Page 1


EDITORIAL

Não menospreze os fernandopolenses  Em 1996, quando entregou a prefeitura a Armando Farinazzo, e ainda não havia sido instituído o direito a reeleição, um jornalista apostou no mais conceituado jornal da época, que Vilar nunca mais seria eleito. Errou. Isso dado ao aumento do IPTU que totalizava 400%, em grossa conta matemática. Com o grupo dilacerado Vilar ainda tinha um ativo de obras para mostrar: o Velório Municipal, Shopping, o Caic, trevo da Expedicionários, Unicastelo e o início do Teatro Municipal. Em 2000 Farinazzo não se reelegeu e a vaga foi preenchida por Nilton Camargo que derrotou ambos nas urnas. Com seu falecimento Adilson Campos, em exercício, nem entrou na disputa de 2004 e Rui Okuma foi quem ganhou/ Com o passamento de Rui Okuma com apenas um ano de mandato,  Ana Bim assumiu interinamente criando um vácuo de lideres neste curto espaço de tempo. A cidade ficou a mercê de um nome, sobrando novamente para Vilar, a oportunidade de convencer a todos que salvaria a cidade. Fernandopolenses deram a chance a Vilar, que não aproveitou.

GILBERTO MUSTO Diretor do Sistema MEGA de Comunicação giba@midiag.com.br www.midiag.com.br

EXPEDIENTE Diretor Gilberto Musto giba@midiag.com.br MTB 37.134

Editora Célia Souza celia@midiag.com.br Gilberto Musto ME CNPJ 05.378.241/0001-92 Telefone: 17 - 3465 0020 Circulação São Paulo: Região Noroeste Minas Gerais: Triângulo Mineiro

Sua assessoria de comunicação, liderada por Tatiana Brandini, foi uma tragédia tentado enganar a população no anúncio de obras que nunca sairiam do papel ou viagens com dinheiro publico. Tentou construir uma imagem totalmente indefinida de Vilar, por pura falta de experiência, pois nunca havia trabalhado no setor público e não deu tempo de aprender. Saiu da administração com uma rejeição faraônica dos demais secretários e familiares do prefeito. Não conseguiu solidificar a imagem dele como gestor e o caminho da reeleição foi ficando distante. Em um trabalho solo, o próprio prefeito iniciou um processo de abandonar importantes parceiros, amigos e até comparsas, que o acompanhavam desde os idos de 92. Talvez porque os interesses foram mudando. Com poucos e sem expressão ao final do mandato, Vilar foi as urnas numa busca indecente de se resolver a eleição na base do dinheiro. Perdeu o dinheiro, a eleição, o pequeno grupo e sua reputação. Fecha o mandato com R$ 8 milhões de restos a pagar de 2011, dado apontamento do TCE, deverá deixar mais uns R$ 15 milhões no exercício de 2012, fora outro tanto de empenhos cancelados. Até aquele que lhe prometeu 5 mil votos, no máximo postou no Facebook duas ou três frases de apoio sem nenhuma expressividade e, minutos depois do resultado ser anunciado, cumprimentou Ana Bim pela rede social. O mito da reeleição atua forte em Fernandópolis. Na história, nenhum prefeito se reelegeu, e não deverá se reeleger, pois o povo é qualificado, inteligente e mesmo os mais humildes não podem ser menos prezados. Ao próprio alcaide, o poder não pode lhe subir a cabeça porque todos os fernandopolenses e suas instituições estão de olhos abertos em todas as atitudes dos mandatários, que pensam poder conduzir a prefeitura como sua e direcionar a massa popular sem mostrar resultados concretos em obras de infraestrutura,  apoio ao setor social, à educação e principalmente a saúde. A MEGA está de olho e cumpri seu papel ao alertar: Não menospreze os fernandopolenses. 


ARTIGO

Tristezas não resolvem

O Ministro Guido Mantega recebeu muitas críticas, recentemente, ao dizer que acredita que a economia brasileira vai voltar a crescer 4% ou até um pouquinho mais em 2013 e nos anos seguintes. Apesar do baixo crescimento do PIB em 2012, não tenho dúvida de que vamos terminar o ano com a economia “rodando” entre 3,5% e 4%. Com todas as dificuldades que enfrentamos este ano - a economia externa baleada e as exportações reagindo mal - o ministro Guido e sua equipe podem comemorar, discretamente, o fato que vamos virar o ano novo com nossa economia se recuperando. O crescimento em 2013 não está dado. Sua sustentação vai depender do comportamento da política econômica, da aceleração dos investimentos públicos ao longo do ano e da cooptação do setor privado, para que este recupere o espírito animal e desamarre seu navio do ilusório cais da segurança. Aqui entra a famosa sentença de W.I. Thomas que veste como uma luva a atual situação brasileira: “se as pessoas definem suas circunstâncias como reais, então elas serão reais em suas consequências”. Para cooptar o investimento privado indispensável para a ampliação do crescimento é preciso mudar aquela crença. O governo deve insistir que é “pró-mercado” e não “pró-negócio”. Precisa convencer que é a favor da competição regulada e ágil e que não pretende realizar diretamente aquilo que por sua natureza o setor privado sabe fazer melhor. O governo – a exemplo do velho aforisma sobre os costumes romanos – deve mostrar que não se envolve com os “negócios” que caracterizam o “capitalismo de compadres”. E tem que se esforçar para cooptar a massa gigantesca de pequenos, médios e grandes empresários, assustados com o fantasma da “estatização”, que seria o seu “verdadeiro objetivo”, como corneta a oposição... Talvez o teorema de Thomas ajude a entender o paradoxo de um governo, extremamente bem avaliado pela sociedade, ser visto ao mesmo tempo com profunda desconfiança pelo seu setor produtivo privado, particularmente o financeiro.

DELFIN NETTO

Apesar dos tênues sinais de que o cenário internacional está ficando “menos pior”, o que nos dá algum alento para melhorar as exportações, a aceleração do crescimento vai continuar dependendo cada vez mais de nós mesmos. Depende do suporte que o governo for capaz de dar para o crescimento do mercado interno e das respostas do setor privado às políticas postas em prática. A única forma, na realidade, de projetar o crescimento é tratar de construí-lo, por que não existe nenhum mecanismo mágico que garanta o acerto das previsões. O ano está terminando e o mundo não acabou em 2012, como os feiticeiros previram...

Professor emérito da Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo, ex-ministro da Fazenda, ex-ministro do Planejamento, ex-deputado federal e consultor de economia.

Nossa economia tem tido um comportamento peculiar, com maior crescimento nos setores de serviços, uma verdadeira revolução no processo da inclusão social, o mercado de trabalho praticamente em pleno emprego, com as instituições funcionando bem, de forma que não há nenhum obstáculo intransponível para que o Brasil volte a crescer mais.


ARTIGO

Esse cara sou eu Mais do que os desejos e famosas metas para o próximo ano precisamos incorporar em nossas prioridades algo muito mais simples, o conhecimento pessoal. Chegar ao fim do dia exaustos, e com a sensação de termos feito um terço das tarefas nos causa muito mais que impotência, causa tristeza e deixa qualquer um á beira de um ataque de nervos. Temos que parar de viver no piloto automático, eliminando as tarefas e nos preparando para cumprir a risca uma rotina de atividades sem fim. A antítese de tudo, pontuada por uma atitude de se deixar levar também não trará paz e a almejada felicidade. O ponto de equilíbrio está exatamente em estar consciente de cada uma de suas escolhas, priorizar o imprescindível e focar suas energias e o tempo naquilo que vai trazer a almejada felicidade. Tudo que vivemos é fruto de nossas escolhas, que são pontuadas pelo nível de conhecimento que temos de nós próprios. Como alcançar o autocontrole sobre a sua vida é mais simples que você pensa e exige somente você conhecer perfeitamente á si próprio.

CÉLIA SOUZA Assessora política da Mídia G. Comunicação celia@midiag.com.br www.midiag.com.br Twitter/@celiameganews

Como diz a música do Roberto Carlos, que têm tocado incessantemente nas paradas musicais, esse cara sou eu, precisamos analisar quem somos, para desta forma estabelecermos o nosso plano de vida e acertarmos os nossos ponteiros. Ser feliz é impossível se você não souber responder a simples pergunta, quem é você?


AGRONEGÓCIO Sindicato Rural: produzindo trabalho com excelência


E

ficiência, este é serviço que o SiRF - Sindicato Rural de Fernandópolis proporciona aos seus associados. O SiRF abrange, além de Fernandópolis, onze municípios da região e tem a responsabilidade de gerenciar um dos maiores polos do setor agropecuário da noroeste paulista. Com a missão de manter os associados em sintonia com as exigências do mercado de trabalho, o sindicato oferece a oportunidade para especialização e qualificação em diferentes setores. Para garantir que tal responsabilidade seja cumprida não só para os seus associados, mas para todo o produtor rural e sua família, o SiRF possui uma série de ferramentas e serviços disponíveis, além dos cursos do SENAR, cuja parceria agrega centenas de modalidades o aperfeiçoamento e profissionali-

Já os participantes dos cursos não têm despesa alguma. “Além do material didático gratuito, o aluno recebe alimentação enquanto está aprendendo”, diz Nelson. Gregorini explica ainda que os cursos têm alta adesão devido à praticidade de aprendizagem. “As aulas teóricas são na sede do SiRF e as práticas são no campo”, ressalta. Tendo como objetivo principal o programa Jovem Aprendiz Rural, oportuniza a formação profissional rural aos jovens maiores de 14 anos e menores de 24 anos de idade, capacitando-os para o ingresso no mercado de trabalho, através de atividades controladas, em ambiente protegido, nos termos da legislação vigente. De acordo com Nelson, tal programa é executado atualmente nos municípios de Macedônia e Meri-

zação gratuitos para preparar os interessados para um mercado de trabalho tão competitivo. De acordo com o Presidente do Sindicato Rural de Fernandópolis, o engenheiro agrônomo Marcos Mazeti, “o comprometimento com os associados faz com que o SiRF leve às autoridades os sentimentos vividos pelos produtores rurais, onde é necessário uma política agrícola que garanta a produção sustentável e que abranja todas as esferas, ambiental, social e principalmente a renda desses Dr. Fábio Meirellis, presidente da FAESP, Deputado Federal Edinho Araújo e produtores, que sustentam Marcos Mazeti, presidente do Sindicato Rural de Fernandópolis um dos pilares da economia do nosso país ". diano e abrange 60 alunos. “A formação técnicoOs cursos têm como objetivo desenvolver ações de -profissional de adolescentes e jovens amplia as Formação Profissional Rural e atividades de Propossibilidades de inserção no mercado de trabalho moção Social voltadas para o "homem do campo", e torna mais promissor o futuro da nova geração. O contribuindo para sua qualificação, integração na produtor, por sua vez, além de formar um trabalhasociedade, qualidade de vida e cidadania. dor de acordo com o perfil de que sua propriedade SENAR necessita, passa a contribuir de forma significativa De acordo com o coordenador do SENAR em Ferpara a promoção da cidadania”, diz. nandópolis, Nelson Gregorini Junior, “os trabalhos “Regulamentada pelo Decreto nº 5.598/05, essa lei são distribuídos para os municípios através dos proporciona à juventude brasileira os conhecimenSindicatos Rurais conveniados, cujos cursos ofetos teóricos e práticos necessários ao desempenho recidos são de acordo com a demanda do municíde uma profissão. Propicia ainda aos aprendizes pio. O Sindicato Rural envia um projeto solicitando a chance de terem sua primeira experiência como qual o curso deseja, e depois de aprovado o SENAR trabalhadores, a partir do contrato especial de traoferece os recursos para a realização dos cursos”, balho firmado com os produtores”, conclui Gregoexplica. rini. O coordenador destaca que hoje existem cerca de O coordenador disse ainda que cerca de 600 pro30 cursos de formação profissional e cerca de 20 dutores e trabalhadores da região se formaram nos cursos de promoção social que são relacionados a cursos profissionalizantes desenvolvidos pelo SEartesanato em sementes, bambu, processamento NAR. artesanal de pães, frango, carne, entre outros. Outro serviço realizado em parceria com o Sindicato


