Issuu on Google+

Revista da Divina - Distribuidora de Vitaminas Naturais Sundown | n.1 | jan/fev 2011

Bikestyle Andar de bicicleta: um estilo de vida


carta ao leitor

expediente

expediente A Sun é uma publicação da Sundown Vitaminas.

A vitamina certa Av. Marechal Mascarenhas de Moraes, n° 5855-B Imbiribeira – Recife/ PE CEP: 51210-00 Telefone: (081) 3087-3087.. São Paulo Capital: (11) 3168-8509.. Demais localidades: 0800-110345.. http://www.sundownvitaminas.com.br/ Diretor-presidente: João Marinho

Rua da Guia, nº 99 Recife Antigo - Recife/PE CEP: 50030-210 http://www.exclusivabr.com/ Telefone: (081) 3366-9654. Exclusiva!BR Diretora: Luciana Lewis | luciana@exclusivabr.com.. Editor: Fernando de Albuquerque | fernando@exclusivabr.com.. Editora de arte: Geovana Vieira.. Redação: Ariane Cruz, Geisa Agricio e Thiago Neves.. Design e criação: Paula Santos e Gabriel Azevedo...

Por uma receita de viver

Este é o primeiro número da Sun. E, diferentemente, de outras publicações do mesmo segmento, queremos causar reações. Queremos difundir uma forma diferente de viver e ver o cotidiano diário. Para isso, na nossa receita, é preciso, a qualquer idade, se permitir, por exemplo, uma boa gargalhada, à sós, no momento de se erguer na cama. É preciso treinar, como quem faz ginástica, para ser sinceramente modesto. Saber contar, com irreverência, histórias em que faz papel de No mundo corporativo, fomos em busca dos perfis bobo, e que tenham acontecido realmente. profissionais e, para nossa surpresa, os novos líderes são cada vez mais jovens. Já na casa dos 20 anos, eles Nesse entendimento de vida, nossas matérias trazem estão ocupando cargos de gestão. Liderando equipes o melhor da nossa passagem na terra: histórias de com gente mais velha que eles. Movimentando a roda vida. Pessoas que, para bem ou para o mal, são exem- -viva dos negócios e inovando as antigas atitudes liplos a serem seguidos. Na matéria de capa, entrevista- gadas ao mundo dos negócios. mos pessoas que, no alto de um cotidiano estressante, decidiram largar o carro e andar de bicicleta. Gente Nesse ínterim, novas carreiras também surgiram. Uma que não se furta ao prazer de começar o dia logo após miríade de profissões inovadoras estão tomando conboas pedaladas. Contemplar a cidade, as pessoas, os ta da cabeça dos jovens. transeuntes e mesmo os motoristas. E coisa de jovens são as redes sociais. Nossos prinE para isso conversamos com muita gente. Procuramos cipais amigos estão lá. Os novos amigos! E não imhistórias interessantes de pessoas que, como nós, têm porta quem faz a pesquisa, os números apontam que uma rotina corrida e que fazem de tudo para terem um boa parte da parcela de internautas já criou um perfil, dia um pouco diferente e repleto de novas sensações. tem várias contas e faz uso assíduo do mesmo. Confira nossa matéria sobre as relações contemporâneas. Bem, a Sun é isto: um estilo de vida. Uma forma de encarar a realidade da forma como ela deve ser: verdadeira, alegre, festeira, bem vivida e, acima de tudo, leve e saudável. Boa leitura! Até o próximo número.

João Marinho e CId Jardim CEO da Sundown Vitaminas expediente

4 | jan/fev.2011

foto de CAPA: Stock.xchng/les chatfield

jan/fev.2011 |

5


edição 01 . ano 01 . jan/fev 2010

Para aquecer e garantir seu futuro

42

08

Redes Sociais

Impossível viver sem

Beleza44

12

Os essenciais

46

40

sumário

sumário

Notas de Carreira40

edição 01 . ano 01 . jan/fev 2010

42

Notas de Beleza

Como fazer em casa?

14

Lançamentos08 Música, literatura e tecnologia

20 22

12

Turismo

Os principais destinos para serem vistos

Olinda14

Olinda, a cidade das artes

20

Comer

24

Onde comer, o que comer e onde ler

Gastrô22 Vale tudo no Kebab

26 28

24

Fitness

Antes e depois dos exercícios

Bem-estar26 Para o corpo e para a mente

28

Vitrine48

44

Quando o minimalismo comanda!

50

Moda

Quatro looks, quatro estilos

Quem Disse?53

O quê? Como? Onde?

55

Internet

46 48

Full speed ahead

Digo e Repito57

A origem das coisas

58

Nutrição

Manutenção da saúde

50 53 55

Capa

Para ver e sentir a cidade

34

Motos34

57

Objetos de desejo sobre rodas

36 6 | jan/fev.2011

36

Carreira

Uma bova geração de líderes

58 jan/fev.2011 |

7


ler, ver e ouvir

ler, ver e ouvir

Diferenças e aproximações

Fotos: Divulgação

A coletânea reúne estudos críticos produzidos por especialistas na literatura dos escritores Machado de Assis (1839-1908) e Guimarães Rosa (1908-1967). Silviano Santiago, por exemplo, analisa as referências a Napoleão nas histórias machadianas. Já na parte intitulada “Olhares e Espelhos’’, os contos “O Espelho’’, um de Machado, outro de Rosa, servem de mote para tratar as semelhanças e diferenças entre eles, os mais importantes ficcionistas brasileiros.

Novos milicianos

Cenas como um helicóptero abatido no morro dos Macacos (zona norte) e um tiroteio em São Conrado (zona sul) fixam a ideia de que o tráfico é o inimigo nº 1 do Rio. “Elite da Tropa 2’’, que chegou às livrarias com a estreia do coirmão “Tropa de Elite 2’’ nos cinemas (têm personagens e histórias semelhantes, mas um não é adaptação do outro), desmonta essa imagem. Os principais adversários do policial civil fictício que narra o livro e do agora coronel Nascimento no filme, são as milícias, grupos formados por policiais, ex-policiais e bombeiros para controlar ilegalmente serviços como transporte coletivo, venda de gás e TV a cabo. Para os autores, as milícias são mais perigosas porque nascem dentro do Estado, têm informações privilegiadas e planos ambiciosos. A vinculação entre crime e política, que já aparecia no livro de 2006 (180 mil exemplares vendidos) e no filme de 2007, fica mais forte agora, pois milicianos já conquistaram mandatos no Rio. Elite da Tropa 2 (304 págs.) Luiz Eduardo Soares, Cláudio Ferraz, André Batista e Rodrigo Pimentel Editora Nova Fronteira Preço médio: R$ 39,90

8 | jan/fev.2011

Suspense em novela

Publicado inicialmente em 1931, “A Sombra de Innsmouth” traz o relato de um jovem que, durante uma viagem pela Nova Inglaterra, se vê obrigado a passar uma noite em Innsmouth, vilarejo portuário em ruínas, que esconde um mistério profundo. O volume tem ainda uma carta em que Lovecraft (1890-1937), mestre dos contos de horror, expõe seu método de trabalho a insatisfação que sentia em relação ao mercado editorial. A Sombra de Innsmouth (136 págs.) H.P. Lovecraft com tradução de Guilherme da Silva Braga Editora Hedra Preço médio: R$ 17

Machado e Rosa (512 págs.) Organização de Marli Fantini Ateliê Editorial Preço médio: R$ 64

Para compreender o mundo contemporâneo

Por meio de ensaios do filósofo alemão Walter Benjamin (18921940), a autora procura compreender o capitalismo atual, associando o fenômeno do fetichismo ao consumismo. Na primeira parte de “Benjaminianas’’, a pesquisadora Olgária Chain Féres Matos discute as conexões entre fetichismo e política. Na segunda, os estudos abordam os reflexos da economia nas relações sociais. Já a terceira parte trata das consequências do consumismo na sociedade. Benjaminianas (304 págs.) Olgária Chain Féres Matos Editora Unesp Preço médio: R$ 45

Clássico em quadrinhos

Duas das principais histórias policiais da inglesa e best seller Agatha Christie (1890-1976) são adaptadas ao formato de graphic novel por François Rivière e Solidor. A versão em quadrinhos traz cenários exóticos e oferece aos fãs a oportunidade de avaliar o visual do detetive Hercule Poirot, principal personagem criado pela dama do crime. Assassinato no Expresso do Oriente e Morte no Nilo (104 págs.) Agatha Christie com tradução de Alexandre Boide e adaptação de François Rivière e Solidor Editora L&PM Preço médio: R$ 42

jan/fev.2011 |

9


ler, ver e ouvir

ler, ver e ouvir Fotos: Divulgação

Mais um filho da indústria

Que Mark Ronson se tornou um dos produtores mais famosos da música atual, isso é inegável. Mas nem sempre produzir discos de sucesso é o bastante para garantir uma carreira “solo” bem sucedida. O solo está entre parênteses de propósito, uma vez que, ouvindo Record Collection, soa como Mark Ronson colaborando com uma infinidade de artistas e não o contrário, como deveria ser. Nada contra a música em si, mas ela poderia estar no disco de uma lista infinita de pessoas (Amy Winehouse e Lily Allen encabeçando o arrolamento) e, por isso, acrescenta pouco ao panorama musical. Tudo dentro dos conformes, esse disco, cujo primeiro single, “Bang Bang Bang”, já alcançou sexto lugar nas paradas britânicas, serve como uma cartilha ensinando como se manter um nome marcante na indústria do entretenimento, mesmo que, muitas vezes, isso se torne verdade mais pelas aparências do que pelas virtudes sonoras.

Experimentalismo mineiro

Mark Ronson Columbia Preço Médio: R$ 63,20 Ouça em: http://www. markronson.co.uk/global/ frontpage

Pato Fu é uma banda naturalmente fofa. Mas não levem o termo “fofo” como algo depreciativo, assim como não dá para pensar que o disco “Música de Brinquedo” é puro passatempo. A ideia de fazer um trabalho tocando instrumentos que, na verdade, são pequenas traquitanas que vêm da nossa infância, teria tudo para ser um tiro no pé se não fosse tão bem executada e encaixasse de forma perfeita ao espírito “funiano” de ser. Covers de canções consagradas e facilmente reconhecíveis se tornaram absurdamente novas e revigorantes como no caso de “Ovelha Negra”, “Sonífera Ilha” e “Todos Estão Surdos”. No fim das contas, realmente as criancinhas que auxiliam nos vocais da canção do ex-Beatle é uma das coisas mais adoráveis que existem. No fundo, não deixa de ser mais um trabalho experimental do grupo mineiro.

Novo sucesso

Samba para a vida

Juventude erudita

O CD reflete o clima rural e autobiográfico do DVD homônimo, ambientado em Duas Barras, cidade fluminense onde o cantor nasceu. “Meu Off Rio’’ e “Pra Mãe Tereza’’ explicitam esse tom, que se mantém em sucessos como “Filosofia de Vida’’, “O Pequeno Burguês’’ e “Madalena do Jucu’’. O repertório compensa em unidade e qualidade o que não tem em novidade.

Dotado de extremo bom gosto e virtuosismo, o jovem violonista Diogo Carvalho executa deliciosas transcrições para o instrumento solo de obras de compositores franceses da “belle époque’’, como Claude Debussy (“Claire de Lune’’, “La Fille aux Cheveux de Lin’’ e “Golliwogg’s Cake Walk’’), Maurice Ravel (“Pavane pour une Infante Defunte’’) e Erik Satie (“Gnossiene nº1’’).

As críticas fervorosas de apreciação ao quarto trabalho dos americanos de Geórgia não poderiam ser mais justas. Halcyon Digest mostra o Deerhunter na sua melhor forma, tornando uma missão praticamente impossível enumerar os motivos pelos quais esse disco é forte candidato a ganhar inúmeros prêmios em 2010. A princípio, HD tem tudo para ser o fenômeno indie deste ano, da mesma forma que o Animal Collective conseguiu em 2009 com Merriweather Post Pavillion (não é à toa que ambas as bandas trabalharam com Ben Allen como produtor). Se, mesmo assim, você não estiver convencido que o Deerhunter vai te agradar (um ranço compreensível, uma vez que muita gente demorou para entender as intenções de Bradford Cox e companhia), ouça “He Would Have Laughed” e sinta-se abraçado pela canção.

