Issuu on Google+

» OS CLASSIFICADOS DA TN CIRCULAM HOJE COM 3.138 ANÚNCIOS E 18 PÁGINAS

FUNDADOR: ALUÍZIO ALVES - 1921 - 2006

PRIMEIRO CLÁSSICO TESTA FAVORITISMO DOS ESPANHÓIS Maracanã assiste Duelo Espanha x Uruguai pelo Grupo B na Copa das Confederações hoje, às 19h em teste complicado para favoritismo para do time espanhol. Fórlan e Iniesta são os destaques « ESPORTES 1 E 2 »

« ENTREVISTA » Para Henrique, governo deve ser avaliado pelo Conselho O presidente da Câmara Federal, Henrique Alves, defende que conselho político precisa avaliar se houve melhorias na administração estadual. Henrique disse, também, ter a intenção de concorrer à reeleição. « PÁGINAS 3 E 4 »

Ano 63 • Número 072 • Domingo, 16 de junho de 2013

Rádio Globo Natal 12h – Enquanto a Bola não Rola 13h – Rádio Globo Futebol Clube 16h – México x Itália 19h – Espanha x Uruguai

Andres Iniesta

Diego Fórlan

16h – México x Itália - Globo, Bandeirantes e SporTV 19h – Espanha x Uruguai Globo, Bandeirantes e SporTV

Espanha

Uruguai

faltam

361

DIAS PARA A COPA

Presidente do TJ considera imprevisível a nova eleição « QUINTO CONSTITUCIONAL » O presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Aderson Silvino, recorreu ao dito popular - “em barriga de mulher e cabeça de juiz, ninguém sabe o que é que tem” - para expressar o clima de incerteza quanto à nova eleição dos três nomes que poderão preencher a vaga aberta de desembargador. Na votação anterior, o pleno do TJRN elegeu em votação secreta os advogados Glauber Rego, Artêmio Azevedo e Magda Letícia. Glauber chegou a ser nomeado pela governadora, mas a eleição foi anulada pelo CNJ. O novo pleito, com voto aberto, deverá ser no próximo dia 26. « NATAL 4 E 5 »

EDU BARBOZA ADRIANO ABREU

« SAÚDE » Bolsa federal não consegue atrair médicos para o interior

MUITO MAIS DO QUE PARECE Henrique Alves, presidente da Câmara

Apesar da oferta de salário líquido de R$ 8 mil e de jornada de trabalho reduzida (32h), programa de bolsa federal não atrai novos médicos para municípios do interior. Em 61% dos municípios inscritos, não houve interessados. « NATAL 1 E 2 »

« INTERNET » Rede 4G para a Copa 2014 em Natal vai ficar pela metade

« DÓLAR » Câmbio deixa mal agências de viagens e importações

Operadoras de telefonia móvel e internet já admitem instalar apenas metade das 165 antenas 4G previstas pela Anatel para Natal. Falta tempo e sobram restrições legais para a instalação. « NATAL 3 »

Quem procura a yoga apenas como método de relaxamento, está perdendo boa parte dos benefícios terapêuticos dessa e outras técnicas orientais, segundo a terapeuta corporal paulista Alda Martinelli. « TN FAMÍLIA 1 E 3 »

A alta do dólar, na última semana, teve reflexos imediatos na economia local. Quem importa insumos, máquinas e equipamentos está pagando mais caro. As reservas de viagens despencaram. « ECONOMIA 1 E 3 »

colunistas

revista da tv

brasil

esporte

Woden Madruga

Marina Ruy Barbosa em “Amor à vida”

Presidência manterá reunião com prefeitos

José Teodoro desiste de comandar o ABC

Atriz garante que não se incomoda de raspar a cabeça para viver, na TV, personagem de “Amor à vida” com diagnóstico de uma doença fatal. « PÁGINA 3 »

Apesar das queixas do Congresso, que vê interesses eleitorais na iniciativa, o governo Dilma pretende manter as reuniões de ministros com prefeitos. « PÁGINA 9 »

Técnico fez o comunicado à diretoria do ABC na manhã de ontem, alegando que teria recebido uma proposta irrecusável do Náutico/PE. « PÁGINA 7 »

Carta de Paulo Balá passa a limpo o ano de seca no sertão. « PÁGINA 2 »

Eliana Lima Carlos Eduardo entrega relatório de transição ao TCE. « NATAL 12 »

88

TOTAL DE PÁGINAS DESTA EDIÇÃO: páginas

FALE CONOSCO: PABX: Redação:

Assinaturas: 4006-6100 Venda avulsa: 4006-6113 Comercial:

4006-6111 Classificados: 4006-6103 Circulação: 4006-6173 Reclamações:

4006-6161 4006-6103 4006-6111

SITE: www.tribunadonorte.com.br REDAÇÃO (pauta): pauta@tribunadonorte.com.br

NO FACEBOOK

facebook.com/tribunarn

NO TWITTER

@tribunadonorte

PREÇO DESTA EDIÇÃO:

R$ 2,50


2

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

Jornal de WM WODEN MADRUGA [ woden@terra.com.br ]

opinião

Dilma e a pesquisa AGNELO ALVES Jornalista

De quem entende de seca No meio da semana me chega carta do doutor Paulo Bezerra, fazia tempo que o ilustre missivista não dava as caras, ausência sentida e reclamada pelos seus leitores e admiradores. O envelope aparecendo por debaixo da porta de sucupira foi como o canto do galo anunciando o amanhecer, mesmo que o assunto atiça o sofrimento de muitos por conta dos maus tratos da seca, aqui tratado por quem é peagadê em sertão, também chicoteado pelo despreparo dos políticos da região e até de um certo menosprezo pelo governo de Brasília. Passo a palavra para o doutor Paulo Balá, senhor da Fazenda Pinturas, terras do Acari: “Meu caro Woden, amigo velho. Faz já um magote de dias que eu não lhe mando uma linha sequer, parecendo haver até mudado de lugar ou ter arranjado intriga, o que não é do meu feitio, mas não foi nada disso, pois continuei por aqui mesmo, fazendo as mesmas coisas, pisando no mesmo chão, plantado no mesmo lugar. E que o dia de amanhã, por ser futuro, vez por outra se apresenta com outra feição: dias bons, dias mais ou menos, e dias ruins no que tange às chuvas tanto escassas quanto irregulares caídas nos sertões do Seridó, sendo grande a mortandade nos rebanhos em virtude da fome e da sede, havendo quem venha a perder o ferro ou ande perto disso. Não há de se falar simplesmente em seca, ocorrência milenar tantas vezes debatida por sertanejos conhecedores da tragédia até pelo fato de conviverem com ela, eles mesmos apontando caminhos de atenuar os efeitos das estiagens como levantar açudes pequenos, e médios, e grandes, represas de grande porte, no sentido de prender a água – bem maior para a vasta região sedenta – mas que rola desembestada para o mar e, por outro lado, perfurar poços tubulares, abrir poços amazonas, fazer barragens subterrâneas, tudo no sentido de prover água – sonho nunca alcançado pelos nordestinos viventes de uma região que sempre andou e anda a Deus dará. Até quando ninguém sabe... Tudo custa dinheiro, mas ele existe, e muito, até para dar lá fora de mão-beijada e, sobretudo, para encher a algibeira insaciável dos corruptos que são muitos. Um freguês que enriqueceu e que por conta da riqueza tomou projeção no seu meio, ao ouvir a acusação de haver arranjado as coisas roubando bode, respostou não se interessar pelo seu passado, pelo que fora, importando, porém, o que estava sendo. E não é que a má lição pegou?... Declarada a seca do ano passado que se estende por este, homens de sangue-no-olho passaram a queimar espinho (xique-xique e cardeiro) todos os dias, que nem cantiga de grilo, ganhando a diária da região por mais de um ano para manter vivo o gado faminto. É que 2011, um ano de inverno acima do normal não foi, por isso mesmo, um bom ano; do mesmo modo que os anos com chuva abaixo da média, secos ou quase, são ruins para a região, os que abrejam também são. Quanto às precipitações deste ano (2013) tivemos em janeiro uma chuva de 25 mm; em fevereiro, 3 chuvas: uma de 40 e 2 de 10 = 60; em março uma de 25; em abril, 7 chuvas de 19, 5, 5, 14, 16, 3 e 4 = 61, e em maio 4 chuvas de 3, 12 e 10 = 25, totalizando 201 milímetros. Dias e semanas, e meses ficamos a esperar a chuva de juntar água nos açudes, que não veio. No entanto, a natureza ainda foi dadivosa, pois que principalmente nos terrenos de serra nasceu babugem, panasco, mimoso milhã, jitirana, amarra cachorro, feijãozinho e apontou ruma de catingueira, de mororó, de maniçoba, de buji... Dos açudes secos, a lama rachada sendo vendida às olarias para o fabrico de telha. A terrível seca de 1878, rescal-

Empresa Jornalística Tribuna do Norte Av. Tavares de Lira, 101 - Ribeira - Natal/RN CEP: 59010-200 Fone: (PABX) 4006-6100 Fax: (0xx84) 4006-6124 Endereço eletrônico: www.tribunadonorte.com.br

do da profunda seca do ano anterior (1877), conhecida como a seca dos dois sete, assim se configura no relato do Coronel Laurentino Bezerra de Medeiros, de Currais Novos: “Continua a miséria do povo morrendo de fome por quase todas as províncias: Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco. O governo tem dado muitas esmolas porém não vale”. Em 1904, ano de seca braba, o Governo botou navios para levar nordestinos para o norte e por lá muitos ficaram porque não tiveram meios de voltar ou porque restaram sepultados pelas doenças tropicais. A migração forçada e o êxodo imposto foram as medidas ofertadas aos brasileiros cá de cima pelos manda-chuvas da Nação. Veja: “Os vapores ‘negreiros’ presente do governo aos flagelados, não comportam todas as passagens solicitadas. Em Areia Branca estão inúmeros retirantes com passagem, à espera desses ‘negreiros’”, é o que está em “Seccas Contra a Seca”, de Phelippe e Theophilo Guerra. Se por um lado não houve pastagem natural para alimentar o rebanho, de outra parte a ração de saco feito o milho, a torta de algodão, o farelo de trigo, a soja ou coisas que tais é tudo muito caro, inacessível à maioria dos homens do campo, embora em lugares isolados até que chove bem juntando água de superfície. Isso também caracteriza os anos desmantelados: chove aqui, mas não chove ali. Getúlio Vargas havia criado um “abono” para famílias de no mínimo sete filhos. Com isso, um pequeno proprietário de terras no sítio Santa Tereza atendendo chamado do meu pai, compareceu a fim de fazer o registro civil dos filhos começando por dar-lhes o nome de batismo e a data de nascimento, para leva-los ao Cartório. Um era Garcia, outro Batista, ou Góis, ou Costa, e assim por diante, e indagado por que não pôr o nome da família do casal – Silva Gomes – entendeu que não, “para não ficar tudo parecido que nem raposa”. Há algum tempo o Governo criou programas sociais de assistência aos pobres, tipo vale isso, vale aquilo e tantos outros, os quais foram mantidos e ampliados por outras gestões, reunidos agora no “Bolsa Família”. Em verdade, na quadra atual de seca não se fala em saques às feiras livres, armazéns e bodegas nem na marcha dos trabalhadores com fome e mal vestidos em busca do prefeito. Por outro lado, também é verdadeiro que os jovens à sombra do programa vivem do ócio, meio caminho andado para as drogas e a delinquência já que a escola sem vali não lhes transmite conhecimentos nem os prepara para o futuro. É que os coronéis de ontem, donos de colégios eleitorais, foram substituídos pelo domínio econômico do poder central de hoje. E olhe que esmola não fica, passa, e olhe lá se não estamos criando algumas gerações de desocupados. É preocupante ver o País sem educação, sem saúde, sem segurança, sem transporte, sem lei que se cumpra, havendo ainda numerosa classe política sedenta e faminta... Receba o meu abraço que há muito não lhe envio. Paulo Bezerra – 10.6.13.” Diretor Presidente: Henrique Eduardo Alves Superintendente: José Roberto Cavalcanti Diretor Adm. e Operações: Ricardo Luiz de V. Alves Diretor Financeiro: Agnelo Alves Filho Diretor de Redação: Carlos Peixoto cpeditor@tribunadonorte.com.br Gerente Comercial: Eliane Rocha Gerente de Marketing: Andréia Barandas Gerente de Circulação: Thales Vilar

M

elhor do que qualquer um de nós, meros eleitores, a presidente Dilma deve saber as razões que determinaram a queda dos percentuais nos índices de aprovação do seu governo e de apoio a sua reeleição. Quando foram divulgados os índices do Data Folha, certamente, a presidente Dilma já tinha conhecimento pormenorizado de cada um dos números absolutos e dos percentuais, assim como da análise, mês a mês, de sua assessoria de marketing. Não tenho porque mudar sobre o que sempre coloquei neste canto de página: “Dilma só deve temer a presidente Dilma”. Enquanto for a “gerentona”, ganha de goleada da presidente. Ponto um. E ponto dois: o fantasma da medonha inflação, outro aspecto a ser temido. Politicamente, a aliança PTPMDB basta. Domine o PT nos ciúmes do PMDB e satisfaça o PMDB, sem prejudicar o PT, que não terá problema na condução do barco governamental, chegando ao porto, em 2014, vitoriosa nas pesquisas e nas urnas. Trabalho para prestidigitador? Talvez. A Presidência da República supõe uma liturgia

Brum

um tanto quanto completa e complexa. Enquanto “gerentora”, acertou todas. Nas vezes que trabalhou como presidente, nem sempre acertou. A “gerentona” decreta. A presidente negocia. E ela não tem a prática de negociar. Politicamente, claro. O PMDB quer avançar. O PT não quer ceder. Os demais partidos... Bem, os demais partidos não valem o que estão cobrando. Uma negociação difícil, muito difícil, para quem não sabe negociar. Exatamente o caso da presidente Dilma, aprovada com folga como “gerentona”.

Minha maloca Se Pedro Álvares Cabral tivesse sido impedido de desembarcar na Costa do Novo Continente, – o nosso – e ocupá-lo indevidamente em nome do Reino de Portugal, eu hoje seria um índio idoso, sobrevivente de flechadas de outras tribos, na região do Cabugi amado, excursionando tranquilamente pelas lindas e paradisíacas bandas de Pirangi e das dunas de Genipabu. Naqueles tempos, 1500, portanto no século 15 do calendário gregoriano da cristandade, não havia o IBAMA, nem IDEMA, os defensores do Meio Ambiente, nem entidades que falam em nome dos direitos humanos, também não havia rádio, televisão e jornal. Só havia mesmo os

Pedro Álvares Cabral desembarcou livre, sem resistência dos índios, no Brasil – Portugal mandou para cá os presos que superlotavam as cadeias de Lisboa e demais cidades portuguesas” índios, coitados, nossos antepassados. Cabral desembarcou sem ser incomodado. Nenhuma flecha foi lançada contra ele e seus companheiros invasores. Mandou o tabelião de bordo, Pedro Vaz de Caminha, lavrar uma ata com registro de posse das terras e ainda mandaram escrever carta ao rei de Portugal, dizendo que “as terras do novo continente são tão boas que nelas, em se plantando, tudo dá”. E o rei português não contou até dez. Também não mandou sementes frutíferas. Mandou para cá os meliantes, corruptos, assassinos, sonegadores, ladrões que infestavam, superlotavam

as cadeias de Lisboa – e demais cidades portuguesas – que desembarcaram livres nas terras que, mais tarde, receberiam o nome de Brasil. Melhor que nós, brasileiros, tivéssemos apelado aos índios. Os índios agora reagem. Não aos portugueses colonizadores, mas aos brasileiros como os índios na disputa por terra. Ah, sim. O rei de Portugal dividiu generosamente as terras como se fossem suas, nominando-as de “capitanias hereditárias”... O Brasil, salve, salve!

Salve o tomate O tomate é forte mesmo. Chegou à torre dos 17 reais, sem protesto. Baixou para 15 reais. Baixou mais ainda para 12 reais. Hoje, não sei quanto está custando nesse jogo de “sobe e desce”. O ponto de partida foi nos arredores dos dois reais, parece. Antigamente, o tomate fazia par com o ovo, embora o ovo sempre tivesse no topo do preço. Com o pico dos 17 reais, nem a galinha Carijó teve condições de competir com o tomate, vermelhão todo. O que está mais caro, o tomate ou o ovo? Quem nasceu primeiro? O ovo ou a galinha?

Chuva em Lajes Choveu em Lajes. Certamente – não tenho dúvida – foi intercessão de nosso inesquecível amigo Salviano Gurgel junto a São Pedro. Amém!

Cartas

[ www.rabiscosdobrum.zip.net ]

Auxílio Moradia Tenho pena desse pessoal, são uns pobres coitados, SEM TETOS, precisam de dinheiro do contribuinte para ter onde morar. Vão trabalhar, façam alguma coisa pela sociedade, vocês já ganham muito mais do que merecem. leido@ig.com.br

Sequestro

Caminhada octogenária LAURO BEZERRA Professor aposentado da UFRN

A

o adentrar em 2013 na quadra dos oitentões, encontrei a confluência de três sensações prazerosas: emoção, retrospecto e reflexão. A emoção vem da alegria compartilhada de familiares e amigos. De curtir amizades de sintonias nesse passear entre retas e curvas da vida. Do enriquecimento de afinidades e adesões sentimentais. O restrospecto leva a percorrer vários estágios de tempo. Verficar que a vida não é feita pela contagem dos anos. Não é o número de anos que faz a pessoa envelhecer. Não é a idade que está a vida da pessoa. Existem maiores bens para cultivar como a saúde, a amizade e permanecer sempre ocupado. Para envelhecer com a mente lúcida, os sentidos bem atentos e a disposição física. Refletir sem o vidro de aumento da imaginação sobre o que somos. Identificar a nossa missão no mida que passa por

Classificados Redação Fax Venda Avulsa Assinatura Natal Reclamações Natal ASSINATURA Mensal (à vista) Semestral (à vista) Anual (à vista)

4006-6161 4006-6113 4006-6124 4006-6100 4006-6111 4006-6111 R$ 43,00 R$ 258,00 R$ 516,00

avaliações e reconstruções com inovações sociais dominantes no cenário da sociedade atual. É preciso evoluir na arte do pensamento, caminho novo que conduz ao amadurecimento espiritual, imprescindível para

Festejar oitenta anos não deve ser prenúncio de tédio e nem de solidão. É salutar o exercício de ouvir, de encontrar espaços para o repassar de olhos e avivar reminiscências” compreender as evoluções deste novo tempo. A arte de pensar bem conduzidas leva à ampliação da reflexão das aspirações e dos compromissos. Isso afasta o desecanto que é contrapartida da es-

PREÇO DO EXEMPLAR Rio Grande do Norte 3ª a Sábado Domingo Outro Estado 3ª a Sábado Domingo

perança exagerada quando não podemos mudar os acontecimentos da vida. Devemos alterar os modos de vivê-los, jamais querer abrigo nas sombras do desanimo. Buscar sempre o otimismo, insistindo em três enfeites que fazem a vida mais bonita e produtiva que são o idealismo, a coerência e a dedicação ao trabalho. Aí deve estar o segredo modulada pela sociabilidade, comedimento e humildade. Festejar oitenta anos não deve ser prenúncio de tédio e nem de solidão. É salutar o exercício de ouvir, de encontrar espaços para o repassar de olhos e avivar reminiscências. Ficar atento para possibilidades futuras. Conviver com diferentes e crer que nas adversidades podemos obter melhor aprendizado. O sentido e o valor são compartilhados na concepção de Fernando Pessoa “Feliz que não exige da vida mais do que ela espontaneamente lhe dá”. A vida é mais bem vivida com fé, esperança e amor. Nas três virtudes, é possível encontrar o caminho, a verdade e a vida.

Como podemos confiar numa polícia que só trabalha e investiga quando a vítima é um comerciante RICO e de Mossoró. O que esta polícia fez quando as crianças pobres do Planalto foram sequestradas? Já faz alguns anos e até hoje esta POLÍCIA nada fez. Perguntar não ofende. Esta atitude mostra que no Rio Grande do Norte a POLÍCIA só serve para defender interesses dos PODEROSOS. Nós o povão somos entregues aos marginais já que não podemos pagar por nossa segurança. Está aí a POLÍCIA e o JUDICIÁRIO perseguindo Estudantes e Trabalhadores que pedem passagem de ônibus dignas, enquanto marginais assassinam a população sem serem incomodados por esta dita “BRIOSA POLÍCIA” cmgtpoeta@yahoo.com.br

Sequestro 2 Rapaz, o povo só sabe criticar... Vá ver primeiro a situação caótica em que se encontra a Polícia e mesmo assim mostra o seu trabalho... Não tem como resolver todos os casos pelo amor deDeus! Quem quer visitar uma delegacia no RN? Se trabalha com o mínimo do mínimo... Os policiais fazem cotinha para pagar conta de telefone e comprar material de expediente! Evidente que quando o caso envolve alguma família de poder aquisitivo há a facilitação da investigação! No caso, a família disponibilizou helicópteros e outros materiais que o Estado não tem!!! Investigação não se faz com bola de cristal... Policial não é vidente!!! kekinha_mm@hotmail.com

FILIADO AO

R$ 1,50 R$ 2,50

FILIADO AO INSTITUTO VERIFICADOR DE CIRCULAÇÃO

R$ 2,00 R$ 3,20

REPRESENTANTE NACIONAL – Pereira de Souza & Cia Ltda: Rio de Janeiro : (O21)2544-3070 – São Paulo: (011) 3259-6111

FILIADO À ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE JORNAIS

REDE CABUGI DE COMUNICAÇÃO TRIBUNA DO NORTE 4006-6100 Rádio Globo/Cabugi (AM) Natal 4006-6180 104 (FM) Parnamirim 3272-3737 Rádio Difusora de Mossoró (AM) 3316-3181/2181/3317-6167 Rádio Cabugi do Seridó (AM) J. do Seridó 3472-2759 Rádio Baixa Verde (AM)J. Câmara 3262-2498 Pereira de Souza(SP) 11/3259-6111 Pereira de Souza(RJ) 21/2544-3070


política

Notas & Comentários

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

3

»ENTREVISTA » HENRIQUE EDUARDO ALVES ‘Está na hora do conselho político avaliar se houve mudanças no Governo’ PRESIDENTE DA CÂMARA DOS DEPUTADOS

[ colunanotas@tribunadonorte.com.br ]

Restrição aos partidos O presidente nacional do PSB, o governador Eduardo Campos (PE), afirmou acreditar que o projeto de lei para inibir a criação de novos partidos voltará a ser discutido na Justiça mesmo que seja aprovado no Congresso. Para o governador, apesar do Supremo Tribunal Federal (STF) liberar a votação — suspensa anteriormente por liminar do ministro Gilmar Mendes — pelo Senado, caberá ao Judiciário dar a palavra final sobre a constitucionalidade da proposta. Campos disse que recebe “com tranquilidade” a decisão do STF porque “determinação da Suprema Corte, na democracia, deve ser acatada”. Mas avaliou que “muitos” ministros do Supremo já “deixaram claro que uma coisa é interromper um processo de votação que estava em curso no Senado e outra coisa é o mérito da matéria”.

« RUMO A 2014 » Presidente da Câmara afirma que é preciso fazer uma avaliação para identificar se melhorou a situação da administração estadual e diz ter a intenção de concorrer à reeleição EDU BARBOZA

ALDEMAR FREIRE E ANNA RUTH DANTAS Editoria de Política

Vocês têm visto na imprensa muita gente falando que o Brasil passa por um momento de dificuldades. Interessa a alguém criar essa ideia. Não só o País não está em uma situação difícil como é extremamente sólido” DILMA ROUSSEFF Ao criticar os que apontam equívocos na política econômica e risco de retorno da inflação EMANUEL AMARAL

O

presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB), é muito cauteloso ao responder sobre o pleito de 2014. Ele defende que o momento é da união da classe política do Rio Grande do Norte e afirma que, no final deste ano, devem ser abertas as discussões sobre o cenário eleitoral. Embora com ponderação, o deputado admite que a governadora Rosalba Ciarlini pode ser candidata natural à reeleição. No entanto, observa que a definição do candidato a governador do grupo virá a partir de critérios objetivos, com pesquisa qualitativa, análise sobre avaliação do Governo junto à população e perspectiva de vitória. Para Henrique Eduardo, julho será o momento de uma nova reunião do Conselho Político do Governo do Estado. “Acho que a modificação que ocorreu em recursos hídricos, na saúde e na agricultura, já foi um passo a favor”, observa. O presidente estadual do PMDB afirma que não pretende disputar o Governo em 2014, porque o projeto é concorrer à reeleição e, assim, continuar na Câmara dos Deputados. Sobre o recente encontro com a vice-prefeita de Natal, Wilma de Faria, Henrique Eduardo afirma que os canais foram desobstruídos. Já sobre uma possível sinalização de aproximação com o prefeito Carlos Eduardo, ele afirma que a intenção é ajudar à cidade de Natal. Acompanhe a entrevista com o presidente da Câmara dos Deputados, o deputado federal Henrique Eduardo Alves.

Como o senhor avalia o cenário para o pleito de 2014?

Ao confirmar que pretende implementar o pagamento de auxílio-moradia aos promotores, o procurador-geral de Justiça eleito, Rinaldo Reis, provocou certa perplexidade. Afinal, trata-se de profissionais que já têm salários diferenciados no serviço público. São, ao contrário de várias categorias, bem pagos. O argumento segundo o qual há autorização legal para a concessão do “auxílio” esbarra em outras ponderações. Na administração pública, não basta um ato ser legal. Também precisa, de acordo com a Constituição, preservar a moralidade e a razoabilidade. É razoável, moral e oportuno conceder uma vantagem a uma categoria que já tem remuneração privilegiada, com o Estado em uma crise financeira na qual apresenta dificuldade até de pagar a folha dos servidores em dia? A resposta, nas atuais circunstâncias só pode ser “não”. Um Estado com tantas dificuldades não pode arcar com mais esse custo. Implementar essa vantagem vai ser, para dizer o menos, um absurdo.

Missão na Rússia

Perspectiva para o DEM

O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves, viaja neste domingo para uma missão oficial na Rússia. Ele vai acompanhado dos líderes das bancadas do DEM, Ronaldo Caiado, e do PPS, Rubens Bueno. Também vão integrar a missão da Câmara os deputados Bruno Araújo (PSDB), Fábio Ramalho (PV) e Felipe Maia (DEM). Durante a programação em Moscou, haverá uma reunião com o presidente da Duma (parlamento russo), Sergey Naryshkin, para assinatura de um protocolo de cooperação. Além disso, os deputados brasileiros participarão de diversos encontros com instituições parlamentares em Moscou e São Petersburgo.

Apesar das dificuldades do partido que preside, o DEM, o senador José Agripino procura demonstrar otimismo quando responde sobre os rumos da legenda. “Sairemos da eleição de 2014 maiores do que somos hoje e do que éramos antes do ataque do PSD. Não tenho nenhuma dúvida sobre isso”, disse José Agripino ao portal Brasil Econômico. “Realisticamente, podemos eleger entre 40 e 50 deputados federais. Estamos fortes no Piauí, Ceará, Espírito Santo, Alagoas e Santa Catarina. E vamos crescer em São Paulo e Minas Gerais”, comentou. Para isso, o DEM evita preconceitos contra possíveis aliados locais. “Não há restrição para a formação de alianças. Só com o PT que seria impossível”, acrescentou.

Votação do FPE Os senadores devem fazer poucas modificações no projeto de lei complementar que define novas regras de distribuição do Fundo de Participação dos Estados (FPE), permitindo que a matéria seja votada até o dia 23, prazo estipulado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para que o tema seja resolvido pelo Congresso. Mas os parlamentares apostam que o novo texto seguirá os mesmos moldes do projeto aprovado pela Casa em abril e derrubado quarta-feira (12) pela Câmara dos Deputados. Se for preservado como está, o texto não prejudica os estados nordestinos.

Acho que é muito cedo. Qualquer visão que se insista em ter agora não é a que vai acontecer, não é a verdadeira. Como falta muito tempo, a realidade vai se impor de forma diferente. É inútil discutir agora cenários que poderão não ser verdadeiros. É uma questão apenas de enxergar diferente. Mas há quem esteja conversando sobre 2014...

Eu acho que esse é um ano muito importante para o Rio Grande do Norte. É o momento de juntar as energias, buscar vitórias para o nosso Estado. Se você tratar essa questão eleitoral e radicalizar, começa a ter olhares atravessados dos interessados. E quero que nessa hora todos olhem para o presente e o futuro do Rio Grande do Norte. O senhor acha que caminha para uma aliança com o PT? Os petistas colocam como pré-condição não ter o DEM no palanque. Será possível uma aproximação dada essa condição?

O PMDB não defende e nem participará de nenhuma solução radicalizada. A história mostra que esse radicalismo não leva aos melhores resultados. Nenhuma solução radical imposta terá a melhor compreensão do PMDB. E digo mais: a questão hoje colocada é que o PMDB é parceiro, sim, da governadora Rosalba. Não adianta querer tapar o sol com a peneira. O PMDB faz parte da base de apoio da governadora. Eu tenho muita autoridade para falar sobre isso porque não a apoiei para governadora na eleição de 2010. Na ocasião havia posicionamentos diferentes no PMDB...

Eu apoiei Iberê Ferreira, mas, como perdi a eleição e Garibaldi Filho, nesta linha, ganhou, ou ele vinha para cá ou eu ia para lá. Como eu sei ganhar e sei perder, e perdi, para reunificar o PMDB, somei no apoio à governadora. Quem construiu a realidade de hoje foi a liderança vitoriosa do senador Garibal-

di junto à candidata Rosalba. Eu me adaptei a essa realidade. O PMDB faz, sim, parte da base da governadora Rosalba, ao lado do PR, do PP e de outros partidos. Esse é o quadro de hoje. Se será o de 2014, até lá saberemos. O PMDB havia marcado reunião para maio onde discutiria a relação com o Governo Rosalba Ciarlini. Por que desmarcou? Receio de divisão no partido?

Eu marquei essa reunião lá atrás, mas havia possibilidade de uma coincidência de estar aqui a presidenta Dilma. Para não ter que desmarcar na véspera, eu adiei. Mas aproveitei também, porque senti que o clima estava sendo contaminado e aqui ou acolá poderia conduzir a uma radicalização do processo para lançamento de candidatura de governador. Não era a reunião que eu queria ter para programar encontros regionais, discutir o Rio Grande do Norte, ter esse papel de construção do qual o PMDB quer ser protagonista. Isso não obstruiu o debate no partido?

Não. Há instrumentos que possibilitam ao PMDB essa posição. Hoje o partido tem o ministro de Estado, o presidente da Câmara. Então eu tenho obrigação de pensar assim. Quando eu vi que a coisa poderia ser meramente eleitoral e radicalizada nesse sentido, aproveitei e não realizei mais. Não quero uma reunião do PMDB para discutir quem vai ser governador, lançar candidatura, radicalizar o processo. Não é hora para isso. Estamos vivendo um momento único no Rio Grande do Norte. Eu não sei quando vai se repetir. Se começarmos agora a nos dividindo, ir para lá ou ir para cá, termina a sinergia se perdendo. Essa é a hora do Rio Grande do Norte atrair investimentos para imensos desafios que precisamos superar. Mas alguns parâmetros já são possíveis vislumbrar para 2014? Por exemplo, o PMDB terá candidato próprio ao Governo?

Hoje não teria motivo para uma definição. Fazemos parte da base de um Governo, que vai dis-

ì QUEM Atual presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo está no décimo primeiro mandato. É também presidente estadual do PMDB no Rio Grande do Norte

O PMDB faz, sim, parte da base da governadora Rosalba, ao lado do PR, do PP e de outros partidos. Esse é o quadro de hoje. Se será o de 2014, até lá saberemos”

Na hora em que ela tem o direito de ser candidata à reeleição, é a preferência natural. O que precisa saber é se o direito da governadora será exercido ou não. Essa avaliação terá que se fazer com dados objetivos, reais”

cutir na época, entre seus participantes, que rumo tomar. Então, não poderia afirmar, hoje, se haverá candidatura própria do PMDB. Veja, se nós estamos integrando um sistema político com vários partidos, essa decisão deverá ser conjunta. Na época, vamos ver o quadro e, com muito realismo, identificar, as tendências, sentir o que o povo quer. Na época certa, portanto, poderemos aferir. Mas adiar essa definição não seria prejudicial ao partido? Não gostaria que fosse uma posição isolada. Lógico que todos pensam em candidatura própria para presidente da República, para o Governo do Estado. Essa é uma vontade de qualquer partido. Mas na hora em que você integra um sistema político com outros partidos, não pode ter esse egoísmo como ponto principal. Você tem que participar dessa articulação conjunta até porque uma andorinha só não faz verão. Ninguém pense que sozinho vai ganhar uma eleição por mais forte que possa estar. Temos que buscar parceiros, construir aliança. Se fazemos parte de um grupo, com alianças políticas, acho que no final do ano ou início de 2014, vamos nos sentar, examinar o quadro, com uma grande pesquisa qualitativa que nos oriente, e saber qual a vontade do povo do Rio Grande do Norte. Pelo fato da governadora Rosalba Ciarlini ter o direito de ser candidata à reeleição, isso quer dizer que no grupo político, do qual o PMDB faz parte, ela é a preferencial para concorrer?

Na hora em que ela tem o direito de ser candidata, como Garibaldi Filho teve, e outros tiveram, acho que é a preferência natural. O que precisa saber é se o direito da governadora será exercido ou não por ela. Nessa avaliação terá que se fazer também com dados objetivos, reais.

+

PAGINA 4 Continuação da entrevista com o presidente da Câmara


4

política

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

»ENTREVISTA » HENRIQUE EDUARDO ALVES ‘Meu projeto é a reeleição para deputado federal’ PRESIDENTE DA CÂMARA DOS DEPUTADOS

FOTOS: EDU BARBOZA

« RUMO A 2014 » Henrique Eduardo destaca que não é hora de discutir a formação de alianças eleitorias e insiste que, neste momento, o RN precisa de união O que se deve levar em consideração para definir se a governadora concorrerá à reeleição?

Como estará sua posição administrativa, como estará avaliado o seu governo e a expectativa de vitória eleitoral. Mas a primeira avaliação será para saber se a solução natural da reeleição estará viável política e eleitoralmente. Esse será o primeiro dado a ser colhido com o qual poderemos concordar ou não. Mas na hora certa, na hora própria e de forma muito leal.

O PMDB não vai, no que depender da minha condução, precipitar um processo eleitoral”

O senhor se sente motivado a ter o nome cogitado nessas discussões que vão ter para uma chapa majoritária?

Não. Minha motivação é continuar na Câmara Federal. Acho que tenho papel importante a desempenhar no quadro nacional. Uma saída minha, neste momento da conjuntura nacional, deixaria um vácuo importante. O Rio Grande do Norte precisa manter (essa posição) até para ajudar o governador. Meu projeto, sim, é uma reeleição para deputado federal.

A deputada Fátima Bezerra confirmou que tem o nome dela posto para o Senado. O PMDB admite discutir isso?

Na próxima legislatura, o senhor poderia ser reconduzido a presidente da Câmara?

Aí é o sonho dos sonhos. O sonho já realizei. O ‘sonho dos sonhos’ que pode acontecer ou não, dependerá do resultado da eleição, do tamanho da bancada, do entendimento com o PT e com outros partidos... Mas esse sonho, como definido pelo senhor, faz parte do seu projeto?

Estou muito envolvido, e concentrado, no atual mandato. Está começando ainda, não quero atropelar as coisas. Não tenho o direito de atropelar. Na hora em que você adquire uma experiência, como adquiri, tem que saber que todo dia é a sua agonia ou todo dia sua alegria. É construir passo a passo o caminho. Mas descarta a possibilidade de uma candidatura ao governo?

Para uma candidatura a governador eu não ofereço o meu nome, porque estou em um projeto nacional que é muito importante para o Rio Grande do Norte. O nome do ministro da Previdência Garibaldi Filho para o Governo é uma possibilidade no PMDB?

Sim, poderia ser, porque acho que em qualquer pesquisa

no Rosalba não tem atendido as expectativas do PMDB como um todo. Tanto é assim que provocou aquela reunião de Brasília. Mas aconteceram mudanças. Acho que a modificação que ocorreu em recursos hídricos, na saúde e na agricultura, já foi um passo a favor. Se poderemos ter outro nessa direção, isso a gente poderá avaliar. Agora, a insatisfação é evidente. O Governo passa por dificuldades. Mas eu acho que o PMDB tem o dever e, eu aprendi isso com o meu pai (Aluízio Alves), de ajudar. Não pode dizer: “Na hora em que está tudo bem, serei governo. Na hora em que as coisas não estão bem, largarei o barco”. Não é assim. Tem que ajudar a melhorar, a corrigir. Foi isso que aprendi com meu pai.

Governo passa por dificuldades. Mas eu acho que o PMDB tem o dever e, eu aprendi com o meu pai, de ajudar” que se realize, o nome de Garibaldi vai pontuar em primeiro lugar tranquilamente. Mas é um direito dele também (concorrer ou não). Garibaldi está em um bom momento, é ministro da Previdência. Com a reeleição da Dilma, ele, certamente, continuará ministro nesta ou em outra pasta. É um espaço que o Rio Grande do Norte também não pode jogar fora. Embora o senhor fale em alinhamento do PMDB com o Governo Rosalba, o próprio ministro, em declarações à imprensa, não mostra descontentamento com a administração estadual?

Eu reconheço que o Gover-

Não sei, porque na formação de aliança não pode se discutir só o Senado. Essa será uma eleição que envolve governador, senador, bancadas federal e estadual. A aliança precisa se construída coletivamente e ver também o que é melhor para eleger deputados estaduais, como é melhor para eleger uma forte bancada federal. Vamos discutir esse assunto, na época própria, coletivamente. Há quem fale em um desconforto do PR no Governo Rosalba Ciarlini. O senhor conversou sobre o assunto com o deputado João Maia?

Não. Eu estou cuidando do PMDB, o que já é muito. O deputado João Maia tem muita competência, experiência, é um líder forte partidariamente. Sabe conduzir. Mas eu não tenho a menor dúvida, está na hora de outro conselho político daquele se reunir para avaliar o que foi feito de lá para cá, se as mudanças aconteceram. Eu ainda acho o Governo muito preso nas suas decisões. Ainda acho que não está interagindo como deveria. O que está travando esse Governo? O que acontece que a governadora não consegue reverter os índices de desaprovação?

Primeiro, as medidas econômicas e de investimento que vão gerar um melhor futuro para o Rio Grande do Norte são a longo prazo. Agora mesmo temos um exemplo importante. A presidenta Dilma esteve aqui e des-

tinou, em várias vertentes, quase R$ 2 bilhões para investimentos no Rio Grande do Norte. Essas coisas precisam acontecer para mostrar ao cidadão que o Estado está se desenvolvendo, crescendo e isso pode melhorar a análise do desempenho dos Governos Federal e Estadual. Vamos ver se isso acontece e se vai ser suficiente para recuperar também a posição do governadora Rosalba Ciarlini ou se é preciso um pouco mais. De qualquer modo, o Governo precisa ainda conversar mais, interagir. Mas há também limitações financeiras, que têm levado o Governo a dizer muito “não” àqueles que precisam. Vamos ver se essa é uma questão financeira ou de ordem gerencial, de competência. Essa análise precisa ser feita logo para saber se as circunstâncias melhoram do ponto de vista político e administrativo. O vice-governador Robinson Faria, em declaração recente, disse que os partidos que estão na oposição não devem mais esperar o PMDB. Como o senhor viu essa afirmação?

O PMDB nunca pediu a ninguém para esperar. Pelo contrário, estamos dizendo que, a meu ver, não é hora do PMDB discutir política eleitoral. Quem achar que nesta hora vai conversar eleição 2014 com o PMDB , ajustando chapa, candidaturas, vai cometer um erro. Essa não é a hora para isso. Por quê?

Eu fico imaginando o cidadão norte-rio-grandense, preocupado com a segurança, com a saúde pública... Não passa pela cabeça dele quem será o governador eleito em outubro de 2014. Quem discute isso agora são mais os atores políticos, em nível estadual, municipal. O cidadão não está preocupado em saber quem vai tentar melhorar a sua vida a partir de janeiro de 2015. Quer saber as medidas que serão adotadas neste momento. O PMDB não vai, no que depender da minha condução, mas não mando no partido, precipitar um processo eleitoral. Ape-

nas os que já são candidatos pensam nisso 24 horas por dia. Não é o caso, a meu ver, de ninguém do PMDB. Quem lança candidatura agora ao Governo e Senado está cometendo um erro estratégico?

Pode ser que pense: “Quem é coxo, parte cedo”. Talvez alguém acha que precisa começar a viabilizar o nome, porque não tem uma estrutura partidária maior para dar suporte na hora da decisão. Respeito muito. Mas o PMDB não está nesse cenário e, se depender de mim, não estará até o final do ano. Houve desobstrução no diálogo do PMDB com o PSB?

Acho que houve e eu vi com muito bons olhos o gesto da exgovernadora Wilma em vir aqui à minha casa por iniciativa dela. Eu agradeci e ela foi muito correta. Não discutimos candidatura de 2014. Foi apenas o recomeço de uma relação. Eu tinha uma relação com a ex-governadora muito boa. Foi um gesto político interessante dela que eu registrei. O senhor também tem dado sinais de reaproximação com o prefeito de Natal, Carlos Eduardo?

O prefeito Carlos Eduardo foi eleito e todos nós sabemos que Natal hoje está deteriorada, carente de serviços públicos, de cidadania. O prefeito terá em mim, 24 horas por dia, toda a disposição e apoio para ajudar. Já as questões políticas, o tempo dirá. Se o senhor não oferece o seu nome para ser candidato a governador, se o ministro Garibaldi Filho também já disse que não oferece, o PMDB tem como apresentar candidatura própria?

É impressionante como vocês querem falar sobre esse assunto. Não é hora de discutir isso. Veja, os leitores podem observar, quero registrar, como perguntam sobre esse assunto. Mas não é o momento. Precisamos pensar no Rio Grande do Norte. Temos imensos desafios. O novo porto, o transporte leve sobre trilho, a necessidade de

modernizar nosso Estado. Não vou discutir política eleitoral agora. Há uma expectativa do Rio Grande do Norte com senhor na presidência da Câmara dos Deputados. Teme frustrar essa expectativa?

Não. Não vou frustrar, até porque eu penso nisso 24 horas por dia. O meu sonho — pessoal, emocional e político — já realizei. Um deputado de um Estado pequeno, que tem a menor bancada, de oito deputados, foi representante da bancada do PMDB e consegue pelo seu partido se eleger presidente da Câmara, que tem 513 parlamentares. Essa realização pessoal, da minha vida pública, da minha coerência, eu já realizei na hora que sentei ali. Agora, a partir dali, eu quero realizar outro: ser um grande presidente da Câmara para o Brasil e para o Rio Grande do Norte. Vou lutar por isso no que eu puder. O senhor confirma o edital de licitação da Reta Tabajara para o dia 20?

Vão sair os dois dia 20 (o edital de licitação da Reta Tabajara e do projeto da duplicação da BR 304). A gente espera começar em dezembro a obra da BR 304. Isso porque vai ser pelo RDCI que é mais rápido. Pelo RDCI (Regime Diferenciado Integrado de Construção), a empresa faz o projeto e vai construir a obra. O ganhador do projeto, nesse edital, que eu espero até dezembro estar realizado, fica com a construção também. Esse (a duplicação da BR-304) é o projeto mais importante para esse período no qual o senhor estará na presidência da Câmara?

Não. A gente quer conquistar para o Estado, que é urgente, o novo porto. Pecém, no Ceará, e Suape, em Pernambuco, estrangularam um pouco o nosso porto, que perde competitividade e espaços. Temos que construir o novo porto. E podemos também tentar ampliar a refinaria Clara Camarão, em Guamaré. Ela era para ser maior. Esse é um dos objetivos que a gente poderia traçar. Tem vários projetos que o Estado precisa viabilizar e, para isso, deve ter unidade. Como viabilizar a conquista desses projetos?

Não é só Henrique na Câmara porque uma andorinha só não faz verão. Eu sou forte se eu conseguir unir a bancada, com a Assembleia, com o Governo, aí sim nos apresentaremos unidos e fortes perante o Governo Federal. Há uma questão que também me preocupa muito e precisa de ações urgentes. É a saúde pública. Precisamos de ações que fortaleçam os hospitais regionais e assim diminua o inchaço que há em Natal, com pacientes vindos do interior. A segurança pública também é outro aspecto muito importante. Hoje o que temos é a insegurança pública. É necessário o envolvimento de todos para o reforço dos segmentos que envolvem a segurança com o apoio do Governo Federal.


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

política

5

PEDRO FRANÇA/AS

Comissão vota lei do terror « CRIME E CASTIGO » Relator propõe pena rigorosa para quem praticar terrorismo por “motivo ideológico, religioso, político ou de preconceito”

S

ão Paulo (AE) - A comissão mista do Congresso criada para consolidar a legislação federal deve votar no próximo dia 27 um anteprojeto de lei que tipifica o crime de terrorismo no País. A perspectiva é aprovar uma legislação na Câmara e no Senado antes da Copa do Mundo do ano que vem, uma vez que, apesar de prevista na Constituição, o Brasil não conta com uma lei antiterrorismo. Na sessão da quinta-feira, o senador Romero Jucá (PMDBRR), relator da comissão mista,

« RUMO A 2014 »

Eduardo Campos aponta FHC como exemplo

R

ecife (AE) - O governador de Pernambuco e presidente nacional do PSB Eduardo Campos (PSB) citou o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) como protagonista de “um bom momento da história do País” a ser seguido, ao comentar que “o viés eleitoral acelerado que se vive hoje atrapalha inclusive a juntar forças”. “Vi, durante a campanha de 2002 o presidente Fernando Henrique chamar ao palácio todos os candidatos a presidente da República para discutir a questão do Brasil naquela hora, quando havia uma crise cambial batendo às portas, havia necessidade do Fundo Monetário Internacional (FMI)”, disse, em entrevista, depois de nomear 350 médicos para reforçar os quadros das unidades hospitalares do Estado. Indagado se a presidente Dilma deveria fazer o mesmo, ou se ainda era muito cedo, ele explicou: “Quis dizer com isso que naquele tempo quem era oposição é governo hoje e nós atendemos, todos os candidatos foram ao presidente Fernando Henrique, os que nós apoiávamos adotaram postura de responsabilidade”. “É importante que a gente aprenda com estes bons momentos da história onde as pessoas podem deixar as ambições de lado e pensar no futuro do País”, destacou, ao ser indagado sobre declaração do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, para quem seria natural a oposição torcer por “uma quedinha” na popularidade da presidente Dilma. Campos defendeu que tanto os que estão na base do governo quanto os que estão na oposição precisam ter “uma posição responsável” e pensar no que é importante fazer agora para ajudar o Brasil a se animar, a animar a economia. “Quem pensa em ganhar eleição, tem de ganhar pelos méritos e não pelos deméritos de alguém”. Sobre a confiança do presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves, quanto à realização de segundo turno nas próximas eleições presidenciais, a partir das últimas pesquisas de avaliação da popularidade da presidente, o governador afirmou respeitar a opinião do senador, mas disse que “fazer previsão de eleição com um ano e seis meses de antecedência é muito arriscado”. Para ele, mais significativo é o fato de que as últimas três eleições presidenciais no Brasil tiveram dois turnos. “É mais expressivo do que qualquer pesquisa que se exercite neste momento”, pontuou, revelando a sua crença na realização de dois turnos nas eleições de 2014. Eduardo Campos, de 47 anos, vai ser pai pela quinta vez. Ele confirmou que sua mulher, Renata Campos está grávida de um mês.

apresentou uma versão preliminar da sua proposta. Entre os principais pontos, Jucá propôs que a pena para quem praticar terrorismo por “motivo ideológico, religioso, político ou de preconceito racial ou ético” será enquadrado no novo tipo penal, cumprindo pena de 15 a 30 anos de prisão. Nas ações terroristas que resultarem em morte, a pena mínima subiria para 24 anos. O relator da comissão também propôs um aumento de pena em um terço quando o crime for pra-

ticado contra autoridades, como presidentes dos três poderes da República. Ele também sugeriu penas diferentes para o crime nos casos de financiamento, incitação, favorecimento pessoal e formação de um grupo terrorista. Contudo, o deputado Miro Teixeira (PDTRJ), que foi sub-relator do tema na comissão mista, cobrou mudanças na proposta apresentada por Jucá. A principal delas é a retirada de quaisquer motivações para a tipificação do crime. O receio é que movimentos sociais, como o MST,

possam ser criminalizados. Assim como outros parlamentares, o pedetista pediu a exclusão do aumento de pena para as autoridades. O parlamentar do PDT também quer uma pena única, de 24 a 30 anos, para todas as variações do crime de terrorismo. “Quem de alguma forma colaborou para o ato terrorista, tem que ter a mesma pena”, defendeu o deputado. Romero Jucá admitiu que deve alterar pontos do seu texto. “A ideia não é enquadrar movimentos sociais como terrorismo”, disse.

Senador Roberto Jucá articula as votações no Congresso


6

geral

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

“Esperava o arrependimento” « SEQUESTRO » O pai do jovem Fabinho Porcino, o empresário Fábio Porcino, sequestrado em Mossoró, falou da alegria de rever o filho e da esperança no arrependimento dos sequestradores. “Eu tenho fé” GEANGELLES PINHEIRO/CEDIDA

BATE-PAPO Antônio Pastor delegado – Polícia Civil do Ceará

Delegado do Ceará dá detalhes do resgate de Fabinho RICARDO ARAÚJO repórter

Pai e filho se reencontram após o sequestro. “Estamos agradecendo a Deus e a Polícia do Rio Grande do Norte e do Estado do Ceará “ MARCELINO NETO

CEDIDA/DIVULGSAÇÃO

Familiares e amigos esperavam a chegada de Fabinho Porcino

Fábio Porcino concedeu entrevista na manhã de ontem

CÉZAR ALVES

costuma chamar a policia logo. A vida está em jogo. É hora de fazer uma reflexão e aguardar o que vai acontecer. Às vezes se arrepende e devolve a criança”. “A gente é de família simples. Meu pai sempre educou para trabalhar. Não sei por que esta perseguição. Talvez agente tenha usado muito o nome Porcino nas empresas, em reconhecimento ao meu pai. Mas sei que tem que convir que tenha muita mais gente rica e a gente que vive só de trabalhar. Num sei por que tanta perseguição. Tem gente aí que tem avião, helicópteros, e a gente não tem nada disto”, diz o empresário.

Jornal de Fato

O

empresário Fábio Porcino disse que ainda não sabe de nada sobre como aconteceu o sequestro ou como aconteceu o estouro do cativeiro na zona rural do Canindé, estado do Ceará. Disse: “Tenho fé em Deus. Esperava o arrependimento dos sequestradores”, disse. A vítima Fabinho Porcino não quis falar com a imprensa. O pai disse que ele estava muito debilitado e optou por ficar descansando. Assegurou que o filho não sofreu agressão física. Ele foi encontrado num barraquinha de lona preta, numa região desabitada na localidade de Ypiranga, na zona rural do município de Canindé. “Estamos agradecendo a Deus e a Policia do Rio Grande do Norte e do Estado do Ceará pelo desfecho final positivo. Elas são muito eficazes. A dou-

tora Sheila é muito competente”, destaca Fabio Porcino, ainda com semblante visivelmente emocionado. O empresário disse que a família já vem adotando medidas de segurança, com seguranças contratados na empresa e na residência. Disse que a quadrilha era numerosa e agiu rápido. “Mas Deus está perto e vai acabar com toda esta perseguição”, acrescenta. Sobre os sequestradores, o empresário disse: “Eu tenho muita fé em Deus. Fabinho tem um coração muito bom e é muito prestativo. Sempre foi assim. Tinha fé em Deus e esperava arrependimento dos sequestradores”, disse o empresário.

O procedimento “Na hora que ele entrou no carro já falou que era um sequestro. A primeira medida foi muito complicada. Não sabia nem o que fazer. A gente não

Sobre a polícia do RN “A polícia do Rio Grande do Norte é muito competente. A Polícia do RN está a altura de todo o Brasil. O Governo tem disponibilizado muitos equipamentos para a polícia, muitos carros, muitos armamentos, mas as coi-

sas quando tem que acontecer, acontece, é terrível. Não dá para está em todo canto ao mesmo tempo. Eu só tenho agradecer a policia do RN. Na hora que a gente ligou para a governadora Rosalba Ciarlini, ela prestou solidariedade rápido”. Esta questão da camisa é mais para pedir paz ao pessoal da família. À TRIBUNA DO NORTE, a delegada Sheila Freitas, da Polícia Civil do Rio Grande do Norte, pouco detalhou o trabalho de investigação que resultou no fim do sequestro. Ontem, ela destacou, porém, que dois homens foram presos em flagrante durante a libertação do empresário e que passou pelo menos dois dias sem dormir, enfatizando que foi um procedimento “cansativo”. Ela adiantou que está concluindo o inquérito e que as demais informações serão repassadas à imprensa amanhã, às 10h, durante entrevista coletiva.

RELEMBRE O CASO O empresário Fabinho Porcino Rosado Chaves foi a vítima do sequestro ocorrido na tarde da segunda-feira passada. O filho do também empresário mossoroense Fábio Porcino foi raptado por um grupo armado. Segundo informações colhidas no local onde aconteceu o sequestro, o fato se deu entre às 14h e 15h, quando o empresário foi levado de dentro da Loja Mitsubishi, localizada na Avenida Lauro Monte, no bairro Abolição I. Fabinho Porcino estava no interior do escritório da concessionária de carros administrada pela família dele e foi surpreendido com a chegada de cerca de oito homens portando armas de grosso calibre e se passando por agentes da Polícia Federal, que estariam ali para cumprir um mandado. De acordo com testemunhas, que preferiram não se identificar, os supostos policiais entraram no escritório e levaram Fabinho Porcino à força. O empresário teria relutado em ir com os homens, tendo teria sido espancado para que os acompanhasse. Paralelo ao ato, outros dois suspeitos ficaram em um Crossfox preto e em um Fox branco, estacionados do lado de fora da concessionária, dando apoio ao grupo. Em seguida, todos eles entraram nos veículos junto com Fabinho Porcino e fugiram com destino desconhecido. Depois disso, houve uma grande movimentação de policiais na frente da concessionária. Várias viaturas da Polícia Militar e também policiais civis foram mobilizados para o local. Diante da tensão, uma ambulância do Samu também foi acionada para proceder com a prestação de socorro médico para familiares de Fabinho. Logo após o anúncio do rapto, a Delegacia-Geral de Polícia Civil designou a delegada Sheila Freitas, titular da Divisão Especializada de Combate ao Crime Organizado (Deicor), para averiguar o caso em caráter especial. Freitas também foi responsável pela apuração do sequestro de Popó Porcino, primo de Fábio, em junho do ano passado. Popó passou 37 dias no cativeiro, no sequestro que durou mais tempo na história do Rio Grande do Norte.

O delegado de Polícia Civil do Ceará, Antônio Pastor, que trabalha na Controladoria de Inteligência do Ceará falou, com exclusividade, à TRIBUNA DO NORTE sobre a ação policial integrada que culminou com a libertação do empresário mossoroense Fábio Porcino, sexta-feira passada. O delegado destacou que o local usado como cativeiro pelos sequestradores era de difícil acesso e eles próprios chegaram a se perder reiteradas vezes entre idas e vindas ao barraco armado no matagal da Fazenda Garrote, na região do município de Canindé, no Ceará. Parte do grupo preso durante a operação tem passagem pela Polícia cearense e outros integrantes identificados e que ainda não foram presos, são reconhecidos sequestradores. Como se deu o processo de libertação do empresário Fábio Porcino, como o serviço de inteligência atuou? Eu trabalho, atualmente, na Controladoria de Inteligência, que é Coin, aqui do Ceará. Aqui antigamente teve uma onda de sequestros muito grande, então temos um trabalho de ficar monitorando. Esses “cabeças” de sequestro são acompanhados de longe quando eles são soltos. Nós tínhamos uma informação que, eu não posso divulgar em detalhes porque a investigação ainda vai continuar, e a Polícia Federal aqui do Ceará, através do DRE, que é o Departamento de Entorpecentes deles, também tinham uma outra informação. Juntamos as informações e detectamos que aquilo nos levaria a um sequestro. Quando aconteceu o sequestro, nós tivemos a certeza que existia uma grande probabilidade daquelas informações serem relativas ao sequestro de Mossoró. A partir daí, vocês começaram a investigar? Nós começamos a trabalhar essas informações e fizemos um contato com a delegada Sheila (Freitas), do Crime Organizado. Ela compareceu ao Ceará e nós passamos o que tínhamos para ela. Nós começamos a aprofundar e culminou com o resgate do empresário Fábio Porcino. Os presos durante a ação, fazem parte de uma quadrilha com atuação no Ceará? Foram presos dois e existem outros identificados. Nós estamos, nesse exato momento, com vários policiais aqui do Ceará tentando prendê-los. Pelo menos um dos líderes, já foi preso aqui no Ceará por sequestro, provavelmente em 2005 ou foi 2006. Ele foi solto há mais ou menos um mês e meio atrás. O local do cativeiro, era de fácil acesso? Quais eram as características do local? Era um ambiente de difícil acesso que, para nós nos aproximarmos, nós passamos quatro horas dentro do mato fechado para fazermos uma ação surpresa. Segundo relatos de um dos presos, que foi levado para fazer a função de vigia de cativeiro, os próprios sequestradores se per-

deram três ou quatro vezes para achar o cativeiro. Na verdade, só um deles tinha conhecimento pleno da área. Quando a Polícia chegou ao local, foi recebida a tiros? Não, não. A incursão que foi feita pelo pessoal da Coin e da Polícia Federal e do Deicor da Polícia do Rio Grande do Norte, foi uma incursão muito bem feita e o criminoso que estava tomando conta do cativeiro foi pego de surpresa. Não deu tempo dele efetuar qualquer tipo de reação, em que pese ele estava portando duas pistolas e um 38, um revólver.

Pelo menos um dos líderes, já foi preso aqui no Ceará por sequestro, provavelmente em 2005 ou foi 2006. Ele foi solto há mais ou menos um mês e meio atrás” Como a vítima foi encontrada, em quais condições ele estava? Ele era uma mistura de euforia e medo. Muitas vezes, a vítima quando vê várias pessoas chegando armadas, num primeiro momento ele não sabe se aquilo ali é Polícia ou se é o resto da quadrilha de criminoso. Nós falávamos: “Aqui é a Polícia. Você vai voltar pra casa”. E ele ficava naquela euforia por alguns minutos até quando ele se deu conta que realmente era a Polícia e ia voltar para casa. Ele estava eufórico. Feliz, eufórico. Ele chegou a ligar para o pai na hora e foi aquela euforia dele e imagino também da família. Ele foi caindo em si e ficando cada vez mais feliz. Alguém da família acompanhou a operação? Não. A operação era de alto risco e somente pessoas especializadas neste tipo de operação participa. Quais foram os motivos do sequestro? Os sequestradores cobraram o pagamento de resgate? Essa parte de negociação entre família e sequestradores, nós não tivemos acesso. A dra. Sheila e o pessoal do Rio Grande do Norte acompanharam. Nossa parte foi só a parte operacional. O nosso pessoal continua trabalhando, junto com a Polícia Federal, para tentar prender o resto da quadrilha.

