Issuu on Google+

Link Revista Digital da Acieg

Novembro de 2016 - Edição 39

Acieg www.acieg.com.br

Empreendedoras por necessidade Mulheres lideram ranking, segundo pesquisa do Sebrae Acieg realiza eleições para nova diretoria

Acieg oficializa abertura da Câmara de Mediação

Seminário discute responsabilidade social


network

LINK Acieg

EXPEDIENTE Presidente Euclides Barbo Siqueira

Revista digital Link Acieg é uma publicação da Associação Comercial, Industrial e de Serviços do Estado de Goiás (Acieg)

MISSÃO DA ACIEG Atuar na defesa incondicional do setor produtivo, fomentando e desenvolvendo ações que viabilizem a sua integração com a sociedade.

Gestor Leandro Resende (JP-1145) Supervisão Iara Nunes

Reportagem Iara Nunes Jéssica Adriani

Edição e diagramação Jéssica Adriani

CONTATOS GESTÃO REDAÇÃO (62) 3237-2616 ou 3237-2642

COMERCIAL (ANÚNCIOS) (62) 3237-2613

Sugestões de pauta podem ser enviadas para imprensa@acieg.com.br

Acompanhe a Acieg: facebook.com/acieg

twitter.com/acieg

instagram.com/aciegonline

plus.google.com/acieg


eleições

Acieg elege 44ª Diretoria para triênio 2017-2020

Eleição será em dezembro e posse na festa de 80 anos da entidade Por Iara Nunes e Jéssica Adriani

N

o próximo dia 5 de de- a apresentação de procuração em mento por questões de saúde.

zembro, a partir das nome do proprietário ou dos só-

“A história da Acieg ensina

7h, na Acieg, terá início cios-proprietários mais os dados que presidi-la é uma missão, que

a votação que definirá a nova di- pessoais do votante.

exige dedicação e respeito às suas

retoria da Associação. A eleição

conquistas e lutas. A eleição, aliás,

segue até às 17h, quando será ini- Concorrentes A chapa Avante Acieg ciada a apuração dos votos pela concorre à eleição da 44ª Direcomissão eletiva podendo ser toria da Entidade, tendo como acompanhada pelos integrantes candidato a presidente da das chapas inscritas. A diretoria chapa inscrita para o pleito, eleita será empossada na festa de Euclides Barbo Siqueira, que 80 anos da entidade. destaca a honra de ter sido Podem participar do proconvidado por atuais diretores cesso eletivo todos os associados e associados a continuar o tra-

foi antecipada pela Diretoria, em Assembleia com os associados em razão das comemorações de 80 anos da entidade, que ocorrem no primeiro bimestre do próximo ano. Será um prazer conduzir a Casa neste período tão relevante da sua história e prestigiar e homenagear grandes líderes que

balho que desenvolve há um nela passaram. Convido a todos rio trazer, na data, o contrato so- ano, desde que assumiu em que podem votar que o façam, na

adimplentes. Para votar é necessá-

cial da empresa e documento substituição a presidente eleita próxima segunda-feira”, disse Eupessoal. Em caso de voto por re- para 43ª Diretoria, Helenir clides Barbo, candidato a presipresentação é necessária também Queiroz, que pediu afasta- dente pela chapa Avante Acieg.


empreendedorismo

Mulheres lideram ranking de empreendedorismo por necessidade

Segundo pesquisa, a presença feminina no empreendedorismo é de 54% Por Jéssica Adriani

A

s mulheres cada dia mais têm

se

tornado

Como foi com Bianca Ellen. Há nove

e m p r e e n d e d o r a s . meses ela estava com seu marido desempregado

Seg u ndo a p esq ui sa G l ob a l En - e precisava de um dinheiro extra. Juntou cerca de

trepreneurship Monitor (GEM) 2015, pa- R$ 1 mil e investiu como revendedora no setor t r o c i n a d a p e l o S e b r a e , a t a x a f e m i n i n a de cosmético. O que seria um complemento, hoje de empreendedorismo por necessidade é é sua renda principal. Deixou o antigo emprego de 54 % e dos homen s 3 2%. A mot ivaçã o e se dedica apenas à venda dos produtos de bep ri n ci p a l do e mp re en de dorismo p or n e- leza, trabalha de casa e pode fazer o seu horário. c e s s i d a d e é a d e c o m p l e m e n t a r a r e n d a “Além de fazer o que gosto, eu deixo as pessoas ou p ag a r a s cont as de ca sa.

bonitas e se sentindo bem”, explica.


empreendedorismo

maioria tem ensino superior, é casada, tem filhos e investe principalmente nos setores de serviços e comércio. O levantamento mostra também que elas estão con-

Brasil empreendedor E não são apenas as mulheres que têm a intenção de abrir o próprio negócio, isso parece

fiantes com seu negócio mesmo estar no DNA brasileiro. A pesdiante do cenário negativo.

