Page 1

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Este livro foi traduzido pela Dark Knight para proporcionar a leitura daqueles que não puderam pagar e para ler livros ainda não lançados No Brasil. Nosso grupo de tradução é uma organização sem fins lucrativos e, por favor, não venda e nem troque. Após sua leitura considere seriamente a possibilidade de adquiri estará incentivando o autor e a publicação de novas obras.

Dark Knight

Traduzido por: Claudia B. Revisado por: Alexandra N. Revisão e diagramação por: Jeh

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


RISE ANNA CAREY.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Dedicação: Para você leitor. Por me seguir até aqui.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


UM CHARLES descansou a mão firme em minhas costas enquanto nós girávamos uma vez mais, em seguida, novamente ao redor da estufa, os convidados assistindo. Eu mantive meus olhos por cima do ombro, preparando-me contra suas respirações curtas. O coro ficava na parte de trás da sala abobadada, cantos com as primeiras músicas natalinas do ano. “Feliz, Feliz, Feliz, Feliz Natal”, cantavam suas bocas se movendo em uníssono.” "Pelo menos um sorriso,” Charles sussurrou em meu pescoço quando tomou outro rumo em torno da pista. "Por favor?” "Desculpe-me, eu não sabia que minha infelicidade estava incomodando. Assim está melhor?” Eu levantei meu queixo, ampliando meus olhos enquanto eu sorria diretamente para ele. Amelda Wentworth, uma mulher mais velha com uma rodada de cera no rosto, olhou intrigada quando

passamos

por

sua

mesa.

"Você sabe que não é isso que eu quis dizer”, disse Charles. Viramos rapidamente, assim Amelda não viu. "É apenas... as pessoas percebem. Eles falam." “Então os deixe perceber”, eu disse, mas na verdade eu estava exausta demais para realmente discutir. Na maioria das noites eu acordava antes do amanhecer. Estranhas sombras se moviam em torno de mim e eu chamava por Caleb, esquecendo-me que ele estava morto. A canção zumbia. Charles me virou novamente em torno da pista. “Você sabe o que eu quis dizer”, disse ele. “Você poderia pelo menos tentar.” Tente. Isso é o que ele estava sempre perguntando: eu tento fazer uma vida para mim dentro da cidade, eu tento seguir em frente com a morte de Caleb. Eu não posso tentar sair da torre a cada dia, para ca-

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


minhar por algumas horas pelo sol? Isso não é possível, eu tento colocar tudo o que tinha acontecido atrás de mim, atrás de nós? "Se você quer me ver sorrir,” Eu disse, "então nós provavelmente não deveríamos ter essa conversa, não aqui.”. Começamos ir em direção às mesas distantes, cobertas com um pano vermelho-sangue, as grinaldas colocadas no centro. A Cidade tinha se transformado nos últimos dias. Luzes apagaram-se na estrada principal, enrolando em torno dos polos de lâmpadas e árvores. Abetos de plástico tinham sido montados fora do Palácio, seus ramos finos, carecas em alguns lugares. Para todos os lugares que eu me virava havia algum estúpido boneco sorrindo ou um arco enfeitado com guarnição de ouro. Minha nova empregada tinha me vestido com um vestido de veludo vermelho, como se eu fosse parte da decoração. Foram dois dias depois da Ação de Graças, um feriado que eu tinha ouvido falar antes, mas nunca experimentei. O Rei se sentou à mesa por muito tempo, falando sobre o quão agradecido ele estava para com seu novo filho de lei, Charles Harris, o Chefe de Desenvolvimento da Cidade de Areia. Ele estava grato pelo apoio contínuo dos cidadãos Da Nova América. Ele segurou o copo no ar, os olhos sombreados fixos nos meus, insistindo que ele estava muito grato por nosso reencontro. Eu não podia acreditar nele, não depois de tudo que havia acontecido. Ele estava sempre observando, esperando-me mostrar quaisquer sinais de traição. "Eu não entendo o que você passou com ele", Charles sussurrou. “Qual é o sentido de tudo isso?”“ Que opção eu tenho?” Eu disse, olhando para longe, na esperança de encerrar a conversa. Às vezes eu me perguntava se ele iria colocá-lo em conjunto, as entrevistas regulares que fiz com Reginaldo, que estava sentado no lado de meu pai na mesa, trabalhando como seu chefe de imprensa, mas era secretamente Moss, líder do movimento rebelde. Recusei-me a dormir na mesma cama que Charles, esperando até que ele fosse para a sala de estar da suíte toda noite. Eu segurava sua mão só em público, mas logo que estávamos sozinhos, eu colocava tanta distância entre nós quanto possível. Será que ele percebeu que nestes últimos meses, nosso casamento, tinha alguma outra finalidade? A música terminou, dando lugar a aplausos dispersos. O pessoal do Palácio circulou pelas mesas com bandejas de bolo vermelho gelado e café fumegante. Charles manteve a sua mão na minha, enquanto me levava de volta para a longa mesa de banquete onde o Rei, Meu pai, estava ves-

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


tido para o papel, seu smoking aberto. A rosa presa na lapela, às pétalas murchas nas bordas. Moss sentou dois bancos a baixo, um olhar estranho em seu rosto. Ele se levantou, me cumprimentando. "Princesa Genevieve”, disse ele, me oferecendo sua mão. "Posso ter esta dança?” "Eu suponho que você queira conseguir outra citação de mim", eu disse, dando-lhe um sorriso tenso. "Vinde então, apenas não pise no meu pé neste momento." Eu descansei minha mão em Moss, e partir de volta para o salão. Moss esperou até que estávamos no centro da sala, o casal mais próximo estava a dois metros de distância. Por fim, ele falou. "Você está ficando melhor com isso”, disse ele com uma risada. “Então, novamente, eu acho que você aprendeu com o mestre.” Ele parecia diferente hoje, quase irreconhecível. Levei um momento para perceber o que era. Ele estava sorrindo. "É verdade”, eu sussurrei , olhando para o interior de sua manga, onde sua abotoadura estava enfiada em sua camisa. Eu meio que esperava ver o pequeno pacote de veneno aninhado contra seu pulso. A ricina, ele chamou. Moss estava esperando meses pela substância, que era para ser fornecida por um rebelde nas Outlands. “Seu contato veio?” Moss olhou para a mesa do rei. Minha tia Rose estava falando animadamente com o Chefe de Finanças, gesticulando com as mãos enquanto meu pai observava. "Melhor”, disse ele. “O primeiro dos campos foi libertado. A revolta começou. Eu tenho a palavra do Trail esta tarde.” Era a notícia que estava esperando meses para ouvir. Agora que os meninos nos campos de trabalho estavam livres, os rebeldes na fuga iriam trazê-los para a luta. Houve especulações de que um exército estava se formando no leste, composto por partidários das colônias. Um cerco sobre a cidade não poderia ser mais do que algumas semanas de folga. “Boa notícia, então. Você ainda não ouviu falar de seu contato, no entanto,” eu disse. “Eles prometeram para amanhã”, disse ele. "Eu vou ter que encontrar uma maneira de obtê-lo para você.” "Então isso está acontecendo.” Ainda que eu tivesse feito um acordo para envenenar o meu pai, pois era a única que tinha acesso subterrâneo a ele, eu não conseguia entender o que significava, na verdade, ir até o fim. Ele foi responsável por tantas mortes, a de Caleb inclusive. Deveria ter sido uma escolha fácil, eu deveria ter que querer mais. Mas agora que estava perto, um sentimento de vazio espalhou-se no fundo do meu estômago. Ele era o meu pai, meu sangue, a única pessoa que amava minha mãe. Se houvesse alguma verdade no que ele disse, mes-

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


mo agora, ainda na esteira da morte de Caleb? Seria possível que ele me amasse? Nós demos uma volta lenta do lado de fora do salão de baile, tentando ficar longe da luz. Meus olhos permaneceram por um momento sobre o rei como ele riu de algo que Charles disse. "Vai ser concluído em poucos dias”, Moss sussurrou sua voz quase inaudível sobre a música. Eu sabia o que isso significava. Combate ao longo das Muralhas da cidade. As revoltas nas Outlands. Mais morte. Eu ainda podia ver a fraca nuvem de fumaça que tinha aparecido quando Caleb foi baleado, ainda podia sentir o mau cheiro de sangue no chão de concreto do hangar. Nós tínhamos sido apanhados ao tentar escapar da cidade, a poucos minutos antes de descer para os túneis que os rebeldes haviam cavado. Moss disse que tinha tomado Caleb em custódia depois que ele foi ferido. O médico da prisão gravou a morte em 11:33, naquela manhã. Eu encontrei-me olhando o relógio naquela hora, esperando por ele para parar no minuto em que esses números, o ponteiro dos segundos em silêncio circulando. Ele deixou muito espaço na minha vida. O sentimento de vazio expansivo parecia impossível para preencher com qualquer outra coisa. Nas últimas semanas eu sentia-o em tudo o que fiz. Foi na atual mudança de meus pensamentos, as noites agora passava sozinha, as folhas ao lado me deixavam com frio. Este é o lugar onde ele costumava estar, eu acho. Como posso viver com todo esse espaço vazio? “Os soldados não vão deixar a cidade ser tomada”, eu disse , piscando para uma corrida repentina de lágrimas. Meu olhar parado em meu pai, que tinha empurrado a cadeira para trás da mesa e ficou de pé, atravessando o salão de baile. “Não importa se ele está morto ou não.”. Moss balançou levemente a cabeça, sinalizando que alguém estava ao alcance da voz. Olhei por cima do meu ombro. Clara estava dançando com o Chefe de Finanças a poucos metros de distância. "Você está certa, o Palácio é bem vivo nesta época do ano”, Moss disse em voz alta. “Bem colocado, Princesa.” Ele se afastou de mim quando a canção terminou, soltando minha mão e tomando uma curva rápida. Enquanto caminhávamos para fora da pista de dança, algumas pessoas na multidão aplaudia. Levei um momento para localizar meu pai. Ele estava de pé junto à saída de trás, a cabeça inclinada enquanto falava com um soldado.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Moss me seguiu, e em poucos passos a face do soldado veio à tona. Eu não o tinha visto em mais de um mês, mas seu rosto ainda estava magro, seu cabelo ainda cortado rente ao crânio. Sua pele era um profundo marrom avermelhada do sol. O tenente olhou para mim enquanto eu me sentava à mesa. Baixou sua voz, mas antes que a próxima música começasse eu podia ouvi-lo dizer algo sobre os campos de trabalho. Ele estava aqui para trazer a notícia da revolta. A cabeça do rei ficou mais baixa para que sua orelha ficasse ao nível da boca do Tenente. Eu não ousava olhar para Moss. Em vez disso eu mantive meus olhos na parede espelhada na minha frente. De onde eu estava podia ver o reflexo do meu pai no vidro. Havia um nervosismo em sua expressão que eu nunca tinha visto antes. Ocupou o queixo na mão, seu rosto estava drenado de todas as cores. Outra música começou, o conservatório encheu com o som do coro." Para a princesa”, Charles disse, segurando uma taça fina de cidra. Eu toquei meu copo contra o seu, pensando apenas nas palavras de Moss. Dentro de uma semana, meu pai estaria morto.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


DOIS No começo eu não tinha certeza do que eu estava ouvindo, o som existia no espaço vago dos sonhos. Puxei o cobertor, mas o barulho persistiu. O quarto veio lentamente em foco, o guarda-roupa e as cadeiras iluminadas pelo brilho suave de fora. Charles estava dormindo, como ele sempre fez na chaise no canto, com os pés pendurado alguns centímetros da almofada. Sempre que eu o vejo assim, enrolado, sua expressão suavizadas pelo sono, culpa rasga através de mim. Eu tinha que me lembrar de quem ele era, porque nós dois estávamos aqui, e que ele não era nada para mim. Sentei e escutei. O forte chiado esporádico de freios era mais fraco, mas inconfundível. Eu o ouvi quando nós nos mudamos para oeste em direção a Califia e sobre a longa viagem para a cidade de Areia. Eu fui até a janela e olhei para a estrada principal, onde uma linha de jipes do governo serpenteava através da Cidade, os faróis iluminando a escuridão. “O que é isso?”, Perguntou Charles. De vinte andares acima, eu poderia apenas ver as figuras sombrias que lotavam os jipes. "Eu acho que eles estão levando as pessoas para fora da cidade”, eu disse , observando como os Jipes moviam para o sul ao longo da estrada. A linha esticada em cada sentido, um após o outro. Charles limpou o sono de seus olhos. “Eu não acho que eles fariam isso", ele murmurou. "O que você quer dizer?" Virei-me para ele, mas ele recusou-se a olhar para mim. “Onde eles estão os levando?”. Ele se se juntou a mim na janela, nossos reflexos pouco visíveis no vidro. "Eles estão vindo, não indo”, ele disse finalmente. Ele apontou para o hospital abandonado nas Outlands." As meninas”. "O que as meninas?” Eu assisti os Jipes fazer o seu caminho até a estrada principal, parar e começar de novo. Um punhado de soldados estavam de pé no meio da calçada, direcionando-os. Havia algumas dúzia de caminhões, pelo menos. Foi o maior número de carros que eu já tinha visto dirigindo em um só lugar.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


“As meninas das escolas”, disse ele. Ele pousou a mão nas minhas costas, como se só esse gesto pudesse me acalmar. "Ouvi seu pai falar sobre isso hoje. Eles disseram que foi uma medida preventiva após o que aconteceu nos campos.” O rei tinha ficado trancado em seu escritório com seus conselheiros depois do jantar. Eu sabia que eles estavam desenvolvendo uma estratégia de defesa, que estava muito claro, mas eu não imaginava que iria tão longe como evacuar as Escolas. Antes que eu pudesse processá-lo, as lágrimas juntaram-se nos cantos dos meus olhos, ofuscando minha visão. Se elas estivessem aqui, possivelmente, Ruby, Arden, e Pip também estariam. “São todas as meninas? Quantas no total? "Eu andei rapidamente ao redor da sala, puxando um suéter do guarda-roupa e um par de calças estreitas do armário. Arranquei a minha camisola, não me preocupando em ir ao banheiro, como eu normalmente fazia. Virei às costas nuas para Charles quando eu a trocava por um suave suéter bege. Quando eu me virei de volta ao redor, ele estava olhando para mim, com as bochechas coradas. “Eu acredito que são todas. Era para ser feito pelo nascer do sol. Eles não querem que seja público.”. “Isso vai ser impossível.” Eu olhei para trás, para o prédio do outro lado. Algumas outras luzes estavam acesas nos apartamentos. Silhuetas passaram por trás das cortinas, olhando para a cena abaixo. Ele não respondeu. Em vez disso, ele me estudou quando eu puxei os sapatos pretos brilhantes do fundo do meu armário. Alina, minha nova empregada, raramente me permitiu usá-los em público, insistindo nos saltos formais que apertavam meus pés e me faziam sentir como se eu estivesse caindo para frente. “Você não pode descer, é toque de recolher.” Charles disse, percebendo o que eu estava fazendo." Os soldados não vão deixá-la sair.” Peguei um paletó de um cabide, junto com as calças que foram dobradas por baixo. “Eles vão,” Eu disse, jogando-as para ele uma por uma”, se você estiver comigo.” Ele olhou para mim, depois para as roupas, que foram jogadas contra seu peito. Lentamente, sem uma palavra, ele entrou no banheiro para se trocar. Levou quase uma hora para chegar ao hospital na Outlands. Os veículos ainda estavam agrupados na estrada principal, portanto, um solda-

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


do nos escoltou a pé. Enquanto caminhávamos, eu mantive minha cabeça e meus olhos sobre o pavimento de areia. A última vez que tinha estado nesta área estava indo me encontrar com Caleb. À noite me envolvia estimulada pela possibilidade de uma vida em conjunto para além das paredes, a possibilidade de nós. Agora, o fraco contorno do aeroporto subia a distância. Meus olhos encontraram o hangar onde tinha passado a noite. Os cobertores, panos finos que tinham prestado pouca proteção contra o frio. Caleb tinha trazido a minha mão aos lábios, beijando cada dedo antes de adormecer. . . Um sentimento inquieto e enjoado me consumiu. Eu segurei o ar frio em meus pulmões, na esperança de que iria passar. Quando cheguei mais perto das Outlands meus pensamentos mudaram de Caleb para Pip. A última vez que eu tinha falado com a minha amiga foi a meses atrás, em uma visita "oficial" que eu tinha negociado com o meu pai. Eu tinha voltado para a nossa Escola para vê-las, concordando em acalmar os estudantes mais jovens de lá. Pip e eu tínhamos sentado um pouco além das janelas do prédio de tijolos, Pip batia os nós dos dedos contra a mesa de pedra até que ficassem rosa. Ela estava tão brava comigo. Fazia mais de dois meses desde que eu tinha dado a Arden a chave para a saída lateral da Escola, a mesma chave que a professora Florence tinha me dado. Mas eu não tinha ouvido nada sobre uma tentativa de fuga. Eu perguntava-me se Arden ainda a tinha, escondida em algum lugar entre seus pertences, ou se tinha sido descoberta. Quando nos aproximamos do hospital, o ar cheio do barulho baixo dos motores. Uma fila de jipes abraçava o lado do edifício de pedra, os faróis deram uma pausa bem-vinda no escuro. À frente, três soldados do sexo feminino do lado de fora das portas de vidro, metade dos quais estavam tapadas com madeira compensada. O hospital não tinha sido usado desde antes da praga. Mesmo agora, os arbustos ao redor dele estavam enrugados e nus, a areia empilhada no espaço onde a parede terminava. Dois dos soldados estavam discutindo com uma mulher mais velha vestida com uma camisa branca e calças pretas, o uniforme usado pelos trabalhadores no centro da cidade. "Nós não podemos ajudá-la”, disse para a mulher um soldado com uma marca vermelha e oval de nascença no rosto. Um dos outros soldados, uma mulher de uns trinta anos com sobrancelhas finas e um pequeno nariz de bico, ordenou a pessoa do outro lado de seu rádio para adiar. A trabalhadora estava de costas para nós, mas eu reconheci o anel fino de ouro que ela usava em seu dedo, com uma pedra verde simples no centro. Eram as mesmas mãos que havia me recebido quando eu che-

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


guei ao Palácio, as que haviam trabalhado a toalha sobre a minha pele de sujeira endurecida e cuidadosamente desembaraçado os nós do meu cabelo molhado. “Beatrice” gritei. "Como você chegou aqui?” Ela se virou para me encarar. Apesar de fazer apenas dois meses que eu não a via, ela parecia mais velha, as linhas profundas emoldurando a boca. A pele sob seus olhos estava magra e cinza. "É tão bom vê-la, Eve.” disse ela, dando um passo à frente. "Princesa Genevieve,” Charles corrigiu , levantando a mão para detê-la. Eu o empurrei o passado, ignorando-o. Depois que foi descoberto a minha fuga na manhã do casamento, Beatrice teve que confessar que me ajudou a sair do palácio. O Rei tinha ameaçado ela e sua filha, que estava em uma das escolas desde que ela era um bebê. Com medo pela vida de sua filha, Beatrice tinha lhe dito onde eu fui encontrar Caleb, revelando a localização do primeiro dos três túneis, que os rebeldes tinham construído sob a parede. Ela era a razão pela qual eles nos encontraram naquela manhã, a razão pela qual Caleb tinha sido capturado e morto. Eu não a tinha visto desde então. "Havia um rumor no centro,” Beatrice continuou sua voz quase um sussurro. "Eu vi alguns dos caminhões atravessando e os segui. São as meninas das escolas?" Ela apontou para trás no edifício, as janelas que foram cobertas com madeira compensada, instável. "Eu estou certa, não estou?” O soldado com a marca de nascença avançou. “Você tem que ir embora, ou eu vou ter que prendê-la por estar fora no toque de recolher.” “Você está certa,” eu interrompi. Eles finalmente limparam Beatrice de qualquer envolvimento com os dissidentes, depois que argumentou o seu caso para o meu pai, insistindo que ela sabia pouco sobre Caleb, só que estávamos pensando em deixar a cidade juntos. Eles a moveram para o centro de adoção, onde agora trabalhava, cuidando de algumas das crianças mais novas recém-nascidas. "É por isso que estamos aqui, também.” Eu virei-me para o soldado. "Eu queria ver minhas amigas da escola.” A mulher balançou a cabeça. "Nós não podemos permitir isso.” Suas palavras foram cortantes, seus olhos nunca deixando os meus. Apesar dos esforços para manter a história contida, parecia que todos os soldados sabiam o que tinha acontecido: eu tinha tentado fugir com um dos dissidentes. Eu sabia de um túnel a ser construído sob a parede, e

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


eu tinha guardado a informação do meu pai, apesar do risco que representava para a segurança. Nenhum deles confiava em mim. Ela apontou atrás de mim em Charles e o soldado do sexo masculino que tinha nos escoltado até o hospital. "Especialmente não com eles aqui. Você tem que ir." "Eles não vão vir com a gente”, eu insisti. Um soldado mais baixo com um dente da frente lascado continuou a pressionar o polegar para baixo em seu rádio, enchendo o ar com estática. Na outra extremidade da conexão haviam os baixos murmúrios de uma voz de mulher, perguntando se eles estavam prontos para ela puxar outro jipe em torno de descarga. "Nós já sabemos sobre os Graduados”, eu disse em voz alta, acenando para Beatrice. "Todos nós. Visitei as meninas nas escolas antes, com a permissão do meu pai. Não há nenhum risco de segurança aqui.” A mulher com a marca de nascença esfregou a volta de seu pescoço, como se estivesse pensando. Virei-me para a Charles para ver se ele poderia convencê-la. Sua palavra ainda significava algo dentro das muralhas da cidade, mesmo que a minha lealdade estava em descrença. “Podemos esperar aqui por elas”, disse ele calmamente, afastando-se do edifício. "Temos que acabar de trazer a último deles para o interior,” ela finalmente disse. Então ela se aproximou da frente das portas de vidro, permitindo-nos a entrada. “Dez minutos, não mais.” Somente algumas poucas luzes ligadas na entrada. A maioria das lâmpadas estavam quebradas, mas algumas piscavam incessantemente, ardendo meus olhos. Beatrice entrou logo atrás de mim. Algumas das cadeiras na sala de espera estavam derrubadas, e o magro tapete esfarrapado cheirava a poeira. "Em seus quartos, senhoras,” uma voz de mulher ecoou no corredor. Uma sombra passou na parede, em seguida, foi embora. Alguém tinha feito tentativas precipitadas para limpar o chão, mas ele só tinha movido a sujeira ao redor, cobrindo o azulejo do hall com listras pretas. Equipamentos estavam nas prateleiras de metal revestidas do corredor, ao lado da antiga máquina, coberta com folhas de papel. Virei-me por um corredor lateral, onde uma mulher mais velha usando uma blusa vermelha e calça azul ficou rabiscando algo em uma prancheta. Olhei para o uniforme da professora que eu já tinha visto milhares de vezes na Escola, em seguida, o rosto estreito da mulher. Levei um

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


momento para perceber que eu não a conhecia, ela deveria ser de outra instalação. "Eu estou procurando as meninas da Escola 11," Eu disse. Durante anos eu tinha conhecido minha escola só pelas suas coordenadas geográficas, antes de descobrir que a cidade tinha números para todos eles. Beatrice decolou para o outro lado do corredor, parando em uma porta, em seguida, na outra, à procura de sua filha, Sarah. Comecei passando, a mulher, no quarto do hospital mal iluminado atrás dela. Pequenas camas cobriam o chão, a cortina fina traçada. As meninas tinham todas menos de quinze anos. A maioria estava com seus uniformes e com cobertores de algodão enrolados em suas pernas nuas. Elas ainda não tinham tirado os sapatos. "Eu não tenho certeza”, disse a Mestra. Ela estudou meu rosto, mas não havia nenhum sinal de reconhecimento. Vestida com suéter e calça, eu parecia como qualquer outra mulher dentro da Cidade.” Não neste andar, mas talvez no andar de cima. “Posso perguntar o que você está fazendo aqui? " Não me incomodei em responder. Em vez disso, passei por ela, entrando em um corredor separado bloqueado por portas duplas. No primeiro quarto a menina sentou-se na cama alta mais distante da janela, outra menina em uma enferrujada com fios serpenteando fora dela. A loira tinha um papel de cartomante em suas mãos, como os que nós tínhamos feito na escola. Quando elas me ouviram pularam e correram para os cobertores. Eu fui rapidamente para baixo em outra sala dupla olhando os quartos de cada lado do corredor. Ocasionalmente, uma professora dormia em uma das camas de hospital mofadas ou em uma cadeira no canto. Nenhuma das alunas estavam grávidas. Eu sabia que eles tinham de ter abrigado as meninas grávidas separadamente do resto, mas era impossível saber onde. Corri até uma escada lateral. Era muito escuro, os faróis dos jipes lá fora lançando um brilho ofuscante nas paredes. Fui subindo e comecei a procurar pelas portas, era o mesmo que o primeiro corredor. Acabei meu caminho até o próximo corredor, não parando até que eu tinha olhado todos os quartos. As meninas eram tão jovens quanto às outras, seus rostos desconhecidos. Quando cheguei ao sexto andar, um soldado do sexo feminino estava parada do lado de fora da porta. Eu quase tinha percebido que eu esta-

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


va correndo. Meus olhos foram para baixo, meu cabelo agarrado à minha pele úmida. “Posso ajudar?" Ela perguntou. Uma cicatriz no lábio superior, com a pele branca e levantada. “Eu preciso encontrar meninas de uma das escolas", disse. “Estou à procura de uma garota chamada Pip de cabelo vermelho, pele clara. Ela está grávida de cinco meses mais ou menos.”. O soldado foi até a beira do corrimão e olhou para cima, para dentro do espaço oco no centro das escadas. “O que você disse?”, Ela perguntou, virando-se para mim. Ela segurou a coronha do rifle apenas centímetros do meu peito, para me impedir de ir mais longe. “Quem é você?”. Eu levantei minhas mãos. "Eu sou Genevieve, a filha do rei. Eu estava na mesma Escola que ela.” A mulher avaliou-me. "Aquela com o cabelo vermelho? Da Escola no norte de Nevada?” Eu balancei a cabeça, lembrando a cidade que eu tinha visto em mapas. Eu passei tantos anos, referindo-me à escola por suas coordenadas, como se fosse à única coisa que existia naquele lugar. Agora era difícil pensar nela como uma cidade real, onde as pessoas viviam antes da praga, em algum lugar alguém chamava de casa. "Você sabe dela?” Sem dizer nada, ela abriu a porta e foi através dela, deixando espaço suficiente para que eu passasse. Apenas uma luz estava acesa no longo corredor. Dois soldados do sexo feminino estavam paradas ao longo do corredor. Uma olhou por cima de um livro esfarrapado com um dinossauro na capa, algo chamado de Jurassic Park. "Eu poderia saber de quem está falando”, disse a soldado com a cicatriz. “Ela estava no Jeep que eu vim, com cerca de dez meninas na parte de trás.”. O sentimento incômodo no estômago retornou quando olhei para as salas onde as meninas dormiam. Eram todas próximas da minha idade, algumas um pouco mais velhas, suas barrigas inchadas estavam visíveis debaixo dos cobertores. Elas não poderiam ter mais de seis meses de gravidez, as meninas que estavam mais adiante deveriam ter sido consideradas demasiada frágeis para se mover. Agora, com elas tão perto, eu tentei manter as fantasias contidas. Quantas vezes eu andei através da cidade, imaginando Arden ao meu lado, ou olhando para o lugar vazio na minha frente durante a tarde no chá, imaginando como seria se Pip estivesse lá? Eu ainda reservava

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


uma parte do meu bolo de chocolate por força de hábito, sabendo que era o favorito da Ruby. Eu entendi o que deve ter sido vir aqui depois da praga, para ser um dos cidadãos que perderam cada amigo, cada membro de sua família. Fantasmas dos meus amigos seguiu-me sempre, aparecendo e desaparecendo quando eu menos esperava. "Ela está lá”, disse a soldado apontando para uma cama no outro extremo da sala, logo abaixo da janela. Eu fiquei congelada, olhando para os rostos das meninas, suas pálpebras tremulando sono. Violet, uma menina morena que viveu no quarto ao nosso lado, se virou de lado, o travesseiro enfiado entre os joelhos. Eu reconheci Lydia, que havia estudado arte comigo. Ela fez tantas versões da mesma tinta –a mulher na cama , com uma toalha pressionada para o nariz , tentando estancar o sangue . Era como caminhar através de um sonho passado, os rostos familiares , mas as circunstâncias mudaram. Eu não poderia compreendê-lo, mesmo sabendo o que eu sabia, mesmo agora. Aproximei-me de Pip. Seu cabelo tinha crescido para fora, as ondas soltas enquanto caíam pelas costas. Ela estava enrolada longe de mim, de frente para a parede sob a janela , uma mão descansando em seu estômago. “Pip acorda”, disse eu , sentado na cama. Toquei -lhe o cotovelo , assustando-a. "O que há de errado?" Ela virou a cabeça , e seu rosto ficou subitamente visível sob a luz fraca . A alta maçã do rosto , as sobrancelhas grossas e escuras que sempre a faziam parecer tão séria. Era Maxine , a menina que tinha especulado que o rei estava vindo para a nossa formatura, depois de ouvir uma conversa entre os professores. "Eve", ela perguntou sentando-se. “O que você está fazendo aqui?" "Eu pensei que você fosse Pip”, eu disse, levantando da cama empoeirada. “Eu não sabia”. Maxine apenas olhou para mim. Sua pele tinha uma tonalidade amarelada estranha para ela. Havia feridas nos pulsos onde as restrições tinham estado. “Elas nos deixaram”, disse ela . “Pip , Ruby, e Arden . Ninguém as viu em mais de três semanas”. Eu estava de pé, à procura na sala, mais uma vez, estudando os rostos das meninas, como se estivesse olhando por duas vezes poderia mudar o que já era aparente. Por que não ouvi notícias dele? Se meu pai tinha conhecimento e o manteve de mim? Meus olhos se fixaram por um momento em Maxine, no algodão grudado no interior de seu cotovelo, coberto com sangue seco. Eu não conse-

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


guia perguntar sobre o que tinha acontecido no prédio, sobre a viagem que ela tinha feito até aqui. Eu não podia fingir que estávamos perto agora, essa garota que eu tinha falado apenas de passagem na Escola, para ouvir a fofoca que se desenrolava dentro das paredes compostas. Virei-me para ir, mas ela me parou, a mão apertando meu braço. “Você sabia”, disse ela e inclinou a cabeça para o lado, olhando para mim como se fosse à primeira vez. "É por isso que você saiu. Você as ajudou a escapar, não é?” "Sinto muito”, foi tudo o que consegui dizer. A soldado entrou no quarto, tentando avaliar o que estava acontecendo. Maxine me soltou, seus olhos à deriva ao rifle estava nas mãos da mulher. Virei-me para ir , pisando em torno das camas, cobrindo meu rosto com o meu cabelo para não ser reconhecida pelas meninas que se sentaram assustadas com a voz de Maxine . Eu não consegui respirar até que eu estava do lado de fora . “Como foi com sua amiga?”, Perguntou a soldado. Minhas mãos tremiam . O corredor cheirava a uma mistura de poeira e produtos químicos. “Obrigado por sua ajuda", eu disse, sem responder a pergunta. Ela abriu a boca para dizer algo mais, mas eu comecei a descer as escadas, sem parar , até que ouvi a fechadura da porta atrás de mim. Elas tinham ido embora. Era o que eu queria, mas agora que elas foram além dos muros da escola, eu não tinha maneira de alcançá-las. Sua melhor chance era Califia, isso eu sabia, mas elas levariam mais de três semanas para chegar lá. Eu não sabia como Pip ou Ruby seria capaz de viajar, se Arden estava grávida quando eles deixaram a Escola nem como fizeram. Por um momento eu queria voltar para Maxine, para pedir lhe tudo, mas suas palavras voltaram para mim. Eu tinha escolhido ajudá-las, mesmo que isso significasse deixar as outras para trás. Quem era eu para ir ter com ela agora, esperar que ela me ajudasse? Quem era eu para ainda perguntar? Na parte inferior da escada, vi Beatrice. Ela estava segurando uma menina com cabelo curto, cor de palha que era confuso na parte de trás, como se tivesse acabado de acordar . O rosto da menina era cor de rosa, com os olhos inchados. Beatrice balançou sobre os calcanhares, puxando a menina mais perto, e por um momento, levantou minha solidão. "Eu a encontrei", disse, pegando meu olhar. "Esta é a minha Sarah .”

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


TRÊS "Essas são as enciclopédias velha que você pediu", disse MOSS, colocando a pilha de livros de capa dura na minha frente, “e um romance que eu pensei que você ia gostar.” Havia o total de três volumes, com dois centímetros de espessura cada. “São aqueles que estavam faltando de sua coleção. W e J. Eu espero que você possa encontrá-los úteis para procurar lobisomens e afins.” Ele bateu o dedo no topo da primeira cobertura , sinalizando para mim abri-lo. Levantei-o suavemente, aninhado dentro estava o pequeno pacote de pó branco. Algumas das páginas tinha sido cortadas, criando um recesso raso. "Você se importaria de dar-nos alguns momentos a sós”, eu perguntei, olhando para o canto da sala . Alina , a empregada que tinha substituído Beatrice , estava organizando copos delicados em uma bandeja , limpando o chá da manhã . Ela era baixa , com cabelos castanhos encaracolados e grandes olhos, ela assentiu antes de ir em direção à porta. Eu sabia que essa era uma de nossas reuniões finais, que as coisas estavam dando frutos , o poder lentamente e secretamente mudando para os rebeldes. Era difícil ter esperança , embora, um peso se tinha estabelecido em mim depois de ver Maxine . Eu me preocupava com minha amigas, me perguntando onde estavam - se elas iriam sobreviver. Ruby e Pip estavam grávidas de quase cinco meses, talvez mais. Por que Arden não tinha enviado palavras através do Trail? Quando a porta foi fechada com força atrás de Alina , eu desempilhei os livros , olhando para cada um deles. Dentro da enciclopédia tinha um mapa dobrado e um rádio de manivela semelhante aos usados na fuga . “Engraçado,” eu disse, abrindo outra enciclopédia na parte superior , o seu título desconhecido. A faca estava no interior, seu metal brilhando na luz. "Guerra e Paz . Eu entendo.” Moss sorriu quando ele se sentou na minha frente . "Isto poderia lhe ajudar”, ele sussurrou. “Senti-o apropriado . Estou trabalhando para conseguir -lhe uma arma. Mas com o fechamento de cerco, suprimentos

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


não são tão fáceis de encontrar por aí . As pessoas não estão ansiosos para aparecer com as armas que elas têm.” Moss estava mais feliz do que eu já vi. Eu não poderia deixar de invejálo. Meu nervosismo tinha crescido. Quase todas as manhãs eu estava sob o peso da exaustão. Minhas mãos tremiam , e havia uma constante dor no estômago , como se ele tivesse sido torcido e seco. “O fim está próximo”, Moss sussurrou. Em seguida, ele bateu os dedos sobre os livros. “E você irá inaugurá-lo.” "Eu devo ser capaz de entrar.” Eu tinha pensado sobre as circunstâncias em que eu poderia entrar na suíte do pai, como pedir para falar com ele , Ter algum tipo de razão para falar . “Mas uma vez que eu estiver lá ?” Ele alisou a mão sobre a capa do livro, trabalhando na gravação em relevo ouro gasto . "Você vai ter que abrir as gavetas ao lado de sua pia do banheiro. Seu pai tem um frasco de remédio de pressão arterial que ele leva . Cada pílula deve se separar em dois e têm pó branco no interior.” "Então eu vou substituí-lo”, eu disse , olhando para o livro. Moss assentiu. “Exatamente. Em tantos como você puder, pelo menos seis ou sete comprimidos. Embora você tenha que ter cuidado. Certifique-se de não respirá-lo ou ter qualquer resíduo deixado em suas mãos. Houve problemas na aquisição do extrato, o óleo estava seco, está ricina não é a ideal , mas será suficiente. Deixe os comprimidos no superior, onde eles vão ser tomadas mais cedo. Deve levar apenas algumas doses." "Então, nós teremos apenas que esperar ?” Moss descansou o dedo na testa. “Uma vez que seu pai mostrar sinais de doença, você vai ter que deixar a cidade, pelo menos por um mês ou dois, até que a luta seja interrompida. Com as tropas das colônias, temos uma melhor chance de acabar com o conflito rapidamente. Eu serei o líder provisório e montaremos eleições para votação . Vai ser muito perigoso para você aqui nesse meio tempo. Eu sei onde suas lealdades estão, mas não é algo que eu posso ou vou compartilhar com a maioria dos rebeldes , não inicialmente. Seria também perigoso”. Pensei nos túneis restantes sob a parede. Apenas um dos três foi descoberto quando Caleb foi baleado. Moss tinha descrito frequentemente os locais dos outros dois , lembrando-me onde estavam no caso de a nossa ligação nunca ser descoberto . “Isso é o que o rádio e o mapa são

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


então," eu disse." E a faca” . Vou deixar a cidade , logo que ele ficar doente. Qualquer um que viveu dentro dessas paredes seria capaz de me reconhecem. Eu era a herdeira do rei, a garota na primeira página do jornal , nas telas elétricas que pairava nas laterais dos prédios de luxo. Em estado selvagem , eu estaria mais segura menos conhecida. "Haverá algumas disposições esperando por você quando você sair. Certifique-se de usar o túnel sul.” Moss olhou para a mesa, olhando para as migalhas dos bolinhos de mirtilho. Eu os recolhi , repelida pelo cheiro seco , farinhento . Ele jogou uma no chão com o dedo. "Vale por alguns dias, o suficiente para levála para longe da cidade sem ter que caçar . E, por favor , fique longe do hospital e das meninas ,pelo menos por agora.” “Quem disse que eu estava lá ?” “Um dos rebeldes. Seema - um soldado mais velho , raia vermelha em seu cabelo .” Ele olhou para mim , mas eu não podia lembrar-me de ter visto a mulher na noite anterior. "Seu estar lá levanta questões . Vamos continuar com este planejamento.” Enfiei a cadeira para trás da mesa . “Enquanto todo mundo está aqui, movendo-se para o cerco , eu tenho que apenas fugir? Não vai confirmar as suspeitas de todos? "" Uma vez que a luta tenha resolvido e eu estabelecer algum controle internamente , você vai voltar. Um mês ou dois isso é tudo.” "Se eu voltar", eu disse. "Como podemos prever o que vai acontecer após o cerco ?” Moss parecia confiante de que uma vez que a luta parasse e o rei morto , a cidade naturalmente se moveria em direção da democracia; que, como cada cidadão aprendeu sobre as condições nos campos de trabalho e escolas, até mesmo os soldados voltariam para os rebeldes. Moss cobriu minha mão com a sua. "Há hospedagem em todo o Vale da Morte - os rebeldes escondidos e fornecimentos a um ponto chamado Stovepipe Wells . Eles usaram isso como um ponto de parada em seu caminho para a cidade . Os códigos de rádio , passado por mim há algumas semanas será o mesmo . Podemos discutir isso mais uma vez quando seu pai estiver doente, mas vai funcionar . Confie em mim . " Eu quase ri . Poderia haver um lugar mais sinistro do que o Vale da Morte "E quanto a Clara? E Rose? O que vai acontecer com Charles uma vez que os rebeldes tomarem o poder ?”

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Moss apertou os lábios . "Eu posso tentar oferecer -lhes proteção , mas eles estão associados à sua pai. Eles viveram no Palácio por anos -eles são facilmente reconhecíveis. Charles tem trabalhado para o rei.” "Eu posso levá-los comigo”, eu disse . "Eles vão voltar quando eu puder.” "A última vez que alguém no Palácio ficou sabendo sobre os túneis , dois de nossos homens foram mortos”, Moss disse . Ele não olhou para mim enquanto falava. Houve uma ligeira acusação em seu tom , ou eu tinha imaginado? “Quando?” Eu perguntei, o quarto se aproximando de mim. “Quanto tempo antes de vermos os efeitos do veneno?” Moss olhou para a porta trancada. O salão ficou em silêncio. O sol entrando pela janela , iluminando até as minúsculas partículas de poeira no ar. "Assim que passar 36 horas ou o mais tardar 72. Depende quantos comprimidos ele ingerir e quanto do extrato que você é capaz de obter dentro das cápsulas. Vai começar com náuseas e vômitos, dor abdominal algum. Dentro de 24 horas haverá desidratação, alucinações, convulsões ,” Ele parou, estudando meu rosto . “O que é isso ? Você não parece bem .” Eu estava de pé, recuando da mesa. O chão sob meus pés sentiram menos certo. Mesmo a mais máxima respiração não poderia acalmar a tensão dos meu estômago. A estranha doença que tudo consome estava em algum lugar por trás dos meus olhos e nariz, o mal-estar se movendo através de mim. “Alguma coisa está errada ,” eu consegui dizer . Moss aumentou os olhos percorrendo a sala , procurando as placas meio comidas de alimentos , o chá , o vidro de água. “O que você está sentindo?” Ele foi para a bandeja de prata que Alina tinha deixado e estudou a comida virando o bolinho nas mãos. “Será que você comeu isso? Quem trouxe isso para você?” Eu não podia responder . Minha pele estava quente e úmida. As saídas de ar escaldante explodiu em cima de mim . Tirei o xale , mas foi inútil , eu não poderia escapar da sensação de mal estar. Corri para a porta , brincando com a alça até que ele cedeu . Eu não consegui mais do que dois passos antes de eu me curvar . O vômito azedo veio a minha boca e bateu no chão , cobrindo-o com respingos marrom aguado. Minhas entranhas tensas novamente." Eve? “Eu ouvi a voz de Clara de algum lugar no corredor. Então, ela estava vindo em minha direção. "Socorro! Alguém chame o médico !”

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


QUATRO Quando acordei, Clara estava sentada na chaise no canto , o papel da cidade dobrado sobre o colo. Ela estava dormindo , inclinando -se contra os travesseiros que Charles sempre utilizava, com a cabeça inclinada para um lado. Olhei para o meu braço . Um chumaço de algodão foi gravado ao longo do interior do meu cotovelo, e um pequeno ponto vermelho floresceu em seu centro . Não poderia ter sido mais do que uma ou duas horas desde que o médico tinha tirado meu sangue, pegou meu pulso , inspecionou minha garganta e os olhos com a mesma luz cônica que eles tinham na escola .Insisti que eu estava bem, e eu estava. A náusea tinha se dissipado. O sentido das minhas mãos tinha retornado. O único remanescente dos sintomas eram o vazio do meu estômago e o gosto amargo e fraco na minha língua. Ouvi alguém rolando um carrinho de servir para o corredor do lado de fora , as rodas rangendo sob o piso. Eu estava de pé, minhas pernas sentindo mais fracas do que eu esperava, enquanto eu caminhava até a estante de madeira talhada ,agachando-me ao lado dela. Todos os três livros foram enfiadas nas prateleiras inferiores , exatamente onde Moss tinha posto horas antes . Se o que ele sugeriu foi correto, alguém tinha tentado envenenar-me, eu precisaria deles mais cedo do que eu pensava. "Você está levantada.” Clara esfregou os olhos , em seguida, olhou para a minha mão , onde meus dedos ainda repousava sobre uma dos livros.” “O que você está olhando? " "Nada", eu disse, acomodando-me na almofada ao lado dela. “Tentando me distrair , isso é tudo .” Clara colocou a mão nas minhas costas. "Eu nunca vi você assim”, disse ela . "Você me assustou .” “Já me sinto melhor”, eu disse . “O pior já passou.” Ela passou o dedo sobre a borda da almofada , traçando ao longo da tubulação branca fina . "Estou feliz . eles não puderam chegar a Charles.”

