sentiu isso.

A propósito...

Saudade

Quem esperava ganhar popularidade com o pomposo estádio de futebol, pode ir botando a bolada na sombra. Essas obras faraônicas são rejeitadas pelos que precisam de escolas e hospitais. A inauguração pode ser um cenário para

Do empresário Marcelo Guedes, lembrando momento ao lado do já saudoso Dominguinhos: “Foi o melhor exemplo de que é possível aliar o sucesso e a simplicidade. Tive o privilégio de conhecer o Mestre na Lagoa do Bonfim,

à A Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do RN (FCDL-RN) e a CDL Mossoró promovem a XVI Convenção do Comércio e Serviços do RN, dias 16 e 17 de agosto, no Teatro Dix-Huit Rosado, em Mossoró. De palestrantes: jornalista Cassiano Arruda, Rodrigo Pimentel (Tropa de Elite), Angela Hirata (Havaianas), Kléber Nóbrega (Serviços), Angelina Basílio (Rosas de Ouro), consultores Fred Alecrim e Astênio Araújo, tributarista André Macêdo.


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

natal

13

« GEORGE AZEVEDO » georgeazevedo@digizap.com.br

Beleza pura ...Nos preparativos para o concurso Miss Rio Grande do Norte 2013, a representante de Mossoró, Priscilla Pinheiro, está sempre com agenda cheia, entre eventos sociais, ensaios de moda, entrevistas e tratamento de saúde e beleza na Clínica Agnus Dei. ...Ela foi avaliada pela nutricionista Kamila Melo e se prepara para começar dieta do protocolo Revigore, que vem a ser a associação benéfica entre a dieta, suplementação nutricional e fitoterapia, combinadas de modo a atender às necessidades individuais de cada paciente. É um protocolo inovador, desenvolvido fora, que são de uso exclusivo dos pacientes de Kamila em tratamento, que recebe toda alimentação para os primeiros 7 dias de destoxificação. ...Ainda na Agnus Dei, a bela esá sob os cuidados da Dra.Lidiana Lopes em sessão de redução permanente de pelos, aplicação de carbox, drenagem linfática e outro procedimentos; e clareamento dentário a laser com a Dra. Mariana Lopes. Tudo isso para chegar bela no Miss RN 2013. Olha só o que andamos registrando!!!

Priscilla sob os cuidados de Lidiana Lopes na Clínica Agnus Dei

Na sala da dra.Mariana Lopes

A nutricionista Kamila Melo recebendo a Miss Priscilla Pinheiro

Momento showroom na Toli

A empresária Suelli Rosado apadrinhando a Miss Mossoró com peças da Maison Chiquê

Ellen Paiva presenteou a bela mossoroense

Priscilla visitando a Carmen Steffens

Batendo o martelo Os concluintes dos cursos da Universidade Potiguar-UnP se reuniram para a colação de grau em solenidade no Campus Mossoró, na noite de quarta-feira, 24. Uma turma de direito, inclusive, já realizou o Baile de Formatura no dia 20 de julho – bem antecipado – no Requinte Buffet, sob os cuidados da Master Produções e Eventos. E a outra turma de direito agenda o Baile para 31 de agosto no Garbos Recepções e Eventos. FOTO: DANIEL ZUMBA

Ludmilla Amorim, eterna Miss Caraúbas, toda sensual

Myrella bailando com o padrinho Hélio Costa

Sâmara Carlos foi abraçar a amiga Myrella Nobre

Cydny Nobre, só alegria!!!

Valcides Sales e Jozeilma Nobre no comando da mesa da filha Myrella

Mariana Rosado desfilando com vestido Victor Dzenk para Maison Tráfego. Arrasou!!!

A empresária Lucineide Queiroz exibindo o diploma de advogada

Lindjinhas da Tráfego Models. Jéssica Amorim, Ludmilla Amorim e Thaís Araújo

A modelo Renata Correia, felicíssima, na noite de sua coleção de grau

Janikássia, Jozeilma, Jailma e Ticiane Lima. Quarteto animado!!!


14

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

natal DIVULGAÇÃO

NELSON MATTOS FILHO

APENAS UMA QUESTÃO DE PRIORIDADE

avoante1@gmail.com

N

ão quero ser pretencioso, mas depois de 8 anos morando a bordo de um veleiro de oceano, acho que tenho um pouco, apenas um pouco, de propriedade para falar sobre essa vida tão cheia de surpresas e incertezas. Surpresas, porque o mar nos reserva todos os dias momentos únicos de reflexões e aprendizados. Incertezas, porque as reflexões e aprendizados muitas vezes nos colocam diante de rumos cruzados e do grande muro das indagações. De tudo o que aprendi e vivi, posso dizer que a escolha não é fácil. A começar pelo rol das prioridades e as cobranças dos familiares e amigos que são infindáveis e muitas vezes maltratam a consciência. Mas posso dizer também que hoje sou outra pessoa e mais aberto para os segredos desse mundo tão cheio de verdades infalíveis. Nas nossas andanças por ai, sempre ouvimos teorias e planejamento minuciosos sobre projetos de pessoas desejosas de morar a bordo, mas raramente escutamos ou vemos o grau de prioridade necessário para a realização do sonho. Tento argumentar sobre minhas observações e mostrar um lado mais simples, original e verdadeiro, mas me recolho diante de teorias tão precisas e sem margens para questionamentos. Levar essa vida tão alternati-

va não é preciso malabarismos, enquetes, mágicas, teorias, parcelas de sofrimento, finanças abastadas para comprar todos os desejos e muito menos o último lançamento daquele estaleiro famoso. É preciso sim simplicidade no viver, que é uma coisa que as grandes cidades empurram cada vez mais para as vias marginais. Hoje, depois de uma noite de chuva e frio, acordei com os pensamentos voltados para o início de nossa vida a bordo do Avoante. Como uma fita em câmera

lenta, o filme foi sendo rodado e expondo detalhes já esquecidos. Lá estavam às agruras do mar, os açoites dos ventos, os terríveis enjoos, os momentos de aflição, os questionamentos sem respostas, as alegrias com os objetivos alcançados e a incerteza diante do poder tão descomunal demostrado pela natureza. Em meio a pensamentos tão melancólicos, enquanto a chuva castigava o mundo lá fora, comprovei até onde vai o nosso comprometimento com o mundo que

o Avoante representa para mim e reconheço que não é fácil, mas faria tudo outra vez. Não é aquele mundo de aventuras como dizem alguns, nem a busca infalível pela perfeição do planejamento, muito menos o enfrentamento de grandes ondas e terríveis tempestades e nem de longe passa pelo desprendimento total dos valores, mas sim aquele mundo perdido, em que amizade, companheirismo, ética, sinceridade, simplicidade, amor e paz são o que são e não o que que-

remos fazer com que pareçam. Por isso muitos desistem do mar. Certa vez escutei de um amigo que a esposa dele somente embarcaria numa dessas se conseguisse comprar o veleiro mais confortável. O barco precisaria ter ar condicionado, chuveiro elétrico, suíte e mais um monte de balangandãs que nunca seria muito. Esse amigo não escondia o descontentamento, mas também não dava um passo em prol do sonho. Vivia na eterna amargura reclamando da espo-

sa e ela, se fazendo de forte e levando ao extremo seu embate contra as intenções maledicentes daquela alma sonhadora. Ele não é o único no barco dos descontentes e reféns da falta de prioridade, pois essa é uma tripulação populosa. Acho que já falei aqui várias vezes que no Avoante não temos geladeira e muito menos o espaço oferecido pelos novos modelos de veleiros, mas isso nunca foi motivo para desistir e nem maldizer a nossa escolha. Temos sim tudo o que precisamos que é o companheirismo, o amor e a paz de espírito que renovamos todos os dias ao acordar. Ter um veleiro é um sonho alcançável por qualquer pessoa. Não precisa ser um grande veleiro para cruzar os oceanos, mas apenas um veleirinho, para navegadas naquele riozinho ou no lago pertinho de casa já é uma grande conquista para corações aventureiros. Mas fazer que o uso desse veleiro se torne uma prática regular e prazerosa é outra história se isso não for prioridade. Sei que não é fácil acordar, como num desses dias de muita chuva, sem poder colocar a cabeça para fora do barco, ou se deparar com goteiras sobre estofados, livros e equipamentos eletrônicos, mas basta parar um pouco, respirar fundo e apreciar a beleza dos pingos de chuva caindo sobre o mar para o problema ter outro sentido. Não é fácil, mas no Avoante temos simplesmente a prioridade de sermos felizes.


NO FACEBOOK Acompanhe quem foi o grande vencedor do GP da Hungria de Fórmula 1.

NO RÁDIO

HOJE NA TV

7h - Esportes em Debate 16h - Copa Ecohouse - ABC x Ferroviário

9h - Fórmula 1 - GP da Hungria; Globo 16h - Série A - Grêmio x Fluminense; Globo e Band.

www.radioglobonatal.com.br

facebook.com/tribunarn

ARGEL FUCKS, NOVO TÉCNICO DO AMÉRICA REVELA O QUE PRETENDE PARA O TIME. PÁGINA 2

TN ONLINE Acompanhe a primeira rodada do grupo B da Copa Ecohouse com o ABC em campo. www.tribunadonorte.com.br

esportes Editor: Itamar Ciríaco itamar@tribunadonorte.com.br

Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 28 de julho de 2013

ABC estreia contra Ferroviário/CE « COPA ECOHOUSE » Time alvinegro vai usar a base da equipe sub-20 da competição na partida que abre a rodada dupla no Ninho do Periquito. O duelo entre Ceará x Vitória fecha os confrontos válidos pelo grupo B

A

Copa Ecohouse terá prosseguimento hoje com mais duas atrações para público. O ABC, que será representado em sua maioria pela equipe sub-20 vai estrear na competição diante do Ferroviário, em partida marcada para as 16 horas. Logo a seguir, fechando a rodada dupla será a vez da realização do confronto entre Ceará x Vitória. Os jogos serão realizados no estádio Ninho do Periquito, em São Gonçalo do Amarante. Por decisão da diretoria a equipe sub-20 será a base do grupo que irá representar o alvinegro natalense na Copa Ecohouse, mas o treinador Waldemar Lemos está disposto a liberar alguns atletas que não vêm tendo oportunidades no grupo principal para atuar, fazendo do torneio um bom, campo de observações. Já o Ferroviário virá com que tem de melhor. O clube anunciou Julinho Camargo como seu novo treinador, que chega com a bagagem de já ter comandado o Grêmio na temporada de 2011. Fora das disputas nacionais, o tricolor cearense tem apenas a competição em Natal e o torneio Fares Lopes, interno do Ceará, onde ele vai tentar garantir a terceira vaga do estado para Copa do Brasil de 2014. Dessa forma, o confronto diante do ABC já será encarado como uma espécie de preparação do elenco. Na partida principal, o Vitória/ BA, atual Campeão Brasileiro Sub 20, pega de frente o Ceará cuja equipe também irá contar com alguns jogadores que não estão sendo aproveitados na equipe que disputa a série B. Os dois confrontos são válidos pelo grupo B da competição. A competição que irá conta com a participação de 16 equipes e vai doar R$ 50 mil para o clube campeão. Os participantes estão divididos em quatro grupos com quatro equipes cada, onde apenas o primeiro colocado irá avançar de fase. Participam do torneio os seguintes clubes: Alecrim, ABC, América, Potiguar, Sport, Ferroviário/CE, Centenário, Náutico/PE, Auto Sport/PB, Ceará, Santa Cruz/PE, Palmeira de Goianinha, CSP/PB, Vitória/BA, Currais Novos e Fluminense/RJ. No final da rodada dupla programa para ter início às 16 horas, ocorrerá o show com a Banda Farra de Rico. Sem que os torcedores presentes precisem desembolsar mais um real sequer por isso. A competição é promovida pela empresa do presidente do Alecrim, Anthonny Armstrong que visa a descoberta de novos valores. ADRIANO ABREU

O técnico Waldemar Lemos vai analisar alguns jogadores


2

esportes

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

»ENTREVISTA » ARGEL FUCKS NOVO TREINADOR DO AMÉRICA FUTEBOL CLUBE

FOTOS:ADRIANO ABREU

América aposta em Argel Fucks para recuperar o time « BRASILEIRO SÉRIE B » Novo treinador rubro chega ao clube sob pressão por melhores resultados e afirma que só o trabalho vai tirar o time dessa situação

FELIPE GURGEL

perto, porque não podemos perder tempo com nada.

Repórter de Esportes

epois de passar quase um ano e meio sob o comando de Roberto Fernandes, o América decidiu trocar de treinador devido ao baixo rendimento do time na disputa da série B do Brasileiro. Para o seu lugar, foi contratado o gaúcho Argel Fucks, que, na sua época de jogador, era conhecido pelo seu estilo duro de marcar e por ser um zagueiro de raça, que não admitia ser derrotado. E é esse estilo que ele carrega na sua curta carreira de técnico. Durante os treinos, o que se ouve são muitas cobranças, reclamações e até palavrões, sempre na busca por melhorar o rendimento dos jogadores. Nessa entrevista concedida a TRIBUNA DO NORTE, no dia da sua chegada, ele fala sobre o que pensa do futebol, como armar o América e tirar o time dessa situação e afirma que, só com trabalho é possível recuperar o clube dentro da competição.

D

Já conseguiu conhecer o elenco?

Não é a primeira vez que chego em um clube que está nessa situação. Ano passado cheguei ao Joinville e o time era vice lanterna do campeonato catarinense, em cinco jogos tinha três derrotas e dois empates. Conseguimos reverter e terminamos brigando pelo título”

Como é chegar a um clube que vem brigando na parte de baixo da tabela? O que você conversou com os jogadores?

O América vem sofrendo com a ausência de Cascata no meiocampo. Como armar o time sem o camisa 10?

São coisas normais do futebol e não podemos jogar as justificativas em cima da ausência de um jogador. Futebol é um esporte coletivo e não individual e precisamos de todos que estão aqui. Se fosse tênis era mais fácil, porque o atleta resolve sozinho. Aqui não. Precisamos do grupo todo. Já decidiu que esquema tático vai utilizar no América?

Às vezes a preferência de um treinador em jogar nesse ou naquele sistema não é a que tem que prevalecer. Tudo depende das peças que o elenco dispõe. O Norberto e o Rai são muito mais alas do que laterais, são mais ofensivos que defensivos. Temos que ter essa preocupação na hora de armar o time. Lógico que não vamos resolver os problemas do América em dois, três treinos. O mais importante é que a equipe tenha uma postura diferente, mais agressiva, de time grande, coisa que o América já. Esse clube estava na série A até pouco tempo atrás. Precisamos nos recuperar dentro do campeonato é com esse pensamento que vamos buscar as nossas diretrizes, nossa afirmação, sempre trabalhando muito e focando o nosso trabalho.

Para mim, não existe novidade. Não é a primeira vez que chego em um clube que está nessa situação. Ano passado cheguei ao Joinville e o time era vice lanterna do campeonato catarinense, em cinco jogos tinha três derrotas e dois empates. Conseguimos reverter e terminamos brigando pelo título. Isso é uma situação normal. Recentemente, no campeonato paulista, pegamos o Red Bull na vice lanterna. O mais importante, nesse momento, é agregar todo mundo, ter essa união, todo mundo trabalhando da mesma forma. Por isso, tomei a decisão de manter toda a comissão técnica. Mas, só união basta para formar um time?

O importante é todo mundo junto para, a partir daí, você começar construir um padrão de jogo, uma equipe como a gente gosta, competitiva, aguerrida, com uma transpiração, uma vibração muito forte dentro de campo. Agora, isso não acontece do dia para noite, precisamos de um pouco de tempo para adquirir tudo isso. No meu primeiro dia no clube já quis fazer um coletivo, conhecer os atletas de

Alguns jogadores do atual elenco do América já trabalharam comigo em outros clubes e isso facilita um pouco. Acho muito importante ter o entrosamento de jogador com o técnico e vice versa. Então, sempre é bom saber os nomes dos atletas que estão no clube. Com calma e tranquilidade vamos implementando bem nossa forma de trabalhar.

Como fazer isso?

Gosto de dar uma liberdade aos jogadores, mas também cobro muito. É necessário saber o momento de elogiar”

Esse é o momento de todo mundo trabalhar muito, o grupo inteiro precisa se sacrificar, a comissão técnica também, todo mundo se ajudando, até que possamos sair dessa situação incômoda. O momento é de observações ou você já pediu reforços?

Vamos com calma, primei-

ì QUEM É Nome: Argélico Fucks Idade:38 anos Cidade:Santa Rosa/RS, Brasil Em seu primeiro trabalho como técnico,levou o Mogi Mirim à elite do Campeonato Paulista. Logo depois,dirigiu o Guaratinguetá,conseguindo uma boa campanha na Série C do Campeonato Brasileiro de 2008. Em 2009,Argel foi anunciado como novo treinador do Caxias. Em janeiro de 2010 assume o comando do São José-RS. Em 9 de dezembro de 2010,foi anunciado como novo técnico do Guarani de Campinas para a temporada de 2011.Treinou também o Botafogo-SP antes de retornar ao Caxias para a disputa da Série C.Em setembro de 2011, desligou-se do Caxias e assumiu o Brasiliense.Para a temporada de 2012,assume o Joinville.Após bons resultados com o Joinville, Argel assume o Figueirense . Em 2013 Argel foi contratado para treinar o Red Bull Brasil,time da Série A2 do Paulista.

ro temos que ver o elenco. Tem jogador que nem estreou ainda. Vamos analisar as carências que a equipe tem. A verdade é que, quem vai dizer que vamos precisar contratar é o próprio time. Se o América estiver bem, não vamos precisar contratar. Se o time não estiver atravessando um bom momento, e, dentro de uma realidade financeira do que o clube pode, vamos procurar no mercado alguns reforços. Mas, com calma, não podemos dar um

passo maior que a perna. Vamos dar oportunidades aos jogadores e eles que vão mostrar que merecem ficar. Depois vamos ter reuniões com a direção. Índio Oliveira e Max vão ser avaliados por você?

Para mim, não existe essa de jogador treinar afastado. Passei 17 anos da minha vida como jogador e isso é muito ruim. Esses jogadores estão passando por uma suspensão, os dois são importantes para o clube. Conheço muito bem o Max, um jogador importantíssimo para o América, identificado com o torcedor, com o clube. O Índio Oliveira é um garoto jovem, com um potencial fantástico, de extrema capacidade e o que ele precisa é se tornar um pouco mais profissional, disciplinado. No momento em que eles estiverem livres das suas punições, vão se integrar ao elenco e pretendo usá-los na primeira partida que puder. Desde que você chegou, o América não teve muito tempo para treinar e já tem dois jogos nessa semana. Como formar um time assim?

É um desafio. Como acertamos, sabíamos que teríamos essa sequência de jogos. A mágica é trabalhar e ganhar as partidas. Não existe outra maneira no futebol. Muito trabalho, muita dedicação. No futebol, você faz tudo certo, melhor treino, o melhor coletivo, cuida de tudo, para quê? Para correr o risco de que, em 90 minutos, as coisas dêem certo. Se a bola bate na trave e entra, tudo fica certo. Se a bola bate na trave e sai, já tem coisa errada. O treino já não foi bom, o treinador não é isso, o jo-

gador também. Isso é o futebol. A pressão incomoda?

Quem está no futebol, tem que se acostumar com isso. É um esporte muito competitivo, que cobra muito, elogia muito, você vai do céu ao inferno e vice versa muito rápido. O que vai ditar isso é o resultado. Quero que o torcedor entenda que vamos trabalhar de corpo e alma. O que venho fazendo, desde o primeiro dia, não é tipo. Quem me conhece, sabe que trabalho assim. Visto a camisa mesmo. A instituição sempre está acima de qualquer coisa. Temos que pensar sempre no lado coletivo e não no individual e é sempre dessa forma que iremos fazer nosso trabalho. Isso é natural. Você cobra muito nos treinamentos. Tem que existir essa cobrança aos jogadores?

Normal, isso é o futebol. Dentro de uma linha de respeito, temos que cobrar, mostrar o que está certo ou errado. Era só lembrar como estava a nossa seleção brasileira antes do Luiz Felipe Scolari e como está agora. Essa é maneira do futebol. Por enquanto só conheço essa forma de trabalhar. Gosto de dar uma liberdade aos jogadores, mas também cobro muito. É necessário saber o momento de elogiar. Cobro meus jogadores sempre de forma interna. Defendo meus jogadores até o fim. Não contratei nenhum deles, mas, a partir do momento em que tornei técnico do América, eles foram contratados por mim. A responsabilidade é minha. Trato eles como trato meus filhos. Não são apenas rosas, às vezes existem espinhos.


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

esportes RODRIGO GAZZANEL/FUTURA PRESS/AE

3

Vai ou racha ante o Timão « BRASILEIRO SÉRIE A » Vindo de oito derrotas seguidas São Paulo quer

fazer do confronto contra o rival, o da redenção do clube na competição

S

Rafael Tolói reconhece necessidade de superar os corintianos

Galo manda time reserva para clássico contra Cruzeiro Belo Horizonte (GP) - O objetivo do Cruzeiro na temporada é conquistar o título Brasileiro, para isso, o clube tem que procurar permanecer no G4 para dar uma arrancada no final da competição. Na luta pela ponta da tabela, a Raposa tem pela frente neste domingo, às 16h, o clássico contra o arquirrival AtléticoMG, que vai atuar com um time alternativo, poupando os campeões da Copa Libertadores. No time celeste a ideia é colocar água no chope dos atleticanos, que ainda comemoram o título da América. O volante Souza afirma que o importante é vencer o clássico independente do time que o Atlético-MG escalar. “A gente não está preocupado se será fácil ou difícil. É chegar lá e apresentar o que treinamos durante a semana. Independentemente de o Atlético-MG estar com titulares ou reservas, temos que chegar lá e buscar a vitória”, declarou. Sem problemas de suspensão, o técnico Marcelo Oliveira deve manter a mesma formação que venceu o São Paulo, na rodada passada. Os atacantes Borges e Dago-

berto, ainda se recuperam de lesão, com isso, a dupla de ataque contra o Galo será formada por Vinicius Araújo e Luan, autor dos três gols contra o Tricolor. Já o Atlético-MG ainda curte a inédita conquista da Copa Libertadores. A diretoria alvinegra e a comissão técnica estudam as prioridades da equipe para a sequência da temporada. O técnico Cuca, porém, é contra abrir mão da disputa do Brasileiro para pensar no Mundial de Clubes da Fifa, mas especificamente para o clássico decidiu poupar os titulares. O técnico Cuca explica que já havia combinado com os atletas, que pouparia o time neste domingo. O treinador revelou que a equipe para pegar o Cruzeiro será bem parecido com o que o venceu o Corinthians, no Pacaembu. “Os caras estavam concentrando por quatro, cinco dias diretos. Era um combinado meu com eles, de que eu iria dar um descanso e que, no clássico, eu ia utilizar um time que não vinha jogando. Domingo será mais ou menos o time que jogou contra o Corinthians”, disse. RAMIRO FURQUIM

Cuca resolveu dar descanso aos campeões mesmo frente ao rival

Coritiba tenta manter sua invencilidade

Opostos se enfrentam no Recife

Curitiba (PR) – Lutando para voltar ao topo da classificação do Campeonato Brasileiro 2013, mantendo os 100% de aproveitamento jogando no Estádio Couto Pereira, o Coritiba recebe hoje, às 18h30, o Vitória, que também faz boa campanha e quer entrar novamente no G-4. Mesmo com possíveis mudanças, a expectativa é de que o Alviverde mantenha o padrão de jogo. Desfalque certo mesmo é o zagueiro Leandro Almeida, que cumpre suspensão automática. Para jogar ao lado de Chico, a principal opção é Émerson, que aos poucos vem retomando o ritmo de jogo ideal após sua lesão. Bonfim corre por fora na briga. No ataque, o técnico Marquinhos Santos pode ganhar um desfalque. Deivid sentiu dores durante o treino de quinta-feira e terá que se reavaliado. Para sua vaga, três nomes: Everton Costa, Keirrison e Bill, que faria sua reestreia com a camisa coxa-branca. Antes de dar a palavra final sobre os titulares, o treinador vai também avaliar as possibilidades do adversário, já que as opções que têm possuem características diferentes e podem dar outra casa ao time.