quisa do Sebrae também mostrou que a cada dez brasileiros adul-

Bianca Ellen hoje se dedida completamente à venda de cosméticos

Maria Cristina é esteticista, mas se encontrou no arte-

tos, quatro já têm uma empresa ou pretendem criar uma. E a taxa

Essa é uma realidade de

sanato, mais precisamente com o

68% das empreendedoras, se-

scrapbook, técnica de personali-

gundo mostra a pesquisa Perfil

zar álbuns de fotografia, agen-

das Empreendedoras brasileiras,

das, caderno, com recortes dos mos 14 anos.

realizada neste ano pela Rede

mais variados materiais. Ao

Mulher Empreendedora. A maio-

ouvir falar sobre a tendência,

ria gosta do que faz, trabalha em

procurou se informar e se for-

casa e tem horário flexível, um

mar. “Fui para São Paulo fazer

dos motivos para decidir ser

curso e me aprimorei. Comecei a

dona do próprio negócio.

vender os produtos em uma pa-

A pesquisa faz um mapea-

pelaria e peguei gosto. Hoje além

mento sobre a realidade do em-

das encomendas, ministro cur-

preendedorismo

feminino.

A sos”, conta a empreendedora.

de empreendedorismo do País alcançou o maior índice dos últi-

Além de vender seus produtos, Maria Cristina também ministra cursos

Alguns dos produtos feitos pela artesã Maria Cristina com a técnica . Arquivo pessoal.


Reserva R v 551 Única:

Reserva 51 Rara:

Reserva 51 Singular:

Env nvelhecida nv em barri r s de carvalho v american r o, medalha de ouro r no Concurso Mundial de Bruxe x las.

Finalizada em barris de vinho, medalha de Prata no Concurso Mundial de Bruxelas.

É um blend de cachaça envelhecida em carvalho americano com parte envelhecida em amburana.

Reserva 51 Reserva 51 Cachaça Reserva 51 Cachaça Reserva 51


relacionamento

Acieg e Valid realizam happy hour com empresários O encontro teve como objetivo apresentar o leque de produtos oferecidos pela multinacional brasileira Por Jéssica Adriani

A

Acieg realizou, em no- falar no telefone ou fazer um pavembro, um happy hour gamento no transporte público”, explica Adriano Franki, superincom os 20 maiores empretendente da Valid S.A. sários da região e com entidades do O happy hour consolida a setor empresarial para apresentar a parceria entre a Acieg e a Valid, Acieg Certificações. que segundo presidente da Acieg,

mamente importante para a Valid Certificadora, já que nos possibilita uma infinidade de oportunidades aqui dentro de Goiás é onde através dessa parceria pode chegar a outras entidades junto com a Acieg”.

Além do certificado digi- Euclides Barbo Siqueira, pode ir tal, o evento tinha como objetivo muito além da oferta de certifi-

“Momentos como este são

divulgar os outros produtos da

muito significativos para nós e ter

cado digital; “Esse evento é a con- a Acieg como parceira, que é

Valid, parceira da entidade, que

cretização da união entre a Valid muito representativa no Estado. vão nas áreas de meios de paga- e a Acieg. Conhecendo um pouco Considero um privilégio, porque

mento, sistema de identificação e produtos de telecomunicação. “Estamos presente no dia a dia do brasileiro dentro de sua carteira para fazer um pagamento, uma identificação, para

mais nosso parceiro, temos condi- é através daqui que termos portas ção de oferecer toda a gama de abertas em todo o mercado de produtos que eles têm”. Goiás”, explica o diretor da BraPara o superintendente sid - uma das representantes da da Valid CD, Victor Estelles, “A parceria da Acieg é extre- Valid - , Paulo de Tarso.

Da esq. p/ dir. – Marina Anderi, Gabriel Teles, Paulo de Tarso, presidente Euclides Barbo, Christiane Pock, Adriano Franki, Moriá Hummel e Victor Estelles


conflitos

Acieg lança 1ª Câmara de Conciliação, Mediação e Empresarial do Estado O objetivo da Câmara é ajudar a desafogar o Judiciário Por Jéssica Adriani

F

oi assinado em novembro o credenciamento da 1ª Câmara de Conciliação, Mediação e Em-

presarial do Estado de Goiás da Acieg (1ª CCMEG), junto ao Tribunal de Justiça do Estado

de Goiás.

O coordenador do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos do

Tribunal de Justiça do Estado de Goiás, Paulo César Alves, foi quem assinou o documento que autoriza a criação. A CCMEG tem como finalidade atender demandas judiciais e extrajudiciais de pessoas física e jurídicas. Podem ser questões como ações cíveis em geral, dissolução societária, ações comerciais/empresariais, compra e venda, divórcio, inventário, reconhecimento de união estável, cobrança em geral, dentre outros.

