Page 1

A fechar Porto de Sines arranca novo serviço ferroviário

16 Sábado | 14.Abril 2012

Director: Raul Tavares

Actual Prima Folia lança livro “Tubal Te Fez”

Anti-Stress Rap de Boss AC em Almada

5

8

www.semmaisjornal.com

semanário - edição n.º 710 • 5.ª série - 0,50 € • região de setúbal

Distribuído com o

VENDA INTERDITA

Casais da região preferem adoptar crianças até seis anos Burlas de milhares no Montijo não chegam para dar cadeia

LAGOA DE ALBUFEIRA. Entre os dias 2 e 5 deste mês, centenas de pessoas assistiram a um espectáculo da Natureza oferecido todos os anos pela autarquia sesimbrense, na Lagoa de Albufeira. Trata-se da abertura da lagoa ao

de seis anos de idade, saudáveis e de raça branca. A nova legislação é apoiada pelas instituições que operam no terreno e que sempre criticaram a excessiva burocracia em torno deste tipo de processos. PÁG. 2

DR

que o Semmais teve acesso, este novo mecanismo legal levou a que no passado fossem realizadas 45 adopções no distrito, sendo que deste número 27 crianças eram oriundas de outras regiões. O perfil destas adopções incide em crianças com menos

Incêndios de Inverno batem recorde no arranque deste ano

mar, um desassoreamento considerado fundamental para assegurar a qualidade das águas interiores e o equilíbrio do ecossistema lagunar, composto por uma grande variedade de peixes, bivalves e aves.

PÁG. 4

DR

Facebook alerta para roubo de cães no distrito

PÁG. 5

A FECHAR O Inverno quente que se fez sentir nos primeiros meses do ano foi escaldante para o distrito, já que se tratou do período mais seco desde 1931. Com esta onda de calor, as autoridades de Protecção Civil da região registaram 111 fogos que consumiram 20 hectares de área, contra 12 incêndios registados em igual período do ano passado. É mesmo um recorde nunca visto na região. Entretanto, os bombeiros queixam-se de falta de recursos e ameaçam parar às portas do Verão. PÁG. 16

Dores Meira revoltada com Projectos rurais ganham insinuações da oposição 3,7 milhões de euros

Lidl de Azeitão pode ser salvo com novo plano

ACTUAL A presidente da Câmara de Setúbal está a perder a cabeça com as insinuações de corrupção de que a autarquia tem sido alvo a propósito da ligação entre cheques passados pela ABB e a tragédia do mercado do Livramento. PÁG. 7

A FECHAR O supermercado Lidl em Azeitão, que o tribunal de Almada ameaça demolir, pode vir a ser salvo caso a Câmara de Setúbal consiga negociar com os proprietários dos terrenos em anexo ou através de um plano de pormenor. PÁG. 16

Pub.

Sofia Palma

+NEGÓCIOS A ADREPES contratualizou esta semana 26 projectos de desenvolvimento rural, no âmbito do PRODER, avaliados em 3,7 milhões de euros. Há empreitadas para todos os gostos, desde lagares a

aquisição de viaturas para corporações de bombeiros. E a entidade reafirma a disponibilidade de cerca de mais 4 milhões de euros num programa que se vai estender pelo menos até 2013. PÁG. 13

DR

ABERTURA Os casais do distrito candidatos à adopção de crianças aproveitaram bem o novo sistema que permite uma maior circulação de crianças no país, independentemente do local de residência dos candidatos. Segundo dados da Segurança Social a


2

Sábado | 14.Abr.2012

www.semmaisjornal.com

Abertura Pedidos oriundos do distrito beneficiaram de novo sistema

Pais esperam menos para adoptar na região Os casais da região estavam no topo das listas de espera, mas o novo sistema desbloqueou alguns processos. No ano passado foram realizadas 45 adopções, sendo que 27 das crianças envolvidas são oriundas de outras regiões.

O

distrito de Setúbal foi o que mais aproveitou o novo sistema de utilização das listas de adopção, que permite uma maior circulação de crianças no país, disponibilizando os mesmos critérios, independentemente do local de residência dos candidatos. Dados revelados pelo Instituto de Segurança Social (ISS), a que o Semmais teve acesso, mostram que, em 2011, foram realizadas 45 adopções no distrito, sendo que 27 crianças envolvidas são oriundas de outras regiões. Setúbal estava entre os distritos portugueses que Pub.

exibiam um maior tempo de espera para a adopção, tendo os casais candidatos há mais tempo inscritos e a aguardarem por uma proposta. Aliás, a dificuldade em adoptar chegou mesmo a fazer com que alguns candidatos a pais adoptivos se deslocasse para outras zonas, onde os tempos de espera eram mais reduzidos. Segundo explica fonte da Segurança Social, é natural que a tendência do aumento e adopção se mantenha no distrito, apesar da crise poder vir a ter alguma influência no receio dos casais em «aumentarem

a família». Aliás, algumas pessoas que estavam inscritas para adoptarem crianças foram obrigadas a adiar o processo alegando dificuldades financeiras neste momento, havendo também casos de famílias que deixaram de estar disponíveis para adoptar crianças mais velhas. Seis anos o perfil mais procurado O perfil mais procurado na região aponta para crianças com menos de seis anos, saudáveis e de raça branca, segundo revelando os organismos responsáveis

D.R.

:::::::::::: Roberto Dores :::::::::::

O novo sistema

A adopção continua a ser um processo muito burocrático

pela adopção nos vários concelhos do distrito, levando Jacinto Guilherme Pereira, Presidente da Abrigo – entidade que tenta erguer um Centro de Acolhimento Temporário no Montijo – a reafirmar a importância daquele projecto perseguido há uma década. «É justamente nos menores abandonados até aos seis anos e no futuro dos que não são adoptados por serem mais velhos que estamos a pensar», sublinha, explicando ainda que quando a futura unidade estiver a funcionar a região passa a ter um espaço privilegiado para acolher crianças abandonadas e retiradas às famílias. «Em primeiro lugar vamos tentar criar condições para que regressem às família biológicas, mas quando não for

É justamente nos menores abandonados até aos seis anos e no futuro dos que não são adoptados por serem mais velhos que estamos a pensar”. possível daremos andamento à alternativa de adoção. Isto é hoje uma prioridade na região», garante Jacinto Guilherme Pereira, sublinhando que «quanto mais precoce for a intervenção, mais fácil é a recuperação da criança e o seu encaminhamento para adopção.»

O novo sistema tem por base uma Lista Nacional, que entrou em vigor no ano passado como objectivo de tentar agilizar e tornar mais rápidos os processos de adoção, mas nem por isso houve mais crianças entregues a famílias adoptivas do que em anos anteriores, seguindo uma tendência verificada nos últimos dois anos. Recorde-se que em 2006 foi dada autorização legislativa para que fosse construída uma Base de Dados da Adopção, algo que estava previsto desde a lei de 1993. A nova metodologia foi apresentada como uma forma de agilizar, tornar mais rápidas e aumentar o número de adopções decretadas, sobretudo para os candidatos residentes em distritos com muitos pedidos.

Passos a dar num processo de adopção de crianças Os candidatos à adopção devem dirigir-se ao Centro Distrital de Segurança Social da sua área de residência. Através de uma entrevista informativa é revelada a realidade da adopção, os seus objectivos, procedimentos e desenvolvimento do respectivo processo. Existem requisitos e condições legais a cumprir. O processo de candidatura, formulários e documentos necessários deverão ser

preenchidos para apresentar posteriormente. A entidade competente, onde foi apresentada a candidatura, procede depois a uma avaliação social e psicológica do candidato, emitindo a respectiva decisão sobre a candidatura no prazo de seis meses. O candidato, que tiver sido selecionado, fica a aguardar que lhe seja apresentada proposta de criança a adoptar. Após apresentação desta

proposta, segue-se um período que tem por objectivo o conhecimento e aceitação mútuos entre a criança e o candidato a adoptante. Concluída, favoravelmente, esta fase, a criança é confiada ao candidato a adoptante, ficando em situação de préadoção por um período não superior a seis meses, durante o qual a entidade competente procede ao acompanhamento e ava­­ liação da situação.


Sábado | 14.Abr.2012

Editorial

Espaço Público

www.semmaisjornal.com

// Raul Tavares

A luta política e o bom senso A sucessão vertiginosa de casos que têm abalado a Câmara de Setúbal, devido a decisões directas de gestão do Executivo ou por acontecimentos exteriores à autarquia, estão a minar o terreno da maioria e da sua presidente e a lançar euforias desmedidas no palco da oposição. Não sou suspeito. Nem sempre concordo com a presidente Dores Meira e a autarca da CDU nem sempre concorda com as opções editoriais deste jornal. É uma zona de distanciamento que gera os necessários equilíbrios de força entre jornalismo e política, e um conforto para quem anda nestas lides há muito tempo. Mas reconheço que Dores Meira surpreendeu meio mundo entre o lugar de vereadora, ao tempo de Carlos Sousa, e a fase em que o sucedeu. Tem energia, é muito determinada (não raramente sem prós e contras) e está a fazer trabalho numa altura de meios parcos e de tesouraria a bater no fundo. Perante os últimos casos alguma oposição não se tem portado bem. Em especial o caso dos cheques ofertados pela ABB, empresa responsável pela obra do Mercado do Livramento, onde ocorreu o acidente que vitimou cinco operários. Na política não deve valer tudo e o corpo venenoso das insinuações são um malquisto da vida partidária, que segue fila, infelizmente, em todos os espectros, da esquerda à direita. E nestas questões de melindre deve ponderar o bom senso e, mais que tudo, a ética e a responsabilidade.

ficha técnica Director: Raul Tavares; EditorChefe: Joaquim Guerra; Redacção: Anabela Ventura, Bruno Cardoso, Cristina Martins, Marta David, Rita Perdigão, Roberto Dores; Dep. Comercial: Cristina Almeida (coordenação). Projecto Gráfico: Edgar Melitão/”The Kitchen Media” – Nova Zelândia. Departamento Gráfico: Marisa Batista. Serviços Administrativos e Financeiros: Mila Oliveira. Distribuição: José Ricardo e Carlos Lóio. Propriedade e Editor: Mediasado, Lda; NIPC 506806537 Concessão Produto: Mediasado, Lda NIPC 506806537. Redacção: Largo José Joaquim Cabecinha nº8-D, (traseiras da Av. Bento Jesus Caraça) 2910564 Setúbal. Tel.: 265 538 819 (geral); Fax.: 265 538 819. Email: redaccao.semmais@mediasado. pt; publicidade.semmais@ mediasado.pt. Administração e Comercial: Tel.: 265 538 810; Fax.: 265 538 813. Impressão: Empresa Gráfica Funchalense, SA – Rua Capela Nossa Senhora Conceição, 50 – Moralena 2715-029 – Pêro Pinheiro. Tiragem: 45.000 (média semanal). Distribuição: VASP e Mediasado, Lda. Reg. ICS: 123090. Depósito Legal; 123227/98

A corrupção nas autarquias

O

recentemente conhecido desenlace final do caso da tentativa de corrupção do vereador da Câmara de Lisboa, José Sá Fernandes, trouxe de novo à berra um mal endémico do país, que de vez em quando salta da gaveta e nos alerta para essa realidade: a corrupção nas autarquias. A concretizar melhor: cerca de 40 % das investigações da Polícia Judiciária incidem sobre o chamado Poder Local e no final de 2011 mais de 110 câmaras estavam sob a mira daquela polícia criminal, especialmente em áreas do território nacional de forte expansão urbanística. Se esta realidade em si já é um mal, gravíssimo é que ela obtenha a contemporização duma larga percentagem de portugueses, que a manifestam de variadas formas, inclusive através do voto, como aconteceu nas últimas eleições autárquicas em Oeiras ou Gondomar e já tinha acontecido antes em Felgueiras ou Marco de Canavezes. Estes munícipes, levados pela demagogia mais populista, ainda não viram que, a troco de um envelope bem recheado com destino ao partido no poder (e com um bom desvio para o chefe de divisão ou director que serviu de intermediário), se vai fazer mais um prédio na sua urbanização ou mais um piso em metade dos prédios dessa mesma urbanização, com o consequente aumento da área de construção e correlativa diminuição da qualidade de vida. Para além da corrupção da iniciativa exclusiva dos técnicos melhor colocados nas áreas do urbanismo e infra-estruturas (agora muito atenuada com a crise na construção civil), que, aproveitando o seu poder nas decisões sobre a apreciação dos projectos de licenciamento “obrigavam” os promotores a utilizarem os seus serviços sob pena de os projectos “marinarem” durante anos na pilha dos processos em apreciação ou serem alvo de constantes recusas por falhas técnicas – até serem, por fim, entregues para serem feitos por quem os

António Marquês* ia apreciar – há outro tipo de corrupção que tem a particularidade perversa de atingir toda a cadeia do serviço. Vejamos: o encarregado não chama a atenção do canalizador camarário que ao sábado vai trabalhar para uma obra particular, porque este sabe que o encarregado, nesse mesmo dia ao serviço da câmara, vai dar uma olhadela pelo trabalho que tomou ao urbanizador; o chefe de divisão não chama a atenção do encarregado porque este sabe que foi ele, chefe de divisão, que fez o projecto, quando a Lei não lho permitia; por sua vez o director do departamento também não diz nada ao seu subordinado porque este sabe que foi ele, director, o intermediário entre o urbanizador e os chefes de divisão (águas, esgotos e redes viárias) e, por isso, se fez pagar muito bem. E o vereador? Também sabe, mas cala, porque quando chegar o tempo das eleições vai precisar do director para este abordar os urbanizadores e os construtores no sentido de estes darem uma ajudinha para os gastos da campanha. O descrito atrás aconteceu pelo menos numa grande câmara do distrito nos tempos da euforia urbanística.. E o que se chama a isto? Corrupção material dos homens e corrupção moral dos partidos (todos) que estão no poder local em áreas de forte expansão urbana. Quando é que vamos interiorizar que enquanto assim agirmos não sairemos da cauda dos países desenvolvidos? PS – Para se perceber eventualmente melhor o que se passou há dias atrás com a queda de uma laje num prédio na Torre da Marinha, Seixal: na década de 80, naquela mesma localidade, construiu-se um prédio de 4 pisos sem licença de construção. Atentemos: um prédio de 4 pisos e 8 fogos, na Torre da Marinha e não uma casinha de rés-do-chão no interior de Fernão Ferro. O que é que isto quer dizer? *Colaborador

Quem os meus filhos beija… Foi sempre mais fácil conseguir quem nos ajude a estar contra do que a favor. É da natureza humana. As conversas sobre os pormenores sórdidos da vida de alguém, são normalmente muito mais populares do que os detalhes de condutas corretas e respeitadoras, ou simplesmente normais. Quando alguém falha, isso é um excelente tema de conversa. Já quando alguém faz algo bem feito, é preciso que esse feito seja mesmo algo de excecional para que tenha lugar de destaque e nos ocupe algum do tempo de conversa com elogios. No dia-a-dia das famílias, no trabalho, na vida social e nas diferentes interações que mantemos uns com os outros, somos normalmente estimulados pelas coisas más que acontecem – quase sempre por culpa dos outros – a reclamar, dizer mal, criticar, ao mesmo tempo que somos levados a encontrar de imediato duas ou três razões para o erro, a falta, ou mesmo até apontar a conduta correta que deveriam ter seguido. Mas raramente nos ocupamos de acontecimentos quem têm o final desejado, o desfecho correto ou mesmo até aquele que é o mais normal e aceitável. Nesses casos, tendemos a menorizar a sua importância e quando muito, lá soltamos um “Obrigado!” às vezes seguido do epíteto “”Só podia ser assim!” ou, não raras vezes, do “Não fizeram mais do que a sua obrigação!”.

