Page 1


Edição e-book — Copyright © Silvio T Corrêa., 2011 3ª ed. 2011 De acordo com carta da Editora Ferreira, constante na última página desse e-book.

Capa Silvio T Corrêa

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS – É proibida a reprodução total ou parcial, de qualquer forma ou por qualquer meio. A violação dos direitos de autor (Lei nº 9.610/98) é crime estabelecido pelo artigo 184 do Código Penal.

CATALOGAÇÃO-NA-FONTE PELO AUTOR C845q Corrêa, Silvio T., 1955A incrível evolução do labirinto do queijo. ou Quem comeu minha goiabada? / Silvio T. Corrêa. – Mauá – São Paulo : Formato e-book pela Editora PerSe, 2011. 80p. 1.

Motivação (Psicologia). 2. Mudança (Psicologia). 3. Conduta. I. Título.

09-5855.

CDD: 155.24 CDU: 159.923


Sumário Dez anos ........................................................ 3 A história virou livro......................................... 5 A Inspiração ................................................... 7 O surgimento .................................................. 9 O primeiro dia ............................................... 12 À procura do labirinto..................................... 16 Entrando no labirinto ..................................... 20 O principal articulador .................................... 30 Pausa para conversa ...................................... 34 As formigas e os homenzinhos ........................ 36 Na reunião com os homenzinhos ...................... 42 Romeu e Julieta ............................................ 46 A decisão de ficar .......................................... 51 A negociação ................................................ 54 A conversa com os habitantes ......................... 57 Passado alguns anos... ................................... 60 Agora é com você .......................................... 61


A incrível evolução do labirinto do queijo.

Dez anos (2011/2012)

Esse livrinho vai completar, em 2012, dez anos de vida. Essa edição e comercialização no formato ebook, foi fruto de uma negociação com a Editora Ferreira

que

me

devolveu

os

direitos

de

comercialização do livro, desde que na forma eletrônica. Em comemoração aos 10 anos, mudei o nome do livro para A incrível evolução do labirinto do queijo, tendo como subtítulo, ou Quem comeu minha goiabada? Sempre

foi,

e

continua

sendo,

uma

satisfação enorme receber os comentários dos leitores, e para essa versão, eu gostaria de receber o seu comentário. Não importa se você gostou ou não, mas é importante que nós conversemos para que

eu

possa

tentar

melhorar

oportunidade.

3

na

próxima


Silvio T Corrêa

Meu e-mail é silviocorrea@terra.com.br e o meu site é www.silviocorrea.com.br. Esse livro, no formato e-book, estará a venda na Editora PerSe (www.perse.com.br) — no campo buscar, digite o nome do livro, parte dele ou meu nome, Silvio T Corrêa. Poderá, também, ser

lido,

gratuitamente,

www.issuu.com/silviotcorrea,

mas

fazer o download. Espero encontrá-lo em breve. Silvio T Corrêa

4

não

em poderá


A incrível evolução do labirinto do queijo.

A história virou livro (escrito em 2009)

Muitas coisas aconteceram desde que escrevi a

primeira

versão

do

Quem

comeu

minha

goiabada?, ou O Goiabada (para os mais íntimos). Naquela época, início de 2003, estávamos no começo do governo que vai entrar no último ano do segundo mandato. Hoje, o livro que acabou inspirando, que foi ―Quem mexeu no meu queijo?‖, já não está entre os mais vendidos. Mas ainda é um sucesso. Hoje, o livro que inspirou esta obra, Quem mexeu no meu queijo, já não está entre os mais vendidos. Mas ainda é um sucesso. Da mesma forma, o conteúdo de O Goiabada continua ouvido,

atualíssimo,

considerando

constantemente,

sobre

que

temos

conchavos

e

tramoias. Cerca de 100.000 pessoas tiveram a chance de ler O Goiabada enquanto estava disponível na

5


Silvio T Corrêa

internet, na forma ―copyleft‖. Atualmente, apenas duas

versões

são

legalizadas:

a

da

Editora

Ferreira, para o livro em papel e essa versão, com o título de A incrível evolução do Labirinto do Queijo. Qualquer cópia que esteja circulando está incompleta e é ilegal. É ótimo que você esteja com este livro em mãos. Contando desde quando começou a ser escrito, passaram-se quase 10 anos e por isso estou chamando de edição comemorativa. Portanto, misturadas ao conteúdo, existem diversas histórias paralelas que fazem parte das alterações que ocorreram.

6


A incrível evolução do labirinto do queijo.

A Inspiração (escrito em 2003)

Ainda não tinha tido paciência para ler o livro que

tantos

elogiavam;

que

presidentes

de

empresas compravam para os seus executivos; que não sei há quanto tempo estava na listados mais vendidos. Sempre fico receoso quando um livro de autoajuda (nada contra esse tipo de literatura) alcança o ambiente empresarial com essa força. Bom, comprei e li o livro. Em 60 minutos terminei. Como minha atuação profissional abrange a área

comportamental

e

de

autoconhecimento,

constatei, há algum tempo, o valor das parábolas, e o livro Quem mexeu no meu queijo?, de Spencer Johnson, faz uso constante delas. A parábola é um recurso textual interessante que

nos

chama

a

atenção

para

algo

que,

normalmente, já sabemos, mas a que não damos

7


Silvio T Corrêa

importância ou com o que não nos impressionamos no nosso dia-a-dia e nas nossas atitudes. O que me preocupa é que muita gente está querendo utilizar os caminhos apontados no livro, partindo do nada; sem uma reflexão sobre a sua conduta,

sem

uma

busca

constante

de

autoconhecimento, considerando as parábolas um remédio mágico. Como brincadeira,

contista,

pensei

escrevendo

um

em

fazer

livro

que

uma desse

continuidade à história do queijo. Realmente, eu só pensei. Mas...

