Page 1


Sumário DEZEMBRO 2014 18 | + MODA Verão 2015 22 | + CORPO E BEM ESTAR Verão sem neuras! 32 | + AMOR E SEXO Ao pé do ouvido 38 | + COBERTURA Viva linda com O Boticário 40 | + BELEZA Beleza hot 42 | + BLOG Diário de blogueira 44 | + CARREIRA Férias 47 | + COBERTURA Bahia Moda Design 56 | + SAÚDE Incontinência urinária 60 | + TESTE Você é viciada em celular?


colaboradores Kessy Mamona Fashion Designer, Personal Stylist, Blogueira, Produtora de Moda e Maquiagem, graduada em Publicidade e Propaganda, com Pós Graduação em Moda, Arte e Contemporaneidade.

Amanda Dragone

Maquiadora responsável pela beleza da nossa capa e editorial principal nesta edição.

Renata Grimaldi e Juliama Rangel Elas formam a Moringa Criações, responsável pela concepção, fotos e tratamento de imagem da nossa capa e editorial principal. Ju é designer e Re é publicitária e fotógrafa.

revistamulhermais.com.br

Estudante de moda e blogueira. Há sete anos escreve o Vitrine Virtual onde fala de moda, beleza e consumo feminino. Colaborou na produção da nossa capa.

Andressa Gonçalves

designer, analista de mídias sociais e produtora de moda e social media; nesta edição colaborou com o styling e texto do nosso principal editorial e capa.

12

Isabela Nascimento

Jelber Cedraz

jornalista, Assessor de Comunicação da Focus Ascom, atuando no ramo há mais de cinco anos, apaixonado pelo que faz e a cada dia pesquisa mais e mais sobre avanços tecnológicos para exercer com qualidade o que faz.


DIRETO DA

REDAÇÃO

A vida da gente

E

xiste uma frase que diz que a vida é uma caixinha de surpresas... Ah, essas surpresas da nossa vida. Surpresas que mudam a direção, que

mudam o olhar, que mudam a nossa existência. O gosto da surpresa pode ser muito diferente para cada um de nós. Depende muito.

Existem as boas, as nem tão boas assim, as desejadas e as inexplicáveis. E como explicar a superação de vencer uma doença, de não deixar se abater e não desistir mesmo quando a própria vida foi desacreditada? Ser pego de surpresa com o

diagnóstico de um câncer não deve ser fácil e essa realmente é uma surpresa que

não muda somente a vida da pessoa, mas muda o modo da pessoa encarar a vida. A gente não sabe o que vai acontecer amanhã e depois, vivemos sempre o agora

e os planos do futuro podem mudar de acordo com cada ‘surpresa’ que nos é revelada. Ter garra para enfrentar as dificuldades, dignidade para lutar contra um câncer ou até dois e depois poder dizer: ‘estou viva, o importante é estar viva’, é

e x p e d i e n t e

editora de redação daniela cardoso daniela@revistamulhermais.com.br

diretor / design andré mendes andre@revistamulhermais.com.br

contato anuncie@revistamulhermais.com.br

colaboradores camila de jesus isabela nascimento jelber cedraz josé ricardo kessy mamona suzzane rodrigues

todos os direitos reservados. fica expressamente proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo editorial. venda probida.

saber escolher o melhor caminho. Essa é uma prévia da história de Djanira Maria

de Araújo Torres, que iremos contar nesta edição, em especial ao ‘Outubro Rosa’. A história de Djanira também é uma lição de solidariedade. Atualmente ela dedica

a revista mulher+ é uma publicação bimestral.

seu tempo a ajudar pacientes com câncer na Associação de Apoio a Pessoas com Câncer (AAPC), em Feira de Santana. Histórias como a de Djanira nos ensinam

que independente do caminho que trilhamos, o modo como enfrentamos os desafios da vida é o que nos define, o que define a vida da gente. E assim vamos vivendo, um dia após o outro.