Filosofia de Vida Martinho da Vila MZA Preço médio R$ 32 Ouça em: http://www.martinhodavila.com.br/

Impressionism Diogo Carvalho (violão) Azul Music Preço médio: R$ 20 Ouça em: http://www.dcarvalho.com/

Halcyon Digest Deerhunter 4AD Preço médio: R$ 48,00 Ouça em: http://www.myspace.com/deerhunter

10 | jan/fev.2011

Música de Brinquedo Pato Fu BMG Preço médio: 25,60 Ouça em: http://www.patofu. com.br/

Jazz com alma de rock

Desde pequeno, o violinista norte-americano Ted Falcon é habituado à sonoridade da bossa nova e das refinadas composições de Villa-Lobos, que ecoavam da vitrola de seu pai, guitarrista profissional. Depois de estudar chorinho, Falcon criou uma banda para difundir o ritmo em seu país de origem. Há sete anos, vive, respira e toca choro e outras expressões musicais genuinamente nacionais. Depois de tantos anos de fidelidade às raízes musicais tupiniquins, ele decidiu resgatar o passado e fazer uma releitura de suas outras influências. “Dessa vez, queria investir em um projeto que resgatasse minhas raízes e mostrasse quem eu sou. Mas a vida é longa, e logo voltarei ao choro”, avisa. O resultado é um grupo batizado de Jambrosia, que acabou de lançar seu primeiro disco. E não é só sua porção jazzística que está presente nas 10 músicas compostas por Falcon e gravadas pelo grupo no álbum homônimo. Além do groove à la James Brown, ele investe em guitarras ao estilo de Led Zeppelin, traz elementos da música africana e até mesmo do mahsum, um ritmo árabe. Ouça em: http://www.myspace.com/jambrosia

jan/fev.2011 |

11


Oficialmente, a estação mais quente do ano só começa em dezembro. Mas, no Nordeste, a abertura do Verão é celebrada ainda em setembro. Aproveite que os termômetros estão já marcando acima do 30º C e se jogue em uma das paradisíacas praias da região. No ceará, Jericoacoara é o destino certo para quem ficar sossegado, esticar as pernas e admirar uma das paisagens mais bonitas do país. Se você procura agito, Porto Seguro, no litoral Sul da Bahia, é ligada 24h, com shows e festas intermináveis nas diversas barracas de praia. No meio termo, está a charmosa Porto de Galinhas, em Pernambuco. As piscinas naturais e os grandiosos resorts do lugar são ideias para o relaxamento, mas, à noite, a Vila da cidade ferve, com seus bares, boates e restaurantes estrelados.

turismo

Nordeste

Após um intervalo de 60 anos, os trens a vapor estão novamente correndo pela histórica passagem Furka, nos Alpes Suíços. Com a reabertura da velha ferrovia entre Oberwald e a Vila de Realp, no outro lado da passagem de 2,4 mil metros, a região espera o retorno de turistas, que eram atraídos em massa desde a metade do século 19. A locomotiva passa bem no meio dos Alpes, oferecendo, aos passageiros, uma visão privilegiada dos vales e montanhas da região. A viagem de ida e volta na primeira classe custa 200 francos suíços (cerca de US$ 198) e 121 francos suíços (cerca deUS$ 120) na segunda classe.

Arnd Wiegmann

turismo

Os Alpes de trem

12 | jan/fev.2011

Arnd Wiegmann divulgação

rafael Medeiros

stoxk.xchng/ Caetano Lacerda

Uma das cidades mais bonitas da Europa, a capital da República Tcheca fica ainda mais encantadora durante o outono, quando as temperaturas estão mais amenas, e a multidão de turistas diminui. Durante a estação (especialmente em outubro) acontece o festival Strings of Autumn, que traz artistas de todo o mundo para se apresentarem em importantes pontos turísticos da cidade, a exemplo do Teatro Nacional e do Castelo de Praga. A programação é eclética e conta com nomes como a nova estrela do Jazz, o americano Vijay Iver, e a eslava Julia Fischer, uma das principais violinistas clássicas da atualidade. A programação completa pode ser vista em www.strunypodzimu.cz

divulgação

Ashley Palmero

Outono musical em Praga

Sabe aquela montanha que aparece ao fundo da clássica foto de Machu Picchu? Ela se chama Wayna Picchu (montanha jovem) e pode ser escalada. Se você tem um bom preparo físico e não tem medo de altura, esse é um passeio imperdível. Apenas 400 pessoas podem subir por dia, em dois grupos, um às 7h e outro às 10h. É preciso chegar bem cedo e enfrentar uma fila para conseguir uma senha. O percurso até o topo leva cerca de meia hora para ser completado. O esforço vale a pena: além de poder observar as ruínas de Wayna Picchu, de lá temse uma visão estonteante da cidade inca de Machu Picchu. Na volta, se ainda tiver fôlego, pegue uma outra trilha em direção ao Templo da Lua.

rafael Medeiros

Machu Picchu

Toy Story na Eurodisney

A Toy Story Land é novo espaço da Eurodisney, em Paris. A área foi desenhada para que os visitantes tivessem a sensação de serem brinquedos. Para tal, foram utilizadas árvores com mais de 30 metros de altura que envolvem a atração, e todos os elementos tiveram o tamanho ajustado: o jardim gigante, as pegadas do Andy, os bancos, a cerca feita de peças de dominó, a bola, o avião de madeira e outros aparatos que remetem ao filme da Disney. Entre as atrações, está o Toy Soldiers Parachute Drop, uma queda livre de 27 metros de altura que simula a aterrissagem de para-quedas dos soldados verdes no jardim de Andy, personagem principal da película. jan/fev.2011 |

13


A

paixão pelos livros tem saltado das páginas impressas e se instalado cada vez mais no mundo do turismo. Prova disso é o crescente número de eventos e festivais que tem se dedicado ao gênero. A mistura é quase sempre um deleite e um convite irresistível, pois associa locais paradisíacos a discussões literárias e atividades culturais. Mundo afora o destino literário mais famoso do Reino Unido é a Irlanda, dos Estados Unidos é Nova Iorque, da França é a própria capital, Paris. Na América Latina, a capital do livro é Buenos Aires. No Brasil Parati é a cidade mais famosa quando o assunto é literatura. Casa oficial da Flip por oito anos, a cidade fica cheia de turistas quando chega o mês de julho. Este ano, no entanto uma nova cidade dá o tom da mistura de charme, literatura, lazer e turismo: Olinda.

Com cerca de 300 mil habitantes a cidade foi, pela primeira vez a capital da literatura no último ano com a Festa Literária Internacional de Pernambuco (Fliporto). Foram mais de 40 escritores que fizeram parte de conferências em torno da formação da literatura judaica e dos principais diálogos contemporâneos sobre a formação da literatura judaica no mundo ibero-americano. Com o título desde ano já escolhido, “Fliporto: uma viagem ao Oriente”, a Festa Literária de Pernambuco se transformou no maior evento do gênero no Brasil. Foram mais de 60 mil pessoas circulando entre os principais polos do evento que englobam a Fliporto Gastronomia, Fliporto Criança, Cine Fliporto e Congresso Literário. O movimento financeiro da Festa – entre consumo em hotéis, táxis, bares e restaurantes –, no período,foi estimado em R$ 8 milhões. Com nível de satisfação de 95% entre ótimo e bom. “Queremos dialo-

Passando a ser a sede oficial da Fliporto, a cidade se torna a nova menina dos olhosquando o assunto é livros, literatura e conferências literárias Foto: prefeitura de Olinda/Antônio Melcop

gar com a nossa formação oriental. Vamos trazer nomes da Turquia e escritores da China”, afirma Antônio Campos, coordenador geral e curador literário da Fliporto 2010. Para além do esquife literário nada que os guias de turismo ou os próprios cidadãos falam sobre Olinda prepara os olhos para o festival de cores que é a cidade. Todos os tons de vermelho e amarelo percorrem as paredes do casario que se justapõem ousadamente à cor de abóbora e ao azul-turquesa dos sobrados que dominam as ladeiras de Olinda. Esta paleta de cores é aplicada à fileira de casas que ostentam pátios internos, varandas, grades, portões de ferro trabalhado, azulejos e telhados vermelhos. O centro da cidade, por exemplo, foi designado como área exclusivamente residencial, numa iniciativa incomum para as regas urbanísticas do Brasil. Há, pelo menos, 18 igrejas na cidade que datam dos séculos 17 e 18, e algumas do século 16. To-

dos os exteriores seguem as normas simples e agradáveis do barroco brasileiro: paredes brancas com janelas e contornos cor de mel, portas de madeira pintadas de verde floresta. É como se a arquitetura simples de Portugal celebrasse um verdadeiro encontro com oarco-íris brasileiro. Uma das principais igrejas que compõem o cenário olindense é a da Sé. Localizada no ponto mais alto da cidade, no alto da Sé, a construção data de 1537. Dentro da igreja encontra-se o santuário ornado com o dourado barroco em que uma abóbada cilíndrica e pintada em tom terra é composta por janelas de clerestório que deixam a luz solar passar gerando um deleite visual de grande riqueza. Outra construção clérical que merece enorme destaque é a igreja do Monsteiro de São Bento. Dentro dos limites de Pernambuco esta é a que possui a mais antiga documento do estado, uma certidão de nascimento datada do século 16.

turismo

turismo

Olinda: Capital internacional do livro


Voltando à rua, retoma-se o passeio pelo emaranhado de estreitas e íngremes vielas de paralelepípedos de Olinda. Perto do Mercado da Ribeira, o antigo mercado de escravos que hoje vende artesanato para turistas, encontramos um homem montado numa escada,que pintava sua casa do mesmo tom de azul elétrico que seu caminhão, estacionado diante dela. As únicas exceções neste universo todo azul eram o calção branco que ele vestia e os contornos brancos das janelas de arco gótico de sua casa. O azul de sua casa se destacava entre as vizinhas, amarelo claro e cinza, mas não fazia sombra a uma residência do outro lado da rua, em tom abóbora estilo pôr-do-sol.

Em frente ao museu, os soldados da infantaria da arte de Olinda somavam-se aos persistentes guias juvenis que se encontram por toda a cidade, e aos vendedores ambulantes que carregam álbuns de gravuras para vender a turistas, por US$ 1 cada. A maioria desses trabalhos é reprodução de foto, mas elas captam tão bem o esquema de cores de Olinda que Na rua paralela ao Mercado da Ribeira fica o Museu vale a pena comprar.

16 | jan/fev.2011

S

ó no último ano, o Brasil viu surgir uma série de eventos que possuem como objetivo central acalorar as discussões literárias e aproximar fãs e escritores longe dos ambientes acadêmicos. Estrearam no calendário eventos como a Festa Literária de Santa Teresa (Rio de Janeiro), a Festa Literária de Pirenópolis (Goiás), a Festa Literária do ABCD (Ribeirão Pires) e o Festival Literário de Ipu (Ceará). Entre os bastiões do turismo literário, estão a Festa Literária Internacional de Paraty (FLIP), que lota a rede hoteleira da cidade histórica carioca. Outro evento consagrado é o Festival de Literatura de são João Del Rei, que movimenta a cidade histórica em Minas Gerais.

turismo Felipe miguel

Festas literárias dão o tom das viagens no Brasil

marcus guimarães

beto figueiroa/santo lima

de Arte Contemporânea. Os objetos que ele contém, que incluem coloridas aquarelas feitas pelas crianças das escolas de Olinda, parecem ser uma extensão do que se vê nas ruas da cidade. A maciça construção do século 18 serviu como cadeia durante a Inquisição, e suas portas gigantescas, com enormes buracos de fechadura, estão ali para prová-lo.

beto figueiroa/santo lima

Ruas de olinda funcionaram enquanto sede da Fliporto e recebeu cerca de 60 mil pessoas nos quatro dias de evento

tom cabral/santo lima

beto figueiroa/santo lima

turismo

Ladeiras de Olinda abrem espaço para debates literários

Recife sedia série de festivais literários durante todo o ano

Em Natal, a dica é conhecer a casa do folclorista Câmara Cascudo. No local, vários quadros com fotos autografadas de personalidades amigas do escritor, objetos de artesanato popular colecionados por ele e a possibilidade de conhecer o escritório onde ele produzia suas obras. A capital do Rio Grande do Norte também sedia o Festival Para quem não quer fazer uma verdadeira imersão, mas Literário de Natal, que acontece em Agosto. apenas abordar o tema de sua paixão ao longo de uma viagem, diversos destinos nacionais possibilitam a vi- Recife também reserva surpresa aos leitores e viajanvência da literatura. Se estiver no Rio de Janeiro, a dica tes: a primeira delas é o Circuito da Poesia, uma hoé visitar a casa de Rui Barbosa, considerado o primeiro menagem, por meio de esculturas em tamanho real, a Museu-Casa do país. O local oferece biblioteca de 37 mil 12 expoentes da cultura pernambucana. As obras revolumes e os arquivos do escritor. Em São Paulo, o desti- tratam os poetas e artistas que cantaram a capitao do no certo é o Museu da Língua Portuguesa, um prédio de frevo: João Cabral de Melo Neto, na Rua da Aurora; Matrês andares no centro de São Paulo que permite uma noel Bandeira, também na Aurora; Clarice Lispector na Praça Maciel Pinheiro; Mauro Mota, na Praça do Sebo; verdadeira viagem pelo mundo das letras. Chico Science, na Rua da Moeda; Solano Trindade, no Em Minas Gerais, o viajante poderá fazer duas incur- Pátio de São Pedro; Ascenso Ferreira, no Cais da Alfânsões à obra de um dos principais mestres da literatura dega e Luiz Gonzaga, na Estação Central do Metrô. brasileira: Guimarães Rosa. Em Codisburgo, cidade mineira onde nasceu o escritor, o viajante poderá visitar Outra dica de passeio literário no Recife é uma visio Museu-Casa Guimarães Rosa, onde o autor passou ta à Fundação Gilberto Freyre, no histórico bairro de sua infância. Nos meses de junho e julho, a cidade Apipucos. A construção original se trata de uma casatambém sedia a Semana Roseana, que visa divulgar e grande que data do século XIX e abriga o conjunto promover um estudo mais profundo da obra literária de objetos colecionados, guardados e ordenados pela família Freyre. de João Guimarães Rosa.