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


"Isso não me surpreende”, disse eu . "Ele está em uma construção nas Outlands . Ele vai ficar fora até o pôr do sol.” Sua expressão mudou . Eu imediatamente me senti culpada por ter dito que eu o tinha - o reconhecimento sutil que eu sabia de sua programação melhor do que ela. Clara e Charles foram os dois únicos adolescentes que tinham sido levados ao palácio e ela sempre guardara sentimentos por ele . Ela me fez prometer lhe dizer se ele falasse sobre ela. “Ele não disse nada ainda,” eu ofereci , tentando confortá-la. "Você sabe, a maior parte do tempo em que nós estamos falando nós estamos brigando. Nós não somos exatamente próximos. "Eu cobri a mão dela com a minha e ela sorriu , uma pequena covinha um pontinho aparecendo em seu rosto. "Eu devo parecer tão tola para você", ela disse com uma risada . "Eu estou levando um relacionamento na minha cabeça.” “Nem um pouco.” Quantas vezes eu parei em Califia , imaginando Caleb lá ao meu lado enquanto eu estava sentada nas rochas , observando as ondas a bater na costa ? Quantas vezes eu tinha me deixado acreditar que ele ainda estava aqui , dentro da cidade, que ele iria aparecer um dia, esperando por mim nos jardins do Palácio ? Eu ainda falei com ele, no silêncio da suíte, lhe disse que queria voltar tudo como era antes . Houve momentos em que eu tive que lembrar-me que ele se foi, que o relatório da morte tinha sido arquivado, que o que tinha acontecido nunca poderia ser invertido. Esses fatos eram a minha única corda à realidade. Antes que eu pudesse dizer mais alguma coisa , a porta se abriu , o Rei entrou no quarto sem sequer uma batida . Ele faz isso , às vezes, como se para me lembrar de que ele possuía todas as partes do Palácio. “Eu ouvi o que aconteceu” , disse ele, virando-se para mim. Sentei-me em linha reta, o médico veio atrás dele. "Não foi nada”, eu disse , mesmo que eu ainda não tinha certeza. Moss tinha levado os restos do café da manhã para as Outlands , tentando obter respostas sobre o que ele continha . “Você vomitou duas vezes", disse ele. "Você está desidratada. Você poderia ter passado mal fora.” O médico , um homem careca, não usava um jaleco branco como os da Escola. Ao contrário, ele estava vestido com uma camisa azul clara e calça cinza , como qualquer outro trabalhador de escritório no centro da cidade . Tinha sido dito que era mais seguro desta forma. Mesmo 16 anos após a praga havia ressentimentos

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


em relação a médicos sobreviventes , as perguntas sobre o que eles sabiam e quando. "Seu pai estava preocupado. Ele perguntou se poderia ser um ressurgimento do vírus”, disse o médico, esfregando as mãos. "Eu lhe assegurei que não é." “Isto se tornou um evento.”, eu disse, meu olhar arremessando entre eles. "Eu me sinto bem, na verdade.” "Vai acontecer de novo , no entanto,” disse o médico. Olhei para ele , confusa . “Náusea gravídica”, disse ele ,como se isso explicasse alguma coisa. "A maioria das pessoas chamam de doença de manhã.” Meu pai estava sorrindo , seus olhos dando um olhar de diversão tranquila . Ele veio em minha direção , me puxando para perto, ele apertou minhas mãos. “Você está grávida .” Ele me abraçou , o cheiro doente , pesado de sua colônia ardendo meus pulmões. Eu não tive tempo para processar. Eu tinha de sorrir, para fingir, eu saiba que eu deveria sentir alegria. Claro que isso era o que o meu pai queria . Em seus olhos, Charles e eu tínhamos finalmente dado a ele um herdeiro. “Esta é uma notícia feliz. Temos de ir ver Charles nas Outlands”, meu pai continuou. "Uma vez que você estiver devidamente vestida , venha me encontrar nos elevadores.” Clara não disse nada . Eu não ousava olhar para ela ; em vez disso eu escutei suas respirações lentas e irregulares. Parecia que ela estava engasgada . “Você vai ter que vir para o escritório esta tarde", continuou o médico . “Executarei alguns testes para certificar que tudo está normal. Nesse meio tempo tenha na cozinha estoque de um pouco de chá de gengibre , algumas bolachas - Pequenas coisas para resolver o seu estômago . Você pode se sentir um pouco enjoada , mas pular refeições só vai torná-la pior. E, como você provavelmente já sabe , você pode descobrir que desaparece ao longo do dia” . Pôs a mão na minha que não parava de tremer. Eu esperava que ele não percebesse as palmas das mãos frias ou meu duro sorriso imutável. Não foi até que ele e meu pai se foram que Clara finalmente falou . "Eu pensei que você não o amava”, ela sussurrou , suas palavras lentas. "Eu não o amo", eu disse. Eu tinha visto Clara com raiva antes, poderia reconhecer como seu rosto mudou , sua mandíbula definida em uma expressão dura. Mas isso

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


era diferente. Ela virou-se de costas para mim , movendo-se ao redor da sala , agitando as mãos como se tentando secá-las . “Não é verdade , Clara”, eu disse . "Então, o que é verdade ?” Ela olhou para mim , com os olhos lacrimejantes . Eu não tinha contado a ninguém o que tinha acontecido no hangar com Caleb. Foi à coisa que mais voltei sempre que os meus pensamentos vagavam . Lembrei-me de como senti suas mãos segurando meu pescoço , os dedos dançando sobre o meu estômago , o suave de seus lábios contra os meus. Como nossos corpos se moviam juntos, a degustação de pele, de sal e suor. Agora existia na memória, um lugar que eu pudesse visitar, onde Caleb e eu estávamos para sempre sozinho. Eu tinha ouvido as advertências dos Professores , tinha revisto todos os perigos de ter relações sexuais ou “dormir com” um homem . Tinham nos dito , nessas salas de aula ainda , que mesmo um momento poderia trazer em uma gravidez. Mas nos meses desde que eu deixei a Escola, aprendi que nada que dissessem poderia ser confiável. E mesmo se houvesse alguma verdade, mesmo isso era um exagero ou falsificação, não teria importância . Não havia nenhuma maneira de evitar a gravidez dentro da Cidade . O Rei tinha proibido. Agora, tantos pensamentos voavam pela minha cabeça : Isso seria melhor se ela não soubesse. Seria mais seguro. Eu me sentiria mais só se ela não soubesse, seria mais perigoso se ela soubesse, mas ela se sentiria enganada se ela não soubesse. “Caleb”, eu disse finalmente . Logo meu pai chegou a Charles o que seria natural de qualquer maneira . "Foi Caleb. Eu lhe disse a verdade, eu não tenho interesse em Charles . Eu nunca tive .” Ela deixou as mãos cair. "Como é que você nunca me contou ?”, Ela perguntou . “Quando?” "A última noite que eu deixei o Palácio”, eu disse . “Dois meses e meio atrás .” Ela se preocupou com a cintura de seu vestido , pegando na costura delicada. "Seu pai não pode saber", ela disse. Imaginei a expressão do meu pai quando Charles lhe disser a verdade . Sua boca ficaria tensa como sempre fazia quando estava com raiva. Haveria uma pitada de algo mais sombrio , então ele pôr-se-ia à direita , esfregando a mão pelo rosto, como se aquele movimento tivesse o poder

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


de fixar as suas feições . Ele iria me matar. Senti-me certa disso no silêncio da sala. Eu era inútil para ele agora. Desde o assassinato de Caleb havia tantas perguntas sobre mim, sobre o meu envolvimento na construção dos túneis . Será que eu ainda tenho conexões com os dissidentes ? Se eu tivesse traído ele desde a morte de Caleb ? Eu estava autorizada a viver no Palácio, mantidos como um ativo, só porque eu poderia produzir uma nova família real norte-americana. Eu era Genevieve, a filha das Escolas que se casou com o seu chefe de Desenvolvimento . Quando Charles revelar a verdade, meu pai iria encontrar uma maneira. Talvez eu desaparecesse após a cidade ir dormir , como alguns dos dissidentes tinham desaparecido. Eles poderiam dizer - um intruso no Palácio , uma doença súbita. Qualquer coisa. Não houve tempo para explicar tudo para Clara, para lhe dizer os porquês e como . Ajoelhei-me e puxei os livros grossos da prateleira , colocando o pequeno saco no bolso lateral do meu vestido . Eu coloquei a faca e o rádio na minha bolsa , então comecei a sair da sala . Eu precisava fazer o que Moss tinha dito , para continuar com isso, antes de ser descoberta. Gostaria de deixar a cidade hoje se eu tinha que fazer. “Por que você tem uma faca”, perguntou Clara , dando um passo para trás . "O que você está fazendo?" "Eu não posso explicar isso agora," eu disse rapidamente, indo para a porta. "Eu não sei o que vai acontecer quando meu pai descobrir, e eu preciso de proteção.” "Então você está levando uma faca. Ele irá fazer o quê?” “Eu não sei o que o meu pai é capaz de fazer,” eu disse, balançando a cabeça. "É só no caso.” Clara assentiu uma vez antes de eu me virar para fora da porta . Mantive o saco dobrado firmemente debaixo do braço enquanto ia ao fundo do corredor . Os passos do soldado seguiam em algum lugar atrás de mim aproximando-se, me mudei para a suíte do meu pai. Eu respirei fundo, imaginando o que teria acontecido se as coisas tivessem sido diferentes, se eu tivesse descoberto sobre a gravidez em algum outro lugar e tempo. Eu poderia ter sido feliz, se Caleb estivesse vivo, se estivéssemos em estado selvagem em alguma parada no Trail. Poderia ter sido um daqueles momentos perfeitos sem nuvens , uma realização tranquila compartilhada entre nós. Em vez disso, eu senti só pavor. Como eu poderia criar um filho sozinha , especialmente agora, no meio de tudo isto ?

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Meu pai saiu de sua suíte. “tempo perfeito”, disse ele e virou-se em direção aos elevadores , gesticulando para que eu o seguisse . Quando me aproximei da porta de sua suíte, desacelerei engolindo a saliva ácida que cobria minha língua. Eu apertei minha mão no meu rosto , limpando a minha pele, e respirei fundo . Isso foi tudo. Eu segurei uma palma na minha boca e fiz um gesto em direção à porta . “Por favor, eu acho que eu estou ficando doente de novo.” Eu não encontrei seu olhar. Em vez disso, eu descansei meu ombro contra a porta, esperando por ele para me deixar entrar . “Sim, claro”, disse ele , socando alguns números no teclado abaixo da fechadura. “Só um momento...” Ele abriu a porta para me permitir passar. A Suíte do meu pai era três vezes o tamanho da minha, com uma escada em espiral que levava ao andar de cima na área de estar . Uma fileira de janelas com vista para a cidade abaixo , com vistas que se estendem para além da parede curva , onde a terra estava cheia de edifícios quebrados. Eu me virei , tendo visto os modelos em miniatura que estava assentado sobre o aparador ao lado da porta . Havia barcos de madeira elaborados em garrafas de vidro, em diferentes cores e tamanhos, as velas de lona levantados . Eu tinha estado na suíte apenas quatro ou cinco vezes, mas cada vez eu estudei tentando entender por que meu pai passou o seu tempo livre a montar navios em miniatura. Eu me perguntei se ele sentiu satisfação em conter todos eles, esses pequenos mundos sempre sob seu controle . "Eu vou demorar apenas um minuto”, eu disse , indo em direção ao banheiro . Ele é compartilhado com a suíte máster , mas a segunda porta está quase sempre bloqueada. Eu pressionei um punho à boca , como se estivesse lutando para manter minha compostura. Em seguida, corri para o banheiro de mármore, agradecida quando eu estava finalmente em paz.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


CINCO Torci a torneira , deixando a água correr fria sobre meus dedos. Deixei escapar algumas tosses altas e mexi no conjunto restrito de gavetas , procurando através das caixinhas de plástico e latas, a escrita em alguns dos rótulos tinham desaparecido . Peguei mais garrafas altas com líquido branco, um par de metais grosso de lâminas de barbear , uma escova de crina de cavalo e sabão duro usado para fazer espuma . Foram dobradas toalhas brancas que cheiravam a hortelã. Então , na primeira gaveta , encontrei dois frascos de cor âmbar . Uma etiqueta manuscrita estava em cada um, com a assinatura do médico rabiscado em toda ela. O extrato estava pesado no bolso. Eu esvaziei as cápsulas brancas brilhantes em cima do balcão de mármore e comecei a obra , abrindo três deles e derramando suas entranhas na pia. O pó aglutinado junto foi varrido , flutuando acima do dreno por um momento antes de ser sugado para baixo. Eu esvaziei algum do extrato sobre o balcão e pressionei -o dentro da cápsula ,com cuidado de mantê-lo longe do meu rosto, como Moss havia instruído . Apertei um lado e deslizei a tampa , deixando -o de volta a garrafa . Eu estava no meio da segunda , quando meu pai bateu na porta . O som ecoou na sala oca , levantando pequenas colisões em meus braços. “Está tudo bem”, ele perguntou . A maçaneta girou mas o local estava bloqueado, recusando-se a abrir. “Só um momento ,” Eu gritei . Mudei-me rapidamente , terminando a segunda pílula , depois mais três, e despejei o veneno restante na pia e o vi afundar. Tampei a garrafa com cuidado e pus de volta assim como tinha sido, no espaço vazio entre duas caixas de lata . Então eu lavei minhas mãos , deixando correr água fria sobre os meus dedos até que eles estavam dormentes. Eu espirrei alguma no meu rosto e coloquei o saco de volta no bolso. Quando saí , meu pai estava de pé ao lado da porta, a apenas alguns centímetros de distância. Seus braços estavam dobrados. “Sente-se melhor ?”, Ele perguntou , com os olhos persistente por um momento em minhas mãos , que ainda estavam molhadas.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Eu trouxe as mãos a minha face , desejando que a pele macia voltasse ao normal. "Eu tenho que deitar-me,” eu disse. "Eu não serei capaz de ir para as Outlands . Não assim.” Meu pai inclinou a cabeça para um lado, me estudando . "Eu não posso ir ver Charles sozinho”, disse ele . “Venha agora , será uma visita rápida . Você estará de volta dentro de meia hora .” Suas feições endureceram , e eu sabia em seguida, que não era uma discussão. Sua mão desceu em meu braço , me guiando em direção à porta . A viagem foi longa, o carro cambaleou em cada esquina , a cabine de espessura com o cheiro de couro e colônia. Abri a janela , tentando conseguir um pouco de ar , mas nas Outlands o cheiro era seco de poeira e cinzas. Minha mão estava na cintura , sentindo a carne macia da minha barriga para o monte que ainda não tinha aparecido . Eu sabia que eu não tive o meu período e me perguntei se era possível que eu estivesse grávida , mas tudo nos meses passados se foram rapidamente, em algum lugar fora de mim. Moss havia roubado uma camiseta esfarrapada da caixa de itens recuperados do hangar . Tinha um C na etiqueta , o tecido fino de tanto usar. Sozinha na suíte, a camisa de Caleb enrolada em minhas mãos, eu estava certa de que , quando ele morreu uma parte de mim morreu com ele. Eu não podia sentir mais , não da mesma maneira que eu tinha quando ele estava aqui, dentro da Cidade . Os dias no Palácio parecia não ter fim , cheia de empoladas conversas e as pessoas que me viam apenas como filha de meu pai , nada mais. Peguei na pele fina em torno de minhas unhas , vendo como o carro acelerou mais perto do local de construção. A lista de ofensas contra Charles assumiu significado agora. Coisas que eu tinha feito ou não feito, senti muitas razões que ele diria o meu pai a verdade . Eu tinha sido a única a insistir para ele sair da cama na primeira noite. Eu não podia suportar quando ele olhava para mim, quando ele falava comigo, quando ele falava do meu pai, ele não dizia nada de positivo sobre o regime. Embora houvesse momentos em que as coisas eram suportável, a maior parte do tempo que passamos juntos na suíte foi marcado com suas perguntas, seu esforço, e meu silêncio ou crítica. “Genevieve , estou falando com você", disse meu pai. Eu vacilei quando ele tocou no meu braço . "Nós estamos aqui .”

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


O carro parou do lado de fora de um local de demolição . Eles haviam demolido um antigo hotel que foi usado como um necrotério durante a peste . Ele havia sido tapado por mais de uma década , os ossos de vítimas ainda dentro. Alguns pacotes de flores restavam- as rosas murchas , margaridas que estavam agora encolhidas e duras. O local foi bloqueado com cercas de madeira compensada , mas havia aberturas que levam até cratera maciça na terra . Eu saí , caminhando em direção a uma ruptura na parede. “Genevieve”, ouvi-o chamar atrás de mim. “Isso não é para você ver .” Cerca de trinta metros abaixo da terra era uma pilha gigante de escombros. Uma escavadeira empurrava concreto para trás, contra a borda da base . Outro guindaste imóvel , o seu punho gigante amarelo baixado para o chão. Diante de todo o local , os meninos dos campos de trabalho estavam limpando tijolo e cinzas usando pás e carrinhos de mão . Eles eram mais magros do que os meninos que eu vi dentro da Cidade anteriormente . Tinha havido rumores que, com a libertação dos campos , os meninos que tinham ficado aqui no momento agora estavam presos e trabalhavam duplamente e tão duro para compensar os outros. Um dos meninos mais velhos apontou para nós. Charles virou-se e começou a subir a ladeira , fazendo uma pausa por um momento em um monte emaranhado de hastes de aço e concreto. Ele gritou algo a dois meninos mais novos que tinham suas camisas fora . Eles estavam correndo ao redor da extremidade do local, chutando alguma coisa. Eu olhava contra o sol, o que tornava as cavidades escuras em sua lateral. Era um crânio humano . Eu cobri meu nariz, ultrapassado pelo mau cheiro seco. Eu tinha ouvido que centenas tinham sido enterrados no interior do hotel , seus corpos envoltos em lençóis e toalhas. Havia rumores de que alguns ainda estivessem vivos , o sofrimento da praga, que os membros de suas famílias aterrorizados os tinha deixado lá em suas últimas horas. Poeira baixou em todas as superfícies dentro de um quarto de milha . O pavimento, os edifícios circundantes , os carros enferrujados que tinham as rodas fora , num vasto estacionamento estava todo coberto com uma fina camada de cinza . Eu mantive minha cabeça abaixada quando Charles veio em nossa direção , subindo a rampa de madeira compensada , que tinha sido anco-

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


rada ao lado da vala . Coloquei meu polegar sob a alça da bolsa, me lembrando de seu conteúdo. O túnel mais próximo ainda tinha trinta minutos de distância , mesmo se eu corresse. A melhor chance que eu tinha era tomar a parte de trás do carro com o meu pai e fugir quando nos virarmos para a estrada principal . O túnel sul seria apenas 10 minutos a partir daí . Usando os becos nas Outlands , havia uma chance de que eu poderia me perder os soldados que me seguissem , se eu me movesse com rapidez suficiente. "Nós temos algumas notícias para você", meu pai gritou quando Charles chegou mais perto. Os ombros de sua jaqueta azul marinho foram cobertos com poeira. Ele tirou o chapéu amarelo de construção que ele usava, embalando-o como um bebê. Ele olhou do meu pai para mim , depois para o carro em marcha lenta atrás de nós. O soldado estava fora dele, seu rifle pendurado no ombro . "Deve ser importante. Não me lembro de uma época em que Genevieve me visitou em um projeto.” O rei colocou a mão nas minhas costas , me empurrando para frente levemente. “Vá em frente, Genevieve,” ele sussurrou. "Diga a Charles a feliz notícia.” Ele estava me observando , com os olhos fixos no lado do meu rosto . É agora, eu podia senti-lo , como o meu olhar encontrou Charles. Ele me olhou esperançoso e nervoso , ele alisou um tufo de cabelo preto que tinha caído em seus olhos. Enchi os pulmões , segurando o ar até que era demais para continuar. "Estou grávida", eu disse, minha garganta apertada . "A cidade ficará feliz , tenho certeza .” A escavadeira era movida ao longo do chão de construção abaixo , um baixo sinal sonoro enchendo o ar . Eu descansei a mão sob meu peito, sentindo meu coração bater , a fim de me acalmar. Justo dizê-lo , pensei observando enquanto Charles baixava a cabeça , com os olhos no chão . Não arraste isso ainda mais . "Como eu estou.” Ele veio em minha direção, os braços sobre os meus ombros , até que foi me pressionando firmemente contra seu peito . Eu respirei , meu corpo lentamente relaxando, estabelecendo-se em seu lado. Ele colocou a mão na parte de trás da minha cabeça com tanta delicadeza , eu tive que piscar para conter as lágrimas . "Eu nunca estive mais feliz .”

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


SEIS A festa continuava em curso , mesmo após os músicos terem deixado a noite e o último dos copos e discos haviam sido apurados a partir das tabelas na sala de estar . Meu pai estava mais animado do que eu jamais o tinha visto , gesticulando com o copo de cristal, divagando com Harold Pollack , um engenheiro na cidade . "É algo para comemorar”, ouvi-o dizer, enquanto Charles e eu caminhávamos para a porta. "Há momentos em que as coisas não são tão certas ,” Harold concordou. O Rei acenou com a mão com desdém , como se espantando uma mosca. “Não acredite em tudo o que você ouvir”, disse ele . "Há alguns tumultos nos campos de trabalho mas não são uma ameaça para a cidade.” Demorei-me ali por um momento , vendo-os. Charles falando com o Chefe de Finanças . Meu pai resistiu à presença de Harold por mais um momento se desculpando . Houve conversas sobre o trabalho no acampamento e os tumultos durante toda a noite . Entre os parabéns , as pessoas mencionavam rumores sobre os campos de trabalho , perguntando a meu pai sobre os rebeldes fora da cidade . A cada pergunta , ele ria um pouco mais difícil , ainda mais de uma demonstração de quão confiante de que ele era. Chamou- os de tumultos , não cercos , e fez parecer que tinha apenas acontecido em um ou dois campos. "Pronto para ir?”, Perguntou Charles , oferecendo-me o braço. Eu enrosquei minha mão através dele e começamos a descer o hall. Nenhum de nós falou . Em vez disso, eu escutei o som dos nossos passos e o eco fraco do soldado atrás de nós. Chegamos à suíte, o clique de bloqueio fechou atrás de nós . Vi Charles quando ele se moveu ao redor da sala ,atirando o paletó sobre a poltrona e afrouxando a gravata . "Você não tem que fazer isso hoje", eu disse. Ele estava de costas para mim quando ele saiu de seus sapatos.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


“Claro que sim”, disse ele , empurrando seu cabelo fora de seu rosto. "Eu não estava a ponto de dizer ao seu pai a verdade. Você sabe que tipo de posição nos teria colocá-lo" Ele virou-se e , pela primeira vez , notei que suas bochechas estavam borradas e rosa, como se tivesse acabado de chegar do frio. "Ninguém pode descobrir, Genevieve - Ninguém”. "Não é o seu problema para corrigir”, disse eu . “Eu fiz isso .” Depois do que aconteceu no local da construção , eu tinha ido à minha consulta com o médico , em seguida, me reuni com Charles na recepção. A gratidão que eu sentia por ele havia diminuído , dando lugar a uma espécie de calmo ressentimento. Ele me salvou. Ele acreditava que ele tinha, pelo menos , e eu podia sentir a dívida implícita entre nós sempre que sua mão encontrava a minha , seus dedos apertava o cerco contra a palma da mão . Estamos juntos nessa, ele parecia dizer. Eu não vou deixá-la agora. Ele apertou as mãos no rosto, em seguida, balançou a cabeça. “É este o seu jeito de me agradecer ? Eu não queria isso, você sabe, quando nos casamos. Eu não quero me sentir como se eu fosse alguma horrível, segunda escolha forçada em cima de você . Estou tentando aqui, e eu sempre tentei. Você poderia ter , pelo menos, me dito antes de você me emboscar no local” . "Eu não sabia até esta manhã”, disse eu . Eu dei um passo para longe da porta , tentando manter minha voz baixa, eu estava grata . O que ele tinha feito era gentil e decente. Ele tinha me dado pelo menos mais um dia no interior dos muros da cidade, a oportunidade de falar com Moss antes de escapar . Mas eu nunca tinha pedido a ajuda dele. Charles esfregou a testa . “Você passa horas nos jardins , andando em círculos , tendo a mesmo caminho três vezes como se fosse sempre novo. Eu vejo o jeito que você olha fixamente fora quando estamos no jantar. É como se estivesse em um mundo invisível que ninguém mais pode alcançar. Eu sabia que tinha sentimentos por ele -” "Eu não tenho sentimentos por ele,” eu corrigi . “Eu o amo.” "Amou . Ele se foi” , disse Charles . Meu corpo inteiro ficou rígido , como se tivesse pressionado os dedos em uma nova contusão. "Eu não gosto do que aconteceu também, mas eu acredito que você pode ser feliz. Eu acredito que isso ainda é possível .”

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Não com você . As palavras estavam tão perto de sair. Segurei-as em algum lugar atrás de meus dentes , tentando não lançá-las com grosseria . Eu estudei o rosto de Charles , como estranhamente esperançoso ele olhou , com os olhos fixos em mim, a espera . Sim , seria mais fácil se eu sentisse algo por ele. Mas eu não podia ignorar era pequeno e covarde algumas coisas sobre ele . Como ele sempre disse que "o que aconteceu”, como se o assassinato de Caleb fosse algum desconfortável jantar que tínhamos tido atendido semanas antes . “Sou grata pelo que fez hoje", eu disse. “Mas isso não vai mudar a forma como eu me sinto.” Seus olhos se encheram de repente e ele virou-se , esperando que eu não fosse ver . Peguei a mão dele sem pensar. Segurei-a lá por um momento , sentindo o calor na palma da mão . Mesmo aqui e pela minha própria vontade, me senti estranha e forçada. Nossos dedos não se dobraram naturalmente em si, não da maneira em que eu e Caleb fazíamos , a facilidade de fazer isso parece que era apenas a forma como os dedos deveriam estar - enredada para sempre com outra pessoa. Eu deixo em primeiro lugar, nossos braços caem de volta para os nossos lados. Sentou-se na beira da cama , os cotovelos sobre os joelhos , segurando a cabeça entre as mãos. Ele estava mais chateado do que eu já tinha visto. Sentei-me ao lado dele , observando o lado de seu rosto , esperando até que ele se virou para mim. "Diga- me isso", ele disse suavemente. "Você está envolvida com os rebeldes, o que estão dizendo é verdade?” Fixei meu olhar no chão. "O que você quer dizer?" Eu perguntei. “Como é que eles saíram dos campos de trabalho , e eles estão vindo para cá. Há todos os tipos de rumores , de que eles vão queimar a cidade, que há uma enorme facção já dentro das paredes.” Ele deixou cair à cabeça para trás enquanto ele falava. “Eles dizem que todos os que trabalham para o Rei será executado. Ninguém vai sobreviver.” Lembrei-me de aviso de Moss, dos dissidentes que haviam sido relatados e mortos , alguns torturados dentro das prisões da cidade. Eu não poderia dizer nada a Charles , eu não faria. E, no entanto , quando me sentei lá, ouvindo suas respirações irregulares , eu gostaria que houvesse alguma maneira que eu poderia avisá-lo. Eu descansei minha mão em suas costas , sentindo o peito expandir através de sua camisa. “Você pode ter salvado a minha vida hoje.”

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


“E eu gostaria de fazê-lo novamente .” Ele virou-se e entrou no banheiro, a porta se fechando firmemente atrás dele. Eu fiquei ouvindo a torneira aberta , as gavetas deslizantes sendo abertas, então pancadas fechadas. Ele trabalhava para o meu pai assim como seu pai. Na mente de Moss ele não era melhor do que o rei. Mas naquele momento ele era apenas Charles , a pessoa que roubou peônias a partir dos jardins do Palácio , porque ele sabia que eu gostava de pressioná-los em livros . Ele odiava tomates e foi tirânico sobre uso do fio dental , e às vezes ele segurava o cheiro da construção em seu cabelo , mesmo após um chuveiro. Vesti minha camisola e deitei sob as cobertas . Ele ficou no chuveiro por cerca de uma hora. Depois ele finalmente apagou a luz e se enrolou no salão , no canto , sua respiração desacelerando no sono . Eu permaneci acordada , estudando as sombras na parede , tentando imaginar o que seria estar aqui dentro da cidade, quando os rebeldes chegassem . Quanto tempo levaria para chegar ao Palácio ? Imaginei o terror dele , a foto Charles na escada, as mãos atadas . O que ele pensaria, o que ele diria quando vierem para ele ? Eles o mataria eu tinha certeza disso agora. Meus membros esfriaram . Fiquei ali disposta a ficar quieta, desejando manter os segredos que eu tinha prometido manter . Mas eu sabia de outra coisa , talvez com a mesma certeza , a ideia me apertava os pulmões. Ele não merecia isso.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


SETE Meu pai não foi ao pequeno almoço. Eu esperei, deixando a mão em meu colo, escutando o lento som do relógio ,uma e outra vez . Dois minutos se passaram. Ele sempre ficou em nove, nem um segundo mais tarde. Mas ainda assim o vazio na cadeira que ele sentava, os talheres intocados. “Só mais um minuto", disse a tia Rose , acenando para sua cadeira. O suor escorria pelo lado de seu vidro de água , reunido na mesa . Eu empurrei meus ovos duros em volta do prato , tentando manter meus olhos em Clara e Charles . Eu não tinha dormido na noite anterior. Hoje, sentada aqui , eu senti como se estivesse rodeada por fantasmas. O cerco aconteceria amanhã , Moss tinha dito. Uma vez que o apoio das colônias chegou, eles poderiam tomar o Palácio dentro de uma semana . Esse nosso plano muito mais complicado agora parecia . Não importa quem minhas alianças fossem , não importa o que havia sido prometido , como eu poderia deixá-los todos aqui ? Clara seus dedos pequenos, trança cor de palha . “Você não sabe onde ele está?”, Ela perguntou , com os olhos nos meus. Nós não tínhamos nos falado desde a recepção, onde ela me parabenizou e Charles , como se ela não tivesse testemunhado os acontecimentos da manhã. Seu olhar continuou pegando o meu, e eu sabia que ela estava desesperada para falar comigo. Eu tinha evitado andar por seu quarto ontem à noite, com medo de ela me ouvir e perguntar novamente sobre a faca e o pequeno saco que eu escondi no meu bolso. Eles estavam esperando na estante , pronto para me levar esta noite quando sair. Charles virou o garfo em sua mão , esfregando o polegar contra a prata. Vi esse simples gesto , trazendo o ar em meus pulmões , tentando diminuir a náusea. Já tinha começado . Meu pai estava doente. Era a única razão pela qual ele não estaria aqui . Moss queria que o envenenamento passasse despercebido por tanto tempo quanto possível. Ele esperava que a doença fosse confundir os médicos , e enquanto eles estavam executando os testes os rebeldes fariam o seu caminho em direção à cidade .

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


"Eu estou indo para vê-lo”, eu disse , olhando ao redor da mesa. “Vocês podem começar sem a gente.” Clara me olhou quando eu saí da sala . Não me atrevi a olhar para ela. Em vez disso, eu mantive meus olhos na porta, em seguida, o corredor à minha frente , no local onde terminava a suíte do meu pai. Bati meus dedos contra a madeira , deixando minha mão lá por um momento , não estava completamente pronta para ir para dentro. Eu ouvi o fraco murmúrio de vozes . Em seguida, houve passos quando alguém se aproximou da porta . O médico abriu apenas o suficiente para que eu pudesse ver seu rosto , mas não o quarto atrás de si. Seus óculos tinham deslizado para baixo da ponte de seu nariz , sua pele molhada de suor. “Sim , a Princesa Genevieve ?” "Posso entrar?” Eu passei à frente , mas ele segurou a porta , não me deixando entrar. Ele colocou um dedo e desapareceu por um momento , fechando-a com força atrás de si. Havia mais murmuração . Ouvi a tosse do meu pai. Então a porta se abriu novamente. A suíte parecia à mesma do dia anterior, a superfície lisa e brilhante, as amplas vidraças e janelas expondo a cidade abaixo . Mas um fedor azedo estava em tudo. Um cheiro de podridão meu suor bateu em um instante, enviando a bile subindo no fundo da minha garganta eu a engoli para baixo , cobrindo o nariz com a mão . O médico estava na porta do quarto de meu pai, me esperando para entrar. Eu trouxe o meu xale a minha cara quando entrei na sala escura . As cortinas foram abertas apenas uma polegada. A fatia fina de luz caiu através do chão e sobre a extremidade da cama . As aberturas explodiram em cima de mim , fazendo o quarto parecer menor, o suor já cobrindo a parte de trás do meu pescoço. Meu pai estava na cama, como eu nunca tinha visto ele. Seus pijamas azul-marinho tinha uma mancha amarela seca na lapela . Seus olhos estavam semicerrados, e sua pele tinha uma tonalidade cinza estranha que eu tinha visto apenas na morte . Fechei os olhos e voltei para o sossego do quarto de minha mãe no tempo que eu abri a porta de seu quarto. Ela dormindo , com a cabeça virada para um lado , as contusões se espalhando ao longo de sua linha fina . O sangue era preto encrustado em torno de seu nariz. Eu comecei a ir em direção a ela , querendo enrolar na cama, de ter seus joelhos

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


abaixo mim do jeito que ela sempre fazia quando ela me segurava . Subi para o colchão e ela acordou , me empurrando para trás contra a cabeceira . Você tem que ir embora, ela disse , elevando o cobertor para o rosto dela. Agora . Quando ela finalmente fechou a porta , ouvi o bloqueio , então o raspar lento das pernas da cadeira , como ela arrastou -a sob a maçaneta. "Estou fazendo tudo o que puder para que ele esteja confortável”, disse o médico. Ele inclinou a cabeça , observando como eu enxugava os olhos. "aconteceu ontem à noite. É provável que seja um vírus. Não é a praga , porém, posso garantir a você .” Estudei os lábios de meu pai, a pele cheia de bolhas nos cantos de sua boca. Seu rosto mudou , sua expressão tensa enquanto ele lutava contra algo invisível. Eu sabia que isso era obra minha , ele estava sofrendo por minha causa. Agora, no meio de tudo isso , eu senti como se estivesse encolhendo no nada. Eu tinha ido a sua suíte e envenenado a sua medicação , enquanto ele esperava do lado de fora da porta, pensando que eu estava doente. Aqui, assim, ele foi apenas o homem que amava minha mãe. Que iria me encontrar, depois de todo esse tempo, para me dizer isso. Eu fui para o lado dele , olhando para suas mãos, as veias azuis grossas abaulamento sob a superfície de sua pele. Uma foi preso com um pequeno tubo , o sangue ainda molhado por baixo da fita adesiva transparente que segurou lá . “Sou eu.” Eu me inclinei para que ele pudesse me ouvir. "Eu vim para ver o que estava errado.” Ele virou a cabeça e abriu os olhos , os lábios se curvando em um sorriso mais leve . "Só um vírus estomacal ,isso é tudo.” Ele limpou a saliva do canto da boca . "Hoje à noite ?”, Acrescentou, olhando para o médico . “Sim, nós vamos ter um melhor resultado das coisas esta noite. Vamos ver se ele melhorou em tudo. agora mesmo o mais importante é mantêlo hidratado.” Meu pai apertou sua mão para o lado , com o corpo rígido e tenso. O médico me conduziu de volta , em seguida, debruçou-se sobre ele, para ouvir sua respiração . “Você pode voltar mais tarde hoje”, disse ele , apontando para a porta . Eu só fiquei ali, observando a maneira como os pés de meu pai ficou tenso , com os dedos apontados para o teto, um joelho levantado en-

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


quanto ele tentava apoiar-se contra a dor. Ele soltou uma respiração baixa , em seguida, relaxou um pouco ,seus olhos encontrando seu caminho para mim. “Não se preocupe, Genevieve .” Quando ele sorriu , parecia que ele estava tentando não chorar. "Isso vai passar.” Eu olhava para o chão , para o padrão de roda no tapete , a fatia fina de luz movendo-se com a cortina . Pensei na minha mãe. Será que ela estava desgostosa comigo agora, sua filha, que tinha feito estas coisas para alguém que ela amava ? Não importa quantas mortes ele foi responsável , eu não tinha feito agora a mesma coisa? Eu não era melhor. Virei-me para ir, parando na porta enquanto ele tossiu , vacilando em cada um dos seus suspiros. Engasgou. Era tarde demais. Isso foi feito . Agora eu só esperava que ele não tivesse que ficar assim , meio vivo , por muito mais . Que seja rápido , eu disse, falando com alguma força sem nome, sem rosto , como todas aquelas orações que eu tinha ouvido proferida nos memoriais . Deixe-o terminar .

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


OITO O dia estava desaparecendo. O céu escurecia acima, um toldo laranja pálido , com apenas uma leve nuvem passando. Eu toquei uma xícara de chá da China, pressionando a alça fina entre os dedos. Foi Clara quem quis vir aqui. Depois que eu a tinha evitado o dia todo, ela me encontrou na galeria do Palácio e insistiu a ir a um passeio pela estrada principal. Eu não podia dizer nada, nem quando passamos os velhos venezianos jardins ou o mais recente hotel que tinha sido convertido em apartamentos. Ela esperou, seus passos no mesmo ritmo que o meu, mas não foi até chegar ao restaurante no último andar , no final da estrada que qualquer uma de nós encontrou a coragem de falar . “Apenas me diga ,” Clara sussurrou. Ela colocou a mão em cima da minha e deixou-o lá. “Será que você tem alguma coisa a ver com o que aconteceu com o seu pai? Dizem que ele está piorando.” Estudei o polonês vermelho-sangue , a miniatura que estava lascada no canto . As tabelas que nos rodeavam estavam vazias , mas cerca de cinquenta pessoas ainda estavam no telhado , demorando depois do almoço. Um homem mais velho com crespos cabelos grisalhos estava sentado a poucos metros de distância, ocasionalmente olhando para nós e depois de volta para seu jornal. "Eu estava chateada ontem.” Eu dei de ombros . “Você não deveria ter visto o que você viu." Ela sentou-se para frente, os cotovelos sobre a mesa, e descansou o rosto nas mãos. “Eu não sei o que mais eu preciso fazer para você confiar em mim. Eu mantive cada um de seus segredos.” Eu assisti os dois soldados atrás dela. Eles nos seguiram até aqui e agora estavam sentados em uma mesa no canto do restaurante , comendo os pequenos sanduíches triangulares em uma mordida. "Não é isso", eu disse calmamente. "Eu Simplesmente não posso.”

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


A garçonete , uma mulher mais velha com óculos riscados , fez uma pausa para encher nossos copos . Ficamos em silêncio enquanto ela ficou ali, pairando sobre nós. De vez em quando as pessoas se esqueciam dos seus pratos para ver o que estávamos fazendo. Olhamos comicamente para o chá de fim de tarde , Clara em um vestido que se espalhou para fora na cintura, os brincos de rubi ornamentados quase tocando os ombros. Por insistência de Alina meu cabelo foi feito em cachos , um pacote deles preso na minha nuca . Meu vestido azul, as mangas apertadas em torno de meus braços, proporcionando pouco alívio para o crescente frio . Clara não olhou para mim, esperamos até que a mulher começou a voltar pelo telhado . Ela afastou-se do resto das tabelas , olhando para fora sobre a cidade, com cuidado para que ninguém fosse ver sua face. "Você vai sair, não é.” Ela disse isso como uma afirmação, não uma pergunta , sua expressão instável. "Eu não posso fazer isso agora.” Eu comecei , mas minha voz sumiu quando eu a assisti. Ela mordeu uma de suas unhas , transformando-a de lado, como se ela tivesse a rasga fora . "Eu tenho tanto medo .” Ela disse tão baixo que eu mal podia ouvi-la. Algo dentro de mim se partiu. Eles seriam todos mortos aqui se eu os deixasse. Moss seria o único dentro do Palácio que poderia pará-los, e mesmo assim, eu me perguntei se ele iria. Eu não poderia fazer isso de novo ,o constante olhar para trás , imaginando as coisas que eu poderia ter feito para salvá-los . Baixei a cabeça , descansando meus dedos na minha testa para proteger meu rosto. “Não devemos falar aqui", eu disse. Era muito mais fácil sair, não é? Vi o lado covarde do meu pai em mim, aquele que não havia respondido as cartas de minha mãe, que nos tinha deixado naquela casa, preso atrás de barricadas, esperando para morrer. O pensamento me encheu de pavor. Ele estaria comigo, uma parte de mim sempre, se ele vivia ou morria. “Eu posso não ser capaz de levá-la”, eu murmurei . “Mas eu vou ter a certeza de que você estará segura .” Eu não sairia até que Moss prometesse proteção para Charles , Clara, e sua mãe. Clara baixou a cabeça para trás, deixando o cabelo cair longe de seu rosto. Seus olhos estavam vidrados . "isso está acontecendo. Todos os rumores são verdadeiros .”

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


"Eu prometo que não vou deixar nada acontecer com você", eu disse, incapaz de confirmá-la. “Quanto tempo faz?” Ela balançou a cabeça . “Alguma vez você cortou contato com os dissidentes ?” Deixei escapar um suspiro , tentando parar o tremor em minhas mãos. "Há um contato no Palácio, que a encontrará quando isso acontecer. Sua mãe e Charles também. Espere por ele." Ela se inclinou para frente e as lágrimas vieram rápido , tocando sobre a mesa de mármore. Eu descansei minha mão no pulso dela e apertei , tentando contar-lhe tudo que podia. Eu não vou deixá-los mal. Eu queria mudar minha cadeira ao lado dela, para dobrar meus braços ao redor de seus ombros , puxando-a para mim. Mas era muito arriscado aqui. Seria muito óbvio que ela estava chorando, e então haveria perguntas. Estudei as mechas de cabelos finos que sempre emolduraram o rosto de Clara , embora sua mãe tentasse desesperadamente suavizá-los de volta com spray de cabelo, ele sempre se transformavam no final. Poderiam ser meses até que eu estivesse de volta para dentro da cidade. Eu queria corrigir minha mente da forma que não foi possível com Arden ou Pip. Agora, elas apareciam de maneira mais vívida nos sonhos. Quando eu tentava me lembrar de algo mais específico , um gesto , o som de suas vozes , eu não podia. Ficava cada vez mais difícil , os meses passando rapidamente sem nenhuma palavra delas . Pensei em tirar uma foto de Clara, talvez de uma de nós que tinha saído no jornal nas últimas semanas , meu braço enfiado no dela enquanto andávamos nos Jardins do Palácio . Hoje à noite, no meu último encontro com Moss, eu teria certeza que eles seriam mantidos em segurança. Clara limpou suas bochechas com as costas das mãos . “Isso vai parecer loucura,” ela começou ." Tenteme . "Seus lábios torcidos em um meio sorriso. “As meninas da minha idade que não eram órfãs nunca gastaram seu tempo com a sobrinha do rei. Elas costumavam dizer que eu era arrogante .” Eu sorri, lembrando-se da primeira vez que encontrei Clara, como ela tinha me dado um rápido olhar, discernindo de vez, avaliando os meus sapatos , meu cabelo e meu vestido, como se fossem de um manequim de loja. “Nããão ,” Eu brinquei. "Eu não acredito nisso.” Clara alisou a trança fina que segurava o cabelo dela. "Talvez eu não esteja tão surpresa”, disse ela. "Mas agora eu não posso imaginar as coisas sem você.”

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Nos dias após o casamento , Clara tinha sido a única que tinha trazido minhas refeições na suíte , quando eu me recusava a ver mais ninguém. Essas primeiras semanas , uma vez que ela nunca tinha falado sobre Charles , não importa quão deve ter sido estranho vê-lo casado, ter que sorrir e olhar como ele jurou a si mesmo para mim. Ao contrário, ela se enrolou ao meu lado , com a mão nas minhas costas enquanto eu contava o que tinha acontecido com Caleb. "Eu vou ver você de novo”, eu disse , mas mesmo assim eu sabia o quão difícil seria. Ela enxugou os olhos . "Você está se sentindo melhor”, ela perguntou , seu olhar caindo por um momento ao meu. “Ele vem e vai.” Eu tentei não olhar para os sanduíches meio comido em seu prato , onde um pedaço pálido de frango ficou exposto , a carne e maionese assumindo um cheiro forte , repugnante . “Caleb”, perguntou ela . Mudei o meu prato para a borda da mesa, longe de mim. Ultimamente eu não tenho falado muito sobre ele, percebia que era impossível para qualquer um entender o que eu sentia . Isso foi o que mais me lembrei de dias depois que ele morreu - o obrigatório Como você está? Que estavam em todos os lugares na cidade . Moss e Clara perguntavam com boas intenções , mas mesmo a mais inocente pergunta me fazia assumir mais peso. A cada resposta ainda mais dor , as pequenas respostas vazias , fazendo -me sentir mais sozinha na minha solidão. "Isso vem e vai , também," eu disse. "Minha mãe disse que eles vão saber por esta noite", Clara continuou. “Sobre o Rei". Ela fez uma pausa , esperando pela minha resposta , mas eu apenas balancei a cabeça. "Eu não posso discutir isso”, eu sussurrei , meu olhar arremessando através do telhado. Ambos os soldados estavam de pé agora , as mãos protegendo os olhos enquanto olhavam fora , sobre a cidade, algumas pessoas nas mesas vizinhas levantaram-se de suas cadeiras , tentando olhar o que eles estavam vendo . Eu segui o olhar para além do muro . À luz diminuindo era difícil de decifrar, mas observei uma área de edifícios cobertos de areia . O rádio no cinto do soldado estalou . Pela primeira vez, notei que o topo da torre da estratosfera mudou para a cor vermelha, luz pulsante aparecendo na ponta da agulha .

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Algo entre os edifícios havia se movido. As sombras no chão mudaram quando os homens corriam de um edifício para o outro . Eles não poderiam estar mais do que uma meia milha além da Cidade . Talvez menos. Eu me inclinei , tentando alertar Clara, quando os primeiros tiros soaram . Uma explosão ocorreu no outro lado da parede, ondulando -se em um fluxo de espessura negra. A mulher ao lado de nós apontou para as Outlands sul. Figuras corriam pela rua, a agitação dos soldados nos edifícios . Mesmo do alto pudemos ver seus braços estendidos e ouvir o estalo de tiros enquanto se moviam rapidamente em direção ao centro da cidade . "Eles estão dentro das paredes”, ela disse . “Eles estão dentro.” "Isso é impossível”, um homem atrás de nós respondeu . Clara virou-se para mim, procurando o meu rosto . Eu sabia o que ela estava perguntando . Se havia mais túneis como o que Caleb estava trabalhando ? Havia uma maneira de terem passado por eles, apesar do que todos pensavam ? Eu balancei a cabeça , um sim quase imperceptível . Um soldado moveu-se para o outro lado do telhado , bloqueando a saída. As pessoas no restaurante ficaram estranhamente quietas. Uma mulher tinha congelado no meio de sua conversa , os lábios entreabertos , sua xícara empoleirada no ar . "Alguém me ajude", disse o soldado , apontando para os carrinhos que servem as mesas em torno da saída. “Nós temos que mudar estes.” Ele arrastou uma mesa na frente da porta em frente à escada, bloqueando a única entrada . Mas não foi até o outro soldado falar que alguém se moveu. "Vamos lá , gente!”, Disse ele , erguendo a voz para um grito. "Vocês não podem ver o que está acontecendo ? A cidade está sob ataque.”

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


NOVE Uma hora se passou. O ar cheirava de fumaça. Do telhado , podíamos ver um fogo se espalhando na Outlands , um pouco além dos velhos hangares de avião . Mais rebeldes tinham entrado na cidade , lutando junto com e oposição dentro . Gritos se ouviam a partir da estrada principal. Eu mantive meus olhos nas ruas abaixo , observando pessoas em edifícios algumas tentando voltar para seus apartamentos. Explosões soaram ao longo da parede . O rat-tat-tat de metralhadoras era tão constante que eu já não me encolhia. “Você disse que nós tínhamos tempo ainda”, Clara sussurrou. Sua mão estava segurando meu pulso, os dedos cavando na minha pele enquanto verificávamos a cidade. "Eu pensei que tínhamos." Minha voz soou estranhamente calma. Os soldados se recusaram a deixar-nos mover as mesas empilhadas contra as portas da escada, bloqueando apenas a entrada do telhado. As maiorias das pessoas estavam nos trilhos, observando o combate. Muitos não falaram . Uma mulher tinha retirado uma câmera e estava tirando fotos das chamas que consumiam um armazém nas Outlands . Tiros foram disparados em algum lugar na parte sul da cidade , onde os fogos queimavam, suas chamas incitadas pelo vento . Havia centenas fora dos portões, uma grande massa de pessoas , atiravam nos soldados estacionados ao longo das torres de vigia da parede. De onde estávamos podíamos ver apenas uma pequena parte do portão norte e o súbito lampejo de explosões além dele. As silhuetas misturadas na escuridão. Um homem mais velho , de cabelos brancos estava sentado com as costas curvadas, os braços cruzados sobre o parapeito. Outro homem, não mais do que quarenta anos, estava ao nosso lado. “Eles nunca vão conseguir atravessar as portas”, disse ele ." Houve um ataque há cinco anos. A quadrilha fez bombas com gasolina. Deve ter queimado por um dia inteiro, toda extremidade norte da muralha foi consumido. Mesmo assim eles não conseguiram passar . Seja qual for os motins que estão acontecendo nas Outlands, deve ser controlado dentro de um par de horas. Não há necessidade de ter medo .” Ele inclinou-se ligeiramente ,

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


sua expressão tão séria, como se só ele tinha o poder de nos tranquilizar . Eu me virei para trás, tentando pegar um vislumbre do extremo sul da parede, onde uns dos restantes túneis estavam. O homem estava errado, os rebeldes entrariam a cidade, se não já tinham entrado. Moss havia descrito em detalhes: como o portão norte seria atacado em primeiro lugar, então, uma vez que os soldados tinham sido chamados, outra onda de rebeldes iria mover-se através de um dos túneis restantes nas Outlands , trazendo suprimentos adicionais . Agora que o cerco tinha começado , eu não poderia estar certa quando os rebeldes chegariam ao centro da cidade . Mas se não estivéssemos de volta ao Palácio com Moss, nós duas estaríamos mortas . Eu comecei ir em direção à saída , puxando Clara comigo. "Precisamos deixar este lugar”, eu sussurrei para ela. "Eu não sei quanto tempo temos.” Uma pequena multidão se formou na saída , salpicando os soldados com perguntas. Uma mulher estava na frente deles , as mãos gesticulando freneticamente . Agora que o sol se punha , ela tinha vestido um casaco vermelho curto para se mantiver aquecida. “Mas eu tenho que ir”, disse ela , sua voz desigual. "Meus filhos estão a apenas duas quadras ao sul daqui . E se os rebeldes entrar através da porta ? O que faremos então?” "Eles não vão entrar.” A cabeça do soldado foi completamente raspada . A pele na parte de trás do seu pescoço se reuniram em pregas grossas, cor de rosa. "Estamos mais preocupados agora com os dissidentes dentro da Cidade . É mais seguro aqui do que na rua” . Três homens estavam ao seu lado, ouvindo. Um estendeu o braço do soldado e empurrou no topo da porta de metal. “Para trás!” O outro soldado gritou . Ele puxou o colarinho da camisa do homem , puxando-o para longe .O homem se livrou do agarre do soldado. "Temos famílias a quem precisamos chegar. O que é isso para você se queremos sair” “Eles ficaram bem”, eu disse . “Quanto tempo nós temos que ficar aqui em cima?” O soldado pesado olhou de soslaio para o colega. "Foram às ordens de seu pai.” Ele olhou menos certo agora, como alguns outros se moveu em direção à saída. “Eles precisam de pessoas fora da estrada para que os jipes possam passar. Eles deveriam permanecer aqui. É só por enquanto.”