@danicardosoj

16

revistamulhermais.com.br

Deixe seu recado no WhatsApp +55 75 9248-9411 revistamulhermais.com.br

A MULHER+ é uma publicação da editora Casa de Sapê Av. Adenil Falcão 1340, 75 3021.6213 CEP 44.060-000, Feira de Santana - BA


Viaduto Av. João Durval

Av. Getúlio Vargas Sentido Centro

Av. Getúlio Vargas Sentido Bairro SIM

17


MODA

18

revistamulhermais.com.br


19


20

revistamulhermais.com.br


21


CORPO E BEM-ESTAR

22

revistamulhermais.com.br


23


A Mulher+ acredita que o verão deve ser uma estação livre e com uma regra única: a de bem-estar. Para isso, conversamos com a dermatologista Deborah Duarte sobre tratamentos corporais de verão – e sem neuras. “As mulheres gostam de cuidar do próprio corpo, algumas demonstram isso na prática de esportes e exercícios, outras levando a sério o uso do protetor solar e cremes antiidades. Há também aquelas que investem em massagens relaxantes ou tratamentos estéticos. Cada uma se cuida, a seu modo. Sempre dedicamos um tempo para nós mesmas e no verão esses cuidados se intensificam porque queremos passar pela estação que mais deixa o corpo em evidência, ainda mais bonitas. Mas é preciso encontrar um equilíbrio para não nos preocuparmos demais com o que nos incomoda e deixar de curtir as possibilidades agradáveis que o verão tem para nos oferecer”, alertou a dermatologista. Segundo Deborah Duarte, ainda dá tempo de minimizar incômodos pontuais no corpo. “Com a ajuda dos tratamentos corporais, podemos nos sentir mais confortáveis em um biquíni ou peça mais curta. Eles não fazem milagres, nem emagrecem, mas são capazes de reduzir gordura localizada e medidas que podem proporcionar um verão sem canga”. A pedido da Mulher+, a dermatologista selecionou três tratamentos de beleza para o verão, destacando a forma como age em nosso corpo, funcionalidade, expectativa de resultados e os cuidados que devemos ter com cada um deles, já que todos devem ser feitos por um profissional especializado.

24

revistamulhermais.com.br

CRIOLIPÓLISE INDICAÇÃO: Gordura localizada (áreas menores como braços, culotes, parte interna das coxas e abdômen). COMO FUNCIONA: Técnica não invasiva, sem cortes, que elimina gordura localizada através do congelamento, já que a gordura é mais sensível ao frio que os outros tecidos. Durante o procedimento é utilizada uma manta protetora por área e por paciente. RESULTADOS: O paciente pode perder de 20% a 30% de gordura ou reduzir, em média, 4 cm de circunferência no local da aplicação. O resultado é melhor visto após dois ou três meses, mas em alguns pacientes a melhora já é percebida ainda no primeiro mês, principalmente quando associado a outras tecnologias. ALERTAS: A criolipólise só deve ser realizada por médico, fisioterapeuta ou enfermeiro com supervisão médica. Além disso, fique atento se o aparelho é aprovado pela ANVISA. Aparelhos de qualidade questionável podem causar queimaduras.

LIPOCAVITAÇÃO INDICAÇÃO: Gordura localizada (áreas maiores) e celulite. COMO FUNCIONA: A energia ultrassônica emitida na área penetra até a gordura subcutânea, gerando pequenas bolhas dentro das células de gordura – os adipócitos. Essas bolhas aumentam progressivamente em número e causam agitação no interior da célula e levam ao seu rompimento. A gordura, então, se divide em ácido graxo e glicerol: o ácido graxo se liga a uma substância chamada albumina e é eliminada pelo fígado, o glicerol é solúvel em água e, por isso, é eliminado pelos vasos linfáticos e urina. RESULTADOS: Pode diminuir cerca de 5 cm após cinco sessões. Conciliar drenagem linfática e caminhada ao tratamento potencializa a eliminação de gordura. ALERTAS: Apesar do pequeno aumento do colesterol, não é indicado para pessoas com gordura no fígado ou colesterol alto, pois pode elevar o nível do LDL, o colesterol ruim.


25


RADIOFREQUÊNCIA INDICAÇÃO: Redução de celulite em qualquer parte do corpo, exceto tireoide. COMO FUNCIONA: Geração de calor no tecido subcutâneo que induz a produção de novas fibras de colágeno e melhora o aspecto da pele. São emitidas correntes de alta frequência, aquecendo a área entre 40 e 42 graus. RESULTADOS: Melhora da flacidez. ALERTAS: Risco leve de queimadura.