8


A incrível evolução do labirinto do queijo.

O surgimento Parece brincadeira, mas a primeira resposta que veio à minha cabeça, quando encontrei, às três horas da manhã, a lata de goiabada vazia, foi: "Deve ter sido o mesmo sujeito que mexeu no queijo do outro!" Comecei, então, a repensar a possibilidade de escrever uma história sobre o assunto.. Bom, pensei eu, deverá ser uma história povoada

de

ensinamentos

e...

Zummmmmmmmmmmmmmm. Entrou uma baita mosca, daquelas bem gordas, na minha cozinha. Tap, tap, tap. Lá fui eu atrás da devoradora de goiabada, munido com meu mata-moscas. Apesar de meu esforço, a danada fugiu por uma fresta na janela. Mas

nada

é

em

vão!

Será

isso

um

ensinamento? Surgiu a primeira dupla de personagens, para o elenco da história: Var e Jeira. Duas 9


Silvio T Corrêa

moscas, espertas, rápidas, limpas, brincalhonas e de bem com a vida, que seriam contratadas para desvendar o mistério da goiabada. As moças, quer dizer, as moscas, Var e Jeira, têm um "algo a mais". Elas conheciam o labirinto do queijo e estavam seguras da ligação entre queijo e goiabada ou, se o leitor preferir, Romeu e Julieta. Hummmm! Romeu e Julieta... Sim, por que não? Romeu e Julieta acabaram de ser eleitos o casal da nossa trama. Mas como eles entrariam no labirinto? Homenzinho e mulherzinha? Não! Decidi

que

seriam

humanoidezinhos,

desprovidos de sentimentos sexuais para que não pensassem em outras coisas enquanto estivessem naquele labirinto escuro, cheio de vielas... Var e Jeira, Romeu e Julieta, duas duplas que,

ao

tentarem

desvendar

o

mistério

da

goiabada, viveriam experiências decorrentes de suas aventuras e descobertas.

10


A incrível evolução do labirinto do queijo.

11


Silvio T Corrêa

O primeiro dia Romeu e Julieta, conectados às potentes antenas

de

Var

e

Jeira,

investigavam,

minuciosamente, a cozinha da casa à procura de um fio de bigode de rato ou de uma minúscula marca de pés, descalços ou não, que pudessem fornecer uma primeira pista do mistério. Esquadrinhavam pequenas frestas na junção entre o piso e a parede, na esperança de encontrar uma conexão entre a cozinha e o labirinto. Nada

muito

científico,

porém

altamente

intuitivo. Romeu enfiava nos buracos seu pequenino braço, dotado de um dispositivo que o fazia alongar por até dez metros. Nada encontrava. Enquanto isso, Julieta conversava com uma formiga... Formiga? Não tinha formiga na história! — Deixa prá lá. Dizem que personagem assume vida própria!

12


A incrível evolução do labirinto do queijo.

Julieta continuava a conversar com a formiga num dialeto que ninguém conseguia entender. Aliás esse era o seu principal dispositivo: ser capaz de comunicar-se com qualquer coisa em qualquer idioma. Como você já notou, era Julieta que traduzia para Romeu os diálogos com Var e Jeira. Importante: Os

diálogos

aqui,

aparecerão traduzidos. Julieta contou aos companheiros que as formigas tinham visto um movimento diferente na noite

anterior,

mas

não

eram

ratos

nem

homenzinhos. Var e Jeira começaram a voar em círculos, meditando sobre essa nova informação. No QG da Goiaba, nome-código da operação, os quatro confabulavam: se estivessem corretos, havia uma terceira espécie de criatura habitando o labirinto; caso contrário, teriam de ―rever os conceitos‖.

13


Silvio T Corrêa

Assumiram que estavam certos e deduziram que essa suposta terceira espécie era que estava mexendo no queijo e, certamente, comera a goiabada. Se essa fosse a realidade, poderiam ajudar a desvendar o mistério do queijo e abrir a tão sonhada empresa de consultoria em desvendar mistérios,

pois

teriam

solucionado

dois

importantes casos, sendo o do queijo conhecido mundialmente.

14


A incrível evolução do labirinto do queijo.

15


Silvio T Corrêa

À procura do labirinto Enquanto

Romeu

e

Julieta

descansavam

desligados, Var e Jeira procuravam a solução para um impasse criado por elas. Na realidade, não sabiam onde ficava o labirinto do queijo. Sim, já tinham ouvido falar, mas desconheciam a localização exata. Uma

única

pista

poderia

salvar

aquele

trabalho: "Em algumas épocas era possível sentir o cheiro de queijo velho, proveniente do labirinto." Voaram para o local onde presumiam estar o labirinto e começaram a inspirar profundamente à procura daquele cheiro inconfundível. Com os pequenos narizes já ressecados pelo excesso de profundas inspirações, pousaram na calçada, enquanto o dia amanhecia. Desanimadas, pegaram carona num gato que passava. emaranhado

Enquanto de

procuravam

pelos

16

um

bom

naquele local

para


A incrível evolução do labirinto do queijo.

descansar, sentiram o cheiro nauseante de queijo podre. Concluíram que o gato deveria saber do labirinto, pois não havia outra forma de feder tanto a queijo podre, se não tivesse estado lá. Literalmente

pousadas

em

cima

da

importante pista, pouco podiam fazer sem a presença de Julieta, que conversaria com o gato. Var ficou e Jeira alçou voo em direção ao QG da Goiaba. Var através

e de

Jeira um

mantinham código

a

secreto

comunicação das

moscas

detetives e uma rede de comunicação. Cada mosca que voava perto de Var ou Jeira escutava um grupo de buzzzzz e ia passando adiante.

