__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1

     


Espetáculo: Colônia | Foto: Henrique Almeida (2019)


e xpediente administração central Reitor: Prof. Ubaldo Cesar Balthazar Vice-Reitora: Profᵃ. Alacoque Lorenzini Erdmann Diretor Geral: Prof. Alvaro Guillermo Rojas Lezana Chefe de Gabinete: Prof. Áureo Mafra de Moraes Assessor Institucional: Prof. Gelson Luiz de Albuquerque Pró-Reitoria de Graduação – PROGRAD Prof. Alexandre Marino Costa Pró-Reitoria de Pós-Graduação – PROPG Profᵃ. Cristiane Derani Pró-Reitoria de Extensão – PROEX Prof. Rogério Cid Bastos Pró-Reitoria de Pesquisa – PROPESQ Prof. Sebastião Roberto Soares Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis – PRAE Prof. Pedro Luiz Manique Barreto Pró-Reitoria de Administração – PROAD Jair Napoleão Filho Pró-Reitoria de Desenvolvimento e Gestão de Pessoas – PRODEGESP Carla Cristina Dutra Búrigo

Secretaria de Cultura e Arte – SECARTE Profᵃ. Maria de Lourdes Alves Borges Secretaria de Relações Internacionais – SINTER Prof. Lincoln Paulo Fernandes Secretaria Especial de Aperfeiçoamento Institucional – SEAI Profᵃ. Liz Beatriz Sass Secretaria de Planejamento e Orçamento – SEPLAN Prof. Fernando Richartz Secretaria de Segurança Institucional - SSI Leandro Luiz de Oliveira Secretaria de Obras, Manutenção e Ambiente – SEOMA Paulo Roberto Pinto da Luz Secretaria de Inovação – SINOVA Prof. Alexandre Moraes Ramos Secretaria de Esportes – SESP Prof. Juliano Fernandes da Silva Secretaria de Ações Afirmativas e Diversidades – SAAD Profᵃ. Francis Solange Vieira Tourinho Secretaria de Educação a Distância – SEAD Prof. Luciano Patrício Souza de Castro

estrutura secarte Secretaria de Cultura e Arte Coordenadora de Apoio Administrativo Divisão de Apoio Administrativo

Profª Maria de Lourdes Alves Borges Ana Lúcia Moraes Ivo Caoê Baptiston

Administração Financeira

Carla Cerdote da Silva

Coordenadora de Apoio a Projetos Culturais

Rogéria Moreira Couto

Coordenadoria de Edificações

Adriana Rodrigues

e Gestão Patrimonial Diretor de Produção Cultural Coordenadoria das Fortalezas da Ilha

Oto Henrique Bezerra Geisa Pereira Garcia

de Santa Catarina (CFISC) Departamento Artístico Cultural (DAC) Departamento de Cultura e Eventos (DCEven) Núcleo de Estudos Açorianos (NEA)

revista secarte Produção e organização: Secretaria de Cultura e Arte da UFSC Redação e edição de textos: Ivo Caoê Baptiston Revisão: Gabriel Endrigo Projeto Gráfico Editorial: Artur Lima Botelho/Heliziane Barbosa/ Juliana Maia Quaresma

José Henrique Nunes Pires Rosemar da Silva Francisco do Vale Pereira

fotos Acervo SeCArte, Acervo Agecom, Acervo DAC, Acervo coordenadores dos projetos, Amanda Moreira, Dayane Ros, Eric Tomas, Henrique Almeida, Jair Quint, Joi Cletison Alves, Larissa Nowak, Laura Gedoz, Luiza Filippo, Mhirley Lopes, Oto Bezerra, Rogéria Couto e Salvador Gomes


histórico e diagnóstico Ao longo do seu desenvolvimento histórico, a UFSC tem-se destacado pela atuação na área do ensino, da pesquisa e da extensão. É necessário também reafirmar a importância que a arte e a cultura podem e devem desempenhar no processo de formação do ser humano, destacando aqui a responsabilidade da Universidade como agente promotor de uma educação estética. Em 2008, foi criada uma Secretaria especial para a arte e a cultura, a SECARTE, que pretendeu dar a esses elementos a mesma importância do ensino, pesquisa e extensão, tendo desenvolvido uma série de projetos e programas culturais durante a gestão 2008-2012. A partir de 2012, a SeCArte torna-se a Secretaria de Cultura (SeCult). No ano de 2016, retomamos a Secretaria de Cultura e Arte da UFSC (SeCArte), sob a gestão do saudoso Reitor Luiz Carlos Cancellier de Olivo. Entendíamos que era necessário trazer novamente o termo Arte para a então Secretaria de Cultura (SeCult). Acreditamos que a arte deve fazer parte da formação universitária, por tal razão, seria importante termos na UFSC uma instância dedicada a promover, incentivar e fomentar as atividades artístico-culturais. Com a volta da SeCArte em 2016, muitos projetos foram resgatados, tais como a Semana da Dança, o Festival de Música, além de uma semana de Artes, o Experimenta. Foram mantidos os editais Procultura e Bolsa Cultura, visando fomentar projetos artístico-culturais da comunidade universitária. Queremos consolidar a UFSC como um local de experimentação, pesquisa, ensino, extensão e produção artística, fortalecendo a articulação da comunidade interna e a interação com a comunidade externa.


Espetáculo: Colônia | Foto: Henrique Almeida (2019)


No ano de 2018, sob a gestão do Reitor Ubaldo Balthazar e da Vice-Reitora Alacoque Erdmann, demos continuidade à SeCArte, orientada pelas seguintes diretrizes:

diretriz 1

Transformar a UFSC em um centro relevante de produção e experimentação artística. Ações: • Apoiar projetos consolidados, tornando-os projetos institucionais permanentes; • Fomentar, através de editais, novos projetos culturais na UFS; • Buscar mecanismos de captação de verbas para a cultura e arte; • Criar um selo musical da UFSC; • Reforçar os departamentos e coordenadorias da Secarte: DCEven, DAC, Coordenadoria das Fortalezas e Coordenadoria de projetos; • Potencializar a TV UFSC como produtora de conteúdo audiovisual artístico-cultural; • Criar uma Sala de Cinema da UFSC; • Construir um plano de cultura da UFSC, alinhado ao plano nacional de cultura e que inclua todas as suas unidades.


diretriz 2

Reforçar os cursos de graduação em Artes e criar um Centro de Artes. Ações: • Criar um curso de graduação em dança; • Criar um Centro de Artes; • Reformular o modelo de avaliação PIBIC para a área de artes, incluindo a pontuação de trabalhos artísticos, equiparando a produção artística à bibliográfica; • Reformular o modelo político-institucional que considera as produções pedagógicas artísticas sempre como atividades de extensão e não como atividade de ensino e pesquisa; • Estimular a produção e a pesquisa em arte em todos os campi da UFSC.

Espetáculo: Cartas para Junho | Foto: Eric Tomas (2019)


DIRETRIZ 3

Transformar a UFSC num centro irradiador de arte e cultura. Ações: • Ampliar o calendário anual de atividades culturais, composto atualmente pela Semana da Dança, Festival da Música, FITA, Experimenta, Bloomsday, Abertura da Temporada de Verão nas Fortalezas da UFSC, incluindo um Salão de Artes Visuais e Festival de Cinema Universitário; • Criar um banco de dados sobre a produção artística da UFSC; • Ocupar artisticamente as cidades sede dos campi da UFSC, articulando espaços de arte e integrando-os às atividades e grupos locais; • Compartilhar com a comunidade a arte produzida na UFSC, promovendo • Alinhar as políticas artísticas e culturais da UFSC com políticas de outras instituições e instâncias da sociedade e do Estado; • Difundir a arte produzida na UFSC por meio da TV UFSC e outras mídias; • Estimular a educação patrimonial histórica, dando especial atenção às Fortalezas.

DIRETRIZ 4

Revitalizar os espaços culturais da UFSC e criar novos espaços. Ações: • Comprometimento efetivo para melhorar a infraestrutura e equipar os cursos de graduação em cinema e artes cênicas; • Restaurar o Conjunto Arquitetônico do DAC: Igrejinha, Teatro da UFSC e Casa do Divino; • Restaurar o mural “Humanidade” do artista Hassis; • Melhorar a infraestrutura do Centro de Cultura e Eventos; • Preservar o patrimônio cultural das Fortalezas, auxiliando na captação • Criar um espaço permanente ao ar livre para apresentações artísticas, em substituição à concha acústica; • Criar o Espaço Cultural Gênero e Diversidade; • Reabrir a Galeria de Arte da UFSC;


Experimenta: Banda O Exótico Quark Encanto + (subjeto “a”… ou pior) | Foto: Oto Bezerra (2019)


SUMÁRIO 01 12. 14. 16. 18.

02 20. 21. 22. 24. 26. 28. 29. 30. 31. 32. 33. 34. 34. 36. 37. 37. 38. 39. 39. 41. Espetáculo: Insânia Loquaz: Libras | Foto: Amanda Moreira (2018)

principais eventos calendário cultural Experimenta Semana da Dança UFSC FITA Festival de Música

principais projetos calendário cultural Música Projeto 12:30 Madrigal, Orquestra de Câmara e Coral da UFSC Artes Visuais Cinema Produções Cênicas Ubu Rei A Era dos Terremotos – ou Vai Piorar O Homem da Moda, ou o Senhor Fopling Fútil Luz em Einstein Pegando do Resto Guerra, Substantivo Feminino Isso não é uma fábula – Adaptação de A Raposa e as Uvas [ParaAlémDas] GAiOLaS Dança Café com Dança Dança em Trânsito Debates SeCArte Encontro de Filosofia e Arte - EFA Liberdade e Expressão


Espetáculo: A Era dos Terremotos (ou vai piorar) | Foto: Laura Gedoz (2017)

03

departamentos secarte

44. 46. 52. 54.