Porto Alegre (GP) - A Arena Pernambuco receberá um duelo de díspares neste domingo. O Náutico, lanterna do Campeonato Brasileiro, vai encarar o Internacional, líder da competição. A distância entre as duas equipes é de 14 pontos, mas a necessidade de ambos é a mesma: uma vitória. Ao Náutico, vencer significaria respirar. Com apenas 4 pontos em 8 jogos disputados, o Timbu é o lanterna da competição, com um aproveitamento de 16,7%. A campanha dentro de casa é muito fraca: apenas um ponto ganho em quatro partidas, o que contrasta com os nove pontos em 15 disputados pelo Internacional como visitante. A derrota para o Botafogo no último sábado foi a sexta da equipe no Brasileiro. No entanto, a confiança na recuperação é grande dentro do elenco: “se me deixarem trabalhar e me derem as peças certas, eu vou encaixar a equipe e vamos ter um crescimento”, afirmou o técnico Zé Teodoro, para quem a partida contra o Fogão foi a melhor do Náutico fora de casa neste campeonato.

ão Paulo (GP) - O São Paulo deverá ser recebido no Pacaembu com gritos de “o nosso freguês voltou” neste domingo, mais de uma semana após deixar o mesmo estádio com o vice-campeonato da Recopa Sul-americana. Os comandados de Paulo Autuori têm como objetivo desesperado calar as provocações e ir embora com uma vitória sobre o Corinthians, que seria a primeira em 11 jogos (com oito derrotas consecutivas). Atento à necessidade do rival de se reabilitar no clássico, o time dirigido por Tite vivencia um mo-

mento muito mais tranquilo, porém segue distante das primeiras colocações do Brasileiro. O empate por 1 a 1 com o Atlético-PR deixou o Corinthians com 10 pontos, mais perto da zona de rebaixamento do que do grupo de classificados para a Copa Libertadores . “O campeonato premia vitórias. Sabemos disso. Ganhando duas partidas seguidas, você pode dar um salto muito grande. Ainda estamos na parte intermediária da tabela e precisamos nos recuperar”, pregou Tite. De qualquer forma, a situação do Corinthians é invejável se

comparada à do São Paulo. A equipe do Morumbi tem convivido com uma série de problemas desde substituição do técnico Ney Franco por Autuori, com direito à discussão do presidente Juvenal Juvêncio com associados em meio a um churrasco. “Neste momento, a gente se encontra em baixa. Sabemos que temos um grupo qualificado, mas, infelizmente, não estamos conseguindo os resultados. Já mostramos alguma evolução. Agora, precisamos vencer jogos. Uma vitória em um clássico é muito importante”, disse Rafael Toloi.

FICHA TÉCNICA CORINTHIANS SÃO PAULO Cássio; Edenílson, Gil, Paulo André e Fábio Santos; Ralf, Guilherme, Romarinho, Danilo e Emerson; Guerrero Técnico: Tite

Rogério Ceni; Douglas, Paulo Miranda, Rafael Toloi e Reinaldo; Wellington, Rodrigo Caio, Ganso e Jadson; Osvaldo e Ademilson Técnico: Autuori

Estádio: Pacaembu (SP) Horário: 16 horas Árbitro: Rodrigo Guarizo (SP) Assistentes: Marcelo Carvalho (SP) e Vicente Romano Neto (SP)


4

esportes

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

Flamengo x Botafogo no Maracanã « BRASILEIRO SÉRIE A » Longe do estádio desde a temporada de 2010, tradicionais rivais voltam a medir

forças no palco sagrado do futebol carioca e prometem um confronto dos mais disputados dessa rodada FERNANDO SOUTELLO

L

onge do Maracanã desde 2010, quando o estádio foi fechado para obras, Flamengo e Botafogo reencontram o palco sagrado do futebol carioca hoje, às 18h30 em duelo válido pelo Brasileiro. E quem comparecer ao local terá a certeza de muito empenho das duas partes, pois ganhar é muito importante para ambos. O Rubro-Negro, que busca reagir após a derrota de 1 a 0 para o Inter, aparece com nove pontos e vem flertando perigosamente com a zona de rebaixamento. Já o Glorioso, que no fim de semana passado derrotou o Náutico por 2 a 0, tem 13 pontos e, vencendo, pode ir a liderança. A oportunidade vem mexendo com as duas equipes. Os jogadores do Botafogo sabem que a ansiedade é um dos fatores a ser controlado na busca pe-

FICHA TÉCNICA FLAMENGO BOTAFOGO Felipe, Leonardo Moura, Wallace, Marcos González e João Paulo; Víctor Cáceres, Elias e Gabriel; Carlos Eduardo, Paulinho e Marcelo Moren. Técnico: Mano Menezes

Jefferson, Gilberto, Bolívar, Dória e Julio Cesar; Marcelo Mattos, Gabriel, Seedorf, Lodeiro e Vitinho; Rafael Marques. Técnico: Oswaldo de Oliveira

Estádio: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ) Horário: 18h30 Árbitro: Péricles Cortez (RJ) Assistentes: Rodrigo Joia (RJ) e Luiz Cláudio Regazone (RJ)

lo resultado positivo. “Sabemos que a ansiedade pela volta ao Maracanã é muito grande para a torcida do Botafogo e todo jogador sonha em atuar neste es-

tádio. Posso dizer que tem sido muito legal toda essa expectativa. Porém, estamos cientes de que não podemos perder o controle da situação. É preciso ter equilíbrio para conseguirmos um grande resultado”, disse o atacante Rafael Marques. Os flamenguistas também estão ansiosos, ainda mais pelo fato de a venda antecipada ter sido bem proveitosa e o Maracanã viver a expectativa de um grande público. “O apoio da torcida do Flamengo é algo que sempre fez muito bem ao clube, ter esse retorno ao Maracanã será muito importante. Tenho convicção de que as coisas vão começar a melhorar. A torcida do Flamengo é diferente, já fez história várias vezes no Maracanã e estamos muito animados com esse reencontro”, disse o goleiro Felipe.

Bahia recebe a equipe do Goiás na Fonte Nova

Experiente e em boa fase, goleiro Jefférson quer bom resultado

Atrás de superar a má fase, Fluminense encara Grêmio

Pedro Neto [ pedron@natal.digi.com.br ]

Segunda rodada

É bonito de se ver

E hoje tem a segunda rodada da Copa Ecohouse Sub 20 no Ninho do Periquito. ABC x Ferroviário CE às 16h00 e Vitória BA x Ceará às 18h00. Sem dúvida serão dois grandes jogos. Na preliminar o alvinegro potiguar reforçado por alguns jogadores que não estão sendo aproveitados na equipe principal enfrentará o Ferroviário CE que vem praticamente com a sua equipe principal que se prepara para o Campeonato Cearense de 2014. Já na partida principal o Vitória BA que é o atual Campeão Brasileiro Sub 20 pega de frente o Ceará que também terá alguns jogadores que não estão sendo aproveitados na equipe que disputa a série B. Como se tudo isso não bastasse ao término da rodada teremos show com a Banda Farra de Rico. Que os torcedores possam prestigiar, pois os que lá estiveram no último domingo por ocasião da abertura da competição saíram satisfeitos com o que viram. DIVULGAÇÃO

A conquista da Taça Libertadores da América pelo Atlético MG foi bonito de se ver. Não apenas por ter sido a conquista de mais um clube brasileiro – o quarto seguido -, mas muito mais pela linda festa que fez a torcida do galo. Sempre cito que gosto de assistir aos jogos do Corinthians justamente pela festa que a Fiel corintiana faz, não parando em nenhum minuto durante todo o jogo. No caso do Atlético MG a situação é bem próxima. Aliás, isso geralmente ocorre com os clubes de massa, entretanto acredito que as duas citadas acima são o que existe de melhor no Brasil. Até mesmo a do Flamengo que é a maior do Brasil consegue contagiar tanto como as do Corinthians e do Atlético MG, pois a do clube carioca geralmente só comparece quando o rubro negro está bem na tabela de classificação.

Zagueiro Cléber Ricardo Bezerra O entrevista do Programa Esportes em Debate da Rádio Globo neste final de semana foi o conselheiro do América Ricardo Bezerra. Como sempre acontece Ricardo Bezerra não deixou de responder a nenhuma das perguntas. Entre outras coisas o conselheiro disse que é favorável a parceria do América com a OAS, até porque acredita que o clube poderá lucrar nos próximos anos, pois acredita que aquele torcedor que está afastado dos estádios por conta da distância do Nazarenão e do Barretão poderá voltar a frequentar a nova praça de esportes do RN. Ricardo Bezerra disse ainda que acredita na reabilitação do seu clube de coração, principalmente após a chegada do novo técnico Argel Fucks que é conhecido por ser muito disciplinador. Outro ponto destacado pelo conselheiro foi no tocante ao Arena América que no entendimento dele já poderá ser utilizado no Campeonato Estadual de 2014. Ricardo Bezerra é um dirigente fino e educado, além de viver o dia a dia do seu clube de coração diariamente.

Bombinha E quem continua sem dar o ar de sua graça é o atacante Bombinha do ABC. Confesso que não lembro nos últimos anos um jogador que tenha passado mais tempo no DM de um clube do nosso futebol do que Bombinha. No América – e depois no ABC – tivemos o zagueiro Luizão. No ABC tivemos Basílio que jogou poucas partidas em dois anos de clube. E ainda no América o volante Rafael Paraná que tinha uma barraca armada dentro do DM. Aliás, tenho certeza que Bombinha ganha para todos os citados acima. Mesmo assim, vamos continuar torcendo para que o atacante ainda possa jogar este ano, até porque o custo/benefício tem sido péssimo para o clube. O próprio torcedor alvinegro já começa a perder a paciência com o atacante cobrando sistematicamente a sua presença no grupo que fica a disposição do técnico.

O zagueiro Cléber do América não foi relacionado para o jogo da última sexta-feira contra o Atlético-GO. Segundo informações o jogador não está no melhor da sua condição física e passará por um período de treinos fortes para recuperar a sua condição. Agora, o que se estranha é que Cléber esteja nessa situação, até porque ele só estreou na equipe rubra na sexta rodada após um longo período de treinamentos junto aos preparadores físicos. Que Cléber possa se recuperar o mais rapidamente possível, até porque bem condicionado fisicamente ele é útil a equipe.

Possível parceria O presidente do Alecrim Antony Armstrong esteve está semana visitando o Fluminense no Rio de Janeiro. Antony foi a convite da direção tricolor que acenou com a possibilidade de uma parceria com o verde do RN. Agora, nada vazou para a imprensa sobre de como será a parceria – caso ela realmente aconteça -. Tudo indica que nos próximos dias o presidente do Alecrim deverá se pronunciar sobre o assunto.

Dois times que fizeram um bom ano em 2012 e ainda não se encontraram nesta temporada se enfrentam hoje, às 16h, na Arena do Grêmio, pelo Campeonato Brasileiro. Depois de serem derrotados por Criciúma e Vasco, respectivamente, na última rodada, Grêmio e Fluminense repetem um duelo ocorrido na última Libertadores e se enfrentam pela recuperação. Os dois times tiveram dois jogadores expulsos na última rodada. Se o Flu não terá Fred e Digão, o Grêmio virá sem Vargas e Matheus Biteco. Assim, abre-se espaço para a volta de Kleber ao time titular, compondo a dupla de ataque com Barcos. Sem o chileno e com a vaga de Biteco aberta no meio, o paraguaio Riveros está liberado para estrear, sem haver excesso de estrangeiros na partida. Outra novidade para o confronto do lado gremista é o zagueiro Rhodolfo. Contratado junto ao São Paulo, o defensor treinou durante a semana sem

problemas, mas sempre no time reserva. Deve ser opção para o técnico Renato Gaúcho neste domingo. A dupla titular de defesa deve ser formada por Werley e Bressan. Adriano, que cumpriu suspensão em Criciúma, está de volta ao meio-campo.Além de Vargas, outro titular fora da equipe é o volante Souza.

FICHA TÉCNICA GRÊMIO

Bahia e Goiás fazem às 18h30 de hoje, um dos jogos que fecham a nona rodada do Campeonato Brasileiro. A partida será disputada na Fonte Nova e colocará frente a frente duas equipes com o mesmo objetivo: se aproximar do G-4. O Tricolor tem 13 pontos, ronda a zona de classificação para a Libertadores e é uma das maiores surpresas deste início de torneio, embora tenha um jogo a mais do que as outras equipes. O principal desfalque é o zagueiro Lucas Fonseca, suspenso, que será substituído por Rafael Doneto. Outra mudança deve ser a escalação da equipe no 4-2-3-1, com Wallyson, Talisca e Marquinhos na armação e Fernandão isolado no ataque. As opções táticas e a postura fora de campo do treinador têm rendido diversos elogios a ele. O Goiás, por sua vez, também briga para se aproximar do G-4. A equipe tem 12 pontos, um a menos do que o Bahia, embora tenha também um jogo a menos. A boa notícia é que a única alteração deve ser a entrada de Ramon no lugar de Hugo, suspenso. A manutenção do esquema deve dar continuidade ao futebol pouco vistoso mas eficiente do Esmeraldino, que não perde há três jogos. "Precisamos reconhecer que nem sempre vai dar para jogar bonito”, salientou o goleiro Renan.

FLUMINENSE Dida; Pará, Werley, Bressan e Alex Telles; Adriano, Riveros, Zé Roberto e Elano; Kleber e Barcos. Técnico: Renato Gaúcho

Diego Cavalieri, Wellington Silva, Gum, Leandro Euzébio e Carlinhos, Edinho, Jean, Deco e Wagner; Rafael Sóbis e Samuel Técnico: Abel Braga

Estádio: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS) Horário: 16h Árbitro: Raphael Claus (SP) Assistentes: Alessandro Rocha de Matos (BA) e Emerson Augusto de Carvalho (SP)

hoje na tv 6h25 – Campeonato Russo: Lokomotiv x CSKA; ESPN Brasil 7h35 – Amistoso: Tailândia x Liverpool; ESPN 9h – Fórmula 1: GP da Hungria; Globo 9h50 – Copa do Brasil Sub-17: Corinthians x Portuguesa; ESPN Brasil 10 – Série C: Guarani x Duque de Caxias; Sportv2 11h – Esporte Espetacular; Globo 16h – Série A: Grêmio x Fluminense; Globo 16h – Sportv Tá na Área; Sportv 18h30 – Série A: Coritiba x Vitória; Sportv 18h – Bate Bola 2ª edição; ESPN Brasil

Cielo mira recorde dos 50 metros livre após fim da era do maiô « MUNDIAL DE NATAÇÃO » Depois de ficar apenas com a medalha de bronze em Londres, brasileiro tenta recuperar o posto de número um WASHINGTON ALVES

B

arcelona - Depois de ficar “apenas” com a medalha de bronze nos 50 metros livre nos Jogos Olímpicos de Londres, Cesar Cielo quer voltar a ser o homem mais rápido das piscinas no Mundial de Esportes Aquáticos de Barcelona. O brasileiro traça como meta para a competição não apenas conquistar o tricampeonato da sua prova preferida, mas também fazer o melhor tempo da história na era pós-maiôs tecnológicos. As provas de natação do Mundial começam hoje. O recorde mundial dos 50 metros livre é do próprio Cielo, com 20s91, mas é fato consumado que esse tempo, atualmente, é praticamente impossível de ser alcançado sem os maiôs tecnológicos. Por isso, a meta do brasileiro é baixar seu recorde pessoal de 21s38 desde que aqueles trajes foram banidos “O meu objetivo nas duas provas é buscar os melhores tempos da minha vida. É tentar abaixar o tempo no borboleta e melhorar a minha marca no livre”, afirmou Cielo, que é recordista sul-americano dos 50 metros borboleta, prova que também disputará em Barcelona, com 22s76. “Vou ter grandes adversá-

Sem ajuda da tecnologia, César Cielo tenta repetir sua marca

rios, todos com nível muito parecido. Nos 50 metros livre estou querendo fazer a minha melhor prova e, se Deus quiser, conseguir esse tricampeonato mundial inédito. É difícil falar antes do momento, mas, analisando a prova e as competições, é algo que pode ser concretizado. Me preparei para chegar no meu melhor”, acrescentou o brasileiro. Cielo, assim como os demais brasileiros, terminou a fase final de “raspagem” (quando os atletas diminuem o ritmo dos treinos para chegarem à competição com a musculatura relaxada,

mas na melhor forma possível). Ele atualmente é o quarto do ranking mundial de 2013 nos 50 metros livre, com o tempo de 21s57 que fez no Troféu Maria Lenk, em abril. Nos 50 metros borboleta, prova em que vai buscar o bicampeonato mundial, é o sexto da lista, com 23s15. O esporte estava no caminho de Cesar Cielo, desde bem cedo. Era bem pequeno quando acompanhava a mãe, Flávia, professora de Educação Física, às aulas de natação que ela ministrava no Clube Barbarense. Ainda menino, experimentou o judô.


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

esportes

Apito Final EVERALDO LOPES [ elopes@tribunadonorte.com.br ]

Gallo repercute A recente declaração do treinador da Seleção Brasileira sub 20, Alexandre Gallo, de que está exigindo responsabilidade e seriedade dos jogadores, que os atletas devem incutir na mente que, apesar da idade, brevemente poderão estar em grandes clubes brasileiros ou estrangeiros. Vai exigir da garotada muita seriedade, fazendo a base para, futuramente, dependendo das qualidades técnicas, serem ídolos, como já são Neymar, Lucas, Bernardo, David, entre outros. Para Gallo, jogador ficar exibindo-se com corte de cabelo exótico, trancinhas, brinquinhos, tatuagem pra todo lado, chuteiras multi-colorida, não é compatível com a atividade que exerce.

Gallo (2) “O atleta deve ter postura de um adulto, nunca de um guri mimado, frisa. No mínimo, é curiosa a atitude do jovem treinador A. Gallo, depois de uma passagem pouco promissora por alguns clubes intermediários. Da forma como o jogador brasileiro quer tirar proveito de seus atributos físicos, faz lembrar o formato do futebolista amador nos pri-

mórdios do futebol brasileiro. Um dos antigos hábitos era o de jogar com um lenço na testa, às vezes um boné bem acentuado, já que a bola antiga pesava muito mais que a de hoje, com o detalhe do “pito” externo, que machucava quando o jogador cabeceava. Velhas fotos dos anos 30 mostram fotos com os 11 jogadores, enfileirados, em pé.

Gallo (3) Os calções eram compridões, iam no joelho. As fotos primitivas entre 1918 até 1940 mostram o trio formado pelo goleiro e os dois zagueiros em pé, os três do meio de campo, ajoelhados e, os cinco atacantes sentados no gramado. Curiosamente, nem sempre o goleiro era o mais alto do grupo. Era hábito o presidente do clube aparecer n a foto, às vezes, até o árbitro. Quando a Seleção Brasileira viajava ao exterior, os jogadores usavam terno completo, paletó, e chapéu de palhinha.

“Carecas”, nunca Uma moda que chegou para ficar – inclusive jogadores jovens, é a dos cabeças raspadas, chamados carecas. A não existência de cabeças raspadas tem explicação. No passado, só ha-

via duas justificativas para ter a cabeça raspada: se passou no vestibular ou, então, era fugitivo da colônia penal. Tantos anos depois, é o que ais se ver é jovem com o quengo raspado.

JUNINHO Numa das últimas colunas, citando o volante Juninho Pernambucano, escrevi que ele havia jogado apenas no Sport, Vasco e Lion/França. Houve duas omissões: Juninho jogou também no time do Doha, no Qatar, e Red Bulls, nos EE.UU.

FRASE “Ser campeão da Copa Libertadores é melhor do que mulher …” (essa frase curiosíssima é do presidente do Atlético Mineiro, no auge da explosão pela vitória diante do Olímpia do Paraguai, quarta-feira.

Encontro explosivo A alta rotatividade do futebol no mundo inteiro faz surgirem anos depois encontros cheios de suspense. Daqui a alguns meses, nas disputas do Mundial de clubes, este ano no Marrocos, depois de muitas decisões no Japão, o representante europeu será o Bayer de Munich, treinado por Guardiola. O suspense fica por conta desse mesmo Guardiola, quando trei-

nava o Barcelona, ter autorizado o clube desistir de renovar contrato com o Barça, “por não ser mais o mesmo...” Faltando um pouco mais de cinco meses, está criada a expectativa. Se o “Galo” ganhar, não será novidade se Ronaldinho dentuço tentar tirar um sarro com seu verdugo de anos atrás. Quem sabe, dar um “vôo” rasante, tipo aviãozinho... Vou esperar pra ver...

Zebrão Quem diria, o Nacional de Manaus entrou na boquinha de pagar uma Ponte Preta caindo pelas tabelas, e eliminou a “Macaca” da Copa do Brasil. É a primeira vez em que o futebol amazonense dá um grito de êpa, estou aqui! Pois é, chegou às oitavas de final. Lembra o Paysandu quando quase chega ao título da Libertadores, derrotando o Boca Juniors lá em Buenos Aires.

Sucesso do alecrinense Claro, é um outro alecrinense sem ser na área de futebol. É o empresário Joãozinho Santana, que às vezes dá uma de bom também na área musical. Ele acaba de lançar um dvd dos amigos de Pery Ribeiro, com faixas de nomes famosos como Caetano Veloso, Fagner, Simonal, entre outros. A imprensa escrita e televisiva do Rio e São Paulo tem publicado vários elogios. Joãozinho Santana é filho do saudoso Bastos de Santana, o cartola que carregou o Verdão para os títulos estaduais de 63/64.