Ele (Fabinho Porcino) estava eufórico. Feliz, eufórico. Ele chegou a ligar para o pai na hora e foi aquela euforia dele e imagino também da família”


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

geral

Gaudêncio Torquato [ gaudenciotorquato@tribunadonorte.com.br ]

Zé Teodoro aceita proposta do Náutico e rompe acordo

Oclamor das turbas

« ABC » O técnico comunicou decisão à diretoria do clube, na

U

manhã de ontem, alegando ter recebido uma proposta irrecusável

m zumbido ecoa forte nos ouvidos de governantes dos mais diferentes recantos do planeta, fruto de manifestações que tomam conta de praças e ruas de tradicionais centros urbanos. Em Istambul, na Turquia, na onda de um movimento que ocorre há semanas, a multidão derruba barricadas, enfrenta a Polícia e ocupa o mais importante espaço de concentração popular, a praça Taksim, em revolta contra o governo, que pretende construir na maior área verde da capital, o Parque Gezi, um Shopping Center. São Paulo e Rio de Janeiro são palco de movimentos que arrastam grupos dos mais variados setores da sociedade em passeatas que culminam em vandalismo. O foco das ações mais retumbantes nas duas principais capitais do país é o protesto contra o aumento das passagens de ônibus, que mobiliza a estudantada sob bandeiras de alguns partidos (PSOL, PSTU e PCO e juventude do PT). Mas palavras de ordem, ecos e ruídos de grupamentos diversos também se fazem ouvir pelo território, a expressar uma locução em defesa de interesses de classes, etnias, gêneros e religião, entre outras frentes. A par das intenções explícitas de cada movimento, que lição pode se tirar da efervescência social que se expande pelos continentes e que se acentua em nossos trópicos?

O cidadão comum, que tanto esperava dos políticos, passa a enxergá-los como “oportunistas e aventureiros” O pano de fundo sobre o qual se projeta o cenário de movimentos populares, protestos e ondas de insatisfação deixa ver duas crises: a econômico-financeira e a política. A primeira, deflagrada em 2008, implicou estagnação do crescimento das Nações, elevadas taxas de desemprego, alto custo dos alimentos e rebaixamento dos níveis de vida das comunidades, cuja referência mais simbólica é a fila dos sem teto em ruas de capitais charmosas (incluindo as metrópoles norteamericanas) e a escalada de desocupações de imóveis em países como Espanha e Portugal. Neste último, aliás, mais de 3 mil manifestações realizaram-se em 2012. Na esteira da crise financeira, emergiu, em 2011, o movimento Occupy Wall Steet, em Nova Iorque, cujo escopo traduzia a inconformidade com as desigualdades, a corrupção, a influência das empresas e do dinheiro na política, bandeiras que passaram a ser desfraldadas noutras praças mundiais. A segunda crise, a da política, tem a ver com a metáfora da panela de pressão: a válvula entupida não deixa escapar o vapor, gerando, assim, o “estouro da boiada”. Mais precisamente, a ausência de respiro democrático jogou o povo nas ruas para exigir a abertura de canais de participação política e um fim a sistemas opressores. A avalanche tomou conta de capitais e cidades do Egito, Tunísia, Líbia, Síria e Barein, com o expressivo nome de Primavera Árabe, inaugurando um ciclo democrático que culminou com a derrubada de quatro governantes. Cumpriram papéis relevantes nesse processo as redes eletrônicas, que propiciaram a integração de grupos da comunidade internacional. Esses tempos de grandes carências explicam o atual estágio civilizatório da maioria das Nações. Resta lembrar, em complemento, a crise que assola a democracia representativa, que prometeu implantar (e não o fez) o ideário dos Direitos Humanos, a partir da igualdade de oportunidades entre as pessoas, o acesso de todos à justiça, o combate ao poder invisível, a transparência dos governos e a educação para a Cidadania, entre outros, como lembra Norberto Bobbio. Os mecanismos clássicos da política saíram dos eixos: os espectros ideológicos perderam as cores originais; os partidos transformaramse em entes pasteurizados; os parlamentos, sem força, tornaramse reféns dos poderes executivos; as bases partidárias arrefeceram os ânimos. Formou-se, ao longo

da cadeia de degradação, imenso vácuo entre a política e a sociedade. O cidadão comum, que tanto esperava dos políticos, passa a enxergá-los como “oportunistas e aventureiros”, pelo fato de trocarem o escopo de “servir” pela ambição de “servir-se”. Frustrados, grupos de diferentes matizes se organizam em bastiões de defesa de interesses - associações, sindicatos, movimentos, federações, entidades que praticam uma nova ordem política. São esses novos pólos – simbolizando um poder centrípeto - que animam a sociedade com sua forte capacidade de mobilização, fazendo ecoar uma peroração indignada. Ganha corpo a hipótese de que essa gama de manifestações, aqui e alhures, é o primeiro desenho de democracia participativa na contemporaneidade, forma direta da sociedade organizada entrar no circuito de pressões e reivindicações. O florescimento dessa modalidade é uma resposta ao desencanto com os costumes da velha política e suas promessas não cumpridas e, ainda, uma crítica aos precários serviços públicos. Chegamos, nesse ponto, à atualidade brasileira. Multiplicam-se as passeatas de protesto. Só no ano passado, numa única via de São Paulo, a avenida Paulista, ocorreram mais de 3 mil manifestações, algumas em choque com a Polícia, como a que ocorreu nessa quinta feira. Os eventos são preocupantes pela quebra da ordem legal: atos de vandalismo e também atos de violência por parte da Polícia. Onde isso vai parar? Sabe-se que, ao lado de questões objetivas, como redução do preço de passagens de ônibus, refrãos de um discurso mais abrangente são entoados, alguns proclamando “o aborto livre”, outros exigindo fim das “discriminações”, o que inclui, até, o direito de meninos se vestirem de saias, como o incidente ocorrido, há dias, em um colégio de São Paulo. Tudo passa a ser motivo para a quebra da normalidade. Na Zona Sul da capital paulista, também semana passada, a Polícia se confrontou com cerca de 500 famílias em ação de reintegração de posse de um terreno, conflito fundiário que agita a população indígena em Sidrolândia, Mato Grosso do Sul, onde ocorreu a morte de um índio terena. O clamor das turbas ganha volume em todo o país, a denotar insatisfação com o establishment. Os tempos são outros, mas Castro Alves continua lembrado: “a praça é do povo como o céu é do condor”. Mas a praça não pode e não deve ser espaço para a violência.

Gaudêncio Torquato, jornalista, professor titular da USP, consultor político e de comunicação Twitter@gaudtorquato

7

Z

é Teodoro não vai mais assumir o comando técnico do ABC. O profissional fez o comunicado ao presidente do clube, Rubens Guilherme, na manhã de ontem, alegando que teria recebido uma proposta irrecusável do Náutico, que está na série A do Brasileirão, e não teria como declinar do convite, mesmo tendo fechado compromisso verbal com o clube potiguar. Ainda na condição de treinador abecedista, Zé Teodoro concedeu entrevista à TRIBUNA do Norte na última sextafeira (antes do anúncio da desistência) e que está publicada nesta edição (na página três do caderno de Esportes). Na conversa, ele cita o que estava planejando para equipe que fez um péssimo início de série B, se en-

na por Zé Teodoro e procurou encarar a situação com naturalidade, sem demonstrar um mínimo de rancor com o fato. “Temos que encarar a situação de uma forma bem profissional para não manchar a reputação de Zé Teodoro. Primeiro temos de analisar que ele terá a chance de trabalhar num clube da série A, depois que a oferta foi três vezes maior que a nossa. Então considerei sensata a decisão dele, Zé Teodoro mostrou que é um homem que gosta de ganhar dinheiro”, afirmou Bira Marques. Quando negociava e realizou o acerto verbal com o treinador, a segunda opção do clube era o nome de Argel Fulks. Bira Marques disse que na reunião permanente de diretoria que iniciou logo após o almo-

ço de ontem, eles iriam definir o nome de um substituto. “Argel chegou a negociar com a gente, agora não sei se ele acertou com algum outro clube e nem sei como ele reagirá a uma retomada de negociação. O certo é que temos um tempo muito curto, pois queremos o novo comandante trabalhando a equipe a partir desta segunda-feira, em Natal”, ressaltou Marques. O clube descartou a possibilidade de tentar demover o diretor executivo de futebol Ferdinando Teixeira a assumir o cargo de técnico da equipe de forma emergencial. “Ferdinando não quer mais ser técnico, ele disse que realmente pendurou a chuteira e que esse não é mais o campo dele”, informou Bira.

Centenas de pessoas se unem em protesto na abertura da Copa

« BALNEABILIDADE »

contra na última colocação e necessita realizar uma campanha de recuperação na retomada da competição. Com a decisão do treinador em romper o compromisso assumido, o ABC volta à estaca zero, uma vez que demitiu Paulo Porto após sofrer uma goleada para Chapecoense, em Santa Catarina, e fechou a rodada que marcou a paralisação da Série B, também com derrota para o Boa Esporte, mas sendo dirigido de forma interina pelo preparador físico Ranielle Barbosa.

ABC O vice-presidente de futebol do ABC, Bira Marques, encarregado por toda negociação com o treinador, já sabia do interesse da equipe pernambuca-

« BRASÍLIA » Poucas horas antes da abertura oficial da Copa das Confederações, em Brasília, manifestantes protestavam contra a corrupção NILTO N FUKUDA/EC

Cinco praias estão, hoje, impróprias para banho

A

Manifestantes se concentraram no estacionamento do estádio onde ocorreria a abertura da Copa

U

m grupo de manifestantes bloqueou neste sábado (15) o acesso ao Estádio Nacional de Brasília (Mané Garrincha), que recebeu o jogo de abertura da Copa das Confederações (Brasil e Japão). O protesto começou pouco depois das 9h30 com o bloqueio da via M1, principal acesso ao estádio. Sob gritos de “Copa , eu não quero, não, quero dinheiro para saúde e educação”, eles criticam a realização das competições da Fifa no País - a Copa das Confederações, que vai até 30 de junho, e a Copa do Mundo de 2014. Para não atrapalhar o acesso dos torcedores ao estádio, a Tropa de Choque fez um cordão de isolamento entre o estádio e os manifestantes. Inicialmente, a Polícia Militar do Distrito Federal estimou em 350 pessoas no

protesto, que partiu da rodoviária do Plano Piloto. No entanto, novos grupos de manifestantes se juntaram à manifestação. Além de protestar contra o evento esportivo, os ativistas se dizem solidários ao movimento contra o aumento das tarifas de ônibus em várias cidades do País, como São Paulo. Até o fechamento desta edição, por volta das 13h, não houve nenhum confronto entre manifestantes e a polícia.

MOTIVOS A manifestação foi organizada por um fórum que reúne representantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), a Organização de Comunicação Popular, o Movimento de Mulheres e o Movimento Copa Para Quem, que protestam contra a forma como

o dinheiro público foi usado para as obras da Copa do Mundo. Na sexta-feira (14) já havia ocorreu uma mobilização, com muitos confrontos com a polícia. Os manifestantes exibiram várias faixas, usando muitas vezes o humor para transmitir suas mensagens. “Cartão vermelho para a Copa que viola direitos humanos”, indicava uma faixa. Sérgio Avelar, secretário de Segurança do Distrito Federal afirmou que “a situação não é agradável, mas acontece em todos os países democráticos do mundo”. “A manifestação é legítima. O que não é legítimo é fazer baderna. Temos que separar o joio do trigo. É preciso conviver com momentos de estresse. Mas não vamos permitir que a festa seja prejudicada”, afirmou o delegado.

população potiguar e os turistas de passagem pelo Estado, deverão ficar atentos aos pontos impróprios para banho de mar identificados pelo Programa Água Azul, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN). O mais recente balanço de análise das águas do litoral divulgado na sexta-feira, 14, apontou má qualidade da água em 20% das praias monitoradas pelo Programa São elas: Pirangi do Sul, Ponta Negra (nos pontos do Morro do Careca, acesso principal e no final do calçadão), Via Costeira (Barreira D’água), Areia Preta (Praça da Jangada) e Redinha (Rio Potengi). Essas localidades foram consideradas inadequadas ao banho por apresentarem mais que mil coliformes, para cada 100 mililitros de água coletada. De acordo com o professor Ronaldo Diniz, coordenador do Programa, as recentes chuvas e vazamentos de esgotos são os principais responsáveis pela piora nas condições de balneabilidade das praias do Estado. As amostras foram coletadas ao longo da semana passada em trinta pontos monitorados semanalmente no litoral do Rio Grande do Norte - entre Nísia Floresta, Parnamirim, Natal, Redinha e Extremoz. Na praia de Ponta Negra e Areia Preta, os pontos identificados como impróprios estavam sinalizados. Entretanto, alguns banhistas não se ativeram à sinalização e tomaram banho de mar.


8

geral

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

Reurbanização de feiras é retomada « ALECRIM » O projeto de padronização das feiras livres da cidade teve início pelo Alecrim. O foco é a

organização e uniformização das bancas, que serão setorizadas de acordo com os produtos comercializados FOTOS: JOÃO MARIA ALVES

C

omeçou pela feira do Alecrim, que acontece tradicionalmente aos sábados, a reestruturação do projeto de padronização das feiras livres da cidade. As intervenções não são muitas, mas para frequentadores, feirantes e pessoas que lucram com a movimentação provocada pela feira já faz certa diferença. O projeto tem como foco a organização e uniformização das bancas, que serão setorizadas de acordo com os produtos comercializados. Quem chegava pela rua dos Canindés, mais conhecida como avenida 6, já podia observar a primeira mudança: a instalação de um pórtico de entrada, no qual é identificada a localização do visitante. As outras mudanças contemplam a colocação de novas tendas, bancas com coberturas padronizadas, banheiros químicos, sinalização aérea e terrestre para indicar os produtos, equipe de limpeza permanente no local, com a presença de oito agentes, instalação de lixeiros fixos e coletores de limpeza móveis. “Percebi as placas sinalizando a localização dos produtos ao longo da feira e achei muito interessante. Elas não tinham aqui antes e isso facilita muito até para quem está habituado a frequentar. Está ficando melhor”, observou o administrador de empresas Wagner Pereira. A disponibilização de banheiros químicos ao longo das ruas onde a feira é instalada mereceu destaque para o carregador José Alves. “Tomara que eles não deixem de botar aqui. É sempre um problema. A gente não tem onde ir e acaba tendo que se aliviar no meio da rua, onde conseguir”, afirmou. Além disso, uma equipe do setor de feiras da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur) estará no local com um ponto de apoio, que servirá para atendimento à

LONAS Metade das tendas que protegem as bancas já foram trocadas. As últimas estavam rasgadas e oferecendo riscos. A expectativa é que a troca seja concluída em até 60 dias

A Prefeitura do Natal escolheu a tradicional feira do Alecrim para retomar o projeto

Melhoria sempre é bom. Eu estou aqui há muito tempo e já vi muita coisa, já ouvi muita promessa. Eu espero que isso venha e fique. Não adianta trazer banheiro hoje e depois só daqui a três meses. Se veio, tem que ficar” MARIA APARECIDA SILVA Feirante

população e informações bem como, agir na fiscalização dos feirantes. Trabalhando há mais de 45 anos na feira do Alecrim, a feirante Maria Aparecida Silva, 74, prefere não se manifestar sobre as mudanças. “Melhoria sempre é bom. Eu estou aqui há muito tempo e já vi muita coisa, já ouvi muita promessa. Eu espero que isso venha e fique. Não adianta trazer banheiro hoje e depois só daqui a três meses. Se veio, tem que ficar”. Um pouco mais efusiva, Nédima Maria Filgueira, 25 anos de feira, comemora. “A limpeza está funcionando, as placas de sinalização e banheiros estão ai e estamos recebendo apoio novamente. Antes estava ruim demais”, destacou. O secretário Raniere Barbosa disse que além do Alecrim, as feiras das Rocas, Pajuçara, Carrasco, Parque dos Coqueiros, Ci-

dade da Esperança e Quintas, passarão pelas mesmas intervenções, totalizando sete feiras. A expectativa é que até o meio do próximo ano o projeto de reestruturação chegue até onze feiras livres ao custo estimado de R$ 750 mil por mês. “O nosso principal problema ainda é financeiro, mas aos poucos estamos fazendo as mudanças. Nossa meta é em um segundo momento identificar todos os feirantes com batas e crachás”, disse o secretário. A padronização das bancas é o único ponto que não depende apenas dos recursos municipais. “Estamos trabalhando para atender as exigências recomendadas pelo Ministério Público Estadual”, afirmou Barbosa. As ações realizadas contarão com o apoio da Urbana, que contribuirá com a cessão de agentes de limpeza, para o local e também da Secretaria Municipal de Mo-

PLACAS Diversas placas indicando a localização dos produtos foram instaladas ao longo de toda a estrutura da feira. Um pórtico de entrada, no qual é identificada a localização do visitante, também faz parte da reestruturação

LIMPEZA A instalação de lixeiros fixos ao longo de toda a estrutura faz parte da primeira etapa do projeto de reestruturação das feiras livres de Natal. A intensificação da ação de agentes de limpeza da Urbana também faz parte

FISCALIZAÇÃO Uma equipe da Semsur, com fiscais móveis e ponto de apoio fixo, vai permanecer no local para auxiliar frequentadores e feirantes durante todo o dia


geral

Ideli afirma que governo manterá reunião com prefeitos

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

ANTÔNIO CRUZ/ABR

« ENCONTROS » Ministra ignora reclamações de parlamentares que veem nas reuniões obetivos políticos-eleitorais para 2014 TÂNIA MONTEIRO

rasília - Apesar das queixas dos parlamentares por causa dos entendimentos diretos do governo federal com as prefeituras, esta iniciativa vai continuar, segundo informou a ministra-chefe da Secretaria de Relações Institucionais (SRI), Ideli Salvatti. Mas o Palácio do Planalto tentará tomar mais cuidado para que os parlamentares não se sintam “escanteados”, retrucando com derrubadas de projetos importantes no Congresso. Por isso mesmo, a ministra Ideli cobrou dos ministros políticos que atendam os parlamentares e avisem a eles quando forem fazer eventos em seus redutos eleitorais. Com isso, o governo quer evitar novos problemas em votações, como as ocorridas na MP dos Portos. “Há uma série de reclamações que se deve ao conjunto. É parlamentar reclamando que o ministro não o recebe em audiência, que o ministro vai para o Estado e o parlamentar não é avisado e, cada vez que a relação institucional de um ministério não está a contento, a demanda acaba vindo parar aqui na SRI e nossa tarefa é fazer com que isso seja equacionado”, disse a ministra. “É um trabalho não só da relação com o Congresso, o governador e o prefeito, mas há a necessidade de estar permanentemente, lembrando a cada um dos ministros que esta não é tarefa exclusivamente minha, da SRI. É uma tarefa coletiva”, avisou Ideli, que fez questão de agradar deputados e senadores. “O que eu digo sempre para os parlamentares, e realço o papel da bancada nos encontros, é que a bancada é que nos segura aqui. São os parlamentares que nos ajudam a aprovar os textos. Então, é justo que eles compartilhem das ações do governo”, declarou a ministra em conversa com jornalistas, ao salientar o apelo que está fazendo aos ministros políticos para que recebam os parlamentares e os avisem dos eventos nas cidades.

B

De olho em 2014 Mas, de olho em 2014, ao mesmo tempo, a presidente quer manter a estreita ligação com os prefeitos. “O encontro nacional dos novos prefeitos (em janeiro) foi um sucesso. E foi tão sucesso que a presidente Dilma entendeu que nós deveríamos dar continuidade, fa-

zendo os eventos localizados em cada Estado, com aproximação maior para dar atenção à realidade diferenciada de cada Estado”, declarou Ideli, ao relatar que semanalmente tem ido se reunir com prefeitos. “Há uma demanda, por determinação da presidente Dilma, de nós melhorarmos o atendimento na ponta e isso está nos dando este trabalho de organizar os gestores federais, em cada um dos Estados, para eles

NÚMEROS

11 Estados já receberam comitivas de ministros, liderada por Adeli Salvatti (Relações Institucionais)

1.546 prefeitos participaram destes encontros, apresentando demandas municipais à União

O que eu digo sempre para os parlamentares, e realço o papel da bancada nos encontros, é que a bancada é que nos segura aqui. São os parlamentares que nos ajudam a aprovar os textos” IDELI SALVATTI - MINISTRA

trabalharem com uma coordenação e mais interatividade”, contou a ministra, listando que já realizou reuniões em 11 Estados. “Já tivemos a presença de 13.420 pessoas, gestores municipais. Desses 13.420 participantes, 1.546 prefeitos. O sucesso do encontro é que a gente monta estandes, salas, pontos de atendimento individual de todos os ministérios que têm relação com as prefeituras”, observou ela, citando que a média é de mil atendimentos individuais por encontro.

9

Ministra Ideli Salvatti considera importante para o governo Dilma os encontros diretos entre prefeitos e a equipe ministerial


10

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

Cláudio Humberto [ ch@claudiohumberto.com.br - www.claudiohumberto.com.br]

Blocão quer Eduardo vice de Dilma Diante do quebra-pau no PMDB, dividido sobre manter a aliança com o PT, lideranças de partidos aliados têm defendido criação de uma frente para lançar o governador Eduardo Campos (PE) a vice da presidenta Dilma, na disputa pela reeleição em 2014. A frente, composta pelo blocão PSD-PP-PR-PTB, desbancaria o PMDB e ganharia força para barganhar espaços mais "polpudos" em eventual segundo mandato

Que os deuses do futebol estejam em nossa torcida" Ministro Marco Aurélio Mello (STF) em artigo para o site claudiohumberto.com.br

Poço de mágoas

Dissidentes

Defenestrado dos Transportes, Alfredo Nascimento não vê hipótese de apoiar Dilma, ao contrário do dono do PR, Valdemar da Costa Neto.

O PT acha difícil obter apoio do PDT, que está pavimentado na Força Sindical do deputado Paulo Pereira (SP), que se opõe ao governo.

Ficou no passado

Tudo é peixe

De olho nas eleições em SP, o PSD de Gilberto Kassab passou de independente a governista, caminho também visado pelo PTB.

Virtual adversário de Dilma em 2014, o tucano Aécio Neves (MG) flerta com o PMDB e demais aliados insatisfeitos com o governo.

Na gaveta decisão sobre tempo de TV Presidente do PPS, Roberto Freire pisou no freio e colocou na gaveta a fusão com o PMN, que originaria sigla MD (Mobilização Democrática), até que seja decidido se o novos partidos terão direito a tempo

de TV e fundo partidário. A cúpula do PPS garante que, apesar do recuo, continua dialogando com o ex-governador José Serra (PSDB) e se aproxima cada vez mais do presidenciável Eduardo Campos (PSB-PE).

Garantias

Sonho de consumo

Antes de bater o martelo sobre a fusão, o PPS quer garantir a filiação dos novos deputados, sobretudo do PSD de Gilberto Kassab.

Na expectativa de acolher os 'sonháticos', PPS e PMN estão na torcida para que naufrague a criação da Rede da exsenadora Marina Silva.

Força-tarefa Parlamentares se revezam na tarefa de responder às perguntas de internautas feitas a Aécio Neves, dentro das áreas em que atuam.

Deu tudo errado Quem viajou de avião desde sexta-feira presenciou a deprimente confusão entre rigor e grosseria de despreparados agentes de segurança aeropor-

tuária. Funcionários terceirizados, contratados sem tutela da Policia Federal, humilhando idosos, crianças e cadeirantes.

Porta-voz indiscreto

Na geladeira

O ex-presidente socialista Mario Soares, que se reuniu demoradamente com Dilma em Lisboa, concedeu entrevistas jurando que a presidenta criticara a política de austeridade do anfitrião dela, o primeiroministro.

O ex-presidente Lula continua dando um gelo no governador Eduardo Campos (PSB), apesar de seus índices nas pesquisas de intenção de voto mostrarem que, por enquanto, ele não ameaça ninguém.

A pele que habito A bela presidente Laura Chinchilla enfrentará protesto na terça (25), na Costa Rica. Ela diz aceitar pagar US$ 45,6 milhões à brasileira OAS, após cancelar contrato de concessão de rodovia supostamente irregular.

A fronteira do perigo Nascido no Brasil, o presidente da FAM International Group, Joe Biudini, alertou na imprensa internacional que o Brasil corre perigo com as

"fronteiras porosas". Responsável por estudo para a Copa das Confederações, ele avalia que a ameaça vem da Tríplice Fronteira.

Preparativos eleitorais O PSDB designou o senador Cássio Cunha Lima (PB) para coordenar a comunicação do partido e Alberto Goldman, ex-governador de São Paulo, para a elaboração de conteúdos programáticos.

Falta interesse O deputado Simplício Araújo (PPS-MA) diz que, além de "abrir mão da Comissão de Direitos Humanos para colocar dois mensaleiros na CCJ", o PT pulou fora de novo: "Eu obstruí sozinho a votação da cura gay". Pior que está, fica Roberto Requião ficou ainda mais isolado no PMDB após a intervenção de Osmar Serraglio em 72 diretórios do partido no Paraná, com apoio de Orlando Pessuti, arquiinimigo do senador. Candidata ao governo estadual, a ministra Gleisi Hoffmann (PT) ficou radiante.

geral

Ação pede à Justiça para transexual mudar de nome « PRÁTICA JURÍDICA » Processo é inédito no Judiciário potiguar e foi

ajuizado por equipe do curso de Direito da UnP em favor de Eimar Silva DIVULGAÇÃO

O

Núcleo de Prática Jurídica da UnP, integrante da Rede Laureate, atende diariamente uma média de 30 casos de todos os tipos, oferecendo serviços gratuitamente à população. Um desses casos foi o da transexual com nome de registro Eimar Silva de Barros Filho, 18 anos de idade, que pretende se chamar oficialmente Rochely Eleonora Silva de Barros. Para tanto, o Núcleo ajuizou ação de alteração de registro da transexual, inédita no RN, que foi julgada na quinta-feira (13). A previsão é que a decisão de julgamento do mérito saia em 40 dias. De acordo com a jurisprudência no país, a troca de nome para transexuais é automática para aqueles que realizam a mudança de sexo, já que os juízes entendem que perante a Lei trata-se agora de uma pessoa de um sexo diferente. No entanto, a operação só é permitida após os 21 anos de idade. A proposição de ação foi redigida pela estudante de Direito da UnP Camila Raisa Fernandes, com outros dois colegas do 9º ano do curso, com orientação do professor Antonino Pio Albuquerque. Para Camila, a ação abre precedentes jurisprudenciais no RN, em virtude de ser o primeiro caso de alteração de registro de uma transexual que ainda não fez a cirurgia de trans-

Eimar Silva de Barros (D) quer mudar nome do registro de nascimento para Rochely Eleonora

genitalização (mudança de sexo) no estado. “Trata-se de assegurar o princípio constitucional da Dignidade da Pessoa Humana. Rochely só terá uma vida digna quando puder ser reconhecida na sociedade do modo como ela se sente, uma mulher, sem ter que passar por situações vexatórias e constrangedoras de se apresentar como mulher e ter em seus documentos um nome masculino”, argumentou a estudante. Para a transexual, a mudança de nome será parte do sucesso de uma luta cujo objetivo prin-

cipal será a realização da cirurgia de transgenitalização, assim que completar 21 anos. “Para mim, significa conseguir ser gente na sociedade, porque eu vivo como se não existisse”, disse. Rochely garante ainda não haver dúvidas quanto a sua decisão. “Não tem nada a ver comigo”, afirma sobre a identidade masculina, acrescentando que está sendo acompanhada por psicólogo, psiquiatra e urologista, tudo para que possa realizar “o objetivo principal”. De acordo com o orientador

da ação, professor Antonino Pio, a alta qualidade do trabalho apresentado pelos alunos da Prática Jurídica deu a segurança para que a ação legal fosse impetrada, sendo provável que a transexual consiga realizar a mudança. “Agora aguardamos o resultado da audiência, todos acreditam no sucesso da ação”, afirma o professor. No Brasil existem apenas dois casos do tipo, um no Rio Grande do Sul e outro em Sergipe, sendo esta a primeira vez que o tema é debatido nas cortes do RN.

Desigualdade está maior « ESTUDO » Organização internacional sobre Desenvolvimento Econômico

mostra distanciamento maior entre ricos e pobres nos últimos 30 anos

A

desigualdade existente entre ricos e pobres no seio dos países que compõem a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) incrementou-se até alcançar o seu máximo nível em 30 anos, segundo relata um informe elaborado pela instituição. Assim, o documento assinala que os rendimentos médios do 10% mais ricos da população no conjunto da OCDE supõem atualmente nove vezes mais do que as do 10% mais pobre. Na Europa a proporção é de 9 a 1. Na

Espanha de 11 a 1. No Reino Unido, liderando o crescimento da desigualdade na Europa, de 12 a 1 (em 1985 o Reino Unido tinha uma desigualdade de 8 a 1). A brecha se ampliou inclusive entre países tradicionalmente igualitários, como Alemanha, Dinamarca e Suécia, onde passa de 5 a 1 em 1980 a 6 a 1. No caso da Itália, Japão e Coreia do Sul esta diferença é de 10 a 1. No Chile e no México a desigualdade supera a razão de 25 vezes a 1, e no Brasil, 50 vezes a 1. «A desigualdade de rendi-

mentos aumentou para um nível recorde nos últimos 25/30 anos, tanto nas economias de entradas baixas como nas de altas», disse o autor do informe, Michael Forster, em uma sessão informativa em Londres. Uma duplicação da proporção dos rendimentos que ganha o 1% mais alto, a mudança na demografia do trabalho e benefícios fiscais menos redistributivos foram as razões principais do aumento da brecha, disse. O 1% que mais ganhou aumentou a sua proporção nos ingressos de 7,1% de 1970 ao 14,3%

em 2005. «O contrato social começa a se desfazer em muitos países», advertiu o secretário-geral da OCDE, Angel Gurría, durante a apresentação do informe (Paris, 5 de dezembro de 2011), reconhecendo que este estudo contradiz a teoria de que os benefícios do crescimento econômico automaticamente se derramam em cascata até os menos favorecidos. «Sem uma estratégia completa de crescimento inclusivo, a desigualdade provavelmente continuará aumentando», disse.


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

geral

11

»ENTREVISTA » CLÉBER FOLGADO

COORDENADOR DA CAMPANHA PERMANENTE CONTRA OS AGROTÓXICOS E PELA VIDA

DIVULGAÇÃO

“Precisamos discutir e definir o que é alimento” « FOME » O agronegócio, os agrotóxicos e produção de alimentos são analisados em relação às estatísticas sobre a desnutrição mundial: 20 mil crianças entre 0 e 5 anos POR DANIELE SILVEIRA Adital.org.br

Fome atinge uma em cada sete pessoas e desnutrição mata 20 mil crianças com menos de 5 anos por dia. Agricultura camponesa, que no Brasil produz 70% dos alimentos, só consegue acessar 14% dos créditos. De acordo com a FAO, 1,3 bilhão de toneladas de comida são jogadas fora por ano. A fome atinge uma em cada sete pessoas e, em consequência da desnutrição, mais de 20 mil crianças com menos de 5 anos morrem todos os dias. A Organização das Nações Unidas (ONU) destaca o desperdício de alimentos como um enorme consumidor de recursos naturais e colaborador dos impactos negativos no meio ambiente. Para debater os danos causados ao meio ambiente e pensar formas de preservação, a Radioagência NP entrevistou o coordenador da Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida, Cléber Folgado. Ele afirma que é preciso repensar o próprio modelo de produção agrícola adotado a nível mundial, e ressalta que um dos “grandes vilões em relação à situação que se encontra o meio ambiente é o agronegócio”. O desperdício de alimentos é o ponto central na questão da preservação do meio ambiente, como sugere a FAO? A gente tem que discutir o que é alimento. Por exemplo, um dos grandes vilões em relação à situação em que se encontra o meio ambiente é o agronegócio, que é um modelo voltado à produção de monocultivo, em larga escala, para exportação, com utilização de maquinário pesado, com o uso de agrotóxicos, fertilizantes químicos, que também degradam a terra e o meio ambiente no seu conjunto. Então, quando a gente discute essa questão da alimentação automaticamente tem uma ideia de jogar e fazer essa relação com a

Um dos grandes vilões em relação à situação em que se encontra o meio ambiente é o agronegócio, que é um modelo voltado à produção de monocultivo, em larga escala, para exportação”

Hoje o Brasil, desde 2008, na verdade, é o maior consumidor de agrotóxico do mundo. São cerca de 5,2 litros de agrotóxico por pessoa no Brasil.”

produção do agronegócio, o que é um equívoco. Por isso, que eu coloco que é importante a gente discutir o que é alimento. Hoje o agronegócio brasileiro, e não é diferente nas outras partes do mundo, esse modelo, esse pacote, é voltado para a produção de commodities, produção de soja em larga escala, produção de cana para produção de etanol para garantir tanque [dos automóveis] cheio. A agroecologia é uma alternativa para produção de alimentos e defesa do meio ambiente? Quando a gente fala de alimentos não estamos falando dessa produção que o agronegócio faz. A gente está falando dessa produção que é feita hoje principalmente pela agricultura camponesa, que só no caso do Brasil produz 70% dos alimentos, só consegue acessar 14% dos créditos, está em 24% das terras agricultáveis do país. Com uma quantidade de recursos e impactos muito menor consegue produzir uma quantidade alimentos de fato muito maior do que a produção feita pelo agronegócio. É importante a gente perceber que a gente precisa de fato discutir o modelo de agricultura que é adotado hoje a nível mundial, o modelo capitalista de produzir porque esse é o modelo que está fadado ao fracasso. Quando eu falo ao fracasso não é o seu fracasso do ponto de vista econômico, mas é o fracasso da humanidade do ponto de vista de destruição desses recursos que não são renováveis. Hoje a gente vê em várias regiões do mundo um processo de desertificação do solo, da terra, que estão deixando de ser produtivos independente da quantidade de insumos que ou fertilizantes que vão ser postos nele. Então, a gente precisa rediscutir o paradigma de agricultura, que para nós da Campanha, do MPA, da Via Campesina está baseado na produção agroecológica. E qual a importância da luta

contra o uso dos agrotóxicos como própria forma de defesa e preservação do meio ambiente? Ela é central. Primeiro porque os agrotóxicos – é importante a gente olhar o contexto histórico – já surgem como um produto de guerra. Os agrotóxicos são na verdade um complexo industrial bélico e estoque de produção bélica que havia na época com o fim da 2ª Guerra Mundial,

que foram adaptados e transformados em insumos para a agricultura. De modo que esse “pacotão” que foi chamado de Revolução Verde já no seu início começa afetando o meio ambiente porque na sua essência ele já é biocida, ou seja, ele é produzido para morte e não para promover a vida. E hoje o Brasil, desde 2008, na verdade, é o maior consumidor de agrotóxico do mundo. São cerca de 5,2 litros de

agrotóxico por pessoa no Brasil. Então, os agrotóxicos na sua essência são nefastos ao meio ambiente e às pessoas também, pois causam doenças crônicas, agudas. E se a gente olha para o meio ambiente como esse grande conjunto de plantas, animais, que devem conviver de forma harmônica com o ser humano esse processo é possível. Agora jamais será possível com a utilização de agrotóxicos.


12

quadrantes

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

JOSÉ ARNO GALVÃO [ ADVOGADO ]

Grimaldo Ribeiro

H

á pessoas que nos impressionam tão fortemente que não só não conseguimos apagar a impressão, mas estas parecem a cada dia mais marcantes. Foi o caso de Grimaldi Ribeiro de Paiva, a quem sempre tratei por Dr. Grimaldi. Fui trabalhar sob sua orientação no meu primeiro emprego, quando ele era o titular da Secretaria de Estado de Educação no Governo Aluízio Alves. Foi uma ótima experiência e uma oportunidade única de

observar como funciona a política partidária. Tive como companheiros Jurandyr Navarro, então Chefe de Gabinete, e Humberto Guerra, o Perré, Oficial de Gabinete. Entre minhas atribuições estava a de entrevistar antecipadamente as pessoas que procuravam o Secretário, fazendo uma espécie de triagem, forma de aliviar a pressão de pedidos de toda ordem que lhe eram dirigidos, deixando-o livre para as atividades administrativas e políticas da pasta. Principalmente,

estas. Nessa passagem pela Secretaria de Educação – salvo engano, ele havia ocupado o mesmo cargo no Governo de Dinarte Mariz – Grimaldi aproveitou o tempo para pavimentar seu caminho para o ambicionado cargo de Deputado Federal, o que levou a seu posterior afastamento da Secretaria. Mas, não seria dessa vez, ainda. Tão logo exonerado Grimaldi, Agnelo Alves foi designado seu substituto, passando a responder pelo expe-

diente cumulativamente com a Casa Civil. E Agnelo tinha uma missão a que se dedicou desde logo: desmanchar o esquema de apoios montado por Grimaldi. Nesse processo terminei sendo uma vítima, pois o novo secretário determinou a redução de meu salário, o que provocou uma reação imediata, pedi exoneração. Mais sábio, ou mais experiente, meu colega José Bezerra ficou na dele. Sabia que, para entrar em vigor, a redução deveria ser objeto de um aditi-

vo a seu contrato de trabalho e ele simplesmente nunca foi ao Departamento de Pessoal subscrever o documento. As providências adotadas por Agnelo frustraram a eleição de Grimaldi, mas ele se recuperou, vindo a se eleger para as legislaturas seguintes, permanecendo Deputado Federal até o período 1975-79, para o que muito contribuiu o apoio por ele obtido na região de Santo Antônio, sob a liderança de Luiz Antônio Vidal, meu colega na Faculdade de Direito. Estatura mediana, Grimaldi era uma das cabeças mais lúcidas que conheci. Portador de uma cultura invejável, não perdia tempo em exibições. Mas quando a oportunidade se ofe-

MARCELO N. R. DANTAS [ DESEMBARGADOR]

NELSON PATRIOTA [ ESCRITOR ]

“Musa Cafuza” e “Antiqualha” animam cena cultural

Segurança Jurídica (para Leigos) - II

D

izíamos, ao fim do artigo anterior sobre o tema, que outro fenômeno decorrente da constitucionalização da compreensão do ordenamento foi o de introduzir os princípios jurídicos (muitos dos quais oriundos da constituição) ao lado das meras regras (em geral decorrentes de lei). Ou seja, o reconhecimento efetivo da chamada força normativa da Constituição. E que isso passou a propiciar ao aplicador do direito — tanto àquele que o aplica de ofício (o administrador, o Executivo) como ao que o faz mediante provocação (o julgador, o Judiciário) — uma esfera de liberdade maior. E questionávamos se isso seria bom ou ruim para a segurança jurídica. Vamos ver. Como consequência, tem-se que: na segurança jurídica legalista há o defeito do burocratismo, da limitação, do atrelamento ao texto e da construção de uma normatividade dependente, basicamente, do adminstrador, que define os parâmetros da atividade do Estado, e do juiz, que diz se eles estão de acordo com a lei. O que, obviamente, não satisfaz. Na segurança jurídica constitucionalizada, não há mais essa vinculação absoluta ao legalismo — observe-se que os juízes mais antigos adoravam dizer que eram “escravos da lei”, os agentes do Ministério Público eram os “fiscais da lei”; hoje, todos preferem dizer que são aplicadores da Constituição, promotores da eficácia do ordenamento jurídico e por aí vai —, podendo-se agir em nome de princípios, valores, etc. Acontece que tais valores, princípios, postulados e quejandos, por sua quase sempre formulação vaga, genérica e permissiva das mais diversas interpretações — muito em decorrência de um superficial entendimento, ou às vezes má compreensão de sua real estruturação teórica, e, nos piores casos, de distorções propositais —, findam permitindo que cada juiz e cada adminisConsidero, porém, trador os aplique do moao contrário de do que melhor lhe paremuitos, que ça. alguma possível Assim, finda-se resaída — e o caindo numa nova armaproblema não é dilha que milita contra a fácil — não está segurança jurídica: a aunas mãos apenas sência de parâmetros dos que trabalham compreensíveis por tona área jurídica” dos, uma vez que se abandonaram os marcos legais, que, por mais que fossem criticáveis, eram reconhecíveis por qualquer um, e se adotaram postulações que, na prática, são extremamente subjetivas, permitindo o surgimento, diante da mesmíssima lei, de aplicadores das mais diversas tendências: liberais uns, rigorosos outros; garantistas estes, partidários da defesa social aqueles; humanistas aqui, estatistas acolá, e assim por diante. Invocam-se princípios para justificar as decisões mais diversas. Frequentemente o mesmo princípio é usado como suporte de conclusões opostas. A “dignidade da pessoa humana”, por exemplo, virou panacéia. E o leigo, cada vez mais confuso, pergunta-se: mas tal conduta é certa ou é errada? Isto que estou fazendo é permitido ou proibido? E como os agentes estatais são muitos e múltiplos, diante do quadro narrado acima, muitas vezes as respostas são variadas, ainda que a Constituição seja única, e a lei aplicável, uma só. Entretanto, um diz que pode, o outro, que não. Um multa, o outro autoriza, e assim vai. Qual a solução? Não tenho receita de bolo, preclaro leitor. Estou apenas apresentando a você, leigo, na minha qualidade de profissional do Direito, perplexidades que me atormentam todos os dias. Considero, porém, ao contrário de muitos, que alguma possível saída — e o problema não é fácil — não está nas mãos apenas dos que trabalham na área jurídica, mas na formação de uma massa crítica para a qual toda a sociedade esta convocada. Até porque, do jeito que a coisa vai, todo o sistema que se levou tanto tempo para construir pode entrar em linha de risco, inclusive suas bases econômicas, aquelas que ferem o ponto mais sensível do corpo humano. Meu papel, aqui, é somente trazer a questão a lume, e suscitar o debate. Até porque é da discussão que nasce a luz.

recia, sabia dela tirar proveito. Com ligações à esquerda, a ele é atribuída a autoria de um dos pronunciamentos mais lúcidos do então governador Aluízio Alves, o chamado “Discurso às elites”, muito mal recebido pelos setores à direita Sempre acompanhei suas conversas com meu pai, nas visitas que vez por outra lhe fazia. Isso proporcionou-me um presente que guardo com carinho. Falava-se de De Gaulle e eu manifestei curiosidade a respeito da personalidade desse governante e desejo de conhecer suas memórias. Na visita seguinte, chega Grimaldi com um pacote para mim, eram os três volumes das “Mémoires de Guerre”.

P

CLÁUDIO EMERENCIANO [ PROFESSOR DA AUFRN ]

A razão e o sentido

H

á pessoas que partilham si mesmas com os crueldade e o ódio. As injustiças entre os homens, semelhantes. São dotadas por Deus do em seus mais amplos aspectos, sociais e individom da doação. Preocupam-se com o ouduais. Eis contradições que, ainda hoje, atingem tro, a quem Jesus chamou de “o próximo”. Seu e dilaceram a humanidade em todos os países e existir é um ato de entrega e de disponibilidade. continentes. Pouco importa que uns exibam meSua felicidade, em essência, é ver o triunfo do nos sofrimento ou desfrutem privilegiadamenbem. Sua concepção de amar é distribuir, te da paz dos seus sonhos e dos seus é repartir, é dividir. Em cada rosto conideais. Onde, em qualquer lugar, os templam e se contagiam com o triunhomens sofram, submetidos às cirfo da dignidade humana. Êxtase da cunstâncias que os vitimam e os peCriação. Em cada ser identificam a nalizam, subverte-se o sentido de presença de Deus. Desconhecem o suas vidas. A razão se submete ao medo, a dúvida, a incerteza, a amarinstinto e à insanidade. gura da nostalgia e a tristeza da soliEnquanto chove na madrugada dão. Acalentam em seus corações a esde Natal, realizo uma espécie de vôo perança, o alimento renovador dos pelo tempo. Retorno à infância e ainseus sonhos, ideais, princípios e virda ouço a agitação, o barulho que a tudes. A fé lhes apresenta sua forma Há pessoas chuva e o vento provocavam nas armais fértil, mais vigorosa e mais auque partilham si vores do Tirol. Vivíamos numa espétêntica: a vivência e o testemunho. mesmas com os cie de pomar. A quietude, a placidez e Cultivam a verdade como atributo que semelhantes. São o bucolismo não eram apenas traços revigora o homem e sua grandeza. dotadas por Deus da cidade. Refletiam-se no temperaSuas vidas são uma ode ou elegia ao do dom da doação. mento e na maneira de ser das pessoas. ser humano. Preocupam-se com A fé cristã irmanava todos ou quase toAs folhas da memória não são foo outro, a quem dos. Fraternidade, solidariedade, calhas mortas, que o vento leva e desfaz. Jesus chamou de “o ridade e amor eram explícitos e autênAs ações humanas são folhas vivas, inpróximo”. Seu ticos. Não havia hipocrisia nem faricorporando, uma às outras, o renovaexistir é um ato de saísmo. Ninguém se envergonhava de do sentido da vida. Desde a madrugaentrega e de amar nem de testemunhar o amor peda dos tempos, quando a aurora dedisponibilidade. lo próximo. Hoje, sexagenário, convassou as trevas, eliminando-as com Sua felicidade, em venço-me de que esses atributos e dons a fulgurância da luz, a vida e o seu senessência, é ver o de Deus não eram exclusivos da minha tido se revelam indefinidamente. O triunfo do bem. Sua cidade. Revelavam-se em todo o Brasopro de Deus, o “FIAT” (“Faça-se a concepção de amar sil. Em todas as cidades do país. Desluz”), habita a infinitude universal. Os é distribuir, é de os centros cosmopolitas às mais homens são parte especial da Criação. repartir, é dividir. simples e humildes vilas do interior. A “terra dos homens” é indivisível. É Em cada rosto As pessoas se pareciam mais. A nação partilha, comunhão e convergência. contemplam e se era mais homogênea do que hoje. VaOs homens se projetam na imensicontagiam com o lores espirituais, éticos e morais se prodade quando buscam o bem comum. triunfo da fessavam indistintamente. GovernanOs egoísmos, as vaidades, as ambi- dignidade humana. tes e governados se assemelhavam. ções, o despudor, o cinismo, a injusÊxtase da Criação. Havia simplicidade no viver. tiça, a violência, a intolerância e a Em cada ser As nações não se diferem dos homentira aviltam a condição humana. identificam a mens quanto ao sentido de sua exisDestituem-na de sentimentos. presença de Deus. tência. O sentido da nacionalidade naA madrugada, o silencio da menDesconhecem o da mais é do que a síntese dos ideais, te e do espírito, a tentativa de imagimedo, a dúvida, a sonhos, sentimentos, valores, crenças nar e desvendar a ilimitada multipliincerteza, a e maneira de ser de todos os homens. cidade de sonhos que se sucedem enamargura da Creio que há, predominantemente no tre o crepúsculo e a aurora. A noite ennostalgia e a Brasil, uma visão do mundo e da vida. volta pelo manto da esperança e das tristeza da solidão A crise que aí está renega a substânaspirações que se repetem ou se renocia da nação. Debilita e enfraquece o vam. O amor assumindo tantas feique Renan chamava de alma nacional. ções e tantas formas. Especialmente Não podemos abdicar, como naternura, êxtase e pureza na contemplação de uma ção, da razão e da consciência do que almejamos criança a dormir. O desejo de viver e desfrutar a e buscamos para os nossos filhos. Também legavida em paz, em liberdade e com dignidade. O do para as futuras gerações. A punição não esgopesadelo da insegurança, da miséria, do abandota o processo de superação da crise. Uma ampla no, da fome e do desalento. A noite que se desvia revisão institucional é o caminho pelo qual se resdo seu fim. Aquela que não pacifica nem acalma. tabelecerá identidade entre povo e poder. O quanMas amplia a inconformação, a intolerância, a to antes.

assados dois anos do falecimento de Bartolomeu Correia de Melo, sua obra continua a se renovar. Meses atrás, isso se deu com o lançamento do inédito infantil “A Onça Braba e o Cachorro Velho”, seguido do livro “Louvor de Bartolomeu Correia de Melo”, que organizamos juntamente com o escritor Manoel Marques da Silva Filho, ambas as obras com selo da editora pernambucana Bagaço. Agora, essa mesma editora lança “Musa Cafuza”, reunião da poesia de Bartola e que abre as comemorações do seu segundo aniversário de morte. A obra terá duplo lançamento: o primeiro no dia 18 próximo, às 18h, na Academia Norte-riograndense de Letras, após missa celebrada pelo padre e acadêmico João Medeiros Filho; no dia 19, às 11h, ocorrerá o segundo lançamento na Cooperativa do Centro de Convivência da UFRN. Esse evento, aliás, sinaliza a abertura da Semana Bartolomeu Correia de Melo. Os poemas de “Musa Cafuza” compreendem uma produção que vai do ano de 1962 ao final de 2011. Uma de suas epígrafes, que é assinada por Bartola, diz claramente: “A todos, como eu, / poetinhas foscos / corneados pelas musas, / em consolo, ofereço”. Em resumo, Bartola escreveu uma poesia privada, em contraste com sua prosa pública. Nem por isso se trata de uma poesia desinteressante. Pelo contrário, traços que qualificaram sua prosa, como a irreverência, a autoironia, a empatia com os simples e humildes, a sensibilidade para os pequenos dramas da vida, um lirismo que mal se contém de tão pungente, “Os poemas de tudo isso transparece ‘Musa Cafuza’ nessa pouca poesia lega- compreendem uma da pelo grande prosador. produção que vai À variedade de humores do ano de 1962 ao se segue grande diversi- final de 2011. Uma dade de formas poéticas, de suas epígrafes, quadras, sextilhas, sone- que é assinada por tos etc. O lírico se derra- Bartola, diz ma no soneto “Monoto- claramente: ‘A neto”, cujos primeiros todos, como eu, / versos namoram o sim- poetinhas foscos / bolismo mais genuíno: corneados pelas “Alegre tarde azul, quase musas, / em menina, / de riso morno consolo, ofereço’” e brisa matinal, / feita de luz e cheiros e resina, / invade, brincalhona, meu quintal”. Até uma “peleja sonetada” põe de lados opostos Bartola e o poeta cearense Paulo Pardal acerca do verdadeiro significado do soneto. Enfim, no epitáfio, Bartola faz uma provocativa confissão: rascunhou a vida, mas não a passou a limpo... Parece mote de outra peleja, só que de outra espécie... Dia 14 passado, na Livraria Saraiva do Midway, às 19h, foi a data do lançamento do livro “Antiqualha”, de Elísio Medeiros, o cronista da Ribeira, condição que adquiriu desde a publicação de “Notícias de Hontem” (2010), em que abre uma fresta no espaço-tempo, a partir de onde vem lançando longos olhares sobre o velho bairro natalense e dando voz a seus antigos moradores, ao mesmo tempo em que recupera sua geografia urbana e sua paisagem. Trata-se de um projeto amoroso, nostálgico, sem remissão, porque a poesia que retira dali vem embaçada pela poeira que se cola às coisas que se foram. Não obstante, essa fraqueza é largamente compensada pelas surpresas que arranca ao silêncio do passado, ao caminhar sem destino certo por entre vultos que, no entanto, se voltam para cumprimentálo por reconhecer seu empenho restaurador. Tudo em “Antiqualha” quer sugerir o ontem, desde o velho automóvel que ocupa a parte baixa da capa, até o tom plúmbeo que enfeixa sua paisagem urbana e as nuvens que pairam sobre ela. E é mesmo do ontem que trata esse livro tão singular, que desfia crônicas de um cotidiano que já não há, e assim preenchem lacunas da nossa memória ou do nosso esquecimento que permaneceriam mais lacunares caso as ignorássemos. Assim, é justo dizer que há fatos e fantasias entremeados na urdidura de “Antiqualha”, e seria custoso desenredálas. Desde longe sabemos, porém, que são desses elementos que se fazem as crônicas – desde as antigas às novas.


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

geral

13

Espionagem doméstica sob análise « GOVERNO OBAMA » Comissão da Europa e dos EUA vai analisar legalidade do uso dado pelos serviços de

espionagem norte-americanos aos dados coletados em escutas telefônicas autorizadas pelo governo

KIN CHEUNG/AP/EC

B

ruxelas - Especialistas europeus e norte-americanos trabalharão juntos para entender exatamente o que foi feito com dados de cidadãos da Europa reunidos pelo programa Prism, da Agência Nacional de Segurança (NSA) dos Estados Unidos, afirmou o procurador-geral norte-americano Eric Holder. “Nós concordamos que representantes dos dois lados vão se reunir e manter o diálogo que começamos hoje”, disse ele aos jornalistas, após reunião com importantes autoridades da União Europeia (UE) dos setores de Justiça e assuntos internos. A Comissária de Justiça da UE, Viviane Reding, saudou “o começo” das discussões. Ela disse que recebeu “respostas e garantias” a respeito das perguntas que levantou sobre o programa, no início da semana. “Para nós, europeus, isso é essencial. Mesmo se houver uma questão de segurança nacional, ela não pode ser tratada à custa dos direitos fundamentais dos cidadãos europeus”, que incluem a proteção da privacidade pessoal, disse ela. “Os direitos básicos dos cidadãos não são negociáveis.” O programa de vigilância Prism não envolveu dados em massa, mas teve como alvo indivíduos ou grupos e teve como base apenas uma ordem judicial, disse ela. Holder declarou que os dados foram sujeitos a “extensiva supervisão”. Críticos do programa dizem que ele permitiu ao governo norte-americano acesso ilimitado a empresas como Google, Facebook, Microsoft e Apple. A avaliação de que o programa “não é sujeito a supervisão interna e externa é simplesmente incorreta”, disse ele. O Prism reuniu dados sobre milhões de ligações telefônicas de norte-americanos e rastreou o tráfego de internet e de e-mails de estrangeiros. Sua existência foi divulgada na semana passada por Edward Snowden, ex-funcionário da CIA que trabalhava para uma empresa contratada pela agência de espionagem norteamericana. “Este caso ainda está sob investigação. Vamos responsabilizar a pessoa culpada por esses vazamentos, extremamente danosos”, disse Holder.

Edward Snowden, na foto à direita da imagem mostrada pelas tvs norte-americanas, sumiu do hotel em que estava na Tailândia

Inglaterra não quer receber Edward “A segurança do povo americano e a segurança do povo que mora em países aliados foi colocada em risco.” ERIC HOLDER procurador-geral dos EUA

Bangcoc - O governo britânico emitiu um alerta para as companhias aéreas em todo o mundo, no qual pede que não elas permitam que Edward Snowden, delator de programas secretos dos EUA, voe para o Reino Unido. O alerta, datado de segunda-feira, pede que as companhias neguem o embarque de Snowden, pois “é altamente provável que seja recusada a entrada do indivíduo no Reino Unido”. A Associated Press viu uma fotografia do documento tirada na sexta-feira (14) em um aeroporto tailandês. Um diplomata britânico confirmou que o documento era autêntico e foi enviado às companhias aéreas

em todo o mundo. Snowden revelou documentos secretos sobre os programas de vigilância da Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos e muitos acreditam que ele esteja em Hong Kong. Nenhum mandado de prisão foi emitido. Ainda na sexta-feira, um popular jornal apoiado pelo Partido Comunista da China pediu que a liderança chinesa obtivesse mais informações de Edward Snowden, em vez de mandá-lo de volta para os EUA, já que suas revelações sobre os programas dos EUA são de interesse nacional para a China. O jornal Global Times disse em editorial que o governo

chinês não deve considerar apenas as relações de Pequim com os Estados Unidos, mas também a opinião pública. Segundo a publicação, a nação ficaria insatisfeita se Snowden fosse mandado de volta para os EUA. Conhecido por opiniões nacionalistas, o jornal afirmou que Snowden poderia oferecer informações que podem ajudar a China a atualizar seu entendimento do ciberespaço. Snowden alegou em uma entrevista a um jornal de Hong Kong que, dentre 61 mil alvos de Agência de Segurança Nacional dos EUA em todo o mundo, estão centenas de pessoas em Hong Kong e na China continental.

ì QUEM Edward Snowden, ex-funcionário da CIA especialista em escutas, denunciou existência do programa de espionagem doméstica através de escutas telefônicas de cidadãos dos EUA e estrangeiros.

O QUE Está sendo procurado pela Justiça e pelo Governo norteamericano como traidor da segurança nacional, mas também é considerado um herói.

« ANÁLISE » DIVULGAÇÃO

Dando o serviço THOMAS L. FRIEDMAN, colunista do The New York Times, autor do livro O Mundo é Plano

F

ico contente por viver num país em que tantas pessoas se preocupam em defender as liberdades civis. Mas ao acompanhar o debate sobre a revelação de dois programas governamentais criados para rastrear contatos por telefone e e-mail entre suspeitos de terrorismo, indago se os que defendem tal exposição não estariam se comportando como se o 11 de Setembro nunca tivesse acontecido. Como se a única coisa de que precisássemos ter medo fosse a intrusão do governo em nossas vidas, não a intrusão dos que se reúnem em células secretas no Iêmen, no Afeganistão e no Paquistão para derrubar os edifícios mais altos ou explodir aviões americanos em pleno voo com bombas escondidas em roupas de baixo, dentro de tênis ou de impressoras. Sim, eu me preocupo com os abusos de privacidade que podem ser cometidos no âmbito de um programa governamental criado para prevenir outro 11 de

Setembro - abusos que, por ora, não parecem ter acontecido. Mas me preocupo ainda mais com outro 11 de Setembro. E me preocupo mais com isso porque o que mais aprecio nos EUA é a sociedade aberta, e acredito que, se houver outro 11 de Setembro - ou pior, um atentado envolvendo material nuclear -, isso pode provocar o fim dessa sociedade. Se tivermos outro 11 de Setembro, temo que 99% dos americanos dirão a seus representantes no Congresso: “Façam o que for necessário, às favas com a privacidade, mas deem um jeito para que isso não aconteça de novo”. É por isso que, com relutância, com muita relutância, concordo que as autoridades usem ferramentas de filtragem de dados para analisar a ocorrência de padrões suspeitos nos números de telefone discados e em endereços de e-mail. De modo que não acho que Edward Snowden, o responsável pelo vazamento de todo esse material secreto, seja um herói por ter exposto as coisas que expôs. Acho que Snowden é alguém que precisava ser exposto. Precisava que alguém o

desafiasse com o argumento de que já não vivemos num mundo onde o governo é capaz de proteger seus cidadãos de ameaças reais. Agradeço a Andrew Sullivan por colocar em seu blog um link para o artigo de David Simon, criador da série The Wire, da HBO. A meu ver, Simon vai ao cerne da questão. “As pessoas fizeram tamanho escarcéu que dava a impressão de que o governo estava bisbilhotando os segredos de 200 milhões de americanos”, diz Simon. “E a primeira reação foi achar que, em vez de um mandado judicial, que é a consequência inevitável de leis que elaboramos e aprovamos, algo de ilegal tinha sido descoberto, para enorme constrangimento do governo. Nada disso. Do ponto de vista legal, a única novidade é a escala em que o FBI e a NSA tentam peneirar os dados para obter pistas que os auxiliem em suas ações antiterroristas. Sei que o fato de o governo dispor de uma base de dados formada por todas as chamadas telefônicas surpreende e assusta. E é assustador que eles estejam prestando atenção ao que se pas-

sa na internet. E dá medo saber que nossos celulares têm GPS embutido. A questão não é se os dados que resultam disso deveriam ou não existir. Eles existem. A questão é mais fundamental. As autoridades acessam os dados em virtude de legítimas necessidades de segurança pública? Ou os acessam de formas que desrespeitam as liberdades individuais e violam a privacidade das pessoas? Sobre isso, o Guardian e os que estão se descabelando por esse pretenso escândalo silenciam. Não se tem notícia de que alguma ilegalidade tenha sido cometida.” É claro que precisamos estar constantemente em guarda contra violações de nossas liberdades. Mas o fato, acrescenta Simon, é que há três mandatos presidenciais, no mínimo, “esse tipo de coleta de dados é a base de um esforço antiterrorista que se vê diante do imperativo de encontrar as agulhas antes que elas sejam plantadas no palheiro, de frustrar até ações modestas, organizadas por indivíduos isolados, como a ocorrida contra a Maratona de Boston”. Não há dúvida de que progra-

mas secretos, como os ataques com aviões não tripulados - que permanecem virtualmente não regulamentados -, podem causar excessos. Mas eis aqui o que também é real, conclui Simon: “Aqueles aviões realmente atingiram aqueles prédios. E aquela bomba realmente explodiu na linha de chegada da Maratona de Boston. E estamos realmente envolvidos num conflito de baixa intensidade e alto risco com um inimigo difuso, engajado e ideologicamente motivado. E, imaginemos, só por um instante, o falatório sem fim que ecoaria de um lado a outro do espectro político se, após um atentado terrorista em solo americano, descobríssemos que o presidente e seus assessores deixaram de se aproveitar ao máximo dos dados telefônicos existentes para fazer o que fosse possível a fim de encontrar essas agulhas no palheiro”. E, acrescento eu, as coisas não ficariam só no falatório. Não é difícil imaginar quantas restrições reais a bela sociedade aberta americana teria de suportar se houvesse outro atentado do porte do 11 de Setembro.