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


"Devemos apenas ficar sentados aqui?” Disse um dos homens na porta que tinha tirado o paletó , revelando uma camisa manchada de suor. "O que acontece com nossas famílias?” Algumas mesas ainda estavam bloqueando a saída . Ele pegou uma delas puxando pelas pernas. "Alguém me ajudar aqui.” O soldado pesado foi para detê-lo, mas eu tirei o braço dele. “Você tem que nos deixar”, eu disse . Outra explosão ocorreu nas Outlands , a fumaça elevando-se em uma enorme nuvem repentina. Eu me preparei contra ela. “Todos nós. Se ficarmos aqui por muito mais tempo vamos ficar presos .” “Eve", Clara sussurrou. “Talvez eles estejam certos . Talvez nós apenas tenhamos que esperar. Não devemos discutir com eles.” Ela viu o soldado pesado reajustar seu rifle , enquanto a multidão se movia . Mas fui em frente , agarrando uma das cadeiras do topo da pilha e passando de volta para ela. Duas mesas foram entaladas contra a porta. Enfiei a um fundo de lado ao longo da borda do telhado. O soldado pairou lá , sem saber o que fazer para me impedir. O estalo oco , de explosivos era muito mais alto do que antes. "Precisamos ir agora”, outro homem gritou . Ele estava em um uniforme de garçom com o colete desfeito. Ele abriu caminho para frente da multidão. As pessoas seguiram atrás dele, indo para frente. O soldado apertou o braço de volta contra o peito do homem, tentando impedi-lo , mas a multidão continuou se movendo . Uma mulher caiu em mim, e eu me empurrei em direção às portas . Ela estava tão perto que eu podia sentir o cheiro do café em sua respiração. Meus joelhos vacilaram. Eu perdi a mão de Clara. Houve gritos , enquanto a multidão se moveu em um grande massa . As portas cederam de repente , e todos deram uma guinada para frente. Uma mulher mais nova com um chapéu vermelho pisou sobre as cadeiras que tinham sido apoiados contra a saída. À medida que descia as escadas , estimulada pela denso fluxo de pessoas em pânico , eu olhei para cima para ver dois homens que mantinham o soldado contra a parede , enquanto o resto da multidão passava. Foi tranquilo como nós descíamos em espiral pela escada , observando os nossos pés , os nossos passos ecoando no concreto. Um homem mais velho parou na minha frente, ofegante, as mãos nos joelhos. Algumas pessoas arremessaram contra ele, quase o derrubando para frente. “Está tudo bem ,” eu disse, pegando-o pelo braço. “Um de cada vez.” Continuamos até que a escada nos cuspiu no piso inferior do hotel renovado. O saguão estava vazio. As máquinas de

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


jogos antigos foram cobertos com lençóis. O restaurante foi fechado, porta após porta trancada. A multidão dispersou-se através do labirinto de corredores, tentando diferentes saídas enquanto eu esperava por Clara. "Obrigada, Princesa,” o homem mais velho disse assim que ele começou a sair através de um das salas escuras. Eu o assisti ir até que ele era uma minúscula partícula , engolido pela escuridão. O silêncio me apavorava, além das portas de vidro da estrada principal estava desolado com exceção de um solitário Jeep passando. Um soldado correu por sobre a calçada , o som de seus passos se afastando , voltando o mundo para seu lugar quieto. O silêncio foi quebrado pelo estalo rápido de tiros. Uma voz distante chamava a partir de um lado corredor, “Por aqui , eu encontrei uma saída pela parte de trás !” Clara correu para fora da escada, segurando o vestido para que não tropeçasse . Vê-la agora , segurando o vestido de seda que se espalhou para fora em sua cintura , o pescoço delicado decorado com um pingente de rubi , compreendi o quanto de perigo que estávamos correndo, éramos obviamente do Palácio - nosso cabelo preso para cima, nossos vestidos em tecidos personalizados que eram quase impossíveis de encontrar agora, tantos anos depois da praga . Um homem passou por nós, o casaco pendurado no braço. “Sr.”, gritei enquanto corria em direção a um corredor escuro .Ele não voltou. Em vez disso, ele olhou por cima do ombro , com o rosto em perfil. "Podemos ter o seu casaco? Nós não podemos ir por aí assim. Se um rebelde nos vê, vamos ser notadas.” Ele diminuiu a velocidade por um momento e considerou . Então ele só derrubou o casaco , deixando-a ali no chão para que pegássemos . Algumas mulheres desfilaram atrás dele, correndo ao redor, até que Clara e eu estávamos sozinhos no saguão. Eu envolvi a jaqueta sobre os ombros de Clara . Então eu desamarrei meu cabelo, deixando-o cair solto cobrindo os lados do meu rosto e em cima do meu vestido . Era apenas quinze minutos a pé de volta para o Palácio, talvez menos, e nós não poderíamos ficar aqui e esperar. Seguimos o resto da multidão pelo corredor vazio, movendo-nos para o escuro .

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


DEZ A estrada principal estava vazia , exceto por uns poucos que tentavam voltar para seus apartamentos. Barricadas de metal haviam sido colocadas , bloqueando o lado oeste da rua, impedindo a passagem de pessoas. O Jeep passou e paramos , esperando por eles para nos reconhecer , mas o veículo se mantinha em movimento , os olhos do soldado trancado no extremo sul da cidade. Olhei para o céu , vendo a fumaça subir em uma névoa , cobrindo as estrelas. Houve um brilho laranja vindo do norte, onde as chamas cresciam nas Outlands . Dois tiros soaram em sucessão ,em seguida, um grito de mulher . "Onde é aquela loja?” Eu perguntei a Clara , apressando-se para fora à sua frente. Eu olhei para o leste, procurando pelas ruas lojas e restaurantes abertos. "Nós passamos outro dia , enquanto estávamos andando, e você disse que todo mundo compra suas roupas lá.” “É apenas mais um bloco.” Ela apontou para o canto dez metros à frente . Eu acelerava, correndo tão rápido quanto eu poderia na saia longa , a base de tule arranhando minhas pernas. Eu não parei até que me virei para o rua tranquila. A loja era apenas duas portas a partir da estrada. Eu tentei abrir a porta , mas não deu. “As rochas”, eu disse , apontando para os arbustos que ladeavam a faixa principal. Eles foram plantadas ao lado da calçada , a sujeira cercada por pedras pesadas . "Passe -me um.” Clara encontrou uma grande rocha pela base das raízes e entregou-a para mim. Voltei-a para o centro do vidro porta, a lançando pela janela logo acima do punho. O vidro se quebrou, estilhaços brancos como gelo picado. O alarme soou, um uivo elétrico tão alto que eu sentia as vibrações em meu peito. Eu abri a porta e corri para dentro , em direção à traseira, onde havia camisas penduradas em um rack. Clara abriu a parte de trás do meu vestido , me ajudando com isso. Puxei uma blusa preta fora do rack , então algumas calças. Clara vestiu-se rapidamente , pegando outra camisa de um cabide e calçando um par de sapatos, ela se ajoelhou para amarrá-los , o alarme continuou seu

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


gemido horrível. Olhei pela porta quebrada, com medo de chamar atenção, mas apenas uma pessoa passou em disparada. Ela nem olhou para a loja enquanto corria. “Estes também," eu disse, pegando dois chapéus de uma tabela no meio do caminho . Nós puxamos para baixo sobre os nossos olhos e imediatamente me senti mais à vontade , dando um passo de volta para a estrada principal. Nós corremos em silêncio, a cabeça baixa , olhando para o chão. Mais tiros podiam ser ouvidos em algum lugar no norte, em seguida, uma explosão como um trovão , sacudindo tudo ao nosso redor . Uma mulher correu até a estrada principal , cobrindo as orelhas com as mãos. Um homem mais velho estava bem atrás dela , sua jaqueta preta de sujeira, sua perna direita rasgada na altura do joelho . Eles diluíram o ritmo quando passaram por nós, a mulher apontou por cima do ombro . "Eles estão vindo do sul", ela gritou . "Há centenas deles. Meninos dos campos também.” O homem permaneceu no canto por um momento , a mão de sua esposa agarrada na sua. “Boa sorte para vocês dois.” Um incêndio começou em um antigo armazém . Fumaça preta ondulado a partir de uma janela quebrada , no ar um cheiro de plástico queimado. Eu assisti a curva na estrada enquanto corríamos , à espera do Palácio aparecer para além dela. Eu podia ouvir as respirações de Clara atrás de mim e o som surdo de seus sapatos na calçada . Lentamente, ele veio à tona. As luzes abaixo as estátuas tinham sido desligadas , as silhuetas apenas visível contra as árvores . As fontes ainda estavam ligadas. Dezenas de soldados alinhados na extremidade norte do shopping , os Jipes estacionado na calçada , bloqueando as entradas. Eu segurei minhas mãos na minha frente , mostrando a eles que eu estava desarmada . Começamos o longo caminho, as árvores subindo de cada lado de nós. Um soldado na entrada da frente nos viu primeiro , trazendo sua arma, apontando para onde estávamos. Parei ali, Clara ao meu lado , observando enquanto dois outros soldados se aproximavam ."É Genevieve,” eu disse. Tirei o meu chapéu , revelando a minha cara . “Clara e eu estávamos presas do outro lado da estrada” . Um dos soldados puxou uma lanterna de seu cinto ,passando sobre as calças e blusas pretas que tínhamos roubado da loja. Ele descansou por um momento na minha cara, e eu olhava contra o feixe iluminado. "Nossas desculpas , Princesa,” eu o ouvi dizer , e correu em nossa direção. "Nós não te reconhecemos com essas roupas.”

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Eles nos escoltaram em ambos os lados , trazendo-nos para piso principal do palácio, onde as estátuas de mármore estavam de pé, os braços das mulheres levantados ao teto em saudação. Mas mesmo depois que estávamos no elevador , subindo acima da cidade , não havia nenhuma sensação de alívio. Eu só pensava em Moss, do exército vindo das colônias, querendo saber quando e como eu ia escapar. Sentei-me na borda da banheira , o rádio em minhas mãos. Eu tinha coberto o pequeno alto-falante com uma toalha, com medo de que Charles iria ouvi-lo a partir do quarto . Ele tinha estado em um local nas Outlands quando o cerco começou e foi levado de volta em um carro do governo. Um menino , não mais de dezesseis anos, havia jogado uma garrafa em chamas em um Jeep onde estavam dois soldados. Mesmo depois de Charles estabelecer para a noite, ele mantinha os olhos abertos, o rosto fixo numa expressão estranha . Ele olhou fixamente para um ponto além do chão , olhando para algo que eu não podia ver. Torci o rádio ligado, transformando-o após as estações da cidade e o vazio estático, para a primeira linha que Moss tinha marcado com caneta. Uma mensagem cortou o silêncio, interrompida por um baixo crepitar ocasional. Foi uma voz de homem, encadeamento vários pensamentos desconexos que parecem como o jargão para alguém familiarizado com os códigos. Tentei me lembrar das instruções de Moss exatamente , os números que ele usou para fazer sentido. A mensagem se repetiria em um circuito de dez minutos, a segunda estação proporcionando a última porção . Eu tentei manter minha voz firme quando pedi a Charles para marcar uma reunião com Reginaldo, Chefe de Imprensa do Rei. Meu pai tinha piorado ao longo do dia e ainda estava acamado . Eu disse que eu queria oferecer uma declaração em seu nome. Charles não tinha visto Reginald desde a manhã, e a maioria dos soldados no Palácio acreditavam que ele tinha ido para as Outlands para se informar sobre o que estava acontecendo . Eu não podia deixar o Palácio esta noite, como tínhamos discutido , e não até que eu tivesse proteção segura para Clara , sua mãe, e Charles . Tudo parecia errado . Eu tentei não pensar, apenas copiar as palavras do rádio , listando sete de cada vez para baixo da página, como Moss havia instruído . Escrevi até meu pulso doer, meus dedos apertados e doloridos, então torcido o dial para a próxima linha que Moss tinha marcado .

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Levei quase uma hora , anotando o absurdo murmúrio, depois de ouvila de novo , duas vezes para ter a certeza de que tinha ficado correto . Quando eu acabei tinha dois blocos de palavras , sete abaixo e dez de largura. Eu coloquei os papéis um lado do outro , movendo todos os três, então a cada seis, em seguida, todos os nove, recopiei as palavras. Olhei para elas por um momento, essas novas sentenças. Fechei o rádio e sentei-me em silêncio. As colônias recuaram. Elas não poderiam fornecer suporte para o cerco sobre a cidade. Eu segurei o rádio em minhas mãos, sem acreditar muito nele. As colônias não estavam chegando. No primeiro dia, os rebeldes haviam perdido milhares de soldados . O que isso significa para aqueles que já tinha começado a lutar? O que isso significa para todos dentro das muralhas da cidade ? Moss estava tão confiante que eles viriam , que eles forneceriam o empurrão final necessário para garantir a Cidade. Tudo parecia menos certo agora. Eu sentei lá , esperando para sentir alguma coisa , qualquer coisa, mas meu interior sentia vazio e frio. Minhas mãos estavam entorpecidas. Minha gravidez parecia muito distante, todos os sintomas de que uma criança crescia dentro de mim. Desde que o cerco começou eu não tinha sentido a pesada náusea. Mais de oito horas se passaram . Meu estômago não estava tenso e torcido. Eu não sentia nada, o que me assustou. As palavras do médico continuava voltando para mim. Ele disse que ainda era possível Perder a criança, que o estresse e a tensão podem causar a perda de um bebê. Eu fiquei de pé, fui para a parte de trás da casa de banho. Pisei na borda da banheira , assim poderia atingir o pequeno orifício de metal perto do teto. Eu tirei um dos parafusos fora da parte inferior da grelha circular , que caiu para a direita, ao redor e para cima, deixando espaço para chegar a minha mão dentro, retirei o saco de plástico situado na parte de trás do respiradouro. A camisa cinza estava enrolada em seu interior, segura em sua própria bolsa secreta. Segurei -a em minhas mãos , sentindo a bainha rasgada na parte inferior , à marca que estava pendurada por pontos soltos, a letra C com tinta dentro. Esta pode ser a última coisa que eu tinha de Caleb , a única prova de que ele existiu em tudo . Parecia tão pequeno e patético agora, no momento. O fio já estava desmoronando nas costuras . E se, depois de semanas sem saber que teria um bebê, eu já o tinha perdido ? Pela primeira vez desde que descobri sobre a gravidez eu esta-

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


va com dor , do tipo que tomou conta de mim, nas semanas após a morte de Caleb. Contudo difícil seria ter um filho fora dos muros da cidade , eu o queria - era uma parte de mim, de nós . E dentro de alguns dias , ela (por que eu acho que foi ela?) seria a única família que eu teria. Eu não podia perder mais . Havia tão pouco já para me segurar. Moss foi embora. Caleb foi morto. Em poucos dias tudo estaria terminado , a Cidade, Clara, e o Palácio. Eu estaria sozinha de volta ao selvagem, esperando quanto tempo: meses ? Anos? Antes de ser chamada de volta. Ela era tudo o que me restava. Por favor , eu pensei , desejando pela primeira vez em dias que a doença voltasse, eu faria tudo para sentir alguma coisa , qualquer coisa de novo . Eu não queria perdê-la. Eu não queria perder a possibilidade de que ela seria, o que eu poderia ser para ela. Eu não poderia agora. Toda vez que eu empurrei a ideia da minha cabeça ela voltou, até que eu encontrei-me sentada no parapeito da janela , a camisa em minhas mãos. Pressionei o tecido fino para meu rosto , tentando controlar minha respiração. Eu fiquei lá com o silêncio da sala, durante horas , apenas capaz de forçar o seu nome pelos meus lábios : “Caleb "

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


ONZE “O tenente disse que os soldados superam eles três para um.” Tia Rose empurrou seus ovos em torno de seu prato , estimulando-os junto com o garfo. Foi a primeira vez que eu a tinha visto sem maquiagem. A pele sob seus olhos era de um azul sem graça, os cílios pouco visível. “O que importa é que estamos seguros aqui", disse Charles . "Há uma centena de soldados que cercam o palácio, talvez mais. Ninguém está se metendo na torre." Ele olhou de soslaio para mim, quando ele disse isso, como se eu poderia confirmar sua veracidade. Fiquei olhando para o pequeno pedaço de pão no meu prato e a pequena pilha de ovos ao lado dele. Meu apetite tinha ido , mas eu ainda não sentia nada . Meu pai tinha estado muito doente para falar comigo na noite anterior, mas o tenente tinha assegurado a todos que o cerco seria suprimido dentro de um dia ou dois dias. Eles já estavam racionando , no entanto. Os caminhões de abastecimento vinham das Outlands , por isso as cozinhas tinham sido bloqueadas. Um dos trabalhadores do Palácio, uma mulher mais velha ,com óculos, tinha sido dada a infeliz tarefa de responder aos pedidos . Ficamos ali , empurrando a comida em torno de nossos pratos , ouvindo os sons da cidade abaixo. Os tiros ainda podiam ser ouvidos , mesmo a partir do topo da torre do Palácio. De vez em quando a luta era interrompida por um rápido pipoco , que levantava arrepios em meus braços. Clara quebrou o silêncio , sua voz hesitante . “Como ele está?” Ela não se atreveu a olhar para mim quando ela disse isso. Rose manteve os olhos em sua comida , deixando o resto da forquilha por um momento à beira de seu prato. “Não está melhor nem pior”, disse ela . "Você não discutiu sua doença fora do Palácio , não é?” “Não, mãe .” Clara sacudiu a cabeça. O sangue correu para o meu rosto, meu rosto quente. Alguém passou pelo corredor , o som de seus passos cada vez mais alto à medida que se aproximava . Eu mantive meus olhos na porta, esperando por Moss para entrar. Onde estava ele ? Ele poderia ter sido ferido durante o cer-

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


co , ou estava escondido com os rebeldes . Ele poderia ter sido apanhado . Havia tantas possibilidades de por que ele não estava aqui agora, no Palácio , mas eu tentei dirigir meus pensamentos para longe do mais terrível de todos: E se ele tivesse me traído ? Eu mal podia respirar . O quarto era muito quente. A visão da comida me enjoando , os ovos duros e frios. "Eu não estou me sentindo bem”, eu disse , empurrando para trás da mesa . “Eu não posso.” Eu não me incomodei de terminar a frase. Eu apenas me levantei e sai, o sentimento horrível, sem esperança me seguindo . Talvez fosse melhor ir agora , apesar da incerteza . Mas como eu poderia deixar Clara aqui, ou Charles ? Se o que o tenente disse era verdade , se o exército seria capaz de derrotar os rebeldes , então estariam a salvo depois de tudo. Eu era a única pessoa em perigo. Eu me dirigi a meu quarto , quando uma voz gritou atrás de mim. "Princesa Genevieve”, disse o médico. "Seu pai gostaria de falar com você.” Seus pequenos olhos negros me olhavam por trás das lentes grossas .Ele parecia cansado , inclinou seus ombros, o rosto pálido . "Eu não estou me sentindo bem . Eu não posso agora” , eu disse, virando-me para ir. "Sinto muito .” Eu comecei a dar distância, em direção a minha suíte, mas ele me seguiu , pegando meu braço. “Ele só pode ser acordado por uma ou duas horas”, disse ele . Ele gesticulou de volta para o outro lado do corredor. “Ele disse que era importante.” Caminhamos em silêncio . Eu não resisti mais. Eu sabia quão estranho pareceria ao médico se eu me recusasse a falar com o meu pai agora, quando ele estava tão doente . Eu segurei uma mão na outra , apertando o sangue dos meus dedos , tentando lutar contra a dúvida que ainda me segurava . "Os testes foram inconclusivos até agora”, disse o médico, quando nos aproximamos suíte do meu pai. Dois soldados do lado de fora . "Estamos limitando-o , mas ele está estável por enquanto.”

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Eu podia sentir o cheiro de água sanitária a partir do corredor . Dentro dele era pior, o mau cheiro de doença ,que ainda pairava no ar . Eu comecei a ir em direção à porta e fiquei surpresa ao ver meu pai sentado na cama , às cortinas abertas , o quarto insuportavelmente brilhante. Ele parecia frágil , sua pele suave e fina. Na luz do sol parecia mais pálido , com os olhos cinza-azulados translúcido. Seus lábios estavam rachados de tanto sangrar . Virei-me para o médico, mas ele tinha ido . A porta da frente da suíte se fecharam , deixando nós dois sozinhos , em silêncio. Eu poderia perguntar-lhe como ele estava ou ficar lá fingindo que não tinha sido o que eu queria. Em vez disso, apenas sentei à beira da cama, cruzando as mãos no meu colo para que não tremessem. Ele esperou um tempo antes de falar. “Você mentiu para mim”, disse ele . Ele estudou o lado do meu rosto . A parte de trás da minha garganta estava tão seca que doía. Era impossível dizer o que sabia , ou como , se eu pudesse contornar em torno dos fatos, ou se não havia saída. "Eu não sei o que quer dizer”, eu disse , ouvindo quão patético que parecia, até mesmo para mim . "Eu não acredito mais em você Genevieve .” Ele tocou a fita na parte de trás de sua mão. Um tubo plástico serpenteava fora dele , conectando se a um saco mole de fluido. “Eu parei de acreditar em você há muito tempo, como tenho certeza que você não acredita em mim.” "Então, por que se preocupar perguntando?” Houve pouca utilidade agora em fingir . Nós tínhamos afundado em silêncio, o ressentimento construído nos últimos meses , mais natural do que qualquer outra coisa. Até a minha gravidez não poderia mudar isso por muito tempo. Ele soltou um suspiro baixo barulho , descansando a cabeça no travesseiro . "Diga-me, há mais de um túnel que leva para as Outlands” "Eu já compartilhei com vocês tudo o que sei sobre os planos dos dissidentes”, eu disse rapidamente , mantendo a olhos fixos nos dele. “Caleb não me disse nada além do que eu precisava saber para fugirmos.” “Explique-me como eles estão vindo para a cidade”, disse ele . Um fio fino de suor desceu pelo lado da testa , pegando no cabelo acima da orelha . “O portão norte ainda não foi comprometido , apesar de todos

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


os seus esforços . E ainda há milhares deles no interior das muralhas . Milhares”. “Eu não sei”, eu repeti , com mais força neste momento. “E nós podemos fazer isso de novo , com o Tenente aqui , se quiser, mas nada vai mudar. Eu não tenho mais nada a dizer.” Lentamente, sem dizer mais nada, seu corpo relaxou no travesseiro. Ele parecia menor de alguma forma , seus braços finos sob o camisolão solto . "Eles não vão tomar a cidade . Eu não vou deixá-los” , disse ele. Ele não olhou para mim. Em vez disso , ele olhou pela janela , em algum lugar perto da parede indistinguível do leste. "Vai acabar em breve .” Corri minhas mãos pelo meu cabelo. Eu nunca quis gritar tão alto ou tão longo. O exército das colônias não chegaria . Meu pai sabia sobre os outros túneis nas Outlands . Então, onde estava Moss agora? Onde eu estava para ir ? Foram os túneis dariam para passar, ou que eu iria ser pega lá pelos rebeldes entrando na cidade , sem saber que eu estava do seu lado ? Sentei-me ali, na beira da cama , ouvindo o som fraco de tiros no oeste. Havia apenas uma questão que importava agora , enquanto ele estava deitado ali, entre a doença e a morte. Se ele estava certo, se os rebeldes forem derrotados , eu iria ser contada entre eles?

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


DOZE Na manhã seguinte eu estava deitado na cama por um momento, os olhos fechados , estudando o silêncio. Meu corpo sentia-se pesado, minhas pernas sob o peso de exaustão. Chupei no ar , tentando acalmar a minha respiração , como eu tinha feito tantas vezes nas últimas semanas . Levei um momento para registrar o que eu estava acontecendo, a náusea havia retornado. O sentimento denso, inebriante espalhados atrás do meu nariz. Minha mão caiu para a carne macia do meu estômago , o arredondamento suave escondido debaixo da minha camisola. Eu sorri, permitindo-me assim tão simples , a felicidade momentânea. Tudo estava bem. Ela ainda estava aqui , comigo, agora. Eu não estava sozinha. No final do corredor , eu podia ouvir o tilintar fraco de potes enquanto o cozinheiro preparava o café da manhã . O quarto era outra forma tranquila . O tiroteio havia parado. Não houve mais explosões nas Outlands , apenas o soar dos Jipes do governo, um explodir de vez em quando como um rasgar. Fiquei ali com os olhos fechados , enrolada em mim mesma , tentando afastar a náusea. “Você está dormindo ?” Charles sussurrou de algum lugar além de mim. Ele fez isso por vezes - foi uma das coisas mais normais sobre ele . Você está dormindo ? Ele perguntava , depois que as luzes tinham sido desligadas e que ficávamos suspensas na obscuridade . Se eu estivesse , como eu poderia responder? Rolei para o meu lado, ele estava na janela. A luz estava entorpecida por nuvens . Ele segurou a cortina , trabalhando na tela com o polegar. “O que é isso ?”, Perguntei. Ele já estava vestido , a gravata pendurado em seu pescoço. "Alguma coisa está acontecendo lá fora .” Ele não olhou para mim quando ele disse isso. Ele se inclinou para frente , com o rosto a uma polegada do vidro.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


"Acabou , não é?”, Perguntei. “O tiroteio parou em algum momento , esta manhã.” Ele balançou a cabeça . Ele parecia estranho , as sobrancelhas juntas, como se tentasse decifrar algo fora. "Eu acho que está apenas começando.” Sua voz ficou presa na parte traseira de sua garganta. Fui até a janela , olhando para a cidade abaixo. O multidão havia se espalhado para fora na estrada principal , uma massa densa espremida entre edifícios , tal como tinham sido para os desfiles . Mas não houve acenos de bandeiras , sem gritos os unindo, Em vez disso, eles foram agrupados em torno da frente do Palácio , logo além das fontes, mal se movendo como o sol aquece o céu. “O que eles estão fazendo aqui?”, Perguntei. "O que está acontecendo?” “Eles estão esperando”, disse ele . “Eu não sei por quê.” Ele apontou para o extremo norte da estrada, onde um Jeep trabalhava seu caminho através da multidão, a massa de pessoas então o engoliu inteiro. A plataforma tinha sido criada na frente do Palácio . O pequeno bloco , a praça era visível de cima. “Você não ouviu nada sobre isso”, eu perguntei . Charles levantou a mão para sua cabeça , como se doesse. "Eu estive aqui a noite toda”, disse ele ."Por que eu saberia mais do que você?" "Porque você trabalha para o meu pai,” eu disse rapidamente , puxando uma camisa e calças do armário. Charles me seguiu enquanto eu atravessava a sala para a minha cômoda. Ele levou a gravata em volta do pescoço , jogando uma extremidade sobre o outro, movendo as mãos rapidamente até que ele deslizou o nó em sua garganta . “Estou correndo o canteiros de obras . Eu não estou lutando uma guerra contra os rebeldes. Eu sou como todo mundo dentro desta cidade , fazendo o melhor que posso com o que eu tenho.” “Isso não é bom o suficiente", eu respondi . Isso não foi culpa dele , eu sabia que ele ainda estava aqui. Ele era a única pessoa dentro do alcance. Charles se afastou de mim , os olhos pequenos e estreitos . Ele odiava quando eu fazia isso, coloca-lo ao lado do Rei, faze-lo responsável pelo que o meu pai tinha feito. Mas ele estava ali , não estava?

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Ele defendeu melhores condições nos acampamentos , como ele disse que tinha feito , então por que as coisas continuassem como eram eles? Por que não ele , de todas as pessoas , colocar um fim a isso ? Mudei rapidamente, escondendo dele na casa de banho. O exterior tranquilo me assustou. Foi não mais do que oito horas. Se o meu pai ou o tenente estava dando discursos, antes do pequeno-almoço, quando a maioria de nós estávamos a acordar . Eu comecei a sair da sala e indo ao corredor além da linha de suítes. Não demorou muito para que eu ouvisse o barulho da porta sendo aberta e o som de passos de Charles quando ele começou a vir atrás de mim. Eu não me incomodei em olhar. "O que você está fazendo?”, Disse. "Eu ia perguntar a mesma coisa .” “Vou descer para ver o que está acontecendo.” Eu continuei andando , os nossos passos em sincronia , até que ele se lançou ao meu lado . Ele ainda estava arrumando a gravata. "Eu vou ir com você” , disse ele. O corredor estava agradável, os arrepios de captação do ar sobre a minha pele. Na extremidade de do corredor, perto suíte do meu pai , ouvi sussurros de algo , vozes fracas à deriva para fora da sala. Os soldados que eram normalmente estacionadas fora do elevador e escadas foram embora. Viramos para o quarto . Um grupo estava encolhido em torno dos soldados na janela , alguns dos trabalhadores da cozinha do palácio. Um dos cozinheiros que tinha sido preso dentro da torre por dias, aguardando o fim do cerco, teve sua mão pressionada contra o vidro , com os olhos vermelhos. “O que é isso ?”, Perguntei. "O que está acontecendo?" Os soldados mal olhou para o lado da janela. Eu vim atrás deles , tentando ver o que estava acontecendo. Lá embaixo , o jipe tinha feito o seu caminho através da multidão , os soldados pululavam em volta a porta se abriu . Era impossível dizer quem tinha saído , mas assim como a figura entrou na multidão, as pessoas começaram a mudar , os gritos misturando juntos como um só . A secção de pessoas vieram juntos, então dispersos , como um grande enxame de moscas. “Os líderes rebeldes”, um dos soldados disse: não se voltando para olhar para mim. “Eles os encontraram.” Senti o pânico crescente , meu pulso latejante em minhas mãos. “Quem são eles?”, Perguntei. “Onde eles foram encontrados ?”

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Eu me virei , olhando para alguns dos trabalhadores do palácio. A cozinheira , uma mulher mais velha com uma longa trança branca, segurou seu queixo na mão. “Em algum lugar nas Outlands , eu imagino.” Ela não olhou para mim enquanto falava. Marcus, um dos servidores da sala de jantar , tinha os lábios apertados em uma linha reta . Seu olhos estavam vermelhos , seu rosto cansado . “Coitados”. "Eles não são exatamente inocente , não é?” Um dos soldados atirou de volta . “Você sabe quantas pessoas morreram protegendo a cidade apenas nos últimos dias ?” “Onde eles serão levados?” Eu cortei. Algumas pessoas se viraram, me estudando , mas ninguém disse nada . Voltei para o corredor, Charles seguinte no meu encalço. Eu ficava apertando o botão do elevador , ouvi a torre subir. Não era até que estava lá dentro, as portas se fechando atrás de nós, que eu falei. "Eles os trouxeram aqui , do lado de fora do Palácio , para fazer o quê? Dar ao público uma lição? Mostre a todos o que acontece com as pessoas que desobedecem ao meu pai?” Meu estômago estava leve como os pisos que passavam voando, um desaparecido, em seguida, dez. Charles empurrou seu cabelo fora do seu rosto. “Eu não sei”, disse ele Deve haver provas, pelo menos. Inocente até prova em contrário , não foi? ““ Não era assim no passado.", eu repeti. Eu não acho que o meu pai não se preocupa muito com estes testes agora.” Vimos os números acendem um por um , marcando a nossa descida . Quando as portas se abriram para o lobby principal , soou como se a multidão estava lá dentro e não na estrada um pouco além do Palácio. As pessoas gritavam . Eu não consegui entender uma palavra, todos misturados, e ecoou pelo salão de mármore ,chegou até nós como um trem roncando . Hannah e Lyle , dois dos trabalhadores do Palácio, tinham abandonado seus lugares no balcão principal e estavam em pé na frente das portas de vidro , observando. Toda a cor tinha ido de seus rostos . "Este é o inferno”, disse Hannah . “Eu não acredito que eles estão realmente passando por isso. Eles não podem.” Lyle ,que muitas vezes vigiava os carros que iam e vinham ao Palácio, tinha o braço envolto em torno dela, sua mão segurando seu lado para segurá-la . Eu corri em direção a eles , empurrando pela porta da frente . Lá, apenas para além

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


das fontes , a parte de trás da plataforma era visível . Era quase cinco metros de altura, a parte inferior do mesmo fechado , fora da vista. Dois polos se levantou a partir dele , formando um T maciço Um prisioneiro estavam em um lado do meio , com as mãos amarradas atrás das costas , à corda atada ao redor de seus pescoços. Fui pelo caminho , subindo as baixas plantações de pedra que separava o Palácio da estrada. Era impossível chegar por trás deles - a parte de trás da plataforma foi bloqueado por um jipe , os soldados assistindo do banco de trás , como se fosse uma das performances de rua , por vezes realizados na estrada principal . Outros dois desciam os prisioneiros . “Genevieve ! Espere!” Charles chamou por cima do meu ombro. Mas eu já estava me movendo em direção à calçada, onde uma fila de pessoas estavam pressionadas contra uma cerca de metal , observando. “Traidores!” Um homem na frente da plataforma gritou . Ele era de Outlands , eu poderia dizer por sua rasgada jaqueta, os cotovelos lamacentos. Ele inclinou a cabeça para trás, em seguida, cuspiu , visando a seus pés. Por entre as árvores que eu poderia apenas ver vislumbres dos dois rebeldes. O homem era alto e magro, suas costelas visível através de sua camisa ensanguentada . Ele tinha a pele clara , mas eu não o reconheci imediatamente. Não foi até que passei por cima do muro e para a multidão que eu pude ver o cabelo preto grosso , duro e escuro em torno da testa, onde estava uma crosta de sangue. Um de seus olhos estava inchado e fechado , e seus óculos não estavam lá, mas Curtis ainda era Curtis. Ele segurou os ombros para trás , com o queixo levantado , quando os homens da frente do multidão gritaram. Jo ficou ao lado dele , com as mãos atadas. Seus dreadlocks loiros tinham sido cortados , o cabelo dela agora cortado curto em torno de suas orelhas . Sua camisa estava rasgada na frente, expondo a parte superior de seu peito, onde a pele era carne viva . "Deixe-me passar”, eu gritei , empurrando mais profundo no meio da multidão , em direção à plataforma. “Eu preciso passar”. Quase ninguém me reconheceu em roupas casuais , com o meu cabelo caindo solto por meus ombros. A densa multidão pressionando, um cotovelo me batendo duro na lateral. Eu continuei lutando através do grande enxame de pessoas. Um homem se inclinou para mim, e eu me

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


inclinei para trás , manobrando na frente dele . “O que é a questão com todos vocês ?” eu gritei. "Por que alguém não para isso?” Eu me aproximei , tentando diminuir a distancia , quando os meus olhos se encontraram com Jo . Em um instante, o chão caiu de sob os rebeldes. Fiquei ali, as lágrimas borrando minha visão , com alguns da multidão aplaudindo . Outros ficaram quietos . Ela passou em primeiro lugar, seu corpo apenas a metade visível acima da plataforma , com a cabeça inclinada em um ângulo horrível. Eu vi a maneira como Curtis resistiu por alguns segundos, lutando, então ficou imóvel , os dedos dos pés apenas centímetros do pavimento .

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


TREZE Eles estavam trazendo outro jipe . A multidão estava se deslocando para deixá-lo passar trazendo mais três prisioneiros que eu não reconheci . À medida que os minutos passavam os soldados puxaram os corpos de Curtis e Jo , colocando-os em um caminhão , alguns da multidão se dispersou de volta para baixo da estrada principal. A mulher ao meu lado apertou o rosto entre as mãos , o rosto corado. "O que está acontecendo com a gente?”, Ela murmurou para o homem que estava com ela, antes que eles fossem empurrados para frente , rapidamente engolidos pela multidão. Mas outros ficaram , alguns em silêncio, esperando para assistir as próximas execuções. Eu empurrei em direção à frente da plataforma , até que eu estava pressionado contra o muro de metal. Eu me agarrei a ele , dando início ao trilho inferior a suspirei mais . Charles gritou em algum lugar atrás de mim, mas eu não o ouvi , em vez disso corri até a parte de trás da plataforma, onde dois dos soldados estavam. Seus rostos eram escondidos por bandanas verdes, a bordas puxado até seus olhos. Eles estavam ligeiramente virados , de frente para os Jipes em volta, e não me viram chegando. Antes que eu pudesse pensar estendi a mão para um, puxando o pano para baixo assim ele foi exposto . “Você são tudo covardes”, eu gritei . “Eu quero saber quem fez isso. Mostreme quem você é.” O garoto, não mais de dezessete anos, rapidamente cobriu -se de volta para cima , olhando para a multidão atordoada atrás de mim, querendo saber quem tinha visto. Dois soldados sacaram suas armas, apontando para mim, Charles veio para frente , pulando da barricada . "É a princesa”, ele gritou . "Ela não quis dizer isso , ela está em estado de choque .” "Eu quis dizer isso”, eu disse . "Você não pode fazer isso, você -” “Leve-a para fora daqui”, disse um dos soldados mais velhos. Ele ainda estava me olhando e apontando o seu rifle. "Agora”. As mãos de Charles desceu no meu braço , e ele me puxou em direção ao Palácio . “Você perdeu completamente a cabeça?”, disse ele , quando

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


finalmente fomos longe deles. "Você tem sorte que eles não atirarão em você. O que diabos você estava pensando ?” Começamos o caminho longo , os dedos de Charles embrulhadas firmemente em torno de meu bíceps . Ele não deixou o meu braço empurrando-me através das portas de vidro e comecei a atravessar o saguão, o crescer da multidão arrastando atrás de nós . “Você tem que falar com seu pai sobre isso", disse ele. “Quem você acha que mandou ?” Limpei meus olhos, tentando não pensar no inchaço rosto de Jo, a cor das contusões. Seus olhos ainda estavam abertos, os brancos cobertos de sangue. Como os tinham encontrado. E se Moss não estava com eles , então onde ele estava? Charles apertou o botão do elevador . Eu podia sentir sua incerteza quando ele segurou meu braço , sua mão tremia ligeiramente . Eu poderia pensar somente na faca e no rádio situado na estante. Eu tenho que ir agora, hoje, com ou sem a palavra de Moss. "Oh meu Deus”, disse Charles , quando entramos no elevador. A porta se fechou , fechando-nos na fria célula de aço. "Você sabia quem eles eram, não é?” Ele se inclinou para baixo, tentando olhar para a minha cara , mas eu não podia falar. Eu ficava imaginando Curtis naquela noite no motel , sua expressão relaxada, seus lábios se curvando em um sorriso quando ele estudou os planos para o túneis de inundação .Foi o mais feliz que eu já tinha visto ele. "Eu não posso falar sobre isso”, disse eu , finalmente , estudando meu reflexo no espelho pequeno curvado na parte superior do canto do elevador . "Eu simplesmente não posso." Eu empurrei minhas mãos em meus bolsos , tentando firmar -lãs. "Você não está sozinha nessa. Eu posso ajudá-la.” Ele se inclinou para encontrar meu olhar . Ele colocou a mão para fora e eu descansei a minha na dele, deixando-a pressionada , o calor voltando lentamente aos meus dedos. "Tudo o que você precisar, Genevieve .” Eu queria acreditar nele , eu queria confiar nele , mas havia esse nome novamente. Genevieve . A razão que eu estava sozinha , uma das muitas razões pelas quais ele não conseguia entender. Ele ainda me chamou, às vezes , entrando em o mesmo fraseado do meu pai , as mesmas , tentativas empoladas formais na intimidade. Agora que o cerco tinha

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


falhado, agora que a cidade estava novamente sob o controle de meu pai, ele não podia me ajudar. Ele nem sabia quem eu era. Por um segundo eu queria dizer a ele , para ver seu rosto quando eu dissesse que eu tinha tentado matar o meu pai . Que os planos em falta eu roubei de suas gavetas de arquivo em uma tarde e, foram realmente dados aos rebeldes. Reginald , o chefe de imprensa do rei, tinha sido o meu único e verdadeiro confidente dentro dos muros do palácio , que havia códigos no jornal diário , um dos quais ele tinha lido alto no outro dia, mesmo sem perceber o que ele realmente disse , o que ele realmente faz, se eu lhe dissesse que estava saindo agora , sozinha, possivelmente para sempre? Quando as portas se abriram , eu segui pelo corredor, puxando a minha mão livre. “Se você quiser me ajudar,” eu disse,” Deixe-me ir . Apenas essa manhã . Só por agora.” Ele ficou ali , segurando a porta aberta, me olhando ir . Eu andei para a suíte , agarrando uma das bolsas de couro de Charles e esvaziando seus papéis em uma funda gaveta da mesa . Mudei-me rapidamente , puxando algumas blusas e meias a partir do peito , optando pela lã grossa aquelas que ele usava com seus mocassins . Eu meti o rádio dentro do saco e a faca na lateral do meu cinto, onde seria mais fácil de atingir . Peguei o pacote de cartas da mesa de cabeceira, atrapalhado pela última vez por cada gaveta , tentando localizar a foto da minha mãe. Ela havia desaparecido depois dessas primeiras semanas no Palácio, mas nunca deixei de procura-la esperando que eu a encontrasse, escondido debaixo de alguns papéis ou no recesso por trás da gavetas. Era tarde demais agora. Mudei-me rapidamente no banheiro e pisei na borda da banheira. A camisa de Caleb ainda estava lá, dentro da grelha. Eu fechei tudo no saco e sai. No caminho eu parei na cozinha. Ela estava vazia , os trabalhadores ainda nas janelas . As prateleiras estavam apenas pela metade, depois de tantos dias sem entregas. Eu passei por cada gabinete e gaveta, peguei algumas embalagens de figos secos e maçãs , junto com a fina , carne salgada de javali que foi pressionado no papel. Eu não tinha sido capaz de comer isso , nas últimas semanas , mas eu as trouxe de qualquer maneira , sabendo que seria bom ter . Corri água da torneira para encher três garrafas ' Quando me virei de volta para o corredor, havia dois soldados que estavam ao lado do elevador, os olhos movendo-se de mim para o saco.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Eu andei em direção a eles , encontrando seu olhar . "Eu volto”, eu disse , apertando o botão ao lado da elevador . "Eu prometi a Charles que deixaria isso em seu escritório. Ele pediu alguns papéis da suíte. "Eu apontei para as portas de metal , esperando que eles me permitissem passar. Mas eles não se mexeram. Ao contrário, o mais velho dos dois , um homem com um dente da frente lascado, ajustou sua postura , enchendo o batente da porta . "Seu pai precisa falar com você", o outro disse , apertando para baixo o meu pulso. Eu o tinha visto antes, estacionado no final do corredor. Ele tinha uma permanente sombra, a pele tão pálida você sempre podia ver o cabelo escuro logo abaixo da superfície . "Eu preciso descer primeiro”, eu disse , puxando. "Ele pode falar comigo quando eu terminar .” Mas o outro soldado agarrou meu braço. Estudei sua mão enquanto ele segurava meu bíceps , esperando que ele me deixasse ir, mas ao invés disso ele me puxou de volta , em direção à suíte do meu pai. "Não posso esperar”, disse ele . Ele não me olhava nos olhos . Eu senti a faca pressionado dentro do meu cinto, enfiada com força contra meu quadril . Ele segurou o meu braço direito , o outro soldado flanqueando à minha esquerda , sem espaço para me manobrar. Eles me levaram para o corredor à suíte do meu pai. Quando nos aproximamos da porta, eu podia ouvir a voz de Charles , do outro lado , as suas palavras apressadas. “Eu não posso dizer”, completou , enquanto caminhávamos dentro "Eu não acho que isso seja verdade.” O soldado que estava falando para se virou para mim . O tenente. Meu pai estava de pé, olhando mais forte do que eu tinha visto em dias. Havia outro homem , de costas para mim , com as mãos amarradas com restrições de plástico. Eu poderia dizer pelos cabelos curtos e grisalhos como um anel de ouro manchado, era Moss. “Genevieve”, o tenente disse, "nós estávamos apenas tentando colocar tudo isso junto . Você era a única que podia colocar o extrato oleade na medicação do seu pai , como Reginald ia fazê-lo por si mesmo?” Moss virou-se para mim, Seus olhos escuros na minha direção. Não havia nada decifrável em sua expressão - sem medo, sem confusão, nada .

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


"Eu disse a eles que eu não sei o que eles estão falando”, disse Charles . Seus olhos azuis se estreitaram, como se ele não chegasse a me reconhecer . Eu reorganizei minhas características , tentando recuperar a compostura , para virar meu rosto em algo que faria inspirar confiança. “Por que Reginald faria isso?” Meu pai olhou de soslaio para o tenente antes de falar. “Não há nenhum ponto em mentir . Um dos rebeldes o entregou . A única questão é como o veneno foi posto em meus medicamentos , considerando-se que Reginald não entrou nesta suíte em meses . Naquele dia, você veio aqui , o dia em que descobri que estava grávida .Quero saber - você fez isso , então?” "Eu mal podia ficar de pé naquele dia. Eu nunca estive tão doente .” Com isso, meu pai explodiu. Seu pescoço esticado enquanto falava. "Você não pode mentir para mim. Eu não vou deixar. E se você acha que você é de alguma forma imune por causa de sua gravidez, você está enganada.” “Imune de quê?”, Perguntei. “Imune de ser morta, como todos os outros rebeldes ? Como qualquer pessoa que não concorda com você ?” Meu pai não olhou para mim. Ao contrário, ele acenou para o tenente , depois para Moss. O tenente agarrou Moss pelo braço e virou-o . O soldados torceu o pulso esquerdo nas minhas costas. "Isso não tem que acontecer ,” Charles disse e deu um passo adiante , tentando bloquear a porta. "Tenho certeza que esta é uma incompreensão - por que Genevieve será envolvida nisso? Onde você a está levando?” O rei não respondeu. Em vez disso, ele se virou, em direção à janela , olhando para a multidão na estrada . Moss olhou de soslaio para mim, e eu me perguntei se ele tinha sentido isso de alguma forma , em todas as reuniões que tivemos , sentados no silêncio da sala, se ele tivesse sentido a aceleração em direção a esse momento . Ele poderia ter sabido que estaríamos aqui juntos , o seu futuro tão envolvido com o meu? Antes que eles pudessem pegar meu outro pulso , eu fui para a faca no meu cinto. Levou um momento para processar o que estava acontecendo. Moss não hesitou. Ele empurrou todo o seu peso para trás derrubando o Tenente nas portas do armário atrás dele. Eu ouvi o som oco

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


do Tenente e sua curta ingestão de ar, enquanto ele lutava para conseguir ar . Moss correu em minha direção, com as mãos ainda unidas pelo laço de plástico , derrubando um dos soldados. Eu me afastei , pegando a faca. O soldado se curvou e seguimos pela porta. Lá fora, a sala estava vazia. Eu recortei as restrições de Moss com a lâmina , e ele balançou as mãos para enviar o sangue de volta para elas. Fomos para o final do corredor, para a escada ao virar da esquina . "Há dois soldados estacionados lá", eu disse. "Possivelmente mais.” Eu podia ver sua ligeira hesitação enquanto corríamos vez em direção aos elevadores . A porta da suíte se abriu, o tenente aparecendo na outra extremidade do corredor. Eu vi a arma antes de Moss. Moss mergulhou para o botão do elevador , olhando para frente , sem se preocupar em virar. O tiro o atingiu nas costas, rasgando o ponto sensível entre as omoplatas . Ele cambaleou para frente, em seguida dobrou em si mesmo apertou seu lado na parede, tentando ficar de pé . O tenente levantou o braço de novo , nesse momento as portas do elevador se abriram. Peguei Moss sob seus braços e arrastei -o para dentro , lutando contra o seu peso. Quando olhei para cima Charles estava lá, o punho fechando em torno de camisa do Tenente, puxando -lhe o pulso para trás e para longe. Quando a arma disparou atingiu a parede ao lado de nós, tunelamento para o metal. A última coisa que eu vi foi o rosto de Charles , suas características torcida e estranha e como ele lutou contra o tenente com sua arma .