17


Silvio T CorrĂŞa

18


A incrível evolução do labirinto do queijo.

Jeira chegou ao QG na hora em que Romeu e Julieta se religavam automaticamente. Sem tempo a perder, Jeira contou tudo e partiram em direção a Var, seguindo as instruções que eram enviadas pela rede de comunicação. Os quatro estavam juntos outra vez. Julieta, um pouco desconfortável naqueles pelos, conversava com o gato. Após alguns miaus e grunhidos,

ela o convenceu

labirinto do queijo.

19

a levá-los ao


Silvio T Corrêa

Entrando no labirinto A escuridão era total. E o cheiro? Romeu e Julieta precisaram acionar a visão por infravermelho. Eles também foram deixando marcas na parede da entrada do labirinto, para que não se perdessem. O cheiro, cada vez mais forte, indicava que estavam próximos. Aceleraram a marcha. Var e Jeira, acostumadas com odores fortes, não

se

incomodaram,

mas

Romeu

e

Julieta

precisaram acionar o dispositivo contra gases tóxicos,

pois,

apesar

de

humanoides,

seu

organismo interno era perfeito e delicado. Uma grande surpresa esperava por eles, quando chegassem ao labirinto. Tudo na vida está sempre em evolução e no labirinto não foi diferente.

20


A incrível evolução do labirinto do queijo.

21


Silvio T Corrêa

A

movimentação

era

grande.

Ratos

e

homenzinhos andavam apressados de um lado a outro. Uma enorme construção — enorme para um labirinto — era o ponto de entrada e saída dos moradores. Havia vários onibusinhos, onde criancinhas e professorinhas faziam uma excursãozinha àquela construção. Os nossos heróis aproximaram-se e puderam ver uma placa colocada acima da entrada: "Fábrica de Queijos Labirinto". Ficaram pasmados! Não podiam imaginar que o labirinto estivesse tão desenvolvido! Var,

Jeira,

Romeu

e

Julieta

colocaram

disfarces para se juntarem àquela comunidade. (Perguntei como fizeram isso, mas não contaram, pois era segredo profissional.) Quando eram interpelados, diziam vir de uma

pequena

comunidade

22

no

sudoeste

do


A incrível evolução do labirinto do queijo.

labirinto. Como era um labirinto e ninguém fazia ideia onde ficava o norte, muito menos o sudoeste, aceitavam a explicação. Nossos detetives começaram a procurar por algum sinal de goiabada.

23


Silvio T CorrĂŞa

24


A incrível evolução do labirinto do queijo.

Encontraram objetos como tênis e roupa de corrida, já corroídos pelo tempo. Encontraram muitos

dizeres

alguns,

mas

nas

havia

paredes muitos

e

reconheceram

outros

que

eram

impublicáveis. Viram diversas turmas de homenzinhos e mulherzinhas fazendo faxina nos becos, tentando tirar

o

cheiro

de

queijo

podre,

que

parecia

entranhado nas paredes. Repentinamente, perceberam uma fila de formigas que caminhavam sorrateiramente pelos cantos. ―Finalmente algum indício de doce, ainda que formiga também goste de queijo‖ ― disse Romeu. Concordaram que não seria uma boa hora para

interrogarem

as

formigas.

Apenas

as

seguiram. A longa caminhada os levou a um grande formigueiro, que ficava no posto E4.

25


Silvio T Corrêa

Aproximaram-se por trás do formigueiro e com uma espécie de estetoscópio passaram a ouvir a conversa. –

Parece

ser

uma

assembleia

de

formigas, disse Julieta. –

O que elas estão dizendo?, perguntou Romeu.

Calma, o barulho está muito grande!

Quantas

formigas

têm?,

perguntou

Jeira. –

Pelo barulho que fazem, parece que as formigas do mundo todo estão aqui. Espere! A balbúrdia cessou. Uma única formiga está falando. Acho que é a líder.

O que está dizendo?

Romeu, se você ficar me perguntando eu não consigo ouvir. Dá prá calar a boca?

Ok! Ok!

26


A incrível evolução do labirinto do queijo.

"Formigas,

companheiras

trabalhadoras!

Nosso plano começa a surtir resultados!", ia traduzindo Julieta. "O mercado está cansado de comer apenas queijo.

Algum

pesquisas

acompanhamento,

encomendadas,

segundo

mostra-se

cada

as vez

mais necessário. Ninguém deseja mais comer queijo puro." –

Tem razão! Ela está correta! ― Diz Jar, que estava calada até o momento.

Psiu!

"Em

apresentarmos

breve

será

possível

uma

proposta

de

parceria com a Fábrica de Queijos. Necessitamos de um estoque grande de goiabada, marmelada e bananada." –

O plano é audacioso ― comentou Var, com Jeira.