Se tivermos outro 11 de Setembro, temo que 99% dos americanos dirão a seus representantes no Congresso: ‘Façam o que for necessário, às favas com a privacidade, mas deem um jeito para que isso não aconteça de novo’.”


14

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

geral PATRICK SEMANSKY/AP/EC

Bradley Manning, em foto do ano em que foi preso (2010), será julgado por corte militar como traidor dos EUA. Advogado de defesa afirma que ele foi submetido a tortura e maus tratos na prisão

Conselho de guerra dá início ao julgamento de Manning « VAZAMENTO » Fuzileiro que enviou ao site Wiki Leaks documentos sobre ações militares senta no banco dos réus após três anos preso POR NIKO SCHVARZ Adital

T

rês anos (e um mês) depois de ter sido preso no Iraque, começou o conselho de guerra contra o soldado Bradley Manning, acusado de ter filtrado para WikiLeaks centenas de milhares de documentos classificados do governo norte-americano, do Departamento de Estado e do Pentágono, que mostram alguns dos crimes de lesa humanidade perpetrados pelos Estados Unidos no Iraque e no Afeganistão (e em outros lugares, como na base militar de Guantánamo, em Cuba) O ‘marine’ Mannig teve acesso a esses documentos enquanto trabalhava perto de Bagdá, capital do Iraque, como analista de inteligência militar, entre setembro de 2009 e maio de 2010, quando foi preso. A partir dessa data, esteve aprisionado durante mais de nove meses na prisão militar de Quantico, no nordeste dos Estados Unidos, sob tortura e em condições que o relator da ONU qualificou de cruéis, desumanas e degradantes, denunciadas pelo próprio soldado. Em abril de 2010, foi trasladado para a prisão militar de Fort Leavenworth, no Kansas. No dia 21 de maio de 2013, a juíza militar Denise Lind fechou um ano e meio de visitas preparatórias e fixou as regras para o julgamento que, sob medidas estritas de segurança e a portas fechadas, sem nenhum público nem meio de comunicação presente, se realizará provavelmente até finais de agosto, na prisão de Fort Meade, no Estado de Maryland, próximo a Washington. A causa do soldado Manning tem sido apoiada com decisão pelas organizações de defesa dos direitos civis. Segundo o jornal britânico The Independent, ao redor de mil simpatizantes e ativistas para a defesa dos Direitos Humanos reuniram-se ao lado da entrada de Fort Meade no dia do início do julgamento levando cartazes com mensagens como “Liberdade para Bradley” e “Bradley Manning preso por ter exposto crimes de guerra”. Esse é o pano de fundo do assunto. Entre os participantes na demonstração, encontrava-se Daniel Ellsberg, um antigo integrante do Departamento de Defesa, que filtrou documentos secretos do Pentágono sobre os massacres perpetrados pelas tropas norte-americanas na guerra do Vietnam. Segundo seu advogado defensor, David Coombs, o soldado Manning, agora com 25 anos, se declarará culpado por 10 dos cargos menores que lhe são imputados (ou de 11, segundo outra versão); porém, rechaçará os cargos mais graves, entre eles o de “ajuda ao inimigo”, que é castigado com a prisão perpétua e nenhuma possibilidade de liberdade condicional, por ter transferido para WikiLeaks informação confidencial sobre as guerras no Iraque e no Afeganistão e mais de 250 mil cabos do Departamento de Estado. Em uma conferência prévia ante a imprensa e em presença da citada juíza militar, Manning declarou que nunca quis prejudicar seu país e agregou: “Acreditava que a publicação (dos documentos confidenciais) poderia provocar um debate político sobre nossas forças armadas e nossa política ex-

terior em geral”. Dessa forma, estava admitindo a transmissão intencionada de um vídeo que mostra um helicóptero de combate disparando contra civis iraquianos, em julho de 2007, bem como informações sobre as guerras no Iraque e no Afeganistão, e sobre os detidos e torturados na base militar estadunidense de Guantánamo, em território usurpado a Cuba. Tudo isso –reiteramos- é o que realmente importa. A juíza Lind anunciou que, no julgamento a portas fechadas, testemunharão 24 pessoas, entre eles um dos Navy Seals que participou na operação em que o líder da Al Qaeda, Osama Bin Laden, foi assassinado, durante o assalto à sua residência, no Paquistão, em maio de 2011. Divulgou que em dita residência encontravam-se documentos filtrados por WikiLeaks. Ao examinar a ata de acusação,

ì QUEM Bradley Manning, fuzileiro norte-americano, acusado de ter vazado para o site WikiLeaks, entre setembro de 2009 e maio de 2010, documentos sobre as operações de guerra no Iraque e Afeganistão. Preso, foi submetido a torturas, segundo observador da ONU, e agora está sendo submetido a um conselho de guerra

O QUE O vazamento de milhares de documentos, copiados por Manning quando atuou como analista de inteligência militar em Bagdá (Iraque), revelaram erros em operações, mortes de civis, torturas de prisioneiros e outros crimes considerados de “lesa humanidade” cometidos por forças militares norte´americanas

argumentaram com razão que a documentação do Departamento de Defesa substraída por Manning não foi entregue a nenhuma organização nem Estado inimigo dos Estados Unidos; mas, a um meio de comunicação internacional dirigido por Julian Assange (WikiLeaks), o que não significa nenhuma ameaça à segurança de seu país; mas, em todo caso, um antídoto contra a perpetuação das práticas criminosas e desumanas cometidas pela superpotência militar em territórios iraquianos e afegãos (e em outros mais). Por outro lado, ficou demonstrado que o perigo para os Estados Unidos não deriva da difusão de informação verdadeira; mas, ao contrário, da ocultação, da deformação e da falsidade. Foi o que aconteceu com a invasão do Iraque, desencadeada sobre a base da mentira da posse de armas de destruição massiva pelo regime de Saddam Hussein, e que culminou com a morte de 4.500 soldados estadunidenses, de centenas de milhares de iraquianos e de “uma devastação material sem precedentes, cuja estela de barbárie ainda persiste”, como foi escrito.


TELEFONES ÚTEIS

DÓLAR COMERCIAL

Receita: 3220-2200 Procon Estadual: 3232-6869 Procon Municipal: 3232-9050 DRT RN: 3220-2000

Compra: R$ 2,1430 Venda: R$ 2,1440

DÓLAR TURISMO Compra: R$ 2,0970 Venda: R$ 2,2500

EURO TURISMO Compra: R$ 2,7470 Venda: R$ 2,9700

LIBRA ESTERLINA Compra: R$ 3,3728 Venda: R$ 3,3750

O SUPERINTENDENTE DA CAIXA NO RN, ROBERTO LINHARES, FALA SOBRE O CRESCIMENTO DO CRÉDITO HABITACIONAL. PÁG. 7

NA TN ONLINE O edital do concurso da Polícia Rodoviária Federal já saiu. Confira os detalhes.

http://blog.tribunadonorte.com.br/tnconcursos/

economia Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 16 de junho de 2013

Editora: Renata Moura [ renatamoura@tribunadonorte.com.br ]

Dólar afeta negócios e pesa no bolso « EFEITOS DA ALTA » A cotação da moeda norte-americana disparou nos últimos dias e alcançou o maior

nível dos últimos quatro anos. Exportadores, importadores e turistas estão entre os que sentem os efeitos ANDRIELLE MENDES repórter

NÚMEROS

O

R$ 2,148

dólar disparou e atingiu a maior cotação dos últimos quatro anos esta semana. Apesar de ter registrado um leve recuo com relação ao início da semana, e ter fechado a sexta-feira a R$ 2,148, a cotação ainda figura entre as cinco maiores da década. Os efeitos da alta já estão sendo sentidos no Rio Grande do Norte. Quem importa insumos, máquinas e equipamentos já está pagando mais caro. Este é caso de Luiz Roberto Barcelos, diretor comercial da Agrícola Famosa, Maior exportadora de frutas frescas do Brasil e maior produtora de melão do mundo, que, em função da alta, desembolsará até R$ 3 milhões até agosto, para comprar a mesma quantidade de insumos para a próxima safra. Segundo ele, o preço dos defensivos agrícolas, por exemplo, já está entre 10% e 15% mais caro. A expectativa, segundo Barcelos, é aumentar o preço das frutas, pago também em dólar. “A gente precisa fechar num preço bom”, afirma o executivo, que também é presidente do Comitê Executivo de Fitossanidade do RN, entidade que representa os fruticultores do RN e do Ceará. “O cliente quer que a gente baixe o preço da fruta (porque o dólar está muito alto), mas não sabemos como o dólar se comportará até o início das exportações”, afirma. A moeda americana disparou em meio às negociações, que ocorrem durante a entressafra. “Todas as nossas despesas, que são atreladas ao dólar, estão subindo: frete marítimo, adubo, defensivos agrícolas. Se o dólar voltar ao patamar anterior durante a exportação, só teremos perdas”. A fruticultura não é o único setor afetado pela alta do dólar.

Viagens As agências de viagens no RN também se queixam. Segundo levantamento realizado pela Associação Brasileira de Agências de Viagens no RN (Abav/ RN), a movimentação nas agências caiu, em média 30%, só este mês, em função da alta do dólar. Só na Harabello Turismo, que costuma fechar entre sete e oito pacotes de viagens por dia

foi em quanto fechou a cotação na última sexta-feira, uma das cinco maiores da década.

30% foi a queda na procura por pacotes de viagem para o exterior, com a alta da moeda.

- a maioria deles para o exterior - há 20 pacotes em aberto. “Os clientes dizem que vão esperar o dólar baixar”, explica Diassis Holanda, diretora da Harabello e presidenta da Abav/RN. O estudante Victor Barros, 20 anos, é um dos que preferiram adiar a viagem. Estudante de Engenharia da Produção na Universidade Federal do Rio Grande do Norte, ganhou uma bolsa para estudar durante um ano na Inglaterra. “Amigos que fecharam pacotes há uma semana pagaram entre R$ 2,5 mil e R$ 2,8 mil pela passagem aérea. Se eu fechasse o pacote esta semana pagaria R$ 3,1 mil, no mínimo. Tenho receio de que aumente mais, mas prefiro esperar um pouco”, afirma. O movimento também caiu nas casas de câmbio do estado nas duas últimas semanas. Segundo Priscila Hasbun de Almeida, gerente da Sol Corretora, empresa que administra dez casas de câmbio em Natal, a movimentação está até 20% menor do que em junho de 2012. “O movimento costuma ficar mais intenso nessa época, em função das férias, mas não foi isso o que ocorreu. O dólar aumentou muito e quem antes comprava 5 mil dólares, hoje compra 2,5 mil dólares. O movimento não chegou a despencar como esperávamos, mas já está bem menor”, afirma Priscila. Outros setores no RN podem ser afetados, caso a cotação da moeda continue subindo.

+

PÁGINA 3 Alta pode afetar até o preço do pãozinho. JÚNIOR SANTOS

Victor Barros: compra de passagens para a Inglaterra foi adiada


2

economia

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

Turismo potiguar sob luz amarela

Negócios &Finanças

TOMISLAV R. FEMENICK

LUIZ ANTÔNIO FELIPE [ laf@tribunadonorte.com.br]

coautor do livro “Turismo no Alto-Médio Tietê”

Parou por quê? O que se ouve nas rodas empresariais é o “sumiço” do dinheiro. Os investimentos do Estado e do município estão reduzidos, aliado a um problema maior, o atraso no pagamento das faturas. “Tá tudo parado” é a frase mais ouvida nos ambientes empresariais, dentro de uma expectativa de um recomeço, que poderia ser do próprio empresariado. Não precisa esperar pelo dinheiro público se há crescimento nas vendas do varejo, apesar da desaceleração momentânea. É descobrir as oportunidades e aproveitar os juros mais baixos e até subsidiados oferecidos pelos bancos.

Legalidade O episódio envolvendo o Ministério Público Estadual deixa a sociedade estarrecida. O pagamento de mais de R$ 140 milhões deveria ser feito com o orçamento próprio do MPE, sem buscar mais recursos no Orçamento do Estado de 2014. O problema é que todo ano, na votação do orçamento, a pressão é grande para aumentar as despesas reduzindo os investimentos. Cabe um momento de reflexão entre o que é justo e o que é moralmente cabível.

Restituição

Empresário

Dinheiro novo em circulação a partir de amanhã (17). A Receita Federal libera o primeiro lote do IR 2013, o maior da história. Serão pagos R$ 2,8 bilhões no lote multiexercício, sendo R$ 2,7 bilhões somente de 2013. Cerca de 1,99 milhão de contribuintes terão restituição em 17 de junho, diz Fisco. O Fisco informou ainda que R$ 2,24 bilhões em restituições serão pagos para 1,73 milhão de contribuintes com preferência.

O Governo do Ceará, através da Adece (Agência de Desenvolvimento do Ceará), é um estado-empresário. Além de adquirir uma usina de cana-deaçúcar que estava parada no interior, o governador do Ceará, Cid Gomes, vai apresentar uma proposta de sociedade à Petrobras, para viabilizar a Refinaria de Petróleo Premium II, a ser construída no Complexo Industrial e Portuário do Pecém.

C

orrendo o risco de cair no exagero, pode-se dizer que o primeiro registro de turismo no Rio Grande do Norte deu-se em 1501, quando Gaspar Lemos aportou nas aprazíveis praias de São Miguel do Gostoso. Pela concepção moderna teria sido um turismo de negócio. Assim entendido, o turismo estaria em nosso gene, na unidade fundamental da nossa formação. Todavia, ficamos patinando no marasmo econômico da colônia, da República Velha, do governo Vargas e no período da democracia do pós-guerra, até o governo de Aluizio Alves, quando nos anos 60 o Estado instalou o Hotel Internacional dos Reis Magos, em Natal, e o Esperança Palace Hotel, em Mossoró, e o Cabugi Palace Hotel, em Angicos. Essa atuação do governo de Aluizio Alves foi surpreendente, pois o Programa de Desenvolvimento Econômico do Rio Grande do Norte, elaborado pela Arthur D. Little Inc., por encomenda da CODERN, nada falou sobre turismo ou hotelaria como um dos polos a ser explorado.

Confederações, o comércio reclama do baixo volume de vendas. As lojas estão vazias sem despertar o interesse pelos produtos do marketing da competição, que começa hoje em Brasília.

O negócio da energia O Rio Grande do Norte, Ceará e Rio Grande do Sul têm eólicas projetadas que não exigem linhas de transmissão, lembra o secretário de planejamento e desenvolvimento do Ministério de Minas e Energia, Altino Ventura Filho. O secretário do MME disse que, dos

2.074 megawatts de geração eólica contratados, um terço sofre com a falta de rede. Outros dois terços estão em operação. Entre os estados que vão disputar o próximo leilão de eólica, no dia 23 de agosto, apareceram dois “novatos”: Santa Catarina e Piauí.

Certificação O engenheiro potiguar Antemildo Batista de Andrade, participou do processo de certificação de Engenharia de Avaliações, realizado pela primeira vez no Brasil, sob a coordenação do (IBAPE) Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de Engenharia. Ele obteve o primeiro lugar geral, concorrendo com engenheiros de todo o Brasil. É um profissional que se desenvolve atividade de engenharia de avaliações e perícias de engenharia.

A Serasa Experian anuncia o lançamento do Renovador Online, serviço de renovação de certificados digitais para empresas e pessoas físicas por meio de um processo prático e eficiente. A ferramenta é capaz de identificar se o cliente está apto a fazer o processo e se possui as mídias – cartão ou token – atualizadas. O cliente faz o processo de forma prática, sem sair de sua casa ou escritório.

1

2

A Prefeitura de

Parnamirim marcou para amanhã, às 10 horas, o pregão eletrônico para a compra e material de construção. Quer iniciar obras de manutenção e conservação dos equipamentos públicos, como praças e feiras livres, parques e mercados. Mais informações no: www.licitacoese.com.br

3

O edital para as obras de duplicação da Reta Tabajara será publicado dia 20, quinta-feira próxima. Finalmente, o dinheiro do contribuinte será aplicado em uma obra do interesse coletivo reivindicada há décadas. Serão mais de R$ 200 milhões investidos nesta obra de 16 quilômetros, alocados pela emenda da banca federal.

Concurso (I) O Ministério da Fazenda lança concurso com 347 vagas de analista técnico-administrativo, arquiteto, contadores, engenheiro e pedagogo, entre outras profissões, em vários estados, inclusive o Rio Grande do Norte. As inscrições serão recebidas através da internet, das 10h do dia 17 (amanhã), às 23h59min do dia 30 de junho, no site da Esaf (www.esaf.fazenda.gov.br). As remunerações variam entre R$ 3.977,42 e R$ 5.081,18.

Concurso (II) Com salários de até R$ 10 mil, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) oferece 135 vagas. As inscrições já estão abertas e podem ser efetuadas até 2 de julho pelo site www.cespe.unb.br/concursos/ANTT_13. As taxas variam entre R$ 80 e R$ 100. A remuneração varia de R$ 9.263,20 a R$ 10.019,20.

Rotatividade De acordo com o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, nos últimos cinco anos, houve 148,7 mil ingressos e 10 mil saídas por posse em outro cargo, o que significa uma rotatividade de 6,7% nos cargos públicos do Poder Executivo Federal. O ministério considera que o índice é baixo e está sob controle.

parcela da renda, qualquer abalo afeta a renda de milhares de pessoas. E o turismo potiguar está em queda livre. Durante o período compreendido entre os anos 2003 e 2006, houve um crescimento contínuo do número de turista de outros países que vinham para Natal. De cerca 45.600 passamos para quase 117.700 estrangeiros desembarcado no Aeroporto Augusto Severo. De lá para cá o decréscimo foi acentuado e no ano passado tivemos pouco menos que 40.500; menos que em 2003. Se isso é grave, mais grave ainda foi a queda do número de passageiros nacionais. O nosso aeroporto perdeu 60 mil passageiros nos meses de janeiro a abril desse ano, se comparado com o mesmo período do ano passado. Quais os fatores que provocaram esse desastre? Em primeiro lugar, sem dúvida, a crise que afeta diretamente a Europa (o principal ponto de origem dos turistas estrangeiros que visitam o Rio Grande do Norte) e os Estados Unidos. Em segundo, a valorização do Real perante o Euro e o Dólar. Enquanto fica mais caro aos turistas estrangeiros visitar o Brasil (e por extensão o

RN), pois pagam mais para comprar os Reais que vão gastar aqui, fica mais barato aos turistas do sul e sudeste viajar para os Estados Unidos e para a Europa e outras partes do mundo, pois pagam menos pelos Euros e Dólares que vão gastar lá fora. Há ainda outras explicações possíveis para o fenômeno. A escassez de turistas fez com que outros Estados nordestinos empreendessem campanhas publicitárias massivas de suas atrações, enquanto nós nos omitimos quase que completamente. Todavia o mais preocupante é o fato de que em alguns setores locais ainda impera o conceito de “explorar o turista” e não “explorar o turismo”, isso é, preferem cobrar caro e vender pouco e não vender em maior número cobrando o preço justo. Apesar do peso que representa para a economia e da alta taxa de ocupação de mão de obra, o turismo não tem o peso político correspondente à sua participação na geração de renda do Estado. Alguns luminares ainda o veem como uma atividade marginal, ignorando que os maiores destinos turísticos do mundo são os Estados Unidos, a Europa, o Japão e, agora, a China.

Yes, nós temos Gostoso! LUCIANO RAMOS

Negação No comércio varejista das seis cidade da Copa das

Porém tudo ainda era incipiente. Desfrutando de muitos recursos naturais, onde pontificam as praias e falésia, mas que também possui regiões de serras, sítios arqueológicos com inscrições rupestres, caatingas, trilhas propicias para esportes, uma rica culinária, pontos históricos e atividades culturais, o Rio Grande do Norte ainda patinava naquela que é chamada de indústria sem chaminés. Esse cenário começou a se modificar no governo de Tarcisio Maia, quando foram traçadas as bases para o Projeto Parque das Dunas/Via Costeira, que integraria as duas maiores praias urbanas na cidade de Natal: Areia Preta e Ponta Negra, uma faixa de 300 milhões de metros quadrados, projeto que foi inaugurado no governo Lavoisier Maia, em 1983. A partir de então o turismo potiguar passou a ser encarado como uma atividade empresarial e uma importante fonte geradora de renda. Atualmente representa 4,4% de toda riqueza produzida no estado, o maior índice de todo o país (o que demonstra a pouca diversificação de nossa economia). Ai é que está o perigo. Se este é o setor que gera importante

procurador-geral do Ministério Público de Contas do RN; mestre em Direito do Estado

“Yes, nós temos bananas/Bananas pra dar e vender/Banana menina tem vitamina/Banana engorda e faz crescer. Vai para a França o café, pois é/Para o Japão o algodão, pois não/Pro mundo inteiro, homem ou mulher/Bananas para quem quiser. Mate para o Paraguai/Ouro do bolso da gente não sai/Somos da crise, se ela vier/Bananas para quem quiser” (Yes, Nós temos bananas!)

S

ão 7h da manhã, desperto com um som que não estou acostumado, após meses levantando dos sonhos com o ensurdecedor alarme do celular, posto no último volume para cumprir a hercúlea tarefa de tirar o baiano da cama. Mas hoje não, na paz onde estou, é um sussurro que me acorda, uma sinfonia composta por passarinhos, cavalos e o inconfundível som das ondas a quebrar na praia a 50 metros da janela. Por um instante, imagino-me em Passárgada, estimulado pelo ar onírico que tem este lugar, mas estou em São Miguel do Gostoso, refúgio que costumo vir com minha esposa para recarregar as baterias, com o estraté-

gico divórcio do celular, cujos sinais eletromagnéticos são incapazes de entrar no paraíso da pousada onde estou. Enquanto saboreio uma deliciosa tapioca, que só encontro no interior do Rio Grande do Norte, recordo que workholics do mundo chegam a pagar hotéis para custodiar seus blackberrys, e Gostoso nos dá esta dádiva moderna de graça. Da mesma forma que o espetacular pôr-do-sol que ontem vi na praia do Tourinho, beleza única, comparável na escala da minha retina tão-somente ao que vi refletido no Grand Canali de Veneza, mas lá ele era mais caprichoso e cobrava sua graça em Euros. Já sob a luz da lua de ontem, encanto-me com as surpresas gastronômicas de um restaurante mexicano, inusitadamente chamado de Jardim do Seridó e indicado pelo Blog da Malu. Quesadillas, tacos e guaca-mole com o padrão de restaurantes estrelados, mas que jamais proporcionar��o o papo agradável que tive com sua proprietária, uma paranaense que subiu o litoral do Nordeste para encontrar em Gostoso o lugar ideal para criar seus filhos e que viu na sonoridade da cidade seridoense a pedra de toque para batizar seu restaurante, que não prepara pratos do sertão. Mas eis que surge o café feito na hora, e com ele a reflexão sobre notícia lida recentemente na Tribuna do Norte: “QUEDA: 60 mil TURISTAS A MENOS NO RN”. Como com tan-

Precária também a divulgação destas belezas, conhecidas só dos iniciados e levadas espontaneamente pelo vento do boca a boca, uma vez que entre nós os milhões gastos em publicidade não se prestam a alimentar o turismo”. ta riqueza cultural e belezas naturais nosso turismo não está de vento em polpa?PorqueseráqueCarmenMiranda, com um cacho de bananas e um abacaxi na cabeça, conseguiu divulgarnossopaísenósnãoconseguimos com muito mais a mostrar? Do mar, ouço a resposta: “E a infraestrutura?!...” O que dependeu da natureza, do cidadão e do empreendedor está feito, apenas o Estado que esqueceu de chegar aqui como deveria. As estradas estão esburacadas, apesar dos poucos quilômetros que separam Gostoso de Natal, o asfalto dentro da cidade está revirado e para

chegar na Praia do Tourinho a estrada é de terra batida - isso quando não chove e vira lama! Precária também a divulgação destas belezas, conhecidas só dos iniciados e levadas espontaneamente pelo vento do boca a boca, uma vez que entre nós os milhões gastos em publicidade não se prestam a alimentar o turismo, quem sabe se porque esta região não seja composta por amigos do Rei. Complicadíssimo também encontrar placas e informações oficiais que indiquem os caminhos e os lugares certos, que só os moradores parecem saber. E olhe que nem enfrentei as agruras de nossos aeroportos, traumatizado que estou depois de levar 1h15min para garimpar um taxi na saída do GRUAIRPORT - nome criado para esconder nossos defeitos. Mas meu bolo de milho chegou quentinho e vou retornar para Passárgada, com a esperança de que aqueles que podem melhorar esta realidade finalmente despertem. Assim, poderei sonhar mais com esta idílica cidade, sem preocuparme com reflexões como estas e só me restará pensar na lagosta que comerei na praia de Carnaubinha, por inacreditáveis R$ 25,00, seguindo a indicação dos amigos recém-feitos, Douglas, aquele do Banco do Nordeste de Santa Cruz/RN, e sua esposa Paula. São Miguel do Gostoso/RN, 13 de junho de 2013

Proadi e ICMS ALCIMAR DE ALMEIDA SILVA advogado, economista, consultor fiscal e tributário

E

ncontra-se em vias de ser encaminhado à Assembléia Legislativa Projeto de Lei do Poder Executivo estabelecendo nova versão do PROADI – Programa de Apoio ao Desenvolvimento Industrial do Rio Grande do Norte, cuja elaboração vem se arrastando há mais de um ano, conforme reportagem de jornal local. Iniciativa do competente Secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, trata-se, sem sombra de dúvida, de importante instrumento não apenas para a manutenção como ampliação de atividade industrial do Estado e, por via de conseqüência, da geração de emprego, sobre o que, entretanto, permite-se fazer considerações pertinentes. Em primeiro lugar, a classe empresarial tem demonstrado insatisfação porque o Projeto de

Lei, mesmo estabelecendo condições mais vantajosas do que as aplicadas na vigência da versão atual, não ampliou a isenção – denominada de financiamento – de 75 para 99 por cento do ICMS – Imposto Sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e Sobre Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação, como teria sido prometido pelas autoridades governamentais e seria praticado em outros Estados. A explicação dada pelo Secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico para a impossibilidade da ampliação é perfeitamente correta. Pois embora seja de competência do Estado, em conformidade com o inciso IV do art. 158 da Constituição Federal, 25 por cento do produto de sua arrecadação do ICMS pertence aos Municípios. Se a transferência deste percentual fosse direta, como é o caso do IPVA em que 50 por cento do produto de sua arreca-

dação é transferida aos Municípios em que os veículos são licenciados, seria possível a adesão dos Municípios porventura interessados na localização dos empreendimentos e, como conseqüência, conceder a isenção dos 25 por cento. Como, entretanto, a transferência é indireta, através de índices composto na forma do Parágrafo Único, incisos I e II daquele mesmo artigo, tal não é possível. A este respeito, inclusive, o Supremo Tribunal Federal já se manifestou pela inconstitucionalidade de isenção concedida pelo Estado de Santa Catarina comprometendo mais do que 75 por cento do ICMS, ou seja, invadindo os 25 por cento pertencentes aos Municípios. Por esta razão se há algum outro Estado assim procedendo está passível da mesma consequência, além de submeter os beneficiários à insegurança jurídica, cabendo às autoridades governamentais e às entidades de classe, neste caso

especialmente à Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte, reunir os atuais e futuros beneficiários para exposição e discussão sobre todos os aspectos da matéria. Outro aspecto que não se pode desprezar é encontrar-se em discussão no Senado Federal Projeto de Resolução objetivando a redução e harmonização das alíquotas interestaduais do ICMS, o que não deixa de ter profunda relevância para o aprimoramento não apenas deste Imposto como até mesmo do Sistema Tributário Nacional. Uma vez que são as alíquotas interestaduais que definem a parcela que fica com o Estado de origem quando um bem ou mercadoria é vendido para um consumidor em outro Estado, causando deslocamento da arrecadação tributária da origem para o destino, talvez seja recomendável aguardar as regras a serem adotadas que repercutirão inevitavelmente no Proadi.


Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

economia

3

Alta pode afetar até o preço do pão « DÓLAR » A disparada do dólar pressionou o preço da farinha de trigo e o Sindicato da Panificação do RN não descarta que o aumento de custo da matéria-prima acabe pesando também no bolso do consumidor

O

pãozinho também poderá ficar mais caro a partir das próximas semanas, em função da alta do dólar. O reajuste, ainda não confirmado, é esperado pelo Sindicato da Indústria de Panificação e Confeitaria do Rio Grande do Norte, que ainda não sabe em quanto o preço subirá nem a partir de quando. “O preço da farinha de trigo ainda não aumentou, mas pode subir a qualquer hora. A farinha é praticamente dolarizada”, afirma Tennyson Brito, presidente do Sindicato no estado. Os moinhos, que repassam a farinha de trigo para as panificadoras, já começaram a receber trigo mais caro, segundo a Associação dos Moinhos de Trigo do Norte e Nordeste. Com a quebra da safra na Argentina, principal fornecedora de trigo da América Latina, os moinhos tiveram que importar trigo dos Estados Unidos e da Europa. O preço da tonelada, que passou de 120 dólares para 330 dólares, em média, nos últimos meses, deverá ficar ainda maior com a disparada da moeda americana. “Se o dólar se mantiver alto, vamos ter matéria-prima mais cara no estoque”, observa Roberto Schneider, presidente da Associação dos Moinhos de Trigo do Norte e Nordeste e do Grande Moinho Cearense - o maior da região. Schneider admite que muitas empresas do setor já chegaram ‘no limite’, mas que tentarão não repassar o reajuste para o consumidor final. “O preço da farinha de trigo já está muito alto. Nossa preocupação nesse momento vai muito além de corrigir o preço”. O preço dos produtos nas gôndolas dos supermercados também deve subir no RN, se a moeda americana mantiver a tendência de alta. “Qualquer flutuação do dólar pode mudar o comportamento do preço final dos produtos. Quando o dólar fica nervoso, os preços de produtos importados ou que levam produtos importa-

Especialistas evitam fazer projeções Mesmo quem acompanha o comportamento do dólar de perto não arrisca fazer projeções. “É difícil saber se o movimento de alta vai continuar”, afirma Eduardo Coutinho, coordenador do curso de Administração do Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (Ibmec). Segundo o especialista, que também é professor do MBA de Finanças do Ibmec, ‘uma coisa é o dólar se ajustar. Outra coisa bem diferente é ele continuar subindo’. “Ainda não temos elementos suficientes para dizer se o dólar já se ajustou ou se ainda vai subir. O que podemos dizer é que a tendência de longo prazo é ele se estabilizar”, acrescenta Coutinho. A dificuldade em fazer projeções, segundo ele, está ligada ao fato da variação ser definida pelo próprio mercado. “E o mercado é complicado demais para predizermos o seu comportamento”. Coutinho explica que a alta do dólar foi motivada, entre outras coisas, pela queda da oferta de moeda americana na economia, e ressalta que o governo federal tem tentado, sem sucesso, resolver localmente um problema que é global. “Há fatores externos muito mais fortes do que qualquer política interna. A oferta de dólar caiu, porque a economia da China está desacelerando, o governo americano sinalizou aumento da taxa de juros, e a economia americana deu sinais de recuperação”, esclarece.

EMANUEL AMARAL

Dólar Moeda americana sobe e afeta negócios no RN O dólar em 2013

O dólar na última semana* COMPRA 10/06

R$ 2,1501

VENDA 10/06

R$ 2,1506

11/06

R$ 2,1515

11/06

R$ 2,1521

12/06

R$ 2,1415

12/06

R$ 2,1420

13/06

R$ 2,1441

13/06

R$ 2,1447

COMPRA 14/01 13/02 13/03 12/04 13/05 13/06

R$ 2,0328 R$ 1,9665 R$ 1,9614 R$ 1,9755 R$ 2,0144 R$ 2,1441

VENDA 14/01 13/02 13/03 12/04 13/05 13/06

R$ 2,0334 R$ 1,9670 R$ 1,9619 R$ 1,9761 R$ 2,0150 R$ 2,1447

Possíveis efeitos da alta do dólar Positivos Os produtos vendidos para outros países ficam mais caros e a margem de lucro das empresas exportadoras sobe; Aumenta o capital dos investidores estrangeiros e eles podem investir mais em países como o Brasil;

O dólar para o mês de junho - ano a ano COMPRA (Em R$) 3,1643 2,8562

Os estrangeiros podem viajar mais.

A alta do dólar tem efeitos negativos, mas também positivos

2,4554 2,3010 1,8022 2,0597 1,9434 1,9293 1,5880 1,6360

2,1441

Negativos Os produtos comprados de outros países ficam mais caros e margem de lucro das empresas importadoras cai; Os insumos, máquinas e equipamentos trazidos de outros países ficam mais caros e o custo de produção sobe;

13/06 14/06 13/06 13/06 13/06 13/06 12/06 14/06 13/06 13/06 13/06 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013** VENDA (Em R$)

As viagens internacionais ficam mais caras e o movimento nas agências de turismo cai. **Cotação mais recente disponível no site do Banco Central. Fontes: Banco Central do Brasil e especialistas.

dos em sua composição tendem a subir”, explica Eugênio Medeiros, economista, supermercadista, e

2,8570

3,1651 2,4375

2,3018 1,9442 1,6368

1,8030 1,9301

2,0604

2,1447

1,5888

13/06 14/06 13/06 13/06 13/06 13/06 12/06 14/06 13/06 13/06 13/06 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013

membro da direção da Associação dos Supermercados do RN. “A alta do dólar não impactou os pre-

ços ainda, mas poderá impactar, caso o dólar não volte a se comportar de forma educada”, afirmou.

Recomendação é agir com cautela em relação à moeda Diante do movimento de alta da moeda norte-americana, os especialistas recomendam prudência. “Quem iria viajar a lazer e pode adiar a viagem, segure mais um pouco. É melhor esperar para ver o que acontece. Quem não pode adiar, precisa controlar os gastos, principalmente os feitos no cartão de crédito”, orienta Otomar Lopes Cardoso Júnior, professor de Comércio Exterior da Universidade Potiguar e da Faculdade de Natal. Mas não são apenas os viajantes que precisam pensar duas vezes antes de tomar alguma decisão neste momento. Os investidores também. “Recomendo que o investidor que não for profissional fique longe do mercado do dólar. Não é ambiente para ele”, diz Eduardo Coutinho, coordenador do curso de Administração do Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (Ibmec).

Os importadores que não querem ter surpresas na hora de pagar pela mercadoria que desembarcará no Brasil podem também, na ótica de Vinício de Souza e Almeida, coordenador do programa de especialização em Mercado de Capitais e professor adjunto no Departamento de Administração da UFRN, entrar em contratos futuros de dólar para reduzir potenciais perdas. Embora nenhum dos especialistas arrisque dizer se e quando a moeda americana voltará a patamares inferiores a R$ 2, todos recomendam cautela na hora de lidar com o dólar. “Ainda não se sabe se esse movimento continuará. Não sabemos se a curva continuará subindo, se atingiu o pico, ou se vai cair. Estamos atravessando uma fase de grande insegurança. Ninguém consegue adivinhar o que vai acontecer”, justifica Otomar Lopes.

BATE PAPO EMANUEL AMARAL

Temos piora nas expectativas sobre a atividade econômica, o que se reflete em menos dólares para investimento. Com menor oferta, o preço sobe”.

Vinício de Souza e Almeida coordenador do Programa de Especialização em Mercado de Capitais da UFRN

“As medidas do Governo estão aliviando levemente a pressão” Por que o dólar está subindo tanto e tão rápido?

A causa vem fundamentalmente de medidas adotadas pelo Fed (espécie de Banco Central norte-americano). Há expectativa de que o Fed venha a reverter sua atual política de estímulo monetário. O banco ameaça reduzir a oferta barata de dólares, o que muda as expectativas de mercado em relação à oferta da moeda. Paralelamente, temos uma leve piora na avaliação de investidores estrangeiros sobre as perspectivas da economia brasileira. Ou seja, no mercado inter-

nacional, como um todo, temos uma mudança de expectativa em relação à oferta da moeda (para menos). No Brasil, temos piora nas expectativas sobre atividade econômica, o que na prática se reflete em menos dólares para investimento. As duas situações levam a menor oferta de dólares. Com menor oferta, o preço sobe. Qual é a tendência? Esse movimento de alta deverá se manter?

Como está havendo um esforço oficial por redução, a expectativa é que o movimento de alta seja interrompido. O governo

ainda tem cartas na manga como mudanças no recolhimento compulsório sobre posições vendidas em dólar e mudanças no IOF sobre operações de crédito no curto prazo no mercado internacional. O quanto esses ou outros mecanismos serão utilizados é uma incógnita. Não é possível afirmar ainda que este patamar atual vai se estabilizar. Por que as medidas tomadas pelo Governo Federal não conseguem conter a alta do dólar?

As medidas adotadas até agora foram pontuais. As medidas estão aliviando levemente a pressão, mas não têm a magnitude da fuga de dólares pelos fatores internacionais (do Fed, especialmente) e domésticos (piora de expectativas). O dólar voltará para patamares inferiores a R$ 2 ou ainda é cedo para fazer uma afirmação como essa?

Não é possível fazer essa previsão. Pesam negativamente o pessimismo de mercado quanto à inflação, combinado com crescimento econômico baixo e perspectiva de afrouxamento na política fiscal. NumEstadocomooRN,quemganha e quem perde com a alta do dólar?

O movimento de alta beneficia os exportadores, uma vez que vão receber mais reais pela mesma quantidade de dólares. Por outro lado, a alta prejudica os importadores, que terão que pagar mais reais pela mesma quantidade de dólares previamente acertada. Esse efeito para os importadores pode pressionar os preços (para cima), dificultando a tarefa do Banco Central em atingir sua meta para inflação. Como agir diante dessa alta? Que recomendações você faria para importadores, investidores, exportadores, viajantes?

Investidores têm que escolher em quem acreditam mais. Na piora das condições de mercado ou na força do Governo para reverter o quadro”.

Importadores podem entrar em contratos futuros de dólar para reduzir potenciais perdas no futuro, caso se vislumbre que a alta vai prosseguir. Exportadores podem aproveitar o momento para acelerar produção e vender mais. Não recomendo que viajantes alterem seus passeios a depender do movimento da taxa de câmbio, a não ser em momentos de choques muito fortes, como foi o caso de 2008. O movimento atual é certamente mais suave. Investidores têm que escolher em quem acreditam mais. Na piora das condições de mercado (Brasil incluído) ou na força do governo para reverter o atual quadro.


4

economia

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

Interior do NE atrai redes hoteleiras « INVESTIMENTOS » Redes miram crescimento das chamadas cidades secundárias e anunciam planos de expansão com foco em Estados como Rio Grande do Norte, Bahia, Alagoas, Pernambuco e Maranhão CARLOS COSTA - 06/09/2011

A

Rede Vert Hotéis, que trabalha com os hotéis Ramada, do grupo Wyndham, maior empresa do mundo no setor, está negociando “futuras instalações” em cidades do interior do Nordeste e incluiu Mossoró, no Rio Grande do Norte, na rota de possíveis investimentos. O anúncio foi feito durante o Brasil Hospitality Investment Conference, evento realizado nos dias 13 e 14 no hotel Tivoli Mofarrej (SP). O primeiro dos contratos fechados para instalação de hotel fora do Sudeste foi o Ancore em Petrolina, distante 721 km de Recife, com 124 quartos e investimento em torno dos R$ 10 milhões. Há negociações para futuras instalações em Suape, na cidade do Cabo de Santo Agostinho, também em Pernambuco; Itabun,a na Bahia; Mossoró no Rio Grande do Norte e Arapiraca, em Alagoas. Essa não é, porém, a única rede que está apostando nas chamadas cidades secundárias. A rede Accor, com 176 hotéis em funcionamento no Brasil, está presente em todas as capitais e muitas cidades do interior do Nordeste: já são 25 hotéis em funcionamento e outros 25 em fase de instalação. Este ano, a rede inaugurou uma unidade Ibis em Mossoró, e até o fim de 2013, planeja abrir o Ibis Vitória da Conquista, na Bahia. Em 2014, a expectativa é colocar em funcionamento o Ibis Imperatriz e Ibis Bacabal, ambos no Maranhão. O Investimento da rede no Nordeste para os próximos três anos será

NÚMEROS

R$ 10 milhões é quanto a Vert Hotéis investiu na cidade de Petrolina (PE). Uma unidade pode ser implantada em Mossoró.

25 é o número de hotéis que a rede Accor está implantando no Nordeste. A rede tem outras 25 unidades na região.

R$ 1 bilhão é quanto a rede Ibis pretende investir na região Nordeste nos próximos três anos. Serão gerados 2 mil empregos. Mossoró, no Rio Grande do Norte: cidade recebeu uma unidade com bandeira Ibis e está no radar também da Rede Vert Hotéis

próximo a R$ 1 bilhão gerando algo em torno de 2 mil empregos.

Crescimento Em alguns estados, o crescimento das chamadas cidades secundárias deixa pra trás as capitais, como é o caso de Juazeiro do Norte, no Ceará, que cresceu 32% em 2012, enquanto a capital, Fortaleza, cresceu 30%, de acordo com dados levantados pela empresa de pesquisa mercado-

lógica, DataStore. Por outro lado, o avanço do contingente populacional e econômico não tem sido acompanhado pela oferta de hotéis. O público, cada vez mais exigente, tem que, na maioria das vezes, se contentar com empresas familiares e hotéis e pousadas improvisados. Em pesquisa realizada pela universidade de São Paulo, constatou-se que 75% dos hotéis das cidades secundárias tem gestão

familiar, enquanto apenas 25% é gerenciada por redes de hotelaria. Falta de profissionalização aliada a carência de mão de obra são alguns dos entraves do setor. “Com a melhoria da renda da população, aumento do poder aquisitivo, a força de trabalho que antes seria potencialmente atuante no setor de hotelaria, está migrando paulatinamente”, afirma Amilcar Mielmiczuk, diretor-financeiro Da Vert Hotéis.

Os espaços de formação de mão de obra estão prioritariamente qualificando para o setor de tecnologia, além disso, a velha cultura do movimento migratório de estados mais pobres em busca de trabalho nos grandes centros urbanos se inverteu ou diminuiu. “Há trabalhadores do Sudeste retornando aos seus estados de origem por conta do boom econômico que toma a região”, diz. Busca-se mais quali-

ficação e melhores empregos. Apesar do crescimento, 104 milhões de pessoas no Brasil ainda ocupam a base da pirâmide econômico-social. Por isso, há a preferência das redes por inaugurarem nestas cidades, hotéis de baixo e médio custo. O Brasil Hospitality Investment Conferencefoi realizado pela Questex Hospitality + Travel e marcou o inicio das operações da Questex no Brasil .


Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

economia

5

ALEX RÉGIS

Incubadora do IFRN abre sete vagas para novas empresas « EMPREENDEDORISMO » Projetos aprovados terão infraestrutura e suporte gerencial por até três anos. Inscrições vão até 30 de junho

A

Incubadora Tecnológica Natal Central (ITNC) do IFRN, está com inscrições abertas para a seleção e ingresso de empreendimentos, empreendedores e micro e pequenas empresas, para participar do processo de incubação. Podem se inscrever alunos, ex-alunos, professores e pesquisadores do IFRN , além de toda a comunidade externa. Com o objetivo de prospectar, capacitar e selecionar empresas e empreendedores que apresentem produtos, processos ou serviços inovadores com diferenciais de mercado para integrarem o processo de incubação, a Incubadora Tecnológica Natal Central (ITNC) oferece 7 vagas para a modalidade de empresas residentes. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas até 30 de junho através do preenchimento do formulário de inscrição on-line e o Plano Descritivo disponíveis no site da incubadora de empresas (http://www2.ifrn.edu.br/itnc). Durante o processo de seleção, os empreendedores irão elaborar um Plano de Negócio a ser desenvolvido na Oficina de Plano de Negócio, organizada pelo Sebrae, e apresentar ao Comitê de Seleção da Incubadora. Os empreendimentos selecionados deverão seguir a metodolo-

gia de incubação baseada no Modelo CERNE de gestão que consiste em 4 fases: implantação, desenvolvimento, consolidação e graduação. Durante o período de incubação, os empreendedores terão a disposição toda a infraestrutura da incubadora (salas com ambiente climatizado, energia, internet, segurança, limpeza, sala de reuniões, auditório, sala de treinamentos, etc) e serviços de apoio ao desenvolvimento do empreendimento (assessorias e consultorias especializadas, treinamentos, participação em eventos de interesse, etc) por até 3 anos, sendo capaz de enfrentar o mercado competitivo. Pioneira no Rio Grande do norte, a Incubadora Tecnológica Natal Central (ITNC) foi instalada no Câmpus Natal-Central do IFRN em 1998, com o intuito de fornecer suporte ao surgimento de empresas de base tecnológica, principalmente, com foco nas áreas de atuação do Instituto. Ao todo, a ITNC graduou mais de 15 empresas e atualmente oferece, em parceria com o Sebrae/RN, serviçosespecializados,como:assessorianaelaboraçãodosplanosdenegócios, consultorias especializadas, prospecção tecnológica, participaçãoemfeiras,exposições,visitastécnicas, missões comerciais e cursos de qualificação e aperfeiçoamento.

Pesquisa mostra alto custo e burocracia para abrir um negócio formal como entraves vistos por trabalhadores informais no país

Acesso à informação é falho « NEGÓCIOS » Segundo o SPC Brasil, quase metade dos trabalhadores informais no país não sabe como regularizar o próprio negócio

Pesquisa encomendada pelo SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) em todas as capitais brasileiras revela que metade (49%) dos trabalhadores ilegais não sabe sequer o que fazer para regularizar o próprio negócio. Na prática, significa dizer que apesar de todo o esforço do governo em criar modalidades facilitadas de formalização para o pequeno empreendedor, a informação não está chegando na ponta da cadeia. O estudo revela que 46% dos trabalhadores informais nunca ouviu falar, por exemplo, sobre o Microempreendedor Individual (46%), uma modalidade facilitada de formalização para uma pessoa que fatura até R$ 5 mil por

mês e quer se legalizar como um pequeno empresário, ou seja, exatamente o perfil de 97% dos comerciantes e prestadores de serviço entrevistados pela pesquisa. Quando perguntados sobre as principais razões para se manterem na ilegalidade, as respostas mais freqüentes são o alto custo e a burocracia para abrir um negócio formal. Na avaliação do presidente da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), Roque Pellizzaro Junior, isso só reforça o dado de que eles realmente desconhecem as ferramentas de regularização. “Na maior parte dos casos, o custo inicial para ter um negócio registrado é praticamente zero e o

trabalhador pode iniciar o cadastro pela internet. Ou seja, existe um desconhecimento, apesar das excelentes ferramentas oferecidas pelo governo”, explica. Com os dados em mãos, representantes da CNDL e do SPC Brasil vão apresentar o estudo ao Serviço de Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) para debaterem maneiras de intensificarem o trabalho de esclarecimento a esses trabalhadores informais. “A ideia é juntar forças e auxiliá-los no excelente trabalho que já prestam à sociedade”, disse Pellizzaro Junior.

Investimento A pesquisa revela que três em

cada cinco (61%) trabalhadores informais pretendem fazer investimentos no próprio negócio este ano. No entanto, 75% afirma que para isso vai ter que colocar a mão no próprio bolso, enquanto que apenas 14% vai recorrer a bancos ou financeiras. O gerente financeiro do SPC Brasil, Flávio Borges, explica que ao se manter na clandestinidade, o trabalhador informal não consegue crédito em instituições financeiras e perde a oportunidade de ampliar o próprio negócio. “Além disso, eles deixam de ter acesso a benefícios como direito à aposentadoria, auxílio-maternidade e emissão de nota fiscal”, argumenta.


6

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

economia

Abrindo a porteira LUIZ ANTÔNIO FELIPE [ laf@tribunadonorte.com.br]

Novo financiador Dinheiro novo e uma opção nova está chegado para o campo. A Caixa Econômica terá crédito rural em mil agências até agosto, para conquistar espaço nesse segmento, onde ainda atua de forma tímida. A Caixa realizou um projeto piloto na área de crédito rural - segmento dominado pelo também estatal Banco do Brasil- na última safra em 150 agências. No momento, são 400 agências, e até 1º de julho serão 600 unidades. O banco vai aplicar R$ 2 bilhões para custeio e investimento do agronegócio em mil municípios até dezembro de 2013. Os produtores que comparecerem às agências com todos os documentos necessários poderão ter acesso ao limite de R$ 300 mil, no mesmo dia.

Alimentos

Uma fusão de quatro selecionadores da raça Guzerá no Rio Grande do Norte, vai fortalecer os negócios da pecuária para disputar o mercado nacional da raça. Estão sob a sigla de Guzerá Nordeste Ltda, os afixos dos criadores Camilo Collier Neto (Reilloc), Geraldo Alves (GA), Antônio Teófilo (Brumagi) e Marcos Vinicius Gondim (Cipó). A Guzerá Nordeste começa a operar com 500 matrizes, distribuídas em várias fazendas. A proposta é ter em dois anos um rebanho P.O. com cerca de duas mil matrizes.

Calendário A Secretaria da Agricultura e Pecuária atualizou o calendário de exposições agropecuárias do estado. No próximo final de semana (21 e 22), acontecerá a Exposição Agropecuária do Seridó, com um leilão no sábado à noite.

Feicorte começa amanhã A 19ª edição da Feira Internacional da Cadeia Produtiva da Carne - Feicorte, a partir de amanhã até o dia 21 de junho, em São Paulo, será palco de um remate inédito no calendário da raça Senepol. Será o 1º Leilão Senepol Nova Vida & 3G, agen-

dado para quinta-feira (20), às 20 horas, promovido da Agropecuária Nova Vida, de Ariquemes (RO), e Senepol 3G, de Barretos (SP). Venderão 32 doadoras de alto padrão. A organização é da Central Leilões e a transmissão do Canal do Boi.

Meteorologia Previsão de mais chuvas para os próximos dias no leste do Nordeste (faixa litorânea), entre os dias 18 e 30 de junho. Pelos menos é o que afirmam os meteorologistas do Nordeste.

1

« CLIMA » Efeitos da alteração do ciclo das chuvas e do aumento das temperaturas sobre o setor são apontados por pesquisador da Embrapa

DIVULGAÇÃO

Genética

A FAO, organismo da ONU, prevê uma grande produção de grãos para a América Latina e Caribe. No Brasil, serão produzidas 36 milhões de toneladas de milho, representando 9% acima do registrado na safra anterior. A produção de grãos na América Latina e no Caribe vai ultrapassar 205 milhões de toneladas na safra 2012/13, um aumento de 6,3% em relação à safra anterior. A produção mundial de grãos deve ser recorde, de 2,46 bilhões de toneladas no ano-safra 2013/14 e ficar estável em relação à safra 2012/13.

Um curso de inseminação artificial em bovinos será realizado pela empresa Alta, na próxima semana em Natal, de 18 a 20. A inseminação artificial oferece inúmeros benefícios aos criadores e o curso oferecer uma programação completa para capacitar profissionais na utilização deste método. O curso vai acontecer no CENTERN, em São José de Mipibu. Para se inscrever é preciso entrar em contato com Jorge Motta no (84) 32077303 ou e-mail contato@ieduki.com.br.

Agricultura familiar é a mais afetada por mudanças

2

O leilão “Balde Cheio”, realizado na noite da sexta-feira (14), dentro do XI ENEL, rendeu cerca de R$ 100 mil. No leilão, a Emparn vendeu dez lotes de animais de alto padrão genético das raças Gir, Guzerá e Pardo-Suiça do seu plantel de pesquisa. Os lotes foram negociados por R$ 32,5 mil, sendo o animal mais caro do leilão uma vaca Guzerá do plantel da EMPARN, vendida por R$ 7.200,00.

3

O leilão “Natal Quarter Horse”, realizado no sábado, dia 8, bateu todos os recordes do RN, com R$ 3,319 milhões em negócios. O leilão de cavalos da raça Quarto de Milha foi realizado pelos haras “Bom Pasto” e “Vertentes”, no tattersal do Parque de Exposições Aristófanes Fernandes, em Parnamirim. Um criador do Pará, adquiriu uma égua por R$ 205 mil, o maior preço do evento.

Agronegócios As exportações do agronegócio aumentam 10,1% até maio. As vendas externas do setor somaram US$ 40,39 bilhões no acumulado do ano. Nos mesmos meses, as importações do setor aumentaram 1,4%, passando de US$ 6,94 bilhões para 7,04 bilhões. Assim, o saldo da balança comercial do agronegócio foi positivo no período (US$ 33,35 bilhões). Lácteos Houve uma queda nas exportações brasileiras de lácteos em maio. Segundo dados do governo, o Brasil exportou US$ 8,1 milhões em produtos lácteos, no mês. Na comparação com abril, o faturamento foi 4,3% menor e em relação ao mesmo período do ano passado a queda foi de 9,8%. O volume embarcado também diminuiu de 3,6 mil toneladas em abril para 3,4 mil toneladas em maio. O produto mais exportado foi o leite em pó. Os principais compradores foram Angola, Arábia Saudita e Venezuela.

Feinco A raça caprina Anglo Nubiano, participa da Feinco Preview, nesta semana (17 a 21), em São Paulo. A raça é conhecida pela qualidade do leite, mas também pode ser boa produtora de carne. Os organizadores esperam reunir cerca de 80 animais no julgamento. Já milenar raça japonesa de gado Wagyu, conhecida desde a época dos samurais, será o destaque da Associação Brasileira dos Criadores de Bovinos da Raça Wagyu, na 19ª Feicorte. No total, 25 animais estarão expostos na feira, e um dos expositores é a Fazenda Yakult, que participará com 10 animais PO.

A cultura do café é uma das mais sensíveis às mudanças climáticas provocadas pelo efeito estufa

B

rasília (ABr) - Os agricultores familiares são os produtores agrícolas mais intensamente afetados pelas mudanças do clima, como a alteração do ciclo das chuvas e o aumento das temperaturas causado pelo efeito estufa, informou o pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Eduardo Assad, um dos palestrantes do seminário Caminhos para uma Agricultura Familiar sob Bases Ecológicas: Produzindo com Baixa Emissão de Carbono, que terminou na última sextafeira (14), na sede do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). O evento discutiu as formas de produção agrícola familiar de forma sustentável nos diversos biomas brasileiros. Sobre os efeitos do clima na produção agrícola, o pesquisador da Embrapa, Eduardo Assad, explicou que a chuva é um dos fatores mais importantes. No caso do Brasil, a quantidade total de chuvas não tem tido alterações, mas a intensidade das precipitações, sim. Isso resulta no aumento da erosão, na perda de fertilizantes e em inundações de áreas produtivas - como em áreas ribeirinhas, ocupadas, principalmente, por pequenos produtores. Assad também explicou que, em relação ao aumento das temperaturas, deverá haver uma mudança na geografia das produções agrícolas no Brasil, com

Só o Estado de São Paulo perdeu 250 mil hectares de café por causa das alterações de temperaturas”. EDUARDO ASSAD pesquisador da Embrapa

o deslocamento de algumas plantações para o sul, onde o clima é mais ameno. No caso dos agricultores familiares, esse deslocamento ocorre em menor escala, pois a maioria das famílias está fixada em local determinado. Para elas, portanto, o prejuízo é mais intenso - também por ser, em muitos casos, a única fonte de subsistência. Culturas Os exemplos de prejuízos são as produções de laranja e do café. Picos de temperatura, tanto para o quente quanto para o frio, alteram a floração da lavoura - o que faz com que as frutas e os grãos percam qualidade. De acordo com o pesquisador da Embrapa, em 2010, só o estado de São Paulo perdeu 250 mil hectares de café por causa das alterações de temperaturas. Atualmente, muitas plantações no estado fo-

ram substituídas por seringueiras, o que fez com que São Paulo tenha ultrapassado o Acre, como o maior produtor de borracha no país. Para tentar minimizar os impactos do clima sobre a produção agrícola familiar, Assad citou o Programa Agricultura de Baixo Carbono (ABC), que propõe ações que minimizem as emissões de gases causadores do efeito estufa. Essas medidas têm o objetivo de evitar e, sobretudo, não intensificar os problemas já existentes, decorrentes das mudanças climáticas. O programa tem vigência de 2010 a 2020 e oferece linhas de crédito. Para o pesquisador, o programa parte da adoção de sistemas agrícolas (aplicação de técnicas e tecnologias), que podem ser conduzidos tanto por agricultores empresariais quanto por familiares - variando a escala das iniciativas. Segundo ele, no caso da agricultura familiar, é importante a participação de atores estratégicos, no sentido de conscientizar as famílias para a adoção desses sistemas. Entre esses atores estão cooperativas (só de grão, carnes e leite são mais de 900 no Brasil), produtores de sementes (mais de 700 entrepostos), postos de Assistência Técnica e Extensão Rural (Aters) e universidades com cursos de ciências agrárias (atualmente, há mais de 400, considerando zootecnia e medicina veterinária).

« PESQUISA »

Produtividade cresce mais no Brasil do que nos EUA

O

índice de produtividade agrícola brasileiro multiplicou-se em 3,7 vezes de 1975 a 2010, avançando aproximadamente ao dobro da velocidade observada nos Estados Unidos. Esse incremento da produtividade no Brasil corresponde a um crescimento médio de 3,6% ao ano ao longo de 35 anos, já descontado o pequeno aumento simultâneo na quantidade total de insumos empregados no campo, entre trabalho, máquinas e outros. Nas últimas décadas, o país diminuiu a grande lacuna de eficiência ainda existente em relação a estruturas mais modernas, mas manteve uma produção agrícola muito concentrada em poucas propriedades, com 10% dos estabelecimentos respondendo por 85% do valor bruto produzido. Essas são algumas conclusões de Armando Fornazier, doutorando em economia pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), e José Eustáquio Vieira Filho, técnico de Planejamento e Pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). As considerações resultam de pesquisa apoiada pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal) e são apresentadas no Texto para Discussão no 1819 - Heterogeneidade estrutural na produção agropecuária: uma comparação da produtividade total dos fatores no Brasil e nos Estados Unidos. A produtividade agrícola calculada no estudo refere-se ao aumento da quantidade de produto que não é explicada pelo aumento da quantidade dos insumos, mas sim por ganhos de eficiência da produção, os quais dependem basicamente do desenvolvimento científico e tecnológico.