« CARTÃO AMARELO »

5

Superação de um pai pelo bem-estar da família « DEDICAÇÃO » Depois de abandonar os tatames para acompanhar o tratamento da filha contra a leucemia, Guerreiro está de volta

O

que você seria capaz de fazer pelo bem da saúde de seus filhos? No caso do professor de Jiu Jitsu, Alexandre Guerreiro, a escolha foi abandonar a vida profissional, fechar a academia que dava aula, suspender os cursos e seminários sobre a arte marcial e se dedicar, exclusivamente ao tratamento da filha Maria Clara Guerra Barbosa, na luta contra a leucemia. “Não tinha como ser diferente. Foi um baque muito grande para toda a nossa família e tive que me dedicar completamente a recuperação da minha filha. Tinha que fazer uma escolha e fiz. Agora, é correr atrás para conquistar tudo que tinha conquistado antes”, afirma Guerreiro. A vida de Alexandre começou a mudar em 2012, poucos dias antes do aniversário de 10 anos de Maria Clara. Até então, a família não desconfiava de que a garota poderia estar doente e nem escutavam reclamações da filha. Foi quando a menina foi ao médico fazer exames de rotina e a má notícia teve que ser dada aos pais: Clara estava com leucemia e, pelo estágio da doença, ela teria que ser internada de imediato para iniciar o tratamento para combater o câncer. De início, a filha de Alexandre iria ficar apenas uma semana internada, mas, o tratamento teve que ser mais demorado e ela ficou cerca de 50 dias dentro de um hospital particular. “Foi um momento muito complicado na nossa vida. Até então, a Maria Clara era uma menina saudável e de uma hora para outra tudo mudou. Tivemos que nos adaptar a uma nova realidade de vida e todo dia é uma luta. Graças a Deus ela está se recuperando bem e deixou o hospital essa semana. Está em casa se recuperando”, revela Alexandre. De lá para cá, o professor de jiu-jitsu vem combatendo suas principais lutas fora do tatame: recuperação da filha e também recuperação profissional e pessoal que, obviamente, ficaram em segundo plano para o tratamento de Maria Clara. Ele teve que fechar a academia que dava aula, a Combate Real e suspender as aulas que dava para os agentes da Polícia Federal. Além disso, os cursos para o Batalhão de Operações Especias (Bope) e Bombeiros, também tiveram que ser suspensos. Aos

MAGNUS NASCIMENTO

Sem perder tempo, Alexandre Guerreiro já vou a dar aulas para os agentes da Polícia Federal ADRIANO ABREU

Ajuda dos amigos foi essencial para a recuperação

O professor de jiu-jitsu ficou um ano afastado dos tatames

poucos ele vai retornando a antiga rotina de treinos e lutas. “Vamos retomando, aos poucos, a antiga rotina. Voltei para a academia, estou dando aulas ao pessoal da polícia federal, mas, sempre com a cabeça na minha filha. É trabalhando e com o ouvido atento para o celular, já que podem chegar notícias a qualquer momento”, diz o professor de jiu-jitsu. Mas, nos momentos mais difíceis durante o tratamento de Maria Clara, foi quando Alexandre

Guerreiro descobriu quem são os verdadeiros amigos. E a ajuda veio de todas as partes, uma alegria para ele e para sua filha. “Conheci os verdadeiros amigos, que ficaram ao meu lado. O pessoal da academia ajudou, os agentes da polícia federal ajudaram. Quero agradecer a todos eles, ao Bope, a Associação dos Bombeiros Militares, a academia Combate Real, a minha família e a médica Edvi Serafim, que desde o começo está com a gente, cuidando da Maria Clara”, emociona-se.

Não só a vida profissional de Alexandre Guerreiro mudou com a doença da filha. O lado pessoal também foi afetado com a mudança no quadro de Maria Clara. Além dela, ele também tem outro filho, Lucas Henrique, hoje com 14 anos, os dois do primeiro casamento, que ainda conta com Rafael, filho da primeira mulher de Guerreiro. Foi preciso muita conversa com os filhos para evitar que eles pudessem sofrer com a doença da irmã. “No início o Lucas ficou baqueado com a notícia. É duro para um menino de 13 anos descobrir que sua irmã mais nova está com leucemia. Mas, com muita conversa, ele foi aceitando o fato e ajudando em tudo que ela precisava. Irmão é para isso mesmo”, afirma Guerreiro. Para poder acompanhar de perto a recuperação de Maria Clara, Alexandre conversou com sua ex-mulher e eles decidiram que o melhor era todos morando perto. Por isso, uma casa foi alugada no centro de Natal, bairro em que mora Guerreiro e lá, agora, estão morando Maria Clara, Lucas, a avó e mãe deles. “Ficou melhor assim. Posso ficar mais perto da minha filha, acompanhar toda a sua recuperação e saber se ela está bem, se precisa de alguma coisa”, finalizou.


6

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho 2013

esportes Raikkonem e Alonso buscam se aproximar do líder Vettel « FÓRMULA 1 » Piloto alemão abriu 34 pontos à frente do espanhol Fernando Alonso e não pode mais permitir o aumento da diferença

O

Mundial 2013 de Fórmula 1 chega à sua metade hoje, com a realização do grande Prêmio da Hungria. No circuito de Hungaroring, a décima de um total de 19 etapas da temporada, pilotos e equipes continuam a disputa pelo título da principal categoria do automobilismo. Com a parada no calendário para as férias de verão após a prova, a etapa seguinte só acontecerá no dia 25 de agosto, na Bélgica, a corrida tem grande importância para os atuais líderes do Campeonato. O alemão Sebastian Vettel lidera com 157 pontos, 34 à frente do segundo colocado, Fernando Alonso, e se o piloto da Red Bull conseguir ampliar a vantagem, ficará ainda mais perto do tetracampeonato. Considerando o desempenho recente da equipe austríaca, que venceu das últimas duas etapas e se destacou nos treinos realizados em Silverstone na semana passada, Vettel segue como maior favorito a conquistar não só a vitória neste domingo como o título. O alemão porém,

foca na prova e tenta não pensar no título. “Eu não estou pensando muito no Campeonato ou no título. É bom saber que estou numa boa posição, mas estamos somente na metade da temporada e tudo pode acontecer entre agora e a bandeira quadriculada no Brasil”, decretou Vettel ao site oficial da F1. Ano passado, Fernando Alonso deixou a Hungria com uma vantagem de 40 pontos sobre Vettel, e mesmo assim o alemão conseguiu eliminar a vantagem e ser campeão no Brasil. Em 2013, Alonso dá sinais de que um revés em Hungaroring pode ser fatal para as pretensões da Ferrari. “Um bom resultado é importante porque trata-se da parada de verão, e será bom para a motivação da equipe e nosso foco se nós conseguirmos reduzir a diferença para Sebastian na classificação. Se essa diferença aumentar, teremos uma parada de verão muito tensa e difícil para manter a motivação, então é importante ir bem aqui”, afirmou o espanhol.


revista da

A REVISTA DA TV É UM SUPLEMENTO DA TRIBUNA DO NORTE. NÃO PODE SER VENDIDO SEPARADAMENTE.

Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 28 de julho de 2013

Papel delicado Depois de uma preparação intensa, Bruna Linzmeyer colhe elogios por sua interpretação sensível e realista da autista Linda, na novela das 21h « PÁGINAS 6, 7 E 8 »

+

Ator conta que já quis ser garçom e vendedor de loja para poder se comunicar com as pessoas

Na 2ª temporada de “O bagulho é Doido”, MV Bill fala sobre educação, racismo, entre outros

« PÁGINAS 3 E 4 »

« PÁGINA 10 »


2

revista da

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

A história que Cristianne Fridman escreve para a Record terá um núcleo de personagens que moram na Barra da Tijuca. Serão jovens estudantes que vão viver numa república. A maior parte da novela, intitulada “Vitória”, se passará em Petrópolis, na Região Serrana.

Datena de volta, em doses menores ”Quem fica em pé?” voltará ao ar na Band em setembro, somente aos domingos, às 20h. A atração de José Luiz Datena perdeu sua faixa durante a semana porque “Os Simpsons” e “Zoo” são considerados programas com boa audiência. As gravações estão previstas para agosto.

Mecânico vai entrar na briga por Bibi A segunda temporada de “Pé na cova” terá um novo triângulo amoroso: Clécio, um mecânico da oficina de Tamanco (Mart’nália), ficará encantado por Bibi (Lorena Comparato) e vai disputá-la com Ruço (Miguel Falabella). Ainda não foi escolhido o ator para o papel.

Saltos históricos em documentário O ESPN vai lançar mês que vem uma série de dez documentários, “Memória do esporte”. O primeiro, com direção de Cacá Diegues, será sobre as experiências do cavaleiro Rodrigo Pessoa nas Olimpíadas de 2000 e 2004.

Fora de cena, trabalho social em Alagoas Licurgo Spinola, de “Flor do Caribe”, realiza trabalhos com jovens em risco social. Fez oficinas de teatro com dependentes de crack e jovens infratores. Ele acaba de lançar uma campanha contra a exploração sexual infantil em Alagoas.

patrícia kogut

Praia, beliches e muita animação

com Florença Mazza e Ana Luíza Santiago, Clara Passi e Rafaela Santos kogut@globo.com.br

FÁBIO SEIXO

10

Para a virada de Giane, personagem de Isabelle Drummond em “Sangue bom”, novela de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari (direção de núcleo de Dennis Carvalho). Ela deixou de lado o jeito de menino e está chamando a atenção pela beleza. A atriz, cujo talento não é novidade, fez a transformação de maneira natural e está convencendo nesta nova fase da trama.

0

Para o “Luciana by night”, da RedeTV!. A atração de Gimenez se esforça para ser um talk- show à la Jay Leno, mas está mais para “Superpop”. As entrevistas são bobas e os esquetes de Diogo Portugal, idem. Essa semana, uma conversa com Fabiana Saba teve como temas um programa em que participantes comiam pênis de boi e a vida nos EUA. “É bom sair e não levar (sic) um assaltinho (sic)”, disse Gimenez.

Passo sintonizado

T

Acostumada a interpretar mocinhas sofredoras nas novelas, Luiza Valdetaro não quer saber de lágrimas fora de cena. A atriz, que voltará à TV em “Joia rara”, história de Thelma Guedes e Duca Rachid para as 18h, surpreendeu-se ao receber, em fevereiro do ano passado, o diagnóstico de leucemia da filha, Maria Luiza, mas procurou seguir a vida de forma positiva. Hoje, com o tratamento já em fase de manutenção, ela se prepara para interpretar Hilda, moça que alimenta o sonho de ser cantora, mas é tolhida pelo pai. - Ela terá um casamento arranjado e gostando de outra pessoa. Era a mesma situação das minhas personagens tanto em “Gabriela” quanto em “Cordel encantado”. Com a diferença que Hilda é solar, não se vitimiza, vai atrás do que

quer e rompe com a austeridade que impera em sua casa. Por conta da agenda ainda folgada - ela não começou a gravar, apenas se prepara com aulas de canto -, ajuda Malu, de 5 anos, a retomar a rotina aos poucos. - Não dava para ser uma mãe fragilizada durante o tratamento dela. Minha filha sofreria mais do que já era necessário. Fazia de tudo para sempre estar feliz na sua presença, brincando. Me virei nos 30. Uma das atividades preferidas da menina é a aula de equitação no Itanhangá, na Zona Oeste, que faz em companhia da mãe: Eu também montava na adolescência e, há cinco meses, Malu me disse que queria praticar o esporte. Já no primeiro dia de aula, quando estava assistindo, resolvi entrar para a escolinha também. Agora tento ir todos os dias. Se

eu deixar, ela me acompanha sempre e acaba ficando cansada para ir à escola e às aulas de balé. Além de ajudar a filha, Luiza estuda os mais de 20 capítulos já enviados ao elenco. Na história, sua personagem inventará um nome artístico e trabalhará num cabaré escondida da família. Lá, vai dublar o show de uma vedete. A atriz vem treinando com músicas em espanhol e em inglês. Casada há seis anos com o empresário Alberto Blanco, Luiza não pensa em ter outros filhos. Ela conta que mudou sua atitude depois de tudo por que Malu passou. - Não faço mais planos, desde uma ida ao cinema à escolha de um trabalho. Sempre ficava muito chateada quando algo dava errado, mas agora tento pensar que, se não aconteceu, foi até melhor. Passei a entender que nem tudo está ao nosso alcance. Estou mais tranquila e plena.

ESTEVAM AVELLAR/ TV GLOBO

Miele revisita o Beco das Garrafas Miele, um dos maiores produtores de shows na época da bossa nova, voltará a “Tapas & beijos”. Seu personagem, pai de Armane (Vladimir Brichta, com ele na foto), vai se oferecer para ajudar Jorge (Fábio Assunção) a produzir um CD.

No cabaré com uma multidão Mariana Ximenes, que será uma vedete em “Joia rara”, nova novela das 18h, já fez três números no cabaré. Foi uma superprodução, com cerca de cem figurantes na plateia, em dois dias de gravação, das 13h às 21h.


revista da

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

3

FOTOS DE DIVULGAÇÃO

ZEAN BRAVO

A

‘Não tenho pudores’ « PERFIL » Em ‘Sangue bom’, Armando Babaioff se diz inquieto e afirma que faria tudo pela profissão

rmando Babaioff sabe cuspir fogo e andar em perna de pau. Tem uma sanfona, mas não sabe tocar o instrumento. Prefere cozinhar. Nos churrascos, é ele quem cuida da carne (“Aprendi a cozinhar desde cedo para não fica só no miojo, diz”). Ligado em música, é um dos produtores da festa SOPA, que completa um ano em agosto. E, sim, está no ar na Globo como o Érico de “Sangue bom”. Apesar de admitir que não se imagina fazendo outra coisa que não seja atuar, Babaioff, 32 anos, afirma que pode muito bem, como vimos, se dedicar a outras atividades. - Sou muito inquieto e sempre pensei em desistir, o tempo todo. Ator no nosso país é uma profissão de risco. Ele começou a fazer teatro aos 11 anos na escola municipal onde estudava. Resolveu ser ator aos 14. Com 16, saía de Jacarepaguá e atravessava a ponte Rio-Niterói para fazer parte de um grupo teatral. Aos 18, ficou nu e beijou outro homem no palco, na peça “Quietude”. Foi dirigido por Miguel Falabella e seduzido por Vera Fischer numa montagem de “A primeira noite de um homem”, espetáculo que o tornou conhecido, aos 23. Mas se não fosse ator, ele poderia trabalhar com fotografia, um dos seus prazeres. - Alguns amigos ampliaram fotos feitas por mim e botaram nas paredes de casa - conta. Babaioff também é craque em planejar roteiros de viagem. Adora fazer anotações sobre lugares e cidades que quer conhecer. Não é jornalista, mas já deu expediente como assessor de imprensa para divulgar os espetáculos de seu grupo. - Eu também já distribuí muita filipeta na rua para divulgar peça. E viajei de Kombi com várias pessoas carregando cenário - lembra. Falando de forma acelerada, lembra que seus pais sempre apoiaram suas escolhas. - Quando contei para eles que queria ser ator, a minha mãe me disse: “Posso te dar teu plano de saúde e teu tratamento dentário. O resto é contigo”. Contribuo com o INSS desde os 17 anos. Assim como sua mãe, Ignez, Babaioff gosta de puxar papo com todos. Basta darem trela. - Eu já quis ser garçom e vendedor de loja para ter a oportunidade de me comunicar com as outras pessoas.

+

PAGINA 4 Ter a chance de descobrir possibilidades profissionais é com ele mesmo.


4

revista da

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

1

2

3

1. ‘Sangue bom’ Babaioff com Letícia Sabatela em cena da novela

4

2.CASAL. Ator foi par de Maria Flor na série “Do amor” 3.TABU. Em “Ti-ti-ti”, Babaioff ficou com o personagem de André Arteche 4.TEATRO. Com Vera Fischer na peça “A primeira noite de um homem”

O ator lembra, aos risos, uma história protagonizada por sua mãe, que pegou uma carona de táxi com uma senhora desconhecida. Ao puxar assunto, descobriu que a mulher queria chegar logo em casa para não perder “Sangue bom”. - Ela completou: “Gosto da novela principalmente pelo Armando Babaioff, que tem um jeito muito calmo de falar”. Minhã mãe ficou tão nervosa que nem disse quem ela era. Calma é uma característica do publicitário que ele vive na trama escrita por Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari. - Eu não sou nada calmo. E tenho medo de me tornar um ator burocrático. Acredito no suor, na dor de cabeça para chegar a um personagem. Passo noites em claro por causa do trabalho - revela ele, que este ano estará ainda no filme “Sangue azul”, de Lírio Ferreira.

Em “Sangue bom”, uma das cenas que tiraram seu sono foi a discussão final da relação de Érico com Renata (Regiane Alves), depois que o publicitário descobria a traição da noiva, sua namorada há 15 anos. Ele diz que o mocinho traído, agora envolvido com Verônica (Letícia Sabatella), poderia ter sido uma armadilha. - Sofri para criálo. Ele poderia ter caído no clichê do bobo apaixonado. Mas foi tão bem escrito que driblou isso. Hoje o ator convence como o sujeito romântico do horário das 19h. Quem o conhece, sabe que aquilo é pura atuação. - A minha irmã, Sara, vê as cenas mais românticas da novela, e grita: “Quem vê, até pensa!”. Eu não acredito na instituição do casamento como o Érico. Para mim, um relacionamento não precisa passar por essas formalidades.

Nunca dividi a escova de dentes com ninguém. Mas acredito numa relação estável e monogâmica - avisa. Solteiro, Babaioff mora com a irmã. Os planos de se dedicar a outras atividades ou morar fora do país sempre são adiados por conta dos múltiplos projetos teatrais. Ele quer voltar aos palcos com a peça “O que você mentir eu acredito”, que encerrou temporada recentemente. Apesar de ter o teatro como referência, diz considerar a TV um veículo difícil. - Eu gosto de problema, de dificuldade. Quando entendo as coisas, eu perco o interesse nelas - admite. Na carreira, vale tudo. - Não tenho pudores em relação à profissão. Cumpri bastante a minha cota de teatro alternativo. Já fiquei nu e beijei outro ator em cena. Ele também viveu um homossexual na TV. O surfista Thales, de

Currículo

4

Novelas. “Sangue bom”, “Ti-titi”,”Duas caras” e “Páginas da vida”

2

Seriados. “As brasileiras” e “Do amor”

1

Minissérie “Dercy de verdade”

“Ti-ti-ti”, passou por todo o processo de aceitação de sua sexualidade e terminou a trama ao lado de Julinho (André Arteche). - Discutir sexualidade na TV ainda é tabu. Foi a primeira vez que um homem gritou “eu te amo” para outro no horário das 19h. Recebo cartas endereçadas aos personagem até hoje. Um senhor veio falar comigo que voltou a falar com o filho por causa do Thales - diz. Depois de ter sido contratado pela Globo por cinco anos, o ator agora assina com a emissora por obra. Antes de “Sangue bom”, fez a série “Do amor”, com Maria Flor, no Multishow: - A falta de um contrato fixo me tirou da zona de conforto, mas me deu a oportunidade de experimentar outras coisas. Sem crise. Ter a chance de descobrir possibilidades profissionais é com ele mesmo.


revista da

«MALHAÇÃO» Globo 17:30

«FLOR DO CARIBE» «SANGUE BOM» Globo 18:00

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

« NOVELAS »

Globo 19:00

«AMOR À VIDA» Globo 21:00

«CHIQUITITAS»

«DONA XEPA»

RECORD 20:30

RECORD 22:10

5

«SARAMANDAIA» GLOBO 23:00

SEGUNGA-FEIRA Anita não consegue falar para Ben que gosta dele, e o rapaz pede sua ajuda para encontrar um abrigo melhor para Frédéric. Serguei e Julia consideram contar para Anita que Ben estava atrás de Sofia. Anita e Ben se aproximam cada vez mais.

Não há exibição.

Lino diz a Carol que quer se casar com ela. Juliano dá uma semana para que Hélio confesse, à polícia, o envolvimento no sequestro. Samuel descobre que a explosão na mina revelou uma jazida de turmalina da Paraíba no local e diz a Cassiano.

Giane fotografa Nelson e Rosemere. Malu pensa no que Amora pode fazer para separá-la de Bento. Perácio pintar tela inspirado na música que dançou com Rosemere e Filipinho. Amora faz Malu acreditar que ela e Bento se beijaram.

Maciel leva Valdirene ao motel e sai sem pagar a conta. Márcia descobre que perdeu a van. César fica tenso com a confirmação de que Elenice pode ter sido assassinada. Paloma e César vão à casa de Mariah, que se esconde.

Valentina chega ao quarto de Gabriela quando Carmen está prestes a sufocá-la. Junior e Carol quase se beijam, mas são impedidos pela seguradora do carro que chega para trocar os pneus. Os garotos montam um plano para tirar Pata do orfanato.

Rosália detalha para Xepa. como fez a descoberta do terreno. Rosália vai embora da vila. Aos prantos, ela mente para Isabela e Pérola. Rosália faz com que Pérola a chame para morar em sua casa. Camila vê Esmeraldino circulando pela vila.

Juliano diz a Cassiano e aos tenentes que vai à polícia. Os tenentes descobrem que a explosão foi intencional e avisam a Cassiano. Juliano diz ao delegado que Arruda visitou Hélio no resort. A polícia chega quando Helio está para fugir.

Malu fica abalada com as intrigas de Amora. Charlene pensa em perdoar Wilson. Dorothy e Kevin pedem para Plínio se casar com Irene. Perácio diz a Rosemere que vai se separar. Giane fotografa Amora se jogando contra um táxi.

Paloma estranha a presença de César na casa de Mariah. Aline entrega as fotos que tirou de Félix para Edith. Félix descobre que perdeu dinheiro com a importação de silicone. Aline visita sua tia Mariah e afirma que tomará o hospital de César.

Pata fala aos amigos que é perigoso ela fugir com eles. Enquanto as garotas dormem, Pata levanta e sai do quarto. Bia e Ana acordam e vão segui-la. Ao entrar na cozinha, as amigas veem Pata com a caixa do dinheiro na mão.

Isabela hospeda Rosália em seu quarto. Yasmin percebe que Édison. a beijou para provocar Lis. Ângelo se assusta com um bilhete ameaçador da mulher da fronha rosa. Vitor Hugo conta para Júlio César que François pode ser um traidor.

Stela consegue impedir Zico de ver Tiago. Cazuza reclama do falso dossiê que Dona Redonda está escrevendo contra Gibão. Stela e Tiago se beijam. Lua é irônico com Vitória ao questioná-la sobre seu almoço na cidade vizinha.

Hélio assina a intimação e o policial diz que ele está proibido de viajar. Doralice ajuda no parto de uma mulher, que morre e deixa a bebê Beatriz. Doralice deixa uma carta para as freiras, e vai embora com Beatriz.

Amora se faz de vítima para Bento. Socorro paga o motorista que atropelou Amora. Perácio beija Rosemere. Damáris reconhece Verônica e decide contar a Érico sobre Palmira. Giane mostra a Bento as fotos que fez do acidente de Amora.

