Page 1

Jornal de Campanha Sintra Pode Mais

JULHO 2013 Nº3

AEROPORTO

DEPUTADOS NACIONAIS VISITARAM A BASE AÉREA Nº1 EM SINTRA ONDE PEDRO PINTO DEFENDE UMA PISTA LOW-COST P. 6

SEGURANÇA

PEDRO PINTO QUER VIDEO-VIGILÂNCIA PERTO DAS ESCOLAS E ESTAÇÕES

LUÍS REPRESAS MANDATÁRIO DA CAMPANHA

“Apelo ao apoio no candidato Pedro Pinto. Não façamos confusões entre as eleições autárquicas e as legislativas”, afirma Luís Represas

P. 8

SEARA: “PEDRO PINTO É O MEU CANDIDATO”

P. 7

“Pedro Pinto tem o meu afecto, a minha proximidade e o meu tempo de responsabilidade. Teve contributos importantíssimos durante a gestão autárquica do PSD em Lisboa”. P. 6

PEDRO PINTO TROCA BETÃO POR JARDINS

TEMOS EQUIPA!

P. 2-3

Pedro Pinto projecta um Eco Parque que reúna a indústria poupando energia, quer o PDM com base no Plano Verde e pretende um espaço verde na fábrica Messa. P. 7


TEMOS EQUIPA!

CONHEÇA OS CANDIDATOS ÀS Agualva e Mira Sintra

Rui Pinto é Presidente da Junta de Mira Sintra há doze anos, durante os quais foram construídos o Centro de Dia da ARPIMS, residências para idosos, a Casa da Cultura de Mira Sintra e o Parque Urbano Matos Manso e foi reconstruído o Moinho de Pedra. Rui Pinto reformulou o sistema de iluminação pública e requalificou espaços públicos e jardins. Bancário, de 42 anos, é dirigente da ANAFRE e Presidente da Assembleia da Concelhia do PSD de Sintra.

«Quero dinamizar da rede social estabelecendo pontes entre as instituições de intervenção social. Preocupam-me as condições do Centro de Saúde de Agualva e a falta de estruturas de apoio a idosos. Insistirei na construção o Centro de Apoio à Criança. Não permitirei que Mira Sintra e Agualva fiquem esquecidos ”.

Algueirão-Mem Martins

Bruno Lopes cresceu em Algueirão-Mem Martins. Enquanto vogal do executivo da Junta desta freguesia, tem os pelouros da Acção Social, do Desporto e dos Transportes. Com 42 anos, esteve dez anos no INEM, tendo participado em missões internacionais (Irão, 2003, e Haiti, 2010). É funcionário do Serviço Municipal da Protecção Civil de Sintra e bombeiro voluntário em Sintra.

“A Área Social é uma prioridade. Temos de resolver ainda a legalização da Tapada das Mercês, de Mem-Martins Poente e do Bairro da Cavaleira. Quero também dinamizar as políticas de Juventude e de Cultura”.

Casal de Cambra

Clara Caiado candidata-se como independente. Professora, de 43 anos, viveu 25 anos em Casal de Cambra. Reside em Belas e desloca-se todos os dias a Casal de Cambra por razões profissionais onde lecciona na área de Educação Especial. A Educação, Acção Social e a Cultura são as áreas-chave a que se vai dedicar na Junta de Freguesia.

“Sempre quis dar o meu contributo ao poder local, onde o contacto com as pessoas e as suas dificuldades diárias e o fruto das nossas acções têm reflexo imediato nas suas vidas. Agora é o momento para iniciar este caminho. Espero estar à altura da tarefa que aceitei, com extremo orgulho, e vir servir com autenticidade e honestidade”

Almargem do Bispo, Pêro Pinheiro e Montelavar

Jorge Alves, 55 anos, é licenciado em Arquitectura e Pós-graduado em Urbanismo e Ordenamento do Território e em Ordenamento do Território e Planeamento Ambiental. Com raízes em Fação e Pêro Pinheiro, acompanhou as transformações neste território ao longo dos anos. Vive em Dona Maria, Almargem do Bispo.

“Quero reforçar a qualificação do espaço público e alargar a oferta das actividades lúdicas e desportivas. Reconheço o excelente trabalho de Nuno Anselmo em S. Marcos e quero dar-lhe continuidade. A aposta será no Apoio Social, na Requalificação, no Desporto e na Educação”.