VERÃO SEM RISCOS

Alguns tratamentos estéticos não são indicados para as pessoas que estão na faixa de risco das doenças cardiovasculares. Ao cair na corrente sanguínea, a gordura eliminada durante determinados tratamentos podem elevar os níveis de LDL, mais conhecido como colesterol ruim. Sendo assim, são contraindicados para pessoas com sobrepeso, ou seja, que possuem o Índice Médico Corporal (IMC) acima de 25. Por isso, é tão importante procurar orientação de um dermatologista antes de iniciar o #ProjetoVerão2015.

QUER POTENCIALIZAR SEU TRATAMENTO?

Se você quer intensificar ainda mais os resultados, a dermatologista dá a dica: “Os tratamentos podem ser intensificados com o uso de medicamentos, por isso desenvolvi fórmulas que usadas de forma associada, potencializam os resultados”. Mas, atenção: só faça o consumo de medicamentos, se receitados por um médico.

A CULPA É DELE!

Quem já fez algum tratamento corporal pode (infelizmente) conhecer a sensação de sentir os resultados só até chegar em casa. A culpa pode ser do aparelho. Existem diferentes tipos de equipamentos e alguns deles possuem uma frequência capaz apenas de diminuir água do edema. O processo lembra uma desidratação. O ideal é que os tratamentos sejam feitos com aparelhos que ajam na gordura. Só assim o resultado será eficiente. Como saber a diferença? Uma delas está no preço das sessões. Se avaliar que o valor está muito abaixo do mercado, desconfie.

SOBRE DEBORAH DUARTE

Deborah Duarte é formada em medicina pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) e especialista em Dermatologia pelo Hospital das Clínicas da UFBA. Possui Título de especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). A médica é membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), da American Academy of Dermatology e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica, além de especialista em Cosmiatria.

26

revistamulhermais.com.br


27


28

revistamulhermais.com.br


29


30

revistamulhermais.com.br


31


AMOR E SEXO

32

revistamulhermais.com.br


A

lgumas palavras picantes sussurradas ao pé do ouvido provocam sensações deliciosas naqueles momentos a dois e ainda podem ajudar seu parceiro a desvendar o que você deseja na hora H. Os homens, por sua vez, adoram ouvir o que a mulher deseja e está sentido. Para saber o que eles gostam de ouvir na hora H, conversamos com a sexóloga Paula Milena, que deu algumas dicas. De acordo com ela, falar na hora do sexo é muito importante, mas além de falar, a mulher não pode deixar de demonstrar através das expressões o que está sentido. “A primeira coisa que a mulher tem que aprender é que o homem é visual, então tudo que ela for falar tem que está de concordância com a expressão facial dela, já que ele estará vendo e é isso que vai levá-lo a acreditar no que ela está falando. A mulher tem que passar verdade. A grande dica é ela dizer o quanto o homem a deixa louca. Ela tem que descrever como se ele fosse o melhor sexo da vida, que ela nunca se sentiu tão excitada. Isso faz com que os homens enlouqueçam”, destacou a sexóloga. Os homens adoram escutar certas ‘bobagens’ na hora do sexo e ficam muito excitados por causa delas. Eles amam quando incrementamos a experiência com alguns comandos sensuais. Portanto, outra dica, é deixar claro o que quer antes mesmo de chegarem a cama. O que cada homem mais gosta de ouvir vai depender da personalidade dele e da intimidade do casal, mas existem alguns itens que costumam deixar os homens loucos de excitação. A sexóloga Paula Milena separou cinco dicas do que os homens mais gostam de ouvir na cama para que a temperatura do sexo aumente ainda mais!

Diga que está louca por ele – diga o quanto o deseja e o quanto esperou por aquele momento com ele. Descreva o que sente e fale sobre a vontade de ir até o fim e de senti-lo mais próximo. Elogie a masculinidade e o pênis do homem – para o homem o pênis é um exemplo de ego, de alimentar a autoestima e reafirmar a masculinidade. Elogiar o beijo, a pegada e a intensidade podem animar. Diga que você é toda dele - deixar claro que você é completamente dele, que não existe outra pessoa no mundo que te satisfaça como ele. Isso também eleva muito a autoestima do homem no sexo. Fale coisas ousadas – Não tenha medo de falar de forma ousada e de usar expressões picantes na hora do sexo. Provoque, estimule, diga o quanto você está curtindo o momento e o quanto quer mais. Use dos gemidos – Um item infalível, mas tem que ser sincero. O gemido tem que ter coerência com a expressão de prazer. Use os gemidos para demonstrar prazer e indicar quando gosta de alguma coisa.

