Issuu on Google+

SindNovas Sind Novas

SINDICATO DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE RIO DAS OSTRAS Rio das Ostras - RJ - Edição 76 - Ano VIII - Abril de 2013

Professores iniciam mobilização com protesto pela Regência e por jornada única

Os professores da rede municipal deram início à mobilização para a defesa da gratificação por regência de classe, pela unificação da jornada de trabalho em 20 horas semanais e pelo direito de receber o contracheque no primeiro dia do mês. A primeira manifestação aconteceu durante as comemorações de 21 anos de emancipação de Rio das Ostras e estão previstas ainda a distribuição de informes à população, a utilização de camisetas, cartazes e faixas, uma ação padrão que pode levar à paralisação das atividades em sala de aula. Além disso, o sindicato prepara uma Ação Coletiva para garantir o pagamento integral da Regência para seus filiados. Pag.:4

Novos Grupos Temáticos estão em curso: SindServ-RO reunirá em maio auxiliares de desenvolvimento infantil, merendeiras e aposentados

O

SindServ-RO vai reunir os servidores e as servidoras que atuam como auxiliares do desenvolvimento infantil, merendeiras e aposentados para dar início a pauta de reivindicações desses profissionais. E também dá partida na criação de uma diretoria voltada aos aposentados. O momento é de mobilização das categorias, pois com uma reforma iminente no PCCV é preciso que todos estejam mobilizados e presentes no dia-a-dia do sindicato para que juntos possamos defender o interesse do conjunto dos trabalhadores e para que evitemos as perdas que por hora já se caracterizam. Servidores e servidoras, da ativa ou aposentados, mobilizem-se o sindicato está aqui para dar todo o aopoio necessário. Pag.:3

1° de Maio

Dia será comemorado com almoço

C

omo já virou tradição, a festa do dia do Trabalhador será comemorada pelo sindicato com um almoço musical para reunir os servidores em um encontro descontraído para um bom bate-papo em uma tarde de muita alegria e boa música. Pag.: 6

R

espeito é bom e todo mundo gosta, mas a gestão atual parece ignorar que os servidores possuem direitos garantidos em lei. Desde o primeiro dia de sua gestão não faltam ataques diretos aos nossos direitos e aos salários de motoristas, guardas, fiscais e professores. O não pagamento de horas extras, abonos e gratificações é a técnica da prefeitura para fazer seus ajustes de caixa. Pag.:2


SindNovas Sind Novas Editorial

Edição 756 - Ano VIII - Abril de 2013 - Pag.: 2

Prefeitura faz mistério com salários e Progem faz leituras capciosas de leis

F

indo o primeiro trimestre da atual gestão, o que parecia um caso isolado, tornou-se genérico: a forma como se afrontam os servidores com a retirada de direitos no pagamento dos salários e a insistência em negar aos trabalhadores a entrega dos contracheques para conferência dos valores revelam que a transparência não é ou será uma marca da administração do prefeito. O que começou em janeiro, com a suspensão no pagamento das horas extras dos motoristas e da Guarda Municipal, sob a alegação de uma pretensa auditoria, estendeu-se aos servidores e às servidoras da educação com supressão no pagamento da Regência que deveria ser paga integralmente, mas para a qual se tem insistido em aplicar-se uma tabela revogada pelo PCCV e por uma lei publicada em dezembro de 2012. Está claro lá que a regência é paga integral, ela é devida. E que uma coisa é devida em seu inteiro já que para isso fixou a condição de o professor adquirí-la, não pelos dias do mês letivo, mas pelo montante de 80% de presença no período aquisitivo das férias, ou seja 160 dias no ano letivo. Mais que fatos isolados, a forma como a secretaria de Administração e a procuradoria do município vem tratando os servidores e as servidoras na hora de calcular seus proventos revelam uma gestão da coisa pública pautada pela falta de transparência. Falta de transparência por parte da secretaria de Administração que sorrateiramente se recusa a entrega dos contracheques, impossibilitando a conferência dos valores pagos e que decide, ao seu bel prazer, o que e quanto irão receber os servidores à revelia das leis que re-