jan/fev.2011 |

17


Empresa responsável por trazer os produtos da Sundown para o Brasil é pioneira nesse ramo

institucional

institucional

Divina comemora 20 anos

A

abertura da economia brasileira em 1991 foi a oportunidade ideal para o médio Cid Jardim empreender em um ramo no qual já possuia largo know-how: a importação de vitaminas. Com experiência na venda de vitaminas nacionais, ele fundou a Divina – distribuidora de vitaminas naturais. Buscando a excelência em relação aos fornecedores, Cid foi até os Estados Unidos e firmou um contrato de exclusividade com a Sundown, líder mundial desse mercado, que exporta para diversos países. Assim, a companhia tornou-se pioneira do setor no País e prepara-se para comemorar 20 anos de atuação. Em 1993, a sede da empresa muda-se de São Paulo para o Recife. No mesmo ano, o empresário João Marinho entra em sociedade com Cid, e a Divina passa a ser comandada a quatro mãos, com dois C.E.Os. “O Porto de Suape, em Pernambuco, nos oferecia diversas possibilidades e facilidades para importar, sem falar que era um porto menos congestionado. Tomamos a decisão vislumbrando o equipamento que ele iria se tornar. Foi uma visão de futuro”, conta Marinho, que comanda, no Recife, a parte administrativa, financeira e operacional, enquanto Cid conduz toda a parte de marketing e comercial a partir do escritório de São Paulo.

com 20 anos de história , divina distriibui saúde

18 | jan/fev.2011

Quando as vitaminas da Sundown começaram a ser importadas, o mercado brasileiro ainda engatinhava nesse setor e a utilização de vitaminas, e mesmo a medicina ortomolecular, que preza pela prevenção, ainda eram campos incipientes. Através de um trabalho de divulgação junto às farmácias, público final e entidade médicas, a Sundown foi desbravando a área. Ao longo dos últimos 20 anos, a carteira de clientes, formada por grandes redes de farmácias, saltou de 500 para 4 mil, um incremento de 900%, a empresa expandiu sua atuação de dois para os 27 Estados da federação, e hoje conta com um portfólio de 30 produtos, que fazem sucesso entre os consumidores, como o Omega Triple 3-6-9, Gelatin e o Sun Vite. O segredo para duas décadas de sucesso, João Marinho tem na ponta da língua. “Muito trabalho, muito esforço, dedicação, estudo, pesquisa e olhos abertos para novas oportunidades”, conta o C.E.O. jan/fev.2011 |

19


Gourmets, gourmands, chefs e aventureiros da cozinha de primeira viagem contam com uma rede social feita especialmente para eles. A Mais Que Receitas (www.maisquereceitas) tem como objetivo reunir e promover a troca de experiências entre os amantes da gastronomia. Lançado em maio deste ano, o site tem número de usuários crescente e já conquistou algumas estrelas da culinária, a exemplo de Salvatore Loi, do Fasano.

Para comer de joelhos Para cada situação, uma diversidade de pratos. A chef Carla Pernambuco, do restaurante Carlotta, lança seu sexto livro, o “Dez x 10 – 100 Receitas para Comer de Joelhos”, pela editora Leya. A publicação é dividida em dez capítulos diferentes, nos quais Carla faz um passeio pela gastronomia, com receitas modernas e fáceis de fazer. Um dos capítulos é dedicado aos pratos que a autora acha a cara de Nova York.

O capítulo “pecado” dedica-se a doces irresistíveis, como o “chocolate killer” 20 | jan/fev.2011

Dez x 10 | 100 receitas para comer de joelhos Editora Leya Preço médio: R$ 74,90 reprodução

Beijupirá Saldanha Marinho, s/nº, Cidade Alta, Olinda-PE Informações: (81) 9744-1144

Divulgação

Em operação há 19 anos na praia de Porto de Galinhas, litoral sul pernambucano, o restaurante Beijupirá inaugura nova unidade em endereço ilustre: Olinda, a cidade patrimônio histórico e cultual da humanidade. O empreendimento segue a essência gastronômica do balneário, com algumas inserções de entradas, pratos principais e sobremesas no menu. A restaurantrice Adriana Didier continua assinando a criação. Desta vez, ela conta com a ajuda do chef executivo Eduardo Santos, jovem paulista com passagem pelas cozinhas do D.O.M, de Alex Atala, e Vila Sabor, de Morena Leite. Os frutos do mar são o carro-chefe do cardápio e aparecem em receitas frutadas, que abusam de temperos aromatizados. No hall dos pratos principais, o destaque vai para o Poty Provençal: camarões puxados no manteiga de alho, com lascas de alho, salsinha e arroz de passa de caju.

Julia Moraes

Beijupirá em Olinda

Rede de receitas Divulgação

Azulejo Pernambucano Alameda Franca, 444, Jardins, São Paulo-SP Informações: (11) 8066-2287

http://www.domperignon.com/

reprodução

A casa de champagne francesa Dom Pérignon lançou uma série de garrafas chamada Tribute to Andy Warhol. Criadas pelo Laboratório de Design da Central Martins School of Art & Design, a coleção conta com três garrafas com as cores néon que marcaram o trabalho do ícone da pop art. O espumante é da safra de 2000, e as 240 unidades disponíveis no Brasil poderão ser encontradas em lojas especializadas com preço em torno dos R$ 700.

comer

Pérignon by Warhol

Em meio à agitação do bairro paulistano dos Jardins, esconde-se um recanto bucólico, com cheiros e sabores nordestinos: o bistrô Azulejo Pernambucano, do Gourmet André Palma. Inaugurado há três meses, a casa é pequenina e aconchegante e está localizada dentro de uma academia de yoga. A decoração, com obras de artistas pernambucanos e fotos de personalidades do Estado, une-se à música, que vai do frevo ao manguebeat, para transportar os comensais à essa porção ensolarada e festeira do Brasil. No menu, o brunch nordestino, sempre aos sábados, das 11h às 18h. A cada dia, um prato homenageia uma cidade pernambucana. Quinta-feira é a vez de Porto de Galinhas: charque paçocada frita, com cebolas caramelizadas, purê de inhame e farofa de queijo.

Divulgação

comer

bolo de rolo nos jardins

jan/fev.2011 |

21


fotos: Divulgação

São Paulo Kebaberia Rua Joaquim Floriano, 179, Itaim Bibi. Informações: (11) 3071-0267 Kebab Salonu Rua Augusta, 1.416, Consolação – Centro. Informações: (11) 3283-0890 Kebabel Rua João Moura, 871, Pinheiros. Informações: (11) 3062-7736 Rulla Kebab Rua da Consolação, 3.193, Cerqueira César – Centro. Informações: (11) 2506-7386

Invasão Árabe De rápido preparo e com inúmeras possibilidades e combinações, os Kebabs são uma verdadeira febre no Brasil e refletem a própria formação da gastronomia nacional, baseada na possibilidade do experimento

V

ocê vai a Nova York, e ele está lá, em todas as esquinas. Em Londres e Berlim, o cheiro no ar denuncia sua presença. Em Madri e Paris, ele é facilmente visto na companhia de mochileiros. O Kebab é comida de rua onipresente nas grandes capitais ao redor do mundo e, no Brasil, tem se tornado figura carimbada em restaurantes descolados. É fácil entender o porquê: versátil, saboroso e saudável, esse quitute de origem árabe – uma espécie de wrap oriental - tem sotaque cosmopolita e permite as mais diversas variações.

No Brasil, o prato passou um período no limbo das comidas rápidas indesejáveis, devido à má fama dos churrasquinhos gregos, versão nada confiável oferecida por ambulantes nas ruas de São Paulo. A redenção viria pelas mãos de restaurantes criativos, capazes de tirar proveito de toda a versatilidade do Kebab, em deliciosas intervenções. “No Kebab, tudo é possível”, define Daniel Lucas, um dos sócios da Kebaberia, restaurante aberto em 2005 em São Paulo, a primeira casa do gênero no Brasil.

Originado há cerca de mil anos na região da Pérsia – atual Irã – consiste, basicamente, em finas lâminas de carne bovina, de cordeiro ou frango, assadas em um espeto vertical giratório, consumidas no interior de um pão pita, acompanhadas de vegetais e molho. O Kebab ganhou alma ocidental pelas mãos do turco Mahmut Aygun, que emigrou da Turquia para a Alemanha na década de 70, aos 16 anos. Ele e criou o Dönner Kebab, substituindo o arroz – como era servido em sua terra natal – pelo pão.

Daniel e seu irmão Lucas trouxeram a ideia de viagens que fizeram pela Europa. Ao perceberem a ausência de restaurantes que serviam a iguaria, decidiram investir na casa, instalada no bairro do Itaim. O cardápio oferece 24 tipos de recheios, entre filé migon ao gengibre, pernil de cordeiro, porco, linguiça síria, frango ao curry e peito de peru, e 11 tipos de molhos, a exemplo de Chutney de manga e o tradicional Tahine, feito a partir da pasta de semente de gergelim, com suco de limão, azeite e sal.

22 | jan/fev.2011

Gastrô

Gastrô

Onde encontrar?

Rio de Janeiro Real Kebab Rua Teixeira de Melo, 53, Loja 1, Ipanema. Informações: (21) 2522-3589

Com mil anos de tradição, os Kebabs permitem múltiplas combinações Ao invés de servirem no habitual espeto giratório, os irmãos preferiram grelhar as carnes na chapa para evitar a associação com o churrasco grego de rua. “A palavra Kebab significa carne grelhada. Então, na prática, não é necessário ser no espeto, basta ter a carne grelhada”, pontua Daniel, cuja clientela é formada, em parte, por órfãos desse quitute, que o conheceram em viagens pela Europa. Atualmente, a cidade de São Paulo abriga cerca de 15 casas especializadas, um crescimento vertiginoso, que, aos poucos, vai atingindo outras capitais brasileiras. Há pouco mais de um ano, o polo gastronômico de Brasília, um dos maiores e mais diversificados do país, foi reforçado por dois restaurantes voltados para esse segmento. O Sheikebab, dos jornalistas Alexandre Lemos e Flávia Morais, nasceu a partir da ideia do filho de Flávia, que voltou de uma temporada na Europa encantado com o prato. A casa serve os tradicionais de cordeiro, frango e carne bovina, acompanhados de alface, tomate, cebola roxa, pepino e molhos de coalhada e Tahine. A criatividade dos candangos dá a tônica do Hayal Kebab, casa especializada em Kebas Gourmet. Os sócios Jorge Bittar, Marco Araújo e César Araújo passaram quatro meses empreendendo uma pesquisa de campo no Brasil até baterem o martelo sobre uma kebaberia diferenciada. Com

Brasília Hayal Kebab SCLS 408, bloco D, loja 15, Asa Sul. Informações: (61) 3244-8195 Sheikebab SCLS 103, bloco B, loja 12, Asa Sul. Informações: (61) 3323-5262 Salvador Rua Borges dos Reis, 46, LJ 5B e 5J, Rio Vermelho Informações: (71) 3015-3900

um cardápio criado pela chef Juliana Cestari, o restaurante foge às receitas comuns e aposta em uma combinação de especiarias. É o caso do Kebab Marrakesh, com cordeiro grelhado, molho picante de tomate e coco, mussarela e parmesão; ou do Maskate, recheado com filé migon, geleia de pimentão, castanha de caju e mussarela de búfala. “Também inovamos fazendo uma modificação no pita, para que ele pudesse dobrar sem quebrar. O resultado é um pão mais fino, fabricado especialmente para nós”, conta Jorge. Inovação somada a adaptação é o mote dos Kebabs com jeitinho baiano da Magid Kebaberia, no bairro do Rio Vervelho, em Salvador. Camarão ao alho e óleo, coalhada seca, tomate, cebola e alface formam o recheio do Kebab Saad, enquanto o Ganem leva carne seca desfiada, queijo coalho grelhado e salada. Todos os pratos levam nomes de famílias árabes da capital baiana, ideia do administrador Felipe Abud, de ascendência árabe, que, junto com o sócio Alan Kertzman, de ascendência judia, resolveram abrir a primeira kebaberia da cidade. “Curiosamente, os que mais saem são o tradicional, de cordeiro e o de carne seca. É um produto, de certa forma, ainda novo no país, mas com um potencial gigante”, afirma Kertzman. Se depender do apetite dos brasileiros, a febre iniciada na Europa tem tudo para evoluir para uma deliciosa invasão árabe no Brasil.

jan/fev.2011 |

23


FITNESS

de

ua

s

ce re

es lev

rra

ág

s to en

Alimentação correta pode garantir melhores resultados para seus exercícios

ba

se o uc

á ch

s

ais

banana

iogurtes

P

raticar exercícios físicos é requisito para manter uma boa saúde. E uma alimentação adequada pode ajudar, e muito, na obtenção de resultados mais satisfatórios. O primeiro passo para acertar na alimentação pré-malhação é jamais ir à academia de estômago vazio ou cheio demais. "Com fome, não há disposição para alcançar o máximo no treino. E, de estômago cheio, a pessoa certamente vai passar mal, podendo até vomitar. Ter isso em mente é valido tanto para aqueles que querem emagrecer, quanto os que desejam ganhar massa ou manter o físico", explica o professor do curso de educação física da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) Luiz Maia.

stock.xchng/ andres virviescas

Ele ressalta ainda, entretanto, que a alimentação muda com os objetivos a serem alcançados. Para os que desejam perder peso, Luiz recomenda ingestão de alimento líquido cerca de meia hora antes do início do exercício. "Sucos, chás e iogurtes líquidos são alimentos leves e que contêm poucas calorias. Eles não vão pesar no estômago, mas também não vão deixar a pessoa passar mal de fome durante o treino". Já as vitaminas e sopas são recomendadas por serem alimentos mais encorpados. Para aqueles que desejam um aumento de massa muscular, Luiz Maia indica biscoitos e barra de cereais. "Uma banana também é uma boa pedida", reflete. Além de saborosa, a fruta é rica em potássio, nutriente que evita cãibras.

