Issuu on Google+

Outubro 2008

1


Acessórios para limpeza...............................6,10,16,18 Acolchoados para elevador...................................10,18 Alarmes................................................................31,32 Antena coletiva..........................................................31 Armário de aço..........................................................10 Armário.....................................................................10 Arquivo de aço..........................................................10 Artigos esportivos........................................25,3ª capa Aspirador de pó.........................................................10 Balde espremedor........................................................6 Bebedouro.................................................................18 Bicicletário.................................................................16 Bloqueador de ar p/ hidráulica....................................31 Bolinhas p/ piscina de bolinhas..................................33 Brinquedos espumados..............................................33 Brinquedos...........................................................32,33 Cadeira de praia..........................................................8 Cadeira para portaria.............................................10,16 Caixas de correio.......................................................16 Câmera de segurança................................................12 Cantoneira.........................................................4ª capa Capacho...............................................................10,16 Capas para Piscinas..................................................19 Carpete......................................................................19 Carrinho de compras.......................................10,16,18 Carro funcional.......................................................6,16 Casinha de boneca...............................................32,33 Cerca elétrica........................................................31,32 Circuito fechado de TV.....................................12,31,32 Claviculário...........................................................10,31 Cobertura...................................................................20 Cobertura em policarbonato/vidros............................20 Cofre.........................................................................10 Coletor de copos.........................................................6 Concertina: sistema periférico contra invasões.......31,32 Construtora.............................................28,29 Conteiner................................................................6,16 Controlador de iluminação para garagens...................32 Controle de acesso..........................................31,32,34 Corrimão..................................................................24 Cortina rolo...............................................................20 Crachá........................................................................8 Crachá de veículos......................................................8 Desentupimento: máquinas........................................18 Dispenser para papel higiênico/papel toalha............6,18 Dispenser para sabonete líquido..............................6,18 Economizadores de água...........................................31 Elevador: equipamentos..............................21,22,23,24 Elevador: manutenção...............................21,22,23,24 Enceradeira.......................................................6,10,16 Engenharia...........................................................28,29 Filtro..........................................................................18 Flip Chart..............................................................30,31 Grama sintética................................................19,25,32 Guarda sol..................................................................8 Hidráulica...................................................................28 Iluminação.................................................................31

Ipermeabilização..............................................28,29,30 Interfonia digital....................................................31,32 Jardinagem..........................................................33,34 Lavadora automática de piso.....................................10 Lavadora de alta pressão......................................10,16 Limitador de vaga...............................................4ª capa Limpeza de caixa d’agua............................................18 Lixeira................................................................6,16,18 Lombada ecológica............................................4ª capa Lousa...................................................................30,31 Lousa digital/panorâmica...........................................30 Manutenção predial.....................................28,29,30,31 Máquinas para limpeza...........................................10,16 Mesa de pebolim/Totó.............................................32 Mesa de ping pong....................................................32 Móveis de aço..........................................................10 Móveis para escritório................................................10 Ombrellones................................................................8 Paisagismo................................................11 Persianas..................................................................24 Pintura predial ..........................................28,29,30,31 Piso de borracha..................................... 2ª capa,19,25 Piso esportivo.....................................19,25,32,3ª capa Piso social............................................................19,25 Piso vinílico..........................................................19,25 Piso: restauração......................................................29 Placas sinalizadoras................................. 6,8,10,16,18 Playground em madeira.............................................33 Playground em tronco de eucalipto............................32 Playground em plástico.........................................32,33 Portão automático............................................... 24,31 Portaria.................................................................33,34 Proteção periférica....................................................32 Protetor de coluna p/ garagem...........................4ª capa Protetor de pára-choque....................................4ª capa Protetor de parede.............................................4ª capa Protetor de porta................................................4ª capa Protetor perimetral................................................31,32 Purificador de água....................................................18 Quadra poliesportiva..........................................3ª capa Quadro branco/ magnético.................................30,31 Quadro de aviso....................................................30,31 Radiocomunicação:venda/locação/assist.técnica..23,25 Rede de proteção...........................................25 Restauração de fachadas.............................28,29,30,31 Segurança/Medicina no trabalho................................30 Serralheria...................................................24 Serralheria artística....................................................24 Sinalização: de solo ...............................................16 Sistema de segurança: projeto....................12,31,32,34 Tapete personalizado............................................10,16 Tela de projeção.........................................................31 Terceirização de serviço........................................33,34 Toldos.......................................................................20 Triturador de alimentos..............................................18 Varredeira..................................................................10