"Não se esqueçam companheiras! Essa é a primeira fase do nosso planejamento de atingir

27


Silvio T Corrêa

nichos de mercado. Após os doces, virão os vinhos, que serão companheiros inseparáveis do queijo." A assembleia estava encerrada. Bom, disseram nossos quatro protagonistas, já sabemos "quem" pegou a goiabada e "por que", mas ainda não descobrimos "como" fizeram isso nem "onde" fica o estoque. Ainda temos muito trabalho pela frente. Além disso, disse Var, não sabemos quem mexeu no queijo. Os quatro foram para a Fábrica de Queijos.

28


A incrível evolução do labirinto do queijo.

29


Silvio T Corrêa

O principal articulador Disfarçados, entraram na Fábrica e dirigiramse ao andar superior, onde estava a diretoria. Dez ratos conversavam em volta de uma mesa, tendo na cabeceira um grande rato que atendia pelo nome de Busdam ou Ratão. –

Dr. Busdam, foi um plano e tanto!

O plano foi do meu pai e eu estou executando.

Não seja modesto. O seu poder de convencimento com aqueles ratinhos foi incrível.

Tem razão. Foi mesmo! Eles ficaram empolgados com a possibilidade de serem

futuros

gerentes

da

nossa

fábrica. –

A ideia de convencê-los a ir tirando, aos poucos, o queijo de um lugar e colocando

em

outro

homenzinhos baratinados. 30

deixou

os


A incrível evolução do labirinto do queijo.

Não! Barata não! Já tem muito bicho nojento.

Desculpe!

Digamos

...

então

...

atordoados. –

Bem melhor! É verdade, os ratinhos sabiam da localização exata do queijo e fingiam não saber.

Dessa forma, geravam uma demanda para o consumo.

Sim. Além do mais, nem só de queijo vive o homem! E foi por essa visão que passaram

a

pesquisar

outros

alimentos, como, por exemplo, o pão. Isso não é incrível? ― perguntou Julieta. Os ratinhos deram um "banho" nos homenzinhos e acabaram

ajudando

o

comunidade.

31

desenvolvimento

da


Silvio T CorrĂŞa

32


A incrível evolução do labirinto do queijo.

Assim

caminha

a

humanidade

Julieta,

comentou Jeira. Nem sempre ―o certo é aquilo que parece certo‖. Nota do autor: Pode ser que o dito acima seja um pensamento ― pelo menos é um clichê manjado ― e tivesse de estar em um pedaço de goiabada. Entretanto, um pedaço de goiabada, seguido de outro, ficaria muito enjoativo. Var completou dizendo que tudo está no seu lugar e que nada acontece por acaso. Nossos

amigos,

a

essa

altura,

estavam

eufóricos, pois haviam descoberto quem mexeu no queijo do outro. Precisavam, todavia, descobrir o restante do mistério da goiabada.

33


Silvio T Corrêa

Pausa para conversa Duas coisas estão me agradando ao escrever esse texto. A primeira é que é fantástico escrever sem amarrar nada, sem prever nada, nem mesmo quantos

e

quais

serão

os

personagens.

A

experiência está sendo gratificante. A segunda, diz respeito aos textos que estão nos pedaços de goiabada. Algumas pessoas que já leram o texto viram ensinamentos nesses "dizeres". Não foi minha intenção, ao escrevê-los, passar algum ensinamento ou coisa que o valha, mas percebi que os "dizeres" começaram a ficar mais "sérios". Sugiro, então, que você os veja, apenas, como um "pense nisso". No último final de semana, estava com alguns amigos em um bar e um deles, levantando um copo vazio e olhando através, exclamou: Poxa, como este copo está limpo, transparente!

34


A incrível evolução do labirinto do queijo.

Um outro comentou: ―Queria que a minha vida, o meu futuro, estivesse tal como esse copo: transparente.‖ Aconteceu que alguém fez uma observação que

foi

interpretada

afirmação,

por

assumindo-a

outro

segundo

como seu

uma estado

emocional. A

parábola,

para

ser

assimilada

como

pretendido, precisa estar inserida em um contexto claro, pois, caso contrário, a interpretação não surtirá o efeito esperado. Certamente você dará a sua interpretação para cada mensagem nesse livro. Contudo, tenha sempre em mente que nada é uma verdade absoluta e que não existe mágica. Esse e outros, são apenas livros contando histórias que chamam a atenção para alguns pontos importantes.

35


Silvio T Corrêa

As formigas e os homenzinhos Retornando à nossa investigação, nossos heróis

foram

conversar

com

as

formigas

na

tentativa de conseguir maiores informações. Julieta começou enaltecendo a força que as formigas tinham e o papo rolou solto. –

Julieta! O que descobriu?

As

formigas

não

estão

atuando

sozinhas. –

Não! Quem está com elas?

Os

homenzinhos

e

mulherzinhas

fecharam um acordo com as formigas e estão trabalhando em conjunto. –

Que acordo!

Cooperação algumas

mútua.

estão

Entretanto,

desconfiadas

desse

acordo, pois foram os homenzinhos e mulherzinhas

que

trouxeram

as

formigas para o labirinto, prometendo mundos e fundos. 36


A incrível evolução do labirinto do queijo.

Interessante! Será que elas sabem...

Que os homenzinhos foram enganados pelos ratinhos? Parece que sim, e é aí que está calcada a desconfiança de algumas.

Bom, agora é tentarmos conversar com os homenzinhos e as mulherzinhas.

Lá foram os nossos heróis em busca de mais respostas, dessa vez junto aos homenzinhos. Foram buscar, primeiramente, informações com os homenzinhos de origem mais humilde. Aqueles

que

estavam

limpando

o

labirinto,

tentando tirar o cheiro de queijo podre. Romeu, que ficou encarregado da tarefa, aproximou-se: –

Oi pessoal! Posso ajudar?