Departamento Artístico Cultural – DAC Fortalezas da Ilha de Santa Catarina Departamento de Cultura e Eventos NEA

04 56. 56. 57. 57. 58. 58. 59. 59. 60. 60. 61. 62. 62. 62. 62. 62.

editais procultura Projetos de 2019 VIII Seminário de Literatura Infantil e Juvenil XIII Semana de Cinema: Cinema, Gênero e Raça Confraria Literária Capoeira da Ilha - Na roda da vida: Capoeira e resistência Direitos Humanos e Diversidade: Arte, Ciência e Tecnologias em Movimento para uma Educação Alterizante Festival Gaveta de Cinema Universitário Literatura Italiana traduzida no Brasil Mostra de Rua FITA Museologia em Movimento Poderes do Som: I Conferência Internacional de Pesquisa em Sonoridades Projetos de 2018 2º Alapalá: Aprendendo com Mestres da Cultura Africana e Afro-brasileira em Florianópolis (SC) III Colóquio Internacional FITA Antropofonia Atividades artístico-culturais no 18º Congresso Mundial de Antropologia

63. Confraria Literária do CA-UFSC: incentivo à leitura e ativismo cultural 63. Exposição: Ato nº 1 64. Fórum Permanente de Estudos sobre as Artes Negras da Cena, História e Cultura Africana e Afro-braxsileira 64. Museu em Curso/Seminário de Museus de Resistência 65. Patrimônio Cultural e Presença Negra em Santa Catarina 65. Perspectivas para uma Carreira nas Artes Cênicas 65. Universidade Federal de Santa Catarina Model of United Nations (UFSCMUN)

05 68. 68. 69. 69. 70. 71. 71. 71. 75. 76. 77. 78. 78. 78. 79. 80. 80. 84. 85. 86. 86. 87.

editais bolsa cultura Projetos de 2019 Campus Araranguá Campus Blumenau Campus Curitibanos Campus Joinville Campus Florianópolis Centro de Ciências Agrárias – CCA Centro de Comunicação e Expressão – CCE Centro de Filosofia e Ciências Humanas – CFH Centro Socioeconômico – CSE Centro de Ciências da Educação – CED Projetos de 2018 Campus Araranguá Campus Curitibanos Campus Joinville Campus Florianópolis Centro de Comunicação e Expressão – CCE Centro de Ciências da Saúde – CCS Centro de Filosofia e Ciências Humanas – CFH Centro Socioeconômico – CSE Centro Tecnológico – CTC Centro de Ciência da Educação – CED


10

Peça: Cores ao Avesso | Foto: Rogéria Couto (2017)


Principais Eventos Calendário Cultural

11


Peça: O Alto da Compadecida | Foto: Rogéria Couto (2017)

C

oncebido no ano de 2016, o Experimenta traduz-se na experimentação e ousadia. Com foco na pesquisa em arte que é realizada na UFSC, apresenta diversas ações de teatro, dança, cinema, música, exposições, performances, workshops e debates. Com uma programação definida de forma conjunta entre Secretaria de Cultura e Arte e os cursos de Artes, o Experimenta propõe-se a promover intervenções ousadas que impactam o púbico, propiciando a reflexão estética e política. Em suas quatro edições, 2016, 2017, 2018 e 2019, o Experimenta apresentou mais de 100 atrações gratuitas, impactando um público estimado de mais de 10 mil pessoas por edição, atingindo um público estimado de mais de 10 mil pessoas por edição, mobilizando espectadores em diversos Campi da UFSC. O Experimenta tem-se consolidado como o principal evento cultural na UFSC, impulsionando, através da pesquisa, o acesso a diferentes linguagens e espaços culturais, bem como a formação de um público interno e externo à Universidade.

12


Peça: Evangelho segundo Jesus | Foto: Henrique Almeida (2018)

Peça: Pegando do resto | Foto: Rogéria Couto (2017)

Performance: Céu | Foto: Rogéria Couto (2018)

13


Espetáculo: Katecô e Mask | Foto: Henrique Almeida (2019)

A

Semana da Dança UFSC volta à cena no ano de 2017, com uma programação diversificada, destinada à produção e à realização de ações artísticas, educativas e culturais em dança. O e ve nto re úne dive rsas açõe s re lacionadas à dança, contemplando a multiplicidade do que chamamos “dançar”. Durante uma semana, bailarino(a)s, performers, pesquisadores da dança, comunidade e público se reúnem para conhecer, debater, assistir e experimentar a dança em seus diversos modos de manifestação. A Semana da Dança UFSC conta com apresentações de espetáculos nacionais e interna-

14

Abertura 3ª Semana da Dança, (da direita para esquerda) profᵃ Vera Torres, coreógrafo Tadashi Endo, reitor Luiz Carlos Cancellier de Olivo (in memoriam), Secretária de Cultura e Arte profᵃ Maria de Lourdes Alves Borges, Profᵃ Débora Zamariol | Foto: Acervo SeCArte (2017)


Espetáculo: ECO | Foto: Henrique Almeida (2019)

cionais, exposição de processo criativo em dança, performances e ensaios abertos. A Semana da Dança é promovida pela Secretaria de Cultura e Arte em parceria com as professoras Vera Torres (DEF/CDS) e Débora Zamarioli (ART/CCE). Conta também com o apoio do Centro de Desportos, do Centro de Comunicação e Expressão e do Departamento de Cultura e Eventos da UFSC. Nos anos de 2018 e 2019 foram realizadas as 4º e 5º Edições da Semana da Dança, mostrando o fôlego desse projeto que voltou para ficar! Espetáculo: Colônia | Foto: Henrique Almeida (2019)

15


Espetáculo: Clown’s House (Grécia) | Foto: Larissa Nowak (2014)

Festival Internacional de Teatro de Animação Espetáculo: Blind (Holanda) | Foto: Dayane Ros (2017)

P

ioneiro no estado em sua modalidade, o FITA é considerado o maior festival de teatro de Santa Catarina. A cada edição, acontecem apresentações teatrais, exposições, mesas de conversas e outras atividades artísticas nas quais o público e profissionais da área de várias partes do mundo se encontram e trocam experiências. O Festival ocorre em várias cidades do estado de Santa Catarina, apresentando espetáculos, exposições, colóquios e atividades formativas.

16


O primeiro FITA aconteceu em 2007 com objetivo de ampliar o acesso a espetáculos de teatro de animação. Desde então, 11 edições foram realizadas e 400 mil pessoas tiveram contato com a linguagem a partir do festival, referência no segmento no Brasil e exterior. A coordenação geral do FITA é realizada pela Prof. Maria de Fátima Moretti, do curso de Artes Cênicas, e a coordenação executiva por Zélia Sabino, do Departamento Artístico Cultural (DAC). O Festival tem o apoio institucional da UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina – através da SeCArte. A realização é do Fazendo FITA Cia. Artística. Espetáculo: Cortejo dos bonecos | Foto: Larissa Nowak (2010) Espetáculo: El Cubo libre (Itália) | Foto: Green Multimídia (2015)

17


Festival de Música

Festival de Música | Foto: Rogéria Couto (2017)

R

etomado no ano de 2017, a quarta edição do Festival de Música da UFSC reuniu diversos estilos musicais de artistas consagrados e da nova geração de músicos de Santa Catarina. Em três dias de evento, 14 apresentações musicais movimentaram a UFSC: quatro pocket shows de artistas catarinenses e mais dez composições autorais de músicos inscritos, que foram selecionados por uma comissão de avaliação. O Festival de Música da UFSC tem a finalidade de incentivar e intensificar a criatividade musical, promover a integração e troca de experiências entre músicos, compositores, intérpretes e comunidade cultural.

18


Espetáculo: Cartas para Junho | Foto: Oto Bezerra (2019)

Principais Projetos 19


MÚSICA

Projeto 12:30 | Foto: Acervo SeCArte (2018)

20


Projeto 12:30 Criado no ano de 1986, o 12:30 embala gerações com encantadoras apresentações musicais ao ar livre. Quinzenalmente, nas quartas-feiras do período letivo, às 12h30, são realizados shows gratuitos e abertos ao público geral. As apresentações acontecem ao lado do Centro de Cultura e Eventos na Praça da Cidadania. A participação é aberta aos artistas de toda a comunidade. Coordenado pelo Departamento Artístico Cultural, o Projeto 12:30 impulsionou a cena musical catarinense, sendo que diversos artistas e grupos musicais nasceram e se consolidaram a partir dessas apresentações, atingindo grande projeção no meio artístico nacional. O 12:30 possibilita o acesso à arte e cultura de qualidade através da grande variedade de estilos musicais. A cada ano, o Projeto realiza em média 15 apresentações evolvendo um público estimado em 3200 pessoas.

21


Coral, Madrigal e Orquestra de Câmara da UFSC | Fotos: Acervo SeCArte (2018)

Madrigal, Orquestra de Câmara e Coral da UFSC As apresentações musicais do Madrigal, a Orquestra de Câmara e do Coral da UFSC, sob a direção da Maestrina Miriam Moritz, difundem a música vocal e instrumental, proporcionando aos músicos em potencial, que fazem parte dos cursos de graduação da UFSC, um espaço para desenvolverem seus potenciais artístico-musicais, divulgando a música erudita e popular e incentivando a formação e valorização da cultura local.