Atividades

Marcos Mazeti com o governador Alkimin e Candeo presidente do Sindicato Rural de Jales

Rural é o de Prevenção no Campo; uma enfermeira vai até as propriedades realizar exames oftalmológicos, saúde bucal, entre outros. “Após a realização desses exames, nossa equipe faz uma palestra de prevenção e aciona a Secretaria da Saúde de Fernandópolis, onde os encaminhamentos devidos são realizados”, diz Gregorini. Para o presidente da FAESP - Federação da Agricultura do Estado de São Paulo, Dr. Fábio Meirelles, o bom gerenciamento de uma propriedade rural através da capacitação de proprietários e colaboradores está na essência dos trabalhos do SIRF. “A grande força motriz é a que gera trabalho incansavelmente pelos direitos do homem do campo. Seja no interior ou na capital, os sindicatos rurais sempre estarão amparando quem vive dos frutos da terra”, destaca o presidente. SERVIÇOS

Secretário Julio Semeguini com produtores

Senador Suplici e Marcos Mazeti

Processamento artesanal de mandioca

O Sindicato Rural de Fernandópolis é pioneiro no quesito comunicação entre seus associados. Semanalmente, os produtores rurais associados à entidade recebem direta e gratuitamente em seus celulares as principais informações sobre tudo aquilo que é noticia no setor, além de lembretes do sindicato e felicitações. O SiRF é a primeira entidade no estado de São Paulo a utilizar a tecnologia da telefonia móvel para informar seus associados do que acontece no setor. O INFORMA SiRF de distribuição gratuita está disponível nas principais bancas e leva ao produtor rural noticias, informações, entrevistas, classificados, novidades e tudo aquilo que é de interesse do produtor rural de Fernandópolis e região. O sindicato também está presente anualmente na EXPÔ - Exposição Agropecuária, Comercial e Industrial de Fernandópolis, uma das mais tradicionais festas do gênero na região e no país. Essa parceria promove no evento a exposição de animais, a grande exposição do gado leiteiro e de corte os pavilhões da Agricultura além do leilão beneficente. O Departamento de Relações Humanas do Sindicato Rural de Fernandópolis disponibiliza para seus associados serviços de assessoria pessoal como admissões, demissões, emissão de RAIS – Relações Anuais de Informações Sociais, recebimento de mensalidades, emissões de holerites, INFOS CAGED - Cadastro Geral de Contribuintes (mensal) e cálculos trabalhistas. Entre os serviços que o SiRF oferece está a assessoria fiscal, que abrange abertura e cancelamento de inscrição, pedido de talões, notas eletrônicas, ICM de gado, declaração de vacinação, inspeção de Greening. Também na sede o produtor encontra serviços de


despachante, imobiliários em geral, auxílio na renovação da CNH, licenciamentos, transferência de veículos, documentação de veículos 0 KM, segunda via de RGs e credencial de estacionamento para idosos. Para usufruir os benefícios basta ser associado. A diretoria do sindicato rural também é responsável pela maioria das reuniões técnicas realizadas em Fernandópolis e região, que orientam produtores e empresários rurais dos mais variados gêneros trazendo especialistas, mestres e doutores para orientar sobre o mercado de trabalho, problemas mais comuns e resoluções em curto médio e longo prazo, sempre de acordo com a realidade e as culturas predominantes na região noroeste como a citricultura, a pecuária, a cana-de-açúcar, cultura da borracha entre outros. Ciente da importância da cultura como principal instrumento de preservação, de memória e de identidade da sociedade, a parceria do SENAR, Sindicato Rural e Prefeitura Municipal de Fernandópolis garante variadas manifestações de apoio às zonas rurais da região noroeste, uma vez que esta população ainda traz fortes laços históricos e culturais arraigados no seu estilo de vida. Programas sociais como o Ação Ciranda de Esporte e Lazer, o Programa Promovendo a Saúde no Campo e a Alfabetização para Trabalhadores Rurais sem Escolaridade, fazem parte do cronograma de ações. O SiRF está sempre em sintonia com a cúpula executiva da FAESP, garantindo a qualidade de vida para aqueles que vivem da terra. “A força do produtor rural brasileiro é inigualável e estamos trabalhando para fazer uma agricultura compatível com o tamanho deste país”, diz Fábio Meirelles, presidente da instituição.

Curso de Sangria em Seringueiras

Curso de Operador de Tratores

REPRESENTATIVIDADE Quanto maior a representatividade, maior a representação. Essa é uma das premissas do Sindicato Rural de Fernandópolis, que trabalha em diferentes esferas - econômica, informação, social e fiscal - em apoio aos seus associados e produtores rurais. Isso foi provado na recente viagem a Brasília a convite da FAESP que culminou no congelamento da criação do Conselho dos Produtores de Laranja e das Indústrias de Suco de Laranja (Consecitrus), que beneficiava somente a indústria, deixando os citricultores e seus produtos em plena crise. “A representatividade abre canais importantes de interlocução permanente, e foi isso que o SIRF conseguiu dando voz a quem realmente passa pela situação: o pequeno Produtor Rural”, diz Marcos Mazetti. O Sindicato Rural lutou de todas as formas para

Artesanato em couro

Derivados de leite


Ação criança, esporte e lazer

Saúde no campo

amenizar a crise. Em reunião realizada no início de novembro pelo Sindicato Rural de Fernandópolis, compareceram dezenas de produtores e compradores de laranja de toda a região onde detalhes sobre o PEPRO - Prêmio Equalizador Pago ao Produtor e o PEP - Prêmio para Escoamento de Produto foram explanados a fim de amenizar os déficits causados pela crise na citricultura nacional. Entre os temas debatidos, as linhas de financiamento e a prorrogação de pagamento de dívidas também foram colocadas em pauta. Segundo informações fornecidas na reunião por Luis Antonio Équi, associado do SIRF e consultor financeiro voluntário do sindicato, foi autorizada a rolagem de dívidas de custeio e investimentos (tais como aquisição de máquinas, implantação de pomares, irrigação e custeio de roças) já vencidos e a vencer nos próximos meses para pagamento a partir de fevereiro de 2013 e em até cinco anos. Também foram liberadas linhas para a manutenção de pomares. O Banco Central já divulgou, por meio de uma resolução, os detalhes das medidas anunciadas. Esse modelo pode ser encontrado na sede do Sindicato Rural de Fernandópolis aos cuidados do também consultor Antônio Batista. Lembrando que o sindicato de Fernandópolis presta assessoria gratuita sobre o PEPRO e o PEP para quem quer vender suas laranjas ao governo.

Jantar de confraternização dos produtores rurais


Associados O produtor José Afonso Cáfaro conta que a família é associada desde a abertura do Sindicato Rural de Fernandópolis. “Eu não conheço as atividades do meio rural, sem estar ‘ligado’ao SiRF”, diz. De acordo com Cáfaro, devido ao trabalho ágil do sindicato, os produtores ganham tempo para se dedicar a outras atividades. “Com o apoio trabalhista, os cursos de qualificação oferecidos aos produtores e funcionários e todo o suporte para administrar nossa propriedade, ficamos tranquilos para fazer a nossa parte, que é produzir”, destaca.

O produtor Jaime Castilho também é associado há muito tempo e recomenda aos produtores que façam parte de Sindicato Rural de Fernandópolis. “O SiRF oferece uma equipe qualificada que presta serviços de forma ágil e competente, por isso não temos preocupações com a documentação e qualificação dos funcionários, porque o SiRF nos dá total apoio. Quem ainda não é associado está perdendo muito, pois o suporte oferecido é excelente”, destaca.

Há 20 anos o produtor João Simonato é associado do Sindicato Rural de Fernandópolis. Para ele o SiRF tem grande valia principalmente no setor de documentação. “Antes do sindicato a gente perdia tempo, a nossa vida era mais difícil; com o SiRF tudo é fácil porque aqui encontramos tudo o que precisamos”, afirma.

João Simonato

José Afonso Cáfaro O produtor Sidnei Brunca revelou que antes de ser associado tinha muito trabalho em encontrar um escritório que fizesse a documentação necessária. “Os escritórios atendem muitos setores, e por isso era complicado; já no SiRF a gente chega, pede o que precisa e em pouco tempo tudo está pronto”, revela.

Jaime Castilho

Já está no ar a nova página do SiRF e do SENAR no Facebook, que traz atualizações diárias sobre as principais atividades da entidade. Na página você também acessa o cronograma oficial de Cursos disponíveis do SENAR aplicados gratuitamente em toda a região.

Sidnei Brunca

Waldir Antonio Bassan

Sindicato Rural de Fernandópolis: Rua Brasil, 1683, Centro. Informações pelo telefone (17) 3442-2860.


MUNDO DIGITAL

Google atualiza mapeamento de Fernandópolis Revista MEGA acompanha equipe do Google em atualização de dados para o Street View em Fernandópolis

O

Google adicionou novas cidades brasileiras ao serviço Street View, que permite realizar um passeio virtual pelos locais e encontrar pontos de referência para ajudar na localização. Fernandópolis foi uma delas que recebeu atualização. A captação das imagens foi feita na quarta feira 28 de novembro. acompanhada em parte pela equipe da MEGA. A proposta do Google é que, até a Copa do Mundo de futebol no Brasil em 2014, todas as cidades-sede estejam abastecidas pelo serviço. Coleta de imagens Antes de mais nada, o Google sai e fotografa os lugares para mostrar no Street View. Ao planejar o percurso, dá-se muita atenção ao sol. Tem de estar alto o bastante para que as sombras não escureçam os edifícios. Também se leva em conta o clima e a temperatura. Não se permite que neve, neblina e chuva causem atrasos e deixem as imagens sem foco. “Para sair com o clima e a luz certos nos EUA, por exemplo, começamos pelos estados do sul, vamos para os estados do norte à medida que o tempo esquenta e voltamos para o sul quando chega o inverno. Na Europa, isso significa começar pelo sul da Itália e subir gradualmente para a Suécia”, atesta um dos engenheiros e cocnlui: “Quando pensamos por onde devemos começar a fotografar, pensamos nas grandes áreas metropolitanas, já que é nelas que o Street View vai atender à maior quantidade de pessoas. Normalmente, começamos pelo centro da cidade, para captar as áreas centrais populares, e então expandimos a área de alcance”. A cidade de Fernandópolis foi mapeada em um único dia em uma Captiva equipada com uma câmara fotográfica tridimensional que fez todo o geoprocessamento , enviando as fotos, de forma online, para a sede da empresa no Rio de Janeiro, para cuidar da montagem das fotos, como elucidado pelos colaboradores da maior empresa de dados do mundo.