Modernização Segundo os autores, a modernização do setor agrícola brasileiro transcorreu em momento posterior ao da agricultura americana. No Brasil, a mecanização do campo e o uso de insumos modernos, bem como o avanço para novas fronteiras produtivas, como o Centro-Oeste, só vieram a ocorrer nos anos 1980, complementando o planejamento nacional de pesquisa agropecuária desde a criação da Embrapa em 1973. Após a abertura comercial e a estabilização econômica na década de 1990, verificou-se forte crescimento da produtividade de determinados cultivos, impulsionado por oferta de crédito e programas governamentais. Na última década, tais políticas públicas foram mantidas, prolongando o avanço do agronegócio. Enquanto as deficiências logísticas prejudicam o escoamento da produção agrícola, o aumento dos índices de produtividade torna o Brasil mais competitivo no mercado mundial de commodities, diminuindo a lacuna em relação à moderna agricultura. Contudo, persiste a convivência entre setores modernos e atrasados no campo. Segundo os autores, o desenvolvimento dual inviabiliza a inclusão produtiva dos segmentos mais atrasados nos mercados mais dinâmicos e essa heterogeneidade torna mais difícil a aplicação generalizada da tecnologia. O estudo aponta para a necessidade de investimento em pesquisa, bem como em assistência técnica e educação rural. Além disso, defende que as políticas se adequem às especificidades regionais, por exemplo, ajustando-se ao zoneamento agroclimático com maior retorno produtivo.


Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

economia

7

»ENTREVISTA » ROBERTO LINHARES SUPERINTENDENTE DA CAIXA ECONÔMICA NO RN

FOTOS: EDU BARBOZA

“O setor imobiliário continua firme”

? QUEM Roberto Linhares, superintendente da Caixa Econômica Federal no RN. FORMAÇÃO Formado em Direito pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), com pós-graduação em Gestão Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e em Desenvolvimento Regional Sustentável pela Universidade Federal da Bahia. Ele também tem especialização em Finanças.

« VENDAS » O superintendente fala sobre as expectativas trazidas com o Feirão imobiliário que termina hoje e diz que não há qualquer sinal de estagnação no mercado

POR ONDE PASSOU Ingressou na Caixa Econômica, em 1989, e exerceu funções como gerente geral e gerente regional no RN e no Ceará até se tornar superintendente do banco, no RN, em 2004.

da) do que contratamos no ano passado. Projetos assim são vitais para a movimentação da economia. O Minha Casa, Minha Vida continua forte como sempre, com mais investimentos. Nunca a gente contratou tanto. Até quem não contratava com a gente está vindo.

A

Caixa Econômica Federal, que responde por 90% do crédito imobiliário contratado no estado, aposta no Feirão Caixa da Casa Própria, que começou sexta-feira e termina hoje em Natal, para alavancar os números do crédito habitacional. O balanço do primeiro semestre ainda não foi fechado, mas o levantamento prévio aponta números promissores, afirma Roberto Linhares, superintendente da Caixa no Rio Grande do Norte. “Já temos números bem significativos. A carteira de crédito da Caixa hoje no estado já é superior R$ 3,4 bilhões. A gente quer chegar ao fim do ano já passando para os R$ 4 bilhões. E o Feirão vai ajudar bastante com isso”, afirma. Embora tenha no crédito habitacional o seu principal carro-chefe, o banco espera avançar em outras áreas para se tornar, em 2022, o terceiro maior banco em total de ativos. “O crédito habitacional é importante e vai nos ajudar nesse sentido”, diz Linhares.

semestre, a gente cresceu 23%, a previsão é crescer novamente mais de 40% no crédito comercial no ano.

Só quando o preço estiver bastante impactado, eu vou acreditar que o mercado parou. Por enquanto, está em crescimento”.

Já é possível fazer um balanço do primeiro semestre?

No ano passado, a Caixa cresceu 43% no crédito comercial. E no crédito imobiliário?

Terminamos dezembro de 2012 com uma carteira de crédito imobiliário de R$ 2,10 bilhões e estamos em junho de 2013 com uma carteira de R$ 2,45 bilhões, considerando só o financiamento individual – o que dá R$ 341 milhões de incremento só em operações individuais. Além disso, tem o financiamento destinado a pessoa jurídica (empresas), que já registrou um crescimento de R$ 81 milhões, de saldo de carteira, entre dezembro de 2012 e junho deste ano. O saldo da carteira saiu de R$ 686 milhões em dezembro para R$ 767 milhões em junho. Em junho do ano passado, ela estava em R$ 475 milhões. Quais as projeções para o restante do ano?

Já temos números bem significativos tanto no crédito comercial quanto na habitação. Se bem que o segmento de habitação fecha bem com os negócios realizados durante e após o Feirão Caixa da Casa Própria, aberto na última sexta-feira. Esse balanço fica mais consolidado, mais consistente, depois do Feirão, que a gente realiza a cada ano.

Vai continuar crescendo. Como eu disse, no habitacional, o Feirão Caixa da Casa Própria faz com que se alavanque bastante a contratação de crédito imobiliário, porque a gente tem negócios sendo fechados durante e depois do evento, de mais de R$ 600 milhões, que é 30% do valor ofertado lá, que é de mais de R$ 2 bilhões em 15 empreendimentos ofertados. No ano passado, foram quase R$ 500 milhões. A gente espera esse ano R$ 100 milhões a mais.

É possível apresentar alguns números?

É sim. No crédito comercial, houve uma evolução do saldo de carteira – que é a diferença entre o que foi contratado e o que já foi pago – de R$ 370,1 milhões, representando um incremento de 23,4% sobre o mesmo período do ano anterior. Se eu fosse comparar com junho do ano anterior, essa evolução seria bem maior. Seria de 53,6%. Se em um

É um crescimento superior ao registrado em 2012?

O Minha Casa Minha Vida continua forte como sempre, com mais investimentos. Nunca a gente contratou tanto”

O que faz pensar que o valor movimentado será maior?

Primeiro, o Feirão contou com imóveis avulsos. Segundo, o Feirão foi realizado num local de fácil acesso. A gente espera que esses R$ 600 milhões sejam batidos com certa facilidade. A carteira de crédito da Caixa ho-

je no estado já é superior R$ 3,4 bilhões. A gente quer chegar ao fim do ano já passando para os R$ 4 bilhões. E o Feirão vai ajudar bastante com isso. As condições de financiamento não ajudam?

Sim. Quem foi até o feirão pôde adiar o pagamento da primeira prestação com amortização mais juros para janeiro e até lá pagar somente juros. Além disso, conseguiu prazos mais alongados, taxas de juros mais baixas, subsídio máximo. Tudo isso nos faz pensar que bateremos o recorde do ano passado no Feirão. Onde a Caixa deseja se tornar mais forte? No crédito imobiliário?

Em todos os segmentos. A Caixa quer ser o terceiro maior banco em total de ativos até 2022 e para isso a gente precisa crescer em todos os segmentos. O momento é de otimismo? Pergunto isso porque a inflação voltou a dar as caras...

O consumidor precisa se conscientizar de que o seu financiamento não está atrelado a inflação. Financiamento imobiliário é atrelado a uma taxa que não tem vinculação com a inflação. Ele pode ficar tranquilo porque o fato da inflação subir ou o câmbio ter algum descompasso não vai influenciar em nada o financiamento imobiliário dele. A inflação um pouco mais alta mexe com os bancos?

Mexe de certa forma. Os bancos privados até acham melhor, porque conseguem aumentar as taxas de retorno. A Caixa ainda não aumentou as taxas de juros de nenhum produto, mesmo a Selic – taxa básica de juros – tendo aumentado um pouco em

função da política de governo de controle da inflação. Uma construtora lançou recentemente em Natal um empreendimento com unidades habitacionais avaliadas em quase R$ 1 milhão, cada, e garantiu que venderia todas. Mas algumas construtoras têm afirmado que o mercado não está tão favorável. Ainda há público para contrair crédito habitacional e manter o mercado imobiliário aquecido? Este público está mais comprador ou está mais comedido?

A Caixa tem mais de R$ 3 bilhões em carteira de crédito habitacional, onde não chegava a R$ 2,7 bilhões um ano atrás. A Caixa não percebe nenhum movimento no sentido de o mercado estar parado. A gente só vai sentir isso quando ocorrer um impacto significativo no preço dos imóveis, o que ainda não ocorreu. O preço não caiu. As vendas continuam firmes. É claro que o pessoal está fazendo feirões, promoções, como estratégia de marketing. Só quando o preço estiver bastante impactado, eu vou acreditar que o mercado parou. Por enquanto, está em crescimento. Não é a toa que eu estou dizendo que a Caixa vai crescer nesse segmento. Por falar em imóveis, como andam as contratações do Minha Casa Minha Vida no Rio Grande do Norte?

Contratações bastante altas. Contratamos um empreendimento em São Gonçalo do Amarante com 1,8 mil moradias, estamos finalizando um aqui em Natal de 800 moradias, tem dois em Mossoró em andamento – um de 1,8 mil moradias e um de 2,5 mil moradias. Já contratamos este ano bem mais no faixa 1 (para a população de baixa ren-

A presidenta Dilma Rousseff fez, inclusive, durante esta semana, o lançamento de um programa que vai contemplar os beneficiários do Minha Casa Minha Vida, que é o Minha Casa Melhor. Poderia dizer que benefícios esse novo programa trará para o consumidor e para a economia de uma forma geral?

O programa é voltado para os beneficiários do Minha Casa que estão adimplentes e podem pegar o crédito de R$ 5 mil para comprar móveis e eletrodomésticos. No país já foram entregues mais de 1,4 milhão de moradias, o que representa a injeção de R$ 17 bilhões imediatamente na economia nacional. No RN, já foram entregues mais de 50 mil moradias, o que representa a injeção de R$ 250 milhões na economia local. Essas famílias vão pegar R$ 5 mil para comprar sua geladeira, sua tevê LCD, sua cama, seu armário, e pagar em 48 parcelas com juros de 5% ano – 0,4% ao mês. A família tem até um ano para usar o crédito e pode decidir não utilizá-lo. O senhor citou uma taxa de juros de 5% ao ano como muito atrativa. Se essa mesma família fosse comprar móveis ou eletros numa loja convencional, quanto ela pagaria de juros?

Compraria a 3, 4 ou 5% ao mês – e não ao ano. E além disso, o programa prevê para esse público que o lojista vai ter que dar desconto de 5% na compra. É um programa que com certeza vai movimentar bastante a economia. Vamos falar do Bolsa Família. Milhões de beneficiários correram até as agências em episódio recente – inclusive no RN – porque imaginaram que o benefício seria suspenso [A suspensão foi descartada pelo Governo]. De quem foi o erro? E o que está sendo feito para garantir que ele não se repita?

A Superintendência não pode comentar o assunto. Só a matriz.


8

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

economia


NO FACEBOOK

Curta e compartilhe charge de Brum.

facebook.com/tribunarn

TÁBUA DE MARÉS

FASES DA LUA

Preamar 09h26 - 1.9 - 22h06 - 1.9 Baixa-mar 02h58 - 0.7 - 15h39 - 0.7

Hoje: Crescente 23/06: Cheia

PRESIDENTE DO TJRN, ADERSON SILVINO, FALA SOBRE QUINTO CONSTITUCIONAL • PÁGINAS 4 E 5

NA TN ONLINE

Confira galeria de imagens com fotos da semana.

tribunadonorte.com.br

natal Editora: Cledivânia Pereira [cledivania@tribunadonorte.com.br ]

Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 16 de junho de 2013

RN é o 2º pior na atração de médicos « SAÚDE » Das 81 cidades potiguares que solicitaram médicos este ano, 46 foram atendidas, ou seja, 61% permanecem sem atrair profissionais no Programa de Valorização de Atenção Básica EMANUEL AMARAL

SARA VASCONCELOS repórter

A

mbulatórios ociosos, equipados com infraestrutura básica, instalados em cidades pequenas, afastadas dos grandes centros e à espera de reforço médico. A cena é corriqueira em boa parte dos municípios do interior do Estado. Apesar da oferta de salário líquido de R$ 8 mil e de jornada de trabalho reduzida (32h), o Programa de Valorização do Atenção Básica - que busca captar profissionais para a rede básica de saúde, sobretudo no interior - tropeça, de acordo com representantes da categoria médica, em algumas “fragilidades” que compromete a eficácia. O resultado é a baixa atratividade. O RN é o segundo estado da região Nordeste com a pior captação de médicos no Provab 2013 - 39%, atrás somente do Maranhão. Das 81 cidades potiguares que solicitaram os profissionais esse ano, 46 foram atendidas, ou seja, 61% permanecem sem atrair médicos. O desempenho, entretanto, é melhor do que a convoca-

ção de 2012, quando o Provab foi lançado – adesão de apenas seis médicos para dois municípios. Contratar recém-formados pode não surtir o efeito desejado, alerta o presidente do Sindicato dos Médicos Geraldo Ferreira. “Entregar a saúde da cidade para quem acabou de sair da faculdade, por prazo curto e definido, e sem as condições de trabalho necessárias e um médico de carreira orientando não resolve a questão”. O programa é destinado a médicos que estão saindo das universidades e ganham, para atuar na rede básica, bolsa de especialização em Saúde da Família (R$ 8 mil) e pontuação adicional de 10% nos exames de residência médica. Sanar o déficit de médicos no interior, defende Ferreira, passa pela combinação de estabilidade, carteira assinada e condições de trabalho. A realização de concurso público em âmbito federal, com salários fixados em piso nacional (R$ 10 mil), bancado pelo governo federal e não pelas Prefeituras, “que dispõe de parcos recursos para viabilizar a assistência básica nas cida-

des” é a saída, diz ele. A alta rotatividade de profissionais em unidades básicas e mistas do interior, explica o presidente do Cremern, Jeancarlo Fernandes, está diretamente ligada a inadimplência das Prefeituras. É comum, segundo ele, ofertas de bons salários – de R$ 8 mil até R$ 15 mil (bruto) – que começam a atrasar a partir do terceiro mês. “Em geral, eles pagam o primeiro e o segundo e depois o profissional acaba deixando o posto por falta de pagamento”, observa. O presidente do Cremern destacou a importância do Provab para qualificação dos médicos e credita a baixa adesão a falta de divulgação do Programa nas universidades. Além do Provab, o Ministério da Saúde estuda a possibilidade de trazer médicos estrangeiros sem necessidade de revalidação do diploma de medicina. “O ingresso, desta forma, é repudiado pela categoria”, Fernandes.

+

PÁGINA 9 Situação da saúde no interior é complicada.

Na última quinta-feira, não havia médicos atendendo na cidade de Lajes Pintadas


2

natal

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

Na capital é ruim? No interior é pior! « SAÚDE » A TN visitou cinco cidades das regiões Agreste e Trairi, na última quinta-feira (13), que não

conseguem fechar o quadro de pessoal na área de Saúde. Em quatro, não encontrou médicos atendendo FOTOS: EMANUEL AMARAL

Coronel Ezequiel - Na unidade mista de saúde, agricultora Josefa Gomes da Silva estava na enfermaria, aos cuidados da equipe de enfermagem. Ela descansava após dar à luz o sétimo filho. Moradora da zona rural, ela foi socorrida para receber os cuidados após o parto ocorrido em casa. A unidade médica não realiza partos e as parturientes são encaminhadas para Santa Cruz ou cidades da Paraíba. A diretora da unidade de Saúde, Zilvanete de Macedo, disse que a escala conta com dois médicos de PSF e três plantonistas, de sexta a domingo. “Conseguimos dar assistência com essa estrutura”, disse.

A

escassez de médicos no interior é situação comum em todo país. No Rio Grande do Norte, os médicos que atuam fora da Região Metropolitana de Natal têm vínculos em pelo menos em três cidades diferentes, segundo estimativa do Cremern. Quando encontrados nas unidades básicas ou mistas de saúde, são de clínica geral e recebem em média salários de R$ 7 mil, para atuar no Programa Saúde da Família, e em torno de R$ 1 mil a R$ 1,2mil por plantões de 24 horas. A TN visitou cinco cidades das regiões Agreste e Trairi, na última quinta-feira (13), que não conseguem fechar o quadro de pessoal. Em Lajes Pintada, Santa Maria e Coronel Ezequiel as solicitações de dois médicos, cada, do Provab não foram atendidas. Em São Tomé, dos cinco pedidos, apenas uma contratação. Nestas cidades, as brechas na escala são compensadas com encaminha-

mentos a hospitais de cidades vizinhas, como Santa Cruz. Somente em São Tomé a TN encontrou médico na unidade. O não adesão, explica a coordenadora estadual do Programa de Valorização da Atenção Básica (Provab), Uiacy Alencar, ocorre por falta de interessados ou por que alguns gestores entenderam o programa como um adicional de médicos, quando na verdade funciona como forma de repor equipes de estratégia de Saúde da Família que estejam desfalcadas. “Não é um plus, é reestruturação, é para cobrir as lacunas deixadas por profissionais que saíram do PSF e precisa que coincida o interesse de o Estado, os municípios e os médicos ao Programa”, disse. Mesmo com 61% dos municípios que pediram médicos não sendo atendido, Alencar considera a adesão bastante positiva se comparada ao ano anterior e admite ser necessário maior di-

ì QUEM Uiacy Alencar, coordenadora estadual do Programa de Valorização da Atenção Básica (Provab).

O QUE Disse que entende como positiva a adesão de médicos ao Provab no RN, mesmo que 61% das cidades não tenham atraído candidatos.

São Tomé - Com 10 mil habitantes, conta com cinco médicos. Os profissionais se revezam entre os postos de PSF e o Hospital Maternidade. Os partos não são realizados na cidade, por falta de médico e estrutura. Na recepção do Hospital, a informação é que o médico escalado de “sobreaviso” estava atendendo os pacientes no PSF Bela Vista. Cerca de 50 pacientes aguardavam pelas consultas agendadas. O secretário de Saúde, Eriverton Rocha, reconhece a dificuldade de encontrar médicos por questão orçamentária. “Os médicos não querem o que é dado por plantão. Não temos recursos para aumentar a oferta”, disse vulgação junto ao público-alvo. “É uma resposta eficiente a escassez de médicos, que em geral permanece apenas 4 meses no cargo e com o contrato de doze temos maior continuidade do programa”, pondera. A supervisão e avaliação dos médicos recém-formados contratados pelo programa, que estão atuando desde março, cabe à UFRN e UERN. “O Prova promove a qualificação do atendimento de saúde e para os novos médicos”. Atualmente, há cadastradas junto ao Ministério da Saúde, em todo o Rio Grande do Norte, 868 equipes de PSF. Por estar participando de evento em Poço Branco, a coordenadora não conseguiu levantar para a TN, quantas delas estão sem médicos e qual a necessidade de formação de novas equipe, mas assegura: “o RN não consegue, com o PSF, a cobertura de um médico para cada um mil habitantes”, afirmou.

Campo Redondo - Por “sorte”, Maria Vanuza Dantas não precisou de médico para a filha, que se machucou em uma queda. Se fosse grave, teria que recorrer ao Hospital de Santa Cruz. O atendimento foi feito pela equipe de enfermagem do Centro de Saúde. O atendimento ambulatorial da cidade funciona com quatro equipes de PSF - uma permanece sem médico. O administrador da unidade, José Laércio Campelo, conta que o médico pediu exoneração, após receber proposta melhor. “É uma disputa grande por médico, aqui na região”, disse. De sexta a domingo, três plantonistas dão assistência à população.

Provab 2013 Veja o resultado do programa aqui no Rio Grande do Norte No RN,

61%

O quê? Programa de Valorização da Atenção Básica para captação de médicos recém-formados para atuar na Saúde da Família, sobretudo no interior.

dos municípios potiguares que solicitaram médicos pelo Provab não conseguiram atrair Veja quem pediu médicos do Provab e quem conseguiu atrair MENOR ATRAÇÃO Município

Solicitado

Médicos atuando

Ceará-Mirim

21

0

Touros

15

0

Baraúna

9

1

Parelhas

8

0

São Tomé

5

1

Campo Redondo

2

1

Santa Maria

2

0

Coronel Ezequiel

2

0

Lajes Pintadas

2

0

Como? Estado, municípios e os médicos interessados fazem adesão ao programa do MS. Os médicos participantes do Provab recebem uma bolsa mensal de R$ 8 mil, pagos pelo MS, para jornada de 32 horas semanais em unidades de saúde básica, fazem especialização em Saúde da Família, durante um ano, e têm bônus para ingressar em residência médica.

Lajes Pintadas - Quem procurou a única unidade de Saúde de Lajes Pintadas, na última quinta-feira, foi encaminhado para Santa Cruz. No quadro, são dois médicos de PSF. Durante o final de semana, plantonistas atendem pequenas emergências. Em frente ao Hospital de Santa Cruz, o agricultor de Lajes Pintada, José Domingos Araújo, de 73 anos, aguardava atendimento. A secretária de Saúde de Lajes Pintadas, Solange Maria Cabral, explicou que apesar de ter requisitado dois médicos ao Provab, recuou do pedido uma vez que o pagamento da bolsa comprometeria parte do recurso da Saúde da Família.

MAIOR ATRAÇÃO Município

Solicitado

Médicos atuando

Natal

72

59

Extremoz

10

4

IDH RN* (cidades visitadas)

Areia Branca

10

6

São José de Mipibu

8

6

Serra do Mel

3

3

Lajes Pintadas IDH Ranking RN

0,655 40

Campo Redondo IDH Ranking RN

0,633 79

Santa Maria IDH Ranking RN

0,627 94

São Tomé IDH Ranking RN

0,613 114

Coronel Ezequiel IDH Ranking RN

0,601 130

Provab no Nordeste Quantas cidades pediram

Quantas foram atendidos

Quantos médicos solicitados

Quantos interessados

Ceará

163

140

1.061

685

Bahia

305

149

1.946

468

Alagoas

54

28

250

78

Pernambuco

127

90

916

311

Sergipe

40

25

136

61

Paraíba

109

63

370

184

Piauí

99

49

329

115

Rio G. do Norte

81

46

329

135

Maranhão

113

44

796

147

Estado

Fonte: MS / PNUD 2003

Santa Maria - O agricultor José Paulino da Câmara, de 66 anos, teve que pagar R$ 70 pela consulta, quando feriu o pé com um produto químico. Não havia médico na Unidade de Saúde de Santa Maria, há duas semanas. “É comum a gente ter que ir para São Paulo do Potengi”, disse. A TN esteve na unidade de Saúde, das 7h às 8h30, na última quinta-feira, e não encontrou médico. Embora o atendimento, explicou a diretora geral da Maria Clécia Clóvis Moreira, seja previsto para a partir das 8h. A unidade funciona com dois médicos do PSF (um na zona rural), às quartas e sextas-feiras, e três plantonistas de 24 horas, de segunda a quinta-feira.


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

natal

3

Legado: 4G também está em risco « TECNOLOGIA » Natal tem 12 meses para instalar 165 novas antenas de transmissão de tecnologia 4G (telefonia móvel e internet), previstas pela Anatel como uma das prerrogativas para a Copa 2014 EMANUEL AMARAL

RICARDO ARAÚJO

BATE-PAPO

repórter

ABR

R

ompendo os céus, elas sinalizam tecnologia e ligam pessoas através de ondas invisíveis ao olho humano, seja através da telefonia móvel ou da conexão à internet. Em Natal, as antenas de telefonia remota e transmissão de dados via banda larga somam 296 unidades. Este, número, porém, poderá subir para 461 até dezembro deste ano, com investimentos da ordem de R$ 82,5 milhões, financiados pelas empresas detentoras dos serviços Claro, Oi, TIM e VIVO – no Rio Grande do Norte. Entretanto, a instalação integral das 165 antenas em Natal, previstas pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) como uma das prerrogativas à realização da Copa do Mundo em 2014, duela com Leis Federais e Municipais, enquanto o tempo para cumprimento do cronograma de instalação se torna cada vez menor. A expansão da quantidade de antenas, segundo a Anatel e o Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviços Móvel Celular e Pessoal (SinditeleBrasil), refletirá na melhoria do sistema de telefonia atualmente oferecido e na aguardada introdução da tecnologia de conectividade à internet através da quarta geração – 4G, comumente usada em países europeus e na América do Norte. Contudo, localmente, além das normas federais, a Lei Municipal nº 186/2001 que “regulamenta os padrões urbanísticos, sanitários e ambientais para instalação de antenas transmissoras de radiação eletromagnética e equipamentos afins no território do Município”, se transformou numa verdadeira “pedra no sapato” para as empresas responsáveis pela instalação e operação da tecno-

Eduardo Levy diretor técnico SindiTeleBrasil

“Sem mudança na legislação, não haverá bom serviço” Como está o processo de instalação dos equipamentos em Natal?

Hoje, só em Natal, existem 296 torres de celulares instaladas. Outras 165 devem ser necessárias para transmitir tecnologia 4G

ì QUEM 4G - Rede de transmissão de dados (telefonia móvel e banda larga)

QUANDO A previsão da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) é de que todas as 12 sedes de jogos da Copa em 2014 tenham a tecnologia disponível

Legislação é obstáculo, segundo especialista A Lei Municipal nº 186 foi promulgada em outubro de 2001 e regulamenta a instalação de antenas detransmissãodeondaseletromagnéticas em Natal. Para dar entrada no pedido de licença para instalação de uma antena, as empresas devemapresentaràSemurbosseguintes documentos: comprovante de propriedade e/ou locação do espaço destinado à instalação da Estação de Rádio-Base de telefonia celular ou microcélulas para reprodução de sinal ou equipamentos afins; guia de IPTU; cópia da planta de situação do terreno; fotografias do entorno, devendo contemplar a situação local sem a instalação e com a fotomontagem da situação proposta; memorial descritivo técnico e laudo assinado por físico ou engenheiro da área de radiação, acompanhado de Anotação de Responsabilidade Técnica (ART). Além de todos estes documentos, as empresas devem convocar e realizar audiências públicas para explicar à sociedade o funcionamento das antenas de telefonia. O cumprimento deste procedimento, recomendado pelo Ministério Público Estadual e, em seguida, pelo Ministério Público Federal, fazem parte das prerrogativas para a emissão da licença ambiental. A exigência da audiência é realizada pela Semurb. “Se as empresas apresentarem toda a documentação e tiverem realizado a audiência, as licenças são emitidas em tempo hábil”, afirma Rondinelle Oliveira. Ele assegura que são necessários 45 dias para a análise dos documentos e assinatura da licença, caso tudo esteja conforme. O diretor técnico do SindiTeleBrasil, Eduardo Levy, critica o que

chamou de “excesso de burocracia”. “Chega ao ponto que eles estão exigindo uma audiência pública para poder fazer a instalação de uma antena. Estão pedindo para assinar um Termo de Ajuste de Conduta com o Ministério Público, estão pedindo Estudo de Impacto Ambiental. Não faz sentido. A cidade vai ficar sem serviço. Não vai ter serviço de qualidade em Natal se persistir essa Lei 186 de 2001”. O referido conjunto de normas veda, no artigo 4º, “a instalação

logia acima citada. Isto posto, em decorrência da necessidade de licenças ambientais para a implementação dos equipamentos e posterior operacionalização. Atualmente, no âmbito da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb), órgão responsável pela emissão dos licenciamentos prévios, de instalação e operação das antenas em Natal, tramitam 197 procedimentos para fixação das torres de transmissão de ondas eletromagnéticas. Quatro analistas são responsáveis pela conferência de documentos, planilhas e plantas encaminhadas pelas empresas. Todos os processos, de acordo com Rondinelle Oliveira, diretor do Departamento de Licenciamento de Obras e Serviços da Semurb, apresentam lacunas que acabam atrasando a emissão das licenças ambientais.

EDUARDO LEVY Diretor técnico do SindiTeleBrasil

de Rádio-Base de telefone celular, microcélulas para reprodução de sinal e equipamentos afins em áreas de praças, parques urbanos, verdes complementares, escolas, centros culturais, museus, teatros e no entorno de equipamentos de interesse sociocultural e paisagístico”. De acordo com Eduardo Levy, Natal é a cidade mais “burocrática” em relação à instalação das antenas, comparadas com outras cidades-sedes. “ Porto Alegre também tem muita dificuldade, assim como Natal. Mas Rio de Janeiro, modificou a legislação; Brasília, modificou a legislação; São Paulo está modificando”

de grande circulação de pessoas, como hospitais e praças. Além de defender que a legislação municipal é um obstáculo ao avanço da instalação da tecnologia 4G em Natal, o diretor técnico do SindiTeleBrasil afirma que os processos encaminhados à Semurb não são analisados em tempo hábil. Rondinelle Oliveira, porém, rebate o discurso do Sindicato e diz que a Secretaria prioriza a análise dos processos e os libera o mais rápido possível. Ele ressalta, contudo, que todos os pedidos protocolados pelas empresas na Semurb não estavam completos. A discussão da necessidade de licenças ambientais para cada antena a ser instalada e o envio de inúmeros documentos aos órgãos de defesa do Meio Ambiente, culminou na instauração de uma Ação Civil Pública que tramita na 4ª Vara da Justiça Federal.

Os números por trás das antenas Tecnologia 4G no Rio Grande do Norte

198 dias

Custos das licenças

R$ 77,70

para o final do ano.

licença prévia.

165

R$ 2.205,42

antenas a serem instaladas em Natal.

licença de operação.

R$ 500 mil

O custo da licença de instalação varia de acordo com o tamanho da antena.

é o custo médio de cada antena.

R$ 82,5

Antenas instaladas

milhões é o investimento previsto para instalação dos equipamentos em Natal.

10% Não vai ter serviço de qualidade em Natal se persistir essa Lei 186 de 2001”

“Existe uma lacuna de tempo entre o que a gente solicita e a resposta das empresas”, pontua. Para o diretor técnico do SindiTeleBrasil, Eduardo Levy, o imbróglio entre as empresas e o órgão ambiental, que segue a norma municipal, se resume em uma palavra: “burocracia”. “É uma legislação antiga e que, na época, o órgão investigador deve ter tido toda sua preocupação. Nós temos que entender que temos que viver com esta situação. Só se pode ter um serviço de qualidade se tiver uma antena próxima ao aparelho de celular”, assevera Levy, ele enfatiza, ainda, que os transformadores de energia elétrica posicionados em cima dos postes são potenciais causadores de acidentes e não existem restrições à fixação deste tipo de equipamento em áreas públicas ou próximas aos locais

do crescimento do setor de telefonia reflete no ágio de 1% no PIB do município.

Serviço Caso as instalações comecem no próximo dia 1º de julho e terminem no dia 19 de dezembro, será necessário instalar uma antena por dia, para cumprimento do cronograma definido pela Anatel.

825 no Rio Grande do Norte. 296 em Natal. 64 em Mossoró. 58 em Parnamirim.

MP questiona instalação na Justiça O imbróglio que envolve a instalação das antenas de telefonia em Natal foi judicializado pelos Ministérios Públicos Estadual e Federal em 2002. Ao longo de 11 anos, o processo 000395430.2002.4.05.8400, que tramita na 4ª Vara Federal do Rio Grande do Norte, acumular dezenas de movimentações entre juntadas de documentos, interposição de recursos, sentenças e remessas diversas. No processo, são réus: a Prefeitura Municipal de Natal, o Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (Idema/RN), Anatel e as empresas de telefonia Claro, TIM, Telemar, Embratel e Oi. Em sentença assinada no dia 10 de dezembro de 2012, o juiz

federal Janílson Bezerra de Siqueira argumentou que entende ser “desnecessária” a realização de audiências públicas para todos os pedidos de licença ambiental e e que estas são dispendiosas e ineficientes. “Entendo desproporcional e desnecessário, além de burocrático e contraproducente a realização de tantos atos”, conforme requerido no pleito protocolado pelos Ministérios Público Estadual e Federal ainda em 2002. O magistrado fez uma ressalva escrevendo que “dependendo do tipo de empreendimento e seu impacto, podem ser realizadas uma ou várias audiências públicas com a finalidade de informar, esclarecer e coletar subsídios

junto à sociedade sobre o empreendimento ou atividade em processo de licenciamento”. Na mesma sentença ele condenou a Anatel a medir a emissão de ondas de radiofrequência; a Anatel, o Idema e a Semurb apresentarem relatórios das licenças ambientais concedidas; as operadoras se absterem de instalarem antenas sem o Estudo de Impacto Ambiental; o Idema a processar e analisar os pedidos de licenciamento no Estado; as operadoras a compartilharem as torres e informarem suas localizações e não emitirem ondas na frequência de 1 a 30 hertz. O processo foi encaminhado ao MPF no dia 6 deste mês para análise.

Senãohouverumamudançana legislação, a cidade irá ficar muito prejudicada. Em continuando a existência dessa legislação em Natal, vai ficar impossível colocar um serviçoqueatendaapopulaçãocom qualidade. A população quer sinal empraças,parques,nasescolas,nos centroscomunitários,noshospitais, nas clínicas. Por que é proibido? Qual a lógica? Se acaso você tiver condição de descobrir, procure saber qual é a restrição que existe à colocação dos transformadores de energia elétrica que você vê em Natal.Essestransformadoressãomuitomaisperigosos,elestemóleocombustível dentro deles, eles esquentam e tem alta tensão. Nós não temos alta tensão, nós não causamos prejuízo nenhum ao meio ambiente, nem nada. Então, se não houver umamudançanalegislaçãoemNatal, vai ficar muito difícil um serviço de qualidade para a população. O senhor já buscou contato com a Administração Municipal, o que eles disseram, quais foram os argumentos?

Nós temos discutido há muito tempo já com a Prefeitura de Natal, mas é uma lei. Já tivemos diversas reuniões e encaminhamos propostas de mudanças. O Mundial de 2014 em Natal, em termos de tecnologia de internet, poderá ficar prejudicado em decorrência da legislação?

Os turistas irão usar a terceira geração. Mas, de qualquer forma, onde os turistas vão? Praças, parques, vão a centros comunitários, centros culturais, museus, teatros. Em todos esses lugares é proibido ter sinal de celular em Natal. Isto é uma Lei de 2001. É preciso compreender que o tempo passou, que nós estamos em 2013, não existe mais nenhum mito em relação a isso. Por que que é proibido, qual a lógica de se impedir a colocação de um sinal de celular em praças, parques, clínicas, centros de saúde e etc.? Não faz sentido, não faz nenhum sentido. Em decorrência dessa Lei que proíbe a instalação desses equipamentos, quanto a cidade perde em investimentos?

Existe um estudo do Banco Mundial que mostra que a cada crescimento de telecomunicações em 10%, há um crescimento de 1% no desenvolvimento do PIB. Diante dos problemas expostos, há tempo hábil para a execução do cronograma?

Ainda temos tempo hábil. Mas é preciso andar. Se não nós vamos implantar a quarta geração com alguns pontos, como estão aí estabelecidos na lei, como pontos de sombra. O interessante é que a população reclama que, em alguns pontos, o serviço cai. Mas a legislação diz que é para cair o sinal. É para cair o sinal nas praças, próximo aos museus... Nós podemos fazer uma cobertura de quarta geração deixando vários buracos na cidade, mas isso não faz sentido.


4

natal

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

»ENTREVISTA » ADERSON SILVINO PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO RIO GRANDE DO NORTE

“O resultado da escolha para a lista tríplice é imprevisível” « JUSTIÇA » O presidente do TJRN, Aderson Silvino, fala, entre outros assuntos, sobre a expectativa da eleição que escolherá os nomes da lista tríplice, de onde sairá o novo desembargador CLEDIVÂNIA PEREIRA secretária de Redação

MARGARETH GRILO editora de Natal

O

resultado da eleição no Pleno do Tribunal de Justiça do RioGrandedoNortequeformará a lista tríplice para escolha do novo desembargador da Justiça estadual é imprevisível. A análiseédoprópriopresidentedoTJRN, Aderson Silvino. Há cinco meses no cargo, o desembargador concedeu entrevista exclusiva à TRIBUNA DO NORTE e disse que não consegue prever o resultado da eleição: “Em barriga de mulher e cabeça de juiz ninguém sabe o que é que tem”. Na conversa, Aderson Silvino falou sobre temas polêmicos como o estudo que analisa a suspensão da Gratificação Especial de Técnico de Nível Superior (GTNS) para novos funcionários, a morosidade do TJRN no julgamento de processos de improbidade, a falta de agilida-

de no pagamento de precatórios e declarou o bom relacionamento que tem hoje com o governo Rosalba. Eis a entrevista: O senhor assumiu em um momento de muita expectativa, depois de um período difícil no TJRN. Passados esses cinco meses, que balanço o senhor faz?

O balanço é positivo, até porque arregimentei uma equipe muito competente, profissionais de cada área e eles têm me ajudado bastante. Os problemas, eles existiam, mas nós temos superado dentro da medida do possível. Com o passar do tempo a coisa vai melhorar cada vez mais. Quando fomos eleitos, pela primeira vez a gente instituiu uma comissão de transição, onde já foi feito um diagnóstico prévio da situação que a gente iria encontrar o poder judiciário. Então, quando eu assumi a presidência, eu já sabia o que fazer e com quem fazer.

O senhor colocou como uma das metas a informatização, reestruturação, manutenção do Fórum. O que já foi possível desenvolver nessas áreas e o que ainda não conseguiu implantar?

Nós estamos, principalmente, desenvolvendo o PJe [Processo Judicial Eletrônico]. Já instalamos o projeto piloto, que já inclui o Juizado Especial, e pretendemos até o final da nossa administração implantar esse PJe em todos os juizados aqui do Estado, até porque o objetivo principal da minha gestão é atividade fim do Judiciário, ou seja, a prestação jurisdicional ao cidadão. Nessa questão de prestação de serviço, todo mundo comenta muito que o Judiciário é lento, faltam juízes, faltam profissionais. Qual é a meta para resolver esse déficit?

Quanto à falta de juízes, está em andamento o concurso para, aproximadamente, 40 vagas. Mas con-

tando com a abnegação desses magistrados titulares, atualmente, a gente tem remanejado, tem pedido a colaboração e eles realmente têm colaborado, haja vista a designação desses mutirões, que esses juízes acumulam várias comarcas, e a coisa tem melhorado. Acredito que até final da minha gestão, a coisa esteja bem melhor. Essa é a intenção. Quando assumiu a Presidência, o senhor falava que a questão da GNTS [Gratificação Especial de Técnico de Nível Superior] precisava ser levada à plenário para ter uma decisão sobre a proposta de extingui-la para os novos funcionários, que entrassem no TJRN, e mantê-la para os que já estavam porque era um direito adquirido. Como está esse estudo?

Já está bem avançado. A GTNS foi fator de decisão judicial. É bom que se esclareça que esses pedidos desses servidores foram indeferidos administrativamente, en-

tão eles entraram na Justiça por mandado de segurança, que foi concedido. Foi para o STJ e foi confirmado e chegou até o Supremo, sendo confirmado. Então hoje é um direito consolidado do servidor. Agora, é claro que tem o problema se inclui ou não inclui no limite prudencial. Essa é que é a grande questão. A Lei de Responsabilidade Fiscal excepciona aquela remuneração oriunda de decisão judicial. Agora, têm alguns estudiosos que defendem que essa decisão judicial só pode prevalecer por um exercício financeiro, no exercício financeiro seguinte ela tem de ser incluída na folha, mas até hoje não conheço qualquer determinação nesse sentido. Essas GTNS estão sendo pagas na rubrica de decisão judicial, que não se inclui na folha. Claro que estamos preocupados com isso e nós recomendamos ao setor competente estudo para que aos poucos a gente venha incluindo na folha um percentual, claro que tem que fazer o levantamento, o impacto nessa folha, para que não ultrapasse o limite prudencial. Estamos buscando uma forma de, parceladamente, ir incluindo até que todas essas importâncias sejam absorvidas pela folha. Mas e a decisão se a GNTS vai continuar para novos funcionários...

Há um projeto. Inclusive foi apresentado aqui, mas não chegou ainda a conclusão, de a gente remeter projeto para a Assembleia Legislativa revogando esse benefício para os novos funcionários, mas assegurando-o para todos aqueles servidores que já têm direito adquirido. A partir da revogação da lei, aqueles que entrarem posteriormente, não terão mais esse direito a GTNS.


Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

geral

5

ADRIANO ABREU

O que falta para isso?

Está na presidência e nós estamos estudando para em mais alguns dias submetê-lo a plenário para que seja, depois remetido à Assembleia. Mas ocorre ainda este semestre?

Olha, para dizer prazo mesmo em si é uma coisa muito complicada, porque precisa de um estudo detalhado sobre isso aí, porque envolve o interesse de muitos servidores, são mais de 3 mil servidores. Então a gente precisa ter muito cuidado quando vai mexer com um direito alheio. A PAE (Parcela Autônoma de Equivalência) tem pautado algumas discussões nos últimos dois anos. O senhor entende esse como um direito líquido e certo?

Esse é um direito certo, inclusive foi decidido pelo CNJ, pelo Supremo. Em todas as instâncias foi decidido por esse direito. É um direito. Todos os tribunais já pagaram isso, nós aqui é que escalonamos esse montante. Essa dívida do Executivo (no repasse da PAE) tinha atrasos e o senhor falava até que precisava ter um consenso com o Governo. Como estão as conversas sobre o pagamento da PAE?

Tem sido muito boa. Para você ter uma noção, eu recebi a presidência, pagando uma parcela mensal de sete mil e quinhentos reais mensais, a cada magistrado, e eu, em comum acordo com o Governo do Estado, dobramos essa parcela para vê se diminuíamos esse espaço de tempo da dívida. Então, hoje, nós estamos pagando quinze mil reais. Há algumas semanas foi lançado o Mutirão da Improbidade, até porque o TJRN não aparecia numa situação muito confortável, diante do levantamento do CNJ. Tem uma grande quantidade de processos, em torno de 1.300, e se a gente for fazer uma conta, te-

riam de ser julgados até 6 processos por dia para alcançar a meta. Vai ser possível isso?

Nós vamos fazer o possível para que a meta seja atingida até o final do ano. Para isso nós arregimentamos juízes, que realmente estão empenhados em atingir essa meta. Estamos colocando toda a estrutura necessária, dando condições a esses juízes e vamos lutar por isso. Se, por ventura, não atingir, a gente vai fazer um esforço até que a gente zere essa pauta. Temos de zerar essa pauta. Deslocar esses juízes também não cria problema na outra ponta?

Não, porque sempre que a gente retira, têm os juízes substitutos. E nas comarcas aonde não têm juiz titular, nós estamos designando assistentes, assessores para juízes para que aquela parte burocrática, quando o juiz chegar, já esteja mais ou menos resolvida. A gente está conciliando esta situação. Essa lentidão no julgamento de processos de improbidade é motivada apenas por uma questão de estrutura para julgar ou há algum tipo de pressão política para que esse tipo de processo seja lento?

Falta de estrutura. Falta de estrutura. Então, você vê a situação como está aqui, são mais de quarenta vagas de juízes em aberto. E isso envolve uma série de coisas. Pressão jamais. Pelo menos não tem chegado ao meu conhecimento que tenha ocorrido pressão, coisa nenhuma, porque o juiz é independente, ele é inamovível, é vitalício. Quanto à vaga do Quinto Constitucional, o senhor vê equívocos na sessão que aprovou a lista tríplice para escolha do novo desembargador e qual sua avaliação em relação à decisão do CNJ que anulou a lista?

O problema é de entendimento. Aqui o Tribunal entendeu de uma forma; o CNJ, com sua nova composição, entendeu de outra. E

? QUEM É O desembargador Aderson Silvino é natural de Mossoró. Formou-se pela Faculdade de Direito da Universidade Federal do Rio Grande do Norte,em abril de 1973. Assumiu a presidência do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte,em janeiro deste ano, para o biênio 2013/2014. Aderson Silvino chegou ao comando da Corte após um ano (2012) onde ocorreram as principais crises da história do Judiciário Potiguar. Entre os desafios que tenta administrar:manutenção preventiva dos fóruns,a virtualização dos processos, morosidade no julgamento dos processos de improbidade, agilidade nos pagamentos de precatórios,déficit de juízes e funcionários e a resolução da questão da Gratificação de Técnico de Nível Superior (GTNS). Ultimamente,precisa administrar a celeuma em que se transformou a escolha do novo desembargador do TJRN.A eleição da lista tríplice,realizada pelo Pleno do TJ,foi cancelada por falta de transparência, segundo análise do Conselho Nacional de Justiça.

nós temos de obedecer a decisão do CNJ, e é isso que vamos fazer. Não vamos discutir o certo, o errado. Isso não interessa. O importante é que vamos cumprir à risca aquilo que foi decidido pelo CNJ. E vou adiantar pra você que temos um pré-agendamento para o dia 21, mas já estou vendo que não será possível no dia 21 porque eu estou recebendo a visita do ministro do CNJ, Guilherme Calmon, e o desembargador João Batista nos comunicou que no dia 21 é aniversário dele e não conte com ele. O desembargador Virgílio tem problema de agenda, então tudo indica que essa sessão seja no dia 26, como estava também programada. Mas isso ainda vou decidir com os colegas, vocês sabem que a gente lida com um colegiado. O desfecho desse processo é esperado com grande expectativa. O senhor acredita que a tendência seja a de manter os mesmos nomes na lista?

Tem um ditado que diz “Em barriga de mulher grávida e em cabeça de juiz ninguém sabe o que é que tem”. Hoje, já sabe: barriga de mulher, a gente já sabe, tem aquele história do exame que diz se é masculino, se é feminino. Agora, cabeça de juiz, eu duvido... eu não sei não. Agora fica antiético, eu chegar e perguntar o voto de cada um, jamais eu faria isso. Então, o resultado é imprevisível... muito imprevisível. Há alguns meses, o Tribunal está funcionando com dois desembargadores a menos. Isso traz algum prejuízo?

Funcionando com um titular é bem melhor, mas a gente tem suprido, porque a gente convoca juízes para preencher essa vaga. Hoje nós temos dois: Dr. Guilherme Cortez e Dr. Gustavo Marinho. Então tem suprido, eles têm desempenhado bem a atribuição, e não está havendo tanto prejuízo. Claro, que eles vêm para cá e fazem falta na instância inferior,

mas a gente coloca substituto e aí a coisa tem tocado. O importante é que não pode parar. Outro assunto que sempre tem norteado as discussões sobre o TJRN é a questão dos precatórios... Mas parece que os entraves burocráticos ainda não foram superados. Tanto que este ano, um percentual pequeno de precatórios foi pago. O que ainda está barrando esse processo?

O problema é que ainda estamos reestruturando o Departamento e agente está procurando automatizar esse processo. Já temos estudo para, aqui no tribunal, se automatizar, se virtualizar, como também o Banco do Brasil, que é o agente financeiro. Estamos procurando uma forma de automatizar todo esse pagamento, todo esse procedimento, esse processamento dos precatórios. O senhor acha que este ano já será possível alguma automação para acelerar esses pagamentos?

Em 15 de julho já entra em testes a automação dos processos. Este ano, até maio, foram pagos precatórios que somam treze milhões. A expectativa é do que for liberado ser pago este ano?

Sim. Se for liberado. Trabalhamos com a meta de pagar tudo que entrar até final do ano. O senhor tem acompanhado esse processo do CNJ em relação aos dois desembargadores?

Não, porque isso é da alçada do CNJ, do STJ. Desembargador, o que o senhor acredita ser o desafio maior de sua gestão?

Melhorar a prestação jurisdicional. Porque quem tem problema procura a Justiça e quer uma solução, uma resposta imediata. Esse é que é o foco: combater essa chagadamorosidadedaJustiçaeagente vai aos poucos vê se consegue deixar num patamar razoável.


6

natal

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

« ARTIGO »

Poder Judiciário

Parlamento vinculado (I)

ANELLY MEDEIROS [ anellymedeiros@hotmail.com ]

MARCELO ALVES DIAS DE SOUZA

Quinto Constitucional

Procurador Regional da República

O Tribunal de Justiça se prepara para escolher, mais uma vez, o nome dos três advogados potiguares que concorrem a vaga de desembargador pelo Quinto Constitucional. A votação está marcada para o dia 26 de junho, às 14h. A expectativa é que os desembargadores mantenham, praticamente, os mesmos votos, repetindo a lista aprovada anteriormente. Motivo simples: Não houve nenhum fator que justificasse entendimento diferente da última eleição. O que mudou foi a regra na forma da votação e o quorum que tem que ter no mínimo 8 votos para fazer parte da lista. Agora a sessão deve ser aberta e o voto fundamentado e nominal; o que não interfere na conduta e na postura dos escolhidos. Particularmente, não acredito que, por ser votação aberta, os nobres desembargadores irão mudar de opinião sobre os escolhidos.

Direito Previdenciário O Congresso Nacional de Direito Previdenciário terá como tema os “90 anos de Previdência Social no Brasil: Reflexões e Perspectivas”. O evento reunirá catorze renomados palestrantes do campo jurídico, que abordarão as principais vertentes do Direito Previdenciário, como o Regime Geral da Previdência Social, Regime Pró-

prio da Previdência Social, Previdência Complementar e Reforma da Previdência. O Congresso, marcado para agosto, em Natal, está sendo organizado pela OAB/RN e ESA/RN e conta com o patrocínio da Estácio Natal. Também tem o apoio do Ministério da Previdência Social e Instituto Nacional de Seguro Social. FOTOS: DIVULGAÇÃO

U

m das “notícias jurídicas” destes dias foi o início do julgamento, pelo plenário do Supremo Tribunal Federal, do mandado de segurança (MS 32033) impetrado por um Senador da República com o objetivo impedir a tramitação do Projeto de Lei 4470/12 (já apelidado de Projeto Anti-Marina Silva), que, por sua vez, visa a restringir, com a imposição de várias medidas, a criação de novos partidos políticos no Brasil (segundo dizem as más línguas, casuisticamente, por interesse do Governo Federal, para evitar a criação do novo partido da ex-Senadora Marina Silva, potencial candidata à Presidência da República). Aliás, já tratei desse caso aqui, quando, há algumas semanas, o relator do MS no STF, por decisão liminar, suspendeu a tramitação do referido projeto. Segundo o site do STF, confirmando o que foi visto na TV Justiça, o placar está 5 x 2 no sentido do julgamento improcedente do pedido contido no mandado de segurança. A maioria até agora formada segue o tradicional entendimento de que, no Brasil, o controle de constitucionalidade preventivo é eminentemente político, sen-

do exercido pelas Comissões de Constituição e Justiça, no âmbito do Poder Legislativo, e pelo chefe do Poder Executivo no momento de sanção/veto do futuro ato normativo. Restaria, em nosso sistema jurídico, como controle jurisdicional preventivo, tão-somente o mandado de segurança, para fins de controle da constitucionalidade da tramitação de projetos de lei, fundado na inobservância do processo legislativo disciplinado legal e regimentalmente. Em outras palavras, esse controle jurisdicional preventivo não pode recair sobre o conteúdo do projeto de lei, o que, segundo a maioria até agora formada, parece ser o caso do MS 32033. Entretanto, o Ministro Dias Toffoli (que, ao lado do Relator Gilmar Mendes, vem compondo a minoria no MS 32033), na sessão de quinta passada, enfatizou uma questão interessantíssima que tive, não faz muito tempo, a oportunidade de estudar. O Projeto de Lei 4470/12 seria, disfarçadamente, uma rescisória da decisão proferida na Ação Direta de Inconstitucionalidade 4430 (Relator Dias Toffoli). Uma forma de “driblar”, em tempos de Copa das Confederações, a decisão, com eficácia erga omnes e efeito vinculante, tomada pelo STF na referida ADI, que, julgada em junho de 2012, “garan-

Calçada de Bodega O lançamento do livro de poesias do advogado Janduhi Medeiros foi bastante prestigiada na noite da última terça-feira, na livraria Saraiva. Estiveram presentes o diretor do fórum Seabra Fagundes, o juiz Madson Ottoni, e o prefeito Maurício Marques, além de amigos, familiares e colegas do poeta e procurador do município de Parnamirim. O livro “Calçada de Bodega” traduz em versos um hábito pouco comum nas capitais, mais muito presente no interior. Para o autor, a calçada é um território mágico que serviu de inspiração para sua mais nova obra.

Redistribuição de servidores A Coordenação dos Juizados Especiais (JE’s) do TJRN inovará, de forma pioneira, e realizará a redistribuição de servidores nas diversas varas e comarcas do estado. De acordo com a juíza Sulamita Pacheco, coordenadora, é necessário um realinhamento na composição das secretarias

dos Juizados para que o funcionamento se consolide de maneira homogênea, sem disparidades quanto a qualidade do serviço prestado. Um levantamento sobre a situação das varas e comarcas já foi concluído e as mudanças vão ser executadas em um curto espaço de tempo. JOÃO MARIA ALVES

Treinamento Conciliação As juízas Sulamita Pacheco, coordenadora dos Juizados Especiais do Tribunal de Justiça do Rio Grande, e Rossana Alzir, ministraram sexta-feira (14) o treinamento de Conciliação e Mediação no TJ do Piauí. As magistradas estão entre as 50 juízas instrutoras do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que visitam as diversas capitais do país proferindo palestras e cursos. O objetivo do curso é disseminar a cultura de paz por meio de uma política pública de solução adequada de conflitos.

autos &

motores

TODAS AS SEXTAS NA TRIBUNA DO NORTE

Segundo o site do STF, confirmando o que foi visto na TV Justiça, o placar está 5 x 2 no sentido do julgamento improcedente do pedido contido no mandado de segurança” tiu” aos partidos criados após a realização de eleições de 2010 acesso a tempo de rádio e TV proporcional às novas bancadas partidárias, fruto da migração para a nova legenda quando da sua respectiva fundação (daquela vez, a decisão do STF “coincidiu” com o interesse do Governo, já que se tratava, casuisticamente, da criação do PSD, que viria a compor a “base aliada”). Segundo o Ministro Dias Toffoli, uma das principais críticas à liminar concedida pelo relator Gilmar Mendes no MS 32033 foi a de que ela significou um atentado à independência do Parlamento brasileiro (lembram-se do princípio da separação dos poderes?). Entretanto, para ele, o que está havendo com a tramitação do Projeto de Lei 4470/12 é um atentado, por parte do Parlamen-

to, à anterior decisão do STF na ADI 4430. A questão parece sutil, mas, na verdade, é importantíssima. E é importante tanto para o controle preventivo como para o repressivo, como se verá adiante. A polêmica ressaltada pelo Ministro Dias Toffoli, para sermos precisos, gira em torno da seguinte questão: a decisão final proferida pelo STF em uma ação direta de inconstitucionalidade deve vincular também o Poder Legislativo, que não poderá editar norma de igual conteúdo à já declarada inconstitucional (o problema, aqui, em regra, se põe em face da decisão que declare a inconstitucionalidade da norma)? A resposta que sugiro a essa questão, para fins de debates futuros, requer, antes de mais nada, no que chamamos de exercício de direito comparado (lembram-se do artigo da semana passada, “Comparação global”?), um passeio pelo direito europeu. Mas esse passeio (que terá ponto de partida e de chegada), por uma questão de tempo e espaço, só faremos na semana que vem, quando, coincidentemente, o Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) irá retomar o julgamento do polêmico Mandado de Segurança 32033. Rogo, preventivamente, um pouco de paciência.


Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

natal

Acervo do Diário de Natal ainda sem destinação « MEMÓRIA » O destino do acervo do extinto Diário de Natal, composto por fotografias, jornais e obras de arte de quase 74 anos ainda é uma incógnita

JÚNIOR SANTOS

GABRIELA FREIRE repórter

A

dúvida e o receio sobre o destino do acervo do extinto Diário de Natal, composto por fotografias, jornais e obras de arte acumulados ao longo de quase 74 anos, permanece. O embate em torno da propriedade do arquivo do jornal deverá ter novos capítulos nos próximos dias. É que está prevista para o próximo dia 25 de junho, uma terça-feira, uma visita ao depósito localizado no prédio onde funcionou a última sede do periódico, localizado na avenida Tomaz Landim, com a presença da superintendente de Projetos Corporativos dos Diários Associados, Vânia Caldas, e da presidente da Fundação José Augusto (FJA), Isaura Rosado. A vinda da representante do grupo o qual o Diário de Natal fazia parte à cidade faz parte do processo de análise sobre o futuro de todo o material, segundo apurou a reportagem da TRIBUNA DO NORTE. Caldas é a atual responsável pela “negociação” dos acervos dos jornais que foram fechados pelo grupo. Apesar da proximidade da data, não é certo que uma decisão seja tomada nos próximos dias. Se o debate seguir ritmo semelhante ao do que vem ocorrendo no estado da Paraíba, onde o grupo dos Diários Associados fechou dois jornais em fevereiro de 2012, o processo pode se estender por meses a fio. A diferença entre a “nossa” briga e a dos paraibanos pela permanência dos arquivos nos estados onde os jornais circulavam é que o processo aqui no Rio Grande do Norte já foi ajuizado e deve ser conduzido pelo juiz da 1ª Vara da Fazenda Pública de Natal, Bruno Lacerda Bezerra Fernandes. Na última terça-feira, 11, o Ministério Público Estadual, através do promotor de justiça João Batista Machado Barbosa, ratificou as petições já formuladas e solicitou com “maior brevidade possível, o pedido liminar para que a empresa ré e o terceiro interessado sejam impedidos de alienar, transferir, permutar, destruir, reciclar, emprestar, danificar ou trazer qualquer prejuízo ao acervo do Diário de Natal, bem como permitir o ingresso de técnicos da Fundação José Augusto para fazer um inventário no local, no prazo de 90 dias, de modo a garantir o mínimo de segurança necessário ao resguardo de tão valioso patrimônio histórico-cultural do Estado do RN”. A movimentação vem após declaração de incompetência absoluta da 18ª Vara Cível da comar-

O prédio do extinto jornal, na zona Norte de Natal, abrigará a primeira escola do Sesi/Senai

ì QUEM A superintendente de Projetos Corporativos dos Diários Associados, Vânia Caldas, visita o arquivo do extinto Diário de Natal no próximo dia 25 de junho. Objetivo da visita é definir destino do acervo acumulado ao longo de quase 74 anos de circulação do periódico.

ca de Natal, onde tramitava o processo, após a manifestação de interesse na matéria pelo Estado do Rio Grande do Norte, requerendo o ingresso na lide, na condição de assistente litisconsorcial ativo. Essa requisição levou a juíza Andréa Régia Leite Holanda Macedo Heronildes a declarar sua incompetência e determinar a redistribuição do feito a uma das Varas da Fazenda Pública. O prédio localizado na avenida Tomaz Landin, zona Norte de Natal, onde o Diário de Natal funcionou nos últimos dias, abrigará a primeira escola de referência do sistema Sesi/Senai, afirma o superintendente do Sesi, Marcos Lael. A escola é orientada para a empregabilidade no mercado de trabalho, explica Lael. “A expectativa é que seja inaugurada entre novembro e dezembro deste ano”, anuncia. Para isso é preciso que sejam feitas algumas reformas e adaptações no prédio. A Rádio Clube, que também pertence aos Associados, ainda funciona no local. Segundo informações apuradas pela TRIBUNA DO NORTE, um prédio já foi locado e passa por reformas para sediar a emissora.

