Issuu on Google+

» CLASSIFICADOS DA TN CIRCULAM HOJE COM 2.956 ANÚNCIOS E 14 PÁGINAS FUNDADOR:ALUÍZIO ALVES - 1921 - 2006

Ano 62 • Número 222 • Domingo,09 de dezembro de 2012

ALDAIR DANTAS

FEBRE AMA RELA

Nesta temporada o amarelo está presente em roupas e acessórios. [ GLAM 8 ]

LOUCO É QUEM NÃO VÊ

Em meio ao debate sobre que tipo de tratamento deve ser adotado nos serviços públicos psiquiátricos - se hospitalar ou residencial - os pacientes acabam “sobrando”por falta de leitos e atenção. [ NATAL 1 A 3 ]

REVISTA DA TV

REALIDADE DAS FAVELAS DO RIO É REDESCOBERTA PELAS NOVELAS [ REVISTA DA TV 6 A 8 ]

CARNATAL

Trios vão ao corredor para encerrar a folia

ENTREVISTA

[ CONTAS PÚBLICAS ] Assembleia Legislativa tem 15 projetos que o Executivo quer ver debatidos e votados até a próxima sexta-feira (14)

Governo tem projetos para criar nova taxa, cargos e empréstimo O Governo do Estado espera ver votadas, até a próxima sexta-feira (14), 15 mensagens enviadas à Assembleia Legislativa. No conjunto de propostas, estão a criação da “taxa de defesa e

inspeção animal (TDIAV)", que vai onerar a atividade agropecuária, cobrando por 103 atividades e/ou serviços no setor; o pedido para contrair um empréstimo no valor de R$ 615,2 milhões junto ao Banco do

Brasil e a reestruturação da Secretaria de Recursos Hidrícos, criando 27 cargos comissionados. A criação da TDIAV é a proposta mais polêmica. As cobranças serão revertidas para o Idiarn. [ PÁGINAS 3 E 4 ]

RESISTÊNCIA E BOA CONVERSA

ALEX RÉGIS

A programação de Carnatal começa hoje às 17h30. O último bloco sai às 19 horas. Na manhã de sábado, o local estava tomado pelas equipes de limpeza que preparavam o corredor da folia para a festa. [ PÁGINA 7 ]

ATRAÇÕES DO ÚLTIMO DIA Bloco Trio 51 Cerveja & Coco Swingaê Bicho

Trio

Horário 17h30 Asa 18h Grafith 18h30 Ricardo Chaves 19h00

ALEXANDRE DE MORAES E A RUPTURA DO VELHO MODELO JURÍDICO [ NATAL 11 ]

TN FAMÍLIA

IMPOSTO

Parnamirim vai reajustar valores do IPTU em 2013 A Prefeitura de Parnamirim quer atualizar a Planta Genérica de Valores do IPTU. Proposta enviada à Câmara parcela o reajuste, de 60%, em seis vezes. [ PÁGINA 13 ]

» BALCÃO Em meio a frutas, artesanato, fumo de rolo, especiarias e peças de antiquário, os comerciantes resistem ao cotidiano de abandono nos mercados públicos de Natal. [ NATAL 9 E 10 ] ECONOMIA

O MERCADO DOS SALÕES DE BELEZA DESCONHECE A CRISE ECONÔMICA [ TN FAMÍLIA 1 E 3 ]

ELIANA LIMA

80

REDAÇÃO: PAUTA

pauta@tribunadonorte.com.br

FALE CONOSCO: PABX: 4006-6100 Redação: 4006-6113

ESPORTES

Formação de mão UFRN está entre de obra é saída líderes do ensino para o crescimento superior no país

ABC vai às urnas para escolher novos dirigentes

A estagnação da economia potiguar, mostrada em indicadores revelados esta semana, tem soluções. Uma delas é investir em formação de mão de obra. [ ECONOMIA 4 A 8 ]

Mudanças feitas pelo MEC no Índice Geral de Cursos (IGC) colocam a UFRN na liderança das instituições de ensino superior nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. [ NATAL 7 ]

O ABC elege, amanhã, o novo Conselho Deliberativo. Ívis Bezerra e Leonardo Arruda disputam a presidência. Os eleitos definem a presidência do clube. [ ESPORTES 1 E 2 ]

GAUDÊNCIO

CLÁUDIO HUMBERTO

JORNAL DE WM

Juiz constata:“Somos o Estado do Brasil com o maior índice de judicialização da saúde”.[ NATAL 14 ] TOTAL DE PÁGINAS DESTA EDIÇÃO: páginas

UNIVERSIDADE

Partidos querem ampliar espaços na minirreforma que a presidenta fará em 2013. [ PÁGINA 10 ]

Não há como disfarçar:a fogueira da campanha presidencial está acesa. [ PÁGINA 7 ] Assinaturas: 4006-6111 Venda avulsa: 4006-6103 Comercial: 4006-6173

Classificados: 4006-6161 Circulação: 4006-6103 Reclamações:4006-6111

HOME PAGE:

www.tribunadonorte.com.br

As funções da poesia é encantar palavras, disse Manuel Bandeira a um repórter. [ PÁGINA 2 ] PREÇO DESTA EDIÇÃO:

R$ 2,50


2 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

opinião

Domingo | 09 de dezembro de 2012

CARLOS EDUARDO [ prefeito eleito de Natal ]

Jornal de WM WODEN MADRUGA - woden@terra.com.br

Os poetas escrevem cartas

E

ntre páginas da revista Leia, número de março de 1991, encontro cartas de dois poetas: uma de Sanderson Negreiros; duas de Alex Nascimento. As de Alex, postadas na Alemanha, setembro de 1991. A de Sanderson Negreiros, escrita no Rio de Janeiro, é mais antiga, não está datada, mas certamente é produção dos anos 60, entre 64/66. As três são manuscritas. A carta de Sanderson escrita numa folha de redação da revista Manchete. A revista Leia (“Uma revista de livros, autores e ideias”) era editada em São Paulo, publicada pela Companhia Editora Joruês, já não circula mais. Este número é de março de 1991. Fui reencontrá-la numa das gavetas da minha cela da TN, ali resguardada certamente porque a revista traz uma entrevista com o poeta Manoel de Barros: “Manoel de Barros e as raízes da poesia” é a chamada de capa. Não sei explicar porque as cartas de Alex e Sanderson foram dormir entre as páginas de Leia, ao lado das falas de Manoel de Barros. Acho que os três se atraíram. Revejo, agora, o “poeta pantaneiro” contando para o entrevistador Paulo França, o seu caminho de ser poeta: “Sou um sujeito que gosta de palavra. Tenho um gosto para misturar na minha linguagem a minha verdez primal de rios e árvores com um lado cansado da civilização. De certa forma, com essa mistura, vivifico algumas palavras amenizadas pelo uso. Dou nelas uma reverdose. Agora, se Manoel de Barros es-

tá na moda, eu deixo de saber. Não entendo de moda. Tentei a vida inteira me ser, nunca usei palavra nenhuma que não houvesse roçado em mim”. O repórter pergunta por que o poeta não usou a poesia como instrumento político. Manoel de Barros respondeu: - Função da poesia é encantar palavras. Tem outra: enlouquecer as palavras para que elas transmitam os nossos delírios. Tem outra função ainda, que é a de renovar o idioma. Poesia é a loucura das palavras. Mesmo que pegar moscas nos hospícios para dar banho nelas. O mesmo que conversar com as paredes. O mesmo que descobrir que peixe não tem honra. Porão que lua visita morcego não aluga. É preciso ensinar que o cheiro do lírio também é branco. Fazer conceito não é preciso, fazer verso é preciso.”

O desenhista de sonhos

N

atal com seus mais de 800 mil habitantes ainda é uma cidade carente de área de lazer. Foi a partir dessa constatação que sempre tive o sonho de construir um parque municipal. Uma área que servisse para a preservação da natureza, mas também estivesse aberta ao público para a realização de atividades artísticas, esportivas e culturais. Mais do que isso, no entanto, pensava em que esse parque fosse uma nova marca para a cidade e nesse sentido quem melhor do que o mestre Oscar Niemeyer para realizar um projeto que efetivamente se eternizasse no tempo por tudo que ele representa para a arquitetura brasileira. O que parecia um sonho foi pouco a pouco se transformando em realidade. Chegamos depois de um batalha de seis meses ao escritório do famoso arquiteto e qual não foi minha surpresa ao encontrar naquele que já tinha recebido as maiores honras e era o arquiteto mais conhecido do Brasil, um homem cuja simplicidade era a principal característica. Niemeyer somara aos seus princípios ideológicos uma visão humanista obtida ao longo dos 98 anos de vida que tinha quando o conheci. Uma vida que a princípio pareceria incoerente, mas que no fundo marcava uma personalidade múltipla. A vida do comunista que projetou palácios, do ateu que desenhou igrejas, do admirador das curvas femininas que foi casado por 76 anos com a mesma mulher.

A previsão inicial de que iria encontrar na cobertura da AveNiemeyer somara nida Atlântica em aos seus princípios Copacabana, onde fiideológicos uma ca seu escritório, alvisão humanista guém muito imporobtida ao longo tante com o tempo dos 98 anos de ocupado e pouca disvida que tinha posição para ouvir se quando o conheci. transformou ao lonUma vida que a go das muitas vezes princípio pareceria que tive a oportuniincoerente,mas dade de conversar que no fundo com ele na certeza de marcava uma que teria um bom papersonalidade po pela frente. múltipla” Oscar Niemeyer era uma pessoa afeita a conversar. Ele gostava de bater papo sobre todos os assuntos, mas principalmente sobre política, história e a sobre a vida. Lembro-me de uma dos encontros no escritório interrompido pela secretária e depois esposa dele, para avisar de uma entrevista agendada com a BBC de Londres e ele mandou fosse adiada para o período da tarde para continuar o papo conosco. Um homem quase centenário que vibrava como um jovem recém-saído da adolescência com o lançamento da revista Nosso Caminho em 2008. Era um apaixonado pelo que fazia. Mesmo depois de tantos anos de trabalho, de já es-

tar mais do que consagrado profissionalmente, gostava de acompanhar seus projetos, de saber das novidades, do andamento das obras. A idade avançada e um medo atávico de andar de avião já não permitia que fosse até os locais de seus projetos, mas a equipe do escritório acompanhava tudo e lhe transmitia as informações. No caso do Parque da Cidade, enviamos ao escritório a filmagem e as fotos feitas num sobrevoo da área, além de todas as informações necessárias para a realização do projeto. Todas as visitas que fizemos lá com a equipe de arquitetos da Prefeitura ele mandava chamar seu braço direito o arquiteto Jair Valera para saber detalhes sobre o andamento da obra e aceitou sem criar problemas algumas adaptações como quando substituímos a ideia de fazer um restaurante no alto da torre desenhada por ele por um memorial que contaria a história da cidade. Hoje, Memorial e Parque estão abandonados devido à inveja e à mesquinharia política de uma gestão desastrosa para Natal. Mas vamos recuperar o tempo perdido para novamente entregar à cidade esse espaço tão importante e com ele reverenciar a memória do homem e sua obra muito bem definidos pelo educador Darcy Ribeiro quando disse: “Daqui a mil anos todos estaremos mortos e esquecidos, exceto Oscar Niemeyer”. Natal estará entre as cidades que têm a felicidade de ter na sua paisagem a marca inesquecível da genialidade de Oscar Niemeyer.

Brum - www.rabiscosdobrum.zip.net

Cartas Obra retomada

Os sentimentos de Sanderson A carta de Sanderson pode ser interpretada como um desabafo do poeta, mas sem desaforos. Aos seus ouvidos, no exílio do Rio de Janeiro, chegavam os fuxicos da aldeia. Confira: “Woden: meu abraço. Escrevo-lhe por Gil Hemetério Gurgel Vilar ao saber por intermédio deste certos equívocos adistringentes à minha humilde pessoa e pelo motivo mais loquaz de que certos paus-de-araras que, aqui estiveram, alvoroçaram-se em proclamar aí coisas a meu respeito. Dou satisfação a você, meu amigo. Aos bons filhos-da-puta que formam a vida natalense, nada tenho a revelar. Estou bem e muito bem. Minha situação em Manchete é ótima. Eles me querem – já revelei a eles o que sou. Passei real-

mente uma fase perturbadora com a morte de Papai: pretendi evidentemente fazer concurso. Mas, mais uma vez, a direção da revista conseguiu me empolgar. Sou repórter com carteira de repórter. Bloch me prestigia, idem o pessoal da direção. Tive e tenho problemas de angústia que me deixam às vezes só. É natural. Gosto do Rio e nunca pensei em voltar. Estou me ligando inclusive ao grande grupo do JB – com Walter Fontoura à frente. O resto é por acréscimo. Se há desilusões, também pudera. Você e meus amigos tenham paciência que, se é duro vencer, saibam que vai bem encaminhado. Aos meus amigos, que você sabe quais são, mando um abraço e outro para você. Sanderson”

A EUROPA DE ALEX Das duas cartas de Alex Nascimento, escolho a escrita com tinta vermelha. A outra, anterior, mais longa, o cara comparece de verde. Os malucos, como explicá-los? A letra de Alex parece caligrafia de arquiteto-decorador: toda arrumadinha, aberta para a brisa soprada do nascente. Vamos lá: “Aachen, 12.09.91 Madruga Recebi escritos de L. e ela me disse que não chegou a você uma carta minha. Ou é brincadeira sua, ou do Correio – brasileiro, claro -, ou foi o que penso. E o que penso? Ah, sou Descartes. Sério: fui ao Correio com quatro cartas, aos meus quatro casos – Mamãe, você, Estevão e Marinho. Na impossível comunicação, entre aérea, registrada, marítima e o cacete, a sua e a de Estevão foram marítimas vias. Mamãe recebeu, porque a quenga entendeu meus gestos e me deu um recibo – tinha uma sobra de cruzeiros dentro e eu queria garantir. Marinho, L. me disse que recebeu. Bem, seja o que for, a loura do Correio é pra se comer com vinho tinto. Ela sempre pergunta que dia vai sair a Bandagália. O frio começa a perturbar, principalmente meu sexo. Não consigo mais viver sem cremes, batom, hidratantes, e amanhã desejo inaugurar minhas lindíssimas meias-calças. Recebi uma Tribuna e um O Poti. Você não escreveu, era um interino. Bom sinal, repito Camões: Na lucidez só há trabalho e tristeza. Passei quinze dias na Espanha. Graças a Deus, voltei. O Mediterrâneo parece um rim – só tem pedra. Claro, Madruga, claro que fiquei na piscina. Nessa sacanagem,

Empresa Jornalística Tribuna do Norte Av.Tavares de Lira,101 - Ribeira - Natal/RN CEP:59010200 Fone: (PABX) 4006-6100 Fax: (0xx84) 4006-6124 Endereço eletrônico: www.tribunadonorte.com.br

em um mês atravessei a França três vezes. Os guardas das fronteiras quando me veem vão logo perguntando a mesma merda da loura do Correio: Que dia sai a Bandagália? Bonn tem charme, Colônia tem a catedral, e, dito assim, nem parece que tudo aqui é bonito e o país é sério. Holanda, um amor, uma laranja, um carrossel. Quando faço minhas caminhadas pra lá, todo dia, lembro de você. O verde inacabável, pequenas fazendas, o gado pastando, não sei a raça – mas tudo é holandês. Conheço pela cara feliz, vacas e bois que nunca foram às barracas de Ponta Negra. Jamais desceram a Ladeira do Sol, e, subir em palanque, nem pensar. Não, isso aqui não é interior. Com 40 minutos de carro, você está em Bonn ou Colônia ou Dusseldorf. Acelera um pouco: Bruxelas. Aachen tem 300 mil habitantes e qualquer supermercado – não entregando à LBA – alimenta o Nordeste. É, Madruga, são muito interessantes as coisas da natureza. No mural do Raro Sabor, por exemplo, você fez L. sorrir: “Quanto bandido!” Mas é praí que voltarei. Não faz sentido ser mosca e fugir da merda. Doutora manda beijos. Também os mando eu. Que linda construção gramatical! Alex” Diretor Presidente: Henrique Eduardo Alves Superintendente: José Roberto Cavalcanti Diretor Adm.e Operações: Ricardo Luiz de V.Alves Diretor Financeiro: Agnelo Alves Filho Diretor de Redação:Carlos Peixoto cpeditor@tribunadonorte.com.br Gerente Comercial: Eliane Rocha Gerente de Marketing: Andréia Barandas Gerente de Circulação: Thales Vilar

O que me estranha é essa tal de Micarla ter roubado 65 milhões da Saúde, ter roubado a merenda escolar e o fardamento dos alunos, e não ter 2 milhões pra concluir essa obra. Ou ex-prefeita sem futuro, Ave Maria! juniordiguerreiro@yahoo.com.br

Obra (2)

PADRE JOÃO MEDEIROS FILHO* [ Jucurutu@digi.com.br ]

‘Naquele tempo’ (in illo tempore)

O

tempo bíblico não é meramente cronológico. E sim parte do kairós, que é a graça divina, atemporal, infinita e eterna. Por essa razão, não raro, as narrações evangélicas começam: “Naquele tempo”. Situam o momento da presença de Deus e seu Filho, ocasiões de encontro com o sagrado. Do ponto de vista exegético e hermenêutico, “naquele tempo” não está necessariamente ligado à sequência dos fatos. Referese a algo mais significativo. Não nos reportamos simplesmente à cronologia. Pretendemos ressaltar alguma coisa ou alguém, a mentalidade, o estilo de vida ou valores éticos e morais. No meu tempo de criança, o mundo parecia mais definido e os papéis delineados. Não se falava em unissex e até as cores possuíam sua classificação, destino e significado. “Naquele tempo”, as casas tinham varandas, onde acontecia o namoro ou o noivado; quintais, onde nossa infância e pureza de alma deixavam marcados – no dizer teológico – sacramentos constituídos por jogos, balanço pendurado nas mangueiras, corda para pular etc. Construíamos nossos próprios brinquedos, de acordo com nossos sonhos. Ninguém fazia por nós, muito menos sonhar. Eles não vinham empacotados com a etiqueta “Made in China” etc. Brotavam de nossas mãos criadoras. Ossos viravam bois e vacas, colocados num imaginário curral, pedaços de um velho caixote eram transformados em carrinhos, caminhões etc. Retalhos de pano tornavam-se bonecas e não existiam ainda a Barbie, Xuxa e outras tantas marcas. A violência e a tecnologia embotaram a mentalidade de nossa população infantil. Encontramos pouco espaço para o inocente, o puro e ingênuo. Trocamos os bois, carros e bonecas por armas de plástico, brinquedos e jogos eletrônicos, que excitam os olhos e tiram o sono. Não sai “da minha retina cansada” a imagem de duas crianças, no interior, que brincavam jogando terra para o alto. Era

Classificados: Redação Fax Venda Avulsa Assinatura Natal Reclamações Natal ASSINATURA Mensal (à vista) Semestral (à vista) Anual (à vista)

4006-6161 4006-6113 4006-6124 4006-6100 4006-6111 4006-6111 R$ 43,00 R$ 258,00 R$ 516,00

PREÇO DO EXEMPLAR Rio Grande do Norte 3ª a Sábado Domingo Outro Estado 3ª a Sábado Domingo

o que possuíam, no entanto, demonstravam felicidade e espelhavam um largo No meu tempo de sorriso de paz. “In illo temjovem,as pessoas pore”, as crianças não sotoleravam mais as friam de insônia, pois o adversidades,os cansaço das brincadeiras as conflitos e as levava bem cedo para a cadiferenças.Não ma. conhecíamos Conheci um tempo em processos e crimes que as pessoas podiam se de exclusão,nem entristecer sem ser rotulacotas.Temos das de deprimidas ou bihistórias de polares. Era possível viver superação,de a tristeza ou ansiedade sem gente que sofreu, ansiolíticos, diazepínicos venceu,honrou a e antidepressivos, que provida” metem devolver o sorriso. Experimentávamos a sensação de bem-estar e não a manifestação eufórica, a alegria artificial, oriunda de drogas e produtos químicos. No meu tempo de jovem, as pessoas toleravam mais as adversidades, os conflitos e as diferenças. Não conhecíamos processos e crimes de exclusão, nem cotas. Temos histórias de superação, de gente que sofreu, venceu, honrou a vida. Tenho saudades da beleza e da poesia daquele tempo. As rádios tocavam Chão de estrelas, AveMaria no morro etc. Contávamos com a solidariedade, braços abertos para acolher, a oferta do ombro amigo, palavras de consolo, diálogo e não a monotonia e o convencional dos edifícios desprovidos de alpendres e de redes para o balanço exterior e o da alma, em que Deus era esperado no Natal. Talvez por isso o amor fosse mais duradouro, as crianças naturalmente crianças. Houve um tempo em que o homem era mais humano e Deus mais divino e amado.

(*) Da Academia Norte-Riograndense de Letras

Enquanto isso, na vizinha João Pessoa, uma obra de Oscar Niemeyer, a Estação Ciência, se destaca por seus eventos culturais, atraindo a visita de diversos turistas (eu inclusive). É uma pena que o Parque da Cidade, que tem potencial cultural e turístico semelhante, esteja atualmente entregue às baratas! Espero que seja recuperado e entregue o quanto antes, pois ainda não pude ter a honra de conhecer a obra de perto! romulosartoretto@gmail.com

Limpeza pública Não adianta se esforçar e fazer mutirão de limpeza se a população também não colabora e torna a sujar. nordestino04@hotmail.com

Atraso Nada contra o bafômetro (da Inglaterra!). Mas o do Brasil... Bah! A pessoa pagar multa porque tomou duas doses de uísque? Na Inglaterra, tomo duas doses de uísque, o bafômetro de lá me deixa dirigir. No Brasil, não. Brasil: país dos absurdos. Mas no Brasil os motivos escusos nós sabemos: indústria das multas. Se nao for por esse motivo, então por que o Brasil não segue o exemplo da Inglaterra? carloscarreras@tjrn.jus.br

Desrespeito Continua o desrespeito por parte da Trampolim que faz a linha São Gonçalo/Natal-S. Tiram os ônibus no horário da noite deixando os passageiros a ver navios. Mais respeito com os usuários, pô!!! nordestino04@hotmail.com

FILIADO AO

R$ 1,50 R$ 2,50

FILIADO AO INSTITUTO VERIFICADOR DE CIRCULAÇÃO

R$ 2,00 R$ 3,20

REPRESENTANTE NACIONAL – Pereira de Souza & Cia Ltda: Rio de Janeiro :(O21)2544-3070 – São Paulo:(011) 3259-6111

FILIADO À ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE JORNAIS

REDE CABUGI DE COMUNICAÇÃO TRIBUNA DO NORTE 4006-6100 Rádio Globo/Cabugi (AM) Natal 4006-6180 104 (FM) Parnamirim 3272-3737 Rádio Difusora de Mossoró (AM) 3316-3181/2181/3317-6167 Rádio Cabugi do Seridó (AM) J.do Seridó 3472-2759 Rádio Baixa Verde (AM)J.Câmara 3262-2498 Pereira de Souza(SP) 11/3259-6111 Pereira de Souza(RJ) 21/2544-3070


Domingo | 09 de dezembro de 2012

política

Notas & Comentários colunanotas@tribunadonorte.com.br

Votações na pauta Assembleia Legislativa terá uma semana movimentada. Precisará votar, até sexta-feira, vários projetos que foram enviados pelo Governo do Estado (veja reportagem nesta página) e o Orçamento Geral do Estado para 2013. Entre as propostas do Executivo que estarão em discussão, a que certamente provocará debates mais intensos envolve a criação de uma taxa para diversos serviços que serão executados pelo Idiarn (Instituto de Defesa e Inspeção Agropecuária do RN).

A

Implicações em debate É previsível que os deputados da oposição reajam a um projeto que estabelece a cobrança de um tributo. Além disso, é possível que a reação ultrapasse os limites da Assembleia Legislativa. Afinal, certamente, as entidades que representam os empresários de segmentos que devem arcar com o custo vão apresentar al-

gum posicionamento sobre o projeto. Os sindicatos e federações dos trabalhadores também devem se manifestar, porque cobrança de taxas tem implicações no que se convencionou chamar de “cadeia produtiva”, com possível repercussão para empregos e valores cobrados ao consumidor final.

Aécio [Neves, senador pelo PSDB] ficou bravo, nervoso. Disse que a Dilma já subiu no palanque. Ora, ela não saiu do palanque. A Dilma é a nossa candidata à reeleição em 2014”

Ideli Salvatti, ministra das Relações Institucionais, ao afirmar que a atual presidenta vai concorrer à renovação do mandato e criticar as reações da oposição.

ABR

Defesa da reforma

O controlador geral da União,ministro Jorge Hage, defendeu a implementação,de forma “radical”,das reformas política e processual como ferramentas fundamentais para o avanço no combate à corrupção.Segundo ele,essas medidas seriam capazes de “mudar o patamar”do enfrentamento ao problema no país.Para Hage,a reforma política,esperada “há décadas”,deve ajudar a resolver duas questões: a excessiva pulverização partidária,que obriga a montagem de coalizões para que se possa governar,e o financiamento empresarial de campanhas e partidos.

Combate à corrupção No Parque das Dunas haverá, neste domingo, uma programação em alusão ao Dia Internacional de Combate à Corrupção. A iniciativa é de integrantes da Controladoria Geral da União (CGU) e do Marcco (Movimento

Articulado de Combate à Corrupção). Pretendem levar informações ao público sobre a atuação dos instituições que atuam na fiscalização do uso de recursos públicos, como o Tribunal de Contas da União.

FINANCIAMENTO PÚBLICO A reforma política, que está em discussão no Congresso Nacional e pode ser votada nos próximos dias, estabelece o financiamento público de campanha.

Ensino profissionalizante Os secretários de Ensino Superior do Ministério da Educação, José Amaro Lins, e de Educação Profissional e Tecnológica, Marco Antônio, vão participar, em Natal, do Seminário de Expansão da Educação Profis-

sional, promovido pela Comissão de Educação da Câmara dos Deputados. O encontro será nesta segunda-feira, no auditório do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN), no Campus Cidade Alta.

RUMO A 2014 O prefeito eleito de São Paulo, Fernando Haddad, será entrevistado nesta segunda-feira à noite no programa Roda Viva, retransmitido em Natal pela TV Universitária. Entre os assuntos que devem pautar a entrevista estão as implicações para a política nacional do resultado das eleições deste ano na capital paulista e as articulações do PT para 2014, além dos planos para a administração da maior cidade do país.

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

3

[ LEGISLATIVO ] Deputados estaduais vão apreciar, até sexta-feira, propostas enviadas pelo Executivo que definem a cobrança de novo tributo e autoriza operação de crédito

Governo envia para votação projeto que cria nova taxa Governo do Estado quer instituir uma nova modalidade de cobrança sobre a atividade agropecuária e, ao mesmo tempo, contrair um empréstimo no valor de R$ 615,2 milhões junto ao Banco do Brasil. Ao reestruturar uma de suas Secretarias, espera também dar vida a 27 cargos comissionados. Essas propostas integram um conjunto de 15 mensagens governamentais, encaminhadas à Assembleia Legislativa, as quais devem ser apreciadas até a próxima sexta-feira (14) pelos parlamentares. Um desses projetos trada da criação da “taxa de defesa e inspeção animal (TDIAV)” decorrente da atuação do Instituto de Defesa e Inspeção Agropecuária do RN (Idiarn) – cujo tributo se consubstanciará por meio do recolhimento sobre 103 atividades e/ou serviços no setor agropecuário – e promete ser a mais polêmica. Alguns deputados da Assembleia Legislativa e representantes das entidades empresariais e de trabalhadores já iniciaram um manifesto tímido contra a proposta. Eles entendem que a cadeia produtiva, já desgastada, não comporta novas despesas. O altofalante, segundo informaram à TN, será acionado na hora certa. O Idiarn foi criado por meio de uma lei complementar, em março de 2006, para inspecionar e defender a atividades agropecuárias no Estado. “Havia a necessidade de se adequar à política nacional”, disse o controlador-geral do Estado, Anselmo Carvalho. Ele assinala que a instituição se originou enquanto autarquia, sem dispor de um quadro próprio de servidores, mas “ao contrário do que rege a lei nunca se sustentou”. Para impor as cobranças, o Estado argumenta que os serviços não podem continuar gratuitos, entre outras coisas, porque dessa forma continuará alheia ao papel de autarquia. De acordo com as previsões do Governo, o apurado com a arrecadação das cobranças renderá ao Idiarn R$ 400 mil/ano. A receita deverá ser utilizada para investimento próprio, manutenção e adequação às novas tecnologias.

O

PROJETOS ENVIADOS À ASSEMBLEIA Propostas para votação

Os deputados da Assembleia Legislativa devem apreciar até a próxima sextafeira (14) 15 mensagens de autoria do Governo,entre as quais a que institui uma modalidade de taxas no âmbito do Instituto de Defesa e Inspeção Agropecuária do RN (Idiarn),a que cria cargos na Secretaria de Recursos Hídricos e dois empréstimos. Veja a seguir os principais projetos: Projeto Institui taxa de Defesa e Inspeção Animal e Vegetal (TDIAV), decorrentes da atuação do Idiarn;

Governo espera que o Idiarn arrecade,com o novo tributo, aproximadamente R$ 400 mil/ano;

103

Menor taxa

modalidades de serviços serão cobrados;

Maior taxa

0,21 2.660,00

O tributo atinge a cadeia produtiva de vários setores agropecuários potiguares.

Alguns serviços que serão cobrados: R$ 1.596,20 Manutenção anual de cadastro dos produtos agrotóxicos

R$ 2.660,00 Cadastro de produtos agrotóxicos

R$ 532,05 Cadastro de insumo agrícola por produto

R$ 1.064,10 Alteração das informações de cadastro de produtos,inclusão e uso agrotóxicos

R$ 263,05 Alteração no cadastro de insumos agrícolas por produtos

Projeto Autoriza o Estado a contratar operação de crédito com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID); Valor do empréstimo:US$ 45 milhões;

Autoriza o Estado a contratar operação de crédito com o Banco do Brasil. Valor do empréstimo: R$ 615.242.247,93;

Projeto já havia sido autorizado pela Assembleia Legislativa,no entanto, devido a incongruências no teor do texto,retornou para nova apreciação dos parlamentares;

Recursos provenientes do Programa de Apoio ao Investimento dos Estados e do DF (Proinveste);

Recurso a ser aplicado no Programa de Desenvolvimento do Turismo do RN;

Existe a necessidade de se adequar à política nacional de inspeção e defesa das atividades agropecuárias” ANSELMO CARVALHO controlador geral do Estado e ex-chefe do Gabinete Civil

Altera a Lei Complementar Estadual n.º 163, de 5 de fevereiro de 1999, com o objetivo de readequar a Secretaria de Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh);

27 cargos comissionados são definidos no âmbito da Semarh.

Valores serão utilizados para pagamento de dois empréstimos anteriores e a sobra será destinada a investimentos;

O projeto prevê que estão sujeitos à cobrança todos que exerçam atividades ligadas à agropecuária, pesca e agroindústria. As modalidades do TDIAV vão desde o registro de insumos, o reconhecimento de sementes, mudas, auditorias, entre outras coisas. O cadastramento de produtos agrotóxicos e componentes afins consiste no tributo mais elevado – de R$ 2.660,30. Se aprovada a proposta, o Governo promete ser exigente. E para isso, já prevê aos que não recolherem os tributos nos prazos e condições estabelecidas o pagamento de acréscimos, como correção monetária, juros de mora e

multa de 2%. O Idiarn busca autonomia financeira, mas não disporá de independência administrativa. A utilização das despesas com recursos provenientes do TDIAV serão previamente submetidas à aprovação do titular Secretaria de Agricultura, Pecuária e da Pesca (Sape). Para reforçar o pedido, o Governo observa que as taxas a serem cobradas no Rio Grande do Norte estão todas abaixo da média do Nordeste. “Além disso, temos que nos render à realidade. Não tinha outra saída com mais liberdade e agilidade para se estruturar melhor e prestar um melhor serviço”, concluiu Anselmo Carvalho.

Orçamento vai à votação em plenário Após discussões e desavenças entre Governo e alguns Poderes, o Orçamento Geral do Estado para 2013 finalmente está pronto para ser votado pelos deputados da Assembleia Legislativa. Entre as modificações feitas pelos parlamentares da Comissão de Finanças e Fiscalização (CFF) está a redução da margem de remanejamento do Governo, que passou de 15% para 5%. Além da diminuição do montante, o projeto do OGE que saiu da CFF promoveu remanejamento para contemplar parte dos pleitos do Tribunal de Justiça, Tribunal de Contas do Estado e Ministério Público. O MPE desejava aumentar em R$ 39,625 milhões o orçamento original apresentado pelo Governo. A emenda coletiva dos deputados, acresceu R$ 19 milhões ao orçamento do MP. Ou seja, foi atendido em 47%. O valor foi acrescido a R$ 227,399 milhões já previstos na peça originária do orçamento. Já o Tribunal de Justiça estava pleiteando uma emenda de R$ 85,522 milhões; conseguiu 30%, o que representa R$ 26 milhões, que serão acrescidos aos R$ 801,369 milhões previstos pelo Governo. O Tribunal de Contas do Estado também foi beneficiado por emenda coletiva. Os conselheiros desejavam R$ 16,5 milhões, mas conseguiram R$ 7 milhões. O or-

ADRIANO ABREU

Deputados estaduais vão definir,nesta semana,a margem de remanejamento para o Orçamento de 2013

çamento original era de R$ 64.858 milhões. Ou seja, os deputados destinaram 42% da emenda coletiva que estava sendo defendida pelo TCE. A expectativa é que o projeto seja votado na próxima quarta-feira. A proposta original enviada pela governadora Rosalba Ciarlini recebeu 318 emendas dos deputados, sendo cerca de R$ 74 milhões para emendas coletivas. A Comissão

aprovou também a modificação feita pelo próprio Executivo acrescentando uma estimativa de receita no valor de cerca de R$ 42 milhões de recursos de convênio, com isso o orçamento geral se eleva para cerca de R$ 11 bilhões. O relator do projeto, deputado José Dias, afirmou à TN que agiu dentro das possibilidades e com absoluto respeito ao interesse público, que foi preservado dentro

de uma harmonia entre os poderes. “Partimos do entendimento de que não era conveniente, salutar e republicano assumirmos uma divergência que poderia ter sido evitada entre o Executivo e os outros poderes”, disse, referindo-se às reivindicações de instituições como o Ministério Público, Tribunal de Justiça e o Tribunal de Contas, que reivindicaram aumento de recursos.


4 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

política

Domingo | 09 de dezembro de 2012

Entre os projetos que chegaram à Assembleia Legislativa, enviados pelo Governo, está o que autoriza uma nova operação de crédito que renegocia dívida e obtém mais recursos oriundos de financiamento [ LEGISLATIVO ]

Empréstimo será de R$ 615 milhões O

Governo do Estado quer a autorização da Assembleia Legislativa para contratar um empréstimo de R$ 615,2 milhões, junto ao Banco do Brasil. A operação de crédito é, na verdade, uma recomposição de outros dois financiamentos (2009/2010) e a ampliação do valor, cuja sobra de caixa será destinada para investimentos diversos. De acordo com Anselmo Carvalho, o Estado conseguiu ampliar a capacidade de endividamento e de pagamento, com parecer da própria Secretaria do Tesouro Nacional (STN) e por isso não terá dificuldades para arcar com o débito, que passará a ser parte da dívida fundada do Estado (ou de longo prazo). O contrato com o BB faz parte do Programa de Apoio ao Investimento dos Estados e do Distrito Federal (Proinveste), da União. “A atratividade é que as taxas que pagaremos são diferenciadas. Nós ficaremos com uma prestação menor e mais recursos para investimentos”, frisou Anselmo Carvalho. De acordo com o projeto de lei enviado para apreciação dos parlamentares, os recursos adquiridos via Proinveste servirão para a construção e aparelhamento da Universidade do Estado do RN (Uern), cujas obras encontram-se paralisadas desde 2009; para a construção e reforma de delegacias da Região Metropolitana de Natal; para aumentar o capital da Caern com fim de executar obras de abastecimento e financiamento; para construir um hospital de trauma em Natal; e para construir e restaurar as rodovias estaduais. SOLICITAÇÃO O Governo pediu permissão, também, para contratar uma operação de crédito com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), no valor de US$ 45 milhões. A solicitação já havia sido feita e aprovada pelos deputados, mas devido à incongruências no teor do texto, teve que retornar à AL para nova apreciação dos parlamentares. Os

JÚNIOR SANTOS

recurso serão aplicados no Programa de Desenvolvimento do Turismo do RN. “O Rio Grande do Norte tinha indicadores ruins até 2010 e tivemos que fazer um trabalho de renegociação de dívidas, contenção de gastos e aumento da receita corrente muito grande para melhorar a nossa capacidade de endividamento e de pagamento”, ressaltou o controlador. Ele admite, no entanto, que não é uma situação confortável ter que pedir emprestado para poder investir no RN. “Quebrar o Estado foi uma obra de algumas gestões, mas com muita dificuldade estamos correndo atrás para mudar essa realidade”, observou.

A atratividade é que as taxas que pagaremos são diferenciadas. Nós ficaremos com uma prestação menor e mais recursos para investimentos” ANSELMO CARVALHO controlador geral do Estado

Secretaria passará por readequação A Secretaria de Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh) passará por uma readequação, em cumprimento à política estadual e nacional da área, e entre as ações está prevista a oficialização de 27 cargos comissionados no órgão. Nem todos serão criados por já existirem no quadro do Estado, como é o caso do da função de secretário, adjunto e algumas coordenadorias. No entanto, parte deles nascerão com a reestruturação definido no projeto enviado para apreciação do Legislativo estadual. A proposição visa ainda redefinir o rol de competências da Semarh junto com o quantitativo de cargos públicos de provimento em comissão.

Anselmo Carvalho afirma que Governo vai argumentar para aprovação do projeto na atual legislatura

“Governo quer aprovação integral” O controlador-geral do Estado, Anselmo Carvalho, afirmou que o Governo insistirá com os deputados que aprovem as matérias enviadas ao legislativo da maneira como foram elaboradas. “Respeitamos as alterações porventura feitas pelos parlamentares, mas os projetos foram originados de acordo com as necessidades do Governo, então pedimos a manutenção do inteiro teor”, destacou o auxiliar. Anselmo falou demoradamente sobre a peculiaridade do OGE para 2013, cuja previsão foi formatada de

acordo com os índices reais e absolutos e disse que qualquer modificação no texto poderá prejudicar as finanças do Executivo. “Levamos em conta as curvas de crescimento dos Poderes, os pleitos, etc, mas não podemos esquecer as necessidades do Executivo”, defendeu o controlador. Ele enfatizou que o Governo não vai deixar de cumprir com as próprias obrigações para atender demandas de outras instituições, ainda que as considere justas. “Não tem de onde tirar mais recursos para ninguém. Nós estamos insistin-

do nisso faz tempo. Qualquer centavo que tirar do Executivo vai ser um centavo a menos para atender as necessidades da população do Rio Grande do Norte”, assinalou. Ele alertou ainda que se houver frustração de receita, os Poderes terão que arcar juntos com as lacunas. “Essa decisão foi dada pelo ministro Joaquim Barbosa ao decidir sobre um caso do Acre”, observou. Anselmo destacou que o Governo conversará com os parlamentares da base de sustentação para orientar na votação do texto original.

REESTRUTURAÇÃO A partir de reforma institucional realizada no ano de 2007, as áreas de meio ambiente e de recursos hídricos foram agrupadas, no Estado, sob direção da Semarh. No entanto, argumentou o Governo do Estado, tais modificações na estrutura e nas competências não acompanharam uma adequada alteração no arcabouço jurídico estadual, adaptando-o tanto à nova realidade da atuação da referida Secretaria. “Como à legislação federal em vigor, medida cuja implementação se mostra ainda mais imprescindível nos dias atuais”, destacou o Governo na justificativa enviada para projeto que reestrutura a Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos.

[ ACORDO ] Para aprovar a proposta orçamentária de 2013, antes do recesso parlamentar,

houve a promessa para a liberação de R$ 3,4 bilhões para aplicação nos Estados e municípios

‘Emendas’ serão liberadas B

rasília (AE) - Para aprovar a proposta orçamentária de 2013 antes do recesso parlamentar, o governo se comprometeu a liberar R$ 3,4 bilhões em emendas de parlamentares nos próximos dez dias. Pelo acordo fecha-

do com a oposição, cada um dos cerca de 100 deputados e senadores do DEM, do PSDB e do PPS vai ter empenhada R$ 5 milhões de suas emendas ao Orçamento deste ano até o dia 20 de dezembro, data prevista para a votação no plenário

do Congresso da proposta orçamentária para o ano que vem. Para os quase 500 parlamentares da base aliada, o Palácio do Planalto vai empenhar R$ 6 milhões em emendas orçamentárias. “O acordo é esse: se o governo

empenhar tudo, os R$ 5 milhões de cada parlamentar, até o dia 20, nós votamos o Orçamento de 2013. Se o governo descumprir o acordo, não temos nenhum compromisso de votar a proposta no plenário do Congresso”, afirmou.


política

Domingo | 09 de dezembro de 2012

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

5

Se as mudanças forem aprovadas como defende o relator, haverá financiamento público para as campanhas eleitorais e lista fechada. O projeto também estabelece o fim das coligações na eleição proporcional

[ CONGRESSO NACIONAL ]

Reforma está pronta para votação RENATO ARAÚJO

Henrique Fontana explica principais itens da proposta

Deputados federais vão apreciar, em plenário, o relatório sobre as mudanças na legislação eleitoral

reforma política pode entrar na pauta do Plenário da Câmara dos Deputados nesta semana. O relator da matéria na Comissão Especial que analisou o tema, deputado Henrique Fontana (PT-RS), apresentará seu relatório com mudanças, na tentativa de viabilizar a votação de quatro pontos: o financiamento público de campanhas, o fim de coligações proporcionais, a coincidência de data das eleições e a mudança na data de posse dos cargos executivos. Líderes partidários debateram o assunto na última quarta-feira, em Plenário, depois de Fontana explicar detalhes desses pontos, que foram escolhidos por reunirem mais condições de aprovação. A votação poderá ocorrer em sessões extraordinárias na terça-feira (11) ou na quarta-feira (12). O parecer inicial de Fontana foi apresentado no início do ano na comissão, mas nunca houve consenso para a votação do texto. Também está na pauta do Plenário o Projeto de Lei 6716/09, do Senado, que aumenta de 20% pa-

A

ra 49% o limite de capital estrangeiro com direito a voto nas empresas aéreas nacionais. O projeto será analisado na terça-feira (11), a partir das 11 horas, em sessão extraordinária. Segundo o texto aprovado na comissão especial que analisou o projeto, esse limite poderá ser maior, se houver reciprocidade em acordo assinado pelo Brasil com outro país. Em qualquer caso, a transferência de ações com direito a voto para estrangeiros dependerá de aprovação da autoridade de aviação civil. O relator da matéria, deputado Paulo AbiAckel (PSDB-MG), negocia mudanças no texto, que também aperfeiçoa o Código Brasileiro de Aeronáutica (Lei 7.565/86) para beneficiar os usuários do transporte aéreo. COPA DO MUNDO As sessões ordinárias do Plenário estão trancadas pela Medida Provisória 585/12, que libera R$ 1,95 bilhão a estados e municípios para fomentar as exporta-

ções. O parecer aprovado na comissão mista que discutiu a MP prevê também a retroatividade de benefícios tributários para projetos de reforma ou construção de estádios destinados à Copa do Mundo de 2014. Segundo o relator, deputado Vicente Candido (PT-SP), a regulamentação (Lei 12.350/10) do Recopa, regime de isenção dos tributos para esse evento, saiu atrasada e, por isso, prejudicou algumas obras que já tinham começado, como as dos estádios de São Paulo e de Porto Alegre. O texto também permite à União devolver à Fifa, ao Comitê Organizador da Copa 2014 e à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) recursos equivalentes aos tributos recolhidos por elas entre 1º de janeiro e 31 de dezembro de 2010. Entretanto, somente serão considerados os tributos envolvidos nas operações relacionadas ao planejamento e à organização das copas das Confederações (2013) e do Mundo.

O relator da Comissão Especial que analisou o tema da Reforma Política, deputado Henrique Fontana (PT-RS), explicou em Plenário as propostas que podem ser votadas na próxima semana por acordo entre os líderes partidários para mudar as eleições brasileiras. Financiamento público de campanhas, fim de coligações proporcionais e coincidência de todas as eleições devem ser incluídos na votação. Após um ano e nove meses de trabalho, a comissão aprovou alguns pontos, mas nem todos serão levados ao Plenário. Segundo Fontana, foi preciso que todos os partidos abrissem mão de algumas posições para que seja possível aprovar algum tipo de reforma. “Fomos econômicos, evitando tratar de muitos assuntos ao mesmo tempo, para evitar a maior oposição à proposta”, disse. FINANCIAMENTO PÚBLICO O ponto central, para o relator, é o financiamento público de campanhas. Fontana acredita que o poder econômico decide quem pode ou não concorrer nas eleições. “O fator decisivo tem sido a capacidade de um candidato de arrecadar, e isso tem de acabar”, disse. O partido do relator apoia a medida. “Para que todos tenham chances, e ninguém fique refém da iniciativa privada”, disse o líder do PT, deputado Jilmar Tato (SP), para quem esse é o ponto fundamental. “A raiz da corrupção está no financiamento privado das campanhas”, concordou o líder do Psol, deputado Ivan Valente (SP). A proposta tem apoio de grandes partidos como PSDB e PMDB, ainda que nos detalhes não tenham um acordo final. No entan-

Líderes definem acordo para a votação Os líderes partidários fecharam acordo para a votação da Reforma Política nesta semana. A apreciação será fatiada em torno de quatro pontos principais: financiamento público exclusivo de campanhas eleitorais, coincidência de datas de eleições, fim das coligações partidárias nas eleições proporcionais e sistema de votação misto, ou seja, nominal e na legenda. Uma proposta de emenda à constituição aglutinativa tratará

do fim das coligações proporcionais e da coincidência de eleições, que poderá ser adotada já a partir de 2018 ou 2022. Também por PEC, deve haver mudança na data de posse dos eleitos para cargos executivos, que atualmente ocorre no dia 1º de janeiro. A tendência é adotar uma proposta já avançada no Senado e que prevê posses nos dias 5 de janeiro para prefeito, 10 para governadores e 15 para presidente

da República. As outras mudanças devem ocorrer por projeto de lei, instituindo, inclusive, um sistema de federação de partidos em substituição às coligações partidárias nas eleições para o parlamento. CIDADÃOS O relator da Reforma Política, deputado Henrique Fontana (PTRS), acredita que o tema poderá ir a voto no Plenário da Câmara na

próxima semana. Na opinião dele, há consenso para incluir na reforma uma ampliação da participação do cidadão por meio da internet e das redes sociais. Pela proposta, quando um grupo de interesse - uma associação ou uma entidade de classe - quiser colocar em tramitação um projeto de lei ou uma (proposta de) emenda constitucional, isso poderá ser feito por meio de um endereço eletrônico.

to, a proposta foi duramente criticada por líderes do PR e do PTB, que expressaram a opinião de vários deputados. “Em um País em que falta dinheiro para tudo, nós vamos dar dinheiro para campanha política? Se falta para a saúde, a educação, isso é inadmissível”, disse o vice-líder do PTB, deputado Arnaldo Faria de Sá (SP). Para o líder do PR, deputado Lincon Portela (MG), o problema é que o financiamento público como está sendo discutido não garante que o caixa dois e a corrupção eleitoral vão acabar. “Um exemplo é que a proposta permite que pessoas possam trabalhar em campanhas, desde que estejam ligadas ao partido. Oras, vai ser uma festa de filiação para poder trabalhar em campanhas”, disse. Para Fontana, o financiamento público pode ser um golpe no caixa dois, mas será preciso fiscalizar de perto os candidatos. “Sabemos de antemão quanto poderá ser gasto em uma campanha, e tanto a Justiça quanto os adversários vão ter um parâmetro para avaliar se está sendo cumprido”, disse. PDT e PSB também apoiaram. Para Paulo Rubem Santiago (PDT-PE), será necessário encontrar um bom sistema para esse financiamento. Para Beto Albuquerque (PSB-RS), somente essa alteração já traria uma grande mudança nas eleições. VOTAÇÃO EM LISTA A proposta de votação em uma lista fechada não foi totalmente aceita pelos parlamentares. Fontana escolheu um sistema misto e explicou que os partidos farão uma lista, mas os votos dados a cada candidato vai modificar es-

sa ordem estabelecida pelos partidos. Na prática, ele chamou o sistema de “lista partidária totalmente influenciada pela votação”. Por outro lado, a proposta elimina a cláusula de barreira existente hoje. Por essa regra, os partidos que não atingiram um coeficiente mínimo para a eleição, não têm direito a eleger deputados ou vereadores. Nesse sistema, mesmo que um parlamentar tenha recebido quase a totalidade dos votos necessários para se eleger, ficará de fora, enquanto outros que pertencem aos partidos que fizeram o coeficiente podem ser eleitos com dez vezes menos votos. Pela nova proposta, depois de distribuídas as vagas que cabem a esse coeficiente, as vagas restantes seriam novamente distribuídas entre todos os partidos, e não apenas entre os que atingiram aquela votação. MULHERES A bancada feminina queria que a lista partidária trouxesse uma quantidade igual de homens e mulheres, mas Fontana disse que essa mudança seria “ousada demais” para a situação atual, em que há menos de 10% de mulheres no Parlamento. Por isso, a regra será de que a cada três vagas, uma será para o sexo oposto. A coordenadora da bancada feminina, deputada Janete Rocha Pietá (PT-SP), disse que foi preciso abrir mão da reivindicação para apoiar o financiamento público, que ela vê como prioridade. FIM DAS COLIGAÇÕES A proposta também deve trazer o fim das coligações para a eleição de deputados e vereadores. Segundo Fontana, a experiência tem sido de que os partidos se unem de forma desorganizada, e não fazem coligações por questões de programa ou ideologia semelhantes. Já a líder do PCdoB, deputada Luciana Santos (PE), foi contra a medida. Ela disse que seu partido faz coligações por ideologia, e que a medida pode impedir pequenos partidos de eleger deputados.


6

| Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

política

Domingo | 09 de dezembro de 2012

Ministra Ideli Salvatti afirma que há risco da presidenta Dilma Rousseff enfrentar, ao concorrer à renovação do mandato na próxima eleição, um político que atualmente está na base aliada do Governo Federal

[ RUMO A 2014 ]

Ministra alerta para risco de dissidência ABR

ão Paulo (AE) - A ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, fez um alerta ao PT sobre a possibilidade de a presidenta Dilma Rousseff enfrentar um candidato de sua base aliada na eleição de 2014. O Palácio do Planalto trabalha com a hipótese de que o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), dispute a Presidência da República daqui a dois anos. “Nós não devemos estar desatentos a candidaturas alternativas que já começam a se desenhar, que não são contra a presidenta Dilma e ao projeto do PT. Temos que estar bastante atentos à nossa própria base que nos sustenta. Podemos ter surpresas”, disse Ideli a prefeitos e vereadores eleitos em um evento organizado pelo PT paulista em Embu das Artes, na Grande São Paulo. Presidente nacional do PSB, Campos criticou no início da semana propostas de estímulo ao consumo são insuficiente para alavancar o crescimento econômico e sugeriu que falta rumo estratégico ao País para enfrentar a crise internacional. Desde as eleições municipais, Campos também vem defendendo a descentralização de recursos da União. No encontro do PT, Ideli antecipou a campanha pela reeleição de Dilma ao afirmar que a presidenta está no palanque e ao atacar o provável candidato do PSDB a Presidência em 2014, o senador mineiro Aécio Neves. “Ontem (quinta-feira) o Aécio ficou bravo, ficou nervoso. Disse que a Dilma já subiu no palanque. Ora, a Dilma não saiu do

S

palanque. A Dilma é a nossa candidata à reeleição em 2014”, disse. A ministra criticou a postura dos tucanos em relação ao plano do governo federal de reduzir as tarifas de energia elétrica. “Eles fazem uma política pouco inteligente de ser contra uma medida corajosíssima de baixar a tarifa elétrica. O cara (Aécio) parece mais presidente da Cemig do que candidato a presidente do Brasil e acha que a nossa dona Dilma ia ficar quietinha. Aí tomou uma chapuletada ontem e ficou bravo”,

Enfrentamos um dos maiores tiroteios institucionalizados, com transmissão ao vivo” IDELI SALVATTI ministra das Relações Institucionais

afirmou. Ideli também criticou a exploração do julgamento do mensalão, que tem ex-dirigentes do PT entre os condenados, na disputa eleitoral de 2012. “Nossa vitória de 2012, como a reeleição do (ex-)presidente Lula em 2006, teve características daquela música do Chico Buarque: ‘apesar de você, amanhã há de ser outro dia’. Enfrentamos nessa eleição um dos maiores tiroteios institucionalizados, com transmissão ao vivo, e que chegou a ocupar 18 minutos no Jornal Nacional para nos atingir.”

PT aponta interesse eleitoral de adversários

Ideli Salvatti reclama das notícias no Jornal Nacional sobre o julgamento do mensalão no STF

Notáveis elaboram programa do PSD São Paulo (AE) - O recém-criado PSD já é a terceira bancada no Congresso Nacional e chegou ao final dessas eleições municipais como o quarto partido que mais elegeu prefeitos em todo o País. Apesar da boa performance, os dirigentes da sigla perseguem agora uma outra meta, dar à legenda um conteúdo programático que possa servir de base para a discussão dos desafios que o País enfrenta, como o crescimento econômico sustentável com redução das desigualdades sociais. Segundo o presidente da Fundação Espaço Democrático do PSD e vice-governador do Estado de São Paulo, Guilherme Afif Domingos, a ideia é de um ‘think

tank’, uma usina de ideias dedicada a produzir, discutir e difundir conhecimentos estratégicos sobre assuntos essenciais e pensar a realidade de forma inovadora. Com base nesta meta, a sigla criou 21 conselhos temáticos, formados por parlamentares, acadêmicos, empresários e especialistas em questões de interesse público, filiados ou não ao partido. “Temos um grupo de experts para definir os eixos temáticos que irão nortear nossas discussões e formar nosso programa partidário para servir de discussão aos quadros de nosso partido, sobretudo em 2013, que para nós é um ano essencialmente de pensamento político”, destaca Afif.

Este time de notáveis, na definição do vice-governador, é coordenado pelo cientista político Rubens Figueiredo. E inclui nomes como o do ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles, o embaixador José Botafogo Gonçalves, o advogado Arnaldo Malheiros Filho, o engenheiro e um dos fundadores da Embraer Ozires Silva e o deputado e ex-ministro da Previdência Social Reinhold Stephanes, entre outros. Além dos 21 membros dos conselhos temáticos, a equipe conta também com a colaboração do economista Roberto Macedo, encarregado de formular o Projeto de Nação da legenda.

Brasília (AE) - Um dia depois de a presidenta Dilma Rousseff ter dito que o Tesouro Nacional bancará a diferença para reduzir o custo da energia elétrica, o Diretório Nacional do PT culpou diretamente o PSDB pela criação de obstáculos para a diminuição da conta de luz. Em nota aprovada na sexta-feira, a cúpula do PT acusou os tucanos de agirem em nome de interesses eleitorais. “(...) Governadores do PSDB e seus aliados - derrotados nas últimas eleições e de olho numa revanche em 2014 - são contra a conta de luz mais barata. Assim, colocam seus interesses econômicos e eleitorais acima do bem e da população e do empresariado que está com a presidenta nesta batalha, que dá continuidade à difícil redução dos juros e da carga tributária”, diz a nota. O Palácio do Planalto e o PT decidiram politizar a disputa com o PSDB, depois que as companhias geradoras Cesp (São Paulo), Cemig (Minas Gerais) e Copel (Paraná) recusaram o acordo proposto pelo governo para prorrogar as concessões. A nota do PT diz que “por coincidência” as empresas são de Estados controlados pelo PSDB e afirma que a lucratividade das empresas de energia é “astronômica”. Nos últimos dias, o senador Aécio Neves (PSDB-MG), pré-candidato à Presidência, criticou o que definiu como “profunda intervenção do governo Dilma” no setor elétrico.


Domingo | 09 de dezembro de 2012

geral

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

7

[ FOLIA ] Último dia de programação começa às 17h30 e, a partir das 14 horas, o trânsito fica fechado em trechos das avenidas Prudente de Morais e Romualdo Galvão

Gaudêncio Torquato gaudenciotorquato@tribunadonorte.com.br

Operação nacional tapa-buracos em bem as camadas tectônicas da política se acomodam, preenchendo as reentrâncias abertas pelo furacão eleitoral, o território começa a registrar movimentos que prenunciam o próximo sismo. Não há como disfarçar: a fogueira da campanha presidencial de 2014 começou a ser acesa. Do alto de seu prestígio no ninho tucano, o ex-presidente Fernando Henrique sugere que Aécio Neves se posicione, desde já, como o candidato do PSDB (e das forças de oposição) à presidência da República, mesmo que a estratégia de antecipação implique jogar o senador mineiro num corredor polonês, onde sofrerá solavancos e correrá o risco de ter a imagem corroída. Os ventos eleitorais também sopram na sala principal do poder. Até então impermeável às pressões políticas, a presidente Dilma passa a cumprir intensa agenda de articulação política, convocando lideranças de sua base para sentir o pulso e avaliar demandas. O terceiro movimento parte do presidente do PSB, o governador pernambucano Eduardo Campos, que olha para um lado e outro na tentativa de descobrir a vereda mais reta para caminhar em direção ao Planalto.