Ao longo da vida, aprendi que muito mais importante do que a crítica motivada pelo erro – também importante se e quando adequada – é o reconhecimento do esforço e o agradecimento sincero e humilde pelo cumprimento de uma tarefa ou um dever. Estou convencido de que a parte mais importante de qualquer ação é a motivação! E há poucas coisas mais motivadoras do que vermos o nosso esforço e empenho serem reconhecidos! Em resumo, motivamo-nos facilmente para dizer mal, mas raramente perdemos tempo a dizer bem ou com elogios mesmo que justos! E isso está errado! E assim, hoje decidi escrever estas linhas para tornar público um sincero e muito justo agradecimento às auxiliares, enfermeiras e pessoal médico do serviço de neonatologia do Hospital do Barreiro. Não fizeram nenhum milagre, é verdade! Não consigo descrever nenhum facto digno de chamar a atenção de nenhum jornal da noite em nenhum canal de televisão, que lhes pudesse trazer os célebres 15 minutos de fama – não, isso não aconteceu! Porque o amor e carinho com que acolheram o meu filho de 17 dias, vítima de uma doença súbita e em sérias dificuldades, não o achariam, mesmo os editores mais atentos, merecedor de destaque! Porque a dedicação, a atenção e o cuidado com que acolheram pais

Por Setúbal

H

3

Teresa Almeida*

á longos anos que trabalho e exerço atividade politica na região de Lisboa e em especial na Península e Distrito de Setúbal. Habituei-me a ter como adquirido o potencial de uma região que, sem exagero, é o principal motor de desenvolvimento do país. Particpei na elaboração e acompanhamento de diversos documentos de Estratégia e Planeamento que traçaram potencialidades, identificaram fragilidades e apontaram caminhos ao desenvolvimento integrado e sustentável deste território. Também acompanhei todas as oportunidades que foram disponibilizadas no âmbito dos Quadros Comunitários de Apoio para a região, desde a Operação Integrada de Desenvolvimento (OID/PS) que alavancou a recuperação profunda, produzida a partir de meados dos anos 80, para a Península de Setúbal até ao ter assegurado, nos últimos 2 anos, a gestão do Programa Operacional Regional da região de Lisboa no âmbito do QREN. É meu entendimento que, nunca como no último quadro de governação do Partido Socialista, se perspetivou um desenvolvimento e aposta tão forte em Infra –Estruturas e investimentos quer na Península, quer no Distrito de Setúbal. Esta vontade está consagrada num documento -Alteração ao Plano Regional de Ordenamento do Território da Área Metropolitana de Lisboa- decidido em Conselho de Ministros em 2008, com o objetivo de consagrar essa vontade de harmonizar e equilibrar duas realidades distintas dos territórios localizados a norte e a sul do Tejo, com forte polarização da cidade de Lisboa. Corrigir assimetrias e potenciar um território menos congestionado e com melhores disponibilidades para assegurar o Novo Aeroporto de Lisboa ou a Plataforma Logística do Poceirão, a que assegura melhor ligação à rede de Alta Velocidade, valorizando os Portos de Sines e Setúbal, e promovendo oferta e valorização turística, foram consa-

gradas nesse documento. Documento que está atualmente a aguardar a sua aprovação no Ministério da Agricultura, Mar, Ambiente e Ordenamento do Território. Até quando? Que as opções tardam em ser conhecidas e as que se conhecem apenas têm desmantelado toda a estratégia que sustentadamente estavam em marcha. Neste quadro de desinvestimento por opção do atual Governo do PSD, e em contexto de crise e recessão, importa encontrar caminhos e protagonistas que perspetivem prioridades, formas de gestão e dinâmicas que potenciem o crescimento e o emprego. Neste percurso encontrei sempre no Eduardo Cabrita, quer em funções governativas, quer na sua qualidade de militante Socialista do Distrito, um pensamento profundo de visão e ação na identificação e defesa da vocação das potencialidades de Setúbal. É seu profundo conhecedor, tem uma capacidade invulgar de combatividade pelos valores que acredita, é um quadro politico de excepção e com profunda humildade gosta, e tem-no demonstrado, desta sua terra e das suas gentes. Ao longo da sua já longa militância tem estado no cerne da valorização deste território, afirmando-se e disponibilizando-se para a sua promoção e desenvolvimento. Não tenho dúvidas que no próximo quadro politico que se perspetiva , será com o Eduardo Cabrita que encontraremos combatividade, conhecimento e sensibilidade , mas também na valorização do papel das Autarquias e das suas competências com determinação e coragem. Perspetivar o futuro de Setúbal é acreditar nas suas potencialidades, sendo necessário olhar sem complexos para as novas oportunidades que se oferecem na dinamização do Cluster do Mar, nas Energias Alternativas, no conhecimento e inovação. Em suma, dinamizar a economia e assegurar a criação de emprego. *Militante do PS

fragilizados e em desespero, fazendoos sentir quase como se fossem acolhidos por membros da família mais próxima, não desperta o interesse do cidadão consumidor de notícias frescas! Porque a disponibilidade permanente, o profissionalismo, o cuidado extremo e o amor que colocam em todas as maldades necessárias, inerentes à condição das crianças doentes, e que não raras vezes lhes arranca lágrimas que engrossam os rios soltos pelos pais em aflição, não chegam a ter a importância de qualquer assalto ou novo recurso judicial apresentado por qualquer arguido cuja vida de luxo enche as páginas das revistas de cordel! Porque a criatividade de transformar um pedaço de cartolina numa borboleta, que pousa num berço e trás consigo o nome escolhido para cada criança, diferente de todos os outros e seu por direito – ainda que pequenos, um dia serão grandes – não se comparam aos milhões que jorram de coleções que enchem museus e justificam revistas dedicadas! Porque a simplicidade do calor do colo e do mimo, que transborda dos seus braços e enche a pequena sala onde se fazem crescer gigantes, com persistência, alegria e amor, sem nada pedir em troca, não se descreve de forma a que possa ter o necessário sensacionalismo, indispensável a um título digno de maiúsculas a negro! Porque num cenário de grandes dificuldades, a motivação que transforma uma caixa de pastilhas num eficiente organizador de material que

facilita a coisa mais importante – os cuidados de saúde prestados às crianças – seria apenas interpretada, porventura, como uma forma simplista de resolver um de muitos problemas e por isso desinteressante! Por tudo o que, à luz dos olhos daqueles que escolhem o que é digno de ser conhecido por todos, este episódio seria certamente apenas um breve intervalo na vida de mais uma família comum, decidi partilhar este conjunto de coisas simples. Que se para outros – aqueles que escolhem o que é importante para ser público – isto não passaria de uma lista de banalidades, quero dizer-vos que para nós, todo o vosso trabalho, o carinho, o amor e a dedicação que, sem reservas nos deram, durante os 10 dias que habitámos a vossa fantástica pequena casa e fomos acolhidos na vossa maravilhosa família, ficarão para sempre marcados na nossa memória! Porque vocês conseguiram com simplicidade, algo de extraordinário – que o tempo permita que as boas recordações que nos ofereceram, se sobreponham e apaguem as más memórias deste intervalo! Porque o vosso dia-a-dia é tão importante para tantas famílias e tantas crianças, não poderíamos deixar de partilhar o nosso profundo agradecimento pelo fantástico trabalho que, longe das luzes, das câmaras e dos palcos, nos intervalos das vidas de cada família, pudemos testemunhar! Porque a vida segue dentro de momentos!

Nuno Banza - Barreiro


4

Sábado | 14.Abr.2012

www.semmaisjornal.com

Actual Setúbal e Grândola acolhem protestos no distrito organizados pela USS e pelo MUSP

Utentes protestam contra austeridade e acusam Governo de «desprezar portugueses»

A

União de Sindicatos de Setúbal (USS) e o Movimento de Utentes dos Serviços Públicos (MUSP) estão a apelar à população para participar esta tarde numa jornada de luta em defesa do Serviço Nacional de Saúde (SNS). No distrito, serão duas as concentrações, em Setúbal e em Grândola, mas os motivos do protesto são os mesmos. Os utentes estão contra o aumento das taxas moderadoras, repudiam o fim do apoio ao transporte de doentes e o aumento dos tempos de espera para cirurgias e consultas de especialidade, lamentam a falta de médicos e de

«mais um ataque ao SNS» e acusa os governos do arco PS/PSD/CDS de terem ajudado o sector privado a captar profissionais e apoios que «enfraquecem» agora o serviço público. SAP e posto de Canal Caveira continuam sem resposta

Sofia Palma

Apertão de cinto na saúde leva utentes e sindicatos a convocar jornada de luta nacional. Protesto coincide com reorganização hospitalar na região que pode levar, para já, a fecho de urgências polivalentes no Garcia de Orta no período da noite.

Dirigentes da União de Sindicatos e do Movimento de Utentes dos Serviços Públicos prometem dar luta

outros profissionais no sector e exigem que o Governo volte atrás no encerramento de serviços de proximidade sem «alternativas consideradas credíveis». Em declarações ao Semmais, o coordenador da USS, Luís Leitão, acusou o Governo de querer «dois tipos de assistência médica», uma para os ricos e uma outra para os pobres, e pediu o fim da austeridade no sector. «Esta política de saúde está a deixar as pessoas sem dinheiro para irem ao médico, pelo que a justiça fiscal deve ser feita pela cobrança devida dos impostos e não através de medidas que desprezam os portugueses», sublinhou.

Reorganização hospitalar deixa região em polvorosa O protesto desta tarde visa também demonstrar o desagrado pela reorganização hospitalar da região, em especial pelo eventual encerramento das urgências polivalentes do hospital Garcia de Orta, no período nocturno. Este cenário foi avançado pelo presidente da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, Luís Cunha Ribeiro, e mereceu o reparo imediato do Ministro da Saúde, Paulo Macedo, que garantiu que o Governo não vai desclassificar as urgências da unidade hospitalar. A não construção do hospital

Seixal/Sesimbra, o «encerramento» da morgue do hospital do Montijo, a alegada concentração de valências no Barreiro em detrimento do Montijo e a criação de mega-agrupamentos na saúde são outras decisões recentes que estão a deixar os utentes de cabelos em pé. Luís Leitão vai, contudo, mais longe, e manifesta preocupação com o eventual fecho do hospital do Outão, caso o Estado sucumba a «interesses especulativos», dada a localização privilegiada da unidade hospitalar em plena serra da Arrábida. Maria Luísa Ramos, do grupo permanente do MUSP, diz que a península de Setúbal está perante

Em Grândola, a reabertura do Serviço de Atendimento Permanente (SAP) 24 horas e do posto médico de Canal Caveira está no topo das preocupações das comissões de utentes do Litoral Alentejano, que continuam sem respostas para as reivindicações há mais de um ano. A presidente da Junta de Freguesia de Grândola lamenta o arrastar da situação e pede que o Governo faça alguma coisa para cumprir «o que prometeu quando ainda era oposição». Segundo Fátima Luzia, o presidente da Administração Regional de Saúde do Alentejo, José Marques Robalo, chegou a prometer uma visita ao posto médico de Canal Caveira em Dezembro passado, que ainda não foi realizada. «A situação tem vindo a degradar-se e as taxas moderadoras de 10 euros, aos Sábados, Domingos e feriados, têm vindo a ser cobradas como se existisse na vila um SAP», alerta. Bruno Cardoso

Politécnico Campanha da Burlas de milhares de euros a cinco ensina hábitos Cáritas cresce vitimas não deram prisão no Montijo de saúde 20,5 por cento UMA MULHER de etnia destas há sempre a compartidenam por estes casos e muito A CAMPANHA da Cáritas de Setúbal deste ano revelou um crescimento de 20,5 por cento, comparativamente a 2011, tendo alcançado o valor de 23919,41 euros. O grau de solidariedade da população do distrito continua a desafiar o agudizar da crise, na região e no país, e até mesmo o decréscimo de paróquias em que a campanha foi realizada. De acordo com a instituição, foram menos cinco as paróquias envolvidas na campanha deste ano, tendo estado representadas 59 por cento das comunidades cristãs no processo de peditório público. No terreno, a campanha de solidariedade para com os mais atingidos pela crise envolveu 320 voluntários, o que representa mais 3 por cento que no ano passado. De acordo com o relatório da Cáritas, este acréscimo de voluntários permitiu uma maior abordagem à população, tendo, por isso, sido solicitados donativos a cerca de 39800 pessoas, mais 25,13 por cento que em 2011.

