Page 1


4

REVISTA DA CIDADE

Abril 2014


REVISTA DA CIDADE

5

Foto Meramente Ilustrativa

Abril 2014


Indice

11

28 36 38 46

Fatos & Fotos

08 16 30 54

O aniversário da cidade

Criança Feliz

Preto no Branco

A renúncia do Prefeito

Quem Diria

O desenvolvimento da cidade

Nova Classe Média

6

Sara Belz

Perfil da população da cidade

Gastronomia

A culinária japonesa

REVISTA DA CIDADE

EXPEDIENTE

Revista da Cidade - Caraguatatuba Ano Vll Número 38 - Abril / Maio 2014 Jornalista Responsável Roberto Espíndola - Mtb 6308

Departamento Comercial Luiza Garcez

Colaboradores Jordelino de Paula Zéka Mario Percival Rangel Ricardo Holmo Zölner Jair Nunes

Publicação e Impressão Digital Graf Press Ltda., CNPJ 05.095.821/0001- 72, Rua Mario Valério Camargo 127 Cep: 12230-089, São José dos Campos/SP Escritório em Caraguatatuba Tel.: 12.3882-4596 12.99726-8310

Fotos Gianni D’Angelo Jc Curtis Costa Neto Bento Costa Maurílio Alves Luis Gava Arte & Diagramação Fabíola Espindola Manchester - England Produção Gráfica R.Espíndola & Associados

Abril 2014

Álbum de recordações

E-mail: revistacaraguatatuba@gmail.com facebook.com/revistacaraguatatuba

Edição On Line: www.issuu.com/revistadacidade Para receber uma assinatura online da Revista da Cidade Caraguatatuba mande uma mensagem para:

revistacaraguatatuba@gmail.com


nossa palavra

É Preciso Estar

Preparado

E

stamos completando 157 anos de Emancipação e isto para nós, caraguatatubenses de origem ou por opção, é motivo de orgulho e satisfação. Caraguá é um dos municípios relativamente mais novos de toda a região e, depois de anos de discreto progresso e crescimento, transformouse numa cidade de desenvolvimento acelerado, superando a maioria dos demais municípios, com uma infraestrutura de atendimento à população, comércio e qualidade de vida que a transformaram no mais importante centro de negócios e investimentos do Litoral Norte de São Paulo, graças ao trabalho e tenacidade de sua gente e ao acerto das administrações municipais. Mas isto é apenas o começo. Os grandes desafios estão se formando e vão exigir das lideranças ações corajosas, planejadas e responsabilidade quanto ao trabalho a ser executado. Caraguá literalmente virou um canteiro de obras da iniciativa privada. Construção de prédios, casas, conjuntos residenciais, reformas para melhoria e/ou ampliação, estão acontecendo em todos os bairros, para abrigar uma nova população fixa ou flutuante. O trecho da Rodovia dos Tamoios, já concluído, melhorou muito o acesso ao Litoral Norte, mas o término total das obras, previsto para acontecer em quatro anos, com túneis e pontes num traçado que permite o deslocamento rápido e seguro não só de automóveis como de caminhões e carretas, vai promover a instalação de empresas especializadas em logística. Vale lembrar que Caraguatatuba é o único município com grandes espaços disponíveis para estas construções. As mudanças na política portuária brasileira vão, com certeza, promover a ampliação,

modernização e desenvolvimento do porto de São Sebastião, para o qual já existem alguns projetos. Desnecessário dizer do impacto desta transformação para nossa região. Estes são apenas alguns aspectos. O perfil da população de Caraguatatuba, em relação à renda, hábitos e poder aquisitivo já se alterou profundamente nos últimos 10 anos, diminuindo os desníveis sociais. Existe carência de mão de obra, mesmo da não qualificada, e facilidade na obtenção de empregos, fenômeno que deve se acentuar atraindo migrantes em busca de oportunidades de trabalho. O Governo Municipal tem um ambicioso projeto de realizações que deverão melhorar ainda mais a qualidade de vida da população. Assim, podemos dizer que o momento que estamos vivendo é um divisor de águas. Foi-se o tempo dos políticos folclóricos e sem qualquer preparo ou formação, eleitos graças a sua simpatia, intenso trabalho social ou apoio de “caciques” eleitorais. É bem verdade ainda que o valor investido nas campanhas pode influenciar nos resultados, mas o político que não estiver preparado e em sintonia com as reivindicações da população está condenado ao fracasso em sua vida pública. Graças ao aumento populacional provocado pelos migrantes, ao desenvolvimento intelectual, principalmente dos mais jovens, a facilidade da difusão do conhecimento e da informação, o colégio eleitoral vem sofrendo profundas modificações, e hoje, mais do que nunca, prestígio não se transfere, e é preciso estar preparado para conquistar e exercer o poder.

Roberto Espíndola Abril 2014

REVISTA DA CIDADE

7


Antonio Carlos é um prefeito que está marcando sua passagem pela administração do município, promovendo o maior desenvolvimento que Caraguatatuba já teve em sua história, mudando completamente os padrões políticos vigentes até então, criando, em consequência, inimizades e adversários que por um ou outro motivo tiveram seus interesses contrariados, que o combatem, por vezes, com críticas agressivas. Mas a maior parte da população apoia seu trabalho, uma vez que já o elegeu por quatro vezes para dirigir o Governo Municipal. A realidade é que os munícipes são a favor ou contra a sua administração – jamais indiferentes.

“Não serei candidato a mais nada”

S

urpreendendo todos, o prefeito Antonio Carlos anunciou que iria renunciar ao seu mandato, causando um impacto político que envolveu a cidade, tendo repercussão em toda a região e no Estado, passando a ser assunto obrigatório das conversas e comentários da imprensa. No desdobramento da crise, o prefeito esclareceu que sua decisão se concretizaria em 90 dias, tempo necessário para ordenar a transição do

88

REVISTA DA CIDADE

Abril 2014

Governo Municipal. As manifestações de apoio ao prefeito sucederamse, inclusive por parte do governador Geraldo Alckmin, do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Samuel Moreira, e do senador Aloísio Nunes. Após, o prefeito reuniu-se com a imprensa para anunciar sua decisão de permanecer no cargo até o final de seu mandato, em 2016. Nesta entrevista abordamos o assunto.


Revista da Cidade – Por que o senhor declarou que iria renunciar ao seu mandato? Antonio Carlos – Foi uma atitude impensada num momento de fraqueza. Admito que errei, e peço desculpas à população. Pensei que poderia dar uma descansada, depois de me dedicar à política por mais de 20 anos.

quando se tem um mecanismo que pune quando se opta por escolher o preço menor, e somos cobrados. Daqui a pouco, político vai ter de ser advogado, arquiteto, administrador e sei lá mais o quê.

RC – Foi apenas isso? AC – Minha decisão teve o apoio de meus familiares e a mudança de propósito começou quando soube que estavam atribuindo minha atitude às ações referentes ao caso da merenda a que respondo na justiça, de outras gestões. Caso não voltasse atrás, seriam pelo menos 90 dias falando da questão e tendo de ficar me defendendo, fora que se deixasse Junior como prefeito, ele também poderia ficar responsável pelos dividendos até o final da gestão.

RC – Por várias vezes o senhor fez referência à prisão domiciliar do prefeito de Pindamonhangaba. Por quê? AC – Esse fato me fez pensar sobre a política. Fica cada vez mais difícil administrar o município. Esta pressão da justiça vai inviabilizar a política. Quem vai querer entrar na política com uma situação dessas? Empresários, amigos meus, jamais entrariam. Chegaram a dizer: “Deus me livre!”. RC – A que o senhor atribui esta situação? AC – É politicamente impossível administrar

Se deixasse o Junior como prefeito ele também poderia ficar responsável

RC – Normalmente a renúncia é um ato impulsivo. Não soa estranho o senhor ter anunciado que renunciaria em 90 dias? Não seria uma estratégia de marketing para pressionar o Governo do Estado? AC – Isso não tem fundamento. O Governador é do mesmo partido meu. Pensar nisso é uma coisa pequena.

RC – É fato que o senhor tem bens bloqueados pela justiça? AC – Este é um fato que aborrece. Entendo

que houve uma formalização errada por parte do judiciário. Situações como estas acabam cansando e acabam com a vida familiar. RC – Em períodos alternados existem sempre comentários sobre sua saúde. Os últimos acontecimentos alteraram seu estado de saúde? AC- Não sei por que isso acontece. Estou e sempre estive bem de saúde, apenas um pouco cansado, até por conta de minha idade. Já completei 57 anos. RC – Muitos afirmam que Caraguatatuba tem dois períodos em sua história, antes e depois de sua administração. O que pensa o senhor? AC – A condição em que Caraguatatuba chegou me deixa tranquilo, já que será uma nova cidade nos próximos anos. Talvez por esta certeza tenha querido parar. Eu não sabia, não tinha noção que iria dar esta repercussão. Abril2014 2014 Abril

REVISTADA DACIDADE CIDADE REVISTA

99


RC – O rompimento de suas relações com a Casa de Saúde Stella Maris causou tensão e controvérsias. Como ficou a Santa Casa? AC – Pelos contatos que mantive com o Governador Geraldo Alckmin, posso dizer que vai sair a desapropriação da área onde está o Hospital Casa de Saúde Stella Maris, razão pela qual darei início à reforma e ampliação, de forma a que se transforme num hospital moderno. Vai ter tudo que um hospital deve ter. Faremos em duas fases, para deixar o hospital moderno, com 22 leitos já terminados e agora sendo equipados.