24 | jan/fev.2011

fotos: stock.xchng

FITNESS

m ali

O que comer na hora de malhar?

A alimentação muda com os objetivos a serem alcançados. Para os que desejam perder peso, a recomendação é a ingestão de alimento líquido cerca de meia hora antes do início do exercício O professor também alerta para a ingestão de água durante o treino. Segundo ele, pessoas que desejam emagrecer devem evitar beber água enquanto malham. "É muito importante beber água durante o dia inteiro, para qualquer pessoa. Mas, para aqueles que desejam emagrecer, fazer isso pode atrapalhar os resultados. O ideal é beber um pouco antes, se exercitar e, só depois de cerca de uma hora do término da malhação, beber o primeiro copo d'água", orienta. O professor explica que, durante o exercício, a água atua como qualquer outro alimento (mesmo não contendo calorias), causando lentidão no metabolismo, isto é, diminuição da queima de calorias. Já para os que querem ganhar massa muscular, a água é uma forte aliada e deve ser ingerida antes, durante e após os exercícios. "Mas sem exageros. Água demais também causa sensação de peso no estômago e pode causar malestar", avisa Luiz. Para essas pessoas, isotônicos também são recomendados, sobretudo durante o treino, por fornecerem uma carga extra de energia.

jan/fev.2011 |

25


fotos: stock.xchng

Frutas

Açaí, romã, cupuaçu, uva e mais 15 frutas entram na receita do suco Monavie, que agora é enriquecido com colágeno hidrolisado. A proteína é o novo ingrediente obrigatório de bebidas com propriedades funcionais. O principal apelo é a possível ação do colágeno na pele, mas não há garantia de que a substância ingerida tenha efeitos cosméticos. A mistureba de frutas resulta em um suco escuro, com sabor ácido meio terroso. Melhor encarar bem gelado mesmo. Monavie , SAC 0800-891-5441

Erva da boa

Produtos e ideias para o corpo e para a mente

BEM-ESTAR

bem-estar

Plástica

Muita gente não sabe que, em alguns casos, é possível fazer uma cirurgia plástica de graça. É para divulgar esse tipo de informação que o site www.cirurgiaplasticagratuita.com.br foi lançado. Mas não se anime: procedimentos meramente estéticos quase nunca são feitos.

Temperar a carne com cominho, alecrim e coentro reduz os níveis de uma substância cancerígena liberada quando se frita um bife. Quanto mais esturricada a carne fica, pior. Expor o alimento ao calor por menos de quatro minutos também reduz a liberação desses compostos.

Fibras

Relaxante

Um escalda-pés com flores de camomila, óleos de lavanda e de abacate é sugestão do Amanary SPA, do hotel Grand Hyatt São Paulo, para começar a nova estação com os pés de fora. Os ativos da camomila agem como antioxidante e anti-inflamatório, enquanto os óleos hidratam a pele. A sessão ainda inclui esfoliação e massagem. De brinde, uma nécessaire com um kit de miniaturas dos produtos La Façon usados na sessão. Mais informações pelo (11) 2838-3300

26 | jan/fev.2011

Vem do Nepal um novo modelo de tapete, feito com fibras de cacto. É tecido à mão, sem tingimento artificial. Assim, não perde a cor e resiste ao sol. Os tons de bege são naturais da planta, e a textura é rústica, claro. Mais informações na Botteh Tapetes, pelo (11) 3081-6293.

“CHI”

Não que alguém aqui duvidasse, mas os benefícios do tai chi chuan acabam de ganhar mais um aval científico. Revisão de Vitamina D estudos da Universidade Seja por pouca exposição ao sol ou por falhas nutricionais, a deficiência de viTufts, nos EUA, mostra que, tamina D é bem comum. Pesquisas têm associado a vitamina à proteção contra além de fortalecer o corpo, alguns tipos de câncer, hipertensão e diabetes. Nada conclusivo, mas suficiente essa arte marcial sutil mepara detonar uma modinha de tomar vitamina D. Para quem tem até 50 anos, a lhora o humor e derruba indicação é de até 400 miligramas por dia. Entre os 50 e os 70, dá para tomar o estresse. até mil miligramas por dia.

jan/fev.2011 |

27


capa

CAPA

a cidade sob duas rodas Antes visto como lazer de final de semana, o hábito de andar de bicicleta tem sido mais valorizado pelo brasileiro

Por Thiago Neves

P

ercorrer qualquer trajeto de carro ou transporte público nas grandes cidades não é das tarefas mais fáceis. A frota de automóveis cresce a uma escala desproporcional à estrutura viária das capitais, e os recursos utilizados para aliviar a situação – a exemplo do rodízio de carros em São Paulo – parecem não apontar para uma saída viável. O resultado você vê todos os dias: engarrafamento, barulho, buzina, fumaça, estresse, o caos. Enquanto engenheiros de tráfego e urbanistas tentam armar planos mirabolantes, na capital paulista é crescente o movimento de pessoas que estão trocando as quatro rodas pela boa e velha bicicleta, uma solução prática, saudável e amiga do meio ambiente.

“A diferença é que eu não poluo o ar, não me estresso para estacionar(...) e não vou morrer de cavalcante, sedentarismo” aline ciclista amadora

stock.xchng/les chatfield

de 8 mil motoristas. São Paulo ficou na sexta posição, atrás de Pequim, Cidade do Cabo, Johanesburgo, Moscou e Nova Déli. As horas perdidas dentro do carro e o mal humor provocado pelos famosos engarrafamentos da capital paulista motivaram o analista de sistemas William Paiva a se juntar aos quase 350 mil paulistanos que uti“Eu faço quase tudo de bicicleta. A diferença é que eu lizam a bicicleta para ir ao trabalho todos os dias. “Um ocupo menos espaço nas ruas, não faço barulho, não dia, levei quase duas horas para percorrer de carro a poluo o ar, não me estresso para estacionar, faço distância de 8 km até o trabalho. Desisti dele de vez. exercício, não corro o risco de atropelar alguém e Três anos depois, eu venderia o carro para ficar só fazer vítimas, não pago imposto e não vou morrer com a bike”, conta. de sedentarismo”, argumenta a jornalista Aline Cavalcante. Ela adotou a bike como meio Quem trocou o automóvel pela magrede transporte depois de se deparar la garante: não há desvantagens em com o caótico trânsito de São Paulocomover-se sobre duas rodas. A lo, muito diferente de Sergipe, mudança de humor (para melhor, sua cidade natal. “O primeiro é claro) é apontada como um dia que consegui ir pra aula de dos grandes milagres ocasiobicicleta foi libertador”, remenados pelas pedaladas. Isso mora Aline, hoje integrante porque andar de bicicleta esdo Pedalinas, coletivo femitimula a liberação de endornino de ciclistas paulistas. fina, substância que contribui para relaxar a musculatura e Uma pesquisa realizada pela acalmar a mente. “O carro deiIBM revelou que São Paulo é xa a gente doido. A bike é uma a sexta cidade com o pior trânacademia de graça e ao ar livre”, sito na percepção dos usuários de comenta William. “Hoje sou anitransportes. O levantamento realizamada, reclamo menos da vida, estou do em vinte cidades entrevistou mais mais disposta, tenho resistência física, o

28 | jan/fev.2011

jan/fev.2011 |

29


capa

capa arquivo pessoal

Além dos reflexos no corpo, o bolso também sente a mudança. “Passei a economizar muito, não só com combustível e estacionamento, mas com os muitos outros gastos que o carro tem e que ficam quase invisíveis: IPVA, imposto, trocas de óleo, pneus, pequenos consertos, pequenas batidas, arranhões na pintura e manutenção em geral”, afirma William. Um outro cálculo revela ainda a quantidade de dióxido de carbono (CO²) que deixa de ser lançado na atmosfera com o uso da bike. Para se ter um exemplo,

30 | jan/fev.2011

pe

os p luiçã o

en

to Q ua n

corpo ficou mais forte e as pernas durinhas”, diverte-se Aline. “Em uma hora de pedalada, é possível queimar até 600 calorias. O exercício é ideal para quem quer eliminar a gordura localizada, ajuda a definir pernas e coxas, além de beneficiar o sistema cardiorrespiratório”, explica o professor de educação física Eduardo Sobral.

e

o.

Pelas ruas de são paulo, aline faz parte de coletivo de ciclistas chamado pedalinas

Sempre que vai viajar, o diretor de inteligência de mercado da TAP, Carlos Antunes, cumpre dois rituais: em uma mala, posiciona cuidadosamente a quantidade suficiente de roupa e, em outra, coloca as duas rodas, guidão, celin e quadro de sua bicicleta, desmontada em suaves 15 minutos. Acostumado a percorrer longos trajetos nas alturas, a trabalho ou lazer, no chão, o português sabe a melhor maneira de conhecer as cidades que visita. “De bicicleta você consegue enxergar muito melhor a natureza ao seu redor, a arquitetura das construções, os detalhes. E fazer isso com o vento no rosto torna a experiência muito mais agradável”, afirma. Em Portugal, integra um grupo cicloturistas que se reúne para correr os rincões do país. Recentemente, saíram de Lisboa até o Alentejo, 300km marcados pelas belíssimas paisagens da região, e por visitas a fazendas, vinhedos, restaurantes estrelados e bons hotéis. Na Itália, fez o percurso da Via Ápia, uma das principais estradas da Roma antiga, passando por castelos e ruínas, que contam a história de romanos e cristãos. A lista de roteiros internacionais de Carlos, que ainda conta com Frankfurt, Los Angeles e Nova York, deve ser reforçada em breve com uma viagem do Tibete ao Nepal. “O trajeto tem cerca de 400km, percorridos em dois dias. Começa em Lhasa e vai até Katmandu, passando pelo acampamento-base do monte Evereste”, comenta. Em São Paulo, onde vive, Carlos indica um passeio noturno com a magrela pelo centro da cidade e uma visita à Serra da Mantiqueira, a 90km da capital. “O lugar é incrível, tem muita natureza é bonito e não é distante”, diz. Para quem tem mais pique, ele sugere o trajeto de Ubatuba, em São Paulo a Parati, no Rio, pela SP-055, conhecida como Rio-Santos. A estrada oferece uma das vistas mais bonitas do país, uma série de praias, muitas desertas, emolduradas pela mata atlântica. Mas de todos os roteiros que já fez, Antunes destaca a subida ao Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, partindo da Lagoa Rodrigo de Freitas. “Já passei por muitos lugares no mundo, mas esse caminho é espetacular, sem igual”, assegura.