cigana burlou cinco pessoas no Montijo, conseguido ficar-lhes com largos milhares de euros, em dinheiro e ouro, mas após ser detida pela PSP foi de imediato libertada pelo tribunal, ficando a aguardar julgamento. A decisão do juiz desagradou aos agentes policiais, que esperavam prisão preventiva, até porque a mulher terá antecedentes criminais do mesmo género, mas uma fonte judicial explicou ao Semmais que, afinal, é comum os suspeitos serem libertados nestes casos de burla. «A sociedade não entende estas decisões, mas um tri­­ bunal julga factos», começa por explicar fonte judicial, alegando que a suspeita «não meteu a mão bolso da vítima para roubar, nem a tratou mal. Numa burla

cipação da vítima que lhe dá o dinheiro e ouro a troco de qualquer coisa.» A explicação vai ao encontro da libertação da mulher pelo Tribunal do Montijo, sublinhando a mesma fonte que «raramente os tribunais con­­

menos decretam prisão preventiva», insiste, admitindo que só quando existe uma prática reiterada do conto do vigário poderá haver lugar à condenação. A suspeita, de 51 anos, enganou cinco mulheres, convencendo-as de que estava uma tragédia para a acontecer nas suas vidas, pelo que era necessário lera sina e benzer o ouro que tivessem em casa. As pessoas foram abordadas no Parque Municipal do Montijo e no parque de estacionamento do supermercado Modelo, depois de, segundo a investigação, terem sido sujeitas a estudo prévio por parte da suposta burlona. Uma das vítimas, de 47 anos, foi burlada em 100 800 euros. Roberto Dores

RASTREIOS de voz e oficinas sobre o tema são as propostas da Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Setúbal (IPS) para, segundafeira, assinalar o Dia Mundial da Voz. O objectivo da campanha é informar e sensibilizar a população relativamente aos cuidados a ter com a voz e as medidas a adoptar para preservação de hábitos vocais saudáveis. Neste sentido, o Gabinete de Terapia da Fala da Clínica da ESS/ IPS oferece à comunidade académica do IPS, nomeadamente estudantes, docentes e funcionários não docentes, rastreios de voz gratuitos. No dia 16 realiza-se o workshop denominado “Uma vida, Uma Voz”, no anfiteatro D1.10, dinamizado por profissionais da voz falada e cantada e destinado à população em geral. Paralelamente, o IPS colabora na Quinzena da Saúde, do Voluntariado e da Solidariedade entre Gerações no Barreiro. A iniciativa decorre até dia 15, resultando de uma colaboração entre a Câmara do Barreiro, a Escola Superior de Tecnologia do Barreiro e a Escola Superior de Saúde.


Prima Folia lança primeira obra sobre identidade sadina

“Túbal te Fez” é o título da primeira obra da Cooperativa Cultural Prima Folia, que vai ser lançada no próximo dia 19, pelas 18h30, no Museu de Arqueologia e Etnografia do Distrito de Setúbal. A obra pretende identificar e caracterizar a identidade sadina e verificar as linhas de permanência da comunidade setubalense ao longo de dois mil anos de existência. O arqueólogo José Luís Neto, autor do livro e presidente da Prima Folia, refere que o trabalho visa mostrar aos setubalenses «aquilo que a maior parte das vezes lhes é ocultado, pelas vicissitudes históricas ou por omissões intencionais que lhe cortam o sentido de coesão e de comunidade, e que, portanto, os impede de agir». A Prima Folia tem outras obras em carteira que a seu tempo serão divulgadas. «São obras de reflexão sobre a história da comunidade e as relações entre elites e a população. Vamos ver como primeiro como resulta esta obra que estamos a lançar agora e depois logo falaremos sobre outras», sublinha José Luís Neto. O livro, de 120 páginas, com prefácio do jornalista/ escritor Fernando Dacosta, levou dez anos a investigar e três meses a escrever. Os locais onde pode ser adquirido o livro “Túbal te Fez” serão em breve dados a conhecer no sítio da Prima Folia. A Prima Folia, com instalações no Bairro de Troino, em Setúbal, foi criada há cinco anos e possui cerca de 140 associados. Sem fins lucrativos, dedica-se a actividades que servem para providenciar às pessoas o «alimento do espírito numa lógica absolutamente de urgência e de instituição particular de solidariedade social numa comunidade que apresenta profundas carências a todos os níveis».

5

www.semmaisjornal.com

Queixas de desaparecimento com alertas no facebook

“Andam a roubar cães no distrito de Setúbal» O DESAPARECIMENTO de cães em algumas zonas rurais do distrito está a preocupar as associações de protecção e apoio aos animais, que lançaram já um alerta contundente nas redes sociais, e as queixas vão-se avolumando nas esquadras de polícia. Uma das informações mais contundentes tem vindo a ser propalada no facebook, com o sugestivo título “Atenção andam a roubar cães no distrito de Setúbal”. A informação explica que os animais são retirados dos quintais dos donos, quando vão fazer os habituais passeios sozinhos ou mesmo quando são deixados amarrados pelos proprietários quando estes vão fazer compras ou alguma outra tarefa pouco demorada. Sinal do recrudescer deste fenómeno, segundo apurou o Semmais, são as queixas apresentadas na PSP do Barreiro e na GNR de Palmela, assim como junto das autarquias locais. «Ainda esta semana têm sido recebidos telefonemas a denunciar roubos de cães. O último aconteceu esta quinta-feira, quando uma cadela de raça Labrador, com cerca de 7 anos, desapareceu do quintal dos donos», confirmou ao Semmais, Alice Oliveira, ex-voluntária da Associação

DR

Sábado | 14.Abr.2012

Rotweiller no topo da lista

SOS Bicharada e actualmente colaboradora do “Albergue da Toxa”, que recolhe animais abandonados. Suspeitas de lutas clandestinas Tendo em conta do grande porte dos canídeos que têm desaparecido, as associações amigas dos animais acreditam poder tratar-se de «grupos que se dedicam às lutas clandestinas de cães», embora as autoridades desconheçam «actividades

Bombeiros discutem valorização da carreira BOMBEIROS de todo o país e da região espanhola da Catalunha reúnem-se este sábado, em Setúbal, para discutirem os problemas com que se debatem as companhias de voluntários em concelhos onde também operam bombeiros profissionais. A organização do encontro, ‘apadrinhado’ pela presidente da autarquia, Dores Meira, é da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Setúbal que diz ter esta acção tido origem na vontade de aprofundar os problemas com que se debatem as associações de bombeiros voluntários sedeadas em municípios onde operam também companhias de bombeiros profissionais. «Partimos do princípio de que a missão de Voluntários e Profissionais

é comum: prestar socorro e salvar vidas. Queremos, depois de acabado o debate, saber qual o melhor caminho para continuar a valorizar e a dignificar os bombeiros voluntários portugueses, honrando sempre o lema “Vida por Vida”, mas dando um novo sentido ao lema que nos une cada vez mais: Profissionais na Acção, Voluntários por Opção», reforça a associação humanitária. O encontro, que vai decorrer na Casa da Baía, na capital de distrito, terá ainda como objectivo a transmissão de diversas experiências de corpos de bombeiros e também a experiência dos bombeiros voluntários na Catalunha, pela voz de um representante destas corporações.

recentes desse tipo». Terá sido este o destino de um rotweiller que Alice Oliveira tomou conta durante dois anos e que lhe foi roubado recentemente num terreno em Olhos d’Água, em Palmela. Esta raça é conhecida pela agressividade e pela força, pelo que a voluntária acredita que tenha sido «drogado por via da ingestão de alimentos», já que, afiança, «era um animal muito violento e pouco sociável». Melhor sorte terá tido uma cadela de raça pit-bull também roubada, que foi posteriormente encontrada num imóvel degradado que ardeu no Barreiro. «A maior parte dos cães encontrados nessa habitação aparentavam estar mal tratados, mas o facto de a maioria deles estarem chipados e registados permitiu encontrar os verdadeiros donos e devolvê-los».

Jacinto Pereira vai liderar novos desafios da Baia do Tejo JACINTO Pereira, pre­­ sidente da Abrigo, é o novo timoneiro da Baia do Tejo, numa equipa que é ainda constituída por Paulo Gamito e Sérgio Saraiva, gestor de empresas e arquitecto, respectivamente. O novo líder da empresa responsável pela gestão dos territórios da Margueira (Almada), Qui­­ miparque (Barreiro) e Siderurgia Nacional (Seixal), havia sido nomeado pelo actual Governo como liquidatário para a polémica extinção da Sociedade Arco Ribeirinho Sul (ARS) - antes liderada pelo ex-presidente da CCDR-LVT, Fonseca Ferreira - lançada pelo governo de José Sócrates com o objectivo da requalificação urbana destas áreas de grande potencial da península de Setúbal A Baia do Tejo, criada em 2009, vai agora

O novo líder Jacinto Pereira

assumir directamente as competências dos projectos que levaram à criação da Arco Ribeirinho Sul, sendo que o Governo nomeou um grupo de acompanhamento em que estão representadas entidades da administração central e local. São vários os desafios que a nova equipa se prepara para enfrentar, desde logo uma nova organização estratégica para a gestão dos projectos Baia do Tejo e ARS.

Marta David Pub.


6

Sábado | 14.Abr.2012

O PORTO de pesca sesimbrense dispõe, desde o início deste mês, de um serviço de vigilância e segurança móvel, na sequência de um contrato assinado entre a Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra (APSS) e a SECURITAS. Com este serviço, pretende a administração portuária «assegurar a vigilância de pessoas e veículos no Porto de Abrigo de Sesimbra, bem como, supervisionar e adoptar os procedimentos adequados para a segurança dos utentes e instalações». Na altura, foi, também, colocada uma vedação e beneficiados os portões de acesso aos estaleiros navais, tendo sido estabelecido um horário de abertura e fecho, e ainda, colocado um novo portão em frente ao cais 4, com benefícios de segurança para os estaleiros.

Autarcas e ex-autarcas afirmam que «São Simão não é para reciclar» e prometem luta

Todos contra a extinção de freguesias em Azeitão A POSSIBILIDADE de extinção de São Simão e São Lourenço, em Azeitão, ou até a aglutinação de S. Simão pela freguesia vizinha, ao abrigo da reorganização das freguesias prevista pelo Governo, está a deixar autarcas e eleitos de cabelos em pé. Convictos de que qualquer tentativa de perda da identidade cultural destas localidades, nomeadamente de São Simão, «por ter partido da vontade popular, há quase 500 anos», vai trazer problemas de «coesão social» no concelho e «enormes entraves ao desenvolvimento» devido à perda da gestão autárquica de proximidade. Os receios foram expressos quinta-feira, durante a apresentação de um manifesto contra a medida governamental, assinado pelo actual presidente da junta de São Simão, João Carpelho, por eleitos da freguesia e diversos anteriores presidentes das duas juntas.

Sofia Palma

Vigilância móvel ‘segura’ Porto de Sesimbra

www.semmaisjornal.com

O presidente João Carpello teve como companhia anteriores presidentes de S.Simão e S. Lourenço

João Carpelho afirma que, caso a agregação das freguesias avance, o que está em causa não será o nome da nova ‘mega freguesia’ mas sim a perda da capacidade de trabalho (de 10 eleitos, apenas 7 se manterão no activo) e, sobretudo, uma perda da identidade sociocultural. Para além disso, o

presidente teme que a população «deixe de se rever na política local» e se registe uma quebra no número de votantes. Azeitão arrisca coesão social Questionado pelo Sem­­ mais, sobre a posição con­­

trária de Celestina Neves, presidente da Junta de São Lourenço, ausente neste protesto colectivo, Carpelho refere que a presidente sabe, «no seu íntimo», que esta agregação será algo «mau para todos». Temendo divisões sociais, o empobrecimento da região e perda de iden-

tidade, o autarca acusa o Governo de agir em «contraciclo» com a realidade, já que estas «foram as freguesias que mais crescimento registaram no concelho». Assim, não entendem a ‘fixação’ do Governo nestas medidas, uma vez que «nem sequer provam que se possa racionalizar verbas». É que, de acordo com dados da Anafre – Associação Nacional de Freguesias, a manutenção das autarquias locais custa apenas 0,08 por cento do actual Orçamento de Estado. Joaquim Marcelino, ex-presidente da junta de freguesia de São Simão foi outro dos intervenientes no discurso, referindo que, mais do que verbas, o que está em causa é a «uma questão cultural» e de identidades, em respeito para com todos os que têm contribuído ao longo de quase cinco séculos para a «sobrevivência» da freguesia. David Dias

O extracto de planta que faz o sangue fluir

Mãos e pés frios nunca mais! extracto de planta designado ginkgo biloba. Como funciona?