CONVIVÊNCIA POR DÉBORA CARVALHO

Horta de temperos sofistica culinária em apartamentos Variedade de espécies podem ser facilmente cultivadas em vasos ou jardineiras, valorizando a decoração e sofisticando as refeições preparadas para a família e amigos.

T

emperos frescos e colhidos na hora conferem um toque especial e saboroso a qualquer prato. Pensando nisso, investir no plantio de hortas urbanas é uma proposta criativa e econômica. Engana-se quem pensa que é fundamental ter um grande quintal ou jardim para ter suas próprias hortaliças. Plantadas em vasos e jardineiras, que podem inclusive ser dispostas verticalmente, nas paredes, diferentes espécies de temperos podem ser cultivadas diretamente para o consumo. Sem contar o diferencial que as hortas trazem para a decoração dos apartamentos e condomínios, trazendo vida, verde e alegria para os ambientes. Apesar de simples, o processo de plantio e cuidado adequados requer técnica e a atenção a vários detalhes, como: o tempo mínimo necessário de exposição diária ao sol; quando e como regar; sistema de drenagem da água para hidratar as raízes; entre outras precauções necessárias. DEDO VERDE URBANO Para guiar os iniciantes, o jornalista Hélio Lemos desenvolveu o projeto “Dedo Verde Urbano” (www. dedoverdeurbano.com.br). Jardineiro amador com mais de 20 anos de prática no cultivo de pequenas hortas em espaços urbanos, Hélio apre-

4

Outubro 2008

senta um prático DVD com diversas dicas e um passo a passo de todas as etapas necessárias para montar uma charmosa horta de temperos em apartamentos. Segundo Lemos, “cuidar de uma planta é, antes de tudo, cuidar de si próprio. Através desta relação cotidiana de dar atenção a um outro ser somos forçados a rever como a vida está sempre em transformação, em mudança, e como é contagiante esta ligação. Vida traz sempre mais vida.” Gravado em São Paulo e no Rio de Janeiro, as informações do vídeo foram elaboradas por uma equipe de especialistas que inclui as herboristas Silvia e Sabrina Jeha (dona do Sabor de Fazenda); além do engenheiro especialista em hortas urbanas, Marcelo Noronha. A boa dica é reunir os condominos para a criação de uma horta coletiva. Sempre tem moradores que gostam de mexer com terra, os curiosos e os que podem se tornar parceiros engajados do projeto. O tema central do Dedo Verde Urbano é a reconexão dos habitantes das grandes cidades com a natureza, a humanizacão dos espaços urbanos, e uma mudança de paradigma: de uma sociedade consumista para uma sociedade mais em harmonia com a natureza, e em sintonia com a “Teia da Vida”.

Selecionamos algumas informações para deixar os gestores de condomínio animados com o projeto, e considerar seriamente implementálo na próxima reunião de moradores: o próximo passo é cultivar e se deliciar plantando, colhendo e usando na cozinha, cada um, suas ervas preferidas. Você certamente será capaz de contagiar os moradores para erguer seu “Dedo Verde Urbano” e começar a agir rumo à sustentabilidade. Problemas para resolver é o que não falta: qualidade do ar, da água, da coleta de lixo, dos transportes, planos urbanisticos, praças e jardins.