Eron observa Amarilys trocar de roupa. Carlito é convidado para ser DJ no casamento de Nicole. Paulinha esconde de Bruno que se encontrou com Paloma. Edith se desentende com o marido e comunica à família que Félix é gay.

Pata diz que não roubou o dinheiro. Carol vê Mosca, Rafa e Binho dormindo no chão do Café Boutique. Ela pede que os prejuízos sejam descontados de seu salário. Maria Cecília chama Carol em sua sala e a demite.

Xepa. desmaia após confusão na feira. Ao acordar, diz que viu Esmeraldino. Camila revela que também o viu. Feliciano oferece um trabalho como arquiteto para Édison. Xepa. e seus amigos cercam o carro misterioso que reaparece na vila.

Vitória fica nervosa com o jeito como Lua a trata. Marcina pensa em Gibão e sente seus calores. Gibão também tem saudades da ex-namorada. Helena escuta o marido falar com a amante pelo celular. Aristóbulo procura Risoleta.

Ao depor, Hélio confessa que foi o mandante do sequestro e da tentativa de homicídio contra Samuel, alegando que queria incriminar Alberto. Cassiano desconfia. Guiomar pergunta a Maria Adília se Candinho é filho de Dionísio.

Rosemere confessa a Odila que ainda é apaixonada por Perácio. Verônica diz a Renata que Palmira vai abandonar Érico. Amora anuncia, no programa de Sueli Pedrosa, que vai abandonar sua carreira. Glória pede perdão a Bento.

César se enfurece com a revelação de Edith. César culpa Pilar pela orientação sexual do filho. Márcia obriga Valdirene a ir ao camarim do cantor de forró. Carlito começa uma briga, e Atílio acaba levando uma pancada na cabeça.

As meninas avisam Ernestina e Chico que Pata sumiu. Carol não entende o motivo da visita de Junior, depois de tê-la demitido, mas diz não se importar. Ela leva Mosca, Binho e Rafa para passarem a noite em sua casa.

Esmeraldino sai do carro. Meg decide contar seu segredo para Lady. O homem que pensavam ser Esmeraldino é Rubinato, seu irmão gêmeo. Rosália prepara o chá abortivo para Isabela. Rubinato entrega uma carta de Esmeraldino a Xepa.

Aristóbulo propõe ficar com Risoleta às escondidas. Lua afirma a Leocádia que Zélia precisa saber sobre o caso entre Vitória e Zico. Risoleta expulsa Aristóbulo. Pupu pede a Risoleta que ajude Aristóbulo.

A emissora não divulgou o capítulo

Gilson fica impressionado com a reação de Glória. Socorro se atrapalha ao fazer a troca do material para o exame de DNA de Fabinho. Gilson ouve Salma e Silvério falarem que Wilson é o pai de Bento. Amora conta seu plano para Bárbara.

Atílio volta para casa. Márcia culpa Carlito pelo sumiço do marido. César ameaça expulsar Félix do hospital. Lídia e Olavo acertam o plano para flagrar Leila e Thales. Aline convence César de que a culpada pela orientação sexual de Félix é Pilar.

Pata explica que dormiu no esconderijo e avisa a Ernestina que não vai à escola. No Raio de Luz, Carol conversa com Sofia sobre os meninos. Sofia leva Carol para conhecer o lugar, e ela reencontra Chico na cozinha. Carol diz que foi demitida.

Isabela acorda sentindo dores. Édison conta a Lis e Rick que é filho de Xepa. Xepa lê a carta de Esmeraldino. Os bebês de Isabela ficam fora de perigo. Xepa permite que Rubinato fique em sua casa, mas seu objetivo é vigiá-lo.

Candinha flagra Tiago no quarto de Stela e decide acobertar o casal. Risoleta apaga as luzes do salão e Aristóbulo vai embora como lobisomem. Zico pergunta a Laura se ela sabe quem registrou o nome Saramandaia.

A emissora não divulgou o capítulo

Natan convida Fabinho para ser sócio na Class Mídia. Érico lamenta ter terminado com Palmira. Giane e Bento expulsam Fabinho da Acácia Amarela. Perácio nota que Rosemere gosta dele.

Paulinha conta para Ordália e Gina que está se encontrando com Paloma. Patrícia flagra Michel e Silvia na sala de conforto dos médicos. Edith ameaça revelar um grande segredo.

TERÇA-FEIRA Anita sonha acordada com Ben, e ele estranha as reações dela. Anita diz a Julia que decidiu se declarar para Ben. Frédéric aceita morar no casarão. Serguei diz a Anita que Ben gosta de outra menina, e ela pergunta de quem. QUARTA-FEIRA Serguei diz não saber quem é a outra menina, e Anita decide ir para a casa do pai. Ben estranha a ausência de Anita. Sofia diz a Flaviana que usará Ben para sair do Grajaú. Martin acha que Anita voltou para a Barra por causa dele. QUINTA-FEIRA Martin é novamente dispensado por Anita e reage indignado. Sofia conta para Flaviana que mudará seu comportamento para conquistar Ben. Ela prepara a mesa do jantar, e o menino fica encantado. SEXTA-FEIRA Toda a família se espanta com a mesa preparada por Sofia. Anita diz a Serguei que só voltará para o casarão quando descobrir quem é a paixão de Ben. Ele decide resgatar a menina na casa do pai. Sidney revela a Ben que é apaixonado por Sofia. SÁBADO Não há exibição.

Não há exibição.

Não há exibição.

Não há exibição.


6

revista da

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

NATÁLIA BOERE

B

runa Linzmeyer ainda não sabia bem o que queria aos 18 anos. Estava há um ano e meio em São Paulo, tentando uma carreira de modelo que teimava em não decolar. Não passara em sequer um teste dos que fizera. Mas fora aprovada no vestibular para Psicologia em Santa Catarina, seu estado natal. Estava, portanto, prestes a voltar para casa. - Foi quando passei no primeiro teste que fiz para a TV e ganhei o papel da russinha louca Tatiana Dovichenko do seriado “Afinal, o que querem as mulheres?” (de 2010) - relata ela. Três anos e quatro trabalhos em televisão depois, Bruna demonstra em cena que encontrou seu caminho profissional. A performance da atriz como a autista Linda, em “Amor à vida”, agrada até a quem conhece profundamente o assunto. Um deles é o artesão Wilson Marx, um autista carioca de 44 anos: Tenho uma prima que apresenta um quadro extremamente parecido com o que a Bruna retrata. A atuação dela é maravilhosa. É o primeiro personagem brasileiro que eu vejo que não faz uma caricatura do autismo, mostra o transtorno mais próximo do que ele é - elogia Marx, casado, pai de três filhos e que encontrou com a atriz para orientá-la na preparação pouco antes de a novela começar, em maio. A composição da personagem começou em setembro passado, logo que Bruna recebeu o convite do autor de “Amor à vida”, Walcyr Carrasco, e do diretor-geral da novela, Mauro Mendonça Filho, dupla com a qual já havia trabalhado em “Gabriela”. - Fiquei extasiada e super emocionada. Pensei: “Que trabalho incrível que vai ser”. E até então eu não havia tido contato com autistas - lembra a atriz, que resolveu conviver com alguns numa clínica especializada em Florianópolis: - Passei semanas lá fazendo as atividades diárias e conversando tanto com os autistas como com quem estava em volta. Eles me ajudaram a montar uma pesquisa de filmes e livros. Fiz amigos. Bruna chegou a ganhar presentes dos pacientes, como uma

« CAPA »

Uma menina de verdade Aos 20 anos, Bruna Linzmeyer conta como construiu a autista Linda de ‘Amor à vida’, trabalho elogiado por mostrar o transtorno

agenda e uma escultura que usa em cena, assim como o cachecol que Linda não tira do pescoço. Este foi dado por Marx: Foi um impulso, enquanto conversávamos. Sou muito ansioso, e o contato com a lã do cachecol ajuda a me acalmar. Queria passar isso para a Bruna. Minha esposa tinha feito para mim, e ela teve que fazer outro, porque eu não saio sem ele - conta. Os objetos são apenas parte da memória que Bruna usa para acionar Linda em cena. Ela conta que chega ao Projac uma hora e meia antes do início das gravações e, como não tem que fazer cabelo e maquiagem (“Linda não tem essa vaidade”), sobe para o estúdio e fica lá, “buscando” a personagem. - É um processo. Às vezes, levo algum livro para ler, algumas frases. Tem umas músicas que me ajudam, como “I dreamed a dream”, de “Os miseráveis”, por causa da história da Fantine (uma das figuras principais da obra de Victor Hugo), que sofre preconceito, uma impossibilidade, mas tem um desejo, no fundo, de conseguir - justifica. A concentração da atriz é atestada pelodiretor-geralde“Amoràvida”,Mauro Mendonça Filho: Eu pouco falo com a Bruna no set. Falo só com a Linda. A atriz até adotou alguns movimentos que caracterizam certos casos de autismo em seu dia a dia: durante os intervalos da sessão de fotos para esta reportagem, não era difícil vê-la mexendo os dedos das mãos ou se balançando. - Eu me balanço muito. É outro exercício para entrar na personagem. Às vezes, eu e Sandra (Corveloni, que faz a mãe de Linda na novela) estamos sentada na cama antes de gravar uma cena, e nós duas começamos a nos balançar automaticamente. E a gente se olha e fala: “Acalma, né?”. Porque ativa o sistema vestibular (conjunto de órgãos do ouvido interno responsáveis pela manutenção do equilíbrio) - explica, mostrando familiaridade com o tema: - Os autistas são ingênuos, desapegados, super sinceros, não entendem a nossa sociedade de aparências. No cinema, a disfunção foi abordada com alguma recorrência, em filmes como “Uma mente brilhante”, “Rain Man” (a adaptação para o teatro, com Marcelo Serrado, está em cartaz no Rio), e “Gilbert Grape - aprendiz de sonhador”. Retratá-la na televisão era uma vontade do autor Walcyr Carrasco. - É uma síndrome desconhecida para a maioria das pessoas, e a no-

‘lind é fic LUCIANA mãe de F autora do Quando so personage pouco rece horário no transtorno Autistas qu falam. Que Agitados de aprendem para ganha A questão é ou na TV, o afeta a cap socializaçã geralmente espectador dificuldade milhão de Mas a cara não é maq apresenta faz xixi na quando se Linda não Linzmeyer Torço muito estejam ass aquela cria comportam mal-educa seus filhos a para que to novela. E se forma de en de aprendiz brasileiros e se lembrem qualquer o

Cena. Bruna com o cachecol dado por Marx, que autista


revista da

‘linda não é fictícia’ LUCIANA CALAZA mãe de Felipe, que é autista, e autora do blog Nosso príncipe Felipe. Quando soube que “Amor à vida” teria uma personagem autista, confesso que fiquei um pouco receosa. Qual seria a cara do autismo no horário nobre? Quem convive de perto com o transtorno sabe que ele pode ter muitas caras. Autistas que balançam o corpo. Que não falam. Que falam sem parar. Quietos demais. Agitados demais. Autistas que jamais aprendem a ler ou escrever. Autistas cotados para ganhar o Nobel de Física. A questão é que, quando retratado no cinema ou na TV, o autismo - uma disfunção que afeta a capacidade de comunicação, de socialização e de comportamento - é, geralmente, de grau leve. E, assim, o espectador segue sem conhecer melhor as dificuldades que envolvem pelo menos 1 milhão de brasileiros. Mas a cara do autismo na novela das nove não é maquiada. Linda, aos 20 anos, apresenta um atraso de linguagem severo, faz xixi na cama e tem crises desmedidas quando se desequilibra emocionalmente. Linda não é fictícia. Linda é bem real. E Bruna Linzmeyer a interpreta com maestria. Torço muito para que todas as mães e pais estejam assistindo à novela. E entendam que aquela criança que viram no parquinho com comportamento inadequado talvez não seja mal-educada, mas sim, autista. E até incentivem seus filhos a fazerem amizade com ela. Torço para que todos os professores estejam vendo a novela. E se interessem em conhecer a melhor forma de ensinar essas crianças com dificuldade de aprendizagem. Torço para que todos os brasileiros estejam acompanhando a novela. E se lembrem de Linda quando meu filho ou qualquer outro autista cruzar seus caminhos.

Cena. Bruna com o cachecol dado por Marx, que é autista

vela poderá ajudar a formar uma consciência sobre o valor da inclusão dos autistas na sociedade - explica. Já Mauro se diz superapegado à história de Linda por um motivo pessoal: Sou pai de uma menina com deficiência neurológica, a Januária, de 7 anos. E se eu conseguir trazer a minha experiência de aceitação e de inclusão social já vou me sentir bastante realizado. Para Marx, que mantém o blog “Menos iguais”, espaço para compartilhamento de experiências entre os que convivem com o transtorno, o fato de o autismo estar sendo mostrado na TV é “maravilhoso”: A personagem tem sido uma bênção para quem aborda o assunto, porque o estão discutindo, mostrando que existe um tratamento, uma evolução, ainda que a longo prazo. Os pais precisam acreditar que uma evolução é possível - enfatiza. Em “Amor à vida”, o quadro de Linda tem tido avanços. Com a

ajuda do irmão, o fisioterapeuta Daniel (Rodrigo Andrade) e do psicólogo Renan (Álamo Facó, leia reportagem na próxima página), a menina começou a fazer a própria cama e já anda na esteira. E Walcyr promete novas conquistas em breve: Mas vocês vão ter que esperar para ver. Garanto que o progresso será lindo. O diretor-geral dá pistas: Acho que Walcyr tem vontade de que ela desenvolva uma parte artística. Para quem sente falta de mais cenas de Linda na novela, o autor esclarece: É preciso tratar com muita delicadeza a questão do autista, inclusive porque existem várias abordagens sobre o tratamento. Então, não se pode escrever cenas gratuitas, é preciso estudar muito bem cada uma. Por enquanto, portanto, Bruna tem conseguido dividir a energia dispensada para Linda com outras atividades. Se matriculou no curso

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

de balé (“Para me preparar para uma possível personagem no cinema”), faz aulas de canto semanalmente (“Tenho muita vontade de participar de um musical um dia, uma ópera rock, mas não sei se já estou pronta”), de pintura e ioga: A ioga me ajuda a manter a calma e a concentração. Sou muito agitada. Sou escorpiana, tenho 20 anos e quero fazer tudo ao mesmo tempo. E eu preciso me acalmar, senão eu enlouqueço, morro de ansiedade. A partir de agosto, ela terá que conciliar mais um compromisso: começará a cursar História na Pontifícia Universidade Católica (PUC), “para entender melhor o mundo”. Férias, talvez? Quem sabe... - Eu tenho uma superviagem programada. Quero passar meses conhecendo todas as capitais da Europa com Michel (Melamed, ator com quem ela se relaciona desde “Afinal, o que querem as mulheres”). É inadiável, faremos assim

que tivermos uma folga. O que é muito louco e bonito nessa profissão é que nada é completamente férias. Estarei sempre de olho num curso e verei as coisas com um olhar curioso, como uma fonte para um possível trabalho no futuro. A última viagem que Bruna e Michel fizeram juntos foi para Nova York. Eles voltaram em março, após uma temporada de seis meses de estudos. - Pensei em milhões de cursos para fazer que iam além da atuação, inclusive culinária. Optei pela escultura. Foi difícil, mas foi muito bom, porque, como eu não tinha nenhuma obrigação, me abri para o que todo mundo ali tinha para me falar - observa a atriz. O casal acabou importando a experiência de morar junto em Nova York para o Rio: Foi fluido, deu certo. Somos muito parceiros e nos respeitamos muito.ente madura. Gostaria muito de fazer terapia, mas preciso de tempo para dormir. PAULA GIOLITO

Demasiado humano Até pouco tempo atrás, Álamo Facó não tinha TV em casa. Nada contra o veículo, o ator de 32 anos pontua. Mas, fascinado por cinema, curtia mesmo era assistir a filmes projetados na parede. Para se ver em cena em séries como “A grande família”, em que viveu o homossexual Junior; ou em “A mulher invisível”, na qual interpretou Wilson, o melhor amigo do protagonista Pedro (Selton Mello), recorria à casa de amigos ou à internet. - Sou superfã do audiovisual, minha família é de cinéfilos. Eu aproveitava as duas horas livres entre uma aula e um dentista para ver um filme, qualquer que fosse - explica. À medida que a presença na TV se tornou mais assídua, Álamo se rendeu. Hoje, conta que assiste diariamente aos capítulos de “Amor à vida”, trama das 21h em que interpreta o doutor Renan. O personagem é que trata, no fictício San Magno, tanto da autista Linda (Bruna Linzmeyer) quanto do desmemoriado Atílio (Luis Melo). - Ele é médico e psicólogo junguiano (adepto de Carl Jung) que chega com um olhar menos conservador. Usa técnicas não tão comuns na medicina clássica como a hipnose. E lida com o autismo de forma mais ampla e humana. Porque a ciência é muito boa, mas não se pode esquecer o ser humano - avalia. Além do trabalho com o coach Sergio Penna, Álamo visitou o Museu de Imagens do Inconsciente, fundado em 1952 pela psiquiatra Nise da Silveira (1906-1999), e se inteirou sobre a obra do neurologista britânico Oliver Sacks, responsável por incutir um outro olhar ao autismo. - Tem uma frase dele de que gosto muito: Em vez de perguntar que doença a pessoa tem, deve-se perguntar que pessoa a doença tem. Porque aí você vai lidar primeiro com a pessoa e depois com a doença. E normalmente não é assim, né? - analisa ele que, nas cenas com Bruna, é acompanhado pela psicóloga Laura Sarmento.

Se o personagem por si só exige cuidados especiais, Álamo lida ainda com o fato de estar estreando no horário nobre. Sua primeira novela foi “Lado a lado”, no ano passado. Bem-sucedido como Quequé, em parceria cheia de humor com Maria Clara Gueiros, ele fez um teste para “Amor à vida” praticamente no intervalo de uma gravação da trama de época das 18h. Oriundo do teatro, ele garante que vem aprovando a experiência. Jura que não fica no piloto automático. Ao contrário, comemora quando é escalado para um semana inteira de expediente no Projac. Os contornos de Renan, Álamo conta estar descobrindo aos poucos. Sobre um futuro romance com a enfermeira Perséfone (Fabiana Carla), ele garante não saber. - Como a trama é circular, não sei o que pode acontecer daqui a dois meses. Álamo, que vem usando do humor para pincelar uma ingenuidade no personagem. O humor, aliás, é uma característica constante em boa parte de seus trabalhos. Herdou dos pais, que considerava engraçados e bons contadores de história. - É um humor familiar. As peças que escrevo provavelmente vão abordar temas mais pesados, mas com humor - crava. A escolha por temas mais densos, ele conta, tem origens na infância. Ainda era pequeno quando viu longas como “Traídos pelo desejo” e “Perdas e danos”, ambos de 1992. Teve pesadelos frequentes depois de assistir a “Sonhos”, de 1990, do japonês Akira Kurosawa (“acho que eu era muito novo para entender”). Tamanho conhecimento de causa o levou à universidade de Cinema na Estácio da Barra, bairro onde passou a adolescência. No meio disso tudo, o caminho dos palcos parecia inevitável. Ao deixar as salas de cinema era comum que incorporasse o personagem, algo semelhante a “receber um santo”, ele relembra. Antes de entrar

7

INSPIRAÇÃO. No ar em “Amor à vida”, Álamo é pai de Arto, de dez meses. O nome da criança significa arte em esperanto no Tablado, aos 11 anos, ganhou umas fitas em VHS com jogos da NBA. Cismou que seria um jogador nos moldes de Michael Apesar de ser considerado um rosto novo na televisão, Álamo já é, há muito, um conhecido ator e autor de teatro. O monólogo “Talvez”, de sua autoria, deve chegar ao cinema pelas mãos de Bruno Barreto. E pode-se dizer que foi através do trabalho em “Pterodátilos” - estrelada por Marco Nanini que chegou à teledramaturgia. - Não é uma trajetória muito linear - esclarece. - O Selton (Mello) me viu no teatro e me chamou para “O palhaço”, daí rolou “A mulher invisível”, mas eu já tinha feito “A grande família” nesse tempo. Foi durante a temporada de “Pterodátilos”, também, que ele viveu um dos piores momentos de sua vida: a morte da mãe, Marpe, devido a um tumor cerebral. Na época, recorda-se, saía do palco para o hospital. - Foram 110 dias, do diagnóstico à morte, e não saí do lado dela - frisa. O drama pessoal não passou em branco. No fim do ano que vem, Álamo quer estrear a

peça “Mamãe”, baseada no incidente. A vontade de criar, afirma, não para nunca. Ele passou a organizar melhor as ideias depois que começou a praticar a modalidade de yoga ayanga, com um professor particular. Para Álamo, o exercício faz o corpo acordar. - Tem gente que vai ler isso e dizer que é frescura. Mas eu digo: experimenta ir a um ensaio com o corpo acordado e experimenta ir direto da cama. Quando você está pleno reage melhor, raciocina melhor - ensina, sem querer soar zen demais. Álamo diz que vai por várias vertentes: ao mesmo tempo que é adepto do suco verde, gosta de tirar uma noite do mês para beber “de bar em bar, até as 11h da manhã do dia seguinte”. - Às vezes, uma ressaca também ajuda no processo de criação (risos). Acho importante para o ator não ter preconceitos. Nos últimos dez meses, todavia, o ator tem dedicado seu tempo aos cuidados com o filho Arto (arte em esperanto), de 10 meses. O menino é fruto da união com Dandara Guerra.

