Page 1

Edição Abril/Maio de 2014

1


2

Edição Abril/Maio de 2014


Edição Abril/Maio de 2014

3


EDITORIAL

Olá!

Bem-vindo a revista Amigo Pet.

Mais do que ser um veículo cujo foco são animais de estimação, somos uma revista que também é uma grande oportunidade para que empresas do segmento pet possam expor seus produtos e serviços a uma parcela cada vez mais crescente de consumidores. O Brasil já é a 4ª maior nação do mundo em número de animais de estimação. Temos uma população de 37,1 milhões de cães e 21,3 milhões de gatos. Serviços especializados em nichos já começam a surgir, nesta primeira edição comentamos alguns e temos uma entrevista com Gentil Pereira, médico veterinário que acompanhou este movimento de valorização do segmento pet. Com uma tiragem de 10 mil exemplares e com pontos de distribuição em todas as cidades de Mato Grosso do Sul, a revista Amigo Pet é a melhor vitrine para que o mercado pet divulgue suas novidades para um público que não para de crescer. A ligação afetiva com eles nunca esteve tão forte e agora é a hora de se aproveitar dessa tendência.

Boa Leitura, aproveite cada informação que

disponibilizamos aqui, exclusivamente para você leitor e anunciante!

CLEVERSON RIBEIRO FRANCO Publisher 4

Edição Abril/Maio de 2014

cleverson@amigopet.com.br


MINI.com.br A BMW Group Brand

Com ele, é impossível dar só uma voltinha

BE MINI.

Raviera Motors Av. Ceará, 100 (67) 4009-7000

VISITE A RAVIERA MOTORS E ESCOLHA O SEU. MINI SERVIÇOS FINANCEIROS 0800 770 4015 | www.MINIfs.com.br

No trânsito, somos todos pedestres. 5 Edição Abril/Maio de 2014


Conteúdo 27

Terceiro Setor

Ong que cuida de mais de 60 animais abandonados precisa da sua ajuda

28

14

Bem Estar

Evite a doença do Carrapato com as dicas espertas que preparamos para você

capa

32

Beth Puccinelli

Personalidade

A Primeira Dama do Estado bate um papo sobre o Pingo e o Teddy

Gentil Pereira conta sua trajetória como veterinário na Casa do Agricultor

C

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K

20

24

26

Distribuidora promove campeonato de boliche entre pet shops e clínicas veterinárias

Veja quais os procedimento para levar o animal de estimação em suas viagens

Descubra o que faz um groomer e o que ele pode fazer pelo seu pet

Aconteceu

6

Dia a Dia

Edição Abril/Maio de 2014

Estética

Revista Amigo Pet é uma publicação da Vrix Comunicação Tiragem: 10 mil exemplares Distribuição Gratuíta Diretor: Cleverson Ribeiro Franco Jornalista: Palmir C. Franco - DRT/MS 132 Redação: Rua do Cipreste, 314 B. Marcos Roberto • Campo Grande/MS 67 3045.0793 / 9219.3043 www.amigopetms.com.br facebook.com/amigopetms redacao@amigopetms.com.br


C

M

Y

CM

MY

CY

MY

K

Edição Abril/Maio de 2014

7


MERCADO PET

Estúdio de fotografia investe em animais de estimação O serviço está tão em alta que, recentemente, foi lançada a empresa Reflexo Animal, que tira fotos exclusivas de animais de estimação em Campo Grande. Com os fotógrafos Renata Midori e Rafael Aoki, a Reflexo Animal tem ampla estrutura voltada para os bichos. “Fazemos books fotográficos impressos ou digitais, ao ar livre, junto com o dono. O importante é registrar o momento ao lado dos animais” destaca Renata. “As pessoas consideram o animal como membro da família e querem que ele tenha tudo, inclusive um book. Tem também quem guarde a foto como uma lembrança para sempre. Não é muito fácil porque cada bicho age de uma maneira. Eles não sabem que devem olhar para a câmera e é preciso paciência. O segredo é deixar o animal livre e tentar captar o seu melhor momento”, diz Aoki. Para contratar o serviço: 67 9693.5290 / 9190.1563 facebook.com/reflexoanimal