MEMÓRIA A última edição do jornal Diário de Natal circulou no dia 2 de outubro de 2012. Era o segundo mais antigo veículo de comunicação impresso em circulação no Rio Grande do Norte. A decisão de fechar a edição impressa foi tomada em Brasília, pela presidência dos Diários Associados. Todas as operações administrativas, financeiras e industriais do Diário de Natal já estavam centralizada em Recife, junto ao Diário de Pernambuco, desde 2010, quando uma primeira reforma mudou o formato da edição impressa, de standart para tablóide, e substituiu 80% da equipe da redação. Foram 73 anos de jornalismo, que começaram no dia 18 de setembro de 1939. De lá para cá o jornal foi testemunha de fatos importantes da história, como o final da Segunda Guerra Mundial, a construção da Base Aérea de Natal, a visita do presidente Eurico Gaspar Dutra à capital do Rio Grande do Norte, o suicídio do presidente Getúlio Vargas, o golpe militar de 1964 e tantos outros episódios locais, nacionais e internacionais que foram notícia.

Na Paraíba, a mesma indefinição O Sindicato dos Jornalistas Profissionais da Paraíba empreende debate semelhante ao aberto no RN sobre a permanência dos acervos dos jornais O Norte e Diário da Borborema, que circulavam nas cidades de João Pessoa e Campina Grande, respectivamente. As atividades dos dois periódicos, que também pertenciam ao grupo dos Diários Associados, foram encerradas no dia 2 de fevereiro de 2012. A discussão na Paraíba já recebeu a adesão da universidade estadual, de vereadores e até senadores da República. De acordo com o secretário geral do sindicato, Lande Seixas, a situação segue indefinida.“A atitude do pessoal dos Associados é de uma intransigência grande. A Universidade Estadual da Paraiba (UFPB) vem tentando, mas nada foi definido ainda”, afirma Seixas. O jornalista tem dúvidas so-

bre a localização exata dos dois acervos em questão. “Esse arquivo não tem dono. E se tiver que ter é o povo da Paraíba”, afirma. Ainda no ano passado, o senador Vital do Rêgo (PMDB-PB) confirmou a permanência dos acervos dos jornais O Norte e Diário da Borborema na Paraíba, como patrimônios dos paraibanos. O anúncio foi feito após o senador se reunir com o Diretor Geral dos Diários Associados, Guilherme Machado. Mesmo assim a insegurança sobre a definição do destino dos dois acervos ronda as partes interessadas em manter o patrimônio no estado da Paraíba. Na mesma época da confirmação da permanência do acervo, a notícia de que todo o material fotográfico do Diário da Borborema poderia ser incinerado e os livros formados pelas edições diárias de mais de 50 anos de existência do jornal levados para uma em-

presa do grupo em Brasília chegou a circular no estado. “Isso não se concretizou, mas seria um crime”, classifica Seixas. O Jornal O Norte foi fundado pelos irmãos Oscar Soares e Orris Eugênio Soares em João Pessoa, no dia 7 de maio de 1908, tinha 107 anos quando encerrou as atividades. Já o periódico campinense Diário da Borborema teve sua primeira edição publicada em 2 de outubro de 1957, encerrando as atividades depois de pouco mais de 50 anos em circulação. Os Diários Associados, também conhecidos como Condomínio Acionário dos Diários e Emissoras Associados, ou simplesmente D.A, são o sexto maior conglomerado de empresas de mídia do Brasil. A corporação já foi a maior da história da imprensa no Brasil, fundada pelo Assis Chateaubriand ou Chatô.

Entidades unidas para manter acervo no RN A discussão em torno da posse e destinação do acervo começou a ser debatida por diversas entidades ainda no final do ano passado. Porém o pleito foi oficializado no início deste ano quando em Ação Civil Pública, o Ministério Público afirmou que em virtude de representação formulada pelo Instituto Histórico e Geográfico do Estado do Rio Grande do Norte, chegou ao seu conhecimento, a situação de gradual dilapidação do arquivo de fotografias, vídeos e publicações do extinto jornal Diário de Natal. De acordo com o MP, tal situação foi gerada pela falta de espaço adequado para o material, e com isso, todo o acervo estaria na iminência de ser desconstituído, com provável venda para alguma instituição particular, inclusive de outro Estado, colocando em risco um importante acervo histórico-cultural do Rio Grande do Norte. Em virtude disso, o Ministério Público fez postulações em Juízo com o propósito de resguardar e proteger o acervo que bem representa à memória do povo do Rio Grande do Norte. Entre os candidatos estão a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), a Fundação José Augusto e diversos órgãos ligados à cultura, como o Instituto Histórico e Geográfico do RN (IHGRN) e Academia Norteriograndense de Letras (ANL). “O importante é que o acervo não saia do RN. Independente de com quem fique”, destacou a presidente de FJA, Isaura Rosado. A diretora da Editora da UFRN, Margarida Dias, confirma o interesse da universidade em adquirir o acervo acumulado ao longo de quase 74 anos, mas é mais cautelosa. “Já estive em reunião com a nossa reitora e pró-reitor e existe esse interesse. Estamos discutindo as possibilidades, disse. O presidente do IHGRN, Valério Mesquita, é mais incisivo e cobra uma tomada de posição do Poder Executivo municipal e estadual. “É preciso que o governo do estado ou a prefeitura ingressem um decreto de desapropriação por parte do Poder Executivo estadual ou municipal”. Mesquita afirma que essa é uma posição unificada do IHGRN, ANL e Conselho Estadual de Cultura. Os representantes de cada um desses órgãos devem, juntos, tentar uma audiência com os chefes do Executivo estadual e municipal. “Essa é solução para a permanência do acervo do Diário de Natal, em Natal. Essa seria a primeira providência a ser tomada, já o lugar onde esse material seria abrigado é outro ponto que deve ser abordado”, disse.

7


8

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

natal « OPORTUNIDADE »

Senac abre inscrições gratuitas para cursos São 343 vagas para turmas que terão início em julho no Programa Senac de Gratuidade

I

nglês para Bares e Restaurante, Gestão do Salão de Beleza e Editor Gráfico são alguns dos 16 cursos para os quais o Senac está oferecendo bolsas de estudos gratuitas. No total, são 343 vagas para turmas que terão início em julho, por meio do Programa Senac de Gratuidade (PSG). Há ainda outras opções de capacitação nas áreas de informática, gestão e negócios, comércio e saúde, voltadas aos municípios de Natal, Mossoró, Parnamirim, Macaíba e Assú. As inscrições podem ser feitas exclusivamente pelo site www.rn.senac.br/psg, até a próxima terça-feira (18). Os candidatos devem possuir renda fa-

miliar mensal per capita de até dois salários mínimos federais e atender aos requisitos exigidos pelo curso escolhido, que variam de acordo com a modalidade selecionada. O PSG tem o objetivo de promover a inclusão social por meio da oferta de vagas gratuitas para a população de baixa renda em cursos de Formação Inicial e Nível Técnico. A seleção dos candidatos ocorrerá de acordo com a ordem da inscrição efetuada no site do Senac. Os processos seletivos para cursos inseridos no Programa são lançados mensalmente. Os candidatos que não forem contemplados na atual seleção, poderão se inscrever novamente nas próximas etapas. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (84) 4005-1000 e pelo site www.rn.senac.br.

CONFIRA A LISTA DE CURSOS DISPONÍVEIS: Administrador de Redes, Auxiliar Administrativo, Auxiliar de Pessoal, Balconista de Farmácia, Cabeleireiro Assistente, Depilador, Editor Gráfico, Gestão do Salão de Beleza, Inglês para Bares

e Restaurante, Manicure/Pedicure, Operador de Computador, Operador de Telemarketing, Recepcionista, Recepcionista em Meios de Hospedagens, Vendedor e Web Designer.


TÁBUA DE MARÉS

NO TWITTER

Preamar 09h26 - 1.9 - 22h06 - 1.9 Baixa-mar 02h58 - 0.7 - 15h39 - 0.7

Fique bem informado. Siga a TRIBUNA DO NORTE no Twitter.

@tribunadonorte

FASES DA LUA Hoje: Crescente 23/06: Cheia

LUÍSA NEPOMUCENO FALA DO DESAFIO DE CONCLUIR MEDICINA NA ALEMANHA • PÁGINA 11

CADASTRO POSITIVO

Acompanhe no site da TRIBUNA DO NORTE as principais notícias do Rio Grande do Norte.

www.tribunadonorte.com.br

natal Editora: Cledivânia Pereira [cledivania@tribunadonorte.com.br ]

Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 16 de junho de 2013

ETE do Baldo ainda é subutilizada « SANEAMENTO » Dois anos após ser inaugurada, a ETE do Baldo ainda não recebe todo o esgoto para que foi projetada. Oito, dos 21 bairros que seriam beneficiados, ainda não enviam o esgoto para a estação de tratamento VINÍCIUS MENNA repórter

C

om R$ 83 milhões em recursos empregados, a Estação de Tratamento de Esgoto do Baldo foi projetada para tratar os resíduos de 21 bairros da cidade. Contudo, a ETE do Baldo, como é conhecida, ainda não trata o esgoto de nove bairros como deveria. A ETE do Baldo ainda não recebe o esgoto proveniente dos bairros Candelária, Cidade da Esperança, Dix-Sept Rosado, Bairro Nordeste, Lagoa Nova e Nazaré. Além disso, os resíduos provenientes de Nova Descoberta, Morro Branco e Quintas chegam apenas parcialmente à Estação de Tratamento. Atualmente, 12 dos 21 bairros que a ETE do Baldo devia estar tratando chegam efetivamente a Estação: Alecrim, Areia Preta, Barro Vermelho, Cidade Alta, Lagoa Seca, Mãe Luiza, Petrópolis, Praia do Meio, Ribeira, Rocas, Santos Reis e Tirol. A capacidade de vazão média da Estação é de 450 litros por segundo de esgoto. “Hoje nós estamos com uma vazão média de 330 litros por segundo”, informou Cícero Fernandes, coordenador da ETE do Baldo. Ou seja, a Estação opera em 73% da capacidade de vazão média. Dentre os bairros que a ETE do Baldo deveria atender, o mais atrasado é Candelária. Segundo o gerente de projetos da Caern, Josildo Lourenço, apesar de estar instalada desde 2009, a rede de esgoto do bairro ainda não foi liberada porque depende da estação elevatória da Rua dos Tororós, no terreno da antiga escola Acrísio Freire, em Lagoa Nova. O prazo para concluir a estação é dezembro. De acordo com o gerente da regional Natal Sul da Caern, Lamarcos Teixeira, os outros bairros não atendidos pela ETE do Baldo estão saneados. “Hoje o esgoto desses bairros estão sendo tratados através do sistema de lagoas próximas”, disse. No caso de Morro Branco, parte do esgoto gerado já está sendo jogado na estação elevatória da Lagoa de São Conrado, em Dix-Sept Rosado, e de lá sai para a Estação de Tratamento do Baldo. Porém, outra parte depende da conclusão da estação elevatória de da Lagoa do Preá,

ì O QUE Estação de Tratamento de Esgoto do Baldo.

QUANDO Projetada para receber esgoto de 21 bairros de Natal, oito ainda não estão sendo atendidos pela estrutura.

que fica pronta este mês, para que chegue até a ETE do Baldo. Além de depender da estação da Lagoa do Preá, o bairro de Nova Descoberta precisa também da conclusão de um trecho de emissário, que deverá estar pronto até dezembro, segundo o gerente de projetos Josildo Lourenço. “Por isso a gente insiste na questão do planejamento”, diz a promotora do Meio Ambiente, Gilka da Mata. “O sistema é complexo, cheio de etapas, então é preciso de planejamento da Caern para que todo o sistema fique pronto ao mesmo tempo, sem essa situação de que ora falta uma estação elevatória, ora falta a rede”, afirmou. No caso de Cidade da Esperança, Dix-Sept Rosado, Bairro Nordeste, Lagoa Nova e Nazaré, atualmente, o esgoto segue para uma estação de tratamento situada no KM-6, no bairro Bom Pastor. De acordo com Josildo Lourenço, é preciso concluir uma estação elevatória que está sendo construída na Rua dos Tororós, no terreno da antiga escola Acrísio Freire, em Lagoa Nova, para que o esgoto desses bairros seja levado até a ETE do Baldo, conforme planejado. A ETE do Baldo receberá o esgoto desses bairros temporariamente, já que os planos da Caern, conforme o gerente de projetos, é que os resíduos sejam encaminhados para a ETE JundiaíGuarapes, quando esta estiver concluída. O projeto está em análise na Caixa Econômica Federal para que seja iniciado o processo licitatório. A previsão de conclusão da obra é de dois anos.

+

PÁGINA 10 Conheça os detalhes das obras de saneamento em Natal.


10

natal

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

Despoluição do rio Potengi está longe de ser realidade « SANEAMENTO » Estudos do Idema mostram que índices de coliformes fecais na água do Potengi ainda são altos

U

m dos objetivos da Estação de Tratamento de Esgoto do Baldo, é contribuir para a despoluição do Potengi. Contudo, o resultado das análises da qualidade do efluente que sai da ETE do Baldo para o Potengi, bem como das águas do estuário ainda apresentam uma alta concentração de coliformes. De acordo com o coordenador de Meio Ambiente do Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente do RN (Idema), Sérgio Luiz Macêdo, com base em resultados colhidos em dezembro de 2012, e em março e maio deste ano, é possível afirmar que, em termos de carga orgânica, a concentração de demanda biológica de oxigênio (DBO) e de materiais sedimentáveis está dentro dos padrões. “Entretanto, a concentração de coliformes termotolerantes está muito alta, com valores variando entre 20.000 a 79.000 NMP/100mL, tendo em vista que a ETE ainda não está promovendo a desinfecção do efluente antes dos eu descarte no Estuário do Rio Potengi”, analisou Sérgio Macêdo. O coordenador de Meio Ambiente do Idema informou ainda sobre a qualidade das águas do rio Potengi no trecho entre o Dique da Base Naval e a Ponte Newton Navarro, com base em resultados do Programa Água Azul. Entre novembro de 2008 e maio de 2012, após a entrada em operação da ETE do Baldo, as concentrações de oxigênio dissolvido, de matéria orgânica em termos de carbono orgânico total e de valores de metais apresentaram resultados dentro do

permitido pela Resolução nº 357/2005 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama). Por outro lado, explicou Sérgio Macêdo, constatou-se vez que “as concentrações de coliformes termotolerantes de uma maneira geral tiveram uma redução, mas ainda estão acima do valor padrão de 1.000 NMP/100mL”.

Monitoramento Em 2012, o Ministério Públi-

ETE do Baldo Entenda o projeto NO PROJETO

ATUALMENTE

Valor da obra:

esgoto tratado:

R$ 84 milhões

330 litros de esgoto por segundo (em média).

Capacidade de tratamento:

450 litros de esgoto por segundo (em média).

350 mil pessoas beneficiadas.

pessoas beneficiadas.

12 bairros beneficiados

Alecrim Areia Preta Barro Vermelho Cidade Alta Lagoa Seca Mãe Luíza

Petrópolis Praia do Meio Ribeira, Rocas Santos Reis Tirol

integralmente.

21 bairros beneficiados.

3 bairros beneficiados

3 de junho de 2011

parcialmente.

início da operação.

6 bairros não beneficiados.

O que está faltando Nova Descoberta e Morro Branco Parte do esgoto vai hoje para a ETE do Baldo pela estação elevatória da Lagoa de São Conrado Falta concluir estação elevatória na Lagoa do Preá e trecho de um emissário para levar até a ETE do Baldo. Além disso, parte da rede precisa ser adaptada porque a rede está acima do nível das casas. Prazo: Dezembro/2013.

Mas a ideia é que a Caern faça o tratamento de todos os locais onde ela coleta”

250 mil

Bairros de onde a ETE do Baldo recebe esgotos integralmente:

Candelária Apesar da rede de esgoto estar estalada desde 2009, ainda não está liberada porque precisa da estação elevatória da Rua dos Tororós para levar o esgoto até a ETE do Baldo.

Cidade da Esperança, Dix-Sept Rosado, Bairro Nordeste, Lagoa Nova e Nazaré Atualmente, esgoto segue para uma estação de tratamento situada no KM-6, no bairro Bom Pastor. Falta concluir estação elevatória que está sendo construída na Rua dos Tororós, no terreno da antiga escola Acrísio Freire (Lagoa Nova). Quando concluída, estação levará esgoto temporariamente para a ETE do Baldo. Prazo: Dezembro/2013. Esgoto dos bairros deverá ser levado para a ETE Jundiaí/Guarapes assim que esta estiver concluída.

Bairros de onde a ETE do Baldo recebe esgotos parcialmente:

Bairros de onde a ETE do Baldo não recebe esgotos:

Quintas Nova Descoberta Morro Branco

Candelária Cidade da Esperança Dix-Sept Rosado Bairro Nordeste Lagoa Nova Nazaré

Prazo: Dezembro/2013.

SÉRGIO MACÊDO coordenador no Idema

co obteve decisão favorável para que Idema e Governo do Estado fizessem um monitoramento nos locais onde é jogado o produto do esgoto tratado pela Companhia de Águas e Esgotos do RN (Caern). “Com certeza a ETE do Baldo está contribuindo para melhorar a qualidade da água do rio Potengi. Antes o esgoto era jogado in natura e hoje ele é tratado. Mas a ideia é que a Caern faça o tratamento de todos os locais onde ela coleta. Não pode haver nenhum tipo de destinação sem tratamento no Potengi”, avaliou a promotora do Meio Ambiente, Gilka da Mata.

tn família

Proposta é expandir saneamento Enquanto enfrenta dificuldades para efetivar projetos anteriores, a Companhia de Águas e Esgotos do RN (Caern) lançou na sexta-feira o Sanear, plano de ação que tem por objetivo tirar Natal dos atuais 36,5% para 100% da cidade saneada até o fim de 2015. O Sanear está prevê também investimentos em esgotamento sanitário em outras 18 cidades potiguares. Em Natal, serão aplicados recursos da ordem de R$ 696 milhões. Os projetos apresentados pela Caern obtiveram mais R$ 293,7 milhões para os bairros que da zona norte, o que de-

Todos os domingos na

TRIBUNA DO NORTE

verá trazer benefícios para aproximadamente 214 mil habitantes. Outros R$ 210,2 milhões estão previstos para os bairros das zonas sul, leste e oeste, contemplando 148 mil habitantes. Segundo a Caern, as obras também chegarão a Areia Branca, Assú, Goianinha, Jardim de Piranhas, João Câmara, Mossoró, Nova Cruz, Pium, Cotovelo e Pirangi, Pau dos Ferros, São José de Mipibu, Tibau do Sul e Pipa, Canguaretama, Apodi, Parelhas, São Paulo do Potengi, Macaíba e Caicó. Atualmente, o Rio Grande do Norte está 27% saneado. “Nos-

sa meta é sanear 80% do Rio Grande do Norte e isso já está acontecendo”, afirmou o diretor-presidente da Caern, Yuri Tasso Duarte. Segundo ele, de R$ 1,4 bilhão em recursos do Sanear, R$ 940 milhões serão destinados para a rede de esgotamento sanitário. Os recursos são provenientes do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), de financiamento pelo ProInvest, da Caern e do Tesouro Estadual. A contrapartida é de 15%. “As obras já estão em andamento em 15 cidades, com investimentos viabilizados também

As obras já estão em andamento em 15 cidades, com investimentos viabilizados dos próprios municípios” YURI TASSO DUARTE diretor da Caern

pelos próprios municípios. Outras 13 cidades já estão com projetos apresentados pela Caern em análise para garantir mais investimentos”, afirmou Yuri Tasso Duarte .


Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

natal

3porquatro

11

POR ANNA RUTH DANTAS

« LUÍSA NEPOMUCENO » FOTOS: JOÃO MARIA ALVES

? OPINIÕES Retorno ao Brasil: em seis anos devo voltar ao Brasil. A residência são dois anos de cirurgia geral e três anos da especialidade

Seu sonho está realizado: quero me capacitar totalmente. Agora só foi a primeira parte. Ainda tenho muitos anos. Vou fazer a residência

ì QUEM É Luísa Nepomuceno se tornou uma das poucas natalenses a cursar Medicina na Universidade de Berlim. O Hospital Charité mais de 100 clínicas em 17 centros de especializados de atendimento. Com 13.000 empregados, movimenta 1,2 bilhões de euros

E o que você viu na Medicina da Alemanha que difere do Brasil?

A Medicina do Brasil é bem vista. Mas falta pesquisa” A

médica Luísa Pereira Nepomuceno, 26 anos, já dava mostras de que iniciaria uma carreira universitária desbravadora ainda no segundo grau. Ao invés de fazer intercâmbio em país de língua inglesa, o que ocorre com a maioria dos jovens, ela optou pelo alemão. Durante um ano estudou na Pulsnitz e foi na convivência com a família alemã que lhe abrigou que o desejo por fazer Medicina aumentou. Na volta ao Brasil, Luísa optou por fazer o supletivo, uma forma de apressar os estudos e compensar o ano que havia passado no exterior. Estudou em cursinho preparatório focando no vestibular de Natal, mas terminou mesmo foi aprovada no curso preparatório (o que é exigido como curso de nivelamento para o estrangeiro fazer vestibular) para ingressar em Medicina na Alemanha. O foco de Luísa Nepomuceno não era uma faculdade comum, buscou a secular Charité - Universitätsmedizin Berlin, de onde já saíram muitos prêmios Nobel. A médica hoje estampa o currículo de ser uma das poucas natalenses a estudar no hospital Charité, unidade com 100 clínicas. A conclusão do curso de Medicina não representa a volta para Natal. A médica agora foca na residência em Cirurgia e no doutorado na Alemanha. Jovem, de fala tranquila, arrojada no projeto de formação profissional, essa é a nossa convidada de hoje do 3 por 4.

Hoje você se torna uma das primeiras médicas natalenses a se formar na credenciada universidade alemã. Mas por que o seu interesse pela Alemanha, inclusive desde o início, ainda no seu intercâmbio?

Quando eu quis fazer intercâmbio eu queria muito ir para Europa na época da escola. Eu não queria ir para os Estados Unidos porque tinha feito Inglês no Brasil e eu sempre quis aprender uma língua diferente. E a Alemanha era uma das opções, foi algo meio de acaso. Não havia uma paixão pela Alemanha. Olhei na lista, pensei o quando o alemão é difícil e uma língua tão diferente e tentei. Aí quando eu soube que iria fazer o intercâmbio lá cheguei a fazer aula de alemão aqui. Chama atenção a pressa que você teve, no retorno do seu intercâmbio na Alemanha, fazer um suple-

tivo ao invés do curso regular.

Porque quando eu fiz o intercâmbio na Alemanha eu perdi um ano na escola. Então todos os meus amigos já estavam fazendo o preparatório para o vestibular. E eu não queria perder um ano, ficar atrás. Como tinha a opção no Brasil de fazer o supletivo eu queria fazer rápido e entrar logo na universidade. Eu fiz o supletivo e fiquei estudando para o cursinho preparatório daqui para o vestibular. Mas dei entrada no processo na Alemanha, mas fiquei estudando para o vestibular daqui (de Natal). (na Alemanha são 13 anos de ensino fundamental e médio, no Brasil quando ela estava estudando eram 11 anos). Por que a opção de fazer Medicina na Alemanha e não no Brasil?

Foimaisparaaproveitar.Achei que se tinha essa oportunidade. Quando eu estava lá com minha família alemã e eles começaram a me mostrar que era possível fazer Medicina na Alemanha. Eu meio que vi isso como uma oportunidade e me perguntei por que não? É mais fácil fazer Medicina na Alemanha do que no Brasil?

Depende. Se você souber a língua. O mais difícil no começo é a língua para você aprender. E esse é o requisito para entrar no preparatório (na Alemanha o estudante precisa fazer o preparatório no Studienkollege para poder fazer vestibular). E depois você faz uma prova de conhecimento, como se fosse o ENEM. A prova acho que os alunos brasileiros são bem preparados. A prova de conhecimento é como o vestibular daqui, mas tem a barreira da língua.

Eu nunca pensei em querer estudar nessa universidade, nunca pensei que queria estudar em uma das melhores universidades da Europa. Acrescenta essa formação porque como eu vou continuar na Alemanha isso é muito bom porque a universidade é bem vista”

Há muitas coisas parecidas, que eu até achei interessante. Na Alemanha também há o período pré-clínico, que são os dois primeiros anos e a parte clínica que é depois. Aqui no Brasil são dois anos de internato. Na Alemanha é apenas um. O que eu achei diferente é que os alunos de Medicina no Brasil têm muitas aulas práticas, vão para o hospital mais vezes do que a gente. A Alemanha tem um ensino mais teórico, tínhamos muita aula teórica, palestra com professor. Aqui os alunos são mais práticos. Eu cheguei a fazer um estágio em São Paulo (no último ano do curso de Medicina na Alemanha, ela fez parte do internato no Brasil). Eu achei os alunos de Medicina do Brasil muito bem preparados para atender, eles vão bem mais no hospital que a gente. O que agrega para você estar em uma universidade que tem no currículo vários prêmios Nobel?

Foi involuntário. Eu nunca pensei em querer estudar nessa universidade, nunca pensei que queria estudar em uma das melhores universidades da Europa. Acrescenta essa formação porque como eu vou continuar na Alemanha isso é muito bom porque a universidade é bem vista. Vou tentar vaga para residência agora e é bom ter essa bagagem. Por eu ter estudado em uma escola alemã, abre as portas para eu trabalhar na Europa. Lá existe a mobilidade profissional, isso abre as portas para outros países. O diploma nosso é reconhecido em toda União Européia. O Brasil está descartado na sua atuação profissional?

Não. A residência eu vou fazer por lá. Seria mais difícil voltar para o Brasil agora neste período em que estou de formação. Mas eu vou dar entrada este ano mesmo na revalidação do diploma. Pretendo voltar ao Brasil depois da residência. Qual a visão que o médico europeu tem da Medicina brasileira?

AMedicinabrasileiraébemvis-

ta. Eu acho que o que o Brasil está tentando chegar atrás é a parte de pesquisa. Fiquei em São Paulo na Unifesp por um tempo e o nível do hospital escola é comparável com oshospitaisquevinaAlemanha,na Inglaterra. Eles fazem pesquisa interna. Na Europa a Medicina tem maisvisibilidadepelograndevolume de pesquisas. O Brasil está indo atrás, mas vai chegar. Quando você foi fazer intercâmbio você optou pela Alemanha, quando foi fazer Medicina optou por uma universidade com visibilidade e respaldo na Europa. Qual sua meta agora?

Vou tentar vaga na residência em Cirurgia Geral e vou continuar esse tempo na Europa. Penso em fazer doutorado. Na Alemanha eles incentivam muito a pesquisa. Eu queria juntar isso tudo, fazer pesquisa, fazer residência e conseguir voltar para o Brasil já com a formação completa. Qual a visão que você tem sobre a chegada do médico cubano no Brasil?

Eu tenho acompanhado. É uma tendência do mundo de hoje. Na Alemanha o ministro da Saúde informou que 25% dos médicos na Alemanha são formados no exterior. Na Inglaterra é 40%. Mas tem o Revalida (para revalidar) lá?

Todo estudante que termina Medicina precisa fazer a prova de título, que é como uma OAB daqui. Então o estudante estrangeiro que quiser trabalhar dar entrada na revalidação e tem que fazer a prova que a gente faz. É esse o caminho porque fica algo justo. Houve muita discussão dos médicos cubanos porque supostamente não teriam formação adequada para suprir as necessidades brasileiras, mas a Medicina é uma ciência universal. Mas acho que todos os médicos estrangeiros são qualificados, mas deve ter uma prova para nivelar. Nos Estados Unidos é a mesma prova para todos. O problema do Brasil é que está fazendo um processo muito burocrático.


12

natal

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

« ELIANA LIMA »

“O bom da vida é ser feliz. Amar e ser amado. Respeitar o próximo. Sem inveja. Com saúde. Em todos os sentidos”

elianalima@tribunadonorte.com.br RS

E...

supracitadas obras, passaram por várias administrações, impedindo que se atribua o dano a um único responsável”. Concluiu que a responsabilidade pelo dano deveria “recair sobre o Estado”.

2

1

No dia 1º de maio, o prefeito Carlos Eduardo foi ao Tribunal de Contas (TCE) entregar o relatório de transição - gestão da antecessora. Na ocasião, declarou: “Saquearam Natal”. Colocou a batata quente para a Corte e o Ministério Público de Contas, para investigar “esse crime” e tomar “as devidas providências”.

JOAONETOFOTOS.COM

Ou seja A culpa caiu sobre a população contribuinte, que gastou milhões nas obras do que seria um hospital e hoje é um esqueleto.

...Aí? Aproxima-se do terceiro mês sem resposta do TCE. A coluna levantou questionamentos. O presidente Paulo Roberto Alves encaminhou para o relator, Renato Dias, que enviou para o corpo técnico avaliar, que levou à apreciação do relator, que despachou para o MP de Contas, a quem cabe o oferecer a denúncia. Ou não.

Novo... JOAONETOFOTOS.COM

1 - PORTARETRATO No gabinete da Presidência da República, o presidente em exercício Henrique Alves, ao lado do assessor especial Carlos Emerenciano, recebe o primo-ministro Garibaldi Filho

Trabalho... A análise do corpo técnico, com o relatório em anexo, chegou ao gabinete do procurador Thiago Guterres no dia 17 de maio. À coluna, ele disse que ainda não tem posição, nem previsão. Das 130 páginas do relatório, dividido por secretarias municipais, a análise dos técnicos se restringiu a duas páginas, sem abranger sobre irreguaridades e com sugestões superficiais de inspeção.

JOAONETOFOTOS.COM

2 – BELAS... Ana Leila Santos

...Perfil 3 – ...EM...

Professores reclamam também de desrespeito e arrogância de alguns alunos. Uns chegam a insistir que têm o “direito” de entregar o mesmo trabalho duas vezes para duas notas. Um, inclusive, colocou o dedo em riste para o rosto de uma professora que é procuradora aposentada. Ou seja: não respeita nem idade.

Camila Lima

4 - ...CLIMA...

3

Fausta Cardoso

5- ...JUNINO Fran Morais

...Complicado Ou seja: deixou a cargo do MP de Contas a responsabilidade de aprofundamento das questões levantadas no relatório. Como são informações genéricas, o procurador terá que se debruçar minuciosamente sobre os indícios apontados para definir o escopo de inspeção, agilidade na correção e os que podem ser resolvidos sem a fiscalização do TCE.

Lupas Dos pontos mais graves, o grande número de contratos terceirizados na Educação. Mas, essa questão já vem em discussão entre o MP de Contas e a Controladoria-Geral de Natal, que já admitiu rever.

Também Obras paralisadas, de valores significativos, que causaram prejuízos ao erário e à população. Pagamentos sem empenho na Funcarte; recolhimento previdenciário feito e não repassado; R$ 2 milhões em despesas não inscritas em a pagar, nem anuladas, na Habitação. Etc e mais

Aécio Neves (PSDB). Com a alta pelo desempenho na presidência da Câmara Federal, o deputado Henrique Alves seria o nome que a legenda tentaria indicar para vice.

concluída e entregue ao Governo do Estado, assim, agora parte integrante do patrimônio estadual. Ou seja: a jurisprudência passou para o MPE, responsável por questões ao mau uso.

...Políticas

Espaço

Ebulição

De um integrante do alto clero em Brasília, a coluna ouviu: “Se for Dilma a nossa candidata, o vice será Temer. Se decidirmos por Aécio, vamos tentar convencer Henrique”.

O MPE informou que está em andamento na Promotoria do Patrimônio Público um Inquérito Civil para “apurar suposta negligência na manutenção”. Instada, a SIN, em março de 2011, comunicou que disponibilizava de um projeto elaborado pelo DIEESE, mas impedido de execução devido a problemas estruturais no prédio. Agora, aguarda outras informações requisitadas à Sethas.

O litoral norte foi o paraíso escolhido para o casal misterioso se entregar ao amor, já que no Dia dos Namorados estavam com os respectivos oficiais. Viiixeee...

Vai? E o Presépio de Natal, projeto de Oscar Niemeyer, continua abandonado e entregue à depredação. Da Secretária de Infraestrutura (SIN), informação de que o projeto de restauração foi concluído e “deverá custar em torno de R$ 1 milhão”. Obra com início previsto para o segundo semestre. Concluída, será entregue à administração da Fundação José Augusto.

Em tempo Só não informou o paradeiro do grande painel que o artista plástico Dorian Gray fez exclusivamente para o Presépio.

Cadê? O relatório aponta o desaparecimento de obras de arte do Gabinete do Prefeito, na gestão passada.

Nuvens... Nos escinhos do PMDB, fala-se baixinho que se a queda da presidente Dilma continuar, o candidato do partido pode ser

Professores do curso de Direito da UFRN identificaram plágio em trabalhos de seus alunos. Uma detectou plágio em mais de 80% dos trabalhos que corrigiu. Também, autoplágio: o estudante apresentou dois trabalhos praticamente iguais. Teve até plágio praticado por docentes que são alunos. Inslusive cópia de trabalho do mestre. O problema foi levado à Coordenação, que informou ser um problema recorrente.

Responsabilidades Como foram utilizados recursos federais e estaduais na obra, a coluna provocou os ministérios públicos Federal e Estadual. O MPF informou que instaurou Inquérito Civil Público e, nas investigações, constatou que, apesar dos recursos federais na construção, a obra foi

Declaração “É de temer pelo futuro do mundo jurídico potiguar”, declarou um jurista à coluna.

4 JOAONETOFOTOS.COM

« COLMEIA » Domingo com grito de felicidade para Marcolero Emerenciano, Ronaldo Melo, Margô Melo Santos, Magdalena Montenegro, Rodrigo Dowsley, jornalista João Ferreira.

à

Ensejo Aproveitando, a coluna perguntou ao MPF sobre as obras abandonadas do Hospital Terciário de Natal, há coisa de 20 anos, onde foram enterrados cerca de R$ 25 milhões. Informou que abriu procedimento em 2003, mas arquivado em 2011 pelo fato do Tribunal de Contas da União (acórdão 1816/2008) reconhecer a impossibilidade de responsabilizar os gestores que estiveram à frente da pasta envolvida com a obra.

Nesta segunda, o coro de parabéns vai para David Leite, Mariana Barbalho Azevedo (Miami), Flávio Milfont, Armando Fagundes Neto, Sueli Chalita, Ana Selma Galvão.

à

Até o dia 22 tem venda promocional para as partidas da Taça Ecohouse, com pacote para os jogos envolvendo ABC, América, Alecrim e Náutico-PE.

à

Motivo? O TCU entendeu que “durante essa paralisação, período em que se verificou o descaso com o bem público, tanto o Estado do RN quanto a Secretaria de Saúde Pública, entes envolvidos nas

A Comissão da Verdade da UFRN promove nesta segunda 17 o seu primeiro evento, sob o tema ‘Verdades Cruzadas’, com apresentação do panorama dos trabalhos das Comissões da Verdade da UFRN, OAB-RN e Comitês da Verdade dos estados do RN e CE. A partir das 9h, no auditório da Biblioteca Central Zila Mamede.

à

5


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

natal

13

« GEORGE AZEVEDO » georgeazevedo@digizap.com.br

A FESTA É DE TODOS, É SUA, É MINHA, É DE QUEM CHEGAR!!!

É assim o Mossoró Cidade Junina: uma festa de todos!!! E o pontapé inicial foi dado no dia 8 de junho com a quinta edição do Pingo da Mei-Dia, que arrastou cerca de 75 mil pessoas para as dependências do Corredor Cultural da Av.Rio Branco. Todos curtindo grandes atrações, como Cavaleiros do Forró, André Luvi, Forró do Muídio, Giannini & Thábata e Forró dos 3 que ficaram divididos entre três trios elétricos. Um verdadeiro carnaval!!! Agora, a festança acontece com shows na Estação das Artes, onde já passaram Waldonys, Dorgival Dantas, Aviões do Forró, Forró da Curtição e Bonde do Brasil, e também na Cidadela, Memorial da Resistência, espetáculo Chuva de Bala... É uma programação bem diversificada que você pode conferir e curtir até o dia 30 deste mês. Se joooga!!!

Laura Amorim. E viva Maria Bonita!!!

A modelo Jyokonda Rocha. Arrasando!!!

Jonas Filho e sua musa Roberta Rosado

As badaladíssimas Bratz, sempre fechosas

Aglari Abreu e a filha Nicole

Jonas Queiroz e Helô Fernandes, momentos antes de oficializar união em pleno Pingo da Mei-Dia

A prefeita Cláudia Regina entrou no clima

Bianca Freitas, já se preparando para o Miss Mossoró 2013

Dayvid Almeida chegou e abalou no look Complexo B para Maison Tráfego

Marcos Garcia e Fátima Santos: festeiros de carteirinha

Graça Santos num abraço com Fafá Rosado

O humorista Zé Maria Dantas, todo fechoso

O vereador Francisco José Jr, circulando com Amélia Ciarlini

Georgiano Azevedo fazendo a festa no trio elétrico com Ju Paiva, Kaliane e Diana Hellen

André Luvi é o chefe!!!

A apresentadora Aline Linhares, bem empolgada

A colunista Tica Soares reúne queridos, hoje, em Caraúbas para brindar idade nova. Ela é a Tal!!!

O Grupo das Mulheres com Deficiência Física de Mossoró e região entraram na avenida

Olhe a fechação!!! Denyse Barreto, Mathws Aires e Chicão

As deputadas Sandra e Larissa Rosado resolveram ir no meio do povão


14

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

natal DIVULGAÇÃO

NELSON MATTOS FILHO Velejador-avoante1@gmail.com

A

praia de Armação de Búzios é encantadora e apesar de já estar super explorada turisticamente ainda tem muito a oferecer a seus visitantes. Ficamos um pouco mais de trinta horas com o veleiro Naumi ancorado naquelas águas frias e apetitosas, mas deu para sentir a força e a pujança com que a natureza abençoou aquelas paisagens. Chegamos até lá atendendo aos alertas de mal tempo e mar de ressaca enviados pela Rio Rádio para o litoral carioca, mas mesmo sem dar muito crédito no que dizia a moça do rádio, resolvemos, felizmente, adentrar e esperar. Chegar até a ancoragem é muito fácil, navegando em uma Barra larga e profunda. O difícil é não perder a atenção com tanta beleza em volta. Ancoramos em frente ao Iate Clube Armação de Búzios, que se vangloria de ter em seu quadro de sócios apenas velejadores. O Clube é bem estruturado, com restaurante, salão de eventos, barzinho, um pequeno hotel de uso dos sócios e uma varanda que permite apreciar o pôr do sol em ângulos privilegiados. A cidade é totalmente turística e com predominância de turistas argentinos. Por esse estreito laço com o turismo os preços até que assustam um pouco num primeiro momento, mas caminhando pelas ruas podemos no-

ENTRE BÚZIOS E RIO DE JANEIRO tar que nem tudo é o que parece. Almoçamos em um pequeno restaurante ao lado da Igreja Nossa Senhora de Santana, ao ar livre e olhando para uma vista fantástica, pagando preços populares e se servindo de uma comida deliciosa. Usamos todos os predicativos de turistas e saímos à caça de souvenir para registrar a presença e nem por isso nos sentimos surrupiados pelos preços. Caminhamos muito, conhecemos um bocado e voltamos para o barco

com a esperança que o tempo realmente desse a virada que o rádio anunciava, apenas para podermos ficar mais um pouco naquele paraíso carioca, que um dia encantou a atriz francesa Brigitte Bardot, que inclusive tem estátua cravada no calçadão. O tempo não virou, até deu uma ligeira melhorada no vento, e assim levantamos âncora para prosseguir com a nossa viagem, mas com a promessa de um dia retornar aquele lugar para uma boa temporada.

Não estávamos pondo em dúvidas o que diziam os sites meteorológicos, até porque, a natureza vinha dando, desde nossa saída de Vitória/ES, sinais que vinha coisa pela frente. Mas até aquele momento tudo eram apenas ameaças e alertas. Navegando com as velas em cima seguimos direto para o Rio de Janeiro, mas ainda tínhamos pela frente outro pondo de convergência de correntes e ventos, que é o famoso Focinho do Cabo, lá em Cabo Frio. Lugar que pe-

los cálculos de navegação passaríamos a noite. Dito e feito! Com a Lua no céu, a iluminar o paredão rochoso que avança no mar e faz uma saliente esquina, vimos o Naumi perder velocidade e ser chacoalhado pelo banzeiro da briga entre as correntes marítimas e ventos indecisos. Um pequeno Farol era um sentinela solitário do nosso avanço devagar quase parando. O balanço era tanto que para compensar a pouca velocidade que nos amedrontava diante daque-

le paredão escuro, liguei o motor e para surpresa ele parou em menos de dez minutos. Até hoje não entendemos direito o que danado aconteceu com o motor, pois depois de uma hora tocamos na chave e o bicho funcionou perfeitamente. A melhor explicação que tivemos foi que o balanço desencontrado agitou o diesel e alguma partícula de sujeira do reservatório foi sugada pela bomba injetora. Ao cruzar o Focinho do Cabo tivemos uma boa lição para não sair por ai duvidando dos satélites meteorológicos. Uma chuva forte e fria castigou a nossa madrugada no mar e depois de ficar totalmente encharcado, e tremendo que nem vara verde, joguei a toalha e pedi para ser rendido no meu turno de comando. Pense num frio! As quatro da manhã, depois de sonhar com uma cama quentinha dentro de um forno, assumi novamente o comando e fui presenteado com um lindo nascer do Sol. O mar tem dessas coisas! O dia amanheceu sem vento e com um mar liso parecendo um tapete. O Rio de Janeiro estava a pouco mais de 30 milhas a nossa frente e já contávamos as horas e as milhas para chegar. O tempo tinha cara de bom, mas alguma coisa no ar não estava batendo. Cruzamos com as Ilhas Maricás e nosso coração começava a acelerar. Em poucas milhas cruzaríamos pela primeira vez a entrada da Barra da Baía de Guanabara.


Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 16 de junho de 2013

Novo código vai atualizar legislação e relações comerciais

O que muda e o que não terá alterações com o novo código

Entrevista com Fábio Ulhôa, idealizador do novo código comercial

NOVOO

CÓDRIG CIAL COME

Empresários defendem proposta modernizadora Durante debate promovido pela Fecomércio sobre o Novo Código Comercial, empresários locais cobraram pressa na votação pela Câmara dos Deputados


2

Natal • Rio Grande do Norte Domingo • 16 de junho de 2013

Código Comercial em pauta

ENTREVISTA: MARCELO QUEIROZ Presidente do Sistema Fecomércio-RN

“O projeto vem para beneficiar a cadeia produtiva” Como o senhor vê a proposta de lei do novo Código Comercial Brasileiro?

O

Sistema Fecomércio promoveu, na última segunda-feira (10), no Hotel Praiamar Natal, a primeira edição do ano do projeto Brasil Em Foco, realizado em parceria com a Confederação Nacional do Comércio (CNC). O tema foi o novo Código Comercial Brasileiro, que atualmente se encontra em discussão na Câmara dos Deputados, como Projeto de Lei 1572/11. Para discutir a matéria, foram convidadas duas autoridades no assunto: o deputado federal Laércio Oliveira (PR-SE), vice-presidente da Comissão Especial que estuda o projeto na Câmara dos Deputados e vice-presidente da CNC, e o professor doutor Fábio Ulhôa Coelho, autor intelectual do novo Código e presidente da Comissão Especial de Juristas que analisa tecnicamente o projeto da nova lei. No evento, o novo Código Comercial foi apresentado em detalhes para empresários, juristas e representantes sindicais, que puderam tirar dúvidas, opinar e sugerir sobre diversos aspectos do projeto. Entre outros pontos, a proposta prevê uma revisão sobre as regras para comércio online, geração de títulos eletrônicos e formação de sociedade anônima ou limitada. Uma das principais vantagens do novo Código destacada pelo professor Ulhôa foi a simplificação das regras para as sociedades limitadas, modelo de negócios que atualmente corresponde à 95%

A proposta do novo Código Comercial é de suma importância, tanto para empresários quanto para a sociedade de uma forma geral. Obviamente, não podemos esperar que a nova lei resolva todos os problemas, uma vez que não reduz obrigações ou corrige injustiças tributárias, mas não resta dúvida de que, da forma como vem sendo formulado, o projeto vem para beneficiar todos os elos da cadeia produtiva nacional. Qual o aspecto mais positivo da proposta do novo Código?

Debate atraiu bom público formado por empresários e lideranças do comércio potiguar

Sistema Fecomércio e CNC promovem debate sobre Projeto de Lei que pode mudar o direito comercial brasileiro das empresas brasileiras. “Hoje em dia, a manutenção de uma sociedade limitada é muito custosa para o empresário e requer muita burocracia”, explicou Ulhôa. “Com o novo

Código Comercial, esse processo passa a ser mais simples e informal, reduzindo os gastos do empresário e permitindo que ele ofereça um produto ou serviço a um preço mais atraente”.

Além de Natal, o professor Ulhôa e o deputado Láercio Oliveira já visitaram outras sete capitais brasileiras, divulgando o projeto do novo Código Comercial Brasileiro e promovendo o debate em torno da questão com empresários, advogados e representantes de sociedades comerciais. “Queremos ter uma ideia do Brasil de hoje, ouvindo as necessidades e dúvidas dos empresários, advogados, sindicalistas e estudantes”, destacou o deputado Laércio Oliveira.

O foco principal do projeto é regularizar as relações comerciais no país e garantir o princípio da livre iniciativa. Penso que, quando for aprovado, a lei resultará em um novo marco regulatório que vai modernizar as relações comerciais no Brasil. Qual a importância de incluir a classe empresarial no debate?

Essa tem sido a proposta do projeto Brasil Em Foco, que a Fecomércio realiza em parceria com a Confederação Nacional do Comércio (CNC). O principal objetivo é discutir temas relevantes para o setor do comércio, do turismo e da indústria, aproximando a classe empresarial da discussão para que eles possam se informar e tirarem dúvidas, opinarem ou, eventualmente, questionarem o projeto da lei.


3

Natal • Rio Grande do Norte Domingo • 16 de junho de 2013

ENTREVISTA: FÁBIO ULHÔA COELHO

“O novo Código Comercial vai deixar a legislação mais moderna e dinâmica” O professor doutor Fábio Ulhôa Coelho é considerado o autor intelectual do projeto do novo Código Comercial Brasileiro. Advogado experiente na área de direito comercial, Ulhôa preside a Comissão Especial de juristas que discute o projeto na Câmara dos Deputados. Na entrevista a seguir, ele fala sobre os benefícios que o novo Código pode trazer para a população e explica como o tema está sendo discutido nos meios acadêmico e empresarial. Por que se faz necessária a elaboração de um novo Código Comercial Brasileiro?

As transformações que a economia brasileira passou na última década foram muito significativas. Na situação atual, a parte do Código Civil que trata da legislação comercial está ultrapassada. O mesmo vale para outras leis esparsas, como a Lei da Duplicata, por exemplo. É uma lei de 1968, época em que ainda não se conhecia a internet e todos os documentos eram impressos. Hoje, toda a documentação da empresa é feita por via eletrônica. O novo Código Comercial vai deixar a legislação mais moderna e dinâmica. Que benefícios o novo Código Comercial vai trazer para os empresários e para a população em geral?

Em primeiro lugar, o novo Código Comercial vai trazer maior segurança jurídica para os empresários. A situação atual, em que as leis estão espalhadas sem siste-

maticidade alguma, cria uma insegurança jurídica para o empresário, que é obrigado a aumentar o preço dos produtos e dos serviços que oferece ao mercado para se resguardar de eventuais prejuízos. Com a nova legislação, o consumidor não vai mais precisar pagar por isso. Outra consequência positiva é a modernização da legislação brasileira, tornando-a mais atraente para os investidores internacionais. Como o projeto está sendo discutido no ambiente acadêmico? Existem pontos polêmicos?

Existem algumas polêmicas, sim. Há quem defenda que um novo Código Comercial não é necessário, que as leis esparsas são suficientes. Já outros, argumentam que uma modernização do próprio Código Civil resolveria. Porém, nos últimos tempos, tenho sentido que a resistência ao projeto vem diminuindo. Conseguimos construir um debate de bom nível e com contribuições expressivas da comunidade acadêmica.

Acredito que o empresário vê nessa discussão a oportunidade de resolver se não todas, pelo menos algumas das dificuldades que ele enfrenta atualmente”

Acredito que estamos próximos de chegar a um consenso em torno do novo Código Comercial.

mara dos Deputados para analisar o projeto do Código Comercial.Como tem sido o trabalho do grupo?

O senhor preside a Comissão Especial de juristas criada pela Câ-

O trabalho da Comissão Especial é avaliar cada uma das emen-

das encartadas ao projeto original do Código Comercial. Fazemos uma avaliação técnica, do ponto de vista legal, discutindo todos os aspectos da emenda: se é pertinente, se pode ser melhorada, etc. O senhor tem visitado algumas capitais brasileiras,realizando palestras sobre o novo Código Comercial.Como tem sido a resposta da classe empresarial?

Muito positiva. Nunca senti, em nenhum setor empresarial, qualquer resistência ao projeto do código. Pelo contrário: tenho recebido sugestões, dúvidas e opiniões muito pertinentes. Acredito que o empresário vê nessa discussão a oportunidade de resolver se não todas, pelo menos algumas das dificuldades que ele enfrenta atualmente.


4

Natal • Rio Grande do Norte Domingo • 16 de junho de 2013

Novo Código atualiza relações comerciais Deputado Laércio Oliveira classifica legislação atual como atrasada e prejudicial ao setor

O

deputado Laércio Oliveira (PR-SE) é um dos principais defensores da proposta do novo Código Comercial Brasileiro na Câmara dos Deputados. Vice-presidente da Comissão Especial que analisa o Projeto de Lei 1572/11 e vice-pres-

idente da Confederação Nacional do Comércio (CNC), o deputado vem discutindo a matéria com seus colegas parlamentares e com lideranças empresariais de todo o país. Na opinião dele, que também é empresário, o novo Código Comercial vai tra-

zer uma série de inovações para as relações comerciais no Brasil, inclusive incorporando novas situações que ainda não existiam quando as primeiras leis foram criadas. “A lei atual é confusa e desatualizada. O Código Civil serviu

apenas para complicar ainda mais essas relações comerciais”, observa o deputado. “Na legislação vigente não existe nada referente ao trabalho logístico, por exemplo, e a disciplina para o comércio eletrônico ainda é muito deficiente. O objetivo do novo Código Comercial é reorganizar tudo isso, deixando a lei mais transparente e simples”. No campo das inovações, um dos pontos que tem recebido maior atenção por parte da Comissão Especial da Câmara é a parte que disciplina o comércio marítimo. A legislação que vigora atualmente no Brasil ainda é reminiscente do primeiro código comercial, publicado em 1850. Laércio Oliveira explica que toda as leis e regras sobre essa questão serão revistas e reformuladas quase em sua totalidade. “Já existe uma emenda no projeto de lei do código que trata es-

pecificamente do comércio marítimo. Penso que é o ponto mais inovador da proposta, por promover uma renovação completa nessa questão”, destaca. Apesar da discussão aprofundada, o deputado acredita que ainda vai demorar um pouco para o projeto ser votado. A expectativa do parlamentar é que a matéria esteja pronta para ser levada ao Plenário da Câmara dos Deputados até o final do próximo ano. “A Comissão Especial está trabalhando intensamente. São cinco relatorias setoriais se debruçando sobre a matéria, analisando cada aspecto e cada emenda”, explica Laércio Oliveira. “A resposta tem sido muito positiva dentro da Câmara. Pela maneira como a discussão está fluindo, acredito que temos condições de apresentar o projeto com segurança no ano que vem”.

Dep. L


5

Natal • Rio Grande do Norte Domingo • 16 de junho de 2013

A lei atual é confusa e desatualizada. O Código Civil serviu apenas para complicar ainda mais essas relações comerciais” LAÉRCIO OLIVEIRA Deputado (PR-SE)

Dep. Laércio Oliveira (PR/SE) é um dos defensores do novo código

Projeto de Lei ainda está em análise O Projeto de Lei 1572/11, que regulamenta o novo Código Comercial Brasileiro, é de autoria do deputado Vicente Cândido (PT-SP), que apresentou a matéria na Câmara dos Deputados, em junho de 2011. Desde então, o projeto já tramitou pelas Comissões de Ciência, Tecnologia, Comunicação e Informática; de Viação e Transportes; de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio; de Finanças e Tributação; e de Justiça e Cidadania. Para apreciar a matéria com mais profundidade, foi criada, em março do ano passado, uma Comissão Especial, presidida pelo deputado Artur Maria (PMDB-BA), tendo o deputado Paes Landim (PTB-PB) como relator. Desde então, a Comissão vem realizando audiências públicas na Câmara e seminários em parceria com a federações do Comércio e da Indústria de todas as regiões do país. Inicialmente, o prazo inicial para a emissão do parecer da Comissão era de 20 sessões ordinárias ou dois meses e meio. No entanto, esse prazo foi estendido por outros dois meses, a contar do início de junho . Paralelamente, uma Comissão Especial de Juristas, presidida pelo pelo professor doutor em direito comercial Fábio Ulhôa Coelho, também se debruça sobre o novo Código Comercial, analisando as emendas encartadas no projeto original. A votação do projeto em plenário depende do parecer dessas duas comissões e só deve ocorrer no próximo ano.


6

Natal • Rio Grande do Norte Domingo • 16 de junho de 2013

Objetivo é sistematizar e unificar leis existentes Proposta do novo código traz mudanças e mantém compromissos legais

A

presentado pelo deputado federal Vicente Cândido (PT-SP), o Projeto de Lei 1572/11 que institui o novo Código Comercial Brasileiro, tem como objetivo sistematizar e unificar as diversas legislações existentes sobre as relações entre as pessoas jurídicas. Ao todo, o texto conta com 670 artigos, divididos em cinco livros. A primeira seção faz um panorama geral sobre os deveres e responsabilidades da empresa. A segunda, trata das sociedades empresariais. Já a terceira parte, regula as obrigações dos empresários. A quarta aborda a crise da empresa, enquanto a quinta trata das disposições transitórias. Em linhas gerais, o documento prevê uma revisão nas regras atuais para denominação empresarial, de títulos eletrônicos e comércio na internet. Atualmente, boa parte do direito empresarial brasileiro é disciplinado pelo Código Civil, que trata também de questões privadas envolvendo pessoas físicas. Outras questões relacionadas às empresas são reguladas por leis específicas – como a das Sociedades Anônimas (6.404/76), a de Falências (11.101/05) e a dos Títulos de Crédito (6.840/80) e a Lei de Duplicatas (5.474/68). Dessas, apenas a última seria revogada com a nova proposta. O projeto do novo Código Comercial Brasileiro está em análise em duas comissões especiais da Câmara dos Deputados: uma formada por parlamentares e outra, por juristas. A expectativa é que o projeto seja colocado para votação até o final do próximo ano. Confira no gráfico o que continua igual e o que podem mudar para as empresas e empresários brasileiros caso o novo Código Comercial seja aprovado.

O que muda e o que fica igual com o Novo Código Comercial Brasileiro NÃO TERÃO ALTERAÇÕES:

1

Obrigações legais em relação ao consumidor

2

Obrigações legais em relação aos trabalhadores da empresa

3

Responsabilidades legais em relação ao meio ambiente

4

Responsabilidades fiscais, de qualquer natureza, das empresas e de seus sócios

5

Responsabilidades legais por abuso de poder econômico ou infração contra a ordem econômica

TERÃO ALTERAÇÕES: Documentação empresarial Como é: Pode ser gerada em formato eletrônico, desde que exista uma duplicata impressa.

Como fica: Poderá ser elaborada diretamente em formato eletrônico, dispensando o uso do papel.

Criação de sociedades limitadas Como é: Tem caráter formal e exige uma série de dispositivos burocráticos, que geram despesas para o empresário.

Comércio eletrônico entre empresas

Direito cambiário

Como é: Atualmente, não existe lei que regulamente esse tipo de transação.

Como é: Títulos como Letra de Câmbio e Nota Promissória são previstos pela Convenção de Genebra, assinada pelo Brasil em 1930, mas nunca foram introduzidos diretamente no direito comercial brasileiro.

Como fica: Novo Código Comercial traz normas específicas sobre o assunto.

Registro empresarial Como é: Para garantir proteção nacional da empresa, é necessário requerer um registro na junta comercial de cada Estado brasileiro.

Como fica: Será instituído um registro empresarial único, que terá validade em todo território nacional.

Como fica: Nova regra vai torná-la informal, sem processos burocráticos, reduzindo os custos de manutenção da empresa.

Como fica: Incorpora regras previstas na Convenção de Genebra e determina seu cumprimento.


7

Natal • Rio Grande do Norte Domingo • 16 de junho de 2013

Diálogo aberto Empresários do RN ressaltam importância e participam do debate sobre o novo Código Comercial Brasileiro promovido pela Fecomércio

O

setor produtivo potiguar está acompanhando de perto a discussão em torno do novo Código Comercial Brasileiro. O debate promovido pela Fecomércio contou com a presença de empresários e representantes de associações comerciais e que participaram ativamente colocando suas dúvidas, sugestões e opiniões sobre o Projeto de Lei 1572/11. A expectativa dos empreendedores é que, caso seja aprovado, o projeto traga mais celeridade ao processo de criação e administração de empresas, oferecendo segurança jurídica para novos investimentos e reduzindo os custos de manutenção das empresas. Independente do setor em que atuam, todos partilham da mesma opinião: é importante que a classe empresarial participe ativamente do debate, cobrando soluções práticas da classe política. O empresário Manoel Etelvino, diretor da cadeia de supermercados Nordestão, acredita que o momento é oportuno para discutir o novo Código Comercial. Experiente, Etelvino conhece bem as dificuldades de administrar uma empresa e acompanhou de perto as nuances da economia brasileira ao longo dos últimos trinta anos. “O projeto é muito positivo e a discussão vem em uma boa hora para a nossa economia”, analisou. “Os empresários de todo o Brasil precisam se unir em torno dessa questão, sugerindo e opinando, para podermos chegar a uma solução que seja satisfatória para todos”. O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Peças e Acessórios para Veículos do RN (Sincopeças-RN) e da Associação Comercial e Empresarial do RN (ACRN), Itamar Maciel Manso Júnior, considera a proposta do novo Código “perfeita”. Para ele, tão

Empresário Manoel Etelvino, da rede de supermercados Nordestão, elogiou debate e proposta do novo código comercial

Trata-se de uma oportunidade histórica para a classe empresarial. Precisamos aproveitar a chance de discutir democraticamente uma legislação que vai beneficiar não apenas o setor produtivo, mas toda a sociedade” ITAMAR MACIEL MANSO JÚNIOR Presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Peças e Acessórios para Veículos do RN

importante quanto o projeto é a oportunidade dada aos empresários de participar do processo de construção da nova lei. “Trata-se de uma oportunidade

histórica para a classe empresarial. Precisamos aproveitar a chance de discutir democraticamente uma legislação que vai beneficiar não apenas o setor produtivo, mas to-

da a sociedade”, destacou. O empresário também elogiou a iniciativa da Fecomércio de aproximar o debate da classe empresarial. “É uma excelente iniciativa porque proporciona a livre troca de ideias e opiniões, o que só vêm enriquecer ainda mais o processo”, disse. Diálogo Para o diretor do Sindicato das Empresas de Segurança Privada do Rio Grande do Norte (Sindesp-RN), Rossini Braulino, o debate em torno do novo Código Comercial precisa ser contínuo e levado para associações comerciais, sindicatos e assembleias. “É um momento de suma importância para empresários de todos os setores, de pequeno ou grande porte”, afirma Braulino. “É preciso aprofundar a discussão, informando o maior número possível de empre-

sários e conclamar todos a cobrar o que é de direito, inclusive participando do diálogo com a classe política, sugerindo, opinando e criticando”. O presidente do Sindicato de Empresas de Asseio e Conservação do RN (Seac-RN), Edmilson Pereira, afirma que classe empresarial precisa se reunir para cobrar resultados práticos. Além do novo Código Comercial, o empresário também ressaltou a importância da classe cobrar a aprovação de outros projetos, como o Projeto de Lei 200/2012, que acaba com a contribuição adicional por parte do empregador de 10% sobre o valor devido de Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), em caso de demissão sem justa causa. “Projetos como esses, que estão entrando em pauta agora, precisam ser acompanhados com toda atenção”, afirmou.