Vou dar início à reforma e ampliação, de modo a que se transforme num hospital moderno

RC – E como ficou o projeto do Hospital Regional? AC – Eu esperava um apoio maior do Governo do Estado. Não tenho condições de dar uma resposta agora. RC – Seus adversários especulam muito sobre suas realizações e modo de administrar. Existe fundamento? AC – A resposta é simples. Estou no meu quarto mandato e nunca tive uma CPI, e para tranquilizar os insatisfeitos volto a afirmar que nunca mais serei candidato. Vou votar e sempre falar em quem voto,

se é que isso ajuda, mas não quero mais envolvimento na política e muito menos os meus filhos querem. Sabem o quanto eu sofro e preferem cuidar da vida deles. RC – Fala-se muito em qualificação profissional. Qual o seu grau de qualificação para exercer a chefia da Administração Municipal? Mostrando-se emocionado o prefeito respondeu: AC – Só tenho o primário. Mas isso não invalida a necessidade da criança, dos jovens e das pessoas com mais idade de se qualificarem profissionalmente, de adquirir e ampliar conhecimentos. Longe de mim querer fazer um desserviço à população, pois sou um dos prefeitos que mais investe nesse setor. Não tive oportunidade de estudar, mas sou a favor, e muito, da educação. RC – Quem o senhor indicaria para seu sucessor? AC – O que for o melhor para Caraguá. Como bem disse o falecido governador Mario Covas, de quem permaneço admirador, o bom político pensa nas próximas gerações e não nas próximas eleições. RC – O presidente da Câmara Municipal, Neto Bota, que é do seu partido e que, eventualmente, seria seu sucessor após a sua renúncia, não compareceu ao café da manhã de apoio ao senhor, oferecido na casa do vereador Aurimar Mansano. Especula-se muito sobre as razões, inclusive quanto a um possível rompimento entre os senhores. O que há de verdade? AC – Ele poderia estar preocupado com o que estava por vir, ou mesmo ter outro compromisso assumido. Não houve nada que tenha abalado nosso relacionamento. RC – O senhor teria alguma coisa a acrescentar? AC – Caraguatatuba se tornou parte da minha vida. Amo esta cidade. Quando morrer, quero ser cremado para que as cinzas sejam lançadas ao mar. Fonte: Imprensa Livre

10 10

REVISTA DA CIDADE REVISTA DA CIDADE

Abril 2014 Abril 2014


Fatos&fotos

A vida da Cidade

Associação de Combate ao Câncer completa 10 anos

F

oi comemorado em clima de festa e confraternização os 10 anos de atividades da Associação de Combate ao Câncer de Caraguatatuba, que graças à dedicação, desprendimento e visão humanitária de um voluntariado ativo e empreendedor, transformou-se numa das mais importantes instituições da cidade. Na mesma oportunidade na Câmara Municipal houve a entrega de Menção Honrosa à instituição pelo trabalho desenvolvido neste período de 10 anos. Fazendo parte das comemorações foi celebrada Missa de Ação de Graças na Igreja Matriz de Santo Antônio.

Tarcísio Matheus é homenageado

O

jornalista e apresentador de televisão Tarcísio Matheus, em reconhecimento ao seu trabalho profissional recebeu, da Câmara Municipal, o título de “Gratidão Caiçara”. Amigos e colaboradores compareceram à sessão, prestigiando o apresentador. Abril 2014

REVISTA DA CIDADE

11


Jogos Regionais do Idoso

F

atos&fotos

A vida da Cidade

S

ede pela 4ª vez dos Jogos Regionais do Idoso, a cidade recebeu mais de 1.700 atletas com mais de 60 anos, de 22 cidades que participaram do evento. A delegação do município foi composta por 95 esportistas..

Copa do Mundo - Caraguá é roteiro turístico

F

oi lançado no Museu do Futebol, em São Paulo, o Guia “Roteiro Paulista – o que fazer durante a Copa do Mundo Fifa”, onde Caraguatatuba aparece como destino de sol e praias, com roteiro de praias e natureza no Litoral Norte. 12

REVISTA DA CIDADE

Abril 2014


Abril 2014

REVISTA DA CIDADE

13


Fatos&fotos

A vida da Cidade A Caraguá FM comemorou o seu décimo primeiro aniversário. E para a data, a rádio preparou uma grande festa na praça de eventos, o primeiro a se apresentar foi a banda Bichos da Costeira com uma música em homenagem a Caraguá, logo em seguida foi a vez da música suave e de interpretação fácil de Mara Amaral, na sequência o som eletrizante de Zirinho da Bahia. Durante a comemoração, foram sorteados vários prêmios em dinheiro totalizando 20 mil reais, além de outros presentes para quem compareceu na praça. Para o encerramento, a Caraguá FM preparou um super show do Pixote que, neste ano, comemora 20 anos de carreira

Aniversário da Caraguá FM

14

REVISTA DA CIDADE

Abril 2014


Fatos&fotos

A vida da Cidade

Novo Cidadão Caraguatatubense

M

anoe l Vic e nte da Silva, o Manu, figura querida e de destaque em nosso meio, profissional competente em matéria de nutrição, responsável pela merenda escolar durante muitos anos, recebeu o título de “Cidadão Caraguatatubense”, por iniciativa do vereador Elizeu Onofre da Silva – Ceará, em solenidade na Câmara Municipal, à qual compareceram autoridades e amigos do homenageado.

Abril 2014

REVISTA DA CIDADE

15


QUEM DIRIA?

De “curva de rio” a principal centro de negócios, comércio e serviços da região

N

o início do seu desenvolvimento, pejorativamente diziam que Caraguatatuba era “curva de rio, onde só parava tranqueira”. Explica-se por quê. Por suas belezas naturais e com o destaque que ganhou na mídia quando da Catástrofe de 1967, a cidade passou a ser “descoberta” por aqueles que buscavam novas praias, novas paisagens, recantos praticamente intocados, para desfrutar de um período de férias. Algo ainda desconhecido, atraente, com sabor de aventura, o que de certa forma ainda acontece até hoje, mas que é cada vez mais difícil de ser encontrado. E na temporada de verão, os turistas foram chegando, cada vez em maior número, sem que a cidade tivesse infraestrutura de serviços para atender a todos. Chegava a acontecer o desabastecimento, faltando

16

REVISTA DA CIDADE

Abril 2014


leite, pão e até alguns alimentos básicos. Normalmente, os veranistas vinham com seus carros carregados de alimentos. Isso atraiu aqueles que estavam em busca de bons negócios, vindo para Caraguá mascatear suas mercadorias, a preços sempre mais elevados do usual. Ou então oferecer bugigangas aos turistas, ávidos de lembranças, ou, ainda, oferecer roupas e utensílios de porta em porta. Muitos desses mascates conseguiram se firmar como grandes comerciantes e ainda hoje eles, ou seus descendentes, possuem lojas na cidade. Eles eram os “tranqueiras”, assim como os ambulantes que circulavam pelo centro ou pelos bairros, vendendo artigos de baixa qualidade, enganando com sua “lábia” os compradores. Esta é uma parte da história de nosso desenvolvimento. As oportunidades que forem surgindo atraíram também novos empreendedores que, com talento e muito esforço, foram construindo e fortalecendo com seriedade o comércio de Caraguá, ao mesmo tempo que prestadores de serviços, com variadas qualificações, foram se firmando para atender às necessidades da população. Assim, graças ao trabalho daqueles que aqui nasceram ou que aqui se radicaram, Caraguatatuba desenvolveu-se muito mais que as demais cidades da região, transformandose no maior centro de negócios, comércio e serviços do Litoral Norte de São Paulo.

De costas para o mar... Até a reurbanização da Avenida da Praia, que a transformou em cartão postal, dizia-se que Caraguá era uma cidade “de costas para o mar”, isto porque praticamente em todos os municípios situados na orla marítima as ruas e avenidas das praias são utilizadas como atração, com uma série de equipamentos urbanos que atraem a população e visitantes. Em Caraguá era diferente. A grande atração era a Praça Cândido Mota com sua fonte luminosa, seu coreto, suas sorveterias, bares, restaurantes e lanchonetes, que a todos atraía para encontros de amigos e desfile daqueles que estavam à procura de uma companhia. A “pracinha” lotava nas noites das temporadas de verão, principalmente nos sábados, domingos e feriados prolongados. Este fenômeno, que durou muitos anos, foi se alterando com a Avenida da Praia, mais ampla e de fácil circulação, que já possuía o Parquinho, a grande atração de então, recebendo novas construções, um shopping, Praça de Eventos, ciclovia e pontos de lazer. 2014 Abril 2014

REVISTA DA CIDADE

17


Caraguá 157 Anos

Mais um ano de

Progresso e Desenvolvimento

Seguindo em sua trajetória de conquistas sociais, Caraguá se consolida como a maior e mais importante cidade do Litoral Norte

C

araguatatuba completa 157 anos e há muito que comemorar. A c i d a d e c o n t i nu a e m f r a n c o desenvolvimento em todas as áreas – Saúde, Educação, Esportes, Turismo, Cultura, Urbanismo, Comercio, Serviços... Os investimentos continuam não apenas no setor público quanto pela iniciativa privada. O setor imobiliário cresce e se valoriza, o comércio se amplia, espalhando-se pelos bairros. Restaurantes, Casas Noturnas, Bares e Lanchonetes se transformam no

18

REVISTA DA CIDADE

Abril 2014

mais atraente setor para os empreendedores arrojados, na conquista de um público cada vez mais exigente. A carência de mão de obra é grande e os jovens mais conscientes buscam nos estudos a formação necessária para obter os melhores empregos. Isto é apenas uma amostra. As obras em andamento indicam um futuro promissor, sem contar as obras da Tamoios que, permitindo acesso mais rápido e seguro ao Litoral Norte, atraíram consequentemente o maior número de turistas.