22


Legenda: Instalação do Campus Joinville da UFSC. Foto: Henrique Almeida Agecom 2018

Regente Miriam Moritz | Foto: Acervo SeCArte (2018)

O Madrigal e o Coral da UFSC foram criados em maio de 2009, completando 10 anos no ano de 2019. Sua sede foi a Igrejinha da UFSC até 2015. Desde 2016, o Anfiteatro do Espaço Físico Integrado (EFI) é o palco para o Madrigal, a Orquestra de Câmara e o Coral da UFSC mostrarem todo seu talento em diversas apresentações musicais especiais. As apresentações no EFI emocionam o público pela riqueza das composições e diversidade do repertório, constituindo uma atmosfera propícia ao envolvimento da comunidade com a cultura erudita e popular. 23


ARTES VISUAIS Fotos: Acervo SeCArte (2017)

Realizadas em locais abertos e de grande circulação na UFSC, as exposições de artes visuais incentivam e difundem a arte produzida na Universidade e proporcionam acesso a obras de artistas catarinenses renomados. Diversas exposições acontecem durante o ano no Cento de Cultura e Eventos e no Hall da Reitoria. Aberto em maio de 2017, o Espaço Expositivo do Centro de Cultura e Eventos é o mais novo local para exposições na UFSC. O lugar, que era apenas um corredor escuro e ocioso, tornou-se uma pequena e aconchegante galeria de arte. Com iluminação adequada para a valorização da arte, proporciona conforto aos visitantes, além de estar situada em um lugar estratégico no Centro de Cultura e Eventos, que garante grande circulação de pessoas. O Hall de entrada do Centro de Cultura e Eventos é o espaço acadêmico das artes, destinado ao ensino, projetos de extensão e trabalhos de conclusão de curso. Além da grande circulação de pessoas, outra grande vantagem é a estrutura disponibilizada pelo DCEven, que auxilia na montagem e fornece os biombos para fixação das peças. 24 Fotos: Acervo SeCArte (2017)


Fotos: Acervo SeCArte (2017)

Para a exposição de fotografias, o Centro de Cultura e Eventos destinou um espaço junto à praça de alimentação. O local recebe mostras que permanecem expostas por períodos mais prolongados, o que possibilita que o público contemple as obras em momentos de descanso e descontração na Universidade. Cercado pelos painéis do artista Rodrigo de Haro, o prédio da Reitoria da UFSC, além de ser o centro administrativo da Universidade, é o cenário de notáveis mostras de arte. O Hall da Reitoria recebe exposições que abordam linguagens contemporâneas e que proporcionam à comunidade universitária o debate, a discussão e o conhecimento de novas técnicas do fazer artístico.

Fotos: Acervo SeCArte (2017)

25


CINEMA

Fotos: Acervo Cine Paredão

Considerada a arte mais completa, o cinema se relaciona com outras artes, como a literatura, a pintura e a fotografia. Desde o ano 2004, a UFSC conta com um curso de cinema, que promove a divulgação e produção dessa linguagem. Na UFSC, a comunidade universitária tem vasto acesso a essa expressão artística através de projetos que abordam o cinema em diferentes perspectivas, vários deles articulados com professores e alunos do curso de cinema da UFSC. São exibições gratuitas de produções cinematográficas qualificadas em diferentes locais da Universidade. Entre as principais iniciativas, destacam-se:

26

Cine Paredão – tem como proposta socializar, trocar e expandir diversas manifestações audiovisuais, buscando produções alternativas ou independentes de obras que não estão disponíveis ou são de difícil acesso ao público. Os filmes apresentados têm um caráter não comercial, o que possibilita o pensamento e a reflexão sobre o cinema como arte em constante evolução, passando por diversos olhares, tempos e lugares ao redor do mundo. Realizado ao ar livre, sob o luar e as estrelas, as sessões acontecem no bosque do CFH todas as sextas-feiras.


Fotos: Acervo Cine Paredão

Cinema Mundo – parceria entre a Biblioteca Universitária e o Curso de Cinema da UFSC. O projeto acontece quinzenalmente nos campi Curitibanos e Florianópolis, com exibições de filmes e debate com convidados após a sessão. Cada semestre uma temática diferente é escolhida, e ao final do ciclo é lançado um e-book sobre as películas e os debates. Entre os temas já selecionados estão: expressões do horror e cult movies. Em Curitibanos, também há o Cinema Mundo Itinerante, que promove sessões nas dependências da APAE Curitibanos, Lar de Idosos Frei Rogério e Hospital Hélio dos Anjos Ortiz. As atividades do Cinema Mundo em Florianópolis são coordenadas pelo professor adjunto do Departamento de Artes e docente do Curso de Cinema da UFSC, Márcio Markendorf, enquanto em Curitibanos o projeto é coordenado pela professora Monica Aparecida Aguiar dos Santos do Departamento de Agricultura, Biodiversidade e Florestas.

Cineclube Sessão de Arte – Exibição de filmes que aprofundam o estudo na disciplina de Direção de Arte. As exibições ocorrem quinzenalmente no Laboratório de Exibição do Cinema no CCE.

Semana Acadêmica do Curso de Cinema da UFSC – Realizada pelos alunos do Curso de Cinema UFSC, a Semana de Cinema serve como difusora do conhecimento teórico e prático por meio de palestras, minicursos, debates e exibição de filmes, além de promover a interação entre profissionais e demais interessados. Todos os eventos da Semana de Cinema têm entrada gratuita e são abertos à comunidade.

27


PRODUÇÕES CÊNICAS

Espetáculo: Luz em Einstein | Foto: Luiza Filippo (2018)

Produções cênicas inovadoras realizadas pelo DAC e pelo curso de Artes Cênicas promovem e incentivam o desenvolvimento acadêmico e a formação de novos talentos na Universidade. A comunidade tem acesso a apresentações compostas por elementos cênicos diferenciados, que exploram ao máximo a diversidade da linguagem dramática teatral, conectando o público com obras críticas e polêmicas que envolvem o espectador em uma gama de sentidos, sensações e interpretações.

10 anos da implantação do curso de graduação em artes cênicas No ano de 2018, o Curso de Graduação em Artes Cênicas celebrou os 10 anos de sua implantação na UFSC. No decorrer do ano, uma intensa programação de atividades artísticas, educativas e culturais foi desenvolvida nas dependências da Universidade, onde foi contemplada a multiplicidade de conhecimentos produzidos na área de artes cênicas, dentro dos eixos formadores dos alunos do curso: Atuação, Performance, Escrita Dramática e Encenação Teatral.

28


Espetáculo: Ubu Rei | Foto: Acervo Oficina Permanente de Teatro do Departamento Artístico Cultural (DAC) (2016)

ubu rei

Direção: Carmen Fossari Encenado por alunos da Oficina Permanente de Teatro do Departamento Artístico Cultural (DAC) da UFSC, a produção escrita por Alfred Jarry apresenta personagens que reverberam nos dias atuais no cenário político brasileiro. A encenação conta com uma linguagem interativa de mídia visual, obras de pintores clássicos e fotografias texturizadas. Concebida como uma brincadeira escolar para ridicularizar um professor, que inspirou a criação do personagem, a obra marca o nasci-

mento do Teatro do Absurdo na França no início do século XX. Pai Ubu, um oficial de confiança do Rei da Polônia, é instigado por sua mulher, Mãe Ubu, a assassinar o rei e assumir o trono. Depois de relutar em um primeiro momento, é convencido a levar adiante o plano de sua esposa e passa a contar com a ajuda de Capitão Bordura. Usurpada a coroa, pai Ubu tenta ganhar a simpatia das pessoas, mas logo se transforma num cruel ditador.

29


Espetáculo: A Era dos Terremotos (ou vai piorar) | Foto: Laura Gedoz (2017)

a era dos terremotos – ou vai piorar

Direção: prof. Fabio Salvatti Espetáculo-ensaio apresentado pelos alunos da disciplina de Atuação e Encenação III do curso de Artes Cênicas da UFSC sobre o trabalho no Brasil contemporâneo. Com essa temática, mobiliza diversas esferas da sociedade, relacionando-se com o universo do trabalho e suas implicações: o sacrifício, a gratificação, a alienação e a recusa.

30

A composição cênica do espetáculo é referenciada pelas obras de Brecht, Melville, Esopo, Obrist, Büchner, Walt Disney e Prévieux, além da música de Alvarenga e Ranchinho, John Lennon, Chico Buarque e Adoniran Barbosa, resultando em “uma polifonia crítica”.


o homem da moda, ou o senhor fopling fútil Direção: prof. Paulo Ricardo Berton

Inspirado no texto do inglês Sir George Etherege, o espetáculo satiriza a aristocracia inglesa nos trejeitos da época. Na adaptação, o grupo Miletrê ironiza a própria elite de Florianópolis com o objetivo de provocar o riso e a reflexão, fugir do óbvio, mas sem cair em nenhuma irresponsabilidade ética ou estética. Além disso, busca percorrer diferentes tradições das comunidades que formam a população da capital do estado de Santa Catarina.

Composta por um grupo de pesquisa de jovens artistas teatrais do curso de Artes Cênicas da UFSC, a cia. Miletrê, busca aliar tradição e experimentação, crítica e provocação, entendendo que a arte do teatro deve ativar os sentidos, a imaginação e o pensamento do seu público.