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


QUATORZE Eu tinha medo de mover Moss, preocupada que eu pudesse causar mais danos. A ferida em sua volta mal sangrou . Em vez disso, seus lábios perderam a cor e seu peito inchado , como se estivesse tomando uma longa respiração permanente. Eu desfiz os botões de sua camisa e tirei a gravata fora , tentando criar um espaço para o ar. Sua boca abria e fechava uma e outra vez, cada vez mais devagar , como um peixe sem água. Era surreal, como uma cena estranha que eu estava presenciando , mas não fazia parte. Tentei respirar em seus pulmões ,como eu tinha visto na escola , quando uma das meninas mais jovens tinham tido uma convulsão. Nada funcionou . A bala tinha entrado no centro de suas costas , quebrando algo dentro dele . No momento em que chegou ao fundo da torre Moss estava morto. Eu sabia que tinha que sair, mas eu não podia puxar meus dedos de seu pulso , como se o pulso voltaria se eu os mantivesse tempo suficiente. Senti o frio a e umidade em suas palmas. Notei o modo como seus olhos permaneceram abertos , seus membros tensos e imóvel. Quando eu finalmente comecei a sair do elevador , eu esperei até que as portas se fecharam atrás de mim , travando seu corpo dentro. Eu mantive meus olhos para baixo quando passei na linha de soldados na entrada. Os trabalhadores do Palácio ainda pairavam um pouco além do vidro, observando os últimos prisioneiros serem executados. Coloquei a camisa ao redor minhas mãos, tentando esconder o sangue manchado na minha pele. Tive minutos, antes de todos serem alertados, antes do tenente estar na base da torre , em busca da estrada principal. Acabei pelo longo caminho, indo para o sul até chegar à rua. Eu ficava imaginando o que teria acontecido se tivesse virado à direita , e não à esquerda, fora da suíte do meu pai, se eu tivesse sido a única que al-

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


cançava as portas do elevador em primeiro lugar. O que isso significa para o Trail assim como Moss se foi, como seria o... “Eve pare!” Uma voz familiar gritou . "Eu estive chamando você. Por que você não se virou?” Eu vacilei enquanto a mão de Clara desceu no meu pulso. Seu rosto era uma confusão de lágrimas, a ponta de seu nariz rosa claro . “Você está indo embora , não é?”, Ela perguntou . Ela olhou para trás, onde a multidão se dispersava para as Outlands . O céu acima era um cinza, e rolou a rachadura de um trovão. "Eu tenho que ir", eu disse. "Eles estão atrás de mim .” Eu percebi em meu rosto , pela primeira vez, que eu estava chorando. Eu apertei a mão dela , sentindo o calor dela em meus próprios dedos, e , em seguida, me virei de volta à faixa principal , indo para o sul ao longo da estrada . Eu me perdi na atual mudança da multidão. Eu peguei vislumbres das fontes fora do Bellagio, de duas mulheres mais velhas na minha frente que estavam de mãos dadas , o homem que apertou a mão em seu peito, contra o seu coração. Eu estava um pouco além da torre Cosmopolitan quando Clara me encontrou , sua respiração desacelerando com seus passos sincronizados com o meu. “Eu vou com você”, disse ela . Olhei por cima do ombro , mas não havia soldados em vista. O céu balançou com trovões , e a nuvens soltou suas primeiras gotas pesadas. À nossa frente , as pessoas mantiveram suas jaquetas acima de suas cabeças para proteger -se da vinda da chuva. Eu puxei meu cabelo para baixo em volta do meu rosto, tentando esconder de um soldado em pé ao leste, um pouco além das barricadas de metal . "Agora que o cerco acabou, você não vai se machucar . você não tem que vir, você -” "Eu não vou morar aqui”, disse ela . “Não assim.” Ela olhou de volta para o palácio , onde a madeira da plataforma ainda era visível . Mais dois corpos foram sendo derrubados das cordas . “Você não pode,” eu disse. “Eles sabem o que eu fiz . Se você estiver comigo , você vai ser morta também. "Eu apressei o passo , virando à direita , atravessando a estrada principal, onde a multidão estava se dizimando . O túnel não podia ser mais de duas milhas ao longe . Eu poderia deixar a cidade dentro de uma hora , mesmo se eu fosse através das Outlands ,evitando os trechos de estrada aberta.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


"Qual é a opção”, perguntou Clara. Ela se manteve junto , sem tirar os olhos de mim. “Ficar aqui? Esperar até que haja outro ataque? Esperar até que eles me digam que te encontraram ? Você não pode ir sozinha, Eve". A última parte de sua sentença de alguma forma, foi como uma pergunta, como se ela estivesse me perguntando: Por que eu iria deixá-la fazer isso? Eu pressionei meu rosto em seu pescoço , me agarrando a ela por um momento antes de romper . “O túnel é no sul,” eu sussurrei , levando-a para baixo um beco estreito , onde as lojas antigas foram tapadas , grafite rabiscando seus lados . Uma cidade livre agora foi escrito em tinta vermelha. Sem Moss, era impossível saber se o túnel estaria livre ou se os rebeldes restantes o estavam usando para escapar . Mas que escolha tínhamos ? Eu trouxe a minha mão ao meu rosto, tentando respirar pela boca , qualquer coisa para aliviar os cheiros que vinham da estrada. Um corpo jazia entre as cinzas queimadas e ruína, de costas para nós, uma jaqueta fina de plástico fundido e o esqueleto . Mantivemos em movimento, o som do motor de divisão de um Jeep no ar , os pneus levantando poeira e areia , uma vez que passou voando pela estrada atrás de nós. A chuva veio caindo. Alguns dos residentes nas Outlands em portas ou sob as saliências rasas de edifícios. Um grupo espalhado em um estacionamento , sentado nas cascas ocas de carros , esperando a tempestade passar . Segurei o saco apertado ao meu lado , mantendo a cabeça baixa . Foi só quando eu me virei , vendo outro Jeep desaparecer nas Outlands , que eu notei o hospital, não mais de uma centena de metros de distância . “O que é isso ?”, Perguntou Clara. Ela manteve passo, me deixando ali na beira da estrada . Ela com os olhos na chuva. Eu não conseguia desviar o olhar. Agora que o cerco terminou , as meninas seriam levadas para fora da cidade , de volta as Escolas . Poderia ser anos antes de serem liberadas, se alguma vez fossem. Quantos vezes seriam levadas para esses edifícios ? Esta seria sua única chance de sair da Cidade. Eu não seria capaz de levar mais de uma poucas, se eu pudesse entrar, mas eu não poderia deixá-las sem fazer algo . "Espere aí,” Eu disse para Clara. “O túnel não é mais do que dois quarteirões adiante. Está em um motel marcado com um oito. "Eu deixei cair meu saco , apontando para o toldo de uma loja de supermercado

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


abandonado. Clara chamou atrás de mim , perguntando o que esperar , mas eu me virei em direção ao prédio , sua voz desaparecendo por trás da chuva forte . Dois soldados estavam de pé fora da entrada . Eu furtivamente dei a volta em torno, notando uma mulher mais velha na porta lateral. Nossos olhos se encontraram . Ela sinalizou para mim com a mão. Não foi até que eu estava a poucos metros longe que eu notei a raia vermelha brilhante em seu cabelo. Era a mesma mulher que Moss tinha mencionado . “Eles já sabem sobre você”, disse ela , inclinando-se dentro Ela não olhou para mim. Em vez disso, seus olhos observava a cena por cima do meu ombro. Os altos arbustos , desde pouca cobertura de todos os veículos que passavam na estrada . “Os alertas têm saído . Você tem dez minutos, talvez quinze anos, antes que eles estejam aqui. eles têm despachados os jipes da extremidade norte da muralha. Você tem que sair agora.” Eu empurrei contra a lateral do prédio, tentando conseguir um pouco de descanso da chuva que atiçava minha pele. Lavei minhas mãos nas gotas de chuva vendo o sangue que saia de meus dedos , o rosa pálido na palma da minha mão. "Eu preciso de você para me deixar entrar”, eu disse . "Por favor , eu vou ser rápida .” "Há dezenas de meninas neste andar , talvez mais. O que você vai fazer?” "Por favor”, eu disse de novo. "Eu não tenho tempo.” Ela não respondeu . Em vez disso , ela abriu a fechadura, e , pela primeira vez , notei que suas mãos estavam tremendo. "Isso é tudo que posso fazer”, disse ela . "Sinto muito , eu não vou dizer, mas eu não posso te ajudar mais do que isso .” Ela deu um passo para trás, para longe de mim , desaparecendo em torno do lado do prédio. Apoiei a porta aberta com uma pedra. No interior, o longo corredor estava quieto . Algumas meninas em uma sala ao lado estavam conversando sobre as explosões que tinha ouvido do lado de fora , querendo saber o que tinha acontecido e por que. Duas pessoas sentavam-se sob um calendário gigante rotulado janeiro 2025 , suas cabeças inclinadas em conjunto, enquanto elas falavam .Não foi até que Beatrice virou , ouvindo meus passos ,que eu a reconheci .

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


“O que você está fazendo aqui?”, Ela perguntou, indo a minha direção. Sarah seguiu atrás dela , com os olhos inchados . “E o que eles estão dizendo é verdade? Eles estão levando as meninas de volta para as escolas ?” "Temos que reunir o maior número de meninas possível", eu disse, olhando para um dos quartos. Um grupo de meninas estavam sentadas com as pernas cruzadas , lendo algumas revistas velhas . "Há um caminho que pode nos levar para fora da cidade. Peça-lhes para trazer as roupas mais quentes e qualquer material que elas tiverem. Quantos estão neste corredor?” “Apenas nove de nós”, disse Sarah . “O resto foi passado para lá.” Ela apontou para as portas duplas fechadas atrás dela . Eu abaixei para o segundo quarto, não esperando por Beatrice para responder. Quatro meninas estavam enroladas na cama, lendo uma cópia esfarrapada de algo chamado Harry Potter. Elas olharam para cima quando eu entrei, a vista de minha roupas encharcadas e meu cabelo , que se agarravam ao meu rosto e pescoço em grossas bobinas pretas. Bloquei os olhos com eles , de repente eu não estava muito certo do que dizer, como convence -las a vir comigo , longe de tudo o que sabiam . “Eu preciso de você para reunir todas as suas coisas e se alinharem na saída”, disse eu . “não é seguro aqui. Leve o material que vocês têm e estejam prontas para sair em dois minutos , não mais.” Uma menina com cabelo loiro e sardas estreitou os olhos para mim. “Quem é você? Será que os guardas sabem que você está aqui ?” "Não , e você não vai dizer-lhes .” Peguei uma das gavetas superiores e esvaziei-as na cama , jogando um saco de lona para a menina que tinha falado. "Eu sou filha do Rei – Genevieve. E nós precisamos deixar a Cidade esta noite , agora, antes que você não tenha mais essa chance.” A menina com sardas agarrou o braço de sua amiga, torcendo-a no lugar . “Por que deveríamos deixar a Cidade? Eles disseram que estão nos levando de volta para as escolas em breve. Eles disseram que é seguro agora.” “Porque eles mentiram para você", eu disse. A menina atrás dela mudou em seus pés. “Não há nenhum comércio nas escolas . Após a formatura, as meninas nas escolas como você, como os meus amigos, estão obrigadas a passar anos dando à luz naquele prédio . Elas estão detidas lá contra sua vontade. O Rei está tentando levantar números da população de qualquer maneira que pode.”

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


"Você está mentindo”, disse a garota com a longa trança . Mas as outras parecia menos certas. “Você já viu as meninas que se formaram antes de você? Será que já voltaram para dizer o que elas estão fazendo dentro da cidade ?” Fiz uma pausa . "E se eu não estou mentindo ? O que você vai fazer quando você estiver de volta a Escola e você perceber que eu estava certo? O que você vai fazer então?” Uma menina com pequenas tranças pretas se levantou e lentamente começou a escolher através de uma caixa debaixo de sua cama. “Venha Bette”, disse ela . "E se ela está certa ? Por que a princesa mentiria para nós?” Eu não tinha tempo para convencê-las, algumas começaram a embalar, sussurrando umas as outras. Eu fui para o corredor, quatro das meninas da sala ao lado de nós estavam lá , segurando as mochilas que elas trouxeram da escola. Olharam incertas, algumas à beira das lágrimas , outras rindo, como se eu estivesse acompanhando-as em algum tipo de excursão. Beatrice tinha trançado o braço em torno de Sarah e estava em pé na frente da porta , observando o corredor atrás de mim. “Leve todas a estrada , para o supermercado vazio do outro lado : "Eu disse a ela. “Clara vai estar lá.” Beatrice olhou para fora da porta, olhando para a rua estreita que tinha ao nosso lado. A água agrupada pelas marcas de pneus, espalhando-se em vastas e poças turvas . O único som era o da chuva , uma vez que atingiu o lado do edifício de pedra . “E depois?”, Ela perguntou . "Eu vou trazer o resto delas , logo que estiverem prontas." Eu virei para o corredor , em direção à escada e Beatrice virou à esquerda. Olhei para o primeiro vão longo, as meninas da minha escola estavam vários andares acima , à espera de serem levadas de volta ao prédio do outro lado do lago. Eu tinha que pelo menos tentar. Será que não devo isso a elas? “Rapidamente,” eu disse, me voltando para as meninas na sala . Algumas se arrastaram para fora da sala , vestiam blusas grossas. Outros saíram atrás de Beatrice . Quando me virei para a escada , ouvi o barulho de botas descendo os degraus. Dois vãos a cima , uma soldado feminino olhou para baixo dos degraus me avistando e me olhou com o rosto tenso apontando sua arma . Voltei pelo corredor e travei a porta rolando um carrinho de metal enferrujado na frente dela para retardar a soldado. "Vá”, eu gritei , apontando para as meninas seguirem Beatrice pela saída lateral. “Agora!"

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Cinco delas estavam perto da porta . "Vocês têm que confiar em mim”, eu gritei , correndo atrás delas. Lentamente, as meninas começaram a sair na chuva , segurando suas malas acima de suas cabeças enquanto corriam. Eu segui atrás delas, instando-as a se mover mais rápido , para seguir através do beco para a loja abandonada, onde Beatrice e os outros esperavam , suas figuras quase invisível sob o toldo rasgado. Corri sobre as poças que molhavam meu tornozelo, deixando a chuva me encharcar de novo. Quando olhei para trás a soldado estava saindo na lateral do prédio com mais dois homens a reboque e eles começaram a correr atrás de nós. Assim quando cheguei à loja eu corri na frente, ignorando o som dos jipes que aceleravam indo em direção à estrada sul e para nós, seus faróis iluminando a escuridão.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


QUINZE Não havia alívio da chuva ela caia rápida e dura pelas minhas mãos, meu pescoço, minha cara. Correntes inundaram as Outlands , cavando a areia , transformando o terreno em uma lama grossa e pesada . Quando eu olhei em volta , Clara tinha tirado os sapatos e estava em uma poça que ia até os seus joelhos. Atrás dela, o resto das meninas se arrastavam, nove ao todo, seus sapatos encharcados. “Depressa”, Beatrice chamou, conduzindo-os juntas. Ela com um casaco cinza pendurado pesado em seu ombros , o gotejamento da chuva para fora da bainha. Sarah estava gritando para uma menina em direção à traseira do grupo que tinha parado. Eu me virei , percebendo que era a menina com sardas - Bette . "Não podemos ir para as escolas", Sarah repetia , enquanto puxava Bette para a parede.” Beatrice disse que também não é mais seguro. Você só tem que confiar nelas.” Os jipes tinha parado na estrada. Quando os soldados saiam, eles foram deliberados em seus movimentos, pensando que tinham tempo, que não tínhamos para onde ir , a parede apenas a um quarto de milha. Eu acelerava e as meninas seguiam por uma última rua até que o motel entrou em exibição na frente, a piscina preenchida com um líquido cinzento escuro, a chuva ondulando sua superfície. "Nós não vamos conseguir fazer isso", disse Clara enquanto corria ao meu lado , os pés descalços afundando na areia. "Há muitos deles e não há muitos de nós .” Ela bateu o cabelo molhado do rosto. “Só se apresse ,” eu disse enquanto abria a porta da cadeia , as meninas passando por mim . Algumas estavam com suas malas sobre suas cabeças, seus sapatos atados juntos, os laços pendurados por cima do ombro . Elas não paravam de olhar para mim, em seguida, de volta para os soldados , como eles começaram a vir em direção à frente do motel. Observei os soldados começarem a descer a estrada em direção a nós. Havia dez eles, talvez mais. Tivemos apenas alguns minutos. Quando a última menina passou para o quarto eu segui atrás dela , tecendo em torno de um rack de roupas que tinham sido coberto com uma lona de plástico transparente. O quarto cheirava a mofo , o tapete descamado no rodapés. Caixas de roupas cobertas, uma grande arca contra a pare-

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


de, as camisas drapeadas sobre os lados , organizadas pela cor. O bloqueio era uma coisa patética, mas eu puxei a corrente sobre a porta de qualquer maneira, selando-a fechada. “O número não está aqui,” gritou Clara ,quando ela abriu o armário na parte de trás . Sua voz assustou o resto das meninas pressionadas contra as paredes , me observando. "É o lugar errado .” Um colchão foi encostado na janela , meio bloqueando a visão . Afastei um pequeno pedaço de cortina , observando os soldados estrarem no saguão do motel, trabalhando seu caminho até a linha de quartos. Mudei-me rapidamente, arrastando a caixa de madeira contra a porta. Havia pegadas molhadas, barrentas sobre todo o tapete , mas era impossível dizer se eles eram nossos ou não . Outro colchão estava em um ângulo no chão, o canto dele inclinado contra a parede. Eu verifiquei o banheiro e o pequeno espaço entre os armários . Eu me perguntei se eu poderia ter lido o mapa incorretamente, ou se este não era o motel que Moss tinha descrito. "Eles estão vindo”, disse Beatrice , sua voz desgastada pelos nervos . Ela deixou cair à cortina e começou puxando o colchão , manobrando -o para que ele cobrisse mais da janela exposta . Olhei para o colchão no chão . Bette estava de pé sobre ele, seus pés afundando no centro. Eu vi como ela mudou seu peso, o preenchimento de espessura embaixo dela. “Ajude-me a mover este”, eu disse. “Rapidamente. E coloque a cômoda contra a porta .” Eu sinalizei para as meninas ao meu lado, e pegamos pelos cantos do colchão, deslizando-o de volta para a centro da sala . Um buraco apareceu no chão, não mais de três metros de largura, o tapete cortado em torno das bordas. Clara levou as mãos ao rosto corado, um alívio momentâneo , até que o primeiro soldado bateu na porta . "Vá”, disse a ela, balançando a cabeça em direção ao buraco . "Vou encontra -las do outro lado .” O quarto estava escuro . O som da chuva encheu o silêncio. Pudemos ver os soldados do lado de fora ,suas sombras passando pela fina faixa da janela que não foi bloqueada. Clara abaixou-se para dentro do túnel sua respiração presa na garganta. "Há água aqui”, disse ela . Ela virouse para trás , com as mãos agarrando a borda . “até os joelhos .” Fechei os olhos , querendo um minuto para pensar , mas o soldado bateu na porta novamente. Moss nunca me disse a distância exata do tú-

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


nel, mas eu imaginava que era o mesmo cumprimento que o do hangar , não mais do que uma milha. Muitos dos canais de inundação tinham sido preenchidos com concreto após a praga porque eles eram vistos como uma ameaça à segurança. Os rebeldes tinham seguido as suas rotas básicas , estendendo sempre que necessário, mas a maioria era muito mais estreito do que os originais de não mais de cinco metros de diâmetro em alguns lugares, com tetos baixos . Era impossível saber o quão rápido este iria encher , mas estaríamos em mais perigo de ficar aqui , esperando os soldados entrarem. “Vá depressa”, eu disse , ajudando a próxima menina a descer” Apenas continue andando até chegar ao outro lado.” “Eu não sei nadar”, disse a menina , ela enrijeceu o rosto enquanto ela espirrou para dentro da água escura abaixo. Ela puxou a bainha da roupa até acima dos joelhos . “Você não tem que nadar apenas mova-se rapidamente .” Olhei para dentro do túnel , meu olhos em direção a Clara, ela marchou através da água e na escuridão à frente . Uma a uma as meninas se abaixaram para dentro da terra . Os soldados trabalhavam na maçaneta, tentando libertá-la. Sarah havia mudado o segundo colchão para a porta, colocando-o atrás do baú de madeira, rente à parede, empurrou a cômoda com força por trás dele , eu vi um flash do que Beatrice deve ter sido quando ela era mais jovem; construção forte, o cabelo cor de palha enrolado na nuca e no seu pescoço. “Você deve ir”, disse Sarah , apontando para dentro do túnel . A última menina abaixou-se, deixando apenas nós três. "Eu vou seguir atrás de você.” "Você não vai”, disse Beatrice . Ela colocou a mão sobre o braço da garota, puxando-a para mim. Enquanto ela falava o bloqueio se rompeu. A porta pressionando contra o colchão. O soldado se empurrou para dentro do quarto, esticando contra a pilha do mobiliário. Em poucos segundos a janela cedeu, o vidro quebrado caindo abaixo das cortinas. Debrucei-me sobre a borda da entrada do túnel , vendo a última garota seguir em frente, para a escuridão . Eu vi Beatrice entrar na água abaixo, sua saia floresceu em torno dela, o tecido cinza fina flutuando na superfície vítrea . A água tinha subido - uma polegada , talvez duas. Sarah abaixou-se atrás de sua mãe , ofegante quando ela afundou no frio. “Apenas se mantenha em movimento ,” Eu disse, chamando por

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


cima do ombro de Sarah quando entrei dentro. Eu caí no chão , à água quase até meus quadris . Quando eu abri meus braços as minhas duas mãos roçaram os lados da caverna , as paredes sem caroço e ásperas que os rebeldes tinham colocado concreto. Minhas calças agarravam-se as minhas pernas, e à beira da minha camisa estava pesada com água. Minhas botas cheias , me ancorando no chão. Eu podia ver muito pouco além de Sarah, apenas ouvia o chapinhar da água contra as paredes quando as meninas andavam . Em algum lugar na minha frente uma menina estava chorando. “Meu sapato está preso” ela gritou, todo movimento parou . Eu podia ouvir sua respiração difícil e eu descalcei minhas botas , segurando-as contra o meu peito. Quando ela se acalmou e já não estava mais sussurrando começamos a nos mover novamente para dentro da escuridão. Olhei para trás, observando a luz fraca do quarto do motel. Sombras veio sobre a superfície da água . “É outra passagem :" Eu ouvi o soldado gritar . Um saltou, a água a bater-lhe logo abaixo dos quadris. Ele esperou lá , olhando para o escuro , tentando descobrir o quão longe estávamos. "Depressa”, eu sussurrei . Eles não estavam mais do que dez metros para trás . Eu lutei para desgrudar os meus pés , minhas pernas queimando de esforço. Cada passo era tenso , a corrente empurrando contra nós. Nós continuamos. O grupo ia seguindo, e eu segui junto , ouvindo Sarah em algum lugar na minha frente , a água espirrando -se ao redor dela enquanto ela tentava conseguir tração na mesma. Ocasionalmente Beatrice falava com ela, certificando-se de que ela ainda estava ali . Deixei escapar respirações longas e lentas, mas nada podia manter fora o frio e o crescente pânico sentindo como a água subia para minhas costelas . O soldado não estava mais atrás de nós. Tanto quanto eu poderia dizer que ele tinha parado na borda do túnel e depois voltado para trás, desaparecendo no quarto. “Continue indo” disse a mim mesma, sentindo minha drenagem de energia, as minhas pernas dormentes e o frio. “Apenas se mantenha em movimento” . Mas a água estava subindo mais rápido , a superfície vindo até nossos peitos , e as poucas meninas na minha frente se esforçavam para se manter à tona . "É o fim", eu ouvi Clara dizer , em algum lugar à frente. "Até aqui, apenas um pouco mais longe." O túnel alargou, uma passagem de quase

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


seis metros de diâmetro em alguns lugares. Eu pressionei a mão contra ele, tentando me equilibrar, o muro de concreto arranhou as palmas de minhas mãos. Eu não poderia dizer exatamente onde Clara estava, só sei que era a poucos metros de distância , passando por uma curva no corredor. Quando a água chegou a nossos ombros eu lutava para manter a preensão de minha bolsa e as botas . Minhas roupas encharcadas eram pesadas demais para que eu me movesse mais rápido. "Nós temos que nadar", disse eu, tentando manter meu queixo acima da água. Eu podia sentir que Sarah tinha caído na minha frente. Suas pernas chutavam freneticamente abaixo da superfície. Estendi a minha mão, puxando-a para a extremidade do túnel . "Pegue o maior fôlego que você puder", eu expliquei. "Então nós vamos mergulhar, use seu braço assim.” Eu agarrei seu pulso, puxando-a para baixo da água , imitando o traço simples que Caleb tinha me mostrado meses antes . Diante de nós, a luz filtrada de cima. Eu mal podia ver Beatrice flutuando, empurrado para frente. Ela alcançou a borda do túnel, um conjunto de pernas desaparecendo acima dela quando outra menina foi puxada para fora. Eu respirei fundo , esperando até que Sarah fizesse o mesmo , e nós duas fomos abaixo, os dedos dela espremidos em torno do meu. Chutei furiosamente, puxando-a , nadando em direção à extremidade do túnel. Meu ombro roçou paredes ásperas do túnel, a pele em carne viva. A onda de água me rodeava. Quando abri os olhos à água estava escura. Algumas bolhas se levantavam na frente do meu rosto. Luz espalhava em um círculo acima de nós, a apenas alguns metros de distância, sinalizando o fim do túnel. Quando cheguei lá à água tinha ido acima da minha cabeça , o quarto em algum lugar acima de mim. Lutei debaixo d'água , içando Sarah com as mãos. Vozes chamavam de algum lugar além da superfície, silenciadas e baixas, como uma canção distante. Eu me empurrei para fora da parte inferior e fui para cima, procurando por ar, o resto das meninas amontoavam-se em uma pequena sala de armazenamento. Eu joguei minhas botas no chão e agarrei a borda áspera da abertura. Clara enfiou as mãos sob meus braços e me puxou para o concreto. A grade de metal estava meio fechada sobre a entrada, fechando fora chu-

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


va. A única mochila no canto era gorda com suprimentos. Algumas folhas de papelão flutuavam em dois metros de água. "O que devemos fazer agora.” A menina com tranças pretas perguntou. Ela cruzou os braços sobre o peito , tentando se aquecer. Seus lábios eram uma cor roxa estranha . Olhei do lado de fora da grade , observando a área ao longo da parede. A cidade parecia cerca de meio milha de distância, talvez mais. Eu podia ver silhuetas pontilhada com luz colorida fora dos edifícios elevando-se acima do muro. "Nós não podemos ficar aqui", eu disse. "Eles vão estar à procura do lado de fora da parede em breve.” "Eu quero voltar”, disse a menina com sardas. "Por que temos que ir embora?” “Você não está a salvo na cidade mais", respondeu Beatrice . Ela apertou a água fora da camisa de Sarah , torcendo-o em uma bobina azul apertado. "Podemos dizer mais quando estivermos longe daqui.” Eu pisei em minhas botas encharcadas e fechou-as. "Precisamos ir agora”, eu disse . Andei até a estrada distanciando-me da parede da Cidade, a chuva na minha pele. Eu podia ver de onde as bombas tinham saído durante o cerco , à pedra negra e carbonizada. Clara chamou os outros atrás de mim , e eles seguiram para o frio . Passamos por fileiras de recipientes de armazenamento, a maioria com suas grades de metal fechadas, bloqueando a chuva. Alguns brinquedos de plástico estavam espalhados em um, um boneco flutuando de barriga para baixo na água que vinha ao longo do meio-fio. Fiquei imaginando o quão ruim a inundação estava dentro da cidade. Lá quase nunca chovia, e com os túneis obstruídos, seriam certamente dias , pelo menos , antes que as águas recuassem . Atravessamos por um estacionamento e começamos a subir uma colina baixa, a calçada subindo em direção a um grupo de lojas abandonadas. Quando estávamos no meio da rua eu me virei , vendo o ponto no horizonte onde o portão sul estava. Muito abaixo , dois jipes vinham fora dos muros da cidade . Eles viraram a esquina, a lama espirrando em torno de seus pneus. Nós continuamos , chuva em cascata descendo a colina, o pavimento coberto com uma camada fina de ondulação de água. Eu me virei para trás, vendo como um Jeep mergulhou na lama mole. Os soldados saíram e começaram a andar a pé, mas eles estavam indo na direção contrária a nossa . Eu continuei indo , cada passo mais

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


fácil, uma leveza preenchendo todo o meu corpo . Nós estávamos fora da cidade . Eles não podiam chegar até nós agora.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


DEZESSEIS "Quanto tempo temos de esperar aqui?” Sarah perguntou. Ela ficou de pé ao lado da janela, sua silhueta apenas visível contra o céu. A lua estava coberta por nuvens, a chuva ainda caindo, esmurrando a borda lá fora. "Só essa noite”, eu disse . "Vamos sair amanhã .” Depois de caminhar por mais de duas horas , estávamos paradas em um bairro à beira das montanhas , nos escondendo nos pisos superiores de uma casa abandonada. Eu pisei em torno das tábuas quebradas e cheguei até Clara , assim que ela subiu as escadas . Ela estava com duas das meninas , Bette e Helen , algumas toalhas em suas mãos. “Não têm mais nada ?” Eu perguntei, apontando para a pequena pilha de cobertores no chão. Não havia o suficiente para manter três pessoas quente à noite , muito menos doze. "A maioria dos suprimentos foram colhidos já”, disse Clara. Ela olhou para o rasgado e manchado tecido em suas mãos. “Estes não são ideais também.” Bette , uma garota alta , com amplos e profundos olhos cinzentos e sardas densas , jogou uma das toalhas para baixo. "Elas são nojentas,” murmurou . "E nós só encontramos uma, apenas uma. Isso não é suficiente para todos nós.” “Podemos olhar mais amanhã", eu disse. “E nós vamos caçar , se for preciso . Temos sorte , porém , que tem água . Essa é a coisa mais importante.” Sarah colocou os recipientes de plástico a beira do telhado, esperando eles encherem. Seu cabelo ainda encharcado da chuva, recipientes de plástico vazios empilhados em seus pés descalços . "Não", disse Beatrice, quando Sarah tentou alcançar através da vidraça quebrada , manobrando seu pulso fino para evitar ser cortado no vidro. "Deixe-me.” "Eu estou bem", respondeu Sarah, segurando a mão dela. "Está vendo?” Ela pegou um recipiente branco, cuidando para não deixar muito derramamento de água sobre os lados. Ela trouxe-o para fora da borda da janela, lentamente substituindo-o por outro vazio. Beatrice recostou-se

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


contra a parede, seus olhos me encontrando apenas um momento. Eu podia ver vislumbres de suas características em Sarah. Ambas tinham rostos em forma de coração e uma covinha no centro do queixo. Sarah era menor e mais atlética do que olhar a maioria das meninas , e a única que não se queixou ainda , sobre a chuva , sobre deixar a cidade , sobre à casa abandonada. Nós tínhamos ido sete milhas , talvez menos. As meninas tinham cansado rapidamente, e a chuva caía forte, o vento empurrando contra nós. Eu sabia que não iria longe , mas esses primeiros quilômetros fora da Cidade eram os mais perigosos. Assim que a enchente diminuísse, os soldados estariam de volta nas estradas, procurando por nós. Nós teríamos que descansar agora e tomar uma das rotas de volta para fora do desenvolvimento na manhã seguinte , antes do sol nascer. A segundo quarto da casa estava muito escuro , com luz fraca vindo das janelas quebradas. Um canto do piso foi reformado , as tábuas de madeira apodreceram . Algumas das meninas sentaram-se em um colchão nu ,coberto por um lençol que tínhamos encontrado . "Eu não entendo", Helene , a menina com pequenas tranças pretas , disse a ninguém em particular . Ela tinha encontrado um pacote de camisetas em um armário do porão , e algumas das meninas tinha as colocado, com a exceção de três meninas que haviam descoberto blusas em uma gaveta . Quase toda a superfície foi coberta com roupas molhadas e meias - colocados sobre o encosto da poltrona, sapatos sujos de lama espalhados pela porta do quarto. "É impossível entender”, disse Beatrice . Ela apertou as extremidades de seu cabelo, tentando tirar até a última gota de água. “O Senhor sabe, eu tentei .” Eu peguei um dos cobertores do chão , abrindo- o para a janela. Então eu o passei a Bette e Lena , as duas meninas sentadas mais próximas a mim . "Eu já vi o que acontece- quando eu estava na minha Escola”, disse eu . “E depois que eu saí , sempre que eu senti medo , ou confusão, ou preocupada , eu só voltava a um fato – As Professoras mentiram . Nunca foi nossa vida, nós estávamos sempre sob o seu controle”. Lena tirou os óculos de plástico preto , limpando as lentes riscadas em sua camisa. “Mas a Professora Henrietta disse - "“ Eu sei o que eles disseram .” Eu corri minhas mãos sobre o meu cabelo , empurrando alguns fios molhados longe do meu rosto .

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


As meninas não eram mais velhas do que catorze anos, mas elas já haviam passado por alguns dos processos iniciais para graduação. "Você se lembra das vitaminas que eles lhes davam? A maneira como eles mapearam sua altura e peso todos os meses? Como as meninas mais velhas foram para os médicos com mais frequência ? Você sabia todas as meninas que tinham começado as injeções ?” O rosto de Helene mudou , revelando algum tipo de reconhecimento. Lembrei-me o que eu senti naquele dia quando Arden tinha me contado a verdade. Cada parte de mim não queria acreditar, a resistência persistente mesmo depois que eu tinha visto os graduados. Se tudo o que aconteceu dentro da escola era uma mentira, então quem eu era agora , depois de ter baseado a minha identidade em torno dela? Como eu poderia ir em frente? "Eu vejo”, disse Helene , sem olhar para os outros quando ela disse. “Você provavelmente está convencida de que você vai morrer aqui , que você não poderia sobreviver no selvagem”, eu continuei . “Mas isso não é verdade também." Eu olhei para algumas das meninas que estavam amontoados na cama. Algumas haviam suavizado em minha direção, agora que tinham conseguido sair da chuva. Eu sabia que minha posição como princesa significava algo para eles, elas tinham ouvido minha voz antes nas transmissões da cidade. Elas se sentaram em uma sala de jantar semelhante a da minha Escola , ouvindo o desfile quando cheguei , ouvindo as histórias sobre a menina que viera das Escolas ao palácio, como se fosse uma possibilidade para elas também. Quantas delas devem ter imaginado quem eram os seus pais, se tivessem de alguma forma sobrevivido e estavam vivendo em algum lugar dentro da cidade ? "Não deveria ter vindo aqui”, disse Bette . "Nós deveríamos ter ficado com o resto das meninas. Agora nós nunca vamos vê-las novamente .” Sarah virou-se da janela, onde ela estava trazendo outra garrafa plástica de água da chuva. "Mas nós não podemos voltar atrás agora”, disse ela . Beatrice se adiantou para ajudá-la, mas ela se virou, colocando a garrafa para baixo contra a parede . Bette puxou o suéter apertado em torno de seus lados. "Por que eles fariam isso , então? Talvez não tenha sido em todas as Escolas- talvez fosse apenas a sua. Como você sabe ?”

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Clara se estabeleceu na poltrona no canto . “Ela sabe melhor do que ninguém . Nós estávamos vivendo no Palácio. O rei disse ele mesmo.” Bette balançou a cabeça. Ela sussurrou algo para a garota ao lado dela que eu não consegui ouvir. "Eu espero que você vá aprender a confiar em mim”, eu disse . “Se você voltar para aquelas escolas estaria presa lá indefinidamente”. "Então o que vamos fazer?”, Perguntou Bette . "Nós não podemos ficar aqui para sempre.” “Nós estamos indo para Califia”, eu disse enquanto sentava na beira do colchão , olhando para as meninas. Eu esfreguei minha mãos , tentando aquecê-las . "É para o norte. E há comida, água, suprimentos. Vocês podem ficar lá o tempo precisarem, outros fugitivos das escolas têm ido para lá.” Lena abraçou os joelhos contra o peito. "Há homens lá", ela perguntou "São todas mulheres”, disse eu . Bette balançou a cabeça. "Mesmo se todas são mulheres” Ela olhou para as outras meninas . “Como vamos chegar lá ?” "Estamos indo a pé”, eu disse . “E talvez nós possamos encontrar alguma maneira mais rápida para chegar lá. Mas pode levar um mês. Então nós vamos caçar, e descansar , e obter suprimentos como pudermos , mas nós vamos chegar lá . Já fiz isso antes.” Eu podia sentir os olhos de Clara em mim. Eu não me virei para encará-la . Eu sabia o que ela estava pensando, que eu parti impulsionada do caminho para Califia a Serra Nevada e em seguida, através do oceano em jipe dos soldados. Talvez fosse estúpido, tolo, até mesmo , pensar que poderíamos chegar tão longe a pé, mas agora que estávamos fora das paredes não poderíamos nos esconder indefinidamente. As meninas, Clara e Beatrize , pelo menos , precisavam de algum lugar onde poderiam ficar. Meu pai pode permanecer no poder por muitos anos ainda , seu alcance se estende até as partes do selvagem. “Como vamos sobreviver por um mês”, perguntou Helene . "Há gangues aqui fora que têm assassinado meninas muito mais jovens do que nós . Houve uma órfã de doze anos de idade, sequestrada a apenas uma milha do lado de fora da escola, quase tão rapidamente quanto ela tentou ir além do muro .”

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Sarah trouxe outra garrafa para baixo, tentando selá-la da melhor maneira possível com uma das tampas de plástico deformada. “Mas talvez isso fosses uma mentira , também. Professora Rose disse isso, e ela disse um monte de outras coisas.” "Não é tarde demais”, disse Bette . "Nós ainda podemos voltar atrás. Nós vamos encontrar um dos soldados e dizer - "“ Você não vai”, eu interrompi . "Você vai vir com a gente , e nós vamos chegar a Califia . E talvez você não entenda agora, mas você acabar entendendo. Não há como voltar atrás neste momento.” Bette manteve balançando a cabeça. “Nós nem sequer a conhecemos.” Ela olhou para algumas das outras garotas. "O que você acha que vai acontecer com a gente aqui fora ? Nós não vamos fazer isso. Eu não me importo o que eles dizem -estávamos a salvo na escola .” “Você nunca esteve segura lá", disse Clara. Ela pegou alguns dos cobertores e passou -os para as meninas , na esperança de encerrar a conversa , mas eu podia ver que Bette não estava pronta para deixar ir . Sussurrou outra coisa para a menina enrolada ao seu lado, e eu tive um vislumbre repentino das semanas espalhados diante de mim, o quão difícil seria para mantê-las seguras . Além da janela da frente , o céu era uma massa cinzenta malhada , a lua coberta por nuvens, a chuva continuava , vindo do lado na parte da frente da casa, a água agrupada no chão abaixo do parapeito da janela . Beatrice estava no chão ao lado de Sarah, meus olhos focados em um único ponto no horizonte, as luzes tão pequenas no início, elas eram quase imperceptíveis. O Jeep estava vindo em nossa direção , na rodovia acima - O primeiro que tinha visto nas primeiras horas desde que tínhamos deixado . "O quê?”, Perguntou Clara, olhando para a estrada. “O que é isso ?” Bette virou , o notando ao mesmo tempo. O Jeep vindo, acelerando sobre o pavimento desigual. Um holofote na parte de trás passou e alguém virou para o lado, dirigindo-o para as casas, o Jeep desacelerou à medida que passava .Dei um passo em direção a Bette , tentando colocar-me entre ela e a janela da frente , mas ela mudou muito rapidamente . Ela já estava de pé , a poucos metros dele, agitando as mãos freneticamente . "Nós estamos aqui”, ela chamou , sua voz áspera e estridente. “Aqui!” Eu pressionei minha palma contra sua boca , puxando-a de volta para o quarto. “Apenas fiquem quietas”, eu disse para o resto das meninas.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


“que se moviam para os lados da janela , agora .” Bette lutou contra mim por um momento , mas eu a puxei para mais perto , de costas para mim enquanto eu mantive a minha mão sobre sua boca. Clara colocou as meninas contra a parede da frente. Ela espiou pela janela enquanto o jipe se aproximava . "Está desacelerando”, disse ela . Ela abaixou a cabeça , fechando os olhos por um instante, as costas pressionadas contra o parede . O céu fora da janela era mais brilhante quando a luz passou as casas ao lado nossa. Eu podia ouvir a respiração tranquila das meninas, e Bette tentou dizer algo para mim, suas palavras abafadas sob a minha mão . Em seguida , em um instante , interiores sombrios da sala estavam acesas . Pela primeira vez eu pude ver cada lágrima no papel de parede, a forma como o teto se dobrava em alguns lugares, como o chão era imundo , coberto de poeira e areia. Desgastado sapatos batidos estavam espalhados por baixo da cama. Ficamos ali, em silêncio, apertando os olhos contra a insuportável luz , observando como ele passou. O Jeep continuou. Clara apertou o rosto contra a parede , com os olhos na estrada. "Eles estão indo”, disse ela depois de um longo tempo. "Eu mal posso ver as luzes traseiras ." Ela olhou para Bette , que estava tensa sob o meu controle . Foi só então que eu percebi como eu estava segurando firmemente ela. Eu a soltei, mas mantive o seu braço, mesmo quando ela tentou se afastar . "Se você quiser ir embora, eu deixo,” eu disse, apontando para a porta, que estava descansando em seu lado , as dobradiças quebradas. “Mas ninguém vai com você.” Eu ia deixá-la ir . Ela sentou-se no chão. Contra a luz fraca da janela pude ver o quão pequena ela era. A camiseta que ela usava era três tamanhos maior, os braços ossudos e finos. Ela não se levantou para sair. Ela nem sequer ouviu o que eu tinha dito. Em vez disso, ela pegou o lábio inferior inchado, o silêncio pairou ao nosso redor. "Ela não quis dizer isso”, finalmente disse Helene . Ela deslizou para fora da cama , oferecendo Bette a toalha que estava segurando . Em algum outro lugar e tempo eu teria ido com ela, ajudando -a , dizendo-lhe para não ficar chateada, mas eu não senti nada agora, mesmo enquanto ela chorava . Se eles tivessem ouvido ela e nos visto , como ela queria , eu teria sido tomada de volta para a cidade , nós três Clara, Beatriz, e eu- enforcadas como traidores .