Quem é você? Nunca o vimos por aqui?

Eu

sou

um

humanoidezinho

contratado para ajudar vocês.

37

e

fui


Silvio T Corrêa

Esses ratos são uns safados - bravejou um homenzinho chamado Argh.

estão querendo substituir homenzinhos por humanoidezinhos. Sentindo que a coisa estava ficando feia, Romeu logo tratou de explicar-se. –

Não, pessoal, não é nada disso. Estou do lado de vocês e estou aqui para ajudar. Tô sabendo de tudo.

Tá sabendo o quê, maquininha?

Opa! Ofensa não! Sei que os ratos estão enrolando vocês há muito tempo e estou por dentro do acordo de vocês com as formigas.

Está sozinho?

Não, meus colegas estão na esquina e gostaríamos de conversar com vocês.

Aqui não vai dar. Esperem-me lá que irei encontrar vocês.

38


A incrível evolução do labirinto do queijo.

Nossos

amigos

ficaram

aguardando

e

pensando em como tudo é imprevisível. Jamais esperaram

encontrar

planos

tão

intrincados,

durante a busca da solução de um problema que parecia mais simples. Argh, o homenzinho, já chegou reclamando: –

Epa! Que negócio é esse de mosca?

Calma! Formamos uma equipe. Até agora não sei o seu nome. O meu é Romeu, ela é a Julieta, aquela é a Var e a outra é a Jeira.

Ok! Meu nome é Argh.

Bom, Argh, vou contar-lhe tudo. Fomos contratados para descobrir...

Romeu contou a história e tudo o que haviam descoberto. –

É verdade, confirmou Argh. Fizemos uma parceria com as formigas para lançar

um

novo

descobrimos que

39

produto,

elas

mas

queriam nos


Silvio T Corrêa

boicotar e ficar com o monopólio da goiabada, bananada e marmelada. –

Então é por isso que na assembleia das formigas nada foi mencionado sobre vocês. Agora começo a entender!

Nossa intenção nunca foi enganá-las. Queríamos uma parceria tipo ganhaganha;

mas,

depois

de

saber

as

intenções do formigão, mudamos a tática. Agora estamos usando a forte mão-de-obra delas, para atingirmos nosso objetivo. –

Qual?

Ainda não posso contar, mas vamos abocanhar uma fatia do mercado de queijos com um novo produto. Mais tarde teremos uma reunião e posso levar vocês.

Legal!

40


A incrível evolução do labirinto do queijo.

41


Silvio T Corrêa

Na reunião com os homenzinhos Pouca gente presente, talvez uns 20, entre homenzinhos e mulherzinhas. Era o conselho dos homenzinhos do labirinto. Iniciada

a

reunião,

convocaram

um

cientistazinho. De barba e óculos, atendia pelo nome de Req. –

Dr. Req, como vão as pesquisas?

Estão bem avançadas e hoje temos uma novidade para todos. O creme de queijo!

Nesse momento, uma série de pequeninos homens entrou com bandejas, distribuindo um copinho com um creme branco. –

O que vocês estão recebendo é o último resultado da nossa pesquisa. Podem provar!

―Hum! ―manjar

Que

dos

delícia‖, deuses‖,

―maravilha‖, falou um terceiro. 42

comentou

alguém;

comentou

outro;


A incrível evolução do labirinto do queijo.

Os

elogios

foram

sucedendo

sem

interrupções. Estavam todos eufóricos! Como se chamará o produto? ― perguntou o líder da reunião. O professor-doutor logo tomou a palavra, comunicando que havia batizado o produto de Requeijão, em sua homenagem. Extasiados

com

aquela

delícia,

todos

concordaram. –

E agora, meus amigos, vem a grande novidade, anunciou o professor. ― Todos olharam espantados quando um copinho, com conteúdo de duas cores, foi entregue a cada um. Provem,

meus

amigos,

provem!

Digam-me o que acharam! O burburinho de satisfação era geral, ainda que a maioria não soubesse o que era a pasta vermelha

que

acompanhava o

requeijão.

43

recém-batizado


Silvio T Corrêa

Companheiros, sua atenção por favor. - pedia o professor.

Silêncio! - gritava o líder.

Hoje é um dia importante para nós! Nossos pesquisadores desenvolveram dois produtos que irão, com certeza, revolucionar

o

nosso

mercado.

O

requeijão e o requeijão com goiabada, que chamaremos de... de... de... Enquanto o impasse pelo nome do segundo produto

acontecia,

nossos

protagonistas

eram

apresentados à liderança do grupo. Repetiram toda história, acrescentando o que ouviram na reunião dos ratos. Foi uma revelação bombástica. Até então, pensavam nos ratos como seres íntegros, aparentemente dispostos a proporcionar o crescimento de todos, e perceberam o quanto estavam errados.

44


A incrível evolução do labirinto do queijo.

45


Silvio T Corrêa

Romeu e Julieta Enquanto

alguns,

naquela

assembleia,

pensavam em um nome para o produto e outros permaneciam abismados com o sabor da goiabada, o líder pediu a palavra. –

Amigos, tenho uma séria revelação a fazer. Fomos, durante todo o tempo, enganados explorados

pelos por

ratos.

eles

sem

Fomos qualquer

compaixão. O silêncio foi geral. A incredulidade estava estampada no rosto de cada presente. –

Como soubemos disso? - perguntou alguém na primeira fila.

Nossos novos amigos, Romeu e Julieta, nos trouxeram essa informaç...