N

O pós-mensalão está a exigir uma reengenharia de métodos e processos. Todo esforço se faz necessário para resgatar o conceito de política como missão a serviço da polis e não de negócio entre indivíduos”

Trios vão ao “corredor” para encerrar o Carnatal ALEX COSTA repórter

último dia do Carnatal 2012 começa mais cedo, às 17h30. A partir das 14h o trânsito volta a ser fechado nas avenidas Prudente de Morais e Romualdo Galvão, bem como das adjacências, para receber os foliões que se concentram para festejar o amor e o prazer. O primeiro bloco a sair será o Trio 51, seguido do Cerveja&Coco, com a banda Asa de Águia e Swingaê, com a banda Grafith. Encerrando a festa, o bloco Bicho, com Ricardo Chaves, entra na avenida animando as arquibancadas, camarotes e foliões na pista. Os primeiros dois dias de Carnatal foram considerados tranqüilos pela polícia. Casos de motoristas autuados em flagrante por conduzirem embriagados estão

O

Motoqueiro atropela cavalo da Polícia Militar Um cavalo da Polícia Militar morreu na madrugada de sábado, nas imediações do Conjunto Potilândia, após ser atropelado por uma moto. O agente da Polí-

cia Montada, que estava sobre o cavalo, contou que perdeu o controle do animal, que invadiu a pista, e colidiu com a motocicleta. O cavalo fazia parte do esquema de segurança do Carnatal. O motociclista foi encaminhado para o Pronto-Socorro Clóvis Sarinho e até o fechamento da edição não se soube a respeito do seu estado de saúde.

sendo freqüentes durante a operação realizada pela Polícia Rodoviária Federal (PRF). Doze pessoas que ultrapassaram o limite de 0,30 na escala do aparelho foram autuadas em flagrante por direção perigosa. As autuações ocorreram durante a noite de sexta-feira e madru-

gada de sábado de Carnatal. Dessas 12 pessoas, 10 foram presas por crime de trânsito. “Tranquilidade” foi a palavra usada pelo coronel da Polícia Militar, Francisco Araújo, avaliando a segurança pública no segundo dia de Carnatal 2012. A sexta-feira registrou apenas um boletim de

ocorrência durante toda a noite, diferente do primeiro dia da festa, que apresentou 17 ocorrências. “Brigas são sempre a maior motivação para registro de boletins de ocorrência nesses eventos. Nossa equipe está preparada para dar suporte em qualquer situação”, afirmou. Outras confusões foram resolvidas pelos agentes de polícia, porém não houve necessidade do registro em B.O. Um acidente aconteceu por volta das 2h da madrugada de sexta-feira na BR-101.

ATRAÇÕES DO ÚLTIMO DIA

Bloco

MAGNUS NASCIMENTO

A movimentação dispara uma bateria de perguntas: há sentido abrir, agora, a arena de 2014 quando o país se prepara para inaugurar um novo período administrativo pilotado pelos prefeitos recém eleitos? Que ameaças aguardam os contendores com a antecipação do processo eleitoral? As respostas sugerem examinar, inicialmente, a engrenagem da locomotiva econômica. Ela é quem puxa o trem da política. Hoje, escapuliu dos trilhos. O crescimento do PIB é pífio (menos de 1% este ano?); os investidores se retraem; a gestão federal está travada, sem ações de envergadura; o retrato da desolação flagra mais de 30 obras inacabadas, a um custo de R$ 30 bilhões, segundo o Tribunal de Contas da União. A redentora transposição do rio São Francisco vira quimera; a ferrovia NorteSul vai para as calendas e os estádios da Copa sofrem grandes atrasos. Volumosos investimentos internacionais buscam novas praças. Prefeituras e Estados, de pires na mão, brigam pelo reparte dos royalties do pré-sal, enquanto a presidente Roussef, com seu estilo centralizador, usa o poder de veto (e a tinta da caneta) para agradar uns e desagradar outros, escancarando tensões entre os entes federativos. Para fechar a cadeia de fatores negativos, a receita usada em 2008 para girar a roda econômica – incentivo ao consumo – mostra-se inadequada. Ao fundo, vêem-se sombras em forma da inadimplência das famílias neste fim de ano. É bem provável que os perfis cotados para entrar no figurino de 2014 enxerguem nessa paisagem esburacada oportunidade para fincar seus nomes. Afinal, usar o manto de bombeiro em pleno incêndio pode fazer o diferencial de imagem. Ainda mais quando mais uma bomba explode nas cercanias do Palácio do Planalto, como se enxerga no affaire Rosemary. Dito isto, chega-se a outra bateria de dúvidas: quem garante que a paisagem devastada não será reflorestada um pouco mais adiante? Quem aposta na hipótese de enfraquecimento da presidente Dilma, cuja boa avaliação continua suplantando os índices alcançados pelos antecessores Fernando Henrique e Luiz Inácio em seus primeiros mandatos? Atente-se para o fato de que a administração continua a expandir os eixos sociais do ciclo Lula (a partir do Bolsa Família), por meio de extensões nas frentes de qualificação profissional, escola em tempo integral e saúde infantil (planos Brasil Sem Miséria e Brasil Carinhoso). O estilo centralizador da presidente reforça seu perfil de xerife. Por isso, explosões intermi-

tentes que batem nos costados do governo não a atingem. A mineira/gaúcha mostra-se imune às intempéries que sugam os estoques de credibilidade do petismo. E não será surpresa se a imagem presidencial subir alguns metros quando a promessa de baixar o custo da energia em 20% chegar ao bolso do contribuinte. Ela confia tanto na medida que acaba de desferir uma estocada nos tucanos pelo fato de estatais sob o comando de governos do PSDB não terem aderido à causa. Esse instantâneo da realidade mostra a extemporaneidade da ideia de se abrir o torneio de 2014. Nesse momento, o país descortina um novo patamar de valores e princípios na política, fruto do repertório esboçado pelo julgamento da Ação Penal 470. A expectativa geral é a de que as práticas dos nossos atores comecem a passar pelo filtro da moralização. Emendar uma campanha eleitoral noutra, sob a égide da velha política, quando a sociedade clama por assepsia, é tentar jogar esgoto em águas cristalinas. A hora é de faxina geral. O pós-mensalão está a exigir uma reengenharia de métodos e processos. Todo esforço se faz necessário para resgatar o conceito de política como missão a serviço da polis e não de negócio entre indivíduos. A sociedade está cansada de refrãos pintados com o bordado de promessas vãs. A competitividade do jogo político, em nenhuma hipótese, deve motivar os contendores a queimar etapas e a fazer prevalecer os interesses de grupos sobre os anseios da Nação. Os jardins republicanos esperam sementes de novos frutos, ou seja, mudanças em estatutos como sistema do voto, financiamento de campanha, coligações proporcionais, clausulas de desempenho e modelos de campanha ajustados às demandas coletivas. Impõe-se fechar os compartimentos que propiciam corrupção nas três instâncias federativas. Cumpre fazer valer a lei de responsabilidade fiscal. Instrumento que acaba driblado por centenas de gestores públicos. Somos, por excelência, o território das leis (milhares) burladas. Mais apropriado que antecipar cenários eleitorais seria produzir um Projeto Estratégico para a Nação, pré-requisito a acolher a ambição dos quadros políticos. Não seria mais eficaz que os governantes, nesse momento, se dessem as mãos em torno de uma Operação Nacional Tapa Buracos? A conclamação do almirante Barroso, barão do Amazonas, continua na ordem do dia: “O Brasil espera que cada um cumpra o seu dever”. Principalmente quem tem o dever de prestar contas à sociedade.

GAUDÊNCIO TORQUATO, jornalista, é professor titular da USP e consultor político e de comunicação.Twitter: @GaudTorquato

Equipe da limpeza prepara corredor para a retomada da festa

Ricardo Chaves volta ao corredor da folia para encerrar a programação

[ EDUCAÇÃO ]

Atendimento de Pajuçara, e Marca deixa de administrar a estrutura

Atendimento inicia com atraso

A

cia foram atendidos antes disso. Na recepção, pacientes reclamaram da espera e estranharam a demora no atendimento. O motorista Aílton Inácio, 41, que acompanhava o soldador Irandi de Oliveira Cardoso, 51, disse ter visto muitos irem embora sem atendimento. “Já procurei a UPA outras vezes e o atendimento sempre foi rápido. Desta vez, é diferente”, afirmou. O novo diretor da UPA, Niky Araújo, explicou que é comum

ocorrer atraso durante transferência de administração, e afirmou que o atendimento seria normalizado ainda pela manhã. A escala, segundo ele, está completa, e o atendimento garantido até, pelo menos, a próxima sextafeira. Niky que se reuniu mais cedo com a equipe e o interventor da UPA, afirmou que praticamente 100% dos profissionais aprovados na seleção simplificada se apresentaram para o serviço no sábado.

[ VIAGEM ] TURISTAS ENCERRAM CRUZEIRO EM NATAL ALDAIR DANTAS

Início da manhã de sábado e aportou em Natal o primeiro navio de cruzeiro previsto para chegar na cidade no mês de dezembro. Desde a ilha de Barbados, ilha do Caribe, o Silver Cloud vem descendo a costa da América do Sul com destino ao Rio de Janeiro. A última parada, antes de chegar na capital potiguar, foi em Belém no estado do Pará. Para todo o mês de dezembro, são esperados um total de três navios de cruzeiro no Porto de Natal. Ano passado, 20 navios de passageiros aportaram no RN no mês de dezembro, considerado mês de alta estação. De acordo com o gerente de

operações da Companhia das Docas do RN (Codern), Ricardo Amaury, a redução no número de navios de passageiros aportando em Natal deve-se à proibição de

Horário

MARCELO BARROSO

[ SAÚDE ] Prefeitura assume a gerência da Unidade de Pronto

Prefeitura do Natal assumiu ontem a gerência da Unidade de Pronto Atendimento Dr. José Ruy Pereira (UPA de Pajuçara), com mais de duas horas de atraso. Até as 7h de ontem, quando terminou o contrato com o Município, a unidade funcionava com a estrutura e equipes da Organização Social A. Marca. Pacientes que chegaram após este horário esperaram até as 10h para passar pela primeira triagem. Só os casos de emergência e urgên-

Trio

Trio 51 17h30 Cerveja & Coco Asa 18h Swingaê Grafith 18h30 Bicho Ricardo Chaves 19h

novas viagens para a ilha de Fernando de Noronha, rota que possibilitava a chegada constante desse tipo de embarcações no Porto de Natal.

Casal afirma ter visto violência em escola ais dois ex-funcionários da Escola Berçário Trenzinho Feliz, na Vila Clementino, zona sul de São Paulo, serão ouvidos pela polícia na segunda-feira. O casal, um homem e uma mulher, trabalhou no local em anos anteriores e diz ter presenciado cenas de violência. Nos últimos dois dias, 26 mães prestaram queixa por agressões supostamente praticadas pela proprietária. O caso veio à tona após uma denúncia feita por um grupo de professoras que pediu demissão - uma delas filmou um dos episódios. Diretora e dona da unidade de ensino, Conceição Tomaz Cruz, de 52 anos, foi indiciada na tarde de quinta-feira por maustratos. Segundo a polícia, Conceição foi flagrada no vídeo dando um tapa no rosto de um dos alunos, de 2 anos. Ela responde em liberdade A delegada Lisandrea Zonzini Salvariego Colabuono, titular da 2 ª Delegacia de Defesa da Mulher, diz que o depoimento do casal pode ser fundamental para o andamento do inquérito. “O intuito é provar que o comportamento dela era reiterado”, afirmou.

M


8 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

geral

Domingo | 09 de dezembro de 2012


Domingo | 09 de dezembro de 2012

geral

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

Ministro-chefe da Controladoria Geral da União defende a implementação imediata de medidas, como adoção da ficha limpa e o fim das firulas jurídicas, para fortalecer o combate à corrupção no Brasil [ SERVIÇO PÚBLICO ]

Controlador defende reformas-já rasília – O controlador-geral da União, ministro Jorge Hage, defende a implementação, de forma “radical”, das reformas política e processual como ferramentas fundamentais para o avanço no combate à corrupção. Segundo ele, essas medidas seriam capazes de “mudar o patamar” do enfrentamento ao problema no país. Para Hage, a reforma política, esperada “há décadas”, deve ajudar a resolver duas questões: a excessiva pulverização partidária, que obriga a montagem de coalizões para que se possa governar, e o financiamento empresarial de campanhas e partidos. “Enquanto não tivermos financiamento público exclusivo, ou total transparência dos financiamentos empresariais antes das eleições, acabando com as doações ocultas feitas ao partido sem que se saiba para que candidatos elas vão, ainda vamos ter que trabalhar muito no enfrentamento à corrupção”, disse Hage, ao participar de evento promovido pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes (Undoc), para marcar o Dia Internacional de Combate à Corrupção, neste próximo domingo. Ao falar sobre a reforma processual, o chefe da ControladoriaGeral da União (CGU) disse que é preciso “reduzir a infinidade de recursos que fazem com que um processo no Brasil não se conclua em menos de dez anos, especificamente nos casos contra a administração, por aqueles réus chamados de colarinho branco”. “Enquanto a legislação processual brasileira, sobretudo no campo do processo penal, não for alterada,

B

não teremos maiores avanços no combate à impunidade. Não há regras processuais em nenhum país civilizado que ofereçam ao réu tantas possibilidades recursais e de criação de outros incidentes protelatórios, como a [legislação] brasileira”, acrescentou. Hage enfatizou que a implementação das medidas depende da pressão popular sobre os parlamentares. “Depende de todos nós, da sociedade brasileira, pressionar o Congresso [Nacional], porque é de lá que têm que sair essas duas medidas.” O ministro Jorge Hage comentou também o decreto que está sendo elaborado pelo governo federal para estabelecer a ficha limpa na administração pública, tema que ganhou força após a deflagração da Operação Porto Seguro, da Polícia Federal, que investiga envolvimento de servidores públicos federais na venda de pareceres técnicos. Segundo ele, o decreto deve estabelecer hipóteses de impedimento para a posse em cargos públicos, nos casos de funções comissionadas, mesmo se os postulantes sejam réus em processos que não tenham chegado ao fim. “É preciso que se observem outras informações, não somente as vedações diretas que se referem à condenação final em processo administrativo ou a julgamento com pelo menos uma decisão colegiada de segundo grau”, defendeu. “É necessário que se observem situações em que, mesmo sem ter o processo chegado ao fim, haja um conjunto de decisões, de auditoria, de processos em andamento que, pela soma, desaconselhe determinadas nomeações”, concluiu.

Petista minimiza papel de Rose Noronha em esquema Brasília (AE) - O secretário Nacional de Comunicação do PT, o deputado federal André Vargas (PR), acredita que Rosemary Nóvoa de Noronha, ex-chefe de gabinete da Presidência da República em São Paulo, teve papel “absolutamente secundário” no esquema de venda de pareceres desbaratado pela Operação Porto Seguro, realizada no dia 23 de novembro pela Polícia Federal (PF). Rosemary foi indiciada por corrupção e tráfico de influência na ação da PF. “Está muito nítido,

com o que se tem até então, que a própria Rosemary tem papel absolutamente secundário”, afirmou Vargas, durante intervalo do encontro do Diretório Nacional do Partido em Brasília. O tema, segundo ele, não foi tratado no encontro. Segundo Vargas, o expresidente Luiz Inácio Lula da Silva não pode ser responsável pelo que Rosemary fez. Foi o ex-presidente quem a indicou para o cargo quando ainda estava no Palácio do Planalto - ela foi mantida durante a gestão Dilma Rousseff.

9


10 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

geral

Domingo | 09 de dezembro de 2012

[ CONGRESSO ] Parlamentares contrários ao veto parcial estão se movimentando para que a Câmara e o Senado realizem sessão conjunta extraordinária na próxima terça-feira

Cláudio Humberto E-mail: ch@claudiohumberto.com.br - www.claudiohumberto.com.br

Trocar Agricultura por Transportes

Revisão do veto de Dilma a royalties está indefinida WALDEMIR BARRETO/AGÊNCIA SENADO

nsiosos com a minirreforma que a presidenta Dilma deverá fazer no início de 2013, peemedebistas já falam em trocar o Ministério da Agricultura pelo de Transportes. Argumentam que isso agradaria o PMDB – que faturaria um ministério mais robusto – e o PR, que, além de ter interesse na área do agronegócio, hoje não se considera contemplado com o correligionário Paulo Passos, nos Transportes.

A

ESCAMBO MINISTERIAL Interessados no troca-troca alegam que “não seria ruim” para o ministro Mendes Ribeiro (Agricultura), que está em tratamento de saúde.

Nós não devemos estar desatentos a candidaturas alternativas”

Ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) sobre a eleição presidencial de 2014

PRIORIDADE

QUEM É OUVIDO

A cúpula do PMDB tem contido o apetite dos seus membros para não atrapalhar as eleições para as presidências da Câmara e do Senado.

O único ministro que pede desculpas, mas vez em quando diz que madame está errada é Edison Lobão (Minas e Energia). E Dilma acata.

WATERLOO

Piada no Twitter com o insuperável Lula e o escândalo Rosemary: “Ele está preparado para a guerra porque já tem dois canhões.”

Parecer de Weber salvou acusada A ex-chefe da Secretaria do Patrimônio da União na Bahia Ana Lúcia Vilas Boas, atual secretária estadual do Meio-Ambiente, contou com a ajuda de Luis Inácio Adams (Advocacia Geral da União) e do braço direito Jo-

sé Weber Holanda para voltar ao cargo. Sua demissão, após denúncia de improbidade, acabou revogada em razão de parecer de Holanda, avalizado por Adams – que, claro, dirá que foi enganado.

PARECER SALVADOR

O parecer de José Weber Holanda, que sumiu na AGU, alterou o juízo do Ministério do Planejamento, contrário a Ana Lúcia Villas Boas.

ÁREA DE ATUAÇÃO

MUY AMIGO

Intercepções da Polícia Federal, na operação Porto Seguro, mostraram que a Bahia era um dos principais locais de atuação da quadrilha.

Na audiência no Senado, Luiz Adams disse que “vagabundos” citados pelo consultor-geral Arnaldo Godoy era Weber, o amigo e braço direito.

ÚLTIMA TENTATIVA O PSDB procurou durante a semana o PP, PTB, PSD, PSC, DEM e PMDB tentando apoio para derrotar o relatório da CPI do Cachoeira, que indicia o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB-GO).

MANOBRA PROTELATÓRIA O PSDB combinou, em jantar na casa do deputado Domingos Sávio (MG), em Brasília: se o relator Odair Cunha apresentar texto atualizado seria “novo relatório”, a ser lido de novo, com direito a pedido de vistas. FIDELIDADE ÀS ORIGENS Dilma não esconde que entre os amigos de copa e cozinha estão três ministros: Fernando Pimentel (Desenvolvimento), Mendes Ribeiro (Agricultura) e Brizola Neto (Trabalho). Dois gaúchos, um mineiro.

Bola de cristal Como antecipamos, a representante no Brasil da ArmaLite ganhou na quinta (6) a licitação internacional de 300 carabinas 5.56 da Polícia Rodo-

viária Federal, por R$1, 3 milhão. A licitação “dançou” em 2011, com o anúncio desta coluna. Mas quem é vivo sempre reaparece.

COMPROU BRIGA

PT NÃO PERDOA

A bancada do PMDB ficou uma arara com o ministro do Turismo, Gastão Vieira, que ofereceu verba milionária do Prodetur para nove governadores, em vez de liberar emendas parlamentares.

Candidato a presidente da Câmara, Júlio Delgado (PSB-MG) enfrenta forte resistência na ala lulista do PT. Ele foi relator no Conselho de Ética de parecer favorável da cassação de José Dirceu, em 2005.

LENDA BURRA Geraldo Bentes, especialista em Turismo, fez palestra em evento de arquitetos em Maceió, e ouviu a asneira de um deles, nordestino: “É verdade que Niemeyer proibiu a plantação de árvores em Brasília?”

PEDALA,OPOSIÇÃO Para o deputado Felipe Maia (RN), filho do presidente do DEM, senador Agripino Maia, a oposição precisa decidir o quanto antes se “partirá ou não para a pancadaria em 2013”.

PERGUNTA NA PF “Evaporada” desde a Operação Porto Seguro, a superassessora “Rose” Noronha entrou no programa de proteção à testemunha?

rasília (Ag. Senado) - O exame do veto presidencial ao projeto que muda as regras de distribuição dos royalties do petróleo ainda está indefinido. Segundo informação da Secretaria da Mesa do Congresso, parlamentares contrários ao veto parcial de Dilma estão se movimentando para que a Câmara dos Deputados e o Senado realizem uma sessão conjunta extraordinária na próxima terça-feira (11). Essa seria a oportunidade de os partidários do projeto de colocar em votação o requerimento de urgência para exame do veto ao projeto dos royalties, uma vez que há milhares de outros vetos na fila. Não foi informado se, na hipótese de o requerimento ser aprovado, o veto poderá ir a exame na mesma sessão ou em outra. De qualquer forma, para que o requerimento tenha condições de ser votado, é necessário o apoio formal de no mínimo 48 senadores e 257 deputados. A assessoria do senador Wellington Dias (PT-PI), autor do projeto (PLS 448/2011), confirmou nesta quinta que o requerimento no Senado conta com 48 assinaturas, acima do suficiente. Em contato por telefone, o deputado Marcelo Castro (PMDB-PI) informou que o requerimento conta com 160 assinaturas de deputados, aquém do necessário. Ele disse acreditar que até a segunda-feira o grupo obtenha o mínimo regimental, já que estariam faltando a manifestação de parlamentares do Ceará, Maranhão, Amazonas, Pará, Pernambuco e Bahia. O veto presidencial deve ser apreciado em sessão bicameral, e só pode ser derrubado pelo voto secreto da maioria absoluta dos membros das duas Casas – 41 votos no Senado e 257 votos. A derrubada do veto presidencial à Lei dos Royalties (12.734/2012) é defendida pelos estados não produtores de petróleo, que esperavam contar com a distribuição igualitária dos recursos da exploração do petróleo, atividade em que se destacam o Rio de Janeiro e o Espírito Santo. Em pronunciamento no Plenário, na quarta-feira passada, o senador Magno Malta (PR-ES) disse que “vê com muita tristeza a movimentação pela derrubada do veto”, que ele classificou de “revanchista”. Segundo ele, os parlamentares que querem a derrubada do veto estariam interessados “em dar o troco” à presidente Dilma Rousseff. Se derrubado o veto da pre-

B

Representante do Espírito Santo, Malta vê com “ato revanchista”movimento para derrubar veto

Autor do projeto pede urgência a José Sarney Brasília - O autor do projeto de redistribuição dos royelties do petróleo aprovado no Congresso Nacional e vetado parcialmente por Dilma Rousseff, Senador Wellington Dias mantém a expectativa de que o requerimento para análise do veto seja apresentado nesta terçafeira. Wellington Dias considera que o veto presidencial frustrou os interesses dos estados não produtores de petróleo. Em reunião com o presidente do Senado, José Sarney, na última quarta-feira, o senador pediu urgência na realização da sessão do Congresso para votação da matéria. A reunião também contou a

participação de parlamentares e representantes de 24 estados não produtores de petróleo. Após a reunião, Wellington Dias acrescentou que os representantes dos governadores de estados não produtores de petróleo e dos coordenadores de bancada pediram a Sarney que a sessão destinada a analisar veto seja realizada antes do recesso parlamentar. O representante do Piauí disse ainda que Sarney informou ter recebido manifesto em que vários governadores afirmam que o volume de recursos de royalties e participação, tanto das áreas já licitadas quanto das áreas em licitação, deverá ser superior ao necessário para dobrar os atuais investimentos no setor de educação. Por esse motivo, os governadores pedem a destinação do excedente para as áreas de saúde, segurança e meio ambiente.

sidente, os estados do Rio de Janeiro e do Espírito Santo, ao qual Magno Malta representa, perderão os royalties relativos à exploração de petróleo de contratos em vigor. O senador disse ainda que a

manifestação pela derrubada dos vetos é “infame”, tendo em vista que as assinaturas para o exame da matéria “já foram conseguidas”. O senador disse ainda que a manifestação é decorrente “de uma

mentira bem contada” à população dos estados “de que royalties e petróleo são a mesma coisa”. - Quem não quer dinheiro? Quem não quer receber recursos? Agora, eles não têm condição de voltar atrás. Qual é o parlamentar que não resida no Rio e nem no Espírito Santo que tem coragem de votar a favor do veto da presidente Dilma? Ele vai apanhar no aeroporto, não vai poder andar pelas ruas. Mas ele sabe que mentiu e não dá o braço a torcer, porque sabe que royalties e petróleo não são a mesma coisa – afirmou, lembrando que, se o petróleo é da União, a compensação pela exploração, a que se referem os royalties, são destindas aos estados que sofrem os efeitos da indústria petrolífera. Malta afirmou “que o que está no subsolo não são royalties, o que está no subsolo é a riqueza do subsolo, seja granito, mármore, minério ou seja petróleo. Isso é de todos”, ao contrário de royalty, que é pagamento de passivo. Mas eu não guardo comigo nenhum ilusão de que eles não vão derrubar o veto. Têm obrigação de derrubar, porque já venderam o peixe errado. Não vão dar o braço para torcer. Então, vão ter que derrubar. E aí nós vamos para o Judiciário”, afirmou.


Domingo | 09 de dezembro de 2012

geral

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

11

ARQUIVO

IHU On-Line – Em maio deste ano, o senhor recebeu indenização pelos graves danos que lhe foram causados na época da ditadura. Como se sente diante desta decisão? Com muita sinceridade, devo dizer que o aspecto mais importante da anistia é o caráter político da decisão, e não a indenização que vou receber. Nunca lutei por dinheiro e, sim, pela democracia. A sessão da Comissão de Anistia na qual meu caso foi julgado representou um momento ímpar para mim. Eu já havia assistido a algumas sessões da Comissão e já conhecia o ritual. No momento em que o último membro da Comissão emitiu o seu voto, todos se levantaram, o presidente da Comissão Dr. Paulo Abraão pronunciou o veredito unânime e, em nome do Estado brasileiro, pediu desculpas pelas violações dos meus direitos. Nesse momento, fui tomado por uma grande emoção. Senti que a minha dignidade como cidadão estava resgatada. Naquele momento compreendi o significado simbólico daquele gesto que eu já havia presenciado em outras ocasiões, mas não tinha ainda noção do que representava para uma pessoa que teve seus direitos violentamente agredidos por uma política de terror oficialmente executada pela ditadura. Ao mesmo tempo, senti que, apesar de tudo e de todos os problemas que enfrentei, a minha luta e a de todos que lutaram contra a ditadura valeu a pena. Na época em que foi preso e torturado,qual era sua atuação na Ação Popular-AP e na liderança ecumênica jovem? Como militante da AP eu atuava no movimento estudantil (cursava Ciências Sociais na USP) e me dedicava ao trabalho de conscientização e de organização de setores da classe média. Ao mesmo tempo, trabalhava na Igreja Metodista como diretor do Departamento Nacional de Juventude e editor da “Cruz de Malta”, uma revista publicada por essa igreja e dirigida especificamente ao público jovem. Eu era também o secretário, para o Brasil, da União Latino-americana de Juventudes Ecumênicas. Sempre procurei separar minha militância política na AP da minha participação e atuação na igreja e no movimento ecumênico apesar de que, em muitos casos, havia certa coincidência. Por exemplo, a defesa dos direitos humanos, a oposição à ditadura, a crítica às estruturas injustas da nossa sociedade e os esforços para a superação das desigualdades econômicas e sociais no Brasil eram bandeiras ecumênicas que em grande parte coincidiam com as posições políticas dos diversos movimentos que se opunham à ditadura. Meu trabalho eclesial e ecumênico envolvia a promoção de reflexões bíblico-teológicas, produção de materiais educativos visando a formação ecumênica da juventude não só metodista mas de outras igrejas também, o envolvimento de jovens em projetos sociais e o incentivo à solidariedade com pessoas perseguidas pela ditadura. Já minha atuação na AP envolvia esforços que visavam a construção de apoios políticos e logísticos para a ação política da AP. Era um trabalho clandestino e muito arriscado, realizado com muita dificuldade pois a ditadura impedia qualquer tipo de oposição aberta. Como o senhor descreve os 20 dias em que ficou preso no DOICODI,respectivamente,Destacamento de Operações de Informações e Centro de Operações de Defesa Interna? Somados os três períodos em que estive no DOI-CODI e os em que estive no DEOPS, entre o final de fevereiro o final de junho, foram três meses de terror. O período mais difícil foi no DOI-CODI porque os interrogatórios acompanhados de torturas foram diários durante cerca de três semanas. E as torturas não eram somente físicas. Eram acompanhadas de torturas psicológicas para quebrar a resistência do prisioneiro. Por exemplo, ficar em uma

feitas por escrito nas margens de uma cópia do “Unidade”, um jornal artesanal da juventude metodista que eu editava e que era bastante crítico da liderança conservadora da Igreja. E o fantasma das torturas? Durante muito tempo, no meu período de exílio, fui perseguido pelo fantasma das torturas. Depois de muito esforço consegui perdoar os torturadores e também os que me denunciaram. A partir daí os pesadelos desapareceram. Foi um processo terapêutico para mim, uma forma que encontrei de vencê-los. Já disse também que há situações em que o perdão é mais importante para quem perdoa do que para quem é perdoado. Mas isso, em minha opinião, só faz sentido no âmbito subjetivo, nas relações interpessoais. No âmbito político, essas pessoas têm que ser responsabilizadas judicialmente porque seus crimes não foram somente contra os presos políticos individualmente, mas principalmente contra a sociedade brasileira. E a sociedade tem o direito e a obrigação de responsabilizá-los judicialmente.

ENTREVISTA \ ANIVALDO PADILHA - SOCIÓLOGO, EX-PRESO POLÍTICO

“CONHECI O LADO MAIS CRUEL E DIABÓLICO DO SER HUMANO” A

dital - Depois de ter tido sua história de vida marcada pelas torturas da ditadura, Anivaldo Padilha acaba de encerrar um ciclo, após o julgamento de seu caso na Comissão de Anistia. “No momento em que o último membro da Comissão emitiu o seu voto, todos se levantaram, o presidente da comissão Dr. Paulo Abraão pronunciou o veredito unânime e, em nome do Estado brasileiro, pediu desculpas pelas violações dos meus direitos. Nesse momento, fui tomado por uma grande emoção. Senti que a minha dignidade como cidadão estava resgatada”, disse à IHU On-Line. Líder da juventude metodista e do movimento ecumênico de juventude no Brasil e na América Latina durante os anos 1960, Padilha lutou contra a opressão e pela democracia. Na entrevista a seguir, concedida por e-mail, ele resgata essa história e diz que na prisão conheceu o “lado mais cruel e diabólico do ser humano”, mas também “o lado mais sublime, que é a capacidade de ser solidário em situações-limite”. E complementa: “Tudo isso contribuiu para que muitos de nós pudéssemos descobrir e encontrar dentro de si aquela força para resistir que, muitas vezes, não pensávamos possuir”. Quase 50 anos depois, Padilha avalia que a situação do país melhorou, especialmente no âmbito jurídico-institucional. “Conseguimos, no período pós-ditadura, construir um arcabouço jurídico de garantias e de proteção aos direitos humanos (Dhesca). Entretanto, paralelamente a esses avanços, mantivemos estruturas e instituições construídas durante nosso passado autoritário. As polícias civil e militar permanecem intocadas. O Estado se mostra incapaz de cumprir seu papel de forma adequada, tanto no plano federal quanto no estadual”, conclui. Anivaldo Padilha é formado em Ciências Sociais e membro da Igreja Metodista. Esteve exilado por 13 anos no Chile, EUA e Suíça. De regresso ao Brasil, em 1984, incorporou-se ao Centro Ecumênico de Documentação e Informação – CEDI. Em 1994, participou da fundação de Koinonia Presença Ecumênica e Serviço. É membro da equipe de assessores de Koinonia, membro da Diretoria do Conselho Latino-Americano de Igrejas (Região Brasil) e da Junta Diretiva do Church World Service, dos Estados Unidos e mora em São Paulo.

cela suja, dormindo no chão em um colchão também sujo, sem possibilidade de fazer a higiene pessoal, como tomar banho ou escovar os dentes, sem ter como trocar de roupa, uma só refeição diária que no início era composta de restos do jantar do quartel do exército e posteriormente uma marmita fornecida pelo Grupo Ultra. Juntamente com esse tratamento vinham os insultos constantes dos carcereiros e dos membros da guarda. Vivi essa situação durante o primeiro período de cerca de vinte dias em que estive no DOICODI. A ditadura sabia que é muito difícil para uma pessoa manter o senso de dignidade diante de uma situação como essa. Entretanto, creio que todos nós, prisioneiros, tínhamos consciência de que a prisão era também uma frente de luta e que era necessário reunir todas as forças interiores que tínhamos para resistir. Forças para enfrentar que tipo de inimigo? Sempre digo que conheci na prisão o lado mais cruel e diabólico do ser humano. É quando o mal que temos dentro de nós assume o controle total dos nossos atos e passa a agir com total liberdade. É quando o mal se instala de forma absoluta. Pude vivenciar isso na ação dos torturadores, mas não era algo simplesmente individual. É claro que alguns

deles se moviam por sentimentos de extremo sadismo, mas é possível até que alguns deles fossem meigos com seus amigos e familiares. Entretanto, ali no DOI-CODI, tornavam-se possuídos pelo poder de vida ou de morte que tinham sobre nós, pois tinham consciência de que estavam executando uma política de Estado. Sabiam que a tortura não era somente uma técnica sistemática de interrogatório, mas, acima de tudo, um instrumento de terror usado para intimidar a sociedade. Não se sentiam pessoalmente responsáveis e acreditavam na impunidade. Ao mesmo tempo, conheci o que considero o lado mais sublime do ser humano, que é a capacidade de ser solidário em situações-limite como a que na qual nos encontrávamos. Essa solidariedade se manifestava de várias formas: nas palavras de incentivo e de encorajamento quando um de nós era levado para interrogatório ou quando regressava das sessões de torturas e necessitava de cuidados; no respeito às diferenças político-ideológicas que havia entre os prisioneiros; na manifestação concreta do amor ao próximo que atingia o ponto máximo na capacidade de doação da própria vida como aconteceu com vários de nossos companheiros e companheiras. Que sentimento o senhor guar-

da em relação ao pastor metodista José Sucasas Jr.e ao bispo Isaías Fernando Sucasas,já falecidos,que lhe denunciaram? É importante esclarecer que as denúncias feitas pelo bispo Isaias Fernandes Sucasas e seu irmão pastor José Sucasas Jr. contra mim não foram a causa imediata da minha prisão. Fui preso juntamente com uma companheira de militância, Eliana Rolemberg, quando fomos à casa do tio de dois jovens da Igreja Metodista retirar um pacote de documentos que eles haviam deixado lá para nós. O tio deles abriu o pacote, considerou o material subversivo e chamou o DEOPS, na época comandado pelo infame delegado Sérgio Fleury. Os sobrinhos não sabiam que o tio deles era informante do DEOPS. Durante uma das sessões de torturas por que passei, enquanto eu negava ser comunista e membro de uma organização clandestina, uma dos torturadores me disse: “Você quer que acreditemos em você ou naquele pastor que afirma que você é comunista?”. Naquele momento não consegui saber o nome do tal pastor. Ouvi essa mesma pergunta várias vezes depois e não tenho dúvidas de que a delação foi uma das causas para a intensificação das torturas que sofri. Foi somente há cerca de seis anos que descobri que não era um, mas dois pastores que me haviam denunciado. As denúncias foram

Na época da Ditadura, quem defendia os direitos humanos era identificado na mídia como protetor de “terroristas” e não como defensores da democracia”

Sou grato por ter pertencido a uma geração, ou melhor, a uma parte da minha geração que não se calou diante da tirania”

Como o senhor se sentiu ao partir para o exílio, com a esposa grávida,sendo obrigado a ficar distante da família? Após conseguir liberdade condicional, permaneci no Brasil vivendo na clandestinidade durante cerca de cinco meses. Nesse período vivi com o auxílio do Conselho Mundial de Igrejas. Isso me possibilitou retomar contatos com meus companheiros da AP, especialmente com minha companheira (não éramos casados) que também estava na clandestinidade. Nesse período ela ficou grávida. Foi um período muito difícil para mim. Meu filho nasceu enquanto eu estava no exílio! Esse é um dos traumas profundos que ainda me perseguem. Quais são hoje os principais desafios que envolvem a luta contra as violações de direitos humanos no Brasil? Os desafios são muito grandes e multifacetados, pois a garantia e defesa dos direitos humanos envolvem várias frentes de luta que estão relacionadas: econômicos, sociais, culturais e ambientais. Por isso, sem desprezar as outras frentes, vou me concentrar na questão da violência que hoje ocupa grande parte da agenda nacional. Uma das heranças mais perversas da ditadura, perpetuada e disseminada pelo oligopólio da mídia sensacionalista, é que a defesa dos direitos humanos significa uma ameaça à ordem estabelecida. Na época da ditadura, quem defendia os direitos humanos era identificado na mídia como protetor de “terroristas” e não como defensores da democracia. Hoje, somos acusados de defender bandidos e não como defensores da justiça para todos os cidadãos e cidadãs. Enquanto isso, as ações das polícias militares e de milícias nas periferias das grandes cidades e de pistoleiros a serviço de fazendeiros continuam a assassinar, impunemente, lideranças comunitárias, camponesas e indígenas. Apesar da existência de um número cada vez maior de organizações da sociedade civil que têm na promoção e na garantia de direitos uma de suas prioridades, ainda não conseguimos inverter a balança de poder. E esse desequilíbrio se manifesta em praticamente todas as esferas da sociedade, incluindo aquelas instituições que, por sua natureza, supostamente deveriam ter outra compreensão, como igrejas e universidades. Essa é uma luta ideológica que temos que travar todos os dias. Que avaliação o senhor faz do trabalhoquevemsendofeitopelaComissão Nacional da Verdade? Eu preferia uma Comissão Nacional da Verdade mais robusta, com prazo mais longo para executar seu trabalho, com orçamento próprio e com autoridade para recomendar ao Ministério Público o indiciamento dos agentes do Estado que cometeram crimes de violação dos direitos humanos.


12

| Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

geral

Domingo | 09 de dezembro de 2012

[ ARTIGO ]

O comunismo ético de Niemeyer LEONARDO BOFF Teólogo,filósofo e escritor

dital - Não tive muitos encontros com Oscar Niemeyer. Mas os que tive foram longos e densos. Que falaria um arquiteto com um teólogo senão sobre Deus, sobre religião, sobre a injustiça dos pobres e sobre o sentido da vida? Nas nossas conversas, sentia alguém com uma profunda saudade de Deus. Invejava-me que, me tendo por inteligente (na opinião dele) ainda assim acreditava em Deus, coisa que ele não conseguia. Mas eu o tranquilizava ao dizer: o importante não é crer ou não crer em Deus. Mas viver com ética, amor, solidariedade e compaixão pelos que mais sofrem. Pois, na tarde da vida, o que conta mesmo são tais coisas. E nesse ponto ele estava muito bem colocado. Seu olhar se perdia ao longe, com leve brilho. Impressionou-se sobremaneira, certa feita, quando lhe disse a frase de um teólogo medieval: “Se Deus existe como as coi-

A

sas existem, então Deus não existe”. E ele retrucou: “mas que significa isso?” Eu respondi: “Deus não é um objeto que pode ser encontrado por ai; se assim fosse, ele seria uma parte do mundo e não Deus”. Mas então, perguntou ele: “que raio é esse Deus?” E eu, quase sussurrando, disse-lhe: “É uma espécie de Energia poderosa e amorosa que cria as condições para que as coisas possam existir; é mais ou menos como o olho: ele vê tudo mas não pode ver a si mesmo; ou como o pensamento: a força pela qual o pensamento pensa, não pode ser pensada”. E ele ficou pensativo. Mas continuou: “a teologia cristã diz isso?” Eu respondi: “diz mas tem vergonha de dizê-lo, porque então deveria antes calar que falar; e vive falando, especialmente os Papas”. Mas consolei-o com uma frase atribuída a Jorge Luis Borges, o grande argentino:”A teologia é uma ciência curiosa: nela tudo é verdadeiro, porque tudo é inventado”. Achou muita graça. Mais graça achou com uma be-

la trouvaille de um gari do Rio, o famoso “Gari Sorriso: “Deus é o vento e a lua; é a dinâmica do crescer; é aplaudir quem sobe e aparar quem desce”. Desconfio que Oscar não teria dificuldade de aceitar esse Deus tão humano e tão próximo a nós. Mas sorriu com suavidade. E eu aproveitei para dizer: “Não é a mesma coisa com sua arquitetura? Nela tudo é bonito e simples, não porque é racional mas porque tudo é inventado e fruto da imaginação”. Nisso ele concordou adiantando que na arquitetura se inspira mais lendo poesia, romance e ficção do que se entregando a elucubrações intelectuais. E eu ponderei: “na religião é mais ou menos a mesma coisa: a grandeza da religião é a fantasia, a capacidade utópica de projetar reinos de justiça e céus de felicidade. E grande pensadores modernos da religião como Bloch, Goldman, Durkheim, Rubem Alves e outros não dizem outra coisa: o nosso equívoco foi colocar a religião na razão quan-

SEU COMUNISMO ESTÁ MUITO PRÓXIMO DAQUELE DOS PRIMEIROS CRISTÃOS, REFERIDO NOS ATOS DOS APÓSTOLOS NOS CAPÍTULOS 2 E 4. AÍ SE DIZ QUE “OS CRISTÃOS COLOCAVAM TUDO EM COMUM E QUE NÃO HAVIA POBRES ENTRE ELES”. PORTANTO, NÃO ERA UM COMUNISMO IDEOLÓGICO, MAS ÉTICO E HUMANITÁRIO: COMPARTILHAR,VIVER COM SOBRIEDADE, COMO SEMPRE VIVEU, DESPOJAR-SE DO DINHEIRO E AJUDAR A QUEM PRECISASSE”

do o seu nicho natural se encontra no imaginário e no princípio esperança. Ai ela mostra a sua verdade. E nos pode inspirar um sentido de vida.” Para mim a grandeza de Oscar Niemeyer não reside apenas na sua genialidade, reconhecida e louvada no mundo inteiro. Mas na sua concepção da vida e da profundidade de seu comunismo. Para ele “a vida é um sopro”, leve e passageiro. Mas um sopro vivido com plena inteireza. Antes de mais nada, a vida para ele não era puro desfrute, mas criatividade e trabalho. Trabalhou até o fim, como Picazzo, produzindo mais de 600 obras. Mas como era inteiro, cultivava as artes, a literatura e as ciências. Ultimamente se pôs a estudar cosmologia e física quântica. Enchia-se de admiração e de espanto diante da grandeur do universo. Mas mais que tudo cultivou a amizade, a solidariedade e a benquerença para com todos. “O importante não é a arquitetura” repetia muitas vezes, “o impor-

tante é a vida”. Mas não qualquer vida; a vida vivida na busca da transformação necessária que supere as injustiças contra os pobres, que melhore esse mundo perverso, vida que se traduza em solidariedade e amizade. No JB de 21/04/2007 confessou: ”O fundamental é reconhecer que a vida é injusta e só de mãos dadas, como irmãos e irmãs, podemos vive-la melhor”. Seu comunismo está muito próximo daquele dos primeiros cristãos, referido nos Atos dos Apóstolos nos capítulos 2 e 4. Ai se diz que “os cristãos colocavam tudo em comum e que não havia pobres entre eles”. Portanto, não era um comunismo ideológico, mas ético e humanitário: compartilhar, viver com sobriedade, como sempre viveu, despojar-se do dinheiro e ajudar a quem precisasse. Tudo deveria ser comum. Perguntado por um jornalista se aceitaria a pílula da eterna juventude, respondeu coerentemente: “aceitaria se fosse para todo mundo; não quero a imortalidade só para mim”.

Generosidade radicalmente humana m fato ficou-me inesquecível. Ocorreu nos inícios dos anos 80 do século passado. Estando Oscar em Petrópolis, me convidou para almoçar com ele. Eu havia chegado naquele dia de Cuba, onde, com Frei Betto, durante anos dialogávamos com os vários escalões do governo (sempre vigiados pelo SNI), a pedido de Fidel Castro, para ver se os tirávamos da concepção dogmática e rígida do marxismo soviético. Eram tempos tranquilos em Cuba que, com o apoio da União Soviética, podia levar avante seus esplêndidos projetos de saúde, de educação e de cultura. Contei que, por todos os lados que tinha ido em Cuba, nunca encontrei favelas mas uma pobreza digna e operosa. Contei mil coisas de Cuba que, segundo frei Betto, na época era “uma Bahia que deu certo”. Seus olhos brilhavam. Quase não comia. Enchia-se de entusiasmo ao ver que, em algum lugar do mundo, seu sonho de comunismo poderia, pelo menos em parte, ganhar corpo e ser bom para as maiorias. Qual não foi o meu espanto quando, dois dias após, apareceu na Folha de São Paulo, um artigo dele com um belo desenho de três montanhas, com uma cruz em cima. Em certa altura dizia:

U

FESTA NATALINA

IBIRAPUERA TERÁ ÁRVORE SUSTENTÁVEL São Paulo (AE) - Uma das principais atrações da cidade nesta época, a árvore de Natal do Parque do Ibirapuera, na zona sul, será inaugurada às 18h deste domingo. Neste ano, a árvore terá 58 metros de altura - o equivalente a um prédio de 20 andares - e uma estrela com 18 pontas. A grande novidade, porém, é o aspecto sustentável. Toda a decoração foi feita com materiais reutilizáveis e a energia que a manterá acesa também será limpa. Um terço da energia consumida pelas 500 lâmpadas stroble e 264 mil microlâmpadas de LED será produzida pelas placas de energia solar e cataventos instalados ao lado da árvore. O restante será por geradores abastecidos de biodiesel. Segundo Marisa Monteiro, superintendente de eventos e patrocínios do Banco Santander, a sustentabilidade está se tornando um movimento natural em São Paulo. "A árvore é um exemplo de que podemos fazer as coisas de maneira diferente."

“Descendo a serra de Petrópolis ao Rio, eu que sou ateu, rezava para o Deus de Frei Boff para que aquela situação do povo cubano pudesse um dia se realizar no Brasil”. Essa era a generosidade cálida, suave e radicalmente humana de Oscar Niemeyer. Guardo uma memória perene dele. Adquiri de Darcy Ribeiro, de quem Oscar era amigo-irmão, uma pequeno apartamento no bairro do Alto da Boa-Vista, no Vale Encantando. De lá se avista toda a Barra da Tijuca até o fim do Recreio dos Bandeirantes. Oscar reformou aquele apartamento para o seu amigo, de tal forma que de qualquer lugar que estives-

A VIDA NÃO ESTÁ DESTINADA A DESAPARECER NA MORTE, MAS A SE TRANSFIGURAR ALQUIMICAMENTE ATRAVÉS DA MORTE. OSCAR NIEMEYER APENAS PASSOU PARA O OUTRO LADO DA VIDA”

se, Darcy (que era pequeno de estatura), pudesse ver sempre o mar. Fez um estrado de uns 50 centímetros de altura E como não podia deixar de ser, com uma bela curva de canto, qual onda do mar ou corpo da mulher amada. Aí me recolho quando quero escrever e meditar um pouco, pois um teólogo deve cuidar também de salvar a sua alma. Por duas vezes se ofereceu para fazer uma maquete de igrejinha para o sítio onde moro em Araras em Petrópolis. Relutei, pois considerava injusto valorizar minha propriedade com uma peça de um gênio como Oscar. Finalmente, Deus não está nem no céu nem na terra, está lá onde as portas da casa estão abertas. A vida não está destinada a desaparecer na morte, mas a se transfigurar alquimicamente através da morte. Oscar Niemeyer apenas passou para o outro lado da vida, para o lado invisível. Mas o invisível faz parte do visível. Por isso ele não está ausente, mas está presente, apenas invisível. Mas sempre com a mesma doçura, suavidade, amizade, solidariedade e amorosidade que permanentemente o caracterizou. E de lá onde estiver, estará fantasiando, projetando e criando mundos belos, curvos e cheios de leveza.

Oscar Niemeyer º 1907 ¥ 2012


Domingo | 09 de dezembro de 2012

geral

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

13

[ EDUCAÇÃO ] Conselho Regional de Medicina de São Paulo cobra do governo medidas para punir as entidades que têm baixo desempenho de qualidade nas provas do Enade

[ TRIBUTOS ] Projeto de lei encaminhado

Cremesp critica o governo

Prefeitura quer reajustar planta genérica do IPTU

ão Paulo – O Ministério da Educação tem “grande responsabilidade” sobre o fraco desempenho dos formandos em medicina no exame do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp), disse o presidente da entidade, o médico Renato Azevedo Júnior. De acordo com ele, o ministério tem conhecimento, por meio do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), da baixa qualidade de diversas faculdades de medicina, mas não está agindo para puni-las. “Entre as faculdades que participam do Enade têm pelo menos 16 que por três anos consecutivos tiraram conceitos 1 e 2. Um conceito ruim, porque o Enade vai de 1 a 5. E o que ocorreu com essas faculda-

S

des? Quais foram as providências tomadas? Nenhuma. Elas continuam funcionando com o mesmo número de alunos”, disse Azevedo em entrevista à Agência Brasil. “O MEC tem o dever, inclusive, de fechar essas escolas. Ou obrigá-las a readequar no sentido da qualidade da formação do médico. Nós queremos demonstrar, e vamos levar isso ao MEC, de que é urgente que se faça alguma coisa para melhorar o ensino médico no Brasil”, acrescentou. No final da semana, o Cremesp divulgou o resultado da prova aplicada, em novembro, em todos os formandos dos cursos de medicina no estado de São Paulo. Mais da metade dos alunos recém-formados foram reprovados, não al-

cançaram a nota mínima exigida, de 60%. Dos 2.411 participantes, 54,5% acertaram menos de 60% da prova, ou seja, menos de 71 das 120 questões. O exame contou com a presença de 2.525 estudantes das 28 escolas médicas paulistas que funcionam há mais de seis anos. Foi a primeira vez que todos os formandos foram obrigados a fazer a prova – sem a necessidade de aprovação – para poder retirar o registro médico. “O resultado não surpreendeu no sentido de que é um resultado semelhante ao que a gente já vinha tendo nos outras sete edições. Por outro lado, é uma coisa muito preocupante. O aluno que não consegue acertar 60% de uma prova desse tipo, de aferição do conhecimento mínimo, tem problemas

na formação e vai ter dificuldades para exercer uma medicina de boa qualidade”, disse Azevedo. Para o diretor do Associação Médica Brasileira, José Luiz Bonamigo, o fraco desempenho dos estudantes pode ser explicado pela estrutura deficiente das faculdades, a péssima avaliação interna dos alunos e à falta de punição às escolas ruins . “A gente, hoje, tem faculdades não só privadas, mas públicas, que abrem sem ter um hospital, sem ter uma rede de postos de saúde credenciada para os alunos poderem atender aos pacientes”. “Os alunos não têm um campo de estágio adequado e a avaliação é muito ruim durante o curso. É raríssimo você ter durante o curso algum aluno reprovado”, acrescentou.

à Câmara parcela reajuste em seis anos

epois de 11 anos usando apenas a reposição do processo inflacionário como fator de correção, a Prefeitura de Parnamirim quer atualizar a Planta Genérica de Valores do IPTU – Imposto Predial e Territorial Urbano -, cuja defasagem média chega a 72%, segundo estimativa da Secretaria Municipal de Tributação (Semut). Proposta neste sentido foi encaminhada na semana passada à Câmara Municipal para ser votada antes do recesso parlamentar possibilitando, assim, a entrada em vigor a partir de 2013. Para chegar a esse porcentual, os técnicos da Semut fizeram um cruzamento entre o metro quadrado de prédios e terrenos lançados nos carnês do IPTU e o que está sendo cobrado pelo mercado, conforme anúncios em classificados de jornais e nos sites das imobiliárias e também nas guias de recolhimento do ITIV, o imposto que o contribuinte paga quando compra um imóvel novo ou usado. Pelo Código Tributário Nacional, as prefeituras podem atualizar a planta genérica de uma só vez, mas o prefeito Maurício Marques está propondo 60% parcelados em seis vezes, à razão de 10% ao ano, mais inflação. Na ponta do lápis, o IPTU de 2013, caso a proposta seja aprovada pela Câmara Municipal, terá um reajuste em torno de 15,5%. Ao sugerir a correção dos valores, os técnicos da tributação anexaram uma série de planilhas que comprovam a “defasagem gritante na cobrança do tributo”, segundo define o secretário José Jacaúna de Assunção. De acordo com os dados da Semut, Parnamirim tem 101 mil contribuintes inscritos no cadastro do IPTU (imóveis e terrenos). Até

D

outubro deste ano, a média de pagamento do IPTU era de R$ 110,51 por contribuinte. A da taxa do lixo, que também é cobrada no mesmo carnê, foi de R$ 21,78. Na soma dos tributos, a média anual é de R$ 132,78 por contribuinte. A coleta de lixo custa à prefeitura, R$ 145,00 contribuinte/ano. Jacaúna lembra que para morar hoje em Parnamirim, cidade com um dos melhores indicadores de desenvolvimento humano do Rio Grande do Norte, que investiu mais de R$ 100 milhões em obras de infraestrutura entre 2001 e 2012, e que está executando o maior programa esgotamento sanitário do Estado, o proprietário de um imóvel paga, em média, R$ 11,65 por mês, “menos do que custa hoje um sanduíche vendido em qualquer rede de lanchonetes instaladas em shopping ou supermercados”, afirma. A atualização proposta pela prefeitura não incide sobre os imóveis já recadastrados com base no Decreto 5.519 de 2009, cujos valores corrigidos começaram a ser cobrados no ano passado. Além disso, a prefeitura está concedendo descontos para o pagamento à vista do IPTU. Quem quiser quitar o tributo de 2013 até 10 de janeiro, terá de 20% de desconto. Até 10% de fevereiro, 10%. Em contrapartida à atualização do imposto, o prefeito Maurício Marques lembra que estão programadas grandes obras para Parnamirim no início do segundo mandato, como o capeamento asfáltico de todos os corredores de transportes coletivos, pavimentação e drenagem de ruas em diversos bairros e o saneamento básico, que chegará também a áreas de expansão imobiliária, não previstas no projeto original. EMÉRSON DO AMARAL

Jacaúna:arrecadação hoje não cobre despesas com a coleta do lixo

SISTEMA FINANCEIRO

BANCO VAI ABRIR AGÊNCIAS NO RN O Banco do Nordeste vai inaugurar mais duas agências no Rio Grande do Norte, em Natal e Ceará Mirim. As solenidades de inauguração ocorrerão, respectivamente, nos dias 19 e 27, com a presença do presidente da Instituição, Ary Joel Lanzarin, diretores do Banco e autoridades locais. As novas unidades fazem parte da estratégia de expansão da rede do Banco do Nordeste, iniciada neste semestre. O planejamento prevê a inauguração, em toda a área de atuação do Banco, de 108 Agências até o final do próximo ano, das quais 26 serão instaladas ainda este ano. De acordo com o plano, estão previstas ainda mais duas Unidades no Estado, em Macaíba e São Gonçalo. As novas unidades vão funcionar com a quantidade mínima de papel. Para isso, toda documentação será digitalizada e transferida para um arquivo central. Esta tecnologia gera também redução da necessidade de espaço físico, simplifica a armazenagem de dados, traz agilidade e mobilidade e diminui custos.


14

| Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

quadrantes

Domingo | 09 de dezembro de 2012

JOSÉ ARNO GALVÃO [ Advogado e membro da ALEJURN ]

Homenagens e memória bimael Silva telefona para chamar para o lançamento em Natal do livro de meu pai, “Velhas Heranças”, lançamento que ele já promovera por ocasião do Flipipa. Por ele fiquei sabendo que Dácio iria estar ausente, pois estaria recebendo um título de cidadania de uma localidade que não indicou. Nem tive a curiosidade de saber de maiores informações, o que só tive a lamentar. É que, soube depois por Jorge Galvão e pelo próprio Dácio, terem eles sido informados de que eu teria recebido a notícia, já que ambos estariam recebendo, na noite de sexta-feira, dia 30 de novembro, o título de cidadãos honorários do Município de Tibáu do Sul e, por isso, teriam aguardado minha chegada por lá. Infelizmente, a notícia chegou tarde, o que leva-me a lamentar ter estado ausente desse evento, enviando minhas desculpas a José Odécio, Presidente da Câmara Municipal de Tibáu do Sul, a quem devo atenções, já que aos dois,

A

Dácio e Jorge, desculpei-me pessoalmente. Quanto à homenagem em si, foram elas mais que merecidas. Se, para Jorge, Tibáu do Sul é um segundo lar, o lugar onde ele edificou uma casa, depois de cuidar da herança paterna na propriedade de “Pernambuquinho”, parte do que Vovô deixou para os filhos, Dácio, que tem uma casa no sítio de “Cabeceiras”, deixado por nosso pai, desde algum tempo preocupase com a preservação da memória de Tibau do Sul, dele tendo sido a ideia, apoiada por Nivaldo, então Prefeito Municipal, e por José Odécio, de dotá-lo de um plano diretor, preservando sua orla da predação de alguns. Dele é a idéia, ainda não saída do papel, de levar para lá uma extensão da Fundação Cultural Hélio Galvão. E, desde algum tempo, promove a Flipipa, ao lado de Candinha e de Fernando Bezerra, esse evento que começou ante o descrédito de alguns e que já se afirmou no território da literatura do Brasil.

Sobre o Flipipa, sou suspeito para falar. Não é só por ser irmão de Dácio ou por ser um dos dirigentes da Fundação Hélio Galvão, uma das promotoras do evento. Mas o fato é que sou um entusiata do evento, que este ano alcançou um sucesso sem precedentes, increvendo-se no calendário turístico de nosso Estado. E,diga-se de passagem, sem apoio dos poderes públicos. E é aí que entra o motivo do telefonema de Abimael para mim. Não que precise de ligação dele para frequentar o Sebo Vermelho: minhas idas por lá já figuram entre as obrigações que me imponho. Quanto passo alguns dias sem chegar por lá, dá uma dor de consciência só apaziguada quando vou. Mas, Abimael, que já candidatou-se a sucessor de Ving-un Rosado como um dos maiores editores que já passaram por aqui e que já pediu preferência para editar o livro póstumo de meu pai sobre Goianinha, lendo o “Ban-

O que Abimael e eu ignorávamos é que as informações contidas naqueles artigos, escritos há tanto tempo, com esforço de que guardo a lembrança, pois dele fui testemunha embora inocente, são hoje praticamente a única fonte de que o pesquisador dispõe”

do” e a revista do Instituto Histórico do Rio Grande do Norte, encontrou os artigos que ele escreveu sobre antigos inventários da velha Comarca de Goianinha, volumes disponibilizados por Luiz Antônio, à época ocupando o cargo de Escrivão. E não fez por menos: enfeixou-os juntos, mandou alguém digitá-los e cobriu tudo com uma bonita capa elaborada por Alexandre Oliveira, e o livro estava pronto para lançamento no Flipipa. E tudo a suas custas, que esse pipeiro não olha para dinheiro quando se trata de conterrâneo. O que Abimael e eu ignorávamos é que as informações contidas naqueles artigos, escritos há tanto tempo, com esforço de que guardo a lembrança, pois dele fui testemunha embora inocente, são hoje praticamente a única fonte de que o pesquisador dispõe. Conversando com Jaqueline, titular do Registro de Imoveis de Goianinha, fiquei sabendo que, quando teve ela de optar entre a escrivania e o tabelionato, pediu à Juíza da Comarca autorização para tornar-se a guardiã daquele arquivo precioso, dispondo-se a custear a manutenção de um local adequado para isso. A magistrada pediu tempo e quando Jaqueline a procurou de novo ficou sabendo que aquela papelada velha havia sido incinerada.