DICA QUENTE! Na hora do sexo oral tente ficar com os olhos abertos. O olhar enlouquece os homens na cama! 33


34

revistamulhermais.com.br


V

ale repetir a palavra RESPONSABILIDADE, porque a relação paisfilho merece especial atenção, na medida em que, sabendose do total estado de dependência de cuidados para a sobrevivência da criança durante seus primeiros anos de vida, torna-se necessário entender a função, o papel e o alcance dessa relação no desenvolvimento da personalidade da criança. Nesse processo complexo, nãolinear, o papel dessa primeira figura de referência é fundamental para permitir que a criança não apenas seja nutrida em suas necessidades básicas, mas seja estimulada a buscar novas fontes de satisfação e de aprendizagem. John Bowlby, médico e psicanalista inglês, explica que o bebê humano, mais frágil ao nascer que o bebê de muitas outras espécies, apresenta uma predisposição para apegar-se a um outro ser humano que o acolha e proteja, sendo capaz de interpretar suas necessidades, não apenas de alimento, mas de conforto, segurança e afeto, vindo esse comportamento a ser por ele chamado de “apego”. Essa relação, comumente estabelecida com a mãe ou alguém que desempenhe um papel maternal, tem tal importância que irá marcar sua forma de ser e de se relacionar com todas as outras pessoas por sua vida afora. O comportamento de apego se caracteriza pela busca de proximidade (contato físico, aproximação, interação, olhar) da criança em relação ao adulto. Tem como função, a nível biológico, contribuir para a sobrevivência da

espécie, promovendo e mantendo uma proximidade segura com um adulto, capaz de protegê-la dos predadores ou perigos iminentes; também favorece a aprendizagem da criança a partir das possibilidades que ela encontra de observar modelos e interações, funcionando como porta de entrada para o processo de socialização, quando estará mais apta ao compartilhamento e cooperação com os demais.

“Um adulto seguro ou inseguro em seus relacionamentos pode ser um reflexo parcial de suas experiências vividas na infância.” O comportamento de apego surge no primeiro ano de vida da criança (aproximadamente a partir dos 6 meses), tem o seu pico até os 3 ou 4 anos, ainda que permaneça por toda a vida. Ressalta-se a importância da qualidade da interação que a mãe (figura de apego) estabelece com a criança, de sua disponibilidade para interagir quando estão juntas, associadas ao prazer proporcionado por essa interação.

35


Além disso, a qualidade do ambiente em que se encontra a criança, seja uma instituição ou o lar, oferecendo estimulação adequada, alimentação saudável, rotinas dinâmicas e principalmente, a possibilidade da criança estabelecer relações próximas e regulares com adultos preparados e afetivos, sem dúvida representam condições que favorecem o desenvolvimento saudável de crianças, ampliando as suas possibilidades de virem a se tornar adultos mais seguros e saudáveis. Para Bowlby, portanto, são as interações que uma criança estabelece na infância, em especial com as suas figuras de apego, que irão contribuir para a formação de uma personalidade adulta mais ou menos segura e confiante de enfrentar o mundo e suas situações potencialmente alarmantes, acreditando poder contar ou não com pessoas dispostas a ajudá-la nessas situações, baseada em suas experiências anteriores terem ou não sido positivas. Muitos daqueles que são encaminhados ou procuram psicoterapia são indivíduos ansiosos, inseguros, geralmente descritos como superdependentes ou imaturos. As pesquisas revelam que eles estiveram expostos a pelo menos um, e geralmente mais de um, de certos padrões típicos da parentalidade disfuncional, os quais incluem: • Ausência persistente de respostas de um ou ambos os pais ao comportamento que solicite cuidado, da criança, e/ou depreciação e rejeição marcada; • Descontinuidades da parentalidade, ocorrendo mais ou menos frequentemente, incluindo períodos em hospital ou instituição; • Ameaças por parte dos pais de não amar a criança, usadas como um meio para controlá-la;

• Ameaças por parte dos pais, de abandon ar a família, usadas ou como um método de disciplinar a criança ou como forma de coagir o cônjuge; • Ameaças por parte de um dos pais de abandonar ou mesmo de matar o outro, ou então de cometer suicídio; (é mais comum do que se pode imaginar) • Indução de culpa à criança, afirmando que o comportamento dela é ou será responsável pela doença ou morte de um dos pais. Qualquer dessas experiências pode levar uma criança, um adolescente ou um adulto a viver em constante ansiedade, com medo de perder a figura de apego e, consequentemente, a ter um baixo limiar para a manifestação do comportamento de apego, tornando-se um indivíduo inseguro e ansioso.