2

SINTRA PODE MAIS

Adolfo Reis foi Deputado Comissão Permanente Funcionário Público nacionais e pós-gr Vogal na Assemble Foi gestor operaci a promoção das ex dental e Norte de Á

Queluz e Belas Colares

Cacém e São Marcos

Massamá e Monte

“A Segurança e a tais para aumenta nos arredores de Lisb qualidade de vida de t os detalhes de uma gestão solidariedade com quem mais necessita

“A vida é feita de desafios. Este é especial, onde o trabalho e a experiência são direccionados em prol dos que vivem nesta terra onde cresci e constituí família, procurando melhor qualidade de vida para a nossa União de Freguesias.”

José Faustino é Presidente da Junta do Cacém há oito anos. Aí requalificou os espaços públicos e espaços verdes e apoiou actividades lúdicas e desportivas, como Informática e ginástica para séniores, ateliers de cerâmica, capoeira e yoga. Trouxe para a Freguesia a Colónia de Férias Infantil e a Praia Sénior. Consultor, de 44 anos, vai contribuir com a sua experiência na União de Cacém e São Marcos.

PEDRO PINTO COM A SUA EQUIPA DE CANDIDATOS ÀS

Ana Caetano nasceu em casa, em Colares, há 37 anos e é aqui que vive. Advogada, foi Deputada Municipal em Sintra e Secretária da Mesa da Assembleia. É sócia-fundadora da “Rede de Cuidadores”, associação de defesa de crianças vítimas de maus-tratos e foi Presidente do Conselho Fiscal da Associação “Novos Rostos, Novos Desafios”, atenta aos socialmente excluídos.

“Quero colocar Colares no mapa de Portugal. Vou apostar no Turismo e no Desporto, duas marcas que podem ser aliadas e potenciadas ao máximo nesta freguesia. A Solidariedade, aliada às IPSS, faz a diferença nesta época de crise”.

Luís Jesus, Começou como atle 2007. Representou o nosso Campeonatos da Europ Corta-mato. Desde 19 do Mundo de Meialos nacionais em d (campeão naciona los, 5 mil metros, 1 campeão nacional go, entre as Fregue

“A minha priorida se defender, os sén tegidos da sociedade Belas. Vou procurar traz o Desporto tem um papel fun


TRABALHAR O NOVO CICLO

FREGUESIAS DE SINTRA

ONZE JUNTAS DE FREGUESIA DE SINTRA

e Abraão

o Municipal de Sintra, tendo coordenado a e de Economia, Administração e Finanças. o, 42 anos, é licenciado em Relações Interraduado em Estudos Europeus. Foi ainda eia de Freguesia de Massamá e de Queluz. ional da Apex-Brasil, (AICEP brasileiro) para xportações e investimentos na Europa OciÁfrica. É Técnico no Ministério das Finanças.

Requalificação Urbana são fundamenar a autoestima de quem aqui vive. Viver boa deve ser sinónimo de viver com uma topo. Quero que se notem, no dia-a-dia, o autárquica próxima dos cidadãos e com a”.

eta aos 17 anos e terminou a carreira em o País nas Olimpíadas de Atlanta 1996 e em pa, Campeonatos do Mundo de Pista e de 997 é recordista nacional no Campeonato -Maratona. Aos 44 anos tem todos os títudisciplinas Olímpicas acima de 800 metros al dos 1500 metros, 3 mil metros obstácu10 mil metros, Maratona) e foi, várias vezes, al de estrada. Vive há 25 anos em Pêgo Lonesias de Queluz e Belas.

ade é apoiar quem não tem meios para niores e os jovens. Estes sectores desproe precisam de apoio urgente em Queluz e zer-lhes uma melhor qualidade de vida. E ndamental a desempenhar”.

Rio de Mouro

Vitor Pinto Branquinho nasceu em Évora e veio morar para Sintra aos nove anos, há mais de trinta anos. Com 55 anos, está no Executivo da Junta de Rio de Mouro há 12 anos, onde é Tesoureiro. Foi vendedor livreiro e têxtil. É Presidente da Assembleia da União Recreativa das Mercês e Vice-Presidente da Associação de Ciclismo de Lisboa.

“Quero continuar o trabalho que tem vindo a ser feito no apoio social às famílias mais carenciadas e dar mais condições à prática de Desporto. Na Área da Saúde, o meu objectivo é atrair mais médicos de família a trabalharem aqui. Para que se fale bem de Rio de Mouro!”