Ele não conseguiu mais falar. O povo gritava! ―Romeu e Julieta, Romeu e Julieta, Romeu e Julieta, Romeu e Julieta,...‖

46


A incrível evolução do labirinto do queijo.

Nossos

amigos

ficaram

lisonjeados

com

aquela homenagem e acharam que não mereciam tanto. Estavam enganados! O povo não gritava em homenagem a eles, mas, sim, o nome do novo produto. Terminada a reunião, Romeu, Julieta, Var e Jeira tiveram uma conversa com as lideranças. Os líderes explicaram que, de certa forma, já estavam esperando pelos nossos amigos, mas acreditavam que seriam trazidos pelas formigas. A formiga, na cozinha (no início da história), que deu a informação, tentava despistar para que o plano não fosse descoberto. Na época, os homenzinhos

e

as

formigas

eram

grandes

parceiros e dividiam as informações. –

Bom, disse Romeu, nosso trabalho está terminado e podemos retornar.

Esperem, temos uma proposta para vocês!

47


Silvio T Corrêa

Proposta?!

Sim, queremos que nos ajudem a levar nosso

plano

adiante.

Vocês

têm

conhecimento de tecnologias que ainda não possuímos e poderão impulsionar nossos negócios. –

Não sei... Podemos pensar?

Separadamente, os quatro reuniram-se para tomar uma decisão. –

Seja

qual

for

nossa

decisão,

precisamos informar que terminamos a missão, disse Julieta. –

Está certo! Ok! Concordo!

Temos um sonho de abrir o nosso escritório, disse Var.

Não poderíamos abrir aqui no labirinto? ― perguntou Jeira.

Seria uma boa experiência ficar por aqui, comentou Romeu.

48


A incrível evolução do labirinto do queijo.

Sim, novo ambiente, novos desafios, novas

visões;

ser

útil

a

uma

comunidade. É apaixonante! ― disse Julieta. E continuaram debatendo o assunto.

49


Silvio T CorrĂŞa

50


A incrível evolução do labirinto do queijo.

A decisão de ficar Decidiram que ficariam, por um tempo, no labirinto e auxiliariam no que fosse preciso. Entretanto,

estavam preocupados com a

forma, pela qual, aquela recente comunidade estava iniciando. Falsidade, exploração, egoísmo, orgulho e vaidade. Eles conheciam o resultado. Nada

era

diferente

do

mundo

dos

homens.

Precisavam fazer algo, na tentativa de não deixar que o mesmo acontecesse. Comunicaram a decisão da permanência no labirinto à liderança dos homenzinhos e fizeram uma exposição do que pretendiam, argumentando os porquês. A liderança foi frontalmente contra. Como poderiam

passar,

novamente,

por

bobos.

O

orgulho falou alto! Romeu esclareceu que não estavam sendo bobos. Era necessário que todos deixassem o orgulho

e

a

vaidade

de 51

lado

para

que

a


Silvio T Corrêa

comunidade pudesse crescer em um ambiente sadio. Julieta explicou como funcionava o mundo dos homens e sentiu que causou o impacto pretendido. No entanto, a ideia de trabalho em conjunto ainda não era bem aceita. Var propôs que eles, como participantes neutros,

tentassem

montar

uma

mesa

negociações. A contragosto aceitaram a ideia.

52

de


A incrível evolução do labirinto do queijo.

53


Silvio T Corrêa

A negociação E foram os nossos heróis, dialogar com os ratos da fábrica de queijos. A recepção foi muito ruim, mas não arredaram pé. Da mesma forma, explicaram como era o mundo dos homens e ratos, que existia além da fronteira do labirinto. Explicaram que até poderia parecer que os ratos dos homens estavam com a vantagem, existindo, mesmo, homens que acreditavam nisso. Entretanto, a cada dia, tem-se mostrado que os ratos dos homens acabam caindo na própria armadilha, em que aquele que explora acaba por ser explorado. O troco é, sempre, inevitável. –

Vocês estão dizendo que os ratinhos, ludibriados por nós, poderão ludibriarnos.

Sim, afinal vocês os ensinaram!

É verdade! Então, precisamos fazer algo para despistá-los. 54


A incrível evolução do labirinto do queijo.

Ratão!

Você

não

entendeu

nada

mesmo! –

Entendi sim! Precisamos nos proteger!

Enganando-os ainda mais, maiores as chances de serem enganados!

Esses ratinhos são bobos!

Tem

certeza?

O

que

é

aquilo

embaixo? O Ratão olhou pela janela e ficou apavorado. Homenzinhos,

mulherzinhas

e

ratinhos

conversavam em pequenos grupos. Enquanto os homenzinhos contavam o que havia acontecido, os ratinhos desculpavam-se e lastimavam-se por terem permitido que a ilusão do poder desmedido, os tenha deixados cegos. O poder é importante e necessário, desde que usado com sabedoria. Estavam percebendo o quanto perderam ao abrir mão da amizade com os homenzinhos.

55


Silvio T Corrêa

Aquele

sentimento

os

estava

deixando

enfurecidos e um tumulto começou a formar-se nos arredores da fábrica. Uma invasão parecia prestes a acontecer. Nossos heróis desceram para tentar conter a multidão. As formigas chegavam aos montes, querendo saber o que estava acontecendo. Julieta, com um megafone na mão, pediu calma e que as lideranças se aproximassem para uma pequena conversa.

56


A incrível evolução do labirinto do queijo.