NELSON PATRIOTA [ Escritor ]

*IONARA SOUZA FERREIRA [ estudante ]

Turismo: benefíco ou malefíco?

‘Memória Viva’ explora enigma Zila Mamede

ibau do Sul é uma pequena cidade do litoral do estado do Rio Grande do Norte. Sua economia baseia-se principalmente na atividade turística, pois possui belas praias, que são comumente visitadas o ano todo. Entre elas destaca-se a praia da Pipa, que atrai turistas estrangeiros, principalmente os interessados na prática do surf, e em investimentos econômicos, visto que a região abriga diversas áreas de vegetação e reservas de conservação ambiental, que chamam a atenção de muitos que buscam um bom local para passar as férias com e tranquilidade. Os hotéis e pousadas são os que mais empregam os moradores desta região, seguidos de restaurantes , lojas e serviços de passeios e esportes: a demanda de turistas recebidos anualmente cresce progressivamente. Nos últimos anos o turismo tem gerado empregos e o aumento da economia da pacata Tibau do Sul, a efervescente Pipa, e dos distritos em seu entorno. Além de fazer com que com que a população local cresça, o turismo também tem contribuído para o desenvolvimento de empresas e microempresas da região, que continuam a investir no setor, tornando-o cada vez mais acessível ao público nacional e estrangeiro. O acelerado desenvolvimento social e econômico local tornou até mesmo incontestável os benefícios trazidos pelo turismo, mas por outro lado, há uma realidade triste que precisa ser encarada e solucionada urgentemente: o tráfico de drogas e o turismo sexual. Eis que são alguns dos malefícios que esta atividade tem trazido ao município de Tibau do Sul revelando que nem tudo são flores. Do ano de 2009 a 2011, segundo a PM local, percebeu-se na cidade um crescente aumento do uso de drogas. Muitas vezes, pelo fácil acesso atraem tanto moradores, nativos, quanto estrangeiros, vindos para a região somente com o intuito de consumi-las, já que comercializadas nas bocas de fumo: tão bem conhecidas tanto pelos usuários e moradores. Àqueles, em sua maioria, constituída por jovens com faixas etárias entre 15 e 25 anos. Outro problema sério e alarmante na região é o turismo sexual, que tem se tornado obscuro, mas sua existência é literalmente real. Os principais alvos são meninas, adolescentes entre 15 e 20 anos. As moças são atraídas através de elogios e propostas de emprego fora do país, muitas delas são enganadas e exploradas sexualmente, e acabam por esconder tais fatos, silenciando diante de tamanha maldade, por serem ameaçadas. Diante de realidades tão difíceis é urgente questionar: onde estão as autoridades, que deixam fluir tais problemas, como se fossem insignificantes? . É necessário que haja uma maior atenção por parte das mesmas, pois os mais envolvidos nestes problemas são os jovens de nossa cidade. Penso que com mais oportunidades de empregos e a criação de programas de incentivo à educação e à interação social, visando melhorar a vida dos jovens e protegê-los de tais males, esta situação poderá ser revertida. Com toda certeza se houver um maior investimento relacionado ao público jovem, haverá também cidadãos mais conscientes, capazes de refletir sobre suas ações e com uma visão voltada para um futuro melhor. Apesar de tantos benefícios trazidos pelo turismo, não podemos fechar os olhos diante de realidade tão triste, que tem comprometido o futuro dos jovens e adolescentes de nossa região. Precisamos da atenção de nossas autoridades, de investigação séria quanto ao que se entra e o que se sai de nossa cidade e de seus distritos, para que possamos combater e extinguir estes males que têm prejudicado a nossa comunidade. Assim teremos de fato, um turismo verdadeiramente benéfico.

té os 21 anos de idade a futura poetisa Zila Mamede nada sabia de literatura. Nessa época, sua maior preocupação era resolver um conflito: ir ou não ir para o convento. E sem o recurso de aconselhamento de terceiros, devido às circunstâncias muito particulares de sua vida nesse então, ela logo se viu escrevendo desesperadamente. Daí que descobriu a poesia, assunto, aliás, interdito no colégio em que estudava. Numa etapa posterior, descobriu as peculiaridades das palavras, ao lidar com a dificuldade de acomodar a palavra “repolho” ao “Soneto para a mocidade holandesa”. Foi então que percebeu a força das palavras irmanadas, como no vocábulo “sertão” e tudo o que ele evocava de pronto. Isso lhe permitiu, por exemplo, ambientar todo o livro “O Arado”, retrato sentimental do sítio do seu avô em Nova Floresta, Paraíba, em torno de palavras afins. Essa revelação faz parte do livro “Memória Viva de Zila Mamede”, lançado em 1987 (depois da morte da poetisa) pela Editora Universitária da UFRN em convênio com a NossaEditora, do escritor Pedro Simões Neto, e que sai agora, em reimpressão, sob a chancela do Sebo Vermelho, de Abimael Silva. A leitura do livro permite ver quanta coisa singular aconteceu na vida de Zila Mamede, desde que ela confundiu um canavial com o mar, e desde que, colocada diante do mar, no bairro do Pina, no Recife, ela temeu que ele transbordasse e a sorvesse com suas espumas e seus sargaços, como aconteceria num poema seu, escrito anos mais tarde. É especialmente importante para a compreensão da obra de Zila saber de suas relações com o jornalista Antônio Pinto de Me- É especialmente deiros e com os poetas Ma- importante para a nuel Bandeira, Mauro Mo- compreensão da ta, Carlos Drummond de obra de Zila saber Andrade e João Cabral de de suas relações Melo Neto. Cada um destes com o jornalista contribuiu, em suas cir- Antônio Pinto de cunstâncias particulares, Medeiros e com os com algum tipo de apoio à poetas Manuel caminhada da poetisa de Bandeira, Mauro Mota, Carlos “Navegos”. A Antônio Pinto ela Drummond de agradece por tê-la criticado Andrade e João nos seus primeiros escritos, Cabral de Melo conduzindo-a, assim, pela Neto” via dolorosa da crítica, ao bom caminho onde ela, amadurecida, pôde ter um encontro duradouro com a poesia. Em reconhecimento a isso, o próprio colunista do Diário de Natal/O Poti se empenhou para que “Rosa de Pedra”, livro de estreia de Zila, pudesse ser lançado em 1953, pela Imprensa Oficial do Estado. Mais do que publicar “Rosa de Pedra”, porém, Antônio Pinto foi o responsável pelo seu “batistério poético”, ao lançar seu soneto “Mar Morto”, no qual ela se reconheceu poeta pela primeira vez. Em seguida, foi a vez de Manuel Bandeira se engajar em expandir país afora o nome de Zila, a partir da imprensa pernambucana, publicando alguns sonetos da poetisa de Nova Floresta. O poeta Carlos Drummond de Andrade, por sua vez, interveio para que Zila voltasse a valorizar na justa medida sua poesia, que havia negligenciado. Antes, o poeta Mauro Mota teve oportunidade de divulgar, durante os anos de estudo de Zila no Recife, o livro “Rosa de Pedra”. Através de Mauro Mota, Zila conheceu outros poetas pernambucanos, como Carlos Pena Filho e César Leal, influências não negligenciáveis. Cite-se ainda o nome de Madre Esmeralda, do Colégio Conceição, a quem Zila tributa o mérito de ter aprendido o idioma português, e principalmente o do poeta João Cabral de Melo Neto, a quem reconhecia um mestre, e já se têm reunidos os elementos que operaram decisivamente para o surgimento e consagração da poetisa de “Navegos”. A parte vital, porém, foi sua luta diuturna com a palavra, embate que ela definiu nos dísticos finais do poema “Retrato de João Cabral de Melo Neto”, e que dizem: “O compromisso ascético com a palavra: / salvação e danação, perdição e deificação”.

T

• Ionara Souza Ferreira é aluna da 3ª série do ensino médio da E.E.Prof José Fernandes Machado.Este texto é semifinalista nas Olimpíadas de Língua Portuguesa entre escolas públicas de todo o Brasil.

A

CLÁUDIO EMERENCIANO [ Professor da UFRN ]

Nem tudo está perdido homem se supera em cada instante. Avança, inova, amplia, descobre e renasce. Tudo na vida é um novo passo, uma etapa que agrega, individual e coletivamente, a ascensão da condição humana. Há retrocessos, contradições, iniqüidades, misérias, injustiças, desencantos, atos insanos de violência e estupidez. Mas essa torrente de negação do sentido da vida não inviabiliza, em tempo algum, a ascensão espiritual, cultural, ética e moral do gênero humano. Viver é nascer continuamente; renascer incontidamente. Não é a civilização que define o homem. É o homem que sedimenta o teor e o peso de uma civilização. Uma iluminação transcendental, inesgotável, presença de Deus entre os homens. Projeta para cada pessoa o caminho das estrelas, isto é, a visão e a perspectiva do infinito. O Eclesiastes é imutável e irrevogável. Cabe-nos captar e entender seu sentido, atualizando-o: "Não há nada de novo abaixo do sol". Sendo assim, o homem jamais pode renunciar ao seu atributo natural e legítimo de avaliar, questionar, buscar, desvendar, sonhar e desejar. Os tempos atuais, segunda década de um século e ainda prelúdio de um novo milênio, suscitam novos desafios, ostentam antigos e novos enigmas, germinam dúvidas e ansiedades, que semeiam incertezas e perplexidades. As respostas, paradoxalmente, emergem muito mais dos sentimentos do que da razão, da alma e dos corações dos homens do que da posse de coisas materiais, de valores do que de posições, do ato de partilhar do que da volúpia em ter e conquistar, da solidariedade em atitudes e sentimentos do que da submissão a bens e riquezas. Não estamos enveredando num novo regresso. Não voltemos ao passado que se perdeu. Mas ao passado que se converte em presente para apontar e entrever os caminhos de sublimação da condição humana. O gênio de Goethe vislumbrou, no último momento de sua vida, a dimensão da identidade entre Deus e os homens, entre a origem e a destinação da humanidade. Proclamou que toda e qualquer solução para os conflitos e antagonismos à vida humana revela a supremacia da luz sobre as trevas, da luminosidade sobre a escuridão, da vida sobre a morte, da paz sobre a guerra, do amor sobre egoísmos e violências. Essa consciência ensejaria melhor utilização das inovações científicas e tecnológicas. Sedimentaria na alma humana, irreversivelmente, o verdadeiro discernimento dos desafios existenciais: o primado da lucidez e da serenidade. Thomas Merton muito jovem renunciou à fortuna, ao luxo, à notoriedade e às paixões do mundo. Misto de pensador e homem de fé, escritor admirável, depois frade trapista, em "A montanha dos sete patamares" relembra à humanidade que Jesus Cristo dimensionou o papel da verdade na vida do homem: "Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida". Caminho,verdade e vida se integram, misturam-se, completam-se. Confundemse com o sentido da Criação. São um amálgama perfeito, indestrutível, inexcedível e insuperável. O medo, a ansiedade e a insegurança dos nossos dias refletem ausência ou abdicação de ações e valores, que ema-

O

nam da verdadeira substância da vida. Os homens podem e devem identificar dentro de si mesmos o que os torna grandes, intemporais, criadores e permanentes. Em todos os lugares do mundo, nas cidades cosmopolitas ou nas aldeias mais esquecidas e perdidas em O homem se supera todos os continentes, o gêneem cada instante. ro humano reclama restauraAvança, inova, ção de valores éticos e morais, amplia, descobre e que o dignifiquem sem fim. Há renasce.Tudo na milênios atrás, na Atenas do vida é um novo helenismo, Péricles, em discurpasso, uma etapa so monumental, que chegou que agrega, até nós, disse que o reconheindividual e cimento aos que engrandecem coletivamente, a a coletividade não é um direiascensão da to, é um dever. Dever de gracondição humana. tidão, mas essencialmente Há retrocessos, mister de dar continuidade às contradições, aspirações da alma coletiva, iniqüidades, pelas crenças que se irradiam misérias, injustiças, dessas atitudes e desses exemdesencantos, atos plos. André Malraux, na orainsanos de violência ção fúnebre de Charles de e estupidez. Mas Gaulle, intitulada "Quando os essa torrente de carvalhos se abatem", disse negação do sentido que a civilização se perpetua da vida não por atitudes e sonhos de pesinviabiliza, em soas incomuns, cujas vidas tempo algum, a inspiram o caminhar das noascensão espiritual, vas gerações. Essas reflexões cultural, ética e foram precedidas, anos antes, moral do gênero em dois romances geniais: "A humano.Viver é condição humana" e "A Esnascer perança". O primeiro transcorcontinuamente; re em ambiente de degradanrenascer tes misérias e injustiças no incontidamente. Vietnã sob domínio colonial Não é a civilização da França. O outro em cerco da que define o cidade de Toledo, na Guerra Cihomem. É o homem vil espanhola (1936/39); merque sedimenta o gulha nas motivações, nas anteor e o peso de uma siedades, nas angústias e nas civilização. Uma esperanças dos combatentes, iluminação especialmente dos republicatranscendental, nos, que defendiam, brava e inesgotável, estoicamente, aquela cidade presença de Deus histórica, milenar e patrimôentre os homens” nio da civilização. Passado e presente não se contrapõem. No âmbito cultural, estritamente antropológico, vinculam-se um ao outro. Converte o passado num legado vigoroso de sonhos, ideais, hábitos, costumes, tradições e instituições. É uma vertente que transpõe circunstâncias e tempos em amplitude planetária. É o rumar da humanidade.


Domingo | 09 de dezembro de 2012

geral

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 15

Dificuldade na economia e incapacidade do governo para resolver problema das vítimas do terremoto são os assuntos mais explorados na eleição parlamentar antecipada, marcada para o dia 16 deste mês [ JAPÃO ]

Desastres dominam debate eleitoral DIVULGAÇÃO

MALCOLM FOSTER Associated Press

óquio (AE) - Líderes dos principais partidos políticos do Japão deram início à campanha para as eleições parlamentares, na última terçafeira, na cidade de Fukushima, onde mais de 100 mil pessoas ainda estão desalojadas por causa do acidente nuclear ocorrido depois do terremoto seguido de tsunami de 11 de março do ano passado. As questões do uso da energia nuclear e a retomada da estagnada economia são de extrema importância para o pleito de 16 de dezembro, no qual o impopular Partido Democrata do Japão (PDJ), do primeiro-ministro Yoshihiko Noda, não deve ser reeleito, após três anos no poder. Mas pesquisas de opinião mostram que mais de 40% dos eleitores estão indecisos e muitos não estão muito entusiasmados com nenhum partido em particular. Nenhuma das legendas tem nem sequer 20% de apoio da população, segundo uma pesquisa recente. O hoje opositor Partido Liberal Democrata (PLD), que governou o Japão na maior parte do pósguerra, lidera as pesquisas, mas não deve conquistar a maioria na câmara baixa do Parlamento, composta por 480 cadeiras. Os resultado mais provável da eleição é a formação de uma coalizão de governo composta por partidos que têm interesses conflitantes. Isso deve significar mais impasses, apesar das necessidades urgentes do Japão de enfrentar seus vários e complexos problemas, que vão do controle da dívida nacional a uma solução para a crescente população de idosos e a reconstrução de comunidades destruídas pelo terremoto seguido de tsunami de 11 de março de 2011, que mataram mais de 18 mil pessoas e provocaram a fusão de reatores da usina nuclear da Dai-ichi, em Fukushima. “Ao começarmos por aqui, estamos reafirmando nossa crença de que a reconstrução do Japão não é possível sem a reconstrução de Fukushima. Nós esperamos dar início ao renascimento do Japão”, disse Noda a partidários em Iwaki, cidade que fica 20 quilôme-

T

tros a sudoeste da zona proibida ao redor da usina, que espalhou radiação nas regiões agrícolas próximas e no oceano. Na cidade de Fukushima, que fica a cerca de 60 quilômetros a oeste da usina, Shinzo Abe, líder linha-dura do PLD, disse a partidários que seu partido é confiável para revitalizar a economia e restaurar a confiança nacional. “Nós precisamos de uma economia que recompense nosso suor e nosso trabalho duro e nos faça ricos e aumente nossa renda”, declarou Abe, o favorito para se tornar oue nascem aqui e reconquistar uma nação da qual nossas crianças tenham orgulho. Eu peço a você que nos ajudem.” Para Kazuo Okawa, encanador que trabalhou na usina de Fukushima como funcionário terceirizado, os discursos dos políticos são apenas promessas vazias. Ele disse que nenhum dos candidatos foi até o centro para desalojados onde ele vive, instalado num prédio onde funcionava uma escola secundária perto de Tóquio, onde ainda vivem 160 pessoas. Autoridades do governo reconhecem que ainda não sabem quando os moradores que viviam nas proximidades da usina nuclear poderão retornar para suas casas. “Esses políticos estão discutindo políticas em Tóquio, Osaka ou em qualquer outro lugar, longe de nós. Sempre tivemos de procurar ajuda”, afirmou Okawa, em entrevista por telefone. Apesar disso, ele afirmou estar acompanhando de perto as eleições. Após o acidente ele é contra a energia nuclear, opinião compartilhada com a maior parte dos japoneses, segundo pesquisas. O PDJ, de Yoshihiro Noda, diz que planeja eliminar gradativamente a energia nuclear até a década de 2030. O recém-formado Partido do Amanhã do Japão (PAJ) vai mais longe, pedindo uma sociedade livre de energia nuclear no prazo de dez anos, embora seu projetos para formas alternativas de energia sejam superficiais. O PLD, tradicionalmente prónuclear, diz que deseja que o Japão seja menos dependente da energia atômica, mas quer revisar a política energética nos próximos dez anos para determinar uma boa

Na região de Fukushima, mais de 100 mil japoneses estão sem casa desde março de 2011, quando um terremoto arrasou a cidade

NÚMERO

18

mil pessoas morreram em consequência do terremoto, seguido de tsunami

Estamos reafirmando nossa crença de que a reconstrução do Japão não é possível sem a reconstrução de Fukushima” YOSHIHIKO NODA Primeiro-ministro

combinação de fontes de energia. Abe diz que é irresponsável pedir a eliminação as energia nuclear neste momento.

Energia nuclear é contestada Antes do acidente de 11 de março de 2011, o Japão contava com a energia nuclear para atender a um terço de suas necessidades de eletricidade. Atualmente, apenas dois dos 50 reatores do país estão em operação e há um amplo debate sobre quantos devem ser reativados, se é que devem, enquanto o país desenvolve outras fontes de energia. “Esta é a primeira eleição nacional desde o acidente. Pedimos uma sociedade sem energia nuclear, zero de energia nuclear”, disse Yukiko Kada, presidente do PAJ e governador da prefeitura de Shiga, a partidários da vila de Iitate, nas proximidades da zona de exclusão. Mais ao norte, ao longo da costa nordeste, afetada pelo tsunami, as pessoas que perderam suas casas, meios de subsistência e pessoas queridas sentem-se esquecidas pelo governo, que parece preocupado não apenas com a economia e com os problemas nu-

cleares, mas também com a disputa diplomática com a China sobre um grupo de ilhas pequenas e desabitadas, reclamadas pelos dois países. “Realmente não faz diferença quem vencer (a eleição). Não vai mudar as coisas para nós”, disse Yaeko Tabata, uma mulher na casa dos 50 anos, da destruída cidade de Minami-Sanriku. Ela abriu um salão de cabeleireiro num trailer alugado, instalado numa colina acima da cidade onde morava. A maior parte dos destroços já foi retirada das ruas, mas praticamente nada foi reconstruído em meio a atrasos na elaboração do layout da cidade e problemas com a burocracia do governo para o financiamento. Os moradores vivem em estreitas casas temporárias, construídas pelo governo, cercadas por campos abertos e fundações de concreto onde antes havia moradias. O resultado de uma auditoria do governo no mês passado au-

mentou ainda mais a frustração das vítimas do tsunami. Os dados mostraram que cerca de um quarto dos 11,7 trilhões de ienes (US$ 148 bilhões) orçados para a reconstrução foi gasto em projetos não relacionados ao desastre. Dentre eles está um contrato uma fábrica de lentes na região central do Japão e a construção de uma estrada na ilha de Okinawa, ao sul. “Isso é chocante. Como o dinheiro acabou em Okinawa?”, questiona Osamu Takahashi, proprietário de um pequeno restaurante num pequeno centro comercial pré-fabricado, com cerca de 20 lojas, em Minami-Sanriku. “Você tem a sensação de que o governo não se importa.” Desde o anúncio do resultado da auditoria, o governo suspendeu 35 projetos previstos no orçamento de reconstrução que não estavam relacionados ao desastre, mas isso representa apenas uma fração do volume total de recursos extraviados.

Inclusão do desmatamento no Índice de Proteção do Clima, aliada à política ambiental, fizeram o País cair da 7ª para a 33ª posição no ranking das nações que adotam medidas para combater as mudanças climáticas

[ MEIO AMBIENTE ]

Brasil cai em ranking climático FOTO:ARQUIVO ABR

MARCIO DAMASCENO Deutsche Welle

erlim - O desmatamento na Amazônia e a política ambiental brasileira levaram o país a cair da 7ª para a 33ª posição no Índice de Proteção do Clima, publicado pela ONG alemã Germanwatch, em parceria com a rede de entidades ambientalistas Clima Action Network Europe. O índice foi divulgado durante a Conferência do Clima, encerrada neste final de semana, no Catar. A listagem, realizada anualmente, avalia os esforços dos 57 maiores emissores de gases do efeito estufa contra as mudanças climáticas. Os dados consideram o período de 2005 a 2010, para os quais há estatísticas disponíveis de todos os países do estudo. O ano de 2011, em que o Brasil registrou o menor índice de desmatamento da história, não foi incluído. Entre os líderes estão Dinamarca, Suécia e Portugal. Essas nações ocupam, respectivamente, as posições quatro, cinco e seis do ranking. Os três primeiros lugares ficaram vazios, como nos anos anteriores, pelo fato de os autores

B

considerarem que nenhum país tem feito o suficiente para limitar o aquecimento global a menos de 2 graus Celsius. Portugal ficou em uma boa posição sobretudo por causa da crise econômica, que levou à queda na produção industrial. Mas não só: diferente de outros países em crise, Portugal manteve as políticas ambientais. Um motivo para a queda da posição brasileira foi a mudança na metodologia do estudo, que considera pela primeira vez as emissões provocadas pelo desmatamento florestal. “O Brasil é de longe a principal fonte de tais emissões. Com quase 5 toneladas de CO2 per capita, as emissões originadas do desmatamento são mais que o dobro de suas emissões per capita produzidas por combustíveis fósseis”. Mas a avaliação negativa da política nacional para meio ambiente e do desflorestamento praticado durante o período analisado também contribuíram para a piora no desempenho brasileiro. Segundo o documento, a queda brasileira no ranking também seria “dramática” se o índice já tivesse considerado as emissões devidas ao desmatamento em sua versão anterior. Mesmo nesta hi-

Apesar da redução no desmatamento, cenas como esta ainda são comuns na floresta amazônica

pótese, o Brasil teria perdido 19 posições, caindo não do 7°, mas do 14° para o 33° lugar. “Particularmente dramática é a queda devido à política nacional”, ressalta o estudo. Considerada re-

lativamente boa na edição anterior, ela foi avaliada de forma pessimista desta vez. “Especialistas criticaram, por exemplo, que dois terços de todos os investimentos planejados no setor de elétrico en-

tre 2011 e 2020 se baseiam na extração de petróleo e em grandes e insustentáveis projetos hidrelétricos”, destaca o documento. Considerando-se isoladamente o quesito “política climática nacional”,

o Brasil caiu do 11° melhor desempenho no ano passado para a posição de número 50. “Outro tema importante é a discussão do Código Florestal, a qual deveria apoiar e proteger a biodiversidade e a contribuição das florestas como ecossistema, mas, de acordo com nossos especialistas, o projeto do código foi substancialmente enfraquecido no processo legislativo e finalmente vetado pela presidente Dilma Roussef”. “O Brasil está entre os países que mais caíram de posições no ranking”, comentou Jan Burck, da Germanwatch e um dos autores do estudo, em entrevista à DW Brasil. “Sobretudo por causa das grandes quantidades de floresta desmatadas nos últimos anos” completou. “Entre as grandes economias, o Brasil é tem uma das maiores emissões per capita. O país ainda tem que se empenhar mais para combater o problema e tentar parar o desmatamento”, alertou. A Alemanha caiu da 6ª para a 8ª posição. Os especialistas em clima temem que a transição energética promovida pelo governo alemão e o desenvolvimento de energias renováveis sejam paralisados.


16

geral

Natal | Rio Grande do Norte | Domingo | 09 de dezembro de 2012

Crescimento econômico dos últimos tempos alimenta luta dos sindicatos por melhorias no poder de compra dos salários, melhor proteção ao emprego e benefícios mais amplos para os trabalhadores [ TRABALHO ]

Asiáticos lutam por melhoria salarial ERIC BELLMAN Wall Street Journal

acarta (AE) - Milhares de manifestantes saíram às ruas da capital da Indonésia na última quarta-feira como parte de uma onda de reivindicações de trabalhadores de todo o Sudeste Asiático. O movimento levan-

J

ta dúvidas sobre por quanto tempo poderá durar o sistema de mão de obra barata que ajudou a impulsionar as economias da região. O crescimento robusto das principais economias do Sudeste Asiático alimentou a ousadia dos sindicatos e de outras organizações de trabalhadores, assim como dos políticos que defen-

dem mais salários, melhor proteção ao emprego e a benefícios mais amplos para os trabalhadores. Indonésia, Tailândia e Malásia recentemente elevaram seus salários mínimos em até 44%. Cingapura acaba de ter sua primeira greve em 26 anos. Os governos dessa região da Ásia têm de andar sobre uma li-

nha fina, à medida que a elevação da renda contribui para uma de suas metas: a construção de uma classe média forte de consumidores e, ao mesmo tempo, a manutenção da competitividade de suas exportações. Nisso eles não têm de olhar para mais longe do que para a China, onde a elevação dos salários com-

plicou os desafios para as indústrias e ameaçou o status do país como o ch��o de fábrica do mundo, enquanto crescem as demandas aos líderes do país para que reduzam a dependência de exportações. A maneira como as economias vibrantes do Sudeste Asiático vão elevar as capacidades e os salários de seus cidadãos vai ajudar a

decidir quais deles terão como construir uma demanda doméstica sustentável e continuar a crescer, e quais vão superaquecer ou desacelerar. À medida que os sindicatos de trabalhadores demandam uma fatia maior da riqueza recente do Sudeste Asiático, a região terá de lidar com salários e inflação mais altos.

Mínimo tem reajuste de 44% na região de Jacarta Dezenas de milhares de trabalhadores saíram às ruas na Indonésia para protestar nos últimos meses, conquistando uma elevação de 44% no salário mínimo regional de Jacarta, a capital. Outras regiões do maior país do Sudeste Asiático, com 250 milhões de habitantes, deverão acompanhar esses aumentos em breve. Mas, mesmo com as elevações de salários prometidas, as organizações de trabalhadores mantiveram a pressão sobre o governo e, na quarta-feira, promoveram uma onda de manifestações e a demanda por maior proteção governamental para os sindicatos e para os grevistas. Em jogo está o futuro de uma região diversificada, espremida entre a China e a Índia. Os dez países membros da Associação dos Países do Sudeste Asiático (Asean) têm mais de 600 milhões de habitantes e um PIB combinado próximo de US$ 2 trilhões, o que torna o bloco maior do que a Índia. Com a maioria dos países do Sudeste Asiático crescendo mais do que a Índia neste ano, as organizações de trabalhadores têm elevado suas demandas de que uma parcela maior dos benefícios obtidos com o crescimento seja distribuída para aqueles que respondem pelo trabalho. A Tailândia elevou os salários mínimos de sete províncias neste ano e deverá fazer o mesmo para

o resto do país em 2013. A Malásia deverá começar a implementar seu primeiro sistema nacional de salário mínimo em janeiro próximo. Filipinas e Indonésia têm pedido direitos melhores e salários mínimos para seus cidadãos que trabalham em outros países, um segmento importante e às vezes vulnerável da força de trabalho regional. Mesmo Mianmar, país isolado por décadas por causa de seu sistema repressivo, recentemente começou a permitir mais atividade sindical, à medida que o regime militar é substituído por um governo quase civil, e está estudando uma lei para criar um salário mínimo. “Os exemplos dos trabalhadores na China, na Indonésia e em outros lugares, estendendo-se para além dos meios tradicionais de pressionar por direitos dos trabalhadores, serão replicados nos próximos anos”, disse Cedric R. Bagtas, vice-secretário-geral do Congresso dos Sindicatos das Filipinas. Cingapura, que já tem uma das rendas médias mais elevadas do mundo e vem experimentando uma desaceleração econômica significativa neste ano, é uma economia única na região. O país decidiu apertar as restrições sobre sua grande população de trabalhadores estrangeiros, política que está levando a salários mais altos e a um crescimento mais lento.

Motoristas de ônibus de Cingapura paralisam serviço Na semana passada, motoristas do serviço público de ônibus de Cingapura, originários da China, fizeram uma rara greve por salários e melhoria das condições em seus dormitórios. O governo declarou a greve ilegal; cinco líderes grevistas estão sendo processados e 29 participantes da greve foram deportados no último domingo. Ainda assim, muitas empresas de Cingapura estão enfrentando dificuldades com um plantel cada vez menor de funcionários potenciais e com salários em alta, à medida que a oferta de mão de obra estrangeira barata se reduz. “Mais empresas - as pequenas e médias - vão começar a jogar a toalha, tendo em vista o atual ambiente de alto custo. Muitas companhias provavelmente estão esperando para ver o que o governo vai fazer, para então decidir se ainda conseguem sustentar seus negócios. Eu tenho a expectativa de que o número de empresas encerrando as operações vá crescer em 2013”, disse o economista Michael Wan, do Crédit Suisse em Cingapura. Para os economistas, a maioria das companhias e das economias da região deverá ser capaz de pagar salários mais altos sem prejudicar sua competitividade. Embora um aumento de 44% no salário mínimo de Jacarta pareça muito, muitas das maiores empresas exportadoras da Indonésia já pagavam muito mais do que o mí-

nimo a seus trabalhadores; e mesmo assim, a mão de obra é uma parte proporcionalmente pequena de seus custos gerais, de modo que a elevação dos salários não terá um efeito muito grande no custo dos automóveis e do carvão que elas exportam. Analistas também observaram que, mesmo com as recentes elevações de salários, a mão de obra no Sudeste Asiático permanece mais barata do que a da China. Outros insumos importantes para a produção, como o custo da terra e o da energia elétrica, também estão menos caros na maioria dos países do Sudeste Asiático. “Para começar, os salários são mais altos na China, e eles estão subindo tão rapidamente quanto os do Sudeste Asiático, se não mais rapidamente. Os outros custos, fora os salários, também continuam competitivos em comparação com os da China”, escreveu o economista Wei Zheng Kit, do Citigroup, em relatório divulgado nesta semana. Segundo Wei, salários mais altos também não deverão provocar muita inflação, à medida que as companhias não repassem uma grande parcela dos custos mais elevados aos consumidores e que parte da alta dos salários seja compensada por uma produtividade mais alta. Em alguns países do Sudeste Asiático, salários mais altos poderão estimular a economia, ao fazer crescer a renda disponível do consumidor para gastos.


economia DÓLAR COMERCIAL Compra: R$ 2,0860 Venda: R$ 2,0870 DÓLAR PARALELO Compra: R$ 2,12 Venda: R$ 2,21

POUPANÇA HOJE 0,5000% CDB 7,08% BOVESPA +1,44%

SALÁRIO MÍNIMO

R$ 622,00 TAXA SELIC

7,25%

TELEFONES ÚTEIS Receita: 3220-2200 Procon Estadual: 3232-6869 Procon Municipal: 3232-9050 DRT RN: 3220-2000

ENTREVISTA

O presidente do grupo Pão de Açúcar,Enéas Pestana,em uma análise sobre o mercado. PÁGINA 3 DÓLAR TURISMO Compra: R$ 2,0570 Venda: R$ 2,1830 EURO Compra: R$ 2,6230 Venda: R$ 2,7870

Editora: Renata Moura e-mail:renatamoura@tribunadonorte.com.br

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE Domingo • 09 de dezembro de 2012 JOÃO MARIA ALVES

O DESAFIO DO CRESCIMENTO Uma enxurrada de indicadores divulgados nas últimas semanas revela que o Rio Grande do Norte e o Brasil estão crescendo menos. Mas há soluções. E é isso o que a TRIBUNA DO NORTE mostra a partir deste domingo, numa série de reportagens que começa apontando os caminhos para recobrar o fôlego por meio de uma área básica: a formação de mão de obra. [ PÁGINAS 4,6,7 E 8 ]


2

economia

| Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

Domingo | 09 de dezembro de 2012

LUCIANO RAMOS [ Mestre em Direito do Estado pela PUC/SP; Procurador do MPJTCE/RN ]

Negócios &Finanças LUIZ ANTÔNIO FELIPE laf@tribunadonorte.com.br

Investimentos decrescentes taxa de investimento do Brasil, em torno de 18% do Produto Interno Bruto (PIB) está bem abaixo das necessidades para o País crescer com mais velocidade. Especialistas acreditam que a taxa ideal seria de 25% do PIB. A presidenta Dilma Rousseff demonstra preocupação com esse quadro e por isso, constante vem lançando pacotes para estimular a produção, desde as desonerações, até as linhas de crédito com juros menores. Analistas acreditam que o maior problema hoje no Brasil é a ausência de grandes investimentos públicos, além das reformas não realizadas.

A

INTERNET O comércio online vai faturar 29% a mais no Natal deste ano, o período mais lucrativo para o comércio. De acordo com a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), as lojas virtuais terão um crescimento de 29% no faturamento em relação ao mesmo período de 2011. Isto equivale ao faturamento de cerca de R$ 3,76 bilhões. A expectativa é que sejam feitos mais de 11 milhões de pedidos pela internet.

Fornecedores

Shopping

A Federação das Indústrias vai reunir, na próxima quarta-feira (12), os sindicatos filiados num encontro com a Cooperativa da Construção Civil (Coopercon/RN), para uma negociação direta, de fornecimento de produtos e serviços, com as construtoras cooperadas. É o verdadeiro “Compre que é daqui”. A construção compra de tudo, alimentos, fardamentos, calçados e material em geral.

O empresário Jorian Morais, dá inicio as obras do ‘For All Mall Shopping’, primeiro shopping de grande porte, em Parnamirim. A “JAM Empreendimentos”, está preparando o terreno e a fundação do empreendimento, que deverá ser inaugurado no segundo semestre de 2013. O projeto arquitetônico assemelha-se ao shopping “Cidade Jardim”, localizado em São Paulo.

FATURAMENTO No Brasil, a Expro, o setor de petróleo e gás, com uma base em Mossoró encerrou o primeiro semestre de 2012 com faturamento de R$ 64,5 milhões. A empresa tem sede regional no Rio de Janeiro e possui também bases operacionais em Macaé (RJ) e São Mateus (ES), além de um outro escritório em Salvador.

Festa privada, patrocínio público! “Vamos celebrar a estupidez do povo/Nossa polícia e televisão. Vamos celebrar nosso governo. E nosso estado que não é nação... Celebrar a juventude sem escolas/ As crianças mortas. Celebrar nossa desunião... Vamos comemorar como idiotas/ A cada fevereiro e feriado. Todos os mortos nas estradas/ Os mortos por falta De hospitais...” (Legião Urbana, Perfeição) á anos, mal iniciado o mês de dezembro e irrigado por parcela do décimo terceiro, a cidade do Natal para por quatro dias e fica a ver a banda passar, cantando coisas de amor. As atenções da população, já escassamente voltadas para as mazelas vindas da Gestão Pública, caminham em outra direção. Atrás do trio elétrico, não se enxergam os canteiros sujos, as crianças sem escola, a segurança que nos falta nos demais 361 dias do ano. Nestes quatro dias, o estado de êxtase (alcoólico, afetivo ou sonoro) nos faz super-heróis, habitantes de uma cidade que tem muito a celebrar. Infelizmente, na “segunda-feira de cinzas” a banda terá passado, e perceberemos com os olhos ainda miúdos com a ressaca da véspera que todo o sonho limitou-se a uma breve trégua (aparente), cuja pálida lembrança coletiva advirá do lixo e cheiro que são característicos dos dias seguintes a estas grandes celebrações a céu aberto. Prontamente, muitos recordarão o bem individual que estas festas lhes proporcionam, a celebrar a vida, após um árduo (nem sempre) ano de trabalho e estudos, “porque também sem um carinho, ninguém segura este rojão...”. Natural que o indivíduo busque esta válvula de escape, vocacionado que é para maximizar o seu bem-estar, impelido pelo princípio hedonista. Mas este bem-estar individual (restrito a uma parcela da sociedade, é bem verdade), continuaria a sê-lo quando analisada a situação sob o ângulo coletivo? Os trios nas ruas, em datas que não são feriados e nas quais

H

Equilíbrio das contas Os prefeitos que estão deixando ou vão continuar deverão fechar as contas equilibradas. Ou seja, não pode deixar sobras, tem que “bater” receitas e despesas,

lise de viabilidade econômica da incorporação, com 16 horas e direcionado a construtores, incorporadores, engenheiros civis e arquitetos. O curso será nos dias 13 e 14, no Hotel Praiamar, em Ponta Negra, das 9h às 13h15 e 14h30 às 18h45. Inscrições e informações pelo email viabilidadeeconomica@setcursos.com.br ou pelos telefones 31-32619698 - 88018188.

1

2

O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte abre concurso amanhã para 40 vagas para Juiz Substituto,das 90 que estão em aberto,para provimento de cargos.O Ministério da Fazenda também abrirá 255 vagas para analista em finanças e controle, até maio de 2013, em um novo concurso.Para tomar posse na função,é necessário ter nível superior.A remuneração atual é de R$ 12.960.

ríodo e nos demais dias de nosso abençoado verão. Muito menos que afirme com exatidão qual é o incremento de arrecadação do Erário em comparação com os dias e meses que lhe antecedem e sucedem. Tem-se uma sensação de alguns, jamais uma medição criteriosa e precisa capitaneada pelo Poder Público. Porém, ainda que esta sensação seja verdadeira, estes benefícios indiretos seriam reduzidos em que medida acaso o Carnatal utilizasse espaços privados ao invés de bens públicos? Só podemos validar economicamente esta opção quando soubermos precisar o impacto de cada um dos caminhos possíveis, sobretudo equilibrando anseios individuais com as prioridades coletivas, principalmente em um município cujos médicos deixaram de atender recentemente por falta de pagamento do Poder Público, para ficar apenas em um serviço essencial. Ainda que se chegue à conclusão de que esta festa de rua faz parte de nossa tradição, e que efetivamente mobiliza diversos setores da nossa sociedade, muitos contando regressivamente os dias que antecedem a sua realização, em que medida comprometeria seus supostos benefícios individuais e coletivos se a fatura dos gastos públicos fosse remetida para aqueles que dela obtêm lucros? Começa a ganhar corpo o pensamento na gestão pública de que os geradores individuais e identificados de despesas públicas, as quais lhes proporcionam lucros, deverão ressarcir os cofres públicos. Diversas ações judiciais decorrem deste pensamento, como são exemplos as ações de ressarcimento contra planos de saúde cujos clientes foram atendidos na rede pública, bem como as ações movidas pelo INSS (inclusive coletivas) contra empresas contumazes na geração de acidentes de trabalho, os quais elevam, por via de consequência, os gastos da seguridade social. Com uma simples ação indenizatória, atingiríamos o equilíbrio descrito por John Nash, o que proporcionaria que o individual e o coletivo pudessem celebrar na mesma medida e a banda, enfim, tocaria para todos. Com a palavra a Procuradoria do Município, zelosa guardiã dos créditos municipais.

ALCIMAR DE ALMEIDA SILVA [ Consultor Administrativo,Fiscal e Tributário ]

sob pena de torna-se inelegível de acordo com a legislação. O Fundo de Participação de dezemro virá com 1% a mais para “ajudar” a fechar a contabilidade.

VIABILIDADE O Sinduscon-RN realizará um curso sobre aná-

O Sebrae/RN realiza amanhã, a solenidade de premiação dos vencedores do Prêmio MPE Brasil.As empresas concorrem em cinco categorias e um destaque na área de responsabilidade social.O anúncio dos vencedores e a entrega dos troféus será no Olimpo Recepções.O prêmio, que entra na sexta edição no estado,é uma iniciativa do Sebrae,com o Movimento Brasil Competitivo (MBC),a Gerdau e a Fundação Nacional da Qualidade.

os não-foliões trabalham, produzem o mesmo proveito coletivo? Estas reflexões fazem lembrar a teoria de John Nash, prêmio Nobel de Economia, exposta no filme “Uma Mente Brilhante”, a qual demonstra que o crescimento econômico advirá de atitudes que equilibrem o melhor para o indivíduo e para o coletivo, não bastando que cada um busque o melhor para si. O que nos faz perquirir se não há um ponto médio, que não sacrifique em demasia nem o individual nem o coletivo. Realizar festas de rua tem um ônus coletivo muito grande, desde os transtornos ao trânsito e aos moradores vizinhos ao circuito, recaindo, sobretudo, no dinheiro público empregado para fornecer a estrutura necessária à sua efetivação, principalmente em períodos de déficit público profundo como o que a cidade do Natal ora enfrenta. Sem sombra de dúvidas, o Carnatal gera lucros, movimenta a economia. Mas as empresas que os internalizam são também responsáveis por arcar com seus custos? Em que medida? Ao concordar com uma festa de rua deste porte e fornecer a estrutura sem a cobrança correspondente das empresas organizadoras do evento, o Município do Natal proporciona que as despesas essencialmente privadas sejam externalizadas de sua origem e recaiam no colo do Erário; em última análise, substanciais custos para a geração do lucro privado são coletivizados, calcados no dinheiro pago por todos nós, admiradores ou não da festa, mas que sempre somos chamados a pagar a conta. Atingido este ponto de argumentação, invariavelmente o contraponto ecoa nos ouvidos com os mesmos decibéis dos trios que tocam enquanto este artigo é escrito, reverberando o pensamento de que o Carnatal impulsiona o turismo e gera aumento de impostos decorrentes da circulação econômica por ele proporcionada. De plano, registre-se que não se tem ciência de nenhum estudo isento que afira precisamente este incremento nos quatro dias “momescos” fora de época, comparando as taxas de ocupação dos hotéis, bem como de ônibus e aviões que chegam a Noiva do Sol, neste pe-

3

As remessas via Western Union,líder global em serviços de pagamento e transferência de dinheiro,para clientes do Banco do Brasil agora,podem ser sacadas em caixas eletrônicos. Ficou mais fácil com a ampliação de canais de atendimento para a retirada de dinheiro enviado do exterior ao Brasil,em qualquer um dos mais de 44 mil caixas eletrônicos (ATMs) espalhados pelo Brasil.

EXPANSÃO O McDonald’s atinge oito novos mercados em 2012. E, até o fim do ano, a rede amplia sua atuação no mercado brasileiro, que conta com quase 700 restaurantes em 23 estados. No Nordeste, a rede, em 2012, chegou a Mossoró e Juazeiro do Norte (CE). E ampliou sua atuação em Salvador, Jaboatão dos Guararapes e Recife. Até o fim do ano inaugura um novo restaurante em Teresina e, em Feira de Santana (BA).

NOVIDADES O Armazém Pará apresenta as novidades da parceria com a Delta Faucet, a maior empresa mundial em metais sanitários. A marca norte-americana chega ao mercado do Nordeste brasileiro com a distribuição do Armazém Pará. Os diretores da Delta no Brasil farão uma explanação sobre a importância da marca no cenário mundial e a entrada dos produtos no Brasil, na próxima quarta-feira.

PRESENTE A Natura apresenta seus presentes para o Natal. São 25 opções para celebrar as relações, com preços variados. São linhas, como o conjunto de miniaturas dos óleos de banho da linha Natura Sève, as novas fragrâncias dos produtos da linha Natura Tododia, o presente Natura Ekos Colheita que traz uma árvore de papel e mini sabonetes. O Boticário também lança uma variedade de estojos com mensagens e poemas.

Confirmado o FPM de 2013 á poucos meses, quando o IBGE divulgou as estimativas populacionais com base em 1º de julho último, que se constitui no primeiro passo para a fixação pelo TCU dos coeficientes anuais do FPM – Fundo de Participação dos Municípios do interior para o próximo ano, lembramos aqui que estava aberto o prazo para que os Prefeitos Municipais ou entidades representativas recorressem àquele órgão, pleiteando revisão daqueles números, se houvesse elementos de fato para embasar tal iniciativa. Informando ainda que em comparação com os coeficientes atribuídos para o ano em curso teria havido elevação apenas em relação ao Município de Macaíba, de 2,4 para 2,6, em face do aumento de sua população de 70 mil, 587 para 71 mil, 670 habitantes. Da mesma forma foi informado que, em se tratando de diminuição de coeficiente, teria se verificado apenas em relação ao Município de Santana do Matos, de 1,0 para 0,8, em face da redução de sua população de 13 mil, 642 para 13 mil, 481 habitantes, sendo de se observar que com mais 104 habitantes seria mantido o coeficiente de 1,0 que lhe foi atribuído para o ano em curso. Sobre outros Municípios foi destacado que, embora não tendo alteração de coeficiente, alguns haviam

H

atingido estimativas populacionais que se aproximam da fronteira de elevação, destacando-se dentre eles, principalmente, o de Rio do Fogo, cuja fora de 10 mil, 187 habitantes e com apenas mais 2 habitantes teria o seu coeficiente elevado de 0,6 para 0,8. Ainda foi comentado que, mesmo não se encontrando tão próximos assim da fronteira de elevação ou ascensão do intervalo de classe, havia alguns outros que com o incremento de pouco mais de 100 habitantes elevariam o seu coeficiente, situação em que se encontravam os Municípios de Alexandria, com estimativa de 13 mil, 467 habitantes e com mais 118 elevaria o seu coeficiente de 0,8 para 1,0; Tenente Ananias, com estimativa de 10 mil e 36 habitantes e com mais 153 habitantes elevaria o seu coeficiente de 0,6 para 0,8; e de Carnaubais, com estimativa de 10 mil habitantes, que também elevaria seu coeficiente de 0,6 para 0,8 com mais 189 habitantes, o que possivelmente também estaria passível de revisão. Ou não foi pleiteada a revisão sugeria ou pleiteada não houve argumentos suficientes para justificar a alteração de estimativas pelo IBGE. Pois publicada a Decisão Normativa TCU nº 123, de 21 de novembro de 2012, considerando aquelas estimativas populacionais, o Município de Macaíba teve o seu coeficiente ele-

vado de 2,4 para 2,6, significando um incremento de 8 inteiros e 3 décimos por cento nos valores a receber, enquanto o Município de Santana do Matos teve o seu coeficiente reduzido de 1,0 para 0,8, o que, similarmente, redunda em diminuição de 8 inteiros e 3 décimos por cento nos valores a receber, merecendo ainda destacar que à falta de apenas mais 2 habitantes, o Município de Rio do Fogo deixou de ter o seu coeficiente elevado de 0,6 para 0,8, representando o mesmo percentual de recursos. Além de alguns mencionados naquela oportunidade, outros Municípios há que necessitam adotar providências de melhor planejamento e controle territorial e de sua ocupação, inclusive com a execução de obras e a prestação de serviços a núcleos da zona rural que por se encontrarem mais próximos à sede de outros Municípios passam a destes se servir. Com o passar do tempo são contados como se habitantes destes fossem, gerando conseqüências que afetam a autonomia municipal dentre as quais sendo bastante expressiva e que se constitui num círculo de causa e efeito para este fenômeno que é a redução de recursos transferidos via FPM e de outros recursos que se utilizam do mesmo critério populacional, para o que há solução à espera da vontade política.

ALEXANDRE PRATES [ especialista em liderança,desenvolvimento humano e performance organizacional ]

Cliente temporário: uma grande oportunidade atal chegando e o varejo se prepara para o grande volume de vendas que essa época do ano promete. Um período que traz um misto de sensações aos empresários. De um lado, a expectativa de vendas extraordinárias, do outro a preocupação com o único fator que efetivamente poderá proporcionar o sucesso neste momento: seus profissionais. Sim, esta é uma preocupação legítima, porém, é preciso ir muito além da contratação, é fundamental engajar a sua equipe para um propósito muito maior do que simplesmente aumentar a remuneração no final do ano. Algumas questões precisam ser muito bem avaliadas neste período, e é imprescindível que algumas atitudes sejam tomadas para o sucesso de sua marca no Natal – e no resto do ano também. Vamos a elas: COMO TRANSFORMAR CLIENTES TEMPORÁRIOS EM CLIENTES SEGUIDORES – Tentar argumentar com o cliente que o mau atendimento é decorrente da época, devido ao grande volume de pessoas é perda de tempo. A primeira pergunta que o cliente lhe fará é “Você já não previa que isso iria acontecer?”. Portanto, se você quiser ter apenas clien-

N

tes temporários, basta atendê-los como mais um ou agir como se a perda deles não fosse importante, afinal, terá muitos outros para atender. Nunca se esqueça de que o Natal é uma vez no ano, e que esse cliente certamente deve fazer compras com maior periodicidade. Outra grande oportunidade de fidelizar esse cliente é no momento em que ele retorna para efetuar a troca de um produto. Nessa hora, com mais calma, é sua grande oportunidade de demonstrar o profissionalismo da sua empresa. Entenda que tudo o que estou dizendo aqui tem a ver com uma postura fundamental para o sucesso de qualquer empresa – o pensamento de longo prazo. Um cliente bem atendido hoje provavelmente se tornará um seguidor e multiplicador de sua marca! NÃO JULGUE O CLIENTE POR SUA PRIMEIRA COMPRA: um cliente que faz um compra pequena naquele momento, pode ser um grande cliente no futuro. É muito comum uma pessoa comprar “lembrancinhas” no Natal para muitas pessoas e fazer excelentes compras no futuro para si mesmo. VALORIZE CADA CLIENTE:lembre-se que

um cliente mal atendido hoje é um cliente perdido para sempre, e isso custa muito caro. Ao contrário disso, um cliente bem atendido poderá tornar-se um grande seguidor. Se o movimento estiver grande, mostre para o cliente que você está se esforçando para atendêlo bem, sempre explique a sua ausência ou a demora no atendimento. FAÇA-O ACREDITAR QUE FEZ A ESCOLHA CERTA: ao finalizar a venda, agradeça verdadeiramente o cliente pela preferência, relembre-o de que você estará a sua disposição caso haja algum problema e deseje do fundo do seu coração que ele tenha boas festas. Não permita que um cliente seja visto apenas como uma oportunidade de aumentar o faturamento no final do ano, pois ele pode ser muito mais do que isso. Quantos finais de ano espetaculares você quer que a sua empresa tenha? Quantos meses espetaculares você deseja? Aliás, como você quer que a sua marca seja lembrada? É a sua atitude como empresa que proporcionará, a cada dia, o crescimento que você tanto almeja. Portanto, valorize e fidelize cada cliente!


economia

Domingo | 09 de dezembro de 2012

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 3

ENTREVISTA/ENÉAS PESTANA/ PRESIDENTE DO GRUPO PÃO DE AÇÚCAR O Pão de Açúcar acaba de inaugurar a terceira loja Extra no Rio Grande do Norte.Como essa nova operação mexe com os números do grupo. Eleva o faturamento? A participação do RN no grupo? Em quanto? As expectativas são boas, não só para loja, mas para o Nordeste como um todo. Já estamos presentes em quase todo Nordeste. Falta apenas um estado, o Maranhão, onde entraremos no próximo ano. O Nordeste é uma prioridade. Ele vem crescendo muito, acima da média. Já é o segundo maior mercado consumidor do país, depois do Sudeste. Então, a gente tem muito interesse. A região é nossa prioridade na expansão de todos os formatos: Extra Hipermercado, mas também nos outros, como Extra Supermercado, Assaí. Já temos sete lojas Assaí no Nordeste e também no eletroeletrônico, principalmente com a bandeira Casas Bahia, com 47 lojas no Nordeste. E essa loja inaugurada, claro, deve vender bem. Isso para nós é muito importante até para ampliar nossa presença na grande Natal. Precisávamos estar presentes em Parnamirim. Tem espaço para outros formatos, que ainda vamos estudar. Como quais? O formato hipermercado Pão de Açúcar, por exemplo. Já está na hora de vir aqui para Natal. Certamente nos próximos anos traremos os outros formatos para cá. Nos próximos anos ou no próximo ano? Sempre trabalhamos como um plano de expansão de três anos. Quando falo de expansão, me refiro sempre a um horizonte de três anos. Pode ser 2013, 2014, 2015. Não tenho dúvida de que neste espaço traremos para o RN estes outros formatos. Principalmente o Hipermercado Pão de Açúcar, com serviços e produtos diferenciados. Espero que em breve estejamos abrindo uma loja neste formato. A unidade inaugurada esta semana aumenta em quanto o faturamento do grupo no Estado? Nós não falamos em faturamento. Hoje, o Rio Grande do Norte participa com 7% do faturamento do Nordeste e com essa nova loja vamos chegar a 10%. As lojas levam um certo tempo para atingir maturidade.Quando esta loja estiver ‘no ponto’, o faturamento dela subirá, aumentando ainda mais a participação do estado no faturamento da região? Sim. A gente prevê uma maturidade num formato como este no terceiro ano, mas não dá para projetar quanto vai ser porque depende de novos investimentos. O hipermercado tem o não alimento, que tem o poder de atrair o consumidor de outras áreas da cidade.

“EM TERMOS DE NORDESTE, O QUE ESPERAMOS É ATINGIR A LIDERANÇA” ANDRIELLE MENDES Repórter

A

brir 20 supermercados, hipermercados Extra e Pão de Açúcar. Essa é a meta do grupo Pão de Açúcar, maior empresa de distribuição da América Latina, para o Nordeste entre 2013 e 2015. O grupo, que inaugurou esta semana seu terceiro hipermercado Extra no Rio Grande do Norte, confirmou o interesse em levar a rede para o interior do Estado. O valor global a ser aplicado nas inaugurações não foi revelado. Mas só na abertura do hipermercado Extra, em Nova Parnamirim, o grupo aplicou R$ 50 milhões, considerando terreno, construção e estoque. O grupo conseguiu antecipar a conclusão da obra em 30 dias e largar na frente de outras redes interessadas em investir na área, uma das mais robustas, do ponto de vista da renda e do consumo, no Estado. O Nordeste, que já é o segundo maior mercado da empresa, desperta cada vez mais interesse do grupo. Outros formatos, como a Casas Bahia, também sob comando do grupo, acabam de aportar no Rio Grande do Norte. Éneas Pestana, presidente do Pão de Açúcar, conversou com a TRIBUNA DO NORTE sobre mercado e evitou assuntos como questões societárias envolvendo o grupo.

FOTOS:ALEX REGIS

CRESCEMOS ACIMA DA MÉDIA NUM SEGMENTO QUE CRESCE MAIS DO QUE OS OUTROS “.

Há espaço para novas unidades do Extra na capital e no Estado? Sem dúvida. Que municípios potiguares estariam no radar do grupo? A gente não declara antecipadamente os municípios para evitar a especulação imobiliária. O que podemos dizer é que estamos olhando para outras cidades que não as capitais tanto no Rio Grande do Norte como em todo o Nordeste, dado o ritmo de crescimento da região. Ele é muito mais acelerado que a média brasileira, não só no sentido demográfico, mas no sentido de distribuição de renda, e de mercado consumidor. [O grupo abriu quatro lojas na região este ano e está prospectando novas áreas]. Com três hipermercados no RN, o Pão de Açúcar está bem representado? Poderíamos dizer que com três lojas estamos bem servidos, mas dado este ritmo de crescimento já já pode caber outro. Dentro de um mix mais adequado de oferta, certamente há espaço para outros formatos. Quantas unidades do Extra exsitem no Nordeste? Temos 19 hipermercados com a bandeira Extra e mais oito su-

permercados com a bandeira Extra no Nordeste e mais 22 lojas com a bandeira Pão de Açúcar. Este número aumentará em 2013? Este número aumenta. Trabalhamos forte no ano passado em termos de prospecção de terreno para já começar a construir em 2013. O projeto de expansão na região engloba todos os formatos. Já que o grupo planeja a expansão para os próximos três anos, poderia dizer quantas inaugurações são previstas até 2015? A gente pretende no triênio 20132015 ter pelo menos mais 20 unidades no Nordeste, entre hipermercado e supermercado de bandeira Extra e Pão de Açúcar. Fora os outros formatos, como Assaí, Casas Bahia. Hoje, o Nordeste participa com 11% do faturamento da companhia. A gente quer elevar este patamar para pelo menos 15% até 2015. O investimento da companhia é forte e uma grande parcela dele está reservada para o Nordeste. Quanto o grupo costuma investir em cada inauguração?