Espetáculo: O Homem da Moda, ou o Senhor Fopling Fútil | Fotos: Rogéria Couto (2016)

31


Espetáculo: Luz em Einstein | Foto: Luiza Filippo (2018)

luz em einstein Direção: Carmen Fossari

A peça traz à cena o personagem Albert Einstein em suas múltiplas formas de ser: cientista, músico violinista, poeta, velejador, conferencista, pacifista e, fundamentalmente, aquele que revolucionou a compreensão do ordenamento do universo: Nobel da Física e autor da Teoria da Relatividade Geral. Ele, Albert Einstein, convive no espetáculo com os seus

32

pares cientistas, para que o universo de uma época tão pródiga da ciência esteja presente na cena. Temos vivido tempos obscuros, onde, parodiando Brecht, falar de ciência é quase um crime e realizar um teatro de pesquisa pode ser uma afronta ao mercado do riso enlatado e das imagens que são engolidas sem mastigar.


pegando do resto Direção: Blenda Trindade

O Espetáculo é o resultado do Projeto de pesquisa “As Máscaras Larvárias em Cena”, baseado na pesquisa dos encenadores Jacques Lecoq e Jacques Copeau. O estudo aborda o uso da máscara para chegar a um ator inteiro/verdadeiro em cena, aliado à pesquisa dramatúrgica da máscara baseada no texto “Esperando Godot”, de Samuel Beckett.

O uso das máscaras larvárias propicia um aspecto estético diferenciado, que vai além do uso para o treinamento e do treinamento para a cena. A produção é apresentada em universidades, escolas, teatros e espaços culturais.

Espetáculo: Pegando do Resto | Fotos: Acervo Grupo Abaporu (2017)

33


Espetáculo: Guerra, Substantivo Feminino | Foto: Mhirley Lopes

Guerra, Substantivo isso não é uma fábula adaptação de Feminino Direção: Priscila Genara a raposa e as uvas O espetáculo narra, a partir da linguagem teatral, memórias de mulheres veteranas de guerra que foram armadas ao combate, lutando no exército russo contra o nazismo de Hitler. A montagem é baseada no texto ”A Guerra Não Tem Rosto de Mulher”, da ganhadora do Prêmio Nobel de literatura de 2015, Svetlana Aleksiévitch, e foi o resultado das disciplinas de Encenação e Atuação III do curso de Artes Cênicas da UFSC, ministradas pela Professora Priscila Genara Padilha, que dirige a montagem. 34

Direção: Lucas Lima

Apresentado pela Cia duZEUSes, formada por graduandos do Curso de Artes Cênicas da UFSC, ‘Isto não é uma fábula’ é uma adaptação de ‘A Raposa e as Uvas’, do dramaturgo brasileiro Guilherme Figueiredo. A peça se passa na cidade de Samos, na Grécia antiga. O escravo Esopo, contador de fábulas, é dado por um mercador ao filósofo Xantós. A aspiração maior de Esopo é obter sua liberdade.


Para isso, ele livra seu dono de várias complicações com a promessa de que será libertado. Xantós, porém, se mostra um tirano e recusa-se a lhe dar a liberdade. Sem jamais abandonar seus princípios éticos e morais, Esopo luta por sua liberdade e confere a ela um valor inegociável. A montagem do espetáculo integra um projeto de extensão que prioriza a utilização de materiais recicláveis e reaproveitáveis para a construção de

cenários, figurinos e adereços. Foram feitas pesquisas a respeito da durabilidade desses materiais para que sigam fiéis ao seu propósito, no caso de um espetáculo cumprir uma longa temporada. Garrafas pet, embalagens tetra-pack, papelão, filtros e embalagens de café, embalagens de manteiga, rolos de fitas, de tecidos, mangueiras descartadas e outros estão na lista dos materiais utilizados pela Cia duZEUSes.

Espetáculo: Isto Não é uma Fábula | Foto: Acervo Cia duZEUSes (2017)

35


Espetáculo: [para além das] gaiolas | Fotos: Acervo Cia. Libélulas (2017)

[ParaAlémDas] GAiOLaS Performance: Daniele Viola

Espetáculo performático que mescla feminismo e arte contemporânea, numa linguagem artística que poeticamente faz emergir sentidos e proposições, a fim de contribuir com a arte e com a luta das mulheres nos espaços artísticos. [ParaAlémDas] GAiOLaS dialoga com questões de liberdade e prisões, pré-conceitos sociais, desigualdades de gênero entre outras inquietações trazidas à luz pela performer. O processo de montagem do espetáculo iniciou dentro do curso de Artes Cênicas da UFSC em 2015, e sua estreia aconteceu em 2016 no MIS/SC (Museu da Imagem e Som de Santa Catarina). Com o apoio da SeCArte, a produção foi apresentada no III Festival da Dança da UFSC e na 2ª edição da Feira de Teatro de Bonecos e Formas Animadas na cidade de Fafe, Portugal, nos dias 28, 29 e 30 de junho de 2017.

36


DANÇA café com dança Ponto de encontro para artistas, professores, coreógrafos, pesquisadores, estudantes da área da dança e comunidade interessada nas questões da dança e do corpo na contemporaneidade, o projeto Café com Dança propõe uma programação anual de atividades a serem realizadas na UFSC durante o ano letivo. Debates, mesas de discussão, palestras, projeções de videodança, videodocumentários, conferências dançadas e videopalestras, são algumas das atividades desenvolvidas pelo projeto. O Café com Dança contribui para a formação de um público crítico e receptivo a questões relativas à dança e à arte contemporânea envolvendo a dança em suas perspectivas pedagógica, histórica, sociopolítica e artística.

37


dança em trânsito Apresentado na UFSC desde 2015, o Festival Internacional Itinerante Dança em Trânsito acolhe apresentações artísticas, promovendo a formação, reflexão e intercâmbio entre grupos de dança de diversas cidades do mundo. O festival possibilita trocas de experiências entre companhias nacionais e internacionais convidadas, ampliando o debate e incentivando o desenvolvimento da linguagem da dança. O Dança em Trânsito apresenta trabalhos de destaque no cenário atual e surpreende ocupando não só espaços convencionais, como também praças, escadarias, calçadas e parques. Desde a sua criação, o Dança em Trânsito já apresentou aproximadamente 87 companhias de 16 países em 18 cidades de nove estados brasileiros, para um público de mais de 48 mil pessoas.

Apresentação: Dança em Trânsito | Foto: Acervo Dança em Trânsito (2017)

38


DEBATES SECARTE

EFA | Fotos: Acervo Programa de Pós-Graduação em Filosofia – PPGFIL (2018)

Equipe organizadora do EFA | Fotos: Acervo Programa de Pós-Graduação em Filosofia – PPGFIL (2018)

Encontro de Filosofia e Arte - EFA O encontro, que promove ciclo de palestras, minicursos e comunicações, traz a cada edição um tema relacionado à filosofia e à arte. Nas duas últimas edições, o evento trouxe "arte e sentido" e a questão do "fim da arte" para o debate, que contou com professores da UFSC e de instituições externas, além de trabalhos submetidos por acadêmicos e comunidade em geral. “Qual o sentido da arte no âmbito da realidade ampliada? O que é fazer sentido num mundo em que artefatos são atores e objetos são falantes? Que tipos de ações e efeitos estão implicados nas obras de arte contemporâneas que exploram a agência e a comunicação maquínica e digital?”. Com essas indagações, o evento instiga o público a participar e obter as respostas através das discussões promovidas nas palestras e comunicações.

39


Com temas relacionados à arte e suas inúmeras variações, os debates vão da “Art drag de Sasha Velour como representação de gênero na arte contemporânea” até “A ironia como atitude crítica: por uma estética da existência para a liberdade”, conseguindo reunir um público com interesses variados. O objetivo do EFA, de trazer a questão do sentido nas diferentes artes, ou mesmo do “fim da arte”, trouxe a reflexão e discussão de temas importantes a um público interessado na reflexão sobre a relação entre Arte e Filosofia.

EFA | Foto: Acervo Programa de Pós-Graduação em Filosofia – PPGFIL (2018)

40


Fotos: Acervo SeCArte (2018)

liberdade e expressão O ciclo Liberdade e Expressão, iniciado em 2018, pretende abordar o direito à liberdade de expressão no espaço público. O primeiro evento do ciclo, intitulado “Arte e liberdade de expressão nas cidades contemporâneas”, debateu a liberdade de expressão das intervenções e ações artísticas no espaço urbano, situando o direito à cidade nas práticas artísticas e culturais.

Fotos: Acervo SeCArte (2018)

41


Departamentos da SeCArte

42


Foto: Acervo Agecom

43


Fotos: Acervo DAC

Departamento Artístico Cultural – DAC O Departamento Artístico Cultural (DAC) atua há décadas na área de extensão artístico-cultural, com projetos que transitam nos segmentos do ensino, da pesquisa e da produção. Os projetos visam à informação e à democratização dos bens culturais, contribuindo para a formação do pensamento crítico no ambiente universitário e na comunidade catarinense. Principais projetos e atividades: 44

Projeto Cena Aberta – O projeto vem reforçar o caráter de socialização do espaço do teatro com a classe artística da cidade, promovendo o intercâmbio artístico e cultural entre a Universidade e a comunidade. O Cena Aberta visa estimular e incentivar a produção teatral e artística catarinense, bem como tornar a produção cultural local acessível à comunidade.