Santa Maria e São Miguel, São Pedro de Penaferrim e São Martinho

Paulo Parracho é Jornalista há mais de vinte anos e conhece, no terreno, os problemas dos Sintrenses. Aos 45 anos é Director do Jornal da Região e integra a direcção do Centro de Educação para o Cidadão Deficiente de Mira Sintra. Fundador da Rádio Clube de Sintra, trabalhou também na Rádio Ocidente, Rádio Mais, Antena 1, RCMafra e nos jornais Capital e Record.

“A Reabilitação urbana, a dinamização comercial e turística e o estacionamento são áreas prioritárias, a par do apoio às instituições da área social. Chegou a altura de poder fazer algo mais pela terra onde nasci e cresci”.

São João das Lampas e Terrugem

Joaquim Prego foi, durante 20 anos, Presidente da Junta da Terrugem pelo PS onde melhorou a rede viária, alargou o saneamento básico e deu o seu contributo para que o Lar da Terrugem e o Centro de Convívio de Vila Verde se tornassem uma realidade. O empresário candidata-se agora pelo PSD/CDS-PP porque acredita que será uma mais-valia para a união das Freguesias.

EDITORIAL ESCOLHI COMPETÊNCIA E SENSIBILIDADE SOCIAL Quis preparar Sintra para o novo ciclo de oportunidades que representa a reestruturação das Freguesias. Mais território, mais habitantes, mais poderes, mais autonomia obrigam a uma maior responsabilidade na escolha dos homens e mulheres que vão conduzir os destinos de cada Freguesia. A escolha foi, por isso, aplicada ao novo modelo de governação. O futuro mapa autárquico exige uma maior colaboração política, pessoal e profissional entre a Câmara Municipal e as Juntas. Tenho, assim, o gosto e a confiança de apresentar às próximas eleições autárquicas uma equipa coesa e sintonizada com os objectivos que proponho para a Câmara. Antes das cores partidárias, procurei em cada elemento a competência de líderes capazes de formar boas equipas, com ligação pessoal a quem habita nas suas Freguesias, conhecedores dos problemas das suas terras, com uma mistura de idades que favorecesse um conjunto mais jovem e dinâmico. Neste processo em que a competência é lei, escolhi pessoas de diferentes profissões que, apesar da vida profissional, têm encontrado tempo e energia para se dedicarem à causa pública. Temos, assim, candidatos de áreas tão variadas como a arquitectura, a segurança, a engenharia, o ensino, o jornalismo ou a advocacia, entre outras. As condições técnicas e financeiras das futuras Juntas de Freguesia impõem uma aptidão específica no perfil dos candidatos. Quero que tenham todas as condições para apoiar as populações como verdadeiros centros de serviços, seja através de lojas do cidadão, postos de correio e de venda de passes sociais ou outras valências. Estamos perante uma verdadeira revolução na administração autárquica. E estaremos à altura desta mudança com a nossa equipa de candidatos.

“Acredito em Pedro Pinto e quero contribuir com a minha experiência para a União das Freguesias de São João das Lampas e Terrugem. O trabalho que deixei na Terrugem fala por mim e quero fazer mais na região de origem da minha família paterna”.

3


UMA VIDA DE ACÇÃO

O

trabalho autárquico na Câmara Municipal de Lisboa foi a experiência mais gratificante de todas as responsabilidades pelas quais respondi durante a minha vida profissional e política. Nestas funções, posso mudar as condições de vida das pessoas e, assim, manter acesa a chama da esperança que podem ter na Democracia. Gosto de estar com as pessoas, de conhecer os seus problemas e de encontrar soluções que sejam possíveis, eficazes e duradouras. Não me conformo facilmente com o estado das coisas. Não o digo por ser agora candidato à Câmara de Sintra. Sempre senti esta preferência como Administrador de Lisboa Capital da Cultura, em 1994 ou como Presidente do Turismo de Lisboa, entre 2001 e 2005. E, por maioria de razão, como Vice-Presidente da Câmara Municipal de Lisboa. É no retorno imediato às decisões políticas que encontro maior estímulo para continuar. Enquanto Vereador do Município de Lisboa, entre 2001 e 2005, tive a responsabilidade das obras, do espaço público, dos espaços verdes, do turismo e do comércio da capital do País.

OBRAS EM LISBOA

Por isso, no mandato de Pedro Santana Lopes, fui responsável pela condução de obras emblemáticas como a construção dos túneis do Marquês, do Rego e do Baptista Russo. Também os Parques de Estacionamento no Largo Vitorino Damásio (em Santos,) na Calçado do Combro, na Praça de Londres, na 5 de Outubro e no Alto do Parque Eduardo VII.