GORMET

Uma família trabalhando para a sua

Excelência no atendimento, esta é a filosofia de trabalho realizado pela família Yasuda, em Fernandópolis.

H

á quase 13 anos, a Pastelaria Yasuda oferece o que há de melhor na culinária local. Além dos tradicionais pastéis, a comida japonesa também é oferecida aos mais de 1000 clientes que vão toda semana saborear as iguarias da Pastelaria Yasuda. De acordo com o empresário Massao Yasuda, a dedicação misturada com respeito e competência, fez com que o empreendimento se tornasse o sucesso que é hoje. “Nossa clientela é extremamente familiar, aqui você encontra além de casais, pais e filhos, avós e netos, enfim, o ambiente da Pastelaria Yasuda proporciona esse acolhimento onde todos são recebidos da mesma forma e se deparam com excelente comida e ambiente acolhedor”, diz. A clientela da Pastelaria Yasuda recebe as mais diferentes pessoas, onde as classes A, B e C se fazem presente para saborear a deliciosa comida de terça – feira a domingo. O empresário revelou ainda que cerca de 1500 pastéis são confeccionados por semana. Os sabores, carne, queijo, frango, palmito, gairova, calabresa e catupiry, podem ser montados da forma que o cliente desejar. “Se o cliente quiser carne com catupiry ou palmito e calabresa, por exemplo, a gente faz, se quiser misturar todos os sabores em um só pastel, também fazemos”, destaca. Apesar do ‘carro chefe’ ser o pastel a Pastelaria Yasuda oferece porções de bolo de bacalhau, quibe cru e frito, sashimi e tempurá (bolinho de legumes com recheio). Massao contou a equipe da MEGA que morava em Votuporanga, no entanto, desde que veio a Fernandópolis no final do ano de 1.999, jamais quis sair da cidade. “Hoje eu me considero fernandopolense, não quero sair mais daqui, porque, graças a Deus, conquistei muitos amigos e, desde que cheguei fui muito bem acolhido por todos do município”, diz emocionado. “Disseram-me uma vez que: ‘Quem bebe da água de Fernandópolis, sempre retorna’, e isso é a pura verdade”, conclui. A Pastelaria Yasuda funciona de terça – feira a domingo, das 15h ás 00h, e está localizada na Avenida Líbero de Almeida Silvares, 2409, Centro. Informações (17) 3462 – 1567.


MIGUEL GONÇALVES

Estimulado para lutar contra o cancer há 6 anos

M

iguel Pessuto Gonçalves, 11 anos, aluno dedicado do 6º ano do ensino fundamental, jogador de basquete nas horas vagas, deseja ser engenheiro Aeronáutico quando crescer. O pequeno palmeirense, filho de Edivânia Patrícia Silva Pessuto e Fernando Carlos Gonçalves é exemplo de luta e superação, com apenas 11 anos, passou por três cirurgias, e luta contra o câncer desde seus cinco anos.

MEGA: Com quantos anos soube que tinha câncer? MIGUEL: 5 Anos. MEGA: Como soube? Quem te deu a noticia? MIGUEL: Quem descobriu minha doença doi o Dr. Luis Baraldi, a quem devo minha vida. Como eu era muito pequeno, meus familiares evitavam de me dizer a palavra câncer, me diziam que eu tinha um ¨bichinho¨ dentro da barriga e que o remédio que eu tomava era para eliminá-lo. MEGA: Como você se sentiu? Miguel: Eu era muito pequenino e minha mãe tentava fazer de tudo para parecer uma brincadeira, tornar as coisas mais leves e menos doloridas do que já eram. MEGA: Você foi fazer o tratamento onde? MIGUEL: Na clínica GOP (Grupo de Oncologia Pediátrica), que pertence aos professores que atuam na UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo) e no GRAACC ( Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer). Quem sempre me acompanhou foi minha mãe. Meu tio Jurandy foi quem abriu as portas e quem orientou minha mãe, sobre quais caminhos seguir, já que ele é médico e estudou na UNIFESP. Outra pessoa que muito ajudou quando minha mãe


fraquejava ou não podia ir comigo era minha querida Vovó Edna, que até hoje é fundamental na minha recuperação. MEGA: Você fez/faz quimioterapia? MIGUEL: É muito difícil esse tratamento? Já fiz muitas sessões. Quando eu era menor, mão sentia tanto os efeitos, mas desta última vez, talvez porque a quimioterapia usada era muito forte, sentia-me muito mal. MEGA: Qual foi o momento mais difícil do seu tratamento? MIGUEL: Nenhum, pois apesar de tudo que passei sempre me divertia de alguma forma, tendo esperança de que ia sair dessa. MEGA: Nossa! Você é valente mesmo! Nunca sentiu medo? MIGUEL: As vezes sentia um pouco de medo, principalmente na hora de levar picada de agulha, mas agora já estou tão acostumado que nem sinto mais medo.

‘‘

MEGA: E quando sente medo, o que faz? MIGUEL: Tento me acalmar e penso que aquilo é para o meu bem e minha mãe sempre me diz que se eu der chilique pode ser pior e causa algum problema como quebrar a agulha, ou deixar a enfermeira nervosa e ai pode demorar muito mais.

MEGA: Os seus amigos da escola fizeram uma linda homenagem a você raspando o cabelo também. Como você se sentiu? MIGUEL: Achei muito importante o que eles fizeram por mim, eles não têm noção do quanto me fez bem e me fez sentir incluído na turma e não uma criança diferente deles. Vou ser sempre grato à todos eles. MEGA: Você é um exemplo de superação e coragem, mesmo tão novinho já passou por muita coisa. O que você tem a dizer para as pessoas que estão doentes ou passando por alguma dificuldade? MIGUEL: Apesar de eu ter passado por três cirurgias, um transplante de medula, varias sessões de quimioterapia, radioterapia e a perda de um dos rins, tento todo dia ver a vida com otimismo e ver que os meus problemas perto do de outras pessoas são muito pequenos para ficar perdendo tempo em reclamar da vida.

‘‘

MEGA: A sua Mãe está sempre ao seu lado cuidando de você, além de seus pais, quem mais te dá tanto apoio? MIGUEL: Meu Avô Jurandy que nunca me deixou faltar nada enquanto estive doente, minhas tias Adriane e Andréa que que as vezes deixavam os filhos delas para ir cuidar de mim, meus primos, meus amigos e toda a minha família em geral.

O que eles fizeram por mim, eles não têm noção do quanto me fez bem e me fez sentir incluído na turma e não uma criança diferente deles


POLÍTICA

Emendas orçamentárias para atender demandas do estado

A

presentei na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo emendas ao projeto de lei orçamentária de 2013 para que o Governo do Estado possa atender com recursos financeiros diversas áreas que necessitam de investimentos. As emendas apresentadas nesse sentido visam garantir recursos para as obras em andamento, para início de outras e para eventuais aditamentos que possam surgir no decorrer de tais obras. Sugeri emendas orçamentárias para infraestrutura urbana dos municípios da região de Araçatuba, Fernandópolis e Jales. Remanejei recursos para a Secretaria de Turismo do Estado a fim de que sejam desenvolvidos programas de logística para o transporte de turistas e de divulgação das cidades paulistas. Na minha gestão como prefeito de Santa Fé do Sul, o nosso município foi elevado à condição de Estância Turística, o que trouxe resultados muito positivos para a cidade e região. Por essa razão, remanejei também verbas orçamentárias para atender as Estâncias Turísticas bem como fazer face às despesas decorrentes dos municípios que venham a ser classificados como de Interesse Turístico. Como presidente da Frente Parlamentar do Empreendedorismo, priorizei através das emendas orçamentárias, recursos para atender a subsecretaria do Empreendedorismo, Micro e Pequenas Empresas e dessa forma viabilizar financeiramente a realização de ações e programas que continuam para a melhoria do ambiente empreendedor no Estado de São Paulo. Para a agricultura, as emendas de minha iniciativa remanejam verbas para que a secre-

taria de Agricultura e Abastecimento possa implementar programas de apoio aos municípios e ás associações de produtores rurais. Outra emenda de minha autoria, destina verbas para investimentos na área de saneamento ambiental. Solicitei também, através das emendas apresentadas, recursos para a construção do novo prédio para o Fórum Regional da Lapa, na Capital, fórum de Olímpia, Araçatuba, Ilha Solteira, Hortolândia e Arujá. Apresentei emendas remanejando verbas para atender as Santas Casas e Hospitais Filantrópicos do Estado. A partir de agora, as emendas serão apreciadas pelas Comissões Permanentes da Assembleia Legislativa. A seguir, o projeto e as emendas serão submetidos à apreciação em plenário para que possam, então, integrar o orçamento de 2013.

Deputado Itamar Borges é presidente da Comissão de Atividades Econômicas e da Frente Parlamentar das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos.


INVESTIMENTOS

Epresas do grupo Colombano

planejam novo cemitério para a cidade

Maquete em 3D de nova area que deverá compor o novo cemitério a 1 km da cidade

M

uito se fala em Plano de Assistência Familiar, no entanto, poucos sabem que o projeto em Fernandópolis foi idealizado pela família Colombano, proprietária da Funerária Fernandópolis. Desde o ano de 1993, a empresa sempre teve como meta oferecer os melhores benefícios à população da cidade, que tanto necessitava de uma assistência nos momentos mais difíceis. Com o passar dos anos, os benefícios oferecidos aumentaram devido ao grande número de adesão dos munícipes. Hoje, dentre os benefícios estão os descontos em consultas médicas, odontológicas, empréstimos de aparelhos ortopédicos e descontos em uma farmácia exclusiva para os associados. De acordo com o empresário Renato Colombano, mais de 4000 remédios são oferecidos com descontos que variam de 15% a 80%.  “Embora ofereçamos muito mais aos nossos clientes, o atendimento e assistência são prioridade na Funerária Fernandópolis”, diz. Hoje, cerca de 30 mil pessoas são usuárias do Plano de Assistência Familiar do Colombano, cuja grande maioria está localizada em Fernandópolis. A empresa oferece ainda o Seguro ao Associado, onde o usuário escolhe fazer parte ou


não deste serviço. Em 2011 foram entregues R$ 116 mil às famílias participantes e este ano já está chegando aos R$ 120 mil. “O dinheiro é repassado em até 45 dias”, ressalta o empresário. Devido à capacidade dos cemitérios da Consolação e Saudade estar em cerca de 80%, Colombano revela que existe um grande projeto para 2013, o ‘Cemitério Parque’. “Sobre o projeto, já estamos conversando com a próxima administração, e já possuímos o terreno que fica localizado próximo à Rodovia Percy Waldir Semeghini a um quilômetro de Fernandópolis”, revela. Indagado sobre a distância da cidade, segundo o empresário, existe uma perspectiva de que em seis a oito anos o local já esteja urbanizado. “Fernandópolis necessita de um cemitério, por isso vamos investir mais de R$ 4 milhões para concluir este projeto”. “Se Deus quiser vamos começar a construí-lo em 2013”, destaca. Renato diz ainda que se sente muito feliz em ter empresas 100% fernandopolenses. ”Temos muito orgulho de trabalhar em Fernandópolis, por isso agradeço, em nome de toda a família Colombano e colaboradores, a você, fernandopolense, que sempre confiou em nosso trabalho”. 2013 será um grande ano para todos nós”, finaliza o empresário.