A conversa com os habitantes Julieta,

mesmo

responsabilidade,

quis

ciente recuar.

da

sua

Entretanto,

o

silêncio que se instalou na plateia, mostrou-lhe que eles estavam prontos para escutar o que ela pretendia dizer. Assim,

iniciou

o

seu

discurso,

com

a

esperança de atingir os corações endurecidos dos habitantes do labirinto. "Meus amigos, hoje me considero uma irmã de vocês que vivem nessa grande família do labirinto. Tenham a certeza que o que vou lhes falar vem do fundo dos meus sentimentos. É verdade! Não convivi muito tempo com vocês, mas conheço a história dos homens e o caos, ainda que esteja em processo lento de recuperação, que foi instalado no planeta, fora do ambiente deste labirinto.

57


Silvio T Corrêa

Creiam que em qualquer momento estou do lado de todos, quer homenzinhos, quer ratinhos, quer formiguinhas, ou outro habitante. Vocês

começaram

muito

bem,

com

homenzinhos e ratinhos ajudando-se, apoiando-se, cada um com ideias e convicções próprias das raças a que pertencem, mas com sentimento de união, de crescimento comum, de convivência pacífica. Nesse momento não há sentido em apontar culpados. Aqueles que foram causadores e os que deixaram ser influenciados têm igual parcela nessa culpa. Que cada um faça o julgamento de si mesmo, aprenda e busque, a partir de agora, a criação de uma comunidade melhor. Talvez vocês consigam fazer aqui o que os homens, lá em cima, não conseguiram e quem sabe, no futuro, estender a eles esse aprendizado. Sei que todos vocês terão de aplacar o orgulho ferido para que possam apertar a mão

58


A incrível evolução do labirinto do queijo.

daquele que está à seu lado e que isso não é nada fácil. A perseverança terá um peso fundamental nesse processo, pois vocês, apenas vocês, poderão modificar a realidade atual. O

mercado

continuará

existindo,

a

concorrência não será extinta e novos produtos surgirão.

Isso

conhecimento,

é novas

importante, tecnologias

pois e

gera

progresso.

Progresso jamais foi sinônimo de desamor, de ambição desenfreada, de domínio sobre o outro. Talvez novas raças venham para o labirinto; raças com conhecimentos peculiares e que sempre poderão agregar valor à comunidade. Pode ser que o Ratão aprenda com vocês. ―Não hoje, amanhã ou mês que vem; mas, com o tempo,

ele

aprenderá

a

valorizar

o

mais

importante: Que a natureza é sábia, que a paz e a harmonia fundem-se no caminho natural dos seus seres."

59


Silvio T Corrêa

Passado alguns anos... Muito descortinado

tempo para

depois, o

mundo

o

labirinto

e

os

foi

exemplos

alavancaram o mundo dos homens. Já

não

existiam

apenas

três

raças

no

labirinto. Novas raças chegaram e aprenderam a viver em harmonia. Cada habitante tinha consciência de seu papel naquela comunidade tão incomum. Tinha consciência de sua importância e da necessidade de

seu

próprio

desenvolvimento,

através

do

aprendizado e do autoconhecimento. O conhecimento era partilhado para que todos crescessem. De vez em quando Julieta fazia palestras no mundo dos homens, relatando o progresso no mundo do labirinto. Alguns conseguiam entender e tentavam pôr em prática; outros ficavam céticos; outros achavam besteira, ainda que fosse uma realidade. 60


A incrível evolução do labirinto do queijo.

Agora é com você Bom,

a

nossa

história,

o

nosso

conto,

termina aqui, mas você poderá dar continuidade com

suas

ideias,

sua

visão

de

futuro,

sua

sensibilidade... Não se preocupe muito com quem comeu a sua goiabada. Você é o único responsável por ela, por sua vida! Não adianta culpar ninguém, não adianta culpar a vida ou o destino. Se alguém ―come nossa goiabada‖, e com isso muda nossa vida, é porque permitimos. As mudanças são sempre bem-vindas. Porém,decididamente,não é algo simples de executar e, muito menos, de aceitar. Temos

a

irritante

mania

de

nos

acostumarmos com a situação vigente, chamada de zona de conforto, e medo de encarar o novo, o inusitado. Alguns ficam arrepiados só em pensar na possibilidade de mudar — acreditem — de lugar na mesa de jantar, ou no sofá, para assistir à TV. 61


Silvio T Corrêa

Muitas vezes preferimos reclamar a tentar mudar. Aliás, aumentou muito a quantidade de reclamações, ultimamente. Andamos reclamando de tudo. Do salário, do governo, do emprego ou do não-emprego, do mercado, do supermercado, do nosso colega que é um gênio, do nosso colega que não é um gênio, da vida; estamos até reclamando da reclamação. Precisamos agir, precisamos vestir a camisa. Opa! Precisamos vestir a NOSSA camisa! Só quando vestirmos a nossa própria camisa é que iremos perceber que temos que fazer o melhor; temos que atender como se fôssemos o cliente; conduzir o trabalho buscando deixá-lo o mais

―redondo‖

continuidade.

O

possível nosso

para

quem

crescimento

vai

dar

pessoal

e

profissional é responsabilidade nossa. A historinha do ―não sou pago para isso‖ é pra quem ―está se achando‖, mas ainda não se encontrou.

62


A incrível evolução do labirinto do queijo.