t ais gen

Com a bicicleta na mala

sm

“Passei a economizar muito, nãowilliam só com paiva, combustível e estacionamento” ciclista amador

dala, m

um indivíduo que percorre 15km de segunda a sexta-feira de cicloativista e é fundador da Associação de Ciclistas para ir ao trabalho reduz em média 20,6 kg a emissão de Urbanos de São Paulo – Ciclocidade. Ele faz as vezes de poluentes no meio ambiente. “Bici-anjo”, uma espécie de padrinho para ciclistas inexperientes. Acompanha os novatos e dá dicas de roteiro até E se você pensa que para trocar o automóvel pela ma- que eles se sintam seguros em trafegar pela cidade de grela é preciso ser um super esportista, Aline ensina: “Sou São Paulo - um verdadeiro anjo da guarda para quem está uma pessoa normal, não sou atleta, não pedalo com lycra começando. E o melhor: não cobra nada. “Faço de uma e roupinha colada, bebo uma cervejinha...”, diz ela, desmis- forma idealista. É uma coisa em que eu acredito. Quanto tificando o clichê. William dá a dica para quem quer co- mais gente pedalar é melhor para todo mundo”, garante. meçar a vida de ciclista urbano: “Num domingo de manhã de sol, faça sem pressa o trajeto até seu trabalho, como Valverdes usa a bike como transporte há uma década e, passeio, fugindo das avenidas e preferindo ruas tranquilas. há três anos, vendeu o carro para adotar a magrela de Você vai perceber que não é tão difícil assim”. vez. “Além dos benefícios para o humor e a saúde, penso que existe também uma vantagem inconsciente: sei que São essas pessoas “normais” que Leandro Valverdes cos- nunca vou fazer uma vítima, como um motorista de veícutuma ajudar. Jornalista por formação, prefere ser chamado lo faria”, confessa. Ciclista experiente, ele faz questão de passar as dicas de sobrevivência da selva paulista para os seus apadrinhados. “A dica principal é: você estará mais seguro quando considerar a sua bicicleta como um veículo. Você não está a passeio, então nada de fazer ziguezague e outras irresponsabilidades”, avisa. O Código de Trânsito Brasileiro, que regulamenta as bicicletas como meio de transporte, especifica que as bikes devem andar na pista, na faixa da direita, na direção do trânsito. “Algumas pessoas acham que andar na contramão é mais seguro porque estão vendo os carros de frente. Na verdade, ao fazer isso, você se torna uma ameaça aos pedestres e, em caso de acidente, é bem mais grave”, adverte.

para carlos antunes, a bicicleta é uma companheira de viagens

O economista Hugo Penteado contou com a ajuda de Leandro na hora de trocar o carro pela bike. “Numa cidade que nascem mais carros do que bebês todos os dias, já sabia que ia precisar de orientação profissional para enfrentar a bicicleta nas ruas”, dispara. Aos 44 anos, o chefe de Asset Management do Grupo Santander não


Contudo, se o engarrafamento é o calvário dos motoristas, a falta de ciclovias e de uma cultura de respeito aos ciclistas é o calcanhar de Aquiles daqueles que preferem a bike. São Paulo tem pífios 44 km de ciclovias e muitos outros prometidos pela prefeitura. A recente inauguração de uma ciclofaixa de 14 km às margens do Rio Pinheiros parece sinalizar para uma adequação

da cidade à realidade sob duas rodas. “Infelizmente, dois terços das ciclovias estão dentro de parques. Eu até sugeriria que se mudasse o nome dessas rotas para algo como ciclopasseio”, critica Valverdes. Atualmente há 34 bicicletários em operação na cidade, interligados à rede de metrô, trem e ônibus, que oferece vagas para estacionamento e bicicletas para aluguel. São Paulo ainda está longe de alcançar Paris, com suas 20 mil magrelas à disposição para aluguel em 1,5 mil estacionamentos, ou Bogotá, com seus 330 km de ciclovias utilizados diariamente por mais de 350 mil pessoas. Porém, basta dar uma volta pela capital para perceber o movimento cada vez mais intenso das bikes. “As coisas estão mudando. Ir pedalando a algum lugar deixou de ser coisa de lunático ou excentricidade. Eu já ouvi, algumas vezes, pessoas dizerem: ‘você veio de bicicleta? Que inveja, não pegou este trânsito.’ Aí eu lembro ao interlocutor que a minha bicicleta não custou mais do que cinco tanques de gasolina de um carro”, ironiza Leandro.

fotos: divulgação

quer saber de carro, e percorre diariamente os 16 km que separam sua residência, perto da Avenida Paulista, do local de trabalho, na Marginal Pinheiros, montado em sua magrela dobrável. Ao chegar, ele e os mais de 50 ciclistas da empresa têm à disposição um bicicletário e um vestiário, uma atitude simples da companhia que vem incentivando o uso da bicicleta e de uma vida com menos estresse. “Não pago mais vaga para estacionar o carro, não gasto gasolina, nem táxi. Também tem os benefícios para a saúde: perdi peso, faço exercício todos os dias e ainda no trajeto de ida e de volta passo pelo parque do Ibirapuera. Tenho a sensação de liberdade e maior integração com a minha cidade”, revela.

2 4

Binder001 Christopher

Pedalinas – Coletivo Feminino de Ciclistas de São Paulo http://pedalinas.wordpress.com/ Twitter: @pedalinas ou @pedaline (Aline Cavalcante)

Associação dos Ciclistas CicloBR Urbanos de São Paulo http://www.ciclobr.com.br/

www.ciclocidade.org.br

Bicicletada www.bicicletada.org

32 | jan/fev.2011

Eu vou de Bike http://www.euvoudebike.com/ Twitter: @euvoudebike

Sampa Bikers

Caloi Easy Rider 21v R$ 1.199

Esqueça as onipresentes mountain bikes. Para desbravar a cidade, opte por bicicletas mais leves, com pneus mais finos e que proporcionem uma postura mais ereta. Marcha, bagageiro, cesto e paralama também são bem-vindos. O site www.ciclourbano.com.br é referência na venda de bicicletas e assessórios para o meio urbano. Abaixo, uma seleção feita pela revista Sun:

Na Net! Confira onde você pode encontrar informações sobre ciclismo:

1

CAPA

Qual a bike ideal?

“As coisas estão mudando. Ir pedalando a algum lugar deixou de ser leandro coisavalverdes, de lunático ou excentricidade” ciclista amador

3

Sundown Boa Viagem R$ 339

Caloi Poti R$ 379

Sundown Barra Massima R$ 349

5

www.sampabikers.com.

Nirve Wilshire R$ 2.200

Vá de Bike – Blog do William Cruz http://www.vadebike.org Twitter: @wcruz

Um carro a menos @umcarroamenos – Twitter do Leandro Valverdes, no qual ele dá dicas para quem está começando

6

Trek Navigator 2.0 R$ 1.999

jan/fev.2011 |

33


Motos se transformam em sonho de consumo daqueles que são apaixonados pela velocidade sobre duas rodas

O

ronco do motor marca a arrancada dessas verdadeiras máquinas do asfalto. Luxuosas, confortáveis e com design que vão do clássico ao esportivo, motocicletas de grandes marcas despertam, em leigos e motociclistas experientes, a vontade de viver emoções mais fortes, superar limites e velocidades. As que levam assinatura dos japoneses - verdadeiros experts em tecnologia automotiva -, por exemplo, conquistaram o mundo todo. Assim como há algo de inexorável nos modelos americanos Harley Davidson, que as tornou uma verdadeira lenda. “Elas são praticamente inquebráveis”, explica o presi-

dente do clube de motociclistas Lobos do Asfalto, Pedro Ivo. O sentimento desse grupo por suas motos, Pedro resume dizendo que “quem gosta de motocicletas procura dirigir direito, cuida da máquina, zela e fala como se fosse de si mesmo. Traz isso no corpo, pois o sangue do motociclista não circula, viaja”, completa ele. Sonho de consumo é o principal motivo pelo qual mais a metade dos integrantes de clubes de motocicletas compra suas motos, o que, segundo Ivo, é crucial para que haja uma sintonia verdadeira e a curiosidade em conhecer os novos modelos desse mundo motorizado.

Honda Shadow 750 A Shadow 650 é confortável e reforça o conceito de “classic custom”. Suas linhas priorizam os componentes cromáticos, que dão elegância e sofisticação ao modelo. Toda a resistência, robustez, baixa manutenção e força da Shadow está no motor Over Head Camshaft (OHC).

motos

motos

Mistura de beleza e velocidade

Honda VTX 1800C Com design esportivo e motor “V2”, a moto é confortável na posição de pilotagem e tem desenvoltura para se percorrer longas distâncias. O modelo é inspirado no conceito “street road”, em que o tanque de combustível, em forma de gota, associa-se à traseira longa e mais baixa.

Suzuki Boulevard C1500 Um destaque deste modelo é a injeção eletrônica, que garante o ótimo funcionamento do motor em alta velocidade e nas retomadas de marcha, bem como a rápida resposta de aceleração e a economia de combustível. Além de ser confortável, graças à disposição de pilotagem, a motocicleta tem assento largo e amplas plataformas para os pés.

Yamaha YZF - R1 A superesportiva vem direto das pistas de corrida, com motor mais compacto e potente e rodas mais leves. Projetada em um túnel de vento, o modelo privilegia a indução direta de ar - espécie de turbo natural que entra em funcionamento quando a moto atinge altas velocidades.

dicas básicas

fotos: divulgação

Equipamento Utilize sempre capacete; Use jaqueta de cores claras e vivas; Pilote sempre com luvas; Utilize óculos, caso seu capacete não possua viseira; Use sempre adesivo reflexivo no capacete; O garupa deve estar instruído(a) sobre a importância dos equipamentos; Fonte: Código de Trânsito Brasileiro.

34 | jan/fev.2011

Manutenção Diariamente faça uma inspeção na sua moto; Verifique se há folga na embreagem e no freio, pode haver acidentes graves; Confira se o combustível é suficiente; Verifique se o ângulo dos retrovisores está de acordo com sua visão; Confira se as setas estão em pleno funcionamento; Esteja sempre atento à calibragem dos pneus;

Yamaha Drag Star 650 O característico ronco dos dois escapamentos laterais, típicos das estradeiras norte-americanas, denúncia as principais características do modelo. As etapas de admissão, explosão e escape são realizadas em conjunto com dois catalisadores que contribuem para o baixo nível de emissões de gases nocivos ao meio ambiente. Uma novidade da linha é o assento em tecido antiderrapante perfurado para piloto e garupa.

jan/fev.2011 |

35


CARREIRA

CARREIRA

Empreendedores, curiosos, conectados e apressados. A revista “SUN” traz o perfil de quatro jovens que alcançaram a independência financeira e o sucesso profissional antes dos 30. Eles ensinam quantos predicados são necessários para tornar- se um membro da geração Y com o carimbo de sucesso na testa.

Aos 20 anos, Wilson Neto resolveu se aventurar nos Estados Unidos. Depois de trabalhar como pintor, pedreiro, garçom e entregador de pizza, voltou ao Brasil um ano depois com o inglês afiadíssimo e resolveu comprar uma franquia. Como não tinha o dinheiro necessário, pediu emprestado ao pai, que viu o valor principal mais os juros serem devolvidos vinte meses depois. Hoje, a sua franquia do Bonaparte - loja especializada em casual food - do Manaíra Shopping, em João Pessoa, é campeã nacional de vendas entre as 65 unidades da rede espalhadas de Norte a Sul do Brasil. “Quando assumi o restaurante, solicitei que a gerente tirasse cópia dos meus documentos pessoais. Ao retornar, havia uma minireunião dos colaboradores, incrédulos pelo fato de que tinha apenas 21 anos e era o colaborador mais novo”.

FAÇAVOCÊMESMO

Uma pesquisa realizada pela consultoria Hay Group revelou que cerca de 20% dos jovens que trabalham em grandes empresas brasileiras já ocupam cargos de chefia. O levantamento foi realizado com 5,6 mil profissionais nascidos a partir da década de 80, em empresas dos setores de tecnologia, mineração e industrial. Acusados de infiéis, o fato é que apego e sacrifício por uma determinada empresa não fazem parte do repertório desse

36 | jan/fev.2011

grupo. No entanto, o mesmo levantamento mostra que, para 93%, quanto mais a empresa investe neles, mais eles querem continuar no emprego. Um coquetel de habilidades que certamente ajuda na evolução da carreira, mas não é determinante. Uma pesquisa da Fundação Instituto de Administração (FIA/USP) realizada com cerca de 200 jovens de São Paulo revelou que 99% dos nascidos entre os anos de 1980 e 1993 só se mantêm envolvidos em atividades que gostam, e 96% acreditam que o objetivo do trabalho é a realização pessoal. E se não há vaga no mercado, eles dão um jeito e abrem o próprio negócio. Um levantamento divulgado recentemente pelo Sebrae paulista mostra que a participação de empresários de até 24 anos de idade na abertura de novos negócios subiu de 4% para 14% em uma década, reflexo da geração que parece levar a sério a ideologia Punk do “Do It Yourself”.

arquivo pessoa l

E

les fazem parte da chamada geração Y, conceito que se refere àqueles nascidos depois de 1980. Filhos da era digital e da cultura do instantâneo, cresceram acostumados a obter mais de 100 mil respostas para uma mesma pergunta, feita ao Google, é claro. Podem até não ter grandes bandeiras, como as gerações da década de 60 e 70, mas esses jovens sabem muito bem o que querem e estão aqui para questionar e empreender uma revolução silenciosa, que está injetando sangue novo no mercado de trabalho.

arq uiv o pess oal

\o/ Wilson Neto, 25 anos Empresário

\o/ Camila Coutinho, 22 anos Blogueira

A blogueira Camila Coutinho se tornou um fenômeno na internet fazendo justamente o que mais gosta: falando de moda. Entre dicas de bolsas, relatos de viagens e tendências da estação, seu blog, o Garotas Estúpidas, é um dos mais acessados do Brasil, com cerca de 50 mil acessos mensais. Recentemente, a página da pernambucana foi apontada pela edição francesa da Vogue como uma das 45 mais influentes do mundo. “No início, eu só queria um espaço para falar coisas de menina”, conta. Hoje, grandes marcas de roupas, sapatos, perfumaria e acessórios disputam espaço para anunciar no site, que é o grande case de sucesso do portal JC Online, onde está hospedado. A rotina atribulada, dividida entre semanas de moda, eventos sociais e muita leitura e pesquisa para informar as suas leitoras, mudou drasticamente a rotina de Camila. “O blog é a minha vitrine. Conheci muita gente e comecei a trabalhar com o pessoal do Rio de Janeiro e São Paulo”.