A ecologia urbana é o grande desafio deste século, pois cerca de 80% da população brasileira vive nas grandes cidades, onde o meio ambiente está cada vez mais negligenciado. Nenhum outro assunto urbano será mais relevante nos próximos 30 anos. Fazer das cidades um lugar melhor para se viver passa pela ação de trazer de volta um pouco da natureza que foi expulsa destes espaços. Há um grande desafio pela frente: modificar o sentido do que é humano e do que significa viver em sociedade. E foi justamente com a intenção de reestabelecer a integração entre os habitantes destas cidades e a natureza que nasceu o projeto Dedo Verde Urbano. O investimento pode variar conforme o orçamento. Há jardineiras de PVC, de cimento e de barro. Também há a possibilidade de se utilizar latas e garrafas PET. As plantas podem ser penduradas em uma parede ou simplesmente dispostas em uma bancada. O que manda é a criatividade. As mudas podem ser facilmente encontradas em casas de jardinagem, bem como sementes.

Criatividade é fundamental na hora de criar a horta comunitária de temperos.

DICAS PARA SEU HORTO FAZER SUCESSO NO CONDOMÍNIO COLHEITA: Para preservar ao máximo o sabor, aroma e as propriedades medicinais, a colheita deve ser feita em dias ensolarados, após a total evaporação do orvalho matinal. É muito prejudicial para a secagem se as plantas forem lavadas após a colheita. Para limpar as plantas que estiverem muito sujas, lave com um jato de água suave um dia antes da colheita. Para as ervas aromáticas, colha antes da floração por atingirem seu ponto máximo de fragrância. Plantas anuais, que são aquelas que possuem todo o seu ciclo de desenvolvimento, inclusive a morte, no mesmo ano, devem ser arrancadas totalmente, pois irão rebrotar. SECAGEM: Amarrar em pequenos maços e pendurar num varal em local seco, escuro e arejado por seca de suas semanas. Para proteger da luz e da poeira, utilizar sacos de papel com furos. Quando a folha desmancha na mão, está seca. Acondicionar no armário, em recipientes hermeticamente fechados. DOENÇAS: Manchas de diversas cores (cinza, marrom, branca, preta etc.) indicam fungos. Se for usar fungicida, recomenda-se fungicidas a base de cobre e de enxofre molhável, aplicados semanalmente de forma alternada. No

entanto, para evitar doenças, é bom providenciar um solo saudável, pois as plantas crescem mais vigorosas. Retirar plantas com sintomas de doenças, principalmente aquelas que estão definhando e com coloração amarelada. Evite irrigar por aspersão e providencie maior diversidade de espécies no horto PRAGAS: Evitar o uso de inceticidas quimicos, porque eles alteram o princípio ativo das plantas, além de contarminar o meio ambiente e serem tóxicos. Para controlar os insetos, é possível recorrer à catação manual. Por exemplo, as lagartas, facilmente visiveis, são insetos que devem ser catados manualmente e mortos. A lagarta rosca pode ser encontrada a uns 10 cm de profundidade. As vaquinhas (pequenos besouros com manchas amarelas nas asas), devem ter seus ovos, amarelos, esmagados. Caramujos, lesmas e tatuzinho são controlados com iscas de sacos de aniagem ou estopa úmidos sujos de leite. Depois, é só catar e destrui-los. Lesmas e caracóis podem ser capturadas com latas contendo sal e chuchu.

Inseticida caseiro feito com calda de fumo também acaba com os insetos.