Saúde - um desafio que está sendo vencido Com várias unidades de atendimento para a população e eficiente rede particular em diversas especialidades, e laboratórios de análises clínicas, a cidade vai se transformando em referência para a região

A

Saúde Pública, por sua complexidade e amplitude, é um problema para todas as administrações municipais. Estes problemas não se restringem apenas à falta de verbas, de um modo geral insuficientes para cobrir o custeio dos serviços e suas necessidades de ampliação e modernização. A começar pela falta de profissionais, competentes, disponíveis, dedicados e conscientes das responsabilidades da profissão que escolheram, assim como a falta de gerenciamento adequado para maximizar os recursos de forma a atender as necessidades da população, o que gera insatisfação e protestos. É um Problema para os municípios do Brasil, em alguns dos quais ocorrem situações caóticas, como é mostrado com frequência pela imprensa. Em Caraguatatuba, o desenvolvimento do atendimento à saúde foi significativo. Além das UBSs – Unidades Básicas de Saúde, distribuídas por vários bairros, e do Programa de Saúde da Família, a cidade dispõe de uma Unidade de Pronto Atendimento, de

um Centro de Especialidades Médicas Odontológicas e de Reabilitação, e do Ambulatório de Especialidades Médicas, para atender à população pelo SUS – Sistema Único de Saúde, além de uma ampla rede de serviços para atendimento à saúde da iniciativa privada. O atendimento hospitalar tem causado controvérsias. Por longos anos, a Casa de Saúde Stella Maris atendeu a população, suprindo as necessidades de forma satisfatória, o que deve ser reconhecido. Mas a dinâmica do desenvolvimento da cidade deixou a Santa Casa defasada em relação ao atendimento, além de conflitos de interesses com o Governo Municipal, inclusive quanto ao corpo clínico, culminando com a intervenção do município na gestão hospitalar, por ordem judicial, para promover um saneamento administrativo. Segundo informações do prefeito prestadas à imprensa, o Hospital Stella Maris será reformado e ampliado dentro dos melhores padrões, de forma a atender às necessidades da população. Abril 2014

REVISTA DA CIDADE

19


Ensino - Construindo o futuro

Trabalho contínuo para maior e melhor aproveitamento e desenvolvimento intelectual dos alunos

H

á muito o ensino em Caraguatatuba, desde sua municipalização, vem se aprimorando para adotar um padrão de excelência que permita ao aluno não apenas se alfabetizar, mas também adquirir conhecimentos que permitam prosseguir até os níveis superiores. Os prédios são modernos e confortáveis, com salas de aula equipadas e dotadas de recursos didáticos e amplos espaços para atividades complementares e lazer. A alimentação escolar é reconhecida como uma das melhores do Estado. Os métodos de ensino são permanentemente revistos e adaptados para melhor aprendizado dos alunos. Os professores são incentivados a contínuas reciclagens e a ampliação e prosseguimento em seus estudos de aperfeiçoamento.

É um trabalho contínuo para que os alunos tenham um melhor aproveitamento neste período, tão importante para a sua formação intelectual. Mas a grande realização do Governo Municipal está sendo a construção dos Cides – Centros Integrados de Desenvolvimento Educacional, um projeto arrojado, onde os alunos, dos seis meses aos 14 anos são beneficiados com ensino de qualidade, esporte e cultura. Uma proposta inovadora com mais tecnologia e desenvolvimento humano em período integral. Tendo como pioneiro o Colégio Módulo, as escolas par ticulares se multiplicaram com propostas diferenciadas para atender as necessidades da população com cursos em vários níveis. Inclusive de idiomas e profissionalizantes.

Cultura - A base da sabedoria Descobrindo talentos, despertando interesse pelas artes, promovendo intelectualmente a população

O

desenvolvimento cultural foi dos mais significativos, não só despertando a população para as manifestações artísticas em várias formas, como

20

REVISTA DA CIDADE

Abril 2014

incentivando e descobrindo talentos que passaram a se interessar pelas artes. A música, o teatro, a dança, as artes plásticas, o artesanato, passaram a fazer parte da vida da


cidade. Com o incentivo da Fundação Cultural, grupos teatrais foram se formando; orquestras, grupos de dança, folclóricos, cantores e cantoras foram surgindo, obtendo sucesso não apenas em Caraguá como em outras cidades em que se apresentam. Destaque para a produção de artesanato, presente em várias cidades do Brasil e do exterior, que

surpreende pela sua criatividade e qualidade. Para o público, as atrações se sucedem durante todo o ano. “Litoral Encena”, “Mostra Nacional de Teatro de Rua”, “Teatro de Bonecos”, “Litoral em Dança” dão uma ideia do que acontece, sem falar das apresentações de peças e shows no Teatro Mário Covas, atração permanente para os apreciadores de um bom espetáculo.

A paisagem urbana - Moderna e atraente Amplas avenidas, fácil acesso em ruas asfaltadas, praças para encontros e lazer, iluminação pública atraente. Caraguá é uma nova cidade

Abril 2014

REVISTA DA CIDADE

21


A

revitalização da avenida da praia, que a transformou no cartão postal da cidade, foi apenas o começo de uma série de obras que mudaram completamente o visual de Caraguatatuba, irreconhecível se comparado às imagens de vinte anos atrás. A própria avenida da praia, cuja urbanização se estendia até a ponte do Rio Santo Antonio, hoje bloquetada e asfaltada, alcança as margens do Rio Juqueriquerê, no bairro Porto Novo. Em todos os bairros, ruas foram bloquetadas ou asfaltadas, facilitando o acesso de norte a sul do município. Praças e boulevards, para convivência e encontros de moradores e visitantes, foram construídas ou revitalizadas. Na Prainha, a fonte luminosa interativa se transformou numa atração. A Praça Sensorial no bairro Cidade Jardim, com proposta inovadora para deficientes, colocou Caraguatatuba em destaque entre os demais

municípios da região. As ruas estão sendo urbanizadas, os coqueiros e palmeiras já se integraram à paisagem. Rios e córregos foram e estão sendo canalizados. O saneamento básico proporciona água encanada e esgoto coletado em praticamente todos os bairros. As valas e esgotos a céu aberto são coisas do passado. Avenidas, rotatórias, sinalização adequada permitem o deslocamento rápido e seguro por todo o município. Amplas avenidas permitem o fácil acesso a todas as praias da costa norte. A nova iluminação pública da cidade atrai e desperta a atenção. Na orla marítima, da Martim de Sá ao Porto Novo, as 2.800 lâmpadas a vapor metálico de 400 watts, na cor branca, transformaram a região em um novo cartão postal. A zona azul, recém-implantada, embora cause protestos, permite o estacionamento ordenado no perímetro central.

A culinária passou a ser uma atração Dos pratos mais sofisticados aos mais simples, há sempre um boa refeição para todos os gostos e paladares

F

estival do Camarão, Festa da Tainha, Festival do Mexilhão, Caraguá a Gosto, foram apenas o começo do desenvolvimento gastronômico, que transformou Caraguá no roteiro obrigatório para os que gostam de comer bem. Caraguá é uma nova cidade. Os restaurantes, bares e lanchonetes se multiplicaram para atender não só os turistas e visitantes, como também os moradores em seu dia a dia de trabalho e lazer. Restaurantes sofisticados, com pratos requintados, da mesma forma que locais simples com comida caseira, podem ser encontrados não só no centro, como em todos os bairros. Casas especializadas na culinária árabe, japonesa,

22

REVISTA DA CIDADE

Abril 2014

mexicana, alemã, italiana, chinesa, assim como em frutos do mar, transformaram-se numa atração gastronômica para a cidade, sem falar na culinária mineira, bem brasileira, que é uma festa para o paladar. Nos finais de semana, o churrasco é quase que obrigatório, e os pratos afro-brasileiros também têm seus apreciadores. Mas o maior desenvolvimento foi dos bares e casas noturnas, até há pouco tempo inexistentes. Música ao vivo, petiscos, uma boa bebida e tempo para jogar conversa fora com os amigos passaram a fazer parte dos hábitos da população, do entardecer até a madrugada. E na beira das praias, os quiosques, que se modernizaram e ampliaram seus cardápios, são a atração para momentos descontraídos.


Feliz Aniversário

Caraguá

157 anos

Caraguá completa 157 anos de emancipação político-administrativa e não para de crescer. A caçulinha do Litoral Norte é administrada com seriedade e compromisso com os cidadãos. E isto é fácil constatar, basta ver o quanto a cidade evoluiu e melhorou em todas as áreas. Na saúde, ganhou novas e modernas unidades de atendimento. Todas as regiões foram beneficiadas e continuam recebendo obras de infraestrutura. Pavimentação, pontes, galerias pluviais e nova iluminação melhoram a qualidade de vida de todos os que aqui vivem e daqueles que nos visitam. Investimentos em políticas sociais também melhoram a vida dos que mais precisam dos serviços públicos. Na Educação, continuamos referência, com escolas modernas e alimentação que serve de modelo para todo o Brasil. Por fim, o Governo Municipal trabalha com afinco para acompanhar o desenvolvimento e, ao mesmo tempo, oferecer aos cidadãos uma cidade cada vez melhor. Parabéns Caraguá!