Projetos cursos e oficinas livres de arte – oportunizam o acesso da comunidade aos processos de criação e produção de arte com cursos e oficinas de música, teatro, cinema e artes visuais. Madrigal e Orquestra de Câmara da UFSC – fomentam e difundem a música vocal e instrumental, proporcionando aos músicos em potencial, que fazem parte dos cursos de graduação da UFSC, um espaço para desenvolverem seus potenciais artístico-musicais. Os projetos também visam divulgar a música erudita e popular através de apresentações e, com isso, incentivar a formação e a cultura local. Coral da UFSC – O Coral da UFSC atua desde 1963, encantando seu público com um repertório de musica brasileira acompanhado de violão baixo e percussão. Seu objetivo é promover o canto coral e contribuir com a integração e a extensão cultural da Universidade, proporcionado aos coralistas conheci-

mento teórico e prático, num processo de aprendizagem e valorização da arte musical através do canto. Grupo Pesquisa Teatro Novo (GPTN) – criado em 1976, atua ininterruptamente com espetáculos de Teatro de Rua, Bonecos e encenações em casas de espetáculos. O grupo tem um currículo notável pelas montagens realizadas e prêmios conquistados em diversos festivais. Ao todo o grupo já produziu mais de 60 espetáculos nos diversos gêneros teatrais. Oficina Permanente de Teatro (OPT) - objetiva o estudo teórico e a vivência teatral. Estruturada com uma grade disciplinar básica, trabalha os conhecimentos do corpo individual, relação do corpo no meio social, corpo no espaço, jogos de desinibição, interpretação e improvisação, despertando a consciência do ser corporal individual e social.

45


Foto: Joi Cletison Alves

Coordenadoria das Fortalezas da Ilha de Santa Catarina Originalmente concebidas para guarnecer a entrada da Barra Norte da Ilha de Santa Catarina, as centenárias estruturas das fortalezas de Santa Cruz de Anhatomirim, São José da Ponta Grossa e Santo Antônio de Ratones integram o antigo sistema defensivo criado pela Coroa Portuguesa a partir de 1739. Hoje as fortalezas são equipamentos turísticos e educacionais que atraem quase 200 mil visitantes por ano. Duas delas, Anhatomirim e Ratones, integram a lista de fortificações brasileiras indicadas a tornarem-se Patrimônio Mundial pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO). 46


Declaradas Patrimônio Histórico Nacional em 1938, as edificações são administradas pela Coordenadoria das Fortalezas da Ilha de Santa Catarina da SeCArte. O setor é responsável pelo gerenciamento, guarda, manutenção e conservação desses monumentos históricos do século XVIII, os quais se encontram sob a gestão da UFSC desde 1979. Conhecida anteriormente com o nome de Projeto Fortalezas da Ilha de Santa Catarina, a Coordenadoria das Fortalezas da Ilha de Santa Catarina recebeu a atual denominação em maio de 2016. As fortificações encontram-se durante todo o ano abertas à visitação pública para a realização de atividades de turismo, educação, cultura e lazer. Em 2019, houve recorde da década no número de visitantes das fortalezas, quando passaram pelas fortificações 196.517 pessoas. Em 10 anos, as três fortificações receberam 1,4 milhão de visitantes, entre turistas, pesquisadores, professores e estudantes. Além de ações de ensino, pesquisa e extensão da UFSC, há ainda um viés social que incentiva a comunidade a conhecer esses sítios históricos e suas construções. Com isso, os números de visitação têm aumentado. Em 2019, mais de 7 mil pessoas visitaram as forta-

Foto: Salvador Gomes

47


lezas nos Dias de Gratuidade – programa instituído em 2017 que já isentou do pagamento da taxa 17.560 pessoas. Estudantes de escolas públicas, em visita de estudo, não pagam ingresso em qualquer período do ano, bastando que as instituições de ensino solicitem a gratuidade. Os recursos arrecadados com a visitação são revertidos para a manutenção dos monumentos e da estrutura de apoio ao visitante, além de financiar parte das ações necessárias para conservação do acervo. Em 2019, por exemplo, peças de louças encontradas em atividades de arqueologia na Fortaleza de São José da Ponta Grossa passaram por trabalho especializado de conservação. A atividade, que envolveu alunos, professores e técnicos da UFSC, foi resultado da parceira entre Coordenadoria das Fortalezas da Ilha de Santa Catarina, Museu de Arqueologia e Etnologia (MArquE) e Coordenadoria Especial de Museologia.

Senado Federal homenageia UFSC pelos 40 anos de gestão das fortalezas O ano de 2019 marcou os 40 anos de gestão das fortalezas pela UFSC. Pelos serviços em prol das fortificações, o Senado Federal prestou homenagem à universidade em sessão solene em Brasília realizada no dia 21 de novembro – data exata em que se completaram quatro décadas da assinatura do primeiro convênio que tornou a UFSC gestora desses bens. Em dezembro, em sessão solene no Auditório Garapuvu do Centro de Cultura e Eventos – Reitor Luiz Carlos Cancellier de Olivo, no Campus Universitário Trindade, a universidade homenageou com troféus as pessoas que contribuíram com a conservação desses monumentos seculares e com a preservação da história do sistema defensivo da Ilha de Santa Catarina. Na data, também foi lançada uma revista com depoimentos dos reitores da UFSC dos últimos 40 anos sobre a importância das fortalezas para a instituição e para a comunidade. Foi exibido também o vídeo “De ruínas a Patrimônio Cultural da Humanidade”, produzido pela equipe da Coordenadoria das Fortalezas da Ilha de Santa Catarina, SeCArte, Agecom e TV UFSC.

48


Lançamento de livro infantil com realidade aumentada Em uma iniciativa da Coordenadoria das Fortalezas da Ilha de Santa Catarina, em parceria com a Secretaria de Educação a Distância da UFSC, foi lançado em 2019 o livro infantil “Fortalezas da Ilha: uma visita ao passado”. Com pinturas das fortificações em aquarela, a publicação conta com recurso de realidade aumentada, em que o leitor pode, por exemplo, assistir a uma caravela navegando sobre uma ilustração do oceano no livro através de aplicativo de celular. A publicação foi apresentada pela Coordenadoria nos eventos em que participou em 2019, como II Seminário Internacional Fortificações Brasileiras, promovido no Rio de Janeiro (RJ). O livro “Fortalezas da Ilha: uma visita ao passado” foi elaborado como parte do material didático do Projeto “Aprender sobre história também é coisa de criança!”. Através de aula no local e visita à Fortaleza de São José da Ponta Grossa, o projeto sensibiliza as crianças para a importância de valorizar e preservar as fortalezas da Ilha de Santa Catarina, a partir do aprendizado sobre sua criação, uso, abandono, recuperação e transformação em museus ao ar livre. O projeto possibilita, ainda, que as crianças levem para a sua instituição folders, flyers e cartões postais sobre as fortificações e indica aos professores materiais para aprofundamento do conteúdo. Em 2019, o projeto “Aprender sobre história também é coisa de criança” atendeu 307 alunos de 16 escolas diferentes.

Foto: Joi Cletison Alves

49


Foto: Acervo Fortalezas

Banco de dados internacional ganhou mais conteúdo Em 2019, também teve sequência o trabalho de ampliação de conteúdos do Banco de Dados Internacional Sobre Fortificações – fortalezas.org – com a alimentação de novas imagens, bibliografias, documentos etc, referentes tanto às fortalezas gerenciadas pela UFSC quanto às fortificações existentes em diversas outras cidades do Brasil e de outros países. O banco de dados fortalezas.org é uma ferramenta colaborativa que reúne e disponibiliza conteúdos sobre fortificações e patrimônio militar em todo o mundo. A plataforma foi desenvolvida pelo Projeto Fortalezas Multimídia da UFSC, criada em 2002 e publicada na internet em 2008, e tornou-se, desde então, a única base de dados sobre patrimônio fortificado unificada internacionalmente e que é referendada pelo Comitê Científico Internacional sobre Fortificações e Patrimônio Histórico Militar – ICOFORT (International Scientific Committee on Fortifications and Milatary Heritage), comitê científico do ICOMOS.

50


Foto: Salvador Gomes

Divulgação da história e autorização de eventos A Coordenadoria das Fortalezas da Ilha de Santa Catarina é responsável também pela divulgação e preservação da memória histórica relacionada a todo o sistema defensivo do século XVIII. Para isso, promove regularmente a exposição itinerante com maquetes, réplica de uniforme, modelo de canhão e banners. Em 2018 e 2019, a exposição passou por centros de ensino, locais de atendimento a turistas, bibliotecas e centros de eventos. Além disso, a Coordenadoria regulamenta e autoriza por meio de editais, as fortalezas estão disponíveis para uso temporário ao público para a realização de eventos culturais e artísticos, casamentos, lançamento de produtos, ensaios fotográficos, entre outras atividades de curta duração. Em 2019, foram autorizados, via edital, 17 eventos, entre ensaios fotográficos, casamentos, eventos esportivos e outros.

51


Primeira formatura de Licenciatura Indígena | Foto: Henrique Almeida

Departamento de Cultura e Eventos Responsável pelo gerenciamento do Centro de Cultura e Eventos Reitor Luiz Carlos Cancellier de Olivo, do Templo Ecumênico e do Auditório da Reitoria, o Departamento de Cultura e Eventos – DCEVEN – provê estrutura e apoio para eventos institucionais, acadêmicos, shows e espetáculos artístico-culturais, além da organização e realização das solenidades de Colação de Grau dos Cursos de Graduação da Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC.