20% dos jovens

que trabalham em grandes empresas brasileiras já ocupam

cargos de chefia

jan/fev.2011 |

37


CARREIRa

A participação de empresários de arqui vo pess oal

até 24 anos

Embora tenha morado fora do país, fale dois idiomas (inglês e espanhol), seja formada em um das melhores escolas de administração e marketing do Brasil e tenha estagiado em grandes empresas, Natália Gadiolo sabe o que lhe garantiu a vaga de trainee na Souza Cruz aos 23 e a contratação como gerente de marketing aos 24. “O mercado está cada vez mais competitivo, essas coisas são importantes, mas são as características pessoais que fazem a diferença. É preciso ter brilho nos olhos e conseguir passar isso para quem está lhe recrutando”, ensina. Para driblar eventuais desconfortos que podem aparecer devido à pouca idade, Natália lança mão de importantes predicados. “Algumas pessoas têm preconceito com idade, mas é preciso conquistar pela postura e credibilidade”.

subiu de 4% para 14%

geraçãoY \o/ Raphael Despirite, 25 anos Chef de cozinha

Aos 18 anos, quando assumiu a cozinha do restaurante Marcel, fundado por seu avô, Raphael Despirite sentiu o peso do slogan “Desde 1955”. Conflitado pelo dilema de inovar ou não o cardápio desse tradicionalíssimo restaurante paulista, optou pela mudança. Tímido, pero no mucho, Despirite despejou toda a criatividade e ímpeto de mudança, para mexer nos clássicos franceses do menu. Resultado: foi eleito o chef revelação pela revista “Prazeres da Mesa”, em 2007. “As vezes é preciso pirar”, assume. Na bagagem, ele traz duas temporadas na Europa. Em paris, estagiou no Ritz, aos 17 anos. Depois, aos 22, ficou quase um ano entre Portugal e Espanha, e trabalhou com o celebrado Vitor Sobral, chef do Tasca da Esquina, em Lisboa. Adepto do que ele chama de cozinha biológica, Despirite procura ter uma relação mais próxima com os produtos e produtores de seus insumos.

38 | jan/fev.2011

Droga Raia reforça novo

em uma década

posicionamento

da marca

Com mais de 100 anos de atuação, a drogaria redefine projeto de branding, que envolve ações nos ambientes virtual e físico Fundada em Araraquara, interior de São Paulo, em 1905, a Droga Raia é uma das cinco maiores redes de drogarias do País, com mais de 6 mil funcionários e atuação nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do Sul. Sob o controle acionário da mesma família há mais de um século, em 2009 a rede inaugurou 42 filiais e encerrou o ano com 299 lojas e faturamento bruto de R$ 1,6 bilhão. arquivo pessoal

\o/ Natália Gadiolo, 24 anos Gerente de Marketing

divulgação

de idade na abertura de novos negócios

No início de 2010, a Droga Raia colocou no ar seu novo site (www.raia.com.br). O processo de reestruturação do ambiente on-line da Raia integra um amplo projeto de branding da marca, que culminou na redefinição do seu novo posicionamento. Esse novo modelo atingiu também os pontos de venda, onde todas as categorias de produtos foram agrupadas em quatro grandes universos: Saúde, Sua Beleza, Cuidados Diários e Coisas de Criança. Os mesmos universos encontrados nas lojas físicas foram reproduzidos na loja virtual, para criar uma unidade de marca e uma lógica para o consumidor. Todas as áreas do site passaram por um redesign, que

acarretou uma mudança de impacto na linguagem e nos elementos do portal. A comunicação visual foi revista, para facilitar a navegação, e incluiu uma ampla sinalização dos universos com cores diferenciadas, imagens do cotidiano e frases conceituais. Ainda nos anos 80, a Droga Raia foi a primeira rede de farmácias a oferecer um cartão de fidelidade para descontos na compra de medicamentos. Essa ação inaugurou o marketing de relacionamento e, atualmente, o Cartão Raia conta com 2 milhões de cadastros ativos. Já nos anos 90, a Droga Raia inaugurou a era tecnológica no varejo farmacêutico ao automatizar seu sistema de vendas. Social - O “Prazer em cuidar” – slogan da marca - vai além da relação com o cliente: se incorpora também aos cuidados com a comunidade e com o meio ambiente. Nas filiais, o cliente já pode comprar ecobags, cuja renda é destinada aos Doutores da Alegria, e a revista “Sorria”, que tem toda a sua receita destinada ao Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer (Graacc).

jan/fev.2011 |

39


carreira

carreira

8

10

9

7

PARA TURBINAR SUA CARREIRA

Fonte: Livraria Cultura http://www.livrariacultura.com.br/

10 Como se Tornar um Líder Servidor, James Hunter (ed. Sextante)

9 Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes, Stephen R. Covey (ed. BestSeller)

1

8 Faça Como Steve Jobs, Carmine Gallo (ed. Lua de Papel)

7 A Cabeça de Steve Jobs, Leander Kahney (ed. Agir)

6 Superdicas Para se Tornar um Verdadeiro Líder, Paulo Gaudêncio (ed. Saraiva)

5 A Arte da Guerra, Sun Tzu (ed. Jardim dos Livros)

4 Casais Inteligentes Enriquecem Juntos, Gustavo Cerbasi (ed. Gente)

3 O Verdadeiro Poder, Vicente Falconi (ed. INDG)

2 Não tenha Medo de Ser Chefe, Bruce Tulgan (ed. Sextante)

1 O Monge e o Executivo, James Hunter (ed. Sextante)

Os best- sellers de carreira

Fizemos uma seleção de leituras essenciais quanto o assunto é carreira. A atualização permanente é imprescindível para o crescimento profissional e para galgar novos espaços.

Dicas de leitura

Boas indicações

5 3

2

6

4

40 | jan/fev.2011

Sua Imagem

Times

Intitulado “Uau, Como Causar Uma Ótima Impressão”, o livro de Frances Cole Jones dá boas dicas de como gerenciar sua imagem pessoal em público. O autor ensina técnicas para nos adequarmos aos ambientes, sem ter medo de situações difíceis. Uau! Como Causar Uma Ótima Impressão Frances Cole Jones Ed. Sextante Preço médio: R$ 19,90

Intitulado “Criando Equipes”, o livro Richard Luecke nos detalha todos os meandros de uma equipe competente para que possa planejar, liderar e executar projetos. Analisa diferentes tipos de equipes e faz um resumo final com ampla capacidade de orientação do leitor. Criando Equipes Richard Luecke Ed. Record Preço médio: R$ 32,90

Mentiras sinceras Rob Yeung é psicólogo, coach executivo e colaborador do “The Wall Street Journal”. Em sua terceira publicação, ele mostra, em 99 dicas, como se sair bem na entrevista de emprego. Devo Dizer a Verdade? Rob Yeung Ed. Panda Books Preço médio: R$ 35,90

jan/fev.2011 |

41


Redes sociais além de criar celebridades instantâneas são uma verdadeira lente de aumento para toda e qualquer postagem

V

ocê pode até não dizer seu nome nem seu endereço, mas a internet guarda inúmeros dados sobre você - seja por um cadastro criado em uma rede social, como Orkut, Facebook ou MySpace, ou pela aceitação de termos de segurança de um site que você nem mesmo leu. O comportamento dos usuários e as atitudes de empresas põem a privacidade em questão. De um lado, internautas que consideram a interação benéfica se registram em redes sociais, colocam fotos no Flickr e vídeos no YouTube. De outro, empresas montam bancos de dados baseados nos hábitos de navegação e nas informações que o usuário disponibiliza na rede, mesmo que ele nem sempre tenha a dimensão do quanto está se expondo. No meio do caminho, pesquisadores e sociólogos questionam as implicações da privacidade on-line, e setores da sociedade se mobilizam para preservar os usuários. “Todas as pessoas que dizem ter um perfil no Twitter ou no Facebook e falam estimar a privacidade estão redondamente enganadas", fala a doutora em comunicação e internet Elisabeth Saad.

42 | jan/fev.2011

Bill S

Para além do armazenamento e catalogação, a fama nunca esteve tão ao alcance de cada um de nós. A internet pode levar qualquer desconhecido ao estrelato instantâneo. O vídeo amador que você fez em casa (como o da menina que reclamava da matéria do “O Globo” sobre o RBD - procure por “Safadeza Oculta”) pode ganhar enorme projeção a partir de sua postagem no YouTube. E assim a máxima de Steve Chen, o criador do YouTube, “todo mundo pode ser uma celebridade”, se tornou sinônimo e garantia de sucesso pessoal e financeiro. O desejo da fama tem sido um dos mais notados nas novas gerações. Pesquisas realizadas nos Estados Unidos e Inglaterra apontaram que ser famoso ou se tornar uma celebridade é a resposta mais recorrente entre jovens que são perguntados sobre o que seria a melhor coisa do mundo. "O desejo de ser celebridade não foi criado pela internet, mas sim potencializado por ela, que fornece as principais ferramentas para o

"Antes de qualquer coisa, é preciso ser criativo. Produzir algo diferente. Falar algo super diferente. Algo que as pessoas queiram consumir efetivamente", fala Rafinha Bastos. Ele começou sua carreira no CQC e, hoje, ostenta uma agenda lotada de shows, palestras e apresentações diversas. Antes do sucesso a reboque da televisão, ele construiu a carreira fazendo stand-up comedies e divulgando elas através do YouTube. Seu perfil no Twitter é um dos mais seguidos do Brasil com mais de um milhão de seguidores. "Nas redes sociais, eu falo exatamente o que eu penso e quero que minha opinião seja ouvida. Se gostam ou não, isso não me atinge", completa ele.

Redes sociais

“Sempre falei sobre coisas legais, mas de uma forma natural. Sem ser forçado. Sem impor minha opinião”

felipe teobaldo, editor do site neonico

arquivo pessoal

privacidade?

O caminho para ganhar notoriedade não tem uma receita pronta ou mesmo um rastro a ser seguido. Quem ensina é o publicitário Felipe Teobaldo, que, com seu perfil no Twitter, conseguiu mudar de cidade, conseguir um emprego descolado e muitos seguidores. "Sempre falei sobre coisas legais, mas de uma forma natural. Sem ser forçado. Sem impor minha opinião", comenta ele. Desenvolvedor de games e editor-chefe de um portal de cultura pop na web, ele ostenta quase 4 mil seguidores na internet e quase 20 mil postagens.

“Antes de qualquer coisa, é preciso ser criativo. Produzir algo diferente.

Falar algo super diferente.

divulgação

Redes sociais

Famaou

'alcance do sucesso'", comenta Elisabeth. E isso se deve, em parte, ao próprio (re)desenho do conceito de fama e sucesso que, no passado, estava intimamente ligado ao reconhecimento público de um feito ou mesmo do domínio de um determinado tema. "Os heróis desempenharam um papel fundamental na construção da fama. Eles eram exemplos a serem seguidos e, hoje, o conceito está ligado àquelas pessoas que consomem e como consomem", finaliza Elisabeth.

Algo que as pessoas queiram consumir efetivamente” Rafinha bastos, repórter e comediante

jan/fev.2011 |

43


cosmético

cosmético

Manchas Os melhores tratamentos para manchas são feitos em clínicas, com ácidos em concentrações altas. Em casa, o que dá para fazer é proteger a pele para que não surjam novas marcas. Para isso, a base Even Better, da Clinique, é uma boa pedida, porque protege contra raios UVA e UVB. Mas não espere milagres de seu propalado efeito clareador: a concentração de vitamina C é muito baixa para dar resultado em pouco tempo. Clinique SAC 0800-7279991

Juventude eterna

Wineb

la t

Eug

en

á duas décadas, as pesquisas sobre a preservação da juventude da pele proporcionaram a primeira revolução no mundo dos cosméticos. À frente dela, estava o ácido retinoico, que se provou eficiente no tratamento dos sinais da idade mais tênues. Agora, graças ao trabalho de um prêmio Nobel, uma segunda revolução se aproxima. Um novo continente foi descoberto no planeta do conhecimento científico sobre o metabolismo das células da pele. As perspectivas são extraordinárias no campo da prevenção. O que se pode esperar das aplicações práticas vindas da descoberta da ciência pura é, simplesmente, manter por quase toda a vida a mesma aparência jovial que a pele apresentava aos 20 anos de idade. Nunca a indústria de cosméticos esteve tão próxima da ciência de vanguarda.