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Me acomodei na cadeira no canto , tentando relaxar nas almofadas finas. Foi Clara que ajudou ela, que montou o resto das camas das meninas , para que cada uma tivesse um local para descansar . "Estamos todos cansados ", foi o única coisa que eu consegui dizer . A sala silenciou , Helene confortando Bette , sussurrando algo para ela antes de irem dormir. Os restos das meninas se deitaram, cedendo à exaustão. Eu esperei até que minha respiração desacelerasse, o som do Jeep desaparecendo na distância , uma vez que subia a estrada. Mesmo se nada tivesse acontecido esta noite, eu tinha a sensação horrível que eu tinha feito um erro. Talvez eu não devesse ter trazido elas aqui , pensando que seria melhor . Talvez em alguns aspectos, Bette estava certa. Todas nós chegar a Califia , vivas, seria impossível.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


DEZESSETE Seguimos pela estrada ao longo da Ridgeline e para as montanhas. Quando alcançamos o Vale da Morte continuamos subindo , mais alto nas montanhas, as centenas de piso de sal metros abaixo. Eu tentei firmar minhas mãos , mas ainda tremiam, o ferrão amargo de bile no fundo da minha garganta . Minhas pernas doíam, meus pés estavam rachados e inchados. O ponto sensível entre meus ombros doíam de transportar o saco por tantas milhas . Eu tentei manter minhas forças, bebendo um pouco da água da chuva a cada três horas. Mas com cada milha meus pensamentos voltavam para o bebê, querendo saber se nós dois sobreviveríamos. Cada dia que passava, cada manhã que acordava com o mesmo malestar, era mais uma confirmação que ela ainda estava viva, que estávamos juntas. Era fácil ir lá, sempre que os meus pensamentos vagavam , a imaginar o que ela ficaria comigo, o que ela seria, se ela teria os olhos verdes pálidos de Caleb ou minha pele clara. Às vezes eu me deixei imaginar a possibilidade de Califia , de uma vida como a que Maeve tinha dado para Lilás . Eu ficava a imaginar como um barco ou uma das cabanas abandonadas que estavam empoleiradas nas montanhas ao longo da baía, seriam se essas salas escuras fossem limpas e restauradas, as videiras grossas expurgadas das janelas. Nos meus dias mais claros , quando a verdade continuava a apresentar -se a mim, eu sabia que a vida em Califia fazia parte de minha fantasia. Enquanto meu pai estivesse vivo ele sempre estaria olhando para mim, para nós. Eu provavelmente já estava em os cartazes dentro da cidade, listada entre os rebeldes. Por mais difícil que foi antes evitar os soldados, seria ainda mais difícil agora. "Eu não posso mais andar”, Helene chamou. Ajoelhou-se a poucos metros à frente , os olhos piscando contra o sol da manhã. "Quando é a próxima parada ?” "Nós apenas começamos", Clara apontou. "Nós estivemos na estrada por menos de uma hora .” Ela diminuiu diante de mim, o trenó plástico derrapando na calçada atrás dela, arrastando-o ao longo, trazendo os poucos suprimentos que tínhamos recolhidos nos últimos quatro dias. Co-

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


bertores e roupas velhas estavam envoltos em torno das últimas garrafas de água. Nós ainda tínhamos cinco latas sem marcação à esquerda, uma corda de plástico e fita adesiva , bem como uma garrafa fechada de álcool que tínhamos encontrado em um porão . Nosso único mapa - a folha dobrada que Moss tinha me dado - foi enfiado na cintura da minha calça ao lado a minha faca. "Eu não posso ajudá-la. Dói” , disse Helene , suas tranças caindo em seu rosto quando ela examinou seu sapato, ela usava o mesmo par que tinha trazido do hospital. Os chinelos de couro foram quebrados na parte de trás , a sua sola sangrenta e cru. Virei para trás, olhando por cima do meu ombro. Eu ainda podia ver o posto de gasolina a milha de volta, a única estrutura no Ridgeline. Havíamos passado a noite lá, o quarto pequeno, apertado proporcionando alívio do vento que rasgou o vale. “Tente isso,” eu disse , pegando um velho rolo de fita adesiva situado no trenó. Meus olhos se encontraram Beatrice, ela era a única que tinha insistido em levá-la de debaixo da caixa registradora quebrada, dizendo que poderia usá-la, mesmo que apenas por ataduras improvisadas. “Estou com sede”, disse Bette , pegando uma garrafa no trenó. “Não até o próximo intervalo.” Levei-o para trás, escondendo-o sob as mantas , fora da vista. "Isso tem que durar até o próximo lago.” Bette se afastou sem me olhar, como tinha feito a maioria destes primeiros dias, ela enfiou seu braço no de Kit , uma menina com cabelo ruivo profundo em cascata pelas costas, ela o amarrou para trás com uma corda que tinha encontrado ao longo do caminho , mas sempre foi se soltando . “Você está bem?”, Disse Clara baixinho, quando Helene terminou de envolver seu pé. “Você não parece bem .” Olhei em frente, onde as outras meninas caminhavam juntas em pequenos grupos, os seus passos lentos e desiguais. “Apenas o habitual”, eu disse , balançando as minhas mãos , esperando o tremor no meu estômago passar. Beatrice e Sarah viraram-se, me olhando por cima dos ombros, quando eu parei na beira da estrada , onde o pavimento caiu numa ladeira íngreme . “Vá em frente . Eu vou apanhá-las” Eu senti a náusea me tomar de novo. Clara esperou lá, para ver se ela iria passar. Finalmente, ela virou-se para ir, seguindo as meninas sobre a estrada sinuosa, que reduzia à frente , o penhasco rochoso ressalto a

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


única coisa entre nós e o chão de sal abaixo. Não havia como parar. Meu corpo ficou tenso quando eu me inclinei , olhando para o chão. Meu estômago estava vazio , porém, os últimos dias de uma série de refeições insubstanciais , minha garganta pulsando com o esforço. Vamos lá, você já passou por pior do que isso , uma voz familiar se levantou de algum lugar dentro de mim. Caleb era gentil, brincava neste tom às vezes comigo. Eu quase podia ouvi-lo agora , com a risada mais ínfima às minhas custas. Ele não estava certo , embora? Eu não tinha passado por coisas piores? Eu já tinha feito isso antes, indo para Califia. Eu escapei do meu pai. Eu tinha perdido a única pessoa que eu amava , estava por mim mesma , essa voz calma a única coisa que me restava. O que era a doença em comparação com isso? Limpei a boca e me levantei, percebendo Beatrice lá pela primeira vez, os lábios apertados enquanto me observava . Ela parecia mais velha do que quando eu a conheci , seus ombros abaixados , sua pele seca e curtida de sol. “Você deveria ter me dito mais cedo”, disse ela , virando-se por cima do ombro para se certificar de que as meninas estavam muito à frente . “Dizer o que ?”, Perguntei. “Que você está grávida". Beatrice empurrou uma mecha de cabelo do rosto . "Havia murmúrios nos centros de adoção , mas eu não tinha certeza se era verdade . “Esta é a terceira manhã que estou doente.” “Talvez você engane as meninas , mas não a mim.” Olhei para o chão, chutando um pouco de areia sobre a pequena poça de saliva. "Eu não queria que elas soubessem”, eu disse. "Elas já estão preocupadas o suficiente .” Ela me ajudou a levantar , longe da borda rochosa , e começamos a seguir as meninas. Ela olhou para frente , não atreveu-se a olhar para mim quando ela disse. "É de Caleb ?” Eu não respondi . Com cada pessoa que conhecia a verdade , tornavase mais real, e eu me tornei mais ligada a ele todo- a ideia de esta menina , minha filha, e uma vida que poderia ter em Califia . Foi quase impossível de me concentrar no que estava diante de mim: como iríamos chegar ao oceano, nossas próximas refeições , onde passaríamos a noite. Ainda havia a chance que eu poderia perdê-la, que tudo poderia ir embora.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Beatrice manteve a cabeça baixa , com a voz lenta e deliberada . “Você pode me dizer, Eve”, disse ela . “Você tem que saber que pode confiar em mim . O que aconteceu com Caleb foi um erro. Entrei em pânico . Seu pai me ameaçou .” Seus olhos caíram sobre Sarah, que estava andando alguns metros à frente , ajudando Helene. "Eu confio.”, eu disse . “Eu sei que você voltaria atrás se pudesse.” Beatrice cobriu a boca com a mão. "Você vai ver”, disse ela . "Não é fácil. Às vezes sinto que cometi tantos erros - muitos. Eu tentei tão duro protegê-la.” “Você não sabia sobre as Escolas”, eu disse , lembrando-se da noite em que conheci Beatrice. O segredo tinha sido bem mantido. Ela , como a maioria na cidade, acreditava que as meninas se ofereciam para dar à luz. "Você deveria ter me dito que estava grávida”, Beatrice continuou. "Eu poderia ter ajudado. Aqui estamos sozinhas, e você está sofrendo assim. Você deveria ter me dito .” Ela apertou minha mão , o calor dela me confortando . Eu assisti Sarah à frente, ao lado de Helene , chutando uma pedra enquanto marcharam sobre a estrada estreita. Ela encontrou um saco de pano em uma casa a quilômetros atrás e levava algumas de suas coisas dentro , deixando-a balançar em seu ombro . As meninas ficaram no centro, como eu tinha pedido, longe da queda acentuada . “Ela vai ficar bem, Beatrice”, eu disse . "Ela lidou com isso melhor que todas elas. Isso tem que significar alguma coisa.” Beatrice observou a estrada enquanto caminhávamos. "Você é educada", disse ela . "Ela não tem exatamente o necessário para ir tão facilmente. Você a viu e eu sei que você tem.” Eu balancei a cabeça . Quando Sarah foi dormir a noite , estabelecendose ao lado de Helene ou Kit, eu tinha visto a decepção no rosto de Beatrice . Sarah insistiu em levar sua própria sacola , caminhando com as amigas, as conversas que eu tinha escutado entre mãe e filha sempre me pareceram um pouco forçadas e desajeitadas. Beatrice fazia perguntas e Sarah fornecia respostas de uma curta palavra. "Vai levar tempo,” Eu disse. Beatrice assentiu. Ela apertou minha mão de novo , os olhos voltando a Sarah . As meninas tinham parado na borda da estrada , Clara com elas . Elas estavam olhando para algo abaixo. "Eu espero”, disse ela.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


“E eu vou manter o seu segredo , se é isso que você quer, mas você vai ter o meu jantar hoje à noite .” “Beatrice, não é -” "Eu sei que não é muito, mas você precisa dele. E nós vamos descobrir mais disposições em poucos dias, quando chegarmos aos alojamentos no mapa”, disse ela . "Eu insisto .” "Nós podemos caçar quando chegarmos ao primeiro lago,” eu disse, tentando ignorar a crescente dor no meu estômago. "É apenas dois dias de folga.” Quando nos aproximamos as meninas estavam sorrindo, Kit apontando para algo em todo o fundo do vale. "Você pode vê-los”, ela gritou para nós por cima do ombro. "Carneiros!” Eu olhava contra o sol da manhã , observando as ovelhas de chifres subindo ao lado da face da rocha , uma centenas de metros abaixo , apenas a nossa esquerda . Beatrice caminhou ao meu lado, rindo quando ela os notou lá. Era um rebanho inteiro, dois menores no centro. Eles quase se misturavam com a rocha de arenito. "Eu os avistei primeiro,” Kit chamado por nós, seus dedos penteando seu longo rabo de cavalo. "Você vê , Eve?” Nós fizemos nosso caminho até a estrada estreita. As meninas tinham se virado para nós , esperando minha reação. Era um alívio vê-las sorrindo, o calor do dia ainda em cima de nós , a sua sede e fome esquecida, mesmo que apenas por um momento . Eu estava prestes a comentar sobre sua descoberta , quando me distraí olhando Helene . Ela levantou-se para o lado do grupo, perto da borda do penhasco, onde o pavimento cedia. Ela segurava o calcanhar com a mão, brincando com o mesmo sapato que tinha incomodado antes. Aconteceu tão rápido que mal tive tempo de reagir. Ela colocou o pé para trás, muito perto da borda , e a rocha desmoronou sob o seu peso. Ela foi puxada para o lado do penhasco íngreme , a terra indo com ela. Ela soltou um grito sufocado quando ela escorregou para longe, para fora da minha vista.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


DEZOITO Ouvi seu grito e o som da rocha dando lugar , centenas de pequenos seixos inclinando -se para a ravina , em direção ao fundo do vale. Algumas das meninas se ajoelharam, tentando alcançá-la, mas ela já estava muito abaixo. Seu corpo caiu mais para baixo do penhasco irregular . Havia o horrível som de suas mãos arrastando contra a pedra, tentando encontrar algo para segurar. “Afastem-se da borda ,” Eu chamei , apontando para Bette e Sarah se afastarem . Quando cheguei a elas eu estudei seus rostos com medo de olhar por cima do penhasco, em direção ao vale . Ouvi um ruído surdo soar a poucos metros abaixo. Eu olhei em volta , mais longe na estrada, por cima da borda, com cuidado de manter os dois pés no chão . Helene estava a trinta metros de profundidade , talvez mais , deitada sobre um afloramento de rochas. Ela estava segurando sua perna com as duas mãos . Seus dedos foram raspados para o osso, tinha um corte aberto na parte da frente da cabeça, o sangue correndo em seus olhos. “Minha perna”, ela chamou . Seu rosto estava contorcido de dor. “Até onde ela caiu ?”, Perguntou Clara. “ela está muito machucada?” Ela empurrou as meninas de volta , mais longe da borda. Os olhos de Bette cheios de lágrimas. Ela passou a mão sobre seu rabo de cavalo loiro, puxando. "Eu disse a você” , disse ela, sua voz desigual. “Isto é o que -” "Isso não é o que nós precisamos agora", eu disse. “Ela está ferida .” Eu fui para o trenó e folheei-o , tentando encontrar a corda de plástico . Eu afrouxei-lo, enfiando uma das extremidades em volta da minha cintura, através das presilhas nos meus quadris. "O que você está fazendo?”, Perguntou Clara. Ela olhou de soslaio para Beatrice , tentando avaliar sua reação. “Não é o suficiente”, eu disse , mostrando-lhe a outra ponta da corda. Havia pelo menos 40 pés , possivelmente mais . Eu procurei na beira da

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


estrada , à procura de alguma coisa , qualquer coisa, para ancorá-la . "Alguém tem que ir lá embaixo busca-la .” Clara olhou por cima do penhasco. Apenas o topo da cabeça de Helene era visível agora. Ela empurrou para trás, tentando ficar o mais longe possível da borda. “Por que tem que ser você ?” Clara mantinha aberta a mão , gesticulando para eu dar-lhe a corda. “Você não deveria.” Bette e Sarah avançaram para frente , tentando obter um vislumbre de Helene na borda abaixo. “Depressa,” Bette disse . “Ela poderia cair.” Clara pegou a corda , puxando o fim da minha cintura. "Você não pode” disse ela . "Você é a única que sabe para onde estamos indo .” Seus olhos tinham o meu por um momento muito longo, e eu sabia que ela não iria adicionar - Que eu estava grávida . Que havia mais risco para mim do que havia para ela. Beatrice agarrou meu braço. “deixe Clara ir”, disse ela . "Vamos segurar a corda para ela. Nós podemos ancorá-la lá atrás.” Ela apontou para o baixo parapeito do outro lado da estrada. Foi corroído pelo sol, o metal agora coberto por uma película branca esburacada que parecia cracas. Parecia frágil , mas as partes inferiores dos postes de metal ainda estavam enraizados no chão, enterrado em poucos metros de concreto sólido. Examinei o corrimão , chutando o polo inferior para ter certeza que não cederia . Então eu atei o plástico da corda em volta, usando o mesmo nó que eu tinha usado meses antes no barco de Quinn em Califia . Eu me inclinei para trás , deixando-a segurar meu peso , os fios de plástico aperto sob o meu controle . Parada ali , olhando para o vale abaixo , lembrei-me da atração inconfundível eu senti no Palácio sempre que eu estava a poucos centímetros das janelas da torre. A tontura que sentia como se a qualquer momento eu poderia cair para frente, a grande extensão capaz de me engolir toda. “Você tem que me mostrar como amarrar isso”, disse Clara de algum lugar atrás de mim. Ela entregou a corda para mim, e eu percebi então que as suas mãos tremiam , seus dedos sem sangue e pálido. "Deixe-me ir,” eu disse. Mas Clara só pressionou a corda em minhas mãos. Bette e Sarah ficaram na calçada ao lado de nós , Sarah segurando o braço de Bette . Bette enxugou seu rosto na tentativa de secá-lo. “Você tem que fazer alguma coisa”, disse ela . "Ela está com dor.”

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Mudei-me rápido , prendendo a corda em volta da cintura de Clara, logo abaixo de suas costelas , atar – duplo, para ter certeza de que ele iria funcionar . "Poderíamos tentar primeiro baixá-la para ela," eu disse, quando eu tinha certeza que as outras meninas não podiam ouvir . “Você não tem que fazer isso.” O rosto de Clara estava molhado e pálido. Suas mãos se moviam de forma irregular , primeiro pegou na corda, em seguida, na sua cintura, incerta onde colocar as mãos . "Não, eu vou fazê-lo”, disse ela . Ela assentiu com a cabeça . "Eu vou.” Eu pedi as meninas para se alinharem. Eu estava bem atrás de Clara, Beatrice atrás de mim , e as meninas segurando a corda atrás de nós. “Agora, encoste - coloque todo o seu peso contra ela”, eu disse . “Aconteça o que acontecer , não deixe ir. Há muitos de nós, vamos ser capazes de segurá-la . " Clara olhou para mim, sua respiração lenta e deliberada , cortando o silêncio. “Se você se inclinar para trás , você pode caminhar na frente do precipício”, eu expliquei . Eu tinha visto Quinn fazê-lo duas vezes , tentando alcançar uma das estreitas praias no extremo leste de Marin . “Mantenha as mãos na corda.” "Certo", ela disse . "Eu vou ficar bem.” Eu puxei um pouco da corda, e ela começou a retroceder , olhando para o local onde o pavimento se transformou em pedra. Quando ela chegou até a beira do penhasco, ela se inclinou para trás, seus olhos me encontrando por um segundo. Ela apertou as lágrimas . Eu vi como ela lentamente desceu a frente da borda, finalmente, abandonando a visão . Houve a queda tranquila de seixos, deslizando para baixo da frente do penhasco, ouvi cada vez que ela empurrou . Atrás de mim as respirações de Bette eram sufocadas. “Ela tem que buscá-la”, disse ela . "Ela não pode morrer.” “Ninguém vai morrer", Beatrice estalou. Foi a coisa mais próxima que eu já ouvi de raiva em sua voz. Ela assustou mesmo as meninas . Todos elas ficaram em silêncio , deixando a corda só quando eu disse. Clara estava dizendo algo , sussurrando para si mesma quando ela desceu , embora eu não conseguisse ouvir o que. Toda dúvida que eu tinha deixado de lado nos últimos dias apareceram em minha mente, fechando em mim . Eu tinha sido tola por achar que poderia levar as meninas comigo, que não iríamos ser capturadas ou morrer de fome. Embora

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Helene pudesse ser trazida para cima, a perna foi provavelmente quebrado ou torcido. Como é que ela seria capaz de manter o ritmo ? Estávamos na estrada há duas semanas, pelo menos , enquanto nos dirigíamos para a costa . A corda queimou a minha palma. Eu podia sentir todo o peso de Clara lutando contra ela , puxando para trás dando distância . Deixei algumas delas dar, e depois de alguns minutos ela soltou quando bateu no afloramento onde Helene estava. "Eu tenho ela," ela gritou , sua voz pequena e distante. “Ela está bem. Eu a estou levando.” Eu descansei minha mão logo acima da testa de Helene. "Vai doer”, disse eu . Suas pequenas tranças pretas estavam cobertos de sangue seco. O corte de três polegadas ainda estava aberto . Eu respirei pela minha boca , tentando não ceder as náuseas, afundando o sentimento em meu estômago enquanto eu colocava a vodca sobre o corte . Ela estremeceu, seu corpo tenso. Eu trouxe uma das toalhas para o lado de sua cabeça , pegando o resto do líquido , com o cuidado de manter o tecido na ferida . “Está feito agora", eu disse. "Acabou . Tente dormir.” Helene não olhou para mim. Seus olhos estavam bem fechados , lágrimas pegas em seus cílios. Cor viera para os hematomas nos braços, o sangue preto em crosta sob suas unhas. Eu olhei para a perna . Beatrice tinha formado uma tala de dois ramos que tínhamos encontrado , amarrando -as com corda. Eu tinha segurado a mão de Helene quando Beatrice puxou seu calcanhar, definindo o osso no lugar. Agora, a área do seu joelho até o tornozelo estava inchado , a pele esticada e vermelha. Nós tínhamos dado a ela um pouco da vodca para a dor , mas era difícil saber o quão ruim era . O osso não veio através da pele - Beatrice havia dito que era a esperança. Eu me virei , caminhando em torno das meninas que estavam a seu lado. Bette e Sarah tinham adormecido . Os cobertores que não tinham usado para Helene foram compartilhados entre os outros. Bette deslocada sobre a terra dura, esforçando-se para ficar confortável. Quando o vento veio através do vale , eu puxei minha camisa mais perto, tentando ater-me contra o frio, mas ele rasgou através de mim. A temperatura desceu até dez graus uma vez que o sol desapareceu do céu. Nós tínhamos encontrado o acampamento tão logo a estrada achatava , a criado por trás de um conjunto de rochas altas . Bette e Sarah tinham puxado Helene atrás delas no trenó. Mesmo depois que tinha dado a ela

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


tanto do álcool como ela poderia tomar, ela ainda soluçava , a dor vai e vem em ondas. Eu passei quase uma hora sentada ao seu lado, de vez em quando ouvindo o rádio , tentando obter notícias do Trail. Olhei para Beatriz e Clara, suas silhuetas apenas visível além dos secos arbustos murchos . Quando me aproximei , peguei trechos de sua conversa , algumas frases levadas pelo vento. "Se infectar , nós não temos escolha” , disse Clara. "Eu só não vejo como ela poderia sobreviver de outra forma .” Beatrice estava ao seu lado , as duas curvadas , apoiando -se contra o frio. "Não está infectada , mas embora- não”, disse Beatrice . Eles se viraram quando me viram chegando. Beatrice balançou a cabeça. “Você não ouviu nada de novo a partir do rádio”, ela perguntou . “Não há Trilhas nas proximidades? Se pudéssemos encontrar um lugar para descansar. mesmo apenas uma semana ou assim. . . " "A maioria dos rebeldes partiram para a Cidade. Aqui fora dos muros têm sido tranquilo ", disse eu . "A única mensagem que eu ouvi veio de sobreviventes no interior. As execuções públicas pararam , mas outros estão sendo retirados de suas casas para interrogatório. As colônias que se retiraram ainda não chegaram, parece improvável que eles venham " " E a minha mãe . . . ", Perguntou Clara. Eu balancei minha cabeça . Eu não tinha ouvido nada sobre a minha tia Rose desde que o cerco tinha terminado. Eu tinha a esperança que ela e Charles estavam ainda vivos , embora eu soubesse , pelo menos, Charles foi implicado em nossa fuga. Sentamo-nos em frente à baixa fileira de arbustos , nossos ombros apertados , tentando nos aquecer. Clara soltou um suspiro longo e lento . Os joelhos sangravam onde eles tinham raspado no penhasco quando ela tentou segurar Helene . "E se a perna de Helene ficar infectada ", perguntou Clara. " Na Cidade haveria maneiras de tratar dela, mas aqui fora. . . ela poderia morrer. O que devemos dizer às meninas então? " Beatrice esfregou a testa . "As pessoas sobreviveram a essas coisas nos anos após a peste. Ela não é a primeira pessoa a quebrar um braço ou perna em estado selvagem. Temos que esperar e ver. "

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


" Você deve enviar uma mensagem no rádio ", disse Clara. A lua fazia estranhas sombras em sua face. Sua pele parecia tão pálida, quase cinza , na luz. "Devemos ver se os rebeldes poderiam enviar ajuda. " " Apenas como um último recurso ", disse eu . "É muito perigoso. Moss me contou sobre uma parada no mapa - não é mais de um dia de caminhada . Alguns dos rebeldes usou em seu caminho para a cidade , mas é abandonada agora. Nós podemos acampar lá por alguns dias para descansar. " Beatrice assentiu. " O lugar que você mencionou? " " Exatamente, " eu disse. " Nós só precisamos chegar lá. " " Nós vamos ter que levá-la por todo o caminho ", disse Clara. " Se ela sobreviver . " " Ela vai", disse Beatrice . "Eu espero que ela vá. " Atrás de nós , houve um estalo , a quebra de arbustos secos sob novo peso . Eu me virei , notando a figura de pé no mato . Levei um momento, estudando suas feições à luz da lua , para descobri quem era. " O que você está fazendo acordada? ", Perguntei. " O que quer dizer , você espera que ela vá sobreviver? ", Perguntou Bette . " Você acha que ela pode morrer? " Beatrice levantou-se rapidamente , passando para o lado de Bette . " Não, ela não vai morrer ", disse ela . Ela segurou Bette perto , tentando acalmá-la . "Não se preocupe . Estamos cuidando dela . Nós cuidamos da perna ; estamos fazendo tudo o que podemos . " Bette não se mexeu, mesmo quando Beatrice puxou para mais perto , segurando sua cabeça com a mão. Ela não tirou os olhos de mim. Em seu olhar uma acusação silenciosa. "Então vamos para Stovepipe Wells amanhã de manhã ", disse Clara , dando um passo para mim . "Como nós concordamos . " Elas começaram a voltar para o acampamento escuro, movendo-se através do fundo do vale sem mim. Bette foi o único que voltou atrás, nossos olhos se encontrando. "Ela vai ficar bem, " eu disse. Mas ela já estava a poucos metros à frente , movendo-se mais para dentro da escuridão , além de onde a minha voz pudesse alcançar.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


DEZENOVE " Vamos " Sarah gritou quando atravessou a porta de entrada para o lobby do motel. "Eu ganhei ! " Três meninas entraram depois dela, percebendo que elas estavam um segundo atrás. Sarah segurou o rato de pelúcia no ar. Tinha apenas um olho, seus shorts vermelhos faltando um botão amarelo. As outras meninas tentaram agarrá-lo fora de suas mãos , mas ela ficou nas pontas dos pés , segurando-o acima de suas cabeças . "Eles estão em melhores espíritos ", Beatrice sussurrou para mim. Dobrou algumas das camisas que tínhamos encontrado, pressionando -as em uma mochila . "Eu não acho que eu possa levar muito mais do que gritos , no entanto. " "Por que vocês não encerram a noite ," eu disse , olhando para fora . O céu já era avermelhado profundo rosa, o sol poente baixo atrás das montanhas. "Vocês tem cerca de quinze minutos a mais de luz. Vocês deve arrumar suas camas. " Sarah vagou pelo corredor, algumas das meninas seguindo-a, deixando recuperar os cobertores do quarto onde dormia Helene . Nós tínhamos estado no motel em Stovepipe Wells , durante quatro dias , permanecendo na seção de trás do edifício que foi definido fora da estrada. As meninas fizeram um jogo que envolveu sequestro, em seguida, escondendo, um bicho de pelúcia esfarrapado que tinham encontrado . O primeiro a cruzar a frente da porta com ele na mão ganha. O que exatamente o prêmio nunca foi claro. Clara ficou atrás da recepção, alinhando uma fileira de garrafas de vidro no balcão. "Há dez para todos ",, ela disse. " Devemos deixar algum caso mais pessoas passem por aqui ? " Eu fui ao seu lado, olhando para os armários abaixo da recepção. Nós encontramos as fontes que os rebeldes tinham deixado . Havia garrafas de água, frutas secas e nozes , e algumas toalhas limpas e ataduras . Eles não poderiam ter mais do que três ou quatro semanas , uma vez que tinha parado aqui em seu caminho para a cidade .

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Havia muitos sinais deles. Pegadas frescas na terra, à direita em torno das casas em volta. Alguém tinha deixado um pente e um espelho velho no corredor, o plástico transparente de toda a poeira . Havia um medalhão de ouro que tinha descoberto , emaranhado em uma das toalhas, um pequeno pedaço de papel vermelho dobrado dentro, meu amor rabiscado em todo ele. Eu mantive isso comigo, a cadeia de chocalho no meu bolso. Eu não conseguia parar de me perguntar de quem era, onde eles estavam agora, se eles tinham sido mortos no interior da Cidade . " Duas garrafas e alguns dos alimentos secos, " eu disse. "Agora que o cerco terminou, eu duvido que alguém vá usar esta paragem . Mas é melhor deixar algumas para o caso. " Sarah e algumas das meninas voltaram para o saguão , cobertores poeirentos em seus braços . Elas jogaram alguns para baixo sobre os velhos sofás , almofadas afundadas dentro. Lena, uma menina tranquila, com óculos escuros riscados, deitou-se em um, puxando o cobertor sobre as pernas. Ela pegou o recipiente de plástico de panfletos enrugados com o rótulo: CAMINHADA EM DEATH VALLEY e WELCOME TO WELLS. Ela sempre lia antes de dormir. Bette puxou Helene junto no trenó , movendo-a um pouco rápido demais pelo corredor estreito. " Cuidado, " eu chamei. " olha a perna . " Bette olhou para mim. "Estou vendo ", ela murmurou. Ela ajudou Helene, descansando a perna ruim nas pilhas de almofadas achatadas no final do sofá . O inchaço tinha diminuído, mas a pele ainda estava rosa brilhante . A contusão fez tudo parecer pior . Vergões roxos coberto no ombro. O lado do seu rosto estava inchado , o corte em sua testa ainda cru. " Nós temos que sair amanhã ", perguntou Helene , estremecendo quando ela se abaixou para o sofá . Beatrice , guardou as roupas dobradas e pressionou a palma da mão na testa de Helene . "Você vai ser grata quando estivermos finalmente em Califia . Você vai ter uma cama de verdade para dormir e pode descansar tudo o que você quiser. " Ela virou-se para mim e balançou a cabeça, como ela fazia cada vez que tinha verificado Helene . Estes últimos dias ela tinha feito isso em todas as poucas horas , certificando-se de que ela não tinha conseguido uma febre, que a perna não havia aumentado ainda mais, que não havia sinais de infecção . Estávamos esperançosas de que o pior já tinha passado.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


"Ela não está pronto para ir ", disse Bette . " Por que você não pode ver isso? " "Nós temos que , " eu disse. " Não vale a pena discutir. Aqui fora nós ainda estamos expostos . Se alguém passa através poderíamos ser descobertas . Temos que nos manter em movimento. " Bette balançou a cabeça. O resto das meninas espalharam seus cobertores e travesseiros no chão, ao lado um do outro , ela se virou para baixo em uma das salas laterais. Clara se aproximou de mim , com a mão repousando sobre meu braço , enquanto observávamos ela ir. " Se isso faz você se sentir melhor, ela falou para mim também ", disse ela . "Ela vai ficar melhor , uma vez que cheguemos a Califia . Ela vai ver que você estava certa . " "Espero que sim ", eu disse . Eu dei um passo para longe dos outros , gesticulando para Clara me seguir. Eu agarrei o mapa esfarrapado do meu cinto e o abri , apontando para a rota que eu tinha marcado a lápis. Clara estudou na última luz do dia. "Se formos para o norte há água ao longo do caminho . A garantia de fornecimento a cada três dias ou mais, teremos peixes e o lago Crowley. . . ver? Todo o caminho para cima. " " Lake Tahoe ", perguntou Clara. " Não era isso que a canoa dizia ? " Ela traçou o dedo sobre o garfo na estrada , movendo -se , além da linha que eu tinha desenhado. Eu pensei sobre Silas e Benny depois que eu saí . Moss teve mensagens enviadas para o bando quando eu cheguei à cidade, afirmando que eu estava viva , que Caleb e eu estavam juntos. Nós não tínhamos ouvido nada de volta, e era impossível confirmar que tinha chegado as palavras . Como tanto quanto eu queria saber se eles estavam bem , parte de mim não queria sofrer a realidade se não fossem . E se a gente encontrar o acampamento abandonado ? E se eles tinham ido para o cerco, se eles estavam entre os corpos espalhados na estrada os primeiros dias ? E se eles estavam vivos , se eles estavam lá , eu não sei se eu queria visitá-los, lembrar-se daquele tempo , daquele lugar . Caleb. Leif . Eu propositadamente tinha nos desviado para o oeste antes de chegarmos ao acampamento dos rapazes. Eu balancei a cabeça . "Seria adicionar dias para a viagem , no entanto. Eu pensei " " Eu não quis dizer que devemos ir lá", disse Clara, virandose para mim. Sua expressão era de desculpas. "Eu não quero que você .

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Eu não gostaria que qualquer um de nós , e não depois do que aconteceu com você. " Algumas das meninas dormiram, oferecendo uma a outra boa noite, enquanto Sarah e Kit foram recuperar mais fontes de um dos quartos . Clara ajoelhou-se ao lado da mochila, torcendo até ela descobriu o rádio . "Eu estava pensando . . . ", Disse ela , segurando-o para cima. " Existe alguma maneira para enviar -lhe uma mensagem? Só para deixá-la saber que eu estou fora da Cidade. Que eu estou segura , que eu estou com você. Ela deve estar confusa , pensando que eu estou morta nas Outlands , se perguntando se fui tomada pelos rebeldes " . Liguei o rádio em minhas mãos , imaginando se dentro do Palácio alguém seria capaz de decodificar o mensagem . Eu sabia que era improvável que qualquer um dos rebeldes que ainda trabalhavam na torre arriscaria revelando -se a Rose- não agora, e, especialmente, para dizer a ela que Clara, estava viva. Eu pensei sobre isso de qualquer maneira, percebendo como o humor de Clara havia mudado ao longo da semana passada, o modo que ela falou de sua mãe, ou da cidade , querendo saber se havia algum despachante sobre o Palácio . "Claro que pode", eu disse. " Eu só tenho que avisá-la- é provável que ela não vá obtê-la . Agora que Moss está morto, eu não acho que qualquer um dos rebeldes possa decodificá-lo e passá-lo . " Clara descansou as costas contra a parede, pressionando seu rosto em suas mãos. " Vamos voltar , eventualmente , "ela disse , realmente não dirigido a mim. " Eventualmente, ela vai saber que eu estou bem. Eu tenho certeza que ela descobriu o que aconteceu. " " Ela deve ter ", disse eu . "Nós vamos ter mais recursos , uma vez que alcançar Califia . Uma vez que você esteja lá nós vamos ter uma melhor noção do que fazer. " O último sol do dia entrava pela porta , pegando os olhos azulacinzentados de Clara , iluminando a sua profundidades. " Eu não deveria ter saído ", disse ela . " Era como se eu estivesse tentando puni-la ou algo assim. " "Você não teve muito tempo para decidir ", disse eu . "Sempre foi só nós. " Clara trabalhava em um nó em seu cabelo de ouro grosso, puxando o enredo até que se desfez. "Desde a praga , desde que meu pai morreu e Evan . Houve tantas vezes que eu só queria ser livre dela. "

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


"Você não pode culpar a si mesma por sair. E se o meu pai havia descoberto que você me ajudou naquele dia? O que, então ? " Nós duas estávamos intranquilas . Eu queria dizer a ela que ela seria capaz de voltar para a cidade , que poderia tanto voltar, mas com o passar dos dias ,parecia menos provável. Eu notei uma mudança , mesmo no tempo desde que tinha definido o acampamento. A náusea tinha parado . Beatrice tinha dito que era normal, que agora que eu tinha feito três meses eu não iria experimentar a doença de manhã como eu tinha antes. Minha barriga parecia inchada e cheia , e minhas roupas se encaixam de forma diferente , mesmo que fosse perceptível apenas para mim . Assim que chegarmos a Califia eu me perguntava se ficaria por lá indefinidamente , incapaz de ir a qualquer outro lugar . Quanto tempo eu tenho antes de meu pai me encontrar de novo? Sarah e Kit passaram com os braços cheios de mais duas pilhas de cobertores. Clara limpou a pele sob os olhos e levantou-se, arrancando um feltro de mofo do topo. Ajoelhei-me , a ponto de dobrar o rádio de volta na bolsa, onde eu mantinha escondido, quando Kit parou perto da porta. Ela estava olhando para mim , com o rosto apenas visível à luz atrasada. " O que você está fazendo com isso? ", Ela perguntou . Clara segurava o cobertor contra o peito. "O que você quer dizer? ", Disse. "É um rádio, kit . você nunca viu " "Eu sei o que é. " Kit puxou seu longo rabo de cavalo, o envolvendo em torno de seus dedos. "Mas eu pensei que era de Bette ". Olhei para o hall de entrada , para as meninas enroladas nos sofás e no chão . Eu mal podia vê-las nas sombras, tão longe das janelas e da estrada. "Por que você acha isso? " Kit encolheu os ombros. " Ela me disse que tinha o tinha encontrado no posto de gasolina, que era dela. Ela estava usando dois noites atrás.” Eu podia sentir os olhos de Clara em mim. Passei por ela indo para dentro da sala. "Onde está Bette ? " Abaixei e apertei o ombro de Helene, que acordou assustada. "Você sabia sobre o rádio? Você sabia que ela o estava usando ? "Eu olhei para algumas das meninas que estavam enrolados no chão , pegando vislumbres de seus rostos sombrios , tentando distinguir um do outro. Eu não vi Bette em qualquer lugar. Helene sacudiu a cabeça. "Eu não sei onde ela está ", disse ela . Mas ela juntou as mãos , seu enfrentar tenso. "Eu não. . . "

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


" O que ela estava fazendo com ele ? ", Perguntei. "Diga- me ". Helene escovou suas tranças longe de seu rosto . "Ela disse que ia me ajudar. Ela me prometeu . " Entrei no corredor escuro, passando pelos antigos quartos do motel . Algumas das camas foram entregues em seu lado. Havia malas empoeirados cheias de roupas, telhas do teto apodrecidas, uma pilha de brinquedos que tinham sido abandonados por pessoas que o tinham deixado com pressa. Avistei uma figura no espelho quebrado no final do corredor. Eu fiquei tensa, tomando um momento para perceber que era meu próprio reflexo . Parado ali na sala escura, eu ouvia cada uma das minhas inspirações , tentando descobrir quando Bette me viu com o rádio. Ela tinha que ter passado por nossas malas , procurando por ele. Quanto tempo ela tinha tentando enviar uma mensagem ? Quem ela acha que possivelmente viria ? Ao longe, para além das janelas quebradas , eu ouvi uma voz gritando , as palavras indistinguíveis . Eu me virei para o corredor , sem parar até que eu estava do lado de fora ,na parte de trás do edifício . Corri pelo estacionamento, cheio de carros podres, e quando eu olhei o canto finalmente vi ela . Ela era apenas uma silhueta negra contra o céu roxo. Ela estava acenando as mãos freneticamente , de volta e para frente , um sinal de fogo patético por seus pés. Levei um momento para ver o que ela estava olhando. Minhas mãos ficaram frias . Chegando-se a Ridgeline , apenas uma meia milha de distância, era uma moto , o seu farol de um pequeno ponto de luz .

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


VINTE Bette continuou acenando, pulando para cima e para baixo, tentando sinalizar para a motocicleta . "Aqui ", ela gritou . "Nós estamos aqui ! " Corri o mais rápido que pude, jogando meus braços em torno dela, a prendendo para os lados . " Você sabe o que você fez ? " O luar jogou sombras estranhas no seu rosto. " Eu fiz o que você não faria ", disse ela . "Ela precisa de ajuda. Você mesma disse que ela poderia morrer. " A moto estava se aproximando , fechando ao longo da Ridgeline . Eu chutei a sujeira sobre o fogo , uma pequena pilha de galhos e arbustos , espalhadas com alguns fósforos queimados que ela deve ter roubado dos suprimentos. Então eu agarrei seu braço , puxando-a em direção ao motel. Tudo voltou para mim , correndo , lavando cada outro pensamento . Em um instante , pude ver Marjorie e Otis no chão da adega , seu corpo caído sobre o dele, a trança encharcado de sangue . Eu reconheci o risco de levar o rádio junto , sabendo o que poderia acontecer , sabendo o quanto o perigo que seria se uma das garotas o usasse. Eu o tinha enterrado no fundo do saco onde apenas Beatriz, Clara, e eu saberíamos encontrá-lo. Bette cravou os calcanhares no chão , puxando tanto a uma parada . "Eu estou recebendo a ajuda dele, " ela repetiu . "Nós Precisamos de alguém para leva-la a um médico. " "Isso não é assim que funciona ", disse eu . Ela lutou contra a meu alcance , mas eu segurei , não a deixei ir. "Quando você enviou a mensagem? O que você disse ? " O farol acelerou mais perto. O soldado era apenas uma figura sombria contra o céu , com as costas curvadas ligeiramente , a motocicleta embalado com suprimentos. Eu nunca tinha visto apenas um soldado, mas eu ouvi os meninos na canoa falar dele, como , por vezes, que fazia a vigilância de armazéns do governo. Se ele estava perto , isso significava que havia outros por perto , não mais de 50 milhas.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


" Ontem à noite ", disse ela . "Quando você estava dormindo . Eu disse onde estávamos " . Puxei-a de volta para o motel, usando a minha força total. " Você precisa se apressar ", eu disse , olhando para o pequeno conjunto de edifícios à nossa frente . Havia apenas três estruturas de madeira e uma loja abandonada, os estacionamentos espalhados com carros, os pneus arrancados dos aros de metal. Não levaria o soldado mais do que alguns minutos para pesquisar os edifícios. As nossas únicas vantagens eram de que havia mais de nós , e sabíamos o layout do motel. Eu peguei o ritmo , correndo em direção a parte de trás do prédio, Bette logo atrás. A motocicleta aproximou muito rapidamente . O ouvi chegando a Ridgeline , fechando a distância entre nós . Lá estava a terrível grade dos pneus no asfalto, o som dos freios. Quando nós quase chegamos ao motel, o motor desligou , retornando o mundo exterior ao silêncio. Ele não gritou como os soldados muitas vezes fazem, mandando-nos parar, para fazer-nos conhecido. Eu não o olhei, em vez disso trouxe Bette em torno do lado do edifício, através do estacionamento , na parte de trás da entrada. Abri a porta de vidro do átrio , o envio fora o tilintar maçante de sinos em algum lugar acima . "Temos de avançar para os quartos traseiros ", eu gritei para fora , apontando para o corredor escuro mais distante da estrada . "Fomos encontradas. vá rápido. " Bette estava perto da porta , sem saber o que fazer. Algumas das meninas assustadas de onde elas dormiam . Clara pairou na entrada principal do hall de entrada , onde tinha estado a observar -nos desde que a motocicleta se aproximou. Ela deixou cair a cortina e voltou-se para mim. "Ele não está mais lá ", disse ela , indo para as janelas no outro lado da porta . "Eu não o vejo . " Olhei para o lobby, mas estava tão escuro que era difícil distinguir o rosto de alguém. Beatrice e Sarah ajudaram Helena a se levantar. Eu senti a faca no meu quadril , certa de que ela estava lá. Eu peguei a mão de Kit empurrando -a para o corredor lateral , ouvi os sinos tocando em conjunto, um som tão repentino levantou os cabelos em meu braço . Havia o caminhar rápido de botas no piso de cerâmica, então seu lento respirar, o homem agarrou Bette pelo braço, segurando uma arma ao lado de suas costelas.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Ele olhou ao redor da sala , com o rosto metade visível à luz do luar que entrava pela porta . "Quem fez isso? ", questionou. Era óbvio que ele não era um soldado . Ele usava uma jaqueta de couro e jeans que eram negros com a sujeira . Observei-o , estudando a braçadeira vermelha amarrada à sua manga , perguntando-se o que podia simbolizar , se ele era a favor ou contra a resistência . Será que ele sabe sobre o Trail? " Quem trouxe todos aqui? ", ele gritou . " Você pode ter o que quiser, " eu disse, tentando manter minha voz calma. "Temos água e comida. O suficiente para durar uma semana. " " Eu não quero suprimentos ", disse ele , a arma pressionado para o lado de Bette . Ela estava estranhamente ainda , o corpo rígido e os olhos fechados , como se ela já estivesse morta. Uma das meninas atrás de mim estava chorando. Eu não me virei para olhar. Alguns delas tinham em seus uniformes da escola, e de repente eu me arrependi de deixá-las mantê-los , mesmo se elas só os usavam quando dormiam . Era impossível agora mentir sobre quem elas eram. "Eu trouxe eles", eu disse finalmente. "Elas estão fugindo das Escolas ". Mudou a arma do lado de Bette , a apontando para mim. "Você fez ", ele começou , cada palavra curta. "Alguém enviou uma mensagem dizendo que precisava de ajuda. Que eles estavam aqui. " Olhei para Bette . " Ela machucou a perna ", ela engasgou , mal abrindo os olhos . " Helene . Ela precisa de um médico ". O homem examinou o quarto , tendo em Helene ao lado de Sarah . Ela prendeu a perna fora da terra. " Eve estava tentando nos salvar " , disse Kit rapidamente. Virei-me para ela, esperando que ela não fosse , mas ela fez. "Ela é a Filha do Rei, a princesa.” Beatrice agarrou Kit, tentando silenciá-la , mas já era tarde demais. Ele soltou Bette e investiu contra mim, apertando meu braço com tanta força que doía . Em seguida, ele apontou a arma , logo abaixo das minhas costelas . A sensação do fim, o cano da arma pressionando em minha pele , foi o suficiente para roubar o fôlego do meu corpo. "Há alguém mais do Palácio ", ele gritou para os outros. Beatrice deu um passo adiante , para a luz fraca. "Você cometeu um erro ", disse ela . " Ela está tentando trazer as meninas para a segurança. Para Califia . Ela está trabalhando com Moss " .

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


" Moss está morto", disse o homem. "Todo mundo na Trilha sabe quem é a princesa Genevieve . Ela será punida , mesmo que seu pai não. " "Eu estava trabalhando com os rebeldes ", eu disse lentamente , tentando manter minha voz calma . "Eu estou do seu lado . " O homem puxou meu braço , me puxando em direção à saída para trás . Algumas das meninas estavam chorando , o seu baixo , abafado soluços ouvido no escuro. "Eu sei os códigos ", disse eu , pensando que pode significar algo para ele. Mas ele manteve a arma apontada para meu estômago. " Você tem que ouvi-la ", disse Clara , correndo em nossa direção. "Ela nunca ficou do lado de seu pai. " Eu balancei minha cabeça, esperando que ela não dissesse mais nada. Era possível que ele soubesse quem era ela . Se alguém disse seu nome ou mencionou que ela era minha prima, ele poderia levá-la também. Ele me puxou para a porta. Eu não resisti , ao invés mantive minha respiração estável , pensando na faca no meu cinto. Eu não sabia se eu poderia fisicamente traze-la , mas meu olhar voltava para a arma, o fim de tudo ainda voltado para a direita acima da minha cintura. Ele segurou meu braço , começando para trás. Quando chegou a porta , virouse por um breve momento para abri-la , olhando para baixo para procurar a alça. Enfiei minha mão na cintura , passando os dedos apertados ao redor da coronha da faca, puxando-a de sua bainha. Ele abriu a porta, me levando através dela. Quando entrei no estacionamento , eu mantive a lâmina na minha frente . Ele entrou pela porta e eu me virei rapidamente , pousando -a em seu bíceps direito . Ele amaldiçoou e lançou a arma. Chutei difícil , derrapando sobre o pavimento . Eu dei um passo para longe dele, tentando aumentar o espaço entre nós, quando Clara saiu pela porta. Eu ouvi o tilintar sinos, o lamento alto das dobradiças , e então ela o golpeou na parte de trás da cabeça. Não foi até que ele estava no chão , se contorcendo de dor, que eu vi uma das garrafas de água de vidro em sua mão. Ele não se levantou . Seus olhos estavam bem fechados , os joelhos dobrados contra o peito dele . Ele estendeu a mão para trás de sua cabeça, onde um corte tinha aberto , o sangue molhado em seu cabelo. Clara tomou a corda de plástico em seu cinto e a enrolou em seus pulsos. Mesmo quando ele estava no chão , com as mãos amarradas , eu não conseguia recuperar o fôlego. Eu vi a arma novamente, o barril apontou para o meu estômago. Foi o suficiente para me proteger, mas eu sentia

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


que agora havia essa outra parte de mim, uma pessoa que eu imaginava tão vividamente quanto qualquer outra coisa. Não era mais do que um minuto antes do resto das meninas estarem fora . À medida que o homem perdia a consciência elas o olharam, estudando-o . " Ele estava indo para matá-la ", disse Helene . Ela tentou secar seu rosto , mas seus olhos continuavam enchendo. "Eu só estava tentando ajudar", disse Bette . "Eu estava tentando conseguir alguém para nos ajudar . " O rosto de Clara era desconhecido para mim. Suas bochechas estavam vermelhas , sua mão apertando para baixo no braço de Bette . Ela falou com os dentes cerrados . " O que você acha que estamos fazendo? Estamos ajudando você . " Bette tentou afastar, mas Clara manteve ali . "Se ele ouviu, muitas outras pessoas fizeram ? " Olhei para o homem , com o rosto cobertos de sujeira . Temos que sair hoje à noite . É possível que mais rebeldes já estivesse a caminho . Se os soldados ouviram a mensagem, eles nos seguiriam aqui. Mesmo que fossemos para o norte, longe deste acampamento , eles poderiam aproximar de onde estávamos. Se eles pensaram que nós vamos para Califia , eles podem criar postos de controle para o oeste das montanhas, bloqueando o caminho. Precisávamos em algum lugar que poderíamos nos esconder . Eu corri em direção à estrada, onde a motocicleta ainda estava. O som tranquilo de meus pés contra o pavimento me acalmou . Era bom me mover novamente, o ar da noite enchendo meu peito. " Eve? " Clara chamou, me observando. "O que você está fazendo?" Quando cheguei à moto, eu me ajoelhei ao lado do pneu tocando o pequeno bico em sua lateral. Quinn disse-me o truque em Califia , quando tinha falado sobre os jipes do governo. Foi mais fácil do que cortar através da borracha de espessura. Torci a válvula aberta , ouvindo o silvo satisfatório do ar , uma vez que correu para fora . " Vamos embalar tudo , "Eu disse , me voltando para assistir as suas silhuetas , congeladas contra o céu estrelado. “Vamos deixar o motel hoje à noite . "

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


VINTE E UM " É tão perto , " Sarah chamou por nós no topo da colina . "Eu posso ver a água . " Olhei para as árvores , para ter certeza que eu tinha nos dirigido para o local certo. Era como eu me lembrava dele, mas parecia solitário de alguma forma , o lago desconhecido com a ausência de Caleb e Arden. As meninas começaram a correr quando a água se espalhou para fora diante delas, o céu mostrando rosa e laranja contra a sua superfície vítrea . Bette ajudou Helene a descer a encosta rochosa, segurando o trenó na parte de trás com cuidado para não deixá-lo deslizar rápido demais. Eu a vi , grata que tínhamos feito isso. Nós tínhamos construído três incêndios no caminho norte - somente durante o dia , para ferver água e sofremos com lago no frio, com muito medo que a fumaça seria vista a partir da estrada . Quando nós acampados em Crowley Lake, um veículo tinha passado por cima nós. Vimo-lo parar na Ridgeline , os soldados saindo à medida que observava a calçada, estudando alguns minutos as pegadas fracas que tínhamos deixado na areia antes de passar por nós. Bette ajudou Helene , e elas foram em direção ao lago . Helene mancando , ainda incapaz de colocar o peso em sua perna ruim . Quando chegaram, as outras meninas já enxaguavam seus braços e pernas com a água limpa. Elas não tinham escondido o seu aborrecimento com Bette . Mesmo agora, uma semana e meia mais tarde , elas caminhavam metros à sua frente , às vezes ignorando-a quando ela falava para elas. Sarah se lavou rapidamente, tomando punhados de areia e esfregandoa contra seus braços, em seguida, enchendo suas garrafas com água fresca. "Eu não os vejo ", disse ela , observando as árvores atrás de mim. " Talvez eles não estejam aqui. " Algumas das meninas se viraram com a menção dos meninos . Elas saíram da água , enchendo o último de suas garrafas e colocando-as na terra . " Eu não vou lá em cima ", disse Bette , olhando para a escuridão entre árvores. " Eu não me importo de dormir na superfície . "

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


"Você está certa que é seguro? ", Disse Clara , enquanto caminhava ao meu lado . Ela deixou cair o pacote e esfregou o ponto sensível em seu ombro onde a alça cavava em sua pele. "Nós podemos ficar aqui? " "Eu não tenho certeza de nada ", eu disse , olhando para o caminho que levava até o banco de reservas . " Mas o lugar é escondido . Há água e muito para caçar. Podemos ser capazes de ir a cavalo pelo resto do caminho, levaria pelo menos uma semana a viagem para Califia ". O olhar de Clara caiu sobre Helene . Beatrice estava desembrulhando a perna, mudando a tala e toalhas que mantinha o osso no lugar. Nenhum de nós tinha dito isso em voz alta , mas seu ferimento havia diminuído consideravelmente o nosso ritmo . Embora todas nós revezamos puxando-a , algumas das meninas eram muito fracas , e que a maioria da tarefa caiu para Clara, Beatrize, e eu. Apesar de algumas pequenas refeições de coelho , estávamos perpetuamente famintas, era uma dor constante e maçante em meu estômago, minha energia estava baixo. Eu me preocupava que se não ficássemos aqui e conservássemos a força que tínhamos, nós estaríamos presos a caminho de Califia , em algum lugar, com menos recursos. Podíamos nem chegar lá. Bette pegou um punhado de areia úmida e esfregou a sujeira de suas mãos . Algumas das meninas entraram até os joelhos , mas não se afastaram da costa, mantendo seus olhos sobre a floresta , como se a espera dos meninos aparecerem. Estavam todas tão magras . Lena tinha uma queimadura horrível em seus ombros , a pele vermelha e alucinante. Helene e Beatrice ainda estavam em terra. Helene estremeceu quando Beatrice realizou as duas placas estreitas contra sua perna . Ela começou a enrolar a corda em torno dela , garantindo a tala no lugar. Eu andei em direção às meninas, tentando afastar as dúvidas que eu tinha sobre vir aqui. Eu tinha revisitado aqueles últimas horas no esconderijo subterrâneo tantas vezes, perguntando se era tola por estar de volta , sabendo que Leif tinha nos um traído e nos entregado para Fletcher. Enquanto meu pai estava olhando para mim , desde que ele tinha os meios para , havia sempre a chance de que alguém iria enviar o exército sobre onde eu estava . Daqui em diante todas as luzes na estrada, todos os sinais de fumaça ao longe, e todo estranho que encontrei era uma ameaça.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


" Lembre-se do que eu disse ," eu comecei , olhando para as meninas na beira do lago. "É só por alguns dias , para que possamos descansar. E Clara, Beatrice , e eu estamos com vocês, então tentem não se preocupar . " Sarah apertou o dedo em sua boca, mordendo a pele ao redor das unhas dela . " Você sabe que é mais fácil dizer. . . " Ela começou , sumindo . Seus olhos corriam em direção a sua mãe. " Pode ter havido alguma verdade nisso , " eu disse, sabendo o quão difícil era para ser processado. " Mas apenas um coisa sempre importou aos professores , que você ficou dentro dos muros da escola . E se você foi além deles, eles queriam ter certeza de que voltaria assim que você podia. Parte do que estava ensinando você a medo de tudo e de todos, especialmente os homens. Assim que comecei a perceber que todos os homens para além da parede não eram tão perigosos como eles disseram , o que mais você começa a questionar ? E se você não encontrar uma aliado em um- o que então? " Kit cravou os pés na areia , os enterrando lá. O resto das meninas ficaram em silêncio. Beatrice lançou um toalha seca sobre os ombros de Sarah , esfregando a água do lago a partir de suas costas. Sarah não encolheu como ela às vezes fazia . Ela não murmurou sobre o que ela poderia fazer por conta própria, como Beatrice não precisa ajudar ela . Por um momento, elas só ficaram juntos assim , os braços de Beatrice em seus ombros , em um quase abraço. Eu me virei , olhando a floresta , procurando o tronco queimado que torceu pelo lago , as suas raízes apontando para trás , em direção ao banco. Então eu fui em direção ao local onde as árvores encontravam a praia rochosa . Quando cheguei à borda da floresta Clara correu atrás de mim. "Eu vou com você ", disse ela , olhando para as sombras. Eu puxei minha camisa em torno de mim . O ar estava mais frio sob os galhos de árvores enormes . " Você pode ficar , realmente. Mantenha as meninas na beira da água até que eu volte . " Eu pisei em torno das raízes emaranhadas, indo mais fundo na floresta, indo a árvore queimada em frente. Longe à minha direita estava um dos tocos os meninos colocavam alimentos quando cozidos . Eles o haviam limpado mas tinha uma nova mancha do suco da baga de um lado. Sementes minúsculas ainda estavam presas à borda da madeira.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Alguém tinha estado aqui há mais de uma semana antes. Quando cheguei à encosta Inclinei-me , tentando encontrar a ranhura da porta escondida . Lá dentro estava estranhamente quieto. Virei para o primeiro quarto , iluminado por um pequeno buraco no teto. Eu não podia lembrar quem era - Arão ou Kevin . Não havia roupas espalhadas no chão , nem tigelas vazias empilhadas num canto. Nenhuma das antigas bolas de futebol deflacionados que eles chutavam ao redor, ou o amassado wrappers que sobraram de um ataque ao armazém . O colchão foi descoberto . As duas cadeiras de plástico no canto , alegou a partir de um gramado da frente , tinha apenas um único cobertor sobre eles. Voltei pelo corredor, olhando para a próxima alcova. Ela estava vazio. À exceção de um prato mofado no chão , não havia sinais dos meninos . Olhei em frente, onde o corredor aberto até a grande , sala circular que tínhamos comido as refeições. A canoa tinha sido abandonada . Talvez eles tivessem lutado no cerco , viajando com os rebeldes para libertar os campos de trabalho. Talvez eles estavam com medo por alguém ou alguma coisa , o campo descoberto semanas antes . Eu puxei minha faca , desejando então ter trazido a arma do rebelde. Eu continuei pelo corredor escuro, passado mais quartos vazios , correndo a mão ao longo da parede para me orientar. Quando cheguei à caverna principal era como tinha sido meses antes , a fogueira no centro, o cinzas frias . Havia algumas latas vazias espalhadas pelo chão. Corri o meu dedo dentro de uma delas e apertei-a contra a minha língua . Ela ainda estava molhada com suco de pera. Olhei para o corredor em frente a mim, as paredes de barro acesas em alguns lugares por buracos no teto . Uma figura passou, pulando de uma sala para outra . Seu rosto estava protegido por um cobertor esfarrapado, as extremidades que cobrem os ombros . Mudei-me rapidamente, pressionando contra a parede. Um suor frio cobriu minha pele. Eu tentei acalmar a minha respiração , ouvindo os passos da pessoa, quando ela correu para o quarto. Eu segurei a faca e comecei a entrar no túnel , sentindo cada etapa como eu fui mais para dentro do corredor escuro. Era possível que a canoa tinha sido descoberta , que as tropas a tinham varrido em algum momento, ou o rebeldes do norte tinha usado em seu caminho para a cidade . Qualquer um poderia estar aqui agora , furtando os suprimentos que foram deixados .