Inês Veiga*

Uma das descobertas mais interessantes dos últimos tempos é o ginkgo biloba, um extracto de planta que dilata os vasos sanguíneos e ajuda o aporte de oxigénio e nutrientes a todas as partes do corpo. Quando se fazem palavras cruzadas, o cérebro trabalha a grande velocidade para encontrar as respostas certas. As tarefas de concentração e reflexão requerem um enorme fornecimento de sangue ao cérebro, dado que o sangue transporta o oxigénio e os nutrientes necessários às células cerebrais. O músculo também está dependente de sangue, oxigénio e nutrientes, bem como qualquer outra função do nosso corpo. À medida que se envelhece, o fornecimento de sangue fica mais lento devido à formação gradual de placas no interior dos vasos sanguíneos, afectando a memória e a concentração. Os pés e as mãos podem arrefecer e muitas das funções do corpo ficam mais lentas. A boa notícia é que este problema pode ser resolvido através da administração de um

O que contém essa planta que tem a capacidade de melhorar a circulação? O segredo está nos flavona-glicósidos e nas terpenolactonas, que são as substâncias activas (flavonóides) com diversos efeitos biológicos. De um modo simples, o ginkgo biloba dilata (expande) os vasos sanguíneos, facilitando a passagem do sangue. O ginkgo biloba apresenta um outro efeito importante – torna o sangue menos viscoso. Tal facilita a circulação do sangue. Mãos e pés mais quentes Investigadores demonstraram que ginkgo biloba melhora o fornecimento de sangue às extremidades, tais como os pés e as mãos. A utilização de termografia, uma técnica particular de imagem que mostra as diferenças de temperatura com cores diversas, permitiu aos investigadores demonstrar como as zonas frias se tornam quentes após a utilização de suplementos de ginkgo biloba. Por outras palavras, o acréscimo de fornecimento de sangue aumenta a temperatura nos dedos das mãos e pés. Combate à demência Outra área que se mostra promissora é a prevenção de problemas como a Doença

de Alzheimer. Estudos demonstram como pessoas em estados iniciais desta doença podem atrasar o desenrolar da doença. Deste modo, são capazes de se manter num estado inicial de doença, quando se esperaria que dependessem completamente de terceiros. Assim, ginkgo biloba ajuda no bem-estar físico e mental e parece ser um meio extremamente útil na manutenção da saúde, especialmente durante o envelhecimento. Actualmente, não existem medicamentos capazes de igualar ginkgo biloba no que se refere à melhoria dos problemas circulatórios. Por este motivo, este suplemento é único. Melhora a memória e a concentração Agora, se considerar o facto de que apenas o cérebro humano utiliza cerca de 20% do oxigénio consumido, não será difícil imaginar como ginkgo biloba pode melhorar o desempenho mental. As pessoas mais velhas que tomam este extracto apercebem-se de que conseguem lembrar-se mais facilmente de pormenores e que têm maior facilidade de concentração, mas existem outros benefícios associados à utilização de ginkgo biloba. O ginkgo biloba contribui também para o alívio de outros problemas relacionados com a má circulação como tonturas, zumbidos nos ouvidos e pernas pesadas. *Farmacêutica

Como escolher um bom produto? Existem vários suplementos disponíveis nas farmácias que ajudam a melhorar a circulação sanguínea. Estes podem parecer iguais mas estarem muito longe em termos de qualidade e eficácia. É por isso essencial ter em conta a matériaprima utilizada. Num estudo independente no Reino Unido, que comparou 18 marcas de ginkgo biloba disponíveis comercialmente, o suplemento que surgiu no topo da lista dos melhores contém 100 mg de extracto patenteado, obtido a partir das folhas da árvore Ginkgo biloba. Tem uma quantidade normalizada dos ingredientes activos (Norma PN 246). A matéria prima utilizada neste suplemento foi considerada a melhor matéria-prima do mercado - a mais eficaz, de melhor absorção e de melhor qualidade. Permite uma toma diária de apenas um comprimido por dia - segundo estudos científicos recentes, uma toma única de dose superior é mais eficaz.


Sábado | 14.Abr.2012

7

www.semmaisjornal.com

Política

Meira nega corrupção e acusa CDS de «concertação partidária» Cheques passados pela ABB a entidades do concelho no dia da tragédia do Livramento deram origem a polémica. Distrital centrista defende-se das acusações de Dores Meira e diz que edil «está a confundir PCP com CDS».

Fórum Luísa Todi, enquanto a segunda foi presenteada com 15 mil euros, quantia que o presidente da junta terá dito ser necessária para ajudar na construção de um miradouro na zona do Viso, perto do prédio da rádio Voz. CDS não questiona doação do cheque

Sofia Palma

OS DOIS candidatos à Federação Distrital de Setúbal do PS, Eduardo Cabrita e Madalena Alves Pereira, já apresentados oficialmente, continuam a apostar numa campanha centrada nos contactos com as estruturas concelhias do partido, enquanto não surge uma terceira candidatura que inclui o ex-vereador da Câmara do Seixal, Ricardo Ribeiro. Eduardo Cabrita anda a percorrer as diversas secções do partido instaladas, com o objectivo de dialogar com os militantes. Depois de deslocações ao Torrão e a Alcácer do Sal, o actual deputado socialista esteve esta semana na Baixa da Banheira, Almada, Santo André e Santiago do Cacém. Eduardo Cabrita refere que este conjunto de encontros com os militantes «reforçam a necessidade de unir o PS e afirmar uma alternativa progressista para o distrito, direccionada para o futuro e para o reforço da implantação do PS na região, e para a valorização do peso político da região». Na próxima semana, Eduardo Cabrita desloca-se às secções de Sines (dia 17), Setúbal (19) e Palmela (20), sempre às 21 horas. Já a candidata Madalena Alves Pereira tem vindo a reunir com todas as estruturas do partido, estruturas sindicais e autarcas. Estão ainda agendadas reuniões com autarcas da Península e do Litoral Alentejano. Além de fazer um diagnóstico «muito profundo» do partido na região, a candidata quer apurar as falhas que existem na gerência das estruturas locais e distrital. «Temos de mobilizar os militantes e os cidadãos em geral para se reencontrarem com a política, que é essencial no momento que estamos a atravessar». Estão previstos os tradicionais encontros com os militantes, por concelho, e as conferências “Ética, responsabilidade e corrupção” (dia 20, no Seixal); “A Reforma do Poder Local” (11 Maio, no Montijo) e “O Desenvolvimento Económico e o Turismo do Litoral Alentejano” (19 Maio, Grândola).

Edil de Setúbal vai processar jornais que fizeram «acusações encapotadas»

Maria Dores Meira está agastada com insinuações da oposição

:::::::::::: Bruno Cardoso :::::::::::

A

presidente da Câmara Municipal de Setúbal negou «em absoluto» a ligação feita esta semana pelo “Diário de Notícias” entre o acidente ocorrido no mercado do Livramento no passado dia 7 de Fevereiro, que matou cinco pessoas, e a entrega no mesmo dia da tragédia de donativos, no valor de 25 mil euros, a duas entidades do concelho pela empresa Alexandre Barbosa Borges, responsável pela execução da obra de ampliação do espaço camarário. Ao Semmais, Maria das Dores Meira rejeitou a «ideia de corrupção» que ficou no ar com a notícia e adiantou que vai processar o jornal. A autarca garantiu também que «não vai deixar passar em claro as acusações encapotadas» veiculadas pelo “Correio da Manhã”, que tinha divulgado o facto de que o segundo cheque passado pela empresa havia desaparecido.

«Não permitiremos que a comunicação social faça este tipo de acusações encapotadas apenas para vender jornais em banca», afirmou. Dores Meira recordou que o donativo em questão já tinha sido solicitado à ABB, ao abrigo da Lei do Mecenato, cinco meses antes do dia do desmoronamento da parede do Livramento e faz questão de sublinhar que foi a própria autarquia a devolver o primeiro cheque, em Janeiro deste ano, por este lhe estar dirigido. «Para

corrigir esse erro, pediram-se dois cheques, em nome de duas entidades que, fruto de uma coincidência infeliz, foram passados na manhã do dia do acidente», descreveu. Os dois cheques foram passados pela ABB em nome da Liga dos Amigos do Fórum Luísa Todi e da Junta de Freguesia da Anunciada. A primeira recebeu 10 mil euros para concluir a preparação de um musical sobre a cantora Luísa Todi, a apresentar na inauguração da nova cara do

Magalhães quer explicações e não acusações Nuno Magalhães, presidente da distrital do CDS-PP, reagiu ao Semmais às acusações da presidente da Câmara Municipal de Setúbal (vide texto) e pediu a Maria das Dores Meira para dar «mais explicações aos munícipes sobre o assunto em vez de proferir acusações». O dirigente centrista nega ainda ter havido pres-

sões para que Cristina Diz se demitisse do executivo da Junta de Freguesia da Anunciada, salientando que «as altas estruturas do CDS-PP, como lhe chama Dores Meira, não condicionam a actividade dos autarcas eleitos». «A presidente está, claramente, a confundir o PCP com o CDS-PP», conclui Nuno Magalhães.

Entretanto, Cristina Diz, autarca do CDS-PP na Junta de Freguesia da Anunciada, demitiu-se por considerar que houve «falta de sensibilidade» na forma como o executivo encarou o assunto. A centrista não questiona a legalidade da doação do cheque pela empresa ABB, mas diz que a junta não o deveria ter aceitado. A presidente da Câmara Municipal de Setúbal acusa, todavia, o CDS-PP de «hipocrisia, demagogia política e concertação partidária». «É estranho que essa decisão da autarca do CDS só tenha sido tomada um mês depois de o cheque ter sido entregue à junta e de as mais altas estruturas do partido se terem reunido, possivelmente, ao mais alto nível», enfatiza. A angariação de donativos pela câmara, ao abrigo da Lei do Mecenato, é prática desde 2002, mas intensificouse a partir de 2007, ano em que foi instituído o Concelho de Mecenas. «É uma prática transparente e escrutinada pelos órgãos municipais», lê-se num esclarecimento da câmara sobre este assunto. As responsabilidades do acidente do Livramento continuam a ser apuradas pelas autoridades e pelo Laboratório Nacional de Engenharia Civil, a pedido da Câmara Municipal de Setúbal.

Eurídice quer manter obstetrícia em Setúbal A DEPUTADA socialista Eurídice Pereira está preocupada com a falta de pediatras no serviço de urgência de Obstetrícia do Hospital de S. Bernardo, em Setúbal. Esta situação, na sua opinião, obriga a que muitas das futuras mães sejam obrigadas a ser assistidas em Lisboa, Almada ou Barreiro. No sentido de ver esclarecida a situação, a deputada já questionou o Governo, por duas vezes, para saber como tenciona resolver o problema, mas não obteve qualquer resposta. Eurídice Pereira reconhece que a redução de pediatras no Hospital sadino contribui para que haja um mau serviço na Obstetrícia. «Muitos contratos de pediatras tarefeiros cessaram no final de Março e não foram substituídos. Em largos períodos do dia, fica apenas um pediatra de serviço, tal como aconteceu no passado dia 1 de Abril, entre as 9 e as 21 horas», vinca, A deputada, eleita por Setúbal, garante que não vai desistir de obter uma resposta do Ministro da Saúde. Já questionou o governante por escrito, na semana passada, e oralmente, na passada quartafeira, em plenário, mas a resposta do ministro foi «nenhuma». E conclui: «O ministro tem de me responder. Isto é tudo muito estranho. É absolutamente surrealista. Quero saber se esta medida é um assunto para resolver com carácter urgente ou se é uma espécie de ensaio para acabar com mais uma oferta de saúde no Hospital de Setúbal». De acordo com a deputada, nasceram em 2011 no Hospital de S. Bernardo, mais de 1 800 crianças, das quais cerca de 30 por cento das mães são oriundas do Litoral Alentejano.

“Café Com” do PSD/Seixal trouxe emigração a debate O “CAFÉ COM”, uma iniciativa do vereador do PSD do Seixal, Paulo Edson Cunha, que arrancou há cerca de um ano, contou esta terça-feira, com a presença especial do secretário do Estado das Comunidades Portuguesas, José Cesário. A Sociedade Timbre Seixalense acolheu a iniciativa que envolveu mais de três dezenas de participantes e convidados. José Cesário abordou os factores históricos das nossas

comunidades no estrangeiro e o fenómeno de grande emigração, que chega a atingir mais de cem mil pessoas por ano. O governante referiu, ainda, que «muitos portugueses entraram na circulação pelo mundo e que o Estado dá a ajuda possível» para saírem do país. No entanto, José Cesário referiu a «crescente dificuldade» em construir as suas vidas nesses países, como por exemplo no

D.R.

Cabrita e Madalena disputam terreno PS

Iniciativa teve uma boa casa

Luxemburgo, que «já pede para não emigrarem para lá». O secretário de Estado anunciou que o Governo está a preparar uma campanha

de esclarecimento para apelar à emigração dos portugueses, sob o lema “Trabalhar no Estrangeiro”. Neste sentido, estão em curso várias parcerias para fazer chegar esta campanha às populações, nomeadamente através das Juntas de Freguesias, paroquias, instituições académicas, entre outras entidades. Edson Cunha faz um balanço «muito positivo» do “Café Com”. Esta acção tem

como finalidade ouvir os problemas e as queixas da população, sublinhando que o feedback da população tem sido o melhor. «A adesão tem sido incrível. Temos tido nas nossas reuniões simpatizantes de vários partidos», realça. E acrescenta: «A população apresenta-nos todo o tipo de problemas. Alguns são encaminhados para os respectivos pelouros e alguns já foram resolvidos», frisa Paulo Edson Cunha.


8

Sábado | 14Abr.2012

Anti-stress Boss acústico

MTV caça talentos nos foruns Almada e Montijo

Pub.

+ Cartaz...

O desejo de Boss AC de voltar a fazer um concerto acústico a partir do seu repertório era enorme e partilhado por todos. O rapper e os seis músicos que o acompanham reinventam as sonoridades brilhantes. Teatro Municipal de Almada | 21h30

O

Sáb.

Sáb.

DR

casting nacional para a escolha do próximo apresentador da MTV Portugal, que irá fazer companhia ao actual VJ Diogo Dias, vai passar este mês pelos Foruns Almada e Montijo, ambos geridos pela Multi Management Portugal (MMMP). A grande final terá lugar a 21 de Julho, no Forum Sintra, com a presença de dez finalistas escolhidos em dez cidades. De 16 a 20, os castings passam no Almada Forum, culminando no dia 21, com a final local. De 23 a 27, os castings terão lugar no Forum Montijo, com a final agendada para dia 28. Em cada final serão avaliados os dez melhores. Victor Mourão, director faz MTV Portugal, deposita boas expectativas na edição deste ano da Tour MTV VJ Casting. «Esperemos que, à semelhança do ano passado, esta tour ofereça a milhares de jovens do País uma oportunidade para transformar sonhos em realidade», vinca o responsável. Os candidatos deverão ter mais de 18 anos e revelar «garra,

www.semmaisjornal.com

Os participantes empenharam-se nos vários castings nacionais

energia, criatividade e muito talento», sublinha Marta Caeiro, directora de Marketing da MTV Portugal, que acrescenta que o projecto é «muito intenso, pois vamos estar cara a cara com o nosso público e oferecer a milhares de pessoas a oportunidade de viverem uma experiência MTV». Já António Lopes, director da MMMP, não esconde que «os milhares de visitantes que, diariamente, visitam os nossos centros, serão com certeza, uma mais-valia para este projecto». Carla Ferreira, directora de

marketing do Forum Montijo, reconhece que estes eventos são sempre «importantes», uma vez que acabam por contribuir para um «aumento de tráfego e de vendas». O júri tem como elemento fixo o apresentador Pedro Fernandes, sendo que em cada sessão local há sempre convidados especiais. No casting de Almada, a estrela convidada é Virgul, dos Nu Soul Family. Os clientes destes centros comerciais podem assistir, gratuitamente, aos castings.