8

Natal • Rio Grande do Norte Domingo • 16 de junho de 2013

História antiga Primeiro Código Comercial do Brasil foi criado em 1850 e ainda se encontra parcialmente em vigor

A

discussão em torno da legislação comercial no Brasil é antiga e remonta ao tempo do Império. Desde o início do século XIX, juristas e empreendedores discutem novas maneiras de regulamentar as atividades co-

merciais, procurando facilitar a vida tanto dos empresários quanto dos consumidores dos serviços e produtos. A criação do primeiro Código Comercial Brasileiro foi motivada pela vinda da família real por-

tuguesa ao Brasil, em 1808. Com a abertura dos portos para as nações amigas no mesmo ano, surgiu a necessidade de elaborar uma legislação para as transações comerciais feitas por terra e mar no território brasileiro, que

até então não dispunha de nenhuma lei sobre o assunto. No entanto, o Código Comercial ficou em discussão no Congresso Nacional por quase cinquenta anos, até ser finalmente outorgado pelo imperador Dom Pe-

dro II, através da Lei 556 de 1850. O texto original foi elaborado por uma comissão de juristas e comerciantes, entre eles o Visconde de Mauá, um dos grandes empreendedores brasileiros do século XIX. O Código Comercial original se dividia em duas partes. A primeira dispunha sobre o direito comercial terrestre. A segunda, sobre o direito comercial marítimo. O código de 1850 continuou em vigor até 2002, quando a primeira parte foi incorporada ao Código Civil e fragmentada em leis suplementares, como a lei das Sociedades Anônimas (6.404/76), a de Falências (11.101/05) e a dos Títulos de Créditos (6.840/80). Do documento original de 1850, apenas a legislação relativa ao direito comercial marítimo continua em vigor.

Abertura dos portos brasileiros ao comércio exterior, em 1808, foi marco inicial da modernização e exigiu nova legislação

Mudanças repercutem em outras áreas O projeto do novo Código Comercial também tem atraído o interesse de juristas de outras áreas além do direito comercial. Para o advogado Edson Faustino, presidente da Comissão de Turismo

da secção estadual da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-RN) e um dos proponentes da Lei Estadual do Turismo, o ordenamento da legislação proposta pelo Projeto de Lei 1572/11 pode a-

trair novos investidores para o Rio Grande do Norte e ajudar a reverter o mau momento que o setor atravessa. “Atualmente, vivemos um período de estagnação no setor turístico. Acredito que isso pode começar a mudar com a segurança jurídica e as vantagens que o novo Código Comercial vai trazer”, analisou. Faustino também adiantou que

pretende incluir o novo Código Comercial na discussão sobre a Lei Estadual de Turismo. “São ideias complementares que podem e devem ser discutidas juntas”, ressaltou. “O debate em torno do novo Código Comercial veio em boa hora. É um instrumento necessário para que possamos discutir não apenas o comércio, mas também várias questões que permeiam a sociedade”, destacou.

O debate em torno do novo Código Comercial veio em boa hora. É um instrumento necessário para que possamos discutir não apenas o comércio, mas também várias questões que permeiam a sociedade” EDSON FAUSTINO Presidente da Comissão de Turismo da secção estadual da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-RN)


esportes Editor: Itamar Ciríaco- itamar@tribunadonorte.com.br

Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 16 de junho de 2013

Iguais apenas

WAGNER MEIER/AGIF/ESTADÃO CONTEÚDO

FICHA TÉCNICA

as cores

MÉXICO ITÁLIA Corona,Meza, Javier Rodríguez, Moreno, Jorge Torres Nilo e Salcido; Zavala,Aquino e Guardado; Giovani dos Santos e Chicharito Hernández Técnico: José Manuel de la Torre

« COPA DAS CONFEDERAÇÕES » O verde, vermelho e

Estádio: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ) Horário: 16h Árbitro: Enrique Osses (Chile)

branco são as únicas semelhanças entre Itália e México, que vivem momentos opostos no futebol

R

io de Janeiro (RJ) - Gazeta Press - Itália e México se enfrentam às 16h, no Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ), no complemento da primeira rodada do Grupo A da Copa das Confederações, aberta no sábado com o duelo entre Brasil e México. O Maracanã vai presenciar hoje o encontro entre duas seleções que atravessam momentos distintos. A Itália vem ganhando confiança com a boa campanha nas Eliminatórias européias para a Copa do Mundo de 2014, que será disputada no Brasil. O time italiano lidera seu grupo com grandes chances de Classificação. Já o México vem penando nas Eliminatórias da Concacaf, colocando em risco sua presença em 2014. O técnico José

Manuel de la Torre está, inclusive, ameaçado de demissão. Apesar das realidades distintas as duas seleções se respeitam bastante. “Não devemos nunca menosprezar a força de uma Itália, que mais uma vez está na lista das favoritos. O México, porém, tem suas virtudes e pode ganhar”, comentou De La Torre. Na Itália também é grande o respeito pelo time mexicano. “O México não é mais uma força emergente e sim uma realidade. É forte nas categorias de base e hoje colhe esses frutos desse eficiente trabalho. Temos que ter cuidado para não sermos surpreendidos, pois eles têm condições para isso”, disse Andrea Pirlo, experiente meia da Azzurra. O técnico Cesare Prandelli vai abrir mão do esquema 4-4-2

e optar pela entrada de mais um meia, com Giaccherini e Aquilani disputando posição. Assim, Balotelli atuará de forma isolada no ataque. “A motivação será diferente, porque começará uma nova competição e jogaremos em um estádio com história. Isso é o importante para não cometermos os mesmos erros que tivemos contra o Haiti”, comentou o meio-campista Marchisio. Já o México tem preocupações bem maiores do que o simples empate em um amistoso. Apesar de estarem ainda na zona de classificação para a Copa do Mundo nas Eliminatórias, os mexicanos têm um jogo a mais do que concorrentes diretos e pode se complicar. Porém, um dos destaques da equipe, Chicharito Hernández pediu para que a seleção pare de se lamen-

Buffon, Abate, Barzagli, Chiellini e Mattia de Sciglio; De Rossi, Pirlo, Marchisio, Montolivo e Giaccherini (Aquilani); Balotelli Técnico: Cesare Prandelli

Experiente, o goleiro Buffon aposta na tradição dos italianos

tar pela situação complicada nas Eliminatórias para poder se concentrar na busca pelo título na Copa das Confederações. “As pessoas podem concordar ou não, mas eu sempre digo que, se continuarmos lamentando e sofrendo por aquilo que deixamos de fazer, não vamos chegar a lugar algum. Temos de deixar para tras os maus momentos, tentando aprender e vendo o lado positivo”, afirmou. José Manuel de la Torre acena com a repetição da escalação que vem sendo utilizada nas Eliminatórias da Concacaf. Além do Brasil, o México é o único participante desta Copa das Confederações que já venceu o torneio, em 1999, quando foi anfitrião e derrotou justamente os brasileiros.


2

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

esportes

teste de favoritismo

DIVULGAÇÃO

A Copa das Confederações é um torneio de alto nível, tanto que jamais conseguimos ganhar” VICENTE DEL BOSQUE Técnico da Espanha

A Espanha chegou para a Copa das Confederações como a grande favorita. Hoje, às 19h, contra o Uruguai, no clássico, encara seu primeiro obstáculo

R

ecife (PE) - Gazeta Press - O clássico entre Espanha e Uruguai, dois campeões mundiais, é uma das principais atrações da primeira rodada da Copa das Confederações. As duas equipes se enfrentam hoje, às 19h, na Arena Pernambuco, em Recife (PE), na abertura do Grupo B. A Fúria chega para o torneio como uma das principais favoritas, por conta de ser a atual bicampeã européia e campeã mundial. Agora, busca no Brasil o único título importante que falta a esta geração. Já a Celeste tenta mostrar que a irregular campanha nas Eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo de 2014 é apenas um acidente. Os uruguaios ganharam fôlego extra com o triunfo por 1 a 0 sobre a Venezuela no meio de semana. Vicente del Bosque, técnico da Espanha, considera fundamental um triunfo na estreia para que o seu time não se sinta pressionado na sequência da competição. A chave conta ainda com Taiti e Nigéria, que se enfrentam amanhã. “Nós sabemos que a Copa das Confederações é um torneio de alto nível, tanto que jamais conseguimos ganhar. Portanto, é fundamental encarar cada partida como numa decisão, pois apenas campeões disputam a competição. Teremos uma pedreira na estreia, um dos favo-

FICHA TÉCNICA ESPANHA URUGUAI Victor Valdés, Jordi Alba, Piqué, Sergio Ramos e Arbeloa; Busquets, Javi Martínez, Xavi, Fábregas e Iniesta; David Silva Técnico: Vicente del Bosque

Muslera, Maxi Pereira, Lugano, Godin e Cáceres; Diego Pérez, Gargano e Cristian Rodríguez; Forlán (Gastón Ramírez), Suárez e Cavani Técnico: Oscar Tabárez

Estádio: Arena Pernambuco, em Recife (PE) Horário: 19h Árbitro: Yuichi Nishimura (Japão)

ritos ao título e isso é desgastante. Mas, por outro lado, se ganharmos teremos grandes possibilidades de nos classificarmos para a segunda etapa”, disse um humilde Del Bosque. Pelo lado do Uruguai, o discurso é de respeito ao adversário. Apesar disso, o técnico Oscar Tabárez deixa claro que a Celeste não teme o adversário. “A Espanha está fazendo história: tem vencido os torneios mais importantes, jogado uma bola de dar inveja a todos e exercido uma grande influência no futebol atual. Porém, não estamos no Brasil a passeio e queremos ganhar o título. Uma boa forma de de-

monstrar isso é fazer uma grande estreia”, disse Tabárez. Mas o treinador não esconde que um empate contra a Espanha já seria um bom resultado. “Aspiramos boas coisas para todas as partidas. No entanto, independentemente do primeiro jogo, o jogo-chave será o segundo [contra a Nigéria]. Se pudermos ganhar o segundo, daremos um grande passo para estar entre os quatro melhores”, afirma. O treinador do Uruguai ainda não definiu seu time para a estreia e faz mistério. A principal dúvida é quanto ao esquema tático, pois pode abandonar o ousado 4-3-3 e escalar Gastón Ramírez para fortalecer a marcação. Neste cenário a barração deverá ficar a cargo do atacante Diego Forlán, do Internacional. Já a Espanha não tem maiores problemas para este compromisso e vai manter a base que vem disputando as Eliminatórias, com o técnico meio-decampo que conta com peças como Xavi, Fábregas e Iniesta. Além de tantos astros, a Espanha tem a seu favor o excelente retrospecto recente e também contra o adversário deste domingo. A equipe não perde há 22 jogos, desde fevereiro de 2011. Como se não bastasse, a campeã mundial nunca foi derrotada pelo Uruguai: foram quatro vitórias e cinco derrotas.

Nós do Uruguai não estamos no Brasil a passeio e queremos ganhar o título da Copa das Confederações.” ÓSCAR TABÁREZ Técnico do Uruguai

Sabemos que é difícil mas temos que ir a campo e fazer o que se espera de nós, ou seja, jogar futebol com alegria” EDDY ETAETA Iniesta é o principal craque da entrosada equipe espanhola

Técnico do Taiti

BOBBY FABISAK/JC IMAGEM/ESTADÃO CONTEÚDO

Nigéria estreia amanhã contra o ‘alegre’ Taiti

FICHA TÉCNICA NIGÉRIA TAITI

O zagueiro Lugano, que foi estrela no São Paulo volta ao Brasil para defender a sua seleção

números

fique de olho

Belo Horizonte (MG) - Gazeta Press - A primeira rodada do Grupo B da Copa das Confederações será fechada amanhã com uma partida. A Nigéria, campeã africana, encara a zebra Taiti, vencedora da Copa da Oceania, no Mineirão, em Belo Horizonte (MG), às 16h(de Brasília). Os nigerianos são favoritos absolutos para este duelo, pois os taitianos dificilmente conseguirão marcar um gol na competição, quanto menos um ponto. Sem tradição nenhuma o Taiti surpreendeu ao ganhar a Copa da Oceania, mas sequer tem chances de disputar a próxima Copa do Mundo, pois foi eliminada no toneio seletivo de seu continente. O técnico Eddy Etaeta reconhece a diferença entre os times. “Nós sabemos que será muito difícil ven-

o local

09 Jogos foram realizados entre Espanha e Uruguai

04 Vitórias tem a seleção espanhola diante dos uruguaios CASILLAS

05 Empates foram registrados no confronto entre as seleções

Símbolo da geração mais vitoriosa da história da seleção espanhola, Iker Casillas pode amargar a reserva hoje

O estádio Arena Pernambuco construído em São Lourenço da Mata, na região metropolitana de Recife tem capacidade para 46 mil pessoas, com 4.700 vagas de estacionamento

cer a Nigéria, mas temos que ir a campo e fazer o que se espera de nós, ou seja, jogar futebol com alegria”, disse Eddy Etaeta. Já na Nigéria, que chegou a ameaçar não disputar o torneio por conta da insatisfação de seus atletas com a premiação, o discurso é bem equilibrado, sem, porém, descartar o favoritismo. “Somos favoritos, mas respeitamos nosso adversário. Pensamos em ganhar a partida e não em golear”, afirmou o técnico Stephen Keshi. O Taiti vai manter a base que conquistou a Copa da Oceania. A equipe é praticamente formada por jogadores amadores. O único profissional do grupo é o atacante Mahama Vahirua, que rodou o futebol francês defendendo clubes como Nantes, Monaco e Nancy, mas que agora atua na Grécia.

Roche, Ludivion, Kugogne, Tauraa Marmouyet e Tehau; Vallar, Vero, L. Tehau e A. Tehau; S. Atani e S. Chong Hue Técnico: Eddy Etaeta

Enyeama, Oboabona, Omeruo e Efe Ambrose; Mikel, Sunday Mba, Ogu, Ogenyi Onazi e Fegor Ogude; Ideye e Musa Técnico: Stephen Keshi

Estádio: Mineirão, em Belo Horizonte (MG) Horário: 16h Árbitro: Joel Aguilar (El Salvador)

A Nigéria também jogará com a formação que vem disputando as Eliminatórias africanas. O time é jovem e não conta com grandes estrelas. O destaque da companhia é o meia Obi Mikel, do Chelsea, responsável por dosar o ritmo da equipe.

saiba mais 1 - NEYMAR Neymar é um sonhador. Após realizar o desejo de se transferir para o Barcelona, o atacante da Seleção já apontou uma nova meta para a sua carreira: enfrentar a Espanha na decisão da Copa das Confederações.

AGENDA Na TV 16h – Itália x México – TV Globo, Band, Sportv 19h – Espanha x Uruguai – TV Globo, Band, Sportv Rádio Globo Natal 7h – Domingo na Globo 10h – Globo na Rede 12h – Enquanto a Bola não Rola 13h – Rádio Globo Futebol Clube 16h – México x Itália 19h – Espanha x Uruguai 20h – Balanço Final 22h – Panorama Esportivo


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

esportes

3

»ENTREVISTA » ZÉ TEODORO NOVO TREINADOR DO ABC FUTEBOL CLUBE

FOTOS:REPRODUÇÃO DA INTERNET

Para treinador, a torcida pode pagar os reforços « SÉRIE B » Novo técnico do ABC afirma que direção não pode se preocupar em economizar e trazer jogadores de qualidade, que os torcedores ajudam

FELIPE GURGEL

Esporte/MG?

Repórter

Depois que deixei o estádio, já comecei a trabalhar, liguei para o presidente Rubens Guilherme, conversei com ele, com a diretoria do clube e comecei a procurar alternativas para o que tinha visto. Fiz uma avaliação do elenco e jogadores que participaram daquela partida. Precisamos valorizar, dá confianças a esse grupo, recuperar os jogadores que não começaram bem essa competição.

é Teodoro é o terceiro técnico do ABC na atual temporada. Ele chega ao clube em um momento de crise, tanto dentro de campo, com o clube na última colocação na série B do Brasileiro, como também administrativo, já que a torcida pede a saída da atual direção abecedista, que, por sua vez, tem problemas financeiros para reforçar a equipe. Mas, realista, o novo comandante alvinegro afirma que sabe lidar com esse tipo de situação e que, se o time estiver bem, a torcida vai pagar a conta pelos jogadores, já que eles vão, teoricamente, lotar o estádio Frasqueirão.

Z

O momento de contratar é agora. O importante é não ter medo de contratar ou ficar devendo. Depois a torcida do ABC paga. Ela tendo confiança no time, ela vai pagar. Agora, temos que ser ousados”

Como é chegar em um clube que está em crise? Preocupa?

A gente tem que ter muita paciência, calma e saber administrar esse momento de turbulência que não só o ABC, mas o futebol de Natal atravessa, com os dois times nas últimas posições da série B do Brasileiro. É um momento de muito equilíbrio e tranquilidade. Temos que rever, avaliar e analisar todos os pontos que foram feitos até agora, no campeonato estadual, Copa do Nordeste, Copa do Brasil e esse início de competição. Temos que dar um choque, uma nova mudança de comportamento, de atitude, de posição e resgatar a auto-estima do grupo de jogadores. Temos que arregaçar as mangas e trabalhar. O ABC precisa ter vida nova a partir de amanhã.

Você ficou preocupado com o que viu do ABC, no jogo contra o Boa

Temos que trazer jogadores que tenha experiência nesse tipo de competição, melhorar o nível e mudar o comportamento do time. Precisamos ser mais competitivos. Sei que houve muita luta, muita vontade e disposição, no último jogo, perdemos três atacantes durante a partida e isso deve ter abalado o time um pouco. Temos condições de tirar muito mais do grupo, dos jogadores e isso só vem com trabalho e com os resultados daqui para frente. Vamos dar uma reforçada para poder impôr um pouco mais de respeito durante a competição. Vai trazer algum jogador na sua chegada a Natal?

Tudo depende ainda de uma avaliação, mas, já detectei alguns pontos, nomes e contratações, que foram passadas para a diretoria em todos os setores: defensa, meio, atrás e um atacante de lado de campo. Vamos trazer goleiro, zagueiro, volante e principalmente jogadores para o meio campo. Estamos buscando alternativas. Não vamos anunciar ninguém de forma antecipada, divulgar nomes, mas, a direção está contactando nomes para reforçar o time nessa sequência de competição.

Vão acontecer novas contratações?

Temos que contratar jogadores, recuperar e avaliar os que estão no clube, buscar resolver a situação dos atletas que estão afastados, acabar com os problemas internos e começar uma nova caminhada. Ainda tem tempo. Com essa parada para a disputa da Copa das Confederações, esse torneio que vai acontecer em Natal e o jogo contra o Goiás pela Copa do Brasil, com certeza vamos ter uma nova preparação, para pensar em sair da zona de rebaixamento. O time precisa ganhar um pouco mais de maturidade, mais identidade. Temos que ter um espírito melhor.

Como fazer isso?

Como adequar esses reforços dentro da realidade financeira do ABC, que vem atravessando uma crise?

Não digo que vou mudar totalmente, mas, algumas coisas serão diferentes. Vamos fazer uma mudança drástica e esse torneio vai servir para isso”

Conversando com os jogadores que estão vindo, com os empresários, e com os clubes que estão cedendo esses atletas, alguma espécie de contrapartida. Agora, para chegar jogadores, temos que tirar alguns. Primeiro, vamos trazer novos jogadores e olhar o que vai sobrar. Não sei quantos jogadores serão contratados. Primeiro, temos que recuperar aqueles que estão no clube. Tem jogador que está machucado, outros afas-

tados e ainda tem aqueles que não tiveram nenhuma oportunidade. Vamos avaliar, analisar nos treinos, jogos, para termos um time totalmente diferente para o jogo da Copa do Brasil e também diante do Atlético/GO, na volta da série B do Brasileiro. Não vai ser nada fácil, temos um desafio pela frente, mas, tenho uma certa experiência e não tem nada perdido não. A diretoria se mostrou solícita aos seus pedidos por jogadores?

A diretoria tem que fazer um esforço, tem que buscar alternativas, porque precisamos enxertar alguns jogadores acostumados a assumir responsabilidades do nível de uma série B. Vamos trabalhar nesse sentido. Temos que tentar ver essa questão financeira e trabalhar com qualidade e não quantidade.

? QUEM É Zé Teodoro,novo treinador do ABC,tem 49 anos e,antes de acertar com o alvinegro estava treinando Guarani/SP.Nos últimos dois anos,2011 - 2012, comandou o Santa Cruz/PE e foi bicampeão pernambucano. Chega ao clube abecedista com a missão de tentar tirar o time da última colocação da série B do Brasileiro,com apenas dois pontos em seis jogos disputados. Foi campeão cearense duas vezes:2006,comandando o Ceará e em 2010,pelo Fortaleza

Jogadores da base serão observados?

Vamos avaliar, saber quais os jogadores estão servindo aos profissionais, se tem qualidade ou não, dar vez aos pratas da casa. Mas, temos que trazer, também, jogadores experientes, com qualidade e recuperar os que estão aqui. O time caiu muito nessa série B e os jogadores não desaprenderam a jogar e temos que saber o que aconteceu para o time cair dessa jeito de produção. Mesmo assim, vamos reforçar e trazer alguns jogadores para dar mais qualidade a esse time do ABC. O time não vem bem dentro da série B. Como você pretende armar a equipe? Reforçar a defesa ou colocar o time no ataque?

Peguei todo o retrospecto do time dessa temporada, mas, vamos adotar um esquema que

com o grupo, tem buscar contratações. A torcida já conhece o nosso trabalho e vamos fazer um projeto sério. Temos que recuperar a confiança e isso só vem com resultado. Acredito que no primeiro jogo no retorno para a série B o time vai ser outro. Confio no meu trabalho. Pretende utilizar a Taça Ecohouse para testar jogadores ou vai com o time principal?

Não demoro muito para resolver vida de jogador não. O laboratório vai ser o trabalho. Vamos usar o torneio para preparar o time, como se fosse uma pré-temporada. Temos que apagar tudo que ficou para trás. Um time como ABC não pode ter um comportamento como teve antes. Não digo que vou mudar totalmente, mas, algumas coisas serão diferentes. Vamos fazer uma mudança drástica e esse torneio vai servir para isso. O ABC contratou cinco treinadores no último ano. É normal?

vem dando certo em seleções e clubes brasileiros e acho que vai ser uma grande saída. Vamos encontrar um rendimento, equilíbrio, na marcação e na criação. Vamos marcar, mas iremos atacar também. É difícil trabalhar com a torcida contra o time?

Vamos ganhar a credibilidade e confiança do torcedor. Quando apresentarmos os reforços e resolver os problemas dos jogadores que estão aí, tomar algumas decisões que devem ser tomadas, dar um choque, mexer

Não mesmo. Passei os últimos dois anos no Santa Cruz/PE e só não renovei por outras questões. A gente sabe como é pegar uma situação difícil e reverter. O dirigente precisa saber administrar em momento de crise e dificuldade. É preciso calma e é necessário investimentos. Se eu não exigir reforços de qualidade, daqui a três, quatros jogos, o técnico é mandado embora e quem vier, vai trazer mais jogadores, mudar comissão técnico, vai criar instabilidade. O momento de contratar é agora. O importante é não ter medo de contratar ou ficar devendo. Depois a torcida do ABC paga. Ela tendo confiança no time, ela vai pagar. Agora, temos que ser ousados.


4

esportes

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

Clubes europeus caçam reforços « MERCADO » Atacante uruguaio Cavani interessa ao Real Madrid, que está disposto a pagar 63 milhões

de euros pelo atleta. Ambrosini anuncia despedida do Milan e Valdés opta por continuar no Barcelona

DIVULGAÇÃO

L

ondres (AE) - Após mais de 10 anos defendendo o gol do Barcelona, o goleiro Victor Valdés anunciou que deixaria o clube há algumas semanas. Desde então, muito se especulou sobre quando aconteceria essa saída. Mas, nesta sexta-feira, o jogador, que se prepara para disputar a Copa das Confederações com a seleção espanhola, confirmou que só sairá da equipe catalã ao fim de seu contrato, em junho do ano que vem. “Desde janeiro vinha dizendo o mesmo, nunca falei nada de diferente a respeito. Sei que ainda tenho um ano de contrato, a única coisa que disse é que não iria renovar e que estava agradecido pela proposta que haviam me feito”, disse o goleiro de 31 anos, que passou toda sua carreira no Barcelona. Valdés justificou a sua decisão dizendo que o “peso de vestir a camisa do Barça” por mais de dez anos se tornou insuportável. Desde então, a imprensa europeia passou a cogitar a possibili-

dade de o goleiro se transferir já nesta pré-temporada, até para que o clube catalão lucrasse com a negociação - ao fim de seu contrato, o jogador poderá ir para qualquer outro time de graça.

Cavani Enquanto se concentra para o início da Copa das Confederações, o uruguaio Edinson Cavani também tem que lidar com a definição sobre seu futuro. Destaque do Napoli nos últimos anos, o atacante tem chamado a atenção dos principais clubes da Europa, entre eles o Real Madrid. Segundo o pai do jogador, o clube espanhol é justamente aquele em que o filho deseja atuar na próxima temporada. “A intenção do Cavani é jogar em uma equipe como o Real Madrid. Ele tem vontade e toda predisposição para ir para lá. Nosso filho, no ambiente familiar, privado, nos disse que quer jogar no Real Madrid, mas não torna o desejo público porque não quer

A intenção do Cavani é jogar em uma equipe como o Real Madrid”. LUIS CAVANI pai do atacante Cavani

ficar mal com o Napoli”, declarou Luis Cavani, em entrevista ao jornal espanhol Marca. De acordo com o pai do jogador, o Real Madrid inclusive já o procurou e o acerto entre Cavani e o clube espanhol está próximo Resta agora o acordo com o Napoli.

Ambrosini Depois de 18 temporadas, o volante Massimo Ambrosini anunciou que está deixando o Milan. O veterano de 36 anos não teve seu contrato renovado pelo clube, pelo qual teve uma trajetória extre-

mamente vitoriosa, com a conquista de duas Ligas dos Campeões da Europa (2002/2003, 2006/2007), um Mundial de Clubes(2007), quatro Campeonatos Italianos (1995/1996,1998/1999,2003/2004, 2010/2011), entre outros. “Esta é minha última entrevista coletiva como jogador do Milan e eu gostaria de agradecer a todos pelos 18 anos fantásticos, que eu nunca vou esquecer. Não tenho Facebook ou Twitter, mas eu sei de todo o carinho demonstrado pelos torcedores rubro-negros e quero agradecêlos”, declarou, emocionado. Com a saída de Ambrosini, o Milan dá sequência na renovação do elenco, que vem sendo promovida nas últimas duas temporadas. O volante era o último dos experientes líderes da equipe, após a saída de nomes como o zagueiro Alessandro Nesta, os volantes Andrea Pirlo e Gennaro Gattuso, o meia Clarence Seedorf e o atacante Filippo Inzaghi.

Atacante uruguaio Cavani despertou o interesse do Real Madrid

Zanetti foge do rótulo de favorito durante o Mundial

Pedro Neto [ pedron@natal.digi.com.br ]

« GINÁSTICA » Brasileiro vai participar de competições na Europa e diz que terá de lutar muito para conseguir posições no pódio

RODRIGO SENA

Dida O América deverá anunciar na próxima semana a dispensa do goleiro Dida. Tenho dito quase que diariamente que não dispensaria Dida, pois é um jovem goleiro e que ainda tem muito a aprender. O grande problema é que o torcedor rubro resolveu escolher um cristo pela má fase da equipe, e Dida é o nome. Agora, entre Dida e Rodrigão eu acredito que o último é que deveria ser o dispensado, até porque para os que não lembram Dida jogou quase vinte jogos na série B do ano passado. Tudo indica que Dida será emprestado para alguma equipe do futebol brasileiro.

Guto

Taça Ecohouse

A direção do ABC deverá anunciar nas próximas horas o retorno do volante Guto. O jogador demonstrou interesse em retornar ao clube e a direção vê com bons olhos o seu retorno, até porque ele foi um dos poucos que se salvou na campanha da série B do ano passado. Guto é um jogador identificado com a torcida alvinegra, pois mesmo jogando pouco mais de seis meses no clube sempre demonstrou muita raça. Muita vontade. Que Guto possa ser bem vindo ao ABC nesse seu retorno.

Faz parte da democracia Na última quinta-feira cerca de 30 torcedores do ABC estiveram na Vila Olímpica realizando um protesto pacifico contra a direção do clube. O vice-presidente de futebol, Bira Marques, esteve presente e recebeu um grupo de cinco torcedores para conversar sobre a atual situação do alvinegro. Na

realidade o protesto é uma ferramenta normal dentro da democracia. E graças a Deus vivemos numa democracia, pois assim sendo podemos expressar os nossos pensamentos. Que dirigentes e torcedores possam entrar num acordo e que tudo possa se normalizar nos próximos dias.

Alexandre Irineu E quem está de volta ao América é o preparador físico Alexandre Irineu. Alexandre tinha deixado o clube no inicio do Campeonato Estadual quando tentou seguir carreira como técnico de futebol substituindo Roberto Fernandes. O problema é que no seu primeiro e único jogo como técnico do clube rubro a equipe foi derrotada pelo Corinthians de Caicó por 3 x 1 em pleno Nazarenão. O preparador chega para trabalhar novamente com o técnico Roberto Fernandes.

No próximo final de semana terá inicio da Taça Ecohouse que será disputada no estádio Frasqueirão. ABC, América, Alecrim e Náutico participarão da competição. Tudo nos leva a crer que a Taça Ecohouse será bem prestigiada, pois além de contar com a participação dos principais clubes do nosso futebol teremos ainda a participação do Náutico, clube que disputa a série A do nosso futebol. Que o torcedor possa prestigiar e participar dos jogos.

Mano Menezes O Flamengo confirmou na última sexta-feira a contratação do técnico Mano Menezes. Até ai tudo normal, até porque o ex-técnico da seleção brasileira estava desempregado. Agora, o que chama a atenção é o salário anunciado. Pelas informações Mano Menezes receberá R$ 700 mil mensais do clube rubro negro. Dá para acreditar meus amigos? É por essa e outras que os clubes brasileiros estão quebrados.

MARCELLO ZAMBRANA/VIPCOMM

O

ginasta brasileiro Arthur Zanetti embarcar hoje para a Europa, onde disputará duas competições e participará de um camping de treinamento para o Campeonato Mundial de ginástica artística da Bélgica. Com o status de campeão olímpico da prova de argolas, ele recorre a uma psicóloga para frear o próprio favoritismo nos torneios. O primeiro compromisso de Zanetti é a Copa do Mundo de Anadia, em Portugal, entre os dias 21 e 23 de junho. Após duas semanas de treinamento em Berlim, na Alemanha, o ginasta nacional disputa a Universíade de Cazã, competição já apontada por ele como prévia do Mundial. “Não me considero favorito porque quando você entra com a cabeça com muito favoritismo nunca dá certo. Existe um trabalho psicológico por trás disso. Vou entrar e fazer minha parte para ficar satisfeito”, explicou o ginasta brasileiro. “Tem o Marcos [Goto, técnico] e tem a própria psicóloga, onde a gente se trata mais diretamente. A gente faz esse trabalho para não entrar favorito, mas sim fazer a minha parte.”, completou. A Copa do Mundo de Anadia será um dos primeiros testes de Ar-

Arthur Zanetti vai disputar competições importantes na Europa

thur Zanetti com o novo código de pontuação da Federação Internacional de Ginástica (FIG). Por conta de mudanças nas regras da prova de argolas, o ginasta brasileiro foi obrigado a realizar alterações na série com que garantiu o ouro nas Olimpíadas de Londres-2012. A rotina que ele apresentará em Portugal e na Rússia será a mesma que utilizará no Campeonato Mundial, marcado entre os dias 30 de setembro e 6 de outubro, em Antuérpia, na Bélgica. No Mundial de 2011, disputado em Tóquio, no Japão, Zanetti ficou com a medalha de prata, superado apenas pelo chinês Chen Yibing. O troco do brasileiro veio nos

Jogos Olímpicos de Londres2012, em que ele conquistou a medalha de ouro, deixando o atleta asiático com a prata. Na ocasião, o italiano Matteo Morandi completou o pódio. “Antes eu podia fazer quatro elementos de força seguidos e agora não, tenho que fazer três elementos de força e quebrar com um de embalo. Tirei uma prancha e coloquei um giro, que são dois elementos de valor C, então a série não mudou muita coisa. Ela está encaixada, preciso arrumar alguns detalhes porque cansa um pouco mais, mas você pega mais resistência muscular conforme vai treinando”, afirmou.

Dubai quer sediar corridas « FÓRMULA 1 » Com autódromo aprovado no grau máximo da Federação Internacional, circuito pode receber alguns testes em 2014

O

autódromo de Dubai está interessado em entrar no calendário da Fórmula 1, principal categoria de automobilismo do mundo. Aprovado no grau máximo de exigência da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) em abril, o circuito pode receber os testes de pré-temporada da F-1 já em 2014. “É claro que nós receberíamos bem a chance de receber os testes da Fórmula 1 em nosso circuito. Nós temos a estrutura e Dubai tem as condições necessária para uma semana de testes”, declarou, Richard Birch, diretor do complexo automobilístico dos Emirados Árabes Unidos. Por conta das grandes mudanças no regulamento técnico da Fórmula 1 em 2014, os treinos começarão mais cedo e há chances que algum dos circuitos do Oriente Médio receba atividades na pré-temporada. A possibili-

dade aumenta se o Grande Prêmio do Bahrein for confirmado como etapa de abertura do Mundial, como esperado. Neste ano, as três sequências de treinos de pré-temporada da Fórmula 1 ocorreram na Espanha. A primeira foi no circuito de Jerez de la Frontera. As duas seguintes, em Barcelona, pista que também recebeu o Grande Prêmio da Espanha.

Motores A Renault está perto de fechar acordo para ser a fornecedora de motores da Lotus e da Caterham em 2014. A montadora francesa já fornece propulsores para a Red Bull e para a Toro Rosso. “Nós muito provavelmente vamos terminar com quatro equipes. As negociações com Lotus e Caterham avançaram. Está praticamente fechado com eles, então há uma grande possi-

bilidade de termos quatro equipes em 2014”, disse o diretor da Renault, Jean-Michel Jalinier, durante evento da empresa. Na próxima temporada, o novo regulamento da Fórmula 1 passa a entrar em vigor e, de acordo com as novas regras, os motores terão que ser 1,6 L turbo. Os propulsores da Renault estão entre os mais caros oferecidos, fato que levou a Williams a optar pelos motores da Mercedes e a Lotus a reclamar dos custos. Apesar disso, a Caterham está praticamente fechada, já que é parceira da Renault, e a Lotus também deve aumentar a parceria com a montadora da França. O anúncio dos nomes das equipes que terão motor Renault em 2014 deve ser realizado na próxima semana, durante evento da empresa em Paris, no qual o motor será mostrado pela primeira vez.


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

esportes

Apito Final EVERALDO LOPES [ elopes@tribunadonorte.com.br ]

Equilíbrio no clássico: 361 jogos Neste domingo, mais um ABC x América ou América x ABC, provavelmente o 362º clássico oficial entre os mais velhos rivais do futebol potiguar. Mas, faz-se necessária uma observação: apesar do esforço de um pequeno número de pesquisadores e por maior que tenha sido o empenho dessas pessoas – entre as quais este calejado colunista e repórter orgulha-se de fazer parte do restrito número de farejadores da notícia, às vezes nada podia ser feito. É quando se constata que, nem mesmo os dois únicos jornais da época (entre 1915 e 1920) publicaram a informação. Faz lembrar uma surrada expressão popular, quando se dizia “adeus tia chica...). Ou seja, nada pode ser feito. Por isso, as notícias escassas devem-se aqueles dois pequenos jornais de Natal: “A República”, fundado em 1899 e “A Imprensa”, provavelmente em 1925.

Equilíbrio (2) Os poucos pesquisadores do futebol – Joaquim Martiniano, Luiz G. M. Bezerra, Carlos Alberto Nascimento, Newton Alves e Procópio Neto (estes dois falecidos), Carlos Morais, Marcos Trindade e este colunista já foram fundo em busca de outras informações, porém sem sucesso. Simplesmente, não há mais nenhuma outra fonte, senão os dois jornais citados (juntando-se à TRIBUNA e o recentemente extinto Diário de Natal), com providencial colaboração do Instituto Histórico.

Equilíbrio (3) Depois de trabalho minucioso e muita perseverança, o jovem pesquisador Marcos Trindade levantou estes novos números: 361 ABC x América, contabilizando-se a partir de 1918, com o detalhe de que, alguns títulos da dupla ABC/América não foram homologados pela antiga Liga de Desportos Terrestres (hoje, FNF). Os números são estes: 130 vitórias do ABC, 123 do América e 108 empates. O ABC assinalou 500 gols, o América 444.

Palmeiras não assusta Pela segunda vez participando da série “B” do Campeonato Brasileiro, pelo que está mostrando agora de novo na Segundinha, tudo indica que o Palmeiras não será obstáculo maior para os adversários que vai enfrentar a partir de maio, quando a “B” vai largar. Anteontem, pelo Paulistão, mesmo derrotando o Paulista de

Jundiaí, por 2x1, apesar de pegar a mangaba de jogar com dois homens a mais (duas expulsões no Paulista), Ao final da partida, a torcida palmeirense “recepcionou” seu time com muitas vaias e assobios. Pode repetir-se este ano, o que aconteceu no primeiro rebaixamento, isto é, o Palmeiras continuou um time fraco.

O poema de Cortez

faz sentido. Ele já teria ouvido essas palavras mais de uma vez. Lula, hoje com 56 anos, está parado há um ano, tempo muito longo para qualquer profissional que dependa do futebol pra viver. São poucos os treinadores brasileiros negros, sendo curioso observar como não esquentam o lugar. O preconceito parece que vem de longe. Num passado mais distante, Gentil Cardoso lamentava o problema da cor, chegando a dizer que nunca esteve como técnico num Mundial pelo fato de ser negro.

A data de ontem – 15/03, porém no bem distante 1971, José Cortez Pereira tomava posse como governador do RN. No ano seguinte, assistia a inauguração do estádio Castelão (posteriormente, João Machado). Na época, Cortez soltou a frase que fez história: “Estádio Castelão, um poema de concreto...”

A mamãe Virna A natalense Virna Dias, 41, ex-grande estrela do vôlei brasileiro, medalhas olímpicas em Sidney e Atlanta é matéria de destaque no portal UOL Virna vai ser mamãe pela terceira vez, e fala sobre o grande momento que vive após parar de jogar.

A natalense (2) Virna atuou como comentarista de vôlei na Globo/Rio, Band Sports e Record, é empresária de duas duplas de vôlei de praia – Juliana e Maria Eliza e Taiana e Talita, faz palestras motivacionais, mantém projeto de vôlei para crianças. Virna não cita se está casada, se divorciada, ou vai tudo bem.

Preconceito no futebol “Me desculpe, você é preto”. O desabafo é do ex-zagueiro do Santa Cruz/PE, Lula Pereira, é uma das matérias da revista Placar deste mês enfocando a figura do treinador negro. O título é esse, quando o ex-treinador (entre outros) do América/RN. Lula Pereira confirma que a mágoa

Preconceito (2) Outros negros tentaram um lugar como treinador, porém poucos se mantém seguros. Por coincidência, Lula passou pelo América/RN, mas o fato de sua permanência ter sido tão curta, o motivado pelo próprio Lula. Dava a impressão de que, quanto mais pudesse adiar sua ida para o banco, tanto melhor. Ficou “embromando”, preferindo continuar observando o time, fora do gramado. Botava uma banca, que não merecia, por isso foi embora tão cedo. O Fla também entra nesse lance. Por muito pouco, o ex-meiocampista Andrade, campeão várias vezes como jogador, perdeu muito rápido o lugar no seu ex-clube. Serginho “Chulapa” foi outro que não venceu na profissão de técnico. O camisa 10 Didi (falecido há muitos anos) durou pouco, Cláudio Adão até que insistiu, mas cansou, Parou.

« CARTÃO AMARELO »

5

Ingressos já estão sendo vendidos para as torcidas « TAÇA ECOHOUSE » Quem quiser adquirir as entradas para assistir os jogos envolvendo ABC, América, Alecrim e Náutico/PE, pode comprar

O

s torcedores já podem garantir suas entradas para as partidas da Taça Ecohouse por um preço promocional. A venda do pacote para os jogos envolvendo ABC, América, Alecrim e Náutico-PE começou, em seis pontos espalhados pela cidade, com valor reduzido até sábado, dia 22 de junho. Por um valor único de R$ 50 (arquibancada) e R$ 100 (cadeira), o torcedor garante a presença nas três rodadas duplas da competição, nos dias 23, 26 e 29. Nos dias dos jogos, os ingressos serão vendidos por R$ 30 (arquibancada) e R$ 50 (cadeira), por rodada. Sócios do ABC com mensalidades em dia terão acesso normal aos jogos. O novo torneio servirá de aquecimento para a 1ª Copa Ecohouse, que terá início em meado de julho e contará com 12 clubes do Nordeste, entre eles, os quatro

participantes da Taça. Um dos participantes da Taça será o Náutico que vem para o Rio Grande do Norte com sua força máxima. Único pernambucano na Série A do Campeonato Brasileiro, o Timbu fará sua intertemporada com treinamentos com bola no estádio Nazarenão, em Goianinha, e atividades na praia de Tibau do Sul, onde ficará hospedada a delegação, de 17 a 30 de junho. O elenco do alvirrubro de Recife vem qualificado, alguns jogadores com passagens também por outros grandes clubes brasileiros, tais como o atacante Elton (ex- Vasco e Corinthians/SP), os meias Elicarlos (Cruzeiro), Derley (Atlético Paranaense), Rodrigo Souto (Santos, Corinthians e São Paulo), Martinez (Cruzeiro e Palmeiras), Magrão (Internacional, Corinthians e Palmeiras).

“Esse torneio será mais uma forma de valorizar o futebol potiguar, justamente em um período em que os clubes param para a Copa das Confederações. Os torcedores das equipes da capital terão a chance de torcer pelos seus times em mais uma taça e ainda com um convidado especial que disputa a Série A do Brasileirão, com seu time completo. A ideia é agitar o futebol local e lotar o Frasqueirão. Quem comprar o pacote promocional, vai pagar menos de R$ 10 por partida”, garante Anthony Armstrong-Emery. A tabela da Taça Ecohouse está definida. Na rodada de estreia, no dia 23 de junho, às 16h, o Alecrim enfrenta o América. No mesmo dia, às 18h, Náutico x América. Na quarta-feira, dia 26, às 19h, Alecrim x Náutico, e às 21h, o clássico ABC x América. Na terceira

rodada, no sábado, dia 29, às 16h, América x Alecrim, e às 18h, o ABC x Náutico. O clube que somar mais pontos conquista a competição e leva o troféu Marinho Chagas, uma homenagem ao jogador que defendeu os quatro clubes em sua trajetória no futebol. Pontos de venda: - América Store - Av. Rodrigues Alves, 950 - Tirol – seg a sex 9h às 19h e sáb 9h às 13h - Sede do Alecrim – Rua dos Caicós, 1722 – Alecrim - seg a sex 8h às 11h e 13h às 17h - Pitts Burg - Av. Prudente de Morais, 4615 – Lagoa Nova - seg a dom 8h às 18h - Ster Bom Zona Norte - Av. Dr. João Medeiros Filho, 1835 – seg a dom 9h às 21h - Estádio Frasqueirão – Rota do Sol S/N – Ponta Negra - seg a sex 8h às 12h e 14h às 18h (na área administrativa) - Livraria Câmara Cascudo - Av. Rio Branco, 432 – Cidade Alta - seg a sex 8h às 18h e sáb 8h às 12h

Natal recebe Copa Nordeste « BOXE OLÍMPICO » Lutas acontecem no Caic de Lagoa Nova e vai contar com participantes de quatro estados: Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco ANA SILVA

N

atal recebe, a partir da próxima quinta-feira, os melhores atletas de boxe olímpico do Nordeste. Cerca de 70 competidores, masculino e feminino, vão trocar golpes no Caic de Lagoa Nova, na disputa da 1ª Copa Nordeste de Boxe Olímpico, que está sendo realizado pela Federação Potiguar e Confederação Brasileira da modalidade. Cinco estados já confirmaram presença no torneio: Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco e Rio Grande do Norte. “Pelos resultados que o Rio Grande do Norte vem conseguindo nas competições, pelo crescimento da modalidade no Estado e pela dedicação do presidente da Federação, decidimos realizar essa primeira competição nordestina aqui em Natal, como uma forma de reconhecer esse esforço das pessoas daqui. Tenho certeza de que a disputa vai ser um sucesso”, afirmou o dirigente da Confederação, Breno Pontes, que já está em Natal acertando os últimos detalhes da Copa Nordeste. O primeiro dia da competição é na quinta-feira, dia 20. No período da manhã, todos os atletas

vão passar pela pesagem, para, na parte da tarde começar as lutas, que segue durante a sexta-feira e o sábado, quando serão conhecidos os campeões das categorias, 10 no masculino e três no feminino. “Esse ano é a primeiro que a Confederação realiza esses regionais por todo o país. Já fizemos o Centro-Oeste, em Cuiabá e o Norte, que aconteceu em Manaus. Na-

« VÔLEI »

« OAB »

Federação do RN recebe Wild Card da CBV

Comissão lança segunda copa dos advogados

Para a 2ª Etapa do Campeonato Brasileiro de Seleções Sub-21 de Vôlei de Praia, que ocorrerá entre os dias de 04 a 07 de julho, na cidade de Fortaleza/CE, a Federação Estadual de Vôlei recebeu da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), pelo excelente trabalho que vem fazendo para o desenvolvimento do vôlei do Estado, um Wild Card. Isso fará com que o RN tenha, além da sua delegação original com uma dupla masculina e uma dupla feminina, seus dois técnicos e um árbitro, mais uma dupla representando o Estado em cada naipe, juntamente com seus dois técnicos e um árbitro. O Wild Card é uma espécie de convite que permite a participação de uma equipe em torneios independente de sua classificação. O objetivo é o de fortalecer a competição com equipes mais fortes e de motivar a participação de mais atletas nos Campeonatos.

A Comissão de Eventos Esportivos da Ordem dos Advogados do Brasil no Rio Grande do Norte realizou o lançamento da II Copa dos Advogados de Futebol Society e da Comissão Especial da Copa do Mundo. O Presidente da Seccional Potiguar, Sérgio Freire, iniciou a solenidade parabenizando a equipe pelo trabalho realizado no último ano. “Vocês são a prova de que quando se faz algo com prazer, o resultado aparece. Nesta segunda edição da Copa, que estamos lançando hoje, já contamos com a inscrição de mais de 150 advogados. Isso é um sinal de que está havendo evolução no trabalho da Comissão”. Logo após o presidente passou a palavra para o advogado e membro da equipe de Futebol Master da OAB/RN, Thales Barbalho. Na oportunidade ele falou das conquistas da Comissão.

Nilton “Sombra”, presidente da Federação Potiguar e Breno Ponte, da Confederação Brasileira

tal vai ser a capital do Nordeste e no final do ano iremos realizar a Copa Sul-Sudeste, que vai acontecer no Rio Grande do Sul, provavelmente em Porto Alegre”, revelou Pontes. A competição tem como objetivo dar uma maior competitividade aos atletas das regiões do Brasil, para que, quando eles forem participar dos cam-

peonatos nacionais ou internacionais, estejam preparados. “Antes, nossos atletas só competiam entre eles, aqui no Rio Grande do Norte e dificilmente lutavam contra pugilistas de outros estados. Isso complicava quando saíamos para participar de competições a nível nacional, já que não conhecemos os atletas de fora”, relembra.


6

esportes

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

FOTOS: MAGNUS NASCIMENTO

Máquinas preparam o terreno para receber os equipamentos

Funcionários trabalham na implantação da drenagem do campo

Alicerces das futuras instalações são implantados na UFRN

Reforma está fora do cronograma « COPA 2014 » Com verbas liberadas apenas para realizar a 1ª etapa do projeto de remodelação do parque esportivo, atraso na obra pode impedir que UFRN sirva como Centro Oficial de Treinamentos da Fifa em 2014

D

os três espaços esportivos listados como possíveis Centro Oficial de Treinamentos de Seleções em Natal, o Fraqueirão foi o único a ser aprovado sem restrições, mas tem suas desvantagens. O complexo esportivo da UFRN está em reforma, porém corre o risco de não ficar pronto a tempo de receber os selecionados que vão passar pela capital potiguar, já que o projeto dividido em três etapas, está orçado em R$ 25 milhões, mas se encontra atrasado em relação ao cronograma e o chefe do departamento de Educação Física, José Pereira, teme que o projeto não seja adequado as exigências realizadas pela Fifa em tempo hábil. O Sesi Clube ainda é uma grande incógnita. Das três etapas que prevê remodelação do parque esportivo do Campus Universitário, apenas a primeira, orçada em R$ 7 milhões, está em andamento. Ela consiste na construção de uma pista de atletismo adequada as normas internacionais e a reforma do campo de futebol. Esse processo financiado pelo Ministério do Esporte tem previsão para ser entregue no próximo mês de agosto. Em setembro será realizada a prova de inauguração da nova pista de atletismo. “Será criado em Natal um centro de treinamento de alto rendimento, nossa meta é aproveitar a estrutura da UFRN para trabalhar os nossos atletas e os que desejarem vir de fora trabalhar conosco”, informou o professor José Pereira. A questão é que o projeto da segunda etapa da ampliação, foi reapresentado, mas ainda não recebeu aprovação do Ministério do Esporte. Essa etapa é que irá atender as exigências da Federação Internacional de Futebol, para que as instalações universitárias possam servir as delegações internacionais. “A segunda parte do projeto consiste na construção das arquibancadas com capacidade para receber até cinco mil pessoas. Em baixo delas serão construídos os vestiários, departamento médico e a sala de imprensa. As exigências da Fifa são muito grande, eles pedem até que seja definido um local para funcionar como heliporto”, salienta o professor. Faltando pouco menos de um ano para o início do Mundial, e com o projeto de complementação preso em Brasília, o desânimo é geral. “A informação que tenho é que com a reapresentação do projeto, virão dois engenheiros do ministério a UFRN acompanhar o andamento da obra. Dizem que isso é bom, mas eu não sei”, frisou o chefe do departamento de Educação Física.

A pista de atletismo está sendo aprontada para receber o novo piso, que terá padrão internacional. Universidade vai se transformar em centro excelência no esporte

Parque aquático também vai receber melhorias

As exigências da Fifa são muito grandes, eles pedem até que seja definido um local para funcionar como heliporto”

Nossa meta é aproveitar a estrutura da UFRN para trabalhar os nossos atletas”

A pista e o campo de jogo são os únicos projetos em andamento

Nosso curso cresceu, a estrutura atual é da década de 70 quando eram integrados dez alunos ao curso” JOSÉ PEREIRA Chefe do Depto de Educação Física

José Pereira se mostra pessimista com progresso das reformas

A reformulação do complexo esportivo do Campus Universitário, além da construção de um eco-estádio, que pretende tirar proveito de todos os recursos naturais possíveis, prevê ainda uma completa reestruturação do parque aquático. Além disso, estão prevista a construção de mais quatro quadras cobertas, uma vez que devido a reforma realizada, foram necessárias sacrificar dois espaços poliesportivos e o espaço atual não atende a demanda da prática de esportes na instituição. Um exemplo disso é que o ginásio no período de aulas, tem de ficar aberto das 7h da manhã a meia-noite. A segunda e a terceira etapa estão orçadas em 18 milhões. “Nosso curso cresceu, a estrutura atual é da década de 70 quando anualmente eram integrados dez alunos ao curso. Hoje a cada ano nós recebemos cem novos alunos, sem contar com o pessoal de ensino à distância. Então nos falta estrutura e necessitamos de mais espaço”, destaca o professor José Pereira. Ele destaca que caso seja complementado, a reforma do complexo esportivo na UFRN será um dos maiores legados que

a Copa do Mundo irá deixar em Natal. “Nós poderemos abrir mais espaços para realizar trabalhos junto as comunidades. Teremos condições de fornecer mais cursos de extensão e preparar ainda melhor os nossos alunos”, ressaltou. O chefe do departamento de Educação Física adiantou também que a UFRN também servirá como centro de aclimatação de atletas para as Olimpíadas do Rio em 2016. As delegações costumam enviar seus representantes bem antes para o país dos Jogos e devido as melhorias que serão realizadas no complexo esportivo e as condições climáticas da cidade, a capital potiguar aparecerá como uma forte concorrente nessa disputa por delegações estrangeiras. O Campus também já está recebendo equipamentos e foi escolhido para ser transformado num centro especial de treinamento de halterofilismo paralímpico. “Essas instalações não podem ficar ociosas. Nós pretendemos trazer a seleção do RN de Atletismo para trabalhar aqui, onde iremos dispor de equipamentos de ponta mundo na área esportiva”, disse José Pereira.


+

revista da

A REVISTA DA TV É UM SUPLEMENTO DA TRIBUNA DO NORTE. NÃO PODE SER VENDIDO SEPARADAMENTE.

Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 16 de junho de 2013

“True blood” volta ao ar: Alexander Skarsgård e seu irmão, Bill, falam sobre a vida de atores

Marina Ruy Barbosa diz que vale a pena raspar a cabeça por uma boa história

« PÁGINA 11 »

« PÁGINA 3 »

Risos múltiplos Paulo Gustavo estreia ‘Vai que cola’ em julho, no Multishow, e chega aos cinemas com ‘Minha mãe é uma peça’, que teve um milhão de espectadores no teatro « PÁGINAS 6 E 7 »


2

revista da

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

TV GLOBO/ ESTEVAM AVELLAR

« NOVELA »

Amor cai na rede Atores de ‘Malhação’ comentam o sucesso dos casais #BruTinha e #MorgOrelha, que pode ser comprovado no Twitter

#

BruTinha e #MorgOrelha. Para quem não é usuário do Twitter ou telespectador de “Malhação”, as palavras anteriores podem soar como algum tipo de código secreto. Mas são, na verdade, a forma como os fãs da 20ª temporada da novela teen chamam, carinhosamente, seus casais preferidos. Durante vários capítulos da atração, as duplas aparecem entre os temas mais comentados da rede social. #BruTinha é a hashtag (forma como o assunto é mencionado no Twitter) para Bruno (Rodrigo Simas) e Fatinha (Juliana Paiva). Os dois personagens, que se casaram no capítulo da segunda-feira passada, provavelmente viverão felizes para sempre, mas as crises por que passaram (e ainda passarão) mobilizam o público hiperconectado da novela. - Em “Fina estampa”, as pessoas achavam que eu era daquele jeito bad boy. Com “Malhação”, o pessoal já torce muito pelo casal #BruTinha. Espero que eles não se separem mais - torce Rodrigo, de 21 anos, que está solteiro e recebendo “uma abordagem calorosa” das fãs: - O público se identifica muito com a trama. As histórias, os amores, as brigas. Juliana, 20 anos, e também solteira, se tornou conhecida do público há três anos, quando interpretou a Val de “Ti-ti-ti”. A a-

triz aponta, no entanto, que a repercussão da Fatinha foi maior do que ela esperava. - “Malhação” tem um público muito mais fiel. Por serem mais jovens, eles vibram mais. Quando encontram na rua, abordam mais. Uma das metades da dupla #MorgOrelha, David Lucas, de 18 anos, é o terceiro solteirão do elenco. O ator cresceu em frente às câmeras, mas só agora deu seu primeiro beijo na TV. - Quanto mais adulto a gente fica, aumenta o assédio. A gente agora atinge um público da nossa idade, de 18/19 anos - explica David, que já começa a sentir saudades da rotina de gravações: A galera foi super-receptiva com Orelha e Morgana, esse casal inesperado, do tipo “os opostos se atraem”. Vai começando a bater a pontinha de quero mais. Foi um trabalho muito intenso, um papel que marcou minha história, por ser um mais adulto. A ruivinha Cacá Ottoni, de 21 anos, faz sua estreia em novelas interpretando a nerd Morgana. A atriz (advinha?!) também está solteira. Egressa do teatro e natural de Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio, ela divide apartamento na capital com o colega de elenco Guilherme Prates (o Dinho), protagonista do início da temporada que saiu da história, mas volta agora, nos momentos derradeiros. - Estou adorando gravar com o David, sou muito amiga dele.