Abril 2014

REVISTA DA CIDADE

23


Lazer - Uma cidade alegre e descontraída

Com inúmeras opções, que vão das praias aos centros de compras, Caraguá se desenvolve como roteiro de lazer

H

ouve uma época em que Caraguatatuba vivia em função de suas praias, que garantiam a sobrevivência da cidade, principalmente na temporada de férias, e dos prazeres proporcionados pelas águas do oceano, onde se inclui a pesca e os esportes náuticos. Apesar da exuberância da Mata Atlântica, poucos eram os turistas que se interessavam pela sua fauna, flora e beleza selvagem. Com o passar do tempo, esta realidade foi mudando. A pesca artesanal, por um bom período, garantiu a renda dos caiçaras.

24

REVISTA DA CIDADE

Abril 2014

Investimentos imobiliários foram atraindo veranistas em busca de lazer, incentivando a ampliação das opções, e hoje Caraguá é uma cidade que tem muito a oferecer: centro de compras com lojas modernas, confortáveis, onde podem ser encontradas as melhores e mais famosas marcas, aí se incluindo as grandes redes do comércio varejista, bons restaurantes e casas noturnas com músicas ao vivo, teatro, cinema, espetáculos de dança, shows, com exposições de arte, várias opções de esportes, apresentações ao ar livre, diversidade de cultos religiosos, proporcionando momentos de alegria, confraternização e meditação


Esporte - A pratica esportiva é uma atração Com amplas opções e infraestrutura, o esporte se desenvolve na cidade conquistando troféus e medalhas

O

desenvolvimento do Esporte em Caraguá merece destaque. A par tir do Centro Espor tivo Municipal, onde o basquete, vôlei, futebol, futebol de salão, natação, são praticados ininterruptamente, outras modalidades esportivas foram sendo desenvolvidas, conseguindo-se resultados animadores. Hoje a cidade possui pistas de skate, bicicross e kartódromo. A rampa do morro Santo Antônio atrai os amantes da Asa Delta. As águas do mar, sempre

fascinantes, calmas ou agitadas, proporcionam, além da pesca esportiva e do mergulho, a prática do surf, jet sky, e os campeonatos de iatismo e canoagem. Nos esportes marciais - Caratê, Judô, Tae Kwon Do, os resultados foram surpreendentes, com nossos jovens atletas conquistando medalhas e campeonatos. Vale salientar que Caraguatatuba, em várias oportunidades tem sido sede dos Jori – Jogos Regionais dos Idosos, com significativas representações no evento.

Abril 2014

REVISTA DA CIDADE

25


O que vai acontecer Planos e projetos arrojados garantem o desenvolvimento da cidade nos próximos anos

Além das realizações da iniciativa privada, com prédios e casas projetadas e com construções em andamento, visíveis em todos os bairros, e de inúmeras empresas de comércio e prestação de

serviços, com estudos avançados para se instalarem na cidade, o governo municipal já anunciou uma série de projetos e realizações, que vão se concretizar no curto e médio prazo.

Ocupando um espaço de 15 mil metros quadrado,s será uma das mais importantes obras de todos os tempos na história do município. Com uma estrutura moderna para melhor

atender os usuários, a nova sede do executivo abrigará os gabinetes, secretarias e demais setores administrativos. O gabinete do prefeito ficará situado na cobertura do prédio.

Nova sede da prefeitura

Centro Integrado de Desenvolvimento Educacional

26

REVISTA DA CIDADE

Abril 2014


O

Cide Sul no bairro do Perequê Mirim, já com alguns setores em funcionamento e com inauguração oficial marcada para o mês de maio, é um projeto moderno e inovador reunindo no mesmo espaço educação, esporte, saúde e lazer. As escolas do Cide Sul funcionam em período integral para proporcionar um melhor desenvolvimento do ser humano nos

aspectos físico, social, intelectual e emocional, com projetos de arte, artes marciais, dança e música. O Núcleo de Educação Esportiva contará com um ginásio poliesportivo, piscina semiolímpica e um campo de futebol. Uma Unidade Básica de Saúde já em funcionamento oferece atendimento médico, odontológico, pediátrico e psicológico, além do Crie ( Centro de Referência de Inclusão Escolar)

Na Casa Branca o Cide Norte

C

om inauguração prevista ainda para este ano, o Cide Norte contará com salas de aula, laboratórios, informática, auditório, berçário, maternal, ensino fundamental para atender mil alunos. O núcleo

esportivo terá uma piscina semi-olímpica, campo de futebol semi-oficial e a Unidade Básica de Saúde, já em funcionamento, oferece consultas médicas e serviços de enfermagem, além de atendimento odontológico e pediatria.

Nova praça de eventos

E

m construção no Jardim das Colônias – Porto Novo O Centro de Eventos do Litoral Norte será um ponto de desenvolvimento para o turismo na cidade.

No espaço de dez mil metros quadrados haverá um pavilhão para exposições e uso múltiplos , com amplo estacionamento. Complementando a obra a revitalização do Terminal Turístico transformará, o local numa atração para cidade.

Abril 2014

REVISTA DA CIDADE

27


Aconteceu...

Aniversário da Cidade

Solenidade no Polo Cultural Abertura de Exposição MACC

Hasteamento da Bandeira Banda Carlos Gomes

28

REVISTA DA CIDADE

Abril 2014

Solenidade de Hasteamento da Bandeira


157 Anos Exposição Marysia Portinari

Banda Sinfônica São Paulo

Paixão de Cristo

Apresentação Renato Teixeira

Água Viva Coral

Participação do Grupo de Escoteiros

Cantinho da Leitura Abril 2014

REVISTA DA CIDADE

29


Perfil

A nova populaç

Criada pela expansão de empregos qualificados, com melhor renda familiar e poder aquisitivo, maior número de idosos, hábitos diferenciados e participação ativa do sexo feminino, a nova classe média de Caraguatatuba, integrada nos padrões de consumo de massa, e que busca imitar, na medida de suas possibilidades, o padrão de consumo da classe mais elevada, está transformando a cidade nos últimos dez anos. 30

REVISTA DA CIDADE

Abril 2014


ção de Caraguá

* Ricardo Zöllner Holmo

busca imitar, na medida de suas possibilidades, o padrão de consumo da classe mais elevada. De acordo com a classificação por salários (salário mínimo em 2014 de R$ 724,00), adotada por alguns analistas, as classes sociais estariam assim distribuídas:

N

o cenário socioeconômico do Estado de São Paulo, destaca-se a nova classe média de Caraguatatuba, criada pela expansão de empregos qualificados; seguindo a tendência brasileira, está plenamente integrada nos padrões de consumo de massas que

Nos últimos 10 anos a classe média passou a representar a maioria absoluta da população da cidade

Abril 2014

REVISTA DA CIDADE

31


Perfil

1

1a2

3a5

20 11 a 19 ou 6 a 10 mais

Até 1 salário mínimo – miserável De 1 a 2 salários – baixa De 3 a 5 salários – média baixa De 6 a 10 salários – média De 11 a 19 salários – média alta De 20 ou mais salários – alta Este mais recente fenômeno socioeconômico, da importância da classe média, impacta diretamente em Caraguatatuba por meio do significativo aumento do número de pessoas que se posicionam nesta parcela da população. Nos últimos 10 anos, esta nova classe média passou a representar a maioria absoluta da população da cidade, com mais de 51% de seus habitantes. Vale salientar que em 2000 a classe média, ou classe C, representava aproximadamente 38% da população. O crescimento do poder aquisitivo desse segmento, com renda familiar mensal entre R$ 1 mil a R$ 4 mil, se deve, além do aumento de renda dos que já se posicionavam na classe média, como também, e principalmente, ao aumento na renda da população da classe D, que passou para um novo status econômico, consequentemente adquirindo um maior poder de compra. A elite econômica (classes A e B) tem renda familiar mensal superior R$ 4.591,00, enquanto que a familiar da classe D ganha mensalmente entre R$ 768,00 e R$ 1.064,00, segundo dados tidos como parâmetros por entidades econômicas brasileiras. Os considerados da classe pobre (classe E), por sua vez, reúnem famílias com rendimento mensal abaixo de R$ 768. 32

REVISTA DA CIDADE

Abril 2014

Em Caraguatatuba, esta importante parcela da população, a classe C, com novas exigências e mais bem informada, requer políticas públicas específicas que impeçam o seu retorno à pobreza e ofereçam oportunidades eficazes para sua manutenção ou contínua progressão. Ao longo da última década, em particular desde o fim de 2003, a pobreza relativa à população total do município declinou de forma acentuada. Ao fim de 2000, é possível estimar que quase 34% da população de Caraguá viviam com renda per capita abaixo da linha de pobreza; já em 2010, apenas cerca de 20% da população se encontrava nesta situação. Esse sucesso na redução da pobreza também foi acompanhado por uma substancial redução no grau de desigualdade da distribuição de renda. Segunda a pesquisa do Instituto Data Popular, esta nova classe média possui algumas características que fortalecem sua importância socioeconômica: *Metade dos cartões de créditos pertence à classe média; *68% dos jovens da nova classe média estudaram mais que seus pais; *41% da renda da nova classe média vêm do trabalho da mulher, com apenas 20% na elite; *A nova classe média representa 48% da renda nacional; *6 em cada 10 pessoas que acessam a internet são da nova classe média; *A nova classe média cresce mais nos bairros do que na região central; *A unidade familiar da nova classe C tem menor


Até poucos anos atrás, depois de quitadas as contas do mês, essas pessoas da classe C não tinham recursos sobrando para consumir mais do que os itens da cesta básica. Hoje, colecionam sapatos, têm acesso à tecnologia e frequentam faculdades. Tudo isso graças às mudanças profundas na economia, que elevaram a renda desta parte da população.