14

Rock da casa Um grupo de seis jovens do Montijo aposta na originalidade com um som alternativo/rock. Cinema-Teatro Joaquim d´Almeida, Montijo | 21h30

Sex.

20

Comédia António Machado e Philippe Leroux juntam-se para, de papéis na mão, “testarem” textos de autores portugueses consagrados, como Eça de Queirós, Aquilino Ribeiro, Fernando Pessoa, Camões, Bocage e Ramalho Ortigão. Cine-granadeiro, Grândola | 22h

Sáb.

14

14

Fado do assobio O projecto Fado 2.0 apresenta fados conhecidos de todos. “Assobio” surgiu em finais de 2000 e apresentou o primeiro disco em Maio de 2009. Já participaram no FMM. Centro de Artes de Sines | 22h

Sex.

20

Recital com piano O recital de Maria José Morais marca o seu regresso aos palcos portugueses. Apresenta um conjunto de obras de curta duração de Amadeus, Mozart e Chopin. Forum Cultural de Alcochete | 21h30


Sábado | 14.Abr.2012

9

www.semmaisjornal.com

O Bando e o resistir às contrariedades Escolhas Sadinas Por Ana Sobrinho CINEMA ATÉ DIA 18, diariamente às 21h30 e no sáb. e Dom. às 16h00 e 21h30 – O DIA ANTES DO FIM - MARGIN CALL. | Realizador: J.C. Chandor |Elenco: Kevin Spacey, Paul Bettany, Jeremy Irons, Zachary Quinto, Penn Badgley, Simon Baker | Drama | Thriller | Classificação: m/12

DR

“AINDA não é fim” e o título da peça que o Teatro O Bando estreia no dia 18 de Maio, pelas 21h30, no Largo D´El Rei D. Afonso Henriques (Arrabalde), em Palmela. Este espectáculo simboliza um movimento de resistência, um concerto encenado, um arraial popular, uma Primavera anunciada. Com texto irónico e acutilante de Manuel António Pina, encenação de João Brites, dramaturgia de João Brites e Miguel Jesus, música de Jorge Salgueiro, e a participação, ao vivo, da Big Band Loureiros, com onze músicos, a produção regressa às ruas de Palmela a 19, 25 e 26 do mesmo mês. Ana Lúcia Palminha, Bruno Huca, Clara Bento, Guilherme Noronha, Paula Só, Raúl Atalaia e Sara de Castro são os actores que dão corpo a esta produção. O texto foi criado a partir de várias crónicas e poemas de Manuel António Pina. O Teatro

Com texto acutilante de Manuel António Pina , o Bando estreia nova peça

O Bando acredita que, «apesar das contrariedades, é necessário celebrar enquanto meio de resistência e que é necessário resistir enquanto meio de celebração», refere Miguel Jesus. No futuro, O Bando tenciona

organizar mais um Pino do Verão, a 15 de Julho. Em Outubro, é a vez da estreia de “Auto da Purificação”, a partir de contos de Vergílio Ferreira, um espectáculo que será apresentado em adegas da região e em Vale de Barris.

Oferta Semmais

Ganhe convites para (Her)Man Show em Palmela Herman José vai estar no próximo dia 28, às 21h30, no Cine-Teatro S. João, em Palmela, com o espectáculo “One (Her)Man Show”. Durante duas horas, o humorista conduz-nos a diversos êxitos musicais e a personagens inesquecíveis. Para ganhar ingressos para este show, que promete ser hilariante e que oscila entre a música, o standup e muito improviso, basta ligar 918 047 918.

Pub.

PALESTRA DIA 18 às 18h00 na Casa da Baía – “Do Património Mundial ao Património Local: proteger e gerir a mudança” , palestra do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios que aborda o projeto da Carta Arqueológica da Arrábida e a candidatura a património mundial. DIA DE ELEVAÇÃO DE SETÚBAL A CIDADE DIA 19 às 09h00 – Cerimónia do hastear da

Bandeira do Município, evocação do 152ª aniversário. | Às 10h00 – “Paços do Concelho – Portas Abertas”, visita guiada ao edifício e contextualização histórica e cultural das Comemorações. | Entrada livre. | Às 21h30 no Cinema Charlot – Auditório Municipal, Ciclo Setúbal no Cinema – Projeção dos documentários “A Colónia Balnear Infantil de Setúbal”, realizado em 1936, e “Setúbal – 1956”. DIA 21 às 21h30 no Salão Nobre dos Paços do Concelho – Concerto alusivo à efeméride, pelo Grupo Coral da Escola Secundária de Bocage. CURSOS DA NATUREZA DIA 15 no Parque Ambiental do Alambre – Workshop sobre “Flores Comestíveis” e às 10h00 Programas para as famílias – “De onde vêm os alimentos”. |Informações e inscrições: 212 183 103


10

Sábado | 14.Abr.2012

www.semmaisjornal.com

+ Região Prémio Rosa Colaço em Almada

Fonte da Telha com requalificação à vista ALMADA

O objectivo é promover o acesso generalizado à informática MOITA

UM CON­­ JUNTO de Oficinas sobre Internet para adultos é a mais recente campanha da autar­ quia moitense para combater a info-exclusão. A iniciativa arrancou ontem e vai prolongar-se até ao final do mês, com aulas gratuitas para adultos do concelho. As próximas aulas de introdução à Internet – Internet sem Mistérios – estão marcados para os dias 18, 20 e 27, na Biblioteca Municipal da Baixa da

Banheira, e 19 de Abril, na Biblioteca do Vale da Amoreira. Estas iniciativas são gratuitas e dirigidos a adultos, com o intuito de contribuir para alargar o acesso à Internet e promover a coesão digital. A Biblioteca Municipal da Baixa da Banheira recebe ainda, nos dias 17, 19, 24 e 26, o workshop de iniciação ao Microsoft Office, “ABC do Compu­ tador”, também dirigido a

A EN­­­TRE­ ­GA de originais para o Prémio Literário Maria Rosa Colaço decorre até ao final do mês. O prémio é promovido pelo município e pretende distinguir a lite­ ratura infanto-juvenil e homenagear esta escritora. A 7.ª edição é dedicada à literatura juvenil e o autor premiado recebe um prémio no valor de 5 mil euros. O referido prémio destina-se a todos os cida­ dãos de nacionalidade portuguesa, sendo que os trabalhos originais deverão ser enviados, via CTT, sob pseudónimo.

O ESTUDO de Caracterização, Diag­ nóstico Prospectivo e Defi­ nição dos Termos de Refe­ rência para a elaboração do Plano de Pormenor da Fonte da Telha já está concluído e aprovado pelo município. O documento tem como estratégia transformar a Fonte da Telha numa zona de recreio balnear qualifi­

APESAR de verificado um défice supe­ rior a 104 mil euros, as contas do ano passado indicam que o Montijo é um município «financeiramente estável». A convicção foi demons­ trada pela edil socialista MONTIJO

Maria Amélia Antunes, na sessão do executivo que aprovou as contas de 2001, tendo, na altura, apontado a necessidade da câmara «aprofundar a sua autonomia financeira, não obstante as dificuldades económicas e

população protesta contra paragem de obras

BARREIRO

DR

iniciadas em Outubro de 2010, No documento, dizem que o «arrastamento das obras e a utilização provi­ sória de monoblocos por tempo demasiado estão a constituir problemas nas condições de trabalho de alunos, professores e pessoal auxiliar e administrativo», pelo que pretendem que o Ministro esclareça por quanto tempo e por que razões foram suspensas as obras de reabilitação, bem como quando recomeçam os trabalhos.

financeiras que enfrenta». Amélia Antunes sustenta, ainda, que a autarquia desempenhou as suas atri­ buições e competências «num quadro económico e financeiro de grande dificul­ dade», apontando como

‘pechas’ ao desenvolvimento a redução das transferên­ cias do Orçamento do Estado e das receitas municipais, particularmente os impostos indirectos que, assegura, «obrigaram à redução e contenção da despesa».

Barreiro racionaliza transportes colectivos

adultos.

DR

A SUSPENSÃO das obras da Parque Escolar na Escola Secundária João de Barros, em Corroios, desa­ gradou à comunidade escolar, autarcas e depu­ tados, pelo que os parlamen­ tares do PS já pediram expli­ cações ao Governo. Pela mão dos deputados ‘rosa’ eleitos por Setúbal, Eurí­ dice Pereira, Vieira da Silva, Eduardo Cabrita, Duarte Cordeiro e Ana Catarina Mendes, o ministro da Educação foi convidado a explicar a paragem das obras

preconizado no Plano Estra­ tégico de Valorização e Desenvolvimento do Turismo do Concelho de Almada. Este documento foi elaborado com o objec­ tivo de estabelecer as orientações para a elabo­ ração de um Plano de Pormenor, que assenta num conhecimento deta­ lhado deste território.

Montijo garante ter saúde financeira

Obras paradas em escola do Seixal SEIXAL

cada, marcada pela presença de um núcleo piscatório ordenado, infraestruturado e economicamente dinâmico, numa clara aposta nas dimensões económica, turís­ tica e recreativa da zona. O trabalho aponta para a articulação entre as orien­ tações do Plano de Ordena­ mento da Orla Costeira Sintra-Sado com o que está

DR

DR

ALMADA

A autarquia quer formar profissionais de acordo com o mercado

Sesimbra ajusta oportunidades para formar adultos SESIMBRA

O CENTRO de Novas Oportunidades de Sesimbra está a dinamizar um processo de recolha de dados sobre a procura de formação no concelho. Esta medida destina-se a agilizar o processo de cons­ tituição de turmas, uma vez que as entidades formadoras poderão saber antecipada­ mente se terão ou não um número suficiente de inte­ ressados para a concreti­ zação de determinadas formações.

De acordo com o CNOS, os interessados em fazer formação podem dirigirse ao balcão de atendi­ mento de uma das insti­ tuições protocoladas para que os seus dados sejam introduzidos numa base concelhia de apoio à acti­ vidade formativa. Abertos a sugestões estão entidades como o CREF de Sesimbra, as três juntas de freguesia, o Alfarim, o Gabinete de Apoio ao Empresário e a câmara.

AS ME­­­ DIDAS de racionalização dos serviços dos TCB – Trans­ portes Colectivos do Barreiro, em vigor desde 2011, tiveram um resultado positivo, garante a autarquia. Pelas contas do presi­ dente da Câmara, Carlos Humberto, os dados apurados até agora «são positivos», e «permitem encarar o futuro com alguma esperança, se continuarmos a agir e a tomar medidas para a resolução desses mesmos problemas» As medidas de raciona­ lização, tomadas tendo em conta a situação financeira do país, da autarquia e dos TCB, uma vez que «não estão a ser apoiados com indem­

nizações compensatórias como os outros serviços públicos de transportes na Área Metropolitana de Lisboa», levaram a autar­ quia a pôr mãos à obra e gerir melhor os recursos de que os serviços dispõem. Como os TCB não recebem as verbas adequadas ao número de utentes que servem, «procurámos adaptar os serviços aos novos horários dos barcos e resolver carên­ cias ao nível da mobilidade, passando a prestar serviços que anteriormente não pres­ távamos», disse Carlos Humberto de Carvalho, sustentando que os dados actuais permitem encarar o futuro «com alguma espe­ rança».

O projecto, em vigor desde 2011, tem tido bons resultados

DR

Moita combate info-exclusão


Sábado | 14.Abr.2012

11

www.semmaisjornal.com

O ADVOGADO Paulo Veiga e Moura vai patrocinar pro bono a causa dos trabalhadores da Câmara de Setúbal que pretendem impugnar o despacho proferido por Maria das Dores Meira e que pôs fim à alteração de posição remuneratória por opção gestionária. A decisão do advogado foi avançada aos trabalhadores reunidos em plenário depois de ter sido desafiado pela presidente da autarquia a defender os funcionários sem cobrar honorários. Paulo Veiga e Moura assumiu-se como “co-responsável” pela posição em que os cerca de 400 trabalhadores se encontram, uma vez que foi um dos autores dos pareceres nos quais se basearam algumas

DR

SETÚBAL

Trabalhadores preocupados já se manifestaram publicamente

câmaras municipais que aumentaram os funcionários nos anos de 2009 e 2010 através da opção gestionária, um mecanismo que a Inspecção Geral das Autarquias Locais (IGAL) veio, posteriormente, a considerar inválido. Ao mesmo tempo que aceitou o desafio da presidente da câmara de Setúbal

para patrocinar a defesa da causa, o advogado desafiou também a autarca. «Desafiei a presidente a não avançar com as notificações aos trabalhadores para que procedam à devolução das verbas», explicou no plenário, acrescentando, no entanto, desconhecer a decisão do executivo sobre essa matéria.

O jurista mantém a convicção de que os pareceres que emitiu anteriormente são «válidos» e como tal vai bater-se por eles em tribunal, embora tenha dado a entender durante o plenário que a solução para este processo que envolve dezenas de autarquias de todo o país possa passar por uma decisão política do próprio governo. A impugnação do despacho de Maria das Dores Meira é a única forma dos trabalhadores tentarem travar o processo com que foram confrontados no final de Fevereiro e que obriga os cerca de 400 funcionários a devolver perto de um milhão de euros de aumentos salariais. Marta David

Edifício da Segurança Social com interesse público SETÚBAL O EDIFÍCIO da Segurança Social de Setúbal está em vias de classificação como Monumento de Interesse Público. O processo de

classificação do imóvel, confinado entre as ruas Cláudio Lagrange e Regimento de Infantaria 11 e a Praça da República, está em fase de consulta

pública, até ao dia 27. Após esta etapa, caso não sejam apresentadas observações, a classificação do imóvel e a respectiva zona especial

Município de Palmela aposta no trabalho descentralizado PALMELA

empresas, ao Centro de Saúde e a obras na freguesia são alguns dos principais pontos do programa, que continua a apostar na gestão pública participada e no trabalho de proximidade com as populações e com as instituições locais. A reunião pública quinzenal do executivo decorre no dia 18, a partir das 21 horas, nas instalações da

Junta de Freguesia de Quinta do Anjo. O período aberto à participação dos munícipes decorre no início da reunião, para facilitar a discussão de temas de especial interesse para as populações. A encerrar o programa da semana, os eleitos farão atendimento descentralizado no dia 20, a partir das 10 horas, na Junta de Freguesia.