Gente, não é difícil entender, né?! Eu só posso fazer o melhor a alguém quando eu fizer o melhor para mim! Se eu fizer o melhor para o outro e não fizer o melhor para mim, que o outro comece a rezar para tudo dar certo, porque senão vou dizer que o problema – e a responsabilidade – é dele, como vemos muito por aí. Afinal, se eu visto a camisa dele – governo, empresa ou qualquer instituição – ele que vista a minha, também. Não estou certo? Mas a nossa história no

Labirinto,

que

também vive o ―vestir a camisa‖, é uma ficção somente! Como

tal,

nos

permite

criar

situações

paralelas às que ocorrem no mundo dos negócios, com a vantagem do ambiente controlado. E uma competência importante no mundo dos negócios, que influencia as mudanças, é a capacidade de comunicação. Isso não significa,

63


Silvio T Corrêa

apenas, que devemos falar, ou escrever, com clareza. Significa também, e principalmente, que devemos saber ouvir. Somente

ouvindo

e

entendendo

o

seu

cliente, o seu fornecedor, o seu colega de trabalho, o seu coordenador, o seu amigo, é que você terá chances de manter uma comunicação sadia e atingir os objetivos, por exemplo, de gerir um conflito ou efetuar uma negociação. É através do processo de comunicação, do saber

ouvir,

que

conseguimos

trabalhar

em

equipe. Não existe outra maneira. Vamos pegar uma ferramenta de trabalho em

equipe.

Utilizemos

o

brainstorming

tempestade de ideias —, em que o objetivo de gerar ideias passa pelo não julgamento daquelas que foram apresentadas. Se não nos desarmarmos, para ouvirmos sem barreiras de qualquer espécie, não vamos conseguir ―pegar‖ uma ideia e transformá-la em

64


A incrível evolução do labirinto do queijo.

uma nova. Precisamos estar com a alma aberta para podermos aprender e crescer. Para crescer, precisamos contrapor nossos pensamentos, nossos — sei que a palavra já virou clichê, mas não existe outra — paradigmas e, novamente, a comunicação entra em jogo. Falamos da importância da comunicação na gestão de conflitos e a nossa história do ―roubo da goiabada‖ está recheada deles. A sua história também deve estar, e é bom que seja assim. O conflito nos dá a oportunidade de aprender a conviver com o próximo. É no conflito que temos a oportunidade de enxergar as nossas fraquezas no relacionamento pessoal e profissional. Bem, o conflito em si não faz nada disso, pois basta darmos ―as costas‖ para ele. A solução ou a administração, é que fará a diferença. Mas como vamos solucionar ou administrar um conflito? Será que você não sabe? Você faz isso a toda hora.

65


Silvio T Corrêa

Negociando! É a negociação com o seu filho, com o seu cônjuge, com o seu colega de trabalho, com o seu cliente, que permitirá chegar a uma situação em que os dois lados ―sintam‖ que ganharam. — Que negócio é esse de sentir? Eu ganho ou perco! Não é assim? Não, não é assim. A famosa expressão ganha-ganha não é igual a dividir o bolo ao meio. Ganha-ganha é um sentimento

com

o

qual

você

sai

de

uma

negociação. Imagine que você foi comprar um carro em um desses feirões que existem por aí. Viu um automóvel lindo, que gostou muito, mas está um pouco acima do que você pretendia. Conversou com o proprietário, mas o preço não mudou.

66


A incrível evolução do labirinto do queijo.

Você olha todos os carros, mas aquele não lhe sai da cabeça e nenhum outro lhe agrada. Resolve voltar lá. Quem sabe, né? Enquanto caminha, vai pensando que talvez consiga gastar um pouco mais, já que o veículo é mais novo. ―Nada de pressa hein!‖ – você diz em voz alta. Bem, você está com sorte, pois o carro ainda não foi vendido. Pode ser que hoje seja seu dia! Depois de duas horas o proprietário nem lembra mais do seu rosto e vocês começam a conversar. Assim, acaba descobrindo que, por motivos pessoais, ele precisa vender o carro. — Opa! É um raio de esperança. Você acaba confessando que precisa de um carro mais novo para trabalhar e para levar a família para passear.

67


Silvio T Corrêa

A conversa acabou criando uma empatia entre vocês, pois tirou a impressão do ―quero me dar bem‖. Talvez você não possa mais trocar o seu laptop por um de última geração. Talvez o ex-dono do carro não possa, na reforma da casa, trocar a cobertura da garagem. Mas o negócio foi feito, e foi um bom negócio. Vocês dois saíram realizados. Gastar X a mais ou Y a menos, não é importante para definir o resultado. O sentimento de atingir o objetivo é que definiu que você ganhou e que ele ganhou. É por isso que muitas vezes o sucesso não significa, primordialmente, dinheiro a mais na conta.

Sucesso

empreendedores

é

atingir

sabem

disso.

os O

objetivos.Os dinheiro

é

consequência. O ganha-ganha sempre dá muita conversa durante os ―cafezinhos‖, nos intervalos dos cursos. Nem sempre é fácil entender o conceito.

68


A incrível evolução do labirinto do queijo.

Na nossa história, Var e Jeira representam a simplicidade; Romeu e Julieta, a perfeição. Nós não somos simples e/ou perfeitos e, por sermos assim, erramos, tropeçamos, caímos, e então podemos aprender a levantar, podemos encarar a vida como a grande chance de evoluir. ... Porém, se você não tiver gostado, mude: escreva a sua história.

Silvio T. Corrêa silviocorrea@terra.com.br www.silviocorrea.com.br

69


Silvio T CorrĂŞa

70


A incrível evolução do labirinto do queijo.

71

A incrível evolução do labirinto do queijo.  

Quem comeu minha goiabada?

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you