52

Com uma ampla estrutura para atender diversos eventos nacionais e internacionais, o DCEVEN permite o acesso a estes espaços por meio do Edital Espaço Vivo – lançado anualmente pela Secretaria de Cultura e Arte - SeCArte, norteado pela Resolução nº 04/CC/2010 – que estabelece os valores relativos ao uso eventual de espaços físicos integrantes do patrimônio da UFSC ou sob a sua guarda, para a realização de eventos de curta duração, de natureza


educacional, cultural, científica, esportiva, recreativa ou religiosa, nos casos em que os eventos promovam a cobrança de taxas de inscrição e/ou ingressos. O ano de 2016 marcou o retorno do Centro de Cultura e Eventos ao cenário das apresentações musicais nacionais e internacionais. Por meio do Edital Espaço Vivo, sob criteriosa análise e mediante permissão de uso onerosa, o Departamento de Cultura e Eventos abriu o Auditório Garapuvu para os grandes espetáculos e shows musicais, devolvendo à comunidade um dos maiores espaços de eventos do Estado de Santa Catarina. Os shows pagos não são produzidos pela UFSC, havendo apenas a cobrança do aluguel referente ao espaço. A contrapartida para a UFSC se dá pela liberação de 100 (cem) ingressos gratuitos aos estudantes e da integralidade do valor do aluguel deste espaço, recurso que vem a ser utilizado em projetos culturais e manutenção do Centro de Cultura e Eventos. O CCEven conta com o Auditório Garapuvu, que tem capacidade para 1.371 lugares, 4 salas multifuncionais, com paredes móveis e capacidade para 75 pessoas cada, podendo ser convertida em salão para 300 pessoas, área de exposições e montagem de estandes paralelo a um hall de 500m², que possibilita o total apoio aos eventos do auditório, além

de copa. Oferece aos seus usuários uma ampla infraestrutura de apoio, uma praça de alimentação com opções de cafés, lanchonetes e restaurante, livrarias, agência bancária e outras conveniências. Sob a administração do DCEven, o Centro de Cultura e Eventos Luiz Carlos Cancellier de Olivo (CCEven) vem suprir não só a Universidade Federal de Santa Catarina mas a própria cidade de Florianópolis com um local para a realização de eventos de médio e grande porte. Sendo o maior teatro da cidade com qualidade para atender o público local e nacional e até internacional, atua na divulgação da arte e da cultura, produção científica e do entretenimento, dinamizando a economia e aquecendo a vida social e cultural de Florianópolis. O Auditório da Reitoria fica localizado no andar térreo do Prédio da Reitoria I. Com capacidade para 203 lugares, o espaço nobre da Universidade se destaca por abrigar eventos acadêmicos e institucionais de pequeno porte. Localizado na Praça da Cidadania, o Templo Ecumênico dispõe de 301 lugares e tem por finalidade principal a realização de cultos, celebrações e outras atividades, humanizando a vida universitária , valorizando a cultura e a pluralidade de crenças na Universidade.

53


24º AÇOR | Foto: Joi Cletison Alves

NEA Criado em 1984, o Núcleo de Estudos Açorianos da UFSC (NEA) atua na Pesquisa, no Ensino e na Extensão valorizando e preservando os traços da cultura popular do litoral catarinense. As atividades de extensão do NEA se concentram em promover os resultados das pesquisas para as comunidades de base açoriana, divulgando e motivando ações que preservam as tradições locais. O Núcleo de Estudos Açorianos atua ativamente em 44 cidades do litoral catarinense, providenciando o ensino e capacitação de professores com cursos e palestras. O NEA desempenha relevante projeção 54

cultural, promovendo exposições, oficinas de artesanato, apresentações culturais, intercâmbio de grupos folclóricos, lançamentos de livros, exibição de documentários e muitos outros eventos que fortalecem a cultura açoriana na comunidade catarinense. Promovida pelo NEA, a Festa da Cultura Açoriana de Santa Catarina (AÇOR) é uma das principais celebrações da cultura açoriana no estado. A festa reúne desfiles, apresentações culturais folclóricas, oficinas, exposições e gastronomia. O evento está em sua 26ª edição e sempre acontece a cada ano em um município diferente do litoral catarinense.


Editais 55


PROCULTURA O intuito do Programa de Apoio a Ações de Cultura (Procultura) é fomentar ações culturais, custeando serviços como som, iluminação, palco, tela de projeção, projetos gráficos, além de serviços de transporte e hospedagem. Os projetos artísticos são inscritos por seus coordenadores e selecionados de acordo com as normas do edital.

no ano de 2019 foram contemplados os seguintes projetos:

viii seminário de literatura infatil e juvenil Coordenadora: Caroline Machado Centro de Ciências da Educação - CED

Projeto: VIII Seminário de Literatura Infantil e Juvenil | Foto: Acervo coordenação do projeto

O projeto visa o envolvimento de estudantes do curso de pedagogia, letras, cinema, biblioteconomia, entre outros, nas ações a serem desenvolvidas durante o VIII Seminário de Literatura Infantil e Juvenil (VIII SLIJ) e do IV Seminário Internacional de literatura infantil e juvenil e práticas de mediação literária (II SELIPRAM): (R)es(X)istências literárias na contemporaneidade. O evento ocorreu no Centro Integrado de cultura (CIC) e na Universidade Federal de Santa Catarina, no campus da Trindade, Florianópolis, no período de 05 a 08 de novembro de 2019. 56 Projeto: VIII Seminário de Literatura Infantil e Juvenil | Foto: Acervo coordenação do projeto


Projeto: XIII Semana de Cinema: Cinema, Gênero e Raça | Foto: Acervo coordenação do projeto

xiii semana de cinema: cinema, gênero e raça

Coordenadora: Alessandra Brandão Centro de Comunicação e Expressão – CCE A Semana Acadêmica de Cinema é um evento anual de caráter técnico, científico, cultural, artístico e social, sem fins lucrativos, e realizado pelos estudantes da 3ª fase da Graduação do Curso de Cinema da Universidade Federal de Santa Catarina. Em sua XIII edição, a Semana de Cinema trouxe como tema principal o estudo de gênero e raça no fazer e pensar a arte cinematográfica, atuando como um fio condutor para problematizar, debater e racionalizar temas tão atuais quanto pertinentes ao saber artístico e político do período em que estamos vivendo.

Projeto: Confraria Literária | Foto: Acervo coordenação do projeto

confraria literária * Coordenadora: Arlyse Ditter Centro de Ciências da Educação – CED

Incentivo à leitura de textos literários, prioritariamente, mas também de outras linguagens, como cinema, música, teatro, com vistas à formação do leitor. A atividade promove um ativismo cultural, com diálogo entre as comunidades interna e externa da UFSC.

* Projeto contemplado também no ano de 2018. 57


Projeto: Capoeira da Ilha - Na roda da Vida: Capoeira e Resistência | Foto: Acervo coordenação do projeto

capoeira da ilha na roda da vida: capoeira e resistência Coordenadora: Danuza Meneghello Centro de Ciências da Educação – CED

O projeto pretende difundir a Capoeira enquanto manifestação cultural afro-brasileira, bem como sua filosofia, história e prática, numa perspectiva de resgate às suas raízes através da promoção de atividades culturais e artísticas relacionadas à Capoeira em Florianópolis.

Ciclo de Debates Museu em Curso

Coordenador: Lucas Figueiredo Lopes Museu de Arqueologia e Etnologia – MArquE Programa de palestras abertas ao público promovidas pelo Museu de Arqueologia e Etnologia Professor Oswaldo Rodrigues Cabral (MArquE/UFSC), que enfocam temas diversos relacionados à teoria e à prática museológica. 58

Projeto: Direitos Humanos e Diversidade: Arte, Ciência e Tecnologias em Movimento para uma Educação Alterizante | Foto: Acervo coordenação do projeto

direitos humanos e diversidade: arte, ciência e tecnologias em movimento para uma educação alterizante Coordenadora: Renata Orlandi Campus Blumenau

Este projeto visa favorecer contatos com a arte sensíveis às idiossincrasias que nos (des)humanizam, atentando ao que estas guardam de relação com o conceito de alteridade e a afirmação dos direitos humanos. Considera-se a relevância da temática proposta tendo em vista os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, celebrados em 2018. O documento, o mais traduzido do mundo e disponível em mais de 500 idiomas, é um marco fundamental para a história dos direitos humanos no mundo, inspirando muitas nações e democracias.


festival gaveta de cinema universitário

literatura italiana traduzida no brasil

Festival Fora da Gaveta expressa o desejo dos alunos do curso de cinema da Universidade Federal de Santa Catarina por um evento artístico, cultural e social que fomente as relações entre os diversos realizadores universitários do país e o público geral. Os quatro dias do festival contam com mostras de filmes, exposições de fotografias, exibições teatrais e outras atividades artísticas realizadas por alunos desta e de outras universidades, dentro e fora dos espaços acadêmicos.

Ação de extensão que se insere no campo cultural e visa divulgar parte da cultura italiana, que foi de grande importância para o Estado de Santa Catarina. O objetivo principal é elaborar e produzir uma exposição dedicada à circulação da Literatura Italiana Traduzida no Brasil.

Coordenadora: Aglair Maria Bernardo Centro de Comunicação e Expressão – CCE

Coordenadora: Patricia Peterle Figueiredo Santurbano Centro de Comunicação e Expressão – CCE

59 Projeto: Literatura Italiana traduzida no Brasil | Foto: Acervo coordenação do projeto


Espaço destinado aos espetáculos que se dediquem à linguagem do teatro de animação e se adequem a ambientes externos da cidade de Florianópolis. Paralelamente ao cronograma de apresentações, ocorrerão atividades de formação voltadas ao desenvolvimento na área.

museologia em movimento

Coordenadora: Zélia Sabino Departamento Artístico e Cultural - DAC

Programa de palestras abertas ao público promovidas pelo Museu de Arqueologia e Etnologia Professor Oswaldo Rodrigues Cabral (MArquE/UFSC), que enfocam temas diversos relacionados à teoria e à prática museológica.

poderes do som: i conferência internacional de pesquisa em sonoridades

Coordenador: José Cláudio Siqueira Castanheira Centro de Comunicação e Expressão – CCE

60

*

mostra de rua fita Coordenadora: Zélia Sabino Departamento Artístico e Cultural - DAC

O projeto visa viabilizar o Seminário Museologia em Movimento, um dos eventos que marcam as comemorações dos 10 anos da Graduação de Museologia na UFSC. O referido evento será de relevância para a Comunidade Acadêmica e para profissionais da área do patrimônio cultural.

museu em curso * Coordenador: Lucas Figueiredo Lopes

Iniciativa do Grupo de Estudos em Imagens, Sonoridades e Tecnologias (GEIST/UFSC), objetiva estudar as relações entre diferentes tecnologias, práticas sociais e elementos da cultura audiovisual. O evento é composto por palestras com convidados internacionais, apresentação de trabalhos de autores nacionais e estrangeiros, oficinas nos campos da música e do som e performances/instalações artísticas.