DR

O MUNICÍPIO continua a apostar no trabalho descentralizado. Assim, entre 16 e 20 do corrente mês, a edilidade promove a semana da freguesia de Quinta do Anjo, no âmbito do ciclo de trabalho descentralizado a decorrer neste primeiro semestre de 2012. Reuniões com o executivo da Junta, visitas a

As reuniões descentralizadas de Palmela passam de 16 a 20 pela freguesia de Quinta do Anjo

de protecção, uma área de 50 metros fixada a partir dos limites exteriores do edifício, são oficializadas com a publicação em Diário da República.

DR

Advogado pro bono na opção ‘gestionária’ 2011 foi ano a contar tostões ALCOCHETE

A MAIORIA do executivo alcochetense aprovou as contas e o relatório de gestão de 2001, do município. Com a abstenção do PS, foi provado o documento que indica uma redução «considerável» do ponto de vista da receita e que, segundo o executivo comunista de Luís Franco, indica um «esforço» da autarquia «para diminuir as despesas correntes não reduzindo o serviço público prestado à população». Numa análise ao exercício económico e orçamental da Câmara, o edil Luís Miguel Franco classificou 2011 como «dramático», embora não tão gravoso como o ano de 2009. «Dramático ao nível da execução das receitas e com particular ênfase para o colapso

Alcochete ‘quebra’ receitas

de algumas receitas que constituem fontes de financiamento para a Câmara», indica o autarca, que dá como exemplo o Imposto Municipal sobre Transmissões Onerosas de Imóveis que «colapsou» em termos da sua execução, e uma quebra no Imposto Municipal sobre Imóveis que «costumava ser aquela fonte de financiamento mais estável». «Não desconsiderando também a redução verificada ao nível das descentralizações financeiras do Orçamento de Estado, ao nível da execução de receitas foi um ano dramático, o que condicionou a actividade do município e reflectiu-se em termos de funcionamento de todos os serviços da Câmara», frisou Luís Miguel Franco. Pub.


12

Sábado | 14.Abr.2012

ALCÁCER

D.R.

A CRIP­­­­ -TA Arqueológica do Castelo de Alcácer do Sal celebra o 4º aniversário na próxima semana, com actividades para os mais novos. Na quarta-feira, a Cripta funciona em horário alar­ gado, das 9 da manhã à meianoite, com entradas gratuitas. Criada entre as funda­ ções do antigo Convento de Nossa Srª de Aracaeli, actual Pousada D. Afonso II, a Cripta Arqueológica do Castelo de Alcácer do Sal conduz os visi­ tantes numa viagem no tempo, dando a conhecer 26 séculos de história e achados com mais de 2500 anos de

Cinco sentidos descobrem Alcácer SENTIR Alcácer do Sal entre Abril e Novembro é o desafio da mostra gastronómica orga­ nizada pelo município, em colaboração com mais de duas dezenas de restaurantes locais. Visitas guiadas, canoagem, fotografia, caminhadas pela Reserva Natural do Estuário do Sado, por centros históricos ou pelos subterrâneos da cidade de Alcácer são algumas das propostas do programa Alcácer dos 5 Sentidos, que desafia o público a sentir este território entre o oceano e a planície. SENTIR Alcácer do Sal é o mote do programa turístico “Alcácer dos Cinco Sentidos”, que lança agora a sua 2ª edição. O objectivo é dar a conhecer o potencial turístico, através da história, património e gastronomia regional. ALCÁCER

intervalo entre si. Na quarta-feira, o público escolar poderá participar em atelieres pedagógicos, que englobam actividades tão diversas como pintura deco­ rativa de mosaicos, criação de colares de contas, construção de puzzles com padrões de época, recriação em barro de figuras orantes, entre muitas outras que passam em revista todos os períodos históricos presentes no museu. Ainda na quarta-feira, pelas 21h30, haverá a actuação do Coro da Universidade Sénior de Alcácer do Sal. No dia seguinte, dia 19, será inaugurada a exposição “Lucernas romanas”.

Santiago promove adopção animal responsável ANGA­ RIAR alimentos para os cães recolhidos pelas associações de voluntários e promover a adopção responsável dos animais são dois dos objec­ tivos da iniciativa que hoje vai percorrer Santiago. Chama-se CÃOminhada, é a primeira acção do género, no concelho, e surge pela mão dos voluntários da Associação São Francisco de Assis (ASFA). Segundo explicam os organizadores, a iniciativa tem, ainda, como objectivo, a divulgação do trabalho desenvolvido pela entidade, «proporcionar um dia dife­ rente aos cães, bem como a todos os que queiram parti­ lhar novas emoções». A participação é gratuita, não havendo seguro, pelo que, adianta a organização, «cada um caminha por sua conta e risco». O ponto de encontro será SANTIAGO

D.R.

Pedagogia celebra Cripta arqueológica alcacerense

Angariar comida para os cães abandonados é a prioridade

às nove da manhã junto à Agriloja de Santiago do Cacém, estando previsto o início da caminhada para meia hora depois. Os caminhantes irão em direcção ao Parque Rio da Figueira, seguido de passeio por Santiago do Cacém e regresso ao local de partida. O trajecto terá sensivelmente

6 km e é de dificuldade redu­ zida. Os tutores dos animais poderão levar os seus cães ou «levar a passear» um dos cães da associação, sendo que cada dono é responsável pelo comportamento do animal, avisa a organização, recomendando a utilização de trela ou peitoril.

Maratona de leitura infantil

D.R.

SANTIAGO

O espaço vai estar aberto para contar milhares de anos de História

Câmara de Sines investe 6 milhões em parque escolar

NO ÂM­­­­BITO do Dia Internacional do Livro Infantil, a Câmara Municipal de Santiago do Cacém celebra, este sábado, a Literatura InfantoJuvenil junto dos mais pequenos, através da reali­ zação de uma maratona de leitura e encenação de contos.

Este sábado, os contos seleccionados serão direc­ cionados para a temática da cidadania, tendo como ponto de partida as histórias que simbolizam o respeito pelo próximo e a integridade dos direitos humanos. A iniciativa vai decorrer na Biblioteca Municipal José do Tojal, com leituras

Tampas e caricas para Grândola solidária GRÂNDOLA

Porto Covo é corolário do investimento do concelho no ensino

do programa operacional INALENTEJO do QREN 20072013. Trata-se do terceiro centro escolar do conjunto de três previstos para dotar o coQn­ celho de novos equipamentos qualificados para a educação e o ensino num horizonte de 20 anos. O primeiro centro escolar, que inclui a nova Escola Básica n.º 3 de Sines, foi inau­ gurado em 2009, junto à Escola

Secundária Poeta Al Berto. O segundo centro escolar, que inclui a nova Escola Básica n.º 1 de Sines, foi inaugurado em Janeiro, junto à Escola EB 2,3 Vasco da Gama. O montante de investi­ mentos nestes três novos centros escolares ronda os 6 milhões de euros e representa um esforço da Câmara para dotar Sines de escolas públicas de excelência

ESTÁ nas ruas a campanha que pretende mobilizar a popu­ lação a recolher tampas e caricas de bebidas para ajudar as instituições de soli­ dariedade social a adqui­ rirem material ortopédico. A campanha, ‘apadri­ nhada’ pela autarquia gran­ dolense, decorre este domingo, durante todo o dia, com o executivo a convidar a população a entregar tampas de plástico e caricas de metal que, posterior­ mente, serão recicladas e cujo valor reverterá para «contribuir na aquisição de material ortopédico» para as instituições de solidarie­ dade social do concelho. Os pontos de recolha estão disponíveis um pouco por todo o concelho, como é o caso da Universidade

encenadas do Livro dos Quintais e da obra E Que Posso Eu Fazer, encenados pelos actores Adelina Oliveira, Ricardo Moura, Rogério Bruno e Elsa Cavaco,. A iniciativa termina o dia com uma sessão de leitura de contos com a presença de diversos convidados.

Livros sobre rodas GRÂNDOLA

DR

DR

SINES

ARRANCA­ ­RAM esta semana os trabalhos de construção do novo Centro Escolar de Porto Covo, prevendo-se a inauguração para o final deste ano. O edifício, situado junto à escola actual, será constituído por com quatro salas de aula para ensino básico e três para jardim-de-infância, com capa­ cidade para 156 alunos. No exterior serão constru­ ídos espaços diferenciados para actividades de recreio do ensino básico e destinados às crianças do jardim-de-infância, pre­­­ vendo, o projecto, a utilização do refeitório existente. De acordo com a autarquia, a obra representa um investi­ mento de 1 milhão 112 mil e 240 euros, co-financiado em 80 por cento por fundos FEDER / União Europeia no âmbito

www.semmaisjornal.com

Autarquia apadrinha projecto

Sénior, do Centro comuni­ tário de Santa Margarida da Serra, Centro Comunitário dos Cadoços, Escola Primária da Silha do Pascoal, Centro de Convívio de Água Derra­ mada, Centro Comunitário do Lousal, Centro Comuni­ tário de Canal Caveira, Junta de Fregiesoa de Azinheira dos Barros, Casa do Povo de Melides e Junta de Freguesia do Carvalhal.

BI­­­ A BLIOTECA Itinerante de Grândola está, novamente, no terreno, para combater as assimetrias no que toca ao acesso à cultura. O projecto, da respon­ sabilidade do executivo gran­ dolense dirigido pelo socia­ lista Carlos Beato, percorre as zonas mais afastadas e isoladas do concelho para dar a todos a oportunidade de aceder à cultura. Desta vez, os técnicos ‘carregam’ livros, revistas e Internet até Santa Marga­ rida da Serra, no dia 16, no Centro Comunitário no Chaparral, e em Breijinhos de Água; no dia 23 deslocamse a Agua Derramada e no dia 30, à zona do Canal Caveira.


Sábado | 14.Abr.2012

13

www.semmaisjornal.com

+ Negócios Programa estende-se até 2013 e ainda tem quase 4 milhões para apoios

3,7 milhões para estimular desenvolvimento rural ADREPES deu luz verde a projectos apoiados pelo PRODER. Burocracia excessiva penalizou candidaturas que ficaram pelo caminho no início do processo. Mesmo assim esta segunda fase vai apoiar 26 projectos de investimento.

de Março, inclusive, um concurso para apoiar novos projectos de investimento, num sistema de recepção em contínuo, que facilita e acelera a análise e decisão final das candidaturas. Em declarações ao Semmais, António Pombinho, presidente da ADREPES, recorda que a associação já aprovou um total de 46 projectos nas duas fases do programa, que totalizam a criação de 87 novos postos de trabalho e mais de 6 milhões de investimento, dos quais cerca de 3,7 milhões provêem de fundos comunitários.

Burocracia excessiva deixa projectos pelo caminho António Pombinho não esquece, porém, que muitos projectos ficaram pelo caminho devido à «excessiva burocracia» exigida e diz que na iniciativa comunitária anterior (Leader +) o peso burocrático era bem menor. «Não faz sentido que alguns destes pedidos de apoio tenham a mesma exigência burocrática que um qualquer projecto para a área da agricultura, no valor

António Pombinho, presidente da ADREPES, satisfeito com as candidaturas

de 5 milhões de euros», exemplifica. De um total de 46 pedidos de apoio nas duas fases do programa, treze estão directamente relacionados com a criação e desenvolvimento de micro-empresas e outros doze com a conservação e

valorização do património rural. No conjunto, estes 25 pedidos de apoio representam 2,5 milhões de euros de investimento, o equivalente a 42 por cento do total do investimento, e a criação de 28 novos postos de trabalho.

Exemplo de quatro projectos com diferentes valências

::::::::::::::::::: Bruno Cardoso :::::::::::::::::

Fotos: Sofia Palma

E

mpreendedores e pequenas e médias empresas da região vão investir aproximadamente 1,5 milhões de euros em 26 projectos indutores de desenvolvimento local, economicamente viáveis e capazes de fixar pessoas nos territórios rurais da península de Setúbal. Os 26 projectos criarão 36 novos postos de trabalho e totalizam um investimento de 3,7 milhões de euros, apoiado pelo PRODER (Programa de Desenvolvimento Rural) em 2,2 milhões de euros. A Associação para o Desenvolvimento Rural da Península de Setúbal (ADREPES), entidade que gere o subprograma 3 do PRODER, não tem dúvidas sobre a qualidade dos projectos que ajudou a candidatar, mas quer continuar a trabalhar até 2013 para que os apoios não se fiquem pelo caminho. Até lá, estão mais 3 ou 4 milhões de euros disponíveis para ajudar os empreendedores a reforçar a competitividade do tecido empresarial local e a preservar e promover o património cultural e natural da região de Setúbal. A ADREPES abriu no passado mês

JOÃO SERRA Proprietário da Quinta do Alcube

CARLOS SARGEDAS Fotógrafo profissional

ANTÓNIO BRAZ Pres. B.V. de Águas de Moura

JOSÉ MENDES Comissão Igreja Sto Isidro de Pegões

Investimento: 51 mil euros Financiamento (60%): 30 mil euros

Investimento: 148 mil euros Financiamento (60%): 89 mil euros

Investimento: 80 mil euros Financiamento (75%): 60 mil euros

Investimento: 112 mil euros Financiamento (50%) – 56 mil euros

O projecto inclui a refuncionalização de dois edifícios, uma capela e um lagar de vinho, que contribuíram para a valorização do património rural enquanto factor de atractividade do Alcube e do território.

O investimento implica a execução de um livro e de um documentário em DVD sobre a riqueza do cabo Espichel. 19 especialistas falam da zona que integra a candidatura da Arrábida a património da UNESCO.

A verba destina-se à aquisição de duas viaturas de transportes mistos, dada a carência de hospitais e centros de saúde na zona. Investimento implica também aquisição de desfibrilhadores.