Depende do formato e da região. Um Extra como esse (que foi inaugurado em Nova Parnamirim) custa R$ 50 milhões, considerando obras, terreno e estoque. O que o grupo considera na hora de escolher uma área para abrir uma loja? São considerados muitos fatores na hora de definir onde implantar uma unidade. Tem que ter primeiro um número de habitantes que faça sentido trazer uma loja, principalmente em se tratando de um hipermercado, que tem um volume de vendas maior. Esta é uma questão. A outra questão é a renda. Tem outras como acesso, mão de obra, a logística. Não adianta abrir lojas em cidades distantes e onde há uma ineficiência logística importante. Outro ponto que consideramos antes de trazer este formato para cá é a maturidade do consumidor, além da questão da renda. Tudo isso é levado em consideração na hora de definir o investimento. Outros três hipermercados e supermercados serão inaugurados aqui em Nova Parnamirim

nos próximos meses. Como vocês enxergam o acirramento da concorrência? Vou falar de um modo geral. A gente está acostumado e diria até preparado para esta competição. A competição no varejo sempre existiu. Todos os formatos dentro do varejo enfrentam uma competição muito acirrada em todas as regiões, historicamente. Isso faz valer a empresa mais ágil, mais rápida, mais integrada com a sociedade. No fim, isso é bom, porque o consumidor e a região saem ganhando. Agora a gente está muito preparado para isso. A empresa é muito grande, muito madura. A competição, no geral, não é um problema. Ela faz parte do nosso negócio. As obras,como o senhor comentou,duraram 120 dias e terminaram muito antes das construções dos outros concorrentes. Questão de estratégia? Proposital, sem dúvida. Mas uma estratégia baseada na competência que o time tem em conseguir fazer rápido. Todo mundo quer abrir primeiro. Todo mundo tem esse desejo, mas não é fácil. É uma obra grande, complicada, do pon-

to de vista de projetos. Fazer isso em 120 dias não é simples. Um empreendimento desse leva cinco meses para ficar pronto. Nosso concorrente, inclusive, começou a construir antes. Isso foi fundamental para que acelerássemos as obras e inaugurássemos antes dele. Primeiro, para abrir a loja antes do Natal e segundo para fidelizar o consumidor. Foi fundamental abrir antes. O Pão de Açúcar fica de olho no concorrente? Fica. O varejo é assim. Colocou um varejista do lado do outro, eles já começam a competir. Na verdade, na verdade, tudo que a gente faz não é porque está olhando para o concorrente. A gente olha o concorrente aqui no Brasil, olha lá fora. Mas nosso principal foco é o consumidor. Temos um departamento importante em São Paulo dedicado a conhecer o consumidor, o de hoje e o de amanhã. Fui à França recentemente e perguntaram: como você faz em um país com dimensões continentais, com regiões completamente distintas do ponto de vista de cultura, hábitos de consumo para conseguir desenvolver formatos e padrões que consigam alavancar as vendas e atender as especificidades de cada região? Isso se faz baseado num estudo profundo do consumidor nas diferentes regiões. Imagina-se que os grupos locais se saiam melhor neste quesito por conhecerem melhor os consumidores.Quer dizer que não é bem assim? É isso. O segredo é trazer as novidades que a região não tem, mas respeitar as características locais. Em entrevista à Tribuna do Norte há alguns meses,a Associação dos Supermercados do RN disse que Nova Parnamirim, apesar

dos indicadores crescentes,não comportaria três grandes hipermercados.Vocês discordam dessa posição? Discordo. Esta é uma visão de curtíssimo prazo. A gente não pensa no curto prazo. Pensa no longo prazo. Pode ser que seja demais hoje. Pode ser que Nova Parnamirim estivesse mal servida e que agora fique excessivamente servida, mas ao longo do tempo isso se acomoda. Não temos nenhuma preocupação quanto a isso. Estamos absolutamente seguros com os fundamentos que nos fizeram decidir fazer a loja. Apesar das medidas de estímulo ao consumo e produção tomadas pelo governo federal, o Brasil ainda assiste a retração da economia.Esse baixo crescimento não preocupa o grupo? Olha, a gente fica atento, mas não há preocupação. Somos um grupo muito otimista. Acho que o governo vem tomando medidas corretas do ponto de vista de garantir o aquecimento do mercado consumidor. A gente prevê crescimento do mercado consumidor acima de 4,5% ano. Se você analisar os últimos oito anos, verá isso. O mercado consumidor crescendo mais que o Produto Interno Bruto (PIB). É claro que esta situação não é das melhores. Se o varejo representa 14% do PIB e está crescendo a taxas superiores do PIB significa que os outros setores estão crescendo menos. Isso tem que ser equalizado, porque se falta produção e aumenta o consumo, teremos inflação. Acredito que isso vai se equalizar. Os fundamentos macroeconômicos do Brasil são muito sólidos. O sistema financeiro é o melhor do mundo. Não conheço outro melhor. A inflação está sob controle. Vivemos uma situação de pleno emprego. Somos um grupo grande. Estamos preparados. Ano de crescimento para a empresa? Com certeza. De quanto? Não posso divulgar, porque trata-se de uma companhia aberta e nós não podemos antecipar os números. Mas estamos crescendo acima da média num segmento que cresce mais do que os outros. Estamos indo bem. Quanto detém de participação no mercado local e a quanto pretendem chegar? Segundo dados de 2011, detínhamos 15% de participação no mercado local. Mas com essa unidade, ela subirá com certeza. O que posso dizer é que, em termos de Nordeste, o que esperamos é atingir a liderança, é ser a maior e melhor oferta em serviços, formatos e produtos para o povo nordestino. Essa é a meta. Nosso crescimento orgânico visa isso.


economia

4 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

Domingo | 09 de dezembro de 2012

[ DESAFIOS ] Trabalhadores buscam qualificação, mas o ritmo não é suficiente para atender a demanda do mercado. O movimento, porém, é visto como positivo, em um Estado ávido por recobrar o fôlego

Abrindo a porteira LUIZ ANTÔNIO FELIPE laf@tribunadonorte.com.br

PIB agropecuário Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro cresceu 0,9% no terceiro trimestre deste ano em relação a igual período de 2011. Entre os setores, o destaque foi a agricultura, com alta de 3,6%. Os resultados do PIB da Agropecuária neste terceiro trimestre são os melhores em uma série histórica desde 1995. Para 2913, a previsão é que a safra de grãos possa atingir até 181,5 milhões de toneladas, de acordo com levantamento apresentado pela Conab. Além de parte da produção destinada às vendas ao comércio exterior, outro segmento que pode crescer é o de carnes, com possibilidade de elevar os embarques para destinos importantes como Japão e Rússia. Os principais destaques do setor entre julho e setembro de 2012 foram o café e o milho, com crescimento de produção (14,5% e 27,1%, respectivamente) e de produtividade.

O

CHINA De olho no potencial brasileiro, a China estuda como investir no agronegócio brasileiro. O país asiático pretende investir US$ 30 milhões na América Latina nos próximos anos. Até 2016, a China deverá aumentar as importações de carne suína em 42%, de soja em 17% e de frango em 55%.

Carbono

Custeio

Os financiamentos pelo Programa ABC crescem 588% na safra 2012/13. Os recursos para agricultura empresarial atingiram R$ 39 bilhões entre julho e outubro deste ano. O desembolso no período representa 33,7% dos R$ 115,2 bilhões disponíveis para o ano-safra 2012/13. Os produtores do Nordeste têm se beneficiado muito pouco com essa linha de crédito.

Nos financiamentos de custeio do Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp), houve um aumento foi de 45,5% em relação a julho e outubro de 2011/12, atingindo R$ 3 bilhões, enquanto as aplicações para operações de investimento totalizaram 704,9 milhões. Desde o dia 1º de novembro a taxa de juros do PSI-BK foi reduzida de 5,5% para 2,5% ao ano até 31 desse mês.

Produtividade no RN A Embrapa realiza em parceria com a Emparn, várias pesquisas na base física em Apodi. Uma das mais importantes é da palma irrigada. Outra pesquisa em destaque é do algodão, com elevada produtividade. A colheita

do algodão está começando, com recordes. Por outro lado, a seca atingiu a produção de algodão colorido na Paraíba. O mercado está desabastecido. O algodão colorido chega a ter um preço 30% maior do que o comum.

ZONEAMENTO Portarias orientam o plantio de cinco culturas, apontando as melhores condições para cultivos em 18 estados. O zoneamento agrícola de risco climático para as culturas de algodão herbáceo, feijão 2ª safra, milho 2ª safra, sorgo granífero e gergelim vale para o ano-safra 2012/13. O estudo para a cultura do algodão herbáceo abrange seis estados (Alagoas, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Sergipe). Referente ao sorgo granífero, analisados os estados de Alagoas, Ceará, Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Paraíba, Pernambuco, RN, Sergipe e Tocantins, além do DF.

1

O Brasil vai dando um show na produção de milho e soja,batendo recordes.As exportações de milho no mês de novembro cresceram 315%,para US$ 1,071 bilhão,ante os US$ 258,1 milhões registrados em igual mês de 2011.Em volumes,foram exportados 3,914 milhões de toneladas, também bem acima das 907,4 mil toneladas exportadas em novembro do ano passado.As exportações de farelo de soja subiram 32,4%,para US$ 509,4 milhões,e as de óleo de soja em bruto recuaram 61%,para US$ 72,6 milhões.

2

A Embrapa acaba de lançar oito novas cultivares de frutas,adaptadas às diversas regiões do País.Para o Nordeste,a cultivar de banana BRS Platina, desenvolvida pela Embrapa Mandioca e Fruticultura Tropical (Cruz das Almas/BA),tem com principal característica a resistência ao maldo-Panamá e a tolerância à Sigatoka-amarela. Os frutos da BRS Platina são muito semelhantes aos da banana Prata Anã, na forma e no sabor.

3

A última cultivar de fruteira lançada pela Embrapa neste ano é a do limão tahiti BRS Passos.Esta lima ácida é uma alternativa de produção para a entressafra no Distrito Federal e Entorno.Sua característica principal é a produção elevada na entressafra (julho até novembro), com adequado manejo de adubação para esta finalidade.A produção do limão cai em até 80% na entressafra,e a caixa do produto já chegou a ser vendida por até R$ 80,00,enquanto que na safra o preço é de cerca de R$ 5,00.

SANIDADE O Superintendente Federal da Agricultura no RN, esteve reunido com a governadora Rosalba Ciarlini. Ao lado da diretora do Instituto de Defesa e Inspeção Agropecuária do RN (Idiarn), Fabiana Lo Tierzo, Orlando Procópio conversou com a Governadora sobre o apoio do Ministério da Agricultura ao Governo do RN para impulsionar projetos desenvolvidos pelo Estado. “O Idiarn é fundamental nessa parceria forte com o Ministério. A gente precisa, em 2013, começar o ano de mãos dadas”, disse Orlando Procópio. A Governadora se colocou à disposição para auxiliar no que for preciso para restabelecer a união com o Ministério da Agricultura e fortalecer o Instituto. AMBIENTE

O novo Código Florestal ajudará na desapropriação de terras por crime ambiental. O presidente do Incra, Carlos Guedes de Guedes, afirmou em audiência pública na Comissão de Agricultura do Senado, que a aprovação do Código Florestal vai ajudar o Incra a desapropriar terras nas quais o proprietário tenha cometido crime ambiental e a destinar essas áreas para a reforma agrária. “Hoje o Incra quase sempre é derrotado em decisões da Justiça quando tenta desapropriar uma terra em que foi cometido crime”, disse.

No RN, há espera por mão de obra e crescimento JOÃO MARIA ALVES

RENATA MOURA ANDRIELLE MENDES Editora e Repórter de economia

á fila. No Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) do Rio Grande do Norte, as salas de aula já não comportam a quantidade de alunos em busca de formação em atividades ligadas à construção civil e à tecnologia. Os espaços deverão expandir. No Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), estudantes de gastronomia correm atrás do diploma e de oportunidades em um setor que cresce e em que a demanda é maior do que a oferta de profissionais. Há, no Rio Grande do Norte, uma corrida por qualificação. O ritmo dessa corrida ainda é, porém, menor do que as necessidades do mercado. E esse descompasso é um dos “nós” que não só o estado, mas o país, precisam desatar para recobrar ritmos mais fortes de crescimento. É que nos últimos anos, o ritmo diminuiu. E o pior, em estados e países concorrentes, continuou avançando. No caso do Rio Grande do Norte, indicadores divulgados nas últimas semanas mostram que o estado está crescendo menos e que está menos competitivo frente a vizinhos como Paraíba, Ceará e Pernambuco. Trata-se de uma inversão de papéis em um cenário em que o Rio Grande do Norte costumava ser protagonista. No período de oito anos compreendidos entre 1995 e 2002, nenhuma economia da região e nem o país cresceram tanto quanto o RN, de acordo com dados do Ins-

H

Centro de Tecnologias Aluízio Alves: O prédio atual, na avenida Salgado Filho, já não atende a demanda

tituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Enquanto o estado avançou 24,51% no período, vizinhos como o Ceará e Pernambuco nem sequer alcançaram o patamar de 15%. Boa parte da expansão da economia potiguar era creditada ao desenvolvimento da indústria do petróleo. Com a queda na produção em decorrência do amadu-

recimento dos campos, a indústria, porém, perdeu força. Outras atividades econômicas de peso desaceleraram e o resultado dessa equação foi uma inesperada marcha lenta para o RN. Entre os anos de 2002 e 2010, o Produto Interno Bruto do RN, que mede o ritmo da economia, avançou 30,9%. Em estados como Ceará e Pernambuco, o ritmo superou 40%. O crescimento potiguar foi o mais baixo do Nordeste e o quarto menor do Brasil nesse período. Em oito anos, o país cresceu 37,1%. Investimentos realizados nos vizinhos e deficiências na infraestrutura potiguar estão entre as possíveis razões para a perda de ritmo, diz o economista e chefe do IBGE no RN, Aldemir Freire.

Mas há soluções, dentro e fora das empresas. “Investir em gestão, inovação, capacitação, crédito e acesso ao mercado é a fórmula do crescimento para qualquer instituição”, diz o presidente do Sistema Fecomercio, que engloba as atividades de comércio, serviços e turismo no Rio Grande do Norte, Marcelo Queiroz. De acordo com ele, a aplicação de princípios de gestão empresarial, investimento em inovação e capacitação, acesso ao crédito com taxas de juros adequadas e acesso ao mercado são os ingredientes para uma atuação sustentável, possibilitando um crescimento com bases sólidas e que se reflita também na melhoria de indicadores sociais.

Salários baixos revelam carências no Estado No âmbito do trabalho, há avanços a comemorar no Rio Grande do Norte, mas “nós” a desatar também não faltam. O número de trabalhadores com carteira assinada no estado, segundo levantamento do governo do estado, com base em dados do Ministério do Trabalho e Emprego, cresceu 82,3% entre os anos 2000 e 2010, o que significou um incremento de 259.538 postos de trabalho, no período. No Brasil e no Nordeste, o avanço foi, respectivamente, de 68% e 83,1%. Dados também do Ministério do Trabalho e Emprego, mostram, entretanto, que o estado detém um dos menores ritmos de crescimento do país, atualmente, nesse quesito. Um outro indicador reforça que é preciso recuperar o fôlego. O Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal 2012, que avalia as categorias Saúde, Educação, Emprego e Renda, revelou que o RN está entre os seis que menos cresceram na categoria Emprego e Renda entre 2000 e 2010. A categoria, que avalia número de empregos formais, ‘estoque’ de empregos, e remuneração média, pesou contra o estado, que subiu apenas uma posição no ranking geral em 2010 - os vizinhos Piauí e Ceará escalaram seis posições. No Nordeste, o RN só ficou na frente da Paraíba, que despencou 12 posições no ranking nacional, e de Alagoas, o pior do país neste quesito. “O estudo da Firjan sintetiza informações de emprego, renda e salários. É problemático porque ao juntar muitas variáveis deixa de mostrar a expansão ou retração de algum item. No nosso caso, o emprego está crescendo, mas as variáveis “salários” e “rendimentos” puxam a média do indicador para baixo”, diz Wilton Gomes da Silva, da subcoodenadoria do Trabalho e Renda do Sistema Nacional de Emprego (Sine), vinculado ao governo do estado. O estado, reconhece ele, tem uma das mais baixas estruturas salariais do país.

DIVULGAÇÃO

GESTÃO

James Wright: É preciso investir em educação em todos os níveis

Nos últimos dez anos, o rendimento médio mensal dos trabalhadores avançou mais no Rio Grande do Norte do que no no Brasil, de acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, do IBGE. Ainda assim, o estado detém uma das menores médias de remuneração para quem está entrando no mercado de trabalho. A baixa remuneração inicial está relacionada a pelo menos dois fatores: a baixa qualificação da mão de obra e ao fato de os principais empregadores do estado serem setores como comércio e serviços, diz o economista e chefe do IBGE, Aldemir Freire. “É preciso atrair indústrias, investir em segmentos que absorvam essa mão de obra e garantam salários mais altos. Caso contrário, outros estados farão isso e levarão o pessoal que se qualifica aqui”, diz Freire. Melhorar os indicadores da educação, e consequentemente, de Emprego e Renda, leva tempo, reconhecem os especialistas. Mas uma série de políticas públicas podem, se não apressar, ao menos garantir os resultados. Embora o Brasil necessite principalmente de técnicos para atender à demanda do

país por crescimento, os analistas defendem políticas que contemplem desde a educação básica, passando pelo ensino fundamental, médio, até o superior. James Wright, coordenador do Programa de Estudos do Futuro da Fundação Instituto de Administração da Universidade de São Paulo, concorda que o Brasil precisa de técnicos para crescer, mas afirma que o país não pode descuidar dos ensinos fundamental e médio. Segundo ele, é necessário incluir no currículo disciplinas que orientem para o ensino profissionalizante.Guilherme Mercês, gerente de Estudos Econômicos do Sistema Firjan, concorda com Wright e também defende uma maior valorização da educação básica. Para Marcelo Queiroz, empresário e presidente da Fecomercio/RN, tratase de estabelecer prioridades. “É preciso priorizar a educação no plano de governo, incentivar a execução dos programas nacionais voltados à educação – a exemplo do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) – e estreitar parcerias com as instituições que investem em capacitação”, defende.

Mudar o status da Educação no Brasil não é uma tarefa fácil,afirma Wright.“Mas a Coreia estava no mesmo patamar que o Brasil nos anos 60 e hoje é um dos países mais desenvolvidos nesta área”, pondera.Para chegar lá, nem é preciso investir muito - os Estados dizem que não podem investir mais do que já investem com a queda crescente nos repasses do governo federal.Bastaria,dizem os analistas,melhorar a gestão dos recursos.“O Brasil está gastando uma soma razoável com a Educação.O problema não é investir mais,é investir de forma adequada”, afirma Wright. “Sabemos que a educação não é uma coisa que se melhora do dia para noite. As ações,que precisam ser consistentes,só vão apresentar resultados em pelo menos 15 anos”, afirma Afonso Avelino,diretor regional do Senai RN.Para William Pereira,doutor em Ciências Sociais,professor do departamento de Economia e coordenador do Grupo de Estudos e Pesquisas em Espaço, Trabalho,Inovação e Sustentabilidade da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN),o processo é lento, mas ele precisa ser intensificado.

LEIA MAIS Busca por cursos técnicos está aquecida no estado. Páginas 6 e 7.


Domingo | 09 de dezembro de 2012

economia

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

5


6 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

economia

Domingo | 09 de dezembro de 2012

Demanda por profissionais capacitados na indústria - 2012 a 2015 (Nordeste)

QUALIFICAÇÃO X EMPREGO Onde falta mão de obra qualificada e o ritmo do mercado de trabalho.

*229.842

44.634

13.883

**35.618

é a mão de obra com qualificação e experiência profissional no RN

é a mão de obra desempregada com qualificação e experiência profissional no estado

é a mão de obra ingressante no mercado de trabalho com qualificação e experiência

é o saldo efetivo entre oferta e demanda de mão de obra no estado.

244,5 mil

NORDESTE

165,4 161,2 mil mil

*Números correspondem a projeções feitas em 2011 pelo Ipea. **O saldo indica que,de forma global,havia,no período,excesso de mão de obra qualificada e com experiência no RN.Quando o número é negativo,há escassez

BRASIL

7,2 milhões

845,5 mil

POR SETOR ONDE SOBRA GENTE COM QUALIFICAÇÃO E EXPERIÊNCIA / SALDO

ONDE FALTA GENTE COM QUALIFICAÇÃO E EXPERIÊNCIA / SALDO Indústria

-1.908

Educação,saúde e serviços sociais

-1.332

Construção

-119

Comércio e reparação Outros serviços coletivos,sociais e pessoais Alojamento e alimentação Agrícola Transporte,armazenagem e comunicação Administração pública

EDUCAÇÃO É PONTE PARA CRESCER

17.851 6.612 4.987 4.103 3.297 2.127

69,6 mil

BA

PE

CE

RN

51,8 mil

PB

44,9 mil

43,8 mil

41,7 mil

AL

MA

SE

31,6 mil

PI

JOÃO MARIA ALVES

Para os profissionais, qualificação pode significar um lugar melhor e salários mais altos no mercado de trabalho. Para as empresas, municípios, estados e países, trabalhadores preparados são chaves para aumentar a competitividade oebson Mousinho da Silva Pinheiro, 18, sempre soube que a educação era o caminho, se não mais rápido, pelo menos mais seguro, para o crescimento. Há sete meses estuda para ser assistente de obras e têm altas chances de sair do curso empregado. O estudante sabe que quanto maior a qualificação, melhores as condições de emprego e renda. O mesmo vale para estados e municípios, que têm na Educação uma ponte para o desenvolvimento. “Uma mão de obra qualificada ajuda a aumentar a produtividade das empresas já instaladas e a atrair novas empresas, que pagam mais impostos, e ajudam a desenvolver a região”, explica James Wright, professor doutor da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (USP) e coordenador do Programa de Estudos do Futuro da Fundação do Instituto de Administração da USP. Para Marcelo Queiroz, empresário e presidente do Sistema Fecomercio, trata-se de um círculo virtuoso: “o crescimento econômico está estreitamente vinculado à oferta e a demanda de capital humano qualificado, que, sendo abundante, propicia uma maior

J

produtividade às empresas e, consequentemente, resultados financeiros positivos. Isso produz receita para o estado, conserva os índices de geração de emprego e renda, mantendo a economia aquecida”, afirma. A explicação mostra que ninguém cresce sem investir em qualificação, como afirma Guilherme Mercês, gerente de Estudos Econômicos do Sistema da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan). Basta observar os números. O Brasil vem perdendo a corrida da competitividade nos últimos dez anos para países como China, Índia e Coreia, que tem encarado a Educação como prioridade, alerta Wright. Uma pesquisa da PricewaterhouseCoopers mostrou que há dez anos a produtividade no Brasil cresce a uma média de 1,5% ao ano, enquanto a da China cresce a 9% ao ano, a da Índia, a 6%, e a da Coreia, a 3%. O Rio Grande do Norte não foge à regra. Embora tenha avançado duas posições em estudo realizado pelo grupo inglês Economist Intelligence Unit e patrocinado pelo Centro de Liderança Pública (CLP), o RN ainda é considerado um dos estados menos

competitivos do país. O estudo mostra, entre outras coisas, que o principal gargalo do RN é a inovação, ligada diretamente a área da Educação. Das oito categorias avaliadas, foi nesta em que foi registrado o menor índice: 15,0 - segundo resultado mais baixo do Nordeste. Uma série de indicadores divulgados nas últimas semanas têm mostrado que o RN está crescendo menos do que os outros estados. Uma das razões para o desempenho abaixo do esperado na área de emprego e renda, segundo Guilherme Mercês, gerente de Estudos Econômicos do Sistema Firjan e coordenador da pesquisa, é justamente a falta de investimento e políticas públicas voltadas para a Educação, que se reflete diretamente no mercado de trabalho. Para Marcelo Cortês Neri, presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), em artigo publicado no Valor Econômico, a educação é a principal rota para se ampliar a produtividade da economia e chegar ao desenvolvimento. “Sem uma força de trabalho escolarizada, restringemse as possibilidades de dinamizar e agregar valor à estrutura produtiva brasileira”.

Setor produtivo faz fila por qualificados 15h30: aula na cozinha-laboratório do Senac Centro. Hora de apresentar e degustar os pratos preparados sob a supervisão da instrutora de gastronomia Elizabeth Assunção. Dois alunos se destacam. Eles explicam como prepararam e as escolhas que fizeram para o prato. Sérgio Henrique Bulhões, 36, é administrador e dono de uma empresa na área de Telecom há seis anos. Ana Carolina Oliveira, 32, estudava Matemática em Brasília até bem pouco tempo. Os dois se matricularam no curso para cozinheiro e se preparam para entrar num dos mercados que mais crescem, dentro do ramo de comércio, serviços e turismo, em Natal. Segundo a instrutora, que se formou em Administração e migrou para a área de Gastronomia, a procura por este tipo de profissional é grande. “Há duas semanas, um hotel pediu para encaminharmos 10 cozinheiros. Encaminhamos apenas cinco. Não tínhamos mais profissionais para encaminhar”, relata ela, que diz

que a situação é recorrente. “A gente não dá conta da demanda”. Marcelo Queiroz, presidente da Federação de Comércio de Bens, Serviços e Turismo do RN (Fecomércio/RN), confirma que a função de cozinheiro é uma das mais procuradas pelos empresários no estado. “De forma geral, as atividades mais demandas estão na área de vendas, atendimento e informática, bem como aquelas relacionadas às atividades turísticas, como cozinheiro, garçom, recepcionista em meios de hospedagem, camareira, vendedores. Com a Copa do Mundo de 2014, haverá um aquecimento natural dos setores de comércio, serviços e turismo, bem como uma grande demanda por profissionais com conhecimentos de outros idiomas”, afirma. Na indústria, também há fila de espera por profissionais qualificados. No Centro de Educação e Tecnologias em Construção Civil “Rosária Carriço”, 12 empresas solicitaram jovens formados pelo Senai. O pedido foi feito há seis me-

ses e sete empresas ainda não foram atendidas. “Os jovens ainda estão sendo formados”, explica Adriana de Castro Martins, supervisora pedagógica da unidade. Joebson Mousinho da Silva Pinheiro, por exemplo, só deve terminar o curso de assistente de obras no ano que vem. Depois de cursar hotelaria no Senac, ele, que sempre gostou de construção civil, decidiu mudar de área. Embora ainda esteja longe de concluir o curso, se mostra entusiasmado com o mercado. “A área está bastante aquecida”. O número de médias e grandes empresas atendidas subiu de 5 para 75 entre 2010 e 2012 (considerando, no último ano as atendidas até setembro). Ainda há muito a ser feito. O Mapa do Trabalho Industrial 2012, elaborado e recém divulgado pelo Senai nacional, revelou que o Brasil terá de formar 7,2 milhões de trabalhadores em nível técnico e em áreas de média qualificação para atuarem em profissões industriais até 2015.

Joebson Mousinho Pinheiro: curso para aproveitar o momento aquecido da construção civil JOÃO MARIA ALVES

Ana Catarina dos Santos: “curso técnico é fundamental, mas quero chegar também à universidade”


economia

Domingo | 09 de dezembro de 2012

Rio Grande do Norte Ocupações com maior demanda na indústria (nível técnico) Coloristas Técnicos de controle de produção Técnicos em eletrônica Técnicos em eletricidade e eletrotécnica Técnicos em construção civil (edificações).

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

Ocupações com maior demanda (cursos profissionalizantes com mais de 200 horas)

Pessoas com 10 anos ou mais ocupadas,por anos de estudo - RN (Em mil pessoas)

Trabalhadores da indústria de alimentos (cozinheiros industriais)

Sem instrução e menos de 1 ano 192 187 1 a 3 anos 211 137 4 a 7 anos

Operadores de máquinas para costura de peças do vestuário Trabalhadores polivalentes das indústrias têxteis Padeiros Confeiteiros e afins

8 a 10 anos

Mecânicos de manutenção de veículos automotores

136 201

***Índice de estudantes que optam exclusivamente pelo ensino técnico Brasil França

6,6%

41%

Coréia do sul Alemanha

41%

52%

Taxa anual de crescimento da população de 10 anos ou mais ocupada,por anos de estudos Brasil 2,08%

Nordeste 1,35%

Rio G.do Norte 1,85%

Sem instrução e menos de 1 ano

-0,21%

-1,75%

-0,26%

1 a 3 anos

-4,66%

-5,40%

-4,23%

4 a 7 anos

-1,69%

-0,76%

-0,03%

8 a 10 anos

2,84%

4,88%

3,98%

11 a 14 anos

6,95%

8,10%

5,92%

15 anos ou mais

7,26%

8,30%

7,34%

Total

321 320

7

11 a 14 anos 233 Japão

55%

***Direcionado às demandas do setor produtivo.

414 15 anos ou mais 64 130 Total - 2001 (1.158)

Total - 2011 (1.391)

O MERCADO DE TRABALHO Salário médio real de admissão - Por grau de instrução (Brasil) (****Janeiro a setembro)

R$ 2.539,81

O CRESCIMENTO PRECISA DE UMA POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E DE UMA SÉRIE DE OUTROS INVESTIMENTOS EM DIVERSAS ÁREAS” WILTON GOMES DA SILVA Do Sine RN

Médio completo

Superior completo

****Dado mais recente divulgado) OBS: O Senai fez uma pesquisa com as 21 ocupações técnicas mais demandadas e a remuneração média inicial dessas áreas está acima de R$ 2 mil,podendo crescer mais de 170% em dez anos.Há formações em alguns estados em que o salário chega a R$ 8 mil. Salário Médio Real de admissão no mercado formal (R$) RANKING NORDESTE

BA

MA

774,61

PE

776,58

(Janeiro a setembro)

790,06

sa mão de obra, que permita que se tenha aumento de produtividade e ganho salarial”, afirma. Segundo ele, para ter qualificação e mercado de trabalho caminhando no mesmo ritmo, é necessária uma política nacional de desenvolvimento que garanta crédito diferenciado nessas regiões, investimentos nas áreas científica e tecnológica, em infraestrutura, além de transferências de renda mais expressivas. Estado e Municípios também precisam fazer a sua parte. “É necessário dotar o estado de infraestrutura e de uma legislação tributária e fiscal mais significativa”, completa. Indicadores divulgados nos últimos anos mostram que o RN também não vai bem nestes quesitos. De acordo com a primeira edição do Ranking de Gestão dos estados brasileiros, elaborado pelo grupo

Fundamental completo

808,41

Para os especialistas, no entanto, investir em Educação não basta para desenvolver um estado. “Não resta duvida que uma mão de obra qualificada seja um diferencial na atração de novos negócios, mas só ela não deve ser a responsável pelo tamanho deste crescimento. O crescimento precisa de uma política de desenvolvimento econômico e de uma série de outros investimentos em diversas áreas como a industria, o turismo e o comércio, atrelado a isso a qualificação constante dessa mão de obra”, diz Wilton Gomes da Silva, do Sine. Aldemir Freire, economista e chefe do IBGE no RN, faz coro e diz que qualificação é importante para o estado não perder competitividade, mas que é preciso ir além. “É preciso ter mão de obra qualificada, mas também um mercado de trabalho que absorva es-

inglês Economist, o Rio Grande do Norte ainda não estava preparado em 2011 para receber o fluxo de investimento estrangeiro previsto para os próximos anos com a estabilidade econômica interna e a proximidade da Copa de 2014 e dos Jogos Olímpicos de 2016. O estado aparecia na pesquisa como um dos piores ambientes de negócios no país, ocupando a 23ª colocação no ranking geral. O RN ficou abaixo da média nacional nas oito categorias avaliadas, incluindo ambientes político e econômico, política para investimentos estrangeiros, infraestrutura, recursos humanos, sustentabilidade, tributos e inovação. Na categoria infraestrutura, obteve média zero, junto a outros nove estados. Além disso, ficou entre os sete piores em incentivos para investimentos e políticas para (atração de) capital estrangeiro. A edição 2012 mostrou que estado avançou algumas posições no último ano, mas continua sendo um dos estados menos competitivos do país.

Analfabeto

816,74

Para analistas,qualificação tem de ser casada com outras ações

R$ 761,66

839,64

ADAPTANDO Em Natal, a Petrobras pediu ue o Senai adaptasse o curso de Suporte e Manutenção de Micro para Suporte e Manutenção da Informação e capacitasse seus ‘jovens aprendizes’ por um ano. Os jovens já foram selecionados e estão na sala de aula. Quando terminarem

R$ 926,73

R$ 885,07

907,04

Wobben, precisam formar profissionais já na linha de produção. A Casa Grande Mineração (CGM), maior empresa de beneficiamento de feldspato no Brasil, com sede no RN, também enfrentou dificuldades para contratar mão de obra especializada. Teve de terceirizar parte dos serviços e trazer profissionais de fora. Com a estratégia, preencheu boa parte do quadro, mas atrasou a operação da fábrica em sete meses. O adiamento, resultado da escassez de mão de obra qualificada no RN, encareceu o projeto em 15%, disse João Leal, diretor da CGM, à época da inauguração.

913,87

A busca por mais competitividade tem gerado uma corrida por qualificação. De olho no crescimento da demanda, instituições que atuam na formação da mão de obra, como o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), estão ampliando a oferta de vagas. Só no Senai RN, o número de vagas ofertadas deverá subir 34,1% no próximo ano e 58,5% em 2014, quando chegará a 65 mil. A expectativa é que 41 mil alunos se formem este ano pelo Senai no estado, diz Afonso Avelino, diretor da instituição. Novos cursos também estão sendo criados conforme a necessidade do mercado. O caso mais clássico são os cursos oferecidos pelo Centro de Tecnologia do Gás e Energias Renováveis (CTGás-ER), na área de Energias Renováveis. A área é nova e por isso muitos ainda estão sendo capacitados. Para viabilizar os projetos, empresas como a

lho, já não atende a demanda atual. Um exemplo disso são os laboratórios de informática. O número de computadores por sala passou de 12 para 20, em dois anos, afirma Welisson Rocha, vice-diretor da unidade. “Já não há mais espaço para novos micros”. Nas universidades a demanda também cresce. A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), que assistiu a expansão do número de vagas com o Reuni - Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais, depois de 2008, passará por um novo processo de expansão. A possibilidade começa a ser discutida e pode atingir cursos como o de Engenharia Civil, que forma 100 profissionais, por ano. Desde 2002, o curso é um dos que mais formam profissionais, no âmbito das engenharias. Alessandro Câmara, arquiteto, mestre e doutor em Desenvolvimento Urbano e chefe do Departamento de Engenharia Civil da UFRN, não sabe informar quando a expansão ocorrerá, mas reconhece que ela é necessária. “Há demanda. A questão é apenas expandir com critério para manter a qualidade”, afirma.

920,90

Vagas em cursos e matrículas avançam nas instituições do RN

o curso, já terão destino certo: a estatal. Ana Catarina dos Santos, 17 anos, é uma das selecionadas. A jovem que concluiu o 3º ano do Ensino Médio, também pretende ingressar no ensino superior. “Considero o ingresso no ensino técnico fundamental”, afirma. O número de matrículas no estado também tem subido. No Centro de Educação e Tecnologias em Construção Civil “Rosária Carriço”, unidade do Senai especializada em Construção Civil, o número de alunos matriculados passou de 1.005 para 2.419 entre 2010 e 2011. O centro, criado em 2001, foi transferido para um prédio maior, em Nova Parnamirim, há um ano. A unidade já negocia a aquisição de um terreno maior para instalar um novo canteiro de obras, onde os alunos exercitam o que aprendem na sala de aula. O atual já não comporta tantas turmas. O Centro de Tecnologias em Informática Aluízio Alves, unidade do Senai que oferece cursos nas áreas de telecomunicações, automação industrial e tecnologia da informação, passa por um processo semelhante. O prédio atual, localizado na avenida Salgado Fi-

SE

CE

PB

*RN

PI

AL

*Rio Grande do Norte,Piauí e Alagoas têm as três piores médias do país. REGIÃO

BRASIL

R$ 868,10

R$ 1.009,48

MAIOR DO PAÍS Rio de janeiro

MENOR DO PAÍS Alagoas

(R$1.154,00)

(R$ 774,61)

OUTROS NÚMEROS

165.612

trabalhadores foram contratados com carteira assinada no RN entre janeiro e outubro.

152.693

foram demitidos no estado.

12.919

foi o saldo de empregados,ou seja,a diferença entre o número de contratados e o de demitidos,no RN.

LEIA MAIS Economista defende a importância de uma política nacional.Página 8 ALDAIR DANTAS

EMPREGO E RENDA Estados que mais avançaram neste índice entre 2000 e 2010

+ 88,09%

Paraná

+ 60,4%

+ 58,26%

+ 55,63%

Santa Catarina

Minas Gerais e Rio Grande do Sul

Rio de Janeiro

Estados que mais avançaram neste índice entre 2000 e 2010

+ 11,2%

+ 14,53%

+ 16,89%

+ 20,22%

- 5,1% Alagoas

Paraíba

Amazonas

OBS: O RN avançou 20,7% no período.

Elizabeth Assunção, instrutora do curso de Gastronomia, do Senac: número de profissionais formados ainda não atende ao mercado

Acre

Distrito Federal

Fontes:Senai / Ipea / MTE-Caged / Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) / IBGE-PNAD / Firjan


economia 8

Natal | Rio Grande do Norte | Domingo | 09 de dezembro de 2012

ENTREVISTA/ALDEMIR FREIRE/ECONOMISTA E CHEFE DO IBGE NO RN

‘Precisamos de uma política nacional’ O

ANA SILVA

número de pessoas com 15 anos ou mais de estudo dobrou no Rio Grande do Norte na última década, crescendo a um ritmo de 7,34% ao ano – o que mais avançou em meio à população com 10 anos ou mais ocupada, de acordo com dados do IBGE. “Você tem exigência maior do mercado, de um lado, e, de outro, uma mão de obra que está se qualificando mais, diz o economista e chefe do IBGE no RN, Aldemir Freire. A qualificação, diz ele, é importante para o crescimento do Estado e do país, mas deve vir acompanhada de outros investimentos e ações. É o que ele explica nesta entrevista.

Do que o Brasil e o Rio Grande do Norte precisam para crescer? Políticas de crédito, de aumento de salário mínimo, de distribuição de renda e combate à pobreza são fundamentais e precisam continuar. É preciso avanço no sentido de aumentar o nível de investimentos públicos e privados, em áreas como infraestrutura, educação, tecnologia e adensamento de cadeias produtivas. É preciso estimular a competitividade externa, evitando que o dólar

volte para o patamar abaixo de R$ 2. Qualificação de mão de obra também é fundamental. Qual é a importância da formação de mão de obra nesse contexto? A oferta de mão de obra qualificada é um aspecto importante para o estado não perder competitividade, mas só isso não é suficiente. Porque não é porque eu tenho mão de obra qualificada que vou ter investimentos. Precisamos ter mão de obra qualificada, mas também um mercado de trabalho que absorva essa mão de obra, que permita que se tenha aumento de produtividade e aumento salarial. Porque aí teria crescimento da qualificação com aumento de renda do trabalhador. E não com concentração de renda. Vemos hoje uma corrida por qualificação,da parte dos trabalhadores.Então deve haver também uma corrida por parte do poder público.É isso? Existe corrida do trabalhador para se qualificar, mas deve existir corrida do Estado para atrair novas empresas que absorvam essa mão de obra que está se aperfeiçoando. A mão de obra está passando por transformações. É mais qualificada do que era há 10 anos e daqui a 10 anos será ainda mais. Precisamos de um mercado de trabalho que acompanhe esse dinamismo. Se não investirmos em segmentos, em empresas que absorvam essa mão de obra, outros estados farão isso e levarão o pessoal que se qualifica aqui. É a questão dos institutos federais e universidades do interior. Angicos, Pau dos Ferros, Caraúbas, por exemplo. Esses mercados locais não vão absorver a mão de obra que estão formando. As instituições de ensino não vão conter a migração desse jovem por si só. Vão talvez retardar um pouco, porque ele fica até o ensino superior, e agora vai migrar qualificado. O jovem está se qualificando para o país. O que fazer para que a formação de mão de obra caminhe no mesmoritmodomercadodetrabalho? É preciso investir em uma política nacional de desenvolvimento que dê conta de crédito diferenciado nessas regiões, de investimentos nas áreas científica e tecnológica, investimentos em infraestrutura e transferências de renda mais expressivas. E precisa que localmente tanto estados quanto municípios também atuem para dotar seus espaços de infraestrutura, para ter legislações tributária, fiscal, mais significativas. É preciso investir em setores que pagam melhor, como a indústria. Porque se os setores de comércio e serviços continuarem como carros-chefe da geração de empregos nossos salários serão sempre menores.


natal

ENSINO SUPERIOR

Reitora da UFRN,Ângela Paiva analisa avaliação positiva do MEC. PÁGINA 7

TEMPO HOJE

TÁBUA DE MARÉS

FEIRAS LIVRES

Nublado com pancadas de chuvas Máx.: 30ºC Mín.: 26ºC

Preamar 00h24-2.0 - 13h00-2.1 Baixa-mar 06h32-0.5 - 19h00-0.5

Cidade da Esperança: hoje 406 bancas/386 feirantes Nova Natal 550 bancas/283 feirantes

BALNEABILIDADE Todos os trechos monitorados estão próprios para banho

FASES DA LUA Minguante: hoje Nova: 15/09 Nascer do sol: 5h17 Pôr do sol: 17h19

Editora: Cledivânia Pereira e-mail: cledivania@tribunadonorte.com.br

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE Domingo • 09 de dezembro de 2012

Hoje, o RN possui 718 leitos de internamentos, quatro vezes menos que o recomendado pela Organização Mundial de Saúde. E os 35 CAPs que funcionam na capital e interior, nem sempre possuem estrutura necessária

[ SAÚDE ]

Falta atendimento psiquiátrico no RN O

Hospital João Machado, referência para o atendimento de doentes mentais, chegou a contar com mais de 300 leitos. Hoje, são 130 vagas (contando com os 35 do pronto-socorro). Em Caicó, o fechamento de leitos psiquiátricos foi mais drástico. Em 2006, o Hospital Milton Marinho, que contava com 150 vagas, fechou as portas após denúncias de maus-tratos aos pacientes. Em contrapartida, as unidades dos Centros de Apoio Psicossocial (CAPs) não conseguem chegar a toda população que precisa e muitos doentes ficam sem atendimento devido à falta do serviço especializado. A portaria, publicada em 23 de dezembro de 2011, instituiu a “Rede de Atenção Psicossocial”, cuja finalidade, de acordo com o texto apresentado, “é a criação, ampliação e articulação de pontos de atenção à saúde para pessoas com sofrimento ou transtorno mental e com necessidades decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas, no âmbito do SUS”. A decisão do MS divide a opinião de psiquiatras. O ponto de discordância é, especialmente, com relação ao fechamento de vagas em hospitais psiquiátricos sem que seja colocado um serviço adequado de suporte aos pacientes e suas famílias. Hoje, o RN possui 718 leitos de internamentos, quatro vezes menos que o recomendado pela Organização Mundial de Saúde. E os 35 CAPs que funcionam na Capital e interior, nem sempre possuem estrutura necessária. [ LEIA MAIS NAS PÁGINAS 2 E 3 ] ALDAIR DANTAS

Hospital João Machado fechou metade das vagas que possuía


2 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

natal

Domingo | 09 de dezembro de 2012

ATENDIMENTO PSIQUIÁTRICO:

LEITOS E ESTRUTURA DE MENOS O Rio Grande do Norte conta hoje com 718 leitos de internamento psiquiátrico, quando o ideal, seguindo a proporção da Organização Mundial de Saúde que é de um leito para cada grupo de mil habitantes, seria pelo menos 3.168 vagas

ROBERTO LUCENA repórter

número de leitos de internação para o tratamento de doentes mentais no Rio Grande do Norte é quase vezes menor do que recomenda a Organização Mundial de Saúde (OMS). O Estado conta hoje com 718 leitos, quando o ideal, seguindo a proporção de um leito para cada grupo de mil habitantes, seria pelo menos 3.168 vagas. A tendência que se apresenta aponta para uma diminuição no número de leitos. Os Centros de Apoio Psicossocial (CAPs) são uma alternativa ao tratamento, no entanto, as 35 unidades potiguares sofrem com a falta de estrutura adequada. Em Natal, aqueles que buscam atendimento psiquiátrico encontram o mesmo caminho: Hospital João Machado. O pronto socorro da unidade médica está sempre lotado. São apenas 35 leitos que não cobrem a demanda oriunda dos vários bairros da cidade, municípios do interior e até mesmo de outros Estados. A situação não é novidade e não é difícil encontrar pacientes nos chamados “leitos-chão”. No entanto, nos últimos anos, o problema, de acordo com a direção do hospital, agravou-se. O motivo é a portaria 3.088/11, do Ministério da Saúde (MS), que orienta para o fechamento de leitos em hospitais psiquiátricos tradicionais. O João Machado chegou a contar com mais de 300 leitos. Hoje, são 130 vagas que estão ocupadas. Em Caicó, o fechamento de leitos psiquiátricos foi mais drástico. Em 2006, o Hospital Milton Marinho, que contava com 150 vagas, fechou as portas após denúncias de mal tratos aos pacientes e a morte de um destes. No local, atualmente, funciona uma unidade dos CAPs. Em Natal, a Clínica Santa Maria teve 100 leitos descredenciados do Sistema Único de Saúde (SUS) também por motivos de denúncias relacionadas ao mal atendimento. A portaria, publicada em 23 de dezembro de 2011, instituiu a “Rede de Atenção Psicossocial”, cuja finalidade, de acordo com o texto apresentado, “é a criação, ampliação e articulação de pontos de atenção à saúde para pessoas com sofrimento ou transtorno mental e com necessidades decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas, no âmbito do SUS”. A decisão do MS divide a opinião de psiquiatras. O ponto de discordância de opiniões é com relação ao fechamento de vagas em hospitais psiquiátricos. Para o psiquiatra e vice-presidente da Associação Norte-Riograndense de Psiquiatria, Edson Gutemberg, é impossível pensar em fechamento completo dos hospitais. “Quando ainda hoje nos referimos a manicômios, que praticamente não existem mais, falamos de hospitais com grandes populações de pacientes internados. Isso precisava de um tratamento diferente, de uma mudança. Agora, não se pode cair no lado oposto dessa realidade: negar a necessidade, hoje, da existência do hospital psiquiátrico”, afirma. Já o psiquiatra e coordenador

O

OS CAPS NÃO CONSEGUEM ATINGIR A POPULAÇÃO NECESSITADA.TENHO NOTÍCIAS DE QUE ALGUNS CAPS FUNCIONAM SEM PSIQUIATRA,O QUE É UMA TEMERIDADE” EDSON GUTEMBERG psiquiatra

No Hospital João Machado são apenas 35 leitos,que não cobrem a demanda oriunda dos vários bairros da cidade e municípios do interior

de Saúde Mental da secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), Adriano Araújo, revela que é a favor da diminuição gradativa do número de leitos. “Precisamos observar isso do ponto de vista histórico. Na década de 70, havia uma indústria chamada de “indústria da loucura” onde tivemos uma abertura de um número exorbitante de hospitais psiquiátricos privados financiados pelo sistema público. Essa lógica da política nacional, atualmente, vem mudando um

quadro que ficou ordenado por muitos anos. Acredito que a política de uma desinstitucionalização, da diminuição gradativa do número de leitos é saudável”, pontua. Segundo Araújo, a alternativa proposta não é para acabar com a internação definitiva. “Não é isso. A portaria diz que a internação é mais adequada em outros espaços que não o hospital psiquiátrico: no CAPS 3, por exemplo, no hospital geral, enfermarias especializadas, onde você possa ter um

tratamento com menos estigma, com menos preconceito”, conta. O RN tem investido timidamente nesse sentido. Seguindo o que define a portaria ministerial, são apenas 56 leitos em todo Estado até o momento. Destes, 30 estão em hospitais e 26 em unidades CAPs 3 ou CAPs AD. Na capital, o modelo que mais se adequa ao apresentado na portaria. No terceiro andar do Hospital Universitário Onofre Lopes (Huol) funciona a enfermaria psiquiátri-

ca. São seis leitos – três masculinos e três femininos – onde o paciente recebe os cuidados necessários para tratamento da doença. A média de período de internação é 18 dias. Segundo a psiquiatra Louisse Seabra, existe a intenção de aumentar o número de vagas. “Estamos estudando a possibilidade. Há a possibilidade, mas é preciso obedecer algumas regras como a de proporção de até 20% de leitos psiquiátricos em hospital geral”, informa.

A ALTERNATIVA PROPOSTA NÃO É PARA ACABAR COM A INTERNAÇÃO. ELA DIZ QUE A INTERNAÇÃO É MAIS ADEQUADA EM OUTROS ESPAÇOS QUE NÃO O HOSPITAL” ADRIANO ARAÚJO coordenador de saúde mental da Sesap


natal

Domingo | 09 de dezembro de 2012

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

3

BATE-PAPO

Hospital João Machado está com problema de superlotação O pronto socorro do hospital público referência no tratamento de doenças mentais no Rio Grande do Norte – João Machado – está superlotado. A falta de vagas não é o único problema no setor. Os usuários reclamam do atendimento e pacientes que deveriam receber assistência em outros serviços, dividem o mesmo espaço com doentes que necessitam de internamento especializado. Quem visita o nosocômio encontra um cenário impactante. Se nos demais hospitais da rede pública, os pacientes sofrem com a

falta de vagas e assistência médica adequada, no pronto socorro do João Machado a situação dos doentes é ainda pior. Vozes, gritos e choros misturam-se ao desespero de familiares que pedem o auxílio de funcionários. A presença da imprensa causa um pequeno tumulto. Cada um tem uma reclamação. Todos querem ser ouvidos. São quase 17h e duas ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu Natal) estão estacionadas na porta do PS. Em uma delas, a dona de casa

Adriana da Costa, 35 anos, venho acompanhando o primo. É a terceira vez, no espaço de um ano, que Adriana precisa acompanhar o parente de 28 anos ao hospital. O rapaz está sem camisa, descalço e sujo. Pés e punhos amarrados à maca do Samu com ataduras. “Se não fosse assim, não conseguiríamos trazer para cá. Ele estava muito agressivo”, conta Maria Cristina, técnica de enfermagem. Adriana é casada e tem um casal de filhos. Mora na Redinha e relata que o primo sempre lhe causou problemas. “Ele sempre é agressivo assim. Quebra tudo dentro de casa quando está em crise”, diz. Por precaução, a filha de Adriana não mora com ela. “Ele [o primo] já tentou abusar da minha

Adriano Araújo »coordenador de saúde

filha. Por causa disso, deixei ela morando na casa da minha mãe”. A maca onde o primo de Adriana estava deitado ocupa espaço no corredor do PS. Os outros pacientes correm pra ver. No meio da confusão, um jovem de 25 anos reclama da falta de atendimento. “Eu estou aqui desde o meio dia e não fui atendido. Já fiquei internado e ele me batem”, diz Jaelison Figueiredo, referindo-se aos seguranças do hospital. O diretor administrativo do João Machado, Eugênio Pacelli, observa a cena e revela que a rotina é essa. “É sempre problemático. São muitos pacientes. Muitos sem familiares. Às vezes surge denúncia de mal tratos, mas tudo é apurado com rigor”, conta.

mental da Sesap Como funciona os CAPs? Os CAPs são municipais. O município que tem interesse de criar um serviço como esse, manda um projeto nos moldes que o Ministério da Saúde (MS) exige, encaminha para o Estado para uma avaliação e nós encaminhamos para o Ministério. Se o projeto for aprovado, o MS manda a verba de implantação do serviço e o Município passa a receber um valor mensal para manter o serviço. MasqualainterferênciadoEstado? Toda gerência e contrapartida é municipal. O papel do Estado é de coordenação da rede, saber onde deve ser implantado o serviço, dividir as regiões, como será o fluxo da rede, encaminhar as urgências e, inclusive, fiscalização. Fazemos visitas periódicas. Vamos à região e observamos se está tudo funcionando adequadamente.

FOTOS:ALDAIR DANTAS

O QUE SÃO OS CAPS? Os CAPS estão organizados nas seguintes modalidades: à CAPS I: atende pessoas com transtornos mentais graves e persistentes e também com necessidades decorrentes do uso de crack,álcool e outras drogas de todas as faixas etárias;indicado para Municípios com população acima de vinte mil habitantes; à CAPS II: atende pessoas com transtornos mentais graves e persistentes,podendo também atender pessoas com necessidades decorrentes do uso de crack,álcool e outras drogas,conforme a organização da rede de saúde local,indicado para Municípios com população acima de setenta mil habitantes;

Eugênio Pacelli, diretor do Hospital Estadual João Machado

à CAPS III:atende pessoas com transtornos mentais graves e persistentes.Proporciona serviços de atenção contínua, com funcionamento vinte e quatro horas, incluindo feriados e finais de semana, ofertando retaguarda clínica e acolhimento noturno a outros serviços de saúde mental,inclusive CAPS Ad,indicado para Municípios ou regiões com população acima de duzentos mil habitantes; à CAPS AD: atende adultos ou crianças e adolescentes,considerando as normativas do Estatuto da Criança e do Adolescente,com necessidades decorrentes do uso de crack,álcool e outras drogas.Serviço de saúde mental aberto e de caráter comunitário,indicado para Municípios ou regiões com população acima de setenta mil habitantes; à CAPS AD III: atende adultos ou crianças e adolescentes,considerando as normativas do Estatuto da Criança e do Adolescente,com necessidades de cuidados clínicos contínuos.Serviço com no máximo doze leitos leitos para observação e monitoramento,de funcionamento 24 horas,incluindo feriados e finais de semana;indicado para Municípios ou regiões com população acima de duzentos mil habitantes.

Psiquiatra Edson Gutemberg analisa estrutura de atendimento

CAPs não receberam estrutura devida no Rio Grande do Norte

ATENDIMENTO PSIQUIÁTRICO O Rio Grande do Norte não tem rede de atendimento estruturada: Leitos psiquiátricos em hospitais gerais e em CAPs no Estado Caicó

- Em todo o país,o número de leitos psiquiátricos somam 3.910 unidades, divididas em 646 hospitais gerais.

8

Natal (Huol)

- O Rio Grande do Sul é o Estado com o maior número de leitos:1.086

6

Parelhas

1

CAPS no RN Caicó Natal

30 Total

Nova Cruz

2

Jucurutu

2

Total

Lagoa Nova

26

5

São Miguel

1.155

1.010

1.742

1.620

1.467

738

605

500

424

1.326

6

Evolução do número de CAPs no Brasil Quantidade

295

10 (CAPs 3) 10 (CAPs 3) 6 (CAPs AD)

2001 2002 2003 2004 2005 2005 2007 2008 2009 2010 2011 Fonte:Ministério da Saúde e Sesap

O psiquiatra Edson Gutemberg faz um alerta: “Os CAPs não conseguem atingir a população necessitada. Tenho notícias de que alguns CAPs funcionam sem psiquiatra, o que é uma temeridade”, revela. Criados na década de 90, os Centros de Apoio Psicossocial só receberam maior investimento do Ministério da Saúde a partir do 2000. De acordo com dados do MS, até ano passado, eram 1.742 unidades espalhadas no país. No RN, são 35 CAPs, número insuficiente para uma demanda crescente diariamente. O psiquiatra conta que a porta de entrada para um primeiro atendimento psiquiátrico deveria ser um ambulatório. “No entanto, infelizmente, esses ambulatórios basicamente não existem. O que nós vemos, atualmente, a porta de entrada é o João Machado. O médico avalia se o paciente precisa ser internado. Se precisar, ele interna no serviço público. Se não houver vaga, o que é comum, encaminha para os hospitais conveniados”, explica. Os CAPs, segundo o médico, pode ajudar na medida que o paciente já tem o diagnóstico consolidado, “mas o que observamos é que eles são insuficientes e a questão de não ter psiquiatra é complicada”, informa. Porém, de acordo com Márcia Biegas, coordenadora de Saúde Mental do Município, a denúncia do médico não

se confirma no caso da capital. “Os CAPs de Natal não têm falta de psiquiatra. Todos têm médico psiquiatra. O único que não funciona adequadamente, por questão estruturais, é o CAPs AD Norte. Não tem grupos e oficinas por causa da estrutura da casa e não será resolvido esse ano”, pondera. O CAPs de referência no município, é o CAPs 3 Leste. Localizado em rua tranquila de Petrópolis, o local tem 20 leitos divididos em duas alas: masculino e feminino. Assim como o número de leitos, o atendimento também é limitado. Apenas pacientes das zonas Leste e Sul de Natal são acolhidos em casos de urgência e emergência. “Esse CAPs é referência de urgência e emergência. O Samu, quando recebe uma ligação dessas duas regiões, e referese a paciente psiquiátrico, não leva mais para o João Machado, traz para cá”, explica Márcia. A coordenadora reconhece que a zona Norte é a área mais desassistida da capital. “Não existe nenhum serviço substitutivo. Eles têm que procurar o João Machado mesmo”. Para suprir a necessidade, há um projeto de construção do CAPs AD Zona Norte, que será no anexo da Policlínica da região. “Foi aberto licitação para construção no segundo semestre, mas foi dada como deserta. Estamos esperando que seja reaberta próximo ano”, diz.

Fonte:Ministério da Saúde

QualsuaopiniãocomrelaçãoàPortaria do MS que fala sobre o fechamento de leitos psiquiátricos? Sou a favor da diminuição gradativa do número de leitos nos hospitais psiquiátricos. Precisamos observar isso do ponto de vista histórico. No Brasil, antes da década de 90, a lógica do tratamento psiquiátrico era de internações longas e financiamento pesado da internação. Inclusive, na década de 70, havia uma indústria chamada de “indústria da loucura” onde tivemos uma abertura de um número exorbitante de hospitais psiquiátricos privados financiados pelo sistema público e que internava as pessoas por um período longo. Foi nessa época que gerou-se uma polêmica inclusive com a questão dos mal tratos nos hospitais. Essa lógica da política nacional, atualmente, vem mudando um quadro que ficou ordenado por muitos anos. Acredito que a política de uma desinstitucionalização, da diminuição gradativa do número de leitos é saudável na medida que você traga alternativas a isso. ApropostadoMSéadeacabarcom os hospitais? A alternativa proposta não é para acabar com a internação. Não é isso. Ela diz que a internação é mais adequada em outros espaços que não o hospital psiquiátrico: no CAPS 3, por exemplo, no hospital geral, enfermarias especializadas, onde você possa ter um tratamento com menos estigma, com menos preconceito, onde o portador de transtorno mental possa circular na sociedade como ele deve circular. E como está o fechamento de leitos no RN? O Hospital João Machado chegou a ter mais de 300 leitos, hoje, são 130. Havia um hospital psiquiátrico em Caicó – o Milton Marinho – com 150 leitos que foi fechado em 2006 e hoje funciona o CAPS 3 no lugar. Esse hospital foi fechado por causa de denúncias de mal tratos e por causa da morte trágica de um usuário, inclusive. Mais recentemente, a Clínica Santa Maria, aqui em Natal, foi descredenciada do SUS. Eram 100 leitos e foram descredenciados porque tiveram uma avaliação muito baixa na avaliação do SUS e denúncia de mal tratos dos pacientes. Enacontramãodisso,comoestamos com relação à criação de serviços que possam substituir os leitos? Partimos do zero, na década de 80, para 35 serviços implantados no Estado, o que gera cerca de 7.000 atendimentos por mês. Temos 3 residências terapêuticas – 2 em Natal e 1 em Caicó –, que são casas que abrigam pacientes abandonados pela família. O senhor acredita que a superlotaçãonoJoãoMachado,porexemplo, tende a piorar? A superlotação nos prontos socorro dos hospitais psiquiátricos não é fruto apenas da diminuição do número de leitos. Não devemos entender isso apenas por esse prisma. A situação é resultado de um sistema público difícil. Temos deficit de leitos em todos os setores da saúde. Temos que entender isso de uma forma mais ampla.