1


8

revista da

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

FOTOS DE DIVULGAÇÃO

Pequenos notáveis « MERCADO » Com a ajuda da Lei da TV Paga, canais novatos entram nos pacotes básicos e podem chegar a ter 10 milhões de espectadores THAÍS BRITTO

O

espectador mais atento já percebeu que, há alguns meses, eles apareceram por ali. Basta levar o controle remoto um pouquinho adiante para constatar a presença dos canais Arte 1, Curta!, Music Box e Prime Box na grade de programação da TV por assinatura. Beneficiados pelas exigências da Lei da TV Paga - que, a partir de setembro, vai exigir que as operadoras tenham um canal brasileiro de espaço qualificado (caso destes quatro) a cada três canais estrangeiros -, eles entraram nos pacotes básicos das principais operadoras brasileiras e pularam de praticamente nada para uma potencial audiência de até 10 milhões de assinantes de repente. A oportunidade era tudo que Cícero Aragon, diretor-presidente da Box Brazil, estava esperando. A ideia para criar a programadora multicanal (eles têm também o Fashion TV e o Travel Box, ainda restritos a poucas operadoras) surgiu há cerca de 5 anos, mas só conseguiu sair do papel em 2011. O primeiro canal a estrear foi o Prime Box, seguido de perto pelo Music Box. O projeto do Arte 1 também já vinha sendo gestado há pelo menos dois anos pelo grupo Bandeirantes. Rogério Gallo, diretor do canal, diz que quando começaram a surgir as primeiras polêmicas relacionadas à lei, eles decidiram congelar o processo até que a regulamentação fosse mais clara. O lançamento oficial aconteceu no ano passado. Já Julio Worcman, do Curta!, conta que o canal de TV surgiu quase por acaso, também em 2012. Dono de uma distribuidora de conteúdo, ele se preparava para atender

Documentário. No ar esta semana no Curta!, “Terras”, de Maya Da-Rin, acompanha o cotidiano de moradores da tríplice fronteira entre Brasil, Colômbia e Peru

Arte. Série “A vida secreta de uma obra-prima”, exibida no Arte 1

Music Box. Yamandu Costa e Valter Silva no ar em apresentação

Destaques da semana Arte I Série “A vida secreta de uma obra prima” (segunda a sexta, 20h).Curta! Curta! “Curta! Documento”, com o documentário “Terras”, de Maya Da-Rin (sexta, 22h30m). Music Box “Music box in concert”, com show de Yamandu e Valter (domingo, dia 4, 21h30m). Prime Box“Sessão Prime box”, com o filme “A festa da menina morta” (sábado, 22h).

aos canais brasileiros e estrangeiros quando pensou melhor e viu que programar seu próprio conteúdo poderia ser uma boa. Para conquistar seu espaço no olimpo das principais operadoras, todos decidiram apostar em nichos que, segundo eles, estavam em falta na TV por assinatura. - Nosso objetivo é complementar o line-up. Não adianta ser outro Canal Brasil. Temos mais de quatro mil licenças de conteúdo, por conta da distribuidora. Séries sensacionais sobre a Segunda Guerra, programas estrangeiros e brasileiros, documentários... É um canal muito ligado em cultura, ciência e história. Fazemos semanas temáticas de programação - explica Worcman, esclarecendo que o nome do canal não significa uma grade formada apenas por curtas-metragens. - É Curta! do verbo curtir. É um canal acessível para todo mundo. Atingir um número cada vez maior de espectadores também é o objetivo do Arte 1, que chegou à TV com o desafio de ser um canal completamente voltado para a arte sem parecer pedante ou elitizado. - Observando o cenário da TV paga, vimos que era uma opção em aberto. Tudo que tem a ver com arte no Brasil está crescendo muito: exposições superimportantes vêm para cá e geram uma frequência enorme. O Brasil entrou no mapa da arte do mundo. Mas não queremos que as pessoas tenham a impressão de que é um canal para iniciados. Não há pretensão de ser educativo. É um canal de entretenimento, pop, com embalagem bem contemporânea. Falamos de cinema, teatro, artes plásticas, design, gastronomia... Um canal de variedades sobre arte - esclarece Gallo. O universo artístico nacional é o foco

do Prime Box e do Music Box. O primeiro cobre a produção audiovisual brasileira longas, curtas e minisséries - dos últimos 12 anos. Já o segundo, investe em shows e programas de entrevista sobre música de todos os estilos, do rock ao samba, do sertanejo ao hip hop. Aragon conta que os canais nasceram também de olho no mercado internacional, e o investimento inicial em estrutura foi pesado: hoje, o satélite usado pela programadora já cobre todo o continente americano e a Europa. - Temos negociações em andamento para a distribuição dos nossos canais em operadoras internacionais. Mas o nosso grande foco, especialmente com o Prime Box, é reposicionar a opinião do público brasileiro em relação ao nosso cinema. Existe uma nova produção cinematográfica brasileira com muita qualidade. Embora todos os quatro canais trabalhem basicamente com conteúdos adquiridos, a ideia é que no futuro haja mais produções e coproduções originais que é, afinal, o principal objetivo da Lei da TV Paga. Worcman, Gallo e Aragon dizem aguardar liberação de verba do Fundo Setorial do Audiovisual para investir em novos projetos até o ano que vem. - A missão destes canais é alavancar uma produção de televisão independente, e a gente tem o maior desejo de contribuir com isso. Esperamos que, em dois anos, 80% da nossa programação seja original. Na década de 70, as rádios só tocavam discoteca. Saiu a obrigatoriedade de execução de música brasileira na rádio e o que aconteceu logo depois? Surgiu o movimento Rock Brasil. Essa iniciativa agora, com a TV, é superpositiva para o país - acredita Worcman.


revista da

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

9

DIVULGAÇÃO

Caça ao tesouro « REALITY » Darrell Sheets, do reality “Quem

dá mais?” diz que gravações já tiveram até seguranças armados, tamanha é a competitividade

THAÍS BRITTO

Q

uem assiste ao reality “Quem dá mais?”, cuja quarta temporada está no ar no A&E às quintas, às 22h, deve achar que Darrell Sheets tem uma espécie de sexto sentido. Mas o segredo é a experiência. Há 36 anos no ramo dos leilões de depósitos, o bem-humorado americano não é nada modesto: diz que costuma fazer bons negócios em 9 de 10 depósitos que arremata. Depois de tanto tempo apostando no escuro, não perde o gosto pela adrenalina. - É o único emprego que encontrei que é como se fosse Natal. Quem não quer trazer uma enorme caixa para casa e abrir para ver o que vai encontrar? - questiona, numa teleconferência com jornalistas da América Latina. Na atração, ele e os outros participantes dão lances para comprar depósitos de armazenamento perdidos por seus donos, seja por inadimplência, morte ou qualquer outro motivo. Sem ter a menor ideia do que os espera lá dentro. Darrell começou a circular por esse mundo com 19 anos Um amigo o levou para um leilão e, já no primeiro lance, ele fez um bom negócio. Ao longo das temporadas do “Quem dá mais?” já o vi-

mos encontrar uma coleção de obras de arte valendo US$ 300 mil - a maior da história do reality -, além de de bizarrices como motores de foguetes espaciais e até um corpo. Com o dinheiro que conseguiu comprando e vendendo, ele sustenta muito bem a família. E ainda sobra para investir numa coleção de carros sofisticados e em outra de arte: Darrell e a esposa tiveram que comprar um galpão para acomodar as mais de 5 mil obras que acumularam ao longo dos anos. - Se não quisesse, eu não precisaria continuar trabalhando, mas não consigo parar. Mesmo quando não há câmeras. É um vício. E eu ainda me divirto muito, até hoje - admite. Mas claro que nem tudo são flores. Darrell conta que já chegou a perder US$ 4 mil de uma vez ao comprar um depósito cheio de caixas vazias. “Quem acha que pode ganhar tudo não deve estar nesse negócio”, avisa. A competitividade entre os compradores também pode acabar sendo um problema. Os espectadores muitas vezes nem imaginam, mas os bastidores de realities como o “Quem dá mais?” podem chegar a esquentar bastante. - Vou contar uma coisa que eu nunca disse antes: nas três primeiras tem-

Certeiro. Darrell se gaba de fazer bons negócios com a maioria dos depósitos que arremata

poradas, quando gravávamos com aquele cara que falava “Yuup” (Dave Hester, que foi demitido do reality e chegou a tentar processar a emissora que exibe o programa), tínhamos que ter três seguranças armados o tempo inteiro no set. Aquele cara era um babaca, então havia muitas brigas - revela. Com a saída de Dave, o clima ficou mais light, mas a competitividade segue, de forma saudável, ele conta. Com um tantinho de vaidade - mas sem perder a simpatia -, ele diz que vários dos outros participantes muitas vezes querem competir pessoalmente com ele. - Eles fazem isso porque sabem que, quando eu vou arrematar um depósito, é porque lá tem algo bom. Confesso que eu me divirto com isso. Às vezes finjo que encontrei algo bom só para eles lutarem para comprar - con-

ta, rindo. E o sucesso do reality, responsável pelas melhores audiências do A&E nos EUA e no Brasil, acabou criando um efeito colateral também no cotidiano de quem aposta: - Os depósitos mudaram muito nos últimos anos. As pessoas “maquiam” para que eles pareçam abandonados e destruídos. E escondem as coisas boas lá no fundo, nunca na porta. É preciso realmente aprender a ler os compartimentos. O “Quem dá mais?” faz parte de um grupo de realities bem-sucedidos que atraem a atenção da audiência com seus leilões, trocas, escambos e antiguidades, entre eles o “Trato feito” e “Caçadores de relíquias”. Na opinião de Darrell, o motivo para tanto interesse é bastante poético.

PROGRAMAÇÃO TV Brasil 06:30-Sustentáculos 07:00-Palavras de vida 08:00-Santa missa 09:00-Viola, minha miola 10:15-O Brasil tem disso 11:15-Batatinhas 11:20-Senha verde 11:30-A mansão maluca do professor Ambrósio 11:45-Contos de Tatonka 11:55-A mansão maluca do professor Ambrósio 12:00-ABZ do Ziraldo 12:30-Vila Sésamo 13:00-Dango balango 13:30-Batatinhas 13:35-Anabel 13:50-Carrapatos e catapultas 14:00-Batatinhas 14:05-Meu amigãozão 14:15-Cocoricó na cidade 14:30-Escola pra cachorro 14:40-Batatinhas 14:50-Tromba trem 15:00-Catalendas 15:10-Batatinhas 15:15-Senha verde 15:30-Como e por quê? 16:00-Papo de mãe 17:00-Shamwari

17:30-Samba na Gamboa 18:30-Campeonato Brasileiro Série C: Santa Cruz x Baraunas 21:00-No mundo da bola 22:00-Soy loco por ti cinema. "La mujer Benjamim" 23:45-Conexão Roberto D'ávila 00:45-Curta TV 01:15-No mundo da Bola 02:15-Média nacional 03:00-DOC TV música. "Ensolarado byte" 04:00-Telecursos tecendo o saber 04:30-Telecurso ensino médio 04:45-Telecurso ensino fundamental 05:00-Telecurso Tec 05:15-Telecurso profissionalizante 05:30-América Latina tal como somos 06:00-Moda e Design 7

Globo

06:55-Globo comunidade 07:25-Pequenas empresas 08:00-Globo rural 09:00-Papa Francisco 12:30-Temperatura máxima: "As crônicas de Spiderwick" 14:15-Esquenta 15:35-Campeonato Brasileiro: Grêmio x Fluminense 18:00-Domingão do Faustão

20:45-Fantástico 23:05-Revenge 23:55-Fórmula 1 - GP da Hungria 01:50-Sessão de Gala. "Zoolander" 03:20-Corujão

Rede TV

05:55-Ultrafarma 08:00-Igreja Universal 10:00-Campeonato Paulista: Sto André x São Bernardo 12:00-Deus, médico dos médicos 13:00-Polishop 14:00-Camisaria Fascynios 14:15-Embracom 14:30-Voz da verdade 14:45-Polishop 15:15-A hora e a vez da pequena empresa 15:30-Superpapo 15:45-Polishop 17:00-A galinha morta 17:15-Pague menos 17:45-F1 H2O 18:00-Ritmo Brasil 18:45-Vídeo mania 19:15-O último passageiro 20:30-Te peguei 21:30-Teste de fidelidade 23:30-Dr. Hollywood 00:30-É notícia

01:30-Bola na rede 02:30-A programar 03:00-Igreja da Graça - Nosso lar

Band

06:50-Popeye 07:00-Profetizando vida 07:30-Exerça sua fé 08:00-Igreja Batista da Barra 09:00-A informar 09:30-Baixada cap 10:30-Mackenzie em movimento 10:45-Infomercial 11:45-Verdade e vida 12:00-Irmão Caminhoneiro 12:05-Pé na estrada 13:30-Gol, o grande momento do futebol 14:00-Band esporte club 15:30-Campeonato Brasileiro: Grêmio x Fluminense 17:50-Terceiro tempo 20:00-Só risos 21:00-Pânico na Band 00:00-Canal livre 01:00-Madrugada de vida nova 02:00-Show mix 02:25-Família Soprano 03:25-O encantador de cães 03:35-Popcorn TV 04:00-Igreja mundial

SBT 05:15-Telejornal da semana 06:30-Pesca alternativa 07:30-Brasil caminhoneiro 08:00-Aventura selvagem 08:30-Vrum 09:00-Chaves 11:00-Domingo legal 15:00-Eliana 19:00-Roda a roda Jequiti 19:45-Sorteio da Tele Sena 20:00-Programa Silvio Santos 00:00-De frente com Gabi 01:00-True blood 02:00-O mentalista 03:00-A cidade do crime 04:00-Jornal do SBT

Record 07:00-Desenhos bíblicos 08:00-Domingo de prêmios 08:30-Desenhos bíblicos 09:45-Record kids 12:30-Tudo a ver 15:30-O melhor do Brasil 19:30-Domingo espetacular 23:15-Tela máxima 01:15-Igreja Universal do Reino de Deus


10

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

revista da

EM FOCO

COLUNA DO

Clube do assinante

CANAL BRASIL/DEBORA 70

Promoções e descontos renovados a cada domingo ALEXSANDRA BORGES

Promoções válidas de domingo (28/07/13) a sábado (03/08/13), limitadas às quantidades em estoque, somente para assinantes da TRIBUNA.

Zullys moda feminina A Zullys representa feminilidade e graça através dos tecidos, modelos e estampas alegres e descontraídas. Não perca tempo em conhecer as novidades. A Zullys oferece a loja com roupas femininas e o ateliê para consertos e confecção de roupas. Esta semana, a Zullys oferecerá um desconto, exclusivo ao assinante da TN, em toda a loja. Desconto válido nas peças prontas. Av. Amintas Barros, 2909, loja 01 e 02, Lagoa Nova Tel: 3606.0343 à vista (dinheiro) em toda a loja. Desconto válido nas peças prontas.

DIVULGAÇÃO

50%

Com a polêmica no DNA THAÍS BRITTO

N SOLUI – Farmácia de Manipulação A SOLUI é uma Farmácia de Manipulação cujo compromisso esta além de medicamentos. Lá, você encontra fórmulas em geral e um atendimento super diferenciado. São medicamentos fitoterápicos, alopáticos, homeopáticos, etc. Esta semana, a SOLUI – Farmácia de Manipulção oferecerá um desconto, exclusivo ao assinante da TN, nos medicamentos em cápsulas. Rua Apodi, 559, Tirol Tel.: 3222.1900

50% à vista (dinheiro) nos medicamentos em cápsulas. ■As promoções publicadas na Coluna do Clube do Assinante são exclusivas para assinantes da TRIBUNA DO NORTE, PESSOAS FÍSICAS. ■Desconto não acumulativo. ■ Para ter direito à promoção, o assinante deverá apresentar a carteira do Clube e a Identidade no ato da compra. ■Contatos para credenciamento: Depto. de Marketing. Tel. 4006-6100, R. 6262. ■e- mail.mkttn@tribunadonorte.com.br; clube@tribunadonorte.com.br

a segunda temporada de “O bagulho é doido”, que o Canal Brasil estreia nesta sexta, às 23h30m, MV Bill fala sobre assuntos como educação, racismo, segurança pública e homossexualidade, sempre instigando discussões que saiam do lugar comum. Ainda que os episódios tenham sido gravados há cerca de dois meses, antes das manifestações populares que mudaram a cara do país, o apresentador acredita que a atração tem tudo a ver com o momento político do Brasil: - Gravamos antes, mas nos programas falamos de mobiliza-

ção e insatisfação de forma muito natural, isso está no meu DNA. Acho que, com essa veia contestadora, eu desencadeio nas pessoas a vontade de falar de assuntos que elas não falariam abertamente, que seriam muito espinhosos para a TV. A gente fala com muita facilidade sobre violência, desigualdade... E muito do que discutimos nesta temporada está inserido no emaranhado de reivindicações que estamos vendo nas ruas - observa Bill. O apresentador conta ainda que, neste segundo ano, ele e o diretor Anderson Quack tentaram deixar ainda mais evidente o clima solto e informal da atração. Na estreia, Bill conversa com

o DJ Marlboro sobre funk e o impacto do surgimento do gênero nas comunidades cariocas. O apresentador destaca ainda alguns dos episódios que mais o impressionaram: - Foi bem legal ter um cara com a história do Milton Gonçalves falando da indignação dele com a cordialidade do racismo brasileiro. Outro momento bacana foi ver o Washington Olivetto demonstrar o amor dele pelo Rio de Janeiro. Pelo histórico dele (o publicitário foi sequestrado em 2001), era para ser um cara fechado, com medo de viver. Achei curioso ele ter essa proximidade com uma realidade que já foi tão cruel com ele.


Liv Brandão e Tatiana Contreiras seriaais@oglobo.com.br

seriais

revista da

Sullivan Stapleton está em alta: emendou painel do novo “300”, que estrela, com o do novo ano de “Strike back”.

‘Agents of S.H.I.E.L.D.’ brilha em San Diego

C

Criador de atrações como “Buffy” e diretor de longas-metragens como “Os Vingadores”, Joss Whedon diz, sem falsa modéstia, que “Agents of S.H.I.E.L.D.”, com estreia marcada para setembro nos Estados Unidos e já garantida no Brasil pelo canal Sony, é “uma grande série”. Uma das novidades televisivas mais esperadas da San Diego Comic-Con, evento de cultura pop que terminou no último domingo na cidade do sul da Califórnia, a série traz para a tela o agente Coulson, personagem do ator Clark Gregg (também em “Os Vingadores”), à frente de uma nova (e jovem) equipe. - Queria que a série fosse diferente do filme - diz Whedon, em entrevista coletiva sobre o programa. Não faremos algo no nível do espetáculo. Claro que teremos alguns grandes episódios, mas a série é, basicamente, sobre esses seis personagens - adianta o diretor, que tem a seu lado na equipe de autores o irmão mais novo, Jed Whedon. O sexteto a que Joss se refere são Coulson e sua nova equipe, que investiga casos que vão do terrorismo a ameaças alienígenas e está relacionada a tudo que se refere às demandas dos super-heróis. Criada por Stan Lee e Jack Kirby para os quadrinhos, em 1966, a S.H.I.E.L.D. estaria acima de agências como a CIA. No cinema, é comandada por Nick Fury (Samuel L. Jackson) - na série, ainda não se

Para conseguir um lugar nas filas de autógrafos, era preciso conseguir um passe gratuito distribuído nos estandes dos canais - ou seja, uma fila para garantir sua posição em outra fila. Claro que sempre tem quem tente faturar: na entrada do Convention Center, um rapaz anunciava, com um cartaz, que tinha uma pulseira de acesso à sessão de autógrafos com o elenco da série “Veronica Mars” (na foto, a protagonista Kristen Bell), que vai virar filme: “Faça sua oferta”.

Na lista negra

DESCE O painel de “Doctor Who” bombou, mas não anunciaram o substituto de Matt Smith na série britânica.

11

« ESPECIAL COMIC-CON »

Vende-se passe SOBE

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

“Você é brasileira? Trabalho com Morena Baccarin em ‘Homeland’, ela é adorável”, disse Diego Klatenhoff. O ator, intérprete de Mike Faber na série, assume papel em “The blacklist”, que traz James Spader como um criminoso profissional.

Escambo pop Aqui os participantes ganham uma sacola temática. Entre as mais disputadas, “The Big Bang Theory” e “The vampire diaries”. Quem não conseguiu tentou trocar e até comprar as bolsas das séries de sua preferência.

Eles também se fantasiam Dan Harmon, criador de “Community”, fez gracinha: surgiu com uma roupa caseira do Homem de Ferro. E

sabe como ele vai surgir, ou mesmo se vai aparecer. No piloto, Coulson recruta seu time, formado pelos agentes Grant Ward (Brett Dalton), treinado em combate e espionagem; Melinda May (Ming-Na Wen, de “E.R.”), piloto e especialista em artes marciais; o engenheiro Leo Fitz (Iain De Caestecker); Jemma Simmons (Elizabeth Henstridge), que domina a bioquímica; e a jovem Skye (Chloe Bennet). Colbie Smulders (de “How I met your mother”) reprisará na TV seu papel de “Os Vingadores”, a agente Maria Hill. Clark Gregg (conhecido também por

seus papéis em “The West Wing” e “The new adventures of old Christine”), que se diz um “nerd da Marvel” desde criança, comemorou sua “ressurreição”. - Tinha certeza de que estava morto! E fiquei triste, porque gostava de ser esse cara - conta, lembrando uma das cenas do blockbuster em que seu personagem morre. - Então recebi um telefonema dizendo que eu talvez não estivesse totalmente morto. E quando Joss me explicou o que queria com a série, achei ridiculamente cool e topei. É um Coulson diferente - finaliza.

revelou que o figurino levou 16 horas para ficar pronto. Ele não foi o único a se disfarçar: Bryan Cranston, estrela de “Breaking bad”, circulou pelo evento com uma máscara de Walter White, seu papel na série.

19 horas de voo, como um grupo de amigos da Suíça que foi a San Diego apenas para a Comic-Con.

Tecnológicos X analógicos Sem barba, Josh Holloway nem lembrava o Sawyer de “Lost”. O ator estrela “Intelligence”, nova série da CBS em que interpreta um sujeito turbinado com um superchip no cérebro, que lhe dá acesso a todas as informações do mundo. Mas na vida real, ironicamente, o ator não é dos mais tecnológicos. “O fato de terem me escolhido para essa série é hilário. Só mandei dois e-mails na vida. A palavra e-mail me dá ansiedade”, confessou, entre risos.

Haja fila no paraíso dos fãs das séries Na tentativa de assistir a painéis concorridos como “The walking dead”, “Game of thrones” e “Breaking bad”, os fãs dormiram nas filas. Para recompensar seus seguidores, muitos canais capricharam nos brindes: quem acompanhou o elenco de “GoT” ganhou uma bolsa com livros, DVDs, camisetas e outros mimos. Nos estandes de canais como Fox e Warner, também havia farta distribuição de pôsteres, revistas e até ingressos de filmes. Difícil é levar tudo para casa: tinha gente que ainda encararia

Recordar é mesmo viver Mulder e Scully se encontraram no painel comemorativo dos 20 anos de “Arquivo X”, um dos mais concorridos. Ao lado de David Duchovny, Gillian Anderson (na foto, com o criado da série, Chris Carter) disse que um mais um filme da série seria uma ótima ideia. Os fãs também acham, Gillian!

Era uma vez Emilie de Ravin parecia um pouco sem jeito nas entrevistas de “Once upon a time”. O motivo? Sua personagem, Bela, ficou em Storybrooke no fim da segunda temporada da atração, cujo novo ano será ambientado na Terra do Nunca. “Não li os roteiros, então não tenho muito a dizer, desculpem!”, disse a atriz, ainda reconhecida pela Claire de “Lost”.

Como na arte Assim como em “The Big Bang Theory”, Johnny Galecki, o Leonard, foi à Comic-Con. Citado várias vezes na série, o evento teve o ator em participação surpresa durante painel com os autores da atração. E, como não podia deixar de ser, a caráter: ele apareceu com uma roupa de “Star wars” no meio da plateia, como se fosse um espectador.