TV GLOBO/RAPHAEL DIAS

Intenso. Rodrigo Simas e Juliana Paiva torcem por um final feliz de #BruTinha, um casal que vive em crise Nerds. Para David Lucas e Cacá Ottoni, #MorgOrelha foi um “casal inesperado”

Ele tem uma experiência em TV e é minha primeira novela. A troca é muito positiva - diz a atriz, que não é nem um pouco conectada: - Não tenho smartphone, então não acesso a internet fora de casa. A leitura é uma atividade de que eu não abro mão. Com o iPhone, as pessoas não se relacionam mais. Mas, mesmo avessa a tecnologia, Cacá abriu uma conta (@CacaOttoni) no microblog para sentir de perto a reação do público. Rodrigo (@simasrodrigo) e Julia-

na (@juulianapaiva) contam que, quando a novela termina e tem uma cena importante, os atores ficam acompanhando o que os telespectadores comentam nas redes: Gostamos de ver o que o pessoal está achando. #BruTinha, por exemplo, foi um nome criado pelos fãs no Twitter - conta a atriz. Já David (@DavidLucass) avisa que não é tão conectado quanto o Orelha, mas costuma usar a rede: Fico na internet para falar com a galera que é fã e que acaba se tornando amiga.


revista da

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

3

TV GLOBO/BOB PAULINO

« AMOR À VIDA »

Menina tranquila Marina Ruy Barbosa diz que vale a pena raspar a cabeça por uma boa história e, por enquanto, descarta casamento: “Sou muito novinha”

M

arina Ruy Barbosa chega à entrevista sorridente. É extremamente polida e responde a todas as perguntas com frases organizadas, de um jeito muito profissional. Prestes a completar 18 anos, no próximo dia 30, a atriz está feliz na pele da ricaça Nicole, de “Amor à vida”, uma menina ingênua que será diagnosticada com uma doença fatal nos próximos capítulos. Tão feliz que nem parece tão perturbada com a possibilidade de raspar a linda e longa cabeleira ruiva. Mas a moça jura que não tem ideia se isso vai mesmo acontecer: - É um boato. Todo mundo acha que eu já falei que rasparia e tal, mas eu nunca disse isso. Só disse que é uma coisa super-radical. E falei também, mas não especificamente sobre esse personagem, e sim de modo geral, que qualquer mudança radical para um trabalho bacana, para uma história que eu acredite, acho que vale a pena. Mas eu não sei o que vai acontecer. Foi uma coisa que

surgiu pela imprensa, mas não tem nada definido. Com tanta coisa acontecendo na vida de sua personagem, ela mantém a calma e garante que nem a chegada da maioridade trará grandes mudanças para a sua rotina: Vai mudar porque eu vou tirar a minha carteira de motorista, mas, como eu sou muito família, eu não fico: “Ai, que bom que eu vou ser independente”, muito pelo contrário. Eu adoro ter a minha mãe por perto. Não tem nada que eu queira mudar porque eu vou fazer 18 anos - prevê Marina, que frisou várias vezes, durante a entrevista que é “muito tranquila”, “muito caseira” e “muito família”. Assim como Nicole, Marina pertence a uma família muito tradicional - a atriz é tataraneta de Rui Barbosa (1849-1923), intelectual que atuou na política brasileira na época da Primeira República. Outro ponto em comum entre atriz e personagem é a programação nas horas vagas, que inclui idas ao cinema e ao tea-

tro. Marina, porém, ressalta que também curte um batidão. - Eu não costumo ir muito para a balada. Eu gosto mais de estar em festas com os amigos. Adoro dançar e eu adoro funk também. Danço com as minhas amigas. Não vou até o chão, mas eu danço. Talvez seja por gostar tanto de dançar que Marina esteja visitando com frequencia seu namorado, o também ator Klebber Toledo, durante os ensaios da “Dança dos Famosos”. Eles se conheceram há dois anos, quando gravavam a novela “Morde e assopra”, também de Walcyr Carrasco. - O Klebber é nove anos mais velho que eu, mas o homem amadurece mais tarde também brinca a atriz aos risos: - O Klebber é muito brincalhão, ele é animado. Eu sou mais caseira, sou mais tranquila. Sou muito família. Marina fala sobre o namorado com os olhos brilhando e com carinha de apaixonada. Mas ca-

Reencontro Na novela de Walcyr Carrasco, Leila (Fernanda Machado) e Nicole (Marina Ruy Barbosa) vivem uma relação tensa. A morena é uma jovem ambiciosa, que se aproveita da ingenuidade da órfã ricaça para tentar dar um golpe nela. No entanto, quando as duas atrizes estrearam na televisão, em “Começar de novo” (2004), viveram personagens muito próximas e com uma amizade genuína. No folhetim de Antônio Calmon e Elizabeth Jhin, Marina interpretou Aninha, uma menina misteriosa que que se revela um anjo. No último capítulo, ela cura o protagonista Miguel (Marcos Paulo, também diretor da novela, morto no ano passado) de um tumor no cérebro com um milagroso sopro em seu rosto. Fernanda era Sonya, a filha de Miguel, uma jovem que viveu a vida inteira na Rússia e vem ao Brasil morar com o pai. - A minha primeira novela foi com a Fernanda. Foi a primeira dela também. Só que ela me pegava no colo. Detalhe: agora a gente disputa um namorado - brinca Marina, que com o tempo se distanciou de Fernanda: - Quando ela me conheceu, eu tinha 9 anos, e ela já era adulta (tinha 24 anos). A gente se encontrava e tal, mas não manteve contato.

samento, por enquanto, está fora dos planos dela: De jeito nenhum! (risos) Eu sou muito novinha, ainda tenho muita coisa para fazer na vida. Casamento é uma coisa que a pessoa tem que estar mais madura e com uma vida mais planejada. Não dá para fazer nada por impulso. Embora “Amor à vida” tenha estreado há menos de um mês, Marina vem ser preparando há quase seis para o papel, com aulas de prosódia, preparação de elenco e encontros com a direção da novela. Ao aceitar o convite para viver Nicole, a atriz abriu mão de cursar Comunicação na PUC-Rio. - O meu intuito é fazer cinema. Eu acho interessante ter um pouquinho do olhar do diretor também. Quem sabe, um dia, dirigir. Eu não escolhi Artes Cênicas porque eu não sabia se ia gostar. Eu fui aprendendo tudo muito aqui, trabalhando, o que eu acho muito bom. Aprender vendo a Fernanda Montenegro, a Gloria Pires, Tony Ramos, Cláudia Abreu... É uma baita de uma escola e eu tive esse privilégio. Fazer Artes Cênicas, agora, talvez me atrapalhasse. Eu sempre fui boa aluna, estudiosa, então vou estudar ano que vem para passar de novo - explica Marina, que quer voltar aos palcos assim que a novela terminar: - A prioridade é sempre aqui na Globo porque eu tenho contrato até 2016. Com mais de 400 mil seguidores no Twitter, Marina usa a rede social para acompanhar os comentários do telespectadores sobre sua performance. E diz estar gostando do que lê. - Eu sou muito crítica, sempre fui. Eu sempre vejo os defeitos. E com a internet a resposta do público é imediata. Eu vejo a novela acompanhando pelo Twitter e vendo o que as pessoas estão falando. E até que eu fiquei feliz. Na primeira cena, foram parar nos assuntos mais falados do Twitter o meu nome e o nome da personagem. Eu cliquei e as pessoas estavam gostando, falando que eu estava diferente dos outros trabalhos e tal. Eu fiquei feliz com essa recepção do público, com uma cena pequena já chamar a atenção das pessoas comemora Marina.


Thalita Rebouças desenvolve um projeto junto com o Multishow. Autora de livros infanto-juvenis, ela e o canal conversam sobre a possibilidades de um programa de auditório voltado para adolescentes.

Manhãs com direito a Harry Potter Apresentador do “Hoje em dia”, da Record, Celso Zucatelli vai a Orlando no fim do mês para gravar reportagens no parque da Universal, que tem entre as atrações uma área dedicada a Harry Potter. Ele entrará ao vivo de lá.

Filme sobre Jorge Mautner chega ao Now Documentário de Pedro Bial e Heitor D’Alincourt, “Jorge Mautner - O filho do Holocausto” foi negociado com a Net e está disponível no catálogo do Now, serviço de conteúdo on demand da operadora.

Tema polêmico e time eclético de debatedores Marcelo Adnet, Sérgio Besserman, economista, e Valesca Popozuda (que fez um seguro do bumbum) serão os convidados de Pedro Bial num dos episódios do “Na moral”. O tema será “quanto vale o corpo humano”, com debate que vai do tráfico de órgãos ao leilão da virgindade.

com Florença Mazza e Ana Luiza Santiago, Clara Passi e rafaela Santos kogut@globo.com.br

Diálogo com os adolescentes, agora na TV

patrícia kogut

4

revista da

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

10

Colecionador de vilões ARQUIVO PESSOAL

P

elos próximos meses, José de Abreu terá de baixar o tom de voz, conter o gestual, controlar as emoções. Pelo menos ao entrar em cena. É o que exige Ernest Houser, seu personagem em “Joia rara”, novela que sucederá a “Flor do Caribe” na faixa das 18h. Foi a busca por este novo vilão que levou o ator a enfrentar temperaturas próximas de zero e subir ao cume dos alpes suíços, de onde acaba de chegar. A viagem foi breve, mas intensa o bastante para ele assimilar a fleuma que esbanjará na TV. - O Ernest é extremamente inteligente, frio, age por debaixo dos panos. Perto dele, o Nilo (o catador de lixo que interpretou em “Avenida Brasil”) é um bobo - compara o ator. - Nilo botava tudo para fora, falava demais, era vermelho. Este cara é prata, ele só grita por dentro. Pessoas assim, quando tendem para o mal, são perigosíssimas. Na história criada por Thelma Guedes e Duca Rachid, Ernest será o poderoso dono de uma joalheria. Manipulador e nazista (a novela se passa na década de 1940), o empresário vai trair o sócio e acumular inimigos ao longo da trama, como o personagem de Domingos Montagner, de quem ele roubará a mulher (Carolina Dieckmann). Somente

a chegada da neta, vivida por Mel Maia, será capaz de romper a frieza do joalheiro. Nos poucos dias em que esteve na Suíça, José de Abreu fez um mergulho no universo de Ernest. Visitou joalherias em Genebra, hospedou-se com a mulher, Camila, em hotéis do início do século passado, cruzou o país em viagens de trem e chegou ao alto das montanhas de Interlaken, onde teve dificuldades de respirar por causa da altitude. - O que mais me impressionou foi a educação deles - elogia o ator, que fez aulas de etiqueta com Dalal Achcar

RAPHAEL DIAS/ TV GLOBO

0 Barulho antes da estreia Bianca Salgueiro grava no Projac suas primeiras cenas como Anita, protagonista da próxima temporada de “Malhação”. A atriz diz que já nota a mobilização dos fãs da novela nas redes sociais: “Tenho recebido muitas mensagens”, revela.

Veja outras fotos no patriciakogut.com.

DIVULGAÇÃO

Para o “Sai de baixo”, programa que marcou a TV brasileira e está de volta no Viva, dirigido por Dennis Carvalho. Com roteiro de Artur Xexéo e roteiro final de Miguel Falabella, elenco de primeira (além de Falabella, Luiz Gustavo, Aracy Balabanian, Marisa Orth e Márcia Cabrita) e figurino excelente, a atração esbanja frescor onze anos depois de sair do ar na Globo.

Para o desleixo da produção do “Domingão do Faustão” com as legendas dos números musicais. Dia desses, enquanto Luan Santana cantava, apareciam na tela “sussegar” e “to”. Descuido reincidente: em outro programa, desta vez com o sertanejo Gabriel Valim, eis as pérolas: “Todo mundo que (sic) pegar, mais (sic) ela tá de boa”. Revisão passou longe.

para a novela. - Os modos daquela época vão me ajudar a compor este personagem. Eu sou muito passional, ao contrário de Ernest. De volta ao Brasil, José de Abreu já começa a fazer as provas de figurino e, em julho, gravará as suas primeiras cenas sob o comando de Amora Mautner, que também o dirigiu na novela de João Emanuel Carneiro. Antes disso, o elenco passará por uma espécie de laboratório, durante alguns dias, num galpão no Rio.

Muito além do pole dance Luma Costa fez aulas de canto para o último episódio de “Pé na cova”, musical. Por conta das gravações, não terminou o curso, mas gostou tanto que vai retomálo depois das férias. A atriz já tinha feito aulas de pole dance para a série.

Para lembrar os anos 80

Artes plásticas e muito drama no cinema Antes de voltar à TV em “Joia rara”, novela de Thelma Guedes e Duca Rachid, Carmo Dalla Vecchia rodou “Pedaços”, de Pedro Maia e Erich Eichner. No curta, ele interpreta um artista plástico viúvo, com tendências suicidas.

A voz por trás dos textos de Clarice Maria Fernanda Cândido, longe da TV desde o fim de “Lado a lado”, vai narrar a série “Só para mulheres”, baseada em textos de Clarice Lispector, que Luiz Fernando Carvalho vai dirigir para o “Fantástico”. Alessandra Maestrini, Luiza Brunet e Cíntia Dicker estão no elenco.

Marcos Breda, que participou de “Pé na cova” recentemente, começa a ensaiar, em outubro, a peça “Bailei na curva”. Para comemorar os trinta anos da primeira montagem do espetáculo, haverá apresentações no Rio, em Porto Alegre e em São Paulo.

Rafinha só ara maiores “A vida de Rafinha Bastos” será exibido pelo FX às 23h. O horário não foi definido em função da classificação indicativa, mas por que o público do humorista está nessa faixa. “Não há um Rafinha agressivo nem hostil. Os episódios estão suaves”, diz Lívia Ghelli, diretora do canal.


revista da

«MALHAÇÃO» Globo 17:30

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

« NOVELAS »

5

«FLOR DO CARIBE»

«SANGUE BOM»

Carol revela a Natália que gosta de Lino. Juliano conta a Quirino que vai pedir a mão de Natália e pede que ele não conte a Doralice. Amaralina convoca Duque e Cassiano para explorar a mina. Samuel diz a Juliano que lhe dará as alianças. Alberto diz que Ester pode voltar para casa.

Irene foge de Plínio. Renata ameaça mostrar o vídeo de Tito se Lara não terminar o romance com ele. Plínio exige que Fabinho se afaste de sua família. Bárbara apresenta o “Luxury” no lugar de Amora. Bento decide ficar com Malu, e Giane se entristece. Amora se declara para Bento.

Jacques flerta com Aline, mas ela não corresponde. Félix fica tenso ao saber que Lutero está investigando o acidente de Atílio. Bruno avisa a Paulinha que vai se casar com Paloma depois da cirurgia. Paloma pede para fazer um teste de DNA em Paulinha.

Rafael monta o carro para Cirilo. Jorge procura o mecânico Graxa Preta para revisar seu carro. Cirilo testa o carro, que desmonta assim que ligado. Em frente à casa dos Cavalieri, a Patrulha Salvadora faz uma passeata e avisa que Cirilo participará da corrida. Jorge fica irritado.

Rosália finge estar discutindo com o noivo e assusta Vitor Hugo. François recusa a proposta de Pérola, que fica furiosa. Édison questiona Xepa e Dorivaldo sobre o caráter de Esmeraldino. Júlio César revela a Vitor Hugo que teve um filho com Pérola.

Carol alerta Mila para tomar cuidado com Hélio. Ciro não aceita quando Mila lhe propõe que fiquem juntos, mas sem compromisso. Cassiano reconstrói a cabana para Ester. Quirino e Samuel fazem as pazes. Samuel conta para Cassiano que Ester voltou para a mansão.

Érico decide falar com Renata. Barrabás não deixa Damáris ser expulsa do casamento. Bárbara entrevista os noivos para o “Luxury”. Lucindo ouve Charlene dizer que está com Wilson. Giane arma para que Malu flagre Bento e Amora juntos. Malu vê Amora e Bento se beijando.

Paloma acredita que Bruno tenha roubado sua filha. Amarylis aconselha Paloma a esperar Paulinha se recuperar da cirurgia para anunciar que é a sua mãe. Márcia manda fazer documentos falsos para Atílio. Nicole descobre que tem uma doença muito grave.

José e Rafael arrumam o carro de Cirilo. Maria Joaquina dá a Miguel um envelope para Cirilo com seu laço dentro. Jorge atrapalha Cirilo, que bate o carro. Um corredor misterioso, “Senhor D”, ajuda o garoto. O painel de Jorge queima e Cirilo o ultrapassa. Cirilo chega em primeiro lugar.

François diz a Rosália que ela não vai destruir o casamento de seu amigo. Júlio César diz a Vitor Hugo que seu filho com Pérola nasceu morto e revela que ambos traíram seus cônjuges. Pérola pede uma cópia dos exames de Júlio César para François.

Lipe sofre bullying na escola. Ester tenta explicar a Cassiano que voltou para a mansão por causa de Laurinha. Amaralina diz a Rodrigo que é neta de Duque, mas que ele não sabe da descoberta. Isabel e Mantovani descobrem que os quadros do acervo da família Albuquerque são roubados.

Malu vai embora sem ser vista. Renata mostra a Lara o vídeo de Tito. Com o chá de Barrabás, Vitinho se cura de sua obsessão por Bárbara. Natan afirma que Amora precisa terminar com Bento e reatar com Maurício. Bento procura Malu. Tito atropela Renata intencionalmente.

Ninho e Bruno se enfrentam. Ninho afirma que não vai desistir de Paloma. Lutero falha no centro cirúrgico e Jacques termina a cirurgia de Paulinha. César dá um carro para Aline. Félix descobre que Paulinha é a filha de Paloma. Paloma se recusa a falar com Bruno.

Maria Joaquina se revela como o piloto misterioso. Suzana vai ao colégio e manda para os pais dos alunos uma foto do beijo de Helena e Renê do computador de Olivia. Suzana tenta convencer Olívia a desistir de achar o culpado pelo e-mail e sugere que ela puna Helena e Renê.

Édison diz a Xepa que Rosália destruiu a família de Marcos. Pérola ameaça demitir François e exige os exames de Júlio César. Dafne diz a Graxinha que vai ser a nova estrela da “Sabor e luxo”. François pede a Pérola a vice-presidência.

Alberto diz que o avô é acusado de roubo de obras de arte. Isabel diz a Dionísio que confiscará seus quadros para averiguação. Isabel diz a Taís que a relação com Mantovani é profissional. Samuca mostra a Ester a chave do elevador da mansão, que leva a um cômodo escondido da casa.

Tito foge pelas ruas de São Paulo. Bento conversa com Malu. Wilson pensa em se casar com Charlene. Dorothy, Kevin e Luz aceitam manter segredo sobre o envolvimento de Amora e Bento. Lara marca de se encontrar com Tito e o denuncia. Bento entrega a Amora o postal de Simone.

Félix se revolta com o resultado do exame de DNA de Paloma. Valdirene é presa. Félix revela a Edith que sumiu com o bebê de Paloma quando a criança nasceu. Félix estranha quando César chega tarde em casa. Tamara induz o genro a se livrar de Paulinha.

Olívia demite Renê. Suzana entra na sala de Olivia com Valéria, mas se surpreende ao ver Helena. Valéria diz que Suzana é a culpada pelo email. Valéria liga o microfone da sala e todos ouvem as revelações de Suzana, que é demitida. As crianças dizem que Renê e Helena não irão embora.

Rosália comemora ao encontrar a escritura do terreno em seu nome e descobre que Esmeraldino retornou ao lar depois de ter abandonado a família. Feliciano pede os exames de Júlio César e fica frustrado ao ver o envelope vazio.

Ester se emociona com a declaração de Cassiano. Cristal decide ir à Vila dos Ventos. Mila desmarca o encontro com Hélio. Mantovani e Taís se beijam. Juliano pede Natália em casamento e Doralice fica arrasada. Ester encontra a chave do elevador e fica pasma com o que vê no esconderijo.

Fabinho marca um encontro com Irene. Amora se recusa a falar sobre Simone e rasga o postal que recebeu. Amora convence Bento a manter seu namoro escondido. Douglas faz uma declaração para Giane. Charlene arruma Giane. Malu enfrenta Amora. Fabinho reencontra Irene.

Félix troca a medicação de Paulinha por água. Paulinha passa mal e Lutero aumenta a dosagem da medicação. Márcia tira Valdirene da delegacia. Félix conta para Tamara o que fez contra Paulinha. Paloma acorda enquanto Paulinha é levada para a UTI.

Helena e Renê levam as crianças à sorveteria para comemorar o fim das aulas. Suzana promete se vingar. José, Paula e Cirilo chegam à casa nova. Miguel diz a Alberto que Jorge pagou dois amigos para sabotar o carro de Cirilo. Cirilo avisa a Maria Joaquima que será seu novo vizinho.

Rosália pergunta por Esmeraldino ao senhor no terreno. Xepa fica feliz ao saber que Dorivaldo está livre e pede que Benito faça a entrega das frutas para Meg. Matilda, com medo de perder as eleições, pede que Dafne dê seu apoio como Mulher Tutti-frutti.

Ester encontra objetos roubados e conta a Samuel que Alberto e Dionísio planejam levar as relíquias para o exterior. Amaralina pede que Duque compre um bugue para ela se associar a Ester e Taís. Isabel e a polícia federal entram na casa de Dionísio com um mandado de busca.

Irene estranha a reação de Fabinho. Malu discute com Amora por causa de Bento. Bento vê a foto da campanha que Amora fez com Maurício. Maurício afirma que se casará com Amora. Renata acorda e é recebida por Érico. Bento fala para Maurício que está com Amora.

Paloma é sedada para se manter no CTI. Ordália é impedida de cuidar da neta. Leila exige que Thales se case com Nicole. Ninho suspeita de que Paulinha seja sua filha. Bruno se desespera com a possibilidade de perder Paulinha.

Não há exibição.

Não há exibição.

Globo 18:00

Globo 19:00

«AMOR À VIDA» Globo 21:00

«CARROSSEL» RECORD 20:30

«DONA XEPA» RECORD 22:10

SEGUNGA-FEIRA Lia avisa a Raquel sobre o sumiço de Tatá. Ju diz a Lia que a irmã dela foi vista no banheiro do Quadrante. Mathias a autoriza a pular o muro da escola. Lia e Severino resgatam Tatá. Clotilde reclama sobre o som da festa de Fatinha e a menina é levada à delegacia por desacato à autoridade. TERÇA-FEIRA Não haverá exibição.

QUARTA-FEIRA Não haverá exibição.

QUINTA-FEIRA Os policiais levam Fatinha para a delegacia e Bruno a acompanha. Gil propõe se mudar para Nova York com Ju. Olavo tira Fatinha da delegacia. Fatinha e Bruno assistem ao vídeo que Orelha fez do casamento deles e descobrem que o guru que celebrou a cerimônia era um impostor. SEXTA-FEIRA Fatinha se sente ofendida por Bruno ter escolhido um guru falso para celebrar o casamento dos dois e decide sair de casa. Tizinha termina o relacionamento com Nélio. Pilha, Fatinha e Lia se preparam para abrir o show de Naldo. Fatinha e Naldo dançam juntos. Bruno invade o palco no meio do show. SÁBADO Não há exibição.


6

THAIS BRITTO

P

revista da

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

aulo Gustavo não para. Em cartaz no teatro em São Paulo com “Hiperativo”, ele se prepara para lançar a versão cinematográfica do monólogo “Minha mãe é uma peça”, na próxima sexta-feira, e poderá ser visto como o protagonista de “Vai que cola”, aposta humorística do Multishow que estreia em 8 de julho. E segue no ar no mesmo canal com a 4ª temporada do “220 volts”, programa de esquetes criado por ele. Seria o auge da carreira do comediante? - Estou vivendo um momento de muito trabalho, realmente. Mas essa coisa de falar que está no auge eu não gosto. Porque auge é uma coisa que acaba. Eu não quero sair do auge nunca mais! E ainda significa que daqui a pouco pode aparecer um abismo sinistro, né? Deus me livre! Se depender de esforço, o tal abismo não virá. Paulo conta que sempre ralou em todas as funções para colocar seus projetos na rua. Mas agora experimenta algo diferente em “Vai que cola”, o primeiro trabalho do qual não participa do texto e da concepção. Mas o ator tem liberdade para dar opinião no programa - de autoria de Leandro Soares, roteiro de Rosana Hermann e Renato Fagundes, Fil Braz e Gabriella Mancini, e produção da Conspiração Filmes. - Quando chega o texto para mim, gosto de colocar na minha embocadura. Mas faço com o aval dos autores. Na primeira reunião, eles já disseram: “Fica à vontade para mudar o texto, colocar a sua graça. Nós te adoramos e por isso te convidamos”. Então, fico tranquilo. Desde o início participei na hora de convidar o elenco, pude escolher amigos, pessoas com quem eu queria trabalhar. Comédia precisa de um entrosamento legal. Na trama, Paulo vive Valdomiro, um malandro que se enrola numa falcatrua e, para fugir da Polícia Federal, se esconde numa pensão no Méier, administrada por Dona Jô (Catarina Abdala). Lá terá que conviver com tipos como o estranho Sr. Wilson (Fernando Caruso); o zelador Ferdinando (Marcus Majella),

preguiçoso e fã de Barba Streissand; a fogosa Terezinha (Cacau Protásio); o casal Jéssica (Samantha Schmutz) e Máicol (Emiliano D’Ávila); e a farsante Velna (Fiorella Matheis), uma brasileira que se finge de gringa. Os episódios são gravados com uma plateia de 200 espectadores no HSBC Arena, na Barra. E um palco giratório revela os vários cenários com a agilidade necessária para a gravação com público. Em época de homenagens ao “Sai de baixo”, a óbvia comparação não incomoda Paulo. - A gente adora. Inclusive, como estou em cartaz em São Paulo, sempre volto ao Rio na última ponte aérea do domingo com o Miguel Falabella. A gente até já reserva as poltronas um do lado do outro para vir fofocando. E estou adorando trocar ideia com ele sobre fazer TV com plateia. O “Sai de baixo” é uma referência para todo mundo. E essa experiência está sendo legal porque sou um cara que veio do teatro. Ter aquela plateia que anima dá um gás e, ao mesmo tempo, ter o recurso de poder voltar e gravar de novo se errar é ótimo. É o melhor do teatro com o melhor da TV - observa. A essas experiências no teatro e na TV, Paulo poderá adicionar o cinema. O filme “Minha mãe é uma peça” vem, segundo ele, coroar uma história que surgiu meio despretensiosamente há sete anos: O espetáculo surgiu porque eu tinha que trabalhar. Minha família morria de rir quando eu imitava minha mãe e minha avó e, a partir daí, criei a personagem da dona Hermínia. Fiz um texto de oito minutos para participar de uma outra peça e deu tão certo que pensei em fazer o monólogo. Estreei em 2006 num teatro em Niterói, de 100 lugares, com ingressos a 8 reais. O cenário eu parcelei em sete vezes, o figurino peguei emprestado... E virou isso tudo - relembra Paulo, dizendo ainda que a peça já teve mais de 1 milhão de espectadores. Enquanto na peça dona Hermínia passa o dia sozinha em casa revelando a angústia, a solidão e a saudade dos filhos, no filme vemos a personagem refletindo sobre a própria vida e relembran-

« CAPA »

4

vezes comédia

Paulo Gustavo estará em ‘Vai que cola’, programa no Multishow, onde já estrela ‘220 volts’; segue em cartaz no teatro e leva o espetáculo ‘Minha mãe é uma peça’ aos cinemas a partir de sexta-feira

Planos Paulo Gustavo tem três novos projetos engatilhados

do o que fez para criar os filhos. Apesar de ser uma comédia, Paulo diz que, nas sessões para convidados, todo mundo saiu chorando. A mãe de Paulo Gustavo, Déa, também chorou. - A peça é um jeito de eu homenagear a minha mãe. Mas é claro que ela não é exatamente igual à dona Hermínia. Todo autor coloca alguma coisa de sua vida nos personagens. E, nesse filme, eu pus muitas situações pelas quais passei com a minha mãe. Ela já foi me buscar na boate de camisola; eu e minha irmã já fizemos várias cagadas com ela. Mas não é autobiografia. Ela se sente duplamente emocionada, tanto pela homenagem quanto por eu ter construído tudo isso. Ela quase morreu do coração quando viu o filme!

Mesmo com tanta coisa acontecendo ao mesmo tempo, Paulo já tem uma série de projetos engatilhados: está no elenco de uma cinebiografia sobre a irmã Dulce, vai dirigir Samantha Schmutz em um programa dela para o Multishow e ainda vai estrelar outra atração no canal. Durante três meses, uma equipe acompanhará todos os momentos da turnê do espetáculo “Hiperativo” pelo Brasil, e o resultado será um programa previsto para abril. Com todo esse turbilhão, a pergunta que não quer calar é: como outros comediantes, Paulo, que participou da minissérie “Divã” (em 2011, na Globo) também pretende trilhar um caminho rumo à TV aberta? - Não tenho medo de ir para

a TV aberta. Recebo convites to da hora e não vou porque não te nho tempo. Claro que a TV a ca bo dá mais liberdade. E o Mul tishow me abriu uma porta qu ninguém nunca havia aberto an tes. Não posso esquecer isso. A TV aberta vai ser uma coisa na tural, daqui a pouco eu vou. Von tade eu tenho e as pessoas de l também, tenho certeza. Mas a cho que é preciso esperar o mo mento certo. Não tenho pressa Pressa ele tem é para se des pedir, porque já está na hora d ensaio de “Vai que cola”. - Olha, bota bem grande minha foto, bem bonito, bem Cauã Reymond. Não tenho tem po para pegar ninguém, entã coloca a melhor foto para as pes soas correrem atrás de mim diz, rindo.


revista da

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

7

LEO MARTINS FOTOS DE DIVULGAÇÃO

Personagens

IVONETE.

Personagem do programa do Multishow, ela é alegre e samba por aí

MÃE D.

Hermínia teve público de 1 milhão no teatro e está em ‘220 volts’

RICA.

FOGOSA.

De 220 volts’, a Senhora dos Absurdos é uma crítica social

Mulher Feia é bem fogosa, também de “220 volts” LEO MARTINS

Teatro filmado

ebo convites tou porque não teo que a TV a cardade. E o Muluma porta que havia aberto anesquecer isso. A r uma coisa nauco eu vou. Vonas pessoas de lá certeza. Mas ao esperar o moo tenho pressa. m é para se desestá na hora do que cola”. bem grande a m bonito, bem Não tenho temninguém, então foto para as pesatrás de mim -

Não tenho medo de ir para a TV aberta. Recebo convites toda hora e não vou porque não tenho tempo. Claro que a TV a cabo dá mais liberdade. E o Multishow me abriu uma porta que ninguém nunca havia aberto antes”

O cenário giratório é a base conceitual do “Vai que cola”, série de humor que o Multishow estreia dia 8 de julho às 22h30m. Christian Machado, gerente de produção artística do canal, queria “uma coisa que não parasse”, nas palavras de César Rodrigues, um dos diretores da atração. A partir daí, ele entrou em cena ao lado de João Fonseca, o outro diretor, para construir o restante do programa. Com 40 episódios e formato de sitcom, “Vai que cola” narra o cotidiano dos moradores de uma pensão na Zona Norte do Rio. A novidade, explicam os diretores, está no uso dramatúrgico que se faz da plateia. - O tempo inteiro a gente buscou conciliar essa presença e transformá-la num personagem do programa. Mais do que figuração ou elemento cenográfico, ela tem presença na dramaturgia. A gente assume, para a pessoa que está assistindo na TV, que aquilo ali também é teatro, usando às vezes até contraplanos da relação da cena com a plateia. Mas não é aquela coisa de gravar as pessoas rindo ou aplaudindo e inserir entre cenas. É a reação àquela cena específica. Porque aí quem está em casa se vê na mesma situação e se identifica - detalha Rodrigues. Transferir a experiência do público que assiste à gravação para aquele que está acompanhan-

do pela TV é o maior desafio da dupla. Mas a escolha do elenco facilitando um pouco o trabalho, diz Rodrigues:É uma das coisas mais antigas da TV fazer essa sensação do ao vivo. O que existe é a reunião de talentos. Esse tipo de formato só dá certo de fato porque é a junção de atores talentosos, com um carisma incrível. E para os atores, também, a plateia só ajuda. - Eles ficam acesos com a plateia. É uma adrenalina muito diferente. E é ótimo ter esse retorno imediato. Estamos gravando com tanta antecedência e, na hora, já sabemos o que funciona ou não. Ajuda a definir o caminho que vamos seguir com o programa, com os personagens. A gente vai descobrindo a série com a plateia. Já temos um “Ibope” instantâneo. E eles são muito sinceros: quando não acham graça, não riem mesmo - conta Fonseca. O ritmo é intenso, com cerca de cinco episódios gravados a cada duas semanas. O elenco recebe o texto num dia e já grava no seguinte. Fazem um ensaio sem figurino, uma gravação só para as câmeras e, por fim, a versão oficial com a plateia. Tudo no mesmo dia. Marcus Majella, que interpreta o zelador Ferdinando, usa de seus expedientes para driblar a falta de tempo: A gente decora uma peça de 40 minutos por dia. Isso aqui é muito doido! Nunca imaginei com conseguiria fazer. Mas a gente se

LEO MARTINS

Química em cena. Paulo Gustavo com Fernando Caruso e com Cacau Protásio no palco da arena onde o programa é gravado

ajuda. E às vezes faz uns esquemas. Num episódio, eu passava 17 páginas de cena atrás do balcão da recepção. Imprimi o texto pequeno e colei ali. Sei bem o que o pessoal do “Saturday night live” faz is-

so. E fiquei ali, sereno, respondendo tudo. Não errei uma - lembra o ator, que também está em “220 volts” e integra o elenco do Porta dos fundos, grupo que faz sucesso com esquetes na internet.


8

revista da

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

DIVULGAÇÃO/RECORD

RECORD/ANTONIO CHAHESTIAN

« ESTREIA »

Sob nova direção Com a saída de Gugu Liberato da Record, Rodrigo Faro leva ‘O melhor do Brasil’ para os domingos e diz que vai buscar seu espaço JAQUELINE FALCÃO

C

om cinco anos de experiência como apresentador de TV, Rodrigo Faro finalmente chegou onde queria: terá um programa dominical. Seu “O melhor do Brasil”, exibido até então nos sábados da Record, estreia hoje, às 15h30m, no lugar do “Programa do Gugu” - que chegou ao fim após a saída de Gugu Liberato da emissora, na semana passada. Com quatro horas de duração, a atração, no entanto, não será ao vivo, e segue no formato gravado. Apesar de ter realizado o maior sonho profissional no que ele considera “em pouco tempo”, Faro está consciente de que vai disputar a audiência das tardes de domingo com comunicadores que acumulam décadas de experiência, como Silvio Santos, no SBT, e Fausto Silva, na Globo. - Estou ansioso, nervoso, não estou nem dormindo direito. Nunca escondi que o meu grande sonho sempre foi apresentar um programa aos domingos, mas não achava que isso fosse acontecer em tão pouco tempo. Estou indo para aprender - explica Faro. O ator e apresentador diz que chega ao novo horário “com humildade” e que quer ser visto como uma nova opção nas tardes de domingo: Vou para um dia no qual a pessoa com menos tempo de TV tem 15 anos. Vou correr atrás, buscar ser um apresentador diferente, como fiz ao longo dos cinco anos no sábado, e que não tem medo de rir, nem de se emocionar. No último dia 7, a Record divulgou um comunicado oficial comentando a saída de Gugu. Depois de quatro anos, o apresen-

tador e a emissora rescindiram o contrato, e ele, agora, se dedicaria a produções independentes. No entanto, já se especula que Gugu vem sendo sondado para assumir uma nova atração em outro canal. Para Faro, a hora é de trabalhar duro. Como a mudança foi inesperada, a equipe do “O melhor do Brasil” não teve tempo de preparar algo especial para a estreia no novo horário, e o público vai assistir, hoje, ao que já iria ver ontem, caso a mudança na grade de programação não tivesse ocorrido. Os novos quadros (o programa já tem 10) que vão estrear já estavam nos planos entre eles, um com a participação de crianças, a terceira temporada do game show “Faça e disfarça”, e um outro no qual o apresentador promete realizar o sonho de fãs, que deve contar com gravações externas. - Recebo, nas redes sociais, pedidos do tipo “Não quero nada na vida, só quero te conhecer”. Então criamos um quadro em que a fã me conhece e ainda realiza algum sonho. Pode ser desde fazer uma cena romântica até ir na cidade onde ela mora, fazer um passeio de charrete. Vou me jogar ainda mais no meio do povo e vamos ver o que vai acontecer - detalha Faro. Se o programa passará ou não por ajustes para se adequar melhor ao novo horário, ele diz, só o tempo dirá. A estreia, acredita Faro, não pode servir de parâmetro. - A avaliação será feita só depois de um tempo. Tem muita coisa em que a gente pode mexer. O programa tem 10 quadros, a gente nunca vai se repetir. A ideia é mesclar. Mas não vamos mexer

Expectativa. Rodrigo Faro diz que chega ao novo horário com humildade e quer ser visto como uma nova opção Adeus. Depois de quatro anos, Gugu Liberato deixou a Record

em time que está ganhando, como o “Vai dar namoro”. Faustão tem a “Dança dos famosos”, e eu tenho o “ “Dança gatinho” - brinca Faro, lembrando um dos grandes hits do programa, no qual, hoje, ele encarna John Travolta e faz um número do musical “Grease - Nos tempos da brilhantina” ao lado de sua mulher, Vera Viel. Consciente de que vai ocupar um horário associado a Gugu, Faro quer evitar comparações com seu antecessor. - Gugu faz parte da história da TV brasileira, e eu estou chegando agora. O que existe é um cara que vai buscar o espaço dele e fazer o possível e o impossível para acertar. Querer me comparar seria arrogante da minha parte. Gugu é um ídolo, dancei no programa “Viva a noite” e tenho até hoje um tênis que ganhei dele. Mas é legal substituir um ícone da TV - diz.

Não é a primeira grande mudança que o apresentador encara: em 2008, a poucos dias da gravação, soube que entraria no lugar de Márcio Garcia, até então à frente de “O melhor do Brasil”? -Eu estava no “Ídolos” e me avisaram, numa quinta-feira, que eu iria apresentar o programa no lugar do Márcio, que tinha voltado para a TV Globo. A gravação já seria na segunda-feira. Foi quase assim de novo. Gugu e Faro ainda não tiveram tempo de conversar, mas o substituto diz que o espera para um bate-papo e que torce por um retorno do apresentador à TV. No entanto, quer imprimir sua marca no novo horário: Domingo é o dia em que a família toda está em casa, reunida, disputando o controle remoto. E tomara que tenha quem brigue pelo controle remoto para ver o Rodrigo Faro.

Eu estava no “Ídolos” e me avisaram, numa quinta-feira, que eu iria apresentar o programa no lugar do Márcio, que tinha voltado para a TV Globo. A gravação já seria na segunda-feira. Foi quase assim de novo” RODRIGO FARO Apresentador


revista da

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

Zean Bravo revistadatv@oglobo.com.br

Filmes de hoje

FOTOS DE DIVULGAÇÃO

Fique de olho John Travolta e Uma Thurman são parceiros em “Pulp fiction - Tempo de violência” (1994), programado pelo Telecine Cult para as 22h de hoje. A dupla volta a se encontrar em “Be cool: o outro nome do jogo” (2004), atração do MGM, às 8h e às 13h.

Como treinar o seu dragão Globo, 12h45 Animação. (EUA, 2010). de Dean Deblois e Chris Sanders. Animação. Soluço vive numa aldeia viking e sente que precisa provar sua valentia ao pai matando um dragão. Mas ele não consegue concluir seu plano e ainda fica amigo do animal que pretendia atingir.

Gatão de meia-idade GATÃO DE MEIA IDADE.

COMER, REZAR, AMAR.

Alexandre Borges interpreta o protagonista

Julia Roberts e Javier Bardem vivem romance

Um grande garoto TNT, 13h50 (EUA, 2001). de Paul e Chris Weitz. Comédia romântica. Autor de “Alta fidelidade”, Nick Hornby já teve três de seus livros adaptados para o cinema. Neste filme, Hugh Grant interpreta Will Freeman, um trintão que vive de renda e precisa ocupar o seu tempo livre. Metido a galã, ele inventa que tem um filho com o pretexto de frequentar reuniões de pais solteiros. Lá, conhece mulheres, mas evita se arriscar em relações mais profundas. O cotidiano de Will passa a ser realmente alterado depois que ele conhece Marcus (Nicholas Hoult), um garoto de 12 anos dono de uma personalidade muito particular.

Canal Brasil, 14h45 Comédia. (Brasil, 2006). de Antonio Carlos da Fontoura. Comédia. Alexandre Borges vive o quarentão do título nesta fita baseada nas tirinhas de Cláudio Paiva. A trama gira em torno das relações do personagens com ex-mulher, a filha adolescente, e suas muitas conquistas.

Gestación TV Brasil, 22h30 Drama. (Costa Rica, 2009). De Esteban Ramírez.. Drama. Jessie (Adriana Alvarez) vive na periferia, mas estuda em uma boa escola por conta de uma bolsa. É no ambiente escolar que ela conhece, se apaixona e engravida de um jovem de classe média alta.

Comer, rezar, amar

UM GRANDE GAROTO. Os atores Nicholas Hoult, Toni Collette e Hugh Grant estão nesta eficiente adaptação do livro do escritor Nick Hornby para o cinema

HBO, 23h50 Drama. (EUA, 2010). DE Ryan Murphy. Drama. Estrelado por Julia Roberts, o filme também é baseado num romance de sucesso, escrito por Elizabeth Gilbert. A atriz vive Elizabeth, mulher que resolve sacudir a vida após duas relações amorosas desfeitas.

PROGRAMAÇÃO TV Brasil 06:30-Sustentáculos 07:00-Palavras de vida 08:00-Santa missa 09:00-Viola, minha viola 10:15-O Brasil tem disso 11:15-Batatinhas 11:20-Senha verde 11:30-Dinosapien 12:00-ABZ do Ziraldo 12:30-Vila Sésamo 13:00-Dango balango 13:30-Batatinhas 13:35-TV Piá 14:00-Anabel 14:15-Carrapatos e catapultas 14:30-Batatinhas 14:35-Meu amigãozão 14:45-Cocoricó na cidade 15:00-Escola pra cachorro 15:15-Batatinhas 15:20-Tromba trem 15:30-Catalendas 15:40-Batatinhas 15:45-Senha verde 16:00-Papo de mãe 17:00-Shamwari 17:30-Samba na Gamboa 18:30-O corpo virtual

9

19:00-América Latina tal como somos 20:00-Conexão Roberto D'Ávila 21:00-No mundo da bola 22:00-Nova África 22:30-Soy loco por ti cinema: "Gestación" 00:15-Curta TV 00:45-Doc TV "Latino América" 01:45-No mundo da bola 02:45-Doc TV: "De barra a barra" 03:45-Curta os curtas: "Barbosa"

Globo

05:45-Sagrado 05:55-Santa missa 06:55-Globo comunidade 07:25-Pequenas empresas 08:00-Globo rural 08:55-Auto esporte 09:30-Esporte espetacular 12:25-Temperatura máxima: "Como treinar o seu dragão" 14:00-Esquenta 15:30-Domingão do Faustão 18:45-Copa das Confederações: Espanha x Uruguai 21:00-Fantástico 23:20-Revenge 00:10-Domingo maior: "Missão Babilônia" 01:40-Compacto Prêmio da Música Brasileira 02:30-Sessão de gala: "Jogo de sedução"

Rede TV

05:55-Ultrafarma 07:55-Igreja Universal 10:00-Campeonato Paulista Sub 20 - São Paulo x Grêmio Barueri 12:00-Deus, médico dos médicos 13:00-Campeonato brasileiro de turismo 14:00-Igreja do Evangelho 14:30-Voz da verdade 14:45-Top therm 15:15-A hora e a vez da pequena empresa 15:30-Super papo 15:45-Top therm 16:15-Transição 16:45-Top therm 17:00-Galinha Morta 17:15-Pague menos 17:45-Video mania 18:30-Ritmo Brasil 19:00-O último passageiro 20:30-Te peguei 21:30-Teste de Fidelidade 23:30-Dr. Hollywood 00:15-É notícia 01:15-Bola na Rede 02:15-Super papo 03:00-Igreja da Graça Nosso Lar

Band

06:00-Igreja Mundial 06:50-Popeye 07:00-Profetizando vida 07:30-Exerça sua fé 08:00-Igreja Batista da Barra 09:00-A informar 09:20-Baixada CAP 10:30-Mackenzie em movimento 10:45-Informecial 11:45-Verdade e vida 12:00-Pé na estrada 12:30-Band esporte clube 14:30-Pré-jogo 15:40-Copa das Confederações: México x Itália 17:50-Pós-jogo 18:40-Copa das Confederações: Espanha x Uruguai 21:00-Pânico na Band 00:00-Canal Livre 01:00-Madrugada de Vida Nova 02:00-Show Mix 02:25-Família Soprano 03:25-O encantador de cães 03:50-Popcorn 04:00-Igreja Mundial

SBT

05:15-Jornal da semana 06:30-Pesca alternativa 07:30-Brasil caminhoneiro 08:00-Aventura selvagem 08:30-Vrum 09:00-Chaves 11:00-Domingo legal 15:00-Eliana 19:00-Roda a roda Jequiti 19:45-Sorteio da Tele Sena 20:00-Programa Silvio Santos 00:00-De frente com Gabi 01:00-True blood 02:00-O mentalista 03:00-Rizzoli & Isles 04:00-Jornal do SBT

Record

06:30-Desenhos bíblicos 08:00-Domingo de prêmios 08:30-Desenhos bíblicos 09:00-Record kids 13:00-Tudo a ver 15:30-O melhor do Brasil 19:30-Domingo espetacular 23:15-Tela máxima


revista da

EM FOCO

COLUNA DO

Clube do assinante

N

Promoções e descontos renovados a cada domingo. ALEXSANDRA BORGES

Promoções válidas de domingo (16/06/13) a sábado (22/06/13), limitadas às quantidades em estoque, somente para assinantes da TRIBUNA.

Pirineus A Pirineus é uma loja especialmente masculina com roupas que vão dos estilos básico ao esporte fino. Lá, você encontra camisas básicas, sociais, polo, moletons, calças, bermudas em jeans, além de cintos, cuecas, carteiras, etc. Esta semana, a Pirineus oferecerá um desconto, exclusivo ao assinante da TN, nas camisas polo “Giovanni Prado”. Shopping Via Direta, loja 209, Lagoa Nova Tel.: 3206.2303 à vista (dinheiro) nas camisas polo “Giovanni Prado”.

ALEXSANDRA BORGES

50%

Maktub A Maktub comercializa artigos indianos e árabes com a qualidade e variedade que você merece! Você irá dispor de roupas de dança do ventre, produtos em aromaterapia, artigos esotéricos e de decoração, todos, excelentes opções de uso pessoal e presentes. Esta semana, a Maktub oferecerá um desconto, exclusivo ao assinante da TN, em todas as roupas indianas. Aproveite! Shopping Via Direta, loja 824, Lagoa Nova Tel.: 3234.1897

50%

à vista (dinheiro) em todas as roupas indianas.

■As promoções publicadas na Coluna do Clube do Assinante são exclusivas para assinantes da TRIBUNA DO NORTE, PESSOAS FÍSICAS. ■Desconto não acumulativo. ■ Para ter direito à promoção, o assinante deverá apresentar a carteira do Clube e a Identidade no ato da compra. ■Contatos para credenciamento: Depto. de Marketing. Tel. 4006-6100, R. 6262. ■e- mail.mkttn@tribunadonorte.com.br; clube@tribunadonorte.com.br

Beleza fora d’água

as piscinas, o americano Ryan Lochte já bateu recordes e conquistou medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos de Atenas, em 2004, e Pequim, em 2008. Fora delas, acabou desbravando um território pouco explorado por atletas: os reality shows. Considerado um dos homens mais cobiçados dos Estados Unidos, Ryan, de 28 anos, é a estrela de “What would Ryan Lochte do?”, no ar às quartas, no canal E!, às 20h30m. Com o programa, ele conta, sua ideia era mostrar a rotina de treinos e, ainda, um pouco mais de sua personalidade. - Claro que os treinos para as Olimpíadas no Rio, em 2016, são uma grande parte do programa e minha grande motivação para ter um reality show, mas a natação não define quem eu sou. Então o público me vê em encontros com garotas, em festas com meus amigos e com minha louca e maravilhosa família - conta Ryan, por e-mail. O jeito fanfarrão do nadador, que, na TV, disse estar à procura de um romance, causou alvoroço nos EUA. Há quem tenha dito que o moço, além de um partidão, era meio bobo. Acho que as pessoas gostam de procurar falhas nos outros. E só o que elas veem é que pode ser tomado como verdadeiro - reclama. Entre um treino e outro, Ryan admite uma paixonite pela atriz Jennifer Lawrence - “assisti a ‘O lado bom da vida’ e, nossa, ela é sexy!” -, diz que sua técnica de conquista é uma piscadinha e seu sorriso, e que a garota ideal “não tem medo de ser ela mesma”. As fãs parecem tentar se encaixar nesta categoria: Uma vez me pediram para dar um autógrafo em uma batata frita.

DIVULGAÇÃO

10

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013


Liv Brandão e Tatiana Contreiras seriaais@oglobo.com.br

seriais

revista da

SOBE Confirmada a volta de Dan Harmon para “Community”! A série só tem a ganhar com o retorno.

DESCE As legendas das séries do AXN tiveram muitos problemas de sincronia na semana passada. Ainda?

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

« HBO. HOJE, 22:00 »

Irmãos unidos pelo sobrenatural FOTOS DE DIVULGAÇÃO

U

m tem 22 anos. O outro, 36. Em comum, além do sobrenome difícil (e, vamos combinar, da bela estampa), eles têm o apreço pelo sobrenatural - pelo menos nas telas. Com a estreia da sexta temporada de “True blood” hoje, na HBO, em transmissão simultânea com os Estados Unidos, Bill e Alexander Skarsgård estarão no ar ao mesmo tempo: o primeiro no terror “Hemlock Grove”, série original da Netflix, como o jovem Roman, dotado de poderes só revelados no fim da temporada; e o segundo na atração criada por Alan Ball, na pele do nórdico vampiro Eric. A árvore genealógica da família tem os dois pés no mundo artístico. O pai de Alexander e Bill, Stellan Skarsgård, foi visto recentemente nos cinemas em “Os vingadores” (2012), na pele do cientista Selvig, e em “O homem que não amava as mulheres” (2011). Dos oito filhos de Stellan (em dois casamentos), quatro são atores: Alexander, Bill, Gustaf e Valter. Outro membro do clã, Sam, já trabalhou como dublê de corpo e assistente de produção. - Quatro de nós são atores. É divertido, é bom ter alguém da família que entende o que você está fazendo quando você está atuando. Não importa o quão difícil seja. Quando eu volto para casa, sempre encontro apoio - diz Bill, ressaltando a única “coisa chata” da situação: Quero me estabelecer por conta própria, ser reconhecido pelas minhas

BILL

atuações sem ser comparado o tempo todo com meu pai ou meus irmãos. Mesmo longe, Alexander acompanha a carreira da família. O ator conta que tenta se manter ligado ao máximo a suas origens na Suécia, terra natal dos Skarsgård: Tento acompanhar o que rola lá em casa, pela internet, o que acontece diariamente na Suécia. Acompanho meu time de futebol, lá de Estocolmo... Isso é importante para mim, é grande parte do que eu sou, da minha cultura. Passei um fim de semana lá depois de meses, estava desesperado para ir para casa. As pessoas sempre me falam sobre os eventos, os livros e as bandas do momento na Suécia. Então, quero saber de tudo para quando chegar lá ter pelo menos uma ideia do que todos estão estão falando. Nos EUA, meus amigos

ALEXANDER

americanos viram suecos honorários. Gosto de cozinhar para eles. No fim da quinta temporada de “True blood”, que apresentou a Autoridade Vampira, com um pé no fundamentalismo, Bill (Stephen Moyer) se tornou uma criatura maligna. Nos novos episódios, com a temporada de caça aos vampiros aberta pelo governador da Luisiana, Truman Burrell (Arliss Howard), Eric terá de lutar contra as ações antivampiros em Bon Temps e, ainda, ficar de olho no possuído Bill. Fora de cena, a relação entre os atores é das melhores. - Stephen é um dos meus melhores amigos - garante o ator. Bill Skarsgård também acompanha de perto o trabalho do irmão. Em “Hemlock Grove”, criação de Eli Roth (de “O albergue”), seu personagem,

11

Roman, é de uma família rica e poderosa e que manda na cidade. Classificado pelo ator como “um desses jovens arrogantes e mimados”, Roman vive entediado. A partir da chegada de Peter Rumancek (vivido por Landon Liboiron), o rapaz passa a lutar contra seu lado sombrio e tenta desvendar os assassinatos que acontecem por lá. - Adoro “True blood”, vi todos os episódios, mas “Hemlock Grove”, apesar de ter o mesmo tema, é bem diferente. Sim, as duas séries são sobrenaturais, têm sangue e sexo, mas as histórias são bem diferentes - acredita Bill, que entende o sucesso de tipos mais desajustados na TV: - Anti-heróis fazem sucesso, basta dar uma olhada na maioria das séries no ar atualmente. Esses personagens geralmente são mais interessantes. Ninguém quer ver um vilão completo ou um mocinho perfeito: as duas opções são entediantes, já que o mundo é bem mais complexo que isso. Para uma série funcionar por horas e horas e horas, ela precisa ser complexa e os personagens têm que ser mais próximos da realidade. Bill e Alexander já vieram ao Brasil. Em 2011, Stellan, pai dos rapazes, passou dois meses gravando a minissérie “Rouge Brésil”. Alexander fez sucesso: reconhecido a cada esquina, passeou por Copacabana e até assistiu a um show no Circo Voador, em plena Lapa, no Rio de Janeiro. - Vou ao Coachella (festival musical na Califórnia) todo ano. Não me abordam muito, as pessoas normalmente estão focadas no palco, né? Mas sim, fui ao show do Cut Copy no Circo Voador quando estive no Brasil, eles são ótimos. De fato, nesse show me reconheceram um bocado - diz, entre risos. - Mas se uso boné raramente percebem quem eu sou.

Estreia, parte I

Despedida

A quarta temporada de “NCIS: Los Angeles” estreia hoje, às 20h, no A&E. Nos novos episódios, os agentes especiais Callen (Chris O’Donnell) e Hanna (LL Cool J.) seguem lutando contra o crime. Seus talentos são postos à prova quando eles têm de assumir personalidades diferentes para investigar casos complicados - e se passam até por encantadores de cachorros.

O nono ano de “Grey’s anatomy” chega ao fim amanhã, às 21h, no Sony. O canal exibe na sequência os dois últimos episódios da temporada, que termina com a vida do bebê de Meredith (Ellen Pompeo) em risco.

Estreia, parte II Ainda no A&E, hoje é dia de outra estreia: a inédita “Longmire”, às 22h. Baseada na série de livros de mistério escrita por Craig Johnson, a série traz Robert Taylor como Walt Longmire, o incorruptível xerife de Absaroka County, no estado americano do Wyoming. Viúvo, ele tenta reconstruir sua vida por meio do trabalho.

Na agenda O GNT comprou os direitos de exibição de “Parenthood”, estrelada por Peter Krause e Lauren Graham. O canal exibe a primeira temporada a partir de 6 de agosto, às 22h30m.


Igor Fidalgo igor.fidalgo@oglobo.com.br

o que vem por aí

12

revista da

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

Vizinhos do barulho

CENA VIRTUAL DEU NA TV E FEZ SUCESSO NA INTERNET VEJA OS VÍDEOS EM oglobo.com.br/revistadatv

O

s Silva Carrara ganham novos vizinhos nesta quinta em “A grande família” (Globo, 22h20m): a escandalosa corretora Sônia, interpretada por Julia Lemmertz, e seu marido, o sossegado advogado Raul, vivido por Chico Diaz. - Sônia e o marido brigam muito. Como Nenê (Marieta Severo) está na fase de assistir a uns filmes de assassinato, ela acha que o casal vizinho remete às histórias dos filmes, e que Raul vai matar a mulher por causa das brigas - adianta Julia. Diaz se diz feliz por voltar a trabalhar com a equipe da série. - É um programa muito bem cuidado - elogia o ator. FOTOS: DIVULGAÇÃO

Olhaaaa!!! Luciana Gimenez participou do programa americano “The view” ao lado de Whoopi Goldberg e Barbara Walters e foi apresentada como a “Oprah Winfrey do Brasil”.

Despedida curta Após quatro anos na Record, Gugu fez uma despedida de um minuto no seu último programa. Agradeceu à emissora, aos colegas, à plateia e ao público. Simples assim.

Riso garantido

Doc inédito

Ingrid Guimarães é a convidada do segundo dos quatros episódios de “Sai de baixo” produzidos em comemoração aos três anos do canal Viva (terça, 20h30). Ela vive Henriqueta do Rego Amado, uma fazendeira de Goiás que fica noiva de Caco Antibes (Miguel Falabella). O malandro assumirá o compromisso com a moça ainda estando casado com Magda (Marisa Orth).

Quinta é o Dia Mundial do Surfe e, para comemorar, o OFF exibe o documentário “The ultimate wave Tahiti” (às 23h). A estrela é Kelly Slater, 11 vezes campeão mundial da modalidade. O surfista leva a prancha para Teahupoo, no Taiti, um dos picos mais perigosos do mundo.

Chá da tarde

Show da caloura Uma ex-participante do “Britain’s got talent” roubou a cena na final do programa: atirou ovos no odiado jurado Simon Cowell como protesto.

No “ABZ do Ziraldo” (hoje, TV Brasil, 16h), o cartunista recebe a imortal da Academia Brasileira de Letras Nélida Piñon, que fala, entre outras coisas, sobre “A roda do vento”, seu livro de estreia para o público infantojuvenil.

Reta final O reality show “Dance moms”, que mostra a preparação de pequenas bailarinas para competições - e suas mães que azucrinam a coreógrafa Abby Lee - chega ao penúltimo capítulo (hoje, Bio, às 22h).


NO FACEBOOK

Confira o ensaio de moda feito para a coluna Glam, registrado por George Azevedo. facebook.com/tribunarn

ASTROLOGIA

CULTURA

PÁGINA 6

PÁGINAS 6 E 7

Lua crescente em Virgem promete desafios à economia e à política.

Há 50 anos surgia, em Londres, a beatlemania, fenômeno pop que mudou a música jovem.

SPOK E CAPITÃO KIRK ESTÃO DE VOLTA EM MAIS UMA AVENTURA DA SÉRIE ‘STAR TREK’• PÁGINA 7

PAULO COELHO

Confira uma autobiografia transcrita pelo colunista em cinco parágrafos. PÁGINA 2

tnfamília Editor: Isaac Ribeiro [tnfamilia@tribunadonorte.com.br]

Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 16 de junho de 2013

Terapias

corporais ISAAC RIBEIRO repórter

Q

ADRIANO ABREU

uando vamos a um consultório médico, quase sempre saímos munidos de amostras grátis de remédios ou com receitas para outros tantos. Mas se você é alérgico ou avesso à alopatia, seja lá qual for o motivo, é bom saber que existem terapias complementares para quase todo tipo de problema, seja massagem, acupuntura e até mesmo hipnose. Até bem pouco tempo atrás poderia soar inusitado ser hipnotizado para evitar o sobrepeso e a obesidade. Mas o método da hipnoterapia ericksoriana é capaz de investigar nossa mente e descobrir relações entre alimentação e afeto, traumas com origens remotas, até mesmo do tempo da amamentação. A acupuntura pode ser uma importante ferramenta contra o tabagismo. A milenar técnica das agulhas ajuda a minimizar a ansiedade gerada pela abstinência ao cigarro, tornando mais suportável a ausência da nicotina no organismo. E que tal uma massagem ca-

Yoga massagem ayurvédica para combater fibromialgia e síndrome do pânico; acupuntura contra o vício em cigarro; hipnose contra o sobrepeso e a obesidade. Técnicas milenares agem de forma inusitada paz de gerar benefícios ósseomusculares, ampliar a capacidade respiratória e ainda relaxar? A yoga massagem ayurvédica é assim e possui propriedades terapêuticas para combater problemas como asma, bronquites, estresse, depressão, insônia, síndrome de pânico e até mesmo as dores da fiblomialgia. Criada pela indiana Kusum Modak, há mais de trinta anos, na Índia, a técnica funde deslizamentos e amassamentos da massagem tradicional com posturas e torções da yoga, com fo-

co na circulação sanguínea, respiração e energia vital. É considerada uma das mais completas terapias corporais. A jornalista e terapeuta corporal paulista Alda Martinelli esteve em Natal lançando, na última sexta-feira, o livro “Yoga Massagem Ayurvédica – A Transformação pelo Toque”, onde faz uma introdução aos resultados transformadores obti-

dos com a técnica, descreve os principais movimentos, traz informações históricas e ainda relata experiências vividas na Índia e o que aprendeu com Kusum Modak. Em tempo: Alda Martinelli é a única brasileira autorizada pela criadora da yoga massagem ayurvédica a lançar um livro sobre o tema. A autora conta sempre ter tido dores pelo corpo, provenientes de uma fibromialgia, sofrer de escoliose, além de ser uma pessoa agitada. Tudo mudou depois de receber pela primeira a massagem. “Foi um benefício estonteante no meu corpo.” A massagem dura de 1h a 1h15, dependendo do problema. É feita com o uso de óleos aromáticos e de um pó chamado vecante. “Achei importante fazer o livro para normatizar, para que todo mundo falasse a mesma língua.”