O empresário Renato Colombano

Segundo dimencionamento da área em Over View


GEO-ESPAÇO

População do estado de São Paulo diminuirá até 2050

P

rojeções populacionais elaboradas pela Fundação Seade sinalizam mudanças de grande impacto no perfil do Estado de São Paulo. A taxa de crescimento populacional – de 0,87% ao ano entre 2010 e 2015 – será reduzida progressivamente até se tornar negativa. Assim, entre 2040 e 2050, o estado perderá mais de 400 mil habitantes, totalizando 47,2 milhões ao final do período. A partir de 2027, o grupo dos maiores de 60 anos superará o de crianças e adolescentes com menos de 15 anos. O contingente de maior idade crescerá em ritmo mais intenso e, de modo geral, sua participação será quase triplicada em 2050 na comparação com 2010, ou seja, passando de 11,6% da população para 29,8%. O grupo de menores de 15 anos, por sua vez, terá sua participação reduzida de 21,5% para 14,0%. A população com mais de 60 anos ultrapassará 14 milhões de pessoas e o grupo de maiores de 100 anos, que era composto por apenas 3.231 habitantes em 2010, terá 35.072 pessoas em 2050 – população equivalente a uma cidade como Aparecida. Em contraste, o grupo com menos de 15 anos diminuirá em mais de 2,2 milhões de pessoas nesse período. Nessa trajetória, haverá forte demanda de prestação de serviços ao idoso, acompanhada de menor pressão para as necessidades relacionadas à infância e à adolescência, o que mudará o foco das políticas de saúde, educação e seguridade social. As projeções permitem visualizar essas transformações nas Regiões Administrativas do Estado. A RA de São José do Rio Preto, por exemplo, terá em 2050 participação de idosos quase cinco pontos porcentuais acima da média do estado –  tendência observada também em regiões como as de Barretos e Central. Em contraste, em outras RAs a participação de crianças e adolescentes de até 15 anos ficará acima da média estadual, caso de Registro, Baixada Santista e Região Metropolitana de São Paulo. A metodologia adotada para projetar a população contemplou as tendências e transformações ocorridas e esperadas para os componentes demográficos responsáveis pelo crescimento populacional: fecundidade, mortalidade e migração, partindo da população censitária de 2010 e tendo como horizonte o ano de 2050.


INFRAESTRUTURA

Cidade das “Àguas Quentes” só até 2017

T

odos sabem que a água e o esgoto de Fernandópolis são 100% tratados, porém, muita gente não sabe que para realizar os procedimentos necessários para este tratamento, a Sabesp, tem uma estrutura milionária em Fernandópolis e nos municípios que prestam os serviços. A Sabesp é uma empresa brasileira operadora de serviços de saneamento básico, localizada na capital paulista, onde atua em serviços de água e esgotos em centenas de municípios paulistas, inclusive na Capital. Cerca de 26 milhões de habitantes são beneficiados pelos atendimentos de serviços de água e esgoto. De acordo com o diretor de Divisão da empresa em Fernandópolis, Antônio Carlos de Oliveira, a meta da Sabesp é universalizar todas as cidades do interior paulista, até 2014. “Serão tratados 100% de água e esgoto de todos os municípios”, destaca. Antônio Carlos diz ainda que todos os municípios pertencentes a regional de Lins, ou seja, Fernandópolis, Jales, Monte Alto, Novo Horizonte, já estão com o tratamento 100% desde 2010. “São 83 municípios já universalizados”, conta. O diretor da Divisão disse ainda que até 2016 a Sabesp planeja tratar 100% de água e esgoto em todas as cidades do litoral paulista. Hoje cerca de 350 municípios contam com o serviço da empresa, onde abrange 80% da população do Estado de São Paulo. Já Fernandópolis tem sua água e esgoto tratados desde 2004, no entanto, Antonio Carlos, lembrou que muito trabalho foi realizado antes da conquista. “Em 1998 inauguramos a primeira Estação de Tratamento de Esgoto, próxima ao córrego Santa Rita, onde começamos a tratar de 50% do esgoto coletado, já em 2003 inauguramos a segunda Estação, localizada no córrego da Aldeia, onde iniciamos o processo com 100% de tratamento”, diz.


FERNANDÓPOLIS PRIVILEGIADA De acordo com Antônio Carlos, a escassez da água na região não preocupa a Sabesp, por enquanto. “A capitação de água para Fernandópolis é do Aquífero Guarani, que está a 1600 metros de profundidade, por isso, á água depositada no local vem de longe, fazendo com que chegue a Fernandópolis, 100 ou 200 anos depois, porém o grande volume de água garante o abastecimento da cidade”. Embora o Aquífero Guarani seja considerado uma das maiores reservas subterrâneas de água doce do mundo, os geólogos que acompanham o manancial já estão preocupados com seu futuro, devido à exploração sem nenhum controle. O rebaixamento do volume de água é o que espanta os estudiosos, devido à ‘recarga’, ou seja, a reposição da água retirada pelas bombas. Esta reposição é feita pela chuva que cai e se infiltra no solo chegando ao manancial, precisamente nas cidades de Bauru e Ribeirão Preto, porém, devido a grande quantidade de poços naquela região, o volume captado pelas bombas é muito maior do que a reposição pelas chuvas. “O aquífero já rebaixou cerca de 50 metros”, diz Oliveira. Más, Fernandópolis não sobrevive só do Aquífero Guarani, pois o Arenito Bauru, também é muito utilizado, principalmente por pessoas que fazem poços irregulares. “Por estar a cerca de 100 metros de profundidade, existe um grande número de poço sendo perfurados sem controle algum, inclusive sem autorização do órgão responsável”, explica. “Como não há controle atualmente, o comprometimento o Lençol Freático pode causar problemas no futuro, é o caso de São José do Rio Preto”, ressalta.   RESPONSABILIDADE Embora a Organização Mundial da Saúde oriente que cada pessoa utilize 100 litros de água por dia, o diretor diz que o fernandopolense utiliza 150 litros diariamente, o que para a Sabesp é considerado uma forma racional. “Nós consideramos normal, porque em alguns municípios existem pessoas que utilizam cerca de 280 litros por dia”, destaca. Indagado se existe a possibilidade de faltar água no planeta, Antônio Carlos diz que a água nunca vai acabar. “A água não acaba nunca, o volume é o mesmo, o problema é a qualidade, aonde capta, porque, existem rios cheios de água, más, não pode ser utilizada devido à poluição doméstica e industrial”, afirma. “A região Sudeste detém 15% da água doce do Brasil e a Amazônia 70%, em termos habitacionais o Sudeste tem mais de 70% de pessoas enquanto a Amazônia 7%, essa desproporção também colabora para que exista no futuro a falta de água em alguns lugares,  as regiões mais populosas são as que têm menos água”, ressalta. Atualmente, Fernandópolis produz cerca de 16 milhões de litros de água diariamente e, segundo Olivei-

ra, os horários que aumentam o volume de distribuição na cidade são das 17h30 ás 21h. ”É o horário que as pessoas chegam do trabalho e vão fazer o jantar”, explica. CONSCIENTIZAÇÃO Embora o tratamento seja 100%, muitas pessoas não sabem utilizar a rede de esgoto, onde, roupas, joias, preservativos, dentre outros itens, são encontrados com frequência no gradil que separa a água do sólido. “Já encontramos inclusive fetos em nossa Estação de Tratamento”, revela o diretor. O óleo de cozinha é um dos inimigos mortais da Sabesp, porque ele entope a rede. “A camada de óleo que fica ‘grudada’ na rede causa transtorno também para o cliente que fica com o seu ‘ramal’ entupido, por isso não pode jogar óleo na pia”, orienta. Hoje existem projetos de clubes de serviço e mesmo da prefeitura que recolhem o óleo na própria residência do morador. ABASTECIMENTO Hoje, em Fernandópolis existem quatro poços de abastecimento o “Poção 1”, perfurado em 1974, o “Poção2”, em 1980, “Poção 3”, em 1987 e o “Poção 4”, perfurado em 1992. Segundo Oliveira, esses poços garantem o abastecimento do município mais cinco anos. “Antes de 2017, a Sabesp já tem de estar com o plano de investimento para a perfuração de novos poços, para garantir o abastecimento”, ressalta. Já a área de tratamento do córrego Santa Rita tem a validade até o ano de 2018 e a do Córrego da Aldeia de 2024. “Após esse período o tratamento 100% não terá eficiência no loca, por isso novas Estações de Tratamento serão construídas”, diz. A Sabesp tem um contrato de 30 anos com a Prefeitura de Fernandópolis, onde deverá renova-lo em 2037, porém, existe uma revisão feita pelas partes de quatro em quatro anos, e a próxima será em 2013.

Antônio Carlos de Oliveira Diretor de Divisão da Sabesp em Fernandópolis


MEGA ENTREVISTA

Rosana Alarcon Comerciários com mais apoio e melhor infra-estrutura

D

emonstrando dinamismo e muito foco em suas metas à frente do Sindicato dos Empregados no Comercio de Fernandópolis, a presidente Rosana Maria Alarcon Sampaio, há um ano e meio, revolucionou as técnicas de gestão da entidade, e apoio aos funcionários do comércio da cidade. Foram notórias as mudanças, não apenas na administração, mas também no treinamento de pessoal, qualidade no atendimento interno aos associados e amplitude dos serviços que oferece a classe. Além disso para 2013 Rosana tem o projeto de ampliação das instalações físicas da entidade na av. dos Arnaldos, realizando adequações ao antigo prédio, ao lado de onde hoje, está a administração. Os comerciários por sua vez desfrutam de uma atuação mais próxima e de muito apoio, como conta em sua entrevista a revista MEGA.