4 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

natal

Domingo | 09 de dezembro de 2012


Domingo | 09 de dezembro de 2012

natal

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

5


6 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

natal

Domingo | 09 de dezembro de 2012

ARTIGO

Repertórios ingleses (I) MARCELO ALVES DIAS DE SOUZA procurador regional da República

ão faz muito tempo, escrevi aqui sobre “Anatomia de um Crime” (“Anatomy of a Murder”, 1959), filme dirigido por Otto Priminger (1905-1986) e estrelado por James Stewart, Ben Gazzara, Lee Remick, Arthur O’Connell e George C. Scott. Baseado no romance homônimo, de 1952, de Robert Traver (pseudônimo do juiz Jonh D. Voelker, 1903-1991), “Anatomia de um Crime” é, com certeza, um dos melhores filmes de tribunal já realizados. Um dos seus momentos mais marcantes mostra a descoberta, após laboriosa pesquisa, de uma decisão do século XIX, que, para surpresa da acusação, isenta de responsabilidade quem age por “impulso irresistível” e impõe a absolvição do réu da estória. Um tipo de argumentação que tem tudo a ver com os sistemas legais americano e inglês, nos quais os precedentes exercem um papel decisivo no resultado dos casos futuros. No filme, o enorme trabalho tido pelos advogados de defesa, para achar o precedente salvador, até que cai bem. Mas será que hoje, para tanto (e na vida real, frise-se), é necessário se enfurnar em uma “biblioteca de precedentes judiciais”, com aqueles imensos volumes, como em “Anatomia de um Crime”? Certamente, um dos pressupostos para a eficiência de um sistema jurídico baseado em precedentes judiciais, como nos casos da Inglaterra (ou do Reino Unido, de forma mais abrangente) e dos Estados Unidos, é a existência de um método de consulta acessível e seguro aos operadores do Direito. O sistema utilizado na Inglaterra (de onde escrevo e sobre a qual, por isso, falarei primeiramente, prometendo tratar dos EUA em uma próxima oportunidade) é conhecido como “Law Reporting System”, que é composto por várias séries de repertórios das decisões judiciais mais relevantes. Quanto aos precedentes ingleses, é importante previamente registrar que a simples pu-

N

blicação ou registro de um caso pela corte julgadora, fazendo referência aos nomes das partes, seus pedidos e a decisão tomada, não significa que o caso foi “reportado” ou, em outras palavras, que tal publicação/registro é um “law report”. Isso é apenas o que na Inglaterra se chama de “court record”. Na verdade, um “law report” contém a maior parte dos elementos do “court record” e, além disso, o julgamento da corte contendo a argumentação – de onde se destacará a “ratio decidendi” do precedente para fins de aplicação subsequente – sobre a qual a decisão se baseou. É essa argumentação, como parte da fundamentação, que é o elemento importante na decisão para os propósitos da doutrina do precedente. Sob o ponto de vista histórico, a saga dos repertórios de precedentes ingleses pode ser dividida em três períodos distintos. Um primeiro período vai de 1282 a 1573 e é conhecido como o período dos “Anuários” (“Year Books”). Os “Anuários” não são bem repertórios de decisões judiciais, pelo menos no sentido que hoje lhes é dado. Eles trazem mais regras de como proceder em juízo do que decisões judiciais. Segundo Michael Zander (em “The Law-Making Process”, 1999, Butterworths), autor muito badalado por aqui, os “Year Books” foram “escritos originalmente em francês normando e posteriormente em francês legal – mistura de francês normando, inglês e latim. (...). São de interesse principalmente histórico e arqueológico. Os operadores do Direito verdadeiramente nunca têm oportunidade de consultar ou citar os “Years Books”. De minha parte, só vi versões dos tais “Anuários” nas bibliotecas do King’s College London (a Maughan Library, certamente a mais bonita de Londres) e do Insti-

tute of Advanced Legal Studies da Universidade de Londres (provavelmente a de mais rico acervo jurídico por estas bandas). E, mesmo assim, passei longe devido ao cheirinho de mofo. O segundo período, convencionalmente, vai de 1537 a 1863. Quando cessaram os “Anuários”, apareceram repertórios privados, que começaram a trazer os argumentos dos advogados e as decisões dos juízes. Com a citação desses repertórios em juízo cada vez mais frequente, eles foram ganhando paulatinamente em qualidade. E o mesmo Zander explica que “alguns eram excelentes – sendo o melhor, provavelmente, o produzido por Coke, que foi editado entre 1600 e 1658”. Coke, curiosamente, era juiz, a exemplo de outros compiladores como Dyer (“Chief Justice of Common Pleas”) e Saunders (“Chief Justice of the King’s Bench”). Posteriormente compilados numa grande série – chamada de “English Reports” –, esses repertórios privados do “segundo período”, são, segundo ouvi dizer, ocasionalmente citados nos tribunais. Mas isso deve dar um trabalho danado, imagino. Por fim, chega-se ao terceiro e último período, no qual, segundo convencionado, ainda estamos. Começou em 1865 quando o “English Bar” (uma espécie de OAB para os “Barristers”, um dos dois tipos de advogados por aqui, juntamente com os “solicitors”) estabeleceu um comitê que criou o “Incorporated Council of Law Reports for England and Wales”, cujo objetivo era a publicação, a preço módico, das decisões dos tribunais superiores da Inglaterra. O “Incorporated Council”, que tem uma sede em 119 Chancery Lane – Megarry House (bem no miolo da “Legal London”, para quem tiver a curiosidade de conhecer in loco), publica “The Law Reports”, que, embora não oficiais, são os “law reports” de maior prestígio na Inglaterra. Mas, finalmente, após séculos de história, a quantas anda a coisa hoje em dia? Bom, isso é assunto para a segunda parte desta resenha.

autos & motores TODAS AS SEXTAS NA TRIBUNA DO NORTE


natal

Domingo | 09 de dezembro de 2012

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 7

[ EDUCAÇÂO ] Após alterações na composição das notas do Índice Geral de Cursos (IGV) do Ministério da Educação, a UFRN conseguiu superar a UFPE, que detinha a liderança

UFRN conseguiu a melhor avaliação do Norte/Nordeste ALEX COSTA repórter

Ministério da Educação (MEC) alterou a composição das notas para a avaliação da qualidade dos cursos de ensino superior a partir de 2011. De acordo com informações divulgadas pelos Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), as mudanças nos critérios de qualidade do curso reduzem o valor do número de doutores e o peso do desempenho dos alunos. Por sua vez, a estrutura física, o projeto pedagógico e o número de professores mestres e com dedicação integral ganhou mais peso na hora da avaliação. As mudanças beneficiaram a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), que já vinha apresentando um crescimento gradativo no valor do IGC contínuo. “Temos obtido uma evolução contínua em vários dos itens ana-

O

lisados pelo MEC. É de se comemorar e batalhar para melhorar ainda mais a qualidade do nosso ensino face ao ensino nacional”, considerou a reitora da UFRN, Ângela Paiva Cruz. A maior instituição de ensino federal do RN conseguiu, pela primeira vez, se posicionar como a instituição com o melhor resultado do Norte, Nordeste e CentroOeste, esta última região com a exceção da Universidade de Brasília. O título, até 2010, era mantido pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). “Já tínhamos uma trajetória de vários anos em segundo lugar do Norte/Nordeste. Conseguimos esse salto graças ao empenho dos alunos, dos professores, da evolução física da universidade e do trabalho pedagógico disciplinado que a UFRN tem feito em todos os campi”, frisou a reitora. Em níveis nacionais, a UFRN alcançou a marca do 21º lugar. Para a reitora da UFRN, o resul-

tado é uma grande conquista. “Queremos crescer, mas crescer com qualidade. Não é possível melhorar sem investimento e organização estratégica. Isso temos feito”, garantiu. A elevação da qualidade do ensino, melhoria do quadro pedagógico, laboratórios mais equipados, investimento em infraestrutura, e até mesmo a assistência estudantil foram comportamentos citados por Ângela Paiva da atuação da UFRN para melhoria do IGC Nacional PRIVADA A UNI-RN, antiga Faculdade do Rio Grande do Norte (Farn), também atingiu números satisfatórios na avaliação do IGC 2011. A instituição ficou em 4º lugar no RN e é instituição privada mais bem avaliada pelo índice, na faixa 4. A UnP conseguiu um IGC contínuo de 2,1, se enquadrando na faixa de IGC 3. Para o reitor da UNI-RN, Da-

ladier da Cunha Lima, a avaliação é resultado de empenho e dedicação de toda a equipe que “faz a universidade” ao longo dos 13 anos de história. “Estamos entre as 200 melhores universidades do Brasil. É um resultado espantoso e que muito anima a nossa instituição”, colocou o reitor, relembrando a 182ª posição da instituição em nível de Brasil. Dos 140 centros universitários existentes no Brasil (categoria na qual a entidade se insere), a UNI-RN ficou em 13º em todo o país e é a 1º colocada entre os centros das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. “Me sinto realizado. Tudo o que planejamos está sendo realizado. Pensamos em algo a longo prazo e não visamos apenas o lucro. È preciso agir em sinergia, sem ultrapassar as diversas fases”, disse Daladier. Com 5.500 alunos e 13 cursos de graduação, a UNI-RN cresce gradativamente e, segundo o reitor, visa a valorização do ensino e não o lucro.

DESEMPENHO DAS INSTITUIÇÕES NO IGC 2011 Dados são do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep),do Ministério da Educação: Conceito 1

9 instituições – 0,4%

IGC no RN

Conceito2

588 instituições – 26,6%

Conceito 4

Conceito 3

1.081 – 50,6%

Conceito 4

190 – 8,9%

Conceito 5

27 – 1,3%

1º 2º 3º 4º

UFRN Ufersa IFRN UNI-RN

Conceito 3

Sem conceito Total: 2.136

261 – 12,2% 100%

*O MEC considera como insuficiente qualquer conceito que esteja nas faixas 1 e 2.

5º 6º 7º 8º 9º 10º 11º

UniFacex Fanec UERN Facene/RN Estácio FAL UnP Estácio Fatern

Conceito 2

FONTE: MEC

12º 13º 14º 15º 16º 17º 18º 19º

Faculdade Estácio de Natal Faculdade Católica Nossa Senhora das Vitórias Faculdade de Ciências e Tecnologia Mater Faculdade Católica Nossa Senhora das Neves Faculdade União Americana Faculdade do Seridó Faculdade de Ciências Empresariais e Estudos Faculdade Católica Santa Terezinha

MEC mudou composição de notas Até 2010, as notas que demonstravam o desempenho do aluno representavam 60% da avaliação do curso. No modelo atual, o desempenho é de 55%, que é a soma da média da nota do Enade (Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes) feito pelos concluintes do curso ao IDD (Índice de Diferença do

Desempenho). O índice mede, grosso modo, o agregado de conhecimento do aluno. Na maior parte das vezes, a avaliação do Enade não é levada a sério pelos estudantes, visto não ser uma avaliação própria e pelo fato da obrigatoriedade para garantir o diploma. Ao realizarem o exame sem preocupa-

ção, não obtêm boas notas e o resultado reflete diretamente na avaliação da instituição. Outra mudança, é que no cálculo do índice de qualidade do curso, o CPC (Conceito Preliminar do Curso), não entra mais a nota de desempenho dos alunos ingressantes, que deixaram de fazer Enade. JÚNIOR SANTOS

Universidade Federal do Rio Grande do Norte é a 21ª mais bem avaliada do Brasil, segundo MEC

O QUE É O IGC?

O Índice Geral de Cursos (IGC) é uma das medidas usadas pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais) para avaliar as instituições de educação superior, públicas e privadas. O IGC é um indicador expresso em conceitos, com pontuação variável de um a cinco pontos. Uma instituição que obtenha de três a cinco pontos atende de forma satisfatória; abaixo de dois a atuação é insatisfatória. O IGC de uma instituição é resultado da média ponderada do Conceito Preliminar de Curso (CPC), indicador de avaliação de cursos de graduação, e obedece a um ciclo de três anos, em combinação com o resultado do Enade, que mede o desempenho dos estudantes.


natal 8

Natal | Rio Grande do Norte | Domingo | 09 de dezembro de 2012

[ QUALIFICAÇÃO ] Programa, que já é executado

em 90 municípios, inicia nova turma terça-feira

Projovem do RN inicia formação de 2 mil jovens Cerca de 2.000 jovens participam na próxima terça-feira (11), em Natal, da abertura oficial do início letivo do Programa Projovem Trabalhador no Rio Grande do Norte. O programa, voltado para a qualificação de jovens e adultos, já está em execução em 90 municípios potiguares. A cerimônia de lançamento ocorre às 10h, no Centro de Convenções. Evento semelhante será realizado posteriormente para as turmas das regiões Oeste, Seridó e Agreste-Trairi do Estado. O Projovem Trabalhador tem por fi-

nalidade criar oportunidades de trabalho e renda para jovens em situação de vulnerabilidade social, por meio da qualificação profissional. Em todo o Estado, 7000 jovens estão inscritos em um dos 14 cursos oferecidos – serviços administrativos, construção e reparos (em revestimentos), construção e reparos (em instalações), esporte e lazer, joalheria, serviços domicialiares I e II, beleza e estética, telemática, transporte, turismo e hospitalidade, vestuário (moda), agroextrativismo, pesca e piscicultura.

EM NATAL

PSICANÁLISE

ENCONTRO DA ESCOLA SUPERIOR DE GUERRA

CLARA GÓES LANÇA LIVRO

A Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra realizará em Natal seminário sobre política e estratégia com os professores Gustavo Alberto Trompowsky Heck e Adalberto de Souza Filho. O evento ocorrerá entre os dias 10 e 14 de dezembro, no auditório da Procuradoria Geral do Estado (Avenida Afonso Pena, 1155 – Tirol). As palestras ocorrerão sempre entre as 19h e 22h30. As inscrições estão abertas para adesguianos ou interessados no tema. Informações pelos telefones (84) 3222.5258 ou (84) 9902.0711.

Dramaturga, psicanalista e professora da UFRJ, a potiguar Clara de Góes lançará em Natal, dia 13 de dezembro, na Cooperativa Cultural (Centro de Convivência) da UFRN, às 17 horas, o livro “História e Psicanálise – A Construção da Realidade”, publicado pela editora Garamond. Clara fala como a psicanálise e a história lidam com a falha, com resquícios e rastros da morte. A autora diz que ambos trabalham com a memória, com o tempo, com a verdade, mas de maneira quase oposta.


natal

ENTREVISTA

Advogado Alexandre Moraes analisa momento atual da Justiça do Brasil. PÁGINA 11

TEMPO HOJE

TÁBUA DE MARÉS

FEIRAS LIVRES

Nublado com pancadas de chuvas Máx.: 30ºC Mín.: 26ºC

Preamar 00h24-2.0 - 13h00-2.1 Baixa-mar 06h32-0.5 - 19h00-0.5

Cidade da Esperança: hoje 406 bancas/386 feirantes Nova Natal 550 bancas/283 feirantes

BALNEABILIDADE Todos os trechos monitorados estão próprios para banho

FASES DA LUA Minguante: hoje Nova: 13/12 Nascer do sol: 4h59 Pôr do sol: 17h26

Editora: Cledivânia Pereira e-mail: cledivania@tribunadonorte.com.br

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE Domingo • 09 de dezembro de 2012 ALEX RÉGIS

[ TRADIÇÃO ] Comerciantes resistem à falta de clientes e apoio do

poder público e mantêm portas abertas dos mercados de Natal

Sem infraestrutura, mercados públicos afastam clientes SARA VASCONCELOS Repórter

rutas, artesanato, fumo de rolo, lambedor e especiarias, carnes, peças de antiquário e boa conversa. De um tudo se acha nos mercados públicos espalhados pela cidade, exceto boa infraestrutura e intenso fluxo de turistas e consumidores locais. Redutos que - assim como seus comerciantes – resistem ao cotidiano de abandono e subsistência, guardam peculiaridades e tradições, há mais de 40, 50 anos. Ao contrário de outras capitais brasileiras, como Recife (PE), Salvador (BA) ou Porto Alegre (RS), em que conhecer o mercado é parte de um roteiro turístico para conhecer a história do lugar e de seus habitantes, em Natal, os mercados públicos não tem o potencial atrativo. Em geral, servem como local onde a vizinhança recorre para suprir eventuais lacunas nas despensas, durante a semana. O movimento é tão baixo que a partir das 13 horas, a maioria dos vendedores encerra as atividades e poucas lojas e boxes ficam abertos. No bairro das Quintas, na zona Leste da Capital, a estrutura erguida no ano de 1956 e reformada em 2007, abriga um grupo de pouco mais de 20 comerciantes que se desdobram para manter as atividades, nos boxes recobertos por azulejos brancos e gradeados. Comerciante desde a época em que a feira livre funcionava como extensão do mercado, há mais de 20 anos, Francisco Ramos da Silva, 67 anos, tem um ponto no mercado há três. Ele lembra da constante movimentação de carnes, hortifrutis e cereais chegando em caminhões e, com eles, pessoas vinda de todas as regiões da capital – “bem diferente dos dias atuais”. “Antes aqui movimentava a cidade, não tinha esta concorrência com os supermercados e os parcelamentos do cartão de crédito”, afirma. Para em seguida acrescentar, pensativo, “Fomos engolidos pelo esquecimento dos governantes. Hoje só tiramos o que dá para sobreviver”, afirma Francisco Ramos da Silva. A sensação é partilhada pelo vendedor de frutas, José Francisco Cabral, que também trabalhou na feira e mantém a rotina de chegar às 5h e fechar a banca às 17h. “Hoje a gente vem porque precisa do dinheiro, mas é suado”, afirma. A confusão é maior no Mercado da 4, na Avenida Presidente Sarmento, no Alecrim. O espaço que já foi um sítio de descanso de religiosos há muito perdeu os ares de silêncio. Em meio a olhares atravessados e toda sorte de produtos, alguns de procedência duvidosa, frequentadores se avolumam num “vuco-vuco”, entre as dez alas de boxes, de aparência suja e deteriorada. A vendedora Maria Francisca Lima da Silva, 73 anos, há 30 trabalhando no mercado, diz que não pensa em sair do lugar. “Antes eu trabalhava vendendo refeições, depois montei esse bazar de roupas e devo ficar até quan-

F

Antes aqui movimentava a cidade, não tinha esta concorrência com os supermercados” FRANCISCO RAMOS Comerciante mercado das Quintas

Antes eu trabalhava vendendo refeições, depois montei esse bazar de roupas e devo ficar até quando puder” MARIA FRANCISCA LIMA Mercado da Av.4 (Alecrim)

do puder”, afirma a aposentada, que se orgulha de ter criado dois filhos e uma neta com as vendas. A sujeira que se acumula em frente aos quiosques e no sopé dos muros advém sobretudo, da falta de uma administração, segundo ela. “A Semsur não vem aqui”, oberva. O marido dela, Francisco

Raimundo da Silva, 63 anos, trocou o serviço numa borracharia para abrir um box de conserto de eletrodomésticos. “Estou aqui desde 1996, o movimento é constante. Tenho uma clientela cativa”, afirma. Melhor estruturado, com lojas de antiquários, sebos, videos, escolinhas de arte, praça de alimentação e artesanato, o Mercado de Petrópolis, localizado em bairro nobre, também enfrenta dificuldades em atrair frequentadores. A aposta é abertura do mezanino climatizado, um investimento de R$ 147 mil por parte do Banco do Brasil, que ainda espera os últimos retoques da Prefeitura para ser inaugurado. O perfil do bairro, segundo o dono de antiquário Pedro Alcântara, define as atividades. “Há uma oferta menor de frutas, peixes e carnes. É uma mudança natural. Estamos voltado a população da região, de melhor poder aquisitivo”, disse Alcântara. A vendedora de frutas Cristina Silva, há 43 no local, lamenta que a cidade não tenha um mercado modelo. “Já ouvi sobre muitos projetos, todos terminam ficaram só na promessa”, lamenta.

LEIA MAIS Mercado das Rocas não tem data para ter reforma concluída. Página 10.

Mesmo após reforma,o Mercado de Petrópolis não conseguiu atrair público e passa por dificuldades


10

| Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

natal

Domingo | 09 de dezembro de 2012 FOTOS:ALEX RÉGIS

[ TRADIÇÃO ] Em 2008, o Mercado Público foi reformado e, apesar dos

problemas, é um dos que mais recebem turistas em busca de artesanato

‘Mercado da 6’ convive com lixo e insegurança o Alecrim, o Mercado Público Antônio Carneiro, mais conhecido como o Mercado da 6, também convive com a sujeira e o abandono. O lixo acumulado na rua lateral ao Mercado da 6, a Severino Alves Miller, impede o tráfego e impõe a convivência com o mau cheiro e insetos que invadem as mercadorias. A insegurança também faz parte do dia a dia do mercado. A estrutura construída a partir de 1967, foi inaugurada em setembro de 1970. Em 2008, o Mercado Público foi reformado, após um ano interditado devido a um incêndio que fez parte do ainda pouco frequentado, é um dos que mais recebem turistas em busca de artesanato. “Passamos dificuldades nesse período, porque tivemos que parar. Ficou só as tábuas. Ningem vinha aqui”, lembra Antônio Rocha, de 71 anos. Locatário desde 1976 e orgulhoso de ser o primeiro a introduzir pe-

N

ças de artesanato no rol de mercadorias comercializadas, Antônio Rocha, de 71 anos, lamenta que não exista uma administração atuante no local. “Não há uma política de incentivo ao turismo, apesar de termos boas peças de artesanato de todo o Nordeste”, lembra. A perda de espaço, segundo ele, se deve a quantidade de supermercados, shoppings e uma infinidade de comércio a cada esquina. “A bondade é que não pagamos e todos se conhecem, muitos estão aqui desde a inauguração”, disse ele. Com a revitalização, há quatro anos, os comerciantes esperavam a implementação de projetos culturais que aumentassem a circulação de pessoas. “É fraco o movimento aqui. A desorganização é grande. Falta uma administração e fiscalização da Prefeitura, hoje aqui se transformou numa favela”, disse a comerciante Lindalva André dos Santos, de 63 anos.

O diretor do Departamento de Feiras e Mercados Públicos da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur), Alexsandro Rocha, assegura que há administradores da Semsur em cada um dos equipamentos. Entretanto, a fiscalização não ocorre “à contento, devido ao baixo número de técnicos da Secretaria”, alega ele. Somente no Mercado da 4, enfatiza o diretor, não há intervenção da Semsur na administração. “Há grandes dificuldades, precisaríamos fazer um trabalho conjunto com a Polícia no local para regularizar o comércio local”, disse ele. Um esboço de projeto de revitalização está engavetado desde a gestão passada, segundo Alexsandro Rocha. “Precisa de recursos para reconstruir o Mercado da 4”, avalia. O diretor não soube informar o valor dos investimentos feitos ao longo do ano para cada um dos mercados visitados pela reportagem da TN.

O lixo e o abandono é culpa da falta de uma administração. A Semsur não vem aqui” MARIA FRANCISCA LIMA comerciante do “Mercado da 4”, no Alecrim

Estou aqui desde 1996, o movimento é constante. Tenho uma clientela cativa” FRANCISCO RAIMUNDO DA SILVA comerciante “Mercado da 4” no Alecrim

Obra não tem data para ser concluída A obra do Mercado das Rocas, projetado para ser modelo, passou por diversas paralisações e entraves desde que foi iniciada em 2007. A primeira paralisação da obra aconteceu em novembro de 2008. Nesse intervalo, foram muitas as retomadas e anúncios de novos prazos. Contudo, a estrutura permanece abandonada. Tapumes de madeira fecham os buracos onde seriam as janelas e as portas do prédio. Na entrada, um madeirite preso com correntes e cadeados. Pela fresta é possível perceber que o mato toma conta do interior do prédio. Do lado de fora, muito lixo, sujeira por todos os lados, e a placa informando “Reforma e ampliação do Mercado Modelo das Rocas. R$ 1.570.930,00”.

O projeto do Mercado Modelo das Rocas previa a construção de 44 boxes no térreo para comercialização de frutas, verduras e carnes. No primeiro andar, mais 44 boxes para serviços como praça de alimentação, casa lotérica, telefones públicos, salão de beleza, autoatendimento bancário, palcos para eventos culturais, elevador, rampas de acessibilidade e banheiros com fraldários. Ao todo, 79 permissionários que ocupavam o Mercado das Rocas foram alojados na Feira das Rocas e em um galpão na Avenida Duque de Caxias. De acordo com a futura secretária de Planejamento, Virgínia Ferreira, a retomada das obras é prioridade da gestão Carlos Ed-

uardo Alves, que deverá concluir com complemento de recursos próprios. Uma vez que os cerca de R$ 600 mil referentes ao convênio com o Ministério do Turismo para a reforma e ampliação do Mercado das Rocas obra, não são suficientes. Sobre as irregularidades na prestação de contas desta obra, a equipe de transição e o Prefeito em exercício, Paulinho Freire, entraram num consenso para a abertura de sindicância para averiguar cada contrato referente ao Mercado das Rocas. “Entendemos que a devolução desse valor ao governo federal, seria uma atestado de concordância com o estado de abandono dos últimos quatro anos. A obra é prioridade”, afirma Ferreira.

Há uma oferta menor de frutas, peixes e carnes. É uma mudança natural. Estamos voltados à população da região, de melhor poder aquisitivo” PEDRO ALCÂNTARA comerciante do Mercado de Petrópolis

Não há uma política de incentivo ao turismo, apesar de termos boas peças de artesanato de todo o Nordeste” ANTÔNIO ROCHA comerciante do “Mercado da 6”, no Alecrim


natal

Domingo | 09 de dezembro de 2012

3porquatro

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |11

POR ANNA RUTH DANTAS

ALEXANDRE MORAES

ELE É CONSIDERADO UM DOS MAIORES CONSTITUCIONALISTAS BRASILEIROS,REFERÊNCIA NAS UNIVERSIDADES DE DIREITO.ALÉM DISSO É UM ESCRITOR QUE JÁ CONTABILIZA MAIS DE 650 MIL LIVROS VENDIDOS,PROFESSOR REFERÊNCIA, ADVOGADO DE RENOME NACIONAL.NESTA ENTREVISTA,FAZ UMA ANÁLISE APURADA DO MOMENTO JURÍDICO DO BRASIL.

“Mensalão: julgamento rompeu modelo” FOTOS:DIVULGAÇÃO

Enquanto a maioria dos estudantes de Direito se definem como concurseiros,almejando um cargo de promotor ou juiz,o senhor deixou a estabilidade do cargo de promotor para ser secretário de Segurança do Estado de SP (ele foi auxiliar do governo Geraldo Alckmin).O que lhe motivou a deixar o MP? Veja, eu tive oportunidade desde cedo de ter contato com o Ministério Público. Eu fui estagiário do Ministério Público, depois prestei concurso com 22 anos ingressei no MP como promotor, tive até a honra de ser o primeiro colocado no concurso. Fiquei mais de dez anos como promotor, somando estágio e promotor foram mais de 13 anos. Até hoje tenho laços muito profundos com o Ministério Público. Eu sou da banca do concurso de ingresso para o Ministério Público. Agora em um determinado momento, por uma coincidência da vida, fui convidado pelo governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, para ser secretário de Justiça. Eu tinha acabado de fazer 33 anos e como a Constituição veda aqueles que entraram depois de 1988 a assumir cargo público, eu fui compelido a sair. Obviamente que se pudesse me afastar e voltar depois eu teria ficado. Mas eu vi naquela oportunidade uma possibilidade de poder fazer mais do que eu vinha fazendo. Era promotor de Justiça da Cidadania, atuava nas questões não só de improbidade administrativa, mas de Direitos Humanos, Direito dos Idosos, dos portadores de deficiência. E como secretário de Justiça eu pude, durante quase quatro anos (tempo que ele passou na pasta) ampliar essa atuação. Então, na verdade, senti uma continuidade do que eu vinha fazendo na ampliação da efetividade dos direitos. Continuo, hoje já há mais de dez anos afastado do Ministério Público formalmente, mas eu continuo diria que duas ou três vezes por semana estou no Ministério Público. Tenho uma relação muito próxima. O senhor foi promotor,foi secretário de Segurança,secretário de Transporte do governo de São Paulo,foi conselheiro do CNJ,advoga e é escritor. Com qual desses papéis o senhor mais se identifica? Cada uma das funções tem uma característica importante. Eu fui quatro anos secretário de Justiça, depois eu saí da secretaria porque fui eleito pela Câmara dos Deputados para formar a primeira composição do Conselho Nacional de Justiça, fiquei dois anos. Depois fui três anos secretário de Transporte e Serviço de São Paulo. Todas as funções têm suas peculiaridades. Mas eu não diria a mais importante, mas um diferencial foi o Conselho Nacional de Justiça porque foi a primeira composição. A população não sabia o que poderia esperar do Conselho Nacional de Justiça e nós tivemos a função não só de formar o conselho, mas acabar com o nepotismo no Judiciário, foi uma resolução nossa da primeira composição. Também foi na primeira composição do CNJ que foi fixado o teto, acabou com os penduricalhos, ganhos extrapolantes. Para mim, que sou um estudioso do Direito Constitucional, nós moldamos a separação de poderes. Conseguimos refazer a estrutura clássica no Conselho Nacional de Justiça.

faculdade de Direito mudou. No meu tempo, aqueles que ingressavam muitos queriam ser deputado, vereador, queriam uma carreira política. Eu faço questão de perguntar logo no primeiro dia de aula, quando estou com os estudantes, quem quer seguir carreira política. Ninguém. Quando pergunto quem quer ser promotor, ou juiz são muitos. Eu não diria que isso é só pela segurança da carreira pública, mas isso também ocorre pelo idealismo. Os estudantes de Direito percebem que, seja promotor ou seja juiz, é possível mudar a vida das pessoas, melhorar a vida das pessoas. Por isso, que vem acompanhado da melhor qualificação.

ocal da entrevista: pátio da Igreja Santa Teresinha, no bairro do Tirol, na capital potiguar. No lado direito, o padre celebra uma missa. No lado esquerdo, o ex-senador João Faustino promovia uma concorrida solenidade para lançar o livro “Eu Perdoo”. E no centro, exatamente no pátio, estava eu com nosso convidado de hoje. Em uma conclusão prévia, o leitor pode pensar que o entrevistado de hoje é um padre ou alguém com relações na Igreja Católica. Na verdade, não! A entrevista ocorreu ao lado da igreja, porque na estreita agenda do convidado, comum aos profissionais reconhecidos nacionalmente e de muitas atribuições, aquele foi o espaço encontrado na agenda para entrevista. Mas, nem por isso, ele se mostrou apressado ou incomodado. Puxou a cadeira e começou nossa conversa. Considerado um dos maiores constitucionalistas brasileiros, referência nas universidades de Direito, escritor que já contabiliza mais de 650 mil livros vendidos, professor referência, advogado de renome nacional. Alexandre de Moraes traz, nessa entrevista, uma análise apurada não apenas do momento jurídico vivido pelo Brasil, com o notório julgamento do Mensalão, mas vai além e apresenta também uma visão de profissional: foi aprovado no concurso para promotor de Justiça aos 22 anos. Carreira almejada por milhares de bacharéis em Direito, trabalho que lhe fascinou, mas não o acomodou. Com o convite para ser secretário de Segurança do Estado de São Paulo, na gestão de Geraldo Alckmim, Moraes saiu do MP e enveredou pelo Executivo. Logo em seguida, aceitaria um grande desafio: integrar a primeira composição do Conselho Nacional de Justiça. E entre tantas atividades já desenvolvidas, Alexandre de Moraes, confessa que foi essa a que mais lhe empolgou, exatamente pela função social-moral que ela exerceu. “A população não sabia o que poderia esperar do Conselho Nacional de Justiça e nós tivemos a função não só de formar o conselho, mas acabar com o nepotismo no Judiciário, foi uma resolução nossa da primeira composição”, ressalta o advogado. Aos estudantes, o professor traz um alerta que soa como conselho: “Aquele que faz o Direito, seja advogado, procurador, promotor, defensor público, juiz, tem uma função social, que é fazer justiça. O que faz direito tem que saber da sua responsabilidade”. O convidado de hoje do 3 por 4 é um mestre em lições, simpático ao espectador, atencioso no falar, de análises apuradas e visão ousada. Com vocês, Alexandre de Moraes:

L

Como um estudioso do Direito Constitucional,o senhor se tornou referência para os estudantes de Direito. Eu fico muito contente em ser uma referência aos estudantes, aos operadores do Direito. Eu lancei meu livro Direito Constitucional, que hoje está na vigésima oitava edição, tive a honra de vender até hoje mais de 650 mil livros. No país como o Brasil um livro técnico chegar a essa venda é algo absurdo. Fico muito feliz com isso e óbvio que isso traz uma responsabilidade muito grande porque sei que as opiniões que emito são levadas em conta. Eu, obviamente, reflito muito, mas continuo com a mesma conduta desde o momento que eu escrevi, tinha 27 anos. Hoje já passaram vários anos, vou completar 44 anos, sempre no sentido de efetivar a Constituição, garantir os direitos fundamentais. O combate a corrupção é muito grande, eu digo que no meu coração ainda bate um promotor de justiça. O combate a corrupção é muito impor-

tante no Brasil. Aos meus alunos eu sempre passo isso: a importância do estudante de Direito não pensar só em uma profissão. Claro que todos devem ganhar seu dinheiro, sustentar sua família. Mas não é só uma profissão. Aquele que faz o Direito, seja advogado, procurador, promotor, defensor público, juiz, tem uma função social, que é fazer justiça. O que faz direito tem que saber da sua responsabilidade. E aquele que ensina, que escreve, tem que saber que essa responsabilidade é redobrada. Sobre o ensino de Direito,preocupa esse grande número de estudantes de Direito que deixam as universidades como “concurseiros”? E já nesse foco,qual sua avaliação sobre o baixo índice de aprovação no exame da Ordem (no Rio Grande do Norte chegou a apenas 16%)? Eu entendo que a universalização do ensino universitário é muito importante. A ampliação do acesso das pessoas ao ensino uni-

versitário foi uma conquista muito importante, mas não podemos perder a qualidade, não pode perder a meritocracia. O que ocorre é que algumas universidades, e a OAB vem combatendo muito isso, elas não preparam os seus estudantes. Acaba sendo um engodo aos estudantes. Eles fazem cinco anos, pagam, depois não passam no exame da OAB e não podem advogar. Isso é preocupante. É importante é que tenha uma fiscalização maior para que os bacharéis em Direito que se formem possam ser bons advogados, bons promotores, bons juízes. Não me preocupa o aumento do número de cursos de Direito. Preocupa que isso não venha acompanhado de uma melhor qualificação, fiscalização. Acho que nós precisamos conseguir o binônimo universalização, mas meritocracia também. A questão de concurseiro como você falou é uma questão muito importante. E eu lhe dou um exemplo, nesses mais de 20 anos que dou aulas, a gente percebe que com o passar do tempo a

Detalhe Quem faz justiça: cada pessoa faz justiça.Cada pessoa que respeita o direito do outro está fazendo justiça.A pessoa que respeita uma fila,que trata bem o idoso faz justiça. O que é mais importante para o estudo do Direito: é querer fazer justiça,temos que ter pensadores de cidadania

Perfil O advogado ALEXANDRE MORAES começou a carreira de promotor de Justiça aos 22 anos.Dez anos depois,deixou o Ministério Público para ser secretário estadual de Segurança de São Paulo.Foi conselheiro na primeira formação do Conselho Nacional de Justiça.Atualmente é professor associado da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo e professor Pleno da Universidade Presbiteriana Mackenzie,além de professor titular da Escola Superior do Ministério Público de São Paulo e da Escola Paulista da Magistratura.

O senhor vem fazendo duras críticasaoexcessodepoderdaUnião em detrimento do Estado. O nosso federalismo é extremamente deturpado. A República brasileira já nasceu com um federalismo centralizado, a União muito forte e os Estados e Municípios muito fracos. A Constituição de 1988 pretendeu tentar equilibrar isso. Mas nós temos 24 anos da Constituição e não houve essa possibilidade. Eu continuo defendendo, isso seria bom para o país, uma descentralização maior. Mais força aos Estados, mais força aos municípios e para União uma função mais regulatória. Uma função, na verdade, de convergir os interesses nacionais, não de controlar os interesses nacionais. É muito diferente você pactuar, transigir, coordenar os interesses de você se impor. Como se daria isso na prática? A primeira alteração seria no artigo 22 da Constituição Federal. Se nós pegarmos as competências privativas da União temos todas as competências importantes. Compete privativamente a União Direito Civil, Processual, Marítimo, Aeronáutico. Sobra muito pouco aos Estados. Hoje as assembleias legislativas ficou extremamente fragilizada entre o Congresso Nacional que tem as grandes competências e as câmaras municipais que legislam sobre o interesse local. As assembléias legislativas ficaram fragilizadas e acaba tornando o Estado um pedinte da União. O que restou do Mensalão para população brasileira? Eu, desde o início, antes de fixar a data do julgamento do Mensalão eu já dizia que tinha absoluta convicção que o STF daria uma lição de moralidade, de combate a corrupção. Nós podemos concordar ou não com uma pena, com a dosimetria, com alguma análise, mas não há dúvida que no todo o STF deu uma lição ao mundo político que a corrupção será combatida de forma mais dura, não adianta a pessoa se esconder atrás de subalternos para praticar corrupção, evasão de divisas. Quem tem domínio do fato será responsablizado. O STF deu lição de que é possível, com a legislação de hoje, combater a corrupção. Espero que isso seja seguido pelas instâncias. O recado dado pelo STF às instâncias foi muito duro, combate a corrupção eleitoral, combate a corrupção política. O julgamento não foi exceção, foi ruptura de modelo. O Poder Judiciário, provocado pelo Ministério Público, deu um recado, a partir de agora as questões serão analisadas mais duramente.


12

| Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

natal

Domingo | 09 de dezembro de 2012


Domingo | 09 de dezembro de 2012

geral

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

13


14

natal

| Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

Domingo | 09 de dezembro de 2012

Eliana Lima elianalima@tribunadonorte.com.br

Somos o Estado (RN) do Brasil com o maior índice de judicialização” Do juiz federal Marco Bruno de Miranda

FOTOS:OCTÁVIO SANTIAGO

No lauto café da manhã, atenções par a filha Laurinha

No papel de motorista do dia, parte de sua gentileza com os palestrantes convidados

No almoço, o mal saboroso que não dispensa: batata frita

Zangão por um dia com o juiz federal Marco Bruno FÉ MAGISTRADA Ele até tentou remarcar a data, mas fomos insistentes. A razão para o pedido do juiz federal Marco Bruno estava atrás dele quando a porta do seu apartamento foi aberta às 7h20: a reforma da sala de estar. Mas, a poeira não atrapalhou o seu dia. Um oratório também dá as boas vindas. A fé foi herdada, mas ganhou corpo na educação religiosa que recebeu no Salesiano de Campinas e do Colégio das Neves. A devoção do magistrado é por Afonso de Ligório. Natural, já que o santo italiano, além de bispo, era jurista.

O

jornalista Octávio Santiago acompanhou um dia do juiz federal Marco Bruno de Miranda, que, aos 35 anos, é titular da 3ª Vara Federal do RN, vice-presidente da Associação dos Juízes Federais (Ajufe) e juiz Auxiliar do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Mas, cancelou a ponte aérea Natal-Brasília diante da família que vai crescer. Fala sobre a polêmica ministra Eliana Calmon; malfeitos políticos, TCE, sua vontade eletiva, diretas já no Judiciário, etc e mais. Mais fotos nesta segunda-feira no blog tribunadonorte.com.br/abelhinha

E POR QUE NÃO? Vaidoso confesso, mas prático, Marco Bruno se engravatou em apenas cinco minutos. Antes da saída, às 8h30, pausa para apresentar a caixa registradora, parte da mobília que o orgulha e o remete à cidade de Taipu, onde está uma de suas raízes. A outra está fincada em Santana do Matos. Último beijo de Laurinha, agora fantasiada de bailarina, e o juiz segue para os compromissos do dia. Pequena pausa só para analisar o arranhado na roda traseira do carro. Marco confessa: “sou distraído”.

Marco acredita que o problema da gestão pública hoje está atrelado à falta de dois emes: modernização e meritocracia. Motivo pelo qual também defende uma revisão na escolha para conselheiros do Tribunal de Contas. “Ninguém nem pensou em nomes da UFRN”, lamenta. Freio nas ingerências. Por falar nelas, o juiz garante que, enquanto membro do Tribunal Regional Eleitoral, “nunca foi procurado com abordagens indevidas”.

ERROS E ACERTOS

O RETORNO Na tapioca simples de Dona Selma, que estrela o café da manhã do juiz, o sinal de que ele está de volta ao lar. O vai e vem entre Natal e Brasília e os afazeres no CNJ ficaram na lembrança e na camisa que, sem querer, usou para nos receber. Também virou passado o flat desajeitado onde se hospedava na capital federal, mas por razões nem tanto saudosistas. Era hora de voltar. “O Judiciário funciona melhor do que as pessoas pensam, mas quando há um problema, é grave, coisa de republiqueta”, comenta o magistrado sobre o que trouxe na mala, entre uma abordagem e outra de Laurinha, a filha de três anos, que foi incisiva em pedir o seu retorno. As gêmeas idênticas Clara e Isabel estão a caminho. Por isso mesmo, Daniele, que é promotora em Pernambuco, já está em casa, cronometrando a chegada das meninas com as adaptações necessárias ao lar.

TRIBUNAL DE CONTAS

No gabinete da FJ, bom entrevistado, boa entrevista de Octávio Santiago UFRN em pauta

Da vaidade, o detalhe que deixa a indumentária impecável

PRAZERES O rádio toca commercial music, apesar de, no volante, ainda está um pouco do menino que cursou parte do primário em Lyon. A França, aliás, foi passado, mas ainda se faz presente. Mesmo tendo sofrido um bocado na “classe de adaptação”, antes de se tornar o melhor da turma, com notas no francês maiores do que as dos próprios nativos. As poesias decoradas para as aulas de madame Duvivier ainda estão frescas na memória. A França está na lua de mel e nas boas lembranças do Mont Saint-Michel, o lugar que mais gostou de visitar, e na preferência por vinhos de Bordeaux.

ODE A BACO O grande apreço pelos bons rótulos do Velho Mundo só encontra dois obstáculos. O primeiro é a ausência de uma adega em casa, problema que a pressão dos amigos deve ajudar a resolver. O outro é o seu prato favorito: batata frita. “Não inventaram nada melhor!”,

justifica. O consumismo, também admitido, não é aparente. A não ser pelo enxoval das gêmeas, que o levou a Miami recentemente. Deslocamento justificado. Nem era preciso. Não houve sacrifício. Viajar está entre os seus grandes prazeres. Vontade de conhecer o Oriente Médio e de tê-lo como próximo destino não falta. Porém, este carimbo no passaporte ainda depende do crivo de Daniele, segundo ele, não muito fã de lugares “pouco cartesianos”.

DIRETAS JÁ! O dia da entrevista foi atípico. Quase todo consumido pelo Fórum de Democratização do Poder Judiciário, no auditório da própria Justiça Federal. A ideia é que os presidentes dos tribunais sejam eleitos pelas categorias e não somente pelos membros das cortes. No caminho, parada para pegar o palestrante do evento, hospedado em Ponta Negra. Os dias cheios têm deixado o campo “atividade física” vazio. É o preço da dedicação ao trabalho. A

academia também ficou para trás, em Brasília. Fato lamentado. Assim como a não habilidade para instrumentos musicais. Piano seria sua opção. Já no Fórum, 9h30, encontro com colegas da magistratura e políticos, que foram prestigiar o evento. Lista de peso: o ministro Garibaldi Filho, o senador José Agripino e os deputados federais Fátima Bezerra e Henrique Eduardo Alves. Hoje, Marco Bruno também representa a Associação dos Juízes Federais, a Ajufe, mais uma de suas muitas atividades.

ELIANA CALMON

HORA DO ALMOÇO

JUDICIALIZAÇÃO DOS DEVERES

De lá, a comitiva segue para o almoço de confraternização no restaurante Tábua de Carne. O relógio marca 13h. O papo no caminho serve para abrir o apetite. Na pauta, as delícias do Manary, as delícias do Dolce Vita. Marco é bom de garfo, apreciador da “haute cuisine”. Melhor de garfo do que de fogão, é verdade. Mas a proposta agora é outra. Comida regional. Claro que, com espaço reservado para a batata frita de que tanto gosta. Dos ingredientes locais, igualmente apreciados, os únicos que dispensa são os frutos do mar. Potiguar? Sim e torcedor do ABC Futebol Clube.

O voo do palestrante está marcado para as 15h20. Parada rápida no aeroporto e um pouco de trânsito até o retorno à Justiça Federal. Momento para relembrar o CNJ. Da ministra do STJ Eliana Calmon, com quem trabalhou na corregedoria do Conselho, ouviu que “o Rio Grande do Norte é tranquilo, apesar dos problemas recentes”. Marco Bruno acredita que “ela cumpriu com um papel importante de chocar” e repete: “quando há um problema, é realmente sério”.

Mudança de tópico. O papo agora é política. Poucas palavras. Vedação constitucional. Porém, a preocupação com a saúde pública no RN pode ser manifestada. “Somos o estado do Brasil com o maior índice de judicialização”, argumenta. A Justiça é sobrecarregada? A resposta é acompanhada das razões: “o acesso é fácil, o sistema regulatório é frágil e o ensino jurídico é construído em cima da litigância”. Sobre a consequência do fato, o juiz conta que “atualmente, só na Justiça Federal tramitam 35 mil processos”.

Já são 15h. De uma sexta-feira, diga-se de passagem. Mesmo assim, os trabalhos na 3ª Vara só estão começando. Apesar disto – e do fato de Marco fazer plantões regulares nos finais de semana –, todos lhe recebem com sorrisos. Para evitar a burocracia, paga o conserto do ar condicionado com recursos próprios. E começam os despachos. Muitos. Tudo testemunhado pelo Santo Afonso de Ligório, em óleo sobre tela na parede. Na sala ao lado, a de audiências, imagens de cidadãos cujos direitos foram assegurados graças ao trabalho do juiz. Ele conhece cada rosto, cada história. “Já errei, mas não tenho problemas em admitir e corrigir”, conta o magistrado, que também é professor universitário. E dos mais rígidos. Mais despachos. A tarde avança.

QUERIA SER PARLAMENTAR Fim do expediente. São 18h20. É hora de dar um tempo no trabalho... O merecido descanso. Pode ser que ele volte amanhã, mesmo sendo sábado. De qualquer forma, o final de semana vai chegar com uma programação que Marco Bruno gosta muito. A noite é de degustação de vinhos no Guinza. Laurinha vai mesmo sem querer. No celular. Os vídeos são muitos. Corujismo. “Se eu pudesse seria candidato a cargo eletivo. Gosto do legislativo”, dispara o juiz antes de dispensar o paletó. O dia foi longo. Relaxar é preciso. Mas nada que um bom tinto não resolva. Um Bordeaux, certamente.


Domingo |

09 de setembro de 2012

natal

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte |

15

George Azevedo georgeazevedo@digizap.com.br

Espelho, espelho meu... ntre as minhas – muitas! – facetas no mundo “fashion”, confesso, me realizar com o trabalho de descobrir e revelar gente bonita pras passarelas, pra vida artística... pra vida! Pelo Tráfego Look, já estamos com 19 anos de luta, e claro, temos muitas histórias pra contar. Aliás, já comecei a pensar – e colocar no papel! – no meu livro com relatos de “Uma vida Glam..”, mas isso só vamos falar nos próximos capítulos, ok! Hoje, nossas atenções estão voltadas para o “glam” que foi a etapa final do Tráfego Look 2012, que aconteceu no último dia 1° de dezembro na Casa Cor. O evento que rolou num belo final de tarde contou com a participação de 14 meninas e 09 meninos selecionados entre mais de 800 inscrições em todo estado. Rodrigo Galvão e Vitória Lins, foram os vencedores e estarão na capa da nossa próxima publicação da revista GLAM. Luana Santos,ficou em 2° lugar e Marcelle Bezerra, em 3°. Os candidatos desfilaram com looks Estrela Viva, Romance Brazil, Boana Jeans e Raphael Steffens, e tiveram beleza assinada por Sinval de Souza, Edimilson Hair Design e Junior Oliveiros. Na passarela, um show com a moda Guilhermina e Estrela Viva.

E

Jocler Turmina, booker da Agência Joy com a palavra!

Jocler Turmina faz pose com Luiza Ribeiro

Aqui, com a queridíssima Érika Nesi para o programa Moda e Atitude

Luana Medeiros e Marcelle Bezerra, new faces do Tráfego Look 2012

Os finalistas do Tráfego Look 2012 com looks da Estrela Viva e Boana Jeans

No pódio. Luana 2° lugar, Rodrigo Galvão e Vitória Lins, os vencedores e Marcelle Bezerra, 3° lugar

Bruno Mooneyhan e o beach wear Romance Brazil

Momento “Glam”com a moda Estrela Viva

Soraya Simonetti e a vencedora do concurso, Vitória Lins

Momento “Glam”com a moda Estrela Viva

NATAL

40º graus oi com um almoço concorrido na Churrascaria Fogo e Chama que o empresário gaúcho Frederico Pletsch lançou a 40 Graus- Feira de Calçados e Acessórios, em Natal. O lançamento aconteceu na última terça-feira,04, e reuniu fashionistas e afins. Frederico anunciou que o seu evento vai acontecer nos dias 04, 05 e 06 de março no Centro de Convenções,em Natal.

F

Blogueiros de verdades. Heitor Gregório e Thaysa Galvão Alexandre Mulatinho e Janaína, sempre queridos

Com Érika Nesi, Luiza Ribeiro e Gladys Vivane

Silvio Torquato, o nome do desenvolvimento econômico do estado e a colunista Hilneth Correia

Frederico e Roberta Pletsch recebendo a Miss Rio Grande do Norte Kelly Fonseca

Tereza Tinôco e Jota Oliveira. Glam e tal!


natal 16

Natal | Rio Grande do Norte | Domingo | 09 de dezembro de 2012

DIVULGAÇÃO

NELSON MATTOS FILHO Velejador-avoante1@gmail.com

uando ainda vivia sob os dogmas urbanos de uma cidade nem tão grande assim, ficava imaginando como seria a vida daqueles que optavam pela vida a bordo de um veleiro, sem um porto definitivo e sem os intermináveis e cansativos compromissos inadiáveis. Passava horas a me imaginar vivendo aquele mundo tão fascinante, mas a lógica dos pensamentos não deixava margem para perceber alguma coisa além dos muros. Sem nenhuma definição clara, vivia aquela velha vida de eterno sonhador. Pensamentos cruzavam como uma flecha minhas ideias sem sentido e todas as noites era um alento deitar a cabeça no travesseiro para poder continuar aquele sonho interminável do barquinho cruzando os mares. Tudo tão diferente daquela vida que haveria de enfrentar no dia seguinte. Hoje olhando para trás vejo que a cidade ainda está lá, prontinha para devorar minhas razões e armada até os dentes para me tirar do sério com suas causas tão desumanas. Logo ela que foi pensada e arquitetada para tornar a vida dos homens mais humana e harmoniosa, sem a selvageria das cavernas e florestas, onde homens e animais eram quase uma só pessoa. Nada tão racional, mas os animais eram mais justos e confiáveis. Será que ainda são? A vida no mar continua me en-

Q

A CIDADE ME CONSOME

cantando e traçando os rumos dos meus pensamentos, mas sinto no ar que mudanças estão por vir. Aquele pragmático romantismo de outrora já se perde em meio a um oceano cada vez mais tumultuado e marcado com a descompostura urbana. A vida no mar me ensinou a observar e a pesar a suas várias formas de apresentação. Para isso aprendi a silenciar e me humilhar diante da força dos elementos da natureza e a reconhecer que não

somos nada além do que realmente somos. Continuo a ser aquele mesmo romântico que um dia flertou com o mar e num lance de ousadia encarou o seu amor. Mas me fecho em copas quando escuto pretensos homens do mar ditando loas saudando a sua própria bravura, sem ao menos piscarem os olhos para não serem traídos pela palavra. Continuo a ser aquele mesmo cruzeirista apaixonado que ao ver um veleirinho se aproximando, já

se prepara para dizer a toda voz um seja bem vindo. Continuo a acreditar e a dar crédito a todos que vêm do mar, por reconhecer a bravura dos que se dispõe a enfrentá-lo. Continuo a ser aquele mesmo iniciante que sem o menor remorso subiu a bordo de um veleiro e se fez ao mar com o coração aberto a aceitar aquela nova forma de vida. Mas tenho observado que os novos homens do mar estão navegando por outras rotas e levando

para o mar um mundo tão modernoso e tão parecido com as grandes cidades. Não sei se é por esse meu jeito de velejador oriundo do calor nordestino, em que a amizade fácil é tão franca e festejada, mas observo que existe um isolamento forçado e uma escapulida estratégica dos abraços. Talvez sejam os noticiários carregados com a barbaridade cruel dos centros urbanos, espalhando a teia dos horrores sobre os mares. Talvez seja apenas a defesa na-

tural dos homens diante da brutalidade descontrolada. Talvez nem seja nada disso, mas apenas o culto a privacidade em um mundo tão sem privacidade. Os novos navegantes preferem mais o contato insosso das redes sociais, em que podem fazer e acontecer por trás das telinhas iluminadas, do que o aperto de mão sincero ou o bate-papo informal num cockpit. Tenho visto, abismado, cruzeiristas jogarem ao mar, tratados e ensinamentos daqueles que um dia traçaram as rotas aos navegantes amadores, para apostarem apenas na lógica e beleza das cartas digitais ou algum eletrônico último tipo. Fazem de suas vidas e embarcações uma grade e eletrizante loteria na grande mesa verde do mar. Desacreditam as previsões, denigrem a imagem dos mestres de outrora e dispensam o aparelhinho do celular ao alcance da mão para o menor sinal de perigo. O problema é quando o sinal falha! Nos palhoções da vida observo em silêncio os humores exaltados daqueles que nada têm a ver com o mar, a não ser uma saliente ponta de inveja que os fazem corar a face. Nas palavras entrecortadas soltas ao vento escuto o tilintar dos grilhões sendo lustrados para inibir e de relance sinto os olhares torturantes dos inquisidores prontos a cravarem suas garras em quem se meter à besta. Acho que mais uma vez estou precisando do mar, pois a cidade me consome!


esportes

HOJE NA TV

09h30 - Esporte Espetacular Intertv Cabugi 10h30 - Manchester City x Manchester United - ESPN

RÁDIO GLOBO NATAL

7h - Esportes em Debate Especial 18 h - Balanço Final

ELEIÇÕES

Leonardo Arruda e Ívis Bezerra disputam o Conselho Alvinegro. PÁGINA 2

CURIOSIDADES

DICAS

NÚMEROS

Zico deixou os campos e virou técnico.Agora,decepcionado, o“Galinho”fala em abandonar o futebol como um todo.

No próximo dia 16 será inaugurado o Novo Castelão, na cidade de Fortaleza.Estádio da Copa de 2014.

2 milhões de reais ganhava,por mês,o argentino Conca, jogando na China.

Editor: Itamar Ciríaco e-mail: esporte@tribunadonorte.com.br

NATAL • RIO GRANDE DO NORTE Domingo • 09 de dezembro de 2012

Durante os quase 100 anos de história do clube, apenas uma vez o alvinegro ficou sem presidente e foi comandado por uma Junta Governativa, sob a responsabilidade de Bira Rocha, Agnelo Alves, Ernani Silveira, Aluízio Bezerra e outros [ ELEIÇÕES ]

ABC viveu um período de exceção MARCELO BARROSO

EMANUEL AMARAL

O empresário Bira Rocha fez parte da junta que comandou o clube

Ernani da Silveira comandou o ABC e também o Conselho Deliberativo

julho. O nome ABC surgiu de uma votação, aproveitando a pacificação de três países da América do Sul: Argentina, Brasil e Chile, em 1915. A primeira diretoria do Alvinegro foi formada por Emílio Freire, vice José Potiguar Pinheiro, secretário Manoel Dantas, 2º secretário Solon Aranha, tesoureiro Avelino Freire Filho, diretor de Esportes José dos Santos. A partir daí, foi uma sucessão natural de presidentes, necessariamente sem a obrigação estatutária de

este sim, retornando à presidência após um curto período de Cícero Aranha, até Enéas Reis retornar ao mais alto cargo na diretoria. O campeoníssimo na presidência do ABC foi mesmo o médico José Tavares, chegando a somar dez anos na direção do clube, incluindo os vários mandatos. A família Reis teve outros dirigentes no ABC, um deles – Etiene, na diretoria social do clube, ao lado do colunista da TRIBUNA, professor Woden Madruga. Seguiram-se na

EVERALDO LOPES repórter e pesquisador

udo começou na data da fundação, quando o ABC FC surgiu da reunião de um grupo de jovens rapazes e, no mesmo dia, eleito por aclamação João Emílio Freire como primeiro presidente do clube. O local, está lá ainda na lembrança dos velhos abecedistas, apenas lamentando que o clube não tenha feito maiores esforços para preservar o velho casarão onde morava a família de João Emilio e era uma espécie de sede provisória do clube. Quem quiser conferir, basta fixarse nos fundos do teatro Alberto Maranhão, o local hoje é ocupado por uma oficina e lavadora de automóveis. Era um casarão com linhas clássicas, à noite os fundadores reuniam-se até altas horas, e depois todos se dirigiam para suas casas. Claro, sem os sustos e os riscos dos dias de hoje. No mesmo casarão, João Emílio residiu durante muitos anos, e também lá aconteceram reuniões ruidosas, até porque já existia a rivalidade ABC x América com a bola rolando. O rival rubro já havia sido também fundado, poucos dias depois, precisamente 14 de

T

cumprir mandatos rigorosamente iguais. A prova é que a segunda diretoria foi eleita já no ano seguinte, tendo sido aclamado Cícero Aranha, e Júlio Meira e Sá como seu vice. Comprovando que os mandatos não eram cumpridos com rigor estatutário, o terceiro presidente continuou sendo Cícero Aranha, antes mesmo de completar o ciclo dos 365 dias. A sucessão prosseguiu com a eleição de Luiz Potiguar, em 1918, reeleito por mais um mandato, sendo substituído por Enéas Reis,

presidência, José Aurino Rocha, Álvaro Borges, Gentil Ferreira de Souza, João Ferreira de Souza, João Galvão de Medeiros, Edilson Fonseca, Ernani Alves da Silveira, Firmino Moura, Tupan Ferreira de Souza, José Santos, Amaro Marinho, Aluízio Bezerra, José Nilson de Sá, Severo Câmara, Edson Teixeira, Ruy Barbosa, José Paiva Torres, Eudo Laranjeiras, José Wilson G. Melo, Leonardo Arruda, Judas Tadeu Gurgel e o atual presidente Rubens Guilherme.

Nesses quase 100 anos de atividade, o ABC só teve um período de exceção, quando uma crise financeira grave forçou a criação de uma Junta Governativa com plenos poderes, sendo integrada por figuras respeitáveis dentro do clube, como Bira Rocha, Agnelo Alves, Ernani Silveira, Aluízio Bezerra, entre outros. O ABC voltaria à normalidade democrática logo depois, entrando novamento no ciclo de eleição a cada dois anos. Atualmente, o mandato é de três anos. Dos 30 presidentes que o ABC FC teve, alguns não proporcionaram à torcida a alegria de ver o clube campeão, motivos os mais diversos, inclusive financeiro. Foram eles Luiz Potiguar, Emílio Freire, Álvaro Borges, Roberto Varela, Tupan Ferreira, Severo Câmara, Edson Teixeira e Eudo Laranjeiras. O atual presidente – Rubens Guilherme deixou também sua marca de presidente campeão, mas alternando seu mandato de três anos. Seu antecessor – Judas Tadeu, deixou vários títulos para a história do clube.

