Issuu on Google+


Caros leitores Graças a vocês a cada edição o nosso sucesso aumenta mais. Nessa sétima edição, a do mês de junho, iremos falar da Copa do mundo com uma matéria especial e um roteiro, sobre onde o Formosense pode acompanhar a transmissão dos jogos. Temos também dicas de trajes para festa junina, além de um conteúdo especial para o dia dos namorados. Na capa, agradecemos ao Caio Juvenal e a Stephani Ampessam, Stephani por sinal veste as marcas da Pocoloca Modas, de nossa amiga Valéria Ferreira Borges. Você também verá a promoção Curtidas do Amor em parceria com a Morana Acessórios onde alcançamos mais de vinte mil pessoas interagindo e escolhendo os seus casais preferidos, alguns dos casais mais curtidos você confere nessa edição. Portanto agradecemos à vocês, leitores fiéis que nos acompanham, e já avisando que estamos concluindo o mais completo portal de notícias da cidade, o Portal Auê, com atualizações diárias sobre a cidade, o Brasil e o mundo, cobertura de eventos, agenda, gastronomia, turismo, e muito mais. Em breve novidades. Kleber José - Diretor Responsável e equipe Auê. auerevista@gmail.com

Agite,

faça Auê! As informações e opiniões são de responsabilidade de seus idealizadores!


Roteiros

Saúde

Responsabilidade social

Encontre na Auê #07

Social

Atualidades

36 44

Esporte

Curtidas de Amor Mundo e Sociedade

34 40

Cultura

Agronegócios

26 32

18

20 49

Negócios

Literatura

20 38

Moda

08 10 12

46 48 Boa Leitura!

Revista Auê, um produto Cerrado Comunicação Av. Circular do Cemitério, nº103 - Centro - Formosa-GO Fale conosco, sugestões, dúvidas e críticas: auerevista@gmail.com - (61) 3432-1108

@revistaaue Expediente: Diretor Responsável: Kleber José Colaboração: Camila Alves Revisão: Ademir Sampaio Projeto gráfico e diagramação: Thiago Leite Design gráfico: Felipe Junior Fotografia: Renatta Muniz Atendimento: Kleber José (61) 9975-0607 Irenilda Borges (61) 9921-0251 Impressão: Gráfica Portal Print Tiragem: 3.000 exemplares mensais

24 42


RESPONSABILIDADE SOCIAL

Apae 39 anos de grandes conquistas

N

o dia 26 de maio de 2014 APAE - Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais – de Formosa-GO, conquistou mais um importante benefício para atender a unidade. Um ônibus adaptado para o transporte dos alunos. Um sonho antigo que finalmente tem à disposição esse veículo, totalmente, dentro das normas para atender a realidade dos estudantes que frequentam a APAE. O mesmo foi adquirido 100% com recursos da comunidade, através de colaboração mensal, participando dos eventos, ou com moedas na campanha “SEU SENTIMENTO CABE NUMA LATINHA” cofrinhos que foram espalhados pelo comercio da cidade. Juntos conseguimos conquistar essa vitória que doravante estará beneficiando os alunos com deficiência intelectual, múltipla e diversas síndromes. A APAE é uma instituição filantrópica, sem fins lucrativos declarada de utilidade Pública Federal, Estadual e Municipal, única no município especializada no atendimento a crianças, jovens e adultos com deficiência

O novo ônibus da APAE.

Apoio Institucional:

8


Tecnologia Assistiva – Aluna: Vanessa Pereira

Projeto meio ambiente - Alunos: Gilvânia Sales, Eliane de Lourdes,Julio Cesar.

intelectual, múltipla e diversas síndromes. Atualmente estão em atendimento mais de 100 alunos em três projetos distintos, que são: Atendimento Educacional Especializado - AEE. Autonomia Socialização e Integração - ASI e Projeto Refazer. A estrutura hoje conta com convênio com a SEDUC, que disponibiliza os profissionais da Educação que tem como meta estimular a independência dos alunos nas atividades de vida diária e prática, para torná-los autônomos no convívio social. Temos parceria com a Prefeitura Municipal de Formosa que disponibiliza, 1 (um) Fisioterapeuta, 2 dois) Dentistas e 2 (dois) Auxiliares de dentista. Contamos também com o apoio da Pionner com o atendimento de uma psicóloga. Os nossos alunos recebem todo tratamento odontológico, em consultório próprio que foi adquirido também com recursos da comunidade. Recebem alimentação, transporte escolar, matéria-prima para as oficinas e toda estrutura administrativa e pedagógica. Captar recursos que promovam e articulem ações que melhorem a Qualidade de Vida dos educandos da APAE Formosa. Este é o principal objetivo da diretoria e equipe de Telemarketing da organização, que desde 2003 vem buscando junto a comunidade captar recursos para viabilizar vários projetos da instituição.

Alunos a caminho de casa

Acessibilidades do Ônibus – Aluna: Kariny Batista

A APAE Formosa agradece a todos aqueles que já se mobilizaram em favor de ações desenvolvidas pela instituição. Quando você receber uma ligação da APAE, de um ALÔ e participe da “SOLIDARIEDADE INCLUSIVA”. Nossa gratidão a todos que colaboram tornando realidade este sonho. Alda Maria Muniz Presidente - 2014/2016 APAE – 61 3631-2466


SAÚDE

Dicas de

Saúde

Dicas saudáveis com Amanda Silverio Amanda é, empresaria, massoterapeuta, esteticista corporal e facial, terapeuta naturalista, terapias do amor, terapeuta sexual, terapeuta de casais, professora de estética corporal e facial, treinadora de protocolos de beleza e outros.

Poucas pessoas sabem os benefícios do abacaxi em nossa saúde. O abacaxi é rico em vitamina C e contém bromelina, poderosa enzima que facilita a digestão, por esta razão ajuda a redução de medidas. O chá reduz o apetite, proporciona saciedade, é termogênico e diurético. A casca do abacaxi desintoxica e ajuda a emagrecer, o chá também é desintoxicante após aquele final de semana de exageros. CHÁ Ingredientes: Casca de um abacaxi 1 litro de água 6 folhas de hortelã Modo de preparo: Ferva a casca do abacaxi por 10 minutos, desligue o fogo e acrescente as folhas de hortelã, tampe e deixe descansar por 5 minutos, bata no liquidificador, coe e sirva. SUCO Ingredientes: 3 rodelas de abacaxi sem miolo Suco de 2 limões ( sem sementes ) 1 rodela pequena de gengibre sem casca Modo de preparo: Bata no liquidificador coe e sirva com gelo

10


ROTEIROS

Vai Brasil!