Nos últimos sete anos, esta camada da população teve um aumento superior a 40% em sua renda familiar, que hoje vai de R$ 1 mil a R$ 4 mil. Segundo a ótica socialista, em praticamente todas as sociedades a desigualdade social está relacionada ao poder aquisitivo, ao acesso à renda, à posição social, ao nível de escolaridade, ao padrão de vida, entre outros. Pelos dados disponíveis, podemos perceber uma evolução no espectro socioeconômico da população de Caraguá entre 2000 e 2010, projetando uma tendência ainda melhor para o futuro.

O sonho de muitos desses jovens da classe C não são apenas o carro zero e o celular de última geração.

quantidade de filhos, possibilitando a criação com maior qualidade, educação e cuidados com a saúde; *A nova classe média gasta mais com serviços do que com bens. Em 2002, de cada R$ 100,00, R$ 49,50 eram gastos em serviços. Em 2012 foram R$ 65,00; *O impacto (aumento de usuários) da classe C no setor aeroportuário é maior do que em qualquer Copa do Mundo; *Em termos absolutos, as classes A e B compram mais produtos de baixo preço do que as classes C e D; *62% da nova classe C preferem comprar produtos brasileiros, contra 25% da elite; *Os jovens da classe C, mais educados e conectados, são hoje os formadores de opinião na família e na comunidade; *79% na nova classe média confiam mais nas recomendações do que na propaganda da TV; *Os homens dessa categoria tendem a viver menos e as mulheres exercem mais responsabilidades sobre a família, têm mais autonomia socioeconômica e, consequentemente, de consumo; *Hoje, o sonho de muitos desses jovens da classe C não são apenas o carro zero e o celular de última geração, pois já os possuem; o diploma do ensino superior e o MBA tornaram-se mais importantes do que qualquer outro produto disponível no mercado.

A nova classe média que está assumindo uma posição de destaque em Caraguatatuba, tanto quanto em outras cidades brasileiras, desperta sua consciência para novas aquisições e para necessidades de políticas públicas. Com maior renda, conscientização e informação, a nova classe C tem maiores exigências com relação aos produtos e serviços públicos como Educação, Saúde, Saneamento Básico, Segurança, Habitação, Transporte e outros. Com o poder aquisitivo maior, a classe média vai às compras, buscando inclusão e não exclusividade; porém, é exigente, já que, ainda que possa comprar mais, não se permite Abril 2014

REVISTA DA CIDADE

33


o equívoco. Diferente das classes A e B, o produto deve ter boa qualidade, pois não pode ser substituído com facilidade. O barato pode sair caro, como no caso de produtos falsificados, que atualmente têm incidência de vendas maior entre as classes A e B. A classe média prefere parcelar o valor em muitas vezes a ter de comprar um novo produto depois de pouco tempo. Essa compra se torna fácil; no entanto, no momento em que as empresas correm em sua direção, a concorrência aumenta. Várias empresas foram atraídas pelo mercado consumidor de Caraguatatuba. Para elas, o recado é um só: o mercado de consumo de Caraguá é rico, mas competitivo. Os problemas de logísticas, os altos custos do transporte e a inflação nos salários estão sendo superados e compensados pelo maior volume de vendas. É certo que a taxa de desemprego está baixa, mas a inflação salarial já causou um apagão de mão de obra na cidade. No que diz respeito ao serviço, a qualidade é uma reivindicação nessa nova classe C. Podemos comprovar esta nova consciência com os protestos realizados no segundo semestre de 2013 pela população representada em grande parte pela

classe C, nas mais variadas cidades do Brasil. Isto é um fenômeno social irreversível com a ascensão de renda: a exigência de maior transparência e eficiência nos gastos públicos. Esta nova consciência da vida pública exige líderes políticos, com perfis diferentes dos que habitualmente encontramos no poder. Menos autoritários, mas com firmeza de propósitos; com maior grau de instrução para compreender e fazer uma leitura mais simples e rápida das necessidades da população, e não sujeito a negociatas, como alguns que se apresentam como representantes de uma parcela da população. Caraguatatuba passa por essa transição de forma pacífica, adequando-se ao novo cenário, para um tecido social forte, com o propósito de cada vez mais melhorar o bem-estar social e ajuste para a classe média. Nos próximos anos veremos uma cidade diferente, com menos viés turístico e mais para o fortalecimento do residente da classe média. *O Prof. Dr. Ricardo Zöllner Holmos, consultor e colaborador da Revista da Cidade, é especialista em Economia pela USP. NR – O texto do “Perfil da nova classe média de Caraguá” foi adaptado e condensado de um trabalho mais amplo e completo do Prof. Dr. Ricardo Zöllner Holmus, que pode ser encontrado no site www. issuu.com/revistadacidade para ser consultado pelos interessados.

34

REVISTA DA CIDADE

Abril 2014


Abril 2014

REVISTA DA CIDADE

35


A arte e

Sara Belz

Pintora, gravadora, desenhista, ilustradora, curadora, artista multimídia e poetisa, Sara Belz está entre nós, contribuindo e criando para o desenvolvimento das artes plásticas em Caraguá. Aqui, uma mostra de alguns de seus trabalhos.

36

REVISTA DA CIDADE

Abril 2014 2014

1975 - 12 Na casa da Simone

2005 - Submarino Amarelo


Sara Belz - 413

Sara Belz - 39

1996 - Cavalo

Sara Belz - 394

Arte e Talento

e o talento

2014 Abril 2014

REVISTA DA CIDADE

37


Criança Amada é

Criança Feliz...

A falta de carinho e atenção prejudica a formação psicológica das crianças e pode causar traumas irreversíveis.

V

ivemos a era da impessoalidade. Cada vez dedicamos menos atenção às pessoas e às relações interpessoais, aí se incluindo o núcleo familiar. As exigências e cobranças da sociedade obrigam-nos a trabalhar cada vez mais para poder desfrutar do que ela nos oferece em matéria de bens materiais e consequente “status” social. Neste contexto, as mães se tornam cada vez mais ausentes, da mesma forma que os pais se dedicam cada vez mais a outros interesses, em detrimento da família. As facilidades de “fuga” dos contatos pessoais aumentam a cada dia pelo uso da internet e dos games, que absorvem nosso tempo e atenção, sem o desgaste do convívio, por vezes antagônicos e diferentes de nosso modo de pensar e viver, que aborrecem e desgastam a paciência, e por vezes nos magoam. Quem mais sofre com isso são as crianças, que necessitam de atenção e carinho para uma formação psicologicamente sadia. As crianças

38

REVISTA DA CIDADE

Abril 2014

irão repetir em sua vida os exemplos recebidos da família e particularmente dos pais. Pais ausentes afetivamente, normalmente provocam traumas em seus filhos, que irão repetir determinados comportamentos pelo resta da vida. A presença afetiva da mãe é importantíssima no desenvolvimento da personalidade de seus filhos, assim como o carinho, atenção, diálogo e presença do pai oferecem segurança para o ser em formação. P a i s r í g i d o s e / o u d e s i n t e r e s s a d o s, provavelmente vão formar pessoas problemáticas em seus relacionamentos, desde a infância até o final de sua existência. Tenho encontrado pessoas que, infelizmente, descobrem tarde demais que não dedicaram à família e aos filhos a atenção necessária na etapa da vida em que isso era mais necessário, e colhem frutos amargos por conta dessa omissão. Cuidados, atenção, carinho, diálogo, participação em sua vida e do que mais necessitam as crianças em formação.


Legenda: Nestas fotos que nos foram cedidas pelo Prof. Dr. Ricardo Zรถllner Holmo, constata-se a felicidade provocada pelo bom relacionamento com seu filho Luan.

Abril 2014

REVISTA DA CIDADE

39


Caraguá está em festa...

A

nossa querida Caraguá comemora mais uma primavera neste 20 de abril de 2014. São 157 anos de histórias, batalhas ganhas, etapas vencidas; de quase um nada a se lamentar. Durante o percurso houve alguns senões, como o da vila que desertou e da catástrofe que se abateu sobre a cidade em 1967, ceifando vidas. Mas soube-se aprender com os reveses naturais e deles tirar lições. O caiçara natural ou por adoção, que sempre soube enfrentar as dificuldades e sobre elas impor sua vitória, hoje saboreia um período áureo, refletindo na boa qualidade de vida de nossos cidadãos. A base de gás instalada na cidade –que já vinha num crescimento acelerado– selou para sempre o destino próspero desta terra. Mas não se pode perder de vista as raízes, esquecer daqueles que deram sua contribuição para a colheita dos bons frutos. Que construíram a nossa história. Da autoridade política de maior expressão ao cidadão simples, trabalhador, cumpridor dos seus deveres. Sim, somos todos responsáveis pelo sucesso de hoje. Todos demos contribuição para chegar até onde chegamos, cada um à sua maneira. Do caiçara de nascimento àquele que abraçou esta terra como sua e fez de Caraguá a sua segunda pátria. A cidade hoje é o somatório de muitas mãos que

40

REVISTA DA CIDADE

Abril 2014

se uniram para tornar a Princesinha do Litoral no local aprazível, de paz, felicidade e oportunidades que vivenciamos. Antônio Carlos, Bourabeby, Altamir Tibiriçá, Jair Nunes, Terezinha, Silvio Careca, Aguilar, Trombíni, Boneca, Matheus. São prefeitos que dignificaram esta cidade com seu trabalho e visão de homens públicos, apoiados por uma Câmara de Vereadores que se fez parceira para o crescimento do município. Como Vereador de Caraguá por dois mandatos, Presidente da Câmara no biênio 1983/1984, além de professor no Thomaz ao lado de pessoas inesquecíveis como Gardelin e Ângelo Barros de Araújo, posso dizer que ajudei a cidade a crescer, mercê de um trabalho reiterado, sério, voltado aos interesses da coletividade. Como Contador, orientando comerciantes e prestadores de serviços, gerando empregos, e principalmente como caiçara nascido na Fazenda dos Ingleses, sinto-me à vontade para cumprimentar a nossa querida Caraguá no dia do seu aniversário, tendo consciência do dever cumprido.

