Page 1

2

0

0

8


2

0

0

8


Ficha Técnica Direitos Autorais Serviço Social do Comércio Administração Regional em Pernambuco Equipe Técnica de Planejamento Minéya Helga Gerente de Planejamento e Orçamento Maurício Ciríaco Chefe do Setor de Planejamento e Estatística Josué Pinto Estagiário de Economia Ana Paula Machado Estagiária de Administração Flauberto de Mello Assistente Administrativo II Marcelo Duarte Assistente Administrativo I Equipes envolvidas na elaboração do Plano de Ação Direção Regional Gerência de Planejamento e Orçamento Gerência do Banco de Alimentos Gerência de Recursos Humanos Assessoria de Comunicação Gerências e equipes técnicas das Unidades Executivas Direção e coordenações técnicas da Divisão de Atividades Sociais Direção e coordenações técnicas da Divisão de Educação e Cultura Direção e chefias de seções da Divisão de Administração e Finanças Conceituação do Projeto Minéya Helga Projeto Gráfico Corisco Design Gráfico Raul Aguiar | Fátima Finizola Referências Bibliográficas Borba, Hermilo. Apresentação do Bumba-meuboi. Editora Guararapes Ltda. Recife, 1982. Encarte Cultural Brincantes, Nº8. Jornal do Commércio. Recife, 2000.


Administração Regional Conselho Regional Titulares Josias Silva de Albuquerque Presidente André Luiz Montenegro Antônio Maciel Lins Carlos Aurélio de Carvalho Nunes Diógenes Domingos de Andrade Filho Fernando Melo Catão Flávio d’Almeida Guedes Guilherme Ferreira da Costa João Jerônimo da Silva Filho José Lourenço Custódio da Silva José Stélio Soares Nara Regina Martinuzzi Castilho Severino Nascimento Cunha Sílvio Antônio Vasconcelos Souza Valmir de Almeida Lima

Suplentes Ivan José de Carvalho Galvão João Lima Cavalcanti Filho José Francisco da Silva Paulo Antônio Leitão Maranhão Umberto Ferreira Leal

Departamento Regional Antônio Inocêncio Lima Diretor Regional Diretor da Divisão Administração e Finanças em Exercício Minéya Helga Novaes Santos Gerente de Planejamento e Orçamento Sílvia Cavadinha Cândido dos Santos Diretora da Divisão de Atividades Sociais Teresa Cristina da Rosa Ferraz Diretora da Divisão de Educação e Cultura


Dados gerais sobre a Unidade Jurisdicionada Nome Completo da Unidade e Sigla Serviço Social do Comércio (Sesc) Administração Regional em Pernambuco CNPJ 03.482.931/0001/61 Natureza Jurídica Entidades que gerenciam recursos parafiscais. Vinculação Ministerial A Lei nº 10.683, de 28 de maio de 2003, publicada no DOU de 29 de maio de 2003, art. 27, II, letra L dá competência ao Ministério da Assistência Social e Combate à Fome para aprovar Orçamento Geral do Serviço Social do Comércio. Vinculação com o Setor Privado Os recursos empregados na implementação e no desenvolvimento dos programas sociais são oriundos da contribuição de 1,5% (um e meio por cento) sobre o total da folha de pagamento das empresas contribuintes, conforme disposições contidas na Lei nº 5.107, de 13 de setembro de 1966, publicadas nas páginas 10.587 do Diário Oficial de 14 de setembro de 1966. Esta contribuição, amparada pelo artigo 240 da Constituição Federal Brasileira de 5 de outubro de 1988, é obrigatória às empresas enquadradas no plano da Confederação Nacional do Comércio (CNC). Endereço Completo da Sede Rua 13 de Maio, 455, Santo Amaro – Recife-PE CEP 50.100-160 Fone: (81) 3216-1616| Fax: (81) 3221-4676 Endereço na Internet www.sesc-pe.com.br

Normativos de Criação, Definição de Competências e Estrutura Organizacional e Respectiva Data de Publicação no Diário Oficial da União O Decreto-Lei nº 9.853, de 13 de setembro de 1946 criou o Serviço Social do Comércio, aprovado pelo Decreto nº 61.836, de 5 de dezembro de 1967. Em 27 de março de 1968 a resolução CNC nº 24/68 e Sesc nº 82/68 aprovou o Regimento Interno do Sesc. Código das UJ Titular do Relatório Não se aplica ao Sesc. Código das UJ Abrangidas Não se aplica. Não consolida outras unidades. Situação da Unidade Quanto ao Funcionamento Em funcionamento. Função de Governo Predominante Não se aplica. O Sesc é uma empresa privada. Tipo de Atividade Assistência Social. Unidades Gestoras Utilizadas no Siafi Assistência Social.


Apresentação A Administração Regional do Sesc Pernambuco está atenta às mudanças e perspectivas nos cenários políticos, econômicos e socioambientais em níveis do Estado, do Brasil e do mundo. É com esse olhar que se cumpre a missão em permanente alinhamento com as Diretrizes do Sesc para o Qüinqüênio 2006-2010. A instituição apoia-se no planejamento estratégico para o aprimoramento do modelo de gestão, elevação da qualidade de serviços, desenvolvimento de equipes, modernização da infraestrutura, visibilidade institucional, investimentos em tecnologias informacionais e de trabalho, elementos imprescindíveis à oferta de serviços sociais à clientela comerciária, sua família e à comunidade em geral. Desde o início da nossa gestão, em 2000, a educação foi eleita como uma prioridade, e na compreensão de que educação se faz por inteiro, integram-se a essa proposta os serviços dos diversos programas do Sesc. Nessa direção, foram construídos seis centros educacionais do Sesc Ler e mais um que será inaugurado no município de Goiana até 2010. Os resultados de crescimento nessa área são evidentes: a educação infantil passou de 29 turmas em 2000 para 43 em 2008; foi implantada a educação de jovens e Adultos (EJA), chegando a 2008 com 72 turmas. O modelo de educação desenvolvido pelo Sesc em Pernambuco tem atraído uma demanda pela ampliação dos serviços educacionais e para atendê-la serão construídas dez salas de aula em cada centro. Com esse fortalecimento interno, o Regional pode cumprir sem transtornos o Plano de Comprometimento de Gratuidade (PCG), previsto no Decreto nº 6.632, de 5 de novembro de 2008, que estabelece a aplicação de 33,33% dos seus recursos compulsórios até 2014 para o acesso gratuito aos serviços com maior caráter educativo, distribuídos ao longo dos programas Educação, Saúde, Cultura, Lazer e Assistência. A educação corporativa apresenta-se sempre pujante e arrojada, dentro de um programa de qualificação profissional baseado no desenvolvimento de competências das equipes para a oferta dos seus serviços sociais. Destacam-se a interiorização e a expansão do programa por meio de capacitações presenciais e, sobretudo, de educação a distância, através da ferramenta IPTV. Sua implantação nas unidades do interior tem gerado uma ótima relação custo-benefício, com maior acessibilidade ao conhecimento e em tempo real; a participação de maior número de colaborado-


res nas capacitações, treinamentos e reuniões virtuais; a redução de custos na mobilização de nossos colaboradores, entre outros. Em 2008, os resultados apontam 3.263 presenças ao longo das 97 ações de capacitações realizadas, com a mobilização de recursos financeiros na ordem de R$ 249.912,80, a um custo por presença de R$ 76,58. Dentro da política de modernização da organização, permeiam investimentos em construção, ampliação e reforma do patrimônio físico, para ofertar espaços qualificados que proporcionem conforto aos comerciários de bens, serviços, turismo e à comunidade em geral. O Regional conta com um plano diretor de investimentos até 2011, financiados com recursos do Departamento Nacional e do DR. Na execução do plano em 2008 foram inaugurados quatro parques aquáticos nas unidades do Sesc Ler, dispondo de piscinas, quadras e campos, de modo a diversificar a infraestrutura oferecida para a realização de atividades esportivas e recreativas, com funcionamento também nos fins de semana. É por meio da gestão empreendedora que se verifica no exercício de 2008 a efetividade da missão através dos indicadores de resultados como a emissão de 68.341 carteiras de matrículas ao comerciário e seus dependentes; a realização de 126.849 inscrições em cursos, minicursos, campeonatos e torneios esportivos, entre outros; a geração de 27.562.359 atendimentos nos serviços dos programas Educação, Saúde, Cultura, Lazer e Assistência nas oito unidades executivas; dois Centros de Turismo e Lazer; seis unidades de Sesc Ler; quatro unidades móveis, cinco pontos de distribuição do Banco de Alimentos e uma agência de turismo social, além da utilização de espaços externos. Esses resultados só foram possíveis graças aos nossos colaboradores e gestores, que contribuem para dar vida a tudo o que é o Sesc; aos nossos parceiros, que de forma generosa confiam no nosso trabalho; aos membros do Conselho Regional, pilares fundamentais para a importância da instituição no cenário empresarial deste Estado e do país; e a todos os que, no passado e no presente, nos auxiliaram a disseminar a nossa missão. A vocês, nosso muito obrigado. Antônio Inocêncio Lima Diretor Regional


Coord.

e Meio Ambiente

em


Gestão da Gerência de Planejamento e Orçamento


Estrutura Organizacional


15

Relatório de Gestão 2008

1. Estrutura Organizacional 1.1 Estrutura Organizacional O Sesc Pernambuco, criado no dia 5 de março de 1947, é uma instituição de direito privado que é mantida pelos empresários do comércio de bens, serviços e turismo, e não executa nem gerencia políticas públicas de governo. A missão do Sesc é proporcionar o bem-estar social ao trabalhador do comércio de bens e serviços, bem como aos seus dependentes, com o objetivo de colaborar para a formação cidadã pelo protagonismo social, viabilizado pelas 19 atividades, organizadas em cinco programas sociais: Educação, Saúde, Cultura, Lazer e Assistência. A estrutura programática conta ainda com o desenvolvimento de mais dois programas - administração e previdência. Em sua estrutura organizacional, a Administração Regional conta com cinco níveis de responsabilidade: Direção Regional, direções de divisões, gerências de área, assessoria e unidades executivas. Hoje são oito unidades executivas, dois Centros de Turismo e Lazer, seis Centros Educacionais Sesc Ler, cinco Bancos de Alimentos, uma unidade de atendimento ao turismo social, duas unidades OdontoSesc, uma unidade do BiblioSesc e uma unidade TeatroSesc, totalizando 26 unidades operacionais, entre fixas e móveis.

Infraestrutura do regional 8 2 6 5 1 4 1 10 10 1

Unidades Operacionais Centros de Turismo e Lazer Centros educacionais SESC Ler Unidades de Banco de Alimentos Unidade de Atendimento ao turismo social Unidades Móveis Centro de Convenções Centros de eventos Centrais de Atendimento Sede

1.2 Planejamento Estratégico A necessidade de estar preparado para minimizar as incertezas do ambiente impulsionou o Departamento Regional de Pernambuco (DR/PE) a implantar em 2000 o planejamento estratégico (PE) como meio norteador para as suas ações, tendo em vista um futuro com sustentabilidade. Abaixo são destacadas as orientações e diretrizes estratégicas. Missão Proporcionar a melhoria da qualidade de vida do trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo, da sua família e da comunidade pernambucana, contribuindo para a construção da cidadania através da educação, cultura, esporte, lazer, saúde e assistência.


Visão 2008-2010 Ser reconhecida como a melhor entidade para o bem-estar socioambiental no Estado de Pernambuco. Valores * Ação educativa permeando todas as atividades, com comprometimento ético e socioambiental. * Qualidade e visibilidade nos seus produtos e serviços. * Transparência nas ações, processos e procedimentos. Prioridades – 2008 Avançar na qualidade dos serviços prestados, bem como na pontualidade, agilidade, customização, criatividade, entre outros; elevar a visibilidade institucional; fazer as receitas próprias (operacionais, aluguéis e contratos simples) cobrirem o equivalente a 50% das despesas correntes; manter a folga orçamentária de 20% nas despesas correntes; conceber um código de conduta ética profissional, tornando-o um instrumento de gestão; criar e implantar a Agenda 21 no Sesc Pernambuco. Finalidade Estudar, planejar e executar medidas que contribuam para o bem-estar social e a melhoria do padrão de vida do trabalhador do comércio de bens e serviços e de sua família, bem como para o aperfeiçoamento da coletividade, através de uma ação educativa que, partindo da realidade social do país, exercite os indivíduos e os grupos para a adequada e solidária participação numa sociedade democrática. Princípios - Ação Educativa Como Diferencial A diretriz básica do Sesc é a de realizar, através de sua programação, um trabalho eminentemente educativo que contribua para o desenvolvimento econômico e social do país, reduzindo os níveis de pobreza e de exclusão social. O Sesc prioriza em sua atuação a educação inclusiva, promovendo, através da transmissão de valores sociais essenciais, o desenvolvimento integral do indivíduo para o exercício pleno da cidadania em qualquer fase da vida da pessoa. É, pois, a ação educativa que distingue e singulariza o trabalho do Sesc, ampliando a ação institucional para além dos limites da prestação de serviços. Diretrizes do Quinquênio 2006-2010: 1. Crescimento Equilibrado É legítima e necessária a determinação do Departamento Regional de ampliar os serviços para a clientela, de aumentar sua abrangência e efetividade social, limitando tal crescimento aos recursos disponíveis. 2. Foco na Clientela Preferencial As Diretrizes Gerais de Ação definem como clientela do Sesc o trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo e seus dependentes. Essa definição não exclui a possibilidade de atendimento eventual de outras categorias, desde que este procedimento não implique em prejuízo do público alvo.

Estrutura Organizacional

16


Relatório de Gestão 2008

3. Serviços Subsidiados Os serviços do Sesc devem ser prioritariamente subsidiados com os recursos oriundos da receita compulsória. Os preços dos serviços pagos pela clientela devem ter caráter educativo e formativo, sem propósito de remuneração dos custos. 4. Não Competir no Mercado Não há concorrência com o mercado quando se atende uma clientela diferenciada a preços subsidiados. A incidência da concorrência com o mercado será inversamente proporcional à ênfase social e educativa dos serviços oferecidos. 5. Critérios para Terceirização de Serviços Não é recomendável a terceirização de atividades que constituem a natureza e essência do Sesc, ou seja, as atividades da área fim. Convênios, parcerias, patrocínios, apoios, excluem-se do conceito de terceirização, sendo, portanto, práticas viáveis como instrumento de gestão. 6. Otimizar Os Recursos Disponíveis Otimizar os recursos físicos, humanos e financeiros das ações; Reduzir custos das atividades sem perda da qualidade; Incentivar a qualidade técnica como forma de desenvolver métodos e processos inovadores. 7. Estabelecer Parcerias, Convênios e Patrocínios Parcerias, convênios e patrocínios constituem-se em alternativas recomendadas ao crescimento equilibrado frente às demandas impostas pela classe trabalhadora e sociedade. 8. Modernização Administrativa O Sesc é uma Entidade de direito privado administrada por empresários. Uma das marcas da empresa privada é a competência técnica de seus executivos e gerentes. A moderna ciência da administração aperfeiçoa-se a cada dia. Temos que acompanhar esses avanços, atualizando-nos sempre. 9. Valorizar o Planejamento Fator fundamental em uma gestão profissional é a centralidade dada ao planejamento e sua qualidade. Valorizar o planejamento é fazê-lo instrumento de concretização de intenções, caminhos e soluções. 10. Priorizar o Desenvolvimento Técnico-Profissional O Sesc é uma Entidade de prestação de serviços que, por isso mesmo, tem nos recursos humanos o seu capital mais importante. É necessário, portanto, pessoal qualificado e capaz de operar equipamentos com eficiência para o alcance de tais resultados. O desenvolvimento técnico deve, portanto, ter alta prioridade. 11. Valorizar os Recursos Humanos Um programa intenso de desenvolvimento técnico não pode deixar de estar associado a uma política de valorização dos Recursos Humanos. Valorizar significa, antes de tudo, salários compatíveis com a qualificação dos profissionais e uma política adequada de benefícios. 12. Intensificar as Ações de Afirmação Institucional O Sesc precisa ser ainda mais conhecido e valorizado em setores importantes da sociedade. Para que o fortalecimento do reconhecimento social seja possível e verdadeiro, é


16

13. Enfatizar os Programas Cultura e Lazer A ênfase nos programas de cultura e lazer apóia-se na constatação da importância dos mesmos no desenvolvimento pessoal e social de sua clientela, e de seu significado no processo de desenvolvimento de nossa sociedade. Acrescente-se que cultura e lazer fazem parte, hoje, da pauta básica de reivindicações dos trabalhadores. Cuidados se fazem necessários no sentido de evitar que o Sesc se torne apenas uma correia de transmissão dos interesses da indústria do lazer e cultura de massas. Não cabe ao Sesc ser um repetidor de expressões do lazer e da cultura. Deve, portanto, o trabalho do Sesc estabelecer-se como espaço de viabilização de produções artístico-culturais que buscam responder às inquietações que as artes na contemporaneidade provocam naqueles que têm a criação artística como seu ofício. 14. Priorizar o Social nas Ações de Turismo O Sesc, coerente com sua missão social, pretende responder à aspiração da clientela de ampliar seus horizontes de nacionalidade, ou seja, conhecer um Brasil que não conhece, conhecer novas terras, novas gentes e viver experiências num novo espaço geográfico e cultural, no qual se sinta livre dos condicionamentos do seu cotidiano laboral e social. Ao adjetivar o Turismo oferecido à sua clientela como social, a Entidade procurou distinguir a quem oferece o serviço prioritariamente, daqueles que as agências de turismo têm como público-alvo preferencial. Significa dizer, portanto, que a clientela preferencial da atividade Turismo Social deve ser constituída pelo segmento de menor renda de nossa clientela legal. São estes que, pela impossibilidade financeira de recorrerem ao mercado, são o objeto da atividade. O atendimento a outros públicos deverá ser realizado preferencialmente fora da alta temporada, quando nossas Unidades forem susceptíveis de capacidade ociosa. 15. Ação Modelar nos Programas Educação, Saúde e Assistência A principal contribuição que o Sesc pode oferecer nos programas de educação, saúde e assistência é o exercício de um de seus mais importantes papéis em relação ao aperfeiçoamento social: a função propositiva. Pode-se afirmar que a ação programática propositiva tem sido o diferencial do Sesc em relação ao Estado e outras organizações: tanto no pioneirismo no atendimento a necessidades ainda não plenamente percebidas, quanto em formas inovadoras de atendimento com garantia de qualidade e competência. Assim, nos Programas Educação, Saúde e Assistência o objetivo deve ser o de excelência, ou seja, de criar, aperfeiçoar e estabelecer concepções e modelos de trabalho que possam ser adotados e replicados por outras organizações e pelo próprio Estado. Ser modelo para a sociedade é a forma viável de contribuir para transformá-la.

Estrutura Organizacional

indispensável à fidelidade à missão original e a busca permanente para tornar o trabalho melhor, mais efetivo e mais indispensável.


Relat贸rio de Gest茫o 2008 15


16

Destaques da Gestão Regional * Foco na austeridade; legalidade dos atos fiscais e de pessoal; transparência; controle e economicidade das compras de bens e serviços. * Reestruturação da Central de Turismo e criação da Coordenação de Atendimento ao Cliente. * Modernização e inauguração dos parques aquáticos e das áreas esportivas do Sesc Ler São Lourenço da Mata, Sesc Ler Surubim, Sesc Ler Buíque e Sesc Ler Bodocó. * Crescimento sólido, com folga orçamentária de 15%, superávit financeiro na ordem de 7 milhões e reserva técnica para 150 dias. * Ampliação da infraestrutura do teleférico no CTL Triunfo com a implantação de lanchonetes, cobertura, lojas de artesanato, a fim de oferecer maior conforto à clientela. * Inauguração das novas instalações da unidade do Banco de Alimentos de Arcoverde. * Instalações da tecnologia de IPTV nas unidades de Surubim, São Lourenço, Belo Jardim, Caruaru, Garanhuns, Petrolina, Arcoverde, Triunfo, Bodocó, Araripina e Buíque; facilitando a disseminação da informação e a redução do custo de deslocamento. * Implementação do novo gerenciador de mensagens instantâneas Spark, com a opção de voz, diminuindo o gasto com ligações telefônicas nas unidades em que foram instaladas: Santa Rita, Petrolina, Casa Amarela, Piedade, Almoxarifado Central, Caruaru, Arcoverde e Triunfo. * Criação de um novo domínio para e-mail @sescpe.com.br, de modo que sua gestão deixou de ser feita pelo Departamento Nacional para ser realizada pelo próprio Regional de Pernambuco com a lotação na Seção de Informática. * Projetos de maior inclusão dos comerciários: Escola em Tempo Integral; e Lazer, esportes e recreação nos finais de semana para os comerciários e as comunidades. Gestão da Divisão de Educação e Cultura A Divisão de Educação e Cultura (DEC) no exercício de 2008 fortaleceu a gestão participativa com a realização sistemática de reuniões com a diretoria e os coordenadores, objetivando socializar informações significativas referentes ao acompanhamento e avaliação dos projetos desenvolvidos nas unidades executivas/móveis e Centros Educacionais Sesc Ler. No ano de 2008, os resultados dos programas Educação e Cultura totalizaram 26.199 inscrições e 3.727.341 atendimentos, que também incluem os serviços oferecidos nas unidades móveis TeatroSesc e BiblioSesc, que, com sua capacidade itinerante, constituíram-se em braços importantes para que a entidade oferecesse serviços a localidades distantes e com dificuldade de acesso a serviços básicos. No que se diz respeito à programação desenvolvida em 2008, destacam-se a realização em janeiro da 3ª Feira do Troca-Troca de Livros, onde foram arrecadados 6.500 exemplares e trocados aproximadamente 4.000 livros. A feira acontece no ginásio do Sesc Santo Amaro, acompanhada pela coordenação de biblioteca, juntamente com os técnicos das unidades executivas da capital e da Região Metropolitana do Recife. Merece destaque a primeira edição do Projeto Biblioeduc, realizada pelo Sesc Santa Rita, com a finalidade de atrair os jovens para uma aproximação com os autores pernambucanos, disseminando o hábito de leitura entre os estudantes de 10 a 17 anos da rede pública do Recife.

Estrutura Organizacional

1.2.1 Síntese das Realizações


Relatório de Gestão 2008

Em março ocorreu a inauguração do Centro Educacional Sesc Ler São Lourenço da Mata, permitindo a ampliação dos serviços oferecidos à população do bairro de Tiúma, que apresenta demanda reprimida para as atividades específicas da divisão. Na atividade de cultura, o Programa Cinema no Sesc se consolidou como uma das opções de lazer durante as férias escolares de janeiro de 2008, com atração em três frentes: cinema educação, cinema comunitário e formação de plateia, que se referem à realização de cursos na área. Ressalta-se ainda que foi firmado convênio com as prefeituras de Itamaracá, Igarassu e Itapissuma com a finalidade de disponibilizar a unidade móvel BiblioSesc para consulta e locação gratuita de livros, contribuindo para ampliar o interesse da comunidade pela leitura. No Programa Cultura o Departamento Nacional autorizou para o DR Pernambuco a implantação pioneira de dois laboratórios de autoria com a finalidade de acolher e disseminar a produção literária local. Esses laboratórios estão localizados nas unidades executivas de Santa Rita e Garanhuns. Na Páscoa, a unidade executiva Sesc Arcoverde apresentou, durante a Semana Santa, o espetáculo Horizonte das Paixões, que já vem se consolidando no Estado como mais um destino turístico cultural, contando com o apoio do DN e da prefeitura do município onde a unidade está localizada. Em julho de 2008 foi inaugurado o Centro Educacional Sesc Ler Bodocó, ampliando os serviços na área de recreação e de cultura com a criação de um curso de teatro, oferecido à comunidade. Em setembro de 2008, foi inaugurado o parque esportivo e aquático do Centro Educacional Sesc Ler Buíque, dotando o município de mais opção de lazer e de entretenimento, com a participação das unidades móveis TeatroSesc e BiblioSesc. Registra-se ainda todo o aporte do Departamento Nacional para a realização anual dos macroprojetos Palco Giratório e Sonora Brasil, que têm como desdobramentos os projetos Aldeia do Velho Chico (Sesc Petrolina), Arena Teatral (Sesc Piedade) e Na Onda da Dança (Sesc Piedade). Foi realizada a terceira edição do Natal Triunfo, que conjuga atividades de desenvolvimento artístico e cultural com a realização de oficinas para construção da decoração natalina, canto coral e teatro, tendo em vista a preparação da comunidade para vivenciar o Natal Cultural. Assim, buscamos materializar as diretrizes gerais da entidade, direcionando nossa ação para o caráter educativo, que permeia todas as nossas atividades, uma vez que estudos e pesquisas apontam que o crescimento e o desenvolvimento das nações só ocorrerão com o investimento em capital físico e humano, que se dá por meio da educação. Desse modo, propiciamos o enriquecimento espiritual dos indivíduos e contribuímos para a formação de “cidadãos ativos e conscientes para vivenciarem o processo de desenvolvimento político, econômico e social brasileiro”. Gestão da Divisão de Atividades Sociais O exercício de 2008 caracterizou-se pela vivência da nova concepção organizacional des-


centralizada, tendo a Divisão de Atividades Sociais (DAS) sido o epicentro da gestão dos programas Assistência, Lazer e Saúde, entre os demais projetos, serviços e ações que compõem essa área de atuação. Como ponto de interseção maior à consolidação estratégica da gestão empregada, impulsionou-se um novo DNA organizacional. A iniciativa eliminou a subordinação dos serviços de matrículas, central de atendimento e financiamentos do Fundo de Atendimento ao Comerciário (Funac), da Coordenação de Turismo Social, considerando que anteriormente essas ações eram intrínsecas à referida coordenação. Instituiu-se, assim, o cargo de coordenador para a gestão do Centro de Relacionamento com o Cliente (CRC), diretamente ligado à DAS, ampliando-se os citados serviços e aprofundando a ação programática direcionada ao público interno e externo. Quanto à Coordenação de Turismo Social, proporcionou-se uma maior adequação de sua estrutura física e programática com mudança de espaço físico e direcionamento dos recursos humanos, exclusivamente voltados à atividade turística. Outra condução estratégica verificada diz respeito ao atendimento das Diretrizes Gerais para o Quinquênio 2006–2010, ressaltando o ciclo de palestras de educação ambiental com aplicação de questionários para obtenção do diagnóstico e percepção do cliente interno acerca das questões relacionadas ao meio ambiente. O estudo piloto foi realizado com os funcionários lotados na sede desta administração, além das unidades do Sesc Santo Amaro, Sesc Garanhuns e dos Centros de Turismos e Lazer situados em Garanhuns e Triunfo. Essa programação será mais intensificada no próximo exercício, devendo abranger todas as unidades deste Regional, visando sensibilizar os funcionários e a clientela para a defesa do planeta Terra. Por fim, merece ser ressaltada a inauguração dos complexos esportivos dos Centros Educacionais Sesc Ler localizados nos municípios de Bodocó, Buíque, São Lourenço da Mata e Surubim. A estratégia visou enriquecer e interiorizar a programação de lazer e esportiva da entidade, para que seus beneficiários e a comunidade tenham mais opções sadias de utilização do tempo livre. Como fatores que proporcionaram uma maior visibilidade institucional nas áreas da educação coorporativa e da função programática da entidade, tem-se que registrar algumas ações impulsionadoras, como: * Publicação e apresentação na X Conferência Internacional Global do artigo científico O turismo social como fator de inclusão: o caso do Centro de Turismo e Lazer (CTL) Sesc, proveniente do curso de pós-graduação gestão estratégica para executivos do Sesc, em convênio com a Fundação Getúlio Vargas (FGV) e o Departamento Nacional do Sesc. * Apresentação do artigo já referido no item anterior no I Encontro de Gestão em Eventos Esportivos da Universidade de Pernambuco (UPE). * Introdução do Projeto Olimpíada do Comerciário, que congregou mais de 32 empresas do comércio, que disputaram diversas modalidades esportivas, aquecendo a demanda pelos serviços de matrícula no Sesc, uma vez que os atletas teriam que ser comerciários. * Introdução dos municípios de Garanhuns, Petrolina, Triunfo, Arcoverde e Caruaru no projeto de âmbito nacional Dia do Desafio, que tem o propósito de esclarecer e incenti-

Estrutura Organizacional

16


Relatório de Gestão 2008

var as pessoas acerca dos benefícios oriundos da prática regular de exercícios físicos. * Sistematização de projetos nas áreas de saúde, esportes e recreação voltados para a qualificação tanto dos recursos humanos desta entidade quanto dos profissionais da comunidade, destacando-se o Seminário de Saúde e Qualidade de Vida no Sesc Garanhuns, o curso Recri-Ação – Transformando através do lúdico e o curso de recreação com o tema o eixo movimento na educação infantil como uma proposta de planejamento, ocorrido no Sesc Arcoverde. * Continuação do processo de interiorização do Projeto Colmeia – Feira de Saúde e Cidadania, desta vez no município de Arcoverde, além da realização no Recife, Petrolina e Caruaru. * Participação na Corrida das Bandeiras, fortalecendo a parceria com o Exército Brasileiro, tendo o Sesc-PE introduzido a premiação exclusiva para a categoria comerciária, cujos primeiros colocados foram contemplados com a participação na tradicional Corrida de São Silvestre, em São Paulo. * Enriquecimento dos conteúdos técnicos e programáticos das diversas áreas, por meio das capacitações realizadas pelo Departamento Nacional utilizando a tecnologia IPTV, além da orientação e supervisão, in loco, de seus técnicos nas áreas de educação em saúde, recreação e turismo social. Com relação aos indicadores quantitativos, pode-se verificar a resposta significativa emanada dos programas e atividades desta área, estando suas análises explicitadas nos relatórios específicos ao longo deste documento. Grifam-se, sobretudo, os resultados dos programas Saúde, com 2.233.732 atendimentos e 118,01% de eficácia, e Lazer, expressos por meio dos 2.162.136 registros, tendo ultrapassado a meta anual prevista em 14,09%. O Programa Assistência atendeu 88,67% de sua previsão, com 18.355.866 atendimentos previstos, estando incluídas as metas de todas as ações do Projeto Mesa Brasil/Banco de Alimentos, que contou com uma estimativa bastante otimista, dificultando a meta da atividade Ação Comunitária, que compõe esse programa. Excluindo-se as metas e realizações da citada atividade do cômputo geral de assistência, o programa teria atendido a sua meta anual em 111,21%. Com relação às receitas de serviços, evidenciou-se que as atividades mais representativas em todo o Sesc-PE no referido indicador foram as de nutrição, turismo social e desenvolvimento físico-esportivo. O resultado demonstra o interesse da clientela em investir em ações que visam proporcionar melhor qualidade de vida e que contribuam para a construção da cidadania buscando uma sociedade com mais oportunidades para todos.


16

Previsto

Realizado

% Eficácia

Educação Infantil

1.108

1.170

105,60

197.416

189.222

95,85

Educação Fundamental

1.071

1.213

113,26

776.704

801.836

103,24

Descrição

Inscrições

Atendimentos Previsto

Realizado

% Eficácia

Educação de jovens e adultos

1.645

1.992

121,09

965.762

993.881

102,91

Educação Complementar

1.090

6.248

573,21

402.584

497.988

123,70

Programa Educação

4.914

10.623

216,18

2.342.466

2.482.927

106,00

44

-

-

1.655.761

2.077.393

125,46

8.218

7.329

89,18

32.739

31.816

97,18

132

-

-

491.740

480.402

97,69

Nutrição Assistência Odontológica Educação em Saúde Assistência Médica

27.147

29.978

110,43

53.492

46.370

86,69

Programa Saúde

35.541

37.307

104,97

2.233.732

2.635.981

118,01

Biblioteca

17.087

11.957

69,73

452.050

439.755

97,19

-

-

-

2.338.441

2.730.843

116,89

3.364

3.619

107,58

510.512

530.816

103,98

Programa Cultura

20.451

15.576

76,16

3.301.003

3.701.414

112,13

Desenvolvimento Físico-Esportivo

25.829

35.003

135,52

704.818

744.424

105,62

Apresentações Artísticas Desenvolvimento Artístico e Cultural

Recreação

492

-

-

1.375.248

1.638.725

119,16

Turismo Social

25.279

27.169

107,48

82.070

83.620

101,89

Programa Lazer

51.600

62.172

120,49

2.162.136

2.466.769

326,67

1.384

1.095

79,12

72.966

74.280

101,80

Trabalho com Grupos Ação Comunitária Assistência Especializada Programa Assistência Total do DR/PE Fonte: GPO, Sesc-PE

-

-

-

18.273.404

16.191.810

88,61

172

76

44,19

9.496

9.178

96,65

1.556

1.171

75,26

18.355.866 16.275.268

88,67

114.062

126.849

111,21

28.395.203 27.562.359

97,07

Estrutura Organizacional

Demonstrativo de Inscrições e Atendimentos por Programa e Atividade Previsto e Realizado – 2008


Relatório de Gestão 2008

Demonstrativo de Atendimento e Inscrições por Unidade Previsto e Realizado – 2008 Previsto

Realizado

% Eficácia

Previsto

Realizado

Banco de Alimentos

-

-

-

13.620.624

11.437.033

83,97

SESC Santo Amaro

9.089

9.151

100,68

962.094

985.298

102,41

SESC Santa Rita

6.707

8.521

127,05

836.248

834.535

99,80

Unidades Orçamentárias

Inscrições

Atendimentos

% Eficácia

SESC Casa Amarela

11.072

13.117

118,47

889.312

970.678

109,15

SESC Piedade

20.638

22.753

110,25

897.949

993.716

110,67

SESC Caruaru

5.793

6.244

107,79

2.386.435

2.534.226

106,19

SESC Garanhuns

8.463

5.909

69,82

2.426.551

2.524.168

104,02

SESC CTL Garanhuns

13.503

13.843

102,52

442.746

531.819

120,12

SESC Arcoverde

10.130

9.584

94,61

1.768.571

2.154.409

121,82

SESC CTL Triunfo

11.229

10.714

95,41

537.500

504.852

93,93

SESC Petrolina

10.948

19.246

175,79

2.045.684

2.305.518

112,70

338

395

116,86

159.468

180.544

113,22

SESC Ler São Lourenço da Mata SESC Ler Surubim

232

459

197,84

253.899

283.840

111,79

SESC Ler Belo Jardim

467

624

133,62

231.122

268.508

116,18

SESC Ler Buíque

320

533

166,56

224.638

312.918

139,30

SESC Ler Bodocó

325

418

128,62

195.096

220.554

113,05

515

1.193

231,65

240.733

274.578

114,06

3.762

3.899

103,64

73.882

64.709

87,58

BiblioSesc

531

246

46,33

5.151

7.201

139,80

TeatroSesc

-

-

-

197.500

173.255

87,72

Total U. Os

114.062

126.849

111,21

SESC Ler Araripina OdontoSesc

Fonte: GPO, Sesc-PE

28.395.203 27.562.359

97,07


Estrutura Organizacional

16


Desempenho dos Programas Sociais


Relatório de Gestão 2008

2. Desempenho dos Programas Sociais 2.1.1 Programa 001 – Educação Programa 001 - Educação Dados Gerais do Programa Educação Tipo de Programa

Finalístico

Obejtivo Geral

Educação Formal de crianças, adolescentes e adultos visando o exercício da cidadania

Objetivos Específicos

Criar, aperfeiçoar e estabelecer concepções e modelos de trabalho de excelência que sejam referência para a sociedade na área de educação

Gerente do Programa

Não se aplica ao Sesc

Gerente Executivo

Não se aplica ao Sesc

Responsável pelo Programa na UJ

Não se aplica ao Sesc

Indicadores ou Parâmetros Utilizados para Avaliação do Programa

Taxa de Crescimento dos Atendimentos Percentual de Execução Orçamentária

Público Alvo (Beneficiários)

Comerciários, dependentes e comunidade em geral

Indicadores 2008 - Programa Educação Indicador

2008 Previsto Inicial

Retificativo

Previsto Final

Realizado

Eficácia %

Receitas Operacionais - RO (R$)

2.047.079,00

-

-

1.931.942,32

94,38

Despesas Correntes - DC (R$)

3.036.239,00

286.190,00

3.322.429,00

2.077.921,49

62,54

1.217.907,85

-

-

1.257.165,08

103,22

2.342.466

-

-

2.482.927

106,00

FUNPRI Carga de Trabalho: Atendimentos

4.914

-

-

10.623

216,18

Efic. da Prod. dos Rec. Financeiros (em atendimentos)

0,55

-

-

0,74

135,21

Economicidade (R$)

1,82

-

-

1,34

73,96

67,42

-

-

92,97

137,90

Carga de Trabalho: Inscrições

Desafio Estratégico - % (RO/DC) Fonte: GPO, Sesc-PE

Comparativo 2007 e 2008 - Programa Educação Indicador

Realizado 2007

Eficácia %

2008

Receitas Operacionais - RO (R$)

1.610.387,65

1.931.942,32

119,97

Despesas Correntes - DC (R$)

2.026.948,76

2.077.921,49

102,51

FUNPRI

1.050.327,56

1.257.165,08

119,69

2.058.793

2.482.927

120,60

Carga de Trabalho: Inscrições

7.707

10.623

137,84

Efic. da Prod. dos Rec. Financeiros (em atendimentos)

0,67

0,74

111,28

Carga de Trabalho: Atendimentos

Economicidade (R$) Desafio Estratégico - % (RO/DC) Fonte: GPO, Sesc-PE

1,49

1,34

89,86

79,45

92,97

117,02


12 12 14 108

Escolas Infantis Escolas de Ensino Fundamental Escolas Educação de Jovens e Adultos Salas de Aula

Variáveis

Indicadores

Alunos Inscritos Evasões Alunos Efetivos Turmas Aulas/Hora Atendimentos

10.623 907 9.716 261 99.062 2.482.927

2.1.2 Principais Ações do Programa Educação Conforme definido na Portaria “N” Sesc nº 490/2004, as principais atividades do programa Educação são: Educação Infantil, Educação Fundamental, Educação de Jovens e Adultos e Educação Complementar. Norteadas por uma proposta pedagógica sócio-interacionista, as Atividades do Programa Educação vêm se firmando cada ano como referência de qualidade de ensino no Estado, valorizando a individualidade de seus alunos, dotando-os de conhecimentos e fortalecendo sua autonomia e liberdade.