LEIA MAIS Entenda as eleições no ABC. Página 2


2

| Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

esportes

Domingo | 09 de dezembro de 2012

[ ELEIÇÕES NO ABC ] Dois grupos, ABC Centenário e ABC Grandes, disputam as cadeiras para o Conselho Deliberativo do clube.

Ambos têm como candidato único o atual presidente Rubens Guilherme, que vem condicionando sua reeleição a de Ívis Bezerra

Duas chapas e um presidente RODRIGO SENA

clima eleitoral esquentou o final de ano no ABC. O clube elegerá amanhã o seu novo Conselho Deliberativo, que depois de empossado irá indicar o nome do presidente alvinegro para o próximo triênio. Apesar de existirem duas chapas disputando a eleição para o conselho, o nome de Rubens Guilherme aparece como candidato único tanto na chapa ABC Centenário, quanto na ABC Grande. A questão é que o clima político no clube entrou em processo de ebulição com a oposição realizada ao atual presidente do Conselho Deliberativo, Ivis Bezerra, assim Rubens Guilherme passou a encarar a chapa encabeçada por Leonardo Arruda Câmara como de oposição a atual administração atual. “Eu sou candidato a presidente do ABC pela chapa ABC Centenário e só aceito continuar a minha administração se for com Ivis Bezerra como presidente do Conselho Deliberativo do nosso clube”, afirmou. Idealizador da chapa ABC Grande, o conselheiro Glaucio Uchôa não entende os motivos alegados pelo atual presidente, ao se esquivar do apoio da chapa concorrente. “O presidente do ABC precisa esclarecer por que não quer o apoio da nossa chapa. Nós não somos um grupo de oposição, como ele está encarando, estamos propondo apenas uma renovação no Conselho Deliberativo do clube. Queremos um grupo mais participativo”, destaca Uchôa. Glaucio Uchôa ressaltou que o presidente ainda não apresentou uma justificativa para posição e precisa esclarecer o problema que está ocorrendo. “Ele tem algo contra Leonardo Arruda? Se tem, Rubens precisa vir a público e esclarecer isso”, destaca. Indagado se poderia lançar candidatura à presidência, caso não haja uma reformulação na declaração do mandatário abecedista, Uchôa descartou a possibilidade de se lançar candidato ao cargo “vago”, formando definitivamente uma chapa de oposição. “Só seria candidato de oposição, caso Paiva Torres estivesse concorrendo à presidência pelo outro lado. Participei do início da atual administração e não gostei, nem apro-

ENTENDA A ELEIÇÃO

O

O que diz o Estatuto do ABC sobre a eleição à O presidente é eleito a cada três anos; à Duas chapas se registraram para disputar a eleição; à ABC Centenário - Encabeçada por Rubens Guilherme,para presidência do clube,e Ívis Bezerra para presidir o Conselho Deliberativo; à ABC Grande – Essa chapa traz apenas candidato à presidência do Conselho Deliberativo que é Leonardo Arruda e também apoia a reeleição de Rubens Guilherme; à O colégio eleitoral é composto por 3.313 sócios que votam direto nas chapas para o Conselho Deliberativo;

Os 3.313 sócios do clube vão escolher hoje os novos conselheiros do alvinegro. A chapa vencedora depois irá eleger o presidente

vei a conduta dele na diretoria. Contra Rubens não faço oposição, ele contará com meu voto para permancer presidente”, afirmou. O Conselho Deliberativo para a próxima legislatura terá 213 membros. As cadeiras serão compostas levando em consideração o percentual de votos dado a cada chapa. “A modificação do estatuto garantiu uma espécie de coeficiente eleitoral para que a chapa opositora possa assegurar assentos no conselho. Por exemplo, se a chapa um obtiver 60% dos votos, ela terá direito a ocupar 128 cadeiras das 213. Neste caso a chapa dois ficaria com as 85 restantes, correspondentes aos 40% restantes”, explicou Augusto Azevedo, que participou do grupo de estudos para renovação da Estatuto do ABC, há três anos. Augusto não esconde a polarização da campanha, procurando deixar claro em suas palavras que hoje realmente há dois grupos disputando à presidência no alvinegro. “Rubens Guilherme não é gago e foi em claro em todas as entrevistas que concedeu. Ele é candidato a presidente da chapa ABC Centenário e o outro grupo terá de apresentar uma opção para presidente administrativo e até agora não o fez”, reforçou Azevedo.

Minha intenção é entregar o ABC saneado, sem dívidas. Iniciei minha administração com esse pensamento” RUBENS GUILHERME presidente do ABC

Nossa chapa não é contra ninguém, é a favor do ABC FC. Defende um ABC Grande, vencedor e sem abrir mão da preservação do seu patrimônio” LEONARDO ARRUDA candidato da chapa ABC Grande

Rubens Guilherme mantém posição com Ívis Bezerra Firme na posição de só dar continuidade a sua administração, com a companhia de Ivis Bezerra na presidência do Conselho Deliberativo do ABC, o atual mandatário do clube tem como meta principal continuar a busca para sanear as finanças alvinegras e preparar um bom lastro para que seu futuro sucessor tenha a oportunidade de realizar um trabalho bem mais tranquilo, sem o peso das dívidas que costumam atormentar as finanças na “casa”. Por sinal essa era a meta de Rubens para este primeiro mandato, mas um descontrole nas finanças do futebol, principalmente na atual temporada e a consequente perda de receitas, não permitiram que o trabalho fosse realizado. “Minha intenção é entregar o ABC saneado, sem dívidas. Iniciei minha administração com esse pensamento e cheguei ao final tendo que administrar uma certa dívida. Conseguimos pagar boa parte da dívida que o clube tinha anteriormente, mas por não ter conquistado o objetivo é que voltei a ser candidato”, afirmou Ru-

bens Guilherme. O dirigente disse que no período de três anos que está a frente do alvinegro, conseguiu realizar três grandes sonhos seus e, acredita, que da torcida também. “Nesse período conseguimos adquirir um ônibus próprio para o clube, montamos uma moderna academia no centro de treinamento e agora vamos dotar o estádio Frasqueirão com um placar eletrônico, que já está comprado e até o final de março deverá estar funcionando. Esses são três sonhos que vejo virar realidade em nosso clube”, ressalta. Como manteve posição e condicionou ficar no clube apenas com a vitória da chapa ABC Centenário, o dirigente paralisou as negociações para renovação contratual dos atletas que interessam ao treinador Givanildo Oliveira, bem como deixou para tratar das contratações de reforços após o pleito eleitoral. A justificativa é que se a chapa de oposição vencer, o novo presidente terá margem de manobra para mexer no elenco da forma que desejar.

Leonardo Arruda nega ser oposição e prega união Envolto numa situação jamais vista dentro do ABC, Leonardo Arruda, que é conselheiro nato do clube é o único postulante a um cargo diretivo na chapa ABC Grande, clama por união. O candidato à presidência ao Conselho Deliberativo diz não entender a negativa de Rubens Guilherme em aceitar a apoio da chapa alternativa, mas desconfia que a decisão tenha sido tomada baseada em algumas posições contrárias de membros da ABC Grande em relação a votação para depreciação do patrimônio alvinegro. “Ninguém da nossa chapa nunca se declarou como um grupo de oposição a administração de Rubens Guilherme e realmente fica difícil entender o posicionamento dele neste caso. Talvez ele não tenha gostado de minha posição crítica em relação a venda de patrimônio, pode até ser uma espécie de retaliação, imagino”, destacou. Ressaltando que não esperava nunca o clima eleitoral chegar a essa situação de “guerra nas urnas”, Leonardo também fez questão de lembrar que por mais embaraçosa que a situação possa parecer, haverá sempre uma alternativa. “O ABC é um clube centenário, maior que eu e todos os conselheiros juntos. Ele nun-

ca ficou sem a figura representativa de seu presidente e não será dessa vez que vai ficar”, argumentou, fazendo questão de ressaltar que não tem planos de voltar a administrar o clube, pois concorre apenas à presidente do Conselho Deliberativo. “Estão ocorrendo algumas distorções em relação a esse assunto e por isso o clima deve ter esquentado e passado dos limites”, disse. Leonardo reforçou que a discordância da sua chapa se dá apenas dentro do conselho do clube. “O cargo de conselheiro não é nenhum título honorífico feito para homenagear pessoas da alta sociedade e políticos. Para este tipo de homenagem existem outras formas, nós estamos propondo um conselho mais atuante e representativo. Defendemos a formação de um conselho contendo proprietários de camarote, de cadeiras cativas e de representantes das arquibancadas”, salienta o candidato. “Me sinto honrado em ter meu nome posto como opção para a Presidência do Conselho Deliberativo do ABC. Nossa chapa não é contra ninguém, é a favor do ABC FC. Defende um ABC Grande, vencedor e sem abrir mão da preservação do seu patrimônio” reforçou Arruda em carta aberta a torcida e aos sócios alvinegros.

à O novo Conselho Deliberativo será composto por 213 cadeiras, sendo que as mesmas serão divididas de acordo com o número de votos de cada chapa; à Eleito,o novo Conselho Deliberativo vai ser empossado imediatamente após a divulgação do resultado da eleição; à Os conselheiros eleitos vão se reunir logo após a posse,para eleger a mesa diretora e logo após iniciar a reunião extraordinária para indicar o nome do novo presidente do ABC; à Para ter direito a registro,a chapa para o Conselho Deliberativo deve apresentar no ato da inscrição pelo menos 20% de postulantes ao cargo de conselheiro,no caso do ABC são 43; à Todo associado em dia com suas obrigações junto ao clube e com direito a voto pode ser candidato à vaga no Conselho Deliberativo, desde que inscrito numa das chapas concorrentes; à Para ter direito a representação no Conselho Deliberativo,a chapa deve contar com no mínimo 10% dos votos na eleição; à A chapa que obtiver 50% mais 1 dos votos será declarada vencedora do pleito e vai ocupar a maioria das cadeiras no Conselho Deliberativo; à A ordem de ocupação das cadeiras no Conselho Deliberativo será decrescente em relação à listagem apresentada no ato do registro das chapas; à O nome de um associado pode aparecer em mais de uma chapa para concorrer ao cargo de conselheiro; à O estatuto do clube não exige que a chapa apresente no dia do registro candidato à presidência do clube; à Os ex-presidentes do ABC não precisam fazer parte de nenhuma chapa para o Conselho Deliberativo, pois pelo estatuto já são declarados como conselheiros natos; à O período de votação será realizado no horário das 12h às 20h.


Domingo | 09 de dezembro de 2012

esportes

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 3

O ala/pivô brasileiro está atravessando seu melhor momento desde que se transferiu para a NBA e vem sendo um dos destaques do Cleveland Cavaliers na atual temporada. Desejo é poder participar do concorrido All-Star Game [ BASQUETE ]

Varejão sonha fazer jogo das estrelas leveland (AE) - Com médias de 15 pontos e 15,4 rebotes por partida, o brasileiro Anderson Varejão vive sua melhor fase na NBA. O momento do ala/pivô é tão bom que ele se tornou o destaque do Cleveland Cavaliers, equipe que sempre defendeu em suas oito temporadas anteriores na principal liga de basquete do mundo, e já vê seu nome sendo cogitado para participar do All-Star Game (Jogo das Estrelas), o que seria um feito inédito para um jogador do Brasil. “Leio e ouço muita gente falando sobre isso. Se acontecer o AllStar Game, será maravilhoso”, disse o jogador de 30 anos, em entrevista exclusiva por e-mail. “É um sonho, sim, todo jogador sonha estar no All-Star Game. Obsessão, não. É uma festa, deve ser incrível participar, mas não pode ser o meu foco, não posso criar expectativas para não haver uma frustração depois. Mas é claro, se eu for, vou me divertir bastante.” Varejão conseguiu “double-double” em 10 jogos seguidos - um recorde na equipe de Cleveland -, todos com pelo menos 15 rebotes. Suas médias de pontos e rebotes, além de assistências (3,2) e roubos (1,6), nesta temporada são as melhores de sua carreira na NBA. Além da possibilidade de participar do All-Star Game, as boas atuações despertaram o interesse de outros times da liga, mas o brasileiro garantiu pensar apenas no Cavaliers.”Não me envolvo

C

com isso. Estou feliz, satisfeito em Cleveland, é a minha segunda casa, tenho uma ótima relação com a torcida, me dão carinho e estou muito bem aqui. Não penso em sair do Cavs, mas isso não é algo que depende só de mim, prefiro me concentrar em treinar e jogar. Essas coisas deixo nas mãos dos meus agentes”, comentou o brasileiro, que passou a ser a principal estrela de uma equipe cheia de novatos. Para a felicidade de Varejão ser completa, sua equipe precisaria viver uma melhor fase. O Cleveland Cavaliers tem a segunda pior campanha da NBA, com apenas quatro vitórias nas 19 primeiras partidas do campeonato, e provavelmente ficará fora dos playoffs novamente nesta temporada. Para piorar, o principal cestinha do time, o jovem armador Kyrie Irving, se contundiu e tem sido desfalque neste começo de campanha. “Se eu disser que não estou satisfeito com o meu rendimento, é mentira. Mas não estou feliz. Mais importante do que os meus números é o time ir bem. Não jogo para mim, jogo para os Cavs e isso é uma fase. Temos uma equipe jovem, que tem feito bons jogos, conseguido manter um padrão, um ritmo de jogo, mas as vitórias ainda não estão vindo como gostaríamos. Temos de trabalhar mais e mais para mudar essa situação. Estamos no caminho certo, daqui a pouco isso muda”, finalizou.

[ AMADOR ] CAMPEONATO DAS ROCAS DIVULGAÇÃO

A Associação Futebol Clube, das Rocas, conquistou o bicampeonato de novos, do torneio disputado no bairro. O time derrotou o ADP, por 1x0, na decisão, com gol do atacante Diego Reizinho, no primeiro tempo.

[ OLIMPÍADAS ESCOLARES ] SEEL não quis

arcar com gastos para remarcar passagens

Falta de dinheiro quase faz RN perder semifinais s Olimpíadas Escolares de 2012 vão ficar marcada como um ano de desacertos na Secretaria Especial de Esporte e Lazer (SEEL), que mandou reduzir 50% da delegação potiguar e agora quis obrigar as equipes de Basquete, do Salesiano, e o handebol, da Escola O Mestre, que chegaram a semifinal em suas respectivas competições, a retornar para Natal sem disputar a vaga na final, uma vez que o retorno da delegação para capital potiguar estava previsto para ontem, mesmo dia dos jogos semifinais. Alegando dificuldades financeiras para arcar com os custos da remarcação das passagens aé-

A

reas, a SEEL mandou que as delegações retornassem, sem disputar os jogos que poderiam levar as equipes a conquistar uma medalha. O problema da equipe do Salesiano foi solucionado pela própria direção do colégio, que se responsabilizou pelos gastos extras e a permanência de sua equipe em Cuiabá/MS. Sem a mesma estrutura financeira, a equipe de handebol da escola O Mestre, só não regressou, por que sensibilizado com a falta de apoio recebido governo potiguar, o governo de Mato Grosso do Sul se responsabilizou para cobrir os gatos da delegação em Cuiabá, até o final da competição.


4 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

esportes

Com a camisa do Gwangju,o jogador potiguar marcou oito gols e ainda deu oito assistências em 2012

Domingo | 09 de dezembro de 2012

Com saudade da mulher,João Paulo teve que casar por procuração,para levar Marleide para a Coreia

Com fome de bola Depois de fazer uma boa temporada, individualmente, João Paulo teve a tristeza de ver seu time ser rebaixado na última rodada do campeonato sul-coreano. Agora, aproveitando as férias em Natal, o ex-jogador do ABC gasta o tempo entre a família e seus negócios na cidade de Touros e também em Extremoz FOTOS:JUNIOR SANTOS

FELIPE GURGEL Repórter

uando deixou o ABC, no início de 2011, o atacante João Paulo foi se aventurar em um time pequeno da Coreia do Sul. A cidade, Gwangju é a sexta maior do país, com uma boa infra-estrutura de transportes, moradia e alimentação. O clube que o jogador potiguar defende, leva o nome da cidade, mas, não é tão grande quanto a metrópole. Pelo contrário. A cada temporada, a equipe entrava em campo brigando para não ser rebaixada. Nas duas últimas temporadas, o objetivo foi alcançado. Mas, esse ano, o castigo veio e o Gwangju não escapou da queda para a segunda divisão sulcoreana, que vai ter que disputar na próxima temporada. Um ano para ser esquecido por João Paulo, já que, por opção do treinador, ele começou a maioria das partidas no banco de reservas e não teve como ajudar mais seu time na luta contra o rebaixamento. “Até hoje não entendo como o técnico me deixava no banco de reservas. Terminei o campeonato com oito gols e oito assistências, um dos melhores da equipe e sempre saindo do banco de reservas. Fiquei chateado com o rebaixamento porque sabia que poderia ajudar mais o time. Tiveram uns três jogos que a nossa equipe tava perdendo e eu entrava e fazia o gol da vitória ou do empate. Mas, ele é o treinador e tenho que respeitar suas decisões”, revela João Paulo. Mas, uma atitude do treina-

Q

Depois de quase 27 horas de viagem, da Coreia do Sul até Natal, o atacante João Paulo foi recebido pelo feijão da sua mãe, Ana Carina

dor quase fez o atacante perder a paciência com o seu superior. O Gwangju estava perdendo um jogo e ele mandou João Paulo entrar na partida. Faltavam 20 minutos para acabar o confronto. Foi quando aconteceu o inesperado, não só pelo atacante, como também por todos que estavam no estádio. “ Não fiquei nem cinco minutos dentro de campo e ele me tirou. Até hoje não sei o motivo para ele ter feito isso. Tive vontade de ir tirar satisfações com ele, mas, contei até 10 e fui para o ves-

tiário, sem reclamar”, relembra. Com o rebaixamento do seu time, João Paulo ainda não sabe seu futuro no futebol asiático. Com a sua boa temporada, mesmo sendo reserva na maioria dos jogos, algumas propostas surgiram, não só das equipes coreanas, como também da China. “Na pré temporada que fizemos na China, fui muito bem. Fiz 18 gols nos amistosos e os times de lá ficaram interessados. Lá é bom porque eles pagam bem. Mais até do que na Coreia. Alguns amigos meus, que estão na China,

me disseram que tem time, que paga até US$ 30 mil por premiação, dependendo da vitória. Isso é um estímulo a mais para o jogador. Mas, meu empresário lá na Coreia está cuidando de tudo e tenho que certeza de que as coisas vão ser resolvidas da melhor maneira possível”, adiantou o atacante. Agora, com as férias, João Paulo pensa apenas em descansar em aproveitar ao lado da família os dias de folga que vai ter, até o início do campeonato coreano, programado para março de 2013.

Depois de casar à distância, jogador vai entrar na igreja Um fato curioso marcou a ida de João Paulo para a Coreia do Sul. Os preceitos religiosos que são seguidos pelo jogador e sua mulher, Marleide de Souza, proibia que eles morassem juntos sem estar casados. Por isso, o casamento aconteceu à distância, com ele na Ásia e futura esposa em Natal. “Aconteceu tudo muito rápido. Fui avisado que tinha que viajar um dia antes da viagem. Só tive tempo de correr na igreja e pedir Marleide em noivado. Aí, fui para Coreia do Sul para passar seis meses, a princípio. Como vi que ia ficar em definitivo, dois meses depois, liguei para ela e disse para marcar a data do casamento. Como eu não podia vir para o Brasil, aconteceu do nosso casamento ser por procuração e no dia, que me representou foi meu empresário, Gilberto de Nadai”, explica João Paulo, para depois brincar com o acontecido. “Meus pais estavam no cartó-

rio e as pessoas estranhavam uma mulher tão nova como minha esposa, ´casando´com um homem bem mais velho que ela. Ficaram tirando brincadeira, mas, deu tudo certo e agora estamos juntos, na Coreia”, afirma. Mas, quem pensa que o casamento, com o noivo presente, foi deixado para trás, se engana. João Paulo e Marleide vão se casar, em definitivo, no próximo dia 29 de dezembro, em Natal, poucos dias antes de voltarem para a Ásia. “Agora vai ter casamento com o noivo presente na cerimônia”, brinca João Paulo. A adaptação na Coreia do Sul não foi fácil para a mulher de João Paulo. O começa da vida em um continente diferente, com hábitos completamente opostos do Brasil, foi a primeira barreira a ser vencida. Hoje, o casal já se acostumou com o modo de vida dos coreanos e até com alguns hábitos alimentares estranhos. “O começo foi

“Vou lá na escolinha Manoel Tatu, que fiz em homenagem ao meu avô, em Boa Cica, para ver como estão as coisas. São mais de 100 garotos que estão tendo a oportunidade que não tive, de treinar. Eles não precisam pagar nada. Além disso, vou inaugurar em Extremoz, um campo de society, na próxima semana. Ainda tem um jogo com meus amigos de infância, aqui mesmo, no campo de Soledade. Estou de férias, mas tenho algumas coisas que preciso fazer, antes de voltar para Coreia”, disse.

Meus pais, minha irmã, minha esposa, meus tios, minha avó, é por eles que enfrento todos os obstáculos JOÃO PAULO Atacante do Gwangju

João Paulo, ao lado da família, aproveitando as férias da Coreia

difícil. Primeiro pelo clima, que estava muito frio. Depois, pela distância da família e também a língua, que é muito difícil de aprender. E também teve a questão da comida. Os pratos lá são muito estranhos. Tinha um que era macarrão, açúcar mascavo, ovo e gelo. Outro, tinha que comer polvo vivo. Nunca tinha visto aquilo. O meu tradutor ainda disse para eu mastigar direito, senão poderia morrer. Desisti de comer na mes-

ma hora”, relembra. Para não passar por aperreios na cozinha, João Paulo e Marleide já aprenderam: quando vão de Natal para a Coreia, levam sempre o “kit sobrevivência”: feijão, cuscuz e farinha. “Sempre que vamos, levamos comida daqui, principalmente feijão. Aí, meu pai sempre vai de seis em seis meses e leva também, para não faltar. Só assim para não passarmos por problemas na comida”, afirma João Paulo.

O tempo passou e quando João recebeu seu primeiro salário como profissional, ele comprou o sofá” ANA CARINA Mãe de João Paulo

Mesmo com a saudade,pais elogiam o filho A felicidade de João Paulo por ter conseguido um bom contrato com o time Gwangju Sangmu Phoenix, está estampada no rosto dos seus pais, João Maria e Ana Carina. Mesmo com a distância do filho, eles relembram as dificuldades do início da carreira e também dos sonhos de João Paulo, quando ainda era criança. “Uma vez, estava passando com ele em frente a uma loja decoração e comentei que tinha vontade de comprar um sofá branco para a nossa casa. Isso, ele tinha sete anos, olhou para mim e disse: ´quando eu me tornar jogador de futebol, vou comprar esse sofá para a senhora´. O tempo passou e quando João recebeu seu primeiro salário como profissional, ele comprou o sofá”, se lembra, emocionada, a mãe do jogador. Seu João Maria, pai de João Paulo, também se lembra das promessas que o filho fez, quando criança e depois, já jogador profissional, conseguiu cumprir. “Me lembro na série B de 1996, um jogo entre ABC e Paysandu, no Machadão. Eu estava com João Paulo, ao lado do ônibus do ABC, vendo os jogadores descerem para a partida. Ele se virou para mim dizendo que um dia ia ser jogador e também passar por aquilo. Não é que o sonho dele se tornou realidade?”, afirmou. Mas, para que tudo isso se tornasse realidade, João Paulo teve que seguir os conselhos da mãe, que só deixou o filho se tornar jogador de futebol depois que concluísse os estudos. Coisa rara no mundo do futebol, onde os jovens abandonam, cada vez mais cedo, as salas de aula, para tentarem a sorte no esporte. “Não teve acordo com o João Paulo não. Ele só foi ser jogador aos 17 anos, depois de terminar o terceiro ano. E foi isso que aconteceu. Por isso que sempre digo que as coisas, para ele, aconteceram muito rápido”, disse Carina. João Paulo não se esquece do que passou antes de se tornar jogador de futebol e agradece aos pais por tudo que fizeram por ele, até o momento. “Tudo que faço, é por eles. A família é minha base. Meus pais, minha irmã, minha esposa, meus tios, minha avó, é por eles que enfrento todos os obstáculos. A graça que Deus me deu, que é jogar futebol, devolvo para minha família de outra maneira. Hoje fico tranquilo, porque posso proporcionar um conforto para todos”, finaliza.


esportes

Domingo | 09 de dezembro de 2012

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte| 5

[ ESPANHA ] Líder do campeonato, com seis pontos a mais que o vice-líder Atlético de Madrid, comandados de Tito Vilanova querem vencer para manter a boa distância dos oponentes

Apito Final

Barcelona enfrenta o Sevilla

EVERALDO LOPES - elopes@tribunadonorte.com.br

L

O

NADA DE COXO (2) Ao contrário do Brasil, cujos investimentos para a Copa 2014 são praticamente todos saídos do cofre da nação, Putin quer abrir mão da metade do investimento global. A Rússia construirá seis grandes estádios para o Mundial de 2018, ao custo unitário de 350 milhões de euros. Os estádios terão capacidade de público de 45 mil assistentes. Vasyukov disse que a Fifa já tomou conhecimento da Lei Geral da Copa e, pelo menos até agora não vetou nada, apesar de faltarem ainda seis anos para a Copa na Rússia, o que ocorre pela primeira vez na história. Os russos não têm nenhum título mundial. A exemplo do Brasil, a Rússia não fará grandes arenas (no máximo 45 mil assistentes).

Castigo

Inaugurações Pelo menos dois estádios reservados para a Copa 2014 já têm a programação de inauguração. No Maracanã, o desejo do governador Sérgio Cabral é uma surpresa. Nada de Vasco x Flamengo ou Fla x Flu. O desejo de Cabral é um combinado carioca enfrentando uma seleção formada por jogadores de Israel e Palestina, até para dar exemplo de pacificação entre dois povos que vivem constantemente às turras. O estádio mineiro terá o clássico Atlético x Cruzeiro, dia 03/02, desejo do governador Antônio Anastasia.

liciais. No mínimo, seriam quatro jogos iniciais com perda de mando de campo. Vamos ver se ABC ou América pega uma “boquinha” dessa punição do STJD. Como o velho estádio palmeirense (o Parque Antárctica) foi demolido.

Você sabia? Pois é, caro leitor, esta é de tirar o chapéu. Como o Palmeiras ainda é assunto diante da sua sofrida segunda queda, se você é palmeirense (mesmo sendo potiguar, paraibano ou baiano) saiba que Palmeiras e Barcelona já se enfrentaram três vezes: em 1949, empate de 2x2 lá mesmo em Barcelona, o segundo jogo foi na arena do Barça – o Camp Nou, vitória palmeirense por 2x0 e, finalmente, em 1974, em Cardif (País de Gales) Palmeiras 2 x 1 Barça disputando o troféu Ramon de Carranza.

Wassil (quase) em Manaus Quem diria, por muito pouco o discreto mas vitorioso treinador Wassil Mendes não deu um salto quilométrico, chegando perto de firmar contrato com o Nacional de Manaus. Nos anos setenta, esse clube teve bons momentos, inclusive participando do grupo de clu-

bes que disputaram o então Campeonato Nacional, em 1972. O Naça jogou em Natal e empatou com o ABC em 3x3, tendo Alberi deixado duas bilocas nas redes do Naça. Nos últimos anos, o Nacional sumiu do noticiário. WM preferiu ficar no Sta. Cruz/RN.

Olho na “C”

Olho (2)

Ao contrário do que sugere a praxe do futebol, o Baraúnas/M está considerando o Estadual em segundo plano, já que o objetivo principal é a série “C”, competição que vem após o Estadual. O elenco já está em Mossoró e também já iniciou a movimentação. As novidades são as presenças do volante Batata e o meia Curuca.

Aperegrinaçãoembuscadomelhor local para os primeiros treinamentos já começou, sendo utilizados os campos do Hotel Thermas, o da Universidade Federal Rural de Mossoró e o Pascoalzão, no município de Felipe Guerra. O Baraúnas continua sofrendo até concluir seu sonhado Centro de Treinamento. É prioridade para o clube.

SE A MODA PEGA... Na recém-concluída série “B”, uma homenagem curiosa: o Avaí prestou homenagem a várias cidades de Santa Catarina, colocando paisagens dessas cidades na camisa do goleiro. ABC ou América (pode ser Alecrim, Baraúnas, qualquer um dos 10 clubes) pode imitar a simpática ideia do Avaí, colocando paisagens de Mossoró, Natal, Goianinha, ASSU, Caicó, Santa Cruz. A sugestão está lançada pela coluna.

Clássico na Inglaterra movimenta continente tradicional clássico da cidade de Manchester, entre Manchester City e Manchester United, é a principal atração da 16ª rodada do Campeonato Inglês, que será disputada neste fim de semana. Além de ser um confronto onde a rivalidade já faz valer o ingresso, o choque vale a liderança da competição, o que promete fazer parar a cidade e todo o país. Atualmente o Manchester United aparece na liderança com 36 pontos, três a mais que o City, seu perseguidor mais direto e que luta pelo bicampeonato. “É um jogo de rivalidade e que eu, particularmente, não gosto de perder. Todos queremos estar em campo e conquistar uma vitória. O respeito ao City existe pela qualidade de seu elenco, mas não vamos abrir mão de lutar pela vitória e ampliar essa distância na ponta da tabela de classificação”, disse o atacante Wayne Rooney, esperança de gols do United. Pelo lado do City, o jogo também é tratado como decisivo. “Vamos jogar em casa e precisamos da vitória. O Manchester United não pode abrir mais vantagem do que já tem, pois é um time perigoso e que costuma crescer na hora certa. É preciso ter atenção”, disse Roberto Mancini, técnico do City.

O

ITÁLIA A 16ª rodada do Campeonato Italiano reserva emoções na luta pela ponta da tabela de classificação. A Juventus, que lidera com 35 pontos, tem boas possibilidades de abrir vantagem na liderança. Isso porque, a Velha Senhora visita, hoje, o Palermo e não deverá encontrar maiores dificuldades para ganhar, já que os anfitriões fazem péssima campanha, com apenas 14 pontos e flertando com a zona de rebaixamento. Mas, além de ter grandes chances de ganhar, a Juventus deverá se beneficiar do duelo entre seus dois perseguidores mais diretos. A Internazionale, terceira colocada com 31 pontos, recebe o Napoli, vice-líder com dois pontos a mais, no Estádio Giuseppe Meazza, em Milão. Outro jogo que merece atenção hoje, acontece em Turim, onde o Milan, na sétima posição com 21 pontos, planeja se aproximar da zona de classificação para os próximos torneios europeus. Dessa maneira, precisa superar o Torino.

te domingo feijoada com passeata pelos principais bairros da cidade de Caicó. A Liga tem a primeira mulher como presidente. Tratase de Nerielle Mara.

Me dê motivo Avaí e Atlético Paranaense. Breve, quem sabe, será a vez de América e ABC. Os primeiros passos já estão dados, faltando somente a palavra final da Caixa. E repetir o tradicional apelo do comercial “Vem pra Caixa você também...”

la dor que sentia, pensei que poderia ficar longe dos gramados por muito tempo. Mas eu estou bem. Por sorte, foi só uma pancada”, comentou o argentino. “Não sei sobre o jogo de domingo. Depende da minha evolução”, finalizou. Também hoje, o Atlético de Madrid, contando com o apoio de sua torcida, no Estádio Vicente Calderón, em Madri, vai duelar com o La Coruña e não deverá encontrar maiores dificuldades para superar os visitantes, que não lembram em nada o bom time da década de 90, figurando em penúltimo lugar com 11 pontos.

[ EUROPA ]

PASSEATA Dirigentes e torcedores do Corinthians realizam nes-

Como no grande sucesso do saudoso Tim Maia (Me dê motivo), a dupla ABC e América tem motivos de sobra para acreditar no patrocínio da Caixa. É que a C.E. fechou recente contrato altíssimo com o Corinthians, está renovando com Figueirense,

si não têm motivos para preocupação. Menos de 24 horas depois de sair lesionado do empate por 0 a 0 com o Benfica, o atacante teinou e pode estar à disposição do técnico do Barcelona, Tito Vilanova, para o confronto de hoje, contra o Real Betis. Enquanto a maioria dos atletas treinou no gramado, Messi se limitou a fazer um trabalho regenerativo na academia. O atacante deve ter sua presença no jogo contra o Betis confirmada ou vetada nos vestiários. Depois da lesão, Messi revelou que tinha pensado no pior. “Quando eu estava na maca, pensei no pior. Pe-

viver DE SEGUNDA A SÁBADO NA TRIBUNA DO NORTE

Pedro Neto lopesrn@hotmail.com

ABC Grande x ABC Centenário = ABC forte manhã acontecem as eleições no ABC. Na realidade serão três eleições no mesmo dia. Duas chapas estão na disputa para a presidência do Conselho Deliberativo. Pelo ABC Centenário o candidato é Ives Bezerra que concorre à reeleição. Já pelo ABC Grande Leonardo Arruda é quem quer ser o presidente do Conselho Deliberativo. Nos últimos 15 dias a campanha esquentou, pois alguns dos seguidores das duas chapas aumentaram o tom da disputa. Agora, tanto Leonardo Arruda como Ives Bezerra mantiveram uma postura de muita tranquilidade e sem agressões que o mais importante. Tanto de um lado como do outro, vários alvinegros ilustres buscam o melhor para o clube. Tenho dito nestes últimos dias que a grande preocupação deve ser o pós-eleições, pois o ABC precisa estar ainda mais unido ao término da campanha. O presidente Rubens Guilherme deu várias entrevistas nestes últimos dias e reafirmou inúmeras vezes que só será candidato a reeleição se a chapa vencedora for à de Ives Bezerra. Já a chapa de Leonardo Arruda (ABC Grande) continua acreditando que Rubens Guilherme será candidato à reeleição, independentemente de quem venha a ser o vencedor na disputa pelo CD. Alguns

A

cardeais do ABC ainda tentam um acordo para que não aconteça à disputa, entretanto, cada vez mais essa possibilidade diminui. Isso por conta de alguns que extrapolam nas críticas e nas acusações. Na realidade o que todos querem é o bem do ABC. Todavia, cada uma das chapas ao seu jeito. O ABC dividido corre o risco de ficar pequeno. De entrar por uma estrada que não leve o clube a lugar algum. Tenho dito inúmeras vezes que o ABC é muito maior do que todos os dirigentes, conselheiros, cardeais e torcedores. Todos passam, agora, o ABC fica. Então, que todos possam votar em busca de um único objetivo. O de ver o alvinegro crescer cada vez mais e unido em busca de títulos. A campanha termina amanhã. Já o ABC começa amanhã o ano de 2013. Que todos possam votar com consciência e em favor do melhor para o clube.

Cartão vermelho para o cartão amarelo E a Federação Carioca de Futebol resolveu inovar. A ideia (???) dos homens que fazem o futebol do Rio de Janeiro é que já a partir do Campeonato Estadual de 2013 os jogadores que forem punidos com três cartões amarelos não sejam mais sus-

pensos para atuar na partida seguinte. O clube pelo qual atua o jogador poderá optar entre a suspensão ou o pagamento de uma multa que será estipulada. Sendo assim, para que servirá o cartão amarelo? Sim, porque o cara vai poder bater a

vontade, até porque sabe que não será punido. Aliás, neste caso o cartão amarelo deixará de ser necessário no futebol. No fundo quem agradecerá serão os jogadores que não tem a menor afinidade com a bola. É cada uma...

Presentão

Batendo Cabeça

Os jogadores de ABC e América acabaram recebendo um tremendo presente de final do ano dos auditores do Superior Tribunal de Justiça Desportiva, durante o julgamente da confusão resgistrada no ultimo clássico entreos rivais potiguares. Em pelos menos em dois casos: Bileu (ABC) e Cleber (América), a pena de quatro jogos de suspensão ficou bem aquém da gravidade da agressão. Bileu que deu uma “voadora” atingindo Edson Rocha e Cleber, que acertou Vinícius com uma cabeçada na nuca, na confusão logo após o gol de empate do alvinegro, pegaram a mesma suspensão imposta a Thiago Galhardo. Jogador que no confronto entre o América de Natal e seu homônimo mineiro, agrediu o adversário Rodriguinho com um pequeno chute no tornozelo. A única resposta para tudo isso era que os auditores, assim como os jogadores, estavam mais preocupados com o período de férias e trataram de se esquivar em analisar a súmla da partida a fundo. Outra hipótese é que isso pode ter sido uma espécie de “indulto de Natal”.

A atuação da Secretaria Especial de Esporte e Lazer do RN, no caso da participação da delegação potiguar nas Olimpíadas Escolares 2012, realizada em Cuiabá/MS foi um caos. Depois de frustrar alguns estudantes cortando o número de participantes da nossa delegação pela metade, fazendo com que muitas pais tivessesm de realizar uma “vaquinha” para ver os filhos viajarem, a nova pérola ocorreu na última sexta-feira. A secretaria que havia marcado o regresso da delegação sem levar em conta a possibilidades das equipes potiguares chegarem a fase semifinal, foi supreendida pela equipe debasquete do Salesiano e a de handebol do colégio O Mestre, que entraram na disputa por medalhas. Como o retorno estava marcado para o mesmo dia da semifinal a ordem foi que as equipes do RN abandonassem a competição, uma vez que não existia verba para remarcar as passagens. Isso só não ocorreu por que o governo do MS bancou a estadia d’O Mestre e o Salesiano bancou bancou a estada de sua equipe até o fim dos jogos.

TODOS OS DOMINGOS NA TRIBUNA DO NORTE

brasileiro adora um jargão. Um dos mais antigos é o que diz que quem é coxo parte cedo. Não é bem o caso da notícia de que o presidente da Rússia, Vladimir Putin quer dar início das obras do Mundial de 2018, que será na ex-União Soviética. A complementação da notícia esclarece que o país se prepara para investir quase o dobro do Brasil, agora para 2014. Os números são gigantescos, isto é, US$ 20 bilhões, ou quase duas vezes a estimativa do Brasil, que é de R$ 42 bilhões (de reais, frise-se). Alexander Vasyukov afirmou que o presidente Putin reconhece que a Rússia ficou defasada após o fim da URSS. NR: amigo leitor, depois de ver as maluquices no gramado, você acredita que o camisa nove do SP, Luiz Fabiano, tem juízo perfeito?

dio, costuma crescer muito diante de uma torcida inflamada e que, algumas vezes, chega a ser violenta. Portanto, os visitantes esperam muita pressão. “É natural que tenha pressão neste tipo de jogo, pois o Betis precisa do resultado para defender a sua posição de postulante a uma vaga na Champions League. Precisamos ligar o sinal de alerta e fazer um jogo equilibrado, sem deixar que eles controlem o ritmo e tentem impor uma correria desnecessária para nos confundir”, afirmou o meia Xavi Hernández, um dos destaques do Barça. Os fãs do futebol de Lionel Mes-

tn família

Nada de coxo

Os clubes que vão disputar a série “B” ano que vem, terão algum benefício quando enfrentarem o Palmeiras. É que nos dois últimos jogos do Verdão, houve muita confusão, inclusive a torcida atirando rojões contra um grupo de po-

íder do Campeonato Espanhol com quarenta pontos, seis a mais que o Atlético de Madrid, seu perseguidor mais direto, o Barcelona terá um desafio complicado pela frente neste hoje, quando vai à cidade de Sevilla medir forças com o Betis em confronto válido pela 15ª rodada. O Barça pode ser considerado favorito pela maior qualidade de seu elenco, mais vai duelar contra a sensação da temporada. Atualmente o Betis é o quarto colocado, com 25 pontos, figurando na zona de classificação para a próxima Liga dos Campeões da Europa. Em seu está-


esportes 6 | Natal | Rio Grande do Norte | Domingo | 09 de dezembro de 2012 [ MUNDIAL DE CLUBES ] Sanfrecce e Al Ahly

entram em campo a partir das 7h30 (do RN)

Duelo Japão x Egito para definir rival do Corinthians oyota (Japão) - Gazeta Press - O Corinthians vai conhecer hoje o seu adversário nas semifinais do Mundial de Clubes da Fifa. Ele sairá do duelo entre Sanfrecce Hyundai, do Japão, e Al Ahly, do Egito, que se encontram às 7h30 (do RN), no Estádio Municipal de Toyota, em Toyota, no Japão, pelas quartas de final da competição. O time egípcio, campeão da Liga dos Campeões da África, vai estrear no torneio, enquanto que os japoneses, que estão na disputa por serem os atuais campeões nacionais do país-sede, já entraram em campo na quinta-feira, quando despacharam o Auckland City, da Nova Zelândia, que era o representante da Oceania no torneio. Empolgado pela vitória sobre o Auckland, o técnico do Sanfrecce, Hajime Moriyasu, deixou claro que sua equipe acredita que não há limites no Mundial, porém teme pelo desgaste físico de seus jogadores. - Nós tivemos pouco tempo de preparação para o Mundial porque ele começou logo depois que acabou o Campeonato Japonês, que foi desgastante. Agora, teremos menos tempo ainda entre o Auckland e o Al Ahly, que é muito mais forte. Mas meus jogadores sabem que não há limites para a nossa equipe neste Mundial - disse Hajime Moriyasu, que vai manter a escalação que atuou

T

na quinta-feira. Pelo lado do Al Ahly, tempo é o que não falta para a equipe, já que o Campeonato Egípcio foi suspenso em respeito aos 72 mortos da tragédia de Port Said. Assim, o time se dedicou a Liga dos Campeões da África. Hulsan x Monterrey Ulsan Hyundai, da Coréia do Sul, e Monterrey, do México, se enfrentam neste domingo, às 4h (do RN), no Estádio Municipal de Toyota, em Toyota, no Japão, no jogo de abertura das quartas de final do Mundial de Clubes da Fifa. O ganhador vai cruzar nas semifinais com os ingleses do Chelsea. Os sul-coreanos se credenciaram para o torneio após conquistarem o título da Liga dos Campeões da Ásia, enquanto que os mexicanos se sagraram campeões da Liga dos Campeões da Concacaf. Ciente de que o Ulsan está em seu primeiro Mundial, o técnico Kim Hogon admite que a prioridade é passar de fase e não faz maiores planos. Porém, acredita que seu time pode surpreender os mexicanos. “Nós estamos em nosso primeiro Mundial e para irmos bem temos que reconhecer as nossas limitações. Vamos ser obedientes taticamente, mas sem deixar de acreditar que a classificação para as semifinais é viável”, disse Kim Hogon.


A REVISTA DA TV É UM SUPLEMENTO DA TRIBUNA DO NORTE. NÃO PODE SER VENDIDO SEPARADAMENTE.

EM CENA Dira Paes e Luiz Felipe Mello na trama das 21h: cidade cenográfica tenta reproduzir a realidade

A VEZ DA COMUNIDADE AUTORES E PESQUISADORES ANALISAM A FORMA COMO AS FAVELAS VÊM SENDO MOSTRADAS NAS NOVELAS, DO ALEMÃO PACIFICADO DE ‘SALVE JORGE’AO MORRO DA PROVIDÊNCIA DE ‘LADO A LADO’ [ PÁGINAS 6 A 8 ]

revista da tv Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 09 de dezembro de 2012

alta temperatura

the glades

Na estreia da terceira temporada do “Esquenta”, Regina Casé recebe Thiaguinho (na foto) e conversa com a presidente Dilma Rousseff [ PÁGINA 3 ]

Um papo com o ator Carlos Gómez, ele fala da terceira temporada da série que está cheia de ação. [ PÁGINA 4 ]


Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

revista da tv

Domingo | 09 de dezembro de 2012

TERÇA

QUARTA

QUINTA

SEXTA

Clô e Isabela se enfrentam. Marcela arma para deixar Gil e Ju sozinhos. Lia desiste de ajudar Gil ao vê-lo com Ju. Pilha mostra o trailer do clipe para Rosa. Lia pede para viajar com Dinho e Lorenzo diz a filha que a data coincide com a primeira audiência do processo de guarda.

Lorenzo incentiva Lia a viajar e deixar o assunto da audiência com ele e Raquel. Ju descobre que Dinho e Lia vão viajar e fica chateada. Rita diz a Mathias que voltará para a Suécia. Fatinha inventa um motivo para ir embora e deixa Bruno sozinho no meio do encontro.

Clô exige que Leandro escolha entre ela ou Isabela. Paulina e Rômulo fazem as pazes. Lia pega o celular de Raquel e apaga as fotos que a mãe tirou de Lorenzo com Marcela. Lia diz que desistiu de viajar com Dinho. Dinho tenta ajudar a namorada, mas é rejeitado.

Raquel decide sair de casa. Os alunos chegam para o último dia de aula. Rômulo deixa Valentina viajar com eles e Dinho fica contrariado. Lia lamenta não ter viajado com Dinho. Os alunos decidem fazer uma festa de despedida para Rita. Rita confessa a Mathias que ainda gosta de Bruno.

Zé Maria diz a Isabel que não se casará com ela sem ter um emprego. Guerra e Jonas ficam apreensivos quando Celinha e Alice pedem para ir à confeitaria. Teresa e Sandra consolam Laura. Zé Maria se abala com a notícia que recebe de Chico. Constância chega à casa de Umberto.

Edgar confirma a Zé Maria que João Cândido foi preso. Teresa discute com Praxedes por causa de Eulália. Edgar entrega vários textos a Guerra, que fica impressionado. Albertinho afirma que vai defender Laura na rua. Caniço encontra Zé Maria conversando com Berenice.

Assunção convence Laura a visitar Constância, mas ela destrata a filha. Mário encontra Frederico com duas moças no bar. Edgar diz a Guerra que vai se infiltrar na marinha. Assunção desconfia de Bonifácio por ter empregado Albertinho. Catarina procura Isabel.

Isabel é hostil com Catarina. Isabel pensa em quebrar o contrato com Catarina. Albertinho procura Laura. Albertinho se desculpa com Isabel. Laura convence Isabel a manter o contrato com Catarina. Constância afasta Assunção dela. Elias destrata Isabel.

Teresa, Eulália e Praxedes marcam o batizado do bebê. Edgar fica horrorizado com a violência que vê na Marinha. Laura consegue novo emprego. Guerra se declara para Celinha, e os dois se beijam. Celinha ajuda Alice a se encontrar com Jonas. Zé Maria ouve Isabel dizer que voltará a dançar.

Nando fica constrangido com Roberta. Charlô pede para conversar a sós com Carolina. Juliana fala para Vânia que a informante dos homens é uma namorada de seu pai, Felipe. Roberta garante a Charlô que sua sobrinha não é a informante de Otávio. Juliana vê Vânia na casa de Felipe.

Juliana acredita que Vânia acusou Carolina para se proteger. Carolina conta para a tia que Vânia e Felipe são namorados. Carolina convence Roberta de que não é a informante de Otávio. Nando discute com Kiko. Frô foge de casa. Nando diz a Roberta que não pode ficar com ela.

Juliana confirma a Analú que Nando está apaixonado por Roberta. Roberta insinua a Charlô que Vânia possa ser a informante de Otávio. Roberta destrata Felipe. Carolina faz a cabeça de Juliana contra Vânia. Felipe defende Vânia para Charlô e desperta desconfiança na mãe.

Roberta desabafa com Nenê sobre seus sentimentos por Nando. Charlô conta a Vânia e Juliana que Otávio e Felipe têm uma gravação da reunião. Frô finge atentar contra a própria vida. Roberta implora para Nenê não contar a Nieta que ela está envolvida com Nando. Charlô demite Carolina.

Carolina jura vingança contra Charlô. Otávio vê Juliana, Charlô e Vânia discutindo e comemora. Nieta pede para Nenê ajudá-la a separar Roberta de Nando. Otávio sugere que Felipe se aproxime de Roberta. Roberta chega à casa de Nando na hora em que ele vai se declarar para Juliana.

Uma mulher prepara Morena para sair com o cliente do leilão. Morena consegue fugir do leilão, deixando Russo e Wanda furiosos. Antônia entra em contato com Irina, que finge se chamar Simone. Russo encontra Morena e a leva de volta para o alojamento.

Russo flagra Morena com o celular de Adam. Celso e Antônia não encontram o escritório indicado por Simone/Irina. Wanda descobre que Mustafa é milionário e liga para Berna. Élcio implica com Érica. Áurea convence Theo a comemorar seu aniversário.

Wanda telefona para Lucimar e intimida Morena. Wanda chantageia Berna. Bianca fica animada para aprender a dançar como uma turca. Ayla ouve Bianca se declarar para Zyah. Jéssica avisa a Morena para tomar cuidado com Rosângela.

Rosângela se oferece para ajudar no caixa da boate, deixando Waleska e Jéssica contrariadas. Morena afirma que conseguirá fugir. Érica apresenta Ricardo para Theo. Drica conta para Helô por que Mustafa quer que ela e Pepeu voltem para o Brasil.

Morena protege Jéssica de Wanda. Morena compreende que precisa manter seu controle para fugir. Zyah repreende Bianca por deixá-lo envergonhado na frente de seus amigos. Lucimar e Lurdinha encontram Delzuite com Pescoço.

Suzana diz a Renê que Helena namora e, por isso, não dá bola para ele. No pátio, Graça tenta falar com Jorge e acaba sendo vítima das grosserias dele. As crianças não gostam da notícia sobre Jorge e todos, com exceção de Maria Joaquina, se negam a dar boasvindas a ele.

Alberto diz a Jorge que ele terá que ir à escola a pé. Os meninos chamam Jorge ao pátio e empurram o garoto, que encosta no chiclete amaldiçoado. Maria Joaquina explica a situação para Jorge, mas se afasta com medo da lenda. Renê tenta falar com Helena e é ignorado.

Jorge é ignorado por todos da escola e começa a se sentir mal. Suzana diz para Helena que a cada dia Renê está mais apaixonado por ela. Helena tenta falar com Jorge, mas o menino não conta o que está acontecendo. Os meninos estão jogando bola na rua e Tom aparece na janela.

Na aula, os meninos perguntam sobre Tom para Glória, que diz não falar da vida pessoal. Suzana pega o celular de Helena e, se passando por ela, envia mensagem a Renê pedindo que se afaste. Alberto conversa com Helena sobre Jorge. Paulo e Jorge discutem e vão para a diretoria.

Mirela e Adriana ficam enciumadas com a aproximação de André e Danilo com Catarina. Norberto e Isabel casam. Danilo e Eduardo ficam arrasados. As gêmeas Paranhos invadem a festa de casamento com metralhadoras e ameaçam Isabel.

Eduardo descobre as armas de mentira de Diva e Dóris, enquanto Norberto ajuda Isabel. Eduardo desmascara as gêmeas Paranhos. Vicente e Eduardo reconhecem Diva e Dóris como acompanhantes de Norberto no casamento de Lucas.

Catarina convida André e Danilo para um passeio na praia. Norberto revela para Cremilda que Diva e Dóris invadiram seu casamento, mas que ele liberou as duas. Norberto arma para Isabel, ateando fogo no local de trabalho da esposa.

Eduardo salva Isabel do incêndio no escritório de arquitetura. Norberto é avisado por Taís sobre o estado de Isabel e fica desesperado ao saber que a esposa estava no incêndio. Norberto acusa Eduardo de estar apaixonado por Isabel.

SEGUNDA

SÁBADO

Inter TV/Cabugi – Canal 11

MALHAÇÃO Mathias desiste de abrir o envelope com o exame de DNA, pede desculpas a Rita e ela se emociona. Ju e Lia discutem sobre o figurino do clipe. Rosa repreende Pilha na frente dos amigos e acaba com a gravação do clipe. Orelha convence Rosa a deixar Pilha gravar seu vídeo.

NÃO HÁ EXIBIÇÃO

Inter TV/Cabugi – Canal 11

LADO A LADO Quequé bebe a água com o sonífero. Diva decide viajar. Celinha avisa a Alice que elas sairão com Guerra e Jonas. Neusinha se emociona com sua estreia. Fernando gosta de saber que Albertinho vai trabalhar com ele. Zé Maria desconversa quando Isabel fala sobre casamento.

Inter TV/Cabugi – Canal 11

GUERRA DOS SEXOS Charlô se arrepende de ter beijado Otávio e tenta descobrir quem a traiu. Felipe sonha com Roberta. Nando pensa em se aconselhar com Roberta para conquistar Juliana. Vânia acusa Carolina de traição. Otávio teme vingança de Charlô. Roberta se declara para Nando.

Inter TV/Cabugi – Canal 11

SALVE JORGE Morena é surpreendida por um segurança ao tentar fugir. Rosângela tenta impedir Waleska e Jéssika de colocar fogo numa cortina. Morena conhece Jéssica, Waleska e Rosângela. Élcio destrata Érica. Morena é vendida em um leilão de mulheres.

TV Tropical – Canal 8

CARROSSEL Renê tenta conversar com Helena, que o trata friamente. Helena fala com os alunos sobre Glória. Alberto diz a Jorge que ele irá estudar na Escola Mundial. Jaime tem uma ideia para agradar Glória. Os alunos compram flores para a professora. Alberto leva Jorge para fazer a matrícula.

NÃO HÁ EXIBIÇÃO

BALACOBACO TV ponta Negra– Canal 13

2

Jayme conclui a entrevista com o cientista e ao sair do hospital acaba atropelado. Breno e Joana encontram Celina aos prantos. Mirela tenta consolar André e Danilo fica em estado de choque ao saber que Jayme morreu. Catarina volta ao Brasil para o enterro.

NÃO HÁ EXIBIÇÃO


revista da tv

Domingo | 09 de dezembro de 2012

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte 3

TV GLOBO/ALEX CARVALHO

ESTREIA

Calorão no almoço Regina Casé estreia hoje a nova temporada do ‘Esquenta!’, que vai ficar sete meses no ar, empunhando a bandeira da diversidade MARIA DA LUZ MIRANDA

egina Casé não nasceu em favela, mas não tira o pé de lá. Nem a vista: a atriz e apresentadora diz que, se a classe C está tão na moda, pelo menos na televisão, o mérito também é dela. Tanto que o “Esquenta!”, que estreia hoje sua terceira temporada, vem com um clima de festa na laje. E não é só. Regina empunha também uma nova bandeira: a defesa dos direitos dos deficientes físicos, a quem ela trata de dedicar o primeiro programa. No estúdio,

R

durante as gravações, o acesso a eles foi facilitado. Na onda do respeito à diferença, a apresentadora foi até Brasília e visitou a unidade Sarah-Lago Norte (Centro Internacional de Neurociências e Reabilitação) da Rede Sarah, para onde levou ninguém menos que a presidente Dilma Rousseff. A conversa vai ao ar hoje. - Um quarto da população fala ou anda diferente, é muita gente. Queremos ir pensando, a cada programa, qual a melhor maneira de lidar com a diferença e que

TV GLOBO/ROBERTO STUCKERT FILHO

não seja um olhar de pena. Todo mundo na sua casa deveria ter um banheiro preparado, porque tem um amigo em cadeiras de rodas adianta o discurso. Com sete meses de duração pela frente, o “Esquenta!” mantém o jeitão de almoço de domingo. Sem preconceito. - É como se fosse uma festa na minha casa. Branco, preto, bege, gordo ou hetero, deficiente, não importa: todo mundo pode ficar à vontade - avisa. Para esse almoço, ela vai agregar à roda dos sambistas Arlindo Cruz e Leandro Sapucahy Péricles e Xande, do grupo Revelação, que agora fazem parte do elenco fixo da atração, além de Douglas Silva e Mumuzinho. Como convidado da vez, o músico Herbert Vianna, dos Paralamas do Sucesso. O cantor Thiaguinho também participa do programa. Nesta nova temporada, a biblioteca rodante foi ampliada. Saiu da bicicleta, ganhou mais volumes e agora vem numa estante. A TV tem de oferecer serviço, acredita Regina: ela quer garantir entretenimento, mas diz que está mais preocupada em ser útil. O novo cenário, assinado por Gringo Cardia, dá bem a medida da preocupação em via dupla. O

ENCONTROS. A direita, Regina durante a conversa com presidente Dilma Rousseff em Brasília.A esquerda, com a turma do programa: Arlindo Cruz, Péricles e Xande

DAQUI A POUCO O WILLIAM BONNER VAI DEIXAR A BANCADAE DESCER ATÉ O CHÃO. TODO MUNDO QUER SABER DO FUNK, HOJE”

QUEREMOS QUE O “ESQUENTA!” SEJA O PONTO DE ENCONTRO FESTIVO DO MELHOR DO FUTURO” REGINA CASÉ Apresentadora

tradicional formato 360° ganhou mais metros quadrados e terá outras duas novidades: uma piscina e um camarote projetado para festas de verdade. Quer fazer sua formatura por lá? É para isso o espaço. - Daqui a pouco o William Bonner vai deixar a bancada (do “Jornal Nacional”) e descer até o chão. Todo mundo quer saber do funk, hoje - provoca Regina, com humor, dizendo que se a cultura da periferia ressona em horário nobre, ela pode reivindicar a mais valia: - Não tenho falsa modéstia. A gente enfiou o pé na porta. Mas eu não fiz para ser boazinha. O antropólogo Hermano Vianna, que também assina o “Esquenta!”, corrobora: a cultura da periferia está com eles desde o piloto do “Programa legal”, gravado em 1990. Ali, eles já falavam sobre baile funk. Outra cria da dupla, o “Central da perfieria”, de 1996, foi igualmente marcante para ele: - Para nossa turma, que inclui (o diretor de núcleo) Guel Arraes, (a diretora-geral) Monica Almeida e muita gente mais, isso é passado. Queremos o Brasil pós-classe C, pós-internet, pós-consolidação da democracia. Queremos que o “Esquenta!” seja o ponto de encontro festivo do melhor do futuro.


4

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

ENTREVISTA

revista da tv

Domingo | 09 de dezembro de 2012

1

Um jeito que só a Bahia tem Gabriel Braga Nunes e Marcelo Médici falam da experiência de gravar a microssérie ‘O canto da Sereia’em Salvador ZEAN BRAVO

s roupas escolhidas por Gabriel Braga Nunes e Marcelo Médici num dia de folga das gravações da microssérie “O canto da Sereia”, em Salvador, ilustram o tipo de ligação dos atores paulistanos com a capital baiana. Enquanto Gabriel veste camisa de tecido fininho, aberta no peito, com short e Havaianas - e guias protetoras vendidas em feiras de artesanato local penduradas no pescoço -, Marcelo usa calça comprida e camisa polo escuras. - Eu só tinha vindo para Salvador me apresentar com o teatro e, mesmo assim, fiquei três dias. Agora estou conhecendo de verdade- assume Marcelo, enquanto come uma cocada acompanhada de café. Os dois passaram quase um mês em Salvador gravando a microssérie de quatro capítulos da Globo. Com estreia prevista para janeiro, a produção é baseada no livro homônimo de Nelson Motta e escrita por George Moura, Patrícia Andrade e Sérgio Goldenberg. - Fazia tempo que eu não vinha para cá. Para você ter ideia, neste ano eu só vim cinco vezes! - brinca Gabriel, também comendo uma cocada: - Eu venho mais no carnaval. Se bem que eu me lembro de poucas coisas - continua, às gargalhadas. Filho do diretor de teatro Celso Nunes, morador de Salvador há três anos, Gabriel aparenta ser quase um local. Vibra ao contar ter gravado no topo do Edifício Oceania, conhecido prédio da orla da cidade, em frente ao Farol da Barra. E conta ter aproveitado a passagem pelo Elevador Lacerda para tomar um sorvete da tradicional A Cubana. - O meu pai me alertou para o fato mais marcante desta cidade: o baiano é o povo que tem a maior capacidade de sorrir. Em São Paulo as pessoas não têm essa capacidade como aqui. Eu gosto muito dessa levada, dessa alegria. É mais fácil fazer amizade em Salvador - compara Gabriel.