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Uma sombra pairava na porta. Ele era um pouco mais alto do que eu, sua silhueta avançando para o corredor. Assim que eu olhei para ele , ele virou-se dentro do quarto. Avancei sobre ele quando ele se abaixou para trás . Minha mão lhe agarrou o braço , a faca a poucos centímetros do seu pescoço. Lentamente , o quarto entrou em foco , a luz do sol descendo do teto em um feixe fino . vi o rosto que eu já tinha visto todos os dias por 12 anos, todas as manhãs e à noite na Escola , com o cabelo encaracolado em volta por um xale. Pip estava assustadoramente magra, sua clavícula pressionando contra a pele fina em seu pescoço. Olhei para baixo , percebendo a barriga de grávida , que se projetava sobre a parte superior de suas calças rasgadas, parecia estranho , como se não pudesse pertencer a alguém tão pequeno e frágil. " Eve, não ", disse uma voz familiar atrás dela. "Por favor . " Ruby estava parado na esquina com Benny e Silas , que pairava sobre elas , seus braços em volta de seus ombros. Todos olharam para mim, os olhos com medo , Pip pisando na frente para me bloquear da vista. Abaixei a arma , me vendo através de seus olhos . Minha garganta bem fechada , de repente envergonhada por me tornar o tipo de pessoa que segura uma faca para a garganta de outra . " Somos nós ", disse Benny, sua pequena voz enchendo a sala . "É só a gente. "

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


VINTE E DOIS Eu rolei o radio entre meus dedos mudando de estação para estação como Moss tinha marcado a lápis. O ar cheio com um baixa estática. Ruby e eu inclinadas, à espera de ouvir alguma coisa , qualquer coisa, mas o minutos se passaram sem nenhuma palavra . " Não são muitos rebeldes que estão enviando mensagens agora," eu disse, finalmente desligando o rádio. Kevin e Aaron teriam enviado as palavras se os meninos estivessem em seu caminho de volta ", disse Ruby. Eu guardei o rádio na mochila , tirando a bateria e aninhando no meu bolso interior. Olhei para a sala estreita. "Não há o suficiente para quatro meses", eu disse, passando a mão sobre a linha de latas, seus rótulos muito longe. Logo abaixo estavam frascos de frutos e castanhas secas, javali e sal, e água fervida do lago. Caixas foram empilhadas em um canto da sala, o resultado de uma recente incursão ao armazém . " Os meninos disseram que poderiam durar até seis. " Ruby disse puxando alguns frascos de água para baixo. " Mas nós estivemos adicionando a ele . Encontramos rosa mosqueta , frutas silvestres , uvas, há peixes em águas rasas e tentamos trazê-los com a rede, mas não pudemos ir tão longe sem ser capaz de nadar. " Ela sentou-se ao lado de Pip que estava tranquila . "Isso é inteligente", eu disse. "É impossível saber se eles sobreviveram ao cerco ou não. No momento em que vocês ficarem sem abastecimento, pode ser tarde demais para recolhê-los. "Meus olhos caíram por um momento em Pip e Ruby. Elas estavam mais longe do que eu, por pelo menos dois meses , talvez mais . Do outro lado da sala , as meninas sentaram-se em frente ao fogo , mais confortável agora que elas tinham visto e Silas e Benny . Helene , que parecia a menos afetada pela presença deles , explicou a tala para Silas , tirando para que ele pudesse ver a perna abaixo . Beatrice estava colocando fora a sopa de cenoura para os recipientes de plástico que os meninos tinham uma vez utilizado como copos . " Eve voltou ", disse Benny , escrevendo no chão de lama com um galho, mostrando a Bette e Sarah as palavras enquanto falava com elas. Eu deveria ter ficado ali-

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


viada - que Leif não estava aqui , que os meus amigos estavam vivos e em segurança. Mas meu olhar voltava para Pip. Ela se sentou com as costas contra a parede, agitando a colher ao redor , com os olhos fixos na superfície fumegante da sopa. Ambos estavam com mais de cinco meses de gravidez, mas as tinham afetado de forma tão diferente . Rubi estava mais saudável , com o rosto preenchido , as bochechas rosa. Sempre que ela não estava falando , uma mão encontrava o caminho para seu estômago , seu descanso de palma no ponto sensível abaixo de seu umbigo. Pip parecia que ela estava lutando contra a doença , a cor desapareceu de seu rosto. Seus olhos eram de aro vermelho e triste, e passadas horas desde que eu as descobri, ela disse apenas algumas palavras a mim, cada uma cortada e estranha. " E Arden nunca engravidou -você está certa ", eu perguntei , mantendo minha voz baixa para evitar ser ouvido. Rubi assentiu. "Eu estou certa . Isso é parte da razão pela qual deixou o composto quando nós fizemos. " "Quando você saiu , então? Como Arden chegou aqui? " Ela olhou para os lados, e por um momento Pip encontrou seu olhar , fazendo alguma expressão que eu não reconheci . Os olhos de Pip estavam desfocados , como se ela estivesse em algum outro lugar e tempo. " Cerca de um mês atrás agora ", disse Ruby. " Nós tínhamos estado no quarto ao lado dela durante semanas e ela não tinha dito nada . e em seguida, uma noite em que ela estava lá. Todo mundo estava dormindo. Ela abriu a mão e lá estava a chave. Ela disse que você deu a ela , e nós tivemos apenas esta única chance de sair. " Ela fez amizade com um dos guardas . Miriam , eu acho que era o se nome . Arden às vezes a ajudou com tarefas de varrer ao redor do edifício , esse tipo de coisa . Ela pensou que faria ver que ela tinha mudado, que ela não era uma ameaça. Se ela fosse útil para o composto, ela pensou que eles não iriam leva-la de trem para o exército, havia rumores sobre isso , o que aconteceria se ela não podia engravidar. Saímos naquela noite com ela, ela tinha roubado um código de segurança de Miriam . E ela nos nadou até o outro lado do lago , uma de cada vez . Fomos ao sul da canoa , por isso viemos aqui para o abastecimento. Isso é quando ouvimos pela primeira vez sobre o cerco. Dentro de uma semana os meninos partiram. Eles foram para liberar o primeiro trabalho no acampamento com um grupo para o norte . Arden foi com eles . "

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Pip não levantou os olhos do chão. Ela trabalhou na lama com a unha , arrancando um raso buraco. "Estamos cuidando de Benny e Silas ", disse ela . Os olhos de rubi estavam vidrados na luz do fogo . " Arden nos havia dito que estava na Cidade ", ela disse . "Eu pensei que nunca iria vê-la novamente . " Ela apertou os lábios , esboçando um sorriso apertado. Eu não a tinha visto chorar na Escola. Ela tinha sempre confortado Pip e eu, era sempre a racional que conseguia ver todos os lados de cada situação, cuja presença faz automaticamente você diminuir a sua voz , falar mais devagar, não ser tão irritada ou triste. A mão de Ruby esfregou a frente de seu estômago quando ela respirou fundo , para espantar as lágrimas . "Eu estou contente que nós estarmos aqui ", eu disse . "Eu pensei a mesma coisa , às vezes. " Inclinei-me , a ponto de abraçá-la, mas algo em seu rosto me fez parar. Ela olhou por cima do ombro , com uma expressão estranha e fria. Pip notou a hesitação de Ruby. " Eu nunca entendi . . . por Arden ", ela perguntou , cada palavra falada de modo cuidado, como se estivesse esperando por dias, semanas , talvez, para dizer -lhes para mim. " Você a odiava a escola . E então ela vem a nós , dizendo que você deu a ela esta chave. Ela nos contou como você e ela estavam juntas no selvagem. Ela disse que você a salvou. " Pip bateu em sua bochecha , pegando uma lágrima antes de cair . "Eu simplesmente não entendo por que você trouxe ela e não nós.” "Eu não", eu disse. Peguei as mãos de Pip mas ela deslizou para fora das minhas. "Eu não a trouxe, Encontrei-a depois que eu saí , ela era a pessoa que me contou sobre o edifício. Eu fui forçada a deixa-las.” " Quem? " A voz de Pip vacilou. " Quem te obrigou ? " "Mestre Florença, " eu disse. "Eu podia sair só se fosse sozinha . " "Então você não deveria ter nos deixado. " Ela levantou a voz quando ela disse isso. Rubi colocou a mão na sua, tentando acalmá-la , mas Pip continuou . " Você sabe que eu esperei por você ? Sentei-me na sala durante todo o dia , e eu discuti com a diretora que eu não poderia ir para a graduação, que algo horrível aconteceu com você. Eu não pode-

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


ria imaginar que você realmente abandonaria a escola sem mim. O quão estúpido foi isso? O quão estúpido era eu , pensando que eu estaria indo para a cidade ? Imaginando o meu apartamento , o escritório de arquitetura que eu ia trabalhar, imaginando que estaríamos juntas . " Ela se inclinou , as bochechas coradas. Ela estava falando em voz alta, as garotas se viraram, olhando para nós . "Eu estava olhando para o lago enquanto eu caminhava sobre a ponte . Mantive meus olhos na água porque eu estava tão aterrorizada que você se afogou. E todo o tempo você sabia. Você ouviu-me dizer sobre a minha vida na cidade, e você sabia . " Minha garganta estava fechada . Eu pressionei meus dedos aos meus olhos, tentando conter as lágrimas , mas meu rosto estava vermelho , toda a sala se aproximando de mim. " Eu cometi um erro ", disse eu , forçando cada palavra. "É realmente um grande , erro irreversível. E eu ainda carrego isso. Mas eu não sabia até aquela noite. Eu tinha apenas alguns minutos para a fazer o que eu ia fazer . Eu não estava planejando isso. É claro que eu teria falado se soubesse . " Pip lançou uma respiração profunda. O ar parecia mais pesado, os centímetros entre nós segurando tudo não dito . "Agora você é a princesa . " Pip soltou uma risada estranha . "Depois de todo esse tempo, você estava vivendo no Palácio. " Rubi segurou sua mão para baixo em Pip e sussurrou algo para ela , as palavras tão baixas que eu não poderia ouvi-las. " Por que você acha que estou aqui? ", Perguntei. "Eu escapei da Cidade. Se for pega eu vou ser morta. Eu poderia ter vivido no Palácio , mas não tinha como eu esquecer tudo o que aconteceu antes. " Atrás de nós, Clara e Beatriz se levantaram, recolhendo algumas das bacias espalhadas pelo chão . " Vamos todos para seus quartos para podermos descansar um pouco " , disse Clara. Ela ajudou Helene , envolvendo seu braço em torno de seu lado. Lentamente, as meninas se foram para os túneis circundantes, seus olhos persistentes em nós. "Por que você as trouxe aqui ", perguntou Ruby. " Qual é o ponto disso?” Eu tentei acalmar minha respiração . " Nós estamos indo para Califia . Arden deve ter lhe dito sobre o acordo sobre a ponte ".

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


" Campo das mulheres . " Ruby assentiu. Quando o fogo diminuiu seus enegrecido final, a sala fico mais fria. " Ela disse que você tinha que sair de lá , que não era seguro. " "É o lugar mais seguro que temos , talvez o único lugar ", eu disse . "Especialmente para as meninas. Algumas das mulheres são médicas . Há parteiras para ajudar com a chegada. Posso conseguir hospedagem para todos nós. " Pip me estudou . "Quando você está indo? " Essa palavra , você... Me deixou em silêncio por um momento. " Vamos sair daqui a uma semana , talvez menos. Estamos esperando que os meninos nos emprestem alguns dos cavalos. A viagem pode ser inferior a quatro dias, se nós formos montadas . Eu quero que vocês viessem " . Rubi se levantou, puxando o xale ao redor dela. "Isso é muito tempo para estar viajando . " " Nós podemos ser capazes de fazê-lo mais rápido", eu disse. "O importante é que nós vamos o mais rápido possível . As tropas estão olhando para nós, e este era suposto ser apenas uma parada ao longo do caminho " . " Benny e Silas ", disse Pip. "Nós não podemos deixá-los. " "Nós não. " Peguei sua mão, instintivamente , mas ela ficou tensa com o meu toque . Deixei-a lá por um momento antes de me afastar . " Nós vamos ter que trazê-los se insistem em ficar com a gente. Eles ainda são jovens - eles não são uma ameaça. " Mas Pip continuou balançando a cabeça. Ela se levantou , limpando a sujeira fora de suas calças . "Eu não posso ", disse ela , com a voz baixa. " Eu não vou. Estamos seguras aqui . Tudo estava bem antes de você chegar . " Ela se virou , puxando a camisa em torno dela, e começou a descer em um dos túneis. Eu estava de pé, me sentindo como se ela tivesse acabado de me dar um tapa . "Eu suponho que você está hospedada, também? " Eu perguntei a Ruby, tentando manter minha voz mesma . Ela me viu chorar tantas vezes na escola , tinha me mantido como nós falamos sobre a praga , a forma como a minha mãe tinha olhado antes de morrer. Não teria sido novidade para nenhuma de nós, e ainda assim aqui , depois de tantos meses de intervalo , ela se sentia como uma estranha. Mesmo

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


rosto, as bochechas cheias e amplas, os mesmos olhos , era algo que eu precisava reaprender . "Eu não posso deixá-la. " Ruby empurrou o cabelo preto grosso longe de seu rosto . "Nós podemos ficar aqui. Temos vindo a gerir por conta própria. " Ela apertou os lábios , como se não houvesse mais nada a dizer . Ela passou por mim , seguindo atrás de Pip. "Sinto muito ", eu disse . "Eu sei que não importa agora. Mas eu mudaria um monte de coisas, se eu pudesse. " Ruby não olhou para trás. Ela pegou o braço de Pip , puxando-a perto de seu lado. Eu estava sozinha no quarto , ouvindo as meninas que sussurram , então o chapinhar fraco da água quando Beatrice caminhou com os baldes para fora , Silas e Benny atrás dela . Eu virei as costas e segui para o quarto que compartilhávamos .

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


VINTE E TRÊS Nas primeiras horas da manhã a praia estava tranquila. Clara começou a lavagem, mergulhando as roupas na água fria. Ela parecia tão natural fazendo, esfregando o tecido em conjunto , soltando a sujeira, eu mal a reconheci como a menina que eu tinha conhecido no Palácio da Cidade tantos meses antes. Ela estendeu as roupas sobre as rochas para secar, adicionando o resto . Camisas e calças, blusas e meias, todos elas colocadas lá, sombras coloridas na praia. Quando Sarah e eu começamos a descer a ladeira de areia carregando potes de água do lago, notei Helene ela se sentou de lado , seu mau pé descansando nas águas rasas . O inchaço tinha ido embora, mas era evidente agora que o osso não tinha cicatrizado bem. Seu tornozelo estava voltado para fora em um ângulo estranho . Ela estendeu a mão para ele, pressionando os dedos contra o ponto sensível onde tinha quebrado. " Melhor não ", eu disse , colocando as panelas no chão. Inclineime para examinar o osso. A pele era de um azul esverdeado - os restos de contusões. "Parece horrível ", disse ela . "Na noite passada eu acordei porque estava latejando . Ele sempre vai ser assim, não é? Eu nunca vou ser capaz de andar sobre ele novamente. " Ela procurou meu rosto, procurando alguma resposta. " Nós vamos conseguir melhor ajuda quando chegarmos a Califia . Há uma mulher lá que estudou medicina. Eu não sei o suficiente para dizer-lhe , "eu disse, ajeitando suas tranças . Mas ao que parece, mais do que uma semana depois, que o osso tinha colado errado. Poderia ser quebrado novamente , mas eu não podia imagina-la sofrendo com a dor mais uma vez. Peguei as duas placas e configurei-as para baixo em ambos os lados de sua canela , ajudando-a amarrar a tala de volta no lugar . Sarah baixou os potes na beira do lago. " Isso é o que Beatrice continua dizendo , mas quanto tempo temos que ficar aqui antes que possamos sair? " Ela apontou para a água . " Se nós vamos estar aqui muito mais tempo , você tem que , pelo menos, nos ensinar a nadar. Como é que

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


vamos ajudar pegando peixes se eu não posso mesmo ir passando de joelhos? " "Este é um bom lugar para descansar ", disse eu . "Temos material aqui, e nós não precisamos de um vigia à noite. Devemos ficar um ou dois dias mais.” Eu olhava para um ponto em frente ao lago , apenas mal capaz de ver Ruby e Pip atrás das árvores. Elas saiam todas as manhãs, reunindo bagas e uvas selvagens . Eu sabia que não iria permanecer bastante tempo aqui. Três dias ou trinta anos, quando eu saísse eu as estaria deixando novamente . Eu puxei minha camisa para baixo, sobre a largura da minha barriga, certificando-me de que estava coberta. Todos os dias o meu corpo estava diferente. Eu troquei meus jeans gastos por calças mais largas , ajustando o cinto. Meus seios estavam inchados e doloridos , meu rosto mais cheio, e eu podia sentir meu estômago se expandindo para fora , crescendo mais difícil de esconder . Eu não queria dizer as meninas. Eu imaginava como iria alterar a sua percepção de mim, que eu pareceria mais fraca, mais vulnerável se soubessem. Quando estávamos de volta na estrada , dividindo nossas fontes magras , eu não queria que elas se preocupassem que não era suficiente. Beatriz e Clara já tinham insistido em partilhar suas pequenas porções , tentando manter a minha energia no caminho para o banco de reservas . Em seguida, houve Caleb. Fazia muito tempo desde que eu tinha falado seu nome em voz alta. Como eu poderia explicar o que aconteceu entre nós? Como poderia entender as meninas que eu não só passei um tempo com ele, mas que eu o amava? Eu não era assim como as mulheres que os professores sempre tinham falado , arruinada, em certa forma , pelo amor? Foi como se uma parede invisível tinha sido erguida , me separando de todos os outros. Agora que Caleb estava morto, o que eu deveria fazer com o amor que eu ainda sentia? Onde tudo deveria ir? Pip e Ruby foram chegando mais perto , tecendo através das árvores. Eu podia sentir Clara observá-las, esperando para ver se elas se voltavam para nós, para a praia. Eles decidiram comer separadamente, tendo a sua refeições para seu quarto pelos últimos dois dias . Elas passavam a tarde com Benny e Silas , as manhãs na limpeza da floresta pelo lago , voltando com a descoberta , um copo de plástico ocasional, garfo dobrado, ou lata sem rótulo . Eu não tinha tentado falar com elas desde a primeira noite. Um silêncio se instalou entre nós. Eu pensava as palavras para dizer , formando cuidadosamente outro pedido de desculpas , então nós passamos no corredor. Pip dificilmente olhou para cima , mal

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


me reconhecendo , e eu me lembrando de mais uma vez que nada do que eu disse nunca poderia ser o suficiente. Pip tinha um saco na mão. Ela deu um passo além das árvores , Ruby seguindo atrás. Eu olhei como Sarah encheu um pote próximo . "Eu só quero estar lá já ", disse ela . "Eu sinto que este tempo todo eu só estava esperando . Você e Beatrice continuar a falar sobre todas essas coisas que vamos ter em Califia , mas só lembra a todos de que não temos agora. " "Nós vamos sair logo ," eu prometi , mergulhando meu pote na água. Meu olhar voltou para Ruby e Pip. Pip olhou para cima, e por um momento seu rosto mudou , com os olhos conhecendo os meus, seus lábios torcendo por um lado em um quase sorrir. Ela veio em nossa direção, segurando meu olhar pela primeira vez desde que tínhamos chegado. "Nós descobrimos algumas casca de salgueiro preto ", disse ela. Ela puxou flocos marrons do saco, em seguida, olhou de mim para Helene . "Eu ouvi que sua perna estava doendo na noite passada. Este poderia ajudar. " Sarah pegou a panela de água , as sobrancelhas levantadas, como se não tivesse certeza de que era Pip quem estava falando. Ela ignorou a maioria das meninas desde a nossa luta. "Você cozinha-lo ", perguntou Sarah . Rubi apontou para a panela de água . " Você pode fervê-lo e em seguida, beber o chá. Pip viu em um livro que encontrou no banco sobre os remédios naturais. casca preta de salgueiro ajuda com a dor.” Ruby ofereceu a Helene. "Por que vocês duas não vem comigo. Nós podemos fazer isso agora, então você vai tem bastante por esta noite. Nós podemos até mesmo fazer algum para sua viagem. " Ela pegou um dos vasos de Sarah , e começaram a andar pela praia. Rubi olhou para trás acenando para mim antes de sair. Pip se estabeleceu na praia. Ela cravou os pés na areia, os dedos dos pés apenas pastando na beira do lago. " Ela acha que eu deveria falar com você . " Ela olhava para frente , quando ela disse , olhando para o lago . Então, ela estava sentada aqui, porque Ruby disse para ela ? Agora que ela tinha feito isso , a contragosto , não podia sequer olhar para mim. Quanto tempo eu deveria esperar aqui neste lugar, implorando desculpas, esperando ela me perdoar? "E o que você acha? ", Perguntei.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Pip escovou alguns cachos emaranhados longe de seu rosto . À luz do dia eu pude ver que suas sardas se tinha desvanecido , os círculos cinza sob os olhos fazendo-a parecer perpetuamente cansada. "Eu acho que ela está certa ", disse ela . "Eu acho que ainda há coisas a dizer. " Cavei meus dedos na areia , satisfeita quando eu tinha um bom punhado - algo, qualquer coisa para segurar . "Eu mudaria tudo se eu pudesse", eu disse. "Você tem que saber isso.” "Eu sei . " Pip pegou um galho desgastado da costa, esfregando-o entre os dedos antes de finalmente voltar-se para mim. " Mas passei muito tempo pensando em você no edifício, me preocupando com onde você estava. Pensei que poderiam ter levado você a outro lugar. Mas quando te vi do outro lado do lago, vestida daquele jeito , era tão óbvio que você estava vivendo na cidade esse tempo todo. Eu odiei você por não estar lá comigo . E era tarde demais agora. Eu estava vivendo uma vida que eu não queria . Eu nunca escolhi. " Ela olhou para o seu estômago , a camiseta apertava ao redor de sua cintura. Então ela abaixou a cabeça, pressionando os dedos em seus olhos. " Não há escolhas. Eu não queria ser a filha do meu pai. Eu estava na cidade quando o cerco aconteceu - Vi meus amigos enforcados. Eu vi alguém que eu amava baleado e morto por soldados. Eu não quero nada disso . Estamos todos fazendo o melhor que podemos com o que nos foi dado ", disse eu , repetindo as palavras de Charles. O palácio, a suíte parecia longe agora , a memória de um tempo antes . " E talvez para algumas pessoas não é o suficiente. Talvez eu não fiz o suficiente. " " Alguém que você ama? ", Perguntou Pip. " É isso o que nos contou Arden. Caleb ? " " Ele foi morto ", eu disse . Eu não tinha certeza se eu deveria continuar, mas de alguma forma me senti mal que Clara e Beatrice sabiam algo e Pip não. Mesmo agora , mesmo depois de tanto tempo separadas. "Estou grávida . quase quatro meses . Eu não disse as outras meninas . " Pip me estudou . " Por que você faria isso? ", Ela perguntou . "Por que você quer isso? " "Não há nenhuma maneira de preveni-la dentro da Cidade ", eu disse . “E, com tudo o que os professores diziam , não havia nenhuma maneira de saber o que era verdade. Eu não sabia de todas as consequências , mas não posso lamentar o que nós fizemos. Eu o amava. "

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Pip balançou a cabeça. " Nós duas ", disse ela , com os olhos sobre mim . "Sinto como se tudo estivesse terminado , como uma parte de mim morreu. Lembra-se no ano passado, neste momento? Lembra-se de todas as coisas que nós falamos sobre? Eu ficava imaginando o apartamento que teria na cidade . Eu pensei que seria tão incrível viver além dos muros compostos " . " Temos tempo ainda . " Eu deixei a queda de areia por entre meus dedos , em seguida, peguei a mão dela na minha. Ela não se afastou. " Você tem que vir com a gente para Califia . Vai ser mais seguro para você lá, para nós duas . você poderia ficar lá por tempo indeterminado. " Ela já estava balançando a cabeça. " O que você vai fazer aqui, só com Ruby? Você não pode ficar aqui para sempre , eventualmente, os suprimentos vão acabar " . Pip apertou minha mão com força . "Eu simplesmente não posso ir agora ", disse ela . " Ele não me sinto bem . Eu sou apenas capaz de gerenciar aqui – eu não vou estar na estrada durante uma semana? " " Se pegarmos os cavalos isso só vai ser poucos dias. Você não teria que andar ", eu disse . Pip enfiou a mão por baixo da minha, descansando em seu estômago. "E se acontece alguma coisa no caminho para Califia ? Eu só prefiro ficar aqui . Eu não me importo o risco. É tarde demais para sair agora já faz quase seis meses . " Eu ouvi o som de deslocar rochas atrás de mim. Beatrice começou a descer a praia , abraçando um saco de roupas. Ela deixou-os cair no chão atrás de Clara e revirou calças para cima . Ela nos viu quando ela entrou , estudando cuidadosamente Pip , que ainda estava enxugando os olhos. " Quantos cavalos estão lá ? " Eu perguntei . " Talvez seis ou sete", disse Pip. "Eles tomaram pelo menos metade deles. Os outros que vieram através tinham suprimentos , também. Alguém havia roubado um dos Jipes do governo. " " Quatro dias :" Eu tentei de novo. "Isso é tudo . Você pode tentar? " "Eu não tenho a energia , eu não sei. " Seu queixo tremeu um pouco , do jeito que sempre fazia quando ela estava tentando não chorar. " Se você tiver que ir , eu vou entender . " Eu olhei para o lago sua superfície vítrea . Estaríamos mais seguros em Califia. As meninas poderiam começar a se estabelecerem permanentemente , fazer casas para si mesmas entre o resto dos fugitivos . Mas

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


como poderíamos deixar Ruby e Pip aqui? Por mais que eu não queria aceitá-la, eu sabia que era mais perigoso para ela viajar do que era para mim. Era provável que ela estava carregando mais de uma criança , como a maioria das meninas do composto . Desde que tinha chegado ela sempre parecia exausta, retirando-se para o seu quarto antes do jantar dormia por horas, às vezes, não acordava até depois que o sol tinha ido para baixo . "Eu não vou deixá-la de novo", eu disse . "Mas eu não posso ir, Eve ". "Eu sei que você não pode ir ", eu disse . "Então eu também não. " Eu passei meu braço em torno do seu ombro. Ela pressionou o rosto em meu pescoço, e em um instante voltamos para o silêncio confortável entre nós. Na Escola nós sempre fomos boas em compartilhar espaço com entendimento silencioso, sem dizer uma palavra. Foi um longo tempo antes da voz de Clara gritar da praia. "Estamos todos terminando ", disse ela , definindo a última das camisas para baixo sobre as rochas. Ela veio em nossa direção , sua expressão suavizando . Eu poderia dizer que ela ficou aliviada ao ver que estávamos nos falando. " Eu estava pensando em treinar as meninas , esta tarde, assumindo se cavalos estão prontos. " Ela olhou para Pip. " Eles devem estar ", disse ela . "Ruby alimenta-os todas as manhãs. Ela pode levá-la ao estábulo –é cerca de um quarto de milha a partir daqui " . " Bem, então", disse Clara, secando as mãos na frente de sua calça. " Uma vez que as meninas têm o básico podemos ir. Dá-me dois dias, com elas, talvez três , dependendo dos cavalos . " Clara tinha aprendido a andar nos estábulos da cidade , passando os primeiros anos de treinamento lá. Ela tinha tomado uma vez , e eu tinha aprendido o suficiente para persuadir o cavalo em torno do anel de terra gigante. "Eu vou ficar aqui ", eu expliquei , incapaz de olhar para ela quando eu disse isso. "Eu vou ficar com Ruby e Pip até que seja seguro o suficiente seguir para Califia ". "Só vocês três ", ela perguntou . "E as meninas? " " Você tem que ir sem mim. Você sabe como montar , e eu posso mostrar-lhe o caminho a tomar . poderia até ser mais seguro em Califia sem mim lá. Eles não sabem que estou relacionada com o meu pai. "

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Clara só ficou lá . Ela não desviou o olhar , como se estivesse esperando por mim para repensá-la , levá-la de volta antes de ter sido definido. "Eu vou assim que eu puder", arrisquei. Eu devia algo para Clara também, por deixar a Cidade comigo. De qualquer maneira, se eu ficasse ou fosse, eu estava traindo um dos meus amigos . "Eu simplesmente não posso deixá-las aqui . " "Certo, eu entendo ", disse Clara , mas ela olhou por mim , para onde a praia encontrou as árvores. "Eu vou ser capaz de seguir o resto do caminho . " Ela olhou para mim , o silêncio se estabeleceu entre nós. "Não vai ser por muito tempo ", eu disse , mas ela já estava afastando-se , caminhando rapidamente para cima da praia.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


VINTE E QUATRO BENNY e Silas bateram na água e mergulharam, movendo-se naturalmente como peixes. Os segundos passavam enquanto eu estava lá olhando para o lago, esperando eles ressurgirem . Quando finalmente apareceram, estavam a vários metros de onde tinham mergulhado, empurrando uns aos outros. "Como eles fazem isso? ", Perguntou Bette. Ela cuidadosamente tirou os sapatos, deixando seus pés afundarem na areia. "Eles simplesmente desapareceram. " Sarah entrou na água facilidade, não parando até que ela chegou aos seus joelhos. Ela se aventurou ainda mais, seus movimentos eram menos certos, com os olhos fixos na superfície ondulante. "Esta é a parte mais difícil", ela disse a Beatriz, que estava atrás de mim na praia com Clara ao lado dela. "Eu não posso ver meus pés, isto é onde eu começo a me perder " Suas vozes estavam em algum lugar fora de mim. Eu tinha prometido as meninas antes de saírem que as ensinaria a nadar. Eu ainda me lembrava de como Caleb tinha me ensinado, a primeira corrida na água, como eu fui abaixo, como ele me segurou , meus pés mal tocando o fundo de areia. Eu tinha lido que quando você perde alguém você deve voltar aos lugares onde fizeram coisas juntos para preencher o espaço que eles deixam e assim não se sentirem tão só. Em pé aqui no lago, meses depois que ele morreu, eu sabia que não funcionava. Fazendo essas coisas- as mesmas coisas que ele fez para mim me faz sentir mais a falta dele. Entrei na água, estranhamente confortado por estar fria. Meus pés picados por um momento, a sensação de acordar. Quando o resto das meninas começaram a vir, eu me virei , apontando para Pip e Ruby para se juntarem a nós. Sentaram-se num tronco de árvore, junto à costa, uma cesta entre elas, escolhendo os caules de frutos silvestres. "Diretora Burns não aprovaria, " Ruby disse , uma leve sugestão de um sorriso aparecendo em seu lábios . Ela penteou alguns fios de cabelo do rosto. " É muito perigoso para nadar. Você não ouviu falar de quem se afogou antes da praga? " Ela imitou voz grave de diretora Burns. Foi a coisa mais próxima de uma piada que eu ouvi há dias. Eu teria rido, mas Pip estava ao seu lado, seus passos vacilantes . Ela caminha-

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


va lentamente , o esgotamento tomando conta. Quando eu disse a Beatrice que ficaria aqui, ela não havia argumentado como eu tinha acreditado que ela faria. Ela pareceu concordar que Pip precisava descansar, que era melhor para ela estar aqui até dar à luz , algo que tínhamos que fazer juntas, da melhor maneira possível , com a pequena quantidade de informação que Beatrice tinha me dado. Com Califia ainda a cerca de 300 milhas ao largo , era possível ficarmos presas em algum lugar ao longo do caminho . Se ela queria ficar , quem era eu para forçá-la a ir? Quando cheguei a beira da água observei as meninas, elas estavam em seus calções e camisetas, algumas já tremendo de frio . "O primeiro passo é ir ", eu disse , me movendo , mais perto de Bette e Kit . " Assim.” Tapei meu nariz e deixei minhas pernas mergulharem abaixo da superfície, a pressão da água soando em meus ouvidos. Abri os olhos , observando as bolhas subirem à superfície quando eu exalava. Quando a respiração latejava em meus pulmões, meu coração nos meus ouvidos, eu finalmente vim à tona para respirar . Apenas Sarah tinha ido, seu cabelo molhado agarrado a suas bochechas. Bette estava assistindo Benny e Silas , que nadavam mais longe, flutuando sobre suas costas, suas barrigas elevando-se acima da superfície da água . " Não muito longe ", eu gritei , sinalizando para a árvore de vidoeiro que tinha caído no lago, o marcador que os meninos tinham usado uma vez para mantê-los perto da praia . Benny levantou a cabeça, como se ele me ouvisse, e depois desapareceu novamente, lançando de volta para debaixo da água. "Eu vou vê-los . Não se preocupe " , disse Beatrice , jogando três camisas rasgadas no raso, ela bateu o tecido contra as rochas para limpá-las enquanto mais algumas meninas iam para debaixo da água. Bette parou em seu pescoço, estremecendo quando ela lentamente deslizou para dentro do lago . Tirei a camisa molhada longe do meu corpo , mas ainda se agarrava a mim. Afundei até meu peito , deixando o lago me esconder. Olhei de novo para Benny e Silas , que estavam cuspindo bocados de água para o outro. Beatrice manteve os olhos sobre eles, como ela disse que faria, certificando-se que não iam longe demais. "Você está projetada para flutuar . Basta rodar em sua volta ", eu disse, me movendo para Sarah . Ela deitou para baixo e eu ajustei os ombros, juntando as pernas de modo que ela estava em um T perfeito "Agora encha os pulmões . mantenha seus braços para fora , e continue olhando para cima . " Tirei minha mão por baixo de suas costas e ela mergulhou um centímetro ou

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


menos, mas permaneceu sobre a superfície . Seu rosto abriu-se num sorriso. Clara tecia através das meninas, ajudando-as a flutuar. "Veja ", ela disse . "As pessoas se afogam quando entram em pânico . Apenas tente relaxar , você sempre pode flutuar. " Ela se mudou para Bette , apertando a mão em suas costas. Assisti, me perguntando quanto tempo levaria até que nos víssemos uns aos outros novamente , se ela voltaria, uma vez que ela estivesse em Califia . Ela passou os últimos dois dias aclimatando as meninas para os cavalos , ensinando-as a noções básicas de equitação . Nós usamos a corda que tínhamos para criar estribos improvisados , amarrando uma extremidade ao redor do cavalo e deixando a outra cair sobre suas costas , o laço grande o suficiente apenas para um pé passar. Todos os suprimentos tinham sido abalados , as mochilas embaladas e à espera da viagem. Por esta altura amanhã, Ruby , Pip , e eu estaremos sozinhas. Tentei não pensar nisso, me prendendo sobre o que estava certo na minha frente - a tarde , esta lição. Essa foi a única maneira que senti que podia administrar. " Como você faz isso? " Sarah se levantou, movendo seus braços para fora na frente dela. "Mostre-me como você estava nadando no túnel. " " Você tem que ir abaixo ", eu disse , olhando ao redor . A maioria das outras meninas ainda estavam na água , mal conseguindo se manter à tona . " Você vai ter que empurrar o fundo , movendo-se para fora e para frente, então você usa seus braços e pernas ao mesmo tempo , quase como um sapo. " Eu respirei fundo e deslizei para baixo. O mundo longe , as vozes das meninas misturadas em uma. Eu vi as pernas de Clara quando ela deu a volta com Kit, tentando ajudá-la a se manter à tona . A pele de Sarah mais branca abaixo da superfície. Ela cobriu o lago em suas mãos. Quando a gritaria começou , era difícil de reconhecer à primeira vista. Os gritos em pânico vieram de algum lugar além de mim. Quando eu quebrei na superfície , a voz de Beatrice encheu o ar , tirando toda respiração do meu corpo. " Deixem-me passar ", ela chamou , passando por algumas das meninas . Olhei para a beira da água para Benny e Silas . Eles não estavam onde eu tinha visto pela última vez, às vezes eles subiam em uma rocha de vários metros , mas eles não estavam lá . Levei algum tempo antes de notar eles, na margem oposta , agarrando-se aos restos da doca que-

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


brada. Eles olharam para mim, tão confusos quanto eu estava , mas perfeitamente seguros. Foi então que eu vi o que Beatrice tinha visto. Ela passou por algumas das meninas até que ela chegou a Pip , que estava submergindo na água . Ela tinha caído no raso , com os cabelos flutuando ao redor de sua cabeça. Seus olhos estavam sem foco. Beatrice se abaixou , colocando as mãos sob os braços de Pip , tentando puxá-la em direção à costa . Quando ela se virou , me chamando, eu observei que suas roupas estavam manchadas . Uma nuvem de sangue espalhando-se na água as cercando, colorindo tudo de vermelho. Nadei tão rápido quanto eu podia, não parando até que eu estava lá , descansando a mão de Pip em minha própria, a pele debaixo de suas unhas era um cinza fosco . "Vigiai", eu disse , apertando o sangue de volta para os dedos , como se assim pudesse reanima-la . "Você tem que ficar acordada. " Rubi correu para frente, agarrando-lhe o lado, tentando iça -lá. "O que há de errado? O que aconteceu? "Eu olhei para a água escura , incapaz de ver os nossos pés . Pip estava sangrando muito, o sangue estava em toda parte, correndo por suas pernas, nublando a água ao nosso redor. No momento em que chegamos com ela a praia, ela tinha perdido consciência , seu corpo pesado e mole. As meninas correram do lago, aconchegando-se em torno de nós , tão perto que eu podia ouvir cada uma de suas respirações sufocadas . " Leve-as para dentro, " eu gritei para Clara, quando algumas delas começaram a chorar. " Ela está morrendo ", perguntou Sarah . Clara a puxou para cima da costa , correndo o resto das meninas junto. Sua questão tornou-se a minha. Ajoelhei-me ao lado de Pip , pressionando os dedos contra seu rosto , sentindo a frieza da sua pele. Seu rosto não tinha cor. Seus braços estavam frisados com água cor-de-rosa pálido. O sangue continuou chegando, reunindo preto embaixo dela. Ele infiltrou-se na areia. Beatrice se inclinou, tentando fazer entrar respiração em seu corpo, alisei seu cabelo para trás . Eu continuei fazendo isso, tocando suavemente os cachos macios em torno de sua testa, como se aquele gesto simples poderia mantê-la viva .