Outubro 2008

5


6

Outubro 2008


EQUIPE POR DÉBORA CARVALHO | Fotos: Divulgação

TERCEIRIZAÇÃO

A

terceirização de serviços nos condomínios é uma tendência mundial que cresce numa média de 25% a 30% ao ano. O incentivo está na eficiência administrativa e operacional que as empresas especializadas oferecem. Consequentemente, as vagas de emprego geradas pelo setor também acompanham esse auge, mas com altas e baixas. A questão da limpeza e da segurança são os pontos principais do aumento da contratação, já que as pessoas buscam o condomínio justamente por poderem deixar crianças se divertirem no ‘quintal de casa’ sem sair na rua e ter um ambiente higienizado adequadamente. “Além de ser mais econômico, acaba gerando uma maior eficiência.”, informa a síndica Pilar Moreno, que adminis-

tra o Condomínio Martha Regina há quatro anos. O síndico Adalmir Carvalho confirma as vantagens. “É financeiramente um atrativo porque o prédio economiza o custo com contador, com as despesas na procura de profissionais, com os gastos em treinamento, e não precisa ficar se preocupando com a folha de pagamento e suas demissões, décimo terceiro, férias e outros encargos que são previsíveis”, afirma ele. A busca pelo setor também é grande pela segurança e pelos funcionários, principalmente o porteiro ou zelador, que recebem treinamento especializado que vai de segurança preventiva a primeiros socorros. A terceirização reduz os custos da folha de pagamento em pelo menos 30% e fornece funcionários treinados e qualificados para todas as funções, ganhando salários compatíveis com os oferecidos no mercado. Falta de escolaridade é um dos principais obstáculos para certas vagas no setor.

VAGAS EM ABERTO As empresas do setor enfrentam dificuldade para preencher vagas. É o caso da GS Terceirização (www.gsterceirizacao.com.br) que está com 28 vagas para porteiro e controlador de acesso, e 16 vagas para as demais funções, entre elas; auxiliar de limpeza e serviços gerais. “Nossa maior dificuldade, no entanto, está atrelada a questões de qualificação profissional e limitações devido a grande demanda de vagas em outras áreas, como construção civil. O nível de escolaridade dos profissionais de portaria também é um agravante, porque não pode ser inferior ao ensino médio. O preenchimento das vagas masculina para limpeza também concorre com as vagas na construção civil”, conta Daniela Candida, RH da empresa. São necessários apenas alguns pontos básicos para se candidatar às vagas e o salário é de acordo com o piso do mercado, porem a empresa procura se destacar com uma política de benefícios e premiações diferenciada para atrair e reter seus colaboradores. “Hoje, os condomínios conseguem identificar que o serviço terceirizado dá menos dor de cabeça nas questões administrativas”, explica Amilton Saraiva, da GS Terceirização - empresa que cresceu 26%, na sua maioria por novos contratos. Outubro 2008

7


8

Outubro 2008


GESTÃO POR DÉBORA CARVALHO

Brasileiros se preocupam mais com o consumo de água nas residências 48% da população ainda consome água com pouco controle. reprodução

A

preocupação do brasileiro com consumo de água aumenta, mas o desperdício nas residências cresceu nos últimos cinco anos. É o que mostram os dados de uma pesquisa realizada pelo Ibope para WWF-Brasil: 48% da população consome água com pouco controle, 30% demora mais de 10 minutos no banho e 29% dos domicílios no Nordeste enfrentam constante falta d’água. DESPERDÍCIO CONSCIENTE O brasileiro afirma conhecer formas de economizar o recurso, mas não as coloca em prática, embora reconheça o desperdício como a principal causa para o problema de abastecimento de água no futuro. Quase metade (48%) da população admite gastar água em suas casas com pouco controle. Estima-se que em um banho de 10 minutos sejam gastos 100 litros de água. Fechar a

torneira ao escovar dentes, consertar vazamentos e não lavar calçadas com mangueira foram os outros meios destacados pelos quais o desperdício pode ser evitado. Os cuidados começam na utilização de equipamentos que reunidos são capazes de reduzir em até 50% o consumo diário da água nos apartamentos de três dormitórios e duas vagas, como as lavadoras de alta pressão - as soluções tecnológicas. Para 81% da população, residências e indústrias são os grandes usuários e apenas 16% avaliam – corretamente – que a agricultura é a grande consumidora de água no Brasil. A produção agrícola é respon-