No velho terminal do Arco do Cego...

...foi construido um Jardim...

Assumimos particular empenho no trabalho nos espaços verdes. Na reabilitação do Parque de Monsanto, no ordenamento paisagístico da Quinta das Conchas e dos Lilases e na recuperação do Parque da Bela Vista para a primeira edição do Rock in Rio em Portugal, cuja realização eu negociara com Roberto Medina. Mas, de todas elas, a obra que me deu mais gosto foi a construção, de raiz, do jardim do Arco do Cego num quarteirão central das Avenidas Novas. Fomos completamente imunes à pressão imobiliária que então se fez sentir sobre a Câmara. Os terrenos eram muitíssimo valiosos e a saída da central de transportes rodoviários deixava a nu um

imenso quarteirão no coração da Cidade. Tudo indicaria que ali se iria construir mais um edifício de escritórios, com lucros garantidos para meia dúzia de pessoas

Espaço verde será

Contra tudo e todos, optámos por um amplo jardim, favorecendo as condições de vida para quem não desistiu de povoar o centro da Capital. Houve também resistências de alguns moradores receosos de, com aquele espaço aberto ao público, se estar a abrir caminho para mais prostituição e toxicodependência. Mas, com diálogo, boa iluminação e mais frequência das Famílias, foi possível converter os mais cépticos às virtudes do novo espaço verde. Foram plantadas 104 árvores, 2173

arbustos e preenchidos 848 hectares com relva num investimento de 600 mil euros. Do mesmo modo, foi possível preservar a estrutura de «arqueologia industrial» para aí abrigar um parque de estacionamento tão necessário àquela zona das Avenidas Novas. Quando visito as freguesias mais congestionadas do Concelho - do Cacém a Mem Martins; de Agualva a Rio de Mouro - sinto uma enorme vontade de repetir a receita do verde acessível onde só se espera ver mais cimento.

CARTÃO DO CIDADÃO Nome: Pedro Augusto Cunha Pinto Idade: 56 anos Naturalidade: Maquela do Zombo, Angola Habilitações Literárias: Frequência do 5º ano de Licenciatura de Gestão no ISCTE, Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa Profissão: Gestor, Consultor de Empresas

CARGOS QUE DESEMPENHA: Deputado da X Legislatura eleito pelo Distrito de Lisboa Vice-Presidente do PSD MEMBRO DAS COMISSÕES: Economia e Obras Públicas Orçamento e Finanças e Administração Pública Acompanhamento das medidas  do Programa de Assistência Financeira a Portugal CARGOS EXERCIDOS: Presidente da JSD Deputado ao Parlamento Europeu Deputado  à Assembleia da Repú-

4

SINTRA PODE MAIS

blica desde 1979 até à VIII Legislatura Presidente da Comissão Parlamentar de Educação Vice-Presidente da Câmara  Municipal de Lisboa Vereador da CML (Obras, Espaços Verdes, Comércio, Turismo e Espaço Público) Presidente da Associação de  Turismo de Lisboa Vogal da Associação Parque  Junqueira Administrador do Metro, SA Administrador do MARL, SA Administrador da Fundação  Francisco Sá Carneiro


PENSAR SINTRA PEDRO PINTO PROJECTA

um novo projecto com local e destino marcados, como cumpriu na Capital. O novo PDM (Plano Director Munipal) de Sintra prevê a criação de parques urbanos (espaços verdes) em zonas urbanas. Mas não determina onde fazê-lo porque não tem o cadastro actualizado. Se for eleito, Pedro Pinto vai constituir de imediato um grupo de trabalho transversal para concluir o novo PDM de Sintra. Mas não tenciona partir do zero. Quer tomar como base documentos de referência que já existem - como o Plano Verde, que leva a assinatura de Manuela Raposo de Magalhães, o Plano Ambiental de Sintra, da NEMUS, e o Plano Estratégico, liderado por Braga de Macedo. O primeiro, coordenado pelo Instituto Superior de Agronomia, prevê a qualificação de áreas nas zonas urbanas definindo concretamente quais as zonas de índole ecológica para qualificação. Entretanto, nas visitas de trabalho, Pedro Pinto identifica terrenos camarários que podem e devem ser alterados a favor das populações. Em Algueirão Mem Martins, o imenso terreno da antiga Fábrica Messa pertence à Câmara e está ocupado por uma ruína e um matagal, ruínas e terrenos que não escapam à voragem para além de alguns serviços municipais e da dos promotores imobiliários que agora olham urgência básica de Sintra, entre outros edipara estas «ilhas» desocupadas de prédios como fícios mais ou menos vagos. Aí, o candidato da Coligação Sintra Pode Mais PSD, CDS-PP e o novo «el dorado» para mais construção. É aqui que Pedro Pinto quer fazer a diferença MPT, prevê a construção de um jardim e de vários serviços como a privilegiando a abertuLoja do Cidadão, a ra de espaços verdes e Junta de Freguesia e de equipamentos para Pedro Pinto identifica terrenos as populações. Não é a que podem e devem ser alterados o Parque de Saúde, procedendo à transprimeira vez que o faz. a favor das populações. ferência do Centro Também em Lisboa, no coração das Avenidas Novas, resgatou um de Saúde que, actualmente, funciona em cinco quarteirão inteiro para aí colocar um jardim, andares de um edifício de habitação sem concontra tudo e contra todos. (ver pag.4) Não se dições, de acesso ou de parqueamento. Assim trata, por isso, de uma promessa mas sim de se vê que Sintra Pode Mais!