Igor Fidalgo igor.fidalgo@oglobo.com.br

o que vem por aí

12

revista da

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

Trajetória feminina

CENA VIRTUAL DEU NA TV E FEZ SUCESSO NA INTERNET VEJA OS VÍDEOS EM oglobo.com.br/revistadatv

A

evolução e as mudanças do papel da mulher na sociedade, motivo de luta constante nos últimos séculos e até hoje, é tema do “Globo News Especial” (hoje, 20h). Míriam Leitão recebe cinco bem-sucedidas representantes do gênero para discutir questões que são parte da vida das mulheres contemporâneas. São elas: a estilista Andréa Muller; a presidente da TAM, Cláudia Sender; a desembargadora Leila Mariano, primeira presidente do Tribunal de Justiça do Rio; a pioneira mestre de obras do Brasil Márcia Cristina da Silva; e a Major da PM Priscilla Azevedo, primeira mulher a comandar uma UPP. FOTOS: DIVULGAÇÃO

Papa engarrafado Podia ter sido trágica, mas acabou virando comédia a cena do Papa Francisco e seus pobres seguranças engarrafados na Presidente Vargas. Os peregrinos fizeram a festa!

Míriam Leitão e convidadas falam sobre a mulher contemporânea

Dormindo com... Nada light a estreia de hoje no Bio, às 22h: “Esposas assassinas” conta, por meio de dramatizações, histórias reais de casamentos que não apenas foram malsucedidos, mas acabaram de forma trágica, com o assassinato do marido.

O novo herdeiro George Alexander Louis nasceu segunda-feira e já monopolizou as atenções. A simpatia do casal e a duquesa sem vergonha de exibir a barriga pós-parto foram os pontos altos.

Em busca do caminhão perdido Em seu novo reality, o History acompanha a rotina dos “Caçadores de caminhões” (amanhã, 22h), profissionais que viajam pelos Estados Unidos com a missão de recuperar caminhões roubados, abandonados ou quebrados. No episódio de estreia, dois participantes vão a Ohio resgatar um veículo cuja carga é altamente sigilosa, enquanto outra dupla segue para New Jersey em busca de um caminhão roubado com milhões de dólares em laptops.

Palhaço galã Aventureiros

Logo de manhã? Quando achávamos que o “Bem estar” já tinha exibido todo tipo de bizarrice, os apresentadores aparecem dentro de um ânus gigante. Não tá fácil pra ninguém!

O mês de agosto será dedicado a “Hora de aventura” no Cartoon Network. A partir desta sexta às 15h, vão ao ar maratonas diárias com todos os episódios das aventuras de Finn e Jake pela Terra de Ooo já exibidos no Brasil. Às segundasfeiras, às 20h, vão ao ar os inéditos.

Sentado na cadeira do “Marília Gabriela entrevista” (hoje, 22h, GNT), o ator Domingos Montagner fala de sua rotina desdobrando-se entre TV, cinema e picadeiro. Para quem não sabe, ele também é palhaço e tem um circo. O rótulo de galã, claro, também é assunto.


NO FACEBOOK

Confira vídeo com os bastidores do ensaio fotográfico com Kelly Fonseca, Miss RN 2013. facebook.com/tribunarn

ASTROLOGIA

POSTURA & SAÚDE

PÁGINA 6

PÁGINA 4

Vênus, Júpiter e Saturno reforçam compromissos de propósitos comuns.

Fisioterapeuta Alini Brito escreve sobre as causas e tratamento da escoliose.

MISS RIO GRANDE DO NORTE 2013, KELLY FONSECA FAZ POSE DE RAINHA PARA A COLUNA GLAM PÁGINA 8

PAULO COELHO

Coluna se inspira em história contada por Shimon Peres e poema de Jorge Luís Borges. PÁGINA 2

tnfamília Editor: Isaac Ribeiro [tnfamilia@tribunadonorte.com.br]

Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 28 de julho de 2013

ALEX RÉGIS

cura pela cor Cromoterapia estimula áreas enfermas do corpo, através de cores específicas. Terapia é uma das oferecidas gratuitamente, através do SUS, no Centro de Atenção e Pesquisa em Práticas Integrativas (Cappic), do Hospital Universitário Onofre Lopes ISAAC RIBEIRO repórter

É

possível curar doenças, harmonizar e reequilibrar o fluxo energético do corpo e da mente através das cores. Prática milenar, atribuída sobretudo aos egípcios, a cromoterapia usa o espectro de cores do raio solar para tratar diversos males, atribuindo a cada tonalidade um poder curativo específico, atuando diretamente na plenitude física e mental. Violeta, azul, verde, amarelo, índigo, laranja e vermelho — cada uma dessas cores está relacionada a um campo energético do nosso corpo. Desde que pesquisadores descobriram isso e como elas atuam na reorganização dessas áreas corpóreas, a cromoterapia vem ganhando adeptos no mundo.

Essas cores também representam os chacras (ou chakras) que, segundo a filosofia da Ioga, são responsáveis por distribuir a energia através de nossos órgãos e sistemas De acordo com a cromoterapeuta Nathaly Phillips, cada um deles vibra de uma forma diferente em sintonia com determinada região do corpo (veja quadro na página 3). “E uma vez que aquele chacra perde a cor, afeta o corpo físico, provocando doenças das mais variadas espécies”, comenta a terapeuta. Após uma anamnese — breve entrevista com o paciente para identificar seu problema —, é escolhida a área a ser estimulada pela cor correspondente ao mal a ser tratado. Cada sessão dura de 30 a 40 minutos em média, dependendo do problema e da necessida-

de do paciente. “Nós fazemos cinco sessões, avaliamos o paciente, observamos se houve evolução, como estão as queixas dele; podemos espaçar essas sessões a cada quinze dias, ou até mesmo uma vez por mês, para manutenção”, comenta Nataly Phillips, que atua no Centro de Atenção e Pesquisa em Práticas Integrativas (Cappic), do Hospital Universitário Onofre Lopes. Lá, são oferecidas, além da cromoterapia, outras terapias alternativas, de forma gratuita, através do Sistema Único de Saúde (SUS). O Cappic está em atividade há um ano e seus serviços vêm sendo bastante procurados. São tratamentos com aplicações de acupuntura, reiki, shiatsu, meditação terapêutica, terapia de excelência, terapia integrativa

transdisciplinar de harmonização energética, acupuntura quântica auricular, fluxoterapia, vivências lúdicas integrativas, práticas corporais transdisciplinares. Algumas delas são associadas a outras em busca de uma cura mais rápida e eficiente. Segundo a cromoterapeuta Nathaly Phillips, os resultados têm sido bastante satisfatórios. “De todos os pacientes que eu atendo, pelo menos 95% saem muito satisfeitos, com a expectativa atingida; eles retornam sempre na busca de continuar no tratamento, não abandonam de jeito nenhum, muito pelo contrário. E estão partindo também para outras terapias.”

+

PÁGINA 3 Terapias para todos e pelo SUS

ì O QUÊ Técnica milenar de aplicar feixes de luz colorida em determinada região do corpo para tratar doenças.

ONDE Centro de Atenção e Pesquisa em Práticas Integradas e Complementares (Cappic), no Hospital Universitário Onofre Lopes, oferece tratamentos gratuitos.


2

tn família

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

« PAULO COELHO » O momento da aurora

D

urante o Fórum Econômico de Davos, o prêmioNobeldaPaz,ShimonPeres,contou a seguinte história: Um rabino reuniu seus alunos, e perguntou: - Como é que sabemos o exato momento em que a noite acaba e o dia começa? -Quando,àdistância,somoscapazesdedistinguir uma ovelha de um cachorro - disse um menino. O rabino não ficou contente com a resposta. - Na verdade - disse outro aluno - sabemos que já é dia quando podemos distinguir, à distância, uma oliveira de uma figueira. - Não é uma boa definição. - Qual a resposta, então? - perguntaram os garotos. E o rabino disse: -Quandoumestrangeiroseaproxima,enós

o confundimos com o nosso irmão, este é o momento em que a noite acabou e o dia começa.

Chove adiante Lutar contra certas coisas que só passam com o tempo é desperdiçar sua energia. Umacurtíssimahistóriachinesailustrabem o que quero dizer: No meio do campo, começou a chover. As pessoascorriamembuscadeabrigo,excetoum homem, que continuava a andar lentamente. - Por que você não está correndo? - perguntou alguém. - Porque também está chovendo na minha frente - foi a resposta.

Uma história contada pelo Prêmio Nobel da Paz, Shimon Perez, durante o Fórum Econômico de Davos, e um poema atribuído a Jorge Luís Borges são destaques da coluna deste domingo

Compartilhando ideias OreverendoRichardHalversondizquepodemos compartilhar nossas ideias de duas maneiras: como se fossem flechas ou sementes.

“Ideias-flechas” normalmente são utilizadasporprofessores,patrões,gentequetempressa ou que acredita saber tudo. Vão direto ao coração,eterminammatandoacuriosidadeeneutralizando a iniciativa das pessoas. As “ideias-flechas” são rapidamente colocadas em prática, e logo esquecidas. As “ideias-sementes” são as que a vida nos oferece,atravésdasescolhasquefazemos:quando nos permitimos ficar comovidos com algo, lemos um livro que não fomos obrigados a ler, assistimossempressaaumbelopôrdosol,conversamos com alguém sobre um assunto que realmente nos interessa. As“ideias-sementes”nãosefazemnotarlogo, mas crescem com raízes profundas, e se transformam em realidade.

Se pudesse recomeçar O poema abaixo fez grande sucesso há dez anos. No início, atribuiu-se sua autoria a Jorge LuisBorges;logodepois,apareceramvárioscríticos afirmando que não se tratava de um texto do escritor argentino. Até hoje, não se sabe direito quem escreveu (a versão que eu tenho,

MÉDICO E PROFESSOR DA UFRN - BOUCINHAS_JC@HOTMAIL.COM

fala de um tal “Irmão Jeremiah”): “Se eu pudesse recomeçar minha vida, tentaria cometer muito mais erros”. “Iarelaxar.Dizerbobagens.Tentarmostrarme mais louco. Levar as coisas menos a sério”. “Escalariamontanhas,nadariariosquenão conheço, dedicaria mais tempo a olhar o pôr do sol”. Procuraria andar e olhar mais as coisas que me cercam, ia me entupir de sorvetes e fazermenosdieta.Sódariaimportânciaaosmeus problemas reais, e me esqueceria dos imaginários. “Eu sempre fui aquele tipo de gente que prestava atenção nos sinais, e cuidava da saúdehoraapóshora,diaapósdia.Saíadecasacom um guarda-chuva, não viajava sem termômetro, aspirina, casaco, bloco de notas”. “Se eu pudesse recomeçar minha vida, faria coisas que meus netos comentariam – rindo – com seus colegas de escola”. “Então, eu lhes daria assunto e alegria, ao invés de procurar inspirar respeito”. “Se eu pudesse recomeçar minha vida, tentaria cometer muito mais erros”.

(PSICODERMATOLOGISTA) RITAURSULA@IG.COM.BR

« JORGE BOUCINHAS »

« RITA DE C.M. MEDEIROS HOMET MIR »

A ordem de nascimento influi em algo? (2)

Pulsão de vida e contos de fadas (3)

C

onforme promessa feita no último arpode simbolizar a dignidade, a capacitigo (30.06.13), iremos juntos desdade de orientação, a sabedoria, o auvendar a simbologia dos arquétito conhecimento, a atenção às trapos de alguns elementos usados no dições, os limites bem conto que narrei para os leitores: “Os definidos e a experiência, mesSapatinhos Vermelhos”. Esta terapia mo que tenha como contraponto dos contos confirma a tese usada pela uma certa irreverência irritadiça. Dra. Clarissa Pinkola Estés: “O fraNeste conto, a velha senhora casso é um mestre mais eficaz do que usa esses atributos de forma neo sucesso”. O simbolismo gativa: em vez de dignificar o noOs sapatinhos feitos à mão eram, arquetípico dos vo, as atitudes senescentes o desde certa forma, uma indicação do prosapatos remonta à trói. Ao invés de orientar a sua cesso criativo da menina, ela era poantiguidade: os protegida, a velha senhora tenta bre mas sentia-se rica e, se não tigovernantes os mumificá-la. Neste conto não é vesse sido interrompida pela carruapossuíam, os SÁBIA (apesar da idade), mas se gem da “senhora secarrona”, provaescravos não, ou dedica à repetição de um único vavelmente o seu self teria entrado num seja, seriam os lor sem experimentos nem renoprocesso agradável, talvez de forma sapatos sinal de vações. O VALOR ÚNICO para a mais lenta, mas sempre progressiva. AUTORIDADE. Há velha senhora é o de que a opinião O simbolismo arquetípico dos saformas e mais do Coletivo importa mais do que patos remonta à antiguidade: os goformas de qualquer coisa. vernantes os possuíam, os escravos interpretar o Sabemos que estes “Coletivos não, ou seja, seriam os sapatos sinal significado dos “ são os grupos que nos cercam; de AUTORIDADE. Há formas e mais sapatinhos podem ser de natureza acadêmiformas de interpretar o significado vermelhos, ca, espiritual, financeira, profisdos sapatinhos vermelhos: a meniabordados no sional, familiar ou de outra qualna era pobre e criativa, numa forma artigo deste quer natureza, sabemos também processual iria adquirindo maior domingo que eles impõem “recompensas” conscientização e maior poder sobre poderosas e punições cruéis aos si mesma , isto diminuiria sua vulseus membros. Todos esses grunerabilidade a se deixar enfeitiçar pepos querem influenciar e controlas “gaiolas douradas” (a carruagem) lar todas as áreas possíveis ,desque nos fazem prisioneiras da vida. de os nossos pensamentos até a nossa escolha Ao subir na carruagem dourada da velha sede parceiros e o trabalho de nossa vida. O pior nhora, onde aparentemente tudo reluzia e, tamdo pior é a DEPRECIAÇÃO ou DESESTÍMULO bém, onde parecia que tudo seria mais agradáaos nossos esforços que não se harmonizam com vel, ela a levaria ao cativeiro. Os dourados são suas preferências. ofuscantes e confundem a nossa visão psíquica Neste conto a velha senhora seria a bruxa que . Não nos avisam que “nem tudo que reluz é ouaparenta “boa”, ela simboliza, ou melhor, seria ro”. Ao passar esta fantástica carruagem doua guardiã rígida da tradição coletiva, é aquela verada a menina esqueceu a alegria simples de lha estória , “sustenta o seu “status quo” sem haver feito, com seus próprios esforços, os sapaquestioná-lo e diz: “comporte-se, não crie continhos vermelhos. Claro que é natural ego ter o fusão, não pense demais, não se superestime, desejo de facilitar a vida; o preço, neste conto, e não chame a atenção, seja mais uma CÓPIA, seem muitos casos da vida real, é que houve uma ja simpática, aceite TUDO mesmo o que não gosarmadilha: na casa da velha senhora (a força ta, mesmo que não se ajuste a você, que não sesenescente) não há permissão de verbalizar seus ja do tamanho certo e que machuque, OU SEanseios. À este processo segue-se a “fome da alJA, obedeça a um sistema de valores tão desproma” que desequilibra qualquer espírito criativo. vido de vida e perca seu vínculo com sua alma. Na psicologia junguiana tradicional, a figuContinuaremos esta análise no próximo arra arquétipa de idoso é, às vezes, chamada de fortigo se o bom Deus assim o permitir. Desejo a toça “senex”. Nos contos de fadas, a pessoa idosa dos um feliz domingo.

ontinuando com o interessantíssimo assunto das características diferentes entre primogênitos e filhos posteriores, antes que todos os que não foram os primeiros filhos entrem numa manifestação de revolta (o que está bem em moda, diga-se de passagem), há que deixar claro que o já descrito não expõe verdades absolutas. Benjamin Franklin teve vários irmãos e irmãs que o precederam; John F. Kennedy, Thomas A. Edison e Dwight Eisenhower tinham irmãos mais velhos. Os primogênitos, portanto, não detém o monopólio da inteligência superior, ou de outros traços vantajosos, embora apresentem-nos com maior freqüência. Não obstante, a teoria sociológica prega que os primeiros filhos tendem a preservar as tradições, devido a um maior envolvimento dos pais com eles, enquanto os posteriores são inovadores quiçá porque recebem menos atenção dos pais. Além disso, no que tange à auto-realização, desempenham papéis importantes como traços de personalidade a motivação, o trabalho assíduo e outros fatores. Já se observou também que mesmo no caso de ser a inteligência superior um incentivo, poucos homens utilizam toda a que têm, o que permite a outros, por vezes menos bem-dotados, a oportunidade de se destacarem. Assim, dentre os pilotos norte-americanos de caça do conflito da Coréia, os primogênitos, como grupo, não se saíram tão bem quanto os filhos subsequentes, que com maior frequência chegaram à classificação de “ases aéreos” por sua superior propensão a correrem riscos. Entre os mergulhadores do famoso Projeto Sealab II, da Marinha norte-americana, que avaliava a capacidade de o ser humano viver submerso no mar, os primogênitos passavam menos tempo do que os nascidos subsequentemente a executar tarefas externas, fora da cápsula-residência subaquática experimental, num ambiente classificado como mais perigoso e, portanto, gerador de tensão emocional. Durante um período de quinze dias, os filhos subseqüentes passaram espontaneamente, em média, quase 77 % mais tempo fora da cápsula que os nascidos em primeiro lugar. Há, mesmo, uma teoria de que os pais tendem a induzir padrões mais altos neles por recompensá-los mais continuamente quando aceitam sua orientação. Contudo, os mesmos só têm os pais como primeiros modelos de realização e acham difícil igualar-se a eles. Por isso, têm me-

Luz viva Existe uma surpresa na maneira como as pessoas estão reagindo ao jeito de ser deste Papa, que nos chega lá quase do fim do mundo. Elas estão vivamente movendo-se na sua direção, de suas palavras e aparições. O fenômeno começou com a sua eleição e a maneira simples como ele apareceu. De branco. Sorriu para o povo, falou italiano fluente, dizendo que o importante não é a Igreja, mas o Cristo. Este Cristo que ele está encarnando, como seu representante na terra, de maneira bastante peculiar. Ele quebra o formal e o superficial. Rompe as falsas estruturas e as aparências. Dissolve os isolamentos e convoca seus irmãos padres e religiosos, a se manterem fiéis à prática do Amor, no quotidiano. E de maneira simples e completa. Ele não cessa de repetir - ama aos outros como a ti mesmo. Exorta o amor a si, aos outros, conhecidos e desconhecidos. Incentiva o Amor Universal. E a multidão responde, de forma emocionante, vai atrás d´Ele.

tas mais altas e um sentimento de ligação com o stablishment, mas, ao mesmo tempo, apresentam menos vaidade e menos autoconfiança. Quando a realização de uma tarefa inclui o surgimento de grande tensão, eles tendem a ficar bloqueados pela ansiedade gerada pelo receio de falhar. Os pais em geral insistem em dizer que suas atitudes com relação ao primogênito e aos demais filhos não são significativamente diferentes, mas alguns estudiosos, segundo Theodore Irwin, em artigo publicado em periódico da Associação Médica Americana, acreditam que na maioria das famílias os pais, desde o início, tendem a exagerar a importância do primeiro e a tratá-lo mais como um companheiro. É provável que ele tenha sido planejado e desejado e que ele seja amamentado ao seio por mais tempo. Simultaneamente, por serem jovens e calouros na condição de pais, podem não estar seguros de si mesmo e comunicar suas ansiedades ao rebento. As mães muitas vezes admitem que ficaram nervosas no seu début e tornaram-se mais seguras por ocasião da criação dos filhos subseqüentes. Algumas pesquisas indicaram que as restrições e o castigo físico são freqüentemente mais rigorosos em relação ao filho mais velho. Com a experiência, os pais se acomodam e parecem sentir-se menos dispostos a disciplinar os filhos menores. Também sua idade dos pais pode ser um fator: os pesquisadores revelaram que as mães com mais de 30 anos ficam mais indulgentes que as mais jovens. Uma experiência da Universidade de Colúmbia, EUA, indica que, mesmo sem se apercebam do fato, podem tender a tornar mais dependente o primogênito ou o filho único. Na experiência, realizada com os alvos de pesquisa e suas respectivas mães, os jovens receberam quebracabeças para resolver. Durante o intervalo, as mães eram informadas de que seus filhos estavam indo bem ou indo mal, e recomendava-selhes evitar interferir. Os pesquisadores então saíam da sala, porém ficavam observando, de um local escondido, o que sucedia. Verificaram que os primogênitos, em sua maioria, corriam imediatamente para as mães, que prontamente os elogiavam se pensavam terem saído bem ou criticavam se pensavam terem saído mal. Os demais filhos não se voltavam para as mães. Interessante assunto, que ainda merece mais atenção!

C

« LIBERTAS » Seguindo seu representante na terra. Viajei de Lima para São Paulo, esta semana, em que o Papa chegou ao Brasil. Centenas de peregrinos, religiosos e freiras, homens, mulheres e jovens simples e devotados ao encontro da Juventude Cristã, vindo recebê-lo. E de todas as partes do mundo. Ele chega ao Rio, se aproxima das pessoas e enternece a cidade que o busca com fé. A fé capaz de promover milagres. Fé que estava adormecida, pela imobilidade que a Igreja estava vivendo. Bem-vindo ao Brasil, às redes sociais e ao planeta, papa Francisco. Que os bons ventos das mudanças e da espiritualidade o guiem por muitos bons caminhos, para entregar e devolver às pessoas o verdadeiro significado do Cristo Cósmico! Jayme Panerai Alves – Jayme@libertas.com.br

Um sonho Ele era um jovem sonhador, filho de um domador de cavalos, mas desejava estudar. Dormia nas estrebarias, trabalhava o dia com

“O fenômeno do papa Francisco começou com sua eleição e a maneira simples como ele apareceu, de branco, sorriu para o povo, falou italiano fluente, dizendo que o importante não é a Igreja, mas o Cristo. Este Cristo que ele está encarnando, como seu representante na terra, de maneira bastante peculiar, rompe as falsas estruturas e as aparências de maneira simples e completa.”

Esta coluna é de responsabilidade da Libertas Comunidade www.libertas.com.br - libertas@libertas.com.br

os animais e, à noite, ele ia pra escola. Certa vez, o professor pediu que cada aluno relatasse o seu sonho. O que desejariam para suas vidas. O jovem, tomado de entusiasmo, escreveu sete páginas. Desejava, no futuro, possuir uma área de 80 hectares e morar numa enorme casa. Desejava ter uma família muito bem constituída e ser feliz. Entregou ao professor e três dias depois recebeu a nota pelo seu trabalho, uma nota sofrível. Depois da aula, o professor o procurou e falou: o seu é um sonho absurdo. Imagine, você é filho de um domador de cavalos. Escreva uma outra realidade e eu lhe darei uma nota melhor. O jovem foi para casa muito triste e contou ao pai. Depois de ouvi-lo, o pai lhe falou: O sonho é seu. Essa decisão é sua. Persistir neste sonho ou procurar outro. O jovem pensou e, no dia seguinte, procurou o professor e disse-lhe que ficaria com a nota ruim mas não abandonaria o seu sonho.