‘‘

MEGA: Seu sentimento quanto a geração de empregos e oportunidades no coércio de Fernandópolis e região, foi de crescimento positivo? ROSANA: Com as lutas para a melhoria da classe comerciária, acredito que crescemos sim, mais o maior foco nosso perante uma entidade que visa defender os direitos dos trabalhadores no comercio, é o trabalho digno, como o funcionario estar registrado corretamente, recebendo o holerite de acordo com aquilo que ele trabalha, receber horas extras por tempo a mais de serviço, fiscalizar para que o comerciário trabalhe de acordo com as leis trabalhista e muito importante cada funcionario trabalhar corretamente nas suas devidas empresas, assim os patrões compre com seus papeis perante o sindicato.   MEGA: Das diversas formas de atuação do Sindicato junto aos associados, quais as que mais se destacaram neste ano? ROSANA: Este foi um ano de imensas mudanças, realizamos muitas coisas que nunca tinham acontecido por meio do sindicato, como a festa do dia das Crianças na praça da Matriz, foi realizado totalmente gratuita com lanche, refrigerante, algodão doce, pipoca, entrega de brinquedos, cama eslastica, brinquedos inflavéis, fui muito gratificante para a entidade poder realizar um evento dessa dimensão, teve tambem o Jantar para os comerciarios, totalmente gratuito e com sorteio de brindes e mais a amplitude de nossos beneficios na sede

da entidade, que temos Locadora com mais de 8000 filmes, Dentista, dois Advogados a disposição, sala de Informatica com microcomutadores novinhos. MEGA: O Sicomerciários sempre opta por investimentos em apoio aos associados. O que há de planos e metas para 2013? ROSANA: Visamos sempre melhorar e adaptar as prioridades dos comerciários, oferecemos diversão com a locaçao de filmes, assitencia jurica com dois advogados a diposição durante o dia todo, serviço de homologação, cuidados da saude bucal com a dentista com horarios flexiveis para os comerciários, oferecemos cursos de informatica do basico ao avançado para a melhora profissional do comerciário, temos o Kit Bebe para as mamaes comerciarias e visamos estar melhorando sempre, ja esta quase para inaugurar o Salão de beleza para as comerciários e outras metas que aos poucos vão beneficiar todos os Comerciários.   MEGA: Como a Federação atua e responde às necessidades da unidade de Fernandópolis? ROSANA: O Sincomerciarios de Fernandópolis trabalha juntamento com a Fecomerciários - Federação dos Empregados no Comercio do Estado de São Paulo, sendo assim a federação responde, colabora e aprova as iniciativas que tenho a frente do sindicato, nada melhor do que ter um trabalho transparente e atuar na luta pela classe comerciária. Sendo assim agradeço tudo o respaldo que tenho do Presidente da Fecomerciários Luiz Carlos Motta, acreditando no meu trabalho e na minha capacidade a frente desta entidade.   MEGA: O Sicomerciário vem inovando com realizações e apoio à eventos, uma coisa que nunca houve em gestões passadas. Que tipo de resultado isso traz para a entidade? ROSANA: Resultados positivos, mais isso não é tudo que importa, quero trabalhar de uma forma inovadora, o sindicato tem abrangencia para realizar muitos eventos, estamos buscando em meio disso realizar coisas nunca idealizadas, apoiado sempre o crescimento da cidade, apoiamos diversos projetos sociais, projetos da educação, e estamos a frente juntamento com uma equipe de um projeto maravilhoso, Encan-

‘‘

MEGA: Em sua opinião o ano de 2012 foi proveitoso aos colaboradores do comércio? ROSANA: Sim, podemos trabalhar mais este ano, depois de colocar a "casa" em ordem, tivemos mais tempo para benificiar e pensar em novas mudanças e melhorias para a classe comerciária, desde manifesto, protestos e passeatas por melhores salarios e melhores condições de trabalho, a sorteios realizados em datas comemorativas, presentiando assim os comerciários associados, realizamos festas, como o dia da criança na Praça da Matriz, Jantar dos Comerciários, o Miss Comerciário dentre outras, não esquecendo dos congressos que são de grande valor, tanto para mim como presidente, para meus funcionarios, a minha diretoria e comerciários que poderam estar presentes.

Agradeço tudo o respaldo que tenho do Presidente da Fecomerciários Luiz Carlos Motta


tos de Natal, que atraves da reciclagem vai deixar a cidade maravilhosa para o Natal, com decoração nas ruas do centro e na praça central. Inovamos tambem este ano com a aproximação da nossas bases territorias (o sindicato é responsavel por Fernandopolis e mais 19 cidades nossa região), buscando melhorias para eles tambem, intensificando o trabalho de bases, com beneficios, fiscalizaçoes. MEGA: Os comerciários tem visão de que a entidade mudou e está mais próxima deles todos. Quais são os principais pontos de apoio que o comerciário encontra para a classe? ROSANA: Toda mudança gera um certa insegurança, mais estamos trabalhando cada dia mais e mais transparente para que as pessoas entenda o que realmente o sindicato faz por elas, e dificil voce encarrar algo que estava parado no tempo e ter que ajustar tudo dentro de poucos meses, estamos inovando e estamos sentidos os comerciários cada dia mais proximos da nossa entidade, estamos mostrando um trabalho inovador, cheios de beneficios e melhorias isso e muito importante para cada trabalhador, ver que esta ai na luta por um sustento e ter alguem que esta a seu lado na sua luta.  Obs- No mês de Novembro a classe Comerciária foi aprovada pelo senado como Profissão, já estamos lutano por isso a algum tempo, através de congressos, manisfestos, passeatas e agora sim Ser Comerciário é uma Profissão, nada mais justo do que a classe que mais cresce no Brasil ser regulamentada.   MEGA: Qual a mensagem que você deixa aos leitores da MEGA referente ao final de ano e 2013 que vem chegando?  ROSANA: Desejo a todos um ótimo Natal, cheio de alegrias, harmonia e tudo que a nossa Caixinha de sonhos nos faz acreditar. Que esse Novo Ano que se aproxima seja uma porta aberta para novos sonhos, renovações de fé e muita Paz para o nosso mundo. Feliz Natal e um prospero Ano Novo, estes são os votos da familia Sincomercios.


Um MEGA sucesso Após muita expectativa, o tradicional concurso da Revista MEGA, o MEGA BABY chegou ao seu final. Foram mais de 90 crianças entre 0 à 9 anos. Assim, o MEGA Baby além de ser um concurso e objeto de desejo de toda a família, se transforma também em um documento histórico na vida de cada uma das crianças que participaram e que tiveram sua foto impressa nesta edição. Tal qual a promoção de extremo sucesso realizada anteriormente, cuja vencedora foi Ana Luísa na época com 2 anos, nesta contamos com o apoio de empresas patrocinadoras que foram as Rádios Águas Quentes, A Mais FM, Colégio Objetivo. A fotografa Laura Lima foi responsável pelo ensaio da capa e interno no editorial especial e os vencedores vestem roupas da loja Erva Doce. Após a publicação das crianças concorrentes na última edição da MEGA, foram reunidos na MIDIA G um corpo de jurados composto pela fotógrafa Laura Lima, pelos fotógrafos Isabel e Jean Ricardo, o locutor Jorge Pontes representando as Radios Aguas Quentes e A Mais FM, e o empresário fernandopolense Ricardo Saravalli. Esta equipe teve a difícil missão de eleger as 4 crianças finalistas do MEGA BABY, que foram eles: Ana Laura Giacomini Belati de 6 anos, Kawan Teixeira Cambuy de 8 anos, Rafaela de Oliveira de 4 anos e Otávio Bessa Assunção Toledo de 3 anos.

A inovação desta edição do concurso é que a capa leva as quatro crianças vencedoras, esta mudança visou atender a reivindicação dos pais de gerar maior oportunidade para mais crianças. Os vencedores foram fotografadas por Laura Lima e também farão parte de um editorial que será recheio da revista, utilizando peças exclusivas da loja Erva Doce.Os quatro ganhadores ganharam, ainda, desconto de 50% na mensalidade do Colégio Objetivo pelo período de um ano. Bom queridos leitores e ansiosos pais, nesta edição temos os ganhadores, e logo anunciaremos outra nova etapa para o MEGA BABY 2013, mas desde já agradecemos a cada criança que participou e iluminou nossas páginas com seu carisma, beleza e charme.


RIVALDO DIMINAS

De cantor á empresário

R

ivaldo Diminas, após longa trajetória na música sertaneja fazendo par na dupla Rivaldo e Ricardo, e após em carreira solo decidiu deixar tudo para trás e mudar a trajetória de sua atuação profissional. Deixou para trás anos de experiência á frente dos palcos para atuar como empresário no setor musical. O resultado após dois anos de trabalho árduo e voltado á inovar neste setor foi o reconhecimento profissional, parecerias inovadoras e novos projetos que deixam definitivamente a marca Rivaldo Diminas ainda mais forte em todo o Brasil. MEGA: Rivaldo, você tem longa história na música sertaneja, e agora vive este momento bem sucedido como um conceituado empresário do setor sertanejo na região, como foi o início? RIVALDO: Me sinto realizado, a gente luta demais e tenho fé em DEUS que chegaremos ao nosso objetivo. As pessoas veem minha trajetória hoje, mas não percebem que a estabilidade, os resultados alcançados são frutos de um trabalho enorme de anos e anos. Hoje realmente a minha vida bastante, tudo começou em Goiânia a 2 anos atrás, quando resolvi deixar a carreira, utilizar minha experiência na música para me dedicar 100% a vender, empresariar e divulgar um produto de qualidade, que por sinal foi muito bem aceito por todos do rádio e o público geral.


MEGA: Você fez parte da dupla Rivaldo e Ricardo, e também teve carreira solo, nos fale como esta experiência colaborou ainda mais pra sua nova atuação como empresário? RIVALDO: Ao longo de 17 anos cantando, sonhando em ser artista, passamos maus bocados, tivemos altos e baixos. Toda esta experiência somou em uma bagagem enorme e colaborou na construção de muitas amizades, amizades marcantes. Com toda certeza, essa experiência que hoje eu utilizo como empresário do ramo musical se deve totalmente a minha carreira e a essas amizades a que me refiro, construído ao longo dos anos. Porque se hoje sou conhecido e tenho uma boa atuação no mercado do rádio e contratantes, tudo devo ao nome construído Rivaldo & Ricardo e a carreira solo que tive. MEGA: Como foi a mudança de cantor, para empresário de novos e promissores talentos? RIVALDO: Pela discriminação e a situação que eu já me encontrava por aqui, resolvi deixar nossa querida região e ir-me embora pra Goiânia. Cantei durante 1 ano na capital do piqui (GO) nas melhores casas de shows e inclusive até no bar do Bruno e Marrone, obtive êxito e acabei me tornando conhecido. Mas o que muita gente não entende é que o negócio não é só cantar e muito bem, o mercado é complexo, e todo o sucesso depende também de um bom planejamento e investimentos, ainda mais nos dias atuais com a saturação e a proliferação de cantores e duplas á todo instante. Eu não tinha investidor, o que eu ganhava dava pra comer, e quem me conhece a fundo sabe o quanto sou lutador e desde cedo tenho esse lado empreendedor que me instigava a conquistar algo a mais nesta vida, para me realizar e estabelecer-me profissionalmente. MEGA: Neste mercado onde novas duplas, cantores se proliferam como funciona seu “feeling” seu sentimento para decidir quais são as novas e certeiras escolhas? RIVALDO: Ah, tudo está no bom gosto musical e a gente sente quando o negocio é diferente e tem um “Q” pro mercado. Claro que junta a “experiência, bom gosto e a visão futura. Da sua boa visão vai resultar todo o sucesso do trabalho dos próximos meses, porque ao contrário do que as pessoas imaginam o sucesso não é exatamente por acaso, e exige tempo e dedicação.”. MEGA: Há algum tempo atrás você foi a pessoa responsável, por difundir a dupla Israel e Rodolfo, você acreditou e lutou para promove-los como o novo pipoco do Brasil, como se sente agora que eles estão no auge? RIVALDO: Olha me sinto realizado, ao ver que o 1º produto que eu trouxe de Goiânia foi tão bem aceito

e esteja crescendo tanto como está, pra mim também foi uma oportunidade grande e é um privilegio em estar do lado deles. Grandes parceiros de todas as rádios me deram aquela força. Tracei uma meta, “temos que explodir Israel e Rodolffo”, fiz todo trabalho de rádio em rádio, de Frutal/MG a Pres. Prudente/SP. O resultado foi que a música da duplatocou demais, iniciamos os shows, tudo com naturalidade e sem pular etapas. Israel e Rodolffo sem sombra de dúvidas é uma dupla completa e de extrema qualidade. Lembro de algu-