A

O ator se apropria dos versos de Dorival Caymmi - “A Bahia tem um jeito”, da canção “Você já foi à Bahia?” - para descrever sua ligação com Salvador, uma cidade que, segundo ele, “oferece um contraste fabuloso”. Assim como seu personagem na microssérie, o produtor musical Paulinho de Jesus, Gabriel é um cara vindo de fora, mas já acostumado ao universo da Salvador contemporânea. - “Eu sou neguinha”- apela, fazendo todos que estão na sala caírem no riso ao citar outro verso, agora da música de Caetano Veloso. Na microssérie dirigida por José Luiz Villamarim, que emendou o trabalho atual com “Avenida Brasil”, o personagem de Gabriel é o grande descobridor da cantora de axé Sereia (Isis Valverde). - Gabriel tem essa pegada do maldito romântico - define Villamarim, relacionando personagem e ator. Na trama, Paulinho conta com a ajuda do marqueteiro Tuta Tavares (papel de Marcelo), que também trabalha com o governador (Marcos Caruso), na construção da carreira dessa nova diva pop. - O Paulinho é o cara que tem a ideia de transformar aquela cantora de barzinho um ícone pop. Neste processo, os dois vivem uma tórrida história de amor - adianta Gabriel, usando três brincos de argola na orelha esquerda (o acessório foi emprestado pelo próprio ator ao personagem). O envolvimento amoroso entre o produtor musical e a cantora termina pouco antes do assassinato da jovem, que morre no auge, em cima do trio elétrico, numa terça-feira de carnaval. Num primeiro momento, Paulinho se torna o grande suspeito. Mas todos os personagens tem razões para assassinar Sereia. E Tuta Tavares faz parte da lista. - Eu havia lido o livro do Nelson na época do lançamento, mas reli agora. Eu não conhecia o universo dos cantores de axé nem o que move essa indústria - assume Marcelo. Longe da TV desde “Passione”

2

3

(2010), e atualmente em cartaz com a peça “Eu era tudo pra ela e ela me deixou”, Marcelo chegou a gravar a segunda temporada de “Junto & misturado”, com Bruno Mazzeo, no ano passado. Mas o programa foi cancelado. O fato de não estar tão presente no vídeo quanto gostaria, afirma, tem a ver com a dificuldade de conciliar as todas suas funções.- Tenho feito muito teatro, mas cresci vendo TV. Eu sempre quis ser ator para fazer isso - afirma Marcelo. - É bobagem ator renegar a TV. Tem gente até de Cabo Verde que vem falar comigo por conta dos personagens que fiz em novelas - destaca o ator. Gabriel se mostra surpreso ao saber que o colega se interessou pela profissão em função da TV. Filho da atriz Regina

1. DUPLA. Atores gravam cenas de “O canto da Seria”em Salvador: estreia em janeiro

2. HUMOR. Marcelo contracenou com Mariana Ximenes em “Passione”, a mais recente novela feita pelo ator

3. CASAL. Gabriel e Letícia Persiles em “Amor eterno amor”: ator fez o mocinho Rodrigo antes de gravar microssérie

Braga, ele também diz não ter preconceitos em relação ao veículo - e se mostra entusiasmado ao falar do formato de “O canto da Sereia”, rodado numa levada parecida com a do cinema: É uma outra pegada. São três meses de trabalho para fazer apenas quatro episódios. Nos bastidores da produção, Marcelo ficou impressionado com o assédio sofrido pelos colegas recém-saídos de “Avenida Brasil”. Além de Isis, Marcos Caruso, Camila Morgado e Fabiula Nascimento estão no elenco da microssérie. - Saí com o Caruso e as pessoas gritavam “Leleco, Leleco”. Camila mudou o visual, mas eu apontava para ela e dizia: “Tá aqui a mulher do Cadinho” - entrega Marcelo. Para os atores, os personagens da microssérie, um suspense com forte tintas policiais, são todos multifacetados. Ninguém é mocinho ou vilão. - Definitely not! (definitivamente não)- emenda Gabriel, assim mesmo, em inglês, reforçando que todos os tipos têm diferentes lados. Na passagem por Salvador - os atores agora gravam cenas em estúdio no Rio até meados de dezembro -, todos eles circularam bastante. E frequentaram até mesmo terreiros de candomblé para entender a ligação dos personagens com esse universo. As únicas duas semanas de folga de Gabriel entre o novo trabalho e a novela “Amor eterno amor”, não foram encaradas como um problema. - Fiz sete novelas em sete anos, mas estou satisfeito com os trabalhos que tenho realizado - afirma Gabriel, já com os botões da camisa aberta. O ator não queria perder tempo. Com a entrevista encerrada, corre para a piscina do hotel a tempo de assistir (e fotografar) o pôr-do-sol.


revista da tv

ão faltam motivos para Erika Januza sorrir.A atriz mineira, que até há pouco tempo trabalhava,anônima,como secretária numa escola de Contagem e foi alçada ao estrelato por “Suburbia”, de Luiz Fernando Carvalho e Paulo Lins, acaba de assinar contrato longo com a Globo e colhe elogios por seu desempenho como a protagonista Conceição.No horizonte desta Cinderela da vida real estão uma possível segunda temporada da minissérie,um convite para um longa-metragem,cursos de artes cênicas e planos de mudança para o Rio.- “Suburbia”é só o início de uma carreira - comemora Erika, acrescentando que se assustou com as semelhanças entre ela e a personagem:- Sou muito Conceição. Li o roteiro todo chorando.Penso exatamente como ela.O gosto pela dança,a vontade de ter uma família,o romantismo.Tenho criação católica, acho lindo um casamento clássico. Erika conta ainda que só ouve música romântica e adorar ver e rever os vários videoclipes que tem gravados.- Não se brinca mais de boneca,as meninas não têm tempo

“Estação Saúde”, série exibida pelo Canal Futura e produzida pela Panorâmica,teve 30 episódios licenciados para a TV da Brigham Young University,EUA.A atração é apresentada por Sávio Moll.

ÂNGELA LEAL de sonhar.Espero que não deixem de acreditar no amor. Hoje à vontade com o corpo,Erika diz que nem sempre foi assim. - Era complexada na adolescência,

Rogério Gomes e Pedro Vasconcelos,diretores de “A teia”, vão começar as gravações da série por Brasília,onde acontece o assalto que detona a investigação central da trama.A atração terá cenas na periferia da capital federal.

0

CALOR NAS GRAVAÇÕES Diretor-geral da série“José - De escravo a governador”,Alexandre Avancini (na foto com Mylla Christie) apela para boné,óculos escuros e até sombrinha para escapar do calor durante as gravações no deserto do Atacama,no Chile. EDU MORAES/TV RECORD

O ELENCO DA PRIMEIRA TEMPORADA

- MILHEM CORTAZ,RAFAELA MANDELLI E CLÁUDIO GABRIEL - NA RECORD.A PRODUTORA GULLANE JÁ APROVOU CINCO TEXTOS.

‘A TEIA’

Para Drika,personagem de Mariana Rios em “Salve Jorge”, novela de Gloria Perez com direção de núcleo de Marcos Schechtman,no ar na Globo.Ela já é dona do troféu de mais chata da TV em 2012.Sua única missão na Turquia,implicar com a empregada Fatma (Clarisse Derzié Luz),não contribui em nada para o folhetim.

SÉRIE POLICIAL MARCÍLIO MORAES, AUTOR DE “FORA DE CONTROLE”, QUER MANTER

NOVA LEVA DE EPISÓDIO DA SÉRIE DA

Ângela Leal repetirá,pela terceira vez,a parceria com a autora Gisele Joras e o diretor Edson Spinello.A atriz entrará em breve no elenco de “Balacobaco”,novela que é exibida na faixa das 22h,pela Record.

me achava muito magra,então,só saía de calça.Passei a me assumir como sou quando comecei a tentar uma chance na área artística,em 2002 - lembra.

DIVULGAÇÃO

ROGÉRIO SOUZA

ACHCAR E ESTREIA DIA 14.

O FUTURA NOS EUA

10

AO ESPORTE JUNTO COM O FILHO, RAFAEL, E VINHA PRATICANDO COM UM PERSONAL TRAINER NUMA ACADEMIA DA BARRA.

BRA-NOZES”,DE TCHAIKOVSKY.A

Por falar em “Sangue bom”, Maria Adelaide e Vincent entregarão o quarto bloco da novela - do capítulo 19 ao 24 - para Dennis Carvalho até o Natal.A dupla dará uma pausa no trabalho para as festas de fim de ano.

Para a rapidez com que “Law & order:SVU”, do Universal,se apropria de temas quentes para misturar à ficção.Um bom exemplo recente foi o episódio em torno da autora de um livro erótico na linha “50 tons...”, que é estuprada.Os investigadores enfrentaram um dilema moral,já que ninguém queria acreditar nela.

DURANTE AS AULAS.O ATOR ADERIU

MONTAGEM TERÁ DIREÇÃO DE DALAL

‘SANGUE BOM’

RANKING DA PATRÍCIA

CAUSA DE FORTES DORES NO JOELHO

DA PROTAGONISTA DO BALÉ “O QUE-

Ellen Rocche,longe das novelas desde “O Astro”, voltará ao ar em 2013.A atriz estará no elenco de “Sangue bom”, trama de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari que sucederá a “Guerra dos sexos” na faixa das 19h.O folhetim terá direção de Dennis Carvalho.

N

TEMPO NA GINÁSTICA OLÍMPICA POR

ESTÁ ENSAIANDO PARA VIVER O IRMÃO

ELLEN ROCCHE PAULA GIOLITO

LOMBARDI FORA DA GINÁSTICA RODRIGO LOMBARDI, O THÉO DE “SALVE JORGE”,TEVE DE DAR UM

PICOLÉ DE ‘AVENIDA’ FARÁ MUSICAL JOÃO FERNANDES, QUE INTERPRETOU PICOLÉ EM “AVENIDA BRASIL”,FARÁ SEU PRIMEIRO MUSICAL.O ATOR JÁ

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

No mar de Conceição

COM FLORENÇA MAZZA E ANA LUIZA SANTIAGO, CLARA PASSI E RAFAELA SANTOS KOGUT@GLOBO.COM.BR

PAT R Í C I A KOGUT

Domingo | 09 de dezembro de 2012

ISABELLE DRUMMOND DUBLA ANIMAÇÃO

ÁLAMO FACÓ E MARIA FLOR: PAR NO CINEMA

Isabelle Drummond,que voltará às novelas em “Sangue bom”, de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari,dubla a personagem MAB em “Nautilus”, previsto para 2014.A animação contará a história de três amigos inspirados em Cristóvão Colombo,Monalisa e Leonardo Da Vinci.

No ar como o atrapalhado Quequé,em “Lado a lado”, Álamo Facó é par romântico de Maria Flor no curta-metragem “O colecionador”, de Gunter Sarfert, que está rodando os festivais de cinema. A foto acima foi feita nas filmagens.

5


6

revista da tv

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

Domingo | 09 de dezembro de 2012 CAMILLA MAIA

CAPA

1

2

REALIDADE NA FICÇÃO Ao mostrar a primeira comunidade do Rio e o Alemão pacificado,‘Lado a lado’e ‘Salve Jorge’reacendem o debate sobre a representação das favelas nas novelas MARIA DA LUZ MIRANDA

s jingles da ambulante Adriana Evangelista são bem familiares aos moradores do Morro do Alemão, onde ela nasceu e vive há 35 anos e, hoje, vende salgados. No entanto, desde a estreia de “Salve Jorge”, a moça vem se dividindo entre a comunidade real - pacificada em março e a da ficção, retratada na trama das 21h. Sua presença em cena é uma das apostas da autora Gloria Perez para dar ao Alemão cenográfico um aspecto verossímil. Ao mesmo tempo, os autores João Ximenes Braga e Claudia Lage, de “Lado a lado”, buscam artifícios para narrar de forma crível, no horário das 18h, o surgimento e a evolução do Morro da Providência - a primeira favela carioca, no começo do século XX. No ar, ambas as novelas buscam o realismo para mostrar dois momentos bem diferentes da história das comunidades cariocas, e levantam a discussão sobre como elas vêm sendo representadas na ficção. Ximenes explica que buscou, por meio dos personagens, representar todos os acontecimentos da época. - A efervescência criativa e o senso de comunidade, que representamos com Zé (Lázaro Ramos), Isabel (Camila Pitanga), tia Jurema (Zezeh Barboza) e seu Afonso (Milton Gonçalves). Foi no morro da Providência e na Gamboa que o samba de roda tomou novas formas e abriu espaço para Noel Rosa, Paulinho da Viola e,

O

claro, a bossa nova- pontua. - Naquela época, as favelas estavam longe da explosão de violência que viria algumas décadas depois, mas já eram esconderijos de bandidos. Caniço (Marcello Melo Jr.) representa isso. O descaso das autoridades, das elites e da classe média para o que acontecia ali era total. Por isso, a dupla das 18h precisou ir fundo na História do Brasil e na do Rio para esmiuçar a realidade daquela época. E não somente pelo texto, mas também através dos cenários. O cenógrafo Fabio Rangel reconhece que o trabalho foi difícil, devido aos poucos registros sobre o local. Além dos livros, eles se apoiaram em relatos de quem vivia lá. - Os barracos eram de madeira; os móveis, de alvenaria. A luz elétrica não era acessível a todos, e água não tinha. Desnivelamos o terreno e fizemos até uma vala contextualiza ele, contando que a montagem dos barracos foi complicada: - Os operários querem fazer tudo certinho. Expliquei que, na época, não era assim. Não tinham pregos com facilidade, a madeira era colocada para tapar os buracos. E quando chove, vira tudo uma lama. E devia ser assim mesmo. Calor, mosquitos... De lá para cá, o calor aumentou. E a presença de mosquitos principalmente os da dengue continua sendo um problema. Estes e outros detalhes não escaparam ao olhar da equipe de cenógrafos de “Salve Jorge”. Para conseguir captar com exatidão todas

3

4

as minúcias da vida no A foram várias visitas ao com enriquecidas com depoime moradores e fotos. Cerca d diz a cenógrafa Juliana Ca - A minha sensação é de q rante muito tempo, ningué


Alemão, mplexo, entos de de 4 mil, arneiro. que, duém che-

revista da tv

Domingo | 09 de dezembro de 2012

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

7

FOTOS DE PAULA GIOLITO

1. COTIDIANO. Zé Maria (Lázaro Ramos) e Isabel (Camila Pitanga) em cena: comunida de ainda longe da “explosão de violência” 2. FICÇÃO. As atrizes Bruna Marquezine e Susana Badin gravam “Salve Jorge”no Alemão cenográfico,construído num espaço de 1800 metros. 3. COMÉRCIO. Neusa Borges, que vive a Diva na trama das 21h, grava no Bar do Clóvis, uma das vendas do morro. 4. REALIDADE. Moradora do Alemão há 35 anos, a ambulante Adriana Evangelista foi convidada pela autora Glória Perez para vender suas empadinhas na novela.

gava a certos lugares, a não ser quem morava. Era importante que o cenário ficasse bem realista. E no estúdio também: já que a casa não pode ser bonita por fora, o investimento está em um geladeira duplex, um TV de 42 polegadas, um

sofá confortável - analisa Juliana. Na cidade cenográfica de 1800 metros quadrados há barraquinhas de frutas, carrocinhas, butique, costureira, chaveiro e lan house, além de vendinhas como o botequim do Clóvis (Walter Breda) e a loja de Galdino (Francisco Carvalho). As paredes são cobertas com panfletos, fios e pichações. Viralatas andam de um lado para o outro, enquanto figurantes jogam buraco tranquilamente na praça. Na pele de Morena, protagonista da trama, Nanda Costa se impressionou ao pisar no Alemão cenográfico. - Lembro que até brinquei que teria que buscar meu carro no Projac quando saísse dali - diverte-se, contando que realmente, teve a sensação de estar na comunidade real, onde também gravou cenas. - Essa vivência na cidade cenográfica faz com que a gente compreenda o comportamento de quem vive no morro. Morena costuma dizer: “Pacificação é muito bom, mas a gente está endividada”. Para dar esse tom humano aos personagens, a pesquisadora Julia Laks esteve várias vezes no Alemão para entender como as pessoas se viam e o que esperam após a pacificação: Gloria (Perez, a autora) sempre diz que gosta de dar voz aos que não têm. Foi muito importante redescobrir uma parte do Rio que a gente não tinha acesso. A forma de expor esses dramas, contudo, são fatores que ainda geram discussão. O autor e doutor em Teledramaturgia Brasileira e Latino-Americana pela USP Mauro Alencar acredita que o novelista pode lançar mão da licença poética para contar sua história: - Em “Lado a lado”, onde há o compromisso histórico de encenar a ocupação dos morros cariocas, é imprescindível que o tema seja redigido de forma realista. Porém, novelas como “Salve Jorge” podem abrir licenças poéticas ao povoar as comunidades ficcionais com alguns personagens e situações pitorescas, o que, porém, está muito distante do caricatural. Para a socióloga Bianca Medeiros, do Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil da Fundação Getúlio Vargas (CPDOC/FGV), a novela desfaz o dogma de que a cultura da favela e do asfalto são diferentes: Homogeneidade não há no Alemão ou na Lagoa. A televi-

são abre um “vamos pensar” sem precedentes, mas este debate foi aberto em 2002, com o filme “Cidade de Deus”. O sociólogo Dario Caldas observa que as novelas têm uma relação dupla e dúbia com o mundo real. Quando interessa, a discussão é levada a sério. Quando não, a obra frisa que não tem compromisso algum com a veracidade dos fatos, diz ele. Para Dario, é

5

6

7

8

natural que a TV aposte nos dramas de quem vive em favelas, no melhor estilo “Brasil, mostra a sua cara”. Todavia, a generalização é perigosa, visto que a classe média do país é muito mais complexa. - Sinceramente, não acho que o brasileiro seja preconceituoso ou que o espelho incomode. Talvez ele não se reconheça ali. O Alemão pode ser a cara do Rio, mas não a do Brasil. A favela não é a cara da

nova classe que vem surgindo. Considero um equívoco alguém achar que está abordando a classe C simplesmente porque mostra uma favela em sua trama - rechaça ele, diretor do Observatório de Sinais, agência especializada em tendências, pesquisa e estudos.

LEIA MAIS Sobre o assunto na página 8

5. MUNIÇÃO. Heitor Martinez raspou a cabeça para dar vida ao bandido Jackson em “Vidas opostas”

6. JOVEM. Malhação também abordou o tema na temporada de 2011, com a Comunidade dos Anjos

7. LIDER. Em “Duas Caras”, Juvenal Antena vivido por Antonio Fagundes, mandava na comunidade da Portelinha, que ajudou a fundar

8. REAL. Em “Escrito nas estrelas”, Nathalia Dill gravou no próprio Dona Marta.


revista da tv

8 Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte >>>Não é preciso voltar muito no tempo para perceber que há alguns anos as favelas vêm ganhando espaço definitivo nas tramas televisivas, sejam elas novelas ou séries como “Cidade dos homens”, de 2002, e “Antonia”, em 2006. De 2011 até agora, vimos a Comunidade dos Anjos, em “Malhação”, o Covil do Bagre em “Aquele beijo”, e o Borralho em “Cheias de charme”. O pesquisador Mauro Alencar reforça que a representatividade das comunidades na sociedade atual tem feito aumentar o número de aparições na TV. Mas não trata de algo inédito. - Uma das primeiras vezes que a favela ou comunidade aparece na Globo está em “Bandeira 2”, de 1971. Tucão (Paulo Gracindo) era um bicheiro da Zona Norte e mantinha pontos de contravenção em comunidades - relembra Mauro. Se antes as favelas eram mostradas en passant ou apenas citadas nas falas de personagens, a história começou a mudar de 15 anos para cá. Em 2002, Aguinaldo Silva explorou o tema em “Senhora do destino”. Depois, em 2007, voltou ao assunto em “Duas caras”, com a Portelinha, fundada pelo líder comunitário Juvenal Antena (Antônio Fagundes). Ainda no mesmo ano, Marcílio Moraes fez sucesso com sua “Vidas opostas”, na Record. A trama mostrava o romance entre o milionário Miguel (Léo Rosa) e a guia Joana (Maitê Piragibe), moradora do ficcional Morro do Torto. Para Marcílio, a novela foi responsável por quebrar inúmeros tabus. - Naquela época era raro ver favelados em telenovelas, a não ser em núcleos secundários e geralmente tratados de maneira folclórica. E “Vidas opostas” rompeu tabus por demonstrar que havia grande interesse por parte do espectador em ver retratados, ficcionalmente, personagens e camadas sociais que estavam diariamente no noticiário. O autor concorda que recriar uma comunidade na TV não é tarefa tão simplória assim. Não basta apenas copiar a realidade. É preciso humanizar os personagens para que o público se reconheça neles: É um processo mais profundo, que diz respeito ao ser-humano e permite que as pessoas das classes A,B, C ou F se identifiquem com o que estão vendo na tela. Produtor cultural e idealizador

de projetos voltados para jovens de comunidades do Rio de janeiro, do Alemão a Manguinhos, Marcos Vinicius Faustini é reticente quanto ao tipo de visibilidade dada às favelas na teledramaturgia. Existe ainda, segundo, ele, “muita preguiça”, o que resulta em equívocos, inclusive. Ao mesmo tempo em que ganham o imaginário dos brasileiros e demarcam território como um dos ícones da cultura brasileira, o morador das comunidades é retratado como “carente e sem potência”. - Favelado não é só isso. A TV quer mostrar que está antenada com a nova configuração da sociedade brasileira, mas a centralidade ainda está no soldado. O pobre não tem subjetividade - ataca ele, que é idealizador da Agência Redes para Juventude. Autora de “Escrito nas estrelas”, que teve cenas gravadas no Dona Marta, a autora Elizabeth Jhin reconhece a dificuldade de se abordar a realidade das favelas na ficção. Ela própria confessa que ainda não se sentiu capaz de criar um núcleo exclusivo passado numa comunidade. - Usei o morro para mostrar a decadência da família da Viviane (Nathalia Dill), fruto dos desmandos do pai. Ao perder tudo o que tinham, foram forçados a morar na comunidade onde ele, incorrigível, se juntou a bandidos - explica ela, dizendo ter medo de soar caricata. O argumento da autora é reiterado por Jorge Barbosa, coordenador geral do Observatório das Favelas. Para ele, as favelas não devem ser marcadas apenas pela violência - a exemplo de filmes como “Tropa de elite” - e nem pela romantização, caso das novelas. - O morador, por sua vez, se identifica com a paisagem, mas não com o personagem. O morador da favela tem um dado da gestualidade que é típico do lugar. Não defendo o naturalismo, mas é importante manter uma proximidade com a realidade - defende. Apesar das ressalvas, a socióloga da FGV Bianca Freire Medeiros, autora do livro “Gringo na laje”, diz que a “maré é boa” e que a favela vem ganhando uma relevância inédita na teledramaturgia brasileira. Consolidada como expressão cultural, ela já define o Brasil, assim como o futebol e o carnaval. - Não é apenas o gringo que reconhece o território. Aos olhos da sociedade brasileira a favela tam-

Domingo | 09 de dezembro de 2012

ý

9

As favelas na ficção 1982 NA NOVELA “BANDEIRA 2”, DE DIAS GOMES, O BICHEIRO TUCÃO (PAULO GRACINDO) DISPUTAVA O CONTROLE DO JOGO NA ZONA NORTE DO RIO.

1994 EM “PÁTRIA MINHA”, O MECÂNICO INÁCIO (FELIPE CAMARGO) MORAVA EM UMA FAVELA COM A FAMÍLIA.

10

9. REVOLTA Em “Senhora do destino”Reginaldo (Du Moscovis) e Viviane (Letícia Spiller) são perseguidos na comunidade Pedra Lascada

10. GAROTOS. Darlan Cunha e Douglas Silva como Laranjinha e Acerola na série “Cidade dos homens”

11

11. POPULAR. A fictícia comunidade do Borralho, em “Cheias de charme”

2002 A SÉRIE “CIDADE DOS HOMENS” RETRATA A REALIDADE DE LARANJINHA (DARLAN CUNHA) E ACEROLA (DOUGLAS SILVA), DOIS ADOLESCENTES DE 13 ANOS QUE MORAM EM UMA COMUNIDADE NO RIO. 2004 EM “SENHORA DO DESTINO”, AGUINALDO SILVA CRIOU A COMUNIDADE DA PEDRA LASCADA, ONDE MORAVAM TIPOS COMO RITA (ADRIANA LESSA). 2006 INSPIRADA NO FILME HOMÔNIMO, DE TATÁ AMARAL, A SÉRIE “ANTONIA” RETRATA A VIDA DE QUATRO AMIGAS, MORADORAS DA VILA BRASILÂNDIA, NA PERIFERIA DE SÃO PAULO.

2006 EM “VIDAS OPOSTAS”, DA RECORD,MARCILIO MORAES CRIOU O MORRO DO TORTO, COMUNIDADE VIOLENTA CHEFIADA POR TRAFICANTES. 2007 EM “DUAS CARAS”, AGUINALDO VOLTA A ABORDAR O ASSUNTO COM A PORTELINHA, DO LÍDER COMUNITÁRIO JUVENAL

ANTENA (ANTONIO FAGUNDES). 2009 NA MINISSÉRIE “A LEI E O CRIME”, TAMBÉM DE MARCILIO, NANDO (ANGELO PAES LEME) SE REFUGIA NUMA FAVELA E ASSUME O TRÁFICO.

bém é outra. Uma mudança que vem para o bem e para o mau - diz ela. Embora elas estejam cada vez mais em voga, não há exatamente uma necessidade de que elas continuem sendo exploradas na TV, acredita o sociólogo Dario Caldas. - É difícil dizer se sim ou se não. A TV precisa se basear, conversar com a realidade fazendo ficção. Não acho que as favelas devam ser mostradas obrigatoriamente. Mostrar o quê, afinal? O Brasil é mais complexo do que isso - argumenta. Na opinião de Mauro Alencar, é pro-

vável que as comunidades passem a ser assunto frequente na mídia. Mas não se trata de uma regra ou condição imposta: Acho que é um reflexo natural de nossos tempos. Na pele da doméstica Lucimar, em “Salve Jorge”, Dira Paes acredita na função social dos folhetins. - A novela tem a dupla função de mexer não só com o sentimento, mas com a cidadania. Gosto muito de ver a realidade misturada com a ficção: é como se avalizasse tudo e fosse uma permissão para estarmos fazendo os personagens - diz a atriz.

2010 EM “ESCRITO NAS ESTRELAS”, VIVIANE (NATHALIA DILL) VAI MORAR COM A FAMÍLIA NO

DONA MARTA. 2011 A COMUNIDADE DOS ANJOS DE “MALHAÇÃO” TINHA SHOW DE PAGODE E UMA ONG PRESIDIDA POR MOISÉS (ALEJANDRO CLAVEAUX). 2011 EM “CHEIAS DE CHARME”, O BORRALHO ERA ONDE MORAVAM AS “EMPREGUETES” PENHA (TAÍS ARAÚJO) E ROSÁRIO (LEANDRA LEAL).


revista da tv

Domingo | 09 de dezembro de 2012

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte

ZEAN BRAVO revistadatv@oglobo.com.br

FILMES DE HOJE

FOTOS DE DIVULGAÇÃO

MEGAPIX,13:45

COINCIDÊNCIAS DO AMOR. Jennifer Aniston e Jason Bateman vivem dois amigos que acabam ligados por um forte elo nesta comédia romântica

O COBRADOR. Lázaro Ramos interpreta um assaltante neste filme de 2006

FIQUE DE OLHO

Coincidências do amor

PAR PERFEITO. Katherine Heigl e Ashton Kutcher:casamento perigoso

(EUA, 2010). DE JOSH GORDON E WILL SPECK. COMÉDIA ROMÂNTICA.(Cansada de procurar a outra metade da laranja sem sucesso, Kassie Larson (Jennifer Aniston) anuncia que irá engravidar com o auxílio de uma inseminação artificial. A decisão desagrada Wally (Jason Bateman), um tipo neurótico que é o melhor amigo da moça. Ele também arrasta uma asa por ela, mas nunca teve coragem de se declarar. Diante da notícia, toma uma decisão drástica depois de uma noite de bebedeira: troca o pote com o sêmen do doador pelo dele próprio. Os meses passam, o bebê de Kassie nasce, mas ela só vai descobrir a verdadeira identidade do pai de seu filho após muita confusão.

DIÁRIOS DE MOTOCICLETA

MORTE NO FUNERAL

0 COBRADOR

PAR PERFEITO

TELECINE CULT,11:50 (EUA,ARGENTINA,BRASIL,PERU,CHILE,2003). DE WALTER SALLES.DRAMA. Gael García Bernal interpreta um jovem Che Guevara em 1952,quando o revolucionário era apenas um estudante de Medicina.O longa acompanha uma viagem de moto realizada por Che e seu grande amigo, Alberto Granado pela América do Sul.

HBO,16:00 (EUA,INGLATERRA,2007).DE FRANK OZ. COMÉDIA DRAMÁTICA. A morte do patriarca de uma tradicional família inglesa reúne os membros do clã no velório.Ocasião perfeita para inúmeras situações constrangedoras.

TV BRASIL,22:30 (MÉXICO, 2006). DE PAUL LEDUC. DRAMA. Filme episódico livremente inspirado na obra de Rubem Fonseca. Na trama principal, Lázaro Ramos interpreta um assaltante que invade uma mansão durante a noite de ano novo. Peter Fonda também está no elenco.

GLOBO,23:10 (EUA,2010).DE ROBERT LUKETIC. COMÉDIA. Atriz talhada para filmes do gênero,Katherine Heigl vive aqui a jovem Jen Kornfeldt,moça que acredita ter encontrado o homem ideal ao se deparar com Spencer (Ashton Kutcher).Mas uma descoberta abala o seu casamento: Spencer é um matador de aluguel.

O TELECINE CULT AGORA ESTÁ SENDO EXIBIDO EM ALTA DEFINIÇÃO E COM

PROGRAMAÇÃO

O RECURSO DAS LEGENDAS ELETRÔNICAS.ISSO SIGNIFICA QUE ÁUDIO E LEGENDAS OFERECIDOS PELO CANAL SERÃO OS ORIGINAIS, MAS QUE TAMBÉM SERÁ POSSÍVEL ASSISTIR AOS FILMES EM VERSÃO DUBLADA.

O LONGA “DIÁRIO DE MOTOCICLETA” É UM DOS DESTAQUES DA PROGRAMAÇÃO DE HOJE.

TV Brasil 06:30-Sustentáculos 07:00-Palavras de vida 08:00-Santa Missa 09:00-Viola, minha viola 10:15-O Brasil tem disso 11:15-Senha verde 11:30-A turma do Pererê 12:00-ABZ do Ziraldo 12:30-Um menino muitomaluquinho 13:00-Castelo Rá Tim Bum 13:30-TV Piá 14:00-Anabel 14:15-Carrapatos e catapultas 14:30-Meu amigãozão 14:45-Cocoricó na cidade 15:00-Escola pra cachorro 15:15-Tromba trem 15:30-Senha verde 15:45-Curta criança 16:00-Papo de mãe 17:00-O planeta azul VII “ A maré ascendente” 18:00-Samba na Gamboa 19:00-América Latina tal como somos“Os equatorianos”

20:00-Conexão Roberto D'Avila 21:00-Esportvisão 22:00-Revista do cinema 22:30-Soy louco por ti cinema “Cobrador, in God we trust” 00:00-Curta TV 00:30-DOC TV Latino América 01:30-Esportvisão 02:30-DOC TV “Filhos de Jaú” 03:30-DOC Especial “Boca livre no Sararé” 04:00-Telecurso tecendo o saber 04:30-Telecurso ensino médio 04:45-Telecurso ensino fundamental 05:00-Telecurso TEC 05:15-Telecurso profissionalizante 05:30-Salto para o futuro

Globo 05:40-Santa missa 06:40-Sagrado 06:55-Globo comunidade 07:25-Pequenas empresas 08:00-Globo rural 08:55-Auto esporte 09:30-Esporte espetacular

12:15-Aventuras do Didi 12:50-Os caras de pau 13:35-Esquenta 15:00-Temperatura máxima:“Garfield 2” 16:35-The voice Brasil 18:00-Domingão do Faustão 20:45-Fantástico 23:10-Domingo maior

Rede TV 06:00-Programa Ultrafarma 08:00-Igreja mundial 10:00-Deus Médico dos Médicos 11:00-Parceria 14:00-Pé na estrada 14:30-Parceria 15:15-A hora e a vez da pequena empresa 15:30-Super papo 15:45-Olhar digital 16:15-Transição 16:45-Água, um bem precioso 17:00-Galinha morta 17:15-Pague menos 17:45-Ritmo Brasil 18:15-O último passageiro 19:30-Super Bull Brasil 20:30-Star trek 21:30-Tá gravado 22:00-WWE Smackdown

23:00-Dr. Hollywood Brasil 23:45-É notícia 01:15-Bola na rede 01:45-Super papo 03:00-Igreja da Graça

Band 06:00-Show de desenhos 07:00-Profetizando vida 07:30-Exerça sua fé 08:00-Copa do Mundo de Clubes Fifa 10:30-Auto+ 11:00-Infomercial 12:00-Band Esporte Clube 13:00-Fórmula truck 14:30-Band Esporte Clube 15:00-Gol, o grande momento do futebol 15:30-Torneio Internacional de Futebol Feminino — Brasil x Portugal 15:55-Super semana do tênis 20:00-Polícia 24 horas 21:00-Pânico na Band 00:00-Canal livre 01:00-Projeto nova vida 02:00-Show mix 02:25-Cinema na madrugada:“Para eles com muito amor” 05:00-Trabalho sujo 05:50-Popcorn

SBT 06:00-Aventura selvagem 06:30-Pesca alternativa 07:30-Brasil caminhoneiro 08:00-A grande ideia 08:30-Vrum 09:00-Chaves 11:00-Domingo legal 15:00-Eliana 19:00-Vamos brincar de forca 19:45-Sorteio da Tele Sena 20:00-Programa Silvio Santos 00:00-De frente com Gabi 01:00-O mentalista 02:00-Arquivo morto 03:00-Alcatraz 04:00-Jornal do SBT

Record 06:30-Desenhos bíblicos 08:00-Domingo de prêmios 08:30-Record kids 12:00-Tudo é possível 14:00-Top model 15:00-Programa do Gugu 19:00-Domingo espetacular 22:00-Tela Máxima 00:30-Repórter Record

9


10 Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte COLUNA DO

Clube do Assinante

revista da tv

Domingo | 09 de dezembro de 2012

SERIAIS LIV BRANDÃO E TATIANA CONTREIRAS seriaais@oglobo.com.br

Promoções e descontos renovados a cada domingo

DIVULGAÇÃO

DIVULGAÇÃO

Promoções válidas de domingo (09/12/12) a sábado (15/12/12), limitadas às quantidades em estoque, somente para assinantes da TRIBUNA.

PARCEIROS. Gómez (à esquerda) e Matt Passmore em cena em “The glades”

Tutubarão Pensou em escolinha de natação, o Tutubarão possui excelentes professores, infraestrutura, ótimas turmas, tudo para crianças e adultos desenvolverem atividades aquáticas com segurança. Lá, você dispõe de modalidades como natação, hidroginástica, musculação e ginástica. Esta semana, o Tutubarão oferecerá um desconto, exclusivo ao assinante da TN, na 1ª mensalidade e 30% à vista (dinheiro) nos 2 meses seguintes em todas as modalidades, exceto hidroterapia e fisioterapia. Desconto válido somente para alunos novatos. Av. Nascimento de Castro, 954, Dix-Sept Rosado Tel.: 3223.5591/3223.5599

A&E.SEXTAS,ÀS 22H

Dramas policiais em clima quente

50% à vista (dinheiro) na 1ª mensalidade e 30% à vista (dinheiro) nos 2 meses DIVULGAÇÃO

seguintes. Conforme descrição acima.

C Word Station A Copa de 2014 se aproxima e a Word Station tem preparado um curso de inglês com duração de 18 meses para todos os profissionais que atuarão direta ou indiretamente na Copa. O curso terá início nos dias 12 e 14 de janeiro de 2013. Aproveite! Esta semana, a Word Station oferecerá um desconto, exclusivo ao assinante da TN, no curso regular de inglês Qualifica 2014. O desconto não inclui material didático. Válido somente para alunos novatos. Av. Deodoro da Fonseca, 444, Cidade Alta Tel.: 3222.7923

50%

à vista (dinheiro) no curso regular de inglês Qualifica 2014. O desconto não inclui material didático. Válido somente para alunos novatos.

■As promoções publicadas na Coluna do Clube do Assinante são exclusivas para assinantes da TRIBUNA DO NORTE, PESSOAS FÍSICAS. ■Desconto não acumulativo. ■ Para ter direito à promoção,o assinante deverá apresentar a carteira do Clube e a Identidade no ato da compra. ■Contatos para credenciamento: Depto.de Marketing.Tel.4006-6100,R.6262. ■e- mail.mkttn@tribunadonorte.com.br; clube@tribunadonorte.com.br

almaria? Que nada! A região de Everglades, na Flórida,continua bombando na terceira temporada de “The Glades”, no ar no A&E.Se o segundo ano da série foi cheio de ação,desta vez o drama policial foca também nas relações pessoais entre os personagens.É o que conta o ator Carlos Gómez,em teleconferência com jornalistas da América Latina. - Na segunda temporada,os produtores quiseram fazer de “The Glades”um programa policial mais... Comum,com mais ação e coisas do tipo.Este ano está mais interessante,vamos mostrar mais as relações entre as pessoas - revela o ator,que interpreta Carlos Sanchez,parceiro do mocinho Jim Longworth (Matt Passmore).- O público vai saber mais sobre Callie (Kiele Sanchez) e Longworth e sobre a relação do meu personagem com a família. Na trama,Carlos vive um médico que trabalha na área criminal,supervisionando os exames toxicológicos e autópsias feitas no laboratório criminal do Departamento Legal da Flórida.Foi lá que conquistou a amizade de Longworth,o policial transferido de Chicago para assumir uma vida bem diferente no estado ensolarado. - Sanchez enxerga Longworth como um bobão.Às

vezes simplesmente não acredita nas trapalhadas que ele faz,mas ele é um ótimo detetive - defende o ator,de 50 anos. A química entre a dupla vem agradando.“The Glades”foi renovada para mais uma leva de 13 episódios graças à boa audiência que a temporada atual - já terminada nos Estados Unidos - conquistou: - Depois de três anos,os roteiristas sabem bem quem são os personagens e para onde querem que eles sigam.Acho que isso faz muita diferença com relação às séries que são mais sobre as especificidades técnicas da polícia,como “CSI:Miami”, ou mesmo “CSI”. Mas engana-se quem pensa que a história vai enveredar de vez por um lado mais sentimental: - Além da ação,vamos continuar a mostrar o céu azul e as mulheres bonitas de Miami! Nascido em Nova York,filho de pais latinos,Gómez festeja a boa repercussão de Sanchez,um ótimo profissional,colega leal,bom marido e pai dedicado: - É importante que o público americano veja na TV um bom personagem latino,que é médico e não bandido.Estão surgindo mais bons papéis do tipo e o estereótipo vai desaparecer.Hollywood está vendo que somos uma população crescente. CONTINUA NA PÁGINA 11


Domingo | 09 de dezembro de 2012

revista da tv

Tribuna do Norte • Natal • Rio Grande do Norte 11

LIV BRANDÃO E TATIANA CONTREIRAS seriaais@oglobo.com.br

SERIAIS

AGÊNCIA O GLOBO

SOBE E DESCE

Quem garante é Gustavo Grossmann, gerente geral da HBO Latin America:em 2013,os novos anos de “True blood”e “Game of thrones”serão exibidos simultaneamente nos Estados Unidos e no Brasil,nas versões legendada e dublada.Nesta semana,o canal anunciou,em São Paulo,suas novidades para 2013.Em janeiro,estreiam as segundas temporadas de “Girls”, com a garota-prodígio Lena Dunham,e de “Enlightened”, com Laura Dern. Na programação do canal,mas ainda sem data de estreia definida,estão os novos episódios de “Boardwalk empire”, “The newsroom”,“Veep”e “Prófugos”. Com o fim de “Capadócia”, entra no ar a produção mexicana “Sr.Ávila”, que mostra a vida dupla de um corretor de seguros e pai de família que também trabalha como assassino de aluguel. Duas produções nacionais também estreiam no canal:as séries “O negócio”, sobre três garotas de programa de luxo que aplicam técnicas de marketing à profissão,e o docudrama “Hoje é dia de música. (COLABOROU MÁRCIA ABOS)

SERÁ QUE VINGA?

O TERCEIRO ANO DE “THE WALKING DEAD”(FOX) ESTÁ UMA COISA DE LOUCO.A SÉRIE VEIO COM TUDO. SENSACIONAL!

MAIS - MAIS

E na HBO, novidades para 2013

No dicionário,criminalística ou ciência forense reúne “conhecimentos e técnicas necessários à elucidação dos crimes e à descoberta de seus autores,mediante a coleta e interpretação dos vestígios”.O Dr. Carlos Sanchez,de “The Glades”,é bom nisso,mas não está só.

TRUE BLOOD.A série estrelada por Anna Paquin vai para sua sexta temporada AGÊNCIA O GLOBO

1.Gil Grissom.É difícil citar apenas um especialista,já que “CSI”é formada por um grupo de cientistas forenses.Mas vamos com o saudoso Grissom,que solucionava assassinatos só de analisar os insetos encontrados nos corpos.

GAME OF THRONES.Sucesso de público e crítica,a atração ganha um terceiro ano AP/LOUIS LANZANO

Alô você que está saudoso de Michael Richards na TV.O amado Kramer,de “Seinfeld”,vai participar do piloto de “Giant baby”.A sitcom conta ainda com outro medalhão:Kirstie Alley vive uma atriz da Broadway que tenta se reconciliar com o filho que deu para adoção.Richards será o motorista da limousine da ricaça.O projeto também tem Rhea Pearlman,ex”Cheers”,no elenco.

“30 Rock”pode até acabar,mas Alec Baldwin não vai deixar a TV.O premiado ator prorrogou seu contrato com a NBC por mais dois anos.A ideia é que ele desenvolva e produza novos projetos de séries para o canal, além de - claro! - atuar em algum deles. AP PHOTO/AKIRA SUEMORI

BEST-SELLER NA TV

POR QUE O SONY ESTÁ EXIBINDO “DROP DEAD DIVA” E OUTRAS SÉRIES ÀS 10H30M E 17H30M? QUEM TRABALHA PERDE...

Depois de dominar o mundo da literatura e do cinema com a série “Harry Potter”, J.K. Rowling se prepara para ganhar a TV.Seu primeiro romance adulto,“Morte súbita”, será adaptado pela BBC britânica.Em comunicado,a autora disse estar muito animada com o projeto,sobre conflitos de classes,religiões e gerações em uma cidadezinha pacata.

MAIS BALDWIN

ELE VOLTARÁ Sean Bean é outro que vai voltar a dar o ar da graça.Mas não,ele não vai aparecer em flashbacks como o Ned Stark,de “Game of thrones”. O ator substitui Brendan Fraser no projeto de mais uma série policial,“Legends”. A produção do TNT é adaptada da obra de Robert Littell.

2.Dexter Morgan.Foi nos laboratórios da vida que o protagonista de “Dexter” confirmou sua verdadeira vocação: assassinar serial killers.A trabalho, Dexter analisa padrões de manchas de sangue encontrados na cena dos crimes. 3.Abby Sciuto. Por trás do visual gótico vive uma cientista forense que passa o dia de jaleco.E,por trás do jaleco,você encontra uma personagem cheia de humor,a despeito dos casos pesados que resolve em “NCIS”. 4.Jack Hodgins.Em “Bones”, ele acumula várias funções forenses: estuda insetos,minerais,grãos de pólen e química para determinar as causas de assassinatos. 5.Dra.Harper.A médica legista que auxilia os detetives Nick Burkhardt e Hank Griffin a desvendar crimes em “Grimm”nem imagina que,na verdade,também ajuda a dupla a desmascarar criaturas fantásticas.


Revista da tv Natal • Rio Grande do Norte • Domingo • 09 de dezembro de 2012

IGOR FIDALGO igor.fidalgo@oglobo.com.br

O QUE VEM POR AÍ

12

Unidos pela música

CENA VIRTUAL DEU NA TV E FEZ SUCESSO NA INTERNET VEJA OS VÍDEOS EM oglobo.com.br/revistadatv

dia não poderia ser outro,nem a causa menos nobre.Na quarta-feira,às 22h30m,todas as MTVs do mundo - incluindo a do Brasil - vão exibir,ao vivo,o show “121212”, que acontecerá em Nova York e terá renda revertida para as vítimas do furacão Sandy.Transmitido do Madison Square Garden,o evento vai reunir um time de estrelas.Estarão no palco Paul McCartney (foto),Bon Jovi,Eric Clapton,Dave Grohl (do Foo Fighters),Billy Joel,Alicia Keys,Chris Martin,Bruce Springsteen & The E Street Band,Eddie Vedder,Roger Waters e The Who.Com quatro horas de duração,a apresentação também será exibida online.

O

FOTOS DE DIVULGAÇÃO

PRIMEIRO-CÃO A decoração de Natal da Casa Branca é vista por 90 mil pessoas todo ano.Mas antes de abrir para o povo,um convidado especial checou se tudo estava ok: Bo,o cachorro de Obama.

A USURPADORA

GRACINHA,NADA Todo mundo acha os golfinhos umas gracinhas.Menos a menina deste vídeo.Um dos cetáceos,cansado de esperar pela comida,abocanhou o braço da criança.

Paulina e Paola, interpretadas por Gabriela Spanic,estão de volta.A novela “A usurpadora” reestreia no SBT,amanhã, às 16h.Idênticas na aparência,as duas têm personalidade e padrão de vida completamente opostos.Esta será a quarta vez que a emissora exibe a trama mexicana.A última vez foi em 2007.

NÃO É O JUSTIN

FOGO! O que é pior do que um apresentador que faz uma pegadinha sem graça? Um que faz pegadinha sem graça envolvendo fogo,que resulta em acidente.

A carinha é quase igual,o jeitinho também - e ambos ganharam fama a partir do YouTube.As semelhanças são tantas que o Reino Unido considera Conor Maynard sua própria versão de Justin Bieber.Para tirar a prova,o Eurochannel exibe especial sobre o inglês que arrebatou, como Bieber,fãs no mundo inteiro.Hoje,22h30m.

ZAPEANDO MULTISHOW.O PLANET HEMP VOLTA AO CIRCO VOADOR NO SEXTO EPISÓDIO DE “TÁ GOSTANDO DO SHOW?”. FICÇÃO E REALIDADE AMANHÃ,22H. TV BRASIL. NO PROGRAMA “O SAMBA DA GAMBOA”, DIOGO NOGUEIRA FAZ UMA HOMENAGEM AO SAUDOSO

GONZAGUINHA.TERÇA, ÀS 22H. BBC HD.OS CARROS MAIS ESPETACULARES DO AGENTE 007 ESTÃO NO ESPECIAL “50 YEARS OF BOND CARS:A TOP GEAR SPECIAL”. QUINTA,23H. GNT.O CHEF CLAUDE TROISGROS RECEBE BRUNA LINZMEYER E MICHEL MELAMED NO “QUE MARRAVILHA! ROMANCE”. QUINTA, ÀS 21H30. OFF.A HISTÓRIA DE UMA AMIZADE EM MEIO A SESSÕES DE SURF PELAS PRAIAS DO RIO DE JANEIRO.O ESPECIAL “A VIDA QUE EU QUERIA” VAI AO AR NA SEXTA, ÀS 21H. BIO.O ARQUITETO OSCAR NIEMEYER É O TEMA DO “BIOGRAPHY” ESPECIAL DESTE SÁBADO, ÀS 19H.O PROGRAMA MOSTRA A VIDA E A OBRA DE UM DOS MAIORES NOMES DA ARQUITETURA MODERNA.


tn família

E-mail: tnfamilia@tribunadonorte.com.br Editor: Isaac Ribeiro

ASTROLOGIA

CINEMA

POSTURA & SAÚDE

GLAM

ARTIGO

PAULO COELHO

Mercúrio se despede de Escorpião prometendo segredos reveladores.

Filme“O Hobbit:uma jornada inesperada”tem pré-estreia próxima quinta em Natal.

Pilates é método completo para condicionamento físico e postural da coluna.

Usar amarelo não é para todo mundo.Mesmo assim,ele está em roupas e acessórios

Cardiogeriatra João Mariano Sepúlveda aborda o sono do idoso.

Colunista segue contando lembranças vividas no caminho de Kumano.

PÁGINA 6

PÁGINAS 6 e 7

PÁGINA 4

PÁGINA 8

PÁGINA 2

PÁGINA 2

NATAL | RIO GRANDE DO NORTE Domingo | 09 de dezembro de 2012 FOTO:ALEX RÉGIS

BELEZA CRESCENTE ISAAC RIBEIRO repórter

e você é um observador atento de sua cidade, já deve ter percebido que em alguns bairros existem ruas com vários salões de beleza vizinhos, disputando clientes de forma voraz e tentando mantê-los fiéis a todo custo. E esses estabelecimentos da beleza continuam se multiplicando. De acordo com uma pesquisa realizada pela Associação Nacional do Comércio de Artigos de Higiene Pessoal e Beleza (Anabel), o número desse tipo de comércio cresceu 78% no País, num período de cinco anos, saltando de 309 mil, em 2005, para 550 mil em 2010. Uma das razões prováveis para o crescimento é motivada pelo incentivo à formalização, com programas como o Empreendedor Individual, para negócios com receita bruta anual de até R$ 36 mil — o que tem agilizado a legalização de pequenos negócios, bem como o registro no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ). Com menos burocracia e incentivos fiscais, os salões têm se propagado. Com maior poder de renda circulando, a beleza deixou de ser apenas uma questão de capricho pessoal e passou a integrar as listas de despesas mensais — principalmente entre as mulheres. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em pesquisa encomendada pela Federação do Comércio, também subiram os gastos das famílias brasileiras com corte de cabelo, tintura, escova e outros tratamentos, num percentual de 44% entre janeiro de 2002 a dezembro de 2008. Mas uma coisa é certa: nesse mercado crescente, a conquista de novos clientes e a fidelização

S

daqueles já conquistados vão depender da qualidade dos serviços oferecidos. E capacitação profissional é fundamental. O Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), oferece vários cursos na área de estética e beleza. Segundo Lígia Silva, gerente de Diretrizes Educacionais do Senac/RN, a entidade registra uma demanda muito expressiva por cursos na área de beleza, realizando uma média superior a 100 turmas por ano. Em 2012, foram capacitados mais de 1.600 profissionais no segmento e a expectativa é crescer 26% próximo ano, chegando a mais de duas mil pessoas qualificadas nesseo segmento no Rio Grande do Norte. “Esse crescimento do setor é resultado do maior cuidado com o corpo e com a aparência pessoal um comportamento cada vez mais observado no Brasil, que é um dos maiores consumidores de cosméticos, produtos de higiene pessoal e perfumaria do mundo”, comenta Lígia. Outro ponto observado por ela, são as oportunidades lucrativas de negócios para empresários e empreendedores, que vêm se multiplicando, tendo como resultado uma busca por uma maior qualificação por parte de diferentes segmentos, como clínicas de estética e salões de beleza. “Além disso, por ser uma área muito competitiva, existe a necessidade do profissional se atualizar constantemente, a fim de acompanhar as tendências e atender a legislações específicas que exigem novas práticas, como é o caso da biossegurança, por exemplo.”

Número de salões de beleza no Brasil cresceu 78% em cinco anos, acirrando a disputa por clientes e fazendo com que mercado busque melhor qualificação profissional. Desburocratização, incentivos e um maior cuidado com o corpo e a aparência pessoal são um das razões para crescimento

LEIA MAIS Classe“B”é a que mais gasta com beleza.Página 3


tn família

2 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

Domingo | 09 de dezembro de 2012

Paulo Coelho [ escritor ]

O lenhador e o demônio (Kumano II) (Na semana anterior,contei minha chegada à região de Kumano,no Japão,onde existe um caminho sagrado).

um albergue perdido na montanha, a senhora que chamam de Demônio Feminino, vestida com um quimono negro, veio me receber. Tirei os sapatos, entrei no quarto tradicional japonês, e descobri que jamais conseguiria dormir com o frio que fazia. Solicitei a interprete que pedisse um aquecedor; a velha japonesa, com um olhar de desdém, disse que eu precisava me acostumar com Shugêndo. - Shugêndo? Mas a mulher já havia desaparecido, dando instruções para que fossemos jantar logo. Em menos de cinco minutos estávamos sentados em torno de uma espécie de fogueira cavada no chão, com um caldeirão pendendo do teto, e peixes em espetos colocados ao redor. Logo depois chegou Katsura, minha guia, e o lenhador. - Ele sabe tudo sobre o caminho – disse Katsura. – Pergunte o que quiser. - Antes de falar, vamos beber – disse o lenhador. - o sakê em quantidade certa (uma es-

N

pécie de vinho japonês, feito de arroz) afasta os maus espíritos. - Afasta os maus espíritos? - A bebida fermentada está viva, vai da juventude à velhice. Quando chega à maturidade, é capaz de destruir o Espírito da Inibição, o Espírito da Falta de Relações Humanas, o Espírito do Medo, o Espírito da Ansiedade. Porém, se bebida além da conta, ela se rebela e traz o Espírito da Derrota e da Agressão. Tudo é uma questão de saber o ponto que não se deve ultrapassar. Bebemos sakê, e comemos os peixes que assavam em volta do fogo. A dona da pousada juntou-se a nós. Perguntei porque a chamavam de Demônio Feminino. - Porque ninguém sabe onde nasci, de onde venho, qual a minha idade. Decidi ser uma mulher sem história, já que meu passado só me trouxe dor; duas bombas atômicas explodindo em meu país, o fim dos valores morais e espirituais, o sofrimento com as pessoas desaparecidas. Um belo dia resolvi começar uma nova vida; existem certas tragédias que não entenderemos nunca. Então deixei tudo para trás, e vim parar nes-

ta montanha. Ajudo os peregrinos, cuido do albergue, vivo cada dia como se fosse o último. E me divirto ao conhecer todos os dias pessoas diferentes. Sempre conheço pessoas estranhas como você, por exemplo. Nunca tinha visto um brasileiro em minha vida. Também nunca tinha visto um negro até 1985. Bebemos mais sakê, o Espírito da Falta de Relações Humanas parecia ter sido afastado. Falei muito do Brasil, e comecei a me sentir estranhamente em casa. - Por que as pessoas vinham até Kumano? – perguntei ao lenhador. - Para pedir algo, pagar uma promessa, ou querer mudar sua vida. Os budistas percorriam os 99 lugares sagrados que estão espalhados por aqui, e os xintoístas visitavam os três templos da Mãe Terra. No caminho encontravam outras pessoas, dividiam problemas e alegrias, rezavam juntos, e terminavam por entender que não estavam sozinhos no mundo. E praticavam shugêndo. Lembrei-me do que o Demônio Feminino me dissera, e pedi que me explicasse o que era

Segue hoje a sequência de No Caminho de Kumano,onde o mago relata memórias e experiências vividas no caminho sagrado do Japão, onde são realizadas peregrinações.Hoje conheça uma senhora chamada Demônio Feminino, que vive em um albergue perdido na montanha

(continua na próxima semana)

Dr. Jorge Boucinhas [ médico e professor da UFRN ]

Libertas libertas@libertas.com.br

aquilo. - Difícil explicar. Mas digamos que é uma relação total com a natureza: de amor e de dor. - Dor? - Para dominar a alma, você tem que aprender também a dominar o corpo. E para dominar o corpo, você não pode ter medo da dor. Ele contou-me que, de vez em quando, ia com um amigo para um dos precipícios próximos, atava uma corda na cintura, e ficava pendurado no espaço vazio. O amigo balançava a corda até que ele se chocasse várias vezes com a rocha; quando sentia que estava a ponto de desmaiar, fazia um sinal e era de novo içado. - O homem tem que conhecer a natureza em todos os seus aspectos – disse o lenhador. – Sua generosidade e sua inclemência; só desta maneira é capaz de nos ensinar o que sabe, e não apenas o que queremos aprender. Sentado em volta daquela fogueira, num albergue perdido no meio do Japão, o sakê afastando as distâncias, o Demônio Feminino rindo para (ou de) mim, eu entendi a verdade das palavras do lenhador: era preciso aprender o que necessitava, e não apenas o que queria. Naquele momento, decidi que iria achar uma maneira de praticar Shugêndo no caminho de Kumano.

boucinhas_jc@hotmail.com

Um homem excepcional

Medos repassados Ter medo é normal. Faz parte de nossa humanidade. Do ser humano. Ele nos protege em situações de risco e perigo. Sempre. Isto garante nossa sobrevivência. Em nossa construção, como pessoas, nos deparamos, muitas vezes, com medos que não sabemos explicar. Medos difusos, confusos, repentinos, duradouros, apavorantes, paralisantes e fóbicos. Cremos que ficamos apegados ao passado, presos e reféns de medos durante mais tempo que o necessário. Explico: se a situação ameaçadora passou o esperado é normal que o organismo retorne a seu estado de relaxamento. Infelizmente, muitas vezes, isso não acontece porque o corpo fica no estado de tensão, que pode perdurar por muito tempo. Este é o distresse que prolongado pode gerar adoecimento como síndrome do estresse pós-traumático, pânico, levando a diferentes formas de sofrimento. Estes, algumas vezes, são tão presentes, nas famílias que corremos o risco de recebermos ou sermos afetados pelos medos de nossas bisavós, avôs, pais, tios, que são transmitidos através das gerações. Esses medos, reais ou fantasiosos, foram sentidos por eles, decorrentes das suas experiências. É necessário, manter um distanciamento para entender que precisamos nos libertar dos aprisionamentos das gerações anteriores, para seguir mais leves em nossa jornada de busca pela saúde. Jayme Panerai Alves – Jayme@libertas.com.br

Curso (Recife) Estão abertas as inscrições para o Curso de Dinâmica de Grupo e Bioenergética Aplicado às Organizações, que tem como um dos objetivos,desenvolver nos participantes a capacidade de percepção e criatividade para atuar em diferentes grupos. Início 2013. Informações: (81) 3268-3311/3596 – www.libertas.com.br.

Recital No próximo dia 12 de dezembro será realizado o VIII Recital Harmonia Jovem, às 20h, no Teatro Municipal Dix-Huit Rosado. Organizado pelo Conservatório de Música D’Alva Estela Nogueira Freire, da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), o recital tem como tema “De Bach a Gonzaga”. Para mais informações acesse: uern.br.

Quero saber Peço orientação sobre como fazer para mudar o clima de minha casa que está insuportável por conta do futebol. Meu marido e um filho são loucos pelo Sport. Eu e outro filho torcemos pelo Náutico. Desde domingo, as brigas e xingamentos, especialmente, entre os irmãos estão demais. De repente, percebi que estava exagerado e comecei a me preocupar. Sônia Maria. Resposta:Prezada Sonia, Sugiro primeiro um diálogo com seu marido onde você possa compartilhar sua preocupação e reconhecer para ele os momentos que exagerou, xingou, ofendeu. O futebol, como qualquer esporte, é apenas um divertimento em que os torcedores ficam, momentaneamente, alegres ou tristes, mas não transformar isto numa guerra, como se fosse uma questão de vida ou morte. Mais importante, são as relações entre as pessoas, portando não ofendêlas, através de um jogo. Em seguida leve este diálogo para seus filhos e sugira mudar o ambiente familiar. Busque compreender se há outras disputas que precisam ser resolvidas. Grace Wanderley de Barros Correia Esta coluna é de responsabilidade da Libertas Comunidade www.libertas.com.br libertas@libertas.com.br

om a exceção de seus adeptos e de seus leitores, disseminados por todo o mundo, os quais, embora já muitíssimos, ainda não são senão uma parcela pequena desta humanidade que cresce a cada dia em proporções geométricas, há relativamente poucas pessoas que conhecem o nome e as idéias pregadas por uma grande figura humana. Trata-se do Professor Masaharu Taniguchi, um dos grandes guias espirituais do século XX, apelidado até de “o homem milagre do Japão”. Agudamente inteligente, dotado de profundo sentimento de amor pela humanidade, por toda sua vida não deixou de procurar uma forma de mitigar o sofrimento humano. Inicialmente buscou uma educação formal e um caminho orientado pelo que vulgarmente chamase “ter sucesso na vida” (ou seja, uma vida de prazeres mundanos, posses materiais, fama e fortuna). Foi aluno distinguido da Universidade de Waseda, mas abandonou-a, deixando de lado o curso de Literatura Inglesa para partilhar a existência das pessoas de classes sociais menos favorecidas, com elas dividindo sofrimento e pobreza, e experimentando, agudamente, na própria carne as durezas da vida. Suas indagações filosóficas não tinham respostas concretas, de vez que nunca encontrava respostas a questões complexas quais como poderia ser justo um mundo onde terríveis doenças grassam, conflitos fazem parte do dia a dia de milhões de seres, os fortes

C

exploram os fracos. Como seria possível admitir as misérias como criação de um Deus bom e magnânimo? Se Ele é criador e é benevolente, como aceitar o sofrimento? Passou, então a estudar filosofias e religiões do Oriente e do Ocidente, antigas e modernas, no afã de encontrar uma resposta plausível. Por fim, após árduos esforços, durante a meditação escutou uma voz que disse-lhe: “-A matéria não existe! A carne não existe! O sofrimento não existe! O que existe verdadeiramente é unicamente Deus e o que veio de Deus! O homem não é carne, é espírito, é perfeito, é isento de pecado, é imortal! Deus está dentro de cada homem! O ambiente e as circunstâncias são reflexo da mente. Mude a mente, e a vida mudará. O próprio homem é que cria sua felicidade ou infelicidade.” A partir dessa revelação, sua vida transformou-se. Encheu-se de harmonia interna e passou procurar retransmitir esse ensinamento a todos. Tal ensejo levou-o a editar, para divulgar as inspiradas palavras recebidas, uma revista mensal, de título Seicho-no-Ie (que pode ser traduzida do japonês, de forma livre, como Lar do Progredir Infinito, devendo-se pronunciar “seitiô-nô-iê”). Isto ocorreu a 12 de março de 1930. O modo de ver as coisas que passou a pregar atingiu desde extratos sociais mais intelectualizados até iletrados, desde ricos até pobres, principalmente devido à simultaneamente ter profundidade de pensamento e facili-

Agudamente inteligente, professor Masaharu Taniguchi era dotado de profundo sentimento de amor pela humanidade, por toda sua vida não deixou de procurar uma forma de mitigar o sofrimento humano. Inicialmente buscou uma educação formal e um caminho orientado pelo que vulgarmente chama-se“ter sucesso na vida”

João Mariano Sepúlveda [ cardiogeriatra ]

O sono do idoso ueixa repetitiva e de graduações diversas, o sono esta envolvido como protagonista ou coadjuvante, nas doenças do geronte! O padrão de sono do idoso normal é diferente do padrão de um adulto e de uma criança. Ele demora mais para “pegar no sono”, o sono é mais leve, sonha menos, podem-se ter vários períodos de interrupção durante o sono (exemplo: para urinar) e, finalmente, o tempo total de sono raramente ultrapassa seis ou sete horas. Padrão NORMAL de sono para o idoso. O problema é que o idoso quer adormecer as 21hs e despertar as 6 ou 7hs, ou seja de 9 a 10hs de sono por dia padrão de adultos jovens ou crianças! Provêm os tranquilizantes e soníferos, que quando em excesso levam a alterações de equilíbrio, quedas, fraturas...! Podemos melhorar o padrão do sono dos idosos com medidas simples, observando e reorganizando medicações, próximas a hora de dormir, ou retirando as dispensáveis que possam estar interferindo. Revisar a parte de conforto e emocional, frio, calor, leito desconfortável, mal estar, medos, inseguranças, solidão carência afetiva, isolamento! Distúrbios de poliúria, aumento do numero de micções, e nictúria, micções noturnas, interferem na qualidade do sono! A ociosidade e o sedentarismo, durante o dia, podem piorar o padrão de sono noturno. O exercício físico, a caminhada e ocupação de tempo com atividades podem restaurar o sono perdido. Evitar cochilos e deitar-se durante o dia! Evitar bebidas estimulantes à tardinha e à noite: café, chá-mate, chocolate, refrigerante e bebidas alcoólicas, etc! Depressão, tristeza, pensamentos de repe-

Q

tição, são grandes vilões de uma boa noite de sono, portanto informe ao seu medico alterações que possam estar relacionadas! Cuidadores cansados, impacientes, sobrecarregado dos afazeres do dia podem e muitas vezes interferem no sono do idoso, pois querem se desincumbir logo da tarefa, para que eles próprios poderem relaxar a noite! O cuidador do dia não deve emendar à noite, pois cai a qualidade de seus préstimos! Algumas vezes a insônia é transitória e melhora naturalmente, outras ligadas por exemplo as infecções, sobremaneira urinárias e respiratórias regridem com o tratamento do motivo desencadeador! Nas viroses, principalmente na Dengue, ocorre uma inquietação no corpo! Portanto paciência que passa! Persistindo, usar soníferos e tranquilizantes com orientação medica! O sono do idoso também será alterado em vigência de patologias como Alzheimer, Parkinson, Síndrome das Pernas Inquietas, Diabetes, Hipertensão, Insuficiência Cardíaca Congestiva, Edema Agudo de Pulmão entre outras! Lesões ósteo articulares álgicas e escaras em zona de apoio e sonhos vívidos, que dão a impressão de ter participado da ação intensamente provocam despertares constantes! Exercícios noturnos, lautos jantares tardios, ou fome noturna, são fatores que também devem ser considerados, orientação nutricional valorizando o leite e a maçã, ricos em triptófano, aminoácido relaxante que favorece o dormir! Roncos exacerbados com pausas longas e frequentes na respiração são características da Apnéia Obstrutiva do Sono, entidade patológica, que pode matar, mas que também esta envolvida com redução da produção do Hormônio do Crescimento, interferindo, na Obesidade, Diabetes, Hipertensão, Isquemia Mio-

O padrão de sono do idoso normal é diferente do padrão de um adulto e de uma criança.Ele demora mais para “pegar no sono”,o sono é mais leve, sonha menos, podem-se ter vários períodos de interrupção durante o sono (exemplo: para urinar) e, finalmente,o tempo total de sono raramente ultrapassa seis ou sete horas.Padrão NORMAL de sono para o idoso. O problema é que o idoso quer adormecer as 21h e despertar as 6 ou 7h, ou seja de 9 a 10h de sono por dia padrão de adultos jovens ou crianças!

dade de prática. O professor Taniguchi escreveu prolificamente, tendo publicado mais de quatro centenas de livros, sendo sua obra fundamental intitulada “A Verdade da Vida”, tendo qual tratado de filosofia, religião, medicina, parapsicologia, estética, psicologia aplicada, sociologia, economia, política, educação. Obra verdadeiramente enciclopédica, abrangendo praticamente todos os campos de interesse humano. O Mestre veio a falecer no dia 17 de junho de 1985, aos 92 anos de idade, na cidade de Nagazaki, Japão, mas sua vida foi profícua o suficiente para erigir a Seicho-No-Ie como divulgadora de uma filosofia positiva, de grande auxílio para os que buscam a Verdade, independente de qual seja sua religião formal de origem. Podese considerar sua obra como uma contribuição vital para compreender e solucionar os problemas vitais que afligem os homens, seja a nível individual seja a nível coletivo. Ele elaborou métodos eficazes pelos quais ações, pensamentos e sentimentos podem ser canalizados para eliminar problemas e encontrar soluções existenciais através da fé no Deus Único e do respeito a todas as pessoas como Seus filhos. Tão simples e práticas são suas proposições, ao mesmo tempo que mui eficazes em seus efeitos, que merece ser conhecido, pelo menos de forma sumária, algo sobre suas idéias. Para alegria dos potiguares há, no Estado, grupos locais que divulgam suas idéias, facilitando melhor conhecimento sobre as mesmas.

www.medicareclinica.com.br @no_formol

cárdica, Arritmia, Acidente Vascular Cerebral, na memória e atenção, porque em determinados momentos o paciente literalmente para de respirar, as asfixias duram pelo menos 10 segundos, mas podem ser bem mais longas. Quando o cérebro percebe a falta de oxigênio, o corpo libera adrenalina e a pessoa acorda para respirar. Nesse processo, a pressão arterial sobe e o coração dispara em resposta a hipóxia cerebral, que acarreta um descanso incompleto e a um sono não reparador, resultando num dia seguinte cansado e pouco produtivo com reflexos na concentração e no humor! A polissonografia é o método investigativo do numero de pausas respiratórias em uma hora, se superar as 30 pausas o caso é considerado grave. O tratamento se faz com uso de um aparelho chamado CPAP, sigla em inglês, pressão positiva continua de ar, de regulagem individualizada, que leva o oxigênio para dentro dos pulmões vencendo a obstrução e controlando o ronco! Brigar para dormir não é uma boa estratégia, caso não consiga conciliar o sono, exerça algo que sabidamente lhe relaxa, musica, meditação, alongamento, ou, finalmente, usar medicação! Sono na verdade não é quantidade, é qualidade, pode-se ter um sono absolutamente reparador em apenas 3 a 5 horas ou ter um dia seguinte dramático após 12 horas de um sono de má qualidade. Notícia comentada: Ocorreu no ultimo final de semana no Rio de Janeiro o II BrasilPrevent, evento direcionado a prevenção cardio metabólica, onde foi confeccionada a Carta do Rio, documento de intenções que propõe metas e objetivos para redução de mortes e doenças que possam ser evitadas, por medidas amplas, desde mudanças no estilo de vida ate a triagem dos potenciais riscos, bela iniciativa. Cardiologia do RN se fez representar! Bom Domingo!


Domingo | 09 de dezembro de 2012

tn família

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 3

Classe “B” é a que mais gasta com beleza SEGUNDO PESQUISA REALIZADA PELA FECOMÉRCIO, DESPESAS DAS FAMÍLIAS BRASILEIRAS COM CORTE DE CABELO,TINTURA,LAVAGEM,SECAGEM E OUTROSTIPOS DE TRATAMENTO CRESCERAM 44% ENTRE JANEIRO DE 2002 E DEZEMBRO DE 2008 ALEX RÉGIS

té para ficar mais bonito ou pelo menos com uma aparência um pouco melhor tem ficado mais caro a cada ano. Não está fácil para ninguém, como costuma-se dizer por aí. De acordo com uma pesquisa realizada pela Federação do Comércio, a partir de dados das duas últimas Pesquisas de Orçamento Familiar, do IBGE, as despesas das famílias brasileiras com corte de cabelo, tintura, lavagem, secagem, escova e outros tipos de tratamento cresceram 44% entre janeiro de 2002 e dezembro de 2008. Entre as razões apontadas pelo estudo para o aumento, está o fato de o brasileiro ser bastante preocupado com o seu visual — traço considerado enraizado na nossa cultura — e que com o desenvolvimento econômico dos últimos anos, é natural que esse mercado também se aqueça expressivamente. Quem gasta mais com tratamentos de beleza é a classe B, deixando R$ 281 milhões todos os meses nos salões. As classes D e C vêm logo em seguida, gastando cada uma R$ 236,5 milhões e R$ 208,9 respectivamente. Já os extremos, classes A e E, são as que gastam menos com beleza. A primeira gasta R$ 143,3 milhões, e a segunda, R$ 138,3 milhões. Na pesquisa, entre as regiões brasileiras, as capitais do Sudeste aparecem na frente. Somados, os gastos de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais chegam a R$ 536 milhões, ou 53% do que é gasto nesse segmento de mercado. Outro dado aponta que o gasto de famílias paulistas é maior do que o de fluminenses e mineiras juntas. As famílias que mais gastam com beleza são as da classe A de Roraima, uma média de R$ 228,13 por mês. As que menos gastam são as da classe E do Maranhão; R$ 4,10 mensais. Ainda de acordo com a pesquisa, enquanto cada

A

Joelma dos Santos Oliveira,37 anos,sempre se sentiu atraída por tudo relacionado à estética e beleza.Abrir um salão próprio era um dos seus sonhos.Depois de trabalhar cinco anos empregada em um estabelecimento desses,ela decidiu lutar em busca do que tanto queria e ter seu próprio negócio. Depois de ter adquirido experiência na prática diária da atividade,Joelma passou a investir em formação e qualificação profissional.Ela diz sempre ir em busca de renovação e atualização profissional em congressos, cursos,pesquisando na internet e em revistas especializadas. “Comecei como manicure.Aí ficava observando o que as outras faziam e passei a me interessar e a fazer também. Primeiro fui aprendendo com as colegas e depois fiz o curso no Senac,e outros na Valmare e no

Katiússa Lima, 33 anos, técnica de enfermagem, diz gastar uma média de R$300,00 todos os meses com tratamentos estéticos ALEX RÉGIS

Trabalhando com beleza há quatro décadas em Natal, Anninha Melo é referência no segmento. Ela considera tecnologia fundamental

família de classe mais alta gasta um média de R$ 64,99 por mês, as de classe mais baixa gastam R$6,13. A técnica de enfermagem natalense Katiússa Lima, 33 anos, confessa gastar uma média de R$300,00 por mês com produtos de beleza. “Toda semana é cabelo, unha, hidratação, sempre tem algo e tem pra fazer. Não tem como você chegar no fim de semana e se sentir feia. Tem que chegar arrasando!” Ela acredita que, com o passar do tempo, os gastos aumentam, pois a tendência é querer ficar sempre mais bonita — além do fato de as mulheres ter maior poder aquisitivo.

MERCADO DA BELEZA NO BRASIL Perfil do mercado de beleza no Brasil mudou em cinco anos NÚMERO DE SALÕES

ALEX RÉGIS

NÚMERO DE TRABALHADORES

FATURAMENTO DA INDÚSTRIA

2.202.360

Alta de

Alta de

77%

78%

R$ 27,3 bilhões

550.590 1.237.680 R$ 15,4 bilhões

309.420

Joelma dos Santos investe em atualização profissional indo a congressos e cursos, além de pesquisar bastante

BATE-PAPO 2005

Lígia Silva » gerente de diretrizes educacionais do Senac/RN Qual o perfil de quem procura qualificação na área de estética e beleza? As mulheres ainda são a maioria, mas o número de homens também tem aumentado. Grande parte dos nossos alunos são estudantes, pessoas que já atuam no setor e querem se capacitar para desempenhar bem o trabalho e/ou pessoas que pretendem abrir o próprio negócio por perceber que esta é uma área que gera possibilidade e oportunidade de geração de renda de forma rápida. Com tantos salões, há mercado para todos? Realmente é possível constatar uma intensa quantidade de salões

dos mais variados perfis em nossa cidade. De acordo com estudo do Ibope divulgado recentemente, a região Nordeste é a segunda do País que mais gasta com a beleza. Dessa forma, acreditamos que há espaço para aqueles estabelecimentos que desenvolvem um serviço com qualidade. Para isso, a qualificação profissional é essencial. Quais são os cursos mais procurados nessa área de beleza? Temos cerca de 30 cursos no nosso portfólio para o segmento, dentre os quais se destacam cabeleireiro, depilador, design de sobrancelhas e técnico em estética. Oferecemos capacitações na área de imagem pessoal em Natal e nos

municípios de Macaíba, Assú, Caicó e Mossoró. Além disso, atuamos com uma carreta-escola, que cruza os municípios potiguares. Quais conselhos você daria a quem pretende abrir um salão de beleza no próximo ano? O principal deles é buscar conhecimento na área, em instituições reconhecidas, como o Senac, a fim de desenvolver um trabalho com qualidade, segurança e foco nas tendências do mercado. Conhecer e atender as exigências da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) também é essencial, assim como noções de gerenciamento e empreendedorismo.

2010

2005

ma desesperada de atuar, sem um pensamento lógico do que realmente é a profissão. Ela não exita em aconselhar quem planeja abrir um salão de beleza. Ter certeza se é realmente isso que se quer é fundamental para entrar na profissão, amar o que faz, ou ter vocação, como prefere a empresária. E trabalhar, trabalhar e trabalhar... “Ser cabeleireiro é abraçar sua cliente todos os dias que ela vem na sua casa. E você tem que aprender a escutar. Quem não sabe escutar sua cliente e que não gosta de compartilhar essa cumplicidade, realmente não pode entrar na nossa profissão”, conclui Anninha.

2005

2010

2010

2002

19,8 15,9

7,7 4,8 2,4

Classe AB

1,7

Classe C

Classe DE

CONSUMO DE COSMÉTICOS EM PORCENTAGEM POR CLASSE Esmalte

Mercado ficará ainda mais seletivo mercado internacional no Brasil de Collor. “Antigamente existia o secador. A gente colocava os bobs, a máquina ia, secava, e você tinha de ter a paciência de esperar. O boom da profissão foi quando a mulher saiu do secador para fazer a escova manual”, comenta Anninha. A empresária indica ficar atento à qualidade da tecnologia e dos profissionais, pois muitos ainda não estão realmente preparados para as novidades. “O cabeleireiro que não tem a tecnologia do conhecimento, vai ter que estudar; e esse mercado vai ter que se ajustar a isso. Para Anninha Melo, no crescente mercado atual, há uma for-

2010

GASTOS COM HIGIENE E BELEZA (em bilhões de reais)

Creme facial

Uma das referências quando o assunto é estética e beleza em Natal, Anninha Melo tem quatro décadas dedicas a embelezar as natalenses. Do alto de sua experiência, ela acredita que a profusão de salões abertos dia após dia, vai tornar o mercado cada vez mais seletivo, onde a própria cliente terá capacidade de escolher, de forma bastante criteriosa, o profissional em quem confiar. Um ponto negativo, na opinião da cabeleireira e empresária, são as ciladas ocultas nessa oferta toda. “Às vezes só tem a embalagem, mas não tem o profissional”, comenta Anninha, que relaciona o atual crescimento do setor à abertura do

QUALIFICAÇÃO FAZ DIFERENÇA NA DISPUTA POR CLIENTES

Perfume

86

80

80

86

71 60

81 63

62

60

55

77

71

55 48

30 23 11 AB 2003

C

DE

AB

C

DE

AB

C

DE

2010

Fontes:Associação Nacional do Comércio de Artigos de Higiene Pessoal e Beleza (Anabel) / Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal,Perfumaria e Cosméticos (Abihpec) / Data Popular

Embeleze.Depois,fui praticando e buscando conhecer o mercado”, conta a cabeleireira, proprietária de um salão de beleza em Nova Parnamirim — aliás,no mesmo trecho da rua funcionam mais cinco salões. Para Joelma,essa situação chega a atrapalhar um pouco no sentido da concorrência, digamos,desleal com relação ao investimento em qualificação. “Você vai a congressos,investe nas tendências,investe em produtos;e algumas pessoas não entram de forma tão profunda,vai uma ou duas vezes para um curso,e aí para,e já abre um salão.Isso atrapalha um pouco porque nós buscamos coisas novas;aí vem uma pessoa que não vai buscar tanto isso, abre um salão e coloca o preço lá embaixo.E nós,que fazemos um investimento mais alto,não tem como concorrer com o preço daquela pessoa”, desabafa a cabeleireira. Joelma relaciona o crescimento generalizado do número de salões de beleza ao desenvolvimento do próprio mercado e o aumento na procura por serviços de estética. “Acredito que as mulheres passaram a se cuidar mais.Elas estão mais vaidosas.Mas não só elas;os homens também.Antes, eles não frequentavam tanto salão;só ima cortar um cabelo e pronto.E hoje,eles procuram fazer uma limpeza de pele,fazer a unha,cabelo,hidratação.”


4 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

tn família

Domingo | 09 de dezembro de 2012

Jota Oliveira

AGENDA Depois de uma temporada no parque Villa Lobos, o SPFW volta ao prédio da Bienal, para os desfiles do verão 2014. A temporada de desfiles acontecerá entre 18 e 22 de março de 2013 e promete um calendário cheio.

jotaoliveira@tribunadonorte.com.br

CARPE DIEM! Há Momentos! Há momentos na vida em que sentimos tanto a falta de alguém que o que mais queremos é tirar esta pessoa de nossos sonhos e abraçá-la. Sonhe com aquilo que você quiser. Seja o que você quer ser,

porque você possui apenas uma vida e nela só se tem uma chance de fazer aquilo que se quer. Tenha felicidade bastante para fazê-la doce. Dificuldades para fazê-la forte. Tristeza para fazêla humana. E esperança suficiente para fazê-la feliz. As pessoas mais felizes não têm as melhores coisas. Elas sabem

JOÃO NETO

fazer o melhor das oportunidades que aparecem em seus caminhos. A felicidade aparece para aqueles que choram. Para aqueles que se machucam. Para aqueles que buscam e tentam sempre. E para aqueles que reconhecem a importância das pessoas que passam por suas vidas.

JOÃO NETO

ARQUIVO

Vivas para o deputado líder Henrique Alves e Laurita. Ele em nova primavera

O futuro mais brilhante é baseado num passado intensamente vivido. Você só terá sucesso na vida quando perdoar os erros e as decepções do passado. A vida é curta, mas as emoções que podemos deixar duram uma eternidade. A vida não é de se brincar porque um belo dia. (Clarice Lispector) JOTA OLIVEIRA

Em idade nova amanhã, Dilma divide felicidade com o amado Gustavo Carvalho

ARQUIVO

PARABÉNS! Glicia Gentil, Tarcísio Generoso, Ana Catarina Alves Wanderley, Henrique Alves e Milena Galvão F. de Souza. Nesta segunda (10), Manoel Ribeiro, Larissa Bila, Monica Carvalho, Marcia Pinheiro, Dilma carvalho.

Ana Catarina Alves rasgando folhinha, com os cumprimentos da coluna

SAVE THE DATE

BENEFICENTE O Grupo Escoteiros do Candelária está comemorando, hoje, 27 anos e realiza uma comemoração para promover a conscientização da população sobre a responsabilidade com o meio ambiente.

Themis Dantas e Letícia Maria em vivas para a aniversariante Milena Galvão Ferreira de Souza

Confirmado para o dia 25 de janeiro, numa sexta-feira, a 9ª edição da festa Viva o Verão, a acontecer no Espaço Ecomax. Ocasião que terá palco da banda Pura Tentação, DJ e Tiago Correa, que é sucesso fazendo os embalos das melhores festas do eixo Rio e SP. Na sequência, detalhes da noitada que vai reunir grupos de festeiros do litoral sul.

Lá em São Luiz/MA abraços para Glícia Gentil, em idade nova

COMBATE Quanto mais se fala em corrupção, mais o MP combate e cada vez mais surgem casos no Brasil. Com isso, a CGU realiza hoje uma programação alusiva ao Dia Internacional de Combate à Corrupção.

Pilates como solução para dores na coluna

S

1

4

O pilates, além dos princípios, se destaca pela possibilidade da realização dos exercícios no solo (ou seja, num tatame) e em equipamentos específicos.

5

Não devemos esquecer, no entanto, que as sessões devem ser conduzidas por profissionais especializados e com formação no método.

ALINI BRITO - Fisioterapeuta e Educadora Física

3

Seis são os princípios básicos pelos quais o Pilates é executado: concentração, controle, foco no centro do corpo, movimento fluido, precisão e respiração.

Dúvidas no site www.itcvertebral.com.br

2

Postura & saúde

Pesquisas revelam que cerca de três entre quatro adultos serão acometidos de dores nas costas em alguma fase de suas vidas;número relacionado ao aumento da longevidade da população.

O pilates surge como um método completo de condicionamento físico, postural, e de reabilitação, e que feito de forma adequada por profissionais capacitados, ajuda na prevenção e no combate à lombalgia.

ão cada vez mais frequentes as queixas de adultos das mais variadas idades com problemas de dores nas costas. Isso tem provocado um crescimento no número de tratamentos médicos e alternativos para tratar de problemas de coluna. A dor nas costas, também chamada de lombalgia, acomete a parte inferior da coluna vertebral (coluna lombar). Pesquisas revelam que cerca de três entre quatro adultos serão acometidos de dores nas costas em alguma fase de suas vidas e esse número está diretamente relacionado ao aumento da longevidade da população e da expectativa de vida. Frequentemente, o problema é postural, ou seja, causado por uma má posição para sentar-se, deitar-se ou abaixar-se. Outras vezes, pode ser provocada por inflamação, infecção, hérnia de disco, artrose e outros problemas degenerativos. A prática de exercícios físicos é um dos meios mais eficazes para prevenir o problema ou evitar novos episódios. Entre as atividades mais recomendadas estão as técnicas de alongamento, mobilização articular e fortalecimento muscular, pois a coluna precisa ser forte, para sustentar o esqueleto, e ao mesmo tempo maleável, para permitir uma grande quantidade de movimentos. Dentro deste contexto, o pilates surge como um método completo de condicionamento físico, postural, e de reabilitação, e que feito de forma adequada por profissionais capacitados, ajuda na prevenção e no combate à lombalgia. O método fortalece os músculos fracos, alonga os músculos que estão encurtados e aumenta a mobilidade das articulações. Além disso, são feitos com poucas repetições, em alinhamento postural e com o máximo de precisão, configurando-se na tentativa do controle dos músculos envolvidos nos movimentos da forma mais consciente possível. Seis são os princípios básicos pelos quais o Pilates é executado: concentração, controle, foco no centro do corpo, movimento fluido, precisão e respiração. Todos os exer-

cícios são adaptados às condições do paciente, e o aumento da dificuldade é feito progressivamente, respeitando-se as características individuais e a evolução de cada um. A ênfase nesses princípios é, sem dúvida, o que diferencia o método das demais técnicas de fortalecimento muscular, e também o “grande segredo” do seu sucesso no tratamento das dores nas costas. Dentre todos eles alguns merecem destaque, sobretudo o trabalho respiratório, a fluidez na realização dos movimentos e o enfoque no centro corporal (contrologia). Contrologia significa o controle consciente de todos os grupos musculares do corpo, sobretudo dos abdominais em conjunto com os músculos profundos da coluna e glúteos. São de extrema importância pois sustentam a coluna vertebral, os órgãos internos e mantém o alinhamento da postura, prevenindo lesões durante a pratica dos exercícios e proporcionando estabilidade para o tronco. O movimento fluido é um princípio que preconiza que todos os movimentos devem ser realizados de forma controlada, suave e uniforme, pois movimentos bruscos e rápidos podem machucar o praticante durante os exercícios. E, é a respiração que proporciona a maior eficácia da contração dos

músculos do abdome, ajuda a controlar os movimentos, oxigenar os músculos e liberar tensões. O pilates, além dos princípios, se destaca pela possibilidade da realização dos exercícios no solo (ou seja, num tatame) e em equipamentos específicos. Os aparelhos são próprios para o método e apresentam uma nomenclatura peculiar: reformer, trapézio (ou cadillac), cadeira, barrel, entre outros. Possibilita o fortalecimento da musculatura, utilizando a resistência de molas, o que significa maior eficiência e menos impacto nas articulações. Os aparelhos foram idealizados pelo seu inventor: o alemão, Joseph Hubertus Pilates. No entanto, sem perder a “essência do método” e preservando sua ideia original, várias empresas, que trabalham no ramo da reabilitação, vêm promovendo adaptações e variações, com o objetivo de proporcionar maior eficácia e segurança no tratamento dos pacientes. Hoje, existem no mercado aparelhos e profissionais especificos para alunos com patologias na coluna, adaptados ergonomicamente, alinhando segurança e estabilidade na execução dos movimentos. NEW PILATES Assim, por exemplo, o tradicio-

nal Barrel (uma especie de barril, utilizado para exercícios de flexibilidade e fortalecimento muscular). Ganha barras metálicas acopladas, proporcionando uma infinidade de exercícios específicos para o alongamento da musculatura do tronco e membros inferiores. Os exercícios no tatame são incrementados por faixas elásticas e bolas suíças; os encaixes e as alturas dos aparelhos podem ser ajustados; os apoios de mãos e pés são acolchoados. Tudo para proporcionar maior conforto na prática dos exercícios. Com todas essas inovações e adaptações, os maiores beneficiados são os pacientes e praticantes do método, que ganham um meio eficaz para o tratamento das dores nas costas, melhora da postura corporal, aumento da flexibilidade, tônus e força muscular. Para maiores informações desse novo conceito dos aparelhos de pilates entrar no www.herniadedisco.com.br. Não devemos esquecer, no entanto, que as sessões devem ser conduzidas por profissionais especializados e com formação no método, após a avaliação individual do aluno, orientando-os sobre os princípios da prática e delimitando os objetivos de cada praticante.


Domingo | 09 de dezembro de 2012

tn família

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 5

ELEIÇÃO O empresário e ex-vereador Marcílio Carrilho irá

Jota Oliveira

disputar, no dia 14 deste mês, o comando do Iate Clube de Natal, com a chapa “Iate de todos”, acreditando na vitória do trabalho que ele já realizou como comodoro da associação.

jotaoliveira@tribunadonorte.com.br

CELEBRANDO A VIDA CLICS DE JOÃO NETO E LUCIANO TOSCANO DA BIG PARTY DE IDAÍSA FERNANDES

TAKE A NOTE! ACNE by Dra. Graça Silveira Não tem jeito: oito em cada dez pessoas entre 11 e 30 anos terá acne, comprovam os estudos. Cabe lembrar que a acne tem um forte impacto psicossocial, afetando a qualidade de vida e atingindo de maneira muito negativa a auto-estima de quem sofre com as espinhas. As dicas: lavar o rosto com sabonetes a base de ácido salicílico, 2 vezes ao dia. Substâncias tópicas como o peróxido de benzoíla, eritromicina ou clindamicina, além de retinóides como o ácido retinóico, ou adapaleno, são muito efetivos. No consultório, os peelings químicos e terapia com LED azul aperfeiçoam os resultados. Caso a acne seja muita severa ou não apresente melhora, a associação de antibióticos orais pode resolver. Se não houver melhora com essas medidas, a isotretinoína oral deve ser considerada. Alterações no fígado, aumento do colesterol, queda de cabelos, entre outros efeitos, podem ocorrer, sendo necessário o acompanhamento médico.

PARCERIA A Fórmula 1 fechou acordo de patrocínio com a marca de relógios de Luxo,Rolex,válido a partir da próxima temporada.A marca terá seus logos estampados nos circuitos e realizará a cronometragem.

SUSPENSÃO A Anvisa suspendeu a comercialização,distribuição e a divulgação do implante facial Biossimetric.De acordo com o órgão, o fabricante não cumpria os requisitos exigidos,o que oferecia riscos aos usuários.

CELEBRAÇÃO A Fecomércio promove um almoço para apresentar a imprensa um balanço das ações ao longo do ano e as previstas para 2013.O evento acontece na próxima terça-feira,no Guinza Blue – Via Costeira,às 12h.

AJUDA O Espaço Solidário – Centro de Convivência do Idoso,em Mãe Luíza atende idosos que estão em situação de risco social.A entidade está precisando de recursos para cobrir despesas. Contato pelo número 3202.1026.

MORADIA Um ranking apontou as melhores e piores cidades para se viver.Apenas três cidades brasileiras aparecem na lista e a melhor colocada foi Brasília,na 102ª posição,uma a menos que no ano passado.

FESTAS Além do Natal e Réveillon,outras festas estão na cabeça do brasileiro.Nos preparativos para o Carnaval,foram gravadas as vinhetas das escolas de samba cariocas,que começam a ser exibidas em janeiro de 2013.


6 | Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte

tn família

Domingo | 09 de dezembro de 2012

CAMAROTE Celebrando o sucesso da sua participação

Liege Barbalho

no Carnatal, o camarote Pepper´s Hall encerra sua temporada hoje tendo como atrações, nos intervalos dos blocos, o cantor Valber Fernandes, Luizinho Nobre e banda The Frois.

liegebarbalho@tribunadonorte.com.br

O SIM DE ANA CLÁUDIA E ROMILDO

MATRIMÔNIO Com cerimônia celebrada pelo cônego José Mário, Ana Cláudia e Romildo Júnior juraram amor eterno. Filhos de Aderson Silvino de Souza, Zélia Lima de Souza, Romildo Amaral de Araújo e Liduína Helena Rebouças de Araújo, os noivos subiram o altar da igreja Nossa Senhora de Santana, em Capim Macio, que recebeu decoração composta por rosas brancas.

»»Após a celebração, os

FOTO:LIEGEBARBALHO.COM

Romildo e Ana Cláudia com os pais da noiva, Zélia Lima e o des. Aderson Silvino

Casal com os pais do noivo, Liduína Helena e Romildo Amaral Araújo

Irmãos e cunhadas da noiva: Marxson e Sheila, Max Cristiano e Luciane

A noiva vestiu criação da grife pernambucana Vert et Rouge, o make up foi assinado por Sinval de Souza. O bolo de casamento foi confeccionado por Tereza Neumann Guanabara, os doces ficaram a cargo do talento de Norma Mitre, os bens casados foram feitos por Dulce Doces. Para registrar o momento, Alex Costa foi responsável pelas fotografias. Com cobertura exclusiva da coluna e clicks de Valéria Araújo, mais fotos da união do casal podem ser acessadas no liegebarbalho.com no link Quem Acontece.

Tios do noivo, desembargador João Rebouças e Nadja

A governadora Rosalba e o esposo Carlos Augusto em click com a noiva

A noiva com os pais, desembargador Aderson Silvino e Zélia e esta colunista

COMEMORAÇÃO

Desembargador Amaury Moura Sobrinho e sua Grace

nubentes receberam os cumprimentos no Versailles Cidade Jardim, em ocasião elegante, onde o bom gosto e refinamento deram o tom à recepção, dividida em dois ambientes. No rol da entrada, móveis clássicos destacavam-se aliados a majestosos tapetes, compondo a ambientação. No quesito floral, lírios e rosas, na cor róseo ressaltaram a beleza da decoração.

»»

Para celebrar seu aniversário, a toda simpatia Idaísa Fernandes reuniu grupos de amigos em noite animada ao som do DJ Solon Silvestre. A aniversariante recebeu coro de vivas no Spaço Guinza com comemoração regada a scotch e sessão de borbulhas. Ao lado do marido José Ivan Fernandes, dos filhos Breno, Filipe e Beatriz, da mamy Ana Tereza Motta e dos irmãos Aureliano Motta e Ronaldo Filho, a anfitriã celebrou seus 5.0 em ocasião cheia de bem querer. Mais flashes dos parabéns para Idaísa, no liegebarbalho.com no link Quem Acontece.

A magistrada Lena Rocha e o ministro Garibaldi Filho

Presença do senador José Agripino com sua Anita Maia

Ex-governadora Wilma Faria e José Maurício

Várias »» CARNATAL Encerra hoje mais uma edição da maior micareta do

país, evento que movimenta a capital potiguar, durante quatro dias. Os foliões se despedem neste domingo do Carnatal com gostinho de quero mais. Clicks do evento no liegebarbalho.com. Na próxima coluna traremos os flashes do evento.

»»

Os parabéns da coluna para os irmãos Ana Catarina e o dep. Henrique Eduardo, ambos mudando de idade hoje

O cônego José Mário com o casal Ana Maria e João Moura em noite de sessão de autógrafos na livraria Nobel de Petrópolis

Idaísa Fernandes em pose com os herdeiros, Breno, Beatriz e Filipe, na festa comemorativa ao seu aniversário no Spaço Guinza

Vivas para toda simpatia Milena Galvão brindando aniversário hoje

PRÊMIO Para alegria de Dadá Costa,a Cachaça Samanaú Prata, produzida no Seridó, recebeu a medalha de Bronze no NewYork International Spirits Competition,evento que avalia os melhores destilados do mundo.Mais de 400 produtos entre licores,conhaques,whisks e cachaças participaram da competição.A cachaça seridoense alcançou o título tendo 89% de aceitação entre os 20 integrantes do corpo de jurados.

»» SEMINÁRIO »» LIVRO A Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra, promovendo o “I Seminário de estudos de Política e Estratégica – 2012”. Com início amanhã, o evento segue até sexta-feira.Todas as atividades acontecerão no auditório da Procuradoria Geral do Estado. As inscrições ainda podem ser feitas através do e-mail adesgrn@gmail.com.

Bárbara Abramo

Cinema

Horóscopo

“Necrológico de Dom Nivaldo Monte” proferido pelo Cônego José Mário de Medeiros em junho de 2010 na Academia Norte Riograndense de Letras, foi transformado em livro que foi lançado na última quarta-feira na Livraria Nobel de Petrópolis. O agradável encontro reuniu um seleto público, tendo como anfitrião, o casal Ana Maria e João Moura.

★ RUIM ★ ★ REGULAR ★ ★ ★ BOM ★ ★ ★ ★ ÓTIMO ★ ★ ★ ★ ★ EXCELENTE ESTREIA

Mercúrio se despede de Escorpião:segredos revelados! Lua nova em Sagitário:13/12

Áries 21/03 a 20/04

Câncer 21/06 a 21/07

Domingão perfeito para curtir o seu amor o dia inteiro,ficando à disposição e ao sabor das circunstâncias que ele impuser a você.As relações amorosas dão o tom e o sentido de hoje.Mas cuidado para não gastar dinheiro à toa!

Nada de muitas peregrinações sociais por hoje.Tudo o que sua alma pede é recolhimento e beleza à sua volta, para tranquilizar seu ser,reforçar raízes e rever o passado.Talento artístico pronunciado.Diplomacia em família.

Touro 21/04 a 20/05

Leão 22/07 a 22/08

Respeito à rotina é essencial hoje.Siga seu instinto para não se exceder em nada.Clima astral favorável para as aproximações cuidadosas. Informe-se sobre assuntos de saúde.Confira opções melhores para seu cotidiano.

Gêmeos 21/05 a 20/06

Você está muito criativo hoje! Mesmo que não dê em nada de concreto,por que não tentar algo bonito,elegante e diferente? Mãos à obra nas artes e técnicas,pois você está muito habilidoso.E quer aplausos também.

Varie o clima procurando novos horizontes,pessoas e programas. Por exemplo,visite uma exposição de arte na sua cidade.Vai fazer bem a você,além de inspirá-lo.O diálogo amoroso é chave para a paz com seu parceiro.

Virgem 23/08 a 22/09

Mercúrio se despede do investigativo Escorpião,e a urgência por destravar o que anda obscuro é maior.Você pode cutucar alguém e destampar uma fonte de informações surpreendente.A pressa, neste caso,é amiga da perfeição.

Libra 23/09 a 22/10

A Lua segue em seu signo,portanto, ainda por hoje,mantenha a linha saudável e as atividades que promovam bem-estar e equilíbrio físico e emocional.Seus pontos fracos estão à flor da pele. Suscetibilidade maior.

Escorpião 23/10 21/11

Inquietude e pressa, talvez a sua necessidade de movimentar-se aumente hoje. Problemas nas comunicações,mas olho clínico agudo desvenda intenções e inclinações inconfessas dos mais próximos.Dinheiro pode ser um problema.

Sagitário 22/11 a 21/12

Vênus e o nodo lunar norte em ângulo poderoso indicam necessidade de reciclar emoções e se liberar de mágoas que aprisionam,para que você se sinta livre para estar bem com os amigos e com eles projetar futuros melhores.

Capricórnio 22/12 a 20/01

Momentos difíceis neste domingo,se você não curvar sua teimosia! Guarde para si suas suspeitas.Ainda não é hora de falar o que pode chocar ou incomodar os mais próximos.Curta seu domingo mais leve e solto!

Aquário 21/01 a 19/02

O que está longe exerce especial encanto em sua alma hoje.Mas quem resiste à tentação de provocar os mais fortes e poderosos? Você mostra conhecimento e domínio, então incomoda uns e outros.Mas é seu destino.

Peixes 20/02 a 20/03

Um domingo de pequenos desarranjos. Nada dramático,mas incomoda,como uma pedrinha no sapato numa longa caminhada.À noite,isso passará.Então, fertilidade e abundância virão brindar sua alma.Inspirações delicadas.

★ ★ ★ A ORIGEM DOS GUARDIÕES (Livre,dublado) Moviecom 1.Sessões 14h,16h10,18h20 e 20h30 / Moviecom 6.Sessões (3D) 15h10, 17h20 e 19h30 / Cinemark 3.Sessões 11h05 (sáb e dom),13h20,15h50,18h10,20h30 (exceto ter e qui) e 23h (sáb) / Cinemark 7. Sessões (3D) 11h (sáb),12h (exceto sáb), 14h30,17h e 19h20 O filme,baseado na série de livros“The Guardians of Childhood”,de William Joyce, conta a trajetória do grupo formado pelo Papai Noel,Coelho da Páscoa,Fada dos Dentes,que se unem para salvar o mundo do malvado Bicho-Papão.Ele pretende iniciar uma era da escuridão,que destruirá o sonho de todas as crianças.Direção:Peter Ramsey ★ ★ ★ ★ GONZAGA – DE PAI PARA FILHO (12 anos,nacional) Moviecom 2.Sessões 16h35 e 21h35 / Cinemark 4.Sessões 12h30,15h,17h55 e 20h50 Um pai e um filho,dois artistas,dois sucessos. Um do sertão nordestino,o outro carioca do Morro de São Carlos.Encontros,desencontros e uma trilha sonora que emocionou o Brasil. Esta é a história de Luiz Gonzaga e Gonzaguinha,e de um amor que venceu o medo e o preconceito e resistiu à dist��ncia e ao esquecimento.Direção:Breno Silveira ★ ★ ★ AMANHECER – PARTE II (14 anos,dublado e legendado) Moviecom 2.Sessões (leg) 14h10 e 19h10 /

Moviecom 6.Sessão (leg) 21h40 / Moviecom 7.Sessões (dub) 14h,16h30,19h e 21h30 / Cinemark 1.Sessões (dub) 12h40,15h20,18h, 20h40 e 23h15 (sáb) / Cinemark 6.Sessões (dub) 11h (sáb e dom),13h40,16h20,19h e 21h40 / Cinemark 7.Sessão (leg) 21h50 Ao ver Reneesme,filha de Bella Swan (Kristen Stewart) e Edward Cullen (Robert Pattinson) consegue transformá-la em vampira,Jacob tem um imprinting (amor à primeira vista). Bella não aceita esse fato no início,mas depois compreende e eles convivem em harmonia. Após algum tempo,entretanto,a criança (que se desenvolve rapidamente) é vista por Irina, do clã Denali.Com raiva dos transmorfos,ela conta aos Volturi sobre Renesmee,iniciando um batalha sangrenta que dará fim à Saga Crepúsculo.Direção:Bill Condon l TRÊS HISTÓRIAS UM DESTINO (10 anos,dublado) Moviecom 3.Sessões 17h e 21h20 Frank,o dedicado pastor de uma pequena igreja,é obcecado pelo poder e pela ambição de expandir sua congregação.Jeremias é um garoto nascido numa favela,que se envolve com o mundo das drogas e do crime. Elizabeth foi criada por uma mãe superprotetora,mas,ao encontrar seu grande amor,experimenta uma liberdade para a qual não estava preparada.Três histórias diferentes,três pessoas buscando a mesma resposta para seus dilemas:como traçar um novo rumo na vida? Direção:Robert C. Treveiler


Domingo |

09 de dezembro de 2012

tn família

Tribuna do Norte | Natal | Rio Grande do Norte | 7

Hilneth Correia hilnethcorreia@tribunadonorte.com.br

AS GUITARRAS SILENCIAM... Mais um Carnatal chega ao fim. São 21 anos embalando jovens e adultos. Muitos casamentos nasceram desta folia e alguns se foram... Mas, a festa é da cidade e termina neste domingo com Cerveja & Coco, puxado pela banda Asa de Águia; Swingaê, com a banda Grafith; e o Bicho, com Ricardo Chaves. Camarote Skol traz o Ensaio do Araketu com Tatau, Arquivo Vivo e Banda Pur. E o Camarote Pepper’s Hall vem com Valber Fernandes, Luizinho Nobre e The Frois. Para quem está na folia : DIVIRTAM-SE e até o próximo ano!

DOMINGO MAIOR! Que não é o do “plin plin” é o nosso recheado de clics. Fotos do lançamento de “EU PERDOO”, de João Faustino sucesso de público e de vendas..., JANTAR do CDL; o “parabéns” de

Toninho e Paulo Magalhães cheio de amigos sob o comando do papi GRACO e o nosso jantar natalino no ABADE reunindo Hamilton Silveira-Edna, as filhas Juliana (minha afilhada) e Gabi;

minha mana Ana e Ana Lídia, eu e Raphael. Um encontro que promovemos todos os anos, no início de dezembro... E só resta desejar um bom domingo e uma semana esplendida!

O nadador potiguar Adriano Lima , destaque da terceira e última etapa do Circuito Loterias Caixa de Atletismo, Halterofilismo e Natação 2012. Patrocinado pela construtora Hazbun,o paratleta de 39 anos,há 19 na seleção, faturou duas medalhas de ouro, conquistadas nos 50m e 100m livre,no último final de semana em Fortaleza. GAAC- Uma ação simpática do Grupo Pestana numa parceria com o Grupo de Apoio à Criança com Câncer do RN,10 crianças puderam passar um dia de lazer com o projeto Happy Day.As crianças são recebidas com café da manhã,banho de piscina,recreação infantil,atividades na brinquedoteca,seguido de almoço... FORA CORRUPÇÃO - A ControladoriaGeral da União (CGU),em conjunto com instituições parceiras do Movimento Articulado de Combate à Corrupção (MARCCO),realiza hoje,no Parque das Dunas,uma manhã de comemoração ao Dia Internacional Contra a Corrupção. Haverá distribuição de material informativo e apresentação de ações desenvolvidas sobre o tema...* A SEMANA -A ADESG/RN inicia amanhã, no auditório da Procuradoria Geral do Estado o I Seminário de Estudos de Política e Estratégia,com a participação de renomados conferencistas da ESG e ADESG Nacional,além de autoridades locais...* O Museu Câmara Cascudo (MCC), da UFRN,envia nesta segunda uma equipe ao Hospital Varela Santiago e ao Grupo de Apoio à Criança com Câncer (GACC),para fazer a entrega de brinquedos e cartas arrecadados durante a exposição“Criança:O sonho de brincar,o direito de viver”.

2

3

IATE CLUBE Não podia ter nome melhor e mais dedicado para disputar a comodoria do Iate Clube : MARCÍLIO CARRILHO. Na sua gestão foi responsável por grandes feitos e nesta próxima promete a sede da Lagoa do Bonfim. Eleição dia 14 SICILIANO- LANÇAMENTO livro Angiologia para Clínicos Diagnósticos e Condutas Práticas em Angiologia, Cirurgia Vascular e Angiorradiologia com sessão de autógrafos pelo autor Dr Abdo Farret Neto, quarta-feira, na Livraria Siciliano, do Midway Mall. Uma obra voltada a atualização de assuntos da área vascular mais frequentes no dia a dia do profissional da saúde.

REGISTRAR ... A HASBUN APOIANDO

EU PERDOO - O escritor João Faustino e os irmãos Astor e Fernando

EU PERDOO - Aécio Emerenciano, os filhos Marcos e Kabeto com Gilberto Ribeiro Coutinho

EU PERDOO - Edson Faustino,o top paulista Alexandre Morais e Raphael Correia

JANTAR DO CDL - A “família” NORDESTÃO Manoel, Geraldo, Félix e Leôncio Medeiros e senhoras

JANTAR DO CDL - Encontro de Fernando Mineiro com Valéria Oliveira e Mônica McDowel

DINNER NO ABADE Hamilton Silveira e as filhas Juliana e Gabi

DO NAT DE IDAÍSA CAVALCANTI FERNANDES UMA FESTA BÁRBARA NO SPAÇO GUINZA.FOTOS DE JOÃO NETO E DA MINHA XERETA... PARABÉNS PRA VOCÊS Abraçar e festejar um domingo recheado de gente querida como Henrique Alves, Ana Catarina Alves, Milena Galvão Ferreira de Souza, Glícia Gentil e começando a semana com Dilma Carvalho, Larissa Billa Cabral, Flávia Bezerril, Márcia Kafensztok, Ilma Fernandes, Monique Galvão Chaves, Luciana Campos, Roberto Bezerra, Erick Pereira, Francisco Gomes de Paiva, Fernando Montenegro e Lorena Maia Fernandes Barbosa

PARABÉNS aos irmãos gêmeos, deputado HENRIQUE ALVES e ANA CATARINA. Homenagem da coluna!

★ RUIM ★ ★ REGULAR ★ ★ ★ BOM ★ ★ ★ ★ ÓTIMO ★ ★ ★ ★ ★ EXCELENTE lESTREIA

Cinema ★ ★ ★ ★ ERA UMA VEZ EU,VERÔNICA (16 anos, legendado) Moviecom 3. Sessões 15h e 19h20 Verônica (Hermila Guedes) tem 24 anos e acaba de terminar o curso regular de Medicina. Mora com o pai, em uma casa cheia de discos de vinil antigos. No momento,Verônica não tem mais tempo para discos, para cantar músicas ou mesmo para noitadas com as amigas, pois trabalha em um ambulatório de Psiquiatria de um hospital público. Em uma dessas noites de volta para casa, Verônica, já cansada de tanto ouvir problemas alheios, decide usar o gravador, fiel companheiro das provas da faculdade, para narrar, em forma conto de fadas, os próprios problemas. E começa: Era uma vez eu, uma jovem, brasileira... Direção: Marcelo Gomes ★ ★ ★ ★ OS PENETRAS (14 anos, nacional) Moviecom 4. Sessões 15h05, 17h15, 19h25 e 21h35 / Cinemark 2. Sessões 11h40 (sáb e dom), 14h, 16h10, 18h30, 21h e 23h30 (sáb) A dois dias do réveillon, o apaixonado Beto (Eduardo Sterblitch) vai ao Rio de Janeiro tentar reatar com Laura (Mariana Ximenes) e, desprezado, tenta o suicídio.

Quem o salva da morte é o vigarista Marco Pólo (Marcelo Adnet), que promete ajudar o seu novo e excêntrico amigo a reatar com a amada. Junto a seu comparsa Nelson (Stepan Nercessian), eles usam todos os truques possíveis para invadir as festas da alta sociedade carioca, mas nem sempre as coisas saem como o planejado. Direção: Andrucha Waddington l QUATRO AMIGAS E UM CASAMENTO (16 anos, legendado) Moviecom 5. Sessões 15h35, 17h40, 19h45 e 21h50 / Cinemark 5. Sessões 11h50 (sáb e dom), 14h20, 16h30, 18h50, 21h10 e 23h20 (sáb) Amigas desde o colégio, Regan (Kirsten Dunst), Gena (Lizzy Caplan) e Katie (Isla Fisher) estão reunidas novamente, porque a gordinha Becky (Rebel Wilson) recebeu o incrível pedido de casamento do bonitão Dale (Hayes MacArthur). Após o choque inicial da notícia, elas se unem para cumprir o papel de perfeitas madrinhas. O problema é que as três tinham certeza que se casariam antes da Becky e, para não darem o braço a torcer, vão aprontar muito na véspera do casamento. Até que, poucas horas antes da cerimônia, as meninas reconhecem que passaram um pouco dos limites. Direção: Leslye

Headland

O filme“O Hobbit: uma jornada inesperada”terá pré-estreia na próxima quinta-feira no Cinemark

l O HOBBIT: UMA JORNADA INESPERADA (10 anos, dublado e legendado) Cinemark 1. Sessão (dub) 23h55 (qui) / Cinemark 7. Sessão 23h55 (qui) Bilbo Bolseiro, um hobbit, viaja para a Montanha Solitária acompanhado por um grupo de anões para recuperar um tesouro tirado deles pelo dragão Smaug. Direção: Peter Jackson l COSMÓPOLIS (16 anos, legendado) Cinemark 3. Sessão 20h30 (ter e qui) Eric Packer (Robert Pattinson) é um milionário egocêntrico que acordou com uma obsessão: cortar o cabelo no seu barbeiro localizado do outro lado da cidade. Para isso, o gênio de ouro das finanças terá que atravessar, em sua limousine, uma caótica Nova York que irá revelar uma ameaça a seu império a cada quilômetro percorrido. Com o ritmo alucinante do diretor David Cronenberg, e participações de Juliette Binoche, Paul Giamatti, Samantha Morton e Mathieu Amalric, ele está prestes a viver as 24 horas mais decisivas de sua vida. Direção: David Cronenberg


tn família 8 | Natal | Rio Grande do Norte | Domingo | 09 de dezembro de 2012

| georgeazevedo@tribunadonorte.com.br

FICHA TÉCNICA Foto:Humberto Lopes Modelo:Vitória Lins ( Tráfego Models) Styling :Weuquens Queiroz Beleza :Jackson Smith ( Sinval de Souza) Onde encontrar os looks: Yolla: Rua Campos Sales.Guilhermina:Rua Afonso Pena Bain Douche:Hiper,Natal Shopping e Midway Mall.Estrela Viva:Midway MallStudio TMLS :Rua Mipibu

NEWSNEWSNEWS A Tráfego Models é so sucesso com a turma de “new faces” do Tráfego Look 2012. A vencedora, Vitória Lins é a “fôfa” que está arrasando em nosso editorial de hoje, e já se prepara para fotografar a capa da próxima Glam.

E por falar na próxima Glam, nossa equipe está em produção hoje com o fotógrafo Mathws Aires e o styling Mateus Magno para um dos nossos editoriais. Aguardem! A revista, “corre contra o tempo” para ser finalizada até o final da semana.

Nossa Miss Rio Grande do Norte 2012, Kelly Fonseca se despede do Carnatal nesse domingão. Motivo? A lindinha embarca para Fortaleza/CE para fotografar a nova campanha da Diuncorpo Lingerie.

Esse é o mês das badaladas transmissões de moda e beleza. Começando com a 61ª edição do concurso mais glamouroso do mundo. O Miss Universo, que será exibida na quarta-feira, dia 19 de dezembro, a partir das 23h. Quem será coroada? Será que a Miss Brasil, Gabriela Markus vai abalar na cena? E o tão esperado Victoria’s Secret Fashion Show vai rolar na sexta-feira, dia 21, às 22h, com a presença das mais belas top models do mundo, e mais, participações de Rihanna, Justin Bieber e Bruno Mars. Alessandra Ambrósio, Adriana Lima, Izabel Goulart e muitas brazucas na pasarela, com certeza.

Vestido Caos para Yolla e sandálias Studio TMLS

Vestido Agilitá para Yolla e sandálias Studio TMLS

Blusa Caos para Yolla, calça Bô.Bo e scarpins tudio TMLS

Blusa Estrela Viva, saia de couro Guilhermina e sandálias Studio TMLS

Blusa Bain Douche usada com saia Tamara Capelão para Yolla

Tereza e Bebel Tinoco, sempre antenadas, movimentam à tarde do dia 12 de dezembro. Com delicinhas e a presençade suas fieis clientes, elas recebem para lançar a coleção da loja. As belezas serão mostradas em forma dedesfile técnico, com direito a muitas dicas fashion. Vamos, sim!

FEBRE AMA RELA Há quem diga que não é tarefa das mais fáceis usar roupas amarelas.Por outro lado,

Studio TMLS em Natal? Pois é! Esse é o babado e a dica da vez. A loja está aberta em soft open e já oferece alguns dos sapatos preferidos da queridinha fashionista Julia Petit e a bela Alessandra Ambrósio. Agora, as “amantes” de um bom – e belo! – saltão, não tem mais do que reclamar. A conceituada Studio TMLS, fica na Rua Mipibú, em Tirol. Se joga!

SPFW. Não se fala em outra coisa, a não ser que a Luminosidade, organizadora do São Paulo Fashion Week e do Fashion Rio, anunciou a nova data da próxima semana de moda paulistana: entre os dias 18 e 22 de março de 2013, de volta ao prédio da Bienal, no Ibirapuera. Vamos lá, rumo a próxima temporada!

existem aqueles que amam, idolatram...e sempre tem a cor presente no seu guarda-roupa. Polêmicas à parte, o amarelo é o que chamamos de “cor luz”por transmitir energia e muita alegria para os que usam.E olha, engana-se quem diz que só favorece as peles morenas e negras, as mais branquinhas podem usar – e abusar! – os tons mais vivos como o ouro e neon.Nesta temporada o amarelo virou “hit”e está presente em roupas e acessórios, seja na versão flúor – bem acesa, mesmo! – ou nos tons mais clarinhos, para ser usado em looks monocromáticos ou em combinações, como por exemplo, o prata.

Blusa de tricô Bain Douche e saia Caos para Yolla


Tribuna do Norte - 09/12/2012