Atendimento de Seg à Sex Ed. Premier Feira, 201 • Santa Mônica Psióloga Psicoterapeuta Individual, Casal e Família Atendimento Adulto e Infantil

BOWLBY, J. (1979/2001) Formação e rompimento dos laços afetivos. São Paulo: Martins Fontes. ______. (1989) Uma base segura: Aplicações clínicas da teoria do apego. Porto Alegre: Artes Médicas.

36

revistamulhermais.com.br

LIGUE E MARQUE UMA VISITA:

75 3486.9774 75 9197.4777 75 8327.1771


37


38

revistamulhermais.com.br


39


BELEZA

40

revistamulhermais.com.br


blog

42

revistamulhermais.com.br


CARREIRA

É

chegada a hora de recarregar as energias. Momento de descanso do corpo e da mente. Em outras palavras: férias! Apesar de muitos estarem em contagem regressiva para que chegue logo a “temporada de fazer nada”, as férias também podem ser acompanhadas de atividades que tenha como finalidade a aquisição de novas habilidades e conhecimentos. O momento longe do dia a dia profissional permite o encontro com outros tipos de experiências. Inspirações significativas para o trabalho costumam aparecer quando nos distanciamos da correria e stress de final de ano. É possível iniciar mudanças profundas na carreira a partir de um período de descanso. Para tanto, é necessário trabalhar os músculos cerebrais durantes estes dias de ócio e preguiça. Uma boa dica é ler revistas leves e aqueles romances que estão na gaveta esquecidos há meses. Este pode ser o momento de desenvolver novas habilidades: aprender a jogar xadrez, buraco, andar de patins, surfar, nadar, enfim, sempre há algo novo para aprender. Inscrever-se em cursos online que tenham leveza de conteúdo e flexibilidade de horário são boas pedidas para férias produtivas. Também é tempo de fazer nada, mas nada mesmo: dormir, deitar na rede, ver o dia passar sem preocupações. O ócio faz bem à mente. Mentes ociosas por um curto período de tempo podem gerar disparos de criatividade. E ainda que pareça

44

revistamulhermais.com.br

contraditório, outra maneira de descansar não apenas a mente, mas principalmente o corpo é exercitá-lo: caminhar pelas ruas da cidade, andar de bicicleta, correr. Praticar atividades físicas coletivas nas férias, como futebol, vôlei, etc. é bom para o desenvolvimento de liderança e do espírito de grupo. Ainda que não tenha conseguido sair da cidade, oportunize visitas a museus da sua localidade. Imagine que você é um turista na sua própria cidade: tire fotos em monumentos, em pracinhas que você sempre passa correndo para ir ao trabalho; visite bibliotecas, olhe a sua cidade com outros olhos. Que tal aproveitar dias livres para arrumar as tralhas? Pegar em planilhas, livros e relatórios no final do ano pode ser a última coisa que nos apetece. Todavia, voltar ao trabalho com tudo arrumadinho é como dormir numa cama feita de lavado. Férias, portanto, é sinônimo de rotina zero. O período de fazer uma pausa no trabalho é fundamental para rever os objetivos pessoais, os rumos da carreira e definir os próximos passos. Convém fazer uma revisão na lista de valores e avaliar como foi utilizado o tempo do ano que passou. Muitos não fazem a devida pausa para realizar o balanço que define a própria qualidade de vida, permitindo-se chegar no limite da estafa. Ressalta-se que cada período forma um ciclo e em cada ciclo sementes são plantadas, portanto não é o trabalho quem decide o futuro do ser humano. Este sim, após a respectiva pausa, faz e deve fazer suas escolhas. Ainda que a opção após esse período seja a de repetir os feitos do ano que acabou, o profissional – inevitavelmente - voltará com outro olhar e mais capaz de lidar com as pressões que antes o impediam de continuar naquela rotina desgastante.