2.1.2.1 Ação 001 – Educação Infantil Ação 001 - Educação Infantil Dados Gerais da Ação Tipo

Não se aplica ao Sesc

Finalidade

Desenvolver a educação pré-escolar, incentivando a criatividade e o desenvolvimento de habilidades e competências da criança, habilitando-a para o ensino fundamental.

Descrição

Execução de ações que viabilizam o processo de aprendizagem voltado para o atendimento do segmento etário de 3 a 6 anos .

Unidade Responsável pelas Decisões Estratégicas

Não se aplica ao Sesc

Coordenador Nacional da Ação

Não se aplica ao Sesc

Unidades Executoras

Não se aplica ao Sesc

Áreas (dentro da UJ) Responsáveis por Gerenciamento ou Execução da Ação

Direção da Área Fim e Setores de Educação

Competências Institucionais Requeridas para a Execução da Ação

Assistência Social

Desempenho dos Programas Sociais

Infraestrutura


Relatório de Gestão 2008

Indicadores 2008 - Programa Infantil Indicador

2008 Previsto Inicial

Retificativo

Previsto Final

Realizado

Receitas Operacionais - RO (R$)

423.945,00

-

-

Despesas Correntes - DC (R$)

828.819,00

(141.155,00)

687.664,00

566.719,13

-

-

564.641,00

197.416

-

-

189.222

95,85

1.108

-

-

1.170

105,60

Efic. da Prod. dos Rec. Financeiros (em atendimentos)

0,14

-

-

0,22

156,64

Economicidade (R$)

7,07

-

-

4.51

63,84

51,15

-

-

144,24

281,98

FUNPRI Carga de Trabalho: Atendimentos Carga de Trabalho: Inscrições

Desafio Estratégico - % (RO/DC)

417.238,08

Eficácia %

289.274,04

98,42 42,07 99,63

Fonte: GPO, Sesc-PE

A atividade educação infantil desenvolveu um trabalho pedagógico pautado na teoria socioconstrutivista, com uma visão contemporânea, antenada nos quatro pilares da educação: saber aprender, saber ser, saber conviver e saber fazer, o que possibilita o fazer educacional mais humanizado e contextualizado às questões sociais. A carga de trabalho realizada foi de 189.222 atendimentos, representando 95,85% do previsto para o exercício de 2008. Esse resultado foi oriundo da formação de 43 turmas, por meio da inscrição de 1.170 alunos, distribuídos nas unidades executivas da capital e do interior e dos Centros Educacionais Sesc Ler. As metas de inscrição representam 105%, superando os resultados previstos. Quanto à receita operacional, a previsão foi de R$ 423.945,00, realizando R$ 417.238,08, atingindo 98,42% da meta estimada, resultado considerado satisfatório no que diz respeito à área educacional, em face da finalidade da entidade, que atua no campo social, visando contribuir com os órgãos públicos para universalização do ensino básico. As despesas da atividade foram orçadas em R$ 828.819,00 inicialmente, realizando R$ 289.274,04, representando 42,07%, resultado considerado positivo, uma vez que o subsídio do Fundo de Sustentação de Programas Prioritários (Funpri) contribuiu para esse resultado. Destaca-se, ainda, que esse recurso permitiu a melhoria da qualidade das ações oferecidas à clientela, tendo em vista que possibilitou a aquisição de materiais didáticos, jogos, livros e brinquedos, além de assegurar a realização dos projetos didáticos. Destacaram-se os projetos Educação Ambiental: um olhar diferente, Mel e Cidadania, A Vida Envolvendo a Arte, São João Folguedos e Tradição, Brincando e Interagindo com a Família, Tarde de Autógrafos, Vitrine Alimentar: reeducação alimentar na escola, entre outros. Merecem relevo as aulas-passeio, as quais fazem parte de todo o contexto pedagógico, o que fortaleceu e contribuiu para o reconhecimento pela comunidade dos trabalhos educacionais oferecidos pelo Regional. As parcerias com outras atividades, como recreação e desenvolvimento artístico e cultural, contribuíram para a realização do projeto Brincando e Interagindo com a Família, bem como a parceria com a atividade de nutrição agregou valor à realização do Projeto Progra-


A parceria com a atividade assistência odontológica propiciou a realização do Projeto ABCDente, o qual obteve êxito em sua execução entre alunos da educação infantil das unidades de Santo Amaro e Casa Amarela, consolidando um trabalho de prevenção no combate à doença cárie. No que diz respeito aos investimentos em capacitações, evidencia-se a participação das equipes no Congresso Internacional de Educação, promovido pela Sapiens, bem como no VII Congresso Internacional de Tecnologia na Educação, promovido pelo Sistema Fecomércio-PE, além do VII Seminário de Produção de Conhecimentos, desenvolvido pelo Sesc. Vale ressaltar que o seminário tem possibilitado aos estagiários a apresentação de trabalhos inerentes a sua área de atuação, o que muito contribuiu para a formação profissional deles. Ressalta-se que este ano o seminário foi transmitido pelo IPTV para as unidades do interior e para o Departamento Nacional. Merece destaque também a formação continuada A Voz como Instrumento de Trabalho do Docente, ministrada pela fonoaudióloga Carla Brito, que possibilitou aos professores participantes conhecer mais a voz e os cuidados necessários no cotidiano da sala de aula. Destacamos, ainda, o curso Jovens Empreendedores Primeiros Passos, ministrado pelo Sebrae para a educação fundamental de 1ª a 4ª série com o objetivo de desenvolver o espírito empreendedor nas crianças. Através da tecnologia IPTV, o Departamento Nacional ofereceu as capacitações Uma Escola para Crianças que Brincam e Aprendem: um desafio, Inclusão em Educação, Universo das Deficiências e Proposta de Arte para o Ensino Fundamental. Ressalta-se que a atividade, em virtude de mudanças estruturais, especialmente na unidade de Arcoverde, não atingiu suas metas, bem como a programação para o ensino fundamental de nove anos interferiu nesses resultados em outras unidades do Sesc. Destacamos que no ano de 2008 a seleção pública também para os cargos de educação possibilitou o acesso de profissionais a todas as unidades do Sesc da capital e do interior; contudo, sugere-se para a próxima seleção a análise do perfil do candidato para o cargo de professor e a experiência profissional, evitando assim a rotatividade de professores, o que dificulta o processo de ensino e aprendizagem na escola do Sesc. No que concerne à participação dos estagiários na atividade, eles contribuíram sobremaneira para o desenvolvimento das ações pedagógicas, propiciando a vivência simultânea de teoria e prática. Destaca-se a preocupação do Regional com a educação inclusiva, evidenciando a reflexão sobre a necessária transformação conceitual e prática da escola para a atenção à diversidade. Nesta perspectiva, há muito a caminhar, sendo necessária uma nova estrutura para o atendimento educacional especializado. É preciso dotar a escola de corpo técnico especializado, com a presença de um profissional da área de psicologia para compor a equipe multidisciplinar e atender à demanda da diversidade que hoje se apresenta nas escolas do Regional de Pernambuco.

Desempenho dos Programas Sociais

ma Alimentos Seguros (PAS). Esse projeto foi implantado pelo Departamento Nacional e é desenvolvido pelo Regional nas unidades da capital.


Relatório de Gestão 2008

2.1.2.2 Ação 002 – Educação Fundamental Ação 002 - Educação Fundamental Dados Gerais da Ação Tipo

Não se aplica ao Sesc

Finalidade

Desenvolver ações destinadas à educação básica no nível fundamental, de crianças e adolescentes, com o objetivo de proporcionar aos educandos o domínio dos instrumentos básicos da cultura letrada permitindo-lhes compreender e atuar no mundo em que vivem.

Descrição

Ensino da 1ª a 8ª séries ou do 1º ao 4º ciclos do Ensino Fundamental.

Unidade Responsável pelas Decisões Estratégicas

Não se aplica ao Sesc

Coordenador Nacional da Ação

Não se aplica ao Sesc

Unidades Executoras

Não se aplica ao Sesc

Áreas (dentro da UJ) Responsáveis por Gerenciamento ou Execução da Ação

Direção da Área Fim e Setores de Educação

Competências Institucionais Requeridas para a Execução da Ação

Assistência Social

Indicadores 2008 - Educação Fundamental 2008 Previsto Inicial

Retificativo

Previsto Final

Realizado

Eficácia %

Receitas Operacionais - RO (R$)

497.974,00

-

-

534.090,20

107,25

Despesas Correntes - DC (R$)

531.554,00

32.110,00

563.664,00

312.585,12

55,46

63.089,56

-

-

70.906,00

112,39

776.704

-

-

801.836

103,24

1.071

-

-

1.213

113,26

Efic. da Prod. dos Rec. Financeiros (em atendimentos)

1,31

-

-

2,09

160,08

Economicidade (R$)

0,77

-

-

0,48

62,47

93,68

-

-

170,86

182,38

Indicador

FUNPRI Carga de Trabalho: Atendimentos Carga de Trabalho: Inscrições

Desafio Estratégico - % (RO/DC) Fonte: GPO, Sesc-PE

Para o exercício de 2008, a atividade educação fundamental teve como meta 776.704 atendimentos, apresentando 103,24%, resultado satisfatório, uma vez que a atividade vem firmando seu nome no conceito educacional do Estado. Quanto à receita operacional, a previsão foi de R$ 497.974,00 e a realização de R$ 534.090,20, apresentando 107,25%, resultado interessante, apesar de a atividade ser oferecida a custos razoáveis para atendimento à clientela prioritária, não visualizando lucro. No tocante à despesa prevista final, de R$ 563.664,00, o realizado foi R$ 312.585,12, representando 55,46%. Tanto o Fundo de Sustentação a Programas Prioritários (Funpri) quanto o subsídio do Departamento Nacional específico ao Sesc Ler contribuíram para esse resultado. Entre os projetos didáticos desenvolvidos ao longo do ano, merece destaque Educação


Os resultados obtidos permitem afirmar que a metodologia desenvolvida, embasada na teoria socioconstrutivista (segundo a qual a criança é o sujeito do conhecimento, priorizando a formação da consciência crítica e o diálogo entre educador e os educando), foi desenvolvida com sucesso. Ressalta-se que a gestão da atividade, pautada pelas diretrizes gerais do Sesc, bem como pelas diretrizes pedagógicas, subsidiou a construção do modelo pedagógico desenvolvido, o qual merece ainda muito estudo e reflexão para que possa manter e qualificar a ação pedagógica apresentada. É importante registrar a importância do papel dos estagiários no processo pedagógico em sala de aula junto com os professores, uma vez que o Sesc utiliza uma metodologia diferente da aplicada nas demais escolas, não adotando livro didático. Isso possibilita aulas bem mais agradáveis e contextualizadas, por meio da participação efetiva das crianças inscritas. Nesse sentido, a gestão da coordenação Regional ao longo do ano subsidiou os professores das unidades executivas e Centros Educacionais Sesc Ler com revistas pedagógicas, textos, livros, jogos, entre outros, os quais auxiliaram tecnicamente as equipes no desenvolvimento das ações pedagógicas. No que se refere à qualificação e formação profissional, o Sesc investiu na participação de professores e coordenação regional no VI Congresso Internacional de Educação, realizado pela Sapiens, além do VI Congresso Internacional de Tecnologia na Educação, promovido pelo Sistema Fecomércio Senac/Sesc. Destaca-se também a formação continuada A Voz como Instrumento de Trabalho do Docente, ministrada pela fonoaudióloga Carla Brito, que possibilitou aos professores participantes conhecer mais a voz e os cuidados necessários no cotidiano da sala de aula. Outro destaque foi o curso Jovens Empreendedores Primeiros Passos, ministrado pelo Sebrae para a educação fundamental de 1ª a 4ª série com o objetivo de desenvolver o espírito empreendedor nas crianças. Ressalta-se, ainda, o Programa de Alimentos Seguros (PAS), implantado pelo Departamento Nacional e desenvolvido pelo Regional nas unidades da capital com o objetivo de desenvolver nos professores e posteriormente nos alunos o conhecimento dos cuidados com a alimentação segura, ou seja, livre de fungos e bactérias. Através da tecnologia do IPTV, o Departamento Nacional ofereceu as capacitações Uma Escola para Crianças que Brincam e Aprendem: um desafio; Inclusão em Educação: universo das Deficiências; e Proposta de Arte para o Ensino Fundamental. É importante destacar a necessidade de capacitar a equipe de professores no que diz respeito a educação especial, legislação e especialmente conhecimento científico, para que possam atender as crianças portadoras de necessidades, fazendo a inclusão delas no meio social. Isso é fundamental para que o Sesc tenha qualidade no atendimento e seja referência em educação no Estado de Pernambuco.

Desempenho dos Programas Sociais

Ambiental: um olhar diferente, que sensibilizou as crianças acerca do cuidado com o planeta. Sendo assim, o Sesc mais uma vez cumpre seu papel de contribuir para a formação de cidadãos críticos e participativos, conscientes de sua responsabilidade socioambiental. Destacam-se, ainda, Brincando e Interagindo com a Família, São João Folguedos e Tradição, O Lúdico no Mundo Infantil, Mel e Cidadania, entre outros.


Relatório de Gestão 2008

2.1.2.3 Ação 004 – Educação de Jovens e Adultos Ação 004 - Educação de Jovens e Adultos Dados Gerais da Ação Tipo

Não se aplica ao Sesc

Finalidade

Desenvolver ações educativas para jovens e adultos que não tiveram acesso ou continuidade ao ensino fundamental, a partir de 15 anos, e ao ensino médio com mais de 17 anos.

Descrição

Alfabetização, ensino fundamental e ensino médio voltados para jovens e adultos que não estudaram no período regular.

Unidade Responsável pelas Decisões Estratégicas

Não se aplica ao Sesc

Coordenador Nacional da Ação

Não se aplica ao Sesc

Unidades Executoras

Não se aplica ao Sesc

Áreas (dentro da UJ) Responsáveis por Gerenciamento ou Execução da Ação

Direção da Área Fim e Setores de Educação

Competências Institucionais Requeridas para a Execução da Ação

Assistência Social

Indicadores 2008 - Educação de Jovens e Adultos Indicador Receitas Operacionais - RO (R$) Despesas Correntes - DC (R$) FUNPRI Carga de Trabalho: Atendimentos Carga de Trabalho: Inscrições Efic. da Prod. dos Rec. Financeiros (em atendimentos) Economicidade (R$) Desafio Estratégico - % (RO/DC)

2008 Previsto Inicial

Retificativo

Previsto Final

680.892,00

-

-

1.366.631,00

246.455,00

Realizado 633.661,84

Eficácia % 93,06

1.613.086,00

1.150.194,04

71,30

421.358,48

-

-

438.150,00

103,99

965.762

-

-

993.881

102,91

1.645

-

-

1.992

121,09

0,54

-

-

0,63

115,85

1,85

-

-

1,60

86,32

49,82

-

-

55,09

110,58

Fonte: GPO, Sesc-PE

A atividade educação de jovens e adultos (EJA), de acordo com a Portaria “N” Sesc nº 490/2004, “consiste em ações destinadas a jovens e adultos que não tiveram acesso ou continuidade nos estudos nas etapas da alfabetização ao ensino fundamental, a partir de 15 anos, e do ensino médio, com mais de 17 anos”. Assim, o Sesc Pernambuco, ao longo dos anos, contribui com a oferta dessa modalidade de ensino aos seus comerciários de bens e serviços, bem como à comunidade em geral, pautado numa educação que valorize o aluno num processo dialógico, tendo em vista a formação integral do cidadão. Desse modo, o trabalho educacional compreende uma prática pedagógica com foco nos quatro eixos norteadores da Proposta Pedagógica do Sesc: o diálogo; a participação e a construção da cidadania; a diversidade cultural e a abordagem interdisciplinar. As unidades executivas oferecem a EJA nos níveis fundamental (5ª a 8ª série) e ensino


Apesar da superação das metas, houve um percentual de evasão de 9%, o que representa um resultado esperado, diante da realidade dos jovens e adultos residentes no interior do Estado. Algumas causas são fortemente percebidas, como o deslocamento dos alunos para a zona rural em período de plantio e colheita, a oferta nos municípios de programas federais e a falta de empregos, impulsionando os alunos a migrar para outros locais. O Centro Educacional Sesc Ler é um projeto concebido pelo Departamento Nacional com a finalidade de reduzir os altos índices de analfabetismo nas regiões Norte e Nordeste do Brasil. Esse projeto tem contribuído significativamente com a redução do analfabetismo nos municípios onde os centros educacionais estão inseridos. Em Pernambuco, os centros se localizam nos municípios de Araripina, Belo Jardim, Bodocó, Buíque, São Lourenço da Mata e Surubim. Pioneiro na ampliação dos outros serviços educacionais oferecidos nos referidos centros, o Sesc Pernambuco oferece, também, atividades de educação infantil, ensino fundamental de 1ª a 4ª série e educação complementar. Os centros contam, ainda, com parques aquáticos, quadras poliesportivas, campo de futebol-soçaite, pista de corrida e estádio de futebol. Outro aspecto a ser citado é a implantação do Programa Cultura nos centros, com destaque para a realização de projetos, em parceria com o Departamento Nacional, como Sonora Brasil, Palco Giratório, A Escola Vai ao Cinema e ArteSesc. O objetivo do programa é oferecer cultura e entretenimento para os beneficiários e a população em geral, valorizando a diversidade cultural, uma vez que possibilita o intercâmbio de grupos artísticos de todo o país. Quanto à metodologia de trabalho, a pedagogia de projetos tem sido uma ferramenta essencial na condução da prática educacional, pois representa a valorização do aluno como sujeito do processo educativo. O fortalecimento das ações interdisciplinares colabora na busca permanente de aproximar, cada vez mais, todas as áreas de conhecimento, através da construção de um currículo à luz da realidade dos alunos, possibilitando ao aluno trabalhador uma educação significativa para sua vida. Nesse processo, foram realizados alguns projetos de maior destaque: * * * * * *

Cidadania: direito de ter direito – Sesc Ler Buíque; Meu Nordeste Cantado e Contado – Sesc Ler São Lourenço; Literatura de Cordel: a vida em verso e prosa – Sesc Ler Belo Jardim; Café Literário – Sesc Caruaru; Consciência Negra – Sesc Petrolina; Festival de Música – Sesc Casa Amarela.

A inclusão digital tem sido um diferencial em todos os Centros Educacionais Sesc Ler, com a implantação das ações inseridas ao currículo dos alunos. As aulas são realizadas no laboratório de informática com profissionais especializados, que elaboram seus planejamentos atrelados aos conteúdos que estão sendo vivenciados em sala de aula.

Desempenho dos Programas Sociais

médio. Quanto aos Centros Educacionais Sesc Ler os níveis de ensino são distribuídos entre alfabetização, 1º e 2º ciclos, que correspondem à antiga 1ª a 4ª série. Diante dessa prática educacional a atividade conseguiu alcançar uma carga de trabalho de 103%, com a formação de 72 turmas. Esse resultado gerou um total de 1.992 alunos inscritos em todas as unidades executivas e Centros Educacionais Sesc Ler.


Relatório de Gestão 2008

A educação ambiental foi desenvolvida durante todo o ano letivo tanto nas unidades executivas quanto nos Centros Educacionais Sesc Ler, visando provocar maior sensibilização nos alunos acerca dos graves problemas ambientais. As ações foram aulas de campo em diversas reservas ecológicas, lixões, trabalhos de pesquisa em sala de aula e extraclasse. Os projetos de maior impacto na área foram: * * * * *

Água: vida que corre nas veias do universo – Sesc Petrolina; Feira do Conhecimento: meio ambiente – Sesc Santo Amaro; Educação para a Sustentabilidade – Sesc Ler Surubim; A Pesquisa como Ferramenta para a Educação Ambiental – Sesc Santa Rita; Carnijó: reserva ecológica – Sesc Piedade.

No exercício em análise, foi realizado o III Jogos da EJA, que contou com a participação de 508 alunos das unidades executivas e Centros Educacionais Sesc Ler. Essa ação tem fortalecido, sobretudo, a integração do corpo discente e docente, no sentido de valorizar a prática esportiva, bem como contribuir para a socialização deles, pelo fato de contar com a participação de alunos com idade de 15 a 72 anos. Os jogos contemplaram as modalidades de salão (dominó, dama, xadrez); quadra (futsal, vôlei, handebol); praça (cabo-de-guerra, queimado e peteca); tênis de mesa e judô. As instituições públicas e privadas foram grandes parceiras no exercício em tela, a exemplo do Instituto de Pesquisas Agropecuárias (IPA), INSS, prefeituras, Reserva Ecológica de Carnijó, universidades e escolas, entre outros. Outro ponto a ser destacado refere-se ao subsídio do Departamento Nacional, através do Fundo de Sustentação de Programas Prioritários (Funpri), que contribuiu para o fortalecimento dos serviços educacionais oferecidos em todas as unidades executivas, por meio do auxílio financeiro para a atividade. Visando atender o público preferencial, o Sesc Pernambuco deu continuidade aos convênios firmados com cinco empresas comerciais: Bompreço Supermercados do Nordeste Ltda., Paulo Loureiro Análises Clínicas Ltda., NKB Laboratório de Análises Clínicas Ltda., Nordeste Automotores Norasa Ltda. e Rodobens Caminhões Pernambuco Ltda. No exercício em análise, foram matriculados 64 alunos comerciários nas unidades executivas de Santo Amaro, Santa Rita, Casa Amarela e Piedade. Buscando a melhoria nas ações educacionais, a formação continuada do corpo docente e técnico é prioritária na atividade, tanto pelos planejamentos coletivos quanto pela participação em encontros, seminários e congressos. O Departamento Nacional tem sido grande parceiro, por meio presencial ou a distância (via teleconferência – IPTV), conforme descrito a seguir: * encontros locais da educação de jovens e adultos – todas as unidades executivas; * VI Congresso Internacional de Tecnologia na Educação – DN - Sesc/Senac; * seminários educacionais – Caruaru, Garanhuns e Petrolina; * A Voz como Instrumento de Trabalho Pedagógico – unidades da capital; * Teoria do Conhecimento e Práticas de Alfabetização – IPTV; * A Psicogênese da Língua Escrita – IPTV; * Práticas de Leitura – IPTV. * Conclui-se que a atividade obteve um crescimento das metas e, sobretudo, uma melhoria dos serviços educacionais oferecidos, o que remete a uma busca permanente de inovar e refletir sobre a prática pedagógica desenvolvida.


Ação 005 - Educação Complementar Dados Gerais da Ação Tipo

Não se aplica ao Sesc

Finalidade

Desenvolver ações destinadas à ampliação de conhecimento e do universo sociocultural do sujeito, em consonância com seus interesses acadêmicos, culturais e científicos, através das modalidades de complementação curricular, acompanhamento pedagógico, aperfeiçoamento profissional e estudos ambientais.

Descrição

Realizações de cursos, minicursos, palestras, seminários, oficinas, mostras, feiras e exposições.

Unidade Responsável pelas Decisões Estratégicas

Não se aplica ao Sesc

Coordenador Nacional da Ação

Não se aplica ao Sesc

Unidades Executoras

Não se aplica ao Sesc

Áreas (dentro da UJ) Responsáveis por Gerenciamento ou Execução da Ação

Direção da Área Fim e Setores de Educação

Competências Institucionais Requeridas para a Execução da Ação

Assistência Social

Indicadores 2008 - Educação Complementar 2008 Previsto Inicial

Retificativo

Previsto Final

Realizado

Eficácia %

Receitas Operacionais - RO (R$)

444.268,00

-

-

346.952,20

78,10

Despesas Correntes - DC (R$)

309.235,00

148.780,00

458.015,00

325.868,29

71,15

FUNPRI

166.740,68

-

-

183.468,08

110,03

402.584

-

-

497.988

123,70

1.090

-

-

6.248

573,21

0,85

-

-

0,98

115,60

1,18

-

-

1,02

86,51

143,67

-

-

106,47

74,11

Indicador

Carga de Trabalho: Atendimentos Carga de Trabalho: Inscrições Efic. da Prod. dos Rec. Financeiros (em atendimentos) Economicidade (R$) Desafio Estratégico - % (RO/DC) Fonte: GPO, Sesc-PE

A atividade de assistência médica, no exercício de 2008, realizou ações integradas com as atividades de recreação, desenvolvimento físico-esportivo, educação em saúde, trabalhos com grupos e o convênio Sesc Saúde. O nosso objetivo principal está baseado no interesse da nossa clientela: diagnosticar e prevenir problemas de saúde com atendimento em clínica médica geral, especializada, serviços complementares de enfermagem e atendimento de urgência, visando à promoção da saúde da clientela comerciária, seus dependentes e usuários em geral, procurando atendê-los da melhor forma possível oferecendo serviços de qualidade. Na nossa atividade de assistência médica, realizamos, frequentemente, as seguintes ações: * Exames físicos para práticas de modalidades esportivas. * Exames admissional e demissional dos servidores do Sesc da capital e do interior, con-

Anexos Desempenho dos Programas Sociais

2.1.2.4 Ação 005 – Educação Complementar


Educação Jovens e Adultos (EJA) Jogos do EJA


Relatório de Gestão 2008

forme as normas de legislação da Delegacia Regional do Trabalho. * Exames periódicos dos servidores do Sesc da capital e do interior, conforme as normas de legislação da Delegacia Regional do Trabalho. * Exames dermatológicos para utilização das piscinas. * Realizações de pequenas cirurgias. * Aferição de pressão arterial, curativos, medicações, aplicação de injeção, nebulização, retirada de pontos. * Encaminhamento, pelo convênio Sesc Saúde, da clientela comerciária às clínicas especializadas, aos consultórios e aos laboratórios, com valores da tabela da Associação Médica Brasileira. * Palestras sobre temas de saúde, como DST/aids, cuidados com a saúde bucal, doenças da terceira idade, doenças da pele, câncer de próstata, de pulmão, tabagismo, labirintite, para toda a clientela comerciária, estudantes, idosos, dependentes, servidores e o público em geral, com a parceria da atividade de educação em saúde. * Parcerias com outras entidades, em especial o Ministério de Defesa (Exército Brasileiro), o Ministério da Justiça, prefeituras, o Senac, o Sesi e hospitais. Na nossa atividade de assistência médica, não desenvolvemos projetos próprios, mas sempre participamos das parcerias vinculadas às ações desenvolvidas por outras atividades, principalmente desenvolvimento físico-esportivo, educação infantil, educação em saúde, trabalhos com grupos, e outros projetos que forem necessários. Destacam-se alguns projetos de grande dimensão na área de saúde, como Projeto Colmeia, nas cidades do Recife, Arcoverde e Petrolina, Ação Cívico-Social, em parceria com o Exército Brasileiro, Caminhada pela Paz e Caminhada pela Vida. Desses projetos, o Colmeia - Feira de Saúde e Cidadania representa um marco na nossa entidade, projetando uma grande visibilidade institucional e promovendo saúde e cidadania à população pernambucana, mostrando a responsabilidade social do Sesc e das instituições representadas. Destaca-se, também, o acesso ao convênio Sesc Saúde, realizado ao longo desses quatro anos pela equipe de atendentes das centrais de atendimento, que orientam as empresas visitadas e a clientela comerciária e usuários, principalmente da terceira idade, facilitando o acesso ao atendimento médico pelos principais profissionais da capital e intensificando a divulgação para que todos, inclusive os funcionários, tenham acesso a essa informação. Constata-se um grande crescimento no número de participantes em todas as atividades, provando que a qualificação profissional, os meios de divulgação, a qualidade no atendimento, a facilidade no acesso, bem como a melhoria da qualidade de vida da clientela, relacionada à promoção da saúde, fazem com que a nossa atividade venha a crescer cada vez mais. Temos observado todos os anos a existência de um custo operacional elevado (diárias, hospedagem e combustível) quando da mobilização de uma equipe composta de médico, assistente e motorista para a realização de exames periódicos no interior (Araripina e Bodocó), além da distância extrema e do perigo de acidente automobilístico durante o trajeto. Acreditamos que em 2008, no geral, a atividade de assistência médica cumpriu sua finalidade e esperamos melhorar ainda no ano de 2009.


Programa 002 - Saúde Dados Gerais do Programa Saúde Tipo de Programa

Finalístico

Obejtivo Geral

Promoção, proteção e recuperação da saúde dos comerciários, de seus dependentes e da comunidade em geral

Objetivos Específicos

Criar, aperfeiçoar e estabelecer concepções e modelos de trabalho de excelência que sejam referência para a sociedade na área de saúde

Gerente do Programa

Não se aplica ao Sesc

Gerente Executivo

Não se aplica ao Sesc

Responsável pelo Programa na UJ

Não se aplica ao Sesc

Indicadores ou Parâmetros Utilizados para Avaliação do Programa

Taxa de Crescimento dos Atendimentos Percentual de Execução Orçamentária

Público Alvo (Beneficiários)

Comerciários, dependentes e comunidade em geral

Indicadores 2008 - Programa Educação 2008 Previsto Inicial

Retificativo

Previsto Final

Realizado

Eficácia %

Receitas Operacionais - RO (R$)

2.047.079,00

-

-

1.931.942,32

94,38

Despesas Correntes - DC (R$)

3.036.239,00

286.190,00

3.322.429,00

2.077.921,49

62,54

1.217.907,85

-

-

1.257.165,08

103,22

2.342.466

-

-

2.482.927

106,00

4.914

-

-

10.623

216,18

0,55

-

-

0,74

135,21

1,82

-

-

1,34

73,96

67,42

-

-

92,97

137,90

Indicador

FUNPRI Carga de Trabalho: Atendimentos Carga de Trabalho: Inscrições Efic. da Prod. dos Rec. Financeiros (em atendimentos) Economicidade (R$) Desafio Estratégico - % (RO/DC) Fonte: GPO, Sesc-PE

Infraestrutura 5 16 1 7 2 1 1 16

Restaurantes Cantinas e Lanchonetes Cybercafé Ambulatórios Unidades Móveis Odontológicas Clínica Odontológica Consultório Odontológico Gabinetes Odontológicos

Anexos Desempenho dos Programas Sociais

2.1.3 Programa 002 – Saúde


Relatório de Gestão 2008

Variáveis

Indicadores

Desjejuns Almoços Jantares Lanches Inscrições Odonto Seminários/ Encontros/ Feiras de Saúde Atendimentos

142.796 630.024 192.948 1.111.625 7.329 1.825 2.635.981

2.1.4 Principais Ações do Programa Saúde Conforme definido na Portaria “N” Sesc nº 490/2004, que aprova a classificação funcional programática da Instituição, as principais atividades do programa Saúde são: Nutrição, Assistência Odontológica, Educação em Saúde e Assistência Médica. O conceito contemporâneo de saúde leva em consideração as diferentes causas e complexidades do processo saúde-doença compreendendo-o como resultante de um conjunto de fatores sociais, econômicos, políticos, culturais, ambientais, comportamentais, psicológicos e, também, biológicos. As ações do Sesc no campo da Saúde devem reforçar práticas de promoção, prevenção e proteção médica, odontológica e nutricional, contribuindo para melhoria da qualidade de vida da nossa clientela.

2.1.4.1 Ação 007 – Nutrição Ação 007 - Nutrição Dados Gerais da Ação Tipo

Não se aplica ao Sesc

Finalidade

Desenvolver ações destinadas ao fornecimento de refeições e à promoção, proteção e recuperação do estado nutricional.

Descrição

Realização de refeições, lanches e consultas dietoterápicas.

Unidade Responsável pelas Decisões Estratégicas

Não se aplica ao Sesc

Coordenador Nacional da Ação

Não se aplica ao Sesc

Unidades Executoras

Não se aplica ao Sesc

Áreas (dentro da UJ) Responsáveis por Gerenciamento ou Execução da Ação

Direção da Área Fim e Setores de Saúde

Competências Institucionais Requeridas para a Execução da Ação

Assistência Social


2008 Previsto Inicial

Retificativo

Previsto Final

Realizado

Eficácia %

Receitas Operacionais - RO (R$)

3.460.621,00

-

-

3.267.612,63

93,56

Despesas Correntes - DC (R$)

5.274.034,00

Indicador

1.917.190,00

7.191.224,00

6.622.703,08

92,09

980.293,42

-

-

1.371.534,92

139,91

1.655.761

-

-

2.077.393

125,46

44

-

-

-

-

Efic. da Prod. dos Rec. Financeiros (em atendimentos)

0,26

-

-

0,26

98,16

Economicidade (R$)

3,78

-

-

3,85

101,88

65,62

-

-

48,89

74,50

FUNPRI Carga de Trabalho: Atendimentos Carga de Trabalho: Inscrições

Desafio Estratégico - % (RO/DC) Fonte: GPO, Sesc-PE

A atividade nutrição realizou no exercício 2008 uma carga de trabalho de 2.077.393 atendimentos, superando as metas com uma eficácia de 125,46% do previsto. Com um resultado de R$ 3.237.612,63, a atividade de nutrição atingiu 93,56% da previsão de sua receita operacional, alcançando o maior índice absoluto entre todas as receitas de serviços deste Regional. Também recebeu recursos oriundos do Funpri, na ordem de R$ 1.371.534,92, os quais, adicionados à receita operacional, contribuíram em 69,54% das despesas da atividade, ajudando a vencer o desafio estratégico, que é de 50%. Para tornar-se ou manter-se saudável, o corpo humano precisa de boa alimentação, tempo e energia para processá-la e usá-la no seu metabolismo. Uma boa nutrição fornece ao organismo nutrientes para produzir ou reparar tecidos, manter o sistema imunológico saudável e permite ao corpo executar tarefas diárias com facilidade. A ligação entre a alimentação e as doenças está muito bem documentada e existem várias evidências que comprovam que o que ingerimos tem um impacto muito grande na forma como nos sentimos. Nosso estilo de vida e de hábitos alimentares mudou dramaticamente nas últimas décadas. Hoje em dia, confiamos mais na conveniência da comida rápida, ou fast-food, e em suplementos nutricionais do que propriamente em alimentos frescos. O objetivo de uma dieta saudável na idade adulta é assegurar ao organismo nutrientes que mantenham a forma com vitalidade, dentes cuidados, um bom sistema imunológico, cabelo e pele saudáveis, energia abundante e um peso ideal. Em longo prazo, o objetivo é minimizar o risco de doenças crônicas, como doenças cardiovasculares, diabetes e osteoporose. Assim, com enfoque na prevenção e na garantia de acesso a alimentos seguros e saudáveis, o Sesc Pernambuco oferece alimentação de qualidade aos beneficiários e à comunidade por meio da oferta de alimentos que tenham impacto na saúde e no bemestar de todos os que usufruem dos serviços de alimentação oferecidos nas unidades de alimentação e nutrição do Sesc.

Anexos Desempenho dos Programas Sociais

Indicadores 2008 - Indicadores Nutrição


Relatório de Gestão 2008

Contando com atendimento especial para portadores de patologias crônico-degenerativas, o Sesc Santa Rita mantém o Projeto DietoSesc, visando recuperar os aspectos físicos da saúde e reduzir o risco ao agravo de doenças relacionadas com a alimentação, como doenças de coração. No presente exercício, o DietoSesc proporcionou cerca de 40.000 atendimentos com alimentação adaptada às patologias previamente diagnosticadas. Contudo, existe, ainda, muita confusão no grande público sobre em que consiste comer bem. Daí, paralelamente à oferta de uma alimentação saudável e segura, o Sesc desenvolve trabalhos sobre educação nutricional, esclarecendo as pessoas, por meio de palestras e orientações individualizadas, a respeito de uma boa e correta alimentação. Destaca-se que mecanismos de estímulo a mudanças de conduta alimentar pela conscientização da importância dos alimentos na qualidade de vida, na longevidade e na saúde são práticas constantes e adotadas nas ações de nutrição desenvolvidas neste Regional. Como o desenvolvimento do processo de educação acontece com a sensibilização das pessoas, a orientação clínica, a anamnese nutricional, a avaliação nutricional e a conduta terapêutica voltada para a adequação da alimentação e das necessidades individuais dos clientes acontecem no formato individualizado e também coletivamente. Assim, no decorrer do presente exercício, algumas ações realizadas com parceiros destacaram-se como positivas, tendo-se a registrar: ação de avaliação e orientação nutricional na comunidade Bomba do Hemetério – Wal-Mart; ação de avaliação e orientação nutricional na empresa Contax; ação de avaliação e orientação nutricional na empresa Profarma; ação de avaliação e orientação nutricional no Diario de Pernambuco. Com o objetivo de dar continuidade a um trabalho de excelência na qualidade da prestação de serviços em alimentação, fortalecendo as orientações acerca dos conceitos de competitividade dentro de um modelo de gestão mais eficiente, foi realizado, em parceria com o Senac/Centro de Hotelaria e Turismo (CHT) no Recife, treinamento em qualificação com todos os servidores que compõem a equipe de nutrição do Sesc CTL em Garanhuns. O curso abordou temas desde qualidade no atendimento, passando por conhecimento em gastronomia com enfoque na atuação em cozinha quente, cozinha fria, garde manger, pastelaria, boas práticas na fabricação de alimentos, entre outros temas, que possibilitaram o aperfeiçoamento dos trabalhos da área de alimentos e bebidas no referido Centro de Turismo e Lazer. Destaca-se, ainda, a participação de cerca de 50 servidores da área de nutrição de todas as unidades executivas do Sesc e dos Centros Educacionais Sesc Ler no aperfeiçoamento para cozinheiros em pastelaria e no curso de atendente de lanchonete, realizados em parceria com o Senac/CHT no Recife. As visitas de cooperação técnica realizadas nas unidades executivas do Regional se caracterizaram como um importante subsídio de apoio ao desenvolvimento da atividade de nutrição, fortalecendo os conceitos que incrementam e viabilizam o planejamento dos serviços desenvolvidos na área. Além disso, elas contribuíram sobremaneira para o desenvolvimento das ações e a facilitação dos processos de desenvolvimento na gestão por acordos e resultados, acarretando a atuação de forma pontuada nas diretrizes e atributos necessários para o crescimento organizacional A participação de toda a equipe de nutricionistas do Sesc Pernambuco no Treinamento em Alimentos Funcionais e na Atualização do Programa Alimentos Seguros para nutricionistas do MBS, ambos promovidos pelo Departamento Nacional em transmis-


Destaca-se, ainda, a participação dos nutricionistas da capital e dos estagiários de nutrição no curso Programa Alimentos Seguros (PAS) – Ações Especiais na Educação Infantil, no qual foram abordados temas como a utilização dos alimentos funcionais nos serviços de alimentação e nutrição do Sesc; o estímulo à aquisição e ao consumo de alimentos como uma atividade coletiva e familiar; e o estímulo ao desejo infantil de exercer a satisfação no momento da aquisição de alimentos através de descoberta das normas da boa alimentação, conhecendo os aspectos que asseguram a qualidade em toda a cadeia produtiva de alimentos. Considerando os recursos do Funpri destinados à nutrição, destaca-se que a gestão dos recursos financeiros disponibilizados pelo Departamento Nacional possibilitou a aplicação na melhoria continuada dos espaços, dos materiais de sanitização e segurança alimentar, assegurando o crescimento qualitativo dos serviços prestados por todas as unidades de alimentação e nutrição do Regional.

2.1.4.2 Ação 008 – Assistência Odontológica Ação 008 - Assistência Odontológica Dados Gerais da Ação Tipo

Não se aplica ao Sesc

Finalidade

Zelar pela promoção, prevenção e recuperação da saúde bucal da clientela.

Descrição

Execução de consultas odontológicas geral e especializada, bem como ações educativas de prevenção da saúde oral.

Unidade Responsável pelas Decisões Estratégicas

Não se aplica ao Sesc

Coordenador Nacional da Ação

Não se aplica ao Sesc

Unidades Executoras

Não se aplica ao Sesc

Áreas (dentro da UJ) Responsáveis por Gerenciamento ou Execução da Ação

Direção da Área Fim e Setores de Saúde

Competências Institucionais Requeridas para a Execução da Ação

Assistência Social

Indicadores 2008 - Assistência Odontológica 2008 Previsto Inicial

Retificativo

Previsto Final

Realizado

Eficácia %

Receitas Operacionais - RO (R$)

212.468,00

-

-

126.357,05

59,47

Despesas Correntes - DC (R$)

968.260,00

(78.915,00)

889.345,00

656.738,84

73,85

307.297,38

-

-

289.472,00

94,20

Indicador

FUNPRI

32.739

-

-

31.816

97,18

Carga de Trabalho: Inscrições

8.218

-

-

7.329

89,18

Efic. da Prod. dos Rec. Financeiros (em atendimentos)

0,03

-

-

0,03

131,01

Economicidade (R$)

38,96

-

-

29,74

76,33

Desafio Estratégico - % (RO/DC)

21,94

-

-

19,24

87,68

Carga de Trabalho: Atendimentos

Fonte: GPO, Sesc-PE

Anexos Desempenho dos Programas Sociais

são pelo IPTV, proporcionou maiores investimentos ao corpo técnico da atividade.


Relatório de Gestão 2008

Em 2008, a atividade assistência odontológica caracterizou-se por um trabalho coerente com as diretrizes técnicas e institucionais e pela superação de desafios. O paradigma da promoção da saúde e o despertar da consciência ambiental fizeram parte das ações preventivas e educativas realizadas pela clínica odontológica do Sesc Santa Rita, pelo consultório do Sesc Casa Amarela e pelas unidades móveis do Projeto OdontoSesc. A equipe passou por transformações, a exemplo da redução do número de técnicos em higiene dental, aprovados em concursos públicos, causando dano ao desenvolvimento do modelo de odontologia integral e, consequentemente, ao alcance das metas de inscrição e dos atendimentos previstos. Entretanto, o comprometimento dos colaboradores com o trabalho e a busca pela melhoria da qualidade dos serviços prestados à clientela comerciária foram determinantes para os satisfatórios índices conquistados. Como indicadores de resultados, registra-se a significativa carga de trabalho de 31.816 atendimentos, correspondente a 97,18% do previsto para o período, e o alcance de 7.329 inscrições, demonstrando o interesse da clientela pela atividade. As despesas apresentaram-se abaixo da estimativa prevista, atingindo 73,85%, devido ao adiamento da reforma estrutural da clínica odontológica para março de 2009, em prol da realização do atendimento previsto, e também pelo maior controle dos custos operacionais, elementos de despesa e investimento dos recursos do Funpri em serviços de manutenção e melhoria da atividade. A receita esteve aquém do previsto, alcançando 59,47%, índice justificado pelo descompasso no pagamento dos serviços prestados às prefeituras parceiras do projeto OdontoSesc, em geral efetuado posteriormente ao período previsto no convênio, e pelo déficit de atendimento nas unidades fixas pela falta de recursos humanos previstos para o primeiro semestre. Ações Estratégicas As ferramentas estratégicas aplicadas no processo de gestão e acompanhamento da atividade foram o exercício da liderança coparticipativa e integrada, delegação de funções, cooperação e supervisão técnica, além de contratação de prestadores de serviço. A otimização das reuniões motivacionais com a equipe de trabalho foi a estratégia adotada, que possibilitou o comprometimento diante dos desafios, reavaliação de rotinas, busca de valores agregados e ainda exposição do potencial criativo e inovador, a exemplo da execução do Projeto Escovando na Praça com o Sesc. O fortalecimento das parcerias com faculdades de odontologia promoveu visibilidade da atividade como campo de estágio. A elevação da demanda de solicitações de órgãos públicos e privados para realização de ações educativas de prevenção em saúde bucal fez parte do reconhecimento da qualidade técnica dos serviços do Sesc. A equipe foi contemplada com investimentos técnico-científicos especializados em dentística, terapêutica medicamentosa, endodontia e curso de atualização para auxiliares de consultório dentário. Essas capacitações agregaram valor ao serviço e melhoraram significativamente o atendimento à clientela mediante aplicação do conhecimento e instrumentalização do capital humano.


O Projeto OdontoSesc I e II contribuiu para a redução da doença cárie e o exercício da cidadania nas comunidades dos municípios de Itacuruba, Gameleira, Abreu e Lima, Petrolândia e Tacaratu. Além das capacitações em saúde bucal voltadas para professores e agentes comunitários e das Feiras de Saúde e Cidadania, as equipes inovaram sua atuação valendo-se da cultura para chamar a atenção aos cuidados de higiene bucal através do Odontofolia e do Forrodonto, com grande participação popular. Bem-sucedido também foi o primeiro levantamento epidemiológico de incidência de câncer bucal do município sertanejo de Petrolândia-PE, conduzido por estagiários de odontologia do Sesc com apoio da UFPE e da prefeitura municipal. Na capital, destaca-se a inclusão social promovida pelo projeto Odontosocial, executado em nove entidades assistidas pelo Banco de Alimentos Sesc-PE, com ações educativas construtivistas e tratamento odontológico curativo na clínica do Sesc Santa Rita. Também é de grande relevância o Projeto ABCDente, em sua sétima edição, com acompanhamento sistemático dos escolares matriculados na educação infantil do Sesc Casa Amarela e Santo Amaro. As intervenções preventivas promoveram adoção de hábitos saudáveis de higiene e dieta, elevando a autoestima e a qualidade de vida das crianças.

2.1.4.3 Ação 009 – Educação em Saúde Ação 009 - Educação em Saúde Dados Gerais da Ação Tipo

Não se aplica ao Sesc

Finalidade

Desenvolver ações destinadas à realização sistemática de programas de saúde, de caráter educacional, reforçando práticas de promoção e proteção à saúde, através de trabalhos com grupos, empresas, escolas e em comunidades.

Descrição

Realizações mais frequentes de palestras, visitas monitoradas a exposições, cursos, seminários, encontros, campanhas, oficinas, feiras de saúde e vídeos educativos.

Unidade Responsável pelas Decisões Estratégicas

Não se aplica ao Sesc

Coordenador Nacional da Ação

Não se aplica ao Sesc

Unidades Executoras

Não se aplica ao Sesc

Áreas (dentro da UJ) Responsáveis por Gerenciamento ou Execução da Ação

Direção da Área Fim e Setores de Saúde

Competências Institucionais Requeridas para a Execução da Ação

Assistência Social

Anexos Desempenho dos Programas Sociais

Ações de Destaque Empreendidas no Período Os dentistas, técnicos e auxiliares desenvolveram diversas ações educativas de prevenção em saúde bucal, com palestras e oficinas de higiene com escovódromo, a exemplo dos eventos do Wal-Mart, Schincariol, Metrorec, Masterboi, Exército Brasileiro e Instituto de Assistência Social e Cidadania (Iasc).


Relatório de Gestão 2008

Indicadores 2008 - Educação em Saúde Indicador Receitas Operacionais - RO (R$) Despesas Correntes - DC (R$) Carga de Trabalho: Atendimentos

2008 Previsto Inicial 1.993,00 290.441,00

Retificativo

Previsto Final

-

-

Realizado

Eficácia %

487,00

24,44

(83.250,00)

207.191,00

228.580,11

110,32

491.740

-

-

480.402

97,69

132

-

-

-

Efic. da Prod. dos Rec. Financeiros (em atendimentos)

1,69

-

-

2,10

124,13

Economicidade (R$)

0,59

-

-

0,48

80,56

Desafio Estratégico - % (RO/DC)

0,69

-

-

0,21

31,05

Carga de Trabalho: Inscrições

-

Fonte: GPO, Sesc-PE

A atividade educação em saúde, no exercício 2008, dirigiu sua atuação tomando como base a missão institucional, por meio de ações focadas na educação permanente, proporcionando o fortalecimento da atividade e, consequentemente, do Programa Saúde no Regional Pernambuco. Tendo como diretriz o desafio de estimular as habilidades do indivíduo contribuindo para o desenvolvimento da capacidade de analisar criticamente os fatores determinantes da saúde, com vista à implementação de medidas individuais e coletivas para intervenção sobre os problemas avaliados prioritários, as ações de educação em saúde foram direcionadas à prevenção e promoção da saúde dos trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo, seus familiares e da comunidade em geral. Com uma carga de trabalho de 480.402 atendimentos, evidenciou-se um significativo resultado. No entanto, a totalidade da meta, de 97,69%, não foi cumprida em decorrência de algumas dificuldades. Uma delas foi a não realização do Fórum de Tabagismo na capital, devido à indisponibilidade de espaço físico, visto que o teatro da unidade executiva de Santo Amaro se encontra em reforma, bem como no Sesc Arcoverde, que teve a realização inviabilizada pelo mesmo motivo. Em Arcoverde o fórum foi realizado em uma escola da comunidade e, em contrapartida pela concessão do espaço, os alunos ficaram isentos da taxa de inscrição para participação no fórum. Outro fator contribuinte para o não alcance das metas de atendimentos foi a diminuição da clientela nos finais de semana, quando são realizadas, sistematicamente, ações de educação em saúde para a clientela comerciária e a comunidade em geral que frequentam a unidade executiva de Casa Amarela. Soma-se a isso a não efetivação do Projeto Caminhada pela Vida com o Sesc e do Projeto de Recreação, que proporciona consideráveis atendimentos à atividade educação em saúde com a prestação de serviços de saúde aos participantes. Grifa-se a ausência de profissionais à frente da atividade no Sesc Garanhuns e no OdontoSesc I, devido à oscilação do capital humano, impossibilitando o desenvolvimento pleno da atividade nessas unidades e contribuindo, consideravelmente, para o déficit dos atendimentos. Ressalta-se que, apesar de não se atingir as metas de atendimentos, as ações desenvolvidas pela atividade abrangeram todos os segmentos sociais, possibilitando assim


Quanto às despesas da atividade, elas ultrapassaram a previsão em apenas 10,32%. No entanto, registra-se que as parcerias concretizadas foram significativas para a realização da programação anual vivenciada. Em relação à receita operacional, pela própria característica da atividade, esse procedimento torna-se irrelevante diante do alcance social dela. No Sesc Santo Amaro, a atividade educação em saúde evidenciou o trabalho de inclusão social com jovens de baixa renda da comunidade integrantes do Grupo de Adolescentes Jovens em Ação. Durante o exercício 2008, eles participaram de oficinas para formação de agentes multiplicadores do processo educativo em suas escolas, tendo o eixo dos trabalhos voltado à prevenção de DST/aids. Salientam-se, sobretudo, os investimentos em capacitação para o desenvolvimento intelectual e pessoal da equipe, no sentido de consolidar o referencial teórico que norteia nossa prática profissional, uma vez que nos proporcionou o conhecimento de experiências de outros colegas na área de educação em saúde voltadas à prática educativa, o que facilitou a busca do pleno atendimento ao nosso público-alvo. Destacamos como ponto crucial desse encontro a possibilidade de troca e a reestruturação da espinha dorsal da atividade educação em saúde, listando as possibilidades e potencialidades da atividade. Entre os projetos executados em 2008, destaca-se o Projeto Saúde na Empresa, que tem por objetivo oferecer ações de educação em saúde para funcionários das empresas contribuintes do Sesc, as quais solicitam as ações de saúde de acordo com suas demandas. Em parceria com o Ponto de Atendimento da unidade executiva de Casa Amarela, foram realizadas ações de saúde nas seguintes empresas: Grupo Wal-Mart, Contax, Rapidão Cometa, Colégio Apoio, Clínica de Olhos Santa Luzia e C&A Modas, sempre levando aos comerciários os serviços oferecidos pela instituição. Outro projeto a ser ressaltado é o Mulher: Saúde e Cidadania, realizado no mês de março de 2008. A ação ofereceu à clientela feminina e à comunidade em geral serviços de saúde e cidadania, incentivando a prática de hábitos saudáveis, contribuindo assim para a qualidade de vida das mulheres. Baseando-se nas Diretrizes Gerais para o Quinquênio estabelecidas pelo Departamento Nacional, o Sesc-PE principiou suas ações alusivas aos cuidados com o meio ambiente, tendo como mote a construção da Agenda 21. O projeto foi iniciado nos centros hoteleiros com a realização de um ciclo de palestras educativas e a aplicação de um questionário para obtenção do diagnóstico ambiental, contemplando também os setores da Administração Regional e da unidade Sesc Santo Amaro. Ressalta-se que a educação ambiental é o eixo transformador da realidade, contribuindo para a preservação e conservação do meio ambiente também no ambiente laboral. Assim sendo, paralelo à aplicação de questionários, foram iniciadas algumas ações a partir da Proposta de Elaboração da Agenda 21 do Sesc-PE, apresentada no Fórum de Planejamento em julho de 2007, a saber: • Projeto Alerta Ambiental, como possibilidade de intervir na unidade Sesc Casa Amarela por meio de palestras educativas e reuniões sistemáticas entre os cola-

Desempenho dos Programas Sociais

uma grande visibilidade para a instituição, ressaltando o importante papel social desempenhado por meio das parcerias firmadas.


Relatório de Gestão 2008

boradores, nas quais foram discutidas algumas prioridades, como coleta seletiva e reciclagem do lixo, elaboração do jornal verde, a ser publicado em 2009, combate ao desperdício, entre outras. • Projeto Vivendo o Meio Ambiente, realizado na culminância do Dia do Desafio, na cidade de Arcoverde, proporcionando ao público um momento de reflexão sobre os agravos ao meio ambiente. O projeto contou com a presença de uma técnica do Departamento Nacional, que utilizou a execução do projeto como ferramenta de observação participativa para a culminância da orientação específica com a equipe técnica de Pernambuco. Grifa-se o êxito alcançado com a realização da nona edição do Projeto Colmeia – Feira de Saúde e Cidadania no Recife, que também efetivou sua interiorização nas cidades de Caruaru (segunda edição), Petrolina (sexta edição) e Arcoverde (primeira edição), oferecendo à população serviços gratuitos de saúde e cidadania. As parcerias internas vêm sendo um ponto de destaque no que se refere ao engajamento das áreas de odontologia, nutrição, esportes, educação infantil e biblioteca, atuando diretamente nas ações de educação em saúde. Ao longo do ano as parcerias externas com o governo do Estado, prefeituras e demais órgãos governamentais, não governamentais e empresas privadas agregaram à atividade diversas ações de prevenção à saúde: orientações sobre a prevenção e o controle de diabetes e hipertensão, teste de glicose, colesterol, aferição de pressão arterial e orientações sobre saúde bucal às empresas do comércio, tais como Labor RH, Data Métrica, Celpe e Master Boi, prestando atendimento “in loco” à clientela prioritária do Sesc, o comerciário. Essas ações contribuíram para a visibilidade da atividade, além de levar às pessoas informações e conhecimento, aprimorando o trabalho do Sesc em Pernambuco.

2.1.4.4 Ação 010 – Assistência Médica Ação 010 - Assistência Médica Dados Gerais da Ação Tipo

Não se aplica ao Sesc

Finalidade

Desenvolver ações destinadas ao diagnóstico, à prevenção e ao tratamento de doenças, através das modalidades de clínicas.

Descrição

Realizações de consultas médicas e consultas de enfermagem.

Unidade Responsável pelas Decisões Estratégicas

Não se aplica ao Sesc

Coordenador Nacional da Ação

Não se aplica ao Sesc

Unidades Executoras

Não se aplica ao Sesc

Áreas (dentro da UJ) Responsáveis por Gerenciamento ou Execução da Ação

Direção da Área Fim e Setores de Saúde

Competências Institucionais Requeridas para a Execução da Ação

Assistência Social


2008 Previsto Inicial

Retificativo

Previsto Final

Realizado

Eficácia %

Receitas Operacionais - RO (R$)

120.324,00

-

-

97.873,35

81,34

Despesas Correntes - DC (R$)

157.329,00

Indicador

39.585,00

196.914,00

74.578,53

37,87

Carga de Trabalho: Atendimentos

53.492

-

-

46.370

86.69

Carga de Trabalho: Inscrições

27.147

-

-

29.978

110,43

0,34

-

-

0,62

182,87

2,94

-

-

1,61

54,68

76,48

-

-

131,24

171,60

Efic. da Prod. dos Rec. Financeiros (em atendimentos) Economicidade (R$) Desafio Estratégico - % (RO/DC) Fonte: GPO, Sesc-PE

A atividade de assistência médica, no exercício de 2008, realizou ações integradas com as atividades de recreação, desenvolvimento físico-esportivo, educação em saúde, trabalhos com grupos e o convênio Sesc Saúde. O nosso objetivo principal está baseado no interesse da nossa clientela: diagnosticar e prevenir problemas de saúde com atendimento em clínica médica geral, especializada, serviços complementares de enfermagem e atendimento de urgência, visando à promoção da saúde da clientela comerciária, seus dependentes e usuários em geral, procurando atendê-los da melhor forma possível oferecendo serviços de qualidade. Na nossa atividade de assistência médica, realizamos, frequentemente, as seguintes ações: * Exames físicos para práticas de modalidades esportivas. * Exames admissional e demissional dos servidores do Sesc da capital e do interior, conforme as normas de legislação da Delegacia Regional do Trabalho. * Exames periódicos dos servidores do Sesc da capital e do interior, conforme as normas de legislação da Delegacia Regional do Trabalho. * Exames dermatológicos para utilização das piscinas. * Realizações de pequenas cirurgias. * Aferição de pressão arterial, curativos, medicações, aplicação de injeção, nebulização, retirada de pontos. * Encaminhamento, pelo convênio Sesc Saúde, da clientela comerciária às clínicas especializadas, aos consultórios e aos laboratórios, com valores da tabela da Associação Médica Brasileira. * Palestras sobre temas de saúde, como DST/aids, cuidados com a saúde bucal, doenças da terceira idade, doenças da pele, câncer de próstata, de pulmão, tabagismo, labirintite, para toda a clientela comerciária, estudantes, idosos, dependentes, servidores e o público em geral, com a parceria da atividade de educação em saúde. * Parcerias com outras entidades, em especial o Ministério de Defesa (Exército Brasileiro), o Ministério da Justiça, prefeituras, o Senac, o Sesi e hospitais. * Na nossa atividade de assistência médica, não desenvolvemos projetos próprios, mas sempre participamos das parcerias vinculadas às ações desenvolvidas por outras atividades, principalmente desenvolvimento físico-esportivo, educação infantil, educa-

Desempenho dos Programas Sociais

Indicadores 2008 - Assistência Médica


Ação Comunitária Banco de Alimentos


Relatório de Gestão 2008

ção em saúde, trabalhos com grupos, e outros projetos que forem necessários. Destacam-se alguns projetos de grande dimensão na área de saúde, como Projeto Colmeia, nas cidades do Recife, Arcoverde e Petrolina, Ação Cívico-Social, em parceria com o Exército Brasileiro, Caminhada pela Paz e Caminhada pela Vida. Desses projetos, o Colmeia - Feira de Saúde e Cidadania representa um marco na nossa entidade, projetando uma grande visibilidade institucional e promovendo saúde e cidadania à população pernambucana, mostrando a responsabilidade social do Sesc e das instituições representadas. Destaca-se, também, o acesso ao convênio Sesc Saúde, realizado ao longo desses quatro anos pela equipe de atendentes das centrais de atendimento, que orientam as empresas visitadas e a clientela comerciária e usuários, principalmente da terceira idade, facilitando o acesso ao atendimento médico pelos principais profissionais da capital e intensificando a divulgação para que todos, inclusive os funcionários, tenham acesso a essa informação. Constata-se um grande crescimento no número de participantes em todas as atividades, provando que a qualificação profissional, os meios de divulgação, a qualidade no atendimento, a facilidade no acesso, bem como a melhoria da qualidade de vida da clientela, relacionada à promoção da saúde, fazem com que a nossa atividade venha a crescer cada vez mais. Temos observado todos os anos a existência de um custo operacional elevado (diárias, hospedagem e combustível) quando da mobilização de uma equipe composta de médico, assistente e motorista para a realização de exames periódicos no interior (Araripina e Bodocó), além da distância extrema e do perigo de acidente automobilístico durante o trajeto. Acreditamos que em 2008, no geral, a atividade de assistência médica cumpriu sua finalidade e esperamos melhorar ainda no ano de 2009.

2.1.5 Programa 003 – Cultura Programa 003 - Cultura Dados Gerais do Programa Cultura Tipo de Programa

Finalístico

Objetivo Geral

Desenvolvimento pessoal e social da clientela atarvés de ações lúdicas, recreativas e de entretenimento voltadas para o aproveitamento do tempo livre.

Objetivos Específicos

Propiciar durante o tempo livre das obrigações pessoais e profissionais a recuperação física, mental e espiritual, bem como a aquisição de conhecimentos complementares e o desenvolvimento de qualidades individuais.

Gerente do Programa

Não se aplica ao Sesc

Gerente Executivo

Não se aplica ao Sesc

Responsável pelo Programa na UJ

Não se aplica ao Sesc

Indicadores ou Parâmetros Utilizados para Avaliação do Programa

Taxa de Crescimento dos Atendimentos Percentual de Execução Orçamentária

Público Alvo (Beneficiários)

Comerciários, dependentes e comunidade em geral


Indicador Receitas Operacionais - RO (R$) Despesas Correntes - DC (R$) Carga de Trabalho: Atendimentos Carga de Trabalho: Inscrições Efic. da Prod. dos Rec. Financeiros (em atendimentos) Economicidade (R$) Desafio Estratégico - % (RO/DC)

2008 Previsto Inicial

Previsto Final

Realizado

Eficácia %

-

-

360.525,05

53,73

913.481,00

3.175.471,00

3.075.137,64

96,84

3.301.003

-

-

3.701.414

112,13

20.451

-

-

15.576

76,16

1,46

-

-

1,20

82,48

0,69

-

-

0,83

121,24

29,66

-

-

11,72

39,52

670.971,00 2.261.990,00

Fonte: GPO, Sesc-PE

Infraestrutura 6 10 3 2 3 4 1 9 1 6 9

Retificativo

Teatros e Auditórios Salas de Aula de Teatro Galerias de arte Salas de cinema Ateliês de Artes Plásticas Salas de Aula de Música Centro de Difusão e Realizações Musicais Bibliotecas Biblioteca Móvel Salas de Leitura Bibliotecas com Acesso à Internet

Desempenho dos Programas Sociais

Indicadores 2008 - Programa Cultura


Relatório de Gestão 2008

Variáveis

Indicadores

Consultas (Atend.) Empréstimos (Atend.) Cinema (Atend.) Música (Atend.) Teatro (Atend.) Dança (Atend.) Literatura (Atend.) Artes Plásticas (Atend.) Artesanato (Atend.) Alunos Inscritos Evasões Alunos Efetivos Turmas Aulas/Hora Atendimentos

349.907 89.848 126.089 1.500.208 542.133 837.771 71.892 158.721 24.845 20.538 3.701.414

2.1.6 Principais Ações do Programa Cultura A classificação funcional programática aprovada pela Portaria “N” Sesc nº 490/2004, estabelece Biblioteca, Apresentações Artísticas e Desenvolvimento Artístico e Cultural como principais atividades do programa Cultura. As ações do Sesc no campo da Cultura devem contemplar as diversas modalidades artísticas tais como: cinema, teatro, música, literatura, dança, artes plásticas e artesanato.

2.1.6.1 Ação 011 – Biblioteca Ação 011 - Biblioteca Dados Gerais da Ação Tipo

Não se aplica ao Sesc

Finalidade

Desenvolver ações destinadas à utilização de livros, documentos congêneres, periódicos assim como discos, filmes diapositivos, videocassetes, CDS, vídeo laser, DVD, CD-rom, internet, propiciando a consulta, o estudo e a pesquisa, através das modalidades de Biblioteca Fixa e Biblioteca Ambulante.

Descrição

Realizações de empréstimos e consultas.

Unidade Responsável pelas Decisões Estratégicas

Não se aplica ao Sesc

Coordenador Nacional da Ação

Não se aplica ao Sesc

Unidades Executoras

Não se aplica ao Sesc

Áreas (dentro da UJ) Responsáveis por Gerenciamento ou Execução da Ação

Direção da Área Fim e Setores de Cultura

Competências Institucionais Requeridas para a Execução da Ação

Assistência Social


Indicador

2008 Previsto Inicial

Retificativo

Previsto Final

Realizado

Eficácia %

27.583,00

-

-

367.684,00

(53.665,00)

314.019,00

452.050

-

-

439.755

97,28

17.087

-

-

11.957

69,98

Efic. da Prod. dos Rec. Financeiros (em atendimentos)

1,23

-

-

1,47

119,19

Economicidade (R$)

0,81

-

-

0,68

83,90

Desafio Estratégico - % (RO/DC)

7,50

-

-

8,77

116,91

Receitas Operacionais - RO (R$) Despesas Correntes - DC (R$) Carga de Trabalho: Atendimentos Carga de Trabalho: Inscrições

26.318,57

95,42

300.094,06

95,57

Fonte: GPO, Sesc-PE

O principal papel das bibliotecas do Sesc-PE é colaborar para a elevação da educação social da clientela com o fácil acesso e o desenvolvimento de práticas de incentivo à leitura, estimulando as pesquisas e percepções que lhe permitam a autoeducação, colocando-lhe à disposição acervos e ações que despertem seus interesses, necessidades e potencialidades. Atualmente o DR-PE conta com nove bibliotecas, seis salas de leitura e uma unidade móvel BiblioSesc, a saber: Biblioteca Gilberto Freyre (Sesc Santo Amaro), Biblioteca Álvaro Lins (Sesc Caruaru), Biblioteca Marcus Accioly (Sesc Casa Amarela), Biblioteca Luiz Jardim (Sesc Garanhuns), Biblioteca Manoel Francisco Meirelles (Sesc Santa Rita), Biblioteca José Lins do Rego (Sesc Arcoverde), Biblioteca José Mindlin (Sesc Piedade), Biblioteca Sesc Petrolina, Biblioteca do Centro de Turismo e Lazer de Triunfo, salas de leitura dos Centros Educacionais Sesc Ler de São Lourenço da Mata, Surubim, Buíque, Bodocó, Belo Jardim e Araripina. As bibliotecas fixas e móveis e as salas de leitura do DR-PE contam com um acervo bastante diversificado e atualizado, formado basicamente por obras de referência, didáticos, literatura brasileira e estrangeira traduzida, infantil e juvenil, totalizando um acervo 72.620 exemplares, aproximadamente, incluindo-se também CDs e DVDs. Estão também disponíveis à clientela 17 títulos de periódicos. Com uma clientela formada por comerciários, dependentes e comunidade em geral, bem como alunos das escolas públicas, que diariamente frequentam esses espaços objetivando complementar suas pesquisas escolares e ampliar seus conhecimentos com a leitura de livros diversos, jornais, revistas e consultas via internet, a atividade registrou 439.755 atendimentos e 11.957 inscrições, correspondentes a 97,28% e 69,98%, respectivamente, da meta prevista para exercício em análise. A unidade móvel BiblioSesc no exercício de 2008 percorreu os municípios de Itapissuma, Igarassu e Ilha de Itamaracá, atendendo uma clientela bastante diversificada, sendo na sua grande maioria estudantes, que buscam aprimorar seus conhecimentos através da leitura. Para instalação do projeto nas localidades, foi firmado um termo de convênio com as prefeituras e o Sesc, sendo estabelecidas as responsabilidades de cada parte envolvida. A escolha dos locais de permanência da unidade móvel levou em conta a carência de oportunidades, a ausência desses serviços nas proximidades, a acessibilidade de um número

Desempenho dos Programas Sociais

Indicadores 2008 - Biblioteca


Educação Jovens e Adultos (EJA) Jogos do EJA


Relatório de Gestão 2008

maior de clientela e a proximidade de escolas, associações de moradores e praças com um fluxo considerável de público. Os serviços oferecidos, gratuitamente, foram consulta local ao acervo, empréstimo domiciliar, leitura de jornais, revistas e gibis. Alguns fatores contribuíram para o não cumprimento das metas: * A reforma da biblioteca do Sesc Garanhuns, que se estendeu até agosto de 2008, uma vez que havíamos previsto o retorno em março de 2008. * O lançamento de inscrições e atendimentos no Projeto Porções do Saber no Sesc Petrolina, uma vez que o desenvolvimento de ações não pode ser computado na atividade. * O Projeto BiblioSesc teve dificuldades em firmar parcerias com as prefeituras, uma vez que estávamos em ano de eleição. * Os profissionais de biblioteca do Sesc-PE participaram no exercício em questão de duas ações de capacitação. A primeira para construção e aplicação do vocabulário sistematizado, sendo um encontro presencial realizado no Sesc Pantanal e outros a distância através do canal IPTV, que foram de grande importância para o desenvolvimento, organização e padronização dos trabalhos técnicos, possibilitando atualizar e inserir novos conceitos aos conhecimentos pertinentes à área de biblioteconomia. A segunda refere-se à atualização do uso do Sistema de Automação de Biblioteca Informa, que possibilitou à equipe de profissionais e auxiliares de biblioteca do DR-PE melhorar a utilização da ferramenta no gerenciamento das buscas dos acervos, consequentemente proporcionando rapidez e melhoria no atendimento da clientela. Projetos de Destaque A atividade centrou-se na realização de ações que incentivaram o gosto pela leitura, partindo da importância de criar o hábito pela leitura, principalmente entre as crianças, que na sua maioria veem a leitura como ferramenta para elaboração de tarefas escolares, quando na verdade a leitura faz parte do processo de construção dos conhecimentos, sendo uma ação contínua para toda a vida. Feira de Troca-Troca de Livros: realizada no Ginásio do Sesc Santo Amaro no dia 3 de fevereiro de 2008, das 8 às 13 horas, a feira teve por objetivo divulgar, incentivar e valorizar o livro e a leitura, promovendo a renovação e atualização do cidadão, sendo vetada a comercialização. Foram arrecadados nas bibliotecas das unidades executivas de Santo Amaro, Santa Rita, Piedade e Casa Amarela 5.000 livros, aproximadamente, sendo trocados 3.454, destes 841 de literatura, 449 infantis e 2.164 didáticos. Caravana da Leitura: projeto não previsto no Plano de Ação 2008, mas realizado com bastante êxito. Seu objetivo era desenvolver atividades de leitura com crianças da rede pública de ensino utilizando o universo imaginário infantil com personagens da nossa cultura. O projeto foi realizado simultaneamente nas bibliotecas das unidades executivas de Santo Amaro, Piedade e Casa Amarela. Foram desenvolvidas oficinas de leitura, cantigas e brincadeiras de roda e contação de história. Os resultados obtidos demonstram que as bibliotecas do Sesc-PE vêm permitindo e facilitando o acesso ao livro, diminuindo a distância entre este e o leitor. Inauguração da biblioteca do Sesc Garanhuns: A biblioteca do Sesc Garanhuns ampliou


2.1.6.2 Ação 012 – Apresentações Artísticas Ação 012 - Apresentações Artísticas Dados Gerais da Ação Tipo

Não se aplica ao Sesc

Finalidade

Promover eventos artísticos que contribuam para a reflexão, o debate e o lazer cultural dos comerciários, dependentes e comunidade em geral.

Descrição

Oferecimento de espetáculos, shows, mostras, exposições e concursos nas modalidades de cinema, teatro, música, literatura, dança, artes plásticas e artesanato.

Unidade Responsável pelas Decisões Estratégicas

Não se aplica ao Sesc

Coordenador Nacional da Ação

Não se aplica ao Sesc

Unidades Executoras

Não se aplica ao Sesc

Áreas (dentro da UJ) Responsáveis por Gerenciamento ou Execução da Ação

Direção da Área Fim e Setores de Cultura

Competências Institucionais Requeridas para a Execução da Ação

Assistência Social

Indicadores 2008 - Apresentações Artísticas Indicador Receitas Operacionais - RO (R$) Despesas Correntes - DC (R$) Carga de Trabalho: Atendimentos Efic. da Prod. dos Rec. Financeiros (em atendimentos) Economicidade (R$) Desafio Estratégico - % (RO/DC)

2008 Previsto Inicial 258.705,00

Retificativo

Previsto Final

Eficácia %

139.249,08

53,83

1.998.464,43

92,95

-

2.730.843

116,78

-

1,37

79,99

-

0,73

125,01

-

6,97

36,87

-

-

781.114,00

2.150.053,00

2.338.441

-

1,71

-

0,59

-

18,90

-

1.368.939,00

Realizado

Fonte: GPO, Sesc-PE

O Programa Cultura do Sesc Pernambuco, a partir de 2006, vem consolidando o papel da instituição como protagonista no campo da gestão cultural para a promoção e a democratização do bem cultural, com respeito aos princípios do direito cultural, através de uma ação programática de arte-educação inovadora, criativa e plural, fundamentada em parâmetros éticos, estéticos e técnicos, de maneira a estimular a participação do comer-

Desempenho dos Programas Sociais

seu espaço físico de 60m² para 140,19m² com recursos do Departamento Nacional. O objetivo principal da reforma foi proporcionar à clientela maior conforto, bem como disponibilizar mais espaços. Foram adquiridos móveis adequados para o ambiente, possibilitando maior conforto àqueles que frequentam diariamente o espaço da biblioteca tanto para pesquisar na internet ou nos livros dispostos nas estantes como para atualizar seus conhecimentos com a leitura de jornais e revistas. Foram também criados espaços para estudo individual e para o público infantil, com uma gibiteca e um acervo bastante diversificado. O acervo passou de 3.933 para 6.276 exemplares. Foram disponibilizados três computadores para consultas na internet.


Relatório de Gestão 2008

ciário, do trabalhador de bens e serviços e da comunidade em geral, conforme preconiza a sua diretriz macro. As atividades apresentações artísticas e desenvolvimento artístico e cultural agregam diversos projetos orientados pelos princípios da transversalidade e da multiculturalidade, mantendo nas unidades ‘executivas, nas unidades Sesc Ler e nos Centros de Turismo e Lazer processos artísticos visando à formação de plateias para as diversas linguagens artísticas. A formação estética e política do povo brasileiro com base no objeto artístico tem sido foco essencial dos projetos, que apresentaram relevo pelo caráter de regularidade e sistematização. Foi destaque nas unidades executivas a realização dos projetos Poetas da Terra, Janeiro Tem Artes, Semana da Música, Canta Coral, Prosa Popular, Sesc no Festival Recifense de Literatura, Festival de Quadrilhas Juninas, Na Onda da Dança, Arena Teatral, Horizonte das Paixões, Prêmio Capiba de Teatro, Cinecomunidade, II Encontro de Mestres da Tradição Oral do Agreste Pernambucano, Sesc no Festival de Inverno de Garanhuns, Festa da Literatura de Garanhuns, Aldeia do Velho Chico, Circuito Cultural da Terceira Idade, Dia Mundial do Teatro, Entre em Cena, Vale Dançar, Canto do Vale, Circuito Itinerante de Dança, entre outros. As unidades Sesc Ler destacaram-se com os projetos Luau Sesc Ler São Lourenço da Mata, Surubim Literário, Mostras de Teatro e Dança de Surubim, I Encontro de Músicos de Belo Jardim, CineSesc Poeirinha, Do Gesso ao Mar, Buíque Vai ao Cinema, 100 Rosas para Guimarães. O Centro de Turismo e Lazer do Sesc em Triunfo participou ativamente do processo de descentralização da arte com a realização do Natal Triunfo e a participação na Festa do Estudante e no Festival de Cinema de Triunfo. No campo da produção artística, foram relevantes os espetáculos Enamorados: a demanda do amor, O Buquê, A Represa, Tartufo, O Despertar da Primavera, H2Ops, Esbórnia, Fuá na Casa de Zé Mané, Sabor Chocolate, Coral Vozes do Sertão, Suíte do Barro, Conjunto de Choros Infanto-Juvenil do Sesc e Grupo Percussivo Nação Sesc. Somam-se a esses projetos os realizados em parceria com o Departamento Nacional, entre os quais Sonora Brasil, ArteSesc, Palco Giratório, Festival Palco Giratório e Prêmio Sesc de Literatura. Em 2008 a carga de trabalho de apresentações artísticas conseguiu 2.730.843 atendimentos, atingindo 116,78% das metas anuais, utilizando 92,95% dos recursos previstos. Salienta-se a complementação do orçamento previsto no Plano de Ação 2008 através do retificativo orçamentário. As parcerias foram significativas, em especial com as instituições públicas do Estado e de municípios: Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco, Museu de Arte Popular do Recife, Fundação de Cultura do Recife, prefeituras de Petrolina, Buíque, Garanhuns, Jaboatão dos Guararapes e São Lourenço da Mata. Como parceiros externos destacamos Sebrae-PE, Associação dos Produtores de Artes Cênicas, Associação de Artistas de Petrolina, Festival de Cinema de Berlim, Programadora Brasil, Associação Cultural Videobrasil, Cinemateca do Consulado Francês no Rio de Janeiro e Sindicato dos Professores de Araripina. Das parcerias registramos os projetos Janeiro de Grandes Espetáculos, Paixão de Cristo do Recife, Mulheres de Tejucupapo, Raiz Remix em Petrolina. Através da unidade móvel TeatroSesc, o programa de interiorização das artes ganhou dimensão ao atuar nas cidades de Triunfo, Araripina, Belo Jardim, Goiana, Garanhuns, Surubim, Buíque, Arcoverde e Serra Talhada. Em termos de investimentos, com a participação do Departamento Nacional, o DR-PE acelerou o processo com a inauguração dos Laboratórios de Autoria Ascenso Ferreira


2.1.6.3 Ação 013 – Desenvolvimento Artístico e Cultural Ação 013 - Desenvolvimento Artístico e Cultural Dados Gerais da Ação Tipo

Não se aplica ao Sesc

Finalidade

Desenvolver ações voltadas para a formação e o aprendizado de conhecimentos, informações e técnicas próprias à criação artística e à qualificação dos produtores e consumidores culturais visando a uma melhor compreensão da produção nas modalidades de cinema, música, literatura, teatro, dança, artes plásticas e artesanatos.

Descrição

Realizações mais frequentes de oficinas, palestras, seminários e cursos.

Unidade Responsável pelas Decisões Estratégicas

Não se aplica ao Sesc

Coordenador Nacional da Ação

Não se aplica ao Sesc

Unidades Executoras

Não se aplica ao Sesc

Áreas (dentro da UJ) Responsáveis por Gerenciamento ou Execução da Ação

Direção da Área Fim e Setores de Cultura

Competências Institucionais Requeridas para a Execução da Ação

Assistência Social

Indicadores 2008 - Desenvolvimento Artístico e Cultural 2008 Previsto Inicial

Retificativo

Previsto Final

Realizado

Eficácia %

Receitas Operacionais - RO (R$)

384.683,00

-

-

194.957,40

50,68

Despesas Correntes - DC (R$)

525.367,00

Indicador

Carga de Trabalho: Atendimentos

186.032,00

711.399,00

776.579,15

109,16

510.512

-

-

530.816

103,98

3.364

-

-

3.619

107,58

Efic. da Prod. dos Rec. Financeiros (em atendimentos)

0,97

-

-

0,68

70,34

Economicidade (R$)

1,03

-

-

1,46

142,16

73,22

-

-

25,10

34,29

Carga de Trabalho: Inscrições

Desafio Estratégico - % (RO/DC) Fonte: GPO, Sesc-PE

Educação dos sentidos é o eixo central das ações implementadas pela atividade desenvolvimento artístico e cultural, que no ano de 2008 atingiu a marca de 530.816 atendimentos, com a obtenção de 103,98% das metas e de 3.619 inscrições, representando 107,58%. Inserir o cidadão pernambucano no âmbito do processo artístico foi a marca essencial, numa perspectiva de educação estética, de maneira a propiciar aos espectadores elementos estimuladores para a construção de um mundo mais equânime e justo. Ou seja, o fenômeno artístico esteve sempre associado ao direito social como parte do processo inclusivo do povo pernambucano. A arte como parte do processo educativo, da saúde e dos direitos humanos é premissa estrutural do Programa Cultura do Sesc-PE.

Desempenho dos Programas Sociais

(Santa Rita) e Luzinete Laporte (Garanhuns), as reformas dos teatros do Sesc em Santo Amaro, Caruaru e Arcoverde e a construção da Galeria de Artes Ana das Carrancas, do Sesc-Petrolina.


Ação Comunitária Banco de Alimentos


Relatório de Gestão 2008

A excelência das metodologias e dos serviços culturais, notadamente no que se refere ao ensino da arte, norteou a concepção dos projetos pedagógicos para atender às diretrizes da arte-educação e as anotações fundantes dos Parâmetros Curriculares Nacionais possibilitaram à equipe de trabalho atender com mais objetividade aos anseios e desejos da clientela. Assim, as ações da atividade atenderam a todas as faixas etárias, da infância à terceira idade, com foco na acessibilidade (oficinas e cursos de iniciação), formação, aprofundamento e qualificação, por meio dos cursos avançados de teatro, dança, artes plásticas e música, da Escola Sesc de Teatro, do Curso Regular de Teatro e dos Centros e Núcleos de Pesquisa nas áreas de dança e teatro, além das diversas ações de elaboração e construção de obras de arte realizadas pelos Ateliês de Artes Plásticas, pelos Laboratórios de Autoria e pelo CineClube do Sesc Casa Amarela. Também foram meritórios os trabalhos desenvolvidos pelos grupos artísticos do Sesc nas áreas de música (Conjunto de Choro Infanto-Juvenil do Sesc Santo Amaro, Grupo Percussivo Nação do Sesc Casa Amarela e Grupo Suíte de Barro do Sesc Caruaru), dança (Companhia e Núcleo de Dança do Sesc Petrolina, Grupo Corpore do Sesc Piedade e Grupo de Dança do Sesc Garanhuns) e teatro (grupos do Sesc em Arcoverde, Casa Amarela, Piedade, Santo Amaro, Garanhuns, Santa Rita, Surubim, Triunfo e Petrolina, Buíque). Na modalidade artes plásticas o destaque é para as visitas mediadas às galerias de artes e aos espaços expositivos em Caruaru, Casa Amarela, Garanhuns, Petrolina, Belo Jardim, Bodocó, Araripina e São Lourenço da Mata. As unidades executivas Sesc Ler e CTL de Triunfo produziram projetos de relevo, com destaque para I Seminário de Arte-Educação do Nordeste, Surubim Literário, CRT-Enamorados em Santo Amaro, Escola Sesc/De uma Noite de Festa em Piedade, Únici – Salão Universitário de Artes Plásticas, CDRM Casa Amarela Série de CDs, Projeto Editorial do Sesc Piedade, A Escola Vai ao Cinema, Projeto Toque Vitalino do Pífano, 100 Anos sem Machado de Assis, Oficinas Preparatórias para o Natal Triunfo, Coral Vozes do Sertão, Vigilante da Arte, Oficinas do Na Onda da Dança, Oficinas da Aldeia do Velho Chico, Oficinas do Arena Teatral, entre outros. As parcerias externas produziram cursos, oficinas, palestras e debates com projetos como Janeiro de Grandes Espetáculos, Festival de Inverno de Garanhuns, Festival Recifense de Literatura, Festival de Artes de Serra dos Ventos/Belo Jardim, Semana da Música, Exposição em Araripina com o Museu de Arte Popular do Recife, Festival de Literatura de Garanhuns, Mostra de Artes de Jericó/Triunfo, Festival do Estudante de Triunfo e Projeto Reciclarte do Grupo Experimental de Dança. Com o Departamento Nacional do Sesc o destaque é para as exposições do ArteSesc (Espectador em Trânsito, Portinari: trabalho e jogo e Gentil Carioca), Sonora Brasil (História do Violão) e as oficinas do Dramaturgia – Leituras em Cena e Literatura (Mário Quintana e Machado de Assis). Em relação aos espaços destinados à atividade, destacamos a inauguração do Laboratório de Autoria Ascenso Ferreira, no Sesc Santa Rita, e do Laboratório de Autoria Luzinete Laporte, no Sesc Garanhuns – centros especializados na produção literária.


Programa 004 - Lazer Dados Gerais do Programa Lazer Tipo de Programa

Finalístico

Objetivo Geral

Desenvolvimento pessoal e social da clientela através de ações lúdicas, recreativas e de entretenimento voltadas para o aproveitamento do tempo livre.

Objetivos Específicos

Propiciar durante o tempo livre das obrigações pessoais e profissionais a recuperação física, mental e espiritual, bem como a aquisição de conhecimentos complementares e o desenvolvimento de qualidades individuais.

Gerente do Programa

Não se aplica ao Sesc

Gerente Executivo

Não se aplica ao Sesc

Responsável pelo Programa na UJ

Não se aplica ao Sesc

Indicadores ou Parâmetros Utilizados para Avaliação do Programa

Taxa de Crescimento dos Atendimentos Percentual de Execução Orçamentária

Público Alvo (Beneficiários)

Comerciários, dependentes e comunidade em geral

Indicadores 2008 - Programa Lazer 2008 Previsto Inicial

Retificativo

Previsto Final

Realizado

Eficácia %

Receitas Operacionais - RO (R$)

4.631.149,00

-

-

4.157.816,74

89,78

Despesas Correntes - DC (R$)

5.313.320,00

Indicador

787.371,00

6.100.691,00

4.923.114,51

80,70

374.729,35

-

-

364.756,00

97,34

2.162.136

-

-

2.466.769

114,09

51.600

-

-

62.172

120,49

0,38

-

-

0,47

122,72

Economicidade (R$)

2,63

-

-

2,14

81,48

Desafio Estratégico - % (RO/DC)

87,16

-

-

84,46

96,90

FUNPRI Carga de Trabalho: Atendimentos Carga de Trabalho: Inscrições Efic. da Prod. dos Rec. Financeiros (em atendimentos)

Fonte: GPO, Sesc-PE

Desempenho dos Programas Sociais

2.1.7 Programa 004 – Lazer


Relatório de Gestão 2008

Infraestrutura 5 2 12 4 2 7 3 8 5 14 2 1 1 1

Ginásios Estádios de Futebol Quadras Poliesportivas Campos de Futebol e Grama Sintética Quadras de Futebol de Areia Academias de Ginástica e Musculação Salas de Judô Salas de Avaliação Física Piscinas Térmicas Parques Aquáticos com Piscina Olímpica, Piscina Adulto e Infantil Centros de Turismo e Lazer Teleférico Centro de Convenções Unidade de Atendimento Turismo Social

Variáveis Alunos Inscritos Evasões Alunos Efetivos Turmas Aulas/Hora Atendimentos Esportes Sessões Turnos Atendimentos Recreação Excursões Passeios Diárias - Hospedagens Atendimentos Turismo Social Atendimentos Lazer

Indicadores 9.584 2.849 6.735 422 45.199 744.424 680 14.707 1.638.725 42 320 18.825 83.620 2.466.769

2.1.8 Principais Ações do Programa Lazer A Portaria “N” Sesc nº 490/2004, define Desenvolvimento Físico-Esportivo, Recreação e Turismo Social como atividades do programa Lazer.


2.1.8.1 Ação 014 – Desenvolvimento Físico-Esportivo Ação 014 - Desenvolvimento Físico Esportivo Dados Gerais da Ação Tipo

Não se aplica ao Sesc

Finalidade

Desenvolver ações destinadas aos exercícios físico-esportivos, através das modalidades de ginástica e desporto em geral.

Descrição

Realização de exercícios sistemáticos de ginástica, desportos em geral com caráter de cursos, competições e treinos sistemáticos com orientação e realizações complementares de sauna, duchas e massagens.

Unidade Responsável pelas Decisões Estratégicas

Não se aplica ao Sesc

Coordenador Nacional da Ação

Não se aplica ao Sesc

Unidades Executoras

Não se aplica ao Sesc

Áreas (dentro da UJ) Responsáveis por Gerenciamento ou Execução da Ação

Direção da Área Fim e Setores de Cultura

Competências Institucionais Requeridas para a Execução da Ação

Assistência Social

Indicadores 2008 - Desenvolvimento Físico-Esportivo 2008 Previsto Inicial

Retificativo

Previsto Final

Realizado

Eficácia %

Receitas Operacionais - RO (R$)

1.479.447,00

-

-

1.527.482,30

103,25

Despesas Correntes - DC (R$)

1.498.184,00

430.295

1.928.479,00

1.873.131,05

97,13

704.818

-

-

744.424

105,62

Indicador

Carga de Trabalho: Atendimentos

25.829

-

-

35.003

135,52

Efic. da Prod. dos Rec. Financeiros (em atendimentos)

0,47

-

-

0,40

84,48

Economicidade (R$)

2,13

-

-

2,52

118,37

98,75

-

-

81,55

82,58

Carga de Trabalho: Inscrições

Desafio Estratégico - % (RO/DC) Fonte: GPO, Sesc-PE

A gestão da atividade desenvolvimento físico-esportivo se fortalece no acompanhamento presencial dos supervisores das unidades executivas, principalmente na capital, e intensificando visita técnica às unidades do interior para planejamento e avaliação constante das ações e projetos. Essa diretriz vem possibilitando um crescimento anual das metas, a exemplo da carga de trabalho realizada de 744.424 atendimentos, representando 105,62% do previsto para o exercício 2008. As metas de inscrições demonstram o mesmo comportamento ao realizar um total de 35.003, que significa um superávit de 135,52% no exercício. Isso se deve, principalmente,

Desempenho dos Programas Sociais

As ações do Sesc no campo do Lazer devem contemplar as necessidades físicas e espirituais do trabalhador e de sua família através das diversas modalidades, tais como: ginástica e desporto em geral, práticas lúdicas, turismo emissivo, turismo receptivo e hospedagem.


Relatório de Gestão 2008

ao amadurecimento da equipe no acompanhamento e inovação de projetos de caráter competitivo, como também ao funcionamento da atividade nos Centros Educacionais Sesc Ler com abertura de cursos esportivos. A receita operacional superou a sua previsão, atingindo 103,25% em relação ao previsto, além de corresponder a 97,13% das despesas realizadas, ou seja, ultrapassou o desafio institucional, que é de 50%, com um superávit percentual de 31,55%. Por sua vez, as despesas apresentaram um comportamento orçamentário e financeiro equilibrado. Registra-se, porém, que a atividade detém um significativo gasto com manutenção, que vem se intensificando, principalmente com os equipamentos de musculação, uma vez que contam com mais de cinco anos de uso intensivo, além da manutenção dos complexos esportivos dos Sesc Ler inaugurados no exercício 2008. Pode-se levar em consideração também a continuidade do programa de reforma dos espaços físicos específicos, qualificando o atendimento, como a reforma das unidades executivas de Petrolina (salas de musculação, ginástica, coordenação, professores e parque aquático) e Arcoverde (parque aquático) e a inauguração do complexo esportivo dos Centros Educacionais Sesc Ler São Lourenço, Bodocó, Buíque e Surubim, com contratação, ao longo do exercício 2008, de professores de esportes para dinamizar a programação de cursos e projetos. Grifa-se, ainda, que a atividade, no exercício 2008, participou da continuidade das capacitações coordenadas pelo Departamento Nacional, que contribuíram para a qualificação do quadro de professores e impactaram positivamente a qualidade dos serviços oferecidos e dos resultados, como Avaliação Funcional, que deu continuidade ao projeto de padronização da avaliação física em âmbito nacional, destacando a presença de cinco Regionais, entre eles o Regional Pernambuco, na avaliação do software que será implantado nacionalmente, possibilitando criação de um banco de dados para estudos e pesquisas com crianças, jovens e adultos; Curso de Musculação – Aperfeiçoamento, que vem imprimindo no profissional de musculação do Sesc uma qualidade de conhecimento técnico e científico diferenciada na elaboração dos treinamentos em salas de musculação; Atividade Esportiva na Infância e Adolescência, que diferenciou-se em 2008 quando trouxe para discussão a questão do treinamento por modalidades, permitindo reflexões acerca da necessidade de implementação metodológica e de conteúdo nos diversos cursos esportivos, além da criação de um manual único para prática pedagógica do professor. Quanto à realização dos projetos, aponta-se a intensificação dos campeonatos e festivais internos voltados para os alunos dos cursos esportivos do Sesc, destacando-se torneios e campeonatos de futsal no Sesc Santo Amaro e Caruaru; torneios de vôlei no Sesc Santo Amaro; Nadando 12 Horas e Festival Interno de Natação na unidade executiva de Casa Amarela; jogos municipais na modalidade beach soccer e participação em campeonatos externos, como Brasileiro e Sul-Americano de Judô, campeonatos de natação máster, I Torneio de Verão e Projeto Qualivida, com o objetivo de contribuir para a melhoria da saúde e qualidade de vida dos funcionários no Sesc Piedade; Seminário de Saúde e Qualidade de Vida no Sesc Garanhuns; Meeting de Natação, Minimaratona e Copa Sesc de Futsal no Sesc Arcoverde; e 4º Seminário Esportivo, Copa TV Grande Rio, Copa Sesc de Futsal, Copa Sesc de Vôlei, Copa Sesc de Handebol, Olimpíadas Comerciarias e Minimaratona no Sesc Petrolina. Merecem destaque os seguintes projetos institucionais: Olimpíadas Comerciárias, realiza-


Nos Centros Educacionais Sesc Ler merece destaque o funcionamento das turmas esportivas com surpreendente adesão, trazendo uma demanda crescente para as turmas principalmente de natação, hidroginástica e futsal, o que torna necessário dar continuidade à contratação de professores e investir em materiais e equipamentos.

2.1.8.2 Ação 015 – Recreação Ação 015 - Recreação Dados Gerais da Ação Tipo

Não se aplica ao Sesc

Finalidade

Promover eventos que contribuam para o entretenimento dos comerciários, dependentes e comunidade em geral através de práticas lúdicas e informais.

Descrição

Oferecimento de banhos de piscina, recreação esportiva, jogos de salão, reuniões dançantes, assistência de TV, serestas, festas de confraternização e manhãs/ tardes/ noites de recreio.

Unidade Responsável pelas Decisões Estratégicas

Não se aplica ao Sesc

Coordenador Nacional da Ação

Não se aplica ao Sesc

Unidades Executoras

Não se aplica ao Sesc

Áreas (dentro da UJ) Responsáveis por Gerenciamento ou Execução da Ação

Direção da Área Fim e Setores de Cultura

Competências Institucionais Requeridas para a Execução da Ação

Assistência Social

Indicadores 2008 - Recreação Indicador Receitas Operacionais - RO (R$)

2008 Previsto Inicial 594.265,00

Previsto Final

Realizado

Eficácia %

-

-

446.824,84

75,19

1.130.446,41

86,36

1.638,725

119,16

303.098,00

1.309.043,00

1.375.248

-

-

Carga de Trabalho: Inscrições

492

-

-

-

-

Efic. da Prod. dos Rec. Financeiros (em atendimentos)

1,37

-

-

1,45

106,04

Economicidade (R$)

0,73

-

-

0,69

94,31

59,08

-

-

39,53

66,91

Despesas Correntes - DC (R$) Carga de Trabalho: Atendimentos

Desafio Estratégico - % (RO/DC) Fonte: GPO, Sesc-PE

1.005.945,00

Retificativo

Desempenho dos Programas Sociais

das em parceria com as unidades executivas de Santo Amaro, Santa Rita, Casa Amarela e Piedade, valorizando a classe comerciária nas modalidades de futsal, vôlei, natação, beach soccer e jogos de salão; e participação na Corrida das Bandeiras do Exército, cuja parceria agregou a categoria comerciária à corrida com premiação exclusiva de participação na São Silvestre, corrida realizada em São Paulo, ao primeiro e segundo lugar comerciário masculino e feminino.


Relatório de Gestão 2008

Ao longo do exercício 2008, a atividade recreação vem mostrando um crescimento e fortalecimento de suas ações, assumindo o trabalho de legitimação de sua função programática. Esse processo se estabelece, inicialmente, por meio dos grupos de estudo formados sobretudo na capital com o objetivo de discutir as intervenções e o papel da atividade nos encontros e leituras em grupo, reformulando a proposta programática. Soma-se a esse dado a qualificação do quadro de profissionais a partir da contratação de recreadores com experiência curricular comprovada em processo seletivo, o que vem fortalecendo a atividade e suas ações no Regional, como também a qualificação do recreador em cursos, participação em congressos, seminários e encontros, a saber: * Curso de Recreação organizado pelo Sesc Arcoverde e realizado no mês de março com o tema O Eixo Movimento: uma proposta para a educação infantil. O curso foi ministrado pela supervisora de esportes e recreação e por uma recreadora e professora do Sesc Casa Amarela, valorizando os profissionais da casa. Participaram estudantes do curso de educação física da Faculdade de Educação Física de Arcoverde – Aesa, professores de educação física e educação infantil do Sesc e das escolas públicas e privadas da cidade e de regiões circunvizinhas. * Ciranda Sesc do Conhecimento, que promoveu um curso de recreação no Sesc Piedade com a temática Recri-Ação – Transformando através do Lúdico. Durante três dias, foram realizadas atividades com profissionais e estudantes das áreas de educação física, pedagogia, turismo e hotelaria, além de todo o quadro de recreadores do Sesc Pernambuco, capital e interior. * Participação da coordenação regional de esportes e recreação e da supervisora de recreação do Sesc Piedade no XX Encontro Nacional de Recreação e Lazer, realizado em São Paulo no mês de novembro. É o maior evento de recreação e lazer ocorrido em âmbito nacional. Nele se discutiu a gestão do lazer como questão urgente no processo de formação universitária e na continuidade profissional. As palestras, fóruns e discussões contaram com professores e doutores de diversas nacionalidades. Respeitando a estratégia de qualificação da atividade, destacam-se alguns projetos institucionais. O Projeto Pedalando pela Paz, que conta com a participação financeira do DN, tem o objetivo de promover um evento recreativo e que ao mesmo tempo envolva cidadãos na temática da qualidade de vida através de um passeio ciclístico. A versão de 2008, intitulada Pedalando pela Paz: um giro pelos mercados públicos da cidade, enalteceu os valores culturais da cidade, resgatando a história dos mercados públicos por meio de uma representatividade significativa deles, salientando também sua característica sociocultural. O projeto contou com a participação de aproximadamente 2.000 ciclistas, que permitiram a doação de aproximadamente 2.000 quilos de alimentos não perecíveis às instituições credenciadas no Programa Banco de Alimentos Sesc-PE/Mesa Brasil. O Projeto Dia do Desafio, realizado pela segunda vez no DR-PE nas cidades de Caruaru e Arcoverde e pela primeira vez nas cidades de Triunfo, Garanhuns e Petrolina, teve uma grande mobilização das populações envolvidas, em ampla parceria com as prefeituras das cidades e suas secretarias, como também faculdades, escolas, ONGs e outras iniciativas públicas e privadas. Em relação aos projetos realizados nas unidades executivas, destacam-se as colônias de férias, que envolveram as crianças em atividades que pudessem trabalhar questões relacionadas a qualidade de vida, meio ambiente e esportes, respeitando o ano olímpico, além de promover abordagem dos conteúdos das diversas áreas envolvidas, de forma que a literatura, o jogo, o esporte e a arte fossem um meio de valorizar a cultura através da produção do conhecimento de forma lúdica, dando sentido e significado às brincadeiras e demais


Grifa-se a implementação de projetos no CTL Triunfo, que permaneceu com a expansão da sua programação para a cidade ao realizar projetos recreativos com a comunidade e escolares, tais como Sesc Contando e Brincando, que atendeu o público das escolas da cidade; Todos Vivendo o Social, que reuniu ações de saúde, educação, recreação e assistência para toda a comunidade; Colônia de Férias Mirim, realizada em dois turnos com crianças de 5 a 12 anos, contanto com a parceria de estudantes do curso de educação física da Fafopost; Dia do Comerciário; Uni-dune-tê, projeto realizado nas escolas públicas de ensino, resgatando jogos populares com atividades recreativas; teleférico, que continua sendo uma grande atração para o visitante e a população da cidade. O CLT Garanhuns realiza um trabalho exclusivo para hóspedes com programação interna e externa, destacando-se os passeios turísticos pela cidade. Ressalta-se a importância de investimento no quadro de recreadores. Dentro do projeto de valorização dos conhecimentos, destacaram-se os cursos oferecidos via IPTV, coordenados pelo DN, como Recreação na Educação Infantil, com a participação de toda a equipe da capital e do interior cujo, módulo prático, transmitido pelo Regional Pernambuco, foi ministrado pela Cia. do Lazer; Fórum Falando do Ponto de Vista do Lazer, que permitiu a troca de experiências entre os Regionais, no qual Pernambuco apresentou o Projeto Sesc Lazer, do Sesc Piedade, que sistematizou as atividades recreativas nos finais de semana com uma grande adesão à sua programação em todas as faixas etárias. A experiência comprova a importância do investimento no capital humano, na formação de equipes e na capacitação técnica como forma de proporcionar lazer e recreação comprometidos com os interesses e respeitando realidades culturais. Faz-se importante salientar que no final do exercício o Regional recebeu visita técnica do Departamento Nacional, que enviou um técnico de recreação para observar e compor um roteiro de diagnóstico com informações gerais: recursos humanos, ações, materiais e equipamentos, espaços físicos, recursos financeiros, investimentos, entre outros. A visita trouxe de imediato ganhos no que diz respeito a contratações de recreadores para os Centros Educacionais Sesc Ler de São Lourenço, Surubim, Belo Jardim e Buíque. Assim, a atividade recreação cumpre a meta prevista de atendimento com uma carga de trabalho de 1.638.725 atendimentos, significando 19,16% além do previsto. As metas realizadas de receita operacional, R$ 446.824,84, sofreram prejuízos, uma vez que alguns projetos realizados pelas unidades executivas não contaram com o público esperado, em virtude de uma divulgação singela e da não realização de alguns projetos nos Centros Educacionais Sesc Ler por falta de recreadores, uma vez que eles foram contratados a partir do mês de novembro e em alguns casos a contratação passou para 2009. Em relação às despesas, as unidades executivas adotaram a estratégia de minimizar os

Desempenho dos Programas Sociais

ações desenvolvidas; o Sesc Lazer e o Sesc Animação, realizados sistematicamente nos finais de semana nas unidades executivas de Piedade e Casa Amarela, respectivamente, com uma boa participação do público adulto, que vem comparecendo às programações recreativas; Dia do Comerciário: qualificação do repertório musical, com a contratação de bandas que valorizam a qualificação diferenciada, ocorrido no Sesc Santa Rita e Piedade; além dos projetos que comemoram datas importantes, como Dia das Crianças, Dia do Comerciário, nas demais unidades executivas, São João, em todas as unidades executivas, e Happy Hours, em Santo Amaro, Santa Rita, Garanhuns, Arcoverde e Sesc Ler Buíque.


Relatório de Gestão 2008

investimentos orçamentários previstos através das parcerias apresentando o excelente resultado de 86,36% do previsto, registrando investimento financeiro de R$ 1.130.446,41.

2.1.8.3 Ação 016 – Turismo Social Ação 016 - Turismo Social Dados Gerais da Ação Tipo

Não se aplica ao Sesc

Finalidade

Desenvolver ações destinadas a proporcionar o descanso e o lazer da clientela, estimulando os conhecimentos históricos, culturais e sociais dos pontos turísticos através das modalidades de turismo emissivo, turismo receptivo, hospedagem.

Descrição

Realizações de excursões, passeios, passeio local, traslado e diárias.

Unidade Responsável pelas Decisões Estratégicas

Não se aplica ao Sesc

Coordenador Nacional da Ação

Não se aplica ao Sesc

Unidades Executoras

Não se aplica ao Sesc

Áreas (dentro da UJ) Responsáveis por Gerenciamento ou Execução da Ação

Direção da Área Fim e Setores de Cultura

Competências Institucionais Requeridas para a Execução da Ação

Assistência Social

Indicadores 2008 - Turismo Social Indicador Receitas Operacionais - RO (R$)

2008 Previsto Inicial

Retificativo

Previsto Final

Realizado

Eficácia %

2.557.437,00

-

-

2.183.509,60

85,38

2.809.191,00

53.978,00

2.863.169,00

1.919.537,05

67,04

374.729,35

-

-

364.756,00

97,34

Carga de Trabalho: Atendimentos

82.070

-

-

83.620

101,89

Carga de Trabalho: Inscrições

25.279

-

-

27.169

107,48

0,03

-

-

0,04

142,02

Economicidade (R$)

38,80

-

-

27,32

70,41

Desafio Estratégico - % (RO/DC)

91,04

-

-

113,75

124,95

Despesas Correntes - DC (R$) FUNPRI

Efic. da Prod. dos Rec. Financeiros (em atendimentos)

Fonte: GPO, Sesc-PE

O turismo social, com a soma de esforços estratégicos, atingiu a meta prevista para o ano de 2008. Conforme estudo realizado, diversas mudanças foram iniciadas para melhor aproveitamento e captação de clientes para essa área. Essas mudanças referem-se, principalmente, à contratação de novos integrantes que compõem os recursos humanos desta atividade, desde a sua coordenação, e aos responsáveis locais lotados nas unidades executivas de Santo Amaro, Casa Amarela, Piedade e Arcoverde, que está retomando as ações da atividade. A maioria desses profissionais tem graduação em turismo, fato que vem proporcionando uma maior qualificação. Os esforços abrangeram, ainda, os espaços físicos, que foram dotados de novas instalações


Diante do panorama atual, os resultados foram significativos, atrelando-se ao crescimento referente ao ano anterior. Na análise geral mensurável, o turismo social foi responsável por uma carga de trabalho que gerou 83.620 atendimentos. Na totalidade, houve um superávit em torno de 2%, comparado ao ano anterior, quando foram registrados 82.760 atendimentos. O número de inscrições foi de 27.169, contra o previsto de 25.279, gerando um aumento significativo de 7% devido à demanda existente dentro da atividade. Com a segunda maior receita operacional deste Regional totalizada em R$ 2.183.509,60, a atividade atingiu 85,38% de sua previsão anual. Esse fato ocorreu porque o preenchimento das vagas dos profissionais da atividade foi realizado paulatinamente ao longo do exercício, o que impossibilitou a realização de algumas excursões programadas pelas unidades executivas. O turismo, por si só, não é capaz de promover a sustentabilidade da sociedade ou eliminar o estado de pobreza das comunidades, mas é fonte propulsora de transformações. O Sesc, ao adjetivar o turismo oferecido à sua clientela como social, destina o serviço do turismo prioritariamente ao segmento de menor renda e, coerente com a sua missão, responde às aspirações da clientela de “ampliar seus horizontes de nacionalidade, ou seja, conhecer um Brasil que não conhece, conhecer novas terras, novas gentes e viver experiências num novo espaço geográfico e cultural, no qual se sinta livre dos condicionamentos do seu cotidiano laboral e social”, conforme as Diretrizes para o Quinquênio 2006–2010 do Departamento Nacional. Para a concretização da citada diretriz, contou-se com uma ação de padronização por meio da integração e cooperação entre os dois Centros de Turismo e Lazer Sesc, um em Garanhuns e outro em Triunfo, sendo fortalecida pela direção da Divisão de Atividades Sociais e gerenciada, tecnicamente, pela coordenação desta atividade e sua equipe, com informações mais detalhadas ao cliente e divulgação dos CTLs em um único material gráfico. Dessa forma, existiram trocas de experiências que oportunizaram ao cliente Sesc outra opção de conhecer um novo Centro de Turismo, com características regionais diferentes. Os resultados alcançados no exercício de 2008 pelos Centros de Turismo de Garanhuns e Triunfo validaram a melhoria contínua da qualidade dos serviços prestados referente à infraestrutura e ao capital humano. No entanto, é necessário continuar investindo na modernização dos espaços e equipamentos para adequá-los às exigências dos clientes, que se tornam cada vez mais conhecedores do que significa qualidade em serviços de hotelaria, principalmente em relação a funcionalidade, acessibilidade, conforto, comodidade e segurança. Salienta-se que os dois CTLs atingiram suas metas de atendimentos. No turismo emissivo verificou-se que as excursões realizadas para os citados CTLs foram um sucesso, a demanda foi garantida e a clientela manifestou o interesse de retornar a esses destinos. Dessa forma, objetiva-se racionalizar os custos e oferecer pacotes econômicos e vendáveis, fidelizando, assim, a clientela Sesc.

Desempenho dos Programas Sociais

para a Coordenação de Turismo Social, que realizou seus trabalhos em local mais visível, confortável e atraente à clientela. As atribuições dos cargos envolvidos também sofreram alterações, visando a melhorias, pois anteriormente a Coordenação de Turismo Social era responsável técnica pelas centrais de atendimento das unidades executivas. Hoje a estrutura organizacional foi modificada, desmembrando os serviços em duas áreas distintas, o que facilitou a execução dos trabalhos, que passou a ter enfoque único e específico no turismo social, transferindo-se os demais serviços para a nova coordenação, instituída de Central de Relacionamento com o Cliente.


Desenvolvimento FĂ­sico-Esportivo Passeio CiclĂ­stico


Relatório de Gestão 2008

Quanto à inadimplência nos meios de hospedagem, registra-se que não houve ocorrência em 2008, em face do trabalho de acompanhamento e controle realizado pela equipe da coordenação, que atua no sistema de reservas e vendas de hospedagens com pagamento antecipado e nos Centros de Turismo no check-in. Já no turismo emissivo, que exige esforços maiores na captação de clientes, torna-se importante a coordenação e os técnicos atentarem para essa realidade no acompanhamento sistemático das excursões e passeios programados, com revisão de projetos, alguns cancelados e outros realizados, causando prejuízos para a atividade, como a excursão a Fernando de Noronha da unidade executiva de Piedade. Outros projetos foram transferidos para nova data ou tiveram substituição de roteiros, no intuito de atender à demanda dos clientes, sem distanciamento dos fatos. Em 2008, até o mês de novembro, verificou-se que as unidades executivas que atingiram suas metas foram Caruaru, Petrolina e Arcoverde. As demais, Piedade, Casa Amarela e Santo Amaro, não atingiram suas previsões devido às mudanças dos técnicos responsáveis pela área. Quanto ao Sesc Garanhuns, justifica-se o resultado pela realização de passeios e excursões com a integração das atividades de educação infantil, desenvolvimento artístico e cultural, trabalho com grupos e desenvolvimento físico-esportivo, considerando que os atendimentos e inscrições não puderam ser computados estatisticamente na atividade de turismo social. O ocorrido, porém, foi importante para aglutinar as ações específicas em um único projeto, que atendeu o público da terceira idade, jovens desportistas e outros a fim de usufruir, em poucos dias, ou mesmo em um dia, momentos de descanso e lazer em viagens, por vezes ao lado de amigos, da família ou em oportunidades de novos convívios. No quesito capacitação, foram realizados, pelo sistema de teleconferência via IPTV, os cursos Turismo e Patrimônio e Gestão Hoteleira, que apresentaram uma programação muito interessante, sendo de grande importância para os profissionais, que adquiriram novos conhecimentos teóricos e, em conjunto, puderam promover debates sobre os temas apresentados. Contudo, atenta-se para as constantes falhas no sistema de transmissão de áudio e vídeo, que impossibilitaram a compreensão das falas, deixando o curso sem ser 100% aproveitável. Este ano a atividade contou com a visita de um técnico do Departamento Nacional, que fez uma apresentação de indicadores das atividades e visitou todas as unidades executivas que desenvolvem a atividade, como também os dois Centros de Turismo e Lazer. Vale ressaltar a participação no 2° Encontro Nacional de Turismo Social, em São Paulo, e no Salão de Turismo, que deu à coordenação uma visão geral e mais ampla de toda a atividade e possibilitou a troca de experiências com os outros DRs.


Programa 005 - Assistência Dados Gerais do Programa Assistência Tipo de Programa

Finalístico

Objetivo Geral

Contribuir para valorização do trabalhador e de sua família e para sua integração na comunidade, através de medida de auxílio indireto com caráter educativo e social.

Objetivos Específicos

Promover a participação social e o exercício da cidadania.

Gerente do Programa

Não se aplica ao Sesc

Gerente Executivo

Não se aplica ao Sesc

Responsável pelo Programa na UJ

Não se aplica ao Sesc

Indicadores ou Parâmetros Utilizados para Avaliação do Programa

Taxa de Crescimento dos Atendimentos Percentual de Execução Orçamentária

Público Alvo (Beneficiários)

Comerciários, dependentes e comunidade em geral

Indicadores 2008 - Programa Assistência Indicador

2008 Previsto Inicial

Retificativo

Previsto Final

Realizado

Eficácia %

Receitas Operacionais - RO (R$)

107.995,00

-

-

106.392,03

98,52

Despesas Correntes - DC (R$)

536.159,00

165.903,00

702.062,00

666.461,70

94,93

Carga de Trabalho: Atendimentos

18.335.866

-

-

16.275.268

88,67

Carga de Trabalho: Inscrições

1.556

-

-

1.171

75,26

Efic. da Prod. dos Rec. Financeiros (em atendimentos)

34,24

-

-

24,42

71,33

0,03

-

-

0,04

140,19

20,14

-

-

15,96

79,25

Economicidade (R$) Desafio Estratégico - % (RO/DC) Fonte: GPO, Sesc-PE

Infraestrutura 5 1 4 5 5

Unidades do Banco de Alimentos Cozinha Didática Caminhões-Baú Veículos de Alimentos Salas Multiuso Trabalho com Grupos

Desempenho dos Programas Sociais

2.1.9 Programa 005 – Assistência


Relatório de Gestão 2008

Variáveis

Indicadores

Grupos Membros Reuniões de Continuidade Alimentos Coletados (Toneladas) Instituições Receptoras Comunidades Carentes Pessoas Beneficiadas Nº de Empresas Doadoras Atendimentos Lazer

18 1.095 424 1.616.365 2.770 18 436.311 2.477 16.275.268

2.1.10 Principais Ações do Programa Assistência A Portaria “N” Sesc nº 490/2004, que aprova a classificação funcional programática estabelece para o programa Assistência as atividades Trabalho com Grupos, Ação Comunitária e Assistência Especializada. As principais realizações deste programa são reuniões para a formação de grupos de interesses e de núcleos comunitários, palestras, seminários, cursos, campanhas, feiras e consultas sociais individuais para obtenção de documentos, bolsas de estudo e financiamento de bens e serviços.

2.1.10.1 Ação 017 – Trabalho com Grupos Ação 017 - Trabalho com Grupos Dados Gerais da Ação Tipo

Não se aplica ao Sesc

Finalidade

Promover a participação social e o exercício da cidadania através da formação de grupos de convivência.

Descrição

Formação e desenvolvimento de grupos de idosos, jovens, voluntários e de interesse.

Unidade Responsável pelas Decisões Estratégicas

Não se aplica ao Sesc

Coordenador Nacional da Ação

Não se aplica ao Sesc

Unidades Executoras

Não se aplica ao Sesc

Áreas (dentro da UJ) Responsáveis por Gerenciamento ou Execução da Ação

Direção da Área Fim e Assistência Social

Competências Institucionais Requeridas para a Execução da Ação

Assistência Social


2008 Previsto Inicial

Retificativo

Previsto Final

Realizado

Eficácia %

Receitas Operacionais - RO (R$)

107.995,00

-

-

106.392,03

98,52

Despesas Correntes - DC (R$)

158.104,00

Indicador

126.777,00

284.881,00

241.574,37

84,80

72.966

-

-

74.280

101,80

Carga de Trabalho: Inscrições

1.384

-

-

1.095

79,12

Efic. da Prod. dos Rec. Financeiros (em atendimentos)

0,46

-

-

0,31

66,63

2,17

-

-

3,25

150,09

68,31

-

-

44,04

64,48

Carga de Trabalho: Atendimentos

Economicidade (R$) Desafio Estratégico - % (RO/DC) Fonte: GPO, Sesc-PE

No exercício 2008, a atividade em epígrafe foi marcada por iniciativas que corroboraram o comprometimento em buscar atender ao desafio estratégico da atividade, que prioriza o alcance social, a visibilidade, a redução das despesas, como também a qualidade técnicometodológica. Primou, sobretudo, sua atuação por meio de uma gestão que considerou a prática social como um processo que contribui para a formação e o desenvolvimento da consciência crítica dos indivíduos e dos grupos a respeito dos seus problemas e da vivência em grupo, estimulando a busca de soluções e a organização para a ação coletiva. Portanto, a atividade trabalho com grupos no Regional baseou-se na diretriz de fortalecer o trabalho socioeducativo realizado nas unidades executivas e nos Centros Educacionais Sesc Ler, com ações de ressocialização dos integrantes do grupo, enfatizando a importância da inserção deles e valorizando-os no contexto social e político. A estratégica empregada apresentou uma carga de trabalho que atingiu 74.280 atendimentos no exercício 2008, representando um percentual de 101,80% da meta anual, bem como evidenciou o esforço para inserção de novas propostas de atuação com vistas ao alcance de melhor nível qualitativo das ações e, consequentemente, à busca do atingimento dessas metas. No que concerne às inscrições, estas, por sua vez, alcançaram 79,12% de sua previsão anual, uma vez que alguns grupos nos Centros Educacionais Sesc Ler não estavam em pleno funcionamento, tendo em vista a falta do profissional de serviço social para conduzir a programação prevista. Quanto às despesas, elas atingiram 84,80% do estabelecido, não ultrapassando a previsão, mesmo com a realização de projetos não previstos na programação da atividade, a exemplo dos congressos de Alzheimer e Parkinson. Em relação à receita operacional, vale ressaltar que a atividade ficou muito próxima de sua realização, com o percentual de 98,52%, oriundo da contribuição dos grupos da terceira idade, efetuada mensalmente. Esse fator evidenciou-se, conforme já especificado, pela não abertura de novas turmas em alguns Sesc Ler. As permanentes participações das parcerias, sejam elas com entidades públicas ou privadas, e com outras atividades (nutrição, desenvolvimento físico-esportivo, apresentações artísticas, educação em saúde e turismo social) na execução de grande parte dos projetos demonstraram que a atividade tem se estabelecido e produzido impacto necessário para o seu reconhecimento como uma proposta essencial no contexto do Regional e propulsora da função propositiva crescer e interiorizar-se.

Desempenho dos Programas Sociais

Indicadores 2008 - Trabalho com Grupos


Relatório de Gestão 2008

Outro dado a considerar diz respeito às visitas técnicas realizadas, que favoreceram a identificação das necessidades, auxiliando na estruturação da atividade nos aspectos de conteúdo, método e organização, sendo necessárias a sistematização e a frequência no acompanhamento, principalmente nas unidades do interior. O acompanhamento da atividade nos Centros Educacionais Sesc Ler por um profissional especializado em serviço social é necessário porque tal atividade precisa ser qualificada, pois é uma ação complementar com metas a serem atendidas. A intervenção no quadro traria uma mudança de atitude e direcionamento da atividade e sua desenvoltura. Como ação inovadora, ressalta-se a implantação da Universidade Aberta para a Terceira Idade (Urati), em parceria com a Universidade Federal Rural de Pernambuco e do Conselho Municipal dos Direitos do Idoso, contemplando os participantes integrantes do grupo da unidade Sesc Garanhuns, além da revitalização do grupo de idosos e da formação do grupo de jovens no Sesc Ler Surubim. O Sesc Santo Amaro vem desenvolvendo um trabalho com grupos de adolescentes a fim de capacitá-los como agentes multiplicadores de informações, numa ação multidisciplinar e integrativa, sensibilizando esses grupos para que desenvolvam seu potencial intelectual e pessoal numa perspectiva de construção de hábitos e atitudes saudáveis. Como destaque, tem-se a salientar os projetos que integram a atividade, dando ênfase ao VI Seminário da Terceira Idade do Vale de São Francisco, ao Ação Empreendedorismo e Cidadania para a Terceira Idade e aos projetos inseridos no Plano de Ação. Salientamos também o trabalho voluntário desenvolvido nas instituição de longa permanência, em parceira com o Banco de Alimentos, o qual tem apresentado resultados satisfatórios, integrando-se a municípios do interior onde o Sesc está instalado: Caruaru, Petrolina, Arcoverde e Garanhuns. Os investimentos em capacitação foram pontos fortes ocorridos e garantiram segurança aos técnicos para seu desenvolvimento intelectual e pessoal, a exemplo do curso Aspectos Gerais do Envelhecimento, do VI Congresso Brasileiro da Doença de Alzheimer e do Congresso Brasileiro da Doença de Parkinson, contemplando os técnicos da capital e do interior, além da participação da coordenação regional no VII Ciclo de Palestras no Sesc Alagoas. Outra forma de atuação da atividade ocorreu fora do âmbito institucional, em instituições como Metrorec, Conselho Estadual e Municipal dos Direitos do Idoso, Delegacia do Idoso, Ministério Público, Prefeitura da Cidade do Recife e UFRPE, levando ações nas área de grupos a outras entidades, fortalecendo sua função social e ampliando sua visibilidade. Portanto, pode-se concluir que o âmbito de atuação desta atividade atingiu um patamar de envolvimento, contribuindo, assim, para um maior reconhecimento do trabalho.


Ação 019 - Assistência Especializada Dados Gerais da Ação Tipo

Não se aplica ao Sesc

Finalidade

Prestação de serviços técnicos e auxílios indiretos, individualizados.

Descrição

Consultas para a obtenção de documentos (inventário, registro de nascimento e casamento, documento de identidade, procurações, aposentadoria, pensão alimentícia), financiamento de utilidades e de serviços e bolsas de estudo.

Unidade Responsável pelas Decisões Estratégicas

Não se aplica ao Sesc

Coordenador Nacional da Ação

Não se aplica ao Sesc

Unidades Executoras

Não se aplica ao Sesc

Áreas (dentro da UJ) Responsáveis por Gerenciamento ou Execução da Ação

Direção da Área Fim e Setores de Assistência Social

Competências Institucionais Requeridas para a Execução da Ação

Assistência Social

Indicadores 2008 - Assistência Especializada Indicador Despesas Correntes - DC (R$)

2008 Previsto Inicial 2.310,00

Retificativo

Previsto Final

3.700,00

6.010,00

Realizado

Eficácia %

4.833,55

80,43

9.496

-

-

9.178

96,65

Carga de Trabalho: Inscrições

172

-

-

76

44,19

Efic. da Prod. dos Rec. Financeiros (em atendimentos)

4,11

-

-

1,90

46,19

Economicidade (R$)

0,24

-

-

0,53

216,49

Carga de Trabalho: Atendimentos

Fonte: GPO, Sesc-PE

No exercício 2008, a atividade de assistência especializada realizou 9.178 atendimentos, com um percentual de 96,65 de sua previsão anual. Quanto às inscrições, elas atingiram 44,19% de sua meta. As despesas da atividade alcançaram 80,43% da meta prevista em decorrência da realização de projetos institucionais, como o Colmeia, desenvolvido nas unidades executivas do Sesc Caruaru, Arcoverde e Petrolina e na cidade do Recife, o Dia “S” e o aniversário do Sesc em Garanhuns; e também por causa do lançamento de despesas da atividade educação em saúde na atividade assistência especializada do Sesc Petrolina. A atividade assistência especializada tem sua missão em dois prismas. O primeiro é a contribuição, em parceria com órgãos públicos e programas, como OAB e conselhos estaduais e municipais, na ação suplementar de atendimento às orientações de direitos e deveres e emissão de documentos pessoais (certidão de nascimento, certidão de casamento, documento de identidade, inventário, procurações, aposentadoria, pensão alimentícia e outros), garantindo ao comerciário e à comunidade em geral o acesso a documentos essenciais para a sua inclusão social. O segundo é o financiamento pelo Sesc de tratamento odontológico e estada de férias e excursões, beneficiando o comerciário e seus dependentes na melhoria da qualidade de vida, através da saúde e do lazer, para utilização sadia do seu tempo livre.

Desempenho dos Programas Sociais

2.1.10.2 Ação 019 – Assistência Especializada


Relatório de Gestão 2008

O Sesc-PE, ao desenvolver ações institucionais e de responsabilidade social na atividade da assistência especializada, continua a exercer ações de cidadania, promovendo inclusive projetos de grande alcance social com entidades parceiras e envolvendo todo o Departamento Regional ao aglutinar esforços e proporcionar ao corpo técnico o exercício da cooperação, integração e solidariedade. Os projetos Sesc Cidadão, Colmeia e Terceira Idade em Ação - Voluntários a Postos, realizados nas cidades do Recife, Caruaru, Arcoverde e Petrolina, atenderam o comerciário e a comunidade em geral com emissão de documentos e outros serviços. As parcerias foram preponderantes para os resultados apontados, havendo a participação da Secretaria de Defesa Social, das prefeituras do Recife e Petrolina, com suas secretárias e órgãos de utilidade pública, do Senac, do Exército, do Instituto Tavares Buril e de outras entidades. Durante o exercício, o Fundo de Atendimento ao Comerciário realizou 76 inscrições e 650 atendimentos, garantindo aos trabalhadores do comércio de bens e serviços, servidores e seus dependentes acesso ao lazer em serviços turísticos com participação nas excursões e hospedagens nos diversos Centros de Turismo e Lazer do Estado e do Brasil, e ainda financiou tratamentos odontológicos para a clientela beneficiária. A atividade atendeu às diretrizes, tendo como característica o alcance da assistência social, levando a todos a superação e o atendimento das necessidades de direitos legais, sobretudo no processo de inclusão social, de desenvolvimento pessoal e coletivo e de bem-estar dos comerciários e de seus dependentes.

2.1.10.3 Ação 018 – Ação Comunitária – Projeto Banco de Alimentos/ Mesa Brasil Ação 018 - Ação Comunitária - Projeto banco de Alimentos/Mesa Brasil Dados Gerais da Ação Tipo

Não se aplica ao Sesc

Finalidade

Promover o desenvolvimento social, econômico e cultural das comunidades, incentivadas à participação e a integração comunitária, através da atuação do Sesc com a comunidade e do estabelecimento de parcerias com outras instituições.

Descrição

Reuniões para a formação de núcleos comunitários, encontros, campanhas, orientações em grupo, palestras, seminários, feiras e exposições e complementação de refeições. Unidade Responsável pelas Decisões Estratégicas

Não se aplica ao Sesc

Coordenador Nacional da Ação

Não se aplica ao Sesc

Unidades Executoras

Não se aplica ao Sesc

Áreas (dentro da UJ) Responsáveis por Gerenciamento ou Execução da Ação

Direção da Área Fim e Setores de Assistência Social

Competências Institucionais Requeridas para a Execução da Ação

Assistência Social


Indicador

2008 Previsto Inicial

Retificativo

Previsto Final

Realizado

Eficácia %

Despesas Correntes - DC (R$)

375.745,00

35.426,00

411.171,00

420.053,78

102,16

Carga de Trabalho: Atendimentos

18.273.404

-

-

16.191.810

88,61

48,63

-

-

38,55

79,26

0,02

-

-

0,03

126,16

Efic. da Prod. dos Rec. Financeiros (em atendimentos) Economicidade (R$) Fonte: GPO, Sesc-PE

O Banco de Alimentos Sesc Pernambuco é uma ação social contra a fome e o desperdício de alimentos, constituindo-se num programa de segurança alimentar e nutricional que distribui alimentos e desenvolve ações educativas e capacitações contínuas, objetivando a criação de hábitos alimentares saudáveis na população em vulnerabilidade alimentar e social. Diante disso, foram realizadas ações preconizando a complementação alimentar de forma regular nas instituições sociais assistidas pelo Banco de Alimentos, contando com a parceria de 359 empresas conscientes de sua responsabilidade social. Foram coletadas 1.616 toneladas de alimentos, distribuídos regularmente para 260 instituições receptoras e 22 comunidades carentes, tendo em vista a parceria com o Programa Fome Zero, beneficiando aproximadamente 64.000 pessoas em situação de exclusão social. No ano de 2008, tivemos o fortalecimento do Projeto Banco de Alimentos nos municípios de Caruaru, Garanhuns, Petrolina e Arcoverde. Destacamos ainda que, com as novas instalações adaptadas às ações do Banco de Alimentos de Arcoverde, no armazém cedido pela Conab, a expectativa é de ampliação no atendimento em toda a região. A ação educativa é o grande diferencial da atividade, uma vez que rompe com a cultura do assistencialismo e agrega efetividade ao trabalho formando agentes multiplicadores que vão levar informações e conhecimentos com a perspectiva de mudar a realidade das entidades e da comunidade. Em 2008 incrementamos as ações educativas nas seguintes áreas: social, nutrição, assistência médica e odontológica, e consolidamos as ações dos grupos de voluntários da terceira idade das unidades executivas do Sesc Pernambuco. Objetivando a fidelização dos doadores de alimentos, foi desenvolvido o Projeto Banco de Alimentos em Ação – Alimentando Saúde e Cidadania, com ações para os funcionários das empresas doadoras. Mais uma iniciativa da atividade foi realizar o concurso Banco de Ideias e Sabores, com o objetivo de estimular a criatividade e a habilidade dos manipuladores de alimentos das instituições beneficiadas, de modo a evitar o desperdício, colocando em prática um dos assuntos abordados nos treinamentos promovidos pelo Banco de Alimentos. Destacamos em 2008 um intercâmbio tecnológico com o curso de Gastronomia da Faculdade Senac, cujos alunos visitam as instituições sociais, realizam capacitações para os manipuladores de alimentos, preparam eventos com elaboração de pratos com aproveitamento integral dos alimentos, conscientizando-se de que a gastronomia pode ser desenvolvida em todas as classes sociais, sob a orientação técnica do Banco de Alimentos.

Desempenho dos Programas Sociais

Indicadores 2008 - Ação Comunitária


Relatório de Gestão 2008

Estratégias de Gestão * Aquisição de novo veículo tipo Kombi, com nove passageiros, para utilização pela equipe técnica e estagiários nas visitas técnicas de diagnóstico, monitoramento, ações educativas e acompanhamento da atividade no interior do Estado. * Consolidação das ações social e nutricional do Banco de Alimentos com a interiorização da atividade. * Fortalecimento das novas parcerias já firmadas e captação de novos doadores para a atividade. * Aumento do quadro de servidores em virtude do crescimento do Banco de Alimentos. * Incremento da monitoração das ações desenvolvidas pelo Banco de Alimentos nos municípios de Caruaru, Garanhuns, Petrolina e Arcoverde. * Doação de alimentos às comunidades cadastradas na atividade, seguindo a Diretriz do Mesa Brasil, contribuindo com a segurança alimentar e nutricional dos indivíduos em situação de maior vulnerabilidade. * Monitoramento permanente das despesas do Banco de Alimentos. Projetos de Maior Impacto * Parceria com a Conab – Programa Fome Zero, com doação de alimentos às comunidades cadastradas no Banco de Alimentos. * Parceria com o Grupo Wal-Mart/Bompreço. * Parceria com o Grupo Unilever Brasil Ltda. * Realização de educação e avaliação do estado nutricional nas instituições assistidas pelo Projeto Banco de Alimentos. * Treinamento para os manipuladores de alimentos das instituições beneficiadas pelo Projeto Banco de Alimentos. * Atendimento às instituições receptoras com assistência médica preventiva realizada por médicos voluntários da Sétima Região Militar. * Atendimento odontológico preventivo e curativo com ações educativas de saúde bucal e tratamento na clínica odontológica do Sesc Santa Rita para as instituições receptoras. * Ações sociais, educativas e recreativas desenvolvidas nas instituições beneficiadas pelo projeto. * Realização de ações de saúde desenvolvidas nas instituições sociais atendidas no Banco de Alimentos. * Ampliação do Projeto Banco de Alimentos em Ação – Alimentado Saúde e Cidadania. * Realização do concurso Banco de Ideias e Sabores. Ações Previstas e Realizadas * Cadastramento de 11 novas instituições, atingindo a soma de 260 instituições receptoras. que dão assistência a cerca de 39.000 pessoas. * Cadastramento de 13 novas empresas doadoras, perfazendo um total de 359 parceiros em todo o Estado. * Coleta diária de alimentos, totalizando 1.616 toneladas. * Treinamento mensal para os manipuladores de alimentos das instituições receptoras, perfazendo um total de 183 horas-aula e capacitando 1.301 participantes. * Palestras, oficinas e aula aberta para as instituições receptoras do Programa Banco de Alimentos, totalizando 183 horas, com 3.778 participantes. * Ampliação da parceria com a Conab – Programa Fome Zero, totalizando 270 toneladas de alimentos doados, inclusive os destinados às 22 comunidades cadastradas no Banco de Alimentos, atendendo 25.000 pessoas. * Consolidação da parceria com o Grupo Wal-Mart/Bompreço na coleta de alimentos,


* * * * * * * *

* * * *

* * * *

*

Desempenho dos Programas Sociais

*

perfazendo um total de 328 toneladas, além da doação de produtos não alimentícios de uso doméstico, entregues às instituições receptoras. Ampliação da parceria com a Unilever Brasil Ltda. na coleta de alimentos, perfazendo um total de 149 toneladas e 122 toneladas de produtos de higiene e limpeza. Realização de orientação nutricional e avaliação do estado nutricional em 44 instituições assistidas pelo Programa Banco de Alimentos. Desenvolvimento de ações de saúde em 28 instituições assistidas pelo Banco de Alimentos. Participação no Projeto Colmeia com arrecadação de alimentos revertida para o Programa Banco de Alimentos e também a realização de oficina sobre o tema aproveitamento integral dos alimentos. Realização de ações recreativas e culturais com os grupos de voluntários da terceira idade do Sesc Santa Rita, Santo Amaro, Casa Amarela e Piedade em 16 instituições assistidas pelo Banco de Alimentos. Realização de pesquisa nas instituições receptoras sobre as ações já desenvolvidas pelo programa, com o objetivo de avaliar nossas atividades e propor novas ações. Realização de encontros para prestação de contas e avaliação com parceiros e instituições receptoras. Participação no Projeto Terceira Idade em Ação – Voluntários a Postos, no mês de junho, com arrecadação de alimentos revertida para o Programa Banco de Alimentos. Treinamento para os manipuladores de alimentos das instituições beneficiadas pelo programa sobre higiene e comportamento pessoal, manipulação de alimentos, noções de alimentação e nutrição, aproveitamento integral dos alimentos, milho: alimento energético e alimentos funcionais. Ações de saúde bucal - um trabalho interprofissional com dentistas, nutricionistas, assistentes sociais, técnicos de higiene dental e voluntários, realizadas em nove instituições receptoras. Realização de ações de assistência médica em parceria com a 7ª Região Militar em 40 instituições beneficiadas. Sensibilização para o trabalho voluntário com os grupos da terceira idade das unidades executivas do Sesc Casa Amarela e Santa Rita. Realização do Projeto Banco de Alimentos em Ação: Alimentando Saúde e Cidadania, com ações de avaliação e educação nutricional, aferição de pressão, exame de glicose e colesterol, orientação sobre saúde bucal, combate ao tabagismo e alcoolismo, informações sobre reciclagem e preservação do meio ambiente nas empresas Frutas Cantu e Conab. Palestra para os responsáveis das instituições sociais assistidas pelo Banco de Alimentos sobre preservação do meio ambiente, proferida pelo químico industrial da Unilever e especialista em gestão ambiental, Irineu Anderson Cordeiro de Queiroz. Palestra para os responsáveis das instituições sociais receptoras do Banco de Alimentos sobre o tema inclusão da pessoa com deficiência, proferida pelo gerente da pessoa com deficiência da Prefeitura da Cidade do Recife, Antônio José Ferreira. Visitas sistemáticas de monitoramento às instituições sociais atendidas pelo Banco de Alimentos. Apresentação dos projetos de pesquisa das estagiárias de serviço social do Banco de Alimentos: A Relevância das Ações de Saúde Preventiva Realizadas pelo Programa Banco de Alimentos junto às Instituições Sociais e seus Usuários e As Instituições do Terceiro Setor e a Participação do Programa Banco de Alimentos do Sesc Pernambuco no Apoio Teórico, Prático e Material das Entidades Assistidas. Grupo de estudo formado pela equipe técnica e pelos estagiários do Banco de Alimentos, desenvolvendo os seguintes temas: violência contra a mulher, aproveitamento


Relatório de Gestão 2008

integral dos alimentos, violência doméstica contra crianças e adolescentes, seguridade social, a saúde no Brasil, aleitamento materno, dez passos para uma alimentação saudável – guia alimentar para crianças menores de 2 anos e política nacional de alimentação e nutrição. * Comemoração ao Dia Mundial da Alimentação, no dia 16 de outubro, com a palestra Segurança Alimentar e Nutricional, ministrada pela nutricionista do Consea Tarciana Vercosa; e a apresentação do vídeo Vida e Obra de Josué de Castro, pela presidente do Centro Josué de Castro, Tereza Sales. Além disso, o Banco de Alimentos promoveu uma exposição intitulada Josué de Castro, Um Cidadão do Mundo, no período de 14 a 16 de outubro no hall do Sesc Santo Amaro. * Realização do concurso Banco de Ideias e Sabores, na cozinha de treinamento do Banco de Alimentos. Foram mais de 100 receitas inéditas inscritas e 18 instituições selecionadas para participar da etapa final, na qual os manipuladores de alimentos preparam suas receitas e as colocaram para julgamento. O concurso não só avaliou o sabor das preparações, mas também levou em consideração os hábitos de higiene e o aproveitamento integral dos alimentos. Foi elaborada uma cartilha com as receitas finalistas do concurso. Ações não Previstas e Realizadas * Arrecadação de doações em ações de iniciativa do Senac e das unidades executivas do Sesc. * Homenagem ao Programa Banco de Alimentos no 10º Fórum da Terceira Idade, promovido pelo Lions Clube do Recife. * Visitas à Central de Estocagem e Distribuição do Banco de Alimentos da Escola Agrotécnica Federal do município de Vitória de Santo Antão. * Visita técnica da equipe do Mesa Brasil Alagoas para conhecer as instalações da Central de Estocagem e Distribuição do Banco de Alimentos. * Participação do Banco de Alimentos no Supermix – Encontro das Indústrias, Atacadistas, Distribuidores e Supermercadista de Pernambuco, no Centro de Convenções de Pernambuco, com estande de divulgação. * Palestra O Programa Banco de Alimentos e a Importância do Aproveitamento Integral dos Alimentos para os alunos do Colégio Diocesano Cardeal, em Arcoverde. * Visita dos alunos do 9º ano do ensino fundamental do Colégio Anchieta para conhecer o Programa do Banco de Alimentos Sesc Pernambuco. * Participação do Banco de Alimentos no lançamento do Programa de Desenvolvimento Local do Recife, do Instituto Wal-Mart. * Doação de produto de limpeza para a Campanha Sesc Solidário, através da Codecipe, para a população atingida pelas chuvas no Estado de Santa Catarina. * Visita dos estagiários da Ceasa de Maceió para conhecer o Programa Banco de Alimentos de Pernambuco. * Homenagem ao Programa Banco de Alimentos com Menção Fred Monteiro de Responsabilidade Social, promovida pelo Rotary Club do Recife. * Participação da equipe de nutrição do Banco de Alimentos no Projeto Vitrine dos Alimentos, realizado no Sesc Ler de Belo Jardim, com avaliação do estado nutricional e orientações sobre alimentação saudável. * Intercâmbio tecnológico com o curso de Gastronomia da Faculdade Senac, iniciado com uma palestra sobre o trabalho desenvolvido pelo Programa Banco de Alimentos Sesc Pernambuco para os alunos do curso. Dando continuidade ao intercâmbio, serão realizadas visitas às instituições sociais atendidas pelo projeto, capacitações para os manipuladores de alimentos e elaboração de eventos com aproveitamento integral dos


Capacitações Recebidas * Participação do gerente e da equipe técnica do Banco de Alimentos no Seminário Segurança Alimentar e Nutricional: Desafios e Estratégias e no Encontro Nacional dos Coordenadores do Mesa Brasil, realizado nos dias 8, 9 e 10 de outubro em Brasília. * Curso Segurança Alimentar e Nutricional, realizado pelo IPTV, promovido pelo Departamento Nacional do Sesc e ministrado pela equipe do PAS-Mesa. * Lançamento do Manual de Procedimentos e Gestão do Voluntariado, realizado pelo Departamento Nacional do Sesc. * Participação da equipe de nutrição no Projeto PAS Educação – Segurança dos Alimentos no Ensino Fundamental, promovido pelo Departamento Nacional do Sesc. * Curso Alimentos Funcionais, realizado pelo IPTV, promovido pelo Departamento Nacional do Sesc e ministrado pela nutricionista Eliane Fialho. * Conclusão do curso de pós-graduação em Gestão de Projetos Sociais da assistente social do programa, realizado na Faculdade Frassinette do Recife.

2.1.11 Programa 006 – Administração Programa 006 - Administração Dados Gerais do Programa Administração Tipo de Programa

Apoio Administrativo

Objetivo Geral

Garantir os meios necessários ao desenvolvimento das atividades da área-fim.

Objetivos Específicos

Não há.

Gerente do Programa

Não se aplica ao Sesc

Gerente Executivo

Não se aplica ao Sesc

Responsável pelo Programa na UJ

Não se aplica ao Sesc

Indicadores ou Parâmetros Utilizados para Avaliação do Programa

Percentual de Execução Orçamentária

Público Alvo (Beneficiários)

Comerciários, dependentes e comunidade em geral

A avaliação do desempenho administrativo do Sesc-PE pode ser considerada satisfatória. Os resultados positivos alcançados devem ser creditados à implantação de novas metodologias na quantidade e na qualidade dos produtos oferecidos pelas áreas de logística e finanças, bem como na eficiência obtida pelas áreas de engenharia e informática e de apoio em manutenção e limpeza. As modificações realizadas na estrutura organizacional do Sesc-PE, por meio da Reso-

Desempenho dos Programas Sociais

alimentos. * Visita da técnica da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado de Pernambuco, Mariana Suassuana, para conhecer o Programa Banco de Alimentos Sesc Pernambuco. * Participação da equipe técnica no evento em comemoração ao centenário de Josué de Castro e lançamento do prêmio Josué de Castro de Boas Práticas em Gestão de Segurança Alimentar e Nutricional, com a participação do presidente da República, do ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, do presidente do Consea e de autoridades do Estado de Pernambuco.


Relatório de Gestão 2008

lução 04/2007, continuaram impactando a DAF, ora provocando pequenas correções de rumo, ora beneficiando os processos administrativos, notadamente na rapidez e na eficácia do processo decisório. Em 2008 a área administrativa teve carência quantitativa e qualitativa em pessoal, desde a chefia da DAF, preenchida apenas em abril, até os outros quadros, que foram normalizados apenas no segundo semestre do ano. Nesse sentido, vale ressaltar a preocupação e as ações da Direção Regional para rapidamente atender às necessidades em pessoal, tanto na sede quanto em toda a estrutura do sistema administrativo. A pouca experiência administrativa de gerentes e outros agentes administrativos exigiu esforço redobrado para capacitá-los, dando apoio direto aos setores mais necessitados ou padronizando e orientando em fóruns e outras reuniões centralizadas. Esperam-se resultados muito bons em 2009. A consolidação de procedimentos administrativos por meio da Portaria 005/2008 vem trazendo bons resultados nas áreas de logística e finanças, com maior segurança nas aquisições e pagamentos de bens e serviços para todo o sistema, e patrocinando a integração entre esses setores, com o apoio de Seção de Informática. Como repercussão de todo o exposto anteriormente, antevê-se a agregação das áreas de planejamento, de engenharia e de licitações de modo sistemático, o que traria mais eficiência e eficácia aos processos descritos. A continuidade do trabalho de consolidação metodológica e da otimização de processos trará também impactos diretos no setor de documentação, arquivo e na reorganização dos espaços tanto na sede quanto nas unidades executivas. Além do prosseguimento das ações implementadas em 2008, sugere-se para 2009 a implantação de auditorias orientadoras nas diversas unidades executivas, a elaboração de novas normas de procedimentos para toda a área administrativa, a criação do setor de arquivos, entre outras medidas.

2.1.11.1 Serviço de Matrícula A gestão da atividade serviços de matrícula teve como marco, em 2008, a construção do Centro de Relacionamento com o Cliente (CRC), espaço caracterizado por acatar a interação da instituição com o cliente, ficando visível seu papel de linha de frente, porta de entrada e cartão de visita da empresa, voltando-se ao fortalecimento da imagem institucional e apoiando ativamente a gestão organizacional. Por meio do CRC foram estabelecidos e executados os seguintes passos: * Transformação da Central de Atendimento em Ponto de Atendimento (PA), indo além da emissão de carteiras de matrícula ao executar um serviço de assessoria técnica e gerencial, mediante a formatação de informações geradas a partir de estudo dos dados existentes e organizados em banco de dados que concentra os registros dos serviços oferecidos pelos Pontos de Atendimento.


• pré-matrícula e pré-inscrição via on-line, dando autonomia ao beneficiário, minimizando o trabalho nos Pontos de Atendimento e quebrando barreiras espaciais para a realização desse ato; • ouvidoria; •  informações programáticas; •  convênio direto. Alguns fatores contribuíram para a implantação desse modelo de gestão: * Concepção da gestão de matrícula com foco em fazer carteirinha do Sesc. Não se percebiam nos demais serviços as respostas esperadas; além disso, a relação programática com o cliente e a responsabilidade social do Sesc ficavam em plano não adequado. * Não transformação dos dados gerados por esses serviços em informações relevantes para a gestão diretiva, de planejamento, gerencial, administrativa e técnico-programática da entidade. * Não funcionamento do corpo funcional da atividade no conjunto produtivo da entidade. * O conceito de matrícula não condizia com a natureza e sua importância no contexto institucional. * Necessidade de ampliação dos conhecimentos e habilidades do quadro funcional, de modo a requalificar o desempenho conforme a importância dessa função. * Falta de estrutura física de materiais e equipamentos adequados ao trabalho. * Falta de padronização no trabalho. * Inexistência de normas e manuais de procedimentos que modelassem e assegurassem a assertividade do trabalho. * Competitividade desqualificada, custo de produção elevado e baixa produtividade gerados pelas metas propostas e alcançadas. * Falta de uma política de marcas que personalizassem o serviço. * Informatização restrita ao sistema responsável pelos procedimentos referentes à atividade, não permitindo uma modelagem afinada ao tempo tecnológico presente. * Falta de padronização dos espaços dos Pontos de Atendimento dentro de um modelo exigido pela filosofia de trabalho e a qualidade do serviço projetada para o CRC. * Necessidade de os serviços do Centro de Relacionamento com o Cliente alcançar um padrão de qualidade. * Necessidade de um compêndio contendo os manuais de matrícula, inscrição e gestão do contrato direto. * Falta de projeção de matrícula na Região Metropolitana do Recife (RMR) por área de responsabilidade mediante mapeamento e zoneamento das empresas comerciais da RMR, possibilitando desvendar o potencial de matrículas das unidades com custos reduzidos e elevada produtividade. * Ausência da normalização de campanhas mediante projetos, apresentando-se resultados a serem alcançados e fatores condicionantes a sua realização, devendo ter o Banco de Alimentos como grande aliado nesse processo. * Necessidade de implantação do Sistema Central de Atendimentos nos Sesc Ler como

Desempenho dos Programas Sociais

* Gestão própria para o serviço de matrícula e as demais atividades que compõem o CRC, possibilitando acompanhamento e controle com foco nos resultados específicos esperados. * Informatização da área com a construção do Portal Sesc, acatando política nesse sentido, automatizando:


Relatório de Gestão 2008

ferramenta administrativa, possibilitando a elevação da eficiência processual dos trabalhos educativos. * Necessidade de computar as matrículas dos Sesc Ler que não dispõem de Pontos de Atendimento, gerando banco de dados com esses registros, desfazendo desvio de perfil da clientela dos centros educacionais com a implantação de sistemas de matrícula dos Sesc Ler em unidades próximas que dispõem de Pontos de Atendimento. * Estudo do potencial do comércio como fundamento para a construção de metas. * Política de adoção de TV digital nos Pontos de Atendimento com programação sociocultural e institucional. Resultados alcançados com a gestão adotada: * Personalização funcional do serviço mais afinada com a realidade, permitindo assimetria entre as responsabilidades e a finalidade organizacional. * Dimensionamento das metas mais compatível com a efetiva possibilidade das unidades de trabalho e finalidade das atividades, projetos e ações. * Maior visibilidade dos resultados alcançados por área de gestão. * Agilidade e quebra de barreiras físicas na efetuação das matrículas e inscrições via internet com implantação do Portal Sesc. * Melhoria da escuta da clientela com formalização do serviço de ouvidoria. * Assimetria entre o desempenho do CRC e a função social do Sesc, mediante estruturação desse órgão. * Perenidade dos processos e gerenciamento mais focal e efetivo mediante implantação de manuais. * Modelagem de desempenho, pela padronização do trabalho. * Fim do ato de efetuar matrícula pela matrícula, mediante a efetivação de registro como consequência da proposta programática. * Identificação de demandas mais consistentes com uso adequado dos dados das fichas de matrícula. * Redução de custo com controle das perdas de PVC e produtos do almoxarifado com custo reduzido pela aquisição via pregão. * Possibilidade de projetar comportamento da arrecadação, matrículas, inscrições e atendimentos mediante gestão de convênios diretos. * Fidelização da clientela e captação de novas matrículas com a melhoria da divulgação dos serviços oferecidos e a melhoria da qualidade do atendimento. * Concepção de equipe com o fortalecimento do vínculo afetivo e profissional entre o corpo funcional. * Respostas positivas do beneficiário com a sistematização da pós-venda nas empresas com as quais a instituição mantém contato, enviando material de divulgação e e-mail com informações de interesse da clientela, e utilização de um mail list para contatos com as empresas. * Valorização do beneficiário com comunicações diretas, objetivas e com a propagação da missão do Sesc. * Aumento do número de matrículas com redução no prazo de entrega das carteiras efetuadas nas empresas; melhoria da divulgação proporcionada por uma parceria mais estrita com a Ascom, aperfeiçoando os materiais levados às empresas e colocados à disposição da clientela na unidade. * Agilização do retorno das informações na infovia com a troca de equipamentos de informática. * Agilidade da gerência na resolução das pendências (duplicação de cobranças) dos ca-


Considerando os investimentos recebidos pela atividade, podemos destacar a aquisição de novos equipamentos de informática, reforma nos espaços físicos, aquisição de mobiliários, adoção de TV digital com programação socioeducativa e institucional e desenvolvimento do Portal Sesc. Quanto aos projetos de destaque, podemos citar as campanhas de matrícula em parceria com o Banco de Alimentos, dentro de estrutura formatada para visualizar resultados sociais da ação: * Fundamentos bem estruturados para realização da proposta, permitindo avaliar a pertinência do projeto. * Objetivos pretendidos focando resultados subjetivos esperados que agregam valor às condições do sujeito institucional. * Metas que estabelecem o poder de alcance da ação, dimensionando o alcance físico da proposta estabelecida. * Projeção do quantitativo de alimentos a serem arrecadados, gerando atendimentos que agregam valor à carga de produção do Banco de Alimentos. * Garantia da cota de doações às instituições que recebem os alimentos. * Asseguração da responsabilidade social do Sesc nesse projeto.

2.1.11.2 Gerência de Planejamento e Orçamento A gestão 2008 foi marcada pela reestruturação da Gerência de Planejamento e Orçamento (GPO), sobretudo no que tange à composição da equipe - contratação de três analistas - e à primeira fase de modernização das metodologias de trabalho. A contratação de uma analista foi o marco inicial para o funcionamento do setor de orçamento, que tem como objetivo gerir estrategicamente a área com foco na informação, no cliente interno e no processo decisório, resguardando a saúde orçamentária da instituição de forma proativa, corresponsável e compartilhada. No decorrer do ano, destaca-se o maior rigor no acompanhamento orçamentário, o que gerou ações preventivas em relação à sua execução, sem inviabilizar a oferta de serviços. Nesta direção, encontra-se em fase final de elaboração o Manual do Orçamento, que abrange desde conceitos orçamentários até ilustrações sobre a utilização do Sistema de Gestão Financeira (SGF) para acompanhamento orçamentário de atividades, unidades e órgãos. Um dos objetivos do manual é retratar e controlar o comportamento do orçamento, a partir de uma estrutura descentralizada e mais alinhada à gestão estratégica. O processo do retificativo orçamentário foi realizado de forma descentralizada e com-

Desempenho dos Programas Sociais

dastros. * Ausência de majoração no valor da carteira de matrícula ao longo desses últimos anos, permitindo ao beneficiário de baixa renda realizar ou renovar sua matrícula. * Incremento nas parcerias internas com as atividades, ajudando na divulgação programática e na realização de matrículas. * Repercussão dos projetos, a exemplo da comemoração do Dia do Comerciário, provocando aumento no número de pessoas interessadas em conhecer o Sesc e seus serviços. * Respeito à responsabilidade socioeducacional do Sesc e satisfação da clientela.


Relatório de Gestão 2008

partilhada em todas as unidades, através de oficinas de orientação, preparação e instrumentalização das equipes, para a realização de análises e revisões orçamentárias das programações. Como resultados, observam-se melhoria no diálogo com as equipes e melhor compreensão do funcionamento dos procedimentos orçamentários. O trabalho desenvolvido pelo setor de estatística foi realizado de forma eficiente e eficaz, com pleno atendimento aos prazos estabelecidos pelo Regional e pelo DN. O serviço foi fortalecido pela mudança de metodologia de trabalho para periodicidade quinzenal dos resultados quantitativos alcançados pelo Regional, bem como pela contratação no segundo semestre de um analista de estatística. Essas medidas geraram resultados significativos, como acesso ao desempenho do Regional ao longo do mês, permitindo tomadas de decisões antes do fechamento do mês; redução do tempo de entrega dos dados estatísticos, de forma confiável e precisa; redução de horas extras noturnas, trazendo maior economicidade; e geração de qualidade de vida e trabalho para a nova equipe. Destacam-se as capacitações na área de estatística, que ocorreram por força de atualização técnica, bem como o treinamento introdutório sobre as normas estatísticas e o uso do sistema SDE para novos colaboradores do Regional. O grande avanço na modernização e adaptação dos processos de trabalho da GPO foi o uso da ferramenta Microsoft Office Access, que permitiu a realização de consultas diretamente dos bancos de dados dos diversos sistemas do DR, a geração e a padronização de informações em menor espaço de tempo para elaboração de planos de trabalho, relatórios de gestão, acompanhamentos orçamentários, estatísticos e de projetos, bem como a redução de aproximadamente 50% do tempo gasto com essas ações em anos anteriores.

2.1.11.3 Gestão de Assessoria de Comunicação Com base na diretriz principal definida para a Assessoria de Comunicação do Sesc Pernambuco, que é coordenar a promoção da imagem do Sesc e a política de comunicação interna e externa, a gestão deste setor tem trabalhado de forma estratégica para reforçar, através de suas ações, a missão, os valores e a finalidade da empresa. Com a definição da Visão 2008–2010 para o Sesc Pernambuco, que inclui ações de responsabilidade ambiental, esta Assessoria de Comunicação adotou, em todas as suas produções gráficas, o papel reciclado e/ou natural, como forma de contribuir com a sustentabilidade do meio ambiente. Essa iniciativa pôde ser percebida em materiais como a agenda mensal com a programação do Sesc Pernambuco, a agenda anual institucional, calendário de mesa, portfólio institucional, panfletos, cartazes, convites e em todas as peças de papelaria, como pastas, envelopes e sacolas. Dessa forma, externamos para o nosso público a preocupação do Sesc com as questões relativas ao uso racional dos recursos naturais. A comunicação com o cliente mereceu uma atenção especial da Direção Regional do Sesc Pernambuco em 2008. Uma comissão para estruturar o serviço de atendimento ao cliente foi formada, com a participação desta Assessoria de Comunicação. Reuniões sistemáticas foram realizadas a fim de traçar um perfil do atual serviço prestado pelas Centrais de Atendimento do Sesc e, a partir daí, elaborar um planejamento estrutural de uma nova coordenação, chamada Central de Relacionamento com o Cliente, que, a partir de 2009, vai gerir os Pontos de Atendimento nas unidades, as matrículas, os convênios, os contratos,


O planejamento estratégico, com foco na redução dos custos com material de divulgação, teve como destaque a licitação de 14.100 camisas previstas para projetos institucionais do Sesc para os anos de 2008 e 2009. O processo foi concluído com êxito e representou uma economia real de mais de R$ 68 mil em relação ao preço estimado em cotações. A iniciativa deve se estender à impressão de material gráfico para o próximo ano. A fim de valorizar o cliente preferencial do Sesc - o comerciário -, foi realizada, em parceria com a Fecomércio e o Senac, uma campanha publicitária alusiva ao Dia do Comerciário, veiculada no mês de outubro em todo o Estado. O objetivo era promover a marca do Sistema Fecomércio/Senac/Sesc utilizando o recurso da propaganda para fortalecer a imagem institucional. A campanha incluiu peças para TV, rádio e outdoor. Pensando nos funcionários como os primeiros agentes de formação da imagem institucional, apresentamos à Direção Regional uma proposta de implantação de uma política de comunicação interna, como uma ação integrada entre a Assessoria de Comunicação e Gerência de Recursos Humanos. A viabilidade desta proposta está diretamente vinculada à contratação, em 2009, de um profissional de relações públicas, pela expertise da função que lhe é inerente. Como parte da rotina de trabalho, coube à Assessoria de Comunicação o planejamento da divulgação dos principais projetos realizados pelo Sesc Pernambuco, incluindo criação de material gráfico, como panfletos, cartazes, banners, catálogos, camisas, bonés; criação de material publicitário – espotes, VTs, outdoors, outbus, hotsites; produção de releases e press kits para a imprensa; organização de entrevistas individuais e coletivas; produção de matérias e notas para veículos institucionais. Além disso, coordenamos os cerimoniais de inauguração dos Complexos Esportivos dos Centros Educacionais Sesc Ler São Lourenço da Mata, Bodocó, Buíque e Surubim; do lançamento da Pedra Fundamental do Centro Educacional Sesc Ler Goiana; das inaugurações dos projetos OdontoSesc (Gameleira, Petrolândia, Abreu e Lima e Tacaratu) e BiblioSesc (Itamaracá e Itapissuma). A visibilidade do Sesc Pernambuco na imprensa manteve o crescimento médio esperado. O trabalho de assessoria de imprensa na divulgação das ações e projetos da instituição mereceu grande repercussão no corpo editorial dos diversos veículos da imprensa pernambucana. Em 2008, foram registradas 780 inserções de notas e matérias em jornais e sites, que ocuparam um espaço de 33.571 centímetros por coluna, o que representa uma economia real de mais de R$ 4 milhões (se considerássemos esse mesmo espaço ocupado por propaganda paga pela instituição). Qualitativamente, o Sesc teve um aproveitamento médio de 87% das matérias publicadas, considerando conteúdo, exclusividade, destaque, fotos, entre outros. Os valores acompanham a média dos últimos dois anos. No caso de televisão e rádio, foram registradas 467 veiculações sobre o Sesc em programas jornalísticos, contabilizados apenas no Recife.

2.1.11.4 Gestão dos Serviços Financeiros No exercício de 2008, a área de contabilidade obteve um desempenho altamente significativo, seja no trabalho da execução contábil, seja na área financeira, aumentando o controle

Desempenho dos Programas Sociais

além de atender às demandas diretas dos clientes, trazendo as informações para os setores que definirão as ações da instituição.


Relatório de Gestão 2008

e otimizando processos de pagamento. Nas unidades de Surubim e Belo Jardim ocorreram cooperações técnicas objetivando capacitar novos funcionários da área financeira, com duração total de 160 horas, propiciando qualificação técnica para executar as tarefas exigidas pela função. No ano de 2008 não ocorreram capacitações para a área financeira, apesar de serem necessárias, pelo fato de a legislação na área (fiscal/trabalhista/previdenciária) estar em constante mutação. Para 2009 estão previstos cursos técnicos de atualização em serviços financeiros e o uso do Excel básico como ferramenta para elaboração de relatórios gerenciais. Ainda em 2009, implementaremos um plano de inspeção educativa nas unidades executivas, com apoio da Seção e Compras e Patrimônio, objetivando corrigir algumas distorções e procedimentos realizados na área financeira. Em 31 de dezembro de 2008, a disponibilidade em recursos atingiu o montante de R$ 17.347.194,86, suficientes para cobrir as despesas de 88 dias se mantidos os mesmos gastos para os meses posteriores.

Composição do Disponível Descrição 111.1.1 111.1.2 111.1.3

- Caixa - Banco Movimento - Aplicações Financeiras Total Disponível

Valor

%

25.741,95 744.946,53 16.576.506,41 17.347.194,86

0,15 4,29 95,56 100

Fonte: Sedoc, Sesc - PE

No gráfico abaixo, demonstra-se a evolução do disponível nos últimos cinco anos.

20.000.000

17.347.194,86

15.000.000 10.000.000 5.000.000

13.064.853,50 7.935.010,56 6.137.245,29 5.064.004,50

0 2004 Fonte: Secon, Sesc - PE

2005

2006

2007

2008


Aplicações por Instituição Financeira - 2008 Banco

Nome

CEF

Ag

Número

CDB Flex

923

1579-0

6.324.913,12

1,28

FIC Especial LP

923

1579-1

4.840.166,09

1,28

FIC Fidelidade LP

923

1579-2

1.320.328,54

1,28

BB Comercial 17

3434-7

2309-4

1.541.803,52

1,28

BB Curto Praz

3434-7

2309-4

2.524.246,82

0,871

BB Curto Prazo

2052-x

2309-4

25.048,32

1,28

Subtotal

R$

12.485.407,75

BB S.A Subtotal Total

Tx Mensal

XXX

4.091.098,66

XXX

16.576.506,41

XXX

Fonte: Secon, Sesc-PE

O montante aplicado pelo Sesc-PE no mercado financeiro a curto e longo prazo resultou em juros auferidos no exercício 2008 no valor de R$ 1.812.841,18, distribuídos mensalmente, de acordo com o gráfico abaixo:

2.000.000

1.812.841,2

1.500.000 1.000.000 500.000

97.405,1 95.293,2 Jan/08

89.854,8 Fev/08

154.509,2

127.179,0 Mar/08

128.641,2 Abr/08

Mai/08

Jun/08

179.707,5

221.478,7 195.005,0 195.576,5 171.435,4

Ago/08

Set/08

156.755,5 Jul/08

Out/08

Nov/08

Dez/08 Medía Anual

Fonte: Secon, Sesc - PE

Abaixo são demonstrados os superávits financeiros do período 2004 a 2008. Observamos para 2008 que o valor é de R$ 1.416.410,00. Este valor é inferior a média dos últimos quatro anos devido ao aumento do número de projetos executados pela Entidade para o ano em análise.

Desempenho dos Programas Sociais

O Sesc-PE manteve suas aplicações financeiras nas instituições financeiras oficiais com os seguintes investimentos:


Relatório de Gestão 2008

20.000.000

18.591.583,23

15.000.000

12.072.114,19

12.072.114,19

10.000.000 4.828.576,01

5.000.000

1.416.410,00

0 2004

2005

2006

2007

2008

Fonte: Secon, Sesc - PE

Com o objetivo de atender às determinações do TCU, em 11 de novembro de 2008 foi editada uma Portaria 005/2008, que disciplina limites de compras, fundo de caixa, despesas de pronto pagamento, fundo rotativo, registro e controle de bens do ativo permanente, alienações e movimentação do almoxarifado. O quadro de pessoal da Administração Regional (sede) foi acrescido de dois novos colaboradores, totalizando 12 servidores, porém apenas uma permuta de servidor foi realizada na unidade executiva de Surubim. A média de dias de segurança para 2008 foi de aproximadamente 154 dias, mesmo com a redução para 88 dias em dezembro, mostrada pela escrituração da folha do 13º salário no mês em questão. Abaixo está gráfico um detalhado:

2500 208

2000 150

163

138

175

156

158 131

146

165

171

155

154,5 88

100

Jan/08

Fev/08

Mar/08

Abr/08

Mai/08

Jun/08

Jul/08

Ago/08

Set/08

Out/08

Nov/08

Dez/08 Medía Anual

Fonte: Secon, Sesc - PE

As despesas com diárias e ajudas de custo em 2008 representam aproximadamente 1% em relação ao total das despesas correntes. Abaixo segue gráfico demonstrativo do período 2004 a 2008.


Desempenho dos Programas Sociais Os investimentos acumulados até 2008 superam 86.000.000,00, dos quais os bens imóveis representam 85% do total de investimentos.

2.1.11.5 Gestão da Comissão Permanente de Licitação O principal foco da gestão da Comissão Permanente de Licitação foi a estratégia de utilização das modalidades pregão eletrônico e registro de preço, propiciadas pela nova estrutura organizacional, e a profissionalização da equipe, a contratação de um profissional habilitado como pregoeiro, dinamizando e racionalizando os processos licitatórios, com a finalidade de atender a uma crescente demanda no Regional, otimizando a aplicação dos recursos financeiros existentes. No anexo, consta o demonstrativo das licitações realizadas no ano de 2008, classificando os processos por modalidade e objeto licitado, constando o valor estimado e homologado de cada processo licitatório. Essa ferramenta possibilitou quantificar a economia gerada, identificando os possíveis impactos obtidos no ganho de cada processo, através da análise das condições estabelecidas no certame.


Relatório de Gestão 2008

Com foco na utilização do pregão eletrônico e do registro de preço, objetivando garantir agilidade, segurança e transparência nos processos de aquisições dos bens e serviços, houve uma redução dos custos na utilização do pregão eletrônico, gerando uma economia de escala para a instituição de R$ 779.700,21 e uma economia total, referente a todos os processos realizados e concluídos no ano de 2008, de R$ 2.087.876,49, segundo o demonstrativo das licitações realizadas em 2008. Na tabela de processos de compras e serviços licitados, evidenciamos uma redução no número de convite em 27,27%, na concorrência em 25% e no pregão eletrônico um acréscimo de 425%. Dessa forma, evidenciamos a tendência dos processos de aquisição serem realizados através do pregão eletrônico, dada a não existência de limite orçamentário para utilização dessa modalidade, evitando o fracionamento da despesa. A variação pouco significativa do volume de compras realizadas no Regional em 2008 com relação a 2007, associado à redução de 2,22% na quantidade dos processos, demonstra um planejamento de qualidade em consonância com a estratégia adotada pela gestão da Comissão Permanente de Licitação.

Evolução dos Processos de Compras e Serviços Licitados - 2006 a 2008 Modalidade

2006

2007

Quant. Valores (R$) Quant. Valores (R$)

% Quant.

2008

2007/2006

Quant. Valores (R$)

% Quant. % Valor 2008/2007

2008/2007

25,00

75,06

Concorrência

-

-

4

225.828,00

-

Convite

17

693.428,55

33

1.476.159,88

194,12

9

254.359,61

27,27

17,23

Pregão

-

-

8

1.827.639,50

-

34

3.401.070,31

425,00

186,09

Total

17

693.428,55

45

3.529.627,38

264,71

44

3.824.929,92

97,78

108,37

1

169.500,00

Fonte: CPL, Sesc- PE

* Os decréscimos ocorridos na variação da quantidade de licitações nas modalidades concorrência e convite, realizadas entre os anos de 2008/2007 foram motivadas pela implantação da modalidade pregão eletrônico, que converterá as licitações anteriormente realizadas em outras modalidades nos processos de compras e serviços.

Evolução dos Processos de Obras Licitadas - 2006 a 2008 Modalidade

2006

2007

Quant. Valores (R$) Quant. Valores (R$)

Concorrência

4

1.510.127,47

7

4.866.881,64

% Quant.

2008

2007/2006

Quant. Valores (R$)

175

9

9.489.700,59

% Quant. % Valor 2008/2007

2008/2007

128,57

194,99

Convite

1

168.690,22

5

1.303.213,16

500,00

8

313.991,16

160,00

24,09

Total

5

1.678.817,69

12

6.170.094,80

240,00

17

9.803.691,75

141,67

158,89

Fonte: CPL, Sesc- PE

Na tabela de processos de obras licitados evidenciamos um acréscimo no número de convites em 160% e na concorrência em 128,57%. Decorrente do Programa de Investimento 2008/2011 feito em parceria com o departamento nacional, constatamos um crescimento de 141,67% no número de processos licitatórios de obras, refletindo no atendimento da demanda em 100%. Considerando a grande utilização das licitações nos processos de aquisição de bens e serviços, no sentido de racionalizar e incrementar a qualidade dos processos de licitação, a Comissão Permanente de Licitações iniciou, juntamente com a Seção de Compras e as Coordenações Técnicas, a implantação da padronização de produtos. Incluiu algumas


Um grande desafio para a Comissão Permanente de Licitação é atender às demandas existentes dos projetos sociais, que exigem rapidez em todos os processos, e ao mesmo tempo compatibilizá-las com as exigências de auditorias. Ainda assim, apesar do crescente aumento da demanda dos processos licitatórios em 2008, decorrente de novos procedimentos administrativos adotados por este Regional, consoante às exigências dos órgãos de controle interno e externo, o maior ponto dificultador no processo de gestão foi a reduzida equipe de profissionais. Dessa forma, ao analisarmos o gráfico de evolução das licitações, constatamos a necessidade de redimensionamento da equipe. Evolução das Modalidades Processuais de Compras e Serviços Licitados - 2006 a 2008 50 45 40 35 30 25 20 15 10 5 0

8

34 35

9

4 0

1

2006

2007 Concorrência

2008 Convite

Pregrão

Fonte: CPL, Sesc - PE

No entanto, durante o ano de 2008 houve investimentos em capacitação dos membros da comissão, sendo um importante instrumento para a melhoria da qualidade das atividades desempenhadas pelo órgão. No ano de 2009 a estratégia será desenvolver ações com um enfoque no aperfeiçoamento do planejamento das aquisições, associado à implantação de novos procedimentos administrativos, como: * Adesão ao Sistema Integrado de Administração e Serviços Gerais, do governo federal, para a utilização do Comprasnet - portal de compras gratuito do governo federal. * Utilização do Subsistema de Cadastro Unificado de Fornecedores. * Utilização do Subsistema de Preços Praticados. * Utilização do Subsistema de Registro de Preço. * Utilização do Subsistema de Catálogo de Materiais. * Elaboração de um catálogo de materiais.

Desempenho dos Programas Sociais

informações no site do Sesc, ressaltando o caráter de publicidade e competitividade dos processos licitatórios, viabilizando a participação de novos fornecedores, cadastrando e homologando novas marcas de produtos e verificando a qualidade e a compatibilidade com os produtos utilizados, para atendimento sistematizado e padronizado em todas as unidades operacionais do Sesc no Estado de Pernambuco.


Relatório de Gestão 2008

* Padronização de produtos. * Elevação do número de registro de preços. * Implantação do termo de referência. A implantação desses novos procedimentos administrativos visa racionalizar e incrementar a qualidade dos processos técnico-administrativos, objetivando atender satisfatoriamente à demanda crescente do cliente interno, e em consonância estabelecer sistemas de controle que atendam às orientações da Controladoria-Geral da União (CGU), obtendo resultados econômicos e produtivos e garantindo a agilidade, segurança e transparência em todos os processos de aquisição de bens e serviços do Sesc Administração Regional em Pernambuco.

2.1.11.6 Serviços de Logística e Patrimônio A gestão implementada pela Semap em 2008 teve como foco principal a adequação dos procedimentos de compras às determinações dos órgãos de auditoria (CGU/CF). Paralelamente, foram desenvolvidas ações nas áreas de almoxarifado e patrimônio com o objetivo de aumentar o controle de material, garantindo, dessa forma, a redução de custos no processo de gestão de materiais. Destacamos o fórum administrativo como a principal ação de capacitação na área logística no ano de 2008, como também a necessidade de intensificarmos as cooperações técnicas como uma importante ferramenta de acompanhamento dos procedimentos das áreas de compras, almoxarifado e patrimônio. A Semap possui atualmente 37 servidores, distribuídos da seguinte maneira: * * * * * * * * *

1 chefia da seção; 5 no Almoxarifado Central; 6 no Setor de Compras; 1 no Setor de Patrimônio; 7 no Setor de Documentação; 1 no Arquivo Central; 8 nas unidades executivas; 2 nos Centros de Turismo; 6 nos Centros Educacionais Sesc Ler.

Na área da gestão de contratos, 48 novos contratos foram assinados, a grande maioria fruto de processos licitatórios para fornecimento de insumos e prestação de serviços. Gestão do Almoxarifado Foram realizados mais de 16.000 atendimentos de requisição de material (RDM), que representaram um aumento de 15% em relação ao ano de 2007, indicando um aumento no número de itens de estoque, um dado positivo quando se trata de controle de material e redução de custos.


20.000 15.597

14.681

10.000

106,24%

2007

2008

Fonte: Semap, Sesc - PE

Como fator negativo, ressaltamos a nossa reduzida capacidade de estocagem, situação esta que nos impede de introduzir novas políticas de estoque objetivando uma maior redução de custos. Gestão do Patrimônio A gestão patrimonial em 2008 sofreu importantes modificações, das quais destacamos a implantação do setor de patrimônio em todas as unidades do Sesc, com todos os processos mapeados e informatizados através do Sistema de Gestão de Material (SGM), contribuindo dessa forma para um maior controle dos bens sob a responsabilidade das unidades. São 15.911 bens distribuídos na sede, unidades executivas, CTLs e Sesc Ler. Ressaltamos como principais aquisições na área patrimonial em 2008: * * * * * * * *

138 computadores desktop; 22 notebooks; 5 desfibriladores para nossas seções médicas; 50 condicionadores de ar, distribuídos em todas as unidades do Sesc; 1 ônibus, 2 Parati e 1 Honda Civic, para o setor de veículos da sede; 1 Pickup Ranger para o CTL Triunfo; mobiliários para os restaurantes do Sesc Casa Amarela, Piedade e Santa Rita; mobiliários para o parque aquático do Sesc Casa Amarela, Piedade, Arcoverde, Caruaru, Petrolina e Sesc Ler Belo Jardim, Araripina e São Lourenço da Mata.

Gestão de Compras A gestão de compras, que foi foco principal da Semap em 2008, teve como grande objetivo a transformação de grande em parte de seus processos em licitações, adequando-se dessa forma às exigências da CGU. Em 2007, 60% dos nossos processos de compras foram licitados tendo como principal modalidade o convite, com 84%. Em 2008 esse percentual subiu para 70% e o pregão se consolidou como a principal modalidade de compra, com 76% dos processos. Os números de 2008 se apresentam da seguinte forma: * dispensas de licitação: 1.240 – R$ 1.830.256,52; * processos licitatórios: 46 – R$ 2.926.542,57.

Desempenho dos Programas Sociais

RDM - Variação Anual 2007 e 2008


RDM - Variação Anual 2007 e 2008

8.000

121,92%

5.029

4.000 4.125

Relatório de Gestão 2008

A quantidade de requisição de compra de material e serviço (RCMS) sofreu um aumento significativo de 25%, como mostra o quadro abaixo:

2007

2008

Fonte: Semap, Sesc - PE

Gestão da Manutenção e Limpeza Em 2008 a área de manutenção e limpeza teve como missão prioritária a reorganização em sua estrutura e em pessoal. O órgão assumiu também um papel primordial na execução e orientação às unidades executivas, buscando solucionar os problemas mais emergenciais e indicar caminhos para as necessidades estruturais. Vale ressaltar a capacitação em jardinagem, com resultados expressivos. As aquisições de veículos realizadas em 2008 contribuíram para aliviar a pressão no setor, permitindo o atendimento das solicitações em transportes na sua quase totalidade.

Despesas Mensais com Manutenção de Veículos - 2008 Despesas com Manutenção Janeiro

15.972,39

Julho

70,00

Fevereiro

1.045,12

Agosto

Março

13.370,71

Setembro

2.561,96

Outubro

630,00

Abril

223,47

-

Maio

1.415,34

Novembro

6.498,28

Junho

1.436,38

Dezembro

10.216,52

Despesa Total Anual

R$ 53.440,17

Fonte: Semal, Sesc-PE

Justifica-se o valor do mês de dezembro pela renovação dos seguros e pela necessidade de manutenção preventiva e corretiva da frota.


Despesas Mensais com Combustível - 2008 Janeiro Fevereiro

15.778,37 14.800,19

Julho

19.716,36

Agosto

20.552,87

Março

17.319,22

Setembro

22.261,51

Abril

20.319,04

Outubro

21.968,29

Maio

21.753,45

Novembro

24.902,96

Junho

19.554,27

Dezembro

24.193,44

Despesa Total Anual - R$ 243.119,97 Fonte: Semal, Sesc-PE

A variação de valores dos meses se deve aos treinamentos realizados, aos projetos e às obras executadas no interior do Estado, que requereram a ida de técnicos para orientar e supervisionar, além dos aumentos dos combustíveis.

Viagens Realizadas por Mês - 2008 Viagens Realizadas Janeiro

12

Julho

22

Fevereiro

25

Agosto

26

Março

16

Setembro

28

Abril

21

Outubro

38

Maio

25

Novembro

37

Junho

20

Dezembro

43

Total das Viagens Realizadas - 312 Fonte: Semal, Sesc-PE

Desempenho dos Programas Sociais

Despesas com Combustíveis


Despesas mensais com Água, Energia e Telefone - 2008 Relatório de Gestão 2008

Meses

Celpe

Compesa

Telefone Fixo

Móvel

Janeiro

14.103,19

1.357,44

9.717,71

5.323,70

Fevereiro

14.182,95

2.455,36

7.793,01

5.111,77

Março

13.267,91

1.766,24

11.246,52

5.021,63

Abril

27.689,54

8.391,36

11.305,98

5.114,59

Maio

1.071,83

8.432,80

8.498,87

6.018,53

Junho

18.353,49

16.737,01

12.322,53

9.820,97

Julho

28.899,88

6.535,41

3.470,46

5.587,58

Agosto

23.895,80

2.688,90

18.539,60

4.286,63

Setembro

36.696,21

2.269,04

11.914,49

11.388,26

Outubro

15.767,78

1.649,41

12.010,92

1.771,40

Novembro

22.391,16

455,09

8.694,84

19.198,35

Dezembro

25.254,57

449,88

8.848,11

7.865,75

Anual

241.574,31

53.187,94

124.363,04

86.509,16

Fonte: Semal, Sesc-PE

Despesas Mensais com Serviços Táxi - 2008 Despesas com Servi Taxi Janeiro

5.688,13

Julho

9.504,32

Fevereiro

5.258,40

Agosto

8.457,92

Março

7.216,80

Setembro

8.391,84

Abril

7.350,80

Outubro

10.011,76

Maio

9.083,92

Novembro

8.812,20

Junho

8.749,28

Dezembro

11.394,88

Despesa Total Anual

R$ 99.920,25

Fonte: Semal, Sesc-PE

Os projetos e ações realizados na capital e Região Metropolitana exigem o uso de táxi, tendo em vista que o número de veículos próprios não atende à demanda.

Despesas Mensais Aluguel de Veículos - 2008 Despesas com Alguel de Veículos Janeiro

719,10

Julho

179,77

Fevereiro

-

Agosto

868,00

Março

-

Setembro

1.180,00

Abril

-

Outubro

1.645,00

Maio

429,80

Novembro

2.450,00

Junho

1.490,00

Dezembro

2.165,00

Despesa Total Anual Fonte: Semal, Sesc-PE

R$ 11.126,67


Demonstrativo da Frota de Veículos - 2008 Nº

FROTA

Ano Mod.

Placa

Comb.

Cota

Observação

1

TOY COROLA

06

06

KJO-9704

G

1.000

Dir.Regional

2

GM BLAZER

03

04

KKL-9003

D

1.000

Presidência

3

FIAT PALIO

02

03

KHL-5167

G

900

SESC LER

4

VW PARATI B

03

04

KKZ-1383

A/G

900

SEDE

5

VW PARATI C

04

04

KMB-5562

A/G

900

SEDE

6

VW SAVEIRO

04

04

KMB-0472

G

700

SEDE

7

HON MOTO

02

03

KKP-5649

G

100

SEDE

8

VW KOMBI

05

05

KKD-7569

D

500

SEDE

9

MP VOLARE

99

99

KIY-9708

D

500

SEDE

10

VW ONIBUS

00

00

KME-3063

D

500

SEDE

11

VW 7.100 C

99

99

KMA-0973

D

500

BANCO

12

VW 7.110 C

03

03

KJS-7549

D

500

BANCO

13

VW 13.180 C

03

03

KHU-2556

D

600

SEDE

14

FORD 815 E

06

06

KHM-6619

D

500

BANCO

15

FORD 815

03

03

LPX-0773

G

100

BIBLIOSESC

16

VW KOMBI

03

03

KJN-3129

G

400

BANCO

17

VW KOMBI

03

03

KJN-3149

G

400

BANCO

18

VW KOMBI

03

03

KHB-6275

G

400

C.AMARELA

19

VW KOMBI

03

03

KHB-6335

G

400

PIEDADE

20

VW KOMBI

01

02

KFG-6988

G

400

CARUARU

21

VW KOMBI

04

04

KJL-2348

G

300

B. CARUARU

22

VW KOMBI

01

02

KFG-7098

G

400

GARANHUNS

23

VW KOMBI

04

04

KJL-2368

G

300

B. GARANHUNS

24

VW KOMBI

01

02

KFG-7008

G

400

ARCOVERDE

25

VW KOMBI

06

06

KKD-5144

G

300

B.ARCOVERDE

26

VW KOMBI

05

05

KJE-3476

G

500

TRIUNFO

27

VW KOMBI

05

05

KJE-3486

D

400

PETROLINA

28

FORD 815

05

05

KJO-5477

-

500

B. PETROLINA

29

RANDON CARRETA

00

00

LNG-8692

-

-

ODONTO/SESC

30

RANDON CARRETA

03

04

LQO-0023

-

-

ODONTO/SESC

31

FRUEHAUF CARRET

82

82

KJA-5058

-

-

TEATROSESC

32

C.BAUZINHO

-

-

KGX-8569

D

-

SEDE

33

VW PARATI

08

08

KJW-5726

A/G

600

SEDE

34

VW PARATI

08

08

KJW-5826

A/G

600

SEDE

35

HONDA - CIVIC

08

08

KIW-9956

A/G

1.000

PRESIDÊNCIA

36

FORD RANGER

08

08

KGV-6230

D

1.000

TRIUNFO

37

VOLARE G

08

08

KLI-0437

D

1.000

SEDE

Fonte: Seinf, Sesc-PE

Desempenho dos Programas Sociais

Em virtude da necessidade de as divisões, coordenações e seções executarem viagens de a nossa frota, por vezes, ser insuficiente, utilizamos a modalidade de veículos alugados.


Relatório de Gestão 2008

Não houve alienação de veículos, tendo em vista a necessidade do trabalho até que a frota seja aumentada.

Despesas Mensais com Materiais de Limpeza e Conservação - 2008 Despesas com Materiais de Limpeza e Conservação Janeiro

2.423,50

Julho

5.236,57

Fevereiro

2.899,96

Agosto

6.478,47

Setembro

1.543,43

Outubro

3.420,06

Março

727,10

Abril

1.008,55

Maio

462,00

Novembro

7.181,38

Junho

462,00

Dezembro

4.786,78

Despesa Total Anual - R$ 36.629,80 Fonte: Semal, Sesc-PE

Despesas Mensais com Serviços Terceirizados - 2008 Despesas com Contratação de Serviços Terceirizados 42.668,75

Julho

Fevereiro

10.612,05

Agosto

9.692,40

Março

32.800,45

Setembro

7.991,60

Abril

12.147,05

Outubro

12.501,37

Maio

11.727,36

Novembro

4.344,96

13.134,31

Dezembro

2.046,67

Janeiro

Junho

20.025,34

Despesa Total Anual - R$ 179.692,31 Fonte: Semal, Sesc-PE

Férias e licença para tratamento de saúde e a demanda de serviços induziram a contratações terceirizadas para a realização dos trabalhos.

2.1.11.7 Serviços de Informática Durante o exercício de 2008, a Seção de Informática (Seinf) contou com a colaboração de dois analistas de sistemas, três técnicos de suporte, a chefia e um estagiário. Entre eles, quatro foram admitidos por meio da seleção pública realizada pelo Sesc-PE em janeiro de 2008. Com esse novo efetivo, foram realizadas várias ações importantes que dinamizaram os serviços, além de atender com maior presteza os clientes internos. Esse quantitativo ainda é insuficiente em virtude do crescimento do Sesc-PE em suas atividades, bem como no número de servidores. Associam-se a esses as demandas e o desafio do atendimento às unidades que geograficamente estão distantes da sede, dificultando o rápido deslocamento. Entre as ações realizadas pela equipe da Seinf, pode-se destacar a troca de domínio da sede e das unidades de Casa Amarela, Santa Rita, Piedade, Caruaru, Petrolina, Arcoverde,


A implantação do novo gerenciador de mensagens instantâneas Spark, com a opção de voz, diminuiu o gasto com ligações telefônicas nas unidades onde foi instalado: Santa Rita, Petrolina, Casa Amarela, Piedade, Almoxarifado Central, Caruaru, Arcoverde e Triunfo. Para melhorar a velocidade da internet na sede e nas unidades executivas, foram instalados acessos rápidos da Velox nos seguintes locais: Santa Rita, Casa Amarela, sede, Petrolina, Belo Jardim e Turismo Social. Em 2009 deveremos expandir para todas as unidades. Um grande desafio foi a instalação do IPTV nas unidades de Surubim, São Lourenço, Belo Jardim, Caruaru, Garanhuns, Petrolina, Arcoverde, Triunfo, Bodocó, Araripina e Buíque, levando o sinal dos cursos de atualização diretamente para o corpo funcional, diminuindo consideravelmente o custo com deslocamento, diárias e hospedagens. Para a agilização da conexão de rede, foram instalados 24 pontos de acesso para rede sem fio em várias seções e unidades executivas. Foram adquiridos 138 micros e 22 notebooks, distribuídos para as diversas áreas do Regional, além de equipados os laboratórios de informática das unidades Sesc Ler de Bodocó, Belo Jardim, São Lourenço e Surubim. No decorrer de 2008, foram adquiridas 20 impressoras de vários modelos, que estão lotadas nas áreas administrativas e de atividades da sede e das unidades executivas. Em consequência, foram adquiridas 160 licenças, perfazendo um total de 565. Foi criado o novo e-mail com o domínio @sescpe.com.br, saindo da gestão do DN, pois tínhamos muitos problemas que dificultavam a comunicação deste DR com seus fornecedores e clientela. Agora o gerenciamento do servidor de e-mail e sua guarda encontram-se fisicamente sob a responsabilidade da Seinf. Abaixo segue uma tabela com a distribuição atual de micros e servidores em todo o Sesc-PE:

Desempenho dos Programas Sociais

Surubim, São Lourenço, Turismo Social e Triunfo. Essa modificação facilitará a gestão da rede, além de o usuário poder acessar a rede de qualquer ponto do Sesc-PE. Outra ação importante foi a utilização do Dynamic Host Configuration Protocol (DHCP) pelas unidades de Santa Rita, Piedade, Casa Amarela, Caruaru, Arcoverde, Petrolina e São Lourenço, fazendo com que a gestão dos endereços de máquinas seja automática, reduzindo conflitos de rede.


Demonstrativo de Micros, Notebooks e Servidores - 2008 Relatório de Gestão 2008

Localidade

Nº de Micros

Nº de Notebooks

Nº de Servidores

Almox. Central

2

-

-

Banco de Limentos/ Turismo Social

9

-

2

Ceasa

3

-

-

Sede

127

8

11

Santo Amaro

20

1

-

Santa Rita

29

1

1

Casa Amarela

29

1

2

Piedade

28

1

1

Caruaru

28

1

1

Garanhuns

33

1

-

Arcoverde

28

1

1

Petrolina

34

1

2

CTL Garanhuns

17

-

2

CTL Triunfo

30

-

2

São Lourenço da Mata

17

1

1

Surubim

21

1

1

Belo Jardim

21

1

2

Buíque

23

1

1

Bodocó

21

1

1

Araripina

23

1

1

Total de Unidades

543

22

32

Fonte: Seinf, Sesc-PE

Foram desenvolvidos em 2008, por uma empresa terceirizada, quatro sistemas: Autorização de Pagamento e Autorização de Recebimento, Sesc Boletos, Sesc Carteira e Portal do Sesc. Atualmente utilizamos 24 sistemas, distribuídos por todas as áreas, totalizando no final do ano 28 sistemas. Todas as nossas unidades executivas tipos I e II e os escritórios de apoio estão conectados à sede 24 horas x sete dias, totalizando 20 sub-redes, fazendo com que nossas 543 máquinas estejam em rede e com acesso à internet. A média de 700 usuários, seja de sistemas ou apenas de internet, dos 989 servidores hoje existentes no DR dá um índice de 71% dos nossos servidores com acesso digital. Desses 989 servidores, 350 têm caixa de correio eletrônico, totalizando 36%, sendo de 57% o índice de micros x servidores. A nossa área de manutenção e suporte foi bastante solicitada no decorrer de 2008, com 300 manutenções em micros e por volta de 60 impressoras encaminhadas para conserto por diversos problemas. No decorrer do ano, foram realizados pela equipe da Seinf 8.640 atendimentos presenciais, telefônicos, Virtual Network Computing e Spark.


Programa 007 - Previdência Dados Gerais do Programa Previdência Tipo de Programa

Apoio Administrativo

Objetivo Geral

Proporcionar amparo e assistência aos servidores da Entidade e seus beneficiários.

Objetivos Específicos

Não há.

Gerente do Programa

Não se aplica ao Sesc

Gerente Executivo

Não se aplica ao Sesc

Responsável pelo Programa na UJ

Não se aplica ao Sesc

Indicadores ou Parâmetros Utilizados para Avaliação do Programa

Percentual de Execução Orçamentária

Público Alvo (Beneficiários)

Servidores e Beneficiários

Encargos Sociais e Trabalhistas Todos os encargos foram recolhidos rigorosamente nas datas estabelecidas, garantindo para o trabalhador os direitos que lhe são atribuídos e, para a organização, o cumprimento da legislação trabalhista e previdenciária. Facilitadores: Sistema RM Folha eficaz e equipe de trabalho qualificada. Assistência a Servidores A Atividade Assistência a Servidores foi desenvolvida com foco na manutenção da assistência médica, hospitalar e odontológica, objetivando a proteção da saúde, com atendimento rápido e eficaz, através de tratamentos preventivos e curativos, melhorando a qualidade de vida do empregado e seus dependentes.

2.1.13 Investimento em Capital Durante o ano de 2008, a seção atingiu um desempenho bastante favorável. Foram ultrapassados vários desafios, como a quantidade excessiva de projetos, a escassez de prazo para a execução deles, a dificuldade para contratação de projetos complementares, o número reduzido de engenheiros e a falta do veículo próprio para a realização das fiscalizações, que prejudicaram bastante o desempenho da Sepro. Com o objetivo de minimizar as dificuldades e qualificar nossas atividades, foram implementadas algumas medidas com muito sucesso, a saber: * Melhoria na contratação de projetos complementares, por meio do novo cadastro de empresas especializadas, aumentando o leque de empresas. * Renovação do cadastro de construtoras com o objetivo de ampliar e diversificar o número de empresas prestadoras de serviços. * Intensificação das fiscalizações de obras, principalmente nas unidades do interior. * Padronização de procedimentos de fiscalização de obras.

Desempenho dos Programas Sociais

2.1.12 Programa 007 – Previdência


Relatório de Gestão 2008

* Inclusão da área de arquitetura nas fiscalizações de obras. * Aluguel de veículo, agilizando o deslocamento da equipe de fiscalização. * Interação da equipe, incentivando a discussão técnica sobre os projetos em andamento e os novos que estão em desenvolvimento. Dessa forma, conseguiu-se diminuir as falhas dos projetos básicos e dos orçamentos. * Melhoria do acervo técnico e didático da seção, por meio da compra do software Auto-Cad versão 2007, renovação da assinatura da revista técnica Construção da Pini e aquisição de software específico para elaboração de orçamentos, TCPO. * Contratação do estagiário de engenharia, que agilizou a elaboração dos orçamentos, a execução de levantamentos e a realização de vistorias. * Aprimoramento do conhecimento das normas de acessibilidade e do contexto de gestão ambiental. Com relação aos investimentos de capital geridos pela Sepro, os números revelam que o montante maior foi utilizado nas seguintes obras: ampliação dos Centros Educacionais Sesc Ler Buíque, Surubim e São Lourenço da Mata; reforma do parque aquático e construção da galeria de artes da unidade de Petrolina; reforma do teatro da unidade de Santo Amaro; reforma do teatro da unidade de Caruaru; implantação do novo prédio do Banco de Alimentos de Arcoverde; reforma do parque aquático da unidade executiva de Arcoverde. O restante foi investido nas obras emergenciais e de pequeno porte nas unidades executivas.

Maiores Investimentos por Unidades e por Fonte de Financiamento - 2008 Unidades do Sesc Banco de ALimentos Engenharia e Arquitetura Sede Santo Amaro

Valores Investidos DN

DR

125.166,16

1.000,00

-

7.087,92

-

10.054,58

281.350,00

9.250,70

Santa Rita

-

1.511,14

Casa Amarela

-

69.786,76

Piedade

-

-

Caruaru

738.920,36

16.645,00

Garanhuns

162.968,88

12.117,05

CTL Garunhuns

159.942,65

16.120,00

Arcoverde

295.708,64

25.242,00

CTL Triunfo

201.156,36

48.310,00

Petrolina

973.132,82

-

-

56.821,16

Surubim

326.729,02

720.456,24

Belo Jardim

16.361,99

23.000,00

São Lourenço

Buíque

1.206.531,60

318.824,15

Bodocó

-

285.898,73

Araripina Total de Unidades Fonte: Sepro, Sesc-PE

6.828,74

30.595,10

4.494.797,22

1.652.720,53


Além dos investimentos de capital, deve-se levar em consideração o quadro do andamento dos projetos em execução, o qual demonstra que, dos 23 projetos em andamento no ano de 2008, 17 foram concluídos, sem falar no quantitativo dos seus procedimentos. Os resultados alcançados valorizam o trabalho em equipe, o compromisso dos técnicos, as melhorias dos procedimentos e o apoio da DAF, que aos poucos vem conseguindo estreitar as relações entre suas seções e a CPL. Evolução dos Investimentos Realizados - 2005 a 2008 20.000.000 15.000.000

16.142.068,86

10.000.000 5.000.000

2.755.491,87

4.488.417,21

6.147.517,75

0 2005

2006

2007

2008

Fonte: Secon, Sesc - PE

Projetos e Procedimentos Realizados em 2008 Projetos e Procedimentos

Unidades

Projetos de Arquitetura Elaborados

22

Projetos Complementares Contratados

22

Orçamentos Elaborados

15

Viagens Realizadas (fiscalização, levantamentos e vistorias)

113

Fonte: Sepro, Sesc-PE

Desempenho dos Programas Sociais

Os indicadores demonstram que o desempenho da Sepro em 2008 foi muito bom em relação aos anos anteriores. A evolução dos investimentos entre 2005 e 2008 revela que o regional apresentou superávit em relação a 2006 e 2008. O ano de 2005 não foi considerado por ter sido atípico, levando em consideração que a obra do hotel de Triunfo foi um investimento de grande porte, não podendo ser comparado com as demais dos anos posteriores.


Investimento em Capital - 2008 Relatório de Gestão 2008

Descrição da obra Reforma das Novas Instalações do Banco de Alimentos de Arcoverde

Situação

Valor

Concluído

125.166,16

Em andamento

1.143.471,81

Plano 2008 Previsto

125.166,16

Banco de Alimentos Reforma do Teatro

Previsão

jun/09

Previsto

1.143.471,81

Sesc Santo Amaro Reforma do Salão de Eventos

Concluído

611.693,12

Previsto

Reforma da Sala de Esportes

Concluído

336.238,45

Previsto

Construção da Biblioteca e Reforma do Bloco Administrativo

Em andamento

762.679,80

Construção do Bloco de Sala de Artes

Em andamento

Reforma do Teatro

Em andamento Concluído Concluído

Construção do Salão de Eventos, Salas de Apoio e Sala de Esportes e Reforma da Cozinha

Construção de Cobertas do Teleférico

Previsto Previsto

240.518,78

Previsto

337.470,98

Concluído

879.922,59

Em andamento

1.331.742,20

Previsto Previsto out/09

2.211.664,79

Sesc Arcoverde Construção do Bar da Piscina e Marquise do Centro de Convenções e Reforma da Lanchonete do Teleférico

ago/09 mai/09

337.470,98

CTL Garanhuns Reforma do Parque Aquático

493.671,40 1.105.095,52

240.518,78

Sesc Garanhuns Reforma do Bloco de Hospedagem

Previsto

3.309.378,29

Sesc Caruaru Reforma da Biblioteca e Sala de Literatura

ago/09

Em andamento

399.854,28

Concluído

117.457,00

Previsto Previsto

jan/09

Previsto Previsto

517.311,28

CTL Triunfo Reforma do Parque Aquático

Concluído

694.818,68

Previsto

Reforma da Galeria de Artes

Concluído

301.505,26

Previsto

996.323,94

Sesc Petrolina Ampliação do Sesc Ler

Concluído

311.237,23

Instalação de Alambrados

Concluído

113.395,27

Em andamento

45.153,00 469.785,50

Previsto

Ampliação do Sesc Ler

Concluído

1.161.974,79

Previsto

Implantação da Iluminação Externa, Paredes das Quadras e Alambrado do Campo

Concluído

545.256,77

Sesc Ler Surubim

Concluído

1.707.231,56

Instalação de Alambrados (mais aditivo)

Concluído

82.863,17

Construção de Depósito Sesc Ler São Lourenço da Mata

Previsto Previsto jan/09

Previsto

82.863,17

Sesc ler Belo Jardim Ampliação do Sesc Ler

Concluído

1.531.246,42

Previsto

Reforma da Escola

Concluído

235.229,26

Previsto

1.766.475,68

Sesc Ler Buíque Instalação de Alambrados

Concluído

93.912,34

Previsto

Ampliação do Sesc Ler

Concluído

163.154,60

Previsto

257.066,94

Sesc Ler Bodocó Instalação de Alambrados Sesc Ler Araripina Total dos Investimentos

Fonte: Secon, Sesc-PE

Concluído

114.997,35 114.997,35 13.279.726,23

Previsto


Desempenho dos Programas Sociais


Desempenho Operacional


3.1.1 Matrículas Os serviços de matrícula estão alinhados às Diretrizes Gerais de Ação, segundo as Diretrizes Estratégicas do Sesc para o Quinquênio 2006–2010, que visam proporcionar o bemestar social do trabalhador do comércio de bens, serviços, turismo e seus dependentes. O serviço está presente em todas as unidades executivas e no Sesc Ler de Araripina. Matrículas Realizadas e Previstas - 2008

80.000

107,70%

40.000

68.341

60.000 63.455

Relatório de Gestão 2008

3. Desempenho Operacional

20.000 Previsto

Realizado

Fonte: GPO, Sesc - PE

Em 2008, o serviço de matrícula apresentou desempenho superior ao previsto, com eficácia de 107,70%, gerando, assim, a carga de trabalho de 68.341 matrículas, das quais 25.482 matrículas novas e 42.859 revalidadas. O alcance da meta de matrículas do regional se deveu: * À redução no prazo de entrega das carteiras efetuadas nas empresas e à melhoria da divulgação proporcionada por uma parceria mais estrita com a Ascom, aperfeiçoando os materiais levados às empresas e colocados à disposição da clientela na unidade. * Ao diferencial positivo da matrícula, identificando o sujeito institucional e garantindo a ele: atendimento prioritário; preços diferenciados e patrono reconhecido – o comerciante. Observa-se ainda o comportamento apresentado pelas matrículas ao registrar 10.944 credenciais fornecidas aos comerciários e seus dependentes, gerando uma eficácia de 102,29% em relação à meta prevista de 10.699. Destacam-se os resultados absolutos gerados pelas unidades de Santa Rita, com 17.456 matrículas, e Santo Amaro, com 13.897, confirmando a vocação dessas unidades. Deve-se, sobretudo, registrar os esforços significativos de todas as unidades perante a composição desse indicador de qualidade, ressaltando-se que as matrículas revalidadas representaram 65,91% (42.859) de um total de 65.031 matrículas realizadas em 2007. Esse dado comprova a aceitação da programação social desenvolvida para a clientela, por ter maior efetividade nas revalidações perante as matrículas novas, que representaram, apenas, 37,28% (25.482) do total realizado em 2008. O resultado do exercício em análise


Matrículas Novas e Revalidadas por Categoria e Sexo Matrículas

Categoria Com

Novas

Novas

Masculino

Feminino

Total Geral

Realizado

%

Realizado

%

Realizado

%

5.243

44

5.328

39

10.571

41

Dep

6.583

56

8.328

61

14.911

59

Total

11.826

37

13.656

37

25.482

37

Com

9.069

46

9.247

40

18.316

43

Dep

10.754

54

13.789

60

24.543

57

Total Total Geral

19.823

63

23.036

63

42.859

63

31.649

100

36.692

100

68.341

100

Fonte: GPO, Sesc-PE

Taxa de Renovação de Matrículas Este indicador de qualidade mede o percentual de matriculados em 2007 que continuam a utilizar os serviços do Sesc Pernambuco em 2008. Entende-se que o ato de renovação de matrícula é uma demonstração da clientela de que está satisfeita com o serviço oferecido pelo Sesc. Este indicador é calculado a partir da fórmula TRM = [ Total de Matrículas Revalidadas no Ano / Total de Matrículas do Ano Anterior] * 100, pela Gerência de Planejamento e Orçamento – GPO. A taxa de renovação em 2008 foi de 65,91% = [42.859 / 65.031] *100, já para 2007 a taxa foi de 64,76% = [40.167 / 62.029]*100. Observa-se que em 2008 foi mais efetiva a revalidação das matrículas, atestando a fidelização dos clientes e sua satisfação em relação aos serviços oferecidos pela Instituição. Evolução do Indicador de Qualidade - Fidelização da Clientela Renovação das Matrículas - 2003 a 2008 70,00 64,75

Valores em Percentuais

64,50

50,00

60,34

60,07

60,00

65,91

49,00 2003

40,00 Fonte: GPO, Sesc - PE

2004

2005

2006

2007

2008

Desempenho Operacional

também se tornou mais relevante ao apresentar o crescente índice de retorno da clientela de 1,78%, considerando que em 2007 as revalidações somaram 40.167, ficando abaixo dos 42.859 computados em 2008.


Indicadores 2008 - Serviços de Matrícula 2008 Previsto Inicial

Retificativo

Previsto Final

Realizado

Eficácia %

Receitas Operacionais - RO (R$)

254.559,00

-

-

324.271,38

127,39

Despesas Correntes - DC (R$)

416.651,00

Indicador

100.130,00

516.781,00

453.909,55

87,83

Carga de Trabalho: Atendimentos

63.455

-

-

68.341

107,70

Carga de Trabalho: Inscrições

10.699

-

-

10.944

102,29

Efic. da Prod. dos Rec. Financeiros (em atendimentos)

0,15

-

-

0,15

98,86

Economicidade (R$)

6,57

-

-

6,64

101,15

61,10

-

-

71,44

116,93

Desafio Estratégico - % (RO/DC) Fonte: GPO, Sesc-PE

3.1.2 Inscrições Trata-se de uma unidade de desempenho que retrata o número de pessoas que foram inscritas nos diversos serviços das áreas de educação, cultura, esportes, turismo social, através das excursões e hospedagens, e saúde preventiva e curativa, como nas atividades assistência médica e odontológica. Inscrições Previstas e Realizadas - 2008

150.000

50.000

Previsto

126.849

100.000 114.062

Relatório de Gestão 2008

O Regional tem apresentado índice médio de fidelização de 60,7%, no período de 2003 a 2008, destacando que em 2008 o desempenho foi de 65,91%, gerando um desempenho positivo em torno da média e 1,78% superior ao realizado em 2007.

Realizado

Fonte: GPO, Sesc - PE

A carga de trabalho atingiu o patamar de 126.849 inscrições, com eficácia de 111,21% em 2008. Comparando-se os anos de 2008 e 2007, verificamos um aumento no número de inscrições devido aos investimentos na modernização de espaços esportivos, como, por exemplo, a inauguração dos parques aquáticos das unidades de São Lourenço, Buíque, Surubim e Bodocó, entre outros fatores.


150.000

101,43%

125.066

50.000

126.849

100.000

2007

2008

Fonte: GPO, Sesc - PE

Perfil das Inscrições por Programa - 2008 Assistência 1%

Educação

8%

Saúde Cultura Lazer

29% 50%

Fonte: GPO, Sesc - PE

3.1.3 Atendimentos Percentual de Realização dos Atendimentos Previstos Este indicador de eficácia mede o percentual de realização da meta de atendimentos prevista para o ano, a partir da fórmula RAP = [Total de Atendimentos Realizados/ Total de Atendimentos Previstos] x 100. Por se tratar de uma unidade de medida comum a todos os serviços, o atendimento reflete o perfil programático do Sesc, demonstrando a quantidade de vezes que os serviços foram usufruídos pelos comerciários e dependentes. O desempenho do Regional apresentou uma carga de trabalho na ordem de 27.562.359 atendimentos, somando todos os serviços oferecidos nos programas de educação, saúde, lazer, cultura e assistência. Desse montante, 16.191.810 atendimentos são resultantes de doações de alimentos dentro do Projeto Banco de Alimentos/Mesa Brasil nas cidades de Recife, Caruaru, Garanhuns, Arcoverde e Petrolina.

Desempenho Operacional

Comparativo de Inscrições Realizadas 2007 e 2008


35.000.000 28.000.000

97,07%

7.000.000

Previsto

27.562.359

14.000.000

28.395.203

21.000.000

Realizado

Fonte: GPO, Sesc - PE

Comparativo de Atendimentos Realizadas 2007 e 2008

30.00.000

113,63%

20.000.000 27.562.359

10.000.000

24.256.085

Relatório de Gestão 2008

Atendimentos Totais Previstas e Realizadas - 2008

2007

2008

Fonte: GPO, Sesc - PE

Em 2008, as metas de atendimento atingiram 97,07% (27.562.359 / 28.395.203 * 100), decorrentes das doações de alimentos em menor volume na atividade ação comunitária no primeiro semestre, bem como dos atrasos no cronograma de obras, a exemplo de Santo Amaro. Mas, ao comparar o desempenho 2008 com o exercício 2007, verifica-se um crescimento de 13,63% nos atendimentos. Destaca-se a participação do Programa Assistência, com 59% dos atendimentos do Regional, dos quais 58,75% provêm da atividade ação comunitária, seguido dos programas Cultura, com 13%, Saúde, com 10%, Lazer e Educação, ambos com 9%. Simulando a não contabilização da atividade ação comunitária nos atendimentos do Regional, fica explícita a distribuição equitativa dos atendimentos entre os programas Saúde, Educação, Cultura e Lazer.


Educação Saúde Cultura Lazer

9% 10%

59%

Assistência

13%

9%

Fonte: GPO, Sesc - PE

Atendimentos por Programa 2008 - sem a atividade Ação Comunitária Educação Saúde Cultura

1% 22%

22%

Lazer Assistência

Fonte: GPO, Sesc - PE

Taxa de Crescimento do Atendimento Este indicador de eficiência mede o crescimento do número de atendimentos realizados no ano em relação aos atendimentos realizados no exercício anterior, a partir da fórmula TCA = [ Total de Atendimentos Realizados no Ano * 100 / Total de Atendimentos Realizados no Ano Anterior ] – 100, a Gerência de Planejamento e Orçamento – GPO irá calcular o indicador.

Desempenho Operacional

Atendimentos por Programa 2008 - com a atividade Ação Comunitária


Relatório de Gestão 2008

Pode-se observar que, a partir dos atendimentos gerados por este Regional no período de 1999 a 2008, existe uma tendência de crescimento a uma taxa geométrica de 22,48% ao ano, que representa o percentual de incremento médio anual em um período determinado. Custo Unitário do Atendimento Este indicador de economicidade mede o custo unitário dos atendimentos realizados e compara-se também com o resultado do ano anterior. O indicador é calculado a partir da fórmula CAT = Total das Despesas Correntes / Total dos Atendimentos Realizados, pela Gerência de Planejamento e Orçamento – GPO. O resultado do indicador para o exercício de 2008 é CAT = 1,45 (39.947.228,38 / 27.562.359), já para 2007 o CAT = 1,46 (39.947.228,38 / 27.562.359). Devido a reestruturação dos recursos humanos, aliado às reformas ocorridas em algumas seções do Regional de Pernambuco, o custo unitário do atendimento permaneceu em valores aproximados no período de 2007 e 2008, sendo desconsiderada a inflação do período. Produtividade dos Recursos Humanos Este indicador de eficiência mede o número médio de atendimentos por servidor e compara com o resultado do ano anterior, supondo que todos os servidores estejam prestando serviço à clientela. O indicador é calculado a partir da fórmula PRH = Total dos Atendimentos Realizados no Ano / Total de Servidores em 31 de Dezembro, pela Gerência de Planejamento e Orçamento – GPO. Para 2008, a PRH = 23.338 (27.562.359 / 1181) já para 2007 a PRH = 25.214 (24.256.085 / 962). Observa-se que o aumento no quadro de pessoal foi maior que o aumento no total de atendimentos de 2007 para 2008, traduzindo-se em uma menor eficiência no indicador de produtividade dos recursos humanos, dada a atualização do quadro de pessoal por conta da contratação oriunda da seleção pública. Produtividade dos Recursos Financeiros Este indicador de eficiência mede o número médio de atendimentos por recurso financeiro e compara com o resultado do ano anterior, supondo que toda receita financeira esteja direcionada para o atendimento da clientela. O indicador é calculado a partir da fórmula PRF = Total dos Atendimentos Realizados no Ano / Total da Receita Corrente + Funpri, pela Gerência de Planejamento e Orçamento – GPO. Para 2008, a PRF = 0,52 (27.562.359 / 50.205.781,66 + 3.282.928) já para 2007 a PRF = 0,54 (24.256.085 / 42.221.535,23 + 2.648.982). Conclui-se que nos exercícios em análise, a variação percentual dos atendimentos foi menor que a oscilação das demais variáveis que compõem o indicador, justificando a redução do indicador em análise. Realização dos Projetos Para o exercício de 2008, foram previstos 1.025 projetos no Plano de Ação, distribuídos entre os programas da seguinte forma:


Atividade/Programa Educação Infantil

Previsto Realiz.

43

Não Previstos

%Part. Não Realiz. %Part.

4,87

3

2,11

Total

46

%Part.

Realiz.

%Part.

Total Realiz.

%Part.

4,49

1

2,94

44

4,80

Educação Fundamental

39

4,42

3

2,11

42

4,10

-

-

39

4,25

EJA

44

4,98

6

4,23

50

4,88

-

-

44

4,80

Educação Complementar

33

3,74

2

1,41

35

3,41

1

2,94

34

3,71

Programa Educação

159

18,01

14

9,86

173

16,88

2

5,88

161

17,56

Nutrição

42

4,76

1

0,70

43

4,20

1

2,94

43

4,69

Assistência Odontológica

2

0,23

-

-

2

0,20

-

-

2

0,22

Educação em Saúde

86

9,74

16

11,27

102

9,95

-

-

86

9,38

Assistência Médica

8

0,91

2

1,41

10

0,98

-

-

8

0,87

Programa Saúde

138

15,63

19

13,38

157

15,32

1

2,94

139

15,16

Biblioteca

30

3,40

3

2,11

33

3,22

-

-

30

3,27

Apresentações Artísticas

105

11,89

17

11,97

122

11,90

6

17,65

111

12,10

DAC

86

9,74

10

7,04

96

9,37

5

14,71

91

9,92

Programa Cultura

221

25,03

30

21,13

251

24,49

11

32,35

232

25,30

DEF

109

12,34

14

9,86

123

12,00

13

38,24

122

13,30

Recreação

85

9,63

13

9,15

98

9,56

4

11,76

89

9,71

Turismo Social

47

5,32

27

19,01

74

7,22

3

8,82

50

5,45

Programa Lazer

241

27,29

54

38,03

295

28,78

20

58,82

261

28,46

Trabalho com Grupos

101

11,44

22

15,49

123

12,00

-

-

101

11,01

Ação Comunitária

21

2,38

3

2,11

24

2,34

-

-

21

2,29

Assistência Especializada

2

0,23

-

-

2

0,20

-

-

2

0,22

17,61

149

14,54

-

-

124

13,52

100,00 1.025 100,00

34

100,00

917

100,00

Programa Assistência

124

14,04

25

Total Regiona

883

100,00

142

Fonte: GPO, Sesc-PE

Dos projetos que foram previstos, apenas 142 não foram realizados, representando 13,85% do total planejado. Considerável parcela desta não realização está associada ao programa Lazer com 54 projetos, mas mesmo assim, o programa conseguiu atingir patamares de boa eficácia no Regional. Sendo assim, foram realizados 883 projetos previstos, mais 34 não previstos, totalizando 917 realizações, com a participação entre os programas de: 17,56% Educação, 15,16% Saúde, 25,30% Cultura, 28,46% Lazer e 13,52 % Assistência. Observa-se que existe uma concentração dos projetos na unidades executivas. Um fator para tal resultado é o fato de as unidades executivas oferecerem grande parte das atividades com uma larga infraestrutura.

Desempenho Operacional

Quantitativo de Projetos e Não Previstos por Programa e Atividade


Relatório de Gestão 2008

Quantitativo de Projetos e Não Previstos por Unidade Unidades

Previsto Realiz.

Não Previstos

%Part. Não Realiz. %Part.

8,61

23

Total

%Part.

Realiz.

%Part.

Total Realiz.

%Part.

99

9,66

1

2,94

77

8,40

Santo Amaro

76

Santa Rita

64

7,25

2

1,41

66

6,44

-

-

64

6,98

Casa Amarela

95

10,76

13

9,15

108

10,54

1

2,94

96

10,47

Piedade

115

13,02

18

12,68

133

12,98

6

17,65

121

13,20

Caruaru

94

10,65

2

1,41

96

9,37

-

-

94

10,25

Garanhus

84

9,51

9

6,34

93

9,07

-

-

84

9,16

Arcoverde

71

8,04

23

16,20

94

9,17

-

-

71

7,74

16,20

Petrolina

102

11,55

2

1,41

104

10,15

7

20,59

109

11,89

Total U.E

701

79,39

92

64,79

793

77,37

15

44,12

716

78,08

CTL Garanhuns

6

0,68

-

-

6

0,59

-

-

6

0,65

CTL Triunfo

44

4,98

13

9,15

57

5,56

1

2,94

45

4,91

Total CTL

50

5,66

13

9,15

63

6,15

1

2,94

51

5,56

São Lourenço

16

1,81

5

3,52

21

2,05

-

-

16

1,74

Surubim

24

2,72

4

2,82

28

2,73

-

-

24

2,62

Belo Jardim

30

3,40

6

4,23

36

3,51

-

-

30

3,27

Buíque

32

3,62

7

4,93

39

3,80

-

-

32

3,49

Bodocó

11

1,25

5

3,52

16

1,56

9

26,47

20

2,18

Araripina

19

2,15

10

7,04

29

2,83

9

26,47

28

3,05

Total Sesc Ler

132

14,95

37

26,06

169

16,49

18

52,94

150

16,36

Total Regional

883

100,00

142

100,00 1.025 100,00

34

100,00

917

100,00

Fonte: GPO, Sesc-PE

3.1.4 Gestão de Recursos Humanos As constantes transformações pelas quais o mundo vem passando, por vezes tão velozes e agudas, vêm exigindo das empresas uma capacidade de adaptação e de reorganização desproporcional a tal velocidade. Tal desproporção acaba gerando novas formas de trabalho e, conseqüentemente, o desenvolvimento de novas competências com vista a uma reorganização das pessoas e, dentro das empresas, uma nova forma de gestão. Isso implica a implantação de uma estratégia adequada, que oriente de forma bastante clara a consecução dos seus objetivos, assim como os meios de alcançá-los. Estudos recentes (Guia Exame/Você S/A – As melhores Empresas para se Trabalhar, edição 2006) revelam um paradoxo decorrente da atual conjuntura corporativa. De um lado, a confirmação de que o nível de aprendizado e desenvolvimento que um profissional vislumbra na empresa pode ser um dos mais eficientes fatores de atração e retenção de talentos. Manter-se em um processo contínuo de conquista de conhecimento, segundo a pesquisa, é o maior desejo dos funcionários de todos os escalões. De outro, delineia-se o descompasso da empresa, mesmo as melhores, em atender às expectativas de seu pessoal em relação a esse estado de espírito. Neste sentido, faz-se necessária a análise das diferentes áreas que afetam diretamente os


Se por um lado as organizações precisam estar alinhadas em torno de definições estratégicas claras, sustentadas por uma gestão com amplo envolvimento e participação, por outro o desafio da gestão de RH será criar novas formas organizacionais em torno de equipes e processos pautadas pelo desenvolvimento de competências e pelo desenvolvimento de verdadeiros líderes. A área de recursos humanos do Sesc-PE, na condição de um órgão técnico central e no cumprimento de sua missão, parte da compreensão de que gerentes, coordenadores ou chefes de setor ou seção, todos são, efetivamente, gestores de pessoas. Para tal, vem evoluindo para um modelo descentralizado, mediante estruturação de políticas de gestão de pessoas com vista à atração, desenvolvimento e manutenção das pessoas. Gestão das Relações do Trabalho Apesar das mudanças na estrutura de gestão de recursos humanos, a Seret manteve-se com a mesma equipe e as mesmas dificuldades com relação à necessidade de contratação de mais um componente para a execução das tarefas, gerando um quantitativo significativo de horas extraordinárias de trabalho. Em virtude dessa sobrecarga de trabalho, deixou-se de realizar atividades voltadas para capacitação de pessoal, grupos de estudos e criação de novos procedimentos de trabalho que venham a otimizar a gestão de relações de trabalho do Regional. Apesar das dificuldades, o nosso grande destaque é a equipe de profissionais integrada, segura, com domínio de funções, apesar da necessidade eminente de novas capacitações. As parcerias internas (demais seções, unidades executivas e centros educacionais) e externas (outros Regionais e organizações) também muito contribuíram para que cumpríssemos os desafios. Os pontos mais críticos da área são excesso de burocracia nos procedimentos organizacionais, hierarquia institucional bastante rígida e centralizada, elevado índice de rotatividade de pessoal, inexistência de estrutura de recursos humanos e ausência de definições de procedimentos. Gestão da Remuneração de Pessoal A relação trabalhista é regida pela Consolidação das Leis do Trabalho e a remuneração obedece a critérios de escolaridade e tipos de cargo (permanentes ou comissionados). Nossa tabela salarial está constituída de um salário de ingresso (SI), salário de admissão (AS) – após período de experiência, com reajuste de 10% do SI, e faixa de intervalo salarial com até 120% de margem, reajustada anualmente através de negociação em acordo coletivo de trabalho, todo mês de maio. Em 2008 o percentual foi de 6% de reajuste, com base na inflação dos últimos 12 meses.

Desempenho Operacional

recursos humanos, que deve focalizar duas vertentes: de um lado o estratégico, que diz respeito ao desenvolvimento e planejamento do pessoal, em que seja comparada a situação atual com as exigências necessárias para alcançar os alvos estratégicos da companhia, e de outro o operativo, que diz respeito à administração do pessoal - como ele baseia seus processos de informações e cumprimentos legais.


Relatório de Gestão 2008

A política de diárias e ajudas de custo está normalizada em Portaria “N” nº 010/2006. Das 154 vagas divulgadas na seleção pública, foram admitidos 134 com o objetivo de atender à necessidade prevista para 2008. Das 20 vagas previstas e não realizadas, oito não têm candidatos aprovados na seleção, dez estão aguardando convocação para 2009, uma teve convocado o primeiro lugar, porém a atividade foi extinta, e uma vaga aguarda substituição do que foi convocado (1º lugar) e pediu demissão.

Comparativo do Quadro de Pessoal - 2007 e 2008 Quadro de Pessoal Nº de Pessoal Efetivo

Nº de Pessoas

%2008/2007

31/12/2007

31/12/2008

783

989

126,31

Nº de Pessoal Contratado

32

36

112,50

Nº de Prestadores de Serviço através de Empresa (vig., limp., etc)

35

37

105,71

Nº de estagiários por conta da Adm. Regional

22

29

131,82

Nº de estagiários por conta da Adm. Nacional

90

90

100,00

Outros Não Constantes nos Itens anteriores

0

0

-

962

1181

122,77

Total Fonte: GPO, Sesc-PE


Contratações por Unidade Operacional em 2008 Admissões efetivas não previstas e realizadas

Admissões efetivas previstas e realizadas

Vagas efetivas previstas e não realizadas

Expansão

Substituição

Sede

17

3

10

8

-

Total Sede

17

3

10

8

-

Temporários

Santo Amaro

6

-

2

3

-

Santa Rita

11

1

-

5

2

Casa Amarela

5

-

3

3

-

Piedade

5

-

2

7

-

Caruaru

7

1

3

6

1

Garanhuns

6

2

2

3

2

Arcoverde

12

4

1

6

3

Petrolina

11

1

2

3

1

Total UE

63

9

15

36

9

CTL Garanhuns

16

4

4

8

12

CTL Triunfo

-

-

7

8

12

Total CTL

16

4

11

16

24

São Lourenço

7

2

4

5

-

Surubim

6

-

5

3

-

Belo Jardim

5

-

5

-

-

Buíque

2

1

5

2

-

Bodocó

7

1

3

3

1

Araripina

11

-

2

-

1

Total Sesc Ler

38

4

24

13

2

Total Regional

134

20

60

73

35

Fonte: GPO, Sesc-PE

Das 67 admissões não previstas e realizadas por expansão, 21 são para atender a demandas de atividades nos finais de semana dos Sesc Ler, com o objetivo de otimizar espaços e proporcionar lazer à clientela, e 46 para compor o quadro de pessoal de outras unidades que expandiram suas atividades devido a demandas existentes. Das 66 admissões não previstas e realizadas por substituição, 59 são para substituições de empregados que pediram demissão ou foram demitidos em 2008 e sete para substituição de pessoas que foram transferidas por solicitação própria. Das 20 admissões temporárias, 17 foram para atender à alta temporada das unidades hoteleiras, quatro por substituição de empregados em licença-maternidade ou licença sem vencimentos, duas porque não havia seleção para o cargo, 11 por não ter mais aprovado na seleção e uma para atender ao projeto OdontoSesc. O índice de absenteísmo demonstrado abaixo considerou apenas as faltas não justificadas, tomando como base os descontos das faltas e o controle dos abonos.

Desempenho Operacional

Lotação


Indicadores de Recursos Humanos - 2008 Relatório de Gestão 2008

Indicador de RH Índice de absenteísmo: [(nº de servidores / dias perdidos por ausência no trabalho)/ (pessoal efetivo * nº de dias trabalhados)] x 100 Índice de acidentes de trabalho na organização: (nº de acidentes/ nº de pessoal efetivo) x 100

Índice % (1025 / 390) / (990 x 341) x 100 = 0,00078

(9 / 989) x 100 = 0,91

Índice de vínculo empregadício da força de trabalho: (nº de funcionários da atividade-fim / total da força de trabalho) x 100

989/ 1.181) x 100 = 83,74

Índice de concentração da força de trabalho: (nº de funcionários da atividade-fim / total da força de trabalho) x 100

(835/ 1.181) x 100 = 70,70

Índice de perdas: (nº de demissões / pessoal efetivo) x 100 Índice de perdas por causas específicas: (a pedido/ pessoal efetivo) x 100 (aposentadoria/ pessoal efetivo) x 100 (dispensado/ pessoal efetivo) x 100 (falecimento/ pessoal efetivo) x 100 (abandono/ pessoal efetivo) x 100 Índice de rotatividade: [(demissões + licença sem vencimento)/ média de pessoal efetivo] x 100

(150/ 989) x 100 = 15,17 (73/ 989) x 100= 7,38 (74/ 989) x 100 = 7,48 (2/989) x 100 = 0,20 (1/ 989) x 100= 0,10 (153/ 989) x 100 = 15,47

Fonte: GRH, Sesc-PE

Desenvolvimento dos Recursos Humanos A gestão do desenvolvimento de pessoas do Regional pautou-se em ações estratégicas de forma a qualificar suas competências para o fortalecimento da organização no enfretamento de desafios do mercado de serviços. Portanto, foram investidas 97 ações, possibilitando 3.263 presenças, representando uma média de 11,21 horas per capita, com um investimento de R$ 249.912,80. Comparando os indicadores deste exercício com os do ano 2007, houve um crescimento de 18,29% quanto ao número de ações realizadas, cuja presença se ampliou para 103,55%, e uma redução na margem de investimento de 37,36%. Esse cenário positivo é decorrente da implantação nas unidades executivas do sistema de educação a distância (IPTV), possibilitando o envolvimento de mais pessoas com menor custo. Outro aspecto relevante em 2008 diz respeito ao aumento de 166,66% de treinamentos operacionais realizados (16), em relação a 2007, com destaque para os serviços de nutrição (restaurantes e lanchonetes), que resultou em um maior impacto na qualidade desse segmento.


Ações Realizadas

2007

2008

% 2008/2007

Nível Gerencial

6

3

50,00

Nível Administrativo

24

20

83,33

Nível Técnico

46

58

126,09

Nível Operacional

6

16

266,67

Total

82

97

118,29

Fonte: GRH, Sesc-PE

Quadro Comparativo de Capacitações Investimentos Quantidade de Ações

2007

2008

% 2008/2007

82

97

118,29

Presenças

1.603

3.263

203,56

Hora/ Pessoa

15,8

11,21

70,95

Fonte: GRH, Sesc-PE

Comparativo de Capacitação por Órgão Financiador Investimentos Capacitação Departamento Regional

2007

2008

328.125,74

208.154,31

% 2008/2007 63,44

Departamento Nacional

70.806,57

41.758,49

58,98

Total de Investimentos

398.932,31

249.912,80

62,65

Fonte: GRH, Sesc-PE

Na avaliação dos participantes, o programa de educação corporativa teve nos conteúdos desenvolvidos uma relação direta com a realidade de trabalho exercida no Sesc, demonstrado um nível de satisfação de 87,9% (ótimo e bom). Além disso, 89,2% dos avaliados perceberam que as capacitações possibilitaram a aquisição de novos conhecimentos, o que impactará a melhoria de suas competências nos processos de trabalho. Programa de Fortalecimento Institucional O perfil de tempo de serviço prevaleceu na margem de zero a menos de três anos, representando um total 52% do quadro. Por isso, percebeu-se uma fragilidade no conhecimento das pessoas sobre o contexto organizacional - sua missão, estrutura, finalidade, etc. Por outro lado, mesmo para os mais antigos, houve uma necessidade de uma publicidade sobre a nova estrutura organizacional. Dessa forma, foi lançado o Programa de Fortalecimento Institucional, que visa sensibilizar e conscientizar sobre o papel de cada funcionário na organização para que se sintam parte da missão, da visão de futuro e dos valores preceituados por ela, a despeito de todo o processo de mudança e expansão do Sesc, que desencadeou um aumento significativo do quadro de colaboradores.

Desempenho Operacional

Ações Realizadas - 2007 e 2008


Relatório de Gestão 2008

Em 2008, esse investimento se deu nas unidades de CTL Triunfo, CTL Garanhuns, Caruaru e São Lourenço da Mata, com a participação de 230 funcionários. Segundo eles, a ação foi válida porque serviu para esclarecimento e conhecimento sobre a organização (88,8%) e como um espaço para expressão e escuta dos funcionários (44%).

Quadro Comparativo por Tempo de Serviço Tempo de Serviço

2007 ( %)

2008 (%)

0 a 3 anos

49

52

4 a 9 anos

28

28

10 a 15 anos

9

8

Mais de 16 anos

14

12

100

100

Total Fonte: GRH, Sesc-PE

Quadros comparativos por Tempo de Serviço 0 a 3 anos 4 a 9 anos 10 a 15 anos

12% 8%

52%

Mais de 16 anos

28%

Indicador de Escolaridade O nível escolar no Regional teve uma elevação no ensino superior de 3,9%, comparado ao ano anterior, em decorrência da qualificação do quadro com a contratação de novos funcionários. Os investimentos em cursos de especialização (4) têm possibilitado a elevação de especialistas nas áreas de gestão escolar em coordenação pedagógica (2), comunicação empresarial (1) e secretariado executivo (1), todos com certificação reconhecida pelo MEC.


Nível de Escolaridade

2007 (%)

2008(%)

Alfabetizados

1

1,8

Ensino Fundamental

19

14,9

Ensino Médio

33

32,9

Ensino Superior - incompleto

5

4,5

Ensino Superior

29

32,9

Pós-graduação - incompleta

1

1,4

Pós-graduação

11

11,3

Mestrado

1

0,3

Doutorado - incompleto

0

0,1

Total

100

100

Fonte: GRH, Sesc-PE

Quadros comparativos por Nível de Escolaridade Alfabetizados Ensino Fundamental

11,3%

Ensino Médio

0,3%

0,1% 1,8% 14,9%

1,4%

Ensino Superior - incompleto Ensino Superior

32,9% 32,9%

Pós Graduação - incompleta Pós Graduação Mestrado Doutorado - incompleto

4,5%

Indicador de Produção de Conhecimentos (Pesquisas) A busca constante por novas soluções para os problemas existentes nas diversas áreas de atuação do Sesc abre espaço para um vasto campo de pesquisas. A produção de conhecimentos no Sesc-PE tem sido uma ação sistemática com os colaboradores na construção das monografias dos cursos de especialização, política utilizada para o resultado organizacional. O mesmo ocorre com os estagiários quando da elaboração e apresentação dos resultados das pesquisas realizados nas suas diversas áreas de atuação. O VII Seminário de Produção de Conhecimentos, espaço para disseminar e dar publicidade às pesquisas, aconteceu no mês de dezembro, com transmissão simultânea (via IPTV) para as unidades executivas do interior e dos outros DRs. Foram apresentadas 14 pesquisas e 13 relatos de experiências, envolvendo os colaboradores e estagiários. A abertura desse encontro foi abrilhantada com a palestra inicial proferida pela diretora da DAS, Sílvia Cavadinha, com a temática O turismo social como fator de inclusão; o caso do Centro de Turismo e Lazer Sesc Triunfo.

Desempenho Operacional

Quadro Comparativo por Nível de Escolaridade


Relatório de Gestão 2008

Quadro das Pesquisas e Relatos de Experiências - Funcionários e Estagiários Saúde e Ação Comunitária

Comparação antropométrica de idosos praticantes e não praticantes de atividade física de um centro recreativo do Recife/PE: uma associação com risco cardiovascular A relevância das ações de saúde preventiva do Banco de Alimentos junto às instituições e seus usuários. As instituições do terceiro setor e a participação do Banco de Alimentos do Sesc Pernambuco no apoio teórico, prático e material a estas instituições A prática de educação em saúde no Sesc Casa Amarela

Bem-Estar Físico, Mental e Social

Grupos de convivência Envelhecimento ativo: uma configuração da longevidade humana sob a ótica do voluntariado. Ginástica para idosos: Um relato de experiência

Práticas Pedagógicas e Processos de Aprendizagem

Cidadania cultural: uma experiência interdisciplinar na educação de jovens e adultos do Sesc Santo Amaro Política se discute sim e é na escola! Sesc Ler: a importância dos registros na prática docente com os alunos da educação de jovens e adultos Práticas de letramento no ensino fundamental II: o contexto da EJA numa perspectiva gestora Levantamento sobre as causas que contribuíram para a evasão escolar da EJA no Sesc em Petrolina-PE Analisando as operações financeiras na educação de jovens e adultos Implantação do sistema de gestão ambiental como recurso didático da educação de jovens e adultos do Sesc Importância de aulas práticas de laboratório para processo de ensino-aprendizagem A importância da educação ambiental nas séries iniciais do ensino fundamental | no Sesc Arcoverde Educação ambiental: pequenas atitudes transformam o mundo Configurações familiares e integração família-escola: numa reflexão à luz do olhar dos alunos do Projeto Habilidades de Estudo O ensino da arte no EJA numa perspectiva gestora A rotina na educação infantil Livros didáticos de educação infantil: o que propõem como atividade para apropriação do sistema de escrita alfabética? Viagem para a aprendizagem: o momento da roda de história na educação infantil no Sesc Casa Amarela

Arte, Cultura e Educação

Produção Cultural Grupo Percussivo Nação Sesc: Outras vivências, novas perspectivas. I Único – Salão Universitário de Arte Contemporânea Grupo de choro infanto-juvenil do Sesc Santo Amaro: prática musical x teoria Pedalando pela paz: estratégia de divulgação

Fonte: GRH, Sesc-PE

Apresentação de Trabalhos em Congressos A cultura de incentivo para apresentação de trabalhos produzidos pelos funcionários em congressos nacionais objetivou a visibilidade das produções de funcionários, motivando-os a um maior aprofundamento teórico de suas práticas. Assim foram apresentados oito trabalhos em congressos nacionais e internacionais, com ênfase no Programa Educação/EJA.


Evento

Trabalho

VII Congresso Nacional de Educação da PUCPR

Formação de professoras

Período 6 a 9 de outubro

O currículo de história do ensino médio Cláudia Mendes modelado pelos professores da EJA

II Colóquio A educação de jovens adultos Internacional e a cidadania cultural – de Educação e uma experiência interdisciplinar Contemporaneidade

VI Congresso Internacional de Tecnologia na Educação

Autora

Local

Paraná

23 a 25 de Sergipe setembro

Rodrigo Cunha

Analisando as Operações Financeiras na EJA

Everson Tavares, Ângela Gallo, Paulo Rodrigo

Carnijó? As diversas línguas do meio ambiente em busca do equilíbrio com a geografia dos homens

Almir Silva, André Brito, Aurino Junior, Eduardo Guerra, Luiz Souza, Romero Oliveira, Rose Kelly, Petronilla Botelho

Cidadania cultural: uma experiência interdisciplinar na EJA do Sesc Santo Amaro Festival de música da EJA: uma experiência interdisciplinar no Sesc Casa Amarela

Rodrigo Cunha e Cláudia Mendes

Morte em vida: a realidade de um povo severino

Almir Silva, André Brito, Aurino Junior, Eduardo Guerra, Luiz Souza, Romero Oliveira, Rose Kelly, Petronilla Botelho

17 a 19 de setembro

Recife

Adriana Alves, Adriana Higino e Josenita Carvalho

Fonte: GRH, Sesc-PE

Programa de Incentivo à Formação Profissional - Estágio O quadro de estagiários em 2008 teve um incremento de três bolsas em relação a 2007, em face da expansão dos serviços da área-fim. O financiamento das bolsas pelo DN (102) e DR (18) para estágio de estudantes do nível superior possibilitou uma contribuição estratégica na melhoria organizacional, agregando valor aos serviços.

Bolsas de estágio Departamento Nacional

2007

2008

% 2008/2007

95

102

107,37

Departamento Regional

22

18

81,82

Total

117

120

102,56

Fonte: GRH, Sesc-PE

Gestão de Desenvolvimento de Pessoas A gestão da Seção de Desenvolvimento de Pessoas em 2008 se deu de forma desafiadora na busca de atender às metas previstas mantendo o foco na qualidade das demandas advindas dos diversos órgãos.

Desempenho Operacional

Trabalhos Apresentados em Congressos - 2008


Relatório de Gestão 2008

Os resultados alcançados são fruto da condução ética e comprometida dos participantes dessa seção, juntamente com as parcerias firmadas com as gerências, divisões e coordenações na construção coletiva. Ressalta-se também a importância das reuniões sistemáticas da seção com as estagiárias, que possibilitaram melhoria do processo de comunicação interna e agilidade dos serviços, decorrente do melhor dimensionamento das atribuições. A modernização e reestruturação do processo seletivo para estágio (modelo on-line) e a adoção de um regulamento (estabelecendo critérios e políticas) desencadearam um melhor gerenciamento das informações, bem como deram segurança e agilidade aos procedimentos. O Programa de Estágio teve seu avanço nos seguintes aspectos: * elaboração do Manual de Avaliação de Desempenho; * revisão dos indicadores de desempenho do estagiário; * reativação da Rede Sesc Estágio; * inclusão do módulo Relato de Experiências no Seminário Produção de Conhecimentos.

3.1.5 Gestão Orçamentária A economia pernambucana viveu um momento especial em 2008 com resultados significativos e boas perspectivas, apesar da crise internacional, que abalou as estruturas econômicas das principais potências mundiais. Mesmo com a turbulência na economia, Pernambuco comemorou crescimento. No terceiro trimestre, o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu acima do esperado, 7,2%, devido, principalmente, à indústria (destaque para a construção civil). O PIB do Estado superou a média nacional, de 6,8%. No acumulado anual, o Estado atingiu 6,9%, e o Brasil, 5,4%. A agropecuária teve crescimento de 5,6%, a indústria de 8,8% e os serviços de 6,8%. A significativa participação da indústria no PIB pernambucano (aquecimento das vendas de materiais de construção) e os excelentes resultados das livrarias, papelarias, supermercados, combustíveis e concessionárias de veículos foram primordiais para os resultados no setor do comércio, aquecido pelo grande volume de vendas, provocadas, principalmente, pelo aumento dos níveis de emprego e renda. Gestão das Receitas O Sesc Pernambuco vem desenvolvendo um conjunto de metas de longo prazo, pautadas pelo planejamento estratégico, que viabilizem a ampliação e a execução do negócio social, gerando, ano a ano, novas divisas, pela elevação da qualidade da programação, e crescimento quantitativo de receitas, sobretudo a operacional, considerando estratégias para geração de novos recursos. O Regional gerou no exercício operacional de 2008 valores na ordem de R$ 50.231.768,66 de receitas totais, apresentando superávit de 2,01%. Quando comparado 2008 a 2007, o cenário mostra um crescimento de 18,91%, com destaque para contribuições sociais, 20,02%.


Desempenho Operacional

Receitas Totais Previstas e Realizadas - 2008

102,01%

60.000.000

20.000.000

50.231.768,66

49.240.438,00

40.000.000

Previsto

Realizado

Fonte: GPO, Sesc - PE

Demonstrativo das Fontes de Receita Previstas e Realizadas - 2008 % % Eficácia Receita/Rt

Programa

Previsto Inicial

Retificativo

Previsto Final

Realizado

Contribuições

29.289.893,00

6.322.632,00

35.612.525,00

37.164.875,97

104,36

Patrimonial

1.067.328,00

214.000,00

1.281.328,00

1.986.415,38

155,03

3,95

Serviços

11.507.159,00

-

11.507.159,00

10.343.277,55

89,89

20,59

Transferências Correntes

555.697,00

120.216,00

675.913,00

580.487,59

85,88

1,16

Outras Rec. Concorrentes

-

-

-

130.725,17

-

0,26

73,99

Total de Receita Corrente 42.420.077,00 6.656.848,00 49.076.925,00 50.205.781,66 102,30

99,95

Alienação de Bens Móveis

163.513,00

-

163.513,00

25.987,00

1,64

0,05

Total de Receita de Capital

163.513,00

-

163.513,00

25.987,00

1,64

0,05

Total das Fontes de Receitas

42.583.590,00 6.656.848,00 49.240.438,00 50.231.768,66 102,01

100,00

Fonte: GPO, Sesc-PE

Nota explicativa: o valor referente ao total previsto das fontes de receitas não coincide com a previsão do total das despesas. Essa diferença justifica-se pelo fato de o capital advindo da mobilização dos recursos financeiros ter deixado, a partir de 2008, de ser mais contabilizado como receita, conforme normas do governo federal, pois o TCU interpreta como uma duplicidade ao apropriar os saldos de exercícios anteriores como fonte de receita. Dessa forma, a mobilização expressa nesse exercício foi no valor de R$ 1.416.410,00, totalizando assim R$ 50.656.848,00 em receitas totais. As receitas de contribuições sociais e de serviços foram responsáveis por 94,63% do total das receitas correntes. A receita compulsória foi a grande propulsora do percentual de participação das contribuições sociais nas receitas correntes. A receita de contribuições ultrapassou a meta em relação ao previsto na ordem de 4,36% e sua participação no total das receitas foi traduzida, principalmente, pelo aquecimento da economia do Estado no setor do comércio e serviços em 2008.


Relatório de Gestão 2008

Comparativo das Fontes de Receitas Correntes Realizadas - 2007 e 2008 Fontes Contribuições Sociais

2007

2008

%2008/2007

30.966.115,39

37.164.875,97

120,02

Patrimonial

1.105.522,77

1.986.415,38

179,68

Serviços

9.472.179,57

10.343.277,55

109,20

Transf. Correntes

503.326,90

580.487,59

115,33

Outras Rec. Correntes

174.390,60

130.725,17

74,96

42.221.535,23

50.205.781,66

118,91

Receitas Correntes Fonte: GPO, Sesc-PE

Participação da Fonte de Receita nas Receitas Correntes Fontes

Realizado

%Receita/RC

Contribuições Sociais

37.164.875,97

74,03

Patrimonial

1.986.415,38

3,96

Serviços

10.343.277,55

20,60

580.487,59

1,16

Transf. Correntes Outras Rec. Correntes Receitas Correntes

130.725,17

0,26

50.205.781,66

100,00

Fonte: GPO, Sesc-PE

Receita Operacional Oriunda da venda de serviços, a receita operacional apresentou desempenho dentro do esperado. Essa receita atingiu o patamar de 89,89% da meta prevista e houve uma retração de 1,94%, comparado ao exercício de 2007, a partir de valores reais segundo o IGP-DI da Fundação Getúlio Vargas.

Receita Operacional por Tipo de Serviço - Prevista e Realizada - 2008 Programa

Previsto

Realizado

% Eficácia

% Receita/RO

Saúde

3.795.406,00

3.462.330,03

91,22

33,47

Educacionais

2.047.079,00

1.931.942,32

94,37

18,68

Recreativos e Culturais

5.302.120,00

4.518.369,29

85,22

43,68

362.554,00

430.767,91

118,81

4,16

11.507.159,00

10.343.277,55

89,89

100,00

Outros Serviços Rec. Operacional Fonte: GPO, Sesc-PE


Receita Operacional por Programa - Previstas e Realizadas - 2008 Programa

Previsto

Realizado

% Eficácia

% Participação

Educação

2.047.079,00

1.931.942,32

94,38

18,68

Saúde

3.795.406,00

3.462.330,03

91,22

33,47

670.971,00

360.525,05

53,73

3,49

4.631.149,00

4.157.816,74

89,78

40,20

107.995,00

106.392,03

98,52

1,03

Cultura Lazer Assistência Administração Rec. Operacional

254.559,00

324.271,38

127,39

3,14

11.507.159,00

10.343.277,55

89,89

100,00

Fonte: GPO, Sesc-PE

O aumento das receitas operacionais do Programa Administração é traduzido pelo aumento das receitas com os serviços de matrícula. A implantação e a reestruturação das centrais de atendimento contribuíram com esse resultado.

Desempenho Operacional

Em 2008, os programas Saúde e Lazer obtiveram os melhores percentuais de participação no total da receita operacional. A atividade nutrição foi responsável por 93,5% do total da receita operacional do Programa Saúde. A atividade destacou-se pelo fato de a instituição oferecer alimentação de qualidade, com alto subsídio para os comerciários e dependentes. A atividade turismo social foi responsável por 52,5% do total das receitas operacionais do Programa Lazer. A atividade em 2008 foi impulsionada pela modernização das estruturas nos Pontos de Atendimento e pela contratação de novos profissionais, engajados na missão de oferecer um serviço diversificado e com preços diferenciados do mercado. Somadas, as receitas das duas atividades – nutrição e turismo social – foram responsáveis por 52,4% do total da receita operacional.


O orçamento 2008 foi composto pelo montante de R$ 50.656.848,00, valor 115,87% superior ao de 2007. Com a execução de R$ 43.271.188,53, o Regional encerrou o exercício de 2008 com folga orçamentária de 85,42%, resultante da política de captação e aplicação eficiente dos recursos e parcerias para o desenvolvimento dos projetos, bem como da parceria com o Departamento Nacional, sobretudo nas áreas de investimentos, projetos sociais, capacitações e otimizações. Percentual de Execução Orçamentária – Este indicador de eficácia mede a proporção do orçamento previsto em relação ao que foi executado no ano, a partir da fórmula PEO = [ Valor Total Executado / Valor Total Orçado] * 100. Com um percentual de execução em 85,42% [ 43.271.188,53 / 50.656.848,00] * 100, o resultado demonstra a eficácia do Regional de Pernambuco no processo de previsão e gestão orçamentária de suas despesas. Despesas Totais Previstas e Realizadas - 2008

85,42%

60.000.000,00 40.000.000,00 20.000.000,00

43.271.188,53

50.656.848,00

Relatório de Gestão 2008

Gestão das Despesas

Previsto

Realizado

Fonte: GPO, Sesc - PE

Comparativo de Despesas de Capital, Correntes e Totais Realizados - 2007 e 2008 112,59%

45.000.000

35.480.145

39.947.228

115,87%

43.271.189

37.345.562

30.000.000 35.000.000

178,19% 1.865.416

2007 2008

3.323.960

Despesas de Capital

Fonte: GPO, Sesc - PE

Despesas Correntes

Despesas Totais


160,01%

4.000.000

3.323.960,15

161,55%

112,59%

2.026.584,40

2.000.000

1.254.446,53

2007 2008

2.077.317,23

1.297.375,75 822.871,82

Despesas de Capital

Despesas Correntes

Despesas Totais

Fonte: GPO, Sesc - PE

Nota explicativa: o crescimento da mobilização de recursos no Estado influenciou direta e indiretamente a dinâmica econômica e, consequentemente, a geração de emprego e renda, o que influencia diretamente a arrecadação compulsória do Sesc Pernambuco. Nesse contexto, justifica-se o acréscimo das despesas com as contribuições regulamentares (contribuição da Fecomércio), que incidem 3% sobre a receita de arrecadação compulsória, que foi superior à meta prevista, conforme apresentado no item sobre gestão de receitas.

Demonstrativo de Despesas por Elemento - Previsto e Realizado - 2008 Previsto Inicial

Retificativo

Previsto Final

Realizado

% Eficácia

Venc. e Vantagens Fixas

12.682.741,00

-

12.682.741,00

10.581.145,02

83,43

Obrigações Patronais

5.120.061,00

-

5.120.061,00

3.515.979,65

68,67

Outras Desp. Variáveis

266.012,00

100.000,00

366.012,00

365.750,16

99,93

Descrição

Contribuições Regulamentares Material de Consumo

876.777,00

120.216,00

996.993,00

1.077.329,50

108,06

7.454.432,00

2.350.000,00

9.804.432,00

8.917.262,89

90,95

O. Serv. de Terceiros - PF

1.547.081,00

600.000,00

2.147.081,00

2.004.931,43

93,38

O. Serv. de Terceiros - PJ

12.052.896,00

2.800.000,00

14.852.896,00

13.484.829,50

90,79

5.970.216,00

45.970.216,00

39.947.228,38

86,90

-

2.424.000,00

2.026.584,40

83,60

Total de Despesas Correntes 40.000.000,00 Obras e Instalações Equip. e Material Permanente

2.424.000,00 1.576.000,00

686.632,00

2.262.632,00

1.297.375,75

57,34

Total Despesas de Capital

4.000.000,00

686.632,00

4.686.632,00

3.323.960,15

70,92

Total das Despesas

44.000.000,00

6.656.848,00

50.656.848,00

43.271.188,53

85,42

Fonte: GPO, Sesc-PE

Os gastos com Serviços de Terceiros – Pessoa Jurídica representaram aproximadamente 33,8% do total das Despesas Correntes, seguidos pelas despesas com Vencimentos e Vantagens Fixas – Salários – com percentual de participação no total das Despesas Correntes de 26,5%.

Desempenho Operacional

Demonstrativo de Investimentos de Capital - Previsto Realizado - 2007 e 2008


www.sescpe.com.br

Relatório de Gestão_2008  

Apresentação do Relatório de Gestão 2008 do SESC PE.