O objectivo passa por desenvolver obras de preservação na Igreja de Santo Isidro de Pegões, no concelho do Montijo, nomeadamente ao nível da recuperação dos telhados, paredes e renovação da instalação eléctrica.

Os investimentos estão a ser feitos à volta daquilo que a quinta vende: os vinhos e os queijos”

Vamos tentar candidatar um novo projecto que visa trazer para o cinema a história dos 600 anos do cabo”

Foi uma candidatura difícil, mas valeu a ajuda da ADREPES que deu consistência a nível técnico”

Falta recuperar a parte do altarmor, mas também vamos candidatar esse projecto a fundos comunitários”

NO PRIMEIRO de seis encontros enogastronómicos a promover pela Adega Cooperativa de Palmela, será apresentado, pela primeira vez, o Creme de Sopa Caramela. A nova aposta gastronómica é divulgada este domingo, pelas 13 horas, nas suas instalações, no âmbito do projecto Adega sem Fronteiras. A novidade é uma ideia da Confraria Gastronómica de Palmela, com vista a modernizar a tradicional e conhecida sopa caramela. Integrado na programação da “Cidade do Vinho 2012”, distinção atribuída a Palmela pela Rede Europeia de Cidades do Vinho, esta adega

dá assim início à Adega sem Fronteiras, que envolve mensalmente encontros gastronómicos, em parceria com confrarias gastronómicas e outras entidades e pessoas ligadas à gastronomia nacional e internacional. A intenção é chamar a atenção para a «capacidade de adaptação à gastronomia de outras regiões e países, dos vinhos de Palmela em geral e da Adega Cooperativa em particular», refere José Carlos Caleiro, presidente da direcção da adega, que vê neste evento um «excelente passo» para a divulgação e promoção dos vinhos de excelência desta adega.

Sofia Palma

Adega Cooperativa de Palmela aposta em inovação gastronómica

José Carlos Caleiro e a nova estratégia

Assim, em cada refeição serão apresentadas cinco propostas gastronómicas das entidades convidadas, para as quais a adega palmelense recomendará vinhos da sua gama. Para o arranque da iniciativa, as

propostas gastronómicas ficam «dentro de fronteiras», sendo que o primeiro encontro tem como convidados a Confraria Gastronómica de Palmela, a Confraria do Queijo de Azeitão e a Confraria do Moscatel de Setúbal. Os eventos mensais terão lugar nos dias 2 de Abril, Maio, Junho, Julho e Agosto, e serão abertos à participação de todos os gastrónomos interessados. Por ocasião da 50.ª edição das Festas das Vindimas, em finais de Agosto, será lançada uma brochura com fotos e receitas de todos os pratos apresentados ao longo dos cinco meses no Adega sem Fronteiras.

Vinhos e pitéus da região Como entradas, este domingo será servido o famoso queijo de Azeitão e a manteiga de ovelha, os quais serão acompanhados pelo branco D.O. Adega de Palmela 2011. Já o creme de sopa Caramela e o Coelho à Camponesa de Palmela serão servidos, respectivamente, com os tintos Vale dos Barris Syrah IGP 2009 e o Adega de Palmela D.O. Reserva 2009. Com as fogaças e o café, estará na mesa o delicioso Moscatel Superior Adega de Palmela, colheita de 2005.


14

Sábado | 14.Abr.2012

Pub.

Ouro em Bordéus e garante prestígio A SIVIPA, sedeada em Palmela, acaba de conquistar mais duas medalhas com os seus vinhos de qualidade. O feito foi alcançado em Bordéus, no concurso Challenge International du Vin, com o Moscatel Roxo 2008, que arrecadou uma medalha de Ouro. Já o Veritas Tinto 2008, trouxe para Portugal uma medalha de Bronze. O Challenge International du Vin é um dos principais concursos de vinhos de todo o mundo, que contou, na presente edição, com a envolvência de cerca de 4 700 vinhos de 38 países. De realçar que o Moscatel Roxo da Sivipa tem ganho medalha de ouro no referido concurso desde a colheita de 2006. As colheitas 2006 e 2007 e, agora, a de 2008

Nova distinção para moscatel roxo

foram todas merecedoras de medalha de Ouro neste prestigiado concurso, o que prova «não só que se trata de um produto de elevada qualidade, como comprova que essa mesma qualidade é constante em todas as colheitas» que a empresa lança deste néctar, refere Filipe Cardoso, administrador e gerente da empresa. Com mais estas duas medalhas, a Sivipa eleva para seis as medalhas ganhas no corrente ano, o que comprova que a empresa continua a caminhar no «sentido da qualidade». Este resultado deixa a Sivipa «bastante satisfeita», pois, mais uma vez, está a representar da «melhor forma a nossa região e o próprio país, apresentando néctares da mais elevada qualidade», frisa o enólogo.

Pousadas celebram “Cidade Europeia do Vinho” AS POUSADAS de Portugal decidiram associar-se às comemorações da eleição de “Palmela, Cidade Europeia do Vinho 2012”, através da Pousada de Palmela. Neste sentido, a referida pousada organiza o «Experiência com sabor», um programa do qual fazem parte um conjunto de eventos como uma prova de vinhos nocturna, a realizar a 1

de Julho, que inclui uma sessão de astronomia, um jantar vínico com show cooking, a 10 de Novembro, e fins-de-semana gastronómicos, em Junho, Se­­­ tembro e Novembro. Ao longo deste ano haverá ainda, além da tradicional e emblemática Festa das Vindimas, visitas guiadas às adegas da região e cursos de provas de vinhos, bem como

sabores para descobrir ao som de vários concertos como «Música ao Copo» ou «Sons do Vinho». Palmela é a primeira Cidade Europeia do Vinho, cuja nomeação foi feita pela Rede Europeia de Cidades do Vinho, um organismo europeu que tem por objectivo promover, anualmente, uma cidade símbolo do desenvolvimento vitivinícola na Europa.

Porto de Setúbal escolhido pela KIA O TERMINAL Ro-Ro do porto de Setúbal foi escolhido para receber a primeira importação de veículos da marca sul-coreana KIA. As 295 viaturas transportadas no navio “Morning Chorus” a 10 de Abril, marcam o arranque dos desembarques da KIA exclusivamente pelo porto de Setúbal, que antes tinham a cidade espanhola de Tarragona como palco. Segundo a administração portuária, esta primeira operação em solo nacional, que contou com a presença de representantes de várias identidades, serve para «fortalecer o posicionamento» do porto de Setúbal enquanto maior porto português de veículos, «apresentando potencial para se tornar um futuro hub Ro-Ro de toda a Península Ibérica» com ligação à área do Mediterrâneo, Américas e Ásia.

D.R.

O PORTO de Sines continua a receber novos navios porta-contentores de última geração. No espaço de cinco dias, dois megacarriers escalaram o Terminal XXI em viagem inaugural, integrados no Lion Service, serviço regular da Mediterranean Shipping Company que liga semanalmente o extremo Oriente à Europa. O “MSC Capella” e o “MSC Aurora”, nos dias 5 e 9, ambos com capacidade para transportar mais de 13 mil TEU, saíram dos estaleiros já em 2012 e, na sua viagem inaugural, zarparam da Republica Popular da China com destino à Europa, com Sines a ser o primeiro porto europeu a ser escalado, continuando a reforçar-se a vocação do Terminal XXI para a operação dos maiores porta-contentores no mundo. Cada um destes navios apresenta um comprimento superior a 365 metros, exigindo calados entre os 15,5 e os 16 metros, condições operacionais que em Portugal apenas se encontram no Terminal XXI do porto de Sines que, com a segunda fase de ampliação, recentemente inaugurada, oferece 730 metros de cais de acostagem e pórticos com capacidade para alcançar 23 filas de contentores a bordo. A administração do porto ofereceu aos comandantes dos navios uma placa alusiva à estadia em Sines.

Moscatel roxo da Sivipa conquista

D.R.

Porto de Sines recebe mais dois grandes portacontentores

www.semmaisjornal.com

A transfega envolveu 295 viaturas

Publireportagem

Certifico narrativamente que, por escritura de dez de Abril do ano dois mil e doze, lavrada de folhas cento e oito e seguintes, do livro de notas para escrituras diversas número cento e cinquenta e sete-A, deste Cartório, MARIA CREMILDE MARTINS SILVA, segundo declarou natural da freguesia de São Sebastião, do concelho de Setúbal, casada com Francisco Eduardo Silva, sob o regime da comunhão de bens adquiridos, como declarou, com residência habitual na Rua de Santo Ovídio, número 35, Santo Ovídio, Faralhão, Setúbal, contribuinte fiscal número 114348529, declarou ser dona e legítima possuidora, com exclusão de outrém, de um prédio urbano, com a área total de três mil seiscentos e noventa metros quadrados, constituído de edifício para habitação, com a área coberta de cento e treze vírgula noventa e oito metros quadrados, e logradouro com a área de três mil quinhentos e setenta e seis vírgula zero dois metros quadrados, situado na Rua de Santo Ovídio, número 35, na freguesia do Sado, do concelho de Setúbal, e inscrito na respectiva matriz predial urbana sob artigo da 1.485, da freguesia do Sado, constando como titular do referido artigo Francisco Eduardo Silva, marido da ora justificante. No tocante ao Registo Predial, encontra-se omisso na Conservatória de Registo Predial. ESTÁ CONFORME Cartório Notarial de Setúbal, aos dez de Abril do ano dois mil e doze. O Notário (Lic. João Farinha Alves)

Pão do Torrão anda nas bocas do mundo AS PADARIAS Reunidas do Torrão, Alcácer do Sal, que produzem diversos bolos regionais e o tão afamado e gostoso pão alentejano cozido em forno a lenha, há mais de 50 anos, orgulham-se de servir, com qualidade, toda a margem sul, ou seja, os distritos de Setúbal, Évora e Beja. Depois de ter estado à beira da falência, hoje em dia, a empresa alentejana assumese sólida e com todas as obrigações em dia. Os supermercados da Sonae e os Intermarchés constam entre os clientes da empresa. Corria o ano de 2005, quando Jaquelino Sanona - hoje com 71 anos -, adquiriu 50 por cento das quotas da empresa e pagou as dívidas superiores a 500 mil euros, os ordenados em atraso, modernizou os equipamentos e substituiu as velhas viaturas da distribuição, tudo em equipa com o primo António Filipe Sanona, que tentaram evitar o fecho de um negócio de família. «O meu pai começou a trabalhar no ramo da padaria aos 6 anos de idade, com o avô, antes de a fábrica estar construída. Tirou um curso de panificação em Lisboa, deu formação nesta área, na extinta Escola de Panificação de Lisboa, nas décadas de 60 e 70, e chegou a criar uma

Sofia Palma

CARTÓRIO NOTARIAL DE SETÚBAL DO NOTÁRIO LICENCIADO JOÃO FARINHA ALVES

Aquilino Sanona, segue à risca a sua herança genética para a panificação

empresa de produtos para panificação, com outras pessoas», conta o filho Aquilino Sanona, que gere o negócio, em parceria com o primo António Filipe Sanona.

Aquilino Sanona não esconde que a crise tem afectado o negócio do pão, mas, mesmo assim, o pão do Torrão não deixa de ter a sua carteira de clientes habituais. «Apesar

Nova fábrica continua a aguardar melhores dias O sonho das Padarias Reunidas do Torrão, que já ganharam uma medalha de prata no Reino Unido, passa pela construção de uma nova fábrica. O processo, devido à crise económica, não tem conhecido novos desenvolvimentos. «Os bancos não estão a disponi-

bilizar capitais. Neste momento, o nosso principal objectivo é manter a empresa equilibrada e a funcionar, o mais possível, de forma saudável», refere, reconhecendo, porém, que a fábrica é um contributo que poderá criar «mais dinamismo» à empresa.

de a crise não nos deixar crescer, temos um núcleo duro de vendas assegurado, o que nos deixa muito satisfeitos e orgulhosos», frisa. Com cerca de 30 postos de trabalho, a empresa produz cerca de 1 500 pães tradicionais alentejanos por dia. O produto com maior saída é o pão de cabeça de 400 e 800 gramas, à base de farinha de trigo tipo 65 e de centeio tipo 130, e fermento natural. O pão de 1 quilo e 600 gramas destina-se a famílias numerosas e aos restaurantes. A firma está dotada de oito fornos a lenha, o que confere maior qualidade ao tradicional pão do Torrão. Na área da pastelaria, as Padarias do Torrão produzem a Costa Estendida, um bolo que é confeccionado com a massa do pão, não esquecendo, na doçaria conventual, o bolo Real, a Raiva e a MeiaRaiva. Os folhados alentejanos, confeccionados a partir da massa do pão, voltaram a ser relançados pelas Padarias Reunidas do Torrão, e a procura tem sido a melhor. A média das idades dos funcionários ronda os 45 anos. A maioria reside na terra, mas também há trabalhadores de Alcácer do Sal e de Cuba.


Sábado | 14.Abr.2012

15

www.semmaisjornal.com

+ Desporto Luso do Barreiro promove sarau de ginástica

Beisebol de Almada com dois triunfos em França

Diversas classes gímnicas exibem-se esta tarde, a partir das 19h30, no Pavilhão Municipal Luís de Carvalho, em Santo António da Charneca, Barreiro, no tradicional Sarau de Ginástica do Luso Futebol Clube. A entrada é livre.

A equipa de beisebol júnior dos White Sharks de Almada ficou no 5.º lugar na 27ª edição do Torneio Internacional de Beisebol de Pineuilh, em França. O conjunto almadense venceu dois dos cinco jogos disputados nos três dias do evento.

Mulheres à conquista do Jamor

Ágata Swiatkiewicz, em -63kg, do Vitória de Setúbal, e Célio Dias, -90 kg, do Clube CNS, Feijó, estão entre os 12 judocas que vão representar Portugal na Taça da Europa de Juniores, em judo, que vai decorrer entre os dias 28 de Abril e 2 de Maio, em Tarvisio, Itália.