Quero saber Sou viúva há dois anos, tenho setenta

anos, sou aposentada, sinto-me muito bem de saúde, gosto de passear, dançar, viajar. Tenho três filhos homens e noto que eles estão começando a querer controlar minha vida. Perguntam o que vou fazer no final de semana. Reclamam das minhas saídas com minhas amigas. Não quero briga com meus filhos e sinto que estou começando a ceder às pressões, mas também temo deprimir. O que fazer? Eleonora.

Resposta Prezada Eleonora, Para fazer o que se quer não precisa, necessariamente, brigar com as pessoas. Converse com cada um de seus filhos e expresse seus sentimentos, sua alegria de poder se divertir e aproveitar a vida. Os tranquilize, fale que quer estar bem com eles, mas mantendo sua autonomia na forma de viver. Isto é saudável. Atenciosamente, Grace Wanderley de Barros Correia - CRP 02/0279


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

tnfamília

3

ALEX RÉGIS

O

Sistema Único de Saúde passou a incorporar as chamadas práticas integrativas como política nacional desde 2006. No Rio Grande do Norte, a determinação foi publicada em 2011. O Centro de Atenção e Pesquisa em Práticas Integradas e Complementares (Cappic) foi fundado um ano depois. Antes um projeto institucional da UFRN, o programa vem crescendo a cada dia, despertando o interesse da comunidade. O serviço é aberto a qualquer usuário do SUS. Para ter acesso ao serviço, deve-se ligar para 3342 5074 ou ir pessoalmente ao Hospital Universitário Onofre Lopes, no Centro de Medicina Comunitária. Uma consulta prévia será feita, para diagnosticar o problema, e, então, haverá um agendamento. A procura tem superado todas as expectativas, tanto que a UFRN já cedeu um novo espaço para o Cappic, mais amplo e com salas equipadas. A autora do projeto e coordenadora do Cappic, Ana Tânia Lopes Sampaio se diz bastante otimista com as novidades e as perspectivas futuras. “Estamos com demanda reprimida, mas estamos muito otimistas. Conquistamos, recentemente – graças ao apoio da mídia, da população, a repercussão do nosso trabalho – um espaço. Isso deu possibilidade de trazer mais terapeutas. Por que esse trabalho é feito com voluntários”, comenta Ana Tânia, professora adjunta do Departamento de Saúde Coletiva da UFRN. O Cappic não pode contratar servidores, mas as novas instalações, no segundo piso do Centro de Medicina Comunitária do HUOL, podem iniciar novos tempos. “Ainda não é um serviço institucionalizado que a gente possa dizer que vai contratar, que haverá concurso. Ainda não... mas sonhamos com isso”, projeta Ana Tânia. O Cappic conta hoje com um corpo de terapeutas voluntários, segundo a coordenadora. Há um acupunturista cedido pelo Município e os outros profissionais são professores aposentados da UFRN e outros que conheceram o trabalho e estão se dispondo a trabalhar. “Temos muito que agradecer a esses profissionais.” Entre as ações futuras, Ana Tânia esclarece que será criado um protocolo de atendimento, um sistema de acolhimento e triagem de pacientes também será instituído, bem como uma carteirinha do Cappic e um prontuário integrativo. “Antes era difícil porque os atendimentos eram adaptados em salas que disponibilizam de acordo com outros atendimentos. Está sendo na rotina do novo espaço.”

Terapias para todos e pelo SUS

BATE-PAPO

Centro de Atenção e Pesquisa em Práticas Integradas e Complementares, em funcionamento no Hospital Universitário Onofre Lopes, oferece tratamento gratuito com sessões de cromoterapia, acupuntura, shiatsu, reiki, entre outras SERVIÇOS OFERECIDOS NO CAPICC/RN à Acupuntura

Originária da Medicina Tradicional Chinesa (MTC), trata-se de um conjunto de procedimentos que permitem o estímulo preciso de locais anatômicos definidos por meio da inserção de agulhas filiformes metálicas para promoção, manutenção e recuperação da saúde, bem como para prevenção de agravos e doenças. à Reiki

Terapia reconhecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) que usa a imposição das mãos para canalizar a Energia Vital Universal para si mesmo e para terceiros, promovendo o equilíbrio energético e a melhoria das condições gerais do corpo e da mente de forma integral.

Cromoterapia Características de cada cor e sua atuação no corpo VIOLETA Relacionada com a estabilidade e paz de espírito, promove a concentração e eleva a autoestima. Acalma os nervos e os músculos e elimina infeções e inflamações.

VERDE Associada à natureza, tranquilidade, equilíbrio e saúde. Atua em problemas cardíacos, dores de cabeça, insônias.

“Não dá para explicar direito. É tão bom!” Não dá nem para explicar. É tão bom! É paz! Há três anos eu tive um cobreiro, o que a medicina chama de herpes-zóster. Eram feridas que saíam das costas até o tórax, que caminham enquanto há nervo. As feridas sararam mas fiquei com dor, pois o nervo foi atingido. Eu já fiz de tudo que você possa imaginar para ficar boa disso, mas até agora não fiquei. E como chegou até a cromoterapia?

Pela televisão. Eu vi primeiro uma reportagem no programa da Leda Nagle; uma moça, que era cromoterapeuta, falando a respeito. Aí, interessou. Logo em seguida, coincidentemente, apareceu aqui no Onofre Lopes dizendo que tinha cromoterapia, acupuntura, florais. Aí eu vi. E desde a semana passada eu estou tentando. E hoje (terçafeira, 23) foi a primeira vez que a gente conseguiu.

à Shiatsuterapia

Harmonização do corpo físico e emocional pela estimulação dos pontos existentes nos meridianos para promover o reequilíbrio energético. Os pontos ou locais de pressão coincidem com a maioria dos pontos utilizados na acupuntura, respeitando as peculiaridades dos locais ou estruturas do corpo a serem massageadas.

O que acha desse tipo de programa ser oferecido gratuitamente à população através do SUS?

à Meditação terapêutica

Procedimento para aliviar e curar transtornos psicológicos e sintomas físicos mediante a utilização de técnicas de aquietamento da mente, atenção e autoconhecimento.

Eu acho ótimo, né? É maravilhoso!

à Terapia de excelência

Visa proporcionar a ampliação dos potenciais expressivos e criativos através do autoconhecimento e autotransformação dos pensamentos, sentimentos e comportamento aprisionantes. Indicada para os mais variados tipos de sofrimento psíquico, como depressão, ansiedade, transtornos diversos.

AMARELO É uma cor inspiradora, por isso pode provocar alguma distração e perda do foco. Influencia o dinamismo e a capacidade de expressão.

à Terapia integrativa

à Acupuntura quântica auricular Tratamento integrativo embasado na Medicina Tradicional Chinesa, realizada no microssistema da orelha. A estimulação dos pontos favorece a liberação do fluxo de energia vital no organismo.

transdisciplinar de harmonização energética Conjunto de técnicas que considera os princípios da física quântica na utilização de energias sutis para o processo de reequilíbrio energético do organismo, tomando como pressupostos anatomo-fisiológicos os meridianos e os chakras.

67 anos, dona de casa, paciente de cromoterapia

Qual a sensação da cromoterapia? INDIGO Simboliza a intuição e a compreensão. Purifica o sangue e tem um efeito anestésico e coagulante.

AZUL É uma cor relaxante, que traz paz, serenidade e promove a meditação. Baixa a pressão arterial e tem função analgésica.

Clóris Miranda de Oliveira

VERMELHO É uma cor poderosa e deve haver precauções no seu uso, pois em excesso pode provocar nervosismo e ansiedade. Pode despertar a sexualidade e erotismo.

LARANJA Alegre e antidepressiva, rejuvenesce e melhora o metabolismo e o sistema digestivo. Pode elevar a pressão sanguínea. Fonte: www. significados.com.br

à Fluxoterapia

Abordagem terapêutica

referenciada nas vivências de fluxo da pessoa, buscando elevar o padrão energético da corporeidade, maximizando a sua integralidade na perspectiva da alegria de viver à Vivências lúdicas integrativas: Abordagens que propiciam diferentes modos de sentir o fluir das emoções em contextos socioculturais

específicos do adoecimento humano, buscando corporalizar o princípio de integralidade da vida. à Cromoterapia: Abordagem terapêutica vibracional que utiliza as cores para reequilibrar o padrão energético do corpo, contribuindo de modo quântico para a melhoria da saúde.

E sobre essas terapias complementares, a senhora já tinha experimentado alguma? O que acha delas? Realmente funcionam?

É eficaz sim! Na época em que fiz acupuntura estava no auge das dores. E eram terríveis! E, depois, passou a dor terrível e ficou só a mais suave. Quer dizer... não tem dor suave, mas é bem melhor. Não sei se foi a acupuntura que resolveu o problema da dor que era de gritar e se jogar no chão, desesperada. Depois eu larguei, parei de fazer, porque é caro e a gente não tem poder aquisitivo, meu marido é aposentado. E agora apareceu essa oportunidade e vamos tentar. Eu estou fazendo fé!


4

tn família

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

JOÃO NETO

Carpe Diem!

jotaoliveira@tribunadonorte.com.br

PARABÉNS!

Jota Oliveira

Recebi de um leitor via email e resolvi passar para os nossos leitores, até porque concordo com tudo que aí está. Sabe quantos países com governo socialista restam agora em toda a União Europeia? Apenas 3: Grécia, Portugal e Espanha. Os três estão endividados até o pescoço. Eis as razões, segundo definições clássicas de MARGARETH THATCHER : - “O socialismo dura até acabar o dinheiro dos outros”. - “É impossível levar o pobre à prosperidade através de legislações que punem os ricos pela prosperidade”. - “Para cada pessoa que recebe sem trabalhar, outra pessoa deve trabalhar sem receber”. - “O governo não pode dar para alguém aquilo que tira de outro alguém”. - “Quando metade da população entende a ideia de que não precisa trabalhar, pois a outra metade da população irá sustentá-la, e quando esta outra metade entende que não vale mais a pena trabalhar para sustentar a primeira metade, então chegamos ao começo do fim de uma nação”. Se você trabalha, você deve trabalhar mais duro ainda, pois milhões de pessoas dependem do seu trabalho. São as pessoas que vivem do Fome-Zero, do Bolsa-Invasão, do BolsaDesemprego, do BolsaEscola, do Bolsa-Família, do Bolsa-Cota, do AuxílioReclusão, ou que recebem, sem trabalhar, o Vale-Leite, o Vale-Gás, o Vale-Tudo etc.

BOBFLASH

BOBFLASH

Abraços com vivas para o casal gente boa Fernando Tavares/Liane. Ele em idade nova

A paisagista Melissa Sales e a arquiteta Maria Luíza Lamas prestigiando a chegada da Saccaro

A blogueira Tinesa Emerenciano em tarde de lançamento com Carol Almeida

Riscos

Revalida

Desaprovadas

Mesmo com benefícios comprovados à saúde, um estudo americano comprovou que o consumo de Ômega 3 e alguns óleos de peixe podem aumentar a incidência de câncer de próstata. Mais detalhes no nosso blog.

Com as inscrições terminando próxima terça-feira, dia 30, o exame já tem mais de mil inscritos. A avaliação é feita tanto por brasileiros que estudaram fora, como estrangeiros que querem vir para cá.

Essa é a opinião da população sobre as ações da presidente Dilma Rousseff, dos governadores e prefeitos após as manifestações que tomaram as ruas do país nas últimas semanas. Os dados são da CNI.

Premiado

Segurança

Com estreia marcada por aqui dia 16 de agosto, o filme “Flores Raras”, que traz Glória Pires no papel de uma arquiteta lésbica, ganhou o prêmio de melhor drama num festival em Los Angeles. O longa também abrirá o Festival de Gramado, de 9 a 17 de agosto.

A repercussão dos protestos no Brasil tem sido tão grande, que Karl Lagerfeld, que aporta por aqui em Outubro, teria perguntado a um grupo de brasileiras numa festa em Paris, se corria algum ‘perigo’ pelas manifestações, ouviu que apenas os políticos tem esse ‘risco’. JOÃO NETO

JOÃO NETO

Trocando de idade hoje com os cumprimentos da coluna: Adriana Tinôco, Fernando Tavares (Vem– Vem), Roberto Chaves, Ana Elizabeth The e Rodrigo Oliveira. Nesta segunda, 29, vivas antecipados para Tereza Cristina Araújo Lima, Marta Veras de Abreu, Luiz Cláudio Souza (Chope), Lucyana Collier, Chef Dantas, Marta Rodrigues Falcão e Renata Bezerra.

Testes Prometendo ser o futuro dos compactos, o novo Audi A3 Sportback traz grandes novidades. No nosso blog, algumas impressões de quem já testou o possante. Por aqui, o modelo pode ser encontrado na PG Prime, inclusive com test drive.

Miúdo O pequeno Lucca, cria de Eridson Medeiros e Polixena Barros, completa hoje um aninho de vida. Parabéns!

Ajudinha

Fátima faz coro de parabéns para a irmã Tereza Cristina, trocando de idade

Vivas para os amigos de dez: Beth Thé e Dorian Freire. Ela rasgando folhinha

Depois de encarar as diferenças culturais para se adaptar ao Brasil, o americano Steve Luttmann escreveu o livro “Como ser um brasileiro” para dar uma forcinha aos seus conterrâneos. Será que funciona?!

Diagnóstico O diagnóstico é feito através de testes clínicos e de radiografias. Em todos os casos de escoliose, é importante o diagnóstico precoce e a avaliação clínica completa e radiológica do paciente. A avaliação postural faz

ALINI BRITO - FISIOTERAPEUTA E EDUCADORA FÍSICA • DÚVIDAS NO SITE WWW.ITCVERTEBRAL.COM.BR

Causas da escoliose • Idiopática: causa desconhecida (70% dos casos) • Neuromuscular: sequela de doenças neurológicas, como por exemplo poliomielite, paralisia cerebral. • Congênita: oriunda de uma má-formação • Pós-traumática

« POSTURA E SAÚDE »

A

coluna vertebral vista por trás deve ser reta, alinhada. A escoliose é uma deformação morfológica da coluna vertebral nos três planos do espaço. Assim, a coluna realmente se torce, não somente para os lados, mas para frente e para trás e em volta do seu próprio eixo. Essa torção em maiores graus determina a gravidade da escoliose e a forma de ser tratada. Classificação da escoliose quanto a forma da curva: curva simples, sendo esta à direita ou à esquerda (escoliose em “C”); Curva dupla, (escoliose em “S”). Lembrando que a direção da curva é sempre identificada pela convexidade da coluna. Classificação das curvaturas escolióticas, podendo estas serem: cervicotorácicas, torácicas, toracolombares, lombares e lombossacrais. Relacionando o grau da angulação da escoliose e o tratamento correspondente, temos: 1) 0 a 10 graus: não há necessidade de tratamento fisioterápico. 2) 10 a 20 graus: há necessidade de tratamento fisioterápico. 3) 20 a 30 graus: tratamento fisioterápico e uso de colete ortopédico ou de Milwakee. 4) 30 a 40 graus: uso do colete ortopédico ou Milwakee. 5) 40 a 50 graus: somente tratamento cirúrgico.

Escoliose: causas e tratamento Avaliação postural faz parte da investigação clínica, sendo fundamental para o diagnóstico. Tratamento baseia-se na idade, na flexibilidade e na gravidade parte da avaliação clínica, sendo de fundamental importância para o diagnóstico. Nela, o examinador compara os dois hemicorpos do indivíduo nas vistas anterior, posterior e lateral, observando possíveis diferenças e assimetrias (Calliet, 1979). O controle da evolução sistemática é a forma de minimizar os danos dessa patologia que, quando não tratada corretamente, pode causar danos irreparáveis.

fisioterapia e utilização de coletes, adaptação de palmilhas posturais que incrementam a eficácia e o tempo do tratamento ou o tratamento cirúrgico (Tribastone, 2001). Na opção de tratamento conservador a fisioterapia utiliza-se dos benefícios da RPG. ou Reeducação Postural Global, como método que corrige ou minimiza a escoliose através da identificação da causa do problema.

Tratamento para escoliose O tratamento da escoliose baseia-se, dentre outros fatores, na idade, na flexibilidade, na gravidade da curva e na sua etiologia, compreendendo a correção das deformidades, com tratamento conservador, que inclui

RPG A Reeducação Postural Global (RPG) é um método fisioterapêutico revolucionário, nascido da obra O Campo Fechado, publicado por PH. Souchard em 1981, na França após 15 anos de pesquisa no domínio da biomecânica.

A RPG baseia-se em três princípios fundamentais: - Individualidade: Cada ser humano é único e reage de forma diferente; - Casualidade: A verdadeira causa do problema pode estar distante do sintoma; - Globalidade: Deve-se tratar o corpo como um todo. Um dos diferenciais da RPG é a revalorização da função estática dos músculos. Solicitados em permanência, estes podem encurtar-se e perder sua flexibilidade, freando os movimentos e deformando o corpo. Assim, um dos princípios do método é identificar e alongar os músculos responsáveis pela alteração postural. O tratamento é feito em con-

sultas de 1 hora ou mais, em geral uma vez por semana, podendo ser necessário, em alguns casos, acelerar para duas vezes por semana (nas escolioses graves, dores em situações agudas, pessoas frágeis, enfim, adaptações). Dependendo do problema, pode ser necessária apenas uma sessão (no caso de uma lesão recente) ou muitas (numa escoliose infantil, que terá que ser “vigiada de perto” e acompanhada durante todo o crescimento). A duração do tratamento também varia muito, pois depende do que há a corrigir. Mas logo na primeira consulta, quando se faz a primeira avaliação, pode-se ter uma primeira previsão do tempo que será necessário.Mais informações no www.herniadedisco.com.br


tn família

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

BOBFLASH

JOÃO NETO

Aromas Já se preparando para o Dia dos Pais, o Boticário lança, em edição limitada, o Quasar Quest em homenagem aos homens dinâmicos.

Práticos Boa dica para aqueles que vivem de malas prontas ou que levam muita coisa na bolsa, um site que só vende produtos em miniaturas. Mais no Fashion do nosso blog.

Amistoso Felipão fará a primeira convocação pós-título da Copa das Confederações, próximo dia 30 de julho, pelo site da CBF, às 12h30, para o amistoso contra a Suíça dia 14 de agosto. Serão 18 ou 19 jogadores.

Artes Acontecendo durante este final de semana, a 5º Edição da Feira de Artes e Antiguidades de Petrópolis. Projeto com assinatura do produtor cultural e jornalista Toinho Silveira, em parceria de Gracinha Oliveira, que é realizado nos últimos finais de semanas do mês e está aprovado na Lei de Incentivo a Cultura Câmara Cascudo.

5

Gamers Em ocasião de luluzinhas, Monalisa e Monique Flor emoldurando Rosane Soares

Paulo Roberto Alves, Felipe Alves e o ministro Garibaldi Filho, em ocasião de lançamento BOBFLASH

BOBFLASH

Digital Marcando sua entrada no mundo digital, a Moet & Chandon acaba de apresentar seus perfis nas redes sociais Facebook e Instagram, repleto de novidades luxuosas.

Acontecendo entre 3 e 4 de agosto em San Francisco, nos EUA, a convenção GaymerX, primeiro grande evento gamer destinado à comunidade LGBT. A feira será aberta a todos os gamers, mas centrada nas questões da comunidade.

Medidas Curtindo férias com a namorada e os filhos em Ibiza, cliques mostram que Ronaldo “Fenômeno” já está retomando a velha forma com alguns quilinhos extras. - Será que o Fantástico vai pagar mais R$6 milhões para ele emagrecer de novo?!

Imortal Os advogados Antenor Madruga e Ana Heloisa R. Maux concorrem à vaga na ALEJURN. O novo Acadêmico irá ocupar a cadeira nº35. A eleição acontecerá dia 22 de agosto. Renata Santa Rosa e Bruno Porpino em ocasião fashion by Emerencianas JOÃO NETO

No corta fitas Saccaro, Renata Telles e Marília Bitencourt

Gestos O Morada da Paz lançou o aplicativo “Um Gesto de Amor”, onde os internautas poderão gravar e postar um vídeo para alguém especial, que será compartilhado nas redes sociais. Basta acessar umgestodeamor.moradadapaz .com.br.

JOÃO NETO

Exame

Gente de dez: Hebel e Roberto Duarte em recente evento social

O papo de Adomiro Cordeiro, prefeito Carlos Eduardo e Felinto Rodrigues

João Saccaro e os franqueados Tatiana Souza/Werneck Carvalho

Disponível no Brasil, um novo teste, menos agressivo que o anterior, promete detectar se o feto tem Síndrome de Down a partir da 9ª semana de gestação. Ele é feito a partir do sangue da mãe.


6

tn família

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

FOTOS:JOVINHO E LIEGEBARBALHO.COM

Simpatia do casal amigo Karine e Haroldo Azevedo Filho

»» O cantor e compositor nordestino, que tem seu nome registrado na história da Música Popular Brasileira, deixará também muita saudade à sua legião de fãs, assim como esta jornalista, que teve o prazer de entrevistá-lo em uma de suas apresentações na capital potiguar. »» José Domingos de Morais nasceu na cidade de Garanhuns, Pernambuco, no dia 12 de fevereiro de 1941. Filho do mestre Chicão, que era um conhecido sanfoneiro e afinador de sanfonas. Dominguinhos interessouse por música desde cedo, começando a aprender sanfona com seis anos de idade, quando ganhou um pequeno acordeão de oito baixos e chegou a se apresentar em feiras livres e portas de hotéis junto com seus dois irmãos, com quem formava o trio “Os Três Pinguins”. Hábil nas sanfonas de 48, 80 e 120 baixos, ele tornou-se músico profissional ainda garoto. »» O renomado instrumentista, que era um exímio sanfoneiro, teve como mestres, nomes como Luiz Gonzaga e Orlando Silveira. Sua formação musical contou com influências da bossa nova, baião, choro, forró, xote e jazz.

» VÁRIAS »

Devoção

Mérito O presidente do Sistema Fecomercio, Marcelo Queiroz, assina convite para mais uma edição do Mérito Jessé Freire. Com realização nesta quintafeira, às 20h, no Boulevard Recepções, o evento tem como objetivo premiar, consagrar e reconhecer o trabalho de empresários do setor de Comércio, Serviços e Turismo. Há nove anos que a instituição potiguar vem destacando e homenageando empreendedores do RN. Aluízio Alves Filho celebrando aniversário

Paulo Augusto brindando mudança de idade

eee Da coluna para Sérgio Pacheco, Guaraci Soares de Maria, Soraia Freire, Aluízio Alves Filho, Monte Neto, Fernando Lessa e o jornalista Paulo Augusto.

Mega brega

Vânia e Luzardo Flor em evento no hotel Pirâmide

Touro 21/04 a 20/05 Tire o seu tempo necessário para descansar hoje. Nada de arranjos complicados ou compromissos com quem não tenha fé comum. Espere momentos agradáveis com alguém bem próximo que não vê há tempos.