Da esq. p/ dir. – Geórgia Borba, Cynthia Leite, Larissa Oliveira, Fernanda Duarte, presidente Euclides Barbo, juiz Paulo César, Lívia Borges, Thaynara Teleste e Jakson


responsabilidade social

Saiba como foi o Seminário Goiano de Responsabilidade Social e Sustentabilidade

Participantes discutiram o a inclusão no mercado de trabalho para pessoas com deficiência

Por Jéssica Adriani e Iara Nunes

O

Seminário Goiano de Responsabilidade Social foi em novembro, na República da Saúde e foi organizado pela Câmara de Responsabilidade Social e Sustentabilidade daAcieg. O evento foi pensado para discutir duas questões importantes para a sociedade: a inclusão social e a sustentabilidade, principalmente no que diz respeito ao setor empresarial. “A gente espera que a Acieg possacontribuir,demaneirapropo-

sitiva, nos feitos para essas duas para entrar e permanecer no áreas”, comentou o presidente da mercado de trabalho. CâmaradeResponsabilidadeSocial Patrícia explicou que não e Sustentabilidade,Allan Máximo. basta apenas olhar para a parte No período da manhã, a física, mas também para o condiscussão foi sobre Responsabi- texto social que essa pessoa está lidade Social. A coordenadora inserida. “É na vivência com as do Fórum Goiano de Inclusão pessoas com deficiência que no Mercado de Trabalho de vamos quebrar paradigmas”, Pessoas com Deficiência (FIMT- ressaltou. Segundo a coordenaPODER),

Patrícia

Oliveira, dora, 23% da população goiana

trouxe os principais desafios tem algum tipo de deficiência fí-


responsabilidade social necessário que as empresas contratem pessoas com todos os tipo de deficiência e para todos os cargos, já que existem constantes reclamações de dificuldade para conseguir cargos de nível superior. Palestrantes Patrícia Oliveira e André Campos durante Seminário

“O

emprego

é

o

grande programa de inclusão”, completou Arnaldo.

são aconteça efetivamente. O período da manhã se encerrou com um fórum de debate presidido pelo vereador Thiago Albernaz que representou o poder público e foi questionado sobre os projetos e propostas da Prefeitura.

Participaram também sica. Mas a Lei de Cotas não Entre as possibilidades lecomporta todos, já que obri- vantadas estão de se traba- do fórum o vice-presidente da gada as empresas a contratar lhar mais com palestras, ADFEGO André Campos; o de 2% a 5%, dependendo do socialização, programas de presidente do Sindicato dos inclusão para que essas número de funcionários. Arquitetos e Urbanistas de pessoas sejam compreendiSobre o assunto, o audiGoiás, Garibaldi Rizzo; os pator fiscal do trabalho, Arnaldo das. Fazer uma análise dos lestrantes Arnaldo Neto e PaNeto, apresentou como é o postos de trabalho e tomaprocesso de fiscalização da Lei das de decisões com os co- trícia Oliveira; e, como de Cotas e suas especificida- laboradores, também são mediadora do momento, Cedes. Ressaltou também que é propostas para que a inclu- cília Borges.

Mesa redonda que discutiu a inclusão no mercado de trabalho para pessoas com deficiência física


responsabilidade social

Sustentabilidade Na parte da tarde o Seminário foi aberto pelo deputado Simeyzon Silveira, que destacou como encontros nestes moldes são importantes para o surgimento de novas leis neste segmento.” As leis que são aprovadas, são discutidas em Seminários, fóruns de debates, momentos em que ideias e conhecimentos são compartilhados”, completou. Esteve presente também, a superintendente executiva do Meio Ambiente e Recursos Hídricos/ SECIMA, Jacqueline Vieira, que abordou os benefícios da sustentabilidade para o empresário. No momento, ela destacou que a importância do tema. “É algo que diz respeito a todos nós. Não diz respeito a apenas um segmento -no caso o

empresarial- e sim a todos os segmentos”. Ela comentou ainda que temos um sistema de energia que ainda depende muito da água, e por isso nos esquecemos das fontes de energia alternativas. “Em poucos anos nós vamos operar nossa energia assim como operamos os celulares. É uma tendência palpável”. Jacqueline enfatizou ainda que o modelo de energia fotovoltaica (A energia solar fotovoltaica é a energia obtida através da conversão direta da luz em eletricidade, sendo a célula fotovoltaica, um dispositivo fabricado com material semicondutor, a unidade fundamental desse processo de conversão), é, inclusive um modelo forte para entrar no País, e que temos capacidade para isso.

A superintendente discursou, ainda, sobre temas como o conceito de sustentabilidade, Pacto Global/ONU, de 2013. Agenda 21 e 23, além de Programas como o Inova Goiás e os Programas Polos de Desenvolvimento. Na segunda parte do Seminário, foi a vez do prof. dr. da UFG, Enes Gonçalves Marra, debater os aspectos econômicos para a geração própria nas áreas industriais e comerciais. Ele falou das características do recurso solar, também abordando a energia fotovoltaica, e também das tecnologias para se implantação do recurso. E, para finalizar o dia de discussões e trocas de conhecimentos, um segundo fórum de debate foi realizado, comandado por Simeyzon Silveira.


Link Acieg - Empreendedoras por necessidade