sável por 70% do uso do insumo e pelo maior gasto sem controle. A poluição das águas por uso doméstico, muitas vezes, supera a poluição industrial em grandes centros urbanos. Mas, segundo Maria Cecília Wey de Brito, CEO do WWF-Brasil, a população não conhece o caminho que a água percorre até chegar às casas e apartamentos. “O problema é visto da “torneira para frente” e poucos o reconhecem da “torneira para trás”, explica ela. A pesquisa aponta ainda que 67% dos domicílios pesquisados no país enfrentam algum tipo de falta d’água. No Nordeste, já existe escassez constante do recurso em 29% dos domicílios. Desenvolver campanhas em prol do uso consciente da água nos condomínios é uma atitude muito bemvinda, em tempos de reflexão e necessidade de mudança de hábitos para a sustentabilidade e ecologia urbana. Outubro 2008

9


10

Outubro 2008


PAISAGISMO POR DÉBORA CARVALHO

PROJETANDO O SEU JARDIM >>> PLANTAS: É preciso que as espécies de plantas respeitem o perfil do jardim. Antes de comprar, repare se ele recebe muito sol ou se o local é de sombra. Se é grande ou pequeno. Se recebe muito vento. A umidade do solo e o tipo de terra também devem ser considerados. Essas informações serão fundamentais para que o fornecedor de mudas indique as espécies adequadas. >>> TERRA: Afofar a terra, misturando adubo orgânico. Retirar as impurezas: ervas daninhas, raízes mortas, torrões de terra seca. RECEITA DE MISTURA BÁSICA: Misturar uma porção de areia, com uma de terra e uma de terra vegetal. Para cada cinco litros de mistura básica, acrescentar uma colher de sobremesa de farinha de ossos, uma de farinha de peixe e uma de nitrato de potássio. Adicionar a mistura à terra e mexer bastante. CORREÇÃO DO SOLO: Acrescente areia em solos argilosos e compactos, e terra em solos arenosos.

>>> PLANTANDO: Para plantar as mudas, faça um buraco de bom tamanho, retirar o plástico da muda e colocar o torrão dentro do buraco. Colocar aquela mistura básica em torno do torrão. Para plantas com caules finos e altos, colocar também uma estaca de bambu ou madeira e amarrar a planta para que fique bem apoiada. >>> FOLHAS: Retire as folhas secas, murchas e doentes, com uma tesoura de poda, sempre que surgirem, mas deixe as flores murchas nas árvores frutíferas, pois elas viram frutos. Combata as pragas com inseticidas vendidos nas casas do ramo. >>> RAÍZES: Trocar os vasos das plantas à medida que as raízes crescem. Com o auxílio de uma pá, soltar a planta do vaso antigo. Segurar firme o caule e bater o vaso para soltar o torrão. Então, replantar no vaso maior ou no solo com a terra devidamente preparada para a espécie

>>> AVENCAS: As coloridas e ornamentais avencas podem brotar e se desenvolver em qualquer ambiente, desde que haja calor, umidade e luminosidade, com proteção contra a incidência de raios solares diretos. Em ambientes internos, o ideal é o xaxim, e nada de exagero ao regar. No jardim, escolha cantinhos, pois as avencas não suportam ventos diretos. E para combater pulgões e cochonilhas adote a calda de fumo ao invés de utilizar inseticidas.

G7 Gardens Paisagismo

A G 7 Gardens é uma empresa especializada na criação de jardins, projetos paisagísticos, execução, reforma e manutenção de áreas verdes em residências, comércios e condomínios.