RUI OCHOA

MAIS VERDE EM TODO O CONCELHO

...nas ruínas da Messa vai nascer outro jardim

Pedro Pinto quer travar a desordem urbana com a construção de Jardins nas fábricas em ruína e com o Plano Verde

P

edro Pinto está decidido a travar a desordem urbanística em que Sintra caiu na segunda metade do século XX. Durante décadas, foram instaladas fábricas, um pouco por todo o Concelho, sem que tivesse havido a preocupação de constituir parques industriais para concentrar a actividade secundária, poten-

ciar ganhos de energia e ordenar o território. A situação agravou-se quando o tecido urbano se expandiu sem controlo nem desenho, até ficar junto a estas fábricas, cercando-as por completo. A imensa mancha de betão prejudicou a qualidade de vida dos Sintrenses e deu origem a novos problemas de saúde, de segurança, de mobilidade e de estacionamento. Fernando Seara teve o enorme mérito de evitar a continuação do licenciamento e da construção selvagem e o futuro pede agora novas respostas. O tempo, a mudança do ciclo industrial e, finalmente, a crise económica levaram ao encerramento de muitas destas fábricas. As unidades agora desocupadas formam amplos espaços de

QUANDO A INDÚSTRIA

AJUDA O AMBIENTE

D Exemplo de eco parque

eve o Concelho de Sintra, que é tão verde na serra e tão compacto nas freguesias urbanas, ter indústria? A resposta é: sim. Mas esta instalação deve ser rigorosamente cuidada e sustentável - também por causa das condicionantes de reserva ambiental e de extrema densidade de ocupação urbana. Sintra é um Concelho amplo e tem zonas degradadas que é possível e desejável requalificar do ponto de vista urbano-industrial, com a introdução dos conceitos de sustentabilidade de energia, ambiente e mobilidade. São conceitos aplicados em toda a Europa e que Pedro Pinto defende para Sintra com a criação de um Eco Parque - local para situar indústrias que obedece à qualificação

ambiental e energética e cria atractividade e valor às empresas. Para além das vantagens de localização, o Eco Parque intervém no mercado de energia, com tarifários favoráveis no factor custos nas empresas. O conceito de sustentabilidade é importante porque, cada vez mais, as indústrias produzem para as suas necessidades. Por exemplo: o calor produzido num Eco Parque pode ser reaproveitado sendo novamente introduzido para outras valências e unidades. Em Sintra, já existe o cadastro dos recursos energéticos do Concelho em biomassa, biogás, solar térmico e eólico realizado pela Agência Municipal de Energia com a chancela da Universidade Católica. Temos os cenários de

aproveitamento para a criação de fileiras de energia com destinos definidos. E existem ainda, à disposição das empresas, estudos técnicos e económicos para a utilização desses recursos. Também o Quadro de Referência Estratégica Nacional - QREN 2014/2020 aposta sobretudo na eco-eficiência. Temos, por isso, tudo o que é necessário para potenciar as condições para atracção de empresas para um novo Eco Parque a instalar numa área degradada de Sintra. Se eleito, Pedro Pinto irá criar um Observatório, liderado pela Câmara, com a Agência Municipal de Energia, a Universidade Católica, técnicos da Câmara de Sintra e elementos das associações ligadas ao sector como a dos proprietários da serra, entre outras.