44 | jan/fev.2011

Intitulada Smooth Minerals, a Avon lançou linha que tem, na sua composição, o exclusivo Mineral Complex, pigmentos minerais 100% naturais e nutrientes essenciais como zinco, magnésio, cobre, malaquita e turmalina. Os produtos disponíveis são: base em pó, sombra para peles sensíveis, batom com óleos condicionantes e blush que promete 8 horas de duração. A maquiagem mineral é indicada para quem tem pele sensível, pois utiliza ingredientes naturais. Avon, SAC 0800-7082866

e

Bronzeado

Fotos: divulgação

H

Mais saudável

Novíssimo Lançamento da Vichy, o cosmético ataca, ao mesmo tempo, dois tipos de rugas: as permanentes, as reversíveis (aquelas de travesseiro) e as que estão em formação. Ideal para a pele do rosto e o contorno dos olhos, o produto promete efeito alisador e ação preenchedora. Para isso, a fórmula de Liftactiv Retinol HÁ é uma emulsão que combina ácido hialurônico (substância que os dermatologistas usam em consultório para preenchimento), retinol associado a um ativo chamado adenosine e, ainda, FPS 18. Vichy, SAC 0800-701-1552

Dá aparência bronzeada e luminosa à pele. A base bronzeadora do Boticario possui uma textura fina, não oleosa e de rápida absorção. Não contém autobronzeador. Ela pode ser usada no rosto, pescoço e colo como base. Também pode ser misturada com sua base de cobertura normal para dar luminosidade com efeito de cor mais leve, e também pode ser misturada no seu hidratante corporal para realçar o bronzeado. Boticario, SAC 0800-413011

Antirrugas O sucesso na Europa na guerra antirrugas é o Retin-Ox Wrinkle Filler, da marca Roc, que está à venda no Brasil desde o primeiro semestre. Sua fórmula combina o retinol e o ácido hialurônico. Roc, SAC 0800-703-6363

Ciência e pesquisa em prol da permânencia da juventude jan/fev.2011 |

45


stock.xchng/Slawomir Rodak

beleza

beleza

com

preparo

glossário dos cosméticos

caseiro

[1]

Hidratante

Amasse a polpa de meio abacate com 1 colher (sopa) de caldo de cana. Para uma máscara facial mais consistente, acrescente, aos poucos, argila em pó. Cubra o rosto com pedaços de gaze, aplique a máscara e deixe por dez a 20 minutos.

46 | jan/fev.2011

mike wong

Seis máscaras tonificantes para fazer em casa.

Colágeno: proteína produzida por células chamadas fibroblastos e responsável pela firmeza da pele. Peptídeos: proteínas formadas pela ligação entre aminoácidos e que atuam como hidratantes naturais. Platina coloidal: complexo de substâncias que ajuda na absorção de vitaminas. Pró - retinol: que contém retinol na fórmula.

[2]

Revitalizante

Amasse o miolo de uma abobrinha italiana com a pasta e o leite de amêndoas até ficar consistente - se necessário, acrescente, aos poucos, argila em pó. Após esfoliar a pele, cubra o rosto com pedaços de gaze e aplique a máscara por dez a 20 minutos

[3]

Clareadora

Misture 1 colher (sopa) de polpa de aveia com a polpa de meio mamão papaia. Cubra o rosto com pedaços de gaze e aplique a máscara. Deixe por cinco a dez minutos.

[1] stock.xchng/brybs, [2] stock.xchng/Zsuzsanna Kilian, [3] stock.xchng/Adriano Franco

[4]

Nutritiva

Amasse uma banana com 1 colher (chá) de leite de amêndoas. Cubra o rosto com pedaços de gaze e com a máscara e fique por dez a 15 minutos.

Retinol: derivado do ácido retinoico, é usado no tratamento de acne e rugas. Nanosfera: qualquer particula com 100 nanômetros ou menos; equivale a um fio de cabelo dividido em 90 mil vezes. Bioativo: que tem efeito biológico e age sobre tecidos vivos. Biomolecular: com efeito sobre moléculas orgânicas. Lipolítico: produz efeito de lipólise, a diluição de gorduras.

[5]

Amêndoas

Deixe 100 g de amêndoas de molho em água por uma noite. Coe, tire a pele das amêndoas e bata no liquidificador com 1 litro de água filtrada. Esprema a pasta obtida em um pano de voal. Utilize o líquido coado ou a polpa retida no pano, conforme a receita.

[4] stock.xchng/Sanja Gjenero, [5] stock.xchng/Maria Li, [6] stock.xchng/Yaroslav B

[6]

Aveia

Deixe 100 g de aveia em flocos de molho em água por 1 hora. Bata no liquidificador e esprema a pasta em um pano de voal. Utilize como o leite de amêndoas.

jan/fev.2011 |

47


Design: O’Clock USA Preço: R$ 62 www.oclock-usa.com

VITRINE

VITRINE

O’Clock Sorapot

Figura carimbada em sites que listam as próximas tendências, os o’clocks conquistam pelo visual limpo. Os relógios têm pulseira de silicone, estão disponíveis em 15 cores e vêm dentro de uma lata.

Design: Joey Roth Preço: R$ 400 www.joeyroth.com Joey Roth é um dos novos designer minimalistas mais significativos. Este bule, com desenho um tanto futurista, é feito de aço inoxidável, vidro de borossilicato e silicone, e pode tornar ainda mais interessante a simples experiência de tomar um chá.   

Cloth Design: Jehs & Laub Preço: R$ 9 mil www.jehs-laub.com

Miss K. Lamp Designer: Philippe Starck Preço: R$ 560 www.starck.com Este abajur foi desenhado por Philippe Starck especialmente para a Floss, empresa que mudou o conceito de desenho de luminárias. É feito com uma combinação de prata e policarbonatos.

Destaque no Salão de Móveis de Milão deste ano, esta poltrona leva a assinatura dos irmãos alemães Jehs & Laub e foi desenhada para a conceituada loja Cassina. A estrutura interna é fabricada com uma mistura de fibra de vidro e plástico, o preenchimento é de espuma de poliuretano, e o estofamento, removível, é de poliéster.

Para os designers minimalistas, a redução formal é sempre a meta. Com o desafio de congregar a funcionalidade dos objetos com desenhos simples, esses profissionais encontram boas soluções para os seus produtos, colocando a criatividade no lugar dos Ceramic Speakers excessos. A Revista Sun preparou uma Design: Joey Roth lista de produtos onde menos é mais.

Fotos: divulgação

48 | jan/fev.2011

Hands on Salad Bowl

Preço: R$ 900 www.joeyroth.com

Design: Pengelly Design www.pengellydesign.com Preço: R$ 80

As caixas de som são feitas de porcelana, cortiça e madeira de bétula, enquanto o amplificador é de chapa de aço inoxidável. A base do controle de volume é fabricada em ferro e madeira de paulownia. 

Esta simpática saladeira, desenhada pelo escritório Pengelly Design para a loja Joseph Joseph, recebeu um prêmio no Red Dot Award, um dos mais importantes do Design. Fabricada em plástico, ela vem com dois pegadores incorporados.

jan/fev.2011 |

49


moda

moda

Com que roupa eu vou? Dicas por Glória Kalil ( www.chic.com.br )

TRAJE ESPORTE Tipo de evento: almoços, exposições, churrascos, batizados, festas de crianças. Paula K.

Clima: simples e informal. Significa uma roupa descomplicada. A roupa certa: calças de brim ou de gabardine cáqui ou jeans, com camisas esportivas ou suéteres. No inverno, jaquetas ou parcas de couro ou camurça.

Divulgação

Sapatos: os esportivos, como mocassim, sapatênis e tênis (menos no batizado). No inverno, calçados abotinados de camurça. A roupa errada: bermudão + camiseta do time + chinelo. Ou no extremo oposto: terno e gravata.

E como as tendências que vão pegar aqui vêm mesmo das passarelas de lá, já dá para saber em que vale investir para o verão 2011. Como tem acontecido desde o início dos anos 2000, há um “vale tudo” na moda que beneficia gostos e tribos diferentes ao mesmo tempo. No caso da moda masculina, há espaço para o bom convívio entre os estilos clássico e moderno. As cores pastéis

50 | jan/fev.2011

TRAJE PASSEIO, ESPORTE FINO OU TENUE DE VILLE

O jeans não perde seu reinado e no verão 2011 ele aparece em várias lavagens, usado com paletó e como camisa, compondo um look total jeans. No campo das padronagens, vale investir em listras, xadrez, étnico e floral Liberty em cores sóbrias. Outra maneira de modernizar o guarda-roupa é abusar dos acessórios: bolsas grandes, sapatos coloridos, lenços, chapéus e óculos de sol ajudam a compor visuais interessantes e menos monótonos. Mas se a preferência é por não arriscar, eis a boa notícia: ternos e blazers são clássicos que ultrapassam as estações e passam por pequenas modernizações. O segundo pode ser usado em todas as horas com camisa polo, jeans ou social, com ou sem gravata e ainda com calça jeans e social. Para situações mais formais, são aconselhadas cores como preto e azul marinho, neutras e fáceis de combinar. O número de botões pode variar entre dois e três e, neste último caso, o último fica sempre aberto.

Tipo de evento: almoços, vernissages, teatros. Clima: um toque de formalidade. A roupa certa: se o evento for antes das 18h, camisa + calça esportiva, tipo cáqui, com blazer. Outras opções: terno de cor clara com ou sem gravata; blazer escuro com calça, com ou sem gravata. Se o convite vier com “tenue de ville”, use gravata – seja dia ou seja noite, mesmo com blazer ou jaqueta. À noite, terno com gravata – valendo os ternos claros, se for verão. Divulgação

O

homem brasileiro mudou sua maneira de se relacionar com a moda. Antes vista como tabu ou característica que depunha contra sua masculinidade, a moda contemporânea alcança os bolsos e desejos também da classe masculina. Eles estão em busca de informação de moda. Não que seja comum, encontrar pelas ruas brasileiras, homens envergando looks criativos e cheios de acessórios com a mesma frequência que acontece na vanguardista Nova York ou nos polos de moda da Europa, onde o blazer com bermuda ou os lenços coloridos no pescoço não causam estranhamento nem viradas de cabeça. Mas já é possível perceber uma grande evolução nesse sentido, em especial pelos jovens que são, por natureza, mais ousados e estão cada vez mais próximos das novidades do outro hemisfério.

conversam com cores fortes, as modelagens justas das calças skinny continuam ganhando território sem deixar de lado as calças mais confortáveis, com gancho mais baixo e solta nas pernas. Também roubam a cena o princípio hi-lo, que mistura a alfaiataria com peças casuais, shorts e bermudas nos mais variados comprimentos e peças sem mangas como jaquetas e coletes.

Sapatos: sociais. Mocassins pretos ou marrons. A roupa errada: jeans.

jan/fev.2011 |

51


Tipo de evento: jantares, coquetéis, óperas, casamentos, comemorações oficiais. Clima: formalidade total.

Fernanda Lima, que começou a gravar a nova temporada de “Amor e Sexo”, admitindo não se sentir completamente à vontade falando sobre sexo

Fotos: Divulgação

A roupa certa: terno escuro com camisa social e gravata*.

www.blacktie.com.br

Sapatos: sociais pretos. A roupa errada: qualquer opção fora do terno e gravata. E mais: acessórios marrons em geral e ternos marrons.

quem disse?

moda

“Sou acostumada a fazer. Falar, muito pouco. Só com as amigas.”

PASSEIO COMPLETO OU SOCIAL

“Se você encontrar xampu bom na minha casa, é da minha filha.” Maitê Proença, atriz, contando durante o evento de cabelo que usa xampu de pouca qualidade para deixar os cabelos armados.

*Hoje em dia, o colete não é mais obrigatório, mas vale saber que terno = calça + paletó + colete.

“Tenho muito medo de me casar.”

TRAJE BLACK-TIE, TENUE DE SOIRÉE OU RIGOR Tipo de evento: noites de gala, bailes, grandes premiações.

“Já experimentei droga. Não vou falar qual. (...) Não quero incentivar ninguém a nada disso, mas tenho de ser sincero com minhas experiências.”

Clima: de requinte, sofisticado. A roupa certa: smoking. Tradicional ou variações mais modernas – como substituir a camisa branca por uma preta e dispensar a gravata borboleta – são toleradas hoje em dia.

Sabrina Sato, apresentadora, contando na revista “Caras” que espera que uma união como essa seja para a vida toda.

Fiuk, ator e cantor, em entrevista à revista “Contigo!”.

Sapatos: lisos de verniz, ou pretos de couro, de amarrar. A roupa errada: o seu melhor terno escuro.

ANTENE-SE

www.modaparahomens.com.br www.homemmoderno.com www.homensporelas.blogspot.com maquiagemmasculina.com www.garotodegrife.com

52 | jan/fev.2011

www.blacktie.com.br

Blogs de moda masculina para garimpar novidades:

“Tenho muito pudor de tirar a roupa.”

Não é que você seja gordo. Gordo sou eu. Você está engordando.”

Thiago Lacerda, ator, justificando na revista “Quem” o fato de nunca ter aparecido nu na TV.

O apresentador Jô Soares dando conselhos sobre emagrecimento para o jogador Ronaldo no lançamento da linha de vinhos de Galvão Bueno.