Projeto contemplado também no ano de 2018.


Projeto: Poderes do Som: I Conferência Internacional de Pesquisa em Sonoridades | Foto: Acervo coordenação do projeto

61


no ano de 2018 foram contemplados os seguintes projetos:

2º alapalá: aprendendo com mestres da cultura africana e afro-brasileira em florianópolis (sc) Coordenador: Diego Ernesto Arenaza

Oficinas e mostra cultural com mestres da cultura popular afro-brasileira e africana na Universidade Federal de Santa Catarina e ações artístico-culturais em espaços comunitários, proporcionando vivências e intercâmbios com o cenário cultural local.

iii colóquio internacional fita

antropofonia

Coordenador: Rodrigo Garcez Programa de TV multiplataforma (TV aberta, pay tv e web série) dedicado à cena musical e sonora do estado de Santa Catarina, contemplando entrevistas em estúdio e apresentações musicais. Seu escopo abrange desde a música popular à erudita, passando por experimentalismo e paisagens sonoras.

atividades artísticoculturais no 18º congresso mundial de antropologia Coordenador: Miriam Pilar Grossi

Coordenadora: Maria de Fátima de Souza Moretti Nesta terceira edição, o Colóquio incentivou estudantes e artistas a se apropriarem ainda mais do universo que contempla as sombras e os objetos. Em quatro dias de evento foram realizados estudos, palestras, apresentações de espetáculos e discussões relacionadas ao Teatro de Animação.

62

Apoio a todas as atividades relativas à organização e realização do 18º Congresso Mundial da IUAES (International Union of Anthropological and Ethnological Sciences) que ocorreu entre 16 e 20 de julho de 2018. O evento é um espaço de reflexão coletiva sobre a antropologia e de criação e ampliação de redes acadêmicas globais, permitindo a emergência de novos eixos temáticos de análise antropológica e a produção de novas teorias.


Projeto: Antropofonia | Foto: Acervo coordenação do projeto

confraria literária do ca-ufsc: incentivo à leitura e ativismo cultural Coordenador: Arlyse Silva Ditter

Incentivo tanto à leitura de textos literários, prioritariamente, como também em outras linguagens (cinema, música, teatro), com vistas à formação do leitor. A atividade promove o ativismo cultural com um diálogo entre as comunidades interna e externa da UFSC.

exposição: ato nº 1

Coordenador: Cristina Colombo Nunes Exposição integrada a I Semana Acadêmica de Design, exibindo obras confeccionadas durante as oficinas oferecidas realizadas no evento. Um dos objetivos da ação é capacitar os mais diversos participantes com habilidades artesanais básicas que competem às áreas do Design, através de Oficinas gratuitas ministrada por alunos, professores e artistas locais.

63


Projeto: Confraria Literáriado CA - UFSC: incentivo à leitura e ativismo cultural | Foto: Acervo coordenação do projeto

fórum permanente de estudos sobre as artes negras da cena, história e cultura africana e afro-brasileira Coordenadora: Priscila Genara Padilha

Fórum permanente de estudos acerca de práticas e saberes das Artes Negras da Cena, História e Cultura Africana e Afro-Brasileira, aberto às três categorias (professores, técnicos e alunos) do Curso de Artes Cênicas, comunidade acadêmica da UFSC e de outras Instituições de Ensino, comunidade de Florianópolis, artistas locais e de interessados de outras regiões do país.

64


patrimônio cultural e presença negra em santa catarina Coordenadora: Joana Celia dos Passos

Aproximar os alunos do curso de graduação em artes cênicas das perspectivas de mercado de trabalho, auxiliando o aluno a planejar sua carreira após o término da graduação e incentivando a proatividade, a organização e o planejamento dos alunos.

Dialogar e reverberar questões que tangenciam as especificidades do universo do patrimônio cultural afro-brasileiro em Santa Catarina, considerando os territórios negros, as religiões de matriz africana, o samba, as comunidades quilombolas, juventude e educação.

perspectivas para uma carreira nas artes cênicas Coordenadora: Elisana de Carli

universidade federal de santa catarina model of united nations (ufscmun)

Coordenador: Daniel Ricardo Castelan

Evento de simulações de modelos da ONU que proporciona aos estudantes de graduação uma oportunidade de aproximação com as Organizações Internacionais estudadas em sala de aula. A partir do debate e discussão sobre temas atuais que concernem à comunidade mundial, é possível desenvolver um estudo sobre a política externa de diferentes países e sua representação em cada comitê.

65


BOLSA CULTURA O bolsa cultura é o programa de bolsas de extensão da SeCArte e m parce ria com a Pró-Re itoria de Exte nsão (PROEX), cujo objetivo é incentivar a participação de estudantes no desenvolvimento artístico cultural da Universidade através de projetos acadêmicos.

projetos contemplados no ano de 2019:

campus araranguá

66

Conexão Cultural: Museus e artes *

Ìlera - saúde, cultura e diversidade

Coordenadora: Eliane Pozzebon

Coordenador: João Matheus Acosta Dallmann

História Ilustrada: Relatos da cultura e história Mbya Guarani sob a ótica indígena

Mapeando e Promovendo as Atividades e Espaços Culturais na Região de Araranguá

Coordenador: Juarez Bento da Silva

Coordenadora: Kátia Cilene Rodrigues Madruga


campus blumenau Direitos humanos e diversidade: arte, ciência e tecnologias em movimento para uma educação alterizante Coordenadora: Renata Orlandi

campus curitibanos Cinema Mundo – Itinerante * Coordenadora: Monica Aparecida Aguiar dos Santos

Contando histórias sobre guarda responsável, saúde e bem-estar animal Coordenadora: Rosane Maria Guimarães da Silva

Cultura em evidência * Coordenadora: Carine Lisete Glienke

Culturas do Campo: as Identidades de Gerações Coordenador: Daniel Granada da Silva Ferreira

* Projetos contemplados também no ano de 2018.

67


Desenhando e desvendando fungos Fitopatogênicos * Coordenadora: Adriana Terumi Itako

Companhia de dança Entrevero Cultural Coordenadora: Carine Lisete Gllienke Projeto: Cinema Mundo | Foto: Acervo coordenação do projeto Projeto: Cultura em evidência | Foto: Acervo coordenação do projeto

Laboratório de Anatomia Animal de Portas Abertas para a Arte: uma proposta de integração entre artistas e estudantes * Coordenadora: Rosane Maria Guimarães da Silva

campus joinville Clube do Livro: viajantes estáticos, estímulo à leitura e discussões críticas Coordenador: Luís Orlando Emerich dos Santos Projeto: Difusão da ciência e tecnologia no espaço de ciência e tecnologia III | Foto: Acervo coordenação do projeto

Difusão da ciência e tecnologia no espaço de ciência e tecnologia III * Coordenadora: Tatiana Renata Garcia

Levando ritmo e percussão para as escolas públicas e comunidade de Joinville Coordenadora: Maria Simone Kugeratski Souza 68


campus florianópolis centro de ciências agrárias - cca Tecelagem artesanal de lã ovina e vivências em agroecologia para jovens e adultos com deficiência mental: Experienciando os ritmos da natureza e construindo autonomia

Projeto: Desenhando e desvendando fungos Fitopatogênicos

Coordenadora: Patrizia Ana Bricarello

centro de comunicação e expressão - cce XIII Semana acadêmica de cinema: Cinema, gênero e raça Coordenadora: Alessandra Soares Brandão

A canção brasileira do século XX aos dias atuais: programa essa é pra tocar na rádio * Coordenador: Marcos Antonio Rocha Baltar

* Projetos contemplados também no ano de 2018.