gem a administração do município. É claro que, como em todo o começo de gestão, não falte a imputação de culpa ao gestor anterior, alegando que os atrasos se devem a contas deixadas em atraso e a incapacidade do caixa municipal em arcar com as despesas do município. São falácias. Palavras ao vento de quem acredita que ao propalar por uma imprensa pelega e vendida informações sem sustentação, impor uma realidade que lhes é própria e que foge aos princípios da administração pública. Se a atual gestão encontrou os cofres vazios com as contas em atraso, caberia então uma ação Responsabilidade Fiscal contra a gestão anterior, mas isso não foi feito. Ao invés disso, o prefeito resolveu “dar bom dia com o nosso chapéu” e cobre o pretenso rombo de seu antecessor com a recusa no pagamento dos salários dos servidores e para isso usa do subterfúgio de não emitir o contracheque para que, sem informação, os servidores e as servidoras não possam reclamar seus direitos. Com esse maneirismo, a atual gestão tem se marcado pela falta de respeito não só aos servidores, mas com os munícipes riostrenses. Por um lado se nega a pagar integralmente os seus servidores e impõe atraso de mais de dois meses na emissão dos contracheques, por outro aumenta o salário de quem bem entende e dá ao secretário pessoal do prefeito o status e o salário assessor executivo com DAS1, aumentando assim o salário desse indivíduo. o prefeito teve caixa também para aumentar também o salário de seus guardas particulares, mostrando que o caixa está vazio, mas nem tanto.

O caixa vazio foi não problema para o prefeito quando esse decidiu “trazer de volta” as cores verde e azul dos prédios públicos por mera vaidade e interesse partidário, já que os prédios pintados estavam em boas condições de conservação. E com uma falta de caixa seletiva e personalista essa gestão e age abertamente visando desmontar e desestabilizar seu quadro de pessoal, impondo ao munícipe um servidor descontente e desmotivado. Um servidor a quem é negado o direito de saber do seu próprio salário. A atitude do prefeito põe em risco a qualidade no atendimento ao riostrense, qualidade essa reconhecida pela população, já que com servidores valorizados, a cidade se vê assistida a um dos melhores serviços públicos do país. No lugar disso, o prefeito decidiu optar por um retrocesso, por uma política coronelista e pela gestão politiqueira de quem indica e promove seus servidores pelo interesse eleitoreiro que em nada contribui para o bom funcionamento da máquina pública. No lugar do mérito, pôs-se a prevaricação. No lugar do bom servidor o cabo eleitoral. Na prefeitura o PCCV já é leSindNovas - SindServ-RO Jornal do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Rio das Ostras Rod. Amaral Peixoto, 3.234 Nova Aliança - Rio das Ostras Fone: (22) 2760-8933 e-mail: sindserv-rdo@gmail.com Coordenador Geral Organização René Dutra da Silva Coordenador administrativo Heverton Pereira Pessoa Diretor de Finanças Paulo Henrique dos Santos

tra morta. Tanto que a gestão atual promove uma reformulação na máquina criando cargos de DAS2, como os de coordenador do hospitalar e de coordenador de pronto-atendimento. De DAS3 na Secretária de Esportes e Lazer ao mesmo tempo que reformula a Fundação de Cultura, majorando o salário dos comissionados ali lotados. E o que faz nossa Procuradoria? Nada e muito! Muito, já que assiste a esse desmonte e lhe dá sustento. Nada, já que age a despeito de sua função: que deveria ser de defender os interesses da entidade cidade. O procurador e seu quadro agem como se fossem a advocacia da atual gestão, interpretando as leis de acordo com os interesses dessa e não do município que lhes dá sustentação e razão de ser. Longe de querer ensinar o ofício a quem deveria lhes ser de direito, já passa da hora de a Procuradoria agir quanto aos contracheques sonegados. É de ser esperar também, que na Câmara alguma voz se levante. Uma voz que represente, se não aos servidores e às servidoras, ao direito do trabalhador em ter um tratamento digno na hora de receber seu salário e saber o que ali esta sendo pago de direito. Diretora de Interesses Gerais Luiza Miranda Diretora Jurídica Aricéia Dantas da Silva Diretora de Formação Sindical Josélia Freitas Custódio Suplente Valcínea Ribeiro C. Faria Editor: Márcio Antônio Rezende -MTb-MG 3.642 marcioantoniorezende@gmail.com Impressão: Tribuna de Petrópolis Tiragem: 4.000 exemplares