5


UM HOMEM DO TERRENO EU APOIO

debate com o governo

sobre Turismo

A Fernando Seara

O

Deputados defendem aeroporto low-cost em Sintra

Presidente da Câmara Municipal de Sintra, Fernando Seara, apoia o Candidato PSD, CDS-PP e MPT: “Pedro Pinto é o meu candidato para Sintra. Tem o meu afecto, a minha proximidade e o meu tempo de responsabilidade”. Fernando Seara elogia ainda o perfil de autarca do candidato. “Pedro Pinto teve contributos importantíssimos durante a gestão autárquica do PSD em Lisboa”. Tal como Pedro Pinto também Seara defende um aeroporto Low-cost em Sintra: “Vi que Pedro Pinto assumiu que Sintra tem o direito a voar. Espero que concretize o direito ao voo. Um Aeroporto, mesmo de pequena dimensão, é fundamental para o desenvolvimento de uma cidade média.”

P

Ângelo Correia

edro Pinto é um homem que se compromete e comprometeu-se com Sintra. Isso é muito importante para Sintra”. Quem o diz é o antigo dirigente do PSD, Ângelo Correia que apoia a candidatura da Coligação “Sintra Pode Mais”. Ambos conhecem-se há mais de trinta anos. “Pedro Pinto é um homem leal, um homem sério, trabalhador e que, quando se dedica a fazer uma coisa, o que ele disser vai fazer”, afirma Ângelo Correia, elogiando a capacidade de acção no terreno do candidato. “Não é dos que promete para não fazer. Faz tudo para fazer e isso é muito importante”, conclui Ângelo Correia, que vive no Concelho e é Presidente da Assembleia Municipal de Sintra.

6

O

candidato da Coligação Sintra Pode Mais, Pedro Pinto, visitou a Base Aérea de Sintra, na Granja do Marquês, com os deputados eleitos pelo círculo de Lisboa, para demonstrar os benefícios da instalação de um aeroporto low-cost naquele local. Durante a visita, o deputado social-democrata Duarte Pacheco disse que “Sintra é uma boa possibilidade, de forma inequívoca”, enquanto o deputado Miguel Frasquilho sublinhou que se trata de uma das possibilidades a estudar. “Existem várias hipóteses, esta não é a única, mas devem ser todas exploradas”,

defendeu. Já o deputado José Lino Ramos acredita que a escolha de Sintra é “natural”, numa altura em que se quer prolongar a vida da Portela. “Sintra é património mundial, está perto de Lisboa, tem acessos e já tem a infra-estrutura. Logo apresenta-se como a solução mais viável”, disse o também vereador da Câmara Municipal de Sintra. Segundo o candidato do PSD/CDS à Câmara de Sintra, as vantagens da instalação de um aeroporto low-cost na Granja do Marquês, de apoio à Portela, são evidentes, estimulando a economia e o emprego.

Chegou a hora de legalizar

Pedro Pinto adopta gata

E

stou a estudar a legalização das AUGI – Áreas Urbanas de Génese Ilegal. Existem 107 no Concelho de Sintra”, garantiu Pedro Pinto numa visita à AUGI do Bairro das Quarteiras. “Como são bairros por legalizar, os moradores não podem pedir um empréstimo bancário e os empresários não podem investir no seu negócio”, acrescentou o candidato da Coligação Sintra Pode Mais. Nos casos mais graves, acrescenta, “esta população não tem acesso a água potável e a saneamento”. Para Pedro Pinto, um problema desta dimensão tem de ser resolvido directamente pelo Presidente da Câmara Municipal e, por isso, irá criar um gabinete directamente dependente da Presidência para acelerar estes processos de licenciamento.

SINTRA PODE MAIS

N

uma visita ao Centro Veterinário de Massamá, Pedro Pinto adoptou uma gatinha que estava, desde que nasceu, há cerca de um mês, à espera de uma família que cuidasse dela. “Não consegui resistir. Gosto muito de animais”, disse o candidato da Coligação Sintra Pode Mais. Depois de uma consulta pública na página do candidato no Facebook, foi escolhido o nome Sintra para a gatinha. O Hospital Veterinário de Massamá está aberto 24 horas por dia, setedias por semana, e tem alguns amigos de quatro patas para adopção. A maioria abandonada à porta do Hospital. A equipa do Hospital Veterinário trabalha para a população do Concelho desde Março deste ano.

s diversas formas de valorizar o Turismo no Concelho de Sintra foram abordadas por Pedro Pinto e Adolfo Mesquita Nunes numa reunião de trabalho no Café Saudade, em Sintra. O candidato da Coligação Sintra Pode Mais e o Secretário de Estado do Turismo estão conscientes de que a classificação de Património Mundial deve ser preservada e pode ser potenciada a favor do desenvolvimento do Concelho. “O turismo precisa de pessoas. Uma aposta no turismo de qualidade é uma aposta na criação de emprego”, reforçou o candidato Pedro Pinto. «E o aeroporto dará um impulso vital para quem queira visitar Lisboa e Sintra, ficando a dormir no nosso Concelho»

empresários EM Linha directa com Pedro Pinto

N

a Apametal, uma empresa com 180 trabalhadores, o candidato da Coligação Sintra Pode Mais garantiu que os empresários vão ter em Pedro Pinto um parceiro. “Para captar investimento para Sintra, para acelerar processos e criar mais oportunidades para os Sintrenses, os empresários que queiram investir no Concelho vão ter em mim um parceiro”, reforçou Pedro Pinto. O candidato apresentou a Via Verde para o inVestimento, que irá permitir aos empresários agilizar directamente com o Presidente da Câmara de Sintra investimento no Concelho. “Não podemos permitir que a burocracia seja um entrave à criação de riqueza e de empregos”, concluiu o candidato. A Apametal é a empresa-mãe do grupo com 72 trabalhadores. Ao todo são 180.


SINTRA PARA AS PESSOAS Pedro Pinto quer video-vigilância junto às escolas e estações de comboio um Referendo Local dará, a quem vive no Concelho, uma palavra a dizer sobre a sua Segurança

do Referendo Local sempre que as questões sejam de interesse maior para quem vive no Concelho e para que os Sintrenses possam ter uma palavra a dizer, neste caso sobre a sua segurança. A par da videovigilância, Pedro Pinto propõe o programa SOS Vigilância com a instalação de edro Pinto quer instalar videovigilân- telefones nas escolas com linhas directas para cia à saída das escolas, nas imedia- a PSP, GNR e Protecção Civil. Para uma maior ções das estações de comboio e nas rapidez e eficácia na resposta destas Forças de passagens pedonais Segurança aos incidendo IC19. “Quero que “O sentimento de tes que possam ocoros Sintrenses se sinrer. Dada a urgência insegurança tem que tam mais seguros”, desta matéria, o SOS afirma o candidato acabar. Vou trabalhar Vigilância entrará em à Câmara Municipal para trazer tranquilidade vigor ainda em 2013. de Sintra. A insegurança é uma às famílias de Sintra”, Apesar de a lei não questões que mais compromete-se o candidato das obrigar a qualquer preocupam os Sintrenconsulta, o candi- Pedro Pinto. ses e as mais recentes dato da Coligação notícias de rixas perto “Sintra Pode Mais” (PSD, CDS-PP e MPT) ten- de escolas contribuem para este sentimento, ciona consultar os Sintrenses através de um apesar de, nos últimos três anos, a criminaliReferendo Local sobre a proposta de colocar dade no Concelho ter descido significativavideovigilância nos focos de insegurança do mente (-20%). “O sentimento de inseguranConcelho. Pedro Pinto quer utilizar a figura ça tem que acabar. Vou trabalhar para trazer

tranquilidade às famílias de Sintra”, compromete-se o candidato Pedro Pinto. A videovigilância é por isso uma peça funda-

mental na prevenção da criminalidade e na diminuição do sentimento de insegurança que quem vive no Concelho de Sintra continua a ter.

P

PEDRO PINTO NO COMBOIO

DA LINHA DE SINTRA À NOITE

Passes Sociais

não vão SUBIR de preço

D Pedro Pinto consulta os utentes...

...sobre a segurança nos comboios.

“Quero que as pessoas se sintam seguras” , afirma o candidato

urante a viagem de comboio na linha de Sintra, um dos temas recorrentes nas perguntas de quem se dirigia a Pedro Pinto foi a preocupação com os passes sociais. “Tive, em Março, uma reunião com o Secretário de Estado dos Transportes em que me foi garantido que o preço dos passes sociais não vai aumentar”, afirmou Pedro Pinto a um passageiro da Tapada das Mercês. Logo após as primeiras notícias de que os passes sociais iam acabar em Sintra, o candidato da Coligação “Sintra Pode Mais” pediu uma reunião ao Secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro. Nessa reunião de Março, Pedro Pinto obteve a garantia do Governo de que tudo seria feito para que os preços não aumentassem. Sérgio Monteiro declarou, que, mesmo que a VIMECA saísse do acordo, o Governo iria trabalhar em alternativas para manter o custo do passe ao cidadão. Uma garantia que o Secretário de Estado destacou publicamente, em Maio, na inauguração da Estação de Agualva-Cacém.

7


Luís Represas mandatário

ACONTECE

O

Contacto de desempregados com empresas

Pinto, “Sintra Pode Mais”. “Sintra cruza realidades tão diferentes como a realidade industrial, turística, agrícola, cultural. É um Concelho vastíssimo e é preciso alguém que tenha a capacidade de ver todas essas realidades e não tenha medo de enfrentar as diferenças que existem”. Luís Represas considera que o poder local é a “base da democracia”, que não pode ser desenvolvida se “não formos interventivos”. E é por isso mesmo que Luís Represas deixa um apelo: “Apelo ao apoio no candidato Pedro Pinto. Não façamos confusões entre as eleições autárquicas e as legislativas”.

DR

A “JUMP”, empresa facilitadora de contactos, vai colocar 50 desempregados em contacto directo com 10 empresas. O evento para residentes no Concelho de Sintra com o apoio da Câmara Municipal pretende “facultar uma série de entrevistas com empresas que estão a recrutar”. Inscrições através de: https://www.facebook.com/jumpsintra.

Feira Medieval de Sintra de 19 a 21

Sintra prepara-se para receber mais uma Feira Medieval, de 19 a 21 de Julho! Venham viver o espírito da Idade Média na Praça D. Fernando II, em S. Pedro de Sintra. A entrada é gratuita.

Workshop para Jovens à procura do primeiro emprego

DR

cantor Luís Represas é o mandatário da Coligação “Sintra Pode Mais” à Câmara Municipal de Sintra. “Pedro Pinto será sem dúvida um grande Presidente de Câmara”, afirmou Represas. O cantor dos “Trovante” diz que não poderia deixar de responder ao convite que foi feito por Pedro Pinto para participar activamente na campanha por Sintra, Concelho onde vive há quinze anos e pelo qual se apaixonou. “Quando me convidaram para ser mandatário não tive dúvidas em aceitar. Faz parte do compromisso enquanto cidadão e enquanto Sintrense”. Luís Represas adianta: “Nada me liga e identifica com os partidos que apoiam este candidato ou com os partidos que suportam o governo, nem à política que este governo tem adoptado para o país. Entendo que, no caso de Sintra, este candidato será o que mais características tem para os sonhos e o que entendia ser melhor para o poder apostar em Sintra e ser um dinamizador País iam contra as directrizes do partido. É um do desenvolvimento do nosso Concelho”. homem franco, que olha nos olhos. Tem a capaciO cantor de sucessos como “Feiticeira”, “Ser Poe- dade de propor, assume as suas ideias não como ta” e “Ai Timor” conhece Pedro Pinto há mais de uma verdade absoluta, mas colocando à discustrinta anos e afirma são”, refere. Mais: “Pedro que é um “homem “Pedro Pinto sempre Pinto sempre se preode enorme coerêncupou com a qualidade se preocupou com a qualidade cia”. “É um homem de vida das populações que não vira costas de vida das populações.” e isso é fundamental”. à filiação partidária Sobre Sintra, o cantor mas é também um homem que nunca teve qual- afirma que o Concelho “pode mais em tudo”, quer problema em enfrentar o partido quando tal como diz o lema da campanha de Pedro

DR

“pedro pinto será um grande presidente.”

DR

A Associação Olho Vivo promove neste sábado, 13 de Julho, um workshop sobre técnicas para procurar trabalho destinado a jovens em busca do primeiro emprego. A sessão é gratuita. Às 17h00 na sede da Associação Olho Vivo, em Queluz.

Exposição “SintraPostal” no Palácio Valenças

CONTACTOS

Direcção da Campanha de Pedro Pinto à Câmara Municipal de Sintra, Distribuição Gratuita Sede de Campanha Rua Câmara Pestana, 15 1º Andar 2710-720 SINTRA

T. 219 242 556 TLM. 927 473 184

sintrapodemais.pedropinto@gmail.com Facebook.com/pedrocunhapinto

O Palácio Valenças recebe até 31 de Outubro a exposição “SintraPostal”, uma mostra de postais ilustrados sobre Sintra, baseados em fotografias e ilustrações de talentosos artistas. A exposição tem entrada livre de segunda a sexta-feira, das 9h30 às 17h30.

Jornal Campanha - Sintra Pode Mais - Julho