8

Edição Abril/Maio de 2014

Empresa agora leva seu cão para passear O mercado pet no MS está cada vez mais dinâmico e oferecendo opções variadas em serviços e produtos para quem tem animais e estimação. Uma prova disso é a Walkdog, uma empresa de Campo Grande que nasceu com a proposta de preencher o tempo de seu cão quando você não tiver tempo para ele ou quando precisar se ausentar. A empresa leva seu cão para passear. Quando o trabalho exige que nos ausentemos e levar o bichinho não é uma opção, a Walkdog oferece o serviço de baby sitter, cuidando da alimentação, troca de água e limpeza do local onde o animal vive. A empresa possui profissionais treinados e certificações para realizar o serviço. Mais informações pelo telefone: 67 3201.9207 ou pelo site www.walkdog.com.br

Clínica veterinária exclusiva para gatos Com o aumento da população de felinos no Brasil, que segundo a dados da Abinpet – Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação – já é de 21,4 milhões, empresas e serviços especializados em gatos já começam a surgir. Em Campo Grande já há uma clínica veterinária especializada nesses animais, a Mania de Gato, que além de possuir um pet shop, oferece banho e tosa, consultas e vacinaçoes. Com facilidade para de adaptar em apartamentos, gatos não precisam passear com o dono e não fazem barulho. Por isso, a população de gatos domésticos tem crescido cerca de 8% ao ano. Informações sobre a Mania de Gato: Rua 7 de Setembro, 1870 • 67 3321.0450


Edição Abril/Maio de 2014

9


10

Edição Abril/Maio de 2014


Edição Abril/Maio de 2014

11


MERCADO

ALIMENTO COMPLETO PARA SEU PEIXE

Seu peixe ornamental tropical ou marinho agora tem um alimento especialmente desenvolvido para ele: Alcon Shrimp. Com variada composição de proteínas e nutrientes, este alimento ainda conta com o carotenóide astaxantina, que ajuda a realçar a coloração natural do seu peixe, deixando-o mais bonito e viçoso. A presença de camarão, artemia e lula torna esta ração muito mais apreciada por peixes de hábitos carnívoros. Você encontra Alcom Shrimp nas melhores pet shops especializadas em peixes do Estado.

ALIMENTE SUA AVE E ECONOMIZE 30%

O alimento para aves Alcon Club Periquito evita problemas nutricionais, como excesso de gordura e deficiência de vitaminas, frequentes nas dietas à base de sementes. Elaborada para aves de pequeno porte, como Periquitos, Agapornis, Calopsitas e Neophemas, tem na sua composição ingredientes selecionados, vitaminas e minerais de alta qualidade, esta ração apresenta as cores, textura e aroma mais agradáveis aos pássaros. Proporciona considerável economia, já que o consumo é cerca de 30 a 40% menor que o volume de sementes que seriam utilizadas, em função das cascas e do desperdício de sementes pelos pássaros. Você encontra Alcom Club Periquito em diversas lojas especializadas em aves do Estado

RAÇÃO PROMOVE REDUÇÃO DA COCEIRA EM CÃES

O alimento Royal Canin Dermaconfort é o mais novo integrante da extensa família de produtos da marca. Famosa pela variedade de itens para cães e gatos, a Royal Canin desenvolveu um produto nutracêutico voltado para cães saudáveis que, sem possuirem incidências de sarna, carrapatos ou pulgas, sofrem com coceiras e irritações na pele. Você encontra Royal Dermaconforto em diversas pet shops e clínicas veterinárias do Estado. Consulte o médico veterinário do seu cão.

12

Edição Abril/Maio de 2014


Edição Abril/Maio de 2014

13


14

Edição Abril/Maio de 2014


ENTREVISTA

P

Os netinhos de quatro patas da primeira-dama de MS

or trás de um grande homem, há sempre uma grande mulher. Esse provérbio se aplica perfeitamente à Beth Puccinelli, esposa do governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli (PMDB). Mas quando questionada a respeito do famoso jargão, a modéstia toma conta e entra em cena o discurso da união de forças. “Acho que nesse casamento tem que existir uma parceria entre os dois, um companheirismo. Um ajuda o outro em todos os momentos, seja num momento político, ou na vida conjugal mesmo. Acho que é uma auto-ajuda”, disse com um sorriso estampado no rosto. Foi nesse clima amistoso, com muita simpatia e elegância que a primeira-dama de Mato Grosso do Sul recebeu a equipe de reportagem do Amigo Pet de portas abertas, em seu apartamento localizado na região central de Campo Grande. Beth Puccinelli fez questão de nos apresentar o Pooddle Teddy de aproximadamente 10 anos e o Lhasa Apso Pingo, com cerca de três aninhos, chamados carinhosamente de “meus netinhos de quatro patas”. Além de contar sobre as vantagens de conviver com os animais de estimação, ela também revelou como surgiu essa relação de amor com os seus cãezinhos, os principais cuidados e a rotina deles.