46

revistamulhermais.com.br


COBERTURA

47


48

revistamulhermais.com.br


49


50

revistamulhermais.com.br


51


52

revistamulhermais.com.br


53


54

revistamulhermais.com.br


55


SAÚDE

A incontinência urinária é a perda involuntária de urina, podendo estar associada a esforços físicos ou então com uma vontade súbita e incontrolável de urinar. Esse é um problema comum e muitas vezes constrangedor. A incontinência urinária atinge 10 milhões de brasileiros de todas as idades, sendo duas vezes mais comum no sexo feminino, de acordo com a Sociedade Brasileira de Urologia. por Daniela Cardoso

56

revistamulhermais.com.br


P

erda de urina em pequenos jatos durante a realização de algumas atividades como tossir, espirrar, rir ou realizar exercícios físicos; vontade súbita e forte de urinar, mas não tem tempo de chegar ao banheiro. Esses são alguns sintomas da incontinência urinária, doença que atinge em sua maioria mulheres, especialmente na fase da menopausa. Para falar sobre as causas, como evitar e cuidar desse incômodo, a Revista Mulher+ conversou com a fisioterapeuta uroginecológica, Anna Verena Sandes Cordeiro. De acordo com ela, apesar da doença ter maior predominância em mulheres na fase da menopausa, mulheres em outras faixas etárias também podem ser acometidas pela incontinência urinária. “Com a menopausa o índice aumenta, mas a mulher também pode ter incontinência urinária de forma transitória, quando ela faz uso de algum tipo de medicação, durante a gravidez, devido ao sobre peso. Já nos homens, ocorre muito raramente, normalmente quando ele faz a retirada da próstata”, esclareceu a fisioterapeuta uroginecológica. De acordo com ela, existem três tipos de incontinência urinária: por esforço; de urgência e mista. A incontinência urinária por esforço - é quando há perda de urina devido ao aumento da pressão no abdômen que ocorre durante algumas atividades, como tossir. A incontinência urinária de urgência - ocorre quando a pessoa sente uma vontade súbita e forte de urinar, mas não tem tempo de chegar ao banheiro, pois mal sente esta vontade, a bexiga contrai rapidamente, ocorrendo a perda involuntária de urina. A incontinência urinária mista – ocorre quando o indivíduo apresenta uma combinação dos dois tipos anteriores. “O tipo mais comum que chega ao consultório é o que chamamos de incontinência urinária por urgência, que é quando a mulher está chegando em casa e não tem tempo de ir ao banheiro. É importante não confundirmos com o transbordamento, que é quando a mulher segura

tanto que realmente não aguenta. A urgência é o comportamento, ou seja, todos o dias quando ela vai chegar em casa bate aquele desespero”, explica a especialista. “No caso da incontinência por esforço, as mulheres observam muito quando vão fazer atividades como o jump e começa a perder a urina durante os pulos. Ou então quando dar muita gargalhada ou quando espira. Ou seja, toda vez que essa mulher se submete a um esforço maior, ela não consegue conter a perda involuntária da urina, que pode ser um pingo, ou até o esvaziamento completo”, acrescenta. Anna Verena Sandes explica que quem faz a função de continência da urina é o músculo, porém as pessoas não malham os músculos do assoalho pélvico, o que o torna fraco, pela falta de estimulação. Ela deu o exemplo de quando a mulher engorda ou até mesmo com a própria gravidez, que gera um sobre peso em cima do músculo, o que lesiona o assoalho pélvico. A especialista ressalta que o problema ocorre não por causa do parto normal e sim devido ao peso da barriga, durante a gravidez. Exercícios físicos podem ser grandes aliados na prevenção da doença, além de ter hábitos de vida saudáveis, conforme explica a fisioterapeuta. “É importante beber muita água, não fumar, além de não segurar a urina. Outra dica importante para quem levanta durante a noite para ir ao banheiro é evitar líquidos e café após as 18h”. O tratamento da incontinência urinária pode ser medicamentoso, com a fisioterapia e a cirurgia, conforme explicou a especialista. “Nas mulheres com menopausa, alguns médicos gostam de prescrever hormônio. Mas hoje, de acordo com a Sociedade Internacional de Incontinência Urinária, o tratamento de primeira linha é a fisioterapia. Se a fisioterapia não der certo, partimos para uma cirurgia,seja perineoplastia, que é apertar os músculos novamente, ou a suspensão de bexiga. A maioria das mulheres que fazem a plástica ou suspensão de bexiga, necessitam fazer a fisioterapia depois, pois é o que fortalece os músculos”.


Pompoarismo

A prevenção e o tratamento da incontinência urinária podem ser alcançados através do Pompoarismo. A técnica milenar, de origem indiana, ajuda a manter os cuidados com a musculatura pélvica, proporcionando benefícios e bem estar, pois ajuda no fortalecimento desses músculos.

Incontinência urinária em números

Segundo a Sociedade de Urologia, a cada 25 pessoas, uma pode ter incontinência urinária ao longo da vida. 5% da população sofre da doença, mas estima-se que esse número seja ainda maior, pois por vergonha ou receio, as pessoas não buscam ajuda. Acredita-se que entre 15% a 30% das pessoas, acima dos 60 anos, apresentem algum grau de incontinência. As mulheres têm duas vezes mais chances de ter a doença.benefícios e bem-estar, pois ajuda no fortalecimento desses músculos.

MITOS E VERDADES PERDER PESO PODE AJUDAR A MELHORAR A INCONTINÊNCIA URINÁRIA? VERDADE. A obesidade é um fator de risco para incontinência urinária e a perda de peso pode acarretar em um melhor controle urinário.

URINA? VERDADE. O ato de cruzar as pernas pode ser útil para evitar perdas urinárias, como em momentos de tosse e outras manobras provocativas.

ATIVIDADE FÍSICA PODE CAUSAR INCONTINÊNCIA URINÁRIA? VERDADE. Atividades físicas de extremo impacto (salto, ginástica olímpica, paraquedismo) podem levar algumas mulheres à incontinência urinária. MITO. Em contrapartida, existem evidências de que atividades físicas moderadas auxiliam mulheres adultas e idosas na redução da incontinência urinária.

SOMENTE MULHERES QUE TIVERAM PARTO VAGINAL ESTÃO SUJEITAS À INCONTINÊNCIA URINÁRIA? MITO. Mesmo mulheres que nunca ficaram grávidas podem ter incontinência urinária, mas sabe-se que o parto cesáreo leva a um menor risco de incontinência se comparado ao parto vaginal.

FUMAR PODE PIORAR A INCONTINÊNCIA URINÁRIA? VERDADE. O tabagismo aumento o risco de incontinência urinária. QUANDO TOMO CAFÉ É NORMAL QUE AS MINHAS PERDAS URINÁRIAS PIOREM? VERDADE. Apesar de haver diversos estudos, não existe um consenso sobre a relação entre o consumo de café e o agravamento da incontinência urinária. Entretanto é recomendado que portadores de incontinência urinária restrinjam o consumo de café.

58

revistamulhermais.com.br

CRUZAR AS PERNAS AJUDA A CONTER A

URINO VÁRIAS VEZES DURANTE A NOITE. TENHO INCONTINÊNCIA URINÁRIA? MITO. O ato de urinar durante a noite é chamado noctúria, mas não é uma incontinência urinária. O mesmo pode-se dizer em relação a pessoas que passam a urinar várias vezes durante o dia. Incontinência urinária é a perda involuntária de urina, independente do número de vezes que a pessoa necessita urinar durante o dia ou durante a noite.


59


teste

60

revistamulhermais.com.br


1. Se atrasa ou se esquece de compromissos porque ficou fuçando no celular? ( ) Sim ( )Não 2. Quase bateu o carro ou foi atropelada por ter se distraído com o celular? ( ) Sim ( )Não 3. Vira e mexe os amigos e familiares falam que você não larga o celular? ( ) Sim ( )Não 4. Fica angustiada quando a bateria acaba ou o sinal fica fraco? ( ) Sim ( )Não 5. Durante o trabalho, o uso do celular tem atrapalhado a sua produtividade? ( ) Sim ( )Não

Você pode estar viciada! Quem vive no celular acaba se excluindo da vida real. Você pensa que a pessoa está ali, mas ela não está. Fique atenta, mesmo se você só se identificou com uma das atitudes do teste.

6. Se sente irritada, ansiosa, aérea e até solitária se passa um tempo sem o celular? ( ) Sim ( )Não 7. Deixaria de viajar para um lugar incrível só porque lá o celular não pega? ( ) Sim ( )Não 8. Se endivida para colocar créditos no celular ou para comprar o odelo mais novo? ( ) Sim ( )Não 9. Já teve dor no pescoço ou nos dedos de tanto digitar no celular? ( ) Sim ( )Não 10. Cost uma checar o celular mesmo no meio das refeições em família, encontros amorosos e até sessões de cinema? ( ) Sim ( )Não

Relax, baby! Você pode até passar bastante tempo checando o celular, mas ainda não corre risco de ficar viciada. Fique ligada e aproveite a vida offline!


62

revistamulhermais.com.br


63


SUPLEMENTOS Segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde, o excesso de peso e a obesidade aumentaram no Brasil progressivamente. A busca por suplementos nutricionais que auxiliem a perda de peso está tornando-se cada vez mais crescente entre os frequentadores de academia, principalmente motivados pela ideia de que tais produtos seriam capazes de eliminar gordura de forma rápida e sem muitos esforços. Devido ao fácil acesso, uma prática bastante arriscada tem se tornado comum nos diversos centros de treinamento, muitas pessoas passam a fazer uso do suplemento sem orientação do nutricionista para ponderar os riscos e legítima necessidade do uso desses produtos. A FDA (Food and Drug Administration), define suplemento alimentar como um produto que contém um “ingrediente dietético” destinado a elevar o valor nutricional da dieta. Sendo assim, o nutricionista é o profissional legalmente habilitado para a prescrição de suplementos nutricionais, tendo em vista que este está capacitado não apenas para a prescrição dietética como também para realizar uma avaliação nutricional criteriosa, acompanhamento da composição corporal e de exames bioquímicos. Na corrida frenética pela beleza, “corpos perfeitos” e emagrecimento rápido, tem emergido uma outra vertente, a preocupação com a estética aliada à saúde. Assim, diversos são os suplementos que podem auxiliar o processo de emagrecimento de forma segura e promover diversos outros benefícios. O uso da proteína do soro do leite, muito conhecida como Whey Protein, tem sido apontado por diversos estudos como auxiliadora no processo de emagrecimento por promover a supressão

do apetite, possui efeito lipolítico (destruidor da gordura) e não lipogênico (formador de gordura), supressor de hormônios calcitrópicos que são responsáveis pela regulação do metabolismo de gorduras, além de possuir todos os aminoácidos essenciais e não essenciais. A glutamina, por sua vez, trata-se de um aminoácido que o organismo consegue produzir exceto em algumas situações de estresse metabólico. Sua suplementação está bastante fundamentada a mesma é apontada como a substância mais eficiente conhecida para melhorar a hiperpermeabilidade intestinal, facilitando a absorção de nutrientes e dificultando a absorção de toxinas pela barreira intestinal, além de melhorar a imunidade e promover a construção e hidratação muscular evitando um possível reganho de peso. Contrariando o que se pensa, a redução de gordura não é diretamente proporcional a redução do consumo de gordura, mas sim a sua seleção. O ômega-3, por exemplo, gordura não produzida pelo organismo, é usada como suplemento alimentar com fortes evidências da sua atuação na redução da agregação plaquetária e níveis de triglicerídeos, inibição e redução da inflamação e auxilio na diminuição do cortisol (hormônio chave no processo de ganho de peso). Uma outra estratégia viável ao nutricionista, é a prescrição da quitosana. Trata-se de um suplemento a base de fibra solúvel cuja função principal é diminuir a absorção de gordura, porém carrega a vantagem de possui ação redutora de colesterol, cicatrizante, antimicrobiana, além de possíveis interações benéficas com o sistema imunológico. Diante dos expostos, o uso e a dose recomendada para cada suplemento nutricional encontra-se disponível no mercado depende do objetivo desejado, idade, peso, sexo e estado clínico, dentre outras situações específicas de cada indivíduo. Dessa forma, como toda suplementação nutricional, o uso deve ser restrito a pessoas que são acompanhadas por um profissional nutricionista.

Erijessyka Matos

Nutricionista formada pela Universidade do Estado da Bahia Residente em Nutrição Clínica pela Universidade do Estado da Bahia Acompanhamento Nutricional de Atletas na Europa (Itália) Pós Graduanda em Fitoterapia

Contato: 75 9112.0915 | 71 8706.0415 64

revistamulhermais.com.br


65


66

revistamulhermais.com.br


67


68

revistamulhermais.com.br

Revista Mulher Mais - 10ª Edição  
Revista Mulher Mais - 10ª Edição  
Advertisement