mas passagens, quando eu chegava com a musica “Marca Evidente” e todos falavam com uma boca só (Rivaldo isso é explosão garantida)... E hoje vendo tudo se tornando realidade, é motivo de orgulho pra mim, saber que fui e sou colaborador direto e indiretamente do sucesso deles em nossa região. MEGA: A região comporta muitos eventos de entretenimento, em sua opinião quais são os que vão marcar o calendário regional e merecem destaque? RIVALDO: Eu vejo que nossa região sempre foi muito bem assessorada por promoteres e empresários, o resultado é enorme, tanto que todos os artistas almejam tocar aqui. Mas temos grandes festas na região que merecem um respaldo nacional de maior destaque como: Expo Fernandopólis, Facip Jales, Ficap Santa fé do sul, Expo de Iturama e outras. MEGA: Quais são seus próximos eventos, e quais cantores você representa e agenda shows pela região? RIVALDO: Os próximos eventos agendados pela Diminas Eventos são: 15/12 – SERGIO FILHO E FERNANDO – Campina Verde/MG. 15/12 – ISRAEL E RODOLFFO – Frutal/MG. 16/12 - ISRAEL E RODOLFFO – Campina Verde/MG. 17/12 – Confraternização da Diminas Eventos. 21/12 – KLEO DIBAH E RAFAEL – Itapagipe/MG 21/12 – IVIS E CARRARO – Ouroeste/SP. 22/12 – KLEO DIBAH E RAFAEL / IVIS E CARRARO – Castilho/SP. 27/12 - ISRAEL E RODOLFFO – Dracena/SP. 28/12 - ISRAEL E RODOLFFO – Nhandeara/SP. 29/12 – IVIS E CARRARO / SERGIO FILHO E FERNANDO – Nhandeara/SP. 30/12 – NANDO MORENO – Nhandeara/SP. 31/12 – REVEILLON 2013 – Iturama/MG 04/01 – MATOGROSSO E MATHIAS – Jales/SP. A minha representação se estende também a vários artistas também como LUCAS LUCCO, HENRIQUE E DIEGO, Projeto BPM e os que estão em nossa agenda do mês. MEGA: Usando sua experiência e seu “feeling”

quem ou qual vai ser a nova dupla alçada ao sucesso nos próximos meses? RIVALDO: Minha aposta em sucessos promissores será novamente Israel e Rodolfo, Kleo Dibah e Rafael e Henrique e Diego que vem aí com super DVD de sucesso em 2013. Agora de artista solo temos grande destaque a dois novos nomes o Lucas Lucco, e o Nando Moreno, eu creio que o mercado fonográfico vai girar em torno desses cinco nomes. MEGA: Como você se sente após todos estes anos dedicados ao setor tendo alcançado sucesso, reconhecimento e efetivado seu nome como muito profissionalismo? RIVALDO: Me sinto muito feliz em ver tudo acontecendo, sou guerreiro, batalhador, nunca esperei nada por ninguém, gosto de correr atrás e sou inimigo do pessimismo, busco plantar e colher coisas boas, estou feliz e agradecido aos amigos, ás rádios, á todos que acreditaram na minha nova escolha e apoiaram cooperando diretamente para este momento. Acredito que: “O sucesso é consequência de um trabalho bem feito.” Por isso preso o profissionalismo, que caminha junto com a seriedade, humildade e respeito. MEGA: Nos fale sobre os novos planos da sua empresa e seus próximos projetos para 2013? RIVALDO: A Diminas Eventos, é uma empresa que vem crescendo dia a dia, agora lançando seus produtos exclusivos, uma dupla sertaneja e um projeto dj’s. SERGIO FILHO E FERNANDO / PROJETO LIVE 2 LIFE. Além disso fiz uma parceria de sucesso que já deu certo, meu amigo Joao Eduardo Orta (da Jales Festas), onde montamos juntos uma casa de shows em Jales chamada “BOTEKO EVENTOS” inaugura dia 04 de janeiro com Matogrosso e Mathias. E agora a mais nova parceria com o grupo Bahrein Produções em Iturama, onde faremos o Reveillon e o Bloco EBA que por sinal ja esta sendo um sucesso, e assim por diante, ah pra 2013 tem muitas ainda, a região inteira vai conferir “TUDOJUNTO NA TV” com Glenda Santos. Aguardem!!! www.diminaseventos.com.br


Eleições USA

Comitiva de Consultores brasileiros nas eleições dos Estados Unidos

O

mundo na semana das eleições não parou, mas com certeza todos os olhares estavam atentos e voltados à acirrada disputa presidencial pela Casa Branca, definição deste cenário era de fundamental importância para o mundo inteiro, para saber nas mãos de quem estaria o poder de decisão da maior potência mundial, os Estados Unidos. A capital Washington fervilhou de especialistas e consultores políticos de todo o mundo, que foram assistir e aprender in loco as técnicas das campanhas eleitorais presidenciais no SEMINÁRIO ESPECIAL DE CAMPANAS ELECTORALES, um curso da tradicional Universidade de Política, a George Washington University. O curso que analisou a fundo as campanhas e as técnicas de marketing de Obama e Rommey, também incluía análise de outras campanhas presidenciais americanas e teve toda uma etapa voltada às campanhas presidenciais da América Latina. O Seminário, que teve como organizador o ex-congressista e especialista político Mark Kennedy, contou com palestrantes de peso e consultores das maiores campanhas americanas, latinas e europeias, com destaque para a aula ministrada pelo ex-presidente da Colômbia Alvaro Uribe em almoço com o grupo de consultores. Nos três dias de seminário especialistas políticos de mais de 30 países ouviram atentos as novas técnicas de marketing ministradas por grandes nomes do cenário do marketing político como Peter Hakim, presidente do Diálogo Interamericano, Peter Fenn, diretor do programa de Graduação em Marketing Político de Harvad, Chris Aterton do Institute of Politics de Harvad University, Santiago


Nego, estrategista político responsável por várias campanhas presidenciais latino-americanas, Daniel Urena, vice-presidente de la European Association of Political Consultants (EAPC), Frank Greer especialista da agência GMMB que foi responsável pela campanha de Barack Obama, Ron Faucheus, republicano que defendeu as teses de marketing da campanha de Rommey, entre outros doutores e congressistas. BRASIL O Brasil esteve representado por uma comitiva de quatorze consultores políticos da ABCOP(Associação Brasileira de Consultores Políticos), representando diversos estados do país. Presidida por um dos maiores especialistas em marketing e campanhas políticas do país, Carlos Manhanelli, os brasileiros acompanharam e participaram de todo o processo na reta final das campanhas, da votação e também da apuração que foi acompanhada na sede da 0EA - Organização dos Estados Americanos - com análises contínuas dos especialistas em marketing político convidados para o seminário. PANORAMA MUNDIAL Durante o seminário, ficou constatado que, diferentemente dos Estados Unidos, os países latinos ainda sofrem com uma política doméstica repleta de problemas sociais, como drogas, violência, crime, desigualdade social, desemprego, imigração e atuação forte da Justiça. Nos Estados Unidos a política têm uma temática diferente, voltada a melhores oportunidades de empregos e de reforma administrativa e tributária. Enquanto Obama precisa provar ao país que tem capacidade para reestruturar através de uma reforma política toda e engrenagem que mantém ativa a economia americana, os presidentes dos países latinos têm como uma das maiores dificuldades a violência, a impunidade, a inclusão social, drogas, o engessado sistema penitenciário atravancando o desenvolvimento. Em resumo, o melhor candidato para países latinos será aquele que investir na política doméstica, enquanto os melhores candidatos para países europeus serão os que mostrarem soluções para salvar a economia, e para os Estados Unidos, Obama, que conseguiu mostrar que tinha uma continuidade desse sentimento para um mandato com embasamento técnico e planejamento. CAMPANHA AMERICANA A campanha se definiu de forma muito pessoal, faltaram propostas de Mitt Rommey que,

Caio e Carlos Manhanelli ladeiam Felipe Nogueira

Gilberto Musto Consultor Político e Diretor do Sistema MEGA de Comunicação

Auditório da The George Washington com cerca de 220 consultores de diversos países

Daniel Ureña da Associação Europeia dos consultores políticos


como muitos políticos brasileiros em campanha, perdeu muito tempo criticando o adversário Obama ao invés de apresentar propostas e um planejamento real. Os eleitores mostraram na urna que não perdoaram a tentativa de Rommey em traçar um perfil de Obama como incompetente, ao invés de apresentar um projeto consistente. Não basta apresentar um plano de governo para os eleitores americanos, mas mostrar que possui embasamento para transformar todas as propostas em realidade. O marketing de Obama se mostrou oportuno ao ligar a imagem de Rommey a uma gestão parecida com a rejeitada presidência de Bush, gerando antipatia e enfatizando que o candidato republicano não conseguiria o fundamental: reativar o crescimento americano. Resumindo, nenhuma das duas campanhas presidenciais foi sobre temas, foram campanhas pessoais embasadas na personalidade de cada candidato.

Frank Greer assessor de Bill Clinton e Mark Kenndy diretor da GWU

REPUBLICANOS RETRAÍDOS Foi contraditório, mas a América Latina torceu por Barack Obama, embora o presidente tenha durante sua gestão demonstrado pouca preocupação com a política e com uma aproximação com os países latinos. Em sua gestão, Obama diminuiu a relação e aproximação com os países latinos, que mesmo assim torceram acirradamente por ele. Arizona, Colorado, Nevada e Flórida são estados com grande participação latina, ambos os candidatos demonstraram pouca atenção aos temas de interesses latinos, na reta final a campanha de Obama percebeu o erro de percurso e corrigiu a falha a tempo, mostrando que quando falamos de marketing político é possível, sim, corrigir e evitar que erros afundem uma campanha vencedora. A situação política atual nos Estados Unidos é de um país dividido entre americanos conservadores, republicanos e democratas; qual o candidato capaz de superar estas advertências? Republicanos são muito mais retraídos em suas opiniões, Mitt Rommey tinha que ter aproveitado para se reafirmar junto a este público.

Célia Souza da Mídia G. Comunicação com Peter Fenn estrategista político

Gilberto Musto e o ex-presidente da Colômbia Alvaro Uribe

QUESTÕES FEMININAS Obama não pontuou muito sua campanha em temas femininos, embora tenha tratado o tema melhor que Rommey, que ficou preso apenas a questões como aborto, controle de natalidade e deixou de lado o crescimento feminino frente ao mercado de trabalho. O tema não foi bem trabalhado nem por democratas nem republicanos, mas Obama soube colher mais uma vez os frutos deste público.