Parabéns, Caraguá... José Benedito Gonçalves Pinto Zezinho Prequeté


Assim tudo começou!

Nosso primeiro produto agrícola

J

á foi bastante divulgado que Caraguatatuba é uma palavra do tupi-guarani que significa “lugar de muitos caraguatás”, com certeza referência a um ponto geográfico para situar os indígenas que por aqui passavam no trajeto Ubatuba/São Sebastião/Ilhabela. Caraguatá é uma planta, a bromélia, de porte médio, que pode chegar até dois metros de altura. Com fibras resistentes, longas folhas com espinhos nas pontas e nas bordas, coroada com uma grande roseta vermelha, capaz de se distinguir na paisagem, produz um fruto semelhante a um abacaxi, apreciado pelos indígenas cru, cozido ou assado, do qual é feito um xarope expectorante, bom para amenizar a tosse e a gripe, muito utilizado por longos anos como medicação doméstica. Os caraguatás, quando ocupam grandes espaços, formam uma barreira praticamente intransponível, razão de serem usados no passado como cerca viva

de proteção para áreas habitadas. Espécie em extinção em nossa região, até poucos anos era possível ser encontrado espalhados pela orla junto à Mata Atlântica. Por que afirmar que o caraguatá foi nosso primeiro produto agrícola? Além dos usos já especificados, nos primeiros tempos de ocupação da região, com suas fibras longas e resistentes, o caraguatá era utilizado como matéria prima para a fabricação do primeiro produto artesanal do lugar. Existem referências de que os peregrinos e os religiosos usavam sandálias trançadas com as fibras postas a secar e transformadas em tecidos, tipo de trabalho que anos mais tarde ficou conhecido e popular como alpargatas, pelo seu solado, trançado, que, com modificações tecnológicas, pode ser encontrado ainda hoje em alguns países da América Latina. Além disso, muitos ornamentos eram confeccionados da mesma forma.

Abril 2014

REVISTA DA CIDADE

41


Médicos Cubanos chegaram a Caraguá

C

araguá recebeu oito médicos pelo Programa “Mais Médicos” do Governo Federal. O quadro é composto por seis cubanos, uma portuguesa e uma brasileira, que irão atuar no Programa “Estratégia de Saúde da Família (ESF)”, dentro das Unidades Básicas de Saúde (UBS).

Sinfonia à Beira-Mar

O

projeto sinfonia à beira-mar, com três atrações, aconteceu na Martim de Sá e Prainha. Os músicos Zé Maria, Gerard Scher e a cantora Taty Malesky se revezaram nas praias. Zé Maria executou clássicos da Bossa Nova e do Samba e Sher apresentou música clássica, erudita, MPB e músicas internacionais. Taty cantou MPB e Bossa Nova, acompanhada ao violão por um músico.

42

REVISTA DA CIDADE

Abril 2014


Abril 2014

REVISTA DA CIDADE

43


Catarata - Uma cirurg

N

ossos olhos possuem uma lente natural – o cristalino, responsável pela nitidez de nossa visão. Com passar dos anos, por fatores diversos, esta lente natural é alterada, perdendo sua transparência, tornando-se opaca, comprometendo a visão, doença que é designada como catarata. No passado recente, esta era uma alteração de difícil correção, causando sérios problemas, exigindo o uso de óculos com lentes desconfortáveis, e pela dificuldade de se conseguir tratamento, não raro levava à cegueira. A ciência se desenvolveu, novas técnicas foram descobertas e hoje a cirurgia

44

REVISTA DA CIDADE

Abril 2014

de catarata é um procedimento simples e rápido que agride pouco o organismo, não exige internação, com rápida recuperação do paciente. A catarata se desenvolve lentamente sem causar dor, sendo mais frequente a catarata senil, que ocorre com os mais idosos. Entretanto, existem outras, provocadas por doenças infecciosas, as congênitas e medicamentosas. A moderna técnica para a eliminação da catarata consiste em realizar uma pequena abertura no olho; a lente intraocular entra dobrada através dessa pequena abertura, proporcionando uma recuperação rápida e sem complicações.


gia cada vez mais simples Palavra do especialista O oftalmologista Dr. José Ernesto Servidei vem realizando um trabalho permanente para atender através do SUS portadores de cataratas que não dispõem de recursos para atendimento em clínicas particulares, usando a mais moderna técnica e recursos disponíveis nas cirurgias. “É gratificante esse tratamento para os pacientes, já com sérias dificuldades de visão em razão da catarata, que podem voltar a uma vida normal e mais feliz, o que seria praticamente impossível sem a intervenção cirúrgica”, disse o medico, acrescentando:

Fique atento: • O cigarro é prejudicial à saúde, todos sabem. Mas é bom saber que a fumaça do cigarro produz radicais livres, que aumentam o risco da ocorrência da catarata. Assim mesmo os fumantes passivos, ou seja, aqueles que ficam expostos à fumaça produzida pelos cigarros, têm aumentadas suas chances de contrair a doença. • O corpo humano funciona coordenado como um todo. Cuidar bem da saúde através

Volto a lembrar que o exame preventivo é o mais importante para a descoberta precoce da doença. Todos devem fazer exame ocular ao menos uma vez por ano.

de tratamentos adequados,como o diabetes, por exemplo, as chances de se ter catarata diminuem. • Proteger os olhos dos raios ultravioleta, usando óculos escuros de boa qualidade, também ajuda na prevenção da catarata. • Muitos estudos estão sendo feitos para a prevenção e tratamento da catarata. Por enquanto a cirurgia é a única alternativa.

Abril 2014

REVISTA DA CIDADE

45


Curiosidade

A

A falta de mão de obra

falta de mão de obra, tão destacada nos dias de hoje pelos empreendedores e pela população em geral, não é fato novo em Caraguatatuba. Já no Século XIX quando do ciclo do café, os fazendeiros se queixavam da falta de braços para o trabalho. A mão de obra escrava, extremamente cara, era buscada em outras regiões como Rio de Janeiro e Vale do Paraíba a “peso de ouro”, fato que se agravou a partir de 1850, quando da proibição do tráfico negreiro, que somente era contrabandeado por alguns navios e despejados em praias desertas, inclusive as da região de Caraguatatuba, confirmado por um relatório da Câmara caraguatatubense, destinado ao Presidente da Província, datado de 24 de abril de 1859. Em face desta dificuldade para obtenção de mão de obra em Caraguatatuba e seus custos elevados,

46

REVISTA DA CIDADE

Abril 2014

muitos fazendeiros abandonaram outras culturas como o fumo, a farinha e produtos de subsistência menos rentáveis, transferindo-os para pequenos agricultores no sistema de meação, para se dedicar exclusivamente ao plantio de café. Essa dificuldade para obtenção de mão de obra em Caraguatatuba é cíclica tendo existido em várias oportunidades no decorrer de sua história. Após a catástrofe de 1967, na reconstrução da cidade, embora não de forma tão acentuada, o problema existiu. As explicações são muitas. Uma delas é que a cidade, por ser relativamente isolada, com seus membros dedicando à pesca ou à agricultura, não cuidou da formação profissional para atender às necessidades de seu desenvolvimento. Por outro lado, a Fazenda dos Ingleses garantia o emprego da maioria da população.


Um pouco de nossa história

Caraguatatuba sempre foi uma região agrícola, só descoberta como roteiro turístico a partir de 1938, com a construção da estrada de acesso a Paraibuna. Com amplos espaços de terra plana, sua vocação, além da pesca artesanal, sempre foi formação de propriedades para o cultivo.

O ciclo do café

Como aconteceu também em todo o Vale do Paraíba, no Litoral Norte de São Paulo o ciclo do café trouxe grande impulso e prosperidade para a região. A onda verde vinda do Rio de Janeiro chegou a Caraguatatuba. Os produtos “para consumo”, farinha, milho, feijão, entre outros, são plantados apenas por agricultores de pequena importância. Os grandes fazendeiros, mais interessados no ouro verde e no comércio, ampliam sua produção de café em detrimento do açúcar e produtos de consumo. Depois de um período de quatro décadas que se seguem a 1830, o café começa a apresentar baixa

em seus índices. Foi o início. Os produtores, já endividados pelas “gastanças” dos bons tempos, foram abandonando suas atividades ao ponto em que, no final do século XIX, fomos classificados como município sem importância na produção de café, constatando-se que o apogeu da produção na região de Caraguatatuba deu-se entre 1830 e 1860, quando existiam mais de 10 fazendas no município, além de vários lavradores de café, fumo e cana de açúcar, produtos que se destinavam à exportação. Nesse período a população de escravos chegou a mais de 500.