Edição 76 - Ano VIII - Abril de 2013 - Pag.: 3

SindNovas Sind Novas

Em ação

SindServ-RO reforça ação Setorial e quer aposentados presentes

O

Sindserv-RO vai reforçar sua ação setorial nos próximos meses e já está preparando os próximos encontros que deverão ter lugar e tempo a partir de maio. As próximas ações destinam-se às merendeiras com sua

S

reunião marcada para o dia 29 de março. As auxiliares de desenvolvimento infantil e as auxiliares de creche tem encontro marcado para o dia 02 de maio. Já os aposentados, tem seu encontro marcado para o dia 9 de maio. A participação de todos

é fundamental, mas no caso dos aposentados, o sindicato espera ainda criar uma diretoria específica para congregá-los em seus quadros. Na opinião do coordenador do SindServ-RO, Renê Dutra da Silva, “os aposentados reforçam a

luta dos servidores por melhores salários, uma vez que a incorporação dos benefícios aos salários produz resultado direto em suas pensões”. Os grupos setoriais reúnem-se na sede do sindicato sempre a partir das 18 horas.

cumprimento da lei. Que agora, não somos mais uns separados, somos UM grupo. Infelizmente nem todos conseguem vencer o medo e derrotar o fantasma do isolamento. 10 de abril é um marco para os que se libertaram do medo. Participei dessa manifestação pacífica e até divertida que articulamos em grupo com o sindicato. D e s c o br i m o s ali, que a mesma semente que nos levou até aquele momento também se encontra guardada no espírito de muitos acorrentados. Vejam: não há o que temer, só os seus temores. Ocupamos a rua. Os guardas se posicionaram para a liberação do espaço. Aqui não é a Praça da Paz, mas a semente daquele dia germinou aqui também. Obviamente ninguém queria confusão, as pessoas, portanto, foram em direção a calçada, mas para isso foi necessário lembrar que a ninguém

deve ser negado o livre transito pelas calçadas no exercício do direito constitucional de ir e vir. É por isso que quero agradecer aos colegas da Guarda Municipal. Parabéns, vocês mantiveram a serenidade e contiveram truculência que muitos esperavam. Alguns, um ou dois, infelizmente, não tiveram esse bom senso. Esses se identificando-se com o opressor, agiram NÃO na proteção do evento, mas SIM no de sua “majestade”. Sinalizaram o uso da força para intimidar numa manifestação pacífica, de gente apitando e distribuindo folhetos com seus narizes de palhaço e nada mais. Foi um ato difícil, você meu colega servidor sabe disso! Afinal, fazer acontecer um entendimento quando há intere$$e$ outros. Quando gente mesquinha põese à frente da livre manifestação pacífica e da exposição da plu-

ralidade de idéias, é complicado. Felizmente fui capaz junto com meus companheiros de expressar nossas opiniões e comunicar aos poderosos que nós, o povo, estamos alertas: -Onde há ovos, há raposas. A reformulação no PCCV, a unificação da jornada e as reformas que se fazem necessárias põem em risco a nossa regência, que poderá ser destronada por um pífio aumento do salário base. Por isso, estando agora do lado de quem venceu o medo é que eu digo, não só aos meus amigos professores, mas a todos os meus colegas servidores: mobilizem-se, pois as conquistas genuínas surgem apenas no labor das lutas, o resto é esmola. P.S. No afã do protesto comprei tomates maduros para dar um colorido vermelho na festa azul e verde, mas na hora percebi o quão infrutífero seria tal manifestação e agora, sem receber a Regência e com meu salário reduzido, não tenho como arcar com meu aluguel: - Me desculpe seu João, vais receber em molho. Bruno Aragão professor na rede pública

Carta aos colegas servidores

air às ruas a protestar não passava pela minha cabeça. Talvez por medo ou insegurança, mas com certeza pela falta de motivações. O medo saiu de cena quando percebi que os problemas se avolumavam só me deixando as opções: me encolher, fechar os olhos e esperar que tudo passe, sem tomar rédias da situação; ou investir-me coragem para me posicionar e lutar. Mesmo que a vitória não esteja garantida, me pareceu a melhor opção. Xô medo! Mas me bateu uma insegurança danada! Na rua, deprimido, desanimado, ia caminhando sem rumo até que vi outros que como eu passavam pelos mesmos problemas, enfrentavam os mesmos medos e sofriam da mesma insegurança. Ao unir-me a eles, encontrei motivação. Trabalhar e não receber o que lhe é devido, tomar na cara a cusparada da arrogância, da prepotência e da falsidade ao me ser negado o direito de saber. Saber do meu salário. Sair às ruas em protesto está sendo a solução. Alertar a todos da ofensa que sofremos. Deixar claro ao opositor que estamos preparados para reivindicar o


SindNovas Sind Novas Em ação

Edição 756 - Ano VIII - Abril de 2013 - Pag.: 4

Professores criam grupo de luta por res

O

primeiro encontro do Grupo Setorial da educação foi um sucesso e já deu frutos com a realização do primeiro ato de protesto contra os desmandos da gestão atual da prefeitura. Mobilizados pelo sindicato, os professores puderam se manifestar contra os desmandos da gestão durante o desfile cívico do dia da emancipação. Caracterizados com narizes de palhaço, tocando apito e com cartazes cobrando da prefeitura seus diretos os professores deixaram claro para a gestão atual que não estão satisfeitos com a forma como vem sendo tratados e que se persistirem essas condições o caldo pode esquentar. Os professores reivindicam o pagamento integral da Regência de Classe, mesmo nos meses de férias e no mês de recesso escolar (julho) como está assegurado no PCCV, a unificação da jornada de trabalho para 20 horas ou o pagamento da

diferença para quem não teve sua jornada reduzida, o pagemento de horas extras como tal e não como hora suplementar (que não tem reajuste) e pedem a entrega do contracheque no primeiro dia do mês, para que possam conferir o que está sendo pago de direito. Mobilização Durante o encontro do grupo setorial dos professores, no dia 4 de abril, ficou decidido que o sindicato reforçaria a ação dos professores para a mobilização da categoria durante o desfile cívico de Rio das Ostras. Para isso ficou acertado que o sindicato iria produzir cartazes e panfletos que dessem o alerta aos professores sobre o desrespeito aos seus diretos e lhes chamassem para as mobilizações de repúdio que ainda estão por vir. Dito e feito o sindicato produziu as faixas, adquiriu todos os narizes de palhaço que pode encontrar no comércio de Rio das Ostras, comprou apitos e preparou centenas

de panfletos expondo as principais reivindicações da categoria. Antes que o desfile tivesse início o sindicato deu início à distribuição dos panfletos entre os professores e pode notar como os professores se encontram identificados com tais propostas. Não faltaram as manifestações de apoio a ação e os tradicionais “é isso aí, nós queremos isso mesmo” foram ouvidos por toda parte. Assim que terminou o desfile das escolar os professores vestiram seus narizes de palhaço e deram iníco ao apitasso que incomodou a gestão autal presente no palanque a ponto dessa exigir que a Guarda Municipal negasse as servidoras e aos servidores o direito de livre manifestação e o direito de ir e vir: - Nada de manifestação na frente do palanque. Mas os professores não se aquietaram e puxaram em coro com alunos e munícipes o refrão: “ O professor é meu amigo, mexeu com

ele mexeu comigo”. E assim, revelaram aos moradores a real situação em que se encontram aos moradores. Ação política e judicial Como ficou acertado durante o primeiro encontro setorial dos professores, o sindicato irá entrar com uma ação na justiça para garantir o pagamento integral da Regência a seus associados e promoverá novos atos de protesto na cidade. Ficou acertado ainda uma nova assembléia, na sede do sindicato no dia 07 de maio as 18 horas. Professor, não espere o dia 7, visite o sindicato a qualquer momento, monte grupos em suas escolas, comece já a participar das atividades. Os professores que não reduziram sua jornada, e assim cumprem uma carga horária maior, devem procurar o departamento jurídico do sindicato para participar da possível abertura de ações individuais para o recebimento da diferença de salário.


SindNovas Sind Novas

Edição 76 - Ano VIII - Abril de 2013 - Pag.: 5

 MOBILIZE-SE; FORME GRUPOS 

speito e pela manutenção de benefícios

Paralisações podem ocorrer caso gestão insista no acharque Reunidos no primeiro encontro temático da educação no dia 04 de abril, os professores e as professoras da rede municipal de Rio das Ostras decidiram fomentar a luta pela manutenção e pelo respeito aos seus direitos. Enquanto o sindicato age na esfera judicial, com uma ação coletiva que garanta o pagamento integral da Regência, assim como está previsto no PCCV os professores e as professoras irão participar de uma série de ações que demonstre sua insatisfação com a forma como tem sido tratados. Entre as ações planejadas estão a distribuição de informes à população, a manifestação durante os eventos cívicos e culturais da cidade, a criação de cartazes e camisetas visando o protesto.

As ações fazem parte de uma efetiva atitude política dos servidores que visam expor a verdadeira face da atual administração aos moradores de Rio das Ostras. Os professores sabem que expondo o tratamento desrespeitoso que lhes é imposto não lhes faltará o apoio popular. Mas, se as ações políticas não forem suficientes, não estão descartadas as paralisações e nem mesmo uma greve e por isso estão alertas e mobilizando-se.

Secretaria confirma mudanças na jornada e propõe novo PCCV

A

direção do SindServ-RO reuniu-se com a secretaria de Educação, Andréa Machado de Carvalho no dia 26 de março. No encontro que durou cerca de uma hora Andréa deixou claro que a Prefeitura pretende resolver em um curto período de tempo o impasse da jornada de trabalho.

Andréa informou também que a secretaria está aberta a participação de representantes dos trabalhadores na reformulação do PCCV da educação e convidou o SindServ-RO para que esse crie grupos específicos de cada categoria para integrarem a equipe que irá cuidar da reformulação do plano.


SindNovas Sind Novas Notas

SindServ-RO comemora 1º de Maio com almoço

C

omo já está virando tradição, o SindServ-Ro irá comemorar o Primeiro de Maio reunindo os servidores e servidoras em um encontro para um bate-papo descontraído, com boa música e um almoço. Nesse ano, assim como no ano passado, os servidores e servidores poderão desfrutar de uma tarde agradável, encontrar os amigos e se con-

fraternizarem ao com muita música ao vivo e uma comida preparada com muito carinho e atenção. Para participar os servidores e servidoras sindicalizados pagam apenas as bebidas que consumirem, mas os que vierem para almoçar devem ligar até o dia 29 para fazer sua reserva. Os valores arrecadados servirão para cobrir os custos de produção.

Contas

Prestação de contas 03/2013 PRESTAÇÃO DE CONTAS MARÇO DE 2013

Saldo anterior c/c Saldo anterior da poupança corrigido Recebimentos Despesas Total disponível DATA DESCRIMINAÇÃO 1 CH 851628 - Pag.salário funcionária,09 DARF,jurídico,contabilidade, cartuchos,aluguel de carros p/eleição, mesários,comissão eleitoral. 7 851629 - Aluguel 8 CH 851630 - AMPLA,INSS,aluguel de cadeiras,05 faxinas,manutenção de jadim, DARF, reembolsos. 11 Débito em C/C - Pag. Embratel 15 Débito em C/C - Pag. Oi fixo 20 Saque em 20/03 p/ proximo mês 25 Débito em C/C - Tarifa bancaria Total Saldo disponivel p/ pag. No prox. Mês Saldo conta corrente em 27/03/2013 Saldo conta poupança em 27/03/2013 Saldo total disponível

Edição 756 - Ano VIII - Abril de 2013 - Pag.: 6

Servidor, aposentado: não diga que luta está perdida. É de batalhas que se vive a vida. Atravesse a ponte do isolamento. Mobilize-se! Aprovados no VI Concurso fazem protesto e pedem início de contratações

R$ 23.954,74 R$ 44.572,94 R$ 16.553,28 R$13.669,85 R$ 71.411,11 VALOR R$9.205,51

R$2.284,69 R$1.753,91 R$84,63 R$305,11 R$11.749,66 R$36,00 R$25.419,51 R$ 11.749,66 R$ 15.088,51 R$ 44.572,94 R$ 71.411,11

O

s candidatos do VI Concurso de rio das Ostras fizeram manifestação a fim de marcar um ano da realização do concurso sem que se chegue a um resultado e tenham início as contratações. Com um enorme bolo, os manifestantes reuniram-se na frente da prefeitura e protestaram contra o prefeito que insiste em anular o concurso alegando que o mesmo não foi homologado. Na semana anterior, a atual gestão realizou com o Ministério Público um termo de ajuste de conduta, no qual fixou-se uma data para que a prefeitura

apresente os argumentos no intuito do cancelamento do concurso. Na mesma semana, a atual gestão divulgou nota afirmando que o VI Concurso foi anulado e que um novo concurso será aberto ainda nesse ano, ao mesmo tempo que rejeitou a homologação proposta pela fundação responsável por sua realização. E no dia 11 de abril o Ministério Público de Macaé abriu ação de improbidade administrativa contra o ex-prefeito e tendo ainda como réus a Fundação Tromposvky e cinco pessoas que realizaram do concurso.


SindNovas Sind Novas Processo Eleitoral Edição 76 - Ano VIII - Abril de 2013 - Pag.: 7

A

Nova diretoria toma posse

direção eleita do SindServ-RO em fevereiro desse ano tomou posse em uma festa que reuniu cerca de 50 servidores e representantes de entidades de classe. A posse ocorreu no dia 5 de maio e contou com a participação de sindicalistas do SEPE (Sindicato Estadual dos Professores), do Sindipetro e Central Única dos Trabalhadores. Durante seu discurso de posse, o coordenador do Geral de Organização, Renê Dutra da Silva reforçou a proposta de que o sindicato não deve se aliar a ninguém mais que as seus associados e que o interesse do sindicato é tão somente os interesses da classe que O diretor de Finanças, Paulo Henrique dos Santos; a suplente Valcínea Ribeiro C. Faria; a diretora de Interesses Gerais, Luiza Miranda; a diretora jurídica Aricéia Dantas da Silva, Josélia Freitas Custódio e o coordenador geral de Organização, René ele representa. Dutra da Silva tomaram posse no dia 05 de abril Para Renê Dutra, “o lugar do sindicato é ao lado dos servidores representando-os em suas lutas e não fazendo o jogo dos administradores”. Durante a cerimônia foram convidados para compor a mesa Magda Adenisia Rodrigues (primeira coordenadora do SindServ-RO), a diretora Luiza Miranda, a Coordenadora do SEPE Rosilene Macedo; o coordenador Renê Dutra da Silva, o dirigente do Sindi- Paulo Henrique dos Santos, Hélio Guerra, Renê Dutra, Altédio Durante a posse, a diretora Luiza Miranda conclama as de Souza Ferreira: mais uma gestão combativa no SindServ-RO servidoras e os servidores a agirem na luta por seus interesses petroNF Hélio Guerra e o advogado do SindServ-RO e da Central Única Trabalhadores Marco Aurélio de Andrade. A posse contou ainda com a presença de servidores, pessoas ligadas a movimentos sociais e de importantes personalidades da comunidade riostrense. Durante a posse todos puderam ouvir dos sindicalistas presentes o compromisso dessa direção com a representação dos servidoRivail Augusto Gibaja Gripp e a advogada do SindServ-RO O coordenador do SEPE Rosaldo Bezerra Peixoto e o res e das servidoras. coordenador da CUT Carlos Alberto Miranda de Oliveira

Carolina Mazieri estiveram presentes à posse


SindNovas Sind Novas Mobilize-se

Edição 756 - Ano VIII - Abril de 2013 - Pag.: 8

Sindicato lança linha de camisetas sociais de manifestação, mas para o uso em momentos de descontração e por isso a assinatura do sindicato, que costumeiramente é posta em destaque na frente da camiseta, Mobilize-se foi posta nas costas, como uma marca, dando um ar mais jovial ao produto. Entre as mensagens das camisetas, destaca-se a adaptação de uma poema de Bertold Bretch sobre “O Partido” que aqui foi subsde classe Mobilize-se, ou confor- das nas cores cinza claro e cinza tituído pelo “Sindicato”. Ainda sem um preço defichumbo em material de excelente mismo o escravizará! nido, as camisetas podem ser reConfeccionadas com uma qualidade e alta durabilidade. malha fria (dessas sintéticas, leves, A proposta dessa linha ca- servadas na sede do SindServ-RO frescas e que dispensam o ferro de misetas é de que elas possam ser- e devem estar prontas até o início passar) elas poderão ser encontra- vir não só como um instrumento de maio. ÝMOBILIZE-SE AQUIÝ

Si

SI ND ICA TO DO

S SERVIDORES MUNICIPAIS DE RIO DAS

OST R A

S-

nd

-R tras

j

U

ma nova linha de camisetas acaba de ser lançada pela SindServ-RO. São as camisetas da linha social, um conjunto composto por vários modelos que incentivam a mobilização dos servidores e que tem um estilo mais usável no dia-a-dia, sem aquele jeitão panfletário tradicional das camisetas de campanhas sindicais. A nova linha de camisetas tem como mote a defesa a mobilização sindical e da luta pelos direitos não só dos servidores, mas do cidadão e trará na frente mensagens incentivando a participação popular em movimentos

ica

to d s os Servidores Municipais de Rio das O

RJ

ou seus filhos permanecerão escravos

“Mas quem é o Sindicato? Ele fica sentado em uma casa com telefones? Seus pensamentos São secretos, Suas decisões Desconhecidas? Quem é ele?

Nós somos ele. Você, eu, vocês – Nós todos.

Aos servidores e às servidoras

SindServ-RO ganha um mascote, e o nome é você quem vai dar

O Foto: Renê Dutra

Essa foto é só para lembrar da face real do sindicato. A ação sindical não é um local, não é um grupo que faz as coisas em seu lugar. A ação sindical é a força motriz, a ideia, o fomento que identifica as questões de seus associados, transformam-nas em propostas e age no sentido de abrigá-las para que possam florescer e frutificar. Sem a participação ativa de seus associados o sindicato é folha morta. Sua participação é que faz a mobilização sindical.

SindServ-RO acaba de ganhar um mascote. Ele vai acompanhar as lutas do sindicato e terá como objetivo dar seus pitacos na relação dos servidores com a prefeitura. O nosso cação de estimação ainda não tem nome, isso porquê quem irá batizar o nosso amigão é você servidor. Participe, envie sua sugestão para o sindicato até o dia 29 de abril, o batismo do nosso mascote acontece no dia 1º de Maio durante a feijoada que o sindicato irá promover em sua sede e será escolhido por votação entre os servidores presentes. O autor do nome escolhido irá ganhar uma camiseta da linha social.

Vou buscar meu contracheque, será que já está pronto?

As sugestões podem ser entregues na sede do sindicato, enviadas pelo correio ou para o e-mail: mascote. sindserv-rdo@gmail.com. Mas atenção, não valem nomes de personagens de TV.


Sindnovas Abril 2013