Lucas Salles e Giba da ABCOP com Peter Fenn


LATINOS Além de garantir 16 % dos votos de Obama, a comunidade latina foi totalmente mobilizada para esta eleição com o apelo que a não reeleição de Obama traria consequências não apenas para os latinos, mas também para as gerações futuras. Obama, falando em espanhol, foi uma das decisões acertadas do marketing, potencializada pelos depoimentos de latinos, inclusive com Jenifer Lopez, ambos cruciais para a mobilização. CONSULTORES BRASILEIROS

Em Chicago Obama discursa após vitória

Da equipe de brasileiros, Caio Manhanelli também pontuou a necessidade de se terem em uma campanha mais propostas e menos ataques, pois a ideologia apresentada até parte da campanha se voltava a situações de políticas externas e depois se tornou pessoal com fortes ataques uns aos outros. Os demais consultores tiveram a oportunidade de interagir com os professores da Universidade, além de promover debates em todos os momentos de confraternização da equipe composta pelo próprio Caio Manhanelli, seu pai e presidente Carlos Manhanelli, Candido Gomes Neto, Célia Souza, Deborah Lobo, Edna Okabayashi, Eliseu Kessler, Gilberto Musto, Katuo Okabayashi, Laercio Menegaz Junior, Lucas Sales, Maria Lucineide, Soraya Lobo e Zenicéia de Assis.

Célia Souza, Gilberto Musto, Katuo Okabayashi, Cândido Gomes Neto, Laércio Menegaz Jr, Edna Okabayashi, Carlos Manhanelli, Deborah Lobo, Eliseu Kessler, Soraya Lobo, Zenicéia de Assis e Caio Manhanelli


Marketing Eleitoral

Eleições 2012: Os vitoriosos passam pela Mídia G

A

o completar 20 anos de atividades, a Mídia G. Comunicação comanda campanhas eleitorais por vários estados do Brasil, além do planejamento da campanha do PSD em uma região de Portugal para as eleições autárquicas em 2009. Neste ano de 2012, a empresa contabiliza resultados satisfatórios tanto para a equipe de colaboradores que atuou no processo eleitoral, como também os candidatos que tiveram o apoio de pesquisas, do marketing eleitoral e as consultorias para planejamento e estratégias de condução da campanha. “Uma campanha não é igual a outra, e as imagens dos candidatos precisam ser avaliadas pelas pesquisas e definidas pelo projeto de marketing, caso contrário os resultados podem ser comprometidos”, diz Gilberto Musto, diretor da empresa e consultor político da Associação Brasileira dos Consultores Políticos, a ABCOP. A empresa atuou em todos os segmentos das campanhas, diferenciando-os apenas pelo porte da cidade, dos meios de comunicação e orçamento dos candidatos. “Toda campanha ganha um formato padrão, que é criado muito antes do período eleitoral, monta-se a ‘espinha dorçal’ do que teremos em todas as campanhas, que são peças e ações padrão. Posteriormente este padrão é adaptado a cada cidade de acordo com o status do candidato e de seus adversários. Normalmente se utilizam 45% das peças padrão em cada cidade, 55% são criadas especificamente para cada campanha. Essa é a mais nova ação que a Mídia G. leva aos gestores que venceram as eleições para obter uma melhor sustentação de imagem e realizar um trabalho de marketing de relacionamento voltado aos munícipes por intermédio de uma simples ferramenta que promoverá as ações administrativas, valorizando resultados e proporcionando evidência da imagem política. Todas estas e outras informações podem obtidas em uma visita do consultor aos novos gestores que querem iniciar o governo de forma profissional e bem elaborada.


PESQUISA A pesquisa qualitativa é ponto de partida para se ter a percepção sobre a imagem do candidato e seus pseudo adversários. É na qualitativa que se montam as primeiras estratégias e define-se o ponto de partida da campanha: o que será apresentado aos eleitores, qual a melhor forma de conduzir as mensagens, alinhamento da imagem do candidato e entendimento do cenário eleitoral. A pesquisa quantitativa relata e monitora o andamento da campanha em períodos quando são aferidos os sinais emitidos pelos eleitores. Rafael Arneiro foi um dos coordenadores de campo da Mídia G. para as pesquisas quantitativas, em SP e MT, a equipe é treinada e avaliada a cada coleta de dados, os pesquisadores são codificados e

há uma checagem de 10% dos questionários preenchidos. Neste pleito eleitoral a Mídia G. realizou mais de uma centena de pesquisas, visitando cerca de 30 mil domicílios e levantando cerca de 45 mil casos. Tatiane Romanholli coordenou a tabulação de mais de 1 milhão de respostas na sede da empresa.

Em quatro estados do Brasil a Mídia G. antecipou os resultados com eficiência e qualidade no trabalho de pesquisas quatitativas.


PALESTRAS

As palestras da Mídia G. abrangem 14 temas diferentes desde redes sociais, imersão ao Google e marketing digital.

Motivadoras, de orientação, de estratégias, de ações e guerrilha e dos mais variados temas, a Mídia G. incorpora o Marketing Político, Marketing Eleitoral, Gestão Administrativa, Média Training, pesquisas eleitorais, Estratégias de virada e a importância do voto feminino, nos 14 títulos que a empresa desenvolveu para as campanhas municipais. As palestras visam desenhar o ambiente em que atuam os militantes, eleitores e staff da campanha

para um melhor entendimento no momento de intensificar as ações e estratégias. “Depois que você tinha o conceito de como age o público alvo, quem são os eleitores e de que forma o adversário vai interagir com as estratégias por nós definidas, as palestras permitem que nosso grupo tenha um rápido e perfeito entendimento para assimilar as futuras ações”, diz Célia Souza sobre suas palestras às equipes de campanha.

Marketing político e voto feminino são as mais requisitadas palestras de Célia Souza, assessora política e jornalista da Mídia G.

CRIAÇÃO Laís Maschio comanda o setor de criação e tratamento e imagem das peças publicitárias desenvolvidas pela Mídia G.


TELEVISÃO Com um índice de audiência que flutua entre 15 a 30 pontos durante o horário eleitoral gratuito, a TV é forte meio de comunicação para se atingir a massa, com inúmeros pontos positivos e outros tantos negativos. O cuidado, experiência e habilidade na criação e produção de roteiros e programas para a televisão podem levar o candidato ao fracasso, mesmo ele sendo detentor da maior fatia do tempo. Ter muito tempo de TV é até perigoso, se Programas eleitorais dirigidos pela Mídia G. na TV se diferenciavam não houver uma produção satispela criatividade e produção sofisticada. fatória aos olhos do público. Mas, se bem utilizado, é uma das melhores ferramentas se agradável e de fácil entendimento ao público sem para formar a opinião pública e informar sobre as proapelos sensacionalistas, exploração da miséria nem postas e atuação do candidato. ataques pessoais. Foi assim nas cidades que tinham Natália Pacífico Figueiredo, assessora parlamentar TV como parte do nosso projeto de mídia” expõe Nae responsável pelos roteiros e produção dos progratália. mas de TV para o Mato Grosso, implementou uma caO produtor e diretor da Casulo Produções, Alessanracterística macro nos programas do horário eleitoral, dro F. Silva, empresa parceira da Mídia G., resumiu valorizando as propostas como entendimento factual a experiência da campanha dizendo: “Uma orientae momentâneo deixando os fortes apelos para os filção política com a genialidade que leva à vitória”, e mes de 30 segundos, além de direcionar os eleitores completou: “Esta é a frase que eu resumo o trabalho para as redes sociais e sites dos candidatos. “Nada de TV da Mídia G. que, pela experiência, nos dava o de descanso, foram 90 dias de produção ininterrupcorreto direcionamento para fazermos a real diferenta para oferecermos em cerca de 20 programas para ça dos demais programas. A pressão era tamanha a prefeito e, outros tantos para vereadores, o que havia todos os momentos, e a Mídia G. chegava, estabelede melhor em captação de imagens com planos difecia uma linha de trabalho e víamos dias depois que renciados, utilização de Computação Gráfica e edição tudo acontecia da forma como a empresa falou que ia de qualidade, pois o Giba exigia que o programa fosacontecer. Foi incrível”

Natália P. Figueiredo, roterista política, dirigia programas para a TV onde eram utilizadas as ferramentas com a mais alta tecnologia e inclusões de modernos plug-ins na edição dos filmes.


RÁDIO Mais dinâmico ainda, o veículo rádio é um dos importantes instrumentos de uma campanha eleitoral; tal qual a TV, a abrangência é grande e, se bem utilizado, o meio consegue reverter resultados de uma eleição, por programas bem feitos, perfeitamente editados e com conteúdo. Marcio Costa, radialista e diretor de áudio da empresa nas campanhas, prezou pela perfeita Marcio Costa diretor de audio e mixagem para programas de rádio edição e a qualidade dos prograpara o horário eleitoral gratuito mas levados ao ar. “Normalmente, o que se vê em alguns lugares é que se repetem diferente, objetivando o trabalhador rural, as donas os programas da manhã, novamente à tarde. Somos de casa, os operários em seus almoços e outros niinstruídos pela Mídia G. que o público do rádio no chos. A orientação do Giba era que a qualidade de horário matutino não é o mesmo do horário vesperedição e velocidade das vinhetas fossem algo que tino, justamente por isso, produzíamos programas, trouxesse credibilidade e seriedade aos candidatos, as vezes com o mesmo conteúdo mas de abordagem sem erros e sem retrabalhos”, completou Marcio.

JINGLES O plágio é proibido pelo Código Penal a qualquer tempo, não apenas em campanhas políticas. Alguns candidatos insistem em pegar as três primeira músicas mais cantadas pela população acreditando que será mais fácil estar na boca do povo. Erroneamente, esse raciocínio abre precedentes aos adversários e as campanhas serão niveladas por baixo e de forma antiquada. A produção de um jingle se deve às caracterís-

ticas da campanha e do candidato e não ao sucesso de uma música. Segundo Giba, da Mídia G., os exemplos são muitos: “em 2004 utilizamos o Olodum na campanha de Rui Okuma, nunca se havia produzido algo nesta linha; as campanhas de 2008 foram utilizados frevos e marchas e nesta eleição decidi pelo Xote, um ritmo impetuoso no quesito dança. Não há quem não goste e fique parado”, completou. Um dos jingles feitos pela Mídia G. foi destaque em um site de Cuiabá que disse que a letra e o ritmo foram para pregar a mudança e honestidade chamando atenção e ganhando espaço na mídia. “Um estilo de forró mais animado e muito comum na região Nordeste do país, o candidato do governador Silval Barbosa (PMDB) a prefeito de Cáceres, o empresário Francis Maris Cruz, o Francis da Cometa (PMDB), prega mudança e honestidade. ‘Eu sou mais 15 eôô. É com Francis Maris que eu vou. É 15 pra mudar, pra vida melhorar, por isso eu vou votar’, diz trecho da notícia do site”.


DEBATES

Outro aspecto que interage diretamente na opinião pública é o resultado do debate, e não o próprio. Quando se leva um debate à TV ou rádio, as colocações e performance dos candidatos sensibilizam o público que está assistindo, num índice de audiência que não chega as vezes ser igual às intenções de voto que o candidato tem. O Day Em uma das restransmissoras da TV Globo na região Centro-Oeste, a After do debate é muito mais imMídia G. treinou e preparou candidatos para se enfrentarem em debaportante, pois é exatamente no tes durante as eleições de 2012. dia seguinte que a mídia, os formadores de opinião e a própria população começam Jean Braida, jornalista e radialista, acompanhou a se posicionar a favor ou contra cada candidato, alguns candidatos em entrevistas testes e laboratóisso é o que interessa realmente em uma campanha. rios de respostas com objetivo de preparar o candiPara se alcançar este estágio é preciso ter tido uma dato para entrar na imersão das 48 horas. boa participação no evento. A Mídia G detém o pro“Fazia o principal, que era levantar dados, fazer grama de imersão ao debate onde, 48 horas antes do questões das mais simples às mais agudas em enhorário, o candidato é submetido a um treinamento trevistas aos candidatos e depois relatava tudo, em de guerrilha, onde serão abordados assuntos possíplanilhas divididas em setores da administração, veis de serem levantados, além de treinamento para para que o Giba roteirizasse a imersão das 48 horas respostas convincentes e de alto poder de impacto. antes da data do debate”.