Abril 2014

REVISTA DA CIDADE

47


Renovando o

VISUAL

48

REVISTA DA CIDADE

Abril 2014


M

uito na moda por sua praticidade e efeito decorativo, a textura pode dar nova vida aos ambientes, principalmente por sua possibilidade de camuflar remendos e imperfeições. Permite ainda o acabamento com efeitos decorativos, como aço escovado, bambu, camurça, craquelado, entre outros, que permitem harmonizar sua aplicação com o ambiente onde for empregado. A textura é econômica e não precisa de profissionais altamente especializados, basta que o pintor, que pode ser você mesmo, tenha um pouco de habilidade. E o telhado? Não se esqueça do telhado. As telhas precisam da aplicação de resinas que protegem e evitam infiltração, dando nova aparência à parte mais visível de uma construção.

Abril 2014

REVISTA DA CIDADE

49


50

REVISTA DA CIDADE

Abril 2014


Abril 2014

REVISTA DA CIDADE

51


52

REVISTA DA CIDADE

Abril 2014


Palavra do Jair

A Decisão do Prefeito

A

decisão do prefeito Antônio Carlos de renunciar que, posteriormente, após ponderações de amigos e correligionários, onde se incluíram o governador Geraldo Alckmin, o presidente da Assembleia Legislativa, Samuel Moreira, e o senador Aloysio Nunes, desistiu da ideia, não só pegou a todos de surpresa, como provocou os mais variados comentários sobre os motivos de sua decisão. Não vou dizer que tenho uma explicação, mas como ex-prefeito, talvez possa entender melhor os acontecimentos. Não é fácil estar à frente do Poder Executivo. O conflito de interesses, as incompreensões, a difamação por parte de muitos adversários, a dificuldade para realizar muitos projetos por conta da burocracia, e até mesmo a impossibilidade de dar maior atenção aos familiares e amigos, por vezes levam ao desânimo e, nestas horas, existe sempre a possibilidade de uma decisão precipitada para vencer o cansaço e o desgaste mental que nos impõe a função pública. Não posso afirmar que foi isso que aconteceu, mas posso dizer que é uma possibilidade. Não há como negar que o prefeito Antônio Carlos está sendo o mais ativo da história de Caraguá, não só realizando como conseguindo recursos e administrando as finanças do município, fato

reconhecido por instituições independentes de São Paulo e outros Estados. Em seu quarto mandato sequencial, que modificou o quadro político da cidade, impedindo a ascensão de seus adversários, é natural que estes aproveitem a oportunidade, procurando brechas jurídicas para afastá-lo do poder. Faz parte do conflito de interesses, mas este é um fato positivo. Demonstra a vitalidade política de nossa gente. O que preocupa é que aqueles que estão querendo alcançar o poder, não estão se preparando, não estão se qualificando para administrar, a fim de resolver os problemas, que são cada vez mais complexos em razão do desenvolvimento acelerado que temos tido nos últimos anos, aí se incluindo o aumento populacional, que exige cada vez mais a intervenção do Poder Municipal para manter e desenvolver a qualidade de vida que conquistamos. Limitam-se a criticar, por vezes sem fundamentos, para alcançar seus objetivos. Não sou partidário do atual prefeito, estando, de certa forma, afastado da política, mas como cidadão, que ao longo dos anos tem se dedicado à vida pública, nascido e criado em Caraguatatuba, testemunha de sua história e desenvolvimento, entendo que muito foi feito nestes últimos anos. Só espero que as novas lideranças que buscam o poder, possam, e venham, a fazer melhor.

* Jair Nunes dedicou-se à vida pública, tendo sido diretor da Sudelpa – Superintendência de Desenvolvimento do Litoral Paulista, prefeito de Caraguatatuba, secretário de obras da administração municipal; é engenheiro e professor.

Abril 2014

REVISTA DA CIDADE

53


Comida Japonesa virou moda na cidade

V

ários restaurantes especializados em comida japonesa foram inaugurados em nossa cidade nos últimos meses, alcançando sucesso de frequentadores, seguindo um modismo que se espalha pelo mundo. Entre nós, encontrando resistência num primeiro momento, depois de degustados, os pratos da culinária japonesa atraem e conquistam pelo sabor marcante, visual atraente e delicadeza no modo de preparo. Normalmente os pratos combinam diferentes frutos do mar, arroz, algas, cogumelos e molho shoyu, mas a culinária japonesa é muito mais variada, utilizando carnes, aves, vegetais e temperos picantes. Notamos que os sushis, peixe cru com arroz e algas, e os sashimis, lâminas de peixe cru, são a grande preferência, mas

para atender o paladar ocidental algumas variações foram introduzidas a partir de restaurantes dos Estados Unidos, com a criação de combinados, sushis e sashimis no mesmo prato, assim como os uramaky californianos rolls, sushi com recheio de manga ou frutas e maionese. Em Caraguá, no Alex Sushi, sempre antenado para as novidades e preferência dos apreciadores, é possível encontrar boa variedade de pratos que compõem a culinária japonesa. Muitos deles, originários da culinária chinesa, que se integraram ao sabor japonês, como os conhecidos Tempurá e Yaksoba, também estão disponíveis. Surpreenda seu paladar. Procure conhecer e experimentar a comida japonesa, saborosa, atraente e de fácil digestão.

“Um modismo que se espalha pelo mundo” 54

REVISTA DA CIDADE

Abril 2014


Abril 2014

REVISTA DA CIDADE

55


A culinária japonesa conquistou adeptos e apreciadores no mundo inteiro. O exotismo dos pratos e a maneira como são apresentados chamam a atenção não apenas pela beleza e variedade de cores e sabores, mas também pelo equilíbrio e o perfil saudável de cada elemento que os compõe.

Alex Boihagian Dinâmico, criativo e sempre antenado nas novidades

Conheça um pouco mais da culinária japonesa Além dos sushis e dos shashimis, um dos pratos mais populares da culinária japonesa são os temakis, aqueles cones recheados com gohan (arroz japonês) e algum tipo de peixe ou frutos do mar, vegetais, ovas. Os temakis são as delícias de muitas pessoas, por isso, hoje, além do festival de sushis e sashimis, que incluem os temakis, encontramos também rodízio somente de temakis. Os mais comuns são de salmão, califórnia (kani, manga, pepino), atum, peixe branco, ovas e só vegetais. A maioria inclui maionese e cebolinha e ainda podem ser feitos através da combinação de um ou mais peixes e frutos do mar. São servidos com wasabi (raiz forte) e devorados com shoyu. Criados como comida rápida da terra do sol nascente, na época em que os quiosques de sushis eram a opção mais popular, justamente pela facilidade no preparo da comida, o sushiman enrolava na própria mão uma espécie de charutinho, com os recheios disponíveis, e passava às mãos dos clientes, tornando-se, a partir daí, uma iguaria a mais para compor a culinária japonesa. O molho shoyu era oferecido e m b a c i a s c o mu n i t á r i a s dispostas sobre o balcão. Para evitar que ele pingasse nas roupas das pessoas, em 1924 os japoneses inventaram o formato de cone. Pela facilidade no consumo e por ser uma opção mais saudável de comida rápida, o temaki foi incorporado à cozinha do brasileiro, e ganhou diversas versões, como a de carne-seca e queijo, e as doces, com chocolate ou goiabada. 56

REVISTA DA CIDADE

Abril 2014


Abril 2014

REVISTA DA CIDADE

57


Pinhão

Uma opção para inovar sua refeição

Outono-inverno, época do nosso conhecido pinhão, semente da araucária que enriquece a culinária brasileira. Desde um simples cozimento, de preferência em panela de pressão por ser mais rápido, degustado apenas com sal, até pratos mais elaborados que estão sendo criados por renomados chefs, o pinhão, já bastante popular no sul e sudeste, vai se transformando numa atração gastronômica, frequentando mesas de maior requinte. As receitas são muitas e vão se ampliando, mesclando sabores, ornamentando pratos ou complementando receitas inovadoras. Vale a pena procurar e experimentar.

58

REVISTA DA CIDADE

Abril 2014

Bom para a saúde

Vivemos um tempo em que existe maior preocupação com a saúde, procurando-se sempre uma alimentação saudável e nutritiva. Segundo pesquisa da Embrapa – Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, o pinhão revelou-se rico em fibras e potássio, contribuindo para o bom funcionamento intestinal e prevenção de problemas cardiovasculares.


Gralha-Azul, ave símbolo do Paraná A Gralha-Azul tem como alimento predileto o pinhão, fruto do pinheiro (Araucária). Depois de fartar-se, ela quebra com o bico a cabeça do pinhão, impedindo assim o seu apodrecimento, e enterra-o com a extremidade mais fina voltada para cima, o que favorece a germinação. Graças a essa feliz interação, a Gralha-Azul e o pinheiro têm conseguido se perpetuar através dos tempos.

Abril 2014

REVISTA DA CIDADE

59


Dicas E x p e r i m e n t e

Onde Comer Bem

Lunamar – vale a pena ir até lá

Quem gosta de saborear uma boa pizza em ambiente agradável e atendimento primorosos, tem que ir até a Pizzaria Lunamar, que fica na Avenida da Praia, esquina com a Avenida Miramar, no Porto Novo. São mais de 30 sabores especiais para atender ao mais exigente paladar.

Tapera Branca – a variedade faz a diferença

O Tapera Branca, com dois endereços na Praça Cândido Mota, atrai aqueles que gostam de comida caseira, tipicamente ,mineira, servida pelo sistema self-service. A variedade permite que se elaborem pratos sofisticados e saborosos, selecionando porções que atendam ao nosso desejo gastronômico, pois além das saladas, massas, assados, peixes, pernil e aves, as carnes grelhadas na churrasqueira completam a possibilidade de uma ampla escolha. Sem falar nos doces e frutas, que são uma tentação à parte.