Região está fora da Taça de hóquei Sesimbra e HC Grândola, foram eliminados, esta quarta-feira, da Taça de Portugal de hóquei em patins. Na 3ª eliminatória, os sesimbrenses perderam, por 8-6, no reduto do Campo de Ourique, enquanto o Grândola foi derrotado em casa, por 5-1, pelo Sp. Tomar.

Farense travado em Sesimbra A equipa de futebol do Sesimbra venceu, por 2-0, no último sábado, o Farense, quebrando a invencibilidade de 24 jogos dos algarvios no Nacional da III divisão F. Os sesimbrenses, treinados por Manuel Correia, jogam este domingo, em Lagos, frente ao Esperança local.

J

Entre as 14 jogadoras convocadas para a competição, com idades a variar entre os 13 e os 17 anos, há cinco que representam o Palmelense, emblema que assume maior representatividade na equipa distrital, enquanto que a Escola de Futebol Feminino de Setúbal conta com três atletas. Estrelas do Feijó e Miratejo têm integradas na selecção regional duas jogadoras, fechando o lote de seleccionadas a Academia Bairro Miranda e o Paio Pires com uma atleta, cada. Recorde-se que XI Torneio Inter-

Futebol feminino mostra a garra

Associações é disputado, numa fase inicial com cinco grupos de três equipas e um grupo de duas formações. A classificação final define-se este domingo, a partir das 9h30.

Hip-Hop em acção na Qta do Conde A ASSOCIAÇÃO de Ginástica do Distrito de Setúbal organiza este sábado, a partir das 21h30, no Pavilhão da Escola Secundária da Quinta do Conde, Sesimbra, o Campeonato Distrital de Hip-Hop. Na competição regional que vai reunir mais de uma centena de atletas, em representação de 15 clubes, nos escalões etários de juvenis, juniores e seniores, somam-se mais três emblemas sedeados em Beja e Sintra cuja pontuação final será considerada em função das respectivas associações

DR

Judo regional na Taça da Europa

A grande aventura de Braz Mansinho

Palmelenses em maior número

Quintacondenses são referência distrital na modalidade

distritais. Recorde-se que a modalidade de hip-hop assenta em exibições de dança coreografadas em variados estilos de música, da qual resultam expressivos e

espectaculares movimentos gímnicos. No distrito de Setúbal, a Quinta do Conde tem assumido particular destaque na promoção desta modalidade.

Nacional de skimboard abre em Sesimbra A PRIMEIRA etapa do Circuito Nacional de Skimboard 2012 - Reflex Skimboards Pro realizase este fim-de-semana, em Sesimbra. Numa organização conjunta do Surf Clube de Sesimbra e da Federação Portuguesa de Surf, o evento é reservado à competição nas catego-

www.scs.pt

A

Selecção Distrital Feminina de Futebol 7 da Associação de Futebol de Setúbal (AFS), no escalão Sub-17 está, desde quinta-feira e até amanhã, no Complexo do Jamor, a disputar o XI Torneio Nacional InterAssociações. É sob a liderança técnica do coordenador distrital da AFS, Hugo Silva, que o conjunto de 14 jogadoras seleccionadas vai tentar melhorar o 11.º lugar da classificação obtido há dois anos entre 16 selecções, naquela que foi a última edição do torneio organizado pela Federação Portuguesa de Futebol. Ao Semmais o treinador distrital, que realizou uma dezena de treinos de preparação para o torneio nacional, entre os quais dois jogos particulares, mostra confiança na prestação da equipa de Setúbal. «Considero que temos um grupo de atletas com qualidade para discutir os triunfos perante qualquer oponente. O nosso objectivo passa por aí, ganhar o máximo número de jogos e atingir a melhor classificação

possível», assinala. Refira-se que no lote de jogadoras seleccionadas – que envolve atletas oriundas do futebol de 11 e futsal - apenas consta uma guarda-redes, face à ausência de última hora devido a lesão. Um facto que, apesar das garantias que a única atleta para esta posição oferece, é sempre um motivo de limitação que o treinador deseja ver ultrapassado.

DR

::::::::::::::::::::: Joaquim Guerra :::::::::::::::::::::

rias de Open, Feminino, Sub-18, Sub-16 e Sub-14. Sem local definido, em função da praia que apresentará as melhores condições para a prática da modalidade, a prova poderá realizar-se numa das praias do concelho: Sesimbra, Lagoa de Albufeira, Meco e/ou Bicas.

á temos falado de figuras típicas de Setúbal e de suas cercamias e entre elas referimos, superficialmente, a do nosso saudoso amigo Braz Mansinho que muitos relembram por diversos motivos e alegres pontos de convívio. Podia estar ainda entre nós como estão, felizmente, os irmãos José e Pedro Filipe, de Sesimbra, leitores frequentes destas minhas croniquetas, oitentões bem conservados que, como eu, bastante conviveram com o ‘terrível’ Braz Mansinho. Vindo do Algarve, radicou-se na Cidade do Sado e bem cedo se distingui pela sua comunicabilidade e pelas proezas conseguidas como nadador de longas distâncias, ditas então travessias, quer no Sado ou no Tejo, em representação do ‘clássico’ Naval Setubalense. Anafado, menos rápido do que resistente, optimista por excelência, ‘inimigo’ constante do seu próprio B.I., Braz Mansinho marcou posição de vulto nos já distantes anos 50 em especial porque se popularizou com a bem conseguida tentativa de ligar Setúbal a Sesimbra a nadar, junto à costa, da Figueirinha à Califórnia, rondando as bonitas escarpas da Arrábida. Meteu-se-lhe na cabeça cumprir essa travessia, ao longo de muitas horas com garantias de apoio e alguns ‘comes’ para refazer energias. O sempre solícito Azóia (tanta saudade!) prestou-se a tal missão e em Sesimbra, por solidariedade louvável, os irmãos Filipes também deram o seu ok. E vai daí Braz Mansinho atreveu-se a cumprir a sua grande aventura, desde o Sado até pleno Atlântico, da madrugada às proximidades do Sol pôr, estimulado por amigos e obedecendo ao seu intenso brio pessoal. Não pudémos valorizar este escrito evocativo

David Sequerra Anafado, menos rápido do que resistente, optimista por excelência, ‘inimigo’ constante do seu próprio B.I., Braz Mansinho marcou posição de vulto nos já distantes anos 50 em especial porque se popularizou com a bem conseguida tentativa de ligar Setúbal a Sesimbra a nadar, junto à costa, da Figueirinha à Califórnia, rondando as bonitas escarpas da Arrábida.

rebuscando a Imprensa regional que, na data precisa, fez eco de tal proeza. Recorro apenas à minha memória a meias com a do magnifico veterano José Filipe, um grande amigo, que se fez ao mar para acompanhamento das últimas braçadas do ‘heróico’ Braz Mansinho, ajudando o fornecimento de pedaços de frango, fatias de pão e bebidas quentes, muito a propósito do estimado nadador. Já em Sesimbra, Braz Mansinho recebeu aplausos e abraços, aconchegou o estômago e fez fotografias, talvez do Cabecinha ou do tão zeloso Azóia. Que é feito delas? Não sou capaz de responder… Mas lá que Braz Mansinho fez a travessia, chegou são e salvo e era um ‘cromo’ de excepcional popularidade, isso sei eu de certeza e apraz-me recordar o que se passou já lá vão uns larguíssimos 60 anos. Uma grande aventura que, estou certo, ainda há quem recorde. Eu não a esqueço e não estarei só na lembrança.


Sábado | 14.Abr.2012

Plano de pormenor pode impedir demolição do Lidl de Azeitão

Bruno Cardoso

Protecção Civil registou 111 fogos e 20 hectares queimados

É UM recorde nunca visto no distrito de Setúbal desde que há registos. O tempo seco provocou um anormal número de incêndios durante os primeiros três meses do ano, para um total de 111 fogos, sendo que no ano passado houve apenas 12 incêndios no mesmo período. Quer isto dizer que a região triplicou este Inverno os valores médios de incêndios registados fora de época, que se fixavam nos 30 fogos florestais. O distrito registou seis incêndios em áreas superiores a um hectare e 105 em zonas de menor dimensão, sendo estes apelidados de “fogachos”. Já quanto à área ardida, os dados provisórios revelados pela Autoridade Florestal Nacional (AFN), mostram que 20 hectares (o equivalente a cerca de 20 campos de futebol) foram dizimados pelas chamas, 12 hectares em matos e oito em povoamentos Estes incêndios fora de época foram impulsionados pelas altas temperaturas e agravados pela seca, sendo que perante este número anormal de ocorrências registadas pela Autoridade Nacional de Proteção Civil, os bombeiros aproveitam para reclamar mais meios e afirmam não conseguir dar resposta a todas as situações.

concelhos de maior risco, sobretudo a sul do distrito de Setúbal, para os concelhos mais rurais, bem como a «antecipação da activação do sistema de combate», que, recordese, só disponibilizará o grosso dos meios a partir de 15de Maio, na chamada fase charlie. Fevereiro e Março registaram na região temperaturas muito altas, bem acima da média registada nas últimas décadas, sendo que a chuva que começou a cair em Abril não é ainda suficiente para atenuar o impacto da seca que se instalou em todo o distrito. O Instituto de Meteorologia (IM) sublinha, contudo, que estas médias da temperatura máxima têm vindo a subir ao longo das décadas. Ao calor juntou-se ainda um Inverno extremamente seco, com valores muito baixos de precipitação. Os meses de Dezembro, Janeiro e Fevereiro foram os mais secos desde 1931, ano em que o IM começou a fazer estes registos. Roberto Dores

Bombeiros em risco de paragem Jaime Soares, presidente da Liga de Bombeiros Portugueses, alerta que «as corporações já estavam com muitas dificuldades financeiras. E agora estão a apagar fogos com o efectivo normal. Algumas estão em risco de fechar, ou já deixaram de fazer serviços à noite», sublinhou. Perante as condições climatéricas excepcionais, os bombeiros reclamam reforço das equipas nos

D.R.

Inverno escaldante bate recorde de fogos no distrito de Setúbal

Arquivo SM

A CÂMARA Municipal de Setúbal poderá vir a desenvolver um plano de pormenor para mudar o uso do lote do Lidl de Azeitão e impedir a demolição da superfície comercial, caso não haja mudança de posição dos proprietários dos lotes de terreno em anexo ao do supermercado, numa reunião ainda a agendar entre as partes. A revelação foi feita ao Semmais por Maria das Dores Meira, presidente da câmara, que quer saber o que pensam os proprietários da operação de requalificação urbanística operada na área em que está instalado o Lidl de Azeitão. A autarca sublinha que a edilidade tem pareceres de advogados que afirmam que a licença não tinha de ser indeferida pelo facto de dois terços dos moradores estarem contra a decisão. Dores Meira acrescenta que a deliberação de Março de 2008 da câmara não violou o regulamento do Plano Director Municipal, nomeadamente os índices de construção daí resultantes. «A demolição só terá lugar, desde que não seja passível resolver o problema, o que não é o caso», explica. A possibilidade de demolição do Lidl de Azeitão surgiu depois de o Tribunal Administrativo e Fiscal de Almada (TAF) ter declarado nula a deliberação da autarquia por verificar «a insusceptibilidade de legalização» do lote em causa. Entretanto, Dores Meira anunciou que a câmara está a preparar o recurso da decisão do TAF, embora mantenha a decisão de saber de onde partiu a alegada fuga de informação, que tornou o caso público na última reunião camarária. Também o Lidl anunciou a meio da semana ter já recorrido da decisão judicial, tendo comunicado ao tribunal a «não existência de qualquer violação que determine a nulidade do acto».

www.semmaisjornal.com

Dia aberto nas ruínas de Tróia AS RUÍNAS romanas de Tróia associam-se às comemorações do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, promovendo, na próxima quarta-feira, dia 18, a iniciativa «Dia Aberto». Nesta data, os visitantes terão oportunidade de realizar, gratuitamente, visitas livres, entre as 10 e as 13 horas, ou das 15 às 17h30, podendo optar pela visita temática «A singularidade do sítio arqueológico de Tróia», que começará às 15 horas. Inês Vaz Pinto, responsável pelo complexo arqueológico, convida os visitantes a descobrir as «particularidades que tornam este património local num sítio único a nível mundial». As ruínas da península de Tróia são conhecidas desde o século XVI, sendo na altura o maior complexo de produção de conservas e molho de peixe conhecido no ocidente romano, estão classificadas como Monumento Nacional desde 1919.

Operações ferroviárias arrancam no porto de Sines Posteriormente, deverá também efectuar comboios para outros destinos, nomeadamente para o Entroncamento. Este novo serviço ferroviário, operado pelo terceiro armador mundial, junta-se aos já existentes no porto de Sines e que fazem a ligação terrestre do Terminal XXI ao seu hinterland, reforçando a condição de Sines como principal plataforma ferroviária de mercadorias. A construção de soluções de intermodalidade para a sua região de influência é uma aposta prioritária do porto de Sines, através do estabelecimento de parcerias com operadores de referência, que

permitem apresentar o porto mais perto dos clientes finais, reforçando a sua integração nas cadeias de abastecimento e de distribuição. Recorde-se

que os operadores globais cada vez mais prestam não só o transporte marítimo como também todo o serviço porta-a-porta, funcionando como integradores de transporte e mesmo operadores logísticos globais.

O porto de Sines trabalha todos os dias na avaliação e evolução da sua integração no hinterland, conjugada com a evolução da sua rede de serviços marítimos de ligação com os mercados internacionais, respondendo, desta forma, às principais tendências de evolução dos seus principais clientes.

DR

ARRANCOU na passada quartafeira a primeira operação ferroviária sob responsabilidade da CMA-CGM no porto de Sines. O comboio saiu do terminal da Bobadela no dia 11 com contentores da CMA-CGM e com destino ao Terminal XXI do Porto de Sines. O regresso, no sentido inverso, ocorreu na tarde do mesmo dia, também exclusivamente com contentores daquele operador francês. Neste período de arranque, a CMA-CGM operará um comboio semanal nos dois sentidos, devendo progressivamente aumentar o número de comboios semanais entre a Bobadela e o porto de Sines.

Semmais Jornal 14 de Abril 2012  

Semmais Jornal 14 de Abril 2012

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you