“Agora compreendo como as mulheres sofrem.” Thiago Fragoso, que, para interpretar o Vitor de “Araguaia”, teve de aderir ao secador de cabelo para alisar os cachos. na revista “Caras”.

jan/fev.2011 |

53


de informação

“Muitas vezes, chega a mais de 2 mil itens não lidos. Fico frustrada em não ler todos. Chego a ficar com cãibra no dedo de tanto rolar a barra lateral e, ao clicar em marcar como lido, sinto que estou perdendo informações importantes, coisas que me seriam utéis”, afirma ela, que sente falta do tempo em que não tinha celular e se inteirava de notícia por jornais e TVs.

internet

Overdose

amos descrever uma cena: sexta-feira, nove da noite, você ainda está no trabalho. Quando vai checar sua caixa de mensagens, uma triste constatação: ela está lotada. São mais de 100 e-mails. Você começa a tentar deletar os e-mails que não lhe interessam. Lê as que são prioritárias. Mas a chance de zerar o contador ao lado da “Caixa de Entrada” parece nula. Os e-mails pessoais, de amigos, com indicações de notícias, você os separa para ler quando tiver mais tempo. Mas você não vai ter mais tempo. Ainda há os boletins com notícias. Você não leu a coluna do especialista que é referência em sua área. A lista de RSS explode no canto esquerdo da tela. A sensação que você está perdendo algo importante é inevitável. A cena é desesperadora, e o prognóstico, o mais certeiro: overdose de informação.

Atualmente, geram-se tantos dados digitais que se terminou o ano de 2009, por exemplo, na casa dos 800 exabytes, ou 800 bilhões de gigabytes em informações. São arquivos que abrangem notícias, músicas, games, mapas, mensagens instantâneas e que totalizam quatro vezes o volume de arquivos gerados há três anos, totalizando, ainda, menos da metade do que está previsto para 2011, O grupo afetado pelo excesso de informação só cresce a que é de 1,8 mil exabytes. cada dia. Cerca de 10% dos internautas do mundo podem ser considerados dependentes de informações e sofrem A saída para o excesso é simples: cortar. “O melhor é acabar com isso. O número é estimado em mais de 170 mi- com aquilo que não é importante para o dia a dia. Acabar com lhões de pessoas pelo mundo; destes, 5 milhões estão a ansiedade de que é preciso ver tudo. A caixa de entrada não no Brasil. E não há um perfil típico para essas pessoas. deve ficar aberta o tempo todo, não se deve seguir muita genSegundo o mestre em comunicação e internet Zadoque te no twitter ou comentar tudo, o tempo todo, no Facebook, Alves da Fonseca, a avalanche de informações é uma por exemplo”, fala a psicóloga Roberta Meirelles. Ela enfatiza crescente que só tende a piorar. “Temos, a cada instan- que qualquer pessoa acaba se achando incompetente ao ficar te, novos espaços para a divulgação e circulação de no- frustrada por não dar conta do que acha ser sua função. vas informações. A cada instante, nos cadastramos mais e mais em espaços para recebimento de newsletters e Algumas pessoas não são adeptas do caminho do meio. assim por diante. Contudo, não podemos endemoniar a Muito pelo contrário. Esse é o caso do publicitário especialista em branding Cláudio Aguiar. Ele largou o emprego de internet”, afirma ele. gerente de novos projetos em uma grande agência paulista Mesmo aquelas pessoas acostumadas com ativida- em que trabalhava 12 horas por dia plugado no computades simultâneas, os chamados multitarefa, sofrem com dor.” Larguei tudo, fui morar em Pipa. Montei uma pousada a overdose de dados. A carioca Lívia Brandão, 28 anos, com conceito de sustentabilidade”, comenta ele, que largou por exemplo, desde que descobriu os feeds de RSS sua mais de 400 e-mails por dia. “Hoje, eu vejo que algumas coiangústia com o excesso de informações só fez crescer. sas realmente não são tão importantes assim”.

N ão

pe rc a

te m

po

1. ch Ma ev ec nte ita ar nh nd m a o ens o e as a -m in gen a te s il 2. rr , n fec up o e Te h pa nh çõ m ad ra a, es áx o o no co imo e c lix m o ns c rie á (c xi ta in h 3. ad m nt co or es Na as o, t es v ár t t ez io ou á ca ; ro rês es s p t i t d ta ro ra xa e e-m ao ar re s ba d n ew ai fa vã lh e di a ou o an en sle ls: p a, p d t r t co ar o ra te of rs iss ou da m a e pr um q fi i 4 po ona om a u ca so . Li e r m p ta l, p is ci mi is) es so ast agu eai te m so a ; ; a s. e rd ai al É o te l s a di m e m se fíc p tr m an ter il o d 5. sf ce qu fic e or ir e Se De ar p m os vo e no rá sa ap rm am . O cê t d en a tr if ive em s nê ab íc a s nc al il c e-m c ho o in ia a co n ; ntr ils ol d m as 6. ar e in re ut de us Ma a avi os s cu so at an nt r e ne d u n io de a o nh a si s la m liza re a d s; r ad ed ai d cu su s. a rs as e e s em o d re e so um de de ac ci s es ais a inc s s sá . de ro oc -lo la ni iai s s z s po aç co ã de o ne se . Um cta rr d ec a in as eb fo id rm a pe açã la o s

A difícil convivência com a avalanche de e-mails, postagens e links que chegam a toda hora

54 | jan/fev.2011

Zatemedek

internet

V

jan/fev.2011 |

55


investe em

e-commerce

banho-maria por Fabíola Lederman

digo e repito

Venâncio

A palavra da vez é:

Qual a origem desta palavra tão utilizadasno nosso e nos demais línguas do mundo? Sim, o mundo todo conhece esse método de cocção a vapor e, como nós brasileiros também o chama de banho-maria ou “Au Bain Marie”, em francês;“Water Bath” ou “In a Bain Marie” na Inglaterra ou nos Estados Unidos. Por último, “Al Baño de Maria”, em espanhol.

divulgação

O citado método consiste em aquecer lenta e uniformemente qualquer substância líquida ou sólida num recipiente, submergindo-o noutro, onde exista água em estado de fervura ou prestes a isso (não pode ultrapassar os 100° C. senão a água evapora). É utilizado tanto na cozinha,quanto em laboratórios químicos e na indústria. interior da farmácia venâncio prima pela facilidade de acesso aos produtos

De administração familiar, atualmente a Drogaria Venâncio conta com uma rede de 15 lojas para atendimento ao varejo, distribuídas nos bairros da Tijuca, Vila Isabel, Centro, Barra da Tijuca, Copacabana, Leblon e Taquara. Para 2011, a rede planeja expandir para 20 filiais próprias.

De acordo com uma pesquisa realizada pela e-bit, os produtos farmacêuticos respondem por 12% do total de vendas no e-commerce brasileiro. A categoria está dentro das cinco que mais vendem na web, correspondendo a R$1,3 bilhões do total de R$10,6 bilhões faturados em 2009 no comércio eletrônico nacional. De olho nesse nicho de mercado, a Drogaria Venâncio prepara a reformulação de seu site, que ganhará um canal de vendas online a partir do próximo ano. “Com a implementação do e-commerce, estimamos que o crescimento do faturamento bruto será de 20% ao mês”, sinaliza o diretor comercial da Drogaria Venâncio, Rodrigo Ahmed.

No mix de produtos da loja, além de medicamentos em geral, tarjados ou não, a rede oferece também produtos das linhas de higiene e beleza, dermocosméticos, solar, bem-estar, cuidados com o bebê, diabetes, vitaminas, alimentos, bomboniere, conveniências, dentre outros. “Nosso objetivo é fechar o ano de 2010 com um crescimento de 40% no faturamento bruto no canal de varejo, comparado ao ano de 2009. Esse crescimento progressivo vem se repetindo nos últimos 3 anos”, comemora Rodrigo. Entre as linhas que mais crescem em todas as filiais, está o setor de vitaminas e complementos, com destaque para a marca Sundown. “O crescimento das vendas desde o último ano é de 57% em valor”, destaca o diretor comercial.

O comércio online é mais um passo na evolução da marca, criada há mais de 60 anos no tradicional bairro de Pilares, Rio de Janeiro, e que foi responsável pela criação do conceito de autosserviço em drogarias, na filial do Engenho de Dentro. Em 1979, a empresa foi levada para a praça Saens Pena, na Tijuca, pelo empresário Armando Ahmed.

56 | jan/fev.2011

A Venâncio estabeleceu parcerias com grandes marcas para oferecer mais comodidade e conforto aos seus clientes. A “Venancio & Palheta” disponibiliza cafeterias em algumas filiais, e a “Case Nestlé” oferece quiosque de produtos dessa marca, dentro do formato bomboniere.

Outra versão nos relata que a atribuição do nome banho-maria se deve a lenda e a um erro de tradução. I should be folding laundry/Beth

A categoria farmácia está entre as que mais vendem na internet. Portal da Venâncio entra no ar no próximo ano

Recebe esse nome em homenagem a “Maria, a judia” ou “Maria, a profetisa”, uma antiga filósofa grega e famosa alquimista que viveu no Egito por volta de 273 a.C. à quem se atribuiu a invenção do processo.

Diz-se que Maria, ou Miriam, irmã de Moisés, do Egito, se dedicava a experiências de alquimia. Para experiências, ela inventou um aparelho a que os gregos chamavam Kaminos Marias (a chaminé de Maria). Alguém traduziu erradamente, do grego para o latim, como balneum Mariae, o banho Maria. Por isso, os franceses chamaram tal instrumento de bain-marie, Era assim, no século XV.

Esta coluna tem o objetivo de matar a curiosidade sobre as palavras, ditados, provérbios e termos que dizemos e repetimos no dia a dia e geralmente não sabemos de onde vêm como surgiram no nosso repértório. A partir de consultas etmológicas, também em outros idiomas, queremos, de forma divertida, sem deixar de ser instrutivos, dar-lhes um pouco mais de conhecimento, já que o saber não ocupa o lugar da nossa rica cultura popular.

No princípio do século XX, quando o termo foi adotado, na versão francesa, para outros idiomas, já não designava o instrumento da química, mas sim o processo de aquecimento que hoje se chama assim.

jan/fev.2011 |

57


nutrição

Ácidos Graxos Mono e Poli-insaturados por Fernanda Paulucci, nutricionista do sundown vitaminas

O

Stock.xchgn/Ilker

tipo de gordura ingerida é um dos fatores importantes quando o objetivo é manter os níveis saudáveis de colesterol e triglicérides do organismo. Enquanto dietas contendo altos teores de ácidos graxos saturados contribuem para o aumento das doenças do coração, dietas à base de gorduras insaturadas auxiliam na sua prevenção. As mais recentes recomendações para uma alimentação saudável enfatizam a presença do tipo monoinsaturada e poli-insaturada na alimentação diária. Os mais citados são os ácidos graxos ômega-3, ômega-6 e ômega-9.

58 | jan/fev.2011

Os ácidos graxos poli-insaturados ômega-6, encontrados principalmente em óleos ve­getais, são precursores de substâncias responsáveis na regulação hormonal, pela coordenação da função respiratória, reprodutiva, renal e imune. Estão envolvidos também na proteção contra infecções, inflamações e lesões teciduais. Porém, sua ingestão exagerada pode influenciar diretamente na concentração de ômega-3, podendo diminuir os níveis do “bom” colesterol (HDL) presente no corpo. Dessa forma, é necessário equilibrar a proporção consumida para não ocasionar efeitos contrários aos seus benefícios.

Ômega-9

Os ácidos graxos poli-insaturados ômega-3 são encontrados em abundância nos tecidos de peixes marinhos de água fria e também em cereais como a linhaça. Seus principais constitu­intes são os ácidos eicosapentaenóico (EPA) e docosahexaenóico (DHA). Esses ácidos são necessários para a produção de substâncias, as quais controlam a coagulação sanguínea e outras funções impor­ tantes do sistema cardiovascular, facilitando, assim, o fluxo sanguíneo, reduzindo a pressão arterial e aumentando o “bom” colesterol (HDL). O DHA também é essencial para o desenvolvimento e saúde da função visual e do sistema nervoso.

Ômega-6

Ômega-3

Essas gorduras denominadas de “essenciais” são indispensáveis para o bom funcionamento do corpo. No entanto, não podem ser produzidas pelo organismo, devendo necessariamente ser ingeridas através dos alimentos e suplementos.

Em relação aos ácidos graxos monoinsaturados ômega-9, encontrados em boas quantidades no azeite de oliva, óleo de borragem e óleo de linhaça, são responsáveis por reduzir processos inflamatórios e regular os níveis de colesterol e triglicérides no sangue, agindo como um excelente cardioprotetor. Em vista de todos esses benefícios mencionados sobre os ácidos graxos mono e poli-insaturados, a tendência atual é o consumo diário e controlado dessas boas gorduras. Lembrando que elas devem estar sempre associadas a uma alimentação equilibrada e a hábitos de vida saudáveis, para a prevenção e tratamento adjuvante de doenças crônicas degenerativas, tão presentes na vida moderna.



Sun Magazine - Edição 1