Gêmeos 21/05 a 20/06 Seus amigos serão sua fortaleza hoje. Invista na sua vida social. Já as relações mais íntimas entram num clima sério. Se você estiver preparado para entrar de cabeça num relacionamento amoroso, vá com tudo. Senão...

Leão 22/07 a 22/08 Certeza de que você estará entre amigos hoje! Benquisto e tendo provas disso, você pode se soltar mais neste domingo. Vênus e Saturno fortalecem o bom gosto e a clareza para decisões duradouras sobre amor e amizades.

Virgem 23/08 a 22/09 Equilibrar as energias é essencial hoje! Devido a tensões internas, evite também se envolver com brigas de outras pessoas. Um domingo ótimo para curtir um cinema, uma nova amizade, um programa bem leve e diferente.

Libra 23/09 a 22/10 Cenário astral favorece o entendimento do ponto de vista dos outros. Esquecer cobranças passadas e programas combinados é boa dica para se dar bem com todos. Contudo, seja discreto sobre seus sentimentos.

Escorpião 23/10 21/11 Pare de resolver tudo sozinho. Hoje é dia de compartilhar e de pedir ajuda, sem orgulho besta. Vale esperar por alterações na sua paz domingueira. Fique atento aos sinais de seu corpo para poder manter o pique por mais tempo.

Sagitário 22/11 a 21/12 Namoro e diversão são os fortes atrativos de hoje. Embora o clima esteja energético e animado, Marte e Plutão estão tensos, contraindicando reações extremadas em brigas. Desafios ao ar livre são indicados.

Fernando Oliveira faz coro de vivas para sua Ana Ilma

E o burburinho promete ser grande neste sábado na cidade de Macau. Tudo porque o empresário Anchieta Jácome anuncia a 15ª edição do Mega Brega que este ano tem Fernando Mendes, Adilson Ramos e Luiz Almir entre as trações da festa que acontecerá no Clube da Praia de Camapum. Grupos de Natal já se movimentam e as vendas de mesas estão bem aceleradas.

« CINEMA » ★ RUIM ★ ★ REGULAR ★ ★ ★ BOM ★ ★ ★ ★ ÓTIMO ★ ★ ★ ★ ★ EXCELENTE ✩ ESTREIA

Vênus, Júpiter e Saturno reforçam compromissos baseados em propósitos comuns

Sensibilidade confusa e irritabilidade devem ser contornadas para que seu domingo seja mesmo bacana! Mas se as emoções caminham no ritmo de uma montanha-russa, as ideias estão claras e inovadoras. Vale anotar.

Atento a tudo no segmento das artes, o jornalista e produtor cultural Toinho Silveira, movimentando a cidade do Natal com mais um evento voltado para os talentos potiguares, promovendo a Feira de Artes e Antiguidades de Petrópolis, que chega a sua 5ª edição. Com realização hoje na Praça das Flores, aprovado pela Lei de Incentivo à Cultura Câmara Cascudo, o evento faz parte do calendário cultural da capital. Para brindar sua mudança de idade, o empresário José Carlos Rego deu uma pausa nas suas atividades em Mossoró no seu badalado Garbos Hotel. Ao lado de sua querida Bete, ele reuniu ontem familiares amigos mais chegados na sua casa praiana em Graçandu, em sessão de parabéns.

No abraço da Blonde, os queridos Dani Freire e Alan Anaclecto à espera da primogênita Eva

BÁRBARA ABRAMO

Neste domingo, a Lua ainda transita seu signo. Portanto, ainda está valendo se cuidar mais e se preservar de atritos com pessoas. Também se programe para testar algo novo e que lhe faça bem. Amor em momento delicado.

Cultura

Celebrando

Jonny Costa representou o prefeito de Natal em Caicó

Câncer 21/06 a 21/07

Marcelo Queiroz, atuação na presidência da Fecomercio

» ANIVERSÁRIOS »

«HORÓSCOPO » Áries 21/03 a 20/04

A colunista, Getúlio Garcia e Milena Dantas em evento filantrópico

O presidente da Companhia de Limpeza Urbana de Natal, Jonny Costa, representou o prefeito de Natal, Carlos Eduardo, neste fim de semana em Caicó, durante a programação religiosa dos festejos de Santana.

liegebarbalho@tribunadonorte.com.br

No último domingo esta colunista publicou nota torcendo pela recuperação do músico Dominguinhos. Para minha tristeza hoje falo sobre sua partida para eternidade. Ele esteve internado desde janeiro no Hospital Sírio-Libanês, na capital paulista, onde faleceu na última terça-feira em decorrência de complicações infecciosas e cardíacas. O corpo de Dominguinhos foi velado na Assembleia Legislativa de São Paulo e sepultado no Recife.

Liege Barbalho

Dominguinhos

Elegância em dose dupla de Violeta Maia e Denise Gaspar

Capricórnio 22/12 a 20/01 Intimidade e vida privada são os pontos altos deste domingo. Quanto mais liberdade para ir e vir e menos compromisso chato, melhor. Explore mais este gosto por viver mais livre. Um luxo para poucos.

Aquário 21/01 a 19/02 As vibrações de Vênus, somadas as de Saturno e Júpiter, favorecem namoros e amizades leais, cumplicidade e planos em comum. Melhore ou enriqueça seu domingo com algo arejado e libertário. Participação em grupos.

MEU MALVADO FAVORITO 2 (Livre, dublado) Moviecom 1. Sessões 14h40, 16h50, 19h, 21h10/Cinemark 1. Sessões 12h50, 15h00, 17h20, e 19h30 (exceto ter/qui)/Cinemark 7. Sessões 11h30, 16h20. A mente do crime Gru volta a ter pela frente seu inimigo Victor, enquanto tenta lidar com outro super vilão, El Macho, que possui um filho chamado Machito. A direção é de Pierre Coffin e Chris Renaud, e o roteiro foi escrito por Ken Daurio e Cinco Paul. ★ ★ ★ UNIVERSIDADE MONSTROS (Livre, dublado) Moviecom 2. Sessões 14h15. Mike Wazowski e James P. Sullivan são uma dupla inseparável, mas nem sempre foi assim. Desde o momento em que esses dois monstros incompatíveis se conheceram, eles não se suportam. Universidade Monstros revela o segredo de como Mike e Sulley superaram suas diferenças e se tornaram melhores amigos. Direção: Dan Scanlon.

Peixes 20/02 a 20/03 Seu sentido especial para captar o que tem valor, as tendências do momento e as direções do coletivo serão de grande valia hoje; serão ideias que devem ser registradas. Você está firme em suas convicções e valores.

TURBO (3D, dublado) Moviecom 2. Sessões 16h35, 18h45/Moviecom 6. Sessões 14h20, 19h10/Cinemark 7. Sessões 14h, 18h50. Um caracol de jardim sonha em se tornar o caracol mais rápido do mundo, quando ele sofre um estranho

acidente percebe que talvez consiga realizar seu desejo. Direção David Soren. TRUQUE DE MESTRE (12 anos, legendado) Moviecom 2. Sessões 20h55/Cinemark 7. Sessões 21h, e 23h40 (só sábado). Dois ilusionistas famosos começam a roubar bancos e fazer do assalto um show de mágica. Após os roubos, eles jogam o dinheiro para a platéria presente. O FBI descobre o truque e tenta capturá-los. Com Mark Ruffalo, Isla Fisher, Morgan Freeman, Michael Caine, Woody Harrelson. Direção: Louis Leterrier. O CAVALEIRO SOLITÁRIO (14 anos, dublado/legendado) Moviecom 3. Sessões 16h25/Cinemark 1. Sessões (leg) 22h. Uma aventura com humor e ação na qual o herói mascarado ganha vida através de novos olhos. Tonto (Johnny Deep), o espírito guerreiro nativo americano narra as histórias não contadas que transformaram John Reid (Armie Hammer), um homem da lei, em uma lenda da justiça, cheia de surpresas épicas e muito humor enquanto os dois improváveis heróis precisam aprender a trabalhar juntos e lutar contra a ganância e a corrupção. Direção: Gore Verbinski.


Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

tnfamília

O Rio de Janeiro continua lindo... Desaboya e o Rio...Com a sua Casa de Idéias o coleguinha Chrystian vai agitar o 31 de agosto com Eu, Rio... a sua cidade do coração será tema. Ele já nos pede para agendar... HC & o Samba... Para quem tem perguntado pelo meu sambinha do Largo quero só dizer que estamos nos preparativos para realizar no finalzinho de setembro, primeiro final de semana de outubro. Confirmo data e quem será o destaque!!! Fazendo História -TV Universitária receberá homenagem pelos seus 40 anos em um show nesta quarta, às 20h, no Teatro Riachuelo. A apresentação contará com Valéria Oliveira, a Velha Guarda da Portela e os grupos Candeeiro Jazz e Quarteto Linha.

Ex-aluna ED Vem aí a festa dos 99 anos da Escola e Márcia Marinho está arrebanhando companheiras para fazer o melhor. Já é sabido que a festa será na Casa do Bosque.

Imaginem se fosse prioridade!!! Com todo abandono por parte dos governos a beleza da cidade e o carisma do nosso povo ainda fala mais alto. Apesar de Natal ter perdido para o Ceará o posto de melhor capital e melhor estado do Brasil para se fazer turismo, após quatro anos consecutivos em primeiro lugar no ranking da associação de classe, Aviesp. No entanto, a capital potiguar mantém o título de melhor cidade do Brasil para turistas. Estado brasileiro: 1º lugar – Ceará, 2º lugar – Rio Grande do Norte e 3º lugar – Alagoas Cidade brasileira: 1º lugar – Natal, 2º lugar – Fortaleza e 3º lugar – Rio de Janeiro

» SER SOLIDÁRIO »

Bom demais... o “Festival Gastronômico de Martins – 10 anos”, que acontecerá de 1º a 4 de agosto. O evento acontece na Praça Almino Affonso, centro de Martins, e reúne uma estrutura de cozinha e lounge, cozinha show, degustação-show, bares, restaurantes; e também atividades como concurso gastronômico e oficinas interativas para o público. O concurso vai ocorrer à tarde. Já as oficinas vão começar a partir das 19h até 0h30. Sete profissionais recémchegados ao mercado participarão do evento, além de 14 chefs convidados que se revezarão em 12 oficinas e palestras. Haverá ainda passeios pela cidade e shows musicais.

É difícil! Mas, vamos seguindo com o Reviver... Mais um pontapé foi dado, para o crescimento e lançamento de novas ações. Sucesso o final de tarde em Ranata Motta com as novas sócias CONTRIBUINTES passando a integrar as ações em busca da VIDA. Uma tarde que contou com a voz de Lyz Noga e as delícias de Renata Motta. Agora é caminhar para crescer mais e trabalhar para o próximo encontro dia 28 de agosto. O Reviver tem como meta a aquisição de uma Unidade Móvel de Saúde (UMS) equipada com consultório médico, mamógrafo e ultra-sonografia para a realização de exames que visam ao diagnóstico precoce do câncer de mama, útero e ovário em mulheres com acesso restrito à saúde pública.

Reviver

Reviver

Reviver

✩ WOLVERINE: IMORTAL (14 anos,

O cirurgião plástico Charles Sá comemora a entrada no ar do novo site da sua Clínica Performa, com informações sobre todos os procedimentos estéticos e reconstrutores oferecidos por ele e sua equipe, além dos tipos de cirurgia mais comuns. O site traz o seu perfil profissional completo e de sua sócia na clínica, a também cirurgiã plástica Dra. Natale Gontijo de Amorim. Para navegar pelo novo site da Clínica Performa, acesse: www.clinicaperforma.com.br.

Reviver

O médico potiguar, Fernando Lisboa, desembarca dos Estados Unidos no início de agosto após um mês de de estágio em Cirurgia do Câncer do Aparelho Digestivo no Washington MedStar Cancer Hospital, em Washington nos Estados Unidos. O médico acompanhou o trabalho de Paul Sugarbaker, que é uma das autoridades mundiais no procedimento cirúrgico.

Reviver

Tempo de registrar a saudade

Reviver

Meu abraço para Gina, Bia e Pedro ao lembrar o amigo João Maria Monte.

Parabéns a você

Reviver

Reviver

Reviver

Reviver

Festejar e abraçar Ioneide Saraiva, Mariza Guerra, Leopoldo Marques Santa Rosa, Fernando Tavares, Adriana Tinoco Segunda: Rosane Araújo Morais; no RJ Paulo César Medeiros, Tereza Cristina Araújo Lima, Cláudia Souza, Letícia Rodrigues Maia, Washington Palma, Marta Veras Abreu, Edmar Fernandes de Queiroz, Chef Dantas, Luiz Cláudio Souza Terça: Sérgio Pacheco, Felipe Morquecho Carvalho, José Carlos Leite Filho, Geraldo Santos Neto, Felinto Carvalho Quarta: Sérgio Procópio de Moura.

Wolverine: imortalidade mutante

★ RUIM ★ ★ REGULAR ★ ★ ★ BOM ★ ★ ★ ★ ÓTIMO ★ ★ ★ ★ ★ EXCELENTE ✩ ESTREIA

★ ★ ★ GUERRA MUNDIAL Z (14 anos, legendado) Moviecom 3. Sessões 21h15. A história gira em torno do funcionário das Nações Unidas Gerry Lane (Brad Pitt), que atravessa o mundo em uma corrida contra o tempo para deter uma pandemia que está derrotando exércitos e governos e ameaçando dizimar a própria humanidade. Direção: Marc Forster.

Reviver

Movimento franco na cidade, as festas rareando e muitos viajando! Pois bem, quem curte sua nova morada, agora em Miami é Tereza Tinoco e o maridinho Vicente Mares. Mas, a amiga Wanda Fernandes está de malas afiveladas para ir ao encontro do casal... * Depois de temporada em terras italianas os bons amigos Bebeto Torres e Dani Fonseca desembarcam na cidade...*Com festa “passeio completo” e convite impresso será os 5.0 de Beta Almeida em fins de agosto. No Olimpo é claro...* Um monte de Simonetti curtindo terras portenhas e no grupo estão Nadja-Marco Meira Pires, Tásia e Silmara. Com certeza dançam tango argentino neste final de semana...* Parabéns carinhoso para Tereza de Araújo Lima, nesta segunda. Uma lady!...

Retorno

« CINEMA » ★ ★ ★ MINHA MÃE É UMA PEÇA (12 anos, nacional) Moviecom 3. Sessões 14h35, 19h20/ Cinemark 4. Sessões 11h50, 13h50, 16h00, 18h, 20h30, e 23h10 (só sáb). Dona Hermínia (Paulo Gustavo), uma mulher de meia-idade, aposentada e sozinha, tem como preocupação maior procurar o que fazer. Para uma mãe dedicada, a preocupação com os filhos é sempre uma ocupação. Mas os filhos de Dona Hermínia cresceram e agora ela está entediada. Sem um trabalho ou um companheiro, a nada simpática Dona Hermínia passa seu tempo desabafando com a tia idosa, a vizinha fofoqueira e a amiga confidente. Direção: Andre Pellenz.

Caldo de biloca

Com a mão no bisturi

Reviver

hilnethcorreia@tribunadonorte.com.br

São vários os exemplos da passagem do Papa Francisco pelo Brasil. E aqui eu convoco mulheres que queiram se engajar no projeto Reviver. Dar idéias, trabalhar nas campanhas e arregaçar mangas em busca do objetivo maior. Hoje eu vejo como foi grande a luta de Maria Alice Fernandes e tantas outros que presidiram grupos filantrópicos. Próximo Evento – Dia 28 no Hotel Parque da Costeira. Um bingo com lanche doado por Rita Alexandre. Precisamos que a cidade participe, será mais um grãozinho de arreia à caminho da Unidade Móvel da prevenção do Câncer.

Friozinho na serra

Hilneth Correia

Lições de humildade !

7

DIVULGAÇÃO

dublado/legendado) Cinemark 4. Sessões (dub) 15h, 17h40, 20h20/Moviecom 6. Sessões (dub/3D) 16h30/Moviecom 6. Sessões (leg/3D) 21h20/Cinemark 2. Sessões (dub/3D) 12h10, 18h10/Cinemark 3. Sessões (leg) 13h10, 16h10, 19h10, 22h10/Cinemark 2. Sessões (leg/3D) 15h10, 21h10, e 0h (só sab). No segundo episódio da franquia protagonizada pelo herói mutante, o X-man Wolverine viaja ao Japão para treinar com um mestre samurai. Logan, recluso no Japão, encontrará uma misteriosa figura de seu passado que deixará marcas no herói para sempre. Direção: James Mangold.

O HOMEM DE AÇO (12 anos, dublado/legendado) Moviecom 7. Sessões (dub) 14h40, 17h35, 20h30/ Cinemark 6. Sessões (dub/3D) 12h20/ Cinemark 6. Sessões (leg/3D) 15h20, 18h20, 21h20. Um jovem descobre que tem poderes extraordinários e que não é do planeta Terra. Então, ele viaja para descobrir suas origens e o que veio fazer aqui. Mas o herói que tem dentro de si deve se mostrar para que ele salve o mundo da aniquilação e torne-se o símbolo da esperança para toda a humanidade. Direção: Zack Snyder.

O CONCURSO (12 anos, nacional) Moviecom 5. Sessões 15h15, 17h20, 19h25, 21h30/Cinemark 5. Sessões 13h30, 15h45, 17h50, 20h00, 22h20. Quatro finalistas para uma vaga de juiz federal se conhecem no credenciamento e ficam amigos. Durante um fim de semana antes da prova, que deveria ser de descanso, situações hilárias e inimagináveis acontecem. Com Danton Melo, Fábio Porchat, Sabrina Sato, Carol Castro, Anderson De Rizz. Direção Pedro Vasconcelos.

ELENA (12 anos, legendado) Cinemark 1. Sessões 19h30 (só ter/quinta) Elena viaja para Nova York com o mesmo sonho da mãe: ser atriz de cinema. Deixa para trás uma infância passada na clandestinidade dos anos de ditadura militar. Deixa Petra, a irmã de sete anos. Duas décadas mais tarde, Petra também se torna atriz e embarca para Nova York em busca de Elena. Tem apenas pistas. Aos poucos, os traços das duas irmãs se confundem, já não se sabe quem é uma, quem é a outra. Direção: Petra Costa.

“Wolverine – Imortal” é levemente baseado na trama de “Eu, Wolverine” escrita por Chris Claremont e ilustrada por Frank Miller, aonde Logan vai para o Japão atrás do amor de sua vida Marico Yashida, mas pelo que foi mostrado no trailer as adaptações acabam por ai, pois os acontecimentos de Wolverine – Imortal estão ligados diretamente à primeira trilogia X-Men no cinema e mostrando que o filme se passa depois de X-Men 3: O Confronto Final, onde temos um Wolverine amargurado por suas ações tomadas no final da trilogia e indo para o Japão não atrás de um amor, mas sim para receber uma “recompensa” por ter salvo uma vida. Estrelado por ninguém menos que Hugh Jackman (o póprio Wolverine), o filme tem direção de James Mangold.


8

tnfamília

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 28 de julho de 2013

Vestido Fause Haten para Guilhermina usado com colar Rosana Bernardes para Tereza Tinôco

Vestido Guilhermina e brincos Palone Design

Vestido Patrícia Bonaldi para Tereza Tinôco e brincos Palone Design Vestido Guilhermina usado com brincos Milla Costa e sandálias Collezione

Vestido Trinitá para Tereza Tinôco usado com brincos Milla Costa

POSE DE RAINHA

Em tempo de Miss Rio Grande do Norte 2013, tudo nos remete ao glamour e beleza que envolve o mundo dos concursos. E sob as luzes da passarela, um dos momentos mais esperados é o desfile com os vestidos de festa, que também chamamos de “traje de gala”. Brilhos, brilhos e mais brilhos... O momento pede isso, assim como, rendas, tules, transparências, fendas e tecidos esvoaçantes. Kelly Fonseca, a nossa atual “miss”, incorpora – como ninguém – a rainha absoluta deste império dos concursos. Aqui, ela ousa nos vestidos curtos no melhor estilo: vestida para arrasar!

news :::::::::::::::::::::::::::::::::::

A semana será de muita correria com os preparativos para o Miss Rio Grande do Norte 2013. O concurso acontece no próximo dia 08 de agosto no Villa Hall, na Via Costeira e trás a participação especial da Miss Brasil 2012 Gabriela Markus. Além de convidados ilustres do mundo miss. E se você não quer ficar de fora desse show de beleza, garanta o seu ingresso na Estrela Viva, Midway Mall.

A convite dos empresários Guilherme Galvão e Luiz Antônio, a estilista mineira Elizabeth Marques estará em Natal para vestir todas as candidatas do Miss Rio Grande do Norte 2013, com seus maravilhosos vestidos de festa.

Se você ainda não foi conferir a exposição “Coco Chanel – Moda em tempos de guerra” no Nalva Melo Café Salão, vale à pena dá uma passadinha por lá. Sob a consultora de moda de Gladis Vivane e os cliques de Vlademir Alexandre a escolhida a jornalista Carol Reis incorpora Coco Chanel no projeto Nalva Faz Minha Cabeça, cuja idéia é transformar, através de ensaio fotográfico, clientes do local em ícones pop. A mostra está aberta de segunda a sexta, das 10h às 19h. Se joguem!

Direção de moda: George Azevedo. Foto: Humberto Lopes; Beleza: Jackson Smith (Salão Sinval de Souza); Modelo: Kelly Fonseca (Tráfego Models); Styling: Equipe Glam.

do Selo Voador”. Os vencedores de todas as categorias serão anunciados durante a cerimônia de premiação no dia 31 de julho, no Memorial da América Latina. Boa sorte!

O Movimento HotSpot desembarcou sexta-feira, 26 em São Paulo para realizar a última etapa de seleção - o Tanque de Ideias que acontece até o próximo dia 30 de julho no campus Morumbi da Universidade Anhembi Morumbi. Os selecionados serão submetidos a novos desafios e experiências de co-criação propostos pelos curadores e coordenados pelo Mesa & Cadeira.

Para participar dessa fase do Movimento HotSpot foram escolhidos 54 candidatos de 14 estados brasileiros entre os 1.642 inscritos no prêmio. Daqui da terrinha o único selecionado foi Renato de Melo Medeiros na categoria ilustração com o projeto intitulado de “Tecidos

A mamy Zoraide Azevedo ainda encontra-se com um super bazar na Maison Tráfego. Por lá, peças de coleções passadas de marcas como: Victor Dzenk, Renata Campos, Estrela Viva, entre outras chegam a descontos de até 60%. Passa lá!

Está semana a grife de beachwear, Água de Coco, inaugurou a sua primeira loja online, em parceria com o Shop2gether. O lançamento deste novo ponto de venda faz parte da estratégia de crescimento da marca que conquistou um ótimo espaço nas redes sociais nos últimos tempos. Além das estampas hits da marca os looks desfilados na SPFW estarão disponíveis no ecommerce da marca. Show!

Tribuna do Norte - 28/07/2013  
Advertisement