Page 30

Uma ilha de belezas e mistérios olares é um município do Estado do Pará, no litoral do continente na baía de Marajó, na microrregião do Salgado, Nordeste Paraense. O município tem cerca de 11 mil habitantes, 613 km² e foi criado em 1961. Na região encontram-se praias de água doce e vegetação típica da floresta amazônica, mas a ilha tornou-se internacionalmente conhecida, através dos documentários exibidos na série “Arquivos Extraterrestres” veiculada por “The History Channel” acerca de supostos ataques de naves e seres extraterrestres, que foram documentados pela Força Aérea Brasileira, em 1977. Naquele ano o povo da localidade ficou apavorado, porque raios de luzes atravessavam os telhados das casas e atingiam as pessoas que ali dormiam. A comunidade toda se amontoava em três casas apenas, cantando e rezando musicas religiosas. O fenômeno ficou conhecido, popularmente, como “chupa-chupa”, porque os que foram atacados, falavam que o raio de luz havia lhe sugado o sangue. No posto médico da cidade, eram realizados os atendimentos de pessoas vítimas de queimaduras cujos responsáveis, segundo a população, eram as estranhas luzes vindas do céu. A história estava criando certa histeria entre os moradores, que buscando uma explicação religiosa, atribuía os ataques ao “diabo, que estaria na Terra para atacar os cristãos”.

C

Então, atendendo a solicitação do prefeito, uma equipe de oficiais da Aeronáutica, foi enviada à região para desvendar os estranhos fenômenos que foram batizados, posteriormente, pelo Comando Aéreo Regional de Belém de: “Operação Prato”. O comandante da missão, o Capitão Uyrangê de Hollanda Lima dizia que apesar de crer na possibilidade de vida extraterrestre, não acreditava ser esse o caso dos registros avistados em Colares, contudo mudou radicalmente de opinião durante o tempo em que esteve na região, pois teria visto, filmado e fotografado, diversos OVNI’s (Objetos Voadores Não Identificados) sobrevoando a cidade. Em 1997, vinte anos depois, Hollanda Lima concedeu uma entrevista aos pesquisadores Ademar José Gevaerd e Marco Antônio Petit, relatando os acontecimentos e as atividades de sua equipe nos dois últimos meses da operação. Segundo ele, sua equipe presenciou as mais surpreendentes e estranhas manifestações aéreas de natureza totalmente desconhecida. No ano de 2009, uma parte dos relatórios colhidos pela equipe de investigação militar, foi liberada para consulta pública, no Arquivo Nacional em Brasília (DF). O Ufólogo Ademar Gevaerd, declarou que: “A “Operação Prato” foi, até hoje, a maior investigação realizada por militares de um país, em torno de um evento considerado ufológico”. Atualmente, o Município de Colares é visitado por muitos cientistas, jornalistas,

Extra terrestre em frente uma casa de Colares

estudantes e curiosos, dispostos a desvendar os mistérios que ainda existem. Pesquisadores do episódio e apaixonados pelas Artes Visuais, os amigos Manoel Neto, professor de física da UFPA e Elias Silva, engenheiro eletricista, produziram um documentário, genuinamente paraense, intitulado; “Ufos na Amazônia” retratando os fenômenos ufológicos ocorridos na cidade de Colares, daquele ano. O vídeo descreve as investigações que se deram ao fato, assim como apresentam a ilha de Colares com ênfase às suas belezas naturais de suma importância ao pólo turístico paraense. Até chegarem a este novo desafio, a dupla trilhou há mais de 10 anos a captação de imagens através da fotografia, mas sempre dando ênfase aos temas regionais e populares amazônicos. Para Manoel Neto, dar praticidade e diminuir custos eram fatores relevantes

A iniciativa de Manoel Neto e Elias Silva

Pesquisando o episódio, fenômenos ufológicos, ocorridos na cidade de Colares 30

Pará+

Uma ilha de belezas e mistérios.indd 30

T www.paramais.com.br

15/09/2011 15:43:12

Pará+ 115  

Terruá Pará

Advertisement