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Na manhã seguinte eu peguei os seixos fora da sujeira , recolhendo-os metodicamente , cuidado para não perder nenhum . Depois que deixei cair o último na taça , me sentei ali, olhando para a terra recémrevolvida . As árvores movendo acima , mudando , cedendo ao vento. Eu encontrei-me fazendo listas de coisas para fazer e , em seguida, executá-las . Se eu limpasse o chão de todos os remanescentes do funeral? Será que a última flor das meninas tinha sido colocadas? Será que o túmulo estava escondido o suficiente para que ninguém notasse ? Estes pequenos detalhes eram as únicas coisas que me acalmavam. A sepultura tinha sido cavada uns três pés. Beatrice sabia a medição dos enterros que tinham que ser profundos para que ninguém pudesse perceber e perturbar os restos mortais. Nós escolhemos o vidoeiro branco na beira da floresta , enterrando -a ali , um pouco além das raízes , então eu sempre saberia o lugar. Eu tinha sido a única a preparar seu corpo , lavando a sujeira e sangue de sua pele, desembaraçando o cabelo dela. Eu a tinha envolvido em um dos cobertores da canoa , uma colcha cinza suave , o bordado rosa intacto . Rubi disse algo para honra-la. Tudo estava em silêncio. As horas se passavam por mim, o pequeno funeral, quieto. A morte dela. Eu não conseguia manter o ritmo. Peguei uma pétala de flor perdida no chão e a esmaguei entre meus dedos, satisfeita quando se separaram . Beatrice acreditava que ela tinha estado doente por algum tempo, que estava com hemorragia interna. O sangue tinha vindo rápido. Ela tinha afundado na areia , manchando a praia. Eu ainda podia vê-lo, embora Clara tinha tentado para lavá-lo. A mancha escura espalhada pela borda da água, as rochas um preto avermelhado. Eu me senti diferente do que eu tinha sentido Caleb morreu . A dor não rasgava por mim. Eu não chorei nem uma vez durante a cerimônia. Fiquei lá , ouvindo as palavras de rubi em algum lugar fora de mim , sentindo-me completamente removida, como se eu estivesse flutuando em algum lugar acima do grupo. Continuei investigando as coisas para trás, tanto quanto eu poderia. Fui para o dia que a visitara na Escola, querendo saber se teria feito diferença se ela tivesse escapado então. Quando foi que ela ficou tão doente? Como eu tinha perdido o que estava acontecendo? Ela queixou-se de cansaço e nada mais. Em algum lugar atrás de mim um galho estalou. Virei-me para ver Clara percorrendo as árvores. " Está na hora, Eve ", disse ela . "Os cavalos estão prontos . Se sairmos agora , poderíamos montar um acampamento antes que o sol se ponha. "

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


O chão na minha frente foi revistado , os seixos que ladeavam o túmulo agora coletados em uma pilha . Mudei um pouco a vegetação sobre o solo . Clara se abaixou para ajudar. Nós duas , estendemos as folhas e galhos secos , deslocando-os ao redor até que toda a terra estava coberta e fresca . Quando começamos a subir o morro , eu me virei para trás uma última vez , olhando para esse ponto abaixo da árvore de vidoeiro . Todos os sinais do funeral, e Pip ,tinham ido embora.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


VINTE E CINCO Levou três dias para chegarmos. Nós tínhamos decidido abordá-la a partir do norte , evitando a cidade, em caso de algum soldados estar de passagem. Quando estávamos a apenas um quarto de milha, Clara decolou em todo a estrada coberta de musgo , com a cabeça para baixo, as rédeas em suas mãos entrelaçadas . A égua manchada que ela tinha montado estava calma quando ela seguia em torno dos carros abandonados, as árvores caídas, e sacos de lixo deflacionados e quebrados no meio-fio . Ela estava se movendo tão rápido, quase a todo galope , com o cabelo queimado envolto pelo vento. " Ela vai fazer isso", Benny sussurrou atrás de mim. Ele manteve as mãos nos lados do cavalo para manter o equilíbrio. "Ela vai saltar. " Eu assisti a estrada à frente, onde o pavimento foi obscurecido por um amontoado de lixo mutilado - sacos plásticos derramando roupas , outros cheios de brinquedos usados ou papéis . Pranchas de madeira foram espalhadas do outro lado da estrada. Clara estava correndo em linha reta para ela, com os ombros para baixo, os olhos fixos à frente . O cavalo decolou , saltando a enorme pilha , seu revestimento refletindo a luz do meio-dia . Helene começou batendo palmas, e algumas das outras meninas se juntaram " Você viu isso? ", perguntou Benny . Ele continuou me empurrando na parte de trás , apontando para Clara, que já estava circulando de volta para nós . Ela parou na beira da estrada , onde Rubi estava de pé , e ajudou-a a voltar para o cavalo. Ela sorriu para mim quando ela jogou os pacotes sobre o cavalo. Eu sabia que ela estava tentando levantar o humor, para celebrar a nossa chegada às pequenas formas que ela podia. Os dias se passaram em silêncio. À noite, quando acampamos , a conversa sempre encontrava o seu caminho de volta para Pip. Benny e Silas pareciam aceitar sua morte, de uma forma que o resto de nós não podíamos. O irmão de Benny, Paul tinha sido morto em um barranco nas proximidades, dois anos antes, e pareceu- lhes uma parte inevitável da vida em estado selvagem. Mas as meninas queriam saber os detalhes de como Pip tinha morrido , quanto tempo ela tinha estado na construção da Escola , se ela estava doente ou se isso era algo que alguém po-

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


deria impedir . Eu ainda estava confusa sobre as respostas, e me senti estranha para falar sobre a morte dela em voz alta. Para discutir Pip , a amiga que eu tinha conhecido desde que eu tinha seis anos. Estranhava dizer quem ela era , o que ela fez , o que ela usou - tudo no passado. Clara gritou para as meninas quando ela começou à frente , parecendo satisfeita que elas estavam sorrindo agora. Ela levou-nos a maior parte do caminho. À medida que continuava a descer as estradas, quilômetros e quilômetros, era difícil fazer qualquer coisa exceto seguir atrás. Ouvi os maçantes sons hipnóticos dos cascos no pavimento. Pensei em Arden e no último dia que eu a vi , quando eu tinha dado a ela a chave. Era possível que ela tinha estado dentro da Cidade durante o cerco. Tentei empurrar para baixo a possibilidade, a sensação persistente de que ela também estava morta. Ela poderia ter sido um dos rebeldes que tinham sido encontrados e executados. Não havia nenhuma maneira para mim saber agora, com tão pouca palavra do Trail. Havia uma chance que eu nunca saberia. Três dias se passaram e nós não vimos quaisquer soldados ao longo do caminho. Gostaria de saber se a maioria das forças do rei estavam concentrados dentro da Cidade , agora, em torno de suas paredes , com menos apoio em estado selvagem. Quando estávamos na canoa , Ruby tinha mencionado os ataques . Os meninos tinham visitado os armazéns três vezes no mês anterior e nunca foram pegos. Quando eles voltavam, os quartos estavam igual como eles tinha deixado, as prateleiras quase nuas , o bloqueio ainda quebrado. Mas mesmo se a vigilância na natureza tinha diminuído, era apenas uma questão de tempo antes que as tropas fossem despachadas novamente. Quanto tempo eu poderia ficar em Califia? Tínhamos deixado o assentamento depois de descobrir que Maeve estava preparado para me usar como moeda de troca , uma maneira de negociar a independência de Califia se fosse descoberta pelo rei. Será que eu estaria segura lá? Quanto tempo seria antes de me mandarem de volta para a Cidade para ser executada ? Meu corpo mudou muito nos últimos dias. Eu podia sentir a ligeira diferença. Minha gravidez foi ficando mais difícil de esconder. Se os rumores eram verdadeiros - se o rei sempre tinha suspeitado que havia um assentamento além da ponte -eu teria apenas alguns meses antes de ele vim me encontrar e levar meu filho embora. "É sobre esta colina , " eu disse, incitando o cavalo pelas filas de carros abandonados . Eu conhecia essa estrada, já tinha vasculhado os veícu-

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


los uma vez à procura de qualquer roupa ou ferramentas utilizáveis. Uma vez, eu tinha encontrado dois sacos de arroz em um carro enferrujado. Erros Brown tinha cozinhado e servido. "Há apenas dois guardas que vigiam a borda norte do assentamento, e eu conheço os dois. " Quando nós chegamos ao topo da colina , eu vi a Isis lá na frente , empoleirada na plataforma elevada que tinham construído em uma das árvores. Seu cabelo estava preso em uma bandana. Eu acenei, olhando diretamente para ela , mas ela ainda não largou a arma. Em vez disso, ela baixou a escada de corda e desceu , segurando sua mão para nos parar. Ela estudou meu rosto, meu cabelo, o suéter esfarrapado que abraçava meu corpo. " Eve? O que você está fazendo aqui? ", Ela finalmente perguntou. "Eu estou trazendo alguns dos fugitivos das Escolas para ficar, elas querem terem o acesso permanente. " Isis esquadrinhou a multidão de nós, os cavalos alinhados, aguardando entrada. Ela inaugurou -nos para a direita, tendo Clara levando os cavalos para o caminho escondido para Sausalito. Ela levantou a mão quando percebeu Benny, pouco visível atrás de mim. "Quem são os dois meninos", ela perguntou , apontando para Silas, que andava com Beatrize. Seu cabelo era longo e emaranhado . Eu esperava secretamente que se movessem rápido o suficiente para que pudéssemos levá-los e discutir com as mães fundadores depois. "Eles não têm mais para onde ir ", eu disse . Sua mão repousava sobre o rifle ao seu lado, e ela sorriu , revelando a lacuna entre os dentes da frente . Eu tenho pensado naquela noite, na casa de Maeve quando discutiam o meu lugar em Califia . Ela foi uma das mulheres que acreditavam que eu tinha comprometido a segurança do estabelecimento. Ela argumentou tão ferozmente, nunca reconheceu suas dúvidas na minha presença , mantendo sempre o mesmo sorriso comigo enquanto sentávamos em sua mesa de cozinha . Ela estudou-os, tentando colocar suas idades. Eu não esperei para ela decidir. "Eu não vou deixá-los," eu disse , manobrando meu cavalo ao redor dela. Eu sinalizei para Beatriz seguir frente, atrás Clara baixando o caminho . "Eles não têm mais ninguém . Se você prefere atirar-me a me deixar entrar , que assim seja . " Ela olhou para mim quando nós passamos . Benny segurou meus lados, fechando os punhos apertados em volta do meu suéter. Isis não

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


levantou a arma. Em vez disso, apenas nos olhava, eu desci com cavalo para o lado da colina. Eu guiei -nos passando algumas das casas que estavam cobertas de musgo. A livraria onde eu costumava trabalhar estava escura, um lenço preto amarrado ao redor da maçaneta da frente, sinalizando que foi fechada. Nós passamos mais algumas casas, as fogueiras disfarçadas com redes de hera . O cavalo desceu a falésia irregular da borda, e eu lutava para manter o equilíbrio , apertando minhas pernas em seus lados . A baía era apenas visível além das árvores . A água estava calma , a última luz do dia refletiu sobre sua superfície . A visão familiar me confortou . Virei para a rua principal de Califia , a estrada abraçando a costa, vi Quinn no convés de seu barco. Ela pendurava camisetas para o lado , corrigindo com alguns pregos velhos . Seu cabelo preto encaracolado tinha crescido em suas costas, e ela parecia mais gorda , menos muscular, do que ela tinha estado antes. " Festa hoje à noite no Sappho ? " Eu gritei para ela , esperando que ela ouvisse o sorriso na minha voz. Fiz um gesto para a meninas atrás de mim, os seis cavalos continuam no caminho . Quinn olhou para cima, com a cabeça inclinada para um lado, sorrindo. Ela desceu a parte de trás do barco e apareceu no banco, seus passos rápidos quando ela veio em nossa direção. Eu desmontei , deixando me espremer por ela em um de seus ofegantes , que tudo consome, abraços. Seu cabelo tinha cheiro de água salgada, alguns cachos grossos fizeram cócegas no meu pescoço. Ela se afastou, seus olhos examinando as meninas atrás de mim. "Onde está Arden ", ela perguntou . " Nós pensamos que ela foi com você. " "Eu não a vejo há mais de três meses . " Eu abaixei minha voz enquanto falava. " Ela voltou no Trail. Ela foi para o cerco com alguns dos meninos da canoa " . As sobrancelhas de Quinn se juntou. "Ela não está aqui . " "E você não ouviu nada sobre ela? Nenhuma mensagem ? Eu pensei que ela ainda poderia estar dentro da cidade . " "Eu vou contar-lhe , mais tarde, o que está acontecendo na cidade ", ela sussurrou , olhando por cima do meu ombro para algumas das meninas mais jovens. " Nós ouvimos algumas coisas que nos preocupam . " Antes que eu pudesse dizer alguma coisa eu ouvi o estofamento macio de pés no chão, e lilás arredondado a canto , com o cabelo preso em

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


tranças. Ela estava segurando uma boneca pelo seu braço, suas características pintadas desgastadas. "Mãe, olha! ", ela gritou por cima do ombro . "Ela tem cavalos! " A égua andou para trás , mas eu peguei as rédeas , esperando até que ela se acalmou . As meninas já tinham desmontado atrás de mim , algumas engatando os cavalos às árvores , outras descarregando os sacos e dando aos animais o último dos alimentos e da água . Beatrice tinha Benny e Silas ao lado dela, uma mão descansando em cada um deles quando Maeve veio em nossa direção . " Você está de volta ", ela gritou . Não havia nenhum sentimento em sua voz - nenhuma surpresa , nenhum indício de raiva ou confusão. Ela agarrou a jaqueta jeans desgastada para seu corpo contra o vento que arrancou na baía. " E eu vejo que você não está sozinha. " Seus olhos pousaram sobre Benny e Silas . Todo o nervosismo que eu sentia em ver ela de novo se foi . Tanta coisa havia mudado nos passados meses . Nós duas éramos traidoras agora , de acordo com o meu pai. Ela abrigava fugitivos das Escolas. Podemos todos ser enforcados . Tentei me lembrar de que, como ela ficou olhando para os dois meninos . " Eles não têm outro lugar para ir ", eu disse . "Eu não vou deixá-los. " " Você sabe que nós temos regras. " " Para os homens , que nunca deveriam ter homens aqui ", eu insisti . "Eles têm apenas oito anos de idade. O que vai acontecer com eles na natureza? " Beatrice segurou mais apertado. "Eu posso ser responsável por eles. E quando eles tiverem mais idade , podemos revisitar a conversa. " "Eu não te conheço ", disse Maeve , examinando o rosto de Beatrice . " Por que isso significa alguma coisa para mim? " Atrás dela, algumas mulheres saíram de suas casas, algumas olhando através das janelas da frente de lojas abandonadas . " Você não deveria ter saído sem nos dizer ", Maeve continuou, agora dirigindo o comentário para mim. "Nós não estávamos certos em primeiro lugar se você tivesse sido tirada ou se você tivesse ido por conta própria. Alguns das mulheres ficaram preocupadas " . "Eu não estava em posição de dizer que eu estava indo embora, " eu disse.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Maeve estreitou os olhos , sentindo que havia mais com o comunicado. Seus olhos foram de Benny de volta para Silas , até que finalmente ela falou . "Eles podem ficar por agora , mas você é responsável por eles. " Então ela fez um gesto por cima do ombro , para o caminho que levou à sua casa. "Vamos preparar a casa ao lado da minha . Serei capaz de cuidar de você lá. " Cuidar de você . Eu quase ri com as palavras. Bette e Kit pegaram algumas das malas e começaram a caminhar , mas eu as mandei parar. "Nós vamos ficar com Quinn , por enquanto, até que possamos obter algo mais permanente. Obrigada, porém, por sua generosidade. " Eu sorri, um sorriso inabalável e voltei para o cais. Quinn me deu um olhar confuso. Ignorei-a , sabendo que eu teria que explicar mais tarde. Em vez disso, ajudei o resto das meninas em direção ao barco , certificando-me que elas amarraram seus cavalos longe o suficiente na floresta onde eles não pudessem ser visto a partir da praia . À medida que lotaram o restante dos suprimentos , notei Maeve caminhando até o meio da mata, aparecendo e desaparecendo além das árvores . De vez em quando ela se virava para trás me olhando.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


VINTE E SEIS QUINN tinha escolhido o maior barco na baía, uma coisa gigantesca agora verde com algas. Ela ainda possuía as posses dos últimos proprietários, estátuas em ouro de patos, um sofá de couro e uma pintura que parecia vagamente como uma que eu tinha visto no meu livro de arte, pintada por um homem chamado Rothko . Em dois dias a meninas tinham revolvido dentro seus poucos pertences que estavam espalhados por toda parte , encontrando o seu caminho para as bancadas pairavam sobre os topos das portas e enfiados debaixo das almofadas do sofá . Eu sabia que era o melhor para elas estar aqui. Tully, uma mulher mais velha que tinha praticado com um médico antes da praga, examinou o pé de Helene . Ela o redefiniu , acreditando que havia uma chance para ele se curar corretamente , mesmo agora. Silas e Benny tinham feito amizade com Lilás, embora Maeve a tinha advertido contra eles. Eles encaixaram facilmente , e apesar da regra, a maioria das mulheres tinham concordado que eram jovens o suficiente para ficar. Com Benny, Silas , e as meninas mais jovens dormindo no andar de cima, Quinn mudou-se facilmente ao redor do casco, arrancando algumas placas de um armário alto . Lá fora, a água ao longo das vigias agarravam-se ao vidro. " E aqui está você ", ela disse, colocando as placas na frente de nós. Ela apontou para a panela fumegante de abalone no meio da tabela , apenas visível à luz das velas . " Espero que não esteja doente dele ainda. " " Temos comido esquilo seco ", disse Clara com uma risada, referindo-se as carnes salgadas que tínhamos encontrado no banco . Em nossos dias na estrada eu determinei que era esquilo, mas parecia inútil falar disso agora. "Além disso, não há frutos do mar na cidade . Eu considero isso uma delicadeza. " Ela arrancou uma das conchas da panela e colocou em seu prato , Beatrice e Ruby seguiram sua liderança. Eu assisti Quinn enquanto ela se movia em torno da cozinha , tirando alguns garfos de prata e pratos extras do fogão oxidado , a conduta de cabo inútil gravado para o lado da mesma. " Eu tenho que pedir ", eu perguntei . "Tem sido dois dias, e você não disse uma palavra sobre essa mensagem. O que você sabe que nós não sabemos? "

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Quinn colocou os garfos em cima da mesa . Ela apoiou as mãos no encosto da cadeira , apertando-a de modo difícil, os nós dos dedos ficaram brancos . "Qual é o uso em compartilhá-lo agora? ", Disse. " O cerco terminou. Nós não podemos mudar nada. " Ela fez uma pausa antes de se sentar , olhando rapidamente para o meu estômago. " Desde quando você precisa me proteger , Quinn? ", Perguntei. " Nenhum tratamento especial. Você não acha que eu posso lidar com o que você vai dizer ? Só porque eu estou grávida ? " " É perturbador ", disse Quinn, baixando a voz . "Isso é tudo . " Ela deslizou um abalone fora de sua casca, aparecendo a carne macia em sua boca. Clara ficou em silêncio por um momento. Ela largou o garfo. "Nós ainda temos amigos e familiares no interior das Muralhas da cidade ", disse ela . "Minha mãe está lá . . . e Charles . Pensávamos que a luta tinha acabado. " "A luta acabou", disse Quinn. " Mas como eu entendo , as coisas são ainda piores lá agora. Tiveram batidas no meio da noite . Famílias em Outlands desmanteladas, pessoas têm sido acusadas de lutar contra o Rei durante o cerco . Eles deixaram os corpos dos executados, em frente ao Palácio, apodrecendo por dias. Havia uma mensagem de que o exército das colônias virá, que eles foram se reunir com um líder rebelde do oeste. Mas ainda é incerto. . . " Ela olhou para mim de novo, em seguida, olhou para baixo , empurrando as conchas brilhantes no seu prato. "Vá em frente , Quinn , " Eu cutuquei . "Nós precisamos saber. " Ela apertou os lábios, em seguida, soltou um suspiro profundo. “Havia uma mensagem outra noite da Cidade. Era a voz de uma mulher. Ela nem sequer sabia usar o código. Ela identificou-se como uma trabalhadora do Palácio. Um homem estava gritando ao fundo. Ela disse que a princesa traiu seu pai e estava trabalhando para a causa rebelde. Eles estavam levando trabalhadores do Palácio em custódia para questionálos , para ver quem estava envolvido. A maioria não tinha voltado depois. Ela acreditava que um dos trabalhadores foi executado porque ele não cooperou. " " Qual era o seu nome? Quem era ela? "Eu mal conseguia pronunciar as palavras.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


"Ela não disse", respondeu Quinn. "Aparentemente ele está questionando todo mundo, tentando informações sobre o seu paradeiro. E a maioria das pessoas interrogadas não foram vistas depois . Quando eu pensei sobre isso, eu sabia que não deveria contar. Eu não quero que você sinta como se fosse sua culpa. " "É minha culpa", eu disse. “Você não vê isso”? Eu escapei. Tive conhecimento dos túneis, e eu deixei a Cidade. É minha culpa. Beatrice tentou agarrar meu braço, mas eu me afastei. " Você não poderia saber ", disse ela . "Você fez o melhor que podia . Há nove meninas que estão aqui, seguras, porque você ajudou. Elas não estão nas escolas mais. Você me trouxe , não é? Onde eu estaria agora?” Rubi me observava, com os olhos vermelhos . " Você não sabia que isso iria acontecer ", disse ela . Mesmo aquelas palavras, não conseguia me acalmar. Até quando eu não estava lá , sob custódia do meu pai, outros tinham sido capturados, torturados, detidos indefinidamente. Outros seriam executados no meu lugar. "Não há nada que você pode fazer ", disse Clara. Ela empurrou para trás, longe da mesa . " Não culpe a si mesma. Você estava trabalhando com Moss , você tentou . " Mas a menção de Moss só me trouxe de volta para o dia que eu tinha deixado seu corpo no elevador. Como a bala atravessou suas costas. "Eu só preciso que este dia termine ", disse eu , indo em direção às escadas . "Eu não posso pensar mais. " Quinn ficou de pé, tentando chegar em frente a mim, mas eu evitei ela. " Eve -Sinto muito. Você vê agora por que eu não queria dizer-lhe ?” "Não, estou feliz que você fez", eu disse , observando-os quando comecei a subir as escadas. "Eu precisava saber. " Quando cheguei ao topo de pouso eu manobrei pelos corredores em silêncio. Luz veio através das janelas, esmaecidas pelas plantas que cresceram sobre o teto do barco. Contei as portas, finalmente, chegando na sala que Ruby, Clara, e eu compartilhamos. Eu me enrolei no colchão. A cabine era tão escura que eu mal podia ver duas polegadas em minha frente. Eu descansei a mão no meu peito , tentando retardar o meu coração. Pensei em Arden agora, o que ela deve ter sentido quando ela estava na clandestinidade com Ruby e Pip , ouvindo falar do cerco. É claro que ela queria ir.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Como eu poderia ficar aqui , esperando a palavra que a luta tinha terminado ? Eu deveria apenas esperar que de alguma forma, meu pai iria ser parado? Foi um longo tempo antes de Ruby e Clara entrar. Fechei os olhos , fingindo estar dormindo. " Ela precisava do descanso", Clara sussurrou. Ouvi o colchão quando ela se deitou na cama acima de mim. Rubi se estabeleceu, também, virando para o lado dela, reajustando várias vezes até que ela estava confortável. Passou uma hora, talvez duas. Quando eu estava certo de que não iriam acordar , eu estava de pé, virando para o corredor . Eu andei pelo corredor , passando pela sala de estar grande , onde algumas das meninas dormiam nos sofás . Um conjunto de portas de correr solta no convés gasto do barco. Lá fora, a lua tinha desaparecido atrás uma espessa camada de nevoeiro. Me senti bem com o ar frio em minha pele. Desci a escada lateral e decolei para baixo, cuidadosamente pisando em torno das pranchas quebradas . Eu só precisava estar fora , estar me movendo - sentir que estava indo para algum lugar . Comecei por entre as árvores, me movendo rapidamente ao longo das raízes retorcidas e das pedras. A maioria das casas estavam escuras. Mais à frente , além de alguns de arbustos , eu vi uma figura . Eu estava prestes a me virar de volta pelo caminho quando ela me viu. " Eve- o que você está fazendo aqui? ", Perguntou Maeve . "O que há de errado ? " Olhei para a trilha , percebendo que eu tinha quase chegado à casa dela. Ela estava de pé na base de um enorme carvalho. Levei um momento, meus olhos se ajustando para a luz, para perceber que ela estava segurando a boneca de Lilac . " Eu só precisava de ar ", eu disse. "Eu não conseguia dormir. " "Eu suponho que a casa de Quinn tomou tempo para se acostumar ", disse ela . Houve uma sugestão nela, por que eu não tinha voltado para o quarto ao lado dela? Por que eu tinha sido tão fria com ela quando eu cheguei ? Eu podia ver, mesmo agora , ela queria saber.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


"A casa de Quinn tem sido grande ", eu disse . " As meninas estão felizes lá. Eu simplesmente não conseguia dormir, só isso. E você ? " Ela levantou a boneca. " Lilás deixou aqui fora. Eu prometi que iria organizar uma pesquisa. " Ela olhou por cima do ombro . " Quer entrar por um minuto? Eu ainda tenho as lanternas acesas . " Quantas vezes eu tinha imaginado este momento, o que eu diria se estivéssemos sozinhas ? Eu comecei a subir a trilha atrás dela , abaixando alguns ramos baixos. " Naquela noite que eu saí ", disse eu , mantendo meus olhos na árvore grossa. "Nós estávamos tentando encontrar Caleb. " " Eu achava isso ", disse Maeve . "Mas nós nunca ouvimos uma palavra de um jeito ou de outro. Como eu disse não deveria ter ido sem dizer adeus. " Nós empurramos para dentro da casa . A maioria dos armários de madeira estavam entreabertos , seu conteúdo esvaziado para o contador. A mesa da cozinha estava coberta de latas sem identificação, pilhas de toalhas de prato recuperadas, e pilhas de utensílios . Havia dezenas de garrafas de vinho cheias de água da chuva fervida. Frutas secas em nebuloso recipientes plásticos. " Eu limpo , por vezes, quando Lilás vai dormir ", disse ela . " Isso passa o tempo . " "Eu não disse a você , porque eu não queria que você tentasse me manter aqui ", eu disse . " E por que eu faria isso ? ", Ela perguntou . Ela encostou-se ao balcão , o rosto mais suave na luz da lanterna. " Ouvimos o que você disse, Maeve . Você , Isis, e Quinn. Ouvimos vocês debatendo se arden e eu devíamos ser autorizados a ficar. Eu sei que você estava pensando em me usar para negociar. " Ela esfregou as mãos sobre o rosto , deixando escapar um suspiro baixo. "Quinn foi o única que nos defendeu . Diga-me que você não disse -diga que não é verdade. " "Não, eu disse, " ela admitiu. " Eu fiz. " " Se você relatar qualquer uma das meninas aqui , vou fazer - " "Eu disse que se , " interrompeu Maeve . " Ele sempre foi um caso . Eu nunca quis usá-la contra o rei . Eu só disse que, se eu tivesse que , se

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


ele colocar pressão sobre nós para transformá-lo para o exército , gostaria de usá-la a nosso favor. " "Eu pensei que você deveria proteger o assentamento ", disse eu , " não dar aos seus residentes uma ameaça. " Ela se afastou de mim, agarrando algumas garrafas da mesa e empurrando-as para trás em um gabinete. "Naquele momento, que escolha eu teria ? " Eu ouvi o som oco de passos na escada . Quando me virei , Lilás estava contra o batente da porta , com o cabelo amarrado para trás com um lenço roxo. Ela limpou o sono dos seus olhos. "Será que você a encontrou? " , perguntou ela. Maeve arrancou a boneca da mesa da cozinha , olhando de soslaio para mim antes de pressioná-la nos braços de Lilac. " Aqui está ela . Como eu prometi, " ela disse, sua mão apoiada nas costas de lilás . " Deve ter caído, enquanto você estava jogando no caminho . " Mesmo à luz da lanterna fraca eu poderia fazer os vincos em todas as bochechas, impressões de Lilac das folhas amassadas . Seus lábios quando ela soltou um longo suspiro , ela estava quase a ceder à exaustão. "Vamos lá ", disse Maeve suavemente, prendendo seu braço sob os joelhos da menina. Ela pegou-a em um movimento rápido e subiu as escadas. A cabeça de Lilás descansou facilmente na curva do pescoço de Maeve , sua bochecha pressionada contra a camisa de Maeve. Havia algo sobre o rosto cansado da garota, o modo como seus cílios escuros enrolado nas pontas, como seu punho bateu em seu nariz , tentando afastar uma coceira . Fazia muito tempo desde que eu tinha visto elas juntos, eu tinha esquecido como Maeve era suave na presença de lilás . Ela parecia mais calma, mais ela mesma. Facilmente se deslocaram através do silêncio da casa velha. Eu as ouvi em algum lugar acima, as molas rangendo quando Lilás voltou para o beliche. Eu perguntava se eu teria esse sentimento de calma e conforto com o meu filho , sabendo que meu pai ainda estava lá fora me caçando. Ele não iria desistir de nos encontrar, eu sabia, mesmo agora. Havia alguns frascos de vidro cheios de nozes na mesa da cozinha . Não poderia ter sido mais do que cinco punhados em cada um. Eu encontrei-me contando-os, imaginando quanto tempo eu poderia fazê-los durar se eu fosse voltar atrás na natureza (vinte dias ) . Eu comecei a tra-

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


çar o tempo que seria necessário para voltar para a cidade, calculando quanto tempo seria a pé, a cavalo , com a ajuda de um veículo roubado . Eu poderia estar lá em três dias, na melhor das hipóteses. Não importa quantos rebeldes fossem trazidos das colônias, não importa quem estava liderando, eles não teriam sucesso enquanto o meu pai ainda estivesse vivo. Ele estava no centro de tudo dentro da Cidade. Conforme Quinn tinha dito, o seu poder só havia crescido desde o cerco. Parecia não haver maneira de contornar isso, eu poderia sentar aqui e esperar, esperando que as coisas seriam diferentes, ou eu poderia agir. Se as colônias fossem à cidade, eu poderia ser uma aliada para eles, um dos poucos rebeldes que conheciam o funcionamento do Palácio. No momento em que Maeve fez seu caminho de volta para baixo eu tinha decidido. Não havia nada que eu poderia fazer em Califia a não ser esperar : Aguardar os soldados me encontrarem aqui , esperar para ver se Maeve desistisse. Espere por notícias de outro sítio e outro fracasso. Esperar meu pai vim para o meu filho . "Eu vou voltar", eu disse. Maeve parou na porta, com a cabeça inclinada para um lado. "Se você está tentando me punir por - " " Isso não tem nada a ver com você ", eu disse . " Tem a ver com ele. " Maeve recolheu mais alguns frascos da mesa , trabalhando rapidamente enquanto ela os colocava em outro armário . Ela virou-se, me vendo enquanto limpava as mãos na frente de suas calças rasgadas . " Você deve ficar mais alguns dias ", disse ela . " Se recuperar . " Seus olhos caíram para o meu meio. Eu puxei meu suéter apertado, cobrindo-o . "Eu tenho que sair logo", eu disse. " Antes que eu não possa mais. " "Quem mais sabe? " " Eu não disse as meninas ainda", eu disse. " Mas Quinn , Ruby, e Clara sabem. Beatrice , também. " Ela olhou para a mesa, pegou algumas latas e uma das lanternas. Então ela foi até a porta de trás , acenando para que eu a seguisse. Levou um momento para os meus olhos se ajustarem à escuridão . O céu cinzento, uma luz opaca, desigual através da floresta , tornando difícil de

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


ver Maeve a apenas alguns passos à frente, ela andou facilmente sobre o caminho quebrado, com os membros baixos de árvores para ajudá-la. Ela correu em torno da pequena estrutura que ficava a poucos metros dentro da floresta. " Por aqui ", disse ela . A lanterna passou à frente, marcando meu caminho sobre as pedras irregulares do feixe. Eu reconheci o galpão a partir do mês que eu passei a viver em sua casa. Foi bem escondido atrás de uma cobertura cheia de mato. Maeve abriu a porta de suas dobradiças enferrujadas, então segurou a lanterna para cima, me gesticulando do interior . A pequena sala cheirava a gasolina. Notei os recipientes de metal que cobriam as paredes da mesma que eu tinha visto na casa do tesouro com os meninos . Duas motos estavam no centro , apoiadas em uma perna, os lados mostrando poucos sinais de ferrugem. "Nós as mantemos em caso de emergência ", disse Maeve . "Deve ser capaz de levá-la a algumas centenas de milhas, talvez mais." Ela virou a moto para frente , passando-me o guidão . O peso da coisa me assustou. "Por que Você vai voltar ", ela perguntou . " As colônias não têm uma chance a menos que eles têm como alvo o rei diretamente, " eu disse, empurrando a moto ao lado de mim, até que eu estava de volta para fora . Maeve me seguiu , trazendo dois dos recipientes de menores dimensões de gasolina . O feixe de luz caiu sobre o caminho de terra . Eu mal podia vê-la no escuro. Eu podia ouvir apenas o som constante , silencioso de sua respiração . "Além disso, ele vai vir atrás de mim . Isis estava certa, ele não vai parar até que ele me encontre . Especialmente não agora. " "O que você vai fazer? ", Ela perguntou . Segurei firme a moto, minhas mãos escorregadias em apertos . Eu não sabia se poderia, ou como, mas a ideia insistia em si . "Eu tenho que matar o meu pai. " Seu rosto suavizou quando ela me deu um aceno de cabeça firme. " Boa sorte ". Eu encontrei os seus olhos por um breve momento. " Obrigada. " Com isso eu me virei , mantendo a moto na frente de mim e comecei a voltar para a estrada principal.

VINTE E SETE Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


"Qual é o ponto em ir agora? " Clara disse, estabelecendo as mãos em cima das minhas. As palmas das suas mãos estavam frias e úmidas, a sensação delas me assustando. "Seus esforços ainda estão concentrados no interior da Cidade . Você ainda tem uma alguns meses.” " E depois? ", Perguntei. " Eu tenho que esperar até eu ter meu filho, então me esconder ? Ele pode me matar, mas o pensamento dele levando. . . " Beatrice se sentou em um braço do sofá. Sempre que as meninas vinham para a porta, ela se apressava, em seguida, retomava a sua posição , as pernas cruzadas nos tornozelos , com a cabeça ligeiramente inclinada enquanto escutava . Clara esfregou o rosto com as duas mãos . "Nós não vamos deixá-lo levá-la ", disse ela . "Você é melhor aqui. O que você vai fazer? Voltar para o Palácio e ameaçá-lo ? Mesmo se você chegar lá , cada soldado sabe quem você é , eles sabem o que você fez. " Eu me virei, estudando o lado do rosto de Beatrice . Ela ficou em silêncio . Atrás dela , Quinn e Ruby sentavam à mesa da cozinha . Os olhos de Rubi eram vermelhos e lacrimejantes , os dedos puxando cuidadosamente tópicos a partir de um esfarrapado guardanapo. "Você sabe como ele é, Beatrice, você já viu isso ", eu disse . "Assim que ele puder , ele vai me levar de volta para a Cidade. " "Então, nós vamos ir com você ", disse Quinn. " Se você tiver que fazer isso, vamos ajudar. " Eu olhei para o pacote ao lado dos meus pés. Maeve tinha me dado a maior parte dos fornecimentos, me mostrando como dirigir a moto , como carregá-la de modo que o peso era o mesmo em ambos os lados. De todas as mulheres do assentamento, ela tinha sido a menos resistente a minha partida , e que sentia como uma confirmação sutil que eu estava certa. Contudo era perigoso, se eu não voltasse para a cidade agora. Ele viria para mim mais tarde, quando eu tivesse uma criança que dependia de mim . Quando eu não estivesse mais sozinha . Sentei-me para trás, deixando minha mão cair para o meu estômago, imaginando o que minha mãe tinha sentido por mim. Como muitas vezes ela me disse que me amava nessas cartas , na forma como ela havia penteado meu cabelo , cuidadosamente fixando cada minúscula onda de volta atrás das orelhas ? Ela me deixou ir, me pressionando para

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


os braços de um estranho, me mandando embora, então eu tive uma chance. Mas eu só estava começando a conhecer agora , no meio da minha própria gravidez, para entender o que ela sentiu . Como era amar alguém assim. Logo eu teria esta outra pessoa para proteger . Como eu poderia trazê-la ao mundo, sabendo que ela poderia ser tão facilmente tomada por dele? Que tipo de vida seria essa? Eu balancei minha cabeça, me preparando contra as palavras de Quinn " É por isso que eu ia sair ontem à noite - Isso é algo que eu tenho que terminar sozinha. Eu não quero ninguém para estar em perigo por causa de mim, você ouviu- você sabe o que está acontecendo no palácio.” "Ele vai ter de ser executado ", disse Clara. " Você tem que saber isso. " Eu estava de pé, puxando o pacote por cima do meu ombro. "É por isso que eu tenho que encontrá-lo primeiro . Não há segunda opção. O tenente não possui o mesmo poder de meu pai. Se ele for embora, vai ser mais fácil , uma vez que colônias chegarem. Eles vão ter uma chance real de tomar a cidade . " A mão de Clara desceu no meu braço , mas eu a puxei para um abraço , enterrando meu rosto na bagunça suave de sua cabelo . "Eu estarei de volta em menos de duas semanas ", disse eu . "Eu prometo . " Eu deixei as palavras pendurar lá entre nós, como se dizê-las poderia torná-las realidade. Rubi veio para o meu lado , o rosto que eu nunca tinha visto na escola. Ela apertou seus dedos para seus olhos, mas eles ainda estavam inchados e rosa. Logo eu estava cercada, Quinn , Ruby, e Beatrice , sussurrando para que eu ficasse segura, para enviar a palavra através do rádio, se algo acontecesse ao longo do caminho . " Você tem que voltar", Rubi repetia . "É preciso ". Lá fora, as gaivotas gritavam enquanto elas circularam a baía. Algumas das meninas foram chegando do cais, rindo enquanto corriam. O pacote ficou mais pesado do que estava quando eu o tinha colocado em apenas algumas horas antes . Minha mão foi a meu estômago, alisando minha camisa para cobri-lo. "Eu vou , " eu disse, quando finalmente me afastei. "Eu vou. " Levei três dias para chegar ao túnel. Uma vez ajustada na moto , as milhas foram rapidamente, e eu fiquei melhor na tecelagem através dos carros abandonados, me mantendo em estradas secundárias para evitar ser vista. Eu ainda tinha um pouco das fontes que Maeve tinha emba-

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


lado, a carne seca e as castanhas lentamente diminuindo a cada dia. Eu sabia que o que eu estava fazendo era certo, que eu tinha que voltar para dentro das paredes de novo. Quando eu andei até o edifício abandonado fora da Cidade, um pilar branco de fumaça ergueu-se sobre a parede de pedra. O ar cheirava a queimado de plástico, o doente cheiro pungente suficiente para fazer meus pulmões sufocarem. O edifício à frente, uma escola em ruínas com um mastro de bandeira dobrada e desbotadas paredes verdes. Maeve tinha começado a localização de uma das mensagens anteriores do Trail. Pessoas foram instruídas a escrever o endereço para baixo , de modo que eu tinha memorizado . 7351 North Campbell Road, eu repetia para mim mesma uma centena de vezes nos últimos dias. Olhei para o mapa gasto que eu tinha, verificando os sinais da rua para ter certeza. Passei por um parque abandonado, os balanços de metal tilintando em conjunto , sempre que o vento vinha. Eu mantive o meu farol fora e fiquei perto da borda do prédio , tentando manter a torre de vigia fora da vista. Uma das portas laterais foi esmagada dentro. Eu andei na moto através do quadro quebrado, o fedor me bateu primeiro. Eu me lembrei da praga , a podridão úmida de cadáveres. Andei até o final do corredor em direção ao quarto marcado 198, vi a sombra de um homem deitado de barriga para baixo, alguns metros à frente . Prendi a respiração , cobrindo meu rosto com a minha camisa quando entrei no quarto. O sangue tinha manchado o chão. Mesas de madeira curtas foram derrubadas, empilhadas em cima uma das outras, frases simples ainda estavam impressas na parede oposta: A festa foi divertida. Minha mãe sorriu. O céu é azul . Fui para o armário, o terceiro a partir das janelas, como Maeve tinha descrito. Havia um amplo buraco de três metros no chão. Eu escutei, tentando decifrar passos. Tudo estava calmo e quieto. Eu me abaixei para a escuridão , agarrando os lados com as duas mãos. Quando eu atingir o chão me atrapalhei com a lanterna que Maeve tinha me dado , finalmente a liguei. O raio voou à frente, iluminando o túnel. Lama veio a sola das minhas botas. Havia sangue seco sobre a parede. Uma jaqueta, a faixa vermelha ainda amarrada ao redor da manga esta amassada no chão . Eu virei a esquina, vendo pela primeira vez, como as paredes mudavam, a lama dando lugar aos remanescentes túneis antigos de inundação em concreto. O corredor alargado em alguns lugares, até que fosse a vários metros de diâmetro. Um pano vermelho tinha sido amarrado a um tubo

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


serpenteando o teto, marcando o limite quando eu cruzei dentro da Cidade. Quando me aproximava do fim, vi uma figura encolhida no chão, com uma ferida na perna. Parecia que ele tinha se escondido lá por semanas, um monte de latas espalhadas aos seus pés. Ele levantou a arma, apontando para mim, e eu congelei , a lanterna instável na minha mão. "Eu só estou tentando passar ", eu disse . "Estou com os rebeldes . " Ele apertou os olhos contra a luz , então abaixou a arma. " Assim que você sair , vá para o leste ", disse ele, colocou a arma no chão e voltou a mudar uma bandagem de tecido em sua perna . "Há uma barricada do governo a oeste, a apenas três quarteirões de distância. " Ele voltou ao seu trabalho, fazendo uma careta quando amarrava a tira. Ele não disse mais nada , ao invés cavou através de suas fontes, retirando garrafas de água. "Obrigada", eu disse e eu comecei a voltar para baixo do túnel, onde o teto se abria, revelando um quarto úmido. Eu subi para o pequeno closet, definindo o tapete fino para trás sobre a abertura, junto com uma caixa de papelão vazia que tinha sido empurrada para dentro da esquina. No interior, o apartamento do primeiro andar estava escuro. Eu podia ver o sofá rasgado a seu lado e um sanduíche comido pela metade na mesa da cozinha, casualmente sentado ali, como se alguém tivesse deixado abruptamente e nunca voltou. A janela da frente foi quebrada no canto , tornando difícil de ver. Eu puxei as cortinas esfarrapadas longe apenas uma polegada, expondo um pedaço de vidro intacto. Um soldado desceu a estrada. Ele olhou para o fim de seu rifle enquanto examinava os edifícios. Ele fez uma pausa na minha direção e eu congelei , sem mover a minha mão para longe da fina cortina . Ele era mais jovem do que eu, com o rosto magro, rosto escavado. Ele apertou os olhos por um momento antes de finalmente desviar o olhar. Por um longo tempo eu fiquei lá, meu dedo prendendo a cortina de distância do vidro, esperando até que eu estava certa de que ele não voltaria. Eu podia sentir a jornada de oito horas em meus movimentos, na dor nas minhas pernas, o latejar na parte inferior das costas . Eu precisava de uma noite para descansar, para me preparar para o que estava por vir no amanhã, mas era muito perigoso ficar na boca do túnel. Saí do apartamento, vasculhando a estrada por quaisquer sinais dos ho-

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


mens do rei. Quando ficou claro, comecei a leste, como o rebelde havia dito, procurando o primeiro lugar seguro que eu poderia encontrar. Havia um velho complexo de apartamentos a poucos metros à frente . Alguns dos quartos tinham sido incendiados. O sinal caiu e bateu na calçada, deixando uma fina camada de vidro colorido em sua esteira. Mas foi afastado da estrada, o pátio interior vazio. Um parque de estacionamento se sentava ao lado dele, alguns carros colocados lá, de barriga para cima , como insetos mortos . Eu comecei a subir as escadas, estimulada por uma explosão que soou a meia milha a leste . Me movendo ao longo do salão ao ar livre , eu finalmente encontrei um apartamento que estava destrancado, o interior invadido por suprimentos. Mudei o mobiliário restante contra a entrada, sem parar, até que estava em uma pilha, uma cadeira entalada debaixo a maçaneta. Havia apenas um punhado de frutas secas deixado em minha mochila. Obriguei-me a comê-las, apesar da tensa doença que segurava as minhas entranhas . Eu escutei os sons das Outlands , um tiro ocasional na noite. Em algum lugar alguém gritou. Eu coloquei minha cabeça sobre o colchão sujo no chão, enrolando em mim mesma, tentando me aquecer. Logo os sons do lado de fora ficaram mais alto . Um Jeep passou. À medida que a noite persistia, pensei em meu pai, na quietude de sua suíte, o olhar que ele tinha compartilhado com o tenente , quando Moss e eu estávamos sendo questionados. Era quase impossível dormir, meu corpo desperto, vivo, pensamentos correndo na minha frente. A manhã estava vindo para nós dois.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


VINTE E OITO O soldado foi morto a algumas horas. Minhas mãos tremiam enquanto eu trabalhava a jaqueta de seu corpo. Seu braços estavam pesados , os membros trancados no lugar, eu os tirei para fora das mangas . Tentei não olhar para sua cara, mas era impossível . Meu olhar voltava para suas bochechas brancas, os lábios que se separaram um pouco, secos e rachados em alguns lugares. Seus olhos estavam cobertos com uma película cinza fina . Eu o encontrei a várias quadras de distância do motel, caído contra uma loja queimada. Sua cabeça estava sangrando até as costas, o congelamento do sangue em seu rabo de cavalo . Parecia que alguém tinha o surpreendido enquanto ele patrulhava as Outlands , provavelmente uma tendência rebelde em retaliação. Fiz uma pausa, segurando sua mão fria na minha, enquanto tirava a outra manga . O nome Jackson foi bordado na sua lapela. Coloquei a arma que tinha tirado do homem no motel em minhas calças, a faca na lateral do meu cinto. Ele iria acabar em breve. Enrolei o casaco em volta dos meus ombros, tendo o boné enrolado na mão, uma mancha de sangue de espessura na parte de trás . Eu olhei para ele mais uma vez antes de ir , notando a pequena tatuagem no interior de seu pulso, de um pássaro em voo. Ele não poderia ter sido muito mais velho do que eu. Eu comecei a ir em direção ao shopping do Palácio, sabendo que esta seria a parte mais fácil de segurança para passar. Soldados caminhavam dentro e fora da porta de trás , reconhecendo uns aos outros com um aceno de cabeça quando passavam. Seria mais difícil conseguir acesso às escadas da torre, que nos primeiros dias do cerco havia sido guardada em todos os pontos. Os soldados tinham ficado ali estacionados durante a noite , mudando a cada seis horas , às seis e doze. Alguns jipes estavam alinhados perto da entrada de volta , criando uma baixa barreira contra o edifício. Dois soldados foram falar, seus ombros encostados na parede . Eu tive um flash de Arden naquela noite na Escola, como ela passou pelos guardas com confiança, sinalizando com a mão como se tivesse passado toda a sua vida fora da parede. Eu segurei

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


meus ombros para trás, encontrando seus olhos rapidamente quando os saudei. Fingi ajustar o meu boné, cobrindo a mancha de sangue na parte de trás, e empurrei a porta pesada. No interior, o shopping do palácio estava tranquilo . O som de botas no mármore ecoava pelos longos corredores. Alguns soldados caminhavam em direção as salas de jogos antigos , mas eles quase não olharam quando entrei. Eu tinha decidido ir pelas escadas do lado norte da torre. Fui por um corredor estreito, mais isolado do que os outros. Eu ficava passando pelas lojas fechadas, as suas grelhas puxadas para baixo , os manequins em frente as janelas. Muito acima de mim, o relógio gigante, a segunda mão avançando lentamente em direção a doze. Eu andei pelo corredor estreito e vi um soldado curvado para frente, trabalhando em sua bota . Eu não falei até que eu estava a pouca distância , a minha mão sobre a minha arma. "Estou aqui para aliviá-lo ", disse eu . “Um pouco cedo , mas eu tenho certeza que você não se importa . " Ele soltou uma risada baixa . "Não , nem um pouco . " Ele puxou seu rifle de seu lugar ao lado da porta . Olhei pelo corredor , sabendo que o outro soldado viria em poucos minutos . Quando o homem passeou fora virando à esquerda para o Palácio do shopping, eu fui para dentro da escada, dando início à longa subida, sentindo a lenta ,queimadura dolorosa em minhas pernas. Os andares mais baixos foram desbloqueados, abrindo as linhas de pequenas salas individuais, onde muitos dos trabalhadores do palácio dormiam. Andei pelos corredores, chegando no vigésimo andar , então ao vigésimo quinto , alternando escadas para evitar ser vista. Quando cheguei ao último vão, minhas pernas queimavam, dores agudas através da parte inferior das costas. Tomei lentas respirações, tentando acalmar o tremor das minhas mãos, tentando não pensar no meu inchado estômago, agora escondido debaixo do casaco. Eu continuava indo de volta para aquele momento na suíte do meu pai quando os soldados me agarraram, vendo as execuções abaixo. Quem quer que ele fosse para mim, tudo o que nós compartilhamos, tinha crescido insensível a ele. Ele não sentia nada por ele, não do jeito que uma pessoa deveria. Eu tive que sustentar em minha mente a memória, para ter alguma chance . Olhei dentro da janela pequena da porta. O corredor do lado de fora da suíte estava em silêncio. Uma figura solitária estava em minha direção ,

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


os ombros curvados para frente enquanto ele caminhava , estudando um pedaço de papel . Ele usava a mesma gravata vermelha que ele tinha no dia em que sai. Antes que eu pudesse me afastar, Charles olhou para cima, seus olhos se encontrando com os meus. Agachei-me de volta para a escada, esperando lá, perguntando se ele tinha me reconhecido. Em poucos segundos, a porta se abriu e Charles abaixou fora . " O que você está fazendo aqui? ", Ele perguntou. Ele olhou por cima do corrimão, no centro do corredor, olhando para os soldados . "Onde você conseguiu esse uniforme ? " Ele examinou o casaco e o boné que eu tinha roubado do soldado, as calças que eu tinha encontrado no quarto de motel , as botas amarradas nos tornozelos . Seu rosto mostrava preocupação quando ele olhou para o rifle pendurado nas minhas costas. "Eu não sabia que você estaria aqui ", eu disse . "Está tudo bem. Eu estava preocupada que você fosse punido pelo que fez. " " Eu falei a minha maneira ", disse ele . "Eu disse que você era minha esposa, que eu estava com medo, eu não sabia o que você tinha feito. Era a verdade, não era? " " Eu preciso encontrar meu pai", eu disse. Charles verificou a pequena janela na porta, empurrando-nos para trás, fora da vista. "Você não pode fazer isso ", ele disse . "Eles estão procurando por você. Eles colocaram patrulhas no Vale da Morte semana passada. você deve ficar escondida, não aqui. Especialmente não agora. " "Eu não vou passar a minha vida esperando ele vir para mim", eu disse. " Você viu, Charles- você viu o que ele é capaz de fazer. Quantos anos, quantas décadas, isso vai continuar? " Ele parou. Na luz fluorescente sua pele parecia magra e cinza, e ele parecia incrivelmente cansado. "Eu não tenho tempo ", eu implorei . "Por favor . " Ele soltou um suspiro profundo e apontou para cima. "Ele está em seu escritório ", disse ele . " Ele vai ter uma reunião com o tenente em uma hora. " "Eu preciso dos códigos ", eu disse .