Por Mariana Anunciação ‫ ן‬Fotos por Rafael Hardem

Edição Abril/Maio de 2014

15


ENTREVISTA ‫ ן‬BETH PUCCINELLI

Amigo Pet: Como surgiu sua relação com os animais de estimação? Beth Puccinelli: A minha filha caçula adora animais, é daquelas que não come carne porque acha que os sacrifica, ela é bem radical, e sempre nos pediu um animalzinho. Então, há dez anos, naquela época costumávamos comprar um bichinho, hoje, seria adoção. Daí, nós fomos ao shopping e trouxemos o Teddy. Passou um tempo, ela casou e eu fiquei com o Teddy. Mas ela arrumou outro cachorrinho, que é o Pingo, e ele ficou morando com ela. Depois, minha filha foi embora para São Paulo a fim de estudar, fazer concurso e daí o Pingo ficou comigo. Ela voltou, e eu que continuei com os dois. Amigo Pet: Por residir em um apartamento, quais são os principais cuidados para criá-los? É complicado? Beth Puccinelli: Não é difícil você manter um animalzinho de estimação. Até porque eles são muito companheiros. Eu mesmo adoro cachorros, gosto muito. Bom, o que a gente faz diariamente? Todo dia eles saem para passear, porque eles precisam sair, encontram os amiguinhos por aqui (Risos). Mas é claro que você não pode se esquecer de recolher a caquinha do cachorro, não pode deixar no meio da rua e nem na calçada. Após passear, como eu moro em apartamento, eu gosto que lavem a patinha, o fucinho e as partes íntimas. Geralmente, os veterinários não gostam muito disso não, eles falam que não pode. Mas nós secamos bem, não tem problema. Esse é o cuidado diário que temos com eles.

16

Edição Abril/Maio de 2014

“Minha filha foi embora para São Paulo a fim de estudar, fazer concurso e daí o Pingo ficou comigo. Ela voltou, e eu que continuei com os dois”.


ENTREVISTA ‫ ן‬BETH PUCCINELLI

Amigo Pet: Quando a senhora viaja quem toma conta dos cãezinhos? Beth Puccinelli: Daí tem a Christina Santiago, da Estética para Cães e Gatos, eu até recomendaria. É lógico que há outros locais, mas ela tem o cuidado de ficar com eles na própria casa, nos finais de semana. Eu tenho a certeza que eles estão sendo bem cuidados. A alegria deles é tanta, que eles não ficam chorando. Ela abre a porta do carro e eles correm abanando o rabinho, então é sinal que eles gostam dela e estão sendo bem tratados. Amigo Pet: Em sua opinião quais são os benefícios dessa relação entre os animais de estimação e os seres humanos?

Amigo Pet: Como é a rotina deles, a alimentação e frequentam algum Pet Shop? Beth Puccinelli: A alimentação é ração específica e vão uma vez por semana ao Pet Shop, tomam banho semanalmente e voltam bem cheirosos. É muito agradável conviver com cachorro em casa. Às vezes, eu fico sozinha porque o André viaja, ele passa um ou dois dias fora, ou até mais, e eles são os meus companheiros.

Beth Puccinelli: Acho que além deles serem muito companheiros, eles nos ajudam em vários momentos. Nas horas em que você está triste, o cachorro compreende, fica ao seu lado. Principalmente essa raça Puddle, que eu considero uma das mais inteligentes. Eles querem fazer de tudo para te agradar, para tirar aquela tristeza. Fora a alegria, quando você sai, briga com eles por qualquer coisa, mas quando volta o cachorrinho está te esperando todo feliz, alegre. Eles não guardam mágoas. Essa relação entre o ser humano e o animal, eu diria que é uma troca muito saudável. Amigo Pet: O que acha daquela história que o animal de estimação parece com o seu dono devido à convivência? Beth Puccinelli: (Risos) Sim, eu acho

Edição Abril/Maio de 2014

17


ENTREVISTA ‫ ן‬BETH PUCCINELLI que eles se parecem muito comigo, principalmente, o Teddy. Porque ele é muito guloso, ele passa mal depois e eu sou bem assim. Ontem, por exemplo, ele passou mal à noite de tanto que come, não pode ver o prato cheio de ração, que vai lá e come e depois bebe água. Daí eu penso, gente, ele é muito parecido comigo. Amigo Pet: Qual a sua avaliação sobre a importância das ONGs, entidades, e voluntários que lutam em prol dos animais? Beth Puccinelli: Eu admiro muito esse trabalho. Acho que graças a Deus existem essas ONGs, esses abrigos para os animais que são abandonados. Porque se você adotou ou comprou um bichinho quando ele era filhote, ele vai crescer e você tem que pensar que ele vai ficar velhinho. Eu mesma, tenho muito cuidado com os meus dois cachorrinhos. O mais velho (Teddy) tem um problema renal. Ele tem que tomar uma medicação específica. O outro (Pingo) tem um probleminha de pele, que tem que tomar uma injeção a cada seis meses. Então, quando você adota o seu bichinho você deve cuidar. Essas ONGs ajudam muito, também admiro o trabalho dos voluntários que doam o seu tempo, que estão lá e não abandonam os animaizinhos. A gente sempre faz campanha, está acompanhando e colaborando, porque vemos o resultado de tudo o que é feito. Amigo Pet: Qual o recado ou dica que você pode deixar aos nossos leitores que estão iniciando nessa relação com os animais de estimação? Beth Puccinelli: Eu diria que antes

18

Edição Abril/Maio de 2014

de você comprar aquele filhotinho lindo e maravilhoso, primeiro visite um abrigo, ou local que tenha bichos à disposição. Porque, de repente, você vê um e percebe que era o bichinho que tanto queria. Infelizmente, esses animais abandonados vão ficando lá, tudo bem que convivem entre eles, mas o carinho do ser humano é muito importante na vida dos animais, porque você é a família deles. Nesse caso aqui, além deles serem parte da família, porque eu

digo que sou a vovó deles, são meus companheiros. Também diria para aquelas pessoas que forçam a cadelinha a ter muitos filhotes, por favor, dê o espaço correto, deixa a lei natural das coisas. Não force seu animalzinho apenas para viver do comércio disso. Meu foco agora é diferente de há muitos anos. Hoje, eu diria que se eu quisesse um bichinho, se não tivesse esses dois, eu iria adotar um cãozinho mais velho, que foi abandonado.


Edição Abril/Maio de 2014

19


ACONTECEU

Campeonato de boliche reuniu o mercado pet A Bravo Saúde Animal, distribuidora Royal Canin para MS organizou o 1° Campeonato de Boliche Bravo/Royal Canin e reuniu as principais pet shops e clínicas do Estado. O evento aconteceu no Strike Boliche no dia 09 de Abril e premiou o 1° colocado na pontuação com um fim de semana no Zagaia Ecoresort em Bonito. Outro fim de semana no hotel foi sorteado entre todos os presentes.

20

Edição Abril/Maio de 2014

Fotos por Reflexo Animal


Edição Abril/Maio de 2014

21


22

Edição Abril/Maio de 2014


Edição Abril/Maio de 2014

23


DIA A DIA

VIAJANDO COM SEU AMIGUINHO Vai viajar e não quer deixar para trás seu animal de estimação? Saiba que cuidados especiais são necessários quando é preciso transportá-los. Pets como cães e gatos são membros da família para a maioria de seus proprietários e fazer uma viagem que seja segura para ele é motivo de preocupações.

O

rganizar a viagem do seu animal de estimação requer planejamento com antecedência. Para transportes por via aérea e terrestre é necessário adquirir uma gaiola/caixa de transporte de viagem ou cinto de segurança específico para cães, que ambos você encontra facilmente em pet shops. As condições do ambiente são diferentes dependendo de tamanho, raça ou es-

pécie. Por exemplo, um cachorro grande deve ser transportado de maneira diferente de um gato. Lembre-se também que se você estiver transportando mais de um animal, como dois cães, o transporte deve ser tratado de forma diferente, e eles devem ser transportados sem ter contato físico. Veja os procedimentos para cada tipo de transporte:

TRANSPORTE AÉREO

TRANSPORTE DE CARRO

Apenas para cães e gatos com mais de 4 meses de idade, transportados na cabine de passageiros ou no porão da aeronave;

O animal deverá ser transportado sempre no banco de trás e com a cabeça dentro do veículo, com a guia presa ao cinto de segurança ou usando um equipamento próprio para animais;

O animal precisa estar acomodado em uma caixa de transporte, igual a que ilustra esta matéria, com buraquinhos para ventilação e equipada com pote de alimentação e água; A caixa não pode ter rodinhas e deve ser fabricada em material resistente, como a fibra, para prevenir que o animal escape, A caixa deve ter forração para evitar vazamentos e espaço suficiente para que o animal fique em pé e consiga dar uma volta completa em torno de si; A caixa deve estar etiquetada com nome do animal e de seu dono, bem como endereço e telefone.

24

Edição Abril/Maio de 2014

O motorista pode ser multado se o cão ou gato estiver na janela do carro ou sozinhos no banco da frente; A caixa de transporte também pode ser utilizada neste caso, desde que a temperatura não esteja elevada. No caso de gatos, o uso da caixa de transporte é indicado para diminuir o estresse do animal; Os animais não podem ser transportados soltos dentro da caçamba de veículos utilitários, como caminhonetes e pick-ups. Há cintos de segurança específicos para cães em pet shops.


Para assegurar um futuro saudável ao seu Pet, inicie desde cedo o:

Programa de Saúde Oral

Traga o seu Pet para fazer uma avaliação odontológica

AQUI VOCÊ ENCONTRA

TUDO PARA SEU PET. BANHO | TOSA | RAÇÕES | CONSULTAS

MEDICAMENTOS | ACESSÓRIOS | VENDA DE FILHOTES

Loja 01: Rua Rio Grande do Sul, 1.976 | Vila Célia

3352.5544

Loja 02: Rua Vitório Zeolla, 680 | Carandá Bosque I

3211.2144

Edição Abril/Maio de 2014

25


ESTÉTICA

VOCÊ SABE O QUE É

GROOMING? É um serviço cada vez mais procurado por aqueles que prezam pela boa estética e higiene de seus animais.

É

executado por um groomer, que normalmente lava, corta, seca e a desenvolve a beleza do animal. O groomer também remove sujeiras, como a cera nos ouvidos com limpador, elimina o excesso de pêlos, corta as unhas do

26

Edição Abril/Maio de 2014

cão e o excesso de pêlos das patas, a guarnição de pele em seu abdômen e nádegas, e higieniza suas glândulas anais. O esteticista também seca a pele. Com uma escova específica para cães ele desata os nós dos pelos, e estiliza o corpo do animal usando tesouras. Além disso, há outros serviços com encargos adicionais, como escovação de dentes e um tratamentos como hidratação de pelos com shampoos específicos.

ANTÔNIO NETO GROOMER Há mais de 20 anos no mercado pet, Antônio Neto é um dos mais renomados especialistas em estética animal no país. Ministra cursos e especializações na tesoura com foco em diversas raças de cães. É consultor de salões de banho e tosa,

desde a montagem até a contratação de profissionais, além de oferecer soluções de reestruturações e treinamento de profissionais neste segmento.


Terceiro Setor

Ong Cão Feliz Promessa de continuar legado garante a sobrevivência de animais que foram abandonados por seus donos Cuidar de um cão já não é tarefa das mais fáceis, quem dirá de mais de 60. Este é o trabalho de Kelly Macedo, a presidente fundadora da ong Associação de Proteção Animal Sueli Craveiros “Cão Feliz” e seus colaboradores voluntários.

F

undada em maio de 2013, em promessa feita a amiga Sueli Craveiros, que antes de falecer lhe pediu para continuar o seu legado de cuidados ao melhor amigo do homem, a Cão Feliz hoje trabalha além de sua capacidade de abrigar animais, e além de um grupo de amigos que também abraçou a causa nobre de resgatar, tratar, alimentar e disponibilizar para adoção este animais, também conta com colaboradores que contribuem com doações em dinheiro e também em alimentos e materiais de limpeza. A Cão Feliz trabalha em parceria com duas clínicas veterinárias, a Clinvet e a Bourgelat, que trata os animais, realizando check ups, vacinando e vermifugando-os. Dependendo da gravidade, também são internados para tratamento. Quando sadios são encaminhados para o canil mantido pela ong, onde aguardam por interessados em adotá-los. A entidade mantém

uma fanpage onde todo o trabalho por ela realizado pode ser conferido: www.facebook.com/caofeliz. ong. Doações podem ser feitas por meio de depósito bancário: BANCO ITAU - AGÊNCIA 7408, CONTA CORRENTE 09260-4, CNPJ 18.638.792/0001-90, ASSOCIAÇÃO DE PROTEÇÃO ANIMAL SUELI CRAVEIROS.

Edição Abril/Maio de 2014

27


BEM ESTAR

S

egundo a médica veterinária Fabiana Armoa, da Pet Home da Antônio Maria Coelho, Campo Grande é endêmica em relação a incidência de carrapatos. Ela aconselha que quando se leva o caozinho para passear é preciso observar a grama por onde ele passa e os animais que estiverem em contato com ele. “Faça uma inspeção no cão, observando o focinho e as orelhas para que, caso seja encontrado algum parasita, ele seja eliminado prontamente”, diz a profissional. Para sua colega, Fabiana Kelly da Silva, médica veterinária e técnica responsável na Pet Home, “é sempre necessário que se coloque no cão aquelas coleiras carrapaticidas e manter sempre o local por onde ele transita sempre limpo e conservado.”.

Automedicação

LIVRE DA DOENÇA DO

CARRAPATO A Erliquiose, ou Doença do Carrapato é uma doença infecciosa transmitida pela picada do carrapato vermelho do cão. Coceira, falta de apetite, anemia e urina escura são alguns dos sintomas.

+ SuperDica

Adquira para seu cão coleiras carrapaticidas, assim você evita que carrapatos infectem o seu animal. Procure na Pet Shop mais próxima de você.

28

Edição Abril/Maio de 2014

Caso seu cão apresente os sintomas descritos no inicio da matéria, leve diretamente ao médico veterinário. Apenas ele tem o conhecimento para iniciar o tratamento. Segundo as médicas veterinárias, “as pessoas procuram informações sobre a doença na internet e com isso se sentem segurança para tomar a decisão de automedicar o animal, deixando a opinião do medico veterinário de lado. Vale observar que só há um tipo de antibiótico no mercado que trata esta doença e a automedicação pode ser empregada de forma errada. Só o médico veterinário sabe a dosagem certa e em quais casos usar o medicamento. O uso sem a prescrição correta pode levar o organismo do animal a desenvolver resistência ao antibiótico. E nem sempre em todos os exames é possível identificar a presença do parasita no sangue, por isso a análise clínica é soberana e mesmo que não encontremos indícios do parasita no sangue, procedemos com o tratamento”. O animal que não é tratado a tempo, pode sofrer insuficiência renal e vir a óbito.

Febre Maculosa

Carrapatos também causam doenças em seres humanos. Casos de Febre Maculosa, transmitia pela picada do carrapato da espécie Estrela são registrados com frequência em regiões onde há o contato com animais silvestres, como capivaras. Por isso, as médicas veterinárias aconselham evitar sempre o contato de cães e outros animais de estimação de animais silvestres.


Edição Abril/Maio de 2014

29


FOCINHOS

30 30

Edição Abril/Maio de 2014


Edição Abril/Maio de de 2014 Edição Abril/Maio 2014

3131


PERSONALIDADE

Gentil Pereira A prova de que para realizar nossos sonhos é preciso se dedicar

D

ono de uma das mais antigas e tradicionais pet shops de Campo Grande, Gentil Pereira tem na Medicina Veterinária a sua maior paixão. Há 34 anos na profissão, com dedicação e muito sacrifício viu todo um segmento crescer e se modernizar enquanto se dividia entre o Exército, a Medicina Veterinária e a família. Ele conta nesta entrevista toda sua trajetória e como conseguiu se tornar um dos médicos veterinários mais conceituados da cidade.

A ESCOLHA PELA MEDICINA VETERINÁRIA É um sonho que alimentava desde menino, e não tive oportunidade de fazê-la quando mais novo. Tive que servir o Exército, iniciei o curso de sargento e depois que o conclui, me casei. Após o casamento já estava resolvido nessa parte profissional. Então aproveitei para concluir os estudos, concluindo o antigo segundo grau, hoje ensino médio. Naquela época para ser sargento só precisava ter o ensino fundamental, e passar no concurso nacional. O DESAFIO DE SE TORNAR MÉDICO VETERINÁRIO Com o apoio do comandante do quartel fiz o vestibular, passei e fiz o curso com muito sacrifício, já casado e com 2 filhos, eu tinha que dar conta do meu serviço. Consegui concluir minha faculdade em 1980, na UFMS. Naquela época não havia muitos veterinários na cidade e no Estado. O INÍCIO DA VIVÊNCIA PROFISSIONAL Trabalhei no frigorifico da Prefeitura de Campo Grande, fazendo inspeção sanitária, em clinicas como plantonista, sempre fazendo algo paralelo com o quartel. Em 1989 fui transferido para Ma-