Tel.:(11)5511-6863 E-mail:g7@g7gardens.com.br Site:www.g7gardens.com.br Outubro 2008

11


12

Outubro 2008


EQUIPE

>>

DICA DE SEGURANÇA PARA CONDOMÍNIOS

POR DÉBORA CARVALHO

Você que é gestor de condomínio, preza pela segurança dos moradores e gerencia a verba arrecadada para adquirir os melhores equipamentos e profissionais que há no mercado. Certo? Agora, que tal ir além e investir também na identificação dos moradores? Esta ferramenta é ideal para corrigir estruturas de condomínios onde não há uma visualização eletrônica ideal da garagem - evitando assim imprevistos mal intencionados ocasionados pela semelhança entre os carros. Os Cartões da SantCard são o que há de mais moderno no mercado. Com matéria prima de altíssima qualidade, são difíceis de adulterar ou clonar, são muito resistentes - inclusive contra os raios de sol. A garantia é de 2 anos e a reposição é simples, e o uso é superprático. Com impressão digital, os cartões de identificação SantCard já atendem mais de 500 condomínios em São Paulo, com tamanho discreto que não atrapalha a visão do motorista.

E para quem gosta de exclusividade, a SantCard produz modelos exclusivos para o seu condomínio, por um valor bastante acessível: a partir de R$ 5,50, sem tiragem mínima. Solicite sua amostra grátis!

Outubro 2008

13


SAÚDE POR NATÁLIA MANCIO

Qualidade de vida através do esporte Condomínios investem em áreas de esporte e lazer em prol da qualidade de vida de seus condôminos De acordo com uma pesquisa publicada pela revista médica Lancet, um terço dos adultos não têm praticado atividades físicas, o que tem aumentado o número de mortes, chegando a causar a falência de 5,3 milhões de pessoas em todo o mundo. A resistência a prática de esportes é responsável por uma em cada dez mortes por doenças como diabetes e câncer, tanto de mama quanto de cólon. Além de aumentar também o número de pacientes com problemas cardíacos. Segundo os pesquisadores, a falta de atividade física tem causado mais mortes do que o cigarro e acreditam que é necesssário tratar o sedentarismo como questão de saúde pública, beirando uma pandemia. Como outros especialistas, eles afir14

Outubro 2008

mam que é necessária uma mudança geral de comportamento, tornando a atividade física um hábito diário. Aos 45 anos, Elaine da Penha de Francisco de Jesus levou um grande susto. Adepta à uma dieta aparentemente saudável, nunca havia tido problemas de saúde. Ao ver sua pressão chegar a 21 por 15, foi alertada por seu cardiologista a mudar não somente seus hábitos alimentares, mas também sua rotina sedentária. Hoje, aos 50 anos, a pedagoga alterna caminhadas diárias com exercícios aeróbicos, feitos com acompanhamento de profissionais. “Hoje sinto que tenho mais disposição para realizar minhas tarefas profissionais e sociais. E além de controlar a pressão, ainda perdi alguns quilinhos”,

brinca. “Depois que percebi o quanto eu evolui, não abro mão da minha caminhada. Controlo a alimentação, mas acho que a mudança só aconteceu depois que comecei a praticar mais exercícios”. Com o passar do tempo, os condomínios vem concentrando cada vez mais as atividades que antes eram realizadas em shoppings e lojas. E a possibilidade de realizar atividades físicas no próprio condomínio é mais uma opção oferecida aos moradores. Tudo realizado com muita cautela. Alguns condomínios contam com um espaço para musculação, sala de ginástica e piscinas cobertas. Além de pistas de corrida e quadras. “A atividade física previne doenças relacionadas ao sedentarismo e stress que es-


tamos sujeitos nos dias atuais. A atividade física bem orientada é fundamental na vida de qualquer pessoa, por isso, é preciso um acompanhamento adequado de um profissional qualificado”, explica Cleber Castro, professor de educação física que trabalha com acompanhamento diário de moradores de condomínios na zona Leste de São Paulo. A contratação de profissionais é indispensável. Além de uma estrutura de atendimento para casos de urgência como lesões e acidentes que possam ocorrer. Atualmente, empresas oferecem serviços de assessoria esportiva, facilitando a contratação desses profissionais e proporcionando aos condôminos segurança e qualidade de vida. “Existem diversas opções no mercado atualmente, desde o rateio entre as unidades do condomínio até o rateio por