69


Projeto: Documenta - Galeria Digital Interativa | Foto: Acervo coordenação do projeto

Anima Jam Floripa Coordenador: Wiliam Machado de Andrade

Coordenadora: Clelia Maria Lima de Mello e Campigotto

Antropofonia *

Cineclube Rogério Sganzerla *

Arquivamento, licenciamento, curadoria e difusão das obras de animação realizadas na UFSC

Cineclube sessão de arte, à tarde na UFSC III: o autor-diretor no cinema de arte *

Coordenador: Rodrigo Garcez da Silva

Coordenador: Gustavo Eggert Boehs

70

Cine Paredão *

Coordenadora: Clelia Maria L. M. e Campigotto

Coordenador: Luiz Fernando Pereira


Criações Literárias Digitais Coordenador: Alckmar Luiz dos Santos

Curta UFSC em festivais 2019 Coordenador: Ranulfo Alfredo Manevy de Pereira Mendes

Projeto: Antropofonia | Foto: Acervo coordenação do projeto

Dialogando com a literatura italiana Coordenadora: Patricia Peterle Figueiredo Santurbano

Documenta: galeria digital interativa com documentários produzidos no Jornalismo UFSC/FASE II * Coordenadora: Maria José Baldessar

E-book – Perfis do Jornalismo – 40 anos do Curso de Jornalismo da UFSC Coordenadora: Melina de la Barrera Ayres

Projeto Cultural Cine Paredão | Foto: Acervo coordenação do projeto

Espaço Cultural Gênero e Diversidades - Gestão 2019/2020 Coordenadora: Rochelle Cristina dos Santos

Estudos Poéticos em Língua de Sinais Coordenadora: Fernanda de Araujo Machado

* Projetos contemplados também no ano de 2018. Projeto: Espaço Cultural Gênero e Diversidades | Foto: Acervo coordenação do projeto

71


Projeto Transmídia "Balança, Bruxa!" | Foto: Acervo coordenação do projeto

Extra [cine]: Atrás e além das câmeras *

Organização do IV Festival de Folclore Surdo Coordenadora: Fernanda de Araujo Machado

Coordenadora: Patricia de Oliveira Luva

Observa em Detalhes Exposição multimídia itinerante

Poderes do Som: I Conferência internacional de pesquisa em sonoridades

Coordenadora: Cristina Colombo Nunes

Coordenador: José Cláudio Siqueira Castanheira

Oficina, análise e criação de canções brasileiras executadas em violão e voz *

Promoção da Cultura de Sustentabilidade na UFSC por meio de Intervenções Artísticas II *

Coordenador: Marcos Antonio Rocha Baltar

72

Coordenador: Luiz Fernando Pereira


Projeto de montagem de Os Altruístas, de Nicky Silver

Live Flux *

Coordenador: Rodrigo Garcez da Silva

Coordenadora: Elisana de Carli

Projeto revista Punctum

Sarau Boca de Cena - diálogos entre literatura, música e imagem

Coordenador: Luiz Felipe Guimarães Soares

Coordenador: Ronaldo Lima

Projeto Transmídia “Balança, Bruxa!”

Valorizando o audiovisual indígena na UFSC

Coordenador: André Luiz Sens

Coordenador: Ranulfo Alfredo Manevy de Pereira Mendes

centro de filosofia e ciências humanas — cfh Exposição Virtual Sobre Memória e Direitos Humanos Coordenadora: Renata Cardozo Padilha

Los Nuestros — Um jogo de história * Coordenador: Waldir Jose Rampinelli

* Projetos contemplados também no ano de 2018.

73


Projeto: Literatura Indígena II | Foto: Acervo coordenação do projeto

Literatura Indígena *

Projeto: Utu Suru Baco Smica | Foto: Acervo coordenação do projeto

Renda de Bilros em Florianópolis: Arte, cultura e tradição

Coordenadora: Evelyn Martina Schuler Zea

Coordenador: José Messias Bastos

Proposta oficinas de artes na queimada

Utu Suru Baco Smica — Grupo de Teatro, Cinema e Terapia para Usuários do CAPS 2019 *

Coordenador: André Luiz Strappazzon

Coordenador: Marcos Eduardo Rocha Lima

centro socioeconômico — cse Circuito de Cinema Latino-americano e Caribenho Alí Primeira (CIRCULA) * Coordenador: Nildo Domingos Ouriques

Legendas em português de filmes para ampliar a cultura econômica Coordenador: Wagner Leal Arienti

74

SiEM — Simulação de Organizações Internacionais para Ensino Médio Coordenadora: Patricia Fonseca Ferreira Arienti


Projeto: Arte e cultura na formação universitária e no território | Foto: Acervo coordenação do projeto

centro de ciência da educação - ced VIII Seminário de Literatura Infantil e Juvenil — (R)e(X)istências literárias na contemporaneidade — (SLIJ) Coordenadora: Caroline Machado Momm

Arte e cultura na formação universitária e no território *

Espaço Estético — Colégio de Aplicação UFSC *

Coordenadora: Fabíola Cirimbelli Búrigo Costa

Na Roda da Vida: Capoeira e Resistência * Coordenadora: Danuza Meneghello

Coordenadora: Monica Fantin

Confraria Literária do CA - UFSC: incentivo à leitura e ativismo cultural * Coordenadora: Arlyse Silva Ditter

Procura-se um Leitor Coordenadora: Arlyse Silva Ditter

* Projetos contemplados também no ano de 2018.

75


projetos contemplados no ano de 2018:

campus araranguá Estranhos ou Estrangeiros Coordenadora: Kátia Madruga

HQ: Mulheres na Ciência e na Tecnologia Coordenadora: Luciana Bolan Frigo

campus curitibanos Cultura em Evidência Coordenadora: Carine Lisete Glienke

Dança de salão: socialização e vivência em grupo Coordenadora: Carine Lisete Glienke

76

Luz, Câmera, Educação na EEB Edmundo Coordenadora: Monica Aparecida Aguiar dos Santos


Projeto: Cultura em Evidência | Foto: Acervo coordenação do projeto

campus joinville Ampliando Repertório pelo Cinema

Oficina de Introdução Rítmica Percussiva

Coordenadora: Cátia Regina Silva de Carvalho Pinto

Coordenadora: Silvia Lopes de Sena Taglialenha

77


Projeto: Artes Cênicas UFSC: 10 anos de transformação pela arte | Foto: Acervo coordenação do projeto

Projeto: Organização do IV Festival de Folclore Surdo | Foto: Acervo coordenação do projeto

centro de comunicação e expressão - cce XII Semana Acadêmica de Letras Coordenador: José Ernesto de Vargas

IV Semana da Dança Coordenadora: Débora Zamarioli

12º FITA - Festival Internacional de Teatro de Animação Coordenadora: Maria de Fátima de Souza Moretti

78

III Festival de Folclore Surdo Edição 2018 Coordenadora: Rachel Sutton-Spence

Artes Cênicas UFSC: 10 anos de transformação pela arte Coordenadora: Elisana de Carli


Projeto: FITA - Festival Internacional de Teatro e Animação | Foto: Green Multimídia (2015)

Projeto: Cantos de Gaia | Foto: Acervo coordenação do projeto

79


80 Espetáculo: Insânia Loquaz: Libras | Foto: Amanda Moreira (2018)


Audiolivros: a literatura através da voz Coordenador: José Ernesto de Vargas

Projeto: Espaço Cultura, Gênero e Diveridades | Foto: Acervo coordenação do projeto

Cantos de Gaia: Alquimias Sonoras Coordenadora: Janaina Trasel Martins

Projeto: Cinema Mundo | Foto: Acervo coordenação do projeto

Espaço Cultura Gênero e Diversidades Coordenadora: Simone Pereira Schmidt

Grupo Iluminadores Aprendizes Coordenadora: Priscila Genara Padilha

Insânia Loquaz: Libras Coordenador: Tarcisio de Arantes Leite Projeto: Seminário NELIC | Foto: Acervo coordenação do projeto

Projeto Cinema Mundo Coordenador: Márcio Markendorf

Seminário NELIC - Poesia, memórias e arquivos: Dora Ferreira da Silva (1918-2006) Coordenadora: Maria Lúcia de Barros Camargo

81


Projeto: Som e Palavra, Poesia e Imagem: gravações de peças para rádio e poesias | Foto: Acervo coordenação do projeto

Projeto: A Arte de Contar Histórias | Foto: Acervo coordenação do projeto

Som e Palavra, Poesia e Imagem: gravações de peças para rádio e poesias

Um itinerário de magia nas brincadeiras infantis indígenas em SC

Coordenadora: Dirce Waltrich do Amarante

Coordenador: Ivan Luiz Giacomelli

centro de ciência da saúde - ccs

A Arte de Contar Histórias: benefícios para o desenvolvimento cognitivo, social, emocional e cultural da criança Coordenadora: Patrícia Haas

Cinzas do arco-íris: sociofotografando idosos gays e lésbicas do Município de Florianópolis Coordenador: Rodrigo Otávio Moretti Pires

Núcleo de Humanização Arte e Saúde Coordenador: Walter Ferreira de Oliveira

82


Projeto: Café Psicoantropológico | Foto: Acervo coordenação do projeto

centro de filosofia e ciências humanas - cfh Café Psicoantropológico Coordenadora: Andrea Zanella

Apoio e Realização do 18º Congresso Mundial da IUAES Coordenadora: Miriam Pillar Grossi

Arte e conhecimento: populações Indígenas, Educomunicação e Antropologia em documentos e diálogos audiovisuais

Música e Cultura Coordenador: Maria Eugência Dominguez

Pescadores de Cultura: Promoção de saúde com crianças e jovens em situação de vulnerabilidade Coordenador: Daniela Ribeiro Schneider

Coordenador: Alberto Groisman

83


Projeto Arte e Cultura na Formação Universitária e no Território

centro tecnológico - ctc CINEARQ Coordenador: Eduardo Westphal

centro de ciência da educação - ced Espaço Estético Colégio de Aplicação UFSC Coordenadora: Fabiola Cirimbelli Búrigo Costa

Negras Vozes - Resistências Culturais em SC Coordenadora: Joana Célia dos Passos

Projeto Arte e Cultura na Formação Universitária e no Território Coordenadora: Monica Fantin

84

Projeto: Negras Vozes Resistências Culturais em SC | Foto: Acervo coordenação do projeto


Espetáculo: A Era dos Terremotos (ou vai piorar) | Foto: Laura Gedoz (2017)

85

Profile for SeCArte Secretaria de Cultura e Arte da UFSC

Caderno SeCArte | 1ª Edição 2016-2019  

Caderno SeCArte | 1ª Edição 2016-2019  

Profile for secarte
Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded