Page 1

Mulheres Comunistas do PCdoB » Perfil » O que pensam » O que fazem » Como atuam no Partido


Pesquisa __ Diretora de Pesquisas da Toledo Associados: Maria Aparecida Amorim Sociólogos Responsáveis pela Pesquisa: Francisco de Toledo e Lejeune Mirhan Estatístico e Analista de Pesquisa: Marcos Simonetti Secretária Nacional de Mulheres do PCdoB: Liége Rocha Assessora da SNM do PCdoB: Mariana Venturini Século Comunicação Integrada __ Guiomar Prates - Diretora Adriana Terasse - Diretora Fernando Rizzotto - Editor de Arte Roney Ridrigues - Jornalista Mariana Castelar - Jornalista


Perfil

[ 9

Família e responsabilidades

[ 19

Profissional

[ 21

Atividades não-profissionais

[ 26

Hábitos de mídia

[ 28

Participação política na sociedade

[ 35

Militância comunista e no PCdoB

[ 39

O aborto entre as militantes

[ 43

Violência e coerção sobre as mulheres

[ 44

Conclusões

[ 45


[ Apresentação ] A participação das mulheres na política cresce. Nas eleições deste ano, pela primeira vez no Brasil, partidos políticos e coligações atingem os 30% prescritos pela chamada Cota de Gênero, contabilizando 32,57% de candidatas às Prefeituras e Câmaras de Vereadores. Segundo informações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o número de candidatos do sexo masculino chegou a 302.348 e o de candidatos do sexo feminino a 146.059. Apesar dos números serem recordes na história das eleições brasileiras, a paridade de gênero na política está distante. Uma grande contradição. Ainda segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), 51,8% do eleitorado são femininos. Ou seja: mais de 70 milhões de mulheres podem definir os rumos da política brasileira através do voto. No entanto, o Brasil ocupa o 106º lugar no ranking mundial de participação política feminina no parlamento: uma bancada de 45 mulheres para 513 cadeiras na Câmara Federal e de 12 para 81 no Senado. Já dentre os 27 Governadores, apenas duas são mulheres. O estudo “Mulheres Comunistas do PCdoB” vem mostrar como nesse cenário de mudanças, ainda que limitadas, as militantes do PCdoB estão atuando e pensando, além de compreender o perfil da militância feminina, seu perfil demográfico, distribuição geográfica, hábitos de mídia, grau de engajamento e opiniões acerca de temas polêmicos, como o aborto entre as militantes e a violência e coerção sobre as mulheres. Como meto-


dologia, foram utilizadas entrevistas, via telefone, entre fevereiro e março de 2012, com 1001 mulheres de todo o país. A pesquisa foi probabilística, através de sorteio no mailing de militantes fornecido pelo PCdoB. Com os dados apresentados nessa pesquisa, esperamos contribuir para melhor compreender a importância das mulheres na militância comunista do PCdoB e, assim, garantir instrumentos para eliminar as desigualdades sociais e de gênero, ampliando a participação das mulheres na política e fortalecendo a democracia.

Liège Rocha Secretária Nacional da Mulher/PCdoB


Perfil

Idade média 43,9 anos; Branca 43%; Concentradas no Sudeste (43%) e Nordeste (30%)

Com ensino médio - 42%; Com superior - 36%

73% tem filhos; 50% são chefes de família; 66% são responsáveis por terceiros

62% conectadas diariamente; 93% assistem TV

57% estão no mercado de trabalho; 1 em cada 4 lideram equipes

34% não leram nenhum livro comunista; 43% não leram nenhum documento do Partido

43% em relacionamento estável; 73% dos parceiros as apóiam concretamente na militância

13% já sofreram violência; dessas, 73% chegaram à violência física

42% católicas; 38% a favor de liberar o aborto; 40% quer mantê-lo como está

10,1 anos de militância, em média. Participação em movimentos sociais e comitês é baixa

Renda familiar mensal - R$ 3.467. Renda pessoal mensal - R$ 2.165.

Mulheres Comunistas [ 9 ]


[ Idade ] »» A participação de adolescentes e jovens adultas é pequena dentro da militância feminina do PCdoB.

16 a 17 anos 18 a 19 anos 20 a 24 anos 25 a 29 anos

0,30% 1,20% 5,20% 11,20%

30 a 34 anos 35 a 39 anos 40 a 44 anos 45 a 49 anos

12,10% 9,80% 11,70% 11,90%

50 a 54 anos 55 a 59 anos 60 anos ou mais

13,50% 10,10% 13,00%

Idade média 43,9 anos DESTAQUE: Centro-Oeste atinge 6% até 19 anos, contra 1,5% na média geral

[ 10 ] Mulheres Comunistas


[ Região ] »» Sudeste e Nordeste possuem a maior base de militantes e, consequentemente, de respondentes de nossa pesquisa.

Sudeste

43%

Nordeste

30%

Centro Oeste

10%

Norte

10%

Sul

6%

[ Estado civil ] »» A militância feminina do PCdoB pertence aos mais diversos estados maritais e civis.

Casada Amigada/ Vive junto

36,20% 6,50%

Solteira ou tem relacionamento esporádico Separada Viúva Namora

32,20% 13,50% 9,90% 1,80%

Relacionamento estável atinge 43% das militantes Relacionamento estável cresce à medida em que a idade aumenta Ate 19 anos  20 a 29 anos 30 a 39 anos 40 a 49 anos Acima de 50 anos

0% 23% 51% 59% 38%

Mulheres Comunistas [ 11 ]


[ Engajamento e apoio do companheiro ] »» Predominam os companheiros não-militantes, mas entre eles é majoritário o apoio concreto às companheiras. »» Companheiros de mulheres com menor escolaridade tendem a militar e a apoiar menos.

Militância dos companheiros Não é militante

47%

Militante de base do PCdoB ou entidade de massa

26%

Dirigente do PCdoB ou de movimento social Dirigente de outro partido ou movimento social Militante de base de outro partido ou movimento social

23% 3% 1%

Companheiros não-militantes são mais frequentes entre as que tem educação fundamental incompleta – 63%

Apoio dos companheiros Apóia totalmente e estimula concretamente

77,10%

Apóia parcialmente: estimula verbalmente, mas não concretiza É contra, mas não interfere na minha militância É contra e a pressiona para abandonar a militância Não sabe ou não respondeu

12,80% 6,50% 0,40% 3,10%

O apoio total cai a 59% entre as pessoas com educação fundamental incompleta

[ 12 ] Mulheres Comunistas


[ Ocupação ] »» Pouco mais da metade das militantes tem uma atividade remunerada. Trabalhadora de Serviço

20,50%

Funcionária Pública

20,10%

Autônoma Trabalhadora de Comércio Trab. da Educação Trabalhadora da Saúde

6,80% 3,30%

No mercado de trabalho 57%

2,70% 2,00%

Trabalhadora de Indústria

0,80%

Estagiária

0,60%

Aposentada/ Pensionista

14,20%

Dona de Casa

10,90%

Desempregada Estudante Bolsista Profissional Liberal

Trabalhando 64%

8,30%

Fora do mercado 35%

2,40% 5,80%

Proprietária de Comércio

1,00%

Proprietária de Serviços

0,70%

Negócio próprio 8%

Mulheres Comunistas [ 13 ]


[ Desemprego no domicílio ] »» Aproximadamente uma em cada quatro militantes tem alguém desempregado na própria residência. »» A incidência de desempregados se mostra bem mais alta nas classes D/E. Nº de pessoas Total 16 - 19

23% 0%

-

20 - 29

23%

30 - 39

Idade

1,59 25%

50 anos ou mais

1,27 22%

24%

Nordeste

Norte

[ 14 ] Mulheres Comunistas

1,52 50%

Sudeste

Sul

1,31

28%

D/ E

Centro Oeste

1,39

8%

C

Região

1,33

26%

B

Classe econômica

1,35

18%

40 - 49

A

1,40

26% 13%

1,43 1,34 1,48 1,36

21% 16%

1,36 1,40


[ Religião ] »» Catolicismo ainda é dominante, seguido pelas evangélicas. »» A prática religiosa é intensa para quase metade das militantes. As dissociadas da própria religião são poucas

Religião Católica

42,00%

Evangélica

21,70%

Deísta (tem fé, mas não tem religião)

15,50%

Espírita (Kardecista) Ateia Candomblé e Umbanda

10,40% 6,20% 2,80%

Budista

1,00%

Outras

1,00%

Prática da religião É muito praticante

46,80%

Pratica mais ou menos

33,00%

Não é muito praticante Não pratica nada

17,60% 2,60%

Apesar da maior incidência, o catolicismo tem o menor índice de praticantes constantes: apenas 33%

Mulheres Comunistas [ 15 ]


[ Escolaridade ] »» A militância feminina do PCdoB tem pessoas com todos os níveis educacionais, predominando pessoas com o ensino médio completo. Analfabeta 7% nas classes D/E

0,30%

Fundamental Incompleto

18% na classe C, 56% nas classes D/E

9,00%

Fund. Completo/ Médio incompleto 13,20%

Médio completo/ Sup. incompleto 42,10%

Superior completo 23,60%

Pós-graduação lato senso 8,70%

Mestrado 1,70%

36%

77% na classe A 45% na classe B 53% no Sul 52% no Centro Oeste

Doutorado 1,50% Média – 12 anos de educação Brasil – 7,5 anos, em média*

* Brasil 2020: os desafios da Economia Global FGV e Ernest &Young

[ 16 ] Mulheres Comunistas


[ Etnia ] »» Etnia branca predomina, com maior ênfase quanto maior for o status socioeconômico. »» Sul e Sudeste tem incidência de etnia branca em nível mais elevado que as outras regiões.

Branca

44,40%

Parda

36,20%

Negra Amarela Indígena

Sul - 70% Sudeste - 50% Centro Oeste - 43% Nordeste - 38% Norte - 19%

A - 59% B - 46% C - 38% D/E - 25%

16,70% 2,20% 0,40%

[ Orientação e Gênero ] »» Apesar do predomínio da heterossexualidade na base militante, há mulheres de todas as orientações, evidenciando o caráter de aceitação da diversidade do Partido.

Orientação sexual Heterossexual

Gênero 95,40%

Mulher

99,40%

Homossexual

3,10%

Homem

0,20%

Bissexual

0,80%

Transsexual

0,20%

Não sabe ou não quis responder

0,70%

Transgênero

0,10%

Recusa

0,10%

Mulheres Comunistas [ 17 ]


[ Local de Nascimento ] »» Em todas as cinco regiões há o predomínio absoluto de pessoas da própria região. »» Entretanto, Nordeste, Centro Oeste e Sudeste tem bases expressivas de militantes oriundos de outros estados. Naturalidade

Total

Norte Nordeste Centro Oeste Sudeste Sul Total

9% 39% 8% 37% 7% 100%

Norte

Nordeste

Entrevista Centro Oeste

Sudeste

Sul

94% 5% 2% 0% 0% 100%

9% 87% 1% 3% 1% 100%

3% 14% 68% 13% 3% 100%

0% 17% 1% 79% 2% 100%

0% 5% 0% 6% 88% 100%

Pará – 8% Ceará – 4% Maranhão – 3%

[ Classe, Renda e Bens ]

Minas – 8% S. Paulo – 5% Bahia – 8% Pernambuco – 3%

»» Renda e posse de bens ligeiramente superior ao perfil geral das brasileiras. »» Acesso à conectividade bem acima da média nacional

A

Computador no domicílio = 80% Média = 1,2

14,00%

B

50,00%

C D

33,00%

Celular = 95% Média = 1,5 linhas Telefone fixo = 89% Média = 1 linha Internet no domicílio = 77%

3,00%

Bicicleta = 27% Média = 1,4 bicicleta

Renda familiar média = R$ 3.467 Renda pessoal média = R$ 2.165

Motocicleta = 11% Média = 1 moto

Imóvel = 80% Média = 1,1 imóvel

Carro = 92% Média = 1,5 carros

[ 18 ] Mulheres Comunistas


Família e responsabilidades [ Filhos e planejamento familiar ] »» 72% tem filhos, e mesmo as que tiveram muitos filhos os vêem como algo bom em suas vidas. Tem filhos – 72% Média – 2,2

Foram planejados – 40% Não planejados, Mas bem vindos – 58%

Planejados Bem-vindos

Atrapalharam um pouco

1 filho 34,00%

58%

41%

1%

36%

63%

1%

29%

68%

3%

13%

73%

13%

28%

67%

5%

25%

75%

0%

2 filhos 34,90%

3 filhos 19,50%

4 filhos 7,20%

5 filhos 2,50%

6 ou mais filhos 2,00%

Mulheres Comunistas [ 19 ]


[ Responsabilidades na família ] »» 2/3 tem responsabilidades perante outras pessoas, e em 82% dos casos tem um papel de chefia de família, ainda que compartilhada.

Responsabilidades perante outros Não tem, apenas a si mesma 34,10%

Sim, meus filhos 44,20%

Sim, meu marido ou companheiro 8,20%

Sim, meus pais 5,70%

Sim, por outras pessoas 14,90%

Se considera a chefe da família? Sim 51,80%

A chefia da família é compartilhada 29,90%

Não 16,90%

Não sabe ou não quis responder 1,40%

[ 20 ] Mulheres Comunistas


Profissional [ Atividades remuneradas atuais ] »» 2/3 tem ocupação remunerada, concentradas no setor de serviços e no serviço público.

Tem atividade remunerada atualmente? sim

não

36% 64%

Em qual área? Serviços

33,60%

Serviço público

31,00%

Autônoma / Prof. liberal Comércio Trabalha na educação Trabalha na saúde

16,00% 6,90%

Sobe entre as mais velhas, as da Classe A, no Nordeste, Sul e Centro-Oeste Sobe entre as mais jovens

5,00% 3,90%

Empregada doméstica

1,90%

Indústria

1,60%

Mulheres Comunistas [ 21 ]


[ Tempo de trabalho e experiência profissional ] Atual função (anos) Total 16 - 19 20 - 29 30 - 39

Idade

40 - 49

10,9 1,9

3,3

6,9

6,9

14,5 11,9

Região

D

8,4

20,4 18,5 23,1

Sudeste

10,5

Nordeste

10,3

Centro Oeste

[ 22 ] Mulheres Comunistas

22,2

11,4 7,7

Norte

31,7

14,1

C

Sul

23,1 18,6

A B

20,3

1,2

50 anos ou mais

Classe econômica

Tempo que trabalha (anos)

22,6 17,8

15,0 11,4 8,6

23,3 19,9 13,7


Idade em que começou (anos) Total 16 - 19

Idade

Classe econômica

16,6 17,6

30 - 39

18,1

40 - 49

17,5

50 anos ou mais

17,7

B C D Sudeste Nordeste

Região

17,7

20 - 29

A

Centro Oeste Sul

18,8 17,7

Educação

10,7% 0,0% 6,9% 13,4% 8,4% 12,9% 2,6% 9,0%

17,1 17,7

19,9% 9,1%

17,0 18,2 17,5

14,1% 8,2% 7,0%

18,4

Norte Fund. Incompleto

Começaram a trabalhar antes dos 14 anos (%)

19,5

16,3% 3,0%

15,5

Sup. Incompleto

17,6

Superior ou mais

18,1

37,0% 12,6% 6,6%

Mulheres Comunistas [ 23 ]


[ Carga diária de trabalho remunerado ] Até oito horas diárias

56,40%

De oito a dez horas

26,10%

De 10 a 12 horas

Até 19 anos – 71% Fund. Incompleto – 69% Classe D – 73%

13,10%

Mais de 12 horas

4,40% Média – 7,8 horas

[ Carga diária de trabalho doméstico ] »» O trabalho doméstico é maior entre as que não trabalham fora. E a dupla jornada das que trabalham ainda tem um grande impacto de horas no dia a dia delas – a dupla jornada significa mais de 12 horas diárias.

Amostra total Até pelo menos duas horas

31,30%

Entre duas e quatro horas De quatro a seis horas Acima de seis horas diárias Não trabalha em casa

18,20% 23,00% 0,70%

Mulheres que não trabalham fora

35,80%

26,90%

Média – 4,2 horas

[ 24 ] Mulheres Comunistas

Mulheres que trabalham fora

32,50% 17,80%

23,40% 16,80% 19,00%

12,70% 1,10% Média – 3,6 horas

40,80% 0,00% Média – 5,2 horas


[ Equipe subordinada no trabalho ] »» Uma em cada quatro militantes tem algum subordinado ao trabalho. »» Quanto maior a idade e maior o status econômico, maior a incidência de subordinados. Nenhuma 75,40%

Apenas uma 4,50%

De 02 a 10 pessoas 14,90%

De 11 a 49 pessoas Média – 17,6 pessoas

3,60%

De 50 a 100 pessoas 0,90%

Acima de 101 pessoas 0,50%

Classe A

Outras Classes

50% 50%

Mulheres Comunistas [ 25 ]


Atividades não-profissionais [ Atividades nas horas livres ] »» Atividades de lazer com a família são mais comuns com as adultas e aumenta conforme aumenta o status econômico. »» Jovens são mais ligados em esportes, atividades culturais. Mas, juntamente com a Classe A, também apresentam o maior ócio. »» Sul tem maior engajamento em atividades político partidárias. Atividades de lazer com a família

29,20%

Acima de 30 anos – 38% Classe A – 42%

Atividades artísticas e culturais

13,40%

16-19 anos – 20%

Atividades esportivas / hobbies

12,80%

16 a 19 anos – 33% 20 a 29 anos – 23%

Atividades religiosas

12,80%

Classe D – 25%

Atividades políticopartidárias Atividades políticosindicais Não sobra tempo para lazer Nenhuma das anteriores

[ 26 ] Mulheres Comunistas

10,90%

Sul – 28%

1,40% 7,10% 12,50%

16-19 anos – 40% Classe A – 42%


[ Atividades culturais ] »» Teatro é a principal atividade cultural.

Teatro

29,90%

Canto

9,70% 9,00%

Artesanato (por hobbie)

15,70%

Cinema

Dança

15,70%

Poesia

Pintura

Outros

11,90%

5,20% 2%

[ Atividades nas horas livres ] »» TV é a principal atividade nas horas livres Assistir televisão

50,30%

Ler

16,20%

Aumenta à medida que envelhecem: de 13% até 19 anos até 55% acima de 50 anos Classe A – 27%

Assistir filmes no cinema

9,10%

16 a 19 anos – 20%

Ir a bares/ casas noturnas

8,10%

16 a 19 anos – 53%

Ouvir músicas

4,50%

Fazer artesanato

3,70%

Dançar

2,50%

Assistir peças no teatro

2,50%

Outros

3%

Mulheres Comunistas [ 27 ]


Hábitos de mídia [ Meios de informação ] »» A TV é o meio mais importante para se informar, mas a Internet já está bem próxima, bem à frente de meios tradicionais, como o jornal impresso e o rádio Jornal transmitido por televisão 46,30%

Internet 40,70%

Jornal impresso 9,20%

Jornal transmitido por rádio 3,00%

Outros 1,00%

Frequência de leitura de jornal impresso

16%

8% 76%

Diariamente

[ 28 ] Mulheres Comunistas

De vez em quando

Só finais de semana


[ Jornais preferidos ] »» Folha de São Paulo é o líder nacional, em um setor onde os mercados são pulverizados.

Ranking nacional Nenhum

43%

Folha de São Paulo O Globo Estado de São Paulo

10,10% 5,10% 3,60%

O Popular

2,80%

A Critica

2,50%

Correio Brasiliense

2,10%

Jornal do Commércio

2,00%

Diário de Pernambuco

2,00%

Ranking por região Norte A Critica 40%

Sul Nenhum 53%

Nenhum 31%

Zero hora 20%

10 minutos 15%

Diário Catarinense 11%

A Gazeta 7%

Valor Econômico 5%

Nordeste Nenhum 44%

Sudest Nenhum 44%

Centro Oeste Nenhum 43%

Jornal do Commércio 6%

Folha de São Paulo 22%

Correio Brasiliense 19%

Diário de Pernambuco 6%

O Globo 8%

O Popular 19%

O Povo 6%

Estado de São Paulo 8%

Folha de Recife 4%

Mulheres Comunistas [ 29 ]


[ TV ] »» Globo predomina. »» No Sul percebemos uma maior rejeição à TV.

Rede Globo

59,60%

Record

13,30%

Canais pagos

8,70%

SBT

4,20%

Cultura

3,50%

Bandeirantes Outras Nenhuma

2,30% 2% 6,60%

Sul – 23%

[ Acesso à Internet ] »» Maioria das militantes acessam a Internet. »» Acesso cresce entre classes mais altas e entre pessoas mais jovens. Sempre/ diariamente De vez em quando Nunca

[ 30 ] Mulheres Comunistas

62,40% 14,80% 22,80%

Classe A – 93% 16-19 anos– 92% Sul – 79% Centro Oeste – 73% Classe D – 67% Acima 50 anos – 40% Norte – 31%


[ Uso da Internet ] »» Internet é acessada várias horas por dia. Casa e trabalho são os locais de acesso e o Facebook é a principal rede social.

Horas diárias* Até uma hora

21,30%

De uma a duas horas

21,50%

De duas a três horas

15,30%

Acima de três horas

41,90%

Local de acesso Casa

56,10%

Do Trabalho Lan house Outros

38,40% 4,30% 1,00%

Redes sociais Acessam redes sociais

73,00%

Facebook

67%

Orkut

32%

Twitter

14%

MSN

2%

LinkedIn

2% * Média – 2,2 horas

Mulheres Comunistas [ 31 ]


[ Leitura de livros ] »» 85% têm o hábito de ler livros, ainda que muitos não leiam muito. »» Não ficção e romances predominam nas preferências.

Horas diárias Lê um livro por semana ou mais

9,50%

Lê um livro a cada 15 dias

15,00%

Lê um livro por mês Um livro a cada 2 meses

25,30% 0,10%

Lê um livro a cada três meses

15,30%

Lê um livro a cada seis meses

7,30%

Lê um livro por ano

5,80%

Leu poucos livros em toda a sua vida

7,00%

Nunca lê livros

14,80%

Temas preferidos Não ficção

39,40%

Romances

34,90%

Contos, crônicas, poesias, etc

16,60%

Ficção científica

4,10%

Religiosos

3,80%

Outros

[ 32 ] Mulheres Comunistas

2%


[ Leitura de livros e documentos comunistas ] »» Os militantes já leram, em média, 3 publicações dentre 10 previamente listadas.

Livros Manifesto do Partido Comunista - Marx e Engels

48,40%

A Mulher e o Socialismo - Auguste Bebel

35,80%

A Origem da Família, do Estado e da Propriedade Privada - En

32,00%

O Esquerdismo, Doença Infantil do Comunismo - Lênin

22,50%

A Ideologia Alemã - Marx

19,90%

A Nova Mulher e a Moral Sexual - Alexandra Kollontai

18,40%

Nenhum

34,20% Média – 1,7 livros lidos

Documentos Programa Socialista para o Brasil (2009) Resoluções da 1ª Conferência Nacional Sobre a Questão da Mulher (2007)

42,20% 33,60%

Nova Política de Quadros (2009)

27,20%

Resoluções do 7º Encontro Sobre Questões de Partido (2011)

27,00%

Nenhum

42,90% Média – 1,3 documentos lidos

Mulheres Comunistas [ 33 ]


[ Leitura de revistas e publicações semanais ] »» Classes C e D lêem menos revistas e se interessam menos por elas.

Revistas semanais Veja

35,80%

Carta Capital Isto É Época

19,60% 11,00% 8,50%

Nenhuma

Classe C – 40% Classe D – 64%

24,70%

Tipo de revistas preferidas Femininas (Cláudia, Máxima, Nova, Criativa etc.)

21,90%

Revistas militantes (Princípios, Presença da Mulher etc.) Revistas científicas (Scientific American; SuperInteressante) Sobre Novelas e sobre TV (Caras, Contigo)

13,10% 8,20% 6,80%

Informativas

2,00%

Humor/ Quadrinhos

1,60%

Esportivas

1,30%

Nenhum

[ 34 ] Mulheres Comunistas

43,90%

Classe C – 58% Classe D – 61%


Participação política na sociedade [ Participação em entidades e movimentos sociais ] »» A participação nos movimentos é sempre inferior a 20%. »» Militantes da classe A apresentam maior participação ativa.

Entidades comunitárias Sim, ativamente Participa pouco Já participou, mas deixou de fazê-lo

18,50% 6,10% 13,10%

Não participa

62,30%

Preservação do meio ambiente Sim, ativamente

13,50%

Participa pouco

9,30%

Já participou, mas deixou de fazê-lo

9,60%

Não participa

67,60%

Mulheres Comunistas [ 35 ]


Auxílio aos carentes Sim, ativamente

17,00%

Participa pouco

8,40%

Já participou, mas deixou de fazê-lo

9,20%

Não participa

65,40%

Movimento da Juventude Sim, ativamente Participa pouco Já participou, mas deixou de fazê-lo

8,20% 3,30% 10,40%

Não participa

78,10%

Movimento pela paz Sim, ativamente Participa pouco Já participou, mas deixou de fazê-lo Não participa

[ 36 ] Mulheres Comunistas

12,30% 7,90% 10,10% 69,70%


[ Participação em sindicatos ] »» Classe A e Região Sul apresentam maior participação em sindicatos, em oposição às Classes C e D e Região Norte.

Participação em sindicato Sim Já foi, mas deixou de ser Não

Classe C – 78% Classe D – 86% Norte – 71%

Participação em direção de sindicato Sim

8,00%

Já foi, mas deixou de ser

9,00%

26,70% 11,10%

Não

62,20%

83,00%

Classe A – 47% Sul – 38%

[ Sobre as lutas das mulheres ] »» A importância da luta da mulher é amplamente reconhecida, mas quase metade das militantes jamais participaram de algo relativo ao tema.

Participação na luta pela emancipação Sim, através da União Brasileira de Mulheres Sim, através de outra entidade e não da União Brasileira de Mulheres Participa pouco Já participou, mas deixou de fazê-lo Não participa

35,00% 2,30% 10,00% 9,10% 43,70%

Mulheres Comunistas [ 37 ]


Opinião sobre as lutas emancipacionistas das mulheres Acha fundamental e entende que só assim as mulheres poderão ter seus direitos assegurados

81,70%

Acha importante, mas não vê muito eficácia nisso

8,40%

Acha importante, mas não se identifica com essa pauta

7,10%

Não acha nem um pouco importante

1,00%

Não respondeu ou não tem opinião sobre isso

1,80%

[ Participação em eleições e cargos nomeados ] »» Uma parcela pequena da mulheres militantes já disputou eleições ou exerceu cargos nomeados.

Disputa de eleições Sim

5,00%

Não Não respondeu

93,00% 2,00%

Participação em cargos nomeados Sim

13,00%

Não Não respondeu

[ 38 ] Mulheres Comunistas

86,00% 1,00%


Militância comunista e no PCdoB [ Tempo de militância no PCdoB ] »» Membros das classes C e D tem um tempo de militância abaixo da média. »» Região Norte tem militantes mais recentes, em média.

Tempo de militância (anos) Total 16 - 19 20 - 29 Idade

30 - 39

10,1 2,4 4,2 6,9

40 - 49

9,8

50 anos ou mais

15,2

A

Classe econômica

11,7

B C D

10,9 8,6 7,7

Mulheres Comunistas [ 39 ]


Região

Sudeste

9,8

Nordeste

9,8

Centro Oeste

12,2

Sul

13,4

Norte

7,5

Fund. Incompleto Educação

10,5

Sup. Incompleto

8,0

Superior ou mais

13,3

[ Militância nos organismos e comitês ] »» Dado o tempo médio de militância da ordem de 10 anos, concluímos que os Comitês Central e Estadual é composto por veteranas. Tempo médio Membro de organismo de base

21,00%

Membro de Comitê distrital

12,00%

Membro de Comitê Municipal

15,00%

Membro de Comitê Estadual Membro de Comitê Central

[ 40 ] Mulheres Comunistas

7,00% 2,00%

9 anos e 8 meses 7 anos e 10 meses 6 anos e 10 meses 11 anos e 3 meses 12 anos e 8 meses


[ A discriminação interna contra as mulheres ] »» 19% sentiu dificuldades de ordem discriminatória no Partido. Sim, sempre senti muitas dificuldades para exercer minha militância comunista 4,60% 19%

Senti dificuldades em alguns momentos apenas 14,30%

Nunca senti dificuldade alguma 62,40%

Não senti dificuldade e até tive muito estímulo e apoio para exercer a militância 17,20%

Não tem opinião sobre o assunto ou não respondeu 1,50%

19%

Mulheres Comunistas [ 41 ]


[ Cursos feitos no PCdoB ] »» CBV foi feito por quase metade das militantes. »» Parcela grande de militantes jamais fizeram curso no Partido. Curso Básico de Vídeo (CBV)

45,50%

Curso do Programa Socialista (CPS)

25,60%

Curso da Escola Nacional Nível 1

21,20%

Curso da Escola Nacional Nível 2 (ou Curso Nacional para Qua

16,70%

Outros tipos de cursos de formação

11,40%

Curso da Escola Nacional Nível 3

11,30%

Curso Panorâmico (vários dias, realizado na década de 1980)

10,00%

Nenhum

43,50% Média – 1,4 cursos por militante

[ Opinião sobre a criação de creches ] »» O Partido precisa manter creches de apoio para a militância.

Sim, sempre Sim, apenas em alguns casos

91,10% 6,40%

Não, nunca, acho desnecessário

1,50%

Não tem opinião sobre o assunto ou não respondeu

1,00%

[ 42 ] Mulheres Comunistas


O aborto entre as militantes [ Opinião – Aborto ] »» As militantes tem uma opinião que se concentra do modelo atual para um aumento do direito da mulher em decidir sobre isso. Concordo plenamente com sua legalização. A mulher tem o direito de decidir Concordo parcialmente. Deveria ser legalizado em alguns casos especiais

38,00% 15,40%

Acho que a lei brasileira deve ficar como está, aborto só em caso de estupro e risco de vida da mãe Acho que a legislação deve ser ainda mais restritiva sobre o aborto, que deve ser proibido em todos os casos Não tem opinião sobre o assunto ou não respondeu 10% entre evangélicos

51% entre evangélicos 43% entre católicos

40,10% 5,60% 1,00%

77% entre atéias 56% entre Deístas

[ Opinião – Fazer o aborto ] »» Metade das mulheres refutam o aborto totalmente. »» Por outro lado, 7% já declararam tê-lo feito. Não faria em hipótese alguma

50%

Poderia fazer, dependendo da situação Já fez, mas nunca mais faria novamente

41%

Já fez aborto e faria novamente se necessário

3%

Não respondeu ou não tem opinião sobre o tema

1%

4%

Mulheres Comunistas [ 43 ]


Violência e coerção sobre as mulheres [ Violência ] »» A violência, ainda que eventual, é expressiva, principalmente porque envolve a violência física na maioria das vezes.

Sofreu violência? 13%

Tipo de violência Física (tapas, empurrões, socos etc.)

2%

Psicológica (ameaças, xingamentos etc.)

85%

A violência atinge sem discriminar classe, idade, educação ou região

Não, nunca Sim, algumas vezes Frequentemente

73%

Moral (calúnias, difamações etc.) Sexual

Patrimonial (subtração ou quebra de bens; confisco de dinheiro

61% 25% 13% 3%

[ Violência e coerção na militância ] »» Dentro do Partido a coerção é menor à vida exterior. Não, nunca sofri nenhuma forma de violência e/ou discriminação

89,40%

Sim, já me senti desrespeitada por ser mulher

5,40%

Sim, xingamentos e/ou comentários de conteúdo sexista

5,10%

Sim, coação ou ameaça física

[ 44 ] Mulheres Comunistas

2,20%


Conclusões [ Questões de caracterização pessoal ] • 43% das mulheres possuem algum nível de relação estável com um parceiro. Desse universo, 53% têm relação com algum militante – o que significa quase 24% do universo pesquisado; • Praticamente todas as mulheres entrevistadas na amostra disseram que nenhum dos seus companheiros/parceiros as impede de participação na vida política; • Apenas 8% das mulheres comunistas disseram-se desempregadas, pouco acima da média nacional de 6%; • O cristianismo aparece como o maior grupo, com 64% do total da amostra; 23% declararam-se ateus e sem religião; • Com relação à escolaridade média – número de anos de estudos formais – a média das mulheres comunistas é muito maior que a nacional. A pesquisa apontou que as mulheres militantes do PCdoB possuem em média 12,7 anos de estudos – quase que um padrão europeu – contra 7,5 da média Brasil; destaca-se 36% do total tem curso superior, mestrado e doutorado; • Quanto à etnia, brancas já são minoria entre as mulheres comunistas, com apenas 44%; a soma de pardas e negras já atinge 53%;

Mulheres Comunistas [ 45 ]


• Quanto à orientação sexual, 95% declararam-se heterossexuais, contra apenas 3% homossexuais e 1% bissexuais (o restante não respondeu); no quesito “Gênero”, 99% declararam-se “mulheres”, com 1% restante dividindo-se em respostas como “Homens”, “Transexual” etc.; • Com relação ao que os Institutos de Pesquisa chamam de “Classe Social” – na verdade faixas de acesso ao consumo – as mulheres comunistas que pertencem as faixas “A” e “B” na amostra atinge 64%, com outras 33% na chamada classe “C”; praticamente não aparecem mulheres nas demais faixas de consumo, a “D” e a “E”; • As mulheres comunistas do PCdoB têm, em média, 2,2 filhos; • 66% das mulheres comunistas têm responsabilidades com alguns dependentes e esse percentual eleva-se para 82% quando somamos com a resposta “responsabilidade compartilhada” na chefia das famílias; dito de outra forma, podemos dizer que apenas 18% das mulheres filiadas ao PCdoB não têm responsabilidades em suas famílias.

[ As mulheres comunistas e o Trabalho ] • As mulheres comunistas participantes da pesquisa têm, em média, 44 anos de idade. Possuem em média, 20 anos de tempo de serviço e estão no mesmo emprego há pelo menos 10 anos (em média); • 44% das respostas apontaram que as mulheres trabalham além das oito horas diárias de jornada semanal de trabalho;

[ 46 ] Mulheres Comunistas


• Além disso, trabalham em suas casas, na média, mais 3,6 horas todos os dias durante a semana; • No trabalho, 25% delas têm subordinados sob seu comando, sendo que estas que exercem a função de chefia, o fazem sob outras 17 pessoas.

[ Atividades nas horas livres e fontes de Informação ] • A pesquisa indagou o que as mulheres comunistas faziam nas horas livres, ou seja, fora do trabalho e de casa; apenas 12% disseram dedicar-se às atividades políticas partidárias e sindicais; • Apenas 9% disseram ler todos os dias algum jornal impresso; • 46% disseram se informar, prioritariamente pelo meio “TV” e outras 41% pelo meio “Internet”; • A rede Globo de televisão vence disparado na preferência entre as que preferem a TV como fonte de informação, atingindo 60% da amostra, seguida, de longe, pela rede Record de televisão com 13%; • As mulheres que possuem acesso à Internet atingem a marca de 62% da amostra, cuja média diária de conexão é de 2,2 horas; quem nunca teve acesso à Internet atinge a marca dos 23%; • 85% das mulheres comunistas disseram ler livros sempre; a média de leitura esta em 12,7 livros por ano ou cerca de um livro todos os meses; essa média é pelo menos sete vezes maior que a média nacional (1,8 livros/ano);

Mulheres Comunistas [ 47 ]


• Dos livros básicos da literatura marxista, 52% nunca leu o Manifesto Comunista e 58% sequer leu o Programa Socialista do PCdoB; • 75% lêem, todas as semanas, uma das revistas informativas e a Veja vence com 36% das preferências; • O percentual de menos que 20% aparece em toda as questões relacionadas com a participação em atividades na sociedade – comunitárias/bairros com 19% auxílio aos carentes – 17%; ambientais – 14%; movimentos pela paz com 12% e juventude com 8% apenas; • Com relação à participação política em sindicatos, o percentual atinge 27% da amostra, o que indica que uma em cada quatro mulheres comunistas é ativista sindical, das quais 8% se disseram dirigentes de alguma entidade; • No movimento de mulheres, a UBM aparece como preferida de 35% das mulheres; • Apenas 5% das comunistas disse já ter concorrido a algum cargo eletivo na sociedade e 13% disseram que alguma vez na vida foram nomeadas para cargos comissionados em prefeituras e governos.

[ A Militância Comunista no PCdoB ] • A média de tempo de PCdoB apontada na pesquisa foi de 10 anos de militância; • 81% disseram nunca ter sentido dificuldade alguma de militar no Partido;

[ 48 ] Mulheres Comunistas


• Em relação à formação partidária, apenas 26% - ou uma em cada quatro mulheres comunistas – fez o curso do Programa Socialista; 21% fizeram o curso nível I da Escola Nacional do Partido; 17% o nível II e apenas 11% fez o nível III, o mais avançado; dito de outra forma, podemos dizer que metade das mulheres comunistas do PCdoB, ainda que tenha lido poucos livros clássicos do marxismo, é bem formada e praticamente metade da amostra fez um dos três cursos nacionais da ENF do Partido; • 97% das mulheres defendeu a existência de creches em locais onde são realizados eventos de massa do Partido;

[ Aborto e Violência contra as Mulheres ] • Aborto segue sendo um assunto polêmico, mesmo entre comunistas; 38% declararam que querem ampliar e melhorar a lei do direito ao aborto no país; 40% disseram que a lei deve ficar como está; 15% aceitam pequenas ampliações apenas e ainda aparece uma parcela de 6% de mulheres que querem restringi-lo ainda mais; • Metade das mulheres disse que jamais faria um aborto; • 15% do total das mulheres pesquisadas disse já ter sofrido algum tipo de violência de gênero; • Outras 12% relatam ter sofrido algum tipo de coerção ou coação na sua participação política interna no PCdoB.

Mulheres Comunistas [ 49 ]


Testando  

Apenas um teste

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you