cada apartamento que irá utilizar o serviço”, explica Cleber. A ideia da sala de ginástica com alguns equipamentos aleatórios sem a presença de um acompanhante vem diminuindo. Em especial depois do crescimento da demanda. Nos dias de hoje, as pessoas que se preocupam com o cuidado do corpo, querem ter segurança. “Eu não faria exercícios sem o acompanhamento de um professor. O risco de você se machucar ou sofrer um mal súbito são enormes, não é porque falam no jornal que você precisa se exercitar que é só colocar um tênis e sair correndo na esteira. Eu vejo que é preciso um acompanhamento diário”, argumenta Elaine da Penha. Os riscos de realizar um trabalho “meia boca” nos condomínios são enormes. Equipamentos utilizados para “quebrar galho” são arriscados e podem gerar uma série de danos que precisarão ser arcados pela administração do condomínio. E a ausência de um orientador físico podem ocasionar lesões por má utilização dos equipamentos, má postura na execução dos movimentos, repetições de exercícios desnecessários ou excesso de carga. Além de danos graves à saúde ocasionados pela falta de preparo físico dos moradores que irão utilizar o espaço, como aumento da pressão arterial,

até uma parada cardiorrespiratória. É preciso unir a estrutura predial com um staff profissional especializado. Qualidade de vida e conforto para os moradores. Síndicos e conselheiros devem trabalhar em conjunto com os condôminos que pretendem utilizar o espaço. Caso o valor do condomínio já inclua a prestação de serviços esportivos, é preciso consciência e cuidado na contratação dos profissionais, manutenção das quadras e dos equipamentos.

Cleber Henrique Pinheiro de Castro é professor de Educação Física e pós-graduando em Pedagogia do Esporte. E-mail:chpcastro@ig.com.br

Outubro 2008

15


16

Outubro 2008


Especial

Lei 15.442

Sua calçada está em ordem? Saiba os cuidados para não infringir a lei 15.442 circulação incorrerá em multa de R$ 300 por objeto. Calçadas com buracos ou ondulações, que impeçam a circulação de pedestres com segurança, terá o imóvel enquadrado em mau estado de conservação e estão sujeitas a penalidade de R$ 300 por metro linear. Porém há um fator, previsto no artigo 9º do capítulo III, que impede que o proprietário do imóvel ou condomínio seja autuado. Mesmo que a calçada tenha problemas estruturais, caso seja em decorrência de espécie arbórea, o condomínio não será multado, porém, terá que providenciar a remoção da árvore ou aguardar a ação Administração Municipal. A partir do corte, o responsável pelo imóvel terá 30 dias para consertar a calçada e deixá-la dentro dos padrões exigidos pela Prefeitura. Muitos condomínios da cidade de São Paulo possuem lixeiras construídas diretamente na calçada em frente ao prédio, o que para a Prefeitura, que sancionou a lei nº 15.442/2011, em 09 de setembro de 2011, está proibido desde então. A lei atinge a todos os imóveis e terrenos da Capital e determina que toda calçada tenha, no mínimo, 1,20m de largura, livres para a locomoção de pedestres. Quem não cumprir a determinação terá o imóvel passível de multa, que varia R$ 4 a R$ 300 por metro quadrado (confira tabela ao lado). De acordo com a Prefeitura, os fiscais da Secretaria Municipal de Coordenação das Subprefeituras já estão aplicando multas desde novembro. E não é só a invasão das calçadas o alvo dos fiscais. A limpeza e conservação dessas áreas são de responsabilidade do condomínio e a falta de asseio começa com multa de R$ 4 por metro quadrado, como prevê o artigo 1º da lei, disponível no Diário Oficial. Além das lixeiras, qualquer outro tipo de equipamento ou objeto que bloqueie ou dificulte a livre Outubro 2008

17


18

Outubro 2008


Outubro 2008

19


20

Outubro 2008


Outubro 2008

21


Informe publicitário

ELEVADORES X SEGURANÇA Qual o preço mínimo para se fazer Uma boa manutenção no seu elevador?