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Charles soltou uma respiração baixa. "Um, trinta e um", disse ele. " Ele mudou para o seu aniversário. " Fiz uma pausa, olhando para ele, perguntando se ele sabia o significado do que ele me disse. Eu nunca tinha conhecido meu aniversário na Escola. Caleb e eu tínhamos decidido que seria em agosto no vigésimo oitavo dia, e a data estava presa em minha cabeça, o próprio dia passou, enquanto eu estava em Califia. Ouvi-lo agora, era uma pequena lembrança do conhecimento que meu pai carregava. Ele era a única pessoa que sabia essas coisas sobre mim. "Eu não vou envolver você", eu disse, acenando para Charles antes de me virar para ir embora. Eu não alcancei a segunda etapa antes que ele pegasse minha mão, me trazendo de volta para ele . Ele passou os braços em volta dos meus ombros, me puxando ao peito, com isso a minha bochecha foi pressionada contra ele. Ele me segurou lá, com a mão na parte de trás da minha cabeça. " Esteja segura, você vai? " Ele pegou minha mão , apertando-a uma última vez , e eu tive a estranha vontade de rir. " Eu vou", eu disse. "Eu prometo. Não se preocupe comigo. " Era uma mentira , claro , mas a maneira como o rosto de Charles estava alterado, a forma como a sua expressão se suavizou , me fez sentir um pouquinho de alívio. Talvez eu estaria bem. Talvez tudo estaria terminado dentro de uma hora , e eu estaria de volta nas Outlands , me movendo através dos túneis novamente. Eu comecei a subir os próximos dois vãos, tentando empurrar todos os outros pensamentos da minha cabeça. Eu segurei o ar em meus pulmões , esperando que o meu coração se abrandasse. Eu soquei o código no teclado, deixando-me entrar. Quando comecei a ir pelo corredor até seu escritório, outro soldado passou. Eu mantive meus olhos para baixo, a aba do chapéu uma blindagem sobre meu rosto. Eu levantei minha mão em uma saudação rápida e ele caminhou para uma sala no final do corredor . Todos os músculos do meu corpo ficaram tensos quando me aproximei da porta do meu pai. Eu raramente o visitava em seu escritório com exceção das poucas ocasiões em que eu tinha sido chamada lá para ser questionada. Do lado de fora, eu não podia ouvir nada. Eu olhei para as cortinas grossas ao lado da porta, em seguida, bati e rapidamente pisei atrás delas.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Tentei diminuir minha respiração, mas eu podia ouvir meu coração batendo em meus ouvidos. Minhas mãos estavam frias e úmidas. Eu peguei a arma na minha cintura, tentando parar o tremor em meus dedos enquanto eu observava a borda da porta, esperando por ele para abrir. Houve o clique suave da fechadura, em seguida, o botão virou, meu pai olhou para fora. Eu deslizei para o corredor, descansando uma mão na porta para mantê-la aberta. "Vá para dentro", eu disse , mantendo a arma apontada para ele. " Se você ligar para qualquer um, eu vou ter que atirar em você. " Seu rosto estava relaxado, seus olhos me encontrando quando ele recuou, mais para dentro do escritório. Fechei a porta atrás de nós e a tranquei. " Você não vai me matar ", disse ele . Ele cruzou as mãos na frente dele, com a testa franzida. Ele parecia magro, o rosto desenhado. Foi como se as últimas semanas não tivessem acontecido, como se ele tivesse ficado como estava naquele dia, nunca se recuperando da doença. "Não esteja tão certo ", disse eu , mantendo a arma para ele . Eu pisquei as lágrimas repentinas que borraram minha visão . " Se você estava indo para fazê-lo , você já tem ", disse ele . Ele olhou para mim , com os olhos fixos nos meus. " A verdadeira questão é por que você veio aqui. Estou a receber outra palestra ? Você quer me dizer que essas escolhas que fiz , as escolhas que mantiveram a segurança de todos , estavam erradas? " "Não haverá mais execuções na Cidade ", eu disse lentamente. " Você vai deixar o cargo hoje e vai dar o controle temporário para mim enquanto a cidade faz a transição. " Suas bochechas ficaram vermelhas. As veias em seu rosto tornaram-se visíveis, as mãos apertadas firmemente. " As transições para o que , Genevieve ? Diga-me , já que você parece saber o que exatamente, esta transição da Cidade para a ilegalidade que veio depois a praga? Os motins ? Antes de mim , as pessoas não podiam obter água sem serem baleadas. Você quer que a cidade volte a isso? " " Baixa a voz , " eu disse. " Se você quiser ver o que está do outro lado dessa revolta ", disse ele , levantando as mãos, em seguida, “vá em frente. Mas há uma escuridão que vem que você não pode imaginar. " Seus olhos estavam presos nos meus .

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Ele ficou ali, me implorando para disparar contra ele. Ele se virou, de volta para sua mesa e levou um momento para registrálo : o truque rápido de lado, quando ele enfiou os dedos no bolso interno do paletó. Seu braço surgiu, a arma visível, o rosto fixo na concentração. Atirei uma única vez, o som do tiro me assustando, ele deu um passo para trás, caindo a seu lado , a arma aterrissando no chão. Fui até ele, chutando a arma no chão. Eu fiquei ao lado dele, meu peito arfante, observando como sua expressão estava estranha, com o rosto contorcido de dor. Ele segurou seu peito, pressionando o ferimento ao lado direito de seu coração. Olhei -o no chão, o sangue estava vindo rápido, a mancha se espalhando sobre o paletó, o tecido escuro rasgado onde a bala tinha atravessado. Eu me ajoelhei ao lado dele, esperando que ele me empurrasse para longe. Mas ficamos assim, sua mão enrijeceu em torno da minha e a cor deixou seu rosto. Então seus olhos se fecharam. Sua respiração desacelerou para uma parada, até que eu estava sozinha novamente em silêncio.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


VINTE E NOVE Tudo estava acabado. Isso era o que eu queria, não era? A notícia de sua morte se espalharia pelo Trail. O exército das colônias acabariam por chegar. A cidade teria a transição para um novo poder, tudo deveria estar melhor agora. Eu mantive a mão dele, percebendo a frieza que se espalhava entre os dedos. A forma como o sangue correu, gotejando no paletó e no chão , onde ele afundou no tapete grosso. Ele estava alargado a frente da mesa, com os ombros enrolados para dentro , com o queixo pressionado para seu pescoço. Eu não senti qualquer alívio agora que ele tinha ido embora. Em vez disso eu só pensava na foto que ele tinha segurado na mão no dia em que nos conhecemos, o papel amassado sob seu toque. Ele havia desaparecido do meu quarto a primeira semana que eu estava no palácio. Beatrice tinha passado horas procurando por ela. Ele parecia tão divertido nela, seus olhos demorando em minha mãe, estudando a forma como a franja escura caia em seus olhos. Ele parecia feliz. Abri o botão da frente de sua jaqueta , pela primeira vez, percebendo o coldre preso a seu braço, a bolsa de couro onde ele mantinha a arma escondida. Eu não queria olhar, mas eu tinha que fazer. Meus dedos entraram no bolso pressionado contra a seda. Ela ainda estava lá. Ele a levou, a fotografia ao lado esquerdo de seu paletó , bem em cima de seu coração. Chupei pesado o ar me sentindo sufocada, chegando tão rápido que eu não poderia antecipar. Lá estavam eles ,meus pais , um ano antes da praga . Eles estavam juntos todo o tempo. Coloquei a foto em minha camisa, pressionando-a para baixo, aonde ela não iria se soltar. Ele estava dizendo a verdade , eu pensei, desejando não chorar. Ele a amava. Ele não tinha mentido sobre isso. O lado de fora da cidade estava em silêncio e imóvel. Eu sabia que tinha que sair, mas eu não podia me mover. Minha mão alcançando a dele, apertando seus dedos nos meus. Não foi até que a batida soou que eu me assustei, lembrando-me de onde estava e do que eu tinha feito.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


A maçaneta girou, o clique de bloqueio fechado. Houve uma pausa, depois a voz de um homem chamando do hall. "Senhor ? " Eu me levantei, vendo a enorme mesa de madeira atrás de mim, as cortinas que emolduravam as longas janelas, armários na parede oposta, procurando um lugar para me esconder. O soldado deu um soco no teclado ao lado da porta, em seguida, o botão virou novamente. Eu tive apenas o tempo suficiente para arremessar atrás da mesa, enrolando abaixo dela, antes que a porta se abrisse. O soldado não se mexeu. Eu podia ouvir cada uma de suas respirações. Ele ficou lá por tanto tempo que comecei a contar, tentando manter a calma. " Jones ", ele finalmente gritou no corredor. " Venha aqui ! " Então ouvi o barulho dos pés no tapete e um sussurro baixo quando ele se inclinou para baixo, a apenas alguns centímetros do outro lado da mesa. "Senhor ? Você pode me ouvir ? " " O que é isso ? " Outra voz gritou do fundo do corredor . " Alerte o tenente ", disse o homem. "O Rei foi baleado. " Eu mantive a minha mão sobre a arma na minha cintura . Havia uma polegada entre a parte inferior da mesa de madeira e o tapete . Eu podia ver a sombra do soldado enquanto ele se movia em torno do lado da mesa. Suas pernas passaram frente de mim , com os pés a apenas alguns centímetros do meu, o punho de sua calça foi pego nos laços pretos, ele bateu o pé nervosamente enquanto folheava alguns papéis acima. Eu congelei no lugar, a respiração em meus pulmões enquanto eu segurava lá, tentando não fazer um som. Então ele circulou de volta ao redor da janela. Eu tinha apenas alguns minutos antes de estar presa aqui. Assim que o tenente chegasse, o quarto seria fechado. Eu tinha que ir agora. Olhei ao redor da borda da mesa. A porta foi mantida aberta. O outro soldado foi para a extremidade do salão, falando rapidamente no rádio. Ele andou a uma curta largura do corredor várias vezes antes de virar à esquerda e desaparecer de vista . Eu me arrastei para fora sob a mesa, pressionando o meu corpo contra o lado, tentando não fazer barulho. O outro soldado ainda estava pairando pelas janelas. Eu podia ouvir o crepitar ocasional do rádio no cinto . O bater no meu peito diminuiu. Meus membros sentiam leves, corri através da porta aberta. Levou um momento para o soldado processar o

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


que tinha acontecido. Continuei correndo bombeando meus braços tão rápido quanto eu podia, correndo em direção ao final do corredor . Ele alcançou a porta apenas quando me virei, disparando dois tiros na parede atrás de mim. Corri para a escada mais próxima, perfurando os números no teclado o mais rápido que pude. Até o momento ele chegou ao fim do corredor, eu deslizei para dentro, descendo os degraus de três em três. Eu continuei em espiral para baixo, agarrando o corrimão frio para me ajudar ao longo. Quatro vão para baixo ouvi o barulho da fechadura e em seguida, uma porta se abrindo em algum lugar acima de mim. O primeiro tiro soou, dando em um pedaço de concreto a partir da borda da escada. Eu não parei, só me pressionei firmemente contra a parede, longe do eixo aberto, tentando ficar fora de vista. Eu não consegui mais do que dois vãos mais longe quando uma porta abaixo de mim se abriu. Eu poderia apenas ver para fora vislumbres do uniforme quando a pessoa subiu as escadas correndo . Tentei voltar, mas o chão estava mais próximo outro vão acima , e o outro soldado foi descendo, bloqueando a minha saída. Quando o homem se virou, ergueu a arma. Nós dois ali, congelados , mas eu vi o reconhecimento em seu rosto, o lento amolecimento dos seus recursos quando ele percebeu quem eu era. O tenente veio tão rapidamente, que mal tive tempo de virar. Em poucos segundos ele estava lá, a arma nas minhas costas. Eu segurei meus braços para cima enquanto o outro soldado descia as escadas, me prendendo . O tenente pegou um pulso e torceu-o para trás, amarrando-o para o outro com um apoio de plástico grosso. " Ele está morto ", disse o soldado. Ele manteve a arma apontada para mim, mas o tenente fez sinal para abaixa-la. " Volte para o escritório e proteja o corpo ", disse ele . "Eu vou estar dentro em uma hora . Você não pode contar a ninguém sobre isso. Se alguém perguntar , era um alarme falso. Você estava enganado . " Enquanto falava, ele arrancou meu braço , me puxando para trás. Eu lutava para recuperar o equilíbrio quando começamos a descer as escadas. "Onde você a está levando? ", Perguntou o soldado. Esforcei-me contra o laço de plástico, o sangue pulsando em minhas mãos. " Para a célula abaixo do chão " , disse o tenente. "Deixe que os outros saibam que haverá outra execução, antes de anoitecer. Todos os cidadãos devem estar lá fora do Palácio . "

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


A expressão do soldado se alterou. Seus olhos caíram para o meu meio. "Mas eu pensei . . . " "A Princesa traiu seu pai ", disse o tenente. Então ele puxou meus pulsos , me puxando para trás pelo corredor escuro.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


TRINTA Minha Tia Rose caminhava ao lado dos soldados, tentando ficar na nossa frente, onde ela tinha uma visão melhor de mim . " Não faça isso ", disse ela . Eles não se viraram para olhar para ela enquanto falava. " Onde está seu pai? Deixe-me falar com ele. Ele não iria querer isso , não importa o que aconteceu entre vocês. " A arma estava nas minhas costas , me cutucando através do lobby principal. Eu processei vislumbres do ordenado padrão do tapete , as máquinas de jogos, os dois soldados que estavam de cada lado dos elevadores de ouro . Trabalhadores do Palácio choravam, alguns amontoados atrás da secretária, observando enquanto eu passava a grande fonte no centro da entrada. Meu rosto estava inchado de onde o tenente tinha me atingido, minha bochecha latejante. Após oito horas de interrogatório, eles tinham desistido. Eles não paravam de me perguntar sobre os rebeldes, sobre o local onde o túnel estava sob a parede, sobre a localização das garotas em estado selvagem. Recusei-me a falar, deixando o Tenente me bater até que um dos soldados o deteve. " Você está agindo sem a permissão do rei. Onde ele está? " Minha tia perguntou novamente. Ela manteve a mão no xale, apertando para firmar as mãos. Em seu rosto eu pude ver a maneira tensa quando ela estava com raiva, como sua pele ficou manchada e vermelha. " Ele ordenou isso", gritou o tenente . Ele caminhou por trás do grupo de soldados , apontando para minha tia se afastar . " Genevieve é responsável por uma tentativa de assassinato contra o pai. " Minha tia Rose nunca tinha prestado muita atenção em mim dentro das paredes do Palácio. Ela sempre foi assim preocupada com Clara, se preocupando com o que ela usava , o que ela comia, em fixar os cachos vadios que às vezes prostraram-se em torno de seu rosto. Eu nunca tinha visto ela assim , ela estava praticamente gritando para os soldados , cada palavra nivelada com uma fúria determinada. De repente eu gostaria de ter conhecido ela melhor, de ter falado mais com ela. "Você não pode fazer isso", ela repetiu, levantando a voz .

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


"O Rei pediu-me para avançar com ela nesse ínterim ", disse o tenente. " Enquanto ele se recupera. " Minha tia olhou para alguém na frente das portas principais , correndo ao seu encontro. Charles estava discutindo com um dos outros soldados, o mesmo que tinha guardado a cela na parte anterior do dia . Ele passou horas tentando convencê-los a adiar a execução, exigindo ver o meu pai. Da sala de espera em concreto eu podia ouvi-lo , maravilhada com o quão cuidadosamente ele escolheu suas palavras , não querendo revelar o que sabia. Eles nunca responderam suas perguntas, sempre adiando, a mando do Tenente. Minha tia disse algo para Charles , apontando como eles me trouxeram para fora do prédio . A cena era em torno de mim, mas eu me sentia separada, sozinha. As vozes no lobby misturadas, as palavras indistinguível uma da outra . Eles tinham amarrado as restrições tão apertadas que eu não conseguia mais sentir as minhas mãos. A faca e a arma foram levadas de mim. Eles me tiraram do uniforme , deixando-me com as mesmas roupas que eu tive desde que eu deixei Califia , a frente da minha camisa agora salpicada de sangue. Vi Charles quando eu passei, oferecendo-lhe um aceno rápido , algum minúsculo reconhecimento de que ele tinha tentado . Eu não queria que ele fizesse mais do que tinha feito , com medo que ele revelasse suas alianças reais. Eu era a única que veio aqui . Eu tinha terminado o que vim fazer. Não foi culpa dele. As portas se abriram, e eu estava do lado de fora , o sol ardendo meus olhos. Eles me empurraram para baixo na curva da calçada, além da longa fila de árvores estreitas. A plataforma ainda estava lá, criada na beira da estrada . Eu vi a grande massa de pessoas reunidas na frente dela, tentando ver se havia alguma maneira de sair . Tinha uma barricada de metal , cerca de quatro metros de altura, que eu teria que subir antes de desaparecer na multidão. A entrada de automóveis curvada em direção à rua , uns bons vinte metros que eu teria que correr. Mesmo se eu esperasse até ficar mais perto, eu provavelmente seria alcançada antes que eu passasse da barricada. Minhas pernas pareciam que não poderiam seguir. Os soldados me estimularam, um segurando cada um dos meus braços para eu não cair. Era tolo, eu sabia de alguma forma, mas eu ainda estava fazendo listas. Eu queria que Arden soubesse antes que eu morresse o quanto eu devia a ela pelo que ela fez para Pip e Ruby. Beatrice precisava saber que eu a tinha perdoado antes que ela tinha pedido. Eu esperava que Maeve ,

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


sabendo por que eu vim aqui, permitiria que Silas e Benny ficassem em Califia indefinidamente. Eu esperava que se houvesse alguma maneira de voltar ao Caleb , eu poderia. Charles desceu a calçada , minha tia bem atrás dele . Ele caminhou rapidamente, nos seguindo, a sua presença me fez sentir um pouco menos sozinha. Havia manchas pretas no rosto de minha tia, uma pesada lavagem de maquiagem e lágrimas. Lembrei-me das palavras de Clara quando fizemos o nosso caminho para o norte, como preocupado Rose deve ter ficado, ainda sem saber onde ela estava. Virei-me para eles, esperando até que a minha tia levantou a cabeça. " Clara está viva ", foi tudo o que eu disse de duas palavras , alto o suficiente para que ela pudesse ouvir. Eu queria dizer a ela mais - Sobre Califia , sobre como Clara voltaria se e quando podia. Mas o soldado puxou meu braço, me virando em direção à plataforma. À medida que me levava para as escadas da plataforma, eu olhei para cima , o meu olhar caindo sobre a torre de vigia da Cidade. A luz na parte superior da agulha estava a piscar vermelho - um aviso constante e lento . Algumas pessoas na multidão tinham notado também, alguns esticando o pescoço para ver se havia alguma coisa acontecendo ao longo do portão norte. Era um zumbido baixo e constante de vozes ao longe. Lá em cima, um homem se inclinou para fora da janela de seu apartamento, tentando decifrar a direção que o barulho estava vindo. Os soldados me conduziram até as escadas , estimulados pela atenção da multidão. Algo estava acontecendo nas Outlands, mesmo que fosse impossível saber o que. Eles me viraram e eu imaginei o que Curtis e Jo sentiram quando eles estavam aqui , olhando para a multidão. O povo tinha caído em um estranho silêncio . Reconheci alguns do círculo de meu pai. Amelda Wentworth , que tinha me parabenizado pelo meu casamento apenas alguns meses antes, estava de pé a frente , um fino lenço pressionado para seu rosto. Faça alguma coisa , pensei , vendo-a toda rígida , esperando. Por que você não vai fazer alguma coisa? Eu empurrei de volta os soldados, longe da corda enrolada, mas eles me arrastaram para frente. Lutei para ficar de pé, os pés mal tocando o chão. Eu vi o tenente com o canto do meu olho, ele tinha o olhar perdido à porta do norte , para a fumaça negra que ondulava o céu de laranja. Uma explosão se seguiu, o som alto de estouro como um carro explodindo.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


" Vamos acabar com isso ", disse ele aos outros dois soldados. Ele não olhou para mim enquanto falava. Houve mais explosões e gritos encheram o ar . Percebi, então, que não poderia ser um motim nas Outlands - que era muito alto. A multidão começou a se afastar da cena, espalhando pela estrada principal, de volta para seus apartamentos. Alguns começaram a correr, rompendo para o extremo sul da estrada, correndo para longe. O tenente me empurrou para frente, tentando me colocar em cima da caixa de madeira de três pés . Eu resisti a ele, deixando a minha queda de peso, minhas pernas em colapso, tentando me fazer tão pesada quanto possível. "Ajude-me ", ele gritou, olhando para os outros soldados . Eles haviam se afastado, os olhos na fumaça vindo do extremo norte do muro. Outra explosão foi ouvida, e houve um grande grito coletivo. Então a luz na parte superior da torre de vigia mudou de piscar para vermelho sólido, sinalizando que o perímetro da parede tinha sido comprometido . " As colônias estão aqui", um homem mais jovem gritou enquanto corria para o sul na estrada. A multidão se deslocou de repente , derrubando a barricada de metal na frente da plataforma, o envio de pessoas tropeçando na calçada. Um grupo de mulheres correram em direção ao Palácio shopping , esperando para entrar. Eu empurrei para trás tão duro quanto eu podia, a base da minha cabeça bateu no nariz do Tenente. Eu me virei e chutei entre as sua pernas. Ele se encolheu de dor e cambaleou para trás . Assim que ele me soltou, eu comecei a descer da plataforma e no meio da multidão densa. Perdi o de vista apenas alguns metros de distância , com o rosto aparecendo em seguida, desaparecendo quando mais pessoas passaram correndo . Corri através da estrada principal, mantendo a cabeça baixa, tecendo através de pessoas enquanto elas se espalharam a partir da plataforma. Minhas mãos estavam dormentes, meus pulsos ainda amarrados na base da minha espinha. Um homem em uma jaqueta preta esfarrapada bateu em mim, rapidamente registrando quem eu era, então continuou. Todo mundo estava querendo ir para dentro. Os primeiros sinais do exército podiam ser visto a partir do extremo norte da estrada, uma parede de soldados em desbotadas roupas encharcadas de lama . Os rebeldes usavam pedaços de tecido amarrado ao redor de seus bíceps , os pedaços de vermelho visível na distância. Eu desapareci pelos jardins de Veneza, entrando nos becos eu conheci quando Caleb e eu estávamos juntos. Com minhas mãos amarradas, foi

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


mais difícil de executar, meus pulsos latejando onde as restrições cavavam minha pele. Segui rapidamente indo ao longo da parte de trás do prédio, o céu escurecendo em toda a sua superfície vítrea . As pessoas correram passando pelas lojas aparafusadas, tecendo sob as arcadas e pelos corredores ao ar livre para ficarem escondidas. Outros correram para a entrada do complexo de apartamentos, fechando as portas atrás deles. Voltei, examinando as pontes em arco e o pátio aberto, as cadeiras de ferro forjado espalhadas. Eu tinha perdido o tenente em algum lugar ao longo do caminho, mas um soldado estava agora vindo em minha direção, com os olhos fixos em mim quando ele sacou a faca. Corri para baixo de um dos corredores abertos, os pilares de pedra passando voando enquanto eu corria, finalmente cheguei a um lado da entrada do veneziano, mas estava trancado. Corri todo o perímetro do edifício, tentando o próximo conjunto de portas, então a próxima. O soldado andou rápido, o ritmo ultrapassando o meu enquanto eu lutava, tentando encontrar uma entrada. Em poucos segundos ele havia me capturado para cima. "Princesa ", ele disse, com a faca . Ele agarrou meu braço e me puxou para perto, cortando as restrições com a lâmina . "Achei que você poderia precisar de ajuda. " O sangue voltou para minhas mãos, uma fria sensação de formigamento. Eu apertei meus punhos fechados, tentando obter o calor de volta para os meus dedos. Ele era apenas um ou dois anos mais velho que eu, com cabelo laranja e um punhado de sardas no nariz. Eu vagamente o reconheci como um dos soldados que ficava estacionado no jardim de Inverno do Palácio. Seus olhos cinzentos procuraram meu rosto, meus braços e depois se desviou baixo para o meu estômago. Percebi então - ele sabia que eu estava grávida. Ele olhou por cima do ombro , observando os restos da multidão vindo da estrada principal. Outro soldado apareceu em todos os canais, na beira da ponte, e meu salvador andou para longe de mim. Ele acenou com a cabeça antes de se virar para trás do velho hotel. Eu corri em direção aos Outlands , movendo-me além dos restantes hotéis, a terra abria-se seca, manchas cinzentas de areia. Corri passando por estacionamento. Alguns corpos estavam lá, o sangue coagulado na calçada era horrível, florescendo em poças. Eu me virei , tentando manter meus olhos em um armazém de três andares na minha frente. Um grupo de oito ou mais pessoas no interior. Uma mulher em um casaco rasgado foi a última, e ela virou-se, fechando a porta atrás dela.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


"Espere ! " Eu gritei , olhando de volta para a estrada principal. O som de tiros iam se aproximando. " Uma a mais ", eu disse rapidamente, entrando. "Ela não, " disse um homem com cabelo preto despenteado um pouco além da porta. "Nós vamos ser julgados por aliar com os rebeldes. " O rosto da mulher era magro e pálido , a pele em seu pescoço solto com a idade. "Só se os rebeldes perderem" ela disse, voltando-se para ele. " Ela está grávida. Nós não podemos deixá-la ficar aqui fora. " Estavam discutindo dentro. Olhei para trás, observando os soldados das colônias espalhados andando pelas ruas . Dois correram para o norte, virando antes que nos vissem pairando na porta. " Por favor", implorei. A mulher não se incomodou em perguntar aos outros novamente. Em vez disso, ela me puxou pra ela, para a escuridão do armazém, e trancou a porta atrás de nós.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


TRINTA E UM O SOL escapuliu, o céu ficou púrpura, as estrelas polvilhadas sobre a cúpula gigante, desaparecendo por trás da fumaça que ondulava da parede. Havia milhares de soldados. Os caminhões e jipes foram espalhados para o oeste, nos arredores da cidade. Eu não podia ver em detalhes, mas rebeldes ainda subiam, movendo-se em direção ao portão quebrado da Cidade, seus corpos mal visíveis no escuro crescente. Agarrei a borda do telhado, e algumas mulheres vieram atrás de mim, olhando para as Outlands. O exército das colônias ainda estava cobrindo territórios , ramificando-se para as ruas laterais , batendo de porta em porta dos complexos de apartamentos em ruínas. Eles trabalharam seu caminho através das fábricas de vestuário e em todo o campo de cultivo para o oeste. Havia milhares deles , alguns estavam em veículos restaurados semelhante aos jipes do governo , outros a pé. Todos eles tinham um pedaço de tecido vermelho enrolado no braço, alguns levavam armas outros, facas. Nós estivemos no telhado duas horas, possivelmente mais. O tempo passou rapidamente enquanto os rebeldes vieram para o sul, aparecendo menos de meia milha de distância . Vi dois novos soldados americanos em uma das estradas abaixo. Eles ajoelharam-se , com as armas na sujeira na frente deles , com as mãos levantadas em sinal de rendição. Quando um rebelde se aproximou, ele atacou os pulsos juntos, alinhando-os contra a parede. " Nós deveríamos superam -lós", uma mulher atrás de mim murmurou. Ela era uma cabeça mais alta do que o resto de nós , seus dedos pressionados para sua bochecha. "Eles disseram que as colônias não tinham recursos para chegar até nós. " "Foi uma mentira. " Eu mal me virei quando me dirigi a ela. Meus olhos estavam fixos no número crescente de rebeldes que apareceriam nas ruas, em movimento sob o monotrilho, para mais perto de nós. Sempre que eu tinha ouvido o meu pai falar das colônias, era para dizer às pessoas como tínhamos sorte nós, aqui dentro da cidade, que luxos tínhamos em comparação com aqueles que tinham ficado no leste. Ele descreveu as duas maiores colônias no Texas e Pensilvânia como sendo

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


primitivas sem eletricidade ou água corrente. Ele disse ainda que havia assassinatos lá, lutavam pelos limitados recursos que tinham. Ele havia falado sobre conquistar as comunidades nos próximos anos . Eu não tinha pensado que esses outros, tão longe, poderiam ser mais fortes em números do que nós, que eram, na verdade, mais poderosos, com mais suprimentos acumulados entre eles . Quando se aproximaram, eu fiz a varredura de seus rostos, olhando para ver se eram os meninos da canoa , ainda acreditando que eles poderiam estar dentro da cidade. Cada rosto era totalmente desconhecido para mim. Muitos estavam cobertos de lama e sujeira, suas botas rasgadas. Outros eram magros e abatidos . Uma mulher tinha o pulso envolto em corda, o osso pressionando contra uma tira plana de madeira. " Finalmente acabou ", disse a mulher mais velha ao meu lado . De sua camisa branca e calças pretas eu poderia dizer que ela trabalhava em uma das lojas no Palácio shopping. "Este é o fim. " Ela sorriu quando os soldados se aproximaram do armazém com suas armas em punho. Dois olharam para nós, visando a borda superior. " Um de vocês vai nos deixar entrar ," o homem gritou . " mantenham as mãos levantadas. Fiquem ao longo da borda do telhado, onde poderão serem vistos. " Um homem magro de óculos se ofereceu , desaparecendo atrás de nós, nas profundezas do armazém. Ele voltou minutos depois, trazendo dois soldados com ele. A mulher tinha características duras e cinzeladas. Sua bochecha estava manchada com sangue seco. Ela manteve a arma apontada para nós enquanto falava. "Nós vamos pedir isso uma vez " ela disse. "Tem alguém aqui associado ao regime? " Ficamos em uma linha, as nossas mãos no ar, e eu tentei diminuir minha respiração para que meus dedos parassem de tremer. Alguns segundos se passaram. A mulher ao meu lado estava olhando, esperando para ver se eu iria falar. Eu fechei os olhos. Eu era a filha do rei, o fato inescapável. Ninguém falou. O vento soprava em cima do telhado, levando água para os meus olhos. Eu contava os segundos, grata quando cada um passou. O outro soldado, que era mais baixo, as calças rasgadas nos joelhos , entrou na nossa frente. Ele inspecionou nossos rostos, nossas roupas, parando por um instante na mulher com o uniforme do Palácio. " Será que você trabalha - "

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


"Espere ", disse alguém no final da linha. Um homem com uma jaqueta cinza esfarrapada estava olhando para mim, seu dedo tremia quando ele apontou na minha direção. "Ela é a filha do Rei. Eles ordenaram sua execução na Cidade hoje . " " Pela tentativa de assassinato de seu pai, " a mulher ao meu lado acrescentou. Ela se virou, de frente para o soldados. "Vocês não podem puni-la . Ela agiu com os rebeldes , e não contra eles. " O soldado não falou. O soldado baixo, atarracado, de cabelos grisalhos me tirou da linha. Ele pegou a corda do cinto e começou a amarrar minhas mãos, enquanto o outro soldado apontou a arma para o meu peito. Seus rostos estavam calmos, não traindo nada . " Alguém mais? ", Perguntou o soldado feminino. Ela falou lentamente , e notei então que o lábio estava cortado, a carne inchada no canto de sua boca. "Será que ninguém é do Palácio ? " "Ela não deve ser punida", repetiu a mulher . Ela baixou as mãos, saindo da linha. "Por favor, a deixe. Ela está grávida. " O homem de cabelos grisalhos me puxou para frente , com as mãos atadas. "Essa não é a sua decisão. " Ele me levou em direção a saída do telhado , o soldado do sexo feminino nos seguindo. O resto dos cidadãos ficou ali, observando, suas mãos ainda levantadas quando os soldados me puxaram para baixo das escadas. Assim que ficamos a sós , as palavras dos meus lábios se derramaram. Tentei não parecer desesperada quando ele me puxou para frente, os degraus de metal passavam rapidamente sob os meus pés . "Eu estava trabalhando com Moss. " Eu não podia ver os seus rostos no escuro. "Ele estava em uma posição dentro do Palácio , e eu estava trabalhando com ele em um plano para assassinar o rei . " O soldado atarracado torceu a corda em torno de sua mão mais uma vez, sem olhar para mim enquanto eu falava. Fomos através do depósito de cimento, seu úmido interior sombrio cheios de móveis -armários embutidos, tabelas e cadeiras. A espingarda foi pressionada nas minhas costas quando saímos para a estrada . "Eu nunca ouviu falar de um Moss " , disse o soldado feminino.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


" Reginald ", eu disse . " Ele passou por Reginald dentro da Cidade . Ele trabalhou como Chefe de Imprensa do meu pai " . Um incêndio queimou lá na frente, lançando um brilho estranho nos edifícios . O soldado corpulento me puxou junto , a corda queimando meus pulsos. " Você admite que ele é seu pai ", disse ele . A mulher sacudiu a cabeça. Seu cabelo estava enrolado em dreadlocks finos , as extremidades deles cobertos de sujeira . "Eu fazia parte da trilha ", acrescentei . " Pergunte às mulheres em Califia. Pergunte a Maeve . Ela sabe . " Nós mantivemos o movimento, seus rostos insensíveis enquanto caminhávamos linhas passadas de cidadãos. Alguns estavam amontoados nos complexos de apartamentos externos, sendo questionados pelos rebeldes . Toda uma linha de novos soldados americanos estava no estacionamento de um supermercado abandonado, suas mãos amarradas atrás das costas , as suas armas em uma pilha . Tentei afastar o medo silencioso e persistente que tinha tomado conta de mim . Eu poderia terminar aqui ,com eles? " Eu o matei . Não foi uma tentativa . Você saberá em breve. Ele está morto. " Eles não responderam . Estávamos chegando à estrada principal . Um bando de rebeldes estavam pelos apartamentos , a sua fachada de vidro escuro . Eu ouvi uma mulher gritando ordens e apontando em diferentes direções , gesticulando com as mãos. "Precisamos de mais no extremo sul da cidade ", disse ela . Ela estava de costas para mim, com o cabelo preto curto emaranhado na nuca de seu pescoço. Eu sabia quem ela era antes que se virasse, revelando o mesmo perfil que eu tinha visto uma centena de vezes antes. Eu sorri, apesar da corda que atava minhas mãos, apesar do som de tiros lá fora , no norte, perto da parede. " Você está viva , " Eu olhei para fora. "Você é o líder rebelde ? " Arden transformada. Seu cabelo negro tinha crescido para fora, emoldurando seu rosto em um curto bob . Em suas roupas lama endurecida, a faixa vermelha amarrada firmemente em torno de seu bíceps , ela parecia como qualquer outro soldado. Um rifle foi atirado em toda a sua volta. Ela ergueu uma das mãos , e os soldados ao redor dela caíram em

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


um silêncio lento, parando, esperando por ela para enfrentá-los novamente. Então ela veio até mim, me envolvendo em um abraço. O peso de tudo isso me abalando, meu corpo cedeu ao dela. Eu enterrei meu rosto em seu pescoço, chorando pela primeira vez em dias, de forma tão intensa que eu senti como se alguém estivesse me sufocando. Ficamos assim, trancadas em um abraço apertado, como se fôssemos as duas últimas pessoas na Terra .

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


TRINTA E DOIS " Eles viram o primeiros sinais dos caminhões ", Arden disse . " Não vai ser mais de uma hora até que as meninas de Escolas cheguem à cidade. " Ela saiu de seus sapatos , enrolando seus pés debaixo dela quando ela se sentou na beira da minha cama . Ela usava um suéter de malha preto e saia bordada - cabelo escovado longe de seu rosto . Depois de tantos meses juntas na natureza , vê-la em rígidas roupas sujas de terra , ela parecia estranha para mim . Ela parecia tão à vontade dentro da Cidade , confiante, mesmo na forma como ela se sentava -pernas dobradas para um lado , dedos amassando um músculo no pescoço . "Eu vou com você para recebê-las ", disse eu . " Os trabalhadores dos centros de adoção foram colocados de plantão para ajudar. Eles trouxeram os suprimentos para os andares mais baixos dos apartamentos. Esperamos que em algumas semanas , quando as coisas se estabilizarem, as meninas possam começar a se aventurar na cidade.” "Esperamos que , " Arden repetiu. Ela encontrou meu olhar por um momento antes de olhar para longe . Ela não precisa explicar o que ela queria dizer. Fazia três semanas desde que as colônias assumiram, e a cidade ainda estava em transição . Eu me perguntei quanto tempo iria durar, as ondas repentinas que se levantaram na faixa principal . Uma facção de Novos soldados americanos assistiram os rebeldes tomarem o controle do exército e afrouxando a segurança na parede . O tenente tinha fugido nas horas seguintes a invasão , abandonando os homens. Quando eu imaginei a vida na cidade sem o meu pai, com os rebeldes fixos no Palácio , eu não tinha percebido que eu ainda estaria em perigo. Mesmo agora , apesar de Arden e eu estarmos escondidas na torre Cosmopolitan vários quarteirões de distância , soldados me acompanhavam aonde quer que eu fosse. Eles estavam estacionados fora das nossas portas à noite , em antecipação a uma tentativa de assassinato . "As eleições pode vir em breve ", disse eu . " Uma vez que o governo formalmente a transição , uma vez que há um líder " "O Presidente ", Arden especificou, quase sorrindo quando ela disse isso . " O primeiro presidente em quase dezessete anos . "

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


" Talvez ", eu disse . Arden ficou de pé, mal reconhecendo o comentário. Vários líderes do leste tinham decidido que era melhor para combinar os recursos das cidades agora , estabelecendo -os como três separados assentamentos sob o regime unificado . Um casal que tinha levado a colônia mais setentrional estava a ser dito para eleição, mas havia rumores de que Arden seria considerada também. Ela foi uma das três rebeldes do oeste que tinham inspirado as colônias a vir para frente, quando a sequência do cerco falhou. Quando eu pensei em Arden deixando os meninos e, em vez de tomar um cavalo para o leste, eu estava certo de que ela merecia um permanente lugar no Palácio (embora esse termo - "Palácio" , estava sendo usado cada vez menos hoje em dia). "Haverá um lugar para você também ", disse Arden . " E Charles . Ele tem sido inestimável no acesso dos arquivos do seu pai dentro da cidade. Os rebeldes disseram que nenhum dos outros iriam ajudar com a transição.” Nos dias após os rebeldes estabelecerem o controle , eu tinha sido deposta, dando um longo relato dos acontecimentos que antecederam a morte de meu pai , incluindo os dias que eu passei na vida selvagem. Eu tinha dado um relato detalhado da morte de Moss, embora seu corpo ainda não tinha sido recuperado. Eles suspeitaram que ele tinha sido enterrado em uma das valas comuns perto da extremidade sul do muro. Um número exato nunca tinha sido confirmado, mas acreditavam que vários milhares morreram no cerco inicial e na violência que se seguiu. Arden encaminhou-se para a porta, eu fiquei de pé, o movimento repentino me enraizamento no lugar. Eu descansei minha mão no meu estômago, que estava tão inchado agora que eu já não podia escondê-lo debaixo da minha camisa . " O que é isso ? ", Perguntou Arden, dando alguns passos em minha direção, rapidamente fechando a lacuna entre nós. Eu pressionei minha palma para o lugar onde eu me o senti , esperando que o movimento rápido e súbito voltasse. Eu tinha notado um sentimento estranho , que vibra antes, mas já tinha passado rapidamente. "Eu acho que eu a senti. " Foi um estiramento sutil , quase como um espasmo muscular , tão rápido que eu me perguntava se imaginei. Arden ficou ao meu lado , congelada , com as mãos estendidas, ela parecia incerta quando me estudou . Eu mantive meus dedos logo abaixo do meu umbigo, e ondulação voltou. Comecei rindo, a estranheza que me assustando.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


" Eve", disse Arden , desta vez dobrando minha mão na dela . Eu podia ver em seu rosto, senti o caminho do seus dedos até a minha barriga. Desde que eu disse a ela o que aconteceu com Pip, ela tinha ficado mais preocupada, observando-me de perto nas semanas seguintes a sua chegada . " Você está bem ? " Olhei ao redor da sala , vendo-a como se fosse a primeira vez. A cama que era só minha, a camiseta de Caleb pressionada por baixo do travesseiro. A porta que não tinha teclado ao lado, nenhum código ou bloqueio para manter-me dentro. Mesmo a cidade parecia diferente agora, o céu fora da janela de vidro de um azul claro , não adulterado . "Eu estou bem ", eu disse , deixando minha mão deslizar do meu estômago , sentindo como se isso fosse realmente verdade. "Nós ambos estamos. " Meninas chegavam nos caminhões , uma longa fila delas, agarrando suas mochilas para seus peitos , algumas segurando as mãos. A segunda onda de refugiados das Escolas , chegou quase doze horas após a primeira . " Arquivo único ", um dos voluntários chamou. Ela ficou em frente a entrada dos apartamentos , direcionando as meninas para dentro. Caminhei pelo saguão vazio, meio em transe. Era quase uma da manhã e eu não tinha dormido desde a noite anterior . "Qual é? " Pediu um voluntário , a começar por mim. Eu a reconheci como um dos trabalhadores dos centros de adoção. " Uma escola no norte da Califórnia ", disse eu . " Trinta e três . " Ela me olhava, esperando que eu fosse em frente, mas meus pensamentos se voltaram para Clara e Beatrize . Eu estava esperando por eles, meio esperando que elas estariam entre este grupo . Califia tinha enviado palavra que várias mulheres estavam voltando para a cidade , uma vez que chegou a uma das Escolas liberadas . Caminhões tinham sido despachados para coletá-las , junto com Benny e Silas . Eles deviam estar a poucas horas de distância , não mais. Eu me virei para ir embora, mas a mulher ainda estava ali, me estudando . "Sinto muito ", eu disse . "Eu estou um pouco distraída. " " Você disse que estava procurando meninos da área de Lake Tahoe ", ela perguntou , com o rosto amolecendo . "Ouvi dizer que eles trouxeram novos sobreviventes dentro, todos já estão no MGM ".

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


Olhei para o hall de entrada, tentando me orientar em meio ao caos . Eles tinham assumido que os meninos da canoa não tinham escapado no cerco inicial. Nenhum dos médicos relataram sobreviventes dessa área, e Arden tinha verificado entre os feridos. Ainda assim, eu andei em direção à saída , querendo pelo menos saber por eu mesma. Dois soldados se arrastavam atrás de mim , sussurrando algo que eu não podia ouvir . Saí para a noite. A fumaça desapareceu, as estrelas eram mais brilhantes do que tinha visto nas últimas semanas. Eu tinha pensado neles, Kevin , Aaron , Michael , e Leif – me perguntava sobre eles cada vez que os caminhões atravessavam , removendo os restantes corpos da rua. Quanto tempo eles tinham ficado dentro da Cidade ? Por quanto tempo eles lutaram ? Arden os deixou mais de um mês antes, 50 milhas ao norte , quando eles seguiram para os portões da cidade. Os soldados me alcançaram, me bloqueando em ambos os lados, com as mãos em suas armas. Quando entrei nos quartos da frente da MGM , o ar estava pesado com o cheiro de sangue, tinha sido criado um improvisado hospital.. O lobby estava agora coberto com camas e colchões de qualquer coisa que pudessem encontrar para estabelecer os feridos. Andei através das linhas, varrendo cada cama, à procura de rostos familiares. O rosto de um homem estava enfaixado e sangrando, parte de sua orelha separada de sua cabeça. Outro tinha o braço arrancado, provavelmente por uma granada que explodiu em sua mão. Todo lugar que eu olhava as pessoas estavam em sofrimento , algumas com apenas quatorze anos. Mudei-me ainda mais para baixo , de forma rápida e metodicamente quanto possível, mas nenhum dos meninos estavam aqui. " Você está bem , senhorita? " Um dos guardas perguntou . "Você está perdida. " " Estou à procura de sobreviventes do norte. Membros de um grupo rebelde de Lake Tahoe ". O guarda examinou as macas . "Eu só ouvi falar de um", disse ele. Do outro lado do saguão, um médico pairou acima de um homem com ataduras grossas e brancas sobre seu olho direito . O guarda apontou para ele , como se ele fosse o único a perguntar. O médico estava na casa dos cinquenta , o cabelo uma mistura de cinza e

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


branco. Ele usava uma camisa branca lisa e calças pretas . Quando me aproximei dele, recolheu alguns papéis debaixo da maca , rabiscando alguma coisa nas margens. "Eles disseram que você poderia me ajudar , estou à procura de sobreviventes do grupo rebelde, perto do Lago Tahoe. " O médico balançou a cabeça, tecendo através das camas, sem se preocupar em dizer-me para segui-lo. "Eu tive esse jovem em meus cuidados já há algum tempo, fui ordenado pelo governo do Rei para não tratá-lo, para deixá-lo morrer. Mas ele sobreviveu, e eu o vi ao longo dos últimos meses. Ele não recuperou o uso de suas pernas, mas ele está em um dos quartos. " "Qual é o nome dele? " Eu perguntei, esperando que, se pudéssemos identificar Aaron , ou Kevin , poderíamos ser capaz de encontrar os outros. " Caleb Young. " "Onde? " Eu perguntei, correndo em direção ao corredor , não esperando ele me seguir. " A sala no final do corredor. Ele está com outros três. " Ele olhou de soslaio para um dos guardas . " Quem é ela? ", Questionou. Eu não olhei para trás . Eu só olhei para frente , à frente , uma mão no monte suave de meu estômago enquanto eu gritei para os dois. "Eu sou sua mulher . "

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu


RECONHECIMENTOS

Esta série não seria possível sem o apoio de várias pessoas. Um grande abraço e obrigado a: Josh Bank, por uma reviravolta que mudou tudo ; Sara Shandler , fada madrinha da edição, que realmente pode transformar sonhos em realidade ; Joelle Hobeika, editor , confidente, almoço , caminhadas amigo para ela afiada editar cartas , para falar através de manchas ásperas , e por conhecer esta série de dentro para fora ; Farrin Jacobs, para sua fé e apoio contínuo , e Sarah Landis, por todos os seus insights valiosos . Infinito agradecimento para vocês defender Eve in-house . Para a equipe inteira Eva, que promoveram esses livros com amor e carinho : meus publicitários em Harper Collins , Marisa Russell e Hallie Patterson, por ajudar a fazer da Primavera para a turnê Futuro tal um enorme sucesso ; Deb Shapiro, para arremessos e mais, e Christina Colangelo , para todos os meus Dark Days . A grande obrigado a Kristin Marang , para aquelas semanas loucas de maratona de blogs. E para Heather Schroder em ICM , para ficar acordado até tarde para terminar uma vez. Seu entusiasmo significou tanto . Para muitos amigos , em muitas cidades , pois o amor sem limites e apoio. Um agradecimento especial para os amigos e família que li todas as páginas : Eve Carey, Christine Imbrogno , Helen Carey, Susan Smoter , Cindy Meyers , Ali Mountford , Anna Gilbert, Lauren Weisman e Lauren Morphew . Muito amor para meu irmão, Kevin, consultor médico oficial e não oficial publicitário. Eu seria duramente pressionado para encontrar outro 31 anos-velho tão animado sobre esta série. Para meu pai amável e democrático, Tom, por apenas me enganarem na melhor das coisas. Obrigado por não levar este livro pessoalmente. E a minha mãe, Elaine, por acreditar no invisível. Sua fé tem me puxado para passar. Eu te amo, eu te amo, eu te amo.

Dark Knight www.facebook.com/Darkknightradu

03 rise anna carey - Série Eve (Vol. 3)  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you