60

REVISTA DA CIDADE

Abril 2014

Akebono – o endereço da cozinha oriental

Com um delicioso cardápio da cozinha oriental, onde se destaca o yakisoba, o frango xadrez e os bolinhos primavera, o Restaurante Akebono atrai os apreciadores da boa comida pelos requintados pratos de frutos do mar, preparados com receitas especiais que lhes conferem sabor exclusivo. O Akebono é uma das atrações gastronômicas da Avenida da Praia.

Pastel do Trevo – Qualidade faz a diferença

Famoso pela tradição e qualidade, o Pastel do Trevo de Bertioga oferece mais de 26 tipos de pastéis salgados de 30 cm, que valem por dois, e mais 07 tipos de pastéis salgados de 17 cm. Já os pastéis doces, somam 9 tipos com 20cm. Entre os prediletos estão o de carne moída, palmito, bacalhau, carne seca e sem falar nos pastéis doces que são uma tentação. A partir do mês de maio você pode pedir o seu pastel em casa, basta pedir no Delivery 12.3882.6611. O Pastel do Trevo de Bertioga está situado no centro da cidade, na Praça Diógenes Ribeiro de Lima, 699. Vale a pena experimentar!


Abril 2014

REVISTA DA CIDADE

61


HISTÓRIASDAVIDAREAL

Histórias da vida real vividas por personagens que moram em Caraguatatuba. Os nomes são fictícios

É o d u T Nem

o ã ç i a r T a m U

62 62

REVISTA REVISTA DA DA CIDADE CIDADE

Abril Abril 2014 2014


C

om pouco mais de trinta anos, s o u r e l a t iva m e n t e j ove m , disponho, segundo dizem, de boa aparência, busco me manter fisicamente atraente, e tenho tido relacionamentos afetivos com mulheres bem mais velhas do que eu. Tr a b a l h o e p r o c u r o m e d e s e nvo l ve r profissionalmente, mas gosto de me sentir protegido e as pessoas com quem me relaciono possuem situação financeira estável, dispondo de rendimentos próprios por receberem pensão de seus ex-maridos ou através de seu trabalho como empreendedoras ou profissionais liberais. Não tenho vergonha de dizer que ganho muitos presentes e, p o r ve z e s, q u a n d o e m dificuldades, ajuda financeira, da mesma forma que levo um padrão de vida que dificilmente conseguiria, frequentando restaurantes, festas, passeios e viagens, e até carro à minha disposição. Isto, entretanto, não é uma imposição, mas consequência natural do estilo de vida de minhas companheiras. Sempre fui criado com muito carinho por meus pais que lutaram para me proporcionar um padrão de vida digno. Tornei-me uma criatura afetiva. Gosto de acariciar as pessoas de quem gosto. Aprendi, embora não profissionalmente, a fazer massagens relaxantes. Não sei por que gosto especialmente de massagear os pés das pessoas. Lembro de que meu pai levava o café da manhã em uma bandeja, para minha mãe tomar café na cama quando estava acordando. Às vezes, quando ainda criança, eu tirava uma “pontinha”

e o nosso café da manhã era ali, muito afetivo, muito gostoso. Aprendi a fazer o mesmo, é muito agradável e cativa as pessoas, ajudando a manter um relacionamento tranquilo, sem agressividade, com muito diálogo e, por que não dizer, até com juras de amor. O único problema que encontro é que as pessoas com quem me relaciono, em razão de experiências anteriores, são muito carentes e acabam se tornando possessivas, “grudentas”, de uma forma tal que, por vezes, torna difícil a convivência, mesmo com tudo de bom que proporciona. Minha válvula de escape, para não me tornar agressivo e grosseiro, é manter algum outro relacionamento descartável, com moças mais jovens e desligadas, para contrabalançar o sufoco que acabo sentindo. Não considero isso uma t r a i ç ã o, j á q u e n ã o s e trata de nada sério ou comprometedor. Mas nem todo o mundo entende assim e, quando descoberto, o rompimento acaba acontecendo, com desentendimentos, sofrimento e até atos de vingança, o que não é legal. Penso, por vezes, que foi um momento de fraqueza de minha parte, busco o perdão para reatar o relacionamento, mas como não consigo, acabo me envolvendo com outra mulher, sempre mais velha do que eu. Deixo de citar nomes, mesmo fictícios, para não causar constrangimentos, já que, apesar de tudo, continuo mantendo algum tipo de sentimento para com aquelas com quem convivi e me fizeram feliz pelo tempo em que estivemos juntos.

... Não considero isso uma traição, já que não se trata de nada sério...

José Luiz, corretor de imóveis, natural de São José dos Campos, em Caraguá há 15 anos.

Abril2014 2014 Abril

Lembro de que meu pai levava o café da manhã em uma bandeja, para minha mãe tomar café na cama quando estava acordando.

REVISTADA DACIDADE CIDADE REVISTA

63 63


Comodato

Empréstimo Gratuito

O

cidadão tem o costume de praticar alguns atos de sua vida civil deixando de observar requisitos legais necessários e, com isto, pode sofrer prejuízos e ter aborrecimentos que poderiam ser evitados. Serve como exemplo o empréstimo de imóvel sem cobrança de aluguel, geralmente feito com um amigo ou parente. O empréstimo com pagamento de aluguel é conhecido e utilizado por todos, sendo documentado através de um CONTRATO DE LOCAÇÃO. Entretanto, quando o empréstimo é gratuito, acaba ficando na base da confiança, sem qualquer documento, tudo acertado verbalmente, de forma amigável. Este empréstimo, entretanto, não poucas vezes, termina de forma não tão amistosa quanto começou. Aí, o risco de prejuízo do proprietário que emprestou seu imóvel é quase certo e, muitas vezes, inevitável, principalmente em nossa cidade, em que existem muitos imóveis cujos proprietários detêm apenas direitos possessórios. Tal prejuízo poderia ser evitado se as partes soubessem que este empréstimo sem cobrança de aluguel tem previsão legal, sendo capitulado no Código Civil como COMODATO, que é um contrato unilateral, gratuito, pelo qual alguém (comodante) entrega a outrem (comodatário) coisa infungível (que não pode ser substituída por outra igual), para ser usada temporariamente e depois restituída, no prazo convencionado, que pode ser determinado ou indeterminado, ou para finalidade específica. Por não ser o objeto fungível, gera para o comodatário a obrigação de restituir ao final do comodato, o mesmo bem recebido, cuja restituição o proprietário somente poderá exigir antes de findo o prazo convencionado, em caso de necessidade imprevista e urgente, reconhecida pelo Juiz.

Bel. Jordelino Olímpio de Paula

A gratuidade é o que distingue o comodato da locação, sendo que, assim como na locação, no COMODATO quem empresta o bem continua como seu proprietário e quem o recebe deve conservá-lo como se fosse seu, não podendo, entretanto, alugar e nem emprestar, sem anuência e concordância do proprietário. Não somente o proprietário pode dar em comodato, também o usufrutuário pode fazê-lo e, mesmo o locatário, desde que autorizado pelo locador. Tratando-se de empréstimo de bem imóvel o desconhecimento desse preceito legal pode trazer surpresa desagradável ao proprietário, pois pode aquele que recebeu o imóvel por empréstimo, após algum tempo, ante a falta de documento, alegar que mantinha posse em nome próprio e reivindicar judicialmente a propriedade, através de uma ação de usucapião. Pode, ainda, alegar que ocupava o imóvel como “caseiro” do proprietário e pleitear direitos trabalhistas. Assim, sempre que for emprestar qualquer coisa, de forma gratuita, principalmente bem imóvel, deve-se deixar claro as condições e o termo final, estipulando-se uma data ou a finalidade do empréstimo, a qual, quando atingida, colocará fim ao comodato. Embora o comodato, mesmo tratando-se de imóvel, possa ser contratado até verbalmente, pois a lei não exige forma especial para sua constituição, que ocorre com a tradição (entrega) do objeto, é totalmente recomendável que se adote a forma escrita, documentando-se o empréstimo através de um CONTRATO DE COMODATO, que pode ser particular ou de forma pública, através de um Tabelião. Se feito de forma particular, prudente reconhecer em cartório a firma do comodatário e, ainda mais seguro, registrar o contrato em Títulos e Documentos, para garantir autenticidade, publicidade, guarda e validade contra terceiros.

Estaremos aceitando sugestões sobre assuntos a serem abordados, desde que pertinentes a nossos serviços, o que poderá ser feito pelo correio eletrônico (tabeliaocaragua@terra.com.br), ou pessoalmente no Cartório, situado na Avenida Presidente Campos Salles, 114, bairro Ponte Seca. O Bacharel Jordelino Olímpio de Paula é Tabelião de Notas e Anexos de Caraguatatuba tabeliaocaragua@terra.combr - www.cartoriocaragua.com.br Av. Presidente Campos Salles, 110/114, Ponte Seca - Fone 12.3886.4381 64

REVISTA DA CIDADE

Abril 2014


Abril 2014

REVISTA DA CIDADE

65


66

REVISTA DA CIDADE

Abril 2014


Abril 2014

REVISTA DA CIDADE

67


68

REVISTA DA CIDADE

Abril 2014


Abril 2014

REVISTA DA CIDADE

69


70

REVISTA DA CIDADE

Abril 2014


Abril 2014

REVISTA DA CIDADE

71


72

REVISTA DA CIDADE

Abril 2014

Revista da Cidade Edição 38  

Caraguatatuba, Atualidades, Litoral Norte, Praias, Entreterimento, Diversão, Lazer, politica, Caragua, Sao Paulo, Acontecimentos, Vida da Ci...