32

Edição Abril/Maio de 2014

rabá, no Pará. Uma cidade de médio porte que, naquela época não possuía médicos veterinários. Coincidiu de, logo após a minha chegada, ser instalado na cidade um laticínio. E logo em seguida eu e mais três colegas já estavam empregados nele, mesmo com todo o trabalho no quartel. O INÍCIO NA CASA DO AGRICULTOR A Casa do Agricultor existe há 30 anos. Quando voltei para Campo Grande me tornei o responsável técnico pela loja. Dava expediente apenas duas vezes na semana. O antigo proprietário era de Brasília e ele já almejava retornar para a cidade dele. Trabalhei para ele por dois anos, quando ele resolveu que não iria mais tocar o negócio resolveu vender a loja para mim. A época coincidiu com a minha saída do Exército, depois de 30 anos de dedicação. Aposentei-me e assumi o negócio. A RELAÇÃO COM OS FILHOS Meus filhos cresceram comigo aqui. Eles também optaram pela Medicina Veterinária. Em minha família há 3 médicos veterinários. Alguns colegas e amigos da área costumam me dizer que não há outra família na cidade com tantos médicos veterinários em sua composição.


hoje há clinicas que oferecem diagnósticos em radiologia e até de ultrassonografia. Essa tendência das especializações profissionais na parte clínica vem acontecendo no mercado veterinário de uns 10 a 15 anos para cá. No futuro é possível que já não haja mais apenas a figura do médico veterinário clinico geral, teremos profissionais especializados em diversas áreas médicas, assim como ocorre com os humanos. O TRATO COM CONSUMIDORES Há consumidores que muitas vezes já chegam sabendo qual ração quer adquirir para seu animal, outros já vem com indicação de um médico veterinário. Quando ele chega aqui na Casa do Agricultor e não tem nenhum desses costumes sempre orientamos a compra de uma ração que economicamente ele não tenha dificuldade para pagar. Nós temos o pensamento de que a alimentação animal já não é mais uma questão de nutrição, e sim de saúde também. Hoje há no mercado produtos alimentícios que já fazem a prevenção de várias doenças. Esses alimentos são chamados de nutracêuticos. E até o banho e tosa também já tem a função de prevenir problemas futuros. Graças a Medicina Veterinária consegui formá-los em faculdade particular. Digo sempre que desde que seja feita uma administração legal do negócio, é possível viver razoavelmente. A VISÃO DO MERCADO PET O mercado pet, na época da minha formação praticamente não existia. Havia poucas marcas de rações na praça. Naquele tempo a alimentação era confeccionada a base de restos de comida, era assim que os animais eram tratados. Na faculdade, os colegas que optaram por se

especializar para atender animais de pequeno porte, como cães e gatos eram gozados. Havia um descrédito de que esse segmento não dava dinheiro. Hoje é um dos segmentos mais especializados. Foi um desenvolvimento muito grande, acompanhei o surgimento de várias marcas e linhas de rações da linha pet. O MERCADO PET EM CAMPO GRANDE O mercado pet em Campo Grande ainda tem muito a crescer. Percebo que há muitas empresas diversificando seus serviços e

MEU CONSELHO PARA FUTUROS MÉDICOS VETERINÁRIOS Aconselho aos futuros profissionais que se foquem primeiramente no tempo de formação. É preciso desde cedo já escolher qual área da medicina veterinária almeja seguir e se direcionar para ela. Porque a coisa mais difícil é enfrentar a rotina e não ter vocação para ela. Aconselho principalmente escolher muito bem a sua área de gosto e colocá-la em pratica, adquirir vivência. Aprender a ouvir o seu cliente e ter sensibilidade no trato com os animais com certeza lhe tornará um bom profissional.

Edição Abril/Maio de 2014

33


34

Edição Abril/Maio de 2014


Edição Abril/Maio de 2014

35


36

Edição Abril/Maio de 2014

Revista Amigo Pet  

1ª edição da revista voltada para o segmento pet de Mato Grosso do Sul