Para que possamos responder esta pergunta, precisamos ter em mente as considerações abaixo relacionadas: Uma empresa de manutenção de elevadores necessita contar, obrigatoriamente, no mínimo, com as seguintes condições estruturais: • 01 (um) engenheiro mecânico devidamente registrado no CREA; • Obter a concessão da PMSP CONTRU-5 para atuar no mercado, obedecendo ao disposto na lei 10.348/87 e Decretos 33.948/94 e 34.179/94 da PMSP, que implica em possuir, além dos itens anteriores, os seguintes; • Oficina com área mínima, com equipamentos em quantidade e qualidade adequadas; • Linhas telefônicas de acordo com o número de elevadores que a empresa conserva; • Veículos conforme o número de elevadores que a empresa conserva; •Técnicos mecânicos, devidamente registrados de acordo com a CLT, em quantidade que atenda a legislação de acordo com o número de elevadores que a empresa conserva; • Manutenção preventiva mensal; • Atendimento 24 horas por dia, 365 dias por ano; • Comunicação via rádio e ou celular entre a empresa e os colaboradores de campo; • Seguro de responsabilidade civil e seguro dos colaboradores; • Sistemas gerenciais informatizados para o controle efetivo dos diversos tipos de ocorrências, sem os quais se torna impossível prestarem um bom serviço. Estas exigências são necessárias para garantir a segurança dos usuários de elevadores. No entanto, gera custos adicionais, que se somam as despesas com manutenção e renovação da frota de veículos, combustível, treinamento dos técnicos, reposição de ferramentas, paga-

22

Outubro 2008

mento de hora extra e adicional noturno, em função do atendimento 24 horas, impostos, entre outros gastos diretos. Dentro deste enfoque, o SECIESP, através da contratação de profissionais capacitados, elaborou um estudo técnico com o objetivo de sinalizar para o mercado, qual o valor mínimo para se prestar um bom serviço de manutenção de elevadores, que proporcione segurança aos usuários e retorno sustentável para as empresas. Este estudo resultou nos seguintes preços mínimos: • Contrato de Manutenção Básica (Não incluso peças e componentes): R$ 480,00 por elevador. • Contrato de Manutenção Total (incluso peças e componentes): R$ 1.100,00 por elevador. Para pensar... O valor acima é caro ou barato? Se considerarmos que, em média, 1 prédio possui 48 apartamentos, temos: R$ 480,00 ÷ 30 dias no mês = R$ 16,00 por dia. R$ 16,00 por dia ÷ 48 apartamentos = R$ 0,33 por família (por elevador). Menos que o valor de um cafezinho para transportar com segurança você e sua família. Dê preferência às empresas associadas ao SECIESP, pois a entidade zela pelo bom funcionamento do mercado de elevadores, tendo, entre outras funções, balizar as ações de seus associados, por intermédio de seu código de ética. Acesse WWW.seciesp.com.br e confira. Mais informações no site www.seciesp.com.br

Lembre-se! A manutenção ou a reforma do seu elevador não é uma exclusividade da montadora


Outubro 2008

23


24

Outubro 2008


Outubro 2008

25


26

Outubro 2008


Outubro 2008

27


28

Outubro 2008


Outubro 2008

29


30

Outubro 2008


Outubro 2008

31


32

Outubro 2008


Outubro 2008

33


34

Outubro 2008


Outubro 2008

35


36

Outubro 2008


Revista Supra Condominio