E

Por Camila Alves

ae você já está ansioso pelo dia 12 de junho de 2014? Alguns casais novos diriam que sim, afinal esperaram muito pelo primeiro dia dos namorados que irão passar juntos, os planos já estão a mil, eu pelo menos estou tentando pensar em algo. Mas estou falando da outra data que nesse ano recebeu um peso a mais. Ouvi rumores de casais apaixonados lutando pra mudar o dia dos namorados pro dia 11. Mas, podemos juntar os sentimentos e o dia 12 será repleto de beijos e corações verde e amarelos e o grito será Vai Brasil, eu te amo meu amor ! Foi em 1930 que os refletores iluminaram o meio de campo, para o evento mais esperado do futebol, a Copa do Mundo. Eram 13 equipes convidadas e o país sede e campeão foi o Uruguai. De quatro em quatro anos torcedores do mundo todo aguardam ansiosos os jogos e a participação de seus paises. Mas parece que aqui no Brasil a vontade é maior, prova disso é que somos o único país que participou de todas as 18 edições e o único a ser pentacampeão. Mas já fazem 2 edições que estamos tentando mudar esse placar e será que por ser em casa vamos levar a tão esperada estrela Hexa? Para os que gostam, assistir um jogo de sua seleção é tudo de bom, cada lance, passe e gol trás uma emoção a mais e se o país chega as finais e é campeão o coração do torcedor pula mais forte! Em 2002, quando o Brasil foi pentacampeão, foi uma emoção muito grande nas ruas, a paceata, buzina rolando pra todo lado e eu lá em cima do caminhão do meu pai, torcendo, foi mais dificil de acompanhar, mas mesmo assim de madrugada a gente ia torcer com os parentes, todo mundo estava ali gritando por um motivo, felicidade por ser brasileiro.

Copa de 1930, no Uruguai.

Brasil, campeão em 2002.

12


E esse ano, você já se preparou? Como está a expectativa? Vamos aproveitar o amor do dia 12 e fazer ele durar até o último dia de jogo e pra te ajudar separamos algumas dicas de onde você pode juntar com a galera e 1º Jogo - 1ª Fase acompanhar a 1ª fase da copa, Vai Brasil !!! 2º Jogo - 1ª Fase 3º Jogo - 1ª Fase

Brasil x México Ter 17/06/2014 16:00h Castelão

1º Jogo - 1ª Fase 2º Jogo - 1ª Fase 3º Jogo - 1ª Fase

Camarões x Brasil Seg 23/06/2014 17:00h Mané Garrincha

Brasília-DF

1º Jogo - 1ª Fase 2º Jogo - 1ª Fase

Brasil 3º Jogox -Croácia 1ª Fase Qui 12/06/2014 17:00h Arena Corinthians

São Paulo-SP

Onde assistir? Conveniência

Informações (61) 9636-6077

Premier Assista aos jogos com a cerveja mais gelada da cidade.

Mynella Conveniência e Comer Leve Ambiente Coberto; Cerveja geladíssima; Petiscos.

Animação com Dj Gelin e Dj Walmir Kamonk

Bar e Espetos

Neto Bala

Transmissão completa de todos os jogos; O Melhor Happy Hour Da Cidade.

BarbauêH

Transmissão dos jogos no telão e nas Tv´s - e mais: Dj Gelin

Av. Tancredo Neves nº 1330 - Saída Sul

Informações (61) 3631-5976 Anexo ao Miguel Auto Posto - Centro

Informações (61) 9858-4765 Av. Brasília - Anexo Ao Posto JB (próximo a faculdade IESGO)

Reservas de mesas (61) 3631-4229

Laguinho do Vovô - Centro

Fontes e fotos: Globo.com / Uol.com.br / Copa2014.gov.br

Fortaleza-CE


LITERATURA

Nívea Braga Professora de Publicidade e Propaganda do IESB, Mestre em Comunicação Social, Redatora Publicitária, Coach e Escritora.

A verdadeira faxina

É

bela e romântica a história da Cinderela – ou da Gata Borralheira, se assim preferirem. Uma menina, incrivelmente bondosa e dedicada, mas injustiçada pela vida, vive humilhada até que, magicamente, o destino muda tudo. Uma fada madrinha, um baile, um vestido de festa e, por fim, um príncipe encantado orquestrama profunda mudança em todo o universo construído e revelam a maravilhosa condição de princesa que Cinderela sempre possuiu. Então eles se casam e vivem felizes para sempre. E a gente cresce sonhando com príncipes e fadas, com algo que é magicamente deixado para trás e uma nova vida que acontece quando, aí sim, seremos felizes. Penso, no entanto, que no mundo real, só nos resta mesmo a faxina. Não a faxina da casa, mas a faxina do que somos. Recebemos um dom bem definido, bem marcado, que nos particulariza e nos enche de possibilidades diante da vida. Esse sim, o maior dos tesouros. Mas ele não vem pronto. Ele vem envolto em panos, esfregões, baldes e cabe a nós a árdua tarefa de começar a limpar os excessos. É uma tarefa de muitos anos ou (quem sabe?) muitas vidas. Abandonar o orgulho ou a resignação exagerada, polir o excesso de autoconfiança ou angariar um pouco daquilo que não temos, ir arrumando cada canto da casa com esmero e paciência sem ter sequer ideia de onde vamos chegar. Depois,

16

é tempo de sentar diante da máquina e costurar o próprio vestido de festa, sem nenhum luxo ou exagero. Com o tempo, estaremos prontos para ir ao encontro do outro que pode nos escolher, entre mil, para um novo capítulo dessa história. Não se iluda – nada começa com o “felizes para sempre”. É ali que um casal, junto, volta à estaca zero e recomeça a vida. Carregando, certamente, novos dons, também envoltos em panos de chão e poeira, com a incrível missão de polimento. O baile é inebriante, mas também exigente, requer harmonia para a dança e sorte para os imprevistos. Não é imune aos pisõesde pé que acontecem ou aos passos em falso. Às vezes, no melhor da festa, ouvem-se as doze badaladas. É hora de um dos dois partir ao encontro de Deus. E pra trás, fica o sapatinho que simboliza que uma pista foi deixada para que algo nunca se perca. Conheço uma Cinderela assim, que acaba de deixar o baile que chamamos de vida. Elizabeth. Ela volta à fonte, com vestido de festa tecido por ela e olhos irradiando o amor maior. O nosso príncipe, que é José e também Paulo, segue procurando-a em cada detalhe, mas sabe que ela descansa no Pai. Em nosso conto-de-fadas moderno, existe um espaço sim para a saudade e o recolhimento. Mas, principalmente, para a certeza de que o que é eterno vai muito além de uma história bem contada. Para o meu sogro, para a minha sogra, para os meus familiares, com muito carinho.


AGRONEGÓCIOS

Agronegócio o que é isso?