ì O QUÊ É possível tratar doenças crônicas ou não, sem o uso de medicamentos, através de técnicas milenares, como massagens e acupuntura.

QUEM Métodos são aplicados por profissionais como terapeutas corporais e psicoterapeutas.

+

PÁGINA 3

Benefícios para corpo e alma.


2

tn família

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

« PAULO COELHO » Biografia em 5 parágrafos Adaptado de um texto de Portia Nelson (em “Stories for the Heart”):

E

u caminho pela rua. Existe um buraco na calçada. Eu estou distraído, pensando em mim, e caio lá dentro. Sinto-me perdido, infeliz, incapaz de pedir ajuda. Não foi minha culpa, mas de quem cavou aquele buraco ali. Eu me revolto, fico desesperado, sou uma vítima da irresponsabilidade dos outros, e passo muito tempo lá dentro. Eu caminho pela rua. Existe um buraco na calçada. Eu finjo que não vejo, aquilo não é meu problema. Eu caio de novo lá dentro. Não posso acreditar que isto aconteceu mais uma vez, devia ter aprendido a lição, e mandado alguém fechar o buraco. Demoro muito tempo para sair dali. Eu caminho pela rua. Existe um buraco calçado. Eu o vejo. Eu sei que ele está ali,

porque já caí duas vezes. Entretanto, sou uma pessoa acostumada a fazer sempre o mesmo trajeto. Por causa disso, caio uma terceira vez; é o hábito. Eu caminho pela rua. Existe um buraco na calçada. Eu dou a volta em torno dele. Logo depois de passar, escuto alguém gritando – deve ter caído naquele buraco. A rua fica interditada, e eu não posso seguir adiante. Eu caminho pela rua. Existe um buraco na calçada. Eu coloco tábuas em cima. Posso seguir meu caminho, e ninguém mais tornará a cair ali.

Rumo à feira de livros de Chicago Eu estava indo de New York para Chicago, rumo a feira de livros da American Booksellers Association. De repente, um rapaz fica em pé no corredor do avião: - Preciso de doze voluntários - disse. -

“Eu caminho pela rua. Existe um buraco na calçada. Eu finjo que não vejo, aquilo não é meu problema. Eu caio de novo lá dentro. Não posso acreditar que isto aconteceu mais uma vez, devia ter aprendido a lição, e mandado alguém fechar o buraco. Demoro muito tempo para sair dali.”

Cada um vai carregar uma rosa, quando aterrissarmos. Várias pessoas levantaram a mão. Eu também levantei, mas não fui escolhido. Mesmo assim, resolvi acompanhar o grupo. Descemos, o rapaz apontou para uma moça no saguão do aeroporto de O’Hare. Um a um, os passageiros foram entregando suas rosas para ela. No final, o rapaz pediu-a em casamento na frente de todos - e ela aceitou. Um comissário de bordo comentou comigo: - Desde que trabalho aqui foi a coisa mais romântica que aconteceu neste aeroporto.

Da essência do perdão Um dos soldados de Napoleão cometeu um crime – a história não conta qual – e foi condenado à morte. Na véspera do fuzilamento, a mãe do soldado foi implorar para que a vida de seu filho fosse poupada. - Minha senhora, o que seu filho fez não

merece clemência. - Eu sei – disse a mãe. – Se merecesse, não seria verdadeiramente um perdão. Perdoar é a capacidade de ir além da vingança ou da justiça. Ao ouvir estas palavras, Napoleão comutou a pena de morte em exílio.

O direito de escolha O Dr. Victor Frankl, sobrevivente do campo de concentração de Auschwitz, escreveu no seu diário: “Aqueles que viveram nestes lugares de morte conseguem ainda se lembrar que, durante a noite, alguns dos que estavam ali iam de barraca em barraca, confortando os mais desesperados, e muitas vezes oferecendo um pedaço de pão ou de batata que havia sobrado. “Poucos eram capazes de agir assim, mas estes poucos davam a todos a maior das lições: pode-se tirar quase tudo de um homem, menos sua liberdade de escolher - não importa em que circunstâncias - a maneira como acham que devem agir”.

MÉDICO E PROFESSOR DA UFRN - BOUCINHAS_JC@HOTMAIL.COM

(PSICÓLOGA)

« JORGE BOUCINHAS »

« ANDREIA CLARA GALVÃO »

Disbiose? Que é isso?

C

om freqüência, embora ainda não a desejável, tem ressurgido na imprensa, seja leiga seja especializada, o termo “disbiose”. Na verdade alguns setores médicos ainda franzem um pouco a testa, especialmente por a princípio ter reaparecido no seio da comunidade dita “alternativa” mas os trabalhos da, ainda não totalmente referenciada mas indiscutivelmente moderna, Medicina Ortomolecular têm contribuído muito para comprovar a alta significação que tem seu estudo. Apesar de pensar-se, geralmente, nos micróbios como seres estranhos e afastados de nós, humanos, o fato é que temos em nosso interior, especialmente no interior do intestino grosso, imensas quantidades de bactérias e fungos. Dentre eles há os que apenas aproveitam os restos alimentares e não causam benefícios nem malefícios (são os ditos saprófitas), há os verdadeiramente benéficos (como os lactobacilos de coalhadas e iogurtes, e os sacaromicetos, os quais podem sintetizar importantes vitaminas, como, por exemplo, a K, a B6 e a PP) e há os que podem transformar-se em patogênicos, causando doenças. Em condições usuais há um relativo equilíbrio entre estes grupos, mas certos fatores podem levar a uma alteração desta situação, ocasião esta em que as bactérias nocivas podem ganhar terreno. E elas, em sua multiplicação, podem colonizar intensamente até o intestino delgado, usualmente pobre em bactérias. Quando isto ocorre, podem ser formadas toxinas, que são absorvidas para o sangue, bem como pode haver sérias irritações das paredes intestinais. É a isto que se denomina “disbiose”. Quanto às suas causas, várias são possíveis, e algumas, a principais, serão aqui revistas. Nos tempos que correm provavelmente a primeira, em termos de freqüência, é representada pelo uso de antibióticos durante longo tempo. Estes, principalmente os chamados de “amplo espectro”, quer estejam sendo usados para infecções intestinais quer para as de outros lugares do corpo, podem ter efeitos devastadores sobre a flora do cólon. Também a constipação intestinal crônica, a famosa “prisão de ventre”, é importante causa, pois a parada das fezes no intestino grosso propicia maior proliferação bacteriana e sua conseqüente disseminação para o delgado. Não de desprezar é a possibilidade de aparecimento de fraca acidez estomacal, especialmente em velhos e em alguns diabéticos, pelo que bacté-

Pelos caminhos dos romances

rias nocivas podem ocasionalmente adentrar o trato digestivo a partir da boca. Quanto à importância da “disbiose” para a saúde, suas conseqüências podem ser várias. Diarréias e constipação intestinal são das primeiras a serem citadas, mas a presença de gases intestinais em excesso é freqüentíssima, com grande meteorismo (barulhos dos gases abdominais a se mexerem), por vezes com acompanhamento de cólicas fortes ou fracas. Há a ocorrência de dificuldades de digestão, pelo que surgem sintomas que podem ir de um simples mal estar, com sensação de barriga sempre cheia de comida indigerida, até a perdas de peso por redução da adequada absorção dos alimentos ingeridos. Outro importante acompanhante dela é o aparecimento de alergias alimentares, que é devida ao aumento da permeabilidade da parede intestinal, com penetração de moléculas protéicas inteiras oriundas de um ou outro alimento, o que sensibiliza o organismo com relação ao mesmo. Acrescente-se ainda a recente descoberta de que a alteração da flora faz o organismo aumentar a produção de Radicais Livres, levando à aceleração do envelhecimento. E ainda há a recente descoberta de que baixa a produção de serotonina (a famosa “mediadora da felicidade”, que combate a depressão). Em outras palavras, os “disbióticos” seriam mais desanimados e tristes. Haverá alguma maneira prática e fácil para se poder reduzir as possibilidades de aparição de tal problema? Sim, claro. A Ortomolecular preconiza o uso de soluções de lactobacilos, os quais no comércio farmacêutico aparecem dos mais variados tipos. Seu uso propicia a colonização do cólon por bactérias benfazejas, que impedem a proliferação das possivelmente patogênicas. Mas uma regra fácil e ao alcance de todos seria o emprego diário de boa quantidade de coalhadas e iogurtes, ricos em lactobacilos (respectivamente Lactobacillus acidophilus e Lactobacillus bulgaricus) Apesar da maioria ser destruída ao passar pelo estômago, o uso repetitivo leva a uma colonização colônica significativa, com grande efeito protetor para o organismo. Dizem alguns autores que grande parte da longevidade dos hunzas e dos georgianos, afamados pela mesma, dever-se-ia ao grande consumo destes produtos. Como podem ser usados parcial ou totalmente desnatados, afora serem saborosos, vale a pena experimentar e dar uma de São Tomé: ver (e usar!) para crer!

O dia era nublado. Era sábado. E o ano, 2010. da memória ia chegando e enchendo e correnEra um dia desses em que o friozinho possível do... na nossa terra faz a gente querer ficar quieta na Bem-vindas as disposições, bem-vindas as preguiça, ou ler um livro, ver um filme, ter uma estradas, bem-vindos esses encontros memoconversa bem boa... ráveis que o Acaso nos concede... Ou Ou então, tudo ao contrário. Jusserá que a gente procura por eles? Setamente o nublado, faz brotar aquela “Escolhendo rá que a Vida conspira para que aconvontade de olhar o mundo lá fora, tuentão, o “on the teçam? do verde e fresco, a vida cheia de viço road”, saindo para Esse encontro que eu diria quae vontades. Aí a gente quer botar o pé ver a vida lá fora, se acidental, foi certamente provona estrada, sair e encontrar com o que passando no cador para todos. Entramos nas hisvier... Só a paisagem já pode ser o encaminho de São torias, na idade média, caminhamos contro que se quer. Silencio e ampliGonçalo nas estradas da memória viva. Protude porque o infinito dos espaços li- encontramos uma vamos do poder vitalizante que a mevres também conversa com a gente. plaquinha mória pode ter quando, pela voz de Às vezes, a paisagem e o silêncio indicando: casa de alguém, vibrantemente, une passadizem-nos coisas surpreendentes... Dona Militana. Há do, presente e futuro. Nesta tarde, Escolhendo então, o “on the road”, muito eu queria Dona Militana levantou da cama e saindo para ver a vida lá fora, pas- entrevistá-la, mas cantou, contou e encantou como só sando no caminho de São Gonçalo ensempre deixava ela fazia. A voz firme contando hiscontramos uma plaquinha indican- para outro tempo, torias antigas, romances da tradição do: casa de Dona Militana. Há muito para depois... Mas oral, colhidos na boca do povo. Caneu queria entrevistá-la, mas sempre depois parece ser tares que atravessaram o Atlântico, deixava para outro tempo, para de- um tempo que se viajaram o mundo e ganhavam exispois... Mas depois parece ser um tem- pretende um tanto tência quase palpável quando a genpo que se pretende um tanto descom- descompromissado te ouvia ela cantar. Poucos dias depromissado... Naquele sábado, poNaquele sábado, pois desse encontro, Dona Militana rém, estava valendo apenas, estar na porém, estava partiu definitivamente para as esestrada. valendo apenas, tradas invisíveis Uma boa conversa pode ser na bei- estar na estrada.” A voz e as ideias “on the road”, pera da estrada. Aliás uma boa converlas rotas terrestres, rotas marítimas, sa não carece de lugar marcado para rotas afetivas... Era isso que ficava coacontecer... Chegando na casa, a filha mo dádiva deste dia nublado em que de Dona Militana informou: Ela está a estrada foi a escolha. A estrada troudoente, mal fala, só dorme, não lemxe Dona Militana, a maior romanceibra de quase nada. Está deitada, mas ra do Brasil, com a voz disposta a covou chama-la. E nós: Não, não faça ismunicar, com histórias seculares, so. Não a incomode. Deixe que ela descom vida e suas surpresas, seus miscanse. térios. Apesar de toda a fragilidade de A essa altura, porém, Dona Milisua saúde, nada nela mostrava qualtana, já vinha chegando. A bela adorquer sinal de falta de vigor. mecida despertou de seu sono profundo e veio, Naquele sábado nublado, dei com uma mais atenta e conectada do que a maioria de nós, das tantas estradas que o desejo, a disposidando boa tarde! Ela então, cantou muitos roção, a arte e a vontade de encontrar fazem o mances falando de amor, paixão, traições, enhomem percorrer, desde o principio dos temcontros e desencontros. Contou historia de tepos. souro enterrado, de alma penada, falou das viaPara encontrar, é preciso sair da toca, solgens que fez e de sua alegria de cantar. Era a coitar a voz, o corpo, as ideias. Talvez o melhor de sa que sabia, a coisa que gostava, que aprendetudo isso, seja descobrir o quanto é a gente mesra com o pai. Tinha um baú de histórias e canmo que encontra a si, cada vez que cai na estratigas com ela. Quando começava a cantar, o rio da e abre-se para a vida...

« LIBERTAS » Sintonia A sintonia entre os seres humanos promove aproximações interessantes, saudáveis e ricas. Pena que nem sempre ela acontece. Percebemos esta falta, quando perdemos a conexão com alguém. Em momentos que, por exemplo, uma mãe ou pai distraem-se e não percebe o olhar da criança ou sua mão estendida. Ainda, quando uma professora não nota a dúvida, o medo ou a insegurança de seu estudante. Pode acontecer, também quando algum profissional: médico, psicólogo, enfermeiro, policial, não se dá conta da demanda de quem está na sua frente. Perder a conexão, consigo ou com os outros, é a grande questão. Numa organização, as pessoas precisam estar sintonizadas com seus colegas, de qualquer nível hierárquico, para que a harmonia da equipe possa ser o ambiente seguro, que permita a todos e todas se sentirem bem no lo-

cal de trabalho. A sintonia entre duas pessoas que se amam, através do olhar, das mãos dadas e da respiração, promove a possibilidade do encontro humano. Se os pais permitirem que este encontro possa ser compartilhado com os filhos, todos serão beneficiados, porque as crianças crescerão como fonte do elemento mais curativo da humanidade - o Amor. Jayme Panerai Alves – Jayme@libertas.com.br

Sabedoria indígena “Diz a sabedoria indígena que quando não cumprimos o que prometemos, o fio de nossa ação que deveria estar concluída fica enrolado a nossa língua e nos impede de responder. Mais tarde, se persistir a promessa, o fio da ação fica amarrada em algum lugar do nosso corpo; e com o nosso arrependimento, o fio se solta e permanece ao nosso lado. Com o passar do tempo, e

“Numa organização, as pessoas precisam estar sintonizadas com seus colegas, de qualquer nível hierárquico, para que a harmonia da equipe possa ser o ambiente seguro, que permita a todos e todas se sentirem bem no local de trabalho.”

ainda a promessa não cumprida, os fios solto enrolam-se em nossos pés e impedem que caminhemos livremente... Ficamos amarrados às nossas próprias palavras. Por isso os nativos tem o costume de “por-aspalavras-a-andar” que significa agir de acordo com o que se fala; Isso conduz à integridade entre o pensar, o sentir e o agir no mundo e nos conduz ao Caminho da Beleza onde há harmonia e prosperidade naturais”.

Especialização (Recife) Inscrições abertas para a Especialização em Gestão de Equipes. O curso tem como objetivo, desenvolver a capacidade dos gestores para atuarem, dentro de uma visão sistêmica, nos diversos segmentos das organizações. Informações: 81 3268 3311/3596.

Quero saber

Esta coluna é de responsabilidade da Libertas Comunidade www.libertas.com.br - libertas@libertas.com.br

Fui casada e tenho uma filha. O meu marido atual tem também uma filha, que mora com a mãe dela. Quando o meu marido vai visitá-la, eu tenho ciúmes e não gosto da criança, porém quando a vejo trato muito bem. Ele ainda não percebeu essa minha insatisfação. Tento transformar a minha maneira de ser, mas não consigo. Como faço para trabalhar essa relação com a menor. Verusca Resposta: Prezada Verusca, Primeiro, buscar dentro de si de quem mesmo você tem ciúmes. Depois, lembrar que a relação, pais e filhos é para sempre. Tente olhar a filha de seu marido como criança e, assim como a sua filha, precisa do amor do pai. O ciúme é gerado por uma insegurança, mas pode ser dominado, desde que a relação seja cuidada. Grace Wanderley de Barros Correia – Psicóloga Clínica


Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

tnfamília

3

FOTOS: ADRIANO ABREU

Benefícios para corpo e alma Terapias complementares podem ser usadas para vários tipos de doenças, auxiliando na cura e no relaxamento, além de ser alternativa para fugir das receitas alopáticas

D

eixar de fumar requer muita força de vontade, é certo, mas também é preciso auxílio médico e medicamentoso. Mas, mesmo assim, nem sempre se obtém exito. A ansiedade e o estresse gerados pela ausência da nicotina na corrente sanguínea, são grandes obstáculos, a ponto de desestabilizar quem quer largar o vício. Para amenizar essas reações, a acupuntura pode ser uma grande aliada. Isso porque a milenar técnica das agulhas auxilia todo o processo emocional, dando suporte para que o paciente não fique ansioso sem o cigarro e tenha recaídas. “A dependência química faz com que a acupuntura promova uma liberação de produção de hormônios para a sensação de prazer; como endorfina, dopamina; fazendo com que o paciente fique mais tranquilo para poder combater a vontade do vício”, comenta o doutor em Medicina Tradicional Chinena, Wong Lo. Especialista em doenças degenerativas pela Universidade Militar de Cantão, na China, Wong Lo comenta ser importante o paciente saber as consequências negativas de anos de tabagismo e o que fazer para se sentir melhor quando decidir abandonar o vício. O médico explica que não há um tempo de duração estabelecido para o tratamento, pois depende de cada paciente, da necessidade de cada um. A situação piora ainda mais caso haja alguma patologia associada ao tabagismo. “Digamos que o paciente é fumante e diabético. Então, o índice dele de oxigenação neuro-

ì A dependência química faz com que a acupuntura promova uma liberação de produção de hormônios para a sensação de prazer; como endorfina, dopamina; fazendo com que o paciente fique mais tranquilo para poder combater a vontade do vício”

O QUE Técnicas milenares como acupuntura, yoga e massagem ayurvédica podem auxiliar, de forma inusitada, no tratamento de patologias como obesidade, fibromialgia e até mesmo o vício por cigarro

lógica é menor do que um paciente normal que não tenha acometimento nenhum. De acordo com a anamnese, a gente distingue o tratamento adequado para cada um”, esclarece Wong Lo. Porém, para atingir realmente os resultados desejados, é recomendado que o paciente se submeta, pelo menos, a uma sessão semanal, que pode durar três meses ou mais. Também podem ser utilizadas outras técnicas da medicina tradicional chinesa para auxiliar a acupuntura, como ventosaterapia, guan sha e a manipulação da coluna, como explica o médico chinês. E apesar de aparentemente não ser tão difundido assim, o combate ao tabaco com o uso de agulhas é bastante procurado no consultório de Wong Lo. “Já tratei de paciente com esse objetivo. Há uns meses atrás, tratei um paciente que já fumava há quarenta anos e precisava parar urgentemente pois tinha problemas cardíacos e outras consequências do cigarro.”

WONG LO Médico chinês

Quem come muito não sente prazer. E você percebe que a comida vai preenchendo o seu corpo, a sua vida” RONNIE PETTERSON Psicoterapeuta

Alda Martinelli aplica técnicas da yoga e da ayurveda em paciente

BATE PAPO

“A todo momento a pessoa tem que ficar bem esperta” Quais os principais benefícios da yoga massagem ayurvédica?

Alda Martinelli Jornalista e terapeuta corporal

Além de tonificar a musculatura, ela melhora a circulação sanguínea e com isso vai alimentando, realimentando, nutrindo as células e, relaxando as células musculares; com a manipulação, ela vai ampliando a capacidade respiratória pulmonar do diafragma, a pessoa passa a respirar melhor e ficar mais tranquila. Outro benefício fantástico é a plena tensão, que é

adquirida na meditação. É uma massagem que no final é profundamente relaxante. Mas, antes de mais nada, é terapêutica. A todo momento a pessoa tem que ficar bem esperta, lúcida. Não é para a pessoa dormir. Ela é super ativa. A pessoa tem de participar o tempo todo. E com isso ela está no momento presente, percebendo as mudanças que estão acontecendo, onde dói, e com isso vão acontecendo as mudanças. Outros

benefícios, além do ósseo-muscular e da parte da respiração, ela é boa para bronquite; porque vai abrindo todo o peito. Ela é excelente para quem tem depressão, pois a pessoa fica mais feliz, mais alerta, mais relaxada. E isso ajuda no tratamento da depressão; na parte de fibromialgia, que é o meu caso. Eu, particularmente, melhorei sem recebê-la diretamente. Algumas massagens têm momentos doloridos. O que a dor significa?

Existem nódulos de tensão e nós de tensão pelo corpo, provocados pelo estresse, pela má

postura que costumamos ter no dia a dia, e você vai tensionando, tensionando, e o corpo fica completamente tenso, os músculos, tudo, e quando você começa a manipular, às vezes dói. Umas massagens doem mais, outras menos. Essa massagem é profunda e é vigorosa, mas ela não é torturante. Não pode ser torturante. Vai ter alguns momentos, quando se trabalha a escápula, que é essa região da cintura escapular, que sempre é bem dolorido. Mas tem pessoas que ficam mais sensíveis, mas, no que saiu pela porta, ela não pode levar dor pra casa. Ela tem que sair bem.

Psicoterapeuta usa hipnose para investigar relação alimento e afeto Já pensou em ser hipnotizado para conter o apetite voraz e controlar o sobrepeso? Pois saiba que a hipnose também é usada com esse objetivo. De acordo com o psicoterapeuta Ronnie Peterson Soares, adepto do método, a obesidade pode estar ligada a problemas emocionais, pequenas frustrações, remanescentes de quando nos alimentávamos ainda na infância; brigas familiares durante as refeições, comer certas coisas forçado pelos pais, e, indo mais além, frieza e falta de carinho na hora da amamentação. É quando a hipnose clínica entra em ação. Através dela, Ronnie Petterson induz a pessoa ao transe, e passa a investigar vestígios de pequenos traumas, pistas que elucidem um certo comportamento de excessos ao se alimentar. Especializado em hipnoterapia ericksoriana, o psicoterapeuta vasculha o inconsciente de seus pacientes em busca dos momentos onde a comida aparece relacionada com prazer ou como vilã. O objetivo do tratamento é dar suporte afetivo e motivacional ao paciente, além de mostrar caminhos para uma reeducação alimentar e de outras mudanças de comportamento. “Mas é importante dizer que a hipnose em si não cura nada. Ela é apenas uma ferramenta a ser usada”, alerta Petterson. Para induzir o hipnotizado a revelar as pistas necessárias para a compreensão do problema, o psicoterapeuta enumera alguns comportamentos típicos da infância, como assistir a desenho animado em frente da tevê acompanhado de uma fatia de bolo de chocolate, além de descrever o sabor e as sensações da degustação. Mas não são todas as pessoas que têm uma relação positiva e boas lembranças quando o assunto é alimentação. Afinal, quem nunca presenciou uma mãe ordenando: “Você vai comer tudo, sim senhor!”. E, algumas vezes, seguido de uma palmada. “Essa é uma forma de diagnosticar a relação que o paciente vai ter com a comida e para que ele possa, nos dias atuais, resgatar o prazer de comer. Quem come muito não sente prazer. E você percebe que a comida vai preenchendo o seu corpo, a sua vida”, comenta Ronnie Petterson. Ele atende no Instituto Reichiano de Psicoterapia, em Lagoa Nova, em um ambiente calmo, silencioso, confortável e com tons claros. Tudo para facilitar o relaxamento e o transe hipnótico.


4

tnfamília

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

Carpe Diem!

PARABÉNS!

Com data marcada para o próximo dia 22, Wober Júnior realiza a 5ª edição do “Arraiá 23”, que promete agitar a praça de Candelária. A animação da noite ficará por conta da banda “Forró da Hora”, quadrilhas e barracas com comidas típicas. Além é claro da presença dos gente boa de sempre! O evento é gratuito e acontece das 19h às 00h.

Sucesso A banda Forró da Pegação lançando novo hit na cidade. “Subindo feito pipa” é o nome da nova música de trabalho, que promete conquistar os potiguares. Ouça e baixe pelo nosso blog.

Mídia A Johnnie Walker está apostando no cinema como nova mídia de venda no país. A marca lançou o projeto “The Walkers”, que traz curtas-metragens com histórias sobre o Brasil e os brasileiros, em exibição nos cinemas Cinemark.

Tem gente que viajou na sua saudade, só com um bilhete de ida,e não consegue voltar, imergir das próprias lembranças para a vida. Parece que a saudade é uma vila distante, um país que não conseguimos alcançar, mas que insistimos em procurar... E viajamos por esses caminhosquase sempre sombrios do reviver,do desejar o que já não é mais... o que já não existe... Se você sente que o

trem partiu e ficou na estação dos desejos, com a mala na mão e um gosto estranho na boca, um estranho sentimento de perda, acredite: está na hora de voltar, embarcar no trem da vida, que apita apenas uma vez a cada chegada, e te espera para novas viagens, com novas paisagens, novos sentimentos, e, quem sabe, um novo amor na vida que recomeça, que se refaz na estação do tempo, que te cobra apenas o desejo de ser feliz... (Paulo Roberto Gaefke) JOÃO NETO

O aniversariante Marco Emerenciano recebe vivas e mimos da amada Lissa

BLOGJOTAOLIVEIRA/JOÃO NETO

Diego Galvão Marinho, trocando de idade amanhã, divide felicidade com a musa Nicole

BLOGJOTAOLIVEIRA/JOÃO NETO

JOÃO NETO

jotaoliveira@tribunadonorte.com.br

Arrasta-Pé

Estação Saudade

Jota Oliveira

Abraços com vivas de parabéns para o amigo, advogado Marco Emerenciano, rasgando folhinha hoje. Também apaga velas, o empresário Versailles, Ronaldo Correia Melo brindando a data em família, Margô Melo Santos, Solange Bezerra, Magdalena Montenegro, Kleyber Tinoco, Caline Araújo, Judyson Thiago, Paulo Capistrano e Francisco Targino Sobrinho. Nesta segunda, 17, vivas antecipados para Armando Fagundes Neto, residindo nos EUA, Norma Chaves Fagundes, Suely Chalita, em Sampa, a joalheira Ana Paula Appolinário, Diego Galvão Marinho, Felipe Varela Liberato, Ana Paula Liberato, Thiago Varela, Eliane Praça Daniel Gripo, Augusto César Costa, Valéria Vasconcelos, Edu Araújo, Ewerton Tavares e Shirley Souza.

Vivas para Ronaldo Melo e Marília. Ele rasgando folhinha hoje celebrando em família

Vivas de felicidades para Suely Chalita, em nova primavera nesta segunda

Beatlemania completa 50 anos « CULTURA » No dia 13 de outubro de 1963, os Beatles fizeram sua primeira aparição na televisão britânica.

Foi o começo oficial do movimento, que já dava passos largos desde o lançamento do primeiro disco da banda

A

apresentação que John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr fizeram em Londres, em 13 de outubro de 1963, teve tudo do que mais tarde se tornaria um fenômeno mundial: barulho ensurdecedor, adolescente aos berros, doces e bichos de pelúcia sendo atirados ao palco. Políticos britânicos mostravam, então, preocupação com a juventude do país. Para os músicos, o barulho era tão alto que eles não conseguiam ouvir o que era cantado no palco. A partir daquele momento, quando tocaram She Loves You, o “yeah, yeah, yeah” da música ganhou um outro significado – e tornou-se algo como o grito de gue Mas a histeria não começou da noite para o dia. No começo de 1963, os Beatles alcançaram, pela primeira vez, o topo das paradas britânicas com o single Please, Please Me. Em 22 de março, o primeiro disco de estúdio da banda, também intitulado Please, Please Me, foi lançado. O álbum foi gravado em apenas algumas horas no dia 11 de fevereiro, com o repertório que a banda costuma tocar ao vivo. Na última música, Twist And Shout, a voz de John Lennon já estava perceptivelmente rouca. Em abril, eles lançaram o single From Me To You, que também alcançou o número um nas paradas. Uma coisa ficou clara: nunca uma banda tinha gerados, pelo menos na Europa, o nível de entusiasmo que os Beatles tinham alcançado.

Passagem pela Alemanha

Durante os períodos que passaram na área boêmia de Hamburgo, eles fizeram amizade com alguns estudantes de arte alemães, que mais tarde desempenharam papéis importantes em suas vidas e carreiras. A fotógrafa Astrid Kirchherr foi quem aconselhou a banda a deixar o cabelo caído sobre a testa, e não fazer um topete, como era costume entre os roqueiros da época. Assim o corte de cabelo característico dos Beatles foi inventado. O artista gráfico e músico Klaus Voormann concebeu a capa do disco Revolver.

Fãs em todo o mundo

Mais do que uma banda de rock, os Beatles influenciaram, e continuam influenciando, o comportamento de jovens no mundo todo

Obviamente, o fenômeno também repercutiu na Alemanha, onde a banda não era totalmente desconhecida, principalmente em Hamburgo. No começo da década de 1960, os Beatles fizeram diversas apresen-

tações no bairro de St. Pauli, conhecido pela vida noturna, em clubes de rock como Top Ten e Kaiserkeller. Na cidade, eles lançaram seu primeiro álbum, com a participação do músico Tony Sheridan. Eles causaram uma

boa impressão entre traficantes, prostitutas e marinheiros, mas o sucesso só repercutiu localmente. Anos mais tarde, em 1966, no auge mundial da beatlemania, eles retornaram à Alemanha pa-

ra uma curta turnê organizada pela revista para adolescentes Bravo. A turnê começou com duas datas em Munique, passou por Essen e terminou de maneira explosiva, entre velhos amigos, em Hamburgo.

Quando a beatlemania começou no Reino Unido, em 1963, repercutiu entre os jovens alemães e franceses, mas com menos histeria. A gravadora dos Beatles em 1964 – ano em que a banda invadiu a América causando enorme comoção – tratava o mercado alemão de maneira particular, lançando versões em alemão de sucessos da banda. Sie liebt Dich é o nome da versão alemã de She Loves You, Komm Gib’ Mir Deine Hand foi a tradução de I Want To Hold Your Hand. Hoje, esses singles são objetos de desejo entre os beatlemaníacos. Pouco tempo depois, não só na Alemanha, mas em todo o mundo, os Beatles viraram uma febre. Em alguns lugares do mundo, até hoje, ainda são. No bairro de St. Pauli em Hamburgo, onde a “maior banda de todos os tempos” começou sua carreira, há um memorial e um museu privado dedicado aos quatro mais famosos rapazes saídos de Liverpool.


tnfamília Matutos estilizados no Arraiá Pra Lá de Dez!

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

5


6

tn família

Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

JOAONETO.COM

Feijão Society No próximo domingo a titular da coluna dará toda cobertura do seu tradicional “ Feijão Society”, evento realizado ontem no Praiamar Hotel. A Blonde reuniu expressivos nomes da sociedade potiguar em ocasião descontraída à beira mar da praia de Ponta Negra, cartão postal da Cidade do Sol. Os Flashes já podem ser conferidos no site www.liegebarbalho.com no link Quem Acontece.

A aniversariante Zeneide Rocha é saudada pelos sobrinhos netos

Zeneide recebe o carinho das irmãs, Marta, Teresinha, Aparecida, Zélia, Lurdes e Bernadete JOAONETO.COM

Junino

Festa

O prefeito de Monte Alegre Severino Rodrigues está em festa. Nesse final de semana, a cidade sedia o Festival de Quadrilha da InterTV Cabugi. Serão mais de 100 quadrilhas participando do evento, que já se tornou tradição na cidade. “Esse é um evento muito importante para nossa cidade porque agrega ao calendário cultural, mas também atrai muitos visitantes ao nosso município”, avaliou o prefeito.

Pelas terras do Maranhão tem empreendedor com DNA do Rio Grande do Norte ganhando espaços nobres. O empresário potiguar Thadeu Oliveira, proprietário da loja Oi do Midway Mall, está expandindo os negócios. Ele inaugurou duas lojas exclusivas Samsung na cidade de São Luís, no Maranhão. E os projetos não param por aí. Vem mais novidades com o empreendedor Thadeu Oliveira, que comanda a + Varejo.

Parceria A Caixa Econômica Federal firmou parceria com a construtora S Dantas para construção do Residencial Maria Emiliana, que está sendo erguido no bairro de Lagoa Nova. Do ato de assinatura participaram o diretor presidente da S Dantas, Severino Dantas, e os diretores Técnico, Ananias Neto, e Comercial, Larissa Gentile. A solenidade contou com a presença do superintendente da Caixa, Roberto Sérgio. Com 32 anos no mercado da construção civil do Rio Grande do Norte, a S Dantas consolidou sua marca pela qualidade e segurança do produto. “O contrato que firmamos com a Caixa Econômica é mais uma mostra da seriedade da empresa, que conta com a confiança também das instituições financeiras”, destacou Severino Dantas.

liegebarbalho@tribunadonorte.com.br - Anna Ruth Dantas (interina)

Talento potiguar

Liege Barbalho

Festa em grande estilo para comemorar os 80 anos de Zeneide de Andrade Rocha. Familiares e amigos se reuniram no La Mouette para saudar e fazer muitas homenagens. Uma grande confraternização de toda família que expressou em palavras e gestos todo bem querer por Zeneide. Na igreja de Nossa Senhora Aparecida, em Neópolis, ocorreu uma missa em ação de graças celebrada por padre Nunes.

A aniversariante Zeneide Rocha em grande estilo

JOAONETO.COM

Durante assinatura de convênio na Caixa, a diretoria da construtora S Dantas, Larissa Gentile, Severino Dantas e Ananias Neto

Especialista em Rejuvenescimento, a médica Regina Jales com toda sua simpatia

Antenadíssimo com os mais novos tratamentos, o oftalmologista Cyro Bezerra, do Hospital da Visão

Cristiane e Max de Souza em acontecimento social no Versailles Cidade Jardim

Alicia e Ernesto Ferro, comandam, com sucesso, a pousada La Bonita, em Baía Formosa

JOVINHO

O empresário Thadeu Oliveira, ao lado da musa Valéria Xavier e do filho Davi, recebe o ator global Rodrigo Hilbert em super festa de inauguração da loja Samsung, em São Luís

Touro 21/04 a 20/05 É bom ter muitas opções de investimento —e conhecimento suficiente para escolher o melhor. Mas nos próximos dias, nem todas as informações se provarão confiáveis. Você vai ter que testar. Hoje, o desafio é confiar em si, mesmo recebendo críticas no amor.

Gêmeos 21/05 a 20/06 Inegavelmente, com Sol e Júpiter em poderoso aspecto a seu favor, os clarões são muitos, a intuição é ampla e as possibilidades que antevê são quase infinitas. Na próxima semana, terá de equilibrar suas pretensões com sua necessidade de ter acolhida dos mais íntimos.

Leão 22/07 a 22/08 Hoje é dia de mudança lunar, sinal seguro de que alguns estarão alterados ao seu lado. Portanto, dê um bom desconto a declarações retumbantes e dramas ocasionais. Faça o mesmo em relação a si. Boa ideia é curtir romance, recital ou caminhada na montanha.

Virgem 23/08 a 22/09 A lua crescente de hoje ocorre no seu signo, olha que coisa importante! Porque inaugura um período em que você tem de filtrar tudo. Serão dias de escolhas profissionais difíceis, decisivas, fundamentais para que você brilhe realmente.

Hoje a Justiça Federal do Rio Grande do Norte promove mais uma seleção de estágio. Será feito cadastro reserva para estágio de estudantes dos cursos de Administração, Ciências Contábeis, Biblioteconomia, Engenharia Civil, Arquitetura, História e Jornalismo, com âmbito de atuação na Sede em Natal e Subseções de Mossoró, Caicó, Pau dos Ferros e Assu.

Libra 23/09 a 22/10 Os próximos dias serão importantes —coalhados de aspectos astrológicos incríveis, poderosos e raros, trazem sorte, oportunidade rara e proteção a você. Mas terá de deixar a hesitação de lado, seguir a intuição e ser lógico, pensando no que dá certo, no que pode ser realizado.

Escorpião 23/10 21/11 A época de ajustes não acaba? Tenha mais um pouco de paciência. Sintomas e malestares que acompanhem a mudança lunar devem ser reportados ao seu médico, para novos aperfeiçoamentos a favor de sua saúde. No amor, autocritica engessa espontaneidade.

Sagitário 22/11 a 21/12 A queda de braço entre os interesses dos seus sócios, parceiros e cônjuge com os seus objetivos de carreira se torna mais aguda e clara a partir de hoje. Lua crescente em Virgem promete sete dias ótimos para você escolher seus parceiros.

Talento potiguar sendo homenageado na grande Corte. O ministro aposentado do Superior Tribunal de Justiça, José Augusto Delgado, foi celebrado pelo STJ. Além dele, os ministros aposentados Raphael de Barros Monteiro Filho e Paulo Benjamin Fragoso Gallotti também receberam homenagem semelhante na mesma solenidade. Os três magistrados são juízes de carreira. Em seu discurso, o ministro Barros Monteiro lembrou ainda que cada um deles ocupou uma Seção diferente no STJ. “O ministro José Delgado judicou na Primeira Seção, eu na Segunda e o ministro Paulo Galotti na Terceira, o que significa dizer que as três Seções desta Corte se acham aqui representadas”, disse.

★ RUIM ★ ★ REGULAR ★ ★ ★ BOM ★ ★ ★ ★ ÓTIMO ★ ★ ★ ★ ★ EXCELENTE ✩ ESTREIA

Lua crescente em Virgem promete desafios à economia e à política nos próximos 15 dias

Espere certa instabilidade de humor —desejos conflitantes e tendências que se contrapõem. Adie escolhas importantes para os próximos dias. Proteja-se e não se exponha muito neste domingo. Viagens podem ser assunto explosivo, devem ser melhor analisadas.

O surgimento de novas técnicas que atuam no rejuvenescimento tem trazido como reflexo o aumento no número de pessoas em busca do tratamento. A constatação é da professora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, a dermatologista Regina Jales. Ela observa que para amenizar as marcas de rugas, flacidez e acne, as técnicas modernas apontam para uma conjunção de tratamentos, unindo várias técnicas, desde o tratamento tópico até lasers de última geração.

« CINEMA »

BÁRBARA ABRAMO

Com a vigência da crescente lunar, os próximos dias deveriam ser dedicados a peneirar informações e conhecimentos teóricos, à luz da utilidade prática que eles possam ter em seu cotidiano. A partir disso, você escolherá o que for melhor para sua vida.

Rejuvenescimento

Homenagem

«HORÓSCOPO » Câncer 21/06 a 21/07

Em grande festa, os parabéns dos sobrinhos

Estágio

Valentina com os pais Marina e Daniel Fernandes. A pequena será batizada hoje na Santa Teresinha

Áries 21/03 a 20/04

JOAONETO.COM

JOAONETO.COM

Capricórnio 22/12 a 20/01 Fazer parte de associações, entidades e clubes tem um custo — para você agora é o tema de reflexão, porque sabe que o almoço não é grátis. Então, chegou a hora de, com todos os dados e informações nas mãos, decidir até onde vai com certos grupos e pessoas.

Aquário 21/01 a 19/02 Vele sete dias a contar de hoje: tanto brilho mental, tantas ideias, mas onde está a operacionalização? Esqueceu? Encontre os meios de provar que suas brilhantes idealizações são exequíveis, convença a equipe, ganhe o chefe, faça seu amor se orgulhar de sua mente privilegiada e original.

Peixes 20/02 a 20/03 Se o foco até o momento estava no esforço comum da família, na força do clã, com a crescente lunar em Virgem o cônjuge ganha status de fiel da balança. Os interesses mútuos também precisam atender suas necessidades. Na semana, terá de convencer muitas pessoas.

★ ★ ★ ★ FAROESTE CABOCLO (16 anos, nacional) Moviecom 1. Sessão 18h / Cinemark 5. Sessões 15h25 e 20h50 A saga de João de Santo Cristo (Fabrício Boliveira), inspirada na música de Renato Russo da Legião Urbana, mostra a infância do protagonista desde no interior da Bahia até sua ascensão, quando vai tentar a sorte em Brasília. Ajudado por Pablo (Cesar Troncoso), um primo distante peruano, que vende drogas da Bolívia, ele vai trabalhar numa carpintaria, mas também se envolve com o tráfico de drogas. Um dia, por acaso, ele conhece a bela Maria Lúcia (Ísis Valverde), filha de um senador (Marcos Paulo). Os dois se apaixonam, mas João mergulha cada vez mais numa escalada de crime e violência - até encontrar seu maior inimigo, o playboy e traficante Jeremias (Felipe Abib), rival nos negócios e no coração de Maria Lúcia. Direção: René Sampaio ✩ STAR TREK – ALÉM DA ESCURIDÃO (12 anos, dublado e legendado) Moviecom 1. Sessões (dub) 15h15 e 20h20 / Moviecom 6. Sessões (dub) (3D) 13h30 (sáb e dom) e 16h15 / Moviecom 6. Sessões (3D) (leg) 19h e 21h45 / Cinemark 2. Sessões (3D) (leg) 16h10 e 22h / Cinemark 2. Sessões (3D) (dub) 13h20 e 19h Quando a tripulação da Enterprise é chamada de volta para casa, eles descobrem que uma força de terror

incontrolável, de dentro de sua própria organização, detonou a frota e tudo aquilo que ela representa, deixando nosso mundo em situação de crise. Tendo contas pessoais a ajustar, o Capitão Kirk lidera uma caçada humana em um mundo em zona de guerra para capturar um homem que é por si só uma arma de destruição em massa. Na medida em que nossos heróis são lançados em um jogo de xadrez épico de vida ou morte, o amor será contestado, amizades serão rompidas e sacrifícios terão que ser feitos pela única família que Kirk ainda possui: sua tripulação. Direção: J.J. Abrams ★ ★ ★ VELOZES E FURIOSOS 6 (14 anos, dublado e legendado) Moviecom 3. Sessões (dub) 16h10 e 18h50 / Moviecom 5. Sessão (leg) 21h35 / Cinemark 6. Sessões (leg) 21h20 e 0h10 (sáb) / Cinemark 6. Sessão (dub) 12h50, 15h40 e 18h30 Desde que Dom (Vin Diesel) e Brian (Paul Walker) envolveram-se com um chefão do crime no Rio de Janeiro vivem como fugitivos separados pelo mundo. Enquanto isso, o agente Hobbs (Dwayne Johnson) persegue uma organização de pilotos mercenários. Para prendê-los, Hobbs decide fazer um acordo com Dom (Vin Diesel) e sua equipe para que vença esse bando nas ruas de Londres e, em troca, eles poderão retornar ilesos para casa. Direção: Justin Lin


Natal - Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

tnfamília

7

JOÃO NETO

Andanças pelo velho mundo Milão Como é bom voltar à Capital Mundial da Moda. A cidade é grande, tem seus encantos e a cada volta descubro coisas novas na companhia dos amigos Matteo-Semirames. Noite destas fomos a Brera... Que charme. Um local onde circulam os antenados e chiques da cidade. Mas o ponto de maior convergência na vida festiva e turística da cidade é NAVIGLIO. Os bares e restaurantes reúnem milhares de pessoas de todas as idades e classes.

Visita ao Scala Vir a Milão e não circular pelas Vias Mercanti e Via Danti é como não conferir a capital mundial da moda. Lá estão as grandes grifes internacionais, prédios suntuosos e gente chique. Mas também é lá que está a PLAZA DEL SCALA. O teatro neste mês de junho abriu sua temporada de OPERAS & BALLETOS. No entorno o museu, a cafeteria reúnem turistas e intelectuais.

Jantar em Monza: Genaro e Ale Sposito, Matteo Melchionda e os filhos Ale e Gabrielli

Vicky Campelo, Semirames e esta colunista em jantar em Monza

Família PG no arraiá do coleguinha Jota Oliveira: Natasha Gelelaite/Abílio Oliveira, Lúcia/Marcondes Oliveira

JOÃO NETO

BH

Debut

A joalheira Luanda Galvão, ao lado do amado Israel Nunes, se encontra em andanças por Belo Horizonte. A design foi se reciclar e trazer novidades para as lulus de nossa cidade.

O casal João Maria Montenegro Ribeiro e Cláudia Cristina Galvão Xavier convidam para os 15 anos da filha Juliana, no próximo sábado, dia 22, no Versailles Tirol, às 22h. A galera jovem, familiares e amigos celebraram o broto.

Sampa

Eu com Matteo e Gabrielli na ponte Naviglio

Nos salões da cidade, as primas Telma e Lourdes Flor

A coluna faz coro de vivas para o empresário Ruy Gaspar, rasgando folhinha quarta, dia 19 BOBFLASH

JOÃO NETO

Em Monza Antes de deixar a Itália, na noite de terça-feira, o casal Gennaro Esposito e Vicky Campelo nos recebeu para jantar. Eles moram num belo apartamento no Condomínios Jardins e abriram os salões para nos receber a mim a a família Melchionda. Vicky, gentilíssima, preparou um arroz delicioso para matar minha saudade. Entre tintins de Prosseco da Toscana e de um belo rouge, entramos na noite. A ausência foi do filho Alê, que tinha compromissos. Vicky é meio potiguar/carioca; hoje uma italiana de coração e adoção. Na próxima semana, a família recebe a nossa Márcia Carrilho.

Pia batismal Nesta tarde de domingo, na Igreja Sta. Teresinha, será o batizado de Amanda Araújo Lima, filha de Armando Araújo e Talita Pereira, sobrinha do nosso Dimas Marques. Com carinho, o nosso registro.

Sabor A pizzaria Massa Finna vem ganhando os paladares dos natalenses. O empresário Fernando Augusto Popó, inovando sempre com pizza de massa integral e ingredientes lights para a turma da dieta. Por enquanto, é só delivery, mas em breve no CCAB Petrópolis.

Lauro Herculano, Alceu Couto e Diógenes Alvares no Arraiá Pra Lá de Dez CANINDÉ SOARES

hilnethcorreia@tribunadonorte.com.br

Eita, que encanto! Que luxo, quanta história, quantos museus. Mas Firenze já é um museu a céu aberto. Os mármores em suas diversas tonalidades nos deixa “sem folego”. Mas, depois de andar pelas ruas e museus a emoção maior é estar diante do DAVID criado por Micheangelo. Firenze é para se voltar e percorrer com calma.

Hilneth Correia

Firenze

Margarida e Débora Seabra prestigiando a exposição da amiga Leila Cunha Lima

★ RUIM ★ ★ REGULAR ★ ★ ★ BOM ★ ★ ★ ★ ÓTIMO ★ ★ ★ ★ ★ EXCELENTE ✩ ESTREIA

★ ★ ★ ODEIO O DIA DOS NAMORADOS (14 anos, nacional) Moviecom 4. Sessões 14h30 e 19h05 / Cinemark 3. Sessões 11h30 (sáb e dom), 13h50, 16h, 18h20, 20h40 e 23h (sáb) Débora (Heloísa Pérrisé), uma publicitária que privilegia a carreira em detrimento da vida afetiva, precisa aprovar uma importante campanha cujo cliente é o seu ex-namorado Heitor (Daniel Boaventura), que ela dispensou de forma humilhante. Com a ajuda do amigo Gilberto (Marcelo Saback), Débora repensa sua relação amorosa com o ex, enquanto passa por situações hilárias. Direção: Roberto Santucci

dublado e legendado) Moviecom 4. Sessões (leg) 16h40 e 21h15 / Moviecom 5. Sessões (dub) 15h05, 17h15 e 19h25 e 21h45 / Cinemark 1. Sessões (leg) 11h40 (sáb e dom), 14h, 16h30, 18h50, 21h10 e 23h30 (sáb) Desta vez, não há casamento nem despedida de solteiro. Então, nada poderia dar errado, certo? Mas quando o Bando de Lobos cai na estrada, tudo pode acontecer. Direção: Todd Phillips ★★ DEPOIS DA TERRA (12 anos, dublado e legendado) Moviecom 7. Sessões (leg) 14h50, 17h, 19h10 e 21h20 / Cinemark 7. Sessões (dub) 12h20, 14h30, 16h50, 19h10, 21h30 e 23h50 (sáb) Um pouso forçado deixa o adolescente Kitai Raige (Jaden Smith) e seu lendário pai Cypher (Will Smith) encalhados na Terra, mil anos depois que eventos cataclísmicos forçaram a humanidade a fugir. Com Cypher gravemente ferido, Kitai deve embarcar em uma perigosa jornada para pedir ajuda, enfrentando terreno desconhecido, evoluídas espécies animais que agora dominam o planeta, e uma implacável criatura alienígena que escapou durante o acidente. Pai e filho devem aprender a trabalhar juntos e confiar um no outro se quiserem alguma chance de voltar para casa. Direção: M. Night Shyamalan ✩ ELLES (16 anos, legendado)

Cinemark 4. Sessão 19h30 (ter e qui) Anne (Juliette Binoche) é uma jornalista de uma revista feminina de grande sucesso, que precisa escrever um artigo sobre jovens

O palestrante Marcelo Alecrim recebendo o carinho dos filhos Jair, Flavinha e da musa Elinor SUELI NOMIZO - NAHORAH.NET

A família Versailles faz festa para Ronaldo Correia de Melo, em idade nova hoje

Gaby Alves faz coro de vivas para o muso Diogo Almeida em idade nova terça

★★ SE BEBER NÃO CASE! 3 (14 anos,

CANINDÉ SOARES

JOÃO NETO

« CINEMA » ★ ★ ★ O GRANDE GATSBY 14 anos, legendado) Moviecom 3. Sessão 21h30 / Cinemark 5. Sessões 12h30 e 17h50 O filme conta a história do aspirante a escritor Nick Carraway (Tobey Maguire) que chega à Nova York na primavera de 1922, em meio a uma era de falta de moral e do ápice do jazz. Perseguindo o sonho americano, Nick acaba vizinho de um misterioso e festeiro milionário, Jay Gatsby (Leonardo DiCaprio), além de conhecer sua prima Daisy (Carey Mulligan) e seu marido mulherengo e de sangue azul, Tom Buchanan (Joel Edgerton). É assim que Nick é atraído para o mundo cativante dos super-ricos, cheio de ilusões, amores e decepções. Enquanto Nick é testemunha, dentro e fora do mundo que habita, ele escreve um conto de um amor impossível, sonhos puros e muita tragédia, criando um reflexo das nossas lutas e tempos modernos. Direção: Baz Luhrmann

Roberto Chaves/Dani nos embalos de Jorge de Altinho

Em idade nova amanhã, Suely em pose com a matriarca Lúcia Chalita

Dalila Cabral e a filha Claudinha viajam nessa segunda a São Paulo para ver a peça “Alô, Dolly!”, do primo Miguel Falabella, e aproveitam para fazer compras do enxoval de casamento de Claudinha com André Miranda. A noiva é neta da saudosa Lucy Cabral que, para quem não se lembra, era referência de mulher chique e antenada. Ao lado de Yeda Porto Santos e Marilda Ferreira de Souza, figurava sempre entre as 10+ do colunista Jota Epifânio. Sempre vanguardista, patrocinava rapazes nos concursos de miss Gay da nossa cidade. Morou no Rio, Natal e sempre trazia tendências da Europa. Lucy casou se com o médico carioca Flávio Souza Aguiar. No dia do enlace, todos queriam ver a linda moça da Rua Mossoró. O enxoval ficou exposto na loja Formosa Síria, a mais alinhada do comércio. Jussier Santos e Hemetério Gurgel são testemunhas desse casório.

» PARABÉNS » Vamos festejar hoje David Marconi, Solange Bezerra, Margo Melo Santos, Marco Emerenciano, Ricardo Kleber, Patricia da Costa Ferreira, Ronaldo Correia Mello. Nesta segunda 17 Fellipe Varela Liberato, Ana Paula Appolinario, Armando Fagundes Neto, Luiz Cirne Júnior, Suely Chalita Abou Chakra, Norma Chaves, Antônio Sales Junior, David de Medeiros Leite, Flávia Ezequiel da Fonseca Milfon, Darci Targino, Nilda Freire, Ivo Freire. Terça dia 18 Luiz Henrique de Souza e Silva, Edilson Fonseca, Nininha Emerenciano, Ariane Galvão, Diogo Almeida, Jair Paiva. Na quarta dia 19 Ruy Gaspar, Nilton Leite, Dalva Procópio, Lucimar Silva Reis.

Star Trek: nova missão

estudantes universitárias que se prostituem para pagar os estudos. Durante sua pesquisa, conhece Alicja (Joanna Kulig) e Charlotte (Anaïs Demoustier), estudantes em Paris que lhe revelam seus segredos e aventuras e mexem com sua vida. Direção: Malgorzata Szumowska ★ ★ ★ A FUGA DO PLANETA TERRA (Livre, dublado) Cinemark 4. Sessões 11h (sáb e dom), 13h e 15h. Scorch Supernova é um herói interplanetário cujas façanhas costumam ser televisionadas para o deleite de seus fãs. Com a ajuda do nerd Gary, diretor da Missão Basa Control, Scorch torna-se uma lenda e conquista o amor da bela repórter de televisão Gabby Babblebrock e a devoção do sobrinho Kip. Quando a chefe da Missão Basa, Lena, intercepta um pedido de socorro vindo do Planeta Escuro, Scorch enxerga a missão de resgate como a grande chance de sua carreira. Gary, no entanto, tenta desencorajá-lo, uma vez que nenhum ser jamais conseguiu voltar do mundo distante (também conhecido como “Terra”). Mas, quando o herói se dá conta de que foi atraído para uma armadilha mortal preparada pelo líder paramilitar General Shanker, talvez seja tarde demais. Direção: Cal Brunker ✩ UM GOLPE PERFEITO (14 anos,

legendado) Cinemark 4. Sessões 17h15, 19h30 (exceto ter e qui) e 21h50 Curador contrata rainha de rodeios texana para dar golpe em colecionador com a venda de um falso Monet. Direção: Michael Hoffman .

Em sua nova missão, a tripulação da nave Enterprise é enviada para um planeta primitivo, que está prestes a ser destruído devido à erupção de um vulcão. Spock (Zachary Quinto) é enviado para dentro do vulcão, onde deve deixar um dispositivo que irá congelar a lava incandescente. Entretanto, problemas inesperados fazem com que ele fique preso dentro do vulcão, sem ter como sair. Para salvá-lo, James T. Kirk (Chris Pine) ordena que a Enterprise saia de seu esconderijo no fundo do mar, o que faz com que a nave seja vista pelos seres primitivos que habitam o planeta. Esta é uma grave violação das regras da Frota Estelar, o que faz com que Kirk perca o comando da nave para o capitão Pike (Bruce Greenwood). A situação muda por completo quando John Harrison (Benedict Cumberbatch), um renegado da Frota Estelar, coordena um ataque a uma biblioteca pública, que oculta uma importante base da organização. Não demora muito para que Kirk seja reconduzido ao posto de capitão da Enterprise e enviado para capturar Harrison em um planetóide dentro do império klingon, que está à beira de uma guerra com a Federação (www.adorocinema.com.br).


8

Natal • Rio Grande do Norte Domingo, 16 de junho de 2013

tnfamília

A ESTRELA SOBE

news ::::::::: Ainda em cartaz de segunda a sexta, das 10h às 19h, a exposição “Coco Chanel – Moda em tempos de guerra” no Nalva Melo Café Salão. A mostra resultou do projeto Nalva Faz Minha Cabeça, cuja idéia é transformar, através de ensaio fotográfico, clientes do local em ícones pop. Sob a consultora de moda de Gladis Vivane e os cliques de Vlademir Alexandre a escolhida para viver Coco Chanel foi à jornalista Carol Reis. A exposição está incrível. Passa lá!

Como se não bastasse ser uma das maiores confeccionistas do Estado, a empresária Soraya Simotetti vem aí com uma grande novidade para sua “Estrela Viva”. A partir de julho, terá em seus corners vestidos glamorosos e requintados, na linha festa. São looks trabalhados na pedraria, paetês, transparências, plissados, aveludados e ricos em detalhes. Glam faz um preview da coleção e dá a dica para os acontecimentos mais especiais, como: casamentos, aniversários, coquetéis, formaturas e tal. Os vestidos da linha “ouro” da Estrela Viva tem comprimentos curtos, médios e longos, alguns são ajustados ao corpo numa linha pra lá de sexy, outros mais soltinhos com mais fluidez. E para compor o look total ousamos nos acessórios S. Design, Jorge Bischoff e Mr. Cat.

georgeazevedo@tribunadonorte.com.br

Em clima dos festejos junino muitas novidades nas lojas Folic Maison e Midway Mall, com peças inéditas do Inverno 2013 nas araras. No mês de junho, a Folic Maison ainda organiza a tradicional festa junina marcada para a próxima quinta-feira, 20. A festividade contará com surpresas e delícias gastronômicas que prometem deixar o São João das clientes mais feliz e repleto de glamour.

Ficha Técnica Direção de Moda: George Azevedo Foto: Larissa Marinho Beleza: Anilson Knight (Lirêda Coiffeur) Modelo: Jeane Kienen (Tráfego Models) Stylist:Weuquens Queiroz Assistente de Produção: David Tavares Looks: Estrela Viva, Jorge Bischoff e Mr.Cat no Midway Mall e S.Design no Cidade Jardim e CCAB Petrópolis.

Em tempo de Copa das Confederações, a fabricante de calçados Amazonas, umas das empresas escolhidas pela Globo Marcas para fabricar produtos da Copa, lançou dez chinelos diferentes. São modelos inspirados pela fauna e flora brasileira. O Fuleco, tatu-bola que virou mascote da Copa do Mundo de 2014, também aparece estampado. Os calçados estarão à venda em lojas, aeroportos e estádios em todas as cidades-sede da Copa e os preços podem chegar a R$ 59,90. Até a Copa do Mundo, em 2014, estarão disponíveis cerca de 30 tipos diferentes de sandálias. Nos preparativos para o Miss Rio Grande do Norte, acontece na próxima quarta-feira, 19, sob a batuta de Rico Bezerra a final do concurso Miss São Gonçalo 2013. O evento que irá escolher a representante do município para participar da etapa estadual acontecerá no Teatro Municipal Poti Cavalcanti a partir das 20h, e contará com a participação de 15 belas candidatas. A autora do blog Garotas Estúpidas, a recifense Camila Coutinho, foi escolhida para estrelar a campanha de maquiagem do O Boticário ao lado do badalado maquiador Fernando Torquatto. Os vídeos, um do perfume “Linda” no qual Camila aparece sozinha e outro da linha Make B com Torquato, são em homenagem as festas de São João e a campanha será veiculada em todos os Estados do nordeste, a partir de hoje, 12 de junho. Show!


Tribuna do Norte - 16/06/2013