INTERNET O apelo virtual em sites ou redes sociais ainda deve ganhar cada pleito, definições melhores e mais claras pela Lei Eleitoral, que não aborda de forma clara a utilização dos meios. A verdade é que um bom site, com postagens de conteúdo inédito a cada instante da campanha, espaço para se obterem todas as informações sobre o candidato, mesmo estando longe do domicílio eleitoral, é algo que a Mídia G. levou a sério nas campanhas que os candidatos optaram por utilizar. A internet no Brasil hoje é utilizada por 75% dos brasileiros, um índice alto se comparado a outros países do mundo, mas a responsabilidade da internet em uma campanha ainda não passa dos 10%.


MARKETING DE RELACIONAMENTO Inovador, o Marketing de Relacionamento traz importante definição do universo eleitorado para uma melhor formatação das mensagens. Jean Braida levantava casos em diferentes mercados.

TELEMARKETING Medir o impacto de alguma ação de campanha, peça ou programa de TV e rádio que foi ao ar, minutos depois, é outra ferramenta que baliza o trabalho da empresa. Com o telemarketing, realiza-se também Tracking diário de pesquisa que, de acordo com o resultado obtido, pode mudar as estratégias e o alinhamento da campanha.

MOTIVAÇÃO

Completo programa de cursos e formação de campeões para a hora da virada faz parte dos produtos que a Mídia G. desenvolve para uma campanha eleitoral se baseada em tecnicas profissionais e de alto planejamento.


Resultados O que falam da Mídia G. Francis Maris Prefeito eleito de Cáceres - MT

O trabalho da Mídia G. se destacou nos materiais e na TV. De muito boa qualidade, apresentava criatividade nas mensagens e todo dia era dia de se construir algo para a campanha. Imagine que saímos de 3% e chegamos à vitória contra um adversário com 64%. Uma das peças que a Mídia G. apresentou de alto impacto foi o Bonecão, ou a figura política inflável. Atingimos as crianças e aos adultos por uma estratégia bem elaborada, nossa campanha era diferente.

Leonildo Bouças Deputado Estadual em Uberlândia - MG

A Mídia G. se diferencia pelas peças produzidas e pela velocidade no atendimento e produção para impetrarmos as estratégias de uma campanha grande como foi a nossa. Em Uberlândia trabalhávamos para 500 mil eleitores além da região com mais 50 municípios em que atuamos.


Léo Nascimento Candidato a prefeito de Ipuã - SP

A grande liderança de Gilberto Musto, juntamente com seu conhecimento amplo em marketing político e uma equipe preparada, faz da Mídia G. Comunicação uma empresa conceituada para trabalhar em diversos cenários políticos

Endrigo Bertin Prefeito de Colômbia - SP

Em nossa campanha, a Mídia G. nos auxiliou em nossa tragetótia política organizando idéias e proporcionando resultados que nos levaram à vitória pelas entratégias de marketing e no auxílio às propostas de governo.

Airton Saracuza Prefeito de Urânia - SP

O trabalho da Mídia G. é sério. Do primeiro dia que contratamos a agência, fizeram uma pesquisa e contaram para nós como seria a eleição do começo ao fim. E foi assim. As palestras, os materiais, os prazos e o programa de rádio, tudo muito bem elaborado e de fácil entendimento aos eleitores, que nos deixam o prazer de sermos vencedores. A empresa dá tranquilidade e transmite muita credibilidade pelas estratégias montadas.


Matheus Rodero Vereador eleito pelo PMDB em Votuporanga - SP

A pesquisas realizada pela Mídia G, em Votuporanga, no período que antecedeu as eleições municipais, contribuíram não só para o direcionamento da nossa campanha eleitoral, como também na delimitação de metas e, sobretudo, para o alcance dos nossos objetivos.

Walter Muller Prefeito de Santa Rita d’Oeste - SP

Em minha segunda campanha vitoriosa a Mídia G. participou. Neste pleito um dos diferenciais que chamou a atenção e se tornou uma peça de auto impacto o jingle. Em uma região pedrominada pela música sertaneja a agencia implementou o Xote um rítimo que os eleitores aderiram e aprovaram.

Nilton Borgato Prefeito eleito de Glória d’Oeste - MT

Tive muita satisfação em ter uma empresa séria como a Mídia G. em minha campanha. O diferencial da agência foi a parte da condução técnica, que é o que mais que a gente precisa. Nós vivenciamos o dia a dia e não temos condições de enxergar o que a empresa nos mostra. Percebemos facilmente que a Mídia G. veste a camisa independente do tipo de contrato feito com a empresa, eu não conheço tantas empresas do ramo, mas a Mídia G. tem a qualidade que um político precisa.


Santa Rita inaugura nova decoração “Magia de Natal”

No último sábado, 1º de dezembro, foram acessas as luzes da nova decoração “Magia do Natal 2012” de Santa Rita d’Oeste. Uma iluminação totalmente remodelada que deixou a população santarritense e visitantes encantados. Praças, avenidas e o trevo da cidade tiveram suas árvores enfeitas com anéis de pet e luzes de led coloridos, receberam ainda bolas, estrelas, flores, além de uma enorme árvore de Natal na Praça da Matriz, que abriga a casa do Papai Noel. A Praça recebeu ainda um grande e lindo presépio.

“A decoração natalina proporcionou um colorido exuberante em toda a cidade, trazendo a vida e alegria para nossa população e visitantes.” Na oportunidade, a vice-prefeita agradeceu ainda ao coordenador do projeto, Elcio Bertão, e a todas as pessoas que colaboraram para que esse projeto se tornasse realidade”. Prof. Zezé vice prefeita

“É uma grande satisfação chegar ao final de mais um ano com a cidade decorada e bonita, fruto do trabalho incansável de pessoas muito dedicadas e que demonstram seu amor pelo município, e que com essa decoração novamente nos enche de orgulho”. Walter Muller prefeito


MODA

P

Realize-se com as bijuterias e acessórios da Tomaladaka

ara finalizar o ano com uma supercampanha, a equipe de Marketing da Tomaladaka tem o prazer de apresentar como nova modelo a jornalista Ana Paris. O novo slogan da campanha é Realize-se, nome escolhido pela razão de que sonhar é importante, mas realizar é essencial. Para sentir-se realizada basta acrescentar em seu visual as bijus e acessórios da Tomaladaka. A sessão de fotos foi feita na Cazza Ambientes Móveis e Decorações em Votuporanga, os cliques exclusivos de Viviane Ribeiro, com make registrado por Shirlei Navarro, e roupas da loja Lór. A cada look a modelo ficava deslumbrada com cada peça da Tomaladaka, com tanta qualidade e beleza. Ana foi também protagonista dos três novos vts da Tomaladaka que estarão no ar no próximo dia primeiro. Nada melhor do que bijuterias e acessórios para compor seu visual e você dar aquele charme necessário seja clássico ou moderno, caro ou barato, o importante é aquele charme de que  realça sua beleza. Uma bijuteria simples ou cheia de pedrinhas com seu furta cores transmite um toque importante, pois toda mulher adora bijuterias, elas, se sentem realizadas com aquele toque de magia e, no final, é um verdadeiro requinte. As bijutérias atualmente são acessórios que não podem faltar na vida das mulheres modernas, ousadas e que gostam de andar sempre na moda e realizadas, diz Jeder Rissato proprietário da rede Tomaladaka. As bijuterias e acessórios  são peças indispensáveis no guarda-roupa de qualquer mulher, são elas que finalizam os looks dando um toque especial; qual é a mulher que não se sente o máximo ao se olhar no espelho e sentir-se realizada ao ver que arrasou na produção?! Lembrando que as bijuterias e acessórios trazem personalidade e emoções revelam sentimentos e se encaixam em

todos os momentos. A rede Tomaladaka, uma empresa já consolidada há um bom tempo no mercado, tem como valores a inovação, a ética, a comunicação fácil e transparente, segue a todo momento as tendências da moda para agradar e realizar o look de todas as mulheres. A bijuteria transforma o look simples e sem graça em um look estiloso e alegre. A Tomaladaka, com 12 anos de história, comemora mais uma irresistível campanha. Venha conferir as peças de nossas lojas e realize-se com as bijuterias e acessórios da Tomaladaka.


REGIÕES

Projeto Jovem Aprendiz Rural forma turmas em Três Fronteiras

M

uita emoção marcou a cerimônia de formatura da 4ª turma do Programa Jovem Aprendiz Rural, da cidade de Três Fronteiras. O programa é fruto de uma parceria do Sindicato Rural de Santa Fé do Sul, Senar e Prefeitura de Três Fronteiras, tendo como objetivo principal a formação do jovem para o mercado de trabalho, desenvolvendo ações de formação profissional rural e atividades de promoção social, contribuindo com sua profissionalização, integração na sociedade, melhoria de qualidade de vida e pleno exercício da cidadania. O evento foi realizado no Centro de Convivência Francisco Carrasco Gimenez e contou com a presença dos familiares dos formandos, bem como do prefeito Flavinho e a primeira dama Nadir, do presidente do Sindicato Rural de Santa Fé do Sul, Adaulto Luiz Lopes e também representantes do Governo Municipal que, reunidos, prestigiaram a entrega dos certificados. O Programa Jovem Aprendiz Rural teve início na cidade de Três Fronteiras no ano de 2009 e, devido ao sucesso, esse ano contou com duas turmas, nas quais os alunos tiveram aulas na cidade de Rubinéia, sob instrução do professor Carlos Rodrigues Faria e, em Três Fronteiras, sob instrução de Deocarlina e Péricles. Durante o programa, os alunos tiveram aulas práticas e teóricas e tiveram a responsabilidade de cuidar de uma área onde foram plantados diversos tipos de verduras e legumes e ainda fizeram visitas de campo. Para o prefeito Flavinho, o momento de entrega do certificado é um orgulho para ele. “Sinto-me agora muito orgulhoso, talvez como se fossem todos meus filhos aqui recebendo um certificado de um curso tão importante, além de tudo saber o quanto eles foram comprometidos e responsáveis e chegaram até o fim.”


UNIMED

NUIT DU NOEL Em um dos maias tradicionais jantares de final de ano, a Unimed superou todas as expectativas e manteve o glamour com requintes e elegância na recepção à classe médica e amigos convidados da cooperativa. Dr. Jarbas Alves Teixeira, presidente da Unimed e sua esposa Sueli, homenagearam a todos com o Nuit du Noel, tema minuciosamente selecionado para ser brindado com os famosos pratos do Buffet Grand Finalle, de Julião, onde o cardápio fez a diferença. A noite contou com a presença de centenas de convidados, que a MEGA registrou.


Revista MEGA  

Edição 141 Dezembro 2012

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you