A

o contrário do que muitos pensam, mesmo em tempos muito antigos, o homem não era um caçador que comia só pedaços de carne e arrastava sua mulher pelos cabelos para sua “caverna”. E daí, o que tem a ver isso com o Agronegócio? Calma, tudo começou mesmo com as chamadas Revoluções da Agricultura Moderna, às quais são três, e estamos passando por uma quarta revolução. A primeira revolução agrícolaaconteceu quase junto com a Revolução industrial na Inglaterra, na segunda metade do séc XVIII e meados do séc XIX (por volta de 1780) com o fim do feudalismo e início do capitalismo. Nessa, as atividades agrícola e pecuária deixam de ser opostas e realizadas separadamente, para se tornarem complementares. Pela primeira vez na era moderna houve resolução do problema da escassez de alimentos propiciado pelo uso intensivo da terra; nesse tempo, também houve a prevalência da visão aristotélica de nutrição vegetal: grande importância ao húmus - adubo orgânico, do solo.

18

Jerson de Castro Sant’Anna Mestre em Ciências Agrárias, pela UNB - Brasília -DF. (2007) e mestrado em Ciências Agrárias pela Universidade de Brasília (2006). Funcionário público em Formosa, na AGRODEFESA. É COORDENADOR do Curso de Biologia da UEG, compõe o corpo docente da Faculdade Cambury e Universidade Estadual de Goiás.

Porém, como nem tudo que reluz é ouro, surgiram sérios problemas que levaram o mundo a uma segunda revolução agrícola: a demanda por matéria orgânica para a fertilização dos solos cresceu muito – a produção de esterco nas fazendas era insuficiente para atender as necessidades dos solos, e até resíduos orgânicos urbanos eram utilizados. Isso gerou uma limitação da expansão de grãos, uma vez que para a manutenção dos animais, se exigia a ocupação de terras com plantas forrageiras - plantas que os alimentam. Essas dificuldades e os importantes avanços científicos conseguidos, principalmente na área da química, na primeira metade do século XIX, criaram condições para o surgimento da segunda revolução na agricultura moderna. Inaugura-se a era da “agroquímica” e diminui a importância da matéria orgânica na nutrição das plantas. Os adubos químicos provocaram uma rápida mudança “para melhor” na fertilidade dos solos, logo houve ganhos rápidos de produtividade como nunca antes, daí os agricultores


não mais dependiam da atividade de produção animal e da mão- de- obra por ela requerida. A indústria, gradativamente, apropriou-se de atividades relacionadas com a produção e o processamento que, em conjunturas passadas, tudo era produzido e gerado na fazenda; agora não mais, era fora. Godman, Sorj & Wilkinson (1987) chamam de apropriacionismo o processo pelo qual certos componentes da produção agrícola passam a ser realizados pelo setor industrial, como, por exemplo, a elaboração de fertilizantes químicos, as rações para a alimentação animal, a indústria de máquinas e equipamentos, o desenvolvimento de motores de combustão interna e a seleção e produção de sementes. Por fim, no final da década de 60 e início da década de 70, os avanços do setor industrial agrícola e das pesquisas nas áreas química, mecânica e genética culminaram com um dos períodos de maiores transformações na história recente da agricultura e da agronomia: a terceira Revolução Agrícola,a chamada, ou “difamada”, de Revolução Verde. A Revolução verde, foi uma verdadeira revolução mesmo. Um Homem se preocupou com a fome no mundo e mudou o curso da História. Norman Ernest Borlaug (1914-2009), engenheiro agrônomo americano foi o pai da Revolução Verde. Ganhou prêmio Nobel da Paz em 1970, e a Medalha do Congresso - a maior condecoração civil dos Estados Unidos em 1986.

Adotou-se como práticas tecnológicas da Revolução Verde, variedades vegetais geneticamente melhoradas, variedades vegetais exigentes em fertilizantes químicos de alta solubilidade, agrotóxicos com maior poder biocida, irrigação e moto mecanização. No que se refere ao aumento da produção total da agricultura, a Revolução Verde foi sem dúvida um sucesso. Entre 1950 e 1985 a produção mundial de cereais passou de 700 milhões para 1,8 bilhões de toneladas. Nesse período, a produção global de alimentos dobrou e a disponibilidade de alimento por habitante aumentou em 40% E para que serve sabermos tudo isso? Para entendermos corretamente o termo agronegócio, traduzido do inglês não exatamente de “agribusiness”, para valorizarmos nossa cidade - Formosa, que tem sua economia calcada em muitas empresas do ramo: revendas, casas agropecuárias, produção de sementes certificadas para mercado interno e exportação, comércio de maquinaria agrícola – tratores, implementos e colheitadeiras de alto nível; sem contar as altas produtividades agrícolas obtidas nas fazendas. E ainda, muitos formosenses que trabalham no ramo em empregos gerados na agropecuária.


Fotos: www.nabaladadf.com.br

SOCIAL

20


W

hite Party a balada que causou Auê em Formosa, reunindo muito glamour e gente bonita. A quarta edição aconteceu no último dia 10 de maio no espaço de festas GreenVille. A balada teve a presença da artista Juju Salimeni e muita musica eletronica comandada pelo aniversariante da noite Dj Walmir Kamonk e seus convidados Dj Rodrigo Hortz e Dj Hopper.


ATUALIDADES

Alexandre Campos Cidadão brasileiro

Política, Carnaval O que o Brasil e Futebol tem de igual?

P

ara o miscigenado, latino, emotivo, alegre, “caliente” e singular povo brasileiro os grandes acontecimentos, seja de natureza esportiva, cultural ou política não passam de uma grande festa, compartilhada coletivamente, com direito a longos e minuciosos preparativos, não importando o tempo de espera, o empenho empregado, ou o custo final de cada evento que é cultivado com muita esperança, alegria e paixão! Sim, o “brasiliano” é de natureza festiva ao extremo! Um dos países do mundo com maior número de feriados por ano e praticamente recordista de participação de público em eventos populares, como por exemplo, o carnaval, as eleições e o futebol, realizados ciclicamente. O que nos chama a atenção é o preço, que de uma maneira individual e/ ou coletiva, inevitavelmente nos é cobrado por cada uma destas grandes super produções, que têm altos custos e no “frigir dos ovos”, esse ônus, mesmo que de uma maneira furtiva e silenciosa, recai a toda nação brasileira. O CARNAVAL, festa popular pagã praticada no Brasil desde os tempos do império e que ocorre no início de cada ano, praticamente dá seqüência aos eventos natalinos e de fim do ano anterior, sendo que na prática o país inicia de fato no campo da produtividade econômica, no período escolar, ou nas ações política e parlamentares, somente a partir dos festejos carnavalescos que em algumas localidades, como nos Estados da Bahia, Rio de Janeiro e

24

Pernambuco – os quais curiosamente receberam uma forte influência da coroa portuguesa, se estendem por semanas, tudo com o aval da sociedade e apoiado incondicionalmente por uma “BIG” cobertura midiática de abrangência em todo território nacional. O carnaval é capaz de trazer muita alegria e gerar benefícios ao turismo, porém em outras áreas, como no caso da tradicional e insana mistura de droga lícita (álcool) ou não lícita com trânsito e direção, resulta em nefastas tragédias. Somando-se a imprudência e negligência acarretam um prejuízo tão grande à sociedade que é de difícil mensuração, comparável somente aos estragos e baixas de uma guerra civil, como no caso do Iraque e em outros países em conflito. Ainda, por meio do excessivo apelo sexual, em decorrência do período de festas, elevam-se os índices de gravidez indesejáveis acompanhadas de doenças sexualmente transmissíveis (DST). Enquanto, outros importantes pontos da produção e o extenso recesso parlamentar agravam ainda mais os custos de um país que ensaia em voltar a se reorganizar e produzir satisfatoriamente somente a partir do segundo trimestre de cada ano. Quanto à indiscutível paixão nacional, o FUTEBOL, seja praticado de maneira informal e amadora nos campinhos de “peladas” improvisados e espalhados pelo país, ou ainda atrelado às bandeiras dos clubes do coração, cujas arenas ocorrem em campeonatos estaduais, nacionais e internacionais em estádios de estruturas gigantescas a serviço de uma verdadeira indústria de clubes, empresários, jogadores


e técnicos, cujas negociações e investimentos chegam facilmente a quantias milionárias sem que necessariamente o Estado ou a sociedade perceba qualquer tipo de benefício direto ou indireto resultante destas “estratosféricas” transações financeiras. Muito ao contrário, no caso da tão esperada copa do mundo no Brasil em 2014, a sociedade assiste o comprometimento de parcelas significativas de investimentos oriundos do erário público financiando um evento privado que não raras vezes aponta para indícios de superfaturamento, e com pouquíssimos legados positivos no que diz respeito às infraestruturas de transporte, saneamento, saúde, educação, segurança e muitas outras áreas básicas em benefício da sociedade. Ainda assim, acima de todos os escândalos e mazelas, ouvimos em coro, um forte apelo: “VIVA” nossos clubes de coração, e a seleção brasileira! O alerta está no risco de se tornar um subterfúgio e, se extrapolar além da condição de um esporte, se aproximando de um extremismo cego, agressivo e irracional, vindo a se transformar em alguns tristes episódios de violência gratuita dentro e fora dos gramados ocorridos com certa freqüência e explorados pela mídia tendo como resultado final, o prejuízo e a impunidade. Na POLÍTICA, a sociedade brasileira em pleno gozo da democracia vem aguardando para este ano de 2014 eleições majoritárias para o exercício da cidadania pelo voto. Fruto de uma grande conquista que visa, sobretudo, alcançar padrões de um país que se esmera na busca do ideal de progresso e liberdade. No entanto, é comum conviver com velhas práticas de corrupção, desvios de recursos públicos, escândalos intermináveis por parte de uma classe de políticos cujo ciclo vicioso se traduz em alcançar o poder a qualquer custo para em seguida se esbaldar das

benesses, refugiando-se nos bastidores dos parlamentos, e não rara das vezes com práticas do jogo do tipo “ganhaganha” entre aqueles afortunados eleitos. Ficam, portanto, em segundo plano ações políticas para a solução de gargalos presentes em questões históricas e urgentes, com o fito de se minimizar a desigualdade social externada pelos bolsões de miséria, uma má qualidade na educação, saúde e segurança, falta de moradia e emprego, índices de crescimento econômico pífios e um aumento desenfreado da violência entre muitos outros, ao passo em que se espera que estas questões sejam tratadas à altura de um “padrão FIFA”. Enquanto na outra ponta, o típico cidadão brasileiro não raras vezes deixa de exercer ativamente seu poder político como eleitor na medida em que tem memória curta e alta permissividade e passividade para escândalos, diante das más práticas empreendidas por parte de seus representantes políticos, e torna-se ainda mais suscetível no apelo emocional em períodos de festividades como em épocas de carnaval, festividades de fim de ano, futebol e promessas enganosas eleitoreiras. Apesar dos inquestionáveis avanços conquistados com o advento da Constituição Cidadã de 1988, pesa ainda sobre os “ombros” da nação a necessidade do povo brasileiro de despertar um verdadeiro espírito democrático de cidadania e patriotismo alicerçado nos mais elevados sentimentos de ética e moralidade, não podendo ser de menor intensidade que aqueles externados pelas torcidas de futebol ou presentes na alegria, entrega e determinação para o carnaval. Assim, quem sabe seremos capazes de construir uma verdadeira paixão pelo Brasil, e, em busca da construção desta enorme nação, de um povo singular no mundo, e de alcançar o apogeu de dias melhores para todos. Que venha, então, a copa do mundo, as eleições e os nossos carnavais...!


MODA

Aline Rosa

OUTLET

Relações Internacionais pelo UNICEUB, Lato sensu em Direito Comercial Internacional Arbitragem e Mediação pela Universidade de Lisboa, especialista em internacionalização do setor têxtil, analista financeiro, e empresária.

Você sabe o que é?

P

ara alguns a palavra OUTLET abrilhanta os olhos, remete à visão de um verdadeiro paraíso das compras, para outros equivocadamente é uma espécie de brechó e para uma grande parcela ainda é apenas mais um nome estrangeiro cada vez mais difundido em terras tupiniquins. Começamos por desmitificar a errônea relação OUTLET x BRECHÓ, que vai bem além da origem do nome, onde a única relação de comparação possível é o preço convidativo. Um “OUTLET” trabalha única e exclusivamente com artigos novos e em primeira mão, o que não vai de encontro ao objetivo do “BRECHO” que transaciona mercadoria e artigos usados. Etimologicamente falando “out” (fora) “let” (deixar) “deixar fora”. Entende-se como “deixar” os artigos promocionais, “fora” ou distantes das lojas correntes. Seguindo esse raciocínio, via da regra, “OUTLETS” devem ser localizados em locais mais remotos, distantes, quando se trata de grandes shoppings. Em casos de “OUTLETS” de rua, pequenas lojas de varejo, esses devem ser localizados sempre fora do centro da cidade. Isso se explica, pois originalmente quando se comercializa uma mercadoria off-price (preço menor) deve-se manter uma distância geográfica de lojas onde se comercializa lançamentos “full-price” (preço completo). Existe

26

também o objetivo de redução de custos operacionais, os preços dos imóveis e alugueis são mais acessíveis em lugares mais afastados. Nesse sentido jamais veremos um outlet da Gucci por exemplo, em plena Fifth Avenue, em NY. Não precisamos ir tão longe, um exemplo claro é o próprio “OUTLET PREMIUM BRASILIA”, altamente criticado por levar o nome da capital e estar localizado no “meio do nada”, no estado de Goiás. Imagina a balbúrdia que causaria se um centro comercial com mais de 80 lojas estivesse sido projetado próximo ao Plano Piloto? Por questões óbvias a idéia dos “OUTLETS” não é prejudicar ou impactar lojas correntes, até porque isso afetaria a própria marca, visto que o lucro maior está nas novas coleções. O objetivo é sim escoar artigos NOVOS de coleções anteriores, artigos de desfiles, peças piloto e em alguns poucos casos, peças com pequenos defeitos. Os “OUTLETS” são ideais para pessoas que não abrem mão de qualidade aliada a baixo custo. É uma forma de consumo inteligente. O grande segredo é sempre optar por peças atemporais, que nunca saem de moda. Como em geral “OUTLETS” não seguem tendências nem estações climáticas, existe uma infinidade de opções para compor looks incríveis e o melhor, gastando pouco.


NA CAPA

Fotografia e Iluminação: Renatta Muniz e Guilherme Bays ____________________________ Unhas: Ateliê das Unhas ____________________________ Cabelo: Leandra Araújo ____________________________ Maquiagem: Andréia Maichaki ____________________________ Roupas: Pocoloca Modas ____________________________ Acessórios: Morana Acessórios ____________________________ Modelos: Caio Juvenal e Stephani Ampessan


A Pocoloca Modas há 5 anos trazendo as melhores tendências em vestuários no mundo da moda. Iniciando como monomarca feminina, sendo revendedora autorizada e exclusiva Babioli. NOVIDADES: Infantil, a partir de 2 aos 12 anos; Infanto juvenil, de 12 até 18 anos; Adulto com numeração até 42. (61) 3642-4111 pocolocamodas@yahoo.com.br

facebook. com/pocolocamodas @Pocoloca_Modas


Na Capa


MODA

Débora Mendes Paulista, Publicitária, Empresária responsável pelo Informativo Cultural Boca Aberta e Brechó Maria Galocha.

Ideias para arrasar na quadrilha ou na peças que você balada, com provavelmente já C

tem!

omidas gostosas, música sertaneja, friozinho fashion, correio elegante... Tem como não amar a época de Festas Juninas? Para aproveitar com o melhor look possível, seja dançando quadrilha ou curtindo a festa como uma balada com as amigas, separamos dicas para montar uma produção que tenha tudo a ver com seu estilo e o melhor: com muitas peças que você já deve ter no armário!

Peça-chave: vestido floral, superfeminino! Look quadrilha: aposte no visual divertido com o mix das estampas xadrez e floral. Use a camisa aberta e com um nozinho por cima do vestido, fica bem fofo! Complete o look com uma bota baixinha marrom (pode ser bem ao estilo cowboy) e dê o toque girlie final com a tiara de laço! Balada Junina: como nessa época costuma fazer frio, use uma jaqueta de couro bem justinha sobre o vestido (se preferir, um blazer colorido também é uma opção legal). Uma botinha de salto deixa o look mais balada,mas não perde a carinha folk da festa. O make e o cabelo ajudam muito entrar no clima da festa! Para a quadrilha, capriche na caracterização com trancinhas duplas, maria-chiquinha, batom pink, pintinhas... Já para o look balada, vale uma brincadeira com o penteado. Fica a dica! Boa Festa!

32


MUNDO E SOCIEDADE

Paulo Santiago

Futebol, Política e Religião

A

paixão desenfreada é uma característica da adolescência. É nesta fase da vida que um caminhão de hormônios é produzido por dia, levando os jovens casais a morrerem de amor um pelo outro. A paixão faz Tião Macalé virar Lázaro Ramos. Faz Olivia Palito virar Gisele Bundchen. O motivo desta distorção da realidade, é a necessidade de ratificar a identidade psicossexual do adolescente que se prepara para a vida adulta. É aí que mora o perigo. Uma gravidez nesta fase da vida, por exemplo, vai trazer complicações para as outras fases da vida que estão por vir. De certa forma, é o que acontece com o Brasil. A paixão desenfreada por futebol, política e religião, faz com que a nossa percepção sobre o assunto, seja tão equivocada, que assim como o adolescente se nega a ponderar com os pais sobre o seu amor tsunâmico, nós também passamos a vida a repetir que futebol, política e religião, não se discute. Como adolescentes apaixonados, não queremos sair da fase do encantamento: Meu time é o único que presta, meu candidato é o único que não rouba, e

34

Professor graduado em história, teologia e graduando em psicologia. Psicanalista clínico atuando em Formosa e Brasília. (Lifecenter) (61) 9953-2179

minha religião é a única que salva. O Brasil ainda está cheio de espinhas na cara. Todo debate, que deveria ser sério, vira uma discussão apaixonada. Ouvi repórter esportivo dizendo que a seleção brasileira já é a campeã da copa porque teria comprado este mundial. Imagina o Brasil comprando 32 seleções espalhadas pelo mundo inteiro! Ouço pessoas dizendo que manifestações durante a copa é um erro porque a indignação tem que vir das urnas. Bobagem! Quem dera se com apenas um voto a gente tivesse cumprido a nossa missão de endireitar o Brasil. Por último, ainda sou obrigado a ouvir fanático religioso dizer que futebol, política, que a minha e a sua religião, é tudo coisa do capeta. Neste aspecto, o Brasil não está nem na adolescência. Regrediu para a primeira infância. Voltamos a fase oral de nossa existência. Claro que eu não sou o dono da razão. Posso estar equivocado quanto ao grau de maturidade do Brasil. Pode ser que o Brasil seja só aquele lugar onde calor humano é mais forte e as pessoas gritam em vez de falar. Nesse caso o fanático religioso está certo. O Brasil é mesmo o tacho do capeta e a gente não sabia.


CULTURA

Leônidas da Silva Pires Ex-Secretário de cultura da Prefeitura Municipal de Formosa-GO, de 2002/2008

Nós fazemos turismo ou somos turista em outras terras?

N

osso Município tem uma vasta e diversificada veia turística, só não sabemos ainda o que fazer com ela. Tão grandes quanto o nosso potencial, são os entraves que existem, os quais emperram o processo para fazer de Formosa uma cidade verdadeiramente turística. O primeiro e grande problema é que quase todos os atrativos estão em propriedade particular e, por ironia do destino, os proprietários não precisam de uma outra renda e nem se interessam em explorar a riqueza de suas terras. Como resolver a questão? A resposta é simples, porém complexa, dispendiosa e desgastaste: DESAPROPRIAÇÃO. Assim, o município assume de fato e de direito o comando das ações para se fazer de Formosa uma cidade verdadeiramente turística, como tantos outras pelo país afora. Só que o processo de desapropriação desencadeia uma série de questões difíceis e complexas para se resolver. Primeiro: o município teria que indenizar todos os proprietários. Com que dinheiro? É a pergunta chave! Depois vem a falta de decisão política de nossos administradores, que desconhecem que o município tem a galinha dos ovos de ouro. Sabemos que o processo é longo e penoso, por isso acho que ninguém tem coragem de começar e, se um dia isso acontecer, os que sucederão terão de ter a extraordinária visão de dar sequência ao processo. Aí e que mora o risco. Qual é o prefeito que gosta de continuar um projeto de seu

36

antecessor? Faltam, então, consciência política, responsabilidade e interesse. Um outro caminho mais curto seria convencer todos os proprietário dos pontos turísticos a explorarem suas atrações. Daria certo, sem traumas e sem muitas dificuldades. O duro é convencê-los. Caso isso ocorresse, ficaria para o poder público a missão de divulgar nosso município lá fora. Público tem de sobra para descansar e desfrutar da grande diversidade e exuberante beleza que temos. Os milhões e milhões de brasilienses que vivem enlatados na capital, por exemplo. Como o assunto é sério demais, fazse necessário criar uma comissão para estudar o assunto, a viabilidade econômica, como alcançar os resultados esperados, como tornar o projeto menos oneroso. Diante da geografia do município, entendo que terão que ser criadas rotas distintas para vender aos turistas. Isto porque não dá para propor a ninguém conhecer nosso potencial de uma só vez, isso é impossível. Por exemplo, só na região da Serra Bonita temos: Poço Azul, Cachoeira do Bonito, Gruta da Escaroba. Região do Bisnau: Sítio Arqueológico Bisnau, Buraco das Araras, Lajedo, Cachoeira do Bisnau, entre outros tantos. Região do Itiquira: Gruta Toca da Onça, Itiquira, Cachoeira do Bandeirinha, Trilha do Indaiá, Cachoeira da Água Fria, entre outros. Lagoa Feira, quase abandonada, Mata da bica, Lago do Vovô, monumentos tombados no centro da cidade, museu, igrejas… Pontos turísticos temos de sobra. Resta explorá-los melhor.


LITERATURA

NAMORADOS...

O

Dia dos Namorados é uma data especial e comemorativa no qual é celebrada a união amorosa entre casais e como não poderia deixar de ser, é muito comum a troca de cartões e presentes que simbolizam o intuito. Esse dia é também conhecido como o Dia de São Valentim, onde em muitos países se comemora a data no dia 14 de fevereiro. Mas aqui no Brasil é comemorado às vésperas do Dia de Santo Antonio que aqui no nosso país tem a fama de santo casamenteiro, ou seja, 12 de junho. É sabido que o Dia de São Valentim cai em um dia festivo onde se comemora dois mártires cristãos diferentes, de nome Valentim. Mas a história nos mostra que provavelmente os costumes relacionados com o dia, vem de uma antiga festa romana chamada LUPERCALIA, que era realizada em todo dia 15 de fevereiro. Fazia esta festa homenageava JUNO, a deusa das mulheres e do casamento e PAN, o deus da natureza. Considerado, pela Igreja Católica mártir a data de sua morte 14 de fevereiro, assim marca a véspera das LUPERCAIS, a festa que era celebrada na Roma Antiga. Os ritos dessa festa era a PASSEATA DA FERTILIDADE, em que sacerdotes caminhavam pela cidade e isso consistia em bater todas as mulheres com correia de couro de cabra assegurando assim a FECUNDIDADE. Remonta a um obscuro dia de jejum o Dia de São Valentim. A associação que se faz com o amor romântico chega ao fim da Idade Média, quando então o conceito de AMOR ROMÂNTICO fora formulado. Na época o bispo católico muito lutou contra as ordens dadas pelo imperador Cláudio II, proibindo o casamento em tempos de guerras, pois ele acreditava que os melhores combates eram aqueles que estivessem na condição de solteiros. Assim sendo, continuou apesar das

38

Ademir da Paixão Sampaio Graduado em Letras, Português e Inglês, pós graduado em Administração escolar e planejamento escolar, vicediretor do Colégio Militar de Formosa-GO.

proibições do imperador a celebrar casamentos. Após a descoberta da prática o bispo foi preso e condenado à morte. Durante o seu cárcere, jovens lhe enviavam flores e bilhetes dizendo que ainda acreditavam no amor. Apaixonase no período em que aguarda na prisão o cumprimento da sua sentença, pela filha do carcereiro e milagrosamente devolveu-lhe a visão. Porém antes da execução, escreveu uma mensagem de adeus a ela e nela assinava como “Seu Namorado” ou “De seu Valentim”. Ainda no século XVII temos uma versão adotada pelos Ingleses e Franceses que passaram a celebrar no Dia de São Valentim o Dia dos Namorados, um século depois a data foi adotado nos Estados Unidos, tornando-se o THE VALENTINE’S DAY. Na Idade Média o dia 14 de fevereiro era tido como o primeiro dia de acasalamento dos pássaros, e por essa razão os namorados daquele tempo usavam a ocasião para deixar nas soleiras da porta do(a) amado(a) mensagens de amor. E essa prática se espalhou nos dias atuais de maneira bem acentuada, tornando assim uma data muito rentável para o comércio, mudando assim o verdadeiro sentido do momento. O dia de São Valentim era até há algumas décadas uma festa comemorada principalmente em países anglo-saxões, mas ao longo do século XX o hábito estendeu-se a muitos outros países. No Brasil, comemora-se a data em 12 de junho. Provavelmente a data surgiu no comércio de São Paulo, quando o comerciante chamado João Dória, vindo do exterior trazendo e apresentando aos comerciantes essa idéia. Expandiu-se pelo Brasil, amparada pela correlação a 14 de fevereiro, ou seja, - Dia de São Valentim, passando assim a ser um marco incentivador para a troca de presentes entre os apaixonados.


+


MUNDO E SOCIEDADE

Enéias Aragão

Reconstrução

Social por Mídias...

A

tualmente blogs, chats, fóruns sociais de discussões, comunidades virtuais dentre outros recursos midiáticos influenciam e permeiam os debates hipertextuais de comunicação, onde são utilizados como meios condizentes à opinião pública, que por sua vez são carregados de significados. Com a modificação das mídias de comunicação, consideradas massivas (rádio, jornal, tv) e sua inovação para pós-massivas (celular, internet, blogs, chats), surge a capacidade do indivíduo de interagir e expressar suas ideias e opiniões, ocupando não apenas o papel de consumidor ou receptor de uma informação pronta e acabada como era o caso das mídias massivas, as quais apenas visavam o repasse de informação sem a possibilidade de interação pelo interlocutor. Desta forma, surge a possibilidade de qualquer pessoa se tornar sujeito ativo-construtivo das mudanças na sociedade e não apenas ler , ouvir e ter que aceitar o que lhe era exposto pelos meios massivos de comunicação. Nesta nova fase de movimento de informação, é agregado a mediação, a participação, o debate, o pluralismo de pensamento e ideais em prol de um único objetivo, construir uma sociedade melhor onde todos tenham o mesmo poder de participação e decisão, onde o virtual por meio das tecnologias as quais fazem da comunicação uma ferramenta de movimentação, reorganização e construção de uma inteligência coletiva, onde, sujeitos mesmo nunca terem se vistos na vida, interagem e argumentam em favor de

40

Paranaense, reside em Formosa a mais de 8 anos. Empresário, mestrando Ciências da Educação, Pós-Graduado em Gestão e Orientação Educacional pelo Instituto IMPAR e Graduado em Pedagogia pela Faculdade IESGO.

um mesmo objetivo independente do espaço geográfico entre estes indivíduos. Diante desta realidade, faz-se necessário uma orientação crítica para a utilização das mídias pós-massivas, onde se deve destinar este recurso como ferramenta de movimentação significativa para a sociedade, o usuário destes recursos deve destiná-los com sabedoria e inteligência. Observa-se que com a expansão das mídias pós-massivas as emissoras de rádios, TVs, jornais apesar de ser ainda uma forma massiva de comunicação estão agregando valores das mídias pósmassivas, onde vinculam com inovação, a interação e participação do cidadão por meio destes recursos, esta união está voltada a uma nova maneira de fazer informação e comunicação, utilizarse destas mídias em conjunto favorece a re-significação e reestruturação da democracia e cidadania, fenômeno esse denominado de ciberdemocracia, ou seja uma democracia cidadã exercida por meio dos recursos midiáticos. Neste pensamento deve-se analisar, refletir e entender a necessidade de destinar esses recursos em favor de uma utilidade coletiva, portanto reveja como você utiliza-se de seus meios comunicativos e informativos, reinvente, crie, abra os olhos para uma forma consciente e crítica na utilização destas mídias, pois estas estão a disposição para auxiliá-lo na construção de uma sociedade mais justa, solidária, pacífica, humana e menos desigual, não que estes instrumentos por si só mudarão o mundo, mas é possível por intermédio destes utilizálos na construção de uma sociedade mais transparente, democrática e participativa.


ESPORTE

Treinamento

funcional O que é, e por que está sendo tão procurado?

João Teixeira dos Santos (Caburé) Graduado em Licenciatura e Bacharel em Educação FÍSICA na Universidade Católica de Brasília. CREF: 005950-GO - PERSONAL TRAINER E PROPRIETÁRIO DO STUDIO CORPO ATIVO . Já viajou para África e Europa ministrando aulas de Capoeira e dando palestras sobre qualidade de vida.

O que é? O treinamento Funcional é um método de treinamento que visa o equilíbrio das estruturas musculares, a prevenção de e a melhora na performance de atletas. Muitas vezes, por questões estéticas ou mesmo por falta de informação, as pessoas fortalecem apenas a musculatura mais superficial e de forma isolada, sem se preocupar com o movimento como um todo. Isso acontece na musculação convencional. Os músculos fortes ficam cada vez mais fortes e consequentemente os músculos mais fracos (e não menos importantes) ficam cada vez mais fracos. Esta forma de treinamento gera um desiquilíbrio progressivo, com redução de eficiência dos movimentos, o que se torna fonte de lesões comuns. A forma com que os exercícios são realizados nos aparelhos convencionais de musculação reduzem a exigência da coordenação e estabilidade que o exercício livre exige, pois estes aparelhos já servem como estabilizadores das articulações. No treinamento funcional o trabalho muscular não é realizado isoladamente, isto é, os exercícios são executados de forma global (forma em que a musculatura é exigida nos movimentos do dia-a-dia ou de um esporte especifico). Assim, toda a cadeia muscular não é fortalecida, gerando uma força, potencia muscular, estabilidade, equilíbrio e coordenação motora.

Método de Treinamento O Treinamento Funcional não é um método novo. É um modelo de treinamento estudado e aperfeiçoado ao longo do tempo por educadores físicos e fisioterapeutas. O aluno que chega pela primeira vez ao ”Studio” ou sob orientação do seu ”Personal Trainer”, e será de forma gradual, iniciando com exercícios educativos que levarão, ao longo dos treinos, a exercícios que exigirão força e muita estabilidade lombar. É claro que, cada aluno terá seu nível de condicionamento e seu objetivo com os treinamentos, por isso as progressões serão realizadas conforme o próprio aluno. Quem deve praticar o Treinamento Funcional? Não-atletas: pessoas que procuram qualidade de vida, saúde, emagrecimento, fortalecimento muscular e melhoras nas atividades diárias. Semi-atletas: para quem pratica algum esporte com frequência e que necessita de reforço muscular para evitar lesões e\ou que procura perda de peso e ganho de massa muscular. Atletas: Para quem procura melhorar a “performance” e rendimento esportivo. Para atletas que precisão mais do que “levantar peso”. Que necessitam de treinamento físico de qualidade. Hoje, existem muitos profissionais que tem sua formação voltada para exercícios funcionais. Procure o melhor que lhe agradar e peça para mostrar-lhe alguns exercícios funcionais e suas variações. Comece a integrar esses exercícios em suas sessões. Com um bom treinamento seu corpo irá desenvolver e se adaptar aos novos estímulos melhorando sua saúde e ganhando qualidade muscular.

42


CULTURA

100 N o ínicio de 1914 ia ao ar o primeiro filme do então ainda desconhecido, Charles Chaplin, “Making a Living” conhecido no Brasil como Carlitos Repórter. Carlitos tinha um figurino diferente dos outros, um jornalista bem vestido com bigode longo. Chaplin não gostou muito, mas foi muito bem aceito pelo público. E foi em seu segundo filme, Kid auto races at Venice que o público o viu pela primeira vez na versão que conhecemos atualmente. Calça folgada, paletó surrado e apertado, chapéu coco, sapatos maiores do que os pés e querendo parecer mais velho (tinha apenas 25 anos na época), inventou o famoso bigode que deu vida ao conhecido personagem Carlitos ou “Vagabundo”. A essência de Chales era só uma, o humor. O jeito atrapalhado se tornou característico, tombos e os famosos “chutes no traseiro” davam personalidade a um personagem cômico, mas cheio de ternura. Alguns críticos da época chegaram a dizer que Carlitos beirava a vulgaridade, mas o público não se importava, já estavam apaixonados pela comédia. Ao longo da carreira, o personagem “vagabundo” criticaria discretamente alguns problemas que assolavam a sociedade como as duas Grandes Guerras e a crise de 29 nos

44

anos de

Charlie Chaplin Por Camila Alves

Estados Unidos, foram tempo difíceis, mesmo assim fez muita gente sorrir. Em 1929, na primeira cerimônia do Oscar, Charles Chaplin recebeu uma estatueta por sua versatilidade em escrever, dirigir e produzir. A ideia era que ele concorresse na categoria Melhor Ator, mas seu nome foi retirado para que ganhasse o prêmio especial. “Palavras são tão fúteis, tão frágeis. Gostaria apenas de dizer obrigado pela honra do convite”, discursou. Nos bastidores, Chaplin declarou a um repórter: “Fiquei muito honrado, mas devo admitir q u e comecei a fazer cinema por dinheiro. A arte veio depois, naturalmente. Nada posso fazer se as pessoas se decepcionam com essa afirmação. É a pura verdade”. Em 1940, lançou O Grande Ditador, um filme que ele resolveu satirizar Adolf Hitler e com toda a pressão do governo alemão e norteamericano para que deixasse de lado, o filme foi indicado ao Oscar de melhor Ator e Melhor Roteiro Original. Charlie Chaplin morreu de causas naturais no natal de 1977. Em 3 de março de 1978 seu corpo foi roubado do cemitério onde estava, mas foi encontrado pela polícia em 18 de maio do mesmo ano. Para a geração que não conhece o gênio do cinema mudo, fica a dica de sua divertida autobiografia, publicada no Brasil como “Minha Vida”, editora José Olympio.


CURTIDAS DE AMOR

promoção

Auê a pela Revista d za li a re r o m A entou Curtidas de ormosa, movim F s o ri ó A promoção ss e c A . om a Morana o mês de Maio d m fi em parceria c o n m ra stag e do álbum o facebook e In fazendo part suas fotos e to ar enviando regulamen diam particip das datas do po ro is nt sa de a ca id s O rios Formosa mais curt orana Acessó M oficial, a foto da al ci pe Kit es ganhava um , algumas Listamos aqui

46

s curtidas!

das fotos mai


O casal campe茫o conquistou 3.902 curtidas e um maravilhoso Kit da Morana Acess贸rios Formosa

Siga-nos! e @revistaau


NEGÓCIOS

Frank Lúcio Matos

O Atendimento

ao Cliente como vantagem

Administrador, possui MBA em Logística e Transportes, MBA em Gestão Estratégica e Qualidade Total, Marketing (FGV) é Consultor Empresarial, Perito Judicial e Extrajudicial (cálculos financeiros e trabalhistas). Envie sugestões e dúvidas .Email fk2matos@ibest.com.br

competitiva

F

alaremos hoje sobre o ATENDIMENTO AO CLIENTE, um tema muito debatido, pouco entendido e fundamental para todas as empresas. O cenário empresarial mudou, a globalização, a revolução digital, faz com que as empresas mais velozes devorem as mais lentas, é necessário reinventar os processos de negócio , repensar seu relacionamento com clientes , fornecedores, investidores , comunidade e funcionários . Antigamente o cliente era visto como um mal necessário, um dos motivos era a falta de concorrência e pouca oferta de serviços, tudo mudou, a agilidade das informações podem trazer prejuízos para quem atende mal, hoje há vários casos de clientes que além de falar do mau atendimento para outras dez pessoas, usam a internet para divulgá-lo, não é por acaso que grandes empresas monitoram as redes sociais e buscam clientes insatisfeitos para resolver o problema antes que o prejuízo seja maior. Ofereço consultoria e treinamento em Formosa e região e vejo a grande preocupação de muitos comerciantes em manter seus clientes satisfeitos; um modo de atrair clientes é SER DIFERENTE, melhorar o atendimento, oferecer momentos mágicos, oferecer educação e treinamento aos funcionários, manter seus clientes na curva da fidelidade, para isto deve sensibilizar todos os funcionários, é

48

preciso investir e ter paciência, envolver todos na busca pela satisfação dos clientes. Conquistar clientes não é tão difícil como mantê-los, conhecer o cliente é estratégico, pois, “sem cliente não há empresa“, simples assim. Os funcionários de linha de frente onde acontecem os momentos da verdade devem estar comprometidos como o atendimento de qualidade ao cliente, tem que ficar bem claro que quem paga o salário de todos é o cliente, ele sim mantém a empresa funcionando, o cliente é rei. O processo de prestação de serviços fundamenta-se nos seres humanos, por isso é preciso que os funcionários estejam comprometidos, trabalhem em equipe, rompam as barreiras entre os setores, afim de, oferecer qualidade no atendimento, com disponibilidade, cordialidade, e rapidez, cativar e manter seus clientes oferecendo um “plus” no atendimento. Todo trabalho envolve um serviço e o mais importante é o valor para o cliente, a percepção que o cliente tem de sua satisfação atendida, este valor não está na coisa ou produto que oferecemos e sim no resultado percebido pelo cliente. É fundamental usar métodos de pesquisa e investigação, ouvir seus clientes, diagnosticar os gargalos que impedem o sucesso de sua empresa, reformular processos ineficazes, treinar e motivar seus funcionários, buscar a excelência no atendimento e o aperfeiçoamento contínuo.


SOCIAL

Anaorizia Goulart Aniversariante - 16/06

Chico Lira

Aniversariante - 23/06

Érica Magalhães

Aniversariante - 13/06

Eulália e Gustavo Ferreira Marquez Aniversariantes - 10 e 11/06

Junicesa Antônio Luiz (Junior Popó)

Núbia Froes

Aniversariante - 26/06

Aniversariante - 17/06

Melre Millia

Aniversariante - 21/06

Divino Ramos

Aniversariante - 05/06

Juliana de Almeida

Aniversariante - 30/06

Oriel Filho

Aniversariante - 23/06 Filho de: Oriel e Andréa Oliveira


Uma coletânea das principais notícias que correram o Brasil e o Mundo Joaquim Barbosa vai se aposentar Ministro Joaquim Barbosa anuncia decisão de se aposentar do STF, no fim de Junho ele deixará o cargo. Em entrevista ele disse o que motivou sua aposentadoria: “O motivo foi o livre arbítrio”, Disse o Ministro. Aos 59 anos, ele deixará o cargo de ministro e a presidência do STF. Pelas regras do tribunal, se não fosse por decisão pessoal, Barbosa só teria de deixar o Supremo quando completasse 70 anos, idade a partir da qual os ministros são aposentados compulsoriamente.

“Sobre os vândalos, acho que tem que baixar o cacete neles” Disse Ronaldo. Membro do Comitê Organizador Local (COL), o ex-jogador Ronaldo participou de uma sabatina promovida por um jornal, na qual conversou sobre diversos assuntos. Dentre eles, falou sobre Copa do Mundo, protestos e afirmou que é preciso “baixar o cacete” nos vândalos durante o evento.

Um dia inteiro, sem impostos Realizado no dia 22 de maio o dia da liberdade de impostos, dia em que empresários e consumidores se unem em prol da causa tributária do Brasil. Promovido em Brasília pela CDL-DF, o evento teve como sucesso absoluto uma promoção em um posto de combustíveis na região central da cidade, que disponibilizou 20.000 litros de combustíveis à R$ 1,98, valor 40% menor que o atual, durante todo o dia filas e mais filas foram formadas, até o fim da duração de todo o estoque. Fotos: Secom STF, Folha de São Paulo, Agência Brasil


MORANA.com.br


Revista Auê #7